Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05207


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A ano de
^Hm.ia fi'eira 24
loa O* mi|ur mu forera di aitjinaiura
il rl. por qimrll pagoa idiinladna. O*an aialligaantea vio in*jrn>..,
,-.ii, e 09 dqatioe nao forera .i rn.io de SO r.ii por liaba. A> reclimicoes iltirin ser diri- .'
i >i.. ru dai Cruiei n- 34 ou k prega di 1...1-...- u.,.-,. |..j, ,t lirroaa. 8
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
r.iHiMt,' Panhyba, *e;undaai> aexaaa feiru.Rio (rinde do Norte, cbeg 8*22 e par
le a 40a 4.Cabo. Serinhaern. Rio Formlo, Macey, Porto Cairo, AUgoaa: no i. -
i 1 a '2 dnada mt. Garinbuna e Bonito a xOa -4 de ca m I io. Citada da riotorii -viintn Cairas. Olinda iodo o diis
das da semana.
-_>l SeR a. Urania. And do .1. de I). di 8. t.
2-' Tarja s Maris Salom. Re. lud. do J. da D.di 3. t.
I Qnafta J.vioCaplalra.no Auil do .). de D. da 3 t.
Qllalf s Rafal \r.:injo And do .1. de D da '2. T
ob Saltan Chrispim e Crispininno. Aud doJ. da di i. r.
6 Sih s. I Ral, a.id. do J di O. di 1. t.
: I- i [tnparadjfi
de Outubro
Atino XX. M. 259*
-. f^BmammmmmxMam:


CaHIlOS ajo l>U B0.
eoBij >ra
vrnda
-:/' :- 'i'/'S V-v-.'
foabM aobte | nom,
t !' franco
u u Lisboa 11U .- jmn.ii,
ida '.- 10 par
Idni dt Ulna ..'r i.. II finias 1 pOrOia
IV,7(HJ
H
Ditos Metoi I ,J\;
asoaaa_ni!
PHASES DA LA NO MEZ DE 01 I BRO.
. U min. da ni "Hll r. .datara,
ala a i aJ J ;, .:aa ) mu II llrd .i ] tarda.
frsanar de fcoje,
''riimri:, : hura min f>-l da i r'o. | Stgundc M in 18 minuto! da I


DIARIO DE PERNAM
L

lugar de
ERRATAS.
NoCollcgio do Pao do .libo em
! laquim Manoel \ eir de
!ea-sc Manuel Joaqun. Carneiro da Cunha, 38
No do Cabo leve 9o votos o Barao da Boa-
visla e nao 93.
Mello, cotu 38
As participac,es offioiaes do llavana chegSo a
I de Agosto, e do Porto Rico a 28 do Juibo.

.

Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DO DI \ 17 1)0 COMIENTE.
OlTicioAo Juiz de Paz do 1 districtoda
cidade da Victoria, declarando cm resposta ao
souoicio do i.i ueste m-z que pareeo-lhe
mais regular que na apurac&o das cdulas na
eloieo para Vereadores e Juizes do Paz, que
so vai alli proceder no dia 3 do Novcmbro pr-
ximo em razao de se baver julgado nulla a
que. d'antes se fuera funccione a Mesa, que
ja se acha organisadas.
DitoAo Commandanto das Armas auto-
risando-o mandar desligar do corpo da Guar-
da Nacional destacada, o rocolheraos batallio s
i ijue dantos pertoneiao, o Cabo d'Esquadra
Jos Jernimo da Silva o os soldados Manoel
Antonio do Nascimento. demente Rodrigues,
Manoel Rodrigues de Sousa e Antonio Gomes
de Oliveira.
DitoAo mesmo significando em resposta
ao seu olicio de bontem (16) que os indivi-
duos que orem na Corle demiltidos do serv-
co do cxcrcito, o vierem para esta provincia
com destino as demais do Norto pdem, em-
quanto nella so demoraron), ser addidos ao De-
posito para por alli porceb'rem urna racfio
I etape o tratados no hospital regimental ,
<|iiamo adoeccrem ; visto, como S S. infor-
ma ser esta a pratica seguida. Coinmuni-
cou-se ao Comtnissario-Pagador.
DitoAo Chele de Polica determinando,
expeca suasordena para _que o [tieso de ustica
-istinbo Fernandos Cntanbo de Vasconcel-
'-, CODdcmnado pelo Jury sele annosde
pris3o, Beja removido para cadeia ; visto, so-
gund>i represcntou o Commandantu das Armas,
nao offerecor a precisa scguranca a fortaleza
das Cinco-Pontas onde se elle acha. Parti -
(ipou-se ao Commandanto das Armas.
DEM DO DIA 18.
fficioAo Presidente e ao Secretario da
Associacao Commcrcial, acceitanto e agrude-
i nido o convite para socio honorario que por
seu intermedio I lie loi dirigido em carta de 17
do corren te o asseverando-lhes, que envida-
ra todos os meios ao seu alcance, para que nes-
ta provincia prospero o cominercio que ,
quaudo bem dirigido, lio a mais fecunda fon-
te da riqueza e prosperidade dos estados.
DitoAo Doutor Jos Antonio Poroira Ibia-
pina cortee lendo-Ine a Icmissao, que pedio,
do lugar de 4.' Supplente do Delegado do l.6
diitricto d'este termo. Conununicou-so ao
(befe de Polica.
DitoAo Bacbarel Manoel Teixeira Pex;i-
to aecusando recepcao do seu officio o 5
d esle mez em que communica ter no dia an-
. I ... I -
ut iiic rnii,i / n t \<-, \_ !>.. y, ud Uto silln
nal da comarca do Brejo.
DitoA' 'amara Municipal do Olinda, do-
clarando em resposta ao seu ofiicio de 15 do
correte, que a renda liquida do imposto das
canoas d'agoa he que deve servir de base para a
arremalayao do mesmo imposto.
DEM DO DIA 19.
Portara Nomoando Delegado do termo do
Brejo ao respectivo Jui Municipal Vicente
Perreira Gomes Communicou-se ao Chele de
Polica, inlelligenciando -se-o deque, em
idasua requisito de G de Julho
He lugar ocida-
rbomaz Alves Maciel.
"lci tu-
da Sotembrojquasi nada adiantao as noticias q
colbomosdos jornnesdo iorto,e q'j publicamos
luste,entre osjomaos das diversas odres poli- Em ambos os pontos se gosava de traoquillida-
ticas, urna grande polmica sobro o decre de, e tinlia sido muito (estojado o anniversario
to de 1 de Agosto ; sustentao uns que elle be natalicio da Rainha 1). Mart Chrstina.
attentatoriodaliberdade.e lettraeaoespiritosa Segundo a Tiempo, corriao alguns rumores
carta constitucional, e outros, quo s assitn so de moditicagao ministerial; porm o mesmo
podeni destruir os planos da revolta que acabou jornal diz aque laes boatos nao teem funda-
em Almeida, e que agora se entrncheirou nos ment algum, o que os Ministros so conservars
TribunaesSuperiore na Magistratura da pri- nos seus postoa pelo monos atea abertura das
meira instancia o as academias. j Cortes.
Osjomaes da opposicio atacao muito do j Noticias de Barcelona dizem. que lora alli
frente o .Ministro hespan\iol em Lisboa, Gonza- j muito bem recebido o decreto da formacSo de
les Bravo. I um banco de descontos, depsitos etc. naquella
O Diario do Gwmo de 10 de Setembro cidade, pois que be mais ui
publica urna convencao celebrada entro o Co- do do Coverno a lavor daquella provincia,
vorno portuguez o o da Blgica, para re- Conlinuao os jornaes a publicar as listas das
guiar a transmisso do bens dos subditos das candidaturas eleitoraes das diversas provincias,
duas respectias naeoes. Os nomes dos Srs. Madoz e Olozaga apparecem
Tambem publica em 9 do referido me/. I na candidatura de Patencia.
um decreto abolindo o terroiro publico co- Segundo a Posdata parece quo os inimigos
mo mercado uni, e exclusivo do cereaes. oceultos da actual ordem de cousas em Hespa-
As noticias do Hespanha chegSo al 3, e do riba escolhrSo a provincia de Toledo para prtr
Diario do Governo de Lisboa copiamos as se- em execocSo os seus ridiculos planos, e conse-
gu ntes : guir por moio da miseravuis intrigas dividir a
hespanha. grande maioria sensata dos eleitores, quo darAo
27 de agosto. seus votos a favor dos candidatos conservadores.
As eleicoes continuavao oceupar a altencSo L'm defltes meios he ter feilo circular 1G diffo-
publica. A commissBo eleitoral do partido mo- rentes candidaturas, e incluir em todas ella'
narchico constitucional do Madrid.j tinha con-' mais ou monos nomos respeitaveis ue todas as
cordado na candidatura a qual se coutpe dos cores polticas.
seguintos individuos:Senadores O Duque! As cartas de Cdiz annunciao que o Sr. D.
de Castro-terreno ; o Mrquez de Miradores; o ; Antonio Alcal Galiano recusara a candidatura
Mrquez de Penlta-ilorida: D. Thomiis Aznar; daquella provincia, persislndo em querer ficar
D. Domingos Ruiz de la Vega ; D. Jos J- separado d;>s negocios polticos, c mostrndose
coechea.DeputadosD. Francisco Martnez resentido da ingratidao com quo tem sido ira-
do la Ro/.a ; I). Candido Nocedal ; D. Anto- tado.
nio Alcal Galiano ; D. Jos Mara Fernandez i () Sr. D. Leopoldo Augusto de Cueto, Secre-
dolaHoz; D. Paulo Cabrero; D. Bernardino tario da LegacSo bespan'-ola nesta Corte, che-
Nunez Arenas ; o Duque de branles; I). Ma- noel Guerrero D. Jos Eugenio liquizabal ; gado de oflicios, para o Ministro dos negocios
o Mrquez de l'ovar. Estrangeiros.
Nos demais districtos os candidatos porten- () Heraldo dizque recebeo um communicado
cem quas todos ao partido moderado, e entre doSr D. Jos Mara de Salas e Serrano, mnni-
elles notao-se t.sactuacs Ministros. festando ter sido falso e calumnioso ludo que se
Os carlistas ser\em-se do todos os meios para tem dito acerca de urna projectada conspiracao
tridos daquella Capital. Este partido obteve
nessa votar/o, na maior parle dos districtos, 140
i- lanos votos, em quanlo os absolul
podcrSo obter mais que 30 v tos. Parece, que
cm alguns districtos. os progressistas que con-
corrorao urna, votrSo com os moderados, pa-
ra que os carlistas nao vencessero, No primei
ro dia de votaco para Deputados ti Senadores ,
alcancrao os conservadores mouarchicos-cons-
titucionaes de KiT vetos a 287, que obtevi
Sr. Martinc/ de la Rosa ; em quanlo os rar-
listas s alcancrao 60 votos. Neste caso paro-
ce ndubiUvel o triumpbo do partido monarebi-
co-conslilucion.'il em adnd.
Segundo noticias de Barcelona, o Geosrs!
Narvaez apparerc frente da candidatura da-
quella cidade.
O Duque de Ahumada, no oxercicio do seu
novo cargo, j tinha fe.lo varias propostas, para
Offlciaes dos tercos das guardas civis, de pesso-
as conspicuas.
Diz a Posdata, que o Sr. Martioez de la Ro-
sa ddvia partir de l'aris no dia 2 do correle .
para vr encarregar-se, em Madrid,do Ministe-
rio dos Negocios Estrangeiros.
Tinha ebegado a Madrid l>. Antonio Gon-
zlez, Presidente do Concelho de Ministros, no
lempo da regencia do Espartero.
Corra o rumor de que o BarSo de Meer dei-
xava a Capitana General da Catalunlia.
Hacia oblido urna audiencia do General Nar-
vaez, I). Manoel Innocencia Velasque/, Com-
missario da repblica de Venezuela, para enta-
bolar com a Corte de Hespanha as relatos iu
terrompidas desde a separncao das colonias bes-
panholas. De ambas as partes se nianifestrao
os maiores desejos do reconciliaco.
illudir os incautos, e obter maioria aselec.Ces.
Um (lestes meios bocollocar Irente das candi-
c.Mitra os emigradosbespanboes, que se acbavSo
cm Gibrallar, os quaes,segundo se diz.sepreten-
daturas nomos do pessoas respeitaveis, e at o dia trazer Iludidos Hespanha, para os entre-
dos actuaes Ministros, como acontece na cand- gar ao rigor das leis. Segundo o mesmo coin-
datura do Toledo. Porm oflir.i.a-su que essas j municado o Cnsul de Hespanha em Gibrallar ,
pessoas respeitaveis, de cujo nomo teem abusa- aecusado do dito crime, nao teve com 08 emi-
grados olilras relacoi's seno as ofTiciaes no
do vao desmentir esse partido, declarando pe-
a imprensa, que rejeitao taes candidaturas e
a
bomos jornaes do Lisboa (\

10
(juo nao tiverao parle alguma nellas.
(guando em toda a Hespanha se oceupao qua
s exclusivamente das eleicoes, be singular que
na Biscaya nao se trate deste assumpto. Urna
carta de Bilbao transcripta no Tiempo diz
que alli ludo permanece, sem dar o mais leve
signal de querer tomar parte na lucia eleitoral ;
quando antigamente em idnticas circunstanci-
al ludo se punha em movimento.
No dia 2o do passado teve lugar em Victoria
a exbumagao dos restos do desgranado D. Ma-
noel Montes do Oca, Ministro que foi da Mari-
aba e Commercio.e vctima dos acontecimentos
deOutubrode 18U ; para seren trasladados a
Madrid. A ceremonia oi feiia com luda a
pompa ; assislindo ella todas as autoridades;
o umitas pessoas distinctas.
O Sr. Armero, actual Ministro da Marinha ,
parti para Fuentes, na Andaluzia, onde se acha
gravemente enferma urna irmaa sua.
Tambem sabio de Madrid, para tomar ba-
nhos mineraes, o Capitao General Mazarredo ,
ficando interinamente encarregadoda Capitana
General, o segundo Commandanto, o General
D. Fernando Fernandez do Cordova, a quem
substituir no Coverno de Madrid, o General D.
Quinlioo VeUsco.
31idem.
Heraldo diz que oGevcrno j tem prepa-
j, para apresentars Cortes, os projectos de
-obre Conoelbo de Estado, tribunacs
I rali vos, municipalidades, e deputaces
exercicio do seu caigo.
Enlretaudo, segundo diz o 7/empo,proceda-
se em Gibrallar a urna devassa sobre este as-
sumpto, na qual se acha envolvido o dito Cn-
sul, que ia sor citado pcranle o Tribunal de
J ustica.
O General Narvaez tinha sido comprmcnla-
do no dia 31 do passado, seu anniversario na-
talicio, por todos os Generaos e Officialidade da
guarnieao de Madrid e por um grande nume-
ro de pessoas notaveis. A' nouto tcncionavao
as msicas dos corpos da mesma guarnieao dar-
Ilio urna serenata.
3 de belembro.
A Gaceta de Madrid pubiica u segunies
decretos:Um apr.rovando a renovaco do ul-
timo contrato feito com o banco de S. Fernan-
do, para abrir um crdito ao Governo de 100
milbS s de reales, pelos mezes de Setembro e
Outubro ^oulro conCedendo a Gra-Cruz de
Isabel Catbolica ao Sr. Castro e Orosco, cx-M-
nislro da (iraca e Justica, o oulro nomeando o
Duque do Ahumada, Inspector do corpo das
guarda$ civis.
Tambem publica urna ordem concedendo l-
cenca ao General D. Santos de S. Miguel, para
residir em Soria ; e um programla para a ro-
cepcao dos restos mortaes, em Madrid, do des-
granado Montes de Oca.
As noticias ofliciaes da liba de Cuba annun-
ciao gosar-se ulli, de completa tranquillidade.
Tinho j comecado em Madrid os escruti-
eleitoraes. O partido monarebico-consti-
tucional venceo ludas as mesas dos dozc dis
PORTUGAL.
De una carta particular de 7 de Selembro
ebegada pelo navio quo entrou bontem neste
porto, vindo do Lisboa, extractamos o so-
guinle.
Novidide do paiz.
As cortes ainda se acbao fechadas e diz-se
que abrem-se para o primeiro ue Outubro; mas
ha alguma probabildade de nao so abrirem. A
Bainba tem estado em Cintra.-Tem feito muito
calor ; o Cosa Cabral tem oslado bastante do-
ente, mas ainda Dos Nosso Senhor se lembra
dos portugueses; por isso j vai alguma cousa
mellior : foi as caldas, e quando veo forao dous
vapores com os seus amigos ogistas recebel-o a
Villa Nova mas sem logeles: bouve urna s
msica, comidas, e bebidas,
A empresa do ihealro de S. Carlos nao pa-
gou as lotrasjo Res retirou a fianca; cnomeou-
se una commissao para examinar as contas de
perdas quo a empresa avalia em 10:000* rs.
mas que as ms linguas nto acreditao.
No 1.a de Agosto pagou-se o mez do Abril,
e por tanto o negocio nao vai bum. Tem aqui
havido tima guerra muito forlo contra as im-
prensas do Patrila, Jievoluco, e Tribuno;
mat alies teem vencido porque o poder judicia-
rio tem decidido as questoes a seu favor. 0
Ministerio publico tem appt liado dcstas senten-
cas, persuadido do que por esse meio conse-
guir azer caiiar esies jornaes, a aiguns dos
quaes lem arrestado, como aconteceo com a
fevoluco ; mas ellos, nao obstante isso, vao
apparecendo, e continuao fortes conlra o Go-
verno.
A cscala do passeio publico esta-se apromp-
tando a toda a pressa ; nao sei para que no es-
tado de penuria em que nos adiamos, s se he
para fazer sobre ella algumas propostas.
Diz-so e passa por ceito, que o Duque do
Palmella so relira para a Hollanda sem limite
de lempo.O motivo o futuro o dir.A Rai-
nha deo parle que eslava peijada de 3 mezes,
pelo que se esto fazendo preces publicas.
Diz-se que os Ministerios vao ser redusidosa
quatro, sendo supprimidos o da Justica,ea dos
Negocios Estrangeiros,
A mai ra da cmara dos Deputados di-
zem que dosettara visto j se contarem na op-
posicao 4S Srs. ; se assim he os a razao pela
MUTILADO


9
fjual provavelmento o Govorno nao abrir as
corles; entretanto veremos.
A ultima hora.As cortes abrem-se no ul-
timo desto mez, mas dizem que smente para
approvarem a transact-ao que se tom enlabo-
lado do contrato de tabaco ; depois do que fica
r a Carta Constitucional suspensa por 3 annos
para organisar devidamento o paiz. Isto be o
que Se diz,mas com alguma probabilidade. Pa-
ga-se hoje o mez de Mato: creio que nao vai a
cousa m Mas ainda 80 espera peior,
Duque nao sabio por emquanto e julga se
que nao sahir.O Tmciro publico oi re-
formado por um decreto do Govcrno.
Ninguem Ihe resista,nem homens.ncm mulbe-
res; escapavaodess'arte perseguicao de um
credar, ao alcance da loi, aos dissabores domes-
ticos, s vinganc.is narliciilaroa
Mis oque aconteca quando Itivadavia,segun-
do a fama europea,fazia floresceracivilisacao na
America do Sul !.. (Continuar-se-ha)
Variedades.
II seo llanca
CiRT\S SOBRE & AMRICA DO SUL. (*)
VII.
O General liosas.
Quando o General S. Marlim declarara que
um Marechal de ["ranea nao valia um booi
Sargento da America, quera somante dar a
entender com isso que a guerra como a fa-
zj'o na Kuropa, era impraticavel all. J mos-
trei o que restava dos beres da independencia ,
pesados na balanca do genio americano; be
preciso pois, reconbecermos que o mesmo
modo de julguros homens e as cousas nao pode
servir em ambas as margen do Ucceano, e que
o bom e ojusto. sobretodo em poltica, tm sua
latitude como os climas.
Nao he portante no ponto de vista da Franca
que Rosas deve sor apreciado, e aim no da -
merica. Todos terio ouvido dizer que Rosas
era implacavel no exercicio de seu poder ; que
nao sabia distinguir nem prente nem amigos
na senda em que encontrara obstculos; que ,
em fim, feria sem aecusar e applicava o cas-
tigo sem pronunciara condemnacSo.
Muito bem: isso ludo he verdade ; uffil os
que se apressassem a condemnal-o por estes n-
dicos vagos, antes da explicacao de sua con-
ducta expor-se-iao muito a commetter para
com elle urna verdadeira injustica. Aqui, nao
se pdem ver genio aquelles a quem tem leilo
dar a morte ; all, quercm s ver aquelles que
tem salvado :ca, he um trranno ; la, um li-
bertador: ( quando ver desempenbado
sua missao, muitos queocensurao hoje lerar-
Ibo ao proporcionalmente em considerac&O a
forra d'alma necessaria para emprebender una
obra de cuja cxecuco teria desesperado qual-
quer homem commm.
Como porm, tratando de um individuo
tao extraordinario e tao dilatnado, a demons-
tracao devo seguir de perto a aftlrmacSo cu
principio :
O more I de todos os despostas be o egosmo
da ambico; e Rosas nao be ambicioso Ja-
mis procurou ollc tirar partido do poder pelas
vantagens que pode causar a quem o exerce :
nao be vingativo nem interessero. Nuncase
Ihe poder dizer que tenha estado envolvido ,
como homem em actos praliradors com go-
vernanle. Oque o levou ao poder foi um pro-
fundo sentimento de autoridade e justica. Mas
nao confundo justica com legalidade, cuja pa-
tarra e cousa tem sido em todos os lempos in-
teiramente desconbecidas na America do Sul.
Nascido no centro da campanha, Rosas co-
nbeceo muito cedo o mal que devorava seu
pai/, nao pensando que estivesse destinado pa
ra applicar-lhe o remedio. O que deveria des
de logo l'e/.er impressao n'elle forao a impoten-
cia e inercia do Governo. As pessoas e a pro
priedade estavao indefesas contra as quotidia
as invasoes dos Indios que chcgavfio at s
portas de Buenos-Arres, matando, roubando,
devastando O ladro nao se esconda,oassas-
sinato perpetrava-se a descoborto !
lia apenas quinze annos, sol) a administra
cao do sabio Rivadavia, nao era raro ver os In-
dios misturados nos festejos pblicos que cele-
bravSo-se na cidade ; e quando prrguntav.lo-
Ibes o que iao fa/trr, rospondiao desear, da-
menteque ido roubar as mulheres. (") Jul
garo talvez que essas mulberes carregadas
assim difticilmente accommodav3o-8e com a
vida selvagem. INao, iouvado leos alguns
dias depois estavao alegres como nunca por
verem-se livres, e ainda mais contentes por es-
tarem nuas, comprimentando pelo noinc aos
negociantes que ousavao aventurar-se a ir ao
interior para traficar com os Indios. Fste ins-
tincto, que impcllia a sociedade de Buenos-
Ayres para o estado selvagem, era entilo geral.
Carrasco de motu proprio, caso pensado e
insciencia certa.Um gallogo amigo e com-
panhero do casa de um cirurgiao, seu palri-
CO, aproreitando se de urna ausencia mais di-
lact/ida, (|uo este fizera indo sua trra, co-
meoou Com auxilio de quiltro palanfrorios pes-
cados de orelba, o com a jcommendacso sem-
pre efficaz de urna boa casaca, griibao deouro
e alunte do peito a inculcar-se entre os
aguadeiros por doutor primo e sjbre ludo
muito menos enreiro que os da capital: um
boticario rbula, segundo se diz, era o seu as-
lessor e os pobres lan/udos abalavo assim pu-
chados adouse muito depressa para as vallasdos
cemiterios, mas por proco tao commodo que
nao baria razao para muitas queixas. O ulti-
mo enfermo desta especie, que Ihe cabio as
garras, foi o capataz do chafar do Loreto.
Padeca depulmSo, trataro-no de escar-
latina, derSo Iba remedios que scrio ainda
ainda para outra molestia, e em tal dze, que
naos um capataz senao meia capatazia bou-
vera com ellas estourado. paciente estourou i
Mccklombourg Slrclitz, e outros Ilustres es-
trangeiros e membros do corpo diplomtico.
Singular scnetica.
Umbarbeiro, que no tinha licenca para
usardosfu olHcio, oi preso por este motivo ,
e o Juiz.para o castigar,nao se contentou de Ibe
impr a multada le: mas acrescentou sen
tenca a seguinte clausula : Prohibimos a
F.... ooxercer para o futuro a protissSofle
barbeiro, e declaramos nulla edenenhume-
feilo qualquer barba, que tenha feito at hoje.
e as que baja de fazer para o futuro, com in-
fracco do nosso mandato e contrarenco do
seu regimen'o.
Aposta singular. Mr. Embury, um dos
mais habis picadores do nosso circo olympico,
tinba apostado 30,000 francos contra 5,000,
que conduzria s e sem auxilio de ninguem,
por urna das ras mais compridas e mais fre-
quentadas de Londres, urna carruagem pucha-
da per 24 carallos,
O picador ganhou a aposta. Conduzin-
do um carro triunfal, puchado por 24 magn-
ficos carallos, por entre a mullidao, o em
quanto 24 msicos tocavao varas pecas de m-
sica. Mr Embury percorreo duas rezes a ra,
entre os grandes applausos dos espectadores.
(fo Patriota.)
Alfandega.
com eleto poucos dial depois a 13 do corren- Rendimento do da 23......... 3:738,279
Descarregao hoje 2\.
Leomerendonas.
te, Houvo denuncia ; a disseccao do cadver
servio de corpo de dilicto : o matador foi
oreso e entregue ao juiz conservador da sua
nacSo.
O clamor geral dos chalarzes e de toda a
parte be que um tal caso nao deve ficar sem um
severo castigo, para escarment de outros mu-
tos que igualmente abusao da credulidade
dos ignorantes, praticandoa mais dificil e pe-
rigosn de todas as artes.
Feiticos cabelludos.Um gallego de cara
doente e amotinada, lenco pardo amarrado na
cabera, olhos baixos c brac >s indolentemente
pendidos, est sentado no banco da polica cor-
reccional, na Boa-Hora, nao com o desafogo
com que poderla estar em cima do seu barril,
espera de vez, mas como quem poisa sobre
espinhos ; he porque o cbafarz, que tem
diante dos olhos. be urna cscala de aecusacoes
vehementes, estrondosas e perenes:he urna
assanhada taberncira do fairra-Allo, a quem
elle servio ha me/es, o que se queixa, com les-
tiriHinhas, de que por vinganca de ter sido
posto lia (e talvez por cumes1, anda por toda
a parte, desacreditando, a ella, aoseu vinho,
a sna familia, c aoseu bacalbo.
Chegada a mao de fallar ao atterrado gallego,
que nem se attrevia a encaral a, declarou este
que se tinha dito alguma cousa contra a
Sr.* Mara, nao Ihe faltarlo razes; pois que
ella o tinha enfeiticado.
Instado para que se explicasse, declarou,
com visivel repugnancia, que na comida,
que a Sr Mara Ihedava, achara muitas re
/es cabellos, oque nao podia deixar de ser
para mo fim : que de feito comecra a emma-
graccr, e sentir dores ; que um cirurgiAo da
ra dos Cannos, chamado Sr. Francisco !
Francisco de que '.' interrompeo o juz.Fran-
cisco sem mais nada : Ihe dissera que esta-
va enguiado ; que outro cirurgiao de feltm,
chamado tanibem Francisco e tambemsem mais
nada, Ibe repetir, e que.....
Mas, homem, ambos esses Franciscos
estavao visvelmento csrarnecenoo de voc :
les feiticos, sao cousas que nao ha no mundo.
Saliera S. S." que ha : ainda agora es-
lou eu lancando lodosos dias pela bocea, ca-
bellos grossos, do tamanho do meu braco,
com podaros do meu ligado mistura.
Homem, roc est engaado.
Prouvera a Dos, mas Y. S.' vai ver :
aqui ota a minha caheca (desamarrandoolenco
pardo) ; eolito i, nao eslou mais de meio
culeca.....
A audiencia terminou, fazendo-lbe o paci-
ente juiz, o Sr. Ileis e Vasconcelos, urna
breva eclara prcleceao a respeito de feiticos e
de curandeiros, o obrgando-o a assgnar um
termo de bem viver a respeito da Sr.* Mara.
Alarte de um sabio.No dia 27 do mez de
Julbo passado fallocco o celebre cbimico Dalton,
autor da llieoria atomstica, membro da acade-
mia real de Londres, c da academia das scien-
cias de Poriz.
Funccao de um banpueiro.A esposa do
l___ 1> ..ii:....l !.! .1......U!_________.
(*) \idt Diario n. 237.
I **) N'essa poca os Deputados das diversas
provincias nao sepejavaode declarar em plena
Cmara dos Representantesque valia mais| celebre RotliebiW den ltimamente na SUS
nio di/er nada aos malfeitores porque seria
perigoso castigal-os ; e que o Gorerno nao
podendo impedir suas ncurcOes, deria pelo
contrario evitar cuidadosamente dar Ibes moti-
ao algum de represalias.
iiiinta. perto de Londres, urna magnifica func-
qual assislirio o Duquo de Cambridge,
to da Itainha de Inglaterra, e muitas das mais
altas personagens da aristocracia in l/em assistiro o grao-Duque e Duqueza de
Escuna'
Irrigue Trifoliumidem.
PatachoMenangeridem.
Escuna- Tarujo $( Fi/hosidem.
BarcaEdward layesfarinha.
Brigue Coumsser mercadorias.
IMPORTACAO.
Importador, brigue portuguez, rindo do
Porto, entrado no correte mez consignaco
de Manoel Joaquim Ramos & Silva, manlfestou
o seguinte :
50 eixes de arcos de p*io ; a Manoel Ignacio
de Oliveira.
22 temos decondeca, 3 caixas calcado ; a
Joaquim Ferreira Rsinos.
1 caixa mcias de linbo ; a Joao Antonio Ma
ciel.
~ caixas linbas, 20 ditas ferragens, 11 Larris
pre >s, 5 ditos carnes, 44 canastras albos, 1
fardo peneiras, 50 cunhetes de pinho abatidos,
4 caixas chapeos, 57 ancoretas azeitonas, 12
caixas rolhas, linbas e boloes ; a Antonio Va-
lentina da Silva Barroca.
72 Larris pregos, 9 caixas fazendas de linho,
12 ditas ardiles, 11 fardos fio, 2 caixas fio do
vela, 2 caixas ferragens, 2 barricas ditas, 43
volumes barricas abatidas, 2,000 arcos de pao;
a Manoel Joaquim Ramos & Silva.
13 barris pregos, 1 caixa fio de vela, 1 dita
linhas ; a Francisco Ignacio Tinoco e Sousa.
10 caixas chapeos ; a Jos do Nascmerito
Lopes.
2 barris carnes; a Joo dos Santos Nunes
Lima.
1 barril vinbo ; a Joaquim Luiz de Mello
Carioca.
70 feixes d'arcos de pao ; a Antonio Fran-
cisco dos Santos Braga
4 caixas linbas, 10 barricas pregos ; a Men-
dos A Oliveira.
24 fardos allios, 17 barris vinho, 32 canas-
tras albos, 2 barricas carnes, 2 caixas rolhas, 1
dita peixe, 74 canastras mav-aes, 7 caixas linhas
de barquinha, 3 ditas macella, 5 ditas linhas
de Herlim, 3,63,5 resteas de ceblas, I fardo
macas para chapeos; a Jos Francisco Carneiro.
^ 1 caixa urn oratorio ; a Antonio da Silva
Ferreira.
3 caixas chapeos, H barris ferragens, 5 di-
tos pregos, 1 caixa meias e retroz ; a Antonio
Pereira da Gunba.
1 caixa livros e roupa ; a Jos Pereira da
(nnhn
2 caixas chapeos; a Miguel Jos Barbosa Go-
mes & C.
360cadeir8s, 5 canaps, 16 moxos, 8 com-
modas e 5 volumes com 12 mesas"; a Jos An-
tonio de Carvalbo.
18 cadeiras, 1 canap, 3 mesas, 1 cama, 1
egro, 2 colxoes ; a Manoel Pereira Rosas.
1 barril carnes, 1 caixa fazendas e calcado ;
a Antonio Joaquim Ferreira de Sampaio.
1 caixa doce, fazendas e miudezas ; a Luiz
Gomes Ferreira.
1 embrulho obras do ouro; a Juvencio &
Alcntara.
1 embrulno obra deouro ; a Francisco K-
duardo Alves Vianna.
22 canastras maejes, 400 resteas de ceblas;
a Manoel Fernandos Guedes.
f caixa erragens; a Tbomaz d'Aquino Fon-
ceca.
1 embrulho fazendas do linbo; a Manoel
Pereira Caldas.
10 caixas tama neos ; a Joao Gomes.
3 caixas '.amneos; a Joaquim Alves da
Costa.
3 caixas velasdecra, 1 barril vinho; a Dio-
nisio Hilario Lopes.
A caixas tamancos; a Jos Antonio Bastos.
10 pipas vinbo; a Manoel Uuarle Rodri-
gues.
4 pipas vinho ; a Miguel Antonio da Costa
e Sousa.
9 caixas linhas, 20 barris pregos, 10 cunhe-
tes machados, 60 canastras albos, 60 ditas ba-
tatas, 12 barricas maces; a Jos Alfonso Mo-
reira.
200 rodas d'arcos de pao ; a Joao Ignacio de
Medeiros Reg.
1 caixa macella ; a Luiz Jos Marques.
1 caixa obras de prata ; a Jos Antonio da
Cunha.
1 caixa franjas e pentes, ditj chapeos para
Sen hora ; a Henrique Bernardos de Oliveira.
5 canastras albos ; a Francisco Antonio Ar-
zia.
46 canastras macaes, 1 barril vinho ; a Ma-
noel de Azevedo Maia.
1 barril ferragens, I caixa ditas, 1 fardo fa-
zendas de linho, 1 barril pregos ; a Antonio
Gomes Cunha e Silva.
2 eaixas flores, 36 canastras manaes, 2 ditas
cebollas, 1 caixa miudezas, 20 canastras albos,
JoO resteas de cebollas, 2 caixas massas para
chapeos, e pontos, 24 barricas macaos, 12 en-
cohetas azeitonas, 2 barricas azeite, 1 caixa fi-
guras de barro, 2 viveiros, 1 gaiola passaros, 2
vasos craveiros, 1 fardo chapeos de baeta, 1 di-
to fazendas de linho ; a ordem.
3 caixas mcias de linho ; a Joaquim Ferrei-
ra Mendes Guimaraes.
1 caixa obras de prata; a Ignacio Martins&
Duarte.
1 caixa vinbo ; a Joaquim Raptista Mo-
reira.
1 caixa miudezas; a Antonio Marques de
Oliveira.
1 embrulho obras deouro; a Manoel Gomos
da Costa e Silva.
1 lata ditas de dito; a Domingos Jos Vioira.
Tarujo &j Filhos, escuna Portugueza, vin-
da de Lisboa, entrada no correte mez, con-
signaco de Mendes & Oliveira, manifestou o
seguinte.
2 caixas licores; a Antonio Henriques Ro-
drigues.
2 barricas drogas ; a Jos Joaquim Pereira.
2 barris vinho, 1 caixote doce ; a Francisco
Fernandes Thomaz.
1 caixa albos; a Polecarpo Jos Layn.
1 barril vinho ; a J. J. Rodrigues Chaves.
10 barris cal em podra, 1 pacolo hezerros,
1 barril milo de amondoas ; a Bernardo
Antonio de Miranda.
2 gamellas cera ; a Joao Vaz de Oliveira.
18 ditas dita ; a Manoel Alves Guerra.
1 pacoto livros impressos; a Antonio" Jos*
Marques GuimarSes.
1 pacolo marcas de osso ;
Novaos.
1 caixoto
Dowel.
1 caixote ditos dilos; ao Dr. F. Janson de
Castro.
1 caixa chapeos; a Angelo Jacinlho Simes.
1 barril vinho ; a D. G. Pereira Lima.
14 volumes drogas ; a Vicente Jos de Brito-
1 caixa calcado ; a Izidoro Souza Monteiro.
1 caixa esporas de ferro ; a A. Jos Ferrei-
ra da Cunha.
3 caixas molduras ; a Antonio da Silva o
Companhia.
2 latas gnora-sc ; a Jos Marques Costa
loares.
I dita dito ; a Francisco da Silva Jnior.
1 dida dilo; a Marcellino Goncalves da Silva.
50 molhos cebollas, 1 caixa livros, 1 ridro
peixo ; ao Capi ao.
a Jos Joaquim
irros impressos ; a S. V. Mac
60 pipas e 100 barris vinho. 90 r
ipa
8 VI-
.agre i caixa livros impressos, 1,600 molhos
de cebollas; a Mendes & Oliveira.
1 caixa Panoramas. 20 pipas'e 15 barris
vinho, 11 barricas e 4 saceos drogas, 1 barrica
pmhao, 30 cauas toucinho ; a Francisco Seve-
nano Rubedo
1 emole navalbasde barba; a Antonio Jos
remandes.
14 pipas e 15 barris rindo, 18 pipas rina-
gre, 17 barris a/oitc de oliveira, 3 caixas rap.
5 ditas doce, 9 ditas chapeos. 1 embrulho e 1
lata ignora-se; a Thomaz d'Aquino Fonceca.
10 gamellas cora ; a Antonho Pereira da
Lunba.
1 caixa doce,1 dita quciios; a Manoel Cur-
neiro Medeiros.
7 gamellas e 13 saceos cera Jos Pereira
da (unha.
10 pipas vinagre ; a Domingos Jos Vieira.
1 pacote impressos ; o Silva Fragozo.


$(mmcnto do Porto,
Navios entrados no da 23.
r
Ass; 13 ias, barca brasileira Marta, de 366
toneladas, capitao Manoel Pereira, equipa-
gem 19, carga sal e palha : a N. O. Bieber
&C.
Norfolk; 58 das, brigue inglez Ariel, de 142
toneladas, capitao Roberto Crockett equi-
pagem 9, carga farinha de trigo : a Latbam
& Hibert.
Assu; 8 dias brigue brasileiro Ftliz Destino,
de 208 toneladas capitao Manoel Pereira
de S6, cauinagem 11 carga sal : a Pedro
Dias dos Santos,
dem; 8 (lias brigue brasileiro Sagitario ,
de 250 toneladas, capitao Jos Joaquim da
Fonseca, equipagein 12, carga sal : a An-
tonio Francisco dos Santos Draga.
Liverpool;35dias,barca ingleza Mary Queen of
Scoss,de 256 Ion., capillo W. Kelly, equi-
pagem 14, carga fazendas : a James Crah-
treo & C.
liba: dos Acores; 37 dias, fragata napolitana
Urania, commandante Joao Lesteere.
Ass; 9 dias, brigue brasileiro Leo, de 170
toneladas, capitao Antonio Rodrigues Gar-
ca, equipagem 12, carga sal: a Gaudino
Agostinbo de Barros.
Havie deGraca; 63 dias, polaca franceza Adol-
fo, de 122 toneladas, capitao Lauroix e-
quipagem 9 carga lazendas; a lruguiere.
Passageiros o Francez Maurico Redt e o Al-
lemao Uonnann.
Declaran:' s
=Cartas seguras existentes no Correio para
os seguintes,Srs. Francisco Fernandos \ il-
lela, Francisco Jos Regallo Brag;i, Joo Ita-
noel de Jess da Malta e Silva & Anlunes.
2=0 Arsenal de Guerra coni[ ra em partidas
grandes sola, caibros para espeques, chumbo I
embarras, cobre velho, carvao de podra, Ierro
inglez da Suecia, e em lencoes, azeite de cur-
rapato, cadinhos do Norto, suvellas e agulnas
sortidas, sapatos para os aprendizes menores ,
taboas de pinho ditas de amarello de assoalliu
e de forro ; e em pequeas partidas bro bus pa-
ra pintura, collada Babia, fio de algodao, oca,
alvaiade, pos prctos farinha de trigo, gom-
ma de mandioca, sabo, zarco, prata lina, es-
topa para sacos arcos de ferro, martelios, tro-
quezes, compacos, tbesoirras, vazadores fecas
linas costas d'osso, e cravadores ; as pessoas
a quem convier podero comparecer nos dias
23 e 24 no mesmo Arsenal as horas do seo expe-
diente. Arsenal de Guer'a 21 de ulubro de
1854. No impedimento do eseripturario. Jo-
Bo llicardo da Silva. i\cj
duas caixas decarneiras, avariadas a bordo do ra do Rangel, sobrado do un andar o. 56,
navio francez Casimir hlavignc, capitao Las- onde os referidos Srs. podero ir, ou enviar
ierre, na sua recente viagem do Havre para esto '! ua propostas, advertindo que aquelles qui
porto. forem Socios, cu convidados (lestes, approva-
......,.... dos pela direccao, nao lerao ingresso na pa
lfiS mo Socios. (19
I OVO 1Aluga-se um grande sitio na campia
da Casa-lorte, com un bello copiar na frente,
Se o eabo de esqwdra, do D. noto n. 213 ,. 0[,timas accommodac.des, cosir.ha fura, coxci-
espadanchim de quiri, ligoiro discpulo da prai-1 ra e Htribaria, muitos arvondos de fructo,
Irada, atente que faz modo a elguem comas canp0 para quaesquer planta?

Navios sahidos no mtsmo dia.
Rio de Janeiro; brigue brasileiro Feti* Desti-
no, capitao Manoel Pereira de S : coma
mesma carga que trouxe.
dem; brigue brasileiro Sagitario, capitao Jos
Joaquim da Fonceca : coro a mesma carga.
PORTUGAL.
O estado do mercado na semana de 1 at 6
eSetembroera o seguinto : arroz, falta de
boa qualidade, o do m nao he procurado e
existe em abundancia: assucar, frouxo em
consequencia de novos refurcos ebegados do
Brasil: algodao, empatado e sern comprado-
res; borracha nao he procurada a ordinaria a
fina nao acha compradores pelo preco q'soexige:
cacao,vendeo-se algum.e parece subir de pre-
co ; caf,contina a falta do de boa qualidade ;
canella, lirme;cera, vonderao se pequeas par-
tes de Angola, preter den do os possuidores a
280 rs.
Cha,est a bom preco porque nao se esperao
reforcoseste anno.
Cpuros, conlinao a or procurados,e effec-
tuaro-se vendas dos seceos para embarque :
sondo os procos muito firmes.
Gomma copal nao ha em primeira mao ;
ipecaunha, pouco se procura ; marfim nao
houverao vendas.
Annunciarao viagem para este porto trez
navios,, a 16 de Setembro o patacho Espa-
darte a 20 o patacho Restaurando e a 25 o
brigue Iobim.
Edita!.
= O lllm. Sr. Inspector da Thesouraria ,
m cumprimento do officio do Exm. Sr. Presi-
dente da provincia do 1. do corronte, manda
fazer publico que no dia 25 do corrente ao
meio dia, ir a praca, conforme o regulamento
das arremata!oes de 11 de .lulio de 1843 os
reparos da cadeia da cidado d'Olinda, com as
clausulas especiaos abaixo transcriptas.
l.
Os trabalhos e obras dos ditos reparos se-
r feitos de conf.irmidade com o orcamento
approvado em 30 do prximo passado me/, pelo
ISxm. Presidente da provincia pelo preco de
quatrocentos e noventa e dous mil ris.
2.-
As obras principiaro no prazo de quinze
dias.e findar" no de trez me/.es; ambos conta-
dos na conformidade do artigo 10 do regula-
mento das arrematacoes.
3."
O pagamento realisar-se-ba na forma do ar-
tigo 15 do mencionado regulamento sendo de
trez mezes o prazo de responsabilidade.
4.*
Para ludo o mais que nao est determinado
peles presentes clausulas, seguir-se-ha inteira-
ramente o (|uo dispe o regulamento das arre-
matacoes de 11 de Julhode 1843.
Os licitantes devidamente habilidados, com-
pareco no mencionado dia na mesma The-
souraria.
retara da Thesouraria das Rendas Pro-
vinciaes, I4deOutubro de 184*. O Secre-
torio interino, Joao Valentim Villela.
DOZE ANNOS DA VIDA DE UM
DEPUTADO,
drama em 4 actos e 4 pocas, dedicado briosa
nacao Brasileira, pulo autor dos Tres viciosos,
Data/ha dos Guarura pes. Marte de Teles Jor-
(/(7o, Santa Engracia, eoutras, se representara
sabbado 26, domingo 27 e segunda feira 28,
por ser dia santo.
1.' poca Cabalas e eleicoes do matto.
2.* poca Projectos, discusses, cmaras
municipaes, tratado com os Inglezes, reforma
de leis, bem geral do povo
5.* poca Ttulos, cendecoracoes e em-
pregos.
4.a poca Maldico, desgraea o morte.
Para mais abrilhantar o espectculo, no do-
mingo se cantar urna aria de Rossini, da pera
Tancredo ; e na segunda fera, um dueto da
pera a Italiana em Argel.
Personagens do drama.
0 Soberano, FJeitores, Vigario do mato,
proprietario, um carpinteiro e carros, povo de
ambos os sexos, Fidalgos, Ministros, Senhoras
da corte, criados de ricas libres, tres Deputados
de diHerontes credos polticos, soldados.
O autor dedicou esta sua humilde prodcelo
a briosa nacao Brasileira, e, contando con.
indulgencia publica, espera ser tao feliz n< '>.
como as outras composicoes.
Principiar o espectculo pela cantoria, s 8
horas e meia, impretorivelmente.
Comquanl > a companhia se aclie reforcada
com tres actores dos theatros particulares, com
tudo o Sr. Gamboa e sua sen hora f arito na peca
dous interessantes papis, por sercm indispen-
saveis no drama dez actores e cinco damas.
Aviso martimos. .
2 Para o Maranho o muito veleiro bri-
gue escuna nacional Laura sahir, o mais bre-
ve possivel, por ter j parle do seu carregamen-
lo prompto, para carga e passageiros, para o
que tom excedentes commodos ; trala-se com
o Capitao Antonio Ferreira e Silva Santos, ou
com os consignatarios Novaes (Si C., na rinda
Cruz n. 37. (8
Sahir para o Aracaly, at o fin do cor-
rente me/., a sumaca Felicidde, de que he mes-
tro Ignacio Marques, por ter seu carregamento
quasi completo, podendo receber alguma carga
miuda ; os pretendentes tratem com o pro-
prietario Antonio Joaquim de Sousa R i berro.
2 Para a Babia sahir com muita brevi-
dade a sumaca nacional Santa Anna ; para
carga o pessageiros, trata-se com os consignata-
rios Novaes & C., na ra da Cruz n. 37. (4
3par.i o Rio de Janeiro seguir breve o ve-
leiropatacho Oliveira Capitao LuizdaPena; por
ter urna parte do seu carregamento prompto ;
quem no nipmn quizar cerrogar, ou embarrar
escravos.pde onlender-se com os consignatari-
os Amonio Irritaos, na ruada Cadeia n. 45.(6
Leiioes.
2 Me. Calmonl & C. faro leilao, por in-
tervencSo do corretor Oliveira, do mais com-
pleto sortimento de fa/endas inglezas, as mais
proprias deste mercado, quinta feira 24 do cor-
rento, s 10 horas da manhaa, no seu arma-
zem, largo do Corpo Santo. (6
Kalkmann & Rosenmund faro leilao, por
intervenc5o do corretor Oliveira. de grande sor-
timento de miude/as, fitas e ferragens finas
suas atiie.xjas, engana-se, e he asno como um
'cubo deesquadra: nem o ex-capitfio do esparre-
la, nrm o marcinciro seu amigo temem os rin-
chos do sendoiro. O cabo de escuadra acostu-
tuado a pulhas de tarimba e a abrir rotim
rom o costado be sem duvida capaz de laer o
que imputa a esses dous individuo; o bom
senso de qualquer dalles bem Ibes inostra que
insultara quem passa peU ra f he digno de
praieiro; o a educacao que recebrao, cada um
na plana em que se acha, nao se coaduna com
ocomportamento dos mestres do cabo de es-
cuadra, que por ser relaxado e Irazer a iira no
ligeiro, v-se sem os cobres para o deboche e
anda damnado, por I he terem estorvado a brin-
cadora Por caridade se Iho diz afina! que o
marcineiro nao compra quiri mas troca-o por
batinga e outras madeiras de igual fibra ; que
nao tem cachara em sua oflicina, porque ahi
trabadla se para seviver com honra, o nao se
fazer o officio infame desiccario, como o cabo-
de esquadra. Isto llie affirma.e est.'i prompto a
provar quando o procuraren!. O Jacaranda.
Desappareceo no dia 20 do correte do
rompo de palacio velb'i, aonde estava brincan-
do um cacborrinho d'agoa ; quem o adiar e
quizer restituir, leve ao convento de S. Fran-
cisco que ser gratificado o se algucm o li-
vor comprado receber o dinlieiro. que por el-
le houvordado.
Quem precisar de m rapaz Portuguez,
com idade de 20 a 22 annos, que sabe bem ler
eescrever, quo desoja tomar conta de alguma
casa de negocio por balanco, ou mesmo para
oulra qualquer oceupaco, annuncio.
Os Srs. Jos Ferreira da Silva, com ven-
da na ra de Mathias Ferreira, e Manoel u-
os d Mello, ambos moradores em Olinda,
queii.. apparerer'no Recife. loja de loma de
Antonio Dias Souto, que se Ibes desoja fallar.
1 Precisa-se de um rapaz Portuguez de 14
a 16 annos, para urna loja de fazendas fra
desta praca ; na ra da Cadeia velba n. 30 (T.
Frederic Frcmont,fabricante de pianos de
Pariz.na ra nova sobrado,coja entrada be pela
travessa dos expostos,avisa ao respeilavel publico
desta cidade, que elle nao s affina pianos por
proco muito commodo as casas, onde o hon-
rarem, a hora que mais convier aos seus fro-
guezes, senao que, como fabricante destes ins-
trumentos, os concerta de tudo, e Ibes reme-
deia qualquer defeilo, ou em casa de seus
proprios donos, ou na sua ; os senhores <|ho
se quizorem ulilisar de seu piestimo, podem
dirigir-so ao referido sobrado a qualquer hora
do dia, e espera o annuncianto nao desmerecer
nesta cidade do concoito, do quo gozou, por
alguns annos, em Pariz, onde aprendeu o cx-
ercicio do officio; e em sua casa existem pianos,
rhegadus prximamente de Pariz, e tamhem
trocao-se por outros antigos.
Licor da China, ou essencia da formosura.
Cosmetic) digno do figurar nos mais elegan-
tes toiletes, por causa do seu suave c delicioso
aroma Elle amacia, limpa, clarea e alisa a
pelle, entretem seu brilho natural, tira as sar-
das, os pannos, as espiabas o toda a casta de
manchas da pello ; destre as rugas, a bortoe-
ja, as empingens o outras afleccoes cutneas ;
(irevine a dor de dentes, decipa o mo bafo e
con fot ta asgengivas Vende-so na ra da Ca-
deia n. 15, em casa de Bourgard, a 1,200 rs.
cada frasquinho : um ejemplar designar stu
uso
Pos asiticos carminados.
para
ca-
pan ; aluga-se mensl ou annualmente, na
ra do Amorim n. 'it. ou na estrada do Cor-
deiro, sitio de Nano Maria de Seixas. (8
1 Precisa-se de urna pessoa que soiba tra-
balhar de bauzeiro, ou que queira aprender; na
ra do Collegio n 15 (3
Aluga-se urna loja na ra do Padre Flo-
riano, com duas salas, doi.s quartos, eosinba
fra, e bom quintal com cacimba ; tratase na
ra das Agoas vendes, casa n. 32 : na mesma
compra-se urna mobilia usada.
Precisa so de uma mullier bem educada,
e ainda mesmo ci.m familia, que teuba bom
le re, e que queira criar uma crianca, e s leve
em pagamento o aluguel da casa, que sao nove
mil ris; annuocie, ou > ra das Agoas-
verdes. ca>a n. 32
Precisa-se fallar com os Srs. Henriquo da
Silva Ferreira Rabello eJos de Azevedo Ca-
maxo, a negocio de seus inlereses; na ruada
Cadeia velha n :!0.
z=3. B. C. Trease, fabricante de orgSos uV
groja, avisa ao respeitavcl publico, que tem
nara vender dous orgos u pequeo que
esta promptoeconcertado [amboaque lorio da
groja de N. S do Carmo) o que se vender poi
mdico proejo ; assim como dous realejos do
boas vozes continua no mesmo officio e con-
certa realejos e poe marchas novas nos mesmos
no Atterro da Boa-vista n. 12, das 9 horas da
inanha as 3 da tarde.
1 Vicente" Francisco Mondes das Chagas,
morador no engenho Meguahipe de bailo, em-
barca para o Rio de Janeiro o seu oseravo de
nome Domingos, de Angola. (4
1=0 Sr. Manoel Caetano de Mello queira
dirigir se ao l'orta do Matto a fallar com F. A.
de vi. P. a negocio que nao ignora sendo
n8o queira comparecer, ser publicado, qual
be o negocio, de principio a liin.
=0 abaixo assignado,vendo boje no Diarto
n. 238 um annuncio do Sr. Valentim Jos
Corroa, com as leltras iniciaos A. P. C pe-
dindo 12j rs. que se Ibe pedio pergunta se se
entende com o abaixo asaigoado morador na ra
do Quoimado.Antonio Francisco da Costa.
r=\ alentim Jos Crrela declara que o an-
nuncio do bontem em queipedio Ibe pagassem
12.) rs. com as leltras A. i'.' C. nao se entende
como Sr. Antonio Francisco da Costa e sim
com outro do nome contrario, mais das mes--
mas leltras.
1-. Precisa-se de 2:700,000 rs. a premio
de um por cento aomez,sobre l.ypothoca em um
sobrado bem construido, sito na ra da Praia ;
quem quizer dar, annuncio. (4
1 Aluga-se, para se passar a festa, o sitio
dos Arcos, na Ponte do Uchoa.'com tres casas,
baixa de capim ; trata-se na ra da Cadeia do
Recife n. 43. I*
l = Roga-so a pessoa queachou uma peque-
a carta paraoSr. Antonio Coelho de Mello
Surur, a queira ir entregar no trapicho do
Pelourinho, cuja carta foi perdida desde o
pateo de S. Pedro, ras do Livramento, (mi-
mado, Crespo, ponte do Recife ra da Ca-
deia, &c ; isto na noute do dia 22 do coi-
rente. (^
1 Venda em hasta publica.
Sabbado, -26 do corrente mes de Outubro,
pelas 4 horas da tarde, impretorivelmente a
porta doSr. I)r. Jui:do Direito Nabuco da
segunda vara do Civel, se bao de arrematar
cm hasta publica, 71 saccas de farinha de man-
dioca motada entrando duas avariadas, por
tadas de escorbuto; do bocea uma cor,
cheiro e frescura mui agradaveis; airma-se
que elles nada encorrao que possa ser nocivo
aos dentes, e o seu elevado crdito o confirma :
vende-se na ra da cadeia n. 15, em casa de
Bourgard, a 1 000 rs. cada vidro.
Sociedade theatral Philo-Thalia.
O l.o Secretario avisa aos Srs. Socios, que
os bilhetes para a recita de 26 do corrente serao
pretendentes a verem na ra da Cadeia junto
ao arco da Conceico n. (i*. (14
2Tirou-se por engao uma carta do cor-
reio vinda do Porto ou Lisboa com o nom;> de
Joaquim Jos Pinh quem for seu dono dirija-se
a ma da Cadeia no Recife loja de fazendas n.
53. h
3O abaixo assignado, engenheiro civil,
tendo de passar algum lempo fra da cidade no
distribuidos nos dias 24, 25 e'26, em casa do Idesempenho do seu officio, roga a todas aspes-
do respectivo Thesoureiro, ra do Collegio n. jsoas que qu.zoreni util.sar-se do seu prest.mo.
5; outrosim scientifica igualmente aos mes-,de dingireni-se (por carta) ao mesmo abaixo
r- mus Sr., que aquellos que tiverem de oTcreccr assignado na rasa de Novaes & C, ra na -.ruz
s os seus bilhetes de Socios, o nao podero fazer n. 37 Alfredo de Uornay.
i-sem primeramente proporem em sessao da di- 2 =Aluga sr a melado de urna casa a urna
sexta feira 95 do corrente, s 10 horas da ma- ,
nhfia, no seu arraazem da ra da Cruz ; e no receo as pessoas quem os oferecereo, para Senhora capaz com pouca familia, no JNibOdo
mesmo leilao se
quem pertencer,
em sua prese
rina/em " venderO. por conta e risco de seren por ella approvado*; para cujoim se Carmo n. 24 na meama casa vende se urna toa-
r, por ordemdj Cnsul de Fran- reunir sexta fe,ra 2: do corrente. s 7 horas Iba do brctanl.a fina t da aberta de lavar.nto e
iresenca ou de seu Delegado, \ da tarde, em casado Sr. Director interino, na um barco em bom uso com seus cortinados. (5
MUTILADO


A pessoa, que annunciou quejer tender mose quizerem utilisar,dirigrom-se (portarla)
uoi cavallo ruco-pedroi, morador na ra do
Motocolomb dirija-se ao pateo do Carino ,
luja de tartarugueiro ii esquina da ra dos
Trincheiras n. 2.
Pola primeira vara do Civel se ha de
arrematar no dia 2 do correte por ser a ul
tima praca urna escrava do servico do ra ,
avahada em o mdico preco do 200# rj. ; os
pretendentes comparecao naquelledia pelas 4
horas da tarde a portu do Sr. Juiz Rodrigues
Sette no Atierro da Boa-vista.
Precisa-so do um bom amassador; na Srji
lldade padana n. 22. |-
Precisa-se do una ama de leito ; na rui
larga do Rosario n. '18 por cima da padana
do Vallenca, primeiro andar.
Quem precisar de urna ama para rasado
pouca (ainilia, ou de homem solteiro dirija-se
a ra de S. Francisco na segunda loja.
1 Aluga-se o segundo, ou tereeiro andar
do sobrado da ra eslreita do Rosario n. 2 ; a
tratar na praca da Boa-vista, loja de chapeos
n. 26 ; na mesmacasa compra-se una escrava
de 6 a S annos.
1--- Precisa-so de um otlicial do chapeleiro ,
que saibafazer caixas do chapeos coiw perfeicio,
d-se bom ordenado ; na praca da Boa-vista
o. 26. (4
1 Quem annunciou querer comprar um
ebronometro, annuncie. 2
\ Aluga-se por preco commodo a loja do
sobrado n. 4o da ra da Roda muilo propiia
para marcinciro, ou carpira ; assim como alu-
ga-se o segundo andar e soto ; a tratar no pri-
meiro andar do mesmo sobrado. (5
I Aluga-se una casa terrea na ra da Con-
cefo da Boa-vista com bastantes commodos;
e o armasen) do sobrado n. 3\ da ra larga do
Rosario proprio para algum cstabelecimen-
to ; e tambem urna casa a margen do rio Ca-
pibaribe; a tratar no Atierro da Boa-vista n. 53 ,
com Adrianno Xavier Pereira do Brilo. (7
1 Aluga-se urna casa terrea na ra da Man-
gueira da Roa-vista com commodos para urna
grande familia tcm seis quarlos sendo dous
forrados sala grande adianto e atraz, cosi-
nha fura quintal e cacimba ; a tratar na ra
da Aurora n. 48 ou na ra da Cadeia do Re-
cife loja de Manoel lardoso Aires. i7
1 O abaixo assignado faz scionto ao publi-
co quo Manoel Gomes da Silva deixou do ter
ingerencia em o seu negocio tendente a loja de
atraate na ra Nova n. 26 desde o dia 15 do
corrente e por isso previno aos devedores da
dita loja que s a cargo do abaixo assignado
est o recebimento de todas as dividas por Ihe
iicarem portencendo, cando de ncnhum effeito
qualquer recibo que passado pelo dito Gomes
possa apparecer. Antonio Fuir da Costa
Braga. (M
1 Xa noute de 22 para 23 do corrento dos-
appareceo do Atierro dos A Togados defronte
do viveiro do Muniz da parte da maro gran-
de um bote com os seguinles signaos pinta-
do de preto por fra e o fundo de almagre ,
edentro verde com o fundo preto paneiro de
chadrez na proa e na popa corrido de bancos e
lugar de se collocar outro chadrez; quem [dele
souber dirija-se ao Atierro dos Afogados n.
67, que ser gratificado. ID
2 Aluga-se urna casa terrea ptima para
sepassara festa em Olinda na ladeira do
Varadouro da parte da sombra com bom
quintal com alguns arvoredos ; a tratar com
Joaquim Lopes do Almeida caixeiro doJoao
Matheus. (6
2 O abaixo assignado faz publico, quo tem
traspassado desdo o dia 17 do corrente o de-
posito de assucar, que tinha na ra eslreita do
Rosario n. 34, a Jos Dias da Silva Cardeal, a
quem compelem todas as dividas pertencenlesao
mesmo estaDelecimenlo ; nao podendo deixar
de declarar em abono da verdade, que duran-
te o periodo de 3 annos e meio, quo o dilo Car-
deal foi seu caixeiro sempre mostroa zelo e
actlvidade no desempenho dos seus deveres e
toda a Adeudado em suas contas. Bernardo
Jos da Costa. 12
3 Antonio Jos de Souza com loja de louca
na ra do Queimado n. 32, faz Relente ao res-
peitavel publico que por haver mal pessoas
do mesmo nonio de boje em diante se assig-
nar Antonio Jos Vieira de Souza.
3Aluga-se por preco coinmodo urna casa
terrea atraz da matriz da Boa-vista com duas
salas, O quartos, cosinha fora quintal mura
do ; a tratar na ra da Aurora n. 58. i
3 Precisa-se alugar urna pela moca pa-
ra o servico de ama casa d pouca familia ; e
toma-se um moleque, ou mulatinho para
aprender o ofTicio de seleiro ; na ra Nova n. 5
3 Aluga-se o tereeiro andar do faqueiro ,
na ruadoAmorim ; a trata: ne ra do Queima-
do loja n. 9. 3
3 -Ezcquield licesdo dansa na traves-
ea dos Expostos n. 10 segundas, quartas o
sextas feiras das 7 horas da nouto at as 9 ; e
tambem a toda e qualquer hora do dia que
convier aos discpulos. 5
3 Precisa-sede um offlcial de charuleiro ;
em Fra-de-porlas, ruado Pillar n. 118 (2
2Aluga-se o sitio de Joaquim Coelho Cin-
tra no Caldeireiro por preco commodo; na
ra do Queimado loja de ferrapens n. 4. !4
, mesmo abaixo assignado, na Rua-direita-
lerceiro andar do sobrado n. 40. Joaquim da
i;
/...
nscca Soares de Fiyuctredo.
Compras
3Compra-se um chronomelro ; quem ti-
ver annuncie. i2
1Comprao-se dous papagaios bonitos e
bastante lalladores; na ra do Amorim n. 41.
aCompra-se elToctivament nesta Typogra-
plfia toda a qualidadede pannos cortados ou
velbos, sujos, ou limpos aparas de papel, pa-
pelfio e toda a qualidade do papis velhos. (4
Vendas
8U agrimensor, abaixo assignado, oflcrece
os seusservieos s pessoas que tiverem proprie
dades demarcar, c allanen a inais escrupulo-
sa exactido e o maior zelo no desempenb
sua arle ; devendo todos os que do seu pp
3Vende-se urna cadeirinha um piano de
muito boas vozes macacos de eslivar algodo
o botijdes de oleo do linhaca ; na ra do Amo-
rim n. 15. (4
3Vende-se, ou troca-se urna casado sobra-
do na ra do Aragao por outra terrea no
bairro da Roa-vista ; na ra da Gloria casa ao
p da fabrica do Gervasio. H
3 Vendo-so com alguma espora dando-se
bom fiador as drogas, medicamentos e ludo o
mais que pertoncia a botica que exislia as
lojas do sobrado sito na ra Direita n. 120, quo
foi penhorada e arrematada em praca publi-
ca por divida nao tendo ja a armaco ; a tra-
tar no primeiro andar do mesmo sobrado. (7
3Vende-se, por muils)commodo preco urna
casa na ra do S. Francisco em Olinda, com
commodos, c propria para se passar a festa ,
< tomar-se banbos salgados ; e motado de ou-
tra nesta cidade, na travessa do Dique, que
rende nionsalmenfe \0f rs. ; a tratar no Altor-
ro dos Afogados n. 30. (7
.'{ Vendem-se superiores charutos de re-
gala, em caixinhas de 100 o chegados da Ra-
bia pelo ultimo vapor ; na ra da Cruz n. 37 ,
casa de Novaos & Companhia. '4
2 Vendem-se barricas grandes o pequeas
de escolente cal vlrgem por mais barato pro-
co do que cin outra qualquer parle; no trapi-
che da Alfandcga-velha a tratar com Henrique
Mara Pereira Gumaraes. 5
2 Vendem-se passas novas e grande i 32o
rs. a libra chocolate de Lisboa a 320 r: a li-
bra c >0 rs. o pao chouricos novos a 300 rs.
de urna libra para cima toucinho do Lisboa
mui alvo a 280 rs. e de Santos a 200 rs. o
veidadeiro espermacete americano de 6 em li-
bra a .^80 rs., dito de composicao a 720 rs.,
vetas de carnauba de 6 e 8 em libra a 320 rs.,
homilas novas a 160 rs. caixas com 200 cha-
rulos de Napoleao a 1500 rs. e o masso a 200
rs. esleirs de Angola a 280 e 320 rs.; na ra
das Larangtiras n. 16.
2Vndese setim preto de Macau do boa
qualidade. o damasco do soda da India, pro-
prio para igrejas ; na ra da Cruz n. 2. (3
2Vendem-se sem eilio 157 oitavas do
ourode lei em um par do adragonas urna
cora velha urna guarnico do florete dous
pares de castieaes, um pralo e thesoura de pra-
ta da moda os mais modernos o delicados ,
quo updem existir; na ra das Trincheiras
n. \.c ;->
2Vende-se urna preta de moia idade boa
quitandeira cosinheia e lavadeira; na ra das
Cruzes no primeiro andar do sobrado da es-
quina defronte da praca da Independencia.
2Vendem-se dous escravos de boas figuras
o moeps, proprios para todo o servico; na ra
da Cadeia de S. Antonio por cima da loja de
chapeos n. 2;. (4
2Vende-se urna casa torrea com quintal o
chaos proprios, na ra Velha n. 04 ; a tratar
na mcsina easa. (3
2 -Vendem-M, para liquidar contas, appare-
Ihos para cha de porcelana dourada duziai
de chicaras e pires dourados para cl.ii mangas
lapidadas campoteiras garrafas, copos c-
lices lapidados para vinho porta-licores ga-
Iheteiras para a-cito e vinagro e outros mui-
los vidros por menos do quo em outra qualquer
parle na ra da Cruz n. 62. (8
2Vende-se um venda com poucos fundos,
e bous commodos para lamilla na ra do Pa-
dre Fioriano n. 72 ; a tratar na mesma. (3
2 Vende-se polassa americana e russiana ,
em barrls pequeos muito nova, chegada l-
timamente ; na ra da Cadeia-velha armnem
12, de Henrique Bernardos de liveira ti
Companhia, (5
2 Vendem-se barricas com farello muito
, ehegado ltimamente de Lisboa pelo
ultimo navio por preco commodo ; na ra da
Ciuz n. 62. (4
2- Vende-se urna meia-agoa na travessa do
Dique, por proco commodo; as Cinco-pontas,
venda pintada de amarello n. 39. (3
3 No atierro da lloa-vista, loja n. 26 do
Salios & Chaves, nclia se grande sortimentudc
licores finos de todas as qualidades, com lindos
letreiros a 2,400 rs. a duzia ; dilo dito em gar-
rafas de Bordeaur, com ricos letreiros dourados
8 3,000 rj. a duzia ; dito dio em garrafas
grandes, brancas, com reos letreiros dourados,
a 3,000 rs a duzia; dito dito em garrafas bran -
m bocea prateada, de superior qualidade,
que vem da Franca, a 5,000 rs. a caixa
de urna du/ia ; erme de noyaux, roses, cura-
cao, chasseur, anisette do Bordeaux, eoutras
qualidades, a 1,000 rs. agarrafa; genebra,
igual que vem da Hollanda, a 800 rs. a caa-
da, e em botijas a 2,400 rs. a duzia ; agur-
dente do reino, com superior aroma, a 900 rs.
a caada ; dita de aniz a 700 rs. a caada ; dita
de Franca em garrafa e caada, dita decada de
canna; charopes de maracuj, anana/., limao,
genipapo, tamarindo, e de resina de angico,
muito bom para as pessoas que padecem do pei -
to, este a 6i0 rs e aquelles a 560 rs. a garra-
fa, espirito de vinho de 36 graos, em porcao a
1,000 rs., a caada e a retalho a 1,280 rs.: na
mesma aprompta-so toda e qualquer oncom-
menda de licores, genebra, ago'ardente e espi-
rito para embarcar, sem ser preciso o compra-
dor ter Irabalho algum ; as amostras de lodos
os lquidos se acho sempre patentes aos com-
pradores. (30
No armasem de'sal da Boa-vista n 6 na
ra da Conceico, ha um quarto para so ven-
der.
Vende-so urna escrava recolhida perfei-
ta mucama de 10 annos com boas habilida-
des ; una dita para todo servico, por3S0# rs. ;
urna mulata de 20 annos corn habilidades, 3
escravos para todo o servico ; um dito peca do
25 annos; um moleque do 18 annos; dous rnu-
latinhos do 12 a 13 annos, ptimos pagens; na
praca da Boa-visla^n. 19.
Voride-soum preto perfeito cosinheiro do
massas o assados tanto do forno como de fo-
gao ; 3 escravos bons para o servico decampo;
(escravas mofas, com boas habilidades, duas
cosom, engommao, e cosinhao ; urna dita de
10 annos recolhida coso e engomma o ho
urna mucama sem falta alguma ; urna dita boa
vondodeira do fasondas o miudesas ; urna mu-
lata de 20 annos, cose e engomma ; urna ne-
grinha do 8 annos multo linda para urna me-
nina quo ande na escola ; na ra do Crespo
n. 10, primeiro andar.
Vende-se urna bacia de rame bastante
grande ; na loja da esquina do becco da Con-
gregado n. 41.
Vende-so um horco de Jacaranda muito
bem Coito o em conta ; na ra estrella do Ro-
sario n. 32.
Vendem-se ricos cortos de seda escocesa
para vestido ditos de laa e seda, riscades
franceses, chitas francesas, largas, cassas e
cambraias luva, meias do todas as qualida-
des chales o mantas do soda chapeos de
sol para homem e renhora lencos pretos do
setim Macu ditos de seda escocesa o de oulras
qualidades oculos de theatro la do bonitos
' droes para calcas, cortes de colletes pan-
..jj finos de todas as coros eguiao de linho ,
bp tnha francesa de 26 jardas, do puro linho,
o. do 6 varas para jaqueta suspensorios
de Lu racha sellins ingieres elsticos, ban-
dejas brins do linho para caicas o outros
muitos objectos tudo por preco commodo ;
na ra Nova n. 12 loja novado Diogojosda
Cosa.
Vende-se urna lancha nova vinda do
Porto ; 12 vasos para flores ; na ra da Cadeia
do Recifo escriptorio de Antonio Joaquim de
Souza Ribeiro na ra da Cadeia-velha n. 18.
Vende-se a venda da esquina da ra Im-
perial n. 2, por precisao com os fundos que
quizerem, ou s a armacao ; uns bracos de ba-
lanca grandes e pequeos com conchas e cor-
renlcs de forro, urna porcao do caixas vasias
do Poito, urna mesa redonda para meio de sa-
la; a Iratar com Joaquim Pinheiro Jacome ,
na mesma venda.
Vende-se a venda n. 7, do Rocco-lrgo do
Recife com os fundos que o comprador qui-
zer, tem commodos para familia, e o alu-
guel ho muito barato ; a Iratar na ra da Son-
zalla-velha n. 102.
Vende-se um cavallo melado
Mimuit ou le moment >tal 1 v. ; Petils R().
mans 3 v. ; la premiere nuil do mes;nocos 2 v.,
Octavia 4 v.; todos estes livros em bom estado;
na travessa das Cruzes D. 9. (20
1 Vende-se um mulatinho de 14 annos, bo-
nita figura proprio para aprender qualquer
oliclo ou para pagem por saber bom mon-
tar ; na ruis Crespo, loja da esquina n. -j .
que volta paraVrua da Cadeia.
1_ Vende-sejjlna bonila escrava do 20 an-
nos cose, engomma, onsaboa e cosinha per-
feitamenle ; na ra ostreita do Rozario n. 34,
primeiro andar /'
i Vende-se arroz vindo do Maranhao lti-
mamente, a 1280 rs. a arroba; no armasem
de Fernando Jos- raguez ao p do arco rj
Conceico.
1 Vendem-se saccas com farinha de man-
dioca ; na ra da Cadeia-velha n. 35. (2
I Vendem-se diccionarios da lingoa por-
tugueza por Francisco Solano ^Constancio
edicio de 18'i4 muito bom oncadernados, com
chapas e mellior papel do que a outra edtejio,
pelo mdico preco de I2# rs. ; na ra Nova ,
loja de livros de Hez Deshayes, n. 34.
1 Vendem-se 3 pequeas moradas de casas
na ra do Calabcuco-vulho ; na ra du llortas
n. 110. (j
1 Vendem-se superiores bichas do Ham-
burgo grandes c pequeas; na ra ostreita
do Rozario, venda da esquina da ra das La-
rangeiras n. 10 e na esquina do Rosario n.
11; tambem se alugao. 5
IVende-se urna porcao de arroz de casca ;
um escravo moco, ptimo pira o servico do
campo ; na ra larga do Rosario n. 29. (3
1 Vendem-se3 escravas, sondo urna parda
do 10 annos, e duas pretas, sendo urna de I .
annos, o a outra do 28, com bonitas Qgui
na ra da Cadeia-velha n. 00.
IVende-se furinha do Araruta a 200 rs. a
libra ; as Cinco-pontas venda n. 32.
1 Vende-so urna prela ladina, de bonila fi-
gura propria para todo o servico o vendo na
ra ; no Forte-do-Matlos prenda do Jos Ri-
beiro do Rrito. \
1Vendem-se apparolhos du porcelana dou-
rada muito fina para cha porta-licores, ga-
Iheteiras para azeilo o vinagre campoloiras ,
gsrrafas, copos, clices para vinho e licor lu-
do do cristal, mangas do vidro inglez globos e
castieaes, tudo muito finoe mais barato do
que em outra qualquer parle; na ra da Cadeia-
velha loja de lou?a n. 19.
Escravos fgidos
carrega de
baixo a meio ho passeiro e muito novo, por nnto-coronljoSo vlelra
preco commodo; na ra Nova venda n. 65.
Vendem-se casacas de par.no fino das co-
res que eslao em moda feitas"no ultimo gosto,
calcas decasimiras finas de bonitas cores,ooletes
de setim preto superior, e do gorguro so-
bre-casacas de brim jaqueles de panno lino,
tudo por preco commodo ; no Altorro da Boa-
vista loja de alfaiate na esquina do becco.
IVendem-se uiacaes ebegadas ltimamente
do Porto a retalho o aos ceios a3el| rs., pas-
sas novas a 320 rs .amendoas a 320 rs. boli-
nhos franceses, massos de urna duzia a 2'i0 rs.,
doce do golaba ouiuu por proco commodo ;
na ra eslreita do Rosario, venda n. 8.
- Vende-se um quarlo cardo bastante
novo carregador baixo ; no becco da Bomba
n. 2; na mesma casa conlinua-so a dar lices
do piano flauta e violao por preco commodo.
1Vendem-se, por preco commodo, os li-
vros soguinlos ; um rico diccionario geogra-
phico o mellior que tem apparocido ; um dito
latino por Fonseca contendo o do fbulas ;
Saluslio ; Cornetn; arte latina ou novo me-
thodo; o novo testamento de Jess Christo; urna
potica por Horacio ; umTolomaco ; dous ma-
nuaes|cncyclopcdicos;um diccionario hespanhol
e inglet e vico-versa; o Iratado do estado actual
da monarchia portuguesa ; Cicero o segundo
volume da historia da America ; o o 0 volu-
mo da historia do Napoleao ; diccionario trn-
cese inglet; eas seguintes novellas ; les petils
homencs2v.; la floret myslerius 2 v. ; I
poIddeCerc 2 v. ; lo Capucin 1 v. ; lo 21 do
Javier 3 v. ; Iza 3 v. ; Monsleur lo Presot 3 v. ;
No dia 17 do corrente pela manhaa
fugio a preta Joanna de nacao Cabund, anda
moca levou vestido docilita ou riscado es-
curo representa 20 annos, dentes unidos, bai-
la, olhos regulares, maos poquenas o dedos
curtos ; quem a pegar leve a ra de S. Bom
Jess das crioulas n 21 ou na ra larga do
Rosario n. 1S, que ser gratificado.
Em 21 do corronto fugio um moleque
crioulo de nomo Adao do 12 annos levou
calcas e camisa azul ; quem o pogar, levo a ra
da Crui 11. 45, onde ser recompensado.
1 No dia 4 do corrento desappareceo um
moleque do nomo Benedicto do naci Angola,
do 14 annos secco do corpo lovou camisa de
algodo da torra o calcas do brim da Russia ,
tem a marca P no pello esquordo, e contra mar-
ca R nasespaduas ; quem o pegar, levo a seu
senhor Joao Lei te de Azovedo, com loja do ca-
bos defronte do Corpo Santo n. 17, quo recebe-
r 100/rs. do gratilicacao. 9
1 Na nouto do sexta (eir 18 do corrente,
do lugar do engenho Desterro fugio urna pro-
la de nomo Rosa ainda bucal baixa, grossa
do corpo com 3 signaes Coitos um na testa,
junto ao nariz e os dous, um em cada fonte ,
urna cicatriz de fogom urna das barrigas das
pernas, a qual vinha do engenho do Snr. Tc-
. a ser entreguo ao
Sr. Francisco Bringcl de Almeida Guodes; quem
a pegar, leve ao dito engenho ou nesta pra-
Ca ao Major Nascimento na ra da Gloria, que
ser gratificado generosamente. (12
No da 17 do coi rente, lugio urna escrava
de nome Marcela de naci Baca; mas pelas
Irolas o momos parece sor crioula baixa o nao
muilo grossa macaos do rosto altas, belfos
grosso.s, algunas nodoas pretas que torio do
bechigas mos e ps curtos e os tornozelos
meio grossos ; quema pegar, leve a ra do
llortas n 94, quesera recompensado.
Fugio no da 16 do corrente, do sitio
Cajueiio urna cabra do nomoLuzia quas ne-
f'ra. Anda est sumida a crioulinha do nomo
Maria da Conceico de 11 annos quesejul-
ga ter sido tortada desde Janeiro dosto anuo ,
he baixa pouoo lula, grossa do corpo ; o tam-
bem o moleque Lourunco, quo so acha fgido a
tempos; quem os pegar, leve ao mesmo sitio,
quo ser gratificado.
^Nodia 19 do corrente fugio um moleque
de nome Luiz crioulo, <\u 18 annos, rosto sec-
co calcas de algodaozinho azul, camisa do ris-
cado escuro No dia 20, tambem fugio outro
moleque crioulo do nomo Vicente de 12 an-
nos figura paqueos ps grandes o lece
levou calcasdo riscado escuro, e cami.s de du-
la j quem os pegar, leve a ra da Madre
Heos n. 7 que sera gratificada.
Rcigrg n4.Tvp. m M ia.- i
MUT vO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELZCYL16I_7BUU95 INGEST_TIME 2013-04-13T03:14:16Z PACKAGE AA00011611_05207
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES