Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04959


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Afino de 1843. Segunda Feira 15
Twlo gora depende de ne ae.moe ; de nos prudencie aoderecao, pi! con-
tinuemos como principiemos e eremoe ponudo com edmir.oao enlre Nacoe. mi
cultai. ( Proclamecao da A.iemble Ger.l do Biaiil.;
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
GoUnnn Par.hib. Riogr.nde do Norte .egond.s eexle f.ir...
Cubo 3>rinflaem, Rio Forme.o Porto Cairo M.ee. eAUgoe. no 1. H e Jl
Bo.-vUe Plore. 13 e *. Santo A*ae, qrnni-.Snng. Ohnd. lodo. o. d.t..
DAS da remana.
45 S.g. Iridor. L.Tr.dor. Aud do J. de D. de 2. t
16 i.rc *. JoiiNeporouceoo Re. Aud. do J. de U da 3. r.
47 Qol. Pii-eotl Haylao F. Aud do J de D. dt 1. t.
48 41) Sen e Tedro Celestino P. Aud. do J. de D. d 2., t.
26'Sab. s. Bern.rdino de Sene F. Re. And. do J. de D. de 4 ?.
21 Denr. .. Mneos B. M.
de Maio Atino XIX. N. 10fc
O Diario publica todo. o. di., que nao (ore. S.ntific.do.|: o preoo de P,^,'
de.r..-ilr.i.porqu.r,.lp.Ro. adLn.ado. O. ennonc.o.,lo. "'**"' *'JV^kt
,.,i.. o.do.queo no Le r.tao de 80re.. porhnb.. A? T'"^'^.,".".
;id.. ..te Typ., ru. d.. Crut, N. 3*, t
ciarnos.No di 13 de M.io.
Cabio .obre LondreeH d. por 1U Ooio-Moed de 6.400V.
Pri>360 re.por franco.
Li.b.100 por 100 depreaio.
N.

de 4,000
PllTA-Paiacdes
Peto. Colaauera*
dito. Mexicanoa
copra
1*5,300
16,400
8,900
1,880
1,880
1,880
Moeda de cobre 2 por cento.
Idea de letra, de boa. firmal i T a } .
PHASEb DA. LA NO MEZ DE MAIO.
Lu. Cheia 4 1 ?, 1. 8 horas e 15 a. de t.rd I Lu uot. 29, a. 4 hora, e 35. de
Quan.aiag.21, lboreec5a. dam. | Oueri. oreoo.4 7, eOboree .a
Preamar de hoje
1. e 5 horas 18 a. de a.nhSe. | 2. .5 hora, e 42 a. d. Uto.
renda
16,800
16,30(1
9,100
1,900
1.V0U
1,900
aanb.
de aanb/
PARTE OFFICIAL.
DECRET ) N. 268, de 29 de Janeiro de 1843.
Conten o regulamento das inspeegoes de
saude dos poros.
Em virtudo da autorisacSo do artigo 38 da
le n. 2W do 30 de novembro do 18VI hei
por bem tendo oavido a seceo do mou con-
seibo de estado a que portencem os negocios do
imperio, ordenar que as inspeccSes de saude
dos portos se observe oseguinto regulamento:
Art. 1." As cmaras municipaes nao tero
d'ora em diante interferencia alguma as ins-
pecces sanitarias dos poslos, nem na nomeacao
dos empregados dostas, a qual (lea sondo da pri-
vativa competencia do governo imperial.
Art. 2. Fica abolido o lugar de professor
de saude o suas funccSes serao exercidas pe-
lo provedor da saude que ser medico ou ci-
rurgio.
Art. 3. No Rio de Janeiro haver um pro-
vedor e dous secretarios1 interpretes que alter-
nar iS no servico diario das visitas, um agente,
um guarda-bandeira e dous guardas que tam-
ben, servir alternadamente.
Art.4. Na Babia, Pernambuco e Maranhao,
haver os mesmos empregados menos um se-
cretario o agente o guarda -bandeira o um
guarda.
Art. 5. Nos mais portos em que la alfande-
gas haver smente um provedor o um guar-
da que far tambem tambem a escriptura?ao
a cargo do secretario.
Art. 6. Os secretarios interpretes serao ver-
sados nos idiomas francez e inglez.
Art. 7. Nos portos em que a repartico da
saude tiver escaler, servir este ao mesmo tem-
po para as visitas da policia do porto; e nos ou-
tros ser este servico feito no escaler da ti-
fa ndega.
Art. 8. Ao provedor compete : visitar todas
as embarcacoes declaradas em observacao ou
quarentcna ; inspeccionar o procedimento dos
empregados; dar cartas de saude; empregar
todos os mcios ao seu alcance para a boa policia
sanitaria do porto ; roquisitar do ministro do
imperio na corte c das outras autoridades para
cssts lim nomeadas nos outros portos as provi-
dencias que os casos extraordinarios nao previs-
tos nesto regulamento e as circumstancias do
momento demandarem.
Art 9." Aos secretarios incumbo, alm das
obrigaces de interprete fazer a visita dos na-
vios ; fazer todo expediente o escripturacao; ter
a seu cargo o archivo da repartico e passar as
cartas de saude.
Art 10, O agente tem por obrigacao entre-
gar as participares ao provedor, receber do the-
souro os ordenados dos empregados fornecer
os navios em quatentena de todos os inanti-
mentos esoccorros que requisitarem cuidar
na limpeza interna da casa da saude em que
servir do porteiro e em todo o servico exter-
no da repartico ; e no impedimento de qual-
quer guarda fazer as mais vezes.
Art. 11. Os guardas acompanharS sempre
os secretarios s visitas das embarcacoes em
cujo servico os coadjuvarS servirs de conti-
nuos na casa da saude ,, e no impedimento do
agente far-5 as suas vezes.
Art. 12. Dosignar-se-ha um local propno e
commodo para sede da repartico da saude ,
em Ierra quando o nao haja no consulado.
Art. 13. No porto do Rio do Janeiro, em
Yillegaignon um dos secretarios da saude es-
tar prompto desde o nascer do sol at o seu oc-
caso para visitar qualquer navio mmediata-
mentc que entre ; e o outro far o expediente
da casa da saude em trra. Nos outros portos ,
no lugar juc for designado estar do mesmo
modo prompto para a visita de que trata este
Tgo o secretario ou o empregado da saude
a quem coubcr este servico.
Art. H. Procedcr-se-ha visita em toda e
qualquer cmbarcacSo mercante ou de guerra ,
inda que nacional soja que entrar de portos
Art 15. Todas as embarcacoes do que trata
o artigo antecedente sero obrigadas a dar fun-
do no ancoradouro da quarentena.
Exceptuao-se :
1. As embarcacoes que entrarem antesdo
sol posto as quaes podero mesmo sobre a
vela, recebera visita de saude comtanto que
soja possivel fazer-se isto sem perigo e guar-
dada a precedencia que deve caber as mais ad-
an tad as..
2." As que por mao tompo ou falta de vento
forem forcadas a dar lundo fra do sobrodito
ancoradouro as quaes ahi mesmo onde se a-
cbarcm fondeadas devem ser visitadas nao ha-
vendo perigo como fica dito nem prejuizo das
que devem preceder na visita.
Art. 16. Ser designado em cada porto um
ancoradouro da quarentena.
Art. 17. As fortalezas dos portos as bar-
cas de vigia da alfandega o os navios de guerra
encarregados da policia dos portos obs(aro a
que haja communicocao' com qualquer embar-
cado entrada, antes de ser visitada pela saude,
e mui principalmente com as que so acharem
de observacao ou quarentena.
Art. 18. Urna bandeira amarella cada no
tope de proa de qualquer embarcacao sig-
nal que est de quarentena ; a bandeira da na-
cao da ombarcacSo cada no mesmo tope de
proa, sk-nal de ter tido pratica ; a mesma
bandeira igada ( durante a quarentena ) a mcio
pao no peol da mesena signal que necessi-
ta de qualquer soccorro.
Art. 19. Os escaleres das barcas de vigia da
alfandega rondaro durante a noite os navios
em quarentena nos portos em que os houver.
Art.20. Ninguem poder ter ingresso a bor-
do de urna embarcacao nem della sahir em
quanto nao tiver sido visitada pela saude.
Art. 21. Todo o capitao ou mestro do em-
barcacao que infringir o artigo antecedente pa-
gar tiinta mil reis de multa por cada pessoa
por auom consentir que elle seja infringido.
Art. 22. Toda a pessoa que tiver ingresso a
bor'o de urna embarcacao em observacao ou
quarentena alm de pagar urna multa igual
do capitao ou mostr que em tal tenba con-
sentido 6 obrigada a Picar bordo at a em-
barcacao completar a quarentena.
Art. 23. As violaces deste regulamento mi-
tas de noite e as praticadas fra da barra, se-
rao punidas com penas duplas.
Art 24. s embarcacoes que vierem em
direitura ou por escala de portos onde reine
qualquer especie de contagio, se ordenar urna
quarentena du seis das que em caso de neces-
sidade poder ser prolongada igual quarente-
na sofrer tanto os navios de longo corso ,
como aquellas embarcacoes quo com ellos tive-
rem communicaco, ou com as sahidas dos por-
tos cima mencionados.
Art. 25. As quarentenas que se mando im-
por s ombarcac oes pelo simples facto de terem
communicado com outros de suspeita nao te-
ro etleito quando se provar que tal commu-
nicaco so consisti em se fallaren. sem que
houvessc ingresso de pessoas nem introduc-
code mantimentos vlazcndas ououtra qual-
quer cousa.
Art 26. Quando se offerecer suspeita em-
barcacao comprchendida em caso nao previs-
to nesto regulamento passar esta por urna
observacao de tres 'm, para dentro deste lem-
po se fazetem os exames e averiguaces neces-
sarias.
Art. 27. as visitas ordenadas no art. 15
far-se-ho aos capitaes ou mestres das embar-
cacoes as seguintes perguntas : O porto donde
vem qnantosdias de viagem o nome da
embarcacao e do capitao se fez alguma esca-
la__secommunicou no mar com alguma ou-
tra-embarcacao lazando ou recebendo visitas ,
baldeando ou recebendo fa/endas, papis, man-
timentos animues, pessoas ou outra qualquer
cousu__com quantas pessoas parti quantas
como Iripulaco quantas como passageiros
se Ihe morreu algum na viagem e de que moles-
tiase tem alguma pessoa a bordo doente e
de que molestia. AMm de todos estos inter-
rogatorios far-se-ho todos os mais exames
queso julgarem necossarios para se conhecer se
a embarcacao est no caso de ser admittida a li-
vre pratica.
Art 28. Toda a embarcacovinda de portos
strangeiros obrigada a exhibir carta de sau-
de: exceptuao-so as que entrarem por arribada
forcada.
Art. 29. Se durante a viagem nao tiver mor-
rido pessoa alguma a bordo de doenca se nao
houvorem molestias a bordo o se a embarcacao
noestivercomprehcndida em algum dos Cri-
mea dos artigos 26 e 28 ser admittida a vre
pratica.
Art. 30. Todas as cartas vindas era embar-
cacoes que tenhao sido declaradas em observa-
cao ou quarentena serao antes de remeti-
das para trra, golpeadas e perfumadas em pre-
senta do administrador do corroio ou do quem
fr designado por elle.
rt 31. Os paquetes inglezes, ou qualquer
navio de guerra que de fra da barra tiverem
que mandar os escaleres trra com officios ou
malas, os mandars munidos das suas cartas
desande, antes de toda a communicaco com
a trra apresentar ao secretario da saude no
lugar onde cstiver estacionado afim de rece-
bcrem pratica quando nesse caso estejao.
Art. 32. Quando durante a quarentena de
qualquer embarcacao fallecer alguma pessoa a
bordo o cadver ser lancado ao mar fra da
barra se pelo provedor fr a embarcacao jul-
gada em estado de continuar a quarentena ou
mandfldo sepultar em trra se pelo mesmo pro-
vedor fflr julgado em estado de ter pratica.
Art. 33. A alfandega s visitar as embarca-
coes depois que pela saude e policia tenhao ti-
do pratica.
Art 34. Toda a embarcacao que por violo-
fo desto regulamento tiver sidb multada fica-
ra pela saude impedida at apresentar do tbe-
soureiro da allandega conhecimento da multa
em que houver incorrido ; o a alfandega nao a
visitar, nem Ihe dar dospacho algum em
quanto durar o tal impedimento.
Art. 3o. Logo quo qualquer embarcacao te-
nba sido multada o secretario da saude o par-
ticipar inmediatamente allandega decla-
mando o valor da multa ; afim do ahi se poder
fazer effectivo o seu recebimonto na formado
seu regulamento.
Art. 36. Nos desimpedimentos das quaren-
tenas se lavraro termos pela seguinte for-
mula :
Termo de visita feita a bordo do navio. ...
de nco. .. mestre F____aos... dias do mez
de..... do annode___tantos da independen-
cia e do imperio no porto de.....pelo pro-
vedor F. foi visitado o navio.....mestre
F. ... de naco...... vindo de......com
tantos dias de viagem ; e por se achar a sua
gente carga e manmentos em estado do sau-
de fo o mesmo navio admiltido a livre pra-
tica : tendo Picado de.....ou......por tal e
tal motivo. E para constar se lavro este ter-
mo que devero assignar o provedor secre-
tario que o deve escrever o o mestre da em-
barcacao. Estes termos ficar archivados pa-
ra dellcs se darem s partes interessadas as co-
pias authenticas que pedirem.
Art 37. Os vencimentos dos empregados da
saude e as despetas do seu expediente, tanto no
Rio do Janeiro como nos outros portos, con-
tinuaras como at o presente.
Art. 38. Este regulamento ser traduzidoem
francez e inglez e no acto de visita de saude
entregue aos capitaes ou mestres para seu intei-
ro conhecimento.
Art. 39. Ficao revogadas quaesquer dispo-
sicocs em contrario.
Jos Antonio da Silva Maia do meu conse-
Iho de estado, ministro c secretario de estado
dos negocios do imperio o tenha assim enten-
dido e faca executar com os despachos necesa-
rios. Palacio do Rio de Janeiro, em 29 de Ja-
neiro de 1843 vigsimo segundo da indepen-
dencia e do imperio. Com a rubrica de S. M.
o Imperador. Jos Amonio da Silva Maia,
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DE 8 DO CORRENTE.
OfTlcio Ao juiz municipal supplente da se-
gunda vara communicando ter sidapprova-
da por S. M. o Imperador a maneira porque
em ofllcio de 7 de marco deste anno resolveo a
Presidencia a duvida do s. m.09 acerca do juiz
competente para conceder flanea ao reo Jos An-
dr Olimpo.
Ditos Ao presidente interino da relacio, e
ao inspector da thesouraria da fasenda intelli-
gencHando-os de ter S. M. Imperial ordenado
por decreto de 10 do mez ultimo que o desem-
bargadorda Babia Adriano Jos Leal, passasse
ter exercicio na dita relaco ; nomeando-o
presidente della por decretle 11 do menciona-
do mez.
Dito Ao inspector interino da thesouraria
das rendas provinciaes reenviando approvada
a nica propsta quo appareceo acerca das o-
bras da estrada desta cidado para a de Olinda
pelo val da Tacaruna olTerecida por Jos Gon-
calves Ferreira Costa que por ella se obriga a
faser as ditas obras por menos dez mil reis do>
que a quantia, em que foi oreada.
Dito Ao Exm. e Km. bispo diocesano, par-
ticipando queaassembla legislativa provin-
cial por decreto de 29 de abril prximo sanc-
cionado pela presidencia em 6 do correte, e-
levou parochia a capella de Santo Antonio ,
erecta no lugar denominado Salgueiro e qu
pertencia lieguesia do Ex com a condiccio
de s ser prvido o parocho depois que os po-
vos prepararem a igreja e a puzerem em esta-
do d'ali se celebrarem os actos religiosos.
Dito Ao commandantp das armas, deter-
minando em cumplimento de ordem imperial,
que de seis em seis meses contar do 1. de
julho do presente anno remetta a secretaria da
provincia afim de ser transmitido dos ne-
gocios da guerra um mappa conforme ao mo-
dello que Ihe enva do numero de doentes ,
tratados no hospital em cada dia do mez e da
somma dos moi tos com declaraco as obser-
vacoes das causas de malor ou menor mortali-
dade.
Ditos Do secretario da provincia ao mes-
mo e ao inspector da thesouraria da fasenda ,
communicando ter S. M. o Imperador mandado
declarar por aviso de 24 do mez Ando do que Ihe
remettia copia que s pracas reformadas, que
entrarem em servico activo deve-se abonar ,
alim do sold da reforma, as vantagens de eta-
pe e fardamento que se abonSo s da guar-
da nacional em igual servico.
DEM DO DIA 9. .
Ofllcio Ao director interino do curso jur-
dico de Olinda scientifleando-o de nao ter t%
do approvada por S. M. o Imperador a propos-
ta que a cngregacaS do mesmo curso lez, do
doutor Jernimo Villela de Castro Tavares para
lente substituir) daquella academia.
Ditos Ao-inspector da thesouraria da fasen-
da eao commandanto das armas, communi-
cando ter S. M. Imperial mandado declarar por
aviso da secretaria da guerra de 27 de abril An-
do que a disposicaS do aviso circular de 21 de
marco prximo passado limitativa das quan-
tias, que os ofliciaes do exercito podem deixar
s suas familias, deve comecar a ter vigor da
data da relerida circular em diante.
Dito Ao engenheiro em chefe das obras pu-
blicas, autorisando-o dispender com os repa-
ros da estrada do norte mais a quantia de 500$
reis ; que ser tirada da quota destinada para
os estudos grficos.Participou-se ao inspector
da thesouraria das rendas provinciaes, eao ins-
pector fiscal das obras publicas.
Dito Ao inspector da thesouraria das
rendas provinciaes remetiendo a relacad
dos membros da assembla legislativa provin-
cial, queassistiraoa prorogacao da sesso or-
dinaria deste anno do 1. 6 do presente mez,
afim de que lhes mande pagar o competente sub-
sidio.
Ditos Ao presidente interino da relacad, e
ao inspector da thesouraria da fasenda Inteli-
genciando-os de haver sido licenciado por seis
mezes com os respectivos vencimentos, pelo go-
verno imperial o juiz de direito do civel da co-
marca do Limoeiro, Custodio Manoel da Silva
Guimares.
Dito Do secretario da provincia ao Juta do


direito do, crime da comarca de Garanhuns, par-
ticipando'ter sido nomeado provisoriamente pe-
lo Exm. Sr. Presidente para o lugar de escri-
vao privativo do jury daquella comarca o cida-
dao Quintiliano Ferreira da Cunha e Oliveira.
CircularDo mesmo as cmaras municipaes
da provincia, scicntificando-a* de terS. M. o Im-
perad >rdeterminado que ellas nao enviern de
ora em diante sua imperial presenta para
felicital-o deputac5es de mais de 3 membros,
sendo das cidados, o de mais de 2 sendo das
villas.
DEM do da 10.
Olicio Ao engenheiro em chefe das obras
publicas, approvando adescripeo, e orea men-
t dos accreseimos, que he necessari > faser as
obras da ponte do Anjo e que acompanharo
o seu olicio de 4 deste mez : assim como o of-
ferecimento do respectivo arremattante para en-
carregar-se dos ditos accreseimos pelo preco de
7188920 res, porque forao oreados. Commu-
nicou-se ao inspector fiscal das obras publicas ,
e ao inspector da thesouraria das rendas pro-
vnciaes.
Dito Ao Exm. e Rm. bispo diocesano, re-
metiendo copia do projecto de estatutos para o
seminario episopal de Olinda, afim dequeem
cumprimento de resolucao da assembla legis-
lativa provincial interponha sobre elle o seu pa-
Francisco Rodriguos da Silveira Jnior, quede
ordem imperial, fez passagem para a guarni-
os da provincia do Cear.
INTERIOR
Tecer.
Dito Ao commandante das armas envi-
ando copia do aviso da secretaria da guerra de
20 do mez lindo, que manda cessar o abuso de
se fornecer porconta do ministerio da guerra,
azeite, fio para lusesde estabelecimentos, que
nao sao propiamente militares; e ordenando ,
que organise e remeta com a posslvel brevi-
dade urna tabella das luzes, que devem indis-
pensavelmente ser conservadas as fortalesas ,
quarteis. corpos de guarda e prisoos milita-
res. Remetteo-se copia do citado aviso ao ins-
pector da thesouraria da fasenda.
Dito Ao inspector da thesouraria das ren-
das provinciaes determinando que, caso este-
jao conformes os documentos que lhe trans-
mute da despesa feita com o sustento dos pre-
sos pobres de Iguarass desde agosto do auno
passado at 21 de fevereiro do corrente, mande
satisfaser a sua importancia. Participou-se ao
chefo de polica interino.
Dito Ao inspector da thesouraria da (aseo-
da remetiendo copia do decreto de 21 de abril
prximo passado, pelo qual S M o Impera-
dor houve por bem conceder Joao Carlos Pc-
reira Ibiapina a demissao que pedio do lugar
de segundo escripturario d'alfandega desta pro-
vincia ; para que lhe fa?a dar a devida ex-
oacao.
Ditos Ao mesmo e ao presidente interino
da relace, intelligenciando-os de haver S. M
o Imperador por decretos de 22 de abril findo
removido o bacharel Anselmo Francisco Peretti
dolugardejuizdedireito da comarca de Goi-
unna para o dejuiz de direito criminal da co-
marcado Limoeiro ; c deste para aquelle lu-
gar o bacharel Caetano Jos da Silva Santiago.
Commaiuio das Armas.
EXPEDIENTE DE 28 DO PASSADO.
Offlcio Ao Exm. Presidente, dando-lhe os
eselareeimentos que pedir acerca de 12 soldados
Allemesdo primeiro batalhao de uzileiros da
corte, queoutr'ora pcrlenceraoa companhiade
operarios desta provincia, com o que ficava sa-
tisleita a exigencia da repartifao da guerra de
27 de maico ultimo.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., transmittindo-
Ihe em proprio original o offlcio que lhe dirigi-
r o tenente-coronel commandante do batalhao
deinfantaria de guardas nacronaes destacado,
pelo qual se v que est de acord a somente
receber da thesouraria da fasenda o seu sold
como capitao reformado at que a assembla
geral legislativa a quem recorre resolva defini-
tivamente, quaesps vencimentos que lhe ficao
competindo visto se nao conformar com o es-
clnrecimento dado pelo governo imperial, a si-
milhante respeito.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., communican-
do-lhe que o commandante do destacamento
do Bonito, hindo prender a um criminoso, sus-
cedera que este ferira a dous soldados da patru-
Iha rnrrrendoum dosferidos.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., dando-lhe a in-
formacao que pedir acercada pretendo da
viuva Theresa de Jess.
DitoAo mesmo Exm. Sr., informando o
requerimento do cadet,! Manoefde Azevedo do
Nascimento, que pedia faculdade para estudar
geometra.
Portara Ao commandante interino do se-
gundo batalhao de artilheria a p, mandando em
virtude de ordem deS. M. o Imperador com-
municada em aviso de 25 de outubro d > anno
prximo passado e offlcio da Presidencia de
25 deste mez excluir com dtmissao, a Manoel
Ignez da Boa-viagem que sendo desertor da
armaila fura recrutado e assentara praca no
dito batalhao com o supposto nome de Jos
Joaquim Ferreira devendo remettello com se-
guranza ao commandante da escuna de guerra
Gararapes, surta no porto.
idkm do da 29.
Olicio Ao commandante interino do corpo
de polica disendo-lhe que ficava com praca
assente, o recruta Joao Baptista do Rosario ,
que.romettcra com o seu offlcio desta data.
'oiiaria Mamiuuu Mut- u commandante de
artilheria excluisse com guia o soldado addido
ASSEMBLA GERAL
CMARA DOS SUS. DEPTADOS.
SessSo do 1." de abril.
Julga-se objecto de deliberado e vai a im-
primir o seguinle projecto :
* A assembla geral legislativa resolve :
1. Ficao creados tabellies privativos de
hypotheca as cidades do Rio de Janeiro, Bahia
e Pernambuco. as outras cidades e villas do
imperio, um dos actuaos tabellies ser incum-
bido desse olicio conjunctamente com o que ex-
ercer.
2.Seriio nullas todas as hypothecas quo
depois da installagao do cartorio destes oficios
se nao passarem nelles: assim como todas as
hypothecas anteriores a esta lei, que se naore-
gistarem nelles, dentro de 6 mezes contados da
data do sua publicacao.
3. \enhuma hypotheca ser passadasono
no municipio ondoseacharem os bens hypo-
thecados e nelle sero registadas as anteriores
a esta lei ; quando o devedor tenha de fazer a
hypotheca em outro municipio dever receber
dotabellio do municipio onde sto os bens
urna guia para o poder fazer e a dever fazer
registar neste cartorio apenas esteja ella passa-
da dentro de um prazo de tantos lias quantas
quatro leguas existirem de um a outro muni-
cipio.
4. Nao se lavrar escriptura de hypotheca
ou registo das anteriores sem que os contractan-
tes apresentem ao tabelliao bilhete de haver pa-
go de imposto geral 1 por cento da divida : de-
ver-se-ha mencionaros onus todos que pesa-
rem sobre os bens hypothecados e a qualidade
o natureza destes, "sua situaco, etc. ficando
abolidas as hypothecas geraes.
5. A prioridade das hypothecas para a gra-
duaco das preferencias no concurso dos credo-
res ser regulada pelas datas das escripturas, e
nao pelas dos registos.
6."Sao responsaveis por qualquer erro, om-
missao ou dolo os tabellies que tiverem a seu
cargo o olicio do hypothecas, nao so para as pe-
nas criminaes, seno tarnbem para imdemnisa-
cao pelos seus bens.
7. Incorrerao tarnbem na disposicao doart.
-6-, 4. do cdigo criminal os individuos
que devendo mais do que posscm de bens ,
os frlrem hvpothecar ao novo credor para pre-
judicar os primeiros que nao tem hypotheca ,
ficando comtudo o credor hypothecario com pre-
ferencia.
8. O governo imperial dar os precisos re-
gulamentos para a boa execuco desta lei, fican-
do derogadas todas as mais leis e:n contrario.
Paco da cmara dos deputados, em o 1.*
de abril de 1843. /. M. Pereira da Silva.
Ejulgado objecto de deliberaco,,e vai a im-
primir o seguintc projecto.
A assembla geral legislativa decreta :
Ogoverno dividir todas as comarcas do im-
perio em tres classes, segundo sua illustraco ,
riqueza populaco e proximidade das grandes
povoacoes.
Quando nos termos do artigo da constitui-
(o tenha de remover algum juiz de direito, nao
o poder fazer senao para comarca da classe da
em que estiver servindo ou de superior.
Havendo vaga em qualquer comarca ser
ella preenchida por um juiz tirado da classe im-
mediata de modo que em resultado ven lia a
vaga sempre a achar-se na terceira classe.
O juiz de direito nomeado por haver vaga
em classe superior poder requerer a sua con-
servacao na em que estiver servindo.
O ordenado dos juizes (fe direito da primei-
ra classe ser de 2:0O0S000 ; o dos da segunda
de 1:8008000, e o dos da terceira de 1:6008000
reis.
Os juizes de direito, que fTem para as co-
marcas do interiordoPar,deGoyaz edeMatto-
Grosso, contar por cada quatro annos de ser-
vico efTectivo mais um anno de antiguidade para
terem accesso s relaces.
As vagas das relaces ser suppridas pelos
juizes de direito mais antigos, escolhendo o
governo um de entre os cinco que tiverem mais
antiguidade.
O governo dever marcar um vestuario uni-
forme para os juizes de direito bem como um
distinctivo de que uzem os promotores pblicos,
os juizes municipaes e de orphos Rio de Ja-
neiro, em 1 de abril de 1843. Justiniano J.
da Rocha.
Tarnbem julgado objecto de deliberacao e
vai a imprimir o segumte projecto dos Srs. Vaz
N ieira Barret Pedroso etc.
A assembla geral legislativa resolve :
estabelecimentos de colonias agrcolas e indus-
triosas na mesma provincia gozars de todos
os privilegios concedidos pelas leis geraes aos
emprestimos nacionaes.
Paco da cmara dos deputados, 31 de mar-
co de 1843. J. I. Vaz Vieira. V de Bae-
pendy. A. P. farreto Pedroso. P. Jos
Soares de Souza.
Contina a discussao dos artigos additivos
proposta sobre o crdito, principiando pelo adia-
mento proposto pelo Sr. Albuquerque, para
que os artigos sobro impozices sejao discutidos
com a lei do orcamento.
Dj-sc por discutido o adiamento. apoi-
ado.
Entrao em discussao os dous seguintes ar-
tigos :
1. O governo fica autorisado a reformar o
artigo 232 do regulamento de 22 dejunho de
1836, e os mais do mesmo capitulo que se refe-
rirem formaco da pauta dasalfandegas do im-
perio. Souza Martin. C. de Campos.
Ribeiro.
2. Em quanto nao se publicar a lei do or-
camento que ha de reger no exercicio de43-44.
continuar em vigor a lei n. 243 de 30 de no-
vembro de 1841 com as mais despezas poste-
riormente creadas por lei, exceptuados os arts.
17, 21, 28 33, 35, 38, 39e55, 13, daquel-
la lei. S. tlartins. Ribeiro.
Faiteo os^rs. Wanderly, Torres, Reboucas,
Souza Martins ; e tendo-se eleito a meza, fica a
di-cusso adiada pela hora.
PERNAMBUCO.
Tribunal daltelacao.
SESSA DE 13 DE MAIO DE 1843.
Na appollaco civel desta cidade, appellante
D. Quiteria Francisca de Moura, appellados
Novaesf Bastos oscrivo Ferreira se julgou
pela reforma da sentenca appellada.
Na appellaco civel dojuizo d"S feitos da fa-
senda desta cidade appellante Felicianno Au-
gusto de Vascoocellos, appellada a fasenda pu-
blica ; se mandou vista ao desembargador pro-
curador da coroa e fasenda escrivao Jacomo.
Na appellacao civel desta cidade appellante
Jos Lopes tutor dos orfos de Jos Lopes ap-
pellada LeonarJa Maria de Albuquerque es-
crivao Posthumo, se mandou vista ao curador
geral.
Na appellacao civel desta cidade appellante
Jos Marques da Costa Soares appellado An-
tonio Marques da Costa Soares comocessionano
do Mu e Exm. bispo resignatario, escrivao
Ferreira foi reformada a sentenca appellada.
Na appellacao crime desta cidade appellan-
te o juizo, e appellada Maria do Carmo das
Chagas escrivao Reg Rangel, loi julgado im-
procedente o recurso.
Na appellacao civel desta cidade appellante
Francisco da Silva, appelladrTManoel LuizGon-
calves, escrivao Posthumo se mandou vista
ao doutor curador geral.
Na appellacao civel da comarca do Rio For-
moso, appellantes a viuva Costa # Filhos, ap-
pellado Evaiisto da Costa Leito escrivao Reg
Rangel, foijulgada por senlenca a desistencia.
Na appellacao civel da villa do Aracaty ap-
pellante Reinaldo da Costa Lima, appellado
Antonio de Castro Silva escrivao Jacomo fo-
rao reformados os despachos de que so recor-
rerao.
Na appellacao crime desta cidade. appellante
ojuiso appellado Manoel Joaquim da Concei-
fo, escrivao Posthumo, foi confirmada a sen-
tenga.
Na appellacao civel desta cidade appellante
Jos Marques du Costa Soares appellado Igna-
cio Marques da Costa Soares, escrivao Reg Ran-
gel, se julgou pelaconlirmacaoda sentenfa ap-
pellada.
Na appellacao civdl desta cidade, appellante
Joaquim da Fonceca Soares de Figueiredo, ap-
pelladas as pardas hidra e Joanna, escrivao
Posthumo se mandou responder o curador.
Na appellacao crime desta cidade appellante
o promotor publico e appellado Luiz Gomes,
escrivao Reg Rangel, se julgou improcedente o
recurso.
sucia da imprensa da praia que tiverao o at-
trevimento de propalar que o governo fazia
remocoes de juizes para perseguir a imprensa?
Foi oSr. Rigueira juiz da escolha e da
confianca de S. Ex que absolveo o proprieta-
rio do D-n. :. foi este proprietario que tendo
proclamado contra a remocao dos juizes, ago-
ra declara que o juiz, que lhe tocou pela re-
mocao. feita por S. Ex. digno, e impar-
cial: oD-n. quem proclama imparcial o juiz,
que declarou imparcial a sentenca doSr. Sette.
A sentenca elogiada pelo piopietario do D-n.
diz que o absolv.' por ter cessada razao por
queelle fora condemnado pela sentenca appel-
lada.
Temos a sentenca do Sr. Sette declarada re-
gular e justa ,' e o proprietario do D-n. cantan-
do a palinodia.
Tendo-se foito por essa folba imputa-
coes vagas a um individuo, havia o crime da in-
juria. Chamado a juizo o proprietario des-
cansou este ou na falsa supposicgo de ser o juiz
de sua parcialidade ou por mal acconsehado,
e tractou de resto a obrigaco de mostrar quo
o responsavel pelo artigo eslava no gozo dos di-
re i tos de cii.adao brazileiro e tinha domicilio
certo. O integro juiz nao podendo aceitar a
responsabilidade dodesconhecido condemnao
dono da Typografia e da gazeta : eis decla-
rado o juiz aleivoso inepto, e servil eis a
sucia imputando o resultado de sua impruden-
cia se nao de sua maledicencia ao governoda
provincia altamente estranho a estas intri-
guinhas decollegio fundadas em mesquinhos
interesses: eis o juiz calumniado como intro-
ductor de urna pratica nova de um embaraco
imprensa. Se o dono da Typografia e da
foi ha nao obrigado amostrar a idoneidad
do responsavel, por que na 2.* instancia a inos-
trarao e elogiao a sentenca, que julgou ne-
cessaria essa prova.
llavera contradiccao mais flagrante ? Es-
timamos nmito que o D-n. fosse o mesmo
que desmentisse tantos artigos virulentos quo
publicou contra o governo da provincia para
fazer com que os incautos suspeitassem queso
pertendia perseguir a imprensa com juizes do
commissao. Esto pois desengaados os que
acreditarlo nesses fraudulentosescrevinhadores,
que o governo nao faz caso da sucia da praia ,
nem se oceupa dola quando chama os juizes
municipaes s suhslituiVes, que se do por
iremos juizes de direito para a corte. Mas
certo que ningunm se enganou com essas aren-
gas todos conhecio a falsidade e a inepcia
das aecusaces ; e temos agora que os mesmos
calumniadores canto a palinodia e so
desdizem ; mas sempre com a mesma cara,.
sem o rubor, que em taes conjuncturas deve
subir de qualquer bomem.
COMMERCIO.
A lan (lega.
Rendimento do da 13.......... 5:5118771
DetcarregUo hoje 15.
Barca Camelia fazendas.
Brigue Sophia fazendas, alcatro, e ta-
boado.
Brigue Ihomaz Rathersey fazendas, lou-
ca, serveja carno salgada, c ferro.
Barca Felice batatas.
Brigue Jozephina vinho vinagre e a-
zeite.
Assucar
Htlili) l)E rUiUHIHl),
O PROPRIETARIO DO DIARIO NOVO ARSOLVI-
DO PELO DIGNO E 1MPARC1AL JJTIZ DE
DIREITO INTERINO SR. DOUTOR
RIGUEIRA (D-N. )
Eis o distico inserido no D-n. d'ontem a
publicacao da sentenca dada pelo Sr. Rigueira
Nao lera ficado com a cara larga toda a sucia
do D-n. que attribuia as nomeacoes dos jui-
zes substitutos que tiverao lugar com a apre-
sentacao do Sr. Dr. Neves intenso que ti-
nha o governo de dar causa do proprietario do
K-n. um juiz que o condemnasse?
Quem fallou \enfade ? O D-n. de Pernam-
buco em asseverar que S. Ex. nao faz caso do
Artigo nico. Os emprestimos decretados D-n. esua sucia, nem dellese lembrou. quan-
Couros
PHAgA DO BECIFE 13 DE MAIO DE 1843.
Revista mercantil.
Cambios Houverao transaeces. no decurso
da semana a 25 '/, 25 A e 26 d.
p isooo
Algodao As entradas oro regulares, mas ha
poucos compradores aos precos do
48800 e 48900.
-Foro avultadas asentradas.e as ven-
das reguLres a 18100 o branco e
18050 o masca vado sobre o preco do
Ierro, e de 2g 100 a 28500 o branco,
e 2S200 a 2g400 o mascavado em
barricas.
Continuo a 130 reis por libra tendo
aparecido mais alguns compradoies.
Azeite doce Yendeu-se de 18700 a 18750 o
galo.
Bacalhau Contina a retalhar-se a 98500 rs.
Bolaxinhas \ enderao-se a 48500 reis a bar-
ril a.
Cha hysson Vendeu-se a 18850 ris a libra.
Chumbo dem a 16S000 reis o quintal do
mu n cao.
Farinha de trigo Entrou um carregamento
de 1.700 barricas, o qual ainda se nio
vendeu : o deposito da americana em
primeira mo est quasi terminado ,
e o pn-co nao tem solrido alteracao
nu ultima rntricto
peaasomoi a legislativa da provincia do Kio de do leve de por os Srs. Duarte e Nevos nos Manleiga Vendeu-se de 500 a -iSO tps .
Jane.ro para construeco de diversas estradas e | lugares, que Ibes competio ou o D-n. e a "anl0,ga bra da france^a d0 8 re'S a ,h


Vinho de Cette dem a 80SO00 res a pipa.
Vellas de Spermacete dem a 660 a libra.
Cbegrao dous carrcgamentos um de Marse-
Iha, eoutro de Genova com vinhos
eoutros gneros, e ambos seguiro
para os portos do Sul. .
Existem no porto 52 embarcaces.
5.
Ifovmento do Porto.
Navio entrado no dia 12.
Ass ; 10 dias, hiate bra/iloiro Olinda, de 49
toneladas. capitao Jos Goncalves Simas ,
equrpae;em 9, carga sal; a Manoel Joaquim
Pedro da Costa.
Navios entrados no dia f3.
Parahiba ; 30 horas, brigue escuna de guerra
brazileiro Gararapes, commandante o 1.
tenente Jos Segundino Gomensoro.
Veneza ; 61 dias, barca austraca Venezia de
236 toneladas, capitao Liandro F. Joanc'ich,
equipagem 11, carga arinha de trigo, e mais
gneros; a Le Bretn Nchramm & C*
Navios sahidos no mesmo dia.
Monte Video, e Buenos Ayres ; brigue brazi-
leiro BomJezus, capitao Francisco Ferreira
Marques; carga assucar.
Trieste; brigue austraco Gerolamo capitao
Diodato Vucovich carga assucar.
"Canal; brigue inglez homo capilo J. Pa|-
terson; carga assucar.
Editaes.
O Illm. Sr. pectorda thezouraria das
rendas provinciaes manda fazer publico que
em virtude da lei perante a mesma thezoura-
ria se hao de arremataren) hasta publica quem
maisder nos dias 19, 20, e 22do junho pror-
simo vindouro pelas 11 horas da manhaa os
seguintes impostos :
Por lempo de 3 annos a contar do l.de ju-
lho (uturo,
Taxa da barreira do Giqui avahada an~
nualmente em........4:100000
Taxa da barreira da Magdalena avahada an-
nualmente em...... 2:052<00i,
' Taxa da barreira do Motocolomb a\aliida
annualmente em.......1:6008000
Taxa das passagens do rio nos lugares do
Cordeiro odo Caldereiro idem 8g0
Furo das caixas e fechos d'assucar
itJem...........1:0808000
Por tempo de 2 annos a contar da dita epo-
cha.
Vinto p. % na agurdente de consumo nos
muuicipios de Goianna avahado trienalrnenlc
em..........\ 1:01-78000
Pao do Alho idem......273^000
Limoeiro idem.......249j600
Bonito idem........ 153.>000
Cimbres idem...... 848000
Garanhuns idem......' 93S000
Flores e Tacarat idem .... 93000
Boa-vista idem......' 93j000
As pessoas que se proposerem a estas an ema-
taco.s comparecao na salla das sessoes da mesma
thesouraria nos dias cima indicadas munidos
de (adores idneos, e competentemente habili-
tadas.
E para constar mandn o mesmo Illm. "t
inspector affixar o presente, e publicar pela
mprensa. Secretaria da thesouraria das ren-
das provinciaes de Pernambuco 10 de maio de
1843. O secretario
Luiz da Costa Portocarreiro.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria das
rendas provinciaes manda fazer publico que em
virtude da lei perante a mesma thesouraria se
ho de arrematar por tempo de 3 annos a con-
tar do 1. de julho do presente em hasta pu-
blica a quem por menos fizer nos dias 19, 20,
e 22 de. Janeiro prximo vindouro pelas ll bo-
j-as da manhaa as illuminaces dacidade de
Olinda, eda povoacaodos Afogados, avahado
o fornecimento diario de cada um dos lampies
da de Olinda em 144 rs. o da dos Afogados
em 195 rs.
As pessoas que se proposerem a estas arre-
mataces comparecao na salla das sessoes da
nicMiia tbesouroria nos dias cima indicados
munidas de fiadores idneos e compete te-
mente hahelitadas. Secretaria das rendas pro-
vinciaes de Pernambuco 10 de maio de 1843.
O secretario
Luiz da Costa Portocarreiro.
da Silva. Escriptorio da companbia do Bi-
beribe 10 de de abril do 1843.
Os Senbores :
Jos Antonio Louren^o........../.... 300
Goncalo Jos Afonco................ 50
Herculano Maria Ressone............ 60
Jos Joaquim da Costa Leite.......... 50
Fermianno Jos Rodrigues Ferreira..... 5q
Jos Fernandes Eira................ 40
Felippe Carneiro d'Olinda............ 40
Alexandre Tavarcs de Mello........... 40
Manoel Pacheco de Qucroga.......... 20
Jos Ignacio Xavier................ 20
Antonio da >ilva Guimaraes........... 20
Antonio Joaquim da Costa Pimentel.... 20
Silvestre Joaquim do Nasciment....... 2a
Amaro Goncalves dos Santos........... 20
Jos Antunes Guimaraes.............. 15
Luiz Antonio Goncalves.............. 15
Manoel da Silva Neves....-............ 10
Thomaz Ferreira Ramos............. 10
Jos Maria Cezar do Amaral........... 5
Jos Joaquim da Silva Guimaraes....... 5
Francisco de Paula Rodrigues d'Almeida. 5
Manoel Luiz Viraos.................. 5
Antonio Carneiro Le8o............... 5
Somma....... 830
Bento Jos Fernandes Barros.
Os Srs. accionistas da companhia do Be-
biribe sao convidados para urna reuniao em as-
sembla' geral no dia 17 do correte pelas 10
horas da manhaa no escriptorio da companhia ,
ra Nova n. 7 ; a lim de se proceder a 'elleico
da administraco creada pelos novos estatutos ,
approvados em sessao de 10 do presento mez;
cupos dis'posicoes a semelhante respeito sao as
seguintes
Art. 20. A gerencia dos negocios da compa-
nhia fica confiada a urna administracao compos-
ta de um director, um vice director, um
caixa um secretario e mais cinco adjunc-
tos <&c.
Art. 21. O director o vice director, o
caixa e o secretario sern individualmente no-
meados por escrutino secreto por maioria abso-
luta de votos : osoutros membros porcm da a-
niinistracaoserao collectivamente nomeados por
maioria relativa.
Art. 14. Tem direito de votar o accionista
que possuir 5 ou mais aeces contando-se um
voto por 5 aeces: todava nenhum accionista
ter mais de 10 votos anda que possua mais de
50 aeces.
Art. 13. Os accionistas votarao pessoalmen-
te ; salvo no caso de elleico dos membros da
administracao noqual podero votar por pro-
curado outhorgada a outro accionista ou por
carta dirigida ao director. Recife 12 de Maio
de 1*43. 0 secretario Bento Jos Fernan-
des Barros.
Para a banda de muzica do 2.batalh8o
de artilharia a pdesta provincia contratu-se o
oseguinte :
Mu/icos que toquem cirmelas e de boa
conducta .........3
> ito para corneta de chave .... 1
Gen nt-'-se aos mesjnos o ordenado de 40a a
453 mil rs. por mez.
Nao sendo obrigados a servirem fora desta
provincia.
Fardamento fino c mais vencimentos do ba-
talho.
A quem convier dito engajamento pode com-
parecer na secretaria do mesmo batalhao das
10 horas ao me odia.
causa.






Francisco de Souza Travassos 4
Manoel Quintino de Barros Bar-
reto 4 Sem
Francisco doRcgo Barros Pessoa 4
Joaquim da Silva Rogo G. Na-
cional. !6
Manoel Isidro de Miranda 12
Manoel de Sou/a Braga 6
Aula de Fracez.
Jos dos Santos Nunes d'Oli-
veira 12
loao Pereira da Silva Guimaraes 10
Francisco Ferreira da Cunha 10
Antonio Bento da Costa 8
4ula de Dezenho.
Galdino dos Santos Nunes do O-
liveira 26
Manoel Fonceca do Modeiros 16
Joaquim Olario d'Assuraifio 14 Por doente.
Manoel de Faria Lemos 6 Som causa.
/fula de Geografa.
Antonio Joaquim Ferreira de
Carvalho 21
Jos Bodrigues de Souza 15
Prxedes da Fonececa Coutinbo 11
Francisco Litis
Manoel Quiniinode Barros Bar-
reto
/lula de Rhetorica.
Antonio Rabello da Suva
Antonio Francisco de Mello
Claudino Jos Raposo
Ignacio do Reg Barros Pessoa
Simio de Asevedo Campos
A ula de Filosofiia.
Francisco Pereira da Silva 9
AmericoCordeiro XavierdeBrito 6
Jos Joaquim da Silva 5
Francisco de Assis de Oliveira 4
Aula de Geometra.
Jos Gamillo Ferreira Rabello 10 Justificou.
IVanklim Pinto de Sorbona 6 Sem causa.
Gald.no Joiio Jacinto Borges 5
Miguel da Costa Dourado 5
Ignacio Joaquimde.Souza Leo 4
Secretaria do Lyco desta cidade 10 de Maio
le 1843. O secretario
J. F. da Uva Guitnares.
8
5
9
6
o
4
4


((







iieclaraccs.
Companhia do Biberibe.
Acho-se a venda 830 aeces que deviao
pertencer aos rs abaixo declarados ; os quaes
perdrao o direito as que subscre\rao, por nao
terem realisado nenliuma das entradas exigidas:
Publiccto-se os seguintes nomes dos allumnosdo
lyco e as faltas que el les dero nos mezes
de Fevereiro Margo e Abril p. p.
Fl- Obserr.
.4 ula de La lim.
Frncisco Jos da Costa e >ilva 38 Pordoente.
Jos Lopes Rosa 35
Aureliano Antonio Pereira de
Carvalho 31 Sem causa.
Manoel Bento de Barros 31 Justificou.
Pedro de Alcntara Mont Lima 21
Antonio Pedro Al\es 21 Sem causa.
Francisco de Assis* ilva Ferreira 20
Pedro Antonio Cesar 17 Justificou.
Manoel Isidro de Miranda 15 Sem causa.
Andr Alvesda I 'oncea Jnior 14 Justificou.
Manoel Moreira de Mendonca
Anlonio \Soares do Carvalho
Sigismundo Coelho Leite
Jos Joaquim de Lima Jnior
Joao Xavier da Silva
Leopordino Amara! de Abreu
Jernimo Barreiros. Rangel
Antonio Brazilino
Aires Anlonio de Moraes Ancora 6' em causa.
Fermino Herculano Moraes An-
cora
Manoel de Souza Braga
12 Sem causa.
12 Justificou.
9
8
8 Por doente.
7 Justificou.
7
7
iTianoei ua oiiv nC-g
as pessoas que as mizerein comprar umjao-se
ao caixa da companhia o Sr. Manoel Goncalves | Luiz Antonio Pires
6
5. *
5 JusLituu.
5
Administragito do patrimonio dos orfSos,
Perante a administracao do patrimonio dos
orfaos se bao do arrematar a quem maisder ,
por tempo de 3 annos que hao de ter princi-
pio do 1. do julho do correte anno ao fim de
junho de 1846 as rendas das seguintes casas.
N. 1 no laryo do collegio o Io andar somente.
2 na ra do collegio.
5 das Larangeiras.
6 do Rangel.
8 Yelha da Boa-vista.
9 da Gloria dita.
lOellruadeS. Goncalo dita.
12 ra do Cebo dita.
atrs do acougue dita,
do Rozario dita,
da Cadeia do Recife.





da Madre de Dos.







a

I

do Torres.
As pessoas, que propozerem arrematar di-
tas rendas podero comparecer na casa das ses-
soes da dita administracao nos dias 15, 17e
19docorrenle mez as 4 horas da tarde com
seus fiadores ; e adverte se aos inquelinos que
se acharem devendo rendas atrasadas que se
nao acceilaoseus leos, e ncm por isso se Ihes
dar preferencia ao lanco que lor oferecido.
Salladas sessoes d'administracao do patrimonio
dos orlaos 13 de maio de 1843.J. M. da
Cruz escripturario. .
14
16
17
18
20
21
22
23
26
27
28
9
30
31
32
33
34
35
36
37




















ves Clemente, queira dirigir-so & ra da Matriz
da Boa-vista, no primeiro andar do sobrado n.
26 que so Ihe dezeja fallar.
Prooisi-so alugarduas negras que srvSo>
para todo o servico do casa, e de ra ; quem
J as tiver dirija-so ra de S. Francisco n. 56.
A Sr.* Germana do tal, que morou na
lugar dos Melos, que se oceupava em lavar rou-
pa, e boje em Maranguapo queira dirigir-so
* ra da Matriz da Boa-vista, no primeiro andar
do sobrado n. 26.
= Aluga-se o primeiro andar, e arma/em
da casa de i andares da ra da Moeda ; aquello
muito fresco o esto proprio para estaheleci-
mentocomniercial; quem os pretender dirija-
so i ra do Vigario n. 13.
= Alu;za-se urna casa terrea na ra do Co-
tuvcllo, da Boa-vista; quem a pretender dirja-
se ra do Vigario n. 13.
Lotera de V. Sr. de Guadalupe.
Tendo-se annunciado o andamento das ro-
das desta lotera para o da 15 do corrente elle
nao pode ter lugar em razao de se annunciarem
as da matriz da Boa-Vista que tinha publi-
cado para o dia 10; e como agora mudasse pa-
ra 23 deste mesmo mez por essa razo a ir-
mandadede N. S. do Guad'lupe muda o an-
damento das rodas la sua lotera para o dia 29
do presente mez : roga-se aos amantes deste 0-
go concomio .i compra do restante dos Inlbetes,
que se acho a venda nos lugares do costume.
Precisa-sc de um arma/em que seja gran-
de e ladrilhado, proprio para recolher, e que
lique perto da alfandega ; quem o tiver dirja-
se a alfandega a tralar com Costa & Oi.ofre ou
no seu armazem na ra da Madre de Dos.
= Traspassa se o arrendamento do sitio da
Capella do Rozarinho com o consentimento
doSr. coronel Cazado Lima, com boa caza pa-
ra morad ia, senzalla para escravos e feitor, es-
tribara para 5 cavallos core do para 8 vaccas,
corral coberto de lelha terreno para plantacao,
aonde tem roea ecapim, hortalice e urna
boa plantaeao de mendohim bastantes aore-
dos e boa agoa para lavar roupa ; a tratar no
mesmo sitio.
Perdeu se um relogio patente Suico de ou-
ro eSabonete desde a igreja de S Pos ate
o meio do arial das cinco Pontas; quem o achar
entregue na ra do Crespo toja n. 8. quesera
generosamente recompensado.
Faz-se sciente ao publico, que ninguem po-
de r fazer negocio com a escrava de nome Cor-
dolina que Elias Kli/eu possue do contrario
perder o seu valor.
=0 abaixo assignado faz sciente ao publico
que o annuncio inserido no Diario novo de 12
do corrente sobre o acrescimo do seu nome
helalso, e nem se entonde com elle
outro
Aviso* martimos
= Para o Rio de Janeiro o patacho nacional
Constante Amizade deve seguir at o dia 18
do corrente ; quem no mesmo quizer ir de pas-
sagem ou embarcar escravos a frete dirja-
se a Gaudno Agostinho de Barros atraz do Cor-
to ; anlo n. 16.
Avisos diversos.
ss O Sr. Joaquim Francisco de Paula Este-1 prestimo precisar annunc'ie,'
sim declara que o seu nome he como abaxo ,
sem nenhum outro appellido.
Manoel Joaquim Bernardet.
A pessoa que annunciou ira Parahiba e
que se oferecc para cobrar dividas annuncie a
sua morada.
Da-so 508 at 500, a premio de 2 por can-
to sobre penhores de ou.ro ou prata : na ra das
Cruzes n. 40.
A quem Ihe faltar algumas pessas de fazen-
das entenda-se com Manoel da Cunha Guima-
raes Ferreira que IhwSerSo entregues.
Offereco se um homem solteiro para cobrar
dividas nesta praca ou distante mealegoa ou
para outro qualquer servico que se Ibe offere-
cer oqual da fiador a sua conducta ; quera
do seu prestimo precisar annuncie por esta fo-
Iha.
Em um dos das da semana Santa p. p. a
chou-se n'uma das ras do bairro do Recife u-
ma obra de ouro, quem so achar com direito
ella dirija-so a ra Augusta n. 50 quedando
os signaes cerlos Ihe ser entregue.
Tomao-se aprendizes para o officio de al-
faiate de 8 a 12 annos de idade no atierro
da Boa-vista loja de alfa ate ha esquina do
beco.
O bacharel Farncisco de Sales Alves Maciel
prope-se a advogar no civel e crime; e a en-
snargrammatica franceza e geometra: as
pessoas que quizerem utilizar-se dos seus ser-
vicos dirjao-se a ra do Cjueimado 00 pre-
meiro andar da casa n. 20.
Lotera da matriz da Boa-vista.
As rodas desta lotera correm impreteri-
velmenle no dia 23 do corrente eos bilbetea,
achao-se nos lugares do costume.
t- Aluga-se um sotao proprio para hornera
solteiro : na ra do Livramento, n. 3.
A pessoa, que quizer dar 500,000 re. a
juros com hypolheca em urna casa terrea an-
nuncie
Um rapaz Brasilero de bons costumes e>
comalguma inslrutcose propdea ensinar me-
ninos, nao s em sua casa mas tambem as
de seus pais ou mesmo para caixeiro de es-
cripturacao de alguma casa estrangeira, oqual
d fiador a >ua conducta ; a pessoa que do seq


fl
M. DEPOSITO de farinha de mandioca na
ra da Cadeia do Bairro de S. Anto-
nio casa n. 9 ; este novo esta bel ce i ment
he de primeira utilidade nesta provincia nao
so para evitar as faltas deste genero de primeira
rtecessidade, que de vez em quando nos atacao,
como tambem para por termo ao escandalozo
monopolio que a tal respeito exercem indivi-
duos que nao tem projssao alguma. O ad-
ministrador do deposito empregar todo o dis-
vello para que os freguezes se conservem satis-
feitos encontrando ali farinha sempre da me-
Ihor quo aqui apparecer e o mais barato
que poder ser-, sendo de admirar, que ha-
vendo em outras provincias depsitos desta na-
tureza, cuja necessidade tem sido reconhecida,
s nesta orovincia se depare com esta tao sensi-
vel falta. Convido-se portento aos compra-
dores para que ali se dirijan, e assegura-se ,
que os precos serao constantes, sendo annun-
ciados todas as semanas pelas folhas o que
tende a impedir as fraudes dos portadores.
N. B. =Os precos desta semana sao os sc-
guintes: farinha de primeira qualidadi: a 2240
ao alqueire e de segunda dita a 1920.
= Aluga-se um sobrado novo de um an-
dar o sotao na ra Augusta ; e na mesma se
vende caibros; quem precisar dirija-se ra do
Rangel, na esquina que volta para o Trem, ven-
da d. 11.
= Aluga-se urna boa sala com alcova ,
propria para escriptorio ou para homem sol-
teiro na ra da Cruz do Recife ; os preten-
dentes dirijao-se a botica n. 27 da mesma ra.
= Furtaro no fim da passada semana em
o bairro do Recieum botaode ouro com dia-
mante um anel com firma dous pares de fi-
vellas de prata 3 resplandores de ouro e um
quadro com o retrato do Imperador, com fita
verda e amarclla ; quem souber de qualquer
destes objectos, c participar na ra do Encan-
tamento n. 4 se ficar em agradecimento e
sendo olerecido por venda, roga-sc appre-
heneao.
= O Sr. Jos Joaquim de S Pegado que fi-
coude fiador da casa na ra da Concordia, em
que morou a Sr.* Joan na Felicia do Nascimento,
antes de se retirar para o mato mande resga-
tar a carta de ianea e pagar 12^660, que a-
inda resta a carta existe na loja n. 10 de-
fronte do oitao do Livramento.
= F. Coulon subdito francez, retira-se
para Fra da Provincia.
=5 Achou-se um embrulho com urna porcao
de garios e facas de mesa novas; quem f or seu
dono dirija-so a ra da Guia sobrado de um
andar n. 46 que dando ossignaes e pagan-
do 720 que se deo ao negro que as anda-
va vendendo, Ihe serao entregues.
= Precisa-se um caixeiro para urna venda,
que entenda deste negocio : na praca da Boa-
vista n. 7.
= Jo5o Antunes Guimaraes, mudou sua
residencia da ra do Torres, para a da Senzalla
Velha sobrado novo n. 22.
= Aluga-se urna pieta cozinbeira; na ra
da Gloria casa n. 77.
- Muio su tem fallado do sistema Horneo
pathico, do sistema de Broussais, e de outros
muitos mil diferentes; pouco portanto se tem
dito do mais essencial os evacumantes, que
ninguem pode negar serem nos climas calidos
absolutamente necessarios, e sobretudo quando
existe a diliculdade de fazer observar aos doen-
tes a dieta necessaria e rigoroza que pede a
Homeopathica e pratica regular zc. Somos
geralmente acostumados a comer muito mais
do que he necessario para o tiosso sustento ; o
resultado he flatos, indigestes e inflam-
rosnos igados &c. Para remover impedir
estes incommodos, nuda he mais prompto, que
um purgante saudavel que nao constipa os
intestinos, c que augmenta as difieren tes sec-
creedes.
O publico achara as Pilulas vegetaes do Dr.
Brandreth e na Medicina Popular Americana ,
estas propriedades, que produzem seu efTeito ,
sem dores e ncommodo algum nao he ne-
essario dieta alguma e pode-se tractar dos
seus negocios no mesmo dia em que se tomar.
Aqut vende-se somente em casa do nico a-
gente Joo Keller ra da Cruz do Recife n.
18 e para maior commodidade dos compra-
dores, na ra da Cadeia do Recife, em casa de
Joao Cardozo Ayres, na ra Nova na de Guerra
Silva & C.*, e atterro da Boa-vista, na de Sal-
les & Chaves.
= Alugo-se dous sitios, na campia da
Gasa Forte um delles com casa nobre re-
oeatemonte edificada estribara cocheira ,
cozinha fora, 4 quartos, eduas salas, c umj
vasto terreno para plantaces e pasto povo-
ado de arvoredos do fruto e o outro com _os!
mesmos commodos mas nao jtem coxeira
tractar na ra do \ gario n. 18 ou no si-
tio do proprielano na estrada do Cordeiro
A possoa que no Diario de 13 do cor-
rente annunciou 3 portas, e 3 janellas, diri-1
ja-se a praca da Independencia, n. 28.
No Seminario de Olinda obras velhas
cubculo n. 12, existem duas cartas de impor-
tancia vindas de Sobral, urna para Antonio Jos
da Cruz e outra para Jos Dionisio.
Aluga-se um casa de sobrado de dous
andares, na praca da Boa-vista n. 6 : a fal-
lar com Ignacio Jos de Couto na botica da
mesma casa.
- Todas as pessoas que padecerem a
molestia de estalecide asmtico ou puchado ,
querendo se ver livre delle por urna vez diri-
ja-se na Cidade de Olinda na ra de Xavier de
S. Roza procurando para S. Francisco em
casa de Ignez Mara da Conceicao n. 3; o
importe do Remedio he 20,000 rs. e levar
um garrafa.
- OTerece-se para ama de qualquer casa
de homem solteiro ou casado urna mulher
forra com muita pratica de servir e he de
idade : no beco do pixe frito n. 5.
= Aluga-se o armazem que (lea unto
mar, por traz do sobrado n. 15 da ra da Ca-
deia de >. Antonio, o qual armazem tem gran-
de utilidade nao s pelos seus commodos,
como para recolhimento de lenha madeira
taboas, &c. ; quem o pretender dirija-so ao
secundo andar do sobrado a cima das 9 ho-
ras da manliu as 4 da tarde.
- Aluga-se urna preta, que sirva para ven-
der na ra e fazer o Servieo de casa que se-
a de boa conducta e nao seja ebria ; quem
tiver annuncie.
Deseja-se fallar ao Snr. JoSo Loubet che-
gado a pouco do Rio de Janeiro no Brigue
Indiano para negocio que Ihe diz respeito :
no largo do Corpo Santo, casa de Manoel Igna-
cio de Oliveira ou annuncie sua morada.
Compras.
Compra-se geometra de Euclides em-
boratenha algum uso : na reparticao do cor-
reio a fallar com Joao Barboza Macudum.
Comprao-se Apolices da contadoria ven-
cendo juros: na ra do Livramento, n. 3.
Compra-sa um casal de coelhos; quem
tiver annuncie.
Vendas
Vende-se plvora superior de todas as
qualidades em porcoes grandes, e pequeas;
na casa de Me. Calmont &C.*, na praca do Cor-
po Santo.
:= Veitch, Bravo & C. tem a honra de par-
ticipar ao respeitavel publico, que na sua botica
e armazem de drogas n. 1, vende-se o seguinte:
extracto fluido contratado de salsa parrilba da
jamaica C. H. Bulter & C. mais enrgica e
eflicaz preparaco desta raz que at hoje se
tem descoberto o que prova o grande apreco
e repetidas indicacoes que della fazm as
pharmacopeias de Londres. Dublin Edimburgh
&c. ; o celebre Colirio anti-ophtbalmico, cujo
medicamento he bem conhecido por seus bons c
salutares efleitos para distruir nevoas, beli-
das, inflamacoes e outras doencas d'olhos em
que nao he preciso para o seu curativo radical,
recorrer aos meios preparatorios agoa de
Seidlitz, e Soltz, Soda-Wator, limonada ga-
zoza verdadeiro e finissimo Arrow-Root de
Bermuda Magnesia-Calcinada ptima, sag,
escovas e pos mui finos para dentes mostar-
da ptima para mesa pos de Seidlitz e de So-
da e um grande numero de preparacoes de
difieren tes objectos que se encontrad a venda
as principaes boticas da Europa na mesma
casa se vendem as verdadeiras pilulas Vigetaes
universaes do Dr. Brandret vindas directa-
mente de seu author e compositor nos Esta-
dos-Unidos ; assim como urna porcao de salsa
parrilba nova recentementc Ghegada. Parti-
cipao a todas as pessoas zelozas de sua escriptu-
racao ( como principal e nica garanta da
nossa honra e probidade ) que sao agentes da
ptima tinta de escrever do seu amigo Doutor
Thompson cuja preparaco novarnente des-
coberta se torna digna dos maiores elogios por
ter a particularidade de se tornar tanto mais
preta quanto maior he o espaco depois de Iho
termos confiado nossos negocios e cuidados.
= Na ra do Passeio n. 8, loja franceza
e frabica de chapeos de sol vendem-se cha-
peos bordados para homem e senbora do ine-
hor gosto e qualidade novarnente chegados
de Pariz e acha-se chapeos dos mais fortes ,
e feitos com a mesma perfeicao ; e mais um
ortimento de sedas e pannos de todas as qua-
ldadas para tobrir os mesmos ricos coberto-
f res paracama e cabos para chapeos de sol,
feitos com muita perfeicao tudo prxima
mente chegado de Franca ; e tambem se con-
a sertao e cobrem-se chapeos de sol para hornera
esenhora por precos commodos.
Vendem-se duas casas novas pequeiid d
pedra e cal no atterro dos Aflbgados por preco
commodo; trata-so deronte do viveiro do
Muni/n. 85'
Vende-se chocolate do Lisboa vindo no ul-
timo navio do superior qualidade no arma-
zem que foi do fallecido Muleta defronte da es-,
cadina daalfandega.
s= Vende-se urna preta idosa boa lavadei-
ra quitandeira e faz todo o servicode urna
casa : na ra da S. Cruz n. 56.
= Vende-se um crioulo muito bom carrei-
ro e serrador e entende de todo o servieo
de engenho : a tratar com Jos Affonco Fer-
reira ou na ra do Aragao n. 26.
= Cadeiras americanas com assento de pa-
Ihinha camas de vento cora armacao com-
modas de angico, ditas de amarello marque-
zas de condur camas de vento de amarello
muito bem feitas a 4500, ditas de pinho a 3500
assim como outros muitos trastes ; pinho da
Suecia com 3 polegadas de grossura dito
serrado dito americano com differentes largu-
ras e comprimentos travs de pinho e bar-
rotes com diflrentes grossuras e comprimen-
tos; tudo se vende mais em conta que outra
qualquer parte: na ra da Florentina, em
casa de J Beranger n. 14
% Vendem-se calcados do todas as quali-
dades, tanto para homem como para senbora ,
e 300 pares de sapatos brancos chegados lti-
mamente de Lisboa proprios para tropa por
preco mais commodo do que em outra qualquer
parte : no atterro da Boa-vista n. 74.
=xs Vendem-se um preto de nacao de 26
annos possante, e proprio para qualquer ap-
plicacao mormente para embarcadisso por
ja ter dado muitos viagens de marinheiro he
alem disto canoeiro cozinha o ordinario, e
tem bastante pratica de servieo de campo e
de alfandega ; e outro de 17 annos cozinha ,
tem bastante adiantamento no officio de pedrei-
ro e he canoeiro e sabe tidar com carros ,
t carroras: na ra da Cruz do Recife n. 51.
- Vende-se urna cadeira da Bahia ; e um
carro de duas rodas, com lanternas e arreios,
tudo em muito bom estado : na praca da Boa-
vista n. 6 botica de Ignacio Joze de Coito.
= Lima Jnior & Companhia, tem para
vender oxcellente vinho do Porto de feitoria ,
em pipas e barris, no armazem de Manoel Jo-
s Martins, na ra da Cadeia do Recife che-
gado ltimamente ; assim como cola da Bahia,
no armazem de Dias Ferreira & Companhia ,
no caes da Alfandega.
Vendem-se thesouras de Guimar8es pa-
ra barbeiro ea alfaiate por preco commodo :
na ra Direita travessa de S. Pedro n. 16 ,
na mesma compra-se urna corrente para relo-
gio de ouro sem eitio.
= Vende-so urna casa terrea feita a moder-
na e travejada sala forrada com 3 portas
de frente: na ra da ConceicSo da Boa-vista ,
n. 22.
Vende-se urna escrava moca, mnito boa
engommadeira e lavadeira cozinha e faz ren-
da : na ra Nova 15.
= Vende-se urna escrava de nacao de 17
annos bonita figura, cozinbeira, e com mui-
to bom.leite para criar, por ter parido a 15
das, sem a cria : no atterro da Boa-vista ,
n. 26, primeiro andar.
= Vende-se um mulato moco de bonita fi-
gura bom sapateiro ; entende de pedreiro e
ptimo para pagem : na ra do Crespo n. 4.
=3 Antonio de Souza Rangel, vende o seu
sitio da Magdalena; quemo pretender dirija-
se ao mesmo sitio ou entenda-secom o escri-
vao Bandeira na ra estreita do Rozario.
= No deposito de assucar refinado, esta-
belecido junto ao arco de S. Antonio, em fren-
te do caes do Collegio ha para vender assucar
refinado segundo o novo systema de fabrica-
cao pelo qual se extrae a potassa e cal, de-
xando-se-o no seu estado de pureza ; sendo o
preco da libra do de primeira sorte e em pes
160 rs. e o de segunda e terceira em p ,
a 120, e 80 rs.
O abaixo assignado vende a parte que
Ihe tocou por heranca de.seu fallecido pai Ma-
noel Pires Ferreira na divida da Fazenda Pu-
blica do Rio de Janeiro a qual com os juros
anda por mais de 5 contos de reis; quem pre-
tender dirija-se atraz da Matriz da Boa-vista ,
casa n. 24. = Domingos l'ires Ferreira.
Vende-se um porcao de chapeos de mas-
sa envernisados proprios para pagens, e la-
caios por preco barato : na ra da Cadeia ve-
lha lojs da esquina do beco largo.
Vende-se urna escrava propria para traba-
Ihar em servieo de campo*, por estar acostu-
mada : na ra da Solidado n. 38.
Vendem-se massos de cartas de jugar,
francezas finas ditas portuguezas tambem
finas, resmas de papel aln-aeo a imitacao de
mcia holanda ditas de peso azul grozas de
fogo americano, tudo de boa qualidade, e
por preco barato ; na praca da Independencia ,
n. 4.
\ vendem-se borzeguina |jos de duas
solas para homem a 4500, ditos de brim a
4500, ditos do urna sola a 3840, brancos e
pretos, sapatos de lustro para homem a 1000 ,
ditos do bezerro a 1120, botins de lustro para
homem a 9000, sapatos de lustro, marroquim
e crdavo para senhora ditos para homem
de palla grossa, ltimamente chegados; na
loja de Joze Fernandes Bastos defronte da ca-
deia.
Vendem-se couros de onca mui bem
cortidos: na ra da Guia n. 31, segundo
andar.
Vendem-se cocos e pabias com abundan-
cia e extrumo de gado a 2000 ss. a canoa ;
na liba do Nogueira.
- Vende-se um casa de dous andares e so-
tao cozinha e sala para jantar sita na ra No-
va n. 37, com muitos commodos: na ra
das Flores, n. 23.
- Vende-se um sitio ao entrar da estrada
que vai para Olinda da parte esquerda, quem
vem da Cruz de Almas com urna boa casa de
vivenda boa cacimba de agoa do beber, com
500 ps do larangeiras de embigo, e varios ps
da China um grande bananeiral de varias
qualidades, ps de saputy varios pes de li-
m3o doce lima de embigo e da Percia ro-
meiras, mangueiras de Itamaraca jaqueiras
de varas qualidades boa baixa de capim ,
muita macaxeira e mandioca plantada 1200
psdeananazes tamarindos, ovarios ps de
de fruta pao, e muito mais aores; na ra
das Flores, n. 23, domeio dia as 4 horas da
tarde.
- Vende-se urna bem feita cama de Jaca-
randa com sua cadeira para subir por pre-
co commodo ; na ra de Hortas n. 66.
Vende-se um Horacio em latim eom
pouco uso ; na ra atraz da Matriz da Boa-
vista ; n. 26 primeiro andar.
Vende-se um bonito molecotc proprio
para todo o servieo: na ra atraz da Matriz da
Boa-vista n. 26, primeiro andar.
Vende-se um cavallo mellado que foi
do finado Manoel Antonio de Almeida com
bons andares, e bastante gordo; na ra es-
treita do Rozario n. 30, terceiro andar.
Vendem-se chales do la modernos a 1000
rs. merinos de cores os memores em-quali-
dade a 1600 o covailo panno preto fino a
3000 macedonia de cores a 640, ganga azul
de boa qualidado a 80 rs. ,' riscados trancados
at proprios para jaquetas a 120 chitas finas
de assento escuro e claro a 160, lencos de chi-
ta a 140 o 160, cortes de vestido em cassa pin-
tada e mordena a 2400 chales de cambraia da
India com bordado passado a 1000, alcatifa
larga a 320 o covado, e mais estreita 240 ,
muito fortes riscados americanos a 1120 a pe-
ca com 8 covado, e as ja bem condecidas breta-
nbas largas a 2 a peca com 10 varas e a 1500
com 7 varas e meia algodao encorpado ame-
ricano o mais proprio para vestir escravatura,
por bem mdico preco alm destas outras
mu i tas fazendas por bem deminuto preco, com
amostras francas na ra do Crespo loja n.12 ,
de Antonio da Cunba Soares Guimaraes, ao p
da loja n. 10, da viuva Cunba Guimaraes.
Vende-se farinha de S. Catharina em
saccas de dous alquercs e meio do Rio, de mui-
to boa qualidade, e por preco de 4500; na
ruada Cadeia do Recife, ns. 12 e 1-4.
Vendem-se cavalla secca a 60 rs. a libra,
azeite doce a 3680 a canuda e a 500 rs. a
garrafa dito de coco a 2880 o a garrafa a
400 rs, espermacete a 640 a libra alpista a
480 o quarteiro painco a 260 farinha do
Maranhao a 100 rs. pacas a 160 a libra ca-
f em grao a 140 lingoicas a 400 rs. papel
de todas as qualidades, e todos os mais gene-
ros de venda por preco commodo : no patio do
Terco, n. 7.
Escravos fgidos.
= No dia 3 do corrente. fugio da casa de
Manoel Jos Correia Jnior, o moleque criou-
lo de nomo Miguel, de 15 annos cor bem
preta olhos vivos beicos grossos, ps al-
guma cousa cambados, muito flota e dado a
valentao costuma a botar o chapeo a banda ,
e tem em urna das pernas um signal de lerida
no meio da canella e quando fugio levou ves-
tido calcase camisa de algodo da trra, cha-
peo de palha; quem o pegar leve a ra da Cruz
venda n. 46 que ser recompensado.
No dia 11 deNovembro p p. desappa-
receo da Ilha do Nogueira o moleque crioulo
de nome Galo de 15 annos baixo cheio
do corpo bem preto cabeca redonda rosto
e olhos grandes nariz chato dentes bem
alvos, muito esperto para trabalhar rom gado,
tem na mao esquerda na cavidade do dedo po-
legar um talho e as nadegas 5 talhos de na-
valha sendo dous a direita c 3 a esquerda, e ou-
tros talhos em cruz de urna banda em um qua-
dro a especie de urna ponga o qual quando
anda por fora s acode por Francisjo.
Recife: naTyp. dkM. F. deFabu.=184&


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EILOMZQAU_R4VHJM INGEST_TIME 2013-04-12T22:23:45Z PACKAGE AA00011611_04959
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES