Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05208


This item is only available as the following downloads:


Full Text
V
Afino de 1844.
Sexta Feira 23
O DtaMOpublica-s lodosos dias que n3o forero santificados : o prego da ssipnaturi
h* da tres mil ra. por fitiartel na** adianigdf^, Os snrluricios dos assigisnei *3,v iustri'us
g.atis, e os dos que nao ureni a rai.'io de 80 res por liuha. Ai reclamacoea detem ser diri-
gidas a ass rp., ra das Crutes n. 34 ou a prega da Independencia loja de lirrosn. 6 e 8.
PARTIDA DOS CORRF.OS TERRESTRES.
GoiArit1A,e Psrahyba, se;unilase sextas feiras. ivin Grande do Norte, chega a 8 22 e par-
le lu 24.Cabo, Serinbaem, Rio Formoso, Macey, Porto Cairo, a A lajeas: no 1. -
H 9 ldenada met. Garanhuns e Bonilo a 40e '24 "le cada mei Boa'-ri'ta e Flot -
as 18c 8 dito. Cidade da Victoria, rjuintas feiras. Olimle torios os dias.
DAS DA SEMANA.
qi Seg s, rsula. And. do .1. de I). da .:. t.
i Terca s Mara Salom. Ral. aud. doJ. da D.da 3. t.
i (liarla Jo:o Capistrano Aud do J. de D. da S T.
24 Quinta Rafael Arcanjo And do J de I) da'2. t.
'.'5 Sexta s Cbrispim e Crispniano. And do J. da da 2. y.
2o Sab. s. Evaristo, Re. aud. do J da D. da 4. .
!7 lloin s. Elesbo Imperador.
2 MWsrt'tnrviA^xi. ij^rz'txficsss^naiKamammmaamamma^ma^nmm
DIARIO DE
de Outubro
Anuo XX. flf. 540,
/ Tuo aeora dependa da n.'. -o:; A aaesi nular.-ie. iaW*;' e enereia e,.a-
ti.uemos coreo prirtciptinioa e aerees! apuntarlos ooa i illas. (Froclamaq.in .ti AMeraJilea Geral o iran.)
canatos Ho ou gjk UR outubro. compra *a
Caaibloa sobre LonrVe '.'5 e l|J nom, Our--Meda na ti,100 V. 17,500 17,700
------ _. -----. (_ ..w|H
ii Pars *M reis por (unen
u u" Lisboa l'.O por 100 ,|e aHmtc
Pordade cobr* ao par
dem de loras Je boaa firmae 1 nnroio
s.
; a de 4,00.
I'iata--i"atar.ei
Pe^os columninr?i
.. Ditos mexicanos
17.300 17,0
9 500 J,700
1,94o i y*u
i 9So MOo
i ,960 1 98q
PHASKS DA LA KO ME/ DE Ol 1 i BRO.
La ebeia a '20 as _' b iras e 1 rain, da m I.uauura i II n 'J h e 4 min da tai
Minguanta a 4 ai -' u.ras a i rain n larde JOreecentf a S os jj al, da tarde.
Pramar (ic /to/'c.
J '..-millo as.4 liora (i minutos datara.
Primsra ai :i hira min 4 -' dj l. i!
.aiiMgv-

EXTERIOR
O lYmea ltimamente recebido alcanea do
12 a 17 do Sute mitro p. p.
Tinha-se encerrado o Parlamento Ingle* :
mas nao podemos por ora apresontar aos nos-
sos leitoros a falla da Rainba na sesso do 80-
cerramento por que os nmeros do Times an-
teriores aquellos que recebemos do dito mez. e
nos quaes dever ella vir, anda no noi cho-
gro s maos.
A Rainhe Victoria bavia ido fazer urna se-
gunda visita Escocia, e chegou a Dundee a
11 "de Setembro sendo all recobida com a
maior satisfacao pelos seus subditos e autorida-
des locaes: porm constava que S. M. doseja-
va evitar toda a publiuidade desnecessaria. e
gozar do retiro o repouso durante a sua visita.
Seguio para Blair Atbol onde so achava desde
o dia 12 ,e pretenda fazer all a sua residencia
temporaria, tao particular quanto losse pos-
sivel.
Mr. O'Gonnoll fez a sua falla do abertura
triumpbal. em celebracao da sua soltura no
meeting da associacao Repeal do dia 9 de Se-
tembro ; o fazio-se om Dublin preparativos
om grande escala para se dar um banquote
monstro om bonra dos pseudo-martyres ; para
o qual estava finado o dia 19, e dovia de ser
convidada toda a jerarchia. Diversas doputa-
coes tinho tambem ido convidar O'Conncll
para outros jantares provinciaes.
Lord John Russel havia ebegado a Frankort
no dia 7, esabia se de Wiesbaden, em data do
1.', que acabavao do chegar aquella cidade os
Lords Palmerston e Lansdowne. De Berln se
escrevia a 4, que Lord Palmerston era all es-
perado d entro em poucos dias, na sua volta de
Iscbl e Vienna. Elle andava fazendo urna via-
gem de recreio durante o recesso Parlamentar ;
porm era de presumir que a condiQao poltica
do Almirante, o as suas relagoes commerciars
com a Inglaterra reclamassem a sua atlen-
co.
Segundo urna correspondencia do Nurem-
berg, tinba -se proferido senlcnga em Berlim
na 1. instancia contrs Tschecb, o assassino do
Rei da Prussia. Dizia se que a sentenca deter-
niinava que elle fosse quebrado na roda.
Escrcvia-se do Cologne em data do 1.* de
Setembro, que tinba all corrido por alguns
dia-t urna oracao impressa por 0'Co,nnell e pe-
los rnartyres do Catbolicismo ; era escripia em
Francez, e foi mandada de Namur.
Escreve-se do Danubio a 8 o seguinte :
A diminuicao dos direitos d'importacao
sobro o assucar e caf j tem tido um resultado
notavel. A seria apprehensao de quo a renda
fosse por isso prefudicada, ja est provado ser
inteiramonle infundada pois quo os direitos
de importacao j monlSo ao dobro do que
produzirao em 1842 e 1843. A este favoravel
oslado de cousas devenios tambem agradecer a
diminuicao do contrabando, e o augmento do
consumo. Demais, elle produ/.ir maior re
duccao dos direitos, ej so assevera que quasi
todos di productos coloniacs sera postos em
quasi todos os estados Allemes sobro a inesma
baso, em que os puzer oZollverein.
Tinha comecado de novo o incendiarumo no
Condado de Suflblk. (Inglaterra). Na noute
de 11 de Setembro occorreo urn incendio inui
devastador n'uma berdade de propriedade e oc-
cupaco de Mr. John Pbillips, em Great Bar-
loo. Foi doscoberto perto das 7 horas eum
quarto, e inmediatamente se mandou umex-
presso 'a St. Edmund's Bury buscar bombas ,
que chegaro logo depois mas por (alta de
siiniiriiitcnlo tl'Hgoa. nao puderao prestar ut-
lidade alguma material. .A propriedade des-
truida constava do um grande eclleiro, no qual
bavia 400 alqueires do trigo o 800 de avea ,
que tinho sido eolhidos havia urna semana
pouco maisou menos do urna serie de tell-.ei-
ros de recolher carros e outros edificios ex-
teriores ; de urna carroca, *c.; e de urna nor-
co de utensilios agrcolas. A propriedade es
tava segura.
As noticias de Pariz chegao a 15 de Setem-
bro.
O correspondente do Times escrove daquella
cidade quo estava prestes a fazer-se urna nova
addiego clicidade da Familia Real, e a u-
nir-so um novo lo cadeia das suas relacoes
com a do aples, no casamento do Duque de
Aumale com a Princeza de Salerno, irmaa do
Rei das Duas Sicilias.
La Rejorm diz, sob a autoridade de um
correspondente particular que os rabes as
fronteiras do Marrocos tinho procurado vin-
gar-se sobre o acampamento Francez de Sebdon
da desastrosa hatalha de Isly. Eis-aqui os por-
menores que se diz terem sido fornecidos por
lestemunbas oceulares.
A's 8 horas da manbaa do dia 20 de A
goslo um corpo de cerca de 1,000 rabes a-
vancarao para o acampamento de Sebdon. O
grito as armas foi immediatamente ouvido em
todo o acampamento. Ouvio-so depois urna
descarga do mosquelaria curta, mas mortfera.
Cabirao morios 15 dos nossos, o (Icario 4 fon-
dos, s rabes fugiro.doixando 25 morios,
e um poste de bandeiras. Notou-se quo ellcs
levanto comsigo es seus feridos segundo oseu
costme.
Um correspondente do Times escrevo de O -
ran em data de 3 de Setembro que o ilaro-
chal Bugeaud tinha chegado all na manbaa
daquelle dia de Djemmaa Gazooat de caminbo
para Argel onde era esperado no dia 5. O
.Vlarecbal tinha doixado urna forte guarnicao
no acampamento de Lalla Maghrina sobas
o'dens do General Bedeau, e trazido o resto
da sua Torca para a costa do mar, onde devia
permanecer sob o commando do General La-
moricire, durante as negociacoes.
A Revue de Paris confirma o annuncio fei-
to dias antes de que a partida do Re pra In-
glaterra tinha sido definitivamente fixada para
7 de Outubro. S. VI.' ha de ser acompanhado
pelos seusdous filhos mais mocos, e pelos Mi-
nistros dos Negocios Estrangeirose da Marinba.
O Gomer, ern quo \ M. ha de ir Inglaterra ,
be o maior vapor de guerra da armada Fran-
ceza. He da forca de 450 cavallos, e carrega
20 pecas. O Gomer he um dos vasos cons-
truidos em Rochefort para o servico Transa-
tlntico, efe/, urna viagem de quasi 2annos
nos principaes mares do globo, durante a qua
provou muito bem. Tem-se aproveitado h-
bilmente a sua capacidade para accemodacao
dos passageiros. O Rei ter urna cmara com-
pleta para seu uso e para o das pessoas da sua
comitiva. Os nomes dos navios que devum
fazer parte da escolla Real sob o commando do
Vice Almirante La Susse ainda nao sao co-
ndecidos, mas cr-se quo a flotilba constar
so de vapores.
O mesmo jornal confirma o annuncio feito
pelo correspondente de aples ao Times a
respeito do projectado calamento do Duque de
Aumale com a Princeza Napolitana. As ne-
gociacoes sobre esse objoclo diz a Revue de
Paris tecm continuado e estao a ponto de
seconcluirem. Elle diz, que sera celebra-
do depois da volta do Rei da sua viagem a In-
glaterra. Estao-se dilatando os aposentos de
Duque no Pulacio das Tulberias. O joven par
oceupara todo o segundo andar do Pavilhao de
Flora.
O Principe de Joinville, que se dizia adiar-
se um pouco indisposto, era esperado em Tou-
son a 18 de Setembro.
j Antonio AITonso Fcrrcira
Antonio Joaquim do Mello
Manoel Mondes da Cunba Azevedo
Joaquim Marcellinode IJrito
Antonio da Costa Reg .Monteiro
Jernimo Villela de Castro Tavarcs
Manoel Ignacio do Carvalho Mendonea
Filippe Lopes Nelto Jnior
9!)fbjxa e servil adulaco e das maiores indigni-
98
9S
91
85
8o
82
75
Joaquim Teixeira Peixoto do Abrou Lima 75
Padre Francisco Muniz Tacares
General Abreu e Lima
"clis Peixoto de Brito o Mello
Jos Pedro da Silva
7o* Rento da Cunha Figueiredo
Joo Jos Pinto
Visconde de Goianna
Vigario Joao Manoel da Costa Pinbeiro
Filippe Jos Ferreira
Joao Mauricio da Rocha. Wanderley
Joao Jos Ferreira de Aguiar
Toaquim Manoel Vieira.de Mello
Leonardo Bizcrra do Siqueira Cavalcanti
Francisco Joao Carnciro da Cunba
Antonio Peregrino Maciel Monteiro
Gregorio da Costa L. Belmonto
Augusto Frcdirico de Olivcira
Padre Venancio Delinque de Re/ende
Harao da Boa-vista
Baraodo Suassuna
G6
58
37
35
35
27
21
9
5
5
4
3
3
3
2
2
2
1
1
1
fiOmn: mearlo.
O QUE HE A PRA1A.
Quo a praia nada be, e nada vale; que lio
composta de meia duzia d'impostores, e de hy-
pocritas, cujo fim nico he pescar as agoas
turvas; de meia de ganhadores polticos, de
dades se ler insinuado no animo do Sr. Mar-
cellinode Mrilo, abusando da sua boa l. e do
pouco conbecimento que esse Sr. tinba da pro-
vincia, cobrindo com a maior bypocrisia, e des-
caramentoos seus interesses com os interes-
ses da patria u do servigo publico conseguirlo
arrancar-lbc afumas medidas pouco pensadas,
algumas nomeacQea infensas tranijuillidade ,
c ordem publica! Sua sedo d'exlerminio porm
ainda no eslava saciada, e a ambico doouro ,
e mando, quo rala esta genio vil, e mesquinba
em todos os seus manejas e combinarles, jai-
gou mais que favocavel este ensejo para a rea lisa-
cao de seus planos de inversao aeral; c na lou-
ca pretene3o de redusirem a um aulhomato esso
homem conspicuo e respeitavel, ousarao exigir
del le, que subscrevesse a todas as suasvontades,
que em summa os acompanbasse em lodos os
seus delirios, e disparates, em todas as suas
patifarias e infamias! S. Ex. conhecco entSo,
ainda a tempo do felizmente poder salvar esta
provincia o abysmo sem fundo em que estes
indignos praieiroso quoriao pricipilar! Abri
por assim dizer os olbos, olbando em de redor
de si, vio a crtera enorme do horrivel volco
da anarclna que amea^ava submergir em sua
tremenda cxplosoa bella provincia, cuja admi-
nistrado se achava commeltida a seus cuidados
paternaes, eaqueslaodos Afogados promovi-
da mesmo por aquellos, quemis de perto o ccr-
cavo, por aquelles que mais so diziio seus a-
migos, e que em sua presenca mais se oslnla-
vSo de defensores da ordem, e ta legalidade ,
promovida emfim aberla o escandalosamente por
esse triumvirato judicial,que todos os dias o ini-
portunava com exigencias ridiculas, e extrava-
gantes o desenganou afinal de lodo. Desde
pescadores dempregos pblicos, de homens^nto o Sr. Marcellino de Brito declinou sua
perdido, de gente sem lei, nem gi'si, ha mui- conianea desses traidores, e embusteiros, densca
to, que j o sabamos; porm o publico de
Pernambuco supposto comece a sentir o peso
infames que para s'elevarcm no duvidorao
querer dest'arte compromellel-o : comecou por
deisas harpas da praia ainda assim nao est j tanto a negar se as suas exigencias, e sacudi
bem desengaado do que lio i ssa gontalha infa-
me, ainda nao conhece porfeitamente, o que
sao praieiros, o que he emlim essa raca de vibo
por fim o jugo que Ihe quera impor essa cohor-
te infernal. A praia entao assanbou-se e na sua
furia prometteo aproveitar o menor ensejo de
m
ELEigES PARA DEPUTA DOS
CERA ES.
Os Srs.
, Collegio do Limoeiro.
Joaquim Nuoes Machado
Urbano Sabino Pessoa de Mello
Votos.
100
99
ras polticas que ha muilo, ro<, e dilacera | vinganca, por que julga que commette um cri-
as enlranbas de nossa querida patria ; o por i- j me todo aquello que se no deixa levar por suas
so forra he qne n5o abandonemos ainda a j extravagancias, todo aquello que qual instru-
empresa comecada, o que continuemos a des- j ment ceg nao est prompto ao menor dos seus
rnascarar essa c-bilda de infames, que se deno-! acenos do anarchia, e exterminio ; csomolhan-
mi& partido praieiro, ou nacional por irrisao. te ao tigre, que escondido aguarda a occasig
Ninguem ignora oentbusiasmo dequo a jiraia favoravel de poder cahir com soguranca sobre a
se possuio chegada do Sr. Marcelino de Brito, | sua presa; assim estes traidores infame* a-
o a alegra inmoderada a queella se abandonou guardavo a opportrinidado de a salvo darem
pela sua posso da Prosidencia Toda esta cida- pasto a sua bruteza !
do foi teste.nunba dessas famozas bachanats No tardou que ellos no deparasrem o mo-
com que a pandlha o saudou, dos seus foguetes ment dsejudo da sua ignobil vinganga ; e foi
odas suas illuminaces ; finalmente dos seus chegadadoExm sr.Tboma/. Xaxier.qnea praia
excessos, que chegaro a pontn tal, e voltarao-, desencadeaudo todas as suas furias, mos-
Ibos de tal modo a cabera, que os seus Maio- trou-so em toda a sua hediondez O Sr. Mar-
ras* sahiro pelas ras capitaneando a canalha ecllino de Rrito.aquelle mesmo por ella tio fes-
de braco alo com os homens da mais nfima tejado, o elogiado aquelle quo todos os dias
pkle, soltando foguetes, e atroando osares com ahsorvia asltenles dos mai proeminentes dos
vivas sediciosos! Suas inmundos,e alugadas fo- praieiros, aquellecnifim.que se bem que por el-
liias fizerlo ao depois urna dcscrip?ao pomposa la llu-jido tinha anda quo sem o querer, do
e magnifica das suas feslas, o do sen regosijo alguma sorte concorrido pra o triurnpbo igno-
o tao escaldada de prazer, to louca estava ain- minoso que ella alcntara nesla cidade, e em
da de alegra a gente da pandilha, que transfor-! alguns pontos da provincia, apenas foi conhe-
mou em cinco mi i pessoas gradas.wns duzentos a cido o decreto da sua desttaitao oi cobarde
tresentos rasgados, e escravos que acompanh- \ e vilmente iusulta.io, coberto de baldcs por es-
rao o tal Pedroso em semelhante deboche I isa pandilha que tem lano de infame, como
TudoentAo era alegra para a praia, tudo de immoral tanto de vil, orno de ingrata!
prazer, egosto; todos os dias o palacio s'atu-i O mesmo D. novo que outr'ora tinha enchido
Ihava de praieiros anda os mais immundos.e po- as paginas de seus lovoros, o dos seus elogios;
dros; estupidos, e basbaques tambem tinhSo o mosmo I), novo, quo nao bavia muito lempo
ahi engresso Pois bem, vetha agora, Pernam- j tinba exaltado al as nuvens, at os Ceos o no-
bucanos, qual foi o resultado final dessa pata- j mo do venerando e honrado Magistrado e
coada ; vede o desenlace desse drama de adu- I cujos tres principaes redactores ainda na vespe-
lacSoa mais purea, e servil a que toda a praia ra da chegada do vapor queimarao no palacio
foi chamada a rcprcscnlar PaSdi-c-is, be ver-ida Presidencia aoSr. arcellinode Brito o in-
dade, icareis tomados da maior indignacio, e(sensodu mais vil adulacao, naoduvidou insul-
despreso por essa pandilha de infames,mas nada tal-o, e ridicularisal-o dizendo Ihe i ntre outrss
acharis que v de encontr aos principios da j muitus cousas, que no se lembrasse man de
praia, nada de que ella nao tenha usado em to- Pernambuco I o por escarneo, que a trra
dos os tempos, e lugares Ouvi l Ihe fo>$e levs! 1 Eisaqui pois, Pcrnambuca-
Os corpheos da pandilha, esse monstruoso nos o que sao praieiros, oque he esta canalha
triumvirato judtcia' depois de eoi meioda mais \ vil, e infernal, o que he esta gente, que se jul-
MUTILADO


gii CL>m diroito de nos impor a lei Em quanto
o Sr. Marcellino de Brito eslava no pjder era
l)om Lomen, en ptimo Magistrado &c. no
momento porm que cbega a noticia da sua de-
nl," no momento em que cbega novo Pre-
iov....seis a pandilha a gritar contra elle por
todas as mas dcsta cidade, a vociferar contra
elle chamando-lhe trnhidor, ingrato, Bahia-
no e cobrindo-o cmfim dos maiores improperi-
os, e das maiores injurias 15 porque ? Por
que nao precisava mais dec Oh quo infames,
que indignos quo sao os praieiros que a ma-
neira dos Abyssinios adoro o Sol quando nascc
e aprodejo no seu Ocaso! Pernambucanos !
Attendei bem ao que vos tenho dito, acabai por
urna vez de conbecer essa gente da praia, que s
sacrihquem os deveres mais sagrados, todas as
cousas que o homem mais presa nejte mundo.
E vede finalmente que quem para promover a
sua felicidade, a sua fortuna c grand za, nao
duvida to vergonhosamente sacrificar todos os
sentimentos de honra, e gratido, tambem nao
ter dunda de vos sacrificar a vos, e do trabir
tos vossos interesses logo que isso sirve aos seus
clculos de ceg egosmo, c desmarcada ambi-
co Eisaqui o que he a praia, conhecei-a pa-
tricios, que he rnente o que anciosamenle
O verdadeiro liberal.
Variedades.
2
Supremaca dos judeos.\U. Israeli, mem-
bro do parlamento inglez, o filho do celebre
autor das Curiotidades de literatura e de ou-
tras obras, acaba de publicar en Londres um
romance poltico que foi muito appaudido. No
dito romance l-se o seguinle e curioso tre-
cho.
Nao tem havido na Europa movimento
Igum intellectual em que os judeos nao tenho
tomado urna grande parto. Os primeiros je-
sutas ero judeos: essa diplomacia misteriosa,
que a Bussia observa ha tanto tempo, oque
tanto inquieta a Europa occidental, fuiorga-
nisada, e esta dirigida por judeos : a grande
rcvolucao religiosa, que actualmente se pre-
para na Allemanha, e que ser outra reforma,
desenvolve-se sob os auspicios dos judeos quo
monopolizio de certo modo as cadeiras das
universidades allemas. Noander, profesor
do theoioga na universidade do Berlin he ju-
do, como tambem o cel.-brc Benary. Nesta
universidade ha de/, cathedratens judeos.
Ha alguns annos que os meus negocios
mo chamarao Russia he um banqueiroque
falla), e dirig-me a Sao Pelersburgo onde ti ve
urna conferencia com o Ministro da l'azenda,
e reconheci nelle o filhode um iudeodaLitbua-
nia.
Tractando-sc de um empres'imo, que ti-
nha relaciocom os negocios de Hespanha, par-
t para Madrid, o me enronlrei com o Minis-
tro da lineada, que era filho de um christo
novo, judeo Aragonez. D'alli votei a Pariz
por causa do mesmo negocio, que me obrigou
a fallar ao Presidente do Conselho de Ministros,
que era filho do um judeo Franccz, e nao era
ellecertamente o nico entro os Marecbaes de
Napoli'o, pois Massena tambem era judeo. O
cmbaixador da Prussia tomou parte as rmssjs
conferencias; era o conde de Arnin, judeo
Prussiano.
Ainda quo os israelitas nao deixo de ter
tdo entre os modernos alguns pensadores emi-
nentes, parece quo boje olbSo com certo dcs-
dem para a philosopbia ; mas permanecen! fiis
a musita que em outros tempo* constitua urna
parte de seu ensino, o tanto assim que ha bem
poucas companbias de opera ou orcheslras no-
taveis, em que nao haja algum judeo, e destB
raca tem sabido a maior parte dos grandes com-
pasitores, dos mais habis instrumentistas e
dos mais notaveis cantores. Os tres grandes
msicos, que ainda vivem, Rossini, Mcyer-
ber, e Mendelsohn sao de origem hebraica, c
os tafucs que applaudcm os accentos de Pasta
cdeGrisi nao ignoro, que tribulao as suts
homenagens a urna israelita
consignado de F. Robiliard, manifestou o
seguate :
106 toneiladas de carvio de pedra, 42 ditas
o 28 arrobas (coke) mineral para fundir, 130
gigos e t barrica louca, 53 barricas cerveja, 30
ditas pos prelos. 5 ditas lijlos, 10 ditas oleo de
linhaca. 5 ditas pixe, 37 ditas er, 14 molhos
pis de ferro, 34 chapas para g.elhas, 20 pa-
nfilas de ferro, 2 cadeiras de ferro, 2 caixas com
mezas de ferro, 2 amostras do ferro, 1 caixa
objectos de ferro, 27 latas tinta asul e verde, A
li.irns alcalrSo, 1 corrente de ierro; ao consig-
natario.
Eliza Ann, brigue inglez, vindo de Selubal,
entrado no corrente mez consignacao de Dea-
ne Youle& C, maniestouo seguinle :
295 moios de sal ; aos consignatarios.
Elizabeth, brigue inglez, viudo de Liver-
pool, entrado no corrente mez, consigna-
cao do Jones Patn & Companhia ; manifes-
tou o seguinle.
3 fardos o 3 caixotes fazendas do algodo,
100 harris pixe; a J J. Monteiro.
120 barricas servejn, 29 lardoso ti caixas
(aseadas de algodo ; a Latham & Companhia.
18 fardse 10 caixas fazendas de algodo,
2 lardos ditas de la e algodo, 11 barricas fer-
ragens ; a J. Crabtreo & Companhia.
4 fardos fuzendas de algodo ; a Fox Bro-
thers.
30 caixas cha, 4 fardos e 4 caixas fazendas
de algodo, 2 ditas lencos, 15 barras de ferro
para grelhas; a Ordem.
1 caixa rendas de seda ; a E. Comber.
6 caixas fazendas de linho, 2 ditas vidros
cortados, 2 ditas selins, 160 embrulhos ps
4 barris minteiga, 25 queijos, 0 gigos cham-
pagne. 10 caixas bordeaux ; a ordem.
J-LH. .JliB LHl--g----1------------li-L.-!- l|. ,-L-------1J-ll"----1
movimento do Porto
Navios sahidos no dia 23,
Cork ; galera ingleza Kingston capito J.
Thompson, com a mesma carga que Irouxe
de Icbaboe. >
Bio de Janeiro; barca brusileira Marta, capi-
to Manoel Pereira : com a mesma carga que
trouxo do Ass.
dem; brigue brasileiro Ledo, capitio Antonio
Rodrigues Garca: com a mesma carga que
trouxe. do Assu
Navios entrados no.'a 24.
Havre de Grace; 56 das, brigue Irancez Ar-
morique, de 223 toneladas, capitao Varlet,
equipagem 11, carga fazendas: Bolli &
Cbavannes.
Ass;7 das, sumaca brasileira Nova Aurora,
de 1(4 toneladas, capito.Manool Domingos
Jos da .silva, equipagem 11, carga sal e pa-
Iba : a Manoel Joaquim Pedro da Costa.
dem; 8 das, brigue nacional '. Manoel Au-
gusto, de 236 toneladas, capitao Jesuino
Jos Simes equipagem 17, carga sai e pa-
Iba : a ordem.
Ediraes.
= O Illm. Sr. Inspector da Thesouraria ,
em cumprimento do officio do Exm. Sr. Presi-
dente da provincia do 1.a do corrente, manda
de ferro, 1 dito e 1 caixa ignora-sc ; a J. Pa- /azer P"bl!c_. q" n dia 25 do corrente ao

Alfandega.
Rendimento do dia 24.........21:9738451
Descarrega hoje 25.
Escunaeogem-bra,garrafas vasias.alcatro
e ferro.
Brigue Trifoliumqueijos o potassa.
BrigueImportadormercaderas.
BrigueElizabetho resto.
BarcaMary Quetn of Scots(prendas.
1\.\mAdolfo batatas
BrigueCondessa de Wcslmorclandcarao.
BrigueJanes $ Esllerfarnlia.
\ PORTAC-AO.
V.ondeca de Jf'estmore/and, brigue inglez,
vindo de New-Costle, entrado no torrente mez
ter & C.
50 barris chumbo de municio, 10 lar-
dos o 7 caixas azenoas de algodo, 2 caixas
ditas de linho, 9 ditas linhas, 1 caixa ferra-
gens; a Geo : Kenworthy & C.
45 caixas,Iinbasl28 fardse 66 caixas fazen-
das de algodo,48 fardos e 11 caixas fazendas do
linho, 2 fardos ditas de algodo e linho, 1 cai-
xa e 2 fardos ditas de loa, 1 caixa ditas Je seda,
10 caixas chapeos de sol, 2 ditas farinha de
aveia, 1 dita amostras ; aos Consignatarios.
1 caixa ferragens; a F. H. Luttkens.
6 caixas la?endas de linho, 10 ditas o 6 far-
dos ditas de algodo ; a Me. Calmont & C.
8 caixas fazendas de linho, 4 fardos ditas
de algodo, 100 barris manteiga ; a J. Co-
ckshott & C.
40 barris manteiga, 44 cestos vinho engar-
rafado ; a Boop Brooking & C.
52 caixas e 3 fardos fazendas de algodao, 1
caixa amostras ; a Russell Mellors & C.
12 fardos fazendas de algodo ; a H. Gi-
bson.
10 fardos e 8 caixas lazendas de algodo ; a
Royle & C
18 fardos e 22 caixas fazendas de algodo ;
a Ro*as Braga & C.
14 fardos fazendas de algodao ; a W. ""E.
Smith.
13 fardos c 24 caixas fazendas de algodo,
\o caixas e 4 lardos lencos; a Adamson & C.
14 fardos 15 caixas el fardel fazendas de
algodo de cores ; a Deane Goule & C. e Or-
dem.
1 caixa chapeo ; a C. Star.
40 gigos batutas ; ao Capito.
3 saceos amostras; a diversos.
Edwurd Hayes; barca ingleza, vinda da Li-
verpool, entrada no corrente mez, a consigna-
cao de Deane Youle & C. manifestou o se-
guinle :
917 caixassabao, 5 ditase 12 fardos fazen-
das de linho, 48 caixas lazendas do algodo, 5
harneas ferragens ; a Johnslon Pater & C.
92 fardos e 47 caixas fuyendas de algedo ;
aos consignatarios.
3 caixas didosdilo; a Latham & Hibbert.
1 barrica comestiveis, 1 caixa ignora-se, 1
embrulho cabos ; a Halliday Raymond & C.
18 caixas e 6 fardos fazendas de algodo, 2
lardos ditas de linho : a R. jamerson & C.
80 gigos louca ; a J. Cockshott& ('.
4 caixas laiendas de linho; a Me. Calmont
& C
7 ditas d;los dito: a Henry Gibson.
3 caixas fazendas de algodo, 500 barricas
farinha de trigo, 4 caixas lazendas de linho 1
lardo ditas de la 1 barrica ferragens ; a G.
Kenworthy I caixa msicas, 1 dita livros e roupa, 70
ditas qucixos, 100 ditas ginebra ; a J. Houk-
heym.
II caixas e 7 fardos fazendas de algodo ; a
B. Rnyle& C.
:;0 barris plvora e. i. Monteiro.
20 ancoras de faite, 2 caixas fazenuas de
algodo, 22 barricas xhis, 17 ditas copperas ,
1 gigo lou^a. 180 latas tintas, 2 caixas verniz,
saceos amostras, 1 embrulho ps de ferro, A
i.irrinhesde mio 1000saceos vasios 5 bar-
ritas bolaxa, 9 bariis carne 37 presuntos ,(
2
meio dia, iro a praca, conforme o regulamento
das arrematantes de 11 de Julho de 1843 os
reparos da cadeia da cidade d'OImda, com as
clausulas especiaes abaixo transcriptas.
!.
Os trabalhos e obras dos ditos reparos se-
rs feitos de conf irmidade com o orcamenlo
approvado em 30 do proxi mo passado mez pelo
Exm. Presidente da provincia pelo preco de
quatroecntos e noventa e dous milreis.
2.*
/.s obras principiars no prazo de quinze
das, o lindar; o no de trez mezes; ambos conta-
dos na conformidado do artigo 10 do regula-
mento das arremataedes.
' 3.*
O pagamento realisar-se-ba na forma do ar-
tigo 15 do mencionado regulamento sendo de
trez mozes o prazo de responsabilidade
4.'
Para tudo o mais que nao esta determinado
peles presentes clausulas, seguir-so-ha inteira-
ramente o que dispoe o regulamento das arre-
ma taces de 11 de Julho de 1843.
Os licitantes devidamente habilidados, com-
pareci, no mencionado dia na mesma The-
souraria
Secretaria da Thesouraria das Rendas Pro-
vinciaes, 14 do Outul.ro de 1844. O.Secre-
torio interino, JoBo Valentim Villela.
6 O Illm. Sr. Inspector da Thesouraria
das Rendas Provinciaes manda fazer publico,
que em os das 25, 29 e 30 de Outubro prxi-
mo futuro, ao meio dia, se ba de proceder a ar-
rematagaoem hasta publica, quem por menos
fi cidade do Recifc, por tempe de aniso c meio,
contar do 1. de Janeiro em diante
As pessoas que se propozerem esta arrema-
tadlo comparrcao perante a mesma Thesoura-
ria, nos das a cima indicados, munidos de fia-
dores idneos. E para constarse mandou afli-
xar o presente, e publical-o pelo prelo.
Secretaria da Thesouraria das Rendas Pro-
vinciaes de Pernambuco, 25 deSetembro de
1844. O Secretario interino Joo Valentim
Villela. (H
Jt-L-I-----JU,
Stoclaracdc s
O Escribo e Administrador da Mesa de
Rendas Provinciaes desta cidade, abaixo assig
nado, faz publico, para que chegueao conhe-
cimento de todos, que, em conformidade do
art. 16 do regulamento de 19 de Abril de 1842,
mandado aqu executar pela lei provincial n.
130 deMaio desle anno, que todos aquelles,
que por qualquer titulo adquirirem predios ur
baos, sao obrigados, no prazo do tres das, a
Ia7ercm declararlo nesta Repartico, averban-
doos referidos.titulos deaequisico e deminio,
sob pena de urna multa de cem mil ris. E pa-
ra que conste, mandei affixara presente, e pu-
blical-a pela mprensa.
Re.ife, 24 de Outubro de 1844. ix
Francisco de Mello Cavalcanti.
O Escrivo Administrador da Mesa de
Rendas Provincias dcsta cidade, 8baixo assig-
nado. faz publico, para quo chegue a noticia de
todos os propietarios de predios urbanos, desta
cidade e povoaco dos Afogados, que, em con -
formidade dol., art. 21, tit. 6. do regula-
mento de 16 de Abril do 1842, mandado ab-
servar pela lei provincia! n. 130, de Maio deste
anno, os devdores do imposto da decima ur-
bana,'que nopagarem no termo marcado pela
lei, sero multados em 3 por cento do valor do
debito ; avisa porlanto aos mesmos propieta-
rios, que ainda nao teem pago, venho na Re-
part'igo competente realisar seas dbitos, pora
nao incorrorem na referida mulla.
Becife, 24 de Outubro de 1844. Luis
Francisco de Mello ( avalcanti.
4 PUBLICACAO LITTEBABIA.
GALERA
das
ORDENS BELIC10SAS E MILITARES,
desde a mais remota antiguidade at os nossos
dias.
Subscreve-se na praca da Independencia li-
vraria n. 6 e 8 a 8,500 rs.por anno, pagos adi-
antados, onde se receber todos os nmeros do
l.'anno, e6do2.<1: cada numero contem 2
estompas coloridas, e 8 paginas de impresso
no formato de folha de papel de peso.
Osediclores desta obra teem em vista publi-
car resumidamente o que foro as ordens reli-
giosas de um e outro sexo, como se fundro,
dividirao e ramilicrao, cuaesseus lundadores,
que vida tivero, de quo virtudes se adornarlo,
e o que fizero a bem da religio e humanida-
do : as ordens militares nao resrlo esquecidos
os importantes servicos prestados pelos institui-
dores religio e 6 civilisago. Por esta inte-
ressanto publicacao conhecer os leitoresa
que ordem pertencem os que cxictn ciiire m's
como os Carmelitas, Bentos e Franciscanos,
e as militares Christo e Aviz. (2
DOZE ANNOS DA VIDA DE UM
DEPUTA DO,
drama em A actos e A pocas, dedicado briosa
naci Brasileira, pelo autor dos Tres vicioso/,
Bala/ha dos (uararapes, Morte de Teles Jor-
dito, Santa Engracia, e oulras, se representar
domingo 27 e segunda feira 28, por ser dia
santo.
1." poca Cabalas e elcicoes do matto.
2.'pocaProjectos, discusses, camarss
municipacs, tratado com os Ingleses, reforma
de leis, bem geral do povo
5.a poca Ttulos, cendecoraces e em-
pregos.
4.a poca Maldico, desgraca e mortc.
Para mais abrilhantar o espectculo, no do-
mingo se cantar urna aria de Rossini, da pera
Tancredo; e na segunda feira, um dueto da
pera a Italiana ern Argel.
Personagens do drama.
O Soberano, Eleitores, Vigario do mato,
proprietario, um carpinteiro de carros, povo de
ambos os sexos, Fidalgos, Ministros, Senhoras
da curte, criados de ricas libres, tres Depulados
de diflerentes credos polticos, soldados.
O autor dedicou esta sua humilde produeco
ebriosa naci Brasileira, e, contando coma
indulgencia publica, espera ser to feliz nest8,
como as outras composices.
Principiar o espectculo pela cantoria, s 8
horas e mea, impretcrivelmente.
Comquanl') a companhia se ache reforcada
com tres actores dos theatros particulares, com
tudo o Sr. Gamboa e sua senhora laro na peca
doitQ ir,!!"ccar\l#e nftnno nnr cnrtw inflISOCn-
saveis no drama dez actores e cinco damas.
Aviso* mariiBos.
1 Segu para o Rio de Janeiro o hrigu9
Alaria 1, forrado de cobre, .de boa marcha,
quem no mesmo quizer carregar, ou ir de pas-
sagem, dirija-se a Gaudino Agostinbo de Bar-
ros, na ra da Cruz n. 66, ou ao Capitio Jos
Luiz da Fonceca, bordo. (6
fip i '"*
Leudes.
O corretor Oliveira tranferio para*segun-
da feirs 28 do corrente, as 10 boras da manba
o leilo da mobilia do Dr. Thberge, consis-
tindoern excellentes pianos, mesa de meio de-
sala, bancas, Iremos com pedra marmore, cadei-
ras, sof, relogio de repetico para cima de me-
sa, lavatorios, louc/as, um rico oratorio de Jaca-
randa com linda imagem e pinturas, urna sineta,
bomba do cobre, fogo de ferro com cano de
cobre, e muitos outros object s da mor utilida-
de; c assim mais muita mobilia nova de um mar-
cineiro quo se retira, e por isso sen vendija por
todo n nnrn n CBSH "tic fn! dn rnllecio 00
meninas, principio da ra do H spicio.
1Terca feira 9 do corrente, haver le
lio de urna porco de caixas com queijos, che-
gados de Liverpool ltimamente por contae
risco de quem perlencer ; no Cais da Alfande-
ga, na porta do arinazcm de Francisco Dias
Ferreira. (6

MUTILADO
J


*
Avisos diversos.

1 0 Beneficiado da noite do sabbado, 26
do corrento, da pessa, intitulada os doze annos
de um Deputado, agradece a todas as possoas,
que Ihe fherao a honra de aceitar buhlos para
oseu beneficio, visto que deixa de o fnzer por
motivos, o portanto avisa a todos seus protec-
tores em geral. *
l=Jos Marin de Jess Muniz embarca pa-
ra o Rio de Janeiro o seu oscrava Ambro/.io ,
crioulo. ('"*
l=Jos Mjria de. Jess Muniz como admi-
nistrador da casa do seu pai Antonio Jos Mu -
niz embarca para o Rio de Janeiro o oseravo
mulato. Joo Luiz, (4
l=D se dinheiro a juro sobre ponhores de
ouro ou prata : na ra estroita do R -zirio n.
35, se dir quem da. (3
=Na reinacao d.is Cinco-pontas n. 48 so
precisa de um caixoiro que d fiador a sua con-
ducta, preferindo so dos que ltimamente cho-
gariodo Porto. (4
1=A fabrica de sabio da ra Imperial n.
116 continua regularmente nossoas trabalhos,
o tem grande porcio de sabao escuro o amarel-
lo pelo preco do costumo dellOrs. li-
bra. (5
=-No dia 22 do corrente furtario um ca tal-
lo caitanho escuro da olaria da Passagem da
Madaleua defronlo da Capunga, com cabo ri-
pado, um pouco discarnad com o ferro trian-
gular; quem souber delle ou achal-o o levar a
mesma olaria ou no sitio do Gujueiro, que se-
ra recoiiipcrauC;.
in
l=r\luga-se o primoiro andar do sobrado
n. 26, com muitos bonscommodos para gran-
de familia : na loja do mesmo no Atierro da
Boa-vista (4
=Manoel Francisco do Nascimonto, mora-
dorna freguezia dos Bezerros, termo da co-
marca do Bonito, perdeo um meio bilhelede
n. 3978, da 2.* parte da lotera de S Pedro
Martyr de Olinda, e por isso previne ao The-
soureiro da mesma lotera, para que nao pa-
gue qualquer premio que por sorte baja de
sabir no dito bilhete se nao ao annunci-
ante.
1 Lava-seeengomma-se roupa com toda
a perfeicio por preco com modo : na ra do
Trapiche-novo loja n. 28.
LOTERA do THATRO.
O andamento das rodas desta lotera foi
transferido para o dia 27 d Novembro prxi-
mo futuro porassim baver annuido o Exm. Sr.
Presidente da Provincia, o que se fa* certd ao
Publico ; os bilhetes achao-se venda no Bair-
ro do Recife, loja de cambio dos Sr*. Vieira,
o Manoel Gomes, no de Santo Antonio boticas
dos Srs. More ira Marques, e Cbagas, no da
Boa-Vista loja do Sr. Jacinto.
1 Roga-se ao Sr. cstudante do Olinda,
que veio, lia das, com um seu amigo, tam-
ben) do Olinda, ra da Cruz do Recife na
venda, que nao ignora, e pedio para fazer u-
ma carta, e conontindo o caixeiro da dita ven-
da, os ditos Srs. passro-se para dentro do
balcSo, e um dclles por cassuada tirou de den-
tro da gaveta 4320 rs., e tendo so interrogado
aos mesmos Srs, a respeito, os mesmos diserio,
que dariao a mesmo quantia logo, que rece-
besiem dinheiro ; o eomo so tem esperado al
hoje, codito Sr. nao voio satisfazer, por is-
so pede-se aos mesmos Srs. que hajSG do
quanto antes ir, ou mandar a dita quantia, e
se o contrario fizer, passar pelo desabor de ver
oseunome, e do seu amigo por extenso. (17
__ Lava-so ropa com muitoaceio, e nao se
demora mais do una semana; quem precisar di
rija se no pateo do Carino n. 7 segundo andar,
que se dir, quem he.
Huma Senhora do bons costumos se on-
carrega da criacio de meninos de pcito impedi-
dos o desimpedicos, e tambem recebe meninos
para so desmamar, no que promette esmerar-se;
quem do seu prostimo quizer utilisar-so di-
rjase ao pateo do Carmo n. 24 : na mesma
casa vonde-se urna tualha toda aberta do lava-
rnto e um berco anda em boin uso com seus
curtnadose dous casaes de pombos de muto
boa qualidade, por preco commodo.
1__Aluga-se casas para se passar a festa, ou
por anno no sitio do C&jueiro, com grandes
commodos para grande familia, junto ao rio;
quem as pertender dirjase ao mesmo sitio
para ajuslar: tambem se aluga o segundo so-
brado da ra Nova, junto a ponte da Boa-Vista;
quem o pretender pode fallar na loja do Sr.
Viliaca, junto ao mesmo sobrado. (8
- Em trras do engenho do Brum 'urtirao
um cavallo castanho, de seis a seto annos, car-
nudo, altura media, estrella branca na testa,
com urna erida na sarnollia, a qua anda nao
est si ; quem o pegar, ou der noticia, a.lian-
te do engenho do Brum cjs do troto Manoel
Joio, ser gratificado.
1-t No dia 26 do corrento, a porta do Sr.
Dr. Juiz do Civol Nabuco, puls qualro horas
da tarde, se hado arrematar, por ser a ultima
praca, lodos os efleitos e pertonces da Taberna
da ra Direita n. 31 ; quom na mesma qui/.er
lancar comparoca em dita praca, o que ludo
consta do escripto em poder do Porteiro Serra
Grande. (8
1=Aluga se o segundo, e terceiro andar do
sobrado na ra da Guia, com bastantes com-
modos para familia, sendo o aluguel do segun-
do 12* e do terceiro 80 mensal ; osprclen-
dontes dirijio-se defronte do Corpo Santo, loja
de cabos n. 17 que acaro com quem tra-
tar. (7
l = Deseja-se fallar ao Sr. Jos Joaqum
Ribeiro, para se Iho entregar urna encommon-
da vinda de fra ; a fallar com Fernando Jos
Itraguez no seu armazem ao p do arco da
Gonceicio. (5
Da-so pi de vendagom, a pretos, e pretas,
(cando seus Srs. responsaveis; o paga-se bem
a vendagem.e sendo opao da melbor farinbaque
ha no mercado, e tambem se d i a gente forra;
as Cinco Pontas padaria n. 63. (5
=0 pastoleiro da padaria do Atierro da
Boa da vista n. 66 avisa ao rcspeitavel publi-
co que tem estado bastante docnte, porm
agora acha-se restablecido, c que continua a
fazer todas as qualidades de holnhos como do
costume, e assm como pasleloes, o assadys,
o bandejas armadas, pao e bolaxa do superior
qualidade, das mclhores farinhas que ha no
mercado.
Appresso-me implorar ao Juzo de Orphaos
desta cdale para quo ponha em administradlo
a casa e pessoa de minba chara mai a Sr.* D.
Lourenca Corroa, cujoostadode demencia he
indisputavel ; nao tanto p r se nao extraviaren!
os poucos bens do cazal, como para evitar des-
granas que possio vir a ter lugar entre os dous
rm's Jos da Silva Neves e Manoel da Silva
Nevos, visto que este ultimo procura por todos
os meios desacreditar o primoiro obrigando at
sua propria mai a fomentar com annuncios
usa intriga misoravel, abusando assm da dig-
nidado daqaella quo Ihe deo o ser e quem
mais devera respeitar, e contra um irmfio que
sempre foi bom filho, e nunca at o presente
se vio, seno por elle onxovalhado: obre por-
tanto o Juzo de Orphios com a precisa ener-
ga e nao consinta que por mais lempo se abuzo
da firma da pobre velha quo nio sabe o que
faz.
Joanna Amanra da Silva IVecti.
1Cecilia Mara Aucta do Quintal, avisa
que tem vendido o seu escravo Francisco, do
naci Benguella, para (ora da provincia, ao
Sr. Manoel Luiz dos Santos. {5
I0 abaxo assignado como procurador
bastante de Luiz SantAgostnho residente na
provincia do Mnranhio remolle para Ihe se -
rom entregues os seus escravos Renovata parda
com dous lhos men .res Manael, e Terfina.
Manoel Gomes Viegas.
O abaxo assignado pede encarecidamente
a todos os seus devedores de 1835 a 183, tan-
to. Hita praca como es que se achOo fra de!!.,
que em atteneao ao demasiado lempo que os
ha esperado, e as boas maneiras com quosam-
pre os ha tratado, compareci em sua casa na
ra do Gollegio n. 18 terceiro andar, ou na
ra da Cadeia de S. Antonio n. 19 deporito
defarinha, no prasode sessenta das para pa-
garen? os dbitos aosquacs da o abaxo assigna
do o abato de 80 por cento,sobre o principal e
juros, e at far qualquer outro negocio anda
mais vantnjoso aos devedores, conformo o seu
estado prosente assim como avisa a aquelles que
nao comparecorem, que usar para com elles
de todo o rigor fazendo publicar os seus nomes
pelas folbas, e empregando os meios judiciaes
para cobrar as quanias por inluro.
Manoel de Souza Pereira.
Vendo a manera por que o mou irmio o
Sr. Manoel da Silva Neves procura desacreditar
a outro irmio o Sr. Jos ua Silva Neves, obri-
gandoa nossa mii a Senhora D. Lourenca Cor-
roa assignar quantos annuncios e papis Ihe
aprsenla, e vendo a facildade com que a mes-
ma minha mai presta sua aisgnatura, nio pos-
so dexar de lamentar um semelhante estado, e
de mios dadas com o Manool levarao a pobre ve I do respectivo Thosourero, ra do Collcgio n.
Iba para casa do primeiro onde so acha ella en- o ; oulrosim scienlilica igualmente aos mes-
tregue mil privacOes e mais que lado em es- mos Srs., que aquelles que tiverem de olerccer
tailo de se poder abusar de sua firma para ludo os seus bilhetes de Socios, o nao poder i lazer
0 quo quizerom, pois consta-me quo ella tudo .sem nrimeirameito proprem em sessao da d-
assigna. Confiada no Juiz o do Orphaos, espe- reocio as pessoas a quem os ofTerecerem, para
ro quo alguma providencia lome com a precisa serem por ella approvados; para cujo fim so
brevidado. Mara Joaquina da Silva. j reunir sexta fierra 25 do corrente, s 7 horas
1 SOCIEDAE APOLUNEA. da tarde, om casa do Sr. Director interin, na
A Commssio Administrativa da sociedado, ra do Rangcl, sobrado de um andar n. 56,
Apollinea avisa aos Srs. Socios, que tem mar- onde os referidos Srs podero ir, ou enviar
ado o dia 9 de Novembro prximo para a ulti- jsuaspropos is.udvertindo que aquelles que nio
ma partida deslo anno: as propostas para conv- forem Socios, ou convidado; dcstes, approva-
tes serio rocebidas na sessao do 26 do corrente
havondo-se por rnuito recommendado aos Srs.
Membros da CommissSo o comparccimcnlo nos
sa sessao. (9
1 = Qualquer mestre rarpina que se acno
as circunstancia* de desempenhar a obra .iu
ponto da Tacaruna com toda a perfeicio ; diri-
dos pela direcciio, nao turao
lea de Socios.
plu-
(19
1 Raspar da Silva Fres embarra para o Rio
de Janeiro o seu escravo pardo de neme Do-
mingos *
1Precisa-se de dous meninos, de 10 a 12
annos, dando-9e o sustento e roupa para o
ja-se aoTenenle Coronel Manoel Joaqum nos trabalhode olaria, at qiiando cstiverem amos.
Afogados para fazer o competente ajuste. (5 ttados deganhar; as Cinco-pontas a fallar
2- O Sr. que tem urna carta vinda da pro i com Ignacio Ferrelra da Costa. W
, ,,' ,- ;- 3 AJaea-se o sobrado vincia das A agoas, com urna quantia ooi- ? ... .,,,. ,,,. vr.^ifiAi n
... o i i da ra Imperial do Atierro dos Alagarlos na
nheno nao pequea, e que procurou. hapou- tra,eMac,Lima o aual lie oronrio ara ter
rogar ao Sr. Dr. Juiz de Orphio queira tomar
__ Henry Foster & C. embarcio para o Ro |uma medida semelhante respeito; que so o
e Janeiro o seu escravo Christovao, de naci respeitnvel Tribunal da RelaQo ulgou insuITi-
. .i ciento o juiio de selo mdicos que unanima-
"\ Roubaro, no dia 24 do correnso. da mente declararao achar-se aquella nossa mai de-
ruada Sanzala-Veha n. 60 um buril de chou- mente todava a demencia be um facto, ea
ricas com falta de 15 a 16 libras, na occasilo curatella respectiva he um beneficio quo pe-
que se eslava jantando; roga-se a quem fr of- lo menos pode concorrer para que se nio do_al-
ferecd) de o prender, o participar no numero gum successo dosgracado entre aquelles rmaos;
a cima, que ser recompensado. (6 consta-me at que o Constancio da Silva Neves
eos das, no Convento deS. Antonio desta ci-
dade a quem a entregar, queira dirigir-so
ra das Cruzos n. 4i, que achara a pessoa a
quem deve ser entregue a dita carta. (7
LOTERA DE S. PEDRO
MARTYR DE OLINDA
Nao pode lr lugar o andamento das rodas
desta lotera no dia 10 do corrente, em conso-
quenca de existir grande quantidade do bilhe-
tes anda por vender; porm tora agora inai-
livelmente no dia 6 do mez de Novembro vin-
douro porassim ter determinado o Exm. Sr.
Presidente da provincia ou anles distose se
venderem o rstante dos bilhetes. Os ditos bi-
lhetes achao-se a venda na ra do Cabug lejas
dos Srs. Pereira & Guedes e nos mais luga
es annunciados. (15
3 Um homem de meia idade e de boa con-
ducta so oflererc a dar lices, em casas particu-
lares,de primeirasleltras,contar.grammatica por-
tuguesa, e francez, com todo o melindro, por
preco commodo na ra Nova n 67. (5
3 Eduardo Augusto Pereira Brando, geral
e bastante procurador de sua av D. Rosa En-
gracia do Santa Maria d'Ahreu Brandio, mi
o herdeira do fallecido Alipio Justiniano Perei-
ra, que nesta cidade era vulgarmente moheci-
do pelo nome de Antonio Joaqum Pereira,
tem resolvilo vender um magnifico sobrado do
dous andares e sotao, anda por acabar, na ra
de Apollo, e novo moradas do casas sitas em
Fra do Portas ; quem as pretender pode dir -
gir-se ao hotel de Lu/, l'islor, na Lingoeta, a
tratar com o mecmo. (12
3Aluga-so por preco commodo urna casa
confronte a entrada do becco do Pombal, na
Solidado, com todos os utensilios para venda :
a tratar na mesma casa, ou sitio. (4
2 Venda em hasta publica.
Sabbado, '26 do corrente mez de Outubro,
pelas 4 horas da tarde impreterivelmente a
porta doSr. Dr. Juiz de J3iruito Nabuco da
segunda vara do Civel, se hio do arrematar
em hasta publica, 71 saccas de farinha de man-
dioca mofada entrando duas avariadas por
conta e risco de quom pertencer vindas da ci-
dade da Bahia no palacho Conceico de que
he capitio Joaqum Jos Antonio cujas saccas \
forio avaliadas por 71# rs.
ma o qual :ie propno para
familia eescriptorio as lajas, qu.; estio bem
arranjadas, tem quintal de bom lamanho e po-
co de boa agoa ; a tratar na mesma ra so-
brado n. 39. (7
1 Aluga-so na cidade de Olinda na ra
de S. Bento, um sobrado com bastantes com-
modos para so passar a festa por preco rasoa-
vel ; a tratar na mesma cidade na ra do Am-
paro na primfracasa que principia a ra
dos Gatos ou na ra do BomSucesso, casa do
escrivioda colecta Joao Goncalves Bodrigues
Franca. '
3 OITercce-se um liomcm casado para fe-
tor de algum sitio, olaria ou para administra-
dor do alguma obra do quo tem conhecimen-
tos, e presta fiador a sua conducta ; quem o
precisar annuncie.
[9
e se achio no ar-
3 Carlos Hardey # Companhia estabelcci-,
dos no pateo da matriz do S. Antonio n. 2, com
loja de ourives acabio do receber um lindo
sortimento de obras de ouro do ultimo gosto ,
como sejao ; Iranselins para homem aderocos
para senhora brincos, anneis, alllnotes ca-
xas de prata para rap maracaes para meni
nos ; na mesma loja se fazem encommendas do
qualquer qualidade que ellas sejao tanto de
ourives como do cravador, e compromettom-so
a fazer qualquer obra de brilhantedo gosto mo-
derno e fazem tambem qualquer concert de
ourives. (**
3_ Avista da falla que constantemente ha
do rap de Lisboa nesta provincia, lembra-se
aos amantes desse genoro nenhuma sensiblll-
dade se pode sentir com esta Talla, pois que
havendo nos depsitos do stevio Gasse da ra
da Cruz do Recie n. 38, e ra do Livramento
n. 13, um rap denominado Princesa meio gros-
so e dito grosso fabricado no Rio do Janeiro ,
o qual j he conhecido por immensas pessoas ,
o pela sua excellenle preparacio so tem torna-
do recommendavele merecido a estima de mui-
tos tomantes pela semlh8nsa aquello rap ;
por isso julga do seu dever advertir a aquelles a
quem dito rap nio he conhecido que nio s
acharo hoje a venda nos depsitos, como a re-
talho em algunos lojas desta cidade. (16
2=Aluga se a melado de urna casa a urna
Senhora capaz com pouca familia, no patio do
Carmo n. 24, na mesma casa vende so urna tua-
lha do bretanha fina tuda aberta de lavarinlo e
um berco bom us m o com seus cortinados. (5
2 Aluga-so um grande sitio na campia
da Casa-forte, com um bello copiar na Irente,
masem de Fernando Jos Braguez, para os {0 ptimas accommodaces, cosinha fura, coxei-
pretendntes a verem na ra da Cadeia junto
ao arco da Concei?ao n. fi*. (14
Tes A medicinapopular americana, e as
pululas vegelaes quo a muitos annos, estio em
uso em todos os paizes tropicaes, tem se prova-
do como urna medicina inestimavel, sendo pre-
parada de proposito para clima quente, e com-
posta do ingredientes que nem requerern dieta
nem resguardo o pode ser administrada a en-
anca mais tenra.
Cada caixinha leva o seu receituano, custa
.)000 risa medicina pupulare americana de
30 pululas, o 800 ris as pululas vegelaes do Dr.
Brandreth de25 pululas.
Avisa-se ao publico que a medicina popular
anda nio appareceo falsificada e para maior
seguranca das verdadeiras pululas vegetaes,
vendo-so de boje em diante cada caixinha em-
brulhada no seu receituario fechado com a firma
dos nicos agentes para o Brasil uo Rio Janeiro.
Vende-so nesta praca em casa do nico agen-
to Joio Keller ra da Cruz n. 18, e para maior
commodidade dos compradores na ra da Ca-
deia em casa da V>uva Cardoso A y res, ra No-
va Guerra Silva e Companhia, Atierro da Boa-
vista, Salle eChavei. 24
1 Precisa-so de um rapaz Portuguezde 14
a Ifi annos. para urna loja de fazendas fra
desta pra?a ; na ra da Cadeia velha n. 30 (
Sociedade theatral Philo-Thalia.
O l.o .'"ecretario avisa nos Srs. Socios, que
os bilhetes para a recita de 26 do corrente serio
distribuidos nos dias 24, 25e26, em casado
ra o rslribaria, muitos arvondos de fructo,
campo para quaesquer plantacoes e para ca-
11 i ni ; ,ii(iga-so mensa! ou uiiiiuaiinente, na
run do Amorim n. 15, ou na estrada do Cor-
deiro, sitio deNuno Maria de Seixas. (8
2 Precisa-sede una pessoa que saiba tra-
balhar de bauzeiro, cu que queira aprender; na
ra do Gollegio n. 15 (3
2Vicente Francisco Mendcs das Cbagas,
morador noencenho Meguahipe de baixo, em-
barca para o Rio de Janeiro o seu oscravo de
nome Domingos, de Angola. (4
Quem precisar de um rapaz Portuguez,
com idade de 20 a 22 annos, que sabe bem ler
e escrever, que deseja tomar conta do alguma
casa de negocio por balanco, ou mesmo para
outra qualquer occupac,o, annuncie.
2 Precisa-se de 2:700,000 rs. a premio
de um por cento ao mez,sobre t ypotbeca om um
sobrado bem construido, sito na ra da Praia ;
quom quizer dar, annuncie. (4
2 Aluga-se, para se passar a festa, o sitio
dos Arcos, na Ponte do Ucha, com tres casas,
baixa de capim ; trata se na ra da Cadeia do
Recife n. 43. (4
2=Roga-se a pessoa que achou urna peque-
a carta para o Sr. Antonio Coelbo de Mello
Sor&rft, a queira ir entregar no rapdio do
Pelourinho cuja carta foi perdida desdo o
pateo de S. Pedro, ras do Livramento, Quti-
mado, Crespo, ponte do Recife, ra da Ca-
deia, c\c ; isto na noute do dia 22 do coi-
rente. (3


crrela para o
quern for seu
n. 2 venda
Silva # Fragoso fazem sciente ao publico,
que so os agcnlcs da Revista Universal Lisbo-
nense nesta cidade; os Srs. que qulzerem as-
signar, dirij3o-se a ruada Cruz n. 43.
Alugao-so, ou vendom-se candas abortas ;
na ra do Culdeireiro n. 50.
Os Srs. Joao Jos Vieira da Silva e Fran-
cisco Verissimo liandeira queirao annunciar
suas moradas pu dirijao-sea ra Bella n. 37,
primeiro andar que so llies deseja fallar.
Quern perdeoum cordita de ourocom urna
flga encastoada ein ouro dirija-se a casa do
Subdelegado do P.ccife que Ihe sera entregue.
Amanha 26 do corrente as 4 horas da
tarde, se ha de arrematar, a porta do Snr. I)r.
Juit de Direilo Nabuco, os alugueis da propriu-
dade sita na ra do Kangel n. pertenecnte
ao Reverendo Silvestre de Jess Ferreira Lins ,
por execugao que contra elle movo Antonio
Domingues de Almeida Passo.
Quern precisar de urna rapaz Pc-rtuguez ,
de 16 annos sabe ler e escrever perfeitamen-
te para qualqucr arrumacao de loja, ou ar-
mascm, o qual da dador a sua conducta an-
nuncie.
Tirrao-so duas carta do
Sr. Jos Joaquim Fernandes ;
dono dirija-se u ra do itozario
que volta para a policia.
O Sr Adrianno Manoel Soraros, morador
em Olinda queira mandar o que prometoo ,
no Atierro da Boa-vista loja de allaiato.
Urna pessoa que tem bastantes conhe-
cimentos do foro civel, so offorece para cobrar
divida." delivro e let'ras, e fazer conciliacocs ,
prometendo as pessoas que o encarregarem des-
tes negocios a maior brevidade que he possi-
vel em taes casos, assim como ser rasoavel
em seus ajustes ; quern do seu prestimo se qui-
zer ulilar annuncio
Roga-se ao Sr. Joaquim Jernimo Serna.
de ir tirar os seus penhores no praso do 3 das,
do contrario sero vendidos.
D-sedinheiro a juros com penhores do
ouro, rnesmo em pequeas quanlias; na ra
daPraia n 22.
Na ra Direita n. 87 aluga-se urna ca-
sa terrea com armac5o propria para fasendas ,
ou miudesas; a tratar na mesma casa.
Na ra da Cadcia do Recifo loja de Vi-
cente Jos de Brito, existe urna carta para o
Sr. Filippeda Silva Porto vinda do Aracaty ,
no hiato Flor de Larangeiras.
Os abaixo assignados laten sciente que
teem admittido como socio de sua casa o Sur.
Joo Broadbent e que a casa contina giran-
do debaixo da antiga (Irma. Richard Royle
$ Companhia.
Quern procisarde urna preta mullo ladi-
na e fiel para o servico de casa o de ra, dirija-
se a ra das Calcadas n. 24.
1 As pessoas que desejo ter seu retrato
pintado a oleo com toda perleicao o por prego
commodo dirijao-se a ra Formosa n 6. 3
1 Precisa-sede um caixeiro ; na reflnaglo
da ra da Senzalla-nova n. 4. (2
1 Aluga-se um grande armasem proprio
para qualquer estabelecimonto, por ler embar-
que a toda hora na porta por preco commo-
do ; a tratar na ra da Praia de S. Rita n. 37 ,
segundo andar. '
1= Precisa-se de um cont derois na cida-
de da Babia para se dar nesta cidade igual
quantia ; a tratar com Manoel Jos de Maga-
lhaes Basto na ra do Queimado. (4
1Jos Leonardo embarca as suas 3 cscra-
vas para o Rio de Janeiro de nomo Maria ,
crioula Maria, e habel de nago Angola. (3
1 Aluga-se urna oxcellenle casado 4 an-
dares n. 38, na ra da Cadeia do Recile com
cacimba c ptimo mirante ; a tratar na mes-
ma ra n. 3o 4
2 Manoel Antonio de Alcntara faz scien-
te ao respeitavel publico que pretende com-
piar a armacaoda venda da ra Direita n. 8, ao
Sr. Vicente Ferreira Gomes cuja armacao o
(iitoSr. a recebeoem pagamento dos alugueis
da casa em que eslava estabelecido o Sr. Joao
Jos de Moura. -
3 Precisa-sealugar um preto para serven-
te de piDtores que seja flel ; na ra das Cru-
zes n. 28, loja de pintor o vidraceiro. fj
2Aluga-se o segundo, ou terceiro andar
do sobrado da ra estreila do Rosario n. 2 ; a
tratar na praga da Boa-vista, loja de chapeos
n. 26 ; na mesma casa compra-se urna escrava
de O a 8 annos.
2 Precisa-so de um orficial de chapeleiro ,
que saibalazer caixasde chapeos com perfeicao,
d-se bom ordenado; na praga da Boa-vista I
n. 2C. (4
i Quern annunciou querer comprar um
ehronometro, annunce. 2
2 Aluga-se por preco commodo a loja do
sobrado o. 45 da ra da Roda muito propiia
para inarcineiro, ou carpina ; assim como alu-
ga-se o segundo andar e sot.io ; a tratar no pri-
meiro andar do mesmo sobrado. 15
2 Aluga-se urna casa terrea na ra da Co-
ceicao da Boa-vista com bastantes commodos;
o o armasem do sobrado n. 38, da ra larga do
Rosarle, proprio para algum estaboleeimen-
to ; e tambem urna casa a margem do rio Ca -
pibaribe; a tratar 00 Atierro da Boa-vista n. 53 ,
com Adrianno Xavier Pereira de Brito. (7
2 Aiuga-se urna casa terrea na ra da Mari-
gueira da Boa-vista com commodos para urna
grando familia tcm seis quartos sendo dous
forra Jos sala grande adianto e atraz, cosi-
nha fra quintal e cacimba ; a tratar na ra
da Aurora n. 4S, ou na ra da Cadeia do Re-
cito loja de Manool Cardoso Aires. (7
2 O abaixo assignado faz sciente ao publi-
co que Manoel Gomos da 9!! va dsisou de ier
ingerencia em o seu negocio tendente a loja de
alfaiate na ra Nova n. 26 desde o dia 15 do
corrente, o por isso previne aos devedores da
dita loja, que so a cargo do abaixo assignado
osla o recobimento de todas as dividas por Ihe
llcjrem porlencendo, ficando de nenhum effeito
m.n!mjr recibo que passado pelo dito Gomes
p)ssa apparocer. Antonio Ferreira da Costa
Rraga. ___ (H
2 Xa noute do 22 para 23 do corrente des-
apparoccod:) Atierro dos Afogados, defronte
do viveirodo Muniz da parte da mar gran-
de um boto com os seguintes signaos pinta-
do de preto por fra o o fundo de almagre ,
edentro verde como fundo preto paneiro de
ihadrez na proa e na popa corrido de bancos e
lugar do so collocar outre chadrez; quern dele
souber dirija so ao Atierro dos Afogados n.
67, que ser gratificado. (10
3 Aluga-se urna casa terrea oplima para
se passara fosta em Olinda, na ladoira do
Varadouro da parte Ja sombra com bom
quinta! com alguns arvoredos ; a tratar com
Joaquim Lopes do Almeida caixeiro doJoao
Matheus. (6
2 Rap fino Vinagrinho.
Jernimo da Costa Guimaraes e Silva, deso-
jando elevar o rap de sua fabrica ao ultimo
grao de perfeigao inaodou Europa conlrac-
tarcom um perito fabricante a factura do rap
do sua fabrica, o qual, logo depais desua che-
gaJa esta cidado, apresonlou o excellente rap
vinagrinho.
Este rap nao ho prclo he verdadeiramente
cor do rap: (al he a sua proparacao, que urna
oiiava d este rap espaiaJa subi um papel con-
serva por minios dias a pouca humidade com que
he f.i!)ricado;accommoddo a todas as difieren tos
nalurezas, elle faz o seu efleito sem que esti-
mule aos lomantes e sem que e9tes soflro a
repugunancia que custumao a sentir quando
variao para diffcrenlcs qualidades de rap ; as
hcelas, e os dedos nao se sujao com esle rap ;
o seu bom aroma, e todas as mais qualidades o
lorniio recommendavel aos aprociadores de urna
hoa pitada: o papel do cmbrulho he azul, c os
rotlos hrancos. O proprictario.lcndo em vis-
la mais o crdito d'este rap, que os seus inle-
roces.tem resolvido mandar vendel-o as libras a
1400 ris, ea prego mais commodo de 5 libras
para cima : no deposito da ra da Cadoia do
Kecife n. 50. (26
2 Vende-seum mulaUnho de 14 annos, bo-
nita figura, proprio para aprender qualquer
officio ou para pagem por saber bom mon-
tar ; na ra do Crespo, ioja da esquina n. 2,
que volta para a ra da Cadeia. (5
2 Vende-se arroz vindo do Maranho lti-
mamente, a 1280 rs. a arroba; no armasem
de Fernando Jos Braguez ao p do arco da
Conceicao. (4
2Vendem-se saccas com farinha d man-
dioca ; na ra da Cadeia-velha a. 35. (2
2 Vendem-se diccionarios da lingoa por-
tuguea por Francisco Solana .Constancio ,
edicao de 18 i muito bom encadernados, com
chapas e melbor papel do que a outra edicao,
pelo mdico preco do 12# rs. ; na ra Nova ,
loja de livros de Bez Deshayos, n. 34. (4
2 Vendem-se 3 pequeas moradas do casas
na ra do Calabouco-velbo ; na ra do IIorlas
n. 110. (3
em bom uso e por proco commodo ; na ra do
Aragao venda da esquina que volta para o
pateo da S. Cruz n. 43. (4
I Vendem-se lencos pretos de seda da In-
dia, e setim do Macu. ; em casa do Matheus
Austin & Companhia na ra do Trapiche-no-
vo n. 36. (4
1Vende-se rap novo do Lisboa; na ra
da Cadeia do Recifo loja do Jo5o da Cunha
Magalhaes. (3
1Vende-se um escravo pardo, bom car-
reiro do 23 annos couros de cabra escolhi-
dos sola superior, cera amarella pennas de
emas e bezerros ludo por preco commodo ;
na ra da Cruz n 51. (5
1 Vendo-se umoculode alcance, novo e
de superior vista ; atraz deS. Bita n. 48. (2
]_ Vende-se urna escrava de nagao com
umicria do 6 mezes, tem muito bom leile ;
urna escrava de 1S annos cose, engomma e
2 Vendem-se superiores bichas de Ham-^cosinha : urna dita com algumas habilidades;
burgo, grandes 0 pequeas; na ra estrella
doRozario, venda da esquina da ra das La-
rangeiras n. 10 e na esquina do Rosario n.
11; tambem sealugao. (S
2Vende-se urna porgto de arroz de casca ;
um escravo moco, ptimo pira o servico de
campo; na ra larga do Rosario n. 29. (3
9Vendem-se 3 osera vas, sondo urna parda
do 16 annos, c duas prctas, sondo urna de i
Compras
2 Comprao-se dous papagios bonitos e
bastante lalladores; na ra do Amorim n. 41.
1 Compra-se um escravo do 15 a 26 annos,
que saiba cosinhar, e nao tenha defeitos pa-
ga-se bera ; na rua|da Cadeia do Recife loja
n. 26, na esquina do Becco-largo. (4
1 Comprao-se os Panoramas de 1840 e
1811 ; no Atierro da Boa-vistan. 3, segundo
andar. (3
1 ComprSo-se effectivamente para fra da
provincia escravos de ambos os sexos de 12 a
20 annos agradando ,pagao-se bem ; na ra
da Cadeia do S. Anlonio, sobrado de um an-
dar de varanda de pao n. 20.
1 Compra-so urna morada de casa terrea
nobairrodo S. Antonio, um collar grosso de
ouro e sem fcitiq; na ra Direita sobrado
do um andar n. 56.
Vencas
4Vende-se. ou lrona-.e urna casa de sobra-
do na ra do Aragao por oulra terrea no
bairro da Boa-vista ; na ra da Gloria casa ao
p da fabrica do Gervasio. n
2 Vendem-se macaes ebegadas ltimamente
do Porto a relalho e aos ceios a 3 e 4# rs., pas-
sas novas a 320 rs .amendoas a 320 rs. boli-
nhos franceses, massosde urna duzia a 240 rs.,
doce de goiaba sortido por preco commodo ;
nu ra eslreita do Rosario, venda n. 8.
2Vendem-se, por preco commodo, os li-
vros seguintes ; um rico diccionario geogra-
phico o meihor que tem apparecido ; um dito
'Mino, porFonseca, contender de fbulas;
Salustio ; Cornelio; arte latina ou novo me-
thodo; o novo testamento de Jess Christo; urna
potica por Horacio ; um Telemaco ; dous ma-
nuaes|cncyclopedicos;um diccionario hespanhol
e inglet e vico-versa; o tratado do estado actual
da monarrhia portuguesa ; Cicero ; o segundo
volunte da historia da America ; o 5 e 6 vofu-
me da historia de NapoleSo ; diccionario fran-
cezeinglez; eas seguintes novdlas ; les petits
homenes2v.; la floret myslerius2v. ; Leo.
pold de Cerc 2 v. ; le Capucin 1 v. ; lo 21 de
Javier 3 v. ; Iza 3 v. ; Monsieur le Preset 3 v. ;
Mimuit ou le moment fatal I v. ; Petits Ro-
mans 3 v. ; la premicre nuil de mes noces 2 v.;
octavia i ,. odos estes livros em bom oslado;
na travessa das Cruzes n. f. hq
2 Vende-se urna bonila escrava de 20 an-
nos cose, engomma, ensaboa e cosinha per-
feta mente ; na ra eslreita do Roza rio n. 34,
primeiro andar. ^4
annos ea outra de 28, com bonitas figuras ;
na ra da Cadeia-velha n. 60. (?
2Vende-se farinha de Araruta a 200 rs. a
libra ; as Cinco-pontas venda n. 32. (2
2 Vende-se urna preta ladina, de bonita fi-
gura propria para todo o servico e vende na
ra ; no Fortc-do-Mattos prenca de Jos Ri-
beiro de Brito. (4
2Vendem-se apparelhos de porcelana dou-
rada muito fina para cha porta-licoros, ga-j
iheteiras para azeilo o vinagre, campoteiras ,
gsrrafas, copos, clices para vinhoe licor tu-
do de cristal, mangas do vidro inglez globos e
castigaos, tudo muito fino o mais barato do
que em oulra qualquer parte; na ra da Cadeia -
volha loja de looca n. 19. (S
Vende-se urna bonita mulata de 16 annos,
engommadeira cosluroira e ensaboa! um mo-
leque de 1C annos bom pagem, e serve bem a
urna casa ; urna negriuha de 10 annos, propria
para ser educada ; na ra Direita n. 81.
Vendem-se duas fardas finas urna com
muito pouco uso urna barretina e urna cana-
na para Artilharia tudo por prego commodo ;
procurem a Joao Fernandes na imprensa da
Typographia desle Diario.
Vende-se urna parte do sitio cm Bebirlbe ,
que foi do fallecido Souto faz-se todo o nego-
cio ; e dous barris que forao de azeits de car-
rapato ; na ra Direita n. 56.
Vende-se um pardo que sabe trata* de
gado tira lelto trabalha de eoxada, cosinha
e sabe pdr urna mesa por prego commodo ;
na ra de Agoas-verdes, sobrado n. 70.
Vende-se urna porgSo de taboas proprias
para caixas de assucar, ou para qualquer ou-
lra obra ; urna negra moga de bonita figura; na
ra da Cadeia do Recife, loja de fasendas n. 37.
Vendem-se superiores couros rJe bezerro ,
j apparelhados e promptos para calgado ; na
ra da Cruz n. 64.
Vende-se urna escrava de 18 annos bo-
nita figura ecom habilidades ; na ra do Ca-
bug loja de cera n. 3.
Vende-se manteiga inglcza a 630 e 720
rs., e franceza a 600 rs. cha de caixa grande
a 2/o 2400 rs. biscouto francez o mais fine
possivel em massfnhos de duzia a 240 rs.,
uvas em potes e libras a 520 rs., passas a 280
rs. amendoas com casca a 280 rs. bolaxi-
nha ingleza a 240 rs. letria a 260 rs. macar-
rao a 200 rs. chocolate de Lisboa a 280 rs. ,
espermacete americano a 880 rs. e francez a 780
rs., farinha do Maranho a 60 rs. cevada a
80 rs., cevadinha de Franga a 240 rs. car-
nauba a 320 caf em grao a 160 rs., e moido
a ^00 rs. toucinho de Santos a 180 rs. lin-
guigas a 360 rs., paios a 2560 rs. a duzia, quar-
tinhas grandes a 280 rs. ditas a 80 e 120 rs.,
batatas a 50 rs. graxa a 150 rs. cerveja a 5/
rs. a duzia e 440 rs. a garrafa paneiros com
sal do Maranho a 560 rs. esteiras le Angola
a 320 rs. vinho de Lisboa a 220 rs. a garrafa
e a caada a 1600 rs. vinagre muito forte a
l/rs, a caada e a garrafa a 140 rs. aieile
doce a 460 rs. a garrafa quoijos Qamengos a
1360 rs. farinha do trigo a 80 e 90 rs., e mui-
to (loa a 100 rs., e todos os mais gneros por
prego commodo ; na ra laiga do Rozarlo, ven-
dada esquina n. 39, por b8lxo do sobrado de
4) andares.
Vendo-se urna escrava de nagBo, de bo-
nita figura ; na ra do Aragao n. 1 segundo
Andar.
Vende-se umcavallo cardo puchando a
pedrez de 5 para 6 annos, bom passeiro,
bem ardigo, bonita figura e sem achaques; na
Solidado, venda da esquina, que vai para a
ra de Bcllem n. 20.
1 Vendem-se bichas de amburgo cho-
cadas ltimamente pel ultimo navio ditas
bespanholas, al0/rs. ; na ra da Cruz, de-
Jronte do becco do Port das Candas loja de
barhniro n. 43. 0
1 Vendem-so 3 caixes de ourives, com to-
dos os utencilios taz, forja, carro de puchar
fio martelos, &c. tambem so vendem sepa-
rados por prego muito commodo; na ra dos
Pires, casa de Cyprianno Correia. (5
1 Vende-se urna banda do seda para ofllcial,
duas ditas do meia idade ; 4 escravos de nagao,
sendo um bom canoeiro; um moloquc de 13
annos; e um dito de 8 ; na ra Direita n. 3. (7
1Vende-se urna cadeirinha ; um piano do
muito boas vozes ; macacos de estivar algodo,
e botijes de oleo de linhaga na ra do Amo-
rim n. 15. (4
1 Vendo-so a venda n. 7 do Becco-largo ,
a dinheiro, ou a praso ecom os fundos que
o comprador quizer, tem commodos para fa-
milia e o aluguel he commodo ; a tratar na
mesma venda. (5
i Vende-se sal de espuma muito fino e
alvo proprio para casas particulares; na ra
da Praia armasem n. 18. (3
I Vende-se urna negra crioula, moga o
ho propria para o matto ; na ra larga do Ro-
sario n. 30, segundo andar. (3
I Vendo-so panno fino azul a 1400 e 220o
rs. o covado ; no Atierro da Boa-vista loja
n. 14. (3
1 Vende-se gomma do araruta a 320 rs. ,
sag de primeira sorto horvilhas muito novas;
na pregada Boa-vista venda n. 18. (3
IVende-se effectivamente cal preta e bran-
ca muito fina por prego commodo; na vendada
esquina da Ponte-velha n. 33. (3
i Vende-so um trreno com 120 palmos
de frente, na estrada da Capunga com arvo-
redos novos e torra propria de plantar ver-
duras ; quern pretender annunefe. (5
1 Vende-se superior rap do Lisboa vin-
do no Tarujo Filhos em botes e oitavas; na
ra da Cadeia do Recifo loja n. 50 de Antw-
fiio Gomes da Cunta o Silva. (4
2 Vendem-se barricas com farollo muito
novo chegado ltimamente de Lisboa pelo
ultimo navio por prego commodo ; na ra da
Cruz n. 52. (4
Escravos fgidos
50^000 rs. de gratificagao.
1 Fugio no dia 5 de Outubro de 1844 pe-
las 9 horas da manhaa um mulato acabocola-
do de nome Cosme, baixoe reorgado do cor-
po reprsenla ter 17 al 19 annos de idade ,
pouco maisou menos ; levou camisa branca e
caigas de algodaozlnho trangado com riscas
azues quando falla inclina a cabega para urna
banda e a bocea da mesma forma desconfla-se
que esteja em algum lugar para o mallo a titu-
lo de forro; quern o pegar, leve ao largo do
CorpoSanto n. I.
1 Pedo-so com instancia a todas as auto-
ridades policiaos e especialmente aos capi-
laes de campo, a captura da preta escrava Ca-
tharina de nagao Angola ladina, alta bas-
tante secca do corpo seio pequeo cor rnui-
to preta bom fefta de rosto olhos grandes e
vermelhos, com todos os dentes da frente, ps
grandes e metidos para dentro muito conver-
sadera e risonha de 22 annos ; ha toda des-
condanga de estar oceulta em urna certa casa ;
cuja escrava portence a Manoel Francisco da
Silva, morador na ra estroita do Rosario n.
10, terceiro andar, ou em seu sitio em S. Ama-
ro. (,4
No dia 18 do corrente fugio o preto Chris-
tovao, de nagao estatura mediana, reorga-
do do corpo, do 33 annos ; levou camisa e
caigas brancas ; quern o pegar, leve a ruado
Trapiche-novo n. 8 que sor recompensado.
1= Fugio no dia 2 do corrente o preto An -
Ionio baixo de 40 annos ; levou camisa de
chila, caigas de ganga azul o chapeo velho de
palha he quebrado c nao sabe fallar; quern o
pegar, leve ao boceo do S. Pedro n. 14 venda
quo volta para o Livramonto que ser grati-
ficado, /y
Ainda continua a estar fgido desde o dia
primeiro de Julh p. p. o preto Joo, do nagao
Cagango de 24 annos reforgado do corpo ,
corhptn preta denles mui aivos o os dous
da frente da parto superior fazem urna aberti-
nha para os lados, que parece ser foita a lima ,
ps chatos, he muito ladino tem o costumede
andar empre com um oacetinho na mo he
serrador, tambem tem costume do ser pachola,
e quando falla moslra um ar alegre ha noti-
cia deque anda para as parles de Nameth do
Norte pur ler sido para alli sedozdo por uma
certa pessoa do Monteiro ; quern o pegar, leve
a ra da Praia do S. Rita n. 37, quo sera recom-
pensado.
vciRPB m Ttp. oh 11 K. nu Fama. 18*4.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMMA60BLB_WJ5N8M INGEST_TIME 2013-04-12T22:45:01Z PACKAGE AA00011611_05208
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES