Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:05017


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1843.
Terca Feira 1.
1
Todo agora depende de nos mesmos; da nnssa prudencia, moderando, enerria: con-
linuemos como principiamos, e seremos aponlados com admirago entre as Naooes mais
( Proclamagao da Aasembleia Geral do Bausu.)
cultas.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goiann, o Parahyba, segundas e sextas fbir. B-io Grande do Norte, quintas fciras
Bonito e Garanhuns, a 1 e 24.
Cabo, Sarinh.iein, Rio Formoso, Porto Cairo, Macei, e Ala;oat'no Io, M e 21
Uoa-Tsta flores a l3 e 2$. Sanio Anuo quintas feiras Olinda iodos o diaa
das da semana.
ii Seg. s. Ignacio de Lojola Fundador. Aud. do J. de D. da 2. .
i Terg. *. Pedro Arlvincula Hel. Ad. do J. de D. da 3. t.
2 Quart. N Sra. dwAnjos Aud. do J. de I), da 1. y.
3 Qoint. f.Hermillo M And. do J. de I), da 3. t.
4 Sex. i. Aristarco B. M Aud. do J. de D. da 2. t.
5 Sab. N Sra. das Neves. Re. Aud do J. de D. da t.
6 Don. ransfiguragao de Gbrtslo.
de Agosto
Anno XX. N. 164,
O Diu'.to publica-ae lodos os dias que no forem Santificados: o preoo da aesignatara b
!f p. de trae mil reis por quartel pagos adiantados_ Os annuncios dos asignantes sao inserido
>., gratis eos dos que .io forem i raa.'m de SO reis por linha. As reclamagoes derem ser diri-
gida ala Tip., ra das Crutes N. 34, ou apraca da Independencia loja de lirros N. 6eS.
cambios.No da 31 .U.lrrllrr. eoaspra venda.
Cambio obra Londres Jo.
Pars 3. li reis por franco,
Liaba 110 porlUOdepresaio.
Mueda d cobre 2 por cenlo.
Idea de letras da boas firma 1 J a |.
de Julho.
OuBo-Moada da 0,400 V.
N.
d. 4,000
PiaTa-Patacoas
Petos (.oiurnnarts
n ditos Mexicano
eoaapr
16,800
16,600
9, 00
l,!f?0
i,yo
1,920
i7,ooa
16,800
9,400
1,940
i,vut
1,94a
PHASES DA LLANO MEZ DE AGOSTO.
La Cbeia 10, as 2 horas e -o aa. da m. I La ora 2U) ios 16 minutos da tarde.
Quart. aiing. 4 18, as 4 hora 20 >. da m. | l^uart. or0f a 2, s 9 horas e 7 aa. da larda
1. a 9 horas 1S a. da manh.a.
Preamar de hoje.
| 2. a 9 hora 42 aa. da urda.

^^|ff J
ERRATA.
No Diario N. 163 'pag. 3. col. 2. Iinhas 16
organisaedola-searguiedo.
: II -------------------------------- -rPlr^r|

MINISTERIO DA JUSTICA.
jResolucdo autorisando o governo para mandar
vir da Italia Missionarios Capuchinhos, dis-
tribui-los pelas provincias em missoes, etc.
Hei porbem sanecionar c mandar que se esc-
olte a resolucao seguinte da assemblea geral le-
gislativa.
Art. 1. O governo tica autorisado a aser
as despesas necessarias para mandar vir da Ita-
lia Missionarios Capuchinhos, que distribuir
pelas provincias onde as missoes poderem ser
de maior proveito tendo o seu centro nesta
corte.
Art. 2." Fica igualmente autorisado para l-
ser correr 6 loteras, segundo o plano das con-
cedidas Sancta casa da Misericordia desta cor-
te, cujo,producto ser applicado:
1. A acquisica ou edifleaco do predios,
que sirva5de hospicio aos ditos missionarios,
quando nao haja edificios pblicos ou conven-
tos que possao ter essa applicacao.
2. As despesas que possao ser necessarias
nesses predios, ou igrejas e capellas respecti-
vas.
3. A qualquer desposa extraordinaria, que
eeja indispensavel lser com as sobreditas mis-
soes.
Art. 3. FicSo revogadas quaesquer disposi-
ces em contraro.
Honorio Hermeto Carneiro Leao, conselheiro
de estado, ministro e secretario de estado dos
negocios da justica, o tenha assim entendido e
faca executar. Palacio do Rio de Janeiro em
21 de junho de 1843, vigsimo segundo da in-
dependencia e do imperio.Com a rubrica de
S. M. o Imperador.Honorio Hermeto Carnei-
ro leo.
clarou cmara, na sessSo de 10 de julho, que,
a oxemplo da alta generosidade de S. M. o Im-
perador cedia a quarta parte do seu subsidio ,
nos mesmos termos em que S. M.OSr. Fran-
cisco de Souza Martins, deputado pelo Cear ,
fez igual declarado.
Na sessao de 7 de julho o Sr. Feij dirigi ao
secretario do senado o seguinte olicio :
Illm. eExm. Sr. Rogo a V. Ex. queira
fazer ao senado a seguinte cxposicSo e dar-me
a resposta do resultado d'ella.
Ha mais de um anno que fui preso, deporta-
do e degradado, e vollando do degredo a esta ,
estava certo de ser quanto antes decidida a
minha sorte ; porm sao passados mais de seis
mezes o nada se decidi ao mesmo tempo que
minha saude tem-se deterioradoexcossivamente,
DIVERSAS NOTICIAS.
RIO DE JANEIRO.
PARLAMENTO.
O Senado approvou segunda feira, (26 de
junho) em ultima discussao, o parecer da com -
missao sobre a convenco de 22 de julho de
1842, celebrada entre os plenipotenciarios do
imperio, e do reino de Portugal.
Na Cmara dos Deputados, passou na ses-
sao de 26 de junho por 41 votos contra 32,
o artigo 1. das emendas da commissao que
substitue no ornamento da receita o actual im-
posto de ancoragem por urna taxa de 38000 rs.
por tonelada paga metade na entrada e me-
tade na sabida do porto por todos os navios de
commercio de longo curso.
N. B. Esta votacao tem sido geralmente mal
recebida e tantos sao os inconvenientes que se
apontSo que esperamos que a cmara repara-
r anda esta sua decisao, modiicando-a ao me-
nos. Assim como est decretada, vale tal medida
ao fecharem-se os portos do Brasil marinha
mercante estrangeira que quem exporta os
productos de nossa lavoura.
Foro tambem approvadas mais duas emen-
das apresentada urna pelos Srs. Viana Car-
neiro de Campos e Souza e Mello ; e outra pelo
Sr. Fonseca.
O artigo -2. da proposta passou tal qual; bem
como o artigo 3., com a emenda dos Srs. Via-
na e Manocl Felizardo.
No artigo 4. fez-so a suppressao dos mnibus
e carros de enterro de duas rodas; sendo adop-
tada a emenda dos Srs. Viona e Manoel Felizar-
do e a do Sr. Henriques de Rezonde.
A cmara dos Srs. Deputados rejeitou o
art. 8."da receita que marca a pena de nulli-
dade contra os contractos, cujos ttulos nao fo-
rem sellados.
Tomou boje (10 de julho) assento depois
de prestar juramento o Sr. Paulino Jos So-
ares de Souza.
O Sr. Felis Peixoto de Brito e Mello, de-
e estando j bem prxima a morte, quesera ne-
vitavel se contino a residir n'este clima que
me foi sempre fatal, ainda quando minha saude
era robusta; o que tudo posso provar, querendo
o senado.
Nao podendo querer o senado outra cousa que
nao soja o desempenbo da justica, rogo instan-
temente decida-se a minha sorte quanto antes -,
certo de que qualquer demora, continuando eu
n esta, a minha sentenca de morte e quan-
do se entenda ser indispensavel a demora para
(er logar essa decisao, n'esse caso rogo ao sena-
do so me faculte licenca para retirar-me para
minha casa, porque se me assegura entao o meu
melboramento [cando o senado certo que ,
quando for necessario o meu comparecimento,
immediatamente voltaroi, embora minha saude
esteja entSo como boje. Da justica e sabedo-
ria do senado espero a decisao do meu destino e
da minha saude.
Dos guarde a V. Exc. muitos annos.Cor-
te 6 de julho de 1843. De V. Exc. Dio-
go Antonio Feij.
Sendo remettido s commisses a que se acha
affecto o respectivo processo dero ellas o se-
guinte parecer:
As commisses reunidas de constituicao e
logislaco, julaando attendiveis as razoes ex-
pendidas no olicio que a esta cmara dirigi o
Sr. Senador Diogo Antonio Feij, em datado
6 do presente mez sao de parecer que se con-
ceda ao mesmo Sr. Senador a licenca que pede.
Paco do Senado, 8 de julho de 1843. C. M.
Lopes Gama. Visconde de S. Leopoldo.
Vasconcelos. J. Clemente Pereira. P. J.
de Almeida e Silva. Visconde de Olinda.
Este parecer foi approvado hontom (13 de
julho) em 1.* discussao.






















1:001, 1:500* 18500
1:601* 2:0008 28000
2:0018 2:5008 18500
2:5018 3:0008 3*000
3:0018 4:000S 48000
4:0018 5:0008 5*000
5:0018 6:0008 68000
6:0018 7:0008 78000
7:0018 8:0008 88000
VOTAgAO DOS IMPOSTOS.
Volaro-se em fim hontem,(6deJulho) na
cmara dos deputados, os impostos. Aqui tem os
eleitores o resultado d'essa votacao, que foi no-
minal em quanto a alguns, e a taxa dos peridi-
cos ; esta ahi a damos tambem em seguimen-
to :
Art. 7. O imposto do sello ser d'ora em
diante de duas especies um proporcional eou-
tro fixo.
1. Aoprimeiro ficarao subjeitos todos os
papis de contractos do emprestimos de di-
nhoiro bem como Jottras de cambio e da tr-
ra crditos escripturas ou papis do venda ,
de hypotheca ( para a qual fica creado registo
especial nos logares e pelo modo que o go-
verno estabeleccr em regulamento ) doac-
co deposito, ou de qualquer modo do trans-
ferir a propriedade ou o usofructo ; os formaes
de partilhas ou certidoes dos quinbes de her-
deirosou legatarios os despachos da alfande-
ga o mesas do consulado afretamentos ar-
renoamento de propriedades de raiz as apo-
lices do seguro e das companhias anonvmas-
O sello proporcional ser regulado e cobra-
do pela meneira segninto
8-001810-000g 108000
10:O01S12:00O8 128000
12:001814:0008 148000
14:001816:000S 16S000
16:001818:0008 188000
as transaeces de valores superiores ao ulti-
mo da tabella, cobrar-se-a mais mil reis por
cont de reis que accrescer. Nao se cobrar
porm este imposto pelas escripturas actual-
mente subjeitas ao pagamento da sisa dos bens
do ra/.
2.0 imposto fixo que actualmente se
arrecada comprehender tambem os processos
que correrem pranteos juizes de paz.subdelega-
dose delegados, os conhecimentos das mercadu-
ras importadas pagando-se o sello por volu-
me ; todos os livros dos escrivSes e tabcllies
de qualquer juizo os documentos de qualquer
especie, os jornacs e quaesquer publicaces
peridicas ( oxeepeo dos que frem publica-
dos pelo Instituto Histrico, Academia do Me-
dicina o outras sociedades scientilinas que
ficao isentos d'este imposto ) e em geral to-
dos os ttulos ou papis que possao ter fem
juizo ou as reparticoes civis.
A quota d'este imposto sobre jornaes ser 5
rs. em cada folha de qualquer tamanho e so-
bre os rnais ohjectos de 80 a 300 rs. por nteia
folha segundo a tabella que fr lormada polo
governo.
O imposto do sello sobre ttulos de nomea-
cao expedidos pelo governo por seus dele-
gados ou ibunaes ser de 1 por "fu do valor
do ordenado ou da lotaco do oficio e ex-
tensiva aos diplomas dos deputados e sena-
dores.
Sao alliviados do imposto do sello os ttulos
de todos os empregados pblicos que nao ven-
cer ordenado pago pela fazenda publica.
N. B. A emenda do Sr. Pacheco sobre o sel-
lo dos diplomas dos deputados e senadores que
forem presidentes cheles de polica das pro-
vincias tifio tendo n'ellas domicilio anterior,
nao pode ser submettida votacao por nao ba-
ver casa.
TAXA DOS 5 RS. I
Ausentes. 14.
Os Srs. : Cajueiro Cansansao ( com licen-
ca ) Forra/. Simos, Ferreira Carneiro ,
Jos Cesario Julio de Miranda Pedro Cha-
ves ( doente ) J.ima e Suva Pereira da Sil-
va Sequeira Venancio M. J. Carneiro da
Cunha Ernesto.
OSr. Ministro da Fazenda oITerece o se-
guinte artigo de reducees additiro ao orca-
mento :
Art. 1. Ficao creadas as seguintcs contri
buices extraordinarias as quaes deverao du-
rar at o lim do exercicio de 18451846.
I. Todo oempregado que accumular mais
de um vencimcnlo por qualquer titulo que seja,
perceber por intoiro o maior d'elles, e de cada
um dos ontios somonte metade.
Nasdisposices d'este paragrapho fic5o com-
prchendidos os ministros de estado que forem
membros do ctirpo legislativo.
II. Os subsidios dos membros do corpo
legislativo ficao subjeitos o urna imposico do
10 por %.
III. Os membros do corpo legislativo nao
podero accumular durante o tempo da ses-
sao em que vencem subsidio tenca, penso,
aposentadoria ou reforma com o mesmo sub-
sidio.
IV. Todas as pessoas que receherem dos
cofres pblicos um s vencimento por qualquer
titulo que seja ficao subjeitas a urna imposi-
eao que ser regulada pela maneira seguinte:
At 1:0008................... 2 por/o
De 1:000* at 2:0008 3
De 2:000$ 3:000* 4
Do 3:0008 4:000jj 5
Dos vencimentos superiores a 4:000<* 6
Na palavra vencimentos so comprehen-
dem os emolumentos quaesquer que so perce-
be re m.
V. A disposico do 4 nao comprehon-
do os vencimentos das pracas de pret de trra e
mar.
VI. Os empregados aposentados ou refor-
mados que forem do novo empregados nao tem
direito a perceberu vencimento da aposentado-
ra ou reforma com o do logar em quo forem de
novo empregados.
Art. 2. O governo establecer o modo de
arrecadar-se esta nova imposico.
Pago da Cmara dos Deputados 6 de Julho
de 1843 J. F. Vianna.
Nos valores do



i)




l$a
1018
201S
3018
A01<{
ioos
200S
3008
4008
5no<{
501 1:000$
100
200
300
400
500
1*000
Rs.



Votardo a favor. 50.
Os Srs. A Custodio Sousa Franco Mi-
randa Franco de S Costa Miranda A. J.
Machado Pinto de Mendonca Sousa Mar-
tins Costa Barros J. Jbaquim Coelho Al-
buquerque D. Manoel, Silva Neves Hen-
riques Pereira Roclia Almeida Albuquer-
que Maciel Monteiro Paes de Andrade ,
Dantas, Visgueiro Manoel Felizardo Gon-
calves Martins, Pinto Paca, Garca de Almei-
da Queiroz Coutinho, A Ivs de Azevedo ,
Vianna Rodrigues Torres, Vaz Vieira Vis-
conde de Baependy Carneiro de Campos, Pa-
checo Jordao Pereira Jorgo A lves dos San-
tos Sayao Lobato, Rodrigo Monteiro San-
tos Azevedo D. Jos Monteiro de Barros,
Belisario Vciga Cyrino Mondes dos San-
tos Ferreira Penna Antunes Corroa Go-
mes de Carvalho Silva Viana Luiz Carlos ,
Machado Nunes e Henriques de Rezcnde.
Contra. 34.
Os Srs. : Sergio de Oliveira, Jansen Bas-
tos de Oliveira F. Vieira Carneiro da Cu-
nha Ucha Peixoto de Brito Ferreira de
Aguiar Nabuco de Araujo Mendos da Cu-
nha Pedro Cavalcanti Reg Barros, Pes-
soa de Mello Barros Pimenlel Boto Ri-
beiro Ramiro Wanderiey Ros Maga-
Ihaes o Castro Galvao Barbosa de Almeida ,
roes. Barreto Pedroso Pacheco, Nebias,
J comeerao os aprestos para os festejos com
que deve ser recebida a Augusta Consorte de S.
M. o Imperador ; e consta-nos que montao a
grande quantia as subscripges promovidas para
os arcos triumpbaes, &c.
S. M. a Imperatriz deve desembarcar no novo
caes do Valongo seguindo depois pela ra do
mesmo nome, Larga de S. Joaquim, S. Pedro,
Dircita Capella Imperial.
O Conselho de Estado cedeu em favor das
urgencias publicas o seu subsidio por inteiro no
correntc anno finaneciro !
1
Fonseca
,1o v
J. F. Coelho, Carvalho
. .c/'1nnpillA''
A uuu
Rocha e L. A. Barboza,
n... j:4.
V4UIIUIUU ,
Pereira
'cuido
O dssassinato do Sr. Filippe Nery.
Pouco se sabe alem do queja so publicou ,
sobre oassassinato do benemrito negociante
d'esta praca o digno Fluminense Felippe Nery
de Carvalho.
OescravoCamillodecIarou sabbado, (8deJ.)
que tudo quanto baviaconfessadoera verdadeiro,
menos a connivencia do bolieiro Vicente, fa/en-
do-a declinar sobre o outro de nome Joaquim,
a quem participara no mesmo da a intenc,o de
assassinar osenhor. Sahio hontem (9Jda cada
do manila para mostrar a ioja a quem comprou
a faca o barbeiro que Ih'a amolara ; e onde
comprou a corda com que enleou a faca depois
de en talada em um cabo de vassoura rachado.
Depois foi conduzido a casa do Chefe do Polica
onde esteve todo odia, e voltou para a cada
quasi noitc. Nada mais tem transpirado at
, i uuje, senao quo o processo ou averrguaces po-
I liciaes estao terminadas. Foro e acho-so


-53
anda presos os escravos Vicente e Joaquim (bo-
lieiros) Jorge Thom Jos Pedro Joao,
Cesar, Manoel, Appolinario e Felismina ; e
urna aggregada de nome Generosa.
Ainda se nao sabe quem indu/.io o escra-
vo Gamillo a tirar a vida a scu senhor ; asseve-
ra-se que a polica ptosegue em suas pesquizas,
das quaes espera tirar resultado. A anciedade
publica extraordinaria ; todos pergunto
O que faz a polica ? /... Repete-se o caso da
garrafada, aponta-se o seu auctor e dizem
que a rouxidao em punil-o animou e anima-
r a novos attentados. A polica deve empenhar
todos os seus esforcos para mostrar que vela so-
bre a seguranea dos cidados e que nao deixa
impunes os assassinos nem quem os move, por
mais astucia com que procuretn salvar-se du es-
pada da justica. Por ora inda a polica nao pode
6er aecusada ; preciso dar-lhe tempo para po-
der seguir o liin de toda a trama. Uiz-se que
o feroz assasino ser julgado segunda feira 17
dejulbo, no jury desta corte.
O Exro. Sr. Mrquez de Paranagu tem l-
timamente solTrido alguns incominodos que o
tem privado de ir ao senado ; consta-nos agora
que se acha mellior. O vivo interesse que o pu-
blico d'esta corte mostra em saber das melhoras
de S. Exc. um merecido premio dos grandes
servicos por to distncto Brasileiro prestados ao
Monarcha e Naco.
MINAS GERAES.
A assembla provincial que encelara com
calma e prudencia os seus trabalhos, vai-se in-
felizmente desviando da estrada que Iho cumpria
seguir depois da commoeao espantosa que aba-
jara todos os nimos. O Correio d a palma de
primeiro campeo das ideas de Sancta Luz i a a
um Sr. \ gario Gunha que estreou a sua vida
parlamentar tomando a diante:ra ao Sr. Viriato
Clao, eoutrosque, a seuexemplo, voadvo-
gando os altos sentimentos de gencrosidade e de
olvido-*!
O Sr. Jos Pedro Dias de Carvalho foi
absolvido segunda vez, pelo voto unnime do
jury de Ouro Preto ; e acba-se em liberdade
desde o da 20 de junho!!... No da segujnte
devia ir tomar assento na assembla 1
Na parte oficial transcrevemos o Accordao da
Relacao que o mandara submetter a novo jul-
gamento.
O Sr. Dr. Antao processado como im-
plicado na rebellio de 10 de junho de 1842 ,
e solt por virtude do Accordao da Relacao da
corte tomou assento na assembla provincial
de Minas Geraes, no dia 10 de junho de 1843111!
(Sent. da M.)
GRANDE CATASTROPHE NA BABIA.
10 dejulho.
As copiosas ebuvas que nestes ltimos 15 dias
tem inccssantemenle cabido sobre estacidade ,
em aturados e fortes aguaceiros acompanbados
de tufes de vento sul produsirao os terriveis
effeitos, que de tal flagello se aguardavPo: par-
te da trra da montanba que borda esta cidade
desdo as Pedreiras at Agua de meninos cabio ,
e o resto da montanba em toda a sua extenco
est mais ou menos em perigo de esboroar.
Principiou a catastrophe pelo Pilar ; a mura-
Iha lateral da ladeira sobranceira groja deste
nome em consequencia da impulso causada
pelas ebuvas nos grandes csterquilinos ali exis-
tentes desabou em todo o seo comprimento e
cabndo sobre o consistorio da igreja o esma-
gou ; pouco depois as trras adjacentes mu-
ralba seguiro a mesma sorte. e desabando de-
tro abaixo a grande muralha que em toda a
extenso da praga do Pilar sostinha a monta-
nhs, que Ibe lira cavallciro. Em consequen-
cia do desabamento (testa muralha todas as
casas fronteiras e do lado opposto da praca ,
igualmente ficro por trra ; o trapiche Bar-
nab teve a frente toda demolida ; o trapiche
Pilar ficou esmagado e o numero de casas,
neste sitio derribadas, excede a 10 segundo
nos informan e todos de dous e tres andares.
Tal foi a forca projectada pela violencia da tr-
ra nocahir, que algumas das muitas taxas de
ferro para engenbos, cujo deposito era a pra-
ca do Pilar foro arremessadas com grande
impeto s casas fronteiras distantes 10 ou 15
passos outras ficro machucadas, e o resto
coberto pelas ruinas. Este desgracado successo
occorreo ao amanbecer de bontem, domingo 9;
e em quanto no Pilar tudo era confuso e ca-
bos, mais adiante, na ra do Xixi 4 grandes pro-
piedades em frente do trapiche do fallecido
Costa Guimaraes, sofria a mesma sorte em
consequencia de desabamento da trra da mon-
tanba.
Todo o dia de bontem para os habitantes
da parte da cidade amcacada foi como bem se
pode julgar dia de amargura de borror e
mortc; o aspecto que apresentava a cidade baixa
por aquellas immediaces macerara a alma; fa-
milias inteiras, desvestidas, espavoridas, e carr-
gandoo quede maispreciosopossuiao, apinhavao
as ras, procurando passarem-se para a cidade
alta; criancas perdidas de seos pas, escravos
em busca de seos senhores amigos querendo
saber de amigos e no meio de toda esta babel
o terror que a todos possuia do risco eminente
em que estavo por cima das ruinas e ameaca-
dos pelo mesmo perigo O numero de victi-
mas ignora-se totalmente nem ha base m
que se possa assentar o menor juizo ; as ruinas
o entulhos que cobrem grande espaco, e que
so nao podem de prompto retirar nao per-
mittem calcular o numero de infelizes absorvi-
dos pela catastrophe. Sabo-se porm, que o
reverendo vigario do Pilar, o senhor Joao Ne-
pomueeno Morera de Pinho e o vigario de
Santo Antonio do Rio Fundo, que se achava
hospedado com elle no consistorio da igreja ,
nao appareccm, e ha todo o lugar de presumir,
que jazem abafados pelas ruinas daquelle edifi-
cio o primeiro que se desmoronou. Esta ma-
nhaa cahio igualmente parte da casa do Sr.Gal-
vo na ra do Paco ( situada sobre a monta-
nba ) e na sua queda causou bastantes estra-
gos, as que ficavo por baixo : toda esta ra ,
e a do Santo Antonio alera do Carmo estao a-
meacadas da mesma sorte em consequencia do
escalvamento da montanba quo j pz luz
os alicorees do muitas das casas ; alm dissoas
ras subjaecntes eem geral todas asquetaes
ficao montanha, que guarnece parte d'esta
cidade esto em grande perigo se continua-
rem, como at aqui, as chuvas........O pe-
rigo he ainda o mesmo, se nSo maior, em con-
sequencia da continuaco das chuvas, posto que
tenha moderado o vento.
Agora mesmo soubemos, que o Sr. sub-de-
legado da freguezia officira ao Sr. inspector
d'alfandega, que o edificio da Relacao soffr-
raabalo, eapresentava brecha; eque em con-
sequencia e por sua posico cavalleiro da al-
fandega seria bom que o Sr. inspector tomas-
se aquellas providencias, que julgasse mais op-
portunas.
11 de julho.
Contina a cbover abundantemente e por
consequencia os receios de novas desgracas
cada momento se augmento. Em resultado
do exame feito pelos engenheiros por ordens
das authoridades sobre grande parte das ras,
ameacadas pela montanha foro intimadas
muitas familias para evacuarem suas habitac5es;
desde a ra d al fandega at alm da do Xixi,
quasi todos os moradores se tem mudado a
pressa e segundo tem podido. De bontem
para c nenhum successo notavel tem occorri-
do apenas pequeos eshoroamentos de trra
sem graves consequencias, entretanto que im-
mensas casas das situadas as ras sabidas,
apresentao visivelmente o risco em que esto ,
j pelo descohrimento de seus alicerces pe-
las brechas, que sofrero suas principaes paredes.
A ladeira da Misericordia acha-se escorada
em grande parte em consequencia de ter a-
berto grande brecha o paredao que sostinha as
trras sobrepostas; alm disto be vedado o tran-
sito por ali ; o mesmo acontece desde a ra do
Juliao at do Xixi lugares aonde a catastro-
phe teve primeiro lugar. O palacio de S. Ex.
Rev., junto antiga cathedral ameaca peri-
go pelas muitas rachas que mostra; e desde bon-
tem, que o Exm. arcehispo transferio a sua re-
sidencia para o convento de S. Francisco,
Hoje correu tambem o boato de que a velha
e grande cathedral da Rabia a S estava em
risco de desabar : apesar do inteiro crdito que
nos merece a pessoa. que isto nos disse julga-
mos ser destituido de fundamento esse rece-o ,
pela solidez da ronstrueco deste antigo edifi-
cio cujos alicorees por sem duvida que estao as-
sentados na rocha existente na montanha sobre
que elle se eleva.
A despeito de todos os esforcos prestados pe-
las authoridades e cidadaos no desentulho do
Pilar com a esperanca de por ventura salvar-
se algum infeliz que ainda possa ser trasido
vida n9o nos consta de resultado algum, nes-
te sentido ; apenas em urna commoda, que se
diz pertencer ao infeliz vigario Moreira do Pi-
nho, se achro alguns valores, eemdinheiro,
diz o Commercio que 1:4008- O prejuizo
causado pelo accidente nos gneros deposita-
dos nos trapiches e casas de arrecadacao daquel-
les sitios, parece ser de vulto ; alm disto o
continuo risco, que correm os que persisten!
naquelles sitios, as chuvas que nodesconti-
nuio tudo concorre a tornar ainda maiores os
estragos, que a calamidadc acarretra.
Extracto do ofjicio do chefe de polica.
Dia 10Illm. eExm. Sr.Se bem que V.
Ex. fosseteslemiinha occular da consternaca
geral, que produsira o desastroso acontecimen-
to que Uvera bontem lugar e despeito ain-
da de screm j por V. Ex. conhecidas as provi-
dencias que dei para que nao crescesse o nume-
ro de victimas atiento o eminente perigo, que
ameacava ( e por fatalidade ainda ameaca ) a
montanha sobranceira igreja, e ra do Pilar,
a h tn a linha em direCCSo ao Caca Sumado C
outros lugares, he de meu rigoroso dever ex-
actamente informar V. Ex. ceica do occor-
rido. Participando-me s cinco horas e meia da
inanhaa o cidado Manoel Mondes Pico, acti-
vo e infatigavel inspector de quarteirad da fre-
guesia do Pilar quo poucos momentos desa-
bara grande porcad de trra, que demoli e
sepultou em suas ruinas o consistorio daquella
relerida igreja, onde tranquillos dormio os
reverendos vigarios da mesma freguesia e da do
Rio Fundo, um sacrista e dous escravos, e
bem assim a parte da casa do hospicio dos car-
melitas, ordonei que o mesmo inspector indo ao
quartel zesseexpedir forca policial sutllciente,
o apresentando-me immediatamente em o dis-
tricto depois de requisitar vocalmente o auxilio
do intendente da marinda que logo compare-
ceo tendo feito expedir os Africanos do servico
do arsenal, guardas, e (oreados, Uve por algum
tempo a lizongeira esperanca de ver restituidos
vida aquelles entes infelises, pois que de urna
parte a constancia e zulo excessivo do menciona-
do inspector de quarteira e do cidadio Fer-
raz, proprietario de um trapiche, e d'outra o
exactissimo cumprimento de deveres que osten-
tado o subdelegado da freguesia, o major com-
mandantc geral, e o commandante de cavalla-
ria policial e muitos moradores do lugar forte-
mente contribuir para esse tao anhelado bom
resultado, mormente descubrindo-se o leito de
urna das victimas e urna commoda da qual
foraS tirados em presenca daquelle major varios
objectos de ouro e prata, dinheiro, papis e joi-
as, que se acho inventariados com assistencia
do cidado Raimundo Rarroso de Sousa, e offi-
ciaes do corpo de polica Jos Maria de Mattos e
Agostinho Rodrigues Garca. Difflcultoso e im-
possivel porem se tornou este aecurado traba-
Iho o forca foi abandonar o lugar por que a
visinha casa (de onde mandei sahir varias fa-
milias por me diser o cidado hospanhol Pedro
Carrascoso ameacar prompta ruina ) abateo im-
mediatamente e entulhou de novo a ra sem que
esmagasse as pessoas, que della cinco minutos
antes eu havia mandado sahir. Gonheccndo en-
tao por informacoes do engenheiro Andr Pre-
zewodowski o grande perigo que ameaca
muitas propriedades dessa mesma ra e lado at
as aproximaces do Caes Dourado achei conve-
niente e justo que sem demora fossem ellas a-
bandonadas por innmeras familias, o que con-
segu ; c prudentemente acautelei que roubos
nao apparecessem. Subindo outro sim para a
cidade alta e freguesia de Santo Antonio, algu-
mas providencias dei alem das que j havia si-
do dadas pelo respectivo subdelegado Jos Fran-
cisco Moreira. Na omittirei ainda que das me-
didas por mim adoptadas e polo subdelegado do
Pilar resultou que desmoronando-so s troz ho-
ras grande parte da mesma montanha,o abaten-
do seis casas no sitio Coqueiro alem da igreja
do Pilar ebem assim a frente do trapiche Ber-
nab o o centro de um outro trapiche denomina-
do Ferraz nao fizesse mais victimas, porque nao
forao encontradas. Narracao tao triste nao po-
de ainda deixar de ser acompanhada do receio,
que ha, do serem outras propriedades pela mes-
ma forma destruidas em raso das chuvas co-
piosas quo tem havdo, sendo que por parte dos
subdelegados da ra do Paco e da ConceicaS da
Praia me tem sido requisitada a necessaria vis-
toria por engenheiros om raso de se conhecer o
perigo em que se achao varias casas daquel-
las freguesias d'ondo mediante providencia ge-
ral tem se retirado os moradores.
15 de julho
Tem sido at aqui infructferos todos os es-
forcos empregados para retirar das ruinas o
corpo do infeliz vigario Moreira.de Pinho, e os
das outras victimas do primeiro desabamento da
montanha. A parte mais prxima aoseu apo-
sento ou a que tal se presume e que fica sobre
o adro da igreja est em claro, o s alguns
objectos de mais ou menos valor, so ha5 re-
tirado. O resto do largo do Pilar, ou quasi to-
do elle he ainda intransitavel, nao s pelo ris-
co de sua posico, como pelos entulhos e rui-
nas que o cobrem. Ante-hontom assegurad-
nos, forao retirados da igreja do pilar todos os
ornamentos das imagens alfaias e objectos de
valor que sobem como he notorio, a muitos
mil crusados,e depositados em lugar seguro:
esta precauco era necessaria nem spelo perigo
que, dizem, ameaca a propria igreja, sead
tambem pelo estado ermo do lugar, a aglome-
rado das ruinas o entulhos e por isso a faci-
lidade de serem roubados ou extraviados aquel-
les objectos.
17 de Julho.
lia dois dias, quoaschuvas tem cessado; o tem-
po sereno e claro de que gozamos bontem(17 de
Julho)e hoje'(18), parece paometter-nos, visto o
estado da atmosphera.que nao teremos por agora,
de lastimar maiores estragos daquella calami-
dadc. Entretanto, conservo-se inhabitadas
as casas edificadas as ras que ofierecem maior
perigo, taes como a de S. Antonio alm do
Carmo e do Paco alm da parte correspon-
dente na cidade baixa. Na primrira das ras,
que mencionamos se esto demolindo duas
propriedades urna pertencente a urna pobre
viuva e a outra irmandade de N. Senhora
da Conceico do Boqueiro segundo ouvi-
mos. ( Correio Mercantil.)
MARIO DE PERNABl'CO.
Que exame de reflexes, e ideas melanclicas
nao excita ao hornera, que pensa no destino da
sua patria, ecom sollicitude atiendo para ou-
turo de seus concidados a lista dos criminosos
absolvidos pelo jury do Recif;:, que acompanhou
o judicioso discurso do Weekly Herald do
Newyork, transcripto no diario do 27 do cor-
rente?
Como na5 se ha de apresentar soberbo.e insul-
tador o assassino tirando sangue e vida na
praca, e as ras publicas desta cidade, como
nao ba de o povo olhar estupefacto para a ou-
sadia dos scelerados, e crusando os bracos tirar
toda a energa que poderia desenvolver a po-
lica na apprehenso dos criminosos; como nao
ha de todo arrefecer, e por assim me explicar,
morrer no nascedo uro o espirito publico, se o
jury absolve todos os criminosos, que se apre-
sentao barra com um advogado, que elogie ,
ou desculpe os seus dilictos, ou que tenhao com
antecedencia sollicitado o voto de cada um dos
jurados ; se o jury do Recife na terceira sesso
ordinaria confirma apenas duas sentencas pro-
feridas em outros termos e condemna dous
reos, que na5 quiserao implorara sua clemen-
cia mandando em paz todos que pediro a
absolvico cujo numero sobe a 17?.
Parece que a falsa idea de liberdade tem deci-
dido os jurados a nao consentirem que estejo
presos, nem soffrao o menor constrangimento
os faccinorosos Mas ha flagrante contradicho
no povo, que tao cioso de sua liberdade a
ponto de na5 consentir que o governo constran-
ju da maneira mais leve a pessoa de um cida-
dio em soTrer que um malvado ataque sem
represso as pessoas de todo o modo, e at Ihes
roube o mais precioso dos bens aquello que s
Dos d, que ninguem pode restituir, e sem o
qual cessa para o homcm tudo o que ha sobre
a trra! Parece que toda a justiga verdade e
virtude jazem debaixo dessa campa, que s pode
ser erguida por um poder milagroso, como a-
quelle que fez levantar Lzaro do tmulo, e que
quasi impossivel restabellecer-se a sociedade
em que vivemos desse torpor que a tem atacado,
o qual segundo o peridico dos Estados-Unidos,
cujo plagiato nos forcoso, pode-so chamar
insenslbilidade social para com os crimes mais
atroies, que dando lugara desenvolver-se o
espirito |de vinganca tem produsido o mais
fatal egosmo nos homens a ponto de nenhum
querer dar satisfaco a sociodade oflendida na
pessoa de um cidadao; alimentando este ego-
smo pela sua parte o espirito de vinganca, que
Ihe deo nascimento, e assim vae a acabar-se
toda a ordem social, e com ella a sociedade
mesma.
Se ha vemos de dar o escndalo de absolver ao
criminoso com despreso manifest da justica e
das leis, eendeosar ocrime depois de publica-
mente discutido e provado excitando em todos
os espectadores desejo de vinganca, deixemos
que os homens se dilacerem particularmente :
demiltamos os nossos juises acabemos por urna
vez com esse processo do jury, e poupemos aoa
nossos concidados o crime de tractarem de re*-
to a santidade de um juramento solemne: quei~
memos na praga publica com indignidade con"
viniente a essas collecoes de decretos, regulamen~
tos que os malvados e assassinos tem pisado, e
redusido a p.
Quando ao |ury de Pernambuco pelo escn-
dalo, com que absolve todos os criminosos, nao
se fizesse a rigorosa justica, que a seus concida-
dos fez o peridico de New-York ; quando
nao se podesse qualificar este procedimento do
simpathia popular pelos criminosos, ao menos
concordariao lodos, quo ha no jury um sisthe
ma estabellecido de absolver ou por ostenta-
cao de magnanimidade ou por espirito de ce-
ga condescendencia e compaixo. Este sis
thema constantemente observado em lodos os
conselhos de jurados da Provincia (a) esta in-
dulgencia Ilimitada deveria explicar ao Sr. de
putado Mendes da Cunha a raso, porque o re-
medio de serem chamados ao jury os responsa-
veis pelos peridicos desordeiros e insolentes
desta Cidade seria peor quo o mal da immo-
ral idade que el les propago.
Nao porque a maioria dos Pernambucanos
simpathise com esse espirito de desordem, com
esse ssthema de desmora I isaco que o Sr.
Mendes da Cunha espera a absolvico dos res
ponsaveis desses peridicos, nem porque deixem
de ser quando nao moleques ao menos uns ban-
didos ou vagabundos, os que por taes se apre-
sentao mas sim por saber, que o jury absolve
a todo o criminoso que lhe pede a absolvico.
Essa lista de diliquentes sempre absolvidos
pelo jury nao certamente de homens cujo
procedimento mereca ser abracado e seguido
pelos jurados, mas el les acho toda a indul-
gencia em seus juizes. Nao necessario que
os juizes tenbo os mesmos sentimentos e
igual procedimento ao do criminoso para q u o
absolvo. O Sr. Mendes da Cunha sabe e tem
fallado em todos os lugares pblicos ( meno na
sessao da cmara dos deputados de 14 de ju-
nho ) do escndalo com que o jury procede e
(a) No jury de Garanhuns foro absolvidos
trinta e tantos reos de mnrtes
offensas.
O nutro* rrrovAQ


5
absolve todos os moloques e (nemorosos ; nin-
uem mais do que elle tera propalado essa idea,
que lioje condemna regeita, e remelle para os
infernos donde s diz que podia sahir.....
Convinha-lhepoim fallar nessa occasio dessa
forma, e dar importancia aquelles, que umi-
tas vezes tem tractado com despreso s para que
essa contradiccao prejudicasse a tim governo ,
que por consideraces pessoaes, e nao por prin-
cipios deixa de apoiar.
Vottando ao nosso proposito receamos que
Dos nao tenha abandonado a America mal-
dade dos facinorosos e que esta porcao encan-
tadora do globo quo pareca o primor da na-
natureza nao esteja condomnada a soffreros ma-
los com que a colera celeste puni a antiga
Babilonia por suas devassdes e iniquidades.
Nao so no Brasil nem particularmente em
Pernambuco queoassassino ataca de dia asua
victima e vai azer alarde de seo crime no tri-
bunal obrigando os juizes a curvarem-so as
suas amcacas, quando nao condescendem com
as suas sollicitaccs. Em New-York um dos
Estados Unidos nesse paiz classico da liberda-
de apopulaca aplaude o scelerato que as-
sassina na praca publica, escarnece do juiz, que
quer manter o devido respeito ao sanctuario das
Jis certa de que os jurados davo o triumpho
ao mais enorme e escandaloso dos dilictos.
Aprendao os niveladores polticos a conhecer
se o progresso espantoso dos crimes devido a
um Presidente de Provincia, que nenhuma in-
gerencia tem nosjulgamcnlos do jury, se pode
mesmo attribuir-se a poltica do Ministerio a
forma do governo; ou se antes procede de cau-
sas muito geraes, que acanhando espirito
publico alimentao o espirito de vinganca, c re-
dusem os cidadaos a um egoismo que a-
meaca de morte a sociedade; se os homens
amigos da sua patria nao acordarem deste le-
thargo para com vontades e forcas reunidas
disporem todos os meios mais bem combinados
para que seja mantilla a dignidade e suprema-
ca das Icis, e punidos severamente todos os cri-
minosos de qualquer condicao que sejao ,
porque todos sao iguaes perante a lei.
Os vapores Paraense e Imperador entrarao
esta tarde, vindos do Norte; um o'outro dao
noticia das provincias do Norte ficarem em
paz.
COMMERCIO.
Alfandega.
Rendimento do dia 31.......... 4:8958576
DescarregSo hoje 1."
Barca Thomat Mellor fazendas, ferragens,
e machinismo.
Barca > Casimir Delavigne fazendas e fa-
rinha.
Brigue S. Manoel Augusto saccas com
pimenta, e bixas.
Polaca Silencio farinha.
Brigue Thorwaldven fazendas.
Brigue Svra farinha.
Barca Calharina fazendas.
IMPORTAQAO.
Casimir Delavigne barca Franceza vinda do
Havre, entrada no corrente mez, consignada a
B. Lasserre & Comp.a, manifestou oseguinte:
3 caixas fasendas de algodao; A Sob Toller.
3 ditas ditas; Tobler Freres # C.
SOgigos vinho chanpagne; 'M.c Calmont $
Comp.
70 barris com manteiga, 3 caixas fasendas de
algodao, 4 ditas chapeos, 4 ditos calcados, 4 di-
tos peles de carneiro, 3 lardos sedas, registos e
tintas, 3 caixas vidros o bandejas; Lenoir Pu-
get & Comp.*
SO barris manteiga, 4 caixas chapeos, i dita
sedas, 2 ditas fasendas de algodao, 6 meias pi-
pas vinho de Bordeaux; a Bolli Chavanne.
5 caixas e um fardo fasendas de algodao, 2 di-
tas sedas, 1 dita objectos de relojoeiro; J.
Keller.
1 caixa fasendas de algodao, 1 dita dita de la
e seda; a Ch.s Roop $ Comp.
1 caixa utas de seda, 2 ditas e 3 fardos fasen-
das do algodao, 4 caixas e um fardo suspenso-
rios, 1 caixa lencos de seda; a Kalkeman \ lio-
semund.
i caixa instrumentos de cirurgia e msica ;
H. S.' Martin.
1 dita massa para chapeos e fitas de seda ;
H. Zimmer.
175 barris e 75 meios ditos manteiga, 15 gi-
gos vinho chanpagne; Le Bretn Schramm.
6 caixas licores; A. Nicolli.
2 caixas livros, 1 barril agoardente; Bez
Deschays $ Comp.
4 caixas marroquim, fasendas de algodo e
suspensorios, 4 ditas fasendas de algodao, cha-
peos, bonets e bizerros, 4 caixas vellas, 3 ditas
calcados; L. Bruguiere.
1 embrulho jornaes; Vauthier.
6 caixas bejouterias, 2 ditas merinos e cha-
peos, 2 ditas clavinotes e calcado, 5 ditos pa-
pel e vidros; V. Lasserre # Colombier.
3icaixas Hifferent?? ob'ectos d*? machina, fl
movis; a Boyer.
2 caixas chapeos ; Ordem.
6 ditas carneiras, calcado, e rodas, 4 ditas
chapeos, fasendas de algodao e perfumaras;
J. P. Adour $ Comp.
2 volumes quadros e livros; Sampaio.
1 caixa impressos; Saisset # Comp
1 dita ptalas; B. F. de Sousa.
2 ditas orgao e outros objectos; J. P. de Le-
mos $ Filho
2 ditas acido ntrico, 2 barricas e. 1 caixa com
objectos para fabrica de colxetes; Lehman j
Comp.
380 barris e 120 meios ditos manteiga, 100
barricas farinha de trigo, 200 saceos farellos,
12 rolo chumbos, 23 caixas queijos, 2 barris
oleo de linhaca, 2 caixas biscoutos; B. Las-
serre & Comp.
1 caixa com um lustro, 1 dita um braco de
chamin; F. A. de Oliveira.
1 caixa com urna cadeira; L. G. Ferreira.
2 ditas com diversos objectos; a Millochau.
15 caixas movis; a Robert.
6 ditas miudesas, perfumaras, registo e cal-
cado, 4 ditas eum fardo fasendas de algodao e
la, chapeos e suspensorios; a Dedier Robert '
Comp.
2 caixas joias; De Goussencourt.
1 caixa modas, e livros impressos; Bcrnel.
1 embrulho ignora-se; Gadout.
1 dito dito; Meuron.
300 barris o 100 meios ditos manteiga, urna
caixa sedas para chapeos; N. O. Bieber Sf
Comp.
1 caixa cristaes, 13 ditas papel, 5 ditas cal-
cado 4 ditas porcelana, 5 ditas selns 3 far-
dos e urna caixa livros impressos 5 caixas fa-
zendas de algodao, linho e sedas, 10 caixas
chapeos, ditos de sol, e calcado, 4 caixas papel,
livros e registos, 4 ditas loucae filtros, 5 ditas
miudezas perfumaras, flores, e selns, 12
ditas conservas, 1 embrulho amostras; a Avrial
Freres.
Catharina barca Hamburgucza vinda de
Hamburgo entrada no corrente mez consig-
nada a Chaves Roop & Companhia, manilestou
o seguinte : 1 caixa toalbas eguardanapos de
linho ; a H. Mehrtens.
3 barricas gsso 40 barris sementcs ; a A.
H. Willmcr.
2 caixas cassas 1 dita lencos dejaconet; a
Bolli & Chavanne.
57 barricas potassa ; a Le Bretn Schramm &
Companhia.
3 caixas espingardas, 3 ditas tizouras 2 di-
tas carneiras e couros para chapeos ; a N. O.
Bieber & Companhia.
4 caixas agoa de colonia, 6 ditas meias de al-
godao 10 barris alcatrao, 3 caixas pianos, 12
ditas vinho Champagne 2 ditas dito do Rhe-
no 1 dita bastiste 6 ditas espingardas 100
ditas folhasde cobre estanhadas 16 rolos do
fumo 4 barris dito metralha, 2 saceos pregos,
732 barras de ferro 2 caixas pao de linho, 1
dita copos de vidro, 46 volumes cadeiras de pa-
lnha 4 pacotes papelo 3 caixas papel, 4
ditas lencos e pon as ; a F. H. Lntkens.
1 caixa diversas fazendas 1 barrica carne de
fumo ; a I. C. Gomes.
1 caixa bicos de blondas e linho, 3 ditas pa-
o de linho 1 dita amostras ; a Kalckmann &
Rosemund.
3 caixas oleo cantridas alcanfor e sa-
hao branco; a V. Bravo.
2 pacotes papelo 2 caixas laca em folha !
a J. O. Elster.
10 caixas espingardas 4 ditas pistolas, 15
barris pregos, 1 caixa tinteiros de vidro, 2 cai-
xas meias de algodao 1 dita suspensorios 1
dita amostras ; e Keworlhy Brendcr a Brandis.
10:000 botijas vasas; a Cesar & Kruger.
Stinasbixas; a I. Teyetmeier.
2 bailas papelo 1 caixa pertences para fa-
brica de chapeos-, a H. Zimmer.
1 caixa tafelaes 100 barricas botijas de ge-
nebra 5 caixas lamparnas, charutos, thczou-
ras, e facas; a Ordem.
19 cstos garrafas vasias 2 bailas raz d'al-
teia ; a Saisset & Companhia.
1 caixa vidro de drogas 9 ditas vidros e te-
Ihas dito, 7 ditas drogas, 4 bailas ditas, er-
los chumbo 28 chapas zinco 1 caixa piano ;
a B. W. Gurlitt.
3 caixas chapeos e barretes 1 dita fitas e
cordao de algodao 2 caixas pianos, 1 dita vi-
dros de botica 3 ditas brnquedos 3 ditas e
2 barricas drogas 4 cestos gnalas vasias, 3
pacotes papel 1 caixa couros e tiquetas, 1 di-
ia papel, fitas da seda villudo e liqho 2 di-
tas massa para chapeos 2 ditas folhas de mog-
no, 2 taboas mogno 1 pacote folhas de ferro,
1 caixa diversas fazendas 12 barris carnes, 2
caixas conservas 2 barricas frutas seccas 1
caixa queijos, 1 dita salames ; a Wollfp &
Denker.
15 lastros carvo de pedra 800 taboas de
faia ; ao capit5o.
Movimento do Porto.
Navio entrado no dia 29.
Bio de Janeiro ; 21 das, brigue brazileiro 5.
Manoel augusto, de 236 toneladas, capitao
Manoel Simoes equipagem 18 carga de-
ferentes gneros. Passageiros, o dispensei-
rodo A. N. I. Antonio Pereira da Paz Jo-
aquim da Silva Rastos, brazileros ; Antonio
Jos Lopes da Silva Manoel da Costa Man-
gerico porluguez; o 6 escravos a entregar.
Navios sahiilas no mesmo dia.
Halilax ; patacho inglez Lady of lhe Tak, ca-
pitao David Wingood carga differentes g-
neros.
Trieste ; barca austriaca Henrique, capitao M.
1). Dabinavich carga assucar.
Sahido no dia 30.
Portos do Norte ; vapor brazileiro Pernambu-
cana, command. Joao MelitaoHenrques.
Navios entrados no dia 31.
Para,Maranhao,e Cear;17dias,paquetedeva-
por brasileiro Paraense, cap.tenente Jerni-
mo Lamego Costa: passageiros brasileirosEx.
Prez, do Para Bodrigo deSouza Silva Pon-
tes 4 escravos, e 1 criado Augusto Cesar
Villella, Francisco Ferreira Porto; estnngei-
ros Carlos Joaquim Jos de Almeida, Chris-
tovao Pedro de Carvalho, e 2 escravos a en-
tregar Jos Manoel Valdez, Joao Valdez ,
1 criado, e 1 escravo a entregar.
Dito de ditos ; 12 das; paquete de vapor bra-
zileiro Imperador, cap. J. M. Falco : pas-
sageiros brazileros, l.'ten. Francisco Edu-
vigis Bricio Dr. Manoel Monteiro de Bar-
ros e 1 escravo, cap. Miguel Ferreira Cabra!,
Simao Barboza Cordeiro c 1 escrava, 6 pra-
cas de pret; estrangeiros T. W. Cameron e
1 escravo Narciso Jos Ferreira Joao W.
Stodart, Henrique Cals, F. Coulon, H. Kal-
kmam e 6 escravos a entregar.
Edtal.
Bruno Antonio de Serpa Brando, Catalhei-
roa ordem de Christo e administrador do
Crrelo, (c.
Faz saber que no dia primeiro de Agosto vae
dar-se exccuco aos decretos n. 251-0 n. 255 ,
de 29 de novembrode 1842 e do n. 296, de
19 de maio deste corrente anno e desta sorte
vao perceber-se dessa data em danto nesta ad-
ministracao aparte adiantado de todasas cartas,
e mais papis na conformidade dos precitados
decretos que serao breve publicados pelo prelo :
e de primeiro de setembro prximo comeca
tambem receber-se adiantado o porte dos pe-
ridicos ; leis e actos do Governo.
Convindo porem que as pessoas interesadas
tenho previo conhecimento dos indicados por-
tes que devem pagar as cartas que tem de se*
rem por esta administracao levadas aos seus
destinos acha-se affixado as portas da mesma
administracao a tabella respectiva. Adminis-
tracao do corrcio do Pernambuco em 31 de Ju-
Iho de 18i Bruno Antonio de Serpa Brandao
Declaracoes.
__ O administrador da mesa da recebedora
das rendas internas geraes, avisa aos moradores
do bairro do Becife Santo Antonio e Roa-
vista que o praso determinado para o recebi-
menlo da laxa de 18 res por escravo findou-so
no ultimo domozp p. e hoje 1. do cor-
rente agosto principia a tirar manda los con-
tra os omissos. Recebedoria 26 de Julho de
184-3. Francisco Xavier Cavalcanti de Al-
buquerque.
Associaco Commercial de Pernambuco.
OsSrs. socios sao convidados pelo presento ,
a comparecerem na sala das sesses d'associacao
no dia 1. d'agosto ao meio dia em ponto, para
em conformidade do artigo 5." do capitulo 3.
dos estatutos proceder-se ilIeic,ao da meza
da Direcco, que tem de succeder a actual. Sala
das sesses d'associacao commercial de Pernam-
buco 26 de julho de 1843. L. G. Ferreira.
Secretario.
1LL- II I BggBBBgg
Leiles.
Terca feira 1. de agosto no armazem de
Fernando Jos Bragucz, ao p do arco de N. S.
da Conceicao da ponte do Recife, haver loilao
de urna porcao de caixas com passas, por conta
e risco de quem pertcncer.
;=Ocorretor far lilo por conta o risco de
quem pertcncer de um grande sortimento de
fazendas propris d'este mercado : quarta-feira
2 de Agosto as 10 horas da manha no pri-
meiro andar da casa de sua residencia.
Avisos diversos.
Aluga-se metade de um armazem na ra
da Praia n. 39 ; a traetsr no mesmo.
Francisco Mathias Pereira de Castro dei-
rhnu de ser caixc'tm d* T-Vv x- 31 de Julho do corrente anno.
LOTERA DO THEVTRO.
No dia 8 do andante mez
de Agosto corre imprete-
rivelment esta lotera fi-
quem ou nao billieles por
vender e o resto acha-se
nos lugares ja ann.ineia-
dos.
Hoje primeiro de agosto se hao de achar
sois bois mancos, de carro, para se venderem ;
quem os pretender procuro das 10 horas da ma-
nila em diante na ra da Cadeia de Santo An-
tonio.
FABRICO DE ASSUCAB.
Os melhoramentos produ/.idos na Franca'ha
dez annos no fabrico do assucar sao emensos ;
a qualidado o acrescimo de quantidade nos
productos, adminisiracao do mo d'obra ea
economa do combustivel prov3o que este ge-
nero d'industria tem chegado a um ponto emi-
nente de perfeic5o e dah as colonias France-
zas tem tirado os melhores resultados.
L-se na Phalange a respeito da creacSo d'u-
ma companhia chamadaCompanhia real das
Antilhas para o fabrico do assucar de canna a
seguinte nota :
O projecto de creacao de fabricas centraes ,
destinadas a extrair o assucar de diversas plan
lacoes tem conquistado todas as opinies corr
asvantagens reconhecidas.
A perfoicao consideravel do fabrico na qua-
lidado o quantidade dos productos.
Economa nos trabalhos, alivio para a cas-
se laboriosa as partes mais diflicois d este ge-
nero de industria.
Por consequencia para que o assugar do
Brasil possa grangear na Europa esta grande
concorrencia c tenha vantagens nos mercados
Europeos mister fora que o fabrico do assucar
no Brasil fosse da mesma sorte que o fabrico do
assucar o he presentemente.
= O tbezoureiro da lotera de S. Pedro Mar-
lyr do Olinda paga os bilhetes premiados na
dita lotera no consistorio da igreja da Con-
ceicao dos Militares, nos dias 2 3 e 4 do
corrente das nove horas as duas da tarde.
O abaixo assignado constando-lbe que est
para se vender a casa n. 36 da ra da Praia ,
pertcnccnle o Sr. Joaquim Jos de Faria pre-
vine a quem a comprar que o aluguel est pago
at o im de Julho de 1844.
Toralo da Silva Campos.
Pedro Donnelly subdito inglez retira-so
com sua mulher para o Aracaty.
Quem annunciou no Diario de hontem ter
para vender urna molatinha de 14 annos que
cose c engoma queira annunciar sua mora-
da ou dirigir-se a ra da Cadeia do Recife casa
n. 24.
=: No da 1. de agosto p. f. principiar a re-
visao dos pesos c medidas d'este municipio o
se concluir no ultimo de setembro conformo
se ai ha marcado. Os interessados podero
dirigir-se para esso fim ao encarregado da affe-
rico Joao Ilario de Rarros.
Quem precizar de carroca e cavallo de ca-
cambas para carregar material, por preco muito
commodo ; dirija se a ra Dircita n. 52 ou
na Roa-vista ra dos Pires n. 30: a saber o
millieirodc tjoloa2880 oalqueire deca a
50 rs. a canoa de arria conforme oseu tamanho.
= Patricio Pereira de Carvalho morador na
povoaeao de Caruar embarca para o Rio de
Janeiro o seo escravo crioulo do nome Ig-
nacio.
= O abaixo assignado faz publico que com-
prou ao Sr. Jos Rodrigues do Rezende da
provincia das Alagoas a legitima paterna e
materna que Iho tocou em partilhas no Rei-
no de Portugal provincia da Beira freguezia
de Santa Marnha de Alquerubim como
toda a escriptura passada nesta cidade em 25
de Junhodc 1842 no cartorio do tabelliao pu-
blico Manoei Antonio Cooiho de Oliveira.
Joaquim Marques da Silva Mello.
= Feliciano Perry Vidal, Austraco retira-
se para o Aracaty na companhia de sua mulher,
e tres filhas menores.
= Perdeo-se no dia domingo de manhaa um
alfineite grande de senhora bordado em cima
de flores, com um diamante da ra do Ca-
marao para a do Roiaro da Boa-vista ; quem
o achar c qnzer restituir leve-o no Atierro do
mesmo bairro u. 44. que se dar o achado.
Aluga-se o 1. o andar do sobrado da ra
doQueimado esquina do beco do peixe frito
n. 2 : a tratar na loja por baixo do mesmo.
Aluga-se urna negra para todo o servico
de casa, quem tivMannuncie oudinja-se do
Atterro da Boa-vista n. 6 1. andar
= Miguel Antonio Mainhas retira-se para fo-
ra do imperio.
ra da Provincia.
I
, rct::-Sv j/aig w-
rt.BA --rz.


h
n
Thom Rodrigues da Cunha Anacleto
Pereira de Souza Vicente Ferreira da Cunha;
retirao-se para lura do imperio.
=Jos Antonio Alves da Silva, pretende em-
barcar a sua escrava Lui/a para o Aracaty.
=Joo Maria Julio Chaves, subdito rancez,
retira-se para Tora da provincia.
lotera da matriz da boa-vista.
= No dia 17 de Agosto prximo futuro te-
r lugar o andamento das rodas da lotera da
Matriz da Boa-vista seja qual for o numero
de bilhetes nessa poca existente.
=: Os pais e mais do familia que desejiSo
ver os seus filhos bcm adiantados em 1er, escre-
ver contar os termos de poltica e civili-
dade, e tudo mais que for necessario para qual-
quer alumno ensina-se com toda perfeico e
aptido, e as alumnas costurar xo lavarin-
to de todas as qualidades bordar de marca e
tudo mais que for mister para bem do qualquer
senhora segundo a vontade de seus pais; tam-
ben se recebe meninos de ambos os sexos e
da-se o maior trato o esmero possivel con-
forme a recomendacSo de seus pais ou corres-
pondente dirijo-se a ra de S. Thereza n.
50, quese ajustaran pelo mais commodo preco.
"= Quem achar um paoagaio contrafeito .
com um pedaco de correte no p queira en-
tregar na ra Nova loja francesa n. 17, que
ser recompensado.
= O escrivao dos protestos desta Cidade
Tito Fiock Romano tendo de ir ao Ccar e
obtendo para esta viagem a respectiva licenca
deixa em seu lugar nomeado e devidamonte
juramentado a Francisco Chrispiniano de Sa-
boia,a quem se devem dirigir as pessoas que
interassadas forem em ditos protestos, sendo
que ocartorio continua no inesmo lugar da re-
sidencia do annunciante.
= Aluga-se o segundo andar de um sobra-
do ; no beco do Peixe frito venda n. 5.
=Jos Pinheiro Jacomo subditoPortuguez,
retira-se para (ora do Impeirio.
= Procisa-se de um menino de 13 a 14 an-
nos ebegado de fora para urna venda, dan-
do alguns mezes para aprender : no beco do
Peixe frito venda n. 5.
= Oflerece-se um rapaz Brasileiro, que da
fiador a sua conducta e est izompto do ser-
vico militar, para caixeiro de cobrancas ou
para qualquer outro emprego desta natureza ;
quem o precisar dirija-sc a ra dos Pires n. 60.
No engenho Guerra freguesia de Ipo-
juca acha-se um negro de nome Manoel de
nacao Cumbi e bucal, que n3o sabe dizer
quem he seu senhor ; quem so julgar seu se-
nlior dirija-se ao dito engenho ou na ra do
Crespo loja n. 14.
Precisa-se alugar urna preta ou mole-
que que saiba cozinhar dando-so-lhe o
sustento ; na ra do Livramento n. 25.
Precisa-se de um rapaz, auo entenda do
mame que na primeira occasiao que tiver
do vir a esta praca sirva-se de nao se retirar
( como tem feito por umitas vezes) sem se en-
tender com o abaxo assignado para concluir
o negocio que a muito tempo nao ignora;
assim lho recomenda seu criado ==i Joo Vaz
de Oliveira.
Quem annunciou querer 100 a 200,000
rs. a premio do 2 por cont ao mez sobre pe-
nhores do ouro ou prata dirija-se a ra os-
treita do Rozario, loja de rlojociro e cera.
= Estando a ser desocupado o sitio das De-
licias no Manguinho pertencente ao Conse-
Iheiro Maciel Monteiro e no qual tem estado
de rendeiro o Sr. Eugenio Duperron avisa-se
a quem convier o arrendamento que dirija-
se a ra do Hospicio n. 21 ou a ra de Hur-
tas n. 140 ; no principio do sitio a cima exis-
te tamhem por arrendar-se urna casa terrea
abarracada com 8 quartos e outros muitos
commodos, pelo preco annual de 120,000 : a
tractar nos mesmos lugares a cima.
Compras.
= Compra-se um moleque com idade, que
possa carregar um caneco de agoa; na praca do
Corpo Santo n. 29.
= CompraO-se diariamente couros seceos
de animal cavallar: na ra do Rangl n. 52.
Vendas
venda ; na ra Direita padaria n. 69.
- Aluga-se um sobrado de um andar com
quintal e cacimba proprio para familia por
ter bastantes commodos, sito na rua do Fagun-
des ; a tractar na rua do Cabug lojademiu-
dezas n. 4, ou na rua da Praia de S. Rita
n. 43.
No beco da Bomba casa, que tem um
retabolo na portase tinge toda a qualidade de
fazenda de todas as cores e por preco commodo.
Jo8o de Assis e Brito dcixou de ser cai-
veirodo Sr. Gaudino Agostinho de Barros ,
desde o dia 29 do p. p. Julho.
Quem annunciou ter para vender urna casa
terrea na rua das Trincheiras dirija-se l-
vraria da praca da Independencia n. 6 e 8, que
6e dir quem a pretenda.
Perdeo-se na noite do dia 29 do p. p. o
canudo ultimo de urna flauta preta de 4 chaves,
contendo no dito canudo duas chaves ; quem o
achou querendo restituir dirija-se a rua de
S. Rita n. 11, quesera gratificado.
Laurianno Jos de Barros faz sciente aos
seus freguezes, e a quem de seu prestimo se
quizer utilisar que mudou sua residencia
para a rua do Queimado sobrado n. 32.
Existe urna carta para ser entregue ao
Snr. Jos Bernardo de Franca c Silva, ou quem
suas vezes fizer nesta praca queira fazer o
obsequio de procural-a na loja franceza da rua
do Cabug esquina da rua das Trincheiras.
O abaixo assignado deixou de ser caixei-
ro do Sr Joaquim Goncalves Vieira (i ni maraes
por muito justos motivos, desde o da 31 de
Julho p. p. por quanto estao concordes, e o
abaixo assignado tem de agradecer o bom aco-
Ihimento e tracto que sempre teve na mesma
casa, e jamis cessar de elogial-a pelos gran-
des obsequios e beneficios que continuada-
monte recebia. = Manoel Pereira de S J-
nior.
Sociedad* Eu ter pina.
Vendem-se cdigo do processo criminal
da primeira instancia augmentado com a lei da
reforma e instrueces para a sua execucSo ,
lei criando o Juizo privativo da Fazenda e seu
regulamonto os regulamentos sobre inventa-
rios bens de defuntos o ausentes dizima de
chancellara &c. por Jusino do Nascimento
Silva ; ditocriminal augmentado pelo mesmo
autor; tonstituicao politica do Imperio do Bra-
sil seguida" do Acto addicional; lei da sua
inter preta cao o a lei do Conseibo de estado ,
augmentada com as leis reglamentares de-
cretos avisos, ordena e portaras que Ibe
sao relativas e que desde a sua publicacao at
o presente se tem expedido : na praca da In-
dependencia livraria ns. 6 e 8.
Vende-sea lista geral da lotera de S.
Pedro Mrtir de Olinda ; na praca da Indepen-
dencia livraria ns. 6 e 8.
Vende-se um hanheiro de folha grande
o forte e novamente pintado com cilindro,
e por preco commodo; na rua do Crespo n. 23.
Vendem-se pannos pretos, azule cor de
caf, por preco muito em conta : na rua do
Crespo n. 23 loja de Manoel Jos de Souza
& Companhia.
Vende-se urna porcao de lajedo de Lis-
boa partido ; no escriptorio de Francisco
Sevcrianno Rabello.
Vende-se um moleque de 12 annos,
do gentio de Angola ; na rua Direita padaria
n. 129 confronte a torre do Terco.
Vende-se urna escrava propria para o ser-
vico de engenho, ou sitio ; na rua Direita n.
104 loja de ourives.
Vendem-se alcatifas de bonitos padroes,
urna porcao de gravatas de setiirt de differentes
formas um completo sorlimento de chapeos
de todas as qualidades paro homcm, senhora
e meninos : na praca da Independencia ns.
24e26.
Vende-se rutim de superior qualidade
para assento de cadeiras, e farelos em saccas
grandes: na rua do Trapicho n. 19 casa de
J. O Elster.
Vende-se um banheiro de flandres duas
pedras com duas muetas de moer tinta urna
grande carteira de duas faces para escriptorio,
e gaiolas de rame, tudo por preco ornis com-
modo ; na loja da viuva do Burgos.
Vende-so Champanhe em caixinhas de
urna du/ia a 20,000 rs. ; em casa de Russell
Mellors & Companhia na ru da Cadeia n. 39.
Vende-se milho da trra por preco
commodo ; na rua do Collegio venda n. 5 do
Antonio Jos A'ves da Fonseca,
Vende-se urna pequea porcao do mi-
lo para charutos, tirado e por tirar, por pre-
co commodo ; na rua estreita do Rozario loja
de cera n. 3.
Vende-se um methodo para violo em
muito bom estado ; no beco da Gloria da Boa-
vista n. 3.
Vendem-se 2 pretos para todo o servico ,
um dito de meia idade bom para botar sen-
tido a um sitio duas pretas, cozinhao en-
gomado e lavao e urna mulata boa para
ser educada : na rua de Agoas verdes n. 44.
Vendem-se duas olarias que foro de
a fallar ao proprietario do mesmo on-
firmas;
genho.
__ Vendem-se saccas com farinba de man-
dioca grandes, e qualidude regular a 2660 ;
no armazem de Francisco Dias Ferreira & C. ,
no caes da Alfandega deronte da escadinha
Vende-se urna escrava crioula de 26 an-
costureira engommadeira e boa cria-
Vende-se um negro moco :
va n. 20.
na rua No-
Escravos fgidos.
Fugio no dia 6 do p. p. o pardo Aleixo ,
tem em cada canela das pomas urna ferida, cor-
nos cosiureira engommaueira e uua una- regular p p0Uca barba cabellos corridos ,
deira de meninos por ter muito bom leite com jje ^ annos f jevou um qUarto russo em que
dous filhos, pelo preco do um cont de re ; e||e costumava a vender capim sabe-se com
e um escravo de 25 annos acostumado ao certczat que e||e andava na Varzea, e Caxanga,
sorvicode campo, e he canoeiro, por 6008 d'onde elle he natural; quemo pegar leve ao
rs. ; quem pretender annuncie. st0 do Dr. Pereira na Capunga que ser re-
k Vendem-se um transelim moderno para compeMado com generosidade.
relogio um bonito alfinete para senhora u m ; Nnguem raca neg0cio algum com nen-
dito de bom gosto para abertura pares de hu(n dos negfog ( que desapparecerao no dia
brincos de bom gosto de diflerentes modellos, 25de Junhodocorrenteanno, e se sup5e te-
anelSes para homem o senhora pares de cu- fem si(J() furtados 0squaesandav3o ganhando
na rua e tem os signaes seguintes ; Joao ,
los de armaco ricos botoes para abertura
com grandes diamantes e esmalte caixas de
msica balanca para rap ditas para balcao
com correntes de latSo urna figura com cam-
painba pesos do meia arroba at um quarta ,
medidas de folha urna coroa para Imagem ,
com 18 oitavas de prata de lei, ouro e prata para
desmanchar, diamntese robins para crava-
ces, um par de mangas de vidro lisas um
dito de casticaes lapidados pipas quartolas, e
barris que forao do agoardente duas banqui-
nbas de Jacaranda com gavetas, um pilao gran-
de um aparelho de porcelana dourada para
cha e urna gamela grande do amarello ; as
5 pontas n. 45.
- Vendem-se couros de lustro ; na praca
da Independencia loja de Antonio Felippe
da Silva n. 23.
Vende-se urna morada de casa terrea ,
com soto ratificada de novo ; na rua do
Jardim n. 22 ; a tractar na mesma.
= Vende-se urna venda em Olinda
de nacao Urubario ou Cabund ,
ra alto reforcado do corpo ,
figu-
na rua
dos 4 cantos n. 27 a dinheiro ou a praso, ou
com desobriga na praca sendo urna das me-
Ihores, e mais bem afreguesada daquelle lugar,
e o motivo da venda he porque o dono quer
retirar-se : a tractar na mesma.
= Vendem-se agoa de colonia superior a
1600 a garrafa e 400 rs. o frasco e mais
fina a 2500 a garrafa branca e em frascos la-
vrados a 640 dita com o sublime aroma de
mbar a 2240 a garrafa 320 e 400 rs. o fras-
co dita almiscarada a 480 agoa da China
para tirar nodoas c cebo das golas a 1000 ,
bambolim de Venus para tirar o cabello a 1440,
pomada virginal para extinguir totalmente os
piolhos a 1600 o boio, pos para denles a 120
a caixa, tinta de escrevor a 320 a garrafa e
diversas perfumaras tudo por preco mais com-
modo do que cm outra qualquer parto ; na lo-
ja nova de calcado da rua do Queimado n. 22.
Vende-se farinha para porcos e gali-
nhas a 1920 o alqueire da medida velha : no
deposito de farinba na rua da Cadeia de S. An-
tonio n. 19.
=Vende-se urna porgao de madeira a sa-
ber 180 caibros de 35, e 40 palmos, 40 tra-
vs de palmo em quadro e de 35 a 38 palmos
de comprimento e outrasmadeiras, que po-
dem servir para enchameis ; na rua da Concei-
cao da Boa-vista n. 58 e podem-se por onde
convier ao comprador.
Hoje pelas 6 horas da tarde haver reu- Eusebio Pinto foreiras ao engenho Giqui ;
niao da Commissao Administradora, e para e urna casa de tijolo e cal na campia da Piran-
esse fim se convida ans Srs. Membros.
O abaixo assignado adverte ao Snr. Ma-
noel Gomes da Silva senhor do engenho Gra-
ta com terreno para 12 vaccas de leite, e ter-
reno para plantaces, tambem foreiras ao mes-
mo engenho, a dinheiro, ou a praso com boas
= Vende-se urna venda na rua do Vigarin
n. 22 com grande armazem para recolber pi-
pas; na rua da Cadeia n. 49.
= Vende-sc um relogio de ouro horison-
tal, e urna prensa de ferro para espremer car-
rapato ou outra qualquer cousa : na rua No-
va n. 57.
= Vende-se um caxorro atravessado pro-
prio para sitio, e urna porcao de gingibre ama-
relio : na rua do Livramento n 38.
= Vende-se taboado de pinho a dous vin-
tens o p ; atraz do theatro armazem de Joa-
quim Lopes de Almeida.
= No deposito de assucar refinado, esta-
belecido junto ao arco de S. Antonio, em fren-
te do caes do Coltegio ha para vender assucar
refinado segundo o novo systema de fabrica-
cao pelo qual se extrae a potassa o cal, dei-
xando-se-o no seu estado de pureza ; sendo o
preco da libra do de primeira sorte o em pes
160 rs. e o de segunda e tercoira em p ,
a 120, rs.
= Vende-se excellente farinha do trigo de
SSF para holaxa o por prego commodo em
relacao a qualidade ; no armazem de Joaquim
Lopes de Almeida atraz do theatro.
= Vcndo-se a maior parte da casa da rua
estreita do Rozario n. 22 em chaos proprios;
na rua da Cadeia do Recife a fallar com Jos
Antonio Basto.
= Na praca da Independencia n. 39 conti-
nua-se a vender bichas ltimamente chegadas a
tusto e as maiores at dous tustes.
Vende-se potassa russiana, nova, em bar-
riz pequeos; em casa de H. Mehrtens na rua
da Cruz n. 47.
Vende-se excellente farinba de trigo dos
Estados-Unidos, por preco commodo; a fal-
lar com Firmino Jos Felis da Roza.
bonita
bem ladino .
cabello escantiado he canoeiro e cozinheiro.
Miguel, de nacao Mocambique bonita figu-
ra estatura regular cara redonda bem la-
dino risonho quando falla parece crioulo ,
tem peitos como mulber ambos com bastantes
marcas de chicote as costas e nadegas, que
por ordem superior apanharao na grade por cr-
mes que cometero ; quem os pegar leve a lo-
ja da viuva Cunha GuimarSes na rua do Cres-
po ns. 10 e 15, ou na botica de Antonio Pedro
das Neves no arco da ConceicSo.
As 8 horas da noite do dia 22 de Julho
fugio urna negra de nome Luiza, bem parecida,
de idade de 22 annos, de nacao Angola, ros-
to redondo, cor meia fula, boca rasgada ps
apalhetados com um signal bastante visivo) de
um caustico sobre o peito do lado esquer-
do, levou em sua companhia urna negrinba
sua tiIha de 9 mezes urna trouxa de roupa o
sapatos he muito ladina e talvez se intitulo
forra como sempre fosso negra recolhida nao
lendopratica decaminhos por onde se podesso
logo evadir por isso julga-se que alguem a
tenba acoitada ou na boa f de ser liberta Ibe
tenba dado azilo, oque se avisa a fim de quem
a tiver acolhido se digne noticiar, do contra-
rio desde ja se protesta contra toda a detenca
que houver ; esta negra foi captiva por muito
tempo do Tenente Coronel Antonio Gomes Le-
al; quem a capturar ou della der noticia diri-
ja-se a rua da Cruz do Recife n. 33, ou a loja do
Jos Gomes Leal na rua da Cadeia que ser
generosamente recompensado.
= No dia 28 do p. p. fugio, ou est agaza-
Ihado o moleque Francisco de nacao Bi, de
12 annos pouco mais ou menos que nao pa-
rece ter por ser um tanto caturro falla bem,
cabeca e olhos grandes, ps pequeos per-
nas curtas, picado das bechigas, nariz chato ,
a orelha esquerda furada em um dos calca-'
nhares com bobas venda cangica na venda da
rua da Guia, e algumas vezes andava pela rua,
lovou vestido camisa de brim de mangas curtas,
e calcas de algodSo azul ja velha ; quem o pe-
gar leve a rua da Guia sobrado de 3 andares n.
53 ao seu senhor Manoel Antonio de Souza
Res que recompensar.
= Fugio no dia 16 de Abril p. p. o negro
Antonio de nacao Congo baixo grosso ,
pouca barba falla fina dous dentes faltos na
frente do queixo de cima, com urna cicatriz
de urna ferida que teve em um dos ps foi
visto procurando o engenho Pintoba ven-
do quem o comprasse por ter isto de cos-
tume ; quem o pegar leve a rua da Aurora n.
30. quesera recompensado;
Fugio um negro no dia 23 do p. p. pe-
las duas horas da tarde, com os signaes seguin-
tcs, alto espadaudo tem os ps apalheta-
dos e no calcanhar do p direito urna cicatriz
de urna boba sarada mas nao encascada de
nacao Cabund de nome Gregorio ainda
bucal levou camisa de madapolo e calcas
de brim, julga-se ter encaminhado para a ban-
da do Sul, por ja ter sido de Paulo Caetano de
Albuquerquo ; quem o pegar leve a rua Direi-
ta padaria n. 129 que ser recompensado.
= Na noite de 29 para 30 do p. p. fugio 1
moleque de 18 annos nao faiia bem levou
calcas escuras de assento roxo e camisa de al-
godao; quem o pegar leve a rua da Cruz n. 59,
que ser recompensado.
= Fugio no dia 25 do p. p. a preta Maria ,
de Angola levou vestido de chita preta he
baixa corpo reforcado, ps largos beicos
grossos levou urna trouxa de roupa e diz
que vai laval-a foi vista em ponte de Uchoa ;
quem a pegar leve ao atterro da Boa-vista casa
da viuva do Passos que gratificar.
= No dia 5 do p. p. fugio o preto Jos ,
Cabinda do 40 annos, bcm ladino por ter
vindo pequeo levou vestido camisa de mada-
polo fino calcas de brim branco chapeo de
paha : quem o pegar leve a rua velha da Boa-
vista sobrado n. 63 ao Tenente Coronel Jos da
Cunha Moreira, que gratificar.
Rkcifb: itaTyp. deM. F. DfiFAau.=184:i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHF62QORZ_ICI5FZ INGEST_TIME 2013-04-12T23:04:34Z PACKAGE AA00011611_05017
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES