Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05215


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anaxle 1844.
Tcr^a Feira 5
O i 'xat-rt lodos Oa lu i|ue nao turen eant.fira.ii : o prego iit aseReatura
Si- di ir os! rs, adiantados. Os anuncioe dea assignaate*sa inserido.
0 ...n M dos i1:'' i; :o forero raxo fie SU res por linha, A* reclamaces devem wr diri-
.iiit h ^" lyp.| rus das Cruies n. 4 uu i pr.ga yL ,
de Novembro
Aano XX. L\. 247.
^P *M Jtr/fa ^w1BM^i^ai'namiBaaia...........awwimfaaiaa aii
%}^Ji^*9yde dt oa mesrao.; da noi.a pnH. vi.. roiter. ^^s^^Z/f y^il'^ -S-iS*'-'' ''""o* c,"n" principiamos, a n"io"i sponlsdos ebn idtoiraglo eteiw Jd atll
&SSaS&7MQ,i lj ,-fiW' i' '>"*' (Pruolaniag.n da Asseselde l.ial Aa iUL
.^XXy^*'' J" A'.'JY CaKBlO no DI* 4 M lOVMMtQ,
// j \ V '' l;,f,:u job:a Lontres 5 e lJ iio,. Oar \\>iJ~ **'/' ,'*r" ''M' ""''' i'ir ''"'"
das da semana.
4 -Sr -.. Carlos Karromeo. Aud. d" J. de 1). da '-'. ,
b Terya s Zacrri.i. Rrl. aud. doJ. d l).dl .
(i l.'u.r: s. Se....... Aud do .1. d D. da 3 t.
7 Quinto Florencio Aud do 1 de 1) d. 2. t
Sextas Severiato. Aud, do J, da 1) da 1. y.
J Sab. a iheodoro Re.
Jt) i)oo O Patrocino de V. %.
^V^i^-'X/ i&&. ''. :.:^A ,)y Lisboa IJO p r lUtl de pre
renda.
17 *00 I7,6tl
> 17, lu) 17,mu
rfa A 'J .iiX -t./Ul'
i'ra fatal...-. I, 1-0 1.9*0
ii PesOS uulummi.eirs I .Uiu :,'Jt,U
Ditos menean... 1 ,UU <,JrU
cwK

PER
,,-. 0(0
I ASES DA LA NO HEZ DE 01 H BRO.
Ua ohaia a JGai brea e 44 sais dan I Luaoora a 41 as t h. e 4ain.delerk.
= 'it* 4 i horas e SI mi ii [alarde iCrsscenta s S o a* 55 m. da tarde.
frciimar d Ai/V.
,'r'"',": irde i -,..-,!.. t .i i i..iiui.u da latd.
PERMAWBUCO.
KLSIPAS PARA DEPTVD0S PROVI-'CIAE
Co/legia do lirejo,
0, Srs : \
Dt. Louronco Francisco de A. Catanio
Major Antonio Josd.de Olivcira
Dr. Lu/. Paulino C. Vellei do Guivara
Pudre Joaqutn Pinto do Campos
Professor Francisco Josquim de 1$.Corroa
Coron. Loonardo JBeierra deS. Cavalcanti
Dr. Francisco Jos do Modeiros
Dr. Joo Floripes Das Brrelo
Barao da (ioa-vista
Dr. Podro Francisco do Paula C. A.
Cons. Sehastiao do Reg Barros
Padre Joaquim Francisco do Farias
Barao do Suassuna
Dr. Francisco de Paula V. de Guivara
Yigario Francisco Ferreira Barroto
Dr. Felis Peixoto do Bnto o Mello
Dr. Bernvenuto Augusto de M. Taques
Viga ro Joao Manoel da C. Pinlieiro
Inspector Joo Baptista Pereira Lobo
Padre Domingos Alfonso Bigueira
Dr. Jos Bento da Cunha Figueiredo
Dr. Jos Baymundo da Costa ftlenezes
Dr Jos Thomaz Nabuco de A Jnior
Dr. Jos Bandeira de Mello
Dr. Caetano Jos da bilva Santiago
Dr. Joao Jos Ferreira de Aguiar
Dr. Aleaodre Bernardino do Beis c Silva
r. Alvaro Barita Ib > Ueha Cavalcanti
Dr. Jos Felippe de Sonsa Leo
Dr. Manitel Joaquim Carneiro da Cunha
Com Sup. Francisco do P. C. ue A. L.
Dr Francmco Domingues da Silva
Ten Coron. Apolioario F. J-- A. Maranliao
Ten. Cor. Pedro Aloxandrino de B. C.
Dr. Antonio Baptista Getirana
Ten. Cor. bidro F de P. M e Silva
Dr. Francisco de Paula Baptista
Padre Venancio Henrique de Besendo
Dr Francisco Xavier Paes Brrelo
l)r. Atlonso Autliur do A. Aibuquerque
Coron Tiburtino Pinto de Almeida
'k. Francisco Ju.io Carneiro da Cunha
Dr. Francisco Elias do Reg Dantas
Dr Joao Mauricio C da Bocha Wanderley
Dr. Manuel Francisco de P. C do A.
SBRt- B ./i>i>!-.is.-*y&,miiii. avi.-jtaM.j-^.-1
.

>.-3aEi*B
s.
otos.
\0
40
39
38
38
3
Si
32
31
31
31
31
31
30
30
30
30
30
30
27
27
2o
24
24
23
2-2
-22
i
22
21
21
21
21
21
21
20
20
18
17
17
17
17
10
10
15
14
\ Ignacio de Barros Barroto 14
Dr. Domingos de Sousa I.eao \h
Procurador Fiscal AntonioJ.de Mello 13
Dr. Felippe Lopes Netto Jnior 12
Francisco Muniz Tavares 12
Dr. Herculano G mcalves da Bocha 11
Tenente Jos Pedro da Silva 11
Jos liamos de liveira 11
Ten. Coron. Antonio C. Al. Rios 10
Dr. Antonio AlTonso Ferreira 10
Coronel Lourenco Bczerra Cavalcanti 10
Dr. Urbano Sabino Pessoa de Mello 9
Dr. Joaquim Nunes Machado 9
Ten. Coron. Manool Ignacio do C. Mendonca 9
[3M.
95
^LMITOfl.
O RE.C)
lo
x conTd e os CORTOIOS. (Continuatao.)
^ Passeava o nosso caniponez no luar que Ihu
fdra uircunscripto, voltando contnamentt os
ollrbs para o palacio : urna perturbaco vio-
lenta o agilava; e a ronte so lite carregava
pela primoira vez nessa alheinospbera da corte,
onde tantos temores, tantas esperances anciosas
c tievoradras encontrava.
^ C'O rumor cmfim se ouvo ein loda a ext' n-
sao da tapada. De todos os ngulos do immen-
sojardim partiao grupos que io ao encontr
do Re, que havia apparecido. O aldoio, nao
pudendo conter a sua impaciencia, seguo a
torrente para aquello lado.
Sua Magestade deseco a plata-forma entre
duas hrilharites alas de cortezSos, < atraressou
ojardim acompanhado do Duque o da nova
Duqueza oTh Chartres, e con\ersando com os
grandes officiaes da coros.
Ao chegar ao p do tanque d'Apollo, Luiz
1 -p:.rou para receber a reverencia de sua pre-
ds neta, a Duque/a de Bourgogne ; depois
O Video Diario n. 246.
Francisco Barbosa Nogueira Paz
Antonio da Costa Rogo Monteiro
Cap. Francisco Camello P. de Lacerda
Dr. Joaquim Jos Nunes da C. Machado
Ten. C ron. Manoel de Sousa Teixeira
Dr. Jos Francisco de Arruda Cmara
Padre Luiz Carlos Coelho da Silva
Dr. Manoel Mendos da Cunha Azevedo
Dr. Jernimo \ i lela de Castro Tavares
Dr. Manoel Teixeira Peixoto
Luiz Ignacio l ilu im I!orna
Dr. Luiz Jos de Sampaio
Vigcrio Nemesio de S. Joao Gualberlo
Dr. Augusto Frederico de liveira
Manoel Carneiro de Sousa Lacerda
Dr. Vicente Ferreira Gomes
Laurenlino Antonio Pereiro de Carvalho
Dr. Simplicio Antonio Mavignier
Des. Joaquim Teixeira Peixoto de A. Lima
Luiz Ignacio do Oliveira Boma
Joaquim Jos da Costa
Joaquim Salvador Cavalcanti
Dr.ijoao Ferreira da Silva
Joaquim Ignacio de Carvalho Mendonca
Joaquim Salvador Pessoa deS Cavalcanti
Florentino de Aibuquerque Muran bao
Dr. Aflonso Ferreira de Mello
Dr. Pedro Autran da Malta e Aibuquerque
Dr. Antonio Vieira Borroso de Moracs
Dr. Luiz Duarte Pereira
Dr. Antonio da AssumpQao Cabral
Dr. Pedro Pereira B. de Arrujo Beltrao
Vigaro Joaquim Jos do Azevedo
9
9
9
9
9
8
8
8
7
7
'7,
7
6
3
3
3
3
2
2
1
1
I
1
I
1
1
1
1
1
1
1
1
[Wlareehal Cera, mandado polo (ioverno Im-
perial para tomar corita da Presidencia daqilul-
la provincia,segn io uns,ou para dirigir as for-
cas da legalidade, segundo outros, trazendo
comsigo uin batalliao, valba a verdade Coo-
linuao os desagradareis boatos do choque en -
tro as tropas da referida provincia ; mas em
cousa tao melindrosa, entenlo quo nao devo
repetir ditos vagos: esperemos pela confirma-
cao dessas noticias, quo se forem como so pin-
to, nunca virio tarde.
Pelas 10 o mcia horas da noite passada dous
mocos conhecidos pelo ment, e carador pacilico, loriio espancados
91 na rua da Cruz, prximo ao arco do Bom Je-
ss : o aggressor nao foi conhecido.
Receb o cartel, que Vmcs. me mandraoe
|\auo mo espantara, se nao Tora assignado por
quem he. Se o seu autor conseguir que pegue
a moda dos taes desalios, ter mais um llorao
juntar sua cora litteraria. Como quer
que seja fquei sabendo, que be o Sr. Francis-
co de Freitas (iamboa o autor da famosa peca,
de que fallei na minba anterior corresponden-
cia : quem o pensara oeu que ainda ignora-
va que o nomo d'osse actor ja tinha um lugar
distincto nos annaes litterarios d'esta provincia !
que Pernambuco tinha o ?eu Moliere. Honra
e gaudio para elle Mas que farei eu agora
com esle antagonista bracos Urna denun-
cia, um jury, urna leitura da peca peloaulor,
prestara sua indisponsavcl asignatura ; oulros
a desavenca entre partes, porque em fin quan-
do urna falla ao contrato, lica a outra escusa.
Corre quo be fallecido o Cxm. Senador por
esta provincia Manool Caol ino ii \lmeida e Ai-
buquerque, e que esta noticia a (lera um briguc
que chegou nestes di&s do Bio de Janeiro.
Tem bavdo este annn mais jambos do que
cajs, e dizem, que as Alagoas esperase gran -
de colheita de pitotnbas, se o rapazas as nao
lamberem.
Kis-aqui o cartel do Sr Gamboa :
O abaixo assignado Ue/.alia ao Sr. Au-
thor do Correio do Recile, para que o denun-
co a Inri: Promotor ou luiz qual quer para
que convocando se lium Jury seja a Peca
dozennnos da Vida de hum Deputado= fida
pello author, para esle ser julgado, pelas a-
lu/oes, ofensas e nomos, pastos a eslas o a-
quedas pessoas, e nao o fazendo Picar tido
por um infame Calumniador espera o rezul-
lado
Franaisco Je Freitas Gamboa*
(Conformecom o original.)
<

Publicacao a pedido,
COBREIODORKCIFE.
CORRESPONDENCIA DA CIDADE F. PROVINCIA.
Corre noticia de haver chegado Macei o
Bjar?-rsUT*.-
beijou-lhe a fronte, e fallou-lhe alguns instan-
tes, abaxando-se para apertar nos bragos a me-
nina, que passou os seus pelo pescoco do Rei.
Fsta dogura patriarchal que elle moslrava oes-
te momento secoadunava perleitamonle com a
natural dignidade de Luiz ; e sombra desses
castanheros centenarios, cobertos de floridos
pimpolhos, osla magestadade que eutrava na
velhicc, qual so enlaeava assim essa tenra
flor de juventude, essa encantadora Prince/a
de dozo annos, formava um quadro encanta -
flnr nnn o Irmnt/
ou o ferrte de infame calumniador! he dura
a bicrnea proposta / Mas que culpa tenho eu,
que o ador poda, corn todas as pecas, q je lem
feito, com todos os applausos que por ellas tem
colhido, nao entenda comezinho portuguez, e
me torcesse as palavras, talve/ polo costume de
engendrar as suas pecas de relalhos.' Km fim,
como me parece ter-me em demasa oceupa-
do com o tal cartel, deitarei aos meus lotore
o cuidado de o combinaren! com o que eu dis-
se, e dejulgarcm quem tem razao, para o quo
abaixo o transcrevo ; e nisto j tora o Sr. Gam-
boa o quer que seja do proposto jury.
Aquello Eleitor de S. Jos, de quem na mi-
nha primeira Ibes fallei, dizem, anda agora ar-
mado de um facalho, ora no guarda-sol, ora
no quarto, o que o musir a todo o mundo: vo
l agora tocar-lhe !
Dizem que se perdeo a acia da elcicao de Ve-
readores da Ireguo/ia de S. Jos: esla perda
allnbuem-a uns a nao ter querido o Parocho
Rosa, molata, lem a mdade forra, pordi-
nheiroque dra .i sua senhora Angela Dornel-
Iss Camera, moiadoia em Itamarac, como
consta da carta de liberdado langada, ha nito
annos, as notas de Igunrass, Fscrivao Madci-
ra ; com ctindigao que em todo e qualquer tem-
po que der o restante quo iio da quantia de cem
mil ris, gusara de plena liberdade : portento
nenhuma pessoa faca negocio algurn respeito
com a dita Angela, pois a preta Mara, mai da
dita Rosa, protesta lavor da liberdade de sua
filha ; acesescendo mais, que nestes oilo annos
ella s trabalhou em servicos de dita sua se-
nlura.
*9 S* ?C? **
Aifandega.
impida ugoa (io tanque rdleclia.
Quando Luiz 14 ergueo a cabeca, sob a
influencia do beijo da anglica creatura. mos-
trou urna serenidade que, a muito tempo.se Ihe
nao via.
Elle tinha guardado para o momento de daro
signal de comecar a funcgSo algumas liberalida
des e beneficencias cheias de urna graca magna
nima. Collocando-se portanto sob o a florida
abobada de um bosquete, em Irente do referi-
do tanque d'Apollo, fez primeiro chamar a
Senhora de Montespan. A 8ntiga favorita ha-
via dado na mesma manha ao Rei um Bel de
espada formado de um dos scus collares de pe-
rolas ; nesta occasiao elle Ihe offereceo em re
compensa um pergaminho contendo a proprie-
dsde da trra d'iron no Poitou, pela qual ella
aspirava a muilo tempo.
U Rei fez aproximar depois o Mrquez de
Saverny e o Barao de Vaubecourt, esses dous
lidalgos, quo csta\ao criminosos de palavras
inslenles sobre o seu demasiado amor paternal,
e tinhao sido presos na occasio de fugircm da
,ua colera para paiz estrangoiro.
Saverny oa um hornero bom feito, trazia
an|, la cabelleira loura, esobre ludo verde cla-
ro, bordado de prata, coberto da innuinera-
vi-is alamares, de porolas, de lacos de fita cor
de rosa ; era (age, e de um porte garrido ;
grande bebedor, franco jogadur, homem do
mundo, e ignorante de tudo, que nao osse
cousa de corte, que a seus olhos era o universo
Bendimento do da 4..........10:620*050
Desearregao hoje a.
BrigueStetrartmercaduras.
BrigueTri/bliumferro.
::.!::r; ; ; iiOi'.'" chiii ....,n< ue scr^'ai-
dado em urna redoma do vidro, como as meda-
Ibas d'aquelle tempo. Vaubecourt, gorda e
pesada personagem, havia-se adiado com Sa-
verny. seguia-o por toda a parte, para turnar
ares de distincrao, e so consegua tomar-seo
forro de todas as suas asneiras, como havia
accontecido no nogoeio da aposta.
Luiz 14 assim Ihes fallou :
Meus Senhores, para que vos d3o d
outra vez a vontado de viajar sem a minba per-
missao, vou prender-vos ambos de maneira
quo vos sera dilBcil escapar-vos. A vos, Barao
de Vaubecourt, que aspiris, ha tanto tempo o
magistratura, dou-vos o cargo de Concelbeiro
da primeira Cmara, o qual se acba.ha pouco,
vago. Vos, Mrquez do Saverny, ascadeias
de que vos quero carregar serao ainda mais
solidas, porquanto prender-vos-ha a propria
felicidade que (oris em arraslral-as; conce-
do-vos a mao <)a minba prezada Coodessa de
I.us-an, queja antes da vossa fulla a meu res-
peito vos liavia desliusido, e quo me pareca a
melhor recompensa, quo podesse oulorgar a
um servidor fiel at enlao.
Saverny e Vaubecourt fizerao urna exclama-
iio de profundo reconhecimonto, e ajoelb-
ro-so para beijar a mo ao Rei.
Agora, ajuntou este, depois de um per-
do la., pouco merecido, quando disserdes que
Lu/ 14 he capaz de ludas as loucuras por seus
filhos, accrescentaris : / pelos seus subditos
os mais umadoe.
_.De t'nlus os lados *" ergueo ur murmurio
.le approvaco, um movimenlo de enthusiasmo
[tela udmiravel bondade do Re. Os nonios
de grande, generoso, magnnimo sahiro de
todas as boceas, relinirao at o fundo da ta-
pada o do palacio, que os repdirao em echos,
o como que conservara > sobre os marmores
para os legar a posleridade.
O Rei peaou da mo do Saverny, e apre-
sentou bella Condessa de Lussan o seu lutu-
ro espozo, annunciando o rico dote, com que
contava brindar a noiva, que recebeo ambas
as noticias com o respeito e reconhecimento,
t|ue devia ao Principe, mas com a extrema io-
diflerenca, que a Duqueza.de Villeroy, poucos
momenti s antes Ihe censurara.
Aquello de quem neste lugar ninguem uava
,o mancebo campone/, encuberto pelos ramos
das arvores, julgou que era ebegado o momen-
to de desempenhar a sua missao, e com ar res-
peitoso, mas resoluto, adiantou-se com o cha-
peo em urna mao e o requerimento na outra.
Muito admirados do sua pie^eiua,alguns gentis-
hotneflfi da carnaza quizorao fazel-o retira ;


BrigueA rmoriquemercaderas.
BrigueCamertondem.
BrigueMary Jones farinha c louca.
BrigueCondessa de Jf 'eslmoreland carva.
Brigue--/kimonamercaduras.
TalachoEspadarteidem-
IV.PORTACO.
Jane $ Esther, brigue ingles vindo de Pres-
ten, entrado no mor prximo passado, 6 con-
signncao de Me. Calmont ftd, manifest o
seguinte: .
98 toneladas de carvao de pedra, e bit bar-
ricas com farinha de trigo, eos consignatarios.
Slovimenio do or(/.
cumplimento dooicio do Exm. Sr. Presiden-
te da Provincia, dactado de hontem, manda fa-
ter publico, que no dia 15 do prximo futuro
mezde Novembro, ao meio dia, irad a praca
conforme 0 regulamento das arrematacoes de
11 dejulho de 1843. os reparos da ponto dos
Afogados, com as clausulas especiad abaixo
transcriptas.
1.'
As obras dos ditos reparos far-se-h&o do con-
formidade com o orcamento approvado em 21
de Oulubro pelo Exm. Sr. Presidente da Pro-
vincia pelo preco de tres contos e quinhentos
mil ris.
2*
31 deOutubro de ISi,-Joaquim Francisco
Bastos, (Jlicial Maior. lM
Declararn
inglez Louisa, de lote de cerca de ISO tonela-
das bra-ileiras encavilbado e forrado de cobre
novamente e abundantcmeroente sopprido de
todos os apparellios necessarios; a fallar com os
consignatarios Me. Calmont Companhia.
Leoes.
Navios sahidos no dia i.
Rio de Janeiro: barca americaua Jna, capitao
Thompson: com a mesm3 carga que trouxe.
Para; escuna oldemburgue/a l.so capitao
Cardes: carga diflerontes gneros
Macei;barca ingleza NtgUngale, capitao 1 bo-
mas Hunter: carga lastro.
Navios entrados no dia 3.
Rio do Janeiro; lo diaa bugue brasileiro
Feliz, Ae 180 toneladas, capilo Manoel Jos
llibeiro, equipagem 11 carga barricas va-
sias, fumo o toucinho : a Firmino Jos l e-
lis da Rosa
Para; 60 das escuna brasiloira Amazonas,
de' 120 tonelad is. capitao Joaquim Jos dos
Santos, equipagem 10 carga lastro de ar-
cos : a Kalkmann S Rosemund.
Cdiz; 40 dias. biroa ingleza Mary Ann ,
de 212 toneladas, capitao Luis Wbiteway ,
equipagem 11, carga sal: a Me. (.almont
fcC
Navios sahidos no mesmo aia.
Macei; patacho ingles Messenger capitao
Charles Sarbateslier: eargal astro.
Barra-Grande; brigue-escuna de guerra (.a-
rarapes, Coinmandante o 1. lente Jos
Secundino Comensro.
Rio do Janeiro; barca ingleza Mari/$ 'inn,
capitao Luis Wbiteway: com a mesma carga
que trouxe de Cadi/.
Navios entrados no da 4.
111w.de S. Miguel; 36 dias, brigue brasilero
Tnumpho Americano, de 195 toneladas.
capitao Fruotuozo Jos Pereira Dutra, equi-
pagem 19, carga Bal: a Jos Antonio Comes
Jnior.
Salem; 52 dias, brigue americano EUiaMh ,
de 185 toneladas, cap.tao Edward A. Kmg,
equipagem 10 carga fazendas : ao cap-
Capitana do Espirito Santo; 15 dias, patacho
braailero Francelina. de 218 toneladas, ca-
pitao Joaquim Antonio da Silva Macicl c-
quipagem 17), carga lastro : a Gabriel Anto-
nio Pereira. .
Liverpool ; 43 dia brigue inglez Mary f
Jones, de 170 toneladas, capitao James
Cochay, equipagem 10, carga la/cndas : a
Johnston Pater C.
.Varo sahido no mesmo da.
Parabiba; brigue inglez Elnabeth, capitao Ja-
mes Gallieridge : em lastro.
O arrematante comecar as obras no praso de
um roei e as concluir no praso de oito me-
zes, ambos contados, em conformidede do ar-
tigo 10 do regulamento para as arrematarles.
llorante o lempo da execucao das obras nao
poder ser enterrompido o transito das gentes
de p. cavallo, o carros, ficando o arrematan-
te obrigando a se conformar ao que determinar
o Bngenheiro da obra a cerca da forma e
solidez dos meios que se bouverem de empregar
para puder subsistir fcilmenle o transito pu-
blico.
. 4.a
O pagamenlodo importe d'arrcmatacao rea-
|zar-se-ha na forma do artigo 15 do regula-
mento respectivo sendo de oito mezes o praso
da responsahilidode.
5.*
Para ludo o mais que nao esta determinado
pelas presentes clausulas seguir-se-ha intei-
ramcjile, o que dspoe o regulamento das arre-
matarles de 11 de Julho de 1843.
' Os licitantes devidamente habilitados, com-
pareci no mencionado dio na mesma Tbesou-
3 Companhia i* Bebiribe.
Os Senhores Accionistas da Companhia de Be-
biribe sao convidados para a segunda reunan
ordinaria desleanno; a qnal deve eflectuar-se
no dia 12 do corrente pelas 9 horas da manhaa
no escriptorio da companhia. Os mearnos Snrs
accionistas queirao realisar urna prestacao de b
por / (3000 ris por accao) dentro do praso
de 30 dias contados desta data. Escriptorio da
Companhia 4 de Novembro de 1844. O Se-
cretario. B. J. Fernandes Barros. {U
Eiitaes.
2 O Sr. Inspector desta Thesouraria em
rana.
Secretaria da Thesouraria das Tiendas rtn
vinciaes de Pernambuco 26 de Oulubro de
1844. O Secretario interino. JoSo Va/Itn-
lim Vi Hela. (4G
Miguel Ardanjo Monteiro de Andrade, Oflt-
cial da Impeiial Ordem da Rosa, Cacalleiro
da de Christo, e Inspector d'Alfandega, c
Faz saber que boje, 5 do corrente, ao melo-
da, na poita da Alfandega, se ha de arrematar
em hasta publica urna caixa com 323 covados
de seda para toletes, no valor de 850,000 is.,
impugnada pelo Guarda Jos Jaeintho dos San-
tos, no despacho por factura de Lenoir Puget
& C soh n. 1775. sendo a ai rematadlo sugei-
U) i d rritos.
Alfandega. 4 de Novembro de 1844. Mi-
guel Archunjo Monteiro de Andrade.
1 Perante a Thesouraria desta provincia
se ha de arrematar, quem maior preco ofle-
recer. nos dias 12. 15 e 19 de Novembro pr-
ximo vindouro, a renda do lelheiro que servio
de cavallarica do exlincto regiment de artilha
ria, e casa terrea contigua ao n esmo lelheiro,
sitos nacidade de Olinda, pelo lempo do 1.
de Janeiro de 1845 a 30 de Junho de 1847
Aspessoas que se propozerem a arrematar
deverao comparecer, nos referidos dias, na sala
das sess&ei da mesma Thesouraria
Secretaria da Thesouraria de Pernambuco,
1 THEATRO PUBLICO.
Quinta feira, 7 de Novembro.
A beneficio da actriz Izabel Mara dos Pra-
zeros. subir i scena, pela primeira vez, a nova
c bem concetuada pega em dous actos O
misntropo injusto, ou a ojfensa imaginada.
Esla peca,que no theatro da corle mereceo os
maioresapplausos, he a mesma de que a bene-
ficiada julgou acertado lancar mao, para entro-
ter um publico nao menos Ilustrado c circuns-
pecto, e a quem promette invdar todas as suas,
ainda que iracas, (oreas, para que ella seja des-
empenhada com o maior asseio e condecoracao,
que exige o seu autor.
Logo que os professores da orchestra desem-
penharem urna das melhores overturas, a be-
neficiad cantata a bellissima aria da floresta,
depois do que seguir-se-ha a representacao da
peca, cujos intervalos sera o ornados com a can-
tona deduas escolhidas arias italianas do me-
Ihorgjsto, execotadas pela mesma beneficiada,
dando fim o espectculo com a engranada pan-
tomima o amante em estatua.
He este o divertimiento que cscolheo a bene
ficiada para preencher urna noute, que Ibe foi
volada a servir de arrimo sua existencia, es
perando da philantro|iia de um publico lao be-
nigno a costumada proteccao, o indulgencia
em suas faltas.
Principiar as horas do coslumc. (51
1 Jos Jernimo Monteiro far leilao, por
intervencao do corrotor Oliveira, de bom sor-
limento de fazendas inglezas, sendo multas pa-
ta liquidacao de contas, e por issose venderao
por todo o preco ; quinta feira 7 do corrente,
no seu armazem, ra d'Alfandega xelha n. 13.
3-Fazleilaoo corretor Oliveira demuito boa
mobilia. toda nova, chegada, ha pnuco tempo,
do Porto, consistindo em cadeiras de diversas
qualidades, mesas, sofs. Iremos, leitos, mesas
dejantar, lavatorios, toucadores, e mullos ou-
tros movis de goslos modernos, quarta feira G
do corrente as 10 horas da manhaa. na arma-
zem da ra da Cruz n. 34,defronte do becco da
Lingoeta. ..... ((J
3Sancha Augusta de Meiiellcs, viuvadu
Portuguez Florido Augusto de Meirelles, e ad-
ministradora de seu casal conjunctamente com
os Senhores Ilcnry Forsler & C. fazem Iciloda
mobilia e utencilios da padaria e gneros d'el-
|a no dia 6 do corrente, as 10 horas da manhaa.
com audiencia do respectivo Cnsul. (7
Avisos diversos.
Avisos maritimos.
Segu viagem para o Rio de S. Francisco,
com escala por Macei. a barcaca Novo Besti
nu ; quem nella qui/er carregar, ou ir de pas-
sagem, dirija se a seu dono na ra da Cadeia
Velha, luja de fazendas de Joaquim Hibeiro
Pontes, ou a bordo da mesma as escadinhas ao
p do Arco da Conccicao, at o dia 7 ou 8, por
j ter parte da carga.
2 = Para o Cear a sumaca S. Cruz sabe
com toda a brevidade, por ter a maior parte do
seu carregamento prompto ; quem na mesma
quiter carregar, ou ir de passagem, dirija-se a
Ciietano Ciraco da Co*ta Rloreira, na luja de
cabos ao p do Corpo ""anto, ou oo Capillo.
3= Frea-se para o Rio da Prata o brigue
inglez Lotftte do l< te de cerca de 180 toneladas
brasileiras. encavilhado e forrado de colue : a
fallar com os consigntarios M. Calmont & C. (7
3 Vende-se omuito veleiro e lindo brigue
Ha para se alugar, ou ven Jer, urna canoa
aborta, que pega do l00 a 1,000 tijolos d*aL
venaria, he mui bem constiuida, e esta nova;
quem a pretender dirija-se a ra da Praia deS.
Rila, sobrado n. 43.
Hoje(5) pretende-se abrir a padaria da
ra da Gloria n. 5o, e \a continuar a traba-
llinr com lodo o desvelo e asseio possivel, para
o que tem um hbil administrador; e d-se
pao de vendagem : os Srs. Ireguezes poden
concorrer, comodantes, que serao bem servi-
dos
1 Precisa-se de um fetor quo en ten da
de trabalho de campo, e de encherlar ; no At-
ierro da Boa-vista n. 43. Io
1 Um rapaz Portuguez, que tem bastante
pratica de negocio, e da fiador sua conducta,
se offerece para caixeiro de qualquer eslabelcci-
mento. tanto na praca como lora della ; quem
precisar dirija sea ra ireita n. 10, ou an-
nuncie.
O Sr. Joo da Silva Lopes queira appare-
ccr. quanto antes, para dar cenia dos fiados que
deoem relaeo, e para ver quem po os deve-
dores ; BSsim como entregar o dinbeiro que
tem recebido depois que deixou a padaria, do
contrario nao se queixe de se obrar como mere-
ce um tal procedimcntt.
Pede-se ao Sr. Thesoureiro da lotera do .
S Pedro Martyr da cidade de Onda, que, na I
caso do sabir o bilhele inteiro n. 178 premiado,
o nao pague senao'a -eu dono Joaquim 1/idro
da Costa Gomes Vieira, ou Manoel Jos Barros
Vianna, por li.e ter sido fuitado na viagem pa-
ra Bananeiras.
1 A pesaos que quizar fazer capas por pre
(.o cemmodo, dirija se a Conceicao dos Milita
res. que achara com quem tratar.
1 Avisa-se ao Sr. Manoel Francisco da
mas l.uiz tendo-o apercebido fez signal
que o deixassem aproximar di/endo aos seus
cortezaos:
__ V, Srs esqueceis que estamos n'um
desses das de solenmidade em que nowa pre-
senca be acccssivel a toda a gente : pois eu as-
seguro-vos que o nao perco da lembranca, por-
que o pra/er de fazer USlica ainda eo mais
pequeo do meus subditos me parece o com-
plemento de urna festa leli/.
Ao mesmo lempo Luiz em quem o senli-
mento do bello era desenvolvido no ultimo grao,
e que distingua cssaqualidade onde quer que
ella seacbava, mostrou-se mar.ivilhado da bel-
la figura do aldeio. Fste poz a pelirao as
tniios do Principe direndo com voz gravo e
melodiosa :
__ ienhor um municipio inteiro como
um s ente afllicto e moribundo vos enderece
aqui a sua humille supplica e espera voltar n
vida por urna palavra de Vossa Magestade.
Depois fez urna profunda reverencia e re-
tirou-se : roas nao pode dicidir-se a fazel-u
inteiramente pela anciedade de saber o desti-
no de sua mensagem e necultou-se no lugar
mais embrenhado queja Ihe havia serv.do de
abrigo a fim de poder sem ser visto obter
var o que se passasse no lugar de que acabava
derelirar-se.
Rei cntregou a petuao a um Secretario
d'Estado, dizendo Ihe, tomasse dePa ronheci
ment e respoudewe como fosse conveni
Depoisentrelete-secom outras pessoas, ea 'i-
iial retirou-se com o seu cortejo.
aaaHHBaei
Fic rao ao p do tanque smente o mesmo
Secretario d'Eatado.algOM fidalgo e a Condes-
sa de Lussan entre o Barrio de Vaubecourt, seu
irroao e o Mrquez de Saverny. Alguns mi-
nutos depois oiltofuiccionario, no meio da
conversacSo lembrou-se que tinha na mao o
requerimento abrio-o negligentemente, e
indo logo is ultimas linhas leo em meia voz.
. Pede a V. Magestade instantemente
Ibe consigne a quantia de seis mil cruzados, para
rehabilitar esla fabrica cu|os trabalho fazem
viver o municipio, que desde a sua suspensao
cabio na mais liorrivel miseria...
Ah era isso que pedia cquelle rustico, cis-
terio os fidalgo queouvirao estas palavras.
seis mil cruzados meu Dos.' Vo semear as-
lim o ouro no estreo Ha do ser cousa mul-
to interessante urna fabrica de paredes de bairo,
e sem ladiilho
Seis mil cruzados, dtsae o Conde de Mi-
remont por minha vida tornariao bem bo-
nita a bolsa de perolas finas que comprei com
os ltimos escudos que possuia.
Seis mil ciuzados disse Vaubecourt,
erviriao pera dez ceias de ficar debaixo da
mesa.
Haveria com que disse o Mrquez de
Noailles fixar por dez dias ao p de mim a
da ocarina Niaida que me faz urna pirueta ,
asaim que eu nao Ibe ponho aos ps cadeias
d'ouro.
- Viiir .' viver .' disse o marquez do Sa-
wrnv eis quanto de continuo pedem estes vil
. quando tivessem com que, saberio
elles fazel-o? He preciso para saber go/ar da
vida ser genlilhomem de nome e raca.
Estes Senhores fallrao a final em outra cou-
sa : logo depois o Secretario marhucou maehi-
nalmente a petico que ainda tinha na mao e
vendo o caozinho d'agoa da Scnhora de Lussan,
que saltava brincando com os folbos do seu ves-
tido lez do papel urna bola e atirou-lh'a ,
o que foi para o cadello grande motivo de fol-
>anca. A Condcssa rise do brinquedo dado
ao seu caro Fan/reluche,, e se poz a'applaudir
as suas gentilezas: o cao, enladando-se em fim
de brincar com o papel eseedacou-o com os
denles, e tendo o vento inpellido os pedacos
para o tanque veio elle festejar a Scnhora e
recebr mil agrados em recompensa.
O aldeiao atraz da ramagem das arvores nao
havia perdido um s movimenlo do(|ue se pas
sra. Immovel como o tronco da arvore
que eslava arrimado, paludo como os lirios que
ao pdellese balangavao nao deixou escapar
um grito de colera nao fez um s movimenlo
para tomar o papel ao c8o antes que fosse roto ;
e somente seus olhos Iristes se baviao voltado pa
ra o Co.
Vaubecourl e Saverny passro por junto del-
le e oencararo dizendo em alta voz como
se elle fra algum ente de especie estrangeira ,
que nao podesse comprehender-lhes a lingoa :
- H>' o homem do requerimento.
__ \ e o que he o instincto O animal dos
bosques foi encalurnar-se nos mallos.
O rapaz estienicceo; e, precipitando-se na
espessura das arvores para nao ceder colera
adfl
que o animava pareca com efleilo o vea
que ferido se embrenba nos espinho e vai ah
esconderse para morrer. Chegando ao inte-
rior inculto deixou secahir por Ierra e BOtr
cou por muito tempo absoilo em seus pensa-
mentos.
Desengaado lo cruelmente, e em lo pun-
co lenpo das cousas do mundo cortezao, sstj
tou-se sobre urna raiz que sabia da Ierra es1
de quando em quando urna lagrima de raiva<
deciume Iho corra dos olhos. Todava *
meio de sua dolorosa mcdilacao reanimou-se
ergueo a cabeea ; rcconlando-so das ultini'*
palavras que Ibe dissera o pai no momentoiH
partida. Tusoblers repulsa e desprc".
mas nao desesperes; porque temos mais w'1
do que tu pensas. ,
Nesaa poca em que a desiguaidade das p
as da sociedade havia ebegado ao ultimo grl
um camponez nao era nada sobre a trra. ""
tudo ao lembrar se de seu pai o rapaz respira
maislivremenle sentio reanimar se-Ihe o1'
gor. levantou-se, e marchou com agitacao
espessura dos carvalhos. De repente os su
fie grandes e sonoros tangeres o arran-itrau
sua distracio; e ello seguio naturalmenl-3
gentequo se diriga para o campo da lica, nj
chamado Tapete verde. Essa ente era fj1"*
sa, e sua presenca no meio della nao fa/ia-?
notavel, porque havia muilas qualidades^
vestiarios em raiiodasrepresontagoesallego'
cas, quedeviod r-se depois do torrivi"-
A liea al.erta em magnficos bosques oflaj
cia um recinto todo verde|ante embalsa"''1'


5
, que bnja de ir tirar os MOl penhom at | trcita n. 25, fallar com Anlon'-o da Silva Gus_
dia'lO do correnle, d > contrario serao vend-,mao. I'
dpar. o pagamento ; e para que bo nao cha- 2 Desappareceo, no da 31 d mei prox,-
m ^ignorancia faz-seo pVeJte.onu.cio (5 >o pastado, um escravo de nome Joaqu m.
=Ouem precisar de En. pessoa que sabe crioulo. representa ter 20 anuos de dada. alto.
'~V I' ___ ...-_ cn,.,.n msln r.nnrmruio. ventas arsas. e lalta de
fallar francs, Inglea e potfugue/., para guar-
da livros, caixeir ou qiialqucNoutra occupa-
cao ; dirija-se a ra do PasseioPublico, fabri-
ca de chapeos de sol.
secco. rosto comprdo, venta* largas, e falta de
um dente na frente, com Dulci de sapateiro ;
levou vestido calca do brim do linho de listra,
i i suia, e camisa de madapolao rota suja, cha-1 >>- -
de chapeos de so v l com abas bMl>nUj dia. > (lillli;i |10(1ern lomar e entregar oo^aue.ro
3 Antonio I e ^nuf "J ro Selle souber, ou tiver noticia, dinja-se ra d mesmo annunc.anto.que recebera 2otf rs de
sepassar. torta, au- *'! nLran- d.S Cruiee n. 9. 10 rat.ficac5o. ..... ( 12
5No dia 27 do correnle (urlaro da ruado 2 Precisa-so do alguna trabajadores de
Sol do sobrado do Sr. Tenente Coronel Anto- campo para todo e qualquer aenrieo que w of-
nioLins Caldas urna corrento com passador e fercccr fora desU praca, c quo ae|io estrau-
uma medalha pendente com o busto do Impe- gciros, todo aquello que se ac ar nostoiler-
rador, leudo em roda um circulo de esmalto de cu instancias pode dirigir-ce arua da Cruz
O na redonda desconfa-so ter sido tortada n. 26 venda de Si Araiijo S: Irma. (0
pelos pretos que conduzirais nesta occasi3o a
iimiiillia para ocmbarque; a pessoa a quem
fur uflorecida a dita corrcntc rom a me-
3 Aluga-se urna casa terrea, por preco
doOinda, com liona comm dos para urna gran
.1,. familia anual tem. dentro de casa, um r:co .----
Utidimiid.a t rinde uuintal co- commodo, com duassalas, seis quartos, cos
^ZhT^Te SA $S$ I -h- *., quinta, murado, .Ira, da matriz da
^,7ctondef dirija-se a ru. da Crusn.27 |Boa;v.sta ; trata-se na ra da Aurora casa
,., 0 preiemier niriJL
3 Constantino Jos Raposo embarca para ; n. 58.
o lio de Janeiro o seu escravo Antonio, naci
Cacange.
3No largo do Terco n. 10 precisa-se alu-
gar urna preta, que seiba oosinhar e ensaboar,
* n I _s .. ,A\yn an nllinill'l (IIUMI1 .1 ti- :
3 No armazem por detraz da loja n. 50
da ra da Cadeia, com entrada pelo boceo do
Monteiro, recolhem-so pipas, gigos de louga,
e outros gneros, por menor preco que em ou
fiel: aluguei; quem a ti-1 tra parte. (8
ver d. ii-se 6 caaa cima, ou anuuncie. (4 : 3-Arronda-se um sitio na estrada do Afl. -
9 Manoel Muniz de l?itancurte, faz seien- I tos o qual conten, urna das melhorese decen-
io a uuem convier, que deixou de ter eatabeleci- tes casas de campo assobradada.com o.tenta pa-
lea quero wi t _____ ..... toda envidracada. com grande
ment de cauros, no Alieno da Boa vista, ten-
do mudado-se para a cidade de Olinda. (4
3=Conslando ao abaixo assignado, que seu
cunhado Jos Feij de Mol >. pretende vender
o engenho Bamburral, declara para inteligen-
cia de quem o comprar, que o dito engenho
csli sugeito a rrposicocs de outros herdeiros .
queo dito Feij anda nao cumprio as quaes
reposicoes sao as seguintes : 11:858,885 rs.
reposicao nue o dito Feij tem de fazer ao a
baixo assignado, e suas irnias, de quem o a
baiso assignado be procurador : 7:500,000
rs de rendas do mesmo engenho que fic'iro em
poder do dito Feij para sobrepartilha : e
2:'106,932 rs que tambeni ficarao em seu po-
der peVtencenli-s ao fallecido berdeiro Manoel
Pedro de Moraes Mayer para pagamento das
.dividas deste. O quo ludo consta dos autos do
inventario pelo cartono do Bserivlo Pereira.
O Major Jos Gabriel de Moraes \Jaycr(\%
3__Jerga feira 5 de Novembro prximo vin-
douro. as 4 horas da tarde, na porta do Sr. Dr.
Juiz da 1.* vara Incivil, se hado arrematar,
por se- a ultima praca, urna parte da casa de
sobrado de tres andares n 10 da ra do Quei-
modo, da quantia de -2:117.578 rs por execu-
cao contra los Antonio dos Santos.c Silva,
sendo o dito sobrado avahado em 18:000.000
ris. '
1=.- O Juiz da irmandade de S. Jos de riba-
mar convida a todos,OS irmoa das quatro of-
licinas para urna meza ge ral. quarta feira 6 do
correnle as 6 horas da tarde. (i
)_ Q abaixo assignado faz sciente ao respei-
tavel publico quo Vicente Antonio Estoves dei
xou de ser seu caixeiro desde o da 12 de Outu-
bro, principalmente aosseusdevedorespara nao
pagrem seno ao abaixo assignado desta em di-
anle lenlo Antonio Ihmingues. (0
3__Jos Antonio Borges, Brsileiro, reti-
ra-se para a Babia, levando em sua rompanhia
seu sobrinho Adelo, de menor idade, e seu
esrravoJose.de nacao Costa.
1 Arrendase o sobradinho de um andar .
SOtSo. na ra de Ag>Vas verdes n.2, e opri-
meiro an lar dosobrato da ra do Qm-.mndo n.
57 icom frente para esta ra. e pateo do (.olle-
gio' e as I jas do sobrado da na do Rozario es-
LOTER1A !)E S. PEDRO
MAUTYIl E OLINDA
Correm infalivelmente as rodas no dia i do
(1-2 corrente ; os bilhetes ichBo-aea venda na ra
2-.Auga-seo3.,andardo8obradodoAt- do Cabug lojasdosSrs. Pereira & Guada, e
teo da Boa-vistan. 34, a loja do sobrado dos o iicaia loj resannunciados. {1
Quatro-cantos n. 1, a cosa terrea no mesmo 5Os Srs. Marcellino Jos Gal vio, e Igna-
u^ar n. 5, o 2 andar dn sobrado da ra do Lo Francisco dos Sanios & C. queiroo decla-
Amorm n. i, os dous a dares do lubrado da rar a Sua morada, para se llicsseiein entregues
mos de frente, toda envidracada, com grande
cocheira e cavallarice.com bastantes arvoredos de
fructos, deliciosojardim.com muilo boa agoa de
beber e arrenda-se por muito mdico prego
com condieao de ser bem tratado : tambem
este predio se vendo a dinbeiro ou a praso gran-
de ou se permutta por predios dentro da cidade,
e a ra/5o de se fazer este negocio se dir a pes-
soa que se proposer a compral-o ou permu-
tal-o. .(,3
2 = Quem 'quizer aprender grammatical-
mento a lingoa franceza com um professor hbil
e exacto, dirija-se ao Atierro da Boa-vista, so-
brado n. 3. f*
2 = D lo-sn 400,000 rs. a juros de dous por
cento, sobre hypnthecaem prediosoupenbores:
na ru Nova n 63 se dir quem os d. (3
2-r-Quem precisar de urna criada portugue-
za, com 18 annos de idade, falle na casa n. 26
ra da Aurora, que se tratar pela passa-
gem. (*
20 Padre Mostr Miguel do Sacramente Lo-
pes Gama, propc-se a ensinar mesmo durante
as ferias todos os preparatorios a excepeo de
Geometra, c Ingloz. As pessoas, que qui-
zerem aprender essas disciplinas, dirijo-se
casa doannunciante no aterro da Boa vista pe-
la manha. .
tem o mesmo Padre Meslre tenciona abrir
um curso de Theologia Dogmtica, e Moral
para aquelles, que nao podendo Iroquentar as
aulas do Seminario, querem dedicarse aoesta
do ecclesiastico. Os que quizercm, dirijao-so
ao referido lugar. ('3
2 Aluga-se umo casa de pedra c cal no
Poto da Panella com bons commodos, cosinha
fora, quintal, cacimba, duas salas, 3 quartos ;
quem quizer dirija-se a ra larga do Rozario n.
36 no terceiro andar. (5
2= Aluga-se urna casa terrea de pedra e cal
cita no lugar do Pogo da Panella da parto da
sombra, e com a frente envidracada, a qual tem
ires quartos, sala dejantar, cosinha, e estriba-
rla ao lado, cacimba de boa agoa do beber e
quintal murado; quem a pretender dirija se a
ra do Cabug n. 9, terceiro andar, ou na The-
souraria dos ordenados a tratar com seu proprie-
tario Jos Lopes Roza. (9
uva
BBSKn"iM3ei
florid
Ainiulherai eslavo colocadas snb pplaudio com ardor ; havia alli esse enthu-
rt *......- A~ .:i ..nf.^c ...... r.uitin i Pili 11 r Ir
reos de tnumpbo. de abobada mourisca re-
cortada e pintada de azul e our-. No do cen-
tro acbava-se a Rainha com as outras mulher.s
a quem o amor do Rei havia feit parlilhar este*
titulo ; depois os r.oivos, o Duque e Duque/.a
detharlres Arautos escudeiros, pegensbor-
davao por toda a parte o campo. <> Re deo o
gignel, eos comba ten tes, montados em sobar-
bos coreis declinas luctuantes o Lngas
gualdrapas bordadas de pedraria langrao-se
ng !C3-
O sol fazia entiio brilbar esas soberna tropa ,
dando de lado sobre ella. Os vestuarios dos
cavalleiros contondiao se no tropel e formavo
urna zona radiante do brilbo da seda do refle
xo dos dourados, do fogo dos diamantes, onde
so viao brincar os atacadores de pedraria as
charpas orientaes de mil variadas cores, osen
gracados pennachos que tremulavao nos^ ares.
Os sons arrebatadores de urna msica sonora
acempanhava de urna a outra extremidade da
carreira esse turbilhao de crese do lu/es Por
cuna disto urna nuvem averrnelhada hincada
pelo sol no occaso, parecia o estandarte real de
purpura o ouro, que at o co fazia fluctuar
sobre esle recinto.
Houverao nessa tarde (actos memoraveis. Os
cavalleiros animados ao mesmo lempo pelo
espirito da guerra e pelos olhos das mu
sia'smo de mil pessoas que, reunido em um
enihusiasino fa/ a alma d urna batalha ,
de um espectculo, de urna festa.
O Marque/, de Saverny estava em veia feliz.
No meio dos mais famosos homens de guerra
da Franca reunidos no campo fot elle quem
ganhou o premio : apresentou-se Rainha e
pos um joelho em trra para o receber de suas
maos. Porm Sua Magestade chamou Vallen-
tina de Lussan que estava ;jouca distancia, e
i|>M pritregou a roja de diamante para que
ella mesma a dsse ao cavalleiro. Maria Theie-
za, velha anles de idade enlraquecida, ulce-
rada no corceo, procurava todos todos os meios
de-sc nao fa/er nolavel, e depois do casamento
declarado de Sarverny e da Condessa. pensou
que o espectculo seria' mais agradavel sos,olhos
do todos, so cedesse bella rapariga o seu di-
reito de corAar o vencedor.
No momento em que loi dado o premio, mi-
lliares de instrumentos erguerao de novo os
sons. para celebrar a lisongeira victoria ; vi-
vas, e acclamacoes innmeras se Ibes juntarao ;
e a mais viva alegria se manifestou por
teda a parle A natureza concoma para o bri-
Ihantismo da festa. todos se moslravao satis-
feitos; mas dous rostos paludos, dous phantas-
mas inanimados ahi exisliao.-collocados as
extremidades da cadeia : a Rainha sobre o seu
ra doFagundes n, 25 ; n fallar com Manoi
Caetano SaaresCaxneiro Monteir i, 7
2 = Joanna Mara da Conceico, viuva d;'
Joaquim de Santa Auna de Figueiredo Jaq es,
tundo de proceder inventario de bens de seu
casal, para dar partil a a seu sogro, avisa n 9
credores do seu mesmo casal, para que se dig-
nen de llie apresentar suas contas. (6
2Jos Leonardo embarca para o lio de Ja-
neiro a sua escrava Antonia de gento de An-
gola. (5
2 Mme. Hauefeuille e seu lillio Charles
Hauteleuille retirao-se para lora da provincia.
3 Aluga-se um bom sobrado de um andar
na ra do Hospicio, com 3 salas e 5 quartos, e
outros tantos csunmodos no pavimento terreo ;
a tratar na ra da Gloria n. 80. (4
3_A. Peloux. relojoeiro e machinista fran-
cez, chegado ltimamente esta cidade. mora-
dor no Atterro da Boa-vista n. 3, se prope a
concertar relogios de sala, de parede e de torre,
e toda a qualidade de machinas como sejo
candieiros, caitas de msicas; o mesmo se pro-
poe a concertar e dar corda a relogios mensal
ou annualmente, por um prego muito commo-
do ; quem pretender dirija se mesma casa :
tambem se aluga una sala que da para a parte
do mar, e be muito resca. (H
2Eu abaixo assignada faco publico que nao
tenho contas com pessoa elguma. e que nada
devo porque tive um pleito judicial com Jos
Rodrigues dos Passo, e nessa occasiflo tive de as-
signar algunspapisembranco para apudaclas.a
lim de ser preciso para andamento do mesmo
pleito ; e porque pode para o fucturo acontecer
apparecer algum papel asignado por mim de
debito ou de dadiva,ssese sao falsos, a exreco de
dous que sao verdadeiros. que be um de minba
sobrnt.a Mara Madalena dedoaclo da mulata
Florinda e outro do meo aflilbado Jos Joaquim
Gomes de Almeida de doacao de um mulato
Manoel, e todo e qualquer papel de doacao. da-
diva, ou divida, escritura, alienaco que ap-
parecio a excecao desle dous mencionados ao
meuaflilhadoeminhasobrinba Botero vigor
algum por seren laicos ; c para que nao possa
haver para o futuro algum equivoco ou ignoran
cia mandei lazer o presente em que lao amente
me assignei c publicar pelos /hartos. (21
Mara Jisepha de Mallos.
o_J)a-se a juros, sobre pinhores de ouro.
ouV.rata. a quantia de lOOj rs. a 200 rs. ; e
tambem se vendo um botao de abertura com 7
diamantes, e urna corrente do relog.o por
commodo prego : na ra da Cadeia de & An-
tonio, venda n. 16. v.
tavao terminadas, um carro colosal represen
lando o do sol. e rodeado das .dados d ouro .
de prala. de Ierro e de cobre ; apos se segu: o
..tocos e as horas; todo esto cort. jo. que
renresentava o unive.so.veio naturalmente pos-
tar-se em frente do Re domesn.o, isto be
Luiz 14. Ihe recitou versos fetos por um cor-
te/ao de talento, por Moliere.
Ouandoanouteceo. a tapada illuminou-se
sulMtamenle de mil tochas do cera bran-
ca ; apparecerao umitas mc/as comopor en-
eanto, postas e sertidas todas de sucou-
lentos manjares. Depois um novo espectculo
.ttrabio todas as vistas para o palacio : em
frente da fachada ievantou-se deba.xoda trra
urna immensa galera toda de garca. flores e
lu/es A msica que se ouvia nesse mbito
mgico, destinada para o baile dessa noute .
em breve chamou para alli a ligeira mult.dao,
o un poucos minutos ficou a tapada sombra e
deserta.
esnirito da suena e pe s olhos lias enumeres exiremiuaues u i.0uC.a -----------
^2.S^todeae a de bnlhar flbrooo de veludo. e o joven camponez sob a
se sobreuuro em heroicos prodigios, e a ;sua abobada de folbas.
a Sade coragem toreo Uto pura, como o Confore o gos.o da poca pelas aMegor^.
ouro e diamantes de suas armas. As mulbeies vio-so entrar no campo, onde as justas es
urnas cartas; ou dinjao-se ao largo do Gotpo
Santo ii. 17. '*
<) Sr. que na noute de domingo acompa-
nbou o SS. Sacramanto da matriz de S. Jos
,io Atterro dos Alegado-, e na volla levou um
chapeo e deixou outro em troca, queira por la-
vordesazei o engao na ra iloAmorm u.37.
para evitar questoes, visto saber-sequem foi o
innocente,
I Precisa-se de una ama para urna casa
de pouca familia, de portas a dentro ; a tratar
na ra das Cruzes u. 28, loja de pintor e vdra-
ceiro. '*
1 Precisa-se do um rapa/, Portuguez ou
Brsileiro, para tender pao com um preto fre-
guezia certa, luzendo-se-lhe o ordenado que se
convencional ; quem estiver nestas circuns-
tancias dirija-se ra do Rosario larga n. 18.
1 Ainda se oohi i p 'r vender, por preco
commodo, alguns terrenos na ra nova |>or de-
traz da ra da Concordia, que divide comas
travessaa do Monteiro e Caldeireiro; os pre-
tendentes dirijo-se ra do osario larga
.. 18. (6
1 Quem livor para alugar urna casa ter-
rea, que seja de 8 ou 10.000 rs.. sendo na fre-
gueziade S Jos ou S. Antonio, da-se toda a
seguranea aos alugueis; tambem troca-se por
outra no Cotovelo ; a quem convier annuncie.
1 Quem precisar de um rapaz Portuguez.
de 17 annos de idade, para caixeiro de qual-
quer arrumacao, ainda mesmo tora da praga,
o qual sabe le e escrever solrivelmente, an-
nuncie. l&
- OSr. Manoel Peroira Laura tenha a bon-
dade de dirigir-se praca da Boa-vista n. 71
para receber a cabra que Ihe fo desemeaminba-
da no dia .->>1 do mez p. p.
2Precisa-se alugar dous pretos mocos ro-
bustos, dando-se IOS menaaea, sustento e in-
do dormir em casa do seu Sr. ; a quem con-
vier annuncie ou dirija-se a Praga da Indepen-
dencia n. 21. Na mesma casa tambem se vende
urna negra de nagao queaz todo oservicode
urna casa. '
2=Precia-se[de 2:000,000 rs. a premio de
um por cento ao mez por tempo de um nno ,
dando-se para garantia, por hypotbeca. um so-
brado de um andar no bairro do Rectela quem
convier este negocio, queira annuncar. (5
1= Precisa-se fallar aos Srs. Bernardino Jo-
g Pereira, Antonio Jos Gongalves. Jos An-
tonio de Sa Guime* Antonio Joaquim de
Freitai Guimares, para receberem cartas mui-
to Ibe interessao; ra do Trapiche n. 17. (5
O camponez, que apezar do agudo mal que
Ibe fazio solTrer todos estes pra/cres havia si-
do at cnto retido neste lugar por um poder
magntico, nao pde aindi evitar aproximar-
se Testa maravillosa galera, eolbarparar a
por algum lempo. A travs da garca va elle
passarem c tornaren) a passar essas figuras, que
||,epareco outras Untas sombras, formarem
cadeias, rodas, quadrilbas, inclinarem-se e
erguerem-se sob a influencia da 1
i iiMMMi'iujii! "SBSHWHHH5
d, inelTavel ventura, c Ihe pareca, que estavao
no co... .
Fin fin retiou-sc precipitado da tapada real,
onde Ihe lora rasgado o coracao. que por tanto
lempo sangrara e ganhou o espago deserto do
campo. .
Ao chegar s alturas de Satory quiz anda
olliar para o palacio de Versailles.
Ojardm eslava todo abrasado : o fogo de
artificio, representando um palacio encantado ,
ecollocado por cama do tanque principal, re-
peta os seus lurbilboes de lu/es na superficie
d'ago a qu Ibes dobrava a eitensio : um da-
r3odeslumbiador pareca ter feilovoltar odia
ao borizome e se reflecta as nuvens. No
turne do edificio essas duas zocas chamme-
janto do co e da Ierra alguns Hoioes de fogo
variado de todas as cores de pedraria, hguravao
a firma do granda Rei que dominava ese
immenso incendio.
No lim de alguns minutos ludo se apa-
Ocamoonoz vio cahir a ultima estrella des -
se logo d'artificio, que. como ouvira direr a
umdosfidalgos. devia laucar aos ares mais de
oito centos mil cruzados. Se .Ihe houvereis
observado as leigoes.a pallidez que ascobria, a
energia que nellas eslava estampado, dissereis
que as irnpresses d'aquelle dia nao senao in-
fructuosas, e que o odio que Ihe abnfava a al-
ma, um dia arrecentara,
O pobre rapaz seguio a passos lentos o cami-
ercuerem-se i" < mmiu'..... ------ : ,
Sem Ibes distinguir as feij5es pelas suas^poa-1 nbo da cboupana. ^^^
turas e movimentos descubra elle um aspecto


4
Aluga-se, com a condicao'de dormir em to e bom leite, preferindo-se captiva ; na ra
da Aurora n 48. (3
;}_ Arrenda-seo sitio n, 3D, na ra de S-
Miguel nos Alogados ; na ra da Conceico da
Boa-vista n. 58. (3
2 Henrique Amante Chave ain, Francoz
de Naco, morador ein Fora de Portas n. 82,
tom a honra do prevenir ao respeitavel publico,
para que de forma nlguma deem a um seu mu-
latiiiho por nome Antonio, anda mesmo com
escrito em nomo seu (Chave ain) nem dinhei-
casa um moleque muito- esperto e riel, para
quaiquer servico ; quem o pretender, dirija-se
a ra do Jardim casa do mesmo nome, onde
tom aula de meninos, n. /i3.
Quem se achar as circumstancias de criar
de leite, em sua casa urna menina de i me-
zes dirija-se a ra larga do Rosario n. 11.
Aluua-se ou vende-se urna canfla, que
carreja 500 a 000 lijlos, em bom estado ; na
ra da Cruz, venda n. 37.
Quem precisar de urna mulher, para ama
de casa a qual engomma e cose pelo sus- r0; n"m fa'end;,s' n'm u.tra qualquer cousa ,
tent e vistuario dirija-se as Cinco-pontas, ao
sahir para o areal do lado esquerdo n 77.
O abaixo assignado, leudo no Diario n.
238 o annuncio seguinte : vende-se urna ven-
da com poucos fundos o bons commodos para
familia na ra do Padre Floriano &o. de-
clara ao publico, que esta casa pertonce-lhe ,
e que esta alugada ao Sr. Manoel Jos de liar-
ros Veigas ; assim como entendendo-so com
o dito Veigas a respeito de tal annuncio elle se
desculpou com a redaco explicando-se que
quera vender os fundos do seu negocio e que
quem quer que Ihe comprasse poderia como
meuconsentimento morar na dita casa, pois
quetinha bons commodos &c nao baja pois
quem se iiluda com a ainbiguidade e quem
comprar ditos fundos querendo licar-se com a
casa hade prestar (anca idnea. Pedro He-
zrrroPcreira de Arniijo lieltrdo.
Do-se 200/rt. a juros sobre penhores ,
' mesmo em pequeas quantias, na ra do Mun-
do-novo n. 58.
Precisa-se alugar um sobrado de um an-
dar no bairro do S. Antonio que tenha quin-
tal e cacimba enoseja em ras exquisitas,
pagao-sealguns mezes adiaotados, agradando ;
na ra Direita n. 56.
Precisa-sede um rapaz Portuguez. sem
familia, para feitor de um engerido e caixeiro
do mesmo ; a tratar ua ra de S. Hita-nova
O. 91.
Quem precisar alugar urna escrava para
cosindar. e servir tanto em casa como na ra ,
dirija-se a ra de Aguas-verdes n. 42.
Do-se licoes de piano, flauta e violiio ,
por mdico preco, e tambem de aritbmlica e
geometra ; no becco da Bomba n. 2
Precisa-sede urna ama preta ou par-
da forra, ou escrava para vender comer co-
sido ; na travessa do Queimado, junto a venda
n. 1.
Alugo-se dous sobrados de um andar c
soto cada um com commodos para grande
familia na ra Formosa ; a tratar no Atierro
da Boa-vista n. 38.
Precisa-se de offjcias de alaiate quo se-
jao perfeitos em toda obra; e de dous meninos,
um que saiba ler e escrever, e o outro que seja
aprendiz do mesmo officio; no bco do A breo o. 6
l Aluga-se o primeiro andar do sobrado
n. 20 do Atierro da Boa-vista corn muitos
bons commodos e quintal por preco commo-
do ; a tratar na loja do mesmo sobrado. [i
1Arrendase por preco commodo, para se
passar a festa urna boa casa em Apipucos,
com bastantes commodos muito fresca per-
to do rio onde tem encllente bando e com
sabida pelo fundo do sitio; a fallar na ra das
Trincheiras n. 22, ou em Apipucos com Joa-
quim do Reg Barros Pcssoa. (7
l Vai ser arrematado, em praca do Snr.
Juiz Municipal da cidadede Olinda, I sitio na
incsina eidade adiante de Mara Simplicia ,
no lugar do Forlim e mais duas moradas de
casas terreas na bequinda dos Quatro-cantcs
ns. 18 e 19, pendoradas aos herdeiros do fal-
lecido Jos Crrela Campello. (7
Agencia de passaporlei.
1 Na ra do Bangel n. 3'i, lirao-so passa-
portes para fura e dentro do imperio correar-
se foldas edespacho-se escravos ludo por
preco commodo e com a maior brevidade.
1 Copiao-sesenlencas, procesaos, e todo o
papel judicial, ou outra qualquer escriptura-
cao, por preco muito commodo boa letlra e
com brevidade ; na ra do Raogel n. 34. (4
2 gir-se a ra do Queimado loja n. lo uu an-
nuncie sua morada para Ide ser entregue urna
carta, vinda de Portugal. 4
2 Precisa-se de dous domens .
fazer lijlo da alvcnaria lldrilho e leda ; n
Cinco-pontas a fallar com Ignacio Ferreira da
Costa. '4
2 Precisa-se de um sitio quo lenda urna
grande casa baixa decapim para sustentar 2
cavallos, e abundancia d'agoa peito da casa ,
quem tiver annuncie (i
2 Aluga-se urna casa no Cachang, de fron-
te da fonte d'agoa frrea com duas salas 7
quartos estribara para dous cavallos ; a fal-
lar na ra Nova n. 63. f&
2 Arrenda-se para a festa urna casa e si-
tio a margein do rio, com bando e marte
boa vista ; a casa tern duas salas 3 quartos ,
despensa, cosinda e quartos de escravos por
preco comBMftlo ; na ra de Agoas-terdes n. -j
2 Ale/a-se urna casa terrea na eidade de
Olinda na ladeira do Varadouro da par da
sombra logo passando a do Sr. Jos Antonio
Lourenco
se|a em acougues, vendas, lojas, armazens, ca-
ias de negociantes fice. kc. aonde o seu nome
possa teralgum crdito, pois que ludo he po-
sitivamente la eo o de forma algoma por nada
inteiramente se responsabiliza, nao mandando,
por merc de Dos, nunca pedir cousa alguma
liada em casa de ninguem, mandando sempre
comprar com dinheiro e indo elle pessoalmen-
le comprar como pode, o que precisa para sua
casa, como as pessoascom quem ella trata nao
ignoro (18
t A ahaixo assignada participa ao respeita-
vel publico que fez embargo nosalugueisde um
sobrado na ra da Penda n, 9. com rente para
a ra Direita, pertencente a Basilio Alves de
Miranda Vareijo por divida de perto de 400j
ris de principal e custas de urna demanda
que tem corrido com o dito Itasilio e de que ob-
teie execui o.e por isso os alugueis de toda a ca-
sa s'io recolhidos ao deposito para a dita exe-
quenlo receber ti levantar por ordem do Sr. Juii
Municipal da 1 vara, que assim o mandou, e
quem duvidar do exposto dirija-se aocarturio
doescrivSo Magalhacs que achara a verdade; e
para que ninguem se chame a ignorancia faco o
prsenle annuncio. Marta liosa do Carmo.
estreita do Rosario deposito n. 2; no mesmo I preta de Meuron^'Companhia a 10S0 rs a libra.
deposito precisa-se de um caixeiro, que d a-, uvas preias de seda para hornero a 1440 rs. '
dor para andar com um preto veodendo p -o. par, ligas elsticas para sendora a 160 rs. o pafi
2Vende-se um negro crioulo moco sem ,bicos largos tinos a 720 e 1120 rs. a vara, meia
defeito algum a vista do comprador se dir curtas de laia preta a 800 rs penlesde tarta,
asdabilidades; na ra do Livramento n. 22, I ruga a <44< rs. fitas degarca de todas as c.
primeiro andar. 4 res a 220 rs. a vara, urna collec5ao.de qua.
2 Vende-se urna escravu co.n multo bom dros com os verdadeires retratos dos revolucio.
leite e com urna cria de um mez ; urna negri- narios da Franca a 2-SO rs. cada um o senda a
nha muito linda ptima para mucama de 15
annos cose e tem principios do engommado ,
urna mulatinha de 10 annos recoldida cose;,
cosinda eengomma ; urna dita de 17 annos ;
boa costureira ; um moleque da Costa, de 8
annos ; urna escrava boa cosndeira ; urna dita
da Costa de 25 annos ; urna dita de Angola ; 1
escravo bom canoeiro o qual d-se a conten-
to ; na ra Direita n. 3. I 1
9 Vendem-se 700 garrafas vasias limpas
e todas em bom estado ; na ra da Aurora n. 48
2 Vende-se, por muito menos preco de seu
valor, um sobrado de varandas de ferro, em
Olinda ra de .Malinas Ferreira quasi ao
edegar aos Quatro-cntos ; a tratar no mesmo
sobrado. (5
Compras
2 Comprao-se botijas vasias; na ra do
Rangel restilaca n. 54, de Victorino Fran-
cisco dos Sanios. ;3
2= Comprao-se cavildas e pregos de cobre,
novos, ou veilios ern pequeas e grandes por-
ces ; dous, ou 3 prancddes de amarello de
50 a 60 palmos de comprido ; a fallar com Ma-
noelDuarte Rodrigues na ra do Trapiche n.
26 ou em Fra-de-Portas aonde est enfa-
ldado um navio francez fazendo obra. (7
2 Compra-se urna flauta de pequi que
tenha boas vozes ecom poucouso; no pateo
da Paz, nos Afogados n. 21.
Compra-semeia duzia de cadeiras ame-
ricanas, em meiouso; quem tiver annuncie.
1 Compra-se urna escrava de 10 a 14 an-
nos sem achaques assim como obras de ou-
ro sem feilio ; na ra da Cadeia-velda n. 30.
1Compro-se elfectivamente para lora da
provincia escravos de ambos os sexos de 12 a
"20 annos agradando pago-se bem ; na ra
da Cadeia de S. Antonio, sobrado de um an-
dar de varanda de pao n. 20.
1 Coinpra-se a obra de Flos Sanctorum
com as competentes estampas e Moral por
Benedico XIV ; na ra de Agoas-verdes n. 42;
na inesina casa (azem-se bons ornamentos para
igrejas, por preco commodo. (5
Vendas.
3 Vende-se, com 30 por tent de rebate ,
urna divida de 756,510 rs. com execuco ap-
parelhada prompta a fazer penhora, e contra
originario devedor Antonio da Silva; este de-
vedor aeda-se na corle do Rio do Janeiro, cum-
prindo sentenca faltando-lde 6 meses para o
cumprlmeclo della na tartaleta da liba das
Cobras, sendo juiz dos presos da mesma for-
lalesa corn negocio dentro da priso da mes-
ma 110 valor de mais do 2:000,000 de rs. e
com muito crdito naquella corte ; esta execu-
cao se vende com esse rebato liada dando o
comprador fiador at que cobre a dita divida,
que est muito segura e he negocio muito
vantujoso para qualquer pessoa que ande e-
que saibao I gociando para aquella corte; a tratar na ra
XovadeS. Amaro, sobrado novo do .Mesquila.
3 Vende-se cha bissoa da meihor quali-
dade a 2500 rs. chapeos de palha do Ctnle a
3200 e 3500rs., superiores cdarulos de todas
as qualidades bem como regala nonplusul-
tra a 3200 rs. a caixa ditos meia regala a
600 is. ditos de Manilha Havana Harn-
buigo Napoleao Cachoera c Badia a 800 rs.
a caixa, ditas de 200charutos a 1600 rs., rap
srea preta Vinagrinho Vilete e princesa de
Gasse ; na rus do Rosario vindo pelo pateo do
Collegio primeiraloja n. 18. (||
1 Vendem-se paios de Lisboa a 3000 rs. a
duzia toucindo de Santos a 180 rs., manteiga
francesa a 560 rs. dita de leinpeiro a 240 rs.,
banba de porco a 280 rs. cha do boa qualida-
de a 2400 sebo de Hollanda a 3im rs. arroz
do Mdianhoa 480 a cuia, passas ouvas'a 280
cerveja bocea de prata a 480 rs. a garrafa,
Vende-se o muito condecido Champando
de July edegado de Franca pelo ultimo navio;
em casa de Avrial limaos na ra da Cruz.
Vende-se urna mulatinda mucama de 15
annos, com boas habilidades, sem defeito ul-
gum ; urna dita dita ; urna bonita escrava de
naco Costa para tod > o servico ; duas ne-
grinhas de 12 a 13 annos; duas escravas para
todo o servico ; um escravo pega ; um mole-
que du 18 annos ; dous preto para todo o ser-
vico ; dous mi.'laiinlios de 12 a ls annos ; um
moleque de 13 annos ; na praca da Boa-vista
n. 19.
Vendem-se seis cadeiras de pulhinda, um
jogo de bancas em bom estado e por preco com-
modo ; na travessa do Queimado n. 3, primei-
ro andar, de manhaa at as 0 horas, ou das
duas as 4 da tarde.
Vendem-se duas negrinhas de 12 annos ,
de bonitas figuras ; uma'mulata de 20 annos ,
com habilidades e de bonita figura ; um pre-
to canoeiro ; na ra do 'Rosario da Bo^-vista
n. 48.
Vende-se urna canda nova, mui bem cons-
truida, que carrega 700 lijlos de alvenaru ,
tambem se atuga, ou troca-se por outra de con-
duziragoa sendo grande; na ra de Apollo
n. 34.
Vende-se urna preta cosinheira ; no lar-
go da Boa-vista n. 30.
Vendem-se ricas mantas de seda para pes-
coco de hornero edapeos Jo Chile muito linos,
eslojos de iiavaidas de cabo de marfim que
se do a contento pela sua boa qualidade e os
superiores charutos da Babia; na ra dos Quar-
teis, loja n. 24.
Vendem-se 7 a S milheiro3 de telhas, de
bom barro e bem cozi las por pre?o muito em
conta ; na ra larga do Rosaiio n. 18.
Vende-se bolaxa de boa qualidade para
commodo de familia a 6 e 11 patacas, e a 70
e 120 rs. a libra bem como farinda de boa qua-
lidade para fabrica de chapeos, e para bolaxa
a u:/ rs. a barrica ; na ra larga du Rosa-
rio o. 18.
Vende-se urna escrava crioula de 20 an-
nos bonita figura cose, cosinha, lava, vende
na ra e de propria para todo o servico ; na
ra do Livramento venda n. 24.
Vendem-se 400 e tantas varas de algodao
da trra a 205 rs. a vara ; na ra do Queima-
do n. 27.
Vende-se um escravo de naci anda
moco muito sadio e robusto proprio para
o servico de campo ; na praca da Independen-
cia loja de Jos Pe reir Arantes.
Vendem se 6 pn-tas mocas de boas figuras ,
engommlo, cosindoe lavo ; duas mulatas de
20 annos cosein, engommaoe cosindo; duas
negrinhas de 10 annos ; um pelo perfeito co-
ainheiro de um ludo ; um mulatinho de 16 an-
nos muito bonito pagem ; 4 escravos pti-
mos para o servido de campo ; na ra do Cres-
po n. 10, primeiro andar.
Vende-se urna cabra moc,a de 18 annos,
cose, engomma, cosinba e lava aflianca-se a
boa conducta na ra larga do Rosario, loja de
colleccao inteira a 240 rs. ; na ra do Crespa
escadinha de miudesas n. II.
Vende-se cal virgem de Lisboa em bar.
rs e caixas ; no escriptorio de Francisco Seve.
rianno (tabello.
Vende-se um preto bom para engenho,
ou outro qualquer servico; na ra larga do Ko-
sario n. 9, esquina do becco do Peixe-frito.
I Vendem-se anneloes d\. ouro tonrlo
um umbriliante urna corrate para relo(o,
2 alfinetes de peito muito ricos, i pares du
botoes de punho dous ditos de abertura uma
cruz, um transelim, douscordoes, tudo obras
modernas 6 colheresde prata para soupa 4
ditas para cha uma dita de tirar soupa um
espeviladorcom u seu competente prato um;
salva um par de casticaes o um palileiro;
na ra Nova n. 55. (lo
I Vende-se um rabeca usada em muitu
bom estado ; no largo do Paraso, venda n. 14
I Vendem-se dousrefes para guarda nacio-
nal em muito bom estado e com todos ns
pertences para inferior; na ra da Snnzallu-vc-
Ihan. 106. (4
1 Vende-se, 011 troca-se um cavallo bem
feito muito novo e proprio paiu cario ; na
ra Nova n 41, segundo andar. (3
IVende-se arroz de muito boa qualidadea
1300 rs. a arroba ; no armasem defronte da es-
cadinha do caes da Alfandega. t3
1Vende-se fumo em folha de prmeira surte
para charutos edegado prximamente da Ba-
dia a 7/ rs. a arroba ; na travessa da Madre de
Dos casa de Joaquim Felis da Rosa panhia. (
IVende-se uma escrava de nacao Angola ,
de 25 annos ; na ra do Livramento n. 2
1 Vende-se vinho da caj de superior qua-
lidade a 500 rs. a garrafa ; um caixo grande
para venda um dito pequeo para porta da
mesma ; na travessa das < j u/es 11. 8. 4
1 Vende-se potassa americana e russiana ,
em barris pequeos, edegada ltimamente; na
ra da Cadeia-velda armasem n 12, de Deli-
nque Bernaides de Oliveira & Compandia. ('1
1 Vende-se arroz de casca eai grandes e pe-
quenas porces ; na esquina do becco do Peixe-
frito n. 9. (3
2 Vende-se um pardindo de l'i annos, de
bonita figura e proprio para aprender qual-
quer officio ou para pagem por saber bem
montar a cavallo; um cavallo gordo bom car-
regador baixo at quasi a esquipar; na ioja da
ru do Crespo que volta para a cadeia n. 2. [6
Escravos fgidos
>
miudesas n. 35.
Vende-se um bonito moleque de 10 annos,
bom pagem servo muito bem a uma casa e tra-
ta de cavallos; um dito de 1* annos ; uma pre-
ta de '20 annos, cosinda engomma e vende na
No da 11) do p. p. fugio o preto Manoel ,
de naco Calabar, corn urna edaga grande em
cima do tornozelo do p esquerdo, tem urna
belida em um odo mal encarado ; levou cal-
Cas de estopa e umajaqueta rasgada ; tem de
coslum, quando anda fgido tirar < smolas
a titulo de lorro representa 40 annos ; quem
o pegar, leve a ra da S. Cruz n. 3 que ser
recompensado
1 Paga-se com generosidado a quem ap-
predender e lavar ao pateo da Penda n. h ou
no engendo Veldo do Cabo os escravos dos
signaes seguintes, quo se acdo fgidos ; felis,
de Angola de 35 annos, quasi sem barba al-
guma fulo de baixa estatura com urna ci-
catriz de um talho em um dos sobr'olhos,
ps pequeos e seceos, muito ladino e est f-
gido, da 15 dias. Raimundo crioulo de 25
annos de estatura regular, ps apaldetados,
e uma perna mais fina do que a outra, te duas
cicalrizesde laidos no joeldo dessa mesma per-
na : de ol,nal de pedrero e foi escravo do
Sr. Manoel Joaquim Pascoal Ramos, est f-
gida ta 10 mezes ; quem dos mesmos escra-
vos der noticias exactas ser tambem recom-
pensado. (17
Desapparcceo no da 31 do p. p. a negri-
nda Faustina de nacao Cacange, de 14 annos,
l>ou vestido de cima branca com palmas
encarnadas, argas de ouro, grandes e aber-
rua urna mulata de 16 annos, recoldida, per-'tas ,el" uma amassadura na orelha esquerda
suppoe-se quo esteja acoitada por isso se pro-
testa usar com todo o rigor da le contra quem
a tiver oceulta se quanto antes nao for entre-
gue a seu dono ; quem a pegar, leve a ra da
feita engommadeira corta e laz uma camisa e
um vestido, sem vicio algum oque se aman-
ea ; na ra Direita n. 81.
Vende-se uma parte do sitio, que foi do
fallecido Souto ern Bebiribe por preco corn-1 *"rU7 3*^' 1u" sera recompensado,
modo e faz-se todo o negocio; dous barris que 2No da 22 do p. p. lugio un
foro de azeite e carrapato ; na ra Direita
n. 56.
Vendem-se nos Arrombados as melhores
Ira vessas de coberta que se pdem encontrar,
tanto em qualidade como em grossura, de com-
priuiento de 32 a 40 palmos enchameis de 20
rs.
com bom quinlal e arvoredos, pro- genebra de Hollanda "a 380 rs.
pria para se passar a (esta por ser muito Ires- Ido alpista a 260 rs. o quarteiro graixa n. 97
u 150 rs. licores finos de diversas qualidades.
ca ; a fallar com Joaquim Lopes de Almeida .
caixeiro do Sr. Joao Matdeus ou ern Olinda ,
casa nova, no Balde de manhaa at as 7 ho-
ras e de tarde das 5 em diante. ,9
2 Precisa-ge de uma ama que tenha mui-
p >t preco commodo
venda n. 38.
na ra de Agoas-verdes .
12
a 'i0 ditos ;ias traissdk de 25 30 ditos,
caibros de flor para coberta estacas de embira
de 20 a 30 palmos ; o annunciante tira (oda
qualquer madeira que os pretendeoles qui
zt-rem eos que nao quizerern ter o encorn-
mododelir, podero dirigirse a ra larga
do Rotarlo venda de Joao Jacinto Cabral.
Vende-se chocolate de saude a 400 rs. a
nome. Benedicta
ma negra de
de naco Benguella baixa e
2 Vende-se muito bom pao e bolaxa por ser libra, e recebem-se eneommendas de maior por-
laoncado com as melbores faringes ; na ra Icio a ll# rs. a atroba o verdadeiro rap<" areia
cheia do corpo olhos grandes cor prela os
dous denles da frente da parte superior do quei-
xo, aberlos beicos corados ps grosso.- e
os dedos pollegares um pouco voltados para
d> ntro ; levou dous vestidos um de chita en-
carnada t' de obreia e oulro de assenlo par-
do com flores encarnadas ambos j desbota-
dos, panno da Costa velho, e taboleiro de do-
ce que andava vendendo ; quem a pegar, leve
a ra do Livramento n. 20, que ser bem grati-
ficado. 'AS
Pi K\: typ, d M. F. DE FARIA- 1.8.'j 4


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E56DJIN3V_0OUADH INGEST_TIME 2013-04-13T03:30:05Z PACKAGE AA00011611_05215
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES