Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04952


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1843.
Sabbado 6
de Maio
l .lo gor. depende de nos mesmoe j da non prudencia moderado, energa : col>-
| r. mw como principiamos aeremos apontados Con admirar ao entre as Naces mais
CBjta, i Ptoclamacao d> Aaeemblea Geni do BlitlL.>
Gill.nni
toiil'- '
Caoc 9
Bi' i
4 .*
1 lerc
3 ajfcssl
4 '/un,
B ->'
6 3l>.
7 'k.u
Alsgnaa BO 1 II
Olnd todo* os diai.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Parahiba Kio grande do Norte segunde senas (ir**
GarenUna a 10 e *4
rinhnem, Ri Formoao Porto Clo Macei ,
i alores i 3 o i Ssnto Antao, quintas leirae.
DI** DA ftEWANA.
* i Felipp- en. liag-App.
i MaVetM V. Re. And do J de D da 3. r.
I liiren ;ao de H- Crut.
Monice. Aud do J de D da 5.
Con crian de A?oslinlio Aud do J. de D. da 2. y
Joao Re. And do i. de D. da 1- t.
A Maternidad* de N. S.
Cambio sobre Londres Jfi d por iU
P.ruJ&u re pur franco
Liaboa lUU por lUU de premio
Moeda da cobra 2 por cento
I ilea de latas da boaa firmas 1 T a | .
PARTE OFFICIU.
Anno A l A. n r.
O Uiari.ublioa-atod*-o.*qna4> foraa SuV>aioa: prafo d. as-^sWa i^
tres mil reis por qusrtel pagos adianlado. Os annoncio. dos aaaignantes sao MT
gratis, o. do. que o nao fore. ra.ao de 80 rai. porlinhs. A. cU*'^,Id"e"JeVft
g.da. a .. Typ., ra ds.Cn-. N M n, pra- canato. f*odie6de Ma.o. o- "4'
Ouao-Mosdad.6,400 V.
a N.
da 4.U
PlaTS-Palacoe.
a Patos Columnaraa
ditos VU manos
compra
i,30V
16 '0J
8,J
l,h8J
1.8S0
1,6S0
0.MO
'6,300
y.d
t.WNf
i
HHASbauALAW MEZ.DE M.UO.
La. CbeU l'.i.H horase 15 m. da tard I Loa or. 9, as i foraa J5m. da esas*.
Quan.mt.g. Jl,lboia..5m. d. m i Juan, oraso. 7, as 6 aoraa 5,-. da man
Preamar de hoie
1. s 10 hora. 6 m. da manhla. | a 10 horas a SO su d tMdej.
na.
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DE 29 DO PASUDO.
Omeio Ao inspector da th-.tsouraria da fe-
senda significando que em couformidade do
artigo 1*3 doregulamenlodns alfandejas, o em
attencao ao que propoz o inspector da llanta pro-
vincia aDprova o seguinte artigo aditivo do
regulamenlo fiscal do porlo. Logo que aemhar-
caco livercompletado a sua descarga, devera a-
juntar em lugar proprh os sohresalentes despa-
chados de retorno, afim de facilitar a busca da
visita. ,
Circular Ao presidente interino da rclago,
nos juizes de dircito do crime e ao chefe de
polica interino, remetiendo copia do aviso de
28 de Janeirodoste anno, pelo qual S. M. o Im-
perador houv.i por bem de mandar declarar ,
que Jora dos termos omque resiJirem os ctie-
fes do polica, deve-se conservar a pratica de
serem os alvars do folha corrida expedidos pe-
los iuizes do direito e munici|jacs.
ilicio Ao inspector da thesourarfa da la-
senda ordenando que mande pagar as lenas
atrasadas dos opo.arios do arsenal deguena.
Dito io secretario da provincia ao primei-
ro da asseinbla legislativa provincial, accu an-
do a remessa do acto pelo qual o fcxm. sr.
Presidente prorogoua seso da mesraa assem-
hlaat o dia 6 de maio (trrenle).
C(MiiTij>!iiviMhs \rmas.
EXPEDIENTE DE 20 DO PAS3ADO.
Offlcii AoExm. Presidente, remetten lo-
Ihe a relacaS nominal dos offlcia.-s despaja los
para obatalho do artilheria a pe por decreto de
19 do desembro do anno prximo passado, que
L achao lora da provincia n/8.^ w,,"
tasse do governo imperial a v.nda delles em
attencao a se achar ocorpo em orga,;.sacao o
convirdar-ll.e logo instrueco, e ds.c.pl.na
Dito- \o mesmo Exm. Sr., ponderando-lhe
as rases de conveniencia para o servico e pa-
ja a d'ciplina dos corpos, em se derroca por-
tarla de 30 de maio do 1831 instaurando-se a
de 3desetembrode 1825, acerca da punicao
djs desertores. ,
Dito-Ao mesmo Exm. Sr., informando se-
gunda ve/, o requeri.nento da viuva Clara Mana
*d mesmo Exm. Sr., disasendo um
engao que houve na inlor.nacao que Ihe dera
cmolflcio de -28 de Janeiro des'e anno a rospei-
to da pretencao do ex-cirurgiao ajudante F. J.
do Sacramento.
Dito Ao Exm. Snr. tenente-general com-
mandante das armas da corte remHtendo-lhe
guias do cadete Joaqun. Nery de Fonojoa.
primeiro sargento particular Eugenio l;|i"Fan-
?oe segundo sargento tambem particular Ig-
nacio Jos d'Assumpcao que se achavao na
i frequentando a escolla mi'itar. e (orad seos
vnetos suspensos pe- batalhao de art.lhe-
iansta provincia, do primeiro de r,vere.roem
d ante e Jodii-do esclarecimentos anspe.to dos
dSinos destas pracas que constata ter sido
urna despachada alteres para o Para e outra
eto^a-^mandante do bata.ho de
artilheria mandando excluir com guia de pas-
sagem para a c.mpanhia deartilices os soldados
Fel^e desalago Rosa Lima, e Jos Jac.n-
^DUr-T commandante da c.mpanhia de
artifif.es. para recebar as duas pragas menc *a-
^S-AolS-ndante do deposito, man-
dando excluir do mesm ao soldado Raymundo
Ba b sa quetendo. dVYOlt. da camp.inha do
MTranha ficado docnte na vdla do Frade de,-
tncto do Cear at o presente se nao apres|-
tara. ______
Thesouriada Fazenda.
KXPKD1ENTE DE 10 DO PASSADO.
Orftcio Ao Exm. Presidente do tribunal do
th"ou,o publico nacional, informan lo sobria
notado ministro de S. M. Britnica,oa.Ofo
Rio deJaneiro, en que reclamoua dispensa da
multa queem virtule do artigo 160 do reau-
Slnto dasa.f.ndegas foi imposta. ao cap.tao
de br-. inglez Thomaz Tyson vindo de Wbit-
chawen com carga decarvo de podra, por nao
traser manifest.
Dito Ao Exm. Presidente da provincia so-
bre o pagamento das vantagens do brigadero
XntonioBorgesLeai, pela incumbencia da ins-
p-eco da guarda nacional da comarca do Lim )-
iro.
Mjt0 _Ao mes no Exm. Sr., idem das des-
pesas feitas com a c mstruccao da nova casa pa-
ra a guarda de palacio.
Dito Ao procura lor fiscal interino da the-
qnuraria rogando que com toda a brevida le ,
liouvess) de informar se reconhecia alguns om-
baracos na execucao dos regulamentos sobre a
lisima da chancellaria bens dos defunlos e
ausentes o dos orlaos aflm de poder com
meihor conhecimento dar ao tribunal lo thesou-
ro publico nacional os esclarecimentos, que es-
te oxigia.
Dito Ao mesmo com a informaca^ do
contador da thesouraria, pela qual constava
quanloanda se achava doveido o ex-collector
de diversas rendas do bairro do Recife, para
proceder como determinou a ordem expedida a
respeito pelo tribunal do thesouro.
DitoAo inspector la thesouraria das ren-
das provinciaes rogando cnvsse as lotaces
los olTieios dejustipa que se aehav" naqmd-
la thesouraria para serem remettidos ao dito
tribunal do thesouro.
DitAo inspector da alfandega, recommon-
dando que os rendimentos da dita repartigao
fossem remettidos a thesouraria nos tres 011
quatros diaque so seguis^em ao principio e
melado de cada mez aflm do observar-se exac-
tamente o que determinava o artigo 36 3. do
regulamento.
Dito Ao administrador da recebedona de
rendas geraes internas para informar com to-
da a brevidade se tem encontrado alguns cm-
baracos na execucao dos regulamentos sobre a
disima da chancellara ede outrosimp istos a
scu cargo emittindo sobre ellos a sua opiniao.
dem do da 20.
OTlcio Ao Exm. Presidente da provincia ,
sobreofornecmento de agua e luses paraos
quarteis corras le guardas o fortalosas desta
provincia, emittindo algumas providencias a
este respeito. .
Dito Ao inspector da alfandega participan-
do que pelo tribunal do thesouro, forao con-
cedidos ao guarda Ignacio Francisco Martn? ,
seis meses delicenga com os seus vencimentos
para tratar do sua saude.
dem do da 21.
Olicio Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda da Provincia do Par com o conheci-
mento de vinte contos de reis em notas que o
commandante da barca de vapor S. Sebasti/Io ,
recebeo para entregar n'aqudl i thesouraria por
cunta do supprimento determinado pela ordem
do tribunal do thesouro publico de 0 de setem-
bro do anno passado.
Dito Ao mesmo, com a demonstracao las
letras pagas e remessa feita por esta thesoura-
ria idem de 10 de Janeiro do mesmo anno
passado.
dem do da 22.
Oflicio Ao Exm. Presidente da Provincia
informando em cumprimento do olficio de 21
do crrante ter sido satisfeita u requisinlo do
commandante da llha de FernandodoNoronha,
sobre a falta de mantimentos remettendo-se
pelo patacho Pirapama ltimamente dali
vindo.seiscentas saceasde farinha de mandioca.
Dito Ao mesmo Exm. Sr. informando o
requerimento do allercsJoao Pi Pereira (am-
pos em que podio o abono de 2 meses desol-
d adjuntado, e as comedorias leinharque.
Dito__Ao inspector da thesouraria da fazen-
do excesso dosdias de voncimento do practico
Antonio Rento. .
Dito Ao administrador do correio geral
desta CmwIo di/endo que tendo remeltido em
15 do foverein prximo passado, por copias o
oflicio o Exm Presidente da Provincia da
mema data e do Imperial Aviso de 18 de Ja-
neiro antecedente aiim de dar os esclareci-
mentos que este exige sobre as adininistraces
dos correios desta Provincia CU mora que som
demora satislizesse a esta exigencia visto assun
novamento o determinar o mesmo Exm. Pre-
sidente.
Dito Ao inspector d alfandega para enviar
urna tabella dmnnstrativa dos rendwncntos ar-
P'cadados por aquella repirticao em cada um
los trimestres dos anuos financeiros de I8V0
VI o de 1SVI a \l e no 1. 2. e 3." trimes-
tre docorrente.afim i|n po ler con mais promp
(dio satisfazer o que exigi o tribunal do the-
souro publico
Dito Ao administrador da mesa do con-
sulado idem dos rendimentos geraes idem.
Portaria Ao thesoureiro dos ordenados
com a nota relativo ao contribuinte do monte
pi ros servidores do estado Joaquim Jos de
Miranda Jnior, para proceder a respeito Ins-
te o mesmo quecom outros se tem praticado.
IDEM DO DIA 2*.
Officio \o Exm. Presidente da Provincia
sobro a continua"! das despesas da mari-
nha por esta Provincia no crrante anno fi-
nanceiro.
Dito Ao mesmo Exm. Sr. dando com a
nformacao que dirigi ltimamente sobre as
despesas com a construecT.o da casa da guarda de
palacio, todos os esclarecimentos que exigi
por seu despacho no oflicio do commandante
das Armas.
D(o Ao mesmo Exm. Sr informando ,
em cumprimento do officio de 22 do passado ,
que na consignago do Ministerio dn Justica pa-
ra esta provincia, nenhuma quantia sedeu pa-
ra despesas evento aes.
Dito Ao mesmo Exm.. Sr. informando o
requerimento de Manoel Antonio dn Jezus. em
que pedio por aflbramentoo terrenode marinha
ntraz da ra do Caldereirodo bairro de S. Anto-
nio do Recife.
Dito Ao inspector do arsenal de marinha
participando ter S M. o Imperador determina-
do por A vi/o da secretaria de estado dos negocios
da marinha i e 27 do marco ultimo como foi
communicado pelo Exm. Presidorfte da Provin-
vincia, por officio de 22 do passado, que a es-
runa __Lcbre fosso nlieanada na forma da
,ei o recommendando que fi'esse proceder a
competente avaliacao e arrematacao env hasta
publica.
Dito Ao comuvssario fiscal do Ministerio
da Guerra participando ter o Exm. Presiden!"
la Provincia concedido demissSo ao alferesde
l.'linha Raimundo Jos de Sonza Lobo do
posto de quartel mestro do hatalbao de guardas
nacionaes destacado por assim Ih'o haver reque-
rido e que nesla conformidade mandasse prtr
as competentes notas nos assentos deste official.
port,iria Ao coll.ctor do Cabo o inspec-
tor ila tliosmirari da fa/enda desta Provincia ,
satislazendo ao officio do Sr. colleclor de diver-
O Sr. vice-|jrcsidente dedarou aborta a es*
sao: foi lida e approvada a acta da antecedente,
EXPEDIENTE.
Um officio da cambra do Recife, pedlndoau-
torisaco para estabelecer urna barreira na pon-
te do occorro :tx commissio do negocios daa
cama as
Fo ao approvaias as relacgoesdos proTectos
nmeros 7, 13, el deste anno e *, e 2de
I8W. Flcarfto adiados os pareceres da commis-
4U decontaseorgamentos municipaes sobre as
contas das cmaras do Rrejo e Olinda.
Fono approvados os pareceiesda mesmacom-
nissao sobra as contas das cmara de Naia-
reth e Santo Antao assim como o parecer a-
dia'o da coimnisslode Icgislacao sobre o reque-
rimento do o.licial maior da secretaria desta as-
sembla.
ORDEM DO DIA.
Continuou a terceira diseussj do projecto de
le do orgamento municipal.
Foro appoiadas as seguintes emendas : do
Sr. Lopes Gama artigo para se collocar onde
conviera pess-ia que der tiro dentro da cida-
dedo Recife pagar- 4$ reis para os cofres da c-
mara municipal : exceptua-se a tropa quando
em forma e em servigo publico : do Sr. Fi-
uueredose passar a emenda sobre as tabellas,
accr scente-se no 1.por cada anno : ao$
* accrescente-seannualmente.
Se passar a emenda das tabellas, accrescen-
te-se ao 10 a pa'avra annualmente: aos$S
11 e 12 accrescente-se- annualmente. Se
passar a emenda das tabellas accrescente-se ao
S 13 as palavraspor cada vez :e ao 14'-ac-
crescente-se i)or cada vez: e ao S I7 accres-
cenle-se annualmente ; e ao$ 2U accrescente-
se no flmno slo. Se passar a emenda sobre
as tabellasemenda substituiliva ao 9. ca-
sas debilitar, ebotequins 30$ reis S casas de
petiscos *}J reis : salva a redaccao-.
Dada a hora, oSr. Lobomandou a mesa o
requerimento segujnto : requeiro a proroga-
go da sessao at que se conelua a terctira da-
cusso do projecto dj lei do orgamento munici-
pal :appoiado e approvado. Continuou a dis-
cussao.
Foi lido um officio d > secretario da provincia
remetiendo urna portara do Exm Presidenta
da provincia prorogandoa sessao desta assea-
bla at o dia t de maio prximo futuro visto
ainda se nao ter concluido o decreto do orna-
mento municipal:dente.
Encerrada a discusso o r. Pereira de Carva-
lho mandou a mesa o requerimento seguinte :
requeiro, que a votago sobre as tab lias dos
impostes da cmara seja nominal :appoiado,
e approvado.
Forao approvados os 2 artigos aditivos da
commisso ue negocios das cainarus o do Sr.
Ohveira sob.e o pagamento da desposa eita oom
oesgot-.dasoguasbccumuladas as ras desta
cidde, e as emendasdo sr. Meiio elevando o
ordenado do porteiroda cama, a do Recife 4 700$
reis do Sr. Momingues ao $ 3. do artigo be-
sas rendas do municipio do Cabo do t.'dolgdV.do Sr. ( liveira ao $ 1. do a.tigojk,
orr nte declara ao mesmo Sr. collector. que Ido Sr. Sousa LeUosobreos ordenados dos
a "os bens ,le rai, he -levida pela compra ou \ pregados da cmara Oe Santo Antao e do Sr.
'venda de .odos os predios qua.quer quesea o "$^+1 Sra. Lobo ..
lugar da Provincia em que se achem situado* ;
mas que a taxa de mil reis por escravo s deve
cobrar-se dos scravos residentes nasUdadese
Villas ; porque a lei nao fez extensiva esta arre-
radacao, aos que existem nos lugares. 011 povo-
ndos que nao goso da cathesoria deCidado ou ^ illa.
WFM DO DIA 26.
Officio Ao Exm. Presidente da Provincia,
rom o do inspector da alfandega sobra a provi-
dencia lembrada pelo ajudante do guarda mor ,
k meihor fiscalisacao no acto da v.sita que se
faz aos navios depois de descarregados.
PERNAMBUCO.
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
Acta da iO.'srsso ordinaria da Assembla U~
ghlatira Provincial de l'ernambucu em 29 de
abril de I8U.
Presidencia do Sr. Paula I.acerda.
Feit n chamada acb^ro-so presentes 26 Srs.
Reputados faltando os Srs Paula J^qolta .
Dantas. Vicira de Mello, Pereira de Bntoe Ma-
chado Ros.
Carneiro da Cunlia ao artigo 19 S 5- o* bu.
Bizerra Cavalcanti, Carneiro da Cunha Mano-
elCavalcanti Sousa Leo Lopes Gama Sil-
va Guimaraes, Figucredo, Rebello, Lobo, bel-
tra, Leu I, liaradoSuassuna. Pintode Almel-
da, Citirana e Rocha Vanderley, e contra os se-
nliores All'onso Feri eir. Ra ros Cavalcanti, Lo-
pes Neto, Jos Pedro, Ulivetra, Pereira e-Catw
valho, Costa e Mello. Passndo-ee a votar por
cada um dos$$ das tabt lias loro approvado
da don. 1. os}$$l,2, 3,4, 7, 9, 10, 11, ti,.
13, 14, 15, 18, 20, e 21 com a priiuuira parte
ua emenda do sennor Fuueiredo substitutiva
ao }J 9. ; e da de numero 2 os g$ 6, 7, 13, 28,
33 menos a segunda parte c 34.
Fora rejeitadas as d mais emendas fleando
prejudicada a do senhor Pinto de Almeid* sobre
o ordenado do fiscal da Inguesia de Santo Anto-
nio. E assim passouem terceira discusaaoo pro-
jecto OSr. Lobo detlarou ter votado contiaa
emenda do Sr. Gitiana levando Og reis o
ordenado do secretario da cmara muoicipalde
Caranbuns poi s tor esta de renda animal rea
83S e "" haver proposto o augmento.
O Sr. vii e-presiden te deo para ordem do dia
a continuaguaa dehoje, piimeirudiscussodo
projecto n. 22 deste anno, terceira do numero
a r\_
i MUTILADO


J
I
sessSo pelas quatro
9 (leste nnno; elevantou
horas emeia da taMe.
Francisc de Piuln Caoalcanti dr .lbuVr-
que 'Aoe -da, vfre-prosl lento Francisco Joo
Carneiro d i Cunha, .-> se retarloAntonio Jo-
se deOhveira, -2 secretario.
R-ndimento total Rendimento total .......... 167:892S12I
Bestituicoes............... 4I8.SU
Plvora 50 p. % a
dinheiro....... 1:067 Dita 50 p. /. em
assignados..... 59qS625
167:850SG07
1:6588218
Vinhos, e lquidos
espirituosos a sa-
J>er:
48'Ap.yoadin. 1:2578167
48 /* dito em as-
signados....... 14:198S364
15:455S531
Diversas outrasmer-
cadorias, a saber:
,'35 p. /o a dinh.ro ll:652g604
15 dito em assig-
na,1s......... 96:7878852 108:440*456
Joias 5p. %............... 728500
Armazenagem adicional 3 '/p. /o 26.9468965
Reexportaciio 2 p. /o......... 28S800
Expedmte de 1 / p. %....... 12:550S767
98095
2:5108360
758576
100S000
2S240
Gneros nacionaes / p. %..
Premios dos assignados '/t p. /-
Armazenagem de / p. %.....
Multas.................
Emolumentos de certidoes____
cmara dissolvida eda existente, parecia-mo ,
digo (iie um cidadao tao prestante tetara a-
brigado de ser por alguem coherto, de insultos e
injurias em qualquer parte en que por ventura
se achaco ; mas quao tristemente se dissipou
minha illusao Como (ui tan atrozmente de-
sengalo O Sr. Peixoto de Brito foi insul-
tado pelo -r Pedro Chaves e o que mais
lie para admirar, no mesmo recinto -la repre-
senta ao nacional, on le a urbanidad as at-
tences os respeitos e as consi.Jeiacoe< de-
vi de presidir a todas as disposices I Mas
honra seja feita ao Sr. Peixoto de Briio: o pro-
cedimiento injusto e despeitoso do Sr. Pedro
('havesjiri mmediatamente reparado na repre-
zentacifepacional por todos os deputadosde
Pernarmrtico ainda mesmo aquelles que profes-
s5o um credo poltico diferente do do Sr. Pei-
xoto de Brito e nao sao seus correligionarios ;
foi reparado por toda a provincia de Pernambu-
co, queosllou com o ferrete da indignado ,
e a si tomou a olensa feita um dos seus re-
presentantes : esaibaoSr. Pedro Chaves, que
mes que sao graves, e serios, forcoso me he
escrevellos neste t,>m ; porque a respeito d'es-
crever releva como se sabe que o estylo nao
desconforme da materia.
Mas as minhas Ilustres leitoras, nao obstan-
te as vezes apostemarem-se com o Carapuceiro,
toda vez que es'e desenrola o carretel a respeito
de modas, de vaid des, de baldas certas &c.
&" ; todava querem sempre ler facecias. que-
rem donaires, goUao de chanfretas, e chalaras,
embora taescoifds ou carapucas Ihes venhao
de molde o parecao, nfo obras de carregacao,
se n8o d'encomenda. Parece, que a este pro-
pozto applcao o vulgar, e bem sabido rilao da
gente gulosa PerdAo o mal, que me faz pe-
lo bem, que me sabe. O bello sexo toca mu-
to de jovial; porque nelle o que mais predomi-
na ( dizem os Filsofos ) he a imaginacao: d'a-
qui a facilidade com que riem e tambem
com que chorao. Feito este breve prembulo
ao qual poder quem quizer bautizar em urna
cousa assim por modo de cavaco entremos na
materia.
a honra c brilbante reputacao que o Sr. Pei- Havendo nascido ja no cabo do seculo pro-
nto coma sua bem regulada conduc- xmo passa(lo ( quero dizer noannodel793,
regui
ta temsabido adquirir firmar na provincia de
Pernambuco nao pode ser por elle nem por
pessoa alguma abalada : ella tem a sua base nos
coraces de seus concidadaos que o apreciao ,
o amo, e sempre llie farao a merecida justica.
Sirvo-se Srs. Redactores de inserir estas
mal tracadas linhas na sua mui apreciavel folha,
com o que Ihes ficar asss agradecido
Hum Pernamhucano.
Publcalo a pedido.
Renda geral___
Dita applicada..
Rs...... 167:8508607
37:5198254
130:3018353
167:8508607
O escrivo d'alfandega,
Jacome Gtraldo Hara Lumachi de Mello.
Rendimento da meza da receberia de rendas
internas geraes no mez de abril /indo : a
saber.
Direitos novos, e velhos........ 308876
Direitos de chancellara........ 38060
Verbas da dita................ .{00
Di/ima....................".'.' 61S787
Imposlos de letras............. 748123
Matriculas do curso jurdico..... 153JJ600
Emolumentos de certidoes....... 5>8iV
For >s de terrenos de marinha___ 118250
Ladennos................... 25S125
Siza dos bens de r.iz.......... 3:73 igfjoo
Tax. desello addicional....... 2188270
Dita anterior................ 98S850
2.1 decima de mao morta........ 758780
Dcima urbana............... 128960
Taxa de 28000 reis por cscravo.. 9S000
Dita de 1S000 reis............ 1:4368000
Imposto* de lojas abertas........ 1:4508100
Ditos de seges, e carrnhos...... 258600
Ditos de barcos do interior..... 10088000
287
281
Rs.... 8:6518725
Recebedoria 1. maio de 1843. O es-
crivo Estanislao Pereira d'Uliveira.
Correspondencia.
rs. Redactores.
Muito me penalisou o maneira inurbana e
pouco digna por que na cmara dos depula-
dos io tratado o Sr. Dr. Felis Peixoto de Bri-
to e Vlello em um discurso proferido pelo Sr.
Pedro Rodrigues Fernandes Cha\es deputado
pela provincia da Parahyba sendo nessa oeca-
sio .judado com diversos apartes pelo Sr. Joa-
qun) .Mdnoel Carneiro da i.unha ; mas por
isso mesmo que a ofensa feita ao Sr. Peixoto
de Brito lo mui grave por se dirigir a parte mais
melindrosa da existencia do cidadao, que he a
sua reputacao e sem a qual a vida se torna
um pesado e incornmodo fardo por essa
mesma raso taes imputates j mais poder o
cahr no animo de alguem nao tendo at en-
to sido postas em duvida por pessa alguma a
probidade honradez e inteiresa do Sr. Pei-
xoto de Brito. Parecia-me Srs. Redactores,
que um cidadao probo como oSr. Peixoto de
Rrito um magistrado integro e Ilustrado ,
que tem sempre gosa lo do melhor conceito em
todos os lugares onde tem excercido as funecoes
do seu ministerio, que tem sido constantemen-
te membro de nossa assernhla provincial desde
asuacriaco, queem duas legislaturas conse-
cutivas tem merecido os sufTragios dos seus con-
cidadaos para adeputacao geral fazendo parte da
Elleitores da freguezia de Serinhem 27
Os Senhores.
1Antonio Germano Rigueira Pinto de
Souza........................ 303
2Gaspar Cavalcanti de Albuquerque
Ucha.......................
3Christovao de Barros Wanderley.. .
4Jos Eugenio da Silva Ramos...... 273
5Jos Venceslao Alfonso Rigueira Pe-
reira de Bastos................. 269
6Manoel Cavalcanti de Albuquerque
Lacerda.......'............... 263
7Goncalo Francisco A'avier Cavalcanti
Ucha........................261
8Antonio Peregrino Cavalcanti de Al-
buquerque .................... 256
9Francisco Xavier Cavalcanti Ucha 252.1
10Jos Cavalcanti de Albuquerque... 2i5
11Jos Bazilio de Freirs Peixoto.....241
12 Antonio de Vasconcellos Menezes de
Drumond .................... 234
13Joao Carlos da Silva Guimaraes..... 232
14Gaspar de Menezes Vasconcellos de
Drumond....................* 224
15Manoel Carneiro de Albuquerque
Lacerda...................... 217
16Francisco Acciole de Gouvea Lins 204
17 -Sebastiao Antonio Acciole Lins... 200
18Joao l.ins Cavalcanti.......... 194
19Jos> Marcelino de Barros Franco. 177
20Joao Alfonso Rigueira........... 175
21Joo Baptista Acciole Lins....... 172
22Manoel Francisco Duarte......... 164
23 Caet.ino Francisoo de Barros Wan-
derley...................... 141
24Srno Pinto Ribeiro............ 138
25Manoel Marques da Costa Soares... 137
26Manoel de Mesquita de Barros Wan-
derley ...................... 134
27Antonio Claudio Vieira de Moraes.. 130
N. B. Os que tem o signal sao os que
nao votaro no respectivo collegio deSerinhaem
na elleicao a que se precedeo em Agosto de
18i2 cuja legislatura pertenceu tendo vo-
tado todos os demais bem corno o vigario
Joao Baptista Soares no referido collegio.
Variedade.
CARAPUCEIRO.
A instruccSo das nossas meninas nos Colegios.
J mu i tos de meus Ilustres leitores me vao
estranhando os assumptos nimiamente serios do
Carapuceiro de varios nmeros a esta parte, eo
mais he que tal reparo he feito principalmen-
te por Senhoras muitas das quaes alias *s ve-
zes se agastao das minhas faccejas, quando es-
tas Ibes tocao por casa. Ora o Carapuceiro met-
teo-se agora na poltica, diz urna e ja nao diz
cousa que alegre a gente Deo o ('arapucei
ro diz outra para pregador e tem tomado
um tom tio serio que parece perdeo todo o
sal todo o pico, que outr'ora teve. N8o se-
ria destituida de fundamento esta censura se
eu houvesse prornettdo de escrever sempre em
estylo faceto esobre assumptos-, que o pe-
e sob o rgimen colonial, e do Re Velho dou
gracas Providencia por me haver emprestado
diaSdc vida para ver o pasmoso incremento do
Brazil minha cara Patria. Quando trago me-
moria os tempos de minha puericia, esobre
pens em muitas das cousas que entao vi mil
pensamentos lido-me no espirito e pasmado
do que de todas as partes se me antolha, creio,
que ha progresso, para o qual tendem sem du-
vida as associaceshumanas. Que miseravel nao
era entao a instrueco da nossa Mocidude, mor-
mentea das meninas! Muitos pas nemqueriao,
quesuas filhasaprendessem a ler, e escrever, ten-
do por seguro ser esta ignorancia um dos meios
mais eflicazes de embargar o passoaos maganos,
e de cortar por namoricos requebros e pro-
ezas amatorias nao reflectindo que d'cst'ar-
te mais acoravao os desejos tanto assim que
nessas eras chamadas de innocencia e simple-
za e independente de communicaces epis-
tolares nao faltrao mocoilas que se desman-
dassem e que at moscassem de casa de seus
pais em companhia dos pertinazes amantes.
Ncsses tempos d'amorosa o homem que en-
tre nos arranhava o Francez e sabia pronun-
ciar muito mal douscumprimentos e meio nes
ta lingua era tido em foro de sabio e por
tal todos o victoreavo e applaudiao. Entao
a mana dominante era o Latinismo, de maneira
que as aulas de Latim entrava um rapaz aos 12
annos de idade e quando sahia era completa-
mente barbado, e em vesperas de cazar ou de
ordenar-se de Sacerdote. O maior elogio de
abedoria que se fazia a qualquer sujeito, era
dizer-se Fulano he bom grammatico As
meninas as escolas s aprendiao a cozer a
bordar a fazer renda e a cantarolar a Dou-
trina Christ.
Hoje que dilTerenca!Comoestamosadiantados!
Pe todas as partes surgem Colegios deeducacao
quer de meninos, quer de meninas. Estas hoje
aprendem o Francez, a Geografia, a Arithmctica,
a Mu'ica, oDezenho, e a Dansa.Tudolouvo, lu-
do approvo; mas o que me nao quadra he, que as
nossas meninas fallem bem, e traduzao o Fran-
cez, eque a respeito da nossa Lingua apenas
se Ihesensinem quatro cousas da Grammatica.
A Grammatica sim he til; mas he, por assim
dizer, o esqueleto da linguagem; e pode-se sa-
ber perfeitarnente a Grammatica de qualquer
lingua, e todavia escrever, ou fallar muito mal;
porque a Grammatica nao ensina as elegancias,
os Idiotismos e as Anomalas das Linguas.
Com o mero soccorro da Gramma'ica falla-se
sim s>m erros de Syntaxe quer de concordancia,
quer de regencia : mas d'ahi a fallar ou es-
crever bem anda va i urna grande distancia.
De mais que grande proveito pode vir as
nossas meninas de fallarem o Framez? Por
ventura destnamo-las para viajar, para Encar-
regadas de Neaocios ou Secretarias de Lega-
coes ? No Rio de Janeiro rara he a Sr.*, mor-
mente sendo moca, que n3o falle correntemen-
te a lingua Franceza ; e para que ? Para es-
tarem habilitadas a sustentar nos bailes, parti-
das soares &c. estirados coloquios com o In-
glez o Francez o Allemo o Italiano o
Prussiano o Dinamarquez o Sueco, o Hol-
landez, o Polaco, o Russiano o Grego o
Mouro. e o Judo I E ser requizito essencia!
a cultura d'uma menina o conversar com ho-
mens, com machacazes e com maganos ex
omni lingua, tribu, etnatione? Jouvi di-
zer que este era um dos mais proficuos meios
de se ellas insfrurem e tornaren) vastamente
noticiosas. Pode ser : mas com a devida ve-
nia s luzes do seculo ou ao seculo das luzes,
eu que fra das materias da Religiao Ca-
tholica Apostlica Romana, toco muito d'incre-
dulo entendo, que a nimia *mmnMftrJU
diwem: mas em verdade ao que me compro- dos dous sexos /sobre desapreciar o mais fraco.
met i Toi a talhar carapucas sortindo desta fa- he occasionada males as mais das vezes rre-
zenua o meu pequeo Peridico : e como as- paraveis.
sumptos ha alias mui importantesaosbonscostu-1 A Giba de fulano (tenho ouvido muitas ve- S'a
zes), vai em mui boa educacSo : j falla o fran-
cez lindamente : eu porem, que me nao deixo
atoar da Moda em tudo e por (mo eu, que
ja me nao mareio porauthoridadcsdescmelhan-
te natureza antes qui'era ouvir dizer : a lilha
de fulano vai bem dirigida em sua educacao ;
porque |a falla a lingoa materna nao s* > limua
de erros, da barliarismos solecisim s, e galecis-
mos, se nao com elegancia e nropned.>de. Isio
sim isto agrada-mo e parece-mc muito a-
cerlado.
Km verdade do que serve, que papagueie lin-
goas estrangeiras quem nao sabe fallar nem
escrever capazmente na sua propra? Aluita gen-
te ponsa que tudo fica remediado com ensinar
aos meninos meia duzia de regras as vezes bem
escuras da grammatica porlugueza : mas quam
pouco he isso para se fallar bem E se ba tanto
cuidado em ensinar a fallar francez nossa ino-
cidade; porque com muito maior disvello se Ihe
nao dao mestres da lingua materna ? Mestres ,
que Ihe ensinem as frases os tropos os idio-
tismos as delicadezas, e propriedades da nossa
tio rica, e tao formosa lingua porlugueza? Ab !
que se os bou vera e os nossos jo>ens apren-
dessem a fallar e escrever devidamente nao
appareceriao t;fntas miserias at no proprio Par-
lamento Brasilciro nem urna grande parte das
nossas leis seriao escripias em portuguez masca-
vado. Nao se ouviria a cada passo o nauseoso
debutar, o banal, e a banalidade (melhor fora
hananidade de banana) a ressursa, o remar-
carel o massacrar, o estar ao facto e outros
muitos galecismos nsuportaveis.
He sem duvida para lastimar, que tanto em-
penho haja para se saberem linguas estrunbas, o
nenhum cuidado nos mereja a nossa propria
lingua, tao desgracadamentc mesclada, que pa-
rece urna handeira de retalhos : e de mais nao
comprehendo como possa saber capazmente
linguas estrangeiras quem desconheco a sua.
Antes poisde p o Telemaco de Fenelon as Tragedias de Vol-
laire ou as Fbulas de La Fonlaine qni/era,
que se Ibes dessem a ler com s devidas explica-
ces os nossos Clasicos, como a Vida de D. Fr.
Bartholomeo dos Martyres, de Fr. Luiz de Sou-
za asPeregrinacoes de Fernao Mendes Pinto,
as obras de Francisco Rodrigues Lobo as car-
tas do padre Antonio Vieira a vida de D. Joao
de Castro por Jacinto Freir de Andrade as
Pbesias do immortal Cames &c. &c. Assim
'er da nossa lingua ; porque o que mais escan-
dalisa no portuguez, que hojemuita gente falla,
e escreve nao he tanto a desassiada e desne-
cessaria adopcSo de vocabulos francezes, quanto
o theor, o molde o feitio deste cdionia trasla-
dados taes e quejandos para o nosso de ma-
neira' que vem a formar urna especie de maca-
quice e bem se podera chamar ao portuguez-
de hoje palhaco do francez. Cada lingua tem
eus arranjos seu andamento sua lizionomia,.
oor assim o dizer: e nao pode deixar de ser bur-
lesco e ridiculo um portuguez, que em tudo,
e por tudo arremeda e macaqueia o francez.
Tanto mestre desfe ; e nem um s d'aquelle !
Se alguma ingerencia tivesse nos colegios es-
tablecidos em Pernambuco', eu recomen tara
s Sr." directoras, nao consentissem as suas e-
ducandasa perniciosissima leitura de novellas ;
porque para dizer de urna vez tudo a quem
bem m'entende, nenhuma necessidade ha "en-
sinar ao gato o caniinho da dispensa. Nao fal-
lar quem j m'estranbe o muito que imbirro
com as taes novellas: mas nao sou eu s. Todos
os moralistas as reproviio, eentendem, que sao
prejudiciaes mormente ao bello sexo no verdor
dos annos. A Senhora Campan, cuja obra a
respeito de educacao de meninas he tida por
classica assim s'exprime a este respeito. Na
idade em que o juizo ainda nao esta formado,
em que as primeiras ideias sao excitadas por
sensacoes vagas releva preservarescrupu.osamen-
fe as meninas da leitura de rlovcllas. Estas o-
bras tem o perigo de abalar o coracao e o es-
pirito por sentimentos nascidosdopoderdoamor
por inelinaedes contrariadas, e por successos
rnacinarios que o talento do author envolve
d'uma verosimilhanca engaosa.
A necessidade de produsir grandes etTeitos
forca os novellistas a exagerar a pintura dos vi-
cios e das virtudes. Estas produn oes com-
paraveis a urna falsa rarta de Geografiia, descar-
reiao em vez de guiar os primeiros passos d'u-
ma menina. Dir alguem, que no\ellas ha, cu-
ja moral he tao pura que podem ser lidassem
perigo ; pois que nellas o vicio be sempre pi>-
nido a virfudc recompensrda, e veen-se hel-
os, e nobres caracteres ; mas sao sofsticos to-
dos os argumentos, que se prouusem em favor
de taes leituras; porque nesses livros nunca be
bar ido o amor: nelles todos os amantes corres-
pondidos sao bellos, s3o cavalheiros sinceros ,
e fiis. Tao seductora pintuia fere a imaginacao
d'uma menina ; e desde logo ella entra a pro-
curar no mundo a chimenea imagem dos hroes,
cujas aventuras tem lido; ese (oquemuitas ve '
aciiivccj o inanuu, ijuC !L
uiu ucsiinado,



na"o Ihe offorcce semilhanons com essa imagem I urna palavra ao dono da casa. Mandon-o esto
qnoi da, tamhem militas vezi>s acontece que a entrar; mas o homem disse, que. bastava ,
nio m casada tem adestrara de a procurar ainda. Ihe fallasse na porta. Com elTeito alirio a por-
Rolativamonte a daan nao imagine alguem la o pai e eis que so llie antollia um pelintra
que a reprovo absolutamente pelo contra- de grandes hordas, e gadelhas.Que qucr o
rio enlendo ser conveniente at> corto ponto pa-j Sr ? Venho dizer-lhe que pon ha cohro
radar garbo e certa airosidade menina : | em suas fil'nasPorque? Que Le li/.oio ol-
mas soja esta urna applicaco secundaria, ellas? Toda a vez que passo por aqui e esto i
passage ra de sorte que a menina so eonvenoa, janella fecho-me os postigos o recolhem
que a dansa he um mero passa-tempo e que seQue tal a quoixa ? Quo tal o namorado de
nao vcio no mundo para vivor dansando. Nao nova especie *
so as montonas qoadrilhas sao cousas.
Avisos martimos.
sei
que se aprendo quando observo quo gor-
das ou magras, mocas, ou velhas,, e at
aleijailas e estuporadas mettem-se em restea ,
e quadrilhao ; o quo me parece sim he que
taes dansas nao servem para dar elegancia, e
bom geito ao corpo ; por que se olho para os
cavalheiros vejo-os de ombros encolhidos, e
bracos cabidos como passaros desasados en-
gomando com os ns o pavimento ; se attento
para as senhoras vc|o-as depescoeos estirados
para diante e o corpo a urna banda parecen-
do ( comparando mal ) uns piruzinhos, que
principian a brigar.
Por muito mais conveniente tenho a muzica ,
com tanto que nao cheguc, a tal excesso que
rouhe a meninn todo o tempo alias mu preciso
para dedioar-se a estudos proveitosos e prin-
cipalmente costura ao bordado &c. &o.
Julgo mui til a geografa ; por que som ella
nao he possivel saber alguma cousa da historia ;
e eu quizera, que as meninas de certa ordem
tivessem algumas nocGes da Historia Sagrada ,
da Universal, e conhecimentos mais extensos
da historia do seu paiz. Relativamento a Reli-
giao observo que geralmente fallando nao so
ensinao aos meninos se nao os rudimentos da
F o quando muito algumas oraoes a quo
chamo a reza. Mas alem disto eu quizera ,
que se empregasso o maior disvello em inspirar
principalmente s meninas a solida piedade o
a snela moral do Evangelho nao tanto com
palavras como com o exemplo infumlindo-
Ihes nos tenros coracoes o espirito de caridade ,
a mansidao a humildadc a modestia o de-
sapego aos ohjcctos de vaidade &c. &c. A re-
forma doscosumes da vindnura goraeo provi-
r a meu ver, em grande parte das virtudes
das esposas c mais que ora se vao criando
Sao ellas se forom convenientemente educa-
das, as que hao deadocar a fereza dos costa -
mes sao ellas as que lem de dar i patria oi-
dados morigerados e consoguintemente fo
lizes.
Desojara que as directoras e preeeploras
das meninas cuidasseni muito por inspirar em
suasoducandas o amor ao trabalho ; porque
nao falta quem siga a errada opiniQdoqueumn
senhora rica e de certa jerarqua s se deve
o-cupar em tocar piano cantar dansar ir
a bailes, c espectculos pblicos, c ler novel-
las, e pa a os misteros e snicos domsticos
enfronhar as maos. Nao ha prejuizo mais fr-
til em resultados funestos. O trabalho he um
onus imposto por Dos a toda a rac-j humana ,
e al m disto he o n.olhor preservativo dos vicios.
E de rnais qual o homem assisado, que procu-
re cazar com urna boneca que al nao cuida,
se nao em enfeitar-se em divertir-se e quo
m nada se oceupa do governo, e ecconomia
da casa? Ja ouvidizer quo urna senhora do-
l cada e de certa ordem nao deve metter-se
m servieos efadigas domesticas para nao so
tornar feia egrosseira : eu porm inelino-mo
a cror que feia e grosseira fica olla quan-
do se entrega occiosidade ; por, que esta ate
produz molestias.
Os colegios hem organizados e bem dirigi-
dos o (Te rece m grandes vantagens para a educa-
cao das meninas : mas be minha humilde opi-
nio que estas mo saino do gremio da fami-
lia em quanto nao passarom dos sete annos do
idade ; por que a base da eduoaoo deve a meu
ver estabelecer-se antes de tudo na casa paterna
J exislem varios dostes colegios em o no=so
Pernambuco ; mas um dos molhores, segun-
do hoi observado he o de Madamo Sarment.
Edificoii-me o disvello, com que e'ta Sra. ali
tracta as suas educandas. Alm disto nesse co-
legio ha boas precoptoras e as meninas ali a-
prendem com bom methodo, e clareza os
principios geraes da grammatica porluguo/a ,
agoo^raphia, a lingua franceza a doutrina
christ &c. &n. e tudo na mclhor ordem.
Consta-mo que oflm. Sr. D. Francisco he
o enearregado de dirigir cspiritnalmente as me-
ninas s quaes em dias determinados faz ex-
plicacesdoutrinaes accomodadas a intelligen-
cia das educandas. l.onvores a Madama Sar-
ment, que em verdada est fazendo um rele-
vante servieo a Pernambuco.
Jum namorado de ora espiar, ancdota.
Cierto pai de familia, que lem duas ou tres
f.lhas mocas, e lindas, e que mora em casa
terrea ouvio bator-lhe fortomonte na rotula
de noite. Perguntou quem era : e foi-lhc res-
puuuidu 4U0 era um suje'u 4o quera -ar
COMMERCIO.
Alfandega.
Rendimento do da 5........... 7:3938142
DescarregUo hoje 6.
Barca Nightingale fazendas louca e
miudezas.
Rrigue Vencedor passas, cominhos, alhos,
vinho, azeite, c miudezas.
Brigue escuna R. F. Loper farinha bo-
e arcos 'o resto).
= Para o Havre a barca ranecza Tilia por-
tonde sahir diste porto nodia 20 do corrento;
quem n'olla quizer arrogar ou hir de passasem
para o que tem cxeellenfcs commodos dirija-
te SOS consignatarios Bolli AChavannes, na ra
da Cruz o. 40.
Lriiao.
laxinha
Ifovimento do Porto.
Navios sakidos no dia 4.
Parahiba ; lancha nacional Pureza de Hara ,
capitao Jos Mara carga varios gneros
Entrado no mesmo dia.
Ass ; 8 das, sumaca nacional Estrella do
Cabo, de 90 toneladas, capitao Jos Joa-
quim Alves equipagem 10, carga sal. Pas-
sagero, Jos dos Santos portuguez.
Editaos.
= J. O. Elster ten ti o do retirar-se para a
Europa far leil-o por intervencao do poiretor
Oliveira, de toda a esplendida mobila efitaes,
&c da sua casa, inclusive um dos mais'afama-
dos pianos desta praca nao s pela belleza das
vozes como da sua excellente construeco um
carrinho de duas roilas com molas elsticas, e
os competentes arreios, um cavallo para o mes-
mo e alsfiins osrravos: Quarta-feira 10 do
eorrenle pelas 10 horas da manha na casa da
ra do Trapiche n 19.
= Lcilo que faz Joo Jos Rodrigues T,of-
fer Scgunda-feira 8 do corronte as 10 horas
do manh do \0 saccascom fcijfio mulntnho,
vindo do Rio do Janeiro no brigue V. Jo/lo Rap-
tista, entrado em marco p. p., por conta o ris-
co do quem pertoncor ; defiontc da cscadinha
1 a Alfandoga noarmazom do Rassollar.
= Terca-feira 9 do corronte as 10 horas da
manh,a porta do Rraruezanp do arcodaCon-
ceico do Recife. havera loilo de urna poroo
de saceos com feijo mulatinho que se vende-
r muito em conta poY conta e risco de quem
pertenecr.
LF.ILAO.
j4 beneficio de urna orpla Pernamhucana.
= O corrotor Oliveira continuar sabbado C>
do corronte na ra Nova loja de relojooiro Fat-
ton o loilo de espolio da finado Porret con-
sistindo em urna grande raridade de joias para
homem e para senhora ricos relogios de a'gi-
trastos livros &c. Ar., ad-
Pela thesouraria das rendas provinciaos
emeumprimento de diversas ordens do Exm.
Sr. Presidente se hao de contractar as seguintes heira P(|0 ca|a
obras., devendo os licitantes competentemente ; Vertindo-se quo tudo se ha do vender pelo maior
como soja em favor d'umr
se concorrencia de com-
oihh^, uucmi Uj HV..U.HVO w...^.v.u---------. vorunno-se que iikio s
habilitados apresentar com antecedencia na mes- I 0 0n>rer{|0 e ro
ma thesouraria as suas propostas em cartas fe- | J^ menor Q'_
hadas que serao abortas em presenca de to- ^ '
que
dos, no dia aprasa.lo. As descripcoos o orea-
montos podero ser consultadas na reparticao
las obras publicas.
No dia 8 do corrento e sob as condicos pu-
blicadas no Diario n. 95, a estrada desta cidade
para a de Olinda pelo val la Tacaruna oreada
na quantia de 42:6808000 res.
No mesmo dia, e sob as condicies publica-
das no Diario n. 71 as obras da rcodifieaco
Turna parte da estrada da Boa-Vista para a ci-
dade d'Olinda oreada em 771S172 reis ; e o
lapamento d'um rombo produsido pelas cheia3
em um atterro nocaminho da Conceicozinha ,
no lugar da camboa do S. Joo oreada em
.-97S321 reis.
pradores.
Avisos diversos.
lleclaracocs
O PAISANO N. 16.
^Amo hoje, e est venda no patio do
Colleaio loja do Sr. Pinto, e no patio di
Santa Cruz do Snr. Jos .Mara Freir Ga-
moiro.
O ARTILHEIRO N. 42.
S
aiiio hoje o acha-se venda.
Pela administrado da meza do consulado
se faz saber que no dia 9 do correrte se ha de
arrematar na porta da mesma administraco 2
caitas d'assucar mascavado aprehendidas pe-
los respectivos empreados do trapiche Tompa-
nhia por falsificaco do genero ; sendo a ar-
rematado livre de despezas ao arrematante.
Meza do consulado do Pernambuco 4 de maio
de 1843. O administrador interino
sntoniode Souza Reis.
O administrador da meza da recebedoria
das rendas geraes internas aviza pola ultima
vez aos moradores do bairro do Recife e Santo
Antonio, que venho pagar a taxa dos escravos,
eo imposto de segesecanoas ateo dia 10, pena
de se proceder a executivo contra os omissos.
Ilecebedoria 4 de maio de 1843. Francisco
Xavier (avalcanti de Albuquerque.
t'ompanhia do Kebiribe.
= Sondo necessario exigir parte da 2.a pres-
tacao, afim de se remetter para Londres a im-
portancia da encomenda dos canos de forro o
nao se podendo fazer esta exigencia antes de ser
realisada al." prestacao : sao advertidos os Srs.
accionistas que ainda nao completrao as suas
entradas hajo de o fazer impreterivelmente at
o dia 10 de maio prximo ; sob pena de perde-
rem as quantias que tivorem realisado na for-
ma dos estatutos art. 17O accionista que dei-
xar de pagar alguma, ou algumas prestaces de-
pois do praso marcado (30 dias] no art. 17 ,
perder as entradas que livor feito em beneficio
da massa social, e a sua inscripeo ficar de ne
nbum efleito. Escriptorio da Companhia do Re-
biribe 10 de abril de 1843. Rento Jos Fer-
nandes Farros.
=1 Perante o juiz da ." vara do civel es-
orivo Rogo se ha de arrematar om asta pu-
blica, a morada do caas rita no atterro dos Af-
fogados, de 2 andares e sotao, por execueo de
Jos Francisco de Azovedo Lisboa contra D.
A. Joaquina -ins Wanderley, sondo a primera
ao entrar no dito atterro do lado esquordo, cuja
arrematadlo terlogar por ultima praca nodia
9 .lo corronte mez de maio na porta do mes-
tiin 1117
-----
__ Os abaixo assignados?s declarao e fasem
publico ,*que a sociedade. que entre ellos exis-
tia debaixo da firma de fioorgo Konworthv
C.* nesta cidade findou om abril do passado ,
e agora csto cmliquidaco os negocios da mes-
ma sociedade.
George Kerworthy, Uenry Gihson.
Lotera de /V. S, de Guadelupe.
= As rodas da mesma tem seo andamento no
dia 15 do corronte, como j foi annunciado por
j 1 estar urna grande parte vendida a irmanda-
dc da mesma senhora roga nos amadores do jogo
concorro a compra do restante do-' buhles quo
se acho a venda nos lugares j indicados.
1 A pessoa que annuncion polo Diario do
8 do mez p. p., querer sor ama; annuncie a sua
morada para ser procurada, ou dirija-se a ra
do Codorniz n. 9. _
O abaixo assignado faz sciente ao respei-
tavel publico que nada deve nesta praca ,#e
toda e qualquer divida quo possa aparecer se de
vem dirigir casa de Joaquim Jos Forreira ,
prensario morador na ruado f.ivramento n.
33, para ser examinada polo annunciante o
isto no praso de quinzo dias (Indo o qual elle
annunciante te nao responsabiliza por qualquer
conta ou transaeco que possa aparecer em ra-
i2o tle ter aparerdo urna letn falsa, quo se pre-
tenda cobrar delle. Recife 4 de maio de 1843.
Antonio Pedro de A/ello
__ Roberto Jones subdito Rritannico rcti-
ra-sc para fora do Imperio.
__ Precisa se de urna mulher para ama de
urna casa de pouca familia ; na ra do Fogo
tu
5.
__ O ^r. que diz. querer contractar com ou-
tro para cobrar dividas na Parahiba e suas villas
queira por lavor dirigirse ra do Rangel loja
de cera n. 3 a fim de propr as condices a
este ros pe i to.
= Ouein annunciou a venda de um enge-
nhode agua, distante desta praca 3 leguas,
"9 '." '
OTerece-sc um m^o portuguez de Mafl
de 18 annos para eohrai dividas nesta prara ,
ou para caixeiro de loja de fazenda do que tem
bstanle pratica desle negocio esabe ler ps-
erever o contar o d fiador a sua conducta ;
quem pertender annuncie por osla folha.
Perinulao-sc por predios nesta praca dous
engenhos, moentos e correntes com boas ca-
sas de venda situadas na freguezia da Rscada ,
Aripibu o Relloinonlo ambos moentes e cor-
rontcs, os quaos moom com animaos, porem
o Aripib tem Hedientes proporroespara agoa,
os quaes tem lamo, as maltas e boas vargens e
o terreno bastante produtivo e bons cercados ,
possuindo cada um maisde meia legoa de tr-
ra em quadro, o distao de um a outro tres
quartos de legoa pouco mais ou menos e am-
bos rJevidem um com outro os quaes sem-
pre eslivero livres e descmi.aracados de qual-
quer onus e tambem se vendem a moeda ,
em razao de seu proprietario querer fixarsua
residencia nesta praca ; quem pretender dirija-
so a esta praca casas n. 50 na ra da Cadeia
lo Recife ra de Hortas n. 9. I. andar ,
podem-se dirigir-so aos mesmos engenhos aos
lugares cima onde se solucita a venda ou per-
muta.
= Furtara do sobrailo n. 30 da ra do Ro-
'ariocstreita um par de esporas de prata com
carrancas dos lados, eocaxorro terminando
em cabeea de cobra com urna serrilha ; as
pessoasa quem forem oferecidas ou que dol-
as souhorem,dirijo-se a sobredita casa, no2.*
ou 3. andar que serao generosamente re-
compensadas.
Os Srs. Hcnrique J. B. S. Rangel, e A-
lexandro I.. R. ; queirao no prazo da data des-
te a 3 dias dirigirom-se a ra da Florentina a
negocio que nao ignorad.
O Sr. que annunciou querer urna ama
que saiba engommar e cozer; dirija-se a ra
da Laranjora sotrado n. 15 2. andar : na
mesma casa faz.-se chapeos vostidos doSr.'r
e todos os mais preparos com muito aceio e
por preco commodo*
A commisso administrativa da Socieda-
de Apotinca tem marcado a sua partida para o
lia 13 do corronte o avisa nos >rs. Socios que
juierem bilbetes para convidados ospodero
trocurar da commisso no dia 9 do corrente ,
em a casa da mesma Sociedade.
Precisa-se alugaruma casa torrea, ou
sobrado de 1 andar nao leudo mais de 3 quar-
tos 2salas quintal % e cacimba em qual-
111er ru.i do bairro de S. Antonio ; quem tiver
annuncie para ter procurado-
Precisa-Sfl de mocosamassadores e um
bom fomeiro, que enlonda bem de cortar mas-
sas ; na travessa da Madre de Dos na paderia
de Manuel Ignacio da Silva Teixeira.
A pessoa que annunciou ter urna enrta
para entregar a D. I uiza Maria Cabral; queira
declarar a sua morada para so procurar a dita
carta.
= Quem procizar de um rapaz pertuguez
para caxeiro do venda ou de outra qualquer
oceupaco ; dirija-se a ra do Padre llori.no
n. 72 ou annuncie.
O Sr. que annunciou precizar do urna
pessoa para cobrar dividas na Parahiba Rre
jo de Rannneir s o todas as \ illas porlencen
les a Parahiba ; dirija se a ra da Roda ulti-
mo sobrado do lado esquerdo n 45.
Na ra da Madre de I'eos n 10 con
certa-se bem toda qualulade de relogios, e ca
xas de msica por preco commodo.
Rita Lourenca dos anlos, faz siente a
Jnanna Francis
penhores que estao em mo da dita Sr.* Rita,
dentro nestes8 dias e nao vindo neste tempo
lidio vendidos para sempre.
Nodia 25 do passado sendo mandado a
Olinda por se: senhor levar unas cartas, en
tregou-as, de algumas recebeo respostas e
desappareceu com ellas o um livro um mulato
de cor alaranjada de nomo Antonio de 18
annos cabellos corridos e ruivos, panos miudos
pelo queixo som barba um dente falto na
rente, cabs de brim, jaqueta de franquelim
verdee desbotada, chapeo de castor bramo ve
Iho ; ha noticias c presumpeoes de que anda
pela Solidade acostado a urna senbora que foi
delle, e com quem veio'de Olinda ha quatro
dias e que a dous dias foi visto om Olinda ,
onde tem na ra do Rom fim una irm casada
com um Portuguez servente do ."entinarlo ; e-
que dalii passeia no Monte onde tem condeci-
dos finalmente que anda dizendo que o
mandaro a Goianna e a Iguarass ( onde el-
le tem conhecidos e foi criado ) ; roga-se pois
as aullioridades desses lugares e parlii ubi res,
que a isto se do, hajo de dar-lbe garra e
conduti-lo no Recife bairro de S Antonio .
polo Diario de 27 do marco prximo passado ,. travessa da Concordia n. 5, quesera recom-
annuneie sua morada para ser procurado. penttdo.
__Aluga-sc urna casa no citio de S. Amaro,! O r. Francisco Gemido Moreirn Tom-
no pedas casas do Sr. < ardozo com oommo- poral, queira dirigir-se a ra da Matriz da Roa-
dos para grande familia, e o citio com arvores vista, no primeiro andar do sobiado n. Q *
de fruto : trata-so na ra Novo n. 3. I que se Ihe dezeia fallar.


T
r

ii
Mi DOMINGO 7 do corrente hnvor um
lindo divertimento na casa da Socieda-
do Natalense de baixo da direce o de Ralael
Luci;i ( por pedido dealguns Srs. ) dar' prin-
cipio o iJiverti.i.ento com o hyinno ratulal>rio
delicado a os habitantes de Pernamburo no-
vas cantonas, danca, e dando im co.n uina nova
pantomima; os blindes se acbao no botequim
junio da casa.
N. H. = A segunda c terceira galeras sendo
p opriamente pura as familias, nenhum lio
mem a pesar de munido do seu competente bi-
lhete poder nell.is ter entradas salvo se se
apresen tar junto com a sua familia; o mesmo
ten lugar pura com qualquer senhora que se
apresen tar individualmente. Se cbuver conti-
nuadamente das 6 horas em vente nao have-
r divertimento, transferindo-se o da onnun-
ciado por outro aviso.
= Aluga-se por preco commodo o primeiro
andar da casa da ra do Vi a rio n. 4, proprrio
para escriptorio : a tractar na mesma.
= Joao Chrisostomo Piros Brasileiro, re-
tira-se para fora da provincia.
Procisa-se do um cozinheiro o para
^- servir, dando se 10,000 rs mensaes e agra-
dando nao haver duvida cm pagar-se 12,000 ;
na ra do Queimado n. 32 segundo andar.
= Um bomem casado e de boa conducta
propoe-sea dar licoes de prirneiras letras em
casas particulares, por menos proco de que ou-
tro qualquer ; quem de seu prestimo precisar
annuncie.
= Henry Taylor, subdito inglez retira-
se para fora do Imperio.
= Arrenda-se um sitio junto ao riacho de
Agoa Fra estrada de iieliinbe com boa casa
de vivenda padaria, estribara boas plantas
de capim e outras muitas proporcoes que com
a vista se conheoerao : na ruu do Caldereiro ,
casa n. 2.
api B. Tielo subdito Brmense; retira-se
para fra do Imperio.
Lotera di l/atriz da Boa-vista.
= As rodas desta Loieria correm infalivel-
montenodia 10 di corrente me', do Maio e
os bilhelesse acho a venda nos lugares ja an-
nunciados.
.= Jjs Maya, subdito Britannico, retira-
se para Macei.
Pre::isa-se deum offoial de marcineiro ,
para trabalhar cm urna tenda : no atierro da
Boa-vista n. 3.
Aluga se um sitio em S. Amiro com
casa de pedra e cal, 4 quartos duas salas,
ezin!ia, boa agoa de beber bastantes arvo-
redos, portao na mesma estrada : no atierro
da Boa-vista n. 3.
Quem annunciou precisar de urna ama
para coser e ongommar dirija-se por traz de
S. Jo^c, ra dos Pescadores na esquinado
lampio, vindoporS. Rita, na carreira da
mur.
Precisa-se de um rapaz de 12 a H an-
nos para caixeiro de urna venda : na ra da
Sndala velhu defronte do beco do Campelo ,
venda n. 126.
a* Oflerece-se para ama de casa de purtas
dentro nina parda de idade de 40 annos que
sabe co'.inhar, ongommar, ensaboar coser,
e fu/.cr doces tudo com perfeicao : na ra
do Vigario arma'.em de assucar, n. 1 *.
__ O iem precisar de una ama para casa de
pouca familia ou de homem solteiro diri-
ja-se a ra da Roda n. 17
Urna pessoa que he bastan e hbil para
ensinar prirneiras letras do que tem muito
uso se oflorece a dar licoes em casas parli< u-
ficou de fiador da casa em que morou D. Fran-
cisca Candida na ra de Manool Coco queira
mandar tfcar a sua curta de fianca e pagar
16,000reisde2mezes, que ainda resta de 6
que licou devendo a dita Sr.1 quando se mudou
du dita casa i lo no prazo do 3 dias.
Aluga-so 3 canoas abortas, urna carrega
1200 ti jlos, outra800, e a mitra 600; na
ra do Caldereiro n. 56.
OSr. Antonio Texeira da Costa Braga ,
tem urna carta vinda do Maceio ; na ra do Vi-
gario casa n. 5.
Aluga-se ou vende-se um preto; na
ra Nova loja n 58.
Preciza-se 'le urna ama de leie : na ra
Augusta n. 1, 2.andar.
= J. Q. Elster, retira-se com sua familia
para Hamburgo.
= Bernardo Joze Mendos ,. Cidadao Por-
tuguez retira-se para Portugal.
Compras.
== Compra-se urna casa terrea no bairro
deS. Antonio, ou Boa-vista, ainda mesmo
precisando de algum conserto preferindo-se
em lugar proprio para negocio de venda ;
quem tiver annuncie.
= Compra se um negro com habilidades,
ou som ellas : na ra Nova loja n. 9.
= Compra-se um escrava de 16 annos,
quesaiba cozinhar e engomm r perfeitamen-
te: na ra Direita n. 50 segundo andar.
= Compro-so escravos pedreiros, carpi-
nas, e ferreiros: na ra da Cruz n. 64, em
casado Lourenno Joze das Neves,
Compra-se urna rotula em meio uso ,
para porta : na ra de 5. Rita nova n. 93
^ Compra-se um Horacio em latim em
bom uzo ; na praca da Boa-vista botica n. 6.
Vendas
lares, de manha e a tarde, cuja cupacidade
deixa-se experimentar se dentro em um mez
nao agradar o seu mothodo de ensinar nao
roceber nenhuma paga; annuncie.
__ Aluga se o sitio da cascata aonde morou
o Exm Sr. Bispo D. Thomaz de Noronha ,
com bom sobrado jardim bem olantado, e
grande pomul de larangeirus e outras muilas
fructoirat de diversas qualidades ; na ra do
Hospicio, n. 21.
= Tirao-se folhascorridas passaportes pa
ra dentro e fora do imperio, por preco com-
modo, ecom promptidao; na ra do Rangel
n. 34.
Precisa-'c de 4-0008000 rs a premio,
dando-se porseguranca um predio livre e des-
embarassado no valor de 7:V00$r8. sendo
os mesmos i:000 rs. para empregar no mesmo
predio em um estabelecimento que se est.
montando ; quem qui/er dar annuncie.
= Na ra do Pilar em Fora de Portas pre-
cisa-se de um bom forneiro e que entenda
bem de padaria para o que da-se bom orde-
nado.
= Pomingos Alves da Cunha retira-se
pura fora da provincia.
__ Joze Mara Ferreira Lobo, retira-se pa- le da forra.
= No deposito de assucar refinado, esta-
belecido junto ao arco de S. Antonio, em fren-
te do caes do Coliegio ha para \ender asiucar
refinado segundo o novo systema de fabrica-
r o polo qual se extrae a potassa o cal, dei-
xando-se-o no seu estado de pureza; sendo o
proco da libra do de primeira sorle e em paes
160 rs. codo segunda e terceira, em p,
a 120, e80rs.
Vendem-so os pertences de dous assou-
gues em bom estado com 7 grades, duas
portas e urna |anella todas chapiades de ferro:
na ra de S. Rita nova n. 93.
Vendem-so 3 casas sendo urna grande, e
2 pequeas todas na Cabanga com grande
quintal no qual tem muitas fruteiras; e tam-
bem se vende um terreno no aterro dos Affoga-
dos com 220 palmos de frente, e fundo de mais
de mil palmos tudoentulhado e botndoos
fundos para a Cabanga ; dinjao-sc ao dito lu-
gar da Cabanga casa n. 50.
V'endem-se um encolamcnto para urna
canoa ou harcassa de coinprimento de 60 pal-
mos e travs de madeira superior de* 35 a 50
palmos, e grossura do 8 a 12 pologadas ; na
ra do Vigario n. 3.
Continuo-se a vender vellos de carnau-
ba na ra de Hortas n. 55 as quaes j sao
bem conhecidas pela sua boa qualidade.
Vendem-se um apparelho completo e
arreios para o esquadrao de guarda nacional :
no principio do atierro dos Aflbgados n. 63.
Vende-se espirito de vinho de 36 graos
a 1280 a caada : na ra estreita do Rozario ,
botica nova n. 4'.
= Vende-se urna parclha de cavallos, man-
cos para carro estao bastante gordos : na ra
de S. Goncalo n. 20
"= Vende-se ou troca-se por lijlos de alve-
naria um terreno com 90 palmos de (rente ,
e 1S0 de fundo, na ra da Palma por traz da
ordem terceira do Carmo : na ra da Cruz do
Rccife n. 52.
=. Vende-se a mclhor venda da cidade de O-
linda, no lugar dos Quatro Cantos, esquina do
norte a qual ebega a vender a retalho 18 a
20 mil res por dia contendo p,micos fundos :
a tratar na mesma venda e tambem se vender
a piaso.
= AntoniD de Souza Rangel, vende o seu
sitio da Magdalena; quemo pretender dirija-
se ao mesmo sitio ou entenda-se com o cscri-
vo Bandeira na ra estreita do Rozario.
= Vendem-se mil chifres de boi. por pre-
co c mitnodo : na ra da Sen/ala velha venda
n. 126, defronte do beco do C.impello.
==: Vende-se urna casa terrea na ra Velha
n. 40 com commodos; a tratar na ra da Or-
dem 3 de S. Francisco sobrado n. 10.
"^ Vendem-e 3 tomos de Virgilio um
Salustio um Cornelio urna carta de Cicero,
e mais livros as 5 pontas n. 140 defron-
mo com todos os commodos para qualquer
estabelecimento que se queira1 formar ou
edificar fazondo frente para duas ras em
muito boa posico ; a fallar no mesmo ou na
ra das Trincheiras n. 22.
Vendem-se arroz pilado de superior qua-
lidade a 12500 o alqueire azeite de coco a
400 rs a garrafa caixas rom pacas a 3200:
na ra Direita esquina de S. Pedro que vol-
ta para o Li> ramento n. 14.
Vendo-se urna escrava parda, de 30 an-
nos cozinha faz renda coso chao, engom-
ma e faz pao de lo : na ra Direita pada-
ria n. 22.
Vende se urna tipoia com urna rede no-
va do Maranh5o e todos os seus pertences: na
ra do Rangel, n. 52.
Acha-se na casa de Joao Cardozo Aires,
na da Cadeia velha urna obra recentemente
publicada no Rio de Janeiro neste anno de
1843, intitulada Dic-ionarto de Medicina
Popular, pelo Dr. Chernoriz, em que se des-
crevitm em linguagem accommodada a intel-
ligencia de todas as classes da sociedade os
signaes, as causase o tratamento de todas as
molestias, os socorros que ?edevern prestar nos
accidentes sbitos como aos afogados, as fulmi-
nado sphyxiados, de raio, as pessoas mordidas
porjeobras venenosas, as per las de sangue, as
oonvulses das crianeas, os caracteres das co- ra Velha n. 67.
cao de prata e ouro para obras diamantes para
cravadores, 6 colheres novas de prata para sou-
pt urna faca apparelhada de prata pares de
brincos modernos do differentos modellos, e
urna manga de vidro lisa; as 5 pontas, n. 45.
Firmino Joze Felis'da Roza, vende
muito bom sal por preco commodo o mana
emeaixinhas de 16 libras, farinha de mandio-
ca de boa qualidade em saccas a 3200 : no caes
da alfandega, armazem de Francisco Dias Fer-
reira & Companhia.
Vender-se n ra de Apollo n. 21 a ar-
macaodeuma venda, por preco commodo,
que pode servir para quaiquer estabelecimento,
sendo vooda ou doposito de a^suar : a tractar
na loja de Mosquita & Dutra.
Vendem-se duas casas pequeas de pe-
dra e cal, noatterro dos ATogados: a tractar
defronte do viveiro do Muniz, n. 85.
Vende-se superior leito puro a 40 rs. a
medida : na venda da esquina da ra do ebo ,
que foi do Gloria todos os dias das 7 horas em
dianle.
Vende-se caf moido em poreo de 8 li-
bras para cima a 220 .* na refinaco dos 4 can-
tos da Boa-vista.
Vende-se urna casa de taipa com o quin-
tal plantado de capim no lugar do Catuc ,
com 200 palmos de fundo e 80 de frente : na
xa a provincia do Cear.
- O Sr. Joao Manoel Pinto Chaves,
que
Vende-se um terreno,
nelle situado na ra da Palma ,
e o armazem
a traz do Car-
bras venenosas e das que sao innocentes os
contra venenos do todos os venenos condecidos,
os conselhos para preservar das molestias e pro-
longar a vida as precauces que deve tomar
quem muda de clima, os preceitos sobre a
educaco dos meninos os cuidados que recla-
ma a prenhez o parto, as suas consoquencias,
acrianza recem-nascida, aescolha de urna boa
ama de leito a dentarn a desmamarlo os
perigos a que expe as dierentes profissoes e os
meio* de evita los os erros populares nocivos
a saude, os meios de descobrir a falsificaco do
vinho e dos alimentos a preparaeo dos re-
medios caseiros as plantas uteis e venenosas ;
dous vilumes em oitavo grande, contendo
950 paginas preco 10,000 rs.
Vende-se urna negra de Angola cose ,
engomma e lava : na ra- da Cruz n. 52.
-a Vendem-se 3 esrravas de nacao, urna
de 19annos cose, cozi1 bao engomma bem ,
outra de 16 annos, ptima para mucaniba ;
urna dita boa doceira: na ra de S. Rita, n. 27.
Vendem-se a obra inteira de J. J. Rnus
sau 25 volumes ; instrumentos de metal para
msica militar papel pautado para msica ,
papel marmore de diversas qualidades, estam-
pas de Santos, de bomgosto ; urnas armas bra-
sileras para imprimir ; no largo de S, Pedro ,
n. 18.
= Na ra do Passeio n. 5, loja franceza
c frabica de chapeos de sol, vendem-se cha-
peos bordados para homem e senhora do me-
Ihor gosto e qualidade novamente chegados
de Pariz e acha-se chapeos dos mais fortes ,
c fcitoscom a mesma perfeicao ; c mais um
sortimento de seda para cobrir chapeos de sol ;
e tambem se conserta toda e qualquer chapeo
do sol com umita perfeicao e brevidade ; ven-
dem-se ricos cobertores para cama da me
Ihor qualidade possel.
=: Vende-se a loja da praca da Indepen-
dencia n. 16 propria para calcado ou miu-
dezas ; a tractar na mesma praca n. 14
Vende-se urna casa na Capunga de
ti jlo e cal edificada em terreno proprio ,
com bom quintal urna porta de frente e 4
janelas dous portoes de ferro promptos vaos
de caixilhos para alcova e janellas, casa que
nao est ainda acabada, e que est edificada
prxima a doSr. Antonio Francisco de Castro ,
na ra Direita n. 119.
Na loja de Hypolito S. Martin & Com-
panhia tem um sortimento uompleto de cha-
peos de seda para senhora c meninas, sedas,
esetinslavrados para chapeos e vestidos, fitas
ricas e modernas flores finas, guarn Oes para
vestidos grinaldas c outros enfeites para ca-
neca de senhora cbales e mantas de padres
modernos golas e pescocinhos de todas as
qualidades, cortes de vestidos de crep e de
tarlatana, luvas de pellica e de seda com enflei-
tes e sem ellos toda a qualidade de calcado
para senhora homem c meninos chapeos de
sol, bengalas e chicotes de toda qualidade ,
perfumara sortida estojos para homem e se-
nhora e o mais que diz respeito as lojas fran-
cozas: na ra Nova n. 10.
= Vende-se um sitio com bastantes ps de
coqueiros e mangueiras baixa para capim ,
na Boaviagi.'m, na estrada em frente da Igreja:
na ra estreita do Rozario n. 16 segundo
andar.
Vendem-se um alfinetedepcitocom bri-
Ihante um dito para senhora de bonito mo
dolo cassoletas "de diversos tamanhos urna
cadeia com 2 sinetes para relogio urna volta
de rordSo grosso com um crucifixo pequeo,
Vende-se o botequim junto ao Ihcatro,
novamente pintado e forrado de lindo papel ,
rom superabundante mobilia entre ella 12
bancas cohertus de pedra e utenis de cozit.ha ,
dous buhares um delles feito em Franca o
mais elegante e rico que ha com todos os seus
pertences, bastantes tacos, os necessarios mar-
cadores de Jacaranda mu bem embutidos, co-
mo nao ha aqui um grande e rico quudro
para deposito de tacos, tambem de Jacaranda
delicadamente imbutido, candieiros, deus del-
les com maehina de se dar corda os mais pro-
prios para bilhar, estabelecimento este quo
offerece proporcoes para ser elevado a um alto
grao suceplivel de grandes vantagens : a tra-
tar no mesmo botequim.
Vendem-se duas canoas fechadas com
mais de 60 palmos de comprido e urna por-
Joao Lopes de Lima n. 154.
Vendem-se duas partes do engenho Bom
Jardim que demarca com os engenhos Sihir
do Cavalcanti e Anjo : na ra de Hortas,
n. 70; adverte-se que os mais herdeiros ven-
dem mais partes.
Escravos fgidos.
= Fugionodia 25 de Abril de 1842 do-
engenho tilinga o escravo Joze baixo, cor
fula cara redonda nariz chato com alguns
signaes de pannos pela cara e pescoro, tem al-
guns talhos as costas, pomas finas, meio
barrigudo, representa 40 annos de naco S.
Thom ; quem o pegar leve ao mesmo enge-
nho a cima da Marra Grande a seu snr. Joao da
Sdva Reg ou nesta praca na ra da Cruz h
n. 64 em casa de Lourenco Joze das Neves.
Fugionodia 22 de Mano p. p. do en-
genho Riachao o escravo Antonio, crioulo ,
estatura regular cheio do corpo cor preta ,
pouca barba a testa regatada com um lo
liinbo no alto da mesma ; quem o pegar leve
ao mesmo engenho ou nesta pra-a a Louren-
co Joze das Neves quesera gratificado.
= Fugio no dia pnmeiro do corrente a es-
crava Maria de Angola, de 20 annos baixa,
grossa dentes limados, tem bastantes espi-
nhos no rosto o grandes marras de hechigas
as ponas, levou vestido de chita rocha com
flores amarellas, e um canec; quem a pegar
leve a ra da Conreiro da Roa-vista* n. 18 a
seu snr. Frederico Schultz que recompenser
Fugio o escravo Daniel Angola de
20 annos boa estatura beiros grossos le-
vou camisa e calcas de brim bronco ja usado ,
fugio no dia 4 do crrente ou julga-so estar
furtado ; qupmo apprebender leve a Fora do
Portas n. 22, que ser recompensado.
No dia 3 fugio a preta Felicia levando
vestido de chita e panno preto, altura regular,
magra cara larga cor fulo cusluma andar
quasi sempre calcada intitula-se ser forro ,
mas na falla seconhece que nao he ha in-
dicios de estar recolhida em casa de certa pes-
soa a quem ella diz ser forra o que sendo
realisado prolesta-se contra quem a recolbeo;
quem a pegar leve a ra Nova n 50 que re-
cebera 50,000 rs. de gratificacao.
Fugio no dia 4 do corrente a escrava
Ricarda crioula de 19 annos, foi captiva
de Antonio Macario de Dos, e depois de D.
Francisca Alexandrina Jacomc Pessoa a quem
foi comprada em De/enibrode 1842; quem a
pegar ieve a ra Direita n. 13i que scr re-
compensado.
aneles com diamantes 3 voltasde cordo fi
no, aneis de difieren tes modellos urna por-1 Recipe: ka Typ. de M. F. deFaria.=1843


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERL7EPF93_PTVHZC INGEST_TIME 2013-04-13T02:46:40Z PACKAGE AA00011611_04952
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES