Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05045


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1843.

".TTT"" WHM
Quarta Feira 6
a e-a Tin n..i \. .':-,, M tBrs .,
C4J1EIO
-.W-WOB
EXTERIOR.
de Setembro Anno XX. N. 192.
l'udo agora depende de n, meemos; d. ,,. prudencie, moderes;, .
__________ ( 1 fi>clmaS;iu da Assemblea Ger.I do Brasil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES
Oo.ar.na, e P.r.hyba, sendas e MXIM fcir.s. RO Grande doN >rte anime. f....
Bonito e G.rsnhuns, i ll e 24. 'luin,,s feir".
Cabo. SerinHaem, Rio Formo, Par Ciro, Mee.!, a Megos. 0 1 o e>,
Boa-vIst.e Flore j3e 2S. Sanio tallo qninias feir.s Olinda todo, o,' di..
/ DIAS Da. SEMA.NA.
4 aBf. a. Rota de Vilerbo V. F. Aud. do J de D. da 2. .
5 Icrg. e. Amonio M Re. Aud. do J de ]). da3. T.
fi Vuarl. S. l.ibania V ud do J. de I), da 1 t
7 Vjint. jejum a Joo' 1' M Aud do .1. de D. da 3. t.
* 3e*. i a. Nnt.Tidade de N'osia Senbore.
9 Sab. ,. Serjio P. Re. Aud do J. de 1). de t.
JO Hom. O Samissimo Nome de Mana,
O Pullo publicare lodosos dias q>ienm forrm S ttifleedoS! O preeo da essignutors
de Ira, mil res por [uartel pagos adianladoe Oj ennanoios dos sssisnsnie s.io inseridos
- eos dos -Mr n to forem \ rsan il<* s .;> aor linos. Kt reclamare* dereal aerdiri-
da Independencia loja de litros N. 88,
dia 5 de Setemliro. compre
f Csmb.o .obre Londres 2o. Ooo-Motda de 9,400 V. 10*00
Varis ,5 res por franco. .S -'J.tJ/
/V Lisboa il por 1UI) de,,rrmio. de 4,000 f.O
rBAT4-p.tscas *,>
Moedederobie 2 ror cenlo. Poto. CoUmnmi ,!i0
I!edelelrssdeboes6rmaa | |. Jl0| 1,910
PHASES DA LA NO MEZ DE SEPTEMBRO.
Las Cbeis a 8, ii. 4 horase .7 da tarde I I.ua no, i, Shorse 50 m. da iard,
yuart. mmg.ltf, sSboress 53m. d.t. | Ooert. oreso, I, as3horeje 3 m da maob;
Preama/ de boje.
* e< horas e6n. ds msnhia. ,. ,J ;,,;, | ,u larde.
Terds,
47 000
16.800
y,400
i,'J40
4,'.'4U
i,940
etmnasesasaamp*"*"--""smiin ni
PARS, 2 DE MAIO,
Escrevi a 29 do mez passado p,.|0 paquete o
de novo escrevo agora pela Amlia que amanhaa
devesahir do Havre, se alguna novo capricho
Ihe nao nser mudar de tenciio
O arontecimento mais notavel desloa tres dias
foi a fusta no anniversario do nomedeci-rei aun
hontern teve lugar. Foi um dia de prasor'ede
satisfarao para todo o mundo ;> exceDcafi da
pessoa a quem a fosta disia respeito de mais
perto. Dantos havia a noite um concert as Tu-
Ihenas, e durante ello OOturjiava el-rei anre-
sentar-se ao povo cercado d-d toda a sua familia:
esto anno nada d.sto ho.-vet om consequencia
da morte anda recente do daquo do 0r|(1;ins
As feridas do coracao do pai aindil n5o Ma u
completamente cer-.ada8 que a salisfag5o 0 .,
Icgna dos outros Mn de ser a (>||e u_
ma irona cru d 1Iouvc com tud() os compri.
mentos do cr,sluirie) durante os ^ se{,udo
disem osnaeJa Bocio, osorriso oficial esvoaca-
va deve'Aem quando ein torno dos |a(,os do
mona'.cha; porem os olhos experimentados nao
tinr.o ditTiculdadede perceber atravuz delle o
sOflrimento do interior.
Nao aconleceu a mesma cousa com o povo de
Taris, que teve, segundo o costme, urna far-
tadelade divertimentos o distrnecoes. Ao cahir
do dia (ui eu tarnbem com os mais para o jar-
dim do palacio das Tulherias, que cstava ri-
camente Iluminado, e lateralmente atulhado
de gente. Nada mais mgico do (pie o esperta-
culo produsido pela illuminacSo dos Campos E-
Jysios. Fes toes de loses pendiao do urnas ai vo-
tos para as outras; o alem destas havia espa-
ntadas pelo meio do bosque mullos militares
dellas, que produsiao orna claridade tao grande
como se fosso de dia. As arvores, pela benig-
nidadeda estacio, j estav3o completamente
vestidas; as luzes scintillando pelo meio da
espessura, fasiao um elToito maravilhoso ; e
cho de ferro est suspenso de um arco do
mesmo metal. Os ventos sao sempre lavora-
veis a mar sempre cheia. Quem querembar-
car Quatro senhoras entra em cada navio.
Ll parle a frota toda enfullada de amulase ga-
ma rdetes. Boa viagem!
O pequeo escaler apenas enlra em movi-
mento desee, como se as ondas se abrissem
pira lito dar lugar, esobe, como se o impulso
dado por ellas o levantasse As nuvens ; as se-
nhoras do gritos de susto e de prdser; e, de-
pois de alguns minutos deste singular ejercicio,
tem feito urna viagem a roda do mundo, sem
comtudoso haverem arredado do mesmo sitio.
Escotem, escutem! Quo harmona 6 esta que
daquella parte do bosque, apesar do inmenso
sosu.ro de todas estas ondas de povo aqui nos
vemter aos ouvidos? Oh! i urna banda de
msica que acola est ejecutando um concert
no meio daquellas arvores. Vamos ouvil-o !...
Depressa, depressa que o que stao ejecutan-
do 6 urna symphonia de Boieldieu.
Antes de eu ter rindo a Franca assentava
na rninlta consciencia que o talento musical nao
era para caberas francesas. A minha opinia
era que, desde o rei Pharamundo al Luiz Fe-
lippe nao tinha nascido em todos os 86 depar-
tamentos do reino ums compositor que pres-
tasse. Quando passei em Ruaoedcicom oso-
llios na estatua do bronse de Boieldieu soltei
uma.gargalhada porque nem ao menos o co-
nbecia do nomo. Bem vingado ests da minha
ineredulidade homem de genio! Bastou-me
ouvir aprimeira voz, no theatro da opera Cmi-
ca a Dama tranca para (icar entendendo
fernal. O destido que llio quer dar o que
diz a cantiga :
Qoer offerecl-o Josina',
E pedir-lhe om troca um beijo.
O amor e o desojo Ihe do lorcas, e ao mes-
mo lempo astucia. I.eva dentro do soio da ca-
misa urna porco de cinzas ; h proporclo que
vai subindo segura-sc com urna das maos, e
com a outra cheia de cinzas vai esfregando o
mastro para o tornar menoso^corregidio. Aju-
dado deste ardil j tem vencido a maior parle
da altura. Desta vez ninguem procurou atur-
di-locom alga/arras; todos oronhecem. lodos
saliem o que elle quer o todos Hte desejo boa
fortuna. Entretanto o trepador vai subindo.
C debaixo parece que nenhuma distancia o se-
para j do objecto dos seus desejos. Taml)em
elle assim o suppoe : estende o braco porm
apenas cliega gaiola com a pona dos dedos,
da um sarao para vingar anda meia pollega-
da. ... Oh desgraca Neste momento to rri-
lico atraicoao-o as forcasou a fortuna ; falli-
Ihe os pos precipita-so pelo mastro altaixo
com muito mais velocidade do que subir.
Adeos papagaio, adeos esperances, adeos
beijo !
inn:-^:-:^>ssKsrsBSSBSsstBfaTJsesl
depois do banho que acaba do lomar alguma
precisao deve ter de mudar de roupa. O resto
do torneio foi pouco mais ou menos no mesmo
goslo.
A soberba illuminacSo ga da casa da c-
mara (Hotelde Ville) o logo de artificio do
caes d'Orsay e as pantomimas militares dos
Campos Elysios, em que se representro mui-
to ao vivo os mais brilhantes leitos das armas
framezas em frica tudo isto merecera ama
descrpc5o particular masestou vendo pie a
hora da partida do correio corre atraz demim
pela posta e que apenas me dar lempo ( so o
der) para lazer urna excurso rapidissima pelos
andorraes da poltica. Accroscontarei tao so-
monte que em quanto todas as classes da po-
popularo de Pars se entregavSo sem o m-
nimo receio oo desconfanca de perigo aos di-
vertimentos do dia e da noite o governo pelo
contrario at onde poda ulgar-se pelos seus
actos ostensivos, eslava em ancias mortaes. Des-
de anteliontem todos os corpos de guarda e sen-
tinellas da capital foro dobradas; porto de 30
mil homens foro chamados aos quarteis e l
se tem conservado constantemente em armas do
ila e de noite cuido que at agora ; lizero-
- ^------------..v.- ........ .|UV UH, ll-,.'1(1 luciau-
U .erceiro aventureiro foi mais feliz. Era se a todos os corpos ampias dstribuicoes de mu-
mixlni i.. ,,u; .;., .. o .1..^.___J____I___ .. i _
os grupos sem numero de homens o de senhoras
que discorrio pelo bosque em todas as direc-
coes apresentavao a cada momento aos olhos do
espectador encantado um panorama sempre no-
vo, sempre intdressanl', e tanto mais delicioso
quanto mais variado Eraooutros tantos ran-
chos de bomaventura ios (po nos Ca
Elisios nao fabulosos gosavaS de felicidade
mais verdadeira do que a que os poetas da an-
tiguidade attribuio s sombras dos seus h-
roes.
Quem que pode dizer nom ao menos os no-
mes de todos os espectculos uns magnficos,
outros extravagantes e todos dignos de ver se.
que tiverao lugar em Pars as doze horas que
liontem S no Campos Elysios havia um ver-
dadeiro museo de todas quantas InvncSes os
homens poderao excogitar pura attiahir a curio-
sidade e o dinheiro de todos qoantos passavao.
Aqui est logo entrada da roa grande urna
pequea barraca mu pintadinha, mu boniti-
nha. Dentro dola est urna grande balance c
n'uiu dos pratosda balanca urna cadeira meia
estofada, u dono da tonda quer par forca que
eu me sent na cadeira para me pe ar. Eu pe-
que o talento d >s Amphioes e dos Orpheos nao
era mais exclusivo da Italia do que de Franca.
Boieldieu, com toda a cortesa, est no co ;
porque aquello que oompoi todos os soberhos
coros da Dama Branca o alguns dos tercetos
equartotosda mesma opera nao podia deixar
de ter inspiraedes de predistihado.Este con-
cert dos Campo* Elysios foi o quo substituio es-
te anno aquello que, nosannos passado-, cos-
tumava-se executar as Tulherias.
sar-mo! E para que".' Pese-so, pose-se me
diz o meu companheiro, porque na realidade
est considora\eliiieiito mais gordo desde que
viveem Parjs. Obrigado pelo c.mprimen-
to! o mesmo que dizer-me que estou mais
mu/erial- Vanao. andando.
Sahi deScylla e fui-me mettjr em Charyb-
dis. Esl'outro tem urna enorme machina elc-
trica dentro da sua barraca e convida todos os
que passao a que subao para cima do solador,
alim deoselectrisar. 1'uukz-roM que je cous
donne une pelite secouse, montieur > Agra-
decido pelo favor ; nao preciso de sor clectrisa-
do. Por ah anda pelo meiodessas arvores mil
machinas electricaes de dous pos, que sao capa-
ses de electrizar um defunto. Cada faisca que
Ihe crispa dos olhos fai mais offeitodoque uina
batera de dose garrafas de ..eydo. > Velhacas !
Depois de terem posto um homem s portas da
morte com cada olhidela que Ihe lancao, vao-
se ailando para dian e muito sisudas. como se
Nome de Dos verdadeiro Para que ser a-
quelle pao tao comprido que acola cravarao no
meio da ra da outra parte do Sena; o, quo que-
rer,! toda aqulla immensldade de gente que es-
t aolhar para elle? Chama6-lhe um mastro de
Cocanha, e como aquello ha outros quatro que
o governo maedou distribuir por di.t rentes par-
tes da cidado para que odivo/timento chegas-
S08 todos. Vo alto dcada mastro esla umar-
eo de ferro de cuja oiroumlerencia pendem
dilTerentes objectosde valor: quem os uuiser,
v.i por ellos. Mas como se o madeiro tao al-
to como atorre de Strasburgo, tao liso como
a palma da mo o, alem disto, to escorrega-
dio como o corpo de urna anguia por causa do
muito sabao e sbocom que o Ontario ? Pouco
importa; podem ter cortesa de quenenhum dos
premios quel osto em cima ha de ficar sem
dono.
Um rancho do campeoes se aprsenla para
commetterem a aventura : cada urn delles tem
um numero que Ihe foi dado por sorte e,
tivessem eito urna accao mu meritoria i
Oh c temos urna esquadra de naos de l- [ ,>lt"'1 e quem o_aqui Iraz. De lodos os obiec-
-e^iiiido a ordem que o numero Ihe assignar ,
assim quo ha desubir. J o primeiro sabe
lente, eseatiraao madeito como um leao.
Ao ver o desembaraco com que vai subindo,
dir-se-ha que prente de gatos ou que el-
los Ihe emprestrao as unhas Os companheiros
lemem por um momento que elle alcance vic-
toria o procurao desanimal-o com urna alga-
zarra borrivel. // ne montera pas! Une mon-
tera pas! Efectivamente nao subi. Quan-
do j tinha vingado quasi motado da altura ,
escorregou pelo madeiro abaixo, e cahio ao
p delle cstendido como urna raa. Levantou-
sc coberto de sabao e de veigonba ocsco-
ou-se pelo meio da multido.
Outro sitio buscando onde nao visse
Quem do seu pranto e doseu mal se risse.
CAMOES.
O segundo campeo um mancebo de 22
anuos que dizem estar namorado at o dili-
rio de tuna rapariga da soa igualha. Passa por
excellente trepador ; mas o more nao a am-
nha que se prepara para lser um.. viagem. Ca-
da fragata um escalur mu pintadinho, mui
douraiuho. uue. por meio do um grande gan-
tos que l esto em cima do mastro a nica
cousa quo desoja um papagaio do Brazil que
l est atroando os ares com nina
irrit'iri i
O------
j mestre doolHco. e a desgraca dos dous pr-
meiros Ihe tinha preparado o caminho. Tre-
pou pelo madeiro como se fosso por urna osea-
da. Em poucos minutos j l eslava em cima.
Agarrou n'um relogio de ouro metteit-o den-
tro do seio e terminou a aventura com o
mesmo snngue frio com que a commettra.
Ilurrah gritn a multido com um enthu-
siasmo phrenetico. Ilurrah respondro de
todas as partes os ecos dos arredores. Eu nao
ap.dandi : indignou-me que a avareza fosse
mais hdiz que o amor. Volte as costas ao
espectculo edei-me porsatsfeito.
Lancemos agora os olhos para o Sena e ve-
jamos o que nelle se passa. Sao justas ou tor-
neios navaes que se preparo. A duas margens
do rio ostao apinbadas do espectadores ; fure-
mos como podermos. Bravo Eis-nos final-
mente borda doparapeito e em sitio donde
loderomos ver indo moito i no ;a vontade.
duasesquadras que bao decombater esli ali-
nhadas urna defronte da outra. Cada navio 6
urna canoa e em cada canoa est um so ca-
valleiro, armado de ponto cm brinco e de vi-
s dos esperSo com impaciencia pelo signal do
combate. L soou !
Deu signal a trombeta gallicana ,
Horrendo ierro ingente e temeroso.
Ouvio de f.utecia a turba ufana ;
(orreu ao mar o Sena duvidoso ;
E as miis que o som terrivel escutrao
Aos peitos os filhinhosaperlrao.
Cada combate de s dous cavalleiros. Os
dous prmeros que entrao na lifa ollerecem um
contraste mui singular : um bailte refor-
cado e vermollio como urn pimentao do Cas-
ti lia ; o segundo he tao magro tao esca-
n i Irado e tao comprido, que em caso de
necessidade podera servir para modelo da
resurreicao de Lzaro. Quem ser ? Ser
o famigerado Magrico ou D. Quixoto? Nao
tem duvida nenhuma que 0 cavalleiro da
Mancha ; a baca de barbeiro que Ihe ser-
ve de capacete o d suficientemente a eo-
nhecor. O seu adversario o bacharel Sonsio
Carrasco, por oulra o cavalleiro dos cspelhos;
as armas de que vem vestido sao cobeitas d
urna rnlinidade de pequenosespelhosque,quan-
do Ibes d o sol impedem de olhar para ello.
J os dous campeoes arremettem um contra
outro com a lanca em ristre e de viseira desci-
da O xito do combate foi precisamente o que
nos diz a historia : a lanca do cavalleiro dos es-
pelhosresvalou sobre as armas do D. Quixole ,
e nada fez ; a deste ultimo deu em chcio na
cornaca do iriimigo, quobrou algumas duzias
de espelbos, e atiroo com ellos ao rio. \ iva o
da Triste Figura! O bacharel Sansio Carrasco
salvou-sc nadando na margem que Ihe ficava
nieoes de guerra ; rondas especiaes fizerao a vi-
sita dos diflerentes corpos de guarda exami-
nando seos soldados tinho o numero de car-
tuxos necessario, e se as armas estavao em ter-
mos de lazer fogo ; numerosas patrulbas e pi-
quetes de cavallaria giravo pelas ruasem todas
as direccoos; o palacio das Tulherias, pela sol-
dadesca que o cerca va pareca unta praca de
guerra quo se quera levar de assalto. Todas
estas medidas de seguranca sero talvez neces-
saras e inspirados pela prudencia ; mas o que
ollas querem di/er todos o sabent.
O estado das cousas em Inglaterra nao est
nom em consequencia das agitai oes da Irlan-
da. A exacerbaran (lestes oilo milhes de des-
contentes augmenta om ve/ do diminuir ; O'-
Connell oseuslilhos, ainda que n embros da
amara dos commuris ja se nao imporlo com
nem l apparc-
o parlamento de Inglaterra ,
.cm ; o secretario de estado da lilanda vio-so
na necessidade de aggravar a severidude das leis
'I

|to probibem a introducto de armas de logo e
de municoes de guerra no pai/. ; c' o deputado
Lao Fox disse na cmara doscommuns que,
se a legislacio existente nao dava ao governo de
S. M. meios sullicientes para reduzr a Irlanda
ao seu estado normal era preciso hablital-o
com aquellas que as circunstancias exigssem ,
e que sobre isso apresentaria una mocSo, Pa-
rece que este objecto vai ser tomado pelo parla-
mento em especial considera! o no dia 11 ; es-
peraremos para ento.
Ah dovem ter chegado pelo paquete as o-
Ihas de Londres dos ltimos (|as de abril, o
com olas o resultado das intcrpellacoes dirigi-
das a sir R. Peel sobre os motivos que occasio-
nrao o mo xito das negocia oes entaboladas
com o Brazii e Portugal Por esta occasiao
disso o deputado Ricardo ( nome classico em
objectos linanceiros J que o verdadeiro motivo
de tudo isto eslava no espirito prohibitivo que
desde longo lempo formava o carcter especial
da poltica Ingleza em objectos commerciaes;
oque por esto motivo propunha como nico
meio de evitar para o uturo taes resultados,
queogovernomodificasse o systema de tarifas
actualmente em vigor e que diminuisse so-
bretudo os direitos de mporlacao. Bobert Peel
respondeu a Ricardo do urna maneira mui acre;
e a proposicao, posta a votos, foi repellida com
urna ni,un i,, inmensa. Segoe-se daqui que o
governo de Inglaterra somonte negociar com
as nacoes que tiverem alguma experiencia de em-
pandillar ou com aquellas de que nao tiver
que temer. Avh qui de droit diz urna fo-
Iha franceza conservativa,
Ha dias que nao tenho (ido de Ilespanba no-
ticia alguma part. ular e por esso motivo nada
posso accreseentar a respeito daquelle paiz ao
que dizem as folbas publicas. I aliasn mni|
M"
I I
U I I L.M U KJ
Ann
, ,-----"----- t- -- ..w... .|ut ui.rin i" iimmiis nuiiiius. rsiie-M miiirn
, :::a:- prjima; uci.^moi-o ir para casa, porque, Jem uma cruzada christino>ai isla quo deve Vis





accender a guerra civil as duas provincias da
Calalunha c Navarra. A execuco desta cm-
preza deve ser confiada ao terrvel Tristany .
quej paraesse fim recebeu grandes soccorros
de armas e de dinheiro. Nao dou assenso a to-
dos esles boatos nem Ih'o recuso : a nica
cousa que allirmo que a forca carlista que s
ordensdeSorrador occupava as serranas de
Mae-lrago ainda l se conserva e cada vez
mais bern disciplinada e numerosa.
Como se trata de guerra civil ern Hespanha ,
j se sabe que os padres o os (Vades 6 que hao
de carregar com as culpas de tudo. Alirmao
que, para eloctrisar o povo, um frade francisca-
no trouxera de Roma n'uma patena urna carta
de Jess Chhristo ( nao dizem d onde escrip-
ia nem com que data ) de que j se impri-
mirao muitos mil exemplares para serem espa-
Ihados pelas provincias. Tudo isto me parece
urna miscravel patranba da nature/a daquellasa
que aqui chamao caars. Qualquer que seja o
estado de ignorancia em que se queira suppr
o povo bespanbol, ha muito que j la vo os
lempos obscuros em que o mo clero que
ao mesmo tempo o flagello dos povos e o oppro-
1 brio da religiao podia lazer impunemente o
que Iheattribuia nao sei que poeta francez :
A'oms diro:is que Jess Crist
Por la poste nous crit.
Diremos que Jess Christo
Pela posta mandou isto.
Urna carta de Jess Christo nao pode fa/er
fortuna no seculo XIX; a mesma carta de Nossa
Senhora aos habitantes de Missina que n'uma
igreja desta cidade se venera dehaixo do nome
de acra I ellera acha boje poucos defensores
da sua authenticidade.
}!\ eslou fartode boatos absurdos sobre mod-
ficacoes inminentes dotetual gabinete e de-
claro que pela ultima vez que fallo nelles. A-
gora o almirante Baudin que os novellistas
dos salos e dos jornaes dio para successor ao
almirante Roussin na reparlco da marinha !
lista substituidlo impossivel: o almirante Bau-
din nao homem que se deixe albarda pornin-
guem ; e pessoascom um carcter lao indepen-
dente como o seu nao podem servir para mem-
bros de um gabinete doutrinario.
As ultimas noticias do Cabo da Boa Esperan-
ca sao favoraveis ros Inglezes : parece que os
Bocressc submetlrao de novo.
A questao do Kalimaikion em Constanti-
nopla vai cada vez mais brava. Os bons dos
padres dos dous partidos fuimnao-se sem alma
nem consciencia excommunhocs reciprocas por
causa da importantis-ima questao de trazerem
soli-deo ou nao trazercm sol deo. primei-
ra vista parece que esta ridicula questao do
Kahmaskion pouco mais ou menos, como
aquell'oulra to debatida na escola Utrum
chimara bombinans in vacuo comedere possel
secundas intenliones ; porm a Russia sabe ti-
rar partido de tudo : este negocio do soli-deo
o mcio de que ella se serve para obter a supre-
maca da igreja scisuiatca grega sobre a catho-
lica no Oriente. Veremos o resultado.
( Jornal do Commercio.)
^ii?i'
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL.
CMARA DOS SENHORF.S REPUTADOS.
Setso em 3 de agosto.
Contina a terceira discussao das emendas da
commissao, e outras que sao apoiadas, entre el-
las a seguinte ;
Suprima-seo imposto sobre os jornaes, fi-
cando substituido por urna laxa sobre as ty-
pograflas a qual ser igual que pagarem as
lujasSonsa Martina.C, Carneiro de Cam-
pos.M. /'. de Sonta c Mello.
Tomao parte na discussao do orcamento os
Srs. Pereira da Silva, Pacheco e ministrada fa-
senda e flea a materia adiada para se passar
oulra da oidem do dia que a eleicao da mesa.
Sahem eleitos presidente, o Sr. Cavalcanti
de Lacerda com 5i votos, e vice-presidente oSr.
Henriques de Resende com 41 votos.
Nao se procedo a eleicao de secretarios por
nao havercasa.
dem do dia 4.
OSr. presidente declara que vai proceder a
eleicocs de secretarios; e sahem eleitos :
1. Secretario o Sr. Ferreira Penna com 46 fo-
tos.
2.
3.
4.
O Sr. Silva Ferraz com 41.
OSr. visconde de Baependy com 41.
O Sr. Luiz Carlos com 38.
1. Secretario supplenleo Sr. Wanderlev com
14.
2. O Sr. Vaz Vieira com 5.
Contina a terceira discussao das emendas a-
poiadas.
Tem a palavra o Sr. Sou*a Martins, quen'um
longo discurso sustenta urna emenda sua que
faz um corte no ramo da despesa publica de
centoe tantos contos de res. Biscorre larga-
mente sobre a materia de outras emendas. O
Ilustre orador, tratando do imposto de cinco
reia sobre cada folha dos jornaes, expon os mo-
tivos que tivera a commissao para apresentar
urna emenda suprimindo este imposto; que a
commissao o Osera nao por entender que o im-
posto atacava a liberdade da imprensa, co-
mo por alii se tem propalado, mas por jul-
gar que sendo o imposto lao diminuto seria com
tudo necessario fasor grande despesa com o pes-
soal de empreados para o sello dos jornaes ,
e tornava-se assiin improductivo similhante im-
posto.
Tomao parte na discussao os Srs. ministros
da fasenda, Mondes da Cunta, Peixoto de Bri-
to e Souza Franco, e fica adiada pela hora.
PERNAMBUCO. ~
- ......... i-n-n
Apuracao d>s Collegios do Recifc Olinda ,
Cabo Goianna Nazareth Pao d'Alho ,
Limoeiro, S. Anto, Bonito, Serinha -m ,
Kio Formozo Brejo Garanhunt e 1-
guaracu.
Nomes.
Pedro Francisco de Paula Cavalcanti
ttarao de Suassna
Sebastao do Rogo Barros
Ylanoe
Votos.
554
472
6.....- 469
rancisco de Paula Cavalcanti 421
Joao Floripes Dias Brrelo 401
Francisco Joo Carneiro da Cunha 383
Francisco de Paula Cavalcante Lacerda 382
Ignacio de Barros Marrlo 381
los Tbomaz N'abuco d'Araujo Jnior 380
Kemvcnuto Auguro de Magalhes Taques 376
Mvaro Harlialho Uchda Cavalcanti 368
Felis Peixolo de Brito e Mello 329
los Rento da Cunha Figueiredo 329
Francisco Domingues da Silva 328
\lexandreB. dos Reis e Silva 328
Wanoel Mondes da Cunha Azevedo 32b'
\ntonio Peregrino Maciel Monteiro 317
los Bernardo Galvo Alcanforado 304
Jo'io Baptisla Pereira Lobo Jnior 302
loaquim los da Costa 297
Joao Jos Ferreira de Aguiar 293
Francisco de Paula Baptista 292
Francisco Ferreira Barretto 291
Miguel do Sacramento Lopes Gama 290
los Telles de Menezes 286
l/idro Francisco de Paula Mesquita 285
Francisco Xavier Paes Brrelo 281
los Pedro da Silva 279
\ntonio AITonso Ferreira 274
\nlonio Baptista Gitirana 274
loaquim I eixeira Peixotode Abroo Lima 273
ManocITcixeira Peixoto 270
Manocl de Souza Teixoira 262
Caetano Jos da Silva Santiago 254
Manoel Ignacio de Carvalho \Iendonca 252
Manoel Joaquim Carneiro da Cunha 252
\ntonio Joaquim do Mello 251
Urbano Sabino Pessoa de Mello 243
loao Mauricio Cavalcanti da Rocha W. 243
Bernardo Rabcllo daSilva Pereira 239
loaquim Nones Machado 239
Domingos AITonso Nery Ferreira 239
Pedro Alexandrino de Barros Cavalcanti 238
Francisco Barhoza Nogueira Paz 238
Francisco Jos de Medeiros 238
Custodio Manoel da Silva Guimaraes 231
Lourenco Francisco de Almeida Catanho 230
Joao Paulo de Carvalho 228
Joao Jos Pinto 226
Francisco Camello Pessoa de Lacerda 225
Tiburtino Pinto de Almeida 225
Antonio CarneiroM. Ros 224
Jos Nicolao Rigueira Costa 223
Folippe Lopes Netto 222
Manoel Coelho Cintra 221
Jos Felppe de Souza Lea5 220
Joaquim Manoel Vieira de Mello 214
Vntoniojos de Oliveira 208
Simplicio Antonio Mavignyer 207
Lourenco Bizcrra de Siqueira Cavalcanti 20i
loao A. deS. B. Araujo Pereira 201
Bento Jos Lemenha Lins 20!
Laurentino *ntonio Pereira da Carvalho 194
Francisco Muniz Tavares 192
Luiz de Carvalho Paes de Andrade 190
Costa Gomes 190
Correspondencias.
Srs. Redactores.
Nunca me persuad, que o Sr. Luiz Ignacio
BibeiroRoma do Diario-Novo se deixsso
conduzir pelos seus mentores para dar luz os
alinhavados paradoxos do seu n. 184 !! I Pois
al eu nao osea pe do rol das testemunhas da
sua denuncia? Eu que lujo maisdestas nio-
xinifadas polticas, do que o iljaho foge da cruz ?
Soja pelo amor de Dos Sr. Roma Saiba pois
o publico que tendoeu ha mezes mandado
para ambos os Diarios desta capital alguns an-
nuncio aos credoros de mou fallecido genro Pe-
dro Cavalcanti de Albuquerquo Uxa reparei,
que o Diarto Novo bavia omitido os seus ; e a-
conteceudo ir a casa do Sr, Jos "no ca-
randa e decendo achei a porta da sala do Sr.
Roma aberta, entrei, a perguntar a causa. O
Sr. Roma a quem entoencontrei conversan-
do com o Sr. Antonio Lins Caldas deo-me
prompta satisfaco, e querendo retrar-me, dis-
se-me o Sr. Antonio Lins Caldas que a con-
versacao nao era do segredo; que elle eslava es-
tranhando a seu amigo Roma o incendio que
a sua imprensa soprava em urna capital ha tanto
tempo tranquilla. Eu, que me dava com ambos
estes Srs. rnetti tambem o mcu bedelho ; e o
dialogo em fim correo tal o qual como se acha
exposto na correspondencia do Sr. tenente co-
ronel Francisco da Rocha Paes Brrelo, do Di-
ario n. 187 do ullimo do mez passado. Eis aqui
pois o facto pelo qual passei, inopinadamente,
dos meos desgostos, e pezares, a figurar na
poltica, a quem peco por caridade, que deixe
viver a Francisco Xavier Cavalcanti d'Al-
buquerque.
Srs. Redactores.
O Sr. major Jos Gabriel de Moraes Mayer
em a sua correspondencia inserta no seu Diario
de 29 de agosto prximo passado dapois de fa-
zer a exposicao do que se passou na matriz da
Boa-vista no dia 17 do mesmo mez, entre elle ,
e o Sr. Dr. Regueira, diz, que elle no faz mais
falta na administrado das obras d'aqnella ma-
triz porque o ossencial est feito e f> falta
a pintura que he obra de empreitadu, nao
fallando no frontespicio, que he obra de alguns
annos; primeira parte nao Carei observacao
alguma pois que aquella desagradavel occor-
rencia teve lugar perante urna reunio to nu-
merosa que o publico em geral est bom certo
de todas as circunstancias, que occorrrao, po-
rm segunda parte como juiz da irmandade
do Santissimo Sacramento daquella matriz, e
por consequenca encarregado da continuacao
das obias forcoso me he fazer patente o estad')
em que achei a administracao, o obras daquella
igreja, eque nao he so a pintura que falta,
para acabar as obras interiores, como o Sr. ma-
jor Mayer asseverou mas falta anda a corni-
ja quo o mesrno Sr. major Mayer havia ajusta-
do com o architecto allemao por 2:0008000 rs.;
falta o reboque, e asseio das paredes que es-
tilo em mizeravel estado; falta o retoque de
dourados que em muitas partes se achao des-
truidos pela poeira e calica ; falta o ladrilho
da igreja que com o Sr. major Mayer antes da
sua demissao se tinha tratado ser de marmore,
e alem deoulros c mcertos miudos de sorte
quo nao pode montar a menos do sete contos
de reis o completamento das obras interiores da
igreja e o peior he, que achei perto de quatro
contos de reis a pagar de dividas contrahidas
durante a administracao do Sr. major Mayer,
alem de 5:000,^000 de reis por que est hypothe-
cadoo melhor predio da irmandade e sem meios
alguns de fazer face a taes despezas, alem do
boje muito incerto lucro das loteras vista
do exposto o publico conhecer que nao he so
a pintura que ha a fazer como o Sr. Mayer dis-
se e sim objectos a satisfazer que montaroa
mais de 10:0008000 de reis: tal he a situacao
dilcil em que me acho collocado relativamente
s obras da matriz e pagamento das dividas
que achei contraidas e qne he preciso pagar ,
e deque so posso sahir bem como espero aju-
dado pelos habitantes desta cidade queja tem
libcralmente principiado a subscrever para um
fim to justo e santo, guiados sem duvida pe-
los seus sentimentos religiosos e convencidos
de que sem religiao, e sem culto sustentado com
toda a decencia, nao podemos progredir, nem
ser felizes ; sendo minha intenco applicar os
fundos dessa subscripeo, que estou promo-
yendo, ao acabamento das obras interiores da
isreja e applicar os lucros que forem dando as
loteras ao pagamento das dividas
Ninguem faz mais justlca ao zelo, eactividade
empregados pelo Sr. major Mayer as obras da
matriz durante a sua administracao, do que
eu ; nao posso porm consentir em silencio que
oSr. Mayer diga ao publico, que elle nao faz
falta porque de obras interiores s falta a pin-
tura quando o facto he to diverso como aca-
bo de expor, e de que os habitantes desta cidade
se podem fcilmente convencer entrando n'a-
quella matriz, e vendo o estado em que se acha,
que he tal e qual acabo de expr.
Rogo aos Srs. Redactores hajo de inserir estas
linhas no que muito obzequiar a quem he
Seu venerad, e criado
J.uiz Gomes Ferreira.
COMMERCIO.
Navio entrado no dia 4.
Rio do Janeiro ; 14 dias, brigue brazileiro Al-
bano de 277 toneladas capito Manoel
da Silva Braga equipagem 14 .carga pl-
vora, c mais generas: a Amorim & Ir-
mos.
Navio tntrado no dia 5.
Macei ; 30 horas, barca ingleza Thomaz Mel-
lors de 275 toneladas capilao James Pa-
lethorpe eqnipagem 16 errga aasucar o
algodo ; a Russell Mellors &C
Navios sahidos no mesmo dia.
Poitosdosul; vapor brazileiro Pcrnambuca-
na commandante Joo Vlelito Henriques.
Genova; brigue sardo Eridano capitao J
Baptista Scola carga assucar.
Liverpool; barca Inglc/a Jhomaz Mellors, ca-
pito James Palethorpo, carga a mesma quo
trouce de Macei.
Ileclaraces.
fin
fivj
O concurso, annunciado para o dia de hoje,
do lugar de terceiro esenpturario da contado-
ra desta thesouraria lira transferido para o
dia 6 do corrente mez. Secretaria da thesou-
iara da fazenda de Pernambuco 4 de setembro
de 1843.Joaquim Francisco /fastos.
Por execu'coes da fa/enda provincial con-
tra seus devedoris Jos Claudino Leitc, ejoo
Joaquim de Figueiredo e perante o Sr. Dr.
Sello ju z sup|)leuti)dos feilos da fa/enda a-
cho-seem pruca para serem arrematados y no
dia 6 do coi rente pelas 4 horas da tarde os
bens seguinles:
Urna morada de casa com bonscommodos ,
sita no Poco da Panela.
De renda annual, a casa terrea n. 49 na rua
d'Agoas Verdes.
E mais um grande sitio em Santo Amaro ,
com boa casa devivenda, e bstanles aores
fructferas, outr'ora do fallecido Joao Policarpo
do Reg Barros, e hoje perlencente mesma
fazenda.
Avisos martimos.
Segu viagem com toda a brevidade para
o porto de Mossor com escalfa pelos portos
intermedios, por ter a maior parte da carga
prompta, a barcada Andorinha, de que he mes-
tre Manad da Cruz d'Olivoira ; quem na mes-
ma quizer carregar dirija-se quanto antes ao di-
to rnestre na ra da Moeda n. 25.
Para a Babia, com a maior brevidade possi-
vel, por ja ter parte de seu carregarnento, sar
o nmiio veleiro patacho nacional ConceicSo ;
quem no mesmo quizer carregar, ou ir de pas-
sagem dirija-se ao capilo Joaquim Jos Anto-
nio, a bordo ou aos consignatarios Novaes &
Companhia
Leiles.
Alfandega.
Bendimento do dia 5......____ 3:8598946
DescarregUo hoje 6.
Barca Firmeza fa/endas, e manteiga.
Ho\ imento do Porto.
Navios sahidos no dia 4.
Falmoulh ; paquete inglez Linet, comman-
dante Bukly.
Acarac ; brigue-escuna brazileira Aguia, ca-
pito Antonio da Rocha Lima, carga diversos
gvrvs.
Jones Patn & C.a faro leilo, por inter-
veneo do corretor Oliveira de bom sortimen-
to de azendas ingle/as para rea I isa rom con-
tas : quarta feira 6 do corrente s 10 horas da
manha em ponto no seu armazem da ra do
Trapiche Novo.
Avisos diversos.
sociedade PHILO-DRAMATICA.
(outr'ora natalense. )
OPrimero secretario avisa aos Srs. socios,
que hoje pelas seis horas e meia da tar-
de reune-se a Commissao Administra-
tiva e aquellos Senhores, que tiverem do ce-
der suas cadeiras, para a recita do dia 7 do cor-
rente setembro hajo de mandar suas pro-
postas referida hora.
A pessoa, que pedeesclarecimentosde urna
escrava lugda o que pelo seu annuncio pa-
rece saber da mesma ten ha a bondad.) do ver
se ella chama-se Mara de naco Ben-
gella seca do corpo cara comprida e abo-
cetada tem na costa da mo direita um caro-
co pequeo tem ambos os ps apalhelados >
um delles tem o dedo grande mais virado e sem
unha esta preta anzentou-se no dia 22 de A-
gosto do anno p. p. roga-se que se fora
mesma declaro a sua morada para ser procu-
rada.
Tiro-se folhas corridas e passaportes
para dentro e fora do imperio tudo com a
mais possivel brevidade e preco mais com-
modo que pode ser ; qnem pretender dirija-se
ra do Rarve! n. 34 a qua!"uer hora que
achara com quem tratar.
Oferecc-se urna inulher para cozer cus-
turas de alfaiate para loja e outras quaesquer
custuras : da Solidado casa n. 12. defronta
da igreja.
V



=Jos Ribeiro de Brito roca ao Sr nue
lu uz,e0mv7ajtou rmo^ !
a or Vn /ejUnh do torrente anno,
e" o,Uilmasndar P" CaS doa""can c ,
u/ar do d COnlrario el,e Passar<"
o d 0lEv ^ a lei lh aculta' Pis poz^a Z6?' V,St0' e mCSm0 ha denuncia
Hran! PC,tL Prm qer-se-lhe poupar
,T^)u?m precsar de 008000 reis a juros
penbore. dirij,-se a ra do Sebo casa
= 5
nr\n Qjm Perlender a'ugar urna casa no
princ.p,o dos AITogados ra Imperial n. 11 a
qua n5o excede de 108 rs. mensaes.com muitos
nonsCommod namesma acha_se umaflr_
macaodovendademadeira deamarello com
a cao dous ca.xoes com caxilhos envidraca-
os, urna grande caixa para botar arinha. can-
te ros para pipas, medidas de po e de olba,
<* da Boa-vista, sobrado nu- ^^JoHm ats^^V^K
ola3SrnUnCU qUerer C,nPrar"m vio-
"3 Uad0 Procure na d Livramenlo
^Tn?reg0ri ,J.s GoD?'ve, vindo do Rio
de Jane.ro no br.guc-es.una .erflc7o, pre-
tende.ct.rar-se para o Rio de Janeiro. P
-ISo armazem da rnaNova n. 67 contina-se
Jcltn ^ n-W-de de movis tanto no-
vos como usados, ou outros quaesquer ohjec-
os, para vender por meiodeste cstabelecin en-
famas, caderas, bancas, c outros muitos ob-
edoMuca-vistaaospertendentes se arpa-
ra 7a S5SadM ChagM' rCtra-SC Para f0"
LOTERIA DO THfiATAO.
No-da 12 do con ente mez
de^ setembro, corre nTpreleri.
velment esla lotera,e oreslo
dos bilhetes acha-se ven-
da nos lutri
aclos.
-No beco da Bomba existe um tinture.ro
Um homem de meia idade se prone a
serenado particular, e a ensm.r a meninos a
pr-me-ras letras; quem do seu pres.imo c .
verutilisarannuncie. H
-Precisa-se de urna pessoa strangeira para
igarea j annunci-
SlUlr0;rS ^cilios, e vende-fe
ludo pe a metadle seo valor, ou faz-so qual -
queroutro negocio; a pessoa que quizar ,' di-
rya-se bot.ee de Francisco Antonio das Cha-
^;;;oLivramonto)qUeacharcom
/;,r,ET c"nse(lunca d<> annuncio inserto no
rano de Pernambuco n. 190 de 4 docorronle,
ue declara a quem Ihe faltar urna escravo,
and0 oss.gnaes, e quando desaparecer Ihe
ser entregue, pede-se a mesn.a pessoa, que
exam.ne se a escrava tem osseguinles signaes :
< or preta idade pouco mais ou menos de 22
fr^r/T' de"n,?Vngola' do "omeAnna
pode tel-o mudado ) bonita estatura regu-
lar rne.a grossa do corpo. rosto puchado, olhos
grandes, beicosgrossos e vermclhos nariz fi-
no maos pequeas, tem umas letras de ango-
mumaos bracos, multo, talnhoadealr.
H nascostas, temum pequeo signal mais
Pwoqoea;MJrdo rosto, que pouco wdevulga
l....vodoohoesqerdo, pez grossos fugio a
edeoOtubrode1830( tem rali nesta cida-
He, lo. escrava do pifoto Gamillo Telles da Fon-
seca ; .^0 a propr.a mande-a entregar na
lorale do Bru.11 ao coronel Burlamaque, que
m gratificar bem ao portador, e igualmente se
pagara as mais despezas.
- A pessoa. que quor saber dos signaes de
uma negra, que desappare.ro a temposdecasa,
anos segrales: chama-se Mari.nna nacao
Benguella idade 25 annos, estatura regular
se.cn do corpo cor nao muito preta fgida
cm .has do oulubrode I8il do sitio dos Afflic-
los. anda bucal, que poueo falla va ; se (or a
nesma dirija-te a praca do Corpo Santo na
loja de cabos n 17 que receber uma gralili-
cacao generoza.
,.~~ ''recisa-se de uma escrava crioula reco-
mida, que saiba engommar bem e cozer com
ra ser generosamente recompensado.
- Quem tiver para alugar ou vender uma
>, que sama engommar bem e cozer com v c" """ uSar ou venuer uma
perfeicao paga-se bem no caso de agradar ao' C?"oa (\uerri!Z de mil tijoltos para c.ma di-
comprador ; na ra da Cadera velha n 31 n,a"" a, ra de Porlas venda 0-
- Pelo ntn intrin*. A.a .____. :.... "~ OSt" quoannunc.ou no Diario de 4 do
Pelo juizo interino da2.* vara do civel ,
r. Francisco Rodrigues Sctte se ha de
arrematar boje ( 6 ) em 3. praca uma es-
crava e um par de esporas de prata penho-
rados por execu.ao dos herdeiros do finado
Manoel Antonio Alvesde Brito contra a viuva
e herdeiros de Jos Joa.mim dos Santos, do
engenho Fragozo.
-OSrJoio M. deAraujo Braga tenha a
bondade de v.remOlinda nos Quatro Cantos
casa da esquina para receber uma carta v.nda
pelo R,o que s se entrega ao mesmo se-
nhor.
A pessoa que quer saber dos signaes de
urna negra, que desapareceo a lempos do casa ,
os signaes sao os siguiles : chama-se Pluque
e pode ser que tenha mudado o nome de
vender agua em ^^.^70?.
ua.conducta ; na ra Relia u.rCa da F o ce-
tina, sobrado novo prximo mar aai,ortn
r!r!Ue'" 'P.reSa,r de uma ama desa di-
rjanse, ra do Padre Florianno n. 41
-Irec.sa-se de um caixeiro de idade de I.i
-e 14 annos pouco mais ,,u menos, para urna
venda; no beco do Peixe Frito n 5
- Acaba-se de receber de branca o* vinho de
past hs de mao de v ditas de noff, capsulas
tZeXar0PedeSal,;apam,ha;,!arua
O Sr., que no Diario de 4 do corrente an-
unc.ou os s.gnaes da escrava que existe em
scu poder sendo que tenha os se'guintcs po-
de a manda la ao palio do Terco no segundo
"d;^o,br.don.Hl:Joanna, nacao" A n-
S v'Ju a \-qUC f01 do ca',itao Tolentino,
oa Parah.ba do ^orte, tem de idade 32 annos
fugio em marco de 1842. temum signal qu
um STa? menorduvida o qual he ler da
Um dedo d um pe alejado.
Sociedade Philo-Thalia.
7-O primeiro secretario avisa aos senhoren
socios que a direcao contina a fazer ses-
sao extraordinaria em o da 6 pelas seis
Horas da tarde na casa da sociedade para ap-
provacao dos convidados; prevenin..'o-os, que
aquellos, quenaocomparecerem, nao podero
passar o bilbete a outra pessoa.
Aluga-se?um sobradmho de um andar e
sotaoportraz do quartcl de polica n 10
quem o pretender, dirija-se a praca da in-
dependencia ns. 24 e 20.
lotera da matriz da
B04-VIST4.
Esta lotera vai dora em diante, succeder
mnpra do Iheatro pois que o importante da
>l.ra a que v.z.velmente seapplica o beneficio
requer aue baja na sua acquisiCao a maior sol-
l'ctude ; por tanto as rodas da prxima lote-
ra correrao impreterivelmente debaixo do
plano mira no dia 22 do andante setembro
uquem ou nao b.lhetes por vender. Ditos buh-
les acbao-se venda nos fugares do costume.
PLANO.
3125 bilhetes a 8,000......... 25:000,000
-X ----...... ...u-uuv ni. 111- 111;
nacao Gongo mus ella dizia ser crioula de Lu-
anda cheia do corpo baixa cor bem preta,
olhos grandes bonita de cara. Lila humilde .
u.lo ladina tem em um dos bravos uma
marca denles da frente airarlos e muitos lim-
KqJJ" I"2? fuS,) ou frtarao-na no auno
de 1833 a 19 de Abril des .parecen com uma
cana de Oandres contendo bstanle, fazendas
ae valor; cuja negra representava ter naquelle
l.mpo30annos, sendo a negra tenha estes
s gnaes leve-a a ra do Livramento sobrado de
veranda dourada n. 33 ou no forte do Mul-
los prensa do Joaquim Jos Ferreira, que re-
ceben lOOSrs.dealvissaras.
Pergunta-se ao Sr. que tem uma negra
J Prem,................ 6:000.000
J dll.................. 2:500.000
\ !t0.................. 1:000.000
2d.tos 500,000......... 1:000,000
5 ditos 200,000......... 1:000,000
8 d.tos 100,000......... 800,000
oO.OOO......... 800,000
28.000......... 800.000
20.000......... 1:280,000
10,000......... 9:100.000
em sen poder se ella tem os signaes seguintes:
fug.o no moz de Novembro de 1839. idade
35 annos pouco mais ou menos com o na-
riz chato com uma marca em cima o polca.
de urna das maos aleijado se for esta negra
leve-a em mu.ha casa junto ao arco de Sanio
Antonio lado do norte em casa de relojoeiro
que ser gratificado rom 508 rs.
= M. S Mausnn cirurgiao dentista mudou
sua residencia para ,'. na do Queirnado n. 29
casa amanilla, do Sr. Magulh8es Bastos.
Da-se 4:000S rsa juros do um e meio por
cento com hypotheca sobre predios, nesta pra-
ca ; quem precisar procure na ra larga do Ro-
zarlo n. 21 junto ao quartel da polica que
se dir quem faz este negocio.
Na fabrica da ra Imperial n. 165 ha
superior espirito de vinho,agurdente de Fran-
ca aniz, reino genebra, licores finos di-
tos
orrente querer entregar uma escrava, que est,
auzente a lempos, sendo a dos signaos seguin-
tes: desaparecida em 25 de Maio de 1840 pe-
las 8 horas da noite de nome Luiza naci
Nrago, idade 12 a U annos altura baixa ,
cara redonda e pontuda olhos abugalhados ,
peitos pequeos e bem em p ps pequeos
secos, nadegas enpinadas bastante gorda ;
estes signaes he de quando desapareceo : sendo
esta pode entregar na ra da Alegra n. 26 ou
na praca da Independencia n. 14.
Em consequencia do annuncio inserto no
Diario de 4 corrento n. 190 qne declara a
quem Ihe faltar uma escrava dando-so os
gneas, e quando desencaminhou-se Ihe sera,
entregue ; pede-so a mesma pessoa annuncio
o a escrava tem os seguintes signaes: Mara
Benedicta do gento de Angola bastante la-
dina idade pouco mais ou menos de trinta o
lanos annos, estatura regular, um tanto
cheia do corpo bem preta cara redonda ,
ps bastantes grandes e mil feitos, tem em
um dos pos uma marca de ferda procedida de
umeaneco de agua que Ihe cahio om cima do
p desapareceu em 2 de Oulubro de "841 ;
se for a mesma procure na ra da Cadoia de
Santo Antonio n. 19, que ser generosamente
gratificado.
=s A pessoa, que quer saber dos signaos do
urna escrava que desapareceo a lempos de casa,
os s.gnaes sao osseguinles : Mara, conheci-
Ja por Benedicta do nacao Congo cor pre-
ta, o rosto redondo o heco de cima grosso
eom tanto levantado para cima os dentus de
c.ma alima.los do sua nacao estatura regular,
os ros um tasto chatos o curtos con. os dedos
grandes o um tanto levantados; esta preta vcio
de Macei de idade de 20 a 22 annos, desa-
pareceo em 13 de Fevereiro de 1842 ; se ter
esta dirija-so ao atierro da Boa-vista n. 31,
quesera recompensada de todas as despezas.
Se a escrava fgida de que tralratou o Dia-
rio de 4 do corrente tiver os signaes seguintes ,
poderi ser entregue no pato do Terco n. 141,
2. o andar: Joanna, de nacao Angola crtela,
estatura regular reprsenla ter 32 annos de
idade est fgida desde Marco de 1842 foi
aqu vendida da Parahiba do Norte, onde era
apelidada por Joanna maribondo e pertence
ao captao Nicolu da mesma provincia cujo
cornrnuns
-------------- f--------- ^HjV
. ignal que niSo pode dcixar a menor duvida 6
charapos de gro/.ellas e flor ter ella um dedo do n ileiiado.
16 ditos
32 ditos
64 ditos
910 ditos
2 ditos 360,000 l'eult. b.. 720OOO
1042
2083
3125
25:000,000
LOIERIA DE N.SINHO-
RA DE GLADLUPE.
Tendo-se annunciado o andamento das rodas
desla lotera para o (lia 27 do corrento, ficando
ou nao b.lhetes, ecomo | se tenha vendido e
apartado bastantes bilhetes tem a im.andade
da mesma Senhora re/olvido eflectuar dito an-
da monto no dia 20 do corrente mez visto ter
navido grande influencia as compras dosbilbe-
les por nao haver descont nos j remos confor-
me o plano j publicado, a ir.nandadeda Sr.'es-
pera, que os amantes deste jogo concorrao
compraren) o restante dos b.lhetes que se ..chao
a venda nos lugares do costume e na praca da
Independencia loja de miudezas do Sr. Fortu-
nato, na ra uo Cabug botica do Sr. Joo .Mo-
rera Marques e na cidade de Olinda loja de
'azendas do Sr. Domingos nosQualro Cantos.
Cteem quizer comprar un. qscravo pardo
do nome Jos de 20 a 25 -annos de idade
pouco mais ou menos com officio de carreiro ,
oqualveo do Aracaly; dirija-se Antonio
yuu(jue Lima na praca do Corpo Santo.
Descontando da totalidade cima 20 p. /o,
e mais .' do Io e ultimo branco o valor d
4,250 solos vem a ficar estes 2 premios con-
vertidos em 118.000 reis cada um.
= Johnston Paler & Companhia avisaoaos
Srs. de engenhos ecorrespondentesdos mesmos
nesta praca que se acha completo o seu esta-
belecmento de machinisn.o para engenhos,
constando de moendas de diversos lmannos'
machinas de vapor, de condesarlo e de alta'
pressoda terca de quatro ede seiscavallos n-
ylezes, e taxas batidas e coadas e pramettem
agradar aos seus freguezes tanto em preco como
emqualidade, visto serem todos estes objectos
feitos n'uma das principaes fundicoesde Ingla-
terra : rua da Madre de Dos n. 5.
Tendo lido hoje (4) de setembro um an-
nuncio no Diario, no qual se diz que a pessoa
que Ihe dsappareceo lempos urna esetava
queira disero lempo. A negrinha se chama Joa-
quina ella deseppareceo de dous para tres an
delaranja La roa Opo-Deldoque agoa de
Colonia, essencia e espirito de sabio es-
sencia de aniz cravo, 'canella e verga-
morta sabao fino para boticas agua de flor
de laranja licor alcalino para lavar os lypos
de Fypographia e tirar nodoas do leo ou
gordura.
A pessoa, que quer entregar uma escrava
fgida a lempos, tendo os signaos seguintes :
chama-se Florencia com 40 annos pouco
mais ou menos, venda miudezas na rua ,
alta eseca do corpo tem cm uma das maos
um dedo com a ponta virada para tera por se
ter quebrado uma cicatriz na cabeca princi-
piando da testa para o alto outra em um bra-
co, fgida em 15 do Novembro do 1831 seu
senhor he Jos Joaquim Lopes Moreira na rua
Direita n. 135 que se podo dirigir.
= O cirurgiao Bernardo Pereira do Carmo
acha-se esta belecido nesta cidade e por isso
aqnellas pessoas que o qui/.ercm consultar
podemdirigr-se h rua da Cadeia do barro deS.'
Antonio, no segundo andar da casa n. 13, onde
o acharo prompto apresentar aquellossoccor-
rosquea sua pratica, e theona fornecerem-lhe,
o supradito existir em sua casa das 7 horas da
n.anhaa as 9, prompto a receber a aquellos in-
digente que se quizerem receitar, o que Ibes
rara gratis; advertindo, que aquelles, que nao
poderem ira sua casa podo mandar dizer ,
qual a sua habitacao pois que l mesmo os
ira ver.
A pessoa, que pelo Diario n. 190 annun-
cou a quem Ihe faltasse urna escrava dando
os signaes certos: a saber, lempo em que de-
sapareceo idade &c. Ihe seria entregue :
declara-seque a 2 do Joneiro de 1841 pelas
11 horas do dia desapareceo da casa de D.
Francisca Joaquina de Macodo, na rua de
hortas n. 106 na qual casa se achava uma
negra crioula de nome Feliciana ( pode ser
que tenha mudado o nome ) com 13 annos de
idade ja feitos, olhos pequeos e quebrados,
denles puchados, muito cabello na cabeca ,
maos bunitas peitos em ps os dedos pollo
gaes dos ps voltados para dentro quando an-
da cambeia para os lados e entrega-se para
diante sabe fazer lavarinte e captiva de D.
Anna Thcotonia Accioles.
A pessoa, que annunciou saber de uma es-
crava a lempos fgida sendo uma que tem os
signaes seguintes : nacao da Costa Bcnin he
de boa estatura testa grande s tem alguns
(albos na testa sendo alguns compridos e outros
redondos bem feita de ps e maos espadua-
da falla grossa, e quando tem raiva falla mui-
to idade hoje representa 38 a 40 annos f-
gida em Janeiro do 1832 sendo que seja a
mesma a pode mandar levar no Recite a rua do
Cabuga que se pagar todas as despezas e se
gratificar pois ella oi vista logo quando
fugio as praias de Alara Farinha ,
, ou outra
pessoa que dola souber com estes signaes a po-
por pegar que ter a mesma gralificacao.
r7v,dn m Mi,!!.6"''?- m Jum'0r p- A peSSOa' ('ue an"u"ciou P-r este Diario
rovado ern Matnematicas miras o nn. ....- m t-i....._.' ___
nos, do Poco. Ella tem os cabellos como de
cabra, orelhas pequeas, olhos grandes. Se a
negrinha for esla mencionada que agora pode
ter 13 para li anuos; poder-se-hao dirigir na
ruadoS boda Itea-vista casa pegada ao Sr.
Victorino, genrodoSr. Vieira ond"mora"o
proprielario Lavriere.
Aluga-seosilio Olho-d'Agoa, na passa-
gem de Olinda com grande casa, tendo esta
dliac culis Hiioi- ~"-~- .. 1-.......
----- -----,,............ jaiifims un tren-
te; cinco quartos, cosinha tera, e no mesmo
.. ---------- ... quimil aii-
provado em Mathematicas puras, e cm outrai
sc.iencias pela academia respectiva do Ro de
Janeiro dedcando-se ensinar Arilhemctica.
Algebra. Geometra, e Trigonometra ofe-
rece-se a aquellas pessoas que tendo-se en-
tregado a esse esiudo necessitarem de ex-
em 4 do corrente querer saber os signaes e ida-
de de uma preta que desaparecer queira ter
a bondade ver se a mesma prela lem os signaes
seguintes: idade 13 a 16 annos, de nome Ger-
mana crioula, olhos grandes, beicos gros-
>s nariz chato bracos compridos Com u-
laonem pdese ensinar em Igurn ma pequea s.catriz por cima da sobrancelba
l rila da ( 91 ..i.. An v __:____-_____i '. .
esquerda a unha do dedo grande de urna das
naos um pouco torta por causa de un. u-
-1....,
llll'IKI
plica, oes
collegio; na rua da Cadeia de S. Antonio no
segundo andar da casa n. 13
er.al do a Ierro dos .Affogados ,om viveiro no | dedos dos ps, desapareceo em 22 de Marco.
nraadJc^L. Cqueiroso caJ0,iros: P-.P- : ro- Prti"" pcssoa( caso
Seor!;/ ?" "ja0 Wte> os sDaes daPreta anunciada)
st o rapa/, que poucos das estpve nes.l in.n.in 1----- ----- 1- n-' .._,.., '
sencado por outras pessoas acbou na beira do, despezas feitas, se gratificar generosalnte


VEITCH, BRAVO &C-
Vendan na sua botica e armazem de drogas ,
na ra da Madre de Dos, n 1.
A preparado seguinte por preco muito com-
modo e de superior qualidade.
Magnesia calcinada ptima.
Os salutares elTcitos deste medicamento co-
mo purgante mui suave e capaz de se applicar
a todas as pessoas de qualquer sexo ou idado ,
absorvendo ao mesmo lempo todos os cidos
existentes em nosso estomago, o que tanlo
perturbain nossas unccoes digestivas, tornam
seu uso recommendave!, e muito necessario.
A experiencia tem mostrado a um scm numero
de Mdicos sabios e verdaderos observado-
res doefTeito therapeutico dos medicamentos ,
que tanto maior he a sua aeco purgativa .
quanto maior he a quantidade de cidos, que
a maior parte das vezes desenvolvi nossas (Jo-
cncas do estomago. Urna ou duas colheres de
soupa misturado com agoa durante o da he
qnantidade suficiente para produzir bom
efleilo.
Na mesma casa tambem se vendem tintas,
e todos os outros objectos le pintura ; vermzes
de superior qualidade entre clles um perfoi-
tamente branco e que se pode applicar so-
bre a pintura inais delicada sem que produ-
za alteracoalguma em sua cor primitiva. Ar-
row-Root de Uermuda,Sag, Sabonetas, -
Sabio de Windsor,Agua de Seidlitz, Agua
de Soda,Agua de Seltz, Limonada gasoza ,
__Tinta superior para escrever, 1 inta para
marcar roupa,Perfumaras inglczas,--Fun-
das elsticas de patente,Escovas e pos para
dentes ,Pastilhas de muriato de morphina ,
e ipecacuanba, Pastilhas finissimas de hor-
tel-pimenta Pastilhas de bi-carbonato de
soda e gingibre. As verdadeiras pilulas ve-
getaes universacs do D.r Hrandrlh vindas
deseuauthor nos Estados-unidos, &c &c.
= I)a-sc1:iO0Srs. a uros de 2 portento
ao mez sobre penhores de ouro prata ou
comhy'othecaem predios livres nesta praca:
na ra Direila n. 59.
__ Precisa-sedeum caixeiro para venda,
que d fiador a sua conducta ; no atierro da
Boa vista n. 72
__ A actual mesa regedora da Irmandadcde
N. S. da Solidado da ltoa-vista avisa aos Srs.
lrmaos da mesma, para que comprenlo no
dia 8 do corrente pelas nove horas da mnnhaa ,
afim de se procdc-ra elleico da nova mesa.
__ Ofterece-se urna mulber parda para ama
de homcm casado sem familia ; quem a pre-
tender dirija-se ao bco da ^ iracao n. S.
= Precisa-se de um Sacerdote para Coad-
juctor da Freguesia de S. Lourenco da Matta ,
5 legoas distante desta praca da-se-lhe rae-
tadedorendirnentoda Fn-guesia 2008 rs. de
urna capeila distante urna legoa e tem a con-
grua de !00S rs. pode fazer nsto 6008 rs.
fra as missas diarias e p de altar ; a tractar
com o Vigario na mesma Freguesia ou na ra
do Arago sobrado n. 26.
__ Fallou ao abaixo assignado em Agosto
de 1832 urna negra de nome Catharina de
naco Cacange de 15 annos baixa com
falta de um dente peitos pequeos e grossos
tem uns calombinhos as costas signaos de sua
naco e hoje deve representar 26 annos ; ro-
ga-se a pessoa, que pelo Diario annunciou saber
de urna, ver se sera esta.
Jos Lu Pereira.
Da-sedinbeiroa premio sobre penhores
de ouro ou prata ; na ra da Cruz n. 38, se-
gundo andar.
= Braz Lopes de Mascarcnhas, retira-se pa-
ra o Rio de Janeiro.
= W'ilam (ray, subdito de S. M. Britni-
ca retira-se para Liverpool.
= Aluga-seum primeiro andar do sobra-
do em lora de Tortas n. 63 com excedentes
commodos pura familia co/inha fra muito
fresco ptima vista para o mar, e cacimba ;
a fallar com seu propietario Joaquim Lopes
de Almeida caixeiro de Joao Matheus.
=. Faz-se todo o negocio com urna casa com
grande terreno ; quem pretender dirija se a
ra ceS. Benlo ao p de S. Pedro velho.
= Joao Conrado Heidemam retira-se pa-
ra Macei, e leva em sua Companhia um seu
sobrinho menor.
= Aluga-se um moleque de 18 anuos ,
ptimo coiinheiro tracta bem de urna sala ,
serve com promptido a urna mesa assim co-
mo faz todo o servico e nao tem vicio algum;
quem o pretender dirija-se a ra de S. Fran-
cisco ao segundo andar do sobrado n. 16.
= Jos Manoel Valdez emigrado do Pe-
r retira-se para o Rio de Janeiro, levando
em sua companhia seo ilho menor de nome Jo-
ao Valdez e seo criado Luiz Picn.
= Aluga-so mensalmente um preto, para
ser empregado em servico de olaria ; quem o
tiver, annuncie para se tratar do ajuste.
= Joao Francisco de Camino e Jos de
SouzaGodinhol reir, subditos Portuguczes,
ritirao-se para fra do Imperio,
= Arrenda-sc um sitio com boa casa tr-
ras para plantar, ter vaccas de taita, o com ar-
voredos, perto da praca ; qorendo vir a ello
embarcado be pela camba do Remedio cima
at a ultima olaria que tem em dita Camba.
Compras.
__Compra-so urna morada de casa terea, ou
sobradinho de um andar; advertindo que soja
em ra publica: quem tiver annuncie.
Compra-se effectivamento para fora da
Provincia mulatinhas molecas moleques,
e negros de oflicio de 12 a 20 annos sendo
de bonitas fisuras pago-se bem ; na ra da
Cadcia de S. Antonio sobrado de varanda de
pao n. 20.
Compro-se effecti va mente para fora da
provincia mulatas negras e moleques de 12
n 2n annos pagao-se bem sendo bonitos : na
ra Nova loja de ferragens n. 16.
Compra-se urna corrente de ouro sem
feitio ; na ra da Cadeia deS. Antonio n. 32,
ou annuncie.
= Compra-se um Pope novo, ou usado;
na ra Bella sobrado novo prximo a mar*.
.^Comprao-se e veodem-se escravos de ambos
os sexos e tambem so recebem os mosmos para
se venderom sem despesa alguma de comer :
na ra \ ella n. 111.
Compro-se os dous tomos do Almocre-
ve de petas em bom ou mo estado ; e vistas
de cidades e hatalhas para cosmorama : na ra
Direita n. 30.
= Comprao-se- 3 ps de'roseiras de Alexan-
dria sendo um dasdecem folhas ; na ruada
Cruz do Recife n. 50; na mesma deseja-se fal-
lar com o Snr. Jos Antonio Raimundo na-
tural do Ccar.
V7endas
= Vonde-se 3955S994 rs. que tem dif-
erentes interessados na casa que foi do fina-
do Antonio Jos; Quaresma na ra do Coto-
vello a qual al.n de grandes proporcocs ,
commodos, c quintal com arvoredos cacim-
bas de boa agoa ta> ques, (c. ofleroce um
vao na frente parase ediflicarein casas estan-
do os mesmos interessados de acord a fa/erem
aquello abato, que for compativel ; a tractar
na pracinha do Livramento n. 50 primeiro
andar.
-a Vendem-se chitas a 100 rs. o covado c
nao desbotao ; na ra do Queimado loja n.
11 do Vianna.
= Vende se um cavallo castanho escuro ,
novo e gordo, muito bom de carro, por ser
bem ensinado ; na ra Formosa perto da Igre-
ja dos inglezes.
Vendem-se espadas pratcadas para ofli-
ciaes ; na ra Nova loja de ferragens n 16.
Vende-se oleo de linhac,a a 300 rs. a li-
bra cevada a 100 rs. bolaxinha ingleza a
260, letria a 280 farinha do Maranho a
100 rs. espermacete a 680 banha de porco
a 360 cha isson a 2400 caf em grao 140 ,
tabaco simonte a 320 graixa n. 97 a 140 ,
milho alpista a 400 oquarteirao, pataco a 280,
papel almaio azul c branco o todos os mais
gneros por preco commodo.
Vendem-so 12 colheres de prata para
soupa novas e por preco commo-o; na ra
larga do Ro'ario, loja de miudezas n. 35.
__\ ende-sc urna mucamba recolhida de
16 annos, engomma cose e cozinha muito
bem, urna escrava de 40 annos, cozinheira e
lavadeira por 250$ rs. ; 5 ditas para todo o ser-
vico ; urna mulequinha de 8 annos ; um par-
do bom odicial de carpina ; dous moleques ; c
(i escravos para todo o servico a dinhoiro ou
a praso com boas firmas; na ra de Agoas-ver-
desu 46.
= Vende se ou aluga-se o sobrado de um
andar dous sotaos n. 27, recem-rediicado
na ra do Fogo ; a tractar na ra estreita do
Ro/.ario n. 10 terceiro andar.
Vendem-se charutos muito finos vindos
da Babia ltimamente em caixas de 250 ; as-
sim como em moios de 25 ditos ; na ra da
Cruz n 26 venda nova por baixo do deposi-
to do rap1 areia preta do Meron & Companhia.
: A cnde/ii-se charutos da Havana muito
bons ditos regalos ditos da Cachoeira ra-
p Meron dito princeza do Rio de Janeiro o
resto dos folhetes da aria do desposorio de S.
M. I. a obra de Ouintino Duward 4v. por
5000 rs.; edita de Etelvina 3 v. ; na ruado
Cabug loja do Bandcira.
- Vendem-se borzeguinse sapalos inglezes
para homcm sapatos de couro de lustro para
sen hora chapeos francezes para homem ; na
ra da Cadeia do Recife, loja de fazendas
n. 37.
__ Vendem-se espadas com roca dnurada
mui fina; um elegantecarrinhode 4 rodas,
com capote solt easscnlo para duas, ou 4
pessoas e para um ou dous cavados: na ra
da Cruz n. 7.
= Vende-se excellente bolaxa de farinha de
trigo do 10 at 13 patacas a arroba de todos
os taannos; na ra dos Quarteis, padaria
n. 18. ,. .
__ Vendem-se muito lindas redes, propnas
para tipoia ; na ra do Crespo n. 11.
v__ Vende-se um Diccionario contendo 3
lingoas latina, franceza, o ingleza, 2 v. por
2 rs. Salustio por 500 rs. e grammatica
franceza por 700 rs. em bom estado ; na ra
estreita do Rozario loja de cera n. 3.
Vende-se um relogio patente ingloz sa-
bonete de ouro, um dito francez, saboneta
de prata um transelim de ouro de moderno
modelo para relogio, urna caixa de msica,
um relogio para cima de meza pares de ocu-
los de armaco muito baratos brincos de bo-
nitos modelios aneles urna pouca de prata
velha urna faca apparelhada de prata urna
balanza para pesar rap, um apparelho de por-
celana dourada para cha ; as 5 pontas n. 45.
__Vendem-se estajos de navalhas mui finas,
pos para dentes, man para lavar a boca e
conservar os dentes. agoa He tirar mo cheiro
e curar lstalas na boca pomada para cabello,
agoa do colonia macass perola sabonetas
linos em caixas douradas, tudo ltimamente
chegadw de Franca : na ra da Cruz do Reci-
fe n. 43, defronte do beco do porto das canoas.
Vende-se urna casa tarrea na ra do Jas-
mim no bairro da Boa-vista ; na praca da S.
Cruz n. 4.
__ Vende-se um berco de pitia marfim em
muito bom uso, e por preco commodo; na
ra das Flores n. 17.
Vende-se urna escrava de naco costa ,
boa quitandeira ; na ra da Gloria n. 62.
Vende-se um cavallo russo muito gor-
do de todos os andares e manco proprio
para senhora ; na pracinha do Livramento
n. 53.
= Vende-se um pontoiro de ouro urna fi-
vella do cinto 6 pares de botes de punho 3
ditos de abertura 3alinetes, 2 pares de ar-
gas de meninas um par he de grisoltas um
buzio um anelo de tupazio dous coraces
decornalindasencastoadosem ouro, um ha-
bito de Christo circulado de diamantes; na ra
Nova n. 55.
= Vende-se um berco de condur, por
preco cmodo ; na loja de marcineiro da esqui-
na da ra do Fogo n. 10.
= Vendem-se chapeos francezes de bonitas
formas a 7000 e luvas de pellica a 1000 rs. o
par ; na ra do Queimado loja n. 11 do
Vianna.
Vende-se um relogio de ouro anda novo,
de patente, e bom regulador um par de
brincos com diamantes, um corda o e diver-
sos aneldes tudo de bom ouro delei e urna
duzia de colheres de prata para soupa ; na ra
Helia outr'ora Florentina n. 37, primeiro an-
dar.
Vende-se urna parelha de cavallos alazao,
muito iguaes tanto em tamanho como em cor, e
gordos ; na ra Nova n. 43.
NSapatos abotinados de duas e tres solas.
todos taxiados botinsde hezerro francez, e de
Lisboa sapatos de palla tanta a diante como
a traz, ditos de couro de lustro, tanto para ho-
mem como para menino borzeguins gaspia-
dos e de pona de lustro de urna e duas solas ,
pretos e de cores ditos gaviados para senhora
a 2.400, sapatos de tapeta de diversas cores pa-
ra homem e senhora sapatos de couro de lus-
tro para meninos de 8 a 12 annos, ditos de mar-
roquim o couro de lustro com colxetes sapa-
tos de marroquim pretos e de cores ditos de
duraque, ditos de setim para senhora e meninas,
tanto francezes como de Lisboa, sapatos de du-
raque e de cordovo com tamancos para se-
nhora ditos de bezerro para homcm botins
de couro de lustro, e borzeguins gaspiados para
meninos e outras militas qualidades de calca-
do por preco commodo ; no atiero da Boa-vista
loja de calcados n. 24, de Joaquim Jos Pe-
re ira.
* Vende-se um surtimento de fitas lizas e
lavradas de todas as cores e larguras por mui-
to baratos precos, lencos de cassa para mo, pin-
tados e bordados a 400 c 500 reis, ditos de se-
da a 1,400 e 1.600 reis 3 casaos de porqui-
nhosda India a 64-0 ; na ra Direita n. 30.
ss Vendem-se laboas de pinho a 40 e 50 rs
o p, muito largas at 3 palmos, e dediffe-
rentes comprimentos, e urna porco a menor
preco dito da Suecia assoalho, forro e pa-
ra fundos de barrieas at 3200 a duzia ; atraz
do theatro armazem de Joaquim Lopes de Al-
meida ; assim como um batallo que anda a
vara e a remo.
Vende-se potassa da Russia, nova, pri
meirasorte em barris de 4 arrobas : em casa
de H. Mehrtens na ra da Cruz n. 47.
=Vcndc-s um mclequc de naco de idde
de 14 annos, nao tem vicio algum sabe fazer
o servico diario de urna casa, e tem bonita fi-
gura ; na ra do Cabug loja n. 9.
= Vende-se urna venda com poucos fundo*.
e com commodos para familia por detraz de
S. Jos na ra dos Poscadores n. 7 ; a tractar
na mesma. ,
= Vendem-se chapeos francezes de seda a
7000 borzeguins gaspiados para homem o
meninos de todos os nmeros, sapatos de cou-
ro de lustro para ditos botins e meios ditos
de bezerro francez e de Lisboa sapatos de
couro de lustro para senhora c meninas, bor-
zeguins gaspiados para ditas, sapatos com pal-
la para homem e meninos, sapalos abotina-
dos ditos de entrada baixa inglezes botins
de lustro para homem, borzeguins de seda para
senhora luvasde seda para homem e senhora ,
ditas de pellica para homem, ditas entalladas
para senhora, espartilhos para senhora a 1800,
meias de seda para homem e senhora ditas de
algodo muito finas para meninas, lencos de
seda para grvala ; tudo por preco commodo :
na pracada Independencia ns. 11, 13, e 15.
= No deposito de assucar refinado esta-
blecido junto ao arco de S. Antonio, em fren-
te do caes do Collegio ha para vender assucar
refinado segundo o novo systema de fabrica-
cao pelo qual se extrae a potassa e cal, dei-
xando-se-o no seu estado do pureza ; sendo o
proco da libra do de primeira sorte e em pes
160 rs. e o de segunda e terceira em p ,
a 120, rs.
=Vende-se urna molata moca e de bonita
figura, coze, engoma, e cozinha ; quem a pre-
tender dirija-se ra do Crespo loja n. 2.
= Vende-se (na ra Nova n. 21 loja de JoSo
Mendibour) chales de la e seda alista, os o
lizos padrocs novos e de qualidade superior ,
luvas de pelica com costura ingleza ditas com-
pridas com guarnico para senhoras e muitas
outras fazendas por preco commodo.
Vendem-se cortes de chita fina a 2:400 ,
bertanhas de rolo a 2:000, ganga azul encor-
pada a 100 rs. o covado na ra da Cadeia do
Recife n. 27.
Escravos fgidos.
Fugio no dia primeiro de Abril a escrava
Thereza de naco de 30 annos estatura re-
gular cheia docorpo mos o ps grandes,
tem urna poma enchada com falta de dous
denles na frente, signal de sua naco tem 4
botdes ou calombos as ps, tambem signal de
sua naco tem urna coroa na cabeca de car-
regar agoa por isso he muito conhecida; quem
a pegar leve a ra Imperial n. 98, que ser re-
compensado.
= Desappareceo nodia 7 de Setembro de
1841, as 7 horas da noute a escrava Roza ,
de naco Songo estatura alta cor mais fula
do que preta rosto comprido os dentes da
Irente quebrados urna marca de fogoem urna
das pas ; quem a pngar leve a ra de S. Rita
n. 8-, que ser gratificado.
= Fugio no dia primeiro do corrente a pre-
ta escrava de nome Libania com falta de den-
tes na frente o beico de cima um tanta cresci-
do, estatura regular pernas finas, levou ves-
tido de ganga azul panno da costa e um ta-
holeiro ; quem a pegar leve a ra do Fa^undes
n. 22, que ser gratificado.
= No dia terca feira 29 de Agosto fugio do
sitio do Medico Pcreira de Brilo um escravo
crioulo de nome Luiz, o qual nasceoem a
Villa de Iguarass e residi por muilo tempo
em o engenho Inhaman sendo escravo de Ma-
nel Caetano de Almeida a quem o mesmo
Medico comprou em Marco de 1834; he alto,
secco, tem cabellos brancos na cabeca anda
sompre a passos he canhoto tem oflicio de
sapateiro porem a 2 annos, que trabalha de
enchada no dito sitio ; fugio com calcas de ris-
cado a/ul com listras brancas camisa de ba-
ta encarnada e mais roupa cobertura de
bata da mesma cor ; da-se 40 rs. de grati-
ficado a quem o pegar e lovar ao atierro da
Boa-rvista n. 43.
Fugiro na noute do dia 3 para 4 do
corrente de bordo da Sumaca Conceico Na-
vegante dous escravos ambos de nomo >nto-
nio sendo um de naco Mina alto, magro ,
representa 40 annos tem urna ferida no tor-
nozelo do p" esquerdo ; o outro de naco An-
gola baixo echeio do corpo, representa 30
annos, e be quebrado ambos levaro calcas
debato, e camisa de bata azul; quem os
pegar leve a bordo da dita sumaca ou na ra
da Cadeia a Amorim & Irmos que ser gra-
tificado.
No dia 13 de Maio do anno p. p. fugio a
preta Josefa de naco Cacange testa calva,
nariz chato costas sarjadas de ven tozas pel-
lo de pombo com a marca M no braco cs-
querdo o cacund at ao meio do mesmo bra-
co ps pequeos cabello na fonte muito
conchegado dentes de cima o do meio aber-
tos, e cor preta; quem a pegar annuncie.
Ho/'f!'
i Ty?. 2z M. F. ni Fh:a. =
lan't


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWDBZPVRZ_7MFYOF INGEST_TIME 2013-04-12T22:23:04Z PACKAGE AA00011611_05045
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES