Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05214


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo de 48M.
Segunda Fera 4
O 1>iabio pubci-j lodo os dias que nao forem santificados : o prego da aiiignatur*
h. Jr tres mil rs. por qaartel pago* itilianlidos Oa annunciosdos assignantes sao inserido!
galij, e as dos que no (orem li raio de 80 rea por linha. As reclamaron drtera ser diri-
gidas .' ola iyp.j ra das Crutes n. M ou a praga da Independencia loja de litros n 6 e 8
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
Gor.AN.Ni,: Parahyba,secundase sextas feiras.Kio Grande do Norte, chega a 8 e
le 10c 24,Cabo. Serinhaeni. llioFormaso, Macejr, l'orlo Calvo, e Alagoas:
it '-'ldecads mei. Garanlmns e Bouil iUe -'1 de cada nei o-ti1
esa :io 28 dito. Cidarle da Victoria quintas feiras. Olinda lodos os d
DAS da semana.
4 Seg. a. Carlos Harromeo. Aud. do J. de D, da T,
5 Terca e. Zacrrias. fiel. aud. do J. de D,dd t.
6 Quarla s. Seroro, Aud do J. de D. da i r.
7 Quinta s i'lorencio Aud do J de I)..da 2. t
H Sexta a Seveiiano. A ud. do J. de D da i. v.
ICSab. a Theodoro Bel.
4d Doo 0 Patrocino (le N. S.
Ilr^ffl*1*' xr-ar^'.-.'nrrrr-r-:
DIARIO
de IVovembro
Anno XX) X. 240
- I IISWIIWII SI I
Amwmfin' en '^ia. c.
JyM\ ;/( f Luio aeor* 'i"'-' ** eos asesmos; da soasa prudencia, -o.-ierago' cu rgia so*.
ti73 'S >J.~- tinaeraos nomo ,rin -..i;..-.,, .. -.r.-.. epontado coa admiragao aBU* *6ii ;;
"'" (Froclassagi.. da Aaaeaala Gral'do MU.
mm K-----------
camioi K0 nu i us novsimo.
i// Cambios sobre Londres -5 e 1| J nom.
u Pars 180 res por frallCo
Lisboa ". 0 por 100 ,|f prtmio
Moedade robre ao par.
Ideas de letras Je boas fincas } por Oto
venda.
Oura-Moedadsj 0,400 17 ,S00 17,601)
- .. IV. il.lOO 17,300
de 4,LK)u 11,500 ,7uu
Prau-fataoSea 1,920 l.tftg
u i'e!<>. culumainare- i ."JiO .i'i.J
I)i:os raencanos i,VU0 l.'J.'
PHASES DA LA NO JUEZ DE OUTUBRO*.
La ebaia a S6 as 2 horas .-41 min. da m I Luanoa a 11 ,s Mingeme itllj boras e tf min Ja tarde I Crescente a S ui 55 na. da tardo.
Preamar de hoje.
Primsra -sil hora o>in 42 da n.anhaa. | Sajando I.' lloras .'.i ninnlOj da luid
K~aaau ^iiiimiiiimimi im n .-
BaSBaB
s^rtms^sasssmuMvama
PARTE 'OFFSCIAl.
Governoda Provincia.
EXPliOlENTE DO DI 29 DO PASSVDO.
OTicioAo Agento da companbia das bar-
cas de vapor, dizendo haja do ordenar ao
Commandantedo vapor S. Salvador, qu se
dirija hoje(29) Thesouraria,a (itn dereceber as
quantias, que teem do ser reineltidas ao The-
souro Publico. (.iominuiiicou-se ao Inspector
da Thesouraria.
DitoAo Inspector do Arsenal de Marinha,
autorisando-o remetter para o Rio Grande do
Norte pela barcaca$. Marcomina os trez caixoes
com armamento, que da Corte vicrao para ler
este destino, e cujo freto segundo o ajusto ,
que participa ha ver feilo, devo ser pago na
razio de 5,000 rs. por cada caixao.
DitoAo Inspector da Thesouraria da Fa-
zenda, determinando, quo mande abrir assen-
tamonto de praca ao corneta Pedro Noguoira,
engajado para o 2.* hatnlho da Guarda Na-
cional do municipio de Olinda o cuja iliacao
Ihe remelle.Participou-so ao Chele da Legio
de Olinda.
DitoA' Cmara .Municipal da cidade da
Victoria, remetiendo selle laminas de puz vac-
cinieo.
DiloDo Secretario da provincia ao The-
sourciro da lotera da matriz da Boa-vista,com-
municando, quo o Exm. Sf. Presidente tem
designado o da 17 de Dezembro prximo fac-
turo para o andamento da ultima parte da 2.*
nova lotera.
Alvaro BarbalhoUcha Cavalcanti 10
Antonio Jos de Olivera 10
Vicente Thomaz Pires de Figueiredo C. 10
Visconde deGoianna 8
Joo Jos Pinto 4
Urbano Sabino Pessoa de Mello i
Rendimenfo total a" Alfandega de Pernam-
buco em Outubro de 1844.
Dita applicada 40:461,921
Rs. 255:036,292
Rendimento tolal
Restiluicoes
Ch4 50 p. o/o a
dinheiro
Cb 50 p. o/o em
assignados
Plvora 50 o/o a di-
nheiro
Vinhos, e lquidos
espirituosos a sa-
ber :
48 /i por % a di-
nheiro
48 '/i por% em as-
signados
29,510
737,100
255:176,018
140,326
255:0:.6,292
766,610
1:677,374
15:284,066
7:880,787
23:164,853
O Escrivaoda All'andega,
Jacome Gerardo Marta Lumachi de Mello.
Rendimento arrecadado pela Mesa do Consu-
lado desta cidade no mez de Outubro indo.
A saber :
Despachos martimos.
15 ancoragem 4:143,266
16 15 p. o/o das om-
barcacesestrangei-
ras que passao a
nacionaes 4:143,266
Exportaccto.
17 Direilosdc7p.o/o 19:181,079
18 de 2 p. o/o
19 de 1/2 de
ouroe prata amoe-
dado 6,555
22 F.xpediente de ca-
pa tosa
23 Emolumentos de
certido 14,080
Provincial.
Dizimo do algodfio 4:766,139
do assuca 3:069,037
do caf 5,610
do afum 3,760
Taxa de 40 rs. por sac-
ca d'algodo 158,720
de 160 rs. po r
caixa d'assuear 9,440
de 40 rs. por fei-
xo de dito
de 20 rs. por
sacco de dito 54,820 8:067 522
32:796,994
Pernambuco, 2 de Novembro de 1844.
Jouo Xavier Carncir da Cunha, Adminis-
trador
szr.zseu__mu
PERSiAHIBCO.
Collegio de Simbres.
Os. Srs : Votos.
Baro da Boa-vista 35
Sebastiao do Reg Barros 35
Antonio P. Macicl Monteiro 35
Des. Vlanoel Ignacio Cavalcanti de Lacerda 35
Jos Thomaz Nabuco de Araujo 35
Joao Jos Forreira de Aguar 35
Alcxandro Bernardino do Rois e Silva 35
Padre Venancio Hcnrique de Resende 35
Leonardo Bezerra do Siqueira Cavalcanti 34
Pedro Francisco de Paula Cavalcanti 30
Domingo* de Sousa Leao 24
I.ui/ de Carvalho Pa> s de Andrade 1S
Antonio Coo)h;> de S e Albuquerque 16
Apolinario Florentino de A. Maranhao 10
Mercadoriasem ge-
ral a saber :
15 por / a di-
nheiro 22:034,687
IB.por/, em as-
signados 142:908,234
impuro
Jo i as 5 por /
Arrnazenagem addicional de 3 '/'
por %
Rocxportacao 2poro/o
Expediente de 1 V por o/o
Gneros nacionaes V por o/o
Premios dos assignados '/* por o/o
Arrnazenagem de V por o/o
Emolumentos de certidoes .
Sello dos despachos dos gneros
sugeitos adireitos
Ditos dos ditos livres
Imposto de 240 rs, por alqueire
de sal
Multas
164:942,921
213,975
40:461,921
187.388
18:337,003
28,290
3:409,258
509,998
9,720
1:217,851
3,250
105,880
24 Multas decididas
Papel de passaporte
Interior.
47 Sello do papel
provincia] de 1/10
Sello do papel pro-
vincial de 1/0
Sello dos ttulos e
frota me n tos
Sello fixo dos do-
cumentos
19:201,714
269,713
25,151
217,083
311,520
Depsitos.
823,467
Renda Geral
Rs. 255:036,292
214:574,371
84 Consumo
92 Imposto de 5 p.
o/o na compra e
venda dus embar-
cacocs nacionaes
Diversas provincias.
Dizimo doassucarda
provincia d'Alagoas 260,049
Dito do algodo da
provincia do Rio
Grande do Norto 24,306
Dito da Paruhiba 21,670
255,000
24:42:.,447
306,025
24:729,472
jzmzaaaanmBr.-m.-i
S3CH
O RE.
lo
4 CORTct E US C.OUTEZACS.
Na tapada de Versailies, palacio magnifico
de verdura, se reuna a 15 de Abril de 1692,
a ilor da corte de Luiz 14. Havia-se ;i noite
celebrado na capella do castello o casamento da
demoisella do Blois, segunda -filha do Re o
da Senhora de Monlespan, com o Duque de
Chartres. ilho de Monsieur, e ess; da eru
consagrado as leslas da real bdda Depoi.s do
banquete presidido pelo Rei, numerosos gru-
pos se espalharao pelo vasto jardim, esperando
<|uo S. Magestade a elle descosse, afim de abrir
a liga, onde devia ter lugar um brilhante tor-
neio.
Para essa festa shavo sido convidados os
membros da primeira nobreza ; e o soberano
do mundo mais apaixonado do fausto e pom-
pas, havia ordenado que cada um dos convida-
dos so apresentasso com todo o esplendor d
sua fortuna, e dado a entender que era de sua
alta vontodo quo quanto all apparecosso do
ornatos fosse novo. Era necessario, para ser
admittido a essa solemnidade, ter ttulos, bra-
soes do lempo de No, e 1m disto rendas,
rosetas, veludos, bordados, tudo do trinque.
Nunca a natureza foi to senhoril e orgu-
Ihosa como ento na coutada de Versailies. A
esse tempo ja estavao as arvores cobertas de
novos ramos e folhagem ; as abobadas forma-
das polos cdsianheiios abrigavo *ob aua DO-
bres arcadas deozase deozes antigos, esculpi-
dos no mais puro marmore branco ; a rama-
gem de diversas .plantas formavao por toda a
parte columnatas, e prticos, onde as armas
reaes parecio impressas sobre massas do ver-
dura. O azevnho e o buxo tomavo a forma
de obeliscos; os repuxos d'agoa subido em co-
lumnas, e arredondados cahiao sobre a trra ;
os tanques com seus ornatos recordavao os tre-
ms de sumptuosas galeras, e as nymphas
dessas agoas erfio todas bellas Duquezas e Mar-
quezas, que as suas margens passoavao.
O sol que dava em cheio sobre este recinto,
fazia que cada gota d'orvalho scintillasse como
um diamante ; viao-se brincar sobre a avelu-
dada relva tantos ricos vestidos como ramos de
boloes Je flores.e sob o calor do meio dia se le-
vantavo ondas de perfume dosestofos de seda
o dos ni bustos floridos, que o zephiro com seus
brandos sopros balancava.
ponez, com a] caheca erguida, e os cabellos
soltos ao vento. Cllm sua veste cimenta, gra-
vata'vcrmclha atada sem alinho, cinta da mes-
majcor. e grande feltro cinzento, pisava na
dourada rea com passo livre e seguro, como
so em seu dominio estivera. Algumas ve/es
olhava curioso para quanto o cercava, e aquel-
le quo aos vinte annos, pela primeira vez visse
erguer-so o sol sobre este mundo, nao ficaria
mais deilumbrado, do quo o nosso camponez
ao ver levantar-se alli o sol da fortuna em todo
o seu esplendor. Porm mais vezes ainda,
despregando os olhos desse magnifico espect-
culo, tirava elle d'algibeira um volumoso pa-
pel, dava-lhe algumas voltas, olhava para elle
por muito tempo com attencao e respeilo e de
novo o guardava como o mais precioso thesou-
ro. Segua entretanto a lameda do centro e
se diriga em linha recta para o palacio.
rdenava urna antiga usanca, qual de al-
guma sorle ainda Luiz 14se conformava, que
nos dias de festa nacional, de casamento, de
baptismo, de toda a solemnidade de regosijo,
a pessoa do soberano fosse accossivol a todos us
seus subditos, at os das ultimas elasses, os
quaes podiao nesses dias entregar-lhe os seus
requerimentos em ino propria. O aldeao,
para apresentar ao Rei a petcto de que com
tanto cuidado se oceupava, havia escolbido o
Jdia do casamento do Duque de Chartres, c
CORREIO DO RECIFE.
Sab'om Vmcs. que me metli ou me mettero
em boai'So eu f&ra menos traquejado as cousas
da vida ordinaria, como por exemplo, um fra-
de, um estudante; vinha boje pedir-Ibes a mi -
nha demissao: nao ser porm assim, e iroi por
dianto na carreira grito quem gritar, que pa-
ra palavras loucas tenho orollias moucas.
Quasi baldo, por hoje a novidades, passa-
rei em resenha alguns fados mais recentes, que
que contra toda a justiga tem ficado no olvido,o
decaminhofareia minha rcflexozinha.comomu
ajudar o fraco engenho. Representou no thea-
tro desta cidade ltimamente a companbia
Gamboa urna peca, cujo nomo explica o ob-
jecto Doze annos ou a vida de um Deputado.
Ainda nao mo pudo dar ao trabalho de inda-
gar quem era o seu autor e nao nol-o ten-
do explicado o caria/; nao posso passar por
snspeilo, so di'wer quo a peca he um mistiforio
de insulsas e grosseiras allusoes em linguagem
bordalcnga ; ou se assim agradar molhor a ou-
tros, he urna critica burlesca mas inepta do
nouo systema eleiloral, na verdace mais digno
de sor lastimado do que ridicularisado.
A companbia sabem todos o que he ; diz a
cara com a careta, isto he, a casca com o mi-
lo ; la I vez ainda me naoentendo a compa-
nbia diz com a casa : ora como esta ho mais
velha'do quo aquella, seguc seque a compa-
nbia foi feita para a casa. D'aqui fica bem cla-
ro, que a peca nao podia ganhar nada na sua
(M'curao; lalvez fosse at assassinada, ou mas-
sacrada como dizem os rapazes do tom.
Nao levo aqu intento de concorrer para a
l-yiatsf-yg. ',^ .lirsmjijffai-rsaj
Pelo fundo da tapada entrava um joven cam- confiando na f dos tratados, encaminhou-se|
para a hahitacio real, onde julgava poder fal-
lar com o Principe em liberdade.
No lugar em que findavao us escadas, o co-
mecava o jardim, um criado de libr do paco
o fez parar pondo-s^-lhe de repente por diante,
e Ihepergunlou, onde ia, e o quo quera. O
caponez explicou cm poucas palavras o motivo
da sua vinda, defendendo-so com o antigo
costume, que autorizava a sua conducta.
O criado, surrindo-se desta excessiva con-
fianca, respondeo, que o privilegio, de que
fallava, nao ebegava a permiltir o ingresso na
tapada, o ainda menos franquear as escadas do
palacio, mas somonte aproximar-se do Rei,
lora il alli, so por acaso o oncontrasse no ca-
minho, ose, por maior acaso ainda, os caval-
los de sua magestade fossem de (al sorte a pas-
so, quesc-lhe-podesse presentar um requeri-
mento portinhola da carruagem. Que toda-
va, visto como j; at alli chegara, Ihe seria
permittido conservar-se nessa lameda, por on-
de o Rei devia passar ao ir para o campo da
lica, c que sem duvida nesse momento pode-
ria entregar-lhe a sua peticiio. Mas ao meimo
tempo o criado ordcnou-lbe, quo cstivesse de
p, junto arvoie como se achava, sem ousar
dar mais um passo no jardim real.
A impaciencia fez vir o rubor s faces do al-
deao, mas logo rio-se de ver que em to am-
pio espaco to pequeo lugar Ihe davao, e ar-
ranjando-se, como se Ihe havia determinado :


s
5
ruina dessa pobre gente ; Dos mo livre Que
bao de clles fazer, so em nossa trra que por
urna contradiivo inexplieavel, nao tendo aris-
tocracia vellia nein mes ni o nova hereditario .
he todava o paiz onde ella esla de tal sorte ar-
raigada, espalhada eadoptada que nao ha clas-
se por mais humilde onde ella nao tenha voga
e assento ; que hade essa gente fazer digo eu,
se em nossa ierra un actor he tratado como um
ente vil ? se os memhros da companhia sao ti-
rados, geralmente fallando, uns daquellesque
nao derao para os offioio* oulros dos que
ganho mais por elle ?
Composta assim a companhia 8 cstabelcri-
da em casa que Ihc vai a mil maraviihas, o pu-
blico espectador nfio devia ser do mais escomi-
do, e d'aqui resultou que nao contente a bri-
llante plateia do quanto as allusoesda peca e a
malignidade dos actores podesscrn ser offensi
vas laes ou taes pessoas, leve ella o cuidado
de ir pondo nomes a este eu aquelle em alta voz
com escndalo inaudito, e o que mais he com
a acquiescencia da polica ; porque a polica
entre nos tem do tal sorte degenerado, que nin-
gnem he capaz do decidir se seria raelhor
que a nao houvesse, se conserva I-a tssiin pros-
tituida.
Acaba acora d'embarcar o resto do corpo co
Artilheria para asAlagas. Jluito caras cus-
tao as eleiges a pobre Nac.lo QuanJo |i-
nhamos o amaldicoado Governo absoluto, di
zio os innovadores que o systema representa-
tivo entre outras qualidades boas tinlia lambem
a de produ/ir um (lovorno burato ; mas a ex -
periencia tern mostrado e vai mostrando, que
elle nao s nada tem do barato, corno que nos
custa os olhos da cara ; pois que alm do que
vem na lei do orcamento, ha mais dinheiro
para sustentar eleices aqu e aili, dinheiro
para chamar ordem os descontentes que ellas
teem feito, dinheiro para captar a benevolen-
cia dos Representantes; dinheiro. que I lies
direi dinheiro para cincuenta nii colisas, e
at para armar laco ao dinheiro.
Tamhem me affirmlo que dos partidos des-
moronados pelo choque dos inleresses, se vflo
formando oulros, e que oi., pois que li-
nhamos tres, gruas Dos, j cunta inuitos
enlorquilhados as suas filleiras, evai toman-
do vulto com grande preste/a, porque ha mui
to despeito em uns, grandes esperanzas em 011-
tros, por isso que ns logracoos forao duras, e
as promessas sao largas, como he de costume.
O que or toar.
:
laodega.
Rendimento do dia 2.......... 8:162^311
Descarreijdo hoje 4.
l,atacho~ Brigue-- Fielidom.
Brigue dolpheidem.
BarcaEdveard /Jaycsidcnt.
Brigue Slemrtfarinba e sabio.
Brigue-- Pamonamercadorias.
lirigueArmoriquebatatas.
BrigueCondessa -de Jf'eslmoreland carvao
BrigueTrifoliumbotijas vasias.
*
PRAfjA DO RECIPE, 2 DE NOVBHBRO DE 18U.
/ecista mercantil.
Cambios Por folla de navios nao bouver; o
transaccoes.
Eaininba sombra, disse elle ao lacaio
mcstrando-lh'a na ara, permittir se-lhe-ha,
que va at'lli ?
O criado voltou-lhe as costas, murmurando
contra a insolencia do rusUco, que leriasup-
portado os rnaiores insultos, e ultrajes, com
tanto que desempenbasse a empreza, de que
eslava encarregado, ecojo resultado era para
elle mais importante do que a vida. Tirando
o chapeo, e enchugando a fronte, arrimon-se
a arvore, cruiou as pomas, e poa-se a consi-
derar, porm dosta ve/, com clhos mais tristes,
as magnificencias, que via em redor de si ; os
grupos de fidalgos, de pageos, de mulheres
encantadoras que giravaodeum paraoutro lado;
caosquaes o bom do aldeio tributava o in-
cens de sua pura admiracao. E com ludo ape-
star de ser elle morador de choupana, com seus
bellos cabellos pretos cabindo-lhe em madeixas
sobre as espadoas, fronto alta olhos grandes,
negros, scinlillantes de intelligcncia e de cora-
gem rosto crestado do sol dos campos, feicoes
expressivas, physionomia engranda, lalbe es-
belto, com toda a sua pessoa cheia de graca <>
de vigor, tambem era bello, e muilo mais quo
todos os que adrnirava, porque no nieio desses
enfeites defse jardim. artificial, desses bo-
mens de corte s elle linlia um ornato,urna
belleza natural e veniadeira.
O mancebo por assirn dizor pregado ao sen
castaobeiro, como em outro lempo o Fauno
Assucar Teem ebegado cerca de 70 caixas da
safra nova, que se acho em ser :
vendeo-se do velbo de 750 a 800 rs
sobre o Ierro, em caixas; e do 2,700
a 2,900 rs. o branco novo embarri-
cado. e do 1,650 a 1,700 rs. o mas-
cavado dito.
Algodao As entradas contiouao diminutas,
e urna pequea porcao escolhida, foi
vendida a 4.700,1. a arroba.
Couros Vendrao-se a 120 rs. a libra.
Alvaiade Vendeo so a 6,200 rs. a arroba.
Baealbo Eotrou um carregamenlo de Ha-
lifax com 1,800 barricas, as quaes se
estSo relalhando de 14 a 14,500 rs.
Bolaxa ordinaria Vendeo se a 5,000 rs. a
barrica.
("ame secca Entrrao dous carregamentos
do Bio (irande, com os quaes o de-
posito licou elevado i25,000 arrobas,
tendo as vendas da semana regulado
do 3,000 a 3,600 rs. a arroba, e nao
se abri preeo aos ditos carregamen-
tos.
Carvao de podra Vendeo-se de 8 a 9,000 rs.
o quintal
Cerveja dem de i,500 a 4,800 rs. a duzia.
Farinba de trigo O carregamenlo entrado
na semana anterior foi para a Babia,
c um outro de Bal ti more para o Bio
do Janeiro, e o deposito, inclusive
i,600 barricas vindas de Liverpo I,
est elevado 8,500 barricas, sendo
as vendas mui pequeas, e sem alte-
ra y fio de procos.
Mantoiga Vendeo-se de 5G0 u 570 rs. a li-
bra da inglesa.
Pise americano dem a 12,000 rs. o barril.
Toucinbo de Santos dem a 2,800 rs. a ar-
roba.
Enlrarao 8 embarcarles, e sabino 6 ; exis-
ten) no porto 41. sendo 17 brasileiras, 2 fran-
cesas, 1 bespanhola, 12 inglesas, 1 lubekense,
7 portuguezas e 1 sarda
IMPORTADO.
Armorique, brigue franez vindo do Havre
de Grace,entrado em Outubrode 18-4, con-
signadlo de Bol I i & Chavannes, maniestouo
seguinte:
1 caixa um quadro. a Buessard
17 caixas o 13 fardos tecidos de algodao, 11
caixas cassas, 1 dita vestidos de cassa, 9 ditas
lencos e jaconat, 4 ditas chales, 1 dita ditos de
seda, 2 ditas sedas e lencos, 1 dita seda lavrada,
1 dita veludo lavrado, e seda e algodao para co-
leles, 2 ditas tecidos de seda e algodao, 1 dita
m ildurasde madeira, 1 dila diferentesobjectos,
1 dila eslofos de algodao, 1 dita guingham, 2
fardos teci .'os de laa, 1 pacote amostras ; a J
Keller.
1 caixa instrumentos mathematicos, ao Ins-
pector da Thesouraria Provincial.
1 boceta joias, 1 caixa calcado e oulros ob-
eclos, i ditas tecidos de algodao, 2 ditas sus-
pensorios, 9 ditas fitas de seda, I dita azendas
de seda, a Kalkmann & Boscrnund.
28 barfis manteiga, 4 caixas chapeos de se-
da. 3 ditas lecidos de laa, 8 ditas papel, 1 dita
difieren tes objectoi.l dita bons.a L.Bruguiere
1 caixa papel de peso, a J. O. Elster.
4 quartolas vinho. a Dubarrv.
1 caixa fitas de seda, 4 ditas porcelana, 4 di-
tas vidros, 2 dilas espelhos e ooras de madeira,
4 dilas chapeos, 2 dilas carneiras 1 dita bonos,
1 dita estofos de seda, 6 dilas pellos e mercea-
more nos bosques, fieava em fronte de urna
duslamedas mais freouemtadas da lapada, ea
dous passos d'cllc se ochava um caramanchel
cobrindo urna urna antiga de marmorc branco .
e formando um sombro escondrijo.
Lile vio encaminharem-se por essa lamecla
qualro personagens, que ao principio o espan-
larfio : dissereis effigies doanligos cavalloi-
ros tiradas dos seus pedestaes : estavo coher-
tos desde a caheca al aos ps de armas rel-
xenles; sobre o ('no BCO 'ios capacetes e coura-
ta-i fluctuavBo longos pennachos, e lachas bor-
dadas de divisas. Parrio em frente do casta-
nbeiro, como fazem os que passeando se Ibes
anima a conversado e o adeiSo reconheceO,
que eriio fidalgos da corto vestidos de paladinos
que tinhio de figurar no tomcio preparado.
-- Sabem os Srs., disse um del'les, quo o
premio do combale he urna rosa de diamantes ,
offerecida pela rainha, c acompanhada de qua-
tro versos de Bensorade : mas haver tambem
premios secundarios composlos de cadeas de
ouro e atacadores de pedraria.
Promellem nos esta noute sorpresas ma-
ravilhozas. Nunca Luiz 14, depois dos das
da sua [aventado ostentou tanta magnificen-
cia. Para presidir ao torneio, o principe tru-
jar o vestuario de Carlos-Magno, intoiramen-
lo bordado de diamantes, e quer que lodos os
seus cavallciros sejao dignus de apparecer seu I
lado. ,
ria, a J. P. Adour & C.
240 barris e 120 meios ditos manteiga, 7
caixas chapos, 18 ditas mercearia, 1 dila car-
neiras, 2 ditas modas, 3 ditas calcado, 2 ditas
quincalherias, 1 dita pertencesdo msica, 4 di-
tas suspensorios, 1 dita fazendas de seda, 2 ba
bus chapos de sol, 3 ditos perfumaras e oulros
objectos, 1 dita obras de papelao, 1 dita selins
e pertonces, 63 ditas queijos flamengos, 1 dita
conservas, 1.014 gigos batatas, a ordem.
1 caixa urna bomba, 2 quartolas vinho, I
pote salchich5es, a Meuron & C.
5 caixas mercancas, 2 ditas fosfuros, 1 dita
perfumaras, 3 ditas chlorure de sodium, 2 di -
tas objectos de botica, 12 barris tintas, a J.
Kohlmeyer.
1 caixa chapeos de seda, 1 dita suspensorios,
1 dita obras de papela, 1 dita gances do al-
godSo e escovas, 1 dita diversos objectos, a
Bernel.
1 caixa tecidos de algodao, 2 ditas ditas do
soda e algodao, a II, Ziinmer.
1 caixa chapeos de seda, 2 dilas vidros, 1 di-
ta papel, msica e tecidos de algodao, 1 dita
sedas, penis, calcado e chicotes, 4 ditas se-
lins o portences, 1 dita medicamentos, 1 dita
bons, 1 dila calcado e luvas, a Didier Roberl
&C. .
9 caixas pianos, objectos de msica, estam-
pas, botins, livros, utencilios e maquinas, a
Fremont.
I caixa instrumentos para ourives. I pacote
joias de ouro e pedras fajsas, a Ch. Hardy.
1 caixa fil de algodao, 1 dita meias, I dita
bi/erros, 3 ditas arces para selins, 1 dita cha-
peos de sol de seda, 1 dila sedas e pontos, 6 di-
las lecid s de algodao, 30 gigos vinho champa-
nhn, 9 caixas vidros, 2 ditas procelana, 1 dita
cortes de panno, 1 dita suspensorios, 6 ditas se-
lins e perlences, 3 ditas chapeos de seda, a l.as-
serre & Colombier.
2 caixas lecidos o chale6 de algodao, 2 ditas
carios do bureau e livros em branco, I dita
rolletes delsUo o medalhas de cobre, 1 dita
lencos de algodao, 2 das chales dilo, a S.
Tobler.
100 barris e 50 meios ditos manteiga, aJ. J.
Monleiro.
I caixa roupa, a Poudra.
3 caixas tecidos de algodao, 1 fardo ditos de
laa, 4 caixas agoa de colonia, 3 ditas vidros. 1
dila porcelana, 100 barris e 50 meios ditos
manteiga, 1 caixa chapeos deso, 4 ditas car-
neiras, 3 ditas bizerros, 1 dita estofos e chales
de seda e cambraias, 1 dita tecidos de laa c al-
godao, a Bolli & Cbavaones.
1 caixa obras de couro e penachos, 1 dita
passamaria, 2 ditas diversos objectos, a A.
Scbmidt.
2 caixas suspensorios, 1 dita escovas para
calcado, 3 fardos e urna caixa tecidos do linbo,
1 caixa caixas para rap, 1 dita filas de seda ,
dila papel de peso, \ dita livros em branco, 11
ditas carneiras, 2 caixas selins c pertences, 1
1 dita bezerros.l dita botos e escovas, 4 ditas
chiles de filo, 1 dita tecidos de algodao, 1 dita
azendas de seda, a Lenoir Pugel & C.
1 bah, 1 caixa e 1 cartao diversas fazendas,
1 pacote camisas, a Letellier.
3 caixas conservas, a Varlet.
1 caixa objectos de modas, ao Commenda-
dor ("amargo.
1 caixa diversos objectos, 1 dita livros, a J.
P. de I.emos.
1 caixa instrumentos de msica, a C. Kru-
ger.
He justo Srs. ; os raios do sol devem
resplandecer como elle.
Assim deve ser; pois quo so nossos pas
se li/erao soldados com principes guerreiros; se
suslentarao com sua bravura os altos leitos do
rei cavalleiro ; ns podemos fazer-nos gran-
des senhores com Luz o grande, o magnifico,
e augmentar com o nosso o luxo da sua corle.
Sim ; mas sabe Dos o que isso custa !
Por mim puz as minbsa ultimas trras no meu
gibao, c na gualdrapa do meu cavallo ; Segur
Irocou o seu cargo de conselbeiro por plumas e
fitas;Chalillon gastou nos mesmos objectos a he-
ranca de sua filha.que depois de dansaresta nou-
to.entiar anianbaa em um convento; Laroche-
faucault e Lorraine, cujas dividas o Rei a pouco
pagara, se endividaro do iguaes sommes para
se uprcsentarein oeste dia.. Este dia ba de
engolir s minas d'ouro do Novo-Mundo.
Ora adeos O Rei nos oneber as saco-
las de novo.
Na verdade he cousa que ello faz com a
melhor graea desle mundo e nao se ll>e pode
censurar que poupe os undos do estado. Sabe
o quo elle respondeo Colbert que clamava
contra as novas gratificages concedidas aos Srs.
de I.arochefaucault e do Lorraine, edizia que
os cofres ostavao vasios ? Dai sempre dis-
se elle : bn no cofre tanto quanto nocoraoao.
A este proposito Srs. sabem que o Rei
ostenta lujo todas as magnificencias, eprodi-
i caixa conservas, a J. A. Beranger.
110 gigos e 12 quartolas vinho, 1 caixa ob-
jectos de selleiro, $ ditas vidros, 80 barris e 40
meios ditos manteiga, 1 caixa pannos, 4 ditas
chapos, 1 dita diversos objectos, 3 ditas selins
e pertences, 1 dita porcelari, 1 dita suspenso-
rios, 6 ditas papel de peso, 1 d^ta calcado, 1 di-
ta chapos de sol, 1 dita perfumarla, 1 dita se-
das, 2 ditas carneiras, 1 dita bizerros, 1 dita
agoa de colonia, 2 ditas fsforos, 3 ditas papel
para imprimir, 1 dita flores artificiaes, { dita
pelles, 1 dita objectos para sapateiro, a Avrial
Frres.
Movimento to Porto.
Navios entrados no dia 2.
Parahiba ; 2 dias hiato nacional S. Cruz,
Mestre Nicolao Francisco da^Costa, equipa-
gem 4, carga lenha.
Bio Grande do Sul ; 22 dias, brigue nacional
A'apoleao, do 402 toneladas capitao Igna-
cio Goncalvcs Lima, equipagem 13 carga
carne : a Amorim & Innos.
Basas
.i>ecaracof s.
2 O Administrador da Mesa daRecebedoria
de Rendas internas geraes faz saber a todos os
collectados pelo imposto do banco, cuja collecta
exceda i 12,800 rs., que o mez de Dezembro he
o marcado p;ru a arrecadacao de que trata o
arl. 31 do regulamenlo de 15 de Junho do
1844, e para os que nao excedem a 12;800 rs,
sao os me/es de Novembro e Dezembro prxi-
mos, oque todos os que assim dexarem de o
lazer imorrero na multa do 3 por cento, de
que trata o art. 32 do mesmo regulamenlo.
Recebedoria 26 de Outuhro de 1844. (13
Francisco Xavier Cavalcanti d'Albuquerque.
2 Companhia de Hehiribe.
Os Senhores Accionistas da Companhia de Re-
biribe sao convidados para asegunda reunio
ordinaria desle annu ; a qnal (leve eITcctuar-se
no dia 12 do correnle polos 9 horas da manhaa
no escriptorio da companhia. Os mesmos Snrs
accionistas queirao realisar una prestacao de G
por / (3*000 ris por acoao) dentro do praso
de 30 dias contados desla data, escriptorio da
Companhia 4 de Novembro de 1844. O Se-
cretario. f. J. Fernandes Barros.
ll
AVSOS fifi;i
riiiftsos.
1 = Para o Cear a sumaca S. Cruz sali
com toda a brevidade, por ter a maior parte do
seu carregamento promplo ; quem na mesma
qui'.er carregar, ou ir de passagem, dirija-so a
Caetano Cirjaco da Costa Moreira, na luja do
cabos ao pe do Corpo Santo, ou ao Capitao.
=Para o Porto, sabira no da 24 do corren-
te o brigue portugus Ventura Feliz, capitao
Antonio Francisco dos Santos ; quem no mes-
mo quizer carregar ou ir de passagem, para o
que tem excellentes commodos, dirija-se Joa-
quim Jos do Amorim, na ra da Cruz n. 45,
ou ao mesmo Copilao.
2Para o Ccar.no da 3 de Novembro prxi-
mo vindouro,subir o patacho/.i/reninabrasi-
ro Capitao Antonio Germano das Neves, quem
no mesmo quizer carregar ou ir de passagem,
dirija-so a seu proprielario Lourenoo Jos das
Neves na ra da Cruz n. 64, ou a Manoel Jos
Salgado. (7
galisa a clemencia, como as pe^as d'ouro? Elle
acaba de conceder indulgencia plenaria ao
marquez do Sarveny c ao Bario de V aubecourl
que todos julgavo em conplela desgraca.
E que bem a havido merecido.
E enl
ao como
Eisaqui o laclo. Urna destas noules Sa-
verny ceiando e embebedando-se na taveroa
Poco a"Amor upostou deparceiro com Vau-
becourt cem garrafas de malvasia contra (I El-
bocufe Chatillon, que o Bei concluira o casa-
monto da demoisellu deBlois com o duque do
Charlres, porque Luiz 14, disse elle, era capa*
de fazer todas as loucurus pelos seus bastardos.
Ora, como o que se diz com o vinho nao lica
nelle alogado islo chegou aos ouvidos do Bei,
Estando contratado o casamento cm queslo,
Saverny e Vaubecourt que sabio que o Prin-
cipo estava informado da sua insolente aposta ,
faziao a toda a presea os seus preparativos para
se escaparom do reino,quando um enviadodeS.
M Ibes intimou da sua parte que se Ihc apre-
sentassem cm Versailles. O Bei, depois de ha-
ver feito um borrivel medo aos dous culpados,
com a gravissima pona que Ibes prepurava, aca-
bou por condemnal-os alegremente assistir a
ossas nupcias que elles havifio injustamente
censurado e b se divertirem nollas, como me-
lhor Ibes conviesie.
Dizem qae no generoso perduo do Prn-
cipe a Saverny e Vaubecourl leve grande influ-


o
2__Para o Rio de Janeiro segu com brevi-
uuu'j o bergantn! Saudade de Surtios por ter
prompta maior parte de sua carga ; quem no
mesmo quizcr cnrregar, ou ir de passagom para
o que tem encllenles commodos, dirija-se ac
Capitaoa burdo Antonio Peixoto Guimaraes,
ou aos consignatarios N. O. Hieber & C. (7
2= Frea se para o Rio da Prata o brigue
inglez Louisa do loto de cerca de 180 toneladas
brasileiras, encavilhudo e forrado de cobre : a
fallar com os consignatarios M. Calmont & C. (7
2 Vende-so o rouito velleiro e linde brigue
inglez Louisa, de lote do cerca de ISO tonela-
das brasileiras encavilliado e forrado de cobre
novamente o abundantememento supprido de
todos os appBrelhos necessnri<>s; a fallar com os
consignatarios Me. Calmont $ Companhia.
-
es.
2-Fazleilaoo corretor Oliveira demuilo boa
mobilia, toda nova, ebegada, ha pouco lempo,
do Porto, consistindo em cadeiras de diversas
qualidades, mesas, sofs, trems, leitos, mesas
deiantar, lavatorios, toucadores, o muilosou-
tros movis de goslos modernos, quarla feira t
docorrente s 10 horas da manba, no arma-
zem da ra da Cruz n. 34,defronte do becco da
Lingoeta. (9
2 Sancha Augusta de Meirelles viuva do
Portuguez Florido Augusto de Meirelles, e ad-
ministradora de seu casal conjuntamente com
os Senhores Henry ForslerA C. fa/.em leilao da
mobilia e utoncilios da padaria e gneros d'el-
la no dia 6 do correntc, as 10 horas da ma/iba,
com audiencia do respectivo Cnsul. (7
Avisos diversos.
A LOTERA DA BOA-VIST A
foTsimplificada no seu plano, como adianle so
demonstra, com approvacao do governo provin-
cial ; nao havendo mais descont nos premios
nomead.ts, pago se os mesmos por inteiro, e
as despezas sao calculadas separadamente.
As rodas correm no dia 17 de Dezembro
prximo futuro, e os bilhetes acbo-se venda
nos lugares do coslume.
PLANO.
3125 bilhetes... a 8,000.......25:000,000
"l premiode.............. 4:000,000
2 900,000....... 1:800.000
3 500.000....... 1:500,000
i 200.000....... 800,000
8 .. 100,000....... 800,000
15 50,000....... 750,000
30 25,000....... 750,000
60 20,000....... 1:200,000
020 8,000....... 7:300,000
2 125,625 leult.b. 251,250
8 porecnto para o Go-
verno........... 2:000,000
8 por cento pela nova
lei sobre o premio
de 4:000,000.... 320,000
3125 sellos a 150.... 468,750
12 por como a beneficio
das obras......... 3:000,000
------------- 5:788,750
25:000,000
lomBfigte'nBi?.aiaig5^^ ""
enca o favor, do que com elle goza a irmaa do
ultimo a linda condessa de Lussan, cujos bel-
los dias, como galante monareha nao quize-
ra enlutar porcousa algumadeste mundo,
Sem duvida Srs. n'alma do nosso digno
soberano galantaria he grandeza e grandeza
he generosidade.
Aodizer estas palavras separarao-se os lidal-
R0S-
O camponez vista deslc fausto inaudito ,
d'essas prodigalidades que este trecho do con-
versado, acabava de patentear-lhe, suppunha-
6e transportado ao mundo des fadas. Na sua
pobre aldeia um escudo de prata era consi-
derado como a ventura do urna familia ; quan-
to a urna peca d'ouro, se ella la chegasse to-
mal-a-hiao por nunca terem visto semelban-
tes por urna estrella cahida do Co. Mas ou-
vindo fallar da gc(nerosidado de Luiz 14, o cam-
ponez escutara com avidez e a esperanca Ihe
reanimara o corago.
Urna rapariga atravessando na carreira o
jardim em que o so! dardejuva em ebeio, veio
abrigar-se ao caramanchel. Pequea ligei-
ra e engracada tnjava ella simplesmente um
vestido de seda azul guarnecido de renda do Ve-
neta, apanhada de ospaeo em ospaeo por lacos
de perolas com centios de diamante; outros po-
melliante.; haviao no meio-corpo n is mangas,
e nos seas bellos cabellos louros ; utn ollar e
dulseiras do diamantes de urna grandeza inesti-
11045 premios.
2080 braneos.
3125 total dos bilhetes.
A pprovo. Palacio do Pernambuco, 30 de Se-
tembro de 1844. Brito.
0 Escrivaoda loteraJone Marta da Cruz.
1OPadre MestreMiguel do Sacramente Lo-
pes Gama, propoe-se a ensinar mesmo durante
as ferias todos os preparatorios a excepcHo do
Geometra, e Ingle/.. As pessoas, que qui-
zerem aprender essas disciplinas,, dirijao-se
casa do annunciante no aterro da Boa vista pe-
la manlia.
tem o mesmo Padre Mestre tenciona abrir
um curso de Tbeologia Dogmtica, e Moral
para aquelles, que nao podendo frequentar as
aulas do Seminario, querem dedicar-se ao esta
do ecclesiastico. Os que qui/erem, dirijao-sc
ao referido lugar. (13
1Jos Leonardo embarca parao Rio de Ja-
neiro a sua escrava Anlonia de gentio de An-
gola. (3
1Da-se a juros, sobre pinhores de ouro,
ou prala, a quantia de lOOj rs. a 200,) rs. ; e
tambero se vendo um bolao de abertura com 7
diamantes, e urna torrente de relogio, por
commodo prec : na ra da Cadeia de S. An-
tonio, venda n. 16. (6
1Quem precisar de urna criada porlugue-
za, com ISaimos de idade, falle na casa n. 26
ra da Aurora, que se tratar pela passa-
gom. (4
1 Precisa-se de alguns trabalhadores de
campo para todo e qualquer servico que se of-
ferecer fora desta (iraca, e que sejo estran-
geiros, todo aquello que se acidar nestas cir-
cunstancias pode dirigir-se arua da Cruz
n. 26 venda de S Antojo & Irmao (6
1 as Do-se 400,000 rs. a juros de dous por
cento, sobre hypotheca em prediosoupenbores:
na ra Nova n. 63 se dir quem os da. (3
as Dao-so 300,000 rs. a juros, na ra do
Caliug, loja de miudezas n. 1. C.
1 = CJuem quizer aprender grammatical-
rneoto a lingoa franceza com um professor hbil
e exudo, dirija-so ao Atterro da Boa-visla, so-
brado n. 3. (4
=s Aluga-se um sitio na campia da Casa-
forte, com casa de vivenda, coxeira novamente
edificada, cacimba, muitas aores de fructa, e
ha xa para cupirm; trata-se na ra do Amorim
n. 15.
s= Aluga-se urna casa terrea na ra do Coto-
vello da Boa-vista n. 7 ; trata-se na ra do
Amorim n. 15
LOTERA DE S. PEDRO
MARTYR DE OLINDA
Correm infalivelmente as rodas no dia 6 do
corrento ; os bilhetes acho-so a venda na ra
do Cabug lojas dos Srs. Pc-reira & Gueues, e
nos mais lugares annunciados. (7
1 zz Desappareceo, no dia 31 do mez prxi-
mo passado, um escravo de nomo Joaquim,
crioulo, reprsenla ter 20 annos do idade, alto,
secco, rosto comprido, ventas largas, e falta de
um dente na frente, com officio de sapateiro ;
levou vestido calca de brim do linho de listra,
j suja, e camisa de madapolao rota c suja, cha-
peo de palha com abas bastante grandes ; quem
dclle souber, ou livor noticia, dirija-se a ra
das Cruzes n. 9! (10
Roga-se a quem souber a onde existe
Francisco Siabra c Salles que no dia l.*do
ainii.imi i
mavel era a nica riqueza que Ihe ornava o ves-
tuario. O calor Ihe eclorava as faces e levanta-
va o seio, vivamente agitado pela carreira ao
sol; encostou-se ao pedestal da urna anti-
ga : um lindo cao d'agoa esbalorido de calor,
com sua coleira de magnicos rubis veio fa-
gueiro encostar-sc-lhe aos ps.
Sabes minha cara condessa do Lussan ,
disse oulra dama da corle que neste momento
alli chegava que os rubis desta coleira do Ico
cadellinho sao os muis bellos que tenho visto.
Grande preco devem ter cuslado !
Nao ; s me custarao seis mil crusados.
Infallivelmente o meu Fanfreluche havia de ter
urna coleira nova ; a outra de perolas j Ihe
haviao cabido muitas e tu sabes que para a-
gradar ao Re todo o mundo deve estar boje em
grande gala,
Por isso tambem o lorneioNe o bailo sc-
raode una sumptuosidado sem igual. A corte
na verdade ter urna magestado digna das divin-
idades do Olympo.
Sim mas eu antes quererla os prazeres
dos deozes, do que as suas grandezas..
Tenis minha cara o mais precioso de
que elles gozf.o o do ser adorada.
lio pona que tudo isso s dure urna nouto.
Oh I as bodas em breve se renovaroo ,
minha querida condessa ; so sao verdadeiros os
boatos da.corlo ha urna cerla joven dona
correle as 8 horas da nouto sabio de casa do
leu irmao, onde se achava tratando do um ata-
que cerebral ; levando vestido sobrecasaca cor
do rap, calca de merino preto, chapeo tambem
de merino prelo j usado, o sem grvala ; o
favonio participar na ra Augusta n. 52. pelo
que se (har summamenteagradecido.
0 1." Secretario avisa sos Srs. Socios, que
boje pelas 6 e meia horas da tardo tem lugar a
sessao do 1.a do corrente.
2Arrenda-so um sitio na estrada dos Afli
tos oqual conten urna das melhores e decen-
tes casas de entupo assobradada.com oilenla pal-
mos do frente, toda envidracada, com grande
cocheira e cavallarice.com bstanles arvoredos de
inicios, delicioso jardim,com muito boa agoa de
beber e arrenda-se por muito mdico proco
com condicao de ser bem tratado : tambem
esto predio se vende a dinheiro ou a praso gran-
de ou se permutta por predios dentro da cidade,
e a r8z5o de se fazer este negocio se dir a pes-
soa que se proposer a compral-o ou permu-
tado. (5
2 Aluga-se urna casa, no lugar do Ca-
xang, com duas salas, cinco qu&rtos, cosinh8
fura, quintal, banho no fundo do mesmo, c d
lado da sombra, cuja casa est mobilhada ; a
tratar na praga da Boa-vista botica n. 6. (5
2 Aluga-se urna casa terrea, por preco
commodo, com duas salas, seis quaclos, cosi-
nha fura, quintal murado, atraz da matriz da
Boa-vista ; trata-so na ra da Aurora casa
n. 58. (5
2Precisa-se alugar dous pretos mocos ro-
bustos, dando-se 108 rs mensaes, sustento e in-
do dormir em casa do seu Sr. ; aquemeon-
vier annuncie ou dirija-se a Prncn da Indepen-
dencia n. 21. Na mesma casa tambem se vendo
urna negra de nacao qtae faz todo oservicode
urna casa. (7
2 No armazem por delraz da loja n. 50
da ra da Cadeia, com entrada pelo becco do
Monteiro, rccolhem-se pipas, gigos de louca,
e outros gneros, por menor preco que em ou-
tra parto. (5
2=Precisa-se de 2:000,000 rs a premio de
um por cont ao mez por tempo de um anno ,
dando-so para garanta, por hypotheca, um so-
brado do um andar no bairro do Recife;a quem
conver esto negocio, queira annunciar. (5
2Os Srs. Marcellino Jos Galvao, e Igna-
cio Francisco dos Santos &. C. queirao decla-
rar a sua morada, para se Ihesscrem entregues
urnas cartas ; ou dirijo-se ao largo do Corpo
Santn. 17. (5
2 Aluga-se um bom sobrado do um andar
na ra do Hospicio, com 3 salas e 5 quarlos, e
outros tantos cr>m modos no pavimento terreo :
a tralar na ra da Gloria n. 89. (4
2= A pessoa que no Diario de Pernambuco
terca feira 29 de Outubro, pertende alugar um
sobrado de um s an-lar, soja em oue ra for do
bairro de Santo Antonio, querendo alugar um
sito na ra Augusta ao p do umn casa terrea ,
que se est fazondo, podo fallar ao Sr. Jos Ma-
ra Placido Magalhes morador na mesma ra ,
ou procurar na ra do Padre Floriano, sobrado
n. 38. com quem pode deliberar sobre o objec-
to do aluguei. (10
'2O Sr Francisco Mondes Martins, mora-
dor na Estrada nova, dirija-se a botica do
Brando, para c ncl.uir o negocio quo nao Ihe
' he estranho. (4
3 Terra feira 5 do Novembro prximo vin-
douro, s 4 horas da tardo, na porta do Sr. Dr.
Juiz da 1.* vara docivel, so hado arrematar,
por soi a ultima pracj, urna parto da casa de
sobrado de tres andares n 10 da roa do Quci-
mado, da quantia de '2:117,578 rs por execu-
cao contra los Antonio dos Santos e Silva,
sendo o dito sobrado avallado em 1S-.000.000
res. (9
3=.0 abaixo assignado pode encarecidamente
a lodos os seus dovedores de 1835 1843, tan-
to nesla praca corno os que se acbao lora della,
que em aitencao ao demasiado tempo que os
lia esperado, o as boas muneiras com que sem-
pre os ha tratado, compareci em sua casa na
ra do Collegio n. 18 terceiro andar, ou na
ra da Cadeia de S. Antonio n. 19 depozito
do familia, no praso desessonta das para pa-
garem os dbitos aos quaes d o abaixo assigna-
do o abate de 50 por cento, sobre o principal
juros, e at far qualquer outro negocio anda
mais vnntajuso sol dovedores, conforme o seu
oslado prescnte;assim como avisa a aquelles que
nao comparecerom que usar para com elles
de todo o rigor fazendo publicar os seus nomos
pelas lolhas, e emprogando os meios judiciaes
para cobrar as quantias por inteiro
Manoel de Souza Pereira.
2 Ha pe fino Vinagrinho.
Jernimo da Cosa Guimaraes e Silva, deso-
jando elevar o rap do sua fabrica ao ultimo
grao de perleie,ao maodou Kuropa contrae-
lar com ifn perito fabricante a factura do rap
do sua fabrica, o qual, logo dep >is de sua ebe-
gada esta cidade, apresentou o excellente rap
vinagrinho.
Ksto rap nao he preto be verdaderamente
cor do rap: tal he a sua proparaco, quo urna
oitava d'este rap espalhada sobre um papel con-
serva por muilosdiasa pnuca humidadecom quo
he fabricado;accommodado a todas as diferentcs
naturezas, elle faz o seu efleito sem que esti-
mule aos tomantes e sem que estes soffro a
repugnancia que costumao a sentir quando
vario para difTerentes qualidades de rap ; as
boectas, e os dedos nao se sujo com este rap ;
o seu bom aroma, e todas as mais qualidades o
tornao recommendavel aos apreciadores de urna
boa pitada: o papel do embrulho he azul, e os
rotlos braneos. O proprielario.lendo em vis-
ta mais o crdito d'este rap, que os seus inte
re-es,tem resolvido mandar vendel-o as libras a
1400 ris, o a preco mais commodo de 5 libras
para cima : no deposito da ra da Cadeia do
Becife n. 50. (26
2 Aluga-se um sobrado de um andar, que
representa dous pelo lado de detraz, com excel-
lente vista, e muilo fresco, tem quintal e ca-
cimba, sito na ra Augusta n. 3 ; trata se com
Fredcrico Augusto de Lemos na ra do Rangel
n. 3. (6
1 Mme. Hautefeuille o seu lilho Charles
Haulefeuillo retirao-se'para lora da provincia.
2A. Peloux, relojoeiro e machn isla fran-
co/, chegado ltimamente esta cidade, mora-
dor no Atierro da Boa-vista n. 3, se prope a
concertar relogios de sala, de parede e de torre,
e (oda a qualidade de machinas, como sejo
candieiros, caixas de msicas; o mesmo se pro-
pe a concertar e dar corda relogios mensal
ou annualmente, por um prego muito commo-
do ; quem pretender dirija se mesma casa :
tambem se aluga urna sala que d para a parto
do mar, o he muilo Iresca. (11
d'honor cuja inesperada viuvez o Rei preten-
de em breve fazer cessar.
Tenho ouvido fallar n'isso respondeo
ella rindo-se.
F mais que ninguem sem duvida, por-
que se suppe quo he de ti que se trata.
= Tambem o creio.
Ento ja que nomeei a dona que deve
em pouco tempo dar aqu novo motivo de fes-
lins, deveriasem recompensa fazer-meconho-
ccr o feliz esposo.
- vOh a esto respeite serei de urna discri-
co completamente perfola porem pouco me-
ritoria porque o rei annunciando me que me
havia feito escolha de um novo Sr. o dono, nao
me disse o nome do escolhido.
- E nao (veste a curiosidade de pergun-
ta-lo.
- Tenho toda a vida para o saber.
- E quando ves em torno de ti tantos titu-
lares para pretenderen! a tua mao nonhum te
Tez esperar ou receiar que a escolha do Bai te-
nha recahido sobre elle ?
- Ora minha rica duqueza, tu sabes, que
Beauplan o cabelleireiro da orle, faz todas
as suas cabelleiras pelo mesmo modelo ; que
Begnier corta todas as suas casacas polo mesmo
molde e orna-as com os mesmos bordados ,
que Martial deila em todas as luvas o fitas os
u-smos cheiros. Que diflerenca enlao queros
tu que cu ache entre os nossos fidalgos.
- Ters (u a respeito de marido a ma-
na das plantas raras e preferiras o cardo do
Egyplo que se cultiva nessa estufa esses
bellos lirios que povoao o jardim ?
- F pensns tu que entre os nossos fidalgos
ha dilorenca que valba a do cardo para o lirio ?
- Na verdade minba C8ra condessa se
para lo agradar be preciso ter superioridade ,
crea _niio so unidos somirleozes cujas estatu-
as guarnecem esto recinto, te poderia convir...
Quer-me parec r minha boa Valentina, que
nn tua juventudo ^olftaria adoptaste ideias um
pouco romnticas e que lr ucosl' dos teus
campos do Perigord muitos sunbos, que na cor-
te se nao podero realisar.
- Juro-te, responden a moca fazendo-se
vermellia que nunca sonhei... nem mesmo
dormindo, porque o somno do campo he muito
rustico para saber crear sonhos.
A estas palavras a condessa de Lussan e a
duqueza de Villeroy ambas donas d honror
da rainha, inlernarao-so no caramanchel eo
sldeiao nao pode mais cuvir a sua convcrsac,ao.
Slas, sem saber explicar a si mesmo a razao dis-
to, ello havia dado muito mais aitencao a do-
na de vestido azul do que a todas as outras
jovens e orgulhesas bellezas que por alli vaga-
vao ; e o semblante dessa mulber Ihe ficou
gravado na memoria.
| (Coninnar-se-naJ


4
3 Aluga-so o armazem n. 10 da ra do
Torre no Recita, portenoeote i Ordem Tercei-
ra de S. Francisc. desta cidade ; quem o pre
tender, requoira Mesa Kegodora da mesma
Ordem, entregando o requeriinenlo ao Secreta-
rio para o aprosentar a dita Mesa. (6
Avisa-se ao Snr. Manoel Ignacio ca Con
ceicao, a fin de ir tiraros seus pentiores ate
0 da S do correte do contrario sern vendi-
dos para o pasamento e para que so nao cha-
me a ignorancia, fas-sc o presente annuncio.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n.
1 da travessa do Cjucimado proprio para es-
criptorio ou homem solteiro ; a tufar na
venda do mesmo sobrado.
Alugao-se duas casas ns. 20 a '22 pas-
tando a ponte da Magdalena, com bons com-
modos para grande familia do lado dorioCa-
pibaribe ; n tratar na ra da Cadeia do Recife
n. 2.
Francisco Pinto da Costa Lima mestre
alfaiate na ra larga do Cosario precisa de
ofliciaes do mesmo ufTicio.
Rodrigo da Costa Carvallio faz publico ,
que arrendou ao Sr. Jos Rogerio Marcelino, a
casa de dous andares o soto sita na ra Di-
reita n. 101), que por o mesmo fi arrematada
mu prava pelos alugueis no da 17 de Ou-
tubro do torrente atino por cujo motivo lt.c
passou quatrolettras da quantia de 56/1-21 rs.
cada urna a vencer-se a 3, 6, 9 e 12 metes, as
quaes nao sero pagas senao ao dito Jos Ro-
gelio, visto ja ter recebido dmhciro por cunta
deltas, o que se faz publicu.
Precisa-se alugar um sobrado de um an-
dar, sendo no bairro de S. Antonio e nao
sendo em ras exquisitas; na ra da Roda n. '23
Quem tiver um preto afectado de moles-
tias tisico ou alguma ferida que so tcnha
turnado iocaravol a urna pessoa, que se ol-
ferece para tomar conta delles, e os dar promp-
tos ; quem os tiver annuncic.
Previne-se ao respeitavel publico que
ninguem poder tratar negocio coro a roeia-agoa
sita na travessa da ra Relia n. 1; por isso que ,
ha herdeiros, e para que se nao chamen) a ig-
norancia em lempo algum fa;-se o presente
annuncio pela secunda vez ; porque em No-
vembro de 1843, se fez nutro igual annuncio.
Desappareceo, ha 18 dias um menino
pardo claro de 13 a 14 annos com cabellos
pretos rosto um tanto marcado de bechigas; le-
vou camisa de chila azul toda pintada de tinta
do olflcio de pintor, de que he aprendiz cal-
Cas de ganga atul ; quem delle tiver noticias,
tenha a bondado de avisar a mai do mesmo ,
Leonor Maria da Conceico que mora no bec-
co que sai para a ra do Sol ou ao mestre
do dito na ra das Cruzes.
Precisa-se alugar urna escrava para aju-
dar ao servico de urna casa de pequea familia;
na ra Direittf n. 131.
Precisa-sede um caixeiro do 12 annos,
que tenha bastante peatica de venda e d" fiador
a sua conducta ; a tratar na venda da esquina
do becco das Barreiras n. 19.
Aluga-se urna casa para se passar a fes-
1a, com commodos para grande familia no
Poco-da-panella defronte da casa do Sr. Pe-
dro Jos Carneiro Monteiro; quem a pretender,
dirija-se a Fra-de-portas a tratar com Mano-
el da Silva Nevos.
O Sr. Jos Antonio Correia Jnior, mo-
rador nos Afogados, queira dirigir-se a ra No-
va n. 41.
Quem precisar de urna pessoa, que sabe
fallar francez, inglez e portuguez ; para caixi-i-
ro ououtra qualquer oceupacau dirija-so a
ruado Passeio-publico fabrica de chapeos de
sol.
1 O Sr. Caetano Ferrs Pinto queira diri-
gir-se a ra do Queimado, loja n. 10 ou en*
nuncie sua inorada para Ihe ser eotregae urna
carta vinda de Portugal. 4
1 Precisa-se do dous homens, que eeibSo
fazer tijolode alvenaria ladrilhoe tellia ; ns
Cinco-pontas a fallar com Ignacio Ferreira da
Costa. i
1 Precisa-se de um sitio, que tenha urna
grande casa baixa decapim para sustentar 2
cavallos, e abundancia d'agoa purto da casa
quem tiver annuncie \
1 Aluga-se urna casa no Cachang, defron-
to da fonte d'agoa frrea com duas salas 7
quarlos estribara para dous cavallos ; a fal-
lar na ra Nova n. 63. \
1 Arrenda-se para a festa urna ca.-a e si-
tio a uiaigem do rio, com banho
tem duas salas ."
lia na ra Augusta n. 54; a tratar na ra do
Livramento n. 6, primeiro andar. (4
5 Arrenda-soo sitio n. 3>, na ra de S.
Miguel nos Afogados ; na ra da Conceicaoda
Boa-viita n. 5. (3
2 |>recisa-sode um perito refinador de as-
quear; noAtterroda Baa-vista n. 24. (2
2 Precisa-se de urna ama do leite, que seja
forra e que tenha b.im loito ; na ra do Colle-
gio fabrica de chapeos n. 9. (3
2 Alugao-se dous pretos que sejo pos-
tantes. dando-sel 0,000 {s. mensaes e comer;
na praca da Independencia loja n. 21. 3
2 D-se dinheiro a juros com penhores de
<>tiro e prata mesmo em pequeas quantias ;
na ra da l'raia n. 22 (3
8O agrimensor, abaixo assignado, oITcrece
>s seus snicos s pessoas que tiverem propie-
dades demarcar e alianza a mais escrupulo-
sa exactidao o o maior zelo no desempenho da
sua arte ; devendo todos os que do seu prest-
rno se qui/orem utilisar.dirigirem-se (porcarta)
ao mesmo abaixo assignado, na Rua-direita-
terceiro andar do sobrado n. 40. Joaquim da
Fonseca Soares de Figueiredo. (9
IT.EVENCAO(.CO.NTU\ OS FALSIFI-
CADORES.
Estevao Gasse, saliendo que em algumas lo-
jas e vendas desta ciclado se vende um rap
fe i lo nesta provincia com o titulo de princesa ,
e falca imitariio de botes rtulos de sua fabrica,
previne ao publico seus deguezes que a lien) de
lireito de propriedadesua, acressenta nos ver-
daderos botes de sua fabrica um sello com sua
firma e insinuadlo do nico deposito do legiti-
mo rap>'' princesa nesta provincia. A vista do
exposto, qualquer oulro rap inculcado com a
denominacio assima he falsilicacSo as fabricas
da Estevo iasse nico inventor e propietario
do rap princesa (leit > no Brasil), tanto no Rio
de Janeiro llahia e em deposito no Mara-
nhao Para, assim como em Pernambuco na
ra da Cru? do Recie n 38. (18)
2 Jobnston Pater & C. J. N. mudariio o seu
estaheleciment de ferragens para a ra da Sen-
zalla Nova n. 42, onde oulr'ora morrao Fox
dfStodartf em cuja casa seacha um completo
sortimenlo de taixas fundidas e batidas, moen-
das para agoa e bestas, e maquinas de vapor de
alta o baixa pressao, de orca de 3, 4 e 6 caval-
los inglezes. i 8
3 Vende-serapde Lisboa muito fresco,
chegado polo ultimo navio a 4080 rs. a libra ;
na ra da Cadeia n. 15, loja do Bourgard. (3
2Vende-se um viveiro com passaros che-
gados prximamente do Porto a saber ; pin-
tasilva saresinas e milheiros por preco com-
moio semontes de ortali?a sortida esteiras
de Angola grandes e pequeas, doce de guia-
ba, chocolate da Babia a I00rs. cevadinha de
Fran?a a 2S0 rs. farinha do Maranhao a 120
rs. cevada a 60 rs., caf de carosso a 120 e
140 rs. caf de cevada a 160 rs. alpista a
640 a cuia arroz do Maranhao a 500 rs. bo-
laxinlia inglcza a 240 rs., enchofre a 100 rs. ,
cerveja branca bocea de prata a 500 rs. ba-
tatas inglezes a 50 rs. velas de espermacete
americana a 810 rs., ditas de sebo do Porto ,
"a ra
na ra nha em bom estado, por 2'.'>i rs,
Direita n. 95.
Vendem-se pennas de ema
Sebo n. 27.
Vende-se, boje 4 do corrente, nos armase^
do sal, um bonito cavallo gordo e talvez sen
igual nos andares um dito tambr-m gordo
sern achaques e com habilidades por prc
commodo.
Vende-se salea parrilha de superior quali.
dado; ladrilho de marmore ; na ra da Moedd
n. 7, primoin andar ou a fallar com Firmino
Jos Felis da Rosa.
Vende-se farinha de mandioca em saccasa
2240 rs., e levando a sacca a 1 rs. ; no ar-
masem de Fernando Jos Rragucz ; na rna da
Cadeia doRecife ao p do arco de N. S. di
imitando a espermacete a 360 rs., ditas de se- Conceicao.
bo de Hollanda a 280 rs. ditas de carnauba a
320 rs., canella a 640 rs. graxa iogleza o. 97
a 160 rs. manteiga ingleza a 560 rs. banha
de porco a 320 rs., cha isson a 2400 rs. ,
amendoas com casca a 280 rs., superiores
azeitonas de El va a 1600 rs. a ancoreta e a gar-
rafa a200rs. passas a 320 rs. .bolinhos fran-
ceses a 240 rs. o masso de urna duzia e supe-
riores queijos do reino por preco commodo; na
ra eslreita do Rosario venda n. 8 junto a
botica. !25
2-Vendem-se ricos corles do vestidos de laa
e secl chales de merino bordados de seda ,
ditos de laa o seda hamburguezes o inglezes ,
cassas brancas dulistras abertas da moda, di-
tas pintadas muito finas tambem da moda ,
mantas de setim Macu muito grandes e lar-
gas todas franjadas e franja tecida de cores,
Vende-se, para fura da cidade urna pre.
ta de naca? de *25 annos lava engomnia,
e cosinha ; na ra de Hurtas n 91.
Vende-se urna rica mesa redonda de moio
de sala urna porgan de caixas vasias do Por-
to, tudo por preco commodo; as Cinco-pontas
n. 160.
Vende-se urna cadeira de arruar forra-
da de seda e franjada do mesma ; um piano fo
boas vozes macacos para estivar carga ence-
rados para cobrir gneros, oleo do linhaca em
botijoes, urna canoa de carreira de um so pao,
muito boa ( existo no tanque d'agoa na traves-
sa do Monteiro) ; na ra do Amorim n. 15,
' Vendem-se paios de Lisboa a 31100 rs. a
duzia toucinho de Santos a 180 rs., manteiga
francesa a 560 rs. dita de tempeiro a 240 rs.,
banha de porco a 280 rs. cha de boa qualida-
u melhorque tem aqui apparecido, chegado re- do a 2400 sebo de Hollanda a 30i> rs. arroz
centemente; na ra do Cabug loja de fasen- do Maranhao a 480 a cuia, passas novas a 280
das de Pereira # Guedes. NO rs. cerveja bocea de prata a 480 rs. a garrala,
2 Vende-se cha hisson da melhor quali- genebra de Hullandaa380 rs. a botija mi-
dade a 2500 rs. ,' chapeus de palha do Chile a Iho alpista o 260 rs. o quarteiro graixa n. 9"
Compras
9 Compra-so efectivamente nesta Typogra-
phia toda a qualidado de pannos cortados ou
yelhos, sujos, ou limpos aparas de papel, pa-
pelo e toda a qualidado de papis velhos. (4
2 Cumpru-so 25 a 30 oitavas de prata de
le; quem tiver annuncio. (2
Cumpra-so urna escrava engommadeira .
eosinheira o costureira, e de25 annos; quem ti-
ver annuncie.
1 Comprao-se botijas vasias; na ra do
Rangel eslilacao n. 54, de Victorino Fran-
cisco dos Santos. (3
1-- Comprao so cavilhase pregos de cobre
novos, ou velhos em pequeas e grandes por-
cues ; dous, ou 3 pranchSes de amarello de
50 a 60 palmos do comprido ; a fallar com Ma-
nuel Duarto Rudrigues na ra do Trapicho n.
26 ou em Fra-de-Portas aonde est enca-
Ihadu um navio francez fazendo obra. (7
Compra-seum relogio Inglez com caixa
de ouro eque seja bum reguladur ; na Cain-
boa-do-Carmo n. 19, primciro andar.
Compra-se urna caixa de relogio do pare-
de que nao esteja estragada ; quem tiver an-
nuncie.
Compra-se urna prensa de espremer caj ,
nova ou em mel uso; no Atierro da Boa-
vista luja n 26
1 Compra-se una llauta de peaui aue 11
tenha boas 'vozes. e cun, oouco usu: n'nS palmo de comprido e de 9 11 pollegadas
3200 e 3500 rs., superiores charutos de tudas
as qualidades bem cuino regala nonplusul-
tra a 3200 rs. a caixa ditos meia regala a
1600 rs. ditos de Manilha Havana Ham-
burgu Napoleo Cachoeira o Rahia a 800 rs.
a caixa, ditas de 201) charutos a 1600 rs., rap
area pre.ta Vinagrinho Vilete e princesa do
Gasse ; na ra do Rosario vindo pelu pateo do
Collegio 1.1 uncir loja n. 18. (II
2 Vendem-se duas muradas de casas de
barro coberlas de telhas, na Cabanga ; na
ra da Praia n. 22. (3
'2Vende-se um bom moleque de 8 annos ,
proprio para qualquer ollicio ; na ra do Li-
vramento n. 3G, tereeiro andar. (3
iVendem-se duas lindas escravas rccolhi-
das urna dellas he mulata e a outra preta ,
ambas de excellente conducta e com habilida-
des o motivo da venda se dir ao comprador;
na ra estrella do Rosario n. 34. (S
2 Vendem-se 30 pipas de ago'ardente da
Ierra ; na botica de Bartholomeo Francisco de
Souza. (3
2Vendem-se caivetes de cabo de viado, de
duas folhas para aparar pennas os melhores
que teem apparecido thesouras muito finas
para unhas pentei de alisar, demarfinr e do
baleia os vomitorios e purgantes de Le Roy ,
feitus por um 'dos melhores autores desta pro-
vincia estojos de navalhas muito finas sabo-
netas para barba transelins do burracha ,
uicias de algodo muito finas para senhora, di-
tas de linho cr para homcm rap Meuron ,
Gasse e. Vinagrinho em librase oitavas eou-
tras muitas miudesas muito em conta ; na ra
larga do Rosario n. 33. (12
2 Vende-se urna preta de nacao para to-
do o servido do urna casa ; na prava da Inde-
pendencia loja n. 21. (8
2 Vendem-se duas canoas urna grande >
que pega em 1300 lijlos de alvenaria grossa >
construida cum muita seguranca e do melhor
gosto e a outra decarrjira com 1 palmos de
boca bem construida e sabio a pouco do esla-
leiro, por preco commodo; na ra Nova n. 67.
2 Vende-se urna porcao de travs de 42 a
da Pus, nos Afogados n. 21.
Vendas
e com pouco uso; nu pateo
2 Vende-se, com 30 por cento do rebate ,
urna divida de 736.510 rs. com execucao ap-
parelhada prompta a fazer penhora, e contra
originario devedor Antonio da Suva; e^ie de-
i niuito ivedor acha-se na corte do Rio do Janeiro, cum-
quarlns, prindo sentenca faltando-lhe 6 meies para o
SSS ^ S^f!. C: r !^^'" ^la folies, da liba das
boa vista ; a casa
na ra de Agoas-verdes n. 21
1Aluga-se urna casa terrea na cidado de
Olinda na ladeira do Varadouro da parte da
sombra logo passando a do Sr. Jos Antonio
Luureiico com bum quintal e arvoredos, oro-
pele para se passar a esta por ser muito fres-
ca ; a fallar com Joaquim Lopes de Almcida
caixeiro doSr. Jou Matheps ou em Olinda '
casa nova, no Balde de manhaa at as 7 ho-
ras e de tarde das 5 em diante. ,9
1 Precisa-se de urna ama, que tenha mui-
to e bomjoite-, preferindo-se captiva ; na ra
da Aurora n 48. ,3
2Oflerece-se um rapaz Portuguez de 18
annos para caixeiro de qualquer arrumacao
quemdeseu prestimu se quizer utilizar, diri-
ja-se'a 'FHa-de-portas, venda n. N8.
2 Aluga-se urna boa casa terree
fur-
cumprimento della na fortalesa da lili 1
Cobras sendo juiz dos presos da mesma
talesa com negocio dentro da prisao da mes-
ma no valor de mais do 2:000,000 de rs. e
com muito crdito naquella corto ; esta execu-
cao se vende com esse rebate liada dando o
comprador fiador at que cobre a dita divida,
que est muito segura e he negocio muito
vantajoso para qualquer pesoa que ande ne-
gociando para aquefla corte ; a tratar na ru,a
Nova doS. Amaro, sobrado novo do Mesquita.
JVende-se urna preta do gento de Angola,
de 20 annos, de bonita figura, c ho
para todo o servico do
Florentina n. 2.
ptima
urna casa ; na ra da
,4
3Vende-se na cavallariga da ra de Apollo,
queficade'ronledo theatrinho novo, um ca- .
vallo alazn-cachito, proprio para senhora, por pouco uso um par de mangas do vidro ;
de grossura de boas qualidades ; na ra No-
va, artnasem 11. 67. (4
2Vendem-se superiores couros de bezerro
j apparelhados e promptos para calcado ; na
ra da Cruz n. 64. (3
2Vendem-se saccas de farinba da trra de
superior qualidade e por preco commodo; na
ra da Cruz n. 64. (3
2Vende-se um terreno com 120 palmos de
frente na estrada a Capunga do lado di-
reito a descer para o rio com arvoredus no-
vos e trros do plantar verdura; na Solidade,
sobrado n. 22. {5
' Vendem-se e aug,ao-se bichas hambur-
guezas a 500 rs.; na ra das Cruzes n. 39, por
baixo do Sr. Manuel Caetano da Silva. 3
Vende-se urna gargantilia de conlas de
ouro do lei urna dita do bonito modelo um
lindo alfinete para senhora botoes de diversos
molde* pura abertura e punho cordes de di-
versas grossuras paros do brincos de bonitus
moldes medalhas do ultimo gost do ouro
de lei e com diamontes anneloes. modernos ,
diamantes para cravadores um par de casti-
gaos de piala um dutid de comeres de soupa,
dedaes de ouru com relevo ; as Cineo-pontas
n. 45.
Vendem-se 12 cadeira um jugu do ban-
cas e um canep tudo de Jacaranda e com
na
a JfiO rs. licores finos de diversas qualidades,
por preco commodo ; na ra de Agoas-verdes,
venda n. 38. (12
iVende-se muilo bom pao e bolaxa por ser
fabricado com as melhores farinbas ; na ra
estrella do Rosario deposito n. 2 ; nu mesoio
deposito precisase de um caixeiro, que d fia-
dor para andar com um preto vendendo pi,
1Vende-se um negro croulo moco sem
defeito algum a vista do comprador se dir
as habilidades; na ra do Livrajnento n. 22,
primeiro andar. i
Vende-soumaescravu.com mulo bom
leite ecom urna cria do um mez ; urna negri-
nha muito linda ptima para mucama de la
annos, cose e tem principios de engommado,
um s mulatinna de 1C annos recolhida cose;,
cosinha eengomma ; urna dita de 17 aDnos;
boa costureira ; um moleque da Costa, de ti
annos; urna escrava boa eosinheira; urna dita
da Costa do 25 annos ; urna dita de Angola ; I
escravo bom canoeiro o qual d-se a conten-
to'; na ra Di re (a n. 3. (II
1 Vendem-se 700 garrafas vasias limpas
e todas em bom estado ; na ra da Aurora 11. 48
1 Vende-se, por muito menos preco deseu
valor um sobrado de varandas de ferro, eni
Olinda ra de Malhias Ferreira quasi ao
chegar aos Quatro-cntos ; a tratar no mesmo
sobrado. [5
1 Vendem-se relogios palentes de ouro o
prata inglezes e france/es com 10 diamantes,
ditos com 4 ditos de mesa e de parede tudo
pnr prego commodo; na loja de relujoeiro,
junto ao arco de S. Antonio. (5
1 Vende-se um pardinhode 14 annos, de
bonita figura e proprio para aprender qual-
quer ollicio ou para pagem por saber bem
montar a cavallo; um cavallo gordo bom car-
regador baixo at quasi a esquipar; na loja da
ra do Crespo que vulla para a cadeia n. '2. (6
1 Viido-seum sobrado de um andar e 2
sot'os ha pouco acabado, em chaos proprios,
com quintal e boa cacimba na ra do Fugo n.
27 ; um guarda-livn s moderno, em bum uso;
urna trave de qualidade, com 51 palmos de
comprida, e muito grossa a qual se ach
exposta junto ao theatro novo; na ra estreita
do Rosario n.i, tereeiro andar.
Vende-se mais de melado do engenho
Arass de agoa corrente, sito na ribeira de
Una a dinheiro ou por predius nesta cidade ;
na ra da Cuncnicao do Recife n. 51, primeiro
andar.


..*. p,W! para urna jfiirtj! 3^"'ttCtoS"*"" '
(51 Vende-se urna duzii de cadeiras do palhi-
I Nu dia 2S do p. p. fugio um moleque de
nomc Paulo, de nacao Quicam de 16 annos,
est principiando a sahir-lhe buco do barba, he
muito coiihecido, por vender doce de jaleia em
cupus, por tuda a parte desta cidade; levou ca-
misa de algjdo fino e caigas brancas ; quem o
pegar, leve a seu senhor Antonio Jos Goncal-
ves de Azevedu na ra da Praia armasen) de
carne n. 19, que ser recumpensadu. (9
No rnez ). p. desappareceo da cidado da
Parahiba do Norte um preto de nome Caeta-
no crioulo tem um pequeo impedimento
na fulla suppde-se estar pelas Cinco-pontas,
aonde o seu BBttgo senhor mora, e fui visto
urna vez em Olinda; quem o pegar, leve ao
armasen) de Joo Curruii A Filho que recebe-
r 30
PERN; fYP, de m, f. de fara i844'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGXA6U1UK_18OH51 INGEST_TIME 2013-04-13T02:58:20Z PACKAGE AA00011611_05214
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES