Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05030


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1843.
Sexta Fera 18
de Agosto
AVISO.
A assignatura desta ollia a contar do 1.o de
sctemhro prximo futuro em dianle ser an-
sa" de 38700 por trimestre para os Srs. subs-
criptores, que a rereltem pelo correio, em con-
sequencia de serem os portes pagos adiantados.
AnnoXX. HT. 177.
Tildo igora dependa .le nos n-gnu; di nossa prudencia, moderac.i., ,. en,rci,. oon
i... i-ni. como principiamos, e seremos aponiado com .dinr,..u> enire a, N.01> nii
cul'"-____________________( Proclam.g.io A.semblei. Ger.l do BrYsil.)
PARTIDAS DOS CORREOS TERRESTRES
lionilo e Garanhuiis, a IJ a 'I. '
Jabo, Serinhiem Ra onn no -rto Cairo MacaiA a VU-.oas n |: < e 21
(Joi-Tislie Flores .Se 2. Sinlo Vnlio quintas feirss Olmda lodaa mi a;..
DAS \ SEMANA. *.
1 Seg. s Enzebio Sac. KaA do J de D. da 2. .
li Terg. Hr> Assumpg.io de N Ora.
Ifi Quirt s Roqie F_ 'uil do J. da I), da 1 t.
17 QtMM. Mamada M Aud do J de D. da ; t.
i >e%. a. Lauro M Aud do J. de 1) da 2. *
U Sab. a Luii H. F. Ral. Aad do J. de D. da 1 T.
Mi ilusa. -I Joaiviun Tai da A. tira.
O Puno publira-se lodos ns das q-ie a 3o forero S latUfoarlo*! o W*fO da aasipialora ha
de ir mil res por qoarlel pafOt adiaaladoi Os annunnos dos sssijnante i,io inaeridoa
gratis eos dos qoe r
gulas a asa Tip ra
ipinrici p;ua amananos Us annuniMOs dos sssignanies a.io inarnuu
gralis, eoa dos que oo forem a ras.iu da -II rcis p r liaba V, reclama ,-fiea deram ser diri-
la das Cruies N. 34, ou pra-a da 1 nilependencia toja da liaro* N. 6e8.
Clamo*No da 17 de Aguato.
Cambio aobra Loadraa 2o a 25 i. Ooao-Moada da rJ,4U0 V.
Paria 3.0 raiapur franco.
Liaba MU por 1UU da premio
N.
compra
ni sju
II'. lijJ
'J.iOO
i,a.u
1,1 10
,a20
i-anda,
I7uu0
itiSOli
V ioit
.wo
I.WO
da 4,000
,, iPlATi-Paiicea
Moeda a cobia 2 por cenio. >rr, ,;JUBn
Mea.delelraadlboi.hra.aa 1 { f ,|iloa Mr-t,. anos
P1IASES DA LA MJ MEZ DE AGOSTO.
Loa Cbeia 10, as I huras a -5 ai. da m I Laa ora a ios lO minuloa da larde.
Quan. bdr. i 18, ig 4 fcoraa a 20 da m | Joan. r,.,fi_ 2, U 0 horas e 7 m da larda.
Preamar de hoie.
1. alO hora a 54 aa. da nanh.ii. | Z. a 1 I boria a 1S da urda.
9
saj%^^^'4^,b
PABTE OFFICIAL.
rT.lfWT-il'ti
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DE 7 DO COMIENTE.
Offloio. Ao inspector da thesouraria das
das rendas provin:iaes ordenando, que, na
forma do artigo 3 da le provincial n.u 76 de 30
dfl abril de 1*39. mande alionar no l!v. Jos
Marinho Falciio Padilha prolessor de rhetori-
ca. e potica do lyco desta cidade, maisme-
tade do ordenado / que actualmente percebe ; dem" e^Xl^r1Z ^'^
i > i -lo '. tii-ii-, ueuoi> ue prolcr r i n (1 scurso em nue
y.slo contar ma.s de 2,, annos de exercicio no | louva o desinteresse o patriotismo,)', s M
interrompido como provou com documentos,. Imperador, por ter cedido para as urgenciasdo
e querer continuar no mesmo magisterio ; e estado urna quarta parte desua dotacaO, man la
Entra em rtiscussa o senuinte:
Art. 8.Sa nultns todosos actos, contra-
tos ou ttulos mencionados nos dous paragra-
phos precedentes que nao tiverempago o sel-
loantes de sua celehrncao e se o dito acto ou
contracto for celebrado por escriptura publica,
o escriva que a fiser solrer a pena do per-
dimento do officio, alem de outras em que pos-
sa incorn-r.
A commlssSo com consentimento da cmara
retiraoarfi.ro emrfiscussao, e ofTcrece urna e-
menda substituiti\a que apoiaila.
Sao apoiadas outras div-rsis emendas.
Toman parte nn discussao o-; Srs. Pessoa de
Mello, Rodrigues Torres, Silva Ferraz, Souza
Martina, ministro da fasenla, Carneiro da Cu-
nba. Sou/a e Mello e Pacheco tica a discussao
adiada pela hora.
dem de |H.
Sr. Peixofode Bri o leni a palavra pela or-
ain.la ulga-lo a Presidencia apto para islo.
Dito Ao inspector do arsenal de marinba.
mesa a seiuinte dirlaracao.
Declaro que cedo a quarta parte dos meus
approvando o contracto, por S. Me. eito, pa- suhsj'l",s. eomo deputado da provincia de Per
rao ornecimento de carne verde, ago'anlente. "' >' *? me"os termos em que o Sr. D.
caf, e outros gneros rom os individuos Kl/SfaS "aW*, ^ i*6 SU1 do,?.cafi-
que menciona e^ seu omcio de 2 deste me,. i^SZ^^T "*-*"
pelos precos e tempo no mesmo declarados, j
Dito. Ao commanilante das armas sia-| Oepois de breves rellexo's o mesmo Musir
niicando, aue npprova a nomeacao, que S. S dePutadon"''-ea consideracaodacamarao se-
fez. doAlferes reformado joaquim Pedro de i TrT'" ''
Souza MacalhSes para commandar a fortale/a de pari u? e nomTd^f^m ""? dePul?ta5
Ignacio de Medeiros Reg Monleiro. cer ao nosso augusto monarcha o acto generoso
dem do da 8 r Pa,rt,C01,1C a(abil de praticar cedendo cm
OlTlcio-Ao inspector da thesouraria da fa- vZ^c^tV TnTlT^I^ d!?eiBl
senda, intelligenclando-ode ter o desembarga- Mo mi.-I'e,.,,,,,,
dor chefo de polica, em virtude do artigo 10 do- n,,,,..:" no(nmm ,
fegulamenton<>120de3ldejaneirode184. e uSr^df^nlT^0^^1^ S?S-
pela falta dos necessarios con.modos.que se no- SESiIrSIW^^a"^ Resende e Car-
tavanasalladoquarteldocorpopolicial.emque o ISttiSS:
se havia interinamente estabelecido a respectiva M ^-Z a 1,r,p,nca Pa"
secretaria, feitopassar este repartiCao no l.o Jf Cnl,m,C aM"3 d requeri-
presente mez para o primeiro andar das casas A ,',:. A
emque elle actualmente res.de, mediante o al (a(ll P S luguel de 300 rs. por auno: e ordenando, que r,i,,-,-,, ,i... ,
mande pagar o referido aluguelqu.m compe- JZ'ZV. ''? ds seguintes emendas
tir.-Com.nunicou-se ao chele de policio. 0 ar"g" 8' do 0W> da recela.
Dito Ao juiz interino da primeira vara do Emenda substitutiva ao aitigo 8.'
civel, determinando, que exija, e remeta a se- Os escriptos ou ttulos romprebendidos
cn-laria da provincia una copia da instituicao nos dous paragraphos do artko anleeedente
do vinculo, de que he administrador o marquez Que nao lorem hincados em papel sellado, deve-
do Hecife. para que w-in ella seja mais escla- rao sei levados ao sello dentro de un mez de-
rciida a inlormacao, exigida pelo governo im- pois do feitos, pena de serem reputados millos,
perial, acerca dos requer lientos de Rento Jos e nao merecerern f algoma em juiso Se porei
I.en>enha Lins, uLuis Francisto Paos Brrelo, forem apresontados ao sello deiiois de passado
em que pedem Confirmado do contractos em- um mez mas antes de (indos dous meses, po-
pliyleuticos, que celebra rao com o dito marquez. derS ser r* validados pagando os nteressados
--------- a mulla de tresdobro, alem do sello a que sao
Iobrigados. Estesprasos podero ser ampliados
, nos regulamentos do governo, conforme as pro-
vincias e lugares onde forem escriptos os referi-
dos papis.
Os escrivaes ou oTiciaes pblicos que es-
I creverem actos, contractos, ou papis obrigados
ao sello sem previo pagamento d'elle, alem das
creve por tres annos contados da data do con-
trato. Sahuco de Aran jo. <>
Em vez de pena de nullidade adopte-se a
de inulta e se pastar volle commissao para a
proporcionar as d versas iufracedes e demoras
do pagamento do sello. S Franco.
Sao apoialas outras emendas.
Fall.'.o sobre a materia os Srs. Souza Marlins
o Nnlmco de Aratijo.
I ima nssento na caman como deputedo pe-
la provincia do Rio de Janeiro o Kxui. Sr. Pau-
lino Jos Soares de Souza, ministro dos estran-
geiros.
Continua a discussSo fallando na malcra
os Srs. Veigsi, Mendes da Cunha, Paula Can-
dido Barbosa de Vlmeida e Carneiro de Cam-
pos da-so por discutida.
Segue-se a vola ao e opprova-se o seguinte :
Vrt. 8. Todos os livros e papis mencio-
nados no artigo antecedente nao poder ser
aceitosem juizo m'm ter f publica sem baver
pago o respectivo sello.
Os c-criv'ies ou offi tiaespblicos que escro-
verem actos contractos. ou papis obrigados
ao sello sem previo pagamento delle alem
das penas em que possao ncorrer perderaO >>
officio ou em prego que exercerem.
A discussSo dos outros artigos fica adiada.
INTERIOR.
ASSEMBLEA GERAL
CMARA DOS SENHOKES DEI'CTADOS.
Sevdo em 1 de julho
Contina a discussao do parecer de commis- ou.lr;'ls P"as. em que possao ncorrer. perde-
W8 .reosr. Rarao da Moa-Vista. "|mc," emPr''- que exercerem.-5.
OSr. Rodrigues Torres discorre sobre o pa- "** F- de Souza e Mello.
recer. respondo as observaedes de alguna Snrs. a Sub-emenda a emenda da commissao :
deputados que o tem impugnado, o conclue vo- Em lugar da pena de nullidade diga-W
taijdo pelo mesmo parecer pona /|e tr,.sj0|,ro ,,0 valor do w0 r^
OSr. o. JosdcAss.sMascarenhas^/aor- |os nteressados. -/WAcco. P
^requero encerramento da discussao. caso Q c;,so (|e fa|sj(Ji((|(. d
dem do da 11.
Continua u discussao do requerimentodo Sr.
Peixoto de lirito para que se nomeic urna de-
puteefio que em nome desta cmara agradeca
ao nosso augusto monarcha o acto generoso e
patritico que acaba de praticar cedendo a fa-
vor do estado a quarta parle da sua dotaco.
I omito parte nesta discussao os Srs. I'erreira
Penna. I). Manoel e Brrelo Pedroso que se
oppoe ao requerimento, e o Sr. Barros Pimen-
tel que o approva.
A discussao fica adiada pela hora.
Entra em discusso o seguinte artigo do or-
namento da receite,
Art. 9, Fica elevada a l>0j rs. a matricu-
la ilos Cursos Jurdicos e a 80 rs. a das es-
colas de medicina.
0 Sr Souza Martina, como membroda co-
rnissSodo orcamento, retira com consentimen-
to da cmara o artigo em discussao e ollerece
a seguinte emenda que apoiada.
K Substitutivo ao artigo 9.
< >s estudantes dos cursos jurdicos e escolas
' medicina pagano as SUasmatriculas odo-
bro (loque actualmente pagSo. ('. Carneiro
de Campos. Souza Marlins. M. /'. de
Soma t Mello.
Tomao parte na di-cussao osSrs, Barros
Pimentel Carneiro da Cnnha Paclieco ,
Vianna Hcniiqucs de He/ende, Pessoa de
Mello Paula Candido, Sousa .Marti..s e
Peixoto de Brito.
Julga se discutido o artigo e poslo a votse
approvado.
A discussao dos outros artigos fica adiada
pela hora.
*e teuha prolcrido os discursos marcados no
regiment.
Verificando-so haverem-se pronunciado os
dosediscursos, seis pro o seis contra, d-se por
pn errada a discussao.
O parecer da commissao approvado com
urando materia, e fica prejudlcada a emenda.
a validado do acto ou titulo, ficen lo as partes
nleressadas obrigadas ao pagamento deste im-
posto no caso de se descubrir a lalsidade. 8. a
R. Franco de S.
Os ttulos te. que tiverem de ser lancados
as notas o nao poderao ser sem que conste o
Entra em primeira discussao o projecto do pagamento do sello proporcional por ronl
8r. R.idrigues Torr, s. s-.bre colonisaca. Nao mpn(o da ri.|(artl,,lo llS(.| ,,' () (l;)r;1
"ateiidoquciu peca a palavra da-so ()or linda a r,.., i __' ___i, ,
I-discussao. e o projecto approvado para [""* ,as .lc" (IU( 'gulao o m.postodas.sa dos
lara segunda. bensderait.
Proccae-se votecad da emenda do Sr Pa- Os praaoa para o pafamento do ello serio
checo, sobre o ornamento da recolta, que na I manados i elo governo em regulamento, o nin
a aiilerinr nao (ora votada ir ji nao ha- | l'"d-r,i ser menores de quinze dias e nunca
*ercasa no lim da sessSo. A emenda 6 regei- I maiores dequatro mezes. Sitra Ferras.
'a(la. j ,( \ nreo lie nnllidmlp nnr I'-..li rln aajjn
dem do da 12.
Contina a discussao do requerimento do
r. Peixoto de Brito.
Tomo pule ha discussao os Srs. Peixoto
de Brito e Franco deS c d-se por discut
da a materia.
0 requerimento posto a votos e regei-
lado.
Entra em discussao o seguinte artigo do or-
namento d.. receite.
Art 10. Os possuidores decaeiras ole-
ras pedreiras os que tiverem chcaras de
vender capn nao podo rao exorcer oslo in-
dustria nos municipios da corte Nithorov ,
Baha Pernambuco Maranhao e Para sem
obterem annualmente urna patente pela qual
pagar de 20 .> rs para cima, ralculandn-i>
2$ r>. porcada .trabalhador empregado n'ost
industria,
So apoiadas as seg i n tes emendas .
Kicao execeptuada aquellas -las referidas

posto provincial. Nabuco de -/majo ~F dV
Aguiar.P. droCatalcanti.Peixoto de Bri-
to. Paes de I adra te.
Substitiiilva do artigo V. : As casas
que vendem trastes, roupa calcado do m.io
il obra ostrangera pagari o imposto a quo
rclualmente ostio sugoilas bS casas de mo-
'las.
>soasas de modas oigaro na rasando
duplo assim cono laiiibem as casas de lei-
lAo. *>'i7)v ferraz
Emenda ao artigo 10.
\crescenle-so no lint o FOguinte : quo
for eseravo fjrando isentos do calculo es tra-
trabalhadoros livres. Paclieco.
Depois de discutido artigo 10 posto a
votos o approvado com todas as emendas, ex-
cepto a do Sr. Pacheco.
Enlra em discussao o seguinte :
Art. II. Os cavados ou beatas que entra-
rom no municipio da curt' para serem vendi-
didos, ptigarno 48 rs porcabeca.
' E osle artigo appmvado sem debate.
Entra em discussao o seguinte :
Art. 12. Os despulanles das alfandegas
do imperio ( nao sondo os proprios donos
das mercadorias ou seus caixeiros ) sollicita-
ro una I cenca do governo pela qual pa-
gano iO,S a 2008 rs. conforme a alfandega
onde quizerem despachar.
Depois de pequeas observa" oes este artigo
posto a votos approvado,
Entra em discussao o seguinte :
Art. 13. Os bilhetes das loteras cujo pre-
mio for de 100 rs. para cima, pagaro 10
por cento de laxa para o estado.
Sao apoiadas as seguinte emendas :
Em vez de 10 por centodiga-se 20 por
centoIf'anderley.I'ereira da Silva.Ca-
j eiro.
As casas emque se vendorem cautellas ,
ou l'racccs de bilhetes de loteria ou outros
d esta naturesa pagaro una patente de 100$
a 200. rs. S. a I!. Siha Ferraz.
Julga-sc discutido o artigo e posto a votos
.-.pffeovado e bem assim a emenda do Sr.
Silva Ferraz e regoitada a outra emenda.
O artigo 14 que relativo a reeeia goral
fica adiado para entrar em discussao em occa-
sio propria.
Entra em discussao o artigo lo com o artigo
9. da [imposta do governo.
Art. 13 que o 9. da proposta. Esta re-
ceila sen efToctuada com o producto da renda
goral arrecadada dentro do exen icio da pre-
sente lei ,' sob os ttulos abaixo designados.
O titulo 30.Diga-se sello do papel fixo
e proporcional.
Os ttulos 71 e 73 suprima-se.
Acrescente-se estes no vos ttulos:
Patentes de caeiras, olarias e pedrei-
ras.
Licencas de despachantes da alfandega.
laxas de cavados e beslas que enlrao no
municipio.
Segu o artigo 0. da proposla a que se refere
o artigo 15 das emendas.
I allao sobre este artigo os Srs. Silva Fer-
raz, I'erreira Penna, ministro da la/onda,
Albuquerque llonriqies Sousa l'ra.ico ,
Veiga Comes de Carvalbo o Carneiro da
Cunha e a discuss o fica adiada pela hora.
dem do da 13.
Continua a distussao do artigo 9 da propos-
ta do governo do orcamento da receite como
artigo 15 ilas emendas da commissao.
Tomao parto na dis( u-o os Srs. Antones
Corroa Pacbeco I o reir Penna minis-
tro da fa/enda Souza Franco Barros Pimen-
t I, Gomes de Carvalbo Veiga, Paula (an-
dido e Pessoa de Mello, e a discussao fica
adiada pela hora.
1 drin do da I I.
Continua a discussSo do artigo l.'jdnsomen-
las da commissao, com o artiso 9 da proooste
".....," i" !u"''" ugeitaa aalgum im-jdo governo do orcamento da receita.
ELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
/


T
Fulla o sobre a materia os Sr. Galvo Quei-
roz Coitinho Yasconcellot e Pachoco, e o Sr.
t). Jos de Assis Miscasenhas o!>ten>lo a pala-
vra pe.le o encerramonto da discusso, e con-
sultada a cmara a d por encerrada.
Segu a votacao de todos os paragraphos do
artigo 9 e sao approvado* e regeitada urna
emenda e approvado o artigo 15 da commisso
rom os seus paragraphos.
Knlra nm liscusso o soguinte artigo com
o ariiio 10 da proposta do governo.
Art. 16. O dficit roconheoido na presente
lei e o que possa provir da deliciencia da re-
ceita orcni i tara prehonohido por meio le
emproUim > feito com emisso de apnlices ou
de li llu't'S de tlmsouro conforme o que for
mais conveniente.
O Sr*. Cirneiro da Cunha e ministro da fa-
zenda, fazem ligairas o!>servaces sobra este ar-
tigo e posto a voto* lie approvalo, bem como
o artigo 10 Ja pr potta do governo.
Slo apilados dilf'rentes artigo* additivos de
varios Srs. deputaJos, que entroem discusso.
a qual fica adiada por nao haver casa.
NI 1)1? PRWWIICil.
Tivemos jornaes da Bahia at 5 do correte
que nada de novo ofTerecein.
honrosa ainda que baja a pretendida deficien-
cia le claieza.
Vamos h maldita esquivaba de que nos ac
cusa S. Me. assim como de nos oceultarmos
dos portadores enviados a nossa casa. Confis-
camos ingenuamente que esta asserco temera-
ria e irreflectida queS. Me avaneou cm nos-
so desal>ono nos pungi no intimo d'alma :
nos a repellimos cheios da mais viva indignaco.
Importa pois que digamos a S. ousada Me. ,
'om notire ufana mas sem a louca pertenco
le nos exaltarmns a nos mesmos. e sem invo-
earmos como outro* em nosso appoio o
vagoestribilhode npini'Bo publica que temos
contrahido, desde que entramos no gozo dos
lireitos civis consideraveis obrigaces com
imitas pessoas respeitaveis. sobre tuiloda hon-
rada classe lo commercio ; obrigaces que por
erto nao existirio se nao se dsse, a rospei-
to de nossa pessoa pe o menos a presumpeo
le um certo fundo de probidade e capacidade
de as satisfazer ecumprir : nunca porm en-
contramos urna pessoa relacionada comnosco ,
ue aTirmassecm particular como S. Me. aos
fi jHBsaapjBa-.j______;_______' i ..
nSo poda assim faser fortuna em''linda ; e
foi ento que sua merc se dignou depositar
em nossas milos urna declaraco dos seussen-
tmentos polticos que honra bem pouco a sua
inerc: todava guaraar-nos-hemos de a publi-
car porque sobre nao vir ao caso somos
incapa~.es de cometlcr simlhante abuso de con-
(ianca. Temos porlanto dito quanto julgamos
necesario diser-se para arredar de nos a pe-
cha que nos lauca sua merc quando asse-
vera que fomos negligente que despresamos
inteiramente o negocio de sua merco. Sua
mercdiz tamhem que nos Ihe mandamos ses-
senta mil res: he verdade que n >s inteiraim.s
essa quantia com dinheiro nosso que depois
recebemos dos subscriptores. e isto foi mo
g ado nosso pela r.isao que cima declaramos;
porem nos nao mandamos a sua merc apenas
osGOSrs mandamos mais dinheiro, o por
pessoa muito conheciiia de nos e de sua mer-
c; e como nos certifica quo nao perdeo um
so dos papis, que Ihe enviamos o que esti-
mamos muito sua merc nao ha de contes-
tar-nos isto; pois a pessoa portadora do dinhei-
olhos do publico, queus nos escondemos ou j ro eda nossa arta de despedida ( sua merc
subtiahimosaocumprimento da* obrigaces que sabe que carta he ) ahi est viva e sa para
convencel-o desta verdade quando sua mer-
c queira negal-a.
CorrespMilenca.
Srs. Redactores.
Pelo que se ach escripto no Diario-novo n.
173, que forma o ai ligo de fundo dessa gaze-
ta verilica-se com efleitooque se nos havia
referido, isto que oSr. Luii Ignacio Bj-
beiro Komi cono em recompensa dos serv-
eos que nos poleuv.s aqu prestar sua pu-
blieicao tomara por dixertimento metler-nos
a rabeca. insinuando alguem que Ihe distrahi
ramos dinheiros d'assignaturas. E verdade, que
S. Me. nao uffirma isto claramente na sua res-
posta porque l teve seus motivos para nao ser
cathegorico ; porm diz que a villa le re-
claiiiucoe" de subscriptores oslo le obs-
cun lade .I- rea :6es 'isla de esquivanca em
responderme, omiHanlo-ms at do* poria
doren que n >s mand iva conclua vista de
todu uta vistas que n >s haviamos lespre/.a-
do inteiram-mte oseu negocio, que haviamos
sido iiiuito negligentes que mandavamos fa/er
a dislribuico la falla e receliiamos dmhei-
ros se n t.m ir as competentes e neiessarias
notas ; e que portento nenliiima confianea Ihe
merecendo mandara substituto. Ora como
sobretodo a ultima das oonolusoes tiradas por S.
Me. e impressa em itlico, resetne-se de vi-
rulencia e revela intcnciio le oflender nos,
hade permittir-nos S. Me. que por essii ra
z5o ihe repliquemos com estas linfas mal ata-
viadas que ahi vao rom o intuito innoxio de
nosdefendermos das catanadas de S. Me, cuja
boa libia nos invisti rom tantas vistas. E co-
mocando pelas reelamaoes respondernos S.
Me pedindo-lhe se record bem le que nos
nao recebemos aqui dinheiro de todos os subs-
criptores de Olinda ; mas que S. M. mesmo Se
adiantava reci'ber l le algn*, rogando nos
o favor de mandar smente entregar a ful ha n
estes: sepoisalgum dostaes reelamou sem
que su nOme fosse por nos inscripto na lista .
o que se segu me S. Me. e nao mis .
que nati recebemos. era quem mandava distri-
buir folln e recobia o dinheiro sem tomar
as competentes, e necessarias notas para de-
pois malignamente argir-nos desaa falta : nem
n< podemos HCcrcdilar nutra cousa estando ,
como estamos informados que S. Me. tem
um amor ceg os cobres, que levara sem
duvida '\gir de nos em lempo qualquer
pequenina quantia se por ventura estivesse nn
certeza e .unda n i incerteza de que nos ha-
va escapado lomar lemhranca della; e de mais.
nos nao supp-imos S. Me tao ruim fasenda. que
de proposito loixasse de haver de mis algum di-
nheiro para depois nos aecusar de Ih'o tormo*
sonigado principalmente sssignnndo S Me. ,
em suas cartas nosso amigo e obr>gado !!
pido que toca a oltscuridade de rea.oes, ou-
tro ponto da triplico vista de S. Me. respon-
demos-ihe que nao nos jactamos do tero dom
da clare a; mas ha de permittir-nos S Me .
que o argua.nos de falto deraridade para "orn-
nosco alm de que S. Me conhece perfeita-
nionte que ninguom por mais esforcos que
em pregue saber ser asss claro para quem
no o quiz'r entender : piulemos todava aflir-
mar que as rclaces a |uc se alinde nao
esto tao claras que eeguem as vistas de S. |fc
porm que tem a clareza nece Saris para quem
enxerga wiflrivelinente; que ellas no tem osde-
fcitosqueS. Me exagera, porque nao nos esque-
ceo mencionar em alguma*deltas o*ro|ui*itos de
quo falla S. Me. : n vista do expostn entende-
TC.ZZ 'l'i ::"':!" 'I errar uno nonliimia ron-
tlusJo se pode tirar i ah que nos soja des-
ontrahmos Possa S. honrada Me. dizer de
si outro ta.ito Eslava pois reservado a S. Me
avanear de nos essas palavras que at"5 nao
tem sentido algum attenta a especialida-
de das relacoes que oxisti5o entre n's, c S. Me;
e se nao diga-nos S. Me, de que que nos es-
quivavamos nos? deque nos escondamos ? S.
Me. por certo delirava quando escreveo taes
nalavras ou ento quz mesmo ter o gostinho
denos chamar terreiro. O que verdad"! ,
que nos nem sempre estamos de mar para oti-
virmos os seus portadores, e as suas carta*, que
nospin'avao S. Me esfomeado por dinheiro:
nos nao tinhamos remedio a dar-lhe porque
nem todos os subscriptores criio promptos em
paffar, B pareca-no* que S. Me. nao era capaz
Dos Sr. Roma tenba saude que nos
pagaremos ao medico, e Vm.c*,Srs. RR. ,
queirao dar-so ao trabalho de mandar publicar
esta nova e mas extensa correspondencia pela
qual responde e Ihes fica obrigado.
O seu venerador e reverente criado
B. Jos Vteira Coutinho.
Publcales a pedido.
FEUCITACO.
Senhor Quando todos os coraeoes brasilei-
ros trasbordo do mais santo jubilo pelo con-
le agradecer-nos qualquer prova de generosi- sorcio le V M I. mpossivel era que a so-
lide de nossa parte sobre o que ho|e nao nos
resta duvida. evidente pois quo S. -'c. nao
pode attingir o alvo a que apontou com a tal
ideada esquivanca rt reliqua. S. Me veni-
nos di/endo tamhem na sua arenga que n
nao Ihe prestamos utdidade alguma D nos Ihe
respondemos tamhem que Ih'a nao promelte-
mos: o que nos promettemos (e nos parece ter-
mos cumprido) quando urna pessoa amiga nos
nedio antes que S Me. nos pedisso o mesmo ,
foi diligenciar a**irnatura*, principalmente
entre os nossos Ilustres collegas acadmicos ,
nara a foi ha de S Me. : se os nossos esforcos
nao correspondern aos clculos e desejos de S.
Me. nos nao tivemos culpa nisso. Varios
ai ademicos soubero de algures que o Diarito
deS. Me. seria orgo de urna politica diversa ,
e opr.o'ta aquella que defenda o veterano Dia-
rio ile Pernambiico : neste prosupposto concor-
rero a subscrever muitos delles por nao sym-
pathisarem com a politica vencedora ; outros
por mero petitorio nosso mas petitorio lesti-
tuido de nteresse aliim politico. A expecta-
tiva dos primearos foi Iludida principio pir
que o Drtirito no apresentnu ou temeo apre-
pntar a sua I idainha politica. Correro ento
lifferentes boatos desfavoraveis ,'i publicaco
le S. Me. e affirmava-se entre mitras cou-
sas que o Diaritn de S. Me. sem systema al-
gnm polit'co e ciliado por lesa(Teiiies parti-
culares e mesquinhas tinha somonte por fin
matar o Diario de Pernanihuco desviando-
Ihe os subscriptores Dizia-se mais, |ue o
aeeessnrio = Novo ar, com que fora baptizado
o Miarilo nculcava nao tanto a nalividade do
pequenote como principalmente importava a
dea de substituiro qne S Me cogitara fa-
zer la por sua alta recreacao e sem audiencia
do terreiro nteressado s o veterano Diario.
Com edeito a nos mesmos pareceo-nos urna
barbaridadn que o veterano noticioso Diario
le Pernambuco qne alias tinha jo* a ser rs-
peitado fossp pdo contrario tao de perfo ame-
iieado em sua cxisl> ncin pelo Diari'o |ii as-
sim se proptinha a ferir de norte um veterano
vimeravel o qual por sua anciani'dade ma-
dura uniis protegido pela legislaco criminal
do imperio quando clasifica de aggravanto a
ircuitstaneia do haver no offendido a qualidade
de mais velho e tanto qne possa ser pa do of-
fensor, o que c r segundo a opnio mais seguida.
Nestes termos que maravilha ora que se ope-
rasse o phenomeno que logo seguio-se e que
nao estava em nosso poder impedir ? Urna ino-
culado espirituosa e nao fcil de contentar-so
rom brado* montonos porem vida de nov-
dades vendo-o Iludida em suas esperanras ,
para logo abandonnu e praguejou urna publica-
o quo nao Iheaugmentava idea e tanto que
ahi vinho estampadas quasi as mosmas pecas ,
insertas ja no Diario retertnn ; sendo este jor-
nal ento e ainda boje reputado geralmonte
por superior aodesua merc A todos respeitos.
\7h communcamo* a sua merc wta vehemen-
te indisposicao acadmica centra o DiaritQ, ce lado de Medicina de Pernambuco seconsor-
vasse indiflerente a acto tao grandioso, eexplen-
dido e que tantas esporancas faz concebor aos
fiis subditos de V. M. I. Sim Senhor A
socieda.le de Medicina de Pernambuco infla
mada poloonthusosmo que hoje anima todos
os Brasileiros conforu-mc a honra de fazor
chegar ao throno de V. M. I. a expr*ss5o de
seus puros e sinceros sentimentos; honra
para mim tanto mais aprecavel quanto por
ella ardentomente ou suspirava. Senhor Es-
to fausto motivo que estroita ainda os laco
do amisade que ligo V. M. I. aos monarchas
de outras nacSes e perpetuar entro nos a dy-
nastia do immortal fundador do imperio
sem duvida o ma;s seguro garante da ntegrida-
pe, seguran-a, e estabilidailodo Brasil. Quei-
ra o reo santificar a unan do V. M. I., o a/e-
la prospera e venturosa por longos o dilatailos
annos. faes sao os votos de adbeso e lea Ida-
de que a V. M. I tributa a sociodado de Me-
dicina de Pernambuco. Digne-so V. M. I.
benignamente aecolher suas respoitosas home-
nagens, o cordines felicitacoOS. Rio do Janei-
ro 8 de Julho de 18W. f>r Joo Ferreira
da Silva. (Do Jornal do Commercio.)
Srs. feda<-tores. Queirao mandar publicar
na sua estimada folha de 18 do rorrente a copia
da carta quo fiz aos meus credores do qup
Ihe ficarei muito assazmente obrigado. Sou sen
venerador o assignante. Roa-vistn 1 \ de agosto
de 18 W. Joaquim d'stnnunciagBo Siqueira
VarejSo.
lllm. Sr. F.
Rogo a V. S. que se digne na qualidade do
um dos mcus acrodores comnarecer nosta sun
-asa na ra velha n. 91 no dia quarta feira Ifi
ilo corrento pelas 9 horas da rnanlia para com
outros meus en dores examinarom o estado em
nnemoacho a respeitodo meu estabelocmento
da fabrica de rap e charutos e avista d'elle
resolverom o quo julgarem mnis convenionto.
Dos Guarde &c. &c. Boa-vista 11 de de a-
josto 18i3. Joaquim d''Annunciaco Si-
queira Va'ejBo.
COMMERCIO.
Alfandega.
Bandimento do dia 17......... 5:6978927
Descarregtto hoje 18.
Barca Wm. Russell fazendas, e ferro.
Barca Calharina carvo de pedra.
llovimcnto do Porto.
Navio entrado no dia 16.
Biode Janeiro ; 26 das brigue escuna bra-
zileira Navegante de 163 toneladas capi-
tao Silvestre Jos de Barros equipagem 12,
carga carne secta : a Amorim & Irmaos.
Passageiro o hrazileiro Francisco Teixeira
Guimares e um escravo.
Dito no dia 17.
Bahia ; 7 das patacho nacional Conceifao ,
de 150 toneladas, capitau Joaquim Jos An-
tonio equipagem 14. carga varios gne-
ros, Passageiros, Jos Domingues Pe-
reira de Maltos Maria da Gloria Vioira o 1
lilho menor Maria Luiza d'Almoida Sacra-
mento Pructuo/.o Vioira dos Santos Jos
Jo5o Barboza braxileiros.
NOTICIA^ MARTIMAS.
No dia 24 do passado entrou no Rio de Ja-
neiro o Brigue Reslaurauor.
Estava annunciada para este porto a Barca
Firmeza.
No dia 5 do corrente entrou na Babia a Su-
maca Carolina sabida deste porto.
Editaes.
O lllm. Sr. inspector da tbezouraria das
rendas provinciaes om cumprimento do officio
do Exm. Presidente da Provincia de H do
corrente manda fa?er publico que segundo o
regulamento para as arrematacos e feituras das
obras publicas da provincia do 11 do Julh i do
presente anno sob as clausulas especiaes abai-
xo transcriptas se arremalara quem por
menos fi/er no dia 11 de setembro prximo
vindouro ao meio dia perante a mesma tbe-
zouraria al.*, e a 2. parte do 8.lancoda
estrada do Pao do Alho A primeira oicada
na quantia de 18;648$151 sendo 2:4328367
valor de 15 por4/ em beneficio do arrematante.
A segunda oreada na quantia de 20:4138669 ,
sendo 2 662$652 valor de 15 por /em bene-
ficia do arrematante.
E para que ebegue noticia de todos man-
dn o mesma illustrissimo senhor inspector
affixar o presente e publicar pela imprensa.
Secretaria da tbezouraria das rendas provin-
ciaes de Pernambuco 16 de Agosto de 1843.
O secretario l.uiz da Costa /'< rtocarreiro.
Clausulas especiaes da arremalaco.
1.a Os Irabalhos o obras desta porcao d es-
trada serao feitos pela forma e K>b as condic-
.oes e modo indicado nos orcamentos e as
plantas goraos e particulares perfis longitudi-
naese transversaes : a primeira parte polo pre-
co do 18:648^151 e a segunda pelo do
20:4138669.
2.* Em todos os pontos onde a estrada nova
coincide, ou encontra-secom o caminho ac-
tual Jovor o arrematante, durante todo o lem-
po das obras dirigii o servico de modo tal quo
baja sempre um transito fcil seja na estrada
nova soja no caminho actual n urna largura
lo vinte palmos.
3.1 O arrematante comecar as obras no pra-
so de dous mozos contados em conformidade
do artigo 10 do regulamento para as arremata-
rnos de 11 de Julho de 183
4.* As obras levero sor coucluidas no pra-
o do quinze me/es contados da mesma epucua
do que a precedente.
5.* Em quanto ao pagamento o importe
da arremalaco ser dividido om duas quautias
guaos urna para ser paga em qua'ro presta-
ces do modo e as epoidias dolor minadas no
arligo 15 do legulamento para arrematacos de
11 de Julho do 1843 o a outra lloara nms-
tiiuida dividada provincia \encondo os juros de
os por'/* no anno ate real emhidco ra for-
ma do artigo 2 "da lei provincial n. 115 do 8
do Maio do 1843 sendo devido tanto a juro ,
como o respectivo capital da data do termo do
recehimento provisorio cm quo falla o artigo 14
do regulamento de 11 de Julho do 1 S 3
6.* Para ludo o mais quo nao est determi-
nado pelas presentes clausulas seguir-se-a in-
teiramente o que dispe o regulamento para as
arrema tacos de 11 do Julho do 1843.
Repartico das obras publicas 12 de Agosto
do 1843.Oengenheiro em ebefe L. L.
Wauthier. Approvo. Palacio de Pernam-
buco 14dc Agosto de 1843.Bardo da Boa~
vista.
llcclaracofs.
GABINETE LITTi-.BAKIO.
O Vice-diroctor convoca urna rounio dos
senhores socios para o dia 23 do corrente pelas
X horas da tarde na ra do Livramento n. 27 ,
!.. andar a fim do se tratar da seguinte pro-
po>ta e pareceres :
Proposta.
Por emenda a proposta do Sr. Costa propo-
nho na conformidade do artigo 35 dos oslados
a reforma total delles a fim de quo a vista do
nenbum adiantamento qne tem, o gabinete
2 annos pua c sejo olferecidos os livros e
mais utencilio* do mesmo gabinete para prin-
cipio da bibliotheca publica provincial com %


condicao de n5o poderem ser alienados e do
Ocurem os socios gozando das mesmas regalas,
que tem pelo artigo 23 dos estatutos cessando
qualquer contribuicuo d^de ja por passarem
odas as despena a ser follas por conta das ren-
cas provtnciaes logo que sejaacccita a olerta.
Madureira,
Pareceres.
Convenho no parecer do Sr. Dr. Maduris
com a restriccaodesorem offerecidos os livros ,
maisutenciliosdogahinoto ao governo para
a bibliotheca publica sern condieao alguma.
f>r Figuertlo.
Convenho no parecer do Sr. Dr. Madureira
sem as restricces do Sr. Dr. Figuerdo.
Cnmargo.
Convenho no cfTerccimento com a unir de-
claracao de cessar a contribuicao dos socios.
Mello.
E*pera o mesmo Vice-director. que os se-
nhorcs socios comparecao para decidirem do
proposta cima e pareceres.
Jos Bernardo GalvSo Alcanforado ,
Vice-director.
D'ordom do Illm. Sr. inspector do arsenal
cavaco contina em os seus trabalhos no dia 18
lo correte pola manha e que a areia que es-
cavar ser franca, como dantos, as pessoas que
a mandarem reccber. Secretaria da inspeccodo
arsenal de marinha de Pernambuco 16 de agos-
to de 18 3. Alexandre Rodrigues dos Ari-
jos Secretario.
manha, noarmazem que foi do 5>. Stewart,
na ra da Cruz.
Avisos diversos.
e^TGiuseppe Marinangeli, a I-
verte aos Senhores que possuem
bilhetes para o Concert de mosto
vocal, e instrumental, que lar-,
se- no salao da Sociedade Jpatli-
nea sahbado iq do correte niez
que elle principiar impreterivel-
mente s 8 horas em ponto.
sociedade PHILO-DRAM MICA.
O
ANNUNCIO.
A necessidade da Religiao naos para a vida
terna se nao para a temporal e para a paz,
e ventura das sociedades j i nao carece de de-
monstradlo. Nao he com as indicifraveis quos-
toes da Poltica que se folicitao os povos ; po-
rm si;n empregando todos os meios de os tor-
nar industriosos e morigerados, e conseguin-
trnente milito convtn derramar a instruecn
dos principios da Sciencia K-conomica, esobre
tudo do Elemento Religioso. Km quanto poe-
oulros tem talvez de dar-se primeira trela .
nos ja porconviicao j pelo nosso estado pre-
tendemo-nos oceunar da 2.1 publicando em
todos os Domingos do anno um peridico sol n
itulo O Catholico o qual sera distribui-
do no sabbado noite. Cada numero contera
primeiramenteem resumo o Mysterio, ou I-'es-
tividade que a Santa Igreja celebra naquolla
Dominga: ao depois appresentari ancdotas
Christs o das melhores doulrinus de .Moral .
tiradas dos Evangelhos.edas Epstolas dos San-
tos A postolos ebemassim tudo quanto possa
concorre para sustentar a F, e acorocoar a pie-
dade Clirista. Cromos, que taes i scriptos soriio
de grande utilidade ao povo mornunte iMo-
cidade de ambos os sexos : pelo que esperamos,
sejao bem acolbidos das escolas e rollegios v
de todos os pais de familias. Reccberenios cor
respondencias e communicados, una vez que
contenho doutrina ortodoxa e (ligan respeten
Religiao Santa de nossus maiores Subsorevo-
se para Catholico na praca da Independencia
leja de livros n 6 o 8 razo de 200 reis por
moz. Sahir lu' na primeira Dominga do pr-
ximo mez de setembro.
(OOTRORA NATALR.VSB.)
Primeiro secretario avisa aos Srs. socios,
fue os bilhetes pira a recita de m.inha,
principiao-se a distribuir hoje (18) do
meio da em diante ; e aquelles Srs., que tive-
rern a propor convidados para suas cadeiras o
ieverio farer hoje, para o que se reunir a com-
misso pelas seis horas e meia da larde.
Alug:i-se o segundo andar do sobrado n.
7o na ra do Rangel, com bons commodos pa-
ra pequea familia ; a tratar no primeiro an-
dar do mesmo.
~~0 Sr. F. que se Iheempenhou um ao-
no i menos de um mez com 2 oitavas quei-
ra por equidade annunciar o n. de sua loja ,
queselhedarosignal, e juntamente a hora
do cmpenbo que foi a noite pois o dono he
Offerece-qo urna mulher de boa conducta
para ser ama do casa do algum homem solteiro,
viuvo ou casado masdepotica familia ; quem
precisar dirija-s: a na do Caldeireiro n 6.
=Scguem para a Franca, com escalla por Lis-
boa o porlugiiez Francisco Eduardo Alvos Yi-
anna sua mulher, sua irmil, e duas creadas.
Aluga-so um soliradinho na ra da Praia
do l'agunles, defronte do sobrado do Sr. Mon-
donca; os pretendentesdiriiSo-se s Cinco Pon-
i tas paduria n. 63.
I'eixeira & Andrade provinem ao respoita-
vel publico que Augusto Ferreira Pinto doi-
sou de ser seu caixeiro desde hontem (17) a
por isso qae nao se responsabelizo por qualquer
tranzaocao que o dito rjotM fazer em seu no-
me d'essa dacta em vante.
A pessoa. que precisar de um boi bom pa-
ra crnica e um cavallo dirija-so a ra dos
Pires n. 30.
Precisa-se de um bom cozinheiro livre.
que queira ir para o Maranho, p.igando-se
bem ; quem estiver as circunstancias deenga-
jar-se dirija-se ao secundo andar da casa em
que mora o Dr. Alcanforado nj ra Nova.
A pessoa que no dia 14 do corrento no
convento do Carmo ao recolher da procisso a-
rhou urna carteira encarnada, e dentro della OS
ceis em sedulas, e tres meios bilhetes da lotera
que est prxima a correr queira ter a bon-
dade de annunciar ou dirigir-se k ra do Mun-
do Novo n. 17, (sendo que tenha consciencia).
=sA pessoa, quo annunciou querer com-
prar um Diccionario Magnum Legicon com
pobre escacha do cama adoentado, e julga-o
humano.
Quem annunciou querer um caixeh-o para Rio (, J/,neiro
loja de fazendas (no Diario de hontem), dirija- =Pfecwa-se
se ra das Cinco Pontas n. 23. Part, 1ue 1ut'
uso dirija-se a ra estreita do Ro/ario n. 10,
se
Traspassa-se urna hypotheca da quantia de
U68000 res fcita em urna morada do casas
terreas no bairro da Boa-vista ; a quom convier
dirija-se ra Direita venda n. 72.
Desencaminhou-se urna letra da quantia
de 198s000 reis saccada pelo Padre Ambro-
sio Rodrigues Machado e Silva sobro um indi-
viduo morador em Olinda de cujo nome. se
nao estcerto, vencivel (salvo erro) om 17 do
'orrente ; o por tanto para quo pessoa alguma
a negocie pr vine-se ao publico.
Quem annunciou ter para vender um Dic-
cionario Mai-num Lexicn dirjase ra do
ueimado botica n. 15.
loja do encadernador.
=Jos Antonio Alves Rastos embarca para
o Rio de Janeiro seu escravo de nome Estevao.
de um pequeo branco ou
ra servir de criado, que nao
tenha iniii o de idade do 12 a 16 annos ; na
ra da Aurora n. 58.
Um rapaz portuguez de 20 annos de ida-
de se oferece para ser caixeiro de algum en-
gcnbo o qual salte bem 1er escrever, e con-
tar; queindo seo prestimo sequizer utilisar ,
annuncie por esta folha para ser procurado.
Aooita-.se contento um caixeiro para
os alazores de ra, do um novo estabelleci-
merito; mas quer-se lilho de Portugal, me-
nor do 20 anuos, sahendo ler, e escrever, e
que afiance sua conducta: encaminhe-.se ao
aterro dos Afbgados, n.165, para o trato.
=)uein perdeu urna canoa de amarcllo, no-
a com 36 palmos de comprido e 3 palmos
......"" m. n i hu ou painu ni' cmiiiM um e o luimos
Quem annunciou precisar de um rapaz de do boca, dirija-se ao estalleiro de Joao Thomaz
6 a 20 annos de idade que tenha pratica de | Pereira que esta de posse da mesma, pois Iho
>a de fazendas, dirija-se ao beco Largo no Re- i entregue por um soldado da companhia de
'artfices, o qual so chama Antonio Jos do Sa-
ramento, e o mesmo espera ser gratificado gu-
r visos martimos.
Para o Havre ha de s.iliii
no dia 25 de agosto rorrente a
bem condecida barca francesa La
simir Delavigne por j (t o sen
carregamenlo pro'ni|ito, pordm an-
da recebe pawsdgeiros para o que
tem excellentes commodos ; a frac-
tar com os seus consignatarios \i
Lassene ck Companhia na ra d
Remalla Velha n. 13S
= Para o Havre sao no no dia 10 de Setem-
bro o litigue francez lley capito Jugo ; quem
quizer carregar n'este navio dirija-se ao con-
signatario Le Bretn Scbrarnin & C.
Para a ll.ihia sahir imprcteritclmente nes-
tes oilo dias o ligeiro hi.ite nacional Vivo; quem
no mesmo quizer carregar ou ir de passagem
dirija-se ra do Trapiche n. 32.
Para o Ass a barcaca ( oncecSo Flor do
Pauso ; quem quizer carregar, ou ir de passa-
gem dirija-se loja do Sr. Joo da Cu.nha Ma-
gulhaes.
i" n. 1.
Quem precisar de roupa lavada e engo-
mada com perfeicao ecommodo preco diri-
ja-se travessa da ra da Concordia n. 19.
Antonio Ferreira Braga avisa aos Ts. ,
que tem deixado pendores em seu poder, dajao
de os vir resgatar no praso de tres dias, do con-
Irario se vendern para pagamenlo da divida.
\ pessoa, que annunciou no Diario de 11
do correnle entender pe engenho de horta e
de tratar doentes procure na ra do Mondego
n. 147.
A pessoa que annunciou querer comprar
nina roda do moer mandioca dirijaSe estra-
da dos Remedios no sitio de Miguel Corroa de
Miranda, aonde achara tarnbem una prensa
Precisa-se (para um ongendo porto desta
i'idfldc) de um ferreiro, ao qual se d casn sul-
licienle para morar com fiimilia tenda pura
Irahalhar com todos os pertences, c se prcstAo
'oais algumas vantagens, que com a vista se di-
rn ; quem llie convier procure na ra do Mon
dego Cusa n. 147.
Doga-seao thesouroiro da lotera da ma-
triz da Roa-vista sendo aue saia premiado o
meio bilhete da lotera, que est correndo n
30l5 cujo bilhete loi perdido ou tirado, an-
da nao leudo assignatura nenbuma que o nao
pague senao ao seu legitimo dono Antonio Mar-
Leiloes.
Ocorretor Oliveira continuar o seu lei-
lao de moblia obras de ouro e prata e al-
linetes do peito que vender por baixos pre-
f.i- f,,;. ro.i..----------1~ ... ioi...,.,' a-,
,ues Favel.
Roga-se ao thesoureiro da lotera do Li-
vramento sendo que saiao premiados os meios
bilhetes n. 707 corn as assignaluras no verso de
Antonio Marques Paviel, e Manoel das Virgens
Ferreira ; e o outro nao so declara o numero
por nao se estar certo, s sim as assignaluras de
Antonio Marques Faviel e Padre Slvest o do
Jezus Ferreira L^nis nico signal que tem ,
e ambos da 2.' parte da l.4 nova lotera ; do os
nao pagarem senao aos seus legtimos donos as-
signados por terem sido perJidos ou lur-
tados.
0uem precisar de urna preta forra para
ama do casi de homem solteiro ou de pouca
familia, aqualentendc pcrfeitamenlode cozi-
nba, costura, e engomado; annuncie, oudi-
rija-sc ao palio do Carmo n. 22 das 9 s 10
horas da manha.
= Precisa-se de um caixeiro de idade de 13
a 14 annos, pouco irais ou menos para urna
.i--------i.
U rt-'l*c iro II. .i.
nero/an enle.
=r.licinlhoAntonioAIToncocomprou a Fran-
cisco Jos Gomes um moleque de nomo Mi-
guel de nacao Mucambque, para embarcar
para o Rio de Janeiro.
ss Precisa-se alugar urna ama de leite, pre-
feindo-se captiva ; assim como se compra um
moleque cozinheiro e que saiba tratar de ca-
vados ; na rua da Praia de Santa Rita n. 37 .
ou na praen da Boa-vista no segundo andar do
sobrad > n. 2.
= () abaixoassignado, procurador da cmara
municipal da cidadcd'Olinda avisa a todos os
foroiros da mesma cmara, que se acha promp
lo a recebor os foros vencidos, ludas as sextas fei-
ras das 10 horas da rn;inh al s duas da lar-
de na rua do Crespo loja n. 13. .'/ntonio
Vi/w.< re Mello.
Jos Joaquim Bolelho embarca para o Rio
de Janeiro o seo escravo de nome fos, de na-
do Angola.
Chiem livor para alugar um moleque pe-
queo que sirva para fa/er compras e recados,
dando-sc-lhe de comer ede vestir, conforme
o proco por que seajustar, dirija-se praca da
Independen ia n. 2.
Aluga-so o primeiro andar da casa da rua
da Cadeia Velha n. I por cima da venda do
Pilomba propriopara esc.-iplorio, ou bomoni
solteiro.
Na rua do passeio, loja de chapeos de sol.
ainda se continua a eobrir chapeos para homem.
e senhora econcerta-se com toda a prompti-
dao c brevidade, na mesma loja acha se venda
cobertores para cama.
Quem annunciou no Diario de hontem
precisar de um caixeiro corn pratica de loja de
fazendas dirija-se travessa das Cruzes n. 8.
Mothodo de tingir os cabellos e as suissas.
Lav5o-se os cabellos com agoa morna, c de-
pois csfrogfto-se benteum clara de ovo batida
afim de as desengordurar depois torna-seaj
lava-Ios com agoa morna e estando enxutos, |
molha-se urna escovinha ou pincel n agoa do
vidro mesmo fria e d-se nos cebellos at que]
fiquem bem molhados, tendo o cuidado de nao
deixar pingar na roupa e para evitar o nao
pintar o rosto unte-so o dilocom urna porcao
eje iiania. Ksiando bem enxutos esfrega-se o
' rosto oom orna toalha e sahe-se para a rua.
Esta agoa d-so urna ve/, por dia e mui pou-
cis vozes precisa de tres a qualro dias : adverte-
se que a lavagom com agoa, o clara de ovo bas-
ta s no primeiro da. liste inethodo o mais
simples, e o seu resultado o melhor quo tem
lapparecido: no fim do quairo me/.essen bom
dar outr.i applioduo. Vendo-ae no pateo do
Cidlegio loja de chapeos n 6, o na rua do Quei-
! mudo n 31, loja d ferragens.
sa Madaine Tliard tem a honra de parti-
cipar ao respeitavel publico o particularmente
a seus freguo/.es, que por causa dos concentos
que precisou a sua casa foi obrigada a sahir
della e que agora mora sempre na mesma
! rua nova porui quasi ilefionlo n 41, onde
morou o Sr. TI una/ de Aquino ; o sempre se
acha em sua casa Uin grande sortiiiicnto de cha-
p "os de senhora de seda muito ricos dos lti-
mos padrees, ede muito bom gosto ; sempre
tem o faz marrafas urescentos chinos ca-
bol eiras, o cabellos do todas as <|ualidades ;
llores para a Cobeca vestidos, &c. de.
O sr. Furopeu que tem em seu poder um
livro do Le-Roy a mais do 3 mozos quo se Ibe
deu para guardar, emeadurnado de novo ,
com o nome de seu dono, queira poi buma-
nii.ade annunciar sua morada, que Ihe serk
grato um Rrasileiro.
= Afforao-so perpetuamente, e por mdica
penco annual os terrenos que licao ao lado da
estrada nova desta para a Cidade de Olinda ,
que pertencem ao sitio Tacaruna com frentes
para a estada o fundo para o rio de Olinda ,
o para a mesma Tacaruna ; quem Iho convier a
edilicacao de boas propriedades oviveiros ,
dirija-so a tratar na rua da Guia n. 36.
Manoel do Amparo Caj com loja de al-
laiate na rua Nova n. 32, avi/a aosseus fre-
guezes em geralquoacaboucomoconcertodesua
lujo, por isso queso acha na mesma casa promp-
to para bem servir aquellas pessoas que do seu
prestimo se quiserem utilizar; assim como
tem fado todo completo para qualquer senhor
quo quizer sahir do sua casa prompto sem Iho
faltar nada ; tem calcadosde todas asqualida-
des tanto para homem como para senhora: "ou-
Irosim quo admittio om sua casa Serafim da
Silva Ramos, o qual so acha oncarregadode
qualquer negocio da casa sam que nisso baja
duvida alguma.
3= Roga-se a pessoa que nos mezes passados
comprou a casa n. 20 na rua do Cano, outr*o-
ra ruada Paz, queannuncie sua morada para
ser procurado e tratar-se negocio de impor-
tancia sobre a mesma casa ecaso nao exis-
la nesta praca roga se a pessoa que se acha
encarregado do rccebiinenlo de seus alugueis ,
ou aulonsado para qualquer trato sobro dita
casa annuncie para ser procurado.
ss OUcreco-se um rapaz brazileiro para en-
cinar primoiras ledras em algum engenho ou
villa o qual tem muito boa ledra o pratica ;
quem do seu prestimo se quiser utilizar an-
nnuncie.
=Aluga-seumoptimo escravo com sa habilida-
des seguintes : sabe cosinbur comprador ,
trata decavallns e hbil para lodo o mais ser-
neo e muito fiel e o seu senhor o affianca ;
assim mais urna escrava para o ser. ico de casa:
n'S praca da Boa-vista n 7.
O Sr. que tem annunciado nos Diarios da
-emana passuda precisar de um rapa/, para cria-
do sendo que amd precise annuncie sua mo-
rada para ser procurado, ou mesmo outra qual-
|uor pessoa une preciso.
- Perdeo-se desdo a rua da Cruz do bairro
do Recite al o Hospicio um allineite do peito
moza ico com um caihorrinbo do ourxV, oum
pir de brincos de ouro compridos, cada ob-
jerto em sua camua ; quem acharquorondo
restituir pode levar a rua da Cruz n. 9, que
se Ihe dar nielado do valer.
Km pdenlo sub-dilegado da freguezia de
Fr. Pedro doncaUes acba-so urna ataca de cu-
ro de filagram que loi lomada a um protoque
indava a vender; assim como forao tomados a
uolro preto duas pecas do algodosinho por sup-
por-se ser furl.ndas ; quem !or seus donos di-
rija-se ao mesmo para Iho terem entregues.
Aluga-seuma casa tortea com solo na
praca da Roa-vista cuja casa tem urna armocao
propria o muilo boa para urna taverna ; quem
a pertonder dirija-se a rua da Cruz em casa da
propietaria I). Joaquina Josefa Lopes viuva
do finado Jos Antonio Lopes: na travessa da
rua Relia n. 4. ; nesta mesma rasa se compra
um Diccionario Vagnum-Lexicon.
Domingos Moreira Dias comprou por conta
e ordein do Sr. Jos Joaquim Ramos Villar, do
Para dous meios bilhetes ns. 397 e 305 da
2.* parte a 1.* nova loteria a favor das obras
da igreja de N. S. do Livramonto desta cidade ,
os quaes ficao em poder doannunciante.
Domingos Alvos da Costa faz saber que
vendeo a sua venda da rua da Somalia velha n.
50 a Marcelino Jos GalvSo ; quem se julgar
seu credor dirija-so a rua da Senzalla nnv in-
da n. 1 para ser pago.


V H'W
~ No da 14 do correte na Igreja do Car-
olo na otcasioda sahida da procisso de N.
S. da Boa Morte um moleque arrebatou a
tim menino um bonet de fundo redondo de
veludo preto com encites de retro/, da mes-
ma cor pendentes a um lado ; roga-se a pessoa
a quem for offerecido para comprar baja de
o apprehendcr e annunciar por este Diario,
ou mandal-o a ra da Aurora rasa de Angelo
Francisco Carnciro que gratificar.
Acha-se no lugar do Barro Vermelho ,
freguesia dos A (logados na casa de Antonio
M irtins Vladorno urna mulata de nome Sirva-
na que vcio rom um escripto para quem a
quizesse comprar, e diz a dita escrava, que
sua icnhora se cbama Mara Jos-'1 Barhoza do
lugar da <'abona Freguesia do Pao d'Alho ,
e assim como tamhcm o dito Madornu declara ,
qup a dita escrava se acha em sua casa desde o
da (i do corrcnte e nao lira mais responsavel
pela mulata por qualquer fuga, quepossahaver.
= Na estamparia da viuva de Jos Uno Al
ves Coelhoconlinua-se a estampar resistos de
toilas os Sanetos e Sanctas que sao mais fes-
tejados na provincia cartas do silabas tras-
lados billetes de visita ditos de vinho do
Porto, tarjas de botica e toda e qlalqwr
obra de estampa! a ; na ra cstreita do Rozario
n. 12.
= Prccisa-e do urna ama de leite; no prin-
cipio da ra do llortasn. 9, primeiro andar
Uina pessoa de urhanidade se oTerece para
por em di i|ii.il.'ier transaran de escripia co
piaees. jfc. e continuar a fa-el-o diariamente;
quem precisar do seu prestmo annuncie.
Compras.
= Compra-se urna canoa decarreira ain-
da que saja bastante usada ; quem tiver an-
nuncie.
Compra-se um moleque de 18 a 20 an-
nos de nafta e com alguna principios do
co'iuba ; na ra daCrua n. 26.
Comura-se una morada de casa terrea
no b'airro de S. Antonio que teuha bonscotn-
modos semlo as ras das Cru/es Laran-
ge i ras, Hurlas. Agoas verdes, Direita, S.
Tliereza palios do (armo, S. Pedro e do Hos-
pital do Paraso, que nao exceda a 2:000$ rs. :
quem livor annuncie.
< c.inpra so um ponleiro e miro de lei ,
sem feilio ; na Gamboa do Camin lo.
tlompra-so urna vacca tourina ; na ra
estreita do notario n 17.
Compra-se urna t'poia nova ou ja ser-
vida em linin uso; no atierro da Boa-vista n. 06.
Comprante um tapete grande que sir-
va para nina capella, e queeslcja em hom uso;
um ornamento para di/er inissa ; alguns cas-
ticaes para um altar ; urna cadeira 'c bulanco,
tudo em segunda mo ; defron'e da Matriz da
Boa-vista n. 86 primeiro andar.
Venda.
Vende-seum par de adragonas para ea-
pito de i n Cantar a e nina rica banda do ma-
lla ingleza ; nalojadoSr. M. G. Viegas na
ra do Crespo esquina da ra das Cruzes.
"*** Vendem-se corles de colletes desetim de
cores bons e novos ditos de cassa chita de
muito lindos padres, mantas de seda para se-
nhoraehomem, eesguies muito finos par;,
camisa ; na ra do Oueimado loja de Gui-
lherme Sette, n. 28.
Vende-se sabonete para barba a 60 rs. ,
pecas de cordo para vestido a 20 rs. caixi-
nbas de colxetes a 80 rs e a duzia a 800 rs. ,
suspensorios a 240. caixinhas de agulhas fran-
cezas a 320 pares de luvas de pellica a 320 e
a du/.ia a 3000 caixas do fsforos a 40 rs. c
dilosde vi'llus a 60 rs e ou ras muitas cousas
baratas ,. rom amostras francas a os comprado-
res ; na ra do Livramento n. 10.
Vende:n-se novas cassas pintadas de lin-
dissimos padres e tintas firmes nu rna do a-
bug loja de fa/endas n. 10.
\ endem-se 4 escravos de naco de 18
annos; um casal de escravos sendo a negra
ptima lavadeira ; um estrato de 28 annos ,
bom canoeiro urna escrava por 180,000; urna
dita por 3808 rs. ; urna dita de 20 annos, co-
zinha eengomma ; urna dita boa quitandeira
por 280$ rs. ; na ra de Agoas verdes n. 46.
Vendern-se travs de camacari de 38 pal-
mos de coinprimento ; na serrara por traz de
S. Bita nova n. 21.
___\enden.-se 4escravascom boas habili-
dades, una dcllas lie boa engominn Cira e co-
zinheira duas mulatas nina dolas lem 30
annos, be perfeita cozinheira engoimnadii
ra e boa para lomar cunta oe urna casa ; dous
moloques de 12 annos bons para prenderen!
oficio ; na ra le Agoas verdes n. 44.
\\. ".ir. 1 l'r|-n.|-, nm P,rnnin|iii_
Na ra da Cadeia do bnirro de S Anto-
nio existe das 9 at as 3 horas da tarde urna
porco de quartos muito aovog, proprios para
servico de en gen lio os quaes se vendom por
preco commodo ; quem os pretender dirija se
a mesma ra ou a ra do Queimado oja
de ferragens n. 10.
Yendo se um pAocom 30 palmos de cm-
pralo e dous e meo de largo em quadro 14
remos de governar jangadas ou canoas anda
por a perfcieoar 8 pedacos de costado de 8 a
10 palmos do comprido de sucucarana urna
caixa com ferramenta perlencentea marcneiro;
na ra de S. Amaro n 20 de manha at as
9 horas, e das duas da tarde em dante.
\ ende-se panno de algodo da trra em
grandes e pequeas porcSes a 230 a vara: na
ra do Graspo loja o. 23 de Manuel Jos de
Sonsa & Gompanhia.
Vende-se um relngio de ouro patente ,
rom sinetes de ouro um a I fin ele de ouro com
cordo uno e um boto pegado com um rico
brilhante tudo se vende por preco commodo :
no patio do Hospital do Paraso n. 8, segundo
andar. #
Vende-se urna negra lavadeira, boa ven-
dedeira cozinha faz pao-de-l; e um ne-
gro trabalhador de enchada, por preco commo-
do ; na ra de Agoas verdes n. 70.
Vende-se una caixa propria para jogo
d voltarete com todos os perteneps ; no Tra-
niche novo a traitarcom Domingos Gui maraes.
= Vendem-se duas escravas e um negro
de Angola, bastante forte, proprio para en-
genho ; na ra estreita do Bozario n. 10, ter-
ceiro andar ; das 6 as 10 horas da manhaa e
das 3 as 6 da tarde
= Vende-se um negro de nar;o bom re-
finador de assucar e carniceiro. de 30 annos.
o he muito liel ; na ra doChieimado n 29.
= Vendem-se chapeos francezes da ultima
moda a 6400, 6800 e 7000 rs. bretanhas
de rulo largas e estrellas com 10 varas por
2000 rs. ; na ra do Queimado n. 11 loja
do \ ianna.
=r \ ende-se urna lancha de 12 remos, pro-
prio para qualquer barca ou brigue por ser
de boa conslruco com o fundo de amarello ,
roda quilha cariaste e chamasseiras de si-
tupira novo urna ancora do ferro com sopo
de pan de 1 i a 16 quintaos ja experimenta
do ; em Fora de Portas ra do Pilar n. 137.
Vende-se um escravo moco cozinici-
ro e de todo o servido ; 2 moloques do 12 a 14
annos, proprios para officios ou pageos ; urna
escrava de 22 annos lavadeira. quitandeira.
o cozinheira ; um escravo moco do servico de
campo bom pagem e sabe tratar de cavallos ;
e una mulatinha de 12 annos ; na ra do Fu-
go ao p- do Bodrio n. 8.
Vendem-se talheres finos a 3200 a duzia
e de cabo preto a 3600 linha de carretel de
ns. 1 a 100 a 360 a duzia colxetes a 800 rs
e a caixa a 80 rs. papel de peso a 2600 a res-
ma dito muito bom a 3200, e al maco a 2300.
dito muito bom em meias resmas transrlimde
burracha a 160 pomada franceza a 120, 160,
e 200 rs. o pao thcsourinbas douradas a 480,
')0, e 280 ditas lisas a 180 agoa de flor
de laranja a 700 rs. o frasco luvas de algodo
para homcm a 320 meias de laia para hornero
a 800 rs o par agoa de colonia em frascos
grandes e pequeos saboneles de amendoas
com caixa de louca a 800, e oulros a 60 e 200
rs. suspensorios de burracha a 320 o par,
pratinbos lapidados para doces e outrasmuitas
miudezas baratas a contento dos pretendentcs ;
na loja do barateiro na pracinha do Livramen-
to n. 83.
= Vende-se excellente farinha de trigo de
SSF para bolaxa e por preco commodo em
relacao a qualidade ; no armazcm de Joaquim
Lopes de Almeida atraz do theatro.
No deposito de assucar refinado, esta-
belecido junto ao arco de S. Antonio, em fren-
te do caes do Collegio ha para vender assucar
retinado segundo o novo systcma de fabrica-
cao pelo qual se extrae a potassa c cal, dei-
xando-sc-u do seu estado de pureza ; sendo o
preco da libra do de primeira surte o em pes
160 rs. eo de segunda e terceira era p,
a 120, rs.
Vendem-se espadas prateadas proprias
para uficiaes da guarda nacional ; na rus No-
va loja de ferragens n 16.
- Vende-se urna fechaduia patente propria
para porta de loja ou oulro qualquer estabe-
lecimcnto ; na ra Nova loja de ferragens
n. 16.
Vende-se rap de Lisboa muito fresco ,
por ter vindo no ultimo navio; na ra Nova
nv6.
- 4 ende-se o litro de Branca ("apello, no-
vella Venesiana e urna porra- do fumo para
charutos por preco commodo ; na ra estreita
do Bozario loja do cer.i n. 3.
Ycnde-se urna mulata de 28 annos eo-
...lia hom Mminmia rose, fa/remln inni-
Independencia loja ns. 6 e 8 a fallar com o cai-
xeiro da mesma.
\k= Vende-se rap aroia preta em libras ea
retalho. dito da fabrica de Gase chegado do
Bio de Janairo ch isson de primeira sorte ,
ricoslencos de seda para algiboira um com-
pleto sortimento de calcado Trance e da trra
para homem e senhora pelles de lustro com o
titulo de caxorro do mar mui uteis para os
padecentes de callos por ser muito macio e
ao mesmo tempo de bastante dura bezerro de
lustro, pellas de marroquim de todas as cores,
bicos e rendas de linho largas e estreitas pen-
tcs de tartaruga para marrafa bengalas de
gancho envernisadas do amarello a 800 rs. e
um completo sortimenio de miudezas e perfu
marias, tudo mais barato que em outra qual-
quer parte ; na loja nova no principio da ra
Direita confronte a torre de N. S. do Livra-
mento n. 2 ; na mesma loja compra-se um
caixo envidracado proprio para audar na ra
vendendo miudezas e calcado.
Vende-se um Diccionario Magnum Le-
xicn por 8000 rs. ; na ra Imperial n. 188.
Vende-se urna marqueza de condur ,
6 cadeiras de Jacaranda e um bahu com seus
ps, tudo anda novo; na ra de Hortas n. 36.
Vende-se urna ne.racrioula de 20 an
nos, de bonita figura ; na ra da Senzala ve-
Iba n. 134.
Vende-se um preto bastante robusto ,
e perito padeiro, o motivo da venda he por
seudono retirar-se da provincia: na ra da
l'raia armazem de Jos Hgino de Miranda.
= Vende-se metade de urna casa de com-
modo preco ; quera pretender annuncie.
= Vendem-se duas escravas de Angola, 1
negro, proprio para engenho ; na ra estreita
lo lio/ario n. 10 terceiro andar.
za Vendem-se pelles depennas encarnadas,
na ra do Encantamento armazem n. 11
= Vende-se um negro de meia idade pro-
uno para engenho ou sitio he bom traba-
jador de enchada vende-se por so ter rece-
ido em pagamento : no atierro da Boa-vista
n. 3, segundo andar.
= Vende-se urna armacao de loja de fazen-
das com ditas, ou sem ellas, propria para
qunlquerestabelecimcnlo por ser em bom lugar
e por preco commodo ; na ra Direita n. 80.
= Vende-se um sitio no nafeonte e duas
legoas distante da \ illa de Na/aretb a mar
aem do rio Tracunhaem denominado olho
I' >goa com muito boas trras que pode-se
'il'-ular em 600 bracas em quadro; a tra-
tar com o seu proprietario Jos Ignacio Perei-
ra Torres morador no engenho Pupic da mes-
ma comarca.
= Vendem-se saccas com arroz pilado da
trra a 9000. ditas com de casca a 2860 caf
da trra a 120 a libra dito do Bio a 4100 a
arroba assim como todos os mais gneros por
preco commodo ; na praca da Boa-vista ven
da n. 18
= Vendem-se ricas bandas de borlas de ca
nutilho de ouro para ofciaes de primeira linha.
e de guarda nacional, o adragonas muito ricas
o modernas chegadas agora da Gorte para
eapito tenente c aleres de cavallaria da
guarda nacional, segundo o novo figurino mo-
derno que se apresenlara, um chapeo arma-
do apresilhado de ouro um llrete moderno ,
e urna rica espada tudo do melhor gosto pos-
sivel ; na praca da Independencia loja ns.
38 e 40.
= Vendem-se queijos londriuos presn-
tos para fiambre conservas mostarda fru-
tas para pastis calcado vinho de Champa-
nhe superior; no armazem de Jota Carrol I <&
Filho.
% = Vende-se os seguintes livros por preco
commodo ; Au anda e Osear. Evaristo e Theo-
dora Conde dcToloza Cecilia ou o poder e
os encantos da harmona Carlota de Franche-
ville Bomalino ou os misterios docastelo de
monte Bosso Fermidoro eZelinda ou o cava-
Iheiro da morte Tristes narraces deum so-
litario, Algcmede Santarem Bui Braz, Ca-
ptivo do Fez Alexiua ou a torre velha do Cas
telo de Holdcim ; na ra da Praia n 39.
Vende-se um sitio na Magdalena com
boa casa de vi venda de pudra e cal, duas gran
oes baixas plantadas de c.>pim diversas arvo-
res de Iruto por preco commodo e mesmo a
praso com boas firmas; a tractar na ra da
Praia n. 88 com Joaquim Celestino Gonealves.
= Vendem-se esleirs finas da India para
forrar salas, cha isson a 22V0 ; na ra da Ca-
deia velha n. 31.
= Vende-se um moleque de nacao Ango
la de 18 annos, cozinha bem ; e urna es-
crava de nacao Cabinda de 20 annos, en-
gomma cose e cozinha ; na ra Direita n. 3.
-= Vende-se azeite de carrapato a quatro
patacas e meia a caada ; na ra da Praia, ar-
mazem n 70.
=s Vende-se rap areia preta da Babia em
''fS? Hiln nr!nrP7 dito rolan hamiinrmioT
de alisar e tirar piolho ricas thesouras finas,
ltimamente chegadas para cortar vestidos, ca-
ivetes para pennas botoesdourados para ca-
sacas e colletes, ditos com o letreiro de Pedro
segundo, ditos de massa de novos padres,
ditos de duraque dos que esto na moda, bichas
pretas ltimamente chegadas a 200 rs. as meians
e as pequeas a 120 ; na praca da Independen
cia n. 39.
= Vende-se um sitio na Varzea em chaos
proprios, casadetaipa com duas grandes sa-
las 5 quartos um delles com partilheirua
para louca estribara fruteras de todas as
qualidades tirao-se 10 a 12 cargas de laranjas
e 6 arrobas de caf por col hela baixa para ca-
pim varios ps de flores, perto do i.anho da
pedra no rio Capibaribe e linda vista para a
estrada publica por ser em lug;.r alto, ou
permuta-se por urna casa nesta Cidade ; na ra
de Agoas verdes n. 36.'
=b Vende-se potassa da Bussia, superior
por preco commodo ; na ra do Trapiche o,
17, armazem de Teixeira Basto.
= Vende-se polaca de todas as qualidades ;
na loja de cambio na ra da Cadeia do Becile
n. 34.
as Vendem-se pecas de chitas encarnadas
com flores amarellas a 7600 e o covado a 200
rs. ditas de cassa para cortinados com 8 varas
e meia a 1600 ditas de bretanha com 6 varas
a 1280, cassas de quadro e de listras a 160 o
covado chitas com flores ds bonitos padrn a
200 rs. ppcis de bretanha com 18 varas a
2400 fustoes brancos e pintados a 400 rs. o
covado, cortes de veiudo lavrado a 1600, gar-
ca de seda com a!gum mofo a 200 rs. o covado,
lencos de garca lisos a 2i0 chitas para cober-
ti de assento escuro a 140 c 160, chapeos de
seda para meninos a 320, ditos de paninho
com avaria a 640 chales de chita a 480. ditos
de cassa a 320 per,as de paninho lino com 17
varas a 8000 e a vara a 320 corles de ves-
tido de cassa pintada a 200 chales de metim
muito grandes a 1120 brim trancado branco
de linho a 640 a vara, panno fino verde a 3000
dito azul a 2800 e 3400 e outras muitas fa/.en-
das por preco commodo ; na loja de fazendas
ao p do arco da Conceicao.
co a 200 rs. a libra; na ruad* Ilaiqjel o. 52. to boa para o servico de urna case; na praca da jeba isson de primeira serta pentes de uarQm
Escravos fugirlos.
No dia primeiro de Julho da Villa de S*
Miguel da provincia das Alagoas fugio um mu-
lato de nome Virginio alto, o corpolento ?
bpm parecido p s grandes cabellos pegados
boa dentadura falla mansa pouca barba o
representa ter de idade 22 a 23 annos, sem
rlefleito ou signal algum visivel; levou comsi-
go uniforme branco dito de algodo trancado
a ul contras roupas, bem como chapeo bran-
co de bata fina ; ou bonet de panno fino com
gnmos de casimira, os apprehendedores poden
leval-o naquella Villa a Jos da Bocha Wan-
derley e nesta cidade a Antonio l'ias da Sil-
va Cardial, na ra da Praia que serio gra-
tificado.
= Fugio no dia 10 docorrente urna negra
de nome Rita de nacoAangola de 28 an-
nos alta, tem unstalbos na testa, signaesde
sua naco tem cravos as solas dos ps por
isso nao os assenta bem quando anda, levou
vestido amarello ja desbotado e panno da cos-
ta novo ; quem a pegar leve a ra Nova loja
de ferragens n. 16 que ser gratificado.
No dia 14 do correnle fugio do sitio do
Lean o preto Thomaz do naco Mocambique,
cor fula baixo olhos grandes, cheio do cor-
po, representa 28 annos, tem na ponta de
um dedo da mao urna cicatriz levou camisa ja
velha e ceroulas novas de brim com as le-
tras seguintes no coz M-\ T. ; quem o pegar
leve ao mesmo sitio que ser gratificado.
No dia 13 do corrente desappareceo do
engenho Conceicao em Bebiribe um casal do
escravos Andr de naco Mengela baixo,
pernas um tanto enchadas representa 60 an-
nos corcunda sem dentes na Irente, falla
bem explicada levou vestido camisa e cerou-
las de algodozinho e mais urna trouxa de
roupa; Maria de naco Rebolo alta bastan-
te de 38 annos bem preta cheia do cor-
po, rara redunda, ps grossos e bastantes gran-
des peitos escorridos falta bem explicada,
levou saia de estopa e camisa de algodozi -
ribo nova consta que tomarn a estradada do
Honito para a fazenda das Pelladas ; quem os
pegar leve ao dito engenho ou na ra da Ma -
triz da Boa-vista n. 26 segundo andar que
ser recompensado.
-a Ainda continua a estar fgida a escrava
Joanna de naco Angola cor fulla que foi
do eapito Nicolao Tolentino de Vascom ellos
da Parahiba do Norte e outr'ora do Majnr
Paiva da mesma provincia cujn signal tem
visivel he ter ella um dedo do p alejado; quem
a pegar leve a ra Direita n. Ul, sej.undu an-
dar que sera gratificado.
Usan: na Tvr. i>i M. F. db Fau.=M3.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4UETLQAM_VUWVO8 INGEST_TIME 2013-04-13T03:34:59Z PACKAGE AA00011611_05030
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES