Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04977


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Atino de 1843.
Quinfa Fera 8
uuj.j..-
Tado gura apandada noi .... d no... prailiaci. audaraviu o.
ImueXol lo-o annopiatan .poaiador com adattrarao r*r u Nac&a ..i.
**"*'' < RrMfaaaoo da Aataariria Gara! do Bl.tIL
,'";'' PARTIDAS DOS CORREJOS TERRESTRES.
CoiMOk, Parahiba Rior.rar.da doNorlt aagoada .ni.i {,
Buhi O Garanhunl a 10 e 4
CrtK. triaba, aaioFaraaBa Parto Cato, Xaaaio, aj.Alagoea o 1
Iii-iiW Florai a 28 Saam Aataa,iaraa fairaa.
DUS DA bEHANA.
5.| l: liara Marciano M.
lato + .. Nberto B.
. 7Mai a.Robaru. Ab. Aad io J. da D. da 4 .
8 tfuiai i. Saltniiaao R. Aadda J. da O. da 3. t,
9^' Primo e Feliciano Mm And doj. de D da 2 t
0 'au a Miranda ftainha 11*1. Aad do J. da D. da 4 t
4 'too d MIMtaaM rrindaoa a. Bernab'
ti.
Onda iodo oa diai
de Junho
Anno XTX. N. IM-j
O Diario publica-aa todoa a diaa oaa aio foro Saatific.doa: aaafa do aaaigUlaM **
da traa mil raia por qnarial pagoa adtaaiadoa. O aaaaaoioa doa aaaignaBaaa aio iaaafjnoa
grana a oa dnaqar o nio torea raiaode 80 raia pnr liada. Aa racleaaacoaa dar
gidaa a eaia iyp., roa daeCraa* N
E4.no pracada Independenaia loja de lirroa N. So 8.
toada:
canelo. ftodia 7 da Jaaho
Caaabio aobra Loadraa 16 j. Osao-Moada da ,400 V.
Par 300 raa par fraaea. a a a N.
a LiaMa lUU por 1UU de preauo.
a da 4,000
PaaT-Palaeoaa
a Patoa Coluaanaree
a diloe Meticaooa
eoaipra
,40
46,.fc>
V 000
i. 900
l.KM
4,9*0
IS.SOO
4 40
9 900
1 20
1 VIO
*,9Q
Moada da cobra i por ctala
Idaai da latraa da boaa tnu I f a | .
PUAaEdUALDANOMEZ DE JUNHO.
Loa Cbeia 4 1, 4* 1 boraia 50 a. da n I La ora i7, ae 6 tofaa da Urda.
Quart.auaf. 4 19, a Gooiaa a 10 da t. | uari. eraao. a 5, oa i$ auBUlea 4a larda,
Prtamar de hoje
1." aOboraa 30 da -anbia. | 1.- a 0 bor.a a 54 > da tarto.
B
:0m
jA.Tg OrTlCIAL.
i"" ............ ,i
LEI N.'110.
Bario Ai Boa-Vista Presidente Ja Pro-
vincia de Pernambco. Faco saber todos os
tantos, que a Assembla Legislativa |7rehTm "publicTs
Provincial decrtou, e eu saoccionei liiu-
gte. ____
TITULO i.
Detpcxa provincial.
Artigo 1." O Presidente da
Provincia be athorltado para
deapender no ejercicio do anno
inanceiro do i. de julbo de
1843 6 30 dejunho de 44.. 879:8558130
CAPITL l.
Assembla Provincial e Secreta-
ria do governo.
Art. 2.' Com o subsidio e a-
judade custo dos membros da
Assembla Provincial........ 20:1028400
Art. 3 fr.m secretariada
Assembl a sendo 3:500$ res
para a publicaclo "dos tfabalhos
da Assembla por techrgraphos;
e incorporadas aos ordenados as
grstificaebes que actualmente
perchem o terceiro oicial da
secretaria, porteiro, ajudante do
porteiro, e continuo da casa da
Assembla...;........... 7:5508000
Art. 4. Com a secretaria do
cadeira de obstriticia incorpo-
rada ao liceo...............
Art. 14. Com o principio da
fandacSodo urna bihliotheca pu-
blica ficando o Presidente da
Provincia autorisado para obter
da torro b Tombo, e de outros
e particulares
de Lisboa, copias dos documen-
tos interessantes historia da
Provincia para serem deposi-
tados nabibliothoca..........
Art. i5. Com o jardim bo-
tnico sendo 2408 reis para o
ordenado do administrador e
o mais para despera da conser-
vado fcando supprimida a
cadeira de botnica,.........
Art. 30. Com os jubilados ,
860^0001 seedo pagos de seos ordenados
os professores de foronoma Joa-
quim Ignacio do Carvalho Men-
dorjea e de philosophia o Re-
verendo Jos Goucalo desde a
data das respectivas jubilaces ,
n o de geometra o Reverendo
Laurentino Antonio Moreira de
Carvalho, desde o dia em que
deixou de reger a cadeira n > li-
8:000di000 oto todos na rasao deseiscen-
tos mil reis de ordenado an-
atial.....................
4008000
67:300*000
CAP1TUT.04.
Ftrga policial.
Art 16. Com a Torca poli-
cial, no podando ser redusidos
os vencimentos das pracas, que
ficarem................... 02:000g000
CAPITULO 5
Culto publico.
Art. 17. Com os parochos e
coadjutores inclusivo os gui-
zamentos, e fabricas das Matri-
ces....................... 23:996,5080
Art 18. Com reparos das ca-
pellas mores das Matrzes in-
6:1878245
ni-
9:2465300
CAPITULO 9.
Despezas Eventuaes.
Art. 31. Com as despezas e-
vontuaes.................. 20:000*000
Rs. 579:555,130
TITULO 2."
Receita Provincial.
.
gotetno................... 12:1328000 elusivo o concert do Hospicio
de Nossa Senhora da Penha do
Recife e romero edifirario
de urna igreja no lugar deno-
minado Ribeira da Mntla.soba
invocacao de Nossa Senhora da
Revira,,,,,,, *.*,.......
C APITUL12. 39:7848400
rrecadaco e finalisacao das
rendas provincial.
Art 5. Com tbesouraria
las rendas provinciaes sondo
1:3608 t*i* para impresses e
expediente................ 15:060000
Art. 6.' Com a meza das ren-
das internas e as diversas col-
lectoras provinciaes sendo
.3:028S7O0 reis para ascom-
>ss6es................... 15-8888700
Art 7.Com o thesojreiro
ida meza do consulado.......
Art. 8.' Com a inspecc5odo
assucar, o algodfio.........
7:000*000
2008000
8:3608000
39:5088700
CAPITULO 3.
lnttrucQSo publica.
Art. 9 Com o liceo da C-
dade do Recife sendo o hono-
rario dos professores de dezc-
nbo, france/., e inglez de 8008
reise ficando interinamente ap-
provados a reforma do primeiro
do fevereiro e o regulamento
do mez de marco do frrente
.nne.................;&>..
Art. 10. Com os professores
do Seminario Episcopal de O-
linda.......'..........------ 3:1508000
Art. 11. Com os professores
de latim, continuando a dispo-
licio do art. 12 da le provincial
n,94; e ficando abolidas as
cadeirasde S. Antao, Limoeiro,
Garanbuns, Rio Formozo e
Brejo.................... 3:6008000
Art. 12. Com os profeasores
de prime i ras letras, nio poden-
do ser accumulada a gratificarlo
pelo exerricio de maisde vinte e
cinco annos que he concedida
polo de mais de dote annos e
supprimida a que soda para a-
lugueres de casas aos professo-
res que tifio forem desta Ci-
dad. Olinda, Aflojados, e Po-
co da Panella; e abolida; as ca-
deiras de Guagir Pitimb, e
Agoas-Rellas e as que vaga-
ren) as pequeas Poveacdes... 34:4408000
Art 13. Com o prolesaor da
C4PITUL06
Snccorrot pblicos.
Art. 19 Com i propagaeSo
da vaccina................. 3:4008000
Art. 20. Com o hospital de
caridade, ficando a respectiva ad-
ministradlo authoriaada a pagar
o que se ostiver devendo ao ex
thezonreiro Antonio Jos Pires. 6:0008000
Art. 21. Com os hospital dos
Laaros sendo 2:0008 de reis
para reparos dos edificios do pa-
trimonio.................. 5:0008000
Art. 22. Com os expotos. .. 3:000g000
Art. 23. Com o recolhimento
da ConeeicSo de Olinda...... 3008000
Art. 24. Com a soeiedadede
Medicina d'esta Cidtde....... 1:0008000
Art. 25. Com as diarias de
doze Religiosos Capuchinhos ,
anda quando no Hospicio da
16:9008000 Penha etista maior ou menor
numere...................

8648000
19:8848000
CAPITULO 7. 301:163*180
IllumimcHo e obra publicas.
Art 26. Com a Uuminae&o
da Cidade do Recife, Olinda ,
e Aflbgados continuando em
vigor a disposidlo do art. 33 da
lei Provincial n.73 acercada
illuminacio por gz......... 25:1888650
' Art. 27. Com o theatro pu-
blico em prestacoes mensaes de
dous contos de reis.......... 24:0008000
Art. 28. Com todas as obras
publicas, ficando suspenso o an-
damento das outras estradas, e
continuando as de S. Antao 8
PodoAlho, reparndose as
de mais os damnos que oc-
oorrerem.................. 200:000*000
CAPITULO H.*
A'poenladorias e jubilares.
A rt 99. Cor ?? ffposestsdo.
249:1558650
Art. 32. We oreada a receita provincial pa-
ra o anno (i lanoeiro desta lei, na quantia de
897:4338000.
Art. 33. Para eflectuar-se esta receita fice o
Presidente da Provincia authorisadoa arreoadar
as seguintes imposiedes:
% 1.* Tres decimos do disimo no assucar ,
que for despachado.
2 Cinco decimos do disimo no algodao ,
caf e fumo que for despachado.
$ 3. Taxa dascaixas, fechos, barricas,
ou saceos de assucar, e saccas de algodao de-
vendo ser inspectadas somonte as caivas, e fe-
chos de assucar e sacras de algode.
4 Dcima dos predios urbanos.
% Dois mil reia por cabeca de gado vac-
eum, que for consumido.
8 0 Disimo do gado vaceum e cavallar.
% 7." Disimo do capim do planta nos muni-
cipios do Recife e Olinda.
8.o Vinte por cento na agoardente do
consumo.
% 9. Sello de herancas e legados.
10 Meia sita dos escravos.
11. Cinco mil reis de inda escravo despa-
chado para (ora da Provincia.
% 12. Passaportes de polica.
13. Novos e velhos direitos dos emprega-
dos provinciaes sem izemprSo de classe.
14. Quarenta res por libra de tabaco fa-
bricado quatrocentos res por arroba do nao
fabricado, o trezentos reis por milheiro de cha-
rutos de consumo, que nao forem de fabrico da
Provincia.
% 15. Doze mil e oitocentos reis de cada o-
laria serrara fabrica de tabaco do charu-
tos, de chapeos e casas de cambio.
16. Imposto sobre as casas de modas e de
leilao. i
17. Taza das passagens dos rios nos mu-
nicipios do Recife e Olinda.
18. Matricula dos alumnos das aulas de
latim da capital. edas aulas do liceo e Semi-
nario continuando em vigor a disposigo do
artigo 36 19 da lei provincial numero94.
19. Furo das raixas e fexos de assucar,
conforme o Artigo 8. da lei prorincial n. 73.
20. Metade da divida activa provenien-
te de impostos provinciaes anterior ao l.'deju-
Iho de 1836.
21. Divida activa proveniente de impos-
tes previoeiaes posterior ao 1. de julbo de
1836.
22. Multas das faisincaedes do assucar e
algodao e infraccoes dos contractos.
23. BeposicOes e restituices.
24. Yenda de generes e utcncilics pro-
vinciaes.
Mendos com applicacao especial.
25. laxas das liarreiras da puntes, e es-
tradas, com applicacao para os reparos des pon-
tes e estradas das respectivas liarreiras.
$ 26. Sohrasdasronsignacoes marcadas para
dos annos anteriores conforme a lei geral de
20 de outuliro de 1838, com applicacSo para
o dficit, e construccSo da urna casa para esta
assembla no bairro de Sanio Antonio, ou Boa-
Vista para o que fica o presidente da provincia
authorisado.
27. Suprmento do dficit, que o cofre
geral deve fazer conforme a lei geral n. 243 ,
com applicacao para a terca policial.
DisponfOes atraes.
Art. 34. FicSo em vigor os artigos 37, 39, e
43 da lei do orcamento provincial numero 94.
Art 35. A arrematado das rendas ser tri-
ennal e quando acontece que en um dos
annos nio haja quem arremate se renovar a
praca no seguinte anno pelo resto do tren nio ,
servndo de base para arrematadlo o que render
no ultimo anno, se for mais do que o oreado.
Art. 36. Fica concedido ao actual arrema-
tante do dizimo do gado vaceum e cavallar dos
municipios de Garanbuns, Flores, e Boa-vista ,
dous annos mais de prorogacao para pagamento
das lettras que se forem vencen do.
Art 37. Fica concedido aocidadlo Jos Pe-
dro Velloso da ilveira actual arrematante do
imposto de quarent> reis por caada de bebidas
espirituosas importadas para consumo da pro-
vincia o abate de sette contos oito centos so-
sente e sette mil reis annuaes no proco por que
foi arrematada a arrecadacao do referido im-
posto.
Art. 38. Um dos amanuenses da contadura
provincial passan para a secretaria da tbesou-
raria servndo de cartorario com o mesmo or-
denado que actualmente percebe.
Art. 39. Fica authorisado o presidente da
provincia a comprar sescentas acedes da com-
Sanhia de liehirihe, realisando as prestacoes de
o?, por cento, na forma dos estatutos da rnss-
macompanhia, sendo o rdito das acedes ap-
plicado compra de novas acodas ; e represen-
tar por parte da fazonda publica na companha
o procurador fiscal da tbesouraria provincial.
Art 40. Fica desligada da comarca de Ga-
ranbuns e reunida ao termo da villa de Cim-
bres na comarca do Brejo a freguezia da Lagoa
de Baixo.
Art. 41. Qualquer authorsaeSo concedida
40 governo por esta ou polas Leis anteriores de
orcamento cessar findo o asno finaoceiro ,
se nio for novamente declarada em vigor ; nao
podendo o governo alterar qualquer disposicio
ou oiganisaeao que haja faite depois desub-
metel-a a apnrovacao desta assembla.
A rt. 42. Ficao derogadas todas as lab e ds-
posces em contrario.
Mando por tanto a todas as authoridarJes a
quem o conbecmento o execucao da referida
lei pertencer, que a cumpiao e faci cumprir
taointeiramente comon'ella secontem. Osa
cretario da provincia a faca imprimir, publi-
car e correr. Cidade do Recite de Pernambco
em vinte e nove de abril do mil oito centos qua-
renta e trez; vigsimo segundo da Independen-
cia e do Imperio.
L. S. Bario da Boa-Vista.
Carta de le, pela qual V. Ex. manda exe-
cutar o decreto da assembla legislativa provin-
cial que houve por bem sanecionar oreando
a receita e fizando a desposa para o aanofi-
nanceiro do 1. de julbo de 1843 a 30oe junto
de 1844 na forma cima declarada.
Para V. Ex. ver.
Francisco Xavier e Silva a fez.
Sellada e publicada nesta secretaria da pro-
vincia de Pernambco em 8 de maio de 1843.
Casimiro de Sena Madure ira.
Registada a folhas 184 v. do Livro 1. de re-
giste de leis provinciaes. Secretaria da provin-
cia de Pernambco 16 de maio de 18*}3.
Antonino Jos afc Mratts FakBo.
PERNAMBCO
-aa
Rendimento da mtsa da recebedoria de
internas geratt, no mes de maio findo :
saber. '
S:C59t/C5!r crs; ps.:css, c pr;cc Mw jyMaavwv qoioo a/ivvwa muiw %> wiuua,,.,,,,,
loaiwW
.. w

a o c-MriMTRAn



I H

Direitos de chancellara.....-.*, 88070
Dizima d'ella................. 221 $923
Impostos de letras............. 51$ 180
Matriculas do curso jurdico..... 768800
Einoluinentos de certiddes....... 4.) 480
Foros le terrenos de inarinba.... 18S77
Siza dosbcns de riiz.......... 5:3118799
Ta\ do sello addicional....... 305g790
Dita anterior................ 1:591 $790
2. decima de mo morta........ 19o$8V0
Decima urbana............... 224-SV70
Taxa de 2$000 res por escravo... 20g000
Dita de 1$000 reis............ 2:7918000
Impostos de lejas abortas........ 4 Ditos de barcos do interior..... 182$iOO
Ditos de seges, e carrinhos...... 1408800
Rs.... 11:9118959
Pertence no gcral.. 6:745$169
dem ao applicado ao
papel moeda.,... 5:166S790
Rs. 11-9118959
Recebedoria 2 de |unho de 1843. O es-
crivao Estanislao Pereira d'Uliveira.
^ i
Com mullicados.
O Gabinete Imperial censurado pelaregeicdo da
proposta da congregago do Curso Jurdico
Discorrendo como quem nunca largou das
maos o arco e a flecha e vive as selvas sem
ncc3o alguma das prerogativas do chere do um
povo civilisado, traz o Indigena.em seu 3. n.
um estirado artigo para o fim de mostrar.que o
governodeS. M. 1., nao se dignando approvar
a proposta do candidato, altamente leita pela
ongreRacao da academia de ('linda,para subs-
tituto o tnesmo curso roubara ao pretedenle
um direito inauferivel e atacara a dignidade e
attribuices da congregado, abalando desta ar-
te a seguranca de todos os membros da socieda-
dc. A quanto arrastra a paixo OITendido o
Indgena pela rejeico da >n>posta como se a
flecha deum barbaro.coino elle, Ihe ferisse o pci-
to anhela interessar todos os Pernambucanos,
e mesmo n Brasil inleiroem urna questo pura-
mente individual, dando-lhe at urna cor poli-
tica que absolutamente nao tem. Sem respei-
to algum ao governo do estado ousa o habi-
tante dos bosques em seu desvario escrever, queJ
aquella rejeico he filha do inesquinho espiri-
to de vinganca, da vilania e do despejo ;
podendo qualquer ietorquir-lhe, authorisado
na verdade dos (actos e voz geral, que vingan-
ca vil e despejada he a do anti-nacional escrip-
tor, pois que ao sentimento da regeica' da pro-
posta anda annexa, como um efleito sua cau-
sa a publicaca do Indgena, o apparecimen-
to do Cometa o furor em summa que de
certos das esta parle agita a eminentemente
patritica opposica desta provincia.
Ha no artigo que tenhoem vistas, proposi-
cdes, que sem commentario revelo os senli-
mentos de ordem de seu autor. A congregara o
da academia he o juiz do mrito dos (-ocurren-
tea sua proposta he a bussola que deve dirigir
O poder executivo. O govern > nao pode exercei
inspeccad sobre o juiso da congregacad sendo
obrigado a mandar passar ao proposto o diplo-
ma, que he urna mera formalidade.
He isto em verdade [ se cabe aqui urna ex-
pressao do vulgo) por o carro adiante dos bois:
assim governar um Cacique ou ser adminis-
trada a desdito a associacuo poltica,em que os
Indgenasobtenliao influencia. ntrenos felis-
mente dominad nutras ideias. O chefe do poder
executivo, em cujas moseslo as chaves da or-
ganisacad poltica do imperio excne urna ins-
pecfo suprema sobre toja a sociedade, e (man-
tos se achao revestidos de alguma pnrca deau-
toridade. Bem subida he a cathegona do parla-
mento, mas os seus actos sendo postos na pre-
senta do Monarcha sao por elle approvados ou
regeitados. A independencia do poder Judiciario
he proceito da lei, e um ponto fundamental de
n< ssa organisacaS poltica e ntrelai.to o che-
fe da naced pode tornar de nenhum efleito qual-
quer decisan daquelle ramo da soberana soci-
al usando da sublime e quasi divina attribui-
ca5 de agraciar. Exerce o chefe do estado inspec-
cao sobre os mais eminentes poderes pblicos :
o juiso do legislador relativamente ao mrito
das lejs, e o dos tribunacs acerca do valor
das questoes judiciarias, achao mui proficuo
correctivo as faculdades consttucionaes do go-
veino supremo e s entao ser isjnta da ins-
pecciio do chefe do poder executivo a congrega-
Cao da academia, servindo-lhe de bussola ede
norte ?! Sem abrir os estatutos e sem consul-
tar a constituido conhecer o homem de mais
acanhada inteligenciase tiver botn senso e
nao for inienso ordem publica, o absurdo
de semelhante doutrina.
. O Indgena nao liga aos termos propor,esco-
lher^ nomear as precisas ideias pensando que
o direito de propor implica idea de Miperiori-
dade e nomear ouescolher a de inferioridade,
quando he Inturamente o contrario. Propor al-
guern um empreito he apresental-o ao supe-
rior como hbil para esseemprego, he Infor-
mar ao*u| erior que o individuo que se offe-
he em regra acto de urna autoridade superior ,
quem realmente compete a concessad do lu-
gar aclo que de neeesiidade suppde o direito
de regeitar o proposto pois alias a nomeacad
seria feita por aquello que propuzesse sendo
urna burla, um escarneo o direito de nomeacao
e de escolha
Os estatutos do curso jurdico dao congre-
gacao o direito de julgar do mrito dos concur-
rentes, e propol-os; mas a constituica assegu-
ra ao chefe do poder executivo no artigo 102 S
4 a faculdadc de pro ver ou conferir os empregos
civis e polticos, e conseguintemente tambem
os de lentes substitutos dos cursos jurdicos. Se,
como entende o Indgena, a proposta da con-
ifregaco he bussola que dirige o governo he
juiso sobre o qualo poder executivo nad exerce
inspeccad, sendo obrigado a mandar passar o
diploma por mera formalidade, segue-se que a
nomeacao c provimento dos lentes substitutos
he da attribuicadda congregacvd e s em ap-
parencia e irrisoriamente pertence ao chefe do
Doder executivo Meando deste modo minifica-
da a faculdade, que a lei fundamental Ihe con-
ferir de prover os empregos, porque urna pro-
posta obrigatoria ninguem dir que nadencerra
a real nomeacao do proposto. Nao se roube
congregacad o seu juiso sobre o mrito dos con-
currentes e o seu direito de propdr, os esta-
tutos Ih'o conceden ; mas tambem nao se rou-
be no chefe do poder executivo a nomeacao e ef-
fectlvo provimento das substituiedes do curso
jurdico. O Indgenaquer dar vigor aos estatu-
tos, riscando da consMtuicao um artigo impor-
tante. Eu porem desejo que a lei orgnica das
academias jurdicas se concilio com a lei funda-
mental do es'ndo, que ella nad podo revogar.
Sem preceder proposta da congregacad nao po-
de o governo nomear um lenie, assim flea res-
pcitavel conereiracad a prerogativa que tanto
deseja o Indgena se lh:s deixe salva, de conhe-
cer do mrito daquellesque deve terem seu seio:
o governo porem pode regeitar as propostas man-
dando proredra novo concurso sempre que em
sua alta sabedoria entender que a congregacad
'pois que emflm sao homens os seus membros)
nad avaliou devidamente o mrito dos concur-
rentes. Esta inspeccad he essencial, he da lei,
enem a administracaddejulho, qualilcada pe-
I Indgena de eminentemente patritica con-
sentira em ser despojada desta importante at-
tribncao como por actos de immediata appli-
-acadao Indgena ia mostrando se repentina-
mente as cousas nad tomassem nova face ca-
li indo aquella administrado.
O modo de discorrer do Indgena basta para
convencel-o de seu en o. Elle reconhece que
quando o n. dos propostos superior aos dos lu-
gares tem o governo direito de eacolher, porque
os estatutos disem: o Poder Executivo escolher
dentre os propostos. Oa nad pode o Indgena
contestar que todas as veses que o numero dos
concurrentes excede odas vagas deve a congre-
gacad graduar (pois que a hypothese de perfeita
isualdade de talentos e moralidade he rara) o
mrito dos proposlos.de sorte que supposto se-
jad ni u i tos os concurrentes que a congregacad
o florece ao governo nad he o seu juiso igual-
mente favoravel 6 todos, antes uns sad pela
mesma corporacad apresentados com preferen-
cia & outros. Entretanto o governo que tem o
direito de escolher em tal caso, direito reconhe-
cido pelo anti-social patriota, pode mandar pas-
sar o titulo aquello, ou aquellos que nad forad
considerados na proposta como os primelros ern
mrito. E o que he isto seno urna inspeccad so-
bre o juiso da congregacad ? Se a proposta da
congregacad he a bussola do governo, e o obri-
ea he visto uno ainda na supposiead de ser o
numero dos prelendentes superior ao das vagas
nad poderiao governo (pois que nao ser as-
sim exerceria inspeccad sobre o juiso da congre-
acad) escolher dentre os propostos, mas seria
dever seo cinsir-se graduacao estabelecida na
proposta pela congregacad.
Suppondo agora que o numero dos candidatos
he igual ao dos lugares vagos que por exem-
plo ha urna s vaga e a congregacad propde
um s pretenden te quem negar ao governo o
direito de nad approvar a proposta, caso enten-
da que o individuo nad he apto para o magis-
terio ? Ninguem por certo que reflicta, e de-
cida sem paixad. A doutrina contraria so adop-
tada pelo Indgena torna do chefe do poder exe-
c itivo um automato fal-o perder de facto a
prerogativa de conferir prover os empregos,que
Ihe n a lei fundamental do estado e assim a
congregacad, quantas veses quisesse proteger
exclusivamente um pretendente ou ter o gosto
de ordenar ao governo.supremo,que passasseum
diploma de mera formalidade, recorr ra ao se-
guro expediente de aprocentar um s candidato,
ou tantos propostos quantos fossem os lugares
de lentes substitutos que so achassem vagos.
Os estatutos nad apoiad neni porjiad apoiar
que secretario da academia !! Dou cada um o
que he seu. Deixo salvos congregacad os seus
direitos, mas nad posso admittir que perca o
poder executivo urna s de suas prerogativjs.
E commigo pensarSo os homens de bum senso
e amigos da ordem.
sociedade dos melhoramenos industriaos
de Pernambuco foi enviado o seguinte discurso
que, por occasiad de ser laucada a moer assu-
caruma maquina de vapor d'alta pressio, em
8 de Janeiro p. p-, no engenho Trapiche, da
freguesia de Serinhaem recitou o Sr. Bernar-
dino Freir de Figueiredo Abreu e Castro:
No Edem de Pernambuco entre os amenos
riosSerinhSem e Formoso, no mel de gru-
pos de verdejantes collinas e do immenso pela-
go se estende um encantador vale, em cuja
planicie est situado o engenho vulgo Trapi-
che. Ah como o meu coracaft aqui se dilata
maneira da flor que desabrocha com os raios
da roante manliaa !! Que profusad d'aspoctos,
de matysadas e lindas cores atrahe os meus so-
fregos olhos! Que vergeis frondosos, que au-
riflreos arbustos Quo copadas e magestosas
arvores me enlevad todo! Que louros ca-
naviaes, de que abundante corre o doce nctar,
meenchem de expansSoe alegra! Que ledos ga-
dos, pastando verdes reivas enriquecemos cam-
pos I. observo entre elles o intrpido ginete,
que estremece, ardo, espuma, o a trra pulsa,
desejando, que o impvido cavalleiro seu dor-
so opprima 1 T, o corngero touro, que nos a-
juda a romper da trra o seio, para extrahtr
della os solidos thes'-uros! L innmeras aves
de rica e variada plumagem, que com seu dul-
cissimo trinar e melodiosos gorgeios animad os
bosques a alma enternecen)! Arvoredps, ca-
saos, collinas, praias fontes ros prados,
vargos.plantos e remansos,tudo o meu espirito
accomette e arrebata a ponto que deextasiado
exclamo: Aqui por certo a naturesa debuxm
pomposa um singularismo quadro sempre de
mil flores abrilhantado de eterna prima vea es-
malte e vico onde Ceres e Pomona prodigas
derramad nectareos fructos; onde do creador a
moo fecunda liheralmen'e exparziu toda a ri-
queza queda trra con tem a immensa mole!
Mas seria bastante que o co favorecesse esse a-
bencoado solo com tad copiosos ions, para
que nelle se enenntrasse o forte, o brando, o as-
sombroso, o til, o aprasivel ? Ah! nad: a in-
dustria do homem foi Indispensavel.
Transporto-me por um momento ao meio de
urna floresta ainda intacta mad do mortal
civilisado. Ahi observo bellos arbustos de cu-
jas flores exala suave fragancia, e dos ramos
pendente est o silvestre pomo : gigantescas ar-
vores que com suas extremidades tocar parecem
as elevadas nuvens : cristalinos regatos que
escoando por entre raises e folhagns sereunem
e formad prateadas ribeiras, cujas margens co-
bren) verdes tapetes: innmero povo alado, que
com seus cantos os valles retumba : bestas fe-
roses reptiz e at o n selvagem, que com o
teso arco procura, persesue, e mata a caca pa-
ra nutrir -se. Observo tudo isto, e digo com-
migo: Que thesouros a naturesa aqui encerra!
mas eu nao quero possuil-os! Ah quanto el-
la rica e admiravel porem melanclica
medonha Medito mais um pouco elogo tal
modo de mim se apossa que fujo espavorido
por entre aquelles umhraes que tanto hor-
ror causam que so vo do mais pequeo pas-
saro se me figura o motor da minha cabal rui-
na : basta que o brando zefiro as lolhas toque ,
para suores rios me cubrirem : a esperance
nicamente de voltar aos logares que habitan
homens cultos, me d vigor para saird'esta
medonha escuridao onde a naturesa c por-
tentosa, mas carecedora dos encantos da sociabi-
lidade e da arte.
Comparo agora toda essa grandesa com o es-
tado a quo se acha levado este delicioso logar.
Entro neste extenso recinto, e se ao largo lan-
ce, meus ltenlos olhos nao falbim arbustos ,
matas, regatos ribeiros, ros verdes pra-
dos louros canaviaes bellos e saborosos po-
mos uteis e mansos armentos lindas e difie-
ren tes aves : se me limito mais l observo o
logar santo onde o homem vae render gra-
tas ao Omnipotente pelos beneficios recebidos ;
onde vae encontrar conforto na sua mesma ad-
versidade : ali vejo urna soberba arcada pela
qual entram e saem de suas habitaedes os ope-
rarios quo aterra ro'eiam cultivam e fertili-
sam: acola varias casas em que se preparo
as novas sementes : em outra parte di floren tes
oflicinas as quaes se laboreo materiaes .
utensilios e instrumentos agrcolas ,
que nos
_ coadjuvad na cultura da trra a qual depois
a profoneno do Indgena. Se concedem congre-1 de encher os ampios celeiros ao prvido agricul-
gacad o direito de julgar do mrito e de propor, tor cm os seus productos Ihe d por meio
d'elles nos mercados o equivalente do necessario,
los. Comparae o seu estado de ha um anno
com o de boje : entao desgragados animaes ro-
deavao sem cessar : tinho elles sensibilidade ,
solTriao ; mas forcoso era que o homem se tor-
nasse brbaro tangendo-os al perdorem a vi-
da ; e ainda assim seu trabalho era imperfeito
e irregular : mas agora o veris supprido com
mais humanidade e menos dispendio ; com
mais lucro e com o empreo de menos bracos.
Forcosas brutas sao os agentes do movimento ;
tanto pdde a arte do homem civilisado.
Se eu memettessea)explicar-vosde quam gran-
de utilidade o uso das maquinas em a vossa
pouca povoada trra ; seria tachado e com
raso de indiscreto : pois como judiciosamen-
te aconselhal-as a quem tanto reconhece o seu
beneficio, que custa dos maiores sacrificios,
at suspendendo por algum tempo .a moagem
da sua cafra a todos vence para nfi.o demorar
oempreg d'ellas ? Como elogial-as na presen-
ca de tad conspicuos e instruidos senbores,
que. como me consta envida o todos os e*'forcos,
para melhorarem a cultura de seus predios ?
Como me atrevera a tal se por experiencia
acabo de ver ainda que em globo por todo*
esses engenhos por onde tenho passado, un*
principio d'agricultura instruida e nao essa
rancosa e useiru rotina que sem sonu'ar a
conveniencia ou desconveniencia d'applica cao
dos meios;sem altender a que a observi.cfio diaria-
mente conduz ao melhoramento das descube r-
tas humanas continua sem alteracAo nos pr i-
meiros ensaios que dero sim una resultado ,
mas imperfeito, e qne forcoso era corrigire
augmentar com a pratica.
Se a minha cloquencia osso a de um De-
mosthenes ou a de um Cicero ainda assim
duvidaria sosera suficiente para tecer um dig-
no elogio ao genio emprehendedor do Sr. Co-
ronel Menezes. A nada se poupa este Ilustre
agrnomo para levar a melhor p a cultura de
seus ricos e inapreciaveis predios : instrumen-
tos agrcolas dos de mehor melhodo : rgimen
excedente nos artistas; poltico para com os.
empregados que se elogios merecam por sua
actividade sao em parte devidos ao bom trata-
monto e direcciio do seu honrado patrao: pti-
mo e humanissimo para com os escravos ope-
rarios : economa rural e domestica de fino
tacto : assduo amor ao trabalho : tudo pri-
ma vista se descobre neste genio creador e ra-
ro queja atrae sobre si as benvolas attencdw
de seus considadSos, u que nunca morrer ,
pois sempre se conservar viva a memoria db
Sr. Gaspar de Menezes, ser (sempre abencoa*-
do na sua prole cuja educacao e capacidad
faz conceber as mais lisongeiras esperanzas.
OSenhorque tudo pode codjuve o homem
grande ; core com a fortuna os seus ncessan-
tes disvellos; elle Ihe faculte meios de levar ao
cabo seus gigantescos projectos e urna vida
dilatada com saude prospera. Ouca o ser in-
finito meus racos rogos, que i.ao cessarei d'as-
sim Ih'o supplicar.
Folgamos muito ter occasiao de dar publici-
dade a este br i I han te discurso do r. freir ,
nao s pelo seu mrito intrnseco como por
que he urna homenagem pr> stada sociedade a
quem elle o dirige e a maneira mais congru-
ente d'animar os nobres es/orcos do r. Gaspar
de Menezes, um dos nossos lavradores mais
instruidos e mais perseverantes em seus ensaios.
A sociedade dos Melhoramenos Induslriaes
de Pernambuco nSo registrar com indiffetenea
emseus Anaes o din, em que urna tSo til ma-
quina comecou a trabalhar na piovtncia.
COMMERCIO.
Alfandega.
Rendment do da 7........... 2:0898886
DescarregUo hoj 8.
Brigue Rolla o reslo.
Brigue Carolina o resto.
Patacho Laurentina pedras.
Movimento do Porto.
l est a lei fundamental do estado pela qual
tanto pugna o Indgena e seus correligionarios,
supposto que s em apparencia .concedendoao
chefe do poder exc cutivo o direito de prover os
lentes substitutos do curso jurdico. Confesse o
Indgena se he capaz deste sacrificio que a-
venlurou urna ideia nao s absurda mas sub-
versiva pondo o chefe do poder executivo. ern
materia de lamanho interesse para o publico, s
ordens e ao servfco de urna congregacad para
Ihe passar diplomas, einteivir na nomeacao
rece sua nomeacao tem as necessarias quali- dos substitutos s por mera formalidade. D'es-
dades para exercer o lugar. Nomear, escolherj U arle o governo de S. M. I. douco mais he
do til do agradavel: aqui mesmo junto de
mim e no meio d'esta espacosa casa vejo e
comtemplo urna superior maquina que tanto
bella quanto mais ainda utilissima. Vos
ides ver que urna bruta forca motriz produz o
trabalho de innumeraveis bracos; olhe para
o metal que a compde concebei-o cm mana,
e conhecercis que s pesava mas que dando-
lhe a mao do homem essa forma que vedes; fi-
cou nao s elegante mas tad til que vae
produzir nrn eOeito igus! for^s de ssi cs""'-
Navios entrado no dia 4.
Camam ; 15 das; biate brazileiro BomJe-
zus dos Navegantes, de 41 toneladas, capito
Joaquim Francisco da Costa equipagem 6,
carga farinha de mandioca : ao cupito.
Macei; 48 horas, hiato brazileiro y. Jos Flor
do Mar de 38 toneladas, capito Joaquim
Guilherme equipagem 6, carga varios g-
neros : ao capito.
A a rio entrado no dia 5.
Rio de Janeiro ; 18 dios brigue ii.glez Hero,
de 173 toneladas, capito J. Sedgely, equi-
pagem 10, carga lastro : a Ale. Celmont St
Companhia.
Navios sabidos no mesmo dia.
Portos do Sul ; vapor brazileiro Imperador ,
_________t -. m.-r. IP.I.s.
vuuMiiouuaiuc tfuoc dial ia > iwav.
VL RUI


Philadelphia ; brigue escuna americano (W
berlani, capilo Roberto Adams, carga as-
Editaes.
r7.? SS %' DSpe,tor da ^escurara das
renda provinc.aes manda fazer publico que e.n
v.rtudoda Imperante a mesma thesouraria se
r ,l r.Tat h P; tCmp ',e 3 annos a con"
jrdo 1 dejuJbo do presente, em hasta pu-
Wica a quem por menos fizer, nos dias 19, 20.
e de jane.ro prximo vindouro pelas 11 ho-
ras da manhaa, as illuminaroes dacidade de
O linda eda povoacaodos Alogados, avahado
o fornecimento diario de cada um dos lampioes
195 1 ^ *4 d" d0S An8ados
As pessoas que se proposerem a estas arre-
matares comparece na sa'la das sessiJes da
InSl. i T' "S dia acima n,,lcados
munidas de fiadores .dneos, e compete te-
mente habilitadas. Secretaria das rendas pro-
wmciaos de Pernambuco 10 demaio de 1843.
O secretario
Luiz da Costa Porlocarreiro,
y- No da 9 do correte mez, se ha de con-
cluir peraotc a tbesouraria de fazenda dcsta pro
vincia a arrematacao das rendas das propieda-
des nacionaes annunciadas nos anteriores e-
ditaes de 2 e 22 de maio prximo findo ; a ex-
cepto das rendas do quartel denominado de
S. Joao, e da casa terrea n 19 na ra de
tanta Rita, por ja terem sido arrem -tadas. Se-
cretaria da tbesouraria da fazenda dePemambu-
co 3dejunho de 1843.-JoaqunFrancisco
pastos, omcial maior.
buco 7 de unho de 1743. Alexandre Rodri-
gues dos A njos, secretario.
O escrivao, e administrador da meza de
diversas rendas provinciaes desta cidade, pe-
lo presente faz publico, para que chegue no-
ticia a todos os Srs. propietarios dos ti es bairros
destacidade, e povoacSodos Afogados.que no pri-
meiro do coi rente mez de unho leve princi-
pio a cohranca boca do cofre d respectiva de-
cima urbana do segundo semestre do corrente
anno financeiro, e findos os tiintadias marcados
por le, se proceder cobranza executiva
contra todos osdevedores. Recife 7 de junlio
de 1843. Luiz Francisco de Mello Caval-
cani.
GABINETE LITERARIO.
A direcc8o do gabinete litterario convida aos
senhores socios para se reunirem hoje 8 do
corrento as 4 horas da tarde na sala do mes-
mo gabinete ra do Livramento n. 27 i.
andar a fim de que Ihes soja presente o es-
tado actual do gabinete e tomem as medidas,
que julgarem maisconvenientes e acertadas.
Lotera do theatro.
O thesoureiro desta lotera faz certo ao
publico que as rodas da 2.' parte da 13. lo-
tera terfo seu mpreterivel andamento no da
20 do corrente junho fiquem ou n3o bilhetes
por vender os quaes ach8o-se venda nos lu-
gares do costu me, e na nova loja de cambio no
bairro do Recife n. 38.
dos e lzos bretanhas madapoloes lencos ,
platilhas metins cambraias, gangis, pan-
nos de varias qualidades, princezas, duraques,
lilas, franklins, lapim, chapeos de Castor, e
de seda e militas outras que serao vendidas
por todo o proco.
L. G. Fcrreira & C* farad leilao por
conta o risco de quem pertencer e por inter-
venco do corrotor Ol-veira de urna porc'io
de vellos de espermacete avariadas salvadas
do culor Vivo : hoje 8 do corrente as 10 horas
da manhaa, no seo armazem, ra da Ca-
deia.
Alisos diversos.
Acamara municipal da cidade d'Olinda t
seo termo em virtude da lei, A/c.
Faz saber que bavendo de proceder-se a
eleco dos novos deputados provinciaes desta
provincia, temS. Ex.o Sr Presidentedaprovin-
ca designado o da vinte e setto de agosto pr-
ximo futuro para a reuniao do collegio eleito-
ral desta cidade segundo o offico do mesmo
Exm. Sr. que foi dirigido a esta cmara em
data de tinte e tres de maio findo. E para que
hegue a noticia do todos os senhores eleitores
desta municipio mandamos fazer o presente
quesera publicado nos lugares do costume e
pola imprensa. Cidade d'Olinda 1. de junho
do Hld.Jos Joaquim de A'lme da Guedes
presidente. Joo Pou lo Fet reir, secreta-
ro.
Avisos martimos.
Deca racoes.
== AadminJstracSo dos cstabelecimentos de
candado manda fazer publico que a segunda
praca das rendas das casas j annuaciadas, he
no da 9 do corrente pelas 4 horas da tarde', na
salla de suas sessoes.
Salla das sessoes da administrado dos cstabe-
iecmentos do caridade 2 de junho de 1843.
O escriturario F. A Cavalcanle Cousseiro
O brigue Jlbano recebe a mala para o
*Rio de Janeiro hoje (8) as 10 horas do da.
O patacho Mara Luiza, recebe a mala pa-
ra o Maranhao no dia 9, as 10 horas do da.
Pela administrado da me/a do consula-
do se faz saber, que no dia 12 do corrente me/
se ha de arrematar porta da mesma adminis-
tracao urna caixa de assucar mascavado, apreen-
dida pelos respectivos empregados do trapiche da
Alfandega V'elha por inexactidao da tara; sendo
a arrematado lvre de despezas ao arrematante.
Meza do consulado de Pcmambuco 7 de junho
de 1843. O administrador interino ,
Antonio de Souza Res.
= D'ordem do Tiln. Sr inspec tor do arsenal
de marinha so faz publico que no dia 20 do
corrente mez pelas 11 horas da manhaa se
pora em arrematacao os fornecimentos dos se-
guintes gneros, para o mesmo arsenal, e em-
barcacoes da armada, pelo tempo que se con-
vencionar: arroz toucnho vinagre baca-
Iho, larnha, feijao agurdente, assucar,
caf modo azeite doce o de coco para o farol,
carne verde pao e bolaxa. As pessoas a
quem possa convir qualquer destes forneci-
mentos que devora ser frito com o genero
da melhor qualidade, sao convidados pelo lllm.
Sr. inspector a aprezentarem nesta secretaria
as uas propostas em carta feixa la at o referi-
dodia.Secretaria da inspeccao do arsenal de
marinha de Pernambuco 7 dejunhode 1843.
Alexandre Rodrigues dos Anjos ,
Secretario.
=D'ordem do Illm.Sr. inspector doarsenal de
marinha, se faz publico que no dia 14 do
prezente mez pelas 11 horas da manhaa se
vender em hasta publica com as formalidades
do estillo na porta do almuxarifado do mes-
mo arsenal, urna porcao de bolaxa arruinada,
propria para alimento do anin
na nspcccodc arsenal de i
^ Para Lisboa immediatamente por terqua-
s o seu enrregamento prompto, o muito velei-
ro e acredita -o brigue portuguez Feliz Pesti-
o, de que he capitao Jos Francisco Lessa, para
carga ou passageiros trata-se com o consignata-
rio Francisco SeverianoRabello, ou com o ca-
pitao na praca do Com mere io ou a bordo.
Para o Rio de Janeiro, segu viagem com
toda a brevidade o bergantim Restaurador, ca-
pitSo Jos Francisco dos Santos; quem quizer
carregar objectosmiudos, ouescravos, dirja-
le ao mesmo capitao ou ao seu consignatario
Manoel Joaqum Ramos e Silva. -
O briguo Albano sahir na presente sema-
na para o Rio Grande do Sul pelo Rio de Janei-
ro s pode receber a!uns escravos a frete pa-
ra o que tem bons commodos ; quem alguns
quizer embarcar pode entender-se com Amo-
rm & Irmos, na ra da Cadeia n. 45.
=Para Lisboa impretorivclmente no dia 11
do corrente o brigue ConceicSo Flor de Lisboa,
o mais bem construido e veleiro barco desta car-
reira recebe nicamente passageiros para o
que tem excellentes commodos, e tracta-se com
o capitao na praca do Commercio, ou com Tho-
maz d'Aquino Fonceca, na ra Nova n. 41.
Para Lisboa o brigue portuguez Jozefina ,
ha de sabir imprcterivelmente as prximas a-
guas anda recebe alguma carga a frete, e pas-
sageiros para o que tem excedientes commo-
didades; os pretendentes queirao dirigirse ao
capillo Paulo Antonio da Rocha ou a Men-
des & Oliveira na ra do Vigario n. 21.
Para Lisboa com a maior brevidade possi-
vel sahir o pjtacho portuguez \'ovo l'ongresso,
capitao Manoel Jos Ratto; quem no mesmo
quizer carregar, ou ir de pasagem para o qui
tem muito bons commodos pode dirigr-se ao
mesmo capitao, ou a casa de Alendes &'Olivei-
ra, na ra do Vignrio n. 21.
Para Macei a lancha S. Jos Fiordo Mar,
quem na mesma quizer ca regar, ou ir de pas-
agem dirija-se ao beco da Lingoeta venda de
Joaquim Jos Rebollo ou a bordo da mesma ,
que se acha fundiada defronte do trapichedoAl-
godao.
Para o Maranhao sahir em poucos dias n
brigue escuna Carolina por ter a maior parle
de seu carregamento prompto ; quem no mes-
mo quizer carregar ou ir de passagem, para o
que lem excellentes commodos, e o melhor tra-
tamenlo. dinja-se a Manoel Duarte Rodrigues
na ra do Trapiche n. 26.
=-Para o Rio pe Janeiro segu viagem a bar-
ca Firmeza : para o resto da carga recebe pas-
sageiros e escravos a frete dirija-se s Gau
dio Agostinbo de Barro na pracinha do Cor-
po Santo n. 66.
Para Buenos Ayres segne viagem o brigue
Convencao para o resto da carga e pas-
sageiros dirija-se a Gaudino Agostinbo de
Barros na praca do Corpo Santo n. 66.
Leilao.
O corrector Oliveira far Icilo por conta
de quem pertencer sexta feira 9 do corrente. s
10 horas em ponto no armazem qne loi do
Sr. Stewart, de grande porcao de lazendas a-
. mais propriasd'este mercado, consistindoprin-
Secretariajcipalmentc em brins d'Aleinanha, algodoes,
iua w Pernam-isannas, atoaibados, chitas, brins ntrana-
maes.
O ARTILHEIRO N. 50.
k^Anio hoje a luz o vende-se no lugar do
costume. Contein ose^uinte:
Communicado sobre os chufes da opposi-
c8o.
Carta do Careca ao Calvo.
A viola de Lorono ou trabalhos da vida
humana.
A eleicao de dous Bispos : &c.
Precisa-so alugar a metade do urna casa ,
que soja as ras seguinles: do patio do Terco,
Peixoto e Imperial a do Palacete ; quem
ti ver annuncie.
=Joseph Redgivay, retira-se para Ingla-
terra.
= Urna pessoa que tem lodos os conhecimri-
tos necessarios para ensinar latim francez ,
Geometra e primeiras letras se propoe a ir
para algum engenho ou sertao quenoseja
muito distante desta praca ; para o indicado
lim : quem pretender annuncie.
= Arrenda-se annualmente um grande sitio
na estrada do Monteiro com urna boa casa do
vivenda 3 sallas 8quartos, estribaria, co-
xoira cacimba de agoa de beber um tan-
que tem bastantes larangeiras, jaqueiras.
limoeiros bstanles ps de cal cajueiros .
urna haixa do capim ja plantada e algumas
verdur; s : a casa he depedra e tal, toda cncai-
xilada; e tambem vende-se : annuncie ou v
a ra Nova n. 26, terceiro andar.
=Joaquim Alves da Cunha retira-se pa-
ra o Rio de Janeiro.
Lotera de N. S. do Livramento.
As rodas desta loteria andao infalivelmente
no dia 16 do corrente, fiquem ou nao bilhe-
tes eo resto acha-se a venda nos lugares do
costume.
Aluga-se um segundo andar na ra das A-
guas-verdes ; quem o pretender dirija-se a ra
do Livramento botica n. 22
Aluga-se una canoa aberta que carrega
1200 lijlos : na ra do Caldereiro n. 56.
= M. J. Mauson sirurgio dentista inglez ,
morador na ra Nova n. 14 no primeiro an-
dar respeitosamente informa seos amigos pa-
tronatos e ao publico que tendo-lhe ebegado
prximamente de Inglaterra um superior sur-
timenlo de dentes minuraes incorruptiveisque
sao garantidos pela sua qualidade de cora e
mesmo mpurceptiveis a divizar.
Bem como denles cheios ou chumbados
cen ouro para serem conservados de futura
purilicacao e outros feitos com prala ou compo-
suao da mesma forma, limpa-see remove-sc
todo o tastaro isto he a pedra que por tempo
se accumula nos mesmos e os torna mu i perni-
cio os ao seo estado natural.Estrai-se dentes
com maior actividade gentileza e modicaco
tedorajuntando estes e todas as outras opera-
coes da sua arte os assovera que sero executados
com aptidao esuavidade.
O abaixo assignado faz | ub'ico pelo presen-
te que dc.xou de ser procurador do patrimo-
nio dos orfaos, achando-se de contas justas com
a administracao dos mesmos orfaos como consta
do documento junto.
Joaquim Galdino Alves da Silva.
O Sr. Joaquim Galdino Alves da Silva ,
procurador das cobrancas do patrimonio dos
orfaos apresentou as suas contas em o primei-
ro do corrente mez, e nada dove a administra-
cao : e para constar Ihe passei o presente. Re-
cito 5 de junho do 1843. Joo Francisco de
Chaby thesoureiro do dito patrimonio.
U. Getrudes de Jess Maria, dacidadodo
Porto faz publico por este peridico, quo fal-
leceoseo marido Manoel l ereira Rodrigues na
mesma cidade do Porto e que se est proceden-
do a inventario no competente juizo dedireito
para partilhar e heranca por seus lilhos entre os
quaes ha ou hove um Manoel Rodrigues de
A raujo em Pernambuco que nunca esc re veo A
annun iante sua mai, pelo qut* o julga falleci-
do e se o nao he deve constituir seu procurador
que o represente com pena de ser considerado
morto e se proceder na partiiba em conformi-
dade das leis &c.
Furtou-sc de um sitio no lugar do Barba-
Iho, dous quartios sendo um caslanho mm
com a frente aberta, ambos sao ferrados;
as pessoas que souberem del les e querendo des -
cobrir ondo existem so guardar segre-
do o so recompensar o trabadlo : no atierro
da Boa-vista loja du Salles & Chaves n. 26.
Perdeu-se no dia 3 do corrente mez urna
chave corn urna corrente grossa de prata da
ruada Matriz da Boa-vista atea ra do Hospi-
cio ; quem a achou querendo restitui-la a seo
dono dirija-se a ra da Mat-da Boa-visia no
primeiro andar do sobrado n. 26 que ser
bem recompensado.
Aluga-se um sobrado novo de um andar o
soto com muitos bons commodos, proprio
para urna familia ; assim como tambem se ala-
ga um armazem bastante grande junto ao mes-
mo sobrado proprio para qualquer ollicina e
no mesmo se vende caibros : na ra Augusta
ns. 9 e II quem precisar dirija-se a ra do
Rangel venda da esquina quo volta para o trem,
n. 11.
= Jos5 Joaquim de Novis, participa ato-
dos os seus Ireguezcs o a todos os senhores que
a sua casa se quiserem dirigir que mudou o
seo estabelecimento de alfaiato para a casa de
um andar do Sr. Magalhaes Bastos, defronte
do mesmo senhor; assim como continua a ter
obras feitas para vender.
O abaixo assignado avisa ao respeitavcl pu-
blico quo nao contraten! negocio algum com
soo genro Joaquim Galdino A Ivs da Silva so-
bre a parte que elle tem no sobrado da ruado
Aragao n. 14 que Ihe tocou em heranca por
morte da mulher do abaixo assignado setn que
primeiro se enlendao com o abaixo assignado ,
visto j ter o dito seo genro recebido parle do
dila heranca. Joao Francisco Regis Coelho.
os dous ps calcados, e outro abuao vamelho, | dia HZ andante mez?^ '"*"**** ^
Aluga-se urna preta de todo o servico in-
terno e externo de urna casa; quema pretender
qrocure na estrada que vai para a Solidado e
para o Manguind no sitio casa n. 5.
Na ra d'Ortas caza n.36, ha urna mu-
lher com muito e bom leite, sem crianca, que
se oflerecc para ama; cuja conducta se ali-
an ca.
=Francisco Jos de Queiroz, pretende ven-
der a parte, que Ihe tocou em partiiba no in-
ventario dos bens do fallecido padre Ignacio Jos
de (Queiroz feilo no juizo deorfos desta ci-
dade escrivao Pereira na casa terrea n. 84,
na ra da Gloria na qual tambem tem partea
eu outros herdeiros ; quem quizer comprar e
ajustur se, procure o annunciante no atierro da
Boa-vista junto a padaria franco/a loja n. 48.
Da-se dinheiro a premio em pequeas o
grandes porces com penhores de uro ou
prata ; na ra da Praia armazem n. 35.
= Jos Francisco Ribiirod'Souza nao se res-
ponsabiliza por qualquer debito, em seo no-
me contrahido e s levar em conta aquelles ,
que forem pessoalmente eftectuados pelo seo
caixeiro Henrique Maria Pereira de Magalhaes.
Da-se quatrocpntos mil reis a juros de
dous porcenlo com boas firmas; quem preci-
zar annuncie a sua morada.
- Roga-se pessoa que por engao lovou
do camarote do Sr. Director da Sociedadc Fbi-
lo-Dramtica ( outr'ora Na tlense ) um chapeo
de sol de seda novo ; haja de o entregar na ra
do Crespo loja n. 2 de J. da S. Castro.
= Aluga-se um grande armazem todo Ja-
drilhado de lagedo outro mais pequeo em
casa terrea, qualquer delles muito proprio pa-
ra armazem de ssucar ou outro qualquer es-
tabelecimento por ter muito bom embarque, a
qualquer hora ; na ra da Praia de Santa Ri-
ta n. 37.
- A pessoa que ti ver arhado um anel de
ouro, rodeado em volta de diamentes pequeni-
nos queseperdeo na ra do Cahug ; pode
vir entregal-o na pracinha do Livramento loja
n. 44 que se Ihe dar de gratificado o valor
do dito anel.
= Augusto Carlos Martins da Cunha, com-
prou por ordem do Sr. Joao Pedro de Assump-
cao doCcar, o bilhete n 878 da 2." parte
da 13. loteria do theatro publico desta Cidade.
Hoje he a ultima praca para o arrenda-
ment das casas nmeros 1, 2, 3, 4, 5 6 7
9, e 11 do fallecido Antonio Joaquim Perei-
ra as 4 horas da tarde e < porta do Sr. Dr
juiz de orphaos Francisco Jo3o ( arneiro da Cul
nha. O escrivao Vasconcelloi.
Terca feira 6 do corrente perdeo-se na
patio do Hospital, de una caso para oulra, un
trancelim cnliadoconi urna imagem da t'oncei-
cao ludo de ouro ; a pessoa que o achou que-
rendo querendo cntregal-o, dirija-se ao mes-
mo patio n. 47, ou na travessa dos Cjuarteis n
26 que ser suficientemente recompensado"
O bacharcl JoSo Antonio de Sou/a Bel-
trao Araujo Pereira juiz municipal interina
da segunda vara do termo desta Cidade fai
saber aos SfS. jurados sorteados para servirem
na prxima sessao ordinaria e aos mais inte-
ressados n'ella que por ordem do Sr. Dr miz
de direito interino que ha de presedir a mes-
o
r..;
1AI
Ar\rS


a v.
h
i
I
M
;i
ll
= O abaixo assignado laz publico pelo pre-
zente anuunco que ninguem contrete negocio
de bypotheca venda ou outro qualquer que
soja com Florencia Margarida dos Prazeres ,
viuva do falescido seo marido Andr Alvos do
Reg em bens de seo cazal nem com outra
qualquer pessoa que soja assim como com cor-
to Sr. que de presente tem querido vender a
casa i. 62 da ra da Praia pertencente ao dito
casal que nada deve a esse Sr.; ninguem pois
vista do prcie.ite poder de boa contractar
negocio de qualidade alguma a tal respeito ,
sem se comprometer ao perdimento do seo va-
lor esem eheorrer bo critne de uina tranzac-
cao dolo roza em prejuizo de terceiro. Fran-
citco Jos Dios da Costa.
= Verissimo Francisco do Nascimento, re-
tira-se para Tora do Imperio.
as OITerece-se um moco Portuguez de 16
annos para caixeiro de ra ou outra qual-
quer arrumaco excepto venda nosta praca
ou fora della o qual sabe 1er, e es rever so-
frivelmente ; quem o precisar annuncie.
- Muitose tem fallado do sistema Homeo-
ptico do sistema de Broussais e de outros
muitosmil diflerenles ; pouco portento se tem
dito do mais cssencial, os evacumantes, que
ninguem pode negar serem nos climas calidos
absolutamente necessarios, e sobretudo quando
existe a dificuldade de fazer observar aos ou do-
tes a dieta necessaria e rigoroza que pede a
Homeoptica e pratica regular &c. Somos
geralmenteacostumadosa comer milito mais
do que lio necessario para o uosso sustento ; o
resultado he flatos, indigestoes, e inflamar
coos nos ligados, &c. Para remover impedi-
estos incommodos, -nada he mais prompto, que
um purgante saudavel que nao constipa os
intostinos, e que augmenta as dilTcrentes sec-
creeSes.
O publico achar as Pilulas vegetaes do Dr.
Brandreth e na Medicina Popular Americana ,
estas propriedados, que produzem seu efleito ,
sem dores e incommodo algum nao bu ne-
essario dieta alguma e pode-se tractar dos
seus negocios no mesmo dia em que se tomar.
Aqui vende-se somente em casa do nico a-
gente Joao Keller, ra da Cruz do Recife n.
18 e para maior commodidade dos compra-
dores, na ra da Cadeia do Recife, em casa de
Joo Cardozo Ayres, na ra Nova na de Guerra
Silva & C,\ e atierro da Boa-vista, na de Sal-
les & Chaves.
Furtarao no dia 5 do corrente um taxo
de cobre ; a quem for oTerecido, queira por
obsequio toma-o e entregar as 5 ponas n.
11 que sen recompensado.
= Jos Goncalves Curado retira-se para
Portugal.
Anda se pcha por negociar o sitio entre
as duaspontesda Magdalena, com casa de tai-
pa nova n. 12 ; quem o pretender dirija-se ao
pateo do Hospital do Parai>o sobrado n. 8 ;
assim comino continua-se a dar dinheiroa pre-
mio em pequeas quantias sobre ponhores de
ouro.
Na padara confronte ao viveiro do Mu-
niz n. 43 precisa-se de um bom forneiro ,
e que enlcnda de massas, assim como de cortar
que temi estas qualidades nao se oiha a preco
Na ra Nova n. 31 exifte urna carta vin-
da do Porto, para Jos Joaquim Goncalves
Casco.
Do atierro da Boa-vista n. 78 fugic
na tarde de segunda feira um papagaio contra-
feito com algumas pennas faltas as azas,
levando no pe esquerdo um pedaeo do correte,
vio-se voar em direitura dos quintaes da ra do
Hospicio ludo da ra do Camaro e beco da
Martins; quem o tiver pegado leve-o a casa
cima que ser recompensado.
Hoja vai a praca por ser a ultima por
venda a casa de sobrado de um andar e sotao ,
na ra das Crn/es, avahada em 3:0008000 vs.
a porta do Juiz de orfaos.
Um rapaz portuguez de 13 annos pro-
tende-se arrumar de caixeiro em qualquer ar-
rumaco ; na ra do Livramenlo n. 3.
Constando agora com toda a certeza, que
o Barao do Itapucur-merim mandaia por tr-
ra para lora da Provincia a eservatura das fazen-
das do seu casal em prejuizo da annun-
ciante abaixo assignada que he meeira do
mesmo casal, porque supposto estejo di-
vorciados anda os bens estao por dividir ,
e nao podendo repentinamente dar outras pro-
videncias, declara que ir haver de qualquer
pessoa que comprar os ditos escravos o que
ihe perlencer; e por isso avisa que ninguem
faca contiactos com o dito seu marido sobre
compra e venda dos mesmos escravos. Mar-
nhSo 24 de Maio de 1843. Baroneza de Ita-
pucur-merim, D. Marianna Carntiro.
Tendo Lnurenco Rodrigues Cuna com-
prado a Manoel Carneiro de Frelas as trras
constantes da sismara que foi dada ao a fi-
nado Manoel Clemente Ferreira cachando a
Jos Ignacio do Templo ntrodusido em urna
nanc dessa sismara do lado da matta de S. An-
io at as mirgens do riacho denominado Pa-
cas htontou contra o mesmo Temple libelto
de reivendcacao e teve sentenca a favor, que
possou em julgado ; e porque o abaixo assigna
do comprou o referido Luna a* torras, em
que este ja tinlia levantado engenho da fazer
assucar e tem de tomar posso das rei. endien-
tas, e no entretanto consta-lhe, qua aquello
Templo no obstante estar vencido procu-
ra comprador, por isto declara que nonhuma
pessoa contrate obre as menoionadas trras com
o sobredito Jos Ignacio do Templo, por nao
Ihe perlencer. acs Tiburlino Pinto de Almeida.
Aluga-se urna preta escrava *om bom
leite para criar ; quema precisar, dirija-se a
ra da Sen ala velha no terceiro andar do so-
brado contiguo a destilacS6.
= Os abaixo assignados administradores da
casa fallida de Manoel Pereira Gttimaraes &
Companhia con'vido aos credores do dito
fallido a comparecurem na casa da administra-
cao no dia 10 do corrente pelas 11 horas da ma-
nhi na ra da Cruz n. 8 para tratarem do
que convem aos mesmos credores. = Joao Lei-
to Pita Oftlgueira e Jos Antonio Pinto.
= A pessoa que por engao tirou urna
carta do correio vinda dos portos do^ Mil, com
o nome de Joaquim Monteiro da Crua haja
de fazer o favor de a levar na ra do Cabug ,
loja do miudezas, n. k-
Francisco Jos le Queiroa pertende ven-
der a parte que Ihe tocou em partilha no inven-
tario dos bens do fallecido Padre Jos de Quei
roz feitonoJurzode Orfos desta Cidade ,
escrivo Pereira, na casa terrea da ra da Glo-
ria n. 8 i, oa qual casa tambem tem parte
os outros herdetros; queflt quizer comprar,
dirija-se ao a nnunciante o atierro da Boa
vista loja de miudezas n 48.
Manoel Duarte Rodrigues morador na
ra do Trapiche n. 26 doseja fallar ao Snr
Herculanode Araujo Salles para Ihe entregar
urna carta e tratar de negocio do interesse.
= Eduardo Antonio Pereira subdito Bra-
siloiro retira-se para Lisboa.
Aluga-se urna canoa, que pe^a em J300
lijlos de alvenaria; na ra do Queimado n. 57.
Aluga-se urna escrava para o servico de
urna casa de pequea famalia e isto por pou-
cos mezes; na ra Direita n. 131.
aa Joaquim Luiz Fernandos, Portuguez,
retira-se para a cidade do Porto.
trapiche novo; trata-so a horda do mesmo, ou
aa ra da Cadeia do Recife, loja de fazendas
n. 37.
Vendem-se cordas de tripa e bordos
para olio e rabeoa de superior qualidade :
na praca da Independencia n. 4.
= Venda-se um Atlaa de Geographia por
Imucamba, cose ,e engomma bem"; 4 ditas
com boas habilidades; uma dita de 30 annos ,
i por 300j rs. ; um preto de meia idade por
230$ rs. bom comprador e servente de uma
casa; na ra de Agoas verdes,. n 44.
Vende-se um par de mangas de vidro li-
! sas, com casticaes tambem de vidro ; na tra-
38000 rs. : na ra Direita botica defranto do vessa do Possmha, n. 6.
Compras.
= Compra-se uma salva de prata sem feitio:
na ra da Matriz da Boa-vista n. 26, pri-
meiro andar.
= Compra-se um moleque de nacao de
18 annos, que seja fiel, e tenha bonita figura
para criado ; na ra -ireila n. 120 pri-
meiro andar, das 6 as 8 horas da man lia e
de uma as 4 da tarde.
Comprao-sealguns molhos de ripas, que
sejo bem grossas e compridas ; na ra da Ca-
deia do Recifo n. 25.
Compra-se urna negrinha de 12 a 14 an-
nos ou um moleque da mesma idade ; em
Fora de Portas n. 82, ou annuncie.
Compra-se um moinbo do podra que se-
ja proprio para moer milbo com sua compe-
tente armacao ou sem ella ; na ra das Cruzes
venda de Joao Jacintho Morcira.
Comprao-seapolic.es ila contadoria ven-
cendo juro ; na ra do Livramenlo n. 3.
Compra-se uma preta perfeita cozinhei-
ra tanto de fugo como de forno engomme e
entenda da costura ; na ra da Cadeia velha ,
n. 29 loja de c
Vendas
= Vendem-se lingoas seccasdo Rio Grande,
mui frescaes, e buxo de peixe para colla de
marcineiro ; na ra da Praia armazem n. 4.
= Vendem so nm escravo de nacao bom
canoeiro ; uma negrinha de nacao de 18 an-
nos engomma cose e refina assucar; e
outra dita co> inheiru ; na ra Direita n. 3 ,
primeiro andar.
= No deposito de assucar refinado, esta-
belecido junto ao arco de S. Antonio, em fren-
te do caes do Coliegio, ha para vender assuear
refinado segundo o novo systoma de fabriea-
co pelo qual se extrae a potassa e cal, dei-
xando-se-o no seu estado de pureza ; sendo o
preco da libra do de primeira sorte e em pes
160 rs. e o do segunda e terceira em p
a 120, e80rs.
zs Vende-se um globo celeste novo por
preco comino o; na ra da Cadeia loja de Jos
Gomes l.ial.
= Vendem-se 14 pipas com agoardente
branca : na ra do Livramenlo armazem de
loma e mulhados n. 20.
= Vende-se sal do Ass a bordo do bia-
teFlordeLarangeiras, fuodiado defronte do
Terco n. 131.
Vendem-se sola muito boa, e cauros de
cabra vindos do Aas ; na raa daCru/. n. 81.
Vendem-se ebarutos daHasonade su-
perior qualidade; na raa do Trapiche n. 19,
casa de J. O. Elster.
a Vendem-se superiores ladri I hos d mar-
more azues e brancos, chegados agora da Eu-
ropa : e essoncia d aniz 16*000 rs. o frasco ;
na roa Direita n. 120 no segundo andar.
== Vende-se arroz pilado branco muito
bom e por preco comraodo; na ra das Cru-
aes venda n. 40,
Vende-se uma cabra de 18 annos pa-
ra todo o servico ; no botequim da estela no
caes novo.
Vende-se para fora da provincia ou
engenho uma negra de boa figura engom-
ma, cozinha e vende na ra; na raa estreita
do Rosario n. 18 segundo andar.
Vendem-se uma escrava com um filho de
3 annos a escrava co'inha, e engomma; uma
dita iavadeira ; uma negrinha de 12 annos ,
propria para mucamba ; e dous moloques pro-
prios para pagens ; na ra do Fogo ao p do
Ko/ario n. 8.
Vendem-se 3 vaccas de leite duae com
bezerro e outra sem elle, ja acostumadas ao pas-
to por preco com modo ; no atierro da Boa-
vista loja de chapeos n. 26.
Vende-se uma preta mariscadeira de 40
annos; no pateo de N. S. do Terco n. 22 ,
que tem efllcina de barbeiro as lojas, das 6 as
8 horas da manhS e das 2 as 5 da tarde.
Vende-se uma canoa grande anda nova ,
com pouco uso do condu ir agoa ; na ra do
Cabug, loja de Joaquim Jos da Costa.
Vende-se uma canoa nova de amarello ,
que carrega mais de 3 mil tjolos de alvenaria
grossa, mui bem construida : no estaleiro do
Torres juntoa ponte do Recife o a tratar com
Manoel Firmino Ferreira na travessa do Quei-
mado n 3.
Vende-se um sobrado de 2 andares e so-
tao anda novo mui bem construido e re-
partido com 32 palmos de frente e 110 de
lundo com um grande terreno no fundo o
qual offerece grande vantagem para qualquer
estahelecimonto, e embarque toda hora no
porto ; na ra da Praia de S. Rita n. 37.
Vende-se ou troca-se uma casa terrea
na ra do Amparo em Olinda, com muitos
bons com modos: na ra de Agoas verdes n. 42.
Vendem-se Larris de vinhn do Porto de
superior qualidade salea parrilha em gran-
des e pequeas por'des, por preco muito rom-
modo ; na ra do Trapiche n. 26, em casa
de Manoel Duarte Rodrigues.
Vende-se sal de superior qualidade em
paneiros que tem cada um quasi meo alquei
re, pelo mdico preco de 340; em Fora de
Portas na nova ra do Rrum em ama casa
nova junto a de n. 1 ou na ra do Trapiche
n 24.
Vende-se um moleque crioulo de 10
annos: na ra da Cadeia n. 25.
Vende-se uma imagem de S. JoSo re-
presentada no deserto, obra executada em
marfim e um violao em mero uso de muito
boas vozes; em Fora de Portas n. 82.
Vendem-s um palanquim em muito bom
uso com vidro na frente ; um apparelbo de
louca de porcelana para h ; uma escrava que
cozinha sofrivel, e he vendedeira; na ra da
Moeda n. 15 primeiro andar, ou na ra do
Amorim, armazem n. 3 >.
v= Vendem-se cassas adamascadas e lisas ,
cambraias superiores, lencos de setim para pes-
coco e de seda para mo pannos de diver-
sas cores casemiras de bonitas cores para cal-
cas brim trancado branco e escaro breta-
nha muito fina, duraque preto e de cores,
franquelim e merino dito chapeos francezes
pretos, e de castor branco para homem e me-
ninos ditos de sol, los de linho brancos e pre-
tos lona e estopa larga e estreita chitas de
coherta e outras muitas fazendas de muito
bom gosto, e preco commodo; na ra do Quei-
mado loja de A. L. G. Vianna n. 11.
Vendem-se travejamentos e linhas de
madeira superior de 36 a 50 nalmos de com-
primento, o grossura de 7 a 10 polegadas, na
ra do Vigario n. 3.
Vendem-se laxas de ferro batido e coado,
em sortimento por preco barato para sal-
dar contas ; na ra do \ igario n. 3.
Vende-se agoa de tngir cabellos e
suissas ; no largo do Coliegio, loja de cha-
peos e na ra do Queimado loja de ferragens
n. 31.
Vendem-se uma preta da 20 annos, boa
Vende-se um cavallo pedrez gordo ,
mui forte bom de carrinho e tambem car-
rega baixo; na ra da Aurora, na fundilo do
ferro.
= Vende-se um moleque de naco de 14
annos; no atterro da Boa-vista loja o 24-
Vende-se um terreno com 40 palmas e
ja com licerces at respaldo t na ra Augusta,
com fundos at a ra do Alecrim : na ra lar-
ga do Rozario, n. 48 ...
Vende-se efectivamente superior salitre
refinado em barris e a retalho pelo mdico pre-
co de 200 rs. a libra e cahinhas com espole-
tas das melhoi es que tem apparecido nesta nra-
ca; na ra das Larangeiras, sobrado n. 8 de
Claudio Dubei.
*- Vende-se farinha de mandioca a 2560 ,
2240 e 1920; no deposito da mesma na
ra da Cadeia de S. Antonia.
= Cadeiras americanas com assento de pa-
Ihinha camas de vento com armadlo com-
modas do angico, ditas de amarello marque-
zts do condur camas de vento de amarello
muito bem feitas a 4500, ditas de pinho a 3500
assim como outros muitos trastes ; pinho da
Suecia.com 3 polegadas de grossura dito
serrado dito americano com diflerentes largu-
ras e comprimentos travs de pinho e bar-
rotes com differentes groMuras e comprimen-
tos ; tudo se vende mais em cota que outra
qualquer parte: na ra da Florentina, em
casa de J Beranger n. 14
V Vende-se a obra de PuhVndotf quasi no-
va ; quem pretender annuncie.
Escravos fgidos.
= No .dia 11 de Maio fugioa cabra Anna
zarolha, as meninas dos olbos esbranquiucntas
denles podres e outros arrancados espadau-
du bracos grossos, grosa do eorpo, paitos
escorridos, esquia da barriga tem nos bra-
cos urnas pintas que parecem sarampo tom o
p esquerdo comido de gomma que repucha
o dedo mnimo, levou dous vestidos um azul,
e outro de chita branca com flores roxas; quem
a pegar leve a ra do Rangel n. 34 que sera
recompensado.
Manoel de nacao Cabund alto, veio do
rosto cara comprida costuma a embebedur-
se, falla mal e muito devagar, he canoeiro, cos-
tuma aterrar viveros tendo tambem andado
com um mscate pelo matto com fazendas, po-
de muito bem por la estar, pois dizem fora
visto em o Ro 'lo Peixe. Antonio da < osta ,
muito aJto magro, olhos vermelhos e meios
vesgos, he embarcadico po. isso talvez ande
embarcado. Stiro, cabra acbocolado, de 30
anos, feo do rosto e tristonbo, de estatura
baixa e he pescador do alto ; quem os pe-
gar leve a ra do Vigar o n. 3, que ter de
cada um lOOcOOO rs. sendo pegados nesta
provincia e em qua'qucr outra do Imperio
12OS0O0rs.
No dia 31 de Abril p. p. fugio a negra
Cwdolina Benguella alta corpo regular ,
eor preta, com um signal de urna postema atraa
da orelha esquerda, levou vestido de ganga
azul: quem a pegar leve a ra da AstumpcSo,
junto ao nicho doNoia n. 60.
Fugio no dia 6 do corrente o preto Ju-
liSo, crioulo alto, magro, com urna fstu-
la do lado direito do rosto anda meia aborta,
ps gros os; quem o pegar leve a ra do Col-
iegio n. 9 que receber 80$ rs. de grati-
ficBc-So.
Fugio na madrugada do dia 4 do cor-
rente de Tigipi o preto Germano de na-
ci Moange de 24 annos, estatura baixa ,
alguma cousa cheio do corpo becos grossos,
cor escura tem dous talhos na cara sup5e-se
qne fugio vestido de jaqueta de panno cOr de
caf camisa de linho branco nova e calcas
de panno preto levou mais uma trouxa com
roupa ; quem o pegar leve ao escriptorio do
N. O. Bieber & Companhia, na roa da Cruz
n. 4 que receber 50,000 rs. de gratifica-
cao.
Fugio no dia 6 do corrente o preto Be-
nedicto de 40 annos, naco Cabund alto,
bem preto tem uma cicatriz no canto de um
olho que pouco se conhece tem no pulso de
um braco urnas pintas brancas que parece fo-
veiro tem o buco da barba muito crescido ,
ps bastantes cambados levou ceroulas e ca-
misa encarnada ; quem o pegar leve ao beco da
l.ingoeta venda de Joaquim Jos Hebello ,
que ser gratificado.
Rscirs: haTtp. dbM. F. dbFaru.=1843
ME"! uno rvsr.\
(
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E89GK5XNL_2SW1G5 INGEST_TIME 2013-04-13T03:11:17Z PACKAGE AA00011611_04977
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES