Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04973


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Atino de 1843.
Quinta Feira I.
de Junlio
TJo .Ufa tL-entteJ no. .,. d. no., prudtnc,. s>ud,.Vo .,,,. con
**" co P""flif- ...o. a>un..rio. cB, adai,,., e.trt a. N.ce, ..
j^_______< Proclamado d> Aaaemblr. Geral do Bata ;
PARTIDAS DOS COItHEJOS TEKRSTHES.
Gaianna Parahib. Riograods do Norte acgunda testal (>..
Bosnio o Carril hdn'sy a1 *0 tt
l linhe, RioForaoao Porto Cairo MaceA,
Bo-*mi Floras s '3 e 28 Sanio Ant.io, quinta* fairaa.
. nUSTJA -iMAVA.
*9 >g Mxiraisn'> M. od do J de P. da 2. t.
30 tare s. Fsrnando R-i. Re. Aud do J de I) ds 3.
il QmUI s. Peiromlla V. Aud doJ, de D. ds i
i QUaii s. Firmo M. Aad. doJ/ de D da 3. .
i ^" s. Marcelino M Aud doJ. de D ds ?. t.
J >" jeiiim s Caula V M Re. Aad. do J. de D. ds 1
4 "" Paseos do Eapirilo Santo.
O Diario publica-M lodoa oa di saque pao Cor. Santificados o preoo ds sssigastuis
de tres mil rail por quartel pa^oa adntadoa. O. annuncoa doa atiignanlea so isasridoS
gratis e oa dos que o noforem 4 ratio de 80 reis por linha. Aa redamacoea deraa. ts diri-
gidas s sita l'yp., rus dssCruir.N U.ooi pr.*'. Ha.Independencia lojsdc lis-roa N. 6s 8.
Canso. No da 1 de Meto.
Cssabio eobra Londres 36 4. Oiiiu-Moad. de 6,400 Y.
Pan lio rea por,franco
Lisboa 100 porlOOdeprenuo
Anno XIX. N. 120.
N.
!
-de 4,000
P*ts-P.,.coe.
Petos Culuaaans
dito. Menanos
oostprs
l,4t>0
16,. 00
y. 000
1,800
t.WJ
1,J0
lr.600
16400
US
i.t>a>
i.tfia
Moeds ds oobre } por cento
Id.m deUtrssds boa. firaaaa 1 { a } .
FHASEs UA. LOA NO MEZ DE JNHO.
Loa Cheia 12, <, 4 llorase 50 a. da m I La ora i .7, ka 5 horas ds urda.
Qu.rt. auag. i 19, aa Ottorst s 10 a. da l. | >ri. oreao. 5, oa 15 ainutos da Isrds,
Preamar de hoje
I l. m S uor. a 6 a', ds locos.
r*A1t tFnciA,
tariada Presidencia de 23 do present (maio,
pela qual dosigpou os juizes quedevm subs-
tituir dos fetos as suas faltas ou impedi-
mentos, Competo esta substituido ao juiz mu-
nicipal da primoira vara.
Dito A cmara municipal desta cidado de-
volvendo appioVados o plano e discripc3o da
ponte da ru.i da Aurora para quo passam a
pl-a em execuco.
Commndo das Armas.
EXPEDIENTE DE 10 DO PASSADO.
MINISTERIO DA JUSTigA.
Primeira seccao.ITIm. eExm. Sr.Em so-
Incn ao que V. Ex. representa erri seu otUcio
n. 60 de 29 de abril prximo passado sbreos
graves inconvenientes que resultas do serem
escasos do cargo de jurados todos os supplentes
dejuizes do paz, delegados e subdelegados, co-
mo resolver um dos antecessores de V. Ex. em
portara de 13 de agosto do anno p. p., o que
tudo flz presente a S. M. o Imperador man-
da o mesmo augusto senhor declarar a V. Ex. Oficio Ao Exm. Presidente mandando-
que sendo o principal fundamento daquella Ihe apresentar para terem o destino quejulgas-
portana a pratica que exista na mor parle se convonionto visto nao servirom para u exer-
dessa provincia, de serem escusos todos osjui-cito, os recrutas Jo3o Felippe do Lima e Jo-
zesdopazdo quatnenmo pratica que era de s Joaquim dos Santos que o sub-delegado de
corto abusiva, porque dos ditos juizes do paz s Santo AntS'i Homem-bom Soares de .Meridorica,
seum poda considerar eiTectivo.e lodosos mais remetiera acompanhado d nota que Ihe trans-
nao erao senao supplentes, e n3o tinhao por mettia.
consequencia mais do que urna aptidao ou um i Dito Ao rriesmo Exm. Sr., significando-
direito para exercerem a jurisdiccao, sem que de Ihe em cumprimento do sou Cilicio de 4 do. cor-
lado a excrcossem,senao occasionalmentu.cum- rente que o imperial marin.10.ro Manoel Jos
pro quo essa pratica cesso, nao s quanto aosdi- de Sousa achava-se com praca no batalhao de
tos juizes de paz supp.cnles, mas tambem c,uan- artilheria, com o suposto nome de Manoel Joa-
aos suPP|cnles do< delegados e subdelegados, quim dos Santos, pelo quo devia ser demitti-
senrto todos estes contemplados na li ta dosju- do e remettido para bordo da escuna donde
rados, pois, no caso de serem sorteados em oc- desertara, afirn de ser julgado.
casiaciem que estejo coma vara, do dever Dito Ao mesmo Exm Sr., requisitando-
oo juiz de direito o dispensa-Ios. Oque commu- Ihe o regresso do ollicial da oxtlncta segunda
nicoaV. Ex. para que assim o Taca constar linha Antonio Pires da Silva que se acla na
aos juicos quo presiden, junta encarregada do ilha de Fernando na qualidade de deportado do
alistamento. Rio Grande do Sul aflu de ser julgado em
neos guarde a V. Ex. Palacio do Rio de Ja- conselho de guerra pela culpa contante do
neiro em 6 de malo de 18*3.Honorio Ber- conselho de investigarlo; que acorr.panhi.va o
meto tarntiro Leao.Sr. presidente da provin- seu offlcio de 24 de abril, dovendo com elle vi-
cia de S. Paulo.
Goverho da Provincia.
que deposerao no dito
EXPEDIENTE DE 26 DO PASSADO.
Olllcio-Ao inspector da thesouraria da fa-
enando, emvirtudo de autorisaco, tencentes ao archivo do extincto corpo de enga-
rem as testemunhas
conselho.
Dito Ao coronel commandante interino da
fortnlesa do Hrum ordenando-lhe que flzesse
recolher a thesouraria competentemente rela-
cionados os livros, mappas, e papis per-
dada pelo govemo imperiaj., que mande abo-|jadosdamesma fortalesa.
tat a gratiicacao mensal de 70g' reis aos cirur- Djto Ao inspector da thesouraria, scienti-
gioes paisanos Manoel Bernardino Montciro e fleando-o da ordom cima expedida.
Joaolhemoteo da Rocha Galv5o aue forao
Dito Ao desembargador chefo de polica ,
O duque do Sussex ostava doent com erisi-
pela.
Os.rendimentos do Inglaterra augmintarSo
no ultimo trimestro mais de tres milhes do li-
bras pe|o que so congratula a imprensa tory ;
mas so^undo os jomaes opposicionistas o aug-
mento nao do mais de 700 e tantas libras o
que nabchga para cobriro dficit.
O congresso americano oncerrou-se a 5 de
marco.
Disem que o cometa foi visto as indias occi-
dontaes 'om urna cauda prodigiosa.
A cmara dos pares, de Franca approvou o
projecto do conselho do estado. a dos deputa-
dos tra^ou-so dodireito de transporte, e Mr.
do la Rochyjaquelein apresentou urna proposta
para que os doputados nao possao votar em
projectosdceihprezas ou companhias quando
forem intpressados nellas. As commissSus ap-
provar3o esta propsl. Suspenderao-se tam-
bem as sesses pela Paschoa.
Em Vinnad'A'ustria prepara-se urna grande
festa em honra do archiduque Carlos qual
assislirao muilos soberanos, principes, e outras
personagens.
Foi nomeado gra-cruz da legio de honra o
genoral Bugeaud.
Nomearao-so para governanfee ayo do con-
de de Paris, o general Braudrau, e mr. Rgnier.
O duque de Aumalo era esperado om Paris ,
para assistirao casamento da princesa Clemen-
tina.
A grippr atacava muitas pessoas em Paris,
por causa da mudanca da estacSo.
Comecou em Bruxellas o processo do aflvoga-
do Caumartin, o chamava muito a altencao pu-
blica.
Sentlr3o-se na Hbllanda varios tremores de
trra.
Disem que a Franca e a Inglaterra se poserSo
do lado da Austria na questao da Servia, o quo
impedir que a Russia consgaos seus intentos.
Os fundos portuguetes e hespanhoes conser-
vav3o os anteriores pregos na bolea de Londres.
RETROSPECTO POLTICO.
extractarlos para o servico do hospital, e dos devovendo-lhe o recruta Joao Salvad >r," julga-
corpos.Lommunicou-se ao commandante das
armas.
Dito Ao mesmo, remetiendo urna copia do
aviso do 29 de abril prximo passado, pelo qual
S. M. o Imperador houve por bem a.iprovar a
resoluto, tomada pela Presidencia, de, na fal-
ta absoluta de juises de direito do crimo ou
dvel na comarca encarregar a vara dos feitos
da fasenda um dos juises municipaes desta
capital ; e outra da portara de 23 desle mez ,
{maio) pela qual a mesma Presidencia designa
os juises municipaes que h3o de substituir o
dosfoitos da fasenda as suas faltas, ou impedi-
mentos.
Dilo Ao juiz relator da junta de justica ,
enviando, para serem presentes a dita junta ,
os processos dos reos Jos Antonio Pereira, Ma-
noel Raimundo e Jos Raimundo da Silva ,
soldados do batalhao provisorio da provincia do
Ceuiu.
* dem do o a 27.
OfllcioAo juiz municipal do termo do Cabo,
disendo em resposta ao seu odlcio do 20 do cor-
lente, maio que nao obstante o actual e-crivao
docrime respectivo tambem ser do civcl, orlaos,
ausentes capellas, e residuos o tabelfiao do
judicial, e notas nao pode oescrivao privati-
vo do jury daquelle termo escrever nos procs-
eos crimes perante S. me, e o delogado ; por-
quanto a resolugSoda Presidencia, que citot ,
somente declara que compete ao escrivao do
juiy processar em todas asexecugescrlminaes,
principalmente nos tormos, em que nao hou-
ver um escrivao privativo de execucoes alem do,
queserve perante o jury, segundo a disposicao
provisoria do legulamento n; 122 art. 18; e
que se o oincio do escrjvaO docrime, e civel
tein tantos afaseres como informa deve pro-
pdr suadiviso, para ser levada aoconhecimen-
to do governo imperial.
DitoAojuit municipal supplente da segun-
do incapaz, cm consequencia do padecer de um
cancro no rosto.
Dito Ao mesmo, disendo-lhe em solucao
ao seu ofllcio do 9 que mandara abrir assonto
de praca aos remitas Bellarmiuo Jos de Mello,
Antonio Joaquim Manoel dos Santos da Luz,
Jo3) Mendes da Rocha Antonio Ribciro Do-
mingos Rosa Clara Goncalo Jos de Mattos ,
EstevaoGomes da Silva, Lourenco Antonio, e
Felippe Nery sendo os cinco primeiros de Pa-
jg de Flores, e os mais da comarca da.Boa-
Vista e que Ihe devolva para terem o desti-
no que Ihe parecesSo conveniente, os recrutas
dePaJe Luiz de Franca e Reinaldo Jos do
Sousa, e da Boa-Vista Ponciano Jos este por
ser doente da gOta e aquelles casados com fl-
Ihos acompanhando-os suas mulheres.
Dito Ao del gado do segundo districto do
termo desta cidade, remetiendo-Ihe os docu-
mentos de izences do recruta Jos Peieira de
Brito afirn de dar a sua opiniao.
Dito Ao subdelegado do termo de Santo
Antao disendo-lhe que ao Exm. Sr. Barao
Presidente lisera rerriessa dos recrutas Joa'
Felippede Lima e Jos Joaquim dos Santos,
a vista da nota de seus comportamontos.
Dito Ao commandante do batalhao de ar-
tilharia a p acercada demico do soldado J.
J. de Sa e do desertor do marinha Manoel
Joaquim dos Santos.'
EXTERIOR.
da un,i significando em respus'a au MU ofil-
ciu de 20 deste mez (maio),quo depois da publi-
cado do mpciial aviso de 27 de abril p. p.,tem
desapparecido aduvida, em que seacha de
dever ou nao despachar algumas causas, per-
iencenics a lasenda publica em rasaodc ser o j intelligcncias novamente suscitadas entre
juiz dos feitos impedido nellas; e que pela por- Jduas potencias, se teruiinariao em breve.
NOTICIAS DO PAQUETE.
Apresentou lord Brougham na cmara alta
um bil para a eflicaz repressao do trafico da es-
cravatura, e tratou-so do tratado Arhburlon.
ii parlamento (oi adiado at 25 do correte, por
causa das festas da i'ascfioa.
O lord Mayied Londres deu um grande jun-
tar em que se astarao 100,000 libras esterli-
nas e a quo assistirao todos os ministros e
outras personagens, entro ellas o ministro ame-
ricano, que disse lera esperanca deque as des-
as
Na America encerrou-se o congresso dos Es-
tados-Unidos. Anteriormente o senado tinhare-
jeitado algumas nomeaces diplomticas do pre-
sidente. Entretanto M. Everert loi nomeado
ministro americano na China ; e'M. Wise, um
dos membros influentes no congresso, embaixa-
dor em Franca. Dizem que i/r. \Vebster, mi-
nistro dos negocios estrangeiros da (Jniao,subs-
tituir em Londres na qualidade de embaixa-
dor a M. Everert, e que ser substituido no mi-
nisterio por M Cushing que Mr. Spncer ,
ministro da guerra pssar para o thesouro ,
o o substituir M. Judge Postor.
Em Constantinopla dizia-se que as hostilida-
des se tinhao renovado aa fronteira da Persia
que os commissarios turco o persa quo ti-
nh3o partido para entabolarem as negociacoes ,
tinh3o suspendido a sa marcha, logo que sou-
herao da tomada de Korbelak ; o que causou
terrivel impress5o no Shah muito mais pelas
noticias atterradras que circular3oemTehern,
sobre a mortandade feita pelos turcos ; porm
diz-se que s houvero 600 morios; e apesar
do Shah julgar a tomada da cidade como viola-
cao do direito das gentes parece que a Tur-
qua se livrar bem desta responsabilidade, at-
tendendo-se quo Kerbelak est situada no ter-
ritorio turco.
Na Servia contnuava a questo poltica no
mesmo estado o dizia-se que a Russia obran
de aecrdo com a Austria na sua resolucSo. A-
junt3o que o Czar jo resipondeo ao sultao de-
clarando-I he que nunca reconhecer o novo go-
verno da Servia ; se bem que n3o quer impoT
a sua vontadoao sultSo em quahto oleicSo
do hospodar ; porm quer que esto seja eleito
pela vontade e direitos dos servicos, sem influ-
encia da Porta Ottomana.
Na Russia prepara-se urna forte expedco
contra os circassianos, o recruto-se soldados a-
t no Montenegro Pela sua parle os circassi-
anos fazem tambem ossus preparativos de guer-
ra- e conlao com a cooperacoo de muitas po-
pulacoes do Caucaso que at agora se tinhao
conservado neutras.
Na Suissa contnuava a
tos entre o varot o o cantSo de Argovis. Al-
guns cantos propoem-se abrir negociaces com
a Franca para procurar um domicilio meios
de existencia em Algeria aos Ifeimalhlozes in-
dividuos considerados na Suissa, como sem di-
reito de naturalidade o completamente in-
digentes.
Na He I gira pedio o ministro da guerra sua
demissSo em consequencia da acintura reduc-
c5o que certo partido da cmara la fazri'd no
orrament doexercito, nao obstante a rigidez
administrativa do dito ministro; porconseguin-
te o ministerio belga achava-se incompleto ,
pois j Iho faltava o ministro d is justica; o di-
zia-se que o rei Leopoldo nao partira para Pa-
ris a fim de assstir ao casamento da princza
Clemontinn, sem que o ministerio ficasso reor-
ganisado. O senado belga approvou a le dos
assucares, tal qual (oi votada na cmara dos
representantes.
Em Inglaterra o assumpto que mais oceu-
pou as cmaras, oi o tratado concluido por
lord Ashburtort com os Estados-Unidos da A^-
mnrica ; e a mensagem que o presidente da di-
ta repblica dirigi ao congresso sobre o mesmo
assumpto. Disto deduz-se <\\lb guerra di-
plomtica se acha declarada entre os gahinets'
de Washington e S. James ; porque W. Tyler
responde ao discurso de sir Roberto Peel de una
maneira a mais explcita; e a resistencia da par-
to da America tao formal e vigorosa cmo
foi o ataque da parte da Inglaterra. O carrii-
nho da discordia que se julgava obstruido ert
o tratado Asbburton tornou a abrir-so. e am-
bas as naedes se achavo do novo em cobtihob
alarme.
Na cmara dos lords pedio-se a correspon-
dencia relativa a esto assumpto a qual o con-
de de Aberdeen promette. apresentar com toda
a brevidade. Parte dos,la correspondencia j
foi apresentada por sir Roberto Peel na cmara
doscommuns. Lord Asubuitohdeclarapquea
interpretacao do tratado era luna fatilidade ,
porque este eslava redigido em termos clariss-
mos, e que (Ora concluido com satisfacao de to-
dos es habitantes da Uniao.
Urna mocao feita por lorrJ Asi ley para que
se prohibisse o commercio do opio aos negoci-
antes inglezes na China foi ad ada depois do
varias explicaces de sii Roberto Pool.
Chegou a Londres o principe.de Wurtemlierg,
o foi recebido rom as honras devidas sua alta
jerarqua. S, A. R^. acha-se hospedado no pa-
lacio Mivast, onde tambem estiverao
dos o rei de Hollaiida quanejo era .prncipe de
Orango ; e o gra-duque herdeiro da Russia. O
principe logo depois da sq cheada vis^tu to-
dos os membros da familia real, e jantou coin
arainha, e o principe Alberto. ..'
A imprensa ingleza oceupou-se de diverso
assumptos. Tratando da questao com a Amri-
ca, nao se mostra satisfeita com a mensagem do
presidente Tyler, e julga imminenteuai rom- .
pimento entre as duas naces.
Em quanto s noticias da India das quaet
nossos leitores tem conhecimento diz que
guerra so renovou na(|uelle paiz e que agora
com os indgenas d'aqucm do Indo no cen-
tro das possesses inglczas.
A oceupacao das ilhas de Otahit pelos ra^-
cezes ; e'o rompimento das negociares coinr-
merciaes com Portugal erao tambem pniectq
de amargos queixumes da parte da imprensa
ingleza.
Parece que o governo hntannico tencin
reduzir a suj esquadra do Mediterrneo.
Os cartistas tivero urna numerosa reuniio
em Londres, o decdir3o dirigir ao parlamento
urna pelicao que dever ser apresentada por
M Duncombe membro radical.
Conslflva por noticias da Lidia, que lord -
lenborough se ach'ava em Delhi e que os ne-
gocios da China se ultimariSo em breve esa-'
tisfactoramento.
Em Franca oceupa-se acamar dos pares con'
o projecto sobre os privilegios do invenco.
' J

I Na cmara dos doputados anprovou se o pro-r
questao dos conven-1 jecto, que augmenta opessoa daolacio fi


Pars, econtinuou a discusso do orcamento. I talla de Azamhuja, e como o projecto queau-
Assegur8o que o governo francez tenciona thorisa o governo a legislar para o ultramar.
Na cmara dos deputados tem-se tratado do
projecto sobre a nova organ sacio da juuta do
crdito publico ; e de outros assumptos de me-
nos monta. ( Do Patriota. )
presentar s cmaras antes do seo encerramen-
to um projecto de lei abolindo a cscravatura
as colonias francezas.
Tambem so diz que o mesmo governo trata
de enviar Mr. de Pontois, como emhaixador a
Pekn ; oqual ir acompanhado de um nume-
roso squito do empregados, o sabios, tanto pa-
ra dar i China urna idea do poder da Franca ,
como para que as se encas lucrem com as in-
vestigacoes dos sabios.
Tornao a continuar as fortificaroes de Pariz
as quaes se acho empregados 6,000 tra-
halbadores. O rei visita muitus vezes estes tra-
balhos.
O casamento da princeza Clementina de Or-
leans cem o principe de Saxonia Coburgo ,
devia ter logar no dia 20 do corrente no pala-
co de Fontanebleau sem muito apparato.
Parece que estando a curte das Tulherias anda
muito aflectada pela recente perda do duq
do Orleans, para se celebrarem as Testas em
consequeneia do casamento se decidi que os
noivos partirao dois ou tres dias depois da cere-
monia para a Alcmanha, o s regressario a Pa-
rs para o mez de Novembro, indo habitar pa-
ra o palacio Elyseo-Borhon ou o palacio real.
Dizem tambem que a princeza Clementina ma-
nifestou o desejo de continuar a cuidar de seu
cobrinho o filho do duque de Wurtemberg ,
e da maladada princeza Mara ; sendo com ef-
feitoella quem desde a inorte desta princeza
tem educado este menino.
A duqueza de Orleans nao assistir ao casa-
mento de sua cunhad em consequeneia de nao
querer largar o luto de seu marido. Os princi-
pe de Coburgo dovio ser recebidos em Com-
piegne pela duqueza do Nemours.
Parece que a saude da princeza Adelaide se
cha bastante deteriorada temlo-lhe prohi-
bido os mdicos todo o exercicio excessivo.
- A maior parte da imprensa franceza nega o
boato do casamento da rainha deHespanha, com
o principe Jernimo Napoleao e censura que
o imperador da Russia se queira involver nesse
assumpto. Entretanto a Legislatura jornal
que representa urna prte da comara continua
a asseverar a veracidade deste boa lo.
. As cmaras hespanholas progridem nos seus
trabalbos parlamentares. Depois de constitui-
das as mesas isto permanente a do senado,
o provisoria a da cmara dos deputados os
dous corpos colegisladores tem-se oceupado da
discusso das actas eleitoraes, approvando-se
diversas eleicoes. Entretanto a eleiro da pro-
vincia de Badajoz que comprchendia alguns
dos principaes corifeos do partido dominante ,
foi annullado na cmara dos deputados, em
conseqnencia de um protesto que se apresen-
tdu contra ella ; e parece que tambem o ser no
senado. Alm disso diz-se que serao de-
mittidos o cliefe poltico o intendente da re-
ferida provincia por causa da influencia que
tiverio na dita eleicio.
O governo tinha apresentado s cmaras va-
rios objectos de a/enda. As cortes suspende-
ro as suas sessoes por alguns dias em conse-
queneia das (estas da Pascoa.
Assegura-se que o ministerio pedir a sua
demissio ao regente e que este a nao quizera
aceitar.
Comtudo tambem se diza que forao con-
vidados a um prolongado conseibo de ministros
que houve diversos deputados influentes nos
partidos polticos da cmara, afimdodarem
a sua opiniao sobre a formaco do futuro gabi-
nete ; pois que o regente esta va dsposto a for-
mar urna administradlo sem dislinccio de pes-
soas ou partidos. Parece que alguns opinaro,
que era melbor esperar que a cmara estivesse
constituida a fm de vr-se qual era o partido
que venca na eleicio da mesa.
Falla-se de prolongar a minoridade da rai-
nha D. Isabel 2.a; e com este motivo diz-se ,
que rebentra na Catalunha urna revoluco a
favor da Constituico de 1842 que proroga a
dita minoridade at aos 18 annos. Ajuntao
que a revolta promovida pelos ayacuchos se-
r feita pelo povo e pela tropaque no princi-
pio reina grande agitacao e que a tranquilli-
dade ainda se nao poude all reslabelecer.
Constava por noticias das ilbas Filippinas ,
ter all rebentado urna insurreico militar da
qual forao victimas alguns ofliciaes; porm
com as medidas tomadas pelas autoridades a re-
volta foi sufTocada e os seus authores castiga-
dos.
' O regente e sua esposa tinhio visitado o in-
fante l). Francisco e segundo alguns jornaes,
reinou nesla entrevista a maior cordialidade.
Em quanto a Portugal a situaco em nada
te'm melhorado. A noticia mais importante
qu podemos dar esta semana nao se ter,
por em quanto ultimado o tratado de com-
mercio com a Inglaterra. Parabens nossa
industria.
Occupou-sc a cmara dos pares com a dis-
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO.
COMMISSOES DA CMARA DOS DEPUTADOS.
/{esposta a Falla do I hrono, os Srs.: Car-
neiro de Campos, Ernesto Franca, Brrelo Pe-
droso.
Constituidlo e Poderes os Srs.: Goncalves
Martins, Paulino D. Manoel.
Primeira de Ornamento, os Srs. : Sousa
Martins, Carneiro do Campos, Manoel Fe-
lizardo.
Segunda de Orcamento, os Srs.: Cansaco,
B. J. da Veiga, Bibeiro.
Terceira de Orcamento, os Srs. : J F. Co-
elho Josp Joaquim Coelho, Peixoto de Brito.
Primeira de Cotilas os Srs. : A. J. Hen-
riques Silva \ ana M. J. de Albuquerque.
Segunda de Contas os Srs. : Jos Alves dos
Santos Fernandos Vieira Almeida de Albu-
querque.
Terceira de Contas os Srs. : Antonio Jos
Machado, Pacheco Jordn, Magalhes e Castro.
Penset de Ordenados os Srs. : Nebias ,
Wanderley J. (VI. Carneiro da Cunha.
Fazenda, os Srs : Sousa Franco, Vascon-
cellos Machado Nunes.
Commissio de Justica Civil, os Srs. : Na-
buco Vaz Vieira Assiz Bocha
Justica Criminal, os Srs. : lerraz, Urbano,
Eusobio.
Diplomacia, os Srs.: Maciel Monteiro, Er-
nesto Franca Pereira da Silva.
Marinha e Guerra os Srs. : Lima e Silva ,
Sergio Reg Barros.
HadaccUes de l.eis os Srs.: Ramiro, Men-
dos dos Santos, Miranda Ribeiro.
Cambras Municipaes, os Srs.: Dantas, Si-
queira Alves de Azevedo
Assemblas Provinciaes, os Srs. : Fernandes
Chavos Pacheco Barbosa.
Commercio, Agricultura, Industria e j4r-
tes os Srs. Cruz Bios, Ferreira Penna, Vis-
conde de Baependy.
Instiucco Publica os Srs. : Pedro Caval-
ennti J. F. Pereira Jorge J. J. da Bocha.
Saude Publica os Srs. : Paula Candido ,
Luiz Garlos, Paes de Andrade.
Fstatisca e Catachese os Srs. : D. Jos ,
Julio de Miranda Gomes de Carvalho.
Minas e Bosques os Srs.: Paca, Carvalho,
Simoes da Silva.
Ecclesiaslica os Srs.: Pinto de Mendonca,
Costa Barros Antones Correa.
Petices os Srs. : Rodrigo Monteiro, Ca-
jueiro, Andr Bastos.
Exame do Thesouro, os Srs.: Ucha, Tho-
maz Xavier Penido
Na cmara dos deputados foi nomeada ,
na sessDo de 6 do corrente por ndicaco do
Sr. Peixoto de Brito, urna deputaco de 24
membros para felicitar a S. M. pelo feliz con-
sorcio da Senhora Princeza D. Francisca.
O senado approvou em 3.* discusso, no
dia 5 do corrente, a resolucao que declara o ar-
tigo 170 do cdigo do processo criminal appli-
cavel ao julgamento dos crimes dos membros de
ambas as cmaras: sendo rejeitada a emenda do
Sr. Pa jla Sousa.
Na sessao do dia 6 approvou tambem o
senado a resolurao que reduz a dous annos de
esidenca o praso para a naturalisacio dos es-
trangeiros.
O Sr. Chefede esquadra Grenfell foi re-
movido do Rio Grande do Sul para o com man-
do das forras navaes no Bio da Prata.Vai
Mibstituil-o no Bio Grande o Sr. Capitio de
mar e guerra Antonio Pedro de Garvalho.
{Sent. da M.)
PERNAMBUCO
Na appellaco civel desta Cidade appellan-
te Izequiel Jos de Carvalho e sua mulher e
appellado Lourenco Jos de Moraes Carvalho, e
sua mulher escrivio Posthumo, semandou
fosse ouvido o curador geral.
Na appellacio civel desta Cidade appellan-
tes os administradores do patrimonio dos orlaos
desta Cidade appellado Felippe Menna Calla-
do da Fonceca, escrivio Posthumo; se mandou
fosse ouvido o dozembargador procurador da
Gorda Soberana e fazenda nacional.
Os embargos de Joo Chardon contra Joo
Pecard na cauza da appellacio civel desta Ci-
dade escrivo Bandeira ; forao desprezados.
Os embargos de Bazilio Alves de Miranda
Varejo contra Mara Boza do Carmo na
appellaco civel desta Cidade escrivo Reg
Rangel; forflo desprezados.
Na appellaco civel desta Cidade appellan-
le Francisco da Silva appellado Manoel Luiz
Goncalves, escrivio Posthumo; forao julgados
os artigos de habilitacao.
Na appellaco civel desta Cidade appellan-
te Jos Marques da Costa Soares, e appellado
Antonio Marquos da Costa Soares como cec-
cionario do Exm. e Rm. Bspo D. Thomaz de
Noronha escrivo Jacome ; se julgou pelo re-
formado da Sentenca.
Na appellacio civel desta Cidade, appellante
Estevio Cav loante de Albuquerque, appellada
a fazenda publica escrivio Jacome ; foi a sen-
tenca reformada.
Os embargos de Joio Vieira Bego contra
Antonio Vieira Bego na appellacio civel da
comarca do Penedo escrivio Ferreira ; forio
desprezados.
Na appellacio civel de Jos Antonio Alvos da
Silva appellado Manoel Elias de Moura es-
crivio Bandeira ; foi julgado pela confirmadlo
da Sentenca.
Os embargos de Manoel Luiz de Veiga, con-
tra a cmara municipal de Olinda na appel-
laco civel desta Cidade escrivo Poslhumo ;
forio desprezados.________________________
DIARIO fllt PERMITO
O R."> Sr. Fr. Carlos de S. Jos digno ir-
mo do Ex. e R.mo Bspo de Chrysopolis um
dos ornamentos da ordem dos Carmelitas do
Brasil, o oceupa um lugar mui distincto entre
os Ecclesiastosde todo o imperio: elle honra
esta ditosa provincia que o vio nascer e tem
testemunhado a hrandura de corncao e a pru-
dencia, com que este Ilustrado ministro da re-
ligiio se houve tanto no governo interino do bis-
pado como na di receno do collegio dos oraos,
onde plantou a economa a nstruccao a or-
ordem e a obediencia sem faltar aos infeli-
zes educandos com os disvelos de um carinhoso
pal.
Por consultar ao bem de sua saude vio-se o-
brigado a deixar aquello estabelecimento ac-
eitando a cadeira de lgica do lyco desta cida-
de: seus talentos e virtudes ochamara ao lugar
de Dilector do mesmo lyco, que tem de sentir
to depressa a sua falta. O governo de S. M. o
Imperador nao podia dar i igreja Maranhense
um prelado mais digno.
O bem, de que ella vai gosar, indemnisar a
provincia de Pernambuco da ausencia deste an-
cio venerando, que tao bons rervicos Ihe pres-
tava.
vilaMu ue projecto buic u mcihoramento da
Tribunal daltela^o.
SESSAO DE 30 DE MAIO DE 1843.
Na appellaco civel do juizo de comarca do
Bio Formozo, appellante o Beverendo Prior do
Convento do Carmo do Recife appellados a
viuva e berdeiros do capito Alvaro Barbalbo julgamentos portanto ,
Ucha Cavalcante escrivio Ferreira; se man-
dou fosse ouvido o curador geral dos orfios.
Os embargos do coronel Francisco de Brede-
rode Andrade contra a viuva Costi e Filhos ,
oppostos na appellaco civel desta Cidade es-
crivo Bandeira; foro desprezados.
Na cmara dos Deputados na sessio de 25
d'Abril, quando orava o Sr. Deputado Pereira
da Silva, fallando das absolvieses do jury dos cri-
minosos de sedicio e rebebi, disse oSr. Peixo-
to de Brito em aparte que crio sympathias da
populacio. Esto pensamento repellido pelo
Orador, que mostrou que o contestava a popu-
lacio reduzindo por meio da Torca i ordem os
sediciososerevoltososapresentados em campo,
foi vivamente corrigido pelo Sr. Bezende o
qual fez notar que os facinorosos, assassinos
e roubadores tambem erio em muito grande
proporcio absolvidos pelo jury de quem, eda
populacio nao se podia dizer que houvessem
sympathias com taes criminosos.
He muito notavel averdade desta explicaco
do Ilustre Parlamentar e ninguem podo dei-
xar de reconheccr que as decisSes do jury entre
nos apresento os mais inexplicaveis resultados,
que de nenhum modo sao justas apreciaces dos
fados submeltidos ao seu conhecimento nem
podem obter o assenso das consciencias satis-
fazera opinio publica inspirar confanca ,
conciliar o respeito justica e produziros
moraes e uteis eleitos que se devio desejar a
bem da ordem e da moralidade publica. Os
en consequeneia dellas
proferidos nao podem penetrar os espiritos ,
prejulgar a verdade para os que nao a exami-
naro, e ter a forea necessaria para submetter
as opinies e serem considerados como nor-
mas e fundamentos de actos ulteriores.
Doze homens nao a fi i tos linguagem de
Os embargos de Francisco Jos Bodrigues Direito, em que he debatida e exposta a materia
contra Verissimo Gomes Coimbra naappella- sujeita ao seu conhecimento que mui tas vc-
cio civel desta Cidade escrivio Bandeira; fo- zes ienoro o mm irrn;nCn v.rMeir?mprt;. .-.
rao desprezados.
=----------------------.., ,|S
mais simples expressoes da lei, em que sao
interrogados, que nao podem comprehender
a forea e sentido dos termos qualificativos dos
Tactos que devem sor examinados e na im-
possibilidude por tanto de aprecia-los devida-
mente em relaciosua qualificacio legal; dozo
bomens que nunca pensaro sobro o valor das
diversas especies de provas, e sobre a maneira
de avalia-las que desconhecem todas as regras
de lgica judicial, cujo espirito nio est habi-
tuado a estes trabalhos, que nenhuma expe-
riencia possuem da materia enredados por
urna discusso que para elles he um cabos ,
a que nio podem acompanhar em todas as suas
partes fazer promptamente a necesaria des-
criminaciodo vurdadeiro do falso, do solido
do especioso do pertinente do imperante ,
do quu so liga um artigo do que toca outro ,
ludo comprehender comparar, aquilatar, e
formar um juizo ultimo; eis de quem de-
pende a efle tiva execuco das leis protectoras
dos direitos do cidadio e da ordem publica.
Pondere-se o estado deumjuiz, que nio
tem cons enca do que vai decidir, que so
reeonhecc a sua fraqueza e inhab ltacio, cer-
cado de todos os escrpulos timorato de ser
injusto em urna condemnaeio ajunte-se a
falta de consideraeo dos efleitos dos julgamen-
tos para a sociedade e de serem elles olha-
dos solada e individualmente os paixoes que
se exctio, os sentimentos exaltados, em quem
se nopode contra isto premsunir, e dar venci-
mento razo no momento combatida e obscu-
recida, as influencias de toda a sorte estranbas.
justica, que intervem, e poder-se-ha fazer ade-
cuada ideia e valia das sentencas proferidas do
acord com as decises do Jury.
Concluindo as consideraces que nos sosci-
tou a discussio apontada nio deixaremos de
tocar no muito que se tem fallado no desfecho
desse processo de abuso de lberdadeda impren-
sa aecusada pelo Delegado desta capital. Para
nos ja se v, que respeitando muito esse julga-
mento como acto de um poder publico, que
nos devemos submetter, nao substituo elle ao
juiso que devamos formar, nem tem a menor
influencia noque tenbamos de pensar a esse
respeito em fim nos nao serve inteiramente.
de guia nem Ihe unimos presumpeo alguma
do justica antecipadamente ao exame da ma-
teria.
Tambem nao podemos ligar e.'sa decisioao
Governo da Provincia e sua poltica O
Presidente da provincia nao se pode identificar
com os Empregados, sobre que deve vigiar,
e obrar conforme exigir o bem publico, e quan-
do algum tenha urna aecusaco contra si o
cuidado do Administrador Publico somente de-
ver ser examinar os seus fundamentos e-
proceder como for de justica. Os interes-
ses de partido nio se podem envolver em ques-
toes desta natureza nem quando dellas
se trate, ha lugar a pensar em confianca
do governo, que nomeando para um em-
prego um individuo que julga para elle hbil,
nio assigna termo de responsabilidade por seus
actos. No processo a que nos referimos, a
justica obrou sem ter de repellir a inlervencio
mais leve do governo e o jury deo as suas res-
postas sem antolhar insinuaces do poder quo
nao s'envolveo em semilhante questo que em
nada influio procurando que ella fosse decidida
em favor de nenhuma das partes. Toda esta ca-
pital se acha bem penetrada da verdade do quo
expomos, e justica he feita ao governo pelo mes-
mo aecusado como se notou em sua defeza.
W......... llllllll UIIMIT1
Varicdade.
DO CARAPUCEIBO.
Os prodigios do nosso secuto das luzes.
N'outrotempo, nessesquatroseculos.ou perio-
dos to gabados dos rabugentos antiuuarios os
homensprocuravo agradar mutuamente unsaot
outros: agora ninguem se embaraca com o- ou-
tros basta-se cada um a si mesmo. As mu-
lucres tinhf o noutro tmpo um namoro e os
homens urna cortezania que dava bem a co-
nhecer que uns nao podio passar sem os ou-
tros ; presentemente o amor proprio b to
huminoso, est to bem apontado ecrista-
lisado que se dispensa de todas as contcmpla-
cqes.
Que estudos, que applicacoes que prati-
ca que exercicio nio erio precisos nesses se-
cutas para fazer um digno jurisconsulto! Quan-
to estudou Cujacio quanto Accursio quanto
Baldo quanto Bartholo quanto AlciatO >
quanto Mrikio quanto Pegas quanto The-
mudo quanto Paiva e quanto Pona E
ainda assim tremiio. Ptru Cochin Ta-
ln e D'aguesseau enleavio-se como Cicero ,
se fallavo ou s'escreviio : pobres homens ,
acanhados engenhos, mesquinhos mortacs! ,
Bem provavio que as luzes ainda entao nao
tinho feito progressos. E agora ? Agora he
outro seculo. Para ser jurisconsulto nio he
preciso ter livros e estudallos : basta comprar
urna banca, catirar-se aos mares da advoga-
cia. Algum dia aquelles grandes jurisconsul-


los achavao rasao em urna das partes ; agora
( oh 1 progresso das luzes ) acho-na em
ambas, e ambas sao defendidas por um ho-
mem so!
Tudo nos prova os graos de peiTectihilidade ,
a que neste seculo ilustrado lem sobido o en-
genho humano sobre tudo na univcrsidade ,
e mistura de conhecimenlos. Hypocrates, Cel-
so e Galeno, Aviceno Fabrieio. Aqua-
pendente Andr Cisalpino Riverio e La-
guna ero Mdicos e dizem quo matavo
bem : mas todos elles se absorviao nos un-
gentos as siringas nos emplastos e nos
hospitaes: alguns delles nem Missa iao (tam-
bern agora poucos vo ) estavo s nisto a na-
da mais chegavo a nada mais se estendijo
os seus talentos os seus estudos, assuas ap-
plicacdes as suas vigilias : mas aquellos secu-
los nao ciao Ilustrados,nada disso tinbao:agora
he outra cousa.ecousa quo provaasuperiordadc
a que chegamos sobre os antigos. Hum me-
dico do tempo de Zacuto Lusitano de bra-
nlo Gadelha ou um Mirandella Fransmonta-
no era um homem como os vemos pintad s
nos antigos peinis de milagros com uns sa-
patos muito grandes, urnas fivellas muito peque-
as urnas meias de rolo urna casaca prcta de
baieta una capinha chamada de volta que
Ihe hatia modestamente as curvas das pernas,
um chapeo assim por modo d'uma frigideiri-
nha para obra de trez ovos fritos, porta do
hospital ou do doente urna mua cuja
circunspecto e prudencia creou o proverbio
de mua do Fizico.
Este ente assim vestido caminhava a passos
lentos como febre tisica ; tomava as maos a
penna cujo aparo podia-se chamar a foice da
morte : dizia pouco e pausado sobro as virtu-
des do antimonio e eficacia dos olhos de ca-
rangucjo : escrevia.....encapotava-se a natu-
reza os astros vestio um capuz os sinos das
fregu/as convizinhas sem a sacristo Ihes
mecher nem saber o queaquilloera dobra-
voporsi: mas este sermedonho, e terrivel
nao fallava em mais nada nao sahia da sua
rbita ; era um astro da noite eterna que li
liia rodando entre basilicSo e calomelanos:
agora nao he isto assim. E como ha de ser,
se nos existimos nos seculos Ilustrados ?
Outra cou*a vemos nos presentemente que
-nunca se vio em outras eras, e vem a ser o ta-
lento da mistura. Agora mette-se a Geome-
tra a Chimica e a Phisica na Eloqucncia ,
a Poesa na Lgica a ReRio as novellas,
e a ecconomia poltica em tudo. Hoje o dadro
l quatro cousas do Concina o do Grosin e
sabe mais de direito publico do que Montes-
quieu. O lojista s aprendeo a ler escrever,
e contar e he um estadista consumado O
sapateiro entende do sermes; e tambem de
poltica : o alfaiate mal corta sua casaca de a-
zas de barata o tom voto em materias de sci-
encias sociaes : at nao faltao senhoras que
entendem de quadi ilhas, de modas e de po-
ltica. Estamos em novo mundo. As luzes do
seculo tom chesado a todos e a tudo. Tal-
vcz baja quem sustento que at a multipli-
cado das facadas das fraudes dos roubos,
e assassiniosseja urna consequencia do progres-
so das luzes ; por que convem que haj3o me-
nos consumidores &c. &. Para tudo ha hons
argumentos, visto o nosso espantoso progresso(
mexicanas....... 910
Prata em barra....... 28 a 28 V
915
COMMERCIO.
Alfandega.
Rendimento do da 31......... 17:2658352
Desear rego hoje i."
Barca Creamore bacalho.
Barca ( olumbus fazendas o carvSo.
Barca folla queijos, e ferro.
Briguo Primavera o resto.
Brigue Flix Deslino lquidos, carnes,
e miude/as.
Patacho Novo Congresso diversas merca-
dorias.
LISBOA 21 de abril.
Cambios.
Din/0 Letras.
Amsterdam.................. 43 y*
Hamburgo 48 A............. 48'A 48s/8
. 53 y..........d. v. 531/ 53
Londres 153 t/i....... 90 d. v. 53'/. 53 'A
Genova.................... 520
Paris 524.................. 523 525
Trieste.....'............... 450
Valor de metaes e papis de crdito.
Objectos. Compra. Venda.
Pocas de 7S500....'..... 78820 a 78850
Oncas hespanholas....... 14St50 148550
Soberanos............. -48*20 4850
Ouro cerecado.......... I$9i0 18950
em barra.......... 88 26
Fmnh uospd/iuuas..... 32o 1)30
a brazileiras..., ... 910 915
aoparticSo das obras publicas. Os licitantes andamento no da 12 do prximo futuro mez d*
Alteracoes additamentos fetos na pauta das
alfandegas em vigor pela actual commissHo
da mesma pauta e mandadas observar por
p trtaria de 2 de maio de 1813
Alvaiade................ Qintal 168000
Alcatifas finas at 2\ polle-
gadas................ Covado 18600
excedendo 70 rs. por
pollegada.
ou tapetes de linho
ordinarios, ou algodo, e
linho at 32 pallegadas SOO
excedendo lo rs. por
pollegadas
Bacalho............... Quintal 108000
Barrlha limpaou purificada Arroba 1S300
Cera em pao............ Libra 8700
em velas ou rolo.... 8900
Chumbo em lencol.......Quintal 12S0O0
Cobre para caldereiro ou for-
ro de navio........... Libra 8500
Cassarolas echaleirasde fer-
ro estanhado e fundido ou
coado............... 82 W
Erva doco.............. Arroba 58000
Fiodeporrete.......... 88000
Folha de Flandres....... Caixa 18c000
Ferro................. Arroba 8W0
Garrafasprelasvasias...... Cento 78500
Gelo.................. Tonel 68000
Graxaou extracto de tutanos Arroba 48000
Man................. Libra 8800
Oleo delinbaca......... 8200
Pannosde laa estampados pa-
ra alcatfasete 50 polega-
das................. Covado 8900
Excedendo 40 rs. por
pollegadas.
Queijos Flamengos....... Um 8800
londrinos......... Libra 8600
Cebo em velas........... Arroba 88000
errl rama ou pues 3S000
Sal refinado em vasilhas com-
muns............... Libra 8080
Tapetes ordinarios at 32
pollegadas............ Covado 8800
NA PAUTA nos L-
QUIDOS.
Agua raz.............. Libra 8180
Azcite doce em cascos ou
botijas, pipa de 180 me-
didas...............
em garrafas duzia de 3
devidamente habilitados deverao apresenlar na
mesma thesouraria com antecedencia as suas
propostas em cartas fechadas que serao aberta
em presenca de todos no dia aprazado.
H^"^
lieclaracocs.
3008000
78500
2008000
2808000
1308000
medidas
de qualquer materia ve-
getal nao explicada.....
de espermaecte.......
de balea ............
N. R. A avaliacao do farello deque se tra-
ta as alteracSes mandadas observar por porta-
ra de 13 de fevereiro deste anno de 18 a
arroba o nao de 18600, como por engase
imprimi. Conforme Joao Maria Jaco-
bina.
Sabbado ( 6 do Maio )foi posta om execucao
a seguinle reforma da. pauta :
Vinho de Lisboa avaliacao de 1158000.
Dito de Hespanha e todos os mais nao espe-
cificados na pauta 908 rs.
Assim o vinho de Lisboa que at agora t-
nha duas avaliacSes 1* quabdade 1308000 ,
e2*qualdade 958000. fica reduzido a urna
s avaliacao. O vinho de Hespanha subi
58000 e o no especificado na pauta 108000.
( J. do Commercio. )
Movimento do Porto.
Navios sahidos no dia 30.'
Hambugo ; brigue hamburguez Polydora, ca-
pitao E. Christiansen carga assucar.
Babia; barca americana Cornelia, capilao John
B. Comis, carga o resto da que trouce de
Richmond.
Entrado no mesmo dia.
Londres; 43 das, brigue inglez Rolla, de 164
toneladas capito George Miler, equipa-
gem 9 carga fa/endas a Me. Calmonl &
Companhia.
- Dito no dia 31.
Genova por Gibrallar; 64 das brigue sardo
Eridano de 205 toneladas, capitao JoSo
Baptista Scola, equipagem 16, carga vinho,
azeito doce e &c. : a Luiz Paulino.
Edtal.
=PeIa thesouraria das rendas prpvinciaes em
cumprimento de ordem superior se ha de con-
tractar no dia 3 de junho p. futuro sob as con-
dices publicadas nesle Diario n. 100 as'o-
bras do 7. lanco da estrada do Pao do Alho or-
O collector das diversas ren las nacionaes
do municipio do Rio Formozo abaixo assigna-
do faz saber a quem convier, que tein seques-
trado pelo juiso competente urna morada de
casas terreas de taipa em chaos foreiros, a F.
Casado Lima, sita em dita villa na ra dos Tra-
piches pertencehte ao finado reverendo abba-
de Francisco Antonio Pereira da Fonceca, para
pagamento da quantia de Rs 198H0 que fi-
cou devendo de decima das mesmas casas a fa-
/enda publica, desde o 1. de julho de 1838,
ao ultimo de dezemnro do anno passado e por
isso a pessoa quo se achar encarregada da admi-
nistraco dos bens do dito finado, deve mandar
pagar dita collectoria, a referida quantia no
praso de 30 dias, a contar da publicaco do pre-
sente sob pena de se procoder sua arremata-
cao (indo dito praso por aluguel mensal, por
tanto tempo quanto for bastante para o dito pa-
gamento, custas fcitas.e as mais que acresserem.
Rio Formozo 30 de aneiro de 1843. Jos
Luiz da Silva GuimarHet.
Pela subdelegatura da freguezia de S. Pe-
dro Martyr d'Olinda so faz publico que na
cadeia da dita cidade existe o prcto Joaquim,
nac3o Mucambique, que diz ser escravo de Ma-
noel Chalaca e quefoi recolhido por ser en-
contrado lora d'oras, esuppor-se (ugido ; quem
ao mesmo tiver direito compareca competente-
monte habilitado.
Lotera do theatro.
O thesoureiro desta loteria certifica ao pu-
blico que o andamento das rodas da 2.' parte
da 13.* lotera annunciada para o dia 20 de
junho prximo, ter seu impreterivel andamen-
to nesse dia fiquem ou n3o bilhetcs por ven-
der, que em tal caso ficarao por conta do mes-
mo theatro os quaes bilhetes acbao-se venda
nos lugares jannunciados e na nova lojade
cambio nobairro do recite n. 38.
O arsenal de guerra compra porcao de a-
zeite de peixe ; quem o tiver apresente-se na
sala da directora boje l.do corrente s 10 ho-
ras da manha.
O subdelegado da (reguezia de S. Fr. Pe-
dro Goncalves faz publico que na noite de 28
do corrente foi aprehendido pela patrulha de
polica que rondavao destrcto da Madre de Doos
a um prcto quo deitou a fugir um saco de pei-
xe seco ; quem for seo dono compareca na casa
do mesmo subdelegado.
FUNCCO LYRICA,
Na casa da Natalense Quinta-feira 1.
de Junho
M
Akinangf.i.i, Lucci e sua filha cantarao
seis pecas de msica com o seo anlogo
vestuario, haver tambem duas dansas executo-
das por Wanimeil e sua mulher; esta ser a pri-
meira das 15 representacSes prometidas. Prin-
cipiar as 8 horas em ponto.
As asignaturas e os bilhetcs acbo-se na loja
de livros do Sr. Figucira na praca da indepen
dencia ; na noite de representacao se venderao
tambem junto da casa.
N. R. So chover de 6 horas em dianto n5o ha-
ver funeco.
Leilo.
Ocorrctor< lveira far leilo por conta,
e risco de quem pertencer, do grando e varia-
do sortimento de fazendas inglezas francezas ,
&c. de seda l e algodao : Sexta-leira 2
do corrento s 10 horas da manha em ponto ,
no armazem quo foi do Sr. Stewart, na ra
da Cruz.
yuucis na
. _:- A
quunhiu
oo.ikq.-ron
"J---------
crpeo e orcamento podem ser consultadas na
Avisos diversos.
Lotera de N. S. do Guadalupe.
TENDO-SE annuncado o andamento das
rodas desta loteria para o dia 29 do pre-
sente nao se pode eflectuar em conse
quencia de ter a loteria da matriz da Boa-vista
feito parausara comprados bilhetes, que anda
restao, emboa porcao, nao podendo, e nem
sendo licito, a irmandade arriscar grande soma
pelas suas circunstancias ; roga-sc por tanto s
pessoas amadoras deste jogo, e aos cooperado-
res do aformoseamento dos templos concor-
rao a comprar esse restante de bilhetes, que se
acho nos lugares j sabidos visto ter acabado
o andamento das rodas da loteria da matriz da
Boa-vista que Ihe servia de obstculo e pro-
mete a mosma irmandade que as rodas da lo-
teria que Ihe foi concedida terao seu infalivel
junb >.
O professor de geometria do collegio das
Artes, avisa a quem convier que por deter-
minaco do Illm. Sr. director d'Academia, con-
tina a matricula da sua aula na casa de sua re-
sidencia,, na ladera do Varadouro.
O abaixo assignado faz scienteaoSr. An-
tonio Teixora de Borba, senhor do engenho
Goit da comarca do Po d'Alho como a pes-
soa encarregada de pagar o debito do Sr. Seve-
rno Gaudencio Furtado de Mendonca mora-
dor no Riacho de Sangue, que desappareceo do
poder do abaixo assignado as obrigacoes de d-
bitos do dito Sr. Mendonca depon de baver o-
abaixo assignado race1 ido do referido Sr. Tei-
xeira a importancia de 590j000 reis por con-
ta no dia 21 do corrento em Pao d'Albo, de cu-
jas obrigacoes existem as publicas formas, pelo
que nao pagar a outra qualquer pessoa que
no seja o abaixo assignado pois que de boa
f nenhuma outra pessoa se poder apresenlar
como credor, as quaes se acho passadas em um
s (olio pelo mesmo devodor o Sr. Mendonca,
a saber: a primeira de 1:3938980 reis, vencida
em 8 de outubro de 1840; e a outra de 6768600
reis vencida em 6 de novembro de 180, e no
verso das mesmas se acba acreditada pelo abai-
xo assignado a quantia de 1:0608000 reis por
conta em 12 de outubro de 1841. Recie 22 de
maio de 1843. Antonio Carlot Pereira de
Burgos Ponce de Len.
A pessoa que no Diario de quarta feira 31
de maio deste anno, annunciou precisar de tre-
zentos mil reis com. o negocio de urna escra-
va ou por venda da mesma queira dirigir-
se ra da Praia armazem doGuimares, n. 22.
Pelo juizo de orlaos, e auzentes, desta ci-
dade vo pela ultima vez praca hoje l.- de
junho urna loja de fazendas, e movis perten-
centes testamentaria do finado Antonio Jos
Vieira de Araujo cuja arrematado dever ser
porta da loja, e casa daquelle finado, na ra
doQueimadon. 17, aonde os concorrentes po-
dero appareccr.
Precsa-se fallar ao Sr. Jos Xavier CaTal-
canti da Rocha Vanderley ou a seu procura-
dor nesta praca ; qeira annunciar ou dirja-
se ra do Queimado n. 25 loja de Carioca
$ Sette.
=Tiro-se folhas corridas e passaporteg
para dentro, e fora do Imperio por preco com-
modo ; quem pertender dirija-se ra do Ran-
gel n. 34.
A pessoa que annunciou noDiario d hon-
tem precisar de 3008 reis, sobre o negocio do
urna negra cozinheira e que di/, querer ven-
der compareca delronte do viveiro do Muniz.
padaria n. 43.
Aluga-se para casa de homem solteiro, Ott
de pouca familia urna molata captiva, com
muito boas qualidades, e babil para oservico
do interior de urna casa : no terceiro andar da
casa n. 16 da ra do Collegio.
Sbado 27 do torrente, achou-se urna
carta fechada na ra Nova; quem for seu dono
dirija-se ra Direita casa n. 121, que dando
os signnes Ihe ser entregue. ^
Coscm-se vestidos carnizas do homens e
tambem se marca com toda perfeico e promp-
t'do ; quem precizar diiija-se na ra da Pe-
nha sobrado da esquina que vira para o beco
do Carcereiro.
O abaixo assignado faz publico que pessoa
alguma negocie com o coronel Francisco de
Andrado Brederodes urna letra sacada pelo
dito coronel e pelo abaixo assignado aceita,
cuja tem seo vencimento no dia 31 do passado
me/ de maio por isso que em poder do abai-
xo assignado acha-se urna outra letra aceita
pelo dito coronel Brederodes e ja vencidaa
21 mezes, a qual corre o juro de don por cea-
to ao mez: por isso protesta o abaixo assigna-
do nao pagar a letra por elle aceita sem que
juntamente seja paga a que Ihe deve dito coro-
nel Brederodes. Jos Francisco Pereira da
Silva.
A pessoa que annunciou querer comprar
um violao com muito boas vozes, e com pouco
uzo : dirija-so a ra da Cadeia do Recife n.
25 segundo andar.
Quem precisar de um administrador para
engenho annuncea sua morada adverte-se.
que o annunciante tem muita pratica de todo
servico pertencente a engenho e he pessoa
bem conhecida e pode abonar sua*conducta ,
e capacdade como se quizer.
= O dono e possuidor de urna quarta parta
do predio n. 40 na ra do Rozario larga, com
dois andares, sotao, loja quintal e cacimba ,
em chaos proprios. vende a dita parte por mui-
to commodo proco por ser para os seos credo-
res ; a toda e qualquer pessoa quo Ihe conve-
nhaannuncie ou dirija-se ama do Collegio
botica n. 6.
Na ra da Praia armazem n. 70 ao p
da ribeira preciza-sa alugar muleques e ne-
gras para venderem azeite na ra, e sendo bous
vendedores pagarse bem.


... -
.,------ _.
. Aluga-so o segundo andar do sobrado da
Mjtrlrra de roa e*trta do ftotifrW, qu tira
para a ra das Larangeiras n 16.
t= Pedro Jo/e Raftelf Carneiro, BYas-
leiro retira-so para cidade do Porto.
Deseja-se lallarcom oSr. Manoel Jos do
Souza natural da cidade do Porto-, a negocio do
seu interesse, na roa das Flore n. 3i>,ou an-
nuncie sua morada para' ser procurado.
OYTerefce-se urna- patea pora ama de casa de
poaca familia, on de' hornero- solteiro; quem
8 pretender dirija-se ra do Rangel j ao pe
da Ribo ira em a foja n. 71.
*-Quem precisar de om rapai portnguez pa-
ra caixeiro de armazem do assucar ou de en-
tra qualquer occupacao procure na roa Direi-
t ni 82 ou annuncie sua morada.
--Na ra do Crespo foja n. 23, deseja-se
fallar ao Sr. Joaquim Francisco do Paula Este-
ves Clemente, a negocio de seu interesse.
Roga-se as pessoas a quem for offerecido
trm1 litro do ttulo Amanda Eoscar sendo
segundo tomo o queira tomar e no cas
de o ter comprado se Ihedara o e o queirao entregar na ra do Crespo, 3.a loja
do lado do sol vindo da ra do Queimado:
A professora, que veio de Olihda para cu-
'. rar-se e que assiste r ruada Trempe n. 13,
tai seienfe aos pais de familia, que por ja se
acbar melhor admite mais alumnas, alm das
qdo ja tony. e neo s ensina tudo quanto re-
lativo a costura, como tamhem a ler, escrever ,
arithmetica o grammatrea da lingua materna,
a fhzcr rieres, ensina muzica, e a tocar pla-
no e violio, e tambero veste anjos, borda ve-
las para haptisados; as pessoas que do seu pros-
timo* se quizerem utilisar, e quizcrem uma ex-
acta i nformacao d 'ella irttendSo-se cornos'Srs.
padre mestreMiguel do Sacramento' Lopes Ga-
fta Antonio Bernardo Settfe. Jos Bernardno
de Sena e Jos Rodrigo do Passo.
Aluga-se urna' toja de duas portas, com o
fundo de certto e dez palmos, e com duas fren-
ts', urna para a ra do Qcimado, e outra
para o largo de Palacio, a qual servo nara qual-
quer estabelecimento; quem a pretender dirja-
se'a ra do Hospicio n. 17.
-- Preeisa<-se saber a negocio de interesse se
eriste ncstV-praca Francisco Jos de de Sa, que
no'flnnode J800 negocia va com fazenda daqu
para o Acarac na sua fazenda S. Roza ou
algans do seus herdteiros1 por elle ; na ra do
Calderciro n. 46;
- =!= O Escrivao da Irmaud'ado da Matriz da
Boa-vista cm conformidade com o capitulo
substitutivo ao capitulo Io do comprbmisso ,
approtado por Sf. Etc. o Snr. Presidonto da
ProYideia convida a todos- os Srs. IrmSos do
SS.- Sucramentd da Boa-vista que compare-
ci no consistorio da mesma Matriz- no da 4
dOoorrente para se proceder a eleicao da no-
Va Meza ; o roga-se aos ditos Srs. Irmaos em
geral nao faltem a um tao po- aoto do qual
depende o bom andamento das obras da mes-
ma Matriz.
1 -i* Precisa-so de 1:500*000 a 2:000000
ri a uros de um o meio por centb ao mez,
Hypothecando*-se para suguranca uuvbom pre-
dio nesta praca annuncie.
Urna pessoa capaz com bastante pratca
ihj'escrlptUracSo singela seofferece para por
em Ihnpo qualquer escripto sendo annuaf-
me-tttepor2DO80OOrs. e por menos confor-
me tor a escripia ; quem precisar de1 sen prs-
timbfrinuneie
_k a lga-se a loja dosobradinbo do flm d
ru'lo'Encantamento na esquina que vo'ta
pafaa ruat do Vtgario', cm que teve^assougue
Brnardinw Jos Kibeiro : na travesse da Ma-
dre de Dos', armazem rt. 57.
=t Mfcry- jllibert, Ingle*-, retlra-se para
fonr do Imperio.
MS Jobnston Pater & Companhia avispo aos
Sr.' dewgenhos'eteorrespondentesds mesmos
rfest praca que se acha completo o seu esta-
beleWrtrnto de nracbinisnio fiara engenhos,
emstndode moendas de diversos1 tamanhos,
machinas de vapor de con desaca o e de alta
presflo da torca de-qoatro e de seis-carelios irP-
glezes, etxas-batidas ecoadM1, c prometiera
agradar aos seas freguezes tinto ern" preo como
em qualidade, visto serem todos estes1 objectos
fitos ri'rfrna^as.prnfcipaes fttndicaes de Ingla-
terra : rt* da Medre de'DcOS'o. 5:
Soredade th'etatPhilo^thaHit.
=0 thesdurerro da mesma avisa aos Srs. so-
cios1, que principia a fazer a distribuicSo dos
bilhetes para a recita desatibado nosdias 1, 2
ef3'd juhho; na praca da Independencia n. 23,
das 9 horas da manba at s 2 da tarde', ttid
em Vista*' o Srs: socio* o '6P do art. Jl dos
estatutos:
Troca^sfum quartao novo, por tjollo de
arveriria e'vende-se orna csenmela agua sita
na'rua Imperial por preco cornmodo ; na mes-
ma ra n. 167.
' Na ruado Posseie, loja frnnrrza aonde
seeostuMatconrir e concertar chapeos de sol
peos bordados de todas as qualidades ; assim
como eh-apt-os de sol para meninas, emeont,
eouem precisar d; chapos de trinta e quatro'
poiogadas muito grandes e fortes, fflito> com
leda perfeieo, emaisum sortimento de co-
bertores do melhor gosto que tem apparecid ,
eeostnma a concertar os mesmo chapeos com
muita brevidade.
= Aluga-se o primeiro andar, e armazem do
sohrado n 4 da ra do V gario ; a Iractar com
o mora.or do mesmo.
Precisa-se alagar urna esqrava para o ser-
vico de urna casa, e de ra; quem a ti.er an-
nuncie.
(uetn arinuncio no Diario de 31 do pas-
sado querer StoOff rea a juros, com hypotheca
em uma escrava dirija se ra da Roda no se-
gando andar do sobrado n. 17.
Quem annunciou querer comprar um vio-
13o em bom estado dirija-se ra estreita do
Rozarlo confronte groja no primero andar
do sobrado n. 4.
Alga-se m sobrado de uro andar e sotio
novo cnri muito hons commodos, propro para
uma grande familia, na ra Augusta n. 9: o na
mesma se vende caliros; tamhem sealugaum
armazem junto ao mesmo sohrado n'. 11, o qual
he bastante grande; quert precisar dirija-se
ra do Rangel na venda da esquina que volta
para o Trem n. f 1.
A pessoa que annunciou querer 3003000
rois sobre uma negra, ou tambem por venda,
falle na ra das Cruzes n. 40
==Aluga-se um armazem na ra daCadeia
do.Recifen. 84 que bota para a ra da Sen-
zalla Velha muit propro para recolher g-
neros de estiva; quem o quzr dirija-se ao
mesmo.
Precisa-se alugar duas canoas para vender
agua ; quem as tiver annuncie para ser procu-
rado.
Aluga-se o segundo e tercero andar da
casa da ra da Cruz do Recfe n. 17; quem os
quizer alugar dirija-se ao primero andar da
mesma casa.
Quem annunciou no Diario de 31 do pas-
sado, querer fazer negocio com uma preta, d-
rja-se ra da Praa, no drmazem de carno
n. 19.
Precisa-se saber se existe em Pernambuco,
para seu interesse Ascenso Jos Preira natu-
ral de Braga, official de correiro, e filho de Ma-
nool Pereira da Silva ; veio para esta cidade em
1804 ou 1805 muito doente e julga-se at
que por falta de meios fosse parar ao Hospital;
quem do mesmo der algumas noticias ou souher
oseufim, faz especial graca mandar declarar
na roa do Vigaro n. 21, eui casa de Mendes &
Oliveira.
5=Vende-se uma casa terrea na raa de Agoas
verdes, defronte de S. Pedro ri. 40'; a tra-
tar na mdsma.
= Nodop'osito de assucar refinado, esta-
belecido junto ao arco de S. Antonio, em fren-
tudo ca'es do Coliegio ha para vender assucar
refinado, segundo o novo sistema'de fahrica-
co polo qual se extrae a potassa e cal, dei-
xndo-so-o no seu estado de pureza ; sendo o
5rcco da libra do de primoira sorte e ero pies
60 rs. o o de segunda e treira em p ,
a 120, e 80 rs.
= Cadeiras americanas com assento de pa-
Ihinha camas de vento com armacao com-
modasdu angico, ditas de amareUo marque-
z'aSde condur camas de vento de amarello
muito bem feitas a 4500, ditas de pnbo a 3500
assim como outros muitos trastes ; pinho da
Suecia com 3 polgadas d grossura dito
serrado dito americano com difTerentes largu-
ras e com prime n tos travs de pinho e bar-
rotes com difTerentes grssuras e comprimen-
tos; trido s vende mais" m conta que outra
qualquer parte: na ra da Florentina, em
casa de J. Brnger, n. 14
= Vendem-se chales de seda, tife branco,
azul, e cor de roza fazenda do ultimo gos-
to em Franca lavas d pellica para homem ,
con costura dobrada as mlhores possivel
j
sitio grande de S. Anna, de Domingos Pires
Ferroira ; na loja do Joo Antonio de Sahoia,
3= Vende-se ama preta de nacao, do 18 an-
uos lava engomma e ozinha ou tro-
ca-se por um inoleqUe ou negrnha de 8 annos:
An ra doCabug loja de miudezas junto do
Sr. Bandeira.
vende-se superior papel almaco azul a
3000 rs. e brarico a 200 e 2500 dito de pe-
soa-ul em moisresnas a 1300 e 400 esu-
perior pennas de ac : na ra do Cabuga n 4.
Vende-se um caxorro de caca, perdi-
guero ; na ra Nova n. 34.
Vende-se azeite de carrapato a 1920 a
retamo 9 a 1600 em caada ; assim como pre-
cisa-se de negras ou moloques: na ra da Praa
armazem n. 22.
Vendem-se um caixa do msica que to-
ca dando-se corda 4 arias, e repele 20 vesos ,
um relogio de cima de mesa. pares de botoes
para punho ditos com hrilhantes e diamantes
para abertura oculos de armacao de vdro,
brancos e azues, um relogio pequeo com cai-
xa de prata sabonete e orisontal urna cai-
xa de tartarug 1 uma campainha de metal ,
de novo modelo u mu modal ha com diaman-
tes para sonbora uma correte com sinete pa-
ra relogio com 15 oitavas de ouro de lei,
um poucode dito para ourives a 3200, dia-
litas compridas com guarnirfo para senhora mants para cravadores aneldos com brilban-
tas curtas sem auarnicao escumilha branca tese diamantes: as 5 pontas n. 46.
tose diamantes; as 5 pontas n. 45.
V Vende-se a historia Ecclesiastica ou do
Christanismo; na ra do Liyramento ar-
por proco cornmodo : na ra Nova n. 21 ,! masom de louca e mulhados n. 20.
lja'd Joao Mendiboure. Vende-se panno de algodo da trra ,
= No Recfe, ra da Cruz, oscriptorio J em grandes porces a 240 a vara; na ra do
de Jos Antonio Gomes Jnior n. 23, se ven-1 Crespo loja n. 23, de Manoel Jos de, Sousa
escumilha branca
paVa1 vestidos de sombra lencos de garca e se-
da e muitas oul'ras fazedas do bom gosto ,
ra Nova, n. 21 ,
Compras.
= Compra-se a caldeira velha que estA no
arial de Pora de Portas, junto ao arco do Bom
Jess; na ra Nova n. 4, segundo andar.
Compra-so para uma encomenda* um
moteque de Angola, de 15 a 20 annos que
cozinhe ; e uma mulatinha de 12 a 16 annos ,
com principio de costura sendo bonitos pa-
g5o-se bem : na ra larga do Rozario, n. 30,
primero andar.
= Compra-soumcavall grande, e sadlo
paracarrnhlo; na ra do Livramento n. 3.
Compra-so um taxo grande em bom uso;
quem tiver annuncie.
Venrfas
= Vende-se um cavallo russo grande, com
bons andares ; noatterro da Boa-vista, n. 60
= Vendem-se bichas de muito boa quali-
dade a 2 e a 3000 rs.1 o cento ; na ra da Ctz
loRecife, atraz do Corno Santo', n. 62;
a Vende-se uma escrava- cabr cozinha
Sofrivel, engOmmebotn, lava, e ntto dil-
igente para todo o servico d2aanno, ao'
omprador se dir o motivo d venda; n*'ra
la Cruz do Recife n. 62, no terceiro andar:
= Vendem-se azeite de carrapato a cinco
hatacas de caada para cima Icnha- de man-
gue do boa qualidade arroz de casca, uma
)orciio de louca de barro, uma grande caixa
le guardar farinna barricas vass que orao
le farinha de trigo ; assim como alagSe-se pr*J-
pase rrolequespara^Cnderem azeite': no lar-
go da Rbelra n; 19.'
= Vcndem-se 10 moradas de casas, 7 pro-
prias para padaria; urna canoa de carregar
pgoa ; uma dita pequea para'abrir; vnde-
se mttade avista e metade a praso pagando 1
por cento ao 'mez, com hypotheca as ditas ca-
sas; no atierro dos Aftogados, armazem de
sal de Francisco Xavier das Cbgas.
' Vendcrrt-se as seguintes novellas: Ca-
mila ou o subterrneo, Constanca ou a Filha
maldita ; a Nobre Venezianna ; Emilia o os
foragidos: na ra estreita do Rozan' loja de
j*r'henieta^^hOtt,acha-ie:a venda clft* I cera n. 3.
dem ancoretas com virtho malvasa, o mais su-
perior que ha no paiz e saccas com alqueire
de farinba d mandioca fta na Mribeca por
menos dous mil rs. do que a que se tem ven-
dido ao presente.
=^ Vendem-se batatas em poi cao e a reta-
Iho Queijos d Suecia o de Groyere con-
servas de todas as qualidades em azeite e vina-
gre, sardinhasem molho, repolho ( choucrout)
presuntos inglezes mui frescos superior vi-
nho de Cherry dito da Madira scea dito
de Bordeaux, dito d feitoria do Porto, Cham-
panhe, cerveja branca e preta", licor do Bor-
deaux sortido mostarda ingleza e franceza,
charutos da llavana vellos no espermacete ,
azeite fino frutas sceas, peras, ameixas, se-
rejas, macaes, doces de todas as qualidades de
frutas da Europa sal refinado em porcao ou a
retalho bscoito d Rims de champanhe,
todos estes gneros e outros muitos em casa de
Fernando de Lucca na ra da Cadeia do Re-
cife n. 16.
Vendem-se dous carrinhos de 4 rodas e
um de 2 com cavallo ; fa'rlos em saccas gran-
des charutos de superior qualidade; papel
para desenho i um cofre de ferro lustres com
mangas bordadas tudb por preco cornmodo ;
na ra do Trapicho n. 19. casa de J, O. Elster.
Vende-se uma partida de rotim para as-
sento de cadeiras, por preco cornmodo ; em
casa de J. O. Elstor na ra do Trapicho .
n. 19.
Vende-se a obra de Theologia Moral,
pelo, que he hoje Bispodo'Rio de Janeiro, no-
va o encadrhada ricamente ; em Olinda ra
de Mathias Ferreira n, 11.
! X Vendem-se no segundo sobrado ao subir
a ladeira do varadoiir em 0|nda>- os seguintes
llvros; Tratado de economa, poltica por J B.
Say o por S'isniondi ; o Governo conoidera-
do em suas reafoes com o commercio, por Fer-
ror Geographia por Razilio; Grammatica In-
jglcza por Midosi e Arithmetica por Payrard.
= Vende-se um cabra moco de 16 annos ,
propro para pageui; na ra do Eacantarten-
to armazem por baixo do Reverendo Viga-
|rio do Recife.
Vende-se arroz pilado branco muito bom
por preep cornmodo ; na ra das Cruzes, ven-
da n. 40.
=5 Vende-se essencia de anizsuperior, ebe-
gada ltimamente da Europa a 6000 rs. o
frasco: na ra Di re ta, n. 120, segundo andar.
Vendeims4 grades, que forSo de as-
sougue duas-de porta eduas de janella, to-
das chapiadas de -ferro o dous temos do pe-
sos sem argolas de arroba at uma libra ; na
ra de S. Rita n. 93
Veode-se um sobradinho de um andar
com duas salas 3 quartos cozinha tora, por
proco cornmodo por haver precisao, de um
cont de reis, e nao se duvida deixar o restan-
te por algum tempo em mo do comprador ;
quem pretender annnuncie.
Vendc-sc uma venda com poucos fun-
dos e commodos para familia ; e tambem 3
caixoes com vidracas para amostras em Fo-
ra de Portas n. 74 : a fallar na mesma.
Vende-se o sitio que foi do fallecido
& Companhia.
Vendem-se brim trancado de linho o
mais superior possivel, novas casemiras de boas
cotes, cambraias lisas e bordadas muito finas,
chales do lu bordados lencos de seda de co-
res chegados ltimamente, chapeos pretos
Irancezes e na ra do Qeimado n. 25, loja de Carioca
. Selle.
Vende-se um negro de naco Angola,
bom serrador ; na ra do Rangel, n. 34.
Vendem-se bilhetese meios ditos da lo-
tera do Livramento; no atierro da Boa-vista ,
loja de Jacintho Helibdoro Mrtir de Olinda.
Vende-se uma casa terrea no atierro dosi
Affogados com 16 palmos de frente, o 150
de fundo ; a tratar na mesma casa n. 219.
Vende-se uma fechadura grande de por-
ta de loja com segredo e todos os seus per-
tences; na ra do Queiimdo, n. 26.
Vendem-se queijos lodrinos presun-
tos para fiambre conservas inglezas merme-
lada nova a libras vinhosdo Porto Bucel-
las, Muscatel Setubal, Cbery, Malvasia Ma-
dira secca licores finos do difTerentes quali-
dades, conserva de sardinhase ervilhas fa-
rinba de araruta tudo novo e por preco corn-
modo ; na ra da Cadeia n. 2.
^ Na ra Nova n. 32, primero andar ,
casada modista Madame Theard so acba um
grande sortimento de chapeos de seda mui ri-
cos para senhora, novos padrees da ultima mo-
da escomilba para fazer chapees, fitas mui
ricas e novas guarnicoes do flores para enfoi-
tar vestidos grinaldas de flores para ornar ca-
beca perfumara de todas as qualidades, pen-
tes de alisare de prendero cabello \ de tarta-
ruga o de baleia bicos de malinha pretos de
inho verdadeiros bicos de blom brancos o
semprese acha um grande sortimento de ca-
bollosde todas as qualidades para marrafas,
crescentes e chinos tudo se vend por preco
cornmodo.
Escravos fgidos.
cadete de S. Anna na estrada que vai pora
Casa Forte defronte da casa que foi do Padre
Mauricio. e boie de N:cc!c 5
No da 26 do p. p. desppareceu o mu*
lato Rufino de 14 annos, que pertence ao
Sr. Cela no Cosseira de (uiroz Sr. doen-
genho Cachoeira da propriedade da Ronda, da
comarca de S. Antao julga-se tersido lurta-
do faz poucoteinpo que elle veio docngenho
para ficar na companh'ia de seu snr. moco Ma-
noel Correia de Queiroz Monteiro que est
no esludo na cidade que o mandando na sex-
ta fera a Ba-vistaem casa de sua lia D. Ma-
ra Monteira e sabio ao meio dia, e at
presente nao tem apparecid; quem o pegar
leve a Boa-vista em casa de D; Moria Montei-
ra 011 em Olinda na ra d S." Pedro novo ,
em casa de Mnoel CoTrei'd Qirjz Mon-
teiro ou no engenho Cachoeira.
Desappareceo no dia 23 do p. p. a preta
Antonia de nac5o Costa magra alta tem
o de.o do mero da mo direita cortado pelo
meio; consta que tem ondado procuran Jo se-
nhor para a comprar: quem a pegar traga a es-
ta Typografia que ser gratificado*.'
o
wuviua w

Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3Y8OPJFQ_1O5QU9 INGEST_TIME 2013-04-13T01:42:19Z PACKAGE AA00011611_04973
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES