Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05049


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1843.
Terca Fera 12
l'udo
linucmo.
cjltae.
.gor. dependa de < me,mol. d, prudec., -oder.oao ..
como iirincipumoa. e mn. > i "rijjo, e eneren:
I P m, ..remo, .pondo, O .dm.r.^o CMr. .. nLj,. ...
( l'rool.m.gao d. Aeaamhleia Ger.l do Baih.)
con-
. p LPkAftTID*S D0S CORREIS TERRESTRES
Boa-Ti*.. Flore,, 11 ,. Santo Ul 1U,.,, feir.. Oliad. loJot ? *'
. s TL DAS D Y SEMANA. >
11 aoj. i. Tbeudor Penitente. Aud. do J de D. d 2. ?.
i* '"<;.' Ant V. M Kel. Aud. do J de D d.3. t.
13 Vuart. 5. Velippe M* Aud do J. de D. d. 1 .
14 V-mi. Materno B" M. And do J. de D. da 3. r.
15 <.-. .. Nicomede, > Aud. do J. de D. da 1. t.
46 bch. ,. Rogelio M. Re. Aud do J. de D. da 1- y.
. 17 llnm. Festa da, Dore, de N S.
de Setembro
Anno XfX. IV. 19*.
O Dittio publican lodo, ni di que a.lo f.>rm Sej|oadoe: o pre^o da agatara lie-
de ira, mil rete por quartel pago, arfiantaui O, annonno, do, n,ignatef eio in,eridoa
gran, eo, do, que ni torea j relo de -Orei, p r liaba. A, reclamac/>ea cerem trdiri-
gida, a eat, Tip., ra ata Cruie, N. ?i, ou a prega d. Independencia loja .lelirro, N. 6e8.
renda,
CAMiiotSo di, t de b'etembro. compra
Cambio .obre Loedra. 26. Ooo-Moeda de 6,400 V. lO.fWO
1 an 3.5 re, por franco. a a N. 46,0lW
LiaballU por 10U de premio ; a de 4,000 .'"WO
PaatA-Patac.e i,0
Moeda de cobre S'por cento j P.lo. C..!u-narae i.'JlQ
dem de letra, da boa. firma, f a }. B fr* Meaic.no. 1,020
PHASES DA LLANO HEZ DE SEPTEMBRO.
La Chei, 8, *, 4 hornee 7m. da larde I La aora 23, *. 2 bor e 50 m. detard,
Quart. ming. 16, e 8 hora. 53 m. d.t. | ^t.rt. ere,0. 30, 4, 11 hore. e 61 m da m;
P reamar de hoje.
i. a 6 hora, a 54 ... de m.nh la. I J 7 bor 1S m. de tarde.
17,000.
16,800
y 4o
1,040
1,V40
1,040
(i
*f*ir>vm
.'l.!"1
t?
?e Ws<&. \ ^:>&

AVISO.
O Srs. Subscriptore^ qu'o ainda nao 0023-!Dlt0 rA,'nspector da alfan'Ra d'zendo ,
que. achandoso as obras d'aquella reparticao
r5o o presente quartel, e os que se achao atra-
sados no pagamento de outros, quoirao ter a-
bondado de os satisfazer aos cobradores ou de
o rnandarem faser na loja de livros da praca da
.Independencia n. 6 e 8.
Thesouraria da Fazenda.
EXPEIENTKDO DA 23 DO PASSADO.
OIlioio
redusidasao concerta do trapiche e nao po-
dendo s pelo resto dosto concert continuar-
se a abonar ao stereometra director dello a gra-
tificacoo mensal de90S reis.cumpria, queman-
dasse redusir esta gratificaco a 408 res ; as-
sim o communicando ao referido director para
que certo dos motivos que obrigavao a fazer
esta reducc5o, continasse a prestar os seus ser-
viros com a mesma boa vontado e zelo, que at
o presntente tinha mostrado.
Dito Ao administrador da meza do con-
0 2. artigo do projocto approvado, salvas
as emendas.
O 1. approvado com a emenda do Sr. Ro-
drigues Torres.
O 2. e bem assim o 3.. i., o 5. do pro-
jecto, sao approvados e regeitadas as emen-
das.
A discussao de outros artigos flea adiada pe-
la hora.
Ao Exm. Presidente da Provincia anla,f r
reenviando o do commandante das armasfo ^ ^ reSpSla ~ offlcio do 3
Ibas, que oacompanhtrao dosoJSii d *JaSSad(; ^*^< em q" exPoZ os motivos,
fortalesas do rum e Buraco com duvid. pue llgava o agento da Provincia da Para-
posta pelo commis.ario fiscalI do Ministerbd l wmprehend.do disposico do impe-
Guarradeumreal, quo selninlrou d. T 1\hU>Mo findo relalivas
nos em ditas folbas onconlroU para me- gente das Alagoas para ter lugar o mesmo ,
Dito-Ao secretario da provincia acensando V^wZ^St!^ **'}!*
a recepcaodosseus oPTicios de 1 e 90 |n nat,lft r rres"'cnfe da Provincia consultado ao
( agosto ) aue arr m i P Governo Imperial sobre este ohicclo, em nuan-
vos gera s de p .gj^a 283 de e mn go ''plmente determinou o citado avizo. '
StftagSLga-reC^f atSSfaSSF^3^
zendo, que logo que Ihe commnnicasse o dia___
em que livesscou passasse a ter lugar esta nova
organisacao, diria o mais que Ihe olTerecesse re-
lativamente ao pagamento dos empregados e
mais despesas.
lo Ao inspector da alfandega remet-
iendo 10 exemplares do dito decreto para sua
intelligencia e execucao pela parte que Ihe
tocava.
Dito Ao administrador do meza do consu-
lado idem 4 exemplares idem.
RIO PE J4NRIRO.
ASSEMBLEA GERAL.
CMARA DOS SUNII0RES DEPTADOS.
Sitsdo em 5 de agosto.
Contina a terceira discussaS do orcamento
das emendas apoiadas e de outras offerecidas na
BOMiodo hoje.
Tom3o purte na discussao os Srs. Na buco de
Dito-Ao contador da thesouraria idem dous k^oSZVX^cifl ^T d
d tos idem raujo, i,ivao, lernandes Chaves. Ro Irigues
U,L \n- i ,t ., lorres, ministro da Marinha, e Pessoa de Mel-
^iloAo inspector da alfandega dem os lo, e fica a discussao adiada pela hora
exemplares dos actos legislativos geraes sob nu- ___________
meros 263 a 283 e dos decretos sob nmeros dem do dial.
281 a 296dcste anno, idem. Contina a terceira discussao das emendas ao
Dito Ao adm.nistrador da meza do consu- orcaniento.
Jado idem. Sa3 ainda apoiadas diversas emendas, e tomiio
Dito Ao mesmo idom 6 exemplares do de- j?,arle nacdisc;Ufiso;os Srs. Coelho e Franco de
creto n. 296 de 19 de maio prximo passado ?nH?rW,t '/ r''qUer encerra-
.. a. -i ment da discussao, e assim se vence
que deu diversas providencias para o completo SP8Ufi.se voU0 sobro r^(e numprn
cumpr.men.to ^'''fP^'T8 (l re8ulamcnto do emendas, e sao approvados urnas, e regrita-
numeros 254 c255 de 25 de novemhro do anno das outras.
passado idem. Entre o numero das emendas approvadas con-
Dito Ao inspector da alfandega idem. i *a-se a da commissao, que suprime o imposto
0R sobre os jornaes, sendo substituido por urna
~. IDKM m hlk -- ; taxa igual a que pagarem as tojas.
OITicio Ao Eim. Piesideuto da Provincia, As emendas approvadas sao adoptadas e re-
enviando a demonstracao do quanto em vista mcltidas a commissao de redaeco.
dosassentos, que a thesouraria provincial re-
metteo a da fazenda e ordens de 8. lixe. se
dem do dia 9.
O Sr. Io secretario Ferreira Pcnna, l um of-
flciodoSr. ministro do imperio, enviando urna
representacao aue a assemhla geral legislativa
dirige a assembla provincial do Cear sobre o
conflicto que entre ella e o rever ndo bispo de
Pemambuco tem npparectdo a respeito da exe-
cucao do leis provinciaes que dividirs abru-
mas parochias. A commissao de assemblas
provinciaes.
Contina a discussao do primeiro artigo do
projecto que eleva a comarca de Coritiba pro-
vincia com a resolugo oflnrecida pelo Senhor
Fonseca como emenda que desmembra da
provincia de Minas Geraos, eannexa prvin-
ctadeS. Paulo, o territorio daquella provin-
cia que actualmente faz parte do bispado desta.
A discussao desta materia est adiada desde
14 de julho.
Fallao sobre o artigo e emenda apoiada os
Srs. Fonseca Carneiro de Campos e Ferreira
Penna, e a discussao fica adiada pela hora.
Contina a discussao do projecto do Sr. Ro-
drigues Torres sobre a divisan do torras e colo-
nisacao.
Art. 3. Os ttulos queforem conferidos aos
posseiros es^smeiros, deque tratao os artigos
antecedentes fica sugeitos no acto da expe-
dido a um direito de chancellara corresponden-
te a 1/4 de real por braca quadrada as Ierras
destinadas cultura, em f/256 nos campos dos-
tinados s pastugens.
apoiada a seguinle emenda ao artigo 3.
En) lugar de 1/4 de real dlga-se1/25 de
realm lugar de 1/28(1 dfga-se l2'o'.Ro-
drigues Torres.
foniao liarte na discussao os Srs. Vasconce-
los, Julio de Miranda, Rodrigues Torrea, Fon-
seca eSousa Franco, eflea adiada pela hora.
tribunal supremo como na relac3o. Oque
rogo m V. Kx. baja de levar ao conhecimento
da cmara dos Srs. deputados.
Deus guaidc a V. Er. Paco, em 8 de A-
gosto de 1843. Joaquim Francisco Vtan-
na.Sr. Herculano Ferreira Penna
A' commissao de |ustca civil.
Entra em discussao o requerimento doSr,
Barros Pimental.
Depois do Sr. Pessoa de Moli discorrer so-
bro a materia do requerimento, remelle i
mesa a seguinte:
Emenda ao requerimento.Queseper-
gunte ao governo em que lei se fumou e quo
motivos teve para declarar vago o lugar do juiz
de dir,ito da comarca de Santarem no Gram
Par, dequehavia lomado posse o bacharel
Antonio Thoina/. Godoy.Pessoa de Mello.
Esta emenda 6 apoiada, e a discussao flea
adiada pela hora.
Coutina a discussao do i.* artigo do pro-
jeito t|uo eleva provincia a comarca de Co-
ritiba com a menda apoiada.
E'sustentado o projecto pelo Sr. Veiga o
combatido pelo Sr. Saiao Lobato e a discus-
sao tica adiada pela hora.
Contina a discussao do 3.a artigo do pro
jocto sobre divisao de torras e colonisacao com
as emendas apoiadas.
Tomao parte na discussao os Srs. Veiga ,
Oueiroz Coutinho Pessoa de Mello GalvSo,
e Rodrigues Torres, e lica adiada pela hora.
dem do dia 8.
O Sr. Barros Pimenlel tem a palavra pela or-
Idem do dia 11.
Presidencia do Sr. Cavalcanti do Lcenla.
A's 10 horase 10 minutos da manhaa bre-
se a sesso le-se o approva-se a acta da ante-
cedente.
O Sr. 1. secretario Ferreira Penna le
o seguinte oflicio do Sr. ministro da fa-
zenda :
Illiri. e Exm. Sr.Constando ao gover-
no que a algumas causas da fazenda nacional
bavia sido denegado no tribunal supremo de
j US tico o recurso de revista em consequencia
de terem sido apresentados depois de findo o
praso marcado na lei para a interposicao do
mesmo recurso exigi do presidente d'aquelle
tribunal as necessanas informaces a respeito
A UNIVERSIDADE.
Por ndicaeao do Sr. senador Castro e Silva ,
e parecer de urna das suas commissas o sena-
do est discutindo o projecto da creacSo de urna
uoiveraidade no Brasil: por esse projecto, que
adiamos incompleiissimo croo-sc no Rio
de Janeiro urna faculdadc do theologia, e outra
de malhematicas.extinguem-seou antes re/un-
dem-sc osdouscuisos juridicosdeS. Paulo eO-
linda em um nico e supprime-se a escola de
medicinada Babia ; as academias militar ede
marinha reduzem-se cursos especiaes e de
mera applicaclo. f> as letras as humani-
dades puras deixao do ser contempladas em fa-
culdadc superior e ficao sob a disciplina do
collegio Pedro II o de alguns anlogos que
se crearem com as aulas de preparatorios anne-
xas actualmente aos cursos jurdicos de S.
Paulo e deOlinda.
euppoe importar a despesa com a guarda naci- Sr> Barro8 J^menlel tem a palavra pela or-
nal, e do que pelos pagamentos ja leilos se iul- .' edpP's de motivar o seguinte requeri-
sava dever menl0* remelte- mesa :
i-, a ir i Bequeiro que o governo informo a esta ca-
D.to Ao inspector da alfandega_p.rt.c-! mar sedeo por vago o emprego de jui,. de di-
dando para sua intelligencia, em virtude da rcito da comarca do Santarem no Gram Para e
ordem do tribunal do thesouro publico naci- se ficou forado magistratura o I)r. Antonio Tlo-
nal de 10 de junho prximo passado, que ao
guarda-mr da mesma forao concedidos 3 me-
zes do licenca com os seus respectivos venci-
mentos.
Dito -.Ao contador da thesouraria, remet-
tendo, por copia para sua intelligencia, o ollicio
do Exm. Presidente da Provincia de 21 de ju-
lho passado em que. participou ter expedido
ordem ao inspector do arsenal de marinha, paia
fazer cessar o pagamento da gratiicacao quo
percebia o proessor do primeiras letras dos a-
prendizes menores do dito arsenal.
IDEM DO DIA 26.
Officio Ao procurador fiscal da fazenda re-
metiendo por copia, para sua intelligencia a
ordem do tribunal do thesouro publico nacio-
nal de 17 de julho desto anno que marcou o ,
crdito para esta provincia nocorrente exercicio. 'emendas apoiadas.
maz Godoy. S. a B.Rarros Pimenlel
Este requerimento entra em discussao na
quat tomao parte os Srs. Bodrigues Torres ,
Henriques de Bezendee Silva Ferraz, e a dis-
cussao fica adiada pela hora.
Contina a segunda discussao do artigo 2. e
seus paragraphos do projecto de decreto do Sr.
Bodrigues Torres, sobre sesmarias e colonisa-
e;iD. com as emendas apoiadas.
Sao apoiadas varias emendas ao artigo em
discussao, em ;que tomao parte os Srs. AI ves
dos Santos, Bodrigues Torres, e Angelo Cus-
todio.
Contina a discussao do projecto, e tem a pa-
lavra o senhor Bodrigues Torres, que sustenta
o artigo em questao, e combato as differentes
objeccoes que tem sido (citas ao projecto.
Falla ainda mais sobre a materia o Sr. Albu-
auemne. e inlgo-SS discutido c artigo coi a
la qualidade, numero e valor das mes mas
causas. Posto que esta exigencia nao podesse
ser plenamente satiseita pelas rases apo-
sentadas pelo respectivo secretario no oflicio
que acompanha os papis constantes da rela-
tan inclusa com tudo de sua informaeao
consta que duas revistas forao denegadas fa-
zenda publica por aquelle motivo. O gover-
no j deu as nicas providencias que cabem em
sua aleada no s a respeito das causas em
questao mas tambem para quo se nao re-
pito factos similhantes, mas nao podendo
com ellas reparar o damno que pode provir
fazenda julgo do mcu dever sollcilar do
corpo legislativo a nica medida que convern
aos interesses da fazenda que a dispensa do
lapso de lempo para as mencionadas causas ,
mandando-se oxpressamenle que ellas entrem
de novo em julgamento no tribunal, e pro-
videnciar-sede modo cfficazpara que para o
futuro nao posso caducar pelo mesmo mo-
tivo os recursos quo forem mimoslos por
parte da fazenda publica : e cumpre-me por
esta occasiao ponderar tambem quo julgo
mnito conveniente que se determine por lei
;'jc J ora m uta uta seja leito cx-oflicio o pre-
paro de todas us causas da fazenda tanto no
liem que reconhecamos que indispensavel
a creacao de urna universidade posquepor
uni\ersidade entendemos o governo superior
o centro de regularidade e de harmona dos es-
tudos pblicos, eque actualmente nao ha pa-
ra o ensino publico nem centro nem regu-
laridade nem harmona de modo que sao
quase improlicuas as immensas sommas que
com elle se despendem todava adiamos que
o projecto nao pude ser adoptado ; pois a nero-
li ma dcslas vistas satisfaz. A titulo de univer-
sidade d-nos elle mais duas faculdades supe-
riores corta o luxo apparaloso de dous cursos
de direito de dous cursos de medicina podo
ludo sso ser ptimo mas s isso, o que se
quer ? nao por certo : nao carecemos de urna
lei de uuversidado para to pouco. Urna lei
dessas deve crear autoridades que presido ao
ensino publico, determinar os meios de ins-
peccao dessas autoridades sobre as diversas fa-
tuidades sobre as diversas aulas menores ;
sobre todas as aulas primarias ; deve marcar
ludo o querespeita harmona de disciplina e
de doutrina em tudoquantose ensina nopaiz,
desde os primeiros rudimentos das letras at
as mais sublimes theorias da scienca : o pro-
jecto nem com isso se oceupa.
Alem de incompletissimo, o projecto no-
civo suppondo mesmo que sao excusados os
dous cursos de direito, e que um s na cor-
le seja suliciente, suppondo mesmo que ,
para abastecer de mdicos a nossa patria baste
a escola de medicina da corte quem nao v
que considera ndo as nrnyjnjinc J.c Pau*
de Pemambuco da Bahia como de immen-
sa vantagem para si a existencia dessas fscolaj


? f\ ?
a
superiorioros quor pela facilidado com que
pode por ocoasite do I fas ser educada a sua
mocidade quor pola dependencia em que
darlas lete as outras provincias que tem de
inanfaiom para ellasajbgnsdosseus mancebos,
quer pola aetividadcflu prodcete que essaj
escolas animte rouniudo tintos consumido -
res, ha de esso projeeto dar pretexto para novas
queixas alimento para novos odios essepro-
jeeto que Pcil mente ser considerado corno fi-
ltro do dnsejo de acabrunhar as provincias em
proveito da corte? Ji nteouvimos porque a
provincia do Rio de Janeiro mais prospera
do que as mais pirque, mimos dividid.i por
tristes rivalidades mais applieada ao trabalbo
productor, go/.a do mais salego o de mais
opulencia, porque ernlim dos ministros actuaos
dous sao d'aqui fillios e todos aqui estabcle-
cidos nao ouvimos ja al no centro da repre-
sentadlo nacional queixas contra a falta de re-
presentantes das localidades no ministerio ,
brados contra o gabinete que s se oceupa com
o Rio de Janeiro vociferarles de que as leis
se fazem para vantagem do Rio deJaneiro ?!
Tudo isso 6 de clamorosa injustica mas em
um paiz de tantas rivalidades como o nosso ,
de tanta o tao e-tupido bairrismo quom nao
v quantos perigos oncerro sirnilhantes provo-
cacoes quem nao v quanto maiores serteos-
ses perigos se com a lei da universidade Ibes
dennos urna oecasio plausivel de se exacerba*
rem ?
E mesmo quando assim nao fosse mesmo
quando nao bouvesse essa triste disposicao dos
espiritos mesmo quando fosse til a suppres-
65o da faculdade de medicina da Rabia e dos
'cursos juridicos de S. Paulo e de Mina*, seria
ella justa assim decretada sem maior exame ?
Entendemos que nao entendemos que as ci-
dades do Recito da Rabia e de S Paulo ,
tem por assim dizor um dircito adquirido a pos-
suircm esses cursos, direito do que nao devem
ser esbulbadas. Com estabelocimentos desta
ordern crca-se orna parte da popularan de-
dicada a serviros especiaos populadlo que pa-
dece desde qne cossa de existir o estabeleci-
mento ; corlo bem estar se espalba corta ci-
vilisacao se dissemina ; e tudo isto conslite
direitos que tem ascidades doladas de taes es-
tabelecmcntos de os verem continuar.
Quando tudo o que temos expendido assim
no fos-e o mais simples conheciment dos
elementos das maiorias devia fazer sentir que
similhantc projeeto nunca passaria na cmara
temDoraria pois encontrara mais de 50 votos
de opposieao necessaria : a prudencia aconsc-
I baria i que nao fossem ellesaffrontados.
Aindamis urna observadlo: nao fazemos
injuria aos sontimonfos de ordem que animan
a popularte da capital mas quando se repara
na lacilidade com que aqui se fazem revoluros,
na presteza com que as revoluros aqui feitas
Sd ptopagSo sao acceitns em todas as provin-
cias (eremos tanta conianca na vigilancia das
autoridades e na sua forra que nao duvidemos
reunir aqui numerosa mocidade onllusiasla,
turbulenta inexperta e fcil de ser Iludida ,
arrastrada em consequencia de seus poneos
asnos para a enlregarmos aos fautores de a-
narebia ? Essa consideradlo nio deve sor des-
presada ; lenibremo-nos da parte activa que
tomou a mocidade das escolas franeczas nesses
motinsque perturbarte Pars no lempo da res-
tauradlo c que os conspiradores da tribuna
pro\oea\te, 'em bremo-nos que urna das medidas
entao lembrndas ao ministerio qneviiomal
e ntelhe poda remediar foi a romocao para
outras cdades das escolas de dircito e da de me-
dicina e digte-nos so a ordem pupl ea tem
entre nos tao seguros oslos que possamos as-
sim de amor em graca correr o risco dessa
experiencia.
Entretanto sera preciso, para croar-so a nni-
ver-idade brasileira affrontar tanlos perigos .
ofTender lanas prolongos despertar (antas
ojiposires ? Nao de oerto pde-sc conser-
vando as escolas superiores que exislem o on-
de existom croar-Ibes um centro commum
que as dirija A universidade de Franca divi-
de-se em 4 academias ( cbama-se academia a
reuniao das diversas facilidades superiores ) e
se em Paris existom todas as diversas aulas que
formo urna academia, existe em Montpellier
urna celebre escola de medicina em Crono-
bla em Poitiers ha escolas de direito em
Leyao c Strasburgo escolas de thoologia em
Dijon cm Tolosa escolas de scioncias ern
Rcsancon em Caen escolas do letras, alem
de muitas outras que omiltimos : quo difTinil-
dade pois haveria em crear-se no Rio de Ja-
neiao a universidade, (cando olla, por ora ,
dorn as suas escolas de direito e de medicina na
Babia, em S Paulo, eomOlinda?
So Gxcessvo o numero das escolas da mos-
ma faculdade e se a despeza que com ellas
se faz nao li i compensada polas vantagens
dellas provenientes ha um meio de gradual-
mente cxnguil-as sem ofTender direitos nem
prct delerinine-se que toda a aula que
nao tiver um numero certo de alumnos ( 10 Ira, foi absolvido do prlmelro e condemnado I ti soffrera esses desgranados, qando sei acha-
nue se empregou para chamar a ordem esses I-
ludidosoi a palavra de paz, fora as mximas
curso que tres annos seguidos tiver a*sua pri -
moira aula feixada fique sapprimido ; dndo-
se apenas a continuante de sua existencia al a
formatura dos alumnos nolle ja matriculados
\-sim e croando so no Rio de Janeiro urna
escola de direito mais completa e molhor pro-
vida do profe-sores a pouco e pouco o pro-
prio intoresse dosestudantes fara ir desappa-
recendo os cursos quo de facto forom excu-
sados.
Costumte objectar contra a reuniao dos es-
bidos no Riode Janeiro: l., a carestia dos gene-
ros oapouca salubridade dacidade; 2., o
numeroext aordinario dedivortimootosque dis-
trabiriao a mocidade. Nem-um valor damos
a estas objeeges o se s ollas encontrassem o
projeeto quo o senado discute sustenlal-o-
iamos com todas as nossas forcas. O Rio de
Janeiro 6 como todas as capitaes : aqui quem
quer viver com luxo o apparato muito des-
pende mas tambem quem quer viver com eco-
noma acha commodidades que em parto al-
tudant* de medicina que sem fazer milagros ,
aqui vive molhor e por menos preco do que
um estudanlc de direito em S.Paulo. Quanto
a salubridado do clima, nao nos deixemos pre-
oceupar de pnicos terrores, nao argumente-
mos sob a inlluencia da escarlatina compa-
remos o numero de bitos com o da popula-
cao e veremos que o Rio de Janeiro nao me-
rece as arguiees que Ihe faz o valetudiuario
Paula Sousa. Quanto as distraeges, sabe
to <> mundo que nao as ha licitas quem para
lias tem inclinadlo acha-as logo illicitas. O
ogo e o mais oceupte as horas que aqui sc-
rite talvez desperdiradas nos theatros dos
pie sao pouco applicados. Nao c pois seno
oorquo 6 incompleto seno porque offende
>s direitos e as pretonces de algumas provin-
ias quo suppomOs dever ser molhor meditado
> projeeto de crcacte de urna universidade.
( O Brasil. )
PERN&MJCO.
sentenga passou emjulgado.
f>ia 29.Foi julgado oreo Fells Jos do Ro-
sario, crioulo, solteiro, Rrasileiro, offlcio do
carpina, aecusado pela iustga d escravosde Francisco Jos Ruarte, e defendi-
do pelo advogado o Dr. Alcanforado, foi con-
demnado em quatro annos e meio de gales e
multa de 12 por cento; a sentenga passou em
julgado.
Pia 30.Foi julgado o reo Antonio Bordes da
Fonceca, branco, casado, Brasileiro, advogado,
aecusado pelo procurador do brigadeiro Jos
Joaquim Coelho, do crime de calumnias e in-
jurias impressas no Paquete do Norte, de que e-
ra editor, defendeo-se o mesmo reo, foi con-
demnado em 12 mezes de prisa5 e multa ; a
parte offendida pordoou, de que se lavrou ter-
mo.
Da 31.Foi julgado o reo Tito Geminianno
Macedo. branco, solteiro Brasileiro, ex-solda-
do de polica som olcio, aecusado por D.
Joanna Francisca da Conceica, viuva do as-
sassinado Luizde Castro Oliveira pelo orgafl rio
seu advogado o )r. Luis Paulino Vellez do
(luivara defendido pelo advogado o Dr. Jos
Francisco do "'aiva. foi absolvido: e a senten-
ca passou emjulgado.
Dia fdesetembro.
Foi julgado o reo Manoel do Espirito Santo
Miranda, pardo, solteiro. Brasileiro, offl no de
carpina em segundo nlgamento aecusado
pola justica de crime de furto do escravode Anto-
nio de Jos Carvalho Raposo, defendido pelo
advogado o Dr. Antonio Jos Poreira, foi ab-
solvido: a sentenca passou em julgado.
Dia 2.Victorino, crioulo, Brasiloiro, offlcio
de carniceiro, escravo de Joaquim Francisco de
Mello Cavalcanti, aecusado pela justica do cri-
me de homicidio no preto Lull Cangalha. escra-
vo do Jos Joaquim Rodrigues da Silva, em
18i0 de tentativa de ferimento ao cabo da pa-
trulha que o Drendeo, e de uso de armas pro-
hibidas defendido pelo advosado o Dr. Jos
\ntonio Pereira Ibiapioa, foi condomnado em
ftOOacoites, e ferro no p por dez annos; asen-
tenca passou emjulgado.
Dia 4.Foi julgado oreo Antonio Jos da
Costa Maia, branco, casado, ostrangeiro, of-
flcio do alfaiato acensado pela justica de crime
de homicidio em Frei Caetano de Santa Engra-
cia Muiiiz e Ignacio Pereira dos (Prazeres
Cardoso, defendido pelo advogado o Dr. Felip-
pe Lopes Netto, foi absolvido ojuiz de direi-
to na5 se conformou com a decisa do jury, ap-
pellou para a relacaS.
" nuwn m pkimimp.
TRIBUNAL DOS JURADOS.
Quarta sessao sob a presidencia do Dr. Fran-
cisco Rodrigues Selle juiz ds direito interino da
segunda rara do crime.
Dia 18 de agosto.
Foi julgado o reo Manoel de Miranda Sousa.
branco,brasileiro,aecusado pela justica porcrime
le ameacas defendido pelo advogado Or. Jos
l'rancisco de Paiva, absolvido; e passou a sen
tenca cm julgado.
Dia 19.Foi julgado o reo Joaquim Matheos
Vianna. branco, solteiro, estrangeiro aecusa-
do pela justica em crime de lenmentos graves
no Portuguez Manoel Rodrigues da Trindade,
defendido pelo advogado I Ir. Jos Bernardo
CalvaS Alcanforado, foi absolvido; a sentenca
passou em julgado.
Foi ulgado o preto Antonio, Angola, oflicio
de alaiate escravo de Joaquim Jos de Abroo,
acensado por crime de ferimentos no pardo Bru-
no, escravo de Manoel Pereira de S aecusado
pela justica, defendido pelo advogado o Dr. An-
tonio da Assumpcte Cabral, foi condemnado em
lusentos acoites; a sentenga passou em jul-
gado.
Da 21.Foi julgado o reo Jos Antonio Gon-
ralvesFlorenco, pardo, casado, official do pe-
Ireiro, aecusado pela justica do crime de uso
le armas prohibidas, defendido pelo advogado
o [ir. Podro lieltro Araujo Pereira foi con-
tinuado em 35 dios de prisa; a sentenga pas-
sou em julgado.
Dia 21.Foi julgado o reo Manoel Calisto dos
Santos, pardo, casado, Brasileiro, trabalbador.
aecusado pela justica de crime de uso de armas
prohibidas, defendido pelo o advogado o Dou-
tor Antonio Jos Pereira, foi condemnado em
35 das do prisao; a sentenga passou emjul-
gado.
Dia 23.Foi julgado o reo Jos Ribeiro dos
Santos em segundo ulgamentn branco, casa-
do, Brasileiro, officio de carpina, aecusado pe-
a justica do crime de uco de armas prohibidas,
defendido polo advogado Dr. Antonio da As-
sumpcaQ Cabral; foi absolvido.
Dia 25.Foi julgado o reo Joao Thomaz de
Baroellos, branco, solteiro. Brasileiro, offlcio
dealfaiate, aecusado pela justiga por crime de
eiimentos na crioula Anna Thomsia de Aqui-
no, defendido pelo advogado o Dr. Antonio Jo-
s Pereira, (oi condemnado em 30 das de pri-
safi simples; a senlenga passou em julgado.
Dia 26.Foi julgado o reo Maooel Romao da
Silva, crioulo, casado, Brasileiro, officio de
lerreiro, aecusado pela justiga de crime do of-
lensas physicas no crioulo Manoel Felis do Es-
pirito Sanio, defendido pelo advogado o Dr.
Antonio Jos Pereira, foi condemnado em 30
dias de prisa simples c multa; a sentenga pas-
sou em julgado.
Dia 28.Foi julgado o reo Francisco Casimi-
ro Paz Barreto, branco, solteiro, Brasileiro, la- j guigdes, que s existem nos seus escriptos" da
vrador, aecusado pela justiga decrimedeoffen- a entender, queogoverno deve perseguir esses
cas physicas em urna preta escrava e de uso j entes, concentrados em um canto da provincia,
li- ;irmas prohibidas defendido p?!0 oDr. Luis Paulino Cavalcanti Vellez do Gima-j nistras, como se nao fra bastante tudo quan-
do Evangelho proferidas pelochefe roligioso da
provincia quem hoje essa opposigao ener-
gumenaJiberalisa apodos e insultos: emquanto
que o systema de destruigao, custando rios de.
sangue, e grandes saeriflcios pecuniarios,
pouco conseguio e esse mesmo fraco trium-
pho obtido seria efemoro, so a dogura e moral
da religia nao derramasse salutfero balsamo
sobre as feridas, que a guerra havia aberto com
escndalo e horror geral.
Entretanto o Intrpido que afirmou, por car-
tas de nna e Agua-preta, que os Calanos ap-
pareciao armados amcacavte, -&c. &c. em &
do corrente, nao teve o cuidado de dar por fal-
so o seu rebate, como o faria se eslivesse de boa
f nSo tendo sido posteriormente confirmada
essa noticia,quo nao deixa de ser desuainvoncao,
como as circunstancias o esto denunciando ; e
podemos affirmar, que at hoje (11) nada consta
de similhantes movimentos.
N.io contente porm o Intrpido com a in-
vencao do aleive com a imputacte da culpa-
hilidade do facto, dado por elle como existente,
assentou que vinha muito proposito descobrir
as suas desconliangas, de que o Exm. Presiden-
te procura fundar urna Monarchia ek no Norte ,
da qual elle venha ser o primoiro ministro.
Esta desconfianca he to real como ste todas
as outras asserces do Intrpido: seria na ver-
dadeadmiravel, que aquelle, que quer fazer
desta provincia urna colonia do Rio dt Janeiro,
quizesse agora fazer delta urna nova Monarchia
ou cousa que o valha ; e que para isto se come-
casse por urna cabanada. Felizmente ninguem
por aqui er<5 om taes patranhas ; todos sabem ,
quoalgum alTeicoado do cabano, que por ah
ainda existe esta hoje na opposieao da praia ;
e assim como nao se da ouvidos taes aleives,
tambem nao se di T das de friis patacoadas ,
e fanfarrices do Intrpido que s para isto he
que tem intrepidez.
COMMERC. _
Alfandega.
Rendimento do dia 11.......... 7068309
Nao ha descarga para boje.
Hovimento do Porto.
Soosjornaes da opposigte nao sahissem des-
ta provincia se elles nao servissem de arma i
homens que no delirio de suas paixoesnao-
ha a qualidado dos meios para suas ignobeis
vingangas, se esses peridicos emflm nao fos-
sem na corte excitar receios o tocar o alarma ,
nem nos nos daramos aotrabalho de destruir as
uas intrigas, e por ao olho do sol as suas fal-
'idades, nem elles terio tanto afn e diligen-
cia em urdir umase inventar outras sempre
com urna constancia com um cinismo cada vez
mais espantosos. Para me'hor preencher os
seus fins, ellos aguardiio os dias do sabidas do
paquetes para a publicago de suas gentilezas;
porque assim tem a certesa do nao chegar l a
parda mentira a verdade, que lhe neutralise os
effeitos.
Assim vendo-sea pandilha adoscobertosobre
a Intriga da intenga do governo provincial l-
ser opposigao ao governo geral inventaran in-
mediatamente outra. que fisesse crer no Riode
Janeiro, que a provincia nao eslava tranquilla ,
o inventando essa mentira procurarte logo, na
forma do seu coslume, faser recahir o motivo
dessas perlurbages sobre o mesmo governo ,
que todo se esmera em manter a ordem, que
tanto desespera a opposigao. Desta vez foi o In-
trepido,como o mais despejado mentiroso,quem
se encarregou de espalhar a nova falsidade, por
via do Diario-novo onde elle est habituado a
vasar a sua ptrida bilis contra os homens,
que seu despeito trabalha peja manutengan
da oidem publica
Nem nos venha alguem disendo, que elle po-
da ser engaado ou mal informado, nao; elle
hoque quor informar mal, e cnuanar a todos;
porque sabe muito bom. que a porturbaga, que
figura existir no Bonito, o Garanhuns, (diz el-
le mesmo que nao sabe se tambem Garanhuns)
he urna patranha de sin invencad; que os cha-
mados cabanos esta tranquillos; e que a po-
pulaga mansa e pacifica desse- lugares nem es-
t assustada nem tem motivos para o estar
Solta a mentira descarrega o Intrpido a
supposta culpa dos imaginarios movimentos de
Agua-preta eJacuipe sobre o governo provin-
cial, que foi (diz elle) quem a mandou faser pa-
ra haver occasia de se formaron processos e
seeflertuarem prisese outras perseguiges.
Muito ardente he o desejo da pandilha de
sofTrer um martyrio de poucaentidade na rea-
lidadc porem sufTiciente para Ibes dar nomoa-
da triste mas para elles ainda assim pro-
veitosa e em quanto clama contra perse-
Navios entrados no dia 10.
Inglaterra ; 37 dias, brigue transporte inglex
Reift, coinmandante o tenente Douglass.
Rio de Janeiro ; 9 dias, barca ingleza Maxiny
de 260 toneladas, capitte Y\ m~. Cuvie, equi-
pagem 10, carga pedra.
Rio de Janeiro ; 9 dias barca prussiana For-
tuna de 309 toneladas capito John Golf
Clarin equipagem 12 carga lastro.
Rio Grande pelo Rio de Janeiro ; 32 diss ,
brigue brazileiro Jpiter, de 248 toneladas,
capito Manoel Ltti aos Santos equipagem
14, carga charque.
Navio entrado' rio dia 11.
Aracaty ; 25 dias hiato brazileiro 'linda,
de 49 toneladas capito Manoel Gongalves
Simas, equipagem 8 carga couros, e sol-
la : a Manoel Joaquim Pedro da Costa.
Editaes.
A cmara municipal da cidade de Olinda a
seo termo em virtude da lei, $c.
Faz saber que nos dias 14 18 o 20 do-
corren te mez sero arrematados por quem mais
der os contractos seguintes: dos mscales e ho-
cete! ras as casinhas da ribeira o repeso dos
assougues o subsidio dos porcos, casa da pl-
vora do Manguind e aferigao dos pozos e me-
didas, devendo os portendentes app recerem
habilitados e munidos dos competentes fia-
dores. E para que chegue a noticia de todos
mandamos fazer o presente, que ser publicado
nos lugares docostumeepelaim prensa. Cidade de
Olinda 11 de setembrodo 18*3.- Jos Joaquim
de Almeida Guedes, presidente. Jodo Paulo
Ferreira secretario.
- Em observancia ao capitulo 2." 19 da le
provincial n. 120 de 8 de maio do corrente an-
uo cada canoa, quecondusir agua do Vara-
douro, pagar por cada vez 2*0 reis, tendo prin-
cipio no dial.* de outubro do corrente anno.
t para que chtigue a noticia de todos manda-
mos publicar o presente pela imprensa. Cidade
de Olinda 11 de setembro de 18*3. Jo* Joa-
quim di Almeida Guedes presidente. Jo
l'aulo Ferreira secretario.
-a* J !
Ueclaracoes.
lia
O paquete inglez Seoift recebe a mal
para u nio de Janeiro u Babia uoj *<(
do corrente as quatro boras da tarde.


' m
bs de lato fino auenTnJTLr m?.?11 V" e <8 23 annos' que M,W lavar e enSom- l"6"1 elfo he. Fitas Marinho Foleto d'Al- na Pies, e Eduardo Rurlo os quaes perderSo-
so juntos;a pessoa que osachou, querendo en-
t.-.,... .. Atmlmm mi r. ...... ,1 13....-!. l.-_. *.____!
querendo urna de 26 annos. que tem o I buquerque Maranko.
na salla de sua W^ri mpareca mar, querendo urna de 26 annos, (
Ml J ,0 COrrent S 10 h0ras da ma" o sobrado defronte da groja da Lu-
deo^'quS'SnL'^,! S8f 8PPre!en- r^?*-*?*^" daSilva **
corren-
preta lugida lempos
coda, Chaaas L/S* ^SEcS??? e deo, her de urna preta ugid. te
0 as Lhagas algueiro subdelegado sup-
plento. v
==0s Srs.accionistas da Companhia de Be-
biribe s5o pelo prezente avizados a cntrarem
com sois por cento, por tonta da segunda pres-
tado dosuas respectivas acedes, no prefixo pra-
so de 40 das a contar desla data. Escriptorio
da Lompanma 2 de Setembro de 1843 O
secretario B. J. Fernandes Barros
Avisos martimos.
tenha a bon ade de ver se ella tein os signaes conhcida a assiy natura.
mu i i,..- 1/.......i: i .i. *' t -. .
O ahjixo assignado faz sciente que ven-
deo o seu armazem da ra da Praia n. 49 ao
seu caixeiro Elias Marinho (cando os dbitos
para o embodo do mesmo Sr. por saldo de ion
tas; e para que conste a todas as pessoas que
se achia debitadas fez o presente. Recife 18 de
julho de 1843. A rogo do Sr.. Antonio Pinto
Soarcs Amonio Pinto de Souza. Eslava ro-
Para a Babia, at o dia 20 do correte mez,
por ja ter parte de seu carregarnento sahir
o muito veleiro patacho nacional Conceico ;
quem no mesmo quizer carregar, ou ir de pas-
eagem dirija-se ao capito Juaquim Jos Anto-
nio, a bordo ou aos consignatarios Novaes &
Companhia
Para oAracaty sahir nodia 22do corren-
te mes o patacho S. Jos Vencedor capito
Manoel Jos Riheiro ; quem n'ellc quizar car-
regar dirja-se ao mesmo capito ou a Manoel
de Souza Coulo no Forte do Mallos.
Leudes.
i Kalkmann & Roscmmund farao leilao. por
mtervencao docorretor Oliveira do grande e
variado sortimento de fazendas Irancezas, suis-'
as o allems tanto de seda 15 e linho, co-
mo d'algodao mui proprias pura este mercado ;
terca fe ira 12 do correte s 10 oras em ponto,
no seu arma/em da ra da Cruz.
Johnston Pater & C farao leilao, por in-
tervencao do corretor Oliveira, de grande sor-
timento de suas bem condecidas fazendas ingle-
zas : quarta eira 13 do correte as 10 doras da
manda impreterivelmente no seu armzem da
ra da Madre de Dos,
Avisos diversos.
seguales: Rcnedila de nacaoCambind'a, de
iO annos de idaJe pouco mais ou menos, esta-
tura regular, cor mcia fula tem marcas de
bextgea, dentes podres, falta de cabellos na co-
ra da cabeca com um lavror na frente dos
pcitos proveniente de fogo e fugio no me/; de
setembro de 1832, com um taboleiro de fa/en-
dus sortidas; no caso de ser pode-a mandar en-
tregar no patio de S. Pedro casa terrea n. 6 ,
que ser gratificado.
Roga-se ao Sr. que na recita do dia 7
da sociedade Philn-Thalia trocou na platea um
edap o de pello leudo levado um novo, o dei-
xado em seu lugar um outro j bastante usado',
e com lumo que haja de dizer a sua morada ,
ou dm'gir-se ra Nova n. 31, a fimde desa-
zcr-se semelhante troca e do contrario passa-
r pelo disgosto de ver seu nome publicado, visto
ser presenciado por pessoas, que estavao ao p,
porem nao sabem so seria por engao.
Osbildetesdo2.'parto da 14 lotera a
favor das odras do Tdeatro Publico da cidade do
Rocife n. 837 pertcnce a Francisco Coelho da
Fonseca, n. 2008 pertence a Caetano Jos Hu-
ir emeio bilhete da mesma lotera n 1891
pertence a Joaquim Manoel Pereira, todos do
Cear.
Aluga-se urna negra para o servico de urna
casa a qual cozinha, engomma, c lava ; assim
como se aluga outra com muito bom leite ; na
ra do Qucimado n. 41.
Precisa-sede um rapaz portuguez, ou bra-
zileirode idade de 14 a 16 annos, para caixei-
ro de urna venda, dando fiador sua conducta ;
procure na ra do Caldeireiro n. 88
lina crioula de bous costumes se oferece
para ama do cosa de horoem solteiro, ou de pou-
ca familia ; no segundo andar do sobrado da
ra do Collegio n. 10.
= Francisco Goncalves Reg pretende ir at
Macei e Rio de Janeiro a tratar de seus ne-
gocios levando em sua companhia um seu es-
cravo ; e roga a todas as pessoas, que tiverem
contascom elle, as aprcsenteirfcm tres dias para
serem pagas, ficando autdorisado do seus ne-
gocios Jos Vicente da Cruz.
=^(v)ucm tiveralgum cercado com sufficien-
cia para ter animaos, e quizer recebar duas
vaccas, para entregal -as depois do paridas, an-
nuncie para se tratar do ajuste.
t^ucm precisar deuma ama com muito
bom leite dirija-se ra Nova n. 18.
Jos Riheiro Manco c sua mulder Mara
do Rozario retiro-se para fora da provin-
cia.
=Pelo Dr. juiz do civel da primeira vara
desta cidade (indos os dias da le. se hao de ar-
rematar porexecuco de Jos da Silva Moreira,
os bens do seu devedor Rento Correia de O
liveira e Mello, sendo urna pon.o de fasendas,
12 cadeiras americanas em bom uso, urna ar-
maco de loja com caxildos, 2 bancas o um i ia-
lejo, o que da de ter lugar no dia 12 (leste mez
por ser a ultima praca ; quem nistoquiscr lau-
car se podor.i dirigir nesto mencionado dia as
4 doras da tarde a porta da residencia do dito
juiz.
Desappareccu de Fra de Portas urna ca-
noa aberta, de milheiros com os signaos seguin-
tes: est calafetada de pouco, tem as (alcas in-
teiras um dos inculamentos partido quasi
(regar, dirija-se a ra do Rozario larga tercei-
ro andar n. 30 que ser gratificada
=s Precisa-sc (.e um criado portuguez do 13
a 16 annos, para servir oesta praca dando co-
nhecimento do seo procedimento ; quem esti-
ver nestas circunstancias dirija-se ao segundo
andar do sobrado n. 15 da ra da Culeia de S.
Antonio das 6 horas da manbaa as 9 o de 1
hora as 4 da tarde.
- O abaixo assignado faz sciente a todas as
autdoridades e mais pessoas encarregadas de po-
lica que nodia 10 docorrente Ido desappa-
recco a sua escrava de nacao Angico ce nome
.Mara, de idade de 3a annos pouco mais ou
menos, com os sgnaos seguiotes estatura re-
Aluga-so para passar a (esta um sitio com
boa casa, cocheira e muitos arvorodos na Junl> a banco do me.o nao tem luco de for-
estada do Monteiro ; quom o pretender dirija- ''
sea ra Nova no primeiro andar do sobrado
n 58.
tem dois arganeis
Francisco Antonio das Cdagas comprou ,.
por conta do Sr. Bernardo Jos da Costa cin- ^ *n? ^T *" ^
comeiosbldelosda 2. parte da 14/ lotera sua conducta quemo pretenderannuncie.
. I l. .. 1 4 > i <>! .* ** rt 1 ..... ____.... 1~\' I m
. o em um dol-
lus urna corla e nao muito volda; quom del
la tver noticia ou souboraonde so acha podo
donuncial-a u padaria da ra dos (^uarteis n.
18, que recebar suas alvicaras.
= Aluga-so mcnsalmente um preto para
-Um moro portuguez "casado," e de reco"- !?' emPr<'ga,, em ^"f < olaria ; quem o
mecida capacidade, se offerece para caixeiro de hw P so lra,ar Juste-
Offerece-se urna ama para casa de homcm
soltero ou de pouca familia a qual engom-
ma e cozinha : na ra das Larangeiras n. 22.
dotheatro de nmeros 550 1551, 3526
3527 e 646.
lotera do tu i: a tro.
wHoje 12 docorrente mez
le setembro, correimpreteri-
vclmen esta lotera, e o resto
dos bilhetes acha-se t xench
nos lugares j annunciados
at s 10 horas da manh.
O abaixo assignado faz sciente ao publico.
e em particular aos seus constituintes que
mudou a sua residencia do patio de S. Pedro ,
para a ra do (^ucimado (outr'ora pratinha do
lyivramentoj sobrado n. 42, primeiro andar.
Felis Francisco de Souza MagalliSes,
Quem livor direito a um champrao quo
foi adiado na ruar na manda de 8 do corre-
te dirija-se ilda do Sr. Joao Maria adianto
do Hospicio que dando os signaes certos c pa-
gando o trabaldo, que douve em tiral-odagoa,
llie ser entregue.
A quem faltar urna onca pequea, do ta-
an do de um gato dirijase ra Imperial
n. 209.
Um homem portuguez de meia idade se
offerece para caixeiro de engendo ou para
feitor do obras aqu na praca ; qnem precisar
asonada.
=A Sr.* D. Maria Carolina de AIduquerque
o Mello tenda a bondade de mandar no largo
do Corpo Santo loja de cabos n. 17, ou annun-
ciar sua morada, para se Ide entregar urna carta
d'importancia vinda do Rio de Janeiro.
A pessoa que tem por mais de urna vez
annunciado ter um moleque para alugar daja
de esclarecer meldor a sua moradiu para so
tratar do ajuste, pois que nao de possivel aedar
na ra denominadas. Francisco sobrado n. 16
=Arrenda-se urna casa de 3 andares no
largo do Livramento com bons commodos, e
bastante fiesca; toda junta ou em separado ca-
da um andar ; ospretendcnlesdirijo-se na
do Vigario n. 13.
II C lina tnn!iani A pessoa que no Diario de 4 do corren-
te diz saber de urna escrava fgida lempos por
favor veja se lem os signaes seguintes: chama-se
Maria nacao Mocambique deve ter 39 a 40
annos tem o beico de cima furado tem urna
marca na testa e urna em cada face do rosto
imitacio de dois vintons, signaes da sua trra,
est fjgiia desde J834, v tamben) Ibe d o mal
de gota; no caso que Jonl estos signaos apo-
dera levar ra Bella n. 40, que se lh.; pagara
bem o seu trabalho.
~0 Dr. Antonio Vicente do Nascimento
Feitosa advogado nos auditorios desla cidade,
mudou o seu escriplorio e residencia para a
ra da Cadeia do bairro de Santo Antonio, pri-
meiro andar do sobrado n. 13.
= Alugao-se para se passar a (esta, ou por
auno no sitio do Cajueiro quatro moradas de
casas com commodos para grande familia e
um sitio com casa do sobrado na passagem da
Magdalena que se d por preco coimnodo ;
|uem o pretender v ao sitio do Cajueiro que
l se trata o preco
Na propriedade das Candeias pertencente
ao casal do fullee ido Podro L'thoa ha pedra
le cal muito propiia para com ella fazerem os
Srs agricultores bom assucar pelo novo melbo-
do e vende-se cada um carro pelo preco de
dous mil reis ; os pretendentes dirijao-se ao es-
criplorio do caixa da administradlo do mesmo
casal Jos Pereira da Cunha, na ra da Cadeia
do Recife n. 14.
Domingo, lOdo correr.te, desencaminhou-
se um negro com urna troxa de roupa suja, a-
marrada em um lenco, constando toda em ves-
tidos e carnizas de senhora ; roga-se a quem for
offerecida ou a tenda adiado o obzequio de
mandar avizar na ra da Praia Nova n. 10.
O abaixoassignado, ex caixeiro do Sr. An-
tonio Pinto Soares faz sciente s pessots, quo
se acdo deditadas com o armazem que foi do
mesmo Sr. que ojulgando de boa l deixou
de publicar o annuncio que abaixo transcreve
logo que Ihe comprou o armazem, porm como
o mesmo Sr. Soares se tenha tornado celebre,
cientfica ao rcspeitavel publico o indigno pro-
cedimento por elle praticado segundo o an-
nuncio publicado em o Diario-Novo de terca
(or K i!n frrente
nois A viwt-i ta nnniin/>in nnrhn" nrv\ jlj.
Oabaixo assignado, em attencao ao respei-
tavel publico responde ao aviso do Sr. Fran-
cisco Manoel da Silva 'Cavaros por seu bastante
procurador publi'cado no Diario n. 194. com
a escriptura da compra quo (ez do sitio Torre
na estrada de Bellem, a qual foi celebrada polo
cartorio do tabelliao Rizerra em 30 do abril do
1840, onde se poder ver para ajuizar-se acerca
do abaixo assignado. Jos Joaquim Bizerra
Cavalcanti.
LOIEEIA DE N.SKN:HO-
RA DE GAD'LUPE.
Tendo-se annunciado o andamento das rodas
desla lotera para o dia 27 do corrente, ficando
ou nao bilhetes, e como | se tenha vendido e
apartado bastantes bilhetes t.'in a irmandade
da mesma Senhora re/olvido electuar dito an-
damento no dia 20 do corrente mez visto ter
has ido grande influencia as compras dosdilde-
tes por nao daver descont nos premios confor-
me o plano j publicado,a irmandade da Sr.'es-
pera, que os amantes deste jogo concorrao
omprarem o restante dos bildetes que se acdo
a venda nos lugares do coslume e na praca da
Independencia loja de miudezas do Sr. Fortu-
nato, na ra do Cabug botica do Sr. Joao Mo-
reira Marques e na cidade de Olinda loja de
fazendas do Sr. Domingos nos Quatro Cantos.
= A fabrica de macbinismo da ra Aurora
aeda-se sortida de moendas de cana dos model-
los mais approvados ; machinas do vapor de
forca verdaderamente de 6 cavallos, tendo os
cilindros 16 pollegadas de dimetro interior;
ditas de forca de 4 ditos com dimetro de 14
pollegadas, dito de alto presso com dimetro
de 8 ditas, e forca de 6 cavallos, a boa exe-
cucao do todas he garantida ; laxas de ferro
em uso crivos e mais ferragens para assen-
tamento tudo feito na mesma fabrica onde
tambem se recebe encomendas de toda a qua-
lidade de machinismo.
= Dase dinheiro a premio sobre penhores
doouro ou prata ; na ra da Cruz n. 38, se-
gundo andar.
Roga-se ao Sr. thezoureiro da lotera do
theatro, quo nao pague os meios hilbotes da
2.* parle da 14.* loteria, sendo que sao pre-
miados os nmeros seguintes : 726, 1528, e
519 perdidos no dia 6 do corrente o n. 726
t'Sluiiuu u.vipi
__OSr., se annancca no ario n|""n ? nnwrresK, n "n"! >qv em suas psnsi aazic sssigav pvi
corren tesetembro querer comprar urna escra-j por elle feito, c que abaixo transcreve ajuizarol Eduardo Burle, e o n,15i9coraa lirma de Sen-
guiar no rosto tem os signaos de sua nacao ,
beicos groos, secca do corpo com o semblan-
te algum tanto fechado,quando falla, levou ves-
tido carniza de algodoznho, vestido de riscado
bra neo de algodao americano e por cima des-
tes outro decbita encarnada com flores brancas
j i volbo pao azul com a ourella blanca j
usado, o nao sendo estranho ao abaixo assigna-
do a casa aonde ella est oceulta por ter sido
seduztda ; roga a essa pessoa de a mandaren-
Iregar no praso de 3 dias em casa do rnesmo a-
baixo assignado, e do conrano o mesmo usar
dos meios que a lei Ibe faculta .' esta negra foi
escrava do Sr. Gualdino de Oliveira Jacome :
quom apresentar ser generosamen.'! recom-
pencado, em fra de Portas casa n. 96.
Joaquim Lopes de Almeida.
=. Pede-so ao Sr., quoannunciou no Dia-
rio de sogunda-feira do corrente de ver se a
preta, que tem em seu poder, ter-i os seguintes
signaes : Isabel, de nacao l.oanda de 34 a 35
mnos ile idade pouco mais ou menos altura
regular, muito ladina bem (allanto dentes
iberios, odos pretose muito vivos cor bas-
tante prola pes s ecos e coinprdos, com ani-
llos os ledos mininos virados para fora as cos-
tas com urnas poucas de marcas muito levanta-
das (este be o molbor signal doconhecel-a ) ,
que parecen) lerem sido cicatriza de chicote ,
ou de assoute, edeia do corpo cadeiras levan-
tadas andar approssado e coxiando por ter si-
do j surrada ella intitula-se de forra o po-
de ser qu tenha mudado de nome fugio do
poder de seu Sr. J. Saporite da cidade de Olin-
da em dezembro de 1835. no caso de ser a pode
mandar entregar na ra Direita no segundo an-
dar do sobrado n. 120, que ser generosamen-
te recompenoada.
= Precisa-se de um portuguez destes che-
gados ltimamente, para feitor de um engenbo,
sendo homem robusto de boa figura e acstu-
madoao trabalho ; na ra das Trincbeiras nu-
mero 22.
=s Urna Sr.' professra de primoiras letras ,
queensinaa muitos annos nesta praca, prefere
oxercer o mesmo em qualquer lugar no cam-
po quo nao diste muito da capital; se houver
quom tenha precisao de educar suas ilhas, pro-
curenarua do Cebo casa n. 10, que achara
com quem tratar.
O Sr. iMtiooel do Nascimento Pereira
quoira procurar urna carta vindu do Rio de Ja-
neiro ; na ra de 5. Amaro n. 10 na mao de
Joaquim Jos Vieira.
O Nazareno n. 22 e anteriores ach8o-se
venda nos lugares do custume.
No dia torva feira 4 do corrente saindo
da ra da Praia desta cidade urna preta de
Angola de nome Josefa lavadeira levou
urna poroao de roupa em casa de seus freguo-
/es, desaparecco levou vestido um vestido
branco saia do ganga azul panno da costa,
be de estatura baixa cheia do corpo cara
redonda com a testa um tanto ouvada muito
ladina est peijada ; a qual veio do Aracaly ,
e nosta praca foi vendida : qualquer pessoa ,
ou capito de campo que aprendel-a pode le-
va l-a a casa asobradada n. 27 no porto dos
Marlyrios, que ser recompensado.
Precisa-so de 600^000 rs. a premio com
bjpotheca em urna parle de um predio I ivro :
na ra do Livramento n. 13.
O Sr. Elias Emiliano Ramos qaeira
annunciar sua morada para se Ihe fallar a ne-
gocio que Ihe diz respeito on dirija-se A ra
Nova n. 55 das 6 horas da manbaas 9 e
das 3 da tarde em diante.
= Tirao-so folhas corridas e passaportes
para dentro e fora do imperio tudo com a
mais possivel hrevidade e preco mais com-
modo que pode ser ; qnem pretender dirija-so
ra do Rangel n. 34, que achdra com
quem tratar.
= Aluga-se urna casa terrea novamente edi-
ficada com quarenta palmos de frente com
duas grandes sallas, e seis quartos corredor
ao lado, com cosinha fra um grande quin-
tal murado c outro cercado com muito boa
agua de beber na ra da Solidado : quem a
pit'emjer (iinja-so a ra da Aurora casa
n. 58,
MUTILADO


No din 8 docorrente a urna hora da tar-
de furtarao da casa n. 41, da ra da camboa
do Carino ( alem de uutras cousas que os va-
dios nao poderao levar por ter sido pcrsenti-
dos por pessoa da mesma casa ijue deixaro
ao p da rotula ); levaro 6000 rs. cm sedu-
las um par do brincos com cornelindas en-
castoadas cm ouro o cada brinco tem duas
cornelindas ; pede se a quem for offereoido, ou
souber do mestno roubo de dar parte a mes-
wa casa ou annunciar; cujo furto supp5-sc
ter sido feito por urna sucia de meninos, que
infesto ao patio da Careno e as ras annexas;
pede-se tainbem ao inspector de quarteiro dos
referidos lugares, que para betn da humanida-
de tome em considerarlo, pois nao se ignora ,
o que el les sao.
Hoje as 5 horas da tarde se ha do arre-
matar as fazendas e trastes penborados a lien-
to C.orrcia de Olivcira e Mello por cxeeuciio
de Jos da Silva Moreira ; quem nellas quizer
lancar compareca as mencionadas horas na
porta da residencia do Sr. Dr. Juiz do Civel da
primeira vara.
Quem precisar de um menino para apren-
der a pbarmacia dirija-se ao atterro da Boa-
vista, venda n. h\.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da
esquina da ra das Larangeiras ; a tractar no
primeiro andar do mesmo.
A pessoa que annunciou ter em seu
poder una esclava, roga-se o favor de conferir
com os scuntcs signaes: altura regular, cheia
do cop(,o com marcas de cicatrizes em ambos
os r'ogeitosdos ps tem as nadegas bastante
marcadas de surras tem as costas algumas
marcas de chicote, um liilbo no beico superior,
de 28 annos de na; ao Catango de nomo
Joaquina desappareceo a 17 de Setembro de
1836 se (or a mencionada escrava pode a
mandar levara ra eslreita do Ho/ario n. 16,
primeiro andar, que ser recompensado.
Roga se a pessoa que segundo scu an-
nuncio tem cm seu poder urna escrava de ver
se esta tem os signaos soguintes; de nome
Francisca de nacao Congo boa estatura ,
bem preta oinbiguda esta fgida ou Cur-
iada desde 1825 sendo anda bucal ; se for a
dita escrava ter a bondade de mandar levara
ruadeAgoas verdes n. 70,quesergratiGcada.
A pessoa que annnnciou no Diario de
4 do corrente que linha em seu poder urna
escrava sendo que ella tenba os seguintes
signaes : lugio no da 11 de Agosto do corren-
ta anno de nomo Roza do 40 annos esta-
tura alta bem corpolenta rosto liso gordo
ocomprido, atesta com bastantes enrugas ,
peitos grandes, e de pelle ente elles lem bas-
tantes talbos, signaes da trra della que he
de nacao Gaicama cor preta tem as pernas
grossas ps grandes o carnudos quando fal-
la com alguem balanca com a cabeca tem os
olhos vcrmelhos ; pode a mandar entregar na
ra da Concoie,ao da Boa-vista n. 43 que se-
ra gratificado.
= No da 7 do corrente desappareceo da
liba de Anna Be/erra una vacca parida de no-
vo com os signaes seguintes : grande lisa ,
armaciio grande, a pona direita cerrada com
varios signaos as orelbas um del les he boca
de lobo na ponta da o rol ha furada ferrada
le novo no vas i > com um S, ubre grande a
imilaco de vacca tourina co be/erro be da
cor da vacca ; quem della souber participe ao
Fiscal da Boa-vista as Barreiras, que ser
recompensado.
Furtarao do engenho Rom Jess da Ma-
ta Freguezia da Gloria doGoit 2 cavellos,
um no dia 22 de Fevereiro do corrente anno ,
e o outro em 21 de Novembro de 1839 com
os signaes seguintes : alaiSo, capado de ida-
de de 8 para '.) anuos, de dinas e cauda ruivas,
tcmestrela na testa e da mesma desee urna lis-
tra branca at cutre .s ventas c faz p e en-
costa para urna dellas e bebe em branco en-
costa o braco para o mesmo lado donde encos-
t o p da estrcla lem 3 n s regacados, e dos
mesmos tem os casros broncos, tem no rucio
da p direita urna malha razilha tem os fer-
ros urn tanto apagados, que poco se perce
bem e fica um ahaixodo outro ; o segundo
he castanho sem nenlium signal branco s
tem pjsso e grande, poucocorpo, ecomprido,
quando anda abre algum tanto as pernas, tem
em um dos lados da va inferior um pinha de
calombinhos, em forma de berruga, tem pou-
cos cabellos as dinas o cauda poucoardigo ;
quando lurtarao tinha 6 annos; quem os pe-
gar leve ao mesmo engenho, ou na run da < on-
ceicao da Boa-vista n. 43 que ser gratifi-
cado.
= Quem tivrr direito sobre urna casa ter-
rea n. 73 do lado do nascente situada nos
AfTo.'ados na ra de MotocoPmb pertenc.cn
te a Tbereza de leras da Motta annuncie por
esta folba at o dia 1 \ do corrente para evi-
tar-se qualqucr duvida que possa apparecer ;
epara que nao secbamem a ignorancia, faz-
ge o presente annuncio.
Maria Joaquina do S. Thom professora
substitua das cadeiras de primeiras lettras de
meninas ensina particularmente ler, escrever,
contar, arithmetica o diversas qualidades de
costuras; tambem recebe em sua casa algumas
meninas de pessoas quo moro fora da cidade,
ou que morando nella as queiro confiar a
sua educaco : quem pretender utilisar se de
scu prestiino dirija-se a ra Direita n. 6i.
= Na ra de Hortas n. 130 continua-se a
receber meninas para aprenderein a 1er, cs-
ever, contar, elementos de arithmetica, dou-
ti na christfia coser bordar de seda e de
marca e fazer lavarinto pelo mdico preco
de mil rs.
VEITCH, BRAVO &C."
Vendem na ua botica e armazem de drogas ,
na ra da Uadre de Dos n 1.
A prepararlo seguinte por preco muito com-
rnodo e de superior qualidado.
Extracto fluido e concentrado de salsa-parri-
Iha da Jamaica,
Asmuitas experiencias sobre estas prepara-
edes tem feto conhecer sabia corporacao me-
dica, que compe o collegio de Londres, Edin
burgh e Dublin ser ella a nica donde se
podem colher os beneficios e salutares efeitos,
que se requerem nos casos, emquo so torna ne-
cessaria a indicaco da raiz de salsaparrilh.
V. B. & C* nao podem deixar de fazer urna re-
llexao s pessoas, que fizeremuso desta prepara-
do ; que vem a ser o nao ahusarem da pequea
quantidade, que prescrevem os praticos ( duas
colberes de cha duas vezes odia em moio co-
po d'agoa ) visto cada garrafa de doze oncas
conter a virtude de 5 libras de salsa parrilha.
Na mesma casa tambem se vendem tintas,
e todos os outros objectos de pintura ; vernizes
le superior qualidado entre elles um perfei-
tamente branco e que se pfle applicar so-
bre a pintura mais delicada sem que produ-
c alteracao alguma em sua cor primitiva. Ar-
row-Root de Bermuda,Sagi, Sabonetes, -
Salmo de Windsor,Agua deSeidlitz, Agua
de Soda,Agua de Seltz,Limonada gasoza ,
Tinta superior para escrever, Tinta para
marcar roupa,Perfumarlas inglc/.as,Fu-
as elsticas de patente,Escovas e pos para
lentes,PaslHhas de muralo de moiphina,
a ipecacuanba, Pastilhas finissimas de hor-
tcl-pimenta Pastilhas de bi-carbonato de
soda egingibre. As verdadeiras pilulas ve-
getaes universaes do D.r Hrandrth vindas
ilcseu author nos Estados-Unidos, &c &c.
Aluga-se um grande sitio na travessa da
Cruz de Almas, com boa casa de vivenda, es-
tribara, frente toda murada, bastantes fru-
leiras boa baixa de capim excedente agoa ;
a fallar na ra dos Coelhos n. 3 O'J com An-
tonio Pedro de Alcntara na ra da Concei-
cao n. 3.
= Francisco Turault participa ao respeita-
vel publico e com mais particularidade aos
amigos do bons bocados, que de hoje em di-
ante elles acharao a toda e qualqucr hora na
sua casa de pasto franceza da ra da Lingoeta
n. 2 toda qualidade de comida a francezas ;
assim como vinhos o licores de tudas as quali-
dades caf com leilc e sem elle pastis ,
pastelones empades de diversas surtes sala-
mes presuntos linguicas &<: ; e que se-
rio servidos com o maior aceio limpesa, e por
preco com modo. O mesmo Tarnult offerece-se
para mandar levar em as casas as comidas a
aquellas pessoas que com elle se ajustarem ,
diaria ou u.ensalmente ou por urna vez so-
monte; participa-se mais, que lodosos das
de manhaa um seu agente levar a casa de seus
frrgue/os pastis, pastelees, empadas lin-
guicas e chouricas france/es proprios para
a I moco.
Precisa-se alugar urna casa que tenba
bons commodos, e que seu aluguel nao exceda
de 128 rs. mensaes as seguintes ras : Ran-
gel Ribeira Agoas-verdes e patio do Car-
ino ; tambem se precisa de urna preta para o
ter vico diario : na travessa do Veras na Boa-
vista n. 7.
Pede-se a pessoa que deixou na ra
Nova n. 9 um relogio com transelim e um
annel de ouro, e urna caixa de prata empenha-
dos pela quantia de cem mil rs. baja de ir ti-
ral-os no praso de 3 das e nao o fazendo se-
rao vendidos para o dito pagamento e tirando
responsavel por qualquer reposicSSo que pos-
sa haver caso os penhores nao dem para o dito
pagamento.
Roga-se a Scnbora C. haja de por termo
as pessoas que lem em sua casa para que
nao ataquem as familias suas visinhas com
palavras escandalosas pois do contrario se da-
r parle a polica a fim de que as faca sabir da
casa ; isto Ihe avisa um olendido Pae de
familia.
ex Comprao-se jarros de louea de plantar
craveiros, novos, ou usados; nc ra da Cadoia
deS. Antonio, nodeposto de farinha n. 19.
__ Compra-se a poso, dinheiro de cobre
velho carimbado: na ra do Arago n. 8.
a Compra-se um negro ou negra, moca,
com habilidades ou sem ellas: na ra Nova,
loja n. 9.
V= Compra-se a obra Elementos de Hygie-
na por Francisco de Mello Franco; quem t-
ver annuncio.
= Compra-se urna escrava moca, boa co-
zinheira nao tendo vicios nem achaquos paga-
se bem; na ra da Cadeia de S\ Antonio n.
15 segundo andar das 6 as 9 horas da ma-
nha e de urna as 4 da tarde.
= Compra-se urna cadeira de ra ou pa-
lanquim em meio uso nao precisando de con-
cert ; na ra do muro da Penha sobrado do
2 andares n. 36 das 6 as 8 horas da manhaa,
e das 3 da tarde em diante.
Vendas
Compras.
Compra-se urna rabeca velha; na ra da
Cruz n. 10.
v Vonde se o livro intitulado Primeiras li
cesaminha discpulo em prosa obra uti-
lissima para os meninos que frequento as pri-
meiras letras pelo gosto e facilidade com
quo estudao as suas licoes ; as lojas do Sotte,
ra do Queimado ; e Cardozo Aires ra da
Cadeia do Recife por 640 : nos mesmos lu-
gares se vendem por preco commodo exceden-
tes traslados para escripia.
Vende se a praso, ou a dinheiro um
sitio com 228 palmos de frente e para mais
de 1500 de fundo tendo algumas casas na fron-
te ou tambem se vende s metada sendo o
dito sitio na ra Imperial do atterro dos Affo-
gados defronte da olaria; na ra Nova n. 20.
Vendem-se cortes de chitas muito finas a
3600 e 4000 ditos de cassade novos padroes a
800 ditos de setim de cores para collete a
2 e 3000 rs. gravatas de seda decores a 2400,
e chapeos pretos francezes da ultima qualida-
dade e lorma quo tem vindo ; na ra do
Queimado, loja de Guilherme Sello, n, 25.
Vende-se vinho branco superior anco-
ra de 9 caadas caf do Rio a 160a libra, al-
godao muito alvo a 60 rs. latas para manlei-
ga a 7000 o cento botijas de genebra de Ho-
landa a 400 rs. pares de ancoras oliadas ,
pipas quartolas barris e barricas vasias, vi-
nho a quatro patacas a caada toucinho de
Lisboa a treze vintens a libra vinho a 6 annos
engarrafado a 400 rs. a garrafa : as 5 pontas
n. 45.
= Vendo-se urna escrava de 18 annos de
naco Renguella cozinha e tem principios de
engommar; dous ditos de nacao um cozi-
nha bem ; urna escrava boa cozinheira refina
assucar e faz doces ; duas ditas para o servico
de campo ; na ra Direita n. 3, primeiro an-
dar.
Vende-se urna cabrinha de 12 annos, pro-
pria para se applicar em costura: no fim da ra
da Roda casa em que mora o Mesquita.
^ ende-se pnno de a'godao da trra ,
superior a 220 a v\ar\ r.a ra do Crespo n. 23.
Vende-se urn escravo do meia idade ,
muito barato ; urna lipoia nova muito bem
feita com todos os seus pertences ; no atier-
ro dos AfTogados n. 218.
= Vende-so um cavallo bom passeiro, pro-
prio para menino por preeocommodo; na ra
larga do Roza rio n. 50.
=Vende-mse pentes de tartaruga a moda de
penna abertose lisos; tambem se concerta
loda obra de tartaruga ; no patio do Carmo ,
loja do sobrado da esquina que volla para a
ra das Trincheiras n. 2.
= Vende-se potBSsa Russiana de boa qua-
lidade a 200 rs. a libra ; na ra da Cadeia do
Recife n. 12.
Vendem-se urnas poucas de canrtas de car-
reira que estao alrazdo Carmo velho; urna
porcao de caibros ; e aluga-se um armazem
grande proprio para qualquer oflicina na
ra Augusta : na ra do Rangel na esquina ,
que volta para o trem venda n. 11.
=Na ra da Cruz, escriptorio de Jos An-
tonio Gomes Jnior, n. 23 se vende por pre-
co commodo sacca6 com alqueire de farinha de
mandioca muito ina c alva feita na Mu-
ribeca.
Vende-se um par de casticaes de prata
novos com meio feitio por preco muito com-
modo ; na ra larga do Rosario, loja de miu-
dezas n. 35.
Vende-se urna canoa acabada de novo ,
que pega para mais de 1000 tijolos de alvena-
ria mui bem feita ; na ra de Appollo n. 32.
= Vende-se urna armaco e todos os mais
utencilios de urna loja de cera por pre^o com-
modo ; na ra do Rangel n. 3.
Vende-se calcado Americano urna cai-
xa com phosphoros caixascom cadeiras, con-
servas o outros objectos : na roa do Trapi-
che n. 8 casa de Henrv Forster.
__Vende-se urna mulata de 32 annos co-
se cozinha e engomma ; e um mulatinho
de 10 annos; na ra das Trincheiras n. 19.
__ Vendem-se marroquins de todas as co-
res cha, sapalosdoduas pullas de urna e de
urna" sola e meia sapatos de couio de lustro ,
marroquim e cordavao para sen hora e me-
ninas bicos e rendas finas largas e estreitas,
papel de peso e almaco couro de cabra.prepa-
rado esola tudo por proco commodo : na
ra Direita loja n. 2. ....
= Vende-se um negro de meia idade, pro-
prio para trabalhar em sitio ou outro qual-
quer servico ; no atterro da Boa-vista n. 3, se-
gundo andar.
= Vendem-se meios bilhetes da segunda
parte da decima-quarta Lotera do theatro, que
corre hoje 12 do corrente a 4300 ; na ra
da Cadeia do Recife loja de fazendas n. 37,
- Vendem-se 4 escravas mocas com boas
figuras engommao cozinbao o lavao urna
dita boa costureira e engommadeira; urna
dita boa vendedeira de fazendas; urna mulata
de 30 annos, boa ama de casa cose, engom-
ma e cozinha, o tracta bem de meninos, um
molcque peca de 18 annos boa figura he
bom canoeiro e serve bem a urna casa ; 2 ditos
de 12 a 14 annos muito ladinos e ptimos pa-
ra todo o servico; a ra de Agoas-verdes n 44.
= Vende-se um moleque Mozambique de
17 annos hbil para qualquer servico; e duas
cadeiras de ra, modernas, e cm meio uso ,
e um palanquim : na ra Nova n. 67.
= Vendem-se bilhetes da loteria do thea-
tro ; na ra do Cabug, loja de miudezas jun-
to da do Bandeira.
as Vende-se um cavallo bastante gordo ,
e bom andador ; na ra de S. Rita n. 22 das
6 as 8 horas da manhaa e das 3 da tarde em
diante.
=b Vendem-se chapeos francezes de seda ai
7000 borzeguins gaspiados para homem e
meninos de todos os nmeros sapatos de cou-
ro de lustro para ditos botins e meios ditos
de bezerro rancez e de Lisboa sapatos de
couro de lustro para senhora e meninas, bor-
zeguins gaspiados para ditas sapatos com pal-
la para homem e meninos, sapatos abotina-
dos ditos de entrada baixa inglezes botins
de lustro para homem, borzeguins de seda para,
senhora luvasde seda para homem e senhora ,.
ditas d pellica para homem, ditas eneitadas
para senhora, espartilhos para senhora a 1800,
ineias de seda para homem e senhora ditas de
algodao muito finas para meninas, lencos de
seda para gravata ; tudo por preco commodo :
na praca da Independencia ns. 11, 13, e 15.
= Vendem-se duas sabias sendo urna da
malta 3 canarios de imperio um corij 2
bicudos, dous casaes de rolas de Hamburgo ,
lodos hons cantadores: na ra de Hortas n. 13*
- Vendem-se meios bilhetes da loteria do
thealro, que corre hojo 12 do corrente; a
4320 : na praca da Independencia loja n.
40 do major Quaresma.
= No deposito de assucar refinado, esta-
blecido junto ao arco de S. Antonio, em fren-
te do caes do Collegio ha para vender assucar
refinado, segundo o novo systema de fabrica-
cao pelo qual se extrae a potassa e cal, dei-
xando-se-o no scu estado de pureza ; sendo o
preco da libra do de primeira sorte e em paes
160 rs. e o de segunda e terceira em p,
a 120, rs.
- Vende-se um botequim no Forte do Mat-
to ra da Lapa n. 4 ; a tractar no mesmo.
Escravos fgidos.
= Fugirao na noute do dia 3 para 4 do
corrente de bordo da sumaca Conceico Nave-
gante dous cscravos marinheiros, ambos de
nome Antonio sendo um de nacao Mina al-
to magro, representa 40 annos tem urna
ferida no tornozelo do p esquerdo ; o outro
he de naco Angola, baixo cheo do corpo ,
representa 30annos e lio quebrado; ambos
levarao calcas de haclao, o camisa de baCta
azul ; quem os pegar levea bordo da dita su-
maca cu a Amurim Irmos na ra da Cadeia
do Recife quo ser gratificado.
=s Fugio no dia 22 de Agosto p. p. do en-
genho d'Agoa da Freguezia de Iguarass um
negro crioulo oflicial de pedreiro de 30 an-
nos alto grosso do corpo bem parecido,
tem urna cicatriz em urna das fontes, ps e
m5os grandes foi vestido de calcas e jaqueta ,
levou toda a ferramenta com que trabalbava ,
chama-se Antonio ; quem o pegar sondo para
as bandas de Coianna poder entregar ao coro-
nel Antonio Alves Vianna ou a Joao da Cos-
ta Villar nesta cidade a Jos Antonio Alves
da Silva no becodas Barreiras na Boa-vista ,
ou no mesmo engenho a seu propiietario Hen-
rique Poppe Girao na certeza de que em
qualquer das partes ser generosamente grati-
ficado.
tSCi*s. Ti;, va M. F. de Farm, =l84d


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENS1UTVXB_L87DYL INGEST_TIME 2013-04-13T02:53:11Z PACKAGE AA00011611_05049
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES