Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05061


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1843.
Qnarta Feira 27
l'udo agora depende de nos mesmos; da nos prudencie, moderag m, e energa: con-
tinuemos jcomo principiamos, e seremos spontsdos com admirsgilo entre ai Naques miii
eul'.ai, ( l'iuclamaguo da Aisembleia (ieral do Brasil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES,
tioianna, a Parahyba, segundas e sexlaa feiral. Rio Grande do Norie, quintas feirai
Jionilo e Garanhuus, a li< o 24.
Calu, jermh.iem, Rio Farinoso, Porto Calvo, MaeeiA, o Ala-oas no 1 H e JJ
lloa-cisiae Florea i3 21. Santo A-nlio quintas feirae, Olinda todos os diai.
DAS DA SEMANA.
35 &;. s. Firmino B. Aud. do 3. de D. da 2. ?.
2G Terg. s. Caliatrato M Re. Aud. do J. de D. da 3. t.
37 Vuart. s. Eleiiario F Aud do J. de D. da 4 v.
J8 Ojio!. i, Venceslao uque M. Aud. do J. de D. da 2. t.
Jl) Si. 4 a. Miguel Archanjo
30 oab. a. Jernimo B. Re. And. do J. de D. da t.
i Dnsa. O SS. Rutario de Noisa Senhora,
Cr-, I I I I -
de Setembr
Anno XX. N. 208.'
O Dirio publicase todo os dias que nao forem Santificado: o preoo da aaaigastnra be>
de trea mil res por quartel pagos adiantados. O annoncios do issigntote silo iasenJoa
gratis eos dos qne n.i forera rasao de hO'rei porlinh. As reclsmagdes deven "^1""
gidas estaTip., ruadas Cruies N. 34, ou apraca da Independencia loja de lino Pl. OeB,
renda,
7.O
6.80Q
9,4Mi
i,'J40
I.9W
1,940
cansoNo da 2 de Setembr.
oonprs
Casabio sobre Londres 25.
Paria 3 5 seis por fruteo,
Lisboa 110 por 100 de prsalo.
OoKo-Moed.d* 6,400 V. 6.800
N. 16,600
. i de 4,000 9,200
1'nlA-Patac.s *.9:0
Pesos Colussnarss 1,910
ditos Mexicanos 1,920
Moeda de cobre 2 por cento.
Idesa deletreede boa, firmas 11 a |.
PHASES DA LANO MEZ DE SEPTEUBRO.
La Cbeia 4 8, s 4 horase -7. da tarde I La nova 23, as 2 lloras e 50 a. datar,
Quart. atias;. 416, s 8 ooress 53 as. da t. | 'mn. erero. i 30, s 11 horas e til ss. da a;
Preamar de hoje.
1. a 7 horas e 42 ss. da sssnh ia. | Z, a o harte e 6 a. da tarde;
PARTE OFFiCIAL.
MINISTERIO DO IMPERIO.
Illm. e Exm. Sr. Sua Viagestade o Im-
perador Manda remetter V. Ex. para seo co-
nbeciinento e aim de Ihe dar (oda a publici
dado a inclusa copia de decreto de 28 do cor-
rente pelo qual Houvc por bern prorogarat
o dia 20 do prximo me/ de Setembr a pre-
sente sesso da asscmbla geral legislativa. Dos
Guarde a V. Ex. Palacio do Rio de Janeiro
cm 31 de Agosto de 18V-3. = Jos Antonio da
Silva Maya. Sr. Presidente da provincia de
Pernambuco.
Hei por bem prorogarat o dia vinte do fu-
turo mea de Setembr a presente sesso da as-
sembla geral legislativo : Jos ntonio da Sil-
va Maya do Meu Conreino d'Estado vins-
tro e secretario d'otado dos negocios do Impe-
rio assim o ten ha entendendido e faca exe-
cutar com os despachos necessarios. Palacio
do Rio de Janeiro em vinte oito de Agosto de
mil oitocenlos quarenta e trez vigsimo se-
gundo da Independencia o do Imperio.Com
e rubrica d Sua Magestade o Imperador.
Jos Antonio da Silva Maya. Est con for-
me. ..4ntonio Jos de Paiva Quedes de An-
drade.
Illm. e Exm. 5r.~Tendo entrado felizmente
no porto desta rapital.no dia 3 docorrente tar-
de. S M. a lmpcratriz, acompanhada por S.
A. R. o Conde d'Aquila, Seu Augusto Irmo; e
liavendo S. M o Imperador com a mesma Au-
gusta Senhora recebido no dia seguinte, na Im-
perial Capella, com a pompa correspondente a
grandesa, esanctidade do acto, e com as maio-
res demonstraces de regosijo publico as hen-
eaos do seu matrimonio, que havia sido con-
tractado em Vicnna aos 20 de maio do anno pas-
sado, e celebrado em aples em 31 de maio
do corrente; assim o participo a V. Ex., para
que di'; publicidade em toda essa provincia a es-
ta fausta noticia, que ser sem duvida receida
com enlhusiasmo por todos os seus habitantes,
atientes os beneficios, que doste feliz consorcio
devem resultar ao Brasil. Dos guarde a V. Ex.
Palacio do Rio de Janeiro em 5 de setembr de
1843. Jos Antonio da Suva Maya.Sr. Ere-
sidenteda provincia de Pernambuco.________
EXTERIOR.
POR TV GAL.
LISBOA 3 DE AGOSTO.
Excessivos calores da ultima quadra de julho
de 1843.
A precedente quadra d'cste mez tinha dcor-
rido com temperatura fresca manlendo-se o
termmetro as madrugadas em 56 a 58. F.
e as horas meridianas em 74 soprando ven-
tos mui rijos do norte e noroeste ; porm no
domingo 23 passou o vento a leste e nordeste ,
seguindo-se immediatamente calores violentos ,
que atingiro 103. sombra no dia 26, em
que foi o maior. ^sle excessivo calor apenas
baixava a 84." durante as noites e mesmo as
madrugadas se conservava a 78.", acompanha-
dos de ventos mui quentcs dos mencionados ru-
mos os quaes constantemente desenvolvem os
excessos de calor ou Irio n'este paiz se-
gundo as cstacSes, em quesoprao.
Em julho de 1824 reinou outra quadra de
calores excessivos que durou 8 dias, atingin-
do a maior eievaco no dia 19 em que chegou
a 105." (33. R.} acompanhados do um vento
ardentedo nordeste, que queimou mu tas plan-
tas e arvores, perocendu alguns individuos ex-
postos a influencia do sol.
Os calores da presente quadra abrandarao no
1." do corrente mez de agosto, baixandba 84.
as horas calmosas observando-so nesta con-
juncturaa notavel diminuicao.quesoffren, e*le-
colores na serra de (mira MiiiM se fizerSn oh
servac-escorrej.pomtvntes desde 28 de lulho al.
ao l.9 do corrente mez nosiiio da Tnnda e
prximo de S. Pedro. A temperatura mdi
d'aquellos diW as horas calmosas, foi infe
r.or A de Lisboa 11. I''., 0 no diu 31 chegou
esta diflereoca at 17.'
Terminaremos esta noticia, mencionando al-
guns dos maiores calores, quc se tem observado
sombra em diversos pontos do globo.
Nos desertos da frica e nos seus Oasis ,
129.T. (43 R.) Em Basson, e na ilha de
Madagascas 114 (36) Em Lisboa e no Cairo
105 (32) Em Pariz 102 (31) Em Sto-
ckolm 94 (27 e meio.)
LISBOA 10 DE AGOSTO.
Hoje teve lugar com toda a pompa, na real
capella do palacio das.Ncccssidadcs, a ceremo-
nia do baptisado do S. A. R. a Infanta recem-
nascida.
Esta ceremonia foi feita por S. Ex. o Sr. car-
deal patriarca de Lisboa; e servio de padrinho
augusta Infanta, S. Ex. oSr. baraSde Mares-
chai embaixador d'AusIria, nesta corte, por
parte de S. M. o Imperador seu amo.
As janellas e prticos do palacio e capella ,
eslavao ricamente armados.
No largadas Necessidades achav5o-se todas
as msicas dos corposda guamicode Lisboa ,
que locaro constantemente bellas pecas de mu-
sica; eeslavo formados em linha o batalha
de cacadores n. 3, e o regiment de granadeiios
da Kainha.
As embaicacoes surtas no Tejo embandeira-
ra todas, e salvaran; assim como o castello e
fortalesas, no momento em que teve lugar a ce-
remonia. A nojte osauarteis militares, e mul-
tas casas da cidade se illuminaro.
HESPANHA.
Exm. Sr.Deossalvou o paiz e a Rainha.
As cinco da tarde o pendo de Castella tremula-
va junto do throno da augusta neta de S. Fer-
nando, rodeada de seus valentes e verdadeiros
defensores.
A entrada das tropas cactelhanas na capi-
tal da monarchia produsio tal enlhusiasmo na
immensa maioria da povoaco, que dillicil lo-
ra podel-o expressar. A ordem mais inalleravel
reinou no meio de tanto regosijo; e nem o me-
nor descosto ou insulto tem havido que lamen-
tar. O Exm. Sr. ministro da guerra D. Fran-
cisco Serraoo, entrou ao anoilecer, e tomou pos-
sedo ministerio. Apresso-me a participal-o a
V. Ex. para seuconhecimento e salisfacao dos
habitantes dessa provincia. Dos guarde etc.
Madrid 23 de julho.
Proclamago da municipalidade de Sevillia.
Se\ilhanos.Os dias 20, 21 e -J2 de julho
de 1843 sera para a posteridad.; o maior tim-
bre de vossas glorias. Na5 serao estas exclusi-
vamente de vossos filhos; vos principiaes desde
hojea gosardellas: toda a provincia as contem-
pla, Hespanha inteira as admira, e a Europa fi-
car atnita, quandosouber que se houve um
general que arrojasse quinhentas bombas e nu-
tras tantas balas sobre urna cidade aberta que
contcm em seu recinto sessenta mil mulheres c
cranlas, tambem houve um povo que, fasendo
baluartes dos peitos de seus filhos, e plvora do
enlhusiasmo que o alenta, vio com serenida-
de destruir seus edificios, alegrando-se de que
suas ruinas Ihe subministrassem projectis con-
tra o inimigo, caso que chegasse a penetrar em
suas ras.
O maior padecimento para um povo ta6
piedoso tem sido o ver na noite de 21 as virgens
do Scnhor vagar pelas ras, por estar ardendo
ao mesmo tempo tres de seus conventos. Porem
espectculo ta novo como dillicil de pintar ir-
ritou, indignou, e converteu em furor vosso ar-
dente enlhusiasmo e nobre patriotismo.
As desgrasadas freirs, victimas de tantos
sacrificios, ajudava a exaltar-vos maise mais,
repetindochorosas:Tudo Mupportaremos, com
tanto que nao enlre o inimigo !
receo dos negocios pblicos, no pode ver sem
assombro, que V. Ene., allucinando os poucos,
que anda nao poderio seguir o sentimento ge
rai dos Hespanbocs, contine obstinado cm pro-
longar urna luita to sacrilega, como intil. Pa-
recer incrivel posteridade,quc,redu/ido a tres
ou quatro povoaecs.e a poucos multares de bo-
mens engaados V. Exc. se deleite em repro-
duzir o negro quadro de Barcelona e Reus bom-
baideadas como se ascidades mais ricas c fa-
bris fossem o alvo dos que aconselho lao br-
baro meio de se oppor ao grito do paiz.
O governo da naco previno a V. Exc que
se depois da recepeo desta communicacao con-
tinuarcm as hostilidades contra a cidade de Se -
vilha ou outra povoacao da monarchia fica V.
Exc. eqoantos para isso enoperarem deca
rado traidor patria privado de todas as suas
honras c consideracoes c entregue execra-
. ao publica dos Hespanbocs, e de toda a hunia-
nidade. Dos guarde a V. Exc. muitos annos.
Madrid 27 de julho.de 1843. Francisco Ser-
rano. Exm. Sr. Duque da Victoria o de Mo-
reda ( igual communicacao se fez ao Conde de
Peracamps.)
Manifest do fuqi.e de Victoria naco
Hespanhola.
Acceitci o cargo de Regente do Reino para
consolidar a Constituicao e o Tbrono da Rai-
nha depois que a Providencia coroando os
nohres esforcos dos povos es bavia salvado do
despotismo. Como primeiro magistrado jurei a
lei fundamental : nunca a quebranlei, nem a-
in.la para salval-a : os seus nimigos devero o
triumpbo a este ceg respeito ; poTm eu nun-
ca fui perjuro. Feliz n'outras occasies vi res-
tabelecido o imperio das leis, e esperava que do
dia assignalado pela Constituicao entregara
Rainha urna Monarchia tranquilla no interior,
e respeitada no estrangero. A na. ao me dava
provas do apreco, que Ihe merecio os meus
desvelos, e urna ovaclo continuada at as
povoacoes, em que a nsurreicao erguera o eol-
io me fa/.ia conhecer a suavontade apesar
do estado de agitacao de algumas capitaes a
enjos muros se achava circunscripta a anar-
cha. Urna insurreieao militar que at carece
de pretexto concluio a obra que mui poucos
comecaro e abandonado pelos mesmos que
tantas vozes conduzi victoria, vejo-me na ne-
cessidade do me dirigir a trra estranba for-
mando os mais fervorosos votos pela felicidade
da minha querida patria.
sua justica recommendo os que como leaes
nao abandonaro a causa legitima nos mais cri-
tico* momentos ; o estado sempre ter nclles
decididos defensores. A bordo do vapor Bttis ,
em 30 de julho do 1843.
O Duque de Victoria.
Manifest do Governo a NagSo.
a O governo depois de ter adoptado as pri-
meiras e mais urgentes medidas que pudessem
assegrare consolidar a obra dos povos julga
ser chegado o momento de Ibes dirigir a sua
voz para justificar a sua origem definir a sua
verdadeira natureza e tracar a marcha que se
propoe seguir. Os grandes acontecimentos
devem ser bem explicados, para que a impostura
nunca aspire a desfigurar a sua ndole nema
malicia a Iludir suas consequencias.
Levantadas as provincias da monarchia em
sua maior parle contra o poder que existia as
Tuda a guarnicao, e em particular a guarda fintas de salvaco de Barcelona e Valencia cha-
nacional, como vosso ta5 bisarro como piedost-^arao direccao dos negocios do estado os in-
geneial a sua frente, jurou antes morrer do que, uividuos.que formaro o gabinete de 9 de Maio
ultimo, e as outras apressaro-se a ratificar es-
te aecrdo, logo que delle liverao noticia. Esta
annuencia geral o titulo mais decisivo que em
seu favor pode ter um governo; e pouco impor-
tara di/er hoje que o poder exercido pelo ac-
tual ministerio nao deriva da nomeacao do ex-
regente porque nao foi mais do que o resul-
tado da vontade geral, nrinrinal elemento, em
que nos paizes livres se firma todo o mando e
toda a obediencia. A posit,ao do governo actual
podei pois ser anmala, postoque nao tinba
.r prophanados os vossos sagrados muros; e
a junta que nmeastes para vossa defesa, pe-
recer impeiterita em seu posto antes que a
\ossos valentes falte cousa adunia do que pre-
iso para vencerem, ecingiiem a c< rOa mais
gloriosa que, jamis ornou a frente dos gueirei-
ros. Sevilha, 23 de julho de 1843.
Fi
Sr -O
\ iii.srri da guerra. =- bxm. 5r.
ovrrno da naciio que em nome de S. M. a
d.tinha D. Labelll, e pela quasi unnime
vontade das provincias, seeocarregou da di-
este carcter quando ficou vaga a regencia em
cujo caso a teria substituido provisoriamente
segundo a constituicao ; porm ello exerce urna
autoridade, de que os povos. o revesiiro e a
sua misso a mais elevada, porque os povos
sao a origem o fronte de toda a autoridade cons-
tituida. As provincias empenhadas n'umj luta
nobre qui/ero centralisar a accSo ; fallaro ,
e os individuos que forinao o gabinete obedece
rao e ninguem sem ser rebelde Ibes pode re-
sistir.
Esta verdade de facto que demonstra a
legitjmidade do governo que hoje rege os des-
tinos da naciio indica-lbe tambem nina nor-
ma de conducta, da qual nem a sua honra, nem
os seus principios Ihe permittem afastar-se,
Nascidoem momentos de agitacao ede perigo ,
chamado a arrostar a situacao, e a salval-a ,
salvar as instituicocs e o tbrono, o exclusivo
mandato que recebeu, e ao alcance deste im-
portante objecto se encaminharao todos os seus
passos.
Os principios polticos dos actuaos minis-
tros (Icario explcitamente consignados, quando
formavao o gabinete de 9 de Maio. Aaquclle
programma ser exactamente cumprido, conci-
liando-o,quanto foi possivel.com o instincto de
salvaco que deu impjlso ao levanlamento dos
povos. A justica o a concordia entre todos os
bons hespanhoes afliancaro a confianca e es-
treitaro o lago que felizmence nos une. Nao
haverao reaccoes de especie alguma ; o gover-
no orderar e com inflexivel energia con-
tando com a forca que Ihe d o voto nacional,
far com que as suas determinares sejao
promptamente executadas. Os seus membros
(carao satisfeitos na sua consciencia, se por oc-
casiao da reunio das cortes que se convoca-
rao sem demora e no mais curto prazo possi-
vel puderem dizer Ihes, apresentando os seus
actos : Recebemos encargo espinhoso; po-
rem estao vencidas todas as difficuldades: a
vontade nacional fica cumprida : a constitui-
cao e a rainha salvaro-se dos riscos que la-
mo temer por to caros objectos e a Hespa-
nha com to nobre conducta adquiriu novos t-
tulos consideradlo das nacoes cvilisadas.
Joaquim Mara Lpez, ministro de graca jus-
tica, presidente do conselhoJoaquim de Fr-
as ministro da marinha, e encarregado do
ministerio de estadoFrancisco Serrano, mi-
nistro da guerraMatheus Miguel Ayllgn, mi-
nistro da fazendal'ermin Caballero minis-
tro de la gobernacin,
Folhas at 5.Figueras, capita general do
Andaluzia, e quecommandou a defesa de Sevi-
lha, foi promovido a tenentc general, e inspec-
tor da milicia.Concha foi promovido a teen-
te general, e inspector de infantera.
Por um decreto sao poslos em liberdade os
que se achao presos, desterrados ou em proces-
so por crimes de imprensa, salvas asaccoes de
terceiro.
Collanles, ebefe poltico de Barcelona nomea-
do pela junta foi confirmado pelo governo
neste emprego.Muoz foi despachado chela
poltico do Alicante.
As juntas do Alicante e Castella Velha se dis -
solvern, entregando s autoridades a gerencia
dos negocios.A junta de Valencia tambem se
dissolveo espontneamente.A de Murcia pi
dispngicad do governo 300# reales.
Parece que a junta de Burgos ceder s ins-
tancias do governo, e val dar liberdade a Seo-
anne.
Segundo o Castelhanode 2, a duquesa de Vic-
toria ainda se achava em Madrid, e tinha sido
visitada por Narvaez, que Ihe prestou todas as
altencoes devidas a sua siluacad.
O mesmo peridico allirma que o governo
provisorio trete de restabelecer as relacoes com
a santa S.
l'allava-se que Olozaga, que tinha chegado a
Madrid, substituira Quintana no cargo de mos-
tr da Rainha e Infanta, e Cantero (icaria inten-
dente da casa real.
Corra qu averia cm Madrid urna parssia de
todas as tropas, a que assistiria a Rainha.
Concha visitou os generaos que se acha pri-
sioneiros e leridos em Porto Real, Alvares Oseet


e Sania Cruz, deixando-lh ;s seu facultativo e
providenciando para que nada faltasse.
A subscricaO aberta na redaecao do Ucralo e
Postdata a favor dos quo soffrora ein Rous e So-
vilhn suba no dia 5 a 32^ reales.
Achava5-se concertadas as ras de Madrid cm
que havia cortadoras, transitando j livremeoto
as carruagens.
Tinha chegado a Madrid a familia do general
O' Donnel.
Parece que ao chegar Concha a Cadix no dia
31, se Iho appresentarao alfjuns dos offlclaes ,
que UnhaS embarcado com Espartero.
)P. do Porto.)
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO.
Hontem (3 do corrcnle) nutos da tarde entrou nt'sle porto a fraguta Cons-
tituicdo a bordo da qual teio S M. a Impera-
trii. Logo depois entrar?o urna nao e tres Ira
gatas napolitanas, eao anoileccr a corveta Duus
de Julho. A corveta Euterpt tinha entrado as
3 horas da tarde.
Apenas a fragata Constituicochegou defron-
te da fortaleza de S. Joio, salvrao todas as lor-
tale/as do mar, sendo respondida esta salta por
todos os vasos da esquadra menos a fragata
que conduzio S. M. a lmpcralriz. Os navios de
guerra nacionaes e estrangeiros, surtos no porto,
salvrao todos, tendo a gente as vergas, quan-
doa fragata Consfiiuicau seapproximou a Vil-
Icgaignon.
S. M. o Imperador, apenas a fragata fun-
deou junto a Villegaignon ao escurecer, dirigi-
se a bordo, acompanhado dos ministros dees
tado. S M I (oi receido no mar com salvas
de todos os navios de guerra e das fortalezas ,
que fro repetidas, quando S. M. desembarcou
as 8 horas da imite
S. M. a lmpcralriz foi comprimentada antes
de enlrar no poito polo Sr. gentil-homen Sc-
quoira quo para esse fim fura mandado pele
Imperador ao encontr do S. M. no vapor de
guerra Thelti.
Hontem 4 docorrente ) verificrio-se com
todas as ceremonias marcadas no programma
respectivo o desembarque e acompanhamento
de S. M a mperatriz e a solcmnidade das sa-
gradas bencosdo imperial consorcio.
Apezar da chuva, que cahia de quando ein
quando,estavao as ras, por que tinha de passar
o prestito,apinhadas de povo que pro urava com
anciedade ter a fortuna de ver a mperatriz. S
Magestade respondia com summa benevolencia
e graca aos signaos do prazer e respeito que Ihe
testemunhava a populacao. No semblante da
Sr.a D. Januaria dessoanjo de hondade, que
acompanhava a mperatriz divisava-so a ex-
pressao Jo ruis intimo con tentamento. Sua Al-
teza Imperial parecia impaciente de tributar a
Sua Magestade a mperatriz todos esses doces
afagos de irmaa que oiilr'ora prodigalisava a
Sr.1 D.Francisca hoje princeza deJoinville.
Sua .Magostado o Imperador cm cu jo coche
a o irmo da mperatriz tinha um ar risonho
e digno que indicava o contentamenlo de que
eslava possuido eto mesmo tempo a gravida-
de da augusta ceremonia que ia celehrar-se.
lista concluido o casamento de S. M. o Impe-
rador Dos ahencoc a unio dos augustos con-
sortes Subao al o Omnipotente os sinceros e
ardentes votos dos fiis subditos de S<. MM. -
Viva o Imperador. Viva a mperatriz.
S. A. R. o principe Luiz, conde d'Aqui-
la, irmo de S. M. a mperatriz, que veio co-
mo Milicia! bordo de urna das fragatas napoli-
tanas, foi condecorado domingo noite por S.
M. o Imperador com n grao cruz do Cruzeiro.
Anle-hontctn c liontom cm consecuen-
cia do augusto consorcio de Sua Magrstede o
Imperador, a cidade tom sido brilhanlemente
illiiminada. Alem dos arcos da ra de S. Pedro
e Diieita, as illuminacoes que nos parecern
mais dignas de ier-te sao as da cmara muni-
cipal. traca do Commeieio, quartel des per-
manentes, largo do Moura, caes da mperatriz,
ele. As ilkiminacies tun de durar novedias.
tado. A sala destinada para esta solemnissima
ceremonia eslava dividida por urna fita encar-
nada enllocada no pavimento, representando os
dous territorios napolitano c brasileiro. Na por-
ta que dava entrada pelo lado de trra e&tava5
enllocadas as armas Napolitanas, e sobre a que
dava sabida para o mar as armas brazileiras.
As qualro horas e meia da tardo annunciou-
se a chegada de S. M. a mperatriz acompanha-
dada corte napolitana. Sua Magestade, sendo
recebida pelo principe de Scilla, tomou assento
do lado da sala que figurava o territorio napoli-
tano. Leu ento o secretario da embaixada bra-
sileira o aivar de procuraco dos plenos pode-
res que por S. M. o Imperador ferio concedi-
dos ao Sr. JoseAlexandrc Carneiro Leao. para
leceber a augusta pessoa de S. M. a mpera-
triz; o subsecretario de estado Napolitano leu
tambem o do rei das Duas Sicilias para a refe-
rida entrega.
Finda a leitura, o principe de Scilla dirigi
mperatriz urna dllococSo anloga a circunstan-
cia, e depois Sua Magestade fez as suas despe-
didas cOrte napolitana quetevea honra de
Ihe beijar a mao. O principo de Scilla condusio
ento a mperatriz para o meio da salla : Sua
Magestade collocou-sesobre a lita representan-
do territorio neutro, e o principe, dingindo-se
aoSr. J. A. Carneiro Leio, disse-lhe que, em
virtudede seus plenos poderes, Iho entregara a
mperatriz do Brasil. O embaixador brasileiro
leve a honra de ir buscar S. M., declarando que
o asia em virtudo dos seus planos poderes. S.
M. tomou entao assento no territorio brasileiro,
e dignou-seouvir o discurso que Ihe dirigi o
embaixador o Sr. Carneiro Leio.
Feitas as trocas dos plenos poderes, a corte
brasileira teve a honra de felicitar a S. M. bei-
jando-lheamao. Em seguida recbeos. M. as
felicitares do corpo diplomtico.
As seis horas e 1/4 embarcou S. M. com a sua
corle no caes contiguo ao palacio de Chiatamont,
onde a esperava um escaler brasileiro; e seguida
de outros escaleras, em que lo a offlcialidade
brasileira e napolitana, dirigio-separa bordo da
fragata Constituigo. Na sua passagem recebeo
dos navios brasileiros e napolitanos surtos no
porto as contenencias, salvas e vivas do estylo.
Depois do sol posto, S. M. o rei das Duas Si-
cilias acompanhado de toda a familia real, foi
a bordo da fragata faser a S. M. a mperatriz as
ultimas despedidas. As duas horas da manhaa
dn dia seginto, as divisos napolitana o brasi-
eira derao vela para esta corle, onde chega-
ra, depois de prospera viagem domingo de
tarde.
As pessoas que tiverao a honra de frequen-
tar a mperatriz naocessndc tecer os maiores
elogiosas eminentes qualidades deque dota-
da. AbondadedeS. M., a sua docura, a affa-
bilidade de suas maneiras penhor seguro de
felicidadepara o Imperador, ero hontem o t-
pico das conversacoes geraos e vierao redobrar
os sen timen tos de respeito e amor que Ihe con-
sagio os Brasileiros.
ft ____
LuizdaMotta, Joio Pereira Darrigue Faro,
M. Goldsmitb agente do governo em Lon-
dres; o teen te-coronel Luiz Alves de Moraes
Navarro, Francisco Antonio das Costa, da
provincia du Par; o capitao-mr Joaquim
Vieira de Moraes da provincia de S. Paulo ;
Angelo Custodio Correa da provincia do Para;
Anselmo Francisco Peretti, o coronel de le-
giao Antonio de Moraes Pessoa.
Ordem de Chritto.
Com mondado res.
O conselheiro Antonio Augusto da Silva ,
Emiliano Faustino de Lins, o conego arcipres-
te da S do Par Manoel Thcodoro Teixeira ,
o padre Antonio Sandras de Brito, da provin-
cia do Para ; o conselheiro Joio Capristrano
Rebollo Jaime David Bricio da provincia do
Para ; o teen te-coronel Anacleto Antonio do
Carmo da provincia de Minas ; o coronel de
logiao Alexandrn Jos daSilveira.monsenhor
Nepomuceno Marcos Antonio do Araujo Dr.
Francisco Xavier Pereira de Brito da provin-
cia de Pornambuco.
Ordem de Avix.
Grao-Cru/es.
O general Francisco Jos de Souza Soares de
Andrea e bario de Casias.
BELACA DOS DESPACHOS
publicados pela secretaria de estado dos nego-
cios da guerra no fauslissimo dia 11 de Se-
tembro de 1843 por occasiao do consorcio
de S. M. o Imperador.
Passou as duas canoras a resolucao que
autorisa o governo a nomear os presidentes das
relacos.
O resultado das eleicSes para um senador por
S. Paulo, sao :
Os Srs. Barreto Pedroso............. 603
Miranda Bibeiro............ 477
Presid." J. J. L. de Souza...... 366
No dia i.' de julho prximo passado teve lu-
gar na cidade de aplos no palacio Chiata-
moni, a entrega solemne da augusta pessoa de
S. M. a lmpcralriz do Brasil.
Ahicomparrcera a esperar S. M. a mpera-
triz, de urna parle os Srs. Jos Alcxandre Car-
neiro Lean, embaixador de S. M. o Imperador,
o secretario da embaixada o corle brasileira; e
da oulra o principe de Scilla, ministro e secre-
tario de estado dos negocies estrangeiros, na
qualidade de delegado do S. M. o Re das Duas
oiciuas, aconipamiauouo subsecretario de"es-
BELACO DOS DESPACHOS (*)
publicados na corte pela secretaria de estado dos
negocios do imperio, por occasiao do faus-
lissimo consorcio de S. M. o
Imperador.
CORTE.
Bario de Mont'Alegre visconde do mesmo ti-
tulo com grandeza.
Jos Alexandro Carneiro Leo visconde de S.
Salvador de Campos com grandeza.
Coronel Antonio da Rocha Pita Argolo ba-
rio de Pass.
Tliomaz Antonio Maciel Monteiro bario de
llama rac.
Joao da Silva Machado bario de An to-
nina.
Titulo do come Iho.
Odesembargador Manoel Ignacio Cavalcanti de
Lacerda.
Ordem Imperial do Cruzeiro.
Oflicioes
O brigadoiro Berilo Manoel Riheiro oca-
pitra de mar e guerra Pedro Ferreira de Oli-
veira o major Raymundo Joaquim Pan toja ,
da provincia do Pan.
Cavalleiros.
O major do imperial corpo de engenheiros
Joaquim Candido Guill bel o major Jos
Macario Velloso o major-graduado Antonio
Joaquim de Magalhaes Castro o capitio de
fragata Antonio Firmo Coelho o major Jos
Coelho de Miranda Leio da provincia do Pa-
ra ; o capitio Manoel Jos dos antos Falcio,
da dita ; Joaquim Pedro Goncalvus Campos ,
da dita.
Ordem da llosa.
Dignatario.
Theodoro de Beaurcpaire.
Cornmendadores.
Hilario Joaquim de Andrade, Ananias de
Oliv vira e Souza.
Officiacs.
O tcnenle-coronel Joaquim AmcricoGon-
calves da provincia de S. Paulo ; Fructuoso
Para brigadeiro graduado. O coronel de
estado maior de 2.a classe do exercito Joio
Eduardo Pereira Collaco Amado.
Imperial corpo de Engenheiros.
Para tenente coronel graduado.O major do
mesmo corpo Miguel de Frias Vasconcellos.
Para capilio graduado.O primeiro tenen-
te Jos Saturnino da Costa Pereira.
Para primeiros lenlos. Os primeiros te-
nentes graduados Jos Joaquim de Avilla ,
Antonio Pedro de Alencaslro, Innocencio Vel-
loso Pederneira Chrisliano Pereira de Azeve-
do Coutinho Ernesto Antonio Lacance Cu-
nha.
Para segundos tenontes Os aleres alum-
nos da escola militar Sebastio Jos Basilio Pyr-
rho Francisco Pereira da Silva Joio de
Souza Mello e Alvim e Antonio Dias da
Costa.
Estado maior de 1.a classe.
Para capitao graduado.O tenente do mes-
mo estado maior Jos Joaquim de Carvalho.
Para alferes.Os alferes alumnos da escola
militar Luiz Jos da Franca Augusto Carlos
Victoria e Isaltino Jos Mendonca de Car-
valho.
Estado maior da 2.a classe.
Para major graduado.O capilio do mesmo
estado maior Manoel Peixoto de Azevedo.
Para capitio graduado.O tenente do mes-
mo estado rnaior Antonio Leitio da Silva.
Para aleres com exercicio de ajudantc da
fortaleza da barra do Sul da provincia de Santa
Calharina.(_r primeiro sargento de primeira
linha Francisco Jos Lopes.
Para aleres cbm exercicio de ajudante da
fortaleza do registe de Santa Cruz da barra do
Norte da Provincia de Sania Calharina. O
sargento almoxarie da mesma fortaleza Joio
Pedro de Moraes.
2."batalhBo de artilharia a p.
Para segundo tenente secretario com direi-
to a acesso quando Ihe competir : O segundo
tenente secretarle Candido Leal Ferreira.
Para cirurgiao ajudante : O cirurgiao a-
judanle de commissio Sebastio Jos Gomes.
Para capitio da 5.a companhia : O major
graduado do estado maior do 2.a classe, Gustavo
Adolfo Fernandos Pinheiro da Cunha.
Para capitao da 6.a companhia : O major
graduado do extincto 5 o batalhio da mesma ar-
ma Caelano Manoel Faria de Albuquerque.
Para primeiro tenente : 0 2. tenente do
mesmo batalhio Jos Antonio Barbosa.
Para segundo tenente:O aleres alumno da
escola militar Joio Evangelista Neri da Fon-
seca.
PERNAMBUCO.
Tribunal da Kelacio.
SESSA5 DE 26 DE SETEUBBO DE 1843.
Na appellacao civel desta cidade appellante
Manoel Antunes Villaca e appellados Anna
Micaella dos Anjos e outros escrivio Han-
deira ; se mandou ouvir o Dr. Curador geral.
Na appellacao crime da cidade de Goianna
appellante a justica appellado Manoel Dias da
Conceicio escrivio Jacomo; se julgou proce-
dente o recurso, mandando-sesubmeller o pro-
cesso novojulgamento
Na appellacao crime da comarca de Tguarac
pppellante a justica appellado Domingos Lo-
pes escrivio Poslhumo, se julgou procedente
a appeacio ; ese mandou remelter o processo,
a novo ju gamenio.
Na appellacao crime da cidade de Goianna ,
appellante a justica appellado Joao Bi/erra de
Araujo escrivio Ferreira ; julgou-se proce-
dente a appellacao o mandaro remelter o
processo para se proceder a novo julgamenlo.
Na appellacao crime da comarca de Goianna,
appellante Elias Coelho Cintra e appellado
Manoel Vieira da Cunha escrivao Rogo Ran-
gel ; nio tomarao conhecimento da appellacao
por nao ser caso dola.
No recurso crime desta cidade recorrente o
juiso f) recorrida Thereza de Jess escu fi-
Iho Luiz Alves Ferreira escrivio Bandeira ;
foi confirmada a decisio do que recorreo o juiz.
Na appellacao crime da comarca do Brejo de
Ara appellante o juizo appellado o Reve-
rendo Vigario TrajanoGomes de Santiago, es-
crivio Postbumo ; foi confirmada a sentenca
recorrida.
Do aggravo de pelieio do juizo da 1 a vara
dtsta cidade de Francisco Jos Velho de Mel-
lo ; nio tomarao conhecimento.
Na appellacio civel da comarca da Fortaleza
do Ceara,appellante Mara do Coracio de Jess,
appellado Manoel Alexan Ir escrivio Reg
Rangel, se mandou ouvir o Dr. curador geral.
l*ubIicA i-
RELACA DOS DESPACHOS
( )Reservamos para o seguinte numero, por
falla deespaco, os nomos dos cavalleiros das dif-
iranles ordena e as propostas dos hatalhes
l.i 3.e ?"d'artilharia o 4." de iuiieiros.
publicados na corte pela secretaria de estado dos
negocios da marmita por occasiao do faus-
tissimo consorcio de s. M. o Imperador.
Che fe de esquadra graduado.
O ebefe de divisio Antonio Joaquim do
Couto.
Che fes de dtviso tffectivos.
Os capilaes de mar e guerra Jos Ignacio Maia
e Francisco Bibiano de Castro.
Capitao de mar e guerra graduado.
O capitao de fragata Francisco Miguel Pires.
(Do Jornal do Commercio.)
--------------------- |
Gonsalo Jos da Costa e Sa.Icndo nos Diario
nmeros 206, e 207 de 25, o 26 do crrante
mez o annuncio feilo pela administracio do pa-
trimonio dos orlaos d'esta cidade, em que pre-
tende arrematar, como patrimonio dos mea-
mos orfaos o arma/em edificado pe-
lo annunciante e do que esta de posse ,
sem que primeramente fosseo annunciante le-
galmenteouvido e convencido para ter cabi-
mento a execucio, no caso de assim o julgar
qualquer sentenca para esclarecimenlo do pu-
blico apprcsenta o Aviso, em que a mesma ad-
ministracio se estriba.cuja leitura evidenciar a
injustica d'uin similhante procedimento e a
cstabilidade, que podera ter para o uturo urna
similhante arrematacio.
lllm. e Exm. Sr. Em resposta ao officiode
V. Exc. de 17 de marco do crrante annosob
numero 22, queacompanhou a representacao
dos administradores do patrimonio dos orfaos
da cidade do Recie, sobro a queslio entre elles,
e Gonsalo Jos da Costa c S tenho a decla-
rar a V. Exc, quo pela lei de 11 de novembro
de 1831 esta a administracio dos orfaos consti-
tuida na plena administracio o uso-fructo dos
bens que pela lei de 9 de dorambro de 1830
Ihe foro destinados pola extinecio dos Congre-
gados do S. Filippe Neri e pelo artigo 5 dessa
lei foi impamente auctorisada para revondicar
os bens sonegados e extraviados. assim como
para annular os contractos indevidamente cele-
brados empregando para hso os meios lgaos;
que portante nada tem o trillunal do thesouro,
que praticar no caso, occorrente, nem Ihe com-
pete intervirem similhantesassumptos.cumprin-
do mesma administracio em desempenho de
seu dever, empregar os meios competentes para
reclamar qualquer direito que entenda assis-
tir-lhe devendo nesta conformidade ser defe-
rido qualquer roquorimento, que se appresente
da parle contraria. Com estos fundamentos j
por despacho de 4 de julho do anno passado foi
indilerido o requerimento de Gonsalo Jos da
Costa e S.i, que acompanhou o ofllcio de V.
Exc. de 4 de junho sob numero 38, como cons-
ta da certidio junta a mencionada repiesenta-
c8o que ora devolve a administracio do patri-
monio dos orfaos com o que icou revogada a
ordem de 24 do abril de 1840. Dos guar-
de a V. Exc. Palacio do Rio de Janeiro em 5 de
agosto de 1843. Joaquim Francisco Vianna.
- Sr. Presidente da Provincia de Pernambuco.
COMMERCIO.
Alfandega.
Bendimento do dia 26..,,,.,,, 1:3615585


as
DescarregUo hoje 27.
Brigue Stwrn com o que se offcrecer.
JJriguo Maria Feliz sebollas, alhos, e
batatas.
d'Agosto.
Compra. Venda.
72 66
905 910
895 905
895 905
14:200 14:320
4:400 4:4*0
7:730 7:770
44%
41 ..
8 9
200$ 2058
PORTO.
Cambios no dia 15
Ouro, prata e ttulos
do Governo.
-Papel mocda...........
Patacas hespanholas.....
Patacas mexicanas.......
Patacas brazileiras.......
Oncas hespanholas.......
Soberanos..............
Pecas.................
Inscripcoes do 5 por 100..
Apolices de 4 p. 100.....
Ttulos de divida antiga.. .
Acedes do banco cornmercial
Cambios. Porto. Lisboa
Londres. 54'A 54 84 A p. 18 rs. 30 d. vt.1
54A 54,A54,A 90 d.
Amsterd. 43A 400 3m. d.a
Hamburg. 50/ 18 d.
Genova.. 514 31 n d.'
Trieste. 450 florim d.'
Paris____ 514 3 Ir. d.'
No dia l.deSetembro o brigue inglezFoo-
dside, em lastro.
A 2 do dito o brigue Confiangn com carne
e outros gneros.
A 5 do dito o brigue Fiel, com varios g-
neros.
Annunciadas para Pernambuco.
O borganlim Indiano e o vapor Parahen-
se: no dia 15 do setembro o patacho Auroia Fe-
liz.
Estado do Mercado.
As transaeces da semana passada em gene-
ros do Brasil (oromui insignificantes, o con-
serva-so o nosso morcado estagnado n5o nos
constando, que se ellectuasse compras para re-
exportadlo.
Algodo. Sem alleracao; tem havido ven-
idas de partidas pequeas para oxonsumo.
Arroz. Avultudo deposito a extraccSo o
..diminuta mas osseus precos conservo-se as
nossas cotacSes.
Assucar. Pequono deposito e limitar&o-
se as vendas ao consumo.
(la Su. Pequea existencia: nSo tem com-
pradores.
Caf. Com avultado deposito; vendas pa-
ja o consumo.
Chifres Abundo, e nao sao procurados.
Couros seceos.Dos de pe/o grande ha gran
de deposito e nfio se procurao os de pozo peque-
no, porm consta-nos terem havido vendas, pe-
los precos marcados tanto para o consumo das
fabricas como tambem para reexportado.
Couros salgados. Pequea existencia, com
vendus para o consumo das fabricas.
Nos demais gneros do Hnsil n5o bn altera -
ce* a mcncionai conservando-so uns froxos c
.outros em apata.
(P. dos Pobres no Porto.)
RIO DE JANEIRO.
Cambios no dia 10 do Setembro.
Pregos da ultima hora da praga.
Cambios sobre Londres..... 25
Paris....... 375 a 370
Hamburgo.. 695
sr Metaes. Dobroes hespanhocs. 31,900a 32,000
da patria.... 31,400
Pezos hespanhoes.. 2,040
da patria___ 18960
Pecas de 6g400velhas 18,300
ae novas 16,900
>, Moedas de 48000... 8.300 a 8,350
Prata ........... 104
Apolices do 6 por cento..... 71 V* a 71 V
(Jornal do Commercio.)
Declaraces.
*JS
Movimcnlo do Porto.
Navios sahidos no dia 24.
Parahiba ; brigue inglez Woodside capitao
G. Scot: com a mesma carga quo trouce do
Rio de Janeiro.
jBahia ; patacho brazileiro ConceigSo capitao
Joaquim Jos Antonio, carga diversos gene-
Dito no Ha 25.
Rio de Janeiro; transporte brazileiro Pirapama,
commandante Balibazar Jos dos Res.
Navio entrado no dia 25.
Rio de Janeiro Baha e Mace ; 12 das ,
vapor brazileiro Pagele do Sul, de 200 to-
neladas commandante Malhias de Barros
Valente equipagem 24 : ao commandante.
Segu para o Rio Grande do Norte em com-
misso do Governo.
NOTIClIsTlARlTIMAS.
Embarcares sahidas de Pernambuco que che-
gario ao Ro de Janeiro.
A 25 de Agosto o brigue americano Brandy.
A 31 do dito a barca americana Navarre.
A 8 de Setembro o patacho S. Domingos.
Sahidas para Pernambuco.
A 25 de Agosto o brigue Bonito Porto, com
carne saeta. u....._ ,,.,.
A 20 o ito o ongue */wi i.. ...
S
O ARTILHEIRO N. 83.
A' dministragUo do patrimonio dos orf&ot.
Tendo sido decidido pelo tribunal do the-
souro publico nacional por aviso de 5 de agosto
ultimo a questao que pondia entre a adminis-
traco do patrimonio dos orlaos, e Gonzalo Jos
da Costa e Sa acerca do arrendamento do arma-
em.que o mesmo Costa o > fizeraconstruir no
quintal da casa n.23 na ra da Madre de Dos: a
mesma administradlo manda lazer publico, que
pcranlc ella se hao de arrematar nos dias 27 do
torrente moz,4,e 11 do luluro a quem mais der
as rendas do dito armazem : e por isso convida
as pessoas, que so propozerem a arrematar as
mesmns rendas a comparecerom na casa de su as
sessoes nos indicados dias as 4 horas da tarde
com seus fiadores. Sala das sessoes da adminis
tracao do patrimonio dos orfos 23 de setembro
de 1843. J. M. da Cruz cscripturario.
= A administracSn do patrimonio dosorfos
tendo de mandar proceder a rcedificacSo da casa
n.* i to largo do Hospital do Parai/.o e da de
n. 38 na ra do Torres do bairro do Reeifo ,
convida as pessoas, que so quizerem por menos
encarregar das mesmas rcediicaccs a con*pare
cerem na casa de suas sessoes nos dias 27 do
corrente mez 4e 11 do luluro para se tractar
dos ajustes. Sala das sessoes da administrara
do patrimonio dos orfos 23 de setembro de
1843. J. M. da Cruz oscripturario.
O escrivao eadministrador da mesa de diver-
sas rendas provinciaos desta cidade avisa a todos
os senbores proprietarios dos predios urbanos
dos tro/, bairros desta cidade e povoacao dos
Aflojados que tendo a por vezes lembrado
aos ditos Srs. o pagamento da respectiva deci-
ma de suas propriedades correspondente ao
semestre ultimamepte vencido e dos annos
anteriores e nao tendo at o presento se rea-
lizado o pagamento desses dbitos de novo se
annuncia que so vai proceder executiva-
mentt! contra todos os devedores pelo princi-
pal e juros decorridos publicando-so os no-
mes de todos os llovedores, antes desorem as
relaeoes remettidas para o juizo dos feitos da
fazendi. E para que conste nundei afixar o
prezentc e publical-o pela impronsa. Recile 25
de Setembro de 1843.
Luiz Francisco de Mello Cavalcanti.
Avisos martimos.
asPara o Rio do Janeiro segu viagem a bom
conbecida barca Firmeza recebe anda urna
pequea porcao de carga e para passageiros
dirijao-se a Gaudino Agostinho de Barros na
pracinha do Corpo Santo n. 6 ou ao capitao
Narcizo Jos de Sant'Anna.
O hiato Flor de Larangeiras sai para o
Aracaty o mais breve possivel, por ter parle do
crar'egamcnlo prompto ; quem quiser carregar
uo ir de passagem dirija-se ra da Guia do
Reeifo loja de lazenda n. 32.
Para o Ceara segu viagem com brevidade
o brigue DeliberagSo recebe carga a freto e
passageiros ; quem no mesmo quizar carregar,
ou ir do passagem, entenda-se com Jos Gon-
calves CascSo na ra da Cadeia do Recife n.
40 segundo andar.
Leiloes.
James Crabtree & C farao leilo por in-
tervencao do corretor Oliveira do grande sor-
liment de fazendas ingez3S as mais proprias
d'este mercado e da estacao : quarta-feira
27 do corrente as 10 horas da manha no seu
armazem ra da Cruz.
\ visos clivrrsos.
LOTERA da matriz da
BOA-VISTA.
9 No dia 28 co corrente
mez de setembro correm
impreterivelment as rodas
desta lotera, fiquem ouno
bilhetes por vender.
= Pedro Aubertin retira-so. para ora da pvo-
iri'vn
i IINVIWI
AMO boje e os Senbores assignantes ,
que o recebem na loja de livros da praca da
Independencia n. 6 e 8 podem-no mandar re-
ceben ,
=Na ra do Amorim n. 23 precisa-se de urna
ama para criar que lenha bom leito prefo-
rindo-sc preta e que nao tenlia filbos.
LOTERA DEN. S. DO LIVRAMENTO.
As rodas desta loteria andao infallivelmente
no dia 9 de novcinbro do corrente anno o os
bilhetes acho-so a venda nos lugares do costu-
mo.
No dia 23 do corrente a boca da nouto, ao
p da ladeira de Beberibe furtro um cavallo
selaJoecnfreiado, com os seguintes signaos:
russo alto estando ferido do sellim em um
dos lados e do outro lado tem um bocado sem
cabello onde mostra ter all ji tido erida ripa-
do de dinas e cauda o se acha igualmente le-
rido na anca por ter carregado malla ; quem
dello o do ladrao der noticia recebera 408000
reisde gratifleaco dirigindo-se a Jos Igna-
cio de Moraes Passos, na ra da Pcnba de-
fronleda abobada.
= Thomaz Marques do Jezus, morador na
cidado do Aracaty faz sciento quo de boje
em diente se assignar.'i Thomaz Marques Porto.
Pernambuco 22 de Setembro de 1843. Tho-
maz Marques Porto.
Precisa-se de 4008000 reis com hypo-
theca em urna grande casa no Monleiro ; quem
os quizer dar annuncie.
Oflerecem-se dous portuguezes, ca-
da um com sua canoa quo carrega um milhei-
ro para attorrarem por braca, ou deemprci-
tada, e tambem sabem fazer viveiros novos para
peixe das duas maneiras, e tambem rebaixao
viveiros vclhos; quem do seu prestimo se quizer
utilizar dirija-se defronte do caes da Lingoeta
venda n. 30.
Precisa-se d'um rapaz portuguez destes
chegados ltimamente do Porto que tenha 16
annos de idade para caixeiro d'uma padaria ;
na praca da Santa Cruz n. 6.
Alugao-se duas casas com pequeo sitio ,
ao passar da ponte da Vagdalena sendo urna
com soto e assobradada para a parte do
rio tendo cito quartos, copiar, cocheira c
estrivaria para cavallos quartos para pretos ;
quem as pretender dirija-se ra Bella no so-
brado prximo mai.
Quero annunciou no Diario n. 207 preci-
sar de 4008000 reis, dando por hypolheca urna
grando casa no Monteiro, dirija-se ra de
Hortas n. 104.
Aluga-se um segundo andar com sot8o, cm
Fora-de-portas, por cima da segunda venda do
lado direito ; a fallar na mesma.
=Aluga-se urna casa terrea com bons com-
modos, quintal murado, e cacimba, na Boa-
vista ra do Sebo; e outra no Cachang defron-
te do rio e contendo duas sallas, sete quartos,
e estribara ; a tratar na ra Nova n. 63.
=Jos Joaquim Pereira faz publico para
prevenir qualquer IransaccSo a respeito, que
Lourenco Alves d'Albuquerquo morador, as
trras do engenho Cavaco freguezia do Santo
Amaro de Jaboato Ihehypotbecou por hy-
polheca especial, foita no cartono do Sr. Jos
AlexandroFerreira desta cidade, os seguintes
escravos : moleque Manoel de 16 annos An-
tonio dito, Amaro do 18 annos, preta Ingracia
do 25 annos, todos d'Angola.
Roga-se pessoa que annunciou no Di-
ario de 4 do corrente ter em seu poder urna cs-
crava fgida o favor de ver se olla tem os se-
guintes signaes : idade do 60 annos, alta, secca
do corpo cor fulla com um signal preto em
cima do nariz, tendo a cana do braco esquerdo
torta cbama-se Lourenca do naco Angola,
e esl fgida a 3 annos; se for a mesma haja de
a mandar levar ao sitio Capelinha.
- Coulinho & Lopes tem na loja da ra do
Collegio n. 20, hojedosannuncianles um
variado sortimento da livros de jurisprudencia ,
e de litteratura compendios de douli ina chris-
taa ricas colleccoes de novellas, o muilas ou-
tras obras excollentes por commodos precos.
Loteria de N. S de Guadelupe.
O thesoureiro principia a pagar os premios
obtidos pela exlraco da 1.* parto da 2." loteria
nos dias 27 28 e 30 do corrente das 10 ho-
ras da manha as 2 da tarde ; na ra do
Crespo3."andar, e desdo o ultimo dia cm di-
ante o< quartas e bbdos, como be costume,
= Aluga-so um sotao na ra da Praia pro-
prio para urna pequea familia ou homem
soiteiro tem duas japellas para ra, e escada
independente ; trata-so na mesma ra arma
zem n. 70.
= Aluga-se um andar do um sobrado na ra
do Collegio com muilos commodos e um so-
bradinho na ra da Gloria da Boa-vista com
muitos commodos quintal o cacimba d'agoa
que se podo beber ; quem pretender dirija-se
a ra do Crespo casa n. 1 3." andar.
=Aluga-se um primeiro andar de um sobra-
do com commodos para grande familia as-
sim como dois armazens sendo um grande, e
outro mais pequeo proprios para qualquer
estabeleciment por ter embarque a toda a hora
na porta o que tudo se alugar por preco ra-
zoavel; a tratar na ra da Praia de Santa Rita
o. 37.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n.
4 da ra da Cassimba com commodos suflici-
entes para urna pequea familia ; o vende-so
urna canoa de amarollo do 40 a 50 palmos do
comprimento, propria para abrir para qualquer
canoa do conduzir areia ou lijlo ; a tratas s
no primeiro andar do dito sobrado.
=Precisa-so do um menino de 10 a 11 an-
nos ebegado proximamento do Porto para
caixeiro de loja ; na ra da Cadeia-velha pri-
meira loja de fazendas ao p do arco de N. S.
da Conceiciio.
Em um clima 15o quente como o do Brazil,
onde as molestias terminao fatalmente, as ve-
zes no espaco de poucas horas he mister ha-
ver um remedio que possa servir ao mesmo
lempo como preventivo e curador. A \ e-
decina Popular Americana tem cssa proprieda-
de, tomada as vezes em quanto ella impedea
accumulacao dos humores conserva o sangue
puro o conseguinlemente para as pessoas menos
sujcilasa apanharem qualquer molestia, seja
ella contagiosa ou nao.
Becommonda-se portento ao publico em ge-
ral de cnsaiar este cxcellente remedio que,
pelo lado econmico he [ rclerivel a qualquer
outra medecina do similbanle natureza tendo
ascaixinbasmaior numero de purgantes e por
menos proco.
O publico achara na Medecina Popular A-
mericana as pilulas vegetaes do Dr. Brandrelh
estas propriedades que produzem seu efleito
sem dores ou encommodo algum nao se faz
preciso di^ta alguma e pode-se tratar dos
sens negocios nos mesmos dias, em que seto-
mar.
Vende-se aqui cm casa do nico agento
Jo3o Kellcr ra da Cruz n. 11, e para maior
commodidado dos compradores na ra da Ca-
deia emeasa do JoSo Cardozo Ayres, ra Nova
Guerra Silva dt C atierro da Boa-vista Salles
S Chaves.
= Antonio d'Azevcdo Villarco retira-se pa-
ra fra da provincia.
LOTEBIA DAS MEMORIAS HISTRICAS
DE PERNAMBUCO.
As rodas desta loteria ando impreterivel-
mente no dia 5 de outubro prximo futuro,
o os bilhetes ach5o-se venda nos lugares do
costume j annunciados.
O thesoureiro ,
Jos Antonio Basto.
- Ninguem faca negocio nem receba em tran-
sacSo urna letra da quantia de 400$ rs. acceita
pelo abaixo assignado em 15 de Marco e ven-
cida cm 15 de selembro do corrento anno ,
saccada por Manoel Pacheco de CJueiroga; por
quantoseacha ja mais de metade paga tendo
o saccador recebido do abaixo assignado era
dinheiroe fazendas; outro sim protesta o abai-
xo assignado nao se responsabilisar pela im-
portancia dos juros que decorrer depois do
vencimento da dila letra em razSo de haver
ajustado suas contas com o mencionado Quoi-
roga no dia do vencimento d'ella e elle st
ter a isso injustamente recusado.
Antonio Joaquim Pacheco Bastos.
A pessoa que offereceu 148 Por dois bal
ces de loja de 11 palmos leixados a portei-
ras e em bom estado ; pode rir buscar ou
outra qualquer pessrta por ja se querer a casa.no
assogue defronte da cadeia
=Manoel dos Santos retira-se para o Rio da
Janeiro, levando cm sua companhia um seu es-
cravo de nome Manoel.
Na loja de Drogas de P. Muller na ra da
Senzalla velha n. 82. ha para vender um pa-
L.nquim pintado, e forrado de novo pelo gosto
moderno e urna cadeira nova, ainda por pin-
tar, e forrar o que se poder fazer vontade
de quem a exigir; no mesmo estabelecimento se
vendem venezianas novas o tudo por preca
rasoavel.
LOTERA DO THEATRO.
Os bilhetes da 1.a parle da 15.' loteria, cu-
jas rodas ando imprelerivelmente no dia 19
de Outubro prximo futuro acbio-se a venda,
nos lugares do costuro?.
MFi HDR FVFMPI AR FNCONTRAnn


4
VEITCH, BRAVO &G
Vendem na sita botica e armazem de drogas ,
na ra da Madre de Dos n 1.
A preparaoao scguinle por preco inuito com-
modo c Je superior qualidade.
Magnesia calcinada ptima.
Os salutares effeitos doste medicamento co-
mo purgante mu suave e capaz do se applicar
a todas as pessoas de qualquer sexo ou dado ,
absorvendo ao mesmo tempo todos os cidos
existentes em nosso estomago e que tanto
perturbam nossas funccoes digestivas, tornarn
seu uso recommendave!, e muito necessario.
A experiencia tem mostrado a um sem numero
de Mdicos sabios, e verdadeiros observado-
res doelTeito therapeutico dos medicamentos ,
que tanto maior be a sua accao purgativa ,
quanto maior he a quantidade de cidos, que
o maior parte das vezcs desenvoivein nossas do-
ancas do estomago. Urna ou duas colheres de
soupa misturado com agoa duranto o da be
qnantidadc sufliciente para produzir bom
eTeito.
Na mesma casa tambem se vendcm tintas ,
* e todos os outros objoctos de pintura ; vermzes
de superior qualidade entre clles um perloi-
tamcnte branco e que se pode applirar so-
bre a pintura mais delicada sem <|ue produ-
zaalteracoalguma em sua cor primitiva. Ar-
row-Root de liemiuda,Sag, Salionetes, -
Salino de Windsor,-Agua de Seidlitz, Agun
de Soda,Agua deSeltz,Limonada g.'isoza ,
Tinta superior para escrevor,Tinta para
. marcar roupa,Perfumarlas inglesas,-Fun-
das elsticas de patento,Escovas e pos para
dentes ,Pastilbas de muriato do moi phina .
e ipecacuanha, Pastilhas fnissimas telS-pimenta Pastilhas de bi-carbonato de
, soda egingibre. As veriadeiras pilulasve-
getaes univeisacs do D.r Rrandrelh vindas
deseu author nos Estados-Unidos, <&c &c.
Offercce-se urna crioula casada para sor
ama de leite a qual tom 25 annos he muito sadia nao tem cria, e tem excel-
lento leite ; na ra do Sebo primeira casa no
fundo do sbralo do Pereti.
Precisa-se do um rapaz que sirva para
fcitorde um sitio; quem estiver nestas circuns-
tancias dirija-se a ra Direita n. 2.
= Aluga-se um pequeo sitio com casa pa-
ra urna familia muito propria para se passar
o tero por ser muito fresca decent e
muito pcrto do rio Capibaribe no lugar da
Cnpunga ; quem pretender dirija-se ao Mon-
dego botica n. 64.
= Perderao-se varios pranchoes Je amarello
e louro no dia 23 do torrente com as gran-
des mares ; quem delles tiver noticias, avise ao
seu dono na ra da Praia armazem n. 55 ,
que ser gratificado.
=Aluga-se 4 moradas de casas terreas mui-
to boas, e grandes no lugar do Cajueiro ,
para se passar a festa e um sobrado grande ,
que tem bous commoilos na passagem da Ma-
gdalena dooutro lado da ponte ; a tractar na
prensa de Jos Ribeiro de Brito, no Forte do
Mattos.
Precisa-se de um menino Portuguez, de
10 a 14 annos, que queira aprender a fazcr
charutos : na ra de S. Rita nova n 91.
Quem precisar do urna ama para casa de
bomem solteiro dirija-se a ra do Caldereiro
n. 6.
= Manoel Nunes Pires embarca para o Rio
de Janeiro a sua escrava de nome Joaana de
nacao Cabinda.
Quem annunciou no Diario de 25 do
correnle precisar de 300,000 rs. a piemio, di-
rija-se a praca da S. Cruz n 6.
Aluga-se una loja com porta de coxeira
no largo doCollegio ; e outra com duas por-
tas no arco de S. Antonio ; a fallar na ra do
Hospicio n. 17.
O Sr. Jos da Costa Morcira procure
lima carta vinda do Porto, que foi tirada por
engao ; na travessa das Cruzes n. 8.
Desapparecco no dia 21 do corrento urna
cabra (bicho ) manca com as ponas dos chi-
Ires touradas cor preta e com algumas pin-
tas brancas pela frente; quem a tiver adiado
leve a ra Nova n. 33, que sera recompensado.
Aluga-se pelo lempo de festa uma ca-
ta terrea no Monteiro defronle do oitao da
capella do S. Pantaleo com sulicientcs com
modos; a tractar na ra do Queimado n. 11.
i Quem annunciou no Diario de 26 do
correnle querer comprar um compendio de
Rbelhoricae potica, dirija-se ao atierro da
Boa vista n 64.
Arrenda-se um sitio no Caldereiro, com
boa casa de sobrado e bastantes ruteiras de
todas as qualidades: na na do Livramento n. 22.
Da-sc 300 a 4008 rs. a premio sobre hy-
pnlbeca em urna negra ; na botica defronle do
oito do Livramento.
Arrenda se uma olaria na Torre, com
muito bom barreiro, e na mesma vendem-so 15
milla-iros de obras linas por cozinhar e dous
ditos ja cozidas; na ra da Gloria da Boa-vis-
n. 18 ou no atierro n. 37.
Compras.
Comprao-so efectivamente para fora da
provincia escravos de ambos os sexos de 12 a
20 annos sendo do bonitas figuras pagSo-se
bem ; na ra da Cadeia de S. Antonio so-
brado do um andar de varanda de pao n. 20.
Comprao-se diariamente couros seceos
de animal cavallar a 2560 a arroba : na ra
do Rangel n. 52.
Comprao-se eflectivamonte para fora da
provincia mulatas, negras o moloques de
12 a 20 annos, sendo bonito* pJgio-se bem :
na ra Nova loja de ferragfll ifc ffl.
Compra-se qualquer porfo le tartaru-
ga pentes velhes mesm quebrados; e
tambem se concffM tdtjtf obra do tartaruga: na
ra de Hortas rt. 90, junto ao assougue.
Compra-se Urna negrinha crioula ou de
nacao, de 15 annos, bonita, que nao tenba
vicios, e saiba coser, fazer renda e engom-
mar paga-se bem agradando ; no patio do
Carmo sobrado'n. 13.
Compra-se uma porcao de garrafes usa-
dos ; em Fora de Portas, vendan. 82, ou na
ra Nova, venda n. 65.
Compra-se o Piccionaro de Moraes da
quinta ou quarta edieao, estando em bom
uso ; no atierro da Roa-vista, sobrado n. 80.
Vendas
\endem-se apparelhos de porcelana para
rh finos. dourados. e pintados chegados
ltimamente e de muito bom gosto ditos
azues garrafas de cristal e lapidadas para
vmho campoteiras para docos copos para
agoa lisose lapidados, irascos de boca larga,
clices para champanhe, de cristal e outras
muitas fazondas por preco commodo : na ra
do Livramento n. 6.
Vende-se uma morada de casa terrea na
ra do Jasmim na Boa-vista ; a tractar com o
Padre Rtcalhao na ra Velha ou na mesma
ra n. 11.
== Vendem-se bilhetes e meios ditos da lo
tena ti matriz da Boa-vista ; na ra do Cabu-
g* loja de miudezas junto da do Bandeira.
= Vendem-se excellentes presuntos in-
glezes para fiambro recentemente chegados de
Inglaterra: no armazem do Jos Rodrigues
Poreira & Companhia ao pe do arco da Con-
ceicao.
= Vende-se urna negrinha de nacao en-
gomma de 14 annos com principios de cos-
tura be recolbida e ptima para mucamba ;
duas escravas lavadeiras quitandoiras, engom-
mao, eco/.inhao: na ra Direita n. 3.
== Vende-se urna escrava do gento do An-
gola comalgumashabilidades; as 5 pontas
n. 58. F
= Vendem-se ricos cortes do chaly de 15 e
seda azenda que ha presentemente do melhor
gosto para vestidos; alm de outras fazendas,
que satisfazem aos compradores por seu pre-
co e qualidade : na ra do Cabug n. 16.
-= Vende-se uma escrava de bonita figura ,
cozinha lava e ho boa vondedeira na ra :
na ra do Livramento n. 19 sobrado de uni
andar.
Vendo-se uma masseira de amarello em
bom estado e 8 taboas para arrumar p3o e bo-
laxa e um cabido para taboas, ludo por preco
commodo : na ra Direita padaria n. 24.
Vende-se uma preta de nacao boa figu-
ra de 38 annos, lava cozinha e faz todo
o servico de uma casa ; na ra da Praia ser-
rara do Cordial, ns. 15 o 17.
Vendem-se 2 moloques de 17 a 18 an-
nos sendo um official de pedreiro e ambos de
bonita figura : na ra Nova, armazem n. 67.
Vendem-so 16 bestas do pasto e boas
de roda estSo muito gordas ; na ra Nova ,
armazem n. 67.
= Vende se uma negrinha de bonita figura,
de 12 a 13 annos ; na ra da Cruz n. 49, pri-
meiro andar.
-- Vende-se superior cerveja branca ebe-
gada recentemente a em rasa de Jones Patn &
Companhia na ra do Trapiche novo n. 10.
Veude-se banha de porco, muito alva
a 160 a libra ; no armazem de Das Ferreira ,
deronte da escadinha da Allandega.
Vende-so a loja de fazendas n. 16 do at-
ierro da Roa-vista com poucos fundos, e ar-
macao toda envidracada. e de armarios por bai-
xo com a frente do balcao lageado de marmo-
re a qual be muito propria para fazendas,
miudezas, ou ferragens por te r muitos com-
modos a lettras de boas firmas ou a dinheiro ,
como melhor convier ao comprador: a tractar
na mesma.
Vendem-se meios bilhetes da lotera da
matriz da Roa-vista : no atierro da Boa-vista ,
loja desapatos n. 24.
- Vende-se um sitio com 228 palmos do
frente o para mais de 1500 de fundo com
muitas arvores de fruto baixa para capim ,
com 6 moradas de casas na trente rendendo
estas o o sitio 400$ rs. situado na ra Impe-
rial do atierro dos Aflbgaddos, dofronte da
olaria, e tambem se vende so motado do dito
sitio : na ra Nova n. 20.
Vende-se uma moleca de 15 annos, de
bonita figura e he recoihida ; duas pretas de
todo o servico engommao e cozinhao ; urna
dita da Costa, lavad e ra o he quitandeira; 2
moloques de 14 a 15 annos proprios para
officio ou pagens; na ra do Fogo ao p do
Horario n. 8.
Vende se uma vacca muito boa, parida
a pouco tempo dando muito leite e por pro-
co commodo ; no sitio de Manoel Joaquim
Caldereiro.
= Vende-se potasa da Russia nova pri-
meira sorte em barris de 4 arrobas ; e vellas
de espermacete em caixas do 25 libras ; em casa
de H. Mehrtons ra da Cruz n. 47.
Vende-se na ra da Cadeia do Recife n.
24 casa de cambio do Vieira o resto dos bi-
lhetes da lotera da Roa-vista que corre no
dia 28 do correnle, assim como de todas as
mais loteras concedidas nesta Provincia os
quaesse troefio por outros quaesquer premia-
dos e mesmo pelos da do Rozario embargada: a
elles antes que se v dos seis contos de reis ,
pois foi nesta casa que se vendeo na ultima
lotera a sorto grando alm do muitos premios
sofrivejs.
= Vende-se uma negra de 32 annos boa
vendedeira na ra co/inlia e lava; na ra das
Cruzes n. 41 primeiro andar.
Vende se uma burra ou cofre de ferro,
ptimo para casa commercial; na ra do Hos-
picio n 17.
Vende-se uma escrava moca de boa fi-
gura cose engomma faz renda e doces,
refina assucar, e cozinha ; no segundo andar
do sobrado novo junto ao da esquina do beco
do Serigado.
Vende-so uma escrava recoihida de 18
annos, cose engomma, faz lavarinto ; uma
dita da Costa de 18 annos, cozinheira ; 6
ditas para todo o servico ; urna dita cozinheira
por 220,000 rs. ; urna dita de 20 annos boa
quilandeira por 320,000 ; uma dita por 2008,
um lindo mulatinho do 13 annos ; um mole-
que; 6 escravos para todo o servico ; um dito
para sitio por 300,000 rs. : na ra de Agoas-
verdes n. 46.
= Vende-se Carraa de mandioca de boa
qualidade tanto em porcSo como em alquei-
re, urna pipa de ago'ardente branca de 21
graos tudo por preco commodo ; na ra da
Praia armazem n. 20.
Vende-se uma fazenda do gado denomi-
nada Ju situada na Provincia da Parahiba ,
distante 8 legoas do rio Parahiba, com uma
legoa de trra com um olho d'agoa perma-
nente que serve nao so para criacfio como
paro agrcullura casas, curraes, 100 cabecas
de gado de criar; na ra da Conceicao da Roa-
vista armazem do Rufino Gomes, ou an-
nuncie
Vendem-so casemiras do algodao de qua-
dros muito boas para calcas a 320 o covado :
na ra do Queimado loja n. 25 de Guilher-
me Sctte.
Vende-se queijos londrinos, conservas,
presuntos para fiambre conservas franeczas de
ervilhase sardinhas licores finos de difieren-
tes qualidades, vinhos da Madeira secca, Por-
to velho dito particular, Malvasia Musca-
tel de Setubal, genebra de Holanda em fragquei-
ras biscoulode Hamburgo tudo por proco
commodo ; na ra da Cadeia n. 2
Vende-se macass perola a 400 o frasco ,
e em carta o a 660, agoa de flor de laranja a
640 o frasco e de colonia em frascos grandes
o pequeos agoa de clieiro de todas as quali-
dades colchetes a 800 rs. a duzia e a caixa
a 80 rs. pomad franceza a 160 o 200 rs. o
pao papel de peso a 2800 a resma e almaco
com lOOcadernos, talberes finosa 3200 e 3600
a duzia linda do carretel a 360 a duzia, meias
de algodao para senhora a 400 o par, ditas de
laia para bomem a 800 e um completo sor-
tiinento de miudezas baratas : na pracinba do
Livramento n. 53.
= Cadeiras americanas com assonto de pa-
Ihinha camas de vento com armacao com-
modasdo angico ditas de amarello marque-
zas de condur camas de vento de amarello
muito bem feitas a 4500, ditas de pnho a 3500
assim como outros muitos trastes ; pinho da
Succia, com 3 polegadas de grossura dito
serrado dito americano coro difforcntes largu-
ras ecomprimentos travs de pinho e bar-
rotes com difTerentes grossuras e comprimen-
tos ; tudo se vende mais em conta que outra
qualquer parte: na ra da Florentina em
casa de J Reranger, n. 14
= Vendem-se 4 quadros do Napoleao, gran-
des com molduras douradas, e ja com al-
gum uso porem em muito bom estado por
proco muito barato ; na ra do Crespo n. 23
se Vendem-so 500 barricas proprias para
armazem de assucar; cabos de Cairo de difTe-
rentes hitlas, em grandes e pequeas porcGes*
na ra da Senzala velna armazem n. 106.
= Continua-sea vender panno de algodao
da trra superior a 220 rs. a vara : na ra
do Crespo, loja n. 23.
=s Vende-se um quarto russo proprio
para viagem em boas carnes; na ra do Li-
vramento n. 10 casa amarella.
\= Vendem-se os livros seguintes; Atlas
geographico por. Simencourt, contendo 47
cartas 36 modernas o 11 antigs, pelo pre-
co de 58 rs. e outro por Carlos P. com 10
cartas por 3j rs. uma grammatica Italiana por
um dos melhores autbores por 640, um Te-
lemaco por 640 ; na ra das Cruzes n. 8.
= Vendo-se uma porcao de churos do boi;
no aterro dos Affogados, no viveiro do Muniz,
a fallar com o eitor do mesmo sitio.
Continua-se a vender cal branca fina de
caiar a 1G00 o alqueiro da medida velha pas-
sas novas a 200 rs a libra, caf em grao a 160;
no patio do Carmo, esquina da ra do Hortas,
lado direito n. 2.
= Vendem-se bules, o cafeteiras de metal
para cha bacas de rame do todos os lama-
nbos candieiros escrivaninhas e perfuma-
dores de latao ; na ra Nova n. 41.
Escravos fgidos.
= Fugio no dia 24 docorrente pelas 7 ho-
ras da noite da ra do Arago uma mula-
ta de nome Mara baixa do corpo levou ves-
tido de chita amarella tem uma cicataiz de
um caustico na nuca o bastantes pannos pe-
las costas, cabel os crescidos chale do me-
tim azul com barra branca e uma trouxa de
roupa foi vista na ponte da Roa-vista indo
para S. Antonio suppe-se ter ido para as
bandas dos Affogados ; quem a pegar leve a
mesma ra defronte da botica do Victorino ou
no Forte do Mattos a Leopoldo Jos da Costa
Araujo que ser recompensado.
= No dia 14 do correnle fugio um cabra do
nome Cosme de 20 annos ti grosso do corpo ,
est> tura baixa, cor escura, levou camisa bran-
ca de pregas, calcas e jaqueta de chila azul,
chapeo envernisadode pagem falla muito bai-
xo devagar e meio embaracado da lngoa ;
quem o pegar leve ao sitio do fallecido crur-
gio Pcixoto no caminbo dos Afflictos, que se-
r gratificado.
Fugio em Maio do corrente auno um.
negro velho de nome Joaquim, baixo, o gros-
so pernas arquiadas rosto comprido com
bastantes cabellos brancos na barba e cabeca ,
trabalhou em S. Amaro enchendo canoas de
areia e ltimamente na ra da Aurora; quem
o pegar leve a ra da Aurora, casa junto a
Igreja Ingleza, que receber 40,000rs. de
gratificacjlo.
No dia 18 do correlo fugio um mole-
que do nome Jos de naci Cabund de 14
annos estatura ordinaria magro conollas
finas p-:s grandes quando anda parece que
tem cravos nos ps falla bom desembarazada ;,
quem o pegar leve ao beco largo no Rece ,
venda n. 6 que sera gratificado.
= Fugio no dia 16 do corrente uma preta
de nome Thereza de nacao Benguella de
38 annos tem uma marca poquena do fogo no
rosto, o outra no peilo dentes alvos, ps
grandes, com os dudos abortos para fra, mui-
to ladina porem de poucas fallas; levou ca-
misa de amburgo saia de metm preto ou ris-
cadode linho e panno da Costa quem a
pegar leve a ra Nova n. 42 defronto da Con-
ceicio que ser gratificado.
Fugio em das do mea de Marco do cor-
rente anno uma preta de nome Anna de na-
cSo Congo estatura regular de 40 annos ,
seccH do corpo bastante beicuda, muito pre-
ta foi escrava das jordouas e sabo fazer llo-
res : quem a pegar leve a ra do Livramento
n. 22. quo sera gratificado.
Fugio do abaixoassi;nado no dia 10 do
corrente um mulato de nome Manoel, alto ,
magro figura feia jul^a-so estar oceulto em
algumacasa; o dito mulato be alfuiale o diz
estar vendido para nao ser pegado por quem
o conheco : e desde ja se fazsciepto a quem o
livor oceulto de se punir com todo o rigor da
le. Manoel Joaquim Venancio de .">ouza.
ERRATAS.
No Resumo das noticias da Hespanda pu-
blicadas no Diario de honlem pagina segun-
da col. 4.a lin. 63 em lugar de = esperar
alli polo Duque da Victoria = lea-se pela Du-
iiue/a da Victoria.
Rbcifb: na Ttp. de M. F. dk Fabia: 1843.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E17LVUJRS_OSFHJF INGEST_TIME 2013-04-13T00:35:29Z PACKAGE AA00011611_05061
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES