Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05189


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Amio de 1844.
Quinta Feira 5
5 Sb. liando. Re. u, d
<5 Don \. S. do Rorario.
_
DA
de Otitubro Anno"* & W*
v-.. .,.,,,.. .,-,.-f^TTwrnTTnmiiiTiiiiaun
j-jO DlABIO nuMica-aa lodosos iliaaqiirn.il> forera san1lificadoe' ;* o prego da isaignaioi a
da irea mi! ra. por quarlel papos adianiadoa. O ar.n,.-.:.-,, ,,8nanlea aao inreridna
ralla, a ja do a que nao lorem a raijo de SO reia por linha. \i reclamacoea derem asr diri
a,i PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
Go!AfiHA,o Parah)iba,ae|rundasc aeXUl feiraa.Rio Grande do Norte, che; a 8 e
le rlOc ib.Cabo. Serinhaem. Jtio Fornico, Macer, Porto CaWo, e Alafroas:
H '.M. lacada mri.Garanhuns e Bonito a de ".'I .le ,-a.a inri Boa-riala
esa 13 e 28 dito.Cidade da Viciori-. .pimas feira.:Olinda iodos os d
, das da semana.
30 Seg a. Jernimo Aud. do J. de I), da '. y,
J Terca ss Vinssimo, Mxima e Julia. Re. aud. do J. de D da 3 s
-2 Quarla s. Leode-rario. Aud do J. de D. da 3. T.
.1 (lunla a Candido. Aud do J. de I) da 2. T.
4 Sexta a, Francisco d'Assis. Aud. do J. de 1) i
ludo acor* dertem
ros ewea; nnss finir'
8 ^-W.." """eraos COBO principiamos e reremas apuntados 'mn admira i enli
^|pk4J'' cml-'- I r.v.ai..iH ili Asi'mii1'-' :' "
:.-...-.t -!: *
.-, a eneriria: eon-
entre a uaijoea man
lil.]
A /~* C1MIIOI 50 BU
- Cambios sobre Londres -4 e 1|> nom,
.. l'aris IrS I ,, ,..,, rranro
Lisboa 120 por lUO de premio
" le .'.Or- ao pu
dem da letras Je boaf nrs-as 1 poroso
0 dr o- romo,
O.re-Moedade 8,
v- .
a .'. 4,000
Prate--FatacZSe(
"'os ,.,,Ii,mrnnarrs
Di toa mriiranos
compra senda
17,800 i7.li0
47.3WI 47,500
9 500
000
ii 11
1,980
0,700
2 010
iflO
.'.Olio
JTdeD.da l.'v.
phases da la no MEZ de odtubro.
I.iia chaa a .'ti a J li ras > .',* inin. da ni La ora a 1 I as i h. e 4 min. da tarde.
Mir.Riiant a aJ .' horas J min lia larde JCrescente a S osa 55 da tarde.
Preamur de hqje.
lioras 4 a miauloi da larde
li." SKSS.
Pi malta as 0 hora a ra n 'I S lis mili'1, ia [ -.rumia as 'J
.-joious

.rJtWFirsffia-yrt- ^: *aUM

RNAMB

MI I
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DE 30 DO PASSADO.
OOicioA> Inspector da Thesouraria da Fa-
lencia remetiendo o t flicio do Inspector da
Thesouraria da1 Babia e as inslrucc,oes que
ce refero o decreto de 11 do Setomliro do pre-
sente anno, que o oncarregou de examinar e
inspeccionar a Allandega e o Consulado
d'esta provincia a iiti de que haja de de
ordenar aos Cheles d'esta repartirles que
satisfago todas as exigencias, que Ihcs forem
eitas pelo dito Inspector elhe deem as informa-
cose esclarocimentos. que forem necessarios
para meilior desempenho de sua commisso.
Communicou-se ao Inspector da Thesouraria
da Babia.
DitoAo Exm. e Kvm. Bispo Resignatario
de Olinda, participando haver sido declarado
por Aviso Imperial de 14 d este mez '_Seteml.ro)
que o Governo de ft'M. O Imperador,logo que
preceda audiencia e approvacio do Bispo d'esta
diocese aos estatutos da Associa^o Propagadora
da Religio Catholica nesta provincia nao so
Ihe conceder a sua approvaQo, como recom-
mendar aos Prelados do Imperio toda a coad-
juvaco para to til instituico e conceder a
Directora a necessaria liceaca para poder sol-
licitar da Curia Bomana as concesscs espinlu-
aes que forem bem da mesma associacao.
DitoAo Inspector da Thesouraria da Fa-
zenda remetiendo exemplares do decreto n.
352, que approva o plano para a creaco das
Pagadorias Militares as provincias, e do de n
368, que manda por em executo as instruc-
coes, que para a boa regularidado das mesmas
Pagaduras forao expedidas; determinando, que
na forma das ditas instruccoes, expeca as con-
venientes ordens, para que entrem em exerci-
co os em pregados nomeddos; prevenindo-o,
de que, soh pena de suspenso e no praso de
trez mezes, devem o Commissario=Pagador e
seu Eserivao prestar Ranea idnea no valor do
decuplo dos seus ven'cimentos; e ordenando,
que no caso de nisto haver omissao, deve part-
cipal-o l'residencia.
Dito Ao Vigario da freguezia de Gara-
nhuns signifcarido em resposta do seu officio
do 2r d'este mez (Setemhto), que, como a Me-
sa Parochial dquella freguezia continuasse nos
seus Irabalhos, nao obstante a sua falta e a do
respectivo Juiz de Paz para substituir o qual
chamro o Supplente, s ao collegio eleitoral
ou a Cmara dos Deputadis compete conhecer
da validade da elcico dos Eleilores.No mes-
mo sentido officiou-se ao Juiz de Paz da regue-
zia de Garanhuns e ao respectivo Delegado.
DitoAo Delegado do termo de Goianna
Por bem da disciplina e subordinarao, que de-
ve ser rigorosamente mantilla nos corpos nao
pode Vine, obstar ocumprimento das ordens,
que sobre o detalhe do servico e economa do
destacamento forem dadas pelo respectivo Com-
mandanle. Conscguintumente menos bem
pensada foi a sua resoluco de ah deixar per-
manecer Ignacio Philppe Nery mandado re-
colher esta praca ; cmprindo que o faco
immediatamente para aqui seguirCommuni-
cou-se ao Commandante Geral do Corpo de Po-
lica.
DitoDo Secretario da provincia ao Inspec-
tor da Thesouraria da Fazenda transmitien-
do para que tenhao a devida execu;ao, as or-
dens doTjibunal do Thesouro sob nmeros
187, 188,189 190 192, 193, l9i, 195,
19G, 197, 198, 199 e 200.
dominando das Armas-.
EXPEDIENTE DO DA 1 6 DO PASSADO.
OlicoAo Exm. Presidente, informando
o requerimcnlo do Tenente Coronel F. L. F.,
Commandante do batalhao d'Artilhara que
supplicava trez mezes de licenca para ir a pro-
vincia do Maranhiio com o fim de condusir
para esta sua familia.
DitoAo mesmo Exm. Sr. informando o
requerimento de l.aurindo Manoel prisioneiro
na guerra do Rio Grande do Sul retido na II a
de Fernando, que se oflerecia a servir nos cor-
pos do exercitodesta provincia.
DitoAo mesmo Exm. Sr. rogando -Ihe
houvesse d, passar suas ordens a Thesouraria,
para que ao Mejor G. A. F. P. da Cndase
abonasse as commedorias de embarque por
ter de seguir para a liba de Fernando.
Dito Ao mesmo Exm. Sr. signiicando-
Iho que se conformava com a opiniao do Com
missario Fiscal do Ministerio da Guerra a
cerca do ajuste de contas de fardamento de va-
rias praeaa da companhia d'Artifices que tiuhao
sido dimittidas do servigo.
DitoAo Major Commandante da fortaleza
de Tamandar, para que approveitando sedo
ofTerecmento feito pelo propietario do enge-
nho libelas, mandasse cortar, preparar e col-
locar o mastro para a bandeira da mesma forta-
leza em substituido ao que se acha arruinado.
(cando autorisado despender aquantia do 17^
rs. mencionanda no seu ollicio de 2 deste
mez.
DiloAo Pnente Coronel Commandante
"la liba de Fernando participando Ihe que o
Exm. Sr. Presidente da provincia em cumpri-
mento d'ordem do Governo de S.M. o I., o ha-
via nomeado, e ao Major d'Arlilharia (ustavo
Adolpho Fernandos Pinheiro da Cunda, para
a importante commisso de inspeccionaren a
mesma Iba ; apresentarem a descripejao geral
tlella, e indicarem os melhoramontos de que
nt'cessita, informando circumstanciadamcnte
qual o Iratamento tos degredados, por que ina-
neira sao ellos soi corridos de vestuarios o ali-
mentos, quem faz esta despeza, como se proce-
de na tomada tas contas respectivas ; que re-
cursos se podem encontrar na Iba, quanto
criaeio do animacs, e quaesquer gneros de in-
dustria e plantaioes ; quaes os Irabalhos em
que se empregao os degredados; qual o estado
do porto ; que construcfoos e obras existem, e
de que servem ; e finalmente, qual o pessoal da
guarnicao, esperando que ambos de commum
accordo se houvessem neste servico com aquella
actvidado, zelo e pericia, necessaria para bem
piehencher as vistas e intentoes do mesmo Go-
verno.
Dito Ao Major G A F, P. da Cunha,
communicando Ihe o exposlo no officio a cima,
e di/endo Ihe, que, lendo de partir para a ilha
de Fernando no brigue-barca //eroina,de>ia es-
tar sobre aviso, e requisita! logo os instrumen
tos.e o mais qoc fosse mster, para o boin des-
empenho de sua commisso.
Dito Ao Inspector da Thesouraria, para
que, segundo as ordens do Exm. Srs. Presiden
te, mandasse entregar ao Capitao S L. G. a
quanta de 1:200,000 rs. para a compra de no-
voscavallos precisos ao servico da companhia
de cavallana, em lugar de outros que, tendo-se
inutiiisado no servico, io ser arrematados, na
forma da le ; convindo, para este fim, queS.
S. indicasse o da e hora em que os cavados
devio ser apresenlados.
Dito Ao Commandante da fortaleza de
Gaibi dando algumas providencias acercada
disciplinado destacamento, e mandando retira?--CmaraAuditor, o Sr. Auditor Joaquim Nu-
o Commandante do mesmo, nao obstante repu- nes Machado. Vogaes, os Srs. Pnenles
FOLKIITB
CASAMENTO SOBRE OCADAFALSO.O
Minha mi sabio pois desesperada, e quiz
carregar com sua liIba ; mas Constanza a re-
leve.
Espere minha mai, disse ella, espere,
deixe que tambem eu tente applacar nosso amo.
Talve seja mais feli/. que Vmc.
Minha mai meneou a cabeca, e cabio sobre
urna cadeira ; ella nao esperava nada.
Minha irma enlrou.
__ Klla sabia, que esse homem a ama va,
exclamou a Duqueza, e ia por-se sos com elle
dentro de sua casa ?
Meu pai ia morrer, Senhora ; compre-
hendeis ? .
babel d'Arago rangeo os denles: passado,
porm, um instante, disse : continuai, con-
tinuai.
l)ez minutos se possaro em urna cruel an-
ciedade, em fim appareceo um criado com um
papel na mo.
_ O Senlior Conde perda o culpado, disse
elle ; eis o pergaminho timbrado com o seu
sello.
Oh! obrigada, obrigada, disse ella: o, [pelo Conde, tinba permettido que uiinlia ir-
beijando a assignatura do Conde, correo preci- ma a losse substituir, pulou rugindo como
pitadamente para a porta. Depois, parando de ko ferido, e lancou-se, aporta; mas a por-
repente. e minha filha ? ta eslava fechada.
__ Correi priso, disso o criado ; quan- I Agarrou da pedra que Ihe servia de travessoi-
do voltardes casa, l acharis vossa filha. | ro, e arremeeou-a, com todas as forcas, sobre
Minha mi, louca de alegra, embriagada a cancella de ferro, que so julgava com direito
de lelicidade, atravessou as ras de Rosarno, de la/er abrir.
gritando : seu perdo, seu perdo eutenhoj Ocarcereiroaccudio ao ruido, e perguntou-
seu perdo I Chegou aporta da prisao. Ibe o que queria.
onde ja duas ve/es havia ido sem que tivessej Quero sabir, gritou meu pai. e sabir j.
lar mal entendida a ordem que dra, prohibin-
tlo que taes < laes pracas fossom, nasoccasifiea
de folga, urna casa que indicou,
Dito Ao Capitao Commandante da com-
panhia de cavallana, ordenando-llie que pas-
sasso a Thesouraria ta Fazenda, a receber a
quantia de 1:200,000 rs. para a compra de no-
vse bons cavallos, em substituieo aos que le
achao inutilisados, o devio ser arrematados,
na forma da lei, no da que fosso designado pe-
lo Inspector da Thesouraria.
Quarlel do Commando das Armas de Pernam-
buco,-27> de Setembro de 18'4.
ORDEM Do DA >'. 12.
Faco constar as tropas sobo meu comman-
do. que em portara desta data nomeei o con
selhodeguerra quetem dejulgaro 2."Sargento
Francisco Folies de Menezes.e soldado Jos Joa-
quim de Santa >\nna,ambos da l'companhiado
2 batalhao d'Arlilharia a pe, pelo conflicto la-
sido entre elles najnoute de 6 do correte na
lorlaleza do brum, onde se achavo destacados,
compnndo-se o conselho pela maneira seguin-
tePresidente o Sr. Major graduado Sergio
Tertuliano Castellobranco Auditor o Sr.
Auditor Joaquim NUnes MachadoVogaes ,
os Srs. Capites Anacilo Lopes de Santa An-
na, e Ignacio Francisco Pereira Dutra Te-
nenies JoSode Siqueira Campello e Pedro Af-
fonso Ferreir, e 2. Tlente Luis de Franca
de Carvalho.Ilenrique Marques d'Oliveira
Lisboa.
Quarlel do Commando das Armas de Pernom-
buco, 24- de Setembro de 1844.
ORDEM DO DA N. 13.
Faco constar s tropas da guarnito que o
Exm. Sr. Presidente da provincia deferindo <
requerimento do Sr. T. nenio Coronel do Es-
tado-manir de 2.* rlasse Jos Mara Ildefonso
Jacorn da Veiga Pessoa Ihe concedeo tres
mezes do licenca com encmenlo para tratar
desuasade devendo solicitar da ;>ecretaria
do Governo a respectiva portara conforme
me foi participado em olico de hontem data-
do Semelhanlemente faco constar, que em
portara desta dala nomeei o conselho de guerra
que vil i responder o soldado de Cavallana de
linha Manoel l'elis da Roza pelo crime do de-*
sercao aggravada, cujo conselho se compoe do
Prndente o Vogaes abaixo moncionados.
Presjjjettte o Sr. Capitao Antonio Dornellas
am
conseguido entrar.
Quizero anda repellil-a ; mas mustrou
o papel, e a porta abrio-se.
Conduziro-na ao calabouco de meu pai.
le impossivel, disse o carcereiro.
Tenho meu perdo, grilou meu pai. Eu
o tenho, est em meu poder, eil-o.
Sim, mas elle diz que nao gahireis da
Meu pai esperava o carrasco; a vida Ihe I priso seno amanba pela inanha
appareceo em lugar da morte. Amanha pela inanha repeli o preso
No recinto d esse asilo de dor houve um ins- com urna exclamacao terrivel.
r) Yido o Diario n, 216.
tanto de inexplicavel alegra.
Depois, perguntou meu pai como minha
mi e minha irma tnbo sabido d'accusavo
que sobre elle pesava, como tinho conseguido
fallar ao Conde, como, emfim, todas as cousas
se bavio passado.
Minha mi comecon a narraco ; meu pai
ouvio-a, interrompendo a lodus os momen-
tos por exclamares ; pouco pouco elle nao
disse mais do que algumas palavras, e isto com
urna voz trmula ; bem depressa calou-sa de
lodo ; depois a cabera cabio-lbe entre as duas
mos; o suor d'agonia subio-lhe ao rosto ; o
rubor da vergonha tingio-lhe a fronte ; emfim,
quuuii minha mi Ibe disse, que, repe-llidaj
I.de, se o duvidais, accrescentou o car-
cereiro.
Meu pai approximou-se da lampada, leo e
releo o pergaminho. O carcereiro tinba razo ;
quer por acaso,quer por engao, quer de propo-
sito, o da de sua sabida estava fixado smen-
te para a manha seguinte. O preso nao deo
um su grito, um s gemido, um s suspiro
Mudo e pensativo elle voltou para sua barra,
onde se sentou.
Minha mi foi ajoelhar-se diante d'elle.
Que tens? perguntou ella.
Nada, respondeo meu pai.
Mas que temes ?
Oh pouca cuusa.
Meu Dos, meu Dos que supptVs,
que receias, que pensas .'
Pens, que Consta/a be indigna de seu
pai, eis tudo.
Foi minha mi, que enlo se levantou, pal-
uda e trmula.
Mas he impossivel.
Impossivel, o porque .'
Dissero-me, que ella ia sabir logo de-
pois de mim. Dissero-me quo ella ia nos es-
perar em casa.
Pois bem vaiem casa ver se l esta, e,
se estiver, volta com ella.
Voltarei, disse minha mi.
E bateo grade, pedindo para sabir. O
carcereiro abrio-lhe.
Correo a casa acbou-a deserta, Constanza
nao havia reapparecido.
Correo ao palacio, e tornou a pedir sua filha.
Respondcro-lhe, que a nao entendio.
Voltou casa. Constanza anda nao linha
vndo.
Esperoual a noute. Constanza nao appa-
receo.
Entopensou em seu marido e de novo enca-
minbou-se para a priso ; porm, desta vez,
com passo lento e tardo, como se fra acompa-
nhando aocemiterie o cadver da filha. Nesta
occasio, como na primeira, as portas da pri-
sao se Ihe abrirn.
Acbou o marido sentado no mesmo lugar ;
ss bem que elle Ihe tivesse conhecido as pisa-
das, nao levantou a cabeca. Ella foi prostrar-
T




Hjmelerio Jos Velloso da Slvm'ra Joao M a-
rinbo Cavalcanti d'Albuquerque .Manoul Lo-
pes Maciel Francisco Antonio da Fon seca
Galvlo e Alfares Luz da Costa Bizarra Bim-
bert. llenrique Marques d'liveira Lis-
boa.
Quartel do Co-untando das -Irmas de Pernam-
buco, 25 de Seiembro de 18 H.
OBEM DJC DA N. 14.
Convindo designar companliias aos Officiaes
dospachados para o 2.hat;ilbao d'Artilharia a
p por decreto de 23 de Julb ) ultimo, lem cs-
(a designado; determino que passem a per-
tencer os >rs. pricneiros Tenentes, Antonio
Pedro Licor a secunda companbia Luis Af-
onso Escaragnolle a terecira, Joae Carlos A il-
lagram Cabrita a stima e Joao Marinho Ca-
valcanti d Albtiquerque a oitava ; os Srs. se-
gundos Tenentes, Manoel de Siqueira Cam-
pillo a segunda companbia Narciso Bahiense
d'Almeida Gautmosim a terceira Emiliano
Ro/.a de Sena a quarta Francisco do RegO
Barros Brrelo a quinta Francisco Bapbael
de Mello Reg a sexta Antonio Theodorio da
(ama Roza a stima e Pedro Nolasco Pereira
daCunha a oitava. Y. finalmente que Sejo
excluidos os Srs. segund iS tenentes Jos.: Caeta-
DO Rodrigues Hurta e Felis Jos da Silva,
este da sexta, e aquello da quinta companbia,
v visto teretn passado para o segundo uatalho de
Fuzileiros do exercito. llenrique Marques
de (Jliveira Lisboa.
Thesouraria da Fazenda.
EXPEDIENTE E 21 DO PASSADO.
OlcioAo Exm. Presidente da provincia
rogando se dignasse expedir as suas ordens ,
para o Commandante do paquete de vapor, que
acabava de cbgar do Norte, recelier na The-
souraria um caixote como a so nina por conta
do saldo disponivel, que tinba de ser remelti-
da ao Thesouro Publico Nacional.
DitoAo niesmo Exm. Sr participando
que a barca Ermelinda devia receber boje to-
dos os objectos, que por Thes uraria se man-
droaprornptar para a llha de Fernando de
Noronlia e no dia inmediato podia seguir
via.em para a mesma liba, se assiin o deter-
minasse.
II)MI DO DIA 25.
OIicioAo Exm. Presidente do Tribunal
do Thesouro Publico Nacional remetiendo
em CUmprimentO da ordem de 5 de Agosto
prximo passado n. 16i. pelo paquete de va-
por Raiana, cenlo e trinta conloa de ris, por
conta do saldo existente na caixa do exercicio
de 1813-44.
PortaraMandando abonar ao Tbesourei-
ro da Fazenda, no livro caixa do exercicio de
de 1843-44, a quanlia de que tracta o prece-
dente oilicio.
II)MI 1)0 DIA 26.
OlicioAo Exm. Presidente da provincia
r.igundo se dignasse transmittir ao Exm. Mi-
nistro e Secretario d'Estado dos Negocios da
Fazenda o offci-) que acomp.inbava da Tbe-
souraria de 25 do crrente ( Setembro ) sob
Dito Ao Commandante da liba Fernando
de Noronba remettend > os artigos constantes
das relacoes, que acompanhavo, e rnais um
cont de ris em notas novas de Iji e 2> rs.
para o troco das de 5,10j e 20S rs. da 1.a es-
tampa, que ixistisscm n aquella ilba.
S
PortaraAoTbesoureiro da Fazenda para
entregar a Jos Mara Rodrigues, Comman-
te da barca Ermelinda. a qiianfja dequetraca
o precodente olicio.
DitaAo Thesouroiro dos ordenados, para
em cumprimento do despacho do Exm. Presi-
dente da provincia, e na conformidade do oli-
cio que acompanhava entregar a Joaquim
Alonso Ferreira, a quantia de seiscentos mil
ris para as dispesas da Secretaria, e outras se-
cretas da Polica.
PEHNAIWBUCO
ELEITORES DA FREGUEZIA DE MA-
RANGUAPE.
Os Srs.:
Francisco de Paula Sousa Leo
Joaquim Cavalcanl de Albuquerque
Joao Marinho de Sousa Leo
Francisco Antonio do Sousa Leo
l'rancisco Manoel .Maciel
Antonio Carneiro do Sousa Leao
Jos Fernandos Jorge
Joaquim Manoel Carneiro da Cunha
Joao da Cruz Fernandes Sousa
Filippe Nery de Faria
Joao de Pinbo Borges
Jos Joaquim Jorge
Lourenc Bererra Marinho Falcao
Jos Lucio Teixeira Cavalcanti
Jos Francisco de Faria Sales
Joao Be/erra de Mello
Francisco Porfirio Alves
Francisco da Cruz Souto
loaquim Theodorieo d'Albuquerque
Manoel l'rancisco de Sousa Loo
Miguel Archanjo Ferreira
Alexandrino Avres da Paixo
ELEITORES DA FREGUEZIA DE TRA-
CUNHAEM.
Rendimento arrecadado pe/a Mesa do Consu-
lado desta cidade em todo o mex de Setembro
findo na quantia de trinta e um caitos seis
ceios oitenta e nove mil dusentos vinte e
novers. A saber:
Consulado de 7 17:548,367
2 6,988
1/2 34,633
Arquagode50 4:130,578
de 30 318,172
de 10 404,815
Sello de 1/10 248.172
de 1/20 30,338
de ttulos o
fretamentos 51,145
Sollo flxo 383,090
Papel de passaporte 100
Emolumentos de cer-
cdes 11,760
Siza de 5 p.-o/o 371.000
de 15 272,301
------------23:811,459
Diversas provincias.
Dizimo doassucarda
provincia d'Alagoas 300,594
Dito do algodao da
provincia do Rio
Grande do Norte 14,203 314,797
24:126,25o
Desta provincia.
Dizimo do algodao 4:589,653
do assucar 2:745,937
do caf 9,611
do fumo 2,992
Taxa do 40 rs. por sac-
ca d'algodao 150,280
de 160 rs. por
caixa d'assucar 20,960
de 40 rs.por fei-
xo de dito 80
de 20 rs. por
barricas o saccas de
dito 43,460 7:562.973
dem idem do exercicio findo \~g 2:660,680
14:560.634
Recebe doria 1. de Outubro de 1814.__
O Escriv o Estani/o Pereira de Oliveira.
Correspondencia.
se-lbe aos ps, e, sem nada dizer, pousou-lhe
a fronte sobre os joeibos.
Devcis comprehender Sen hora que
noute infernal foi essa para esses dous desta-
cados!
No dia seguate eoamnhecer vicro a-
brir a prisao e annunciar ao condeinnado que
ele eslava solloJ vol-odisse, accrescentou
o desconhecido com um tcrrivel sorriso sobre
os labios que o conde Carracciolo he um no-
bre idalgo e cumpre religiosamente sua pa-
lavra !....
Os dous velhossa'iiraor, arrmando-se um
uo outro. Erna noute s tinba fe i lo nelles o
estrago de de/, a unos.
Ao voltarem o canto da estrada donde se
apercebe a casa vrao Constanza que, aioe-
Ihada no limiar os esperuva.
Nao apressrau niais o passo para rem ao en-
contr da filha : esta nao se levantou para vir
ao encontr d'elles.
Quando chegro ao p de Constanza el-
la poz as mos e nao disse seno :
Perdao?
Por um inovimento instinctivo minba mi
estendeo os bracos entre o marido e a filha.
Mas esse embaraco j nao era necessario.
Perdao disse elle estendendo a mao
Constanz.) perdao e porque perdao mi-
nba Giba nao s um anjo nao l urna santa,
nao s mais que ludo isto nao s urna mar-
tjr ?
E elle a abracou.
Os Srs.
os Alaria de Barros Brrelo
Manoel Cavalcanti d'Albuquerque
Joaquim Manoel Vieira de Mello
Joao Francisco Cavalcanti d'Albuquerque
Joao Cavalcanti Vauricio Wanderley
l'rancisco Antonio Gaiao Jnior
Joao Mauricio Wanderley
Joo Fernandes Vieira de Mello
Manoel Jos d'Oliveira Mello
Manoel Cavalcanti da Rocha Wanderley
Antonio de Holanda Cavalcanti da Rocha W.
Jos Pedro de Oliveira Mello
Joo Antonio Gaio Jnior
Joaquim Cavalcanti d'Albuquerque
Antonio Mara O' Connell Jersey
Jos de Marros Cavalcanti Marinho Falcao
l-rancisco XavierSoares de Aibuquerque Jnior
Joo da Cunha Ferreira
Jos de Hollanda C. Vieira de Mello Leito
Alexandre Corroa de Castro
Francisco de Borja Vieira de Mello
Jos Vieira de Mello
Ignacio Joaquim de Santa Anna Cordeiro
Francifco de Paula Mello Brrelo
Joao Marques Bacalho Jnior
Ignacio Xavier Carneiro d'Albuquerque.
Rs. = 31:689,229
Pernambuco, 2 de Outubro de 1844.
Joao Xavier Carneiro da Cunka, Adminis-
trador
Depois tendo minba mai recolbido-se com
a filha ao interior da cabana ; elle que bavia
licado s na sala d'entrada langou mao do
arcabuz, pol-o ao hombro e encaminbou-se
para o castcllo.
Ahi ebegado disse, qne quera apresen-
tar seus agiadecimentos ao Conde.
O conde bavia urna hora tinba partido
para Nopolcs.
Pedio permissao para fazer Raymundo seus
protestos de reconbecimeuto.
Raymundo tinba acompanbado seu irnio.
Lnto voltou para a cabana pendurou o ar-
cabuz na chamin. Depois Constanza e a mi
ouvirao um estrondo igual ao que produz a
queda de um coipo pesado; corrro ambas pa-
o lugar donde elle vinha e acharo o velbo ,
sem sentidos, estendido no meio do quarto.
, Deposilarao-no no leito;minha irmaficouao
p'd'elle, e minba mi sabio em busca de um
medico.
Este ao ver meu pai, meneou a cabeca ; to-
dava sangrou-o, noute o velbo abri os olhos.
Nesse momento punba eu o p no limiar da
porta.
Elle nao vij nem minha mi, nem minba
irma ; nao vio se nao a mim.
Meu filho, meu filbo exelamou elle;
oh he a vinganca divina que te traz.
Eu me lancei em seus bracos.
Sahi, disse elle, minba mi e minba
irma e deixai-nos sos.
Rendimento da Mesa da Recebedoria de Rendas
eraos Internas no mez de Setembro pr-
ximo findo.
Siza dos bensde raz 4:105.662
Novos e vclhos direitos 174.708
Direitos de Chancellara 5.120
D.'zima 791,174
Sello ixo 1:767.740
Dito proporcional 1:335.240
Emolumentos de certidoes 8,110
Cartas de Cachareis 16,000
Direitos de despachantes 125,000
Impostos de lojas abertal 5:781,680
Dito de seges e carrinbos 12.800
Dito de barcos 14,400
Taxa de escravos 423,000
Rs. = 14:560,634
Pertencenle ao lendimento do
annocorrente 11:899,954
Minha mi obedeceo ; mas minba irmaa
deixou-se ficar.
Ento o velho erguco-se sobre a cama e
mostrando Constanza a mi que se reli-
ma :
Acompanha tua mai, disse elle, com
um d'esses gestos supremos que impoem obe-
diencia, acompanha tua mi, se queres que
minha hencao teacompanhe.
Constanza beijou a mao do muribundo, cho
rando lancou-lhe os bracos em torno do pes-
coso eseguio a mi.
Puz sobre urna mesa o arcabuz, as pistolas
o o punhal que (razia e fui ajoelhar-me
junto ao leito de meu pai.
He a vinganca divina que (e traz ro-
polio elle. Eseuta-me meu filho, eme nao
interrumpas, porque, euosinto, poucos sao
os instantes de vida que me resto ; escuta-
me...
Com um signal dei-lhe a entender que podia
fallar.
Ento contou-me tudo.
A' proporco que fallava a voz se Ibe a-
nimava ; osangue rcfluia-lbe ao rosto ; a co-
lera pintava-se-lhe nos olhos dirieis que to-
do elle era Torca vidaesade. Somente, s
ultimas palavra.1, quando chegou ao momento,
em que entrando em casa e tendo reposto
o arcabuz na chamin, baria elle julgado nao
Eslava cu um dia, Senhores Redactores,
perdido em lgubres pensamenlos tendo na
mao um numero do D. novo e vista de tan-
ta immoralidade, dizia commigo=oh meu
Dos, ser possivel que em coraces humanos
germine, e medre tanta perversidade, o no
meio disto involuntariamente me escaparo
estas palavras = desejara ver o exegetico Diccio-
nario de picardas de praieiros para ver se es-
to esgotadas todas as inTamias.=Qual esgota-
dasl disse-me d'alli um (rapilho, de que cu
nao havia dado fe : se quer dando-me algu-
ma cousa, eu Ihe trarei escondido esse Diccio-
nario. =E quem he voce pergunlei=5ou
um dos praieiros colaboradores do D. novo:
e se o Sr. nos quiser chamar a/gum dos nomes
em que abunda o Diccionario, e que a fallar
verdade perfeitamante nos quadro, eu lh os
mostrareiE quanto quer voc, homem ?
petguntei-lbf.= Qualquercousa, Sr. um pou-
co de jurupiga=Jurupiga Por to pou-
co :'? Tal vez que nem para isso chegue o
dividendo dos lucros do D. novo, nao be as-
sim ? = O' l se he, nem para isto na verdade
chegaPois por (ao pouco insullo os Srs. o
Co e a trra, sem que Ibes escape a reputacao
mais inquestionavel, e mais bem estableci-
da ? I = que remedio A necessidade de
viver bem ou mal, seja como for, nos oiriga
a tanto ; porque nestes lempos calamitosos ntn-
guem comprara o 1). novo : he preciso ser
apimentado ; he assim que se pode picar o ape-
tito dos mos, e provocar a curiosidade mesmo
dos bons ; uns por gosto outros para ter o
que por ahi tai. uns e outros ido cahindo
com os cumquibus, que he o que importa, que
tudo o mais he nado=Pois !ie preciso isso,
homem de Dos ? Nao esta vendo como sem
isso anda o Diario de Pernambuco nedio, gor-
do, e abafado, e bem vestido, semseenxa-
furdar nesse lamaral immundo )=Oh I o Dia-
rio de Pernambuco he o Diario v Iho, eslava
amuito senhordo pasto, e no he coma sua
sorna que o halemos de por fora, se fossemos
por ah, nada achariamos que mariscar mes-
mo na />raia=Emfifn traga o Diccionario que
eu Ihe darei para ajurupsga. Com cffeito
em menos de meia hora trouce-me um alfar-
rabio velho, e cbenlo, que bem mostrava ser
cousa da prata: abri, e, olhe aqui, disse ; aqui
est um termo bem bom para Ss. Mm. nos cha-
marem :
Matilha he companbia de caca, ese Ihe
juntarem a palavra derivada do grcgocracia.i-
car matilhocracia, isto he, companbia de caes
mais caes do que os outros, e matilhocralas os
caes desta matilha.
Cfila be urna recova de bostas de maior
hestunlo, ou bestidade, do que as outras, e ca-
filocrutas as beslas desta recova.
Canalhahe a vil e baixa plebe ; o se Ibe
juntarem o tal grego craaa, ficar canalhocra-
cia, isto he. plebe mais vil e baixa do que a
vil e baixa plebe, c canalhocratas os individuos
mais canaulas do que a canalha mesma.
poder deixar de renunciar a vinganga dco um
grito abalado e a cabega cahio-lhe sobre o
travesseiro.
D'esta vez tinha morrido.
Por mu lo lempo estive sem o crer, por mui-
to lempo sacudi-lbco braco, por muito lemio
o cbamei ; em im senti suas mos resriarem-
se as minhas em fim vi seus olhos se emba-
ciarem.
Cerrei-lhe as palpebras, cruzei-lhes as mos
sobro o peito ; abracei o pola ultima vez ; e
lancei-lhe sobre a cabeca a coberta que ento
a servir-lhe do mortalba.
Em seguida abr a porta do quarto e tendo
por um signal chamado minha mi e minha
irma :
Vinde,disse-lhes eu, vinde orar por vosso pai
e marido que ja nao existe.
As duas mulheres arremec,ro-se sobre o lei-
to arrancando o cabellos, e debulhando-so
em pranto.
Em quanto isto so passava, loma va eu as pis-
tolas c o punhal, e pondo o arcabuz ao hombro
dirigi-me para a porta.
Ondes vas irmao ? gritn Constanza.
Onde me levar Dos respond eu.
E antes que olla tivessetido lempo de op-
pOr-se > minha sabida, ganhei o campo, e
perdi-me na obscuridade.
(Continuarse ha )


I

i *nl
.. II
.


_<7fa, d.sse elle, juntando- c-lhe o grego ga dentro para o Aracaty mud.u o r.orr.c para dan>, e inguas esirangeiras sero pagas em
racm ncara cafilocraca, isto he .recova de Carlota a qual deve sah.r para o.,ol!, porto separado sendo msica vocal, e piano por
testas de maior bestunto, ou best.dade, do que no d.a 10 do corrente ; os prndente a car me, 6,000 desenlio 5,000 dan. a 4*000.
asoutras, e cafilocratas as tiestas desta recova, regar dirijan se ao Trapiche novo a fallar com
Tudo isto.o mais ainda nos podein Ss.Mm. o seu proprietario Jos Gonalves Simas, ou na
chamar, sem escrpulo nem medo de rrar,, ra da Cadeia Velha n. 1} ronda do Pitomba
porque eu mesmo acho em minha consciencia -*- ...ma
Le loes.
que ns somos peiores que tudo islo.
Basta, bomem do inferno, basta ; tudo is-
o assim he, e est omito bom para voces la se
chamarem uns aos outros, pois tanto se conhe-
cem. Tome, para a sua jurupiqa, e adeos, que ,
. r ^ vas, bem coFihecidasdoseus Ireguezes easm.ii
nos ca nao manchamos as nossas boceas com
ewr.eT--*T-TrT...;
No da quinta leira 3 do correule se ha de
arrematar um cilio na estrada do Bozarinho
com casa de vivenda com boa agoa de beber ,
haixa para capim e (erras de plantacoes e com tes, para suspensorios.
Iodos os arvoredos de fructo, e trra para ter uma colher para sopa
tendo a fa/er qualquer obra de brilbantc do
gosto moderno e concert : qualquer obra a
mais delicada e difcil queieja. (12
2A quem fr oflerecido um chapeo de cas-
tor branco, quasi novo, por ter sido servido
su duaa vesef, 5 Rvellai de prata, com corren -
um garfo de prata,
taes palavras ; somos gente limpa, que nao an-
damos pela praia.
Foi-se o trapilho, eu fiquei ainda mais ab-
sorto e abysmadoem meus lgubres pensamen-
tos, vendo tanta impudencia, que nao esperava
acbar em caras brasileiras.
A Han (lega.
Rendimento do dia 2..........5:760*363
Descarregao hoje 3.
BarcaNavarrelarinha e breu.
Escuna Hoyal Sovercignamercaduras.
lovinento do Porlo
Navio sahido no dia \.do corrente.
Vss ; brigue brasileiro Sagitario Capitao
J. J. Gomes : carga lastro.
Naviots sahido no dia 2.
Londres por Liverpool ; 60 dias, galera ingle-
za Sarak, de 381 toneladas, Capitao Wil-
NarnCbolmus, equipagem '20, carga lastro :
a Me. Calmont & C.
Rio do Janeiro; 17 dias, brigue hespanhol
Cronometer, de 123 tonelladas, capitao Ja-
cinto Hombravella, equipagem 12, carga
lastro, Manoel Joaquim Ramos e Silva.
Navioi sahidos no mesmo dia.
Ass ; brigue brasileiro .eo, capitn Antonio
Rodrigues Garcia, carga lastro.
Rio de Janeiro ; brigue americano Ifarsato,
capitao Thoinas U. Howert, carga lastro
Babia ; brigue-escuna de guerra portuguez T\a-
mega, commandante o 1." Tenente ,/oaquim
Jos Goncalves Mattos Correia.
?--------------------1 -------------------_^ vacua de leite a prego de duzentos mil r. is on-
Joo Keller continuar, cor intervengo do : nual e tem as eondicoesseguintes, pagar um
corretor liveira, o seu leilo de fa/.endas no- |'|uartel adiantado c conservar o citio emboa
ordein, quem o pretender appdrer,a na porta do
proprias deste mercado, sexta feira 4 do corren- Boutor Juiz de Orpbaos as 4 horas da tarde ,
te, s 10 horas em ponto, no seu armazem da com os SL'U> fiadores idneos; a requerimento
ra da Cruz. ido tutor dos Orpbaos Ignacio Ferreira Muniz.
O corretor Oliveira fara leilo, no dia que -= Luiza da Encarnado Tavares faz publico
|ue loi aprovada no curso da aula de Obstreti-
uma dita para cha lam-
bem de prata um pequeo cordo douro, li
no, sirvo-se aprehender, poisfoi furtado, do
primeiro andar da casa da ra do Queimado
n. 5. e levar a toja da ra do Crespo n 13
que ser generosamente gratificado. ^ (10
2 Precisa se de um caixo ro de 16 a 18
anuos para tomar urna venda por balando ,
que d fiador a sua eonducta equetenha bas-
tante pratica; no atterro da Boa vista n. 54. (4
lia conforme a carta que se Ihe passou em 23 \ -Em casa de I ornando Lucca na ra do
de Janeiro do oriente auno, e razo presente Traoiaho n. 34. ba sempre orna grande aorti-
annuncio por Ihe constar que alguem se tem ment de todos os mclhores vinhos tanto em
servido de seu nome para partejar e como quartolas, como em caixas, tambem superio-
anounciar, dos bens do Dr. Thebcrge, visto
ter-se passado por sentenca a convento leita
com seus credores.
=Porordem, o em presencia do Vice-consul
de S. VI. Sarda, o Corretor Oliveira far lei-
lo, quinta feira 3 do corrente pelas 10 horas11uer arredar de si a responsabilidade que daln
da manh, na rua d'Apollo, armazem n. 12, pode provir declara que he branca, e mora no
de chumbo em barra, de lencol e munieo,
vinhos de Malaga, amendoas, grao de bico,
azeite doce em barrris &c., sendo a carga Sal- prestio.
vada da Polaca Sarda N. S. do Belvedere, Ca- i = u aljai"o assignado com toja de rapstos lia. e*t<* coutros muitos gneros se vendem por
Ja e abandona- na rua do Livramento avisa ao Senhor que Ihp I precoc ommodo (H
res conservas
conservas do
de Irutas da Europa, e uutraN
odas as qualidades. prczunlos,
puteo da Matriz de S Jos n. 33, aonde se po- queijos iV<- acaba tambem de receber pelo ill-
dem dirigir as pessoas que precisaren! de seu timo navio chegado da Babia um grande sorli-
! ment de charutos da afamada marca daRega-
pito Gaetano Gimelli, encalhada
da na praia do Pitimb, Provincia da Parahy-
ba ; tudo no estado em que se acbar, por con-
ta e risco de quem pertencer, e sob as mai
eondigocs, que sero declaradas no acto do leis
lo, o qual sera feito em lotos devidamentedis
tribuidos, e constantes da relagao que apresen-
taro os consignatarios Nascimento Schaefler
&c.
Avisos diversos.
Editaes.
1 O Illm. Sr. Inspector da Tbesouraria
das Beodas Provinciaes manda fazer publico,
que em os dias 25, 29 e 30 de Outubro prxi-
mo futuro, ao rneio dia, se ha de proceder a ar
rematago em hasta publica, quem por menos
fizer, do contrato da illuminago punlica desta
eidade do Recife, por tempo de anno e rneio,
contar do 1 de Janeiro em diante
As pessoas que se propo/erem esta arrema-
tando comparreo perante a inesma Tbesoura-
ria, nos dias a cima indicados, munidos de fia-
dores idneos, E para constarse mandou afli-
xar o presente, o publical-o pelo prelo.
Secretaria da Thesuuraria das Rendas Pro-
vinciaes de Pernambuco, 25 de Setembro de
1844. O Secretario interino Joao Valenlim
Vi Hela. (17
O Escrivao e Administrador da Mesa das
Rendas Internas Provinciaes desta eidade, abai
xo assignado, avisa pelo presente a todos os pro-
pietarios de esta beleci meo los de commercio e
indutria, que pago imposi(,oes provinciaes,
taes como serranas, otarias, casas de cambio e
de modas, fabricas de chapeos, de tabaco e do
charutos, que vai proceder executivamente con-
tra todos os devedores dos referidos impostos,
por Ici. E para que chegue ao conbecimento
de todos mandou affixar o presente, o publical-
o pela imprenca.
Recife. 2 de Outubro do 18i4.
T.uiz Francisco de Mello Cavalcanlt.
Roga-se ao Sr. Fiscal da freguezia de S.
Antonio, que, a hem de seu emprego, se digne
huir,ir suas vistas para a travessa do Carino, ou
irUra becco do Sarapatel, a fim de evitar que
do sobrado de dous andares, que ahi ha, se lan
ce, nao s agoas podres, como outras muitas
cousas, que por decencia se nao publica, a pon-
to de existir constantemente um lamaral que
prejudica ao transito e a visinhanga, com o mo
cheiro : por providencias enrgicas do mesmo
Sr. Fiscal espera Um que nao pude mais ag-
en tar o mo cheiro.
1Precisa-se alugar um negro ou wioleque,
o se tiver algum principio do cosinha, melhor;
quem tiver, falle na livraria da esquina da rua
do Collegio n 20, loja de Coitinho & Lopes.(i
Arrcnda-se, para se passar a festa ou an-
imalmente, um sitio em Apipucos, com bas-
tantes arvores de fructo, casa para grande fami-
lia, estribara para cavados, e muito periodo
rio : trata-se com Anacido Jos de Mendonca,
na Boa-vista, rua dos Coelhos.
1 = Aluga-se o soto do sobrado da rua da
Senzala nova n 16, com commodo para peque-
a familia, e consertado de novo, quem o pre
tender dirija se a rua do Queimado, 2. andar
do sobrado n. 28. (5
1 O Sr. que no Diario annunciou querer
fallar com Florencio Tavares da Silva Borges,
dirija-se rua da Cruz u. 36. (3
1 Aluga-se uma casa sita na rua da Estan-
cia, com oscommodos seguintcs: duas salas,
dous quart s e cosinha fra, quintal murado,
com cacimba e ps de larangoiras de embigo ;
trata-se na rua doCrespo n. 11. (5
1 ss No dia 29 do passado desappareceo da
estacada do sitio do Brito, no Atterro, uma ca-
hipotecou um escravo por nome Antonio'de na- I 2Temise perdido algumas letras perten-
Cio Angola pela quanlia de quatrocentos mil COTtes ao annunciante Manocl Florentino Car-
ris baja de no praso de quina) dias o resgatar! n'r<) da Cunha que as havia aceitado ao Coro-
e na laltaoabaixo assignado proceder na lor- nel Francirco Jos da Costa por occasiao de
gnad
ma da lei ; assim como todas as pessoas que t-
verem pinboresna mao do abaixo assignado os
venho resgatar no praso do oito dias do con ,
trario sero vendidos para seu pagamento,
7i 1 = 0 abaixo assignado vendo no Diario de
hontem quarta leira 2do corrente,um annuncio
que se pretende comprar a armaran o seus ute.i-
cilios e diminutos elle i tos da taberna de Joao
Jos de Moura defronte do oitao do Livramen-
to n. 8, a pessoa que se achar com direito al-
gum sobre a dita taberna queira annunciar ou
dirigir-se a rua Imperial n. 43, dentro em 3
dias para pudor ultimar a compra e passados
os mencionados 3 dias nao ser valiosa qualquer
exigencia que posa apparecer declara o mesmo
abaixo assignado quejoo Jos-de Moura Ihe
he devedor de 56^620 de gneros que Ihe ven-
deo para a dita taberna declara para seno cha-
mar o comprador a ignorancia.
Joao Altes de Carralho Porto. (16
1 Jos Marques da Costa Soares embarca
para o Bio de Janeiro o seu escravo Jos de
nago S. Thom (3
= Boga-so a quem tiver uns papis vindus
de Lisboa para entregar a Domingos Lopes de
Amorim (de Macei) de os entregar nesta pra-
ca a Joaquim Pinheir) Jacome ; na rua do Vi-
gario n. 13, paroste os. rometter ao seu des-
tino.-
2Aluga-se um sobrado de um andar
soto, na travessa dos Quarteis ; quem pre-
cisar dirija-se ao pateo do Matriz de S. An-
tonio n. 11. (t
2Arrenda-se o armarem da casa de tres
andares da rua de S. Francisco n. 5. defronte
da cadeia ; o mesmo toda a casa altos e baixos
havendo quem queira alugar tudo junto ;
quem pretender, dirija-se ao segundo andar
da mesma. (6
3 = A partida da sociedade Apllinea fca
transferida para o dia 12 do prximo mez de Ou-
tubro, e no dia l.'do mesmo mez ainda rece-
ber propostas para candidatos. (4
3=0 Director da sociedade Apollinca con-
vida a todos os memhros dacommissao parase
Ihe ter comprado > engenho Tabatinga que de-
pois Ihe tornon a vender e assim I lio loro res-
tituidas difas letras podendosuccedercaiiirem
om pudor de alguma pessoa, o como o annun-
ciante nao deva a pessoa alguma nesta praca e
nem lora d'ella, o faz publico para que appa-
reca logo qualquer pessoa qne as possa ter por
noa grande,que carrega 1,200 lijlos, fabricada
de novo, com as costuras do paneiro da popa reunirem na casa das sessoes no 1." do prximo
forradas de folha de chumbo ; quem della sou- Outubro, por fazer-so indispensavel tratar se de
Declaracocs.
2 = 0 Administrador da Mesa da Recebe-
doria de Bendas Geres Internas, tendo em
consideragao as despezas e incommodos que
teem osColleclados, quando sao notificados o
penhorados,avisa a lodos os moradores dos bair-
ros de Santo Antonio, Boa-vista e A (logados,
para que no prefixo prazo de 20 dias, venhao
pagar o importe da taxa do escravos, d. s annos
de 1842 a 1843, e 1843 a 1844. pena de re-
metter para Juizo, som contomplacao a pessoa
ber, dirija-se a seu dono, Silvestre Joaquim do
Nascimento, na rua Imperial n. 31, quesera
recompensado. (8
1 Um bomem que presume ser verdadeiro ,
e que d fiador a sua conducta tendo de fa-
zer umar viagem a villa de Porto Calvo eseus
territorios, so offerece a conduzir cartas ou ou-
tro qualquer objecto para dito lugar obrigan-
do-so a trazer rcsposla tudo com brevidade ;
quem do seu prestimo se quizer utilizar, dirija-
se a rua da Cordia n. 18, at sexta-feira por
todia, por ser o dia do sua sahida. (9
n. 67.
1=D. babel d'Auslria Souza Prado Masca-
renhas e Pecanba e sua Prima D. Aurelia
L'mbilina Ribeiro de Carvalho achan-se esta be-
lecidas com casa de educacao de meninas
na rua do Hospicio n. 9. e ahi recebem alum-
nas internas e meias pensionistas com as seguin-
tes condigoes.
Cada alumna interna paga mensalmente, em
importantes objectos. (5
2 -Precisa-se de unu inulher que saiba fazer
carnizas ae bomem vestidos de mulhere me-
que soja boa costureira, que se queira
nina
alguma, a rela?o de todos os devedores, e para trjmeslre adientado 250.
que chegue a noticia a todos faz o presente an- ^^ mcia nensjonjsta paga mensalmente em
nuncio. Reccbedoria, 1. d'Outubro de 1844. |rmestre a(Jien(ado 16,,000
Francisco Xavier Cavacantid Albuquerque.(l* ^ materios de ensino sao ;
Aviso* martimos.
A sumaca Aurtnia, proposta e j om car- j
er escrever e
** contar, gramtica portugue/a historia c geo-
graphia, e em quanto s prendas, cozer. mar-
car, bordar de todas as qualidades, e tklhar.
As aulas de recreio, como msica, desenbo ,
oceupar em uma casa particular nesle trafico
pelo preco que seajustar ; quem estiver nestas
circumst8nciasannuncie. (6
2=Os administradores da casa de J. P.
Elster annuncio ao publico que ninguem faca
negocio com Martinianno Jos Pascoal a res-
peto de uma sua escrava nem de outro qual-
quer bem, que o mesmo pertenca, porque ja
foi condemnado por sentenca a pagar o quede-
ve a dita casa fallecida, e para subtrair-se a
esse pagamento tem ocultado o dinheiro que
recebeo de Joao Leite Pita Ortigueira, e a es-
crava que Ihe tocou no inventario amigavel
que (o/ com seu cunbado Jos Caetano Farges
da Cruz, que Ihe tocara por fallecimento de
sua sogra. ('3)
3__Carlos llardey & C. establecidos noda-
tio da Matriz de Santo Antonio n. 2, com loja
de ourives, acabao de receber um lindo sorti
sso que devem boje estar todas vencidas o o
annunciante nao tem letra sua em poder de al-
guno a excepeo do tais letras so he quo dolosa
mente se acho em mo ou poder de alguma
pessoa. (1"
2Boga-sea quem por engao tirou do cor-
reio uma carta viuda dos portos do sul n. 1:275
dirigida a Joo Jos Gon/aga Prreir, a bon-
dade de a ir entregar em casa dos Srs. Mesqui-
ta 8t Dulra por cujo obsequio se mostrar gra-
tido. (6
=A lesta da Sra. da|>olidade da Boa-vista l-
cou transferida para o domingo 13 do corrente.
2= O abaixo assignado faz sciente ao pu-
blico que mudou o seu cstahelecimento para a
rua Imperial n. 145 Jos Fernandes Goltz.
2=: Faz-se scien'e aos senhores que compra-
vo o superior cha hisson na rua do Rangel n.
45, que elle se aclia agora na rua Imperial.
n. 115. (*
= D-se dinheiro a premio em poquenas
quantias, nao excedentes de lO.OOOrs., sob
penhores do ouro; quem pretender dirija-se
ao pateo de S. Pedro sobrado n. 9. No mesmo
aluga-se urna negra para cosinhai, e que saiba
vender na rua, responsabilisano-so seu dono
pela lidelidado da dita. (7
2 Precisa-se alugar um moleque para to-
do o servido, na rua Formosa n. 6. (2
2 Precisa-se do um caixeiro para tomar
conta de urna venda, dando fiador, na Boa-vis-
ta, rua da Conceifio n. 20. (3
2= Aluga se o primeiro andar do sobrado
n. 4l da rua Nova ; trata-se no segundo andar
do mesmo. (3
2= Alujja-sc a loja do sobrado n. 46 da rua
das Trincheiras, propno para armazem ou oulso
estabelccimento ; a tratar no primeiro andar
do mesmo. (4
2= Perante o Sr. Dr. Juiz de Direito da 2.*
vara do civel se ha de arrematar um mulato,
proprio para qualquerservico avahado pelo ba-
rato preco de 300,000 rs., quarta feira 2 d'Ou-
tubro, por ser a ultima praca. (5
2= Acha-se novamento aborta a pallara da
rua dos Burgos, que loi de Carlos Deters, sem-
pre com muito bom pao e bolaxa de superior
larinha, e feito com o maior asseio possivel,
assim como prometto-so servir bem a todos os
fregueics, tanto os que mandarem mesma pa-
daria, como os que quizerein quo se mande
suas casas. (8
LOTERA DE S. PEDRO
MARTYR DACIDADE
DE OLLINDA
Correm infalivelmente as rodas, no dia 10
de Outubro prximo vindouro eos bilhetes
acho-se venda nos lugares j annunciados.(7
2 0 abaixo assignado declara nao se enten,
der com elle, o aviso da Belaco desta Cidade-
em que declara ter sido rcmettida ao Juizo in-
ferior, para serjulgado edepois voltar, a np-
mento de obras de ouro do ultimo gosto, tran-i pellaco crime. em que he appellante o Juizo
selins para bomem aderecos para senhoras le appellado Francisco Gomes d Oliveira (reu
brincos, anneis. alfinetes, caixas de prata para i (aneado); pois que o abaixo asbignado (o
rap, maracaes para meninos; na mesma loja so Corrector Oliveira) nenhuma domandu tem de
recebe em commendas de qualquer qualidade, qualquer nature/a, que soja,
seja de ourives como de cravador, compromet- Francisco Gomes d Oliveira.(\Q
T
sm


.. 'All."
_*fcaa>1l>|MffB vk*
Offerece-sc um noeo Portuguez que sa-
be ler e escrevcr para caiieiro de qualquer
arromado nesta praca, o qual tem alguma
pratica de venda. ; quem o pretender annuncie.
Offcrece-se um homem Portuguez, de
meia idade, para foitor doum sirio, o qual en-
tende de toda e qualquer pl.mtaco e tem pra-
tica dejardim ; quemo pretender, annuncie.
Roga-sc a quem por engao tirou do Cor-
ren urna carta vinda dos porto* do Su! ,
numero 1378 dirigida a Antonio Jos M?r-
ques Guimares, a bondade de a ir entregar em
casa dos Srs. N. O. Bieber c Compaohia por
cojo obsequioso-Acar summamente obrigado ,
ou annuncie sua morada.
(Juem xjrecisar de um hornero branco,
Portuguez fforatrabalharem padaria do que
tem multa pratica dirija-so a livraria da pra-
$8 da Independencia ns. 6 e 8, que se dir.
Perdeo-se na tarde do dia primoiro do
corrente, do arco do.Bom Jess at Olinda ,
uma caixa de oculos corr urna chave dentro ;
quem a tiver achado e a quizer restituir tenha
a bondade de a entregar na loja do Sr. Francis-
co da Silva na ra daCadeia do Recite que
ser gratificado.
OfTerece-se uma pessoa para fazer cobran-
zas nao sendo roais longo do qne 50 legoas,
e mesino no serlao logo que hoja invern ;
quem o pretender annuncie.
1 Alugao-se casas no sitio do Cajueiro ,
para se passara testa com grandes commodos
e banho perto ; a tratar no mesmo sitio. (3
1 Aluga-se pelo teropode testa e confor-
me a vontade do prctendente ; um pequeo si-
tio no lugar da Capunga com casa decente,
perto do banho o qual he o que foi do finado
Antonio Francisco de Castro; a fallar com Luis
Gonzaga da Rocha na ra Formosa n. o. (6
1 Prccisa-se para caixeiro no Rio Grande
do Norte um rapaz Portuguez, de lo* anuos ;
na ra do Cabug n. 16. (3
1 Precisa-se alugar uma escrava para o
servico de uma casa, que saiba comprar cosi-
nhar, ensaboar e engommar dando-se-lhe o
sustento e 12#rs. mensaes ; na Solidado indo
pela Trempe, casa novan. 4'2. 5
1 Hoga-se a quem tirou do Corrcio uma
carta para Bernardo J se da Silva Guimares
ir. 1385, oobsequiodea entregar na ra da
Moeda n. 15, primeiro andar. 4
1 Roga-se aoSr. Jos Paulina de Almei-
da o favor de dirigir-se a ra da Madre de Dos
n. 4, queso Ihe desoja fallar a certo negocio. (3
1 Aluga-se uma loja muito boa para qual-
quer estabelecimento, e com commodos para
morada ; no Alterro da Boa-vista n. 21; a tra-
tar na mesina casa. (\
1 Aluga-se o primeiro andar da casa n. 33
da ra do Amorim ; a tratar no mesmo sobra-
do com Antonio Jos Francisco Veiga. (3
Aluga-se a casa terrea n 23 da ra das
Larangeiras ; a tratar na ra da Aurora n. 44.
3 -Precisa-se de amas deleito para a casa dos
expostos ; as pessoas que qui/.erem criar, di-
rijad-so a mesma casa. (3
3 Na loja do livros do Pinto se encaderna
livros de todas as maneiras o por prcco mais
commodo do que em outra qualquer parto, com
toda a promptido e aceio, assim como tam-
ben se apara papel. (3
3Appareceo, ha dias, na fina do Retiro, na
Passagem uma canoa de carreira ; quem for
seu dono, dirija-se a dita illia, ou na ra da < .a-
deia de S. Antonio n. 15, segundo andar. (4
I)-se dinhoiro a premio sobre penhores
de ouro em quantias do lOO^rs. para menos;
na ra das Larangeiras n. 23. '.3
3 0 Sr Monel Jos Ribeiro de Campos quei-
ra annunciar a sua morada, ou dirigir-se ao
armasem de Delno dos Aojos Teixeira o Ri-
beiro na ra de Appollo n. 2 A, a negocio de
seu interesso. (5
3 Um Brasileiro adoptivo de 50 annos,
sem familia sabeler, oscrever o contar solfii-
mente, etem conhecimento de servido de qual-
quer naturesa se offereco para caixeiro do en-
gento ou feitor ainda mesmo de olaria e
tambem dar licoes de pnmeiras lettras ; o
mesmo d fiador a sua conducta; quem o pre-
tender annuncie. 8
3 OfTerece-se um Portuguez de 0 annos ,
para caixeiro de ra ou mesmo para criado do
servir o qual sabe 1er o escrever; quem de sen
prestimo se quizer utilizar, dirija-se ao Alterro
da Boa-vista n. 14. \
5 O abaixo assignado, engenheiro civil ,
acha-se no seu escriptorio desde a 9 horas da
manha ate 3 du tarde, no largo doCorpo San-
on. 4, primeiro andar.Alfredo deMornay.
1 -Compra-so uma morada de casa terrea
no bairro de S. Antonio uro ponteiro para
menino de ouro o sem feitio; na ra Direita ,
b(1i.....i.. ,1....... ....Hi K {.{,
odas
f
Compras
9Compra-seeffectivamente nesta Typogra-
phia toda a qualidade de pannos cortados ou
velhos, sujos, ou limpos aparas do papel, pa-
pelo etoda a qualidade de papis velhos. ;4
2 Comprao-se ossos de boi, em grandes e
pequeas porces ; no Fortedo-Mattos, ra da
Moeda, armasem de assucar n. 15. (3
2 Comprao-se efTectivamente mulatas, ne-
gras e moloques do 12 a 20 annos com habi-
lidades ousem ellas, pagao-se bem ; na ra
eslreita do Rozario n. 34. [4
2Compra-se uma preta quo saiba lavar
de varrelia o engommar paga-so bem se for
de bons costuros embora nao seja muito mo-
ca ; na ra do Crespo loja da viuva Cunha
Guimares. (5
2 Vende-se, ou troca-se urna mulata de 27
annos muito alva boa cozinhoira engi.m-
madeira rendeira e de todo o mais servico de
uma casa por uma piola quecosinhe, lave,
e saiba comprar na ra ; na ra de S. Tlieresa,
venda n. 25. (6
> Continna-se a vender a agoa de tingir
cbelo e suissas ; na ra do Queimado lojas
ns. 31 e 33 ; o methodo do applicar acompa-
nha os vidros. (4
2 V'endo-se uma preta ladina de bonita
fljuira cosinha engomma, e faz bem pao-do-
l f em Fra-de-porlasn. C8. [i
2Vende-se, por precisao o preco commodo,
uma escrava de naco, de '25 annos cosinha
alguma cousa lava, he boa quitandeira, que
d 480 rs por dia, o tambem servo para o mal-
lo por ter disto bastante pratica; uma toa-
Iha debretanha fina toda aborta de lavarinto,
um berco e uma cama de condur ainda em bou.
uso; no pateo do Carmo n. 24. (8
2Vende-se ou troca-so urna casa sobra-
do na ra do Arago por uma casa terrea no
bairro da lioa-vista ; quem pretender annuncie.
2Vendem-se charutos regala nonplus-ultra,
tanto a retalhocuino em poicao, por preco com-
modo ; na ra do Acouguinho n 25.
(3
2 "vende-se uma escrava do 14 annos, sem
vicios nem achaques com principios de cos-
tura ; em Fra-de-porlasn. 107. 3
2 Vendem-se sapatos de lustio para ho-
rnem a l60<>r*. borzeguins para dito a 1600
rs. ditos para senhora a ItiOO rs., sapatos do
uma paia para homem a :.< rs. ditos do sola
e vira de entrada baixaa 2400 rs. ditos de uma
sola a 2$ rs. ditos do setim branco para me-
ninas a 4s0rs. ditos de setim preto para se-
nhora a 640 rs. ditos de lustro para meninos
a 400 rs. chiquitos para ditos a l"20e 240 rs. ,
tamancos para homem e senhora a 320 rs. sa-
patos de cabra para homem a 480 rs. moios
botins para homem, sapatos de duas palas, di-
tos de lustro para senhora ditos de cordavo,
marroquim e de lustro do cores para senhora ,
chegados ltimamente e outras muitas qua-
lidades de calcado para homem, senhora e me-
ninos : na praca da Independencia n. 33. ^17
2 Vende-se uma toalha bordada de susto ,
com vara e meia de comprimento de esguio
de lintio muito fino obra muito rica; na ra
da calcada n. 26 de manha at as 7 horas ,
e. de tarde das 3 em diante. 5
2Vende-se duas escravas recolbida com
algumas habilidades tendo uma 14 annos e
a outra 19 tendo esta uma lillia de 3 annos ;
na ra N.,va n. 50, lerceiro andar. (4
2Vendem-se 4 escravas sendo duas ne-
grinlias de 10 annos, muito lindas, e duas
pretas proprias para todo o servido; na ra
Velha n. 111. (4
2Vendem-se duas casas de taipa no Atier-
ro dos Alogados com 100 palmos de fundo e
60 de frente por preco cada uma de 150^ rs.;
a tratar no Recite, ra do Amonio n. 22. 4
2 Vende-se urna preta boa engommadeira,
lavadeira e cosinheira ; na ra do Crespo n.
10, lerceiro andar. (3
2Vendem-se o pecas para cinteiro de me-
nino dous anneloes urna medalha e urnas
conlinhas do Rio ludo de ouro; na ra No-
va n. 55. (4
2Vende-se uma guarnicao de florete pesan-
do 110 oitavas de ouro um par do adragonas
com'4 oilavas de ouro, 4 voltas do coraos en-
castados com 19 oitavas um par de fivelas
para padre com 10 oitavas, uma caixa de ouro
para relogio com 8 oitavas, uma conceicocom
uma oilava, uma moeda de \ rs. encastoada ,
um transelim com 6 oitavas e tres quartos e 12
graos, uma figa com 2oilavas e um quarto,
todas estas obras sem feitio ; um alfinete com
3 diamantes para senhora uma med8lha com
um diamante duas ditas, um annel com 11
diamantes 3 ditos com um diamante cada um
e com esmalte um dito pequeo um frontim
com um bom diamante, urna corrente moder-
na dous pares de argolas com diamantes, um
par de caslicaes do piala dous ditos com um
prato ethesoura os mais delicados e moder-
nos quo existem em Pernambuco duas colhe-
res grandes de tirar soupa duasdilas para ar-
roz uma salva para 4 copos um relogio ho-
risonfal, de ouro e bom regulador, um dito
de prata uma caixa de prata uma corda de
ouro co 14 oitavas e um cordao com 10 oita-
vas e um quarto ; na ra das Trincheiras
n. 18. (24
2 Vende-se o engenho Abiaicom fabrica ,
bois o beslas, ou sem ellas na provincia da
Parahiba limitrophe a de Pernambuco com
porto de embarque ao p do mesmo engenho ,
um dos mainres da mesma provincia conten-
do 4, ou mais legoas em comprimento o duas
ou maisem largura com excellente malta en-
tro os rios Abiai e Gra e costa do mar grande,
terreno ptimo para coqueiros o j bastantes
ps de fruto grande poramar podendo-se le-
vantar mais dous engenhos do agoa, com e-
tenso e sobejo commodos; a tialar no mes-
mo engenho, ou na cidade da Parahiba. ,13
2\endc-se sal do Ass, muito alvo e grog-
so palha de carnauba, a bordo do patacho
Laurentina Brasilea, Tundeado na volta do pous barris que foro de azeite de carra pato ,
Forte-do-Mattos ou na tub da Cruz n. 64. ,4 um peso de meia arroba ; na ra Direita sobra-
2Vende-se uma venda com os fundos de do de um andar r. 58.
300^8 400^8., em jauilo bom local, e est )Vendem-se dous escravos, um do nacao
muito afreguesada ;ifa ra do Mondego n. 70. e o outro crioulo ambos do bonitas figuras,
2 No deposito to arinhu do mandioca, na e mocos proprios para todo o servico; na ra
ra da Cadeia do S. Antonio n. 19, vende-se bom da Cadeia de S. Antonio n. 25, por cima da
rnilho novo em saccas a 4/rs. fjrinhadeS. loja de chapeos. (5
Matheus e Cravellas a 1280 rs. o alqueire da 1Vende-se, para fra da provincia um es-
medida nova e da velha a 3200 rs. gomma de cravo crioulo de 20 annos ; no Atierro da Boa-
engommai a 10/ rs. o alqueire da medida ve- vista n. 58. (3
Iha ; no mesmo deposito precisa-se de uma IVende-se boa cera do carnauba, tanto a
mulher capaz para vender fazondas dando retalho como por junto franja de algodao pro-
fiadora sua conducta. (9 pria para toalhas sapatos de marroquim e bc-
2 Na ra de S. Rita-nova n. 8$ casa do zerro francez para homem, tudo por preco com-
encadernador Francisco Antonio Bastos, vende- modo; na ra do Livramento loja n. J9. (5
se superior tinta preta de escrever j borneo- 1Vende-se para fra da provincia, uma
nhocida pela suabondade; livros em branco de escrava de nacao, de 24 annos; na ra do
papel almaco primeira sorte e pautas de difTe- Queimado n. I, segundo andar. (3
rentes larguras ; tambem se recebe (oda a qua- 1 Vende-se um sobrado na mais elegante
lidade de obras para se encadernar, e apara-se ra de Olinda que he de S. Bento n. 58, com
papel com toda a promptido e aceio, tudo por 6 quartos, duas salas ,em chaos proprios e ao
preco mais commodo do que em outra qualquer i lado do mesmo, um terreno [devoluto tudo
parte (10 j annexoaomesmo com muito boa vista para
para todos quatro-cantos porlo na frente da
ra ; a tratar na ra da S. Cruz venda n. 60,
ou n. 58 defronte do arco da ribeira da Boa-
vista. (9
1Vendem-se os Panoramas e 1841, 1842
e 1843 encadernados e o primeiro volume do
Museu Porluense ; uma missa em orchestra in-
titulada a Formiga em partos completas;
na ra larga do Rozario loja n. 22. (5
1Vende-se a vida do S. Agostinho, um dic-
cionario ingle, dos grandes, por Vieira em
dous voluntes as cartas geographichas em for-
mato grande e oulros livros ; no Alterro da
Boa-vista, loja de rrtiudesas n. 54. (5
1Vende-se um cachorro bastante bravo,
proprio para sitio; na ra da Assumpco n. 16.
2 Vendem-se saccas de farinha de mandio-
ca da trra do superior qualidade e por pre-
ro commodo ; na ra da Cruz n. 64. (3
Vende-se uma negra de 25 annos per-
feita cosinheira, oose, lava, engomma com-
pra e faz todo o servico de uma casa ; na ra
Nova n. 39.
Vende-se, por necessidade uma escrava
moca de nacao Angola de elegante figura ,
sem Vicios nem achaques engomma, cosinha,
cose e he quitandeira ; na ribeira n. 3.
Vende-se um sitio denominado Camorim,
no lugar do Mogeiro na provincia da Parahi-
ba com 500 bracas de testada ,e legoa e meia
de fundo proprio para lavoura ou criacio
de gado com casa de morada e prenca de
algodao ; a tratar com Jacinto Pauda do Reg,
em Cruangi comarca de Goianna ou na ra
Madre de Dos n. 7.
Vende-se sal do Ass muito bom a bor-
do do hiato Flor de Larangeira, fundeado de-
fronte do Trapiche-novo ou na ra da Cadeia
do Reci.'o loja n. 37 ; na mesma loja vnde-
se uma negra crioula de boa figura o moca
uma porcao de taboas proprias para caixas de
assucar, ou para outra qualquer obra por
preco commodo.
Vende-se urna escrava de naci do 22
annos engomma, cosinha bem he lavadeira,
e ptima para todo o servico de uma casa ; 3
pretas de naco de 18 a 21 annos, proprias
para todo o servico. ou mesmo para quitan-
deiras, um mulatinho de 7 annos, proprio
para ofiicio ; um preto de 30 annos por pre-
co commodo ; na ra das Cruzes n. 41, segun-
do andar.
Vende-se uma escrava de nacao Calabar,
cosinha he padeira e vende na ra ; vende-se
por nao querer servir senhora quem a pre-
tender, poder a ir ver na cadeia desta cidade.
Vende-se uma lancha nova bem cons-
truida vinda do Porto e st-rve para qualquer
embarcaco ; a tratar com Antonio Joaquim
de Souza Ribeiro ; o mesmo tem para alugar
duas casas terreas em Fra-de-portas por do-
iraz da Igreja do Pillar, com a frente para S.
Amaro ns. 13 e 15 ; os pretendentes dirij">o-se
ao annunciante no seu escriptorio da ra da
Cadeia n. 18.
Vende-se uma preta de 22 annos com
principios de cosinha de costura e he lava-
deira ; na ruado Roza'io da Boa-vista n. 16.
Vende-se um moleque de bonita figura ,
sem vicio algum proprio para todo o servico,
ede 14 aunos ; na ra da Calcada venda da
esquina n. 2o.
Vende-se um preto da Costa de bonita
figura carreiro, bom trabalhador de enxada o
sabe tirar leile o tratar de gado, por prec,
commodo ; na ra de Agoas-verdes sobrado
n. 70.
Vende-se a venda da esquina da ra Im-
perial n. 2 com os fundos que quizerem ou
s a armaco ; uns bracos de balanca grandes e
pequeos tudo por barato preco por se ter
precisao ; a tratar com Joaquim Pinheiro Ja-
come na mesma venda.
Vende-se uma cssa na ra do Sebo com
4 quartos cosinha fra copiar e cacimba ,
em chaos proprios ; nobeccoda Bomba n. 8.
Vende-se um piano-forte inglez do boas
vozes, em meio uso por preco commodo ; na
ra do Crespo n. 12, a fallar com Jos Joaquim
da Silva Maia.
Vendem-se ladrilhos de marmore, por
proco commodo ; na ra da Moeda n. 7, pri-
meiro andar, ou a fallarcom Firmino J. F. da
Rosa.
Vende-se excellente cal virgem mafs ba-
rato do quo ern outra qualquer parte; no tra-
piche da Alfaiidega-velha.;
1 Vendem-se phosphoros, chapeos de pa-
lha e pentes de marrafa ; em casa de L. G.
Ferreira S, Companhia. (3
I Vende-se um moleque de naco de 13
annos, muito lindo e de boa conducta o quo
se uffianca ; urna eseravt de naco, de lean-
nos, com principios de varias habilidades o
he recolhida uma dita de 20 annos engom-
ma cose, e cosinha ; duas ditas quitandeiras
o lavadoiras ; um escravo do 22 annos bom
ofllcial do ferreiro ; 4 escravos de naco pti-
mos para todo o servico todos do-se a con-
tento; na ra Direita n. 3. (Jo
1Vende-se a parte do sitio, que (oi do i
nado Souto em Bebiribe, faz-se todo o negocio ;
Escravos fgidos
1 Desappareceo nodia 10 do p. p. pelas
Ave-Marias um escravo de nomo Jos, do
nacaoMutcmbo cara larga, beicos bastantes
grossos corpo reforcado pes grandes o cha-
tos, olhos grandes; levou camisa de algodao
velha e suja calcas do brim pardo jaqueta do
dito branco o chapeo do palha pintado de ver-
niz preto ; quem o pegar, leve a ra do Torres
n. 18 que ser generosamente recompensado.
Sabbado, 27 de Setombro p. p. do enge-
nhoMucupo de Iguarass, de Francisco Pereira
de Arruda Cmara, fugio uma preta de nomo
Benedicta de naco Costa baixa grossa ,
fula com alguns talhos pela cara, o uma mar-
ca de cicatriz ao pedo uma orelha tem o bei-
eo inferior turado perlencia nesta praca ao
Sr. Jos Bento da Costa ehoje ao mesmo Sr.
de engenho ; quem a pegar, leve a ra do Ca-
bug n. 12 que generosamente ser recom-
pensado.
Em o dia segunda feira do Espirito San-
to desle anno lugio a preta Catharina de
naco Angola, ladina, alta bastante secca do
corpo, seio pequeo, cor muito preta, bom feita
de roslo, olhos grandes o vermclbos com todos
os denles na frente ps grandes o mettidos pa-
ra dentro muito convetsadeira e risonha de
22 anuos, tem .-.do encontrada com trouxa de
roupa para as parles do Campo-grande o Bebi-
ribe a qual pertence a Manocl Francisco da
Silva, que gratificar generosamente a quem
Ihe entregar. (12
i Desapparecoo na noute do primeiro do
correnlo uma muala de 30 annos, de nome
Cosma alta, magra, clara, olhos grandes, c-
belos cortados mas com marrafas ; levou ves-
tido de chita branca com flores encarnadas,
mas he provavel ser achaca de saia por ser este
o seu costume, e levar toda a roupa, levou
tambem chales de la de cores com barra azul ,
e um seu filho de 5 para 6 annos, tambem cla-
ro olhos grandes cabeca chata na frente, ca-
ra larga;presumo-se ter fgido para o Rio Gran-
de do Norte d'onde he natural ; quem a pe-
gar, leve ao Atierro da Boa-visla n. 44 e em
outros lugares as respectivas autoridades, que
ser recompensado. (15
1 Desappareceo no dia 26 do p. p. um pre-
to do naco Congo estatura regular, cara re-
donda olho grandes, barbado, tem no alto
da cabeca um callo na mo esquerda falta-lhe
parle do dedo mnimo e dous dedos no p di-
r 1 lo de nomo Jacob lio ainda bucal; foi vis-
tido com ca-jiisa de algodao trancado a qual
tem as costas uma emenda, que paiecu um
grand.; remend o calcas de estopa ; esto pre-
to andava vendendo hortalica e frutas foi visto
no mesmo dia 26 no Porto-das-canas a fallar
com um individuo cujos crditos sao de ladro
de escravos pelo que protesta-se proceder
contra elle, caso nao appareca o preto ; quem o
pegar, leve ao Manguinho casa de Porto-car-
reiro ou a ra do Terco casa do Tenente do
polica Joo Pacheco Alvos que ser generosa-
mente recompensado. (7
2 Da cidade da Parahiba do Norte fugio no
diu 26 do p. p. Agosto, uma escrava de An-
gola de nome Francisca baixa rosto re-
dondo falla alguma cousa fina o baixa ; quem
a pegar, leva a Francisco Martins Basto, na ra
do Kncantaroento armasem n. II. ou na ci-
dade da Parahiba a Custodio Domingucs dos
Santos, na ra do Varadouro que recbela
50^ rs. de gratiQcaco. '>
Rc.w a Trt. m te F. Mf'*iiA.-t8U.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ER6SKW93D_1OBMD1 INGEST_TIME 2013-04-13T00:38:35Z PACKAGE AA00011611_05189
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES