Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04970


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Avino de 1843.
Segunda Fera 29
Todo gura depende da ni neamoa j di om prudencia, uiltririw energa : con
linuemoe cobo prioaipiamne ieremoa puntillos cum admirara o enire > Nacfiei ra-
tilla i. ( Prociamaoao da Aaicmbla Geral do Beata.
Alagoae no 1. 11
Olinda todoi os diae.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Gbuno, Parahibe Rio grande do Norte egaada nial [mu
Bouilu Garaohana a 10 e 24
Catit iorinh, Rio Formoao Porto Caito Maceid ,
Bu* > sUi Flora* '3 o 23 Sanio Ando, i|uinii feiraa.
ms da -.emana.
?9 Deg, Mkiman M. Aad. do J de D. da i. .
30 t 31 V"" i. PeironilU V. Aud doJ. de D. da 1 .
4 7'jii. a. Firmo M. Aad. doJ. de D. da 3. .
2 Ser. Marcelino M Aud doJ. de D da r.
3 a,. jaJOB Paola V M Rol. Aad. do J. da D. da 1
4 Do I'aicoa do Eapirito Santo.
I
T,
de Mao
Anno XIX. N. 117.
O Diario publicare, todoaoa din que n.lo fora.
de traa mil rea por qoartel pagoa adiantadoa.
Santificada*: o prafo da eeigaatarai
annuncioa doa aeaigaantaa ai iaaendoe)
gratie.e o doa que o nao forera rato de 80 rail por linha. Aa reclamacoea deTemeei ain-
gidae a eita Typ., rna da.Cm.a.N 34.on a praca da Independeacia lojade ero B. Oe .
CaaUloe.No da 27 da Maio.
Cambio aobra Londxaa 25 i. Ooio-Mo.d. da ,400 V.
a Paria 360.rea por. (raneo.
a Liaboa 100 por 100 de premio.
a a a N.
da 4,000
PlaTA-Patacdea
a PeioeColumneree
ditoa iMexicaaoB
Moada da cobre 2 por cento
dem de letraa da boaa nrmat 1 { a f .
1'HAabsuALUANO MEZ DE MaI.
Lna Cheia k I ", ai S horate 15 m. da tard I La ora i 29, hor" e s5"
Qttart.nuag. 21, Inora a (.8 m. da m. | ijaarl. oraae. 7, a fl horae a 5
Preamar de hoje
i. a i borae a 1S m. da eunbia. | 2. a 5 hora. 4* a. da tarda.
compra
1,400
16,.0J
9,000
l.SOt
1,900
1,900
16.400
9 200
1.920
I 9 &
llttO
damuh.
a. a meafc
PARTE OFFICIAL
il i i ...........
Commando das .Irmas.
RXPHDIKNTE DE 00 COMIENTE.
Oflicio Ao Exm. Presidente, oommunican-
do-lho que o commandante do batalno des-
tacado eslava na inlotligencia de se prestar as
exigencias que Ihe lossem fintas pelo chafe da
legio de Olinda com respeitj ao segundo ba-
talhao da guarda nacional daquelle municipio.
Dito Ao coronel commandante interino da
fortalesa do Brum communicando-lhe que
por falta de quota consignada para obras milita-
res nao poda etneertar-se agota o tecto e
noalhoda casa de residencia do a.judante con-
forme rcqufsitara o seu antecessor
Dito Ao chefe de polica devolvendo-lhe
Raymondo Jos dos Santos, o qual tendo servi-
do no exercito tivera demicao de volta da
campanhadoSul de 13 de Janeiro de 1832, e
nao era porconseguinte desetor.
Dito Ao delegado do Cabo communican-
do-lhe que nesta data ia nm offlcial com 10
pracas render o destacamento ali existenle.
Dito Ao commandante do batalho de in-
famara de guardas nacionaes destacado para
quo de ordem da Presidencia, satisflsesse todas
as exigencias do chelo da legiao de Olinda a
respeito do segundo batalha da guarda nacio-
nal daquelle, municipio, por nao estar em po-
der docominaudante interino a matricula e
outros documentos.
Dito Ao mesmo, mandando xcluir o guar-
da Joaquitn Jos do Sant'Anna logo que Ihe
fosse aprsentelo o substituto.
Dilo Ao commandante da companhia de
o avallara, aisendo-lhoque nos futuros mappas
demontrativ ts da receita e despesa das forra-
gens devia classiDcar o sold do trimestre a
que perlencesse o mappa e o anterior existen-
te em caixa.
dem do oa 8.
OflicioAo Exm. Presidente informando o
xequerimento do prim iro-tnnento Antonio Dor-
nellas Cmara, no qual supplicava a S. M. o
Imperadora graca de o despachar para a com-
panhia de artlleos do que era intirino coin-
tnandante.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., informando o
requeritnento de Manoel Marcelino das Trevas,
que pedia ser nomeado boticario para a ilha de
Fernando lugar que exercra.
Dito Ao inspector da thesouraria, envian-
do-lhe a guia que pela pagadona das tropas da
corte foi passada a Manoel 'laudino de diveia
Cruz requisitada em seu oflicio de G de abril.
Dito Ao commandante geral do corpo de
polica, signiflcando-lheem rosposta a seu of-
ficio de hontem datado, que ficava sciente de
6e achar no commando do corpo, por terem
sessado os trabalhus d'asse.nbla provincial.
Dito Ao commandante do foite de (iaib ,
mandando tirar em pret separado a quantia de
16g-240 reis que foi discontada aos reformados
Teixeia e Sant'Anna, que ali estiverodesta-
cados visto que o governo imperial tinha em
favor dclles resolvido a duvida posta no paga-
mento dos seus vencimentos pelo commissario
fiscal do ministerioda guerra devendo admit-
tir novamente ao servico os ditos reformados ,
despedindo dous dos guardas nacionaes do des-
tcamelo.
Dito Ao desembargada chrfe do polica,
devolvendo-lhe o recruta Candido Jos Pereira
de Snna remettido nodia 5 ; porque sendo
inspeconadoloijulgado incapaz do servico mi-
litar, em consoquencia de uin alejao que tem
no p esquerdo.
Dito Ao mesmo, communicando-lhe, quo
mandara assentarpraca aos recrutas Bonto J>-
B e Manoel Joao e inspeccionar o de nome
Joo Salvador por ter allegado informidades.
s
PERNAMBUCO
Tribunal da Heladio.
SESSA DB 27 DE MAIO DE 183.
Na appellavocrimo da comarca de Macci ,
appellanlo a justica c appellado Francisco
Antonio Gomes escrivo Bandoira ; foijul-
gado procedente o recurso.
DIARIO DE PBRY.IMO.
Amoderacao.com que foi escripto o commu-
nicado L, o modo insinuativo, de que elle
usou nassuas considoracoes geraes a respeitoda
falta desogurancu individual e do propriedade,
para concluir sogaz e injustamente, que sobre
os governistas pezo suspeitas de pertenderem
vingar-se dos homens da opposico com assas-
sinatos o tornao merecedor de urna rosposta
seria ; honra que raras vezes pertenco aos cor-
respondentes do D.-n.
Todo? roconhecemos e deploramos com o
L as consequenoias funestas da falta de se-
guranza individual, odepropriodade; mas nao
podemos conceder que Pernanabuco esteja de-
(inhando e. que isto Ihe aconteca s por esta
falta de seguranca.
Nao soguro alUrmar que Pernambuco este-
ja mu i florescente. .Seo commercio resente-se
da crise commercial que tom abalado tod:s as
Pravas da Europa e da America, todos os ra-
mos da industria, principalmente a agricultura,
sofTrem muito com o atrazo do commercio, que
lies il i vida. Mas no se pode negar que es-
ta Provincia depois do Rio de Janeiro a que
no Brazil ape/ar das.oscilacSes polticas do Im-
perio e da crise de todo o mundo commercial
conserva ainda um alent dequem marcha, e
nao retrograda.
As edificaees continuadas, depois de ter pas-
sado d'entrn nos a mania de edificar dao urna
das provas mais facis de apresentof ao povo
desta verdado, para n8oentrar-mos n'outros re-
sultados menos obvios. Os rendimentos da Al-
fandega depois de 8 annos de paz nao podem
estar comparativamente abaixo dos que haviao
nesses tempos de commoyes politicas : o cor-
respondente do D.-n. precisava de apresentar
provns desta siserco inverosmil para ser acre-
ditado. O espirito publico em Pernambuco a-
cha-se apar do das Provincias mais adianta-
das o menos anormaes do Imperio. NSo en-
tendemos por espirito publico essa mania de in-
sultar o governo seos delegados o adheren-
tes pelos peridicos ; nos o tomamos pela de-
monstradlo da vontade do concorrer para qual-
queradiantamento da sociedade, e pela coope-
ra! o dada a qualquer eir.preza til ao publico.
Neste ponto temos melhorado alguma cousa. O
L acensa vagamente a Provincia, mas nao
ha de apresentar factos comparativos de urna, e
outra epocha. que justifiquen! stinsapprehonses.
corto que nao tocamos o ponto a que po-
diamos chogar ; mas sobremanera injusto o
Lem attribuir essas faltas ao governo, es-
pecialmente ao poder execulivo eseos delega-
dos. Se algum partido concorre parn esforvar
nossos melhoramcntos 6 sem duvida o da oppo-
sieo aeintosa e desregrada.
As cmaras se oceupo do cousas insignifican-
tes o individuaos ese alguma medida im-
portante tomo 6 em prejuizo das hberdades
publicas diz o L. Aqu est a origem do
nosso atrazo. Qualquer lei, que se nao oceu-
ne de interesses particulares que tenda a dar
urna certa direccao sociedade, logo acensa-
da pola opposigao s porque ella nao a fe/.
Clama a opposico contra os cdigos, reconhe-
co que a falta de seguranca provem da immora-
lidade, quo esta tem sido acorocoada^com a im-
punidado ; tracto as cmaras despertadas, ou
dirigidas pelo governo do reformar o cdigo de
processo tirando as authoridades de eleicao
popular a formaco da culpa circunscrevendo
o arbitrio do jury, e dando mais accao aos jui-
zes letrados sem todava atacar a instituicao
dos jurados apezar de seos abuzos inevitaveis ,
n5o pode esta lei passar posto que fosse evi-
dente sua necessidade, sem ser attacada e de-
sacreditada na tribuna sem sofTror opposi-
co armada as Provincias de S.Paulo,o Minas..
E quem assim desacreditou e entorpeceo a
aeco desta lei ? A opposico.
Queixa-se ella da falta de gosto pelo sisthoma J
das AmmwAs do nenhum soccorro eapoiol
dado industria porque o governo e as cama -
ras nao tracto disso.
Reunem-seporexeraplo nosla Cidade alguns
homens amigos dos mulboramentos do Pai/. ,
tractao de formar umi sociedade que animo as
emprezas procure adiantar a industria, prin-
cipalmente a agricultura : reconhece-se in-
teriormente quo esta reuniiio do vontades e de
forgi'spara um fim to proficuo do maior
interesso para a Provincia mas so porque estes
cidadaos sao obedientes s leis amigos, e res-
peitadores do governo o entre eles se acha o
Presidente da Provincia posto quo agricultor
soja gritao os peridicos da opposico provin-
cial contra a sociedade imputao-lhe perten-
edessinistras, c procarao arredar aquellos, quo
ainda hesitao em concorror para urna empreza
tao vantajosa agricultura e a toda a indus-
tria do. Paiz.
Se a opposico aeintosa o desregrada com
que luda o governo ludo envenena nao s
os bens quo partein do poder executivo co-
mo os que vem das cmaras, o at os que os ho-
mens pacficos pertendem promover para que
no ha de o Lsor sincero em attribuir, ou a
nos todos os brazileiros os alrazos, que sentimos,
ou, se entendo que do um partido nascem os
males, imputal-os opposico ?
Para acompanhannos as ideas que o L'
espalhou em seo variado discurso vamos falta
de seguranca individual e de propriedade, por-
que ( diz o correspondente do D.-n. ) a popu-
lacao nao oncontra garanta as leis nem as
authoridades, o sao estas olhadas com des-
prezo se nao com horror; estes cfleilos vo
mui directamente affectar as fontes de sua r-
queza ; perde-se o gosto polas artes, definha
a agricultura diminuo ocommorcio, e por
fim o desespero appareco e seos terriveis es-
te tragos sao tem facis de imaginar.
innegavcl quanto solTro a riqueza das nacSes
por falta de seguranca individual e de propri-
edade assim como por falta de paz e tran-
quillidade publica. Esta falta porOm que sen-
timos toca aos tribunacs de justica e legisla-
c5o e nao ao poder executivo que sempre
embancado pela opposito quando lenta a
reforma desses tribunaes e das lois que dao
lugar a esta falta de seguranca como diz o
mesmo L.
Nao somente a perpetracao do um ou ou-
tro crime particular, como o homicidio, o rou-
bo o estelionato e a banca-rota ; nao s
aiinpunidade proverbial entre nsparataograves
delictos, queameaca a seguranca individual ,
e de propriedade. Os peridicos incendiarios,
que promettem urna rusga semilhante a sep-
tembrisada de 1831 ou scabanadas de Ma-
ranbao e Pan, que ameacao osestrangeiros,
especialmente aquellos que em maior numero
se estabellccem entre nos em rasao das intimas
relacoes entretidas pela identidade da lingua-
gem dareligio, edoscostumes sao os que
produzem m.is susto e (a em que os negoci-
antes suspendan todas as suas emprezas,e tran-
saeces entorpecem o commercio a agricul-
tura e qualquer outra industria, envenenan-
do todas as fontes da riqueza.
O G. nacional, o Cometa, o intrpido, e o
cafct que tem feito estas ameacas, que nos
promettem um dies irce s3o por ventura do
partido do governo, ou sahert da imprensa do
D.-n. para atacarem a todo o homem que
por pacifico se mostr adherente ao governo do
Paiz ? Confesse-o o L so est de boa f.
Conhecc bem o escriptor a quem responde-
mos que a falta de seguranca proveniente da
perpetracao e impunidado dos delictos toca
aos tribunaes de justica e nao privativamente
ao governo, como quiz fazer crer; e que* fal-
ta de seguranca poder-se-ia attribuir admi-
nistraco se os seos agentes ou os seos or-
gaos (i/essem ameacas de morto ; loi por isso
que elle recorreo afinal aos boatos atterradores
espalbados de querer a gente do governo vin-
gal-o dos seos adversarios com o irreplicavel
argumento da faca de ponta o do bacamarte.
E aUrcvc-se o correspondente do D.-n. aes-
crever isto em Pernambuco a face desta po-
pulaco que l os incendiarios artigo do Co-
meta do G. nacional, do intrpido odoca-
het ?
Nao ter por ventura o L- wsto estas a-
meacas no intrpido, e no cabete a todos os go-
vernistas? Nao ter lido os rtigos do G. na-
cional e do Cometa em que se promette a
morte a quatro individuos que nonhuma di-
receo nem influencia tera na administracSo,
mas se achao individualmente implicados o 1.
com a imprensa da praia porque dirige a da
Diario de Pernamhuco e os tres ltimos com
a questo particularsima da carta de substitu-
to que a patria do G. nacional, e do intr-
pido Comelat Individuos pacficos, nunca en-
volvidos em questoes do patria um dos quaes
nunca so encontrou com S. Ex.", e outros ape-
nas oceupados de seos ompregos sao por veo
tura os dominadores do Paiz ou sao antes o
objecto do despeito injusto do G. e seo irroao a
Cometa ? ." ero estes governistas capazos do
manchar-so como assassinato dos redactores do
G. e do Cometa, e para que fim ?
CertifTque-se, ou antes confesse o L que
bemoconhece, que estes peridicos e cor-
respondentes da imprensa da opposico para
nao indignarom de todo os seos leitores oom ai
promessas de morte que fizoro procurarfio
desculpar-se com boatos atterradores queelles
mesmns espalho para infamarem com mais
esta aleivosia os cidadaos quo vivem de seo
trabalho. no pertendem pescar as desordens ,
c calamidades publicas, e por isso estimo o go-
verno que conserva a paz.
A to futeis aecusaedoa bavia a foi lia gover-
nisla dar resposta? Os mesmos artigos dessas
foi lias nao mostravao que as ameacas partiio
dos proprios redactores ? Delegados subde-
legados e inspectores de polica sao os assas-
sinadosao passo que a elles se imputa a ame-
acava de assassinos. Custa a crer que o Lr
se tenha convencido da probahilidade desses
boatos to ineptamente espalbados em folbas
contradictorias e quo as suas suspeitas contra
os governistas assen tem em boa f. Sa o seo er-
ro de entendimento fique desengaado.
Com mullicado.
Por mais que os peridicos da imprensa da
praia nos queirao persuadir que a opposica
cresceem Pernambuco na rasao directa do nu-
mero destes papeluxos por mais que se esfor-
cem para nos fazer acreditar que os mesmos in-
dividuos do acaudado circulo de pescadores des-
contentes por falta deempregos nao sao os quo
multiplican as gazetas e que novos atlelbas ,
e entre elles /'fu/aresescrevem,e susteotq a op-
posico da imparcial, elles mesmos denuncio
que todas estas vozes sahem das mesmissimas
bocas famintas cuja patria o seu interesso
privado.
O Indgena que nos scus dous primeiros n-
meros com formato grande, teoras, 9 decla-
macesj mui sedicas contra as administracoe
do Biazilnos pertendia embar, Qgurando de
patriota desinteressado veio no 3. n. largar
a mascara etodo se oceupou com a reprova-
ca da proposta obtida pelo Guarda N. para
substituto do curso jurdico que a bandoira
da opposico da i 111 prensa imparcial Agora
que todos conhecero como nos sempre sus-
pcitamos que a redaeco dos taes enforqui-
Ihados com a carta cumprc-nos examinar os
argumentos do Indgena quanto a justica da cau-
sa que elle advoga.
Sendo j c .mpo estril o dos predicados do can-
didato limitou-seo brbaro patricio aodireito
que tinha a congregacao dos lentes de Olinda de
ser obedecida porS. M. I., pelochefe do poder
executivo, e mostrou com muita folicidade a-
poiado no cap. 14 dos estatutos da Academia*
que S. M. o Imperador devia obedecer ao de-
creto da congregacao e assignar a carta do Sr.
Vilella, e que neste acto de despachar um subs-
tituto proposto no tem o chefe do estado li-
berdade alguma antes mandatario, eexecu-
tor da deciso de urna corporaca rcspeitavel ,
como a congregacao de Olinda : que esse decre-
to esa carta dada pelo Imperador iujj sin-


X
pies formalidade, um titulo todo dado pela con-
gregagafi dos lentes.
Mostr ni mais que se pelos estatutos o gover-
no escolhedentre os proponase approvadospela
congreaacaOos que sao necessarios para os lu-
gares vagos nesta esiolha em que repele al-
guns piopuslos pela congregagao, e approva
outros, nao tem liberdade nem exerce ins-
pecca ou juizo aUum sobre o jui/o da con-
gregaras. Cortamente quem assim argumenta
nao tem i esposta a ouvir : quem diz que na es-
colha nao ha escolha.e que na reprovacao deal-
gunscandidatos approvados, e propostos pela
'congregacao nao exerce o governo inspecca,
nem juizo algum sobre o que olla fez tem co-
raj.em para sustentar que duas cousas iguaes a
urna terceira nao sao iguaes entre si.
Oconcurs > s caJeiras do magisterio, assim
orno s freguesias vagas um meio estabelle-
ido para que o governo a quem compete pela
onstituicao art. 102 $ *. o provimenlo dos em-
pregos, soja mais imparcialmente informado
do mrito dos pe tendentes; mas o voto das cor-
poracoes que julgadesses concursos nunca
foi, nem poda ser obrigatoiio para o governo,
que exerce una suprema inspecca ni admi-
nistradlo do estado sein que se violasse mani-
fest mente este artigo constitucional, sem que
so invertessem todas as nocoes que temos de go-
verno. Assim como o governo pelo artigo se-
gundo do capitulo 14 dos estatutos pode regeitar
uns, e approvar outros unir os propostos pela
ongregacaS assim llie dado regeitar um ,
quando l'or um s o proposto.
Se o sacerdote que approvadoem concur-
so urna freguesia e proposto pelo Exm. bis-
po plo supremo pastor de sua diocese, dei-
xa de ser prvido pelo poder temporal como
queentende o Indgena, que no provimenlo dos
empregoscivis haja urna corporaga> subalterna,
como a congregagao de Olinda que tenha o di-
reito de torear o governo a dar provimenlo a
quem ella proposer ? O Implante, o enere do
poder uxecutivo que est na cpula do edificio
Social ha de ser o maridaran .,o xecu tordas de-
eisdesde urn corpo de em pregados subalternos ,
que elle mesmo nomeou Aquello que tem ve-
to para os projeetos de lei da assembla geral ,
natein veto para asdeciscsda congregacao de
Olinda!!! N'uina organisaca p >litica ta be o re-
gulada, como a monarchia constitucional reure-
sentaliva, cin que todas as autorid des estad u-
jei tas a inri poder moderador de seus abusos, a li-
ma inspecca salutar, ha vera urna lei,ruja inter-
pretado pozesse a congrogago dos lentes un
corpo subalterno do poder executivo. soberana,
e independen le em seus actos isenta da supre-
ma iiispu-ga.que compete a este poder, eo que
anda mais, supjnora e mandantedestemes-
mo poder ?
preciso nad ter noga de governo ou to-
mar a ddicil 'arela de anarchisar urna sociedade
poltica para sustentar semelhante absurdo
ne-essario nao ligar idea aos termos, propor
e e-colher, para concluir que a prquosta im-
porta o provimentodo empiego eque a esco-
ma de um individuo forjada. Estes erros es-
candulisu quando involvem a proposica de
que esta falta de liberdade na escolha loi decre-
tada por uina lei do Brazil contra os direitos do
chefe de estado. A'.
Couros
quando? Depois de ter o paix passado por urna
das crises mais perigosas. Assim ia perdondo a
cmara a lorga moral ta necessaria nestes cor-
pos no systema representativo: pode retirar-
se um ministerio, e entrar outro na administra-
gao e na gerencia dos negocios sem dosar, mas, "<,^a".iaj'
outro tanto nao suceede nos corpos legislativos, *
porque o remedio de urna dissolvigo as vezes
perigoso, e muito pesado aos povos no estado
em que ainda se acha o Brasil. Os deputados
clamavao pelos corredores e saldes da cmara ,
mas naquerio dizel-o na tribuna, eu pois o
flz e julgo que obrando assim flz um grande ser-
vigo ao meu paiz e mesmo ao governo, gritan-
do al rta, e disendo-lhe:despertai desse som-
no de morteem que vos vejo sepultado. Tam-
bem devo declarar-lhe que a minha opposl-
ca5 ser semprecircumscripta na lei fundamen-
tal do estado, eque jamis partIharei as opi-
nioos daquelles, que apeados do poder ameaga-
ro ao chefe da nagao com os degredos de Na-
poleo e do Carlos X e com oquando nao, nao
dos Aragoneses. Nao queiendo mais estender
este artigo julgo que basta quanto tenho dito
para prevenir ao publico de meu pensamento na
dita declarago. Se o governo emendar o erro ,
se satisfiser o meu ardente d sejo de sa var o
Brasil, nao me ser desairoso tornal-o aapoiar:
sejo portento os Srs. ministros activos justos
e patriotas que sempre terSo o fraco apoio do
sju constante leitor o deputado
Carneiro da Cunha.
Sao pouco procurados a 130 res a
libra.
Azeite doce Vendeo-sede 18750 a 18800, o
galao, do que veio de Portugal.
[Bacalbo Noht.
Vendeo-se de 4$ 100 a 48200 a
barrica.
CauV dem de 3* a 3S500 a @.
Carne secca Chegaro dous carregamentos ,
e o deposito inclusive estes de
62-000arrobas; as vendas forao mais
promptas durante esta semana eo
preco variou de 28 a 28560 a (S).
Cera Amarela de Angola \ endeo-se a 900 a
II). e a branca de 18 a 18100.
Cb Perola \ endeo-se a 1 $825 a Ib.
Farinha de trigo Chegarao dos Estados-U-
nidos tres carregamentos, dos quaes
parle (cao aqu, e parte segu para
o ul; a Americana vendeo-se de I9S
a 20$ e a de Triestre a 218 res a
barrica.
Dita de,Mandioca Vendeo-se de 38200a
3:520 a saeca.
Farelo dem de 28500 a 38500 a barrica.
Milho dem de 388 W a 48 a sacca.
Velas de Spermacete dem a 650 a Ib.
Existcm no porto 61 embarcages.
Relaco das pessoas que derio esmolas para
o fron tespicio de podra da Matriz da Boa-vista ,
desde 5 de Selembro de 18H at 30 de Junho
de 18 'vi sendo o escrivo da irmandade juiz
interino e administrador da dita obra o irmao
o major Jos Gabriel de Moraes Mayer e the-
'oureiro o irmao Jos Alfonso Ferreira ; ex-
trahida do livro da receita das mesmas obras.
Os Senhores :
Exm. Presidente da Relaco juizGcanoas de cal.
m
rubcices a pedido.
Sr. Redactor do Brasil.
Tendo dito V., em sua folha de terga feira 25
de abril, que a declaragaoque flz na cmara se
baseava nicamente na conservaga dos dous
presidentes do Rio Grande do Nortee de Piauhy,
permita, quelhe diga, que nao foro os ni-
cos motivos, queme o irgarao tal declara-
gao : c mesmo na occasiao que o flz, disse mais
alguma cousa a que V. na5 attendeu e por li-
g obriga-me a que recorra ao sou mesmo pe-
ridico para urna manifest aga que julgo do meu
rigoroso dever urna vez que ta codo nao po-
di-rei na tribuna fazel-o por iss t que a mesa
me collocou no ultimon. dosquepediraa pa-
lavra para a discussao do orgamento do minis-
terio da ju.-tiga materia em que muito deseja-
va interpelar ao Sr. ministro, cuja- luzes, ser-
vigose patriotismo sao condecidos de todos os
Brasileiros por cujo motivo conceb as mais
Msongeiras esperarlas, c que por infelicidade
minha e do Brasil se vao desvanecendo. Nad po-
dendo approvar a muitos actos do ministerio de
margo, edesejando censural-os, a eminencia
doperigo a rebelliaS proclamada na tribuna ,
e na in.prensa pela gente de Santa Lusia e de
Sorocaba, quequeriooutra vez cnipolgaro po-
der por meio de forca bruta me contivera, e
me lorcara a apoiar o ministerio dando-lhe
votos de confianga. *o principio da sesso reti-
rou-se este da administrag e tomou cunta
dos negocios o gabinete actual, e esperando que
elle dirigisse a cmara e reclamaste aquellas me-
didas que todos ulga precisas para fortalecer a
acga do poder pura reprimir as faeges, cas-
tigaros crimes couter a licenga da imprensa e
melhorar as leis das cleiges e reformar o po-
der judiciario que no Brasil (segundo minha
humilde npiniao ) nao deseinpenha csse muito
importante ministerio para que loi creado ; sao
passados meses sem dar um signal d vida ,
esem satlsfaser a espectativa daquelles deputa-
dos que estava dispostos a prestar-lhe o mais
decidido apoio. A cmara ia consumindo otem-
po cm discussoes de .equerimentos de parece-
res e resolucei at de inieresse particular e
Escrivo Jos Gabriel de Mores Mayer 2128
Thezoureiro Jos Alfonso Ferreira 508
Me/ario Victorino de Souza Travasso 108
Dito Rufino Gomes da Fonceca 108
Dito l.uiz da Veiga Pcssoa 108
Dito Victorino Ferreira de Carvalho 108
Dito Domingos da Silva Ferreira 68
Procurador Jos Alves Lima 5S
Domingos M. de Aguiar Pires Ferreira 58
los Carlos Marink da Silva Ferro 408
Jos Pires Ferreira 108
Patricio Jos Rorges 208
los Antonio da Silva Jnior 5g
Francisco anocl deAlnieida Catanho 58
Dez. Domingos Nunes Ramos Fe reir 208
Bernardo Jos Carneiro Monteiro JOS
JoSo Pinto do l.emos 208
Lourengo Jos" das Neves 10S
I) (Jara Jozella Rorges 208
Francisco Gomes da Silva 28
Teen te-coronel Antonio Germano 48
Antonio Luiz do Amaral e Silva 28
Padre Manoel Tilomas da Silva 28
Fernando Rclenot BS
.loao Sebastio Pirete 208
Rernardino Jos Monteiro 108
Tenente-coronel T. Cezar Burlamaque 58
Luiz Rodrigues Sette 58
Major Fernando da Cosa 4g
D. Anna Jacinta de Souza Rapoza 208
D. IVIaria Candida da Silva 208
Jacinto Affbnco Botelho 58
.loao Francisco Martins 48
Antonio Mara Xaves c Mello 208
Antonio Luiz Magalhaes 58
Dr. Felis Peixoto de Brito e Moli 108
Jos Antonio Alves da Silva 108
lacinto Heliodoro Martins de Oliveira 68
Dr. Jos Joaquim de Moraes Sarment 158
(Continuar-se-h.)
llovimento do Porto.
Navio sahido no dia 26.
Hamburgo ; patacho norueguense Argo, capi-
tSo Frederick Holst, carga assucar.
Navio entrado no dia 27.
Liverpool; 30 dias, barca ingleza Columbus,
de319toneladas, capitao (aniel Green, e-
quipagem 19 carga fazendas : a Me. Cal-
mont&C*
Navios sahidos no mesmo dia.
Bahia ; hiate brazileiro Ligeiro, capitao Felis
Madail carga diversos gneros.
Rio de Janeiro ; patacho brazileiro Constante
jfmizadj capitSo Joaquim Pestaa carga
diversos gneros.
Portos do Su I; vapor S. Sebastio, com-
mandante Joo Melitao Henriques.
SSSBBOS9
Cdta es.
COMMERCIO.
Alfandega.
Re nd i ment do dia 27........'. 7:0088308
DesearregBo hoje 29.
Barca Columbus fazendas, ferragens, e
louca.
Patacho No^o Congresso vinho vinagre,
azeite, carnes, e toucinbo.
Brigue Primavera fazendas, ferragens,
azeite e vinho.
Rrigue Cumberland fazendas man-
teiga farinha bolaxinha, barri-
cas e arcos.
Barca Camelia farinha de trigo.
PKACA DO RKCIFE 27 DE MAIO HE 1843,.
Revista mercantil.
Cambios Ilouverao tranzm oes no decurso da
semana a 25 '/d. p. 18-
Aigodao As entradas forSo regulares as
vendas de 48900 a 5j a @.
Assucar No principio da semana regulou
a 18100, c no finia lgl50 por @ so-
O lllm. Sr. inspector da thesourara das
rendas provinciaes manda fazer publico que em
virtude da Jei petante a mesma thesouraria se
liao de arrematar por tempo de 3 annos a con-
tar do l.dejulho do presente em hasta pu-
blica a quem por menos fizer, nos dias 19, 20,
e 22 de Janeiro prximo vindouro pelas ll ho-
ras da manha as illuminacoes dacidade de
Olinda eda povoaco dos Aflogados, avahado
o fornecimento diario de cada um dos lampides
da de Olinda em 144 rs. e da dos Aflogados
em 195 rs.
As pessoas que se proposerem a estas arre-
mataces comparecao na salla das sesses da
mesma thesouroria nos dias cima indicados
munidas de fiadores idneos e competer te-
mente habilitadas. Secretara das rendas pro-
vinciaes de Pernambuco 10 de maio de 1843.
O secretario
Luiz da Costa Portocarreiro.
O escrivSo e administrador da meza de
diversas rendas provinciaes desta cidade, faz
publico para conhecimento dos Srs. proprie'a-
rios de piedios urbanos, dos tres bairros desta
cidade e povoacSo dos A (Togados, que no pri-
meiro de junho prximo vindouro tem princi-
pio a cobranca boca do cofre di respectiva de-
cima do segundo serrestre docorrente anno fi-
nanceiro e lindos os trinta dias marcados por
le, se proceder executivamente contra aquel-
les que nSo tive em pago. E para que chegue
a noticia de todos mandei affixar o presente,
e publica-lo pela imprensa. Recie 26 de maio
de 1843. Luiz Francisco de Mello Caval-
canti.
Albuquerque Manoel Lopes Maciel, Porfirc*
da Cunha Moreira.TenentePedro Alfonso Fer-
reira, Pedro Ignacio Baptista \ cont Tbo-
maz Pires de Figueiredo Camargo : e os se-
nhores jui/es de facto chamados Jos Joaquim.
Chavier Sobreira Tenente Joaquim Conrado
Costa Capitao Manoel Fernandes da Cruz ,
Matheos de Albuquerque e Mello. Manoel
Joaquim Silveira Felis Francisco de Souza
Magalhaes, Luiz Pereira de Faria ebastiao
dos OjuIos Arco Verde Luiz Ffancisco do
Mello Cavalcanti, Jos" dos dantos Res Te-
nente Jos Bernardo Fernandes Gama Jos
Pires Ferreira Ignacio Francisco Pereira da
Silva Francisco Ribeiro Pires Dr. Fran-
cisco de Paula Baptista Antonio Rodrigues
Lima, Jos Benio da Costa Manoel Jos
Vlrtins Ribeiro, Ignacio Manoel \ iegas ,
Manoel Cantillo Pires, Antonio Joaquim de
Souza Ribeiro Jos Candido de Barros An-
tonio Carlos Francisco da ^Iva Alexandre
Rodrigues dos Anjos Antonio Joao da Res-
surreico e Silva, Dr. Joo l'ominguesda Sil-
va. Tendo sido multado naquantia de ICOS
o juiz de facto sortiado Francisco de Paula Paz
Brrelo. E para constar mandei lavrsr o pre-
zente que ser publicado pela imprensa. Dedo
e passado nesta cidade do Recife sob meo sig-
nal e sello deste juizo ou sem elle valha ex-eau-
sa aos 24 de maio de 1843. Eu Jos A Abaso
Guedes Alcanforado, escrivo privativo dx
jury o escrivi.
Francisco Rodrigues Sette.
=Pela thesouraria das rendas prpvinciaes em.
cumprimento de ordem superior se ha de con-
tractar no dia 3 de junho p. futuro sob as con-
diedespublicadas neste Diario n. 100, aso
hrasdo 7.lanco da estrada do Po do Alho or-
eadas na quantia de 22:153^720, cuja des-
cripgao e orgamento podem ser consultadas na
acpartico das obras publicas. Os licitantes
devidamente habilitados devero apresentar na
mesma thesouraria com antecedencia as suas,
propostas em cartas fechadas que serao abeita,
em presenca de todos no dia aprazado.
!>eclaracd Administrac&o do patrimonio dos orfbos.
Perantc a adminislracao do patrimonio dos
orfos se ho de arrematar a quem mais der ,
por tempo de 3 annos que bao de ter princi-
pio do 1. de julho do crrente anno ao lim do
unbo do 1846 as rendas das seguintes casas;
Em terceira praca.
N. 2 na ra do collegio.
hr
n rv Inw
O Dr. Francisco Rodrigues & tte juiz de di-
reito interino de segunda vara do crimen
comarca do Recife de Pernambuco por S.
M. I. e C.,, que Dos C. &c.
Faco saber que a segunda sessao ordinaria
dos jurados deste anno que sob a minha pre-
sidencia leve lugar neste termo do Recife assis-
tiro com assiduidade os senhores juizes de fac-
to sorliados. Antonio da Silva Gusmao An-
tonio Martins Ribeiro Antonio Luiz Gongal-
es Ferreira Brigadeiro Antonio Rodrigues
de Almeida Capitao Francisco de Assis Men-
des Gumaraes, Francisco Jos Pereira Braga,
Jos Francisco Pereira da Silva Jos Fran-
cisco Ribeiro Jos Baptista Ribeiro de Fa-
ria Jos Egidio Fereira Jos Dias da Silva,
Jos Joaquim de Lima Jos Ignacio Ferreira
e Silva Dr. Jos Raimundo da Costa Mene-
?es Joo Miguel da Costa Joaquim Jos da
12 do Sebo do bairroda Boa-vista.
14 do Rozario dito.
36 a da Madre de Dos do bairro Recife.
36 a.
38 do Torres.
54 a do A mor m.
55
66
78 a da Senzalla velha.
81
82
83 da Guia.
84
85 a do Trapiche.
86 beco da Lingocla.
87 da Cruz.
88
9i Fra de Portas.
92
93 Em segunda praca.
94
95
96
97 a
98
99
100
101
102 a
103 a Em primeira praca
104 a
105 a a

vuiuiivi
uxvCi
O sitio na estrada de Parnamerim em que
mora Jos Fidelios Barrozo de Mello.
Dito pertenecnte a Joanna Francisca dos
Santos.
Dito na estrada do Rozarinho em que mora
Joaquim Jos da Costa.
Dito na matta da Mirocira' em que mora
Joaquim Manoel Carneiro da Cunha
As pessoas,que se propozerem arrematar di-
las rendas poder comparecer na casa das se?-
ses dadita administrago nodia 29 do cor-
rente mez as quatro horas da tarde com
seus fiadores ; e adverte se aosinquelinos que
se acharem devendo rendas atrasadas que se
nao aceitaoseus leos, e nem por sso se Ihes
dar preferencia ao lanco que lor oflerccido.
Cavca ejSaia das sessoes u adminislracao do patrimonio


-dos oras 27 de maio de 1843.J. M. de
Cruz escripturario.
Pela Suhdelegatura da S de Olinda se
4az publico, que um jangadeiio salnndo da
praia do Rio doce para a pescara encontrara
-uns caixoes de vellas brancas boiando pela su-
peiliciedo mar confronto a mesma praia na
qual apareceo mais um caixao de toucinho, quo
igualmente foi appr endido pera respectivo
inspector do segundo qtfarteiro Jos-4 Pedro da
Cunha ; quem se achar com direito aos men-
.cionados goneros, companssa na dita subdele-
gatura que Ihoseriio entroirues depois de pre-
tendidas as formalidad* da lei. Olinda 24 de
maio da 1843. FranciK', das Chagas Sat-
gueiro subdelegado supplonte.
O vapor inglez fecha amalla para o Rio
de Janeiro boje 29 do correte ao meio
di a.
FUNCgAO LYRICA,
Na cata da Natalense Quinta-'eir 1.
deJunho
M
.ArinaRQELI, Lucci e sua (.ha cantarSo
seis pecas de msica com o seo anlogo
t westuario, ha ver tamhem ditas dansas executa-
dus por Wanimeil e sua mulber; esta ser a pri-
me ira das 15 representacoes prometidas. Prin-
cipiar as 8 horas em ponto.
As asignaturas e os hilhetes acbo-se na loja
e livros do Sr. Figuoira na praca da indepen-
dencia ; na noite de representado se venderao
tamhem junto da casa..
N. H. So chover de 6 horas em dianto nao ha-
cera furiccao.
Avisos martimos.
Para o Aracaty impreterivelmente no dia
9 dejunbo a sumaca Estrella do Cabo mes-
tre Jos Joaquim Alves, ainda recebe alguma
carga e trata-se com Manoel Joaquim Pedro
da Costa na ra da Gadeia n."46.
Para o Rio de Janeiro partir dentro de
poucos diasobriguebrazileiroFe/, forrado o
cncavilhado de cobre, e de muito boa marcha,
deque he capiti'o Manoel Marciano Ferreira ,
cujo navio tem a maior parte do seu carrega-
mento prompto: para o restante da carga, pas -
sageiros e escravos a frute trata-se com Fir-
mino Jos Felis da Roza ou com o capito.
LeNao.
O corrotor f)|jvera continuar o leil5o por
conta, e risco de quem perlencer, do grande
e variado sortimenlo de fazendas inglczas, fran-
cesas e suissas, d'algodo, la e seda : terca
eira 30 do corrento as 10 horas da manh em
ponto no armazcm que foi do Sr. Stewart, na
ra da Cruz.
m i i -i. -i-i -
Avisos diversos.
O PAISANO N. 18.
j^^Amo hoje e est venda no patio do
Collcgio loja do Sr. Pinto, e no patio da
Santa Cruz botica do Snr. Jos Mara Freir
Gameiro.
O ARTILHEIRO N. 49.
I^aiiio boje luz e vende-se no lugar do
costume. Contem osseyuintes artigos:
Urna carta que ao Ex.m Presidente dirige o
Redactor.
Carta do Careca ao Calvo.
Resposta ao Diario-novo.
Urna correspondencia do Tambor.
E outros pequeos artigos.
O CHORA-MENINO.
__Vende-se na loja de litros da Praca da In-
dependencia n. 6 e 8. Preco 20 reis.
__ Quem precizar de urna ama de leitc ; di-
rija se ao beco Largo n. 19.
= Preciza-se falar com o Sr. Manoel Jos
de Campos, portuguez da freguezia de Va-
___* mismas a seo nteresse annuncie
n ..un r^T An 0AA
M UV0VV1V MW
= Aluga-se o segundo andar e sotad da casa
n. 60 da ra da Cadeia do Recile oropria
para urna familia ; a tractar na loja da mesma.
= Jos Joaquim de Castro Moura subdi-
to de Sua Ma^estade Fidilissima, faz sciente ao
respoitavel publico, que retira- o para a Euro-
pa a tractar de sa satide.
= Bento Pereira de Mendanha, subdito por-
tuguez ; retira-se para lora da Provincia.
Quem precizar de urna ama p ra todo ser-
vico de casa ; dirija-se a ra do Hortas n. >l.
Da-se 300,000 reis a juros, sobrepenho-
res do ouro ou boas firmas ; na ra Direita
n. 80.
=Guilherme Purcell, retira-se para fra
do Imperio por alguns me es.
=Joo Jos Pagelo ; retira be para fra da
Provincia.
Aluga-se o primeiro andar e armazem
da casa n. 4, da ra do Vigario ; a tratar com
o mesmo morador.
=Dezeja-se falar com o Sr. Antonio Pinto
de Mattos ou seu correspondente nesta praca,
e Joao Simos Ferreira a negocio de seu in-
teresse; na loja de Novaes & Basto na ra do
Queimado n. 29.
Deseja-se fallar, ou saber a moradia dos
herdeiros do defunto Raposo que teve enge-
nho na ilha de Itamarac e fazenda de algo-
dao na serra Bonita ; na loja de Novaes & Bas-
tos na ra do Queimado n. 29.
=J. P. Adour &C.*, convido s pessoas
que tem penhores na sua loja da ra Nova, de
os irem remir dentro de dez dias, contados de
hoje sob pena de os por em praca para seu pa-
gamento.
=Aluga-se um sobrado novo, de um andar,
e soto sito na ra Augusta ; e no mesmo se
vende caibros; quem precisar dirija-se ra do
Rangel na esquina que volta para o Trem ven-
da n. 11.
Joo Gomes Marlins faz publico, qua
deixou de ser procurador da Sr.* D. Anna de
Freitas Antunes.
Precisa-sc de alugar escravas, ou moleques
para o servico interno, e externo d'uma casa, e
para venderem na ra obrigando-se seus so-
nhores pelos extravos; paga-se 320 reis por
da a cada um : annuncie.
O abaixo assignado faz sciente ao Sr. An-
tonio Teixcra de Borb'a, senhor do engnho
Goit da comarca do Pao d'Albo, como a pes-
soa encarregada de pagar o debito do Sr. Seve-
rino Gaudencio Furtado de Mendonca mora-
dor no Riacho de Sangue, que desapparceco do
poder do abaixo assignado as obrigaces de d-
bitos do dito Sr. Mendonca, depois de haver o
abaixo assignado recebido do referido Sr. Tei-
xeira a importancia de 590*000 reis por con-
ta no dia 21 do corrente em Pao d'Alho, de cu-
jas obrigaces existem as publicas formas, pelo
que nao pagara a outra qualquer pessoa que
nao seja o abaixo assignado pois que de boa
f nenhuma outra pessoa se poder apresenlar
como credor, as quaes se acbo passadas em um
so folio pelo mesmo devedor o Sr. Mendonca,
a saber: a primeira de 1:3938980 reis. vencida
em8deoutubrode1840; ea outra de 6768600
reis vencida em 6 de novembro de 1840, e no
verso das mesmas se acha acreditada pelo abai-
xo assignado.. a quantia de 1:0608000 reis por
conta em 12 de outubro de 1841. Recife 22 de
maio de 1843. Antonio Carlos Pereira de
Burgos Ponce de J.eon.
Offerece-se um rapaz portuguez, deidade
de18annos, para caixeiro de ra ou de loja
de fazendas do queja tem annos de pratica ;
quem o pretender dirija-se ra do Livramen-
to n. 3.
= Urna pessoa que tem todos os conhoci-
mentos necessarios para ensinar primeiras letras,
latim francez, e geometria sa prope a r
para algum engenho ou ertao que n2o seja
muito distante desta praca, para o indicado fin:
quem o pretender annuncie.
I.oteria de N S. do T.ivramento
N8o podendo correr as rodas desta lotera
no dia 30 do corrente como se avia annunci
ado nao por falta de extraccao mas sim pela
transferencia que teve a da matriz da Boa-vista ,
e que talvez seu andamento e pagamento deite
a diante do dia 30 do corrento e por isso fjca
transferido o seu andamento para o dia 16 de
junho impreterivelmente, fiquem os bilhetes,
que licaiem ; e adverte-se aos amantes deste
jogo que concomio a este restante, e que dem
attenco ao plano que oflerec grandes vanta-
gens aos compradores: os bilhetes achao-se
venda nos lugares j annunciados.
Joaquim Jos dos Santos Homem, foi des-
pedido do servico da casa de Mendes z Ol
veira.
Aluga-se por 108000 reis mensaes o ar-
mazcm do sobrado da ra do Amorim n. 29
ou vende-se a parte que toca do mesmo sobrado
ao annunciante : na ra do Nogueira n. 13.
Joaquim Francisco d'Azetedo.
Precisa-se de urna negra para alugar, pa-
ra vender na ra ; a tratar na ra das Cruzes
n. 31.
. Quem precisar de urna ama de muito
bom leite dirija-se ra do Collogio n. 20 ,
primeiro an-Jar,
Lote/ ia de /V. S. do Guadalupe.
TENDO-SE annunciado o andamento das
rodas desta lotera para o da 'Id do pre-
sente nao se p'do eflectuar em conse-
quencia dter a lotera da. uvitnz da Boa-vista
feito parausar a,compra dos bilhetes, quo anda
restao em boa porco nao podendo, e nem
sendo lcito, a irmandade arriscar grande soma
pelas suas circunstancias ; roga-su por tanto s
pessoas amadoras deste jogo, e aos cooperado-
res do aformoscamento dos templos concur-
ri a comprar esse restante do bilhetes, que so
acho nos lugares j i sabidos visto ter acabado
o andamento das rodas da lotera da matriz da
Boa-vista que Iheservia de obsta-ulo, e pro-
mete a mesma irmandade que as rodas da lo-
tera que Ihe foi concedida tero seu infalivel
andamento no dia 12 do prximo futuro mez de
junh.i.
Pelojuizo deauzentes, operante o res-
pectivo juiz o Dr. Francisco Joao Carnero da
Cunba se ha de vender em hasta publica a quem
mais der, lindos os dias da lei, tres chaos com
alicorees, no lugar de Fora de Portas da parte
do mar, cem 21 e meio palmos de largura com
seus competentes fundos, e cujos alicorees sao
tao somonte na frente avallados em duzentos
e noventa mil reis cada um chao, os quaes per-
tencem heranca do abintestado Antonio Jo-
aquim Pereira. O escrivao, Galdino Te-
mistocles Cabral de Vasconcellos.
Roga-se ao Sr. A. A. P. B. que baja
de comparecer na pracinha do Livramento loja
n. 44 que se Ihe desoja falar a negocio de seu
interesse.
== Precisa-se mandar lavar a roupa de 18 ou
20 negros ; quem disto se quizer incumbir di-
rija-se ra Nova loja de caldeireiro n. 27.
Deseja-se saber onde reside nesta cidade o
Sr. Elias Ferreira vindo da cidade do Cear.
Offerece-se urna ama para todo servico de
urna casa : na ra do Rangel n. 52.
= Troca-se urna negra de meia idade que
sabe cosinhar bem o diario de urna casa lava
do sabo ; por urna negrinha de 8 a 12 annos ,
voltando-se o quo for justo: em lora de Por-
tas n. 96 ou na ra do Trapiche n. 18.
Precisa-se alugar um preto para o servico
de urna casa ; na ra Senzalla velha n. 48
Huma pessoa que se propoem a trabalhar
pelo cilicio de chapeleiro o qual faz caixas
ra chapeos pelo feitio de 160 rs. a duzia c
pos do seda promptosa 240, de maca por pre-
co commodo faz todo o concert e todo mais
servico pertencente ao mesmo officio note-se
que o annunciante d fiador a aquellas pessoas ,
que Ihe entregar as ditas obras para fazer as
quaes annuncie as suas moradas para serem
procuradas pois que sendo servico effectivo ,
o annunciante se acomoda no ajuste.
Da-se um cont do reis ou oitocentns
mil reis a dois por centos ao mez sobre py-
potheco em urna casa ; quem pretender dirija-
se na ra do Queimado loja n. 18 ou na ra
de Senhor llom Jess das crioulas n. 3.
Tendo eu ido no dia 24 do corrente mez ,
em um armazem da ra da Cadeia do Recife ,
e comprado urna saca de farinha e ajustado
com um preto para me trazer em minha casa na
ra do Arago n. 29 e o preto tomou a saca
na cabeca e desapareceo de repente julga-se
que elle n5o percebeo bem para onde devin
conduzir a dita farinha ou que se sumisse por
dolo seo ; e assim roga-se ao respeitavcl publi-
co que tendo deste preto ou da saca de farinha
alguma noticia queira por ohzequio avizar ao
dito dono na sua casa ra do Arago n. 29 o
que elle saliera agradecer.
'i. J. Sehrauden.
A casa e sitio no lugar do Remedio, mes-
mo defronte da igreja com olaria e trras pa-
ra plantar anda anda em praca do juiz de or-
laos a ultima be hoje 29 e aceito-se boas
letras em pagamento, com prados ra/oaveis ,
adverte-se queja foi tudo avaliado por muito me-
nos do que est no inventaro.
Precisa-se de um menino, ou moleque ca-
tivo para se ensinar o officio de roarcineiro fa-
zendo-secom elle toda a despeza ; a pessoa que
Ihe convier este negocio annuncie ou dirija-se
a ra estreita do Rozario n. 32. Na mesma
casa vende-se duas bancas redondas de Jacaran-
da para meio de sala por preco muito com-
modo.
Aluga-se um segundo andar e soto com
commodos para urna grande lamilia a qual
se aluga a rfuem adian'ar um cont de reis a
premio para descontar nos alugueis ; quem
pretender fazer este negocio dirjase a praca
da Boa-vista n. 22.
O Sr. Joao Ferreira da Costa Pindaira ,
ipa-
cha-
Precisa-se alugar um escravo para andar
com um taboleiro de fazendas junto com um
caixeiro ; quem o qu/.er alugar dirija-se no
patio do Parai'O sobrado de dois andares n. 8 ,
nosogundo andar ; assim como roga-se ao Se-
nhor A. P. S. que no prazo de 8 dias quei-
ra vir ni sma casa cima dita satisfacer
a quantia de 25:000 ou siquer ao menos dar
una satsfdcao e ..ao vindo neste pra o se
u/ar dos moios facultado-pola lei e o depois
nao tenhaqueixa.
Aluga-so dois sitios na campia da Casa
Forte um com casa nobre ora edificada,
com ptimas acoinmodaces coxeira estri-
bara grando cupiar na (rente plantado cora
muitos arvoredos de fructos e como 6 assaz.
eslenso tjnjp em largura como em fundos ,
proprio para plantaces dic. : e o outro com
ptima casa menos coixeira muitos arvo-
redos de fructos todo murado e com a me-
Ihor agoa de toda a circunvizinhanca ; a tratar
na ra do Vigario n. 13 ou com o propriet -
rio na estrada do Co'deiro.
O ingle- que Ihe faltar urna carteira e um
par de luvas com bastantes asseotos e algu-
mas cartas dentro para a Babia e urna dolas ja
aborta para George Brouvm ; quem for seo
dono annuncie por esta foi ha, oudirija-sea
ra larga do Rozario n. 52.
Da-se 50:000 rs. a juros de dois por cento
ao mez sobre penhores de ouro ou prata ;
quem pretender dirja-se ao attorro dos AToga-
dos padaria o. 37.
- Da-se dinbeiro a premio sobre penhores de
ouro em pequeas poredes ; quem precisar
procure no patio do Parai/o sobrado n. 8 a
tratar com Manoel Jos da Silva no segunde*
andar.
= Aluga-se o primeiro andar do sobrado n.
43 sito na ra Direita com bons commodos;
quem o pretender dirija se a ra do Nogueira
n. 8 que achara com quem tratar.
Aluga-se um ptimo moleiCo que serve
para todo o servico o muito proprio para pa-
gem; quem o pretender dirija-se a praca da
Boa-vista n. 7.
Aluga-se urna casa terrea na ra de S,
Goncalo na Boa-vista, lado da sombra com 3
quartos 2 sallas, cozinba fra, cacimba, e
quintal murado e a 12:000 rs. por mea ;
quem a pretender, entenda-se com Jos Ber-
nardo Piniche, morador na mesma ra.
O Sr. HenryCals, deixou de ser caixeiro queira vir receber urna carta vinda do Cear :
da casa d Cals Ain. I na ra Nova n. 12.
- No dia 17 do corrente perdeu-se um qna-
dorno de oraces escripto em letra de mo, com
capa de papel azul guarnecido em roda de pa-
pel amarello dentro do qual tinha outro me-
nor com capa de papel verde : tamhem de ora-
ces escripto em letra redonda dentro dos di-
tos quadernos tinha duas letras aceitas e assg-
nadas pelo Sr. Joo de Carvalho Paes de An-
illado sacadas a favor de Tho.n Pereira La-
gos e por dito passadas finada D. Fran-
cisca Rita de Mello e por essa passada a La-
dislao Pinto que he o seu verdadeiro dono, am-
bas as letras sacadas em o mesmo dia a pri-
meira com o prazo de quatro mezose a segun-
do de quartorze mezes, a primeira do valor de
rs. 7568 e a segundado valor de 8448800 rs.,
ambas a muito vencidas vencendo os juros de
dous por cento ao mez, e por isso ja oreando
em dous conlos e tantos, achando-se a primeira
copiada no cartorio dojuiz de paz da povoacSo
dos A (Togados em o termo de conciliario dan-
do-so pela falta das ditas letras em 20 do cor-
rente prevenindo-se logo por urna carta ao
aceitante para que as nao pagasse a pessoa al-
guma que Ihe as apresentasse sem que fosse o
proprio dono, o qual nao deu resposta por
escripia di/endo ao portador que licava en-
tendido ; e para conhecimento do respeitavel
publico e do mesmo Sr Joo de Carvalho P.
de A se faz o pre/ente annuocio: roga te
a quem achou os ditos quadernos e letras, por
obzequio bajado restituir na praca da Indepen-
dencia n 21 que ser recompensado: exis-
tndo to bem dentro dos quadernos um meio
bilhete da lotera da matriz da Boa-vista n.
1516. Ladislao Pinto.
- Precisa-se de um rapaz portugus deste
chegados ltimamente do Porto de 12 a 16
annos, para ir de caixeiro para a cidade da
Parahiba : na ra do Cabug n. 4.
- Humasenhora de honscostumes se encarre-
ga da criaeo de meninos de peito empedidoa ,
e desempedidos, e tambem recebe meninos dis-
mamados para curar de sua educacSo, no que
promette esmirar-se: na ra direita n. 50 ,
segundo andar.
A pessoa que deixou ficar de pinhor no
sabbado de aliluia por dois pares de borzeguin*
para senhora um paliteiro de prata na loja do
calcado na ra da Madre de Dos n. 28 baja
de mandar remir quanto antes se nao ser5
vendidos para pagar os ditos borztguins.
= Da-se 200:000 mil reis a juros sobre pi-
nbores de ouro e prata ou relogios modernos ,
na prcmeira venda do atierro da Boa-vista se
-dir quem be.
J


A
= Tendo appnrccido e j aprovada a mu i
tif irtVeneao do ssen lamentos das caldeiras
pura a Pabricacao do assucarcs nesla Provincia ,
de que he autor o senhor Regafre, e tend este
senhor cima de fazer os ladrilhos dos ditos as-
sen'tamentos d cobre ou chumbo, o abaxo as-
signado oflrece-se aos respeitaveis senhores do
engenho para o servico desses ditos ladrilhos,
assirt coihd para apromptamento da botada dos
engenho* de moer por vapor, concertar taxas
Jora do assenta ment, assim como no assenta-
mentoquando acn teca quebrar afguma con-
cerra qualquer maquina de vapor, e assenta
lambiques tanto O apnrelho de derosne como
toda a qualidade do que tem grande pratica ,
eji mostrado aos senhores Vlanoel Cavalcante,
JoSo de Carvalho Paes deAndrade, Fr. Gau-
dino de S. Ignes, e outros muitos sonhores com
quem pode prever, tanto a polidez das suas o-
bras como a sua conducta ; quem sequizer
utilizar do seo prestimo dirija-se a fabrica de
caWereiro do Sr. Manoel Carneiro Liar, na
ra Nova n. 33. Jos ''aptista frgn.
= Urna pessoa bastante habi1 propoe-se a
r para qualquer escriptorio por ter todos os
preparatorios tambem se obrigo a qnalquer
escripia que se oflerecer tanto singella como
dobraJa: nesta Typograia se dir.
=r Ahiga5-se o armazem e terceiro ander do
sobrado de 4 ditos, na ra do Amorim, de-
f onte do ferreiro Caetano mui proprro pa a
estabolccitriento coinmcrcial; a tratar na ra
do \ gario *. 13.
- Muitose tem fallado do sistema Romeo-
palliico, do sistema de Broussais e de outros
muitos mil dilerenles; pouco portanto se tem
dito do raafs essencial os evacumantes, que
nihguem pode negar seren nos climas calidos
absolutamente necessarios, e sobretudo quando
existe a difficuldude de fazer observar aos su do-
tesa dieta necessaria e rigoroza que pede u
Homeopathica e pratica regular &c. Somos
geralmentoacoslumados a comer muito mais
do que he iiccessario para o nosso sustento ; o
resultado he nulos, indigestoes e inflama-
ccs nos ligados &c. Para remover impedir
estes incommodos, nada he mais prompto, que
um purgante saudavel que nao constipa os
intestinos, o que augmenta as di Aereles sec-
cree5es.
publico achara as Pilulas vegetaes do Dr.
Brandreth e na Medicina Popular Americana ,
estas propriedades, que produzem seu eAeito ,
sem dores e incommodo algum nao he ne-
essario dieta alguma o pode-so tractar dos
seus negocios no rnesmo da ern que se tomar.
Aqui vende-se somonte em casa do nico a-
gente JooKeller, ra da Cruz do Recife n.
18, epara maior commodidade dos compra-
dores, na ra da Cadeia do Recife, em casa de
Joo Curdozo Ayres, na ra Nova na de Guerra
Silva & C.\ e atterro da Boa-vista, na deSal-
les & Chaves.
Compras.
Comprad-se eAectivamente para fora da
provincia mulatinhas crioulas e mais e*cra-
vode 13 a 20 annos, pagao-se bem sendo
bonitos; na ra larga do Rozario n. 30, pri-
meiro andar.
Comprao-se mulatas negras e mo-
leques de 12 a 20 annos, pago-se bem pa-
ra fora da provincia: na ra Nova loja de
ferragens n. 16.
Compro-se escravos com officio de car-
pina e pedreiro e tambem sera oAicio : na
ra da Praia armazem n. 22.
= Compra-se um violao em bom estado ,
e de boas vozes e urna escala para o mesmo ;
quem tver annuncie.
= Compra-se um negro de boa idade e
qudehtertJa de plantaces de sitio; quem ti-
ver annuncie.
Compra-se um Diccionario de Moraes
da quarla ediyo em bom uso ; nesta Ty-
pogfaia.
Compro- se frascos que servissem de agoa
de colon a m grandes e pequeas porces :
na ra da Cadeia, loja n. J5.
Compra-se apolices da contadoria, ven-
cendo uros: na ra do Livramento n. 3.
Vendas
Vende-se um moleque de 19 annos co-
zinba efazsapatos, na ra Direita n. 8.
= Po deposito de socar refinado, esta-
blecido junio ao arco de S. Antonio, em fren-
te doe de Coliegio ha para tender assucar
refinado segundo o novo systenia de fabrica-
do pelo qual se extrae a potassa e cal, dei-
xando-sc-o no seu estado de pureza ; sendo o
precoda libre do de primeira sorte e em paes
160 n., o o de segunda e terco em p.
120, e80rt. ^
== Vende-se urna armacSo propria para
qualquer stabelecimento ; no oito do Livra-
mento n. 2 a fallar com Domingos Percira
de .vlendanha.
==i Vendem-se dous cavallos mestres de car-
ro e novos um rudado e ootro mellado es-
curo dinas pretas ; e um cao de fila bravo ,
proprio pora guardar < Igum sitio, com sua cor-
rente de ferro ; na ra do Livramento, de-
fronte da torre da Igreja n. 6.
Vende se urna boa mucamba de 18 an-
nos lava, engomma, e cozinha e he mui-
to diligente para o servico de urna casa : na
'ra Nova armazem rr. 67.
Vendem-secaixinhasde agulhas franoe-
zas do fundo dourado caos d flores de l>om
gosto escovaspara caberlo e dentes papel de
peso muito bom caivetes Anos para pennas,
thesourinhas douradas linha de marcar, luvas
c metas de seda preta para homem e senhora ,
pomada franceza sabonete para barba e
outras muitas perfumaras ludo por preco com-
modo ; na praca da Independencia loja de
mrudezas, n. 7.
Vende-se farinha de trigo da marcaSSSF
e SSF chegada ltimamente de Veneza ; na
ra da Cruz, n. 55.
Vende-se urna nrmacao e canteiros de
urna venda na roa da Guia n. 7 ; a tractar
com Joze Carvalho da Costa.
Vende-se urna preta de nacao, de 18
annos, bonita figura nao tem vicio algum,
faz todo o servico de casa boa mucamba en-
goma e cozinha ; na ra do Cabug foja de
miudezas junto o Sr. Bandeira.
Vende-se urna baianca com 13 arrobas
em pesos; na ra da Cadeia do Recife, n. 37.
Vende-se superiores vi ribos engarrafa-os
de Madeira secca Mlva5a, e Bucedas de
1832 : na roa la Cadeia do Recife n. 37.
Vcndem-se duas casas terreas, mui boas
na ra dos Pires na Boa-vista ns. 23 e 25 :
tracta-se com Antonio daSilva Gusmiio na ra
do Qu imado.
= Vendem-se 96 palmos de terreno na ra
Augusta: a tratar na ra da Cadeia, n. 11 ,
segundo andar defrontc do theatro.
asi Vende-se um preto moco serrador, faz
tenas, lijlos, e tudo mais pertencente a ota-
ria e tambem trubalhador de enchada c
machado ; na ra Nova loja n. 9.
= Vende-su marmelada superior e nova,
feita no me de Abril p. p. por preco com-
modo ; na ra da Praia, armazens ns. 17 e 19.
Vende-se um cavado rudado muito
lindo e bastante gordo carregador baixo e
muito bom pnsseiro tem de idade 6 annos ,
nao tem um sO achaque e he muito mantiu-
do e sadio ; na ra do Queimado loja n. 5.
- ^ endem-se urna poreSo de caixas que
serviro de charutos, canecas grandes e pe-
quenas pintadas para carregar agoa vellos de
carnahuba a 360 a libra ditas de espermacete
a 720, alpista a 360 o quarteirSo painco a
240 pacas novas a 160 letria a 240 bata-
tas a 60 rs. manteiga ingleza a 720 e fran-
ceza a 600 rs. hanha de porco a 400 rs. ,
azeite doce de Lisboa a 480 a garrafa dito de
carrap.to ede peixe a 240 toucinho de Lis-
Iwa a 280 azeitonas a 24o a garrafa graixa
n. 97 a 140, urna porco de vassouras de pias-
saba a 7000 rs. o cento e outros mais gene-
ros de venda muito em conta : na ra da Ro-
da venda com frente amarella.
: Vendem-se csteirinhas pintadas e estam-
padas mui lindas para cobrir mesas, sofs e
proprias para as meninas nos collegios se senta-
rem guarda comer de rame grandes e pe-
queos peeras de rame com arco do flan-
dres mui finase bem feitas pergaminho para
caixas e zabumbas carteiras de Jacaranda de
viagem tocadoures ditos, caixinhas ditas com
estojos e prepares para barba ditas para cos-
tura tudo de muito bom gosto sapatos de
burracha do Para forrados de couro mui-
to proprios para o invern estribos de metal
principe de lindo modcllo, grandes e fortes es-
poras para saltos e com correias do mesmo me-
tal relogios de parede que regulSo ptima-
mente unscom corda para 8 dias e Outros
para 24 horas instrumentos para msica ,
flautas de todas asqualidades por Gaud Froy ,
e outros muitos objectos tudo por preco com-
modo : na ra Nova, n. 35.
Vende-se um pr.ta de 24 annos : na
ra de Agoas verdes n. 42.
Vende-se urna porco de barricas vasias,
que forSo de farinha de trigo por preco com-
modo ; atraz da Matriz da Boa-vista n. 22.
Vendem-se chourieos de Lisboa, muito
bons a 360 a libra : na ra das Cruzes ven-
da n. 40.
Vendem-se 8 arrobas de cera amarella a
6 00 a arroba : na praca da Boa-vista n 20.
= ^ ende-se 7 travs de qualidade de 32
palmos de comprido, c um em quadro ; na
praca da Independencia n. 28.
Vendem-se o Pao ama de 1837 a 1838
encadernado e em bom estado por 6000 rs. Fi-
-
losopbo por amor ou cartas de dous amantes
por 2000 r. em 2 v>. cartas de Echo a Narciso
por 1000 rs. Romance de Voltaire por 500,
tudo em bom estado; na ra Nova, n. 31.
Vende-se azeite de carrapato a 5 pata-
cas e mcia em caada e a doze vmlens a gar-
rafa ; na ra do Nogueira n. 13.
Vende-se um com ileto sortiment de
algalias de gomma elstica, de qualquer gros-
sura que se precise, chegadas na Camelia ; na
prace da Boa-vista n 6.
Vendem-se 300 palmos de trra na fren-
te do sitio da Capeflinha junto ao Chora-me-
nino em ptima oposico para se edificar a-
sas e tambem se vendom 200 palmos ja mu-
rado do lado da Estancia; a tractar no mesmo
sitio da Capnllinba.
Vende-se azeite de carrapato a 1600 a
caada e a retalho a 1920 ; e tambem alugo-
se negras ou moleques para venderem azeite de
venJagem ; na ra da Praia arma em n. 22.
== Vendem-se por preco commodo urna so-
brecasaca de panno azul, e um transelim de
ouro; na ra Nova n. 55.
Vende-so o sitio denominado Capellinha
na estrada do Chora-minino; a tratar com Joao
Pire Ferreira.
Vende-se um novilho ja manco bas-
tante grande, e ptimo para carro; na Una
do Nogueira ou em casa de Silvestre no at-
terro dos AAogados.
* Vendem-se meias de seda preta de peso
para senhora e pretas e brancas para meninas
de 6 a 12 annos borzeguins de duraque pa-
ra meninas com ponta de lustro sapatos do
duraque de cores com fitas para meninas, bo-
tins e sapatos debezerro para meninos de 6 a 12
annos, oculosde armacao de tartaruga com
asteas de prata feitos em Lisboa pentes de
inarfim de alisar de differentes gostos e lma-
nnos ditos de fechar de marfim e chifre, facas
de marfim e oco de fechar cartas ligas de se-
dado Porto, meias e luvas de seda para ho-
mem e senhora, caixas de tartaruga do Lisboa,
linha de marcar em miadas de Lisboa, cor-
d5es para borzeguins e atacadores de esparti-
Ihos, apitos grandes de marfim lencos de se-
da grandes de Lisboa amendoas confeitadas.
e grangea para enfeitar pastis e latas com
calda de tomates : na ra da Cadeia loja n.
15 loja de Bourgani.
Vende-se um negro crioulo de 36 annos,
canoeiro : na ra Augusta n. 1, segundo
andar.
Vende-se um pao de tipoia com sua
competente coberta tudo em bom uso; na ra
eslreita do Rozario botica de Joo Pereira d
Silveira.
No armazem de Francisco Dias Ferreira
& Companhia no caes da Alfandega vendem-se
saccascom farinha, de re.-ulartamanho a 3200
e na ra da Moeda n. 7 aonde tambem se
vendem caixas com 16 libras de man por
commodo preco e bom sal de Lisboa ou a
tractar com Firmino Joze Felisda Roza.
- Vendem-se urna excedente escrava re-
colhida mucamba de 16 annos, com ptimas
habilidades; 4 ditas com habilidades; duas di-
tas boas cozinheiras ; um moleque de nacao de
15 annos ; 5 oscravps para todo o servico ; um
mulato de 20 annos bom pagem ; e um bom
oscravocozinheiro ; na ra de Aaoas verdes
n.46
Vende-se urna Aauta amarella com 7
chaves, e de boas vozes, por preco commodo ;
na ra do CJueimado n. .
Vende-se panno de linho om pecas de 18
varas; em casa do H. Mehrlens na ra da
Cruz, n. 47
^ Vendem-se ahotua 'uras de massa a 500 .
linhrt de carretel a 360 a duzia papel de peso
a 2600, 2800, e 3200 a resma dito almaco
bom em meias resmas colxetes a 80 rs. e a
800 rs. ; boloes brancos e pretos para casacos
debrim, thesouras finas a 180, e douradas
a 500 rs. caixinhas de agulhas fran.ezas a
320 transelim de burracha a 160 estojos de
navalhas finas a 2000 rs. pomada franceza a
180 talheres finos a 3600 a duzia sabonetes
de hola a 200 rs. ditos de porcelana a 500 ,
I vas de algodao mui finas a 320 e de camur-
ca amarella a 360 suspensorios de bunacba a
320, e pintados a 400 rs. ricas bandejas gran
des e pequeas meias de algodao mui finas
para senhora a 400 rs chicotes de estao a
800 rs. caivetes finos a 320, agoa de co-
lonia em frascos grandes e pequeos meias de
laia para homem a 900 rs. escovas com es-
pedios a 900 rs. ditas para chapeos, cartas
francezas a 2600 o masso e portuguezas a
1400 luvas de seda brancas e pretas para se-
nhora a 600 rs. o par e um completo sortimen-
to de miudezas baratas, a contento do< com-
pradores : na pracinha do Livramento n. 53.
Vende-se urna casa nova assobradada ,
no Coelho da Boa-vista junto a olaria do
Sr. Miguel Ccrneiro com muilos commodos ,
bastante terreno porto de embarque e com
prODOrcp? r>arn "\zz\"'-f
fornos ; no atierro da Boa-vista, loja de se-
leiro.
Na loja de Joaquim Jos da Costa na
ruado Cabuga vende-se muito bom retroz
preto azul ferrete e outras cores, I ribas
mui finas para bordar e outros objectos per-
tencentes a miudezas.
Vendem-se a dinheiro por menos preco
do que em outra qualquer parto para se li-
quidar contas, os soguintes trastes de superior
qualidade cadeiras, sofs, bancas, mesas do
meio do sala, camas commodas canaps ,
tocadores tudo de Jacaranda cadeiras ban-
cas e sofs de oleo, guardas roupa, louca e
Inros, de amare lo cadeiras do bataneo com
assento e encost de palhinha do melhor gos-
to possivcl, cimas de condui o de amaredo
ditas de vento relogios para cima de mesa ,
cadeiras para piai.no e para meninas de es-
cola carteiras de urna face de amaredo, e
moxos para as mesmas, armarios de pinbo ,
marque as, bandejas; cadeiras para alcova ,
commod. s de amiirello e muitos mais trastes
que a vista dos compradores serao patentes : oa
ra Ja Cruz, armazem de trastes n. 63.
Vende-se um moleque crioulo de 16 an-
nos; na ra Bella, queja foi Florentina, n. 14.
Vendem-se bilhetesda lotera de .N. S.*
do Livramento que corre no dia 16 do Ju-
nho : na ra da Cadeia. loja de cambio n. 38.
\ ende-se um moleque do 16 annos, bo-
nita figura tem principios de bolieiro : na
ra Nova n. 21.
= Cadeiras americanas com assento de pa-
lhinha camas de vento com armaefio com-
modas de angico, ditas de amaredo marque-
zas de condur camas de vento de amaredo
muito bem feitas a 4500, ditas de pinbo a 3500
assim como outros muitos trastos ; pinho da
Succla com 3 polegadas de grossura dito
serrado dito americano com diAcrentes largu-
ras e comprimentos, travs de pinho e bar-
rotes com diAerentes grossuras e comprimen-
tos ; tudo se vende mais em cdnta que outra
qualquer parte: na ra da Florentina em
casa de J Berangcr n. 14
**- Nos armazens de Manoel Antonio de
Jess & Filho por traz do theatro ns 18 e
19 vende-se excedente farinha de trigo SSF ,
por preco commodo.
= ^ ende-se urna canoa grande em bom es-
tado que carrega 800 tijolos outra dita pe-
quea de carreira tambem em bom estado e
pintada de novo ; as 5 pontas n. 44.
= Vendem-se saccas com feijao branco a
2000: no caes da Alfandega armazem do
Francisco Dias Ferreira.
Escravos fgidos.
Da-se 1508000 de gratifieacao
^ = No mez de Abril p. p. desapparecoo do
sitio do Zongu em Apipucos, um preto do
nomeJoaquim, chamadodantes Jos, supoe-
se ter sido sedusido porque nao se Ihe deo
motivo nenhum para elle fugir o qual veio da
Bahia aonde plantava caf he secio do cor-
po de nacao falla atrapalbada he acrri-
mo tocador de marimba de 35 annos; quem
o pegar leve a seu senhor na Trenipe sobra-
do n. 1, aonde esta a labrica de rap, que re-
cabera 150,000 rs. de gratificatao e tambem
da-se 20,000 rs. de alvicaras a quem delle der
noticias com as quaes se realise a sua appre-
henjao.
= No dia 4 de Abril do correte anno, dos-
appareceo o molequinbo Benedicto crioulo ,
de 6 annos e 5 mezes levou vestido camisa de
algodaozinho branco, a orelha esquerda fu-
rada nariz chato beicos grossos cara re-
donda grosso do corpo, bem feito de mos e
ps este moleque andava vendendo limoesem
um balainho, e da Boa-vista nao sabio, porser
so o lugar que elle sabia, e por issn lem-se toda
a certeza de ter sido furtadq ; quem delle der
noticia, ou o apprehenderserA generosamen-
te recompensado entrt gando-o na ra do Hos-
picio a seu Sr. Manoel Ferreira Chaves.
Fugio no dia 14 de Maro p. p. um mu*
latinhoacabocolado de nome Cl. mente de 12
annos cor trigueira cbelo preto e corrido,
bem parecido de leicoes levou vestido camisa
de algodaozinho calcas de ganga'azul ja-
queta de chita verde he de supor que ja te-
nha mudado de roupa estava na ra do Ro-
zario da Boa -vista aprendendo o oAicio de al-
faiate, na casa de Jos Pedro de S. Anna e
de l se ausentou julga se ter sido furtado n
condusido para fora ; este mulatinho foi escra-
vo do Dezembargador Ramos, e boje be de
Jos Candido do Carvalho Mede ros ; roga-se
a todas as authoridades policiaes desta cidade
e shus suburoios e bem assim a todos os ca-
pitaes qualquer parte onde for encontrado e levar
a Boa-vista na ra do AragSo, n. 8, que
ser recompensado.
^c!cciM.6lw tiejAion: kaTyp. dkM. F. db Fama. =1843


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFNY8EL8L_44IEBW INGEST_TIME 2013-04-13T01:58:16Z PACKAGE AA00011611_04970
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES