Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05041


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^. ^
wm
fr-itr..i,
........
.

Auno de 1843.
Sexta Feira J .
Tudo afora depende de nos meamos; da nona prudencia, moderago, enerria- con-
tinuemos como urincipismos, e aeremos apuntado com .dmiraio entre ai Nagfleimaia
( Proclamagjo da Aasembleia Geral do Biasii.)
eultaa.
PAHTIOAS DOS COR REOS TERRESTRES
Goianna, e Parahrba, secundas e sexta, foiraa. ilio Grande do N irte, quinta feira
Bonito e Garanhuua, i I. e 24. i
Cabo, Serinh.iem Kio Forrunio P.irto Cairo. VlaceiA. e llat,oas no \ o \\ e jj
Boa-rala florea .e 2 i. Santo V-ntio quintas feiraa Olinda todoa os das
IAS l)\ SEMA.N.
'.S Seg. a Agosttnho B. And do J de D. da 2.
3 Terg. a tdolfu ti del. Aud do J de D. da 3 r.
- Quarl s Koi.de'Liaaa ud do J. rte U da 1 *
J| Quii, a Raymundo Nonato Card. Aud doJ. de D. da 3. t.
i Sex. a. E.'Tdeu Ab Aud do J. de 1). da 2. t
3 Sab. a Ksict.io re. Kel. Aad do J. de D. da 1 T.
3 Uoaa. No isa ."enbura da l'cnlia.
de Setembro
Anno XX. N. 188.
O Di ato publica-se todoa o* das que nao forem 9*ali|oadoa: o pre^o da asaijoalura ba>
de trea mil reis por quartel pa~o adiantados Os annunrio do asignantes sao inserido,
jratis eos dos que nio forem raso de ^ reis p r liaba Aa reclamadles .iere- aerdtri-
gtdas a esta Tip., roa das Cruiea N. U, ou apraja da Independencia loja delirroa N. 6e8.
i Independencia Loja i
CamiiosNo da il! de Aguato. compra
Cambio .obra Londres 2o. Ooao-fl_o.de da 6,400 V 6 800
Paria 3. b rea por franco. N 6,60j
,t09
1,3(1
1,020
1,930
a LiaballO por 100 de premio.
renda,
17 ujO
ii 800
y 4.(u
..040
l,!'4u
1,040
da 4,000
Mo.dad.cob,. 2 por cerno P, C.iumn.ra.
dem d. letraa J. boa. t-rma. J ,,il(|# <>Ulu.tnt
PHASES UA Ll'AISO MEZ DE SEPTEMBRO.
Loa Cheia a 8, aa 4 horas e 7m. da tarde La ora (J, 2hras e 50 m. da |ard.
V-.n. esjng. 4 16, aa 8 tioraaa 53 m u. t | iu, ar.*,. a 1, aa 3 boraa e 3 m da manb.
Preamar de hoje.
nh I i U hora. 30 m da laida.
1. a lo boraa 6 a. da
EXTERIOR.
Acompanhava-o urna multido de fidalgos em
grande uniformes, enriquecidos de ouro e
pedraria. Tendo-se o Palriarcha escusado le
officiar por motivos polticos, Coi substituido
pelo Deio Carvalho, irmo do ministro da fa-
zenda. Os Principes estrangeiros viram a pro-
ciss: de cima de urna tribuna construida para
a Rainha na parte exterior da cathedral. A
Princeza Clementina attrahc a si todos os cora-
cdes pela sua aflabilidade ; a sua piedade sem
affectacao honra a excelsa rni que lliodeu tao
nobre exemplo. A sua austeridad? em obser-
var os jcjuns faz pasmar a gente da Corte que
nao a imita. [Journal des Debats. )
INTERIOR.
RIO DE J4SKIR0.
ASSEMBLEA GERAL.
CMARA IIOS SEMIORKS DRPUTADOS.
NOTICIAS DIVERSAS.
L-se no Journal dos Debales :
Pedem-nos a Insercao da seguinte carta :
Ao Sr. Redoctor do National.
Liverpool, 6dejunho de 1843.
Tendo I i lo no jornal Inglr-z o Times de 2
deste mez uin extracto do urna caita dirigida ao
National por um dos seus correspondentes do
Rio de Janeiro, relativamente as princesas im-
periaes do Brasil para com as quaes serve-se
deexpressescertamentebem deslocadas; e sa-
bendodeiima rnaneira positiva que Suas Alte-
zas Imperiaes tem recebido urna educacao nao wm
menos aecurada do que a que se d nu Europa
s pessoas da sua jerarhia ulgo do meu de-
ver, como Brasileiro. nao so contradiscr una
assercao tao falsa mas tambem manilestar-vos i
aminha surpresa de vera facilidade com que
similhanto correspondencia se acha reprodusi-
da n'um jornal Franccz do qual eu julgara de-
ver esperar ma.s circumspecco assim como de- Snt4o em 31 ^ejulho.
Lcaclesa mormepte para com Princesas Impe- Ju|ga_se objecto de deliberaefio e vai im-
Tenho a honra de ser, Sr. Redactor com ^"^".P'^^Ti"'"? "Pfial en"
urna perleita consideracao i ^arr,,ga(,a "e Propr medidas sobre os terrenos
Antonio da Silva Jnior. i diamantmos.
-----------_____ sao lidas e approvadas as redaccoes de diffe-
L-se na folha ollicial de aples de 29 de renlps resolucoes approvando pensoes.
tnaio: ^ Contina a discussao da resolucao do Sr.
El-Reideu hontem um grande jantar por oc- visconde do Baependy que declara fiear ap-
caso do casamento concluido entre a S. M. o provado um dos rticos dos estatutos do colle-
Imperador do Brasil e S. A. R. a Princesa The- gioPeilro2, com as emendas apoiadas.
Z LVr i-"1- ^ ?M' Rd' a Ra,l_ Sr visco"<,e de Boepondy sustenta a dou-
nia a Rainha Mai, eos nutras personagens da -!-_ An ,L-_a ],;,- r
corte. S. Ex. o embaixador do Impeador do '.""f d [,T^X[ CUa d,scussa0 a'~d ca a-
lrasil o contra-almirante eos commandantes ''/', .
dos navios Diasileiros, o corpo diplomtico, os lon,inua a discosso do artigo 2. o do pro-
ministros e secretarios de estado os ajudantes F1'0 sbre colonisacao, com as emendas apoia-
decampo do rei, etc. assistirao a este magaifi- rtas-
co jantar. Tomao parto na discussao os Srs. Fonseca ,
S. A. R. a Princeza Thereza Cbristi'na Silva Forra?. Franco de S Sousa Franco ,
Maria lez na manbaa do mesmo dia peranteSS. Carneiroda Cunha Henriques de Re/ende ,
MM. o Rei, a Rainha. ea Rainha Mai a re- Quoirox Magalhaes e Castro, Rodrigues
nuncia do costil me. O acto da renuncia Coi Torres e Vasconcellos.
presentado a auignatura da Princeza por S. A discussao torna ficar adiada.
posto por urna patento de 2OSO00 att 2OOS000
reis.
Tomo parte na discussao os Srs. Pinto de
Mendonca Pessoa de Mello Henriques de
Rezende ministro, da azenda e Alves dos
Santos.
A discussao fie adiada pola hora.
dem du dta 2.
Contina a r'iiscussa da resoluco do Sr. vis-
conde de Raer,ndy com as emendas apoiadas.
C dendo alguns Sro, deputadoda palavra. e
nao bavendrj mais quem a peca, ulga-so discu-
tida a mate ria.
,\pDrovr4-se a resoluco que declara finar ap-
provado '.> artigo 235 do regulamento n. 8 de
31 de.jar.eiro de 1838. que Isenta o bacharel em
ledras'pelo collegin Pedro -2. de fasr exames
(p preparatorios para cnt ar as academias do
imperio, bastando a apresentacao do seu di-
plorria.
F, tambem approvada a emenda do Sr. Luis
Carlos, que diz:Os exames de preparatorios
so reputaran validos em todas elhs.
As outras emendas sao regeitadas, ojulgada
prejudicada a sub-emenda do Sr. Rocha.
A resoluco adoptada, e com a emenda ap-
provada remctlida commissao do redaegao.
Contina a terceira discussao das emendas da
commissao com outras emendas apoiadas.
Tomao parle na discussao os Srs. (alvao ,
Souza e Mello, e Ferreira Penna, e fica adiada
pela hora.
quo'l procedit de
Ex. o Cavalleiro Paiisio ministro da justica ,
edepois foi assignada por S. Ex. o Embaixa- dem do i.'de Agosto.
dor Rrasilciro. SS. Ex" o marque/, de Pielra- Sao lidas e approvadas as seguintes redac-
catella presidente interino do Conselho, o foes :
principo de Scilla ministro dos negocios es- l." Da resoluco, que concede privilegio ex
trongeiros, o principe de Campo-tranco, elusivo companhia de fabricas uteis est.ibe-
minstro Conselheiro de Estado e as princi- lecidas na capital da provincia da Babia de
paes personagens da Corte tomaram parte n'es- manulacturar na mesma provincia papel, cuja
le acto como testemunhis. j materia prima seja pela maior parte o tronco ,
----------------------- l ou folhas de bananeira.
O Conde de Borgia guarda nobre de 2.' Da resoluco autorisando o director do
Sua Santidade, que leva o barrete ao Sr Fr. curso jurdico de Olinda a admittir a facer acto
Francisco de S Luiz Patrarcba de Lisboa, de 3.a e4 anno o estudante Antonio Duarte
acaba de atravessar Pariz. Elle sabiu da Ca- da Silva Valenca.
pita I hoje ( 30 de Junho ), o dirige-se a Lis- i Contina a discussao da resoluco do kr.
Da I visconde de Baependy com as emendas apoia -
No ultimo consistorio secreto do 19 de das
Junho propz o Santo Padre as Igrejas se-i E' apoiada a seguintc :
guintes: A passar a resolusao laca-se extensiva aos
A Igreja metropolitana de G'">a as Indias alumnos do I icio da provincia do Rio de Ja-
Orientaes, par o R. I* Fr. Jos da Silva neiro estabelecido em Angra dos Reis. Paco
Torres Religioso Benedictino Sacerdote do em 31 de jtilho de 1843.Miranda.
Porto, e a Igreja Episcopal de Maco para o j OSr. Wanderley propoe o adiamentod.
R- P. Nicolao Rodrigue/. Pereira de Rorja 'discussaoa que no senado se discuta um pro-
Sacerdote ta Congregaco da missao de S. Vi- j jecto creando urna universidade.
1- TI... I- Il .j:___________T-J. _.. I.'
baha.
PASTORAL.
Oom Romualdo Antonio de Stixas, por Mer-
ci de l>eos, eda Santa S Apostlica Ar-
ceb'spo da Rahia Metr

do Brasil do Con*elho de S. Jf. O Impe-
rador Grande Dignitario da (Jrdem da
Roza, Gram-Cruz di de Christo, A/c.
Ao Clero, e mais Fiis da Nossa Diocese Sa-
de, Paz, e Roncan em Jess Cbristo nosso Li-
vino Salvador.
Occupados neessantemente dos meios de
I promover o vosso bem espiritual, que jubilo ,
amados fi I los nao devia sentir o nosso cora-
cao no momento em que o Rm. Padre Mes-
ttePrefeito do Hospicio de N. S. da Piedade
Fr. Pedro Luiz de Serraveza nos communicou
o projecto de estabelecer na sua igreja o cathe-
cismo da doutrina christa em todos os domin-
gos do anno excepto o- da quaresma, fechan-
no este santo exerciciu com devotas adoracoes ao
SS Sacramento, e Benco do Mesmo?
(guando se reflecto attentamente na impor-
tancia to entino religioso e sua influencia o
lire os destinos da huinanidade, chamada a urna
perfeicao que o torne similhanto ao seo mes-
mo autor ; quando se considera que a mur
paite dos males, que nlRigem a socied.ide e
a \ao como barbareando nao provin ile ou-
tra causa que d fat.il ignorancia tos principios
himo sed in omni verbo .
ire Dei.
Esta Cathequeso amados (Idos cuja ins-
titoicao remonta .ios mais bellos dias di igreja
christa deque o Grande Agostinho tracoQ
com tanta sabedoria o methodo e as regr.is. que
elle mesmo e ouros eminentes \ ardes em saber
e oiedaile praticirao com o maior successo. que
o famoso Gerson depis de ser o Orculo de
Constanca exereeo com admiravel edifleaejio ,
lescendo J'altura do seo elevado genio para en-
sillar aos meninos os primeiros rudimentos da
f ; que finalmente lax ai__da boje na Europa o
emprego de militas respeiiaveis e pias associa-
efies esta Cathequese dizemos nos, vai a-
Inir no Hospicio da Piedade um novo manan-
cial de instruccao religiosa toda a classe de
pessoas o sobretudo inocidade e satisfa/er
nina das mais urgentes precisoes da epca em
que vivemos.
Sini nao o duvidemos : a eduencao christa
he urna das nossas primeiras necessidades ou
como se explioava um dos mais prolundos fil-
sofos do seclo 17 o nico segredo da refor-
ma do mundo porque as ideias e sentimentos,
que ella embebe nos tenros nimos da puericia.
sao de tal Corea e diutumidade que difficil-
mente se dobro ou se vencem e decidom or-
dinariamente de suas opinioes o costumesem
todo o resto da vida. O horncm diz o Espi-
rito Santo segundo o caminho que tomou ,
sendo moco, delle se nao apartar, ainda quan-
do for vclho.
cente de Paulo.
O A/irning-IIerald confm a seguinte cor-
respondencia datada de Lisboa 19 de Junho:
Teve lugar a grande procisso por occasiao
da Fesla de Corpus Chrisli ; ella foi a mais
numerosa que se tinha visto ha muitos annos.
A Rainha querendo ostentar diante dos seus
Ilustres hospedes a maior pompa possivel, li-
nda ordenado ao Sr. Costa Cabral ministro
do interior que todos os fidalgos gran-cru/es,
cominendadores e (avllenos das onlens deviam
.'ssi>iir ella. A ceremonia teve um grande
esplendor. Todas asea as estavam ornadas,
umitas com cortinas o colchas de seda cor de
carmesm bordadas de ouro e asjanellas guar-
necidas de sen horas vestidas de grande gala. O
pallio era notavel e eondusido por Kl-Rei e
O adiamenlo apoiado, e sendo combati-
do pelos Srs. visconde de Baependy Na buco
de Araujo, Rocha, D. Manoel de Assis
Mascarenhas, e sustentado pelos Srs Wan-
derley Carneiro da Cunha, o Rarros Pimen-
tcl julga-se discutido e posto votse re-
geitado com grande maioria.
Contina pononseguintc a discussao da re-
soluco.
Dcpois do Sr. Wanderley fazer varias ob-
servacoes em opposico ao projecto fica a dis-
cussao adiada pela hora.
Entr3o em 3.a discussao varias emendas da
commissao que sao apoiadas e hem assim um
grande numero d ellas de diver-os Srs d po-
tados que tambem sao apoiadas entre es-
tas a do Sr. Barros Pimentel que suprime o
imposto de cinco rs. sobre os peridicos e a
j leis do urna religiao enviada do Ceo para es
clarecer a intelligencia do homem corrigire
rectificar sua vontade enfreiar suas paixoes ,
e guiar, como locha resplandecente todos os
-eos passos para o bem ; tjnando se pensa em
firn que o futuro est todo as doulrinas de
que fr imbuida a nascente geracao e que se
o espirito de incredulidade ou a indilTerenca
religiosa mil ve/es mais funesta, continuar a
corromper envenenaras puras fontes da edu-
caco o resultarlo ser um melanclico porvir.
e o espectculo de urna geracao ainda mais de-
pravada sem Dos e sem moral: quem dei-
xar de pplaudir o feliz pensamento de urna
Escola de Cathequese no recinto do mesmo
templo donde a virtude da Divina Palavra he
continuamente levada pelas mos do xeln e da
obediencia ana mais remotos confina da Dioce-
se, para fertilisarestes trrenos incultos, ese-
quiosos (lo orvalho celeste? Assim, estes in-
cansaveis obreiros doevangelho retribuem com
usura o alimento corporal que recebem da ca-
ridade dos fiis, com nutro mais salutfero que,
segundo o Orculo Divino constite n vida
moral do Homem non in solo pane vivit
Rem comprehenderao este segredo os sofistas,
que se propozero regenerar os homens, abdi-
cando todo o passado para formaren! urna so-
ciedade inteiramento nova donde Dos fosso
bannido e trastornadas as antigs nocoes do
vicio eda virtude chamando bom ao mao o
mo ao bom pondo trovas por luz, e luz por
trovas firmavenmt tib sermonem nequam.
Possuidos de pasmosa vertigem e do insensato
projecto de dcscatholisar e anarchisar o mundo,
o seo primeiro cuidado foi apoderar-se exclu-
sivamente da educato, inocular na propria in-
ancia suas perversas e medonhas ibeorias, vul-
garsar eespalhar Nvros elementaras e catecis-
mos em queso propinava o maissubtil e cor-
rosivo veneno dar em fim golpe mortal to-
dasas instituicoes, que linho por objecto edu-
c r a mocidade no temor de Dos, c na scieneia
e pratica dos deveres do ebristianismo, subs-
tituindo Ibes outras escolase estabelecirnentos,
onde ludo se aprendesse excepto a Religiao
de Jcmis Cbristo. O mundo vio com assombro
os clTeitos desla sacrilega coiispiracSo. Scme-
ou-se vento e colheo-se horrtveis tempestades:
das doulrinas, como he natural passou-se aos
actos, o a Franca nao levo" por al uns annos
ou tro culto que o aidesmo nem outra poli-
tica que a do lerror e da feroz demagogia.
E porque fatalidade serio os (Hitos do secuto
mais prudentes eatilados para o mal, que os
nidos ta luz para o bem ? Se a revolta contra o
l'hrono e o Altar ai bou nos elementos de urna
ediicaco impa e toda material o mais poderoso
inodil, para realisar seos planos de destfuieo
edemorte, poique nao buscaremos tambem
na educado e no eosino religioso as garantas ,
que so elle pode dar para reconstituir e salvar
a socieuade? Porque nao imitaiemosesU mes-
ma I rama quando repara gloriosamente essa
poca do delirio invocando e reanimando por
loda a pai te a educacao edrist >a bem conven-
cida de que o estandarte da oivihsacio, que ella
parece destinada a conduzir diante dos outros
povos, nao pode marchir se nao apo/ ou ao la-
do da Crua do Redemptor! Sao de certo, lou-
vaveis os esforcos do legislaoor para oppr urna
barreira torrente das paixdes anti-sociaes
massem costumes i|ue sao principalmente o-
lra da educacao a mais bella hfgislaclo nao
passara de letra mora porque com ella sub-
sislem ecrescem as venenosas races da cobica .
do egosmo e do orgulho que so o influxo da
religiao pode afogar ou comprimir. S ella he
':,::.: ,, ,..;;,!.r w unic descenuo ao inti-
conscencia e moderando os propriog

mo


pensamentos e doscjos. Fie nocathecismo, que
e aprende n razo to po ler o dos llover s tlo-
rivando-a da vontado do Dos ed.i ordom por
olio estahidecda sem a qual nao se pollera
conceller o invslerio da obodiencia lo hoincui
ao hoinem. E-st.i ongem divina do laco que
une e piende a sociedado humana nao ese-
pou ao senso moral e rcli-;io gisladores d'aotiguidade pagta ; mas foi a reve-
lado, que a s inccionou u garanti de mn modo
mais explcito e solemne. O simples losenvol-
vimenlo do i. procoilo do declogo, que man-
da honrar os pais e debaxo ilesle nonie os de-
positarios d'autoridade publica, por aso que
elle*a devem exercer com paternal solicilude ,
ollerece ideias muito mais exactas e lumino-
sas que os mus hrilhintes discursos da sabe-
doria do seculo. He no celhecismo que sedes-
cobre a dignitlndo e aito deslino do nosso ser
foimado similhanca do creador elevado pe
rede-mpeao ao sublime consorcio da natureza
divina, e chamado i heranca posse de utn Rei-
no, que nao ter fin ; doutrina magnifica, que
os mais profundos filsofos do paganismo ape-
nas entreviro 4 e nica que. pode inlundire
atear no peilo magnnimos senlimentos de ca-
ridade dedcacao o sacrificio que um abicc-
to materialismo pretende dessecar c extinguir .
para dar lugar aos Irios e mesquinhos clculos
do interesse individual. He ali em lim que
se inspira horror ao vicio sempre seguido, a-
inda no meio dos seos successos, do incorrup-
tivel remorso e dos saudaveis terrores de urna
justica que nao pode ser Iludida e o amor
virtude, sempre acompanhada, anda no meio
dos seos infortunios de urna pa' neffavel e de
esperanzas cheias de mmortalidade. Oh! que
deliciosos fructos nao devem um da brotar no
seio da patria esta? preciosas gementes laucada-
no fundo da alma candida e llexivel de um me-
nino quanto nao sao ellas mais officazes par.
prevenir delicio* do que a severid ule do mae-
inoxoravel cdigo ou a vigilancia da mais in-
cansavel pocia
Km urna palavra querer reformar e ongra
decer os homens sem reformar a educado In
o mesmo queaformosear e decorar um mages-
toso edificio dcixando-o assentado sobre fra
geis e ruinosos alicercos. Se a meo do Kternn .
ou em outros termos, a religio de Jess Chrs
to nao vii-r em auxilio da obra, debalde se ran
cao os que a edificio. He este o solido tunda
ment que Paulo se gloriava de haver poste
como sabio Arquitecto.
Ulane-se embora um povo da abedoria di
suas leis dos inventos da un florescente indus
tria da exlcnso e prosperidad do sen com
mercio : se por ventura Ihe falta a poderosa ala
vanea da educado chnst ou se nao cont
com outra moral, seniio com a que est es
cripta as paginas dos seus cdigos elle mar
chara a passo cheio para sua ruina e os pom-
posos nomes de progresso e civilisaro com
que se lisongea sua vaidade nao servem sena,
d'encobrir a miseria que o consom e defi
nha ; semelhante di/ um iidicinsn escriptor
a um es(|iielelo coberlode urna capa de purpu
ra. Ja vedes amados filhos, quanto esto objec
to demanda os cuidados e fnlelnlade d'aquel
les a quem foi confiada a alta misso de ins
tituir a puericia 0 formar Ihe o espirito e n
coraco. Fallamos dos pais de familia, dos mes-
tres e directores das escolas e casas d'ednraeSo
e dos reverendos parochos. O nomo de pai des-
pert as ideias dos mais sagrados deveres l<
amor -elo, c inte essu pelo bem estarde sen
filhos, nao s alimentando c conservando a vi
da, que Iransmiltirao comosungue, mas so
bretudo fa/.endo-os renascef pelo Baptismo, r
sustentando com o purissimo leito da doutrina
e com a auloridade lo cxemplo a vida do espiri-
to que consiste no conhecimento o verdadei-
ro e nico Dos, o de Jess Cbristo seu Uni-
gnito Filho. Raqui vem que os pais de fa
milia sao considerados, na lingnagem dos pa-
drea como rhofos espiritual* pastores de son
casas que o apostlo qualificava de Igrrjm.
domesticas onde Ibes compete diz Santo A
gosiinbo fallar e ensinar como aos pastores
ecelesiaslicOS no recinto do templo. He medan-
le os seus disvlos que a infancia deve reco-
lher se para usarmos da enrgica fraso de ym
eloquente orador no espirito de Dos antes
de entrar no turbilhoda vida i.ctva edissipadn
do mundo. Acompanhandoo progressivo losen
volv ment dos seus soplillos e da sua razo, ellos
podem desempenbar este stiave dever muito me-
lbor|ue os pastores da reja osquaes, como
nota S. Joo Chrysostomo apenas o podem
fazer de quando em quando, edeumamanei-
ra rpida em quanto que os pais e mais na
diaria commun'caco e contacto com olios a-
cho mil occasies e facilidades ; podem a to-
dos os momentos observar sua ndole, cnas-
centes ndinacocs guardar as portas dos sen-
tidos, nof onde entran lodos os vicios ; hnlhu-
ciar com ellas >s doces nomes le Dos de Je-
ss, c de Mara, levantar ao Ceo suas maos in-
fants como oflerecendo as primicias da sua a-
dora-o ao Soberano Xutor de todas as cousas ; j e a instruceflo moral e religiosa ou loi abando-
a aproveitar sua amivol sngeleza e docilidade nada ou, o que importa o mesmo reservada
p ira imprimir cm seu espirito, como om bran- j para urna poca, em que ella se torna Ilusoria,
la cera as primeiras ideias da religio, e os quando os prazeres e as paixes de que ella
ctamesdesta lei santa, que, segundo os divi-
nos Orculos allumia o di inteligencia aos
pnqueninos, c faz elocuentes as lingoas dos
mi.mies !
Ah quanto sao criminosos perante Dos e
os homens esses pais desnaturalisados que ou
tratiio com indiflarenca a educado religiosa de
seus filhos, ou sao elles mosinos, por suas
blasfemias o maos exemplos, seus primeiros
corruptores e mestres da impiedade e do atho-
ismo que cstreita responsabilidade nao reca-
hira naquellas mJis que em vez do recato ,
mo lestia e outras virtudes aue fazem o or-
namento de una virgetn Christaa s nutrem
um suas filhas o espirito e mximas de um mun-
do frivolo e corrompido o o amor de suas vai-
iladet e illuses maissollicitas de conduzi-las
aos espectculos e divert>mentos profanos, do
que a missa o outros santos deveres do cristia-
nismo que diflerentc era o plano traeado por
S. Jernimo a urna Matrona Romana para elu-
ai/ao de sua filha Eis aqu diz o Santo
Doutor, como deveis preparar urna alma, que
ha de ser o templo do Dos: nenhuma outra
i-ousa seacostume a ouvir ou tallar seno o
que pode inspirar o temor de Dos ; nao com-
prehenda mesmo o que oliendo a pureza; ignore
as cantigas do mundo, e sua tenra lingoa s
se embeba nos cnticos Divinos... Nada ve-
ja em ti, e em seu pai que a possa induzr ao
leccailo. Lembrai-vos pais tiesta virgem, que
:11a mais pode ser entinada com os exemplo* do
que de palavra. Em verdade una semelhante
educaco nao seria do gosto de um seculo ,
|ue prefere o hrlhante ao solido e o agrada-
vel. ao til; mas ella seria eminentemente mo-
ral o christ, e faria realisar o lypo encantador,
|ue nosdeixiro os livros santos, da mulher
forte, isto he digna por suas virtudes do-
mesticas de lazer a gloria do seu esposo e a
felicidade le seus filhos. Esscs amenos talentos,
pie o mun lo aprecia e que podem ser exigi
los pelas conveniencias to proprio estado ou
ondioo nao sao cortamente eomlemnado-
uda Religio mas compre que ella os santi-
i |iie, e que, se.'un lo o seu espirito.se use des-
las orondase dona fugitivos, como se lelb's se
io usasse Qui utuntur. ... lanquam non
n I un tur.
Con otliclo na terrivel sentenca do Apostlo, quan-
lo iflirma que < quelle. que nao tem cuidado
la edificaco espritu .I de sua casa aojaron n
' ehe peior que um infiel EHo he acoros-
nta S. Cypriano um venlaileiro e crud par
ncda pois que priva seus filhos do maior .
nais vital e inestimavel dos bens, e chama so-
bre si proprio a vergonha e deshonra esohri'
i sociedade todas asd>sgrarns, que acarrla
nina vida desregrada esem freio. Tal deva sor
i natural cnnsequeneia das doutrinas materia
listas, quesei'iilarisaro divina instituidod
natrimonio, elevado por Jess Cbristo a subli-
nn dignidade de Sacramento. eoreduziro a
um mero contracto sem outro vinculo que h
nconslancia ou capricho dos esposos. \ inlen-
eo de Jess Cbristo consagrando esta allian-
a indssoluvol, formada na oriu'em dos lempos
pidas mos do mesmo Dos, e impondo-lh do-
veres o verdadeiras tunenos espiriluaes, foi dar.
>or urna nova hen< o de focundidaile groja
humildes e obedientes filhos, ao estado uleis o
. iriuns se dadaos eao Co justos e predesti-
nados ; de surte ipie o matrimonio voio a ser an
mesmo lempo diz o inmortal Bossuet urna
le moral religiosa o poltica, o sua fidelidad'-
e santidade o mais seguro penhor da paz das fa-
milias e da prnspcritladc das naoes.
O filosofismo porem niio poda ver na u-
niiio conjugal seno um laclo puramente hu-
mano, o o resultado do ins ti neto da prnpagaco
da especie porque ello nao va no hoo.em se-
an um rnmposlo ou musan organisaua e sensi-
rel que recebe a vida de ludo que o cerco, e de
un preeises. E com urna to ovillante doutri-
na que faz das sonsacos a nica regra ros
deveres, seria possivel sentir as va na gen* de
urna religio toda celeste, que procura levantar
o homem cima dos sentidos sujcitamlo
carne no espirito, e este raso infinita e so-
berana de Dos? nao: o baptismo, que santi-
fica o berco do mor.,I o o colloca sob os aus-
picios c tutela da divndade, foi despresado, co-
mo urna ceremonia va ou contestada sua ne-
cessidade ; a educado fisica ou do corpo e a
cultura da intelligencia que cm ultima analy-
se nao ora para estes sofistas seno o producto
dos orgos ou de nao sei que protuberancias
do cerebro (1), absorvero todos os cuidados ;
devia ser o preservativo se tem j apoderado
de todas as avenidas do corado. Vio-se ento ,
disse um grande filosolo christo naturalistas
de oito annos, e atheo de vinte !
( Confnuar-ie-d.)
PER NAM BUCO.
Resultado do colltgio sleitoral de Olinda.
Votos
28
Nomes.
Antonio Herculo de Souza Bandeira
Joo Paulo de Miranda
Joaquim Francisco de Faria
Lourenco Trigo de l.oureiro
Antonio Joaquim de Mello
Joo Jos" Pereira
Joaquim Numos Machado
Manoel Ignacio de Carvalho Mendonca
Jos Bento da Cunha e Figueiredo
Jos Tavares Gomes da Silva
Jos Pedro da Silva
Francisco Jos de Medeiros
Francisco Rodrigues Selle
Luiz Rodrigues Selle
Joaquim Jos da Fonceca
Francisco de Paula Rodrigues d'Almeida
Joao de Souza Res
Joao Jos Pinto
Jeronymo Villela do Castro Tavares
Urbano Sab'no Pessoa de Mello
Antonio Baptista (it rana
Antonio C-arneiro Machado Rios
Miguel do Sacramento Lopes Gama
Manoel Teixeira Peixoto
Pedro Autran da Matta Albuquerque
rjmbolino Ferreira Cato
'oo Paulo de Carvalho
Luiz Puarle Pereira
\maro Baptista Guimares
Francisco Mu? Tavares
Francisco Mominjnies da Silva
\ntonio Josd'OI veira
'bmveniito Augusto de >fealh3esTaques
loaquim Villela de Castro Tavares
loaquim Teixeira Peixoto
Manoel de Souza T'xeira
Mexnndre Rernardno dos Reis e Silva
Felis Peixoto de Brito e Mello
Manoel Mondes da Cunha Azevedo
Manoel Joaquim Carneiro da Cunha
Vntnnio da Cosa Roso Montriro
Francisco i lamello Pessoa de Lncerda
1 nlono Teixeira de Rorba Jnior
\ntonio AITonco F- rreira
lorencio Jos Carneiro Mnnteiro
Francisco Joaqu'm das Chagas
Fol;ppe Lopes Netto Jnior
Pedro Bizerra Pereira de Araujo Beltro
Simplicio Antonio Mavigncr
Mai oel Coelho Cintra
los Tollos de Mene/es
los Francisco de Paiva Jnior
Joo Francisco de Arroda Faldo
\ntonio Peregrino Maoiel Monteiro
Francisco Ferreira Rarretlo
Manoel Paulino de Govea Muniz Feij
Joaquim Gonealves Lima
Joaquim Jos da Cota
nlono de Isgampdo Cabral
Francisco Carneiro Machado Rios
Joo de Barros Falcao de Albuquerque Ma-
ranho
\nlonio da Silva Neves
Folippo de Barros Araujo
Horeulano Gonealves da Rocha
Francisco Rarboza Noeueira Paz
Sebastio do Rogo Barros
Joaquim Pinto de Campos
los Joaquim Bizerra Cavalcante
Jos Bernardo Gnlvo Alcanforado
Lourenco Bizerra Carneiro da Cunha
u Cavalcante de Albuq.
Luiz Paulino Cavalcante Vellez
Carlos ('oelho da Silva
Antonio Barrozo Pereira d Moraes
Bernardo Jos Martins Pereira
Baro de Suassuna
Francisco de Paula Vello; de Guivara
Francisco Joaquim de Barros Correia
27
27
27
2I
25
2i
22
21
2'
21
20
20
20
19
19
19
19
18
17
16
15
15
15
15
15
14
14
\
14
li
Ll
13
12
12
12
12
11
11
10
9
8
8
8
8
8
8
8
8
7
7
7
7
7
7
6
6
fi
6
6
5
5
5
5
5
4
4
4
4
4
4
3
4
4
A
4
4
4
denva das sciencias, condusio o celebre A. da
franologia de absurdo ern absurdo at preten-
der, que os melhoramentos da i durad0 depen-
dido do pnigresso das sciencias fsicas, de soite
que emquanto a historia natural naS estiver com-
pleta e aperfeicoada na he possivel dar urna
direcco segura educaco nem um impulso
conveniente s differentes paixoes!\ Poresla Jor-
nia, diz um judioioso critico, no seculo de Luis
vl) O famoso systema do Pr. fiall. vigorosa- li. ecom mais raso nos seculos anteriores, om
mente atacado, loan que appareceo, pelos mes- que as scient ias naturaes estava apenas no ber-
mos prlnrtpi'S d'Anatoma, e que acaba da sor co. nao era possivel benf dirigir a educad, e
refutado com novos e victoriosos aritumentos urna tal vantagom ora reservada ao seculo, que
por il. Flourens, secretario perpetuo da ac- I visse nascer a cronologa 11
Francisco AITonco de-Mello
Xavier Pereira de Brito
Henrique Jorge Rebollo
Jos Felippede ouzaLio
Visconde de Goianna
fiburtino Pinto do Almeida
loo de Caldas Ribein* Campos
Joaquim Hegino da Motta Silveira
Luiz Francisco de Barros Reg
Francisco Camello Pessa de Lacerda
Ignacio Luiz de ello
\ntonio Coelho de Sa e Albuquerque
Francisco de Paula Baptista
Domingos Lourenco Vaz Curado
Ignacio de Barros Brrelo
Jos Jeronymo Cesar Loureiro
Joaquim Jos d'Azevcdo
Joo Floripes Das Brrelo
loaquim Manoel Vieira de Mello
Joo Jos Ferreira d'Aguiar
Jos Kain-undo da Costa Menezes
Luiz Jos de Sampaio Jnior
Laurentii.o Antonio Pereira de Carvalho
Luiz de Carvalho Paes de Andrade
Manoel Jos Pereira
Manoel Francisco de Paula Cavalcanti
Manoel Vieira Tosta
Manoel Mara do Amaral
Manoel Claro Gonealves Guerra
Pedro Francisco de Paula Cavalcanti de A.

Antonio Jos d- Souza Gomes
Baro da Boa-vista
Domingos de Souza Li5o
Cbristovo de Barros Wanderley
Candido Jos Curado Lima
Felippe Jacomo de Castro e Albuquerque
l' rancisco Xavier Paes Brrelo
Resultado das elleifes do collegi deS.
AntSo.
Laurentino Antonio Pereira de Carvalho
Antonio da Silva Nevos
l/idro Francisco de Paula Mesquita
Pedro Francisco de Paula Cavalcanti
Manoel le Souza Teixeira
Manoel Francisco de Paula Albuquerque
Jos Teles de Mun. zes
Baro le Stiasna
Henrique Jorge Rehollo
Antonio Baptista Gitirana
Sebastio do Bogo Barros
oo Floripes Dbix Barretto
vnlonio Peregrino Maciel Monteiro
los Thomaz NabiliO d'Araiijo
Pedro Rezerra Pereira de Araujo Bcllrao
Jos Bento da Cunha Figueiredo
Ignacio de Barr brrelo
Joaquim Jos da Costa
Francisco de Paula Cavalcante Lacerda
Francisco de Paula Baptista
Francisco Domingues da Silva
ntonio AlTonso Ferreira
A varo Barbalho Ueha Cavalcanti
Alexandro Bernardino dos Bois e Silva
Luiz de Carvalho Paos de Andrade
Custodio Manoel da Silva Guin ares
Jos Bernardo Galvo Abanf>rado
Benvenufi Augusto de MagalnSes Taques
Jos Felippe de Souza Lio
Felis Peixoto de Brito e Mello
Bernardo Rebollo da Silva Pereira
Manoel Teixeira Peixoto
Joo Jos Ferreira de Aguar
Miguel do arramento Lopes Gama
Joaquim 'eixeira Peixolode Abroo Lima
Tiburtino Pinto do Alme.da
Jos Pedro da Silva
Manoel Carneiro Lin de Albuquerque
Joo Paulo de .Miranda
Francisco Alvos Camboim
Antonio Teixeira de Boiba Jnior
Francisco Elias do Bego Dantas
Manoel Mondes da Cunha Azevcdo
Caetann Jos da Silva Santiago
Joaquim lgnwio Gonealves da Luz
v ntonio Jos de Oliveira
Lourenco Bizerra Cavalcanti de Albuq.
Joo Mauricio da Conceico
Antonio Joaquim do Mello
Joo Antonio de Souza Beltro
Jos Mara Ilefonco
Urbano Sabino Pessoa de Mello
Manoel Joaquim Carneiro da Cunha
Felippe Lopes Netto Jnior
Lourenco Bizerrra Carneiro da Cunba
Joaquim Nunes Machado
Herculano Gonealves da Rocha
Francisco Jos de Medeiros
Joo Barho/ii Cortleiro
Joaquim Hegynoda Molla Silveira
Bento Jos Lomenha
Jo Hamos dOliveira
Luiz Jos de Sampaio
Francisco Barboza Nogueira paz
Lourenco Francisco de Almeida Catanho
Manoel Coelho Cintra
Manoel Joaquim Vieira de Mello
4
4
4
4
3
3
3
3
3
3
3
3
3
3
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
58
SO
49
49
49
48
46
45
42
42
42
41
41
39
.J9
39
37
37
37
37
33
32
31
31
31
31
31
30
30
30
30
29
26
26
26
24
24
23
22
22
22
22
20
20
20
19
17
17
17
16
15
15
15
14
14
14
14
13
13
13
13
13
12
ii
12
12
12


Jo.iquim Pinto de Campos
Joaquim Francisco de Furias
Antonio Carneiro Machado Rios
Podro Alejandrino de Barros Cavalcaoti
Jo o Baplista Pereira Lobo Jnior
Bunio Jos Fernandos Barros
.Manoel Ignacio de Carvalho Mendonca
Antonio Herculano de Sou Francisco Kivier Pereira do Brito
Joaquim Vilella de Castro Tavares
Francisco Muniz Tavares
Joo Jos Pinto
Francisco de Paula Rodrigues
Joo Francisco de Arruda FalcSo
Jos Pedro Vello/jo
Antonio da < >>sta Reg Monteiro
Manoel Jos Percia da Silva
Manocl Paulino de Gova .Muniz
Francisco Joo Carneiro da Cunha
Domingos AlTonso Nery Ferreira
Francisco Joaquim de Barros Correia
Jos Fr ncisco de Costa Gomes
Francisco Ferreira Brrelo
Jos Nemesio do S. Joo Gualberto
Simplicio Antonio Mavignyer
Domingos de Sonsa Lco
Jernimo Villela de Castro Tavares
Antonio Coelho de S/i Alhuquerque
Manuel Claro Concalves Guerra
Antonio d'Aisumpco Cardim
Felippe Carneiro do Olinda
Francisco de Paula Paes de Almcida
Joo Paulo de .Miranda
Francisco Xavier Paz Brrelo
Jos Bandeira de Mello
Joo Jos Pcreira
Christovo do Holanda Cavalcanli de Alhu-
querque
Antonio d' \ssumpcao Cabra I
Lourenco Jos de Figueiredo
Felippe de Barros Araujo
Resultado das elei^es do Collegio de Nazarelh.
Hamo de Suassuna
Pedro F. de P. C. de Alhuquerque
Joaquim Heginoda M ta Silvcira
Joo Florines Dias Brrelo
Jos Bandeira de Mello
11
11
11
11
10
10
10
10
10
10
9
9
8
8
8
8
8
7
7
7
7
7
i
7
6
6
6
G
G
6
5
B
5
5
Amaro da Silva Guimaraes
Lui/. Duarle Pereira
Joaquim Francisco Cavalranti Un
Jos Felippe de Sousa Leo
Jos Rento da Cunha Figueiredo
Urbano Sabino Pessa .le Mello
Simplicio Antonio Mavignier
Antonio Joaquim de Mello
Antonio A doeo Fencira
Antonio da Costa Reg Monteiro
Felippe de Barros Xraujo
'oo de Caldas Ribeiro Campos
Manoel de Sousa Teixeira
Monoel Coelho Cintra
loaquim Jos \ de Azevedo
Francisco de Paula Rodrigues de Almeida
Lnurenlino Antonio Pereira Je Carvalho
Francisco Muniz Tavares
Francisco Rodrigues Selle
Francisco Ferreira Barreto
Jernimo Vileila de Castro Tavares
8
8
8
8
8
7
7
7
7
7
7
7
(i
*;
G
G
HIARIO DE PBRNAIBUCO.
gue ingle/. Cicely de primeira classe (AI)
forrado, eem-avilhido ducohre, silln com
a maior br.ivida.le e tem lu^ar pira 5 >:) sue-
cas com algod o a frete de 7/16 Je um pmi-
ny ; tracta-se com os consigo alarios Jones Pa-
tn* C.
O brigue Felii Destino segu para o
Ass no dia 8 do correte; quom pello qui-
/er carregar para o Ass eTourosdinji-se a
bordj ou ao seu propriotario PoJro Dias dos
antos,
Avisos diversos.
46
4*
43
h
4i
J. Mauici. Cavalcanli da Rocha Wanderley 4(i
M. F. d> Paula Cavalcante de Alhuquerque 39
Sebastiad do Reno Barros .1"
Luis Francisco do Bojo Barros 37
Joaquim .Manoel Vieira de Mello 30
Padie C de Molan.la Cavbante 31
Florencio Jos Carneiro Monteiro 3(1
Francisco K'ias lo Bego aulas 3..
Fmn. iscoCiiiiiell i pessoa de l.acerda 2")
Fernando A mus do Mello 2n
Francisco do i'aulaCavalcanli de A Lacerda 29
Manoel Meniles dd.unha A/.eveilo ->\\
A. B. llchoa Cavalcanli de Alhuquerque 20
l/idro Francisco de Paula Mcsquita 27
Joaqun. Manoel Ca neiro da i.ui.lia 2<
Pedro tiuadiano de Katis e Silva 2o
Joo A. de Sousa Bell rao A. Pereira 25
Pedro Bicerra P. d A. Beltrao 25
Jomo Nicolao RiituHra Cosa 25
Joo Baplista Pereira Lobo Jnior 2i
JooJos Tinto 23
Lourenco Francisco de Almeida Catanho 2.1
Padre M. do Sai rami rilo Lopes Gama 22
Firmino Pereira Monteiro 21
Felis Peixoto de Brito e Mello 20
Jos Ignacio SoaicsdeMac.lo 19
Bernardo Babello da Silva Pereira f9
Vsconded.-Goianna 19
Felisardo Toscano de Brito |g
Lourenco R. Cuvalcanti de Alhuquerque 18
lr. Joo Paulo 18
Benlo Jos Leu.enlia Lins 18
Ignacio de Barros Brrelo 17
Francisco l.'omiiigues da Silva 17
Padre J. Antonio (onyalves l.essa 16
Custodio Manuel da Silva Cuimarcs 16
Antonio Peregrino Maclel Monteiro 16
Domingos de Sou a Lefio 15
Jur Raimundo da Costa Menrzes 15
LourPUCO Bizerra Carneiro da Cunha 14
Josl'h unaz Nabucode Araujo Jnior l
Jos Francisco da C'.sla Gomes 14
Pedro Alcxandrinode Barros Cavalcanli 14
Joaquim Finncisco de Mello Cavalcanli 14
Til.urtino Pinto de Almeida 13
Antonio Barroso de Moraes 13
Victorino de S e Alhuquerque 13
Francisco Xavier Paes Brrelo 12
Francisco Baibosa N igueira Paz. 12
Joo de Sousa Rail 12
Luis Paulino Cavalcanli Vcllez de Guivar 12
Domingos AlTonso Ne.y Ferreira II
l-u/ de Carvalno Paes de Andrade 11
Jos Pedro da Silva 11
Jos Bernado Calva" Alcanforado 11
Antonio Baplista Citiranna II
Felippe Carneiro de dinda Campello 1|
Remvenuto Augusto de Magalhes Taques 10
Luis Jos de Sainpaio 10
Manoel Claro Gonealvea Guerra 10
P. Luis Ignacio de Andrade Lima 9
Fra. cisco Joaquim das Chavas 9
Joaquim Francisco de Parias 9
guaco Correia de Mello 9
Joaquim Jos da Costa 9
Manoel Paulino de (iouveia 9
Manoel Jos da Silva Neiva 8
No dia 30 do passado compareceo ante o
tribunal do jtuy desta capital o anligo redac-
tor do Republico actual redactor do Nazareno,
para responder accusaco contra elle intenta-
da pelo Exrn. Sr. Brigadeiro Jos Joaquim Coe-
lho porcalumniase injurias, contra este publi-
cadas em o Correio do Norte, de que Tora igual-
mente redactor o Sr. Antonio Borges da Fonse-
'a. O Sr. Major Antonio da Silva Gusmo, a-
'oinpanhado do advogado o I)r. Alcanforado,
representava como procurador do acusador.
Formado o conselho, quedeviajulgal-o, pro-
poz o ecusado urna euccpcjto ao seu Juramen-
to, apresentando um papel de responsabilidade.
me sobre si tomava um individuo de Iguarass
le nom ; Joo Riheiro dos Sanios polo que n >
referido jornal loase publicado. Discutida pre-
liminarmente a execoca proposta, Coi ella ais-
oresada pelo Sr. |)r. juiz de direit 1 interino, e
oresidente do jury, Francisco Rodrigues Selte,
|tie, admittindo o papel de responsabilidade co-
no documento da delesa, mandou. proseguisse
1 accusaco. Depois da leitura do procesan, e
lo dbale da causa, tendo-se o conselh > retra-
lo para deliberar evoliando, fira lidasas suas
l.i'isns, |ielas quaes reconheceo o iiiry haver o
censado, Sr, Borges da Foiireca.calumniailo.e
injuriado no Correio do Norte o E\m. Sr. Cue-
llo, comcircumstancias aggravantes. Na con-
'ormidade dessas decisoes. o juiz condeiiinou o
-misado na pena de 16 me/es de piiso com
milla correspondente metade do temp Y.
occasio de ser pr derida a senienca o procura-
lor do nlendido decarou, que perdoava ao reo.
desistia de proseguir contra elle; do que e la-
-rou termo.
COMMERCIO.
Alfando^a.
endimento do dia 31........ 8:042$26(>
Descarrego hoje 1.
"arca Firmeza barricas vazias.
Brigue Estrella do Cabo fumo barricas
vazias e pimeuta.
Fica ainda transferido oara o dia 2do presen
'e me/ o leil o do calcado eoulras mercado-
rias appreliendidas ao commandante do brigue
sardo Eiidano.
llovmrnlo do Porto.
Navios entrados no dia 30.
Aiacaty ; 31 dias, sumaca brazileira Fstrellu
do ( abo de 90 toneladas capitn Jos Jo-
aquim A Ivs equipagem ti carga varios
gencios. PassMgeiros, Manoel Joaquim d.i
Silva Riheiro Joanna de Souza csua fami-
lia bra/ileiros : Jos dos Santos, portu-
guez.
Boina ; 8 dias lanchan hrazileiro BomJezus
dos Navegantes, de 41 toneladas capilo
Joaquim Francisco do Couto, equipagem 5,
carga farinha.
Iieclaracocs.
ifBii
*-
Cartas seguras existentes na administracao
do correio, para os Srs. abaixo declarados, vin-
das do Rio de Janeiro em 30 de agosto (indo.
Joaquim Caelano de Souza Cousseiro.
Joo Pereira da Silva.
Herculano Alves da Silva,
'oo Gomes Martins.
Joaquina Benedicta Vieira da Silva.
Francisco Rodrigues Pinheiro.
Manoel da Silva Santos.
Avisos martimos.
= Para Liverpool o superior e veleiro bri-
sociEDADE PHILO-DRAM MICA.
(OUTROUA KUTAf-iNSK.)
Primeiro secretario avisa aos Srs. socios,
que hoje pelas 6 e meia horas da tarde
hasesso ordinaria o que faz publico
para que bajito le comparecer.
Anna Jeronima das Virgens faz publico
pelo presente que tem revogado todos os po
deres, que deuem procuracao bastante a seu
mano Felippe Nery d Oliveira para requerer os
di re tos que o seu falecido pai Manoel dOliveira
Cruz, tinha pago ,1 fa/enda nacional indevida-
montc ; e como baja motivos justos a annun-
ciante protesta annullar todo equalquer ne-
gocio, ou transaran, que o dito seu mano fa-
ca em seu nome, nao s porque nunca tivera
poderes para tal e ser aquella procuracao bas-
tante especial, como porque dora em diante
tem cossado aquella mesma procuracao ; c para
iconhecimento de todos o faz publico pelo pre-
sente. Recolliimentoda Con.eico d'Olinda 21
I de agosto de 1813.
1 Pre.isa-se de um caixeiro para urna ven I..
'que tenhadisto algum conhecnnento, de \>
i a 18annos: na ra \ elha n. 7.
I ~Quem precisar alugar um preto serrado
, dirija se ra Direita n. 100 segundo andar.
na mesma casa se gratificar quem entrega.
I urna caixa de prata que foi perdida na tar.h
de 28 do corren te. pela estrada da Boa-vista
1 mesma tem a firma C. R. C, e mais oulr..
mal que se din a quem a quiser entregar.
OITerece-se u 11......ilher para co/er cus
'iras de alfaiate para loja e outras quaesquer
usturas : na Solidada casa n. 12, defronl
la igreja.
Om-lquer dos Srs. negociantes, que preci
r de um rapaz para contabilidade 11 es
ripluraco annuncie nois ha 11111 rapaz car
'gado de familia de boa conducta e hah
que se propSe a isto.
Precisa-se de urna mullier quesaiba faze.
aleado para ensinar una pardinha cativa en
'asa do Sr. : a tratar na ra da Alegra sobrad,
n 4, ou annuneie.
O r. Manoel \ntonio ( padeiro Vpod<
piorurar urna carta rinda do Rio de Janeiro:
no bo'equim da Estrella.
O coronel Francisco Antonio de Sousn
I eo la< publico que, o Sr. Jos Joaquim
e/erra Cavalcanli Ihe bynolliccou o seu si
lio (lenominado Sitio da Torre na estra
la de Belem pela quantia de tre tontos e ten
mi rs como consta da escriptura de :j() de \-
gosto de 1813 no cartorio das bypothecas.
Roga-se pessoa que levou por engae
nina tnica de terceiro de S. Francisco que
eslava no lavatorio da sacrista da mesuia or-
dem dea entregar ao sacrislao d.i dita.
Aluga-se um pequeoarmatem com porti.
larga na ra do ( ollegio: oulro dito de dua-
portas na travessa da cadeia ambos proprio
para pequeos ctah.deciminlos: a fallar n.
roa lo II. 1-11 icio n. 17.
3= Precisase de um menino portuguez de
12 a Llannos para caxeiro de loja de miudezas:
110 atierro da Boa-visla n. 70.
: Precisa-sede um rapaz de idade de 13 1
liannos pouco mais ou menos, para una
venda dando alguns rnezes pan aprender : no
beco doPexe-frilo n. 5.
= Precisa-se de um portuguez, destes ebe-
gados ltimamente, para feilorde um engenbo;
na ra das Trinxeiras n. 22.
= Tiro-se pasaportes para dentro e fora
do Imperio e folhas corridas; na ra do Ran-
geln 3 \.
= O abaixo assignado faz sciente ao respei-
tayel publico que mudou-sc do patio do Pa-
rai/o sobrado n. 8 para l ra do Queimado
sobrada n. 2 que fica com a entrada pelo beto
do Peixe frito primeiio andar ; assim como no
mesmo vende-sc um cavallo fino, rodado, apa-
tacado o qual vende-se por o dono se retirar
para fr;. da provincia; quem o pertender, pro-
cure de 1 hora as 3 da tarde ou mesmo para
outro qualquer negocio com o annuncante, so
o aeharo as horas que menciona. Manoel
Jos da Silva.
__ Na i, ja do Sr. Cardo,:. A y res na ra da
Cadeia n. 31, vende-se o retrato de S. Mages- ',
ladea Imperatrlz doBrazil.
Precisa-se de um feitor, que traba Ihe .
entenda de arvoredo bocta. e vam p;r: as
sitio ni Miirdalona ; na ra de Agoas-verdes ,
sobrado n. 6(5.
A pessoa quo annunciou por esta folha
no dia 23 do agosto p p. querer saber quem
h>) nesta praca o correspondente do Dr loaquim
Manoel Vieira de Mello, e Mnne| Mernar lino
Vieira do Mello para fj/.cr-lhe entrega do
urna carta poder fazel-o ao Sr. Joaquim da
Silva Castro na ra do Crespo.
Bernardo Pereira do Carino Jnior ap-
provado cm Mathematicas puras, e em outras
ciencias pida academia respectiva do Rio de Ja -
neiro dedicando-se a ensinar Arithiuelica
Ugchra Geometra, e Trigononietria, ofle-
rece-se a aquellas pessoas que tendo se entre-
gado a esse estudo, necessilarem de explicates:
Uto hem pode-saensinar em algum collegio
na ra da Cadeia de S. Antonio no segundo an-
dar da casa n. 13.
Aluga-ss um preto, que servo para carre-
gar fa/endas, para vender na ra ; fallar na
ra da Cadeia vclha n. 29.
= Aluga-se mensalinente um preto, para
ser empregado em servico de olaria ; quem o
tiver, annuneie para so tratar do aiuste.
V M.MMIochau aviza ao publico, e parti-
cularmente aos seos freguezes, que acaba dere-
ceher pelo Armoriquc u 11 bonito o completo
sortimento deobjeetose tecidos da ultima mo-
da como cortes de vestidos de seda la, e
nainbraia do gosto mais moderno, cassas e cam-
l.raias lisas, adamascadas e do xadrez para ves-
tidos manteletas de seda e de blonda o que
ha de mais moderno, tanto para senhora, como
para menina veslidinhos para creancas d'am-
hos os sexos, aventaos para sen llorase para me-
ninas um lindo sortimento de rendas de linho
e blondas para bailados de vestido, e&c., flores
'as, luvas de todas as quali.lades para homcm
i: para senhora luvas sem dedos para sen horas
11 para meninas pescocinhos e romciras to-
as e chapeos de seda e depalha para senhora e
laraereanea e meninas, esparlilhos um corn-
elo softimento de obieclos para luto e mui-
dos outros artigos de goslo, que nao deixaro de
gradar as pessoas que Ihe li/ciem a honra de
' Hitar O seo cdaliclicimcnto de iMidas.que con-
'uia a ser na ra Nova n. 37. igualmente avi-
'ii, que em sua rasa se aprompilo vestidos de
liles, casamento*, vi tas, fte, chapeos do
odas as ijualidailes, p quaesquer outros ubice-
os 1I0 modas, com perfeicao, brev idade e preco
oiiimodo.
- rsula, das Virgens Pessoa annnnciaao
lUhlii'O, que pessoa alguina laca Iranzato, ou
ompre bens de seo lill.o Manuel Carlos de Mcl-
o em nome de quem a mullier do mesmo D.
loaquina Barbo/a (Maciel (em vendido gran-
le arle desses bens; porque tendo a aniiun-
ianle na qualida.l.ode nica herdeira necessa-
na daquelle dito seo lilho proposto pelaiut-
ua de Campia, em rujo termo mora dilo seo
ilho, aeco de denuncia contra elle, e penden-
lo por anpellacoessc pruct-sso, todo e quul-
liier.qiiecoinpr.ir bens daquelle seo filho, o faz
nudamente e para que em lempo algum taes
Q<;npradorcs st ch.inieiii a ignorancia a an-
itincianle f.i/ o presente protestando por per-
las e dainos, que dessas vendas ihe resultem ,
nao smenle contra a dita 1). Joaquina, mas a-
inda contra todos os compradores.
- Roga-se ao Sr. Crispim de tal, que em-
nenhou na venda de S. Rom Jess das crioulas
n. 19. uns penhores de ouro por 3 semanas, haja
no pra/o de 3 dias de as vir tiiar, pois o lempo
| he de sobra, do contrario sero vendidos pa-
ra pagamento.
= O rirurgio Bernardo Pereira do Carmo
cha-se estabelirido n'rata cidsde epor isso
aquellas pessoas que o qui/erem consultar,
lodem dirigir-se a ra da Cadeia dobairrodeS.
Antonio, no segundo andar da casa n. 13,onde
o acharad prompto aprese, lar aquellessocorro!
lea sua pra ica e theoria fornecerem-lht,
o supradilo existir cm sua casa das 7 horas da
manilla as 9, promplo a receber a aquelles in-
digenles. que se quizerein receitar, o que Ibes
larA gratis; advcrlindo, que aquellos, que nao
pod. rem ira sua casa poderaO mandardi/er
qubl a sua habitaio pois que la mesmo os
ir ver.
- Nao tendo o ^r. Silvestre Joaquim do
Nascimentp negado os fados por mim referidos
nosannuncios que liz publicar nos peridicos
desta cidade acerca da letra que fui coagido
aceitar, asseutei de discutir o meo direito pe-
ranleos tribunoes abrndo mo de qualquer
polmica por meio da iinprensa ; poiem como
quer que o dito Sr insista em provocar-me
pura dar a razo di minha demora na publica-
cao do meo primeiro annuncio cumpre-mo
responder-lbe que no foro competente para
onde acabo de o fa/er notificar discutiroi com
elle esse negocio, que de rerto Ihe nao faz my_
ta honra. Josuc de Jess Jardim
- CJuem precisar de um crioulo oflicial de
carniceiro para trahalhar em assouguc dirija se
ra do Collegio botica do Cypriano Luiz da,
a, i|uv vuuia vum v|ucui tratar.



,


= Oflerece-se urna mulber para determi-
nar urna casa que seja de homem solteiro, ou
viuvo sabe cose, bordar engommar de to-
das as qualidades marcar e tambem cose
bem de alfaiate; quem de seu prestimo se
qui erutilisar annuncie.
= Jos Valentim da Silva avisa a quem se
quizcr utilisar de seu prestimo que mudou
sua aula de grammatica latina para a ra da
Alegra casa de vidracas n. 42 onde continua
aensinar, empregando as melhores explica-
ces que Iheso possiveis para o bom adian-
tamonto dosseus alumnos da segunda e de
traducao ; assun como ascvera que conserva
m sua aula bom regime o que tem sido pre-
senciado por alguns pais dos seus alumnos;
tambem recebe gratis a qualquer moco que
pro va r, que nao pode pagar.
=s Arrenda-se um sitio na estrada dos Afilie-
tos ao pede Joaquim do Oliveira com casa
de pedra e cal, toda envidracada, estribaiia
anexa a mesma a casa tem ctmmodos para
grande familia com muitos arvoredos baixa
para capim ; n tractar na loja do cabos de fron-
te do Corno J*anto.
ex Manoel Carlos Pereira subdito Brasi-
leiro retira-separa o Aracaty.
Aluga-se um picto official de serrador ;
na ruu Direita n. 11 ; na mesma casa se gra-
tifica a quem entregi-r urna caixa de prata .
que foi perdida no da 28 do corrente pela
estrada da Boa-vista tendo a mesma a firma
C. K. C.
= Aluga-se urna casa nova por traz da ra
da Aurora com duassalas 5 quartos milito
bons cozinha fora bom quintal e cacimba ,
du. s ditas na ra da Solidade de 13S rs. men-
sa es urna loja de 8$ rs na ra do Cebo, e
um solir.ulinlio no Ma.nguinho Papa-terra a
margem du rio com excedentes commodos
para se pablar a festa ; a tractar com Manoel
Joaquim da Silva, caixeiro de Francisco Anto-
nio de Oliveira.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado na
ra de Aguas verdes n. 48 ; a tractar na ra
Direita tenda de marcineiro n. 98.
ss Aluga-se urna casa terrea novamente edi-
ficada na ra da Solidade com commodos
para uina grande familia tem duas grandes
salas, C quartos corredor ao lado, co/inha
lora, grande quintal murado e cacimba com
boa agoa de beber ; na ra da Aurora n. 58.
se Perdeo-se urna cor ente de relogio des-
de a ra do l'ogo at Fora de Portas ; roga se
a quem a achou que querendo restituir leve
a la de Aguas verdes n. 22, segundo andar,
que ser gratificado.
Aluga-se a coxeira da ra das Flores n.
20 com a frente para a travessa do Carino, to-
da calcada de pedra, e admite 4 carros ; a fal-
tar com ucommandante geral do corpo de po-
lica.
Offerece-se urna mulber para ama de ca-
sa de um homem casado com pouca familia :
quem a pretender dirija-se ao beco da Vira-
cao n. 5.
Na ra do Encantamento n. 4 ha urna
mulber parda que se ofTerece para ser ama de
casa de um homem solteiro ou de pouca fa-
milia.
= Dase dinheiro a premio sobro penhores
de ouro ou prata ; na ra da Cruz n. 38, se-
gundo anear.
= O primeiro secretario da Sociedade Ami-
sade-nos-Une laz sciente a todos os Srs. Socios,
que Domingo 3 do corrente pelas 4 h ras da
tarde ha sesso em assembla geral, a uual de-
vorad comparecer naja sabida casa da ra praia.
No primeiro andar do sobrado da esqui-
na do beco da Pol que vira nara a ra das
Cruzes a em-s doces de calda de todas as qua-
lidades, d'ovos, podins, bolos, pastis de nula,
pratos de cremr i|ueimado ovos de leile, ban-
dejas de bol i ulos de todas as qualidades para
cha e tudo o mais perlencenle a meza de do-
ces e cha ; assim como tambem se prepara pre-
suntos de fiambre cobertos de ovos e sem elles;
cozinba-se para fura como muitoasseio e da-
se a I moros de cale com falias, pa-de-l tor-
rado e fresco conforme os donos quizercm ,
tudo a vonlade dos pretendentes e por preeo
commodo.
__ Compra-so um methodo de flauta em
bom uso : na ra dos Martirios n. 18.
Vendas
Compras.
Comprao-se efectivamente para fora da
Provincia mulatinhas molecas moleques,
e negros de officio de 12 a 20 annos sendo
de bonitas figuras pago-se bem; na ra da
Gadeia de S. Antonio sobrado de um andar
com varanda de pao n. 20 ; assim como um
preto pedreiro. embora tenba*vicios.
= Compra-sea historia universal por Nos-
suet, nota ou usada : na ra do muro da IV-
niiii. sobrado de andares n. 36 das 6 as 8
horas da manha e das 3 da tarde em dixnte.
= Compra-se um escravo pardo, ou preto ,
= Vendem-se saccas com arroz pilado mui-
to bom a 8000 a sacca e caf da trra a 120
a libra ; na praca da Boa-vista venda n. 15.
= Vende-se urna bagatella em bom estado
por 16000 rs. 2 balces almofadades e sen-
do um de 12 palmos, e outro de 8, duas
quartolas.e um pipa vasia. que forSo de agur-
dente ; na ra atraz da Matriz da Boa vista
n.29
= Vende-se urna tipoia ; na ra do Cres-
po loja n. 7.
Vende-se por preco commodo um mo-
lequecrioulode 16 annos; na ra larga do
Rozario n. 33.
se Vende-se rap areia preta Meron &
Gompanhia a 1040 a libra bor/eguins in-
glezes para homem, e bichas ltimamente che-
nadas, por commodo preco ; na praca da In-
dependencia n. 39.
= Vende-se a casa terrea n. 13 na ra atraz
da Matriz da Boa-vista ; a fallar no atterroda
Boa-vista n. 31; assim como tambem se ven-
de urna pipa de agurdente branca.
ss Vendem-se bules e cafeteiras de metal de
varias qualidades bacas de rame, candiei-
ros escrivaninhas e perfumadores de latao :
na ra Nova loja de ferragens n. 41 ; assim
como urna canoa grande propria para carregar
entulho.
Vende-se Alcxina ou a torre velha do
castello de Holdeim guarda-livro* moderno
em dous volumes ; na ra do Queimado lo-
ia n. 14
= Vende-se urna preta moca, por preco
commodo; na ra da Praia n. 32.
as Vende-se urna porcao de cera amarella ;
na ra do Livramento, armazem de louca c
mulhados n. 20.
Vende-se cha isson superior a 2560 e
mais ordinario a 2200 e 2W)0 manteiga in-
glesa a 880 e Irancezaa 800 rs. ; na venda da
travessa das Cru/es antes beco da Pol es-
quina dos quarteis.
= Vende-se um terreno com bons alicer-
ees divididos para duas casas, com cordao e
soleiras assentadas e tambem hombreiras, se-
pos e cantos ; na ra de S. Tbereza venda da
esquina n. 60.
Vende-se para fora da provincia um ne-
gro moco com principios de alfaiate e bom
cozinheiro *, na ra da Cruz. n. 5.
= Vende-se urna cabra (bixo) preta e man-
ca com cabrito ; na venda da esquina do be-
co do Peixe frito n. 9.
Vende-se potassa da Russia de boa qua-
lidade a 200 rs a libra; na ra da Cadeia do
Recife armazem n. 12
Vende-se muito bom milho tanto a reta-
Ibo como em poreao a 1600 o alqueire ; no
deposito de farinha de mandioca na ra da
Cadeia de S. Antonio n. 19.
Vndese urna escrava de 22 annos, en-
gomma, co/inha o cose; urna dita ama de
leite com urna cria de 2 mezes ; urna mole-
r de 18 annos, com principios de cozinha;
din.s moloques de 12 a 14 annos ; um escravo
de 20 annos, para todo o servico ; duas pre-
tas lavadeiras; e urna mulatinha ; na ra do
Fogo ao p do Rozario n. 8.
\ende-se um cabrinha de 16 annos,
bom para pagem, e \ ende-se aceite de rarrap' to a 800 a ca-
ada, ea 1000 rs. a retalho; na ra do Quei-
mado loja de fazendas n. 34 defronte do
ueco da Congreparo.
\ ende-se urna balancinha com quilates
para pesar diamantes pares de brincos de bo-
nitos modcllose modernos melos de diver-
sos moldes um relogio sabonete de prata, pe-
queo urna caixa de musir que toca por
corda um transelim de ouro moderno; as
5 ponas n. 45.
- Vende-se urna negra de naco moca .
sem achaques; na ra do Queimado, loja n. 4
Vendem se riscadinhos muito finos para
vestidos chitas superiores com quasi vara de
largura a 400 rs. ocovado : na ra do Quei-
mado loja de Guilherme Selle n. 25.
se Vende-se um moleque de naco de 14
annos ; e urna escrava moca boa rozinheira ,
eengommadeira ; na ra Direita n. 3
"* = Vende-se setim preto de maco dito de
cores, pannos finos pretose decores de orella
branca a 9000 rs. o covado chales de seda
adamascados lencos ditos com franja e sem
ella ditos para algibeira sapatos de marro-
quim para homem a 500 rs., dilos para senho-
ra a 500, 800. o 900 e para meninos a 300 ,
o iiiiuuezas e ferragens muito baratas ; na loja
de fazendas da viuva do Burgos.
praca da Independencia loja de Antonio Fe-
lippe da Silva, n. 11.
Vendem-se guardas roupa e vestidos ,
mesas dejantar de abrir para 18 pessoas, ca-
deiras de bracos de amarello mesas redon
das para meio de sala bancas de Jacaranda
para jogo tudo bem feito e moderno ; tam-
bem se faz toda mobilia moderna e bem feita ,
vros por um Diccionario de Constancio an-
da queseja usado ; na travessa das Cruzes n. 8.
ss Vendem-se caixas com arroba de vellas de
cebo vindas do Porto a 8000 rs. cada urna ;
no arma7.om da ra do Encantamento por bai-
lo do sobrado do Reverendo Vigario do Re,
cife.
= No deposito de assucar refinado esta-
I fj_ *___A_ ~. ...M Jn C Inlnnin nm f--_
ta do que em outra qualquer parte; belecido junto ao arco de S. Antonio, em fren-
mais em con
na ra do Aragao em casa de J. F. Schroeder
n. 29.
= Vende-se um casco de pipa e duas
te do caes do Collegio ha para vender assucar
refinado segundo o novo systema de fabrica-
cao pelo qual se extrae a potassa e cal, dei
u uc pipa, o uua v i~"' i----------------, ~"
do agoardente em bom xando-se-o no seu estado do pureza ; sendo o
preco da libra do de primeira surte e em pes
160 rs. e o de segunda e terceira em p,
a 120, rs
= Cadeiras americanas com assento de pa-
Ihinha camas de vento com armaco com-
modas de angico, ditas de amarello marque-
quartolas que forao
estado, por pieco rasoavel; na ra da Matriz
da Boa-*iota u. 29.
= Vende-se urna bagatella com todos os
pertences em bom estado por 20$000 rs. ;
na ra da Matriz da Boa-vista n. 29.
Vende-se urna burra ou cofre de ferro,'
ptimo para casa commercial, por preco com-I de condur camas de tent de amarello
modo ; na ra do Hospicio n. 17. I muito bem feitas a 4500, ditas de pinho a 3500
Vendem-se 4 escravos sendo 2 mole-! assim como oiitros muitos trastes ; pmbo da
quesdel8annos, a dinheiro ou apreso com Suecia com 3 polegadas de grossura dito
boas firmas; um escravo bom canoeiro ; um serrado dito americano com diflerentes largu-
dilo bom servente de urna casa; um dito com ras, ecompnmentos travs de pinhoe bar-
bos principios de ferreiro; urna negrinha de rotes com diflerentes grossuras e compnmen-
8 aunos ; urna escrava boa cozinheira por tos ; tudo se vende mais em conta que outra
250i rs. ; urna dita boa quitandeira por 2308 ; q"a|quer Parte: na rua da F'ntina em
3 ditas para todo o servico ; na rua de Agoas casa de J Beranger n. 14
verdes n. 46. Vendem-se chapeos francezes de seda a
Vendem-se 4 escravas mocas, com habi- 7000 borzeguins gaspiados para homem e
lidades; duas ditas boas engommadeiras co- meninos de lodosos nmeros sapatos de cou-
zinheiras e urna cose bem; urna mulata de ro de lustro para ditos, boln e meios ditos
3o annos boa cozinheira engommodaira e de hezerro Irancez e de Lisboa sapatos de
ama de urna casa, e tracta bem de crianca ; couro de lustro para sen bora e meninas, bor-
um moleque peca de 16 annos, bom pagem, zeguins gaspiados para ditas sapatos com pal -
e serve bem a urna casa ; dous ditos de 14 an- 'apara homem e meninos, sapatos abotina-
nos bons para aprenderem 'officio ; um preto dos ditos de entrada baixa inglezes botins
de 40 annos bom para botar sentido a um
sitio pois enteode bem do trabalho de dito;
urna loja com fazendas em urna das melhores
ras do bairro de S. Antonio, com poucos
fundos, e da-sc a praso ; na rua de Agoas ver-
des n. 44.
Vende-se excellente bolaxa de farinha de
trigo, de 10at 13 patacas a arroba, de to-
dos os tamanhos: na rua dos Quarteis pa-
llara n 18.
ss Vende-se um mulato de 23 annos, com
principios de sapateiro ; na rua da Senzala ve-
lha n. 138.
= Vendem-se sapatos abotinados de urna e
duas solas todos taxiados botins de bezerro
franee/, ede I,i-boa, sapatos de palla tanto adi-
anto como atraz ditos de couro de lustro, tu
do para homem e menino, borzeguins gaspia
dos, e de ponta de lustro de una c duas solas,
pretos e de cores ditos gaspiados para sen hora
a 2400 sapatos de tapete de diversas cores pa-
ra homem e senhora sapatos de couro de lus-
tro para meninos de 8 a 12 annos ditos de
marroquim e couro de lustro com colxetes; sa-
patos de marroquim preto e de cores, ditos
de duraque setim e de couro de lustro para
senhora e meninas, tanto francezes como de
Lisboa sapatos de duraque e de cordavo com
tamancos para senhora ditos de bezerro para
homem botins de couro de lustro, e borze-
guins gaspiados para meninos e outras mui-
muitas qualidades de calcados por preco com-
modo: no atterroda Boa-vista loja decalca-
do n. 24 de Joaquim Jos Pereira.
Vende-se urna parelha de cavallos para
carro bem ensinados ; na coxeira ingleza da
rua das Flores.
Vende-se um sitio na Magdalena, com
boa casa de vivenda de pedra e cal duas gran-
des baixas plantadas de capim, diversas ao-
res de fruto por preeo commodo e mesmo
a [ir. so com boas firmas; a fallar na rua da
Praia n. 58 com Joaquim Celestino Goncalves.
Na propriedade das Candrias perlencenle
ao casal do (allecido Pedro Felina tem pedra
de cal muito propria para com ella fazerem os
Agricultores bom assucar pelo novo methodo ,
e vende-se cada um carro pelo preco de dous
mil rs. ; os pretendentes dirijao-se ao escripto-
rio do caixa da administrarlo do mesmo casal,
Jos Pereira da Cunha, na rua da Cadeia do
Recile n. 14.
sb Vendem-se fatos completos para bomem,
calcado de todas as qualidades para senhora.
camisas de madapolio n.ui bem feitas a 30,000
rs a duzia chapeos francezes dos mais mo-
dernos tudo por preco commodo ; na rua
Nova loja n. 32 de Manoel do Amparo Caj.
ss Vende-se um moleque de nacao de 14
annos de bonita figura faz todo o servico
de urna casa e tem principio de cozinha ; na
rua do Cabug loja n. 9.
Vendem-se cortes de chaly de laa e seda ,
dos mais delirados e novos padies e em tu-
do da m-issnperior qualidade ; na rua do Ca-
bug n. 16,
= Vende-se um Atlas geogrfico contendo
47rartas. 36 modernase 11 antigs, outro
ss Vendem-se bezerros de lustro para ral-! de 10 muito moderno, um Telemaro em fran-
ofiicial de carpjna ; na rua da Moeda a fallar' rado bastante em conta galao de onro fino, cez urna >{nmmatica italiana, por um dos
com Santos Braga, ledenrata. chi>pn Je lustro p P5gs=ii s;f're8aut0res tamoem se irocao estes li-j Rscirs: haTyp. dbM F. ok Fakia. 1843
de lustro para homem, borzeguins deseca para
senhora luvasdeseda para bomem e senhora ,
ditas de pellica para homem, ditas enfeitadas
para senhora, espartilbos para senhora a 1800,
meias de seda para homem e senhora ditas de
algodao muito finas para meninas, lencos de
seda para grvala ; tudo por preeo commodo :
na praca da Independencia ns. 11, 13, e 15.
Escravos fgidos.
No dia 30 de Julho pelas 8 horas da ina -
nhaa sahio a escrava Mara de nacao Angico h
com o rosto bem talbado estatura ordinaria ,
grossa do do corpo cor alguma cousa fula 1
denle da frente du parte de cima partido, per-
nas bem grossas venda frutas e miudezas ,
tem urna marca redonda na pe na ; quem a
pegar leve na estrada da Solidade que vai para
o Manguinho sitio n. 5 a seu senbor Thomaz
Jos de Sena.
No dia 10*do p. p. desappareceu um mo-
leque de nome Antonio, de naco Angola,
de 10 annos bem fallante o esperto levou
caltas ejaqueta branca julga-se tersido fur-
tado em ra/.o de nao se ter noticia do mis-
mo ; quem o pegar leve a estrada da Solidade
que vai para o Manguinho sitio n. 5 a seu
senhor Thomaz Jos de Sena que ser gra-
tificado.
Ja a tempos fugio o e-cravo Gabao co-
ndecido pelo nome Mano ou Amaro per-
lencenle a Jus> Fachincle, que o comprou a
Senhora D. Felicia Branca de S. Amaro e
como nao (usse anda pegado participa- se a
qualquer pessoa ou capito de campo, que
o pegar de o entregar na rua da Cruz n. 50,
que recebera 30,000 rs. de gratilicaeo ; o re-
ferido escravo tem 40 annos, ps enchados ,
um dedode urna mo cortado de antigo lio-
toes decane as duas fontes e por cima do
nariz, falla-lhe alguns dentes feio do ros-
to corpolentu, ja trabalbou em caixas de
assucar, qundo pertrnea a dita senhora.
No dia 13 do p p. desappareceo um ca-
sal de escravos do engenbo Conreico em Be-
biribe um casal de escravos Andr de nacao
Benguela balxo, peinas um tanto enchadas,
representa 60 annos carcunda sem denles
na frente falla bem explicado levou vestido
camisa e ceroulas de algodozinho e mais um
(rouxa de roupa. Mara de i acjio Rebolo al-
ta bastante, de 35 annos bem preta cheia
do corpo cara redonda, ps grossos e bstan-
les grandes, peitos escorridos, falla bem ex-
plicada, levou saia de estopa camisa de algo-
dozinha nova con la que tomarao a estrada
do Bonito para a fa/emla das Pelladas ; quem
os pegar leve ao dito engenho ou na rna da
Matri da Boa-vista n. 26, segundo andar.
Na noite do dia 30 do p p. fugio do ar-
mazem da rua de Apollo n. 12 um preto Mo-
camhique de nome Matheus que represen-
ta ter 20 annos, cheiodo corpo estatura ro-
gular, levou camisa e calcas de estopa erua :
quemo pegar leve ao dito arma/.em que ser
recompensado.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EM3VNT3LJ_LFDTDK INGEST_TIME 2013-04-12T23:23:26Z PACKAGE AA00011611_05041
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES