Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05057


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1843. -
Sexta Fera 22
ludo .por. depende de ni me.moi; d. prudencia, iMdMWto e .,,
JgJS, -.,**.* e ser^o. J .d^T^^JS
____________________( i'ri.cla.iiag.iu di Aisembleii Cer,| du Bkiso,.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES
r'.g'.' as?e'"'"fe,ru- K,trand9 ,iN *- *
Cab -tennluBn,, Rio o,- (,, C.Wo M.ceiA, e U4 o 4| _.
Bo. tula. Flore.. ,, t4. SrttO \n. quinli, feira. Olmd. todo. 0. di,,
. DAS DA SEYIaN.
t8 ~8*- ,0lt Cnperlino F. Aud. do J. de i., da J. ..
_!) Eetg.t J.pu.no B Mol. Aud. do J de 1). d. 3. t.
21) Uuarl. Kuiliquio M Aud do J. de 1). da 1. Y.
21 J*""*. i ttalheoa p Enang.
21 9M. Mauricio N Aud do J. de D di ?. t.
2 _>. Lino P. JU1. Aud do J. de D. da t.
24 ">. JVoisi ijenbon das Dures.
____ _
de Setembro
Anno XfX. N. 201.
O Ditaio pajbllM-M iodos m ,|n, que n lo forem Salificado.: o preoo da aitigaatura ha)
de trea mil rri por (panal (01 adianudo. O annormio. dos .uiirntnles aao inaanJot
gralii eui itua que nio (uftai raso de 0 ron p r linda Aa reclamaqaa deria aeidiri-
gidla a ella Tip ruadji Cruzra N. 34, ou a|ra;a da Independencia loja JelTrol N. 6t%.
Calillo
Cambio aobra Londra. 2o.
i a Pariii.5 rea par franco.
Liabi'ia UU puHUUdepri-io
iNu ilia 20 de Miembro
Ooau-.Ho.da da 0,4JU V
compra
46.1M
N. 16.6JJ
a da 4,000
PllTa-Palacaa
M e,ia da cobia 2 por cerno. ( p,to, Climnaraa
1 em da leira. d. boa. hnaaa l | j di ____,_,
PHA.SES A Ll'AAO MEZ DE SEPTEUBRO.
Lu Cheia a 8, ni horas e -?. da Urde j Lu no?i a 3, i, 2 baria e 50 ni
ing. 1(3, ai Sttoraaa 53 d. 1 | ,. ,.r; cra-o. 3U, aa 11 boni e 61
IDO
i.vio
Quart.
. hur! Si m. di anbia.
Preamar de hoje.
Tanda
i7ouO
16 80
y Ata
i U48
t.UW
i Ira1.
data;
I
a boraa a 18 a. da larda.

<^a
*RfE OFFICI&l.
Governo da Provincia.
EXPFJUENTE DE 12 DO CBRENTE.
Omrio Ao iospector da thesoura'ia da fa-
senda, devolvenao a folha dos vcncimentns dos
empregados du arsenal de guerra, que acampa-
nhro o seu odloio de 6 des'e me/., no qual de-
clarou. que oeommissario fiscal do ministerio
da guerra duvidra por o seu comente ein a
mencionada folha por ti.nl se adiar assignada
pelos ditos empreirados, como se pratica com
o'pagamento, por lolha, dos oIRciaes do mer
cito; e significa id, cpiejulga legal siinilhaiilc
processo para o pajfatnuito d'aqueltes emprega-
dos; visto cada um delles recbor direclaun-nlc
do pagador aparte, que Ihe perlence, e have
um esenvaopara certificar no lim da folha, no
ultimo do me/., quando o mesmo pagador Id-
cha as suas cuntas quaesquer alteracoes ha-
vidas, easomina, que veidadeiiarnente pode
ser alionada.
Dito Ao mesmo, declarando em respostn
ao seu ollii io de 5 do presente mez, que o aifc-
res reormadojoaquim Pedro de Souza .Maga
Jhes nao est obrigado pagar o imposto de 5
por cento pelo augmento de sold, de que go-
sou, emquantoesteve Oiiipregadoem serdeo ac-
tivo; por nao ter sido animal o mesmo aug-
mento.
Ditos Ao mesmo remetiendo as filincoes
dos cornetas Jos Ro.nualdo da Silva, e Jos do
Paraso Correia, engajados para servir nos pri-
meiro e hesito batalhoes da guarda nacional des
te munliipio, para que Ih.s mande abrir os
competentes assenlamentos de praya.Coinmu-
mcou-se ao cummandanle superior da guarda
nacional do Recife.
DitoA cmara municipal da Boa-vista, ap-
provandoa proposia, por e la eita, de Jos Ja
orne Ri/.erra de Metieses,, para reger a cadelra
de priineiras lettras daquella villa, emquanto
durara licenca concedida ao respectivo proles-
sor -Partieipou-ve ao inspe;tor da thesouraria
das" rendas provinciaos.
Dito Ao inspector da thesouraria da fasen
da, ordenando, que,mande pagar aos instruc-
tores da gua da nacional de 'linda, i.imoeuo,
e Cabo o que se Mies deve al o lim de feveiei-
ro deste anuo: aos cmelas e clai ios em geral, o
que se Ihes deve de feveieiro al o lim dejunhu
deste anno na importancia de \l:l\of$QQ rs.; i
"opia d'ada da cleicJh, que ali se pr.cedeo .
para os novosdepnlad >s provinciaes.\o mes-
nio sentido se officiou aos secretarios dos col-
leizioseleiloraesdoCabo. e N'Za-dh.
Dito Do mesmo ao inspector da thesouraria
da fasenda, transmiltindo a ordein d.i tribunal
ilo thesourosob o n. 199.
DEM no da 'i3.
Ofcio Ao inspector da thesouraria da fa-
senda iiim. 8r.8m respnsta aoofildo da V.
8." de 9 do crrente, que acompanhou a duvi-
'la docommissario fiscal do ministerio da guer-
ra acea de loses para os corpus de guanla .
fondada no aviso do mesmo ministerio de -28 de
..nlio deste armo, tenho a signifiVar-ih i, que,
nao pudendo ficaros meamos corposde guarda
sein Ih/ps, o nao estando a respetiva deapnsa
'ie Uinpre, que V. S Ta^i c .nstar ao relerido
niiiinissario, que deve prtr correnle as requi-
dcoes do arsenal de guerra para esta desuesa
appellou o fuiz dndirito por hem do artigo 79
lo reu'ulami-nto d 131 de jan ir-i de I8V2. pro-
eile a duvid.i em (|U8 s ) ada aquetld oiunid-
palidade de man I ir pagar pdo respectivo oo-
fre i i|ii inlia de'i?8)0 rs.. quee-ti{|e 0 pro ni-
tor publicopi-ia Importancia das rustas, que
Ihe pertenoem no proensso do referido reo.
Dito Ao Ruin, e Rui. director do lyc, 80-
torisando-o comprar os compendios das ma-
terias, que ali so ensinad, Un deservirom as
occasioes ilos exames; elisenio, que nunetta
secretaria da Presidencia a cinta da despesa ,
que com siinilhanle compra se liser, para jr
p.iga pela estacad competente,
Dito Ao inspector da thesouraria das ren-
das provinciaes. daudo-ih a l'acul la le, qUO pe-
de, para adiantara quantia de 200/rs. ao sol-
licitador da fasenda flu de promover-so a
cohranca da divida activa.
Dito Ao director do arsenal de guerra, au-
lorisando-oa rebaixar.i 9l rs. o jornal do sor?
nao s afeita, como Umbem a que se cuati-1 vento d'dqueHe arsenal, Jos Antonio do An-
imara lser, em virlude da ordem que ter drade.
i'.ira isto, at que pelos dillerentes ministerios, Dito Ao juiz relator da junta de j US tica,
a quein yo representar este respeito, se man- sci-uitiliando-o de ter mrcalo o da -'() des-
dem designar as neces-arias quotas para esta teme/, ji.ira < II hor*l da manhaa reiiuir-se
despesa; devendo seren ascontas desde j das- no palacio da Presidencia a referida junta, aflin
silicadas as lepartivoescornpet. nles, e remet- de julgar os proenssosmilitares, que S. S.* par-
ter-me V. 8.Ba que se Ihe exigi em ollicio des- licipa j ter visto. Ofiiii.ni-se resucito aos
la Presidencia do |. de agosto passado. Fique vogacs togados, o ao Comiiiaiidante das urinas ,
mitro din V. S.a entenlido, de que a guarda para convidar os vo.-aes militares.
principal sera a'ora em diante a do palacio da
'residencia, e que a. que tinha esta lenomina-
cao passa ,'i ser den uninada da thesouraria; as-
sim como que as luzes da principal serao soman-
te as, qu deve ter o corpo da guarda, o do a-
eitedesignado as instrueces do ministerio da
guerra.- dficiou-se respeito ao comma.dan- (.ai.|ni ,
ce uas armas, e ao director do arsenal le gue ra. |)j(,__|)o
pa
Dito Do secretario da provincia ao primal*
ro da assembla legislativa provincial, remet-
iendo, para ser prsenle a mesilla assembla na
Ma prxima futura sessao, um o inio da cma-
ra municipal desta ci lade. em que pedeappro-
vacpd de urna rontadona.Coinmunicou-se a
esmo ao secretario do collegio o-
!);?l::.^^!nT:,,0r i'''t,l0S,M,rari'dil.s r,,r!- leitoral do Rio-lormoso acusando recept
um corneto por cada baialha das legics d.
Olindj, Uoianna, e4. e S. da segunda legiad do
liedle o quj competir do Io de julliu de I82
ateo lim de Janeiro do correte aono a visla de
inormaces dos respectivos chefes superiores ,
em que declrelo, qual o corneta, queru se do-
ve lser o pagamento, de que em ultimo lugar
se tracta.Olhciou-se respeito aos comman-
dantes superiores da guarda nacional do lied-
le e lioiamia, e ao chele da legiad de diinda.
Poitaiia Picando de nenhum vigor a me-
dicad, procedida 3 de janeiio do crrente an-
no por despacho, dadoem rcquerimenludode-
sembargador Thomaz Antonio Mucicl Montciro
14 de setembro do anno lindo, o qual lica
nesta paite revogado visto er-so verificado ,
que o terreno medido se ada comp. ehendido sem
a menor duvida nos que sao daposse dos sup-
plicantes Joaquim Jos Pinto (iuiniaraes, Joa-
quiui Jos dos Santos, Francisco Sergio oe Mal-
los, J >a Fiuncisco uos Santos Mello e Siquei-
ra, EliasRapiista da Siiva.eMaiioel Alvesliuer-
ra, o Sr. eugenheiro em chele Jas obras publi-
cas, de conloimiiiude com a sua nlorm.icao d
2do curente, e com a portada desta Presiden-
cia de 7 de marco do auno passado. faca medir,
avallar, e demarcar o le reno, deque estao e
posse os relerido supplliantes na frente da ru.i
(lo Hospicio na extensa 'de oo palmoCun Cun-
aos para a maigem do no, de coolormiuadecom
osseus ttulos de posse, dunuo ola separaiia
de medican cada um dos actuaes posseuos,
que requerem alorumeiilo.
Ullicu |Ki sejrelario da provincia ao luda
assemolea legislativa provincial, remellen,lo. pa-
ra ser prese ile a niesuia assemla tu sua pr>-
xiiua futura aessao, o Olticiu da cmara m ,ni-
cipalda Roa-vista, em que pede appruvacio da
gratili^avao ue IM$ is., que ura a um advo-
gado.t-ommuiiicou-se' cmara HiUuicipal da
boa-vista.
Ditolio mesmo ao sccrctaiio do collegio
nal do thesouro sob o n. 122.
Dito A cmara municipal desta cidade, ap- --------------r------------
prov ando o contracto, por ella feto'om Este- Ilhn. e Exm. SrKm cumprimento or-
vao Lavalcanti, acerca de dnmolicad de una demde V. Ex., contida em ollicio de 4 de
mei'agoa na ruad i Sen/ala vellmdo bairro do Marco, passo & informar comate meo na-
ecife, pela quantia de 300$ rs., por se adiar rceer respeito da conleslaco que li i en-
loradoalinh.menlo. e mes .11 o por dever ser Ir o ilescmhargailor Thomaz Antonio \lacel
demolida, segundo a planta do mencionado bair- \|on((!ro e (|lv,rsS iros (|s te
io, o uem assiin a pauta, e o orcamento da- i i ...
ijuella obra laga.los, situados entre as ras do Hospicio .
Ditos o inspector da thesouraria da fa- -'.'I-' Aurora no lugar do bairro novo da Boa-
senda, eao presidente Interino da rdatao.com- Vlsl" l'r" lado ; e para mellior elucidar esto
municando ter o governo imperial prorogado tsumpto a I rapa I hado lemhrarci rpidamente
por tres me/es com duas tertH, partes do res- os seos principies pormenores,
peclivo ordenado a licenca;'que'havia conced- B .... ._, ,
do ao bacharel JoaquHH^idatif Machad.,, juiz ]'''" Pr".cP do -8 o deseml.argndor Ma-
di direitodapiiii.eira-varanurliriinal desta ca- c"' l,,nl(3,ro requereo por aloramerilu o qua-
pital. ,qr, drilalero de terreno de tnarinha defronte do
Dito Ao insfleetor 4a thesouraria das ren- SL'U sitio da ra do Hospicio limitado V lsle
das provinciaj^^j^flvandi) a resoluco, que pela dita ra oeste pelo prolofVg'aMietito tfvj
(oinou, de aia^f^f. p/ivodia para a arreniatacu lieco do Fer eiro e ao ourte'c'a' ttbt por dillfs
das obras da Viftft partes do 8' lanco da estra- linhas parrrcllaS',OaJjrtdo iros nt-Ulos exfre-
dadoPo-d'alho., em consequencia de nao le- ni()S do dito sitio, Este iWoiierimento loi a-
rem apparecido citantes no dia designado pa- voravelmenle ilfom-adO'Wif Al.ril e Ma.ode
luadita arrematacao. tuLt j ui
Dito Ao inspector da thesouraria da fasen- 18H('" '" ,n_* .^V'1 ,,l1s obr"s PttM'"
da, acensando recepcao do seu ollicio de 5 deste e ',c. msiM'*10^^ Hicsourana da laienda ;
mez, em que participa haver o ex-contractador m;,s "ao cofltU dos documentos junios, qual
da capalasia dallanuega, Vicente Fcireira Go- f" o desliar't|faw; parece, que. decisio
mes, oblido sentenca seu lavor, em grao de re^peilo icou] adi>da. Entretanto no decurso
appellacu, palo tribunal da relatad, da areno, lo mesmo orinode 18VI diversas pesoas, en-
tilando frente do seo sitio nao pertencer
(i ..os ililos Piulo o Guerra ou qualquer
outro de boa f, e titulo 0 deseniliargador
M.uiel Wonteiro replicou i dita portara por
um requeriuiento junto presente iuiorma ao ,
e no qual pugnando por seo direito pre-
tende que a preferencia nao deve existir fa-
vor dos posseiros por ttulos e de lia f por
nao terem esti-s lieneficiado a porcao de terreno,
por elle requerido, e por uniros motivos, mus,
ou manos aceitados Neslo conflicto nao
s ndo posta em ixecucao a portara de 7 de
r.'arco de I8ii, oMajor Eugenheiro encar-
regado da modicao dos terrenos de marinha ,
ni virtude d'um despacho de V. Ex. de H de
Noicnibro de I82 de cujo theor nao pude
certificar me niediu favor do desemharga-
dor Maciel viontdro, em !'{ de Janeiro do
ISi-'J o quailrilalero primilivamenle requeri-
do pelo dito magistrado. Enlo os qtialro pro-
prieuirios que a cima designei especialmente,
recliiiiiarao contra esta uieduao por um reque-
riniento quefud informado i 21 de l'e ereiro
pelo Major Engenliciro d'um modo inleira-
mente dilatorio e deixando subsistir todas as
tmidas, 'la | Leo assuuijilo sobre que bei do
informar, _
Por elle acharian-se fuscitadas diversas ques-
les de direito ; converia examinar se os ter-
renos e.n litigio sao ou. nao de marinha por-
que se nao o fossem serio suhtrahidos im-
uieiliataiiiiiile a accao do Governo; no caso
mesmo de o serem seria preciso examinar ,
quem deve locar a preferencia paraoafera-
mento de taes e laes partes ; porem sendo este
ultimo ponto determinado pela portara de 7 de
Marco, e sendo todos rs dous dominados pela
quesillo de fado a saber se existe defronte
do sitio do desembargador Maciel Monleiro
algunid parte de terreno divoluto limitar-me-
hei ao exame aultentico d'cste ponto.
Recorrendo aos ttulos apresentados pelos re-
clamantes e delatando de parle as vendas suc-
cessivas, que Torio feilas pelos loreiros primi-
tivos e a queslo de diversos accrescimos aos
terrenos alorados, que se, atribuirn alguna
dos loreiros, ou seos compradores a que pa-
ra uiiui sao lacios geomtricos inteiramente
absurdos e incompreliensiveis cheguei no
conhecinienio dos fados resumidos na tabella
seguate: '
N." Nonios dos Dalaslos Ixtenciioda
aflorar r,en> na
' reeqtos. ra do Hos-
picio.
'' ''(?ui- '9de^-rdel832.200palmaa
dem.
100
queda thesouraria em vista do Inleressesda fa- r,''*t?s*Whos alagados em que cima fallei,
senda, e do que dispoe o artigo 61 do regula- e Ji,s <^w^'s apr's ment as allandegas de 22 de junno de I8;lfi : p<>ssf/.1 Estes requerimentos loria geralmcnlc
e significando em resposta. que deve mandar mforuiados de urna numeira satisfai loria aos
uii>ii..i-i .jij Seruii-jt;:;; mi proceder ja mencionada arreo alacio.
Dito lio secretario da provincia ao primei-
ro da assembla legislativa provincial remet-
iendo paia sor presente a mesilla assembla na
sua prxima futura sessad, a postura addiaio*
nal da cmara municipal do Bonito, Commu-
uicuu se mencionada cmara municipal.
DEM lio DI A 14.
OfficioAcmala municipal de \azaroth ,
rcqueiirles assiin como consta de diversos
dawuiifejattos juntos e os direitos d'elles i on-
sagrad pela portara de V. Ex. de 7 de Marco
de IBkff ./ordenando explcitamente que fos-
sem irY'iiiilotfi lavor de diversos, entre os qunes
os acuna drgrados os terrenos con.prehen-
liidos nos litlos de posse e afoiamenlo .
que npresento ,, y> v pelos quaes a dita poila-
derlarando, que. emquanto estiversuspensa a ra delerii.iii*J qe,pn lerem ao desembarga
sentenca do uiy, me absolv.....merime de mor- dm Maciel MnrUerps, a favor ib* quem se deve
ti' Mil 14H\ \|tls...ll l.'a-., ,,!.,(, ||ll Vl.ll^-t n ,(.<......I ......lia- I .. .
... ... .vw. *..------------------_9 nul ,..^s... jiMim.vv u j'dticuu iciicii, uut! t es-
MUTILADO
dos fo re i ros
forciros priuuti-
vus.
N.1. Joaquim/
!../. i; )
(
maraes. (
N. 2. Joaquim (
Jos<- 0os(
Santos. [
N. 3 Francia-(
deSZ-19dcFever0deI831- 15
los. (
N. 4. J.nFran-(
cisco dos(
Si.VD-l-(PdeJulhodel83* 200 &
lo o Si-
queira. (
Somma 650 palmos.
N B. Todos estes lerrenos lem a renle na
ra do Hospicio e confronlao um com ou-
Iro indo do norte paia o sul, e fazendo a li-
uha divisoria um ngulo de 66. "do lado do este
com a linlia do norte magntico.
He parte no terreno do I.4 foreiro, e no do
!', que Elias Baptista, e Manoi I A Ivs Guer-
ra compra rao i s le renos de que estao agora
letentores; em quanlo no 4. posto que nio
recuimasae, conteuiplei-o, pur ser parte in-
leressada no assumpto como abaiso se ver.
Ora o ponto de partida do terreno do 1. forei-
ro du lado do norte est claramente determina-
do pelo titulo de oforamenlo ser um =s
caes da ra do Hospicio confrontando cq-


Iwt'.y~
coenta e dous palmos do sul do oit5o do la-
do do sul, da capaila do dito Aospicio ; o
mareo nao existe inais ; mas sim o oito ; o
este ponto verificado paramaiorcerteza.com
as confrontaces do terreno immediato do la-
do do norte que tem 200 palmos e cujo fo-
reiro privativo foi Florencio Jos dos Santos ,
acha-se com toda a exactidao 200 palmos da
posidSo onde havia de estar o dito marco ,
at a posicao do marco ao norte desle ultimo
terreno o <|ual ficava no dito caes do Hospicio,
confrontando oito palmos ao sul do oito ,
da parle do mesmo da casa da fallecida D.
Cathawina viuva do fallecido Manoel de
a Carvalho Paes d'Andrade.
Em quanto a dechnacao da linha divisoria ,
quo he no mesmo rumo para todos os terrenos ,
tenho poderosos motivos para pensar quo foi
designada nos ttulos em relaco com a posicao
da agullia e nao com o norte vr ladciro de
tal modo que o ngulo de 66. com o norte
magntico deste tempo vem a ser somonte 61
com o norte magntico actual, ou com pouca
diflerenca 69 com o norte verdadeiro.
Guiado pidos fados. que acabo le expender.
e cuja absoluta eiactidSo nao era iml.spensavel
no caso presente, determinei na planta junta
a policio d s terrenos dos diversos oreiros a-
pontados, assim como aquella d. terreno,
medido h favor do d-sembargador Mac.cl Mn-
teiro. ecbMmente cti piovado pela planta .
que este ultimo nata inlciramcnlo coinprehoodi -
jonospri.neiro; pis pan ser valiosa a me
dc.i de 13 lo Janeiro sena neccss.no ir de
oncontro com o* prineipio* o.n que esta ha-
tead* a portara de 7 de Marco.
Nao entro,-monis d.U. I .< expl.cacoes so-
bre mu asMimi-to que Irm sido cono por
g.sto, al.apalbado pelos ion-iros, e posseros.
que nunca soul^rao, ne.n quu.crao saber .
onde csta>ao os seos terreno*, e que as neasow .
alaiiora imumbidas dos t-rrenos de m.r.ntia .
nil ver a le pouco aselamcerto C fe. bando o.
olhosM)!,re to I .s as mais ddli ul I des, -.ue
possSo no futoro se .presentar, t-nho a hon-
ra de subm-tter o qu. precie aos aprocos de
V Ex que decidir o que for de |UHica
Dos Guarde a V. Ex. Itepirti-ao da, obras
publicas 2 de Setcmbro de 18 U -Hlm.
Exm Sr. Bario da Boa-vista Presidente da
provincia.O Eegenherro em chele, L. L.
Vautbier.
omman EXPEDIENTE DE 5 DO CBRENTE.
Omcio-AoExm. -residente communican-
do-lhe, que em dosempenho de suas ordena II-
MaWar para bunio da barca de vapor le>-
IZLanal pracas. que se destInava
corte em substituido a igual numero que de-
so ^o" da charra Amainas vlnda do nor-
te e flraraa pertenecido ao batalhao oe erti-
Iha'ria. Conclia remetiendo as gu.as das refe-
ridas 38 pracas.
Dito Ao mesmo Exm. &r
38 pra?as do batalhao de artilharla, que era5
do mesmo desusadas, e seguiao nesta data pa-
ra a corto na barca de vapor Pernambucana.
DEM DO DA 6.
OfficioAo Exm. Presidente communi-
cando-lhe que no acto de irem para bordo
do vapor Pernambucana as pracas que se dos-
tinaviio a corto desertado o sargento ajudante
Joao Podro Xavier, e o 2. sargento particular
Thcodoro de Paula Leite.
IDEN DODU 9.
OfficioAo Exm. Presidente enviando-
Ihe a re .cao nominal dos individuos quo as-
sentarao praca voluntarios, e recrutados no
mez de Agosto ultimo.
DitoAo mesmo Exm. Sr. enviando-lhe
a relelo nominal dos officiaes do commiss.
que seguirao com o batalhao provisorio de cas-
sadores para a corto em Dczembro do anno p.
passado com declaraco das prestaces que
dentario quanto e a quem conforme foi
ordenado no aviso imperial de 17 do mez
lindo.
DitoXo mesmo Exm Sr. ponderndo-
le a nei-essidade de ser dispensado o batalhao
de inl.ntaria de G. N. destacado de fornecer as
patrulhas rondantes em coadjuvacao a po-
lica. ,
Dito \ojuiz ile direito Ci-tano Jos di
Silva Sintia;o respondido o seo offi-.o do 5
no >|ual Ihe n n inioava que a sumir interi-
na, o nte as fum-coes de cuele de polica.
D,(u-\o subd-l.-gilo de Muribeca di-
n lo-Ihe amreapota ao seo officio de 8 do
tul-rente q 10 ao nom nandante do hala-han de
indultara de G. N. se devia dirigir acerca
los vencimento-i do destacamento c prov.den-
iand sob e a conducido de Ulll soldado que a-
loercra. ,
PortaraMandando excluir do batalhao de
(tintara de G. N. destacado, o soldado Do-
oimzosDiis P-reir, conforme d -termn -rao
Kvn. Sr. Birao Presidente em officio do 2a do
no* i, p ,ii
Dita Mandando excluir o guarda do h-
lalo o destarado n'onin Rodrigues da Silva .
r ser casa lo eo m lilhos, e ter servido por
mais deum anno.
Portara Ao thesoureiro da fazenda para
aceitar e pagar no dia de seu vencimento pelo
cofre do exercicio (indo como determina a or-
dem do Thesouro Publico Nacional de 26 de
Agosto prximo passado a letra de 8:0008000
res a oito dias precisos a favor do Leopoldo Jos
da Costa e Araujo.
Dita Mandando abonar ao dito Thosoure-
ro no livro caixa da receita geral do exercicio
corrente a quantia de 16:8508 res que re-
eebeo o commandante do vupor Imperador para
entregar na thesouraria do Para._____________
PERNAMBUCO.
roaando-lhc a
exoedlpcaa de suas ordens a thesouraria. para
se m abonadas as'comedorias de embarque, aos
prmeiros cadetes Jos Francisco do llego Bar-
ro Manoel Joaqulm de Castro Madera e VI-
ente Fereira de All.uquerq.ie Mello, que e-
gU"a para a capital do imperio no vapor Per-
Tri^Ao mesmo Exm. Sr., communican-
.,,,,, jua wu^irtude do aviso da reparticao
SrSerr??eS?dejulh6 ultimo, havia ser no
O a 8 d"pensado do commando Interino do for-
te do Buraco, e desliado desta, guwicad, o
rnaior do estado maiorda segunda ciaste J. L.
Soares ,'amara Pr *7 CS^" P"-
mo miado Uio tirando do Norte; e rogando-
Kc houvesse d.- dar orden, a thesouraria para
nassar-lhe a competente guia.
nuo Ao mesmo Kxm. Sr.. inlormando o
rcquerimenlodo capitaodo estado mai,.r Dmgo
Corcel Palha, que pedia o pagamento de tres
meses de sidos vencidos para remir suas preci-
soes. ou ser empregado, emquantosedemorava
nesta provincia.
Dto Anjuismum pal supplentc do ter-
>- da lauarass. cmniunicaido-lhe. que re-
cebera os recrutas Agostinbo Jos de Barros e
Joaqulm Jos de SanfAni.a mencionado no
. scuofllciodee. osquaes assenlaro praca.
lUto Ao delegado do termo de Santo Anlao.
disendo-lhe, que recebra os dous desertores
mencionados no seu oll.c.o de 31 do mez pas-
M do o rscebimento d desertor Jao Severo, que
teve coiuenieote destino.
i)jlo \o commandante do balalna* le -
lilharia remetlendit-lhe os papis dei-oiilablll-
dade do deslaf menlo da liba de Fernando, re
Si,,* 8o mez dejulbo; um offlelo do cunmen-
dantedo meso o destacamento a respe.... dos
soldados Leite. Fres, NaM.meoto e Fol.tes,
e a guia das quatro pracas que iNArA
Portrla Mandando, em mmprlroft.lo da
M oar b,ixa ao p.i.n-iro rdele J-ao .aval, an-
i de ^Ibuqueique Jnior, dobnlalhau de arli-
iharis, ..rter linalisado o seu engajament e
nafi'querer continuar.
Dita Mandando desligar, e passar guias as
Ihi'soiiraria (la Fazenda.
EXPEI NTE DO DI A 6 DO CORRENTE.
0(Ti..io Ao Exm. Presidente da Provincia
rogando se dignasse expedir as suas ordens ao
commandante do vapor Imperad na thesouraria e entregar na do Para a quan-
tia de 16-8508000 res.
D.lo Ao mesmo Exm. Sr duendo, que,
duvidando oCommissaro riscal do Ministerio
la Guerra por o seu corrente na folha que
acompanhava. dos vencimentos dos empreados
,1o Arsenal de Guerra por nao se achar assig-
nada por estes como se observava com o pa-
gamento por folha dosoflliiaes do excrcito, bou
veese de decidir o que t.lgasse justo.
D.to Ao inspector da thesouraria de a-
rpnda da provincia do Ceara, participando, que
licavao dadas as providencias, que rcquisitou
em seu officio de 27 de Julho ultimo recom-
mendando ao procurador fiscal da thesouraria
houvesse de dar andamento as causis da fazen-
da publica que por parto d'aquella provincia
*eachasscm pendentes na Belaco desta, man-
dando receber o importe dasdespezas necessanas
pela maneira que indicava.
Ditc, Ao do Para acensando a recepcio do
seu officio de 12 do mez lindo (cando certo
do que devia observar relativamente ao suppn-
mento ilttt99:5ol8SG1 res que em cumpn-
n.enio da ordem do tribunal do thesouro pu-
blico nacional uVJ7 de Julho ultimo tinha de
serfeito aquella IhrtMJuraria no corrente anno
linanreiro, que tendcV^or tanto obrado com
acert remetiendo cm 19 oV Julho por conta
do mencionado supprimonto a quantia de
10:00()g reis ; passava agora na mesma conor-
midade a enviar, como se va do'fecibo quo a-
.ompanhava, a de 16:8508 reis pelo comman-
dante do vapor Imperador ; ecomo estas duas
addices nao prefaziao aind as prest*c5es do*
me/es de Julho e Agosto, devia diier. que ten-
do os portadores das letras de 2008 e de 1508
saccadas por aquella thesouraria em 17 de Mam
e 10 deJunho por ronla do suppriminto do
,-xer. icio lindo, deixado de protestar el
Tribunal da Uelatpao.
SESSA DE 19 DE SETEMBRO DI 183.
Na appellacSo civel desta cidade appellan
les a viuva o herdeiros de Manoel Bodrigues do
Passo appellados a viuva Costa e filhos e-
crivo Reg Bangel ; se mandou pagar a diu-
rna da chancellara.
Na appellacao crime.do Cear appellante
Lourenco Cabral escravo de Anna Joaquina
da Conceico appellndoo juizo, esenvo Bo-
go Bangel foi julgado improcedente o re-
curso.
Na appellacao crime da villa do Aqueraz ,
appellante o jui'o app-jllado Joa* Mara d..
silva escrivao Posthumo ; se j ilgou proce-
dente o recurso.mandando-be remeter o proces-
so para novo (ligamento.
Na appellacao crime do jury desta edade .
appellante o promotor publico appnllado
Mar. al Joa |U de Santa Anna, escrivao Reg
Bangel ; foi julgado improcedente o recurso
Na appellacao crime desta cidade appellan-
te o juizo oappellado Pedro AlexandreSoa-
res, esrivoBandeira; foi julgado proceden-
te o recurso, mandando-se proceder novo jul-
gamento.
Na appellacao crime da comarca do Flores .
appellante o jui/o app.-Halo Antonio da Cos-
ta Soares, escrivao Ferroira ; se julgou pro-
cedente o recurso, mandando-so proceder a
novo julgamento.
Na causa de dia de appareccr da comarca do
Cear. de Luiz. Bodrigues Samico contra Jorge
Accurcioda ilveira, escrivao Jacomo ; se jul-
gou dizerta e no seguida a appellacao.
REPABTICAO DA POLICA.
Officiouse em 20 do corrente ao Exm. Ba-
rao Presidente da Provincia participando
no ter sido alterada a tranquillidade. e ordem
publica em parte alguma da provincia segn
do as participaces recebidas desde o da H do
corrente at agora ; e que apenas consta, que
na noite do dia 5 fugirao da cadea da villa do
Cabo nove presos que alli se achavo por
um arrombo que praticaro na mesma cadea;
expedindo .immediatamente o respectivo dele-
gado supplenle as convenientes ordens para sua
captura ; que no da 9 de Agosto prximo fin-
do fra morto com um tiro pela escolta que
o condusia preso, o ladro Antonio da Silva
Jatoh remettido pelo inspector do quarteirSo
do Pao de assucar pelo motivo de ter o dito
Jatoh segundo communica o delegado de
Cimbres puchado de urna faca de ponta que
trazia oceulta lerindo com ella o cabo da so-
bredita escolta ; que ao amanhecer do dia 31
do referido mez de Agosto Tugiro igualmente
cinco presos que siachavo na cadeia da vil
la do Bonito, por um>errombo que fizerao na
mesma cadeia. apeW da precaucao que
houvc de os mette'r ep.um tronco por falta
de seguranza n'ella ; I Realh.ente que na noi-
te do referido dia 9/ d Agosto te evadir da
cadeia de Cimbres o criminoso "Manoel Calixtro
d'Espindnla; e que no dia 15 do dito mez.
c no mesmo lugar de Cimbres fra asassinado
o Indio Manoel Jos dos Santos por seo pro-
prio filho Jos dos Sanios e que se ex-
pediro. para sua captura, assim como dos
sobreditos presos fgidos, as necessanas ordens.
Secretaria da polica de Pernambuco 20 de
Setembro de 18*3. C I. da S. S.
C. deP. interino da provincia.
Publicado a ediclo
O tetutnt artigo he obra de um opposrio
1 rio pelo recein bem fundad > de que mjnf
naei do *eu Udo Ih'o no receheo. Hgum lo-
piro tem elle com cuja doutrina n a aonn
formamos. man silo materia discutida aora
que no insistiremos ea que os noisos leitores
saber do dar o devido descont.
COMI.TA POLTICO.
biar as mes.i:as ,.........................
vado de ser aceitas pelos motivos que ponde
ron en. offi, m de -9 de Julho havia Randado
patar por ronla do supprimento dofxer.n.->
n.nente. esperando que islo merece* a sua
approvacao. .
|),oAo Procurador fiscal da >nda .
recommendandooqueestivessedasra parte ahm
de que tivesse efl'eito tildo quaui'- requiMlava o
nsperlor da Thesouraria de Emienda da prov.n-
' -compaohava re-
cia do Cara no offi io mo> "'
lati\a..ienle as causas da ^irem
, ,ol-: .> dita provIedS, Sl"
tes na Hela cao desta.
Todos os dia masa-nos a passii-.ncia o Dia
_ ro-n. con. o projeclo de opp-.si.-ao ao governn
da Publica, que premeditado pelo Exm Barao da Boa-vista :
.-mi oenden- I temos estudado a materia para formar nosso
' juizo respeito,equanto mam minos as provas,
.obtusos Picamos! talvez por defe.to men-
Z\ lemos agora urna nova tirada no seu n.
178 e sem podermos fixar anda urna idea se-
lure nos resolvemos a arriscar algumas relle-
x5es 4 ver se sao melhor esclarec.das nossas os-
ilacoe Em o n. citado julga provar ev.den-
lemento o Dinrio-n., que o Sr Barao hav.a
deri o 6 opposicao. que O Sr. Barao fer.doom
seu amor pfopro por con/ianca, ou desl.aldade
do governo, delibiroo lavonear urna oppos.cao
lorte!e compacta, que puzesse Pernambuco em
e peito certas extorcos ncompattve.s com os
nteresses do Brasil, e do Monarcha presen-
amlo-se para esse mister em campo um peri-
dico escribo por pessoas de ababsados conhec -
mentos. temi estas e.n considerado antes do
Lo consiliar os nimos, e chamar todos os par-
idos a urna so bandeira sseverou amda que
para isso foi convidado. as.s.m como o Guarda
naconal, o Indgena, e o Co^ 1 ***f*
se fizerao^para a cnn.ili.ee. e mil protestares
forao leitas : e ainua avanfou .*! pron.eteo-
se a exclusao de um corto circulo fN v." todos
os dias a palacio! e que (diz elle) tem compro-
mettido a! corte do Sr. Barao ; e ula no conrlue
redactor ludo fizerao, porm em ",f* '
Contina o Piurio-n.. nos que ja boje n es-
tamos solado, mas comprometlido en. ui PW-
lido e dalguma SOI le siqeito a sua delilK'ra-
eiio repudiamos a idea, urna vez querr repe -
lida pelo nosso lado : o preslanlissimo Guarda-
nacional con. o rnaior denodo, e carcter to-
da prova reeutou la-er qualquer liga com o>r.
IJa.o de quem barbara e traicoeiramente elle
,. seusco.religionarios [cilieel l'r. Urbano e
Nunes Machado ) lemtolrido inauditas perse-
Miifes ; em fim um nao redondo foi dado a
perlenraodn Sr. Barao Ser. verdade o quo
leio ou ser- urna ficcao potica ? sem duvi-
a: poisera preciso irrogar urna injuria ao boiu
enso de urna opposi.ao consciemiosa o acredi-
ar que despresaria o meio mais seguro do
'riumpho e de gloria........ A Mipporme
.er.lade. jnlgariamos este acto um fenomemo^
>ii um cometa poltico! Todos ossot principios.
...uticos repellen! a guerra individual como
6ra de sua rbita, e combaten, os principios
opposlos. com avcosa rauta que julga jus-
ta e convinhavel 4o bem ser daociedade: es-
te principio nos parece fundado na nalureza do
homem. que, pensando quasi sempre diversa-
mente do outro homem s he chamado 4 a-
.flrdo por meio da persuasao resultado quast
empre da discussao; logo que isto se d. temos
(bogado 4o desideratur e dospresando inteirn-
nenleoerro, que nosseparava s nos resta
streitar os laces que podem augmentar e
firmar cada vez mais a nossa lorca resultado
ou consequencia da uni8o e s delta. Pois
bem se isto assim he, como a opposicao guer-
reando tao afincadamente as arbitrariedades do
poder, e sustentando as garantas sociaes, des-
presa um aliado tao poderoso 4 pretexto de mes-
luinhas consideraces pessoacs ? Se o fim da
ustica nunca he a vinganca, como o poder4 sor
o fim da politica?Naonos parece cabido embona
fundamentos um similbante proceder, parece-
nos um impossivel mesmo. Examinemos anda
se nos escapa alguma rso que justifique si-
milhanle conducta: nSo deviao entrar neste pro-
posito os taes recentimentos particulares que
quando justificados, nada pesariao na balance
dx consideraco geral que deve ser sempre o
alvo do escrptor publico ; porm demos mais
esta espansSo 4o nosso espirito bastante carre-
jado detsaa tristes consideraces: demos de ba-
rato, que o redactor do Guarda nacional tenha
bastante rasao de queixar-se nao concedemos
ainda de traicSo, porm de injustica do Sr. lia-
ran, atribuindn-lhe o laclo do Governo; naode-
vera apesar disto, e de mais ainda sacrificar no
.llar da patria e por amor della esses recenti-
mentos ? appellomos nara a sua consciencia.
Nem isso oigamos a repeito dos mencionados
como taes pelo Ilustre Guarda nacional, os Srs.
Doutores Urbano, e Nunes Ma- hado; esse pro-
retso entre partes ellos e o Sr. Barao he muito
melindroso e demanda um jury au hoc para
er ventilado : todos ellos forao memlnos da
Cmara de 41. todos forao oleitos 4 Cmara de
V2 : todo< apoiarao o Governo de Marco, e em
nossos nuvidos ainda srtao as clamo osas accer-
es rom que o Sr. Urbano defendeo at os
actos do Verres Parahibano! Nosdirao que tam-
ben, o defendeo o Sr Barao; mas segundo noara
direito ha circunstancias agravantes e atenu-
antes examinemol-as.' O Sr. Urh.no. que
*emduvid. nunca vira o Sr. Pedro Chaves, o
lelen.lenem these confessando o> fados e
justificando o crime! Ao contrario o Sr lia-
ra,, n defendeo em bvpothese sendo alias s U
particular amisn e olbando p ra as aceutecoe*
com aquella repulsa que nos commanda a a-
misade i respeito do amigo em quem nunca
suppomos BftO ignobeis disse o Sr. fi.-.rao
nao o uIso capaz des^s culpabilidades ; se fos-
sem verdadeiras. os Paralzanos reunidos o te-
riao expelido das plagas Parahihaoai: um espi-
rito imparciai descubre rota junuas ujuim) uC
/


dignidade 4 rcspeito do carcter Parahibano.
Nao crea alguem, que, pensando assim, segui-
mos a respeitodos Nrs Lrhano e Nunes Ma-
chado a mesma senda quo a opposicao respeito
o Sr. Barao ; nao, longo de nos o video mell-
ara, probo, atquj deteriora seqnor. Sim, nos
somos coherentes em nossos principios nos
combatemos nao homens, o sim principios, e o
nosso maior triumpho consiste em vcl-os a-
liracados p..r aquelles que mais os combatom.
Nos entendomn, quo muito ganhou o PaU
na dcslialdadodo Govnrno para com os Srs.Ur-
fcano e Nunes Machado: quem salte se fowem
Hendida* suas exigencias de qoo lado estaran
lies hoje? quem salo se orgulho se essas
audesUo intierentus o concito humano nao
ihos fariao ver cono precetos de justica, de
orden* e de fortuna publica esos mosmi* mo-
lias, que na posieao actual ellos consideran
como o preludio >lo desalamonto do edificio so-
cial ? Nao ado fra d> proposito o pensamento
de um filosofo moderno que diz os hom-ns
penso conforme sua rasiio eobrao secundo
sua conveniencia. Mas em fin, quaosquor que
6ejao os motivos. se lioje se apresonlao lies lo
nosso lado so deno ladamentd combaten! em
nossas ileiras qual he nosso dever ? abracl-
es e honral-os sem ileman lar ao menos um
juramento de nunca mais rene^arem : e au
Cem assin. feito a opposicao ? como pois iliversn
conducta a respeito do Sr. Barao? o nosso
ver nada o justificara nrts consideramos n.ssr
acto o maior erro o mais indisrulpavel, um
fenomemo poltico! He vordado que fallo em hy-
pothese fallo com os dados aprontados pula
opposicao: dados por;m ellos, qu' d' o caso em
que podia ella perder? ao menos nao o justili-
cou .iaoo indieou mesmo ; poique a prefe-
rencia de um ou muitos Srs. be cbocarriee im-
nro ria da queslao ; cuido quo o Guarda na-
cional nao escolberia para sen Sr. o mesmo Ao-
jo Gabriel. Todas as consideraies me levan
crer que tudo ha;ia anbar, e nada a per-
der; salvo una puerilid.idx dtwegrada da par-
te da opposicao. que, nada provendo, nada es-
crutando, tudo abandonasse ,'ritando s 01-
you: '*.ias isto se nao poilendo conceder como
justificara repulsa de um allado tao poderoso,r
que por lodosos lados que se considere a po
l'ticii nesse ensejo so vemos o triumpbo em
imilhante aequisicao ? Nos podamos nos ex-
plicar m-lbor. mas reprovnndo a franca analise.
que a tal respeito tem apresentado a opposicao,
julgamos fazer um desse vico publico emitan
do-a: a opposicao nos pare e dever ser mais ge-
nerosa mais previdente, o evitar de sel lacha-
da de ideas nv-squinhas e pequen as. Que-
reria a opposic.o que o Sr. Harao repellisso sous
amigos, scus alijados, quando elles quizessem
aderir a sua nova poltica ? como inflingir urna
pena lorte satlites que quando possao ser
aecusadosde apiegoadorcs de urna poltica n-
fensa, nSo podem jamis cr olbados como ver-
dugos da Sociedade caso nico, em que cabe
ria urna tal exigencia? Se sao desta guisaos
pretextos para nos de nada valem. Dizia o
^ Mondo d# Cair laca-s justica embora
caia o Co que principio Sancto I Porcm
o.f)iario-n.emcontra- posieao, parece di/er nos
demita-se o Sr. Harao cinbora Piquemos
sujeitos ao mais ro despotismo da Corte, e de
qualqucr verdugo seu embora tudo so redusa
no Brasil as cinzas de Point pitre. Nos ao
contrario diremos salve-se o Brasil impere
a justica impere a Constiluicao embora ( se
he possivel) aos nossos inimigos se dva a fortu-
na publica. astrlogo.
Edtaos.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria das ren-
das provinciaes manda fa/er publico que por
nao terem apparecido licitantes as arrematares
da l.1 c 2.'parte do 8. lanco da estrada do
Pao-do-Alho annunciadas para o da 11 iriio
novamentc a praca no dia 30 do corrente pelos
procos e sob as clausulas especiaes publicadas
pelo Diario de 19 do agosto prximo passado.
Secretaria da thesouraria das rendas provin-
ciaes de Pernambuco 16 de setembro de 1813.
O secretario ,
Luiz da Costa Porto-Carreiro.
A thesouraria de fa/enda desta provincia ,
tem de fazer algumas rcmessas ero letras para
Londres; e por isso os Srs. negociantes que
as quizerem dar, hajiio do comparecer na mes
mi thesouraria no dia 22 do corrente me/. a
urna hora da tardo. Secretaria da thesouraria
le fa/enda do Pernambuco 1!) de Setembro de
18V3. Joaquim Francisco Bastos, official
maior.
- Km observancia ao capitulo 2. 10 da le
provincial n. 120 de 8 de maio docorrente an-
lo. cada canda, quecondusir agua do Vara-
louro, paitar por cada vez 240 res, temi prin-
cipio no dia Io di) OUtilhro do corrente anuo.
para que chegUO a noticia de todos manda-
nos publicar o presente pela imprensa. Cidade
leOlinda II de setembro de 1843. Jo Jna-
luim de Almeida Guede presidente.Joan
i'aulo Ferrara secretario.
-i'1
WoclaracoVs.
O administrador da mesa da recebedoria
las rendas geraes internas avisa nos morado
res do bairro do Recite S Antonio. Boa -
isla, e A Togados que venhao pagar o irt>-
oosiod; cscruvos lojas e tabernas de 18V3
i LS44 pena de so proceder a exocutivo se
!>or ventura deixarem de o lazer aleo liffl do
orrente moz
Francisco Xavier Camlcantid'Albuquerque.
O Illm. Sr. inspector do arsenal do mari-
nos manda fazer publico quo no dia 2:1 do
orrente inez pelas 11 horas da maiiha contra-
tara nesla secretaria o fornocimento de carne
verde para as emharcaees da armada pelo
fempo que se convencional contado do 1." de
-mliihro prximo em dianlo ; c convida a todas
is pessoas a quem o mesmo fornocimento possa
convir a comparecerem em o dito dia e hora com
as suas propostas. Secretaria da inspeccao do
arsenal de marinha do Pernambuco em 14 de
setembro do 1843. Alexandrc Rodrigues
dos A njos.
Pela subdelegacia de polica dos Aboga-
dos se faz publico que se acha recolhido a ca-
deia o pardo Cosme, o qual declarou seres-
cravo de Francisco Jos da Costa Guimaracs.
ronimocerpa, membro correspondente da So- 'a dar ligues de lingoa franceza mathematica ,
ciedade de Medicina, .ida pelo Secretario per- gographia, &c. as pessoas que pertenderem
petuo o Sr. Dr. J. .1. de Miraos Sarment. poder dirigir-se a ra do Sebo casa do calcada
6. Observacoes meteorolgicas dos nieges do jbaiva delrontedo boquoirao onde sedove abrir
Janeiro, l'evorciro e Marco. Pelo Sr. Dr. J. lumcaminbo, ou annunciem.
Loudan. Francisca das Chavas retira-se para fora
7. Seis mezes de observacoes meteorolgicas da provincia levando em sua companhia suas
em Pernambuco. Pelo Sr. Dr. J.J do Moraes escrava Mara, Libania, eLidia.
SarmehtO. Avisa-so ao Sr Tbom Pererj Lagos, ar-
Siibscreve-se para este peridico na livraria rematante do imposto de agoardente quo a
do Arco de N'ossa Son hora daConceieo da Pon venda n. 2 da eamhoa do Carino, esquina que
te do Recife em Pernambuco. Proco 800 rois folla para'a ru da Flores nao vende mais tal
cada numero.
genero desde o da 18 do corrente.
Parlecipa-se oautor do aniiuncioemsi'rido
no (limo de Sbado lii do corrente r mente apreci/ar/e de bum Caixeiro para Co-
branc.i e bu Calca e Cazara \ clha t di/e-se a.
dito auctor do annuncio que nao sel he resjiondo
como deve ser em razao do autor nao ler aseg-
nado o seo annuncio rediculo como sua |iesoa
mas nein poriio se deixn de estar si cnteficado
quem seja a tal Cavalheiro : inelhor seria que
elle cuidase mis ohrigacois do seo patram e (.or-
taee a Cabeloira (queli ade Cv lo) e emdi-
rlvsos mirtimos.
ssPara o Havre o brigue Irance/. Armori-
que pretende sabir de te porto nos primeiros
lias de ou'uihro prximo pois lalla-lhe pouco
para completar a SUI carga ; quem nelle quizer
carregar ou ir de passagem para o que tem
bonscommoilosdirija-se aosconsignatariosBull
C Chavannes na ra da (Iru/. n. 40.
Pretende seguir breve para o Rio deja
. reitace os canibadns pos aliui oenao parecer
nciro ohnmic escuna \ .rrq-i"le por ter urna!, .,' c. ...,, nnn
.... .' bum AraiiunlangoOra liem sr. Arangulango
Cazo continu lera milhor bulo doscotraba-
[tarte doseu carregiinento prompto; quem no
mi-sino quizer carregar ou embarcar escrotos,
podo entender-so com os consi nalanos Amo-
riin Irmao no Becife ra da (ladeia n, V'i.
Para o Ceam si'gue viaitem com hrevidade
o brigue- escuna Del i be ni cao ; quoin no mes-
mo quizer arregir ou ir de pasageiii enlen-
da se com Jos (encalves Casrfio na ra da
Cadoia do Becilo n. 40 segundo andar.
Lrcs.
Jobnston Pater v C* lirilo leiliio, por in-
lervencflo do i*orrotor (Hiveira de grande sor-
timentode suas be u i-onliecidas lazendas in-
clusive pannos di! la, ditos de 11 ti lio chapos
do castor, lindas do n nello p ira alf-iiate o
ditas de linlio sorlid >s para sapaleiio ; sexto
reir 22 do crrente as 10 horas da m.mha em
ponto no seu arma/eiu da ra da Aladro de
Dos.
KalkmannA Bosommund continuarlo, por
intervenan do corrolor liveira o seu leilao
do' f.izendas Irance/as allomaos o suis-
sas tanto de seda, la o linlio, como de algo-
dio mili proprias para este morcado : torca
feira 20 do corrente As 10 horas da man ha em
ponto no seu arma/.ein da ra da Cruz.
Alisos l i versos.
COMMERCIO.
Alfanclr^a.
Bendimento do dia 20......... 4:092S250
Descarrego hoje 22.
Barca F.lize Johnson o resto.
Brigue Jpiter masas e aovada.
THEATKO PUBLICO.
C^y* O Director Rafael Lucci ,
partecipa ao respcitavel publico ,
f|iie o divcrtimcnlo annunciado pi
ra o dia 20, por motivo da chtiva,
ficou transferido para o di^ a4 do
corrente : e ao mesmo tenipo roga
aoa honrados habitantes desta ci-
dade hajfio a em de proteger ao.
beneiciados pela ultima vez, o in-
signe e henemeiiloarliste! Sr. Joo
Wanimcil esna Senhora.
Principiar as 8 horas e meia.
]\.B. Se chover das (i horas em
dianle nao haver divertimenlo.
1110.
O bilhele n. 1713 da primeira quarla
paite da saturnia nova lotera a lavor das obras
da matriz da Boa-vista portme ao Sr J. A.
Iligueira efiuaem poder de G A. Itenwira.
- Pe le-so ao Sr. arreoiatante da illuminacao
desta ci os empichados dos lampioesos limpom o hotem
bom a cito pois na \crdade laz vorgonba vero
estado da ilhimiiiacao em noilos invernosas oc-
casio 0111 (|uo mais necossaria so laz a clan-
dado.
=Ouem precisar de um rapaz bra ileiio pa-
ta lomar ronla de alguma esrrinturai ao de lo*
id ou de iniiro qu-ilqner licencio; euuetam-
l'om se prupdo a cobrar dividas nesla praca; di-
rija-se na do ( oliivcllo n. 80.
^1
rocisa-se de um criado lira neo ou par-
Bl
ufe
PUBLICACAO LITTLRARIA.
= Sabio luz o n.4. do peridico da Socie-
dade de Medicina de Pernambuco sinnaes da
Medicina Pernambucana-conUntlo as materias
seguidles :
1. Constiluicao medica ou molestias re
nanlos. Pelo Lr. Mavignyer. Reductor em
chote.
2. Piscurso recitado polo Sr. Dr. J E. Go-
mes Presidente, na sesso solemne do anni-
vorsario da.insttdacio da sociedade acerca da
epidemia do bexigas, que nesla Provincia so de-
senvolveo om di lloren les pocas.
3. Nota o observadlo de um caio Actracheo-
tomia pela primeira ve/ praticada nesta (nl.i-
do do Recite. P010 Sr. Dr. J.d'Aquino l'onsera.
4." Historia natural e medica do agrillo do
Para. Polo .Sr. I r. J. F. Sipaud. Seguida de
pama, commanilanle Balthatar Jos dos urna nota relativa aiguiiias oulras lirludo-1 ho-
llis com madeira de constru ao para o Rio rapeutcas do aariSo de Pemaniliuco. Polo Dr.
Sloviiiu'iito do Porto.
Navios sahidos no dia 19.
Maranhao ; brigue braziloiro heos te guarde ,
capilao Jo tioncalves Beis carga diversos
gneros.
Bio de Janeiro ; patacho ingloz Uessenger, ca-
pilao Charles l.abastier com a mesma car-
ga que tfOlfce da Iba ue Maio.
Sahido no dia 20.
Babia ; brigue austraco Abdel-Kader capi-
lao Braggio Dubeta carga lastro.
Entrado no mesmo dia.
Parabiba ; 2 dias transporte nacional Pira
de Janeiro.
Mavignyer. Bedarloi emende,
5.' Soticia necrolgica do Sr. Joaquim Je-
O ARTILHEIRO N.8t.
k^AHIO hoje o os Senhores assignantes ,
que o recebem na Inja de I i v ros da praca da
Independencia n. G c 8 podem-no mandar re-
ceber.
LOTERA 1)0 THEATRO.
Os bilbetcs da 1.' parte da 15.a lotera, cu
jas rodas ando impreorivoliiicnte no da 19
de Outubro prximo futuro, acbao-se venda
nos lugares do costume.
Precisa-se de um feitor que trabalhe. e
onlonda de arvorodo borla e vacens para
um sitio na Magdalena ; a tratar na ra d'A-
guas verdes n. (iG.
Arronda-se um sitio com boa casa, torras
para plantar, e tor vacias de leste e com ar-
s o red os perlo desta praca, equerendo-SO ir
a elle embarcado he pela camboa do Remedio a-
cima at a ultima otaria quo tem na dita
cambdti.
= Aluga-se parte do sobrado de qualro an-
daros com fronte para a ra do Torres, e Al-
lanib'fja Velba ; a pessoa quo ila mesma preci-
sar dirijase ao sigundo andar que achara
com quem trat. r sobro o aluguel.
Aluga-se o primeiro andar da casa n. 50
da ra da ( adcia-velba, propria para csiripto-
rio ou inoradla de pessoa solteira ; a Ualar na
mesma
A pcsoa que nnunciou no Diario de
quarta leira n. 03 um habito da ordem lor-
reiri deS. Francisco, queira annunciar a sua
morada
(Juem livor para lugur nm pelo de mei
do, de 14a 18 anuos, sob as condices quo
so expoi ao prelcndonlo ; trata-Be 1 a luja de
livros da praca da Independencia n. 0 o 8.
A po soa que anntinciou no Diario do
\ do correte ter em seu poder una escrava, sen-
do que tenha os segunles signaos baja de lazer
0 favor de niand. I-a levar ra do Passeio Pu-
blico na fabrica de chapeos de sol: Benedicta,
mas podo sor que tenha mudado o nomo, de na-
cfto liebollu. cem todas as marcas da sua Ierra,
estatura milito alta, no peito direito tinba um
1 est fgida desdo o fim do anno do 1836 ,
ropresentava ter 22 para 24annosde idade.
A direceo da sociedade Philo-Thalia con-
vida a todos os Sn. credores da mesma a re-
meterom ao thesourciro na ra do Crespo n.
23 primeiro andar urna nota, da importancia
desees crditos, a fim de providenciar-se so-
bre seu em boleo.
Precisa-se de um official dechapeleiro,
que soja periodo no officio de sombreireiro
na ra do (respo n. 11 : na mesma casa ha
para vender 20 barris de a/cito de carrapato
por proco com modo.
CJuem precisar de roupa lavada e engom-
rnada por proco muito commodo dirija-se
ra das Trine eiras na loj 1 por baixo do sobra-
do n. 10 ; ajusta-se por peca, por inez, ou co-
mo melhor conver.
O Dr em mederina Alcxandre de Sousa
Peroira do Carino, acha-so residindo n'vsta ci-
tado no segundo andar da casa n. 13 da ra da
Cadoia do bairro de S. Anlonio onde pres-
lar-so-ha as pessoas que precisarem dos soc-
eorros de sua profsso.
= Aluga-se uro sobrado retficado de novo,
na povoacao do .Monloiro ; a traclar na serra-
ra do Mohtvirn ou no armaiem de vidio ao
lado da cadoia rua de S. Francisco n. 17.
Dase dinheiro a premio sobre penhores
de onro ou prata ; na rua da Cruz n. 38, se-
cundo and-r.
'Pendo o abaixo assignado solicitado deseus
credores um coiiipromisso : e sendo-lhe con-
cedido pola maioria ecomooutros dos mes-
mos >t, credores u linhafl impugnado ao abai-
xo assignado ; convida aos mosmos senhores
sous credores para tomarcm conta de sua ca-
si de negocio para sous pagamentos, e parli
Ihnrem-se riignando-se comparecerem as
o Pontos n 108 no dia 25 do corrente me?, as
9 horas do dia onde o abaixo assignado os
espea para Ibes dar tima prova de sua boa f ,
o edilnlade lazendo-lhc entrega de toda sua
lu tuna. Miguel Juaqaim de Menezes.
SOCIEDADE PIIII O-THALIA.
O thesourciro avi dude que onlenda de boda, esirva para ven- distribuidlo dos bilbetcs para a recita de 23 do-
ler na rua, dirija-se a rua do Sebo casa de ral-
ead haixa (lolroiite do boquoirao onde sedove
abrir um camiiiho ou aniuincic.
Alborto la enere lein a honra de partici-
par ao respcitavel publico que elle contina
rorrete nos dias 20, 21 o 22 : ni roa do
Crespo 11 32 L*andar.
Alugud-se qualro prctos para serventes, ou
quabjiier outroservico nesta praca : na rua No-
va n. j.
MUTILADO




RH^f
.." ...'. ..
VE1TCH, BRAVO &C.
Vendem na sua botica e armazetn de drogas ,
na ra da Madre de Dos, n 1.
A preparaeo seguinte por preco muito com-
modo e de superior qualidade.
Magnesia Ponderosa de Henry.
Este medicamento gosa das mesmas virdu-
tes que a Magnesia calcinada ; porem conhe-
ce-se que seus cITeilos sao muito mais enr-
gicos em razio do grande estado de pureza
emqueseacha, porcujo principio he muito
menor a quantidade precisa para produzir os
elTeitos desojados.
Na mesma casa tambem se vendem tintas,
e todos os outros objectos de pintura ; vermzcs
de superio#qualidade entre ellos um perfui-
tamente branco e que so pae applicar so-
bre a pintura mais delicada sem que produ-
za alterado alguma em sua cor primitiva. Ar-
row-Root de Bermuda,Sag, Sabonetes, -
Sabio de Windsor,Agua de Seidltz, Agu*
do Soda,Agua de Selr,/., Limonada gasoza ,
I iota superior para escrever, Unta par
marcar roupa,Perfumaras ingle/as, Fun-
das elsticas denles ,Paslillias de muriato de lOOipbina .
e ipecicuanlia, P.istilhas finissimas de hor
tel-pimenta Pastilhas de bt carbonato de
Boda, eginiiibre. As verdadeiras pululas ve-
getaes univeisaes do l).r Hrandrlh vinilas
deseu autlior nos Estados-Unidos, S:c &c.
r= O Coronel Joo Francisco de Ch by
comprou a Manoel Vieira da Cunba una mu-
lata de nomo Antonia para o Conselheiro
Francisco Jos de Freitas e pretende na pri-
meira occasiorometel-a para oliio de Janeiio.
= Precisa-se de urna uiiilhcr para urna ca-
sj de pouca familia que saiba lavar ongom-
mar c.o/.inhar; na ra da Cadeia do Reci-
o n. 23.
s Aluga-se urna casa terrea novamonte
ediicadu rom 40 palmos de Irentc rom
duas salas G guarios, corredor ao lado, cozi-
nba fora um grande quintal murado eou-
tro cerrado con muito boa agoa de beber ,
quem pretender dirija-se a ra da Aurora n. 58.
= i meio bi I lete n 30-10 da primis
quarta parle la segunda nova lotera a fa\or da
obras d Matriz da _Boa vista, pertence a \n-
tonio Joot|Uirude Almeida Cousseiro, residente
na Cnii.de do Maranbo.
=. Precisa-se de um moco que queira
vender pao tendo ja alguma fregucsia dan-
do-so 50 rs de cada pataca de vendagem e
um preto para andar rom elle ; e tambem pre-
cisa-se ilc preto e moleques para o mesmo tra-
fico : no alterro dos flogudos pailana n. 37.
= A casa terrea meia-agoa da ra da Praia
doRangcl n. 62, o todos os mais bens per-
tencentes ao casal do finado Anill Alvos do
Reg so achiio sequeslrados como se mostrar
em tempo pelo juizo competente. Ningueni
pois a vista do presente poder de boa l con-
tratar negocio de qualquer natureza > que seja.
coin a viuva Florencia .Margarida dos Prazores,
nem coin oulra qualquer pessoa, relativamen-
te dita casa e ms bens do referido casal ,
sem comprometer-seaoperdimenlo deseuvalor,
etem incorrer no crnne de urna transacao do-
rosa em prejuiso de terceiro.
-. CWm for dono de urna cabra ( bicho ) ,
dirija-sea ra Imperial n. 188, que dando os
siguaes I he ser enlieguc.
' Os Srs. Antonio Brasilino de Olanda Ca-
valcanli eMiguel Martins da ("osla Ribeiro,
quoiro comparecer na ra da Moeda n. 9, se-
gundo andar para se Ihcs fallar a negocio de
interesse.
Urna senhora casada do bons costumes,
moradora no primeiro andar do sobrado n. 2i,
da ra do Queimado propoe-sca receber at
o numero de 10 meninas para ensinar-lhes a
ler, escrever, contar, correctamente, egram-
matica portugueza ; assim como a bordar, fa -
zer lavarinto e marcar ; os prelendentes diri-
jao-se ao sobrado cima para se convenciona-
rem e sabercm quaes as pessoas que Ibes
poder informar a respeito.
= Furtarao nao se sabe quando porque
a 6 rnezes nao se proeurava um bules, qu
teta um palmo >.e altuia de prala de lei, obra
de Lisboa mui bem feita rom gomos e la-
mira, cabo do madeira (treta; promelle-se
segredo e nao se incommoda ao ladran; quem
delle souber otl entregar a \ Uterino fran-
cisco dos Santos na ruado Rngel n. 5i, re-
ceber de gratificrmelo o vallor do bulles.
Antonio r'erreira da Coala Braga em-
barca para o R<. de Janeiro o scu escravo Ro-
que de nacao Angola.
Jo.iquim Jos Ferreira rom prenra de
algodao nesla ridadfl faz Setenta ao publico ,
aue em dia.sde Nmcuibro de 18V liquidan-
do a cuita de .\> sacras perlenrentes aJos' ar-
los Pereira Lucen Ibe manduU un ( l'tca ) da
ouamia do I:190g060 rs que era o saldo,
que Ibe liruva re^t .'ido o agora apparece o
Olio Lucena izenuo que ai oca nao receben;
suppondo pois, que este lica est em mao |
oceulta por isso faz o presente annuncio ,
para que pessoa alguma laca neg ocio com o
mesmo, visto que seu proprio don o he quem
devia apresentar e ja so a cha sem elTeito, por
que foi pago na data de boje.
Deseja-se empregar em algu ma oceupa-
cao do negocio ( excepto venda e botica ) um
menino Rra-ileiro do 13 a li an nos, o qual
sabe ler escrever, e contar solTr ivelmente e
he muito fiel deligonte ede b oa conducta ;
a tractar na ra do Nogueira n. i', i.
= Aluga-se urna morada de c asa [terrea em
Fora de Portas na ra dos G irarapes com
commodossufficicntespara urna ; grande familia,
coin solio e trapeira 0 qual los cozinha ,
copiar e quintal ; os pretenden! es dirjao-se a
mesma ra n. 38.
Roga-se a pessoa que d z achar-se em
scu poder urna preta que no caso de ter os
signaos seguintes queira te r a bondade do
mandal a entregar na ra do ( Jobo da Boa-vis-
ta n. 20 aonde recebar a despeza e traba-
Iho que com a referida tive r tido ; fugio em
fins de Julho do corrente a nno levando al-
guma roupa e panno da C osta azul, de na-
cao A ngico representa 30 annos alta, nao
milito gorda bastante lad.ina o signal mais
visivo) que lem he ter um poma enchada ,
<-oin f-turas de leridas, q'jo leve na rnesma c
esta* fechadas de ponen lempo, que pode acon-
tecer lerem aberto outra vez era lavadeira e
venda na ra.
= A eominissio administrativa da Socieda-
de Apnlline tein marcado o d a li do prxi-
mo mez de Outubro para a partida da mesma
Snciedade e em virtude dn que convida aos
Srs. Socios que (juizerein apresentar propos-
tas para convidados ns envarem a casa da mes-
ma Sociedade no dia 10 do referido mez, as 0
horas da tarde.
O meio bilhete n. 1881 da quirta parle
.la nova lotera a favor das obras da Matriz da
Boa-vista pertence a Bento Josc de Albu-
querque
Fugio ou furtarao do sobrado n. 8 da
na da Conceicao da Boa vista na noito do dia
19 do correnle um atinho de cor amarella.
capado rom a cauda cortada e nn meio dril*
ti i ii n julsja-se que elle entraste ern alguma
asa da mesma ra ; por isso roga-se ern poder
'de quem estiver o favor de restitu)-o prome-
lendo se recompensar ao portador que o
levar
Precisa-se de um eanoeiro que seja es-
rravn para o servico de canoas: no alterro
dos A (Togados n. 120
Ouem precisar de um rapaz de 18 nno,
domado, para qualquer emprego, dando fia-
dor a sua conducid dirija-se a ra da Senzula
velha n. 132.
bra c todos os mais gneros de venda ; no' = Vende-se urna canoa de carrera de um
patio do Tereo venda n. 7. s.'.po, mui bem acabada pintada, e com
Vende-se o sobrado da ra do Codorniz, assento, do ultimo gosto : no porto das ca-
n 10 e urna parte ou todo do da ra do nas. fabrica le Mesquita & Hutra.
morim n. 29 ambos em chaos propnos = Vende-se um moleque dolo annos : na
livresedesombaracados; a tractar na ra do ra da Cadeia do Recile loja de Joao da Cu-
Nogueira n. 13. nha Magalhacs.
Hoje 22 do correnle se vender a quem = Vendem-se pentes de chilres para mer-
mis der, e defronte da cadeia de S. Antonio, rafas, barricas com lannha de milho, ditas
urna porcio de cavados; quem os pretender com farellos e ditas abatidas ; em casa de
dirija-se ali pelas 10 horas do dia ; adverte-se Matheus Austin & Compannia na ra do
que se venders tambem a praso todos ou Trapiche novo n. 18.
parte assim convenha a firma do comprador. Vende-se um negro de Angola de 20
Vendem-se tijolos de limpar facas, gar- annos, eanoeiro ede todo o servico; na ra
fos. c amarollos, estojos de navalhas finas e das larangeiras n. 5
ordinarias thesouras mui linas para costuras | Vende-se urna negra de naci de b-
ounhas facas e garfos finos e ordinarios nita figura engomma. coso, e cozinha muito
abotuaduras pretas de duraque da ultima no- I bem e lava ; na ra Direita n. 98.
di, papel almaco branco e azul a 30*0 a res-1 = Vende-se um negro de naci Costa ro-
ma o de peso muito bom a 2880, meias de busto trabalhador de enchada sabe mungir
algodao para homem e senhora suspensorios leite trepador de coqueiro e tracta bem de
de burracha finos e ordinarios caixinhas com um sitio : na ra de Agoas verdes n 70.
massa para fiar navalhas cartas francezas o j = Vende-se um moleque peca de 17 annos,
porluguezas agoa de colonia superior o ver- proprio para qualquer servico : na ra da Cruz
dadeiro macass perola e de oleo, graixa a n. 51.
120 o pote e outras muitas miudezas baratas ; Vende-se urna pnrcao de irascos pretos ,
na ra la'ga do Rozario loja de miudezas que foro de frasqueira grandes e pequeos ,
n 35 leuina poreo de prata ludo por preco com-
Vende-se urna escrava de 20 annos en- modo ; em Olinda no Varadouro venda da
uomma, eozinha e cose; duas ditas de todo j esquina n. 18.
o servico e sao quitandeiras ; urna dita da | s Vende se potassa da Russia nova e
Costa, lavadeira e quilandeira ; urna dita por de primeira sorte, em harria de 4 arrobas : em
Compras.
Compra-se tima negrinhacrioulaou dona
cao do 15 annos.bonita, e nao tenha vicios, que
saiba coser, fa/er ronda, e engommar paga-
se bem agradando ; no patio do Carino so-
brado n 13.
Compra-se elTectvamcnto para fura da
provincia mulatas, negras, o moleques de 12
a 20 annos sendo bonitos pago-se bem ; na
ra Nova loja de ferragens n. 10.
= Compraose jarros de louca de plantar
craveiros novos ou usados ; no armazom do
deposito de farinba na ra da Cadeia de S. An-
tonio n. 19.
Compra-se um jogo de globos ou so-
monte o terrestre ; na livraria da praca da In-
dependencia ns. 0 e 8.
__ Compra-e urna morada de casa terrea ,
que seja na ra de Horts Aguas-Verdes, ou
em outra qualquer ra ainda que precise de
algum concert : quem a liver annuncie.
Vendas
v. Vende-se o Elogio histrico dos Srs. Reis
de Portugal escripto por Fr. Bernardo de
Brito ebronista geral na praca da Inde-
pendencia livraria ns. Ge 8
\ ende-se urna escruva moca de boa fi-
gura rose engomma fa' renda cozinha.
refina assucar, e faz doces o motivo da ven-
da se dir ao comprador; no segundo andar
do sobrado novo da ra Direila junto ao da
esquina do beco do Serigado das 9 horas da
manlia em diante.
__ Vende-se um escravo de naci de boa
fi"ura ; quem pretender annuncie.
" \endein-se barrica* vasias, que foro
dobacalho, a 300, postas no arma/em ,e
banis de 5 em pipas a 1440, com a m<*Qj
rondiro ; quem pretender annun.ie.
__ Vende-se banha de porro 100 a libra ;
noarmazem de Jos Jnaquim Das remandes ,
-i Ai 'UI"vcnde-se"oleo de linhaca a300 rs. a li- |commodo': na ra da'Solidade n. 04.
350.000 rs. ; urna dita lavadeira cozinheira,
e he quitandoira ; um moleque de 14 annos,
sabe tratar de cavallos e servir lcm a urna casa:
urna endeirinha de bracos dourada e sem uso
algum: na ra do Fogo ao p do Rozario n. 8.
= Vendem-se borzeguins gaspiados e com
pona e lustro de urna e duas solas, pretos t
decores para homem e senhora sapa tos abo-
tinados ede palla adrante e atraz de bezerro
francez e inglezesde 2 e 3 solas, todos la-
xiados, botins de be erro francez e de Lisboa .
s.-.patos de courn de lustro para homem e me-
ninos de 8 a 12 annos ditos de colxete ditos
de marroquim botins de couro de lustro e
de marroquim para meninos sapatos ataman-
i-ados de duraque e rordavao para senhora di-
tos de be/erro para homem sapatos de dura-
que, cordavo setim e marroquim para se-
nhora e meninas tanto franre/es como de
Lisboa, todo por preco commodo: no atierro
da Boa-vista loja n. 24 de Joaquim Jos Pe-
reira.
=. Vende-se urna casa na Matriz da Var-
zea com 4 quartos, e bom terreno para plan-
lco : n ra ne Horlas n. '02.
=; \ ende-se um rofre pequeo de ferro; na
ra do Bozario da Boa-vista sobrado n 1.
- Vende-se um herco de pitia-marlim, por
proco rommodo ; na ma das Flores n. 17.
Vende-se um guarda-roupa de amarello,
e urna rama de casado por preco commodo : na
ra do Amorim lenda de maicineiro n. 13.
Vendem se 08 oitavas de prala velha ,
algunsnllinetesde ouro para senhora, e duas
ramas de conduru com armario para homem
solteirn: na ra da Cadeia de S. Antonio n. 19
Vendem se talheres muito finos a 3200
e 3000 a duzia nha de carretel a 350 a du-
zia colxetes a 800 rs. a duzia, pomada (ran-
ceza muito fina a 100 e 200 rs. o pao, e as du-
/.ias da-se mais em conta papel de peso muito
bom da primeira qualidade a 2800 a resma c
quem tomar de 4 resmas para cima da se a
2700, dito almaco em meias resmas com 100
cadernos a 3V00 a resma, ricas perfumaras
a preco commodo linhasde peso finase gros-
sas agoa de colonia em Irascos grandes o pe-
queos dita de flor de larangeira a 700 rs. o
frasco thesouras douradas a 480, 400 e 320,
ditas lisas a 180, meas finas para senhora a
00 o par, rap princeza do Rio, dito de Meu-
ron & Companhia peonas de ac com caetas
e sem ellas e completo sorlimento de miu
de/as baratas a contento dos prctendentes ; na
pracinha do Livramento n. 53.
= Vende-se um moleque de 15 annos ,
ptimo paia pagem ; um escravo de naci ,
engomma e com principios de cozinha ; duas
escravas de boa conducta engommao e co-
zinhio : na ra Direila n. 3.
= Vendem se vinhos de Champanhe Por-
to yherry agoardente de Franca genebra,
presuntos para fiambre conservas, mostarda,
alcapares frutas para pastis vinagre branco
muito forte, sedlis calcados, carros de mi
para cond'i/.ir alterro : no armazcm de Joio
Carroll & Filho na praca do Commerco.
= Vende-se muito boa casimira cor de pe-
rola por proco barato por estar com pouco
mofo; mas assegura se largar logo, que se
fizer a obra na ra do Crespo loja n. 23
- ^ ende-se urna quarto muito novo com
algn? andares : na ra da Penha n. 31.
Vende-se um quarto pedro capado .
em boas (arns proprio pra carrnbo ou
v arroca. por se ler experimentado por preco
casa de II. Mehrtens na ra da Cruz n. 47.
Escravos fgidos.
93 Segunda eira 18 do corrente fugio um
escravo muilo moco de nome Jacob de a-
o Camund de 17 anuos, alto secro do
orpo, cara comprid, nariz chalo, boca gran-
le. canel as compridas, e pernas longas, quan-
lo anda niele alguma cousa osjoelbos para den-
tro ; levou vestido camisa de chila de mangas
urtas calcas de brim pardo, e chapeo de pa-
llia velha ; quem o pegar leve a ra Nova n.
07 que ser recompensado.
Fugio no dia 10 do corrente um negro
le notne Francisco tendo sahi do para ganhar
na ra de estatura baixa magro, no olbo
lireito tem una belida cabello cortado muito
rento, pelo que (icou muito visivel um lugar
mais alto, que tem no meio da caheta um
tanto coroado d pernas estalao quando elle anda ; levou calcas ,
e camisa de riscado azul trancado com as man-
gas curtas ; ouem o pegar leve a Jos Antonio
la Cunba quesera gratificado.
Fugio no dia 17 do torrente pelas dos
horas da tard> un molecote de naci .Mocam-
bique do 18 a 19 annos com falta do den-
les na Irente levou calcas de linbocru e cami-
sa dealgodiozinho trancado he bem conheci-
ilo por ser cambado das peniHS, metendo os joe-
Ihos muito para dentro queda muito na vis-
la o qual andava vi ndendo pao ; as 5 pon-
las padaria n. 03, que ser renom pensad o.
-3 Fugio no dia 22 de Agosto p. p. do en-
genho d'Agoa na fregue/.ia de Iguarass uip
negro crioulo de nome Antonio oflicial de
pedreiro de 30 annos alto grosso do cor-
po bem parecido tem una cicatriz em urna
das fon tes ps e mios grandes foi vestido
de calcas e aqueta e levou toda a ferramenta
com que trabalhava : quem o pegar sendo em
Goianna ou Pedras de Fogo poder entregar
ao Coionel Antonio Alves \ ianna ou a Joao
da Costa Villar e nesta cidade a Jos Antonio
Alves da Silva morador na Boa-vista as
Barreiras ou no mesmo engenho a seu pro-
pietario Henrique Poppe Girao que recebe-
r 100$ rs. de gratilicacio.
= Desappareceo na tarde do dia 10 do cor-
rente urna negra de nome Mara de naci
Cacange ( S. Thom ) de 20 annos estatu-
ra haixa gorda e relorcada cor preta com
signal de naci na testa por cima do nariz ,
nio he muito ladina ; levou vestido de risca-
do azul, e camisa de algodiozinho ; quem a
pegar leve a travessada Florentina n 13 que
receber 508 rs. de gratilicacio.
= Em o primeiro de Abril de 1830 fugio o
preto Miguel Cacange de 50 annns es-
tatura regular cheio do corpo espaduas lar-
gas pernas algum tanto finas, bonito bem
barbado, e sem suissas pois as rapava por
eslarem brancas olhos grandes falla como
crioulo bebe fumo e ago'ardente ; e ao lem-
po que fugio fallava-lbe um dente na frente da
parte inferior e he de suppor que lenha
falta de mais alguns e.mesmo mudado de fei-
cGcs e de nome foiocravo do Ohristovo de
Olanda Cavaleanti ja fallecido o qual morou
no lugar do Allinho : quem o pegar leve a tra-
vesudeS. Pedron. 8. junto ao sobrado em
que mora o Padre Thom da Silva Guimares,
ii ue ser gratificado.
RkCIPB: NA IVP. PE 21. 1\ PB t AMIA. =1040,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERJFWIKT4_CFYSL8 INGEST_TIME 2013-04-13T02:30:44Z PACKAGE AA00011611_05057
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES