Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05101


This item is only available as the following downloads:


Full Text
V
'Anlio de 1844.
c
Terca Fcira i a
DIARIO
de Jiiiilio
Atino XX. K. 456.
O Pumo publicase iodo, 0< di*s que nao forem santifcalos : o preco da aasifrnaliira
he a* IW milis, porqunriel pagos adisnlados O? .nn,,nc.insd, assignantes sao inserido
gttt, e M dbH que nao forem raio de 80 res por liaba, A reclamacf.es devem acr diri-
gida a al 1 -( ra daa Cnues n <4 ou k praga "a Independencia ljl de lirman e S
PARTIDA DOS COflREIOS TERRESTRES.
Goinka.c |! ..i.hjba, segundas., sextas eiras.Kio Grande do Noria, cheg. a 8e
'.'. 4 a 7C,b"-Ser,nh"m R>o Kormoso. Macer, PorloCal.o, e Alagoas
fia glaseada meiG.ranhuns e Komto a 10e l de cala mei oa-s isla
es Id 1 Hilo.Cidade 4a Victoria quiniai feiraa Olinda lo.Us oa d
.... DAS DA SEMANA.
17 >en Ihe'er.a. Aud. doj.de da .
fS Terca Leoncio Re, aud doj. de D da 3.
4 Jl. Quintil. Mlverio Aud do J de D da 2. t
21 imitas Abono. Aud do J de D_ da'_'. t.
<>l Sab a Paulino. Bel. aud. do J. de D. da i. v.
J.l l)oui_ s. Joo sacerdote.
aii.i:aa-v -^'.. -... wUJUrSJBSBBKirT"-",
. fudo agora depende de na meamos; da nosss prudencia, rodfragjo' emerga: con-
/., I linuenioa como principiamos a seremos aponalos com admiradlo enlre aa "ages mus
cultas.
(I'roolamaijj da Asseiubla Geral do Iraril.)
CsMBios >io mi 17 ok imih. compra v'nd,
Cambios sobre Londres '.'5. Oorn-Moeda da 0,400 V, 17.300 17.500
., N. 17,100 7,300
de 4.00.. tf.aO I. 0
Priii-Paiacoai 4,'J(iO i 1*0
l'esos colmnmnarrs 1 ,'JA I 1 ,'Jc
>. Hitos menean..* 1,060 H.^'
u Paria S70 res por franco
&. V\ Liikoa US por 100 de preniu
:J .'>? Moeda de cobre ao par
dem de letraa Je boas Tirinas 1 a (S 0|fl
PHASES DA LA NO MEZ DE JNHO.
La cheia a 90 as Sfcora. e bGmin d. |u. Luanori a 15 a, 10 horas efi min. da urde
Mi aguante a / al bora, e S ,.. m da larde | Crescente a _>3 ..'!,.,;. tarde.
Preamar de hoje.
Priraera aa (i horaa 5V,,B i, m.nh.i,. | SagUaelt as 5 horas-a i S minutos da lar.'.
ia.*_i.rr.r*.-.rn
RNAM
ECJfcii-
asaa/MBmKixamdtmet.yJttS*i) >rji a

IE!TT
MTtwmfPMn r iMHii-K.ajBT.asag^. :-^-avy:ggaajHMg
PAUTE 0FF.CIAL..
', 6 Com o fornecimento de lu/es
! para a cadeia.
j 6 Com as eleicoes o despezas e-
47,620 I venluaes.
LE N 135. 7 Com as decimas dos predios
O Or. Pedro Francisco de Paula Cavalcan.ti urban-
de Albuquerque, Vire Presidente da Pro- 8 Com o concert dos predios
vtncia de Pernamhuco. Fac; saber todos io P*d"O,cafcameoto daras
os seus habitantes, que a Assemb!a Legidati- melhoraii.ei.to das fontes publi-
va Provincial decreou a lei seguinte:
CAPITULO 1."
Despeza Municipal.
Art. 1. A despo/.a d s Cmaras ^unicipaes
da provincia, para o anno municipa', do 1. de
Outubro de 18144 30 de Setembr.o de 18i3.
he ftt*% na qtiantia de 53:52S 770 para ''espendercom os objertoB do-
A qualsera'destribuida na lr ma especificada s^naos nosseguintes poragraphos
nos seguintes artigos. a <|uantia de.
Art. 2." A Cmara Municipal da cidade do A Babor:
Recite he autorisada para f*,eipender com os ob- 1 Com os emPregaJos, abolido
jectos designados nos .-utitea paragraphos a "ordenado do Fiscal da villa.
ouantiade S-IOQ 070 sul,st'tuido pela porcentagem d
50,000
cas.
9 Com as eleicoes
10 Com despe/as eventuaos.
Art. 4 o A Cmara Municipal
da villa de I^uarass he autorisada
59,000
800.000
50.600
50.000
97.320
A saber:
1 Com o Secretario.
2 om o Contador.
3 Com o Por,(ero.
4 Com os quatro Ajudantes do
Porteiro. te^Jo 0 que foi de novo
creado 20fjf000 rs.
5 Co m o Procurador, redusida
a Prr.entagem : cinco porcento.
6 Com os FiscaesdasfreRuesias,
t^ndo o do Poco da Panclla tre-
zentos mil reis, eos de S. Louren-
co e Jaboatao a porcentagem de
20 por cento das multas quo elles
impo erem, e forem arrecadadas.
7 Com o Kngenheiro engajado.
8 Com o Advogado.
9 Com o Cirurgio de partido.
10 Com o aluguelda casadassuas
scsses.
11 Com o expediente, inclusive a
inpressFio dos actos e mais papis
da Cmara.
12 Com a decima dos predios ur-
banos do patrimonio.
13 Com o tribunal do Jury celei-
coes.
14 Comas cusas dos processos
criminaos, a que he sujeito o cofre
da municipalidade, e contravencao
de posturas.
15 Com o fornecimentode Iu7cs
para a cauris
16 Com a companhio de ribeiri-
nhos.
17 Com as prestaces provenien-
tes da compra das casinhas do (ja-
teo do Collfgio.
J8 Com as despesas eventuaes.
Extraordinaria
19 Com o concert dos predios
do patrimonio
20 Com o nivelamento, esgoto e
calcamento das ras.
21 Prtr a construccao do merca-
do publico no bairro do Kecie.
e
e
20 por cento das multas que elles
impo/erem e forem arrecadadas.
2 Com o Procurador os seis por
cento na forma da lei.
3 Com o expediente e despezas
miudas.
4 Com o tribunal do Jury.
5 Com as custas dos processos
criminaes, econtravoncGes de pos-
turas.
6 Com a decima dospredios ur-
banos.
7 Com o concert dos predios
do patrimonio, calcamento o lim-
2:750.000 P^i Has ras.
T200 000 ^ *-'om as o'0'0^88 c despezas e-
40()!000 <
500,000
38:199,970
1:200.000
800 000
600,000
1:700,000
1:600,000
435,000
55,000
20,000
20,000
50.000
34,320
300,000
60.000
Art. 7. A Cmara Municipal
da villa doPaod'Alho he autorisa-
da para despender com os ohjectos
designados nosseguintes paragra-
phos a quantia de 941.310
A saber: ----------------
1 Com os empregsdos, abolido
o ordenado do Fiscal da villa, e
substituido pela porcentagem de
vinte porcento das multas que elles
impn/.erem e forem arrecadadas 315,000
2 Com o Procurador os seis por
cento na forma da lei. 60,000
3 Com o expediente o despezas
miudas. 20.000
4 Com os foros dos terrenos oc-
cupados. 6,310
5 Com o tribunal do Jury. 20.000
6 Com as custas dos processos
criminaes e contravencSes de pos-
turas. 80,000
7 Com o fornecimento do Inzes
para a cadeia. 40,000
8 Com as eleicoes, inclusive as
despe7ns do 7> Deum. 50,000
9 Com asobras,concertselim-
peza das ras. 300,000
.10 Com despozas eventuaes. 50.000
300,000
1:212,884
800,000
2:000,000
a u, ^. ...
5:000,000
7.011.706
1:000,000
1:600,000
2:000.000
6:000.000
Art. 3 A Cantara Municipal
i n I a he autorisada
para de pender com os objectos de-
signados nosseguintes paragraphos
a quantia de 2:916,620
A saber: --------------
1 Com os empreados, sendo o
ordenado de Se. rctario 600.000
rs., abolidos os ordenados dos Fis-
caes, e substituidos pela porcenta-
gem le 20 por cento das multas
que elles impo/erem e forem arre-
cadadas. 1:400,000
'* Com o Procura ior os seis por
cento na lrma da lei. 150,000
3 Com o espediente e despezas
miudas. 40.000
4 Com o tribunal do Jury. 20,000
5 Com as costas dos processos
criminaes, e contraveneno de pos-
turas. 300,000
Art. 5." A Cmara Municipal
da cidade do (ioianna ho autorisa-
da para despender com os objectos
designados nos seguintes paragra-
350 0001 f'l0S a TU8r,'ia do 1:386,070
A saber:
1 Com os empregados, abolido
o ordenado do Fiscal da villa, e
substituido pela porcentagem de
vinte por cento das multas que el-
les impozeremeforem arrecadadas. 515 000
2 Com o Procurador os seis por
cento na forma da lei. 300,000
3 Com o aluguelda casa desuas
sessocs e do Jury. 84,000
4 Com o expediente e despezas
miudas. 25,000
5 Com a decima dos predios ur-
banos, e foros dos terrenos oceu-
pados pela Cmara, cadeia e acou-
gue. 22.070
6 Com o tribunal do Jury. 20,000
7 Com as custas dos processos
criminaes e contravencoes de pos-
turas. 80,000
8 Com o fornecimento de lutes
para a cadeia. 50,000
9 Com o reparo dos predios, pon-
a e limpeza das ras. 200,000
10 Com ns eleicoes. 40.000
11 Com despe/as eventuaes. 50,000
Art 8. A Cmara Municipal
da villa de Nazareth hevjr&torisada
para despendercom os objectos de-
signados nos seguintes paragraphos
a quantia de 1:179,000
A saber ------
1 Com os empregados, abolido
o ordenado do Fiscal da villa, e
substituido pela porcentagem de
20 por cento das multas, que elles
impozerem e forem arrecadadas. 335,000
2 Como Procurador os seis por
cento na forma da lei. 90,000
3 Com o expediente e despezas
miudas. 20.000
4 Com o aluguelda casa das suas
sessoes. 84,000
5 Com o tribunal do Jury. 20.000
6 Com as custas dos processos
criminaes e contravencoes de pos-
turas, inclusive a divida. 150,000
7 Com as eleicoes. 30,000
8 Com o cajsmwito dopateoda
feira, reparos e limpesa das ras. 400.000
9 Com despesas eventuaes 50.000
Vntao he autorisada psra despen-
dercom os objectosdesignados nos
seguintes paragraphos a quantia de 1:960,000
A saber: ---------,_
1 Com os empregados, abolido
o ordenado do Fiscal da cidnde,
substituido pela porcentagem de 20
porcento das mullas que elles im-
pozerem e lorem arrecadadas. 530,000
2 Com o Procurador os seis por
centona fimada lei. 1<0,000
3 Com o Advogado da Cmara. 80 000
4 Com o CirurgiO do partido. 200,000
5 Com o expediente e despezas
miudas. 30,000
6 Com o tribunal do Jury. 20 000
7 Com as custas dos processos
criminaes e contravencoes de pos-
tanw. 150,000
8 Com o fornecimento de luzes
para a cadeia. 60,000
9 Com as obras, concertos[e
limpeza das ras. 600,000
10 Com eleicoes. 40,000
11 Com despe/as eventuaes| 100,000
Art. 11. A Cmara Municipal
ila villa de Serinhem he autorisa-
da para despender com os objectos
designados nos seguinte paragra-
phos a quantia de 315,000
A saber: ----------------
1 Com os empregados, abolido
o ordenado do Fiscal da villa, e
substituido pela porcentagem de 20
porcento das multasqne elles im-
pozerem o forem arrecadadas. 195,000
2 Com o Procurador os seis por
cento na forma da lei 20,000
3 Com o expediente e dsepezas
miudas 10.000
4 Com o Tribunal do Jury 20,000
5 Com as custas dos processos
criminaes e contravencoes de
posturas 50,000
6 Com eleicoes e despezas e-
ventuaes 50,000
(Conlinuar-se-ha. )
Art. 6." A Cmara Vunicipal
da villa do Cabo he autorisada pa-
ra despendercom os objectos desig-
nados nos seguintes paragraphos a
iill:inll;l lie
A saber:
1 Com os empregados, abolido
o ordenado do Fiscal da villa, e
substituido pela porcentagem de 20
por cento das multas que elles im-
pozerem e forem arrecaiJadas.
2 Com o procurador os seis poj
cento na forma da lei.
3 Com o expedi ote.
4 Com o tribunal do Jury.
5 Com as custas dos processos
criminaes e contravencoes de pos-
turas.
340,000
200.000
20.000
10,000
10,000
50,000
Art. 9.* A Cmara Municipal
da villa do Limoeiro he autorisada
para despender com os objectos
designados nos seguintes paragra-
phos a quantia de 1:191,480
1 Com os empregados, abolido
o ordenado do Fiscal da villa, e
substituido pela porcentagem de 20
por cento das multas,que elles im-
pozerem e forem arrecadadas. 575,000
2 Com o Procurador os seis por
cento na lorma da lei. 70,000
3 Com o expedienteo depezas
miudas. 20,000
4 Com a decima dos prodios ur-
banos. 6.180
5 Com o tribunal do Jury. 20,000
6 Com as custas dos procesaos
criminaese contravencao de postu
ras. 80,000
7 Com obras, reparo e limpeza
das ras. 300.000
8 Cotos c!. voes. 30,000
9 Para ultimar o pagamento da
casa comprada pera suas sessoes. 240,000
10 Com despezas eventuaes. 50,000
Art. 10. A Cmara Municipal
da cidade da Victoria cm Santo
rhesouraria da raznela.
EXPEDIENTE DO MA 31 1)0 PASSADO.
OiicioAu Exm. Vice-Presidenie da Pro-
vincia propondo para substituir ao guarda da
Mesa do Consulado ltimamente disponsadodo
servicoao guarda da Alfandega Jos de Santa
Anna.
DitoAo mesmo Exm. Sr., inormando
sobren opposicao feita peloCommissario Fiscal
do Ministerio da Guerra, ao pagamento da
relaco do mostra da I.* companhia de Arti-
Iheria a p, por se haver omittido o descont,
que se devia fa/er ao Sargento Cruz.
DitoAo Thesoureiro das loteras concedi-
das Igreja do Livrnmento, satisfazendo a exi-
gen ia, que lez em ofllcio de 30, sobre o paga-
mento do imposto de 8 por cento, estabelecido
pelo art. 22 da carta de lei de 21 de Outubro
de 1843.
EXPEDIENTE DE 3 DO COItRENTE.
OfficioAo Exm. Vice-Presidente da Pro-
vincia, informando sobre o estado em queso
achava o sitio denominadoCoelho-, perten-
cente aos proprios nacionaes.
DitoAo Inspector da Alfandega partici-
pando, quetendoo Exm. Vice-Presidenteda
Provincia approvado a proposta do Guarda da
Alfandega Jos de Santa Anna para Guarda da
Mesa do Consulado, cumpria que o mandasse
apresentarao respectivo Administrador.
DitoAo Administrador da Mesa do Con-
sulado, para dar exercicio ao Guarda de que
trata o precedente officio; pondo-o na intolli-
gencia de quedevia sollicitar novo titulo do Go-
vernoda Provincia, < a competente confirma-
cao do Governo Imperial.
DitoAo Inspector da Alfandega convi-


\n
dando para ass da Provine a Joaqun Marcellno de Unto, a
qual teria lugar a i do corr-nte aomeodia
em o palacio do Governo Ignacs convites se
fizerao aos mais Chelos das repartces lis-
caes.
DEM DO DA i.
OfTicio Ao Inspector do Arsenal de Mari-
nhn reniettendj dous exemplares do decreto n.
3Vil de 20 de Abril deste anno, e regulamen-
to para a cobranca da contribuidlo extraordina-
ria sobre os vencimenlos, lanzada pelo artigo
23 d,i lei n. 317 Je 21 de Outubro de 1843, a
limJe terexecucSo pela parte, que Ibe toca va,
tendo embista a diapoaiyao do artigo 7 '' do
mesmo regulamento.-- Iguaes remessas se fi/c-
rio aos rnais Chefes das repartkes.
DEM DO da 5.
Oicio Ao Kxin. Presidente da Provincia
informando o requerimiento de Antonio Jo'
Ribeirede Moraus em que pedio por aforamcn-
to um terreno de marinha.
PortaraAoThesoureiioda Fa/enla, para
aceitar, e pagar rio dia de seu vencirnento, co-
rno determinou a ordem do Tribunal do The-
souro Publico Nacional de lo de Maio, a lettra
que acompanhava de 4:021,049 que a 20 das
pre so* saccou o respectivo Thesoureiro Geral a
favor de Jos Francisco CollaresIguaes por-
taras se passrao para o aceite e pagamento de
mais quatro letlras; sendo a |. de 2:000.000
i-, a favor de Manoel Ignacio do Oliveira; a 2 *
de 1:810 000 rs dem de Gabriel Antonio; a
3.a de (:000.00o r. dem de Francisco A Ivs
da Cimba; ea 4.* de 2:620,000 rs. idein
dejoaquim los de Amorim.
dem do da 7.
Oficio = Ao Kxm. Presidente da Provincia
rollando se dignagse expedir as BU88 ordens para
o Commandante da barca de vapor Imperatriz
receber na Thesouraria 30:000,000 rs. em no-
as substituidas para entregar no Tbesouro Pu-
blico Nacional ; S:000j rs. na Thesouraria
Provincial Jas Al igoas.
Dito= 'o Inspector Ja Thesouraria Provin-
cial das Alagdas, remetiendo o conhteimento
de 1:000.000 rs.. que recebeo o Commandante
da barca de vapor Imperatriz, para entregar na
dita 1 besouraria, dos rendimentos provinciaes
arrecadados nesta provincia.
Por:aria :Mandando abonar an Thesourei-
ro la Fazcnda o> 8:100.000 rs. de que trata o
precedente olficio.
Iiia dem 30:000,000 rs. em notassubs
tituidas, que lorio remeltidas ao I hesonro Pu -
blieo Nacional.
tffsac-suasm
EXTERIOR.
HESPANHA.
Madrid, Je lo a 16 de Abril.
As eleicoes municipaesa que se havia pro-
cedido em todo o reino n5o linhiio ainda co -
mecado na capital, porque o governo se oceu-
pnva em emendar algumas faltas de consequen
cia que a lei actualaprsente.
Tinha-se mandado proceder a invesligocoet
.i cerca ilos attentados attribuidos aos Marro
quinos; porm o. esclarecinentos at agora co -
Ihidos nao constituem prova em que possa as-
sentar-se um juila seguro sendo comtudo os
indicios vehementes, e a opiniSo geral de que
os mouros tem eflectivamenle commettidoos
actos atro/es que se Ibes imputan, e quecslo
animados de disposicoes hosls contra a II spa-
nha. Esta ideia tem produ/ido grande irritacao
nos hespanhoes, que principiao ja a fazer re-
presalia*. Pendo sabido da praca de Mellila um
lanchan a reconhecer um pequano barro que
navegava a pequea distancia, vendo que eriio
mouros, e nao querenJo estes vir ; falla, rom-
peo o ogo contra ellcs, que depois de encar-
nizada resistencia folio tomados de abordagein,
fcando quatro morios e do/e priaioueiroa. A
imprensa peridica contina a chamar a atten-
ciio do governo sobre este ponto, recommen-
clando Ibe que tome todas as medidas que fo-
rtn nuCcSsrisi para o pleno desaggravo lias of-
lensas recebidas Segundo cartas de Gibrallar ,
o Imperador de Marrocos parece star pouco dis-
posto a dar satislacao do proced man tp <|uc bou
vera em Ma/.agao com o Cnsul Hes;>anhol
As ultimas noticias de Cuba orlo mais sa-
tisfactorias. A conspiraran de Matanzas tinba
abortado inteiramenle, e toda a ilba gosava de
tranqullidade.
Alguns peridicos referindo-se a cartas de
Navarra, manrlestao receios de que a tranquil-
lidade all seja perturbada pelos carlistases-
tes temores porm, na opiniao do llcrnld, sao
Mu (undiMHunlo, porque nao iia lacto algum
positivo que os motive, e porque o governo es
t prevenido para occorrer com eflcazes provi-
dencias ao primeiro annuncin de transtorno.
S. M. a rainha viuva continuara ainda a re- j
ceber fccitai'es pelo seu felit regresso a Hes-j
paoba. i
22 23 de Abril.
Heraldo deste ultimo da arge de novo o
Governo por nao ter continuado a publicar me
didas que elle julga urgentes para a organisa-
cAo do paiz. Desta aecusaejio, por vezes fei-
ta, defende o corresponsal o gabinete, alle-
gando que os ministros tendo apenas acabado
de debellar urna revolta. que oceupnra toda a
sua attemo. anda nao tinhao o tempo suffi-
cienle para ellaborar com a devida circumspec-
cao as providencias que as circunstancias recla-
mao em quasi todos os ramos do servico pu-
blico.
Tornavao a circular rumores de estar inmi-
nente urna crise ministerial; entretanto aeredi-
tava-se geralmente que estas insinuadles se a-
ziao por mera especulacao, e para fins particu-
lares estranhos. ou contrarios aos interesses da
causa publica.
Tinhao sido passsados pelas armas em Gero-
nosete carlistas dos que, illudindo a vigilan-
cia das autoridades francezas, conscguirSo en-
trar no territorio hespanhol. Alguns outros do
que havia noticia terem antrado em Hespanha
crio activamente procurados, e julgava-se que
nao tardara que fossern descubertos, ou entre-
gues pelo* povos, onde procurasem aylo
-- 2\ a 25 do pagado Abril.
Insistalo ainda alguns peridicos em afirmar
que era de esperar que houvesse em breve mo-
dilicaioes n > ministerio ou tal ve/, rima com-
pleta mudarna. O Corresponsal porm assegu-
ra que taes assercoes sao inteirarnente destitui-
das de fundamento
Occupo-se extensamente differentes jornaes
em ponderar ai vantagrns e inconvenientes da
projectada viagem de SS. MM. a diversas pro-
vincias da monarehia ; entretanto parece que
nao havia ainda a este respeito reso'ucao algu-
rna definitiva, Por nutra parte as provincias a
que se disse que SS. MM. irio manifestao
os mais vivos desejos de que to satisfatoria vi-
sita se realise.
(I Observador do Ultramar em um artigo que
consagra ao exame da situaco da ilha de Cu-
ba no qual mostra a necessidade da creacao
Je um ministerio do ultramar afTirma que o
eonselhode ministros resolver oceupar-se des-
te objeclo e que provavelmenle se conferir es-
ta pasta a D. Alexandre Olivan.
Segundo correspondencias da Havanna nu-
hlirailas nos jornaes inglezese francezes, a que
se referen) os peridicos hespanhoes sabio-se
interesantes pormenores daconspiraciio dos ne-
gros descoberta em Matanzas. Urna joven es-
crava foi quem revelou a seu amo o que se tra-
mava. Os escravos deviao dar o signal da in-
surretcSo pondo logo a todas as plantarles de
assucar e engenhos, e assassinando os respecti-
vos senhores. Os negros da cidade empregados
como cosinheiros haviao no mesmo dia enve-
nar seus amos e os caleceiros formar com os
cavados urna especie de esquadrao armado Es-
te plano era certamente bem airo/ e grosseiro,
observio elles porm mostra o fanatismo ceg
da populaeo negra e 8S intrigas e maquina-
dles dos que fomenlao estas hnrriveis tramas ,
sufTocadas com n sangue dos cegos instrumentos
qae escolhem.
Os mesmos jornaes di/em ler sido postos em
liberdade cinco proprielarios francezes que por
occasiSo daquelles aconti'cimentos forao presos
em Matanzas pela denuncia falsa de um escra-
1 0 de Ser1*! rnmi>lep na cnntnirj.'jn
O Heraldo de. 2 Iranscrevede um peridi-
co da tarde oseguinte :
Segundo cartas fidedignas de Gibrallar, de
17. Bita mminente em Marrocos urna crise ex
traordinaria, e de immensa importancia para a
nossa queslao. Trala-se nada menos do que as-
pitar Abdel-Kader ao throno marroquino, e ao
califdo annexo. O governador de Fez que he
a mais importante capital do Imperio estava
nestas vistas com outros magnates; presupoe-se
a annuci.cia da Franca com o fnn de conciliar
um inimigo tito temivel.
lista grandeoccnrrencradeveraproveitar se,
mas he necessario laze-lo compronrplido. Tra-
tando com Abdcl-Kader poderemos desaflron-
lar o nome hespanhol, assegurar-nos unta por-
co de territorio em torno das nossas pravas e
o commercio livre, oflerecendo-lhe, com a cau-
cao suficiente o apoio dellas, o algum auxilio
de munices. armas e artilharia.
Nao havia das provincias noticia alguma de
importancia, continuando cm toda a parte na!
teravclmente o socego.
GRAM-BBETAKHA.
Londres, 3 de bril.
Segundo o (ilobe os animas achio-se prcoc-
cupados com urna questo mui importante re
lativa o processo de O'Connell. O tribunal
do banco da rainha deve dar a sua sentenca
contra os aecusados no crrenle mez de Abril
Daniel O'Connell tenciona appellar desta sen-
tenia para a Cmara dos Lords; e sendo as for-
mulas do precedo nesla Cmara excessivamen-
te lentas, pergunta-se se o Governo far ejecu-
tar a pena da sentenca, ou se a appcllacio to-
ra o efeito suspensivo. No caso de crime capi-
tal o conJemnado a pena de morteou a depor-
ta?o fica na priso em quanto o recurso con-
tra a senlenca se n3o decide; porm seria mons-
truoso seguir a mesma regra quando nao se tra-
ctascnodeum delictoquea lei pune com a
multa, ecom a priso.
ITALIA.
Parma, 30 de Marco.
Sua M. aduqueza de Parma e Plcenla or-
denou por decreto que a companhia de Jess
se restabelecesse na cidade de Parma. e que os
jesutas fossern encarregados de ensinar a ato -
cidade as escolas de instrueco secundaria, e
no curso philosophico.
SYRIA.
Lataki, 9 de Marco.
No ultimo domingo durante o servico divi-
no um grupo consideravel de musulma-
nos e albanezes r.ercou a greja onde se achavSo
es europeos. Fecharo-se logo as porlas ; mas
os aggressores escalarSo os muros da cerca.
Us francezes e outros europeos, ouvindn os
tiros de fusil e os alaridos da multido infiel,
recolherao-se a casa do cnsul francez.
Pouco depois esses furiosos quizerao entrar
em casa do Cnsul. Apedrejaro asjanellas. e
provocarao um combato com guarda do Cn-
sul, de que resultarao mortese lerimentos. A
noule ahrandou o tumulto, e os europeos a-
provetarao o ensejo para se refugiarem abordo
dos navios.
No dia seguinte tomar5n-se a reunir ns gru-
pos; diversas casas de europeos forao invadi-
das, e suppoe-se que hortve pillhngem.
A causa apparente destas scenas odiosas he a
seguinte : Um Padre grego havia abjurado e
tnha-se eito mnsulmano; foi condu/ido em
triumpho no domingo de manhaa pela cidade.
sesiuido de milita sent que soltava estrepito-
sas acdaniacoes. L'm dos fanticos apostrophou
a mullidao e a aconcelhou a atacar os chrs-
tos.
O Irrigue de guerra francez Icibiade, e urna
corveta austraca partirn para Lataki. Exi-
ge-fe urna satisfaco cabal pelo insulto.
(Diario do Governo.)
iWB
Commincado.
No D -norode quarta eira, 12 docorrenle,
! vem um artigo no qual se tacha o Sr. Comman-
dante das Armas Antonio Pedro de S Brrelo
d'ousado caprichoso por ignorante e deso-
bediente s ordens dos lixms. Srs., Ministro da
Ouerra e Presidente da Provincia relativa-
mente a entrada dos Srs.Capito Pedro Ivo Vel
lo/o da Silveira e 1.Tenente Pedro Alfonso
Ferrera para o servido do batalhao d' A' til ba-
ria e a passagem do Sr Major Joao Pedro de
Araujo e Aguiar para o Eslado-maior da 2.*
classe com exonrracSo dorommando do dito
batalhao. e como quer que os editores do/>.-
noto confesso que nao tinhao podido obler
as precisas informadles a respeito doprocedi-
menlo que tao acremente censurrao razo
tiverao para cahir as exactiddcs, que se encon-
trao no artigo tal vez mais filho do capricho, que
do desejo de chamar o Sr. Commandante das
Armas ao eiarln eiimnrimprilo de seus il.-wres
quando por ventura se tvesse desviado delles.
O artigo nega ao Sr. Sa Brrelo ttulos para
a sua con'crvaco no commando da forca arma-
da por 7 annos e assegura que por ignorante
contina a marchar no mesmo caminho dos des
varios tornando-se ltimamente criminoso ;
mas o publico conhece o Sr S Harreto e sa-
be, que os ttulos pelos quaes se ha conservado
no commando por tanto tempo sao a vonlade
do Monarcha que o honrou com a sua confi-
anza fidelidade eacalanrento a Sua Augusta
Pessoa respeito a Constitnicao e as Leis ,
prudencia, c honradez, que o caracterismo. Do-
lado de um coracao bemfasejo e educado nos
verdaderos principios de moral, os actos de sus
vida publica e particular teem sido sempre ha-
seadnsno que he justo, e honesto, ("orno pri-
nrcira autoridade militar da provincia lemsa
bido conciliar a austeridade do regulamento
com as necessidades do servico, e das pessoas ,
sem grave oflensa daquelle e detrimento des-
te esc algumas vete se vio na dura precisao
de usar de rigor com alguns dos seus subordi-
nados os meios de hrandura frtro sempre pre-
viamente esgotados. Na ardua tarefa do recru-
lamento, e no lempo em que por esse vehcu-
lo poda ter exercido vexadjes, e vingancas, vi-
mos que clie compassivo enchugou as lagrima'-
da pobre viuva, do desvalido orphao, e do de-
crepto a quem arrancrao o nico arrimo mui-
tas vezes por mero capricho ou por vingar-se
urna presumida injuria, listes ttulos, e a fiel
execucao. que, em todo o lempo do seu com-
mando, dco as ordens do Governo Imperial, sao
certamente suflcientes, e dignos para Ibe me-
recer o commando. Ignoro quaes sejao os des-
varios, e crimes pralcados pelo Sr. Comman-
dante das Armas ; mas so elles alludem as oc-
currencias que drao lugar ao embarque dos
Srs Ivo, e Alfonso para o Corte e o que d
novo tem succedido depois do regresso desses
Srs., creio que os editores do I), -novo frao in-
|usto< e precipitados nos seus jui/os Algu-
mas desintellgencias se manifestarao no bata-
lhao d'Artilharia entre os mencionados OfTi-
ciaes, seu Commandante o Major Joao Pedro ,
o alguns de seus companheiros : estas desintel-
lig>-iii ias que poderiiio ter desapparecido, se
o Commandante tvesse sido melhor coinpre-
hendido e bouvesse mais docilidade e pru-
dencia da parte dos Oficiaes, vigorou com a
exacerbarlo dos partidos polticos ; porque in-
felizmente, cm nossa provincia das mais simples
questes particulares, se fazem qufstoes depar-
tido e aquillo que em si nada era ganha
vulto, e vem depois a ser a causa primordial de
desavensas quasi sempre funestas para osde-
savidos. O Sr. Commandante das Armas, como
era do seu dever, procurou acalmar essas dcsn-
telligencias e larttentou que tivessem appa-
recido, e niio podendo consegurl-o de urna ma-
neir satisfactoria outro meio nfio leve que
arredar aos dous Olficiaes do servico do bata-
lhao onde nao podio jr ser de utilidade, mas
como usou deste meio ? Concedendo a um li-
cenc-a e acceitando a parte de doenle de outro,
sem que i; isto soflresse a sua dignidade de Che-
fe. Nestes termos paravSo as cousas quando o
Governo Imperial determinou, que os Srs. Ivo.
e Alfonso fsse.m para a Corte e foi publicado
o annuncio de oV'Spedida seguindo se a pri-
so de ambos pelo niolivos que Ihes lrao de-
clarados. O Sr. b' BiWBto que jamis n-
volveo os actos de sua administraco na capa dos
reservados disse offia 'n,enle a0 Kxni- Sr. Pre-
sidente ludo quanto hava occorrido ; mas nao
d'isse que os Srs. Ivo e Alfonso erao assissi-
nos, e nem sera capaz de arriscar una seme-
jante proposigrlo, se nao qu^*"10 t'vesse dol-
a bem convencido Algumas ""*' Si.
Commandante das Armas assever.T q<-e niui-
to senlia ver Oficiaes mocos e pre "limosos na
impossibilidade de continuaiem seus >''[*ic;os no
batalhao por motivos polticos, i u.^u* Srs.
OlTiciaes voltio provincia tra/endo b'm ol-
ficio do General Commandante das Arma da
Corle em o qual sedeclarava que em vrtu'-
de d'ordem Imperial regressavpo para o balalhta
a que pertencio, e o Sr. Commandante das Ar-
mas,mandando rispara suascasas, leva aoconhe-
cimento do Exm. >r. Presidente a inconveni-
encia da entrada dos recem chegados no bala-
lliao pelos motivos anteriores e receiosde que
renovassem as desinkllrgencias com asquees ve-
ra a soflrcr a disciplina aguardou de S. Exc.
qualquer resoluco. que bouvesse de lomar, e
sendo esta a de entrarem os Cftlciaos pira o
batalhao assim se verificou no dia 12. V-se
portanto que nao IioL've desobediencia e
nem intenco de a pralirar ,- como se deprelien-
de do artigo que nesla parte ligurou o nego-
cio diverso, Jo que na rcalidaJe se pafSOU E
de mais o rcgulamcnlo permilte que se refle-
xione quando se entender, observancia da ordem ncebda possa resultar
inconveniente no servico c loi justamente
que succcdco Tambem he 8crusadr. ^r-
Commandante das Armas de nao ter int'on*'"
nenie dado Rltmnfmeno a cdcm. "ir diso'""
sava o Sr. Major Joao Pedro do commando t
balalhAo passam!o-o para o listado- maior.
Esta ordem foi recebida lias depois da rltegada
dos Srs. Ivo e Alfonso o da sua recepr,o ao
cumprimenlo apenes mediarlo d' us dias inclu
sve um domingo de sorte que na mesma oc
casio, em que por um jornal secensurava, em
oulro appareceo a ordem do dia tornando elTec-
tiva a demissao do commando o a passagem
para o Estado maior. Eainda quando bouves-
se mais alguns dias de demora seria isto um
crime? Sabem os que j commandro cor-
pos, eos que teem sciencia da responsabelidade
de taes commandos que ainda quando a es-
cripluracao esteja em dia he com ludo neces-
saro feichar contas, e registal-as, e que a en-
trega nAo pode ser de um para outro dia, nior-
mente estando a cargo do batalhao trez caixas
administrativas de firdamcnlo lancho e
hospital. O Exm. Sr. Presidente ten bas-
tante prudencia e saber para avahar das cou-
sas com criterio fazer a devida justica ao .v.
S Brrelo.
F.screvendo eslas Imitas nao tenho em visla
offender pessoa alguma, seja qual lr o lado a
que pertenga, pois que mantenho relacoes corn
estas, que figuro no artigo ; quiz unicamenlo
defender o Sr S Brrelo das arguicdei que
Ibe fez o D.-novo sempre injusto para com
elle pelo modo pouco generoso, com que o tem
ggredido Todo o hom m he sujelo a erros;
e o Sr. S Brrelo pode nao estar izento del-
les; mas os erros combatern-sc por meio do
raciocinio afim de se atlingir o verdadeiro
ponto, o nunca por meios acrimoniosos, e of-


V
7
ensivos, da dignidad do homem que nao
produzem o desojado efleito.
Alfanclega.
Rendimento dodia17......... 9:044*548
Ihscarregao hoje 18.
Brigue Aristides hacalhao.
Brigue Jeanette familia
Barca Lalrabe farinha e bolaxinha.
Brigue r umberland diversos gneros.
RrTRTTfl f! Iiiin idem.
JJriguo j'iitrl-- idem.
Para o Cear sabirconi toda a hn-vidade,
por (er a maior parle di seu carregamento
engajado o bem condecido palacbo nacional
I aurentina fraztleira; quem no mesmoqui -
/er carregar ou ir de pascagem, dirija-se aoaeu
propietario Louremo Jo> das Nevos, na ra
da Cruz n. 64, ou ao Capito do mesmo An-
tonio Germano das Noves.
Ilovitnento do Porto
Atavos entrados no dia 16.
180 toneladas capitao Antonio da Luz Fa-
ria cquipagen; 5 carga varios gneros :
passageiros, Richard H. Growoll, William
H. I.imitb BemCr. Dodge William Smi-
th Jouphe Siinons Ingle/es.
Acarac ; 30 dias, patacho brasileiro Fmola-
co de 12*2 toneladas capitao Antonio
(ornes Pereira equipagem 9 carga varios
gneros: passageiros, Joo Fernandos Vi-
eira e 1 escravo, Joai|uim Carcia do Ama-
ral Josel.uiz da Costa e Jos VIaria l'-
reira Brasileiros.
Saviosahido no mesmo dia.
Ass ; brigue-cscuna brasileiro Henriqueta ,
capitao Domingos Antonio da >lva carga
varios gneros : passageiro, Jos Alfonso de
Macodo Brasileiro.
Leiles.
nv wafsrggggj'
lleclaracoe.s.
3O Jllm. Sr. lnspectordo Arsenal de Mari-
nha manda lazer publico que no dia 20 do
corrente contratar, pelas 11 horas da manha,
os fornecimentos dosobjectos abaixo declara-
dos, para os navios da armada, pelo espaco de
seis mees, contados do primeiro de Julbo pr-
ximo ou por maisou memstempo, conforme
os precos que se pedirem pelo fornecimento de
qualquer dos mesmos objectos feijo, arroz,
caf moldo assucar agoardenle vinagre .
toucinho azeite doce carne salgada baca-
Ih io carne verde pao, e holaxa : as pessoas
a quem convier o contrato sao convida dj,s
apresenlarem as suas propostas nesta Secreta-
ria e a comparecercm no referido dia e hora.
Secretaria da Inspeccao do Arsenal de Mari
nha de Pernainhuco 12deJunhodo 1844
Alexundre Hodriguesdos Anjos,Secretario.(18)
2 A admini.-traco dos Fslahelecimentos
de Caridade manda fa/er publico que a ter-
ceira prac,a da casa numero 29, annunciada par.
dia 7 do. corrente foi transferida para o din
21. Sala das Sessdes da Administradlo dos Es-
labelecimenlos de Caiidade 15 de Juuho d>
J8i4. O Fscriplurario, F. A. Cavalcanle
Cousseiro. (8)
2= D'ordem do Illm. Sr. Inspector do Ar
seal do Marinha foco publico que hoje 18
do corrente as II horas da manha vender
se-ha (mii hasta publica na porta do Al
moxarifado, uui e-caler que loi da repart
cao da Sade. Secretaria da inspeccao do Ar-
senal de Marinha de Pernainhuco 15 de Ju-
nlio de 1814. Alexandre /lodrigues dos An
jos. Secretario. (9,
- O Escrivo e Administrador da Mesa d<
Rendas Provinciaes de Pernambuco abaixo as-
signado faz publico para que cheguo ao co-
nla-cimento de todos os proprietarios de predi
us urbanos das qualro freguezias desla cidade
e Povoaro dos Affogados que do primeiro
do corrente se conlo os trinla dias designado*
por lei para o pagamento a boca do cofre da res
pectiva decima do segundo semestre do corren-
te anno fnanceiro de 1843 a 1844, lindo es
tes se preceder a cobranca executiva. F par*
que conste a todos mandei afixar o presente e
publica-lo pela imprensa. Luis Francisco de
Mello Cavalcanle.
THEATRO PUBLICO.
O artista gymnastico Jos dos Reis tem deter
minado para segunda fera, 2i do corrente, un
novo, o variado espectculo como annunciaro
os carta7.es, com a competente antecipacao. Os
camarotes, que restoacho-se a venda no bo-
tcquim junto ao Tbeatro.
Avisos martimos.
2 Para o Rio de Janeiro seguir breve a
veleira barca Diana qual lem excedentes
cmodos para passageiros : tambem offerece
boas propon,des para escravos a frote Os pro-
tendentes p (lem tratar com Amorim Inuos ,
ra. da Cadeia D. 45. <>
3Ocorrelor Oliveira far leilo de grande
quantidade de fazendas ingle/.as france/as e
suissas, consistindo em chitas, algodosinhos ,
cassas panninhos, pannos meias, suspenso-
rios brins brancos e escuros de linho e d'algo-
do sarjas setins, tafels, challes Inpim ,
lsinha, &c; e calcado inglez, e francc7, tanlo
pira homem, e senhora como para menino ;
linhas e outras umitas miudezas; o que ludo se
vender sem limites, para liquidacao decon-
tas: terga-feira, 18 do corrente, sIOhorasda
manha. no 1. andar da sua casa na ruada
Cadeia (13)
Calkmann & Ro?emund (aro leilo, por
intervenido do correlor Oliveira de um por-
folio sortimenlo de Fazendas de seda laa li-
nho e d'algodao us mais proprias d'este mer-
cado : Quarla-feira 19 do corrente s 10 ho-
ras da manha, no seu armazem, ra da Cruz.
Antonio Jos de Magalhaes Bastos ten-
do de retirar-se para lora da provincia a tra-
tar da sua laude far leilo na cssa de campo
de sua residencia, no Manguinho e no dia
queseannunriar, da mais rica mobilia, pra-
las, lomas, cryslaes, e d'um magnifico carro
de qualro rodas com todos os pertonces a pa
ralba de cavados do mesmo outro dito bum
ensinado para carro e oulro de sel'a ; advir-
lindo-se que os pretendentes ao carro e ca-
vados, pdem desde ja dirigir-se ao seu Escrip-
torio na sua casa da ra do Queimado.
Card'wo Arres, ra Nova Guerra Silva e Com-
panhia Atierro da Boa-vista, Salle; o Chaves,
ao precodti I>000 cada caixinha. (171
J. B. C. Tressc avisa ao rcspeitavel pu-
blico e principalmente aos Srs. thesoureiros ,
e pessoas encarregadas das igrejas que elle
tem para vender um orgo qu<* o vem d aca-
I ar agora, de vintn cinco palmos do altura com
tre torres.e troinbcta clarins voz humana,
por todos sao oito joos. a clave tem cinco oi-
tavas e mida ; e contina a fabricar os mes-
mos orgos de todos os tamanhos com ca -
rim cromorno, voz humana e rouxinol ;
dito orgio, (que sendo ouvido, nao tem appare-
eido aqui I duas finas a clavier e a chave
de realejo, por falta de organista, ou por
falta de saber tocal-os ento se toca com a
chave, comosefosse um realejo, ubtendo a
mesn.a voz de um orgo de igreja contendo
nos cilindros a missa os hymnos pora todas
as Testas, e dias santos do anno, tudo reu-
nido na mesma obra ; orgo para recreio do
casas com machina tocando s a clavier e a ci-
lindro tudo reunido na mesma obra; realejos
com tambor e tromhcta para recreio de casas,
com quadrilhas para dancar pantaln et ,
poules, trenis finales, e valsas, oulro realojo do
todas as dimenses para igreja, com a missa, e
os hymnos com a mesma voz de um orgo de
igreja ; as pessoas que o quizerem honrar com
a sua presenca acharad a em sua casa algumas
liras promplas ; tambem concerta os ditos
instrumentos e pde marchas novas nos mes-
mes : no Atierro da Boa-vista n. 3.
Furtiro da casa do Desembargador A-
maral urna sobre-cazaca da libr de panno azul
com gola e canho encarnado circundado de
galo d'ouro fino no dia 16 do corrente Ju-
nho roga-se a quem fr offerecida queira ap-
prende-la e manda-la entregar em casa do mes-
mo na ra da Aurora n. 48, pelo que se gra-
tificar.
1 Urna mulher de bons eoslumes se
encarrega da criaco de meninos de peilo, im-
pedidos e desimpedidos e tambem recebe
meninos desmamados para curar da sua educa-
o3o ; no que promelte esmerar-se quem do
seu presumo se quizer utilizar dirjase ao
Patio do carmo n. 24, na mesma casa aluga-
sea metade da dita a urna senhora capaz sem
familia quem a pertender dirija-se a mesma
casa. (10 i
Na ra da Cruz n. 20. em casa de Avri
al I irruios subscreve-se para o Jornal do Com-
mercio do Riodo Janeiro, assim como tambem se
vendem colecoes das leis e decretos do Imperio
do Brasil do 1822 a 1843 seis exemplares
de Legislaco desde 1808, Regulamento do so-
lo segundo a lei ltimamente publicada re
gulamento das Alfandegas do Imperio, dito
das relaedes do dito alvars do 175-. cdi-
gos do processo criminal dito dito dos jura-
dos dito criminal do Imperio reformas do
cdigo guias dos ui/es deOrphos, guias do*
colectores e coletudos conslituiedos polticas ,
dts reformadas, annaes das leis do Imperio
Museo universal Historia do Bra/il dita da
Bevoluco rance/.a, dita do Napolio Bonapar-
te dita Natural Memorias da Campanha de
Avisos diversos.
Se a gratido, se o reconhecimento tives-
se urna lingoagem propria, urna lingoagem an-
glica; se nos fora dado possuir o dom de a cm-
pregar anda suppoinos seriao as expresados
frias, nao teriao o calor, que nos aquece o pe-
to depois que tornamos a receber na noute do
dia 16.a torrente de favores, com que nos con-
fundi e subterrou o Ilustrado e magnni-
mo publico PernamLucano. Como agradecer
to inslita, e immerecida dislinccao como
provar um reconhecimento gravado indelcvel-
mente no fundo de nossos coraedes?. ... O I
lastrado publico Pernambucano que todis-
tinclamente nos protege, nao precisa encomios,
nao quer compcnsacdcs a nobre/a do seu ca-
rcter he superior a todas as considerar/dos; mas
anda bem que elle nos acredita e assim es-
peramos que nos considere eternamente pe-
nhorados embora nunca mais nos possamos
desonerar de lao grandiosa dislinccao,sera tam-
bem eterna a condiego de protegidos, submis
sos devodores o respeiladoros das brilhantes
virtudes do proprio povo da trra. Jos dos
liis F.milia Amanli.
LOTERI DAS MEMORIAS HISTRICAS.
0 TbesoUfeiro desta lotera faz publico, que
andamento das rodas da mesma deixa de ser
i'lectuado hoje con,o se havia annunciado, em
consoquencia de nao ser possivel ultimar a venda
dos Indicies que anda restan os quaes exce-
dein a urna porco designada para ficar por con-
ta do urna sociedade organisada deste a 1.'par-
te desla lotera, (cando porm transferido o re-
ferido andamento para odia 2 de Julbo pr-
ximo futuro para o que tom pedido a S Exc
o Sr. Presidente da Provincia o seu consenti-
rnonto.
3 A commsso administrativa da socieda-
de =Terpochicore-=-, marcou o dia 17 do cor-
rente, para os socios apresenlarem suas propos-
tas para convidados da partida do dia 28. (4)
2 Manoel Domiugues Moureira Jnior
embarca a sua escrava Michaella para o Rio de
Janeiro. (3)
1 -Aluga-seuma casa terrea com armacao
de toja de bizendas na ra do Queimado n. 61; 1 = Jos d Mendonca de Alarcao Aijada,
a fallar com seu proprietario na ra do Rangel
n. 17. (4)
Aviso importante ao publico.
9 Acaba de ebegar una porco nova e
fresca d'aquellas invaluveis Pirulas da medecina I
tarnonto branco c que se pode applcar sobr
a pintura mais delicada sem que produza al-
ternan alglima em sua c<'ir primitiva. Arrow-
Root de Bermuda ; Sag ; Sabonetes ; Sano
do Windsor ; Agu de Seidltz ; Limonada
gasoia ; Tinta superior para esorever; Perfu-
marias ingletas ; Fundas elsticas de patente-,
Escovas, r pis para denles ; Pasliihas do mu-
riato do morphina e ipecacuanba ; Azul II-
nissiino proprio para ailar roupa Pos de sei-
dlits, o de sola ; Pastilhai de bi-carbonalo
de soda e gingibre ; As verdadeiras pirulas
regetaes universaes do t, Brandrcth, vindos
de seu aulhor nos Estados-Unidos, &c. &c. (36)
2 No depo/ito i\o larinlia de mandioca na
ra da Cadeia do S, Antonio n. 19 vendse
firinlia de boa qualidade vinda dos portosda
Babia 8 38 rs. o alqueire da medida velha, sen-
do em sacca-3j500 rs. dita mais ordinaria a
2500 rs. asacea pecas de algodfiozmho a
I 600 rs em 30 jardas 1 sol.i e I canap ,
5 cadenas de Jacaranda por barato proco e 12
campoteiras do vidro de dillerentes gostos. (9)
3 A 'alinea de caldeiraria, o mais ollicinas,
fundicSo do sinos, o dilloronles obras do me-
tal do Mosquita & Dulra estabelecida at agora
na ra de Apollo ( Porto das Candas no Becife\
aclia-se transferida para o lint da mesma no
edificio novainenlo construido na esquina da ra
do Brum onde setis fregiiezes so pdem diri-
gir, cortos que sero servidos com o mesmo ze-
lo, com que o toem sido at agora ; para com-
modidade de seus amigos, e freguetes, os mes-
mos Mosquita & Dulra estabelocro na ra da
Cadeia do Bocife junio ao arco daConceicAo
n 56 um depo/.ito no qual pdem ser pr-
vidos o darem as suas ordons que Ibes convie-
reni, cerlos que sero promplamonte execu-
tadas. (16)
3 = D-se 100 a 200 rs. a juros, solire pe-
nhores de ouro ou prata ; as Cinco-ponlas
casa n. 126. (3)
1 Da-so a premio a quantia de 300,000 rs.
sobre penhores de ouro prata ou lettras, nes-
la praca; tambem se dar oulra qualquer maior
quantia sobre hypotheca em casas nesta praca ;
trata so na ra das Cru/es n. 34. (5)
(^uern precisar do urna mulher capaz para
o servico interno de urna casa ; dirija-se a ra
Augnsla n. 7.
Aluga-se um escravo para o servico de urna
casa de pequea familia por 10,000 w, men-
saes ; na ra dos Martyrios n. 32.
Aluga se urna canoa aberta que carrega
700 a 800 tijlos; na ra do Caldoreiro
n. 56.
I'erdeo-se urna carteira na igreja de Santa
Bita na noute do Te-Deum 16 do corrente ,
lUpposto nao tenlia dinheiro, mais todatiaa-
clia-se com papis de importancia, lettras, &c.
&c ,; roga-se a quem a achou, querando res-
tituir, dirija-so ao pateo do Hospital do Parai-
'O n. 24, ou no Recite ra da Cruz, luja do
sobradon. 28, que ser generosamente grati-
ficado.
Aluga-se o 1* 2o.e 3o andar do sobrado
n.9, da ra do Queimado; a fallar com seu pro-
prietario na toja do mesmo.
Precisa-so de um amassador de pao, quo
D. Pedro Manual do agricultor Brasileiro, sai ha bem do seu officio ; na ra Nova
itinerario do Rio ao Para, noticia descriptiva
da Provincia do Rio Grande do Sul laboas de
uros e correlagens bibilioteca constitucio-
nal, Reporlorio alfabtico das leis, compendio
de neothologia c outras muitas obras inlere-
n. 67.
Precisa-so de um moco Portuguez de 13 a
14 annos, para caixeiro de urna nadara ao At-
ierro dos A (Togados n. 37, dando fiador a con-
tento ; quem estiver nesta circumstancia an-
sanles, assim como tambem urna grande vario i nuncie ou dirija-se ao mesmo lugar.
dade das mais bens escnlhidas novelas roman-
ces $c &c. Impresos no Rio de Janeiro em ca-
sa de J. Villenouve & Companhia.
- O abaixo assignado Procurador bastante
de Antonio da Silva Cabra! aviza a quem
convier que no dia 19 do corrente mez se
hade arrematar em Praca Publica, pela segun-
da vara do civel a porta do Sr. Dr. Noves ,
na ra Nova um sitio na estrada dos Afflitos ,
contiguo a Gapella da senhora do mesmo nome,
com casa de pedra e cal por execucao de An-
tonio da Silva Cabral contra Miguel de Sou-
*a Raposo : os pretendentes dirijo-se as qua-
lro horas da tarde do dia mencionado no lugar
indicado. Francisco Antonio fabello de Car-
valho. ,^_
embarca para o Rio de Janeiro o seu escravo de
nome Adrianno crilo (3)
9-NA ROTICA.EARMAZEM DE DRO-
GAS, NA RUADA MADRE DE DOS. NI.
Vendem- se as preparaedes seguinles por pre-
populare as pirulas vegelaes americanas, sendo co muito commo lo e de superior qualidade.
a composifo d'ellas inteiramente vegetal e ja Magnesia Ponderosa de Genry.
to condecidas nesla cidade as varias molesti- Este medicamento goza das mesmas virtudes
asdefisado, febres rheumatismo lombri- que a Magnesia calcinada ; poremeonhe-se quo
Precisa se de urna ama de lioa conducta pa-
ra casa de pouca familia, que sai ha bem cosi-
nhar e engommar; quem estiver nesUs circuns-
tancias, dirija-se a trat do Corpo Sanio foja de
louca n. 68.
O Sr. Coronel Francisco de Barros Rogo
queira por obzequio annunciar onde esta abo-
letado aqui no Recife. ou ter a bondade de
mandar dizel-o as Cinco Ponas sobrado
n. 62.
1 Precisa-se alugar una ama forra ou ca-
tiva, que saiba cosinhar bem; no palco da Pe-
nliA n. 4. (3)
1 Aluga se o sobrade de dous andares da
ra do Collegio n 9, est.i todo pintado e a sala
forrada de papel ; a tratar com Manoel Gomes
Viegas na ra do Crespo. (4)
1Precisa-se dsete contos de ris a juros
de um por cenlo ao mez com segursanca de hy-
potheca por fpmpo de trez anno; annuncic
por este Diario. (4)
1Os Srs. Manoel Nunes de Mello e Jos
Eustapuio Maciel Monleiro queiro compare-
cer na ra da Cadeia-velha n. 35, pois se Ihe
desoja fallar. (4)
1 Perdeo-se um hotao de ouro, de punho
Cruz
com
aimo, que volta par
?. n 18, e para maior comrnod.dade dos todos os outros ob|etos de pintura ; vernizes a ruadas Tnncheiras n. 2. aue so eratih
pradores na ra da Caaea em casa de Joo de superior qualidade entre ellcs bum perfei- ,car. (8\
^bMMKb^Mb^H


V
^ \7 I
3 OsSrs. credoros q casa do Manoel Pe-
reira GuimarScs que sacariio novas leltras po
la ultima concordata, queirfio ir ou mandar
receber as novas lettrns, que se achSo promp-
tas, amada Croi em casa de Jos Antonio
Finio trayendo as vclhas, (6)
3 Museo Pifloresco.
Esto jornal publicado cm Lisboa por umn so
ciedade do Li Iteratos Porlaguer.es conten as se-
guintes materias : religiao histor a antiga ,
moderna, philosophia geographia; viagens,
scieuciiis, o bellas artes ; agricultura ; novel-
Jas colindas ; estudos moraes e biographicos.
O 1. volunte consta delGcadernos ou n-
meros, nm caria um dosquaas ba duas folhas
d'improssio de 17 pollegadas de comprido e
11 de lacao ; duas magnificas estampas (defor
tna\o igual ao da imprento para a final se en-
aidernar o vulume } Ivtli igrailiadas em papel
velin [deiOiOOO rs. fortes cada raima)com tal
pereicao, que inettidasem quadros pdem ser-
vir para ornamento das melbores salas, o final-
mente em cada numero impar se v una exacta
descripcSodas modas, sendo esta acompanhada
de Ggurinos e colloccdes de lindissimos dehu-
xos para bordar de bramo, e de matiz, o que
servir do muita utilidade [.ara as senboras do
bom loni.
As pessoas, <|uo prelenderem subscrever pa-
ra esta excellente obra, pdem dirigr-.se a Joa-
quina Baplista Moureira ; (ra de Apollo n.6.)
Agente da sociedade nesta provincia.
l'rimeiro volunte do Museo.
Consta de 16 nmeros s= 1 al 16 = com
32 estampas frontispicio e indico cvc. por
12*960 rs.
Segundo volunte do Museo.
A direccao dividi este r^unt/o volunte em
duas series a fim de facilitar maisa oxtraceao.
\ primeira serie ser do 8 nmeros prin-
cipiando em numero 17, e linalisando em nu-
mero 2i inclusivo.
A segunda serie ter.i oulros 8 nmeros ro-
mecando em n. 2o e terminando em n. 32 in-
clusive;
N. B. Dar-se-ha com o n. 32 um novo fron-
tispicio e o ndicegeral das materias tratadas
em os 16 nnuieros'dasduas series 17 al 2a
inclusite = que reunidos formars o segundo
volunte do Museo. Da primeira serie acha-se
na Agencia al o n. 20. (45)
3 Aluga-seo sobrado de 2 andares da pra-
ca da Boa-vista n. 6 ; a fallar com Ignacio Jos
de Couto na botica do mesmo sobrado.
3 Aluga-seuma preta escrava, opii.ua cos-
tureira e muito iotelligenteno servico de casa;
na ra Nova n. 41, segundo andar. (3,
2 Precisa-se d; urna ama que saiba co-
sinhar, eengonimar, para casa de pouca fa-
milia ; na praca da Independencia, loja de cha-
peos n. 21. (4;
2 Boga-se ao Sr. Jos Albino, morador no
cngenh.0 Manguito, baja devir a esta praca tra-
tar de concluir corto negocio, visto que ah
decorrido S anuos sem que tonda dado com-
primento ao que tratou isto no espaco do 30
das. (6j
2 Quem quizer dar nesta cidade para re-
ceber na deGoianna, a quantia de 8501ra.. un-
nuncie a sua morada ou dirija-so a ra Nova
it. Al, segundo andar (/i
2Autonio Jos da Costa e Silva embarca
para o Rio de Janeiro a sua escrava de nome
Joaquina. (3/
2 F. E. Al ves Vianna remelle para lora da
provincia a sua escrava Joaquina de nara
iagou com urna cria de um anno. (3
2 D-se dinheiro a juros mesmo em pe-
quenas quantias, sobre penhores deouro e pra-
t.i ; em linda na ruado Bom-fim n. 21. [3]
2 D-se diniteiro a premio, mesmo em
pequeas quantias ; na ra Nova n. 5. (2)
2 i'erdeo-se na manhaa do dia 16 do cor-
rente um pequeo caderno manuscripto com
o rotulo Relacao e contendo varios apon
lamentos de causas pendentes nesse Tiibunal ;
quem o adiar, leve a ra Nova n. 41), onde
mora o solicitador Felippe Lopes Neto que
sci gratificado. 7)
I'recisa-se do 6004000 reis a juros com
hypotheca em urna casa terrea nesta praca; quem
quizer darannuncic.
Quem annunciou ter um sitio para vender
por 350^ rs. livres na estrada do Pco-da-pa-
neila dinja-sc a ra de llortas sobrado de
um andar n. 66.
1 Fazcm-se camisas dehomem, costuras
de alfaiate o engomma-se com pereicao e
brevidade por preco commodo ; na ra de
Agoas-verdes n. 74. [Aj
Quem annunciou querer arrendar um si-
tio, fdle ao Coronel Joaquim Ilernardo de Fi-
gueiiedo na ra Direita n. 21.
Precisa-so lugar urna casa terrea, ou so-
brado de um andar, em Fra-de-portas; quem
liver, dirija-se a ra Nova n 8.
1 Precisa-se de urna Portuguesa para ser-
vil mi ui: casa <. poid familia, distante
desta praca ; na ra das Trineheiras n. 42, se-
gundo andar. |4j
1 Aluga-seuma canoa de conduzir agna ,
mu estanque ; na ra da Praia venda da es-
quina da ribeira. (3)
Troca-se urna negrinha crioula, com prin-
cipios de costura por um molequei
de Angola ; na ra do Collegio n.
Na ra Direita, sobrado de um andar n. 33
ao p dedous de varandas douralas, se fazem
dolos deS Jlo, do difieren tes massas efeilios,
enfeitados com capailas de alfloim.udeconf'itos,
tudo com a maioi pereicao ; e tambem se fa-
zem bollnhos para chi e bandejas enfeitadas
com flores do alflnim ramos, e figuras tudo
muito bem feito.
I Aluga-seuina casa terrea com armacao
de loja de lasendas ou para outro qnalquer
estabelecimento na ra do Queimado u. 01 ,
a tratar oa ra do Itangel n. t7. (4j
1 Aluga-se um proto cosinlteiro; na ra do
Crespn. 14. (2)
1 Manoel Antonio da Costa e Silva embar-
ca para fra o seu escravo Guillicrme da Costa.
Parante o Sr. Or. Juit do Civel da segun-
da vara desta cidado tem de ser arremtalo
um sobrado de dous andares e sot3o com bas-
tantes commodoS sito na ra da Senzala-nova
desta cidado por execucao do Herculano Jos
de Frailas; sendo a ultima praca sabbado. (6)
A pessoa quo quer comprar redes do
Maranhao, dirija-se a ra Imperial n. 187.
O Sr. que oflerecoo 000| rs. por urna
preta com urna cria de dous mezes pode ir
buseal-a, pois se vende pora pessoa se retirar
nestes dias.
Xa ra da Gloria n. 84, rocebe-so roupa
para cnsaboar.
1 Precisa-sede urna ama de leile prefe-
rindo-se preta forra ou captiva ; na ra do
Amorim n. 2>. "*/
portuguez Prosodia diccionario
peridicos guarda nacional ,
goa bunda
em lalim e
da fbula, e os ,
paisano, indgena, o cometa, tudo encader-
nado e por preco commodo ; na ra das tru-
zes, loja de encadernador n. 35. !''.
2Vendem-sosaccas com farinha do mandio
ca de superior qualidade ; na ra da Cadeia-
velha n. 35, e no armasem de Fernando Jos
Braguez junto o arco da Conceico e no
armasem n. 1, dclronte da escadinha da Al-
fandega.
2 Vende-se urna mulatinha de 12 ou 14
annos de bonita figura e coso | na ra d>
Crespo loja n. 10, da viuva Cunda Guima-
raes.
Compras
6 s Compra-se eflectivamente nesta Typogra-
[ihia toda a qualidade de pannos cortados ou
vellios de lindo e algodao toda a especie
de libra lindeza, algodao, de refugo em ra-
ma, papel e papela vnllio. (5)
2 Compro-se elfectivamente para lora da
provincia mulatas negras, e moleques de 12 a
20 annos pagao-sc bem ; na ra Nova loja
de lerragens u. 16. (4)
3 Compra-se urna, ou duas redes do Para
ou Maranllio sendo superiores ; na ra do
Torres n 18. (3)
1 Compra-se urna preta que tenha bom
leile e algumas habilidades ; quem tiver an-
nuncie. (3)
Compra-se urna morada de casa terrea
no bairro de S. Antonio sendo em boa ra;
quem liver annuncie.
1Compra-se um casal de rolas de aza bran-
ca assim como alguns passaros estrangeiros;
na ra do Queimado n. 19, segundo andar. (3,
Vendas
1Vende-se na praca da Independencia, II-
vraria ns. ti e 8
O Litro dos Deslinos
Esta importante obra lie o resumo de todas
as propliecias da Sibylla de Cumas sobre o es-
tado dos dumanos. Para conhecer-so o mri-
to desta prophetisa ba crdito so vale a sequencia ; pois all se l
Sendo testemunhas David e a Sibylla.
O que nella se contm he de urna verdade
tal que sei demonstrada pela excedencia de
modo que a pessoa a quem a Sibylla pronosti-
car urna boa fortuna nao tem piocisiio de dar
passos par a obter. O quo d maior realce a
esta grande obra, de ter a Senhora D. Sibylla
decado algum tan'o daquella circumspeccao ,
com que fallou a Eneas, ca outrui les pei-
guntadores e contar os nossos usos e costu-
mes usando at dos termos paluscos ganchos,
forquilltas e outras galanteras do nosso paiz,
como se ella tivesse aqui naseidoe vivido ; em
fim para a prxima noute de S. Joao nao se
adiar mellior divertimento que consultar es-
te engracado livrinho e isto pelo barato pre-
co de duas patacas (25'
2Vende-se nm preto de 30 annos, para to-
do o servico ; na'ruA da Guia n. 19.
2Vende-se por diminuto prego, por j es-
tar achacado, um cavallo de estribara ruco ,
ainda em boas carnes e serve para carroca ,
per j se ter experimentado; na ra da Alegra
n. 34. (5)
2 No escriptorio de Le Bretn Scliramm df
Companhia vendem-se 21 mildeiros de lijlos
rance/es, de muito boa qualidade proprios
para forno, ou qualquer obra liydraulica. (4
-2.No Kecife, na ra da Cruz n. 23, escripto-
rio de Jos Antonio Gomes Jnior, contina-se
8 vender saccas com alqueire de superior fari-
ndade mandioca muito fina e alva feita na
Muribeea por preco mais commodo, do que
at o presente. (6)
2 Vende-se farinha de mandioca de muito
boa qualidade edegada prximamente da Ba-
ha a 3200 rs. o alqueire com sacco ; no ar-
musem de Fernando Jos Braguez ao p do
arroda Conceico. (5)
2 Vendem-se barden* eoin fjre!l> muito
novo chegadas de Lisboa por preco com-
modo ; na ra da Cruz n. 52. 3
2 Vende-se um escravo crioulods 21 annos,
de boa figura muito possantee sadio cosi-
nheiro caiador e tem capacidado para todo
o servico ; na ra Nova n. 41, segundo andar.
2Vende-se Rhetorica do Marinho, Geome-
2Vendem-se dous prelosde nacao.um de 17
annos eo outro do 2o t 22 annos ; urna preta
de l'S annos cosinheira lavadeira, e cose chao,
e be de muito bonita figura ; courindos de ca-
bra sola, bairequindas com gomina e 200
caadas de aceito de carrapato ; na ruada Crtt'
n. 51. (?)
Vende-se urna por?3o de barricas vasias ,
;jue forode farinha ; na travessa da Madre de
Dos, padadarla n. 11 de M. I. S. Teixeira
I Vende-se pura os bolos de S. Joao su-
perior manteiga ingleza a 720, 6'i0, 480, e 320
rs. farinha de trigo a 00 rs. vindo de Lisboa
a 200 rs. a garrafa dito do Porto a 320 rs. ,
vinagre superior a 120 rs. azeite doce a 480
rs. a garrafa queijos novos a 1520 rs. assu-
car branco bom a 80 rs. dito smenos a 70 rs.
e nuiscavado a 50 rs. caf em grao a 100 rs. ;
II saceos com farinha por barato preco, duas
pipas com ago'ardente do canna bolaxinha ln-
de/a grande e pequea a 200 rs. tapioca a
120 rs., cha muito bom a 24O0 rs. letria a
2't0 rs. ; na ra larga do Kozario, venda n. 39.
Vendem-se cortes de parisiense a fiOOO rs ,
ditos de tarlatana a 6000 rs., ditos de fasenda
escoceza para vestidos de senhora e chambres
1j homem a 46ft0 rs., ditos de lanzinha a 2200
rs. ditos de dita de superior qualidade a 6000
rs. ditas de dita com listrasde seda a 10/000
rs. di los de cassa-chitas a 3/ rs. ditos de
edita a 3600 rs. eoledas de damasco para ra-
ma a 6400 rs. mantas de seda de gosto muito
moderno a nooo rs. luvas de seda preta com-
pridas com palmas de cor a 720 rs. brelanda de
rolo nuii 10 varas a 1920 rs. ricos oleados pa-
ra mesa, com bonitas pinturas a 5500 rs. cam-
braias adamascadas a 4500 e 5500 rs. o corte .
o outras inuilas fasendas por commodo preco ;
na ra do Crespo loja n. 12, de Jos Joaquim
da Silva Maia.
Vende-se urna escrava crioula de 25 annos,
de bonita figura engomma, cose, faz lavarin-
to cosinha, e lava de sabao ; urna dita de 18
annos, engomma, cose cosinha, e lava; urna
negra de nacao Angola, de 20 annos com as
mesillas habilidades : um mulatinho de 6 an-
nos muito lindo, proprio para se educar; na
ra dasCruzes n. 41, segundo andar.
1 Vendem-se lingoas seccas, vindas do
Bio Grande do Sul prximamente, por preco
commodo ; na ra da Praia n. 12. ,3
Vendem-se 3 pequeas casas urna no
fim do Atterro-dos- Aflogados e duas na Bai-
\a-verde (lo Manguind tendo urna destas
um terreno do 60 palmos de (rente; na ra da
Praia n. 43, primeiro andar.
1Vende-se urna cadeirinha moderna em
bom estado ; na ra das Trineheiras n. 42, se-
gundo andar. 3j
Vende-se urna preta quitandeira cosi-
nheira, o ensaboadeira, tem boa conducta,
nao he fujona n&o bebe e nem furta; na ra
Imperial n. 173.
Veiuie-seum uriioiine deum pagrm.com
galao deouro ; um palanquim em bom uso ; e
urna tablela de ourives; na ra de Agoas-ver-
des n. 15.
Vende-se urna negrinha e urna mulalinha
de 12 a i3 annos, sabendoj coser muito bem ;
urna preta de 16 annos recolhida de bonita
figura, cose, engomma, e cosinda; urna dita,
que cosinha o engomma, muito bem; urna di-
la de lodo o servico, e he quitandeira ; una
bonita mulata de 20 annos, de elegante figura ,
engomma e he costureir ; na ra do Fogo
ao p do Hovario n. 8.
Vende-se urna preta com urna cria de dous
mezes ecom bastante leite, engomma, e lava;
ao comprador se dir o motivo por que se
vende ; na ra Nova loja n. 8.
1Vendem-se dous molecotes de nacao, com
bonitas figuras sem vicios nem achaques ; 3
escravos mogos de nacao ptimos para todo
o servico; um mulato de 30 annos, ptimo
feitor de sitio ; urna esciava de nacao, com
valias habilidades ; na ra Direita n. 3. i()
1 Vende-se um moleque de nacao de 14
annos faz todoo servido do umacasa e ven-
de azeite de carrapato na ra; na travessa do
Veras n. 1': 14
Vende-se urna commoda de angico en
bom uso por preco muito commodo ; defron-
te do portao do quartel de polica 11. 9.
1Vende-se o Panorama, jornal Iliterario
e Instructivo 6 voluntes encadarnado; o Mu-
seu Portuense jornal de recreio 1 v. e o
quinto volunte da recreado pdilosophica do
Padre Theodoro de Almeida, tudo cm bom uso,
e por preco commodo ; na ra do Cabug, lo-
ja defasendas n. 4. 7)
Vende-se um escravo por preco commo-
; um banheiro novo
Vendem-se meias saccas de farinha da Mu-
ribeea, de superior qualidade ; na ra do Col-
legitirt. 13.
_ Vende-se unta casa terrea no bairro da
Boa-vista com dous quartos cosinha lora,
quintal murado e cacimba ; na ra Direita
n. 24. segundo andar. v
Vende-se urna carteira pequea para so es-
crever em bom estado e por preco commo-
do ; na ra das Cinco-pontas n. 27.
__Vende-se urna escrava de nacao boa co-
sinheira lavadeira, engomma liso, faz todo
o servico de urna casa e he quitandeira; na
ra da Gloria n. 8*.
._ Vende-so um escravo de 20 anuos, de
bonita figura sem vicio algum ou troca-se
por um moleque de 12 a 14 annos ; na ra de
S. Rila n. 91.
1 Vende-se o mais superior vinho de Cham-
panlie que tem chegado a este mercado ; em
casa de Avrial IrmSos; na ra da Cruz n. 20. .>)
Vendem-se urna preta moca de boa figura ,
engomma, lava o tem muito bom leite para
criar; duas ditas boas lavadeiras e vendedeiras
de ra ; urna dita com urna filha de 8 annos,
muito linda crioulinha ; o escravos pora todo o
traballio decampo ; dous moloques de 12 an-
annos muito expertos e ladinos para tudo que
se quizer applicar ; um pequeo sitio na Var-
zea com casa do vivenda estribara, arvo-
redos de fruto euma pequea baixa para ca-
pim ; na ra larga do Bozario n. 48.
Escravos fgidos
i
do ; urna canda pequea
4_ Ainda anda fgido o mulatinho Benedic-
to de 11 annos Ievou camisa de chila cal-
cas de brim branco chapeo de massa euma
argola de ferro no pescoco consla ter andado
em Olinda quem o pegar, ter de gratificaciio
50? rs., levando a seu snr. Lourenco da Costa
Loureiro na Solidade n. 42, ou na ra da
Cadeia por cima da loja do Sr. Cardoso Aires. 8)
Fugio no dia 9 do corrente o escravo Jos,
de Nacao Cacange de altura regular, edeio do
corpo o qual pertence as herdeiras Mara e
Joanna moradoras na Baha e he pro va val
que fosse para a casa do tutor aqui nomcado,
morador em Tlgipi, oSr. Jos de Injosa Va-
rejao ; por isso roga seas pessoas que o encon-
traren! e mesmo aoSr. Varejao ( caso elle ap-
pareca em sua casa j de mandarem levar na ra
da Cruz n. 51, a Manoel Joaquim Pedro da Cos-
ta que pagar os despezas.
Na noute do dia 13 do corrente dcsappa-
reeco urna preta de nome Andreza crioula, de
46 a'30 annos, alta, secca do corpo, peitos
pequeos, com os dentcs da frente poucos per-
feitos cabellos j quasi brancos, rosto redon-
do caliera chata Ievou cabeco de algodozi-
nho saia de chila velha um panno da Costa
tambem velho; levando em sua companhia um
filho cabrinha, de nome Francisco de loa 16
annos, com os ps doentes de era vos bobticos,
e por isso manqueja no andar, com unt dente
na Irentc quebrado cabeca grande. Ievou ca-
misa de algodao, calcas velhas de brim e cha-
peo fino velho ; urna filha da dita preta mu-
latinha de nome Antonia de 12 annos, com
urna chaga na perna direita cabecao de algo-
dozinho vestido de chita j velno. No dia
I i do corrente tambem fugio um mulato nao
escuro, de nome Bufido com chapeo depalda
grossa calcas de brim de lislras azues, ou par-
das jaqueta do brim bastante barbado es-
tatura regular, de 35 a 30 annos deoflicUl da
sapaleiro e a primeira vista parece ser forro ;
quem dos mesmos escravos der noticias ser
bem recompensado no largo do Collegio, em
casa de Manoel Antonio Viegas.
No dia 20 de Maio prximo pascado lu-
gio urna preta de nome Bicarda crioula re-
presenta 20 annos altura mais que ordinaria,
bem preta secta, fecoes regulares olhos pe-
queos e fundos, e a vista trocada, tem os
denles da frente principiados a arruinar, ore-
Ihas peijuenas e dobladas ps mal feitos e
apalhetados he canhota e muito farcola, cons-
ta andar pela cidade de Olinda e ltimamen-
te foi encontrada na Boa-viagem; quem a pe-
gar, leve ao Manguinho. casa do Sur. Porto-
carreiro, ou na pracinha do Livramonto n. 27,
que ser gratificado
1 No dia 6 de Abril p. p. fugirao do enge-
nhoCuiambuca, freguezia de Serinhem o es-
cravo Mathias de estarura regular, rosto so-
bre o comprido, parece ter 24 annos, nao sen-
do muito preto levando em sua companhia
urna negra captiva do mesmo engenlto ; quem
os pegar lera 50# rs. levando-os a casa de
Gaudino Agostinho de Barros na ra da Cruz
n. 66, ou no mesmo engenho Cuiambuca. 9)
Fugio no dia 18 do p. p. o negro Jos, de
nacao Mocambique, ou Moanje de 22 annos,
Ievou chapeo preto lino camisa de madapolo,
calcas de riscado tem calombos na testa e ao
pdasorellias signal de sua Ierra, tem um
calombinho no queno nariz baslante chato,
estatura regular chelo do corpo ; quem o pe-
gar levo a ra da Praia n. 22 que ser re-
compensado.
liuciFB na Ttp. ob M- F. Di Faria.184*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ79E3OH8_FEB9OL INGEST_TIME 2013-04-13T00:18:02Z PACKAGE AA00011611_05101
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES