Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04956


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Armo de 1843.

Quinta Feira 11
Tudo gori dependa de nos nepnot ; da nosta pruiifr.cn moderay-So energa con
linuemoa como principianta a trenos apootadoa con admira* ao anlre a> Nacee aa
culta*. ( Proclanacao da Aaaamblea Gara) do Bb&UL.
aegunda a taxtat fain
, Macaio a Alagoai
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Gotannt. Parahiba a Rio grande do Norte aeganda
Bonito o Garanhune a e 24
Cao. Sarinhaem, Rio Fornoao Porto Cairo
Boa-vita t Floral a 13 e 28 Santo Anta, quinta* leiraa Olinda todos o dim
DAS DA .REMANA
8 3eg Appariqaode Miguel Aroinjo. Aud do J da D. da 2. .
9 lert a. Gregorio NanafauRao riel. Aud do J de D da 3. T.
O Quail a. Antonio Are. d doJ. de D. da 1 t.
41 '/uini Amatado M. Aod do J de D da 3. .
42 -iti' a Joinna I'riao'ii Aud doJ. di D da 2. t,
43 Sal). N. enflora do* Marlyroi Bol. Aod. do J. de D, da 1 T.
44 'ton a. Gil. a. Bonifacio.
de Maio
Anno XTX. N. 103.
O Diario pebhca-ee ledoi oa diaa qoa nao (oraat SantiScadoi: o praco da anigaatora h
de trea mil rea por quartel pagua adiantadoa. Oa annunciot doa aaaigoantea lio inserido
grana, e 01 doa que o nao forera rato de SO reia por linha. Aa reclamacee deren aer din
gidaa a ata Typ., raa daaC"itn N 34.u a praca da Independencia lojada lirroa N.Oio-
raada.
casamos.Modia 10 de Mam.
Cambio aobr* I.ondrn Jt, d. por 1U Ocao-Moada da 9,(00 V.
a Paria 31)0 res por ir anco.
a a Liaba i por 100 de premio.
a N.
a da 4,000
Pn*Ti-Ptacoii
a Peroi Columnaraa
a ditoi Mexicano!
compra
4,300
46/00
a.aoo
4,880
1,810
4,880
16.SO0
46,300
y aOo
t JO
i.; o
4,000
Moada da cobra 2 por cento
dem de latra da boaa firmaa 1 { j .
PHASE&UALUANO MEZ DE MaIO.
Loa Cheia 4 1.', is S horase 45 m. di tird I Lu ora i .'J, ai 4 horaa e 35m. da maah.
Quart.ming. 24, 4 lboia a >.'). da m. | juari. oraao. 4 7, 4a 6 ourat a 6,a
da manh.
4 a 2 horas t 0 aa. da manh ia
Preamar de hoje
| i. a : horaa a 34
da larda.
HM
mar
^m
........mrr ii i
| 3. capitulo 2." da lo provincial de 8 de Junho
de 1836, om raso de ser a intolligencia aleo
presente dada ao referido tal que comprehen-
de em sua disposicao os que mutuo reses, para
osooproprio consumo, he de parecer, que
s'indiffira a protencao dos peticin trios : e isto
pelas seguintos rasos. Primciramcnte, por-
que devendo concorrer para as desposto pu-
blicas, todos os individuos sem exclusao di pes-
soas ou claces seria injustica manifesta se por
ventura esta Assembla isentasso do pagamento
do imposto de 2$ ruis as pessas que matas-
sem jado para o seo proprio consumo : o a per-
misso de semolhanle isempcao nao importara
outra cousa mais do que um privilegio que ,
alm de traser urna diininuicio as rendas pro-
vinciaes accarretaria de mais a mais odiosida-
tle esta Assembl a por estabelecer urna ex-
cepeo sem ser reclamada pela utilidade pu-
blica respeito do certos individuos quando
relativamente aos propietarios de predios ur-
banos que morio em seos prnprios predios ,
nao se tem estabelccido com muitissima ra-
sio igual oxeopeo. Em segundo logar.
porque no caso de conceder esta Assemhla
osso privilegio nao involveria em si tal proce-
dimento outra cousa mais do que facilitarem-sp
os meios para poder-se abusar; e entao, d-
mimiria espantosamente esse ramo da receita
provinriaj ; pois nao haveria ( com honrosas
excepces ) qunm matasse para oceultamente
vendor que nao dicesse que matava para
o seo proprio consumo. Em terceiro lugar,
porque, com semelhante isencao multiplicar-
se-iao as difficuldades d'arrecadncao, os pleitos
udiciacs nasceriao c as intrigas e desavencas
se suscitariao entre os arrecadadores desse ramo
da receita provincial o os contribuintes ; para o
que certamente nao deve concorrer esta Assem-
hla a qual, pelo contrario devo empregar
todos os meios que estiverom ao seo alcance ,
para que isto niio se realizo. Emquarto lugar
porque esta Assemhla as dis'cussoes dos leis
dos ornamentos provinoiaos. semprc se pronun-
?r
i

PARTE OFF1CUL.
Goverao da Provincia.
EXPEDIENTE DE 4 DO^IJORREVTE.
Circular Aos cheles da guarda nacional da
provincia intelligenciando-os de ter S. M. o
Imperador mandado declarar por aviso de 4 de
abril ultimo, que estad em vigor as disposicoes
da lei do 18 do agosto de 1831, que davao ao
jury do revista o conhecimento-dos recursos in-
terpostos pelos guardas naeionaes tanto do a-
listamentono livro da matricula, comodacom-
prehens5o na lista do servico ordinario ou de
reserva, o das appellacoes, que versaren) a res-
peito do dispensas : ordenando que remettao
aos respectivos juizes*criminaes listas dos o(H-
ciaes e olflciaes inferiores sod seu commando,
a ti m de que procedan ao sorteamento dos que
tem decompor o dito jury na forma do artigo
21 da lei referida para conheeer dos mencio-
nados recursos : e determinando que laco
chamar para o servico todos os guardas naeio-
naes qualifleados este anno, que noobtiverem
isencao dada pelo sobredito juiy de revista ;
visto ter cessado o motivo pelo qualem ciicu-
lar de 21 de Janeiro prximo pretrito mandn
a Presidencia, quenaoentrassem ellesem servi-
co por nao terein a quera recorrer da individa
matricula, ou da comprehensao na lista do ser-
vico ordinario.t)flleiou-stj i rcspAlo aosjui-
zes de direitodo crime do todas as comarcas,
ecommunicou-SM ao delegado do Brejo em res-
posta um seu officio, em que pedia providen-
cias sobre este objecto.
Oilicio Ao inspector interino da thesoura-
riadas rendas provinciaes, ordenando que man-
de satisfaser os subsidias correspondentes ao
me< de abril findo aosmembros da assembla
legislativa provincial, declarados na relacao ,
que Ihe remette.I'articipou-seao primeiro se-
cretario da mencionada assembla.
Hito Ao juiz relator da junta de justica ,
aecusan lo a remessa dos processos dos reos o
tambor do batalhao destacado Joao Pereira da
Silva, o os soldad s d* mesmo batalho Luis
Ximendes Carlos Francisco Barbosa e Fran-
cisco Jos de Santa Anna.
HitoAo inspector interino da thesouraria
das rendas provinciaes determinando que
mande pagar ao lornecedor dos presos pobres da
comarca do Bonito ou ao seu procarador o
major Jos da Silva Guimares, Importancia
do despendido com o sustento dos referidos pre-
sos desde o primeiro de julho at 19 do agosto
do anno prximo passado. Participou-so ao
delegado do termo do Bonito.
Dito l)o se. retario da provincia cmara
municipal desta cidade, scientifieando-a de ha-
\erein sido approvadas pela assembla le^i la-
tiva provincial as suascoi.tasdos anuos do 18i0
!841, e de 1841 1842/
PERNAMBUCO.
, ASSEMBLA PROVINCIAL.
Acta da 44.a sesso ordinaria da Assembla le-
gislativa Provincial de Pernambuco em 6
de maio de 1843.
Presidencia do Sr. Paula Lacorda.
Feita a chamada acharo-sc presentes 25
Srs. deputados faltando os Srs. Mello Pe-
reira do Brito, Machado llios, Paula Mesquita,
Faria e Jos Pedro.
O Sr. vicepresidente declarou aberta a ses-
sao ; (oi lida e approvada a acta da antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Um olficio do secretario da Provincia parti-
cipando ter a Presidencia expedido ordem a the-
souraria das rendas provincias para o pagamen-
to do subsidio dos Srs. deputados do mez de a-
bril ultimo: sciento. Outro informando so-
bre o requerimento do \ gario de Taquara : a
commlsso de estatistica.
Foi lido e a imprimir o seguinte projecto
da commissao de instrueco publica :
Foi approvado o seguinte parecer da commis-
sao de legsl;icao :
A commissio de legislacao quem foi en-
dcressda a peticao dos habitantes da comarca do
: :.r...;r. nrornrpInr-Sn fjf> S fl nrt
(iou pela regeico do tal excepcao. despresando
as emendas, que, em tal sentido, forao por
afgana de seos membros sujeilas sua consi-
dcraco. Km quinto lugar finalmente, por-
que, alm de seren annuas as disposicoes das
I leis dos orame.ttos, accresce, que a disposicao
do 9.art. 3. capitulo 2. da lei de 8 de Ju-
nho de 1836, reprodusida n8S mais leis dos or-
namentos subsequentes he tao clara que tlu-
viila alguma solTrer pode para que se reconhe-
ca a necessidade de ser interpretado no sentido
em que pretendem os peticionarios: outra qual-
quer intelligcncia que se Ihe quciri. dar 6
nao ser a que exprime a propria lei. e que jus-
tamente se Ihe tem dado ser contraria *s re-
gras mais triviaes da hermenutica; porque,
alm de ser claro o seo sentido, elle est de ac-
cordo com a utilidade publica que condemna
todava habilitada a omittir o seo juizo por-
que a natur.e/.ada materia versando sobre ques
to puramento de direito olTorace meios d'o
(azor, alm do prehencher a determinacaod'es-
ta Ilustro Assembla. A commissao pois, ten-
ilo prezentc na memoria a roclamacao do pe-
ticionario pozando com a madure/a possivol n
legislacao vigente rospeito; e persuadida que
por ella foi legal o acto do Ex.mo Prezidento da
Provincia quando o demittio do posto de ma-
jor do esquadriio de cavalleria de guarda na-
cional d'este municipio entende todavia que
esta Assembla nenhuma decizao devo tomar
respeito; por ser esta materia excntrica de suas
attribuices ; c por isto de parecer que o pe-
ticionario recorra a quem compcVr. Salla das
i'ommissdes 5 le ilaio 183. Domingues
Hernardo ' O Sr. Manoel Cavalcanti mandou a moza o
requerimento seguinte : requero a urgencia
para entrar em discussao o parecer que se de-
clarou adiado : (oi apoiado o approvado ;
e entrou o parecer em discusso a qual iicou
adiada por ter dado a hora.
OllliKM DO DA.
Entrou em3.a discussao o projecto n.21 des-
te anno. Foro apoiadas as seguintes emendas:-
do ir. Carneiro da Cunha addittiva ao artigo
3.-. a proporcao que se forem concluindo
os leos de cada urna das 2 estradas o Presi-
dente da Provincia estabelecer nos mesmos l-
eos barreiras cujas tanas equivalhao a 12 por
cento do capital despendido podendo reunir 2
ou mais leos como entender conveniente :
do mesmo Sr. supprcssiva de parte do artigo
4.: supprimao-se as palavras eoscu pa-
gamento at o lim. Encerrada a discussao
loriio approvadas as emendas o passou o pro-
jecto em 3." discussao.
Os senhores Costa A (Tonco Fcrreira e
Neto mandaran meza a seguintedeclaraco:
declaramos, que votamos contra o projecto n.
21 do correnle anno que autorisa urna divi-
da Provincial. Foi approvada a redaeco do
projecto de lei do orcamento municipal. Pas
sou em 2.* discussao o projecto n 5 deste an-
no e hem assuri o de n. 22 do mesmo anno.
L'oi approvada a redaccao do projecto n. 21.
Foi lido um oflicio do secretario da Provincia
participando que S. Ex.* es,>erava pela depu-
tacao que tem de levar a sanecto os actos le-
gislativos no palacio do sua residencia pela urna
hora da tarde ; e o Sr. Presidente nomeou para
.i mesma commissao os Srs. Lobo, Sousa Lio,
e Pereira de Carvalho.
O Sr. Carneiro da i.unha mandou meza o
seguinte requerimento: requero urgencia
para a discussao do parecer adiado da commjs-
sao de negocios de cmaras sobre a autorisaco
pedida pela cmara desta Cidade para impor bar-
reiras : approvado. Entrou em discusto o
parecer. Foi approvada a emenda seguinte
tal excepcao.Salla das commissocs 5 de Maio do Senhor Carneiro da Cunha : requero a
do l8i3. 4/fomo Ferreir rffM Gui-
tnares Lopes Neto.
Foi approvado o seguinte parecer da com-
missao do inslruccao publica :
A commissao de instrueco publica lendocom
attencao a representaco da cmara municipal
da Cidade de Goianna, em que faz sentir a ne-
cessidade de ser creada segunda cadeira de pri-
ineiras letras na mesma Cidade pela grande af-
fluencia de meninos ; he de parecer que se
peca ao Ex.1"0 Presidente da Provincia algumas
informacoes a respeito visto que a commissao
nao tem os dados necessarios para avallar bera a
necessidade que a mencionada cmara incul-
ca. Paco da Assembla Legislativa Provincial
do Pernambuco 6 de Maio de 1843. Lopes
Gama.
Foi lido c (icou adiado o seguinte parecer
da commissao de justica civil e criminal:
Acommissa ae justica civil e criminal ,
com quanto n3onli nrezentes a peticao do ci-
dadlo Florencio Jos Carneiro Monteiro e do-
cumentos a cila anexos, para poder junctar ao
seo parecer visto que por fatalidado dcsap-
narpc.erao da nasta
suppressao do 2o periodo do parecer em discus-
sao. Foi approvado o parecer com a emenda.
Enfrouem 1.* discussao o projecto n. 20 deste
anno e (icou adiado.
O Sr. Lobo como membro da commissao ,
qUe (oi levar as eis sanecao disso que as
tinha entregado S. Ex.* o Sr. Presidente da
Provincia eque o mesmo Sr. declarou que
as tomaria em consideracao : sciente.
O "r. vice-presidente levantou a sessao as 2
horas e um quarto.
Francisco de Paula Cavalcanti de Albuquer-
,uc Lacerda, Vico-presidente. Francisco Jo-
ao Carneiro da Cunha, 1. secretario. Anto-
nio Jos de liveira 2. secretario.
HEPRESENTAgAO A QUB SE REFERE A ACTA
DA ESSAO BE 5 DO CORENTE.
Augustos e ign.mM Srs. Representantes da
Nagdo.
A assembla provincial do Pernambuco jul-
uandoduSi matfi sagrao uovor velar na con-
servacao inalteravel da sua provincia adopta-
da pelo pacto-fundamenta! que felismente nos
rege, vem mui respetosamente representar a
onde se achavao iulea-se | esta aususta assembla aceica de algumas alle-
racO'is ou perturbado de limites que a pro-
vincia de Pernambuco tem soir ido supplicando
a esta augusta asse nbla que se digne reha-
bilitis a Kosarde suas antigs possessoes.
Urna destas possess5:s he sem duvida a co-
marca do Rio de S. Francisco que por motivo
meramente poltico qual o de preservar aquel-
la pnrco desta provincia do contagio da revolu-
cao denominada Carvalhista .foi interinamen-
te incorporada a da Baha sem quu os respec-
tivos comarcoes tivessem impetrado semilhante
desmembrado, d' que nai5 necessitavafi e
que de certo nao mreciao pois que acto al-
u'iitii de inli leli bule liaviad praticado para de-
verem sofrer tao inopinada e involuntaria, se-
oaracad. E porque lenlia inteiiament cessado a
rasao instantnea daquella medida interina,
parece que a provincia de Pernambuco que
tem dado a mais decidida prova de ordem de
patriotismo e de afierro ao systema monr-
quico repiepresenta'livo est no caso de merecer
des'a augusta assembla, a restituicaS que ins-
tantemente reclama de urna das suas mais an-
tigs e bem extremadas comarcas a qual por'
trisiissimo revez de fortuna se acha engrossan-
do os recursos (mancebos de urna outra provin-
cia de quera na verdado parece, que a natu-
resa a quiz segregar, como bem o atiesta o ma-
jestoso rio de S. Francisco antigo e natural
limite dos bispados de Bahia e Pernambuco.
Nao pode esta assembla deixar ainda de pon-
derar que a cssa sua justissima restituica se
suppoe comtanlo maior direito quanto a se-
paracao de que se queixa nao poda ser se nao
interina (quando mesmo outro nome Ihequei-
rao ou diverso efleito prestar ) para ser guar-
dado como cumpre o principio de igualda-
ilei.a comniuiiliad das pinvincias do imperio,
consagrado no artigo segundo do pacto-funda-
mental em que he a subdiviso das actuaos
provincias era novas estab6lecida mas nao de
maneira alguma autorisada antes claramente
prescrita a desmembraca ; mutilacao de urnas
om favor de outras, como desaventuradamen-
te aconteceu no caso de que pede a esta assem-
bla remedio.
Por esta mesma occasia pede tambera esta as-
sembla a incorporacad da pnvoavao de Podras
de Fugo e da Taquara actualmente disputada
pela provincia da Parahyba do Norte ; e por s-
so funda-s. na p isseque na mesma se.npre tem
a provincia ; ai crescendo ainda ser de urgente
necessidade fascr quanto antes cessaros incon-
venientes, resultados da divisSo actual, em que
inelade da mencionada povoacao pertence a es-
ta provincia e a outra metade a da rarahyba ,
o que por certo contrario a todas as conveni-
encias da administracad publica; inconvenien-
te que tambera se da na freguesia da Taquara
povoacao a esta provincia scinpre pertenqentee
coraprehendida nos limites naturaesda mesma.
Fundada por tantf esta assembla na justica
de sua represen tacad e confiada no espirito de
rectida que semprc preside e devo influir Das
decisoes dessa augusta assembla aguarda li-
songeiro acolhiuientoa esta sua justa reclama-
cao. Pac-, da assembla legislativa provincial
de Pernambuco 6 de maio de 1843.
Francisco de Paula Cavalcanti de Albuquer-
aue Ijtcerda, vice-presidento Francisco JoUq
Carneiro da Cunha, 1. secretarioAntonio Jo
s deOliveira, 2. secretario.
PARECER DE COMMISSAO.
A commissao de negocios das cmaras, tendo
presente o officio da cmara municipal desta ci-
dade de 25 do mez (indo, no qual, participando
baveroExm. 'presdete da provincia julgado
municipal a estrada, que passa no engenho So-
corro, e determinado, que a dita cmara man
dasse quanto antes concertar a ponte, que exis-
te na mesma estrada sobre o rio Jaboatao ; pede
autorisaco para estabelecer all urna brreira ,
e cobrar urna laxa igual que se cobra as es-
tradas provinciaes : entende, que a autorisaco
pedida he desnecessaria por quanto as cmaras
municipaes pelo art. 25 da lei provincial n. 9
de 10 de junho de 1835, o pelo 23 do cap. 3.
da lei do orcamento municipal vigente estao au-
torizadas a fazer pontes, estradas, e fontes onde
convier, e a estabelecer barreiras para a recen-
cao de imposfos a medida, que se completar al-
guma nova estrada ouquesetenba conclui-
do o ineluorumento das existentes de moa



".*
qu'p offerecao transito livre e dcsembaracado
em todas os estacos.
A coirimisso nao pode deixar de notar, que
a cmara municipal da capital da provincia pra-
tioasse urn acto que denota ignorancia das ci-
tadas leis; e por isto concluc declarando, que se
faca sentir cmara esta falta, reeommendando-
Ihe que tenha sem pro a vista as leis, que lis
sercm respeito a sua adrninistraco, a liin de que
por ellas regulo osseus actos. Sala das commis-
ses da assem'.da legislativa provincial de Per-
natnbue.o 4 de maio de 1S-3. Aiteira,
o tiza Leo.
EXPEDIENTE DA ASSRMRLKA.
Da 2 de abril. N. 45.
lllm. Sr. Tendo sido approvadas pola as-
sembla Legislativa Provincial as contas da c-
mara Municipal da Gidadc do lenle dos annos
financeiros lindos de 1840 1841 e de
1841 1842 : assim o coinmunico a V. S.
para participa as mencionadas approvaces ao
Exm. Sr. Presidente da provincia lim de
dar as suas ordens para se lazer a necessaria par-
ticipando a cmara. Ao secretario da provin-
cia.
N. 46.
lllm. Sr.Aassembla legislativa provincial
resolveoapprovar as-contas da cmara municipal
da villa do Limoeiro do anno financeiro (indo de
1841a 1842; glosando todavia a quantia de
209SIO0rs. que a cmara arbitrariamentedespon
deocom oTe Dcum pelaCoroacaode S. M. o Im-
perador contraliindo para isso um empresti-
mo coni o cxcessiv > premio dodous e meio por
cento ao me/. ; despesa esta quo a mesma as-
sembla com magoa glosa por nao poder laval-
>x em conta visto o fm magnnimo que a e'la
deu lugar : o que ludu coinmunico a V. S.
para levar ao conhccimsnto de S. Ex. o Sr.
Presid-nto da provincia, a fim de se dignar dar
as suas o dens pira se participar a rcarida c-
mara a deliberacao da asscmbla. Ao secreta-
rio da provincia.
N. 47.
lllm.Sr.-A assembla legislativa provincial
manda enviar a V. S. as inclusas contas da c-
mara municipal da villa do Brejo do annoinan-
ceiro findodel841 a 1842, para serem presentes
a S. Ex. o Sr. Presidente da provincia ; fim
de dar a necesaria ordcm para s<>rem devolvidas
a mencionada cmara parlicipando-se-lhe ter
a mesma assembla multado-a em 408000 rs.
natonformidadedo art. 5. da le do 31 de ou-
tubro de 1831 por nao ter olla remettido a
mor parte dos documentos para legalisar ao
mesmas contas sem os(|uncs torna-so impra-
ticavel o seu examc a lem do defeilo do nao a-
presentar o orcamento e balance confrmeos
modelos annexos a lei do orcamento municipal
n. 79 e nao mencionar as respectivas tabel-
las cada umdos artigos de receita o despesa ,
comoserecommenda as disposices geracs da
lei do orcamento municipal vigente. Ao secre-
tario da provincia.
N. 48.
lllm. Sr.De ordem da assembla legislati-
va provincial levo ao conhecimento de V. S.a
para lser presente ao Exm. Senhor Presiden-
te da provincia a resoluca tomada pela mes-
ma asscmbla em approvar as contas da c-
mara municipal da cidade de Minda do anno
financeirode 18*1 182, afim do mesmo Exm.
Sr. dar as suas ordens para se communicar a
referida approvacao; assim como a glosa da
quantia de 178760 reis despendida com livros ,
folhinha capaxos, espanador, jarra, quarti-
nhas. coco etc. por serem objectos estes do ex-
pediente para o qual se entregou ao respectivo
secretario a quanlia de 40$ reis cuja quantia
nao se provou ter sido despendida orno cuin-
pria ; omisso que a msma assembla espera
nao se reprodusa bem como que na escritura-
cao do orcamento e balanco se deve regular pe-
los modellos e eonlorme se determina as
disposices geracs da lei do orcamento muni-
cipal vigente.Ao secretario da Presidencia.
to pardo cazado Brazileiro, liado 36 an-
nos, official de mafeineiro, aecuzado pela Jus-
tina por crimo do furto foi defendido polo Dr.
Netto ; e foi condomnado em 19 mezes e 17
diasde prizao o multa.
Dio 9.
Idom o reo Francisco Jos Pinto-, portugus'
solteiro idade 25 annos caixeiro, acCuzado
pelnjustica por crimo de armas defezis, foi
defendido pelo Dr. Salgado; ocondemnadoem
35 diasde prizao.
dem o reo Vfinoel Rodrigues Ferreira, bra-
/.ileiro crioulo forro solteiro idado 35 an-
nos, lavrador accuiado pela justica porcri-
me de armis defezas ; defendido pelo tenente
Gama : foi absolvido do crime de faca do pon
ta e remettido o procasso para o juizo muni-
cipal para o julgar delineamento pelo crime do
uzo de faca sem ponta.
TRIBUNAL DOS JURADOS DA COM-
MAKCA DO RECll'E.
Da 5 de maio.
Foi julgado o reo Francisco da Paz pardo
solteiro, Brazileiro idade 23 annos official de
carpina aecuzado pela justica por crime de
uzo de armas defezas defendido pelo Dr. Sal-
gado e foi condemnado em 35 diasde pri-
zao.
Dia 6.
dem os reos Manoel Marques Joaquim
Ferreira da Silva aquelle portaguez casa-
do natural do Porto, idade 34 xnnos,official
de pedreiro e estePortuguez solteiro, natural
do Porto idade 22 annos, official decanteiro,
aecu/ados pela justica por crime de roubo feilo
a Frederico Chaves, forao defendidos pelo l-
ente Jos Bernardo Fernandos Gama ; o pri-
meiro foi condemnado a 8 annos de gal s e o
segundo obsoludo; o juiz nao se conformou
com a decizo dos jurados; o appellou.
Dio 8.
Idemo reo gusiiuu ianoei doSacramen- ix.
Copiamos do rtilheiro o seguinte artigo.
A GUAR) V NACIONAL DESTACADA.
Necossita o Brasil formar de prompto um
excrcito, que chamando a provincia do Rio
Grande do Su I un3o Brasileira, possa ao mes-
mo lempo garantir ordjm sde maisprovincias
do Imperio ? Cremos que ninguem duvidai
dessa necessidade nem da sua transcendencia;
pois que a historia daquelle theatro do rebeliao
he conhecida assim como o estado poltico de
todo o Imperio : ora se esta necessidade he ma-
nifesti, sea maneira do recrutamento entre nos
he viciosa, e inefficaz, fica bem claro que o meio
<|ue podesse augmentar a forca sem inconveni-
entes do recrutamento o sem os resultados da
existencia de um grande exercito seria o me-
Ihor e mais aproveitavel. Este meio est i na lei
le 12d agosto de 18'U esta na diterminaco
dos hatalhes movis da Guarda Nacional pois
|ue estamos no caso que a mesma lei tem indi-
cado para essa creacao visto como he urgen-
tsimo elevar o exercito ao numero determinado
pela lei, e difficilimo cxecuta-lo ; e quando
por um esforco extraordinario se podesse fazer
completo o exercito esto esforco de momento
nao seria de urna duracao tal que nao exigisse
urna con tirina ao assidua e quase tao difiicullo
sa com o primeiro movimento.
Ogahincte de 23 de marco muito bem conbe-
eeo que com o recrutamento nunca preencheria
o exercito ; quo quando o preenebesse o supri-
nento das vagas, que os bitos, as mole>tiasede-
missoes deixao seria um novo o igual embara-
o ; vioao mesmo tempo a difficuldade de la-
zer adoptar urna nova lei de recrutamento formu-
lada em bazos diversas das da vigente, ejulgou.e
julgou bem,poder remediar, ao menos emgran-
de parte os males conhecidos prcenebendo a
forca decretada com os hatalhes movis. Nos-
te sentido apresentou elle urna proposta pedindo
autorisacao para destacar 5000 Guardas Nacio-
nes em quanto durassea campanha doSul, pro-
posta que foi approvada pela assembla ; e que
habilitou o governo a dispor de mais alguma
forca. Si as suas vistas forao na execuco da
proposta geralmente satisfeitas, c o numero de-
cretado completado nao o sabemos ; mas si
nasoutras provincias do Imperio s quaes se
entenda a determinaran .a lei existem estes
corpos como nesta en tao tem o governo 5000
homens de muito boa tropa que com quanto
tirada da Guarda Nacional nao he inferior da
I." linha pois que sujeita ao mesmo re;ula-
men lo recebe a mesma disciplina ; tendo mais a
seu favor, o ser composta de melhores elemen-
tos.
Convencidos pois em presenca destas ra-
zes, da utilidade e necessidades dos corpos des-
tacados da G. N., tanto mais quando o gover-
no tem preciso de dispor de urna forca respoi-
tavel, muito nos devia admirar e na verdade
deixou-nos estupefactos, a deelaraco do Exm.
Sr. >alvador Jos Maciel, ministro da guerra,
leita na cmara dos deputados a respeito deste
objecto ; e de corto que o alto conceito que fa-
zemos dos conhecimentos de S. Ex. da sua
longa pratica do sen ico e do seu zelo pela
causa pdica nos levara a desconfiar da nossa
propria opinio se tao fracas nos nao pareces-
semas razes aprestntadas contra a G. N. pelo
Exm. Sr. Ministro; a saber : incapacidade
de so tornaren) corpos disciplinados; difficul-
dade na fiscalisaco. S. Ex nos ha de permit-
tir que facamos sobre as suas asserces algumas
breves e respeitosas reflexes, e deixaremos
soi te o cuidado de fazer que ellas sejo lidas por
Sua Exccllcncia.
Principiaremos pelos elementos dos corpos
de 1.a linha combinando-os com os dos desta-
cados. Infelizmente a maioria do exercito he
rec rutada e a maioria dos recrutados he com-1
posta de gente perversa vadia ou pelo menos
de urna conducta dubia : ora por peor concei-
to iuc se queira fa/er dos designados nos bala-
Hies da G. N. para os corpos destacados, nun-
ca se ha de chegar a pode-los equiparar gen-
te recrutada. Logo aqui est um ponto de
grande peso a favor dos corpos destacados da G.
Mas. dir-nos-ho a disciplina o rigor,
fazom chegar esses homens recrutados d'entro o
caput mortuum da sociedado porfeico reque-
rida em um soldado mas respondemos nos,
si vos ten les os mesmos regulamcntos a mes-
n disciplina e at o mesmo rigor quo appli-
cais aquellos para applic'ar estes, he obvio qu4
o resultado ha de ser forcosamenle mais fovora-
vel sendo a elaboraco exercida sobre individuos,
mais capazos de se polirem. Isto s pode falhar,
se a lei nao for dovidamento executada ; si a
creacao dos corpos e sua direccao for entregue
a Officiaes menos golosos ; si om vez de fazer
que os Guardas designados se instruao por al-
gum tempo os mandarem para fortalezas an-
da bizonhos: deste modo por certo nunca os
corpos destacados da G. N. sero satisfato-
rios, nunca passaro de recrutas, eafiscalisa-
cao dos corpos ser sempre m. Mas anda as-
sim com pequeas alteracoes, nao he isto o
quo succede com os corpos de 1.* linha ? A.es-
colha dos commandantes e officiaes nao decide
somento da disciplina e fiscalsaco dos corpos
destacados da G. N. : como nestes nos de tro-
pa de linha os maos commandantes a m offi-
cialidade nao s nao dao bonsresultados como
que destroem o fructode trahalhos anteriores,
tornando indisciplinados corpos que o erao,
lazendo desapparecer a economa e plantan
do a irregularidade inimiga da fiscalsaco. A
fazer-se m escolha a hao procurar-se para
esses corpos individuos convenientes, entao com
efleto melhorfra aquartelar, segn lo as ne-
cessidades do momento, a G. N. sedentaria
Mas como nao eremos que chegue a esse ponto
a direccao deste objecto, como pensamos que
o governo ha de applicar os meios convenientes,
fazendo com os corpos destacados o mesmo que
faz um bom governo com os de 1.a linha es-
peramos que S. Ex. ha de por fim reconhecer ,
quo nSo tem razo no seu modo do conceituar
aquelles corpos o que pelo contrario he nel-
les que ha de achar na crise actual os melho-
res e mais promptos recursos.
Depois de haver lancado estas lnhas vimos
que a cmara dos Srs. Deputados elevou a for-
ca do exercito de linha : ora a cmara que ele-
vou a forca de trra nao obstante o estado m-
seravel de nossas financas. he porque reconhe-
ceo a sua absoluta necessidade e porquo o go-
verno o requereo : o seria para preencher o
exercito d'aqui a quatro ou mais annos que o
governo pedio essaelevaco, e a cmara a conce-
doo? Ninguem o acreditar; porque essa necessi-
dade he urgente, he do momento: logo deve o
governo tratar de dar execuco a loi: mas corno ?
Por meiodo rjerutamonto actual? Ha quatro
annos que se trabalha para completar o exerci-
to e anda isto nao foi possivel, apezar das
circunstancias extraordinarias d'algumas provin-
cias produzirem um numero de recrutas que nos
lempos ordinarios nunca se poderia obter : por
urna lei nova de recrutamento ? Ella ser tao
inexequivel, tao defoituosa como a nutro; por-
que nossas circunstancias tornariao inefficaz at
a conscripeo a mais regular e metbodica. E
si he preciso augmentar o exercito e difficets
os meios para isso como desprezar o mais f-
cil emais vantajoso ? Na verdade quanto mais
analysamos este negocio mais admirados nos
deixa o modo do pensar do Exm. Sr. Ministro
da guerra ; que de balde se orrepender se tarde
vicr a conhecer o mal que fez que quanto a
nos nao ser outro seno ou faltar-lhe o pes-
soal para a campanha do Rio Grande ou dei-
xar as provincias discricao dos anarchitas e es-
peculadores de toda a laia. Bellida bem S.
Ex.; sim reflictaqueo mal que a sua delibe-
racao deixa antolbar he das mais desastrosas
consequencias ; o remedio de que se poder
lancar mo em apuros ser sempre fraco, quan-
to nao prejudicial, como a experiencia j tem
mostrado, custando sempre muito mais di-
nheiro.
Os hatalhes destacados da G. N. formo u-
ma forca que promette s provinciassegurauca e
tranqillidade; com bons commandantes e offi-
ciaes rivaliso com os porpos de 1.a .inha ; h-
bil i tao a G. N. sedentaria a fazer a guerra com
proveito ; levo as suas fileiras a disciplina ad-
quirida sob o regulamento da tropa de linha ;
e custo o mesmo dinheiro, que os do exercito.
Accresce que com estes destacamentos da G.
N. tem o Exm. S. Ministro da guerra realisada
a sua ideia do batalhoes de reserva que alias
talvez nunca possa levar a effeito ; sem duvida
nenhuma alem de que esta forca substitue per-
feitamentea de 1.a linha as provincias, ella
forma um deposito de recursos promptos para
preencher as vagas urgentes do ejercito. <*uan
to a nos todas as vezes que o Governo tivesse
de chamar qualquer forca extraordinaria decre-
tada devia lancar mao da G. N. : porque logo
que cessasse a preciso desta forca extraordi-
naria serio despedidos os hatalhes destacados
sem deixar o exercito sobrecarregado de urna
official idade desnecessaria que tanto sobrecar-
rega as despezas do estado entretanto que
delles mesmos pode o governo escolher quan-
do necessite alguns officiaes que tenhao
mostrado e desenvolvido urna aptido conveni-
ente : o estas consideraces s') por si nos pare -
cem suffinentcs para decidir o governo a adop -
cao dos destacamentos da G. N.
Quando os nossos legisladores depois de re
movidosos obstculos que tem tornado ineffica-
zesat1 boje as leis do recrutamento organi-
zaren) esta lei de maneira que satisfacSo a sua
necessidade; quando elles tiverem eliminado
da lei da Guarda Nacional totas os defeitos de
que ella est recheada talvfez possa ter voga o
lensamento do Exm. Sr. Ministao da guerra
por ora duvidamos muito ; cremos que nao.
~ublic.-ics a pedido.
S. Magostado a Rainha a quem foro pre-r.
sentos os officios que o cnsul de Portugal em
Pernambuco dirigi pela secretaria d'eslado dos .
negocios estrangoiros dando parte do resulta-
do da subscripeo por elle promovida no seo dis-
tricto consular, em favor das victimas do ter-
ramoto da villa da Praia da Victoria da ilha
Terceira na importancia de 6:379g500 reis ,
moeda brasileira cujas ultimas letras forSo na
data de boje endossadas e remettidas ao mar-
quez do Fayal, presiden le da commisso encar-
regada de destribuir os soccorros aquelles infe-
lices : manda pela mesma secretaria d'eslado,
louvarozelo que o referido cnsul empregou
para levar a to feliz xito aquella subscripeo ,
cuja avultada importancia prova da maneira
mais evidente a decidida boa vontade e sen t-
menlos philantropicos das pessoas que para el-
la concorreram a quem o mesmo cnsul dar
no Real Nome de S. Magestade os bem mere-
cidos louvores. Palacio das Necessidades, era
7 de marco de 1843. Jos Joaquim Gome*
de Castro.
III."o* Sr.' Tendo dirigido a V. S." carta
datada de 4 do corrente, convidando para fazer
o ob/.cquio apparecer nesta sua casa no dia 12 ,
cujo convite do novo rectifico, o espero mo nao
falto. Amigos a senecridade e muito pumas ou
nenhumas luzes me ohrigaroa chamar umhu-
inem que bem me dirigisse na tarefa que com
pezar meo estou pondo em andamento este
homem aproveitando-so da minha fraqueza es
tampou a carta j dita persuad-me que era
concebida nos termos que taes occhscs urjem r
enganei-me pois quo s servio de ataque. A
minha conlisso e a benignidade do V. S "' ser
ve de desculpar-mc. Sou com todo o respeito
e veneraco do V. S.a" atiento venerador e crea
do A/anoel Figueira da Silva.
COMMERCIO.
Alfandega.
Rendimento do dia 10.......... 6:7978497
DescarregBo hoje 11.
Brigue Sophia genebra, serveja, e tabo-
ado.
Barca Nightingale o resto.
Brigue Jozephina fazendas, carnes, tou-
cinbo barricas com farellos, choco-
late, vinbo azeite, vinagre, encom-
. mendas, albos, e sebollas.
Brigue Constante Amizadecaixas com ra-
p, fazendas, fumo e charutos.
Barca Camelia fazendas.
importaca.
Jozephina, brigue portuguez, vindo de Lis-
boa entrado no corrente mez consignado a
Mendes & Oliveira, manifestou o seguinte :
40 pipas com vinho 10 ditas e 10 meias di-
tas vinagre 20 caixas toucinho, 10 barris car-
nes ; a Thomaz d'Aquino Fonceca.
1 [inlra para campa, 3 barris vinho 2 ditos
carnes; a Jos Francisco d'Azevedo Lisboa.
1 caixa 1 fogode ferro; a Paulo Antonio da
Rocha.
1 dita impressos; a Antonio Jos Pcreira Di-
as & C.a
137 pipas, 10 meias ditas, 152 barris com
vinho 10 barris azeite doce, 50 ditos carnes ,
20 ditos c 10 caixas toucinho; aos consigna-
tarios.
3 barris e 1 caixa com drogas; a Vicente Jo-
s de Brito.
1 caixa impressos; a Joaquim Baptista Mo-
reira.
2 ditas amendoas, 1 dita carnes; a Policar-
po Jos l.aine. .
. 1 dita amendoas 5 barricas poz de marfim;
a Antonio Henriques Bodrigues.
1 barril carnes; a Manoel Joaquim Bernardos.
1 caixa impressos; a Bernardino da Silva
Gu maraes.
5 ditas chapeos ; a Manoel do Nascimento
Pcreira.
10 barris vinho ; a Loiz Gomes.
1 dito carnes; a Leopoldo Jos da Costa
Araujo.
1 fardo peneiras 6 barricas doi da marfim :
a Francisco Jos Goncalvas,
i


25 barris azeite doce;- a Manoel Joaquim Ra-
mos e Silva.
2 caixas chocolate ; a Miguel Joaquim da
Costa.
20 barris azeito doco ; a Francisco Mitins
Duarte.
1 caixa com obras de lato ; a Joao Jos.6 de
Carvalho Moraos.
4ditascom ditas; aTeixeira & Andrade.
3 ditas chapos; a Luiz Antonio do Sequeira.
1 dita calcado ; a D. Anna Bjptista da Sil-
va Feneira.
1 ancorla carnes; a Angelo Francisco Car-
neiro.
12 caixas e 8 barris toucinho; a Manoel d'A-
zevedo Maia.
1 lata rap 1 dita sementes ; a Jos Mar-
ques da Ceta Soares.
2 barris vinho ; a Gaudino Agostinho do
Barros.
2caix as e 1 barril drogas; a Ignacio Jos
de Coi\to.
1 I" ardo 4 caixas 15 barris drogas; a \'c-
trir.io Ferreira de Carvalho.
caixas, e 2 barris drogas; a Joaquim Ig-
n.acio Ribeiro Jnior.
330 resleas d'alhos 2caixas chocolate 1
dita amendoas 2 ditas doces 4 harricas cas-
tanhas ; a Paulo Antonio da Rocha
9 caixas, e 1 barril drogas; aThomaz d'A-
quino Fonceca.
I ancoreta carnes 1 dita azeitonns ; a Jos
Ramos de Oliveira.
1 (lit ditas 1 dita ditas ; a Francisco Ca-
Yalcanti de Laccrda.
1 caixa doce : a Joao Manoel.
100 barricas farellos, 4 sacas pimenta da in-
dia ; aos consignatarios.
1 caixa obras de prala 2 barris carnes; a
Jos Pereira Vianna.
1 caixa doce ; a Francisco Antonio Vieira da
Silva.
1 dita miudezas; a D. Helena Perpetua dos
Prazeres \ eir.
1 embrulho ignora so ; a Luiz Antonio
Pereira.
I lata ignora-se; a Jos* AfTonro Rigueira.
29 resteas de Cebollas ; a Carlos de Mattos.
4 barricas com areola, 2 embrujhos impres-
sos 1 cazal de gneos 1 melro 2 cochixos,
3 canarios 1 cazal de pombos 1 vazo com
flores, 2 latas orchata 4 ditas bnlaxa, 1 sac-
io 1500 patacoes, Gcartuxos dinheiro d'ouro;
a ordom.
Sophia briguc pldemburguez \ indo de
Bremon entrado no corrente mez consigna-
do a Kalkmann & Rosemund, manifestou o se-
guidle :
II fardos c 27 caixas com fazendas, 8 caixas
1 gigo miudezas 100 barris sjrveja, 48 bar-
ris c 4 meios ditos alcatro, 19 du/ias de taboas.
100 prezuntos 1 barril rcpolho, 52 barris o 4
latas genebra 50 caixas vidros, 22 gigos gar-
rafas va/.ias, 9 lastros carvao de pedra, 2 caixa
pianos, 130 saceos furullos, 50 barricas sevada.
50 ditas farinha de trigo 10 barris vinho 25
potes manteiga 10 botijas oleo de linbaca; aos
5
consignatarios,
Movmeiito do Porto.
Navios entrados no dia 9.
Genova ; 42 dias, luguer sardo Liguria de
116 toneladas, capitao ^ebastio Vine, equi-
pagem H carga diversos gneros ; a Men-
dos & Oliveira.
y amos sahidot no dia 10.
Portos do norte ; vapor hrazileiro Imperador ,
commandanle Jos Maria Faleao.
Rio de Janeiro ; luguer sardo Liguria, capi-
tao Sebastiao Vine com toda a carga que
trouce de Genova.
Rio de Janeiro ; barca ranceza ntoinett, ca-
pitao C. Juge, com a mesma carga que trou-
ce de Marseilles.
Liverpool pela Pa rali iba ; barca ingleza Broa-
doale caprtfio Jozeph M. Coy carga lastro
d'assucar.
Francisco Belom, Leonardo Bizerra Sequeira
Cavalcanti, Luiz Antonio de Seiqueira e Her-
culano Alvos da Silva.
FUNCAO LIRICV, E MMICA,
Domingo H do corrente
Na casa da oc edade nvtalemse diri-
gida por Lucci, constando de diversos Due-
los e Arias ainda nao a presen t id >s; exeou-
tadospolo mencionado Lucci, e Mlle. Carme-
la que de corto muito agradarao ao respeita-
vel auditorio. Para maior brilhantismo deste
espectculo, terao lugar ta nbem dois PAN TO-
MIMOS JOCOiEftlOS, no*quiesdistn,'uir-
se-haooSr. Joao Wanimeil e sua Sr." com
diferentes dancas compostas do lindos passos ,
e mui diffijcis pulos.
O director Rafael Lucci, bem persuadido que
um espectculo inteiramente novo muito agra-
dar espera que os benvolos, e honrados ha-
bitantes de Pernamhuco se dignar protegel-o.
Os billietes continuaoa vender-so na loja da
rua do Crespn.0 8; j\a de louca da ruado
Queimado ; e no botequim unto casa, pelos
preros do 18500 reis os de primeira gallera e
18000 reis o* do segunda torceira e tambem
os de platea
Os III """ Srs., que se apresentarem com suas
familias terao ingresso as segundas, oteroeiras
galleras nao acontoenndo o mosmo a qualquer
outro ou Sra. quo se aprosontar individual-
mente.
Aviso martimos
= Para o Havre a barca Iranccza 'Lilia per-
tende sabir deste porto no dia 20 do corrente;
quem n'ella quizer carregar ou hir de passagem
para o que tem excellentes commodos dirja-
se aos consignatarios Bol i &Cbavanncs, na rua
da Cruz n. 40.
Para o Maranho sai o mais breve pos-
sivel', por 'er parte de seu carregamento a bor-
do o patacho y/aria f.uiza mostr Ignacio
Marques ; quem no mesmo quizer carregar, ou
ir de passagem entenda-se com oditomestro,
ou com Antonio Joaquim de Souza Ribeiro ;
na rua da Cadeia do Rccife n. 24
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da' do interese ; dirija-so a Rua da ConcecSo da
rua Novan 65; a tratar as lojas do mesmo Bu-vistan Vi.
sobrado ou ni rua Nova u. 3.
Loilao.
T .cilio heje quinta feira de urna porco
le cavalinba ; dofronte do caes d'Alfandega ,
armazem n. 5.
J. O. Elster continuar seu loilao de mo-
In'lia prata e escravos sexta feira 12 do
rorrente as 10 horas da manha, no seu ar-
mazem, da rua doTrapicho n. 19.
Avisos diversos.
O PAISANO N. 17.
Edita!.
Pela administrarlo da meza do consula-
do se faz saber, que no dia 13 do corrente mez
se ha de arrematar porta da mesma adminis-
trarlo urna caixa de assucar branco, aprehen-
dida pelos empregados do trapiche da Compa-
nhia por inexactido da tara ; sendo a arre-
mataran livre dedespezasao arrematante. Meza
do consolado de Pernamhuco 8 de maio de
1813. -* O administrador interino .
.Intuntt) de Souza Reis.
Ucfiaracot'S.
- Cartas seguras, existentes na adminis-
traciio do cftr^io para os Srs. : Antonio da Sil-
.... ''- *-*~ r.nmoc Morlins .IncA
VU V UUUIMUUMI
* ------ -
AhIo hoje e est venda no patio do
Collesio loja do Sr. Pinto, e no patio da
Santa Cruz do Snr. Jos Maria Freir Ga-
uieiro.
Permuto-se por predios nesta prara dous
engenhos moentese correntes com casas de
vivenda situadas na freguezia da Escada, Aripi-
bu e Bellomonte, os quaes tnoem com animaes.
porem o Aripb tem oxcellentes proporros
para agua os quaes tem famozas mattas o boas
vargens, e o terreno bastante productivo o bons
rcrcados possuindo cada um mais de meia le-
gua de trra em quadro, o distao de um a outro
tresquartos de legua pouco mais mi menos e
ambos devidem um rom outro, os quaes sem-
pre ostiverao livres e desemburacados de qual-
quer onus e tambem se vendem a moeda, em
razi de seu proprietario querer fixarsua resi
llnela nesta praca ; quem pretender dirija-se a
esta praca s rasas, n. 50 na rua da Cadeia do
Rccife, rua de Hortas n. 9, 1."andar, podem
so dirigir aos mesmos engenhos. aos lugares
cima onde se solicita a venda ou permuta.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
publico, que de ora em diante deixa de ser seu
bastante procurador Manoel Adriano da Costa ,
e por isso fica sem valor algum a procurarao que
em sru poder tem c para nao haver qualquer
duvida em lempo algum faz o presente avizo.
JoSo bernardo d- Carvalho Pinto.
O Sr. L. P. R,, tenha a bondade de d-
rigir-sc rua de Hortas n. 82 a fim de con-
cluir o negocio que nao ignora, pois ja be bas-
tante Irrsannos incompletos.
Urna pessoa que he bastante abil, o que
tem muito uzo de ensinar primeiras letras, oTe-
rece-se a dar lices em rasas particulares de
manha e de Urde cuja capacidado deixa-se
experimentar, ese dentro deum mez nao agra-
dar o seu methodo de ensatar, nao rrceber ne-
nbuma paga ; quem o quizer annuncie.
Quem annunriou querer comprar um
sitio em Apipucos, dirija-se a rua da Cruz,
. No iltorro confnnte o viveiro do Muniz
Dio-so 2:500$ rois a* juros' sobro pinho- n. 45 preoia-M de un bo-n ornoiro : na
res doour ; noli Cinco Ponas loja ourives n. mesma se fabrica po do fo!hi da su.terior qua-
11 \ ; na mesma casa vende-se urna alva para lidade por sor foiW d> inalhor farinha possivel
padre muito rica bordada de susto com o hico o oor o ver 11 leiro autor; assiin com bolaxhha
do m3smo modelo da alva.
Que n precisar alagar ama canoa a berta,
que leva 5)0 tipilos, aquilse ach prunota ,
e por preco co nnodo ; dirija-se a praia do S.
Rita sobrado n. 1.
=3 Jos Gomes Riboiro, sublito Porluguez,
rotira-sc para fora do lo lerio. .
=a Herculano Maria Bossono vai a Lisboa
tractar de sua saudo.
Albina-seo sobrado de dous andares na
rua do Calderniro no bairrode Santo Antonio
n. 12 com quintal e parroiral de uvas bran-
cas boa cacimba de boa agua sendo o dito
sobrado muito fresco e muito claro todo pin-
tado invidracado, prco do 25 mil rois por
mez; quem o pretender dirija-se ao armasem ,
que tem no fundo do mesmo sobrado A fallar
om Jf s de Amorim Lima que se acha no
dito armasem das 7 horas da manhaa at as 6
da tarde.
ir A abaixo assignada viuvado fallecido Ma-
noel Antonio de Almeida declara ao respe-la
vel publico que o seu finado marido nada de-
via nesta praca ; ese alsjuemse julga seu cre-
dor haja de .ipresentar assuascontas no pra-
so de 3 dias, para ser paga ( caso soja verda-
deira ) outrosim previneaspessoasquesecons-
tituiriio devedores do mesmo finado seu mari-
do.para que nao paguem a pessoa alguma osseus
dbitos, sem iuo seja a abaixo assignada; ou a
pessoa por ella autorisada e nao se deixem il-
ludir recebendo reribos ta somente com as-
signatura do mesmo finado e esta falsa, como
appareceu ; cuja falsidado em iuso compe-
tente provar ; e para que ufio possao allegar
ignorancia faz o presente.
Constantina Jacinta da ftfotta.
O Sr. F. B A. G. morador em um cilio
nos Affogados mande entregar a pessoa que
rile bem sabe, moradora nos AfUirtos o di-
nheiro quo receben de urna letra do Sr. I I.
M, que o mesmo Iheentregou para os receber
ha muito mais de um anno e como al o pro -
sentc n5o se tem lembrado do o restituir, ape-
zar de reiteradas exigencias declara-se quo se
no prazodn8dii>s nao mandar entregar o di-
nheiro a seo dono depois de ver publico pela
imprensa por extenso o seu nome se uzar dos
rerursosda lei para cobrar e ento icar co-
ndecido e acreditado.
= Precisa-se de urna pessoa capaz, que sai-
ha cozer, e engomar, para tomar conta de una
rasa de poura familia para o mato isto he .
dislante ilesta pr -ra duas leguas, fazendo-se al
um partido avoravel, com tanto que a pessoa
seja fiel, e capaz ; quem estivor hestas circuns-
tancias annuncie, ou tlrija-se ao Forte do Mat
lo na rua do Codorniz.
= Os Srs. M. J C. e S. J G. bajo de
.lirigir-se rua Nova n. 9 remir os seus pi-
nborrs da data drste a 8 dias, quando noserao
vendidos, e para nao haver ignorancia, faz-se
o prsenle annuncio.
A Sr." D. Jozefa Joaquina de Souza ;
queira mandar na rua da Mo;da n. 8 receber
urna carta vinda do Rio de Janeiro.
Offerere-se um rapaz portuguez para bo-
ffteiro de rarrinho pois disso tem bastante prali-
ra ; quem o pertender dirija-so a rua do Co
tuvcllo n. 49 na Roa-vista.
\rhou-se dias n'uma das ras do bair-
ro do Recife urna obra de ouro, a qual ser en-
tregue a quem der os signaes certos ; na rua
Augusta n. 50.
__ Preciza-se de um aprendiz de charuteiro;
quem se quiser sujeitardando o tempo que de
costume, dirija-se a rua das 5 Pontas n. 23
A pi'ssoa que quizer dar 5008 reis a juros
com hypothera om urna casa terrea ; annuncie
para ser procurado.
Tira-se folhas corridas, c passaportes pa-
ra dentro e fora do Imperio; por preco muito
commodo na rua do Rangel n. 3-.
Jos Caetano Vieira da Silva tendo-se
despedido dos seos amigos e conhecidos, e co-
mo tal fez pelos seos grandes afazeres o nao fi-
zesse grralmente por meio deste o faz e se of-
ferere cm Ruenos-Ayres para tudo aquillo que
possa ser til ou em outra qualquer parte.
Quem annunriou querer comprar a obra
Theologira Moral. pelo Padre mestre Monte ,
hoje Rispo do Rio de Janeiro querendo urna
nova com rica cncadornaco por 208 res ; di-
rija-se a Olinda na rua de Mathias Ferreira n.
11 : na mesma rasa vende-se um jogo de Dic-
cionarios de Mo aes com ,.lgum uso por 128 rs.
Dezeja-se fallar rom a Sr.a I). Anna Ma-
ria da Corueico, fiiha de Mara da Conceiclo,
de qualquer qualid.i le ', biscoito doce, e de
g'ia e sal o bolaxinha do leile, tudo feilo com
o maior aceo poMvef.
Dozaparecoo urna creolnh. forra filha le-
gitiun de Sebastio Jos eTheodora Felicia.
com i la li; de 11 aun >*, cna n ida Tnereza, ton-
ilo os sgn es seguintes, c3r bastante prota ,
m ireas de bexgas no rosto vindo do Montciro
pira o Recife julga-se que por ignorar o ca-
minho foi engaada e retirada por alguma pes-
s '< i ; quem dola souber, c quizer entrgala a
seos pais dirija-se a rua do Palacete n. 26.
OTereco-se .um mojo portuguez de 20
annos abil para caxeiro d'alfandega edema
de qualquer casa ingle'.a ou franceza ou mes-
mo para loja do fazendas, ou miudezas, o quat
ji tem alguns conhocimentos nesta praca e di
bons liadores a sua conducta ; quem precisar ,
annuncie.
= Furtarao, ou cstravou-se da porta de u-
ma casa nos i cantos de Olinda onde eslava
comendo milho um cavado russo, com algumas
pintas de pedrez capado e carnudo com 2
pequeas ferid is no espinhaco nafco e com o
casco da mao radiado ; quem o achar leve-o a
rua cima a Homembom de Fois Pereira Cezar,
que ser recompensado do seo trabalho,
Aluga-se o sobrado de 2 andares n. 1,
nos i Cantos da Boa-vista e a rasa terrea n.
3, e 3. ambire loja do sobrado da rua do A-
morim n. 46 ; a fallar com .\J. C. Soares Car-
neiro Montciro.
= Aluga-se um armazem muito proprio pa-
ra qualquer estabelecimento, na rua estreila do
Rotara n. 30; os pretendentes dirijo-se rua
do Queimado loja n 13.
Quem precizar de um rapaz portuguez
para caxeiro de venda ou de outra qualquer
oceupacao ; dirija-se a rua do Pudre FlorLno
i. 72 ou annuncie.
Alugao-se quatros escravos possantes para
rabalharem em armazem do assucar ou de
serventesde pedreiro ou cm algum citio perto
esta praca : na rua Nova n 38.
=0 abaixo assignado participa aos seus de-
vedores das lojas da rua Nova e praca da Inde-
pendencia que tendo os seus credores en-
i-arregads da liquidaco das referidas lojas Ibes
feilo a merc de ceder as dividas das mesmas
em beneficio do abaixo assignado tem presen-
temente passado semelhantcs dividas ao Sr.
("hristovoSant-Iagode Oliveira,para pagamen-
to do que o mesmo Sr. me era ciedor e por
isso faco o presento avizando aos mesmos seus
devedores que nesta :acla tem dado procura-
cao bastante e cedido lodos os proderes aquel-
lo 'r. para poder receber semelliantes dividas :
outro sim participa aos seus credores que tc-
nhao a bondade de Ihe aprezentar suas con tas
de deve a dever com o abalo do que receberao
l>or liquidaio das mesmas lojas que julga ser
de i-2 e30decimos pira poder passar cr-
dito de qualquer sa'do que possa v ir a restar e
receber dos mesmos as letras que possao exis-
tir em poder dos mesmos seus credores.
Jos Tavares da Gama.
= Joao Gomes d'Almoida, brazleiro adop
(ivo. retira-se para Lisboa a tratar de sua saude.
= J. O. Elster avisa aos respeitavel publi-
co que tendo de se retirar para Hamburgo ,
deixa a sua casa no mesmo giro commercial co-
mo dantos de baixo da din-rao do Sr. George
Henrique Pascho quo lira encarrogado de to-
dos seus negocios como seu procurador bastante
para cm tudo fa/ior suas ve/es.
- Roga-se ao Sr. Delegado da comarca do
Cabo que tenha a bondade de examinar se
entre os escravos, que a sua disposic-So se
achao presos na cadeia dessa comarca se tem
algum de nome Jos quo talvez tenha muda-
do o nome para Joaquim, de naco Ginge ,
estatura ordinaria Moco do corpo, de 35 a
40 annos, com alguns cabellos brancos e al-
guma cousa cabo falla muito dtpressa e atra-
palhado tem marcas de chiclo fugio a 8
para 9 do Marco deste anno ; sendo este algum
dos 3., pode por obsequio remette-lo a esta
praca para a rua da Cruz do Recife n 26 ,
deposito de areia prela de Meurou & Cnmpa-
nhia ou avisando quo se pagar toda a des-
peza e se gratir ara.
= Necessita-se com milita urgencia de urna
pessoa que compre cozinho o sirva como
criado e tome conta da casa de um homem
solteiro devendo quem quizer dar, antes do
ajuste, fiador a sua conducta; quem quizer
annuncie.
- Aluga-se urna loja na rua do Queimado
e de Sebastiao Correia razada com Francisco n. 37 propria para armazem de fazendas ,
Alvos Feilo/.a este residente no lugar de S. ferragem ou louca, por ter lamanho suffi-
Rita Provincia de Macci ou pessoa que suas ciento para qualquer estabelecimento : na ru
,n7oc r. har tratar-se do negocio de gran-1 do Hospicio casa terrea n. 17.


zzzt:
ra da Cadeia do Bairro de S. Anto-
nio ^ casa n. 19; este novo estahelcuirnento
he de primeira utilidadc nesta provincia nao
s para evitar as faltas deste genero de primeira
necqssidade, que de voz em quando nos atacao,
como tambem para por termo ao escandalozo
monopolio, que a tal respeito excrcem indivi-
duos, que nao tero prolissao alguma. O ad-
ministrador do Jeposito empregar todo o dis-
vello para que os freguezes se conservem satis-
feitos encontrando ali farinha sempre da me-
llior que aqu apparecer e o mais barato
que poder ser; sendo de admirar, que ha-
vndo em outras provincias depsitos desta na-
trza, cuja nixessidade tem sido reconhecida,
s nesta provincia se depare com esta tilo sensi-
vel falta. Convido-se portanto aof compra-
dores para que ali se dirijao, e assegura-se,
que os precos sero constantes, sendo annun-
cjados todas as semanas pelas folhas o que
tende a impedir as fraudes dos portadores.
= Paulo Poindenot, retira-se para fora
do Imperio.
# J. B. C. Tresso avisa ao respeitavel pu-
' blico e particularmente aos Srs. Thesoureiros,
e pessoas encarregadas das Igrejas que abriu
urna tenda onde fabrica orgos de todos os ta-
manhos para Igreja com trombeta clarim ,
cromorno, voz humana e rouxinol ; dito
orgo ( que sendo ouvido nao tem apare
cidoaqui ) duas finas a clavier e a chave
de realejo, para falta de organista ou por
falta de saber toca-Ios, ento so toca com a
chave como se fosse um realejo obtondo a
niesu.a voz de um orgo de Igreja, contendo
nos selindros, a missa os hymnos para todas
as festas e das sanctos do anno tudo reu-
nido na mesma obra ; orgao para recreio de
casas com machina tocando s a clavier e a ci-
lindro tudo reunido na mesma obra; realejos
com tambor e trombeta para recreio de casas,
comqmdrilhas para dancar pantaln ett ,
poulfes, trenis finales, e valsas, outro realejo de
rodas dimencoes para Igreja, com a missa, e os
hymnos, com a mesma voz de um orgao de
Igrefa ; as pessoas que o quizerem honrar com
su presenea acharad ja em sua casa algumas
obras promntas ; tambem conserta os ditos
instrumentos e poe marchas novas ; assim
corrrb compra orgos e realejos ja usados : no
atteh-o da Boa-vista n. 3.
**- Aluga-se o sitio da cascata aonde morou
Exm. Sr. Bispu D. Thomaz de Noronha ,
com bom sobrado coxeira estribara jardim,
pumal de larangeiras, e outras diversas fru-
teiras: na ra do Hospicio n. 21.
Lotera da Matriz da Boa-vista.
Apesar da consideravel extraeco, que
experimentaro os bilhetes desta lotera anda
restaviSo hontem fdia designado para o anda-
mento das rodas) urna quantidade mui supe-
rior ao vallor do beneficio que percebe a
, Irmandade e por isso fica transferido o anda-
, ment para o dia 23 do corrente :Vlaio e seja
qual foro numero de bilhetes, que entaoexis-
tir correr imprctervelmente nesse dia.
Aluga-se um pianno quo tenha boas
vozes e que esteja sem deffeito algum ; quem
tiver e quizer alugar por tempo determinado ,
ou sem limites, anuncie
-*- Aluga-se um soto propro para homem
solteiro : na ra do Lvramento n. 3.
Urna mulher se prope a engommar rou-
pa com toila perfeicao : na ra de Hortas so-
brado de um anda n. 33.
-i--------------
Compras.
p= Compro-se para fora da provincia, mu-
latas, negias e moleques do 12 a 20 annos :
na ra Nova loja de ferragens n. 16.
\ pesos de ferro de duas arrobas cada urna,
e um peso de urna arroba : na ra da Solida -
de n. 38.
Compra-se urna cano usada que car-
rege de 900 a 1100 tijolos: na ra da Praia .
venda no a da esquina.
== Compra-se urna negra de 16 annos,que
saiba cozjnhar engommar e ensalmar : na
Camhoa do Carrno n. 20 ao pe do estanque.
Comprj-se urna escrava de meia idade ,
que saiba coznbar e engommar: quem tiver
anuncie.
Compr5o-se apolices da contadura, ven-
cendo juros: na ra do Livramento n. 3.
- Compro-se cfTectivamente para fora da
provincia, mula'.inbas oegras moleques ,
negros de officios, sendo do bonisas figura
pag3o-se bem : na ra da Cadeia de S. Anto-
nio sobrado do varanda pao n. 20.
-----
Vendas
V?njprp-se 20 encbameis i lavrsdns.
lequo do 13 annos: na ra de Agoas ver-
des n. 46.
\ Vendem-se oculos de armacao de tarta-
ruga com astiasem prata de Lisboa meias de
seda pretas do pe-;o para senhora brancas, e
pretas para meninas de 6 a 12 annos, botioj
de bezerro, sapatospara meninos, e botinas
deduraquo com ponta de lustro, sapatos de
dtinque de cores com fitas para meninas, meias
e divas d" la para homem e senhora facas de
marfim de fechar cartas pentos de marfim de
bichos de difieren tes tamanhos ditos de alisar
dedifferentes modelos, corddes para borze-
guins, ligas de seda do Porto, linha de mar-
car mui fina em miadas de Portugal apitos
grandes de marfim caixas de tartaruga de
Lisboa, latas com caldas de tomates : na ra da
Cadeia velha n. 17.
Foro impressos, eestao a venda pelo
preco de 480 dous folhetos, um contendo
o Decreto n. 263 de 10 de Janeiro u I limo ,
queregulou os vencimentos dos militares do
exercto empreados, desempregados, e re-
formados ; assim como os da guarda nacional
em activo servico, quer no tempo de paz, quer
no de guerra outro a Imperial provisao de 6
de Marco do cor .ente anno a respeito das
continencias era geral. Estes folhetos devem
interessar a todos os individuos do exercto e
da guarda nacional, porque elles contem o que
acerca dos dous objectos se at o presente I e-
gislado e decretado: na loja de livros na
praca da Independencia ns. 6 e 8.
Vende-se urna escrava crioula com to-
das as habilidades que se podem desejar : na
ruada Gua sobrado do um andar n. 46.
Vende-se um escrava de naco cozinha.
lava engomma vende de quitanda he fiel,
sem vicio nam achaques nao tem linda figu-
ra tem 34 anuos de idade o quo se declara
logo, afiancando-se os outros quisitos: na ra
Dimita, n. 32.
- Vendem-se um encolamento para bar-
caca ou canoa de 60 palmos de comprimento,
travs de madeira superior de 8 a 12 polcgadas
de grossura e de 34 a 50 palmos de compri-
mento : na ra do V gario n. 3.
Vendem-se dous quartaos bons por pre-
co commodo: na ra do Queimado n. 52.
Vende-so um bom escravo de nacao an-
gola ; na na do Rangel, n. 34.
Vende-se urna mulata de boa figura, co-
zinha lava engomma, faz renda e pSo de
l ; na ra Direita padaria n. 22.
Vende-se um escravo crioulo mui bom
carroiro serrado o entende de todo o servi-
co de engenho: a tratar com Jos AffoncoFer-
reira.
Vendem-se urna pouca de prata para obra,
6 colheres para soupa urna caixa para rap ,
urna faca a pare I hada um par de esporas mo-
dernas, um apparelbo de porcelana para cha,
pares de brincos modernos cassoletas de bo-
nitos modeHos, um alunte para senhora, um
dito de ouro com bnlhante para homem 3
voltas do cordao urna dita grosso com um
crucifixo pequeo urna corrento com doussi-
nctes para relogio, argolas lisas para meninas,
urna coroa de ouro de rezar as dores de N. 8. ,
umparde mangas de vidro lisas, e um dito
decasticaes lapidados; as 5 pontas n. 45.
Marques & Veiga vendem ern sua casa,
ra do Amorirn n 50 os segrales gne-
ros charutos meios regalos ditos finos e de
todas as mais qualidades, e precos, fumo de
primeira e segunda qualidade, ceblas aos
centos, e molhos alhos em mauncas e ter-
nosdealguidares.
= Vende-se vinho de madeira legitimo de
superior qualidade ; as amostras acbo-se em
casa de L. G. Ferreira & C.
= No deposito de assucar refinado esta-
blecido junto ao arco de S. Antonio, em fren-
te do caes do Collegio ha para vender assucar
refinado segundo o novo systema de fabrica-
cao pelo qual se extrae a potassa e cal, dei-
xando-se-o no seu estado de pureza; sendo o
preco da libra do de primeira sorte e em paes
160 rs. e o de segunda e tercoira em p ,
a 120, e80rs.
= Antonia d Souza Rangel, vende o seu
sitio da Magdalena ; quemo pretender dirja-
se ao mesmo sitio ou entenda-se com o escri-
vao Bandeira na ra estreita do Rozaro.
= Veitch, Bravo & C. tem a honra de par-
ticipar aorespeitavel publico, que na sua botica |
e armazem do drogas n. 1, vende-se o segrate:
extracto fluido contratado de salsa parrilha da
jamaica C. H Bulter & C. a mais enrgica e
eflicaz preparaco desta raz, que at hoje se
tem descoberto o que prova o grande apreco
e repelidas indicacOes que delln fazem as
pharrnacopeias de Londres. Dublin Edimburgh
<&c. ; o celebre Colirio anti-ophthalmico, cujo
medicamento he bem condecido por seus bons o
salutareseffeitos para distruir nevoas, beb-
das inflamamos e outras doencas d'olhos em
que nao he preciso para o seu curativo radica
po pneco commodo : na praca da Boa-rvista ,
botica n. 20 ; assim como um paUnquim em
bom uso.
Vende-se um raoleque de muito bonita ,
figura de 14 annos: na ra da Crtu do Re-
cife n. 37
Vende-se rap de Lisboa chogado no
ultimo navio por preco comino lo ; na ra
da Cadeia do Recife loja do Joao da Cunha
Magalhes.
_ Vendem-se 4 pretas mocas com boas ha-
bilidades engommao cozinhao e lavao ; 1
moleca peca 14 annos boa para se educar ;
2 pretos para todo o servico; um dito bom ca-
noeiro; umdito de meia idade por 230,000
cozinha serve a urna casa e ganha na ra ;
urna loja com fazendas em urna das primeiras
ras de negocio do Bairro do S. Antonio a
dinheiroou com desobriga a praca : na ra de
Agoas verdes n. 44.
Vondem-se duas moradas de casas do um
sobrado ns. 32 e 40 e um terreno nos fun-
dos das mesmas, na ra da Guia, lado do nor-
te no bairro do Recife : na ra larga do Ro-
zaro loja de miudezas n. 35.
Vende-se .urna porcao de lenha de boa
qualidade propria para fornos de olara e
tambem se troca por tijolds.de alvenaria : a
tractar com Marcelino Jos Lopes.
t Vende-se um quarto possante, efircas-
tanha calcado de quatro ps, em meias
carnes: no armazem do madeiras atraz do thea-
tro velho.
Vende-se urna'casa na ra do Motoco-
lomb n. 73 : na ra do Cano defronte da
venda.
= Vende-se um engenho de bostas, com
proporcao de ser d'agoa com partidos de var-
zea e boas distante 5 legoas desta cidade :
na ra do Sol sobrado da esquina da ra dos
Quarteis, o. 13 que achara o proprietario
e o d por preco rasoavel.
= Vendem-se 18 barrs vasios de 5 em pi-
pa : na ra de Hortas n. 48.
Vende-se um negro Beqguella de 28
annos, por preco commodo em razodo ter
um delTeito que se dir ao comprador para
lora da provincia : as 5 pontas n. 21.
Vendem-se alcatifas de differentes pa-
drees de muito bom gosto por proco com-
modo ; c 40 duzias de gravatas de setim e gor-
guro todas forradas de seda e muito bem
feitas; na praya da Independencia, ns. 24 e 26.
Vendem-se tijolos de limpar facas gar-
ios e amarellos estojos de navalhas muito fi-
nas c mais ordinarias, thesouras finas de
unhae costura facas e garfos finos e ordina-
rios meias finas de algodao para homem e se-
nhora superiores, fsforos de pente e de
rolo suspensorios de burracha caixas com
sabonete para barba caixas de baleia para ra-
p macassa de oleo caivetes cabo de viado
para aparar pennas, cartas francezas e portu-
guezas finas e ordinarias superior agoa de co-
lonia de 36 graos, e outras muitas miudezas
baratas: na ra larga do Rozario n. 35.
Vende-so para pagamento urna escrava
boa engommadeira costureira e criadeira ,
com duas crias filhas da mesma ; tudo por um
tonto de reis; 3 portas e 6 janellas com feha-
duras ja usadas, por 30,000 rs. ; quem pre-
tender anuncie.
Vende-so farinha de mandioca muito boa
a 3200 a sacca : no armazem doFrancisco'Di-
as Ferreira Companhia o na ra da Moeda
n. 8, assim como caixas com 16 libras de ma-
n e sal de Lisboa.
Vendem-se por barato preco para se li-
quidar con tas, cadeiras de Jacaranda e de
oleo sofs, e bancas do mesmo, guardas rou-
pa louca e livros, camas de Jacaranda, an-
gico conduru e amarcllo marquezas e
cadeiras de balanco com encost e assento de
palhinha lavatorios, banquinhas de 4 ps ,
rclogios para cima de meza cadeiras psra me-
ninas de escola, ditas para alcova camas de
vento de amarello e pinho c muitos ma;s tros-
tes tudo de superior qualidade: na ra da Cruz,
armazem de trastes n. 63.
A obra do theatro publico vende 14 mi-
Iheiro detelhas, 400 caibros, e 80 caixQes va-
sios e urna porcao de barricas.
Vende-se, ou troco-se urna casa terrea
nova por oulra mai'or que seja no patio de S.
Pedro Carmo Hospital do Paraso ra do
R)zario, larangeiras, eTrinchciras, voltan-
do o que for justo : a tractar defronte do oitao
do Livramento loja D. 10 ; assim como tam-
bem vende-se aarmacao da mesma loja pro-
pria para qualquer estabcllecimento por ser ra
de negocio.
Vendem se iran mulata de elegante figu-
ra mucamba recolhida urna dita' de meia
idade boa cozinheira ; urna escrava perita
eostureira para fora da provincia ; urna dita
engomma cozinha e cose ; um dita boa
cozinheira ; um dito official de ourives; um
mulato de 18 annos bom para pagem ; o 4
escravos oara todo o ervivo; e 112; boP'to mo-1 recorrer os sieics preparatorias, "02 'Je'R54F.
Seidfitz, e **oIti, Sodar-Wator, limonada ga-
zoza verdadeiro e finissimo Arrow-Root do
Bermuda Magnesia-Calcinada ptima, sag,
escovas e pos mui finos para denles mostar-
da ptima para mesa pos de Seidlitz e de So-
da e um grande numero de preparacoes de
differentes objectos que so encontrad a venda
as principaes bot'cas da Europa, na mesma-
casa se vendem as vordadeiras pillas Vigetaes
un i versaos do Dr. Brandret viudas directa-
mente de sou author e compositor nos Esta-
dos-Unidos ; assim como urna porcao de salsa
parrilha nova recen temen te chegada. Parti-
cipio a todas as pessoas zelozas de sua escriptu-
raco ( como principal e nica garants da
nossa honra e probidade ) que sao agentes da
ptima tinta de escrever do seu amigo Doutor
Thompson cuja preparaco novamente des-
coberta so torna digna dos maiores elogios por
ter a particulardade de se tornar tanto mais
prela quanto maior he o espaco depois de Ihe
termos confiado nossos negocios e cuidados.
= Vendem-se agoa de colonia do superior
qualidade em garrafas grandes a 1920 e em
frascos pequeos a 480 superiores pentes de
tartaruga para marrafas a 1200 rs. o par sa-
bonetes finos e ordinarios, retroz de todas as
cores, excellentes facas e garfos para me/a ,
thesouras douradas para costura, pennas para
secretara canutilho branco galao amarello,
ilhozes para alfaiates ,'e outros muitos objec-
tos por preco commodo : na ra do Queimado,
loja n. 3 confronte ao beco do Peine frito.
= Vende-se para fora da provincia ou para
o matto um escravo de naco bom trahaiba-
dor e robusto : na ra do Noguera sobra-
do de um andar n 39.
- Vende-se urna canoa que pega 7 cai-
xas de assucar, e em bom estado : na ra da
Cruz n. 52.
= Vendem-se cha sson do primeira sorte a
2560 a libra rap aroia preta dito rolao
Hamburguez a 1920 a garrafa ricos botos
dourados tanto para casacas como para colle-
tes ditos com o letreiro de Pedro segundo ,
ditos de massa de difTerentes qualidades ditos
de oro, grandes para sobrecasacas de campo,
pretos e brancos superiores pilulas da fami-
lia em frascos de 50 com o competente fo-
Iheto, e bichas ltimamente chegadas, por
preco commodo : na praca da Independencia ,
n. 39.
Escravos fgidos.
No dia 7 do corrente desappi-receo o ne-
gro Matheus de oacao Quicama de 20 an-
nos sem barba os denles da frente abertos,
com a marca de ferro no braco esquerdo R com
travessao, levou camisa de riscado azul ja rota,
e calcas de brim escuro he de estatura regu-
lar e cheio do corpo ; quem o pegar leve a
ra da Cadeia do Recife n. 44, que ser re-
compensado.
Dous escravos fgidos ambos de nac8o
Angola Manoel, altura medianna bem fei-
to de 25 annos nao he bem preto um
dente arrancado adiante da parte de cima, pou-
cas pintas sobre a cute do rosto que faz pou-
ca di fferenca, pernasbem feitas, os ps ton
alguma differenca. O outro de nome Jos
alto bem feito meio lulo nao he espadaudo,
he bastante curioso caia bem e bom official
do telheiro alguma cou-a sisudo, podo ter
30 annos de dado desappareceo da fazenda
do Maris freguezia do Born Jardjm ambos
aqui prestarao servicos em officio a oito me-
zes eo Manoel ao p de 2 annos; pede-se
a toda e qualquer authoridade policial e mes-
mo pessoas particulares que os virem os faca
prender; assim comp em qualquer comarca
que se achem acapturados; o seu dono he An-
tonio Jos de Albuquerque, que se obriga a
todas as despezas que occorrerem e estando
fora desta cidade fica o seu correspondente Ma-
noel Antonio Ribeiro em sua prenca no For-
te do Mattos.
No dia 29 de Abril p. p. fugio um es-
cravo crioulo de uome Balthazar, de 40 an-
nos alto, secco do corpo com pouca barba ,
porem est cortada a thesoura, com falta de
tientes por causa de azougues, que tornou ,
tem na canella da perna esquerda urna grande
chaga e o p direito 4 dedos faltando o m-
nimo quando anda pucha pela porna duente,
levou vestido calcas de brim trancado branco, e
camisa de chilla azUl foi escravo de Louren-
co do Bruno Rodrigues Luna que foi lavra-
dor de S. Cosme na varzea, e o/lepois mudou-so
para o engenho Poeta, hoje ja fallecido, cons-
ta que foi para S. Antao procurando a casa dos
rs. mocos herdeiros daquelle antigo finado ,
que hoje mora em trras do engenho perten-
centcsao Dr. Dantas porto da \ illa : quem o
pegar leve a ra Nova n. 67 que ser re-
compensado.
.. m
a A ii'.

Ut Al.



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGGRCGQAL_L4WZ3Q INGEST_TIME 2013-04-13T00:16:01Z PACKAGE AA00011611_04956
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES