Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04965


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Atino de 1843. Segunda Feira 22
1 Uilo .fui depende .1 aoi ntnoi di non prodanea morltriyau, aiiargia con
linuemoi como principiamos a larcmoa apontadoa com admira. .10 enlre a> Niiiiti >)
-"l'. ( Proclamaoo da Aaaenblr Gara) do BaAiil ,
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goianni. Parahiba a Rio (fraude do Norle segunda iiiim fairaa
Boullo o Garanhuaa a 10 t 24
Caot irinham, Rio Formoao Porto Cairo Macei Alapoat do 1. l .
B p alai Piona a i3 e 2 Sanio Anas, quinta* Cairas Olin.la lodos oi dias
DUSDA.MiHAW
* --(, Rila d Cassia Via. .Aud do J de D, da 2. w.
21 I ere a Kaaileo Are Kel. Aud do J de da 3 t.
24 V1-*'' jejum a. Afra M. uil doJ. de D. da I..,
25 'Juu + Asccdqo do Senhor.
J6 > a Febpuo Morr F Aud doJ. da D da 2. .
27 '.' 1. Jo P. M. Ral. Aud. do J. do D. da 1- T.
28 Uoa,. i. Germano B.
de Maio
Anno XTX. N. 11*.
O Diario publica > ludoa oa rliaa uus nJn foraa Sanlifieadoa: o praco da aaaijraaStrra <*
da traa mil raa por quarlal patos adianiadoa. Oa anauncioa doa aaeignanlee ao iaaaridoa
craus e oa doa que o nao orem raio de 80 rea por liana. Aa reclamaces derem ni diri_
gtdas a tala Typ., roa daaCrotaa N *4.o a pra<-a da Independencia toja de livroiN.B* 8
cambios. No da 20 de Maio. coanpra raia.
Cimbio .obra Londraal6"d por lU OCo-Moada da 8,400 V. 1,3(W 8.WQ
Paria 3 Lisboa 1UU por 100 de premio
de 4,000
PaAT-l'atacea
a Paioa Colomnana
ditos Menanos
8,900
l,88tf
I.SS0
l,b80
46,300
0100
t,m
i r-OI*
1,J0(|
Moada da cobra 2 por cento
dem de latraa da boat firma i { a | .
PHAaLauALAN MEZ E MaIO.
Loa Chana 4 < 3, a* S borase 45 m. da tard I La ora ,i 9, as 4 loras o 35 m. daaaah.
Quan. minj. 4 21, 4 bora a 5 m. Ja m. | uart. arase, a 7, a 6 oras 5 a*, da maah
/'reamar de lioie
i. a 10 bocas a 54 m. da manhia. ,| l. a 1* aoraaa 18 m. da laida.
EXTERIOR.
Pela corveta francesa Coquelie entrada hon-
tem (28 de abril) de Montevideo, onde oi e vol-
tou no curto spaco de 17 dias temos noticias
daquclla cidadeat 18 do corrento (abril a noite.
O ministro inglez om Buenos-Ayres approvou
o procodimentodo commodore Purvis a respei-
to da esquadia de Brown e do nao reconheci-
mento do bloqueio.
A seguinte carta que nos fo comrnunicada da
noticias interessantes.
Montevideo 18 de abril.
A Coquete chegou do Rio honteni a noite pa-
ra convidar o almirante a assis ir ao casamento
do principe do Joinville. infelizmente o aspecto
das cousas nesle paiz to grave que o almi-
rante se nao pode afastar daqui o que Ihe cau-
sa grande pesar.
Os Franceses arma rao-so o boje contad 24
companhias bem organisadas com 2,50 ho-
mens de i na n ta ria e 6 pacas de artilharia. O en -
thusiasmo grande mo grado o cnsul fran-
ezque, sendo Oribista decidido, fez todo o
possivd por desarma-los. Nada conseguio po-
rem.
No da 7 fui (undear Bnwn com a sua esqua-
drilha dentro do porto de Montevideo e apo-
dernu-se da ilba dos Ratos c da plvora que ali
havia. O commodore inglez mandou no dia 10
dousbrigues (Undear junto a Brown e obri-
gou-o a restituir a illi i e a plvora e a retirar-
se. No dia 12 trnou a entrar, e no dia seguin-
te o fez o commodore sahir de novo No dia 14
deteve Brown nobrigue inglez carragado de ga-
do que vinha de Maldonado. O commodore Pur-
vis que, cumpie diz-l, se ten portad) com
umita lirmesa edignidade mandou logo algu-
mas lanchas armadas intimar ao olTicial de
Brown que serotirasse de bordo do brigue in-
glez intimacoquofoi promptamonte obedeci-
da entrando logo o brigue para dentro do por-
to onde descarregou. No mesmo dia foro al-
guns vasos deguena inglezes cercara esquadri-
)ha do Brown, equerendo faser-sedo vidla urna
das escunas argentinas atiraro-lhe dous ti-
ros de bala di; um dos vasos ingleses, e deixou-
se flear. No dia 15 nao icou Brown as bandei-
ras talvez para protestar contra o commodore.
Agora tudo est arranjado. Brown deu a sua
palavra de que nao commotteria a menor h istf-
Jidade nem deteria embarcacao alguma ; emflm
que nao se mexeria.
A diado esta perfeitamente tranquilla e bem
armada Gomo nao ha % nem haver bloqueio ,
mais que certo que nao ser tomada. Assegu-
ro-mequo brevemente se fjr urna sortida pa-
ra obrigar Oribe a levantar o sitio. Os France-
ses querem sahir Tora a todo o custo. As Torcas
de Rivera acaba de apoderar-se da Colonia: de
Maldonado j est do posse ha muitos dias.
provavel que Rivera se entenda com paz para o
ataque projectado. Oribe nada tem feito : con-
serva-s ha das na maior inaeco.________
-- .gBgi
a appareceremessesquesediz pretenderem ap-
presentar-se. Disem que a nossa cavallaria an-
da tinha dous cavallos bons por praca.
( Carla particular.)
PERNAMBUCO.
Tribunal da Kola rao.
SESSA5 DE 20 DE MAIO DE 183.
Na appellaco civel da comarca do Ccar, ap-
pellante D. Mara Rita de Queiroga e appel-
lados os orfaos lilhos da fallecida D Getrudcs
Lui/a Pacheca e de seu marido Francisco Jo-
s Pacheco de M<*deiros escrivao Ferreira, se
mandou que fosse ouvido o curador geral.
Na revista civel recorrentes Jos Raimundo
da Cruz Jnnocencio Francisco da Cruz, e ou-
tros, appolladoso procurador da meza adminis-
tractiva do vinculo de Jaqu.ra escrivao Fer-
reira se julgou a favor dos rcjorrcntes.
INTERIOR.
TRIBUNAL DOS JURADOS DA COM-
MARCA DO REC1FE.
Dia 10 de maio de 1813.
Foi julgado o reo Antonio Jos Bizerra, par-
do, softeiro idade 3Sannos brazileiro, ofi-
cial de alfa'iate aecuzado pela justica por cri
me de armas prohibidas, defendido pelo Dr.
Neto : foi absolvido.
Dio 11.
Foro julgados em um s processo os reos
Jos Rufino de Souza Jo5o Simos Rodrigues,
o 1. pardo, casado, brazileiro, idade 28annos,
agricultor, ecuzado por uzo do arms defezas,
e tentativa de frment : o 2. pardo, casado,
brazileiro, idade55 annos, agricultor, aecuzado
pelo crime de uzo do armas defezas, defendidos
pelo tenente Jos Bernardo Fernandos Gamo :
forao absolvidos.
Foi julgado oreo Joo Antonio de Barros ,
brazileiro, pardo, iolteiro, idade 25 annos, of-
ficial de ourives aecuzado por crime. de feri-
mentos leves, defendido pelo Dr. Feitoza : foi
absolvido.
Dia 12.
Foi julgado o reo Francisco Antonio Pereira,
brazileiro pardo, casado, idade 24 annos, agri-
cultor, aecuzado por complicidade em crime de
ferimentos) defendido pelo Dr. Cabral: foi ab-
solvido.
Dia 13.
Foi julgada a r Francisca das Chagas cre-
la forra, brazileira n5o (ixou a idade lava-
deira aecuzada por crime de olToncas fizicas ,
defendida pelo Dr. Cabral: oi absolvida.
Dfal5.
. Foro julgados em um s prooesso os reos Mi-
guel dos Anjos e Francisco Alexandrc am-
bos brazileiro o 1. pardo escuro idade 30
annos agricultor aecuzado por crime do fe-
rimen tos; o 2. pardo claro, casado, idade 26
annos agricultor aecuzado por crime de ar -
mas defezas defendidos pelo Dr. Macicl: foi
condemnado o 1/em 14 mezes do prizao sim-
ples e o 2. em 35 das.
dusldos pela patrulha de cavallaria que ali
(oi em dillgoncia ordem do mesmo subdele-
gado para esse llm, o qual contina na diligen-
cia do:expurgar o seu districtodoste flagiciodos
individuos ociosos evadios, dados ao furto ,
do quo elle abunda. As ultimas participagoes
de Iguarass referem que aquello termo so a-
chaem socego. Em Agoa Fra do Olinda (iz cap-
turar Antonio Pereira, o Jos Antunos, em vir-
tde de urna representacaS rernettida esta
secretaria pela qual me constou serem mal
procedidos costumados ao uso de armas pro-
hibidas, o ambos su=peitos do furtos de caval-
los e outros objectos que ali tem havido,
nao tendo propriedado nem modo de vida ,
correspondente as despesas, que erao vistos
fasor.
i O primefro casado; mas viva amancebado,
tendo abandonado a mulher ha muitos annos;
o segundo morava com o mesmo ha alguns
meses, ambos protegidos por algumas notabili-
dades do Olinda cistumadas a proteger, e
appoiar esta qualidade do gente ; o que veri-
que poraveriguaco policial a que proced nes-
ta secrelaria: os remetti hontem para a marinha
imperial por me persuadir estavao no caso de
acharalicorreccao no vigor da disciplina naval, e
ser istoconforme s instrueces de 10 de julho
de 1822 com a declraracao de suas e\cepc<3es,
estabelecidas no artigo segundo do decreto de 2
de novembrode 1835 em armona com o ai ti
go 11 das instrueces de 30 do Janeiro de 18*1.
Da comarca do Limoeiro porem tenho de com
maior pesar participar V. Ex., quo fraas-
Nasarcno ; entretanto ello nao apparece e &
comarca persiste tranquilla.
Quaes sao esses outros destacamentos man-
dados com marcha precipitada?
Nao so peja o intrpido de faltara verdade,
apesar dacertesa de que nem por momentos il-
ludo opacilico povo dosta provincia.
Recebemos no sabbado o Peridica doa Pobre
no Porto, cuja colleccao alcanca desde 16 de Ja-
neiro a 18 de abril; mas veio insomphta, fal-
tando alguns nmeros interpolados. Dos mais
recentes porem colhemos que nao havia altera-
co na marcha dos negocios polticos de Portu-
' gal. As cortes continuavo serenamente em seus
tiabalbos legislativos depois da prorogacSo de
que j demos noticia em o nosso numero de 10
docorrente. No dia 10 de abiil tinha tomado
assento na cmara o Sr. Manoe! Passos (Lepa*
tado do Uriente. Na sesso do mesmo dia foi
approvado o parecer da commissao de legisla-
cao sobro o processo do Sr. Celes'ino Soares ,
vencendo-se que ficasse suspenso do exercicio
das funecoesde deputado e que o mesmo pro-
cesso continuasso sendo remettido para a c-
mara dos pares aflm de sor por olla julgado.
Parece que a cheia do Douro havia cossado ,
segundo se doprehoiide dos ltimos nmeros
d'quello peridico quo j nao faz menead al-
guma de alteracoes uas aguas do mesmo rio.
LO-se no numero de 17 de abril:
Correu hontem na cidado o boato de se achar
concluido o tractado (com a Inglaterra) ; procu-
ramos averiguar a fonte de-ta noticia
. eemra-
sassinado o sub-delegado da fregu-sia do Bom j sullado soubemos ter urna casa inglesa receido
Jardim nos termos e com as ci cumstancias, carta de Lisboa pelo Veiuvio na qual se diz ,
que participa o respectivo delegado em seu ol- quo ao focha-la corra que o tratado se espe-
lcio de 13 do crrante hoje recibido que em ra brevemente concluido. Afirmaro-nos que
original levo com esta presenca de V. Ex.
Dos guarde a V. Ex. s.cridara da polica de
Pernambuco 17 de maio de 1843.II.m. e Exm.
Sr. Baraoda Boa-Vista Presidoiito da provin-
ciaO desembargador Domingos Nunes Ramos
Ferreira, chefo interino de polica.
oura casa inglesa recebera pelo mesmo vapor
carta em que se disia que lora ordem ao ba-
rao de Moncorvo para assignar o tractado. .,
RIO DE JANEIRO.
Na assembla provincial do Rio de Janeiro,
foi approvado por todos os membros presentes,
menos um o parecer da commissao especl
sobro o projectodeuma mensagem pedlndo am-
nista para os rebeldes de Minas e S. Paulo.
S. PEDR')DOSUL.
Porto Alegre, 6de abril de 1843.
Serve esta somonte de noticiar-lhe que acabo
do ver um oficio do coronel Jacintho Pinto de
Araujo Co reia de 3Q do passado dirigido ao
marechal Thormz, conmandante desta guarni-
Cao, em que Ihe eommunica que o baro de Ca-
xias no dia 20 fasendo montar 800 cagado-
res e deixando o resto da infantarfa com tu-
do quanto era pesado, parti co o os ditos 800
e mais 2,500 homens de cavallaria sobre os re-
beldes queja tinha noticia que ellos estavao
em S. Dogo que os rebeldes retiravo-se e
que elle ia em sed seguimento para a Coxilha de
Santa Anna para onde ellos so encamnha
O Jacintho Pinto com 0 resto do exeidto ,
flcou fortificado no rinco do Telina, prximo a
S. Oabriel o dizque, nenhum receio tam dos
rebeldes, ainda quevenhaS todos reunidos.
Com este plano e deliberuco do barSo talvez,
consiga alguma cousa nao os deixando parar, I
porque u o de-sjGras. les suiis c JSar lugar i iluribeca peio respectivo sub-delegado, e con-
POLIOIA.
Illm. iExm. Sr.Das partes ofRciaes das
delegaturas desta provincia e do commandan-
te do corpo policial remettidas a esta secreta-
ria at esta data, consta que na comarca doGa-
ranliuns fjro presos alguns criminosos pro-
nunciados ; mas que a comarca se acha em
tranqullid'ade. Em igual estado se achoas de
Flores, Brejo .Bonito, Santo Anto e Golan-
na. De Nazareth tinha chegndo o destacamento,
commandado pelo primeiro osMmandante Jos
Rebello Padilha e nada tinha occorri Jo que
alterasse o socego publico.
Siniilhantemente da comarca do Cabo par-
ticipa o respectivo delegado achar-se em com-
pleta tranquilidade tendo sido presos apenas
alguns individuos por uso de armas prohibidas,
e alguns outros por vadios, suspeitos de furtos,
e oulroscrimes policaes dos quaes alguns tem
sido recrutados e remfttidos'' A comman-
dapte das armas ; e outros capturados n* Ven-
da Grande eem outros lugares da freguesia de
Replicando ao que declaramos no Diario de
17 deste mez sabio o intrpido no D-n. de 19 af-
irmando que o Cabo est em armas, e ali
dous partidos se extremo : que o irmo de
S. Ex. acaba de pdr-se em armas para ag-
gredir o sub-delegado do Moribeca tenente-
coronel Agostinho Bizerra, que este reuni
forcas oceupando pontos desdo a Venda
Grande at a ponte d>s Carvalhos; qu S.
Ex. mandou toda preca 25 homens de ca-
vallara, dous plenipotenciarios para faserem
a paz.
Dous partidos se extremo no Cabo: o irmo
de S. Ex. vai aajrcdir o Sr. Agostinho Bizerra!
En ta xpie partidos sao estes e a qual delles
pertcnce o Sr. Agostinho Kiserra sub-delegado
da conlanca deS. Ex.? A qual pertence o ir-
mao de S. Ex. ? Que partidos sao estes, em que
S. Ex apparececomo o mediador da pa-? Quaes
foro estes plenipotenciarios? Assim grosseira-
raentese illude o publico I O sub-delegado de
Moribeca um dos melhores agentes de polica
quetum a provincia, perseguidor de ladres de
cavallos e de todos os criminosos tomou al-
guns cavallos e perseguio diversos ladros.
Soube depois que urna quadrilha destes malva-
dos pertendia atacar a Venda Grande, faserrou-
bos e assassinar alguns individuos que os ti-
ahao denunciado e concorrido para a appre-
hensao de cavallos furtados rene forca do
destricto e pede alguma de cavallaria ; S. Ex.
e o chefe de polica mando esta forca, que se
recolhe depois de ter ido a noite a Venda Gran-
de c prendido alguns suspeitos de pertence-
rem quadrilha. i Sr. Agostinho Bizerra con-
tina incansavel em diligencias nocturnas e
tem prendido mais alguns ; as mismas diligen-
cias faz o digno sub-delegado dos AITogados, co-
mo consta das parles olliciaes. Eis o tacto, que
o intrpido adultea como costuma, para fa-
sercrer fra da provincia que suas vosea so-
ladas acho echo nella.
Ainda depois da publicaco da parte offlcial a
respeito de Nasarcth levanta o intrpido que
a comarca esta prxima a por Pernambuco em
desgraca com a publicaran do Nasareno, que
oareceo Missias at lioie esperado pelos iudAoo
mais de tret meses, que nos amcacao como
Com municado.
TT-
Em todos os lempos, em todos os lugares,
quema Religio quer na poltica a primea-
ra qualidade que se procura imprimir nos
objectos ielativos aos diversos systemas sen
contradicco a estabilidade, como um principio
universal de ordem, e de felicidad? geral. Es-
ta verdade salta aos olbos. Mas quanto nao ad-
mira ver, que um partido, que se diz daop-
posico, no nosso paiz espalba em os seus
peridicos, urna doutrina iuversa esta mes-
ma verdade! Entretanto que a opposicao nosys-
teina constituciosal considerada como ella
deveser se pode chamar a ancora de salvaco
do estado as vacilaces tempestuosas dos di-
versos interesset privados que naturalmente
so cliocao com os interesses geraes. A op-
posicao pois ; tomada oeste sentido contem ,
e segura a Nao do Estado qundo esta se a-
cha errante e em perigo de se perder. Mas
o opposicao de Pcrnuuibuco actualmente pe-
lo contrario a faz vacilante e a poe em pe-
rigo quando alias se vai contendo e se apro-
ximando da salvaco pelo nico principio de
estabilidade, quedealgum modo ja vai vigo-
rando nos nossos negocios.
O Presidente de Pernambuco ( diz op-
posicao ) nao pode mais govemar a provincia,,
por que tem perdido a forca moral, pelo multo
tempo que ja governa. No systema constitu-
cional um bom Presidente nao deve governar
mais que 3 annos e conservando o GovertMi.
Geral o Exm. Baro por mais deste tempo,
claro que se acha em um erro contra os prjttot*.
pos constituciones. O Presidente tem serii-
u>> este cargo no espaco de 5 annos, com 4 mi-
nisterios successivos, sendo estos oppoatasemt
principios uns aos outros logo, o Presidente
deve ser considerado como um borneo, sol
principios certos e por consoquencia indigno
de governar. Eis aqui todo o lundameuto da
doutrina da opposicao e tudo mais com que
faz tanta bulha bao corollarios mais o ame-
nos desenvolvidos, mais ou menos temerarios,
O principio jjois de estabilidade para a oppo-
sicao contrario a poltica um erro ;
mesmo um mal irreparavel. O goveroo que
servp ha mtiiloa atinne minia r... ~_i .
o governo nao pode servir bem mais de 3 auuif


o govemo, que serve com muitos ministerios,
nao tem principios certos. Isto e tudo quan-
to se pode pregar de subversivo da ordem e da
felicidade pulilica.
Homens da opposicao que vos deslumhris,
pelo Talco esplendor do interesse, que vos
domina : o principio de estabolidade o pri-
miro carateristico da Roligio de Nosso Senhor
Jess Christo; seos dogmas sao immutavois',
seo-governo vitalicio, e sompre constante
desde a fundaco da igreja as pessoas de seos
Apostlos representados pelos bispos : os seos
ministros jamis sao despidos deste carcter ; o
baptismo o matrimonio eoutros sacramen-
tos sao indissoluveis: e se por ventura o* seas
bispos sao m uta veis, nao seno pelo desejo de
se cstabelecer taes que sejo estaveis. O
Mahometismo a Idolatra o Judaismo e
mitras muitas religides todas se prelendom
eternizar ; seos preceitos se dizem immutaveis:
e provalecendo como prevaleccm tantos po-
vo< no erro e na desgraca de nao seguirem a
ReligioChristaa, ainda assiin a ostabelidade ,
em que se firmio, Ihes impresta um consolo
da hondada de suas religides.
H >mens da opposicao que vos deslumhris
, pelo falso esplendor do interesse que vos do-
mina entrai comigo na poltica e vos vos ca-
chareis em completa contradieco. Sois monar-
chstas constitucionaes ? vos assim vos intitu-
laos. E fjual a hon lade dessa forma de gover-
do seno a maior estabiliJade possivel que
fe ha imprimido nos seos elementos compa-
rativamente as outras formas? Nao vedes que
o Monarca ( fallemos de nosso systema ) que
entre nos representa a nacao em todos os ra-
mos do poder, hereditario? e que lodos os
ele tientos, tendo a sua origem secundaria no
mesmo Monarca pela sua maior, ou menor
influencia em todos os ramos, consecuente-
mente devem ter um carcter de estabilidado ,
ainda qus debaixo de diversas condices ?
Essa mesma liberdade que tem o Monarca
de nomear, e demittir quando bem Ihe pare-
cer os ministros de estado urna garanta
dessa mesma estabilidado de que carece o mi-
nisterio : por que encontrando o Monarca mi-
nistros de sua confianza pode Elle em seo
direito os conservar por toda sua vida. Isto
praticavcl para com os presidentes de provincias,
cuja nomeaco e demisso indefinida, como
as dos ministros de estado. O temporario e
o provisorio de alguns funecionarios que se
nrli.lo estahelicidos pela constituidlo e leis
administrativas, nao tem outro fundamento ,
que a mesma estahilidade. Serve hem um
desses funecionarios ? reeleito por toda sua
-vida: por que so a le estaheleceo o principio d j
amohilidade pira certos empregos ella ao
mestn ) tempo determino)] o principio da reelei-
cao ouda reconduco dos empregados que
hem servirem. Nao conoceris vos individuos,
que entre nos mestms tenhao sido deputados ,
ou que tenhao servido outros empregos amovi-
veis, porsu rcessivasreeloices, enomeacoes? e
porqueassim acontece? nao pelo fundamen-
to do svstema que nos rege ? Logo sois
contradictorio, quando queris, que, na Mo-
narchia constitucional, que adoptaos, seja de-
mittid^ o Exm. Presidente ; porque no syste-
ma constitucional so nao pode governar bem ,
sen5o por trez annos; porque o Baro ja go-
verna ha milito tempo ; por que tem servido
com 4 ministerios successivos.
Ainda mesmo em um governo republicano ,
cujos elementos sao temporarios, esse prin-
cipio de instabilidade que se prega na oppo-
sicao seria essencialmente oppostos e sub-
versivo da ordem. Por quanto essa mesma theo-
ria quo acabamos do explicar sobre a amohi-
lidade de alguns empregos ntrenos, tem to-
da aplicacao nos governos republicanos. Nos
Estados-Unidos, eem muitos outros governos
democrticos tem-se visto perpetuar os em-
pregados de governanca em alguns individuos ,
por successi vas nomeacoes e reeleices. E o que
isto, seno a pratica desso dogma sagrado a
estahilidade ?
Nos mesmos governos despticos e principio
de estabilidado tem algumas vezes servido de
Unitivo eos povos que Ibes sao sujeitos. A
cooservaco de um Mrquez do Rombal no mi-
nisterio portuguez outorgou o Portugal mui-
tos melhoramentos de que ainda boje goza.
Que me diz pois a opposicao em boa f ? ne-
cesariamente hade convir, em que tem erra-
do. O Exm. Baro se tem governado ha
milito tempo a provincia porque o Governo
Imperial nelle tem achado os requisitos neces-
sarios para o representar dignamente em Per-
nambuco. Desde a nossa Independencia (ha
21 annos ) esto provincia tem tido 14 presiden-
tes exclusive os vice-presidentes que servi-
rao : oeste espaco de tempo tem o Exm. Barao
servidoo annos; e nenhum dos seos antecesso-
res servirSo tal vez mais de dpis annos. E por
ju<; osla iiierenca i uer peas mudencas dos
ministerios ? nao : por que o Exm. Barao tem
servido com 4 ministerios successivos. Para
nao olTender a ninguem direi que o Exm.
Barao n'o tem tido mais sabedoria do que os
demais presidentes, seos antecessores, porm
tem tido mais resignaco o constancia as
adversidades da patria; mais disposicoes, e
execuco nos seus planos governativos; mais
promptido na oxecu ;o das ordens do Monar-
ca ; e finalmente lern tido um geto inexplica-
vel.emagradar ao pobro.ao rico, e ao poderoso.
A obrgacao essencial do um presidente de pro-
vincia, consiste em executar e fazer exeoutar as
leis sustentar a monarchia a constituidlo .
e integridado do imperio. Que se importa pois
um presidente com as diversas polticas dos ga-
binetes quando tolos tendem & este lim. Por
ventura a opposicao ja provou quo algum dos
ministerios, dos que tem servido com o Exm.
Barao tivesse outro lim que nao fossse o a-
cima espendido I Ainda assim um destes mi-
nisterios pareceo ao Exm Barao, que nao mar-
chava bem. Que fez elle ? pedio sua demis-
sao que Ihe foi dada. Ora merecer o e-
pitheto de falso de principios quem assim o-
bra ? s a maledicencia ser capaz de inspirar
um til pensamento. Governe pois o Exm.
Barao toda a sua vida se isto Ihe convier de-
baixo das mesmas condices com que at hoje
tem governado : e praza aos ceos que o nos-
so Monarca eos seos ministros jamis seaf-
fastem do principio do estahilidade de que ja
tem dado alguns exemplos. Firme-se esta ideia,
a patria ser salva.
RIO DE JANEIRO.
Cambios no dia 6 de maio.
Prego da ultima hora da tardt.
Cambios sobre Londres..... 25 V 25
Paris....... 370
Hamburgo... 700.
Motaos. Dobres hespanhoes. 32$000.
Correspondencia.
Srs. Redactores.
Tendo ao municipio do Recife sido unida a
freguezia do Posso da Panella que antes par-
tencia ao municipio de Olinda e tendo por
conseguinte-a cmara do Recife de nomear um
fiscal para aquella freguozia no posso con-
servar-me silencioso acerca do estado desgracia-
do da mesma, relativamente a inobservancia e
iosprozo das posturas policiaes; e julgo occa-
sio opportuna para despertar a attencao dos
membros da cmara d'este municipio sobre a
oscolha do fiscal que tom de ser nomeado.
Se o interesse publico e utilidade dos ha-
bitantes he a hussola que deve dirigir a c-
mara municipal na escolha de seus empregados,
sem duvida as mesquinhas id'as de proteccao
dcsaparecero, esero nicamente o mrito, o
utilidade publica as rasos que devem influir
na escolha do fiscal.
As tabernas, os acougues, as cercas, as ras,
e estradas em fm tudo quanto est sugeito a
juris lico dos liscaes pa ten tea que naquella fre-
guzia s existe tal emprego em nome : tudo
alli se ressente do mais absoluto e completo
abandono ; pois que a demaziada bonomia ,
moderacfio e quasi indiflerenca do fiscal ac-
tual sao inteiramente incompativeis com os
encargos do lugar : e se este ostado lastimavel ,
como podem afirmar todas as pessoas que fre-
quentao aquellos lugares ; se parece que tal
auoridade nao existe apezar de estar nomeuda,
e residir no districto serao aquelles habitan-
tes mais felizes somente por determinar urna
lei, que a supradita freguezia fique pertencen-
do ao municipio do Recife ? Nao de certo. Se-
rao sim mais felizes, se acamara municipal
attendendo ao interesse e vantagem dos habi-
tantes (.'aquella freguezia e dospindo-se des-
tas id -as de protecao com que tantas vezes se
apadrinhao as injusticas mostrar, que nao he
a custa do publico, que se azem favores no-
meando para fiscal urna pessoa de mais respeito
naquelle lugar e que seja capaz de afrontar as
iras de tantos contraventores : outro qualquer
individuo que carecer d'estes requizitos nao pas-
sar d'um triste e miseravel espantalho tao
intil como se nao existisse.
A vista d'estas rasoes esperamos, que a c-
mara municipal nao inutilisar nesta paite a
vantagem, que se espora da separadlo d aquella
freguezia do municipio de Olinda.
Tenhao Srs. Redactores a bondade de darpu-
blicidade a estas poucas linhas com o que Ihe fi-
cara assaz agradecido. morador do Pono
da Panella.
COMMERCIO.







31,800a 31,850
18990 a 2,000.
18970.
da patria....
Pezos hespanhoes...
da patria....
Pecas dotSWJOvel lias 16,900a 16,950
de novas 16,500.
Moedasde 48000... 98350.
Prata........... 106/ a 107
Apolices de 6 por cento..... 71'/
PRAQA DO RRCIPE 20 DE MAIO DE 1843.
Revista mercantil.
Cambio Houvero algumas transaccoes a 25
V* d.
Algodao Tem havido poucas entradas eos
precos regularao de 48900 a 58000
reis a @ sendo o ultimo por parti-
das escolhidas.
Assucar As entradas foro deminutas, e as
vendas foro regulares a 18100 reis
por (ffi sobre o forro, em caixas, 28400
a 28600 em ( do b raneo embarric -
do e 18700 o mascavado dito.
Couros Foro menos procurados por 130 rs.
a libra.
Sola Vendc'o-se de 18600 a 18800 o meio.
Agoardente cachaca dem de 328 a 408000
reis a pipa.
Bacalhau Nao ha em primeira mo, e tem-se
vendido a retalho a 118000 reis a
barrica.
Barricas vazias em pVendero-se de 640 a
700 reis cada urna.
Carne socca O consumo tem sido lemitado, e
' preco de 28000 a 28600 a @, exis-
tindo 50,000 ( no porto.
Carvao de podra Vendeo-se a 88000 reis o
quintal.
Farinha de trigoO carregamento chegado l-
timamente est-se retalhando a 228
reis a barrica a marca SSSF e a
18000 reis a marca SSF e o de-
posito de 1,700 barricas.
Farello Vendeo-se a 3,000 rois a barrica.
Louca ingleza ordinal ia dem a 190 por
cento de premio sobre a factura.
Manteiga dem de 540 a 560 a ingleza e
500 a 520 reis a franceza.
Velas de cebo dem a 240 a libra.
Existem no porto 53 embarcaedes.
Movimento do Porto.
Navios entrados no dia 19.
Rio de Janeiro ; 17 dias brigue inglez Eliza
Kincaid, de 300 toneladas, capitulo B.
Brown eq jipagem 13, carga kstro : Or-
dem.
Porto ; 27 dias, brigue portuguez Primavera,
de 270 toneladas capito Jos Carlos Fer-
rcira Soares, equipagem 20, carga varios g-
neros : a Antonio joaquim de Souza R-
beiro.
Navio sahido no dia 19.
Pesca ; galera ingleza Java capito G. Lae ;
com a mesma carga que trouce.
Sahidos no dia 20.
Ass ; patacho hrazileiro aurora Feliz ca-
pito Manoel Balbino de Freiias; carga las-
tro.
Maranho ; brigue inglez Vesta capito Ge-
orge Shearw carga lastro.
Tenente-coronel Domingos de Souza Lifio.
Francisco Luiz Maciel Vianna.
Antonio de Souza.
Ton. de Paula da Silva.
Sergio de Mattos.
de Assis Campos Cosdem.
Jos Rodrigues.
Goncalves Bastos.
Dias Ferreira.
Joo Dias de Carvalbo.
Jos Xavier Faustino Hamos.
Covdeiro de Carvalbo Lei te.
Romualdo da Silva.
Pereira da Cunha.
Joo Cardozo Ayres.
Jos Machado Freir Pereira da Silva.
Lopes de liveira.
Guedes Salgueiro.
Joaquim de Santa Anna Fres.
Lourenco da Silva Jnior.
Joo Manoel Miguis.
l)r. Jos dos Anjos Vieira de Amorim.
Ignacio dos Reis Cam pello.
Joo Antonio de Figueiredo.
Dr. Jos Antonio Pereira lbyapina.
Joo Jos de Carvalbo Moraes.
Joo Carneiro de Albuquerque.
Joaquim Corruia de Araujo.
Jos Thimotio Ferreira Bastos.
Pacheco de Queiroga.
Edaes.
Jacome Gerardo Mara Lumacki de Mello es-
crivo d'alfandega, servindo de inspector da
mesma &c.
Faz saber que no dia 22 do corrente mez se
bao de arrematar em hasta publica ao meio dia
na porta d'alfandega 5 cartees com thezouras,
apprehendidas pelo guarda da meza do Consu-
lado Jos Goncalves da Silva Bastos no valor
de 15$ rs.: sendo a arrematadlo livre de direitos.
Alfandega 20 de maio de 1843. Jacome Ge-
rardo Marta Lumacki de Mello.
Alfandega.
Rendimento do dia 20......... 13:1798555
Descarrego hoje 22.
Brigue Thomaz Pathersey maquinismo ,
e taxas de ferro.
Barca Felice carvo.
Rarca Venezia farinha, feijao, sabo a-
zeite, e velas.
Barca Prescilla lazendas (o resto).
O Dr. Francisco Carlos Brando delegado do
1. destricto do termo do Recife e supplen-
te do juiz municipal da segunda vara do mes-
mo termo, dic.
Faco saber que pelo Dr. Vicente Ferreira Go-
mes juiz de direito interino da 1.* varado
crime, me foi feita a participaco de haver nes-
te termo convocado para odia 7 dejunhodo
moz prximo vindouro pelas 10 horas da ma-
nha a terceira sessao ordinaria dos jurados
deste anno para a qual sabirao sortiados os
quarentae oitosenhores que seseguem
Antonio I pnnilrn fin STS.
Claudino Benicio Machado.
Domingos Jos Martins Vieira.
Luiz Francisco de Barros Reg.
Manoel Jos de Souza Carneiro.
Carlos da Silva Fragozo.
Ribeiro da Fonceca Braga.
Antonio da Silva Motta.
Carneiro Pessoa de Lacerda.
Joaquim Pedro da Costa.
Goncalves da Silva.
Zoferino dos Santos.
Paulo Quiniela.
Antonio Simoes do Amaral.
Jos de Azevedo Amorim.
Jos dos Santos.
Vital de Mello Albuquerque.
Vicente Ferreira Gomes.
Os quaes ho de servir durante a referida ses-
sao, para o que esto pelo presente edita! con-
vidados devendo comparecerem,..assim como
todos os interessados no dia e hora designado ,
sol) as penas da lei se altarem. E para que che-
gue a noticia de todos mandou lavrar o presen-
te que ser publicado pela imprensa e afixado.
nos lugares mais pblicos deste termo. Recife
18 de maio de 1843. Eu Jos Affonco Guedes
Alcanforado, escrivo oescrevi.Francisco
Carlos BrandSo.
Deca racoes.
Perante a administradlo do patrimonio dos
orfos se bao de arrematar a quem mais der ,
por tempo de 3 annos que ho de ter princi-
pio do 1. de julho do corrente anno ao fim de
junbo de 1846 as rendas das seguintes casas:
Em terceira fraga.
N. 2 na ra do collegio.
12 do Sebo do bairroda Boa-vista.
14 do lio/ario dito.
35 da Madre de Qeos(do b
<( 36 a
38
40 da Lapa.
42 do Codorniz.
45 da Moeda.
46
47 ((
48 do Amorim.
49
50 k
u 51 Em segunda praga.
52 c
53
54
55 a
56 a
57 c do Azeitu de Peixe.
58 a
59 a
60 a
61 Em primeira praga.
*66 ra da Cacimba.
a 67
68 do Burgos.
69
72 a do Vigario.
74 do Encantamento.
75 a
76
78 a da Sanzalla velha.
81
As pessoas, que se propozerem arrematar di-
tas rendas poder comparecer na casa das ses-
soes dadita administradlo no dia 22 do cor-
rcri'ic MM a quairu huas (ia arde com
seus fiadores ; e adverte-se aosinquelinos que
9* acbarem devendo rendas atrasadas, que ou


nfio aceito seus leos, e nem por isso se lhes
dar preferencia ao lanco que or offerecido.
Sala das sesses d'administraco do patrimonio
dos orlaos 20 de maio de 1843.J. M. de
Cruz escripturario.
O Vapor S. Salvador rocebe as malas
para o Sul amanh ( 23 ) as 8 horas do dia ,
dependo as correspondencias acharem-se na
respectiva caxa geral t hora antis da entrega.
Em consequencia de ordem doSr. inspec-
tor do arsenal de marinha desta provincia faz -
sii scienloa quem convier que a 2/ arrematadlo
do casco, mastreaco vellame e cabo do a-
parelho real da escuna Lebre teri lugar no dia
22 do corrente e a 3.a arremataco no da 23
domesmo. Inspeccao do arsenal de marinha de
Pernambuco 20 de maio de 1843.
No impedimento do secretario
ChristovSo Santiago de Oliveira.
= O administrador da meza da recebedoria
'das rendas geraos intornas, tendo por muitas
vezes convidado pelos Diarios os moradores do
bairro do Recifo e S. Antonio para virem pa-
gar osirapostos doflscravos, decima do mo
morta, seges e canoas, ninguem tem appa-
recido ; por sso pela ultima vez annuncia que
atofim do corrente ospera para que ven bao
pagar ; por ja se acharem promptas as retacos
paraserem remetidas para juiso no 1. de junho
prximo vindouro Recebodoria 19 de maio
de 1843. Francisco Chavier Cavbante de
Albuquerque.
Perante o juizo de orfos o auzentes desta
dado so ha-de arrematar as tres pracas se-
guintes dos dias22 25 e 29 urna loja de fa-
zendas o movis pertencentes a testamentaria do
finado Antonio Josa Vioira de Araujo cujos
bensvo a praca a requerimento do testamen-
teiro e cotn condices as constantes dos escri-
tos que se acho em mo do porteiro.
Avisos martimos
Para Lisboa no dia 29 do corrente o mui-
to acreditado e velleiro brigue portuguez Con-
ceicSo de Mara de que he capto Manoel da
Costa Neves; ainda tem lugar para alguma car-
ga e passageiros: trata-se com o scu consigna-
tario Francisco Severiano Rabello, ou com o ca-
pitic, na praca do Commercio, ou a bordo.
Leilo,
ji beneficio d'uma orf menor.
O corretor Oliveira continuara segunda
feira 22 do corrente, na ra Nova loja do relo-
joeiro Fatton.o leilo do espolio do finado Per-
ret, consistindo em relogios de cima de meza ,
e d'algiboira e joias trastes livros, e instru-
mentos do relojoeiro, e oservico dedoisescra-
VOS &c. &c.
O corretor Oliveira (ara leilo por conta
e risco de quem pertencer de grande e variado
sorlimento de fazendas inglczas, froncezas&c. ,
de seda l, ealgodo; terca feira 23 do cor-
rente s 10 horas da manh em pono, no ar-
iiia/.ein que fui do Sr. Stwart na ra da Cruz.
Avisos diversos.
s= Tiro-se folhas corridas, e passaportes
para dentro e fra do imperio ; assim como se
copia todo, e qualquer papel tudo por proco
muito commodo; quem pertender dirija-so a
ra do Rangel n. 34.
__ Quem procizar de um homem para feitor
do engenho do que ja tem bastante pratica ,
annuncie ou dirija-se ra da Guia na casa
de pasto.
__ Precisa-se de um rapaz portuguez de 16
a 18 annos, para caixeiro; na ra Novan. 31.
__ Urna pessoa se oll'erece para ensinar pri-
meiras letras, e principios de grammatica la-
tina e francez em algum engenho ou cer-
to ; a quem convier annuncie.
Oabaixo assignado faz constar a quem
convier quedo dia primeiro ao ultimo do mez
de junho vindouro sao contados os trinta dias
marcados na lei para, o pagamento i boca do
cofre da decima dos predios urbanos dos tres
bairros desta cidade, e povoacao dos A (Togados,.
do segundo semestre do anno financeiro de 1842
a 1843 eque findoesse praso seri ajuizados
todos osdevedores pelo principal e juros na
forma do art 38 da lei provincial n. 94 do an-
no prximo (indo : outro sim que tendo dei-
xado alguns propietarios dos referidos tres bair-
ros desta cidade e povoacao dos Aflojados de
satisfazer as decimas que ddvem desde o anno
financeiro de 1833 a 1834 at o presente, que
igualmente se .ai remetter para o juizo compe-
tente a relaco deseus dehitos para se proceder
Meza de rendas internas pro-
, r- Arrenda-se um sitio com casa grando do
tijollo tem alguns arvoredos de fructo e
bastante grande para plantar, o tor vacas de lei
te, pois tem bom pasto, e muito perto da
praca e tem porto de embarque ; quem o per-
tender annuncie para ser procurado
Aluga-se um sobrado de um s andar,
com quintal morado boa cacimba e muito
bonscommodos para familia na ra dasTrin-
cheiras ; quem o pertender alugar falle na ra
da Gadeia do Recife n. 25 primeiro an lar.
Quem precisar de um rapaz, para cri-
ado annuncie.
D-se didheiro a premio em pequeas
porces, na ra do Cahugi loja de miudezas n.
5 com penhores de ouro ou prata.
Aluga-so urna loja na ra estreita do Ro-
zario junto ao sobrado, que se est fazendo ;
na ra do Livramento n. 1 4.
Qualquer Sr. que precisar de um ca-
pello particular nesta praca falle na ra do
Livramento n. 14 ou annuncie.
Na ra da Somalia Velha, padaria n. 98,
preciza-se de um preto das 4 horas da manh ,
at o moio dia; quem o livor dirija-se mesma
pad tria.
=Os abaixo assignados administradores da ox-
tincta casadeRobertsPolly & Gompanhia, pelo
presento annuncio fazem sciento aos Srs. devo-
dores a mesma casa que no praso do tres me-
zes da presento data, hajo de remir os seos d-
bitos com os referidos administradores para
se poder ultimar a liquidaco final, e termina-
do quoseja o prazo cima os administradores
faro publicar pelos Diarios a lista dos deve-
dores e sua quantias, para serem arrematadas
em hasta publica a quem mais der. L. A.
Dubourq Jos Antonio Alces da Silva
Guilherme Esmeth.
Um homem de capacidade olTerece o seu
prestimo para qualquer administrado de no-
ocio do que tem Instante piat'ca e rnesino
para cobrancas; quem o pretender dirija-so ao
e o lo Sarapatel, n. 12.
=0 Dr. Joo Ferreira da Silva vai ao Rio
de Janeiro.
Lotera da matriz da Boa-vista.
As rodas desta lotera correm impreteri-
velmente no dia 23 do corrente, vendo-se, ou
nao so vendo o restante dos bilbetes, e os
quaes se acho venda nos lugares do cos-
to me.
= Francisco Joo de Barros retira-sc pa-
ra Portugal a tractar de sua saude e declara
que nada fica devendo em Pernambuco alm de
obsequios e obsequios que bem gravados se
acho no amago do seu coraco pelo que se-
r eternamente grato aquellas pessoas que to
generosamente Ih'os tem prodigalisado.
= Aluga-se a casa que serve de theatro
nesta cidade com os utencilios que constar do
inventario; quem a pretender dirija-se a ra
larga do Rozario n. 18.
= Aluga-se um segundo anclar, e um gran-
de soto na ra da Moeda n. 9 com muito bo-
nita vista para o mar, e grandes com modos pa-
ra familia ; quem o pretender dirija se loja
de Joo Mara Seve & Flhos na ra da Ca-
dea do Recife.
Precisa-se de duas e meia caadas de
muito bom lete que possa estar s 6 horas
no botequim da Estrella, defronte do caes do
Collegio.
= Achando-se na mo do porteiro pelo qual
vai praca por execuco de hypothecas o sobra-
do do atierro da Boa-vista de Manoel de Souza
Rapozo cujo edificio estando no importe de
20:0008000 reis ao seu proprietario ; oi ava-
loado no 'deminuto valor de 12:0008000 reis ;
este edificio bem conhecido, tanto pela sua
situaco como pelo gosto com que foi feito, pois
nem s a delicadeza da mo d'ohra como as
qualidades dos materiaes que nella se empresa-
rao a dvem elevar a seu justo valor, e para
melbor conhecimentose faz a declaraco seguin-
te, que pode ser examinada pelos pretendentes :
foi edificada em 1840 a 1841 tem 34 palmos
e meio de largura e 120 de fundo com dois
travejamentosda melbor qualidade com palmo
e/n quadro e esquina viva e o assoalho que o
cobro de taboas escolbidas tanto na qualida-
de como na perfeico po s sao izentas de todo
o deleito e iguacs tanto em largura, como em
comprimento e por esse motivo nao mostra e-
mendas nem caberas de pregos, nem tem a
berto, pois a soquido das t.iboas izentro esse
defeito a salla da frente de toda a largura da
casa, e quadrada, com rmpante de taboas de
amarello de tres palmos de largura na frente
tem quatro portas dobradas para unir aos aliza-
res quando aberlas, e com varando de ferro so-
bre sacada de pedra de lisboa e e forrada de
amarello a salla interior da mesma largura ,
com duas jancllas, e urna porta de igual feitio
das da frente, com varanda de f jrro sobre sac-
cada de pedra de Lisboa quatro alcovas gran-
des, corredor no meio, e um grande auarto .
andar cora trapeira de varanda de ferro, sobre na cora na cabeca, falla como se fosse crelo :
saccada do pedra de Lisboa com vista muito ele- Paulo Angola, cor fula, idade 40 annos altu-
ganle ecozinha com fogo inglez mais um j ra ordinaria grosso do corno pernase bra-
grande quarton corredor da escala, urna grando eos finos mos e ps pequeos equasi sem
loja ladrilhada do mirmore, assim como o cor- unhas he atravessado no fallar : sendo alguna
redor, o um grande telheiro no quintal, com fo- \ dos prezos destes signaos poder o dito Sr. dele
gao inglez, o forno meio e estribara promp- gado mandar entregar ou fazer aviso a Joa-
ta cacimba propria toda murada oites do- Iquim d'Annunciaco Siqnoira Varejo mor-
banlos e livres cuja vantagem muito favora- dor na ra Volha n. 91 do bairro da Boa-vis-
vl aocompiador, o predio todo guarnecido ta que alm do obzequio da justica satisfar
por cujos commodos e prefeicoes foi avahado toda a despeza do costume e lei.
pelo colector em 1:2008000 reis de renda. A pessoa que no Diario n. 108, annun-
= Aluga-se o armazem do sobrado n. 15 da ciou ter duas negrinhas urna de 7, e outra de
ra da Cadeia do Santo Antonio, o qual bas- 8 annos para trocar, e urna linda mocamba;
tante grande, e ptimo para qualquer estabe- queira ter a bondade do dirigir-se ao sobrado no
locimento; quem o pretender dirqa-se ao se- atierro da Boa-vista n. 1 onde acbar com
gundo andar do sobrado cima, das 9 horas da quem tratar negocio com a de 18 annos
manh s 4 7 da tarde No mesmo sobrado aci- Francisco Jos Rodrigues, pertende ira
ma, aluga-so o segundo andar do sohiado da Corte do Rio de Janeiro a tractar dos seu*
esquina, que volta da ra larga do Rozario para particulares.
o qual do muito
a estreita do mesmo nomo
commodo preco.
= Quem precisar de um possoa capaz para
caixeiro le engenho o dirigir ao mosmo tem-
po urna grande destilaco por ter disto bastan-
te pratica dir jase a ra Nova n. 67
\ = Na loja de Garnier relojoeiro na ra
Nova n. 22 acha-se um grande sortimento de
obras deor que ello acaba do receber pelo
navio francez Camelia consistindo este em a-
derecos, brincos, allinetes, e pulceiras tudo
rravado de hrilhantes, opalas, pcrolas e rubins
do ultimo gosto correntes para senhoras, re-
logios de ouro e de prata, cadeiazinhas para re-
logios. caixas de muzica, &c. &c.
Drcco muito commodo.
Lotera de N S. do Livramento
As rodas desta lotera ando imprcteri-
velmente no dia 30 do corrente e os bilbetes
acho-se a venda nos lugares ja annunciados.
= Segunda vez se roga ao Sr Joaquim Jo-
s de Pinho morador que foi do A (Togado ,
me queira quant antes aparecer na ruadaCon-
ccicSo da Boa-Vis'a n. 43 a fim de dar com-
primento ao que nao ignora visto ser tempp
sufliciente de espera.
O curiozo que costuma tirar as cartas
vindasdo Porto para o a'-aixo assignado haja
de mandar-lbas entregar, pois j nao sao estas
as primeiras se nao Ihe (arei scu nome paten-
te nesta folba.
Teixeira j Andrade, previ nem ao respei-
tavel publico que Jernimo Ribeiro Rozado ,
deixou de ser seu caixeiro desde o dia 20do cor-
re i. te.
Quem annunciou querer comprar, Ele-
mentos de Eucli les e a Historia eclesistica
em latim, dirijase ra das Cruzes n. 34.
= Annuncia-se ao publico que o sitio do
manguinho pertencente ao cazal da finada Jose-
fa situado defronte do sitio do desombargador
Maciel Monteiro, pertonce tambem a uns me-
nores, portanto quando qualquer herdeiro des-
se cazal queira vender a parte que tem saiba
qualquer comprador quedeve ser respeitada a
parte dos menores que represento um herdeiro.
Francisco Martins do Lemos fazseicnte ao
publico o principalmente a seus devedores qua'
o seu caixeiro Joaquim Pinto da Gunha desap-
pareceo no dia sabbado 20 do torrente le-
vando o dinbeiro que nesse dia havia cobrado ,
c ja tem descuberlo recibos anteriores por onda
e tudo por conbece o annuncianto achar se roubado ja de
mais tempo, por isso protesta nao levar ne-
nbun recibo em conta passado depois do dia da
fuga.
= Precisa-se alugar neste bairro urna cata
terrea que tenha quintal, c cacimba, as ra
seguintcs patio do Carino, ra de Hurtas, A-
goas-verdes ra das Flores, patio da Ribeira;
quem tiver dirija-se ao patio da Ribeira de S.
Antonio n. 19, ou annuncie para ser procurado.
= Pirante o I bu. bt. Dr. juizde orlaos se ha-
be armatar em praca publica urna pro-
predade no lugar dos Remedios defronte da
igreja com excellte casa de pedia e cal eoi-
lesdobrados tendo 80 palmos de fundo, a
40 de frente cosinha fora e duas casinhai
de taipa no mesmo sitio para cscravos, 250
palmos de terreno proprio tendo de mais lu-
gar para dous viveiros e mais de mil palmos
de fundo forno pequeo paracozer louca a
grando de tijollos oe alvenaria e olaria ja
tendo bavido 1.* praca e altima no dia se-
gunda feira 22 do corrente.
= Antonio Cabral, subdito portuguez, ret*
ra-se para Portugal.
O
ejecutivamente.
vincae 19dn maio de 1813. Noimpedimen-
to do escrivo e administrador, Jos Guedetl por onde se sobe para o segundo essoalho, o qual
Salgueiro, I *todo repartido, com igual commodo de um
Doutor em medicina Ignacio Nery da
Fonccca chcgadorecentemcntedoRio
de Janeiro acha-se rezidindo na ra
Direita n. 31 primeiro andar.
Ha para alugar diarian.ente dous negros ,
um dos quaes tambem se vende : ns ra dos
Pescadores n. 26.
Precisa-se de um rapaz paracaixeiro de
ra: a quem convier pode dirigir-se a ra d o
Encantamento n. 4.
= OIerece-se um homem portuguez que
sabe ler, eescrever, para administrar qualquer
engenho, fazenda, sitio, ou qualquer negocio,
pois que tem bastante pratica de tudo isto e
entende de todas as plantas do paiz quersu-
jeitar-se a tudo isto e fica muito agradecido a
quem do seu prestimo se quizer utilizar pois
que este -r. leve um grande atrazo nos seus
negocios, e d bom fiador a sua conducta; quem
o pretender annnuncio a sua morada ou diri-
ja-se a ra da Cadeia n. 9 a fallar com A. J.
Moreira.
Da-se a juros a quantia de 1*400$ reis ,
sobrehypotheca em casas nesta Cidaae; annun-
cio ou dirija-se a praca da Independencia lo-
ja de livros n. 6 e8 que se dir quem faz
este negocio.
Sr.VascoTicellosCoimbra, muito se Ihe
preciza fallar por recomendaces do seu mano
Jos e de sua mi que moro no Rio de Ja-
neiro ; por isso roga-se ao mesmo Sr. ou
pessoa que (ac as suas vezes, queira annun-
ciar por este Diario a su morada, ou dirigir-se
a ra da Cadeia n.9, a fallar com A. J. Moreira.
Alugo-se as lojas do sobrado da ra Bella,
que j foi ra da Florentina, cujas lojas sao
muito frescas por ser casa de esquina, e ter bons
commodos; a tractar no mesmo sobiado.
Jos Krando da Rocha declara que o
bilhete inteiro da primeira nova lotera a favor
das obras da Matriz da Boavista n. 86 perten-
ce ao r. coronel Francisco do Brederodee An-
drade ; por ordem do qual comprei, o fica em
meu puder.
__Roga-se aoSr. delegado da comarca do Cabo,
se entre os 3 escravos que annuncou, e existe
algum com os seguintes signaes : Domingos
Angola, idade 22 annos, baixo.cr preta, grog-
so do corpo dentes acangulados, urna peque-
fepresentares Lyricas que pretendem faxer na
casado SociedmleNatalense l.ucci, sua
filha Carmela, e Marinangei.
Demandando estas re presenta cues avultadas
despezas em cada noite acho se a bertas as-
signaturas para 15 noites as quaes oflerecem
proporcionadas vantagens as pessoas que qui-
zerein subscrever.
Os assignantes das galeras pagarlo 22j ra.
cada um pelas sobreditas 15 representaces: a
os da platea 11 4 rs.
Os bilbetes sero entregues as casas dos se-
nhoresassignantes tres diasantes de principia-
rom as funeces e valero para 7 noites pa-
gando-se na occasio da entrega dos premeiros
bilhetes a melado das assignaturas e a outra
metade dever ser paga quando se entrega-
ren) os segundos bilhetes que serio valiosos para
as ultimas 8 noites.
Os nao assignantes pagarao por cada um
bilhete de galera para urna noite 2$000rs. a
sendo de platea 18 rs. ; licando reservada para
estes senbores a terceira galera.
- No consulado dos PaizesBaixosrua, da Cruz
n. 7 existe urna carta para a Ta. D. Marti-
niana Francisca Harris, que ella far obzequio
mandar receber.
Precisa-se de urna mulher forra, que ce
zinhe bem, pagando-se com generosidade, pa-
ra urna casa de pouca familia; na ra do Quei-
mado n. 4.
Na praca da Boa-vista n. 26, tem fabri-
ca de chapeos, de sol de seda de muito bom
gosto, tanto para bomem como para senhora
troco-se chapeos novos por velhos, comprSo-ta
armaces e faz-se todo o concert, mais bara-
to do que em outra qualquer parte.
Precisa-se de um escravo para o servico de
casa sendo fiel e se dar bom aluguel : na
ra do Pilar em fra de Portas n. 122.
= Arrenda-se o sitio do espinheiro na es-
trada de Belem, com sufliciente casa bastan-
tes arve os de espinho e outros muitos de di
vercas qualidades, grande terreno para planta
ces, e crcaco de vaccas para leite; quem par-
tender dirija-se ao Recife na ra da Guia casa
o. 42, que achara o sao proprietario abaixo
assignado,
Silvestre Antonio de Laage,


4
M W EPOSITO de farinba do mandioca, na
na da Cadera do bairro de S. Anto-
nio casa n. 19 ; este novo estabelecime.ito
hado primeira utilid.ide nesta provincia nao
s para evitar as fallas doste genero de primeira
necessrdadc, quo de ve/, em quando nos ataco,
como tambem para por termo ao escandalo/.o
monopolio que a tal respeito exercem indivi-
duos que nSo tem profissao algum. O ad
ministrador do deposito empregar todo o dis
vello para que os froguezes se conservem satis
feitos encontrando ali farinba sempre da me-
lhor, que aqu apparecer e o mais barato
que poder ser, sendo de admirar que ha-
vendo em outras provincias depsitos desta na-
tureza cuja ne essidade tem sido reconhecida,
s nesta provincia se depare com esta tao sens-
vd falta. ConvidSo-se portanto aos compra-
dores para que ali se dirijo e assegura-se ,
que os precos s>jrao constantes, sendo ahnun-
ciados todas as semanas pelas fnlhas o que
tende a impedir as fraudes dos portadores.
N. B. = Os precos desta semana silo os se-
guintes: farinha de primeira qualidade a 2240
e de segunda dita a 1920.
= Uin dos ramos mais interessantes da
agricultura do Brasil, be sem duvida a cultu-
ra do caf. Na provincia mais Ilustrada do
Imperio cabalmente se tem reconhecido sue
superiorida le sobre todas as outras nossas gran-
des produces exticas ou indgenas; sendo
a.base dessas fortnnas milhonarias, que con or
rem ao engrandecimento das provincias do Su I,
exemplo desses grossus fazendeiros das Anti-
Ihas edo Mxico.
. Admira, que a Provincia de Pernambuco
dotada de um terreno tao rico tao aza lo para
o caf que o prduz t5o bom como o do Rio
de Janeiro, nao tenha animado este lucroso
ramo, preferindo-lhe odsvezes mais traba-
Iboo, e menos rendozo, o fabrico do assucar ;
sen lo de mais a mais o fabrico de assucar mili-
to dispendioso, quando a cultura do caf de-
pende sim;tlesmente de bracos, de urna peque-
a mai'hin.i para tirar a casca e de terreno
accommodado a esta planta o quo ludo pode
importar em um terco dos fundos necessarios
para umcn com infaliblidade render o duplo de um re-
gular eng-:nbo ; as rendas do estado a respeito
deste importante ramo de agricultura bem pro-
va esta verdad a Como pois nesta provincia ,
mu poucos sao os que sbem cultivar o caf
pereilamente ; urna pessoa capaz que tem dis-
to inteira pratica deseja-se engajar com al-
gum Sr. Agricultor para effectuar urna planta-
cao em grande ponto fazendo ao annunciante
algum nteresse quesera cumprido deposdo
bom xito da empreza ; a quem convicr diri-
ja-so a ra Nova loja de trastes n. 67
= Da-se a quantia de 200$ reis a juros, so-
bre penhores de ouro ; na pracinha do Livra-
rnento loja n. 44.
= A pessoa desta praca que em evereiro
deste anno teveordem de um negociante da ci-
dadede Macei para dar AntonioPereira Pin-
to de Faria a quantia de 1 >'i$ reis; pode di-
rigir-se a ra estreita do Rozario n. 27 que
ah achara pessoa authorisada para receber dita
quantia, e passar recibo.
Alu^a-se ou vende-se urna preto; assim
como urna carroga corn cavallo acostumado a
inesma ; e tambem um moleque do mesmo
trafico as 3 pegas por 700,000 : na ra No-
va loja n. 58.
= A pessoa que quer saber se a professo-
ra que de presntese acha assistindo na ra
da Trempe virando pata o Moudgo n. 15 ao
p do lampio se admitte mais alumnas fora
as que tem, responde-so que sim, e que quan-
to saber quem ella he, informe-se do Padre
Mestre Miguel do'Sacrament Lopes Gama ,
de Antonio Bernardo Rodrigues Sette Fi-
gueira Jos Rodrigues do Passo Jos Ber-
nardino de Sena os quaes mu bem a ton ho-
cen.
l-'ugo na noite de 14 do corrente um
quarto russo pedret sellado e enfreado e
magro; quem o livor aprehendido o poder
entregar no attorro da Boa-vista em casa de
Antonio Luiz GoncaivsFefreira, que recom-
pensar.
_, Precisa-se de urna escrava que seja
idosa para o servico interno e externo da
casa de um homem solteiro : na ra do En-
Quem precisar de roupa lavada e en-
gommada com aneio e perfeico, tanto de ho-
mem como de senhora e por proco muito
cotnmodo dirija-se a ra de Hortas, n 17.
Compras.
Compra-seum escravo de boa dado ,
que en tonda bem do plan taoao do sitio; queui
ti ver a n nuncio.
Comprad-se frasquinhos vazios, que ser-
vissem para oleo de macass; na ra do Amoriin,
n. 39 das 3 horas as 6 da tarde.
Comprao-se eflectivamente para fora da
provincia mulatinhas crioulas e mais escra-
vos do 13 a 20 annos, pagao-se bom sendo
bonitos; na ra larga do Rozario n. 30, pri-
meiro andar. ..
Comprao-se eiTectivamente para fora da
provincia, mulalinhas negras moloques ,
negros de olficios, sondo de bonitas figura
pagao-se bem : na ra da Cadcia de S. Anto-
nio sobrado do varanda pao n. 20.
Comprao-se .100'oitvas'de prata., a 120
rs. aoitava : na'rua doNogueira n. 30.
Compra-s um boi, ou um cavallo acos
turnado a carroga ; o tambem um cavallo ma-
gro sendo novo e que tenha lguns andares: na
ra Nova loja 58.
Comprao-se os segintes livros tradus-
dos ao p da letra ; Ovidio Horacio, Tito Li-
vio ao obra de Virgilio e juntamente o se-
cretario Portuguz ; quem tivor annuncie.
Vendas
as Vendem-se presuntos inglezes, queijos
londrinos conservas de todas as qualidades,
musanla latas de soupas o carnes prepara-
das frutas em conserva proprias para pastis ,
tudo muito fresco e chegado ltimamente,
Cbampanbo superior, vinhas do Porto, Ma-
deira Clarot, e outras qualidades, licores,
servoja branca e preta em barricas e a retalho ,
lingoas e carnes salgadas em barris pequeos de
meia e urna arroba : na ra da Alfandega ve-
llia, armazom n. 3\.
= Vende-se a melhor venda da cidade de
Olinda no lugar dos 4 cantos, esquina do
norte com poucos fundos ous a armacao,
ou tambem aluga-se a loja com armacSo; a
tractar na mosma.
= Vende-se muito bom rap de Lisboa
chegado no ultimo navio por prego commo ,
do : na ra da Cadeia do Recife, loja de JoSo
da Cunha Maglhas.
= Vende-se metade de urna casa terrea ,
em chaos proprios, na ra da S. Cruz na Boa-
vista : na pracada mesma n. 18.
= Vende-se um negro peca para todo o ser-
vico ; no beco do Sarapatel, n. 16 segundo
andar.
= Vendem-se meios hilhetes da Lotera da
Matriz da Boa-vista que corre no da 23 do
corrente : na ra do Cabug loja de miude-
zas junto do Sr. Bandeira.
Vende-se um pianno forte de muito boas
vozes e por preco commodo ; na ra do Co-
dorniz n. 2.
Vende-se cal virgem em barris grandes o
pequeos; no escrptoro de Francisco Sve-
riano Rabello.
= Vende-se um sitio no lucr de S
caiitamento n. 4; na mesma casa vende-se
usna batanea pequea com correntes e pesos de
bronze.
Da-se 200,000 rs. a juros sobre penho-
res de ouro prata ou relogios modernos;
na primeira venda do atierro da Boa-vista.
Roga-se aoSr. J. A. S. V. de ir sa-
tisfacer a quantia que deve na loja da ra do
Queimado., n. 5.
= Preeisa-se de urna mulher forra ou cap-
tiva para engommar e lavar ; no Collegie da
Boa-vista, ra atraz da Matriz n. 28.
ligar de S. Joao,
Freguezia da Taquaritnga corn casa feta de
madeira com urna sala grande 4 quartos ,
e cozinha fora tambem tem um curra! peque-
no feito de pao apique para botar vaccas e um
cercado para ter sollo oscavallos, as trras sao
boas de criare de plantar, o terreno tem de
largura 52 bra as, e urna legoa de fund, tam-
bem vender^ac- com o gado: a tratar com o
Sr. Victorino Borge Pereira morador no mes-
mo sitio.
ss Vendem-se urna sobrecasaca de panno
azul ; e um transelimde ouro tudo por preco
commodo : quem quizer annuncie.
= Vendem-se superiores charutos da Hava-
na: na ra do Tapide n. 19 casa de J. O.
Elster.
= Vondem-se apparelhos para cha azues
e de mais cores finas ditos para meza de di-
versas cores e do muito bom gosto mangas de
vidro lapidadas e lisas inglezas, lanternas de
casquinh fina,campotcras lapidadas para doce,
garrafas para vinho copos para agoa, calis
para vinho ditos para champanhe frascos de
boca larga chiearas douradas do porcelana
e mitras militas fazendas por prego commodo :
na ra do Livramento n. 6.
= Vende-se urna barcaga anda em muito
bom estado, com todos os pertenecs, por pre-
go cmodo: na ra do Encantamento, loja por
baixo da casa do Sr. Vgario do Recife.
ea Vendem-se urna negrinha de nagao de
18 annos, engomma; cose, e cozinha he re-
colbida ; outra dita boa cozinheira e doceira ;
e urna dita de idade: na ra de S. Rita, n. 27.
- Vende se urna casa terrea no bairro do
Recife, na ra dos Burgos n. 22, com chaos
proprios ; a tractar com Manoel Luiz Viraos.
= Vende-se urna preta d 25 annos, co/.i-
nha engomma e cose : defronte da Matriz
da Boa-vista n. 86.
- Na praca da Independencia, loja de Ja-
quim Pereira Arantes, acaba de receber-se
um completo sorlimentO do calcado vindo pela
Camelia sondo sapatos de palla ditos ingle-
zes para homem o meninosJ, ditos todos laxia-
dos, ditos de entrada baixa de urna e duas so-
las botins e meios ditos de bozerro borze-
guins gaspiados para homem meninos e se-
nhora ditos de pona sapatos de lustro para
homem e senhora ditos do cordavio e marro-
qu m para senhora e meninas, e outros irui-
tos calcados, que tdo s vende por preco com-
modo.
- Vendem-se urna cadeirinha com muito
poco uso dourada e forrada com muito boa
seda ; urna escrava de boa figura engomma ,
cozinha e lava ; duas ditas d i todo o servico ;
urna negrinha; e urna mulatinha de 12 annos;
na ra do Fogo ao p do Rozario n. 8.
Vendo se o sitio engonhoca no lugar do
Remedio com casa de vivenda assobradada ,
senzala para pretos tudo de pedra e cal di-
versas fruteiras, coqueiros e mangueiras,
baixa para capim pasto suficiente para 16
vaccas um viveiro de bom tamanho e com
modo para se azer outro barro para se fazer
toda qualidade de obra como sja telhas, ti-
jolos, loma equartinbas e porto para em-
barque logo ao p da casa ; a tractar no mesmo
sitio.
Vendem-se urna escrava permita cozi-
nheira ; urna dita costureira borda e faz to-
da a qualidade de lavarinto ; 5 ditas com habi-
lidades ; dous moloques de nagao, de 15 a
18 annos ; 6 escravos para todo o servigo; um
mulatinho de 19 annos bom pagem e official
de sapateiro ; e um escravo que cozinha o
ordinario : na ra de Agoas verdes n. 46.
Vendem-se 4 candieros de parcele pro-
prios para qualquer estabelecimento, por 8000
rs. ; urna meza dejantar por 8000, urna ima-
gem de S. Pedro com urna manga de vidro ,
por 5000 seis molduras de quadros de ma-
deira preta por 6000; o urna preta de idade,
por 120,000: no botequim atraz da Matriz ,
pintado de amarcllo.
Vendem-se oleo de linhaca a 360 a libra,
azeite doco a 3680 a caada, e a garrafa a 480,
azeite de coco a 2280 a cariada, e400 a garrafa,
cavalla secca a 60 rs. tou.,inbo a 120, 200 ,
e 240, linguicasa 360, banha de pono a
360 espermacete a 600 rs. caf a 140 ce-
vadaa lOOrs. pacas a 160 farinba do Ma-
ranhao a 100 e 140 milho alpista a 400 o
quarteirao painco a 260 papel de todas as
qualidades e lodosos mais gneros: no patio
do Terco, venda ns. 1 e 7.
Vende-se urna olaria grande com bom
forno que leva 9 para 10 milheiros do tijolos,
4 casinhas tudo de pedra e cal e coberto de
telha porto de embarque barro para toda
qualidade de obra tudo junto da camboa do
Remedio : na ra estreita do Rozario n. 45 ,
ou na ra da Paz n. 52 ou na ra do Col-
legio n. 10 por cima da botica no primei-
ro andar.
O Corretor Oliveira e Francisco An-
tonio Coelho na ra do Collegio tem venda
os afamados, quanto estimados charutos de Ma-
nilba pelas suas cxcellentes qualidades asss
reconbecidas dos amadores do suave recreio de
fumar para desviarcm de si cuidados em horas
vagas ; e pela bondade de nao poder n'elles
penetrar o bixoem qualquer lempo antes pos-
suindo a particularizado de expellirem insectos
do lugar onde estejSo depositados ; tal he a
superioridade do tabaco de que t8o manufactu-
rados a elles freguezes, antes de que por
poucos se acabem.
* Vendem-se Chales de casemira moder-
nos pelo barato preco de 1000 cambraia fi-
na pintada ,. chita larga patente a 200 rs. o
covado cassas de cores esquisitas a 120 e
cortes de vestidos do outras de muito melhor
qualidade a 1600, pecas de cambraia borda-
da de cores a 2000 com 8 covados o meio e
tessida bem fina e de bom gosto a 240 o covado,
chita de assento escuro a' 120 e das modernas
e de melhor qualidade a 160 eUOde assento
branco, lengos de metim ordinario a 80 rs. ," e
brancosde cassa a 160, olas bordadas em
cambraia para meninas a 320 e de fil de l-
nho para senhora a 1000 pe as com 10 varas
da bem conhecida bretanha larga a 2000 e com
a mesma largura pegas de madraste 3000 de
15 varas meios chales bordados em cambraia a
320 ganga azul a 80 rs. o covado pecas do
nlgodo de 20 jardas e com vara de largura a
3800, edo muito encorpado americano a 180
avara, brim pardo liso de linho a 400 rs. a
vara e o hern forte riscado merroano a 110 r.
por precos mdicos: na ruado Crespolojas ns.
10 e 15 da viuva Cunha Guimaraes
Vendo-so vinho de Champanhe superior,
chegado agora Ja Franca a 15,000 a duzia :
na ra da Cedeia do Recife armazem n. 35.
- Vonde-se essoncia de aniz Je primeira
qualidade a 6,000 o frasco : na ra Direita ,
n. 120, segundo andar. )
Vende-se urna negra de 25 annos, en-
gomma cose, ecozinha : na ra estreita do
Rozario, n. 12 primeiro andar
Vende se urna boa escrava de 23 annos ,
ao comprador se diro as habilidades : em Fo-
ra de Portas, n. 82.
,'Vende-se urna escrava bem moca, do
gento d Angola, com um filbo de 3 annos,
cozinha o engomma : na ra estreita do Ro-
zario n. 43, terceiro andar.
= Vende-se um preto moco serrador faz
telhas, tijolos, e tudo mais portencente a ola-
ria, e bom trabalhador de enchada e machado :
na ra Nova n. 9.
Vende-se urna meia-agoa sita no prin-
cipio do beco do Padre n. 2 : a tractar com
Joao Manoel Pereira de Abreo na pracinha do
Livramento.
Marques & Veiga vendem em sua casa,
ra do Amorim n 50, charutos a 400 rs. o
cento em caixinhas de 200 a 640, 800,1200
e 1500 fumo cm folia para charutos de pri-
meira segunda sorte alhos em mauncas ,
manteiga de porco muito alva e barata o an-
corlas com azeitonas.
= Vondem-se por prego commodo para li-
quidar contas urna poni de trastes de supe-
rior qualidade em mobilias completas, ou a
retalho assim como guardas louca roupa ,
secretrarias com estantes para livros cadeiras,
de balangocom assento e encost de palhinha ,
muitos mais trastes aquellos que nao agra-
darem ao eomprador se fazem outros com a
maior brevidade possivel; na ra da Cruz, ar-
mazem de trastes n. 63.
Vondem-se 3 canoas o couros do onca :
na ra da Guia n. 31.
Vendem-se meios bilhetes da Lotera da
Matriz da Boa-vista, que corre impreterivel-
mente no da 23 do corrente, a 4500 ; na ra
do Livramento n. 38.
Vende-se urna p o rea o do cebo preparado
para se fabricar vellas; no patio de S. Pedro
n. 14.
Escravos fgidos.
Tendo dcsapparecido nc?da 15 do cor-
rete da officina de jnaMfeiefrb 3o Sr. Antonio
Pinto na ra Nova am moleque do nome
Jos de 13 annos bonita figura denles li-
mados, beicos grossos urna marca de ferrda
na testa camisa de algodo trancado, calcas
de riscado com um remend branco entro
pernas; quem o pegar leve a ra da Manguei-
ra da Boa-vista sobrado n. que ser re-
compensado.
Fugio a negra Rita, crioula de 22 an-
nos, estatura baixa olhose ps grandes le-
vou vestido de chila e panno da costa ; quem a
pegar love a scu Sr. Joao Manoel Pereira de
Abreu morador na pracinha do Livramento ,
que gratificar.
No da primeiro do corrente fugio da ra
daConceigao da Boa-vista, n. 18 a preta
Mara; de21 annos de nacao Angola, cor
mea fula estatura baixa grossa, tem bas-
tantes espinhas no rosto denles limados, pe-
tos pequeos e seceos marcas de becbigas as
pernas, levou saia de chita cor de caf com flo-
res, panno da costa ja velho e brincos de 3 es-
quinas amarellos com 3 pedras azues no meio,
quando sabio de casa levou um caneco de car-
regar agoa esupe-se estar oceulta ; quem a
levar a dita casa receber 25,000 d>! gratifi-
caco.
Em o dia 4do corrente fugirao do en-
genho Gutiuba freguesia ecomaica de Goi-
rfnna um casal de mulatos escravos do pro-
pietario daquelle engenho sendo um de no-
me Joaquim, e a outra Genoveva aquello
representa ter 35 annos cor de canella ca-
bellos bem crespos nariz afilado, beicos finos,
peitos cabeludos marcas de feridas as cand-
as tem cravos nos ps altura regular de
grossura suficiente ; a mulber de altura rogu-
'ar cabellos encarocolados e as fontes mais
sollos, nao m parecida nariz afilado bo-
ca eorelhas pequeas peitos pequeos, pan-
nos pela cara e peitos tem varias pintas pre-
tas pelos bracos, mais pretas do que a cor ,
bem feitas de ps um dente da frente tirado ,
e outro para o lado o anda bastante dengoza ;
quem os pegar leve a seu Senhor no dito en-
genho que ser recompensado, certo que o
seu destino he para o sertao e podem passar
por forros.
covado, alm destas outras muitas fazendas)Recipe: naTtp. deM. F. deFabiai=1843
/


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMAXXX03P_DM3B8H INGEST_TIME 2013-04-12T21:48:02Z PACKAGE AA00011611_04965
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES