Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05216


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 18M.
Quarta Feira f>
O J'iABiopubliri-r lodos os din que nao forero santificados ; o prego da asaignatura
I,, ,le Ir rail", por quartel |>a^os adianlados. Oa anmincioado assRnantes sao inseridos
arraiie, < "os 'i'" '" '"'"' '" '' '*''" "c 8 icie (wr liiuia. Aa rcoiaiuayora icttih a ",l,r cala Tjrp., ru das Cruies n. 34 uu a prega ra Independencia loja de litroan. 6 a 8
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
GoiA3t>, Parahyba,secundase sexlae feiras.Rio Grande do Norte, chega a 8e23 e par'
M 440*84,Cabo. Serinhaeto. RioFormuso, Macer, Porto Cairo, a Alago: no 1. e ,
i\ e A dcada raei. Garauliuna e imito a 10 e -! da cada mei Iiii-tsU l'lor
eic 13 J8 dito. Cidaie da Victoria, quintas feiras. Olind lodos os dia.
das da semana.
4 Se? ij. Carlos Bar romeo. Aud.do J. de I), da 2. r,
5 Terca a Zacrrias. Re. aud. do J. de 1). d 4. ,.
6 Quaria a, Seroro Aud do J. de D. da 3 y.
7 Quinte Florencio Aud do I. de 1) da 2.
8 .Seilan Scverianu. Aud. do J. de D da i. v.
y Sab. Theodoro Bel.
Id Dom Ol'almcino de N. *
ejutamimmtmm"ml"*mi"''''' "-'i- .'.w.' de iVovombro
Auno XX. X. 2*K
aiejJJJJJJjaw*-&*y*uaLLJM *"''""l' ^aalianTlBTr>a*n''lt,'l,>rAy^^
J'ud agora depende de ni M; da noi.a pro ... '*" ""*"
tinueome como prinoipiamoa e serrotes epontado ooaa idairagdo .* ."* <*'"
cullae, (,ii.- *'"' "u '-*"
Cambio sobre Loni're
, Paria 380 re ] i franco
u u List" I 1 poi U de premio
Moedada cobre u pr.
Idea ,1a letras >e ooaa Groa pi ro,o
CaSUlOl hu ni 5 i so.
5e li nom lOurMoedada li.i'Ji
.".e 4
l'rala--.' U '' l
!'c.' scolu
Dito neiicanoa
47 :00
,. til)
y bi)
:,J.
1,94
i ,'JO
venda.
i?,5UU
17.3UU
1,70(1
1.0*0
;>.;>
i.y.o
PHASES DA LA .NO MEZ DE 01 M BRO.
gw^asaiaLw.iapw.i.jirgwwm,'.. -'y,rr"L
Lua chaia a 96 as 2 li iras e 44 ie:i di m I '- -' ora > I I as 'J I,. r i rain da tarde.
Minguante a 4 ai i n^ras e j jiiii j larde a N ou 'j m. d lano.
'reamar c hoje.
Frimairaa 1 hora iS din da larde a I '. minutos da tarda
--.'.:
PE
Tribunal da Rclagao,
JULGAMENT0 DO DIA 5.
(Presidente da audiencia, o Sr. Desembargador
Peixoto.)
Mandro dar vista as partes as seguidles
appella,'es.
1. iNIanoe! Ignacio de Albuquerque Mara-
nbo e sua mulher appellante Manuel do
Sousa Leao e Joao de Sousa Leo appellado.
2. Appellantes Francisco Xavier e sua mu-
lher e outros. appellados Joaquim Alvesde
Araujo l'ereira e sua mulher.
3. Appellanle Joaquim Viegas, e appella-
dos a viuva e III los de Antonio Jos Tcixeira
Basto.
Na appellaco civel, em que sao appellantes
Joaquim Francisco de Mello Cavalcanti e sua
mulhur, e appellados joaquim Francisco Ca-
valcanti de Albuquerque e seus filhos:reform-
rao a sentenoa.
Na appe'dacao civel em que he appellante
Jos de Mello de Macedo. e appellada a fazen-
da pu.nlica : despn zro os embargos.
Ka execugaodesentcnca.em que existe um
aggravo de peticao, em que he aggravante An-
tonio Pereira e sua mulher Rita Mari de San-
taCruz, e aggravado Manoel Duarte Ferreira:
nio derao provimento ao aggravo.
Na appellaco civel em que he appellante
'Joaquim da Fonseca Figueiredo, c appellado
Joao Maria Seve : conlirmarao a sentenca.
Na appellaco civel, em que he appellante o
Juizo, e appellado Domingos Lopes de Amo-
mffrim : mandrocom vitaao actual Desem-
bargador da Cora.
Na appellaco civel em que he exequente
Francisco Jos da >ilva Maya como adminis-
trador de sua mullicr e executado Jos Fran-
cisco Pinto Guimaraes : nao tomrao conhe-
cimento do aggravo, por nao ser caso (folie ,
visto o despacho nao estar compreendido em
algum dos casos do ^ 15 do regulamento n.
143 de 15 de Marco de 18i2.
Na appellagao civel, em que sao appellantes
Jos da Silva Ferreira,eFrancisco Candido Fer-
reira eajpellado o Curador geral : recehero
os embargos*
Na appellaco civel em que he appellante Jo-
s Thoitug de Campos Quaresma, e appellados
Lenoir Puget & C. : mandro dar vista as
parles.
Na appellaco civel em que he appellante
j>r\imxa*aMsam
mwEim.
O RE. (')
2o
A ALDEIA.
Pelas dez horas da noute o camponez que
liavia deixado a tapada de \ ersailles no coine-
( della, caminhava vagarosamente por um ter-
reno pedregoso, agreste e solitario, onde nem
caminho nem carreira havia, e por entre um
ddalo Je rochedos talhados e:n degraos as
partes mais ingremes.
A la esclarccia-lhe amplamente a marcha,
mas elle nao tinha nucessidade deste soccorro,
porque seus passos pireciao affeitos a este cam-
po selvagem, ese dirigio por si mesmos sem
adjulorio de pensamenio, que altas itd<|ue!ia
occasio de nada Ihe sorviria, tao pesado o do-
loroso se achava.
as paragons que (icao entro o vale da Che-
vreuse e a estrada de Fontainehleau, naquella
poca quasi inhabitadas, no fundo de duas
{') Video Diario n. 246, e 247.
Jos Francisco Pereira da Silva e appellado o
luiso : mandro dar vistas as partes.
Na appellaco civel em que he appellante
Umbilina Joaquina de Albuquerque e appel-
lado Antonio Joaquim de Mello Pacheco: man
dro dar vistas as partes.
Na appellaco civel, em que sao appellantes
as libertas Joanna Atanazia e Maria, e ap-
pellado Jos !' rancisco Dinis Machado: dcs-
pre/ro os embargos.
Na appellaco civel em que he appellante
Francisco das Chagas Cavalcanti Pesson como
administrador de sua mulher, e appellado
Bernardo Damio Franco: mandro dar vis-
ta no Curador dos Orphos.
Na appellaco civel em que he appellante
o Juiso o appellado o Juiz e Mesarios da ir
msndade de N. S. do Solidado : mandro dai
vista ao Dosembargador Procurador da Cora ,
e fa/.enda.
Na appellaco civel,em que sao appellantes a
viuva e herdoiros de Joao Carlos Pereira, o ap-
peilado Joo Lemos Ferreira; mandarodar vista
ao Curador geral.
Na appellaco civel em que he appellante
Joao Climaco de Albuquerque, appellado
15oaventura Pereira de Qeiroz : julgro a ac-
co incompetente, e como tal nullo o processo.
Na appellaco civo! em que sao appellantes
Manoel Francisco Lamenha Lini e sua mu-
lher o appellado Manoel Zefirino dos Santos:
mandro com vista ao Curador geral dos Or-
phos.
F.I.E1CAO PARA DEPTXDOS PROVIr'CIAES.
Collegio de Garanhum.
Os. Srs : Votos.
Raro da Roa-vista 54
Cons. Sebastio do Reg Barros 5i
r. Joo Jos Ferreira de Aguiar 53
Coron. Leonardo Bezerra de S. Cavalcanti 53
Dr. Francisco Domingucs da Silva 53
Dr. Bemvenuto Augusto de M. Taques 53
Dr. Francisco Rodrigues Sette 53
Dr. Francisco Jos de Medeiros 53
Dr. Jos Thotnaz Nabuco de A. Jnior 53
Cons. Antonio P. Maciel Monteiro 52
Dr. Alexandre Bernardino do Reis e Silva 62
Ten. Coron. Antonio Pedro de S Rarreto 52
Machado Dias 52
Luiz de Carvalho Paes de Andrade 52
Amaro Baptista Guimaraes 51
Ignacio de Barros Brrelo 51
Dr. Antonio Baptista Getirana 51
Padre Joaquim Pinto de Campos 51
Major Antonio Jos de Oliveira 51
collinas esteris, o s no cume coroadas de ar-
voredo, se estendia o leito do um pequeo ria
cho secco. Adireila, e junto umada*cn-
costas estava urna pequea aleia de nnseravel
aspecto ; pois que d'algmas cabanas que a lor-
mavo, espalhadas sem alinhamento, c prestes
a desabar, urnas arrimadas ao rochedo, e que
por isso ainda se conservavao seguras, nao ti-
nhao mais porta* nem janelles, outras priva-
das d'aquelle apoio, havio deixado cabir al-
gum lado das paredes de barro, ou encestar
trra o tecto de colmo ja desarranjado.
A aldeia era dominada pelo serr, em cujo
cimo via-se despontar a cruz de ferro de urna
capella, cujo edificio era encuberto pelo ar-
voredo.
Em frente e sobro as quebradas da outra
collina, ficavo os restos da velha manso de
Cerny, abandonada a longos annos por seus
possuidores, por causa de Jegradaco irrepa-
ravel. Nessas ruinas de castello havia a pobre-
za adiado meio do construir uina chossa, pon-
do estelos algumas paredes, tapando as bre-
chas, esubstituindo com palha o que no tecto
Ihe faltava. Junto ossa estranba habitaco
existia ainda o edificio de urna Ttrica arruina-
da no interior, e inteiramenle abandonada
depois que o curso d'agoa desviado, deixara de
Ihe mover as codas.
0 leito do rio privado das tgoas que em ou-
51
51
48
47
47
45
44
43
42
42
40
40
Ten. Cor. Podro Alexandrino de B. C. 51
Dr. Francisco de Paula Baptista
Francisco Alves Cavalcanti Camboim
Felippe Jos Ferreira
Dr Francisco Xavier Paes Barreto
Ancelmo Francisco Peretli
Dr. Pedro Francisco de Paula C. A.
Dr. Caetano Jos da Silva Santiago
Dr. Simplicio Antonio Mavignier
los Pedro da Silva
Dr. Antonio da Assumpco Cabral
Dr. l.ourenco Francisco de A. .Catando
Vigario Joao Manoel da C. Pinheiro
Ten. Coron. Manoel Ignacio de C. Mendonca 40
Dr. Jos Rento da Cunha Figueiredo 38
Dr. Antonio Affonso Ferreira 38
Padre Joaquim Francisco do Parias 35
L. M. Dias 30
Vigario Francisco Ferreira Barreto 30
Jos Francisco Pinto Guimaraes 30
Barao do Suassuna 25
Florencio Jos Carneiro Monteiro 10
Bernardo Rabcllo da Silva Pereira 11
Felippe de Barros 10
Antonio C'oelho de S 3
Sousa Reis 3
Dr. Joaquim Nunes Machado
Padre Venancio Henrique de Rosendo
Appolinario Florentino do A. Cavalcanti
Lourenco Rozerra Cavalcanti
Dr. Joo Floripes Dias Barrlo
Dr. Jos liavmunJo da Costa Menezcs
2
1
fendimento da Mesa da liecebedoria de lienda
tina es Internas no mezde Oulubro pr-
ximo /indo.
Siza dos bens de raz 3:442,432
Vclboa e novos direitos 319,894
Direitosde Chancellara 15.490
Dizima da mesma 163,625
Matricula do Curso Jurdico 7:833,600
Sello fixo 1:828.060
Dito proporcional 1:548,962
Ceitidcs 12,786
Cartas de Radiareis 52,000
I.cenca de despachantes d'Alfan-
dega 475000
Segunda decima de mo mora 170,906
Sello do herancas e legados 53,556
Impostos do lo jas abortas 2:303,700
Taxa de osera vos 551,000
Rs. = 18:771,011
A saber
Perlencente ao rendimento do
ikseisrair lajIllliajIMn l-J-u'in*"i'
Iro lempo alli corrio, era seccoe em osso, pa-
reca um esqueleto deitado em um tmulo :
urna pequea ponte formada de troncos dear-
vores de urna outra margem, o ento intil,
Ihe servia de cora rustica. A aldeia arruina -
da, o castello servindo de cabana, o rio esg-
tado, tudo tinha um aspecto de morte e deso-
lacio.
Km urna sala terrea do anligo ceslell efa*
sentado em um escabello junto a urna tosca
me/a, um velho ; o raio' da la que entrava
por urna fresta, era a nica luz que alli bavia,
o alumiava o rosto do velho camponez, cuja
forea muscular ainda mostrava quanto traba-
Ihara o lempo para Ufa destruir : a pellecres-
tada estava toda rugosa, o as feicoes oflerecifio
pereitamente o typo do homem do campo : os
movimentos da physionomia ero lentos, mas
firmes, o bem pronunciados; espessos sobro-
Ihos brancos sobre-sahio-lhe em arco sobre
os olhos profundamente encovados ; a rude
guedelha encanecida rabia-Uve sobre as espado-
as ; o que nelle liavia de elevado e podeoso
residia na espacosa fronte calva, que por sua
altura, largo contorno, superficie liza e luz-
dia, apresentava urna certa vista de cima de
um rochedo, o por esta seinelbanca pareca re
velar uuia lorca de vontde inabalavel e eterna
Este velho era adoredo na aldeia, de quem
lora,por niuito lempo o btmfeilor, pela fa-
anno correte
dem idem do exercicio lindo
16:610,649
2:160.362
18:771.011
Recebedoria 2 de Novembro de 1814.
No impedimento do EscrivSo o 1. Escriptu-
rario Manoel Antonio Sitn0t$ do simarat.
CORREIODO RECIIT.
CORRESPONDENCIA DA CI0AD8 I-. HtOVIMCIA.
Sabem Vms. que cada correspondencia mi-
nha custa-rin' pelo menos um inimigo? Ora ,
se isto vai assim o se i populacSodesta cidade
nao est em propacao com o numero de Elei-
tores como muita genio ere e eu tam-
be ni em breve tcnbo toda esta cidade contra
mim ; e como entre pstes inimigos pdem ha-
ver d'aquelles como l dizem da p. virada ,
tenlio (|ue mal os taos Senhores posso assentar
urna supposico, me litar;! o costado em grande
risco,ou o do degracado sobre quem ven ha ella
a reca ir ; e enlo quem me segurar o
meu ? A cousa nao I c para rir pois que en-
tre ns acha-so tudo, menos dinhoiro e se-
gurarla individual e vindo-nos de fra quan-
to lia e quanto nao lombra ao diabo at pali-
tos nao me consta que algum especulador se
lembrasse j de importar a ultima daquellas
inercancias quu na primeira nao se falla ; e
mais devia ter ella muita sabida. Em im ,
como em quanto o peo vai e vem folgSo as cos-
as vamos por diante.
Foi suspensa em parte a matriz de S. Jos ;
islo he poderao os fregue/es daquella matriz
gozar da fruieco de todos os sacramentos da
santa madre igreja, menos do da Eucbaristia ;
porque S. Ex. Rvm*. nao julgando decente o
altar que a co ifraria duna da igreja cadera
parase instalar o SS. Sacramento, ordenou quo
fossem consummidas as formulas consagradas
queexistifio, o mais nao houvesse alli ellectivo
o pasto celeste. Nao sei porque nao quer a
referida confraria entrar em convenco aiguma
com a do Sacramento a respeito da capella-
mor ; mas sem duvida he porque nao Iho ins-
pira confianca : a confraria de S. Rita, para
cuja igreja se quera passar provisoriamente a
matriz, taes condicSes quiz impor, quo nada
se arranjou E tirem Ihe la o cabello da ven-
ta !
O Jury desta cidade que levou seis dias a for-
mar-se, a despeito das multas que choverao
sobre os omissos, encerrou-se hoje, isto lie
no mestmi dia em que se organisou, porquo
tendo somenteum processo a julgar, foi oreo
brica que achara meio de alli crear, e cujos
operarios elle continuara a dar seccorros, de-
pois que nao podera mais dar-l!ies trabalho ;
porm ao respeito, ao reconbecimenlo, affei-
Co que se Ihe dedicava, se misturava um te-
mor inspirado pela fria eipressio do seu rosto
austero, e certo terror supersticioso, que fa-
zio nascer a raridade de sua presenca, e os
costuoacs dcsconh^idos de soa vida.
Sobre a meza ainda estavo as contas da
manufactura'suspensa. As paredes da sala,
racbadus, desmoronando-se o esverdeadas de
musgo anda sustenlavo os escudos d'armas
dos antigos senhores deste lugar, as divisas
feudaes inherentes as suas podras : por cima
de insignias senboriaes estavo suspensos ins-
trumentos do agricultura, o chapeo o a caba-
ca do lavrador, e num aparador grosseiro ha-
via um s desloa paes n gros, que o campo-
nez faz coser para me/es inteiros.
Dous mancebos, di.us irmos, em oulro
itinpo operarios da fabrica, acatiavo de en-
trar, e se conservavao de p e com o chapeo
na mo.
Rom dia, pai Ambrosio ; bom dia Volf !
Piase o mais velho dirigindo se ao patiiarcha
da aldeia, e a um grande e feio animal deita-
do "o p da cbamin.
Bom dia, meus lilhos, disse o velho ;


reconhecido demente. Parece que d'aqui se
pode concluir, que nao ha ninguno procassa-
do, preso ou afliancido ; mas engaa se quem
assim pensar ; assim como se engaa quem a
isla das omissoes e negligencia los Jura los
entendn que o Brasil nao esta anda disposto
para a instituicao dojuiv : no Srs. ; os Bra-
lileiros querern Jury as causas crimes, do
mesmo modo e com a mesma l.eomquo os ca-
tholicosqucrem ganhar o Co; sem incommoJo,
sem sacrificios, e at mesmo sem ajusto de
cuntas de consciencia.
Corre por cero que o celebre Ovala so esca-
para de Fernando o fora ter ao Coari, onde
procura passar-su para aqui, r depois para a
Corte, diz elle, a pedir a sua graca ao Poder
Moderador : o caminho he novo, mas o lio-
mem be velho no peccado.
I.ii cahi algures em dizer,(|ue a Polica esla-
va prostituida e venho b ije arrependido con -
fessar o ineu erro ; he ella p lo contrario tiio
pudibunda, que anda hontetn a noute dous
Inspectores de quarteirao das Cinco-Ponas ,
f nao sei qual outro por all, mal ouvrSo a
mais infame descompostura em gritara, frita
por um tal Aguilita fritas que se metieran
no mais recndito de suas casas, salvando assim
as mataos orelhas.
Parece que sao tolerados entre nos osdu los
ao menos a julgar pelo que acontecco hontom
a noute na ra Nova logo depois das 8 horas :
nao houvero formalidades, mas os contendo-
res nao forao incommodados e os espectado-
res olhrao para o caso como para urna brLa
de gallos: felizmente as armas erSo cceles, a
os campeos retir.,rao-se por seus ps.
Diz-se que antehontem i-firao reprovadosdous
tstudantesquefraquentavo o I." auno juridi
co, c que igual sorte leve outre examinando
se de Lrancez. Quem t as bar as de sen visi
nho arder, ponha as suas de molho.
Km um que fe/, exame de Reihorica tamhoin
cabio um raio ou um li. sahindo-se por isso
com pouca sade litteraria : de um f porm
quem hoje faz cazo? De ninharias nao cuida o
Pretor.
Na mesma noute (dizerrf forao desovados al-
guns gigosde loma que ficarfio a porta da Al-
fundega; he provavel que a graca nao fosse
praticada por pobres,pela regra de que=? Quem
tino tem que comer escusa praos.
\'orrerao hontem dous vellios ricos ricos ,
Antonio Jos Muinz que ha muito nao adminis-
trava os seus bens. ea 'ra. I). A'nna Teixeira
Cavalcanti que me dizem orea va pelos noventa,
e cujo enterramento at as S ;4 da noute nao se
havia anda elTectuado, por isso que os Reli-
giosos Carmelitas que nelle deviso olliciar ,
nao se bavioat essa hora recolhido so con-
vento, por terem ido acornpanhar cadver lo
1., de cojos berdeiros, dzem os nterpetrado
res, esperavfio mais liberalidado que dos da 2 '
Ahi esta o vapor do Norte. Nao Ibes falta com
que cevem boje a curosdade publica.
Varsedadc.
DMBIO DE PSRM
Hontem pelas 3 c meia horas da tarde, pou-
ro mais ou menos, entrou inste porto o vapor
lmperatriz, que deixou tranquillas as provin-
cias por que passou.
vos viudas buscar a gratiicacaozinha do cos-
tme; mas desgravada mente.. ..
K inostr ti-liies urna lacela onde nao havia
urna s moeda.
Nesso momento o joven camponez que vi-
mos partir de \ ersailles errtrou na sala Ain-
da que a fadiga do caminho Ihe bouvesse cober-
toa fon le desuor, e mulhado os cabellos, o
rosto sinrta i rmulrai i COm 8 meSUlS PSltidcZ
Lancou impetuosamente o thap/'o ao chao, e
deichou-so cahir sobre um banco. O velho
poz-lhe uns ollios interrogativos ; o elle fez-Iba
com a mi signal que esperasse. Depois, cru-
zando os bracos, e deisando cahir a caneca so-
bre o peito assim ficou pensativo e abatido ,
sem dar a menor attencao s caricias do disfor-
me bicho de pelo arripiado, que havia deixado
a cbamin para vir deilar-se aos seus ps com
mil signaesde alegra e aTecto.
O rapaz que ainda se conservava de p dian-
te do velho, rcspondeo-lhe observa< o:
Com perd* de \ me.. pai Ambro/in. nS
nao vinhemos aqui pelos laes dous vinlens da
gratificaeo. \erdade seja como nem ,> di-
gamos, que ainda podemos commungar qjss
ha la n'Aldeia necessidades mais aportadas do
que a nossa.
Entao que aconteceo ?
He que o nosso camarada Filisberto, cha-
Carta de !raz Tirana boticario de Lisboa ,
ao barbeiro.
Agosto 30.
Moncker, Hoje sudespedem os canicula-
res : doixl-os ir que nio deixfn saudades. He
do esperar que agora refresque o lempo e que
a Senhora Chuva nos ohsequeie com algumas
golas, que muito precisas sao. Segundo o meu
correspondente particular de Alexandria o ve-
lho Mehemot-Alli, Vice-Roi do Egyplo leve
os seus intervallos de maluquice, causada, di-
zem por Ihe quererem diminuir as bolsas! O
homem tomou islo em caso serio, e, como di-
zem as nossas velhas, tresleo ; revolveo-se-lhe
o milo, e quz abdicar e recolher-se a Meca
para u companhia do propheta Esta maluqui-
ce causou rebolico no Egypto, tanto no alto co-
mo no haixo : os Cnsules Europeos andrao
a tres tornos O Ihrabim Bach tomou conta
das redeas; houve choros, caras amarellas,
faniquitos; mas felizmente u Sr. Mehemot tor-
nou no sen estado normal, a sua cachimonia
continu iu a Ira baldar regularmente, ej no
vai a Meca. No Cairo ha luminarias.
J ebegou a Madrid a joven Rainha Izabel ,
depois de ter tomado os seus hanhos que Ihe fi-
/eriio muito bem segundo me afirma o meu
correspondente particular de Madrid, As pro-
phocias dos progressistas do l e deca no se ve-
rificaro ; nem a Rainha soarclamou absoluta
em Rarcel ni, rtem deo a sua maosinha ao Con-
de de Trapani nem ao primognito de D. Car-
os, nem Ihe tacharlo as pernas, como dizio os
jumaos inglezes!
Estas pandilbas progressistas sao feriis em
maranhdes : quando a nossa augusta Soberana
foi ao Alemtejo, tambem ellas espslliro pela
lettra redonda que ia acclamar-se absoluta em
Villa Vicosa ou em Vida Franca!! E no entan-
toS. Magestade continua Rainha constitucio-
nal como sempre loi e sean pro ser; mus
nao moda do Arsenal e segundo a poli-
tica dos esguelbas e dos boln ios Os ho-
mens do caes dascolunnas querem um throno
de comedia, urna Rainha de romance ; por m
os homens amigos da sua patria nao estao pelos
autos, e querem que a sua Soberana o seja em
toda a extendi da palavra: constitucional, mas
com di /nielado ; liberal, mas obedecida.
Para que o mestre con'icca que os amigalhoes
do progresso nao perdem meio algum de desa-
rre itar o naco, oh i Ihe remello o n. 8 da Fa-
ma, jornal de annuncios, que, dando parte do
grande drama em 5 actos que so representa no
salitre de Mr, Doux a Corle de Suecia, emitte
a spguinte analyse Rainha de Suecia (a Senhora Rugalli), dotada
desumma bond..de dcixa-se dominar por um
Ministro spu valido, que forca de intrigas ,
chegnu aquello lugar onde se pretende con-
servar pelos mesmos meios casada com um
Principe que nao pode exrcer oulra influencia
mais do que a do marido da Rainha mas que
nao obstante esta condicao e o sen talento se re-
ducir nicamente a bem tratar de flores ali-
menta a esperance de um dia se assentar no
throno da Suecia despenhnndo delle a Rainha
sua mulher ; isto ludo juncto aos desvarios e
prepotencias do Ministro valido levo o povo
ao desespero de por duas vez< s se revoltar contra
o Governo gritando as pracas -.-. abaixo o
Conde d'Ero (o Sr Pereira), abaixo a Condes-
sa de Lavembourg 'a Senhora Guilhermina). e
abaixo a Rainha, que a final se v na dura ne-
cessidade de abdicar a cora chegando a ossig-
nar por seu proprio punbo esta abdicagao; que
nao chega 3 reas.ir-se por ser reconhecida a
sua innocencia o bondade de um magnnimo
coracao sempre disposto a perdoar.
Tanto o redactor da Fama conheceo o Latet
anguis in herba da analyse que diz insero o
c immunicado por esta vez somente Esta ca-
r..pu^a, mestre, be de linho muito grosso, se-
nao fazem cousa mais fina perdem o lempo. O
Ministro do Reino foi no dia 27 as Secretarias,
mas de capote, pois bom de todo ainda nao est.
Segundo corre os Escocezes vao abrir a campa-
nha contra o Costa Cabral Falla se que na
Secretaria da Cmara dos Pares tem havido o
quer que seja a respeito de um tacbigrapbo, a
quem apparecem muitas procurarles. O Reis
que loi mercadoi passou para solicitador do 3.<
julgado ficando de fra o Salgueiro, que tem
bem boa casa arranjada neste lugar.
As pequeas que fugirao da travessa de San-
ta Quiteria, j por ahi andao ao lado!! Parece
que o Pai foi a causa desta desgraca ; hontem
vio-se a mai a chorar porta e as pequeas
em meio tom pela calcada dos Paulistas. O Pa
triota sahio-se na quinta feira com um artigo de
fundo que fecha assimDos salve a nacao e o
throno.O homem do poco dos negros quiz ar
remedar o seu amigo Olozaga ; o que este fez
depois do a la mir lodo o mundo sabe; o que fa-
r o Patriota tambem se pode saber, he nada;
mas nem por isso deixa S. S.* a sua estrada do
boatos alerradorrs ; com eficito na quarta leira
trouxe abundancia de maranhes : v tomando
conta, que sao todos papa-fina.
Ei-los aqui : o (jonzalos Bravo, ainda nao
tinha despido a camisa da jornada, c ja ti-
nha oflorecido aos Cabraesum contingente de
ropaspara levara efleito o que ajumarlo Ou
tro: o Secretario Inspanhol Cueto foi com urna
missao lio forte, que estando carregado de
acbaqOOS foi para Madrid em um carro cuberto
de colchos Mais outro : suspensao da
carta por tres ou quatro annos Ainda
mais outro : A universidade fechada indefini-
damente !.'! A secretaria da guerra supprimi-
da As cortes adiadas al 18i8 A casa
real vai morar para Queluz. Com efleito, o
Patriota mente como um cesto roto mas ao
menos divertese.
Esquecia-me dizer-lho que o dito Patriota
espalhouque indo o Silva Carvalho jantar
em Cintra hospedara do Vctor, o Lord
Howard o mandou convidar para jantar com S.
S.' ; o Costa Cabral rsquentou-so muito com
este convite do Lord Howard. e a Rainha es-
creveoa Rainha Victoria a pedir Ihe a demis-
sfiodo Lord sobredito .' .' Que fertilidade de
de invencSo Que cabecinha !
O .Ministro de Austria. Raro do Mareschal,
he quem di asearlas em Lisboa, mas interina-
mente ; agora quem as vai darhe o Gon/ales
Bravo. E*ta. mestre. tambem he do Patrio-
ta. Os emigrados de Almeida j nao vao
para as Baleares : o Narvaez instou muito com
o Cesaf para que nao sahissem nem para as Ba-
leares, neo para a Franca os homens para
obsequiar o Narvaez deixao-se ficar! e*ta, mes-
Ir, he da matrona da ra da Athalaia. O
Conde do Rornfim ja passou a Bayona. J ca
temos Monsenhor di Pietro em vez do Capac-
i cini, que nos deixa muitas saudade. Acida-
de de Vizeu nao fiepu ati's ; ella acaba do no-
mear a sua commissao de auxilios para arranjar
patacos para os emigrados d'Almeida. Vizeu
sempre foi terrinha de muita caridade.
Ha lempos que se nao falla seno rio Taiti,
mou-o Deo; para si esta manbSa o nfio temos
urna amortalhu p:ra oenteinr.
Puhre Filisberto, disse o patriarcha dan-
do um suspiro era tao honrado rapaz e to
bom lillio .' So coiihco o meu Ricardo que
d'gno seja do so Ihe comparar... Ento elle
morreo quasi de repente ?
Nao moneo de molestia ; porem de o-
i me : tamnom lo' orfn *-i mal nue tem* ** na ter*
r i e que nao mata pouca gente. 'Lodos os
dias se despojSo as casas, e se en< be o cemiterio.
Pelo S, JoSo passado foi ello augmentado c j
est ebrio de sepulturas.
O mais moco dos dous rapa/es, em p ao la-
cio do rollo a quem pertencia a palavra, con-
tentava-sede Ihe apoiar os discursos, repetn-
do a ultima palavra ou fazendo um signal ap
probatorio.
E os que ainda vao do p ajunl u o
mais velho nem por isso tem melhores ventas
do quH ajuelles que jdescaneao dcbaixo do
chao por que ja sen tem o mal que os ha do
levar. Afume. vftVmc., he como a peste,
que rolou na Franca os lempos pasudos so-
mente com o diabo da difleronca que a fomo s '
persegue os luga rejos como o nosso e passa
longe das frabitacfies renes
Ambrosio levou a mo testa que por al-
uns instantes sperlou em silencio. Depois le-
vantou-se vagarosamente, uproximou-se doseu '
ra c\
m
misera vel catre e tirando dele um lenco] ,
deo-o aos rapa/es:
Toma meus fillios ; disse elle; ide se-
pultar o vosso companheiro. E pegando no
pao que eslava no aparador, partio-o ao meio
e Ufo deo :
Toma islo para a vossa ceia ; he quanto
rosta na casa tereis igual parte de meu filho
e mniu.. Mas vollai o smanbia a noute ;
eu espero accrescentou voltando de novo os
olhos para Ricardo espero ter alguma cousa
melhor dar-vos.
Os rapazes retira rao se.
E entao. Ricardo? Disse o velho ao man-
cebo, pondo-so Ihe dianto e de bracos tambem
cruzados.
Ricardo tomando a mesma altitude do ve-
lho, disse :
E ento ? o requerimento com que tanto
Vmc. contava loi bem receido na corte !
I. dando urna risada amarga em quanto a
voz Ihe trema de raiva contou todos os por-
menores da sua viagem a Versailles: disse como
o Re dedignando se de ler elle mesmo a
peticSo a havia transmittido um S> ere
tario d'Estado o qual depois de mal a ha-
ver percorrido a havia igualmente transmiti-
do i um cachorro que se tinha divertido em
rasgal-a, e deitar OS fragmentos no tanque com
grande applauso de sua senhora. As ultimas
eiso que a respito do tal Taiti diz urna folh
franceza.
Taiti he urna Iba do 20 legoas em todas as
direccoes, com urna alta montanlia do 3,333
metros, valles espacosos, admiraveis planicies.
A vegetagao lio do tanto luxo que se nao veo
solo ; innumeraveis regatos levo a tonas as
partes a fertidade, e os lagos a reparlem at
por o cmo dos montes, cujas vertentes brilbio
prateadas por numerosas cscalas do 500 a 700
ps de altura, e he tal a ecundidade da trra,
e tao benfica a influencia da almosphera nes-
ta trra favorecida, em que reina um continuo
esli, que as laranjeiras, os limoeiros, coquei-
ros, e bananeiras, cas plantas gigantescas do
Oriente, dao fructo em todas as pocas do
anno.
As casas dos habitantes parecem-se com as
Non-Hiva, masa raca he difirante. Por in-
fluxo dos Misionarios Inglezes os Taitenses
perder o carcter primitivo adquirindo outro
falso que os prejudica. Succedeo o contrario
s mulberes, que com o commercio europeo
adquirirlo gracas, que nao tinhfio ; mas como
as de Non- Hiva sao tao complacenes. que cho-
go a importunas ; por urna que se despede
vem dez. vidas de enfeites, eslofos brilban-
tcs, callares, perfumes, e quanto Ihes possa
augmentar as gragas, apurao estremadamenle
a belleza. So loucasde bailse msica, e ao
cahir do dia se encontrao por as praias cantan-
do em coros. O prever he sua lei ; c como j aos
oilos annos sao nubeis e livres como os passares
doar, fcil he imaginar como vivero.
Os prmeros navegantes nao exageravc
pois, quando chamrao a Taiti a nova Cilhera.
Mas se a naturesa all he tao admiravel, se all
s se respira prazer: eis o reverso da medallia.
Ha tal caresta que um arralel de pao custa um
Iranco e violo e cinco cntimos casa para
um oflicial de 100 a 200 francos ao met.
m pedac de trra, em que se possa construir
urna casa e nada mais custa por o menos vinle
e cinco mil trancos.
Saudo e patacos. Seu, Amigo,
fraz Tisana.
(O Patriota.)
MMERC!<
w. O
Alfandeg.j.
ntododiaB..........42:707^971
Descarrego hoje 6.
Triumpho Americanomercadorias.
Marij Jonesidem.
Stewartidem.
Trifoliumidem.
-"ji^arfur/e--vnho.
Camertonarinha de trigo.
Feliz lumo o barricas vasias.
Condessa de tf'estmoreland cavi'io.
Rendale
Brgue-
Briguc
Brgue-
Brigue
Patacho-
Brigue
Brgue-
Brigue
S^maraco^s.
S. Ex. Revm. tem marcado o dia 17 do
corrente para a solemnissima procissao do Corpo
de Dos, devendo sabir, pelas 4 horas da tarde,
da groja matriz do SS. Sacramento do hairro
de Santo Antonio, e seguir imprctrivelmcnte
pelas ras do Cabug. das Cruzes, da Cadea,
do Collegio, d'ahi pracinha e ra do Lvra-
mento, em direccao ao pateo de S. Pedro, des-
te ao largo do Carmo, diste s ras estrella e
larga do Rosario, e desla finalmente ra do
Cabug em direitura rclerida matriz.
palavras que Ricardo pronunciou malsepo-
diaoouvir por que a respiracao Ihe faltuva, e
todo o corpo Ihe trema.
Ou\io-o o pai com a tristeza tranquilla do
homem envi Ihecido na miseria o sob os gol-
pes incessantes da oppressao c desdem dos po-
derosos ; mas no fundo d'lma a sua indigna-
cao nao era menos vilenla.
Eisahi como nos tiles tralo disse com
voz surds. Para levantar esta fabrica que
tantos desgraeedos dava o pao para soccorrer
os pobres habitantes desta aldeia que morrem
de manicio deilando-se sobre a trra fra .
que mal cobrem destruidas palhocas nssu
pedamos a esso Rei a esses ministros e*set
grandes a mais pequenina parte do que elle
estragao em suas depravados ; as migas perdi-
das de suas me/as d'orgia ; que se enganassem
urna vez deixando cahir sobre o campo labo-
rioso e productivo uma mnima parcell dos-eu
thesouros. com lana facilidade esbanjados com
validos e prostituta*. E elles recuso... NS^
nem querem ouvir a supplica.
E isto ha de ficar assim exelansouR'"
cardo respondendo com um sssomo do colera a
que mais surdamente enlumescia j poito ao ve-
lho : pois estes desgracados, que solrem fri c
fome, e todas as torturas da miseria, bao de
cahir sobro o solo, que ja nao tem forca para
revolver ; depositar sobre essa Ierra os Ierro!


p-
o
S. Ex. Revm. espera que os moradores das lhorg)slo, executadas pela mesma beneficiad.!,
mencionadas ras se esmeren) no aceto deiias,
e no ornato das janullas.
Palacio da Solidado, 4 de Novembro de
1814. O Padre Francisco Josi; lavares da
llama. Secretario do S. Ex. Revm.
Nao tendo concorrido licitante algum pa-
ra a arrematacao da carne verde de primeira
qualidade para os doentes do Hospital Regi-
mental do 2. batalho d'artilharia p, de no-
vo convido-se as pessoas que tal genero quze-
vem fornecer, por tempo de um mez, e pelo
menor preco, a comparecerem no dia 6 do cor-
rente, pelas 10 horas do dia no quartel do los
picio com suas propostas, para serem submet-
tidas escolha e approvaco do Illrn Sr. Com-
mandanlc das Armas.
vapor Imperatriz recebe as malas para
os portos do Sul amanhaa (7) as 11 Loras do
dia.
Lilla das carias existentes no Corrsio, que
dtvem ser consumidas.
Anna Rosa do Couto
Amaro da Costa Cabral
Albino Jos Ferreirn
Andr Soares Bolclho.
Antonio Araujo Ferreira Jacobino.
A Ivs \larta.
A. Belludo.
Botelho do Reg.
B. Sousa.
Carneiro de Gouvia.
Peixoto.
Francisco Eigueiredo.
F. Pereira.
(omes Ribeiro.
Joaquim da Silva Bastos.
J. Teixeira.
Joao A Ivs.
JosC Arantes.
Anlunes.
Costa.
Pimonta Conceicao.
Rocha.
Sousa Paranhos.
Luiz da Costa
Muniz.
Mello Silva.
Nunes.
Pereira.
Pereira Lacerda.
Pinto Farias.
Veiga.
Pimenla ConceiQao.
Porto Sousa.
(Continuarse ha)
i
2
Q
*J
4
5
6
7
8
9
10
ii
12
13
H
13
16
17
18
19
20
21
22
25
26
-28
29
30
31
34
30
37
38
39







i)













.


2 THEATBO PUBLICO.
Quinta feira, 7 de Novembro.
A beneficio da actriz Izahel Mara dos Pra-
zeroi. subir scena, pela primeira vez, a nova
e bem conceiluada peca em dous actos O
misntropo injusto, ou a o/fensa imaginada.
Esla peca,que no theatro da trle mereceo os
maiores applausos, he a mesma de que a bene-
ficiada ulgoo. aoortado laucar mi, para entre-
ler um publico nao menos (Ilustrado c circuns-
pecto, e a quem promelle invidar todas as suas,
anda que tracas, torgas, para que ella seja des-
empenhada com o maior asseio e condecorarlo,
que exige o seu autor.
Logo que os prolessores da orchestra descm-
penharem urna das melhores overturas, a be-
neficiada cantara a bellissima aria da floresta,
depois do que seguir-Se-ba a represenlacuo da
peca, cujos intervalos serSo ornados com a can-
tona deduas cscolhidas arias italianas do me-
i iii ijj.i.1,'1 !-!
com que a abriao, desalentados, devorad* 8 pe-
lo sollrimento, e transformados em cadveres,
em esqueletos, antes de descerein ao tmulo ;
bao de receber a morte sem que ao menos os
seus gritos dolorosos os seus ltimos suspiros
viio perturbar em seus festins aquelles que de-
vorao barras do curo mudadas em banque-
tes ? ..Oh essa qucixa que exprimido os
pobres moribundos essa humilde suppca ,
em que expunhau todos os seus tormentos e
agonas, servio aos corlezaus para divirtirem o
um dos seus, para fa/er brincar por um instan-
te o cadello de urna condessa .
E foi para presenciar ludo isso meu
filho que pela primeira vez entraste na
morada dos grandes.
Foi para ah beber a largos sorvos um
odio eieri'.o contra elles, disse o mancebo, com
nllios anteles, os labios pulidos e resequidos
pa feble.
O lobo Yolf qu.e Ricardo havia amaneado ,
e que sempre e-tava deitado a seus p, senn-
do por instincto o soflrimenle de seu senlior ,
soltou um Iraco e queixoso urro.
Ao ver a indignadlo que se manifestava na
fronte do mancebo o rosto de Amnrosio se
reanimen de alegra, e rcfolgouos polmoes
com ampia respiracSo.
Ricardo, disse elle, que farias tu para
te vingares desses homens.'
dando fin o espectculo com a engracada pan-
tomima o amante em estatua.
He este o diverlirnento que escolheo a bene-
ficiada para preencher urna noute, que Ihe foi
votada a servir de arrimo sua existencia, es-
perando ihi philantropia de um publico (ao be-
nigno a costumada proleccao, e indulgencia
em suas faltas.
Principiar as horas do coslume. (r>l
Avisos martimos.
" ...... *
1 Para Lisboa segu viagom com brevida-
de a veleira e superior escuna portugueza Ta-
rujo Filhos, capitao Francisco Antonio do
Almeida ; quem na mesma quizer carregar,
ou ir de passagem, dirija-seao referido Capito,
ou aos consignatarios Mondes & Oliveira, na
ra do Vigario n. 21. (7
i ii................ lixcnr
Leudes.
dcl8annos sonto do G. N. com bom lalh.> zontos sessonla cdotis mil e novecenlos rs., e
ilc letra para escripia, ou cobranza de alguma na mesma occasiao dei-lhe urna letra do i^ual
casa de neocio ; quem precisar annuncie. ( \ i quantia, aceita por A. ('.. S., o o dito Sr. Boni-
1O Sr. Betarmino Firmino Be/.crn de lacio ficou com a letra em seu poder para reco-
Mello, queira annunciar a sua moradia, p.iis nhec r se era erdadera a dita letra. No dia
se llio deseja fallar a negocio de nter caso. (3 \ 29 do mesmo mez voltei a sua casa, e o dito Sr.
IrrAluga-se para passar afesis, lima casa disse-me que be servia a dita letra, e passou -
2 Jos. Jernimo Montero fsr leilao, por
intervenco do corretor Oliveira, de bom sor-
limcnto de fazendas inglezas, sendo muitas pa-
ra liquidaco de contas, e por isso se vendero
por todo o preco ; quinta eia 7docorrente,
no seuarmazem, ra d'Alfandega velha n. 1.3.
4 Sancha Augusta de Meirelles, viuva do
Portuguez Florido Augusto de Meirelles, e ad-
ministradora de seu casal conjunclamente com
os Senhores lenry Forster & C. fazem leilao da
mobilia o utencilios da padaria e gneros d'el-
la no dia 6 do corrente, as 10 horas da manba,
com audiencia do respectivo Cnsul. (7
Os administrad re- da extmcla casa do J.
O. Elsler laro leilao, por intervenco do corre-
tor Oliveira, das restantes miudezas c ferragens
da mas-a desta, que seriio vendidas para liqui-
daco, e por qualquer preco, pelo Sr. Joao Re|-
ler^ e em o armazem deste, na ra da Cruz,
sexta eira 8 do corrente, s 10 horas em ponto.
4-Faz leilao o corretor Oliveira de milito boa
mobilia. toda nova, chegada, ha pouco tempo,
do Porto, consistindo em cadeiras de diversas
qualidades, mesas, sofs, Iremos, leitos. mesas
dejantar, lavatorios, toucadores, e muitosou-
tros movis de gostos modernos, quarta feira G
do corrente s 10 horas da manba, no arma-
zn! da ra da Cruz n. 3i-,defronte do beccoda
Lingoeta. (9
Avisos diversos.
me recibo de sul.lo de contas. Agora, j caneado
de ouvir dizer que o Sr. Bonifacio diz que elle
loi que me dospedio de sua cara, e dizeodo, que
se assini o nao lizesse, eu extraviara toda a sua
fazondn, vou rogar ao dito Sr. Bonifacio a res-
posta por esta folha, se eu extraviei alguma fa<*
enda, e se rilo dava conta de ludo quanto so
me entregava, e so o dito Sr. foi que me despe-
dio, ou eu fui que me desped.
Oleo-se chapeos do Chile a 1,200 rs.,
(8i na ra do Raugel n BO.
1 D-so dinheiro premio com penbores
de ouro, mesmo em pequeas porces, na ra
Nova n. 55, (3
1 Rodrigo da Costa Camino faz publico,
que arrcndc'ii 80 Sr. .lose Kogero Mareellino
a casa de dous andares esoto, sila na ra Di-
reita n. 100, que por o mesmo foi arrematado
em prac;a pelos alugueis, no dia 17 de Outu-
bro do corrente auno, por cuj'o motivo Ihe pas-
souqualro letras da quantia de 86,124 rs. cada
urna, vencer a 3, 0, 9 e 12 Qge/es, as quaes
nao sern pagas seno ao dita*, .lose Bogerio,
como consta do papel do nrrendamento por el-
le passado, \isto j ter recebidu dinheiro por
conla das mesmas, o que faz publico
no Poco da Panella, na ruado Ro, junto a
do sachrislao da Matriz: na ra do Oueimado
botica n. 15, (4
#1 Aluga-se o terceiro andar da casa n. 18
da ra das Crines dcsta cidade. com muiti
bons commodos para qualquer familia, bas-
tante Iresca, e dcexcellente vista, e por mdi-
co prcro ; quem o pretender entenda-so com
Joao Hermenegildo Borgcs Diniz, na alfan-
dega, ou na ra Nova casa n. !i2 primei-
ro andar.
1=.Precisa-se de um caixero portugezdc
idade de 16 a ISannos, qu tenha pratiea de
venda, e de* fiador a sua condacta as Cinco
Pontas n. 32. (i-
OsSrs. herdeiros do casal lo finado Cap-
to-Mr Pedro \ elho Brrelo, senbor do engo-
nho Apipucos, que procurao pelo respectivo
inventario original, dirijo-se ra das Trin-
ebeiras n.48, para se Ibes darem esclarecimen-
los t vista do traslado. Roga-se a quem tiver em
confianca o inventario original, que o levo a
casa indicada na ra das Trincheiras, ou na ci-
dade de Olinda ao cartorio do Escrivo Ciraco,
soh pena de se proceder na (orina da lei pela
dolosa orcultanio.
l-Ierdei-seumalelra, no dia2docor-||jQJ[7^|^ |)l^ ^ PEDRO
rente, da quantia de cen muris, sacada por I
i=z Quem anuunciou curar algum prcto t-
sico ou alguma ferela que so tenha tornado
incuravel queira ir a ra da Gloria sobrado
de dois andares varanda de ferro n. 67, das '5
horas da tarde em diante ou no Recife na ra
da Madre de Dos confronte a Igr ja sobrado
de dois andares das 6 horas da manba as 8. (7
1= Precisase fallar aos Srs. Bernardino .lo-
s Pereira Antonio Jos Goncalves, Jos An-
tonio de Sa (luimares e / :itoni Joaquim de
Freitas Cuimarcs, para receberem cartas que
muito Ihe interessao; ra do Trapiche n. 17. (5
1 = Aluga-se 3 canoas abortas urna carre-
ga 900 lijlos o outra 700, e outra he pro-
pria para, familia ; na ra do Caldeireiro n.
56. (4
1 s Alugu-se urna casa na ra do Jardim n.
45, com bons commodos para familia ; trata-
se na ra da Sen/alia nova n. 7. (3
1 OITerece se um rapaz brasileiro de dado
Tudo.
Esta palavra sabio-Ihe do fundo d'alma ; o
olhar do rapaz eslava perdido no espaco.
Crs que para alcancar esta vinganca lu-
do he legitimo
Legitimo e santo.
E n'em recuarias dame do quechamao
en me t
Nao.
Ainda que fosse o roubo .. o assassinato,
disso ainda o velho carregando ncslas pala
vras.
-- O roubo' exelamou Ricardo, masque
podemos nos tomar Ibes que ja nos nao per
tema Pois que os bens da Ierra sao igualmen-
te leitos para todos, nao pode darse furto em
tomar urna pequea parcella aquellos que os
tomo todos. O assassinio Mas quando elles
nos Uzem morrer de miserie, matal-os seria
urna justa represalia contra os seus altenta-
dos.
Ilouve um momento do silencio durante o
qual o peito de ambos csses homens Italia com
violencia. Ricardo encostado a urna janella
q' deixava ver toda a extenso do valle,e lanzn-
doos olhos sobre o magestoso desfiladeiro que
formava a garganta das collinas, pareca que-
rer revindicaressa trra aos usurpadores.
Se tu quizeres restituir em terreno a seus
verdadeiros donos aquelles que o fecundo
Herculano Jos de Freitas, acceita por Francis-
co Antonio da Silva, o endoeada por Jcs Lo-
pes de Araujo, cuja letra so ha de vencer a 28
de levereiro de 1845 ; e como se acha paga e
prevenido o sacante, Inz-sc o presente annun-
cio, para que nenhum efleite tenha dita letr-.
1 Aluga-se urna padaria na ra Imperial,
com os principaes utencilios, e commodos ne-
cessarios ao estabelecimento ; a tratar na ra
Direita n. 82, no 1. andar. (4
1 Aluga-se urna boa casa na ra Imperial,
contigua ao sitio do finado Machado, muito
propria para passar-.se a festa ; tern duas silas,
seis quartos, copiar e cosinha ; trata so na ra
Direita n. 82, andar. (4
Antonio da Silva Gusmao precisa fallar
com o correspondente do Sr. Jos Luiz Beltro
Mavignier, por isso roga a mesmo correspon-
dente baja de fazer o lavor de avisal-o, a fim de
ser procurado.
1 Offerece-se urna mulher capaz para ama
de casa de um homern solteiro, a qual sabe en-
gommar bem, o cosinha o diario d'uma casa ;
quem precisar de seu prestimo annuncie por
esta folha. (5
Manoel Cavalcanto, caixeiro que foi do
Sr. Bonifacio Maximano de Mallos, oceupan-
do-se em vender fa/fndas pelas ras desta cida-
de e seus suburbios, estando empregado em sua
casa um anno, cinco mezes evini (lias, rece-
bia suas fazendas por contado, dava corita todos
os dias, declarando o valor de cada peca, ou
cortos, varas ou covados, pelo pre(0 que venda,
lanto em dinheiro. como em fiados, e o Sr. Bo-
nifacio dava balanco em suas fazendas no fim de
cada mez, ou quando bem Ihe pareca, e sempre
as minhas contas concord rao comas do dito
Sr. No lia 28 de Outubro prximo passado
despedi-me do Sr. Bonifacio, dando balanco
em seu taboleiro, enlreguei-lbe o restante de
suas fazendas que existia, ajustamos contas, (i-
cando eu a dever aodito Sr. a quantia de du-
MARTR E 0L1NDA1
Hoje 6 do corrente correm inlalivelmente as
rodas da dita lotera, o restanle dos bilheles
acho-sea venda na ra do Cabug lojasdosSrs.
Pereira & Guedes, e nos n.aislugares annunca-
dos. (8
I Sabbado 2 do corrento desapparecro
dous cavados de dous cargueiros, da porta da
venda da ra da Cruz n. 0-. tendo os signaes
seguinles: urn pedrez com cangalha e duas
cordas ; e o outro castanho, capado, com cas-
suaes novos, o com urna ancoreta de mel den-
tro ; julga-se tercm ido toa com alguns que
passassem : roga-se quem os pegou de lval-
os ra da Cruz n. 6i, que ser bem recom-
pencado. (10
1 Os abaix i assignados, credores encarre-
gados da iquidarao ua iima extincta deO-
veira Goncalves & C., teem autorisado os Srs.
Amaral & Pinbeiro para receberem amigavel-
mente o que for devido dita casa, nao tendo
mais validado os recebimentos leitos pelos socios
da mesma extincta firma Jos Joaquim de Oli-
veira Concalves, e Joo Augusto Bandeira de
Mello, visto terern entregado tudo aos credores.
l.enoir Puget $ C. Kalkmann / liose-
mund. (11
] O abaixo assignado, morador ras Cin-
co Ponas venda n. 4, la/ publico a todas as
pessoas, que teem penhores em seu poder, ja
vencidos, os vio rosgatar dentro do prazo de 30
das, passfcdos os quaes serao vendidos para seu
pagamento, visto assim o ter tratado com seus
..oiios, e o seu valor nao chegar para o princi-
pal e premio quo tem corrido ; o para se nao
chamarem a ignorancia, e seu crdito nao ficar
manchado, faz o presente. Manoel Joaquim
Pinto Machado tluimares. (14
A quem fallar urna toalha, quo um mole*
que dexou llcar na lojade Mederos, na praea
da Independencia n. 4, procure na dita loja,
que, dando os signaes certos, Ihe ser entregue.
li.'K'MI -k"XS. ".i\
com seus suores, disse-lhco pai com prolunda
expresso se qui/eres derramar nellc tanta
prosperidade quanta he a miseria que nelie ho-
je reina, bem o podes.
Eu o o.ucro, disse Ricardo.
E do novo liccro por algum tempo silencio-j
sos.
Volf vendo seus senhores olhaiem (xamente;
para o campo, para onde o velho Amb'fosc a-
inda tinha a mao estendida se havia erguido
em toda a sua al'ura, arripiava o hirsuto pello,!
mostrava a formidavcl dentadura, e (ixava Um-j
bem olhos chammejantes para o mesrno lado.
No silencio da noute, do campo, da solido,,
na pro'fundidade dessas desertas e triste: ruinas,
a la introduzindo-se pela urcada lluminava
esse velho e esse mancebo, urna cabeca enca-
necida no odio da appresso e nos desejos da
vinganca, outra onde comegavao a germinar;
os primeiros instinctos de revolla, todos os ar-
dores da liberdade, esse animal selvagem as- i
cido no interior dos basques inimigo da raca
humana; eo astro nocturno como que servia;
de testemunha desse pacto de vinganca, eo
consagrava com a sua luz.
Um instante de solemne immobilidade se,
passou assim. Depois o anciao pegando na'
mao do 111 lio. disse-lhe :
Ricardo, he chegndo o momento de co- !
nheceres a minha vida de saberes quanto at
esa
aqu te tem sido oceulto. At boje s tens vis-
to em mim teu pai, convem quo conheQas o
boiriem.
Um ligeiro estremecimento passou pelos
membrosde Bicardo; foi entoo que elle pen-
sou que o silencio habitual de seu pai e seus
costumes reservados e mvsleriosos Ihe haviio
roubado aos olhos o carcter do velho e que
acabva de fazer-ihc promessa sagrada de se
sugeitar a sua vontade.
Eu vou referir-te em poucas palavras toda
a minha existencia, disse Ambrozio e tu a jul-
gars. Vem porm pnmeiro sentar-te esta
mesa; andaste toJo o dia, e deves estar canda-
do docorpo c do espirito, precisas tomar al-
gum alimento e repouso, para me poderes ou-
vir.
Ricardo obedecen sem saber o que lazia ;
mas com o appetile de homern do campo que
cousa alguma he capaz de tirar completamen-
te, comeo o quarto quo Ihe locava do enorme
pao negro e bebeo do um trago urna buha
d agoa.
Agora, disse Ambrozio ouve-me com
toda a utlenro.
Continnar-se-ha.)


4
__ Advcrte-se ao Sr. de utn eseravo mora-
dor na ra larga do Rosario ao pe do quar-
tel do polica QOfl haja de Ihe advertir que a
praca da Independencia nao he lugar aonde se
costuma fazer despejo das agoas sujas nem de
quantss porcarla* ha pois que alguns dos mo-
radores promettem, se em t.I c intinuar lazar
apretta ao tal fregus, e para que depois se
nao possa queixar do resultado fai-se-lhe B
presente advertencia.
l)eseja-se saber de urna mora filha de
Martins eMartyria, neta de Pedro Soares, e
Thomazia, a qual chama-se Maria e veio me-
nloacom seospais paca esta Recita ,.no au-
no da retolucio de Panellas ; na ra de lle-
tas venda n. 52, que be para sedar noticias do
sua familia.
Offerece-se um rapaz Portugus de lf>
annos para caixeiro de armasem de assucar,
ou de couros; quem precisar, annuncie.
D-se dinheiro a juros sobre penbores de
ouro, ou prata ; na ra estreita do Rosario
D. 35.
O mogo Portuguez que anniiociou estar
arrumado, mas que nao esta satisfeito, que-
rendo sercaixeiio de venda dirija-sea ra do
Alecrim sobrado n. -_'.
Na casa de pasto da ra da Cruzes n. 53,
alm da comida diaria latem-se boos petiscos,
e recebem-se eocommeodas de comida para I >-
ra assim como preparo-se podios bem le >s.
Oflerecem-se dous homens braocos, bons
oiTiciaesde serradores pira serraren) qualquer
madeira sendo dentro da cidade por proco
commodo ; quem delles precisar, dirija-se ao
pateo do Paraso loja do sobrado n. iS.
Aluga-se para se passar a festa ou por
anno e por prego commodo urna casa ter-
rea com pequeo sitio na povoaejio do Mon-
teiro; tratar na ra Direita n 30, OU no con-
vento de S. Francisco ; com Fr. Jos do N. S.
da Sade.
Aluga-se una canoa, que carrega 600 li-
jlos de alvenaria por 6jjl is. mensaes anda
mesmo se recebendo os alugueis em tellias de
bom barro ; na ra do (Jueimado n. 5".
Aluga-se urna casa para se passar a festa,
na povoago dos A rogados esquina que ai
para o Motocolombo ; na ra de llortas, so-
brado n. 50.
A pessoa que so quer encarrilar de cu-
rar pretos tbysicos, dirija-se ao Atierro da Boa-
vista no terceiro andar do sobrado de Ber-
nardo Jos Carneiro Monteiro, a fallar com Joao
da Silva Santos.
Aiugo-se pelo lempo da (esta ou por
anno duas casas no lugar do P6co-da-paneI-
la tendo a primeira 5 quartos, ea segun-
da trez as quaes se achao pintadas o caia-
das de novo ; a tratar na ra do i.ivrumenu
ii. 2.
Um rapaz de 17 annos que tem pratica
de loja do miudesas o francesa deseja-se ar-
rumar de caixeiro em alguma destas casas ;
quem o precisar, dirija-se a ra da Conceigao
da Boa-vista n. 8.
Pela segunda ves so adverte ao Sr. que
mandou fazer urna marqueza de angico na
ra estreita do Rosario, e deo lOTs. de signal,
o lavor de a mandar buscar no praso de 6 dias,
pois st prompta ha 3 mezes e se a nao
mandar buscar dentro do praso marcado se-
r vendida e perder o signal, pois quem nao
tem dinheiro nao manda fazer obras.
Os bi I heles e meios ditos da lotera de S.
Pedro Marlyr deOlinda cujo andamento esta
annunciado para hoje 6 do corrente constan-
tes do seguidles nmeros; 1796 1134 2001 ,
3606, -Jo-a, tilo, 2620,261o, 117), pertencem
a urna sociedade da comarca de Garaobuns
Fiancisco ^everianno tabello faz cerlO aos
Srs. seus assignantes do jornal Panorama, que
os ns de Julho e Agosto se achao no seu os-
criptorio.
Deseja-se saber se nesta cidade existe o Sr.
Jos Francisco do Reg, que em algum tem-
po negociou com escravos, ou seus hordeiros ,
sendo que seja fallecido ; no becco da Un-
goeta venda de Joaquim Jos Rebollo.
2 Aluga-se o primeiro andar do sobrado
n. 26 do Atierro da Roa-vista, com rnuitos
bons com modos e quintal por prego commo-
do ; a tratar na loja do mesmo sobrado. 1
2Arrenda-se por prego commodo, para se
passar a festa urna boa casa em Apipucos ,
com bastantes commorlos, muito fresca e per-
to do rio onde tem escolente banho e com
sahida pelo fundo do sitio; a fallar na ra das
Trincheiras n. 2-2, ou em Apipucos com Joa-
quim do Reg Barros Pessoa. (7
2 Vai ser arrematado, em praga do Snr.
Juiz Municipal da cidade de (linda, I sitio na
inesma cidade adiante de .Mana Simplicia ,
no lugar do Fortim e mais duas moradas de
casas terreas na bequioha dos Quatro-cantos
ns. 18 e 19. penhoradas aos herdeiros do fal-
lecido Jos Crrela Campello. (7
agencia de passaportes.
2 Na ra do Rangel n. 3'i, tiro-se passa-
portes para fura e dentro do imperio correm-
se folhas e despacho-se escravos tudo por
prego commodo e coma maior brevidade. (5
2 CopiSo-seseoteacjs, procesaos, e todo o
papel judicial, ou^JUtra qualquer escriptura-
gao, por prego muito" commodo boa lettra e
com brevidade ; na ra do Raogel n. 34. (4
3 U Sr. Caetano Farras Pinto queira diri-
gir-se a ra do yueimado, loja n. 10 ou an-
nuncie sua inorada paia Ihe ser entregue urna
(4
3Alusa-se urna casa terrea na cidade de
Olioda na ladeira do Varadouro da parte da
sombra logo passando a do Sr. Jos Antonio
Lourengo com bom quintal e arvoredos, pro-
una para se passara (esta por ser muito fres-
la a Tillar com Joaquim Lopes de Almeida ,
caixeiro do Sr Joii o Matheus ou em Olinda ,
caSBOO*a,no Balde de manha at as 7 ho-
ras e de tarde das 5 em diante. '9
3_ pre aa-se de urna ama que tenha mui-
to e bom leite preferado-se captiva ; na ra
da Aurora n 48, f3
3 Precisa-se de dous homens, que saibo
fazer tijolode alvenaria, ladrilho e telha ; as
Cinco-pontas a Tallar com Ignacio Fe'rreira da
ta. (*
3_ Precisa-se de um sitio, que tenha urna
grande casa baila decapim para sustentar 2
ea?allos, e abundancia d'agoa parto da casa,
quem tiver annuncie
3_ eoriquo Amante Chave ain, Francez
de NacflO, morador em Fora de Portas n. 82,
tem a honra de prevenir ao respeitavel publico,
para que de forma alguma deem a um seu mu-
latinbo por nomo Antonio, anda mesmo com
as rito em nomo seu (Chave ain) nem dinhei-
ro. nom fazendas, nem outra qualquer cousa ,
seja em acougues, vendas, loja9, armazens, ca-
sas de negociantes &c. ftc. aonde o seu nome
possa ter algum crdito, pois que tudo he po-
sitivamente la i.o e de forma alguma por nada
inteiramenle se responsabiliza, nao mandando,
por merc de Dos, nunca pedir cou i! i eme a lie ninguem, mandando sempre
comprar com dinheiro eindo elle pessoalincn-
te comprar como pude, o que precisa para sua
casa, como as pessoas com quem ella trata nao
ignoro (18
3 A abaix assignada participa ao respeita-
vel publico que fez ombargo nosaluftueisde um
sq rado na ra da Penha n. 9. com (rente para
a ra Direita, pertencente a Basilio Alves de
Miranda \ areijo por divida de perto de 40j
ris de principal e cuntas de urna demanda
que tem con ido com odilo Basilio e de que b-
lete esecuolo.-e por isso os alugueis de toda a ca-
sa so recolhidos ao deposito para a dita exe-
iiuenlc recober e levantar por orden do Sr. Juiz
Municipal da 1 a vara, que assim o mandou, e
quem duvidar do exposto dirija-se ao cartorio
doescrivSo Magalbes que achara a verdade; e
para que ninguem se chame a ignorancia fago o
presente annuncio. Maria liosa do Carmo.
21M.c-Callum -'Companhia respetosamen-
te avisao aos senhores de engenho e ao pu-
blico em geral que na nova ra do Rrum, que
passa por detraz do Arsenal de Marmlia teem
estabelecido urna ferrara ( sendo a ultima do
lado do poente da mesma ra), onde lazem
cavilhoes atracadores, parafuzos de apertar e
outras ferragem para engenho, eixos trilhos e
outras ferragens para carros paraluzos o por-
cas de todos os tamaitos ferragens para na-
vios, verandas, portaes, carros de mo o todas
as mais obras de ferreiro; e como os seus appa-
relbos recentemente chegados de Inglaterra sao
de primeira qualidade, promettem agradar aos
seus freguezes tanto na qualidade da mo
d'obra como no pregoe promplido. (l
Compras
9 Compra-se efiectivamente nesta Typogra-
phia loda a qualidade de pannos cortados ou
velhos, sujos, ou limpos aparas de papel, pa-
pelo e toda a qualidade de papis velhos. i
3 Comprao-se botijas vasias ; na ra do
Rangel restilacaS n. 54 do Victorino Fran-
cisco dos Santos. 3
2 Compra-s meta duzia de cadeiras ame-
ricanas, o.m meiu uso; quem tive annuncie.
2 Compra-seurna escrava de lo a 14 an-
nos sem achaques assim como obras de ou-
ro sem feitio ; na ra da Cadoia-velha n. 30.
2Comprao-se effectivamente para lora da
provincia escravos de ambos os sexos de 12 a
'2(1 annos agradando pagao-se bem ; na ra
daCadeiadeS. Antonio, sobrado de um an-
dar de veranda de pao n. 20.
2 Compra-so a obra de Flos Sanctorum
C< ni as competentes estampas e Moral por
BenedicoXIV ; na ra de Agoas-verdes n. 42;
na mesma casa lazm-s* bons ornamentos parj
j igrejas, por prego commodo. 5
Compra-Se urna morada de casa terrea no
bairro de S. Antonio ; na ra Direita n. 56.
1 Compra-se um tronco que nao seja
muito grande; na ra da Cadeia do Recife
ii. o'. 3
J Compra-se urna corrente para relogio ,
sem feitio ; quem tiver annuncie. (2
1 Coinpro-se garrafas quo lenhao ser-
vido de Le Roy ; na ra Direita n. 12. {1
1 Compra-se a geometra o algebra por
Bezout; navegagao pelo mesmo um estojo
inalheuiaticocum meridiano ; quem tiver an-
nuncie. (4
Venuas
carta vinda de Portugal.
2 Veniiem-sc > anneloes dL ouro tendo
um um briliaote urna torrente para relogio,
"2 allmetes de paito muito ricos 4 pares de
botoes de punho dous ditos de abertura urna
cruz, um transelim. douscordes, tudo obras
modernas 6 colheres de prata para soupa 4
ditas para cha urna dita de tirar soupa, um
espevitadorcom o seu competente prato ums
salva um par de castigaes e um paliteiro ;
na ra Nova n. 55. j10
2Vende-se arroz de muito boa qualidade a
I3D0 rs. a arroba ; no armasem defronte da cs-
cadinha do caes da Alfandega.
2Vende-se fumo em folha de primeira sorte
para charutos chegado prximamente da Ba-
ha a ~ rs. a arroba ; na travessa da Madre de
Dos, casa de Joaquim Felis da Bosa V; Com-
panhia. '
2Vende-se urna escrava de nagao Angola ,
de 25 annos ; na ra do Livramento n. 1
2 Vende-se vinho da caj dt superior qua-
lidade a 500 rs. a garrafa ; um caixo grande
para venda um dito pequeo para porta da
mesma ; na travessa das Cruzesn. 8. (4
2 Vende-se potassa americana e russiana ,
em barris pequeos, chegada ltimamente; na
ra da Cadeia-velha armasem n 12, de Hen-
rique Bernardos de Oliveira & Companhia. (4
2 Vende-se arroz de casca em grandes e pe-
quenas porges ; na esquina do becco do Peixe-
rito n. 9. $
2 Vende-se um pardinho de 14 annos, de
bonita figura e propriopara aprender qual-
quer ofTicio ou para pagem por saber bem
montar a cavallo; um cavallo gordo bom car-
regador baixo at quasi a esqupar; na loja da
ra d-> Crespo que volta para a cadeia n. '2. (6
2 Vendem-se relogios patentes de ouro e
prata inglezes e franceies com 10 diamantes ,
ditos com 4 ditos de mesa e de parede tudo
por prego commodo; na loja de relojoeiro ,
junto ao arco de S. Antonio. (5
2Vende-se um sobrado de um andar o 2
sot os ha pouco acabado, em chaos proprlos,
com quintal eboa cacimba na ra do Fogo n.
27 ; um guarda-livros moderno, em bom uso ;
urna travo do qualidade com 54 palmos de
comprida e muito grossa a qual se acha
exposta juntoaotbeatro novo; na ra estreita
do Rosario n. 10, terceiro andar.
3Vende-se muito bom pao e bolaxa por ser
fabricado com as melbores arinhas ; na ra
estroita do Rosario deposito n. 2 ; no mesmo
deposito precisa-se de um caixeiro, que dC fia-
dor pata andar com um preto vendendo p..o
3Vende-se um negro crioulo, mogo sem
defeito algum a vista do comprador se dir
as habilidades; na ra do Livramento n. 22,
primeiro andar. (4
>_ Vendem-se 700 garrafas vasias limpas
e todas em bom estado ; na ra da Aurora n. 4S
2 Vendem-se dous refes para guarda nacio-
nal ern muito bom estado e com todos os
pertences para inferior; na ra da Scnzaiia-ve-
Ihan. 106. (*
2 Vende-se ou troca-se um cavallo bem
feito muito novo e proprio para carro ; na
ra Nova n. 41, segundo andar. (3
2 Vende-se um rabeca usada em muito
bom estado ; no largo do Paraso, venda n. 14
Vende-se, ou troca-so urna preta de 20
annos, boa engommadeira, cosinheira costu-
reir e lavadeira ; na ruada Guia n. 31 sn-
gundo andar.
Vendem se por prego commodo bicos
brancas, sapatos de marroqaim e do couro pa-
ra homem o senhora o urna porgao de (asen-
tas por so querer mudar de genero ; na ra
Nova ao p da ponto loja D. 58.
Vende-se urna morada ie casa terrea, si-
ta na ra do S. Francisco n. 35; a tratar no pa-
teo do Hospital do Paraso, loja do sobrado
n. 1S.
Vende-se urna vacca com urna cria que
por falta dt pasto vai em magrecendo, e porjso
precisar do dinheiro; na ra Nova loja n. 5>.
Vendem-se dous pianos, um novo de boas
vosea e outro usado por prego commodo;
no largo do Terco n. 20.
-Vende-se um piano inglez, por barato pre-
go ; na ra Nova venda n. 50.
Vende-se a armagao da venda da ra Im-
perial n. 2, com todos os seus pertences, faz-se
todo o negocio por se ter preciso; a tratar com
Joaquim Pnhoiro Jacome na mesma venda.
Vende-se um quarto novo, e muito bom
para qualquer servigo, na ruado Rangel n. 50.
Vende-so um pardo esporas com 92 oi-
tavas de prata com rucio feitio ; na ra do S.
Jos n. 27.
1 Vende-se muito nova gomma de araru-
a a 320 ri. moiiieiga ingieza a -v>o rs. e iran-
ceza a 560 rs. letria a ISO rs. talharim a
200 rs. passas a 280 rs. cha imperial a 1920
rs ; dito hisson a 2 rs., queijos novos a 1200
rs., e todos os mais gneros de venda ; na
ra do Aiagao u. 43. 7
1 Vcndem-se saccas com farinha do man-
dioca, por prego commodo ; na ra da Cadeia-
velha n 35. (3
1 Vende-se urna negra de Angola, comal-
guias habilidades e he muito sadia, ao com-
prador so dir o motivo da venda ; na ra do
Hospicio n. 23, de manha at as 8 horas, o
de tardo das 5 em diante. (5
1 Vendem-se saccas com farinha chegadas
ltimamente de S. Matheus a iodo rs. ; na ra
da Cruz armasem n. 54. (3
IVendc-se, por necessidado una escrava
de nagao Angola engomma cosinha coso ,
e he lavadeira e quitandeira ; na ribeira ven-
dan. 1. ('i
1 Vende-se urna porgao de pedra vinda do
Rio de Janeiro, propria para atierro; na ra
da Cadeia n. 47, primeiro andar a tratar com
Manoel Jos Machado Malheiro. 4
1__Vende-se urna porgao de barricas com
sebo de muito boa qualidade; na ra da Ca-
deia-velha armasem n. 1%. (a
1 Vendem-se correntes de ferro, ancoretes,
dous muito bons camarotes paos de pinho
para mastriac,ao de navios urna lancha, urna
catraia o alguns botes ; a tratar com rrancis-
co Alves da Cunha na ra estreita do Rosa-
rio n. 13. W
i Vende-se azeite de carrapato de meia
caada para cima a 2200 rs. a caada ; na ra
do Livramento sobrado n. 35, e no mesmo sa
precisa alugar algumas pretas. (4
1_ Vende-se superior vinho de caj engar-
rafado por prego commodo ; na ra do Quei-
mado n. 19, casa ama relia. (3
1 Contina-se a vender a agoa do tingir
cabellos esuissas; na ra do Queimado lojas
ns. 31 e 33; o methodo de applicar a dita agoa,
acompanha o vidro. tt
-Vende-se, ou troca-se, urna casa de sobra-
do por outra terrea no bairro da Boa-vista;
a tratar na ra da Gloria casa junto a fabrica
de Gervasio.

Escravos fugiJos
No da 2 do corrente fugio do abh'so as-
signado urna escrava de nome Eufrasia .de
nagao Cabund deS6 annos, estatura regrjiJ",
rheia do corpo peitos grandes, tem urna eos--
tura nocotovellodo bragodireito ; quem a pe-
gar, leve ao sitio da encrusilhada de Belletn,
dpfronte do Fxm. Visconde deGoianna. Jcth
Nepomuceno I'errcira de Mello.
No da 4 do p. p. fugio um pardo de no-
mo Trajano de 18 annos, offlcia! d alto tet,
rosto redondo cabello bem crespo olhos pe-
queos, bocea grande denles sabidos e lima-
dos. eos dous da (rento arruinados ps com-
pridos, seceos e cheios decravos, he alto e sec-
co ; levou urna troucha de roupa sua ; quemo
pegar, levo a la larga do Rosario sobrado de
4 andares por cima da botica de Bartholomeo ,
que ser gratificado.
1__ No dia 3 do corrente desappareceo um
prclo de nome Domingos de nagao Quigam,
de 36 annos, com oflicio de serrador, alto bo-
nita figura bem empernado, barba grande,
cabega pequea e redonda tem um ou dous
dentcs da frente quebrados olhos amarellagos,
falla muito atravessada quo nao se entendo ,
tem a roda dos peitos uns botoes marcas do
sua trra ; levou camisa de algodozinho de
mangas curtas, caigas de algodo de lislras,
j velhas e com remondo grande a diante, tu-
do muito sujo e chapeo de palha com fita pre-
ta lengo de tabaco encarnado um flandres
redondo com tabaco que nunca o laiga; quem
o pegar, leve a ra da Praia de S. Rita, na ser-
rara de Antonio Dias da Silva CarJeal, que se-
r recompensado. (17
1No mez p. p. dosappareceo da cidade da
Parahiba do Norte, um preto do nomo Caeta-
no crioulo, tem un pequeo empedimento ns
talla, suppoe-se estar pelas Cinco-pontas, aoa*
de seu antigo senhor rnorou e loi visto urna
vez em Olinda ; quem o pegar, love ao arma-
sen de Joao Carrol! Filho, que receber 30,000
rs. de gratificagao.
Fugio urna preta de nome Maria de na-
gao Caga nf?e de 25 anuos, estatura regular,
secca peitos pequeos e cahidos, tendo um
delles dous bicos, tom emumjdos bracos um
B e um p grosso consta que anda venden-
do laranjas e cannas; quem a pegar, levo a ra
do Rangel n. 50 quo ser gratificado genero-
samente.
Fugio no dia 20 do p. p. do sitio da Cruz
na Boa-viagem, um preto de nome Jos, criou-
lo baiso, reforgado do corpo cor preta tem
um geito na perna para dentro, e o maior signal
que elle tem he estar bastante surrado de seu
antigo senhor Jos Germano que casou eui
casa do Sr. Padre Joaquim, morador emS. An-
to ; quem o pegar, leve a ra de Agoas-ver-
des ou no mesmo silio que receber 10/rs.
de gratificagao.
No dia 27 de Marco fugio da cidade de
Olinda um molecote de nome Antonio, bai-
xo com pouca barba muito esperto o fal-
lante tom as costas urna costura de goma ,
anda vendendo miudesas e (agendas, com urna
preta de nome Maria bem preta bonita igu-
i.i, inuiio fallante e esperta tem-se em titu-
lo de torro e casado consta que ello tem um
papel falso para ninguem o pegar, tem-se en-
contrado em Goianuinha aonde tem o seu pa-
drinho ; quem a pegar, leve a dita cidade, que
receber 50,000 rs. de gratificagao.
1 Contina a estar fgido o preto Antonio,
do nagao Congo baiso chelo do corpo, car-
rancudo ps largos barba grando em roda
do queixo e falla fina ; quem o pegar, leve a
ra da Aurora n. 3o, que ser gratificado. 5
2 No dia 2S do p. p. fugio um moleque de
nomo Paulo, de nagao (juigam do 16 anuos,
est principiando a sahir-lhe bugo do barba, he
muito condecido, por vender (loco de jaleia em
<-o|ju, |j.i tuda a parte desta cidade ; levou ca-
misa de algodo fino e caigas brancas ; quem o
pegar, leve a seu senhor Antonio Jos Gongal-
ves de Azevedo na ra da Praia armasem de
carne n. 19 quo sei recompensado. ^
Pl i;\; rvi>. dl U. F. DE FAMAt^'i4-
,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHZP2UXB4_0KBGGM INGEST_TIME 2013-04-12T21:57:52Z PACKAGE AA00011611_05216
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES