Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04999


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo de 1843._____Segunda Fera 10
'ludo ? tinuemos couio principiamos, a seremos aponlailos cun ilmira ,ii cnlie as Naqee mais
iilm.
( Proclamoslo da Assemblcia Gcral do BiSlL.)
PAHTIOAS DUSCURREIUS TERRESTRES
Coianna, e Par.hyba, seSundas e sextas fe/ras. hio Grande do N rje, quintas feiris.
Bonito e Gaaanuu, !> **' e -4.
Cabo Serinh.iem Riu Formoso Hurlo Cairo Micein e Alaoas no 1 H e21.
Rua-vislae Florea .3 a S. Santo *n"<> quintas ciris Olinda todos os diai.
DAS DA SEMANA.
O Seg. s. Januarioe scuscorop. Mm. Aud. do J de D. da y.
U Terg. s. Sabino, el. And do J.de D. da 3 T.
di Quart. s. Joo Gualberto Ab. Aud do i. de da 1. y.
ii Quint. a, Anacleto i*. M, Aud. do J. de D. da t.
I Se, s. Boaventura B, Aud do J. de 1) da I. T
45 Sab. a. Camilo de Lelis. Kel. Aud do J. de D. da 1 y.
&( Dom. O Vnjo custodio do Imperio.
de Jn 1 lio
Anno XX. N. 146.
r-^""-~^SK.U.MM.Il
O Ditr.ro publica-se todos os diasque nao fanal S niif-.vlos: o pBBfV da assinatura ha
de Iraa mil res por quartel uv;os adianladoa Oa aonamos doa ssiinanlc sao inserido,
ralis sus doa que n ni tan n i raa i > da "O reis p i'i liaba. As reclama ;es ileve.n serdiri-
gidas a esta Tip ra das Crines N. 1, oa apra d Independencia toja de liros N. 6eH.
CAMBIOSNo ,lia S do.Iulllo.
Cambio sobre Londres 26 Oiiao-Moeda da 6,a0 V.
k Pars 3. u /eit por franco. N.
jf B Lisboa lll) |inr 1UI> de,r<.4.... du 4,000
PkUTA-PaUooaa
M, eda de cobie 2 por cento n Pesos Colnauarea
I.: en ile ib:ras boai 'tiiiii I J a J ditos .\lncaniie
T11ASES DA LA !NO HEZ DE JI.110.
I.ua Cheia II, as 2 llorase 6 m. da larde. I l.ua ora a 27, as 3 i oras e 23 m. da
Quart.ming. l'J, s ll corase 22 oa n. in j Uin. crc. 4, a 4 horas o 43 m da
compra renda.
1,4 6,600
U,.Q4 ''i 400
y uoo i 20.,
,90d !>0
i.lWJ 1 '.'lo
i.yjo 1,1120
23 m. i a m.
o 43 os da tarda.
Prccunar de huje.
3 boras s ISo. da tarda.
jggmniaaBBaa^saa
SESmiv/ie.


0
i-a
Gavnrno da Provincia.
EXPEDIENTE DO t DO COUREINTE.
OfticoA juiz dedireito interino da segun-
da vara do crime, nomeando-o para presidir o
andamento das lodasda segunda paite da pri-
meira lotera favor das obias da groja do Gua-
delupe de Olinda.Participou-sc ao respectivo
cscrivao.
Dito Ao inspector la thesouraria da fasen-
da instando pelas iiformacos, exigidas pe-
lo Exm. Sr. ministro da fasenda. e pela que Ihe
oi pedida pela Presidencia ern 19 de junho ulti-
mo acerca do crdito ordinario para as despesas
da repartico da guerra no anno flnaneciro fin-
do.
dem do da 3.
dllcio Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda, devolvendo o pret dos vencimentos da
compartira ao deposito ; e ordeando.que so-
br'esteja no pagamento da praca invalida, Fran-
cisco Xavier de Freitas, que s dever ter lu-
gar quando for satisfelta a oxignela do com-
inissario fiscal do ministerio da guerra ; o que
mande pagar s dentis pracas na confbrmida-
dc da sua informacao de 28 de junho ultimo.
Ofliciou-se respeito aocommandanto das ar-
mas.
Dito Ao engenheiro cm chefe das obras pu-
blicas ordenando, que v ao mosteiro- de S.
Rento de Olinda examine o estado de ruina ,
cm que se acha a paite do oito mosteiro, que
6 oceupada pelo curso jurdico, e informe com
o r. sulladi do examc, seas aulas poderocon-
servar-se ali at o lim do anuo lectivo, sem pe-
xigo Algara.
dem do da 4.
OITicio Ao presidente da camaia munici-
pal do Rio Formoso, appiovando a proposta ,
que fez, de Antonio Jos Pimentel para roger
a cadeira de pnmeiras Jettras daquella villa ,
emquanto durar o impedimento do respectivo
prol'essor. Communicou-se ao iiispcctor da
thesouraria das rendas pipvineiaes.
Dito Ao administrador interino da mesa do
consulado, dizendo, que, com quanto reconhe-
<;a ajusticia de sua representacao acerca do pa-
amentodos ordenados dos empreados daquel-
Ja leparticao, nao sejulga todava autorisado
liara deferil-a; e que por isso vai leval-a ao co-
nliecimento do Exm. Sr. ministro da fasenda.
Dito Ao engenheiro em chefe das obras pu-
blicas ordenando-lite, que, depois de enten-
der-se com o desembargador chefe de polica ,
e de examinar o estado de ruina em que se a-
cha a cadeia desta cidade organisc o ornamen-
to dos concei tos absolutamente indispensaveis
para a seguranca dos reparos. Oiciou-se
respeito ao chefe de polica.
dem do da 5.
Portara Reunindo o districlo da subdcle-
gaturadcS. Rento ao de Garanhuns, cm consi-
deraco ao que representou o respectivo dele-
gad e a inlormacao que a respeiio deo o che-
le de policia uiliciou-se respeito ao desem-
bargador chele de policia.
CircularDo-secretario da provincia aos cho-
fes da guarda nacional, remetiendo uin exem-
plar (h cada um, da provisao doconselho supre-
mo militar de 6 de marco deste anno, que man-
da observar a nova tabella das continencias,
guardas de honra, e salvas.
dem do da 6.
OITicio Ao cominandanto geral do corpo
de policia, declarando, que o desertor da 3.'
companhia do mesmo corpo \ cente Duarte
Dito Ao jui/. relator da junta dejustica,
remetiendo para ser apresentado em sessao da
mesma junta o processo do Io cadete do 2.
baUtUan d'artilharia p, Antonio Carlos Paos
Barreto
l'inheiro deve ser considerado addido dita
companhia visto j se achar completo o corpo,
conforme a nova organsacio, c ter elle de res-
ponder conselho ; e ser assun conservado, at
que baja vaga em que posta entrar.
Dito Ao inspector da thesouraria da fazen-
da, devolvendo os prcls do clarim do esquaurao
da guarda nacional o Peo do aliio, que acom-
panhrclo o seo olTicio de 2I do miz lindo, para
que liuja de declarar em que consiste a in-
competencia do recibo.
Dito .A-> agente da campanhia das barcas
de vapor, aecusando recebi io o seo oIBcio; jem
qued tarteda'cue ada do vapor Bahiana o
do ter o mesmo de seguir no dia 8 para os por-
tosdosul.
ASSEMBLA GERAL
CMARA DOS SEXUOKES OEPDTADOS.
Sessode 23 demaio.
A discussao do r.;quermentodo Sr. Veiga so-
bre negocios do Minas he terminada depois de
haver fallado o Sr. Peixoto do Brito; o requeri-
mento he approvado. Contina a discussao da
rasposa a falla do throno, e orao os Srs. I). Jo-
s Almeida Albuquerque, Peixoto de Brito ,
Rezende, Torres, e Alendes dos Santos.
21Vo a imprimir duas proposicoes do se-
nado, urna redusindo a dous annoso tempo exi-
gido pelo artigo 1. 4 da lei do 23 de outubro
de 1832, e outra julando o capito Jos Pend-
ra de Azevedo comprehendido as disposicoes
do aitigo 6 4 da constituido. He lido o pa-
recer de commissaoconcedendo a autorisacao de
ser empregado fra do imperio o Sr. deputado
CansanBo sobie a qual fallan os Srs. Carnci-
roda Cunha, Fcrreira Franca, Wanderley, Fer-
raz, D. Alanoel, 1) Jos o Souza Martina, e he
approvado. Contina a discussao do voto do
gracas: toma a palavra
OSr. Sebastio do liego:Eu nao tenciona-
va fallar j a respeito de urna idea que aqui e-
mitli; o meu nobre amigo o Sr. ministro da ma-
rinha respondendo ao meu primeiro discurso,
disseque deixava para acontinuacao da discus-
sao o responder-me mais satisfactoriamente, se
eu insistisse na minha oplniao; mas o nobre de-
putado por Pernambuco, com a vehemencia que
a cmara Ihe conhece, insisti nessa minha o-
pinio e isto obngou urna resposta do nobre
deputado por .Minas filho de Pernambuco, e do
mesmo nobre ministro. Nesta resposta quasi
directamente virn eu a apparecer; julgo pois do
meu deverdizer alguma cousa a este respeito,
eassim respondere ao meu nobre amigo o Sr!
ministro da marinha.
Sr. presidente, se eu fosso um pouco mais ti-
morato talvez me tivessem assombrad> as o-
diosidades que se tcm lancado sobre min por
causa dessa minha opiniao ; se ellas cahissem
s sobre mim, eu as deixaria mas tem-so es-
tendido a mais alguem nao s a individuos da
minha familia senao a toda a deputacao de
Pernambuco. Tem-sedito por all que quero su-
bir ao poder, quealguns meinbrosda deputa-
cao de Pernambuco nutrem o mesmo desejo ;
tem-se dito quo as minhas ideas sao mais anar-
chicas do que as do nobre deputado p-la Babia
o Sr. Reboucas; tem-seditoque sempro fui pro-
penso ao bonet rouge; emflm muila cousa oeste
sentido se (em dito. Um nobre deputado por Mi-
nas,combatcndo a minha ida.lrouxc por exem-
ploos ministerios,onde tem entrado Pernambu-
canose Bahianos, a cadeira de presidente desta
cmara oicupada por Perna ubucanos e Baha-
nos. Eu pens que esses exemplos trazem algu-
ma odi isidade sobre aquelle quo emittio a opi-
niao que se quiz contestar e sobre a deputa-
cao de Pernambuco. Eu poderia mostrar minis-
terios compostos s de filhos de outras provin-
cias presidentes da cmara tainbem filhos de
outras provincias, etc.; mas nao quero entrar
nesta discussao....
O nobre ministro da marinha, combatendo a
minha opiniao, disse que a suppz filha do ca-
lorda discussao. Seria melhor que o nobre mi-
nistro desse a verdadeira ra^ao, talvez rasao po-
ltica por que nao respondeu como desejava.
1 >ra, eu declaro que, tendu sido o primeiro com
.i palavra nao me lendo os apartes desviado do
i i ii i a que me propunhu, nao poda estar aque-
cido pela discussao. Tendo-mo afastadoda opi-
niao da commissao e da do meu nobre amigo ,
era necessario que eu desse una rasad por que
assim o fazia e essa rasao eu a lu buscar nu
orgniscaddo ministerio. Disse que nao up-
punha que elle esthesse de tal sorte organisado
qifeeu pudesse em tudoo por tudo dar-lhe o
meu voto; aprezcntel como urna das rasos, ufio
como a principal a idea das localidades
O nobre ministro no dia seguinte veio promp-
to para o combate e principiou por ili/.er que
eu dera como nina das circunstancias essen-
des. Tal nao foi o meu principio; a cmara est
lumbrada do que cu disse.
O nobre ministro continuando o seu discur-
so disseque a capacidado, a inteligencia, os
primipios polticos era a rura que va ser-
vir de norma ao poder eloitoral dos ministros, e
quo outras quaesquercircumstanciaserao atton-
tatoras das regalas desse poder, envolvio um
principio inteiramente anarchico. Qjandoo no-
bre ministro fallouna intolligancia, o seu pen-
samepto oi ta circmnscript > que obrigou o
nobre deputado por Pernambuco a pdir-lho ox-
plicacao porque moslrou quo esta idea poJia
o entender como exclusiva como olTensiva. )
nobre ministro repelli esta interdfbtacad com
t ida a dignidad, disse que tal nao ora o seu
pensamento; c eu assim o acredita!.
Alas, Sr. presidente, permitta-me a cmara
que cu ainda insista sobre a idea das localida-
des. O nobre ministro eombatendo-a trou-
\e exemplos da Franca e dos Estados-Unidos;
maseu tenho de observarao nobre ministro quo
nao citou bom esses exemplos. verdade que o
systeina da Franca tem naturalmente alguin
ponto do contacto com o nosso ; nao ha princi-
pios inteiramente divididos exislem siin dile-
rentes lados, eos ministerios ali durad tanto
como os nossos, pela mesma rasao de quo
quando nao sao tirados dos grupos quo predo-
minan solTrem a maior opposicao. Porcm as
Kanisa o ministerio podem recahir sobre o poder
eleitor, mas sobro aquellos que, pelo systema
constitucional, estad sujoitos a rcsponsabill-
dade.
O nobre ministro combatenilo a minha idea,
mostrou-so muito sensivel (jue eu dissesse quo
o ministerio tinha sabido de um pequeo cir-
ulo ; nao compreliemleo bem o meu pensa-
mento. Eu o que dcejo que o mini-torio se-
ja eseolhido dos diflerentes grupos, e nao que
so tire das dilTerontes provincias; julgo que
prudente, que poltico queso cscollia entre
aquellas que representara melhor as vontados
provinciacs.
O nobre ministro disse que conhecia s
dous partidos no Brasil que era aquelle quo
quera apoiar o ministerio de 2-"J de mano a a
quelle que se Ihe oppuiiha. O nobre ministro
nao foi muito exacto no desonvolvimento da sua
idea. Pois o ministerio de 23 de julhoeracom-
posto de gente dos meamos principios? Basta
nomeal-os: oxistiSo Ralles os Srs. Andradas o
os "Srs. Cavalcantis, o Sr. Ja'mpoeoSr. Au-
reiiano: erao todos dos mesn.os principios? No
ministerio que succedeua esteentrou o Sr. Au-
rolianoooSr. Paulino, o Sr. Jos Clemento
o Sr. mtrquez de Pacanaga: er'm todos dos
iiiiu.io simn-iii a uiaitii uiiuosicuti. I"OIXIII as _.^ a r> r l
circumslancias da Franca nao sao as mesmas; a m,smos P"nc,P108 . Franva uniforme no seu modo de pensar, os | n-stro que o ministerio era dlho dos niesmos
seus interesses sao quasi unnimes; a Franca! principios? Senhores, por alii mesmo se mos-
pde-sc comparar de certo modo com unta pro- tra que preciso procurar, attender a esses
vincia do Brasil. Mas dosconhecemos quo dilTo-1 grupos attender s dilTerontes localidades.
rentes provincias tcm de alguma mam-ira dille-
rentes interesses ?
Citou-so tambem os Estados-Unidos. Mas es-
te exemplo tambem mal trasido porque ali
na onganisaca dos ministerios olha-se para as
localidades. O mesmo acontece na nomcacad
dos presidentes. Sabe-seque cadauma das par-
tes dos Estados-Unidos tem interesses diversos,
o nortee o sul secsforca cada um para dar o
presidente seu e quando nao podo dar o pre-
sidente quer dar o viro-presidente.
Mas p tra que procurannos exemplos fra de
nos ? Nao houve tempo em que so julgou poli-
tico que os presidentes das provincias fossem ti-
rados das suas provincias? Nao se v que as
provincias se esforca para nomear seus filhos
senadores o deputados, apesarde quo a constl-
tuicaS determine que s i v procurar por todo o
Brasil ? E por que rasao as provincias procurad
filhos seus ? porque conhecem que clles es-
tad mais Intel ados dos seus negocios que po-
dem aqui melhor curar dos seus interesses.
NaO estranho nos Srs. ministros dizerom
que, porque na5 conhecem cortos factos, cortos
individuos de diflerentes provincias vm-se o-
O Sr. Ferraz:A que grupo pertencia o
Sr. Aureliano, cuja posicaoera o sompre ex-
folente?
OSr. Sebastiao do Reg:Nao sei.
Urna voz:Ao do paco.
( Depois de mais algumas consideracoes quo
nao podem ser bem percebidas o nobre orador
contina: )
Por esta occasio eu tenho de queixar-mo do
nobre ministro a elle mesmo. Elle disse:Por
que razo o nobre deputado na resposta a falla
do throno nao apresentou urna emenda quo f-
zesse conhecer as suas vistas ?E ala disse que
esse espirito de localidadeso poda tomar por es-
pirito de familia.
O Sr. Torres: Nao me referia *o nobro de-
putado.
(J Sr. Sebastio do Reg:O meu nobre
amigo dizendo isto fez-se echo do quo se diz por
ali i lora, e eu sinto-me disto. Eu poderia re-
pellircste argumento mostrando a conveniencia
que ha em um governo representativo da influ-
encia de algumas familias; mas no meu entcn-
brigados a pedir informales aos respectivos de- j der essas exprossaes l'oro emittidas para cons-
tranger aquellos que tem do se pronunciar so-
bre certas opinioos; mas como sou neste caso
um pouco Paulista, sou toimoso continuo a
sustentar a minha opiniao aconleca oque a-
cuntocer. Estou ccr'to (|ue o meu nolire amigo
nao quer fa/er caso com os dicterios que pora-
hi andfio e sinto que pelas suas expresses se
possa julgar quo estamos desavindos. Conheco
nello todas as qualidades necessarias a um bom
administrador desojara que o paiz tivesse seis
individuos que o emittassem__
OSr. Torres:Muito obrigado.
O Sr. Sebastiao do Reg:.Mas sou obriga-
do a fazer estas rdlexoes para tirar de mim6 de
neus collegas a odiosidade com quo nos quo-
putados. Por ah se v pois quo so na organi-
sacao dos ministerios entrassem alguns indivi-
duos que molhormento dessem essas informa-
ces, maior conliam.-a inspirara o governo,
maior bem so conseguira. Nao quero dizer que
soja isto um principio constitucional ; mas jul-
go quo urna condica a quo cumpre attender
na organisacad do ministerio.
Sr. presidente, ainda por outro lado se quiz
tomar odiosa a minha idea ; disse o nobre de-
putado por Alinas, que ella era opposta atlri-
buirao do poder modelador. Ora, nos sabemos
que pertence ao poder moderador nomear e de-
mittir livrementeos ministros ; mas ha cortos
preceitos ha certas regras a seguir a este res-
peito. O que faz o monareha constitucional
iiuandoquer organisar um ministerio? Esclito
fulano e beltrano indisiinctamente? Nao; vai
procurar um individuo que tem o apoio das c-
maras, inciiiiiiic-llii- do organisar o ministerio,
e esto aposenta os seus candidatos. O monareha
podeannuir o sead, encarrega a outro da or-
ganisacad do ministerio. Alas tomos disto factos
em que as cmaras em taes occs'des mostrad a
influencia quedovomter no governo do paiz.
Ainda ha pouco na Inglaterra essa influencia
so apresentou quando foi chamado um individuo
nnra formar o ministerio, mas uuo naC
plae r, 'i r*rr. -~ rtrtfl miiii.l.i'i".' >.. I I 'J ..
-i-ti "S*"rM.wyuu V.V- M..UUIV.1V1 W !>'< unuu-
quu nao sei iu i i.,.l_ i.
por nao annuir a rainha a certas exigencias, exi-
gencias que alias se podero dizer nao polti-
cas poique erad relativas a demissOes de em-
pregados do paco. Entretanto o partido domi-
nante no parlamento insisti, e a rainha veio
por Ama annuir a essas exigencias. Entraoso
ni smo aconteceo no tempe do Sr. Pedro I.
mCn a obatVuvwe que so lazoiu quando so or-
rem tai regar.
Tanto o nobre ministro como o nobre mem-
bro da commissao apresentraoa idea de que na
discussao da resposta ,"i falla do llirono devia a
cmara extremar-se. E verdade ; mas, no es-
tado em quo est a cantara, nao isto possivel;
eseno', vejao as emendas que abi estao sobre
a mesa. A discussao da resposta nao traz nem
pode trazar vantagem para o governo nem
para a cantara : havemos de licar no mesmo es-
votando como Ihe parece.
U Sr. Torres:Pede o oncerramento da
discussao, e assim se decide; e posta a respos-
ta, be approvada tal qual. Contina a discus-
sao do artigo \. do projecto sobre a divisao da
provincia do Para, que he regeitado, o segu
a do artigo .i., que he aporovado sem dehatA
o a do (i. que fica adiad i


26 Entra cm discussao o rcquerimento do
Sr. Rfboucas para se fa/.ercm ao governo certas
perguntas concernentcs ao Sr. Goncalves Mar-
tins que (alia durante o tempo da discussao
de rcquerimcntos, che interrompido porterpas-
sadoahora. Continua a discussao do art. 0.
do projecto sobro a provincia do Para : he re-
geitado e julga-se prejudicado o 7. A dis-
cussao do 8. fica adiada.
Entra cm discussao o seguinte :
Art. 6. O ministro e secretario d'estadodos
negocios da guerra autorisado para despen-
der com osobjectos designados nos seguintes
paragraphos a quantia de 5,891:869,830 a
saber :
1."Secretaria d'estadoc con-
tadora gerala ella annexa.., .. 52:500,000
2." Pagadoria das tropas..... 17:100,000
3. Commissarios liscaes o seus
ayudantes.................. 9:000,000
4." Conselho supremo militar. 23:150,000
5. Commando d'armas...... 36:649,920
6.Escola militar.......... 48-993,120
7. Archivo publico e olicina
litographica............... 8:711,920
8. Arscnaes de guerra e ar-
mazens de artigos bellicos..... 550:458,2V0
9. Aprendices menores do ar-
senal de guerra............. 60:552,920
10. Offieiaes do estado maior
gneral da l.c 2.a classe.. .. 123:180,000
11. Engenheiros........... 50:242,000
12. Torca de linha..........2.981:237,640
13. Dita fura da linha...... 363:579,600
14. Ilospitaes............. 38:277,265
15. Gratificaccs e forragcns a
offieiaes de diversas armas..... 31:165,600
16. Offieiaes da 3.a classc___ 139:500,000
17. Ditos nao classilicados.... 29:185,200
18. Ditos de 2.a linha que ven-
cen sold................. 62:237,490
19. Ditos honorarios dito___ 12:006,000
20. Reformados............ 584:056,136
21. Asilo de invlidos....... 5:484,982
22. Obras militares......... 143:200,000
23. Escaleres do servico das
fortalezas.................. 16:537,836
24. Presidio da ilba de Fer-
nando.................... 16:964,000
25. Luzes dos quarleis cor-
pos de guardas e fortalezas..... 27:023,229
26. Barcas de vapor........ 237:516,368
27. Diversas despezas e even-
tuaes..................... 73:300,370
28. Despezas extraor inarias.. 150000,000
29. Ejercicios findos....... ,
emendas da commissao.
1. Em vez de 52:500,000 45:300,000
2 o Km vez de 17:100,000 13:820,000
6. Em vez de 48:993,120 42:913,120
7." Em vez de
Archivo publi-
co diga-se Ar-
chivo militar ,
(a mesma quan-
tia. )
8.u Arsenaes
emvezde..... 550:458,240 488:870,210
9.Acrescente-
se inclusive 50
aprendiz.es me-
nores na pro-
vincia de S.Pe-
dro do Rio Gr.
do Sul, em vez
dc ...... 60:552,920 47:579,200
10 Emvezde 123:180,000 119:940,000
11 Emvezde 50:242,000 49:922,000
12. Em ve/, de2,981:237,640 3,621:510,340
13 Emvezde 363:579,600 84:924.000
143:200.000
27:023,229
237:516,368
81:800,000
24:723.606
140:000,000
22. Em vez de
25. Em ve/do
26. Em vez de
27. Suprima-
se a palavra e-
ventuaes, e em
vez de....... 73:300,370 37:060,370
28. Diga-sc despezas extraordinarias e e-
veojuaes, comprehendendo-sc sidos e gra-
tilicacesaos guardas nacionaes em servico na
provincia do Rio Grande do Sul e despezas
do recrutamento ( a mesma quantia. )
Paco da cmara dos deputados 19 de abril
de 1843. toelho. Lima e Silva. Se-
bastiao do Reg Barros com restriccoes.
Tomao pjrte na discussao os Srs. ministro da
guerra e Ferraz.
27 Continua a discurso do S Goncalves
Martins, sobre o rcquerimento do Sr. Reboti-
cas quejolgado discutido be unnimemente
regatado. Continua a diw usaSo do projeeto .
que cria a provincia do Ito Amazonas. < o-
mSo parte nella os Sr*. l'onseca Rezendee
Souza Franco. Continua a discussao do orca-
mento da (Hierra e Callao os Srs. Ministro da
guerra e Coelho.
29. Continua a discussao do projecto so-
bre a nova provincia do Alto Amazonas na
bualtomao pane *. Almeida Aibuquw-
que Carneiro da Cunha : da-se por conclui-
da a segunda discussao. Entra em primeira o
projecto que eleva categora de provincia a
comarca de Coritiba e depois de breves refle-
xes fica adiada. Continua a discussao do or-
namento da guerra, em que tomao parte os Srs.
Sebastio do Reg e Rezende
30. Continua a discussao do adiamonto
proposto pelo Si. Fonseca no projecto sobre a
elevaco da comarca de Coritiba provincia e
fallao na questao os Srs. Fonseca, Pereira Jor-
ge Veiga e Ferraz.
I'-se por discutida a materia e posto a vo-
tos o adiamento regeitado. O Sr. ministro
da iii,irinh,i I duas pnpostas do governo ,
urna sobre o modo, por que devemser reguladas
as promocoes dos officiaes da armada a outra
sobre as reparticoes fiscaes da marinha : sao re-
mettidas commissao respectiva.
Continua a discussao do orcamento da guer-
ra na qual tomao parte os Srs. Souza Mar-
tins ministro da guerra, Carneiro da Cunba,
Rocha, e Ferraz.
31. Continua a discussao do projecto so-
bre a creacao da nova provincia de Coritiba e
fallao sobre o objecto os Srs. Fonseca que
combateo projecto Carneiro de Campos, que
o defende e Nebias que tambem o combate.
Continua a discussao do orcamento da guer-
ra em que tomao prteos Srs. Ribeiro e Pei-
xoto de Rrito e a final julga-se discutida a
materia : procede-so votacao das verbas do
orcamento, e emendas da commissao as quaes
sao approvadas.
regeitado o paragrapho da proposta so-
bre os commissarios fiscaes e approvada a c-
menda assignada pelos Srs. Silva Ferraz e Pin-
to Paca que em vez de commissarios fiscaes
cria pagadorias provinciaes com tanto que a
sua despeza nao exceda a 24:000,000 reis.
Continua a primeira discusso do projecto
sobre a comarca da Coritiba ser elevada a pro-
vincia, e tem a palavra oSr. Ferraz, que com-
bate o projecto.
PERNAMBUCO
conservas, 2 caixas caximbos, 12prezuntos,
24 jigos batatas; ao capitao.
5 caixiscom azendas d'algod3o ; a R. Rovle
&C.
Tribunal da Relaco
SESS.YO DE 8 DE JULHO DE 1843.
Na appellacao crime dcsta cidade appellante
D. Felicia Constancia Falcao do Reg, apelado
Luis Leger Vauthier, escrivao RegoRangel,
nao fomarao conhecimento do processo por ser
appellacao de apellaco.
Na appellacao crime da comarca de Flores ,
apellante o Juizo, apellado Jos Antonio Noia,
escrivao Ferrcira, sojulgou procedente o recur-
ro e mandarao remetter os autos para novo
julgamento.
No recurso crime da comarca da Parahiba ,
appellante Joao Evangelista de Souza, apella-
do Rento Alves de Meirelles escrivao Reg
Rangel se julgou pela confirmacao da sen-
tenca.
PRACA DO RECIFE 8 DE .ll'I.HO DE 1843,
Bevista mercantil.
Cambios Nao houverao tranzacoes no de-
curco da semana mas ha trocadores
' a 25 V* d. por 1000 e sacadores a
25 d.
Algodao As entradas forao pequeas, eos
precos de 4:600 4:700 a @.
Assucar As entradas forao muito pequeas,
por estar quasi a finalisar a safra e
tem-se vendido a 1:300 o branco ,
e 1:200 o mascavado em caixas so-
bre o ferro.
Couros Sao oflerecidos por 130 rs. a Ib., e
so pouco procurados.
Ac de milao Vendeo-se a 248 quintal.
Bacalho O deposito de 2400 a barrita ,
c as vendas forao muito deminutas.
Bolaxinha Vendeo-se a 4g a barrica.
Carne secca sem alteracao.
Farinha de trigo Entrou um carregamento dc
Philadelfia de 1500 barricas e 300
de Marselha os quaes estao por
vender ; o depozito de 2300 a bar-
rica e os presos variao de 19$000 a
218 conforme a qualidade.
Manteiga Chcgarao 100 barris, que forao
vendidos a 610 a Ib.
Vinho Chegou um carregamento de Marse-
lha que segu para o Sul.
Existem no porto as seguintes embarcacoes.
Americana..........
Austriaca..........*
Rrazileiras.......... 2+
Dinamarquezas......... 2
provincia se ha de arrematar em hasta publica
no dia 11 do corrente a renda da casa terrea
sita na ra de Santa Tbereza n. 21 que ja foi
annunciada pelo tempo, que decorrer do dia
em que os arrematantes receberem a chave da
dita propriedade at o ultimo de junho de
1846. Secretaria da thesouraria de fazenda de
Pernambuco 4 de julho de 1843. Joaquim
Francisco Bastos, oflicial maior.
Declaracoes.
Franceza .
Hcspanhola.
Inglezas
Portuguezas
Sardas .
Sueca .
Alfandega.
Rendimento do dia 6........... 7:892g670
DescarregSo hoje 10.
Polaca Otar farinha de trigo.
Barca Sueca Lirette farinha do trigo.
Brigue Cecily taxas de ferro.
Barca Globe farinha, bolaxinhas fazen-
das, cha, cravo o cunda.
ISJPORTACA.
Globe barca americana vinda dc Phila-
delphia entrada no corrente mez, consigna-
da I.. G. Ferreira & C. .manifestou o seguinte:
1509 barricas com farinha de trigo 183
fardos e 105 caixas com lazendas, 300 barrili-
nhoscom bolaxinhas 300 caixas com vellas de
espermaecte 60 ditas com canella, 40 fardos
cravos da India, 4 caixas com p> ntcs( travessa.)
123 caixinhas com cha 20 barricas com fari-
nha de milho 2 caixas com phosphoros 45
emhrulhos com esleirs 458 barricas abatidas
e 19 ditas com lampos ; a rdem.
I.isette barca sueca vinda de Marsailla ,
entrada no corrente mez consignada a N. O
Kieber &C manifestou o seguinte:
300 pipas com vinho 300 barricas com fa-
rnha de trigo ; aos consignatarios
6 caixas com missangas; a l.uiz Bruguiere.
1() ditas armas ; a Roo pe & C.
51 caixas com licores, 51 ditas vinho 25
jigos com dito 25 ditos com a/cite doce 25
caixas conservas ; a Ordt m.
Besto do manifest do brigue Cicely
17 lardos e 21 caixas com fazendas d"algodo,
9 caixas litas dc linho ; a W. E. Smilh.
1 .xa -.AMiservas, 3 barris sai, queijva, u
Total
1
1
4
5
2
1
42
IIovimento do Porto.
Navios entrados no dia 8.
Acarac ; 24 das, brigue-escuna nacional A-
guia de 160 toneladas, commandanto An-
tonio da Rocha Lima equipagem 13, cargo
sola c couros : passageiro Domingos Anto-
nio dos Santos, hespanhol.
Navios sabidos no mesmodia.
Rio de Janeiro ; vapor nacional fahiana, com-
mandante Manoel dos Santos Ornellas : pas-
sageiros Dr. Alexandre Pereira de Souza Car-
mo, brasileiro; Guilhcrmo Gardiner, In-
gle? ; Christovao Diestel, e Joao Ebing, A-
lemes ; Jos Maria Goncalves Ramos, por-
tuguez e 1 escravo ; A. \V. Lijol. inglez ;
Luis Annizar, judo ; Miguel da Silva Pe-
reira portuguez, 1 escravo ; D. Maria de
Seixas, portugueza ; Francisco Antonio de
Oliveira, suasenhora, 3 filhos, brasileiros,
e 5 escravos ; Joaquim Jos Souto, e Fran-
cisco Eduardo AlvesVianna, esuasenhora,
portugezes ; Eduardo Bcnn inglez.
Portos do Norte ; vapor nacional Imperador ,
commandante Jos Maria Falcao : passagei-
ro Dr. Bartholomeo Jos Vaina brasileiro ,
e 3 escravos.
Rio de Janeiro ; barca nacional Firmeza ca-
pitao Narcizo Jos de S. Anna carga varios
gneros passageiros Dr. Jos Joaquim Je-
miniano de Moraes Navarro, e 1 escravo; Jo-
s l.uiz Nolasco com sua senhora e 3 es-
cravos ; D. Francisco Maria da Silva e 1
escravo ; Florencia Maria dc Jezus. e 2 es-
cravos ; Manoel Jos Carneiro; Ricardo A-
lexandrino de Andrada ; Caetano Pinto de
Veras, brasileiros. com 3 escravos a entre-
gar ; Jos Eusebio de Almeida Furtado A-
mesquita hespanhol.
Londres ; brigue inglez Thomas Leech capi-
tao Eduard Goldin carga assucar e pao
Brasil.
Liverpool ; barca ingleza Britnica capitao
W. Eduard carga assucar e algodo.
Lisboa : patacho portuguez Novo Congresso ,
capitao Manoel Jos Balo carga assucar.
Observaco.
Va o mais na bar a de vapor Babiana 56
pracas para o exercito e o capitao Franc:sco
Machado do Reg Barros, a testa dcllas. \ io
mais o 1." lente da armada 1 escrivao da
rnesma 1 cnpitfio do exercito e 1 senhora,
vindos do Norte.
Edital.
Cartas seguras, existentes na administra-,
cao do correio para os seguintes Srs.
Amorim & Irmao.
Antonio da Silva & C.1
Domingos Moreira Dias.
Jos Baptista da Fonceca Jnior.
Manoel da Fenceca e Silva.
Kalkmann & Rosenmund.
=0administrador da mesa da recebedoria das
rendas geraes internas avisa aos moradores do
bairro de S. Antonio que no dia 10 do cor-
relo mez principia a coleta de lejas taber-
nas e todas as casas que estao sujeilas ao im-
posto do banco : todos os coletados que se a-
charem prejudicados nos alugueis hajo de com-
parecerem nesta repartido munidos dos papis
de renda e recibos para avista d'elles sercm
attendidos. Beccbedoria 8 de julho de 1843.
O consulado dc Franca fica translerido
da ra do Palacete para a ra da Cruz do Rc-
cife casa n. 1
O Arsenal de Guerra compra porco de
ferro Inglez e da 'uecia, em vergas e tam-
bem chapas finas e grossas tudo de boa qua-
lidade; quem tal genero tiver apresente-se com
as competentes amostras na sala de sua Directo-
ria no dia 10 do corrente as 11 horas da ma-
nba.
f erante a thesouraria ae lazeuua u esta
Avisos martimos.
=Para Lisboa com a maior brevidade vai
sabir o muito bem construido e da primeara
marcha brigue portuguez Triunfante forrado
e encavilhado de cobre, tem as mais bellas, e
excellentescommodidades para passageiros, com
preferencia em ludo a outro; quem no mesmo
brigue quizer carregar ou ir de passagem pode
dirigirse ao capitao Silverio Manoel dos Beis ,
ou a casa de Mendes & Oliveira, na ra do \ i-
gario.
Para o Porto saldr brevemente o brigue
portuguez Primavera capitao Jos Carlos
Ferreira Suares; quem no mesmo quizer car-
regar, ou ir de passagem, para o que tem bons
cornmodos pode tractar com o dito capitao na
praca do Commercio ou com seu consignata-
rio Antonio Joaquim de Souza Ribeiro, na ra
da Cadeia n. 28.
= Para qualquer parte da Europa segu
viagem o brigue Inglez Cicely de primeira
classe forrado encavilhado de cobre, e dc lo-
te de 235 tonelladus, (om excellentes cornmodos
para passageiros tracta-se na ruado Trapi-
che novo n. 10, como seu consignatario Jones
Patn & Companhia.
s= Freta-se para qualquer porto da Europa
o mui superior e veleiro brigue inglez Cicyle,
de primeira classe, e de lote de 235 toneladas,
forrado e encavilhado de cobre, tendo excellen-
tes cornmodos para passageiros ; os pretenden-
tes dirijo-se aos consignatarios Jones Patn &
C", na ruado Trapiche Novo ns. 10.
Avisos diversos.
No dia 17 do corrente corre
imprelerivelmente a Lotera de k.
Pedro Martyr de linda fqttem
ou nao hillietes.
O thesoureiro da lotera de N. S. de Gua-
delupe principia a pagar os premios da segun-
da parte da. primeira lotera nos dias 10, 11,
e 12 do corrente na ra do Crespo n. 10, pri-
meiro andar, e continuar as (guaras e Sabba-
dos das 9 at duas da tarde.
Jos Romao de Freitas, mestre alfaiate.
faz sciente ao publico e a todos os seus fregue-
zes, que mudiu a sua residencia para o pri-
meiro andar do sobrado da ra do Roznrio, aon-
de mora o Sr. Serafim Jos d'Oliveira e ahi
promete servir com perfeicaoe asseio a todas as
pessoas que sequizerem utilisardeseu pres-
umo.
Quem precisar de urna muier de buiscos-
tumes para servir de portas a dentr cm casa
de homem solteiio, ou de pouca familia, dirja-
se ra do Caldeireiro n. 6.
Precisa-se aiiugar urna casa terrea ou um
sobradnhode um andar pura pouca familia ,
que nao exceda de dez mil reis mensaes sendo
no bairro dc 8, Antouio : annuncie por esta
lolha.
,1


ATTENCO !
Acha-sc na casa do Joao Cardozo Aires na
za da Cadeia velha urna obra rccentemente
publicada no Rio de Janeiro neste anno de
1843, intitulada Diccionario de Mtd cia Po-
pular pelo doutor Charnoviz cm que se
descrevem em lingoagem accommodada in-
telligencia de todas as classes dasocierlade os
signaos as causas e o tratamento de todas sa
molestias; os soccorros que se devem prestar
nos accidentes sbitos, como aos a (Toga d os,
asphixiados fulminados do raio as pessoas
mordidas por cobras venenosas as pordas de
sangue as convulces das criancas ; os ca-
racteres dos cobras venenosas o das que sao in-
nocentes ; os contra-venenos de todos os ve
nonos conhecidos os conselhos para preservar
das molestias e prolongar a vida as prccau-
coes que deve tomar quem muda de clima, os
preceitos sobre a educacao dos meninos, os
cuidados que reclama a prenhc/., o parto as
suas consequencias a crianca rccem-nascida ,
a escolhade urna boa ama de leite, a denicao, a
desmamaco.os perigos a q' expoe asdiffcrentes
profisses e os mctos de evita-los, os erros popu-
lares nocivos a saudo os meios de descobrira
falsificaeo do vinboe dos alimentos a prepa-
rado dos remedios caseiros ; as plantas uteis
o venenosos Dous voluntes 8o grande con-
iendo 950 paginas: preco 108 rs.
a Francisco Antonio de Oliveira & ilho ten-
do de ir a corte do Rio de Janeiro, deixao os
negocios de sua casa incumbidos a seu amigo o
Illm. Sr. Commendador Lu/. Gomes Fcrreira,
com quem se entenderao as pessoas que com os
mesmos tiverem a tratar. Eaoscu caixeiro
Manuel Joaquim da Silva fica incumdido de
receber osalugueis dos seus predios, e com
ingerencia nos negocios internos do sua casa.
J urtarao da loja do Gomes & Carvallto ,
no dia 30 do junho passado um cartao poqneno
do papelao com dcsenove mantas de fil de li-
nho; roga-se portanto a quem ditas mantas fo-
rcm oflerecidas aprehendol-as, assim como (po-
dendo) ao roubador, e leval-as a dita loja jun-
to ao arco do S. Antonio na esquina que vira
para a Cadeia, ou annunciar por esto Diario.
= (.01;tinua se a tirar passaportes para den-
tro do imperio o despachao-so escravos tu-
po com brevidade ; trala-se no Atierro da Boa-
vista loja n. 41, ou 48, com Antonio da Sil-
va Guimares.
A pessoa que por engao tirou urna car-
ta do correio, vinda do Maranhao pelo vapor
Bahiana para Joaquim da Silva Mourao ,
queira porobzequio ontrcgal-a no estado em
que estiver na ra da Cadeia velha loja de
iorragem ao p do arco de N. Sr. da Concei-
cao que se Iho (cara obrigado.
Quem annunciou querer comprar garra
fasyasias, e pesos de meia arroba at libra,
dirija-se as 5 pontas n. 45.
~ Os abaixo assignados fazem publico, que
desde o dia 15 do Juulto p. p. est dissolvida
( amigavelmcnte ) asociedade, que girava sobre
a firma de Zimmer Ramm &C., e juntamente,
que a extinca firma nada ficou a dever a pessoa
alguma por ter saldado todas as suascontas ;
assim como dcclarao aos seus devedores ( n
excepcao dos Srs. S. & Cha. e D. R. & C. os
que devem pagar ao Sr. Candido Jos do Salles)
que os seus dbitos passrao a pertencer ao Sr.
Henrique Zimmer.IJenrique/.immer, como
procurador da viuva do I. D. Ramm.Kalke-
mann $ tiusemmnnd. Candido Jos de al-
ies.
Sociedade l'uterpina.
A commissao administradora tom designado
o dia 2i do corrento para sua partida : e con-
vida aos Srs. socios para appresentarem as pro-
postas de seus convidados na sessao do 13 para
o fim convocada.
Aluga-se um quarto de umuxasa a urna
senhora capa sem familia ; quem o pretender
annunciea sua morada.
Avi/a-se a todas as pessoas que mandarao
concertar chapeos de sol do homem o de senho-
ra na ra da Ordem tercoira de S. Francisco
desdo o anno de 1842 e cujos chapeos se a-
chao promptosa tompoinfenitoe nao cuidaoem
os mandar uscar por esto se faz sciente as
ditas pessoas que so no pra/o de 8 dias conta-
dos da data dosta em diante os nao lorem buscar
perdero os ditos chapeos de sol e ser. vendi-
dos para ser pago dos concertos ficando o
concertador por este annuncio izenlo da sua
responsahilidade: na mesma continua-se a con-
certar chapeos de sol com muita prefeicao e
promptido eseguranca por preco maiscommodo
que em outra qualquer parto tambem se acha
para vender varas do baloias de chapeos de sol e
argolinhas para coleto.
Na ra Direita casa n. 57 engoma-se ropa
por proco muito commodo a fallar na mesma.
A commissao administradora da sociedado
Torpschoro convida aos Srs. socios para so reu-
n mu no dia 12 do corrento a fim do elegerem
a nova commissao administradora na conformi-
pade dos estatutos.
Participo a todos os senhores, a quem Joo
Correia de Araujo Eugenio Jos lluniz o
Manoel Vidal d Silva devem nesta cidade c
mesmo no centro destra provincia do Pernam-
buco que estejo cortos quo nao tem sido pa-
gos do quo estes homens devem por que as
tristes circunstancias dos lempos fazem com que
elles nao possSo ter um desempenho c nao
porque suas ntcncoes sejao outras : seguiido
o que tenho observado em qualquer d'elles;
deitarem lagrimas s por se nao poderom de-
sempenhar, c receberem seus crditos, e
no estado em que se achao merecom toda a tt-
tencao, e pela presente folln publica faco a to-
dos scientedoque tenhoobscrvado.poiscomelles
exislo.e porisso aTJrmocom juramento so preci-
so lor, c s por ellos me nao obrigo porque nao
posso.Jos dos Santos Falc3o.
= Aluga-se o sagundo andar do sobrado da
ruadas Trincheiras n. 46; no 1.o andar do
mesmo.
Com quanto me expixas-se completamente
no Diario n. 142 como di- o imparcial no seu
annuncio do sbado por' talvez fallar desente-
rccadamehte o mostrar que por zanguinha
particular he que tem apparecido annuncios
contra o irmao e a irmandade de N. S. do Ter-
co e que de tacs annuncios nenhum proveito
se tirava antes prejui/o por desgostarem os
bons irmaos; apparece de novo o tal imparcial ,
( o que Ihe chamarei enredador i como nao
satisfeito fazendo algumas ohscrvaces que
niio val apena sobre ellas responder. Em quan-
to as pergnntas que me faz sobro o thesourei-
ro ter negado os livros ao secretario eu nao Ihe
devo responder porque nao quero criminar ,
ou defender pessoa alguma o thesourciro
mesmo he quem se deve dar a esse trabalho ,
pois so o quizer fazer tem muito com que ,
oque boas coizas nao aparecerao? concluirei
segundo vez a pedir que se deixem do annun-
cios quem tiver queixas particulares procure
outro disforco e nao com a capa de irmao ,
he esta a opiniao do
Verdadeiro irmao imparcial.
O rapaz brasileiro, que se olTercco para tra-
halhar pelo ollcio de chapeleiro por este mesmo
Diario n. 145 que diz nao ser anda oflicial,
aueira dirigir-so a ra da Gloria sobrado n.
88: no mesmo toma-se meninos para se ensi-
narodicio e juntamente precisa-se de um ra-
paz para caixeiro de venda, quo se ja portuguez,
c que nao tenha mais de 12 a 14 annos.
=Precisa-se de alugar urna cscrava, que sai
ba bem cosinhar c fazer o mais servico inter-
no do urna casa do pequea familia: na ra do
Cabug loja de miudezas junto a do Sr. Ban-
deira.
Perdeo-se, vindo dos Affogados urna let-
tra perlencente a Sra. D. Thereza Maria do
Jess, do valor de dois con tos de res passa-
daa favor da mesma senhora poros senhores
Jos Francisco de Azevedo Lisboa c o May-
er para a matriz da Boa-vista cm data de
13 de fevoreiro do corrento anno. por tres mo-
zos correndo o premio de 1 V5 por cento ao
mez pago mensalmenle, como tom pago o
Sr. Pinheiro at junho p. p ; o as costas tem
um recibo de um cont de res por conta .
o qual assiguou a dita Senhora em 24 de
maio do dito anno; por isso pessoa alguma
aceite, porque foi desemeaminhada e porten-
ce a dita senhora a dita quantia por quo nem
a doo em pagamento nem a trespacou c se
faz publico.
Alcxandriua Maria da Conceicao faz cer-
tos que podem uzar do seus direit'os que estao' directamente dos fabricantes pela facilidad do-
sutdindo de tolos porem olhos abertos nao1 recurso havendo defleito, e a promptido mes-
tomem tantas pilulas que podem produ/.ir al- \ mo de algum concorto que possa necessitarem,
glima nflamaeao.advcrtindo que jamis me es-' porestarem os moldes todos no paiz
iiiceendo da minha esmolinha promettida para
o badallo. O amigo do din ito.
-A pessoa, que se dirigi ao engonho Tape-
ra freguc/.ia de Joboato a fim do dar no-
ticia- de um proto quo se acha preso na cida-
de io Ico, fan o favor dever so o dito proto tem
os signaessegnintes : alto, soco, espaduado ,
ponas linas tom urnas marcas do fogo ou
ohicotadas nos costas o qual chama-se Podro,
o tolvez tenha mudado o nomo : tendo o men
c-ionado proto ditos signaos, podo essa pe&oa
dirigir-seao engonho Peredas na supradita fre-
guezia a nlender-se com o proprictario do mes
mo engenho, quo gratificara com geni rosidade,
sendo o escravo do dito proprietario.
= O arrematante do imposto do 20 '/ sobre o
consumo das agoirdentes do producao brasi-
leiro avisa aos Srs., que ainda nao pagar.io dilo
consumo, vonhao l'azel-o nos dias l! 12,
13 14 15, e 10 do correte no I rgo de
N. S. do Terco n. 11 (indos os quaes se pro-
ceder na forma da lei contra os quo doixarcm
de pagar.
Aluga-se urna meia-agua com um sotao na
ra das Trincheiras; quem pretender dirija-
se a ra atraz da matriz da Boa-vistan. 22 :
na mesma casa se vendo urna porc&o de barri-
cas vasias, quo forao do farinha do trigo.
N.VO Tendo sido possivcl ao abaixo assig
nado despedir-so p ssoalmenlc de todos os seus
amigos e relacionados antes de retirar-se
para a corte do Rio do Janeiro em conse-
quencia de lh'onao permittiromosseus afazeres:
aproveita-sed'estaoccasiaopara Ibes pedir des-
culpr desta falta involuntaria c olTerecer-lhes
o seo prestimo naquella corte protestando
servil-os com prazer e promptido em tudo ,
'ue estiver ao seu alcance.
Cutiano Pinto de Veras.
- Muito se tem fallado do sistema llomeo-
pathico do sistema do Broussais c de outros
muitosmil di fie rentes ; pouco portanto se tem
dito do mais essencial os evacumantes, que
ninguem pode negar serem nos climas calido
absolutamente necossarios, e sobretudo (piando
existe a dificuldadc de fazer observar aos ou do-
Tes a dieta necessaria e rigoroza quo pedo a
Ilomeopathica c pratica regular &c. Somos
geralmente acostumados a comer muito mais
do que he necessario para o nosso sustento ; o
to ao respoitavel publico, que Henriquesd
Araujo Jordao nao he mais procurador de
seu marido Jos Vlaria da Costa Carvalho ; por
ser suspensa a mesma procuracao pela anuun-
ciante por poderes que tem do mesmo seo
marido o que faz publico.
Senhorinha Maria da Conceicao viuva do
finado Feij faz certo ao respeitavel publico ,
que tem encarregado ao Sr. corrector Olivei-
ra para esto por em leilao a machina de vapor
de serrar madera fundicao emaisperten-
ces da mesma assentada na praia da Ribeira
as casas do Sr. Jos de Oliveira Ramos dan-
do esle senhor 8 annos de arrendamento a
quantia ajustar, cujo dinheiro be para paga-
mento dos credores da mesma annunciante e
do dito fallecido, e por quo teve demora o pro-
curador, da annunciante em a vender, tem
mudado de procurador e suspenso o Sr. Hen-
riques de Araujo Jordao da procuradoria, que
tinhacom a mesma annunciante.
Tendo esperado pela resposta da meza da
irmandade do Senhor Bom Jess das Dores o
motivo de nao darem posse a mesa nova, ainda
nao me foi possivel saber eu ja disse que nao
quera levantar falso, e tirar sede algumas sus-
peitas que os mesmos irmaos da casa fallao em
quanlo nao liverom por noticia que a mesa to-
mou posse eu nao me calarci por que acho que
he relaxacao da mesma mesa outras que suas
festividades forao muito mais tarde, jacorn-
prirao com seu dever, nao tem levado nem 15
dias, grande passiencia tem tido os nossos elei-
resultado he flatos, indigestoes e inflamar
coes nos ligados, ic. Para remover impedi-
cstes incommodos, nada he mais prompto, que
um purgante saudavel que nao constipa os
intestinos, e que augmenta as diflerentes sec-
creces.
O publico achara as Pilulas vegetaes do Dr.
Rrandreth e na Medicina Popular Americana ,
estas propriedades, que produzem seu effeito ,
sem dores e incommodo algum nao he ne-
essario dicta alguma e pode-se tractar dos
seus negocios no mesmo dia em que se tomar.
Aqui vende-sc somente em casa do nico a-
gente Joao Keller, ra da Cruz do Recife n
18, e para maior cominodidade dos compra-
dores, na ra da Cadeia do Becife, em casa de
Joao Cardozo Ayres, na ra Nova na de Guerra
Silva & C,*, e atterro da Boa-vista, na de Sal-
les & Chaves.
C. Starr & C. engenheiros machinistas .
e fundidores; avisao aos seus freguozes cao
publico em geral que se acha o seu estabeleci-
monto da ra da Aurora bem sortido de rno-
endas de canna de toda qualidadcs; entro as
quaes ha tres ( todas dilTerentes) com melbo-
ramentos de nova invencao que nao deixaro do
merecer alguma attencao ; machinas do vapor
de todas as qualidades e tamaitos, uzadas no
paiz bocas do fornalha e crivos serras sorti-
jas para serrana bombas arados, safras ,
chaves de parafuzos e nivois deesprito Nesta
fabrica faz-se nao so estas obras como tambem
machinas de vapoi para barcas de toda forra ,
caldoiras paiaditas canos de ferro para en-
canamenlos, ou qualquer outro fim barcas ,
alvarengas o canoas tudo de ferro, equal-
uer outra obra em engenharia por grande que
soja. C. Starr & C, com a experiencia e pra-
tica que tem tido ( em vinte e tantos annos e
este paiz nao tem por objecto aprezentar as
bras um exterior muito bornido que so serve)
para engaar os olhos principalmente em um
paiz onde o ferro perde o lustro com tanta ra-
pipez. maissim produzir machinas desem
penadas cm toda as parles de contacto c com-
binar as qualidades de soi em maneirase fortes;
o nestes particulares mais importantes, nao fo-
gem quer outra fabrica. Esto estabeloeimento olle-
nve grandes vantagens as pessoas que neces-
silao de obras desta natureza nao so pela faci-
lidade de as encommendar em propria pessoa e
sem tradcelo de termos tochnicos nao geral-
mente entendidos como tambem pela garanta
= Vcitch, Bravo & C. tem a honra de par-
ticipar ao respeitavel publico, que na sua botica
e arma/em de drogas n. 1, vende-sc o seguinte:
extracto fluido contratado de salsa parrilha da
jamaica C. H Bulter* C. a mais enrgica o
eflkaz preparadlo desta raz que al hoje se-
tem descoberto o que prova o grande apreco
e repelidas indicaejes que dell-i fazem as
pharmacopeias do Londres. Bublin Edimburgh
&c. ; o celebre Colirio anti-opbthalmico, cujo
medicamento he bem condecido por seus bons o
salutareseffeitos para distruir nevoas, beb-
das, inflam acoes e outras docruas d'olhos em
quo nao he preciso para o sen curativo radical,
recorrer aos humos preparatorios agoa do
Seidlitz, e oltz, Soda-Water, limonada ga-
zoza verdadeiro e liuissimo Arrow-Boot do
Bermuda Magnesia-Calcinada ptima sag,
escovas o pos mui linos para denles mostar-
a ptima para mesa pos de Seidlitz e de So
preparaces i'e
c um grande numero do
natural que seutprc tem todos que comprao, livros ns. (i e 8.
da
diflerentes objectos que so encontrad a venda
as principaos bot'cas da Europa na mesma
casa se vendom as verdadeiras pilulas Vegetaes
universaes do Dr. Brndret, vindas directa-
mente de seu author e compositor nos Esta-
dos-Unidos ; assim como una porcao de salsa
parrilha nova recentemente chegada. Parti-
cipio a todas as pessoas zelozas do sua escriptu-
ra ao ( como principal e nica garanta, da
nossa honra o probidade ) que sao agentes da
ptima tinta do escrever do seu amigo Doutor
Thompson cuja prepara' ao novamente des
coberta se torna digna dos maiores elogios pr
ter a particularidade de se tornar tanto mais
preta quanto maior he o espaeo depois de Iho
termos confiado nossos negocios e cuidados.
Antonio Jos Marques assistente em casa
de l.uiz Jos Marques na ra do Rangel,
faz sciente ao publico que havendo mais pes-
soas de igual nomo porisso fica desde hojo
em diante assignando-se Antonio Jos Britei-
ros Marques.
Doseja-se saber quem he nesta praca o
correspondente do Sr. do enger.ho Arand ,
Christovao do Olanda Cavalcanti.
Aluga-se u:i:a das casas da ra de Pala-
cio velho defronte do thoatro novo ; os pre-
tendentes dirijao-se a ra da Cadeia do Recife
n. 40.
Quem precisar de um homem para for-
nciro ou mesmo para masseira dirija-se a
ra larga do Rozario bolequim do Albuquer-
que.
= Aluga-se, permuta-sc, ou vende-se urna
monda do casa terrea sita no Monteiro do
lado da Igreja pegada a casa de Jos Fernan-
dos Jorge a qual tem duas salas 5 quartos ,
urna sala atraz muito grande, urna anti-sala ,
cotinha fora e fogao casa para pretos bom
quintal murado com portao, e maisoulroquin-
cercado dos lados com mil palmos de terreno;
na ra Direita n. 72.
.\o dia 3 do correte perdeo-se urna car-
ta com sobscripto do Jos Goncalves da Silva ,
com IOOj rs. dentro ; quem a achou querendo
restituir dirija-so a ra do Oueimado n. 11 ,
que nao se exige o dinheiro mas sim a carta.
= Manoel Jos da Costa Araujo morador
na ^ illa do Rio I ormo/.o pretendo embarcar
para o Rio Grande doSul, a entregara seu
lilho Manoel Profiro da Costa Araujo, oflicial
do trmetra linha o escravo de nome Joa-
quim que Iho pertenceo em partilha por par-
te maletna.
Poivcarpo Nunes Correira novamente
participa ao publico quo as suas aulas de pri-
moiras leltras ( separadas ) para meninos e me-
nas achao se abortas na casa de sua residen-
cia na ra da Conceicao da Boa-vista sobra-
do n. 8 como ja tem publicado tomando o
annunciante dcbaixo de sua ingerencia os tra-
balhos de escripia licao arithmetica &c.
das meninas com todo o methodoe perfei-
cao e o mais que concernente for relativa-
mente costuras ser dirigido por sua senho-
ra o mais urna ilha por isso quo o annun-
ciante desde ja assevera aos Srs. Pais de fami-
lias, que as suas alumnas sdiiro promptas do
sua aula em menos lempos, e com mais per-
feicao do que em outra, onde ao menos se nSo
olerecao iguaes vantangens eproporces a um
tal estabelecimcnto.
Preci^a-so alugar urna negra ou mes-
mo urna ama que sirva para fazer o ser-
vico de urna casa tanto interno como externo,
com tanto que nao tenhao vicios ; na ra da
Conceicao da Boa-vista sobrado n 8.
- Deseja-se saber se existe Jos Joaquim Nu-
nes de Abren natural de Braga o que viveo
do olicio de encadernador nesta cidade do Re-
cife ou de seus herdeiros para se Ihe dar no-
ticia da beranca que Iho toca por morte de seu
pay: dirijao-se a praca da Independencia loja do ^


r-
Precisa-so de iim homem que tonda
boa letlra o saiba contar e ler para ensinar
meninos fora da praca ; na ra du Senzala vc-
Jlia n. 12.
Roga-se encarecidamente ao Snr. Fiscal
do bairro de S. Antonio que baja de lancar
suas vistas sobre a casa da ra do l.ivrainento ,
n. 13, poisesta se acba a 6 me/es demolida
do urna frente estando desle modo o oitao
desamparado, com muito risco o pengo por ser
de um si) lijlo estando as travs ao lempo e
soguras em cordas podres, amcaoando grande
ruina aos visinhos.
A pessoa que por engao tirou urna
carta do corrcio para Joaquim Francisco Tor-
res queira annunciar ou leval-a cm casa de
Latham & Hibhert, ra do Trapiche n. 32.
I)a-se a juros a quantia de 400 j a 500j
rs. a dous por cento ao me/. com livpotdeoa
em urna morada de casa terrea no bairro da
Boa-vista ou um sitio pequeo porto da pra-
ca que esteja livre e deseinharassado ; na ra
do Cabug loja de miudezas n. 9.
= O bacbarel Jernimo Salgado de Castro ,
advoga no crime ecivel na ra Direita so-
brado n. 60 onde cnsina por mdico | reco
as tardes latim franco/. relhorica filo-
sofa prometiendo a aquel les, que com o 80-
jilinchlo qui/erem estudar todo aproveita-
mento para o que invidan seus esforoos.
Uina lioinom se offerece para ensinar em
ilgum engenho ou sertao as primeiras let-
tras, princip os de gmmmatiea latim e
francez e sua Sra. ensina a custurar ; a qiicm
convier annuneic ou dirija-se a ra do Ran-
gel n 34.
Aluga-se um segundo andar de um sobra-
do na ra dos Burgos, com bastantes commodus
para familia; a tractar na ra da Madre de Dos
n 7.
= Offerece-se um rapaz braseiro para a-
prend/. de chapeleiro di o tempo que se
contractir da fiador a sua conduela ; quem
precisar annuncie ou dirija-se a ra dos
<^uarteis a padaria de Manoel Antonio do Je-
ss &. Filho.
= Arrenda-seum sitio no lugar dos Affo-
ga los denominado Paraso com cusa de
vivenda e muitos arvoredos de Iruto, bastan-
te trra para plantar, e mesmo ter vaec;s de
lid te todo o anno que para isto lem propor-
coos tem porto de embargue e desembarque
no fundo do sitio da-sealguns meses de fogo
morto para concert da casa : tracta-se na ra
da Conceieao da Boa-vista n. 58 das 6 as 8
horas-da manhaa e das 3 oa tardeci diante.
= Ouem precisar de um rapaz portugus
de idade de 14 annos, cltogado a O me/es ,
para venda ou oulra qualquer oceupaciio ,
procure na ru> de Apollo venda n. 1. Na
mesma vendem-sc duas rotulas de amarello de
porta de ra feias a moderna c duas | orlas
do alcova de pin lio ludo com pOUfl uso.
Hara Joaquina de S. Tltoui prolessora
publica substitua das cadeiras de primeiras let-
trasde meninas desta praca, ensina particular-
mente ler, esciever, contar, aritlimelica, e di-
versas qualidadis de costuras, tambera recebe
em sua casa algumas meninas, e meninos de
pessoas, que morao fora dacidade, ou que mo-
rando nelia as queirao confiar a sua educacao ;
quem pretender utilisar-se de seu presumo ,
dirija-so a ra Direita n. 04, primeiro andar.
= Pedro Pereira de Brilo subdito Por-
tugus retira-se para lora da provincia.
= Comprase a Senhora 1). Atera Louren-
ca da Conceieao o sobrado de um andar n. 7
da ra do Fagundes no bairro de S. Antonio;
quem ti ver direito sobre ella queira annunciar
poresta follia
= Jobiiston Pater & Companhia avisiio aos
Srs. de engenliosecorrcspondentesilos meamos
nesta praca que se acba completo o seu esta-
bclecimento de maedinismo para engenhos ,
constando de moendas de diversos tamaitos,
machinas de vapor, de condesadlo e de alta
pressao da forca de quatro c de seis cavados in-
gleses e laxas batidas e coadas, e pr.mteltem
agradar aos seus freguezes tanto em preeo como
em qualidade visto sercirt lodos estes objectos
feitos n'uma das principaes fundices de Ingla-
terra : ra da Madre de Dos n. 5.
No da 11 do correte se ha de arrematar
por ser a ultima praca um sobrado ''e um an-
dar na ra larga do Rozario n. 37 ; quem no
mesmo quiser lancar eompareca na ra Nova ,
pelas 4 horas da tarde a porta do Dr. Juiz do
Civel da primeira vara.
Aluga-se urna preta crioula para todo o
servico de urna casa engomma e eo/inlia ,
l,r preeo commodo, afianca se a sua condurta;
quem precisar dirija-se a ''ora de Portas n 10
Precisa-sede um moco Portugus, ou
Braseiro paracaixeico de urna venda, de
12a 14 anuos; na roa da Solidad n. 20.
__ Aluga-se um sitio, que tenha casa de
man la, fruteiras, e trras para algumas plan-
tracta-se na ra estreita do Rozario loja de re-
loj oe i ro.
Compras.
Comprad-se efectivamente para fora da
provincia mulatinhas crioulas e mais escra-
vos de 13 a 20 annos e para uina encomen-
da um moleque de Angola de la a 20 annus ,
cozinheiro ; e urna mulatinlta de 12 a 15 an-
nos rom principios de costura; pago-se bem
sendo bonitos; na ra larga do Rozario n. 30,
primeiro andar.
Compra-se toda e qualquer porcao de
tartaruga, pentes velhos, quebrados e inleiros,
e tambem trocao-sc por outros; assim como
concertante toda obra de tartaruga com per-
feiciio c preeo commodo : na ra de Moras
n. 30 junto aoassouguc.
Comprao-se efectivamente para fora da
provincia mulainhas, negras molcques ,
negros de olioios, sendo do bonitas figuras
pagao-se bem : na ra da Cadcia de S. Anto-
nio sobrado de varandas de pao n. 20.

Vendas.
Vendem-se listas geraes dos premios da
lotera de Guadelupe ; na praca da Indepen-
dencia loja de livros ns 6 e 8.
= Vcndemse todas as bemfeitorias de um
terreno foreiro com 64 palmos de frente e
500 de lmelo entre as duas puntes da Magda-
lena com casa nova de taipa Im'jii afranjada ,
c pintada n. 12; na ra estreita do Rozario
botica de Joiio Pereira da Silvcira.
Vende-sc para pagamento de uma divi ia
um excedente relogio de ouro muito bom
regulador; chapeos de sol do Porto e france-
y.es e outras muitas fazendas de gosto por
preeo commodo: na rita da Cadi ia velha n. 49
Vendem-se 3 a 4 mil garrafas vasias; na
roa das Inrangeiras sobrado n. 5 de Claudio
Duhcux; assim como compra-se uma canoa
de carreira.
= Vendem-sc pentes de tartaruga da moda,
abortos e lisos, e tambem de marra fas, e se
concorta toda obra de tartaruga e compra-se
porcaodelta ; no patio do Carino na loja da
esquina da ra dasTrinclieirus n. 2.
Vende-se i posse de um terreno em S
Amaro, com 500 palmos de frente, no ab-
rillntenlo da ra da Aurora e com todo o
fundo at a nova estrada de Lili', do Reg to-
do unto ou a retalho; na botica do sr. Pin-
to na ra Nova.
Vcnde-se carne do sertao edita salga-
da cm barris por preeo commodo : na ra do
Vigario arma em n. 18.
"* Vendom se chapeos de sol de seda fran-
co/a de superior qua idade o casimiras no-
vas de bonitos padrees; na ra do Queimado ,
loia ileGuilhermeSette n. 25.
Vende-se colla fabricada em Pernambu-
5800
a arrotta ; na
co a 200 rs. a libra e
ra do Rangel n. 52.
Vende-se um pequeo sitio nos Affoga-
dos com casa de vivenda para grande familia,
com muitos commodos, e trras proprias ,
aprasoou a vista, como melhor convier ao
comprador ; a tractar no mesmo lugar n. 28 ;
assim como vende-sc ou aluga-se una rede pa-
ra vivoiro.
ss Vende-so um engenho novo feito em al-
tura de moer con: agoa ja com as madeiras
necessariasliradas para, o dito fin mas de pre-
sente est prompto para moer com animaos o
qual he odiffjcado sobre pilares lechados com
paredes de lijlo boa moenda nova boas
laxas, et-d.sos mais arranjos necessarios ,
grande casa de purgar, casa de encaixamento ,
e destilacao casa de vivenda, estribara, sen-
sata e mais 4 casas para lavradores, com
lions sitios c outros commodos situado cm
Cana-braba de Cruangi, comarca de Nazareth,
em meia legoa de trra quadrada toda regada
de vertentes permanentes com bastantes mof-
las muito boas para canas com safra ja cria-
da para ao pe de mil paos; a tractar no atierro
da Boa-vista Ou no Forte do Mattos com Ma-
noel Caetano Soares Carneiro Monteiro ou no
mesmo engenho com o seu proprietario Joa-
quim Jos \ elho de "vlello.
= Vendem-se principios de Direito polti-
co aplicados a Constituidle poltica da Mo-
narcba Portuguesa de 1838, ou a Theoria
moderada dos ovemos Monarchicos constitu-
< ionaes representativos, em bruchura : na ra
do > gario n. 23 primeiro andar
\ endem-so tres partos de uma casa de 2
andares, com grande armazem para qualquer
estabelecimento qualquer dos andares oceupa
grande familia, em chaos proprios, e ren o
tuda casa porto de 000,000 : na ra do Quei-
mado n. 23
Vende-se um palanquim i\c eaiva pinta-
fi*M e '."' -"'' To da prora oii abruma Ida a nouco : na ra do Crespo loja de fazen-
O casa com grande.J Vende-se uma preta de nacao Mucam-
bique boa co/.inieira, lavadeira e engom
ma sotrivel : na ra da Gloiia n. 49.
Vende-se unta venda na ra Direita ,
com muita freguesia tanto do matto como da
; praca com poucos fundos ; a tractar na mes-
ma n 21.
Vcnde-se uma escrava de Angola de 14
annos : na ra Nova n. 67 primeiro andar.
Vende-se um cavado com bom carrego
de meio a baixo, novoe gordo ; um realejo de
muito boas vozes, e marchas, com 4 cilindros;
uma liteira muito bem construida de madeira
lorte, com seus competentes arreios, e que pode
condu/.ir duas sonhoras e dous meninos ;na ra
da Cadeia de S. Antonio n. 25.
Vendem-se urna rotula velha anda lor-
io uma porcao de papel pautado superior ,
outra dita de papel pintaao ( tambem so vende
a retalho) o dueto Adeos senhora que ou parto,
copiado de novo em ptimo papel o alguns
livros classicos latinos o francezes ; na ra do
Noguoira n. 13.
Vcnde-se uma parte, ou todo o sobrado
da ra do Amorim n. 20 ; na ra do Noguei-
ra n. 13.
= Vendcm-se suecas com farinha de man-
dioca propria para animaos por muito ba-
rato preeo ; na ra do Collogio venda n. 12,
de Sebastiio Jos G >mos Penna
Vende-se um terreno com 50 palmo* at-
terrados no atierro dos A (logados da par-
te da mure pequea ; na ra do Padre Flo-
rianno ni.
Vendem-se he/.erros de lustro para calca-
do em dit/.ias o a retalho, por proco commo-
do : na praca da Independencia loja n. 23 de
Antonio Felippeda Silva.
- Vendem se agoa mineral para fazer cair
o cabello ou penuge de qualquer parte do cor
no dentro de 5 minutos a 2000 cada Iras-
fio livros para amostras do bico teitos em pa-
pel de cores galdes ordinarios, c volantes ,
caixos de flores para cabeca e chapeos, sa-
hom-tes finos paro barba linhas decoros,- lu-
vas para meninas e sonhoras meius curtas de
aiiiodio para calcar com botins, papel almaco
primeira sorte ede peso cartas, taimadas .
fcc. : na praca da Independencia loja de miu-
dezas n 30.
Vende-so um terreno com 50 palmos do
largura o 300 de fundos com alicorees pira
rasa e varios arvoredos de (ruto na ra da
( apunga por 4008 rs. ; na praca da Inde-
pendencia n. 30.
- Fitas lavradas o lisas de todas as cores e
larguras lucos da largura de dous dedos a
200 rs. c ronda de um dedoa 60 is. lencos
desedaaHOO e 1800, ditos de cassa para
mao de senhora a 240 e 500, tantos pintados
como de letreiro e bandados chitas pretas fi-
nas a 200 rs. o covado, estampas finas de San-
tos tanto em ponto pequeo como grande,
papel pintado a 60 e 80 rs. a folha, e pratiado
a 120 estojos de navalhas finas a 1200 brin
eos pretos a 240 ditos de ouro trances a 320
o 1000 rs. alinetes para abertura a 400 rs. ,
a neis a 320 macass perola a 480 e de oleo a
a 240; na ra Direita n. 30.
= Vende-se a troco de tijolos de alvenaria ,
urna grande canoa anda em muito bom uso, de
carga de 1200 tijolos ; quem a pretender diri-
ja-se a toja do Sr. Joao Mara Seve na ra da
Cadeia do Recife.
Vcndcm-se Fomentes de todas as orfalices
muito frescas chegadas a pouco lempo por
muito menos proco do que se lem vendido; vi-
nho engarrotado braneo c tinto de bi-boa o da
l'igueira vinagre muito f'>rle cafe do Rio ,
tuno por proco commodo ; na ra larga do
Rozario n. 52, na esquina confronte a Igreja.
Vcnde-se a propriedade denominada Cas-
sote a aual divide pelo engenho Giqui, pas-
sododito.om torras da Ibura a qual lom
quasi meia legoa com mattas c agoa ; atra/
da .Matriz da Boa-vista n. 2i casa de Do-
mingos Pires Ferroira
!> abaixo assignado vendo a parle que
Ihu toca por deronco de seu fallecido pai Ma-
nee! Piros Ferroira na divida da Fasenda Pu-
blica do Rio de Janeiro a qual com os juros
anda por mais de 5 contos de reis ; quem pre-
tender dirija-se atra/ da Matriz da Boa-vista ,
n. 24. = Domingos Pires Ferreira,
Continua-se a vender cil branca lina do
eaiar a 1600 ao alqueire da medida velha ca-
f em grao a 160, cevada nova a 80 rs. pacas
a 200 rs. lolria a 210 cera amarella a 320,
espormacete de 5 e 6 em libra a 720 ; no patio
do Carmo esquina da ra de Mortns n 2.
Vondc-se uma inorada du casa tarrea ,
com sotao ratificada de novo na ra do Jar
dim n. 22 ; a tractar na mesma.
Vende-se vinho de Lisboa labrado sein
composicio alguma a 144o a canada dito du
Pigueira a 1760 dito de Lisboa PRR a 1760,
carne do serijo muito gorda a 200 rs. a libra;
na uraen na lo? is?a r>. \\
Vende-sc um terreno com 32 palmos de
frente e 125 de fundo na esquina da ra dos
Prazeres, no Cocido ja atterrado por procos
commodo : na ra de S. Cruz na venda de Jo-
s Fernandes l.ima.
__Yendeni-se sementes de ortatice de varias
qualidades, e muito novas de coentro do
toceira de Lisboa c da trra ; na praca da Boa-
vista n. 32.
Vende-se potassa russiana nova, cm
barris de 4 arrobas, primeira sorte ; em casa
H. Meltrtens, ra da Cruz n. 47.
Vende-so um mulato de 18 annos, com
principios de sapateiro e proprio para pagem
por saber bem montar a cavado, ou troca-so
por um negro de 25 annos que soja propno
para todo o servico ; na ra da Cadeia do Re-
cife loja de ferragens Je Joiio Jos oe Carva-
Ido Moraes.
Vendem-se garrofas vasias. cuma por-
cao de prata boa em obras antigs ; cm Olinda
no Varadouro vendada esquinan. 18.
= No deposito de assucar refinado, esta-
belecido junto ao arco de S. Antonio, em fren-
te do caes do Colicgio da para vender assucar
refinado segundo o novo sy:;tcma de fabrica-
Co pelo qual se extrae a potassa e cal, dei-
xando-sc-o no seu estado de pureza ; sendo o
proco da libra do de primeira sorte e em pues
160 rs. e o de segunda e terecira em p ,
a 120, e80rs.
= Cadeiras americanas com assento de pa-
lltinlta camas de vento com armacao com-
modasde angico ditas de amarello marque-
zas de condur camas de vento de amarello
muito bem eitas a 4500, ditas de pinho a 3500
assim como outros muitos trastes; pinho da
Suecia.com 3 polegadas de grossura dito
serrado dito americano com differentes largu-
ras ecomprimentos troves de pinho o bar-
rotes com differentes grossuras c comprimen-
tos; tudo se vende mais cm conta que outra
qualquer parte : na ra da Florentina em
casa deJ. Beranger n. 14
=. Vende-se uina porcao de toras no at-
ierro dos A (Togados boje ra imperial, fon-
do parte ja aforado com os lundos para a Hita
do Noguoira tem de fundo para mais de dous
mil palmos; na ra Nova, armazem de tras-
tes n. 67.
= Vendem-se os livros seguintes; Manual
dePItisica, o de Chimica ; Algebra de Re/ont;
Saluslioem latim, o portugus; Cobbot, maitro
d'anglais ; la Vision de Deu Rodrigue por
Sir Walter Scoot; Ploasdres of hopo, por Tilo-
mas Campoll; A more a melancola ; a lormc-
za Don/.ela ; Julia e Laura ; Formidoro o
Zelinda ; o sitio da Rocbella ; Knguerrand do
Coucy Mr. Bolle ; Tablea de Logaritbmes ;
e urna flauta usada ; no atterro da Boa-vista ,
loja n 48.
= \ endem-so bichas de superior qualidade,
aosecntos e pelo miudo por proco mais com-
modo do que em oulra qualquer parte; tam-
bem se alugao, e applicacao-se a quem precisar,
c igualmente se vende uma halanca pequea
com correnles de latao o oito libras de pesos
de bronsc : na ra do Encantamento n 6.
Escravos fgidos.
No dia 5 do corrente fugio o preto Jos ,
de nacao Cabinda do 40 annos, bem ladino,
por ter vindo pequeo levou vestido camisa do
madapoln fino calcas de brim o chapeo de pa-
tita ; quem o pegar leve a ra \ ellta na Boa-
vista .'odrado n. 63 ao Tcnentc Coronel Jos
da Cunda Moreira.
Na noite do dia 7 do corrente fugio a
preta Maria Cacange de 25 annos alta ,
sccea peitos eolitos pequeos, doca regular,
junto ao hombro de unidos bracos tem um B,
tem um dos ps meio encltado venda moc-
lo em urna venda no patio do Carmo e pre-
sentemente arroz doce em um (abolciro vordo
grande ja meio volho anda rom um panno du
costa com matantes as cabecas, levou vesti-
do de riscado com bahados por baixo; e com en-
feites no talho e mangas; quem a peftar levo
ao aterro dos A (logados n. 68, ou no atierro da
Roa-vista loja do Sr. Joao Leilo.
Fugio a escrava Joanna do nacao An-
gola cor fula que foi do CapitSo Nicolao
Tolentino de Vaseonoellos, da Parbida do
Norte a qual o maior signal que tem de ter o
dedo de um p alejado ; quem a pegar evo ao
patio do Terco n. 141, quesera gratificado.
No dia 6 do corrente (ugio o moleque
Pascoal erioulo de 18 annos. alto, secco
do corpo, levou vestido ca cas de brim bronco ,
com outra deslgodo .t/hI quede lone pa-
rece ganga camisa de brim com colarinho de
marinheiro de navio de Guerra, e por ,ma
desta, camisa de daeta a/l ferrete puchando
para preta quando talla aprensado gagueija
pOUCO com um dente (irado na fente; quem
o pegar leve a roa do Apollo n. 19, no tercei-
ro andar, (c ser recompensado.
Rkcife: MaTtp. DbM. F. de Fama. =1843


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EARA1R7TF_2I6ALS INGEST_TIME 2013-04-13T02:27:12Z PACKAGE AA00011611_04999
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES