Diario de Pernambuco

terminado pela lei, e sera tambem publicado cripturario da eparlico das Obras Publicas,
bascom muito boa agoa ; trala-se na ra nova
n.44, com Dellino Goncalves Pereira Lima. '6)
1 'l'enjio-se tlesencaininhado do poder
e'
pela imprensa. Cidade doOlinda 23 de A-
gosto de 1844- Jos Joaquim de A Imada
roga-se pessoa em cuja mo existe que visto
nao estar o dito titulo assignado e por isso ser
Movimcnto do Porlo.
Navio entrado] no dia 29.
Havre de Grace; 52 dias, barca (ranceza Ca-
simir Delavigne, de 180 toneladas, Capilao
Laserre, equipagem 23, carga diversos g-
neros : a B. Laserre C.
,' Navios entrados no dia 30.
Barcelona; 34 lias brigue-escuna bespanbol
Brilhante Catalana, de 84 toneladas, Mes-
tro Estope!, equipagem 10: em lastro.
Navio sahido no dia 30.
Sumatra; galera americana Carolina Augusta,
Capitn E I). Yinne: com a mesma garga
que trouce de Salem.
ston; escuna americana A'i/e, de 129 tone-
ladas, Mostr Dean, equipagem 5, carga as-
Ouedes PresidenteJoo Paulo Ferreira intil, baja de o restituir na ra de Agoas-vor
Secretario. (23) des sobrado n. 21, que ser gratifica lo. (8)
50 lllin. Sr. inspector da thesouraria da Joo Baptista de S.
fazenda desta provincia, manda fazer publico, SOCIEDADE THE ATRAI. CAMPESINA.
q,.o o praso marcado de seis mo/es para .ubi- i Q ,..Secretario av8a aos Srs. gocios que Do-
lituieao das notas de 5000, 10^000 e 20000! i t tu s i c ,
.. uvvv' y" v Y mingo l.de Septembro ha sesso da hocieda-
reis da nnmeira estampa, (inda-so em 10 de i i .
.. .' T1 ,. de pelas 4 horas da tarde na casa da mesma;
Setembro prximo vindouro; e desto da em -i i. c ..
,,<.'..,., '. ., para o que convida aos ditos Srs. a sua assisten
d.ante ficarao ditas notas sujetas ao descont J par^tratar^ede nogoei0 da mesma.
dedezpor cont em cada mez. na formado; 1 0 abaixo assignado declara que as 9 ho-
artigo 5. da le. n 55 de 6 de Outubro do ras da nou,odo dia 37 ,i0 corrente apparoc-
1835, o no fim dosdez mezes dcstes descontos ra em sua casa a preta Izabel oscrava de Fo-
se m valor algum, como j-i se declarou no Edi- j lippe Manoel d'Oliveira conduzindo urna mu-
tal de 10 de Feveroiro desto anno. Secreta- lalinha de nomo Felizarda do 14 annos a
ra da thesouraria da fazenda de Pernambuco qual procurava quem a comprasse ; pergun-
30 de Julho do 1844. Joaquim Francisco tando-lhe pelo nomo do senhor, o a que toba;
fastos.Officialmaior. (151
iifeclaraces.
1 = Em virtude do requisicao da Thesou-
raria da Fazenda osta repartieao tem de (retar
urna embarcacao que leve a ilba do Fernando
larinha sentenciados, e mais alguns objectos,
o para isto o Sr. Inspector convida as pes-
soas que queiro fazer o fretamento a compare-
cerem n'esta Secretaria no dia 2 de Setembro
prximo com as suas propostas, pelas 11 horas
da manha. secretaria da inspeccao do Arse-
dal do Marinha de Pernambueo 30 do Agosto do
1844. O Secretario. (11)
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
2Pera ule a Administracaodo Patrimonio dos
Orpbaos se ha de arrematar a quem mais der
as rendas da casa n. 4, sita no largo do Hos-
pital do Paraizo : as pessoas que so propo-
zercm a arremarar ditas rendas podero com-
parecer na casadas sessoos a 16 do futuro mez
as 4 horas da tarto com os lia Joros.
Sala das tendea da Administradlo do patii-
monio dos Orphaos, 28 de Agosto do 1844-
/. M. da Cruz Escripturario. 10)
tm m-imiB-in 1 -mili Li
t%visos martimos.
sucar.
Edtaes.
1 Para Montevideo o Buenos Ayres, seguir
nestes seis dias o brigue sardo Palma do que
he Capilao Domingos Buzanno; quem quizer
carregar ou ir de passogem para o que tem
bons commodos ; dirija-se a Mendes & Olivei-
ra ou ao referido Capitao na ra do Vigario
n. 21. 7)
Avisos diversos.
3 Roga-se ao Sr. Jos Mara do Sousa Ran,
geldo apparecer na ra da Praia n. 32, para
lins que nao ignora. (3)
3=Aluga-se urna ama de leito parida de
pouco lempo e sem cria sendo captiva he me-
Ibor ; as Cinco Ponas 11. 71
(3)
3 De ordem do Exm. e Rm. Sr. Bspo Re-
lignatario Director d'Acadomia Jurdica de
lnda se faz publico pela Secretaria que
em virtudo do accordo tomade pela Congrega-
o dos Lentes, os ostudantes das aulas prepa-
ratorias, que houverem de ser exeminados na
mesma Academia, para so evitar confusao e ou-
irns j. experimentados inconvenientes, se de-
verao apresentar pela ordem das lettras alpha-
beticas, com que primipiao os seus nomos do
baptismo, regra iuviolavcl, excepto para com
aijuelles.quesetiveremd matricular-sonaquol-
le anno, para os quaes s r alterada a regra nos
ltimos das prximos a matricula da sobredi-
ta Academia E para que o relerido conste ,
rnandei afiliar o presente nos lugares do costu-
me, e publicar pela impronta. Secretaria A-
cademia Jurdica do Olinda, 20 de Agosto de
3= Ollereco se um rapaz Portuguez de boa
conducta de idade de 18 annos para caixeiro de
ra ou de outra qualquer arrumacao exceptu-
ando vonda, o qual da fiador sua conducta a
quem precisar annuncie. (5)
3=Abordo da sumaca Santa Roza, undiada
defronto do trem, vnde-so farinba do man-
dioca do superior qualidadee por preco tnuite
commodo, medida velba; quem pretender, di-
rija-so a bordo da mesma somaca. (5)
3=0 Sr. Jos Antonio, oflicial de tinturei-
ro, queira ir fallar com os Srs. Mesquita & I dando-seos lucros que se combinaren! ; e mui-
dice ; que he escrava do Padre Joaquim Clau-
dio Padilha morador no engenho Palheta ,
duas legoas distante do Pao d'Alho. o que es-
lava ha 1*2 das, fgida de casa de seu senhor,
donde sahira em companbia do urna mulhor
chamada Francisca que a depositou em casa
de nutras em S. Antonio aonde estove 3 dias,
mas que resolvendo-so a procurar quem a com-
praste deixoua casa dessas mulheres e que
encontrando por acaso aquella preta olla
a guiara para a minha ; dicc-lho que se fosse
embora pediu-me que a tivesse em casa por
que nao poderia acertarcom a casa das mulhe-
res e que nem ao menos linha quem Ihe en-
sinasse ; cedendo ao pedido que assim como
o mais expendido foi feito em presenca dos
Srs. Inspectores Teixeira, e S Jnior; faco o
presente aviso para por elle arredar de mim
qualquer responsabilidade e poder o Snr. Pa-
dre Joaquim mandar, ou tomar couta do sua
escrava quanto antes porque nao me res pon-
sabiliso pela Tuga Luiz Antonio Vieira.
Precisa-sede um hornero que entenda
de partidas dobradas ; quem ostiver nestas cir-
cunstancias annuncie.
O Sr. Antonio Francisco d< s Santos pode
procurai na ra da Cruz n. 4o, urna carta es-
cripta do Porto pelo o Sr. Joaquim Jos de Oli-
veira Falcao e que foi entregue por engao ao
capilao do Brigue Ventura Feliz, por ser do
mesmo nome.
Precisa-O fallar ao Snr. Monteiro Major
reformado morador em Olinda a negocio ,
que Ihe diz respeito; na ra da Praia, tan-
que de deposito d'agoa n. 17.
Precisa-se para leitor do engenho, de um
Portuguez a pouco chegado de Portugal; na ra
do Collegion. 13.
A potsoa que precisa de um caixeiro de
ra dirija-se a ra de Agoas-verdes a. 36.
Manoel Ignacio da Silva Teixeira, por
adoccer o administrador, que linha na pada-
ria da ra da Gloria n 55 faz venda da mes-
ma ou aluga com todos os pertences ; assim
como d sociedade a qnem entenda bem deste
trafico com tanto que abone sua capacidado ;
a (aliar com o annunciaiiteem sua padaria na
travesa da Madre de Dos n. II de manha
at as!Imras ou de tunde na padaria da S.
Cruz do uma.so porta.
Quem anuunciou precisar do um caixoi-
ro do ra dirija-se a ra Nova n. 19, primoi-
ro andar.
S^t^uem quizer arrendar urna casa de troz
andares no largo da Asscmbla : falle com o
propietario Jos Francisco Bedem, e ou-
tra dita na ra do Amorim os quaes ..so a
chao com escriptos. (5)
3-Dcseja-so saber se be vivo ou morto
Antonio Jos de Alendnos, natural do Porto,
cazado com a Sra. ntonia da Natividadc, fi
Iba do Sr. Antonio Francisco Maya; na ra
Dreila n. 135 loja do cera. (5)
2Prociza-se de quatrocontos mil res
Dulra na ra do Brum a nogocio de seu inte
resse. (3)
3^Arrenda-se a casa que serve de tbeatro
publico nesta cidade. prompta para qualquer
reprcscnlac2o, menos de vistuarios : tambem se
arrenda paia qualquer estabelecimento, para o
que se dar livie e desembarazada dos uteneis ;
quem a pretender, drija-se a ra larga do Ro-
zario n. 18. (7)
3 Precisa-se alugar metade dd urna casa
com pessoa capaz sendo que o aluguel da casa
lo boa lirma ; por dous mezes na casa n 94
na ra da Gloria. (4)
2Constando aoabaixoassignado, ler sido vis-
to para as partos de Una por pessoa que o co-
nheceo o seu cscravo Guilliermo, o qua! des-
appareceo d'csla praca no dia 4 do Outnbro do
anno prximo plisado : tem que possa ler lido
urna noticia del le senaoa p reten te; por isso o a-
baixo assignado recommenda a todas as autori-
dades policiaes.capites do campos o quaesquer
outras pessoas parlieularcsipoisquereeebercin-
ao exceda a 12,000 quem cstiver nestas cir- coenta mil res de gratilicat.ao a pessoa que o
trcuxcr preso: os sigasss sao os siguintes, Ida-
de de 16 I 17 annos, muito secco do corpoe
alto em porporeao a idade, pomas e bracos mui-
to finos cabeea muilo pequea odios muito
vivos, e um pouco esbugalbados, dedos das maos
muito finse compridos, nacao Angola, porm
muito ladino e lio cozinnoiro. e falla bcm.
Manoel domes Vitgas.
2O abaixo assignado gratilica generosa-
mente a quem denunciar do ladrao que em
as 12 horas do dia 29 do corrente lurtou um
liali que reprsenla tor 3 palmos pouco mais
ou menos com as seguinles lazendas um co-
lado o meio de panno lino preto duas pecas
de chita duas ditas Je madapolo marca gallo,
urna dita com 22 jardas de algodozinlio, urna
resma de pape! almaco. um corle do la esda,
sendo este de campo braneo. 12 covados de se-
tim maco preto, I (rasco de Leroy, 3 cartas :
tendo urna para o Sr. Padre Jos Gome-; de
l.ima oulra para Joao ('.arneiro de Silva, e
nutra para .Manoel Felil Corroa.
liento J .S.Magalhiles, l'i
2 LOTERA DES. PEDRO MARTYR
DE OLINDA.
As rodas correm improterivolmenie no dia
2 de Setembro prximo vindouro : os bi-
llulos existem a venda no bairro do Recifo
lojas de cambio doi Senbores Vieira o Silva Cu-
nbl Santo Antonio ra do Cabug botica do
Senhor Joio A'oroira lojas de fazendas dos
Senbores Pereira & Guedes Boa-vista loja de
ourivos do Senhor Jacinto Oliveira. (9)
2 = CJuem quizer arrendar ou comprar o
engenho Jucara! de cima eroSflrnbSem, (al-
ie com o Major Joo Valenliui \ illela mora-
dor no Atierro da Boa-vista r-asa n. 19, que
se acba aulorisado para fazer qualquer nego-
cio, (t)
3 SOCIEDADF. THEATRAL MELPO-
MENENSE.
O Tbosoureiro avisa aos Senbores socios,quo
os bilbetes para a recita do sabbado distribu-
em-so nos dial 29, 30, e 3t; na ra da Cruz ,
armazeni de molhados: n. 43, o mesmo previne
quo na occasio da entrega rebeber as mensali-
dades vencidas de Judio e Agosto; os Senhorea
socios que quizercm ceder o seu cartao queiro
deix l-o junto com a proposta na mesma casaaci-
ma.t sexta-feiraa noutepodendo depoisirbus-
cal-o no sabbado at meio dia,notando que pes-
soa alguma, a nao serem os socios,entrro, sem
seren approvados, para os lugares dos mesmos,
O Thesoureirp roga noi Senbores socios que ti-
verao a bondade de subscrever voluntariamento
para apintura e concluso da casa, queiro en-
tregar o importe na mesma casa na occasio de
receberem os Lideles. (19
2 = 0 Senhor Joaquim Jos do Pinho que
morou nos Afogados, e boje acba se em Nossa
Scnhora da Gloria ou Ipojuea, queira appa-
recer na le 1 de miudez..s na ra do Cabug
junto do Senhor Bandeira que se Ihe deseja fal-
lar. (6)
2 Joaquim Jos da Costa Pnhero reti-
ra-se paia o Rio de Janeiro tratar de seu
negocio e como nao podo dospcJir-se pesso-
almente de todos os seus amigos pela brevidude
da partida,aproviita este meio para o fazer,e pe-
de a todos quo Ihe desculpem esta falta involun-
taria assim como Ibes otTeiece o seu limitado
prestimo naquella Corto. (8)
2 A abaixo assignada, viuva que ficou do
laiecido Jos Mara l'erreira de Souza tinlu-
reiro do Atierro da B a-vista, annuncia ao ros-
peilavel publico que contina a tingir toda a
q'ualidade de fa/rndas e de todas as cores ;
assim como convida a todas as pessoas que tive-
rem fazendas em casa da dita as queiro man-
dar procurar no praso do oitos dias e qua#do
nao mandem por ellas no praso marcado, passa
a vondol-as para pagamento de suas despe/.as.
Barbara Francisca Xavier. (11
2Aluga-se urna muito asseiada casa no At-
ierro dos Affogados, contigua ao sitio do fina-
do .Machado a qual tem commodos sufficien-
tes para grande familia por ler duas salas, seis
quartos cosinha (ra copiar e quintal mu-
rado ; trata se na ra llireita n. 82, primeiro
andar. 0)
2- Aluga-se urna negra para o servido inter-
no de casa de pequea familia por 10,000 rs.
menes; na ra dosMarlyrios n 32. 3)
2 J0A0 Ferreira da Silva Portuguez, reti-
ra-so desta provincia. 2)
2=Quem precisar de um rapaz Portuguez de
16 anuos de idade para caixeiro de loja de fa-
zenda o qual tem pralica, ou oulra qualquer
arrumacao excepto venda inda sendo para
(ora da [iraca; dirjase a Pracada Boa-vista
n. 10. 6)
2 Precisa se de urna mulhcr para entinar
urna mulata a engommar, em casa de sua se-
nbon as horas] que convencionar ; na ra de
Agoat Verdes sobrado n. 66. 4^
2=:Precisa-se de um bomem quo entenda de
andar (om urna carroca na ra, e que d fia-
dor a sua conducta ; 110 Atierro da Boa-vista
n. 54. i)
_i_v.


4
PREVENGO CONTRA OS FALSIFI-
CADORES.
Estovio Gasse, sabendo que en algasias lo-
gas o venias dosta cidade se vendo un rape
feito nesta provincia com o titulo de princez.a ,
e faifa imitar-So de botes rtulos de sua fabrica,
previne ao publico seus freguozes quo a bem do
(finito depropriedado sua.acressenta nos verda-
doiros botes de sua fabrica umsello com sua fir-
ma o ensinuacao do nico deposito do legitimo
rap princesa nesta pro>incia. A vista do cx-
posto,qualquer outro rap inculcado com a de
nommacao aima he falcificacocs as fabricas de
Estevao Gasse nico inventor e proprietario do
rap princesa (feito no Brasil), tanto no Rio
de Janeiro Babia, e em deposito no Mar
nhao, Para, assirn como em Pernambuco na
ra da Cruz, do Hecif n. 38. (18)
i Aluga-se as lojas do sobrado n. 120 da
ruu liiroita, com commodos para negocio e mo-
radia ; quem a pretender, diiija-so ao primei-
ro andar do mesmo obrado das- 6 a 8 horas
da marihiia o das duas as 5 da tarde. (5
1 D-se dinheiro a premio sobre ponho-
res de quro ou prala mesmo em pequeas
quantias ; na roa estroita do Rozario n. 1% ,
primuiro andar. 4
1 Precisa-se de a 7 contos de reis a pre-
mio de um por cento ao me* pagndose os
juros todos os metes com seguranca em pre-
dios ; quem quizer dar annunele. '4
Sr. Benlo Ribeiro da Cimba queira an-
nunciar a sua morada queso Ihe deseja fallar
a negocio de seu interesse.
Quem annnunclou precisar de um cai-
xeiro de ra quesaiba le escrever e contar
desembarazadamente dirija-se a pracinha do
Corpo Santo n. 06, na venda.
Quem annunciou precisar do um caixei-
ro para venda dirija-se a Camboa-do-Carmo
n. 13.
Quem annunciou precisar de um caixeiro,
que saiba bem ler, oscrevor e contar desemba-
razadamente ; o mesmo d fiador a sua con-
ducta dirija-se a ra do Cabug n. 12.
Quem annunciou precisar do um caixei-
ro de ra que saiba ler, escrever e contar des-
embarazadamente dirija-se a travessa do Lo-
bato que fica na ra deS Theresa n. 2.
1 Aluga-se para so passar a festa urna boa
casa no Caxang ; quem a pretender, dirija-se
a travessa do Carmo n. 1, segundo andar. (3
1 Dao-se a 4/rs. mensalmente, no segun-
do andar da casa n. 35 da ra larga do Ro-
zario licoes de geometra geographia, philo-
sophia francez e portuguez. (4
1 O testamenteiro do casal da finada Anna
Felicia da Silva, e Antonio da Costa Guimaraes,
julga nao haver dividas activas no mesmo casal;
mas quem Be julgarcredor comparossa com sua
conta legaii.sada na ra Velha sobrado n. 49,
das (i horas da manhaa as 3 da tardo at o
dia 3 de Setembro a fim de ser incluida no in-
ventario ; outro sim adverte que pessoa al-
pucia laca negocio com o mesmo Guimaraes ,
<\ cerca dos bens do mesmo casal. (10
Precisa-se de urna preta que seja fiel,
para vender na ra no Corredor do Bispo n. 8
O Sr que no Diario de 29 do corrente, e2
o annuncio do Sr. J. R. C. que mandou tirar a
sentonca contra a Fazcnda declare se he Joo
Ribeiro da Cunha ou responda porque o an-
nunciante nao lem negocio com a Fazenda, nem
deve sentenca.
Compras
3 Compra-so effecti va mente nesta Typogra-
phia toda a qualidade de pannos cortados ou
velhos, sujos, ou limpos aparas de papel, pa-
pelao e toda a qualidade de papis velhos. 4
3 Comprao-sc 4" estacas de 25 palmos de
comprido e dous ditos em roda, sendo de em-
beriba, barab e sapucaia ; na ra do \ gario
n. 23, primeiro andar.
3* Comprao-se pranchesde louro e ama-
relio de boa qualidade assim como travos de
30 palmos de cornpi ido e palmo em quariro ,
e palmo o coito ; na ra da Cadeia do Recito ,
casa deJoaquim Go. <; Ivs CascSo. (6
Compr8o-se effectivamente para fura da
provincia osera vos de ambos os sexos do 12 a
'>0 annos agradando pagao-se bem ; na ra Lfngoflta n. 8, segundo
de um an-
da Cadeia de o sobrado
dar de varanda de pao n. 2.
Compra-so, ou troca-se por urna negra d>;
moer agora 300 a 400 pes ; esta propriedade
he situada no lugar da Aldeia Aomuata arre-
dado dn cirlaita da Victoria A l.egess p*r 5
parto do norte; a tratar na ra Imperial n. 63(10
3 Vendom-se duas casas detaipa no Atier-
ro dos Afosados, por 50# rs. cada urna ; na
ra do Amorim n. 22. (3
4 -Vi'iuI.'-sl-, ou arrenda-se um sitio no Rio-
doce denominado casa caiada ; a tratar
com o proprietario Jos Francisco Ribeiro no
Forle-do-Mattos. (4
3Vendem-se bonitos ps de roza amelia ,
j i pegados em caixes ; na Solidade indo pela
Trompe lado direito quasi ao p da Igreja
n. 7. (5
3Vende-se um cachorro do fila, e urna por-
cao de ripas : na ra da S Cruz venda n. 58;
assim como arinha a quatro patacas o alquci-
re pela medida nova. (4
3Vendem-se duas vaccas muito gordas e
novas por j terem acabado de dar ieite, pari-
das do pouco tempo davao cada urna sete
a 8 garrafas de Ieite dous garrotes gordos,
um delles he da raca tourina e sao proprios
para carroca ; a tratar com Joaquim Elias do
Moura Gondiin, morador em urna das casas tor-
reas, no fundo do sitio do Exm. Snr. lia rao do
Itamarac, no Manguinho. (9
3 Na ruada Praia n. fifi, ha superior fari-
nhn de mandioca vende-se pela medida velha
comcaculo, por preco commodo. (3
3Vendem-se ricos cortes de seda escocesa ,
ditos de sotim lavrado branco e de cores, cre-
p para vestido flores finas ricas capellase
ramos de flor de laranja, mantas de soda esco-
cesa ditas de seda chales de seda bordados,
luvas do pellica com guarnico ditas de cores
para homem e senhora o um completo sor-
timento do calcado para senhora e meninas e
outras muitas fasendas por preco commodo; na
ra Nova loja n. 6 de Jos Francisco Mamede
deAlmeida. (i i
3 Vende-se urna mulata muita aiva com
cabello corrido de 25 annos ptima rendei-
ra costureira engomma muito bem cosinha
e lava ; na ra da Cruz n. 51. (4
3 Vende-se urna mulata de 18 annos, mui-
to diligente e propria para tomar conta de urna
casa engomma,cosinha soffrivel e cose; na
ra da Cadeia do Recifo loja n. 20. (4
3 Vende-se urna preta cosinheira, engom-
madeira e do mais servico de urna casa ; no pa-
teo do Carmo n 20. (3
3 Vendem-se os utensilios de um armasem
do assucar, sendo batanea, pesos, caixes, gran-
de porcao de barricas, saceos e pecas de algo-
dao trancado ; na ra doCoIlegio n. 5. (4
2Vendem-se 12 casaes de pombos, bons
batedores o de raca grande, todos juntos ou se-
parados ; na ra da Penha n. 3.
2 Em casa do Fernando de Lucca na ra
do Trapiche n. 34, ha sempre um grande sor-
timentode todas as qualidades de vinho de
Rordeaux tanto em quartolas como em caixas ,
vinho do Porto Madeira, Sherry, Champanhe,
Cognac superior, presuntos, queijos (rancezes
e inglezes, os afamados charutos regala lu-
do se vende por prego mais commodo do que
em outra qualquer parlo. (9
2 Vende-se, ou troca-se por outra no Re-
cite ou por escravos urna casa terrea sita
na ra do Cocho emOlinda n. 11 feita a mo-
derna toda envidracada com duas portas e
duas janellas de frente, com muito bons com-
modos para grande familia ; a tratar na ra da
Cruz venda n. 26 de S Araujo &[ Irmao, ou
em Olinda nos Quatro-cautos, venda de Jos
Luiz Machado. (9
2 Vendem-se lencos pretos de seda da In-
dia, o setim pretosuperior; em casa de Matheus
Austin S companhia, na ra do Trapiche n. 36
2 Vende-se um terreno com casa nova de
pedra e cal, pequea e com 80 palmos de lar-
go t 800 c tantos de fundo, na Capunga a mar-
gem do rio por preco commodo; na ruadas
Cruzes n /i0. (5
2Vende-se um moleque de 13 annos som
vicios ncm achaques ; na ra da Florentina
n. 2. (3
2Vende-se um piano pequeo dcG oitavus,
bom para quem quer aprender, por sel o pre-
co muito commodo ; urna cama de ferro com
urmacao, nova, sendo do melhor gosto que
laqui tem vindo ; um fogao de ferro inglez j
usado, ludo por preco commodo ; na ra da
andar. (7
do bom tom para vestidos de senhora ; na ra
do Queimado lujas ns. 41 e 25, de Guilherme
Caito '
Vende-se urna venda com poucos fundos,
ou s a armacao na ra Direita dos Afogados
n. 20 a trntar n . $. Vende-se um moleque de 14 annos, j 1Vende-se urna venda com poucos fundos,
por 250/ rs ; na ra do Arago o. 5, ou na ra bem afreguezada para a torra e com commo-
do Cabug n. 9. (3 dos para familia na ruado Padre Floriano n.
2Vende-se um relogio inglez de patente ; 72 ; a tratar na mesma venda.
quem pretender annuncio. (2
2 Vende-se urna casa terrea na ra da Glo-
ria ; a tratar na mesma ra n. 33. (2
2 Vendem-se as melhores btalas que aqui
teem vindo muito grandes a 60 rs. cha his-
sona2^rs. toucinliode Minas, carne dita
l*
1Vende-se, ou aluga-se urn sobrado do
um andar e sotao quintal e cacimba com
bastante commodos para urna grande familia ,
sito na ra do Fagundes ; a tratar na ra do
Cabug loja de iniudezas n. 1 C. ;
Vendetn-se cartas francesas, finas; na ra
muito nova lomboso orelheiras para as boas 'do Cabug loja demiudezas n. 1 C.
feijoadas a 80 rs. hervilhas a ISO rs. cevadi- \ Vende-se um diccionario de inglez para
nh'a de Franca chocolate de Lisboa a 100 rs. o francez e de francez para inglez; na ra Velha,
pao tapioca do Maranho a 80 rs. presuntos sobrado n. 49.
a 400 rs. velas do Porto a imitacao de esper-
macetea 300 rs. bolaxinha a 240 rs. man-
teiga franceza a 480 e 560 rs dita para tem-
peiro a240rs. dita de porco a 320 rs. fei-
jo mulalinho, branco preto e vermelho o
todos os mais gneros de venda por muito ba-
rato preco, na venda da esquina da ra do Ara-
gao n. 43. (15
2Vondo-se urna crioula de 26 annos, co-
sinha cose, engomma e faz ronda ; na ra da
Guia n. 46. (3
2 Vendem-se botins e meios ditos france-
zes s.ipatos inglezes de urna e duas palas ,
ditos americanos para homem e meninos de 8
a 12 annos sapatos francezes de marroquim
para senhora ditos de marroquim o de lustro
com clcheles para meninos e outras multas
qualidades de calcado pssim como muito bom
bezerro francez chegado prximamente no
Atierro da Boa-vista n. 24. (9
2 Vende-se a historia sagrada em 7 volu-
mes commcnlada pelo Padre Antonio Perera,
encadernacao de marroquim muito rica, ou tro-
ca-se por outras obras: no Atierro da Boa-vis-
ta loja de Diiudezas n. 54. (5
Ve,ndem-se ptimos licores de diversas
qualidades a 200 rs. a garrafa e em porcao a
160 rs., ago'ardente do reino a 900 rs. a ca-
ada, genebra embotijada a 200 rs. e em cana-
da a 800 rs. superior ago'ardente de aniz a
700 rs. a canuda licor de rosa muito fino a
5U0 rs. a garrafa ; na ra da Roda n. 23.
1Vendem-se chapeos do Chile da melhor
qualidade, chegados ltimamente do Rio do Ja-
neiro ; na ra do Crespo n. 19, loja deJoaquim
Maia da Silva. (4
Vende-se a padaria da ra da Gloria n.
55 com farinhas, ou sem ellas ; a (aliar com
Manoel Ignacio da Silva Teixeira na travessa
da Madre de Dos n. lt.
--Vende-se urna preta de 20 annos porfeita
cosinheira de forno e fogao engomma e ensa-
boa ; duas pretas de 18 a 20 annos, lavadeiras
e quitandeiras;uma linda mulatinha perfeita
ngommadeira o costureira ; um mulato de 22
annos bom pagem perfeito pedreiro de toda
obra mesmo de snmalha ; urna negrinha de
12 annos muito bonita para mucama ; na ra
do Fogo ao p do Rozario n. 8.
1 Vende-se urna casa nova, travejada ,
ladrilhada com 6 portadas de cantara com
lOOe tantos palmos de comprimento, e 27 e
meio de largura livres do paredes um gran-
de telheiro no fundo, que serve de serrara ,
poco de boaagoa quintal com 100 e tantos
palmos, nao entrando nesta conta o telheiro,
com porto do embarque a toda hora sita na
ra da Praia por detraz da ribeira n. 15; a tratar
na mesma ra n. 17 ou com o Sr. Hercula-
no Jos de Freitas na ra do Queimado. (11
Vende-se urna canoa deconduziragoa ,
que carrega 9 a 10/ rs. a rasao de 20 rs. o
caneco; na ra da Praia, deposito d'agoa n. 17.
Vende-se por menos de seu valor a fim
de sedesoecupar o lugar
Vende-se urna vacca muito boa de Ieite
com um filho do .' semanas ; no sitio do S. An-'
na, delronteda venda d Nicolao.
Vende-se a propriedade do S. Anna, em
Parnameirim ; a tralar na rnesuui propriedade,
com Domingos Pires Ferreira.
I Vende-so urna negra de bonita figura, do
nacao Angola ao comprador se dir as habi-
lidades ; na ra larga do Rozario n. 21.
B<'irirh;re
MOWI >- \J&
ti cr til s\e
2Vendem-se superiores caivetes finos com
mola, quo em se metiendo a penna sai perfei-
|lamente aparada ; .na ra do Cabug loja de
bonita figura que cosinha e engomma, outra Uuiude/as; junto a botica. (4
que esteja parida de dofcs mesas seja limpa e J 2 Vendem-se pedias de amolar da melhor
tenha bastante Ieite, cosiobe e engomme; ua jqualidade do Rio de S. Francisco, em porcao
ra Nova n. 33.
I Compra-seclioa preparada para encher
colchoes ; na ra de Apollo n. 9. (2
Cornpra-se urna motada de casa terrea no
bairro de S. Antonio um ponteiro para meni-
no, sendo ourode lo o sem (eilio, e dous an-
neloes ainda quo se pague melado do feitio ; na
ra Direita sobrauodo um andar n. 56.
Vendas
o a retalho ; na ra da Praia ; armasem n. 18.
2Vende-se o resto da fasenda rainha da
India inm mais de vara de largura, para 'ves-
tido de senhora e meninas, pelo diminuto pre-
co de 400 rs. o covado esteirinhas pintadas
para cima de mesas, ou sof tambem pelo di-
minuto preco de 320 rs. cada urna: na ruado
Cabug lojas de fasendas francezas e ingleas ,
de Pereira e Guedes. (8
2Vendem-se taxas de ferro coado a 90 rs. a
libra um pequeo sorlimento de fechaduras
para portas do patentes tanto de ferro como
de lato ; na ra da Cruz armazem do ferra-
4_Vende-se urna propriedade de Ierras com
principio de um engenho, e com todas as plan-!gens n. 2.
tus 3 moradas de casas que se achao dentro j 2Vendem-se chapeos pretos francezes para
da dita propriedade com lodosos trastes que j meninos ; na ra do Queimado lojas ns. i I e
se acho dentro das ditas ; o engenho moeo o. 25, de Guilherme Sette. (3
anno pussado 40 pes de assucar, e tem para I 2 Vende-se cambraia com listras de cOres e
de sicupira todos vollados, e proprios para
construccao de embarcacoes ; a fallar com Ma-
noel Antonio da Silva Motta na ra de Apol-
lo n. 32.
Vende-se sal de Lisboa a bordo da barca
brasileira hrmilinda, chegada recentemente de
Lisboa; a tratar com Francisco Severiano Ra-
bello no largo da Assembla Provincial.
Vendem-se meias saccas de excellente fari-
nba feita na Moribeca; na ra do Collegio n 13
Vendem-se bichas grandes o pequeas, de
superior qualidade e por preco commodo ; na
ruado Vigario n. 20.
Vendem-se ps de parreira ; urna com-
moda e um toucador, por preco commodo; na
ra do Sebo n. 37.
Vendem-se barricas com urna e meia a
duas o meias arrobas de superior toucinho de
Lisboa chegado pelo ultimo navio ; no caes
da Allandega armasem do Antonio Teixeira
Bacelar.
IVende-se urna escrava de nacao moca
cosinha, lava, e he muito diligente para todo
servico ; na ra estreita do Rozario n. 22, pri-
meiro andar. (4
Vende-se a venda n. 2 da ra Imperial,
com os fundos que pretencem; um braco d
balanca grande com conchas e correntes de fer-
ro; urna rica mesa redonda de meio de sala;
urna porcao decaixas vasias do Porto ; a tratar
com Joaquim Pinheiro Jacome, na mesma
venda.
Vende-se potassa da Russia e americana ,
cal virgem do Lisboa propria para o fabrico
de assucar feixes abatidos para assucar e ro-
das de arcos tomados para barricas ; na ra de
Fugio no^dia 25 do crranle um escravo
de nacao Congo de nomo Benedicto olhos
grandes o vivos barbado, dentes limados, cor-
po regular, costurna a vender oolaxinha doce ;
quem o pegar, leve a ra da Senzalla-nova, pa-
daria n. 30, que ser gratificado.
i Roga-se as autoridades policia^s bajo
de apprehcnder o preto de nomo Adriano, per-
tencente ao Snr. Coronel Jos de Mendouca de
Alarco Avalla cujo escravo tem os s.'gnaes
seguintes ; crioulo representa 23 annos, al
tura regular, rosto comprido cabellse o 'los
pretos, nariz chato bocea regular ; cor p. re-
ta barba serrada ; osle escravo eslava rec 0-
Ihido na cadeia desta cidade ; e indo-se a 14 d o
Julhop. p. receber-se para so embarcar para o
Rio de Janeiro, respondeo o carcereLo quo
deixava de o entregar, por se ter evadido na
noute de 13 para 14 ; quem do mesmo souber,
ou der noticias, ser generosamente gratificado,
na ra da Cruz n. 64.
1 Est fgida novamente a prota Theresa,
do nacao Loanda de 30 annos alta, cor bs-
tanlo preta cara redonda, dentes limados, tem
para maior signal as costas todas cheias de al-
tas costuras, que parecem ler sido do chi-
clo ou bechigas; levou vestido de chita azul,
com flores amarellas, saia de lila preta pan
no da Costa quasi novo um caixo de folha do
tampo novo e mais oulro dito em cimi com
fazendas e iniudezas; foi vista nos Coei.'ms,
Afogados, e Giqui ; quem a pegar, leve a sv'U
senbor Jos Saporite na ra Nova n. 65, pri-
meiro andar, que ser generosamente recom-
pensado. (14
2Fugio no dia 1 i do corrente o pardo Joo,.
de 19 annos, alto, cara larga orelhas gran-
des cabellos meios pegados ps grandes e
um tanto grossos, tem as pernas marcas de
feridas he official de carpina ; levou chapeo
branco de castor sem pello, calcas de brim par-
do ; quem o pegar, leve a ra estrella do Ro-
zario n. 4, que ser gratificado. (8
2Em o dia segunda feira do Espirito San-
to dcstb anno fugio a preta Catharina de
Angola ladina, alta, bastante secca do corpo,
seio pequeo cor muito preta bem feita de
rosto, olhos grandes e vermelhos com todos
os dentes da (rente ps grandes e medidos pa-
ra dentro muito conversadera e risonha ter
22 annos costurna a lavar ruupa de ganho ,
urna por?ao de paos I tem sido por vezes encontrada com trouxas do
roupa para as partes do Campo-grande o Bebi-
ribe ; pertence a dita escrava a Manoel Fran-
cisco da Silva morador na ra estreita do Ro-
zario n. 10, por cima da botica do Paranhos. (13
3 Roga-se a todas autoridades policiaes ,
capites de campo e de embarcacoes e pessoa
particulares a approhencao de urn moleque ,
que se julga ter sido furtado por nunca ter
fgido e nao haver motivos do ausentar-se ;
pois tendo ido a um mandado na tarde do dia
27 do Julho p. p. ao Mondejo nao voltou mais
oqualtemos signaes seguintes : crioulo, de
nomo Joaquim mas conliecido pelo nome do
Capuc por causa do nuuca usar do primei-
ro de 8 para '.) anuos, baixo bastante ro-
busto fulo, bem parecido com as duas pre-
sas de menos na parto superior, por estar ern
principios de muda quando ri-se aprsenla
urna cova na face direita lio muito esperto o
regrista levou calcas e camisa do estopa, e bo-
no de panno azul ; quem o pegar, leve a ra da
Aurora n. 24 casa de Augusto Corbett, que
gratificar coni'o^ rs-. enfierece a mesma
gratiticacoe guarda-so segredo a pessoa que
o tenha em seu poder 6 for entregar ; assim
como a quem denunciar o lugar em que elle
se acha : sendo descoberto em qualquer casa so
proceder com todo o rigor da lei. (24
Apollo, armasem
de Oliveira.
n. 18, de Manoel Ignacio
ai
Si
ERRATAS.
Na lista das esmolas dadas para as obras da
matriz da Roa-vista ern lugar do l)r. Mavig-
nier darO^rs. le.ia-sa 5$ rs. ; o na som/na .
em lugar de 6:01 f # rs.", loia-se 6:011,730 rs.
X
IUcif N\ TlP. DI M F. DS.FAKIA.1844.


MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05186


This item is only available as the following downloads:


Full Text
r
Atino de 1844.
Sabbado 51
o prego da asignatura
O Diario publica-te lodosogdinaqucn.il) forem santificado
te ii ireai mi! rs. por quine! peRot adanttdot. Os nnunciosdo* aasipnsntes sao inserid...
gratit, < O rio que nao forem raijo de 8 res por linha. As reclamacoes derem eer diri-
girlas a esla i'yp., ra das Crores n. 4 ou a praga la Independencia loja da lirroan. 8*8
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goi\HNA, furahyha, segundase sextas feiras.Hio Grande do Norte, chega a 8e2 par
le ii4e'24.Cabo, Serinbaein. RioFormoao, Macej, PortoCalro, a Ala^oaa: no i. z
M a Udedadamea. Garanhuns e Bonito alUc .'lile cada mea Boa-Tiata e Flor
es r. fS 28 dito. Cida.le da Victoria, quintas feiras. Olinda lodos oa diaa.
das da semana.
6 Se? a, Zefrrino. Aud. do J. de D. da 2. t.
27 Tero- s. Eulalia. Re. aud. doJ. d D.da 3. t.
28 Quarta J Agoaliaho. Aud. do J. de D. da 3. t.
2 .'JO S*rfg. Candencia. Aud do J de I) da 2. t.
31 Sai) s Haymund.i N.intto. fiel. aud. do'J. da D. da i. T.
| Da ,\ S da l'cnba.
de Agosto
Anuo JtX. i. 194.
pajajaagaa lili II i !'> ro
ludo agora depende da nos mismos; da nossa andancia, r-oderagjo
:;..- io'is como prnoipUjjloa a termal epoatedoa eoai admiras lo OBI
cultas.
(ProolaaagSa da AaeeaaMea Oral <>o
a nerj;
B as wyi
Braril.)
Cambioa aobie Lomdrea 88,
l'aris S.S reis por franro
ji Lisboa 17 por 100 de premio
*oeda da cobre ao par.
Idaoi da lalrat Ja buat fira.aa i !|i U()
ciaBioi ao di* >'J dr aeotTOa
Our-M i N.
> a ci i,t)l)B
Prata--r,ataooet
1 esos crluinrunarcs
Dilot atexicanot
coaopra
17,100
Jfi.700
9.400
I ,60
l,t8
I ,i!60
a Con-
n mail
r-nda
17. 0
.900
600
| 3 000
.
'T~ir"i'i niiaiiiiaaiinT

PILASES DA LA NO MEZDE IGOSTO.
Luacr-aiaa'iaoa 12 min da manlija. a I.uanoa a i7 as 10 li. e lj rain, da larde
Mineante a (> as i horas e min ,:a wanli. | Crescenle a 2fl as 1] h a ,(1 u. da arde.
Preamar de hoje.
raatira 6 boraa e C min. d nanhia I Stfuada la 6 norata 30 minutos da t.
* aunan
IARIO
rfiC^-ij.-.
,f^Mati.-..,w'.;,^. .
:vj


5.3
U1AL.
ftovfrno da Provincia.
EXPEDIENTE UO DIA 27 DO COMIENTE.
ITcioAo Juizde Paz da freguezia do San-
to Anto. Representando me o Delegado des
se teruio em officio de 2o do corfente, que a lis-
ta dos votantes para Juiz de Par. e Vereadores,
que Vine, mandara affixar na porta da Matriz,
f6ra arrancada, e convindo providenciar res-
peito, a iin de que os cidadaos, que eslivercm
no caso de votar, tenhfio sciencia d'islo; ordeno
Vmc., que mande alTixar quanto antes outra
lista; fcando na intelligencia de que pelo refo
rido Delegado ser posta urna patrullia porra'
da Matriz para evitar, que algum desordeiro
torne a arrancar a lista Ofliciou-se respeito
ao Delegado do termo da Victoria.
PortaraDeterminando o artigo 5 da lei do
Io doOutubro de 1828 e o artigo 19 das ins-
truccoesdolo de Dezembro do mesmo anno,
que a lista geral de todas as pesuas da parochia,
que teem direito de votar, seja publicada e alu-
jada as portas da Igreja Matriz, sendo a des-
peza da imprcsso paga pela Cmara Municipal
Testa ciliado, ordena o Presidente da provincia
ao .Sr. Juiz de Paz do 1 districto da freguezia
de Santo Antonio, quo pela parte, que Ibe to-
ca cumpra esta disposices da lei, dando pelas
folhas publicas, toda a notoridade aos nomes
das pessoas referidas, fim de que possao os
aggravados, por inclusao ou cxclusao indeviiia,
apresentar a sua queixa, como Ibes permitte o
artigo G da citada le.Iguaes forao dirigidas
aos Juizes de Paz dos primeiros districtos de S.
Fr. Pedro Goncalves e Boa vista; ao da fregue-
zia doS. Joseaosdas de Olinda.
mental em consequencia do scu mao estado de
sade, e falta de mcios de subsistencia.
DitoAo Inspector da Thesouraria da pro-
vincia do Para, aecusando a recepcao do seu
officio de 24 de Jullio (indo, em que participou
tersido assassinado emo dia 28de Maio ultimo,
o Capitao de segunda classe do Estado-maior
do exercito, em servico naquelia provincia, Ray-
mundo Verissimo Nina, que deixara nesta o seu
sold.
DitoA o Director do Arsenal de Guerra .par-
ticipando acharem-so recolhidos a fortalesa do
Brum os barris de plvora constantes da rela-
cao, que acotnpanbata, remedidos ltimamen-
te pelo Arsenal da Corte na sumaca Perola, e
que bavendo nesta data recommendado ao los
pectorda Alfandega, que os fizesse dospacbar,
e por a sua disposico, cumpria prevenil-o de
que os 120 barrris de plvora ingleza, coforme
as ordens do Governo Imperial, deviao ser ven-
didos, dando-se conta separada da que se ven-
desse da fabrica nacional; e que constando pelo
recibo do Commandanteda dita fortaleza, que
om dos baris ebegou arrombado, e com grande
falta, omquanto o respectivo mestre nao indem-
dot Debates bem dizque nao : mas a expedic-
nizasseao"Arsenal do "prejuiso, nao seria pago cao de Toulon prepara se com toda a forca; o
rversas Rendas do municipio de Olinda, tipio na
intelligencia, doqueem cumprimenlo da or-
dem do Tribunal doThesouro Publico Nacio-
nal o01H de 16 de Julho prximo pass.iil i, l
so pode abonar ao Sr. Colluctor, pelo recebi-
mento e entrega das sommas provenientes de
bens vagos, c dedefuntoso ausentes a commis-
sao de nm por cento de quo trata o artigo 2G de
regulainento do 9 de Maio de 1812, emquanto
servirotn de Fiscaos na promncao das arracada-
coes de que trata o mesmo regulamento.
Iguaes portaras foro dirigidas aos Collectores
do Cabo, Sennhaem, Rio-Formoso, Brejo,
Cimbres, Garanhuns, Flores, Boa-Vista, Limo
eiro, Piod'Alho, Iguarass, Ilamarac, Boni-
to, Goianna, Santo Antao e Nazareth.
WB i.".!-fHa.tJUMBBBI
EXTERIOH.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE OERNAMBUC0.
I'ariz 2\ deJunho.
Nao sei que novas Ibes deva dar da guerra de
Marrocos, nem mesmo se ella exislo. 0 Jornal
Thesouraria da Fazcnda.
Continuaso do expediente do dia 9 do cor-
rente.
OfficioAo Extn. Sr. Presidonte da pro-
vincia, informando o requerimento de Do-
mingos Antonio Gomes Guimaries, em que pe-
dio por aforamentoum terreno dt> Marinha, em
seguimenlo da ra da Cadeia do bairro de San-
to Antonio, para o Norte.
DitoAo Dr. Juiz dos Foitos da Fazenda,
participando acbar-se extrahida a conta da pro-
centagem, que competa ao Juizo a seu cargo,
pelas quaniias recomidas Thesouraria ai o
im de Julho ultimo, e tratando da entrega da
mesma porcentagem.
PortaraMandando abonar ao Thesoureiro
da Fazenda, no livro caixa do exercici de 1843
-44, a quantia de eem cotilos do res em notas,
que recebeo o Commandantc do paquete de va
por Imperatriz, para entregar no Thesouro
Publico, em cumprimento da ordem ng 137 de
Julho lindo, por conta do saldo disponivel exs-
. tente na caixa do referido exercico.
Ditadem, no livro C3xa da substituido
das notas, n quantia de trila coritos do res,
quo em notas do 5, lO e 20j rs., com o ca-
rimbo de inutilisadas, recebeo o dito Comman-
dante, para entregar no dito Thesouro.
DEM DO DIA 12.
OfficioAo Exm. Presidente da provincia,
participando ter dado as providencias relativa-
mente a plvora vinda ltimamente da Corte,
pela sumaca Perola,e,logo quo aponrreosse oc-
casio opporluna remetteria a provincia do Rio
Grande do Norte, a quo para alli deva ser en-
viada.
DitoAo mesmo Exm Sr., aecusando a re-
cepcao do seu officio do 8 do correntc, que a-
companhou o ore-amento na importancia de
12:510(>6o0 rs., da dospeza queso dovia fazer
no correntc anno fmai.ceiro com os vuncimen-
tos dos Instructores e Cornetas da Guarda Na-
cional.
DiL'Ao mesmo Exm. Sr., informando o
requerimento de Ignacio Pire da Silva, Alfe-
res do extincto regiment de Lanceiros do Uru-
guay da segunda linha do exercito, em que pe-
dio ser aduiittido e Uatado no Hospital Kegi-J
da importancia total do frete.
DitoAo Inspector da Alfandega, com o co-
nhecimento da plvora de que trata o prece-
dente officio; o dizendo, que a plvora destina-
da para esta provincia devia ser posta dispo-
sico do Director do Arsenal de Guerra, e a
mois conservada em deposito at haver occasiiio
de ser remetala a provincia do Rio Grande do
Norto, a quepertencia.
DitoAo Administrador da Mesa do Con-
sulado, participando, que achando-se na forta-
lesa do Brum 30 barris do plvora vindos lti-
mamente do Rio de Janeiro, com destino para
a provincia do Rio Grande do Norte, houvesse
de fazer aviso quando apparecesse embrcatelo
para a mesma provincia, em circumstancia de
poder fazer o transporte.
DitoAo Administrador doCorroioInclu-
sa achara por copia, a ordem do Tribunal do
Thesouro Publico Nacional n 150 de 18 de
Julho ultimo, dando providencias para corrigir
o abuso, que commeltem os Agentes do Cor-
reio, de nao entregaren) aos respectivos Admi-
nistradores as provincias todos os trimestres,
o producto dos portes de cartas por elles arre-
cadados, a fim de Ihe dar execucao pela parte
que ihe toca, pedindo quaiquer providencia,
que for necessaria, e dando parte do resultado.
DitoAo Contador da Thesouraria, para
mandar creditar o Ministerio da Guerra, con-
forme a conta que acompanhava, pela quantia
do 279907 rs., que se dospendeo pelo Arsenal
de Guerra noexercicio de 1843-44, com a luz
e agoa dos corpos de guarda do palacio do Go-
verno, Thesouraria e outras repartieses.
DitoAo Administrador da Recebedoria de
RendasEm vista do seu officio do 27 de Ju-
lho prximo findo, em que pede esclarecimen-
tos sobre a taxa do sello, que devem pagar os
contratos de permuta de bens de raiz, visto nao
se pagar da siza senao da differenca dos valores
permuttados, tcnbo a dizer-lhe, de conformi-
dade com o voto do Procurador-Fiscal, que de
taes contratos devo haver-se sempre o importe
do sello, segundo os valores de bens permuta-
dos, e nao da differenca que seda em moeda,
por nao ter applicaco para o caso, o que se
acba disposto a respeito da siza, e quando nao
se doren) csses valores,deveroser avaliados pe-
la Recebedoria em presenca da parte.
PortaraAo Thesoureiro da Fazenda, para
entregar anda Thesouraria das Rendas Provin-
ciaes, como determinou o Exm. Presidente da
provincia em officio por copia,queacompanhava,
a quantia de cincoenta e uin cintos Je ris, do
supprimento quo os cofres geraes deviao fazer
aos provinciaes no exercicio correute de 1844
45, conforme ordem do Tribunal do Thesou-
ro Publico Nacio&al n131 de 18 de Julho pr-
ximo findo.
DitaAoCollectr de Diversas Rendas do
municipio de (lindaOSr. Collector de Di-
Principe de Joinvile, que deve commandal-a
j parti, ej deve ter chegado ao seu destino;
as hostilidades por parle dos IMarroquinos j
comccro Se tudo isto nao he guerra, ao mo
nos tem cara disso. 0 argumento da folha se-
ini-f llici.il he que nao pode haver guerra sem
declararan, que a preceda; o como tal declara-
do nao tove lugar, nem da parto do Marrocos,
nem da da Franca, est claro quo nao ha guer-
ra. Escuso do ir mais longo para fazer cotnprc-
hender que ha mysterio na cousa. Jornal dos
Debutes tem seus motivos para dizer o quo diz;
e como eu os nao tenho nem posso tol-os, hei-
de dizer o que he.
O Imperador de Marrocos, fazendo a guerra
Franca com declaracao ou sem ella, fez um
dos maiores despropsitos que Ihe podiao lem-
brar. Que a luctahaja de custar Franca gran-
des sacrificios de gente e de dinheiro, fcilmen-
te so pode comprehender; mas que o resultado
provavel della para o Imperador africano deve
ser a porda de parte do seu territorio para a
Franca, que por este modo, estender as suas
possesses em frica at ir entestar com as co-
lumnas d'hercules defronto de Gibraltar, e por
consequencia em frentudos Inglozcs, he cousa
que lavnbeffi se pode propheiisar. A Inglaterra
comprehendeo este perigo e assustou-so. To
poderoso visinho, como a Franca, nao Ihe faz
conta.
Disse-se ao principio quo a resoluyao to-
mada pelo soberano mourisco, havia nascido
em parte de instigaciies do Cnsul inglez em
Tnger; masas explicacoes pedidas a este res-
peito no parlamento por Lord Clarendon e da-
das pelo Conde de Aberdeen, fizerao ver que es-
ta supposicaoera inteiramente destituida defun-
deimnto. Pelo contrario as instruccocs que li-
nha o dito Cnsul, ero para fazer tudo com o
Imperador de Marrocos, a fim de evitar um
roinpimento que podia ser-lho fatal. Em con-
sequencia disto, a noticia du rompimento das
hostilidades nao somonte causou em Inglaterra
desagradavcl surpresa, senao ainda receio. O
Governo vio com inquietado que a guerra de
Marrocos podia proporcionar a Franca occasio
de desenvolver e augmentar a sua forca marti-
ma, que he o nico modo porque pode vira ser
temivel propria Inglaterra; e tanto mais just-
cada era esta inquietaran, quanto o commando
da expedico destinada contra Marrocos, era
confiada a um Principo que tem o patriotismo
na ponta do nariz,que sala o quea marinha vale
para lazer da Franca a 1* potencia da Europa,
que em quaiquer voltademao, vido de gloria
como he, pode apoderar-se de Tnger, e que,
depois de la estar, pode dizer como Frederico
II, quando se apoderou do Silesia:Dos tna
deo, o dxabo no ma ha de levar.
Emquanto todos estes cuidados a^ilavao o
Governo d'lngjaterra, preparava-se o Principe
de Joinvile para partir, segundo as ordens que
(tilia. J linha o p no estribo quando
Ibe ebegou contra-ordem. Grande sensarao
as Cmaras, grande a^itacao na tWpa, gran-
des espantos por toda a parto. Quesera ? Quo
ser?
Cada um pode suppr que nem Guizot, nem
Lord Cowley me li/erao a tninimn communica-
?ao sobro o que se passou; mas eu que sou vi-
sinho de ambos ellos, porque posso ir a cassa
do primeiro emdez minutos, o a casa do segun-
do em cinco, bem via que setratava entre os
dous o quer quo fosso de importancia. Os cor-
reios entre a embaixtda inglesa o a Secretaria
dos Negocios Estrangeiros andrao n'uma roda
viva; o pelas folhas sabia-se quo ao mesmo lem-
po os bracos do lelegrapbo de Calais Irabalha-
vao sem descancar. Para excitar a curiosidado
de pessoa to abolhuda, e lo desoecupada como
eu sou, nao era preciso mais. Sabi, li, ouvi,
pcrgunlei, indaguis e o resultado do todas es-
tas sabidas, loituras, indagares e perguntus.
oil-o aqu.
Inglaterra bavia pedido explicacoes sobre a
expedico de Toulon, e em linguagem que ti-
nha multo mais de spero, que de macio; a fim
de nao por em perico a cordial intelligencia,
era preciso satislazer os escrpulos do Governo
inglez,antes do dcixar partir o Principe de Join-
vile. Guizot respondeo qne o Governo fran-
cez, enviando urna expedico a Tnger, nao
obrava senao em justa defesa, o para repellir
urna provocaco injusta da parte do Imperador
de Marrocos: quea Franca nao linha o menor
desejo de entrar em guerra com este principe,
c que so contentara logo que ello Ihe desse sa-
tisfacao correspondente ollensa que Ihe ti/era;
queso, por terminar as cousas por meios pa-
cficos, a Inglaterra offerecesse a sua mediacao.
o Governo Francez nao poria difficuldade em
acceital a : finalmente quo se apesardasin-
tencoes pacificas da Franca, a guerra entro as
duas potencias nao podesse sur evitada, o Go-
verno doclarava desde j, que nao pretendia
accrescentar urna 10 pollegada de territorio ao
que j possuia otn frica. Dada por este modo
completa satisfarn ao gabinete de Londres ,
tiraran removidos lodos os obstculos que se
oppunhao partida do Principe de Joinvile.
Elle l sai com a santa benco de Dos, e se-
gundo pelo seu Globe, acaba de dizer Gui-
zot, nao sei se aoslnglezes se aos Franco.-es,
escusa ninguem de estar a fazer juizos temera-
rios sobre os resultados da expedico, porque o
Commandante della em quanto Official de
Marinha ha de obedecer aos seus chefes, em
quanto Principe, ha do obedecer a seu pai, em
quanto cidadao Francez ha de obdecer as leis
do seu paiz. Tal ho o estado actual das
cousas, at onde a curiosidado de quom esl
de tora pode penetrar a forca de combinaeoes o
conjecturas, mysterios de gabinete: o resto il-
o ha manifestando o lempo quede todos os se-
gredos humanos lio o mais seguro revelador.
As Cmaras nao se lom oceupado todos estos
das senao de objcctos'dc interesse exclusiva-
mente local. O Governo appresenlou si dos
Deputados o projcclo sobre a instruccao secun-
daria j discutido pela dos Pares e dos'Pa-
res o projecto da reforma das prises j discuti-
dos pela dos Deputados ; mas a sessao deste
anno est ja tro adiantada que nao he possivel
que nenhuma das duas leis possa passar antes
do anno que vem. Isto nao obstante, a Cma-
ra dos Deputados ja nomeou a commisso que
ha do dar o sou parecer sobre a primeiro das
duas queslocs ; e segundo a assiduidade que
mostro es memhros della suppe-se que o
dito parecer ser appresentado antes do fim da
sesso. Espera-so que na Cmara electiva ti-
vesse o partido catholico, proporcionalmente ,
muilo maior numero de defensores que na vi-
talicia; pori'in so a maioria da dita Cmara
pensar com a maioria da commisso de certo
nao ser assim. Thiers, quo be um dos mem-
bros della, levuntou-so como defensor resoluto
do monopolio da IJnivorsidade, apesar de tudo
quanto nello hn de escHidaloso e de absurdo. A
causa digua docampeao.ocampeo hedignoda
\
a
_ a_


wmiiiw ii i msggmmmmmmm^migmaiim'WJ'**
S
causa. As corporacdes universitarias,e especial- que a sua conducta deve de passar por investi-
mentoas facilidades de lettras e do sciencias, gaeo logal. Juiz Parsons fallou-lhe na
'os os cullegios de Pariz e o de Verstiles concluso dos seus trabalhos, e disse, que o
ndrio deputacdes ao seu Ilustre mantene- Tribunal tinha lido a dennncia com grande sa-
ludos
na
dor para o felicitaren! pela
que tomira c para I ha agradecerem.
Falla-se muito da prxima puhlcaco de
certo numero de cartas de Lui/. Philippe a La-
fitte, cujo originaos foro encontrados ntreos
papis do defunto. 0 Nacional aflirma que es-
tas cartas estao depositadas em mo segura e
que so se espera-, pam publical-as, que termi-
ne a dc-m inda actualmente pendente entre a
viuva Lalitteo o Principe de \io-U*a seu gen-
ro, quo, na qualdade de herdeiro universal do
defunto, exige as memorias manuscriptas que
elle dexou, e de quo a viuva recusa fa/cr en-
trega. Segundo a mesina folha a publica-
cao das ditas cartas ba de por patentes todos os
mysterios da revoluto de Julho de urna ma-
neira que far.i pouca honra ao carcter de Luiz
Philippe; mas he preciso nunca perder de vista
o que o Vacunal bo de todas as lotbas de-
mocrticas, aquella que'deve ser lida com inais
descoiilian., sobreludo quando se trata de hos-
tilisar a dynastis reinante e muito especial-
mente a peMOh de luiz l'hilippe em particu-
lar. Morreo com perto de 73 annos de idade
Geoflroy, St. Ililaire.um dos primeiros natura-
listas da Franca e da Europa Todos os dius vai
desapparecendo da scena do mundo algum dos
grandes bomens que produzio o soculo passa
do; em se apagando o pequeo numi-io de
luzes que anda resta, arrisca-sc a Franca a fi
car quasi de todo as escuras por este lado. Os
Cuviers, osButTons. os Jusseus. os Gay-Lus
saos, os dragos, lulos vierto na era de setecen-
tos ; a era de oitocentos ainda nao produzio
cousa (|ue Ibes pdeme ser comparada
Ha bomens que,quando nasccm.pareceja vi-
remfadadospara certo deslino inevitavel,que por
totQ* h.-o de cumprir apesar de todos os obsta-
culos que e Ibes oppoem Assim aceonteceo a
St. Hiiaire, e assim tinha tambem accontecido
a Agassir que ainda vive, e ao famoso Linneo
queja la vai. Este ultimo havia sido destina-
do por seu pai para o officio d'cncadernador
de livros; Agassir estava condomnado a ser
moleiro ; St. Hilairo foi educado para clrigo ,
e at ciicgnu a possuir urna ronezia : porm o
generoso mancebo tinha tao pouca propenso
para novenas e devordes, que a cada momento
desapparecia do coro, onde devia cantar salmos
e entoar antipbonas, para ir, na aula particular
de Bnsson. ouur as suas urdes de phisioa.
Lirn da arrojou con. indignacao a murga e o
breviario, e comecou a applicar-se ao estudo
das .ciencias naturaes com tal assidnidade e
ao mesmo le.o;,o con. tinta fortuna, que quan-
do liuba 21 annos de idade, ja era substituto
de Lacepde.
galharda resoluoo tisfacao e a approvava inteiramente.
grar
(Times)
New-York, 17 de Junho.
A Casa dos Representantes tinha approvado
urna resolueo autorisando o Administrador
Geral dos Crrelos entrar em arranjos com o
Governo Ingle/ i (ni do facilitar aexpedicn
das malas Inglezas de Boston para Montreal,
ic. O Senado tinha rejeitado all clausula do
bil da Appropnacao Naval, aholmdo oscas-
tigos corpreos.
As noticias recehidas em Londres pelo ulti-
mo vapor annunciavao a rejeicao feita pelo Se-
nado do bil, que providenciava sobro e!ei-
cao do Presidente e Vico-Presidente simult-
neamente por toda a TJniao. Sabia-se que na
discussao da medida, a maior parte dos Sena-
dores, que votrio pela swa depozicSo na me-
ta, declarro-seem favor do principio do bil;
mas, como fra preciso que quasi todos os lista
dosconvocassem as suas AssemblasLegislativas,
especialmente para alterrem as suas lea eleito-
raes, alim do levarem a efleito a eleico, c re
formar-se a ConstituicSo em alguns Esta-
dos, onde esta filado por ella o praso, em que
so devem effectuar es cleicdes, julgoa-se con-
veniente dexar sobre a mesa o bil at dopoisda
xima elecio. Portento, se ella passasse na
sessio futura do Co.-'gresso haveria lempo de
sobejo para os Estados eflectuarem as aitor.cdes
necess ras antes da eleico de 1848.
O Presidente tinha nomeado J. S Groen
para Secretario da Marinba, mas o Senado nao
o tinha approvado.
O Grande Jurv acabou os seus trabalhos rc-
um por um os servicos" prestados ao munici-
pio pela actual vereaco, mas cumpre que pre-
sentemos em um quadro rezumido no qual ca-
pitularemos as mais salientes.
O concert dos predios do patrimonio c
principalmente d'aquelles que sao susceptiveis
de rendas avultadas como as ribeiras de San-
to Antonio e Boa-vista que estavo arruina-
das foi o primeir.) cuidado, e o primeiro ser-
vico com que a actual vereaco estreou o seu
quatrienio nao menor servido e bem arduo foi
oderecomporo pessoal da administracao, com
o qual esses distinetos cidados provaro um
carcter assignalado em a nossa poca porque
bem poucos sao aquellos que boje resisten ao
patronato e aos empenhos que es cerco. As
rendas municipaes nos passados quatrienios erao
improductivas no interesse do municipio ser-
vio apenas para o pagamento dos Einpregados,
e as sobras jasiao no cofre sem interesse: os ac-
tuaos vereadores penetrados da ulilidade do mu-
nicipio preenchendo urna de suas funcedes mais
importantes tratarlo da applicaco dessas rendas
c ahi csto muitas obras municipaes para attes-
tar o sou deslino, entre ellas cumpre enumerar
aponte do soccorro sobre o rio Jaboato as
pontos da ra da Aurora, osTrapixes de des-
pejos pblicos, o importante empedramento
do Alterro da Boa-vista o concert do calca -
menlo do bairro do Uecifo foitura do da
ra Nova a compra de predios para aber-
tura do ras e aformoseamento dacidade: a
instituicao da companhia de ribeirinhos que se
orcupa diaria e continuadamente na limpeza
das ras da cidade e esgotamento das agoas
eslagnadas por nieio de vallas essa institui-
cao da qual j tem resultado consideraveis be-
neficios saude publica, como tem confesado a
sociedade de Medicina.
Prescindimos de outros e de tantos servicos
como do levantamento de plantas topographicas
dacidade, e dcseusarrebaldes, eaquisicode
terrenos de marinba para logradouros pbli-
cos para tratarmos principalmente do servico
o mais importante e pelo qual os vereadores
acttaes tem direilo ao nosso reconhecimento e
publica gratido: esse servico foi a fscalisacao
das rendas e despezas municipaes; at ento
ludo se reduzia a urna conta apresentada pelo
procurador englobada, destituida de documen-
tos na qu.il em militas artigos se dizia rendeo
! tanto no me?, de Nao havia livro de conlabi-
NOTICIAS DIVERSAS.
Surgem do todas as parles nnmerosas desor-
dens no reino da Grecia. General Grivas re-
vollou-seabertament:; frente de 70 hornees
bateo o seu collega Stratos, que tinhSo manda-
do contra elle. Alm disto, expedioso ordem
de prisSo contra varios generaos.
Os Ministros da Franca e do Inglaterra de-
rao ao gabinete Grego seguros de que o apoia-
nao contra os tramas dos revolucionarios. Urna
folha de Francfort diz mais': aTirma que a
Franca e a Inglaterra esto a abrir novos crdi-
tos Grecia para livral-a dos seus apuros finan-
ce i ros.
Fm dosespiritos mais eminentes da Al-
lemanha, o celebre Frederico Hartor. yutor da
\ ida de Innocencio Boma o protestantismo as maos da S. Emi-
nencia o CardealOstini.
A 22 de Junho soubo-se em Berlim, que
apezar das fortes tempestades que teem romado
desde o momento em que o Imperador da Rus-
sia embarcou, concluio S. M. I. a sua viagem,
felizmente. O Imperador desemharcou em Re-
val, e dahi dirigio-se por tena a S Petersbur-
go. Viajantes, que partir Ho deKronstadt a 16
de Junho, affirmrao, quo S. A I. a Gram-
Duqueza Alexandrina espoza do Principe Fre-
derico de Hesse, achava-se um pouco melhor.
Foi a 19 de Junho que S M. o Impera-
por da Russia desemharcou em S. Petershurgo
de volta da sua viagem a Londres, donde havia
partido a 10. OGram-Duque Constantino se-
guio a 2o para Arcbangel.
Lord Heytesbury, que acaba de ser no-
meado Vice Rei da Irlanda, era embaixador
em S. Petershurgo, quando rebentarao os a-
contecimenlos do Varsovia. O Morning-Chro-
nicle aflirma que testemunhou entao na Polonia
ardentes sympathias; que elle condemnou a
poltica do Gran Duque Constantino, e ofere-
ceo a sua oiTiciosa intervencao para reconciliar
o Imperador Nicolao com os Polacos.
Este jornal congratulando-se pela oscolha que
o Ministerio fez de Lord Heytesburv para o Go-
verno da Irlanda, faz assim o elogio fnebre | -""j
.. .y i lidaderegularmentoescrmturado.e bem poda se
dos seus tres concurrentes : I* elicitemo-nos de '
Ibe aprecia seus servicos e seus propriosini"1
uiigus um dia Ibes farao justica.
/Jcmonstractto dos rendimenlos da Cmara
Municipal.
1839 a 184014:457^720 administracao
passada.
1840 a 1841 17:4668722 administracao
actual.
1841 a 1842 I8:792S215 dita dita.
1842 a 1843 20 194*184 dita dita.
N. B. as imposicoos forao somento cobradas
no anno financeiro corrente de 1843a 1844,que
se ba de lindar no ultimo de Setembro e por is-
so nao vai incluido oeste quwdro.
.rffH-;Bg?KrT!r-T~. a. t.'.'ijl j"
.
Correspondencia.
que Lord Heytesbury tenha vencido: o Duque
de Buccleugh nao tinha a seu lavor senao a sua
collossal fortuna; Lord Warnclifle a sua sordi-
de resolugao 0 Secretario particular de Lord
Heytesbury devia de ser ou seu sobrinho M.
Beadon, que segu assuasopinies, ou, se este
o recusasse, M. Bater.
O Globtcoofessa, resumindo as ultimas
correspondencias do Canad, que urna crise re-
ligiosa anloga que reina na Irlanda, acaba
de juntar-so a todas as difficuldades contra as
que j o Governo de Sir Charles Melcalfe tem
tanto trabalho em mantera lucia.
(Pri.)
Cornin nicado.
OS ACTCARS VEBEADOKES DA CMaka
MUNICIPAL.
Se o espirito de partido pode explicar esse
enearnicamento de que so Riostra animado o
V. oco contra os actuaes vereadores da Cma-
ra Municipal os primeiros cuja administracao
lica assignalada por importantes melhoramentos
do municipio; os primeiros que atravez das dif-
liciildades inherentes a actual organisacao da
nossa instituicao municipal e mais amigos do
interesse do po\o que de seu favor preenebe-
rSo as funecoes municipaes que nos quatrie-
nios passados s erao sentidas, e davao mostras
de existencia na poca das eleicSes, e por amor
d ellas : se inquerimos as causas dessa animad-
versao tao pronuncida.somente deparamos com
ini| utacocs vagas como aquellas que o D. no-
vo s<>e empregar contra todas as reputardes:
alinde o I). novo as posturas municipaes. Pois
bem derrogai por urna ves tmente o vosso ha-
bito de calumniar,deixai vossasdeclamac,5es es-
teris
. e inJicai-nosquaes sao esses posturas
lativos as recentes desordens de Pbiladelphia pelas qoaes volaos exerracao publica esses no-
na manhia do .lia 15. Na sua denuncia di- ve cidados tao sinceramente dedicados ao bem
/em, que ello lomara conbecimento de mais ( o prosperidade do municipio : se nao citaes as
de 200 artigos de necusaeo, dos quaes aehou posturas se nao indcaos seus inconvenientes ,
materia em 161. Refere com alguma exton- jo gravamos, seas nao analizaes, ainda esta vez
sao as ultimas desordens, todas as quaes attri- seris tidos por calumniadores,
bue maneira frouxa, porque tem sido execu- Um interesse .rnente nos dirige no empenho
tadaa lei pelas autoridades constituidas da ci- de defender a actual Municipalidade este in-
dade e provincia, e mais especialmente as do leresse he una necessidade poltica e eininte-
ditriclo de Kensington, e aos rsforcos d*um mente generosa.esta necessidade naoheoulrase
partido para excluir a Biblia das oselas publi- nao a de acororoar ao cidadao que por cumprir
cas. Censura severamente as autoridades dos sou dever, fica sacrificado a guerra dos interesses
dislriclos turbulentos peda sua (alta dej-gergia oflendidos e ao odio dos partidos,
e promptido na occasialf. e he de opinio de Fra empreza difilcil e estirada a de relatar
quizesse o procurador abuzar e locuplelar-se
por que nao era mesmo possivel contestar a sua
conta: sao factos estes que desafiamos aos mes-
oos S'enhores Vereadores Souza Teixeira ,
e Ricardo do Reg, para nos conslestarem, pois
seu testemunho nada tem de suspeito para o
I), novo boje ba urna conladoria para fscali-
sacao da arrecadacao e despeza ,' ba livros para
sou lancamento e escripturac,ao regular. Nao
foi somento este o servico: organisou o um tal
ou qual archivo, onde se acha sem difliculdade,
ludo quauto tem de importante, e pela primeira
vez a municipalidade do Recife leve um in-
ventario de todos os seus bons ; sendo que por
falta desse inventario desapparecerSo, e nao se
sabe que destino tiverao alguns objectos, de va-
lor comprados pelas Cmaras transactas: ainda
mais regularisou-so a afericao dos pesos e me-
didas do municipio por meio do um systema
claro e conciso derogando u que exista do
anno de 1815: em fim contra os factos nao p-
dem prevalecer essas vagas imputacoes, a ve-
reaco actual deixa urna renda que no anno fu-
turo hade ebegar a 30contos e quando en-
trou apenas aehou a renda de 14 contis: a ve-
reaco actual por meio de fscalisacao, e pres-
cindido denovas imposiedeseletou a r.endade
20 contos, o quadro que offerecemos he a pro-
va das asserrdes quo levamos ditas. Nao he pois
0 espirito de partido ou a voz dessos que cito
resentidos por que urna ou outra postura ferio
seus interesses particulares que podem destruir
o concito hom merecido dos actuaes Verea-
dores.
A final nao podemos deixar de indicar urna
circumstancia que revela o espirito do partido
do I), novo: entre os Vereadores actuaes esl o
Senhor Antonio Ricardo do Reg, correligio-
nario da praiaeste Senliorlem ossendido expres-
samente e sempre as medidas contra as quaes so
conspire o D. novo e por que figura elle entre
os 9 candidatos da praia Como se luvou elle
elle da culpa ? Como ficou aliviado da respon-
sal ilidade que pea sobre os outros dos quaes
foi companbeiro fiel ? Dizei antes que os Ve-
readores actuaes vos nao servem poique nao
confiaes nelles para vossos clculos polticos ,
queris que a Cmara deixe de mo os interes-
ses do municipio, e o seu carcter administra-
tivo pera oteupar-se de negocios polticos, para
faer representaces, para deportaedes edesti-
tuirdes de autoridades. A maioria da Cmara
nao ambiciona a sua reeleicao assaz defadigas
o desgostos Ihe ba custado sua constante adbeso
causa publica ; a gente sensata do municipio
Sr$. /{eductores.Como livesse as honras
de urna resposla do Sr. Dr. Joaquim Nones
Machado sem que Ihe houvosse dirigido per-
gunta alguma ,- o viesse a resposta do mesmo
Sr. recheada dos insultos, e doestos que sabe
sempre com mo larga prodigalizar a todos os
que n3o tema lelicidadede sealistaremnas suas
bandeiras vou simplesmente ern attengoao
respeitavel publico fazer referida correspon-
dencia algumas obse vaciles exigidas pelo mcu
crdito e honra. Principio repellindo a qua-
liicaco do covarde quemo deo o Sr. Nunes
Machado, qualificaro que se nao casa por cer-
to com a minba presenta na matriz, onde
cumpr o meu dever, requerendo, com risco
de minba existencia, ludo quanlo suppunha a
bom da religiosa observancia da lei, luncio
em que fui interrompido pelo mesmo Sr. Nu-
nes Machado que fez com quo a Mes;: an-
nullasseas decizdos que j havia lomado a res-
peilo dos meus requrimentos acceitandoo
protesto que bavia feito de quo ossein elles
declarados na acta repillo essa qualilicaco
que nao cabe aquello que inerme e sem estar
rodeado de guarda-costas sustentava o seu posto
apezar de serembaracado por ve/es i'ela mul-
tido, que cobra as suas vozes, apeza/ mesmo
das insinuacoes malignas com que oSr. Nunes
Machado inculcava-me collaborador do Oua-
rarajiti, e meus requrimentos bellos epi* odios
para esta folha. Tambem repulo como p ule
da mais despejada aleivosia o disor o Sr. N
nes Machado quo eu aecusara os meus amigo
polticos de me quererem sacrificar por seme-
hante maneira ; rogo ao mesmo Sr. que nao
torca tao miseravelinente as minhas palavras ,
ellas nao se referiao senao a entrada de bo-
mens armados d'enlro do templo, e essa mi-
nha indignacao nao comprehendia nicamen-
te o misoravel Sobreira ; rnas sim tambem a
outra muita gente que se acbava no mesmo
caso, o que ser fcilmente condecido do mes-
mo Sr. Nunes Machado. Finalmente repillo
a qualilicaco de tibio,e falto de resoluefio, pois
nao neguei eu a minba assignatura, nem passo
outroalgumde minba vida, apenas expliqueios
motivos por que o havia feito,e esses inda subsis-
ten!, tanto quanlo as observaedes por mim apre-
sen taifas a cerca da exageraco da redaccao, e
incompetencia da Mesa para semelhanlefim,su-
bsislcm com a confisso que escapou-lhe de le"
sido o rodador dcsemelbanlc peca nao he a sua
simples allirmaliva ou negativa que me trar de-
ar. que sou contentedeconservara opiniode
moderado,deixando a dedoiidoparaqueinquizer
panbal-a.podendo explicar sem deshonra,e nao-
sendo obrigado a renegar os factos de minba vi-
da, quenotcmoflerecido, enmoa do Sr Nunes
Muciiado,tantas faces, quantai sao as varieda-
des do systema das (Ores.
Nao posso concluir estas breves observaedes
sfm f.iser sentir ao Sr. Nunes Macha.lo quo
nao foi o modo de caladura do Sr. Joo Pedro,
que nao he assassino.nem o dezejo de cortejar a
alguem que me levou a fazer declararn da
verdade Nao estou acosumado a incensar
aos dolos do dia como acontece ao Sr. Nunes
Machado que boje beija asplantas d'aquelles que
ja perseguo com furor rannibal. Ainda que co-
varde nao recuso qualquer satisfago do bro
e honra urna vez que nao tenha de ser decidida
a queslo pelo estilete de sceario: nao estou co-
mo elie afleito a adorar o sol quando nasce, e o
apedrejal-o quando se esconde.
Francisco Joo Carneiro da Cunha.


Alfandega.
Rendimento do dia 30......... 684^343
DescarreyaO hoje. 31.
BrigueVeriatobarricas vasias.
Brigue Primavera di\ersos gneros.
BarcaCasimiridem.
BriguePalmadem.
Galera- tmtlyidem.


mn> *-.
S
IMPORTADO.
Emily ,' galera ingleza vinda de Liverpool ,
entrada no corrento mez, a consignaco de Me.
Calmont & C. manifestou o seguinte.
90 barris progos 1 barrica erragens, 50
leixes ps de ferro, 200 ditos arcos dito, 7 cai-
xas fazendas d'algodao, l dita miudezas 1 di-
ta bonecros 1 jarro manteiga 1 embrulbo
{azendasde lia ; a G. Kenworlhy & C
10caixas,e 1 emlirulho fazendas d'algodao;
a I,alhain& C.
2 embrulhos ignora-se; ao Reverendo C.
Austin.
4 fardos (azendas d'algodao ; a Rozas Braga
.& C,
1U0 gigos louca 1 \ fardos faz.-ndas d'algo-
dao 1 caixa amo-Iras; a Fox Brethers.
42 fardose 22 caixas lazendas d'algodao ; a
2. Crabtree & C.
100 barris manteiga ; a J. Cochshott 10 caixas c 9 fardos lazenda d'algodao 5
caixas ditas de linho ; a Me. Calmont & C.
6 caixas e 5 fardos fazenda d'algodao; a Dea
ne Youle.
43 caixas lazenda d'algodao, 3 barricas forra-
geus 50 barris manteiga G caixas chapeos ;
a Johnslon Palor & C.
1 caixa fazendas d'algodao; a John Slcwarls.
50 barris manteiga ; a R. Brookins.
4 caixas chapeos de sol; aR Royle&C.
1 barril agurdente, 27 prezuntos, 12 quei-
jos 1 barrica graxa 1 embrulbo toucinho 1
barrica conservas 1 caixa phosphpros 2 res-
mas papel 2 pedagos decouro ; ao Capilao.
1 embrulbo livros 2 caixas fazendas de la,
6 ditas e l fardo ditas d'ulgodo 10 caixas li-
nhas 2 ditas chapeos de sol, 43 tai xas de fer-
ro 50 gigos louca ; a Ordem.
18 fardos e 1 caixa fazendas de algodao. 5 ditas
ditas de la, 2 ditos chales, 1 embrulho amos
trai; a Russell Mellors & C.
9 gigos louca, 2 fardos lazendas de linho ,
10 ditose 2 caixas fazendas de algodao; a Jo-
nes Patn & G.
10 lardos e 27 caixas fazendas do algodo ,
10 ditas linhas 1 (ardo fazendas de linho 1
caixa oleados; a B. Lasserre & C.
67 fardse 22 caixas fazendas de algodao,
12 fardos ditas de linho; a \V. K. Smitli.
4 fardos e 22 caixas (azendas de algodao, 25
barris chumbo de nuinicao 200 ditos plvora;
a Adamson Hower & C.
19 embrulhos amostras; a diversos.
Palma; brigue sanio; vindo de Genova, en-
trado no corrente me/., a consignado de Mon-
des & Oliveira manifestou o seguinte :
107 pipas e 50 caixas vinho 2 barris, 17
caixas. 1 pipa ignnra-se 23 saceos pimen-
ta, 150 ditos milho, 2i7 fardos eG caixas pa-
pel 07 (lilasdito de embrulbo. 9 saceos la-
rlos, 9 barricas alpista 5 saceos alazema ,
500 taimas de pinho 60i caixas massas, 5
barricas, 0 caixas e 3 fardos drogas, 600 pu-
dras de louza, 1 caixa livros, 1 barrica cola,
2 ditas cravo, 5 volumes espedios, 1 machina
e pertences; aos sconsignatarios.
llf .jmta^iw*'
A Canxarn Municipal da cidade dt Utmda e
seu termo em virtude da tei, $c.
cunslancias dixo a sua morada para sor
procurado na botica nova da ra do Arago ;
Faz saber quem convier, quo n. dia 7 de j adverte se que nosequer casa debarulbo nem
Setembro prximo uturoro se ha de proce- de milita gente. (7)
der na igreja matriz deste districlo da freguezia 3 Precisa se de urna ama de leite forra
de S. Pedro Martyr (assim como em tolos os ou cativa para criar urna crianca ou mesmo
mais) aseleicoes o seu respectivo Juil de Paz.em alguma cala particular no Atierro da Boa-
eSupplente, assim como dos 9 Veroadores i vista loja n 1G, >u annuncie para ser procu-
que bao de compor a Cmara Municipal ne se- rada (5)
guinte quatriennio ; segundo as ordens impe- 3 = Aluga-sepor festa ou porannoosi
riaes communicadas a esta Cmara Municipal to aonde morou o Senbor Cnsul Inglez na
pelo Exm. Sr. Presidente da provincia bao e Passagem-da-Magdalena, com muilo boa casa,
ser feitasas mesmas eleices na forma da lei do coxeira, estribara baixa comcapim, cacim-
l.*de Outubro.e instruegoesdo 1 de De/em-
bro de 1828, e decretos de 28 de Junho de
1830 e 5 de Setembro de 1832, e mais decla-
rayes este respeito. E para constar mandou \ do abaixo asignado um titulo de pagamento r
a dita Cmara affx
Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXZY63HGD_JSA5GX INGEST_TIME 2013-04-12T23:31:36Z PACKAGE AA00011611_05186
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES