Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05106


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'V
Anfio de 1844.
Ter$a Fera 25
O DlAIU > puhlica-ae lodoa na iln> :|nr n;m fuma aaat6o*4o : o pre<;0 da auignatura
I, (Ib irea .mira, por quanei panos adiantadoa Oa aaouuCoadoa aaatgnaaus alo UkM'ldot
eralii e I"' Tje nii 'orem rat.io re Si) res por l.nha A rerlamarSel derean ao. liri-
rida ala Tp ra das Crui-a n 4 ou a. praca na Independencia |.,ja de lirroan 'i t X
PAKTIDA DOS CORREIOS TEBRESTRES.
GoUNN*,t l'aai.yha.seiundaa. mili feiraaH if)lrande do Noria cfcaga a S e 3 c pii
le lile 4 Cabo, Sennhaem Kio Fornwao Macer PonoOaWo, r flafoaa no 1
He 84 daada mea. Garanhuna e Batallo a lite -'Ida ca mei Boa .*. e Ha
ea a i3 -< dito. Cida le da Vioioria quimas faira. Olmda .uJu > diaa
DAS DA SEMANA.
"4 Seg + J0B0 arplista. Aud. d- J de D. da 9 .
2a Tarea a Gi ilhe me riel, and do J. de 1) da 3. T.
96 QaVU< Vilgili" Aud do J de l). da 3. t.
2? Quinta. La i o Aud do .1 de D da 9. t
2H Sella* Abano Aol do J deuda'.', t.
99 San a 1 edro. t\. aud. do J.da D da i. v.
.Sil Uoui^ A Pure de N. Sra.
1 itBaaWW^zraann
de lunho
Anno XX. Lf. 141
T
^/jfc y Tudo agora depende de na m'imm; da noaaa prndenria, roderagio' energa: eon-
'T?\f~,.l. linucinoj rao pr:m-i..:'n >, a aerajaa.l aportado OOl admiradlo entre aa nacj.ws Mil
//j|"/*C*Vi euiaa. (Prodanaq jn da AtMOabia Geial O aran..
tt H .. -.-.I.
|\ :>[, Cambio obre l.om'rea -5.
.' u i] rana 570
???'' J Mneda de cobre o p.-r
IwEfla***? Idam do leira .le bou firmas 1 a lia 0
CS*?* ___......
CtmiOl I>o DI* D mnn. rompra *'""'''
fO.ir-M-eda.U- 0,400 V. 47,300 7,500
Paria 570 rri, por (raneo f N. i?.W0 7.300
., Litboa WL por fila de premio I da 4,000 9,00 'JJ
'Vrai.-.r.iwSe. .960 ^
Poaoacoluauaarea ^ .'>''' ff~
Iiq .. Hilos mejicano 1,860 .vBl
PHA.SES DA LA 1*0 MEZ DE JNHO.
ZSKEX
Loa cheia a ;>0 a i bota e ...i mu da man!.... i La nota a 1:> aa 10 oras r '. min. da tarde
Minguanlc a 7 ai 6 hora e S min da tarde 1 desente a 23 aa 4 ha m. da larde.
Pleamar de hoje.
Primara aa horas, e ,!) min da raanhja. | Secunda aaII ',oraa e 5J minino da larde
ffrprrjau:>aeaKwragrwjr...-;aian,^: ...:. ^.o.-^iC3U;:',1R",aK-V"SrTS3rai'ii;j"jjU>V...^_iE
SSaaOBal

..... .-r: ^roaHi
fAfiTE OFFiCUL.
Jiela'orio da RepurltQi dis \egnctos do Im-
fda Bahia. o qu;il nenhuns ntrumenlos possui'
para as licea ile Pbysica; e os pouros, que nll
i'xisiem para as d. Analomia. e Opc-rafot-s. ilf-
vidos a genorORdade do alguns Lente*, acliao-x
P'rio, aprsenla in A-sembl i Geral Legi$~! con o ujo qui ioloirameota nutiltsaJos; f^
laiiva nt ercetra ufada quinta legt'laiu- zen lo-so porta rilo n.-cessaria para este objecl<
a pelo rsped vo >/tni >errel'ino de urna consignaran p<'lo menos de ::000.>000 rs
fitlado Jos Carlos l'enira de Atmeida Tur- Osesludnsrontinuio regularmente no Colle-
r gio de Pedro Segundo, onde em virtude da Fle-
(ContinuacAo do n antecedente.)
Intlrucffa publica
soluviio de 10 de St-lemliro do anno paiaado,
tontarao ltimamente o grao de Bacila re en
Pelos mappas (tintos conhecert;ist|ual o resul Ledras oito alumnos, que m arhavao as cir
tado dos tralialhos lect.vosdo anno passado nos cumslancias de o receberem. 0 CollealO fui
Estabelecimentos de Instruceao subordinados a enriquecido pela Munificencia de Sua Vlagsta
Repart o a meu caro. de o Imperador cm urna numerosa, e riquissi-
Continuao com a'gurna regularidade os es- na coecijao demineraes. Quunlo as obras, de
tudos no Curso Jurdico de S. Paulo: no de O- que mais precisa presentemente o Kstalieleci-
linda acha-se extinelo o espirito do turbulencia, ment, nenhuma deve preferir i reedifitacao la
que por muio lempo reinou entre os Academi- aua Ijjrcja. a qual nao poder ter lugar, se ella
eos; mas o aprovetamento Iliterario destes nao nao continuar a ser por vos auxiliada: a despe/a
be tal. qual ra/.o.velmento se pode, e deve es- dessa obra acha se oreada m quasi 19:0004 rs.
perar. Pera esle desagradavel resultado muito O vencimento do Secretario doLollegu.loi pro-
concorre o desleixu dos Profesores, principal- ximamente elevado a 400 rs.: in.lispensavel
mente do Collegio das Aries O abuso neste se torna elevar tambem o de alguns 1 robores,
ponto lie de tal magnitude, que lez lembrar, o cuja retribu icio be mono* que mesqu.nha em
parecer conveniente a abllelo d'aqucllo Colle- relaco aos lempos, o anda ma.s em relacao ao
gio, eficar fa/endo assuas vezeso Lyco Pro- trubalho.
vincial;e que aos Profesares do mesn.o Collegio Nada tenlio que accrescentar ao que vos ten,
rnente se pagasseem relacao ao lempo da fre- sido ponderado pelos meta antecessores a res-
quencia Quanto ao primeiro arbitrio, entende peito das Aulas do Commercio: o Goierno esla
oGovernonodeverpropol-o; por quanlo.ain- certo de que preslareis a vossa attencao ao que
da-que o Lyco tenha urna vasta organ sacio, nos anteriores Relatnos vos tem sido pon.lera-
ache-se prvido de bous Professores. e apresen- do no intuito de habilitar a juvenlude para
te umandamenlosalUfactorio.com ludo, sendo mpnrlante carreira. a que se-dest.nao os que
um EsUbelecmenlo Provincial, est> siije.to as lre.|.iento aquellas aulas. guando nutras
alteratoes. que a respectiva Asseiubln quizer providencias nao poni por ora ter lugar, por
fa/er em sua organis-ca >; e a inteneoffto que deman.larem despe/as pouco compalivo.s com
n'aquelle caso o Director dnC.urso Jurdico nao as nonas circumslancias. urna ao menos se po-
poderiu deixar de exercer nos Irabalhos do l.y- da adoptar, e vem a ser o exigir M o conhcc-
co. dara lugar a dwagradaveis contesta,oes, e ment das Lingoas Ingle/a. c rranceza. nos
talvn/ (unesloa conflictos. Qm-nto ao ssgundo, que aspiraren, a n.alr,cular-se ns referidas
oGoverno nao tcmainda resolvino sobre elle, aulas. Com esta habilitacao os nosos mance-
Talvezessa providencia seja capaz de obrigai os bos encontrarlo mais fcilmente em prego as
Prolessores a comparecer; mas sera ella capaz casas commerciaes estrangeiras aqu eslabele-
de ORnbrigar a dcaempenhar rMgiosainente as cujas; e. quando elle ebegassem ao ponto de
obrigaedeg do Mag.s'erao ? Estas oo comistem esUbelece.* as suas, mais fcilmente dntabola-
s nocomparecnnenle material do Pr, f.ssor ou riio. e enlnterio relacoes com as de pases
Lente;mas tambem nomo empenbo de instruir- trangaiiw. Estas vanlagens, reunidas s
see instruir conscienciosamente a n.ocidade. que que dev.-m resultar da u.aior cultura inlellec-
p.ira esle fim Ihe be confiada: a nbrigai ao physic* tuai, sao dignas de attencao.
pdeser levada a execuvaopor meio de umacoac- O gpverno, tendo toda a attencao d-vida as
pao tambem ph y sica; m^ o pleno desempenbo nossas circumstanwas, nan se nina a imillir
daoi.rKaiaomonil.pdeierdoUTniinadope- w**t* nr..v.,ieneia reclamada por alituus
la c-nsciencia -lo dever. e no presente caso essa dos meus antecessores em seus Relatnos, ue se
conciencia falla cmpletamente: se ell.. exislis- mandarem viajar, e aperfcicar as Escolas mai
se. nao me vera na desagwdavel nccessdade celebr.s.la Europa, alg.ms -los i.lu.i.iuis mais
de fa/er na vossa presenca estas n fl.xoes Nao aproveitados da Uademia das Bellas Artojalgu
ousosollic.tar de vos ampia aulorisacao pan. o ma cousa porm ulgou al.solutan.ente necessa-
Covern. reformar estes E4,beleciu.entns, como rio fazer. para que a inoculada dedicada ao es-
iulgar conveniente, tanto no seu pessoal. como ludo delb.s nao esinoreca de todo por lalta de
nasdisi.oskoes. por que elle-se regem. noca- perspectiva futura, e nestas vistas tem ordenado
sodequetaes Estabelecimentos bajo de per- que um. oudous d'aquelles alumnos sep.o ad
manecer depos de erecta a Imiversiiiade, que didos u l,lsl.eccao das Obras I ublicas. e all in -
se proi.-cta nesta Capital, ou de que a Creaco cumbidos de levantaren, as Plantas -las mesm.-s
dest., sp nao real.se con. brevid.de; entretanto obras, med.anle urna mdica graliliccao no
seria esta a providencia mais prnpria para leval- lempo, em que estiverem o.cU|a,los neste Ira-
os com presteza a estdn de pi estar- o senico, batho. As exposices geraeS le.m conl.nuailo;
que d'.-lles se deve esperar. Nao tratando eu des- ea Muniiceic.a Imperial, galard..ando com
la providencia resta-me pedir a vossa attencao distinccoes os autores das pr.ncipaes olir..s. que
a favor d'aqueilasparciaes. que em seus Rea- nellas apparecem. depo.s de ter sido o seu me-
torios leen, sidoindicadas pelos meir- antecesso- recimenlo aguilatado pela Academia, muito de-
res O.ianto BOS e lilicios .los dous Estabeleci- ve contribuir para o dcsenvolvimento do talento
menlos.alxuns reparos de pequea importancia artstico tanto as pesso. a j formadas, como
se m.ndro f.zer no da C.dade de S. Paulo:no nos mesmos alumnos do Esiabelec.ii.enlo, em
de Ulinda, urna das sallas esla arruinada, e o l). quem aquelicseiemploa i.o pudem deixar de
Abba.le da Congregacao Benedictina pede ares- despertar ardentes desejns de mero, erein dis-
tiliiiCodo edificio para mandal-a concertar; ao tinecoes semelhanles. Ouanlo ao edthcio. pra-
que por ora o Governo nao tem podido annuir. csa elle dea^uns repa os. bem como de se for-
Passando a tratar das Escolas de Medicina, marein. e enllocaren, os capiteis de brnnze as
tenbo da participar vos queo Governo se vio na columnas do fronlespicio. e de se abrir a ra,
p.cscssidade de "> .n.lar recolber os Mdicos va- que Lbfl viere licar Ironleira Para a compra das
iantet, ede redu/ir oulins despezas, a fim de casas.que tem de se demolir no iugar uessa ra.
nao ex.-eder o crdito ltimamente votado para j" consiginrsles na Le de 26 de Setembro de
est.-s Estabelecimentos. Mutossoos objtctos, ISi-0 urna quantia; masessacompra nao se rea-
de que elles anda preeisio, para bem poderem lisou pelos motivos ponderados n Relato 10.
desempanbar o ensino; mas nao permuindn as que vos loi apreaentado por un, dos meus ante*
nossucircumsUn-iaslinanceiras acudir a todos, cessoreano principio da prmera sesso do an-
iollicitarei a vossa attenvu ao menos a favor do no passado: agora um propneUno de duas d a-
I quellas casas offerecc-se para lrocal-as por ou-
tras da Nacao, que sejaode igual valor; e como
.arca ao Governo ventajosa esta propost, sol-
licito vossa autoriaacio para poder aceital-a.
dar o terreno o destino designado na men-
lonida Loi l'ica anda um predi. intercalado,
cojo proprietario nao tem por ora moijifi ado
as suas pretoncQes.
Passando a tratar das aulas publicas avulsas
de instruceao secundaria, nao posso dispensar
me de ponderar na vossa presenca a absoluta
necessidade que ha, de se estabelecer um Di-
rector semelbanca do que existe para as esco
las primarias, que vello sobre a exactidao dos
Professores no cumprmente dos seus doveres
Quero acreditar que essa exactidao be escrupu-
losamente observada; mas esta crenca nao basta:
ella precisa la confirmacao da experiencia, ex-
ercida por pessoa inlelligente e vigilante. A
Inspet-go das Cmaras Municipaes sobre seme
lliai.tes obiectos be absolutamente nulla.ou im-
profirua.
Passando a tratar das Escolas de Instruceao
Primaria, o Governo mandou abonar a cada um
dos Professores da curte, que nao tinhao essa
paga pela Nacao, a quantia de 400s rs. para a-
luguel della; c commelleo aos Parochos. e aos
Jui/es de Paz o velarem sbreos Professores, e
Professorai no desempenbo de suas obrigacoes,
dando elles parle Cmara Municipal, e ao Di-
rector das Escollas, das omissoes. e irregulari-
dades, que observarem, e ao Governo nos casos
de maior gravidade.
Muitas sao as providencias de que necesi-
ta este imporlanlissimo ramo da Administradlo,
para que d'elle se colhao (rucios quaes se de-
vemdesejar: enumeral-as todas seria fatigar a
vossa paciencia : farei meneo das principaes.
He indispensavel que, prestis a vossa altencSo
edilieacao de predios com as proporcoes, e ac-
commodaces neressarias para a exacta obser-
vancia do Ensino .Mutuo : a falta de predios
.le que ser meihnrada a sua posicio nSoto-
nassem sobre si todo o peso da reduccio. Os
vencmentos, que se Ibes marcrio por Decre-
to de 5 de Novembro do anno passado sao ab-
solutamente desproporcionados aoservico. que
que taes Empreg idos prestito, e as halnlitacoes.
que deveni ler para desempenbal-O. No Urca-
nenloda ReparltjSo a meu cargo naoaugmen-
tei o quantilivo presentemente concedido pata
o Estabelecimenlo por estar persuadido de
que os referidos Empreg..dos continuarais a ser-
vir, como at aqu teem servido, con, to mes-
quinba retribuidlo como a que recebem por
amor scieneia 6 80 Paiz ; mas tanto mais
generoso e desinteressado tem sido o seu pro-
cedimenlo quanto mais piomptos nos cumpre
ser em altendermos ao seu servico >e nao
lora a esperance (diz o Conselho do .Museo
em seu Relatorio de I ti do Marco do correte
anno ) de que en, lempo aeriiio devidaniente
apreciados os seus esforcos pelo Govrrno de
urna nacao Ilustrada, e pelo Monarclia, Cjue
desde Sua infancia tiio grande parto tem to-
mado na cultura das sciencias de certo o
Conselho nao se teria sujeitado a semelhante
reduccio ao menos na parte que diz res-
ce peilo aos Directores ; porquanto desde lo-
go o deixou ver, o agora pede permissao pa-
ce ra declarar que julga do interesse da scieneia,
da diiinidade do S6U Paiz servir antes gra-
te tuitamentc se as circumstancias da N\.<;",.>
ii exigem, do que receber como paga de pro-
prios e mui pesados sacrificios um hono-
rario ainda menor do que o salario de um
n jornaleiro. Relatar os servicos das Secces,
e as acquisices que o Estabelecimenlo fez ,
ja por compra ja por trocos e ja finalmente
pela generosidado de seus proprios Empregados,
e de muilas outras pessoas eslranhas fura fas-
tidioso A graliicaciio dada a Estanislau Joa-
qun, dos Santos Brrelo para colher na Pro-
vincia do Para preparar e remetler ao Esta-
cn, essas proporcoes obriga a urna mistura, 6 belecmento productos naluraes loi suspensa
confuso de methodos, que torna tudo irregu- | por falta de nietos para esta despeza. Quanto
lar e de p-uco proveilo. Nao permitlem as: as necessidades do mesmo Estabelecimenlo, nao
n.os'as circumstancias que a um lempo se cons-j sao ellas poucas: as Secoes precisao de Aju-
iruao todos os que sao precisos ; principiemos danles que com a pratica se tornem Substitu-
p..r um pelo da FYegue/ia mais populosa e tos dos Directores ; precisao de armarios; pre-
concluido este, passaiemos a outro. He indis- cisao de espaco para o conveniente desenvolvi-
pensavel crear um Substituto, e um i Suhstitu- \ ment da classiicaco dos objectos quasi amon-
ta para as Cadeiraa da Corte para se haver toados; e he alm dislo necessano que baja as
eo.'i, promptidao pessoa h.lilitada, que occu- Provincias pessoas incumbidas de colher 6 re-
,,etaesCa.leiras,qa-ndo vagas, equandoimpedi- metter productos naluraes : a nada disto pode-
dos os Profesares el'roessorasdellas He indis- mos por ora aiiender por (alta de meios.
pensavel quwse dea lodos osProfessores urna ra | Tem rontinuadoa chegar deFranca as obras,
zoavcl quantia para asdespeza- das respectivas Es- que se mandar., vir para a Bihliotbcca Publica:
colas a fim de se evitar a pratica de receherem a excepcao ellas, e de algumas de pequeo cus-
aquales, que nao teem consignacao para esta des i to, porm interessantes, compradas nesta cida-
pe/a. quantias dos seus alumnos para occorrer a de pelo Bibiiothecario.poucas saoas acquisices,
a ella 8 de se cumprir fielmente a promessa que bou ve, devidas generosidade de parlicu-
da Constitnicao. que a lodosafianca a instruc- lares. Pncisa o Estnbelecimento de novas es-
c; iu prima, ia g.atu.ta. He indispensavel final- tanles para accommodaco dos livros, que Icem
mente sujeilar a urna ngpeccio vigilante, e per- ebegado; mas lalta espaco para eilas. Poderse-
manente essa mullid, u de Escolas e Colle- bia remediar esta falta, collocando-sc no centro
ios. que se teem lolabeiecido. e v.io eslabtle- do Gabinete das Sciencias una lileira de estan-
cendosem conbecimento da Autoridade Publi- tes rom duas faces; mas talvezo pavimento, ji
ea sem declmelo das obriga oes a que se um pouco alquebrado. nosupporte o peso. O
comprometleiii seus Directores e sem previa Governo tem de mandar proceder aos conveni-
liancn ao deseiiipenho il'ellns Muinto convi- entes exames, e vista do seu resultado resol-
ria que desseis ampia liberdade ao Governo pa- vera como as circumstancias o permittirem.
ra regular no Municipio da Corte a Instruceao O Instituto Histrico e Geographico contina
Primaria e a Secundaria, como jul^asse con- con, regularidde em seus trabalhos. e interessan-
venienle comprehendidas quaesquer Escolas, tes publicacoes: o mesmo acontece com o Con-
e Collegios de particulares, dando-vos por fim servatorio Dramtico, cuja installacio vos foi
uta do resultado para obter < vossa approva- participada no antecedente Reialorio da Repar-
ti. Por este modo a lei que houvesseis de litio actualmente a meu cargo. A esta Associa-
fazer bascada j na experiencia seria mais gao de Literatos commetteo o Governo a cen-
eompl.-ta e do mui fcil ex.cucao. O Go sura moral das pegas, que houvessem de subir a
vento mandou imprimir a traduegao do Cathe- scena nos iheatros desta capital; medida recla-
cismo de l'leury para a instru to religiosa as mana pela decencia publica, por outras cons-
Escolas do Municipio da COrte pelas quaes deratoes, que desnecessano he aqui desenvol-
. i /~ r\ai\fa>a,*A'ri *nm nr.rrocnnnrliHn h #on*-
sera urevi-m. ..k: uimih.u.uii. | 'ti. u*-aiaa-------------...........jno-------------
A mesquinba consignatio, com que dotastes fianca do Governo, o qual nao duvida que elle
o-Museo na Lei do Ornamento em vigor, de ] continan a prestar de bom grado este impor-
nenhuma maneira jioderia chegar para a manu
tenca dote IMabelecimento se seus princi-
pies Kmprcgados mais vidos de gloria do
portante servico com a mesma rectidao, com que
at agora o tem (eito.
Seguindo o exemplo dos meus antecessores,
que de inleresses pecuniarios e esperanzados J passo adar-vosuma abreviada noticia do esta-
K


J
r -
7?
/ i
(1
Mim
o da instruccSo publica na provincias, colhi.la i as providencias, para que este EstsbeloCm>nin
os relatnos dos respectivos Presidentes. I nao continu a pesar lano sobre a afio: bem
Calcula se em 1:653 o numero de himnos, que o mesmo Governoo nao considere romo
do que a sua administracao deveier tal, que em
lIlllll.MI ** ..I.' TI i
que frequcntrio no anno passado as 36 Esco-
las Publicas de meninos, e as IG de meninas,
que existem na provincia 156 alumnos .nternos, e externos, rrequentario conaervacio. \ economa, e fiscalisecao as suas
as uiasdo Lycao Provincial estahelecid.. na despena, romprebendidasados presentes dos
i-ade de Angra. Cuanto Aulas de mstrm-seus p ducl s. merc.eo t.mhem a altencao do
Cao secundaria diasemmanas pela proxincia.nioverno.oqualisperaque.com as providen-
nao posso informar-vos do numero de alumnos, i ciasdadas, alguma cousa possa poupar a Fa-
quedeliasse aprove.lrao ronda Nacional.
Na provincia do Espirito Santo as 13 Esco
las Publicas de Primeiras Lcttraa vara meninos
forjo frequentadea por VV> alumnos, e por 30
as duas Aulas de Latim. Ha nesta provincia
nma cadeira de Priineiras Lettraa para meninas,
oreada desde 1833. a quni ainda nao Fui provi-
da, por falta de pesaos idnea para accupal a.
Nao posso informar-vos do numero de alum- tal.el, cimento necessita de 'niuitomais" ampia
nos, que Troquen!*) as Escolas da instraccio comignapao, nao s para poder ser levado ao
elementar, r~"
dara na provincia da
As Escolas
na provincia de Sergipn sao frequeriladas por
803 meninos, e 170 meninas: As Aulas .lo La
lin por ||,o enlodantes Segundo informa o res, enea na montos. e pocos, de augmento no
respectivo Presidente, o inepcia, e a incuria dos angradamento de ferro; de reparos con-
1 rofeteores desta Provincia excedo a toda o ex | ideraveis nos seus edificios internos; finalmen-
e urhanidade, unsde/ par cento do produc-
to das nossas minas. Os nossos mineiros .
i fonte de Renda Publica, entende romtu- I nao julgando jnseu este precioso melal.teem
se dado mineraco do Ierro a existem ho-
je bastante fabricas de que talvez nos resul-
le a cttinccAo de muitas maltas. Em segui
i da (continua o Presidente) foi abandonada
pelo Governo a mineraco dos diamantes,
que esta boje entregue aos garmpeiros.
Continuando a tratar da Provincia de Minas,
devo referir-vos que o seu Presidente tem pro-
curado oliler ronbecimento das riquezas metali
cas, que os seus terrenos encerro Movido
pelo queso leem urna Memoria do Doulor Jos
Vieira Couto publicada em 1842 mandou
fa/er algumas indagarnos para o lado do Infi-
cionado tendentes a desroherta de minas de
cobre : forfio incompletas as noticias que te-
ve ; entretanto elle continua a prestar silencio
a este objecto romo se Ihe rerommetidou por
o casino de participar o que tinha praticado
Mui conveniente seria que para esta* e outras
indagacoes consignasseis urna qnantia razoa-
vel. Segundo as indicfcoes dos Sabios que
leem percorrido o nosso Paiz, as riquezas mi-
neralgicas que elle encerra sao tantas, que
impossivel parece perder-se qualquer quantia ,
dc-nos em premio de nossa condescendencia se enconlra lambem ao Norte.e mesmo na Pr0_
vincia doCear. O Governo tenciona mandar
fazei as convenientes diligencias por pessoai
O Jardim Botnico do Passeio Publico soff-
reo consideravfllmnnle com as seccas do anno
passado, entretanto leve grande augmento em
plaas exticas, e indgenas sendo algumas
daquellas obtidas a expensas do proprio Direc-
tor o outras prestadas pela Imperial Quintada
Moa-\ isla. Este nasrente, e indispensavel Es
eotar. nem as Aulas de instruecao secan ponto de poder prestar maior vantagem, mas
"la da Haba. anda para se rep; rar e conseriar o que existe
ublicas de tnstruoeao primaria ||a elle mister de um Jardinero entendido na
cultura e propagacSo das plantas dos diversos
paires; de muito maior numero de Irabalhado-
pressno,
Na consta qtnl o numero di
que para isto forapplicada ainde quando so-
l de adquirir plantas exticas absolutamente jamos mal suceedidosem muitas das indagaSes:
de alumnos, que neeessariaa para te prcem herern as familias ,que urna s que approveite resarcir com usura as
rrequentSo as Escolas de Primeiras Ultras, e as inteiin,, ente Miso ao Brasil. tentativas mallogradaa.
Aulas de Latim n Provincia da Par-hiba. ten- ; yMi da ,,.nho para vos di/er a respelo | Na mesma Provincia de que tenbo tratado.
do os respectivos Professores sido dispensados, do estado da nossa agricultura as Provincias o Naturalista Chusscn remelteo ao Presidente
por .... I rovineial, de remetter Presidencia o Na da Babia empregao-se esforcos para se pro- dola amostras de um mineral existente no lu-
mappadcsssalumn s. As aulas do Lyco sao | mover em maior escala e cultura da mandioca
frequentadas por 00 alumnos.
Nao consta qu.' numero de meninos, emeni-
nas, Irequentoas Escolas Publicas delnst'uccio
Primaria na provincia do (loara; parece porm
queesse numero nao be avultado t) mesmo a
que estove quasi abandonada resultando daqui
lilla ocareslia que pezava cnnsi.leravelmcn
le sobro a grande massa da populacao ; para se
melhorar a manipuladlo do fumo, que bote
do qua
exige muilo
maior arle e cuidado
Contecc com as Aulas de |nslrUCC,O Secundaria. : quando a Costa d'Affica ora a principal conl
Ignora o Governo o nun ero de alumnos, que nidora desto genero ; e finalmente para se levar
frequentao as Escolas Publicas de Instruecao a do assucar a ponto de perfeicfio tal que possa
Primaria, o as tulas avulsas de Inslrue.ao Se- olio competir com o dos nossos rivaes nos gran-
cundana. na Provincia do Maaanhfo. No anno | des mercados da Europa: na de Minas va nro-
passado matriculrao-se somonte 90 alumnos gredindo a cultora do cba, do quah existom
nai \ulas do Lyco da Capital, algumas das u,,tae cinco mil ps no respectivo Jardim Bo-
quaes, como a de Rbetonca e Potica, a de tnico: nade Santa Csthariita a eanna dono
Oeographiae Historia. eadeGrego, tem o- minado de Cay en na ten, sido atacada poruma
.e..feum,ou dous, especie de lagarta que grandes projuizos tem
Na rovmcia de Matto Grosso trio as Es o- camado as respectivas planlacoes. Sobre este
las I ubinas Primarias, no principio de Marco utltniu objecto ronsultou o Governo a Socieda-
do anno passado. frequcntadas por 434 ulum- J Auxiliadora da Industria Nacional a respeilo
nos: ignora se que numero de meninos Irequen- ,j0 m,.0 m. remwj 0 ma| e da m,.|nor m;inpj
tavao as .las Aulas de Latinidad
"' ; ra de baver e remetter para a Provincia nova
Segundo o Rclatorio do respectivo Presiden- planta dacanna; mas ainda niotete definitiva
te ainatruccio acba-se muilo atrazada na Pro- resposla.
vincia de Goyaz. Nao vos possu intorrear do No penltimo Relatorio da Reparlicio aclu
numero de alumnos, que Irequentao as Aulas. | alenle a meu cargo fostes informado dse ha
Escolas Publicas destinadas a preatal-a. ^ vermexegido do Presidente da Provincia das
Em 1842 foi installado na Provincia de S. i Allagoas informal oes a respeito da existencia.
Paulo um Gabinete Topogrfico, em cujo |n- : oxiraccBo, o commercio, que se podia faze. corr
aneiro annosematricular3n.no Curso de Enge-'o marne, substancia mui propria para adubo
de Estradas, ~2'l alumnos, dos quaesl das tetras, e que en
7 (cario habilitados para feaerem exa
nbetros
comente
uuma pequea Memoria
o Doutor Schmidt affirmou jazer em abundan-
me. As Aulas Publicas ib Lalim. fts qu; os se ra as marg. ns do Rio de S Francisco. Por
addicionouoensinoda l.ngna Francesa, sin-OflHo ltimamente recebido do Presidente
apenas frequentadas por 1 8 alumnos: 2.378 daquella Provincia e acompanbado de outro
meninos, 390meninas, frequenlfio as Escolas da Cmara Municipal da Cidade do Pinedo,
gar denominado N elancias parecendo ao
dito Naturalista que as referidas amostras erao
ricas em cobre chumbo e prata. Exami-
nadas aquellas amostras pelo Director do Mu-
seo deo este por averiguado nao existir porcao
Iguma de prata no mineral examinado; mas
smente de chumbo e cobre. Infelizmente
estos metaos nao se acbio puros naquella mi-
na porm combinados um com o outro ; e
nao tendo ellos neste estado applicaeo algnma
as Artes sendo por isso necessario redu/il-os,
he para receiar que o valor dos metaes nao che-
2ue para a despo/a dessa ainda que fcil re-
dcelo ou soparaco.
Na estrada de Jundiahy Provincia de S.
Paulo, encanlrou oOffciafde Marinha dos Es
tados-Unidos da America, Isaac G. Strain, que
vHa | elo intei ior do Brasil para conheeer a di-
receo dos difTerontes rios, e os productos exis-
tentes niis suas visinhanfas, trra propria para
o fabrico da porcollana. Examinada aquella
argilh pelo Diieclor do Mueo reconhecco-se
que ella era com efleilo o que se suppunha e
de excellente qualidade ; de que porm nos po-
de aproveitar esta riqueza, so a nossa indus-
tria se acba ainda tanto na infancia que nao
possu irnos labrieas de louea ordinaria para o
uso comn.um ? Accrosce a isto que, sendo exa-
minado o lugat pelo Engenheiro Civil Jos
Porfirio de Lima este informou acharem-se
as caixas daquella arga quasi varias, em con
sequencia das alluvioes produzidas pelas agons
pluviaes. Parece nao ser nova esta descobor-
la ; e arga semelhanle", e igualmente per-
feila informa o Direi-toi do Museo existir na
o.i ii- r .. t- I r. ...........www, ..., .............. i/im i..i mci .im rsnur na
i ul.l.cas do I r.me.ras Ultras. No Seminario ie-se que. setal substancia existe naquelles I Caxoeira do Campo Provincia de Minna Ce-
de llu. ltimamente convertido em Cullegio lugares, nao he ella tonheci.la nem o seu raes rm torras de D. Anr.a Pimenta da Silva
para u ensino do Philosophia Graromatica La-! presumo. O Presidente sollicitou do respeeti Fique o menos consisnada no msente Rea*
tina o Francea, Primeiras Ledras o Muzca, 16 \a Assembla os meios necesssrioi para empre-! torio esta lembranca,
alumnos internos, t>-> extornos, o8 orphioSSUS- gar rusta investigado pessoa idnea ; mas in-
tentados pola dotacio do dito Collegio.se appli- noro qual lenha sido na dita Assembla o resul-
co a osles esludos.
Foi es ti neto oCollo io da Assumprio, osla
belecido na Capital da Provincia de Minas Ge-
raos,mandando a respectiva J.ei transferir para
Por occasio de se dirigir ao lugar da arg-
a de que tenho tratado descobrio o mesmo
Engenheiro Civil Jos Porfirio de Lima urna
pedteira de marmore negro, de que remetleo
urna pequea moslra. A pedreira fica a pe-
que maisadaplai as julgar para esse fim.
'I erminarei o presente artigo com a mencSo
do donativo, que fe/ ao Museo o CirurgiSo
Formado Joaquim Pereira de Araujo, de va-
lias amostras oe minen.es, o lavas to \esuvio.
Segundo inorma o Director daquelle Esli.be-
lecimento as referidas amostras comquanto
na maior parte de um pequeo volume, e nem
todas perfeitamente encar.i tensadas, sao to-
dava de grande importancia para o u.esmo
Museo, porquanto comprebendem ellas espe-
cies mineralgicas, que ainda nao possuiamos
econcorrem vantajosameute para o esludocom-
parativd de outras, cujas localidades erao mal
conhecidas
Commercio
NI O te tem recebido lodos os Mappas relativos
as nossas reb-ces commerciacs com os paizes
estrangeiros no decurso do anoo financeiro lin-
do : passo a apresentar \ s o resumo dos que
vieran a repartirn a meu cargo.
O valor das merendonas estrangeiras despa-
chadas pura consumo na Alfrndega do Para foi
de Rs. 1.371 911*919: o das exportadas para
portos estrangeiros no de ris 820.218*385,
mostrando so a favor da importacao urna dille
renca de ris 551 723*534.
O valor das mercaduras estrangeiras despa-
chadas do mesmo modo na Allandega to Mara-
nbio foi de res 23 23 932*83>: o das expor-
tadas para portos exlrarigeiros no de ris
1.799.316*149; havendn a favor da importa-
do a dillerenca de ris 434 610*680.
Na Paiahyba foi o valor das impnrlac.oes, de
que trato ris 537 9038070 : o dasexporta-
coe* ris 705.312*422 ; mostrando-se a favor
das tegondasumadifltrenca den. 227.319* ji346
Tivemos em Pernambuco monadorias esa
trangeiras despachadas paa consumo no valor
de ris 7.320.825*205: e exportadas para por-
tos estrangeiros no de ris 6.138.439*852 ;
havendo urna differenca de ris 1 182.336*353
a lavor das primeiras
as Alagoas fo o valor Je taes mercadoria:
despachadas para consumo tis 653 338*723
o das exportadas para porlos estrangeiros ris
618 322*5")0 : mostra-se por tanto a lavor da-
primeiras urna diflerenca oe ris 35.016j193r-
Foi o valor das mencionadas meicadoria
d f adiadas para consumo na Baha ris;
8 050.835*392 : o d-s exportadas para porlos
estrangeiros rs. 6.215 734*739 ; mostrando se
a lavor das primeiras a dillerenca de ris
:. 435.100*653.
Em S. Paulo o valor de taes mereadorias
despachadas para consuno na Alfandega de Pa-
ranagu f.-i de ris 804,058*980 : o das ex-
portadas para porlos estrangeiros, de ris
24.125*808: havendo a lavor das primeiras
urna dillerenca de ris 779.933*112.
Fecbarei este pequeo quadro'com a Provin-
cia de S. Calbarina : nella o valor da importa-
cao de mercadorias estrangeiras foi de ris
508.109$ 401 : oda exportacin para porlos es-
trangeiros, de iis 98,681 002 ; havendo a
favor das primeiras a diflcienca de ris
169,428*399.
(Continuar-$t ha.)
quites smenle ulli Se applica Anatoma; e as
Escolas de Instrurcio Elementar poi 5.234 me-
ninos, o 576 meninas; suppondo o mesmo Pre-
sidente haverexageracio em o numero d aquel-
los.
lado das suas rcflox&es.
Ao 7i lo do mesmo Doutor Schmidt, que
movido talvez pelo nosso Encarregado de Neg
ciosem Hamburgo, muito parece intercsssr-seI qoen d'blanriada Cidade de S. Paulo,
Mmnar.o Episcopal do Mananna as Cadeiras ola prosperidade do Brasil devenios observa- { presenta signaos de ser ahondante,
d aquelle ( ollegio. con. exceptio das de Gram uoes sobre outros objeclos, como sejlo a cultu-1 Passando as minas de carvo de podra na
matice Latina, e Pbilnsnphia Racional e .Moral. ra de cortas plantas oleosas, a maneira de extra-! Provincia de S Calbarina, tenho de informar
Segundo o ultimo Relatorin do respe, tivo Pro- hir dolas o aceite e o molhoramento do nosso vos que o Doulor Julio Parigot pouco diligente
Bidente as Aulas Publicas do Instruccio Secun- j tabaco, e assucar : a estas observa, oes tem dado se mostrou no desempenho da commissao que
dan,, fio frecuentadas por 202 alumnos, dos o Governo o conveniente destino. con.mnnicanB Governo Imperial Ihe confion na Europa
do urnas Socieilade Auxiliadora da Induslri- Em Outubro do anno pasa.lo ainda nao hnvia
Nacional o outras ao Director do Jardim Ro- noticia de que elle a tivesse concluid.,, em con
tnico da Lagos. Deo se lambem o conveni- j sequencia do que se expedirao orden's para se
ente destino a urna M.-moria do nosso Enearre-j nao fazer mais despe/a alguma com aquelle
ga.lo de Negocios em Venezuela sobre um novo I objecto. O Governo entende que o nao deve
Aiha-seestabelecida na Capital da Provincia methodo de preparar o caf ea urna porrio de abandonar; que importa continuar as inda-
de S Calbarina uma Escola .Normal de Pri- sementesde tnay queo notao Ministro Resi- gacoi-s at se obter certeza de que o mineral he
meiraa Le tras pelo methodo de Lencaster, na dente em Buenos- Ayiwt remetten ao Governo. j com efleito hom caivao de pedra, e de que ha
qual se forio instruir, em pouco tempo, quasi i i) prestimo desta planta nos nio he bem con he- j meios para se realisar o seu transporte, sem
todos os outros Profesores Pblicos da n esma cido. quea despeza deste. e a dos Irabalhos da mi
Provincia As diversas Escolas Publicas dWla MinnncSo. neracSo. aksorva todo o valor do genero, anles
10 IVequentadas por 314 meninos, 175 moni-, Qual soja o oslado da nossa mineraco auri- j deixe um rasoavcl lucro, e espora que para isso
n- fera o Presidente da Provincia do Minas Ge-i o habilitis com alguns fundos; mas esto ob-
ra es o diz com bastante conciso e verdade jecto nao p.ide deixar de ter alguma demora pe-
no Rotatorio quo o auno pagado apresentou la falta de pessoa habilitadas, e de confianca.
A respectiva Assembla; reproilu/irei aqu as a qnem se possa commeller a diligencia, acban
suas propriaspalavras. Theorias bem concebidas do so algumas, que existem, oceupadas em
(diz ello), epublicadas para nossogoverno e outros trahalhos. 4
nao para governo dos seus autores, fi/erfto Segundo as ohservaces dos Doutores Spi e
rao a distribuir plantas, e (ementes tanto por1 eahir nossas melhnres minas particulares nesta corle, como por algumas pes-1 estrangeiras. que, peloservico que fa/om so Encarregado de Negocios em Hamburgo. en-
soas de distinecao, e Evtabeieciinentos Pblicos! em demonstrar-nos que em nossa tem ainda cerra o Brasil grande quantidade de salitre ao
UaEu.opa. O GoftrM I* ltimamente dado] ba muito ouro, o vio tirando todo, edan-, longo do 1> de S. Francisco, e esta subsUnciaj mandante' Superio'r da" GuardI7acimia7doZ
as: a Aula, lambem Publica, de Lalim co
fou, no anno passado. smenle 7 alumnos.
4gricu'tura
No Jardim Botnico da Lagos do llodrigo de
Freilas, a exrepcao dos Irabalhos do con*orva-
. fio, dos reparos de alguns del seus edificios
nenbuns outros liverio lugar. P lli se continua-
rommaiuio das Armas.
Concluido do exjitdnnte do dia 7 do corrtnH.
Cilicio Ac Commandunle do 2*batalbiO
de Arlilharia ordenando-lhe. de conformi-
dade com o Imperial Aviso de 11 de Abril do
annop passado, eofficio do Exm. Sr. Presi-
dente de 29 do mesmo mez, que boje pelas
4 horas da tarde fizesse passar para bordo do va-
por Imperatriz vmte pravas escullidas, consi-
derando as desligadas do hatalhao com passa-
gem para o deposito de recrutas da ( orto, de-
vendo enviar suas guias a Secretaria Militar pa-
ra terem conveniente direcrio.
Portara Mandando dar bnixa ao 1 o fode-
U Antonio Ignacio Ribeiro Roma. Soldados
JoaoJos. Francisco Correia do Nascimento,
Raymundo Francisco do Espirito Santo, e So-
teno Jos, todos do hatalhao-de Arlilharia,
por serem incapases do serviCo. e assim o de-
terminar S. M. o Imperador em Aviso da Re-
parlicao da Guerra de 1 \ de Maio ult.mo.men-
cmnado em offi-io do Exm. \ ice-Presidente de
3 do correte mez.
RitaMandando por igual motivo, e em
virduie da mesma orrtem, dar bsiia aos solda-
dos da eompanhia deCavallaria Manool Fran-
cisco Alvos e Leopolda Francisco da Silva.
Dita\ andando dar batea na mesma .on-
rorm.dado aos soldados da eompanhia de Arti-
ficos. Antonio Jos Januario. o Jos decusa
I eneira.
IMM do da 8.
OH.-io A o Eim. Presidente, informando,
de conformidade rom .. seu despacho do I.1
dateme*, acerca da representado do Com-


<
\
*-

l
-5
picipio 'lo Recife, pr que 09 batalhSS da de Msio 30 das, que e achivn prpso iu>ndn!
capital dessem smente a guarnido da pnca pausado n'aquelle periodo por 6 prts&es ; 3 em i gue portugus S. Domingo*, e o dito hrasi-
no- domi.igns, em vi-la do* motivos que rea Coimhra onde estivera por lim no exhibo neo e leiro Fiel.
lava, e de suppor completos os rorpos de linha. I 3 em Lisboa on le tirina chegado havia 1 4 dias
l'i'o A o mesmo Exm. ">r., dando as n- a li.irdo da Fragata Miaada qual fora t ran-.
formacoes que foro pedidas em nffiro de 31 ferido para o Limoeiro, o osle para o Casi ello-
de Main, Robre o guarda do corpod< stacado
Joo Baptista Vlaciel.
DitoAo mesmo Exm. Sr. informandoo
requerimento do 2.o Sargento do hatalho de
Artilhatia a p Joo Lui/ de Carvalho, que
iiipplieava licenca pifa ir a provincia do Cear,
arrecad.ir u.n.i berauca que I tic porluncia
jj, ^_ ....-._. ..,..... -, ._J.II.. _
su
Ssbiro earregtdm durante a semana o bri- mastros, cordoalha, vdame, amarras, anco-
ras, c todos os mais pertenres do briguc Willi-
am Thacher o qual alm de ser reconhecida-
nienlc umdos mais vellciroa navios, que a es
Ifovimenlo do Porlo.
EXTERIO
r
Temos vista o Times at 21 de Maio, e o
Ei'ening ,\ail de 17 a 20 Jo mesmo me/; e
d'elle* colhemos o segninte :
Contmuava o Parlamento ingle/, em seus
tralialhos legi-lativos Na ses*o de 10 de Maio
da Casa dos Communs declarou o Lord Chan-
celler do I besouro em re-posta a una inter-
pollaco, que Ihe fora leita no da anterior por
u ni ni!) o Lord, memoro por Londres, que eia
sua intenco propor os direitos do assucar no
dia 24.
Na lessio de 16 indicia Mr. Ewart, que
quando o Chincellcr do Thesouro aprenentasse
os direitos do asquear pr./pna elle que os di-
reitos sobre o assucar ettrangeiro caf e ca-
cto fossem igiesaos que pagarn os mesmo*
genero* producidos naS colonias ingle/as.
O Chanceiier do The-ouro prevtmio-o de
qiif nao seria conv;nien!e p opor os direitos do
assucar antes do dia 3 de Junlio, o qual elle
design rfa commisso.
Na sessio de 17 entrando em discusso o
Bill sobro os direitos das alian legas prnp/
Mr. Kwift que se igual i-sem ->s direitos da cafe
ostrangeiro aos do colonial. File conlessou
que nesta proposta levava em mira darum gol
pe no systema de direitos dilleienciae* d<>g
quaes se declarava iniungo. Cria elle que em
vez de diminuir se a renda pela leduceo dos
direilos, esta augmental-a-hia. A phrnze aug-
mento pela rodueco era originariamente
de Mr. Pilt, o u experiencia tinba-a confir-
mado. Os pai/.es productores do cal erao a-
gora os principara compradores das manufac-
turas ingle/as Mas u seu principal objecto
era o consumidor inglez cuja perda era com-
parativamente muito maior do que o ganho do
Thesouro. uso d'esle sobrio estimulante
era suinmamento favoravel, nao s a tempe
ranea, seno tambem a cultura intellcctual e
por isso de bom grado animara elle o seu con-
sumo; e desejiva applicar o mesmo principio
ao cac;ie.
Mr. Goulburn (espondeo, que a queslo dos
direitos diflereneiaes Lnha sido cabalmente de-
monstrada, quando se tralou di tarifa; e me-
nos que a cis i eslinesse disposta a resein 1 ir todo
o principio entio Bpprovado nao deve rescindil-
o relativamente a um ou dous gneros em par-
ticular. As colonias (d'ele-) tinbao direito a
proteccSo que assim Ibes prestavio. lira certo
que a America nao Uncava direitos sobre o ca-
f rstrangeiro mas tambem a America nao
produzia caf algum seu \ erdade era que iium
anterior reduceo de direitos sobre o caf havia
PERNAMB'JCO.
Tribunal da Uclagao.
Jutgamento do dia 22.
fesembargadorda semana o Sr. Cerqaei ra
Leile.
Appellaro Civol appellante Calmont e
Companhia. appellado Francisco Jos da Cost j:
mandarn dar vista as partes
Asgravo, aggravantc Marcelino Jos Nune*.
aggravado Antonio Percira : nao lom-r.lo co-
nbeiimento do aggravo.
A ......i!....r... ,-:... ........II ..(.. .. .".,:,
|>|*' I I II I Ctf>j * .. ... .1
lado Custodio Gomes : mandarn subir ao I r-
bunal o procesan original, em observancia do
artigo 85 da le de 13 de Novembro de 11.
Appellataocivel, appellnte Sebastin de tal.
nppelUilos os adminislradores da casa de Tria-
noel Pendra Guimaios : reformaro n s.en-
tonca. f. 33. ulgando o appellante com direito
ao pedido no libello f. 8.
Appllacao civel, appellante Joo Carlos da
'ilva Carneiro. appellado Joaquim Jos *rla-
ebado Pimentel: mandarao dar vbta as par-
tes.
*pneliacFio eivel, appe'lante Jo Thnma7
de Campos Quaresma,appellado Cenoir Puiet e
Companhin : mandaran dar vista as partes
Reeiirso, recorrente o juiso. recorritlo Jero
nymo Dias confirnarn a sentenca.
Appell.tcn civel, repellante Jote Joarjuim
de Oliveira appellado Joaquim Jos Franco:
eonfirmro a sentenca.
Approvacaocivel, apnellante Manuel da Sil
va Ner.'e D Lmirencfl Correia, appellado Jn*
da Silva Neves : desjiresaro os embargos f. 97
para subsistir o accordo f H.
Approvaeo civel, appell nte a Cmara Mu-
nicipal desta cidade. appellado a F-tzpnda Na-
cional : manilaro dar vista as partes.
Xavios entrados no dia 22.
IIio de Janeiro; 21 dias, brigue bespanbol B$-
peranca.de 176 toneladas, Capitn Rapbael
Netto : em lastro.
Liveriiool ; 30 dias harca ingleza Afary
Queen of Scotte. de 256 toneladas CapitAo
Killey : carga fa/cnd.is. Pdss.igeiros 5 l-n
glc7es.
Hobarturn; 75 das, barca ingleza Maryand
Ann, de 272 toneladas. Capito Wlirtbwcuy:
carga ateile de peixe e la. Passageiros 9 In-
glezes.
Navios sahidos no dia 23.
libas de S. Thom Principe com escala
por Lagos; a escuna hrasileira fHligeneia .
Mestre Zeferino Fernandos da Silva Manta :
carga ago'ardente e fazendas.
Rio de Janeiro; briguo brasileiro Boarentura,
Capito Joaquim Pedro Sa e Faria: carga
sal e palha.
Ilha Ichabor; brigue inglez Emeline Capitn
Robert Gibbengs: em lastro.
Rio de Janeiro; brigue brasi'eiro J.eo, Caoi
to Joaquim da Costa Rama Guedes I'as-
ageims : o Portugue/ Antonio de Almeida
Barcellos Caslellobranco, e 1 escravo.
COMMERCIO.
\\ fandega.
Rendimento do dia 22.........15:140*209
Desearregad hojt 25.
Rarca Mary OupenofSsotC'emercaduras.
Krigue --.S/ter/-- idem
Brigue Jeaneile farinha
outr'or i aug neniado a renda; mas foi porque
essa redcelo a-.sim eflectuada tinha feto p ,ssar
aquelle genero de mero luxo que era pira pon -
eos, ser bebida commum de rnuilos Mas a
gora que elle j i era de u>o geni, urna ulterior
reduceo de direitos nao produ/.iria igual aug-
mento de consumo
Mr. Ricardo apoiou concisamente a indica-
cao de Mr. Kwart
Nr. P. Iluward julgava, que se devio lein-
brar quando legislsHsem par as colonias ,
que ellas noposui o alli enlo a represent-
co virtual, que tinbo goaailo anles no lill
da Relorilla. A populadlo della-. llo (bvia
ser considerada como simples estr.ing'-ira Fi-
le porlanto abracuva a opimo do Cbanceller
do Thesouro.
Dividi se ento a commisso, vntando a fa-
vor do direito dillerencial 39; a favor da i.;;ua
lisaco 28; maioria a lavor do direito dilTeren-
eial II.
Tinha passado na Gasa dos Communs o Bill
sobre as Fabricas e devia ser discutido no dia
20 de Maio em a dos Lords.
ro demillido Lord Lllenborougb ile Gover-
nador t.eral da India e nomeado em seu lugar
Sir llen'ry Hardinge a quein succ.edeo Sir
Thomas Ireniaotle no de hecrelario da Guer-
ra ; e a e-te John Woung, h>q um dos Lor-
U3 'i"
iu ^\-k i tiul di It'HC.
Ficou adiado o julgamet.lo de M. o' Gonnel
noTiibunal Irlandez deQueeu's Benchporou*
tro termo que deva comecar a >'! ilo Mai >.
Ijnha causado grande alarma na Imprenta
Ingleza u pri&io de Mr John Alfred Tozer,
PR*r;4 no rrcikr 22 ni. jtviio dk \8\\.
Hevista mercani'l.
CambiosRfectu-^rAo-se transu Oes regulares a
2B d por mil ris.
Assucar No principio da semana houvero
vendas a 7i0 rs. sobre o I rro. de-
pois vendeo te geralmente a 800 rs. ,
sendo as entrada-limitadas
Algodo Foro regulares as entradas, e as
vendas a 4:800 rs por (g> de I .* sorle,
e 4:300 rs de 2
CourosPuuco procurados de 125 a 130 rs. a
libra.
Auardente caxaca-Vendeo se de 37$ a 46J
rs. a pipa.
Agna-razdem de 200 a 220 rs. a libra,
menloasdem a 48 r* @
RacalhioO deposito he de 2:800 barricas, e
se esta retalhando a 10j500rs. obom
e a 8> rs o inferior.
Carne secca Nao houvero entradas.o o depo-
zito esta redU7ido a 27:000 , Acu
dn-se tendido a do -Rio Grande de
2j a 2300 rs e a de Buenos Ayres
de I 600 a lj80>rs
Cha Hysson\ enden-se d e 1:650 a 1900 rs
a libra
('obre para lorrndem a 600 rs. a libra.
Farinba de trigoO deposito be da 8000 barri-
cas em priuieira lulo, nao lendosof-
frido alleracao no preco.
^'anleigaVendeo se a 435 rs. a libra da in-
gleza.
Plvora ingle/a dem de 280 a 300 rs. a li
lira.
Paios \ inbo ile ditodem all2j rs a pipa do de
PRR.
Vinagre de ditodem a 55* rs a dita.
t m p r i.
vena* ne r.spe marriui aim.
Cera branca em pao Continua a falta e a-
penas baver no mercado 3000 li-
bras.
Kxi-temno porlo 32 embarcacoes,sendo 3 a-
Ooclaraco^s.
A barca hrasileira fiianna recebe a mali-
na o Rio de Janeirj boje (25) as 4 horas d.
lano.
1 O Administrador da Mesa da Recebedo
ria de Renda- Ceraes Interna-convida a tod.i
as pessoas. qui se quizerem propor a venda da-
arlas de ogar conforme as disposices dos ar
sigos 53 a 56 ilo regulamento le que trata
decreto de 21 de Abril de I8-4. bajo de com-
parecer naquella Rerehedoria t o dia 27 d
co'rente a entenderem-se com o mesmo Ad
ministrador.
Francitco Xavier Cavalcanti de Abuquerque.
te porto tem aportado, acha-se coni todos a-
quelles aprestos completos, e |>rompto para
em breve poder seguir qualquer viagem ; o
pretend nte-dinjo-se, pira exame, a seu bor-
do no lugar ond se acha ancorado, quasi de-
Ironte da Alfandega na certeza dequetudo
ser vendido em um so lote; quinta-feira 27 d0
frrente ao meio dia em ponto, na Praca d
fjommercio, prximo assoeacSo commer-
cial-------- -22 .
2sPor ordem, e em presenca do Sr. Cnsul
da elga, e por tonta e risco de queni perten-
cer, se far leilio, por intervenco do corrector
Oliveira do casco, mastreaco. volume, cordoa-
lha, amarras, ancoras, e todos os mais perten-
ces do brigue helga-/fu//ens, capito W A.
de Ryk, arribado a este porto, onde foi legal-
mente condemnado, naaua viagem r|ue lazia
le batuvia com destino a Anvers; quarta-feira
J6 do corrente as 10 horas da manhaa, no lar-
go do Forte-do-Mallo-, e junto a prence do Sr.
dendonca; podendo os pretendentes dirigir-
o antecipadamente a bordo do dito brigue
liara seu exame no ancoradouro onde se
acha. (ib")
visos f\\versos.
Avisos martimos.
1 A barca Dianna que segu para o Rio de
Janm'ro, pretende rcahsal-o no dia 26 do cor-
rente, o que se faz certo aos senbores carrega
dores de egeravos. (4)
1- Para o Rio de Janeiro segu em pouc<>>
dias o brigue Albino s p le receber algum
escravos; quern pretender podo entender-sc
com Amonm lnno na ra da Cadeia n
45. (4)
1 Freta-so para qualquer porto do Mide
terraneo o brigue hespanho! Esperanza di
lote de 230 toneladas ; quem o pretender diri
ja se a ra da Cruz n. 45 em casa da Nasci-
mento vrhaeffer & C. (5)
1 Para o Rio de Janeiro segu o patacho
S. Jos; quem no mesmo quizor carregar
ou ir de passagem, dirija-se a Gaudino Agos-
tinhode Barros ou ao Capito Joo Gonral
ves Reis. (5)
1 Para o Porto segu com a maior hrevi
dade possivel a bem condecida e veleira liare,
portugueza N. S. da Boa Viagem por ter
a maior parte de seu carregamento engajado ,
os pretendentes que na mesma qui/erem carre-
gar ou ir de passagem para o que tem excipien-
tes commodos dirij o sea ra esticitado Roza-
rio n. 13, a tratar com Francisco Alves da Cu-
nha ou com a capito na praca. (9)
i = Para o Ceara sai at o fim do corrente
inez de J.mho o patacho Nacional l.aurenli-
na Hrasileira por ter a maior parte do seu
caiegamenlo prompto ; para carga e passa
geiros dirijan-se ao se j propnelario Louren-
co Jos das Neves na ra da Cru/ n. 64, ou
ao Capito do mesmo Antonio Germano das
Neves (8)
l = Para o Aracati o hiate novo r"//idasegue
de primeira viagem o proprietario espera da lo
prompto a seguir no da 12 de Julbo luturo. o
qual l ni excellentes commodos para carga e
passageiro*: trata-se com o proprietario Manoel
Joaquim Pedro da Costa, ra da Cruz n. 51.(6)
mericanas, 19 hrawleiras, I france/a 1 bes-
sulidilo e negociante Ingle/, como implicado na panhola 3 ingle/as, 2 portuguezas, 1 sarda ,
Ultima rtibeiao de Polluyal, o qual fa/.ia a l+,e 1 sueca.
Leiocs.
l.eiiao que la/, jiidijuiui u Oliva i.rjici, ni
urua porco de fumo terca-feira 23 do enr-
enle, no caes da Aifandega defronle da esra-
dinha, por cunta e risco de quern pertencer.
Por ordem, e em presenca do Sr. Con-
2 A aula publica de latim do bairro de S.
Vnlonio acha-se em exercicio na ra do Cjuei-
uado primeiro andar do sobrado n. 12, quem
e qni/er matricular pude procurar o respectivo
irofessor das oito horas Ja manha at as do-
'fl ... (fi)
Christiano Rodolfo Hcrnardo Baumberg a-
ii-a ao respeitavel publico que deixou de ser
aixeiro de seu cunbadoAndr Willmer, por
'-sim Ihe convir.
1Alugi-se duas otarias no becco das Bar-
eiras, os pretendentes fallem no atierro da
loa-vista no terceiro andar da casa n. 37.
O Subdelegado de MTinhaem, leudo ldo
a correspondencia, que o Novo Curioso de Se-
rinhaem inserio no Diario novo de 7 de Ju-
dio sobre o fecto praticado por um dos Inspec-
tores d'aquelle lermo, o qual nimia Ihe nao
c.onstou, como alli se di/., pede encarecidamen-
te, que baja de declarar o nomo do Inspector ,
o do lilho lamilla por este preso ern sua casa
para casar, c emliin o do pai, que,levando tal
negocio ao conhecimento do niasmo Subdele-
gado, nao foi attendido.
O abaixo assignado participa o respeita-
vel publico e principalmente a seus Ireguezes
que continua a fazer na sua padaria nova pao e
boleta de superior qualidade, assim como pao
de senteio o mais bem feito possivel na ra
dos Burgos n. 31. Carlos Detres.
IGuilberme Augusto Rodrigues Selle d,4
cem mil ris de gratificarn a quem Ihe denun-
ciar com certeza, a pesaos, ou pessoas que na
imite de 23 para 24 do corrente Ihe destruira0
o seu nomo pintado na Irente da luja da ra d0
l^ueimado n. 11. (6\
LOTERA DAS MEMORIAS HISTRICAS.
Premio grande 8:000>000.
Dito immediato 4:000$000.
1 ^No tendo tido lugar o andamento das
rodas desta lotera no dia designado pelos mo-
tivos j ponderados; de novo faz certo o res-
pectivo tnesoureiro, que as rodas da rnesma te-
ro seu inlallivel andamento no dia 2dejnlho
prximo futuro por assim haver annuido o
Kxm. Presidente da Provincia: eo restante dos
hilheles acho-se a venda nos lugares ja an-
nunciados. (12)
1 A pessoa que annunciou precizar de 500tf
a 600j rs. a premio sobre penhor de ouro ou
com h i pul hera em urna morada de casa, dirija-so
a ra do Rozario e-treita segundo andar da casa
doSr. Doutor Baptista. n. 30.
IA pessoa que annuncinu precizar de.SOOj
rs a juros com hjpotheca. em urna casa que diz
vallar o dobro queira dirigir sea ra do Roza-
rio eslreita segundo andar n. 30 da casa onda
mora Sr. Doutor Baptista.
1 Precisa-se de una Portugueza para ser-
vir em urna casa de pouca familia distante
desta praca, na ra das Trincheiras n. 42. (3)
2 Do correio desta cidade foi tirada urna
carta viuda da Babia no vapor Imperador para
Domingos Alves Matheos, a qucl se acha na
lista do correio com o n. 116, suppo-se que
a pessoa que a. tirou do correio foi por engao
por isso roga-se-IDe a restitua mesmo alerta,
roescriptorio de Manoel Joaquim Ramos e
Silva, na ra da Cruz. (8)
IArrenda-se o armasem da casa n. 1 do
beco do Campello', e o armasem da casa n. 16
da ra do Vigario, ludo no Hecife ; a tratar na
ra ra Cadeia n. al primeiro andar. (4)
Pn cisa-se de um moco portuguez de
t
sol do- Filados Unidos d America, e por conta
e risco de quem pertencer, se fara leilo por 13 ou 14 annos, para caxeiro de" urna padaria,
oterveoCAo do corretor Oliveira, do casco, no atierro dos Alogaos, u. 37. (3J


fV
J
I
r -

ijSSE
l(MFerece-se para ama de casa de um ho-
niemsoKi'irn, ou de puca familia, urna criou
la forro, que cosinha, engomma com perfel-
tao o sabe bem arranjar unta casa; quem a
pretender, dirija-se a ra do Encantamento,
oblado de um andar n. o. '6;
Precisa-sede um feitor que trahalho ,
o entenda de hurla fardim, antoredos, e vae-
nas para uin sitio multo pefto da praca ; na
ruri Nova luja n l-
I Na ra Augusta o. 7 recebem-se meni-
nas de qualldades para se entibar a ler os-
en ver, contar, grammatics portugueza, ari-
thmelica e todas as qualidadesde costura. ]
! Urna inolber solteira se oflVrece para en-
tinar em alguma vasa particular nesta praca,
engerira, povoacfm", ou fasenda pri metras
lettras, grammatica portuguea, antnmetfca ,
e todas as qualidades de costuras ; quein a pre-
tender di lija-SU a ra da Gloria n. i. (6,
Pordeo-se um cachorro grande, multo no-
no, cor de vinagre tem urna eoleira de couro ,
.orellia- cortadas eo pello lodo branco; quein
o liver adiado equi/er restituir, dira-se a
praca da Boa-vista botica de Ignacio Jos de
Couto ; advirtiudo-se que o dito cachorro he
bem condecido e por isso nao pode estar inul-
to lempo orculto.
4U agrimensor, abaixo assignado, oerece
os seus serviros as pessoas que tiverem proprie-
dades demarcar e afianca a mais escrpulo
sa exactidio e o maior zelo no desempenho da
sua arte ; devendo todos os que do sen prest
ino se quizi rein uiilisar.dingircm-sc (porcarta)
ao mesmo abaixo assignado na Rua-direila ,
sobrado n 121. Joaquim da t'onieca Son
res de l-iguei edo (9)
I Alug3o-86 duas pretas para o servico in-
terno de uiiii casa, sabem enitommar, cosinhar,
ecntabnar ; na piaca da Roa-vista n. 7. :t
I Aluga-8e um soto proprio para ami-
lia ; na i ta .Nova n. (2j
Aluga-se o segundo andar da casa da ra
larga do Rozarlo n. 35, com suflkientes com
modos, pelo barato preco de l'is ; a fallar na
leja de miudetas, por baixo da mesma casa.
i Precisase frelar urna embarcarn, que
posa condutir 800 barricas de farinha, desea r-
regadas do brigue americano Witliam Thatcher
condemnado nesle porto para os portos do
Hio da l'rata, ou se dai esta carga a Irele a qual-
qnerboa umbaoarcacio em circumstancias de
entrar ueste negocio; a tratar con L G. Ferreira
\ Companbia Consigoatario da referida fari-
Dha. '9,
1 Precisa-Se de urna ama de leile, que nao
tenha filhos ; na ra Dlrelta n. 129, segund
andar 3
Jos Bessa de Guimares deUou de ser
caixeiro ds Antonio Joaqun de Sou'.a RibcPo ,
desde o da >> do correte.
1 As rodas da lotera da matriz da Boa-
vista c.irrem no dia 2 de Julho o os bilhetes
estao a venda nos seguintes lugares ; no Reci-
fe, lujj dos Srs Manuel (Jomes da Cunba e
Silva e Vieira cambista ; em S Antonio ,
Luis Antonio iVreira \ Companbia e Moieira
Marques ; na Boa-vista Jacntn genro do Sr.
Oliveira. (;
SCCIEDADE APOLLINEA.
A commissfto administrativa ti ni manado
o dia o do me/ prximo vindouro para a sua
partida e convida aos-Snrs. Socios, que tive-
rem de aprsenter propostas para convidados .
de as dirigir a casada mesma sociedade hoje
23 do correte, pidas 6 lloras da larde.
Alugo-se o primeiro, secundo e terceirq
andares do sobrado da ra do Queimado n. 9 ;
a tratar na loja do mesino sobra lo.
Manoel Francisco C telbo laz sciente ao
publico, que iioniiiiua a acceitar alumnos para
a sua aula de grammatica latina, e portugue/a,
qtieiii de seu pi estimo se quizer utilsar, diri-
ja-se a mesma aula e casa de sua residencia ,
>, primeiro au-
na rila estreita do Horario n
dar.
1 Precisa-se de '7.011(1,*' de rs. a um por
rento ao mes pagando-se todos os metes os
juros com hypollieca em predios e escravos;
quein quizer dar annuncie. 'i
1 Alugo-sc dous escravos sem vicios, sen-
do um cosinbeiro outro de servido de cam
po ou outro qualquer ; na ra Nova arma-
sem n. 67. ,4
Francisco Cordeiro Raposo embarca para
o Bio de Janeiro a sua esclava de nacao Jfen-
guella, de nomo Thereaa.
Roga-se a quein liver adiado um meio
bilheteda lotera das memorias histricas,
prxima a correr, (limado no verso, Collares
.V Tasso htja de o entregar a qualquer um
d"S mesmos pelo que se dar nina gratifica-
rn ; assiin como se previno ao sor. thesourei-
ro da iiicsma lotera, que no caso que sai*
premiado o nao pague sanio sendo por rilas
presentados
O Coronel Joaquim Cavalcanti d'Albn-
querque faz publico a quem convier que elle
ten de proceder Inventario pelo Jufzo de Or-
phos da cidade de Olinda dos bens que Rea- 2Comprao-se erfectivamente para fra da
rao por fallecimentode sua rnulher I). Lenca- j provincia escravos de ambos os seos de 12a
Kitm ni mu
2 l)esencamnhro-se 4 pranches 2 de
louro e 2 de amarello; quein os achu leve
na praia de S. Rita serrara n. 23, que ser
recompensado. (4j
2Aluga-su umloja do sobrado em Fra-
de-por'as o. 63, com muito buns commodos ,
quintal o cacimba na ra do Pillar com sa-
luda para a praia grande por preco comino-
do ; a fallar com Joaquim Lopes de Almeida ,
ruueiro do Sr. Joo Malheus. f6,
2 Boga-se ao Sr. M. J. B. C. de ir a ra da
Cadeia-vellia n. 00 pagar a quantia de 20^
rs. do aluguel do sitio em que esleve na Passa -
gem-da-Nagdalena e se nao o li/er no prazo
de oito dias, ver o seu nomo publicado por
extenco. (6)
2 = Precisa-se de um cont de ris a pre
mo, hi'otliecando-se para seguranca da dita
quantia, quatro moleques: quem quizer dar
annuncie. (4)
2 = Na mellior parte do Recife se alugo
tres andares com as commodidades proprias pa-
ra escriptorio e familia, estando os andares com
muito aceio e em bom estado : quem preci-
s-ir annuncie (5)
2 HOTEL FRANCISCO.
liua d'AI/andega-velha n. 9.
= Este hotel por ser montado em poni
gi a ndeoflerece grandes com modos para hospedes,
por ter bellas salas e quartos. e ludo com mili-
to aceio : no mesmo havera almocos todos os
das, fssim como mesa redonda as 3 horas da
tarde e petiscos a toda a hora, tambem se a-
/eiH miares para fra tudo a principiar do
lia 25 do corrente mez. (10)
2 Alllga-se urna casa com commodos para
familia, do lado da sombra, com cacimba, e
quintal murado; sita na ra de S quem a pertender dirija-se ra da Alegra casa
o. :li (5)
2 Prcci/a-se alugar urna ama forra ou
captiva que saiba coznhar bem, no Pateo da
Penha n. 4. ()
2 Aluga-se um soto propio para familia
na ra Nova n. 5. ( 2 )
2Um rapaz Brazileiro o qual escreve muito
bem tundo bastante pratica de escrever Proces-
sos, Sen tencas, e todo papel judicial se olerece
para o dito lim escrevendo mesmo em sua casa:
assiin como copiar toda escripturaco que Ihe
sija confiada, o que tudo faz por preco muito
cmodo, e bastante brevidade: na ra do Ran-
gel n. 3*. (8;
2 Preciza-se de lium homem quo entenda
de amassar, tanto pao como bollaxa e que
(jueira ir para a villa de Rio Formozo.i quem
convier dirija-se a la do Amorim n. 33 Io
andar. ( 5 )
2-- Precisa se alugar urna escrava para ven-
der na ra ou pagando-se vendage, ou por a-
luguel e me/. Assrm como preclsa-se um
homem para cobrar dividas no mallo, dando
este fiador das dividas, que se Ihe entregar, e
las-so grande vantagem, quem quizer este ne-
gocio dirija-se ao atierro dos Afogados arma-
feni de sal n. 218. de Francisco Xavier das
Chagas, na mesma casa vende se 4- ornamen-
tos para missa. de damasco Portuguez quasi
novas, por terem muito pouco uso, e roupa
perlencente ao mesmo, e da-se muito em con
ta. (13)
2 Perdcu-se no dia 19 do corrente, qua-
tro chaves enfiadasern urna corrente de lalao,
de varios tamaitos, quem astiver adiado faca
o favor de as entregar na quina da ra dos
Quarteis que se gratificar. (5j
2Correm-se folhascorridas,e tirao-se pas-
sa portes para dentro, e forado Imperio.e despa-
clia-se escravos, ludo com muila brevidade, e
preco muito commodo: na ra do Rangel n.
3i. (5)
2 O abaivo assignado faz publico, que
elle tem comprado ao Sr Antonio da Silva Gui
maraes, a sua loja no atierro da Boa-vista n.
iS, com o resto das miudc/.as que nella se
achito, para continuar com o mesmo negocio
por sua corita, (cando o merino Sr Guirnaraes
incumbido da direcco, e inspeceo do mesmo
negocio, segundo tenho contratado com o mes-
mo Sr. Manoel Joaquim Pedro da Costa. (9)
do Porto sendo de duzia e mais um jarro o ra meninas,
baca do mesmo metal: na ra d Crespo, loja raes com r.qu.fifes de miro, resplandores de
II de Rento Jos da Silva MagalhSes prate para Santos um buz.o e.astoado un.
J Comprao-se eirectivamente para fra da enfeite de c.nte.ro para menino urna caixa
nroTlnc. muahnba. crioulas. emais escra- de prata pora rap um Ululo de d.ta para cru-
Jos, del3a20annos, pago-se bem sendo xifl.ado urna cora de ouro ; as Clnco-pon-
bonilos- na ra larga do Rozario n. 30 pri- tas n. 4o.
nonuos, nu iua B r _yende-se farinba da Ierra muito boa, por
meiro andar. .
1Compro-se efTectivamento para fra da preco commodo ,
provincia mulatas negras, e moleques de l*a
20 annos, pagao-se bem ; na ra Nova loja
de lerragens u. 16. (4)
Vendas.
Compras
fl/ \ I I. n f 11, .. r 11 t
I'"
.........I--------1 .
2Vendc-se um molcque crioulo, de 12 an *
nos, sadio ; na ra da Cadjeia n. 51, primer
ro andar. (3)
2 Vende-se superior tabaco simonte da
Cachoeira da Baha ; a fallar com Manoel Joa-
quim Gomes. (.?)
2 Vende-se arroz de casca a 3SI0 rs. o al-
queire doce de goiaba esleirs de Angola ,
chocolate a 100 rs. o pao abanos a 1200 rs. o
cento milho alpista a 6i0 rs. a cuia, passas a
300 rs. azeitonas pretas a 2M) rs. a garrafa, se-
mentes de hortalica surtida e chegada proxi-
mamente do Porlo cerveja superior, bocea
de prata branca a 480 rs., e preta a 500 rs. .
cevadinha de Franca a320rs. farinha do Ma-
r nho a !2" r. folhas de louro em feiches de
pequeas porcoes muito nova e por prejo
commodo ; na ra estreita do Rozario venda
n. 8. (13)
2Vende-se arroz pilado, ede casca, eslei-
rs de pirpiry grandes e pequeas, manteiga
ingleza e francera azeite de coco a 2240 rs. a
caada e a garrafa a 320 rs. cevadinha de
Franca nova a 2>i0 rs sebo de Porto a imita-
rn de espermaecte, bom para luz a 400 rs
a libra c tudo o mais por preco commodo; na
ra do Bangel n. 50. ,;S)
2 Vende-so urna casa de dous andares e
tollo; rectificada de pouco lempo, e chaos
proprios, na travessa da Madre de Dos n. 7 ;
a tratar na ruada Cruz n. 50; tambem se ven-
de a praso, convencionando om preco. (4)
2Vendem-se8 libras de tartaruga do boa
qualidade ; na ra do Crespo loja n. 4. >',
2 Vende-se farinha do mandioca muito boa,
em sacras; na ra da Praia, armasem n. 15. (2;
Vendem-se borzeguins e sapatos inglezes;
na ra da Cadeia do Recife loja de fasendas
n. 37.
2 Vende-se urna negra crioula de 23 an-
nos com duas crias mulatinhas urna de 11
mezes ea nutra de 4 annos; na ra Nova,
loja fiance/a n. 0. ,4)
2Vende-se urna escrava do 16 annos en-
gomma, e cosinha vende-se para se comprar
um moleque ; na ra do Vigario n. (7 primei-
ro andar. (3)
1 Vendem-se bichas de superior qualida-
de chocadas de prximo ; tambem se alugo,
e applico-se por preco commodo ; no Recife,
beco do A breo n. 4. 14,
IVende-se superior vinho muscatel engar-
rafado ecera de carnauba da mellior que ha;
na ra do Cabug o. 10. (3)
1_ Vende-se ou permuta-so por predios
nesta cidade um sitio na estrada de Joao de Bar-
ros quasi confronte ao beco do Espinheiro ,
tendo muito boa casa de campo eiceltente ca-
cimba Ierras para plantar, pasto para vacas ,
e outros commodos ; na ra do Queimado n.
37 primeiro andar. (7)
Vende-se um cavado de estribara mella-
do bom carregador, por preco commodo ,
por estar um pouco magro; defronte de9. Jos
do Manguinho sitio do porto de ferro.
l_Vende-se na estrada de Bellem um prdaco
de um sitio e tambem se relalha sendo o
palmo a 3/e a 2/rs. sendo do dito em chaos
proprios; na ra de S. Rita-nova n. 3. (3)
.1__ Vende-se urna morada de casa sita na
ra da Praia nova. Ira vejada e bem edifica-
cada com um grande telheir no fundo, que
serve de serrara, e um grande terreno no fundo,
com porlo de embarqu a toda hora ; vende-se
a serrara sita na mesma com madeiras serra-
das e por serrar; a listar no tanque d'agoa jun-
to a mesma de Antonio Dias da Silva Cardeal,
ou com ercuiano Jos, de Freitas, na ra do
Queimado. (10)
Vendem-se 150 tijolos de marmore com
12 pollegadas em quadrn ; na ra da Praia 0.
17 tanque d'agoa do Cardeal.
Vendem-se bichas ltimamente chegadas
de Lisboa que azem muito boa sangra a
/i.SOrs ditas menores a 10$ rs. o cento; na
ra dasCruzes n. 30.
Escravos fgidos
2Fugio no dia 4 do corrente urna negra
ciioula d alguma cousafula cabeca gran ie, lie cosi-
nheira de 50 annos levou vestido de dula
azul, com flores amarellas, j velho camisa de
algodo da trra e mais roupa do seu uso ,
levou tambem em sua companhia um mulati-
nhode nome Hemcnigildo, de dous annos e
meio pouco mais, ou menos o qual tem O ca-
bello corrido c he alguma consa doente, sup-
pe-se ter ido para L'na d'onde he natural a ne-
gra ; quem a pegar leve a ra da Praia de S.
Rita n. 37, que ser gratificado. (13]
1 Fugio no dia 2!) de Fevereiro do corrente
anno um preto de naco Songo, de nome Joa-
quim de 50 anuos fulo, estatura regular,
grosso do corpo, e por se embreaaar tem cons-
tantemente os- ps enchadus bichentos, e de-
rioto terem sido queimados ern algum lempo ,
0 qual pertenco a Manoel Joaquim Si-ve mo-
rador na ra da Cadeia n. 51 segundo andar,
que recompensara a quem o levar. 9)
Fugio no dia 20 de Abiil p. p. urna pre-
ta de nome Josefa, baixa, gorda, tem na lin-
goa duas marcas rouxas bastante vi-iveis e
lOCCUpa se em ganhar; quem a pe^ar leve ao
. r a t** "i"8 CaS" letr("d' n *,r,ncil)io pateo de, Carmo. no segundo anda, do sobra-
do beco da V.racao com v.sla para o pateo !d junto d(, I)r. |hiaplna.
de S. Pedro con. 3quaitos, duas alas cos- Ainda se ochil liusente desde o dia 30 de
nha, quintal, e cacimba; na ra Nova, ven- Abril do anno passado o esciavo Joo do gen-
"" ... '"' tio de Angola de 30 annos, um pouco fulo,
1-\ ende-se um litio denominado Laga-do- roslo sobre 0 comprido barbado estatura or-
canlo, confronte., passo da Barreta con. 3|.0 dinaria e he alguma cousa cambado ; sup-
br as de Irenle e perto de duas mil de fundo, poe-se ter di. ido-separa o centro; quem o
" 2L P.aI!_ PJ.a.n,J8CaeS:e P'Mf ble a ra do Trapiche n. 32. que alem
de se pagar todas as despezas se recompensa-
r generosamente.
Vende-se urna divida em Lisboa da
quantia de 385/435 em moeda daquelle reino ,
producto de madeira quedaqulse remetteo a
Manoel Caelanode Pinho e Mendonca daquel-
la cidade como ^ mostra dos conhecimen-
los respectivos corita de venda, e outros mais
documentos que provo a veracidade da divi
da a qual se vende por mdico preco por
preciso; no botequim da Estrella se dir quem
a vende.
Vende-so um piano inglez ptimo para
aprenderse por preco commodo ; um arma-
rio com portas de vidro bom para se guardar
louca ou papis ; na ra dos Quatro-cantos
em Olinda sobrado da esquina que volta
para a ra do Coixo.
Vende-se urna negra crioula de 24 annos ,
de bonita figura com urna cria mulalinha de
5 mezes a negra tem muito bom leile, he per-
leita eiigommadeira tose cosinha e lava ;
urna dita de naco Angola de 20 annos en-
gomma, cosinha e lava ; um mulalinho de (,
annos. nronrirt n;ir .. ,..i,... ... ....---- j_.
nunciante comida a aquellas que se julgarem| da Cadeia de S. Antonio sobrado de um an- ICruzes n. 41, segundn andar,
credores do seu cazal a apre.ienlarem -uas coo-
las a Joaquim Jote de Mello ola cidade no
teguodo andar do sobrado n. 17 da ra da Ca-
deia-velba ; e islo al o da 7 de Julho futuro ,
a fim de serem devididamenle descriptas no in-
ventarlo.
darde varanda de pao n. 20. fSj t Vende-se a barcaea denominada Lealda-
2 Com pra-se urnas ferragena usadas, de^ dedo Brasil; quema pretender, dirija-se ao
car regar pipas ern carroea ; quem tiver annun- Kio-lormoso a fallar com sua proprietaria I) Fe
ci. DjttelMM Mara da Conceicao Lopes, ou nesta
2 Compra-se o primeiro volume do Cava- j prava com Manoel Gor>valves da Silva na ra
cretCOO de gado proporvoes para grandes vi-
veiros, por prevo commodo parte a vista, o a
praso : a tratar nos AlTocados com Thoin P-i'" "''"l,"
reir Laui f inome 1 e- ),0(tU) no (],a 25 de Abril um moleque de
I nome Antonio, de naco Cahund de ID ari-
llos milito preto, bonito do rosto, quan.lo es-
t parado, est semprecom a bocea aborta, tem
no braco direito marca P ; levou ceroulas
e camisa azul porm pode ser que tenha mu-
dado de trage ; quern o pegar, leve a prava da
Boa-vista botica de Ignacio Jos de Couto, ou
aseusni. Raimundo Jos Per ira Relio, o
sitio do langa, que ser recompensado.
No dia 17 do corrente fugio um escravo
do engenho Paulista de nnrne Joo Pacira ,
de nuco Cassange, de 35 a 40 annos, alto, sec-
co pouca barba com cabellos nos peitos ,
tem as peritas zambeas anda com apra por causa de urnas lefia as que teve nos ps ,
e estando sem ellas nn pode viajar tem mar-
cas de fondas nos cotovellos e nos joelhos tem
os caicanhares costas das mos o os dedos
dos ps foveiros, porem direito mais quo o
esquerdo; levou camisa do bala encarnada,
ceroulas de algodo e chapeo de palha ; na
mesma occasio tambem fugio urna preta do
mesmo engenho de nomo Izabol de 25 an-
uo csiaiuia regular, olhos brancos rosio
curto, e marcado, secca do corpo, tem mar-
cas de bechigas em um dos bravos por ser vac-
cinado ; quem os pegar, leve aodito engenho,
que receber boa graURcacSo.
*u uu
leiro de Faublas; na ra do Rangel n. SI. (2; da Cadeia do Recife.
(C;|Kbcike ni Iip. v. ti. I*. d rAKia. 1814
fc.-.....*'
Ji


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EB92CM5L5_0XLLLB INGEST_TIME 2013-04-13T00:14:12Z PACKAGE AA00011611_05106
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES