Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05203


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auiau de 1844
Sabbado 19
I :>.- ... ....:. ....- ic. ,: gjirago ,,. a^OM.,.
larte] ,1Sr, ..li.niB,],,,. Os anmmcio.doe Miignan'iea 13o maand,
R '-'' :rin '' "'"> de 80 r^u i">r l.nlia. As MalMlly'Se lleven ar li,
S"1" ', ruadnaCruie r.. i u prq, l. ln.lH^nd.>noitl.>|delirotn. 8
Partida dos crreios terrestres.
Go,A'" >M>|Mf nadase se\ts Coira -tic Grande do Norte, cheg a 8 22 e >ar
?, a* i* -'*hn. Serinnaem >, 1'oroOilio, Viejola: no 4 ?
ida mei. G.ru, .no a 10 e i de ca la met Boa-tiM. I Pin
" ;... Cida-'<* i! ViOtorii, quintas feirai. Olinda indos o dias
DAS da semana.
11 Seg a. Callisl Aud do J. de I) da '_' v,
15 Inda > Therecade Josus. Re. and. doJ. de D.da 3. t,
16 QuarU s M.iriini.ino Aud do J. de D. da i t.
7 Quijli s lleduvirges Aud do J de de 2.
ifl Sexta s. Lucas. And. do J da da 2. t.
*9 Sab n. Ped*o de Alcntara hel. aud. do J. de 1). da 1. T.
i' Uo.u a. Jo io Caneio.
m,'r yT

de Oiilubro
Anuo XX. M. 25*5;
masaaneasaaeeaasasWMie^iiliiilBWia .ir-.
ra dependa .u B< ,...>. n-
-.j a wn< l naia
iiifmc
cullae.
Irat.i
C.mbioa l"a l.oo'J Ir l[.ioni.
u Paria .">J rr. |>ur (r4ncn
i!.- .r mo
I".:!!. .1 U
m par.'
ldoi de leiraa buae firl
Hunos n Da 1S lia o
Our.-!.''-,! i!,.
u u N.
a
t'rali- '''
., :' i
u Di'.us otr... il
por o,o
cuioira
17.3U0

renda
17,7il(|
DIARIO DE PE
PHASES DA LA NO I .Z DE Ol'Tl BRO.
iiu i:c:a ili a'hjras ei taio d m Luam.va a i I ai 9 ,
guanal a a .. bordead >i" I ardo |Crecentea 8 oi \>j a
Preimar ie
Primtir... 1Q horas a mm S | anb.a i pando 11 i S inieulot da tarde
l< larda.
1 larde.
Hll III I IHItatil II..................III........."IB^iMMMaSc^Mi^^
.
PARTE OFF*
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DO DA 1 5 DO C0RUEKTE
OlTicioAo Jim Muicipal o d'Orphos do
termo de Flores, declarando em solugao a du-
vida por S. inc. trazida ao conhecimento da
Presidencia em oliciodo l.'d'esto mez, quo
segundo o disposto no artigo l.o da lei do 30
do Outubro de 1830 e avisos de 14 de Abril de
34 e 14 de Agosto de 38 cuja doutrina he ,
que a attriuuices dos Escrivaes do Juizo de
Pa marcadas pelo cdigo do processo crimi-
nal em materia crime os nao privo d'aquel-
las, que em materias civnis Ibes cotnpetem por
legislaco anterior pdem os mesmos Escri-
vaes Iungar escripturas publicas e procuragoes
bastantes para o Juizo contencioso.
Circular.A's Cmaras Municipaes do Re-
cite, Cabo, Santo Anio e Pao do Alho re-
comendando-lhi-s hajo de providenciar, por
meio de posturas a cerca do que no oflicio ,
que Ibes envia pondera o Engenheiro em
Chele das Obras Publicas sobre a conservagao
das estradas.
OfTicioAo Delegado do termo do Limoeiro,
ordenando, que mande quanlo antes a prese li-
tar ao respectivo Commandante o soldado do
corpo de Polica Manoel Martins Buriti; e in-
forme com urgencia qual o motivo, por que
tem deixadode cumpriraordorn da Presidencia,
DitaMandando que osse recebido na com
panhia do Ariices, o Cabo mencionado na an-
tecedente portaria.
DitaMandando passar em soldado para a
companhia deCavallaria o Sargento do bata-
thao do artilbaria Benedicto Alves de Sousa.
DitaAutorisandoo recebimento destesolda-
do na companhia de Cavallaria.
DEM DO DA 9.
Officio- Ao Major J. P. de A. e Aguiar ,
remeltendo-lhe a fde officio, eguiadeven-
cimentos, que pora Pagadoria Militarse pass-
rao por occasio do seu embarque para a Corte,
onde se devia apresentar ao Exm. Sr. Ministro
da Guerra. _
dem do da 10.
PortariaAo Commandante do Deposito ,
para que consideraste com trtv. mezes do licen-
cade fivor concedidos por S. Ex. o Sr. Pre-
sidente da provincia em data de 8 do correte,
o Anspecada IVIano DitaMandando dispensar do servicoedo
aquartelamento, o Sargento Candido Jos da
I-'onsi.'ca do segundo batalhSo de Guarda Na-
cional vista de suas graves enfermidudcs le-!
alente comprovadas.
Tliosoiiraria thi Pazenda
EXPEDIENTE DO nlA, 11 DO CORItENTI'.
ffifficioAo Exm. Presidente do Tribu-
nal do Thesouro Publico Nacional, enviando
como foi determinado pola ordem de 11 de
Maio do corrente anno sob n.89, a habilitaciio
pola qual D. Alaria Barbara Xavier e Silva reco-
lieo por a Thesonraria mei i sold como viuva
do Briuadeiro Francisco de Assiz Castro Botelho
Torrezao.
DitoAo Exm. Presidente da provincia ,
informando o requerimento do Bacharol Vicen-
te Pereira Bego, em que pedio o ordenado do
Juiz de Orphaos desta cidade de 1.3 dejMargo ao
lim de Abril deste anno, emque exerceo a res-
pectiva vara,por mpedimentodo effectivo.o Ba-
cliarel Francisco Joao Carneiro da Cunha.
DitoAo mesmo Exm. Sr., idem Pedro
Bezerra Pereira de Aratijo Boltrao substituto
de grammatica latina do collegio das artes de
Olinda em que pedio o ordenado dos mezes
do Julho e Agosto, que dcixou de receber por
a Thesouraria.
DitoAo mesmo Exm. Sr., pedindo so dig-
nasse transmittir ao Thesouro Publico Nacio-
excroicio findo de 184^-44 pela quantia de
oem con tos de ris que recebeo o (.'.ominan -
danto do vapor. Guapieas pura ontregar no
Thesouro Publico Nacional.

Coiusn'iiicado.
A DENl'NCIA DO SR. CMtMUIlo, O C6 FftORBS
DA PUAIA '
A praia em desespero, por nao ti r podido.
a|icsar de todas as suas combinsgCes do fraudes,
inlamias, aprsar d todos os seus manejos
torpese o indignos, tupplantar o voto livro a os
briosos Afogsdense vendo que nao obslarite
a revista de mostru, que alli passou ao seu
ha tal hn ligeiro de cacetistas, que nao obstan-
te lodos os seus torrores, todas as suas a megas
desanguc amorte, que Dio obstante final-
mente todas as suas vilesas, e indignidades,
leve de sofl'rer a derrota muis completa, o ver-
gonhosn ; frtil, como he, em grandes expe-
dientes do iniquida.de, recorre a outros meios,
muda de ruin i, o trarando emlim un nono
plano do campanba ei-la (|ue s'appresenta em
campo, pelo orgSo do Sr, Francisco Carneiro,
nal, o oflicio que acompanhava destn The- denunciando daquellai cleicoes!
pela qual so Ihe determinou em 20 do rei
passado que li/.esse recolher esla praca o
mencionado soldado.
DEM DO DA 16.
OlTicioAo Director do I.yco declarando
em resposta ao seu oflicio de 15 d'este mez ,
que o concurso s caderros do primeiras let-
tras, designado para o da 23 deve sor feito
no palacio do Governo e presidido pelo Pre-
sidente da provincia, sendo S. me. presente,
como prescreveni as instruegous reglamenta-
ros de 17 de Setembro de 1841; prevenindo-o,
de que deve mandar vira pedra para o exame
de Geometra ; e intelligoaciando-o de que
d'ora diante os concursos sero annunciados
pela Secretaria do Governo.
DitoAo Provedor da irmandaile de S. Pe-
dro d'esta cidade para que baja de franquear
o respectivo consist no, fin de ncllo se reu-
nir o collegio eleitoral da mesma cidade, quo
no dia 20 do corrente tem de eleger os novos
Depulados Geraes e Provinciaes.
Commando das Armas.
EXPEDIENTE DO DIA 8 DO CORRENTE
OfficioAo Illm. Brigadeiro Jos Joaquim
Coelho, convidando-o comparecer no acto so-
lemne da posse que no dia 9 do corrente ia
tomar da Presidencia desta provincia o Exm.
't. Concelliciro Thomaz Xavier Garcia de Al-
IDEM DO DIA 11.
OfficioAo Exm. Presidentes cerca de va-
rios objectos de economa interna do segundo
balalhao deArtilharia a pe, que havia marcha-
do para as Alagoas e reclamando providen-
cias na parle relativa os caixas administradlas
do frdamento, rancho e hospital.
DitoAo Commandante Superior da Guar-
da Nacional do municipio, passando a sua dis-
posicao o guarda da 3.* companhia do l.ba-
talho de Guarda Nacional desta cidade Andr
Avelino da Costa, preso pelo Commandante da
guarda principal no dia 10 por ter altercado
com a senlinclla das armas, e desembanhado a
baioneta para fcril-a. |
DitoAo Commissaro Pagador remet-
iendo Ihe a relacSo nominal das pragasdoba-
Ihao de Aililharia o companhia de Artfices ,
que embarc'irao para as Alagos, a lim de Ibes
passar a competente guia
dem do da 12.
OfficioAo Exm. Presidente, remettendo-
IJie a cont da despeza fcita comaoa fornecida
ao destacamento da comarca doBrejo pelo res-
pectivo Capito Commandante, para queS,
Ex. se dignasse de a mandar satislazer.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., pedindo-lhe
esclarecimento cerca do pagamento da grati-
ficaco addicional que pela imperial provsao
de 18 de Setembro ultimo se mandou abonar
ao Secretario Militar.
DitoAo Commandante do lorie do Buraco,
sobre as requisices existentes no Arsenal de
Guerra anda nao salisfeitas e ordenando-
Ibe que a respeito se entendesse pessoalmente
com o Director do mesmo Arsenal.
DitoAo Commandante do lorie de Gab,
dizondo-lhe que em lugar do particular Anto--
l
mida.
Iguaes convites se lizerao a divers'os Olticiacs nio Francisco Baptista de Almeida que adoec-
'itaes. ra marciiava loiar o cosirr.Gr.do do desla-
carnento o ." Cadete Jos Antonio Cesar de
Cima, e que os vencimentos do l.Tenente
Ajudante interino do forte devioser incluidos
na respectiva folba.
DitjAo Commandante interino do 2.'ba-
lalhao Je Artilhaiia a p, para que declarasse
os dias em que foro fornecidas de rages, por
bordo do vapor Guapiass as pragas expe-
dicionarias asAlagas, a lim de se nao tirar
eetape, como est doterminado em lei.
Portaria Autorsando o Quartel-meslre
Manoel Lopes Maciel entregar a Candido
Jos da Silvera a importancia do sold e elape
vencida pelo destacamento do Bonito de 20 a
40 do mez passado o rocebida alli pelo Capillo
Commandante Bastos, e a remetter ao mesmo
Capito Bastos os vencimentos de la 20 deste
mez, e a satisfazer a requisigao das pedernei-
SunnrinroR o Chufes do rnarl.ii;i;;
Dito Ao Commandante da fortaleza do
Brum, para la/or salvar com 19 tiros a mesma
fortaleza, na occasio em que o Exm. Presi-
dente noRieado, o Sr.Concelheiro Thomaz Xa-
vier Garcia de Almeida preslasso as maos
da Cmara Municipal o respectivo juramento ,
regulando-so pela bandeira nacional que seria
icada no mastro do talegrapho na torre do
Collegio nossa mesma occasio.
DitoAo Commandante do batalhaodo Ar
tilhana, remeltendo-lhe a parle aecusatoria do
soldado desertor Manoel Jos Mondes, do corpo
do Guarda National destacado, para que man-
dasso organisar o concelho do disciplina que
alli nao podia ser feito por alta de Officiaes.
PortariaMandando excluir om guia de
igom para a companhia do Artilicos o
jnd i batalbio de Artilbaria a p
Miguel Antonio de Olivcira Cirne ,' oflicial de
ounvos.
sourana, sob n. 72 do corrente anno.
DitoAo Commissario Pagador da Thesou-
raria das tropas, enviando o requerimento de
Luiz do Franga deCarvaMio 2. Teen te da
companhia de Artfices pura Ihe dar o conve-
niente destino.
DitoAo Administrador da Becebedoria de
Bondas Geraet Internas participando ter em
9 de Agosto declarado ao Juiz dos Feitos da
Eazenda, quo a porcentngem de 6 por cento
devida ao Juiz pelo que arrecadasse e recolhes-
se aos cofres, devia ser dedusida as respecti-
vas guias, para ser paga a proporco das en-
tradas.
DEM DO DIA 12.
OfficioAo Exm. Presidente da provincia ,
inlormando o requerimento de Honorato Bar-
bosa da Costa, Guarda da Alfandega desta ci-
uade em que pedio trez mezes do licenga com
os respectivos vencimentos para tratar da sua
s do
DitoAo Administrador da /ecebedoria de
Tiendas (eraos para informar que numero de
csludanles do Curso Jurdico de Oln da pa-
gotl h laxa do encerromenro da matricula e
quanlo foi a importancia arrocadada.
IDRM uo ulA 14.
OfficioAo Exm. Presidenlo do Tribunal
do Thesouro i'uhlico Nacional, sobre a quan-
tia do cinco contos e vinlc mil ris em notas
substituidas, que a Thesouraria do Bio Gran-
do do ^Norte remellia para esta e por enga-
ito da administracao do Corroioj daquella pro-
vincia foi directamente remettida ao dito
Thesouro.
DitoAo mesmo Exm. Sr., enviando, pelo
Commandante da barca de vapor Guapiass ,
cero contos de ris. por conta do saldo do exer-
cieio (indo de 1843-44.
DiloAo mesmo Exm. Sr. participando
01 snio eiiUcgua na ucauui'Uria. pelO UltO
Commandante, a quantia de tresentos contos
de ris em notas aecusada pela ordem de 27
de Setembro passado n. 209 para continuadlo
dasubstituigo das notas que se mandarn re-
tirar da circulago.
DitoAo Exm. Presidente da provincia ro-
gando se dignasse transmittir ao Tribunal da
Thesouro os oicios, que acompamhavo.deste
Thesouraria, sob ns. 73, 74 75 do corrente
anno.
DitoAo mesmo Exm. Sr. informando o
requeiimento de Francisco'-Pereira Algarve,
earceroiro da cadnia de Olinda, em que pedio
o ordenado pertencente a exercicios findos.
Portaras Mandando passar da caixa da
subslitukSo das notas para a da receita geral
do exercicio findo a quantia de cem contos
ile ris em notas de diversos valores.
Dita.Mandando credilar ao Thesoureiro da
Faieod no livro caixu daiocea geral do
Ainda aoramos os artigos fundamentaos,
que a pandilha, provavelmente, fez assignar
ao Sr. Carneiro ; ainda nao sabemos as bases
principaes sobro quo descanga essa denuncia
celebre; porm sejSo elles quaes forero, scjSo
quaes forein os motivos ostensivos em quo ella
se blsda, nos nao vemos nesto procedimento
da pandilha, seno o resultado do despeilo, o
do (uror do quo a praia se acha possuida por
ter tao vergonhosamente perdido ui|uella elei-
oao ; euinda quo aguardamos omeltir nossa
opiniao a respeito quando inelbor informa-
dos, quando inteiramente a par dessa questo
melindrosa e escududus nos fados pdennos
(aliar com seguranca ; todava, todas as coin-
cidencias do tentpo nos autorisao a crer, que
essa denuncia bo obra de un plano concertado
no club sanguinario dos invisiveis, para assim
nulliicar, em todos os collegios, onde a praia
conta maioria d'eleilores, os votos dosjtaijuel-
las freguesias, onder a fraude e a violencia
praieiro nada poder conseguir ; o at jul-
gtml descobrir neste procedimento o dedo
Jesutico do solapador de todo* os ttmpos I
Banioier assim, na vordade, que outro
motivo obrigaria a praia a levar peranle os iri-
bunaes as eloicocs daquellcs lugares, onde nao
pode vencer ? (,)ue outra cousa faria com que
os coripheos da pandilha,vencendo essa incoro-
motla vergonha, esse remorso atormentador,
que sempre accompanha o bomem principal-
mente, quando em publico para (inscrimi-
nosos, e sinistros te de attribuir a outros
acedes por elle praticadas a tanto se aba-
fancassem a lim de assim esligmalisar os seus
mesmos actos?!!! Semduvida que a miseria
da praia toca a >scapogo;easua furioso laucu-
ra, o horrivel desespero, que a domina, Ihe tem
lirado todo o sentimento : tem alienado do si
toda a sombra de raso, e bom sonso /
o pul is>o que eiia.iiepois ue ior de um mo
do tao inslito, e revoltanlo atropellado as leis,
o a moral as eloigoes das freguezias desta ca-
pital, depois de ter calcado, o espesinhado os
direitos, o garantas dos cidados activos deslas
reguezias, mormenle da de S. Jos, quer
agora,a pretexto d'iliegadades.nulliiicar a elei-
go dos Afogados!
Acaso pensa a gentalha infame da praia, que
Ionios esquecido as suas gentilesas, as suas
manobras, e estrategias, e s violencias mons-
truosas por ella praticadas nessa eleico ? Ou
suppoe, que os seus punbaes, que o seu bata-
IbAo ligeir'1 da caeotes tem poder sufficiente
para nos azer calar, ou impedir a que tambem
vamos aos ti hunos jurar quanto presenciamos?
.Miseraveis praieiros, gentalha vil do inlerno,
dizei-nos, p leus vos lallar em Ilegalidades de
eleii,u statt acaso para tanto habilitados.'
Festespor ventura regularmente a vossaeleigo
de S. J os onde admit tistes a votar os mocos dos-


lagos, tivessem.ou nao a idade ouo rendiment<>
da lei ? Onde admittistes a votar portuguo
M9 proletarius, caueiroa, e al mendigos
Pregustes a lista dos qualiiicados na porta
da matriz quinze das antes do dia mar
oadopara aelecao, como-manda a Jai? Man-
dastes imprimir essa lista conforme vos loi or-
denado pela Presidencia .' Altendestes s re
CtamacxJet de innumeravcis cidados, que nao
lorio por vos qualiiicados ? Nada destas c
outras multas cousas izestes ; entretanto que
quali icastes a Marcolno Antonio de Moraes,
que, se bem que casado,nao tem a dada, nem
o rendimento exigido pela le, por isso que
nao tem oflicio, on beneficio Qualificastes
igualmente elegivel a Amaro Jos Ferreira que
a excepcao da idade est as circumstancias do
primeiro /
Qualificastes igualmente a Maximiano Hen-
rique da Silva Santiago, .a Ignacio Carneiro
Leao o primeiro elegivel e o segundo votante
apesar de ambos serem (ilhos familias, e nao
terem a idade da lei, nem ollicio, ou emprego
d'onde se possa presumir que tonhao algum
rendimento! Qualificastes tambcmelegivelao
Sr.Dourado boticario no patio do Terco,quedi-
zem tem desanove nonos de idade!.'F, juntamente
a Francisco de Paula Maior.aacrhislaodo S.Jos,
ajosdetal Magalbes.caixeiro do venda de um
tal Miguel Meneses.seu irmoja JoaoSabino.ir
mao de Manoel Thomuz, a pesar de ser prole-
tario, a Jeronimo^Dantas Timb, n a um fu-
Sano Lessa, que ganha oito mil rs. mensaes
na Alfandega desta cidade, aos |lilbos do Vital
carcereiro da cadeia ; o muilissimos outros,
que seria um nunca acabar, se quizessemos
enumeral-os ; assim c< mo a muit s portugue-
ses papeletas, como Jos Antonio Leite, um
tal Joao (queixinbo) e outros Porque
pois fi/estes ludo isto ? Porque qualificastes
elegivel a um irmo do Sub delegado que es-
tando desempregado nada tem derendimen
to ? Porque finalmente introdusislcs na vos-
sa chapa o a fottiori fizestes eleitores a Antonio
Joaquim da Silva Ruducm, que na qualidade
de caixeiro nao pude votar,quanlo mais ser vo-
tado ? A Jos Cunegundes da Silva que vi-
vendo segundo dizem, a expensas de urna
sociedade, nao pode votar, nem ser votado i' !
A Ttiom Fcrnandes de Castro Aladeira, qne
nao sendo maiorde vintee cinco annos, nem
casado, clrigo de ordens sacras, bacharel for-
mado, ou oflicial militar nao pude volar nem
ser votado ? A Pedro Antonio Teixeira ti ti i -
maraes, portuguez, que dizem, que al ha
mais dedez teslemunhas promptasa jurar que
veo^para Pernambuco a 23 de Novembro de
1825 cinco das quaes vierao com elle no
mesmo navio ? Porque fi/estes tudo isto !
Pallis ew Ilegalidades d'eleii/Ges ; mas dizei-
nos, porque elevastes a trinta e um eleitores a
nova Iregu'ezia de S. Jo, quando ella tem
mil nove centos, e oitenta fogos ? quando ella
apenas pode dar vinte um ? He assim que
Sois legro, que sois amigis, e defensores do
povo :' He assim, que sois patriotas, que sois
amantes das liberdades de vosso paiz ? Aondc
est o vosso partido nacional ? a vossa naci
nalidadehetal.que habilita estrangeirosparavo-
taremque oflendendoacintosarnt-nle aos direitos
de tantos Pernambuconos disUnclos eleva por-
tuguezes so cargo de eleitores!!.'... Oh! e nao
vos enyergonhais de tanta torpeza,eindignidade,
da tanta infamia
-------------------------------*2
/
podia eu forrar-me ao trabalho de dizer mais 7 de Setembrode 1844. Sr. Jos Antonio Pe-
iada;por quo elle basta para seu corpo de delic- ] reir, Capito do 7.* batalhao. O Suhdele-
to : porui sempre direi ulguma cousa. Um
primeiro lugar nao posso accreditar que o Exm.
Sr. I/.idro (lente Coronel) oautoriasse para
hamar a Guarda Nacional a sua ordem : S.
lixa. tem bastante sciencia de suas acedes, e
n3o tendo anda tomado o commando do bata-
lirio como se ve da copia do sou officio numero
{ nao poda autorisal-o para semelhante absur-
do ; logo parece que o Sr. Subdelegapo quir
envolver o nome de S, Ex. por nao ter outra
desculpa dar seu acto criminoso. A soguuda
Jesculpa, (ambem he digna d'altencao, quando
diz, que Ihc constava que eu ja nao estava no
commando do batalhao o n'estecasoeu com-
metti um acto igualmente criminoso em arro-
gar-me um titulo queja me nSo competa.
Kntfio o que fa/ o Sr. Subdelegado, que no
me crimina ? Para que deixa dormirem as leis?
Sera por indulgente ? Perguntarei mais se es-
tando outro Uficial no commando, o Sr Sub-
delegado podia, o teria direitodc mandar cha
mar a Guarda Nacional sua ordem ? Ou se
entende quo una guarda, e esta extempornea
ser um fiagrande delicio ? E anda mais, se o
Sr. Subdelegado algum dia exerceralgum lugar
interino querer que por esta razao Ihe percao
orespeito? Mas para que cansar-me com mo-
ralidades ; sao palavras que pdem ferir seus
ouvidos. Oqueeujulgo, he que elle entende
que o direilo de ser respeitado a torto, e direi-
lo Ihe veio em heranca do engenho Calende ;
assim como entendeo que sendo o chav3o das
eleicoes, que j no dia 7 linha fechado emuma
mao o nome dos eleitores, e na outrs o dos ex-
cluidos, podia tambem dispor de tudo mais e
al da Guarda Nacional.
Porm fique o Sr. Subdelegado advertido ,
que boje o ser Eleitor nao tem signiicaco al-
guma porque nao exprime opiniao do individuo
que sai assim como nao se pode concluir,
que o que nao he seja por falta de mrito.
Mas o logar que eu exercia nao podia ser pelo
Sr. Subdelegado nullificado: este tem outra
significaco muito difieren te e nao est no
caso devotos, que me podesse extorquir. Po-
rm elle em seu frenezi tudo julgava possivel,
e tudo ficrrrditavo (llegando a tal ponto seu
delirio que se persuadi que em minba e
outras casas se faziao contra ello clubs. Ora
club, sempre se fazcm contra um (ioveino ,
ou para mudanea d'inslituicGes politices de um
paiz &o. Mas um club contra o Sr. Francisco
Antonio Ou elle ignora a intelligencia de
club, ou naosei, que idia forma de sua pes-
soa. Porm eu, que o conllevo, posso asseve-
rar que nao valle a pena de tomar esse traba-
lho como Sr. Subdelegado, embora tenha elle
o privilegio exclusivo de fazer ressuscitar mor-
ios, para eleicoes. lolavia nao recuarei pe-
rante o Sr. Subdelegado quando for por elle
aggredido.e por isso quero patenlcar a maneira
desptica, e arbitraria d'este Kmpregado de Po-
lica, que devendo ser o primeiro em manter a
gado francisco intonio Pereira da Silva.
Illm. Sr. Participo a V. S. para sua in-
telligencia, que tico no exercicio do commando
em chele do batalhao ; e ao Sr. Alferes Secre-
tario do mesmo advirlo, para que de V. S. re-
ceba os papis, modelos, livros inherentes ao
archivo do balalbSo. Espero que V. S. se dig-
nar, logo que possivel le seja, ministrar-me
alguns esclarecimentos precisos, e um mappa
geral do estado eflectivo da oficialidade, nu-
mero de pracas, e mais circumstancias que oc-
correrem no mesmo batalhao.
Ueos guarde V. S. Quartel do commando
do 7.* batalhao,"20 de Setembro de 1844. Illm.
Sr. Jos Antonio Pereira, Capitao, Comman-
dante interino. Isidro Francitco de Paula
Mesquita e Silva, lente Coronel do mesmo
batalhao.
Sou, Srs. Redactores, &c.
Jos Antonio Pereira.
Jaboatao, 17 de Oufubro de 1844.
Publica^o a pedido.
rmonia em seu districlo, foi quem me provo-
rou para um conflicto de jurisdieco que po-
dia alias ter desagradavcl resultado, e de que s
elle seria o respoi.savel, visto (|ue eu me via o-
brigado a sustentar a dignidade do meu poslo ,
e da Gu; rda Nacional entregue ao meu com-
mando interino. Parece que a sede de mando
que elle tem he s para ter meio de zombar
, e baixesa P I Negai, negai das leis, e da humanirade. visto aue lano ande-
ro | Cidade da Parahiba, iOdOutubrode 1844
Amigo t Sr. Como quer noticias d'aqui,
eil-as. Lavra a febre eleitoral; e com toda ar-
te trabalha a intriga : alguns dos grandes Srs.
teem querido dar s suas chapas o carcter ofli-
cial, inculcando-as do Governo (sem prejuizo
de causa propria): no enlanto tem-me sempre
dito o Exm. Sr. Franco de S, quo nao apr-
senla chapa alguma, e que deseja a mais ampia
liberdade as eleicoes : hoje mesmo m'o repe-
li,sccrescentando que fara constar isto mesmo
aos collegios mui explcitamente ; e aulorisou-
me a publicar este seu pensamento lodosos
meus amigos; portanto pde-o declarar at
em letra redonda.
Eu contino firme no proposito de nao guer
rearalguem ; a mesma caridade nao teem para
ommigo alguns dos grandes Srs.; porm tam-
bem nao chamarci sobre mim os efleitos da in-
triga. Contento-me com o favor de meus ami-
gos, que soheja bondado prodiga lisarao-me, c
aguardo com resignado qualquer resultado
Est satisfeito ? creio que sim.
Saude, &c. Seu prente e amigo Manoel
Lobo de Miranda Henrique.
signaco deN. O. Biebor & C., manifestou o
seguinte :
800 uuas passas, 50 poes uvas, 30 larris
azeite d'oliveira, 10 ditos alpista, 612 barras
de chumbo, 21 barris dito do municau, 1 caix a
bixas : aos consignatarios.
Van edad e.
SIMPUCliUDES
o depois ento allai-nos de Ilegalidades ; por
que d outra sorte nao seris attendidos; por
ninguem seris acreditados, e muito menos
por quem laobem vos conhece como
O verdadeiro liberal.
WSPgaagpwm tpmmsi s
Correspondencia.
N5o tendo c Sr. Subdelegado desta fregu
/la respondido as peiguntas, que Ihe (/ em seu
Diario n. 218; quero por meio do mesmo pa-
tenlear ao publico n razao quo tive para s fa-
zer. No dia 7 de Setembro fui eftregor a mi-
tiln lista na lgreja Matriz, e como meu quar
icirao losse o ultimo a votar, relire me para
casa do meu amigo o Sr. \ igario, e ahi passei
odia. Pelas7 horas da noite, pnuco mais, ou
menos ouvi, (e ouvirao todos, que alli estavao)
ao Sr. Subdelegado ordenar, que so notificas
se a Guarda Nacional sua ordem. Esta ordem
Srs. Edictores alm de ter o cunho da illegi.li-
dade lu accintosa, porque da casa em que eu
estava em que assistia o Sr. Subdelegado
nao ba mais que o espaco que vai de um ao
outro lado da ra ; c para fa?er mais solemne
seu arrojo chegou porta, e deo a ordem com
voz to alta, (a que elle chama inergia), que se
poda ouvir em triplicada distancia da em que
t u estava.
A vista pois de semelhante abuso, rnandei
oollicio que abaixo vai na copia n. 1, t dei
as providencias para que os guardas nao obede-
cessem a urna ordem Ilegal e en : ti
h-ooTico, copia n. 2, avista do qual Lew
la, que o emprego que ocrupa seja propriedade
sua a ponto de sonhar todos os das, que Ih'o
querem tirar, como 8cconleceo a meu respei-
to. Quanto a mim esteja o Sr. Subdelegado
desesneedo, que Ih'o nao disputo nem o am-
biciono embora Ihe digao o contrario, e a sua
nuiita Icviandadeoindiiza a accredital-o.
Copia n.*l.
( onsta- me, por ouvir, que V. S. ordenou
que se nolificnsie a truarda Nacional (para o
que. ignoro) c como nao reconheco em V. S.
anloridade alguma de chamar para o servido a
Guardo Nacional, sem ser por meio de requisi-
eao; sou a dizer-Ihe, que um momento que
me rpstfl o commando deste eorco, r??o cenrir:
loque os Guardas ohedeco a urna ordem Ile-
gal, porque s obedezo lei, o sautoridades
que a cumprem.
Deis guarde a V. S. Quartel do commando
interino do 7." batalhao, 7 de Setembrode
18H. Illm. Sr. Francisco Antonio Pereira da
Si-va, Subdelegado do 1. districlo de Jaboatao.
Jos Antonio Pereira, Capito, Commam-
dante interino do 7. batalhao.
N2.
Em resposla ao seu officio, tenho a dizer-lhe,
que, estando autorisado a formar urna guarda
nesta poroacao, e nao podendo formal-a so-
menle com os Policas deste lugar, vocalmente Hendimento do da 18.........18:416^220
me foi permittido pelo Sr.Tenente Coronel do Descarrega hoje 21.
batalh3o chamar nesse interim alguns Guardas BaaNightingale ferro o chumbo.
para o fim dito ; alm de que me consta, que ----------------
Vm. j nao esta no commando desse batalhao. IMPOHTACA.
Parece com isso terrespondido o seu officio. I mprehendedor, brigue hes|anhol, viudo
Ueos guarde a ^ m, Povoat 5o de JabostSo. i lie Itorteluna, entrado no correute mez eon-
U m cavalheiro.seguido de seu criado, tinha
ido juntar ao castello d'um de seus amigos :
para voltar para casa era-lhe necessario atra-
vessar urna ponle muito perigosa, e dominando
urna correhte cujo ruido era capaz de assuslar
o homem mais temerario.
O vinho que elle tinha bebido, que talvez
nao fosse muito pouco, subi cabera do nos-
so cavalheiro ; mas fiado no cavado que o con-
du7a, nao vio algum inconveniente em se en
tregar ao somno que o dominava ; uniesmente
antes de adormecer, julgou prudente cncarre
gar ao seu criado de o acordar quando estivesse
perto da ponle fatal.
Ambos conlinuarao seu caminbo : o amo
adormeceo, e o criado, muito cecupado sem
duvida a revolver em sua memoria o acolhi-
mento gracioso que elle tinha recebido da cria-
dagem do castello que acabava de abandonar,
fsqueceo a ponte, seus perigos e a ordem qne
Ihe tinha sido intimada.
Havia maie de urna bora que os nossos via-
jantes tinhaoatravessadoo lugar temido, quan-
do o cavalheiro acordando perguntou com an-
ciedade :
Enlao Joao estaremos em pouco
tempo chegndos a ponte? Ah Sr. ella
fien j urna boa legoa atraz de nos. Como,
maroto e porque nao me acordaste, quando
eu assim t'o tinha mandado ? Ka i, jJvmw
lido a infelicidade de cahir na correle e de
me afogar nella, jeria-le dado um tiro e feito
saltar os miojos no mesmo instanta.E eu,
Sr. se Vos vos livesseis levado a esse excesso]*
ter vos- bia pedido as minhas conlas. o nao me
leria demorado mais um instante no vosso ser
vi? {Copiado)
mggmmmfgm------------------wmm^mmm. _m
Movimento do Porto
Navios entrados no dia 18.
liba de Maio; 45 dias. brigue porluguei Trin-
dade, de 204 toneladas, capitao Joaquim dos
Santos Martyres, equipagem 13, carga sal ;
a Manoel Ignacio de Oliveira. Sua viagem
era para o Rio de Janeiro, arribou a este
porto por ter desarvorado.
Parahiba; 2 dias biate nacional 5. Joo
li aplata capitfo Floriano Jos Tei-
xeira, equipagem 5 carga lenha. Passa-
geiro Jos Alves de Sousa.
Hamburgo ; 66 dias, escuna oldemburgueza
Leo, de 150 toneladas, capitao I. H. Gar-
dos, equipagem 8, carga varios gneros; a
Kalkmann & Rossemund. Passageiros o
Brcmerce Claus Heinrich Kienche o Prus-
siano Eduardo Kar Alugust Lenlzer.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio de Janeiro; brigue americano Rrandym-
nt, capitao Pocoll Smaik: em lastro.
Falmouth; paquete inglez Penguim, commen-
danle Leslie.
Ass; brigue b rasileiro Deas t Cuaide, capi-
tao Manoel Lufa dos Sanios : eui lastro.
Marei e Penedo; hiale nacional 5. Joaquim,
de 38 ton., Cap Bernardino Josf Ribeiro ,
equipagem 5 carga varios gneros; a An -
drade & Azevedo. Passageiros os Semina-
ristas Leocadio da Fonseca Carneiro, Anto-
nio de Mello o Albuquerque Pedro Jos
Carlos da Silva Jos Gomes do Mello, Cae-
(ano Joaquim da Cunba, Brasilciros, e An-
tonio Coutinbo, Portuguez.
Haba; brigue escuna americano Washingotn
farg, de 145 toneladas, capitao Dulens ,
equipagem 9, carga lastro.
Ecitaes.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade, Ofi-
cial da Imperial Ordem da Rosa, Cavalleiro
da de Chrtsto, e Inspector d'Alfandega, Sc.
Faz saber que no dia 21 do corrente se ha
de arrematar, cm basta publica, porta d'AI-
fandega, ao meio dia, urna catiaia no valor de
UbOOO rs., apprehendida pelo Guarda Jos
Manoel dos Santos Vital, pertenecnte barca
porlugueza leal, sendo a erremataco livre de
direitos ao arrematante.
Alfandega, 18 de Outubro de 1844. Mi-
guel Archanjo Monteiro de Andrade.
COMMERCIO.
Alfandeg;i.
= O Illm. Sr. Inspector da Tbesouraria ,
em cumprmenlo do cilicio do Exm. Sr. Presi-
dente da provincia do l.'do corrente, manda
lazer publico que no dia 25 do corrente ao
meio dia, ir a praca, conforme o regulamento
das rrematatoes de 11 de Julho de 1843 os
reparos da cadeia da cidade d'Olinda, com as
clausulas especiaes abaixo transcriptas.
!;
Os trabalhos e obras dos ditos reparos se-
ro feitos de confrmidade com o orcamento
approvado em 30 do prximo passado mez pelo
Exm. Presidente da provincia, pelo preco de
quatrotentos e nvenla e dous mil ris.
2.
/-s obras principiars no prazo de quinze
dias.e (indar; o no do tre mezes; ambos conta-
dos na conformidade do artigo 10 do regula-
mento das arremataces.
3.'
O pagamento realisar-se-ba na forma do ar-
tigo 15 do mencionado regulamento sendo de
Irez mozes o prazo de responsabildade,
4.*
Para ludo o mais que nao est determinado
rels nrpspnioe Iw,.!, ,..:, u_ :.._:.-
ramenle oquedispe o regulamento das arre-
malacdes de 11 do Julho de 1843.
Os licitantes devidamenle hnbilidados, com-
pereco no mencionado dia na mesma Tbe-
souraria.
Secretaria da Thesouraria das Rendas Pro-
vinciaes, 14 do Outubro de 1844. O Secre-
torio interino, Joo Valentim Villela.
O Dr. Joo Antonio de Sousa Bel Ir So Araujo
Peretra,Jmz MunicipalSupplente da 2.va-
ra do termo do Jiecife e preparador dos pro-
cetsos que teem de ser submettidos ao conhe-
cimenlo do Jury por S. I.'e C. que
Dos Guarde, tyc.
Faco saber que pelo Dr. Manoel Mendes da
Cunha Azevedo, Juiz de Direilo da 2 vara do
crimu desta comarca me fdri fetta a participa-
tnnta e um do correute^mez, pelas nove huras
. _L


-.*
a
da manhaa, a quinta sessao ordinaria do Jury subscripcao feicha-io no ultimo deOutubro do
d este auno para a qual sahiro sorteados os; correntu anno, e quem mi or subscriptor s
quarenU e oito Srs. que se seguem
Manoel Goncalves Ferreira e Silva.
Joaquim Jos Ferreira.
Jas Camello do Reg Barros.
Francisco Euzebio de Faria.
Joao Tbeodoro da Cruz.
Jos Mara Cesar do Amaral.
Manoel Francisco da Silva.
Jos Victorino de Lemos.
Jos Jernimo de Sousa Limoeiro.
Jos Vieira Brasil.
Dr. Jos Antonio Pereira Ibiapina.
Dr. Jernimo Villela de Castro Tavares.
Manoel Ferreira dos Santos.
Antonio Joaquim de Sousa Riboiro.
Joao Ignacio Ribeiro Roma.
Elias Baptista da Silva. .
Antonio Rodrigues Lima.
Francisco Antonio Pereira da Silva.
Jos Joaquim Pereira.
I .uiz Francisco de Barros Reg
Capitao Antonio Manoel de Moraes daMesquita
Pimental.
Luiz Antonio de Siqueira.
Dr. Domingos de Sousa Leao.
Luiz Rodrigues Selle.
Dr. Jos Raymundo da Costa Menezes.
Manoel Ferreira da Silva.
Ignacio Alves Monteiro.
Dr. Pedro Dornellas Cmara.
Joo Pires Ferreira (do Poco.)
Filippe Mena Calado da Fonseca.
Major.Antonio Clemente Estevesde Larraz.
Joo de Carvaiho Paes de Andrade.
Dr. Manoel Francisco de Paula Cavalcanti.
Jos Claudino Leite.
Manoel Bernardino Monteiro.
Jos Xavier Vianna.
Franciscco Antonio Cavalcanti Sousa Leao.
Joaquim Jos da Costa Leilao.
Jacome Gerardo Maria Lumachi de Mello.
Dr. Fulgencio Infante de Albuquerquee Mello.
Herculano Alves da Silva.
Angelo Custodio da Silva.
Ignacio Nuncs Correa.
Dr. Luiz Paulino Cavalcanti Vellez de Guivara.
Luiz Pires Ferreira.
Jos Antonio da Silva Grillo.
Jos Francisco Marinho
Joaquim Canuto de Figueiredo.
Os quaes bao de servir durante a referida ses
sao, para o que sao, pelo presento cdital, convi
dados, devendo comparecer, assim como todos
os interessados, no dia e hora designados, sob
as penas da lei, se faltaren.
E para que chegue noticia de todos man-
doi passar o presente, que ser publicado pela
imprensa, e affixado nos lugares mais pblicos
desle termo.
Recie, 17 de Outubro de 18U. Eu Jos Al-
fonso Guedes Alcanforado, Escrivo o subscre-
vi. Joo Antonio de Sousa Beltro de Arau-
jo Pereira.
obtera a obra por 4,000 rs. por lomo.
Subscrevese na praca da Boa-vista botica
n. 6 do Sj. Jos*'- do Couto; em S. Antonio
praca da Independencia livraria n. 0. e 8,
ra Nova loja n. 32 o Sr. Caj ra do Cabuga
loja do Sr. Bandeira Jnior, e na esbuina da
pracinbado Livramento loja da Sra. Viuva
Burgos; e no Rscife praca j Comercio sala
Associacao Commercial. ('23)
Avisos martimos.
1 Para o Cear, at o dia 28 do corrente,
sahir o bem conbecido e velleiro patacho na-
cional Laurentina Brasileira, forrado e prega-
do de cobre ; quem no mesmo quizer carregar,
ou ir de passagem, dirija-se ao seu proprieta-
rio Lourenco Jos das Nevos na ra da Cruz n.
64, ou Manoel Jos Salgado. (7
1 Sogue viagem para o Rio de Janeiro o
brigue Maria /, forrado de cobre, e de boa
marcha ; quem no mesmo quizer carregar, ou
ir de passagem, dirija-so Gaudino Agostinho
de Barros, na ra da Cruz n. 66, ou ao Capi-
tao Jos Luiz da Fonceca, bordo. (6
1 O brigue Leao, forrado Ja cobre e de
primeira marcha, dovechegar do Ass por es
les seisdias, e seguir, 24 horas depo9, para o
Rio de Janeiro ; recebe nicamente escravos
frote : a quom convier, dirija-se Gaudino
Agostinho de Barros, na ra da Cruz n. 66. (6
moos; julgou-so baver por subsistente a posse ara sua morada ou dirija-se a Praca da In-
tomada pelo recorrido em toda a casa da uucs- dependencia loja n. 21. (
tao, o ter o mesmo recorrido direito atotalida- 2=Roga-sc por favor ao Sr. lbezoureiro_da
ludas cusas: esto julganiento foi em 6 do Se- t parte da 3 J lotera a favor das obras da
tembroprximo passado. (10 igrejadeN. S. do Rozario da Boa vista que
IsUfll homcm de meia idade o de boa con- declare por osla ollia quando paga os premios
docta so oflerote a dar licoes, em casas parlicu- extrahidos na dita lotera, pois j faz bastante
lares.de pri/neiraslctlras, contar, grammalica por-
tuguesa, o francez, com lodo o melindre, por
preco commodo na ra Nova n. 67. (5
! =0 Sr. itiforior da Companhia de Artfices
queira ir no praso do tros das pagar na ra de
lempo e o aniiuncinnto. nao pudo esperar mais;
pois precisa, o nao val apena dar banca por
lao diminuta quantia. (8
Alugao-so, um armazem na ra do Rozario
larga proprio para ulgum estahelccimente, uina
Hortasa quantiado3,620 risdequobodevedor; ;casa na rua ConceicSo
Lciloes.
l)eclara<
>
O Sr. Engenheiro em Chefe das obras publi
cas da provincia em virtude de autorisacao da
Presidencia em 30 doSetembro prximo passado
manda azer publico, que se vender por esta
reprtelo a quem mais der, nos das 19. 21,
e 22 do corrente urna porcao de materiaes do
pe irero e carpina que so achao depositados na
ponte dos Carvalhos, avaliados em 45tf000; cu-
ja refacu ser presente aos pretendentes nosta
repartidlo; sendo vendido ludo era um s lote, c
sob a condicao de ser entregue ao comprador ,
logo que este aprsente documento de ter reco-
Ihido Thesouraria P.cvincial o importe da
compra, recebendo os objectos no mesmo lu-
gar do deposito. Repartico das Obras Publi-
cas 17 de Outubro de 18*4.O Escriturario
Joo Baptisla de S. (17
2O Arsenal de Cuerra compra 300 cana-
das de Hzcite do carrapato medida nova para
lornecer aos quarteis e fortalezas: igualmente
contrata o ornecimento de agoa para as esta-
cos militares at o fin do anno inanceiro ; as
pessoas a quem convier podero comparecer no
dia 21 do corrente no mesmo Arsenal as horas
de seu expediente. No impedimento do Es-
cripturario, Joo Ricardo da Silva. (9
PUBLICACO LITERARIA.
Memoria Histricas da provincia de Pernam-
buco, precididas dum Entaio Topographco-
hitlorico, com postas pelo Tenenle da pri-
meira Ciaste do Estado Maior do Exercito
Jos Bernardo Fernar.des Gama.
O resumo d'esta obra se acha inserido n'este
Diario em o numero 170 de 31 de Julho
do corrente anno o no D novo numero 173
de 12 de Agosto do mesmo corrente anno. Pre
codo cada um tomo de 00 paginas, com urna
estampa fina litnograpb ida, em 8 francez 2,
rs. pagos na oceasiao da entrega do livro. A
1Quarta feira 23 do corrente, Bolli &
Cbavannes mandaro fazer leilao de urna por-
cao de arroz, recebida ltimamente do Mara-
nho, porta do armazem do Bacellar, s 10
horas da manhaa. (6
2 O corretor Oliveira continuar o leilao
comecado e interrompido da mobilia, &c. (qua-
si toda em ser) do Dr. P. Theberge, e de mais
mobilia nova pertencento um marceneiro,
que liquida o seu estabelecimento, e que por
isso se vender por todo o preco, consistindo es-
ta em guarda-roupas, marque/as, sofs, com-
modas, loitos de madeira e de ferro, cadeiras,
e mais objectos, segunda feira 21 do corrente,
s 10 horas da manhaa, na casa que loi do col-
logio de meninas, principio da rua do Hospi-
cio. (6
2 L. G. Ferreira & C. continuarao, por
inlervencao do corretor Oliveira, o seu leilao
de farinha de trigo, sendo a maior parte das
melhores e mais acreditadas marcas de fogo,
terca feira 22 do corrente s 10 horas da ma-
nhaa, no seu armazem do becco de Manoel
Luiz Goncalves, no Recife. (7
2=Nicollo far leilao por conta de quem
pertencer.nj seu armazem na ruada Alfandega
velha.de urna barricacomqueijosdegruisecbe-
gados polo ultimo navio, sabbado 19 do cr-
ranle s 10 horas. ^5
recer.
/I visos flivprsos.
Pergunta- se ao Sr. Subdelegado de Jaboa-
t5o o seguinte :
1. Qual a lei que o autorisa a nomear e de-
mittir Inspectores de CJuarteirao, seu bel-
prazer, sern o communicar, como lhe cumpre,
i.o competente Delegado ?
2 Se, mesmo nomeando Ilegtimamente,
o pode fazer, nrcahindo a nomeaco da princi-
pal inspectora, qual a da povoacao, em um fi-
II.o familia, menor ao 21 anuos (contra a dis-
posicao da lei), em cujo caso est o filho do Sr.
Jos Francisco do engenho Velho ?
3.* So lie permittido, alm da transgressao
da lei para com o filho, que o pai esleja func-
ionando ?
Eis como marchao os negocios policiaes con-
fiados ao Sr. Subdelegado, que, dvertindo-se
coma lei, que espesinha, pe e dispoe de seu
emprego (qual outro Loi da Persia), scmrcs-
peitar as autoridades, a quem he subordinado.
Queira [ortanto o Sr. Subdelegado declarar a
quem, no caso de algum rojbo de cavados e
batuques de vadios, incommodando a visinban-
ca, como, ha pouco lemp', aconteceo, so de-
vem dirigir os interessados, se ao pai, ao filho
ou ao espirito. He o que muito dse ja sabor
O Sabino.
= 0 Sr. quo trouxe esta typographia os es-
tatutos da sociedade Natalicia para se imprimi-
rem, queira apperecer para ver a prova econ-
ciuir-se a impiessao.
Extracto da Gaieta dos Jribunaes da RelacBo
do Rio de Janeiro numero 165 de 9 de Se-
tembro de 1844.
Recrtente* I) Marianna There/a de Jess
Siqueira coutros, recorrido Antonio Pcrrei-
ra: foi relator o Illm. S. ^Desembargador Si-
e se assim o nao fuer,tora o gosto de ver seu no
me por extenso e lamhem se prometi usar
dos meios da lei. (6
I ('asa de commissao di eneraros.
A casa de commissao doescravus da rua Vo-
lita n. 111 iiiudou-so para rua do Rozario da
Boa-vista n. 48, e contina-se a receber escra-
vos em commissao. (5
1Precisa-se do meninos de 10 a 13 annos, j
que iTfro tenhao em que se ompregar, para ser- j
vigo de urna otaria, onde se Ibes ensillar a
mesma oecupacao, dndose Ihes de comer
vestir proprio deste trabalho, al que estejo em
estado de perceber um jornal ; quem pretender
dirija-se a rua do Rozario larga padaria n 18.
1A viuva de Florido Augusto de Meirelles
faz publico particularmente aos Srs. que coslu-
mavaoa comprar ao seu fallecido marido, que
o seu estabelecimenlo do padaria contina no
mesmo p o regularidade, fabricando serrTpre
com as melhores familias do morcado. (6
= A pessoa que quizer comprar um negro
nacao Songo idade 20 annos proprio para
todo servico : na rua do Livramento loja n. 18
Oabaixo assignado nao deseja entroler po
lemicas com o Sr. J 0. de S e nao fez mais
do que explicar a razan, pela qual possuia a es-
cravalzabe!, e sua filha Esprituosa, para que
nao passasse a insinuaco maligna de que sendo
raptada, como se diz, se achava em poder do a-
baixo assignado, sem se dizer o como; mas co-
mo este Senhor parece ter gosto nestas polemi
cas o abaixo assignado (caixeiro do Senhor
Vimmer, do que tem muita honra, por viver
com decencia) lembra-lhe quo tem em que so
oceupar e nao emprega a sua vida nesta ques-
tao, e nem lhe d importancia alguma, porque
tem o seu direito seguro; declara por esta ulti-
ma vez que pode dizer quanto quizer o Senhor
S (oualguem p^rcllej que nenhuma resposta
ter, pois justamente para nao retorquir a sua
grosseira expressao, nao se oceupar de ninha-
rias, que somonte merecem desprezo; e quanto
a confissao de que alardea, responde que isto
he urna miseria, que merece compaixao, e na-
da mais. Fique pois cerlo o Sr. Sa que j maiss
lhe respndela.Jos Luiz Guaiaco.
2 Alfaiate fashionible.
F.Tempete, cliegado recentemente de Pariz,
onde exerceo por muitos annos a sua arte com
geral approvacao. avisa ao publico desta cidade
quo acaba do abrir loja de alfaiate na rua Nova
n. 4, aonde se ofTorccc para fazer toda equal-
quer qualidade de fato na ultima moda, e com
toda a perfeicao exigida ; prometiendo s pes-
soas que o lionrarem com as suas obras, de os
servir com o maior esmero, toda a promptidao,
e de forma a deixal-os completamente satisfoi-
tos. F. Tem pete far tudo o que esliver ao seu
alcance para obter em Pernambuco a mesma
do rio Capibaribe ;
n. 43.
no
, e oulra a margoin
allerro da iioa vista
voga que souhe grangear em Pariz. Na mesma
loja acba se pannos superiores para casacas, e
um bonito sortimento de fazendas para calcas e
eoletes. (13
2 Quem quizer negociar sobre um divida
publica que vence 5 por cenlo ao anno, com
documento publico, e oulra duvida passiva.
que est prestes receber-sc, lamhem docu-
mentada ; dirija-so praca da Independencia
n. 21. (6
2 Antonio Alves Vianna embarca para o
Rio Grande do Sul o seu escravu de nomo Anto-
nio idade de 22 annos. (3
2 O corretor Oliveira aluga a sua cesa e
sitio no Poco da Panella, pelo tempo da festa,
cu annualmeote ; os pretendentes dlr'jSo-se ?o
mesmo. (4
2 Aluga-se uina casa terrea no Corredor
do Bispo, quaii defronte do Palacio ; trata-se
na casa contigua, pintada de novo. (3
2 Aluga-se o 2. andar do sobrado n. 2,
esquina do becco do Peixe frito ; trata-se na
loja do mesmo sobrado. (3
2 O Sr. que deo para concertar na rua
Imperial n. 67 urna cama de condur, queira
no praso de oito das mandal-a buscar, do con-
trario se vender para pagamento do mesmo
concert. (5
2Sabbado 19 do corrente, vai, prar,a do
Sr. Dr. Nabuco as 3 horas e meia da tarde,
urna escrava
uesse d
LOTERA DE S. PEDRO
MARITR DE OL1JNDA
Nao pode l<*r lugar o andamento das roda-;
desta lotera no dia 10 do corrente, em conse-
quencia de existir grande quantidade de bilhe-
tes anda por vender; porm lora agora inal-
livelmente no dia (> do me/, de N ivembro viu-
douro por assim ter determinado o Exm. Sr.
Presidente da provincia ou antes Ji>to se se
vendercm o rstante dos buhles. Os ditos bl-
Iheles achao-se a venda na rua do Cabuga loiasv
dos Srs. Pereira & Cuodcs o nos mais luga-
res annunciados. 1,'
3 Qual quer Reverendo Sr. Sacerdote quo
(ui/er ser Coadjuctor da fregue/.ia de N. S. d
Paz dos Afogados annuncie por osla foi ha, pois
tem duas capellanas, urna nos domingos, odi-
as Santos, dentro da Matriz, e cuta as quintas
feiras, tambom dentro da Matriz ; alm disto
tem 200 rs. de gratilicacao pagos da forma qu<>
scconvencionar; a quem convier dirija-se aos
Afogados na rua de Motocolomb n. 28. (9
3Deseja-so subscrever a Revista Lisbonen-
se, desde o seu principio ; e roga-se a pessoa
que nesta cidade est encarregada do receber
ossas assignaluras, de o fazer publico por esta
fulha. (5
3 D-se dinheiro a juros sobro penhores
de ouro ou prata ; na rua do Rosario estreita
n. 35 se dir quem d. (3
5 Aluga-se o sobrado do um andar n. 4!1,
da rua Imperial do Atierro dos Afogados na
travessa do Lima o qual he proprio para ter
familia o escriptorio as lojas, que estao bem
arranjadas, tem quintal de bom tarnanho o po-
co de boa agoa ; a tratar na mesma rua so-
brado n. 39. (7
=Precisa-sc d'uma barcaca que tenha com-
modos para vinle pessoas, quom liver urna
nestas circuosla ocias e prompla a fazer via-
gem na manhaa de sexta feira impreterivel-
mente para o prrto do Rio Formoso, queira
comparecer pa rua Direita na easa de Francis-
co Xavier Cavalcanti de Albuquerque, que a'
chara com quem tratar.
8O agrimensor, abaixo assignado, offereco
os seus serviros s pessoas quo tiverem proprie-
da es demarcar e afianca a mais escrupulo-
sa exactidao c o maior zelo no desoinpenho da
sua arlo ; devendo todos os que do seu presti-
mose quizerem utilisar,dirigirem-se (porcarta)
ao mesmo abaixo assignado, na Rua-direita-
terceiro andar do sobrado n. 40. Joaquim da
Fonseca Soares de Figueiredo. (9)
2 Aluga-se um armascm na rua de Apol-
lo n. 7; a tratar na rua da Guia n. 36. (2
2 Dao-se 300/ rs. a premio sobre hypotbe-
caem alguma prota quesaiba coser, eogom-
mar e cosinhar fleando os juros pelo o servico
da dita negra ; na rua da Conceico da Boa-vis-
ta n. 9. s
2 Os abaixo assignados fazem publico, que
a venda das casinhas da ribeira da Boa-vista,
que portencia a Jos Soares Pinto Ccrreia flea
de oraem diante girando sobre a firma social de
Soares Pinto $ Teixeira. 5
19M.c-Callum # Companhia respeitosamen-
te avisao aos senhores de engenho e ao pu-
blico em geral quo na nova rua do Brum, que
passa por delraz do Arsenal de Marinha teem.
estabelecido urna ferrara ( sendo a ultima do
lado do poento da mesma rua), onde (azem
cavhes atracadores, parafuzos de apeitar e
outras ferragens para engenho, eixos trilitos e
nutras ferragAos paia iai,M paraiuzos e por-
cas de todos os tmannos terragens para na-
vios, verandas, portats, carros de mao a todas
as mais obras de ferreiro; e como os seus appa-
relhos recentemente chegados de Inglaterra sao
de primeira qualidade, promeltem agradar aos
seus freguezes tanto na qualidade da mao
d'obra conio o precoe promptidSo. (i6
SFrancisco Severianno Kabello embarca
para o Rio de Janeiro o seu escravo de nome
Antonio, de nacao Cacange. (3
3-= Offerece-so um rapaz Brasilero de 21
annos, para caixeiro de qualquer arrumacao ,
ou para armasem doassucar do que tem bs-
tanle prolica, e d fiador a sua conducta; quem
de seu prestimo se quizer utilisar dirija-se a
rua Nova n. 8. /$
crava que he do servico de casa, e, nt (o
ia he arrematada por sor o ultimo ; 0Ue~/' e ""?.'^ar' "'beiroastro
quem a quizer compare, a. | 5 ^ d,r,8'r"Se rB d Queimado ,0
2Precisa-se fallar com o Sr. do escravo 3_. Aluga-se urna casa do 4 andares e mi-
Agostinhoquetrabalhou na fabrica de papolao ranto sita na rua da Cadeia do Recite n. 38
das Cinco ponas, raga-se ao dito Sr. annunci-1 a tratar na musiua rua n. 35. t%



\
No sitio da Capellinha ha dous quarlos
cotn salas e alcovas p tugaren), nos rjuaes
so pode morar o passar o vero, por sereno te -
tanta* frescos que :::':: servem para refrige
rfo de doentes ; sao do sobrado, assim como
ha as lojas 4 salas cotn as competentes aleo-
vas promptas para so alugarem por proco com-
modo e duas dos quaes sao muito proprias
para qualquer ostabolecimonto por estarem
omito prximas a estrada toen agoa do bobor ,
e mais serventa asto. como se ilio annexar
trras para liorta ; quem pretender, dirija-so a
Joao Cancio Percha L'ieiro botica na ra do
Mondego n. 64.
Uoga-se a pessoa, que annunciou no Dia-
rio a 232, o obesequio de declarar, se as let-
tras iniciaes J. P. F., se entendem com Jos
Paulo da Fonseca.
Precisa-sedeum ornoiro para padaria;
na ra do Livramont i, venda n. 24.
Ensina-so a coser bordar, c ler a meni-
ninas de toda a cor e tamhem so faz toda a
qualidade de costura de alfaiate'; na ra do
Agoas-veides n. '.''i
Goncerto-se e cobreni-so chapeos do sol,
por prego commodo; na ra das Cruzos n. 2.
Dao-se400/rs. a premio sobre penhores
deouro, ou hypolheca ; no becco da Bomba
n. 8.
Em pregado iait de Orph3osd se ha de arrematar do venda, a quem ruis der,
um sitio em torras lorchas com ctlsa do viven-
da de taipa no lugar do Arraial, pertencento
a viuva e herdeiros de Manuel do Carino da
Cunta.
1 Procisa-so de um caixeiro para se Ihe dar
sociedadeem una venda entrando com algurn
dinhoiro ; na ribeira da Boa-vista venda n 1
1 D-se dinhoiro a premio da quantia de I
a 100# rs., sobre penhores de ouro, prata, mo-
vis fdsendas ou roupas boas a pequeos
prasos ieicepto os deouro, ou prata.) Dao-so
lices de msica e do qualquer instrumento
bellico ; copio-se msicas transportao-so ,
e apropriJo-se para diferentos bandas de msi-
cas ou instrumentos ; encarrega-se da or-
ganisaco de qualquer banda da dita tanto
particular,como para qualquer batalhao. Com-
prao-se instrumentos bellicos usados, o ven-
dom-se por preco commodo alguns usados, e 1
riquissimoo eomple' jgo de clarinetas, con-
tendo urna igual r. ;__ va, que saiba cosiniiar o vender na ra fican-
co o seu dono responsavcl pela fidodado pa-
ga-se bem o monsalinento ; de tudo se trata
com Francisco Gomos Cuclhu ou com seu bas-
tante procurador Antonio Augusto Poreira do
Unte no pateo do S. Pedro n. !), das 6 a 10
horas da manlia edo urna as 4 da lerdo. 2o
1 Precisa-se do u.n caixeiro <'ortuguez, de
iSaunos, que lonha platica de venda, e d
iadur a sua conducta ; nas Cinco-ponlas n. 32
Refrescos para o lempo de verao.
Acha-se constantemente em casa de Sal-
iese Chaves, no Atierro da Boa-vista n. 26,
charopes superfinos de maracuj limad, ta-
marindos, ginipapo, &c. inuito claros e de
um agradavel paladar pelo aceio o perfeicao
com que sao fabricados ; o seu inalleravel pro-
co he de 560 rs. cada urna garrafa. [8
3 Achou-se um pranchodc louro junto
ao forte do Buraco ; quem se julgar com direi-
to a elle dirija-sc a "ra-do-portas ra do
Pillar n. 141. 4
3 Aluga-se urna negra para o servica do
casa e propria para trabalhar em sitio ; na
ra da Prata n. 39, primeiro andar. (3
3 Jobnston Pater $ Companhia J. N. mu-
dro o seu eslabelecimento de errugens para a
ra da Senzalla-nova n. 42 onde outr'ora mo-
rrao Fox Stodart!
3 D-se dinheiro u juros
ouro 'nesmoem pequeas
Nova n. 55.
3 O Sr. Bernardino de Serpa Lins, mora-
dor em Olinda dirija-sc a ra das Cruzes n.
42, a negocio que nao ignora. (3
9 Antonio da Costa Guimares no estado de
viuvo e tendo de partilhar o seu casal com os
herdeiros escriptos de sua mulher precisa fa-
zer corto em juiso o estado de seu debito pas
sivo ; por isso roga a seus credores queiro ter
a bondade de promoverem os termos de suas
accoes para screm attendidas suas dividas
depois nao suceder que se part Ihe o casal e
nao tiquo com que sejao pagos. (9
psito de ;reflnac3o de assucar ; no Atierro da
Boa-vista n 2'i. (5
ComprSo-se ofTectivamente para ra da
provincia esiiu vos de ambos os sexos uo i a
20 annos agradando,.pago-se bem ; na ra
da Cadeia de S. Antonio, sobrado de um an-
dar de varandadepo n. 20.
Compra-seum ferro de azer hostias no-
vo, ou usado ; na ra da Boda n. '23.
1Compra-so refuiaga> da obra' de Moral
lo Bispo do Rio do Jaouiro, D. Manool do Mon-
to por um Lente da uuiversidado de Coimbr a;
quem tiver annuncie. (4
linda finura, e com habilidades; por dotra: 1-Vende-se urna opa pora o irmandade do
da ra do Caldoireiro. ao sahir do Pocinho, ca- Santissimo Sacramento por preco commodo ;
(4 na ra de Agoas-verde.s n. 102. ;a
Vendas.
(4
com penhores de
quantias ; na ra
(3
Vende-se, por 320 rs., o Regiment de
Minas, que regula os emolumentos da justica ;
na praca da Independencia, livraria ns. 6 e 8.
3Vendom-so 3 casas de taipa no becco do
Quiabo na povoacao do Montoiro ou se alu-
g3d para so passara fosta cada urna de per
si ; a tratar com Luis Jos Marques. (4
3 Vendem-so 3 transolins de ouro com pas-
sadoros sondo um obra superior um cor-
daoe inedalha para sonhora um alfincte de
peilo umparde botos de punho um dito
de abertura um par dolivelas de prata para
suspensorios, ludo obra nova o por preco com-
modo ; na ra Nova n. ;>5. (7
3 Vendom-seduas vendas sitas em Fora-
do-portas, muito afreguezadas, tanto para a
torrra como para lora e os alugueis das ca-
sas muito em conta e team bons com modos ; a
tratar no racimo lugar nS8. (5
3 LuU Jos Marques coulina a vender pa-
ra liquidaran de contas na roa do Rangel n.
11 vinlio da Madeira engarrafado a 5000 rs.
aduzia, dito do Porlo, velho a 5# rs. dito
Muscilel a 4500 rs., dito de Lisboa a 1440 rs.
i (nada, e a 200 rs. a garrafa dito em bar-
ris de 12, I) e 17 caadas urna pipa intuir ,
eh superior a 2400 rs. o mais ordinario a 1920
is pratos do boira azul a l rs. a duzia l-
jelas esmaltadas a 1110 fl. 6 de outras quali-
(lades a l/r. uina carteira de amarello nova,
ciscos para ago'ardente e azeite de carrapato ,
lima prensa de espromer caj e una ptima
armacio de amarello, que se pode armar em
nutra qualquer parte com todos os seus per-
tences. t:
3Vende-se farelio muito novo chegadode
Lisboa no ultimo navio por preco co.nrnodo ;
na mu da Cruz n. 52. (3
3Vende-se urna oscrava de 15 annos co-
sinlia muito boin engomma o la? todo o mais
servioode uina casa ; na ra estreita do llosa-
rio n. 21. '4
2Vende-se cha hisson da melhor qualida-
de a 250o rs. superiores charutos do todas as
qualidades, bem como regala dos verdadeiros
\ i ;dc-sc urna preta tfe linda figura
sa que se vendo materiaos n. 4.
2 Vende-se uina giae (mirria para agu- .
urna bomba de despeijar pipas, urna ba- muito hbil em todo o servico por ser muito
nenas tudo por preco commodo; activa de 16 annos coi a, lava, e aboa,
na ra larga do Rosario n. 52.
2 Vende-se um escravo do naco de 30
annos: na ra do Encantamento armasemde
gue
anca com cor
de 16annos costaba lava,
(4 tem principios de engommar, he boa compra-
deira de ra e nao tem vicios
nao querer servir ao seu senhor
i as
9Compra-so elTeclivamente nesta Typogra-
phia toda a qualidade de pannos corlados ou
velhos, suos, ou impos aparas do papel, pa-
pelao ctoda a qualidade do papis voltios. ,4
3 Compra-se um tronco oin bom uso ;
quem tiver annuncie. '.-
3 Compra-se urna negrinha de 12 annos ,
com principios de costura ; na ra estreita do
lltzario n. 21. .'!
2 Compra-se urna conslituigo Diocesana,
cm bom uso o urna obra de moral do Bispo
Monte; na ra da Cadeia em casa do Jos Go-
mes Leal. ('
2 Compra-seum sitio pequeo, ou casa
terrea com quintal grande nos lugares da
Solidado, Trompe, ou Mondego; no Atierro
da Boa-vista n. 2'i. (4
2 Compra-se um ou dous laxos grandes de .6, em casa dos Srs. Matheus Aus-
a 3200 rs a caixinha ditos moia regala a
1 rs. ditos da Cachoeira a lc'00 rs., ditos da
Baha caitas do 200 charutos a 1600 rs. di-
tos da lluvana a 8? rs. a caixa de 250 cha-
rutos ditos de Manilha e outras mais quali-
dades chapeos de palha do Chile enformados
a 3800 rs. e por enformar a 3400 rs. ; rap Vi-
nagrinho Area preta, princesa de Gasse e
Vilete ; na ra do Rosario vindo pelo pateo
do Collegio a primeira loja n. 18. (13
2Vende-se urna vacca muito gorda pari-
da de pouco lempo boa de loito vende-se por
no ter pastu para ella ; no sito de S. Amia ,
defronte da venda do Sr. Nicolao antes da Ca-
sa-forte. (5
2Vende-se un bom cavallo bastante gor-
do, muito novo, ruco-pedrez carreuador bai-
xo at nielo muito passeiro e sem achaques ;
nos Afogados ra do Motocolomb n. 28. (4
2 Vende-se, ou Iroca-sepor una casa ter-
rea a posse de um terreno bem plantado de
aores de Iruto no lugar da ra de Bern-fica
logo depois que se passa a ponte da Madaglena,
tendo 40 palmos de frente o 500 de fundos, cu-
jus fundos deit para a travessa do rio Capi-
baribe aonde pode ter-se um banheiro por
ser logar mDito proprio ; advorle-se tambem ,
que nesso inesmo lugar ha mais dous terrenos a
vender-so, um de S palmos de frente, c ou-
trocomol tendo no centro urna casa de vi-
venda, lodos com igoaes fundos; a tratar na
iuu de Agoas verdes loja do sobrado n. 48. f 14
2Vendem-seo toalhas abortas nas puntas
varinto do ultimo gasto, de vara o rneia
d cpmprmento cada urna a saber duas de es-
o e 3 de bretanba de linho por 4^ rs. ca-
da urna : na la do Colovello n, 18; na mesrt"
casa eiigoimaS-se calcas a SO rs. com gomma
sem ella a (iO rs. camisas de homem e senf.ora
a 40 rs. vestidos lisos a 160 rs. e com babados
a 240 rs. m
2 Vendo-so um sitio com urna casa de pe-
dra o cal o multos arvoredos de fruto com
urna grande baixa para sustontar C ou 8 vac-
eas de leito o outras muitus commodidades ;
na ra do Crespo loja n. 12. 6
2Vcnde-se um piano inglez, de muito boa
vozes, por 150.? rs. ; a fallar com o distribui-
dor do Diario em Olinda. (3
2 Vende-se urna negrinha de nac5o de
14 annos ; 11a ra do Hospicio n. 23 at as 8
horas da manhSa, '3
2 Vende-se um pianno novo de ptimas
, por preco commodo ; na ra da Au-
4 primeiro andar, a tratar na ra do
moldados n. II. (3
2 Vendem-se esporas de molas de d hieren-
tes modelos ; na ra do Queimado, loja de fer-
ragens n. n. 10. (3
2 Vende-se vinho de caj engarrafado, por
preco commodo ; na ra do Queimado casa
amarella n. 29.
2Vende-se urna porco de azeite de peixe ;
em Fra-de-portas vendan. 89. (2
3Vende-se um bonito escravo com olhcio
desapateiro, eentendedo servico de campo ;
na ra do Livramento n. 23, primeiro andar. (3
Vende-se um escravo de 22 annos, perei-
to pedreiro de toda obra; um dito de 20 annos,
ofhcial de ferreiro ; um dito canoeiro ; um mo-
lequcde 18 annos bom pagem e serve bem a
urna casa ; urna negrinha de 10 annos; urna
mulata de 16 annos recolhida de bonita fi-
gura engomma, cose e cosinha e be muito
carinhosa para meninos; na ra do Fogo ao
pedo Rosario n. 8.
Vende-se urna rede do Maranhao de va-
rias cores muito propria para tipoia ; nas
Cinco-pontas n. 37.
Vende-se um preta moca engomma, co-
sinha o vende na ra; na ra do Amorim n. 10
Vende-so um escravo pardo de 28 annos,
bom para pagem e para todo o servico ; na
ra larga do Rosario venda n. 33.
Vende-se, ou troca-se por urna escrava co-
sinheira um escravo ladino o moco ; na ra
de S. Rita n. S.
Vendem-se os superiores chapeos do Chi-
lo estojos de navalhas de marfin a contento,
e ricas mantas do seda para pescocode homem;
na ra larga do Rosario n. 24.
Vende-se a venda da esquina da ra Im-
perial n. 2, por precisan com os fundos que
quizerem, ou s a armacao ; uns biacos de ba-
tanea grandes e pequeos com conchas e cor-
rentcs de ferro, urna porco de caixas vasias
do Poito, una mesa redonda para meio de sa
la; a tratar com Joaquim Pinheiro Jacome ,
na inesrna venda.
Vende-se um piano novo, de armario ,
muito bem feito e de boas vozes por preco
commodo e se vendo a praso ; urna canoa ,
que carrega 1200 lijlos de alvenaria ; na ra
daPraiadeS. Rita, casa do Vianna, ou no
Atierro da Boa-vista n 2.
1 Vende-se um sorlimento de toalias de
linho adamascadas de qualidade superior, son-
do do urna das melhores fabricas de Prussia em
Allemanha em largnra de duas varas e ineia
e em comprimeuto de duas varase meia at 5
varas com guardanapos e sem olios ; em casa
do II. Mehrtens, na ra da Cruz n. 40. (7
1Vende-se um mulatinhn bom cacreiro, ou
para pagem e mosmo para qualquer ollicio ;
na praca da Independencia loja n. 21, do An-
tonio Filippe da Silva. 14
1 Vendem-se dous rolos de encerado para
vende-se por
na ra Nova,
aruiasem de trastes n. 67, das 6 as 9 horas da
manbaa e das duas da Urde 0111 dianto. (8
lVnidem-se saccas de farinha de mandio-
ca da trra de superior qualidade, por pre-
co commodo ; na ra da Cruz n 04. (3
1_ Vende-se um lambique de Derosne n, 3,
3 completo mas usado : em casa de Me. Calmont
#Companhia, na praca do Corpo Santo n. 11,
t_ Vende-se cobro para forrar navios, de
18, 22e24ongas em porcos grandes e pe-
queas por pieco commodo ; em casa de Me
Calmont Companhia na praca do
Santo n. 11.
I Vendem-se pianos do
Londres e carvao do pedra
Corpo
(5
molhor autor do
por preco com-
modo ; em casado Me. Calmont #Companhia,
na praca do Corpo Santo n. 11.
Escravos fugiils
cobre ; una balanca grande com os competen-
tes pesos e alguoscaixcs proprios para de-
Companhia.
2 Vende-se urna
preta de 18 annos
de
caustico por 260 rs. ambos ; no Atierro da
Boa-vista loja de miudesas n. 54. (3
1 Vende-se a vida de S. Agostinho em fran-
cs 3 v. ; as cartas geographicas em forma-
to grande e mais outros livros ; no Atierro da
Boa-vista n. 54. <
1Vendem-se saceos com farinha de superior
qualidade por prego commodo; na ra da
Cruz n. 4. (3
i Vendem-se tainhas do Rio Grande, che-
gadas pelo ultimo navio por prego commodo;
na ra da Praia armasem 11. 21. (3
1 Vende-se una escrava de nago de 18
annos, engomma bem e cosinha com perfeigao-
um moleque de nagao, de 15 annos, com prin-
cipios do cosinha ; um dito do 8 annos ; 5 es-
cravos ptimos para todo o servigo ; duas es-
cravas boas cosinheiras e doceiras urna cose,
borda e faz lavarinto de todas as qualidades ,
todos dao-se a contento; na ra Direila n. 3. (8
1Vende-se urna toalha d.) esguio com
lavarinto a roda muito bem feita ; na ra do
Cabug loja n. 9. (3
I Ainda rofto para so venderem algumas
casas terreas defronlo de S. Jos do Manguinho,
sitas em chaos proprios ; a tratar no sitio jun-
to das mesillas. (4
cOuCts ~z oSTficai i/un sobo o couros
miudos, tudo chegado do Aracaty ; na ra da
Cruz n. 26, venda de S Araujo 6 IrmiSo. 3
1 Vende-seuma mulata escura, de I8an-
nos cosinha, lava.e engomma ; na ra das
Trincheiras n. 24. (3
1 Vendem-so barricas com farinha propria
para fabricas de chapeos e para bolaxa de 6 a
9# rs. a barrica ; na ra larga do Rosario n 18
1 Vende-se bolaxa muito commoda para
casas de familia de 2 rs. a II patacas u arro-
ba ; na ra larga do Rosario n. 18. (3
1 Vcndem-se barricas e meias ditas do ex-
cellenle farinha; na ra larga do Rosario n. 18
I Vendem-so 7 3 8000 teihas de muito bom
barro o bem cosidas ; na ra iarga do Rosa-
rio padaria n. 18. (3
1 Vende-se urna porgao do madeira de lou-
ro em praniboes e outra serrada costado de
amarello largo urna canoa nova pequea,
e um banheiro de amarello novo o bem fmto ;
na ra da Praia de S. Hita, serrara a. 23,
Na noule do i'j do corrente desappareceo
um moleque de 12 annos, com urna argola no
p caigas de algodo trangado azul e camisa
de riscado ha indicios que esleja^occulto
quem o pegar, leve a ra do Livramento n. 3 ,
que ser gratificado.
No da 4 do corrente fugio um mulato de
nome Trajano de 18 annos, ofhcial de al-
faiale rosto redondo cabellos bem pretos ,
olhos pequeos bocea grande, dentes sabidos,
limados o podres os 2 da fronte, ps compridos,
scense com cravos he alto, secco inberbe
ainda ; levou um trouxa com roupa sua; quem
o pegar, leve a ra do Rosavio, sobrado de 4
andares n. 36, por cima da botica do Sr. Bar-
iholomej no lerceiro andar que ser grati-
ficado.
1Nodiaodo corrento desappareceo urna
escrava de nago de nome Filippa levando
um taboleiro com cocos seceos, a qal he ma-
gra estatura regular cor fula tem entre os
dous dentes da frente da parte superior um bu-
raco (em falta de cabellos no meio da cabega,
de carregar taboleiro levou vestido de chita de
palmas grandes, j desbotado e sem oslar em-
bainhado por baixo saia de ganga azul, pan-
no da Costa com urna cruz branca no meio,
enas pontas uinas llores tambem brancas, gos-
ta inuilo do fumar caximbo che muito con-
versadera; f'oi escrava do Sr. Joao Rodrigues
Aracangel ; foi vista de prximo no bairro de
S. Antonio e ha alguma desconfianga da mes-
ma estar oceulta em urna casa para as parles
do covento do Carmo ; portanto pode-so com
instancia a todas as autoridades policiaos e cii-
ininaes, assim como aos empregados do rogisto,
a fin de que se proceda a apprehensao da mes-
ina escrava caso poralgum modo venha a re-
ferida escrava a cahir debaixo do suas vistas e
leval-a a ra da Cru/ n. 64. (22
1 Fugio no dia 13 docorrente um preto de
nome Esteva, crioulo, official de pedreiro,
de Jo annos, alto secco de boa presenga ,
cor preta olhos pardos e grandes, nariz aqui-
lino bocea regular rosto comprido o descar-
nado tomalguns pannos no rosto e pescogo ;
levou caigas o aqueta branca camisa do ris-
cado de quadros largos ; conserva os ps um
pouco enchados ; quem o pegar, leve a ra No-
va n. 6o, a Jos Theodoro do Sena ou no cn-
genho Novo do Cabo ao Sr. Coronel Francisco
Jos da Costa, que ser gratificado (12
50^000 rs. de gratificagao.
1 Fugio no dia SdeOutubro de 1S14, pe-
las 9 horas da manh3a um mulato acabocola-
do de nome Cosme, baixo e reforgado do cor-
po representa ter 17 al 1 annos do idade ,
pouco mais ou menos ; levou camisa branca e
caigas de algodozinbo trangado com riscas
azues quando falla inclina a caboga para urna
banda o a bocea da mesma forma desconfa se
quobsteja emalgum lugar para o malto a titu-
lo do forro; quemo pear, leve ao largo do
Corpo Santo n. 15.
1 Fugio no dia 16 do corrente, do sitio
Caueiro urna cabra do nome Luzia quasi ne-
tita. Ainda hi. cim^ oricur.ha do aftio
Mara da Conceico de II annos, quesejui-
ga ter sido furtada desde Janeiro deste anuo ,
he baixa pouco fula, grossa do corpo ; o tam-
bem o moleque Lourongo, que so ucha fgido a
lempos; quem os pegar, leve ao mesmo sitio,
que ser gratificado.
2 No dia primeiro do coi rente ugiodoen-
genho Crussatn o escravo pardo de nome Mi-
guel cor nao muito escura alto.espadado ,
bonito sem barba, tem de baixo do queixoda
parte direila duas cicatriies de marcas de l'eii-
radas muito visiveis ventas pouco
he um tanto carcunda olhar Daixo
grandes
quem o
pegar, levo ao referido engento ou na ra do
Vigarien. !', que recebera 100/r>. de gratifi-
cagao ; assim corno se d 50^ rs. a quem sou-
beraonde est dito escravo, dando urna verda-
doira noticia. (12
Rcwn maTyp. oa MF. pbFaria.1844.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E347M8T90_DT0NUD INGEST_TIME 2013-04-12T22:43:18Z PACKAGE AA00011611_05203
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES