Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05181


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1844, Segunda Feira 26
mu niwm iiiTimi i i r i ii iiiia wiiiiiM mu ni i i" i mu \mlm9 ------------rnifi
O l)UM0|>ukl01-ee lodos oa di. que nao forea. salticados : o urego di asignatura
he de tres mil re. por quartel r.n, Hatlladoi. 0 anauacM doe aaegnaaitl sao inaendoa
erns, M do I )Ue nao loma a ratfto de 8 rein por linha Ai reclamacoe, dee eer diri-
idas n te IfP-i ruedas Crur.ee n. .S4 ou a ..raga da Indeueadencia luja de lirroao. fi e 8.
PARTIDA DOS C011REI0S TERRESTRES.
CouKfte, I-arthjrba, egandiaa sexta, feira.Rio Grande do Norte, chega a 8 1ti e pa.
'// ,iV i *bo' Ser,nl,leiu- IlioForawso, Macer, Porto CaWo, t Alago, ao 1. =
H e J de cada mct Garaahun. e ftor.no a 40 e 34 de cada mez loa-Tsta flor
ee 13: '-'3 dito. Cidale da Victoria quintas feirae. Oliada todos oa da.
DAS DA SEMAJNA.
26 Se a. Zetenao. Aud. do J. de II. da '.'. t.
27 larca a Eulali.. Bel. and. doJ. de D.da 3. t.
'28 Quarta j Agoslinho. And. do J. de D. da 3; t.
29 Qaintt a Adolfo. Aud do J de D da 2. t.
Sexta-. Gaudencia. Aud doJ.de i) da 2. T.
31 Sab s Rajroiunil Nonato. Bel. aud'. do J. de I), da 4 t.
1 ok l\ S da Pcnba.
* ^ -. CT.-^.J------rwB
DIARIO
de Agosto
Anno XX. IV. 189-
"' "f -- '"-TTW"^"1^'*''"" "'"'*
Judo agora depende de coa me,rc.'i.i; da aaaaa |t.i It ca, odrrar; a' e .eiirrgia : ron-
linueraoa como pr.....ipiuaoi ,ereres apiratadoa aoai idrairajiu entre aeVMgflM mais
culta.. (ProclaeaanSa di AaeemMa Geral do iran.)
1' r.ninir a a. '2 ,,,.,,
aiiaTM llillllMW'ifi i 33.
ClXlIOf BO Dll >i UR AOSTO.
' Cambioa lobra Loodrte SS, I Oura-Moeda da (1,400 V.
a Paria .Slt rfis por franfo N
h a Lisboa <17 por 100 de premio I de 4,00''
IPraiafatacei
'oedade cubre ao par I PeeOecoluaumerea
dem de letras .'e boas firiaai 1 a ![4 0|() \ Dito*antioanoa
PHASKS DA LA NO IEZDE aGOSTO.
Luecheia'aoe 42min. daiaanbit. .Luanoraa 7 ai 10 b. a 4j alia da tarje
Mingeme a 0 al i horas e 5 min .la naiih. |Clmate a _'.! ., 11 |, gfl ra, fa tfc.
Preamar de hoje.
Aa raanlia
compra end
47,(00 17..10
4T..701) 'l>,9110
9,400 ,600
4.9(10 1.1*0
1 ,m> 90
1.960 fl
6
j Sfguiiiia-as 5 horas e .1] miouloi da larde
v. .-----..
0
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DO IlIA 20 110 CORRENTE.
OficioAo Coiniiinndante das Armas, re-
metiendo copia do aviso da Secretaria da Guer-
ra do 26 do Jullio ultimo, que manda rcconhe-
cer primeiros Cadetes os futios dos Majores gra-
duados de primeira linha.
DitosAo mesmo eao Inspector da Thesou-
raria da Fazenda, enviando copia do aviso da
Secretaria da Guerra do 3 d'este mez, que de-
clara destaca monto o strvico de marcha para fura
das capilaes das provincias, o da oulras provi-
dencias, que de urna vez removem as duvidas,
que se leern suscitado cerca dos vencimentos
dosOliciaes di quarta classe, empregados no
Bervico activo do exercito.
DitoAo Tenonte-Coronel Antonio Pedro
de S Brrelo, communicando tor-lho S. \l o
Imperador concedido a demissao, quo pedio, do
lugar de Commandante das Armas desta pro-
vincia; e nomcado para o dito lugar o Coronel
d'Estado-maior Henrique Marques de Oliveira
Lisboa.Tambem se communicou ao Inspec-
tor da Thesouraria da Fazenda.
DitoAoBacharel Joao Mauricio Cavalcanti
da Rocha Wanderley, intelligenciando-o da
sua remocao do lugar de Juiz de Direito da co-
marca da Palma para o de Juiz de Direito cri-
minal da do I.imoeiro; e ordenando-lhe, que
venha ou mundo prestar juramento para entrar
quanlo antes em exercicio, e assim cumrrir o
Imperial Aviso do 5 destc mez, que para isto o
dispensa da aprescntacao da respectiva carta.
Participou-so ao Bacharel Francisco Domingues
*la Silva a sua remogao da comarca do Bonito
para a do Porto Imperial na provincia de Goy-
az; ao Bacharel Anselmo Francisco Peretti a do
lugar do Juiz de Direito do Grue do Limoeiro
para a mesma vara d<' Santo Antao; ao Bacha-
rel Jos Telles de Menezesa d'esla ultima co-
marca para a vara criminal de Mace ; e ao Ba
charel Lourenco Francisco de Almeida Cata-
oho a de Juiz Municipal o d'orphaos dos ter-
mos do Brejo o Cimbres para igual lugar nos
termos de Campia Grande e Brejo, da Parahi-
ba: e coinmumcou-seao Presidente da Belaiao
e ao Inspector da Thesouraria da Fazenda, sci-
ntificando-os d'haver sido removido para a va-
ra municipal do Brejo e Cimbres o Bacharel
I do Pao do Albo.Gommunicou-se ao Enge-
nheiro em Chele e ao Inspector-fiscal das Obras
Publicas.
DitoAo mesmo, scientifcando-o deter ap
provado os ornamentos para as despe/as a facer
com urna carnada de barro, que cubra os dous
leos do cmpedramenlo das areiasdo Giquia;
e remetiendo as clausulas especiaos da arrema-
tado d'essa obra, para que por elle* se regule,
quando a levar praca. Participou so ao En-
genheiro em Chee e ao Inspector fiscal das U-
bras Publicas.
DitoAo Juiz de Direito do Crime do Rio-
Formoso, communicando ter concedido ii Joa-
quirn Jos de Oliveira Calasaos a demiuSo, quo
lavra faz que se entendiio ; entre diplomticos
consummados tambem ha cifra as conversas. Po-
rfo as bases d'uma convenci e aguardars
<|uo a Providencia excite os fados quo sirvan
para as clausulas preparadas: so he verdade quo
o homem poo o Dos dispe succede tambem
umitas ve/es quo o homem tanto faz que move
Dos a dispor. Pobre Turqua! o quem ha
de pagar os gastos da viagem !
Masque! deixara M, Guizot qu-S"1tussia
e Inglaterra tramen taos panoslas barbas da
Franga Becorde-se com qo altivez na sua
emuaixada, disse a Lord Palmcstron Milord,
sacrificis a grande poltica a pequea. Tai-
vez ouse repetir o mesmo a Lord Aherdeen e
jaeaanaaaajp
desta opiniSo e preprSo -ae para urna tenluiiva.
I), (arlos exborta-os a que se abestenbio de
qualquer mo vi ment Malve/ anda espera ob-
ter das negociacoesou (uslica de Jnglaierru ou
oulras disposit'Ges mais conformes a seusdesejos.
(P. dot l>. no P )
'?*il'gA*aaaaBa>aaawijiiia.|.- iiiijmBiia wraarraj
m
pedir, do lugar dEscrivao Privativo do Jury I depois cruzando os bracos deixar cumprir
d'aquella comarca e nomeado para o dito lugar i os decretos da Providencia. M. Gui/ot he da
a Antonio de Souza Brilo. escola d'aquelles diplomticos quo nao crio
DitoAo Juiz Relator da Junta do Juslica, jos fados, mas que os soflrem ecommentao: he
remetiendo o processo do reo Antonio Correia
de Lima, soldado da companhia Provisoria das
Alagas, a Ii m de que, depois de visto, o apr-
sente em sessao da mesma Junta.
Juslica, e nao do da da intimarlo ao reo.
PMBJSJBJBJPJBJ
EXTEMO
L-se no Courrier de 13 de Maio :
Faze
ceber......quem
nao ; o Imperador Nicolao.
A nobre e poderosa aristocracia bntannica r- i j
r. i it i t fjle/ occasiao de mostrar que deso
prepara-se para fazer as Sjonras da velha lngla- __..,____._,_,__ M ..j j?
Vicente Ferreira Gomes, o para a criminal do
Bonito o Bacharel Joaquim Gomes Bibeiro.
DitoDo Secretario da provincia ao Inspec-
tor da Thesouraria da Fazenda, transmittindo,
para serem devidamente execuladas, as ordens
do Tribunal do Thesouro sol os nmeros 57,
158,159, 160, 161, 162 e 164.
dem do oa 21.
CircularAo Ctiofe de Polica e aos dife-
rentes Delegados da provincia, intelligenciat.do
os d'haver S. .VI. o Imperador determinado, que
fique suspenso o recrutamento quinzo dias an-
tes das eleices primarias at o dia da votacao
dos collegios eleitoraes.
OfBcioA Cmara Municipal desta cidade,
autorisando-a pagar Manoel Ignacio Avila
412 37o, resto do prego da arrernatacao da ponto
da ruada Aurora, Estevo Cavalcanti 30 rs.,
valor de urna casa mei'agoa na ra da Sen/ala,
que elle se compromette a demolirparaaformo-
seamento da mesma ra; e para fazer os domis
pagamentos o despozas, que menciona em seu
odcio de 13 deste mez.
DitoAo Juiz do Pa* Supplento de Pedras
de Fogo, declarando em resposta ao seu oficio
de 14 do corrente, que so as paroebias, em
que nao houverem Hatriies, permiti o decreto
de 4 de Maio de 1S42, que a Assembla Paro-
cinal possa reunir-M em oulro edificio.
DitoAo Inspector da Thesouraria das Ren-
das Provinciai's. ordenando, quemando indem-
nisar a Gabriel Dial d quantia de3ajfrs.,
mai d'ese, Severina Maria, da de laj rs e
Francisco Caietda de ICO, rs., em que im-
portaoas cusas dos mesmos, que forao, ou de
vcni ser demolidas para a abertura da estrada
o Sopbsta da fatalidadc.
L-so no Courrier do 27 de Maio:
U Mtrning-Pott faz algumas revelacoes mui
curiosas a respeitodas intrigas, que se tramuo
D,to-Ao Commandante das Armas, envan-1 em Franca 0 | |at(,rra para inover 0 prtlen.
do copia do av.so da Secre aria da Guerra de 26 dt,ntc de Hespanha a entrar em negociacoes, e
do Julho ultimo, pelo qual bouve S. M o Im- consentir no cazamenlo do Principe das Astu-
perador por bem ordenar que o lempo decaa-'riag coni a Kainha ,sa|)eL EU Q\ |fl ,
ligo, determinado nu ordenanca de 5) de Abril ( referida folha
de 1805, seja contado do dia da confirmacao | No wn d Mafc0 ^ anno fo| a R g
da sentenca pelo Concclho Supremo Militar de. um nobro ,ng|ez quo delorminou D. Carlosc a
abdicar os seus direitos Corrta de Hespanha
jem favor do Principe das Asturias, seu filho
mais velho; porm oom condic3o que cazaria
_ Icom a Rainha Isabel II. D. Carlos mostrou as-
Isim o grando desejo quo tinba de dar lngla-
Fazem-se em Londres preparativos para re- *rr **" ^ 'establecer tr.nquillid.de
? o Bei dos Francezes?rnia" ciauor, communicou a Lord A bordeen a deca
ragao de I). Callos; olerecia-se ao gabinete in-
ava sincera-
: ineulc restabelocer tranquillidade em Hespa
torra ao autcrata Russiano com urna magnifi- '. f
,. ... 1mn i ". nba, quando nao por urna mtervencao em for-
cencia digna de a e do bo3pede Imperial An-, .
. i i j ',.r ma, ao menos por meios amigaveis todava
(agonista doc arado das revolucoes enrgico r ,
8 ..ii.- .i- ''!,rd Aberdeen, em vez de responder, passou
representante do despotismo monarchico so- '
l ir i ,,.,. em s.kncio dous mezes, o neste tetnpo entrou
tais bem vindo ; he precioso alnado para urna .. r .
1 ti i....Jf ..<>. em negociacOes para promover o cazamentoen-
nacao que sent tremer-lbe a trra sob os pos ,P '
i m,,,0 i; tre a Kainha Isabel c o Conde ae Trapani.
e que vive em notas ; acausaliecommum.ini-, '
migo da anarchia e ambicao da Franca he I Presumimos que foi M. Henry Bulwer,
por este motivo nao menos querido dos verda-'quern LordAberdeeo escolbeo para esta nego-
doiros Torys. O genio de Pitt e a sombra de circao; lio manifest que nisto quera Lord A-
Lord Castlereagh o laudaro cordialmente: se- berdeen dar nova prova de deferencia aos- dse
ja bem vindo. j"s da Franca, deferencia que data da visita ao
Todavia nao he a Rainha Victoria quem in- Castellodo Fu, ou ao menos que a visita aug-
cita este acto de cortezia de seu Augusto Irmao, mentOU. O Conde de Trapani he tambem pro-
antes desejos lera de fugir-lhe. Ajovenlia ximo prente da Rainha Christina, qual hn
nha dizern conserva grata recordaco de co- mais agradavel que o Duque de Cadix, com es-
mo fra recebida om Eu, or.de enconirou aga- pecialidado desde que nao tem a recoiar-se das
zalho corno de familia : e se he verdade o intrigas da mai; mas tal combinacao nao agra-
mis que se diz a influencia pessoal do Bei dou a Luiz Filippe. Preleriria antes ocazamen-
dosFrancezes fez impresso avoravel na inge- to de um dosseus filhos com a Rainha Izabel,
nuidadeReal. Talvez a Rainha luda mal com mas algumas das grandes potencias levantrao
urn love capricho decuriosidade ; o Imperador tantas objoccoes a esta sllianca que forgoso foi
Nicolao fiara Trtaro he bello; poroutrapar- abandolu-a. Agora Lui/Filippe v-se obriga
te p.issa por autor consummado da Mageslade do a contentar so que o Duque de Aumale ca-
Beal. Eva peccou por curiosidade; todos par- zc com a Infanta Luiza, irmaa da Rainha de
ticipamos della, com especialidade as rnuiheres. Hespanha. Di/.-se que a Kainha Christina con-
E ;>. R. Peel ? Esto deseja ardenlemente a senta neste matrimonio.com a condieo sinc
visita do Imperador. Ha longo lempo que o qua non de que a Franca apoiaria o matrimo-
Gabinete de S. James sofTre com mal contida nio do Conde de Trapani com a Rainha Isabel,
impaciencia as exigencias lyrannicas de Mr. Nisto terrninou a intrig;.. matrimonial.
Guizot; que so nao canea de por-lhe o p no Assim a Inglaterra reduzio a nad os direi
pescoco arrancar-lho concessoes sobre con- tos de D. Carlos, ou antes os do Principe em fa-
cessoes na Grecia na Hespanha no direito vor de quem abdicara. Lord Abirdecn tratou
de revista em T.ity. >e nao ora a intelli- com despreso urna proposta que poda restabe-
gencia cordial, ja S. R. se teria revoltado. Ora lecer o socego na Hespanha; nao comprehen-
a visita do Imperador da Russia forjar Bl.Gi.i- deo que. nao sendo o Principe das Asturias ca-
zot a nao fazer de Napoleo com a Inglaterra, j zado com sua prima, na primeira occasiao np-
Quando se receiar da intelligencia da Inglater- parecerio do novo as suas prctencoes o de seus
ra com a Russia ser menos de vidro eoMi- irmaos. e que, morrendo a Rainha Isabel, a
nisterio inglez contra de o obrigar entao a um successo do um membro da casa d'Orleans nao
systema de moderagao e abnegaeao mui diflo- t podo deixar do malquistar todas as potcncias*da
rento do d'agora. M. Guizot careca desta Ii-. Europa.
cjo. Eis as consequencias inevitaveis e talvez
Por ulimo esta visita ser preparativo para prximas da poltica de Lord Aberdeen e M.
decidir o futuro do horiente a quo a Russia e Guizot. As negociacoes de D. Carlos com as
Inglaterra proludem. Sem tratar em lingoa- autoridades de Madrid parece que nao podom
geni explcita da partilha do Oriento, me a pa- ter bom resultado. Os Carlistas do Norte sao
DIARIO lili PERNMUJ
Recebemos jornaestle Lisboa que aleam-ao
at 19 de Julho, e delles se v, que tinba re-
gressado a Lisboa da villa das Caldas, onde foi
lazer uso de agoas thermes o Ministro Costa
Cabral,sendo por esse fado exonerado das pasta*
do Beino e Juslica por decreto de 13 o Duque da
l'erceira que interinamente as oceupava: o pau
osa tranquillid.de, nao tendo acontecido nada
digno de fazer-se menguo a nao serem os roubos
la Igre|a Parochi.l do Marateca no concelho de
Palinella, tendo os ladros levado os vasos sa-
grados e alguns ornamentos, sem com ludo ha-
ver indicio de arrombamonto, e o da Igroja
l'arochial de Cambas no concelho de Mertola,
tendo os ladros levado os vasos sagrados e loda
a prata.
Ainda nao ha noticia da priso dos autores
de tao graves attentados.
As noticias commorciaes sao pouco avora~
veis. Assucar poucas vendas, procurando-so al-
guma cousa o braceo, claro o bom, havendo fal-
ta do seco Algodao empaladoBorracha nao
se procura, havendo falla da finaCacao nao se
procuraCaf continua a falta das boas quali-
dades as quaes achariao prompla vendaCera
das partidas chegadas da A frica, nao se tem von-
dido no paiz, tendo apenas,embarcado para o
Brasil algumaChifres os grandes faltaoe sao
procuradosCouros nao sao procuradosGom -
ma copal tinhao chegado 600 arrobas nao se
tendo vendido, porque o vondedoV quera alto
preco por ella.
De urna carta particular chegada pelo navio
que nos trouxe os jornaes consta que ha ainda
probabilidade do novo ediamento das cortes
alm do ja decretado, o bem assim quo o pro-
cesso contra os implicados na revolta do Almei-
da contina com bstanlo morosidade, tendo
sido sollos alguns dos individuos que cstavSo
em custodia com a condieo porotal de se a-
presentarem diariamente s autoridades admi-
nistrativas dos districtos de seus domicilios; o
queporcerto equivale a urna pnsao com ho-
menagem.
Tambem nella so nos afirma quo os emba-
razos do Governo pelo lado das finanzas sao
grandes; pois al 19 de Julho ainda aos em-
pregados se nao tinba pago o mez d'Abril ha-
vendo receios de que se lancar mais meia d-
cima nos ordenados los mesmos que por este
andar ficrao redusidos a zro, porque pagan-
do elle, j dezde dcima e cinco do rebate por
cada mez q'esti;em divida,agora lendo de pagar
mais meia decima, he o mesmo que reduzil-os
a nada isto ao mesmo lempo que o numero
dos empregados da Polica preventiva ( ou es-
pios) he augmentado, e aos quaes se paga em
dia. Os peridicos da opposuao continaoa
ser aecusados pelos agentes do Governo eo Jury
a absolvel-os nao s quando ellos di/eni a ver-
dade mas mesmo quando mentem ; porque
o Jury cntende que nao deve descriminar, e
sim por relo as pretencOes do Governo que
ao que parece sao acabar com a imprensa; pa-
ra o que nao be preciso muito em Portugal
atientas as suas poucas forjas pecuniarias.
Pelos jornaes de Lisboa tivemos noticias de
Hespanha que chegao at 11 de Julho; dellas
sededuzque a 9 oinda SS. MM. rosidiaoem
Barcelona, devendo com ludo regressar breve-
mente a capital.
Por decreto de 1 de Julho foi nomcado o ex-
Ministro D. Francisco Xavier Isturiz Comms-
sario Regio no banco de Isabel 2.*, e com a
mesma data se publica na Gaieta de Madrid
do dia 9 o decreto pelo qual he rescindido o
contrato sobre as rendas do tabaco O Gover-
no compromette se a reeuibolcur a empresa pe-



los adiantamentos de fundos que ella Ihe tem
feito e pelas despesaa que tinba ja elleituado
para comecar a administrago daquello ren-
dimento. A demora que houver neste re-
embolso ser indemnisada por uin juro na ra
zo de 6 por cenlo.
Na inesma Gazeta apparece o contrato que o
Governo celebrou com o banco de S. Fer-
nando a (im de obterum crdito de essenta
milhoes de reales (dous mil e quatrocentos
contos fortes) destinados a asse^urar o paga-
mento das obrigacSes do nuez de Juluo.
Nanoutede 7 tinhiochegado a ladridos
Ministros da Justiga, Eazenda, Marinha e Rei-
no; nao se dizia com ludo <|uem seria o suc-
cessor do Marque/, do Viluina na pasta dos ne-
gocios estrangeiros. Na Gazeta do 10 publiqou-
se o decreto pelo quai be dissoWda a ta mar
dos Deputados c recovada pela 3.* parte o
Cmara do Senadores. A corles devero reu-
nir-se a 10 de Outubro.
Pubiicou-se un decreto que man la eleger
pelas provincias vascongadas urna coiiimisso
encarregada de elaborar um projecto de lei que
sen apresentado s cortes e no qual sario re
guiado definitivamente os iros daqaellaa pro-
vincias que tinhao sido annullados por Esparte-
ro em depeito da lei de 25 de Outubro que
lagrimas Elles mesmos publicao, que as elei-
ges de Juize do Paz nesta capital foi o amos-
tra do panno.
E ser possivel, auo o nobre e heroico Per-
nambuco fiquoenlregue descricao desses ener-
gmenos ? Ser crivel/^ue gente lo abscura
e desordoira decida dasorte da segunda provin-
cia do imperio ? Que fai a nossa genio boa e
briosa, que so nao liga para cortar o passo, ou
antes os voosdessas arpias? A praia nao tem
bandeira poltica. A praia nao tem outro fim ,
genio dominar. A praia be com poucas excep-
cesa mesma gente revolucionaria de 22, 23 e
24 he a mesma sucia, que depunha Presi-
dentes e niais autoridades, que ormulava listas
do proscriptos o de cujo seio sahia o batalhao
ligeiro. A praia he toda essa gente com alguns
recrutas novos.
A recente eleico de Juizes de Paz deve ter
aborto os olhos aos bons Pernambucanos. A-
lm da turbulencia e desregramento com que
so portro os leus assoldadados comicios, ob-
serve-so como estao altanados os higorrilhas e
desordeiros, que bom e devidamente sejulgiio
seguros e garantidos pela faccao praieira. Per-
nambucanos briosos e honestos Pernambuca-
nos, que tendes a perder lazenda, representa
gao e prestigio, nao se trata j do Ministerio .
$
oshav.aoassegurado, rastabelecendo (desde ja) oq nao Ministerio; tratase do salvar a patria
o Governo alguns dalles d g8rras degM gentc devasladora e 0narchica.
ror tlocreto de tros ordena-se que o cadver
do i Ministro D.Manoel Montesd'Oca (fusila
do pOr ordem de Espartero)seja exhumado do ce-
rn teho de Victoria aonde se acha para ser trans-
portado a capital a fim de ser unido aos cada-
veros dos seus infelizes companheiros de infor-
tunio.
Oajornaei de Cdiz ebegSo a li e os de Gi-
braltar at 13.
Na Babia de Cdiz achavao-se alguns navios
do guerra dinamurquezes que so dispunho a
partir para Tnger.
A 9 chegou a Gibroitar o Principe d'Joinvil-
le a bordo do vapor do guerra Irarcez Puton
ficando em Algecirns a esquadra s suasordens,
composta de 3 naos o de 3 fragatas : a 11 ap-
pareceo o Principe em fronte de Tnger, e
voltou depois para Algeciras. As cartas de Tn-
ger mostrSo que as disposigoes do Imperador
do Marrocos sao monos bellicosas, o que ha
esperanzas de accordo; comtudo lallava-se
muito do ou'.ra escaramuce com os Francez-s,
em que os aggressores foro os Marroquinos,
quasi no rnesmo sitio em que teve lugar a pri-
meira;e disia-ae que Abdel-Kador se acbavaen-
tre os inlieis, que tomaran parte na aego.
Gomninnicado.
Sejo quaes forem as vossas discrepancias poli-
ticas, dai-vos asmaose nao consintis, que a
sortc de Pernamhuco soja decidida pelos inri
siveis pela gente da praia. Uni-vos, e vede,
que Jam proximus ardet ucalegn.
Publcaco a pedido
Respeitando pois os senlimentos do Ala
goano pode ser, que as nossas apprehonsoes se
desvaneci; mas iamos dizendo, que havia, e.
por infelicidade, ha motivo para o nosso deigos
to, e pois vollaremos : nos explicar :
Quando appareceo a noticia da nomeago do
Exm. Sr. Franco para substituir o Exm Sr.Po-
relli, um dos Presidentes da nacao hrasileira o
mais honesto eestranho as paixes e interesses
dos partidos, deviamos esperar e contar que ,
no governo do urna provincia, o Exm.Sr.Fran-
co seguisse e dsse.'por meio de seus actos, de -
senvolvimento aos principios que sustentava
na tribuna como Deputado da naci ; e isto
tanto maisquanto bavendo-se ello declarado
em favor do Ministerio actual sustentava e
defenda sua posicao e a do Governo arvoran
do o estandarte da conciliaco o dizendo pro-
curar com ella osocego e tranquilizado do im-
perio que so nao tem conseguido na luda in-
terminavel dos partidos.
Sim taes os principios que na cmara dos
Sr. Dcputados doclarou professar S. Exc. ,
quando, por occasiao da discussao do projeito
de resposla falla do throno na se-sSo de 17 de
Maio d'csle auno exprimi -se do modo so-
guinte : Para o outro lado para o lado ,
que chamis da desordom por certo que nao
ir o gabinete e permittir-me-heis que nao
me canso a demonstrar que nenhum Governo
e menos este, pode jamis sustentar-se em par-
tido uesordeiro. Que posigao pois resta a lo-
mar ao gabinete, qua nao fsse a media em que
se collocou esquecendo o passado, contra que
fdro impotentes os esforcos dos seus antecesso-
res o procurando em urna poltica de concili-
acao, e som excluso de pessoas, o socego e pros-
peridade do imperio, que se nao tem consegui-
do na lucia interminavel dos partidos?
Mas o que vemos nos ter feito S. Exc, ape-
nas depois de 12 dias da sua posse, sem con he -
as, principiando as Alagoas sua Administra-
r o por demisses, com sorpreza da expectati-
va publica som conhecer ainda as pessoas
demittidas e no meio do rnaior socego da
maor calma e da melhor ordom ?... Co-
mo ? excluindo pessoas recommendaveis dos
cargos pblicos sem que poro menor acto ti-
vessem desmerecido da confianca do Governo .*
Como? quando apenas esto passados 15 dias?t
Por corlo que he isto assustador Por cer-
to que >s actos do S. Exc. se nao conten em
seu principios e pensamientos cmitlidos dos
bancos da representacao nacional e que ahi
corrern na memoria dos Brasileiros Ensi-
nou S. Exc. ni3s nao pratioou ; o suas mes-
mas ideas naoaproveitrao ncm ao menos
si proprio.
Artigo Communicado do Alogoano.
ALAGOS.
A SITUACAO DA PROVINCIA.
Duas especies de homens trabalho em I cimento da provincia ? Nao podendo nenhum
Jam proximus ardet ucalegon.
Virgilio,
A faccao praeira, que se apregoa sustenta"
dora do actual Ministerio, nada dalo he. A
gente da praia, com bom poucas exccpces ,
nao be oulra cousa mais, do quo urna cabilda
do desordeiros de anarchislas que oulr'ora
tanto nos incommodro. e que boje surgem
de todos os cantos para reproduzirem as sco-
nas do Seu passado predominio.
Quem acreditara na boa f e sinceridade
dos principaba cheles deesa pandilha ao recor-
dar-sedoquanto foro,ha bem pouco lempo,ser-
vos numilsaimoa da Poltica Honoriana? Quem
estar pelos seus protestos de liberalismo ao
lembrar-se do ijuanto ajud.irao na Cmara dos
Deputados a obra da reforma do cdigo do pro-
cesao, e a creacao da nova poltica, pelo que ,
eporoulras bajulac,Gea ao poder trouie cada
um sua cofiimenda.
Taes honiem nao teem principios cortos,nem
por elles propugnio,o quequerem he dominar,
c para isso todos os meios Ibes sao indillerentes:
para isso \alem-se da gente maisignobil etur-
bulenta; para isso em fim procurao derrubar
as verdadeiras notabilidades, as antigs e res-
peitaveis influeucias Ua provincia, Elles nao
combatem s ao liar.> da Boa-vista o.seus ad-
herentes; elles odeiio igualmente o Barao de
Suassuna, ao i|ual todava nao aggridem desco-
bertamonte polas suas inmundas folbaspor ter
esto um seu irmo no Ministerio. Mas a praia
tem protestado acabar com a influencia poltica
da familia Cavalcanti, e como esta esl? inter-
lacada com quasi todas as boas e honestas fami-
lias de Pernambuco a todos tem declarado
guerra, a fim d'elles e sua gente desordoira
assenhorearein-so dos destinos da provincia.
Essa pandilha est ai rigmentada compe
urna socieiadc secreta na qual tem introdu-
cido os homens mais ousados e eapazea de per-
petrar os maiores crimes. Elles ja assoalbo
por toda a parto, que o actual Kxm. Presiden-
te (que Ibes nao agrada, por se nao prestar ce-
gamente s suas exigencias desorganifadorai
vao : aquelle que ajunta e nao Rosa, e aquello
quo ensina e no pratica. Leudo esta m-
xima em um escriplor contemporneo, nao po-
demos doixar de nos penetrar do um senlimen-
to de dor e angustia meditando e comparan-
do a doutrina e certas cxpressOes dos nossos ho-
mens polticos com a conducta, que seguern o
desonvolvom quando estao no poder.
Gosava a provincia das Alagoas do socego o
mais sereno e completo de urna paz quo pro-
metlia ao certo milita duracSo que assegurava
urna nova idade do perfeito e inalleravel repou-
so : smenle o acelralo e o impio rangia com-
sigo o dent porque elle nao ousava respirar
om presenea do espirito de ordem e respeito s
leise sautoridades. O bom animo, a docili-
dade e a tendencia natural do povo Alagano
para o elemento de ordem foro animados e
alimentados por administracoes virtuosas ejus-
ticeiras que souberao apreciar e 8prpveitar
taes qualidad- s e d'ah resultou principalmen
te com o Governo do Exm. Sr. Peretti.homem
firme avesso s paixes o exigencias de parti-
dos enrgico e invariavel nos seus.principios
de justica e rectidao. o bem de que a provincia
jamis gosou. o abatimiento dos malvolos, o
exterminio dos assassinos, que. saoouviro
seu nomo, que a lama tra/ia da provincia vizi-
nha, para logo desapparecflrao, ficando intoira
mente garantida a cada cdadSo a segurancade
propricdadfl > le vida, e as estradas !vr > H-
sentesladns de perversos e molfeitores de lodo o
enero respeitando-se os homens mutua-
mente
He n'este estado lisongeiro e perfeitamenle
felin que o Exm. Sr. Souza Franco recebe do
seu honrado antecessor as redeas da administra-
cao, nao sendo necessario mais para aventura
dos A Incanos que a conservaco das cousas ,
pois que o trabalho era jri feito. Agora porm
nos nos sentimos j.i tocados de desconfianca e
receios pelo futuro da provincia, frea he dizel-
o, e estes receios pareco j sao partilhados pe-
la maiona, pela grande maioria, sa e respeita-
tavel dos Alagoanoa com quanto a folha de
1 il este mez tanta eonfianea depofite no Go-
verno do Exm. Sr. Sou/a Franco esperando
d alie os beneficios de urna admnstraco do-
sapaixonada o mantenedora da ordem e liber-
ilaile publica da provincia.
Em verdade nao acensaremos ainda o Ala-
gano : o juzo que elle concebeo, aquelle que
elle esperou,todos deviamos conceber o esperar a
respeito de um Administrador a quem deve
de intercalar mail asorte eaamisade de urna
provincia pacifica e leal do quo as zumbaias
ef Hieras de um grupo empenhado no infame
jogo do ardil e da violencia, e quem cabe por
ventura sobrada ilustrarlo para bem conhecer,
que a lucta da provincia, contra a faegao, que a
incommoda, nada tem com a poltica da corte,
e franqueia por isso Presidencia urna carreira
lacil e suave sem chamar sobre si o dosgosto e
em breve sera substituido pelo Senador Padre resentimento dos teus administrados, como im-
Al
I
dos de sanguc e de e garantir no futuro.
., r ii -------1 ....."" >" mu oiiiMiinsiiduii, como im-
Alencar que v.ra fazer co.....Ilea u eleicOesI porU eaaeocialmente a 8. Exc. que tem urna
le Pernaubuco, e tornar a patria dos \ iciras I vida poltica e reputaco para zolar no presente
los Camaroes e Dias um vale de snngue e de i e arantir no futuro
Governo su$tentarse em partido desordet'ro, fo-
ro os autores da recente desordem de De/em
bro o Janeiro ltimos que logo erguro-se ,
fazendo ameacadoras intimacoes aos pacficos
Alagoanos; frao os quo por calamitosas desor
dens om abatimento do Throno e ruina do
paz, tem adquirido um nomo odioso e repulsi-
vo no ceie da provincia que vimos para logo
de frontes levantadas e prendes do agoureiras
esperancas; frao os assassinos do infeliz Te-
nente-Coroncl Luciano Pereira de Lira, refu-
giados em diversa provincia, que vimos imme-
diatamente procurar e internar-so n'esta, man-
iendo intclligencias com os seus dignos primei-
ros chefese alliados.
Sendo imperiosa necessidade segundo o
sentir do S. Exc. urna potiQo media entre
os partidos urna politica de conciliago e de
nenhuma txclutao de pessoas, comegou entre
tanto S. Exc. demittindo o Subdelegado da
villa d'Assembla Manoel do Ferias Cabral ,
cdadao honrado toda a prova sempre ami-
go do Governo e da ordem severo cumpridor
das leis e pessoa respeitavel por suasqualida
des e servicos; o Coronel de legiao de Porto de
Pedras Antonio Joaquim do Pontes, rico pro-
pietario ordeiroe do alta eslima sendo su-
bstituido por Jos Paulino d'Albuquerque Sar-
ment que fura demittido dYsle posto por ter
Rravemonte abusado d'ello servindo se da guar
')?. :'C!or!3! jara ESr!"r'"" n enronn niil>l>i "
. t I I .'-^* -.-0- |. H'.W .v
cuja instada reintegraeo recusra-so por isso
o Exm. Sr. Peretti ; o Promotor d'Atalaia
Cndido Jos de Moura Bacharcl formado em
direilo digno d'esteemprego e pessoa bom a-
creditada sendo substituido por Ignacio Joa-
quim Passos Jnior que tinha-se demittido
d'esse cargo e a respeito de cuja conducta mo-
ral nada convm dzer; o Subdelegado da Im-
peratriz Joaquim Jos Camello Empregado
serio e prudente e sempre acolbido em todas
as Administracoes; e dizem que juntamente es-
ta decretada a demissao do digno capitn Neves,
da Guarda Nacional do batalhao de Cururipe ,
demissao quo sojlicitava o seu desafecto Fr.m
cisco Manoel de Carvalbo irmao do Dr. Joa-
quim Sorapiao.
A vista pois do taes fados nos primeiros
seguintes dias da posse e Administracodo Exm
Sr. Franco, nao sabemos como ajuisar ou
comprehender os principios o palavras de S.
Exc. cima citadas! Nao podemos jamis
conceber que tal proceder seja abracar urna po-
sifo media, procurar em urna politica de con-
ciliafao e sem excluso de pessoas, o socego
e prosperidade do imperio e da provincia em
particular, e muito menos que por tal forma
i possa acabar com a lucia interminavel dos
partidos: ao contrario he este o meio mais
azado e conducente para irrital-os para atoar
as discordias inimisar oscidada<'S, introdu-
zca vindicta e perturbar a ordem transtor-
nando e afastando osocego o prosperidade do
pai/ e perpetuando urna interminavel lucta
entre esses partidos.
Como (ainda diremos ) procurar a concilia-
co no paizcom immediata excluso de pesso-
Rclagao dos nomos das Senioras e Senhores
tanto nacionaes como estrangeiros, que suds-
crevrao com as suasesmolas para se lnaiisar
a obra interior da Matriz do SS. Sacramento
da Boa vista durante a administradlo dos
abaixo assignados.
(Continuafo do n antecedente.)
Os Senhores
Jos Pereira Teixeira. 10,000
Didior Robert &C 10,000
Antonio Jos Pereira. 10,000
Manoel Ferreira Lima. 10,000
Antonio de Souza Moreira. 5,000
Jos de Souza Garca. 2,0 Jos Pedro Moreira. 10,000
M C. daFonseca. 10,000
Manoel Antonio de Jezus. 10,000
Manoel F. A. Villaga. 10,000
I. P. G. Smith. 10,000
Philip Furby. 10.000
Antonio Joaquim de S. Ribeiro. 10,000
Francisco Jos Silveira. 10,000
Rufino Gomes da Fonseca 2,000
Antonio Pedro das Neves. 10,000
Francisco Antonio Yieira da Silva. 10,000
Joo da Cunha Magalhaes. 10,000
Joaquim Ribeiro Pontes. 10,000
A. J. 10,000
Thomoz Fernandos da Cunha. 5,000
Antonio Das Souto. 5.000
Joaquim Jos do Amorim. 5,000
Jos Antonio da Cunha. 5,000
Luil Antonio de Siqueira. 10,000
J. R. A. P. 5,000
Manoel Ribeiro da C. Olivira. 10,000
I). J. doRozario G. Machado. 10,000
Francisco Ferreira Braga. 10,000
Antonio Domingues Pinto. 5,000
Manoel Jos Goncalves. 10,000
Joaquim da '-Iva Caslro. 5,000
Manoel Joaquim Gomes. 10,000
Francisco Antonio de Olivira. 100,000
G T. Snon 50,000
L). Emilia C. do M. Ferreira. 50.000
A. J. de Magalhaes Basto. 50,000
Jos Antonio Pereira de Brilo. 50,000
Antonio M. Chvese Vello. 20,000
Doulor Sarniento. 20,000
Barao do Suassuna. 30 000
Jos Thomaz deC. Quaresmn. 20,000
Manoel Carneiro Leal. 20,000
Joao Moreira Marques. 20,000
Francisco Jos Teixeira Bastos. 20,000
V. Tboniozia da Conceicao Cunhn. 50,000
liento Antonio Domingos. 20,000
Claudio Dubeux. 20,000
Joao Jos de Carvalho Moraes. 20,000
Jos Antonio Basto9. 30,000
Jos Joaiiuim de Olivira. 20,000
Mendes & Olivira. 10.000
Caetano Pereira G. da Cunha. 10,000
Annimo. 30.000
Ramose Silva. 10,000
[Continuar-ss-ka.)
.. -' "-Stj
CGMMERCIO,
Alfandega.
Rendimento do dia 23.........15:277|048
Descarrega hoje 26.
Briguo inglez lichemond- pixe, breu ba-
calho, manteiga, carne salgada e
foixos abatidos.
PIUIJa DO RECIFK, 24 DK AGOSTO DE 1844.
Revista mercantil.
Cambios As tranzacdei pelo paquete inglez
frao fechadas a 1\ ',' i toinlo-se ef-
(ocluado algumas a 2V '.
Algndao As entradas conlinao a ser peque-
as, e nao tem altera* o de predi.
Assurar O mercado tem estado mais anima-
do, continuado a ser limitadas as en-
tradas.
Couros Tem se vendido de 120 a 122 %(t, e
do Aracaty a 125 rs. a libra.
*-
--


Ac de milao Vendeo-se a 360 rs. o quinta!.
Agod ras dem a 180 rs. a libra.
Alcatto Suecodem de8000 a 9* rs. o
barril.
Alvaiado dem de 5 a 6s'400fs. a arroba.
Ancoras e Ancoretes dem de 90 a 125 rs.
a Ultra.
Oeclaracors
O Thesoureiro da Thesouraria Provin-
cial paga hoje 26 docorrenle em (liante aos em-
pegados que naovencom emolumentos, os seus
ordenados vencidos at Junho p. p Thesoura-
Dacalho Vendrao-se 800 barricas para a ria 23 de Agosto de 1844.Joo Mano$l Afen-
Bahia a 10,y 300 rs.. (cando o depo-
zito reduzido a 1,200, e esta-se reta-
Ihando ii 11 .> rs.
Bezerrps Franoezcs VendCrao-se de 28000 3
30j rs. a duzia.
Breu dem a 4400 rs. o barril.
Carne secca' depo/.ito est reducido a 10,000
arrobas tendo-se vendido de 2*700
a 2*800 rs. a d<> Rio Grande e a
28600 rs. a de Buenos Ayre.
Cera branca Vendeo-so a 18400 rs. a libra
em pao.
Chumbo em lencol ldm de 14* a 15* rs. o
quintal
Enxadas dem de 440 a 560. ,
Estanto dem de 480 a 500 rs. a libra.
Familia do trigo Nao chegou carregamento
algum.e o depozito em primeira mSo
be de 5,000 barricas tendo-se ven-
dido 500 vindas de Liverpool de 14*
a 14*500 rs.
Follia de ferro ingle/ Vendeo-se de 8* a 9*
rs. o quintal.
Fio de vella dem de 480 a 500 rs. a libra.
Lonas da Russia largas dem de 27* a 30*
rs. a peca.
ManleigaOs compradores teem recusadocom-
prar com a tara t agora u/ada de 20
libras por barril e as vendas leitas
a 465 rs. fro com a condico de
ceder a tara actual.
Plvora Vendeo-se a 280 rs. a libra, direitos
r.or conta do comprador.
Potassa aroericana dem a 220 rs. a libra.
Prego ripcs do Portugal dem de 1* a
1*100 rs o milheiro.
Queijos flamengos dem a 1*120 rs.
who do Lisboa dem a 88* rs. a pipa do
tinto de autores de segunda nota.
Sahlrao 8 cmbarcaces e entrarlo 4, existcm
no porto 37 : sendo 2 americanas 20 brasi-
ras. 1 franceza 7 inglezas, 6 portuguezas e
1 sarda.
liovituento do Porlo.
Naviot entrados no dia 23.
Lisboa ; 38 dias bngue brasileiro Empresa,
de 200 toneladas, capitao Francisco Ferroi-
ra Borges equipagem 12 carga vinbo ,
sal, pedra, &c. ; a Francisco Severianno Ra-
bel lo.
Porto; 40 dias, brigue portuguez Primavera,
do 185 toneladas cupito Jos Carlos Fer-
reira Soares, equipagem 19 carga gneros
do paiz ; a Antonio Joaquim de Souza Ri-
beiro.
Navio entrado no dia 24.
LisWia ; 35 dias barca brasileira Ermelinda,
de 240 toneladas rapito M. Francisco de
.Jezus, equipagem 15, carga varios gneros.
Naviot tahidot nomesmo dia.
Baha; sumaca brasileira Perola, capitao Fran
cisco da Cunha Lopes, carga varios gneros.
'to Joaquim Pereira carga varios gneros.
Navios entrados no dia 25.
Maranhao; 33 dias, patacho brasileiro Neptu-
no de 121 toneladas capitao Jos Viendo
do Souza, equipagem 11 carga varios g-
neros.
Londres; 25 dias, brigue brasileiro Carnet, de
200 toneladas capitflo Dexan equipagem
10, carga lastro.
Edital.______
A Cmara Municipal da cidade de (Mtnda e
teu termo em virtude da lei', Sjc.
Faz saber quem convier que no dia 7 de
Setembro prximo uluroro se ha do proce-
der na igreja matriz (leste districto la freguezia
de S. Pedro Martyr (assim como em todos os
mais) as eleicoes ilo seu respectivo Juiz do Paz
Supplente, assim como dos 9 Vereadores ,
que bao de compr a Cmara Municipal neso-
guinte quatriennio ; segundo as ordens impe-
riaescommunicadas a esta Cmara Municipal
pelo Exm. Sr. Presidente da provincia ho lo
ser f eitas as mesmas eleicoes na forma da lei do
l.'de Outubro.e instrucges do 1 de De/em
biode 1828, e decretos de 28 de Junhode
1850 e 5 de Setembro de 1832. c mais decla-
rar;es este respoito E para constar maiiduu
a dita Cmara sfBxar o presente no lugarde-
terminado pela le. e ser tambem publicado
pela imprensa. Cidade deOlinda
dts da Cunha e Axevedo, Thesoureiro.
Lista das cartas pertencentes ao mez de Agos-
to de 1843, que devem ser consumidas no !
de Setembro de 1844. *"
Anna Carolina de Magalhaes.
Francisca da Conceicao.
dos Reis Miranda.
Joaquina de Miranda Castro.
Antonia Maria da Conceico.
Ajudante Almeida.
AfTonso d'Albuquerque MaranhSo.
de Quadros Brrelo..
Angelo Custodio Carneiro.
Alipio da Costa Villar.
Amaro Goncalves dos Santos.
Adao Jos (lardoso.
Ancelmo Jos Pinto de Souza.
Andreas Nausser Panicuocolo.
Albino Jos A Ivs Machado.
Pacheco Martins.
Alexandro.M. Enving.
da Silva.
Antonio Alves de Souza Carvalho.
Augusto d'A breo Moura.
Cardoso d'Aguiar.
Cavalcanti d'Albuquerque.
Carneiro d'Almeida.
Peixoto de Freitas.
Felisde Cnntalice.
Francisco Dornellai.
da Rocha.
Ferreira Christovo.
Mendes Braga.
Pinheiro.
Fernandes Pereira Braganna.
Velloso.
Comes Braga.
Pessoa.
Ti va res.
Joaquim Gaspar Jnior.
Leite Machado.
de Souza.
da Silva Castro.
Jos da Costa e Silva.
Gomes.
More ira.
Pereira Bastos.
Ravile Guimares.
deSant'Anna.
Teixeira.
de Lima Flores.
Lourenco do Espirito Santo.
Mendes de Carvalho Guimaraes.
Manoel Mattos.
Marques Pedro Fortunato.
de Moura Roulim.
Pavo.
Piments.
Pinlo Lopes.
Pereira Pinto de Faria.
do Reg de Medeiros.
Rodrigues dos Santos.
> de Souza Baltar.
. Thomaz Carneiro da Cunha.
Bsv'na Corris d Fpiri!c Sscic.
Bonifacio Justinianno Mattos.
Joaquim de Sant'Anna.
Benlo Joaquim Carvalho.
Cordeiro Lima.
de Medeiros.
Jos da Costa Freira.
Goncalves Braga.
Bernardino Joaquim da Silva.
Bernardo Jos de Barros.
Mendes.
(Continuar-te-Ka.)


V






>




II




w
y

.4visos martimos.
1 -.-Para o Rio Grande do bul sabir nestes
5 dia so brigue brasileiro Fiordo Norte, e so
recehe escravos a frete ; a tratar com Nasci-
mento SchaerTer & C. na ra da Cruz n. 45. (4)
4-= Para Lisboa segu viagem impreterivel-
menle no dia 28 do corrente o brigue portu-
guez ConceifUo de Atara, ainda recebe passa-
geiros para o que tem os malhores e mais
aciados commodos ; trata-so com o capitodo
niesmo Manoel da Costa Neves, ou com o con-
signatario Thomaz de Aquino Fonseca, na ra
do Vigarion. 19. (8)
i,eiles.
1_ Ocorretor liveira far leilo de toda a
23 de A- valiosa, quanlo esplendida mobilia que to
goslo de 1844 Jote Joaquim de Almeida elegantemente adornava a casa da respeitavel
Guedet, PresidenteJoo Paulo Ferreira sociedade =Euterpina= consistindo em mag-
Secretar'io. (23 j nilico e dispendioso lustro do salo dos bailes |
linda mesa redonda, snfaz, trem*, orillaos i Costa Larangsira em dita casa, e por isso tendo
porcellanas douradas, eoutros bollos en fe i tes do|a rnesma de passara pirar com nova firma, ro-
Toilett das senhoras. marquezas, canap ,! ga a todos os seus credores Ihe apresentem suas
cadeiras de Jacaranda do mais apurado gosto, e-contas para serern conferidas, na certeza de que,
oulras menos ricas, ditas de balanco. lampe- os que deixarem de o fa/er nao terao direito ul-
nhes, lanternns apparelhos de gostos mo-i gum sobre a nova firma que se val estabelocor
ler nos pira cha, caf e chocolato di-; em dita casa isto no praso de 3 das, depois
los para mesas do refrescos, bandejas fi- dos quaes nao podera ser admeltida qulquer
nns. lacas e garfos, e multiplicidade de ob- reclamacao.
ocio*da mor utilidudo para qualquer casa de-
cente, inclusive mi
ta-foira 29 do correr
na casa da mesmn sociedade sita na lioa-vista ,
no principio da ra do Hospicio. (i7)
1 Richard Royle & C. faro leilo, por in-
lervencao do correlor Oliveira de vaiiasfa-l
zondas d'algolao limpas, e il<
(12)
2Perdeo se um catorro inglez muito es-
uilas obras de prata : quin- perto, cor prcta, com ps, mPoi e cara amarel-
ante as 10 horas da manhaa, las, orelhas cortadas tem marca de urna fon-
da ja secca as coalas ; quem o pegar leve-o a
ra da Cadeia do Recife n. 39, que ser grati-
ficado l~)
2-.Na casa n. 28, defronte da Lingoeta 3.
muitas oulras I andar precisa-se de urna ama secca, para o
variadas por conta de quera pertencer; sexta- ^rvico interno que 68iba bem co/inbar o dia-
feira 30 do corrente/is 10 horas da manb&a
no seu armazem, ra d'Alfandega-velba. (G)
rwnww-j'
visos diversos.
Ouem precisar de urna miilber para ama
de casa do hornero ou casa de pouca familia ,
dirija-se a ra do Rangel n. 22.
Aluga-se urna ou duas pretas ; na ra de
Aguas Nerdes n. 15.
Arrcnda-se o primeiro andar da casa n.
18 na ra do Fogo ; a tratar na ra do Quei-
do sobrado n. 44.
1Aluga-se a casa da ra do Queimado n.
22altse baixos
29. (3)
No dia 31 do corrente ter lugar a ultima
prar;a na ra do Sol, perante o Sr. Dr. Juiz
do Civel, da casa penhorada a Antonio Pinto
de Azevedo, sita na ra da Praia n. 43: corre
a praca com o ahatimento da quinta parle me-
nos do valor por que tinha sido avaliada : o a-
baixoassignadooflerece pagar parlo das despe-
zas ao arrematante para assim Ihe ser mais ba-
rata a arrematac.Ao, eoexequente receber seu
dinheiro.
Manoel da Cunha GuimarSes Ferreira.
Rogase aos Srs. ourives ou outra qualquer
pessoa a quem seja oflerecida urna salva de pra-
ta pequea contristada com cercadura de
renda, e que julga-se ter 80 a 90 oitavas, as-
sim como urna colherinha ja com bastante uso,
que fu rao furtadas na nouto do dia 23 do cor-
rente,facao o lavor de avisar ao abaixo assignado
no pateo do Paraizo n. 10,que muito agradecer.
Jote Mara Goncalvet Ramot.
Roga-se ao Sr. A. C S. o favor de ir ou
mandar na travessa da Madro do Dos n. 1.
para pagar o vale que passou ha 6 mezes, e que
ainda nao resgatou sua firma : declara-se-lhe
que nao o fazendo dentro em tre/dias, ser o
seu nomo publicado por extenso, e se usara dos
meios udiuiaes.
Precisa-so alugar um sitio perto da praca
que tenha banho deagoa doce ; na ra Direita
sobrado de um andar n. 56 : na rnesma casa
cima engomma-se e cose-so toda a qualidade
de roupa.
Aluga-se urna casa de um andar esotao ,
com grandes commodos bom quintal e ca-
cimba ; quom a pretender, dirjase a ra Di-
reita dos A ogados casa terrea n. 22.
Faz-se saber ao Sr. M. T. S. que no dia
22 do corrente (Agosto) se vencerlo trez mezes
do aluguel da casa em que mora o seu alh'anca
do L. A., e querendo resgatar sua caria de fi-
anca o pode lazer na ra Imperial n. 67, pri-
meiro andar.
Responde-so ao Sr. doonnuncio do Diario
n. 188, que declare em que loja romprou os
dous meios bilhetes, ou de que modo Ihe foro
us mos os ditos bilhe'es, n. 1934 e 1935 da
lotera da matriz, da Boa-vista o se ja esto
com cincoassignaturas;advertindoque a primei-
ra se achava riscada o em vigor a segunda ,
tercena, quarla e quinta com os nomes a 2*
J. A. M.. 3.* A. J. M. 4* L M. de M. e a
5 A. J. E. G., pois sendo nos convidados pe-
lo J. A. M. para entrarmos de sociedade em
dtoS iurniS biiiiC'CS CGi Const iiii assigSi-
ras que se achaO as costas e corno nos nao
julgavamos que o Sr. J. A. M. fosse capaz de
lapidar ditos bilheles por isso estamos certos
de sua conducta bem conhecida e com a sua
resposta determinaremos oque devenios seguir.
Aluga-se una ama de leite forra ou capti-
va e que o leite tenha 7 mezes para cima ;
na ra do Atierro da Boa-vista n. 78.
1 aa O Sr. Pedro (ornes quecomproua
Francisco de Barros Reg a esa numero 166
sita no Atierro dos Aflogados; dirija-so ao mes-
mo Atierro numero 67 primeiro andar que se
Ihe deseja fallar a negocio de seu interene, (5)
1 =: Precisa-fe sacar para a provincia da
Babia a quantia de 500,000 com boas firmas;
quem os livor e qui/er dar annuncie o lugar pa-
ra se ir tratar (4)
2Manoel Jos Cabra!,estahelecido com ca-
sa de molbados, na ra da Praia n. 39 tendo
do azer urna sociedade com Joaquim Pereira da
rio de ama casa, onsaboar e engommar; quem
estiver nestascircunstancias pude dirigir-sea
referida casa a qualquer hora do dia, com tan-
to que .!;> conhecimento de sua conducta. 7
= Nio tendo sido possivel u nuniao d
Mexageral da Irmandade de S. Rita, nova-
mente se faz publico que buje 26 do corrento
pelas 3 horas da tarde lunera icuniao da men-
cionada Meza.
= Carlos Ausgusto de Moraes retira-se para
lora do imperio a tratar dos seus uegocios; e so
algoeon sejulgar seu credor aprsenlo as su-
as conta para seren pagas.
3Na ra larga dRozario tem urna porclo
deentulho proprio para atierro ; quem dello
a tratar na niesma ra n. precisar, podo mundal o condu/.ir (3)
3(J Sr. Brax Antonio da Cunha do Albu-
querquo tenha a bondade de ir fallar com N a-
lentini Jos Corroa a negocio que bem
sabe. (*)
2Deseja se saber a moradia do Sr. Pedro
Jos de Lira, ou dirija-se a casa do Joao An-
tonio Martins Novaos, na ra do CJueimado n.
29 para negocio de s> u interesse (.4)
2Da-se a quantia de OOOj rs. a premio de
2p.c. ao me/, com boas firmas, ou hypotbcca
em predios; na ra Direita n. 35 loja de
couros. (*/
2Quem se quizer incumbir de urna co-
branca de 2:000. ders.,em a villa de Porto
Calvo provincia das Alagas, em lettras, dan-
do-se pelo seu trabalho a quarta parto; annun-
cie para ser procurado. (5)
Avito importante ao publico.
16 Acaba de chegar urna porcao nova e
fresca d'aquellas invaluveis Pirulas da medecina
populare as pirulas vegelaes americanas, sendo
a composicao d'ellas inteiramente vegetal e ja
tao conhecidas nesla cidade as varias molesti-
as de figado febres rhoumatismo lombri-
gas ulceras, escrfulas, erisipelas, c he o me-
Ihor remedio conhecido para o sangue; roga-se
aos inlermos do provarem este aflamado reme-
dio. ^ ende-se eorn seu competente receituano
ern casa do nico agento Joao Keller ra da
Cruz n. 18, e para maior commodidade dos
compradores na ra da Cadeia em casa de Joao
Cardoso Ayres, ra Nova Guerra Silva eCom-
panhia Atierro da Boa-vista, Salles e Chaves
ao prefOde 18000 cada caixinha. (17)
3_Precisa-se de um caixeiro hbil e que te-
nha pralica ; na venda da ra do Pilar em Fu-
ra de Portas n. 135, (3)
3-Os Srs. Estudantes do Lyco que forao
ao baile no dia 20 do corrento, no convento da
Madro de Dos aonde he a aula de aiin e tro-
carao os seus chapeos vclhos pelos no vos dos
Estudantes o convidados, hajao de ir trocar
os ditos chapeos na rnesma aula; pois quem
precisa de chapeos novos compra como com-
prou um convidado, que trouxo um chapeo ro-
to pelo seu novo. W
PREVKNCAO CONTRA OS FALSIFI-
CADORES.
EstevAo Gasse, saliendo que em algumas lo-
jas e vendas desta cidade se vendo um rap
feito nesla provincia com o titulo de princeza ,
e faifa imitarlo de botes rotulo de sua fabrica,
previne ao publico seus freguezes que a bem de
direito depropriedade sua.acressenta nos verda-
doiro boles de sua nurica umsoo com sua r-
ma e ensinuacao do nico deposito do legitimo
rap princesa nesla provincia. A vista do ex-
posto,qualquer oulro rap inculcado com a de
nominacao assima be falcificaees as fabricas de
Estevfio Gasse nico inventor e proprietario do
rap princeza (feito no Brasil), tanto no Rio
de Janeiro, Babia, o em deposite no Mar-^
nhao, Para, assim como em Pernambuco na
ra da Cruz do Recife n. 38. 08)
2 Precisa-se de um portador que queira
partir j'. para ir a Ribeira do Lina levar urna
carta; quem estiver nestas circumstancias di-
rija se a ra Augusta no soto do sobrado n.
9. (5)
2Francisco Gomes de Oliveira embarca pa-
ra fura d* provincia trez seus escravos, a sa-
ber : um .reto de nomo Jos, nacao Angola ,
idade de trinta anuos, urna prcta, Josefa e urna
dita Antonia com urna cria ambas crioulas,
e de 25a30annos de idade. (6)
L
_


h
RVV.TM-;'**.^,
Aluga-se urna canda do carreira muito
boa para r> lempo de fiesta etambem se vende;
na ra do Rangel n. 11, a fallar corn Loil Jos
Marques.
D-se 1:500? rs. a premio, com hypo-
theca em alguna predio livre ; na ra eslreita
do Rozario venda que faz esquina para o pa-
teo do Carmo.
reinos recentemente chegados de Inglaterra silo
de primeira qualidade, promettem agradar aog
si'iis freguczes tanto na qualidade da mo
d'obra como no preco e promptido. (16
2 HOTEL GOMMERGI AL.
' Ra do Trapiche n. 40.
L. Roberts respeitosamente informa aos seus
amigos e ao publico, que pdem ser accommo-
Aluga-sc am sitio na Passagem-da-Mag- dados n> seu estabelecimento com almoeos, lan-
dalena com urna excedente casa de viyenda ;
na ra da Cadeia n. 33.
Precisarse de um forneiro, que seja ca-
paz de desempenhar bem a sua obrigacao ou
um amass.tdor quosaiba bem cortara massa;
no pateo da S. Cruz n. 6.
1 Precisa-sede um feitor para sitio; na
ra da Cruz o. '2
1 Manoel de Souza Guimares vai a pro-
vincia de Maccio tratar de seus negocios, ese
alguma pessoa se julgar seu credor, haja do Ihe
apresentar o titulo no praso de 3 das ainda
que se ulga nada dever a pessoa alguma. (i
1 Precisa-se de urna multar, que queira
ensinar a una mulata a engommar na casa de
sua senbnra as horas que tratar ; na ra de
Agoas-verdes n. 66. (1
D-sedinheiro apremio sobro penhores
doouro, ou prala em pequeas quantias;
na ra das Larangeiraa n. 23,
Quem annunciou querer a colleccSo d >s
Diarios de Pernambuco do mez de Novembru
de 1842, dirija-so a ra das Trincheiras n. 46,
primeiro andar.
Precisa-se alugar 4 prctas para venderem
azeite de carrapato pagando-so vendagem a
320 rs. por caada ; na ra do Padre Florian-
no n. 72.
1 Antonio Jos do Oliveira declara quo
havendo mais nomes iguacs ao seu, de boje em
diante lica sondo Antonio Jos de Oliveira Ra-
mos. (4
t los de Bitancoart Amarante, agente do
arrematante do selo das cartas de jogar, na fre-
guesa da Boa-vista previne que a nica par-
te destinada para as vender lie na venda n. 88,
defronte da Matriz por este mesmo annuncio
faz sciente as pessoasda dita Ireguezia que as
possuem para vender que elle annuncianle
as compra pelo seu justo valor, isto no praso
de 3 dias depois do presente annuncio. (9
Roga-se ao Snr. Reverendo que na ca-
pella privada do palacio dcS. Exc. Revm. o Sr.
R. Diocesano baptisou um Bine de Joao Sim-
plicio de Araujo Caldas e de sua mulher Joa-
quina Ignez do Espirito Santo no mez de Ou-
tubro a Novembro de 1838 cujo prvulo leve
o nomo do Joao baja de annunciar sua mo-
rada para ser procu-ado a negocio de interesse
espiritual.
Aluga-se urna preta para vender na ra!
no Corredor-do-Bispo n. 8. *
Lucio Ignacio de Athahydc retira-se para
fura da provincia.
Quem annunciou querer comprar um
tronco e a collcco do Diario de 4842 diri-
ja se a Fora-de-poitas ra do Pillar n. Su ,
segundo andar
as lojas do sobrado n. 3 da ra Augusta,
mooas Sonhoras Anna Joaquina dos Anjos ,
o Maria Izabel da Visitacao e em nenhuma
destas lojas habita o Sr. Jos Goncalves do Sa-
cramento Braco-forte como diz seu annuncio
publicado no Diario n. 188, o qual annuncio
desta sorte fica respondido.
I Miguel Rodrigues Vieira, subdito Por-
tuguez, retira-se para fura do Imperio. (2 '
i Aluga-se urna preta para ama de lcitc ;
na casa da viuva Cunta Guima raes, confron-
te a Uidcm lerceira de S. Francisco. (3
Aluga-se, ou vendo-se um sobrado do um
andar e soto com quintal o Ciiuba sito na
ra do Fagundcs ; a tratar na ra do Cabug,
loja de miudezas n. 1 C.
3 Aluga-se a casa n. 38, sita na ra da Au-
rora ; quem a pretender, dirija-so a ra da
Cadeia do Recife n. 40 a fallar com Joaquim
Goncalves Cascan. (4
CARROS DE
ALUGUIiL.
Adolphe Rourgeois abri um estabelecimenlo
de carros de aluguel no principio da ra da
Aurora por baixo do sobrado do Sr. Moraes ,
no qual acharad as pessoas, que precisarom,
carros acetados o por preco commodo. (8
5Jolinston Paler & ('.. leem constantemen-
te a venda taixas de ferro balido e coado mo-
endas de forca de 4 a 0 cavallos baix e alta
presso ludo por preco commodo : na ra da
JMade de Dos n. 5. (5j
3 (j proprietarioda barca de banhos preci-
sa ainda, para concluil-a do dispor de mais
algumas acides ; roga-se portanto as pessoas ,
que dosejao, que esto estabelecimenlo prospere,
quesedignem dirtoir-se a inesma barca para
alli inscrever seus nomes. (fl
6 Vl.'-Callum Companhia respeitosamen-
te avisao aos senhores do engenlio e ao pu-
blico em geral que na nova ra do Brum, que
passa por detraz do Arsenal de Marioha leem
eslabelecido urna ferrara ( sendo a ultima do
lado do poente da mesma. ru), onde fazem
caviltioes, atracadores, parafmoa de apellare
outras ferragens para engeiiho, eixos trilhos e
ches,, jantares e ceias tudo com o maior aceio
possivel, e por preco muito barato sendo a
comida feita a moda franceza eingleza; no mes-
mo estabelecimenlo tom excellentes quartos,
que servem at para accommodar familias (10
1 =Deseja-se saber se existe na-villa das Pia-
bas o Sr. Antonio Xavier Poixoto Portuguez,
e sendo que algum Sr. desta praca tenhaalgum
negocio com o dito Sr. ,tenha a bondade de an-
nunciar por esta folha. (8)
U Coronel Antonio Alves Vianna em-
barca para o Rio de Janeiro no brigne Princi-
pe Augusto Capillo Joaquim Soares Mearim,
o seu escravo do gento de Angola de nome
Jos, idade27 a 28annos eollicalde tonoe-
iro. (6)
8O agrimensor, abaixo assignado, olTerece
os seus serviros as pessoas que tiverem proprie-
dades a demarcar e afianca a mais escrupulo-
sa exactido e o maior zelo no desempenbo da
sua arlo ; devendo todos os que do seu prest -
mose quizorem utilsar,dirigirem-se (porcarta)
ao mesmo abaixo assignado na Rua-direita
sobrado n 121. Joaquim da Fonteca Soa-
res de Figuei/edo. (9)
modernos padroes a 320 rs. o estreitas a 240 rs.
merinos al de 1120 rs. o covado mantas de
sutim c de fil de lindo
lele damascos do la
preco commodo ; na ra do Crespo lojas
II e 12.
boas sarjas para coi-
u outras fazttndas por
118.
1Vendcm-se chapeos do Chile entre-finos [
chegados ltimamente do Rio de Janeiro ; na
ra do Collegio loja de fazendas n. 1. (3 '
Vende-se urna casa terrea sita na ladeira
da Misericordia com solfrivel quintal ; a tra-
tar na ra do Amparo venda n. 7.
Vende-se urna casa terrea na ra do Al- \
jube em Olinda por barato preco; a tratar nos |
Quatro-cantos, sobrado de dous andares que
(az esquina para a ladeira de S. Pedro, ou na
ra do Vigario n. 23. 2 No dia 19 do p. p. fugio um preto do.'no-
Vende-se um negro da Costa ainda mo- me Joaquim de naco Angico de vinte e tan-
co, quo trabalba no trapiche da Companhia; no tosannos com riscos no rosto da sua naco
Escravos fgidos
mesmo trapiche se dir quem vende.
Vende-se espirito de vinho de3Gzrc;s, em
porcaoa 1/ rs. e em urna so cariada a 1280
rs. ; na fabrica de espiritos na ra de S. Rita
n. 8o.
Vende-se umsellim e urna manta de pe.'le
de onca usada ; na ra do Sebo n. 8.
1Vende-se urna escrava de nacao, de 22
annos de bonita ligura, cosinba bem, lava ,
e engomma; urna dita de 20 annos, com as
inesmas habilidades'; um moleque de naco,
optiaio para todo o servieo por ter muito bou
estura regular, secco do corpo falla meia em-
barazada muito alegre quando est fallando o
I est sompre rindo-se tem principios dosurra-
! dor, pois eslava a 3 mezos aprendendo, e gus-
ta muito de mudar o nomo para o de Miguel
levou calcas de estopa grossa e camisa do ris -
cado de quadros azues c brancos ; quem o po.
gar leve a ra larga do Rozario n. 21, que se-
r gratificado com 25/rs. i2
2 No dia 22 do Julho do correte anno fu-
gi/ao do engenho Guerra comarca do Cabo
de j/asa de sou senhor Antonio Mendes da Sllta
conducta ; 3 escravos de naco pecas pro- dous negros com os signaes seguintes ; Ina-
Co muras
1 Compra-si efectivamente nesta Typogra-
phia toda a qualidade de pannos cortados ou
velhos, sujos, ou limpos aparas de papel, pa-
pelo e toda a qualidade de papis velhos. ,4
3 Compra-s um quarto novo grande e
possanto capaz de carregar um pagem em urna
viagem de 50 legoas; na ra Augusla casa n.
40 casa que se esta acabando.
3 Compra-se um preto cosinheiro e os; to-
do o mais servico sem vicios nem defeitos: na
ra Direita n. 8, a tratar com Vicente Ferrei-
ra Gomes. [h
3 Compra-so urna rede escura para tipoia,
que seja nova ; na ra Nova n. 07. (2
2Compra5-so 15 milheirosde lijlos de al-
venaria ; no Atterro|da Roa-vista loja de fu-
nileiro n. 79. (3
Compra-se um sellim inglez em meio uso,
com lodos os seus arreios; quem livor annun-
cie.
Compra-se um negro bom cosinheiro ;
na ra Nova n. 21).
Vendas
3 Vendem-se duas varandas de ferro, com-
pridas 4 pedras de sacadas. 450 pedras de
marmore para ladrilho 70 taboas assoalhode
louro j promptas tudo por preco commodo ;
na ra da Cadeia de S. Antonio u. 15, segundo
andar. f (6
3Vende-se urna armacaode loja envidraca-
da em urna das melhores rus desta cldade ,
por preco commodo ; a tratar no Atierro da
Roa vistan. 75. 4
3Vende-se um bom moleque para o servi-
co de campo ou outro qualquer ; na ra No-
va armasem n. 67. (3
3 Vendem-so 8 escravos sendo duas ne-
grotas de 16 a 18 annos C9sem eogommo e
cosinho do bonitas figuras, sam vicio alaum:
Mpretas do 20 annos ; duas negrinhas de 10 a
12 annos proprias para todo o servico ; urna
mulata de Iannos recolhida de boa figura
e com algumas habilidades; na ra Velha u. 111
3 Vende-se larinha de mandioca de boa
qualidade a preco favoravel ; a bordo da lan-
cha Anna, fundeada em fronte do Trem. (3
3 Vende-se por preco commodo para le-
char coritas um piano perpendicular.de um dos
meihores autores ; no largo do Corpo Santo
n. 17. ,4
3Vende-se um terreno com 60 palmos de
frente o 500 ditos de fundo com a frente para
a estrada publica da Magdalena antes de che-
gar a Gamboa ; na ruu das Larangeiras so-
brado n. 5. (5
3 Veade-se urna propredade de pedra s
cal, com um pequeo sitio e com expaco na
frente da estrada para se edificar mais duas
casas, na villa de Iguarass ra de S. Sebas-
tiao ; a tratar na ra do Rozario n. 39 ou na
ra do Queimado loja n. 18 ; nos nesmos
lugares tambem vendem-se 30 o tantas caadas
de ateite de carrapato. (8
2Vende-se urna negra cosinheira ; na ra
da Cruz n. 21. (2
2 Vende-se um livro de instruefao para
guarda nacional, por Domingos Mondine Pes-
taa ; na ra do Pillar n. 141.
Vendem-se 40 pipas do ago'ardente, ates-
tadas e rebatidas promptas para embarque ;
a fallar com Claudio Dubeux na ra das La-
rangeiras.
Vende-se una duziade cadeiras um.ca-
nap em bom estado urna pipa o una quar-
outras ferragens para carros parafuzos o por- (ola arqueada de ferro para azeite de carrapato,! mos de largura a 500 rs.
cas de todos os tamaitos, ferragens para na- faz-selodo o negocio ; na ra da S. CruzJ, so-
vios varandas, portaes, carros de rno e todas brado n 14, das 6 horas da manha as.'dua.
as mais obras de ferreiro; e como os seus appa- da tarde.
prios para qualquer servico; urna escrava de
nacao, de 30 anuos lava ecosinha por 300#
rs. ; na ra Direita n. 3. ,9
Vendem-se duas moradas de casas terreas
de pedra e cal, sitas na ra de S. Miguel dos
Affogados em chaos proprios, por preco com- soque o oolro
modo ; a tratar no mesmo lugar n. 21.
1Vende-se urna escrava mor; sadia en-
gomma, cose, ecosinha ; na ra da Assump-
cao n. 16. (3
Vende-se um mulatinho de 12 annos, mui-
to bom comprador e servente do urna casa ;
urna preta de 30 aiios !a*aucira e vende na
ra por preco commodo ; na ra larga do
Rozario loja de miudezas n. 35.
Vende-so a venda n. 2 da ra Imperial ,
com os fundos que pretenderem ; um braco de
balance [grande com conchas e correles de
ferro e pesos al 100 arrobas ; urna rica me-
sa redonda de meio do sala ; urna porco de
caixas vasias do Porto tudo por barato preco;
a fallar com Joaquim Pinheiro Jacome, ou na
mesma venda.
Vende-so urna escrava de 18 annos re-
colhida engomma, cosinhae faz todo o mais
servico de urna casa ; duas ditas cosinheiras e
lavadeiras ; urna dita quitandeira ; urna mu-
a Nidia de 20 annos perfeila engommadeira ,
coslureira e faz lavarinto ; um mulatinho ,
proprio para pagern ou officio ; um dito pe-
dreiro mesmo de semalha ; na ra do Fogo
ao p do Rozario n. 8.
Vonde-so mel do pao a 320 rs.^a garrafa ,
azeite de coco a 280 rs. dita urna barretina e
chapa para guarda nacional, por preco com-
modo ; no Forto-do-Mattos, ra do Codorniz
n. 4.
IVende-se urna negra, que sabe cosinhar ,
lavar e engommar perfeilamente ; na casa da
viuva Cunha Guimares confronte a Ordem
lerceira de S Francisco. (4
Vendem-se chapeos do Chile chegados lti-
mamente do Ric de Janeiro ; na ra do Crespo,
loja n. 19, de Joaquim Maia da Silva.
1 Vende-se urna propriedade do casas de
3 andares e mirante com bom armasem, na
ra do Amorim n. 37 com fundos para a ra
da Mocda muito bem construida e muilo
prxima a Alfandega grande ; a tratar na mes-
ma ra n. 36. (f>
iVende-se o tresenario de S. Francisco de
Paula a 200 rs. ; as lojas do livros dos Srs.
Santos & Companhia atrs do Corpo Santo e
arco de N. S. da Conceicao ; viuva de Cardoso
Aires ; ra da Cadeia do Recife ; e em S. An-
tonio |,rara da Independencia ns. 6e8; na
ra do Collegio n. 13 ; o pateo do dito n. 2. (7
1 Vende-se um oplimo escravo serrador,
de nacao Reny ; na ra doQueimado, loja de
ferragens n. 35. (3
1 Vende-se um bom sof de Jacaranda, no-
vo feito com muito gosto por preco commo-
do ; na ra eslreita do Rozario, loja n. 32. (3
1Vende-se farinha de mandioca de Crave-
las a \fi rs. o alqueire novo e bom milho em
saccas a 3500 rs. ; no pateo da Penha arma-
zem n. 7 e na ra do Aragao n. 37. (4
Vendem-se castores a IfiO rs. o covado ,
chitas francezas, muito largase de coros (xas a
260 rs. ditas escuras de ramagens padrdes
modernos a 200 rs. chales de cassa com qua-
dros de cores a 440 rs. merinos de cares dos
enfeslados a 1800 e 2000 rs., chapeos de cas-
tor pretos e brancos fra da moda al/ rs., ve-
llido preto com algum mofo a 1/ rs. e outras
multas fazendas ; na ra do Qucimado n. 29 ,
loja de Novaes.
Vende-se panno fino preto e azul a 2200
rs. o covado, casimiras de quadros por mdico
preco, modernos corles do vestidos de lanzinha
a 6/ rs. ditos de cassa pintada a 1280 e 2200
r-., riscados finos a 200 rs. e escocezes da moda
para vestidos a 400 rs. fustao branco o pinta-
do a 400 e 560 rs. castores de listras proprios
para calcas a 200 rs. o covado brim trancado
pardo de linho a 440 rs. e proprio para escra-
vatura a 280 rs. a vara pecas do bretanha de
algodo com 10 varas a 1900 rs. cassas pin-
tadas escuras a 200 rs. e finas matizadas de co-
res a 240 rs. atualhado do algoaao com 8 pal-
a vara excellentes
guardannpos a 2'tOO rs. a duzia, camisinhas,
coilas e vestidinhos arrendados para criancas
estes a 800 rs. e aquelles a 400 rs. alcatifas de
ci cric 'U'rt. baixo, grosso, cor um tanto verme-
Iha ph rnasgrossas e mal feitas, canellas agu-
das ps ,'rossos, dedos rombudos : Adriao, do
Angola, ba!* grosso, rosto secco o (alnado,
pomas finas. arqueadas, um joelho mais jros-
ps descarnados, he rendido
das verilhas W'n no lJulso da mo direita um
carosso; quemov' entregar ao dito Snr. ser
bem recompensado (13
2Desappareceo do abaixo declarado no dia
12 do corrente o seu n.,')llqu(! de nomo Bene-
dicto de estatura bax-o, ^de 14 a Ifl annos, sec-
co do corpo um tanto 1 ula peinas um tan-
to cmbalas e urna dellas.'com urna pequea
marca de ferida na canella, n/nceiro no andar,
e alguma cousa banzeiro ; lo,''0" camisa e ce-
roulas de algodzinho j sujas e velhas chapeo
de palha novo mas usualmenle a"da sem cha-
peo ; elle nunca fugio e por issi.' suspeita-se
que talvcz tenha sido seduzido ; rog "-se a to-
das autoridades capitaes de campo, u outra
qualquer pessoa que o encontrar de o appre-
hender, elevar ao Recife, na ra das Trin-
cheiras n. 22, ou em Api pucos em casa de Joa-
quim do Reg Rarros Pessoa que satisfar ge-
nerosamente todas as despesas. () 7
3 Ausentou-se da casa de seu senhor o es-
cravo Jos Babia de nacao Congo parece
crioulo, alto, magro, cara pequea, olhos gran-
des bons denles, e pernas grossas ; he bem
conbecido nesta praca por carregador de cadai-
ra tinha urna corrente no p em consequen-
cia de outra fgida quo elle havia feito; quem
o apprehender uu fizer com que elle seja pre-
so recebor 50# rs. degralificacao de Luiz Go-
mes Ferreira. (9
No dia 20 do corrente fugio urna nogra de
nome Rosa de nacao Costa alia secca do
corpo, ps torios um dente da frente aber-
to levou vestido de listras encarnadas pan-
no da Costa foi encontrada a noute em ponte
de Ucha ; quom a levar a seu senhor em F-
ra-de-portas n 45, ser recompensado.
Fugio um escravo de nome Pedro de na-
co Congo, de 30 annos, baixo e grosso as-
suissado tem unta belida em um olbo ; este
escravp veio a pouco lempo do Aracaty remet-
tido a Jos Dias da Silva ; quem o pegar, leve
a ra do Qucimado, loja du ferragens n. 10 ,
ou na Passagem-da-Magdalena sitio de Joao
Ferreira dos Santos que ser generosamente
recompensado.
1 Do lugar da Estrada, alm do Caxang
fugio um negro de nacao Angola de altura re-
gular, moco carafeia nariz mal feiio cores
falta de um dente na frente um eochaco na
monheca de urnas das maos, algumas cicatri-
ces de ponta de lacea pelas costas ; quem o pe-
gar, leve ao mesmo lu^ar a seu senhor Silves-
tre Dantas Lima ou nesta praca no segundo
andar do sobrado n. 16, na ra de S. Francisco,
defronte do theatro vcllto que se gratificar
generosamente. (H
1 No dia 22 do corrente mez desappareceo
desta praga um negro de nomo Joaquim que
representa ter 30o tantos annos, de altura re-
gular, bem preto, o qual he de Angola mas
muilo ladino lio bolieiro ; levou caigas o ca-
misa do algodao ; pertence o dito escravo a
Francisco Antonio de Oliveira, quo generosa-
mente gratificar a quem o levar na ra da Au-
rora n. 26.
1 Do engenho das Matas, freguezia do Ca-
bo,fugirao no dia 19 do corrento 3 escravos com
os signaes seguintes ; Jernimo, que represen-
ta ter 45 annos, alto, secco, bem barbado, cabel-
los brancos, pomas finas e arqueadas: Severino,
de idade pouco mais ou menos de 35 annos ,
estatura regular, secco, olhos vermelhos o abo-
tuados, rendido da verilha e tem as pernas
abertas: Paula do 50 a 55 annos, alta, gros-
sa, bem preta, robusta, bezuda, cabellos bran-
cos olhos vermelhos e abotuados ; quem os
pegar, levo a ra da Gloria 11. 73 ou no mes-
mo engenho quesera bem recompensado. (13
Fugiu ha um mez o prelo de nonus Ma-
noel do naco Cacante cOr fula, alto, magro,
tem urna marta de tallio no pescoco 9 urna
marca de lerida na perna ; quem o pegar le-
ve ao armasem de Joo Gurroll ^ Fillio que
ser gratificado.
fleciri wTyp. ob M V- db Fahu. 18U.
^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFN9JQ1SD_IJF6U4 INGEST_TIME 2013-04-12T21:47:36Z PACKAGE AA00011611_05181
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES