Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05065


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Sabbado 2
Anuo de 1844,
sa BReaasiiBiBBZsamB
O Di.. io |>ublica-re lodoaoa das que n.io friera snn: lirados : o |>ieco ila .signatura
ie ile Ires mil rs por qu.irel pagos adianlados. O annuneioa dos assignanies ajo iBMlidoi
gratia, eol do a que nao (oren raiao de 80 rea por linha Aa irrlamarca dercn aer diri-
gidaa eill ljp rua das l.ruics n. .'4 ou k praga i'a independencia I. ja de vri sn li e 8
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
GOMrtNl. Parahyba, segundas c aexiaa feiras.Bio Grande do Norte, qulnlis fciras
Cabo, Serinliaem llio Kormoso Torio Oal>o, Macer e Alagoas : r.o 4. 41 e 24
de cada met. Garanliuns
-.....,.... lionio a 10 e '1\ do cala mea Boa-risla e llores a
e 28 dito, Cola le da Victoria, quimas feiras. Olinda iodos oa das.
DAS DA SEMAKA.
;fi Se?, a. Torala And.do .1. de t. da 9. v.
j7 Tere a. Leandro. Re, aad. do de 1) da 3. v.
g8 Ouarla Tmporas a. Poplo Aml do i. de t. da 3 t.
9 Quinla a. lom.io. Aud. do J, de l) da 8. v.
4. Ssil Tmporas s. Adri.o Aud. do J de D. ca 2. v.
Sal). Temo, a Simplicio. Rol. aud. do J. de I), da i v,
,' Dom V. c da quaresmn s llemrlerio.
T>MWHMlllaall i III III II III IIi nWHaTfgfWB^BMM
DIARIO
de Marco
Anuo XX. tf. $1
Tudo agora depende de na meamos; da nos.a orada ca, oderaqjo- energa ron-
lioueaoi romo principiamos e s-eiwa apuntados coa adioirajio enlre a oajuea
Proclamajj di Afeemblea Geral do eraiil.)
ollaa.
' Cambios lobie I.ondrca .25 f.
, Paril 370 ral por franco
h ii Lisboa ll8 por 400 de praaiu
Mneda de pobre 5 per cenlo e n.i I a.
dem de letras Je boa* firuas I a l|l
CIMI ios no I>11 I ; DI M lCO.
Oure-Nooda'de 0,100 V.
N;
,. i'e 4,00.
Pralai*elaeote
Peaoi euluoimnaree
, Dilus mexicano*
17,200
47.000
o.i 00
l.O-'O
I.94U
I.US
6
o
Se".
PIIASES DALIA NO MEZ DE MARCO.
na cheia a i as ti horas e 42 non da larde I Loanora a IS as y horas e 57 min ^j* larde,
linguanle a 1| as 11 lloras ila maiili.i | i'.ies. rule 27 as 2 li. e 41 '>. da maiili.ia.
'reamar de koji,
Primera ai 2 horas e 54 min da manh.ia. | Segunda as 2 boraa e IS minuto* da larde
PER
ARTE OFF.CIA

Que a Assembla Legiilativa de Pernambuco aprsenlo na tes-
sco ordinaria de 1844 o Extn. liaro da lioa-Yista Presiden-
te da mesma Provincia.
SENHORES MEMBHCS DA ASSEMBlf:.\ PROVINCIAL.
O Da da abertura de vossos trabadlos sernpre utn
oltjerto de interesse, i; mu motivo de caperaii^as para a pro-
vincia, que vos coniou a laida importanle de promoveraesa
sua elicidade: a obrigaeo de referir-vos as mais urgentes
necessidades do povo, <'in cujos ntoresses dea oceupar-vos,
me da mesma sortemoi grata, na conviegilo,cmqueestou,
de quaato ae dirigem ao bem publico as vossaa deliberacoes..
CougratuliMne coni voseo pelo consorcio de sua ma-
gestadeo IMP3SRADOH; o(|iial, aliaiicando a COUservacSo
da d\ naslia do immortai fundador do Imperio, e a suc-
cessSo regular do Throno, d o mais seguro penlior de tran-
quillidado, e futura grandeza para o Paz, que so pode pros-
perar debaixo da benfica influenciado Governo eatabelecido.
.Nao tem sido alterada nesla Provincia a lraiu|iiillidade
publica. Anda que os perturbadores, e anarchistas alimcn-
tem esperaiiQasdc desorden!, elles enconlrao no lioni senso,
c lidelidade fa maioria dos Pernamlnicanos urna barreira in-
vencivel contra os seus planos sediciosos, e revolucionarios.
.Mu lisonjeiro seria o estado da Provincia, quanlo a sua
moralidade, se os cidadaos embaracassem a perpetroslo dos
crinies individuaes, assim como se niostriio opposlos a toda a
conspiracSo contra a ordem publica. Urna triste experien-
cia nos convence da falta de espirito publico, e da perniciosa
indulgencia dosTribunacs para com os crimes particulares,
que se fflaltiplicO, sem que por isso a acco da Justica se tor-
ne vigorosa. A i inmoral idade dilliculta as provas, insina a
bsolviofio, c accoroc^a os malvados.
O corpode polica continua aprestar servidos nesla ca-
pital, e nos mais pontos da provincia, aonde a necessidade
lem cbainado alguns destacamentos para dar loica a aCCO
das Aulboridailes l'oliciaes. liste corjio foi redu/.ido qua-
trocentas pracas, logodepois de sanecionada a l.ei n. 109: e
om consecuencia do artigo l(> da l.ei do orcamoato vigente ,
que rduzio a despeza deate ramo do servico publico, forflo
ilissolvidas, om De/embro pretrito, duas compaiibias, lican-
do smente trezenlase noventa ; cinco pracas. I'arece-nic,
que, sem inconveniente, mo podereisdeixar de conservar as-
sim esta foi'Qa
Depois da nspoccftQ c exame, que tenlio mandado proe
ceder na Guarda Nacional dcste municipio, ouvi o Comman-
dante Superior respectivo, e liz ltimamente algumas refor-
mas de ebefes de corpos; e espero o voto da Cmara Muni-
cipal, que foi ouvida acerca de alguraas ndicaces do refe-
rido Coinmandante Superior, para irover nielhor sua orga-
nisacao lia por ora neste municipio, debaixo de um com-
mando superior, duas legies compostas de seis corpos de
cassadoros, e um pequeooquadrfto decavallara. Nos outros
termos do centro da provincia ha dous commandos superiores,
quatorze Legioes, trinla e cinco balalhoes de casadores, duas
secedes de batalhao, (! tre/.e esquadrdos de cavallaria : leu-
do a provincia vinte e dous mil quinlientos e cincoenta e qua-
tro guardas nacionaes do servido ordinario, e dous mil qui-
nhentos etrinta de reserva. Mas os corpos dolar da capi-
tal mu punca, ou nenbuma disciplina lem, sendo so mente
uteis ao Estado pelos bous senlimenlos, de que ein geral sSo
animados, tanto os ebefes, como os seus subordinados.
I'ina das primeiras necessidades do Culto Publico e. sem
duvida a de Parochos celosos, que pregoem a patavra divina,
eexpliquem a seusparochianos, especialmente nos domin-
gos, a Moral Evanglica, fonte pura dos bous costumes, e da
elicidade bumana. Entre nos, excepeflo dos relevantes
servicos, que a moral publica leem l'eito as missocs, em (lia-
se occupflo constantemente no centro da provincia, os Cauu-
\ falta de reparos de muilas grojas malrizes, c de al-
faias decentes para a celcbraclo dos sacramentos e sentida
providencias a
mes.
Somonte dos a
ein muitas freguezias do centro, e ate em algumas prximas
a capital, por tifio poderem os cofres provinciaos satisfazer
todas estas urgencias, e supprir a carencia de pessoas zelosas,
que promovao doacoes sullicientes para to justo, e nteres-
sante lim.
A catbequeze dos Indgenas meu ver, um dos mais
imperiosos deveres, que Icndes a vosso cargo, e um dos ob-
jectos, que multo preciado de providencias, attentoo aban-
dono, em (pie se tem acbado al o presente. Aeabfio de sor
aldeados pelos esforcos do Tenente Coronel Simplicio l'erei-
ra da Silva, cujosdesejos forao apoiados pela Presidencia da
provincia, vinte e cinco casaes (lestes iufelizes, que perten-
ciioa urna borda barbara no lugar do Choc, da comarca de
Plores. A Presidencia, pela quota das despezas eveutuaes,
inandoii-lbes abonar algunia ferranieiita, e vestiario, nas foi
istocoin a escassez, i|iie permillia esta quota, j quasi toda
gasta, qando appareceo semelbaiile urgencia. A bunianida-
de, c tambein a piedade que vos distingue, exige, que vo-
tis alguns liiulos para se darem estes individuos roupa, lia-
bitaoes, e ferramenta, i flm de se tornarem laboriosos, (-
passarem a vida c i vi Usada, que teem outros Indgenas do-
mesticados, e (|ue eshiliclecais mcios de serem cathequizados,
e chamados ao gremio da Religifio Catbolica, nao 80 estes
na aldea, a que derHo principio, como outros, (pie se Ibes
posso unir, ou ser aldeados em lugar differente; com o que
lambeni animareis es trabalbos de um cidadao generoso,
que, no ultimo quarlcl da vida, a inda deixa o sen repouso pa-
ra melborar a sorte dos Indgenas errantes e barbaros de (pie
abundfo os sertrtes desta provincia.
A inslrucc,iio da mocidade, para cajo adian'lamento nun-
ca serian demasiados todos os esforcos, que podesse empre-
ar a autoridade, incumbida pela J.ei de promovel-a, nilo lem
l'eito os progressos desejados, sem embargo da aptidao dos
Brasileiros paraassciencias e artes.
No Lyco tiveriio regularmente exercico, no anuo lindo,
as aulas das I.inguas Nacional, Eranceza e Calina, de Geogra-
phia, PhilosophTa, Rbetorica, Geometra e Desenlio; mas os
alumnos, que, em numero de duzentos etrinta e nove, as fre-
queiitrflo, pouco aprovetrfl nastas disciplinas, se excep-
tuarmos alguns de Pbilosopbia, Gographiao l.ingua Ingleza
segundo as inforniaces da Diiectoria desle eslabeleciment.
Teem o niesmo crescido numero do alumnos, que a aula
de l.alim do l.yceo, a do lairro do l'.ecil'e ; a do Hairro da
Boa-Vista tem bastantes discpulos, e asdeGoianna, Naza-
relli o Flores anda podem .ser conservadas; a do Cali porem,
nenhuma utilidade presta, c melhor lora, queso removesse
esta cadeira, em qanto houvesec de sor pago o professor res-
pectivo, para a cidade da Victoria, onde nSo bavor tiio gran-
de falta de alumnos, como lembra a Directora do Lyco,
Teem muita frequenoia as aulas publicas do primeiros le-
tras desta cidade, principalmente a primera do Bairro da
Boa-Vista, e as duas do liairro deSauto Antonio, onde pare-
ce indispensavcl, que se cri mais urna Cadeira dcste ensino
parA OS meninos, que habitaES ras mais prximas as Cin-
co-pontas as quacs lico milito distantes das duas aulas
mencionadas, que alm d isso nao pdem admiltir mais aliim-
speito
sua instriiccfio e costu-
chinios Italianos, e dous Brasileiros do Habito do S. Pedro,
sente-sc, em
com proveto.
>innil'i> lldllniofa, i; uuua iihioiiviiv.' *v .....------*
sente-sc, em geral, a falta de quem explique o Evangelbo
ios, do que loiii actualmente Sobo qutrocentOB e noven-
ta e cinco o numero dos que freqiientao as seis aulas d'ostes
re/, bairros da cidade, te.ido as cadeiras dos suburbios du-
zentose vinte e quatro, e todas as mais do interior da pro-
vincia mil duzentos o noventa e sote.
As quatro aulas do primeiras leltras do sexo feminino
d'esta cidade sito frequentadas por cont e sosenla e seis
meninas, o as oito, (|iie existom n'outros lugares da Provin-
cia
nasdeste [ugarena vrem frequentar a aula ostabelecida no
Recife, exige, que para abi so crie urna cadeira deste ensino
ou se remoya a de Itamarac, ou a da Villa do Bonito, as
quaes apenas so frequentadas por cinco, ou seto alunmas.
Tal vez fosse tambein mais prove toso remover oulra d'estas
duas cadeiras para a freguezia da S de Olinda, onde bavo-
a de discipulas do que n aquellos lug
res.
limnos, que frequonlrao 0 I.yen, infor-
ma o Director com conhecimento de causa, que alguns pou-
co, ou nada approveitrflo, e a maier parte delAM se matri-
cularan intilmente.
Posto que diversas sejao as causas desle atraso, o dilli-
ceis me parecao os remedios para mal tfio grave, lembro-VOS
todava una lei, que melhor regule as altribuices do Direc-
tor, (! do Governo no orovimenlo das cadeiras de latim e pri-
meiras letlras (laudo-Ibes mais liberdade na nomcacode lo-
dos os professores, C que Ibes de mais directa iuspec(;ao, lau-
to as aulas publicas, como em todofi 08 cslabclecinionlo.s
particulares dr instruccito.
.\ao foi anda possivol achar-se um edificio com as pro-
porcoes dcuollese oslabelocer O Gollegio Publico, em que
devotn ser recobidos os alumnos do Lyco, que ho de re-
quonlar o curso de preparatorios, para pr-se em execuefio
o plano de um curso do bellas letlras, e scioncias indus-
triaos. \ Presidencia tcntou arrendar urna casa, que estava
construindo a Ordem :ia do Carino ; mas, depois da escru-
puloso exame, conbocoo-se, qu osle edilicio nao era sulli-
ciente nem mesmo para recebero Lyceo no estado, em que
seacha ; e assim tem sido forcoso continuar aoccupacilo do
parle do convento do (.armo, que OS religiosos seus poSSU-
dores reclam<1o para os novicos, que teem acoeitado em
eonsequenca do una Lei Provincial.
Beliro-ino ao que vos lonbo dito nos passados Reltenos,
quanto ao collegio dos orpbfios, o sua diroccao, niorecoudo-
me soniprc especial mencao 0 zelo, o aclividade, com que
a Administracao d'eslo ostabelecimento lem cuidado de repa-
raros predios arruinados, ede indo, pie pode concorrer para
0 augmento da renda dos bous dos orpbaos
Os estabelecimenlos de caridade conliniiao a prestar
importantes servicos humanidad* desvalida. A Adminis-
tracao respectiva tem-so empenbado om melborar o tracta-
mento, o augmentar- commodos para os enfermos pobres.
Ella estabeleceo, dentro da casa una botica, autorizada pola
Presidencia ; como que naos alcaucou vantagem na promp-
tiucaoo do fornecinienlo dos remedios, mas tainbem eco-
iioiiiisou na despeza do semestre lindo noveceiitos o seis mil
tro/cilios o cincoonla o nove reis.
De duzentos e oitenta e dous enfermos, que entrrfio
neste periodo para o grande hospital sahirtto curados cento
o noventa o ipialro, o morrrao oilenla.
A falta (li^ mcios sullicienles para seren ilimenladas na
casa dos expostos todas as criancas, que se recebem na
roda, tem obrigado a continuar a platica iU' se darem al-
guns para seren criados em casas particulares por amas, que
o fazeni por commodo preco, apozar da diQerenea, que ha
entre osle expediente, e a crtaofio, que feila na casa.
Lstaboloceo-se nina roda filial na cidade de Olinda para
receber as criancas, que por diversas circunstancias nao po-
dessem chegar a do Recife, e licassem assim privadas d'esta
beneficio, que ibes deve a piedade pblica.
No anuo passado foro recebidas as rodas do Becifo,
e Olinda, e condu/idas para a casa dos expostos, aqu osta-
belecida, quarenta e trez crianzas do sexo feminino, e cin-
coenta e-nove do masculino.
Dos que forao dados as amas para osoiiaroin em suas
casas por preco mais commodo, inuitos pereoorao, cutre-
publica pode ad-
ria por conloo oilenla e una. O augmento progressivo do
liairro de lora-de-portas, o O incominodo, que tem as meni-
Cma associaeio de Fiis, penetrados da importancia da
propagacito da ossa Keligifo, o do ensino da moral chris-
taa, estabeleceo-se, lia pouco, nesta cidade, com o fim de
instruir, e fortilicaro povo na E, e nos principios luminosos
do Evangelbo. Parece-mc desnecessario, Senhoros, notar-
vos as esperanzas, que todos (levemos ter em tfio til insti-
tuido.
* Cabido da Olinda, declarou, que as Assemblas Provinciaos
pertencia contlBuarem a decretar a despeza com as calbo-
draes. I'arece-me, que nao e justo, nem conforme a vossa
piedade, que deixem de ser pagos estos emprogados publio
eos, o fique assim abandonado o culto n'uma cathedral tfl-
antiga, principalmente estando redu/.ido o numero dos capi-
tulares de sorbe, que das dignidades so esta com ejercicio no
coro o Arcediago, o dos treze conegos, que all haviffo, ape-
nas residem sote. Pederis, por tanto, reduzir a despeza de
11:930/000 res a 6:730/000 reis, supprimda a verba da procis-
ao do Corpode Dos, que o Exiu." Bispo faz sua custa nes-
ta cidade.
mais concurrencia de discipulas do que n'aquellos lugar
Vagrfo as Cadeiras da extincta Freguezia de Laran-
jeiras, ede Tijucupapo: a 1.' foi supprimda, na forma da
Lei, o parece convenienle que removis a 2.a para a Povoac.0
de Ponta-do-pedras da mesma freguezia, onde poder ella
sor mais proveitosa mocidade.
Existem nesla cidade alguns collegios de educa^o, e
varias aulas particulares, sendo militas destas bem acredita-
das, e pblico o concoito, de que aquellos gosao, fazendo-se
dignos do especial mencilo dous Collegios de meninas. Dc-
vo todava deolarar-vos, Senhores, que podem tambera liaver
algumas aulas |iarticulares de pouco proveito ou mesmo
prejudiciaes a mocidade, sem que a Autoridade. Publica te-
nha mcios de entrar no ovnme da hoa, m m dircCQfi ''es-
sos estabelecimenlos, porfalta de disposices legislativas, que
Ibe del iiis|ioccao nolles. e regulemashabililac.'i'.es, com que
se deveria exercerlfio melindrosa industria, sem projuizo do
artigo constitucional, que admiti todo o genero de traba-
dlo. Ila niesnia sorte a legislaran actual nao da quas accffo
alguma a directora dos estudos sobre asadlas publicas da
provincia, nom meios de liscalisar as que estro lora do Ly-
ceo. Pode, por tanto oCovoruo dar apenas, e sem muita
certeza, conta do numero de alumnos, que froquentio as
aulas, sem poder avaliar o adiautamoulo, (pie tivero, nem
tanto que oscapao a morte os que a casa
DilUir para seren nella amamenlados.
Posto que, mediante o zelo da Administracao, a renda
dos estabelccimentos lenha crescido ponto de cobrir as
despozas ordinarias, todava a divida, om queiO l'.slaboloci-
niento licou alcancado liara com o Thesoureiro transacto,
e que por dccisSo d'esta Asseniblea se mandn pagar, toni
posto em apuros a presente Adininislracao, que todava, ja
pagoudous contos seiscenlos o oilenla mil reis. O ex-Tbe-
soureil'0 tem. ponborado todas as rendas dos oslabelecimen-
tos de calillado, tirando assim OS mcios indisponsaveis de
inanterem-se os expostos, e os enfermos. A Administracao
pede, que modifiquis le, que mandou fazero pagamen-
to desta (lvida, dispondo, que os trez contos seiscenlos e
vinte mil novlenlos e oitenta e trez reis nao sejio pagos
senilo com o que sobrar das despezas de alimentos, e curativo
d'aquelles infeliz.es, ou que gslabelecais qualquer oulra
restriccffo, que livro a casa de ficar privada do todas a suas
rendas. A necessidade, que lia, de se repararen) alguns pre-
dios do eslabeleciincnto, o a vantagem, que bavera, em ser
habilitada para estas obras una Administracao zelosa, co-
mo a actual, conspirAo, para que tomis a esle respeito
alguma providencia, que a tire de lao graves embaracos.
Asando publica vai continuando receber importantes
servicos da Sociedade de Medicina, estabelecida nesta pro-
vincia ;-a qual nao pimpa esforcos para descubrir as causas
da.s molestias iimis requemes, e applicar os meios con-
venientes de evitar unas, o extirpar outras.
Nao cessareideindicr-vos, que odeseccamentodo panta-
no de Olinda urna empieza niui conveniente a sade dos
habitantes d'aquella cidade. J nos Relatnos anteriores
vos tenlio coiiiinuiiieado, que a Companbia de Bcbiribe toma
esta empieza, se lbe for cedido, livre de futuras contesta-
caes, todo o terreno, que se acha alagado, e a cuja proprie-
dade a (amara de Olinda tem pretencOes. Autorisado pola
le vigente do orcamento municipal estou contratando com
a Administracao da referida Companbia o ditodessecaraento,


*^Y
v certo do patriotismo, que a anima, espero concluir o
contrato n lempo de chegar elle ao vosso eonhecimento
na presente sessao.
A empreza do cncanamonlo d'agua polavol dn riaxoda
Pinta para esta capital se cha bem adiantada. Est prom-
i i acude dn Prata, a caixa d'agaa, e o sangrador
concluido o aterro ate o engenho Dous-irmUos, Vencido o
passo mui, iliilicil de atterrar um extenso tremedal, quasi
insondavel, e romper um morro, que lia entre o acude,
c Api pucos ; leudo desapparecido os recejos de varios acci-
onistas, e nutras pessoas, quanto mpossibilidade d'esta
obra, depois que o Coronel Conrado, fazendo provincia
i relevante servieo do virda Corte examinar estes Irabalhos,
declarou, que os achara convenientemente dirigidos, e asse-
guron, que a empreza marchava com rcgularidade. A
Thesouraria Provincial lomou seis cenias aceces (Testa Com-
panhia, em execucSo do arl igo 39 da Lei do orcamento. Parece2
me, Senhores, superfino fazer-vos monean, de quanto van-
tajosa para a sade publica, o para o espirito de associacSo,
anda muito acanbado entre nos, a conclusio d'eslaobra.
Depois dos Irabalhos da Commissflo encarregada do pla-
na, e escolha do lugar para o comiterio publico, concluidos
o anuo passadd, nada se tem adiantado na execucao da Lei
n. 91, por nao terem a Cmara Municipal, e a Ailminislracao
dos Kstabelecimentos de Caridade adiado, apoza? de diligen-
cias, qiiein emprehendesse, com os escassos meios postos
sua (lisposicao, nina obra tilo importante, essencial a salu-
bridade d'esta Municipio. Sera conveniente, pois que deaseis
nieics inais elliea/es para leval-a a ell'eito.
Anda senle-se a falta de um maladouro, e revezo com
sulliciente largue/a para descanso do pido, que se consom
nosla Cidade, sem o que jamis podera sersadio este princi-
pal artigo de sustento do povo.
Em Jullio do anmi passado poz a Cmara em arrematadlo
o contracto exclusivo do rorneeimento da carne para este Mu-
nicipio. Apparooero dous licitantes, um dos quaes sugeita-
va-se a todas as condicOes do Hegulamcnto, reito pela Presi-
dencia em 1841, exgindo un proco inais alto, que ooulro,
o qual prucurava indemnjsar-sc do menor preco com restrc-
ces, (|ue diminuirlo o rorneeimento diario, e concorriflo pa-
ra iludir-se a Rol observancia das principacs condicOes da
Lei. A Municipalidadc ficou perplexa entre estas licitacoes,
e sugeitou a decisilo de sua duvida Presidencia, que iulgou
nao dever-se acceitar nenliuma das licilacoes, por ser a que
nao contrastara o llegulamento, contraria ao espirito da Lei,
a qual sadmitlia o monopolio pelo menor preco possivel, e
porque era perigoso, que se atterasse, como requera a outra
Jicitacao, o llegulamento, no qual o Governo estabeieceo as
garantas, que poder i lo tornar o povo seguro de nfio Ihe tal-
lar a abundancia.
Parece-me, Senhores, que nenliuma d'eslas propostas se
deve adoptar, e que sera mais conforme a Constituoslo do lis-
tado, e aos principios de economa social, deixar livre con-
currencia, e sentar de monopolio este genero de primeira
necessidade, revogando a Lei, que o admit ia; visto ter a ex-
periencia de outias Provincias mostrado, que os honsde-
sejos dos legisladores neste sentido produzemo effeito con-
trario, com grave daino do publico.
A" cerca da illuniinaeao da Cidade, reliro-mc ao que vos
tenlio exposlo nos llelalorios anteriores, por nao seren suf-
ficienles, para melboral-a, os meios dados na Lei n. 73.
Estilo fetos, eapprovados pela Cmara Municipal, o pe-
laJPresidencia os planos da odiiieacao dos tres bairrosd'esta
Cidade, e do de Santo Amaro. Com este trabalho fez a C-
mara Municipal o importante servieo de descubrir os erros,
e tortuosidades, que haviao na edificarlo em geral, para se-
ren reparados, logo que as circunstancias o permittirem, e
de por os cnearregadesd alinhamento dos edificios em ter-
mos de evitarem para futuro irregularidades si mimantes as
que actualmente ombaracilo o aformoseamento da Capital.
Podendo a ra das Cruzes prolongar-so ate a iraca de
Palacio, c hever assim urna ra direita desde a pracinba do
I.ivlamento ale a dita praca, senilo lora a cerca dos Religio-
sos, e urna casa da ordem lereeira de s. Francisco, seria con-
veniente habilitar-se a Cmara Municipal para abrir esla ra,
indemnisar os Religiosos, e a Ordem lereeira do que se hou-
vesse de deuiolir. lia mesina sorte precisa a Municipalidadc
de construir casa do suas sessOes no terreno, que alli oceu-
pSo os ditos Religiosos, o de auiorisaeio para dar a compe-
tente indemnisacSo.
tanilicm de utlidade publica a construccilo do caes, do
arco da ponte de Sanio Antonio ale o Palacio, e que a Cmara
.Municipal fique autorisada para ceder, mediante justa in-
domnisaeo, o terreno, que nao l'or de inarinlia, e llie perlen-
cer junio ao dito arco, para um edificio, que aformose as
ras do Crespo, edaCadeia, o excite os particulares faze-
em a sua cusa o dito caes. A ('.amara informa, que anda
progressiva a edificacHo, equedoanno passado paraca teem-
se elevado duzcutos edificios nesta cidade
Esta corporaeao leni-so com iniiilo zelq empenhado em
elevar os rendmentos dos predios municipaes, einlroduzir
na sua reeeila, e despe/a a liscalisaeo, cuja falta era mui
sensivel, estalieleceinlo urna conladoria regular, que est SU-
geita a vossa approvacSo.
Pelas rendas municipaes devem ser alimentados os pre-
sos |iobres, na forma da Lei do I." dcOiituhro de H-2H. Para
que esles iufelizes nao perecessem a fome, vi-me obrigado
a suppril-oscom racoes mu limitadas, tirando esla despeza
i!.i quota daseventuaes. Este apuro fez apparecer a economa,
do sorle que com tres conlos de reis podora ser alimentados,
e curados os d'esta Cidade, ecoin cem mil reis os de cada
urna das eadeias dosoutros Municipios.
A bumanidade nao permille, que seja preterido nos or-
namentos este soccorro, devido aos desgranados, que porseus
criines licao privados da liberdade, e dos meios de se maule
rem.
A casa que serve de cadeia nesta Cidade, contem cento e
quarenta e seis presos, dos quaes s8o condemnados sessenla,
pronunciados vinte e dous, cin custodia, e delenlos viole e
quatro, muflieres cinco, esenvos, e escraVas a requisieflo
dos senhores, OU por ordem dos Juizes do Civel, trinta, calce-
tas doentes ein^o. nlm Hos que se recolhem a noitc dos Ira-
balhos pblicos. Esta casa nao tem, como sabis, uscom-
modos indispensavois para urna rasoavel classi(cacao, e sepa-
racSo dos presos nem aseguranca necessaria. Contem ella
dous andares, no primeiro dos quaes oslan os pronunciados,
c condemnados por crimes menos -unes, achando-se em sa-
la separada a pristi das mulheres; no secundo estilo os pre-
sos sem pronuncia, h a enfermara, a sala que serva para
as sesoes da Cmara Municipal, e a habitculo do Careereiro.
p pavimento terreo dividido em enxovia, contendo todos
os condemnados, por homicidios, e roubo, a penas graves, c
em prisao do crme, na qual se recolbem os calcetas, cujo nu-
mero total em diversas prtsOcS ncsla Cidade de quarenta e
um. Para evitar a fuga dos presos foi Urgente t'azerem-se
anda alguns concertos ueste edificio, no qual nao podem el-
los continuar assim.
E de absoluta necessidade urna casa de correccSo para
os individuos, que na forma do cdigo, estilo a olla sugeitos,
com priso separada no mesmo edilicio para os indiciados em
crimes, A subscripcao, que se fez para isso, fura d"esta Cida-
de, .orea aris 1:894/800,que torito recolhidds ao Cofre das
Rendas Provnciaes. Ja vos penetrastes de quanto seja urgen-
te este estabeleciment, assim como a construccilo de urna
casa de priso penitenciaria, a qual, meu ver, deve ser nos
arredores d'esta Cidade, e com proporcoes para conter du-
zentos condemnados, quando pela Le n. 107 autorisastes a
nomeacao de urna CommissAo, que vos apresentasse o plano
d'essa obra. A Commissao foi nomeada, como vos participei
o auno passado, mas anda nilo apreseiitou trabalho algum,
para ser trazido ao vosso eonhecimento, e approvac^io.
A Repartido das obras Publicas depois que se rege pelo
novo RegulamntO, vai adquirindo rcgularidade, e para isso
tem em grande parte contribuido a energa, zelo, e intelli-
genCia do Engenheiro em Chefe.
Para se facilitara liscalsacao, e ntroduzir ordem na re-
eeila, e despeza d'este ramo do'servieo publico, passou para a
conta do auno linanceiro de \st a 1843 a divida de noventa e
dous coritos de reis, de obras arrematadas, e feitas nos anuos
anteriores, e loda esta divida foi paga dentro do mesmo anno.
De vinte e tres obras, que se pozcrSo em praca no corren-
te exercicio, foro vinte arrematadas na importancia de du-
zentos e onze contosoitocenlos e quatro mil novecentos e
sessenla e seis reis, contando-se entre ellas nove laucos das
estradas da Victoria, e Pao d'alho, e duas pontes considera-
veis, lomo acallados, e definitivamente entregues a Repar-
tiera os laucos 2." 3; *.0 e 6." da Estrada da Victoria. Esta
em andamento o lauco li., pelo qual se abre una estrada,
inleiramente nova, alea porteira do engenho Calende, para
evitar urna passagem dilucil. lia todo o fundamento para es-
perar, que neste invern, esteja a Estrada da Victoria livre do
passo mais incominodo, e perigoso, que bavia em toda a sua
extensflO. Da estrada do Pao d'alho concluio-se o 4. lau-
co : estilo em andamento os laucos .", e "..", des-
at o riaxo Timhina exlensao de
Estilo construidos os dous muros
de a ponte de Cachan
duas mil e cem bracas.
,-'
dneoslo da ponle pensil de Caxanga sobre o rio Capibaribe;
coniecrao-se a fazer, de rame, os cabos para a suspenslo da
ponte, e as mais obras de ferro, e madeira; e o seu andamen-
l desperancas, deque no invern prximo ja comece. a ser-
vira primeira ponle suspensa do ltraz.il.
Vai ser construida, por arrematacao, urna ponte sobre o
rio JaboatSo na Estrada-da-Victoria, com cenlo e seis palmos
de v"o, de un lauco s, feito de madeira, e com muros do en-
cost de pedra, e cal. Esta nova forma de pontes de madei-
ra evita o inconveniente dos esleios, ou arcos dentro dos ros,
sem a caresta das pontos suspensas, a qual dilliculla este
meio, o mais seguro de atravessar ros caudalosos, e sugei-
tos excessivas endientes.
A passada cheia do rio laboat&o foi a maior, de que ha
memoria, c causou damnos consderavos, principalmente no
ti." lauco da Estrada-da-Victoria, os quaes ja se achao repa-
cidos.
.Na Estrada-do-Po-d'alho abrio-so urna valla, para esgo-
lar as agoas empocadas no Zumb, que a arruinavSo; cons-
truio-se urna pequea ponte em Mocot, e principirSo-se al-
guns reparos consideraveis na ponte da Magdalena. Na eslra-
da-do-sul concertarao-se as pontes dos Carvalhos, e de Mo-
tocolomh, e abrirao-se vallas na Jmbiribeira, Pao-secco, e
no atierro junto aquella ponte. Tambem se iizerao reparos
na ponte, e atierro dos Allbgados.
Concerlou-se a estrada no lugar de Joo de Barros, lc-
vantando-se o atierro de modo, que embarace a passagem do
rio Capibaribe, em occasioes de enchentes, para o Rebiribc,
como d'antes aconteca, communicando-se pela cambeta do
Manguinho i da Tacaruna. Na Estrada-do-norte se acha mui-
to adiantada a que segu d'esta Cidade para a de Olinda por
Santo Amaro, atravessandoo val da Tacaruna. A actividade
e promptidao, com que se tem feito os atierros, afianefio, que
elles eslejo promplos antes do termo conveiuionado como
arrematante. Vai sor arrematada a ponte, que alravessa o di-
to val, para concluir-se esta estrada, que torna mais porto
d'esta cidade a de Olinda, o facilita o commercio com o novo
Bairro, que vai-se levantando com rapidez em Santo Amaro.
A obrado Thcatro Publico, tomada por empreza, andou
comalguma morosidade este anno passado, leudo a Compa-
nhia, que a enipreitoii/' entrado com 23 por u/o> I""' ter-Ihe
faltado o socorro ellicaz das loteras, com o qual tanto pro-
gredio ao principio. Este inconveniente procedeo do nume-
ro excessivo de loteras, que forao concedidas para outras
obras. Comtudo foi concluida a coberta, antes do invern
pretrito, e aeh3o-se rebocadas, todas as paredes mestras, e
prompta a parte posterior do edilicio, e ja posta em seu lu-
gar parte da pedia da laxada, cuja remessa tem-se muito re-
tardado. A mais de tres mezes tirou-se o simples do arco,
que divide o scenario da sala. Estilo pois concluidas, e livres
de simplices, e andaimes as obras de maior gravidade, e lora
de toda a duvida, tanto a solidez, como a pcrfeicSo d'este edi-
ficio, que tem merecido elogios de mutas pessoas inteillgen-
tes, que, vindo a esta Cidade, o observarlo. Tem-se gasto
nesta obra cento e .vinte conlos de reis, havendo o Thesou-
reiro adiantado dez coritos, por nao ter excedido de cento e
dez a receiUi.
Sendo mais conveniente, para o levantamento do mappa
Topographico da Provincia, determinarem-se, por observa-
cOes astronmicas a longitude, e latitude dos seus pontos
principacs, achfio-se reconhecidos os pontos nrincipaes das
comarcas de Coianna, Cabo, Victoria, Po-d'alho, Rio formo-
so, Bonito, Limoeiro, e Brejo, determinada a situacao geo-
graphcadas Villas, e PovoaQes. as exploraces, que aca-
ba de fazer o Engenheiro em chefe das obras publicas, pelo
interior das qualro Comarcas, mencionadas em ultimo lugar,
lorilo determinados tres pontos que, por sua eminencia,
devem servir de vrtices dos tringulos principacs no traba-
lho da regular triangulacilo da Provincia ; forSo elles o Mon-
te-da-rapoza, a Scrra-de-Tajuaratinga c a do Estrago, a
qual se acha mais de quinhentas bragas cima do nivel do
Ocano. Levanlarao-se cento e duas leguas de estradas, que
servem para o commercio d'eslas quatro Comarcas, e forao
explorados, em grande extoncao do seu curso os quatro rios
mais consideraveis da Provincia. Para verificar as obser-
vacesfeitas pelo iuterior da Provincia, muito coiiYiria esta-
belecer nesta Capital um observatorio, que alienas constasse
de um torrac.0, e livesse unidosdous (puartos para guardaros
instrumentos, e servirem de descanso aos observadores. As-
sim poder-se-hiao comparar as observaees astronmicas
d'este com as dos oulros lugares, e approxirnar, o mais pos-
sivel, da cxaelidlo a cariada Provincia.
Estando indar-se o praso, em quedevia ser apresenta-
da a Estalislica d'esta Provincia, requerco o enc.irregado d'el-
la urna prorogacilo. Attendendo i gravidade da commissao,
que Ihe foi incumbida peto Governo Imperial, ha mais do um
anno, eaonenhum lempo, que resta ao Presidente de una
Provincia consideravel, como adoMaranhSo, part empregar-
se em quabpier outro objecto, o anda menos na Estalislica
civil, e poltica de outra Provincia mais populosa, concedi-
Ihe um anno de prorogacilo para ultimar tilo inipoi tanto tra-
balho, cuja falta, em geral, al boje sent todo o B rasil.
Os limites de alguns Termos, como o de Caranlnuis, Cim-
bres, IJnnilo, e Coianna tem urgenciaL de sereo claramente
estabelecidos, mesmo antes de concluida a Estatsl ica, e a
carta da Provincia.
A industria, ntrenos, mo retrograda; mas a s.ua mar-
cha mui vagarosa em comparacilo dos progressos, q ue ella
tem feito na Europa, e na America do Norte.
Temos todavia estabelccida, pelo esforco espontai, eo de
alguits de nossos artistas, urna aula, de mecnica appca da as
artes, no Consistorio de S. Jos d'esta Cidade, pelo sysl enia
do Bacilo Dupin. Este facto d alguma esperauca de ful uro
progresso nesse ramo, indspensavel. de inslrucciio da n.o-
eidade. Assim vai-se arraigando, no povo, mais inclinadlo
para o trabalho, e son aperfeicoamento, que a nica lome
da riqueza, c felicidade das Naces.
A prsenle safra de algodao foi maior (pie as anteriores ;
mas a cultura d'eslc consideravel artigo da nossa producoilo
se acha muito atrazada, de sorte que nfio tiramos van la ge m
nos mercadas da Europa, com os poderosos concurrentes da
frica, e da America do Norte, que al.i se appresenlao. Con-
cern por tanto fazermos iodos os esforcos para melhorarmos o
planto, e amanbo d'um dos principaes productos da Pro-
vincia.
0 flftracar tem conservado bom preco ; mas a safra nao
das maiores. No fabrico d'este artigo, b mais importante de
lodos os que produz a nossa Provincia, vamos tentando, e
ohlendo algum melboramenlo, mas anda de mui pequea
consideracao.
Reconhecendo, que nio nos deviamos limitar pratica,
ensinada por Mr. Biguaiie, pela qual substituida, na defeca-
e.ilo, a potassa por cal, e ordenado de urna forma regular o
assentamento das taixas) tem-se conseguido fazer melhoras-
sucar, do que em geral se fabricava tiesta Provincia, nomeei
urna commissao do pessoas inteiligentes, e orticas, para exa-
minar os resultados pralicos do methodo o'e fabrico do dte
Riguaire, e dar o seu parecer este respeito. Esla commis-
sao anda nao aprescnlou o sen trabalho.
Persuadido, de que podemos adiantar, mais alguma coli-
sa, a cristalisaclo das partes sachnrinas do caldo da cana,
com um melhor methodo da defecacjlo pela cal, e com a lil-
traefio por meio de carvilo animal, e para dar le n. 101
urna execucao mais conforme com o seu espirito, abr um
concurso, em que se apresentassem OS fabricantes, que sou-
bessem platicar, e cnsinar o melhor processo de fazer assu-
car. Mr. Champes, em vez de apresentar a forma, porque
ensillara o fabrico do assucar, offereceo certas consideracoes
para niodilicar as condicoes do concurso, consideracoes que
por inconvenientes nilo podrSo ser altcndidas. Mr. Sommier
sugeitou-se cnsinar 0 processo, deque cima fallo, tanto
logo n, ou directo, como com os apparelhos de cozer por
vapor ao ar livre, ou pelo sysloma do vacuo, boje contiendo
por systema de Derosne. N'ilo apparecendo outro conciirren-
le, cnlractei com ello em Novembro pretrito, por um anuo
gmente, o ensino do fabrico do assucar pelo systema, que
escolher cada um dos propietarios, a cujo Engenho elle po-
der ir, pagando-se-lhe pelo Cofre Provincial a quantia mar-
cada na Le, se o resultado de seus Irabalhos l'or approvado.
for urna commissao, nomeada pola Presidencia.
No podemos no estado, em que se achilo as nossas fa-
bricas de assucar, aproveilarnio-nos do niel lindo de defeca-
^ilo, e filtracfio, ja referido, senio com fogo n, ou directo,
substituidas as taixas de defecacilo, deque usamos, por nu-
tras de torneira, com fogo separado; mas nilo (levemos parar
aqu, e, na falta de companbias, que se esforcem porassen-
lar, em varios pontos da provincia, os apparelhos de cozer
por vapor pelo systema do vacuo, pelo*qual se. cristalisao .
quasi completamente, as partes sachar i as do cabio da cana,
como esta provado por experiencias repetidas, feitas em Cu-
ba, as libas do Franca, e as Colonias llollandezas, cumpre
a Assembla Provincial, desenvolvendo mais os fecundos
principios da Lei n. 101, facilitar a acquisicSo, e o estabele-
cimento d'estes apparelhos. Procurando a Presidencia infor-
mar-se dos meios, queerao necessarios para^emelhantc ac-
quisicao, o nosso Comprovinciano Jos Lucio Corroa envin
urna rclacao circunstanciada do proco das pegas, que esses
apparelhos conten, mencionando tres de loica dill'eronles
Em apparelho, com que se fabricilo, em vintee quatro horais
cento e dez arrobas de assucar, custa setenta e oito mil fran-
cos. Outro, com que, no mesmo lempo, so fazem diizcnlas
e quartorze arrobas da-se por cem mil francos: finalmente
um de fabricar quinhentas c setenta arrobas em vinte e qua-
lro horas, pode custar cento e sessenla e cinco inii e novecen-
tos francos. A competencia, que nos mercados da Europa,
nos dispulilo outras Naces, deve despertar-nos para lirarmos
o fabrico do genero, que constitue a mais avultada parcella
de nossa exportadlo, do atrazo, em que se acha.
O vosso patriotismo me dispensa de insistir mais ueste
objecto de vital nleresse para a Provincia.
A imporlacao no l.u semestre do anno linanceiro actual
rendeo dedireilos mais cento e vinte conlos de reis, do que
no 1." semestre do anno anterior, e a exportadlo deo rendi-
mento igual ao de semoslro pretrito.
A Receita e Despeza Provincial anda offerecem muitos
embaraeos, que necessario remover no apuro, em que se a-
chlo as Ilaancasdo Brazil. o balance de ia a ihj moslra,
que se despndanlo seiscentos e quarenta esete conlos oiio-
centos trinta e cinco mil trezentos e otenta eseis reis, Pican-
do anda a divida passiva de sessenla e quatro contos cento o
setenta e dous mil o setenta e nove res. Da Receita, oreada
para aquello anno, deixou-so de arrecadar a quantia de qua-
renta e tres contos quafrocentos e dezoito mil novecentos e
cinco res, dficit, queaugmentouo da Lei; e por isso nenliu-
ma influencia leve o aoto de se despender anda menos dous
conlos quatroentos e setenta e quatro mil novecentos o dez
res, do que a quantia decretada. E muito urgeule nielhorar-
A


v

se o systema da arrecadacJTo, e igualmente
a fiscalisacSo das Hondas Provinciaes, que
guasi neotuma actualmente.
Os collectores do centro da Provincia
neohuma arrecadaco fazem; e teem sido
inefleazes todas as medidas empregadas
com alguna deltas. Ao vosso saber compete
remediar este mal. A divida activa Provin-
cial nao se cobra: foi para ella*ineficaz o
Jni/.o privativo. No ornamento, feito de ac-
eordocom aLei vigente, naodeUcit prova-
vel de treze COntOS setenta e tres mil tre/.en-
tos e guarenta e cinco ris. eHe se atten-
deo a diminuigao do suppriinenlo, que a
Provincia recebia dos Cofres.Nacionaes. Com-
pre, vossa previdencia ir dimiuindo a des-
poja, 0 cslalielerondo algum artigo de Be-
i-eila, que prepare o Cofre Provincial para
tnantef, com seus nicos recursos, as des-
pezas, que o acto addicional Ihe incumbe.
do na Ilha-de-Santa-Anna.sitiiada om 2, 16*
e 18"' de latitude Sul, o 33V 10' e 10" de lon-
gitudedo merididiano da margen) occidental
ila Hha-do-Ferro, coniforme a evita do coronel
Antonio Bernardino Pereira do Ligo. Dos
guardo a V. Ex. Palacio do governo do Ma-
ranlio em 26 de Janeiro do 18*4 film, c
Exm. Sur. barita da Itoa-vist i presidente
da provincia de Pernambuco.Jernimo Mar-
liniano Figuoira de Mello.
Os commandantes de companhias do se-
gundo balalhao d'arlilliaria a p declaro, que
nenhum descont lem sido feito aos seus coin-
m melados sol) o titulo do rebato do cobre ou
sedulas para pagamento dos prets: o por con-
secuencia calumniosa a carta do artfice diri-
gida ao guarda nacional, Ctaartel no Hospi-
cio 1. de marco de 18H Sergio Tertulia-
LOTERIA
DAS
leal oooperacao, e todas as informagoes, que
vos forem necessarias na honrosa tarefa, em
que vos ides empregar.
Reci/e, i." de Marco de i km.
BaRO da Boa-Vista.
Rend ment da meza de rendas interms pro-
vinciaes de fevereiro prximo fiado.
A saber :
Dcima urbana ............. 5:245,407
Sello de berancas e legados..... 159.800
Meia si/.a dos escravos......... 771,83o
Escravos exportados 13o,000
Passaportes de polica......... o.400
Novos e velho direitos......... 120,000
Matriculas das aulas do lyco e
seminario...............
Ditas de grammatica latina.. ..
Imposto* sobre serranas.......
Ditos olaria........
Juros da divida activa.......
1:032,000
377,000
38.00
12,800
120,487
Rs.-8:018.>749
Meza do rendas provinciaes l.de marco
de 1844.
Luiz Francisco de Mello Cavalcanli.
Escrivao administrador.
COMMERCIO.
AI Pan ciega.
Kendimcnto dodia 1.'......... 8:801*171
Descarregao hoje 2.
Brigue Colombo sal, o diversos gneros.
Brigue sueco Julie ferro.
Brigue Cicely carvajo.
Brigue folla camos de ferro.
Brigue Armorique diversos gneros
Patacho Especulador fumo.
Barca Espirilo-Santo trastos.
d'Araujo Pernambuco capitao commandante
interino da 3.* Antonio Jos de Mello 1.
lenle commandante interino da 4.* campa-
nhia Antonio Mara de Castro Delgado, 1.
lente commandante interino di o compa-
nhia Jos Antonio Barboza 1. lente
commandante interino da 6.' companhia A-
naclcto Lopes de Santa-A nna cap I do com-
mandante da 7 companhia Manoel Soares
le Sousa capitao da 8.* companhia.
arsenal de marinlia contrata a compra
de 2 mil alqueires do cal, de Itamarac, 100 mi-
lieiros de lijlos de alvenaria grossa 80 es-
tatal de 20 palmos do comprido o 7 polleg i-
comprimenlo, e palmo o meto de grosso. o 100
taboas do costadodeamarello dequalidado infe-
rior O llm.sr.inspector do mesmo arsenal con-
vida portanto as possoas quem venda d'esses
objectos(da melhorqualidade)possaconvr,que
queirao comparecer com as suas propostJS.com
a possivel brevidade n'esta secretaria a lim de
se proceder o contrato com quem por menos
vendel-os.
Secretaria da inspeccao do arsenal de mari-
nea de Pernambuco l.do marco de 1844.
silexandre Rodrigue! dos tifos,
Secretario.
que queira vender anda queseja usado : an-
nuneie por esta flha para ser procurado.
= Antooio Bacon retira-se da provincia.
= Quem livor um escrafo que teja bom ,
c sem vicio algum querendo o vender diri-
ja-se Prac da independencia loja n. 21 :
As rodas desa lotera an- ".?-* utnt para ei i
penca familia quo nao soja moca.
= Doseja-se lallar ao sur. francisco Ma-
chado Brindeiro, natural1 da llba-terceira,
cliegado < esta cidade a 20 de novembro do
1843 : nosta tvpographia.
= O actual (hele interino da polica desla
Sa() provincia Cutiano Jos da Silva Santiago em-
/Ifj! barca para o Bio-graiidc-do-sul scu escravo
I Prederico de naci Angola.
j No dia 24 do concille as 4 para as 5 horas
da tarde, vindo doBecifepara Sanio Antonio
uns poucoi de negros ganhadores cada
um com una embrulhosde 10 meios de sola,
e como altou um dos ditos embruihos ,
Memorias Histricas
PREMIO GRANDE 8:000s000 RS.
d.\o impretirivelmenteno dia
12 de marco p. f. c os bi-
llietes acho-se a venda as
mismas I o jas em tjue
vendidos os da lotera
iheatro.
= Aluga-se urna casa de sobrado de 4 anda-
res na ra do Trapixo-novo o outra dita ter-
rea na ra da Solidado; trata-so na ra da Au-
rora n. 58.
Joao Mara Seve embarca para o Rio- |ro Por aV(,r 1Ut'm r'"'r oflerecido ou tiver
COMPANHIA DO BEBIRIBE.
O caixa da companhia do Bebiribe faz scien-
to aos senhores accionistas, que no dia 6 de
marco prximo vindouro so fioda o praso mar-
cado para se recdllier a prestacao do 4 poro/o
ltimamente exigida.
= 0 l)r. Joaquim Nunes Machado juiz do
crime na i." vara e interino da fazenda des-
pacha todos os das utes das 9 as 2 horas, e
faz audiencia as quartas feiras dosdias lectivos ,
sendo as quartas feriadas as quinlas-leiras,
as 9 1/2 horas- sua residencia actualmente c
na ra da Larangeira n. 18.
-f .1------i.J.'_,'IU '
Avisos maridillos.
Edita
= 01llm. Snr. Antonio Pedro de S Bar
reto, ieneni-ooronei do estado-maior do oxer-
eitoj o commandante das armas desta provin-
cia, manda (azor pblico, que no dia 7 de
marco prximo vindouro pelas 10 horas da
manha na secretaria militar, lera lugar pe-
anle o conselh extraordinario desianado no
artigo 22 do regulamento de 17 de fevereiro
do 1832 a arrematadlo dos medicamentos
precisos aos doentes do hospital regimenlal no
anno corrento, segundo o formulario compe-
tentemente organisado ; o manda outro sim
convidar aos senhores pharmaceuticos, estable-
cidos ncsla capital acomparecercm no indi
cado ilia hora o lugar para o lim de ollb-
recerem os seus leos. Bccife 27 de fevereiro
de 1845. 0 secretario militar,
Francisco Camello Pessoa de Lacirda.
ileclaracoes.
Sua Ex. o Sr. presidente da provincia man-
da (azer pblico para conhocimento dos nave-
gantes o ollicio abaixo transcripto quo Ihe
foi dirigido polo Exm. Sr. presidente da pro-
vincia do Maranhao.
Secretaria da provincia de Pernambuco em
26 de fe vero i ro do 1840.
Casimiro de tena Madureira.
OFI'ICIO,
lllm. e Exm. Snr. Participo a V. Ex. ,
fundo quo se digne mandar fa/er pblico
para conhocimento dos navegantes, que du-
rante os me/es de |ulho o agosto do corrento an-
no estar apagado nesta provincia para se
BBB
9 0 brigue-cscuna Deliberacfo chegado
pouco do Aracay, propoe-so a carga para
Lisboa por ter a maior parle do sou carrega-
mento prompto : quem no niesmo quizer car-
rogar ou ir do passagem entenda-sc con o
snr. Manoel Joaquim Barnos c Silva ou na
lua da ra da Cndeia do B.eeie rs. \
Frela-so para qualquor porto do Medeter-
raneo 0 multo superior eveleiro brigue sardo
Colombo Capitao Vicente Qombardo de lolo
de 140 toneladas, os pretendentes dfrijao-se
a Mendes # Oliveira, ra do Vigario n. 21.
= Para o Bio-de-Janeiro sai imprcterivcl-
mente o patacho Minerva no dia 5 de marco,
recebe passageiros e escravos: trata-sc com Ma-
noel Joaquim Pedro da Costa na ra da Cruz
n. 51.
- Para o Cear pretende sahir at 15 do cor
rente o patacho S. Jos vencedor ; quem no
mesmo quizer carregarou ir de passagem di-
rija-so ao Forte do Mallos a fallar com Manoel
de Sousa Couto ou com o mestre do mesmo.
= Para c Bio-dc-janeiro subir com a maior
brevidade possivel o patacho Launntina-bra-
sileira capitao Antonio Germano das Neves :
ainda recebe alguma carga escravos a Ireto ,
e passageiros : tra'.a-se com Nascimento Scha-
eller&C., ou com Joaquim Jos de Amorim
na ra da Cruz n. 45.
Para qualquor porto tern de sahir da Eu-
ropa o superior brigue inglez Medum de 1.*
classe, forrado, e encavilhado de cobre; os pre-
bndenles dirijao-se aos consignatarios Jones
Paln & Companhia.
de Janeiro os seus escravos Benedicto, Br-
gida, e Thereza.
= D-sea quantia de 700,> res a uros de 2
por ", ao mez, sobre alguma rasa terrea livre no
bairro de S. Antonio ; quem os pertendor, di-
rjanse a Bua-direita n. 3, que la se dir quem
os da.
= Contnao-se tirar folhas corridas e
passaportes para dentro e fra do imperio ,
com umita brevidade e preco commodo na
ra do Rangel n 34.
= l-in moco Brasileiro, lido as scioncias pre-
paratorias do que mostra documentos, se
propdo a ensinar em casas particulares prime-
ras lettras os elementos preliminar da lin-
gua nacional, aaritlimetca com muita assi-
duidade c eslorcos para adiantamenlo do seus
alumnos ; quem de seus prestimos qui/er uti-
lisar-so annuncie ou dirija se a Praca-da-in-
dependencia n. 27 que se dir quem en-
tina.
Na ra das Trincbeiras n. 40 segundo
andar precisa-se de urna ama pira todo o sor -
vico de urna casa de pouca familia, sendo de
boa conducta e costumes.
Arrenda-se um glande sitio com casa e
arvoredos e com bastante pasto para urna
duzia de vaccas de leile ; na Kua-bclla so-
brado novo prximo a mar ou nos Remedios
a fallar com Joao Anastacio.
Aluga-se um armazem com 4 portas na
frente na ra de Apollo confronte ao Ihealri-
nho ; a tralar na ra da Madre de Dos con-
fronte a greja segundo andar, das 7 as 8
horas da rnanbaa e das 3 as 5 da tarde.
Da-se dinheiro a premio com penhores de
ouro mesmo em pequeas porcoos : na Ba
nova n 55
= Jos Francisco de Azcvedo Lisboa vai ao
Bio-de-janeirb.
Desapareceo ou fnrtro do porlo da ser-
rara da Bua-da-Praia-de-Santa Rila. n. 25
um pranchao de amarello com 3 ou 4 taboas
com a marca VAN ; quem delles tiver noticia
queira participar na dita serrara quesera re-
compensado : assim como previne que nin-
guem o compre para se nao por no risco de
perder.
Precisa-so de um men ino chegado prxi-
mamente do Pf-rlo quo seiba Icr, escrever.e
contar de 12 a 14 annos pouco mais on me-
os; quem estiver nestas circunstancias, diri-
ja-so a Bua-direita n. 2.
= Da-so 900,000 ou um 1:000 000 rs. a
juros com firmal queagradom ou hyputlieca
om casas : na ra do Costa n. Mi
A lavadeira quo quer saber aondo lia de
procurar a roupa para lavar plc dirig/se
a ruado Livramento defronte da igrej, venda
n. 1.
Quem annunciou querer comprar o com-
pendio de historia sagrada dirija-se a Praca
da-independencia loja n. 3 : na mesma e
vende Titlio Licio o outros mais livros.
Para una pequea lamilia cstrangoira de-
seja-se alugar urna preta escrava que saiba
cu.nhar lavar e comprar ; inubem pre-
cisa-so alugar urna pardinha lorra de 10 12
annos para cuidar de um menino : na ra da
Cruz n. 7 primeiro andar.
noticia, lomal-o e leval-o a Bua-direita n.
00, quesera pago o seu Irabalho.
= OlTerccc se um rapaz Portugue/. de 10
annos, para caixeiro dequalquer arrumacao ,
ou de ra ou para caixeiro de algum enge-
nlio dando fiadora sua conducta; quem do
seu presiono se quizer otilisar, annuncie.
O agrimensor, abaixo assignado, oflercce
os seus serviros as pessoas que tiverom proprie-
dades i demarcar e alianca a mais escrupulo-
sa eiactidao e o maior zelo no desempenho da
sua arto ; devendo todos os que do seu presti-
mo se qui/i rem iitilisar,dirigirem-se (portarla)
ao mesmo abaixo assignado na Bua-direita ,
sobrado n t^f.
Joaquim da FotUtca Soares de Figuei'edo.
') abaixo assignado taz sciente ao Snr.
Joao de Duelas da Silva lloris que baja de ir
tirar os penhores que nao ignora, no praso do
tres dJas, contados da data deste ; do con-
trario ser vendido para pagamento do capi-
tal e juros, e a falta que houver, fiear o mes-
mo Sur. sujeilo ; e para nao se chamara igno-
rancia se laz o presente.
.Manoel Jos de ManalhUes.
No dia 21 do crrente desappareceo do
porto, alraz do theatro velho una canoa de
carreira meia aborta com ossignaes seguin-
tes : tem um rombo no enculamento bem no
meta, tem a bacarda da proa emendada tem
falta de urna aduas taboas nopaneiro, tem
banco de vella d'amarcllo e tem um pedaco
do torrente na poupa ; da-se urna generoza
gra ti (cacao quem a descobrir: na ra do
Bo/ario larga padaria n. 18.
= Antonio do Amaral Botelho retira-se para
fra da provincia.
Precisa-so de um bom amassador para
trabalbar em masseira ; na Solidade n. 22.
=3 O abaixo assignado faz publico pelo
presente, que, tendo constituido por seu bas-
tante procurador nesta cidade para tratar as
suas pendenciasjudiciarias ; e qualqucr, quo
por sua ordetn ouver de fazer-se ao snr. Bodol-
pho Joao Barata de Almeida oque leve lu-
gar no dia 15 de julbo de 1843 tem por tal
motivo tornado de nenhum effoilo, e como que
nunca existisse qualqucr nrocuraco que an-
teriormente u osla dala havia consluido qual-
quer outro procurador, em virtude do quo
previne particularmente aos snrs. escrivaes dos
auditorios civel crime, fazenda e orphos ,
quo so o dito Karata lem poderes para assig-
nar quaesquer papis, termos, o. )o~
mingos Antonio Gomes (iuimarfes.
A pessoa que annunciou querer com-
prar urna casa em Olinda dirija-se a ra do
Caldeireiro n. 80 que se oflercce urna gran-
de casa com bastantes commodos ; assim como
na mesma casa engomma-se com todo aceio e
perfeicao cose-sc costuras de alfaiale tanto do
seda corno de hia por proco commodo.
- Troca-so um relogio patente inglez ,
muito bom regulador o que se aflianca, com
o mostrador o mais rico, que se tem visto, sen-
do as lettras de ouro o qual proprie para
qualquer embarcadico ; por um sabonete de
prata dando-se a voita que for de diroito ;
na Ba direita n. 10.
=. Precisa se de urna ama de leite ; na ra
atrazda Matriz da Boa-vista n. 28.
Avisos diversos.
= Precisa-so fallar o snr. Joaquim Bodri
gues pai do snr. Antonio Caldas e Nlva ,
morador nesta provincia, c com engenho na
Serra-nova ; annuncie na ausencia do mesmo
fazerem as obras necessarias, o pbarol edifica- snr. seu procurador.
triarca S. Jos de Biba-mar, convida a lodos
os irmaos para no domingo 3 do corrento as 10
horas da manbaa se acharem no consistorio da
irmandade a fin de so proceder eleico da
nova meza.
O escrivao da irmandade do glorio/o pa- Precisa-sede urna ama que tenha bom
leile o quo soja forra quer seja parda ou
preta; na ra da Cadeia do Recite n. 14, ou
no sitio de Jos Pereira da Cunha na Passa-
gem -da-Magdalena.
Aluga-se um sotao a pessoa eapaz com
Precisa-sedo um bom cozinheiro ; quem ; pouca familia ou homem soltciro ; na ra
estiver nesta circumstancia dirija-so a ra da eslreita do Rozario botica de Joao Pereira da
Cadeia-velha n. 52.
Offerece-se urna parda para ama de casa
de pouca familia, sabe co indar, cozer c en-
Silveira
Precisa-se de um pequeo, que tenha
pratica de fazen las para andar vendendo as
gorninar: quem a pretender, procure na Ba- rnesmas pelas ras com laholeiro ; as Cinco-
direita n. 34. ponas n. 08.
Da-so com mil rs. apremio, com lir-j Aluga-se um sitio no lugar de Bebiribe,
m
mas, ou penhores: tratar na ra do No com casa equarto, trra sullicicnte bai
guoira n. 27. para capim e arvoredos de fruto; dirija -se
= (uem tiver o Peregrino da America ,' Ru a-velba o. 113.
xa


COLLEGIO SAXCTA-CBZ.
Materias d'ensino e nomei dos actuaes pro-
fusores deste eollegio.
I. CLASSE.
Preliminares.
/Rudimentos da lingua materna.
jCalligraphia, o eonta.
ildeias gcracs degeographia.de chro-
nolugia, e do historia.
Elementos dorcligiao, de moral ,
e de civilidad"*.
II. CLASSE.
Linguas.
Grammatica, o lingua porlugueza
SeccSo 1.
Seccao 2.
Seccao 3.
Seccao 4.
Seccao 5.
Sercao 6.
Seccao 7.
Seccao 8.
franccza.
inglcza.
<( a italiana.
'< latina.
grega.
III. CLASSE.
Sciencias.
Seccao 9. Matbemalliica puras.
Seccao 10. Geographia e chronologia.
Seccao 11. Historia sagrada e profana.
Seccao 12. Philosophia racional e moral.
Seccao 13. Rhetorica potica, e litteratura
classica.
Commercio.
i Indroduccao historia, e geogra-
phia commcrcial.
Sccgo 14. (Arbitrios de cambio. Analyse dos
dillerentes ramos de commercio.
Eseripturaeiio commercial.
IV. CLASSE.
Helias artes.
Seccao 15 Msica vocal.
Seccao 16Violino, violeto e violonccllo.
Secco 18 Flauta, clurinta e violao.
Sec?ao 19Dansa.
PROFESSORES.
Os Senhores:
Secco 1. o 3.
liellarmino de Arruda Cmara.
eccaol., 6 8., e 13.
D. Francisco do Corayo de Mara Cardoso t
Castro.
Secco \., 5., e 14.
Jos da Maya.
Seccao 7.
Manoel Francisco Coelho.
Seccao 9.
Felippe N'eii Collaco.
Secco 10. e 11.
Bacharel Manoel Fcrreira da Silva.
Secco 14.
Doutor Antonio V cont do Nascimento Feitoza
Sicco 15 o 16
Padre Primo Feliciano Tavares.
Secco 18.
Candido da Silva Lisboa.
Secco 19.
O director
Antonio Maria Chatis e Mello
Segunda feira ao meio dia fugio urna ca-
bra ( bicho ) preta com malhas brancas c
um cabrito filho da mesma cabra, que ia com
urna corda amarrada ao pesclo c tambem o
cabrito; quem a tiver adiado, dirija-se as
Cinco-pontas casan. 76, que so dar o seu
ochado.
= Fernando de Lucca na ra da Cadeia
n. 16, avisa nos-seus freguczes e ao publico
pm geral. nup tem um sortirnento completo Jo
todas as qualidades de vinho nssim como ex-
cedente vinho do Madeira-secca Chery, Por-
to &c., vinho de Bordeauxem quartolas por
55.000 at 75.000 rs. S. Julun S. Eslephe
Medoc ern caixas de urna duzia do 4000 at
12,000 rs. ; tambem se vendo vinho engarra-
fado cerveja superior, cognac, coutros nim-
ios gneros por preco muito commodo.
= Bernardo Fernandes \ ianna embarca pa-
ra fura da provincia a sua cscrava crioula de
nome Rila.
Terca feira, 5 do corrente pelos 4 horas da
tardo, na porta do doutor juiz do civel Jos
Nicolao Rigueira Costa no paieo do Hospital
do Paraso se ha de arrematar, de renda trie-
nal a casa de sobrado de 2 andares e solao ,
na ra estreita do Rozario n. 24.
= Alugo-se as lojas do sobrado n. 1 da es-
quina da ra dos Quatro-cantos na cidnde do
< Huida ptimas para venda ou outr.i qual-
quer estabelecimento ; quem a pretender d-
ririja-se a ra da Cadeia loja de Jos Gomes
Leal.
Urna pessoa, a pouco chegada nesta cilia-
do
familia o bornes: scltciro ; quem a preten-
der drija-sc ao beco confronte ao do Carce-
rciro n. 3.
MUSEU PITTORESCO.
O melhor dos jornaes que at o presente
teem sahido a luz certamente o Museu l'itto-
resco publicado em Lisboa por urna sociedade
de Iliteratos portugueze,
As materias de que o Musiu se oceupa s5o:
rcligio historia antiga c moderna, philo-
sophia geographia, viagens, sciencias, e bel-
las artes, agricultura novellas cscolhidas, cs-
tudos moraes e biogralicos ( oFTorecendo nes-
ta elasse a descripcao da vida e accoei de to-
dos os res de Portugal, o dos hroes, que mais
florocerao em cada um dos reinados dando-se
os seus respectivos retratos) pensamentos ane
doctas, mximas moraes, e missellanca. To-
dos estes objeclos tratados com o esmero de
que saocredores, formSo urna bliblioteca va-
riada e instructiva um alimento para a re
flcxao um recreio depois dos trabalhos do dia.
O volume consta de 16 cadernos, ou nume
ros, cm cada um dos quaes ha duas fulhas de
impressao do 17 pollegodas de compriJo e 11
de largo ; duas magnificas estampas ( de fr-
malo igual ao da impressao para a final se en-
cadernar o volume ) lythografadas cm papel ve-
lim ( de 40,000 rs. fortes cada resma ) com
tal perfoicao, que, meltidas em quadros, pdem
servir para ornamento das melhores salas e
finalmente em cada numero impar se ve" urna
exacta descripcio das modas sendo esta acompa-
nhada do figurinos, e collcccocs de lindissimos
dobuxos para bordar de branco e de matiz ,
o que scivira de muita uti'idade para as sende-
ras do bom lom.
As pessoas, que pretenderem subscrever para
esta excedente obra pdem dirigir-so aJoaquim
Baptista Morcira agento da sociedade nesta pro-
vincia em casa de quem se achfio patentes
colleccSea do primeiro volumo 1 at 16 e
da primoira serie do segundo volume.
Constando que nesta provincia teem j op-
parecido venda collecces do Museu incul-
cando-se s agentes da sociedade = para ere-
dito da impresa o do sou agente so previne ao
publico quelalso tudo quanto se disser a
siinilbante respeito A direccao da soci'da-
de declara ao publico que s reconhece vali-
das as assignaturas sendo os recibos do primei-
ro volumo = 1 at 16 inclusive impressos
em tinta verde c os da primeira serie do se-
gundo volumo impressos em tinta encarnada,
devendo ser assignados pelo agento supra de-
clarado o qual garanto a subscripcao sendo
feita e paga em sua casa
Primeiro volume do Museu.
Consta do 16 nmeros 1 at 16 com
32 estampas, frontispicio e indico &c. por
12,960 rs. (muedafraca. )
Segundo volume do Museu.
A direccao dividi este segundo volume em
duas series, a fim de facilitar mais a exlracco ,
estas sen'jserao de 9 nmeros, porm a cm-
preza resolveo alterar esta ordem estabelecendo
agora oseguinte :
A primeira serie ser de 8 nmeros prin-
cipiando em numero 17 e finalisando em nu-
mero 24 inclusive 6720 rs. [moeda fraca)
A segunda serie lera outros 8 nmeros, co-
mecando em numero 25, e terminando em nu-
mero 32 inclusive, o mesmo, porm s se paga-
r em 1844.
N. Ii. Dar-so ha com on. 32 um novo fron
tispicio e o ndice geral das materias tratadas
em os 16 nmeros das duas series = 17 at 25
inclusive deque reunidos formar o segundo vo
Iuini' do Museu.
Quem tiver urna commoda de modelo bas-
tante antigo embora liie falte algurna peca e
queira vender fallo com Thomaz marcinei-
__Vendem-se 3 casas terreas em Olinda, duas gomma o lava bom do varrella moca, o sem
em S.Jos, euma na ladeira do Varadouro ; defeito ; um proto de boa figura proprio pa-
nesta Typographiaju dir. armazem ou prenca do algodo, bem moco,
= Vende-se um excedente carrinlio chama- e sem achaques; na ruado Vigario n 8, se-
do Phaetnn ,'ein muito bom estado, com os gundo andar ou na venda do Pontos na mes-
ma ra dir a quem portence.
= Vendem-se 3 escravos de nacao sendo
um moleque com bastante pratica do tratar de
cavado ; 3 cscravas mocas, com bonitas figu-
ras todos da Costa-de-Mina com varias ha-
bilidades sem achaques ncm vicios ; na Itua-
arreios o dous cavados broncos, oa sem el-
los ; no Hospicio tereciro sobrado passando o
quartel, n. 6.
= Vende-se um molequo do 15 annos, de
bonita figura ; e duas negras de 26 annos; na
ra da Cruz n. 51.
Vende-se milbo em saccas de 3 quartas e direita n. 3, primeiro andar.
2000 rs. : no armazem quo foi do = Vende-so taimado de costado
incias a
de vinba-
Joaquim Goncalvcs Vieira Guimaraes, defron- tico superior e 20 pipas de agu'ardente de 22
te do caes da alfandega. ?05 promptas paro embarque ; na ra do
- Vende-se urna vacca prxima a parir ; Apollo armazem de assucir n. 20.
na ra do Rozario da Boa visth n. 2. Vende-se assucar ie6'nado de outras
Vende-so urna escrava crioula de 13 an- qualidas, caf, e sevada moida por com-
nos, sem vicios ncm achaques, propria para modo preco ; na refinacao da ra da Senzalla-
se educar, ou troca-se por urna preta quitan- nova n 4 o nos depsitos da ra larga do
reir; na ra atrar da matriz da Boa-vista n. 19 Rozario n. 38 e Praca-da-Boa vista n. 7.
VenJe-se urna bosta alasaa de muito = Vende-se urna parda de bonita figura ,
sem vicios nem achaques que ter 20 an-
ro na ra da Cadeia n. 21 ou annuncie.
Compras
= Compra-se efectivamente nesta Typogra-
phia toda a qualidade do pannos cortados ou
velhos de linlio e algodo toda a especie
de libra linuezo algodo, de refugo am ra-
ma papel e papelao velho.
Comprao-se ellcclivamente para fra da
provincia escravos de ambos os sexos do 12 a
20 annos, sendo do bonitas figuras pago se
bem; na ra da Cadeia de S. Antonio, so-
brado do um andar de varando de pao n. 20.
- Lompra-seal^unio porcaodcciibrepara troco
a 6 por cento; atraz do theatro, armasen! de ta-
boado de pinho.
Comprase urna par de mangas de vidro ,
e ouiro de lanternus ; na Rua-nova armazem
n. 67.
Comprio-sc effeclivamento para fra da
provincia, mulattn'uas crioulinbas, moleques
e mais escravos de 13 a 20 annos, pagao-se
bem sendo bonitos, eagradando; na ra
larga do Rozario venda n 30.
so olerece a ser ama de qunlqucr casa deL = Compra-so um pao para tipoia mesmo
com armacao ; quam tiver annuncie.
Vendas
Vende-se excedente papel pautado para
msica por proco commodo : na Praca da
independencia liVraria ns, 6 e 8.
urna nesta alasaa
boa racas, e muito boa cargueira por preco
commodo ; na ra do Hospicio n. 36.
= Vende-se urna casa terrea na ra da Ca-
sa-forte com quintal, cacimba, bastantes ar-
voredos de fruto com a frente para o sul, e
o fundo para o norte a qual foi do fallecido
JosFraneisco, por preco commodo; em Olin-
da ra do Rom-fim n. 22.
= Vende-se oleo do amendoa doce ; no
escriptorio de L G. Ferreira & Companhia.
= Vendem-se meias de seda para homom o
1000 rs. o par, lencos de seda superior a 800
rs. ditos de la para senhura a ti 40 rs. bi-
cos prctos a 180 e 240 rs. cortes de chita de
13 covados a 3000 rs. chitas francezas finas
a 200 rs o covado ditas escuras a 180 rs. ,
ditas encarnadas a 180 r. cassas do listras, e
quadros a 200 rs. o covado cambraias de bel-
lsimos padrfies a 4000 rs. a peca com 8 varas
e meias e a vara a 560 rs. mursolina a 720
rs. o outras fazendas por por preco commodo;
na ra do Cabug loja de Antonio Rodrigues
da Cruz.
- Vende-se urna casa de taipa em Bebiri-
be-de-baixo no lugar do Cajueiro junto
a beira do rio; na ra da Praia atraz da ri-
beira ns. 9. e 11.
= Vendem-se velas do espormaecte cm cai-
xas de 25 libras; lonas da Russia primeira
sorte ; e farello novo em saccas de 3 arrobas;
pm casa do H. Mebrtens, na ra da Cruz n. 46.
=: Vende-se urna canda nova para abrir :
na ra da Praia do Fagundes serrara n. 23.
Continua-se a vender caf moido a 200
rs. dito em grao a 130 r. sevada a 80 rs.,
pacas a 200 rs. bolaxinha ingleza a 240 rs. ,
dita meuda o 320 toucinho dr Santos a 200
rs. cliibcolatc a 320 rs. velas de earnaba de
7 em libra a 400 rs. cha hisson a 2400 rs. ,
nozes, c avelaes a 120 rs., queijos novos a l.iOO
rs. arroz com casca a 4000 rs. pela medida
volba ; no pateo do Carmo esquina da ra
de Hortas n. 2.
Vendem-se dos escravas de naciio An-
gola de bonitos figuras, cozinho c lovSo
bem de salmo e varrella e ptimos quitan-
deiras ; urna crioula do 15 annos, cozinha, e
lava; na ra das Cruzes n 41, segundo andar.
= Vende-se urna ptima escrava de nacao ,
de bonita figura com aigumas habilidades e
muito propria para o servico decampo; na ra
estreita do Rozario n. 3i, primeiro andar.
Vondem-se cortes de lanzinhas nr ves-
tidos de senbora de bom gosto e pelo bara-
to preco de 2800 rs. cada corte nssim como
cortes da dita superior para meninas, pelo ba-
rato preco de 1000 1200 e 1600 rs, ; na ra
do Crespo loja n. 12, do Jos Joaquim da
Silva Vaia.
Na loja de cera aborta ltimamente na
ra larga do Rozario n. 32 ha para vender
bichas hamburguezas e de Lisboa ; tambem
se olugno muito ligeiras no seu pegar a 320
e 480 rs.
= Vende-se um molequede naci Cabun-
da do 14 annos pouco mais, ou menos; as
Cinco-pontas n. 71.
Vendo-so um molequede naci de 16
annos ; as Cinco-pontas n. 71.
Vondo-se urna batanea grande com po-
sos de 4 arrobas, urna dita de balcio com
pesos do 8 libras at meia quarta 4 temos de
medidas do foha o um dito de pao, tudo
cm muito bom uso e um caixio com vidraca
para venda ; na ra do Carnario n. 7.
Vendem-sc casacas do panno fino a 28ji
rs. calcas de dito a 12,000 rs. ditas do ca-
simiro de cores o 11,000 rs. collele* do setim
preto superior a 7000 rs : no Allcrro-da-lioa
vista loja de slfaiate na esquina do beco.
= Vendem-se pecas de ganga azul com 13
covados a 720 rs. a peca, meias do linho a
3200 rs. a du/ia fustoes aculchuados a 480
rs. o covado chapeos de massa a 2000 e 2600
rs. e outras umitas fazendas por preco com-
modo ; na ra daCadoia-velho n. 27.
se Vende-se urna preta que cozinha, en-
nos ; em casa de Antonio da Silva Gusmao ,
na ra do Queimado.
= Vende-se superior salcn-parrilha por
preco commodo; na raa da Cadeia-velha n. 35.
s= Vende-fe cera de carnauba por preco
commodo ; na ra da Cruz armazem n. 33.
=3 Francisco do Freitas Gamboa vendo a
dinheiro ou a troco do lijlo, postona cam-
boa da Capunga os seguintes objeclos : um
sellim em meio uso estribos de lato brida,
e coldres do couro de 'istrooporelhodos do cas-
quinha por 8000 rs. dous abedarios do
cobre do preco de 600vr> rs- proprios para
pintor, ou armazem de as.-ucar, por 1:2000
rs. oquesepJe ver e ajusL'r na ra do M-
gario armazem do snr. Antonia Jos de Oli-
veira Braga ; um armario que servio do ar-
chivar os dramas do theatro o quo pode con-
ter para mais de de/, mil pecas dramticas em
divises alphabeticas de augmentar, o" di-
minuiros vaos conforme a grandeza dos vo-
luntes ; muito bem construido de madeira C
amarcllo almofadado moderno como os
i (.'partimentos sao portateis, pode servir para
archivo de qualquer tribunal, carterio, escrip-
torio de casa do commercio e mesmo para
guarda-roupa por to.- 9 palmos do largo, 12
ditos de alto, e dous e meio de fundo, 4 portas,
o chaves seu preco 50,000 rs. pode se ver
na escoda junto^, da guarda da cadeia e
tratar com Jos Fernandes Carlos, com loja
decalcado junto a mesma ; um bomba de pa-
tente con 33 ps de comprimento, saca-nabos
do bronze, e que repucha agua em grande
abundancia seu preco 120,000 rs. podse
ver e ajustar em casa do snr. Silvestre no At-
ierro dos-A (logados.
Vende-se urna casa terrea em chaos pro-
prios e quintal murado na ra de S. Ment
em Olinda ; n ra larga do Rozario loja de
meudezas n. 20.
= Vende-se um terreno na ra do Sebo ,
com 62 palmos de frente e 150 de fundo; e 1
sitio na estrada do Arraial com casa de taipa,
o bastantes ps do arvorodos; a tratar com Jos
Antonio Basto na ra da Cadeia do Recife.
Vende-se urna preto crioula do 16 an-
nos ongomma coso faz renda cozinha ,
ensab.ta nao de ra por nao estar acostuma-
da a isto e sim a todo o servico de casa ; na
Rua-nova loja n. 58 e d-se por 500.000
reis.
Escravos fgidos
= No dia 24 de fevereiro fugio um mole-
quo de nacao Angola ofliciul do pedreiro de
18 annos, cor fula e feio do rosto, por ter
as maraes do mesmo fra do natural tendo os
queixadas largas, ea pona do queixo fina,
de nome Joao ; quemo pegar, levo ao abai-
xo assignado que o sou legitimo snr. na
ra do Queimado que ser pago de seu tra-
badlo. Antonio da Silva Gusmo.
= Fugio no dia 28 de fevereiro, as 8 para as
9 horas da nouto, um cravo crioulo de nome
Luiz ,
praca
o qual tinha vindo do Aracaly para esta
remollido a Jos Antonio Basto le--
vou camisa o coicas de algodo secco do
corpo o barbado ; quem o pegar, leve a ra
da Cadeia que ser recompensado.
Fugio no dia 10 de setembro do anno p.
p. o pardo Manoel, de 40 annos official de
alfaiate, este pardo foi escravo do fallecido An-
tonio Mochado Dias morador que loi no ser-
la de Garanhuns e deps de Antonio Jos
da Costo snr. doengenho i>. Andr o des-
confa so que elle estejo para o mallo ; quem
o pegar levo no Atterro-da-Boa-vist a en-
tregar ao seu snr Manuel Joaquim Venancio
de Souza que gratificar com 50,000 rs.
.)
Rbcife n\ Ttp. no M. F db Fama. 184*.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQN82QL0O_BSZVYZ INGEST_TIME 2013-04-12T22:30:55Z PACKAGE AA00011611_05065
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES