Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04980


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1843.
Segunda Feira 12
Tildo igura dti^end* no ntnnu da nom prudencia ao.ler\u t cargia con
,l>nuemof como priocipiaan ..remoa apontarloa cm admira, ao entre i. atoca >>>
*u"*'- _______ < ^roclaoiauao da Aaaemble Gerai do Bail.;
PARTIDAS DOS (ORHEJOS TERRESTRES.
Colanas, Parahiba e Riogrande do Norte Miranda aacna* (,
Boiitlu o Girnhun a l e 24
Cabe 3 rinhea, Rio Formoao Porto Cairo Maeei e Alagoaa no 1. 11
fo-U<. Florea i 3 e 28 Samo Anto, quinta feiraa. Oiinda louoa oa dina
1)1 AS L)A .lEVIAXA.
4? Sas Joan de a Facundo. Aud. do J de D. da 2. r.
43 larc + Antoi.i-i F.
'4 u a. Raxilio Magaa >. 'uil do J. de D. da 1. t.
45 V*1' + Fesla do Corpo de Dos.
45 ."' .Iii.m Frncci> K^jris Aud do J. de D da 3. y,
47 3u Hieres. Hainha Kel. Aad do J. de D. da 1 r,
48 "<'" i. Leoncio M. s. Amado li
de Junho
Anno XIX N. U7.
O Ulano publica a* todo oa da quan'to torea Senlifieadoe praco da aaaienatura a
de tre mil rea por quartel u.ro adianiadoa. O annuncioa do aaaicnanlea ao iaaerido
grana, e oa d< ia que o alo fonal raijo de 80 re por linha. A reclamacc deTCm aardiri-
gidaaaasla Tip., ra daaf.'nte.N t4..a ar*ca da Independencia loja de Htroi N. Oe>
caeio..Nodia 10 e Junho coatpra reada.'
Cambio .obra Londrea 76 i. UUfto-Moarfa da 8,100 V. 1, J*
Pan 0. o i. por franco. N. 16,0.) "W
Liaba 11 u por 100 de premio a i i.juu S "00 V 20o
PlAlA-PauoOM l.WW *u
Moada da cobre 2 por cenlo a feun Columnaraa 1.U0J IVH/
Idea detctraida boa ornas 1 f a f diioa Mncanos 1,5*jU 1,'J-O
PHAahsA LDANOMEZ DE JUNHO.
La Cbeia 12, *a 1 horae 50 da m I La ora a 7, aa 5 horas da tardo,
(uaii.ming. lO, i (i joiai lilla d l. | uan craac. a 5, o la minutoa da tarda.
f reamar de hojt
1 alboras a 30 a. damanhia | a 4 boraa a 54 a da luda.
PARTE OFFICIAL.
LE N. 114.
O Bario da Boa-Vista, Presidente da provin-
cia de Pe nmbuc. Fago saber a todos os sous
habitantes que a assembla legislativa provin-
cial dccreluu, e eu sancciofiei a lei segunte:
Artigo l.o Fica elevada parocha a capella
de Santo Antonio erecta no lugar denominado
Salgueiro que pertencia a reguesia do Ex no
termo e comarca da Boa-Vista.
Art. 2. A hovafreguesia extremar pelo nas-
cente com a do Paja do Flores, o pelo norte
com a do Jardim na comarca do Crato, provin-
cia doCear principiando do Sitio Mundo-no-
vo aba da serra Araripe com todas as sua mo-
Tadias, doscendo polo riacho Salgueiro at a bar-
ra da Cacara d'onde passar rumo direito a fa-
senda dos Macacos, e della ao riacho da Terra
Nova at a divisas da fregucsia de Cabrob, se-
guindo em rumo direito fusenda do Caruata ,
subindo pelo riacho dos Umans com todas as
suas agoas flcando comprehendidas as fazen-
das do Urub, e de Alexandre Freir.
Art. 3. Aoparocho da nova freguesia ficao
pertencendo os mesmosdireitos e congrua, quo
pertencem ao da do Exjmas s ser prvido no
lugar depois que os povos prepararem a gro-
ja c a poserem em estado de se colobrarem os ac-
tos religiosos.
Art. 4.o O parocho da freguesia do Ex ter
a opeo das duas fieguesias.
Art 5. Ficio derogadas todas as leis e dis-
posicoes em contrario.
Mando por tanto a todas as autoridades a
quem o couhocimento e execucaS da referida lei
pertencer queacumpro e faco cumprir ta5
inteiramente como nella se contem. O secreta-
rio desta provincia a faga imprimir publicar ,
e correr. Cidade do Recife do Pornambuco, em
6 de maiode 1843, vigsimo segundo da inde-
pendencia e do imperio.
X. S. Bara da Boa-Vista.
Carta de lei pela qual V. Ex. manda executar
* resolucao da assembla legislativa provincial,
quo houve por bem sanecionar, elevando pa-
rochia a Capella de Santo Antonio erecta no lu-
gar denominado Salgueiro que pertencia a fre-
guesia do Ex no termo da comarca da Boa-
Vista como cima se declara.
Vara V. Ex. ver, Jos Ignacio Soares de Ma-
caos fez.
Sellada e publicada nesta secretaria da pro-
vincia de Pernambuco, em 8 do malo de 1843.
Casimiro de Sena Madureira.
Registada a folhasl92 do livro 1. de regis-
to do leis provinciues. Secretaria da provincia
de Pernambuco 18 de maio de 1843.Jntonino
Jos de Miranda Falcdo.
gues de Miranda e a Joaquim Mara de Carva-
lo.
Tribunal da Ilelacao.
SESSA DE 10 DE JUNHO DE 1813.
O aggravo de peticao de Silvestre Goncalves
dos Santos contra Joaquim Jos Ferreira, do
juizo da 2. vara do civel dosta Cidade ; teve
provimonto.
Tambem oi prvido o aggravo do peticao de
Joiio Antunes Guimares contra Joao Bapts-
ta Moreira da 1 vara do civol desta Cidade.
Foi tambem prvido o aggravo do peticao do
Antonio Domingues Pinto contra Bento Jos
da Silva Magalbcs, da 1.a vara do civel dosta
Cidade.
Teve tambem provimonto o aggravo de peti-
cao de Antonio Pereira contra Marcalino Jos
Lopes, da 1.* vara do civel desta Cidade.
Na appollacao crime desta Cidade appel-
lanle o juizo appellado Antonio Francisco
Ferreira, c outros, cscrivao Bandeira ; sejul-
gou pola confirmacao da sontenga.
Na appellaco crime da Cidado da Fortaleza,
nppellanto o juizo, appellado Angolojosda Ex-
poctagao Mendonca, escrivao Bandeira; foijul-
gado procedente o recurso.
Thcsouraria da Fazenda.
KXPKD1ENTE DE 10 DO PASSA.D0.
OlBicio Ao procurador fiscal da thesoura-
ria disendo que para dar cumprimentoa or-
dem do tribunal do thesouro publico nacional
de 27 de abril prximo passado informasse :
primeiro quaes as causas que por parto da la-
senda km sido intentadas peranto o juiso dos
Jeitos desde o s::u restabelecimento at a data do
recebimento da dita ordem; e6egundo, a natu-
resa dolas, com declara gao dos nomes dos exe-
cutados o do estado em que laes causas se a-
chavad.
Dito Aos agentes do Brasil em Londres,
participando que tendo a thesouraria contracta-
do a remessa de 80 a 120 toneladas de po-bra-
sil, houvessem de proceder o competente se-
guro.
l)ito Ao delegado do Pao do Alho devol-
viendo as relagoesque acompanharo o sou ol-
ci de 10 de abril prximo passado, do forne-
cimentc d'agoa e luz para o destacamento da -
quella comarca porque taes despesas s sero
pagas por a thesouraria vindo por intermedio
do Exrn. Presidente da provincia.
Dito A Estanislao i'ercira de Oliveira no-
mcando-o, na conformidade do artigo 42 do
regulamento de 9 de maio do 1842, para um
aos membros da commissaj que deve proce-
aer ao exame uas nerangas jacenles e bens va-
gos que existirem desdo 22 de setembro de
1828em queoi extincta a mesa da consciencia
e ordens.
jauacs cilicios pwfiw uii^idos o Jviti houri-
Em um communicado, insorto no Diario-n.
numero U8sob o sgnalL, d6pois da afiir-
matlva de que vamos retrocedendo no conheci-
mento verdadeiro do governo representativo e
de algumas considerages acer a dos principios,
que tem predominado na administragado Bra-
sil notando-se a falta deconsolidagao das rios-
sas inslituigoes e a fraquesa da nossa naciona-
lidade com os mais injustos ataquos aos mi-
nistros da coroa so fez grave injuria s cmaras
legislativas. Xo moio da confuso de ideas, da
desordem, e inexactido de linguagem, mana-
das nos escriptos do communicantc, doscobrem-
se muitas preposiges e pensamentos, que se
pretendem intrndusir comodoincontestavel ver-
dade, e que exigem da nossa parte a divida cri-
tica, a qual, por mais forte que seja inteira-
mente relativa rasao, o ao pensamonto, na-
da ter com as pessoas o suas intcngSes; c s
inanifesta m f, ou ardilesa do communican-
tc nos levarla a sahir da regra quo tomamos.
Afiecta elle muita imparcialidade, eo nquan-
to ao 1er os seus primeiros periodos parece, que
[o escriptor vai tratar as mais elevadas questes
da poltica, e, desprendendo-sedas individuali-
dades, patentear as exactas soluges da indias,
vemo-lo depois de ter gasto ligeiramonte me-
tade do artigo nesta direceo, declarar, que til-
do oque tem dito he de parle, e que tem de
censurar os ministros actuaos.
Ningucm acreditar que em mais de vinte
annos de pratica do governo representativo en-
tre nos nada tenhamos adiantado no conhoci-
mento desua organisago. bem verdade, que
at 1836 portal maneira estiverao os negocios
pblicos enredados, e tao sem regra, nem har-
mona inarcliavao os minislerios e as cmaras
legislativas, desattendidos todos os principios,
por que regulada a influencia, e acgodos di-
versos elementos desta forma governativa, que
parece, que alento havia ella tido muito pou-
codi'senvolvimeiito no Brasil, ese achava em
extremo informe em todas as suas partes. Po-
rem a opposigao que, representando a opi-
niao nacional, ecomprehendendo os verdadei-
ros interesses pblicos, -obrigou om 1837 o che-
fe do governo regencial, que desconhecia a na-
turesa de seu carcter invlolavel, e a consequen-
te impcssoaliddc permitta-se-inc a expressao)
de sua acgo na administrugao abandonar o
alto posto que havia sido elevado, e o mi-
nisterio quo se seguio essa destituigao, mi-
nisterio que resuma em si toda a farra das i-
das triumpiiaoies, quo, formado pelas sumida-
des do parlamento, em que ellas havio toma-
do expansao e chegado ao ponto de maior c-
nergia procuraro estabelecer as relages en-
tre o governo c as cmaras de modo conven!-
te, marcra de maneira bem clara os direitos
do um o dooutras c firmar5o os mais razoa-
veis precedentes, que devia segurar entre n6-
a marcha regular do governo representativo.
D'essa pocha nao so vio mais um ministro oc-
cupando a pasta da fasenda por dilatadissiino
espago contra o voto do parlamento, e foraji-
dos, elle, e seas colegas d* prosenga.das cama-
ras cuja maioria Ihes negava o sou ap >io, c
mesmo os estigmatisava. O sonado Brasiloiro,
que frarodusdo grande abatimonto, destitui-
do da pondorancia, que devia tor um corpo con-
servador ediispojado da faculdade do intervir
na confecgaoda mais importante das leis co-
megou rostabelecer-so de tao violentas inva-
sos, adquirir a importancia que Ihe compete,
o cliegou tor forga bastante para sustentar o
diroito de as^r emendar a le do orcamento, em
materia de impostos cuja iniciativa he especi-
almente dada cmara temporaria, diroito, de
que nao gosa a cmara dos lords na senhoril In-
glaterra.
Assim o governo do estado collocado noca-
minho, quo devra trilhar, segundo as firmas
constitucionacs amparado em todas as suas
partes, marcada a espliera, o forga de cada um
dos seus elementos om todos os seus mais apar-
lados pontos, e ulterior desenvolvimento as-
sinadas as suas relages, e rociproca influencia
legitima disposta a harmona, que entro elles
deve reinar na sua aproximago, eespocial tra-
balho regularisados os partidos polticos tu-
do devra correr com facilidade; os ministerios,
e asopposigcs nao (minio de mover-se as tro-
vas e com rnystcrio ; a opinio nacional nao
poda deixar de seroxecutada e prevalecer na
gerencia da causa publica ; as conspirages e
os planos d-ambiga estavao feridos do morto.
Os gover'nos d'esse te upo em dianto dovio ou
ter todo o poder, queda aopiniao publica ou
ephemeros cahirem logo por forga d'ella. O sa-
ber e o patriotismo dos hmens cujo pensa-
miento com rasao hojese derrama na adminis-
tragao, depois de haver suecumbido o.que com
elle se achava om antagonismo chagara5 as-
sim a dar marcha livro, e firmo administra-
gao publica.
Muito temos por tanto avangado no conheci-
mentodas formas representativas o manifes-
t tambem que sua salvago e desenvolv-
monto postos em risco pelos apregoados de
amigos do Brasil, sao devidos ao partido hoje
em triumpho, que emquanto aquellos tudo 11-
zerao para nullflcaro poder legislativo, os quo
este se ligao mettrao hombros sustentar
suas prerogativas. e proclamarao com eloquen-
cia esabndoda, pardo grand; principio da
inviolabilidadeda cora em toda aextongao, o
da necessidade dos ministerios parlamentares.
Assentcsas bases para os diversos ramos do
governo marcharen) de acord na concessecugao
do bem geral.o ser.sem necessidade de meios vio-
lentos a naga devidamente attendid pelo
predominio das suas ooinies na administragao
do estado manifest, quo as nossas inst tui-
goes deviao firmar-se o formar-so o caiactcr
nacional, e constituirmo-noscom robustez pro-
pria para vencer quaesquer embates as grandes
crises quee*tosuieitas as nagoes estabe-
lecerem-se convenientemente todas as partes da
machina social, s (ominando os interesses ge-
raes nicos que podem ser r< presentados.
Mas a ambicio de governar nao se acha bas-
tante refreada no estado actual da nossa civili -
sagao e a instruega publica pouco adianta-
da deixa aos agitadores meios de dispi forga
para faserseus rompimentos com alteragao da
paz publica eembarago do ictular andamento
da administragao, e assim temos visto aquellos,
que na tribuna e no parlamento forao venci-
dos recoirer as revoltas para readquirir o po-
der, deque foro privados pela impossibilida-
de de o conservar unte a opinio nacional, que
Ihes recusava seu apoio. I'orem similhantes re-
bellies lem cabido nao obstante a grandesa e
extensao de seus inovinn utos porque a naga
naasapoia, nem com ellas condescendo. So-
mente urna guerra, devastadora das feriis pla-
nicies de S. Pedro, ainda consterna todos os
Brasilciros, amigos da ordem, eda posterdade
de sua patria : a bravura e pericia do chele do
exercito imperial, eo nao desmentido denodo
6 lealdade das suas tropas nos dao lisougeira es-
perarla de que em breve so tonho de enxu-
gar tantas lagrimas ; e soja dcsasombrada das
desgragas, com que esse foco a ameaga, a tran-
nuiliHadi' p infpirridailo Hn imnorr dnhsirr *
proteegao da monarchiu constitucional.
Ao tempo deixemos o preenchimento que
com o nosso adiantamento na illustragao ,
o na riqueza devem ter os melhoramentos ,
de que precisamos. Nada pode fazer, que
urna nacao alcance o prestigio da grandeza e
toque mais elevada civilisaco de umdia para
outro. As grandes idss que devem preva-
lecer alternativamente no Govorno sobo gran-
de systema da Monatcliia Representativa pro-
eure-se que nao se estabelego nem caio
nom grandes alalos para a nac"o : doixe-se ao
dosenvolvimento da opinio do paiz somonte
sua elevaco ou queda e entremos no ver-
dadeiro trilho constitucional. Estas oscilla-
coes de quo tanto so queixa o communicante
sao inevitiveis nos paizes, cuja organisaeo
poltica se acha mais fortalicida. Na Inglater-
ra vemos os Torys e os Wighs disputando o-
poder, eoraum, ora outro partido tomar o
timilo do estado em quantoque urna profun-
da separacao entre elles existo no Parlamento ,
e fra delle ; nos Estados-Unidos Nort'Ame-
ricanos d-se a mesma distinco e luta entre
os conservadores o os radicaos; ms o que
obra da civili.acao que em nonhum d'estes
Estados cala-so o patriotismo ante os interesses
da ambicio ; as medidas de utilidade publica
nao sao guerreadas porque vom de um lado ;
nem a preponderancia de um d'elles levaao
campo da batalha o outro, que confa na jus
tica de sua causa e no bom senso da nacao .
cujo bem somonte procurao esclarec Jo pela
tribuna e pela imprensa : e quando a opi-
nio publica se harmonisa com os membros do
laJo decahido quando sao elles os que com
prohendem as necessidapes do estado eotao
cheios de urna forca irresistivel sobem ao poder,
para que sao habilitados. Pleitem a soberana
popular, a omnipotencia parlamentar e a
monocracia sobre quem deve ter a preponde-
rancia na administrar.7,!) da naco que adop-
tou um Governo composto d'estes diversos
elementos; mas qualquer que obtenha maior
influencia, naoesqueca-se a patria, e procre-
se o seo engrandecimento. Nao fallamos da
aristocracia, porque nunca vimos que no
Brazil ella predominasso ; pois nem temos a-
ristocracia propriamente nem podia ella ter
peso bastante entre nos para assoberbar ; o se-
nado mesmo nao a representa ; e por isso nao
podamos convir, que outros principios obte-
nho preponderar na desonvoluco das nossas
instituiedes seno os cima apontados nicos ,
que podem prevalecer nos paizes, que tem urna
justa composico social.
Maravilhou-nos sobremanera ( passamoa k
2.1 parte do communicado de quo Iniciamos )
que o communicantc depois de ter dito, que
o poder legislativo tem preponderado mais ou
menos em diversas pocbas e o nico, que
tem conservado tal qual respeito e importan-
cia do modo tao positivamente contraedi-
torio ponha as cmaras legislativas aos psdos
ministros pela currupeo dos cinpregos, o
condecoraccs e crescendo ainda em devancio
enlloque um individuo extranhoaos ministe-
rios que procedro ao actual dirigindo ,
segundo sua vontade desabrida os ministerios,
e as cmaras as quaes por aquellos ero rea
peitosamente tratadas e doceis se curvavio
ante um s homem.
Os que cairo em 19 de setembro de 1937,
nao se achro na abertura da assembla ge ral
em 1838 em a nova cmara temporaria reha-
bilitados. Os que tinho atacado o poder des-
de IS! e havio elle subido no iim da le-
gislatura de 1837 o lili ve rao na cmara dos
depulados e tambem na dos senadores gran-
de apoio na legislatura immediata. A naci
estara muito esclarecida e divorciada com a
poltica at cnto seguida assentia inteira-
mente s ideas predominantes, e s nos seos
interpelres, e deensoros tinha confiaoca.
Nestas circunstancias nada ha de inexplicavel
no accordo quo existi entre as cmaras legis-
lativas e o gabineto de 19 de setembro e os
que seguuidc o Yic;;;,g apierna guvernamen-
tal, se ihe seguirao ; e o actual ministro da



justica que scmpre olevou-se 13o alto pe?a
sua illustraoao e conhccimento da historia
parlamentar, pela sua lgica vigorosa e sua
firmesa e furca d'alma devia tomando o
lugar do chelo da maioria no Parlamento ,
exprimir e sustentar aquello acord que
manleve-so em toda legislatura e de que
tantos bens Hoje este distincto hrasileiro occupando a
cadeira de ministro da corda presta sua patria
os mais voliosos servicos ; seo nome que ex-
prime urna liandeira poltica muilo conhecida ,
tema grande vantagem no ministerio de tornar
compacto e forte o lado em que elle se sus-
tenta sendo bem significativas, e decididas
as opinies que Ihe servem de ncleo.
Bem conhece tao Ilustre Parlamentar a po-
sicao de urn ministro da corda, e sealgumas
vezes tem parecido violento em seos discursos ,
e usado de urna lingoagem mais aero do que
fdra para esperar de quem oceupa t^o elevado
posto de respeito cumpre bem attender que
tambem as circunstancias, em que so tem a-
chado sSo extraordinarias, e esse vigor era
odias imperiosamente exigido de quem sabe a -
.valiar as cousas c tratal-as couio de mis-
tar. Quando no corpo dos andaos da nacao
se lancao tao severos anathemas contra os mi-
nistros do imperador como ltimamente teve
lugar aquello que oceupa um tal assento ,
devo ter por timbre vindical o de tiros tao fu-
riosos e conscio de sua dignidade eda for-
ca que Ihe presta a opinio da nacao redu-
zir aos devidos limites os, que os postergao.
Esses discursos, que sao objeclo da censura do
communicante proferidos na cmara vitalicia,
na temporaria pelo nobre ministro dos ne-
gocios da justica, c estrangeiros tao enrgi-
cos tao positivos tao precisos dominados
pela illustraoao e franqueza ao mesmo tem-
po que attestao os talentos e alto carcter de
seo autor, vem ser um padrao que distin-
guir o ministro que souhe encarando de
face os adversarios, e as difficuldades da admi-
nistradlo sustentar com honra o coragem
as suas idpas com quo na direccao dos nego-
cios do estado julgara fazer a felicidade da na-
(0.
Quanto discusco havida acerca da dene-
gacao do ordenado ao Presidente de Piauhy a
demudo que consta dora o Governo a esse
Presidente, dispensamos-nos dequaesquer re-
flexoes sobre o que disse o communicante e
nao deixa davida de que o ministerio actual nao
deseja que o Brrsil seja governado senao pela
constituicao.
O Sr. ministro da justica, e estrangeiros nao
ameacou a cmara com despesas excedentes as
votadas, como inculca o communicante ; ad-
vertio sim que as despesas extraordinarias ,
que pelas relaces exteriores o Governo se visse
na necossidade de fa'er para sustentara naci
naiidade, e a dignidade do Brazil eraod'a-
quellas, que se nao podio preterir anda
que a consignacao fosse inferior. Todos os,
que tem ideas da diplomacia reconhecem que
esta proposicao verdadeira e nada tem de
oflensiva a cmara. Nao do Sr. Torres mi-
nistro da marinha que se pode temer nenhum
acto por que seja intencionalmente violada a
nossa lei fundamental; sua probidade poltica,
seo amor s nossas instiluiedes, nao forao an-
da postos em duvida pelos mais suspeitosos ini-
migosdo ministerio de 20 de Janeiro. A in-
fluencia que elle sempre teve na poltica tri-
unfante o lugar distincto que oceupa na
cmara temporaria desde 1834 seos actos mi-
nisteriaes desde 1837 nos dao lisongeiras
esperancas do seo concurso na administrayao do
estado.
Nao sao os ministros actuaes que tem o
plano de nullificar o corpo legislativo elles ,
que procurrao o seo concurso elles que
se submetter ao seo julgamento e que to
afincadamente bao defendido suas prerogativas:
os que querem que urna minora turbulenta,
ou sem systema dirija o leme do estado os
que pretendem elevar sobre ella ao poder um
Os Senhore*.
Manoel Jos de Souza Carneiro
Irmandade das Almas
Joo Jos de Carvalho Moraes
Luiz da Veiga Pessoa
Jo3o .Moreira Marques
Joao Francisco Begis
Antonio Felis dos Santos
Manoel Antonio de Jezus
Antonio Bodrigues Lima
Manoel Jos da Silva Guimares
Jos Antonio Pinto
Padre F. Jos Tavares da Gama
Jos Dias da Silva
Jos Bodrigues de Araujo Porto
Antonio Jos Pinto da Silva
Padre Joaquim Bafael da Silva
Lourenco Jos das Neves
Manoel Carneiro Lco
Jacintho Aflonso Botelho
Jos Bcnto da Costa
Bspo Diocesano
Jos Antunes Guimares
Jos M. de Oliveira Maciel
M. Antonio da Silva Motta
A. Baptista Bibeiro deFaria
J. Pereira da Silva Guimares
Angelo Baptista doNascimento
Coronel Francisco Jos Martins
Jos Ramos d'Oliveira
Dezembargador M. da R. Bastos
Jos Jacintho Slveira
D. Mariana Thereza de J. S.
Urna devota
D. Anna M. de J. Sisneiro
Bar5o de Suassuna
Guilhcrme Purcelle
N. Wartirg
M. S. Msju
J. C. Musow
Ihrs Wysous
Philip Furby
Joao Carrol
D. Clara J. de Mello Borges
D. Mara Josefa do Sacramento
Bento Jos Lamenha Lins
10,000
30,000
10,000
2,000
10.000
10,000
5,000
5,000
5,000
10.000
8,000
8,000
10,000
4,000
5,000
1,000
5,000
2,000
5,000
5,000
100,000
5.000
5.000
3,000
16,000
20,000
10,000
80,000
15,000
100.000
9,200
10,000
,480
10,000
20,000
50,000
25,000
25.000
25,000
10,000
10.000
10,000
20,000
4,000
10,000
Somma 1:818,480
N.B. O Sr. BispoD. Thomazdeu deesmo-
la urna letra de 8:0008000 rois endocada pelo
Sr. Ignacio Marques da Costa Soares, da qual
por ora s se recebeu 5918320 reis, que se
remetrao para Lisboa.
O Sr. Angelo Francisco Carneiro alem das
esmolas cima mencionadas, deu 11 linhas de
42 palmos de esmola.
O Sr. Jos de Amorim Lima deu 3,000 te-
dias para telhar a nova coberta.
O Sr. Caetano da Costa Moreira deu os pre-
gos para a nova coberta no valor de 82,000 rs.
O Sr. Padre Domingos Affonso'"Bigueira deu
um bilhete da lotera, de 168000 res o qual
bilhete se publicou no Diario e sahio bramo.
Consistorio da matriz da Boa-vista 2deju-
nho de 1843. Jos Gabriel de Moraes May-
er juiz. Pedro Ignacio Baptista thesou-
reiro.
'~comm"erc!o!
ministerio sem uniao e sem frca os que
proclamSo que a maioria das cmaras legis-
lativas drige-se, pela corrupcao dcil aos
caprichos dos, que governao os que esforz-
se para persuadir o povo, deque as leis nao
se consulta a utilidade geral. nao se guardao
as regras da constituicao sao estes que des-
conheccm as formas representativas que re-
baixao o poder legislativo, os que Ihe tirao
toda a forca moral, que atacao todos os prin-
cipios consttucionaes que s tem em miraos
interesses particulares e que querem a anar-
chia ou o governo lora da lei fundamental.
Publicarlo a pedido.
Alfa o dega.
Rendimento do da 10........... 552JJ856
DescarregUo hoje 12.
Brigue Rolla ferro.
Patacho Laurentina charutos, c fumo.
Barca Bette fazendas, potassa miude-
zas, ferragens barricas com poz, e
latas com bolaxa.
Brigue Tarujo differentes gneros.
Belaco das esmolas tiradas para a coberta da
matriz da Boa-vista ou iecdificac5o de quasi
toda a igreja desde julho de 1842 at o presen-
te. Continuadlo do n. 123.
jransporte.................. 1:075,800
IMPOBTACAd.
Betty, brigue dinamarquez, vindo de Ham-
burgo entrado no trrenle mez consignado
a N. O. Bieber & Companhia, manifestou o se-
guinte: 10 caixas com espelhos; aj. P. Adour
& Companhia
55 barris de potassa 5 caixas espingardas;
Le Bretn Schramm & Companhia.
3 caixas meias, 3 ditos ferragens; a G. Ken-
worthy & Companhia.
2 caixas instrumentos do muzica, 1 dita len-
cos 1 dita fazendas; a I. Keller.
2 caixas charutos ; a B. Tiele.
2 ditas fitas, 1 dita miudezas 20 toneladas
carvao de pedra ; a H. Mehrtcns.
2 caixas espadas, 100 ditas folhas de (landres,
895 barras de ferro 38 feixes d'arcos dito, 18
caixas miudezas e ferragens, 5 ditas livrose ca-
lungas 6 ditos riscado para colxao 8 ditas e
3 fardos pertences para chapeos 1 caix agu-
Ihas, 14 ditas taxas de bomba, 130 caixas quei-
jos 1 fardo panno fino 4 tinas bisas 129
barris potassa 70 ditos genebra 1 pacole a-
mostras ; a N. O. Bieber di Companhia.
2 caixas ni>rt>ncp p-rs chapeos, 1 pcete ps
pelo 1 lata rdogios; a Ordem.
6 caixes fazendas, 9 ditas espingardas 1
d.4a amostras ; a Kalkmam & Rosemund.
2 caixas espadas ; a Brendes Brendis.
1 dita miudezas 13 pacotes pertences para
chapeos ; a H. Zimmer.
2 caixas e 35 barris drogas e oleo de linhaca;
a Alilfllers.
26 caixas ferragens, 4 ditas facas, 6 ditas fi-
tas ; a I. Elster.
1 barril e 14 cvixas ferragens, 1 dita bnnts,
2 ditas fazendas; a M. J. Ramos e Silva.
5 barricas gsso e pregos, 50 barris cemen-
tes; a A. H. Willmers.
3 barris conservas; a A. Zacher.
1 caixa 1 piano ; a W. Gurlitt
8 barricas e 12 caixas ferragens, 1 caixa fitas.
1 dita missangas, 3 ditas chapese bonts 50
barricas farinba, 15 caixas o 2 fardos drogas, 1
caixa vidros para botica 1 dita e 28 pacotes
papel 10 caixas xarope de fructas 1 dita te-
nas de vidro, 15 latas bolaxinhas; a Wolfhopp
Danker & Companhia.
29 barricas 34 caixas 9 fardos e 50 latas dro-
gas e miudezas, 6 pacotes papel, 1 caixa 1 pia-
no ; a C. Kruger.
1 rollo e 1 pacote miudezas ; a I. Ebeling.
Tarujo primeiro briguo portuguez vin-
do de Lisboa entrado no corrente mez con-
signado a Mondes & Oliveira, manifestou o se
guinte : 240 pipas, 4quartolas, 34 meias di
tas, 25 barris o 18ancoretas vinho 20 barris
vinagre, 10caixastoucinho 100barricasse-
meas, 400 varas de lagdo ; a Mondes & O-
liveira.
1 pacote impressos, 1 embrulho ignorarse ;
a Joaquim Baptista Moreira.
1 embrulho picegas de linbo ; a Luiz Perei-
ra da Costa.
1 barril vinho ; a Joa"o Moreira Marques.
3 caixas rap; a Thomaz de Aquino Fonceca.
22 pedras de cantara ; a Joao Jos de Car-
valho Moraes.
1 caixote e 1 embrulho com 50 tomos da ad-
ministraco do Mrquez do Pombal, e 50 ditos
do Pastor Fidelissimo ; a Bernardino Freir de
Figueredo Ahreu.
7 volumes fazendas, 1 barril azeite 3 cai-
xase 3 barricas drogas e miudezas; a Francisco
de Paula Pires Bamos.
2 barricas bolaxas, 1 embrulho impressos;
a Jos Antonio Falcao.
1 caixo peneiras; a Francisco Alves da Cunha.
I pacotinbo com Annnes da propagacoo da f,
e outros impressos, 1 barril prezuntos; ao Exm.
Bispo resignatario.
II barris vinho 10 ditos azeite, 20 ditos e
chouricos 10 caixas toucinho ; a Manoel do
Nascimento Pereira.
22 gamellas de cera branca ; a Jos Pereira
da Cunha.
6 barris prezuntos; a Franoisao Severiano
Rabello.
1 barril vinho 1 dito vinagre 1 dito azei-
te 1 dito prezuntos. 2 canastrs massas 1
barrica alpista 1 taxo de rame ; a Feliciano
Jos" Gomes,
1 pacotinho ignora-se; a Jos Jeronymo Ro-
drigues Chaves.
1 caixa de folha com differentes objectos ; a
Pedro Alexandrino Gomes.
__ I pacotinho com apitos ; a Antonio Carlos
Ferreira Soares.
25 barris vinho, 6 latas queijos do Alem-te-
jo 1 caixa espelhos 1 cadeira de menino, 5
gaiolas diforentes passaros, 1 saco dinheiro ;
ao CapitSo.
e o deposito nao excede a 1:600 bar-.
ricas.
Genebra em botijas dem a 38100 a du-
zia.
Massas sorlidas dem a 5S200 a @.
Oleo de linhaca dem de 1:850 a 1:900 o
gallo.
Papel almaco azul Idom de 3:000 a 3:200
odel.*sorte.
Pimenta da India NSo ha.
Prezuntos do Porto Vendcrio-se de 9:600
a 10g a <.
Paios do Lisboa dem de 28400 a 28500 a
duzia.
Queijos -T- dem de 900 a 1:200 um.
Sabo amarello dem a 105 rs a Ib.
Toucinho de Lisboa dem de 5:800 a 6:000
a@.
Vinhos de Lisboa dem a 1208 o PBR bran-
co, e tinto e de 868 a 112ji o do
outros autores.
Dito muscatel dem a 48000 a duzia de
garrafas.
Existem no porto as seguintes embarcacoes.
Austracas.......... Brazleiras..........29
Dinamarquezas.........g
Inglozas..........5
Portuguezas.........7
Sardas...........3
48
Movimento do Porto.
PBACA DO BECIFE 10 IE JNHO DE 1843.
Bevisla mercantil.
Cambios Pela barca Columbus sahida para
Liverpool houvcrao tranzares regula-
res a 25 '/ d. por 18.
Algodo As entradas forao regulares e ha
poucos compradores a preco de 4:800
por arroba que axigem os vende-
dores.
Assucar As entradas tem diminuido muito;
e por isso be procurado a preco de
1:200 sobre o ferro por arroba.
Couros Foro mais procurados esta semana,
que a anterior o as vendas regula-
ra o de 130 a 135 rs. a Ib.
Alpiste Vendeo-se de 158 a 138 a bar-
rica.
Arroz pilado dem de 8S a 98 rs. o quin-
tal.
Azeite de peixe Nio ha em primeira m3o.
Bacalbao Nao houverao entradas e o con-
sumo foi diminuto.
Batatas N8o ba em primeira mao.
Brim da Bussia Vendeo-se a 13000 rs.
pessa.
Carne secca dem de 9:000 a 2:560 e o
deposito de 38:000 arrobas.
Chumbo de municSo dem de 15# a 16*
o'quintal.
Ei a-doce dem a 5:000 a <>.
Farinha de trigo dem de 19:500 a 208000,
Navios entrados no dia 9.
Mar Pacifico, tendo saludo de New Btdeford
42 mezes galera americana Timoleon do
346 toneladas, Cbpitao John A. Boleis, e-
quipagem 26, carga azeite de peixe : ao ca-
pitao.
NewZealand, tendo sabido de Sag Hahor 29
mezes, galera americana Halmilton, de 454
toneladas capitao David Hord, equipagem
28 carga azeite de peixe : ao capitao.
Navios sal idos no mesmo dia.
Rio Grande do Norte ; brigue escuna de guer-
ra brazileiro Leopoldina commandante o
capitao tcnente Joao Custodio d'Hodaim.
Bio Grande do Sul ; brigue brazileiro y4lbanot
capitao Jos Francisco Pereira carga diver-
sos gneros.
Ditos no dia 10.
Veneza ; barca austraca Veneza capitSo Le-
andr F. Joancich carga assucar.
Liverpool; barca ingleza Columbus capitao.
Daniel Creen carga algodo e assucar.
Parahiba; barca ingleza Creamore, capitao Tho-
maz N. Shappley carga lastro.
Londres; barca i.gleza 'Jheresa capitao W.m
H. Criscoll com a mesma carga, quo troute
de Nova Hollanda.
Editaes.
O Illm. Sr. inspector da thezouraria das
rendas provinciaes manda fazer publico, qus
em virtudc da lei perante a mesma thezourae
ria se bao de arrematar em basta publicaa quem
mais demos dias 19, 20 e 22 do corrente
pelas 11 horas da manhaa os seguintes im-
postes :
Por tempo de 3 annos acontar do 1.de ju-
lho futuro,
Taxa da barreira do Giqui avaliada an-
nualmente em........4:1008000
Taxa da barreira da Magdalena avaliada an-
nualmente em........2:652c000
Taxa da barreira do Motocolomb avaliada
annualmenle em.......1:6008000
Taxa das passagens do rio nos lugares da
Cordeiro c do Caldereiro idem 808000
Furo das caixas e fechos d'assucar
idem...........1:0808000
Por tempo de 2 annos a contar da dita epo-
cha.
\ inte p. % na agurdenlo de consumo nos
municipios de Goianna avaliado trienalmente
em............1:017*000
Pao do Alho idem...... 273000
Limoeiro idem.......2498600
Bonito idem........ 153O00
Cimbres idem....... 848000
Garanhuns idem...... 938000
Flores e Tacara t idem .... 93*000
Boa-vista idem...... 938000
As pessoasque se proposerem a estas arrema-
tares compareeSo na salla das sessocs da mesma
thesouraria nos dias cima indicadas munidos
de fiadores idneos, e competentemente Labili-
tadas.
E para constar mandou o mesmo Illm. >cr.
inspector afllxar o presente, e publicar pela
imprensa. Secretaria da thesouraria da ren-
das nrovipciaes de Peraiiibiicc 10 de msic de
1843. O secretario
Luis da Costa Portocarreiro
1
I
I


Vicente Thomaz Pires de Figueiredo Cn-
fnargo commondador dii ordem de Chrislo, e
inspector da lfandcga &c. &c Faz saber, que
po dia 14 do rorrete se ha de arrematar em
basta publica ao meio dia, nina me/a rom tou-
ador no valor de 258000 reis impugnada
pelo guarda Joao Baptistu d"Araujo, no despa-
cho por factua de Manoel Joutiuim Hamos e
Silva sendo o arrematante sujoito oo paga-
mento dosdiroitos, e expediente. Alfandega 10
dejunho de 1843. Vicente Thomnz Pires de
figueiredi Ca margo.
Vicente Thoma/. Pires de Figueiredo Ca-
margo, commcndador da ordem de Chrislo, e
inspector d'alfandega, &c. Faz saber que no
din 14 do correte se ha de arrematar em hasta
publica porta d'allandega, ao meio dia um
embrulho com duas mantas de fil prcto no
yalor de 1GS00O reis aprehendidas scm des-
pacho pelo guaida Joo Baptista d'Araujo, sen-
do a arrematato livre do direitos. Alfandega
8 dejunho de 1843. Vicente Thomaz Pires
de Figueiredo Camargo.
Heclaracoes.
O thosoureiro das rendas provinciaes paga
d'hojc em diante o ordenado vencido no ulti-
mo do marco prximo passado aos cmprega-
dos, que nao vencem emolumentos.
Jdminislrago do Patrimonio dos orfaos.
Pela administradlo do patrimonio dos orfaos
se ho de arrematar a quem mais der por tem-
po de 3 annos que ho de ter principio do 1.
de julho docorrenle anno, ao im de junho de
1846, as rendas das seguintes casas:
Em ultima praga.
N.* 2 na ra do Collegio.
12 na dita do Cebo do bairro da Boa-vista.
14 na dita do Rozario a
a 26 na dita da Madre de D. do bairro do R.e
a. 35 na dita
36 na dita a
a 38 na dita do Torres
a 54 na dita do Amorim
55 na dita .
a 56 na dita da Cacimba
a 84 na dita da Guia
88 na dita da Cruz
O sitio na estrada de Parnamcirim arrendado
a Jos Fidelis Barreiros de Mello.
O dito na estrada do Rozarinho arrendado a
Joaquim Jos da Costa.
O dito na malta da Miroeira arrendado a Joa-
quim Manoel Carneiro da Cunha.
As pessoas que se propozerem a arrematar di-
Jas rendas, poderd comparecer na casa das ses-
soes da dita administraco no dia 14 do corren-
te mcz s 4 horas da larde com scus fiadores.
Advcrtc-se aos inquelinos que se acharem
devendo rondas atrasadas que se nao aceitao
cus leos e nem por issose Ibes dar prefe-
rencia ao lamo que for oflerccido.
Sala das sessoes d'administracao do patrimo-
nio dos orlaos em 10 de junho de 1843. J.
M. da Cruz.
= A administrarlo do patrimonio dos orfaos
manda scientificaraos inquilinos das casas n.os
9, 18, 21, 23, 40, 47, 49, 52, 53,56, 67, 68,
81, 82. 83, 96, e 100, cujos fiadores ainda nao
assignrao os termos d'arremataco que o fa-
c3o atoo dia 20 do corrente me/ para o que
se devero dirigir a casa do abaixo assignado no
largo do Carmo n. 5, (sendo de manh al s
8 horas, e de tarde das 3 em diantcj sob pena de
se porem novamente em hasta publica as res-
pectivas rondas. Sala das sessoes d'adminis-
tracodo patrimonio dosoifaos 10 de junho de
J843. JM. da Cruz.
=A administraco dos estabelecimentos de
aridade manda fazer publico que a 3.a, e
ultima praca da renda das casas j annuociadas,
he no dia 16 do corrente pelas 4 horas da tarde,
na sala de suas sessSes; e de novo faz cerlo aos
inquilinos cujo pagamento no esteja cm dia ,
que nSo scriio recebidos seus leos. Sala das
6essdes d'administraco dos estabelecimentos de
caridade 9 de junho de 1843. O escriptura-
rio, F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Lotera do theatro.
As rodas desta lotera andao impreteri-
velmento no dia 20 do corrente junho fi-
iuem ou nao bilhetes por vender eo restante
ios mesmos acho-se venda nos lugares j
annunciados, e tambem na loja do Sr. Guerra,
na ra Nova n. 11.
Companhia de Bebiribe.
Roslo 400 a 500 acedes das, que se achavo
destinadas aos subscriptores que nao realisaro
s suas entradas : as pessoas que as protonderem
dirijo-se ao oscriptorio da caixa da companhia,
oSr. Manoel Goncalves da Silva, aonde as po-
dem obter entrando com a 1.a prestaoo a
qual corresponpea 58 rs. por aeco. Escri-
torio da Companhia de Bebiribe 7 de junho de
1843.O secretario B. J. Fornandes Borros.
= D'ordein do lllm. Sr. inspector do arsenal
de marinua se faz publico que no dia 20 do
corrente mez pelas 11 horas da manha Fe
pora em arromataco os lornecimentos dos se-
guimos gneros para o mesmo arsiMial e em-
barca! cs da armada pilo lempo que M-con-
vencionar: arroz, toucinlio vinagre baca-
llio larinha, feijao agurdenle, assueai .
caf moido azeite doce e de coco para o farol .
carne verde pao e holaxa As pessoas n
quem possa COnvir qualqucr destes forneci-
mentos que devora ser feito com o genero
da melhor qualidade, sao convidados pido lllm
Sr. inspector a apro/.entarom no>ta secretaria
as suas propostas em carta feixa la at o referi-
dodia.Secretaria da inspoeco do arsenal de
marinhado Pernambuco 7 de junho de 1843.
Alexandre Rodrigues dos Anjos ,
Secretario.
=D'ordem do Illm.Sr. inspector doarsenal de
marinha se faz publico quo no dia 14 do
prezente mez pelas il horas da manha se
vender em hasta publica com as formalidades
do estillo na porta do almuxarifado do mes-
mo arsenal, urna porco de bolaxa arruinada,
propria para alimento de animaes. Secretaria
pa inspeceodo arsenal demarinha de Pernam-
buco 7 de junho de 1743. Alexandre Rodri-
gues dos Anjos, secretario.
Avisos martimos.
Para Macei a lancha S. Jos Flor do Mar;
quem na mesma quizer ca regar, ou ir de pas-
sagem dirija-se ao beco da Lingoeta venda de
Joaquim Jos Rebello ou a bordo da mesma ,
que se acha fundiada defronte do trapiche do Al-
godo.
Para o Aracaty oS. Jos Vencedor, sai im-
preterivelmento no dia 27 do corrente mez, por
estar contractado com varios carregrdores; quem
n'elle quizer carregar dirija-se a seu proprieta-
rio Manoel de Souza Couto, ou ao capito Ma-
noel Jos Ribciro.
Leudes.
= J. L. Nolasco estando prximo a retirar-se
para o Rio de Janeiro far leilo por inter-
venco do corrector Oliveira do toda a mobi-
lia da su a casa a mor parto com pouco uso
por haver sido recentemente feita e do melhor
gosto inclusive um magnifico piano inglez,
cristaes louca, e algumas obras de prata do
feitios modernos : terca feira 13 do corrente
as 10 horas da manh no segundo andarda
caza nova da ra do Collegio com frentes para
estas ras, Palacio e Passeio publico ; adver-
to-se que a escolha do dia para o leilo foi feita
para maiorcommodidade dos senhores portcn-
dentes.
L. G. Ferreira & C." faro leilo por
conta e risco de quem pertencer e por inter-
vencao do fiorretor Ohveira do urna porclo
do vellas de espermacete avariadas salvas
do cter Vivo : segunda (eir 12 do corrente as
10 horasila manha, no seo armazem ra
da Cadeia.
= O leilo do grande so ti ment de fazendas
inglczas, rancezas suissas, &c annun-
ciado pelo corredor Oliveira para o dia 9, ficou
transferido por causa da chuva e tora lugar
quarta foira H e sexta 16 do corrente as 10
horas da manh no armazem que foi do Sr.
Stewart, ra da Cruz.
Avisos diversos.
CHORA-MENINO N. 3.
Sabio boje e est venda por 20 reis ; na
praca da Independencia n. 6e8.
O PAISANO N. 19.
Ahio boje, e est venda no patio da
Santa Cruz na botica do Snr. Jos Mara
Freir Gameiro: o na loja de livros da praca
da Independencia n. 6 e 8.
Lotei ia de N. S. do Guad'lbpe.
TENDO-SE annunciado o andamento das
lodas desta lotera concedida a favor das
obras da igreja de N. S. do Guadetuee pa-
ra o dia 12 do presente mez, nao pode ter
lujar em consequenoa do grande numero do I
liilhctes que ainda osintem o como o osudo
actual da irinandadeeslar em obras como con-
(orlo da sua igieja nao pode aseverar para
este dia ( fiquoni os bilhetes que finir) cuno
fizorao as mitras loterias: por esta ra/.o muda
o andamento das mesmas rodas, para o dia \ do
iroximo mez de julho impreterivelmenle, a fim
le nao prepidicar o and .ment das rodas da lo-
tera concedida a lavor das obras do theatro.
\ irmandade rogo aos amadores (leste jogo con-
corro compra do restante dos bilhetes, que se
achao venda noslugarer docostume.
=Na fabrica de sabo na ra Imperial n.
116 existe um bom doposto do mesmo gene-
ro quer preto ou amarello, affianca-se sua
ptima qualidado por nao conter materias no-
civas lavagem da roupa : seu inaltcravel preco
he de 110 res por libra, scm caixa e somen-
te se vende para mais do arroba.
Muga-so urna casa na ra de S. Goncalo,
lado da sombra com quintal grande e mu-
rado trez quartos e duas sallas ; a traclar
com o Sr. Jos Bernardo Pencha, junto mes-
ma casa, ou com Marcellino Jos Lopes.
A commisso administrativa da sociedado
Terpsichore tcm marcado o dia 12 do corrente
para approvaco do convidados para a partida
do 28, do seo annuncio.
Aluga-se um sotao para urna senhora ca-
paz quetenha pouca familia no patio da Ri-
heira deS. Antonio n. 19 ; na mesma preci-
sa-so alugar um sobrado de um s andar ou
urna casa torrea.
A pessoa que so quizer sugeitar a morar
em um sitio gratuitamenle no lugar dos Aflo-
gado s com a condico do nao disfructur ,
e nem consentir robar : dirija-se a ra da Con-
ceico na Boa-visla casa n. 16.
No ra d'Ortas sobrado por cima do assogue,
n. 30 ha urna mulhor com muito e bom lei-
te scm filho quo se offerece para ama.
Perdeo-so no dia 8 do corrente um cartei-
ra do algibeira com urna letra sacada por R.
Rogcrs contra Deane Yoolo & C. da quantia
de rs. 2938020 vencida em 7 do corrente, e
outra sacada por Joo ^tewart contra Victorino
de Castro da quantia de rs. 1208 vencida em
30 do maio ; quem a tiver achado poder res-
titul-a na ra do Trapixe novo primero an-
dar da casan. 16, eprevine-se que os accoi-
tantes das ditas letras estao entendidos para nao
pagarem se nao a quem as perdeo.
O Senhor que tirou da loja da ra da ca-
deia n. 26 as oito horas da noite ( sbado 10
do corrente ) urna casaca nova cor de vnho es-
curo com ahotuadura amarella, haja quanto
antes do a entregar na mesma I )|a ou cm casa
doalfaite Guimaraes na mesma ra do con-
trario ver seo nome por estonco e proceder-se-
ha como for de justica.
Precisa-se de 300 a juros pelo lempo de
6 mezes dando-se para seguranca 3 casas de
taipa muito bem feitas no lugar da Cabanga ,
querendem por me' II* rs. ; quem Ihc ron-
vier procuro em dito lugar na casa n. 50 para
tralar o negocio que ser vantajoso.
Quem precisar de urna ama deleite, pre-
taeescrava; dirija-se ao patio do Carmo casa
terrea n. 31.
O Sr. Manoel Ferreira de Souza Barhoza;
dirija-se a ra da Cruz n. 56, para receber urna
carta vinda do Porto.
Pr*ci/a-se de 6008 reis a juros com hy-
potheca ; quem os quizer dai diiija-se a ra
da Alegria n. 26 ou annuncie.
= Quem precizar de lenha para olararia. es-
tacas varas e i-utrasqualidades ; dirija-se
ao sitio d'Agoa-fr'8 nuo ncnara a dita lenha
por menos preco do quo em outra qualquer
parte.
Deposito de farinha de mandioca; na ra
da Cadeia do bairro de S. Antonio n. 19. Os
procos desta semana contina a ser da 1.* qua-
lidade 28560 2.' 28240 e3.'l 8920 reis o
alqueire.
Continua-se dardinheiro a premio so-
bre penhores do ouro, em pequeas porcoes; nO
patio do Panizo sobrado n. 8. 2 andar, quem
precizar procuro de 1 hora at as 3 da tarde.
O Sr. Manoel da Costa Pereira ; queira
fazer o favor de comparecer no patio de S. Pe-
dro n. 1, que se Ihe deseja falar a negocio, que
nao ignora.
Prociza-se de urna ama de leite para criar
um menino oque nao traga com sigo filhos ;
na ra da Senzalla nova n. 39 ou annuncie a
sua residencia.
Preciza-se falar a Sr.1 D. Francisca de
Paula Mavignier para se entregar urna carta
vinda da Baha.
= Tira-se folhas corridas, e passaporlcs pa-
ra dentro e lora do imperio por preco muito
commodo ; quem pertender dirija-se a ra
do Rangel n. 34.
__ Consta a dona do trancelim, que enfiado
em urna Concoico de ouro, fora perdido no pa-
tio do Hospital de una casa para outra, que
elle fOra achado, e vendido pelo preco de 3500
reis ; roa-se portanto a quem o comprou r o>
favor di! o entregar no inasmo patio n. i QU
na travo sa dos Qiarteis n. 26 qu recobor a
quantia cima que com elle despendeo ou
ainda mais alguma cousa so quizer.
Peranto o juizo de orfaos e auzentcs desta
Cidade vo a praca pela ultima vez hoje 12 do
corrente, urna loja do fa ondas, o rosto de mo-
vis pertoncontes a testamentaria do finado
Antonio Jos Vieira de Araujo.
Umamulhci branca capaz, sem filhos, offe-
rece-se para ama do casa de algum homcm sol-,
toiro ou viuvo a qual cozo toda e qualquer
qualidade do costura o engomma tambem de
toda qualidade ; quem do seo prestimo se qui-
zer utilizar, annuncie sua morada para ser pro-
curado.
Silva & Fragozo aviso aos Srs. assignan-
tes do jornal Universo Pitloresco que quize-
rem renovar as suas assignaturas para o corren-
te anno, hajo de se dirigir a ra da Cruz n.
43 aonde j se achao os nmeros dos mesmos
at marco, e tambem so vende collecoes dos an-
nos anteriores.
O secretario da irmandade deN. Sr.1 da
Conceicao dos Militares convida aos irmos a
reunirem-se no respectivo consistorio pelas 4
horas da tarde do dia 14 do crrente para a
elleico do vico-presidonte e tractar-so de ou-
tros objectos.
Aluga-se um sitio com casa napovoaco
da Boa-viagem, contendo o mesmo 300 pez do
coqueiros.e outras fructeiras de differentes qua-
lidadcs, e urna canoa que pega 1300 lijlos d
alvenaria ; na ra do Qneimado n. 57.
Quem annunciou querer vender duas mo-
radas de casas terreas, urna na ra do Rozario
da Boa-vista o outra na ra da Aurora ; di-
rija-so a ra I)irrita n. 121.
= Preciza-se de urna casa terrea no bairro
da Boa-vista com quintal, e que seu aluguel
nao exceda de 6S reis as ras seguintes do
Arago da Conceicao, por detraz do Atierro,
e as ras vizinhas a estas; a fallar na ra do
Rozario estreita n. 2, na tenda do Leite alfaiate.
Os Srs. Jacinto Silvestre Vicente e A-
gostinho de Barros ; queiro se dirigir ao Rec-
fe na ra da Cadeia casa do Cambio do Vieira
n.24, pois dezeja-se fallar com os mesmos Srs.
Preciza-se alugar o armazem a pessoa que
igualmente preciza e se queira responsabili-
zar pelos 2 andares do sobrado da ra do Amo-
rim, onde teve tenda de tanoeiro ; quem qui-
ur dirija se ao largo da Ribeira n. 19.
=Cozem-se carnizas de homens, costuras de
alfaiate vestidos de todas as qualidades e do
melhor gosto assim como borda-se faz-se
lavarinto e marca-se por preco commodo ;
na ra Direila n. 3 primeiro andar.
O abaixo assignado vende a parte que
Ihe tocou por heranca de seo fallecido pai Ma-
noel Pires Ferreira na divida da fa onda pu-
blica do Rio de Janeiro a qual com os juros
anda por mais de cinco contos de reis ; quem
pertender, dirija-so atraz da Matriz da Boa-
visla casa n. 24. Domingos Pires Ferreira.
Quem quizer comprar urna botica na ra
da Cadeia do Recife ; dirija-so a ra do Cabu-
g n. 11.
A meza actual de S. Benedicto erecta
no convento de" S Francisco laz sciente ao
respeitavel publico ou a quem pertender, que
a mesma irmandade possuidora d'um sobrado
de 2 andares na ra da Cruz do bairro do Reci-
fe c pretende alugar o dito predio a quem fa-
ca os concertos. dcscontando-sc nos alugueis ;
a tractarna praca da Independencia n. 15.
Sociedade Amisadc-nos- Une.
O 1."secretario faz sciente aos Srs. socios
que amanha 13 docorrenle pelas 4 horas e
meia da tarde ha sesso de A. L. para se cum-
prira disposicao do arligo 14 dos estatutos.
Roga-se a pessoa quo no da 1. do cor-
rente comprou um par de brincos na ra No-
va e deixou de penlmr um relogio do prata,
venha resgatar no prazo de 15 dias ,'C no se-
ra vendido eadvcrtc-se oue so fazo presento
annuncio para nao se chamar a ignorancia.
Roga-se a qualuuer caldeiroiro, que ha-
ja de apprehender urna bacia de rame grande ,
j i u'ada que furtaro do um quintal no dia 8
do corrente mez ; dirija-se ao attorro da Boa-
vista n.3, que ser bem recompensado.
= Roga-se as autoridades policiaes desta o
mais comarcas e pessoas particulares que sou-
berem de um escravo cabra de nome Joo di
zem ter mudado o nome e a titulo de liberto
consta ter andado a trabalhar de carreiro em
alguns engenhos cujo escravo fugio desta ci-
dade em Janeiro do 1836 e tem os signaes se-
guintes : estatura ordinaria tem uns panos
pelo rosto at o pescoco dentcs abortos, com
34 annos de dado muito pouca barba ca-
bera comprida para tras (urna bem Talan-
te dezembaracado para todo o saevico de
campo e tem mais um defeito em a unhada
dedo grande do p esquerdo ; quem delle tiver
noticia ou aprendei o o remeta para esta praca,
na ra da Madre de Dos casan. 34.


!
LOTERIA DEN. S. DO LIYRAMENTO
As rodas desta lotera ando in-
alivelmente do da lG do correte:
fiquem oonao hilheles; e o restante
acha-se venda nos lugares do
costnme.
Aluga-se urna escrava para o servico do
urna casa de pequea famalia e isto por pou-
cos mezes ; na ra Direita n. 131.
= Dosoja-se saber se he vivo ou morto Luiz
Ozorio do Amarai, vindo de Lisboa para esta
praca no brigje Ligeiro em e/embro de 1829
e quedepois foi para a Parahiba, e por motivos
de molestia voltou outra vez para esta cidade ;
quem poder dar alguma inormacao queira
por favor annunciar ou dirigir-se a ruada
Cruz n. 45 casa de Manuel do Nascimento
Pweira.
= Precisa-se de um feilor para um enge-
nho distante desta praca 8 legoas : na ra es
treita do Rozarlo n. 31, tercoiro andar.
cas Jobnston Pater & Companhia aviso aos
Srs. de ongenhos e correspondentesdos mesinos
nesta praca que se acha completo o seu esta-
belecimento de machinismo para engonhos ,
constando de moendas de diversos tamaitos ,
machinas de vapor, de condesacao e de alta
pressao da Torca de quatro e de seis cavados in-
glezes, e taxas batidas e coadas e promettem
agradar aos seus freguezes tanto em proco como
em qualidade visto serem todos estes objectos
feitos n'uma das principaes fundicoes de Ingla-
terra : ra da Madre de Dos n. 5.
=Deseja-se saber, seem Pernambuco existe o
Sr. Domingos Alves Barboza e Silva natural
de Barcellos em casa de Gaudino Agostinho
de Barros na pracinha do Gorpo Santo n. 66 ,
ou annuncio sua morada para ser procurado ,
pois 'o I lu deseja fallar a negocio de interesse.
= Precisa-se fallar om a viuva ou flho de
Joaquim Gaetano da Luz; na Gamboa do Car-
ino n. 13.
O Sr. Dr. Bernardo Pereira do Carmo ,
queira dirigir-se ao beco da Linguta venda de
Joaquim Jos Rebollo para receber urna carta
vinda de Macei a qual se Ihe nao tem entre-
gado por se ignorar a sua morada.
) despachante que se acha na meza do
Consulado mora na ra de S. Thereza n. 2 ,
onde fra das horas, em que esta no ditojConsu
lado est tambem prompto a qualquer servico
des partes.
Quem precizarde um caixeiro para venda,
da qual tem alguma pratica e d fianca a sua
boa conducta; dirija-se a ra do Amorim ven-
da n. 17.
Preciza-se de 2 contos de reis a juros de
um por cento ao mez o estes pagos mensal-
mente com seguranca de hypotbeca em um
ptimo sobrado de 2 andares sito no Recife ;
quem este negocio quizer fazer, queira annun-
ciar para se tractor.
Aluga-se um sobrado novo de um andar
sotao com muitos bons com modos, proprio
para urna familia ; assim como tambem se alu-
ga um armazem bastante grande junto ao ases-
ino sobrado proprio para qualquer ollicina e
no mesmo se vende caibros : na ra Augusta
ns. 9 e 11 quem precisar dirija-se a ra do
Rangel venda da esquina que volta para o trem,
n. 11.
Quem precisar do urna mulhor para ama
de urna casa de familia a qual sabe coser roupa
para bomem e para mulber luz lavarinto de
todas as qualidades e cacunder ; quem a pre-
tender dirija-se ao patio da Ribeira n. 16.
= Na ra da Cruz n. 57 preciza-se fallar
com o Sr.Padre Francisco Jos Coelho du Cois.
A pessoa que dezeja falar a Domingos
Knotb ; dirija-se a travessa da Madre de Dos
n. S. segundo andar.
- Alugose os dois sobrados e armazensda
ra do Amorim junto a tenda de ferreiro : di-
rija-se ao patio da Ribeira n. 19.
A companhia da Marchan (aria avisa, que
de boje em diante ser o maior preco da car-
ne seis patacas.
Francisco Severanno Rabello avisa aos
Snrs. ssignantes do jornal Panorama que
os mez d Marco e Abril se acbo no seu escri-
p torio.
Quem precisar de urna escrava para criar
para o que tem bom leite dirija-so a praca da
Boa-vista, o. 24.
s= Joaquim Alves de Gouto subdito Por-
tugus retira-se para Portugal.
Na padaria n. 38 da ra Direita pre-
cisa-se de um bom amassador.
Na ra do Crespo n. 2 loja da viuva
de Alfonso para o Reverendo Snr. Damazio d'Assumpelo
Pires.
= Eduardo Antonio Pereira subdito Bra-
silero retira-se para Lisboa.
Aluga-se por lOff rs. mensaes o arma-
zem do sobrado da ra do Amorim n. 29
brado ao annuncia.ite ou todo o sobrado
tratar na ra da Nogueia n. 13
Compras.
Comprao-se efectivamente para fora da
provincia, mulalinhas negras moloques ,
negros de ollicios, sondo de bonitas liguras
paga o-se bem : na ra da Cadoia de S. Anto-
nio sobrado de varandas do pao n. 20.
Comprao-so mulatas negras e mo-
leques de 12 a 20 annos pagao-se bem pa-
ra fora da provincia: na ra Nova loja de
ferragensn. 16.
Comprao-so effectivamente para fora dar
provincia mulatinhas crioulas e mais ejera-
vos de 13 a 20 annos, e para urna encomien-
da um moleque de Angola do 15 a 20 annos ,
cozinheiro; e urna mulatinha de 12 a 15 an-
nos com principios de costura ; e um papa-
gaio bom tallador, pagao-se bem sendo bo-
nitos ; na ra largado Rozaro n. 30, primei-
ro andar.
= Compra-se urna salva de prata ; na ra
da Matru da Boa-vista n. 26, primeiro
andar.
Compra-se um retabolo com todas as
bandeiras das nacoes, para navegantes; na
ra estfeita do Rozario padaria n. 2.
Comprlo-se duas jarras grandes vidra-
das, que levem do 4 a 6 baldes de agoa ; no
caes novo de palacio botequim da estrella.
= Compra-se urna porcao de prata velha ;
quem tiver annuncie.
- Comprao-se os Panoramas de 1840,
ou somente os nmeros de Agosto at Dezem-
bro inclusive ; quem tiver annuncie.
=3 Comprao-se a dinheiro e a troco de
sabo todas as gorduras, mesmo detriora-
das como toucinho cebo manteiga e &c. ;
ajustar-se-haavista das amostras, na fabrica
de sabao da ra Imperial n. 116.
Compra-se um moleque de 12 a 14 an-
nos ; no atterro da Boa-vista n. 11.
Compra-se urna casa de sobrado de um
andar, em algumas das ras do bairro de S.
Antonio : quem tiver annuncie.
Comprao-se dous selins em meio uso:
na ra do Queimedo, casa de Novaes & Bastos.
Vendas

rwvi
.1
MVM|U
Vende-se urna morada de casa de 2 an-
dares com sotao e quintal, na ra do Quoima-
do n. 24; a tratar na ra do Queimado, lo-
ja de ourives n. 1.
Vende-so excellente rap princeza da fa-
brica de Gasse a retalho; na ra do Cabug
loja de Bandeira Jnior.
- Vendem-se saccas com arroz pilado e
com casca muito bom e por preco commodo;
na praca da Boa-vista venda n. 15.
Vendem-se 3 escravos vindos do Aracaty
sendo um moleque de 8 annos, um cabrioha
de 12 e um prelo de nacao de 30 annos; a
tratar com Antonio Rodrigues Lima ua praca
do Corpo Santo.
Vcnde-se urna vacca que est dando leite .
com a competente cria ; e um cavallo russo ,
acostumado a puchar carrinho e carraca ; na
na Nova loja n 58.
- Vendem-se 20 toneladas de carvao de
pedra a bordo do Brigue Dinamarquez Retty
chegado d Hamburgo ; em casa de Hermano
Mehrtens ra da Cruz n. 47.
- Vende-se um moleque de nacao de 13
annos : em Fora de Portas ra dos Guara*
rapes n. 28, de mahha at as 8 horas e meia.
Vendem-se bichas pretas de boa quali-
dade pequeos barris com toucinho chegado
pelo ultimo navio de Lisboa ptimos presun-
tos do Porto, e superior vinho engarrafado; no
atterro da Boa vista venda n. 44 junte a
travessa do Martins.
Vende-se uns pertences de fazer farnha,
com forno de cobre : no atterro da Boa- vista
n. 3.
= Vendem-e os Panoramas de 1837 a
1838 encadernados por 5000 rs. philosofo
por amor ou cartas de dous amantes a 1600 ,
cartas de Echo a Narciso por 1000 rs. Ro-
mance de Voltaire por 320 tudo em muito
bom estado ; na ra Nova n. 31.
Vendem-se um preto e urna preta ,
casados, o motivo da venda se dir ao com-
prador ; no atterro da Boa-vista, venda n. 20.
Vendem-se batatas ltimamente chega-
das e por preco commodo ; no armazem de
Joaquim Goncalves Vieira Guimaracs ao p
da ponte do Recife.
Hoje das 9 horas at meio dia na praca
da Independencia vende-se urna vacca de lei-
te acostumada ao pasto, por proco commodo.
Vende-se urna preta de nacao de 18
annos ,que faz todo o servi.o de urna casa e
tem principios de cozinbar e entramar; na
v- g____________________________________
Vende-se o Sortilegio Pueril obra mui
divertida e propria para* entreter as socieda-
des em ns nortes de S Antonio e S. Joao por
deminuto preco ; na ruada Cruz n. 37.
Vendem-se charutos da Havavana de su-
perior qualidudo, e farollos em saccas grandes :
na ruado Trapiche, n. 19, casa de J. O.
Elster.
\- Vendem-se a historia de Louisa'Abailard;
e a Grammtica Me Lobato tuda em bom
uto e por preco commodo ; na ra estreita do
Rozario n. 10.
Vende-se azeite de carrapato a 1760 al
caada e a seis patacas a retalho ; e tambem
se ahjgo-se pretas para vendecem-no na ra,
rando-so vendagem: na ra do Nogueira n. 13.
- Vendem-se 200 citaras de prata de boa
qualidade a 200 rs. ; na ra da Cadeia de S.
Antonio, n. 19.
Vendem-se 3 librase 11 oitavas de pra-
ta e 35 ditas de ouro por preco commodo ;
na ra do Queimado n. 5.
Vendem-se dou bois mancos do curro ,
4 vaeoas de leite 6 novilhas desapartadas ,
urna porfi de madeira propria para casa de
taipa o um milheiro de tenas; na ra do
Queimado n. 57.
Vende-se urna casa assobradada feita a
moderna com porto de desembarque com
bastante terreno no fundo, com suficiencia
para qualquoi estabelecimento de Tornos, sita
no Coelho da Boa-vista junto a olaria do Sr.
Miguel Garneiro ; no atterro da Boa-vista, loja
de seleiro.
Vende-se urna porcao de lenha de boa
qualidade e propria para fornos de tijolos ; a
tratar no sitio das jaquoiras com Marcelino Jo-
s Lopes.
Vende-se um qUarto russo foveiro ,
grande proprio para carro por ser ardigo ,
bastante novoe carnudo ; na ra estreita do
Rozario botica pintada a frente de amanillo.
* Vendem-se urna escrava de naco, de
20 anuos, ehgomma e cozinha ; e um escravo
bom canoeiro : na ra Direita n. 3.
= Vende-se urna canoa grande bem cons-
truida de carga de mil tijolos de alvenaria :
na ra da Praiado Caldereiro casa do Amo-
rim.
Vende-sea propriedade denominada Cas-
sote a qual divide pelo engenho Giqui, pas-
so do dito, em trras da Ibura, a qual tem
3uasi meia legoa com mattas e agoa ; atraz
a Matriz da lioa-vista n. 24 casa de Do-
mingos Pires Fcrreira.
= Vendem-se urna duzia do cadeiras ame-
ricanas em bom estado urna cama de solteiro,
moderna e de condur, um deposito para azei-
te de carrapato, um fia tul res com medidas e
funil, tudo por preco commodo ; na ra de S.
A maro n. 24.
Vendem-se dous escravos, um mulato de
22 annos e ooutro preto de 24 annos tra-
bajador em padaria : a ra do Sol n. 21,
primeiro andar.
Vende-se um sobrado de um andar, o
sotao em chaos proprios om bom quintal ,
na ra de S Rita n. 14 ou troca-se por urna
casa terrea que tenba quintal; a tratar na Cam-
boa do Carmo, n. 12.
Vende-se taboado de pinho a 40 rs. o
p de todas as larguras e comprimentos; atraz
do theatro, armazem de Joaquim Lopes de Al-
meida caixeiro de Joao Matheus.
= Vendem-se uina negra de naco Rebollo,
cozinheira e lavadeira, por 3508 rs. ; um pre-
to velho por 1208 rs. 5 e redes ltimamente
chegadas do Marnnhao proprias para tipoia ;
na ra da ConceicSo da Boa-vista n. 26.
= No Recife ra da Cruz escritorio de Jo-
s Antonio Gomes Jnior, n 23, vendem-
se saccas com alqueire de farnha de mandioca
muito fina e alva, feita na Muribeca por pre-
co commodo.
Vendem-se 3 escravos acostumados ao
trabajho de engenho : na ra larga do Rozario,
no tercoiro andar do sobrado por cima da boti-
ca de Bartbolomeo Francisco de Souza.
V = Vendem-se pares de sapatos para meni-
nos a 300 e 320 rs. chinellas de marroquim
a 1600 sapatos de marroquim para senhora a
800,960, elOOOrs. dito sdeduraquea 18
rs. indispensaveis para meninas que repie-
sentao jarros a 400 rs. luvas de 6eda cornpri-
das a 1000 rs. colltes de setim de Macau a
4500 ; na loja da viuva do Burgos.
Vendem-se manteiga ingleza a 800, e
franceza a 64 ede tertipero a 240 cha is-
son a 2560 bolaxtnha ingleza a 320 pacas
novas a 320 setnentes de hortalice de todas as
qualidades e caixScscom doce de guiaba por
preco barato ; na esquinada ra larga do Ro-
zario n. 52
Vendem-se urna escrava recolhida mo-
ca cose eengomma ; 4 ditas corn boas ha-
bilidades, eozinhao, engommo, e lavo; um
casal de escraos para o servico de campo ; 2
moleques de 12 a 16 annos t rin* nnorinU j2
| mesma idade ; ni ru de Agoas verdes, n, 44.
Vendem-se talhores fnosa 3600 a duzia,
meiasdealgo lo para meninas de 3 a 10annos
Itoha tlecarrotel a 360 a dusia finha do mia-
da de toilas as cores dita branca para bordar,
dita de marcar muito fina cordao para vestido
a20 rs. a peca colxeto a 800 rs. a duna, ban-
dejas grande* e pequeas, -suspensorios de bor-
racha sabonote muito fino a 80 e 200 rs. ,
cartas francesas a 2W0 a dusia garrafinhas
de agoa de colonia Irascos de agoa de flor de
laranja meias de algodilo muito finas para ho-
mem thiisourinlias douradas papel de peso a
2600 e 3000 a resma dito almaco em meias
resmas, brincos francezes, superior agoa de
colonia em frascos grandes e pequeos, cai-
vete finos a 280 e 320 theso'urinbas a' 120 e
180 : na pracinha do Livramento n. 53.
= Vendem-se charuto; de Manilha e al-
gumas pegas de fazenda da India chamada Na-
no ltimamente chegado ; na ra do Trapi-
che novo n. 16 segundo andar.
= Vende-se um sitio no lugar dos Afoga-
dos denominado Berros o qual foi de Francis-
co Nicolao de Pontes, vende-se em conta pa-
ra pagamento do Sr. Dr. Francisco Dominguos
da Silva; trata-se na ra do Cabug loja de
miudezas n. 3 ou 4.
= Vendem-se relogios para cima de meza ,
com mostradores de madreperola mui bons
reguladores, por terem superior fabrica, e
jarros formados de conchas para se terem em
cima de meza obra Italianna tudo por m-
dico preco ; na ra do Queimado, n. 3, con-
fronte ao beco do pcixe frito.
Em casa de Bolli & Chavannes, na ra
da Cruz n. 40 tem para vender urna bur-
ra do ferro e alguns bahus de madeira, o tam-
bem alguns lustres de bronze dourados, e lam-
padas para salas, escadas de muito bom gos-
to com os vidros competentes proprios para
c-sa de baile concertos, theatros e sal5es.
== J. Saporiti tem para vender superiores
ladrilhos de marmore azues e brancos chega-
dos agora da Europa por preco commodo pa-
ra ver a qualidade no armazem do Annes de-
fronte da escadinha da alfandega, e para o ajus-
te em casa do annunciante na ra Direita n.
120 segundo andar, ou na Alfandega at as
duas da tarde.
Vendcm-sedous pares de caminos para
anclas, em bom estado ; na praca da Inde-
pendencia loja n. 21 de Antonio Felipe da
Silva.
Escravos fgidos.
= No dia 3 de Maio do engenho Inha-
mS freguesia de Iguarass fugio a escrava
Luiza Congo, de 35 annos, estatura regu-
lar secca do corpo cor fula olbos e boca
pequeos, nariz grando e chato os denles da
Trente abortos e quasi podres, um dedo do p
muito pequeo com bastantes cicatriz.es de
chicote as costas, foi comprado na Boa-vista a
D. Maria Caetana ; quem o pegar leve ao dito
engenho e nesta prona ao Padre Bacalho,
na Boa-vista quo recompensar.
= Fugio no dia 6 do corrente o preto Bo-
nedicto Cabund estatura regular, cor pro-
ta, tem urna cicatriz em um olno tem em
urna das m5os pintas brancas mostrando ser fo-
veiro procedido de urna queimadura falla
bastante atrapalhado, he canoeiro, foi visto
cm um atterro em Fora de Portas, duas pessoas
conversando com elle e he de supor que fosse
quem o seduzisse cujas pessoas foro conhe-
cidas por outras, que presenciaro e caso o
escravo no appareca se declarar por esta foi ha
os nomes dos mesmos; quem o pegar leve ao
beco da Lingoeta venda de Joaquim Jos Re-
bello que ser gratificado.
Dcsappareceo no dio 5 do corrente um
molecao de'18 annos, alto delgado do cor-
po he sapateiro no beico superior para o
lado dimito tem um talho de urna queda que
(leu beicos grossos boca e denles grandes.
be bem parecido chama-se Lino crioulo ;
quem o pegar leve a praca da S. Cruz n. 8 ,
que ser gratificado.
Fugio no dia 4 do corrente do abaixo s-
stgnado um escravo canoeiro do gento de
Angola, de nomc Francisco Antonio, de meia
idade estatura ordinaria tem o dedo do p
esquerdo cortado levou tamisa do algodSozi-
nho calcas de brim chapeo de palha ; quem
o pegar leve a olaria que tem sobrado atraa
dos Remedios, quesera recompensado.
== Fugio a mais do 15 dias urna escrava
crioula, de nome Josefa tem urnas costuras
empoladus as costas abaixo do talho do vestido,
um pequeo talho no beico superior, ps pe-
quenos, secca do corpo ; levou panno da cos-
ta com listras azues e encarnadas ; quem a pe-
gar leve a ra do Queimado n. 14 que sera
gratificado.
Rkcifb: naTtp. dbM. F. de Fama.=1843
J


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETO51RDJT_19HL2D INGEST_TIME 2013-04-13T03:22:06Z PACKAGE AA00011611_04980
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES