Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05107


This item is only available as the following downloads:


Full Text
<&
r
tnode 1844.
O iakipublicase lodosos diasque nao forem santificados :
be da Irc mi1 rs. por qu.mel pagos adiantados. O
Quarta Fcra 26
de f un ho
o prego
u asignatura
/ Cambioa jobre l.ondre 'Jo,
ii PanS 3/0
12 '
Anno XX. 142.
' ~ ----------- |------------ ti i i i ii.iii 1111 i ii. -, ,i || ni VI" *\" '** '"BijiuBtuia
be dt Irc mi' rs. por qu.mel jugos adiantados. Os annuncioados assignantes sao Hiendo \ y>/
palia, e w '"' o forra !;;.; t 5G ic |ior imha A raalaaafSea deven s:r i.i- mka-'
gidaa <' lyp ra daa Cruies n. 34 ou 1 praga da Independencia luja de ITTOIB. fie jk^fv
PARTIDA DOS COKUEIOS TERRESTRES.
GoiAMH,e l'araJtyba,aegUBdaeo srxiaa feirasKio Grande do Norte, chega a 8 e 22 c par
leiHde'JiCabo, Serinhaem RioFonMMO Mi,evo, l'orloCalvo, e Alagoas: no i -
ii e 94 dcada mes. Garaahuaa e Bonito a ,'e H de cada mci Boa-vista e Flor
esa 19* 28 d.lo. Cida le da Victoria qnialas feiras __Olinda ludas os diaa
DAS DA SEMAKA.
24 Seg s. Jo.io llpliila. Aud. do J. de I), da 2. y.
25 Totea Cuillierme Re, aud do J. de D.da 3. y.
26 Qiiarla i Virgilio Aud do J. de D. da 3. y.
J7 Quintil. LatfialaO Aud do J de D da 2. Y
2 Sextas. Albano. And do J de 1) da 2. v.
2! Sal. s. ledro. Hel. aud. do J. de D. da i. y.
.'O Doin A Pureza de N. Sra.
M.^i,ys-*-tim i,.t; ?- wijm-- i^:i,:ttta
ludo agn depeadg de ns muraos; i* nosi prudencia, -vnderaglo* energa: ow-
lintiemoa como principiamos screm.n apuntado* oon idrBiragd entre aa riegues raais
;!'.
o i.im.1 :.i.
lea C.-rs' do arartl.)
compra
ctMBtos Ko DIt .3 HK man.. compra Yenda
lOur.-Moedad ,400 V. 17.3(lo 17.5UU
reia por franco "I .. a N. 17.1U0 1V><'<
Lisboa 112 por 1UU de premio I .....I* 4,00- IMiW !M,"
|PraU--l*alac6ei l.'.'liO y
-urda de cobre ao par | Pesos cnlwnaflarea 4.9*1 .y*
dem de letras .!e boai firaBM 1 a l|t.0|Q ( Ditos auiioanoa 1,860 .9&U
PHASES D\ LA >0 MEZ K JIMIO.
La cheiaa.lOae chorase b6 an. da uia.,1,.,, il.ua nota a 15 as 10 luirs efi mn. da tarde
HiafOMM a-7 a ti hr,9 t S u.ni la Urda I Crescente a 23 as I h S as daiar.le.
Vreamar de hoje.
I'rimeira as 1 horas e I atin da ..ulna. |vi;und. asi lloras e 42 minutos da tarda

- ilW OB*ir'.1KINMKgqMHfr*mimlia f -
v nLiSh^i.

PARTE OFF.CIAL.
Iielatorio da ipar tifia dos Negocios do Im-
perio, apresentado Assembla (ierai Legis-
lativa ni lerceira sessoda quinta legi'latu-
ra pelo respectivo Ministro Secretario de
listado Jos Carlos Ptreiru de Almeida Tor-
res.
[ContinuacAo do n." antecedente.)
Industria.
Acha-se estalielecido, por Decreto de 3 de
Janeiro do correte anno, um Inspector para as
Fabricas do .Municipio da Corte, que leen) sido
protegidas pela Assembla Geral com loteras;
incumbindo quclle Inspector visitar as referi-
das fabricas, verificar o numero de seus traba-
Ibadores, e fiscalisar a sua marcha mormente no
que respeita as condices, com que Ihestcem
sido oulorgados os auxilios.
A Antonio Cieutat eCompanhia foi concedi-
do o privilegio exclusivo por cinco a unos para
oina fabrica do courosenvernisados pelo metbo-
do, que elles descobriro: he de esperar que
esta industria, inteiramenle nova entro ns, se
arreigue, e consolide, libertando-nos da depen-
dencia, em que temos estado, dos estrangeiros
a respeito deste producto, cujo uso milito se tem
hoje generalisado no Brasil. Privilegio seme-
Ihante, e por igual lempo, foi tambem conce-
dido a Jos W'amosi para o fabrico de velas de
estearina pelo methodo, e systema de sua inven-
cao e melhoramento.
Segundo refero o Presidente da Provincia da
Habia no Iielatorio ltimamente apre'sentado
respectiva Assembla, a fabrica de moer trigo
vai prosperando pela inlatigavel constancia de
sou propietario: urna de fazer papel comeca a-
gora a trabalbar, e j forneco aquelle genero
para os jornaes; sendo de esperar que, desem-
barazada das diftlculddes, tjuc sempreohstao io
andamento dos Kstabclecinientos novos, se po-
nda em estado de forneci r o necessario para o
consumo de todo o Imperio: as de rap prospe-
rao, ln'iii como algumas outras; mas a de sabo,
que foi protegida com privilegio exclusivo, vai
em decadencia.
O estado da industria na Provincia le Goyaz
Le deploravel, segundo o Iielatorio ltimamen-
te apresentado i respectiva Assembla: apenas
all existom curiosos em offici. s mchameos, e
esses mesmos sao em tao diminuto numero, que
de nenhuma maneira chegao para as necessida-
,le .! Dsiv DB*niln I*.. n....,n tnmr\r\ i\lt^
... < .iw i ai/.. .... ..n,.-., .,,; ;...... w i, i. j.w, uiu
l'rancezes pela Capital da Provincia com desti-
no ;: de Matto-Grosso, conseguio o Governo
Provincial que tres desses 'Franceses all se esta-
belecesserii, sendo um delles marecneiro, outro
carpititeiro, e linalmenle outro ferreiro. Por
este fado podis fazer approximada ideia do
resto.
A gencrosidade do nosso Cnsul Geral nos
listados Unidos devtmos os oito primeiros n-
meros de um jornal publicado naque le Paiz a
respeito de machinas, e estradas tie ferro: esta
obra foi recolhida Bibliotbeca Publica, para
poder ser alli consultada pelas pessoas, que de-
sejarem fazel-o.
f'opula{o.
Pelo mappa junto conhecereis o numero dos
baptismos, ca/.amentose bitos, que tiverao lu-
gar no Municipio da Corte no espado do anno
passado.
A estatistica da populacao tem sido objecto
dos cuidados da Presidencia da Provincia do
Rio de Janeiro; mas anda nao tem ella podido
formar um quadro completo deste importante
objecto; entretanto com os elementos, que j
existem, urna ideia approxininda so pode fazer
tlelle, e MM8elemento* doo resultado segum-
te nao entrando no calculo a popolacSo las fre-
Rueziaa de Itamby. Trndada. Oaisaaman e Ga-
pivary. a respeito tas <|unes parece que nenhuns
esclarecimentos recentes, nem antigos, existem
na Presidencia. A populacao livre compoe-se de
99.930 homens, e de 96.996 mulberea, lor-
mando o total de l(i !'2(> pessoas: a populacao
captiva compoe-se de lo0,95 homens, e de
89.'262 mulheres, formando o total de 239,557
individuos, resultando destassommas parciaes a
geral de436.483 petsoat. OChefe de Polica
da Provincia, comparando o resultado dos es-
clarecimentos anteriores com o dos actuaes,
pensa que desde 18,0 a populacao tem tido al
agora um augmento de mais de 29.000 pes-
soas-.
Em um mappa annexo ao Rotatorio da He-
partigao boje a meu cargo, apresentado em
1840. deo-se ideia da populacao da Provincia
de S. Paulo: parece que da data dos esclareci-
mentos, que serviro para se apresentar u resul-
tado constante d'aquelle mappa, nada se tem
adiantado at boje sobre este importante objec-
to, nao obstante as diligencias da Presidencia, e
0 preceitode Le i Provincial; ao menos assim o
faiem presumir as expresses do ultimo Relato-
rio do Presidente. Segundo este refere, apenas
Ihe tinhio chegado os niappas da populafu das
Villas de Porto Feliz, S. Roque, Princeza, Ca-
pivary e Principe: o numero dos homens I i v res
nestas povoacoes hede 9.C51, o das mulheres
do 9.853, Mnima mo ambos 19.501 pessoas:
quanto aes.ravos, nao exceden) os de ambos os
sexos a 10.570 individuos.
Parece ter havidoalgum cuidado na Provin-
cia do Sergipeem colligir eselarecimentos sobre
a populacao della. No Iielatorio deste Ministe-
rio, a que cima me refiro, ja se mencionou
qual a poputacao da Provincia: agora trarei ao
vossoconhecjmenlo o que no ultimo Iielatorio
expvnde o Presidente sobre este assumpto, re-
lerindo-se ao annod> 1842. Segundo o mappa
por elle apresentado, nascrao n'aquelle anno
2.231 pessoas livres do sexo masculino, o
1.945 do sexo feminino, fazendo ambas estas
addices a somma de 4.176 pessoas: quanto aos
captivos, nascrao 618 rapazos, e 536 rapari-
gas, fazendo a somma de 1.154 individuos: o
total foi por tanto de 5.330 nascimenlos. CJuan-
to aos bitos, moi rrao 1.811 pessoas livres do
sexo masculino; 1.623 do sexo leminino, fazen-
do estas parcellas a somma de 3.434 pessoas:
quanto aos captivos morieran 591 homens, e
483 mulheres; fa/.endo ambas estas parcellas a
somma de 1.074 individuos: o total foi por tan-
to de 4-508 bitos. He muilo para sentir que
no quadro da morlalidade figurcm 344 mortes
violentas, comprehendendo-se neste numero as
repentinas, e as proveniente de desastres.
Ao zelo do nosjo Encarregado de Negocios
nos Estados Unidos devenios o conbecimcnlo de
Innliir < I < ci i ri i
tambem d alli se retirrao. Finalmente no cu-j de tomar vinganca das atrocidades, deque C-
rate da aldea da Pedra achao-se estabelecidos rio victimas grandes numero dos seu>, a noticia
Indios das tribus Corops, e Coroados, compu- de semelhante acontec ment afastar os outros
tando-se em 30 o numero das familias dos pri- para longe de ns, e lancar em seus cora^es o
meiros, eem 80 o das familias dos segundos, a germen de odio implacavel, ou, pelo menos,
estes se potlem aggregar outros da nacao l'uris, de perpetua tlescouliauca. as iminediacoes da
que vagueao pelos cerloes circumvisir.hos, em \ illa de llapua da I'axina aprtsentou-se urna
numero superior a 1.500. Urna grande porcSo tribu de Indios dolados de carcter dcil, e pa-
de Indios existe pelos cerloes da Pedra Liza, cuco, mostrando intencoos de lixar alli a sua
Carangola, Purise Pomba.
residencia: o Presidente da Provincia mandou-
>'o penltimo Iielatorio fostes informados to Ibes distribuir, por intermedio do Rarao de An-
projeclo do se estabelecerem dous ableamentos tonina, alguns objeclas, qnc elles apreciSo.
de Indios na Provincia do Espirito Sanio; do Ao Presidente da Provincia de Sfinas Geraes
t|ue a Prolirio dos Santos Lisboa se concedeo aprosentrio-so 12 bomens e4 mulheres, da
urna gralilicacao mensa! da iO.OOO rs. parucui- rata tos Rotecudos, pedindo-lho roupa, ferra-
dar nos humos conducentes a lealisaciio de taes menta, e mostrando desejos de possilir algumas
dldeamenlos; de que finalmente se havia suspen- armas de fogo: o Presidente os acolheo com al-
dido, por falta de fundos, essa gralilicacao: cum- fabilidade, e satisfaz os seus desejos. Ao Com-
pre-me agora trazer aovosso conbecimento que mandante do Destacamento do Sacramento a-
a mencionada gralilicacao foi restabelccida, c poentaiao-se 16 Indios Puris declarando que
applivada a quantia do 2:000,000 rs para as soqueriBo alli aldear, Para que o Presidente
"r*
ivdirn '*'?;;!!:!'?> '! -*1
quelles Estados: muilo seria para desojar que
as nossas cir umstancias nos perjnittissem de-
sempenhar trabalhos semelhantcs.
Calequese, e civitisago dos Indgenas.
Nao so tem o Governo descuidado de um ob-
jecto tao importante, como seja a enteqese e a
civilisicao dos Indgenas; e no intuito de pro-
movel-as enviou no ineiado do anno passado,
tanto desta Corte, como da Provincia da Rabia,
aove Missionarios Capuxinh s para a do Para,
o quatro para a de Sergipe. Passarei a relatar o
quo se encontra, e tem leito em outras Provin-
cias, principiando pela do Rio de Janeiro.
Na Provincia, do que trato, smente nos Mu-
nicipios de Campos, Nictheroy e Cabo Fri ex-
istem aldeamentos: nosde Itaboraby, Rezende,
-Mangaratiba e Valonea existem apenas vestigios
delles, e o resto das trras do seu patrimonio
quasi completamente invadidas O aldeamento
le Nictheroy he composto de 106 Indios de am-
bos os sexos: o rendimento arrecadado do seu
patrimonio anda em 250S rs. annuaes. Em Ca-
bo Fro houve urna aldea, em que boje existem
apenas 2 ou 3 Indios dos mais civilisados: os
outros, (ni numero de 350 a 400, andiio dis-
persos pelas trras de seu patrimonio, oceupa-
!as por foreiros, a quem os mesmos Indios tem
vendido! ssuas posto, ou por intrusos:.o rendi-
menlodo patrimonio regula animalmente eraris
1:600.000. Em Campos alderio-se primeira
.mente os Indios na Ireguezia denominada bo-
je de S. Antonio dos Guarulbos, donde, sem
dcixnrem vestigio, desapparecrao: foro depois
aldcados no lugar da freguezia de S. Fidelis, e
despezascom aquellacommissio, da qual se es- possa brindar esta gente, que espontneamente
pero vantajosos resultados. procura as nossasiclacoes, mandou o Governo-
Siio lavoraveis as informacoes, que o Presi- por a sua disposicao a quantia de 400,000 res.
dente da Provincia do Maranbao da emseuRe- Mui conveniente seria que na Le do Uicamen-
latorio a respectiva Assembla acerca da cathe- to consignaseis fundos, com que o Governo se
queso dos Indgenas. Em Pindarc acha-se esta podesse mostrar menos mesquinho neste objec-
belecida urna Missao margem do um ro pis- to: o (ioverno conli > muito na eflicacia das Mis-
coso, o navegavel por grandes barcos em todas soes como meio de civilisacao dos Indgenas;
as estacos, cercado de terrenos proprios para a mas sendo este acompanhado de presentes, com
lavoura, e creacao de gado, e de grandes mat- osquaes nao s seganlma boa vontade dos mes-
tas de uihdeira de construccao, o marcenaria. mos Indgenas; mas tambem insensivelmente se
N'a MissSo existem smento 150 Indios; mas vao inlrodu/indo entre^des necossidades, cuja
outros alli affluem em grandes bandos, mos- salisacao os obrigue depois a dedicarem-se es-
trando lavoravel tendencia para a civilisacao, e pontaneamente ao trabalbo, o resultado ser
pediniio que os vao buscar Na villa de S. Jo- muito mais prompto, e muito mais ampio.
s.;, comarca de Caxias, a cathequeso tem pro- Colonisuco.
duzido tambem satisfalorios resultados. Ser Tem se tratado na Provincia do Rio de Ja-
muito para sentir que tao osperancosos princi- nciro do cstabelecimento de Colonias. Com o
pios so vejao cortados em flor pela ambicio do subdito Francez Luiz Jos Maria Rergasse con-
bomens jierversos, o interessoiros, quo, calcan- tratou o Governo Provincial o estabeleciinento
do aos pesa Religiaoe as I.eis, nao duvido re- de una Colonia Agrcola de 600 pessoas, cujo
duzir os Indios a uina especio de escravidao. principal objecto deve ser a cultura da canna da
Contra tao nefando abuso expedio o Governo ao mellior especie, o labrico do assucar pelo syste-
Presidente da Provincia e ao da Provincia do ma adoptado na llha de Hourbon, a cultura do
Para, as mais terminantes ordens. caf, e finalmente a do tabaco; obrigando-se o
Passando a Provincia de Goyaz, a Missao he Emprezario, para n cultura deste ultimo gene-
empregada com proveito no Municipio da Ca- ro, e a manipulacao delle pelos processos mais
rolna. O Religioso della incumbido dispoo se vantajosos, a trazer entre os seus Colonos al-
a percorrer todas as aldeas, prometiendo remet- guns cultivadores da Virginia e Havana. O trans-
id a Presidencia da Provincia, no lim da sua porte de 638Colonos Acoranos tem sido con-
viagem, um Iielatorio circumstanciado do esta- tratado por aquelle Governo para as Obras Pu-
do, em quo as adiar, o das providencias, quo blicas da Provincia, as quaes se acha j em-
julgar precisas; o Guverno aguarda esto tra pregada urna parto delles. S Coionos penen-
halho. cenes 8 ompre/a de I.ndgero Jos Nolis j se
Ao zelo do Reverendo Rispo de Cuiab deve- adulo no lugar do seu destino. 59 Colonos
mos um quadro das Naces dos Indios, quo vi- Francotes, que chegrio ao porto desta Capital
vern na Provincia de Matto-Grosso; ccomquan- com deslino ao Estabolecimente do Pal untar na
lo o Ilustre Autor deste trabalbo o reconheQa Provincia do S. Catharina, forao contratados
por imperfeito, incompleto o talvez mesmo em pela Presidencia da do Rio de Janeiro, em con-
parte nao verdadeiro, pois quo em militas de- sequencia de assim o baverem desojado pelas no-
claracoes so guiou por informacoes de outras ticias do estado decadente d'aquelle estabeleci-
pessoas pela maior parte sem llustracao, tem ment.
elle bastante mercciinenlo, emuitoconviria que Segundo as informacoes chegadas. da Provin-
fosse imitado as outras Provincias, o com es- ca de S. Catharina a respeito da Colonisacao
pecialidado n'aqucllas, em quo abunda a popu- Francesa nos Kstabelecimcntos do Sahy e do
lacao indgena. .*>e pudessemes chamar civi- Palmitar, nenhumasesperancas restao de que
lisacio todos esses filhos da primitiva natureza, taes Estabelecimentos poni vingar: algumaso-
que errio pelo exlensissimo interior de nossos bras, (e essas de pequea monta) que os Colo-
incultossertoes, sem Lois, sem Patria, sem Re- nos li/crao, eslao urnas inutilisadas, outras ar-
ligiao, sem costumes, som industria, seria isso : ruinadas em consequencia de abandono. Ha no
para elles, e para ns, um beneficio de incalcu -! Sahy smente 18 Colonos, sondo destes 9 ho-
lavt'l grandeza. mens, 4 mulheres e cinco criancas; e no Pal -
Lamenta o Presidente da Provincia de S. mitar sement 20 Colonos, sendo destes 10 ho-
Pauloas oceurrencias, que tiverao lugar no mens, 4 mulheres e 6 criamcas: todos os ou-
Campo de Palmas cuja nascento Povoacao vio tros Colonos leem desapparecido. O Governo
comproniettida a sua existencia por impruden- tem assentado em nao fazer mais despeza algu-
cia do Commandante da Companhia do Muni- ma com este Estabeleeimento. nemeom o trans-
cipaes Permanentes alli estacionada, o qual,! porte de novos Colonos para elle,
som motivos legitimos, provocou os Indios, cj No penltimo Iielatorio da ReparticSo actu-
levou os ao maior excesso detlescsperacao. Pre- almente a meu cargo fostes informados de que
sume o Presidente, aue aouello aenntWiiiMtnfn j havia atttori nao produ/ir os resultados, que razoavelmen- Companhia Relgo-Rrasileira para a formacio
le se devino temer; mas he Lem provavel que de Colonias de Agricultura, Industria, e Mine-
essa presumpcio se torne illusoria, attento o ca- raciona mosmaP.de S. Catharina; o como
racter dissin ulado, e vingativo dos Indios: elles nao tivessera sido anda approvadas pelo Corpo
naoesquecrao a barbaritlade inaudita, quo com Legislativo aquellas das condices do respectivo
elles se praticou; mas quando mesmo deixem j Decreto, que dependido dessa approvacio; e ap-

I


TI
r .-
1
t
.--.
pa recom o sobre Colonisacao um Projcdo, j
adoptado por uina das Cmaras, e con cujas
disposkes o Governo se conormava; ein No
veuihro do anno passado se elpedio aviso ao A-
gentc d'aquella Companhia, o Cavalleiro Van
Ledo, paiaque nada udianufsse no sentido das
dit s c >i '. n. quaes us oircuntstancias
ponderadas, pareca nao deveretn sor levadas a
efleito: acabao porm dechegar ropresentacoes
de nao pequea ponderarn por parte do mes-
mo \ ao Ledo, allegando o estabelecimento da
alguns fundos
Companhia, o adiantaiuenta do
dola, e at o engajainunto de avultado numere
de Colonos; o o Govorno lendo submetiido este
negocio a Seocjo respectiva do Conselho d'Ks
tado, aguarda seu parecer pura resolver oque
inollior conviersobre lio importante objecto.
Na Provincia da Babia nada 83 tem adjunta-
do a respeito do Colonisacao. Um Subdito
Britnico, agradado du clima, e do (miras eir-
cuustancias, manilestou desejos de all formar,
de companhia iMiin/ulguns amibos seus, Ksta-
beleciruentos de Agricultura com bracos livres,
dando assim emprego a seus capitaes, para os
quaes o n3o p.ule achar na Europa pela falta
do ierras devolutas, e superabundancia do po-
pulacao. Para dar principio sus nmpreza,
dirigi** ao Presidente da Provincia, por in
termedio de um Procurador seu, solicitando
que le Ihe declarasse qual o melhor Titulo, com
<\u cincuenta, uu cen Capitalistas Ingleses,
dispostosva.se estabelecerein como I aradores na
dita Provincia, poderlo adquirir decein a tro
entas mil tarlas de torra em um, ou inais lo-
tes, no circuito da liahia ou no seu interior;
e-qual ser o custo dcsta Ierra. Consultou o
Presidente au G iverno Imperial sobre a ques-
tlo apresentada mas nao havendo por ora
cousa alguina definitivamente resolvida sobro
Colonisacao, e venda de Ierras, e sendo de
presumir que brevemente se regule este objec-
to, o incs.no Governo julgou acertado deferir
para cntlo asolucfio pedida. O Presidente da
Provincia considera de grande importancia esto
empresa, e esl i persuadido de que so as mar-
geos do Rio Gran le de Bol monto ba terrenos,
por onde ainda vaglo os Gentos, que podem
conter inais de quatro tiestas (lolonias, as quaes,
por conveniencia propria, ira melboraodo a
navogaclo do niesino Rio em proreito tanto
d'aquella Provincia, como di de Minas Go-
la os.
Saude pul/la.
lie com profunda magua que timbado com-
muricar-vos quo, depois do ultimo Relatorio
dd Repartilo bojea ineu cargo, esta Capital
continuou a ser aocommettida de ledros mort-
feras, quo muito devastarlo a sua populacho
Aquelle terrivel mal succedeoo de iiicommodo
mo,tinais, que, felizmente, nao so aprsen-
la rao com carcter grave Km urna, o nutra
conjunctura o Governo Imperial consultou as
possuas, queo podilo coadjuvar com as su is
luzes, e doo as providencias, que esta vio ao
seu alcance para prevenir o mal, <>u attenuar
sua intensidado : felizmente elle so acha boje
xtinclo. Nio tem o Governo motivos para
arredilar que aquellas febres so eslendessom
tdm da Capital, suas immediacSes, o do al-
ivios lugares da Provincia do Rio de Janeiro,
que com ella entretem mais frequeotes com-
municacoes, Um, ououlrooaso solado an-
pareceo no interior da Provincia ; mas nio se
pude allirmar ge o termo fatal de alguns dello>
mais procedeo do carcter, e intcnsidade da
molestia, do que da falta do Facultativos, da
impericia do alguns delles, do abandono dos
doentes, e da demora as applioacdes.
Se cessarfto as febres escarlatina, o lipboido,
e os outros incommodos, viero as bexigas, as
quaes, como informo o Inspector da \ accina,
tem, nostos ltimos me/os, coi fado nio peque-
no numero de vidas Polo que elle expende,
parece que as pessoas vacunadas nao esto al>
Sbitamente livres de sor accoinmotlidas desta
enfermidudc ; nota porm que nesgas pessoas
ella be benigna. Anda quando da vacuna se
tire smente esto resultado, be elle de summa
importancia, e do nenbuma maneira se devo
menosprezar aquelle preervativo. O numero
das pessoas vaccinadas no Begundo semestre do
iinn passado sobo a 2,5 $1, quando o das vao
ciliadas em todo o anno de 181 foi simiente
de 2,820 Nio sotando notado nunca repug-
nancia nos habitantes desta Capital em sea
proveitarem da vaccina, a compareci dos re-
sultados, que acabo do expor, forneco urna
prova de que tem havido grande augmento na
populadlo da mesma Capital.
O Regiment dado as InspeccSes de .Saude
em 29 do Janeiro do anno passado acha se em!
execucao, e nao consta por ora ao Governo que
ella luiiiu ,.r.. u.i..i.. diii uiia ios projudiciaes
de 26 de Janeiro deste anno, a Gralificaco! outra recebendo madeiramento e os alicorees
de outra ennsideravel parte com a contara con-
veniente at o vigameuto do primeiro andar.
As obras do campo Santo vo continuando len-
tamente poj nao ser possivel distrahir para el
las rnaiores sommas emeonsequencia das obras
do novo Hospital.
A casa dos Expostos leve de Receta ordina-
ria no citado anno Compromissorio da Santa
casa, ris 28.122s617, e de extraordinaria
r6is'2 6758688 p'refazendo ambas o total de
ris 30.7988305 : a sua despez ordinaria foi
de'ris 25.269 H 507 e a extraordinario ders.
380*970 fazendo juntas a total de ris
25.650*V77 : demonstra-se por tanto um saldo
de ris 5 .'47*828 a favor da receta Tendo
este estabelecimento alguns predios arruinados,
julgou a Administracio da Santa casa mais con
veniente a venda des terrenos, que a reedifi-
cado dos predios ; e eflectivamente se vende-
r o empregando-se o seu producto, aecumu-
lado com a importancia provavel da despeza das
obras em Apolices da divida Publica : por es-
ta forma longe de diminuir-se a receita or-
dinaria dos Expostos leve ello augmonto at-
tendivol. Durante o referido anno entraran na
roda 466 Expostos que reunidos a 66 j
all existentes, li/ero o computo de 532; sen-
do notavel que all se lance um excessivo numero
de criancas em perigo de vida e algumas mes-
iiio j moras, lletas infelizes dero-se a cre-
ar 118 lallecrao 370, e icro existindo A\
Fazendo a experiencia reconbecer quo a exces-
siva mortalidade que se observa em todos os
pazes nos estabolecimentos de semelhante na-
tureza provm em grando parle da falta do ca-
sas construidas com as condices hygienicas
proprias para accommodar e tratar conveni
intrnente o grande numero de meninos, que
nellas se recebe a Administrado da Santa ca-
sa tem concebido o projeclo de construir urna
nova casa de Roda e prepara os meios de dar
principio a to importante obra.
Passando ao Recolhimento dosOrpbs, a sua
Receita ordinaria no anno Compromissorio aci
ma referido loi de ris 14.263*582, e o extra-
ordinaria de ris 17,252*500, sommando am-
bas em ris 31.515*^882 : a sua despata ordi-
naria foi do ris 10.443w4^y-e-gxtraordina-
sia de ris 22.447*149, fa/endo retiidas a
total de ris 32.888,192 : existe por tanto um
Dficit de ris 1.372.311. Km 25 de Julbo
de 1838 em que tivero principio as reformas
deste estabelecimento existifio nello 173 pes-
soas a saber : 87 Orphas, 5 Agregadas ,
5 Porcionistas 61 Expostas, 2 Portoiras, e
13 escravas : existem actualmente 40 Orphas ,
urna Aggregada sorvindo de Porteira 23 Ex-
poslas, 4 Africanas livres, e 2 escravas porten -
cenes a Orphas; prefazendo o total de 70 pes
soas. Do 1. de Julbo de 1838 a 30 de Junho
do IVi3 casa rao 33 Orphas e 22 Expostas
As obras do recolhimento principiarn com o
mez de Fevereiro de 1839, e foro suspensas
em Novoinbro de 1842. Devia o recolhimento
ris 58.896,200 : teem-se pago por conta, ot
3 de Abril do torrente anno, ris 7 200,000.
Os melboiamentos maleriaes deste Po estabe-
lecimento tem sido acompaubados dos moraes ,
e pode-so allirmar que a educarlo physrca e
moral das recolhidas he actualmente satisfac-
toria.
As obras do Hospicio de Pedro Segundo ,
principiadas em 5 de Setembro de 1842 tem
continuado com actividade, c acbo-so adan la
dos. Lima subscripeo espontaneo, promovi-
da nesta Corlo por occasio do Kaustissimo
Consorcio de Sua Magostado o Imperador em
beneficio (('aquello Estabelecimento, produzio
a quanta de rs. 63.788s800 Em duas casas
contiguas ao novo edificio e que servem actual-
mente de Hospicio entrarn durante o anno
passado, 83 alienados de ambos os sexos, e dabi
sahlro restabelecidos 27. Entendendo a Ad-
ministraco qnanto conviria providenciar com
anticiparn sobre o methodo, que se deve seguir
no tratamento desta qualidade de enfermos ,
resolveo estalielecer ao Doulor Antonio Jos Pe-
reira das Neves um subsidio para o habilitar a
ir Europa visitaros principaes Hospicios da
Franca da Italia e anda da Allemunba me
Ihor conceitoados pelo tratamento que presto
aos alienados. Daqui parti aquelle Faculta-
tivo e s nossas Legaces nos dilTerentes pa-
zes que elle tem de percorrer se expedirlo
as convenientes ordens a fin do procuraron) ,
perente os respectivos Governos, quo se Ihes
anuual de trezentos mil ris.
Fardando as vistas polas Provincias, passo a
expor-VOS em resumido quadro o que pude
colber dos ltimos Relatorios dos Presidentes
dellas, que tem chegado Repartilo dos Ne-
gocios do Imperio A espoil i lia do IIib de
Janeiro accrescentarei ao que cima fica dito
que a propagacSo da vaccina continua a encon-
trar grandes tropeos sob a fiscalisacao impo-
tente da Autoridado, a quem est confiada :
na de Minas este ramo do Servico Publico nao
se acha convenientemente regulado, eos ha-
bitantes continuio a olhar com inJiffcrenca,
se nao com repugnancia, para este importan-
te preservativo: na doS. Paulo, apezar das
diligencias do Directorio, dao-se quasi as mes-
mas circiiinstancias que na de Minas ; na
Capital da Provincia smente lorio vaccinadas,
no decurso de quasi todo o anno passado 243
pessoas: nada Babia va -se felizmente genera-
ligando 0 uso da vaccina, e na Capital d'aquel-
la Provincia 1 521 pessoas a recabarlo no de-
curso do anno passado : na do Ccara tem sido
baldados todos os esforcos, chogandese a pon-
i de so peder o fluid : no Maranho porm
parece (|uc algumas esperanoas ha de melhores
resultado* visto que sendo o numero dos
vacunados na sua Capital em 1841 de 222
.....oas, no anno seguinte aquello numero e-
evou se a 9V9 pessoas. A respeito do que tem
iccorrido as oulras Provincias nada posso
informar-vos,
Soccorros pblicos.
Na Capital da Provincia da llahia occorreo ,
em moiado do anuo pretrito urna catastro-
phc bem digna do lastima. Em conscqunncia
de copiosas, eaturadas chovas parte da mon-
t inha sobranceira aCidade desabou, arruinan-
lo alguns edificios e intitlsando avultido va-
lorom gneros, que icarao sepultados as rui-
nas d'ellos. Ouatro pessoas perecio oeste in-
feliz successo que, segundo todas as proba-
bilidades ameacava muito rnaiores estrados ,
|UC nao chegrio a realisar-se mais por benefi-
cio da Providencia do que pela eflicacia dos
meios empregados para ovital-os com quanto
se po/essem em pratica com dodicaco oe-
nergia quantos a arte podia suggerir com al-
guma esperanca de bom resultado. Fogo quo
o Governo Imperial teve noticia desta calamida-
de officiou ao Presidente da Provincia para
que declarasse especilicadamente as obras, de
quo ha mistar a lim nao so de se remediaren)
os estragos presentes i mas tambem dosepre-
vonirem futuros desastres devendo a indicada
declaracao ser acompanbada do orcamento da
despesa que a execucao de taes obras pode
exigir : estes esclarecimontos porem ainda nao
ebegaro. Diversas pessoas que nesta Corte
se haviio ospontanoamente quotisado na quan-
tia de ris 500*000 cada urna para demonstra-
dles de publico regosijo pela feliz chegada de
Sua Magostada a Imperatrii, tomarlo o lou-
vavel accordo deap[)licarem o resultado d'aquel-
la voluntaria subscripcao em soccorro das pesso
as mais nocessitadas que bouvessem solTrido
em conscqucncia d aquello desastro ; salindo-
se porm depois que nenhumas havia nestas
circumstancias loi o producto da menciona-
da subscripgo applicado polos proprios subs-
criptores para as urgencios do Estado.
En iin de Agosto do mesmo anno passado
airi.ouuS. Gatharioa o transporte de guerra
Kolo com 112 pessoas lirasileiras de diversas i-
dados que adiando se em Monte-Video em
summa miseria em consequencia das circums-
tancias extraordinarias d'aqiiolla Praca se re-
colhiio a Provincia de S Pedro. Nesta con-
junctura autorisou o Governo o Presidente da
Provincia de S. Catharina para fazer as neces-
sarias despezas com o sustento, e transporte das
referidas pessoas at ao lugar do seu destino.
fsiabelecimenlos de caridade.
Os quatro Pos estabelecimonlos da Santa
casa da isericorda desta Corte Hospital ,
casa dos Expostos, recolhimento das Orphas ,
e Hospicio de Podro Segundo continuarn em
nro.rossivo estado de prospendade no decurso
do anno passado Tratarei de cada um d'elles
pela ordem < m que vo designados
Foi a receita ordinaria do Hospital no an-
no Compromissorio da Santa casa decorrido
desde o 1. do Julbo de 1842 a 30 de Junho
de 1843 doris 167.3648183 e a extraor-
dinaria de ris 13:302*190. lazendo ambas a
somma do ris 180.666*373: a sua despoza
oiiiinaria foiders. 88.586,850,e a extraordina- j faciliten) os meios do bem desempenhar a sua
nade ris 78.217*636 prefa/.endo reunidas'importante commisso. A objecto senielhan-
j somma de ris 166.804* i86: houve por tan- les j se havia dedicado o Doutor Antonio Mana
lo um s Ido a favor do estabelocimenle de ris de Miranda e Castro na curta residencia que
13.861*887 Trataro-se no Hospital 4.223 fez em Pariz onde escreveo sobre elle una
(nenies, liui.mie U iilllio Civ (l 1843, HOS ItOlIlin i,i que (iirigio ao liovertio e loi por
ao Coiumercio.nem sido embaracada por omis-1 quaessabirlocurados 3-093, efallecrto 1.124, este remetlida ao Provedor da Santa Casa da
sao, ou desharmonia, que por acaso tivesse comprebendendo-se ueste numero 197, quo Misericordia a fim de faxor della o uso conve-
passado inadvertida em suas disposicoes Em morrrfio as primeiras vinte e quatio horas oiente.
,lile,.o" ao excessivo (rabalho e ao perigo, subseqtientes a da sua entrada. As obras do Pasando Provincia do Rio de Janeiro sfi-
um que anda- o Provedor da Saude de Pernam BOVO Hospital liverao andamento regular a- gundo o ultimo Relatorio do respectivo Presi-
L>uco, o Governo liio conceden, por Decreto; cbando-se ja parte do edificio coberta de telba, dente existem aulla sete Casas de Caridade,
de cujo estado e servico passo a dar-vos suc-
cinta ideia. Na de Cabo Fro entrrao o anno
passado 2 doentes, um dos quaes allcceo e
oulro se curou : de 7 Expostos a ella recolbidos
fallecrao4 : sao insignificantes ai rendas deste
Estabelecimento. A'de Mag recolbrao se no
mesmo anno 179 enfermos, dos quaes so cura-
rn 143 e ficro existindo 15 : s est cons-
truido um lado do edificio deste Estabelecimen-
to e para as suas despezas concorre annual-
ir.enlea Cmara Municipal com urna quota dos
seus cofres, ea Assembla Provincial com o
producto de Loteras: ali nao ha commodo para
Expostos nem para Alienados: julga-se sufli-
cietite urna prestagao annual de rs. 2.500*000
para cobrif as despezas desle Estabelecimento.
No Hospital de Campos entrrao no decurso
do referido anno 320 enfermos dos quaes
curaro-so 158 e fallecern 32: o numero
dos Expostos elevou-se a 252 dos quaes mor
rr<38 : a renda do Estabelecimento consiste
no premio de rs. 50. 000*000 postos em mos
de particulares a dez por cenlo; noaluguelde
trinta pequeas casas ; no produelo de seu Ce-
miterio e no de esmullas, e legados que a
pouco monta ; na distribuidlo do beneficio de
duas Loteiias; e finalmente na quantia de
rs. 1.200*000, com que a Cmara concorre
para a creacao dos Expostos, os quaes (icio
abandonados a si meamos, quando sao meni-
nos e chegao idade de 8 annos e quando
sao meninas de 10 e 12 anuos, por falta de
edificio para Recolhimento. A'Casa de Carida-
de de Mag recolhrao-se no mesmo anno 52
doentes dos quaes currao-se 36 e faecCro
10 ; nao se recebendo Expostos nem Aliena-
dos neste Estabelecimento cujo rendimento
anda por 325*000 provenientes do aluguel de
algumas casas, e de esmollas, alm da quota
o producto de Loteras e da quantia do
rs. 1. 452*240 com que a Cmara Munici-
pal concorre para o sustento dos presos pobres.
As nascenles Casas de Caridade em Paraty ,
Angra e Valenca lulo com embaracos pro-
venientes da deficencia de suas rendas e os
Expostos estao a cargo das respectivas Cmaras
Municipaes : a segunda 1 aquellas Casas tem
de renda rs 1. 000*000 falta-lhe edecio
proprio ; no sobredito anno a ella se rccolhro
23 enermos, dos quaes se curro 11 e fal-
lecro 10.
Nenhuma informaco especificada d em seu
Relatorio respectiva Assembla o Presidente
da Provincia do Espirito Sanio a respeito da
Casa de Misericordia d'aquella Provincia ; v-se
porm que este Eslabelecimento necessita do
auxilio do Goveruo para occorrer s despezas,
a que be obrigado pela natureza da sua insti-
tuirlo.
Na Provincia da Baha, segundo expe o res-
pectivo Presidente em seu ultimo Relatorio, as
Casas de Caridado veo prcenebendo o fim prin-
cipal para que foro estabelecidas ; o de ali-
mentar educar e curar as pessoas miseraveis.
O Collegio dos Orphaos que educa 106 me-
ninos continua a ser bem administrado no
pessoal e no material : o seu patrimonio que
consiste em inoradas de casas, Apolices do Di-
vida Publica alguns escravos, e dividas activas
provenientes de legados, gubscripces, e alu-
gueis de casas j correspondo ao valor de ini*
de rs. 180. 000*000. O Hospital dos Lazaros,
que tem presentemente 65 doentes, soflreo di-
minuico no principal objecto de sua Receita ,
que he o rendimento do celeiro, cuja arrecada-
i n augmenta na razan da niaior quanlidadc de
farinha ,que concorre de barra fura ao merca-
do da Capital : o seu rendimento em 1842 lo
de rs. 11. 486*880. mas no seguinte nao subi
a mais de rs. 8. 658*020.
A Receita da Santa Casa de Misericordia na
Capital da Provincia da Parahiba desde o L'
do Junho de 1842 ao ultimo de Junho do an-
no seguinte foi de 490,874 rs. comprehen-
dendo-se nella o sald do anno anterior no va-
lor de 1:973.305 rs.; e a despeza foi de ris
2:118,715; havendo porlanlo um saldo de
4:372,159 rs. no qual se comprehendem let-
tras vencidas, e protestadas, o oulras, que a-
inda se han de vencer, todas ellas no valor de
3:689,277 rs. Durante aquelle periodo teve o
eslabelecimento a t*eu cuidado 5 expostos de
ambos os sexos, dos quaes existem 4, e foro
tratado* 29 doentes 13 dos quaes fallece-
rao.
Passando Provincia do Maranho, a Re-
ceita da Santa Casa da sua capital regula pela
quantia do 23:130,907 rs., e a sua despeza pe-
la de 25:310.290 rs : a sua divida paasitt li-
quidada anda em 5:576,977 rs., ea activa em
155:576,975 rs Durante os annos de 1841 8
1842entrrao no hospital 550 doentes. dos
quaes lallecrao 118, ese curarn %o6 : >'
primeiro trimestre de 1843 entra rao 75 enfer-
mos, cur.ro-se 81, e lallecrao 9. (Quanto
aosestabelecimentos annexos a Santa Casa, be
diste o aspelo, que aprsenla o Hospital dos
Laxaros: nos annos de 1841 e 1842 para ello
entrrao 24 enfermos, evadirao se 6 fallece-

ILEGJVEL
*



rOV
rao 12, e ficarao existindo 38 ; e no primeiro tratar dolle no cdigo do processo criminal.
trimestre do anuo puado entrarlo 2 e falle- Appellacao civel do Jui/o desta o'idade ap-
crao 3. A Casa dos Expostos tem a scu cargo pellantos Dionisio Gomes do llega, e sua mu-
o suste.ito, e edncacao de 28 criancas, alm I Iher, appellados Francisco foaqai
de 12. que so achio entregues a particulares i lev, e sua mulher, Escrivo Nasoim
caritativos, que deltas cuidio gra curtamente.
Na Casa dos Educandos existiio e.n fin de A-
bril do anno passado 3-pessoas do idade do8
a 17 annos, qus se applicavio a diflerentcs of-
icios; eaindi que este h'stabcl ocimento se a-
cheom estado florescent-i, com'.udo nao pude
por ora subsistir sem avultado auxilio dos Co-
fres Pblicos. Esta poca sc hogar quando
os Educandos osliverem habilitados como ofli-
ciaes para d.irem lucro ao Est jbelecimonto, que
delies -nido i nos seu* prni** iros annos.
Comtem o .Seminario di I I tic-andas na Cida-
de de S Paulo 27 meninas sustentadas pela do-
taciodello e Peneionist.'.s: algumas d'aquol-
las meninas se estaoaprefei coando na Gramma-
ticada Lingoi Nacional para irom exercer o
Magisterio em Cadeiras Publicas destinadas
instruccao do seu sexo. No Seminario de S.
Anna existem 21 inenin os, os quaes, na con-
formidade de Logislacao Provincial, nao podem
dellc sabir antes de co.rnpletarem a idade de
18 annos, e do terom o prendido, na Escola pra-
tica, que ol i se pretenda establecer, a cultu-
ra. e fabrico do ch A Casa de Educandas
daCidadede Ytcon lina a prestar soccorro a
orphas desvalidas. Em todos estes Estabeli-
mentossoda acire^instancia de seren insufi-
cientes as suas reni'ias para a sustentaran delies.
(Continuarse-ha. )
4 omn; indo das Armas.
EXPEO IENTE E 10 DO COKItENTE.
Oficio Ao Exm Presidente envian-
do-lhe, par a qUe tivesse a hondade de encami -
nhar a Secretaria de Estado dos Negocios da
Guerra, <'(;itro rnappaSi e urna relavo nomi-
nal da CHjiciahdade das quatro elasses do exer-
cito nes',a pr0vincia. pertencentes ao mez de
Maiou.|ti,o.
Di'.oAo mesmo Exm. Sr., para que bou
vesse de tomar om consideracio as reflexoes fui -
tas noofficio, queem data do 17 de Abril do
torrente anno enderessara a Presidencia a
cerca do fornecitnento do agoa.o luzes, aos cor-
pos de guardas, quarteis, fortalezas, e hospi-
tal, a fim de se pv termo as duvidas que de
novo se suscitario estabelecendo-so um mo-
thodo diverso daquelle que se havia adop-
tado.
DitoAo mesmo Exm. Sr. remettendo
Ihe, para que defirisso como entendesse de jus
tiga, os requerimontos dos Cadetes de Artilha-
ria, Francisco do Salle Dutra, e Lourenco Jus-
tiniannoJorge Concalves, que pediio liecnca
para estudarem particularmente os prepara-
torios necessarios para se poderem matricular
na escolla militar, e bem assim o requerimento
do 1." Tente Joo "Mauricio Cavalcanti de
Albuquerque, que supplicava um mez de li-
cenca par DitoAo mesmo Exm. Sr., informando o
requerimento do Alferes Reformado Raymundo
JosdeSousa Lobo, Ajudante do l'risidio de
Temando, que nesta qunlidade pedia se Ihe pa-
gasse osseus vencimentos at Abril do corrente
anno, em vista, dos documentos que apresen-
tava.
m Wander-
ento : o'c-s-
prezrio os ombargos e mandrao subsistir o
accordao embargado.
Exocucio de sontenca, exequente Jos Jer-
nimo Montoiro, executado Nuno Vlaria de Soi-
xas : Dio derao provimento ao aggravo.
Appellacao civel da villa do Monto-mr ,
novo appellante Manoel Caetano de Goveia, ap-
pellado Jos Ke.'reir da Silva, Escrivo Ban-
deira: julgrio a appellacao deserta, e nao se-
guida. _^_
Execucao de sentenca, exequentes Antonio
da Silva & C", execulado Gabriel Antonio ,
embargmto 3. Thomaz Cavalcanti da Silveira
Linz, Escrivo Hego : nao tom.irao conheci-
mcnlo do aggravo (1. 133, e derao provimento
aooutro aggravo, mandando que o Jui/. a quo,
reforme o seu despacho mandando revogar a
ordem de prisio na forma quo se pede na nota
a. 137.
Appeilacao civel do Juizo Municipal do Ara-
caly, appellante I) Francisca Maria de Jess ,
appellados Bento Jos l-'iusa de Lima, eoutros,
Lscrivio B.mdeira : mandrao deioer os autos
ao Juuo da 1.* vara, para proceder a avaliacio,
e averbar a disima.
....._..i-______i
DIARIO II PERYWBim
O Paquete Ingle/, que obegoil bontem do
Sul trouce nos ,1 omites da Commercio at 12,
que nada cantem de interessanto, a nao ser o
que copiaremos na parte Commercial.
COMMERCIO.
Aifandega.
Rendimento do dia 25......... 8:638*685
Detcarregao hojt 26.
BarcaMary Queeno/Scossediversas mer-
cadorias.
Barca Americana Latrobefarinha e bolaxi-
nha.
PERNAMBUCO.
11 ihunal da Ilelaco
Julgamento do dia 26.
Deseinbargador de semana o Sr. Villa-
res.
Appellacao civel da villa do Limoero, ap-
pellante Jos Antonio da Silva, appellado Joo
de Barros da Costa, F.serivio Banderamiand-
rao dar visfa as partes.
Appellacao civel do Juizo dos Feitos da Fa-
zenda appellante o Bacharel Jos Jernimo
Cesar Lourciro, appellado o Dr. Curador Fis-
cal d. Thesouraria das Rendas Provinciaes, Es-
crivo Bandeira : mandrao dar vista as par-
tes.
Appellacao civil da villa do Rio-formoso da
provincia do Cear Grande appellante Igna-
cio Joaquim Fernandes appellado Francisco
Jos Pacheco de Medeiros, e outros Escrivo
Jacomo: mandrao dar vista as partes.
Appellacao civel da villa de Campia-grande
comarca do Brejo, da Provincia da Parahiba
do Norte, appellante D. rsula Pessoa, appel-
lados .Manoel Carlos de Mello o sua molino D.
Joaquina, Escrivo Jacomo ; recbenlo e iul-
,- i. i____,.,. ______ .r.
Milll |ll"llli.>'J Ull-Uliiuij,,,.,, j.i.i < i..| ,||,|| t'lll
o accordao embargado.
Carta testemunbuvel do Jui^o da comar-a de
Paja de Flores, aggravante ChristovSo da Ro-
cha, porseo procurador bastante, aggnvado
Thomaz da Rocha, Escrivo Ferr ira : nio to-
merjo conbjciuiento do recurso, por nao se
Mary Queen of Scosse ; barca ingle/a, vinda
de Liverpool, entrada no corrente mez, a con-
signacao de James Crabtree & C. manifestou o
seguinte
2000 caixas com sabio. 40 ditas queijos, 14
ditas fa/.ondas do algodao, 5 ditas ditas de seda,
2 ditas e 6 fardos ditas de linho ; a Me. Cal-
mont & C.
10 fardos de laia ; a Geo: Kenworthv
&C
lOOgigos el caixa louc,a; a Fox Brothers
& C
28 caixas e 9 fardos fazendas de algodao, 3
ditos e 2 caixas ditos de laA, 10 ditas ditas de li-
ndo, 6 ditas chapeos 1 caixa papel, 1 dita
comuma podra, 1 dita ferragens, 150 gigos e
2 barricas louca; a Johnston Pater & C.
6 caixas chapeos de sol.l dita botes e meias,
16 ditas ditas fazenda de algodao ; a R. Bovle
&C.
100 barra manteiga 10 caixas linhas; a Ja-
mes Cockshott & C.
2 barricas carnes; a John Stowarts
11 fardos o 7caixas fazendas de algodao; a
Deane Youle& C.
3 caixas queijos, 4 ditas conservas, 1 barri-
ca prezun tos; a W. E. Smitb.
25 caixas c 22 fardos fazendas de algodao 2
ditos fazenda do algodao e linho, 3 ditos ditas
de linho, 1 dito ditas de Ua 1 barril mantei
ga. 1 dito carnes; a Jones Patn C.
11 e 1 embrulhn chales de algodao, 3 far-
dos fa7endas dito, 4 ditos ditas de laa; a Rus-
sellMellors&C
12caixiase8 fardos fazendas de algodao, 5
ditos ditas de linho; a Adamson & C.
4 caixas e 12 fardos fazendas do algodao, 1
dita de laa. 1 barril manteiga, 6 gigos batatas;
a James Crabtree & C.
20 saceos bolaxas, 3 barricas conservas; a
W. Kelley.
12 barricas serveja 1 barril manteiga, 1
barril manteiga, 1 manta de toucinl o, 30 pre-
zuntos 50 queijos,5 barris carnes,Irsacco amos-
tras, 1 dito miude/as, 1 vaca com cria, 1 caval-
linho; a diversos.
1 caixa ignora-so ; a N. O. Bieber & C.
1 embrulho dito ; a Avrial Frrcs.
1 caixa com urna espada ; a Rozas & Braga
Metats dobroes Hespanhes. 31*800 a 32S0O0
da patria. 31*600 a 31*800
Pesos Hespanhes 2*020 a 2j0i-0
da patria. 1*970
Pecas de6*400 V. I7c800 a 17*900
'i to n. 16*800
Moedasde 4*000 9*850 a 9*600
Prata.......10i- 'i a 10,'i
Apatices de 6 por cento. .72 V
RETROSPECTO COMMERCIAL,
MAIO DE 1SV
Rio de Janeiro 3 de Junho do 18li.
O commercio no mea passado eiperimentou
i mesma falta de animicao que se nolou no riie/
anterior, e as traosaccoes eflbetuadas apresen-
tario apenas um nteresse ordinario. Desoja-
mos sinceramente,! reanimacao o melhoramento
do nosso commercio em geral ; mas, para con-
seguir esse desidertum fra mister ellectuar
urna mudanza total no systema que o regula ; e
he isso o (jue pelos menos foi adiado para
urna poca linda distanto quanto se dissolveo
a Cmara dos Deputados. Niio queremos di-
zercom isto que essa Cmara teria attendido
aos interepses do commercio pois reconbece
mos qufio escassamente e.-tavao lli representa-
dos taes interesses ; mas o que nllirinamos sem
hesitarao he que sao necessarias algumas medi-
das legislativas nao somonte para proteccao
do commercio senao lambem para o melho-
ramento dos interesses geracs do imperio.
O commercio resente os effeitos de algumas
das mal aconsclbddas medidas dassessOes passa I
das, medidas que forao adoptadas com o fim I
de augmentar a renda do estado mas que de-
rio um resultado diametralmeiito opposto a
quelleque se tinha em vista. Esta ob-eiva tem applicacao especial ao augmento dosdirei-
tos de ancoragem ; mas nao podemos dexar de
accrescentar que a taxa do sello, pela maneira
por que foi decretada tem producido vexames
taes que de corto nao tem coinpeusacao na
renda que esse imposto da ao estado.
Quaoto ao augmento dos direitos de ancora-
gem, cromos que nem os mais /elosos defenso-
res dessa medida negaro boje que tal augmen-
to nao produzio nenhuma das vantagens que se
Ibes anlolhava. Pela nossa parte, sustentamos
quo a medida trouxe nao s urna diminuicao de
renda, senao que obrigou tambem os nossos fa-
zendeiros a venderem os seus productos por
precos mais baixos do que alias leriao obtido.
Quanto a taxa do sello he essa urna medi-
da que sem pre defendemos oque ainda sus-
tentamos ; a nossa objeccao he nicamente ao
abuso e m;i applicacao que delta se fez. Con-
cordamosjinteiramente com a represcntacSo da
commissSo da praca quanto a injustica da ta-
xa exigida sobro as cartas de fretamento ; mas
achamos ainda mais injusto o pagamento da ta-
xa sobro o reto de cada conhecimonto, nos ca-
sos em que nao existo carta de fretamento. Te-
mos vista vinte conhecimentos de fazendas car
regadas na mesma cmharcaciio cuja taxa total
importou em vinte quatro ris! E no entre-
tanto gastou-se tanto lempo em examinar os
frotes que pagavao em fazer os clculos e en:
lanenr as verbas, que o navio nio podo despa-
char antes das 2 horas, o ficou dotido iim da ,
demora que Ihecustou 30*000 I E entra-
ra isto as vistas dos que projectario o i/erao
adoptar a lei do sello ?
iMuitas casas commorciaes queriio ter sup-
primento de letras selladas em branco ; mas nao
o podem fazer sem risco de perderem algumas
quantias porque o regulamento estatu que
os sollos inutillisados nao podero ser trocados
senSo dentro de 30 das da data em que foi pa-
ga a taxa. Se nio existisse esta disposicio ,
cujo (m nao podemos comprehender e para
qual nao sabemos que haja precedente muito
lucrara a renda publica porque s a som-
ma dos sellos das letras em poder das casas com-
merciaes do imperio oreara talvez por perto de
mil con tos.
Estes males nio sao senio alguns dos quo po-
derianios apontar ; mas senio sao remedia-
veis, ocioso continuar a enumerar os defeitos
desta mal organisada lei do sello qne alias .
se mitras fossem as suas disposiooes poderia
ter rendido polo menos 2,000 contos por anno.
(Jornaldo Commercio.)
Edital.
2 O Engenheiro em Chefe da provincia,
encarrog id da Oled icio dos terrenos do roari-
; nha, teiido de proceder ao reconhocimento dos
| terrenos que deitao para o caes projeclado, atraz
do Atierro da Boa-aista, ao lado do Sul, con-
vida a-; pessoas que requererfto o aforamento dos
ditas terrenos, ou quo se julgao com direito a
ellos, a comparecerem nesta llopaitcio, no
dia 28 do corrente, as horas do meo dia, para
prostarem sobre as suas protoncoes os precisos
esefarecimentos; declarando-se que a falta do
comprimento a este convite, que he o segundo
que so (a/ para os mosinos terrenos podo
demorar a mor parte das informacoes reque-
ridas. Koparticao das Obras Publicas 19 do
Junho de 18U. L L. Vauthier.(16)
nsaew*1
Sfeclaraco s.
2 O Administrador da Mesa da Becebedo-
ria de Rendas GeraeS Internas convida a todas
a* pessoas, <|uc so quizerem propor a venda das
cartas de jogar conforme as disposicoes dosar-
sigos j { ,i ,'iti do regulamento de que (rata o
decreto de 21 de Abril de 1844, bajao de com-
parecer naquella Recebedona at o da 27 do
corrente a entenderem-se com o mesmo Ad-
ministrador.
Francitco Xavier Cavalcanti de Abuquerque.
1 THEATRO PUBLICO.
Domingo 30 Jo correte se executar um
novo o excolhido espectculo em benelicio do
cantor Joao Toselli.
N. B. Os pormenores so annunciaraocom
antecipaijio.
Os camarotes que rosti achio-se venda no
botequimjunto ao ihoatro. (7)
1 visos maritiiiios.
2 A barca Dianna que segu para o Rio de
Janeiro, pretende realisal-o no dia 26 do cr-
lente, o que se faz corto aos senhores car rega-
dores de oscravos. (4)
2- Para o Rio de Janeiro segu em poucos
dias o brigue Albano s pode roceber alguns
oscravos; quem pretender pido entender-se
com Amorim Irmio na ra da Cadeia n.
45. (4)
2 Para o Rio de Janeiro sogue o patacho
S. Jos; quem no mesmo quizer carregar
ou ir de passiigem, dirija-so a Gaudino Agos-
tinho de Barros ou ao Capitio Joio Conga I-
ves Rcis. (5)
i
Leiles.
Movimenlo do Porto.
RIO DK JANEIRO.
CAMBIOS NO DIA II DE JUNHO,
Prego* da ultima hora da praga.
Cambial sobre Londres.. 25
P.rz. 378 a 380
Hamburgo. 700
i. j--
,, ,,IM, .- ,
Navio* entrado* no dia 24.
Rio de Janeiro; ludias, brigue inglez Cord
frene, em lastro : fundeou no lamcirio.
Baha por Macei; 2 dias patacho brasileiro
M. deFreitas eqoipagem 11,
!\ariossithidos no mesmo dia.
Bio de Janeiro; brigue brasileiro D'os te Guar-
de, Mostr Manoel Lu/ dos Santos.
Lisboa; patacho por tugue/, iestaurago de Lis-
boa, Mestrc J. F. Caiado Jnior.
2Por ordem, e em presenca do Sr. Cn-
sul dos Estados Unidos d America, o por cont-
e risco de quem pertencer, se far leilao por
intervenio do correlor Oliveira do casca
mastros, cordoalba, vellame, amarras, anco-
ras, o todos os mais portenres do brigue Willi-
am Thucher o qual alm de ser reconbecidao
monto unidos mais volleiros navios, que a es-
te porto tem aportado, acba-so com todos a-
quelles aprestos completos, e prompto para
em breve poder seguir qualquer viagem ; os
pretendentes dirijao-se, para exame, a seu bor-
do no lugar onde se acha ancorado, quasi de-
fronte da Alfandega na certeza deque ludo
ser vendido em um s lote; quinta-feira 27 do
corrente ao meio dia em ponto, na Praca d
Commercio, prximo -associaciio commer-
cial. (22)
3=Por ordem, e em presenca do Sr. Cnsul
da olga, o por conta o risco de quem perten-
cer, se far leilao. por intervenco do corrector
Oliveira do casco, mastreacio, volume, cordoa-
lba, amarras, ancoras, e todos os mais perten-
ces do brigue belga-/ens, capitio W A.
do fiyk, arribado a este porto, ondo foi legal-
mento condemnado, na sua viagem que fazin
do batavia com deslino a Anvers; quarta-feira
26 do corrente as 10 horas da manb. a, no lar-
go do Forte-do Mallos, e junto a prenca do Sr.
vtendonca; podendo oa pretendentes dirigir-
so antee ipadamente a bordo do dito brigue
para seu examo no i ncoradouro onde se
cha. (15)
Avisos diversos.
A ESTRELLA.
Vende-so extraofuiidiiamente o N. b3, cun-
toudo o discurso do Sr. Honorio Hermelto Car-
neiro Leo na Sessao do Senado de 11 de Maio
deste anno: proco 160 ris.
2 O Sr. Jos da Silva queira ir na praca da
Boa tista n. 20 para so Ihe entregar urna car-
ta que se tirou do Correio por engao. (3)

*
,t.


%'
1--Quem annunciou querer vender 80 oita -
vas de oui i n :) rs., c 280 ditas do prata e-
lha dirija-se .1 ra da Cu leia de 3 Antonio n.
lo segundo andar.
Quem annunciou precisar do soj'rs. a
juros sobre penhores do nuro dirija-so a ra
do Livramento loja Je couros n,:t>.
Quem annunciou querer comprar urna
rabeea dirlja-se a praca da Independencia ,
loja n. 3.
Aluga-se urna boa casa terrea na ruada
Paz ; a rallarcom M. C. S. Carneiro Mootoiro.
Perante o Si. Dr. Juiz do Cvel da secun-
da vara na ra do Sol vai .1 praca p>ra ser
arrematado um sobraJo de dous andares o so-
lio com bastantes commodos, sito na ra da
Senzalta-nova desta cidade, por eiecucao de
llerculaiio Jos de rreiia-.
Aluga-se una preta captiva, que saiba
engommar e copinhar ; na ra da matris da
Roa-vista n. 00, segando andar.
Jos de liessa Guimaiaes faz sciente, que
deixoude ser caixeiro do Sr. Antonio Joajuiii
de Suuza Itibeiro desde o da 21 do curenlo
Mathias Jos Gomes faz sciente ao arre-
matante do consumo da agn'ardentc-, jue d<-i-
X')U de vender o dito genero na sua venda da
ra de S. Rita-nova n. 3 1 desde u ala 20 do
couciite.
Quem precisar de urna ama de ieile <1-
nja-M- a ra doCaldereiro n. 27.
liento Carvalho Basto fas sciente ao pu-
mico, quedeisou de ser caixeiro do Sr. Manuel
Jo'se (1 mcalves desde .1 da 23 do torrente.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n.
1 da travessa do Queimado ; a tratar no mes-
rio sobrado com Manoel Firmino Ferreira.
Aluga-se una canda de carga de !200 t-
jlos de al venarla rosta e lainbem se vende
a troco do meamos lijlos aqual hequasi no-
0 inui bou construida ; a tratar na traves-
2- Na ra Augusta n. 74 recebem-se meni- pectivo thesouroiro, que as rodas da mesma le-
nas de qualidades, para se ensinar a ler es- rao seu inlalli\el andamento no da dejnlho
crever, Cbntar grammalica porlugueza, ari- prximo futuro por assim haver annuido o
Ihmetlca e todas as qiialidadesde costura. (4) i Kxm pre(Jente dil Provincia: eo restante dos
-~3S!^^ ** ff
engenho, povoacao ou lasenda primer8Si.nunc"0,- ,. c .. 1
lettras grammatioa porlugueza anthmetioa 2Guilherme Augusto Rodrigues Selle di
e todas as qualidades de costuras ; quem a pre- cem mil ris de gratificaco a quem Ibe denun-
tender, dilija sea ra da Gloria n. 4. (G, 1 ciar com certeza, a pessoa, ou pessoas que na
2 Precita-se frelar urna embarcac5o que 1 notede 23 para "24 docorrente Ihe destruirlo
possa co.nduiir 8)o barricas do larinba, destar- | 0 seu nome pintado na Irente da loja da ra do
regadas do brigue americano William Thatcher Queimado n. 11. 6)
va
Ba do Queimado n. 3, com Manuel Firmino Fer-
reira.
INo dil II de corren te desappareceo da
casa de Antonio Jos de Oliveira na ra do
Collegio, um Africano livre, cujos servicos ha-
va arrematado, de nome Antonio representa
ter30annos, estatura regular, ciieio do oor-
po barbado e be l)--<:> parecido ; quem o pe-'
g:r, leve a dita rasa, qu sera gratificado. 7
Quem annunciou querer comprar unsca-
nos de bomba para bular agua ern sobrado ,
querendo uns de cobre, dirija-se a rua da Con-
teirao da I! a-\i-ta. in casa de RufinoGomes.
Fuglo no dia 25 do correte as 6 horas da
manhaa um papauaio bastante grande, com
urna argola de ferro no p : quem o pegar Ca-
ra o favor de levara ra '.a Florentina n U
que ser gratificado.
Na venia da Solidad 11. 20, esquina
que volta :. ra ll< II; m ha um divert menlo de
jogo da bul lodos os domingo e dias sanios
1 tarde.
I Precisa-so alugar urna casa terrea, que
ten ha quintal e cacimba as seguinles ras :
Cruzes, pateo do Hospital, travessa da Ordem
tereeira de S. Francisco; dao--.se algumas luvas;
quem livor annuncie.
IPrecisa-se di um cosinhelro, bramo, ou
preto, forro, ou captivo; na ra larga do Ro-
sario botequim 11. 27. 3
Aluga-se um bom armasem rectificado d
novo, com quintal, o cacimba para qualquer
eslabelecimenlo, na ruado Arago; a hat.ir
na ra da Cadeia de S. Antonio n. i'.).
tDo-se 3 (i/ rs. a premio dea por cenloao
mej >obre pe.llores de ouro ou prata ; na
roa da Madre de Dos n. 28, i;\.
Deseja-so saber aonde presentemente as-
sisle nesta praca oSr. Joao Carneiro da Cunba ,
e seu liih > o Si. Dr. Felippe Carneiro de Ollnda
Can pello para negocio quo Ibes dix respelto.
I Oflerece se um nievo Portugus, de 20
Bunos para criado de urna casa porlugue/a 011
i gleza por terpralica da mesma Ifngoa ; quem
di leu prestimosquizor ulilisar, dirija-se a
ra e&treita do Rosario, vendan.fi k
i Precisa-se o100 r-. a premio com hy-
pofheca ; quem quizer dar annuncie. ,\
i Precisa-se de um cfncial de chapeloiro
queentenda do ofljcio, e juntamente de un!
menino para aprender; naiua Direita (ja de
chaueos n. ;i. ,
condemnado n'este porto para os portos do
dio da Prata, ou se dar esta carga a (rete a qual-
quer boa embacarcacao ern circunstancias de
entrar ueste negocio; a tratar com L. G. Ferreira
J( (Joinpanhia consignatario da referida fari-
iiha. ,9;
2 Precisa-se de urna ama de leite, que nao
tenha filhos ; na ra Direita n. 159, segundo
andar. ,3
'2 Alugao-se duas pretas para o servico In-
terno de urna casa, sabem engoinuiar, cosinhar,
eensaboar ; na piaca da lioa-vista n. 7. '3,1
2Aluga-se um sotio proprio para fami-
lia ; na ra Nova n. o. (2)
2 As rodas da lotera da matriz da Boa-
usta c.irrom no dia 2 de Julho e os bilheles
psIO a venda nos seguidles lugares ; no Reci-
l'e leja dos Srs Manoel Gomes da Cunba e
Sdva e Vfeira cambista eai S Antonio ,
.uiz Antonio Pereira # Companhia e Moreira
Marques ; na Itea-visia Jacinti genro do Sr.
01 i \ eir. (8;
2 Precisa-sede 7.01)0$' de rs., a um por
cenloao mez, pagaodo-se todos os metes os
juros, rom hypnlbeca em predios eescravos;
quem quiter dar annuncie. (4,
2 Alugao-se dousescravos sem vicios, sen-
do um cosinbefro outro de servido de cam-
po ou outro qualquer ; na ra Nova arma-
em n. 67. (4
Compras
2 Compro-se efTectivamente para lora da
provincia mulatas negras, emolequesde 12 a
20 annos, pagao-se bem ; na ra Nova loja
de ferragensn. 16. (4)
2 Compra-se urna rabeca em meio nso ,
sendo de boas vozes ; quem tiver annuncie. (2
2Tompra-se urna meia-commoda de ama-
relio sendo moderna e que esteja ern bom
uso ; na ra do Livramento, loja do couros
n. 13. (3)
Compra-se urna folhinhn do anno de 1827;
quem tiver annuncie.
Compra-si; urna imagem de S. Lourenco
em ponto pequeo; quem tiver annunoie.
Compra-se un sobrado que seja novo e
em ra publica ; na ra da Praia armasem
n. 14.
Vendas
2 Vendem-se bichas de superior qualida-
de chogadas do prximo ; tambem se alugao,
e applicao-se por proco commodo ; no Recife,
beco do A breo n. 4. (4)
2Vende-se superior vinho muscatel engar-
l-Uagrimencor.abaixoassignailo.oaerece rafad6 e cera de carnauba da melbor que"ha;
os seus serviros as pescas que tiverem proprie- a ra do Cabug n. 1(5. (3
ludes demarcar e afianca a mais escrpulo-
i 1 exactidSo o o maior celo no desempenho .la
uu irlo ; devendo todos os que do seu presti-
gio se iiuiz rem ulilisar,dirigirem-se (porcaria)
ao rnesmo abaixo assignado na Rua-diroita ,
;biirado n 121 Joaquimda Fonseca Soa-
rt$ de Figuei'edo. (9)
11 NA BOTICA. K ARMAZEM DE R-
G \S, NA RUADA MADRE DE DOS, N. 1
VenJeni- se as preparncoes seguinles por pre-
cb muilo coremoio e de superior qualidade.
Extracto fluido e concentrado de salsa-parri-
ih da Jamaica.
As murtas experiencias sobre estas prepara-
cOes lem Icilo oonhecer sabia ('orporavo iMe
dita, que cornpoe o Collegio de Londres, Edin-
burgli e Dublin ser ella a nica donde se
podem collier os benficos e salulares effeitos
que se requerum nos casos em que se torna ne-
r.essaria a iodcacSU da raiz de salsa-parrilha
V B. C.1 nao podem deixar de a/er urna
reflexo as pessoas que lizerem uso desta prepa-
rcao ; que vem a ser o nao abusarem da pe-
peo u. ..
Quem Ibe faltar um chapeo de sol diri-
ja se a ra do Vigario 11. 22 segundo andar
que, dando os signaes, Ibe ser entregue.
) LasserreColombiez $ Companhia faiem
publico que no dia -abbado. v-> ,iu correte ,
se Ibes dcsencaminhro duas Jettras do Sr. An-
tonio Jos Finio da Silva ja vencidas, urna de
'2tff rs. ea outra He i/is!)'il rs. e por isso
quvlla pessoa que as adiar pede-se o favor
de as restituir na ra da Cruz n. lo, e previne-
se que ninguem faca transacBo, ou negocio
algUW com ellas, porque o acceilante j se
acha prevenido para as nao pagar se.no aoi
aouunciantes. |.
1 Luiz Antonio Annes Jacome embarca
para o Riode Janeiro o seu escravo crioulo, de
nome Manoel.
FortrSo um relpgio patente com r
de prata; dao-se W# rs. de gratificaco quem
>|Uena quantidadeque prescrevem os praticos
(duas coleies de cha duas vezes ao dia em meio
i'opod'ague) visto cada garrafa de doze oncas
conler virlude de cinco libras de salsa-par-
rillia.
Na mesma casa tambem se venden titilas, e
lodos os outrosobjectos de pintura ; vernizes
de superior qualidade entre ellos huir: perfei-
tamente I.raneo e que se pode applicar sobre
a pintura mais delicada sem que produza al
Icrai ao alguma em sua cor primitiva. Arrow-
Root de Mermuda ; Sag ; Sabonetes; Sa:iao
de Windsor ; Agua de Seidlilz ; Limonada
gasoza ; Tinta superior para escrever ; Perfu-
maras ingle/as; Furnias clsticas de patente,
Escovas, r i-cs paradentes; Paslilhas de mu-
riato de morpliina e ipecacuanha ; Aul fl-
nissimo proprio para ailar roupa Pos de sei-
llits, e de soda ; Paslilhas de hi-carbonalo
de soda e gingibre ; As verdadeiras pirulas
vegetaes universaes do l). Bramlreth, vindas
de seu aulhor nos Estados Unidos, de. dtc. (36)
iriso importante ao publico.
9 Acalia de chegar urna porfo nova e
fresca d'aquellas invaliiveis Pirulas da medecina
pojmlare as pirulas vegetaes americanas, sendo
a composicao deltas inteiramenle vegetal a ja
(ao eonhecidas nesla cidade as varias molesti-
as de figado febres rlieurnatismo lombri-
gas ulceras, escrfulas, erysipelas, e he o me-
Ihor remedio cochecillo para o sangue; roga-se
aol intermos de provarem este aflamado re'me-
iio. \ ende-se com seu competente receiluario
em casa do nico agente Joao Keller ra da
2Vende-se urna casa terrea, no principio
do beco da Viracao com vista para o paleo
de S. Pedro com 3 quartos, duas salas cosi-
nha quintal, e cacimba ; na ra Nova, ven-
da n. 05. (5_
2Vende-se um silio denominado Laga-do-
canto confronten passo da Barreta com 300
bracas de frente e perto de duas mil de fundo,
com boas mallas terrenos para planlacoes e
rreacao de gado proporcoes para grandes vi-
veirs, por preco commodo partea vista, e a
praso ; a tratar nos AfTogados com Thom Pe-
reira Lagos. (g)
2 Vende-se a barcaca denominada Lealda-
dedofrasil; quema pretender, dirija-se ao
Itio-formoso a fallar com sua proprietaria I). Fe-
lirianna Maria da Conceicao Lopes, ou nesta
praca com Manoel Goncalves da Silva na ra
da Cadeia do Recife. (C)
2Vende-se na estrada de Relien um pedaco
de um sitio o tambem se retalha sendo o
palmo a 3/e a 2/rs. sendo do dito em chaos
proprios; na ra de S. Rita-nova n. 3. (3)
2 Vende-se ou pormula-se por predios
nesla cidade um sitio na estrada de Joao de llar-
ros quasi confronte ao beco do Espinheiro ,
leudo muilo boa casa de campo excedente ca-
cimba trras para plantar, pasto para vacas ,
e^outros commodos ; na ra do Queimado n!
37 primeiro andar. (?)
2 Vende-se urna morada de casa sita na
ra da Praia nova, travejada e bem edifica-
cada com um grande tclheiro no fundo
1280 rs. a libra,galoes cntre-ffnos, proprios pa-
ra chapeos do pagens a 800 rs. a vara, e outra s
fasendas por prego commodo ; na ra do Ca-
bug, loja de Francisco Joaquim Duarle, n. I C.
Vende-se um molcque de nacao de le.
annos, sem vicio algum proprio para qual-
quer servico ; no Atlerro-da-Roa-vislii, loja do
sobrado n. 22.
Vende-se urna negra ptima lavadeira e
vendedeira e he muilo fiel e diligente ; um
negro para o servico do campo ; na ra do Li-
vramento n. 1.
Vendem-se ptimos licores de diversas qua-
lidades em porco a ICO rs. a garrafa e a re-
falho 200 rs. genebra enbotijada a 200 rs.
e em caada a 800 rs. ago'ardente do reino
com 26 graos a 900 rs. a caada, superior agua
ardhte deaniz a 70fl rs. a caada e espirito
de vinho a 200 rs. a garrafa ; na ra da Roda
n. 23.
1Vendem-se no armasem de Francisco Dias.
Ferreira defronle do guindaste da Alfandega ,
caixas com 200 charutos cada urna proprias
para cobrir pelo preco de 240 rs. cada caixa.
1 Vendem-se barricas com farello por
pre^o commodo. e chegado ltimamente de
Lisboa ; na ra da Groan. 69. (3)
Vende-se lagedo de Lisboa ; no escripto-
rio de Francisco Severianno Rabcllo no largo
da Assembla Provincial
1 Vende-se um ptimo e.scravo crioulo, do
24anno, de bonita figura, e he muilo pos-
Sanie; na ra Nova n. I, segundo andar. (3)
1Vende-se urna duzia de caderas enverni-
sadas com assento de palhinha em muilo bom
uso e por barato preco ; na praca da Inde-
pendencia 11. 36. 4:
No armasem de deposito de vveres da ra
da 'raia beco do Carioca n. I, vende-se mi-
Iho, arroz pilado branco e vermelho dito com
casca larinba de mandioca a retalho e pos
atacado ludo por preco commodo.
1 Vendem-se 3 moleques de nacao de 10
annos com bonitas figuras ; 3 cscravos de
nacao ptimos para todo o servico ; urna es-
crava moca de naco cosinha e he lavadeira;
na ra Direita n. 3. 5
Vende-se urna canoa aberta de carga de
mil tijolos de alvenaria ; na ra da Palma a
primeira casa do lado esquerdo.
Vende-se um cavado ruco com bstanles
andares ; eum negro moco sem vicio aJgum ;
na loja da esquina do arco de S. Antonio que
vira para a cadeia.
1Vende-se urna escrava crioula, de 24 an-
nos perfeitacosinheira engomrnadeira, cos-
tureira, e faz todo o mais servifo de urna casa ;
na ra do Vigario n. 19. (4)
1Vende-se por preco commodo um terreno
com 150 palmos de Irente, no lugar dos Reme-
dios pegado ao terreno da casa do Sr. Major
Assis ; defronle do Corpo Sanio armasem de
assucar n. 15. (i
Vendem-se por preco. commodo 3 terre-
nos no lugar da Capunga perto do rio con-
lendocada um cem palmos de frente e 300 de
fundo sendo lodos elles em esquinas e venta-
josos para se edificar por nao precisaren/ de
atierro ; nesta Typografia.
Vende-se a armacao da loja da praca da
Independencia n. 36 pintada e arranjada de
novo ; a tralar na mesma loja pois se vendo
enconsequencia do eslabelecimenlo, que all se
acha so mudar para a ra do (Jueimado n. l
Escrotos fgidos
.Cruz n. 18, e para maior commodidade dos
I compradores na rua da Cadeia em casa de Joao
Ci rd o Avres, iua Nova (hiena Silva eCom-
, levar no Passeio-publrco arma : '"a fTZn" f*"^: Salli e ^^
ho o H |ap precodH liOOOcada nxinba. (7(,
2-fferecc-sepaiaemadeces de ,,-n h ,- ATERA DAS MEMORIAS HISTRICAS
inemsoiii ;ro ou de uca familia, urna crio- Premto /runde 8:00(b00().
la torro quecrmfila, cngomuia com perl />/o mmerfiato 4:6008000.
rao bem ar ran jar urna casa; quem a Kaolcndolido lugar o andamento das
pretender, dirija-se a rua do Encantamento rodas desta lotera no dia designado pelos mo-
6obrado de um andar 0. t. 6 tivos j ponderados; do novo fuz certo o res-
_ floren tes
larguras proprios para roquetes de padre, di-
los para senhora, ditos pretos de linho e de
seda luvas de pellica para senhora a 320 rs.,
ditas de seda a 320 rs., ditas de cores a 240
rs. com palmas a 400 rs. ditas de dous os
a 800 rs. mcias para padre ditas de seda
preta para senhora, ditas de cores lavradas e
lisas papel almaco a 2600 rs. dilo de peso a
2700 rs., dos de cores para cartas, eslojos de
navalbas entre-finos, papel dourado a 200rs.
a llliu dito prateado ligas mu elsticas de
borracha a 20o rs. o par e de seda a 320 rs..
Ihesouras douradas e prateadas a 480 rs., ditas
para unl.a e costura de senhora ditas para al-
fa ale sabonetes em caixas e sem caixa. po-
mada franceza macass perola ede oleo, pos
para denles massa para aliar navalhas a 320
rs., agoa de Colonia a mais fina possivel oc-
los de armacao com boa giaduacio. Tacas mu i
finas imitando cabo de marfim a 3200 e 5^rs
grvalas as mais modernas a 2000 rs. murro'
quins de todas as cores sapatospara meninos
a 240 rs., tinta azul, encarnada, e verde, lo-
ques finos e ordinarios cartas finas franczas
gargantillos de vidroe de lagra pentes de
prender cabello c de tartaruga para marraas,
1 brincos frarireve* rti> no ruin
Dill bramse pretos a 120 rs. abotuuduras
amarellasde lindos padrbes ditas para colle-
tcs ditas de duraque carteims a 280 rs. .
rap Meuron, Gasse, rneiogrosso caixas d
baleia agulhas franczas em caixas a 400 rs.
dilas sem serem em caixas, boles de Pedro > o'
e marinha alfincles de ferro para armacao u
rioute um preto e urna preta ambos parcei-
ros da mesma casa sendo o preto de nome Be-
nedicto o a preta de nome Maria levrao
urna caixa pequea de madeira oleada de ver-
de j a tinta usada e um assaTate pequeo
do Porto, com porcaode roupa de seu uso ; o
preto tem os signaes seguinles : de nacao Ca-
mundongo, estatura baixa, corpo grosso odios
grandes, cabeca a proporcao cabello cortado
smente atraz pescoco grosso costas largas,
psgrossose largos, una orelha lurada em
quocostumava trazer urna rozelinha (em na
Trente da cabeca de um lado ao p da testa, e
junto ao cabello urna costura cor fula nao re-
linda maos grossas echeias de calos de tocar
canoa ofllcial de cascavel que trabalha no
trapiche do assucar, ten. barba somante na pon-
a do queixo e buco do idade do 25 annos ,
muito ladino. A arela tem os signaes seguinles:
de nacao Benguella estatura regular, corpo
seico, e espigado, odios amortecidos principal-
mente quando falla ; as fallas muito baixas ,
peito pequeos, rosto descarnado maces al-
tas ps seceos ,c nervosos maos regulares ,
cor preta nao retin.-ta mui bom Tallante, den-
tes apralos ; leva um panno da Costa, vestido
de chita encarnado, com ramagWN pret*
abarlo pela Irente com abutuadura de colche-
es idade 2j anuos; em algum lempo vendeo
fasendas ; quem os pegar, leve a rua da Palma
por detraz do Carino em casa de Antonio dos
Santos Ferreira, que sera gratificado com 200^
ris.
liBCtri n\ Ttp. ob M. K. db Fauu. -1844
__


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYHLELZXT_3D0WLW INGEST_TIME 2013-04-12T23:53:18Z PACKAGE AA00011611_05107
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES