Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05218


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/
Auno de 1844.
Sexta Feira 8
aafssBB un i"'""'"------------------------------
O I>iRio'ublio-it lodosos diasque nao forern santificados : o prego da taignatura
h> do iros iil rs. por qutrtel pagos adianlados. O annunc'iosdot assignanles sao inseridos
___,;, .- na iloo qae !r3 crci rai.in de 80 N SM ii'u. As reci--sCcs ..t.im ai uiri-
a ata iyp.', ra das Crutea n. 34 ou a praga da Independencia loja da litroan. 6 8
PARTIDA DOS CORREOS TERRESTRES.
GolAlttU,* P.rahjha, segundase sextas feiras.Rio Grande do Norte, cliega a S a 22 e par-
,t IttlM tUibo, Serinhaem. RioForoiao, Macey, PortoCairo, e Alagoat: no 1. ,
41 t do cada met. Garanhuns e Bonito a 10 e J4e cal mei loa-tiata a flor -
esa iJt j, DAS DA SEMANA.
4 Seer ,s. Curios Bmromeo. Aud.do J. de D. da '_'. T,
b Terca t. Zacrrilt. 4U1< aad.doJ. da l).d4.v.
6 Quaria s. Sesoro. Aud. do J. de D. da 3 .
7 Quinta a Florencio Aud do J de 1) da 2. T.
8 Sexta s SeTeriano. Aud. do J. de I), da 1. r.
9 Sab. a Tlieodoro Bel.
4i> Dom O Patrocino de N S;
DIARIO DE
de Novembro
Auno XX. 21. 250
^ y' ludo agora depende da na masaos; da natal ru '.c IC. .roderay.io- IB iru: -. a-
.\rf ''"""""t *"> principiamos una,;.i. dt Aliemblea G-rai ciunoj ko Da ~ "" >"
Cambio*tobra Londrta r 1.'nom,
Paria 3bU res por (,.
SWA T /" Lisboa i !U por lUu dc premio
^fj ioedada cobre ao par.
ldaaa da latra da boaa firmas por 0^0
renda,
Our.-Moedadoo 47 300 I7,buu
. V. 47.400 47,.JO
dt 4.UJ0 9.50U ',700
Prttt .'*' "' '"(>
Paeot eoliunaaatree l.'JH jlr
Ditoe aiictno. I.Vfl I.U'.'O
PHASES DA LA NO HEZ DE O tt'BRO.
I Minguanla a 4 al i horas a J mu .l> tarde |CrttOtnM a S oII 58 a, 'la larde.
Prtamar de koje.
Pr'nnairais -' lior.it 5i in da tard. | Sa indo as 18 minutos da tai ;i.'_._-^au .
I ii lll'Wl l aaalllilltaVW'g'Th-' i
MiTE 3FF.CIAL.

Governo da Provincia.
i-m'Miik.M'K DODIV 4 DO COR RENTE.
OfiicioA' Cmara Municipal de Olinda ,
approvando i arremataba do imposto sobre as
canoas do agoa do Varadoro feita por Pedro
Vctor Boulitroau e L. Buossard pola quantia
do 571,000 rs.
Dito Ao Inspector da Tliesouraria das
Rendas Provinciaes, approvando o contracto .
pelo qual Antonio da Silva Gusmo obrigou
seaazer a illumin'aco publica d'esta cidade
por lempo do anno moio contados do 1.o-do
Janeiro prximo futuro e pelo preco de 120 rs.
por cada lampio.
DitoAoCommandanto Gcral do corpo de
Polica, declarando ca respoita ao seu ofiicio
do 31 do Oulubro ultimo quo convem em
quo dos voncimontos do soldado do mes.no cor-
po Manoel Martins Kuriti se descontem V
a beneficio do respectivo hospital pelo lempo ,
em que, pretexto de doento estove no l.i-
mooiro sem prestar servico.
DitoAo mesmo nutorisando-o demit-
tir do servio, o soldado da 2.* companhia Ma-
noel Vieira de Jezus, quo por doente, diz S.
me., nao pode continuar servir, e o Corne-
ta da 3." Pedro Jos dos Santos de cujo mo
comportamenlo trata em seu ofiicio de l do
nez lindo.
Portaras- Nomeando para Supplentesdo Sub-
dclogadoda fregueziadcS. AntoniodoRecife em
Iolugar a Jos Machado Freir Pereira da Silva,
em sogundo ao Bacharel Antonio Jos A Ivs
Ferreira, em lerceiro a Manoel Antonio Vie-
gas, em quarto a Jos Egidio Ferreira em
quint t a Jos Higino de Miranda o em sexto a
Manoehla Silva Ferreira o para Supplentes
do Subdelegado da freguoza Je S. Fr. Pedro
GoDCaUes em primeiro lugar a Gaudino Agos-
t inhode Marros, em segundo a Ignacio Anto-
nio Horges, em terceiro a Jos (lomes Leal ,
em quarto ao Bacharel Jos Raymundo da Cos-
ta Menezcs, em quinto a Alexandre Rodrigues
dos Anjiis, em sexto a Jos (Vlaria Seve. I'ar-
ticipou-se ao Chele de. Polica.
K8??.' :: ^i"nanaaBBt^aMatfccgtgaaattttBJaaiaatatatatiatatanErn>Bai

hl.V.ICAO PARA l)EPUT\D0S PROVINCIAES.
Coegio de Itio Formoso.
Ck Srs : Votos.
Alvaro Barballio Uchoa Cavalcanli
Fernando Allonso
J)r. Antonio Allonso Ferreira
Christovao Xavier Lopes
Joaquim Jos de A/evedo
Dr. Felis Peixoto de Brito e Mello
Dr. Herculan Goncalves da Rocha
Moraei e Silva
Dr. Pedro Francisco de Paula Cavalcanli
Dr. Jos Bento da Cunha Figueiredo
\ gario Demetrio Jacomo de Araujo
Antonio Carneiro Machado Rios
Negociante Costa Reg
Ten. Cor. Izidro F do P. M. e Silva
Dr. Felippo Lopes Netto Jnior
Dr. Urbano Sabino Pessoa do Mello
" Jos Pedro da Silva
Dr. Manoel Mendes da Cunha Azevedo
Cona, Sebastio do llego Barros
Desemhargador Peixoto
Dr. Rales
Dr. Joaquim Nunes Machado
Dr. Jos Thoma Nabuco de A. Jnior
Padre Francisco Muniz 'Lavares
Baraode Suassuna
!>r. Rigocira Costa
Dr. Antonio Coelho do S
Joo Mauricio da Rocha Wanderlcy
foaqaim Jos.i da Costa
Jernimo Villela de Castro lavares
Vieira de Mello
:: 5ssBatAK:tn0sriA!UKrai
f Manoel Ignacio de Carvalho Mendoea
Laurenlino Antonio Pereira de Carvalho
Dr. Manoel Joaquim Carneiro da Cunha
Barao da Boa-vista
Manoel de Sousa Teixeira
Dr. Antonio Peregrino Maciel Vtonteiro
Antonio Joaquim de Mello
Joao Manoel de Barros Wanderley
Manoel Joaquim do Reg Albuquerque
Dr. Manoel Teixeira P.
Alfonso Arthur
Francisco Joo Carneiro da Cunha
Manoel Francisco de Paula
Commandante Superior de Goianna
Dr. Jos Filippe de Menezcs
Inspector Joo Baptista Pereira Lobo
!)r. I.ouronco Avelino de A. e Mello
Jos Raymundo
Pedro Alexandrino de B. Cavalcanti
Le me n ha
F. G. da Rocha Jnior
Dr. Vicente Ferreira Gomes
Dr. Custodio da Silva Ten. Cor. Nogueira Paes
Dr. Jos Francisco de Arruda Cmara
Dr. Luiz de Carvalho Paes de Andrade
Jos dos ^antos Nunes
Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama
Gregorio da Costa Lima Belmonte
Dr. Pedro Bezerra P. de Araujo Beltrao
Cana de Assucar
Vigario Francisco Ferreira Brrelo
Ignacio C. de Mello
Francisco Carneiro Machado Rios
Vicente Jernimo M. Wanderley
Joao Floripes Dias Brrelo
Domingos Alfonso Nery Ferreira
Dr. Sebasiiiio Antonio Acciole
Appolinario Florentino de A. Al.
Joaquim Villela de Castro lavares
Visconde de Goianna
Bego Dantas
Florencio Jos Carneiro Monteiro
Dr Joao de Barros Falcao de A. Maranhao
Dr. Luiz DiKulo Pereira
Dr. AntonioT. do Borba
Padre Jos Ignacio de Medeiros Reg
Jos Joaquim Bezerra Cavalcanti
Dr. Joao Jos Pinto
Dr. Firmino
Dr. Jos dos Anjos
Dr. Victorino de S
Dr. Barroso
A. V. de Oliveira
Dr. Cazado Lima
Francisco J. de B. Correia
Dr. Caetaoo Jos da Silva Santiago
V. P. do Reg
Ten.Cor. Tiburtino Pinto de Almeida
Vicente Thomoz Pires de F. Camargo
Dr. Joo Ferreira da Silva
Antonio Herculano
Delegado de Goianna
Antonio M. do Carvalho C. Gouvim
Dr. lelix Theotonio da Silva Gue:ra.
Simplicio Antonio Mavignier
Ferreira Brrelo
Capitao Pessoa
Dr. Chagas
Dr. FelippedeB. Araujo.
Dr. Ayres
Padre Venancio Henrique de Rezemle
Luiz Ignacio Ribeiro Roma
Dez. Antonio Ignacio de Azevedo
Costa Gomes
Thom Madeira
Jos Ramos
Coronel Martins
Dr. Francisco Xavier Paes Barreto
Dr. Francisco de Paula Baptista
Francisco J da Costa
Padre Joao Baptista de Albuquerque
Dr. Joao Jos Ferreira de Aguar
F. da Rocha Paes Brrelo.
. -i; t-.v: iiarsasaia
64
56
54
50
50
50
50
49
49
49
AS
48
48
48
47
47
46
46
46
46
46
44
43
43
43
43
42
42
42 Cirurgiao Pinto
41 Luiz Francisco de Barros Reg
Padre Domingos Germano Allonso Rigucira %i I Luiz Paulino Vellei
I >r. Domingoi de Souza Loao 41 j Dr. Joao Jos Ferreira
41
40
39
39
39
38
38
38
37
37
37
36
35
33
32
31
31
31
30
30
29
29
28
25
2i
24
24
2i
23
23
22
22
22
20
20
20
19
19
19
18
17
17
16
16
16
15
15
15
14
14
14
14
14
13
13
13
13
13
ir>
12
12
12
12
12
12
11
11
11
11
10
10
10
9
9
8
8
8
8
8
8
8
7
7
7
7
7
7
6
Ibiapina 6
Bemvenuto Augusto de M. Taques t
Paiva t
Vigario de S Pedro Mrtir t
Joo Manoel da Costa Pinheiro 6
Domingos Malaquias (j
Dr. Manoel Carneiro Lins do Albuquerque 5
Dr. Joo Beltrao \
Dr. Goncalves Guerra 4
Padre Joaquim Rafael 4
Dr. Alexandro Bemardino do Reis c Suva 4
Padre Laurentina 4
Francisco Allonso Ferreira 4
General Roma \
Joaquim Ignacio 3
Francisco Ludugero da Paz 3
Manoel Paulino de Govoia 3
Manoel Arcanjo da Silva Cosa 3
Jos Bandeira de Mello 3
Jos Pedro 2
Dr. Francisco Rodrigues Selte 2
Dr. Bernardo Babello 2
Leornado Bizerra de Siqueira Cavalcanti 2
Padre Joaquim Francisco de Farias 2
Jos Juaquim Pereira Cavalcanti 2
Coronel Bernardo Tolcntino Manso 2
Dr. Borges Leal 2
JosQuintino 2
Lourenco Bizerra 2
Jos A. Lopes 2
Antonio Jos de Oliveira 2
Jos Antonio Pereira de Brilo 2
Sebastio dosOcculos 1
Gitirana 1
Manoel Goncalves da Silva 1
Ignacio de Barros Brrelo 1
Sampaio 1
Antonio B. da Fonseca 1
Joo Baptista do Amaral o Mello 1
Manoel Pereira de Moracs 1
Francisco Honorio 1
Antonio Pedro de S Brrelo i
Dr. Queiroa Fonseca 1
Dr. Seabra 1
Luiz Ignacio de Andrade Lima, i
Catanho 1
Francisco Domingues 1
Jos Antonio Pessoa e Mello 1
Francisco de Paula Marinho Vanderley t
Dr. Aquino Fonseca 1
Francisco de Barros Reg 1
Dr. Jos Francisco Pereira Vianna 1
Paulo de Amorim Salgado 1
Joo Baptista Soares 1
ex-cabano para o numero dos Deputados efer-
tivos do U.-novu.
Por fallar nesle peridico da imprensa
GOBREIODORECIFE.
CORRESPONDENCIA DA CIDADE E PROVINCIA.
Tivemos boje o Guararapes vindo das A-
lgoas; mas nao de Macei, o sim de um porto
do Norte; as noticias por tanto que nos trou-
xe nao podem ser muito especificadas : dizem
q' com eflito lem havidp dous choques errtro os
partidos, dos quaes tem resultado grande nu-
meio de morios. Sao os bens das elei-
coes feitas pelo systema por quo tanto tem
chorado aqui certos sujeitos que nao per-
doaro ao honrado Bl-Pfwideotfl Joaquim Mar
cellino nao havel-o adoptado.Podem os taesSe-
nhoieslimpar a moaparedecom o seu systema:
seas cousas no mundo fossemeomo devio ir.ea
o Senhor Paula e Souza quem devia agora vir
accommodar aquella questo as Alagoas se
he que elle nao julga aquelles movimentos ge-
nerosos e dignos por consequencia das suas
sympathias.
Pelo Rio-Formoso tem-se commeltido at-
tentados, e me afiirmo que n'um destes diasum
grande grupo de gente de Barreiros oi ti-
rar forca das maos de um piquete uns crimi-
nosos de morte, que havio sido presos em fla-
grante., nao obsianie a sua resistencia, na qua
morrera um.
Com a chegada das votacoes do certo publi-
cadas no D.-novo de boje viero as forquillas,
que o Sr. Costinha em sua ci'cular paraos
collegios do centro preparou aos seus correli-
gionarios dos ltimos, que podiao tubstituillos
por uuros rtcommendados, e assim passou o
quedepois da firquilha quera lornar-se im-
pnrcial louvo o sen escrpulo a cerca do
collegio de Garanhuns alias composto dos
eleiteres da villa legalmenle e'eilos s porque
o Jui/ de Paz effectivo OS nao quiz na reunan,
que elle presidia, e rs ohrigou a formarem me-
sa separada com o Jui/. Siipplentp, o ao mes-
mo lempo a sem seremonia com que admitte
na sua apurara da columna direita em favor
da praia os 70 votos do collegio do Ex presi-
dido por um Juizde Paz intruso,que sendo eleilo
a 7 de Setcmbro passado para servir na prxi-
ma legislatura o nao poden !o entrar em exer-
cicio antes de Janeiro de 1845 usurpou a
jurisdifo do Juiz actual >em embargo da
deciso, que o Kxm Sr. Presidento da pro-
vincia deo a este respeito, quando o Dr. Arru-
da omharacou a cleico primaria da fregueza
da loa-visla, uo entrando em conta estarem
caiminosos pela sedicao do Kxu quando foro
eleitos. muiros desses eleitores, e'outros serem
domiciliarios do parocina cstranha porque
disso nao he o U.-noro jui/ competente.
A volta do Senhor Manoel de Souza Teixeira
tomar conta da presidencia da Cmara Muni-
cipal (digio l o que disserem ) he mais urna
prova de quo os proverbios portuguezes sao E
vangelhos pequeos, quo nao falhoO Offl
ftlhoa casa tornaOs que nao quizerem estar
pelos autos e por esle proverbio explicar o
fenmeno accredilcm o quo ouvi a urna fe-
ita que me pareca urna serva de Dos: dizia
ella com os beicinhos doces, porque tinta re-
zado a Salrt llainha Senhor Souza Teixei-
ra mostra ser bom amigo; elle procura juntar-
se a seus amigos e collegas vercadores quando
elles-seacho abarbados com o pezo das apura-
res de tantas eleices, e mesmo quando esto
os seus collegas prximos a dizer o ultimo a
Dos aos tral-alhos muncipaesO amigo certo
se v na occasio incerta.
Contaro-me muito em sogredo, que aquillo
l pela academia em Olinda vai um brinco. O
estatuto he lettra mora e deste mal que nao
he l muito grande (he assim como um pao pe-
lo olho) nascein incalculaveis males. Alli nao
se traa de examinar se sabe o examinando,e to-
do o cuidado esl em dar aviamento as partes ;
examino em fornadas e saio comosahirem.
Gentes, tos que podis, acudi a literatura ,
qne vai fugindo do nosso paiz a galope !
Nao julguem, que nada mais tenbo contar
de Olinda ; muito ainda me resta, para referir,
e tinha concordado com meus botos calar-me ;
mas como a Iixma. Senhora D. verdade me pe-
de ponha no olho da ra e eu nao sei faltar
pedidos do Senhoras, l vai por conta e ris-
co de quem pertencer. Na academia (disse-me
um menino do Trem) servem de examinadores
padres e seculares, estrangeiros, o nao estran-
gejros e at um estudantc do quarto anno he
chamado ser Examinador El commodo
fiat istud legem non cognosco ?
Na noutc de 6 logo depois das 8 horas na rus
do Qucimado l para junto da ra do Livramen-
to dous jovens se travarao de razes tiraro-se
de cuidados e para descargo de suas concienci-
as foro as ventas um do outro : que Ihes 'ac
bom proveito. Ja se vft que o exercjco do
soco e do pdo vai entre nos sendo admittdo ; e
nos nos vamos desengaando a decidir noturna-
mente por modo menos pesado, o que se faz
de dia.
Contar-lhes-bei um fado succedido na nou-
te do ultimo sabbado, embora ja retardado,
porque Iheacho sua grata, m larapio in-
troduzio-se n'uma venda da ra do Vigario, e
pode esconder-se sem que o caixeiro desse
t delle. A hora de deitar o caixeiro agaza-
Ibou-sc, e quando j ia adormecer, foi des-
pertjdo por urna borbolcta que Ihc esvoacava
pela cara ; ergueo-se, apanhou-a e metteo-a
n'um cartuxo de papel; o querendo guardal-a,
lancou os olhos para o balco, e vio a gaveta
aberta o o dinheiro sobre o balco com unta


faca de ponta ao p : n5o perdeo o l>om do
rapaz o espirito ; corro ao dinheiro, recolhe-
o gaveta, c a faca cun e'iie, lecha e guarda
i chave, e coin a luz passa a correr a casa : o
ladro vendo-se descoberto corre a buscar a
faca, mas acha se lograJo, e o caixeiro arma-
do de um bordo o vai escovando de tal guisa
(|ue Ihe derreia os bracos: posto assim o ni
migo fura de combate, % ai abrir o porta para
chamar soccorro ; masoladro, por-se com
elle na ra e escapou-se.
Hoje pelas 1! horas do da, um matuto ;
cavallo, viudo a bom correr pela ra do Cres-
po, atropelou um rapazito reto, e deitou o
por trra : nosatisfeilo com este mal, seguio
pela praca da Independencia, e tal tombo deu
em um oicialde justica.que foi levado em bra-
cos para casa todo ensanguentado, cdi/.em,
com um olho vasado : e o maldito foi-so in-
clume.
Embarcarlo boje muitos frailes franciscanos
no vapor, com grandes despedidas de badalo ;
creio que la ia o tal Visitador, de quem bon-
tem me fallarao.
Ditserio-me, que a admissao dos Carmelitas
de que tratei hontem, nao ser rnente de
Brasileiros do ., esim tambem de Portu-
guezes: seria bom lembrar ao padre Provin-
cial, que a le que o aulor/.ou a admittir
trinla novigus he milita expressa a respailo da
sua nxturalitiado, e que deve tcr inuito cuida-
do com certas justificacoes que por aqui se din
para provar ser ou nao Brasileiro.
Correspondencia.
'rs. Redactorts.
- Tenho concluido a primeira educacao do
bixo da seda, dito trivoltino, que me oi re-
medido do Rio de Janeiro por um dos meus
amigos daquella cidade ; e como me t/snha pro
posto, nao so criae.o delleem puntu maior,
como a introducir esta industria em iiossa tr-
ra, cumpre-me, em desempenlio da intencao,
expor as observacoes leitas durante esle perio-
do, e o arei na segunda e terceira criacao,
que se succederem, alim de adiantar com o
ineuestudo aquellos, que so disposerem a to
til c lucrativo emprego : mormente diversi-
ficando o tratamento do bixo neste paiz do que
pratico na Europa, e se acha escripto a tal
respeito.
Nao obstante ter sido curia a viagem do va-
por do sul de novo dias, a lata que me (razia
cerca de cem casulos vir cheia, e parecer que
a falta de ar concorresse para evitar a sabida
da borbuleta ; nao obstante digo, apenas dose
casulos tinhao resistido ao desenvolvimenlo ;
os mais estavo abertos, tendo dado lugar a
sabida do maior numero de borbulelas, fene-
cendo outras na abertura e todas exceptu
daquelles casulos por falta de ar e espaco.
Destes doze casulos acconteceo sabirem oito
machos e quatro femeas, estas fecundarao, e
no espaco de dous dias tinhao depositado os
ovos e perecido. Dentro de dez dias comecrao
os ovos a desenvolver-se e assim continuarao
alaos lo. Os bixos ou lagartas produsidas
montariao a 500, que \ierao vigorosos e at
terceira muda nado soflrerao, entao porm
tendo sido as caixas atacadas por urna formiga,
amis pequea que eu conbeco, e chamada
vulgarmente rainha, todos aquelles bixos que
forao por ella tocados morrero. Nenhuma
outra contradici'ao apparecco, fazendo o res-
tante as mudas geni precisSo dos soccorros,
que em crises tacs na Europa se costuma dar-
Ihes. No dia 21 contando dos primeiros as -
cidos, comecrao a subir, e nesse mesmo dia
um delles concluo o casulo, os niais forao
gradualmente subindo at ao stimo dia em
que concluirfio o trabalho, restando apenas
alm deste tempo uns trinta retardatarios.
He de notar porm, que todo este resultado
loi obtido em circunstancias pouco favoraveis
aos bixos, ja porquo ellos forao criados em
urna casa desta cidade, em O lugar lella mais
quente, em uuadra abrasadora, qua! !:::; sido
a que deccorreo de 20 de Setombro at boje,
sem huver anda os taboleiros o mais apare-
Ihos apropriados, alm de que deve entrarem
consideraco o maior, ou menor damno soflri-
do na conduccao o estado em que se acbaro os
casulos escapos a infeccio em que vieriio en-
volvidos, alm da irregularidado de comi-
da &c. &c.
Nao posso arriscar dado algum sobre 3 qua-
lidade de seda, smente poderei asseverar que
500 casulos pesara o 21 oncase2oit. sendo
assim precisos 580 para darem urna libra de
seda. Segundo o calculo estabelecido as
differentes obras que trato desta materia,
combinado com o producto cima, devora urna
onga de sement do bixo dar, neste paiz, de
onze a,do?e libras de seda em rama. (Jutra
especie de bixo de seda se cria feralmente na
^uropa, e be elle annual, isto he apenas se
reproduz urna vez do anuo naquellu parte do
mundo ; sendo de suppor que aqui produza
duas ou tres veces. por comparadlo com este
que possuo porque sendo o trivoltino assim
chamado por dar tres criaroes annuaes na Eu-
ropa, e dando aqui seis criacoes, he de sup-
por que ooutro seja tan bem mais prolifico
nesto paiz. Por ora os meus esforcos para
obter esta especie de bixo, tem sida baldados,
por me ter chocado a sement vinda de Fran-
ca sempre (ermentada ; mas nein por isso de-
sanimo, e espero que os pedidos de sement
que li/. e ebegarem de Lisboa e dos Acores nos
darfl esta especie, que mais descanco concede
ao criador, e maior producto relativo. Com
quanto o bixo de que trato se reprodusa na
Europa tres ve/es por anno, razo para chamar-
se trivoltino, com tudo neste paiz a sua repro-
duccao annual, nao pode ser menos de cinco
a seis vezes segundo o calculo seguinte. Dado
ococo, ou casulo completo, pe a borbuleta
de do/e a quatorze dias a desabroxar, em dous
dias tem deposto os ovos, ou sement ; estado
dez, a do/o dias choca, e o bixo consomm
devinteeum, avinte e oito dias, para for-
mar o casulo; decorrendo nos seus trabalhos um
espaco de cineoenta e quatro a sessenta dias ao
muito e desta sorte accontecem em ve/, das tres
produeces da Europa necessariamente de cinco
a seis produeces. Seria bom poderse retar-
dar esta esponlaneidade nao s para interca-
lar-so outros trabalhos necessaros as grandes
propriedades, como tambem por exigir-se as-
sim menor numero de amoreiras, e maior es-
paco para ellas descancarom : sobre os meios
de obter este resultado nada por ora posso adi-
antar, o que farei smenle depois de seguras
experiencias.
Em o numero 180 dte Diario tratei di
amoroira branca, alimento por excellencia do
bixo da seda ; repito ainda que ella deve ser
proferida por todos os respeitos amoroira pre-
ta ; porque alm do ser a folha daquella mais
branda, influe considcravelmenle na qualidade
da soda, seu peso, e na celeridade do fabrico e
torminaco dos trabalhos. Tambem o calculo
que deixo expendido he dedusido da criaran do
bixo com a follia da amoroira branca smente ;
por quanto o mesmo bixo alimentado nesta
cidade por outras possoas com a folha da amo-
reira preta consumirn desde a incubacao dos
ovos at ao complemento do casulo urna diffe-
renga para mais de doze a quinze dias, sendo
a grande parte deste tempo durante o estado
de lagarta. A preferencia que se deve dar
amoroira branca, he fundada em numerosos
beneficios, que pode qualquer mais curioso
indagar na Revista Lisbontns: sendo ainda
para nos de melliores resultados, nao s pela
facilidade da reproducao; corno porque neste
paiz ella se desenvolve com mair velocidade, e
mais dopressa da productos abundantes, medi-
ando urna simples rega por dia na estseao cal-
mosa : alm de todas estas razes, accresce,
que para ella, qualquer terreno serve, qual-
quer espaco ; porquo ella se educa, ou como
aore de segunda grandeza, como grande ar-
busto, ou pequeo, e ainda mesmo em guar-
nicoes, ou cercas, resultando d'aqui que um
quintal por pequeo que seja pode prodjsir
amoreiras : oxala que a lllm Cmara desta
cidade lomasse a peito guarnecer as grandes
ras e as pracas de tao til e precioso vegetal,
que liando urna sombra abundante aos halo
lautos, purificando-lhe a atmosphera, Ibes
prestase copiosa nutricio para a educacao do
bixo da seda. A Cmara de Lisboa lem feito
plantar amoreiras em quasi todas as pracas da
cidade o seus suburbios aproveitando qualquer
espaco vasio, as encostas, e terrenos que nao
devem fer edificados; oxala, repetimos, a
lllm.* ('amara desla cidade se disponba a imi-
tar nesta parte a Cmara da cidade de Lis-
boa
Queiro Srs. Redactores fazer publicar oslas
quatro linhas. Seu muito ltenlo e venerador.
tilippe Mena Callado da Fonceca.
.. "
Alfanctoga,
Rendimento do dia 7......___20:175^008
Descarregao hoje 8
Mary Jonesmercaduras.
Brigueberonbacalbo.
Brigue sardoUniversomercadorias.
RrigueCondessa de IVestmortlandcarvao.
da, 1 dita couservas e queijos, 240 latas tintas,
15 barricas alvaiade. 400 barra plvora, 93
barricas corveja, 80 caixas queijos, i embrulbo
papel, a Fox Brothers.
20 vasos de 16 vaculas, 177 canos de ferro,
20 pecas de ferro, a Companhia de Bebiribe
140 barris manteiga, a James Crabtree & C.
40 caixas queijos, a L. G. Ferreira ft C.
500 barris plvora, W. E. Smith.
25 barricas cerveja, a Deane Youle & C.
21 caixas queijos, 1 embrulbo papel, a N. O.
Bieber & C.
1,000 barris plvora, a A. S. Cobertt.
Mary Jones, brigue inglez, vindo de Liver-
pool, entrado no corrente mez, consignaco
de Jonhslon Pater & C manifestou o se-
guinte :
14 caixas fazendas de linho e algodao, 14
ditas e9 fardos ditas dealgodao. 5 ditose 7
caixas ditas de linho, 16 caixas chales de algo-
dao, 2 fardos fio de vela, 3 caixas sellns e per-
tences. 2,000 caixas sabio, 75 barricas mantei-
ga, 399 fogareiros de ferro, 8 caixas, 8 emhru-
Ihos e 35 pegas machinas de Ierro, lltaixas
dito, 32 barricas ferragens, 30 fogoesde ferro,
aos consignatarios.
20tonelladas de linguado de ferro, 1 caixa
meias de algodao, 4 fardos fazendas dito, 50
barris manteiga, a Ridgway Jamerson.
3 caixas e 2 fardos fazendas de algodao, 50
gigoslouga, 1 cesto amostras delaga, a James
Crabtree & C.
1 caixa papel e livros, a L. G. Ferreira &
Companhia.
54 fardos fazendas de algodao, W.E. Smith.
20 tonelladas de carvSo (coke) de pedra, a
Star &C.
6 caixas fazendas de linho, 3 ditas ditas d'al-
godao, a Me. Calmont & C.
7 caixascassas, a Latham & Hibbert.
2 caixas lazendasde algodao, a Rosas Braga
125 barricas farinha de trigo, aN. O. Bie-
ber & C.
53 gigos de louca, 2 caixas lencos, a ordem.
4 caixas fazendas de linho, a Jones Patn &
Companhia.
1 caixa roupa feita, ao Dr. May.
1 embrulbo toucinbo, a J. Slewarts.
1 caixa amostras, a C. Kelley.
1 sacco amostras, a diversos.
2 barricas farinha do trigo, sobressalentes.
1.'
As obras que dependem da primeira arrema-
tado scrSo fetas conforme a planta, eor-
gamento appresentados n'esla data ao Exm Sr.
Presidente da provincia pelo preeo do dous
contos e quatrocentos e sessonla e cinco mil 0
cem ris2:465c 100.
2'
A s obras principiarao no praso de quinze di-
as e se acaharao no de quatro mezes, ambos
contados om conformidado do artigo dcimo
do regulamento das arrematarnos.
3.*
O pagamento do importe d'arremalacao rea-
lizar-se-ha conformo o artigo 15 do respectivo
regulamento, sendo de seis mezes o praso de
responsabilidade.
4.1
Para tudo o mais que nao est determinado
as presentes clausulas seguir-se-ha inteira-
mente, o que determina o regulamento das ar-
rcmatacoes de 11 de Julho de 1843.
Os licitantes devidamenle habilitados, com-
parececao no mencionado dia na mesma The-
souraria.
Secretaria da Thesouraria das Rendas Pro-
vinciaes de Pernambuco 5 de Novembro de
1844. O Secretario interino,Joto f alen-
tim VHiela (37
1 Aluga-se urna negra com bstanle leite.
para criar ; quem a quizer dirija-se a Fora de
Portas, delronlo da intendencia sobrado de
tres andares n. 147. (4
Movimento do Porto.
Navios entrados no da 6.
Cdiz; 32 dias. brigue inglez Jonh Tlilliams,
de 212 toneladas, capillo John Copland ,
equipagem 10 carga sal : a Lcbreton
Se lira ii i o i & C.
Falmouth; 33 dias, paquete inglez Exprest ,
commandante o Tenente Herrick.
Navios entrados no dia 7.
Barra-Grande; brigue escuna de guerra brasi-
leiro Guararape Commandante o pri-
meiro Tenente Jos Secundino Gomen-
so ro.
Porto-Alcgre ; 25 das, brigue brasileiro No-
va Minerva, de 211 toneladas, capitao Vi-
cente Ferreira de Alemanha, equipagem
15 carga carne secca : a Amorim Ir-
ma os.
Navios sahidos no mesmo dia.
Cear; patacho brasileiro Laurentina, capitao
Antonio Germano das Noves : carga diveros
gneros.
Portos do Sul, vapor brasileiro Imperatriz ,
Commandante o Capitao Tenente Jesuino
Lamego Costa
Barcelona; brigue hespanhol Emprehendidor ,
capitao Antonio Sienes: carga algodao.
Rio de Janeiro; brigue inglez John Williams,
capilo .Ilion Copland : com a mesma carga
que trouxe de Cdiz.
Rrigue
IMPORTACIO.
Pamonu, brigue inglez, vindo de Londres,
entrado no corrente mez, a consignaco de Me,
Calmont &C, manilestou o seguinte :
Editaes.
h O Sr. Inspector d'esta Thesouraria em
cumprimento de ordem do Exm. Sr. Presiden-
te da Provincia, manda fazer publico, que no
dia lo do mez de Novembro, ao meio dia, ira
praca conforme o regulamento das arreniatacos
de 11 de Julho de 1843, os reparos da ponto dos
Afogados, com as clausulas especiaes j publi-
cadas neste Diario.
Secretaria da Thesouraria das flendas Pro
vnciaes&c O Secretario interino. Joao Val-
Untim Villela. (11
1 O lllm. Sr. Inspector desta Thesouraria
em cumprimento do officio do Exm. Sr. Presi-
6 caixas velas, 1 embrulbo papel, a Latham dente da Provincia datado de hoje manda fazer
i Hibbert. publico que no dia 15 do corrente mez, ao
1 caixa biscouto, a J. C. Gomes. meio dia ir a praga conorme o regulamento
200 barricas gn>xa, a J. Crablree & C. das arrematacoesde 11 do Julho de 1844, o em-
2 caixas lencos de soda, aos consignatarios. pedramento no largo do Palacio do Governo ,
5 caixas chapeos de sol, 1 dita vestidos de se- ] com as clausulas especiaos abaixo transcriptas.
2 Poranle a Thesouraria desla provincia
se ha de arrematar, ; quem maior prego ofle-
recer, nos dias 12, 15 e 19 de Novembro pr-
ximo vindouro, a renda do tolheiro que servio
de cavallarica do extincto regiment de artilla-
ra, e casa terrea contigua ao mesmo telheiro,
sitos na cidade de Olindo, pelo tempo do l.i
de Janeiro do 1845 a 30 de Junho de 1847.
As pessoas que se propozerem a arrematar
dever comparecer, nos referidos dias, na ssla
das sessoes da mesma Thesouraria.
Secretaria da Thesouraria de Pernambuco,
31 de Oulubro de 1844. Joaquim Francisco
Bastos, C'fficial Maior. (14
ni nmiwnn Oeclaracocs.
O Arsenal de Guerra compra, para o en-
sino dos aprendizes menuros, 52 peoras para
calculo, 52 caivetes, 52 cartas abecedarias, 52
(aboadas, 52 catbecismos, 52 cadernos de tras-
lados, 30 tinteiros de chumbo, 20 macos de
pennas, 12 dilos de craioes, 20 ditos de lapis, 6
garrafas de tinta de escrever, e 2 resmas de pa-
pel almasso; a quem convier poder comparecer
na sala respectiva no da 9 do corrente,. s ho-
ras de seu expediente. No impedimento do
Escripturario, JoBo Ricardo da Silva.
5 Companhia de Rebiribe.
Os Senhores Accionistas da Companhia de Be-
biribe sao convidados para a segunda reunio
ordinaria deste anno ; a qual deve ellectuar-se
no dia 12 do corrente pelas 9 horas da manha
no escriptorio da companhia. Os mesmos Snrs
accionistas queirao realisar urna prestacao de 6
por / (3>000 res por accao) dentro do praso
de 30 dias contados desla data. Escriptorio da
Companhia 4 de Novembro de 1844. O Se-
cretario. R. J. Fernandes Barros. (U
O paquete inglez Express recebe as malas
para o Rio o Babia hoje, 8 do corrento, s4
horas da tarde.
Lista das cartas existentes no Comi, qvt
dtvetn ser consumidas.
Jacinto Jos Mello.
Jos da Cruz.




Ferreira.
Mello.
Moreira.
Faria.
Pereira Alhandra.
Amaro.



Joaquim
Copos Cavalcante Mava.
-Martins Cruz Correia.
Padre Joaquim Pinto Azevedo.
Joaquim So;;res Barbosa.
Silva Olivera.
F. Pinto.
Joao Almeida Campos.
A (liana/i o I intu lio.
Arcenio Ferreira.
Antonio Martinho.
A.- Pereira Ramos.
Padre Joao Barboza Cordeiro.
Joao Carlos Costa Bastos.
Francisco Cruz.
Fieilas Torre Galludo.
Garca da Fonseca.
Ignacio Pinhoiro.
Joaquim de Santa Anna.
Jos Medeiros.
Mello.
Pereira Rapozo
Lucio Marques.


y>




))


))
Loure-nco Silva.
Manoel Baptista Sonsa.
Pcreire Carneiro.
SOUM.
Soares Arruda.
mdico preco ; assim como dous realojos do
hoas vozos continua no musnio oficioecon-
certa reaiojos e pe marchas novas nos mesmos :
Josefa Thereza
Jo Amaral.
Alvos Silva.
Antonio Amorim.
A. A/evcdo Mello.
A. Faria
A. S. Guimaraes.
Padre Jos A. Santo.
Jos Bcnto Lugo.
Cabral Mello.
Caroajto Olreira.
Dias Corroa Silva.
[)as Silva Cardial.
Domingues.
Ferreira.
Fonseca Res.
Francisco Lima
Souza.
Valgas.
Goncalves Salgado.
Santos.
Silva.
(Continuarse ha)












6 fublicacao ltteraria.
galera
das
ORDENS RELIGIOSA! 1 MILITARES,
detift j. mais remola antiguidade at os nossos
dias.
SuLscrcve-so na praca da Independencia li-
vraria n. 6 e 8 a 8,500 rs. por anno, pagos adi -
antados, onde se recebor todos os nmeros do
i "anno, e6do2.: cada numero contom 2
estampas'coloridas, e 8 paginas de mpressio
no formato de folha de papel de peso.
Osedictores desta obra teem em vista publi-
car resumidamente o que oro as ordens reli-
giosas de uin e outro sexo, como so fundarao,
dividiro o ramifierao, cuaesseus fundadores,
qua vida tiverao, de quo virtudes se adornarao,
e o que fi/erao a bem da religio o humanida-
de : as ordens militaros nao serao esquecidos
os importantes servicos prestados pelos institui-
dores h religioe a civilisagao. Por esta inte-
ressantn publicaco conhecer os leitores a
quoordem pertencein os queexistom entre nos
como os Carmelitas. Bentos e Franciscanos
e as militares Christoe Aviz.
HRMMHBM
& viso-- ros ritiinos
2 Para o Maranhao sahir al o da 15 do
correle o veleiro brigue escuna laura ; quom
no mesmo quizer carregar ou ir de passagem,
para o que tein cxcellentes commodos, dirja-
se ao Cpitao Antonio Ferrara Silva Sanios
ou Novaos C., na ra da Cruz n. 37. (
2 Segu para a Babia, at 15 do corren-
to, a sumaca Santa Anna para carga e passa-
geiros traase com Novaes & C, na ruada
Ciuz n. 57. \
2 Para o Rio de Janeiro segu viagem.
com muda brevidade. o brigue Tnumvho A-
mericano ainda pAdo recober alguma carga,
passageiros e escravos; a quem conv.er dirja-
se a ra da Cruz n. 23. '-
3 Para Lisboa seguo viagem com urevida-
deaveioira o superior escuna portugueza To-
rno Si Ftlhos, capitio Francisco Antonio do
Alu la quem na mesma qnuer carregar.
ou ii .o paasagem, dirija-seao referido Capillo,
ou aos consignatario Mendes & Ol.ve.ra, na
ra du Vigario n. 21. ^
gjiroB(i!tiiBBBB?lllll,l^^^^^^^M
tersos.
2 Ha tros para quatro aonc, ou tal vez
mais appareceo n'uma casa desta cidade urna
preta que at boje se ignora se be livre ou es-
crava, nem a quem pertonce, por nao haver el-
lo querido declara! o ; e tendo-s por varias ve-
zcsannunci^do, nao lia apparecido quom delia
d os sigoaes certos : polo quo de novo se faz
sciente ao publico deste acto. para que se al
guem se ulgar com diroito aquella preta, se
dirija ra das Trinchoiras n. 19, 2 andar,
ortdo, dando indicios evidentes dola, sedira
em que casa existe. I1*
-l__Precisa so de um feilor que enlenda de
jardim, horta e pomar ; na ra da Concedi
ilo Becife n. 51, 1. andar. (3
2 Jos Candido do Barros embarca para o
Rio de Janeiro a sua escrava de nome Romana.
) Precisa-se 300,000 rs a uros do um e
luoio por cont, dando se penhores ou firmas
contento, por sois mezes, ou pelo lempo que
se onvencionar ; annuncie. (*
S. B. C. Trosse, fabricante de orgaos do
groja \ avisa ao rcspoitavcl publico, que tom
para vender dous orgaos um pequeo que
est prompto o concorlado (ambos que lorao da
igreja de N. S do Caruio) o que se vender por
\
se Iho desoja fallar a negocio do intorosse.
2 Sociedade thealral Philo Thalia.
2 Aluga-se o 1." e 2. andar da casa n.
da ra da Cadoia, quo dovo sor despojada, caso ;
nao queira concordar oaclual aquilino Manoi'
de Almeida Lopes, em pactar 10,000 rs. mon
saos, desdo 8 do corrate mes, a cui > respeito
ja so fe/, a devida participadlo ao mesmo inqui- '
lino : trata-se na ra da Cadoia, botica n. 3. (7
o No da 8 do corrento se lia do arrema-
tar, em pret/a publica do Sr. r. Juiz de Civcl
da 1. vara, um sobrado do um andar e solio,
na ra do Rangol, portencente ao fallecido Jos
Francisco Mindello e seus filhos, por execuco
que contra elles movem os illios do fallecido
Jos Lopes de Albuquerque. (7
3 Os abaix'i assignados, credores encerr-
no Atterro da Boa-vista n. 12, das 9 horas da j Mello queira annunciar a sua moradia,
inanha as 3 da tarde.
1 Quarta feira, 13 do corrento, s 4 ho-
ras da tarde, em praca publica do Juiz da 2.'
VaradoCivel, na ra do Sol, so bao de arre-
malar tres sitios com casas por acabar, os quaos
sao situados, dous no Caldeireiro, cem frent"
sobro o rio Capibaribe, e um no caminbo do
Caldeireiro para o Monteiro, por execuco de
Henrique Jorgo contra seus devedores Julio
Boyor & Larnacb. (9
1 Pede-so a pessoa que tirou urna caixa
de prata para rap, que baja da deital-a por
baiso da porta da loja n. 21 da praca da Inde-
pendencia, pois sabe-se quem a tirou : igual-
mente previne-se a qualqucr ourives, a quem
for.offerecida dita caixa, que he j usada, e
lom um quadro liso na tampa, e outros na la-
vragem, e no meio dos quaes tom uns cachi-
fo:, a imitacao de uvas, e sem dourado no
fundo, quo a tome e levo loja cima. (10
ss Em casado Fernando de Lucca, na ra
do Trapicho n. 34, ha sempre superiores cha-
rutos da marca regala, por preco commodo
1 Alugao-se o vendem-se canoas de car-
rcira, fechadas e abertas, para familia ; vnde-
se tambem urna duzia do paos d'leo, para mar-
ceneiro, ludo por prego commodo ; na ra do
Jangel venda n. 501 (5
llojo f8) pelas 4 horas da tarde, na porta
do Sr. Juiz de Direito da 1 .* Vara doCivel lera
lugar a primeira praca para ser arrematado,
por 3 annos, o aluguel da casa torrea n. 32,
sila na ra do S. Jos, cuja casa he possuida
em commum por Flix Soares de Carralho e
Joiio Rodrigues dos Passos.
I Aluga-sc um grande sitio na campia
da Casa-forte, com casa reccm-edificada, com
um bollo copiar na frente, ptimas accomoda-
coes, cosinha lora, cocheira eeslribaria, mui-
tos urvoredos do fructo, campo para quaesquer
planlagoes, e paracapim ; aluga-so mensa! ou
animalmente : na estrada doCordeiro, sitio de
Nuno Mara de Seixas, ou na ra do Amorim
n. 15. (9
1 Desappareceo no dia 6 do correle, as
4 horas da tarde, um moloque crioulo de nomo
Lino, idade do 13 para 14 annos, estatura pro-
porcionada idade, cheio do corpo, muito vi-
vo, tesla larga, com urna cicatriz pequea no
meio, cor fula, nariz chato, bocea quasi regu-
lar, denles alv s, sendo os da parte superior
bastantes largos; est vestido de camisa do ma-
dapolao fino, j toda rota, calcas de brim bran
co, trancado, fino e de quadros pequeos, lar-
gas, bastante sujas, e com suspensorios, sem
chapeo ; quem o pegar, ou dello souber noli
cas, pode dirigir-se ts ra Imperial, sobrado
n. 79, quo ser generosamente recompensado.
casa, como as pessoas com quem elle trata nao >4 do correte saber curar fondas e molestias de
jgnoriio (18'peito, dirija-so ra do Caldeireiro n. 72, ou
Si) Sr. Beiarmino Firmino Bezerra do \ annuncie a sua morada para ser procurada. (4
po| 2LWn rapaz portuguet de idade 18 a i9
(3 annos, o qual anda seacha arrumado, e por
nao se achar salisloito, se ofToreco para cai-
xeir.> de qualquer eitabelecimento, excepto
O t.Secretario avisa aos Srs socios, que os wnda. m precMr annuncie por esla
bilheti para a recitada 9 do correlo serao r0n,a (
distribuidos nos dias7, 8 e 9, em casa do The- 3 Avisa-se ao Sr. Manoel Francisco da
soureiro. na ra do Cellegio n. 5 ; assim como, C(,Uf| ^ ||8ja je f ,iar os sous pen|lores at.
que a direceo se reunir no da 8, s 7 horas Q d ^ do corrente| 0ll contrario serao vendi-
da lardo na ra do Rangol n. 56, para appro- L^ 0 pagaincBt0 e para que so nao cha-
vacao de convidados
i me a ignorancia la/.-so o presento annuncio. %
3s= Juiz da irmaildade mar convida 1 lodos os irmaos das qualro of-
licinas para una meza goral. quarta feira 6 do
corronte as 6 horas da tarde. (4
2 Aluga-se o I. andar do sobrado da ra
:estrella do Rosario n. 21 ; a tratar no 2.andar
jdo mesmo. (3
2 No dia 27 do passado fugio urna rola
'de Hainburgo, ou de Angola ; a pessoa que a
i pegou, querendo restitu! a seu dono, dirja-
se a ruaeslreita do Roario n. 21, quo ser
rcconi pencado. (o
2__O abaixo as.-ignado participa ao Sr. Jos
Olimpio Baptista, morador nos Afogados, arre-
uiaj oijuov, v.^v..,.*.., -..^m..^- 1 |Ilu(ante do imposto do capioi, que tondo ar-
gados da liquidacao da firma oxtincta do Ol- a.ndado sen sitio da Magdalena, prximo ao
..:... /, ....... I,... y, y liiitm niitoric^drk ns Src ____ -. C- l.NA !>,. 1 m, .1 .( n.....l:t *.J ii
voira Goncalves & C., teem autorisado osSrs.
Amaral & Pinheiro para roceborem amigavel-
mcnle o que for dovido a dita casa, nao tondo
mais validade os recebimentos feilos polos socios
da mesma extincta firma Jos Joaqum do Oli-
veira Goncalves, o Joao Augusto Randoira de
Mello, visto terem entregado ludo aos credores. '
enoi'r Puget $ C. Kalkmann S liose-
mund. (II
3=Arrenda-se o sohradinho de um andar ,
esotao. na ra de Agoas verdes n. 2, e o pri-
moro andar do sobrado da ra do Queimado n.
57, com fronte para esta ra. o pateo do Colle-
gio, e as lujas do sobrado da ra do Rozarlo 01-
Ireita n. 2o, a fallar com Antonio da Silva Gus
mo. ('
3 Um rapaz Porluguez, quetem bastante
pralica de negocio, e d fiador sua conducta,
so oflereco para caixeiro do qualquer ostabeleci-
mento, tanto na praca como lora della ; quem
precisar dirija se a ra Direila n. 10, ou an-
nuncie. (I-
3Eu abaixo assignada faco publico que nao
tonho contas com pessoa alguma, oque nada
devo porque tive um pleito judicial com Jos
Rodrigues do Passo, e nessa occasiSo tive de as-
signar alguns papisembranco para apudactas.a
fim de sor preciso para andamento do mesmo
pleito ; e porque pode para o fucturo acontecer
apparecer algum papel asaignado por mim de
debito oudedadiva.essessao falsos,aexcepcao de
dous que sao verdadeiros, que he um do minha
sobrinha Mara Magdalena do doacAo da mulata
I Aluga-se urna burra, que... a livor c ^^^^ui afilhado JosJoaquim
quizer alugar. d.r.ja-se ao botiqun, ao p do ^ JJJJ^^ de mqi0 de um mulato
thealro. ... I i\r^i t^Ar. nnalnner nanpl de doacao. da-
1__Precisa-se de urna ama de leite, que te
nba boa conducta e seja carinhosa, para criar
um menino que tein trinta dias do nascido ; a
tratar no 1. andar do sobrado n. 20, atraz do
thealro. (*>
Precisa-se alugar urna escrava (ainda que
soja de meia idade) para vender fructas n'uiii
sitio ; a tratar na ra da Assumpcao casa 0. 16
do meio-dia s tres horas da larde.
1 Quem precisar do urna ama do leite,
pirda captiva, sem cra e com abundancia de
leite, procure no Arraial. sitio do Dutra, de-
fronte do do fallecido Joao Carlos Fereira de
Burgos. (S
__Arrendase polo tempo da festa um pe-
queo sitio perto do cidade. com diversos arvo-
rodos com fructo, na estrada que segu da So-
lidado para o Salgado do Manguinho casa n. 5,
junto ao sitio do Sr. Monteiro, Inspector da
All'andega ; quem o pretender dinja-se ao
mesmo sitio que ah ac-ar com quom tratar.
Arrenda-se a propriedode das Candelas,
com grande numero de cooueiros e trra pura
plantacao, pertencente ao casal do fallecido io-
nente-Coronel Pedro L'choa ; os pretendentes
podem dirigir-se ao escriptono de Jos 1 oreira
da Cunha, na ra da Cadeia do Recife, casa
n. 24.
4 Henrique Amanto Chave am, l-rancez
de Nacao, morador em Fora de Portas n. 82,
tom a honra de prevenir ao respeitavel publico,
para que de forma alguma deem a um seu mu-
latinho por nome Antonio, ainda mesmo com
escrito em nome seu ("Chave ain) nem dinhei-
io. nem fazendas, nem outra qualquer cousa ,
seja em acougues, vendas, lojas, armazens, ca-
erle negociantes &c. &c. aonde o seu nome
possa ter algum crdito, pois que tudo he po-
sitivamente falso a de forma alguma por nada
l inteiramente so responsabilisa, nao mandando.
! por merc de Dos, nunca pedir cousa alguma
fiada em casa de ninguem. mandando sempre
comprar com dinheiro e indo elle pessoalmen-
te comprar como pode, o que precisa para sua
Manoel, e todo e qualquer papel de doacao, da-
diva, ou divida, escritura, alonacao que ap-
parecao a excopgao destes dous mencionados ao
meu afilhado e minha sobrinha nao terao vigor
algum por serem falsos ; o para que nao possa
haver para o futuro algum equivoco ou ignoran
ca mandoi fazer o presento em que tao smente
me assignoi e publicar pelos Diarios. (21
Maria Jcsepha de Mallos.
Lucca, ao Sv. Jos Paulino d'Almeida, este o
iargou em Maio, por isso o abaixo assignado
n\isa quo nao vende capim.
Jos i'ernandes Eiras. (8
.'{__Na noite de 25 do corrento ausentarao-
se do enaenho S>uassuna os seis engajados sc-
guintes, futios da ilha do S Miguel : Fran-
cisco Cosme de Yiveros, Manoel Carvalho do
Sousa,sapatciro. Joao Jos, Joao Nunes, Fran-
cisco do Reg Alecrim, Manoel Muniz ; vin-
dos no patacho Alberto, o forao engajados nes-
te mez. por tempo de quatro annos, segundo u
escriptura publica feit por o Escrivao Gui-
Iherme Patricio ; em virlude do quo se previne
ao publico, para quo ninguem se chame ig-
norancia, admittindo-os em seu servico ; pois
se proceder conforme a lei contra quem Ihes
der asilo, ou so ut'lisar do servico de ditos en-
gajados; assim como se recompensara quem
os levar, ou delles der noticia no sitio do Pom-
bal, ou na ra Larga do Rozarlo, loja do Sr.
Lody. (18
3_ Precisa-se de um rapaz, Porluguez ou
Brasileiro, para lender pao com um preto fre-
guezia cerla, fazendo-se-lhe o ordenado que se
convencionar ; quem estiver nestas circuns-
tancias dirija-se ra do Rosario larga n. 18.
3 _- Ainda se acbo por vender, por preco
commodo, alguns terrenos na ra nova por de-
traz da ra da Concordia, que divide comas
travessas do Monteiro e Caldeireiro ; os pre-
tendentes dirijo-so a na do Rosario larga
n. 18. l
3 Precisa-se de um fetor que enlenda
de trabalho de campo, e de enchertar ; no At-
ierro da Boa-vista n. 43 {'*
3__Quem tlver para alugar urna casa ter-
rea, que soja de 8 ou 10,000 rs.. sendo na fre-
gueziade S Jos ou S. Antonio, dase toda a
seguranca aos alugueis ; tambem troca-se por
outra no Cotovelo ; o qoem convier annuncio.
3 O abaixo assignado, morador as Cin-
co-Ponas venda n. 4, faz publico todas as
possoas, que teem penhores em seu poder, ja
i _-i nessnas nue leem iiennorcs coi seu puuv,. -
contigua ao sitio di finado Machado,
propria para passar-so a festa ; lem duas salas,
seis quartos, copiare cosinha ; tratase na ra
Diroita n. 82, 1 andar. (4
2 Offerece-so urna mulher capaz para ama
do casa de um homein solteiro, a qual sabe en-
gommar bem, e cosinha o diario d'uma casa ;
quem precisar de seu prestalo annuncio por
esta folha. (^
3 (juem precisar de um rapaz Portuguez,
de 17 annos de idado, para caixeiro de qual-
quer arrumaC/io, ainda mesmo fura da praca,
o qual sabe ler o escrever sofrivelmento, an-
nuncio. LI*
2__Rodrigo da Costa Carvalho laz publico,
quo arrenduu ao Sr. Jos Rogelio Marcellino
a casa de dous andares e solao, sita na ra Di-
reita n. 100, que por o mesmo foi^arrematada
em praca pelos alugueis, no dia 17 de Outu-
bio do correntc anno, por cujo motivo he pas-
sou quatro letras da quantia de 56,124 rs. cada
urna, vencer a 3, 6, 9 e 12 me/es, as quaes
nao serao pagas seno ao dito Jos Rogerio,
como consla do papel do arrendamento por el-
le passado, visto j ter recebido dinheiro por
conta das mesmas, o que faz publico.
dias, passdos os quaes serao vendidos para seu
pagamento, visto assim oler tratado com seus
donos, e o seu valor nao chegar para o princi-
pal e premio que tena corrido ; e pararse nao
chamarem a ignorancia, e seu crdito nao ficar
manchado, faz o presente. Mantel Joaqum
Pinto Machado Guimaraes. t.14
3 Sabbado 2 do correte desappareefirao
dous cavallos de dous cargueiros, da porta da
venda da ra da Cruz n. 01. tendo os signaes
seguales: um pedrez com cangalha o duas
cordas ; o o outro castanho, capado, comus-
suaes novos, c com urna aucOXeta o uii ueu-
tro ; julga-se lerem ido toa com alguns que
! passass: : roga-se a quem os pegou de lval-
os ra da Cruz 0. 64-, que sera bem recom-
pensado. "
2__Precisa-se de urna ama para urna casa
de pouca familia, de portas a dentro ; a tratar
na ra das Cruzes n. 28, loja de pintor e vidra-
ceiro. t*
3 Jobnston Patcr & C.J.N. mudarao o seu
estabelecimento de ferragens para a ra da Sen-
zalla Nova n. 42, onde outr'ora morrao Fox
& Stodart, em cuja casa se acha um completo
trro da Boa-vista n. 34, a loja do sobrado dos das para agea e bostas e maquin s do va de
Ouatro-cantos n. 1, a casa terrea no mesmo alta o ba.xa pressao, de orc.a de 3, 4 e beava
luarn. 5, o2.andar do sobrado da ra do los ingk-zos.
Amorim n."46," os"do"u"s andares do sobrado da 3= Cjuem quizer aprender 8^-
rua do Fagundes n. 25 ; a fallar com Manoel mente a lingo, franceza om^um proL o,^bab.l
Caetano Soares Carneiro Monteiro. (7 e exacto, d.r,|a-se ao Atterro da Boa vista, so
2 A pessoa que annunciou no Diario de | brado n. 3.


4
.. H "-
gano as ivcebco ; se assim
3= Precisa-se fallar aos Srs. Bornardino Jo-| de cartas que para aqui lhe tem sido dirigi-
sPere.ra, Antonio, los Goncalvcs. Jos An-I das, e que bastante falta lhe fazem julga ha-
tonio de Sa'Guimaraes- e Ano, o Joaquim de | ^^JST. t SSl"^ 'Z'* *
folha diter o lugar
porjeser procmaaa alguma que tenha
3 Aluglo-se 3 canoas abertal, urna cano- k seu )oder < ou man(ia|_a entregar na ra de
ga 900 lijlos outra 700, e outra he pro- j apollo n 1C. Antonio Rodrigues Fernandes
pria para familia ; na ra do Caldcireiro n, y tira. d'l
Freitas Cuimaraes, para receberem cartas que (^ flb 0 d'e por esta
muito Me interessao; ra do Trapiche n. 17. (a aom]e )d(, ser pr()Cl,,a(|a
56.
i |_ i'. E. Alves Vianna abri de novo o sea
:> Offereco se um rapa', brasiluiro de dado jarrnasem de assucar para exportacao na ra
del8annos isento do G. N. com bom lalho ida Semalla-vclha n. i 10. (3
de letra para escripia, ou cobranca de alguna i \am Precis"r <* uma
casa de negocio ; queni precisar annuncie.
3~Aluga-se o tereciro andar da casa a.
18
da ra das Cru/es desta cidade, com inuit >
bons commodos para qoalquer familia, bas-
tante Iresca, e de exedlenle vista, e por modi -
co preQO ; quem o pretender enlenda-se com
Joo Hermenegildo Borges Diniz, na alian-
dega, ou na ra Nova casa n. 52 primei-
ro andar. (8
2 O abaixo assignado ensina durante as
ferias a lingoa latina em sua casa no pateo
do Terco n. 11, onde pode ser tambem procura-
do para advogacia. Lourenco Arellino de Al-
buqutrque Mello. (5
2Aluga-se a luja do sobrado da ru" das
Trincheiras n. 46, propria para armasem ou
mesmo para outro qualquer eslabeiecimento ;
a tratar no primeiro andar do mesmo sobrado.
2 Precisa-se alujar um sitio pequeo, com
boa casa, sendo sobrado melhor, e que tenba as
commodidades precisas, de boa agoa, tanque,
earvoredos de fruto sendo nos arrabaldcs o
mats perto possivel, anda mesmo que se to-
me conta da chave antes, ou depofs da festa;
quem tiver annuncie. ''
2 Os bilhetes emeios ditos da lotera de S.
Pedro Martyr da Olioda cujo andamento loi
annunciado para o dia 6 de corrente constan-
tes dos seguinles nmeros ; 1796. 1134, 2'S0i ,
2605, 2625, 2613, 2621-, 2610,e 1 i^S.pcrtcncen.
a uma sociedadeda comarca deGaranhun;. !6
Precisa-se de um menino Portuguez de 12
a 14 annos, que saiba ler, sendo dos chegados
a pouco melhor para caixeiro de fasendase
mulhados na villa do Bio Formoso ; na ra
larga do Rosario esquina do becco do Pcixc-
frito n. 9, primeiro andar, ou na mesma ra
n. 30.
Quem precisar de dous homens de 25 a
30 annos para feor de sitio, chegados ulli-1
mmente no briguc Triumpho Americano da
lina de S.Miguel os quaes teem muita prati- i rs.,'e todos <
ca de plantar, mergulhar, enchertar e fazem lo- ra do Aragao n. 43.
do o mais servco de agricultura com toda a
perfeico e actividade e dSo dador a sua con-
ducta dirija-se a Cinco-pcntas n. 7!.
Roga-se ao Sr. I>. A. C. M. de ir no pra-
no de 3 das pagar aquantia de 6000 rs. res-
tante de uma sobre-casaca, que comprou em
10 de Julho do corrente auno na ra Nova n.
'9, do contrario publicar-se-ha o seu nouie por
exteoeo.
Do-se 200,000 rs. a premio sobre pe-
nhires de ouro ou prata mesmo em peque-
as quanlias ; na ra do Mundo-novo n. 58.
Na ra da Cadeia-velha armasem n. 12,
existe uma carta viuda do Maranho no vapor
Imyeratri- para o Sr. Francisco Antonio Ro-
drigues da Fonseca.
Na travessa da V'iracao o. lo, lava-so e cn-
gomma-se muito bem por preco commodo.
cara de um homem solteiro a qual engomma
e costaba annuncie. (3
1 Aneuda-se para a festa ou por anno ,
um sitio com casa de vivenda com duas salas,
.*> quartos cosinba fura despensa c quarto
para escravos ; tem proporcoes para olaria por
ter bario tem banho a porta muito fresco ,
boa vista $c. he no lugar do Remedio ; na
ra de Agoas-verdes n. 21, a vista dos prelen-
dentes se dfrfl outras proporces. (3
Compras
Compra-so uma tipoia prompta com to-
dos osseus pertences ; no Coelho na ra dos
Prazeres n. 10.
Comprao-se os Panoramas de 1840 e 1S41;
na ra do Collegio, loja n. 8
ICompra-se urna flauta de pe.juia, que te-
nha boas vozes e com pouco uso sendo por
preco commodo; nos Afogados no pateo da
Pas n. SI. C'
.'i Cnruprau-se garrafas que tenho ser-
vido de Le Hoy ; na ra Direila n. 12. ("i
3 Compra-se a geometra e algebra por
Bezout; nnvegacSo pelo mesmo. um estojo
malheraaticoeom meridiano ; quem tiver an-
nuncie. (4
2 Compra-se a doutrina das acedes, e os se-
gundo, terceiro e quarto tomos de Slello Freir,
em portuguez ; na ra do ColL-gio n. 18, pri-
meiro andar. 4
2 Vende-se uma cama de anglco, duas ban-
cas e uma duzia de cadeiras de dito, urna mo-
sa de amarello um par de mangas de vidro ,
por preco commodo ; no largo do Prnfo n
I, primeiro andar. 5
2 Vende-se um bote novo, casco ameri-
cano com 4 remos cantara de podra da tr-
ra chamada mulatinha a 800 rs. o palmo ou
a 33,000 rs. a portada, e palha de coqueiro pa-
ra banheiro ; na ra Imperial n. 63. (5
2Vendem-se 6 escravos sendo uma parda
do 18 annos de bonita figura e com habilida-
des ; duas negrirhas de 12 annos ; duas pre-
tas do 18 ; e um preto de 20 ; na ra do Ro-
sario da Boa-vista n. 4S. (6
c>Vende-se uma armacao francesa, de ama-
rello toda envidracada com dous balces e
seus fiteiros proprios por ser de construyo
moderna para qualquer estabeleclmento quer
fasendas miudesas ou calcado e d-se em
conta; na ra Nova n. 22. (6
2_ Vendem-se dousmoleques crioulos de
12 a!4 annos proprios para qualquer servco;
na ra da Cadoia-velha, casa da viuva do A-
delo. I*
2 Vende-se rap de Lisboa chegado lti-
mamente, a 3800 rs. a libra ; na ra da Cadeia,
n. 15, loja do Bourgard. (3
2 Vendem-se muito barato os seguin-
tes livros : Bignon, obras polticas; Melanges
politiques;Fleury, tratado dos estudos obras
da de amarello tem duas gavetas com chaves
por preco commodo; na ra dos Martyrios
n. 15. "
Venderse um cavado castanho escuro, p0r
preco commodo ; na ra da Cadeia do Becife
n. -26.
1.Vende-se um preto de Angola sem vi-
ci algurri ptimo para engenho ou oatr0
qualquer servco, na ra cstreita do Rosario,
esquina do.Jjecco do Peixe-frito n. 9. 14
j Vende-se o muito conhecido Champauh
de July, chegado do Franca pelo ultimo navio
em casa do Avrial lrmos, na ra da Cruz. .1
1Vende-se a loja de sapatos da ra do Li-
vramento n 19 com poucos fundos, e rma-
qio envidracada a dinheiro ou a praso com
boas firmas ; a tratar na mesma loja. ,4
1 Vende-se bezerro de lustro a 4800 rs. a
pe le, e os quartos a razo de 5/ rs. bezer-
ro francez a 3360 rs. a pello, marroquim a P6U
rs., dito rouxo a i rs., e outras multas miu-
dezas por preco commodo ; defronte da igreja
doLivramento loja n. 2. (6
t Vende-se uma negra de bonita figura,
de 18 annos, cosinha; as Cinco-puntas n. is
IVende-se superior vinho de caj engar-
rafado por preco commodo ; na ra do Quei-
mado n. 29, casa amarella (3
I Vende-se urna negrnha crioula do 55 an-
nos, com bonita figura cose mu bem faz
lavarinto, marca, engomma, faz podins de to-
de Madame de Estael ; Esneaux historia da das as qualidad<;s ; uma dita de 16 annos, co
Bussia ; ordenacoesdo Reino ; Borges Carnei-I se e engomma; urna dita de 14 annos,cose eco-
ro ; repertorio das ordenacer >; gazeta dos tri-! sinha ; uma dita;de 13 annos com as mesmas
bunaes portuguezes ; classes dos crimes; Perei-: haDilidades ; uma escrava de 25 annos, com
ra o Souza, primenas linhas ; Lobao, notas do! muito bom leile e com uma cria de um nw ;
uso pratico ; repertorio das leis portuguezas; uma dita cosinheira e quitandeira ; um molo-
Kossi direito penal ; Rogron, analyse do co- I quede nacao de 8 annos ; um escravo de na-
digo penal francez; causas celebres estrangeiras; cao bom canoeiro, todos teem boa conducta,
Saint Edne ; diccionario de penalidade ; Filan- J o que se aflianca na ra Direita n. 3. {VI

Vndese muito nova gomma de arar
ta a 320 rs manteiga ingleza a 4.S0 rs. e fran -
ceza a ;>60 rs. letria a 280 rs. lalharim a
200 rs. passas a 280 rs. cha imperial a 19"-'0
rs. ; dito hisson a 2/1 rs., queijos novos a 1200
gneros de venda ; na
Vendem-se saccas com farinha de man-
dioca, por preeo commodo ; na ra da Cadeia-
vclha n. 3o. (3
3 Vtnde-se uma negra de Angola, com al-
gumas habilidades, e be muito sadia, ao com-
prador se dir o motivo da venda-^na ra do
Hospicio n. 23, de manhfia at as 8* horas, e
de tarde das 5 em diante. (5
3 Vendem-se saccas com farinha chegadas
ltimamente de S. Matheus a 2560 rs. ; na ra
da Cruz armasem n. 54. (3
3Vende-se, por necessidade uma escrava
de nacao Angola engomma cosinha cose ,
e he lavadeira e quitandeira ; na ribeira ven-
dan. 1. (4
3 Vende-se uma porcao de pedra vinda do
Rio de Janeiro, propria para atierro; na ra
da Cadeia n. 47, primeiro andar
, a tratar com
Quem annunciou precisar de urna ama pa- Manuel Jos Machado Maiheiro. ;4
3Vende-se uma porcao de barricas com
sebo de muito boa qualidade ; na ra da Ca-
deia-velha armasem n. i2. (3
3 Vcndem-se coirentesde ierro, ancoretes,
dous muito bons camarotes
ra tratar da roupa e comida de um homem sol-
teiro dirija-se a casa junto ao Iheatro aonde
morou o Sr. Gamboa.
Dao-se 200,000 rs. a premio sobre penho-
res de ouro ; na ra das Cruces n '12.
Quem annunciou querer 300,000 rs. a
jfu a um e meio por cenio sobre penhores
de ouro, dirija-se a rua.da Cdncefefio da Boa-
vista n. 9.
Quem quizer a*lugar um sobradinho na
ra de Agoas-verdes, com commodos para pe-
quena familia, dirija-se a ra de Hortas n. :<;
Precisa-se de um caixeiro para venda; em
Fra-de-poitas pateo da igreja do Pillar j|
= Aluga-se uma casa terrea no Coolho na
ra do Jasmim com duas salas dous quar-
tos, cosinha quintal e cabimba para pouca
familia e por preco commodo ; a tratar no
mesmo lugar na ra dos Prazeres n. lo.
Precisa-se de dous, ou 3 homens para o
servco decampo, que traba Ibera bracalmeole
preferindo-se estr&ngeiros ; na ra do Collegio^
ioja n. .
O Sr. Luiz Augu-to Nogunira queira an-
nunciar a sua morada que se lhe desoja fallar
a negocio de sed interesse.
= Aluga-se a casa 0. 38 da ra da Passagem
da Magdalena contigua a ponte ; na ra da
Cadeia do Reciie n. 26.
As pessoas que teem annunciado terem
escravos para se curarem de molestias, dirjan-
se a ra das Cruzes n. 4.
1 Roga-se a certo Sr. morador no Atier-
ro da Boa-vista baja de comparecer n<> preso
de 8 das, na ra Nova, vendan. 5 a lim
de pagara quanlia que nao ignora, ou ir ajus-
tar suas contas visto se ter passado mais de
3 annos do contrario ter o desgosto de ver o
seu nome por extenso publicado. (7
1 Aluga-se o segundo andar da casa n. 7 ,
da ra do Queimado ; a tratar na loja a mes-
ma casa. j
I Tendo o abaixo assignado jamis de uma
vez deixadode encontrar no Coneio desta cida-
I
paos de pinho
para niastrcaC;ao de navios uma lancha uma
catraia e alguna botes; a tratar com Francis-
co Alves da Cunta na ra estrella do Rosa-
rio n. 13. ;6
3 Continase 3 vender a agoa do tingir
cabellos e suissas; na ra do Queimado lojas
ns. 3 e 33; o methodo de applicar a dita agoa,
acompanba o vidro (4
2 Vende-sc ideo de cupabiba em barris,
por preco commodo ; no armasem de Fernan-
do Jos Braguez ao p do arco da Concei'cao.
2 \ endent-se charutos de regala nonplusul-
traa 'o rs. a retaIhoe por atacarlo a 21/ rs.
por milberro ditos de regala de Napoleao ,
em reta I lio a 20 rs. e por atacado a I5#rs.
o mibeirj ; na ra Direitan. 89. (5
2 Vendem-se pequeos Rgoscom urna du-
zia ue otijas de superior genebra de Hoilanda,
da melhor que tem viudo aeata praca, a 4480
rs ; na fabrica de licores do Attciro da Uoa-
visla n. 2C. (5
2Vendem-se ou alugao-se bichas ham-
burguesas c hespanholas; na ra do Trapi-
che n. tb. (3
*" Vendem-se cadeiras americanas com
(.assento de palhinha e do pao, camas le ven-
tocom armacao marquezas, mesas da jantar,
commodas, camas de vento a 4500 rs., ditas de
piniu a 3500 rs. assim como outros inuilos
trastes rotim superior, pedrasde marmore re-
dondas e quadradas, pinho da Suecia e america-
no ludo por preco commodo ; na ra da Flo-
rentina n. 14. y
-Vende se urna parda de 19 annos, en-
gomma, lava, cosinha e cose alguma cousa; no
becco do Sara patel sobrado 11 18. (3
2 \ endi m-se 60 oitatas e meia de ouro de
lei de 0 quilates a 3200 rs. ; na ra das Trin-
cheiras n. 18. ;;
11T i'asoici; Becario; Lerceinier; P.oquct,
diccionario portuguez e francez ; Volney rui-
nas dos imperios ; Izabel de Bavera por Ale-
jandre Dumas ; P de Kock ; Rogron cdigo
commercial; Cousin;Constancio, diccionario por-
tuguez; Gaultier ; Vallemont, elementos da
historia ; corrquista dos Portuguezes no novo
mundo ; Monteiro philosophia ; Genuense ,
obras completas; PulTendorf, Burlamaque, em
portoguei ; historia da repblica romana, por
(i. Nevvpoort; Suelonius ; Etlica do Corsin;
M. Servaut discursos diversos ; Grotius de
jure plebis in regimine ecclesiastico ; dicciona-
rio theologiro : Trancrede traducao em verso
portuguez, de M. O. Mendes; diccionario geo-
graphico ; compendio de geographia; Magnum
Lexicn; compendio de rhetorica ; historia do
Brasil por Beauchamp ; Panoramas de 1810
1841; dous globos geographicos, de 1S42; na
ra do Livramento n. 24 primeiro andar, das
7 as 0 horas da manha edas 3 as da tar-
do. ^32
;>Vende-se cal virgem superior", em barri-
cas grandes e pequeas, por mais barato pre-
co, do que emo'utra qualquei parle; no trapi-
che da Alfandega-velha a fallar com Henri-
que Mara Pereira Magalhaes, ou com Luis An-
tonio Barbosa Brito. (
\M<- liUUJ-
jjo boas
alugao e vo-se applicar,
na ra Direita
i Vend^m-se
burgo ; tambem se
por preco commodo ; na ra Direila, loja de
barbero n 123. (4
1 Vende-se, por precisao uma escrava
da Costa moca, cosinha, engomma, lava, ehe
de todo o servco ; na ra Velha n. 56 |3
1 Vende-se uma morada de casa terreada
pedra e cal com quintal e cacimba no prin-
cipio da ra de S. Miguel dos Afogados,. 'on-
de se avista todo largo da igreja da Paz ; na
ra Velha n. 56. O
1 Vendem-se ricas mantas e chales de se-
da lisas o matizadas, e cscncczas, la escoce-1
za para vestidos riscadinhos franceses, mo-
dernos cassa-chitas lencos de cambraia bor-
dada, ditos de seda, de ptimos padroes sedas
lavradas para vestidos chapeos de seda para
senhora chales de la proprios para banho,
cortes de tarlatana para vestido casimira els-
tica e de quadros, brins de linho com quadros
dos mais modernos, chapeos de castor pretos
e brancos dito de massa Irancezes cortes do
veludo o de gorguro para collete e outras
muitas fasendas de bom gosto o por preco
commodo ; na ra Nova n. 3o. (14
1 Vende-se cha hisson muito novo, da me-
lhor qualidado que ha por preco mais com-
~ Vendem-se meias de seda preta de peso modo do que em outra qualquer parte; na ra
para senhora e meninas sapatos de duraque d0 Rosario vmdo pelo pateo do Collegio, pr_-
e de cordavao, pretos, de cores e brancos, com mcira 'l* ,8> '*
fitas e forrados de pellica para senhora e me- -Venne-se o resto das casas defronte de
ninas, botins e bules de couro de lustro para S. Jos do Manguinho cm chaos proprios; a
homem o meninos, botins e sapatos de bezerro "no sitio junto as mesmas. (3
para meninos, botins de duraque compona 1Vende-se urna negra de nacao Angola,
de lustro para meninos e meninas sapatos de de M armS laVa ongomma e cosinha ; na
couro de lustro para homem, senhora e me- jrua de "orts ij- 9
ninas, meias e luvas de la para homem e se- 1Vende-se uma cadeira de arruar, forrada
nhora linhas de marcar em miadas de Lisboa, de seda ; um piano de muito boas vozes, ma-
meias de la a e luvas para homem o senhora, cacos de estivar carga encerados oleo de II-
um completo sortimento de oculos o vidros j nhaca em botije* ; na ra do Amorim n. 15.
caixas de tartaruga suspensorios para meni- 1 Vende-se uma negrinha de 9 annos, de
nos ligas de seda do Porto Ota para volta de bonita figura e com principios de costura; na
padre, charuteiras de couro dedaes de mar-
lim rolo hamburguez, colheres de marfim
de tirar rap cscovas de falo denles o para
cabello inglezas ; na ra da Cadeia-velha n.
15, loja de Bourgard.
Vende-se uma canOa pequea, de carreira,
prompta o com pouco uso ; uma dita em bruto,
com 50 palmos de comprimento propria para
abrir; travs de louro e camassari de 30 a
36 palmos de comprimento ; a tratar com Ma-
noel Firmino Ferreira, na travessa do Queima-
do n. l,o deposito he por detraz dos Martyrios,
ra da Palma.
Vende-se uma escrava crioula de 20 an-
nos, cose, cosinha, lava, vende na ra. e he
piopria para qualquer servco ; na ra do Li-
vramento padaria n. 32.
Vendem-se 4 escravas mocas de boas fi-
guras engommao, cosinho e lavo; uma di-
ta boa quitandeira ; um dita de 16 annos, re-
colhida cose, engomma, veste e penteia uma
senhora ; duas negrinhas de 10 annos ; dux*
pardas de 20 annos cosem, engommao e fazem
todo o mais servco de uma casa ; um preto
perleito cosinheirode um ludo ; um mulatinho
de lOannos, muito lindo pagem ; 4 escravos
para todo o servio de campo ; na ra do Cres-
po n. 10 primeiro andar.
Vendem-se dous espelhos de paredo, mui-
to bons umsellim de montara de senhora ,
quasi novo e urna taboleta para ourives, lu-
do por prego commodo ; na ra ae Agoas-ver-
des h. 18.
Veode-M uma escrava crioula de 30 an-
r.os lavadeira e do servco de campo ; na ra
a Cadeia do Reciie a. 20.
Vcnde-se uma mesa grande de jantar, to-
rua da Cruz botica n. 50.
(I
Escravos fgidos
No dia 31 do p. p. fugo a negrinha Faus-
tina de nacao Cacange de 13 annos, olhos
muito vivos ,-edr preta muito esperta, falla
bastante desembaragada andar vagaroso, tem
urna falta na orelha esqueida; levou vestido de
chita branca com palmas encarnadas argolas
de ouro, grandes e abertas andava vendendo
letria de leite ; consta que foi encontrada era
S. Antonio no dia '1 do corrente vendendo la-
ranjas e bananas por isso suppoe-se estar
ucoitada em alguma casa ; quem a pegar, leve
a ra do Trapiche, na LingoOta n. 30, que ser
recompensado.
1 No dia 27 do p. p.Mugi uma preta de
Angola, de 2 annos baixa cara redonda,
com marca no braco, formando dous circuios,
com uma erida em uma das candas das per-
nas ; levou panno da Costa desbotado, o saia
do chita usada um taboleiro com jambos, e
chama-se Benedicta; quema pegar, leve ao si-
lio de porto de Ierro, defronte de S. Jos do
Manguinho que ser gratificado. (9
2 Contina a estar fgido o preto Antonio,
do nacao Congo baixo cheio do corpo, car-
rancudo ps largos barba grande em roda
do queixo o falla fina ; quem o pegar, leve a
ra da Aurora n. 30, quesera gratificado. 5
pehn; typ. de M. f. di: i aria1844*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVD82U69O_J6HAY3 INGEST_TIME 2013-04-13T00:32:47Z PACKAGE AA00011611_05218
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES