Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04946


This item is only available as the following downloads:


Full Text
V '
Auno de 1843.
Quinta Fera 27
aaaajaaMasnsal
Tillo agora dr[ tnclf .le nos meamos ; da noaaa prudencia ssoderscio energa ; con-
(it.u3r.Hit como |>tinCi|iiamoa a seremos apontados rum admiraro entre a* Nacoes maia
i lili. ( Proclanacii da Aeaemble'a Geral do BRiiIL. }
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goianni Parahiba a Riogran.de doNorle aegunda sextas (airas
Boi.il 1 o Garanhons a 10 e 24
Canc S;rinhaem, Rio Formoao Porto CalTO, Maceid Alagoaa no 1. 11 ,
Boa-lista, c Florea a 3 e 2* Sanio Ani.i, quinta* feraa Oliniia lodos oa das.
das Da >euai\a
24 Seg. N. fennorados Praierts. Aoil do J de 1). da 2. T.
26 larr. M-roos Evne;clisl.a. Hel. Aad do J de D da 3. Y.
26 Qua'il. Pedro ras Ratea. Aud do J. de D. da 1. .
27 Oldai. .Tertulia, o B. Aud doJ. de D. da 3. T.
28 Stl' i Vital M Aud o J. de D da 2. ?
'j:> SaUi a Pedro M Bel. Aud. do J de da 1- y.
30 Bou. ibom pastor. Fgida de N. S.
de'Abril
Anno XIX. N. 93.
O Diario publica se todoa os das qne n.o (oreai .Santificados : o preco da assignarora b
de tres rail re* por quartel pasos adiaatadoa. Oa annunci.es doa assignantos sao inserido"
gratis e os doa qoe o nao forera reio de SO reia por liaba. As reclamaces deresa sai din*
ri.la* a sta Tjp., ra daa (".'ore. N X4.no a prara da Independencia loja de liroa N. Oa 8-
ctMiios..No da .6 de Abril. compra senda.
Cambio aobre Londrea27 Nominal. Ocio-Moeda de 6,400 V. 1 200 .6 4.(1
ii Pars 35l rea por tranco. a a N. l'i 00J > 2 U
m Lieba 1UU porlOOdapraaaio. I a a da 4,ul)l) 8,M)0 0 o
PAT4-Pataoea l,66 l>80
Moada de cobre 2 por cenlo. j Peos Golueanares 1,MJ I 880
dem de Istias da boas firmas I j a J a ditos Meucanoa 1,660 1,880
FHASEaUALANOMEZDE 'hRIL.
La Clieia i 14, s 9 as. da tard I La ora 29, a 1 tora e 59m. da tard.
Quart.ming. i, s 10 lloras lia. Jim. | ijajaut, eren:, a 7, as 6 horas s 46 ni. da tard,
Preamar de hoje
I. a Imra* a ;' i as. da manh.ia | i a 3 horas a 18 m. da larda.
asa
PARTE OFflCIAt.
MINISTERIO DA JUSTICA.
3.' seccao. Illm. o Exm. Sr.Tendo o govor-
no imperial mandado consultar a seccao de jus-
tica do consclho de estado robre os seguintes
quesitos : primeiro se por virtudeda le de 3 de
desembrode 184-1 fieararestabelecidososagitra-
vos.para as relaf.-5es.dos despachos dos chancelle-
res, hoje substituidos pelos presidentes, segundo
no caso aflirmativo, quaesas regras, pelas quaes
esse recurso se deveria reger ; loi a dita seccao
de parecer, de que nom a le citada, nem qual-
quer ou'ra auloiisao simi liantes aggravos, e
que sendo muito ampias as funeces dos an-
tigos chancelleres, que entre outras exerciao as
de juizes privativos de certas causas, c inciden-
tes dellas como as suspeic5es. questes sobre
a disima da chancellara erros de contas etc.,
atlribuices estas, que nao conservao os ac-
tuaes presidentes das relacoes, que como chan-
celleres apenas presiden! ao transit das sen-
tencas c ao sello que nao passa de mera 8o-
lemnidade estando de mais abolidas as glosas,
nenhum lugar pode ter a interposico dos re-
cursos que antigamonte se davo dos referidos
chanclleles para as relames as materias de
sua competencia. E conformando-se S. M. o
Imperador com este parecer da seccao de justi-
ca do consciho de estado, o manda cummuni-
ca a V. Ex. para sua intellgcncia e para as-
sim o fazer constar ao pre idente da rclacaodes-
ta cidade. Dos guarde a V. Exc. Palacio do Rio
le Janeiro em 23 de marco de \SW.Honorio
Jlermelo Carneiro Ledo.Sr. Presidente da pro-
vincia de Pernambuco.
3 a seccao. Illm. e Exm. Sr.Em solucao ao
fficio de V. Exc., de 27 de Janeiro prximo
passado cumpre-me declaiar Ihe que aos
juizes municipaes supplenles se deve abonar o
ordenado correspondente ao emprego mas
somonte quando os eflectivos o n'> vencerem
tambern ou porque esleja vago o lugar ou
por outro semclhantc motivo ; de manen a que
nunca haja duplicacao de pagamento. Dos
guarde a V. Exc. Palacio do Rio de Janeiro 1.
de abril de 1843. Honorio Hermeto Carneiro
Leo.Sr. Presidente da provincia de Pcrnum-
buco.
Dito Ao inspector da thesouraria da fasen-
da communicanrio ter sido declarado em avi-
so da secretaria da justica do 1. deste mez, que
aos juizes municipaes supplentos se deve abo-
nar o ordenado correspondente ao emprego,
quando o cxercitiirem e os efTectivos nao esti-
vcif in na percepeo dos seus vencimentos.
Ditos Ao comina tula ule das armas deter-
minando em cuni|trimento de ordem imperial,
que mande dar baixa do servico militar ao fur-
riel do segundo batalho de artilheria a pe Jos
Joaquim Humbelino de Miranda ; aos soldados
do mesmo cirpo, Antoni) Lufz do celino Antonio Xavier, e Manoel Fernandos dos
Santos; aos da companhia de artiilces, Vhnocl
da Silva Leito e Jacinlho Jos (uedes ; e ao
addldo ao deposito, Francisco Jos Guedes.
Dito Ao director do arsenal de guerra or-
denando em cumprimento do disposto no aviso
da secretaria de estado dos negocios da guerra
de 20 de marco ultimo, que nasdilToientoj offi-
cinas do mesmo arsenal, com exccpcSo daquel-
las, em que se promtilicao armamento, e oqui-
pamenlo para o exercito conserve o numero
de operarios strictanicnte indisptmsavel para a-
codiras necessida-des mais urgentes do servico :
e que no fin de cada mez remeta a sobredita
secretaria de estado por intermedio da Presi-
dencia relacoes, conformes com os modollos,
quelheremette de todas as obras manufactu-
radas naquelle arsenal durante o mez findo, e
das materias primas que Ilcarein exislindo.
Dito Do secretario da provincia a Francis-
co Felis dos Santos, intelligenciando-t de ha-
ver-lhe sido concedida a serventa vitalicia do
otnciode escrivao do ciimc, e civel, e piiinu-
ro tabelliaodo judicial e tintas da comarca de
osgotada e outro s:m cumpria que suspen-
dessej as despesas com o escaler da dita me-
sa mandando que o servico deste passassj tam-
ben! a ser feito pelo escaler da saude.
INTERIOR.
baha.
Ahaixo publicamos o parecer da commissao
creada pela loi provincial n. 179, sobre as causas
da decadencia ta agricultura nesta provincia,
aiioiitandi). ao mesmo pasto, quaes os mcios que
a commissao julga mais proprios a remove-las ,
ea tornar llorescenle o lavoura.
PARECER.
A commissao creada pela Ici provincial n.
179 para dar seo parecer sobre os meios mais
vantajosos de melliorar-se a agricultura do pai/,
e indicar as causas que tem influido para seo in-
torpecimento, bem convencida de que a agri-
cultura, ramo principal seno nico a que mais
se tem applicado esta provincia, lucta ;i lem-
pos com dilTiceis o insuperaveis contrariedades ,
originadas j por algumas leis do imperio ja
pela dosgracada crise de revoluces amiudadas ,
nao duvida aventurar que a reforma de taes
leis, soja o principal apoio donde possa provir o
bem dos lavradorese a lelicidade do estado.
O imposto, pois Jo Jizimo, o tratado da
abolicao do trafico da escravatura inopinada-
mente a lei que deixou livre o premio dos ca-
pitaes tomados por emprestimo a lei que pri-
(Jaranhuns : edisendo que sollicitc o seu ti- vilegiou as fabricas de assucar e a falta de ca-
tul' pela secretaria de estado dos negocios da
justica.
Governo da Provincia
EXPEDIENTE DE 21 DO CORRENNE.
Ollicio Ao presidente interino da rclaco ,
disendo que em cumplimento do aviso da se-
cretaria de estado dos negocios da justica de 3
do torrente, haja de dar as convenientes ordens
para que osescrivaes, que ofliciao perantc a-
quelle tribunal eaos quaes forem destribuidos
es feitos crimes intimem aos respectivos pro-
motores ^publ icos as sen lencas ditos feitos, logo depois de preferidas, aiui
deque liquem elles habilitados interporem a
re\isia nos casos em que a julgarem necessa-
ria e activarem a remessa dos processos para
o juizodas execuces afim de serem por ali
expedidas ;>s compet ules guias. f.ommuni-
ctju-se aospiouiotores pblicos da provincia.
Dito Ao inspector da Ihcsouraria da fasen-
da intelligenciando-o de haver S. M. o Impe-
rador mandado declarar por aviso da secretaria
da justica de 5 do corrente que aos juizes mu-
nicipaes nao compete o ordenado dos juises do
civel, quanaoossubstituirem pnr serem taes
funecoes inherentes pela lei da reforma ao cargo
dos mesmosjuizes municipaes, e apenas sus-
pensas emquanto os do civel nao forem em-
pichados noutros lugares e pordar-se a aecu-
inulacaodos emolumentos da varado civel ao
ordenado de |uizes municip es.
Dito Ao director interino do curso jurdi-
co de Olinda, scientficando-o de ler ogoverno
imperial licenciado por quatro meses com os
respectivos vencimentos o doutor Joao Capis-
trano lan.leira de Mello lente daquella acade-
mia.Tambern participou-se ao inspector da
thesouraria da fasenda.
Dito Ao commanJante geral interino do
coi po de polica ordenando em cuiiseuuencia
do que iiiiormoa era ollicio de hontcm 20 que
mande demittirdo mesmo corp e apresentar
ao coniiiiandanie das anuas airn do assenta-
rcm praca na primeira llhba os sofdadi s Ma-
noel Ignacio de Ari-Ujo e Manoel Joaquim de
Santa-Anua.Ofliciou-sc respeito aoconiman-
tlante das armas.
Il.'souria da Fazcnda.
KXI'KDIEME DE 8 DO C0RRE.VTE.
Oflicio Ao Exii). Presidento do tribunal do
thesouro publico nacional participando a re-
cepcao da ordem do tribunal de 31 de Janeiro
do anno passado qu acompanhou o regula-
mento de 11 do mesmo mez relativo ao corte
do pao brasil nesta provincia as diligencias
que se tem fetoat ao presente para a sua exe-
cucao e remetiendo o mappa da quantidade e
qualidades do dito pao existente nos arinasens
desta cidade.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., com a conta
das despesas leitas por a thesouraria por conta
do ministerio da guerra r.opiimeiro semestre
do crrente anno financeiro edas provaveis a
dispender no segunoo.
Dito Ao Exm. ministro o secretario de es-
tad-i dos negocios da guerra sobre o mesmo ob-
jecto.
DEM DO DA 11.
OflicioAo Exm. Presidente do tribunal do
thesouro pubk-o nacional, com asterceiras v-
as de quatro letras na importancia de libras
slerlinas 4,400--- a 90dias vista e cambio
pitaes ,'sao sem duvida contrariedades do pri-
meira ordem.
Portanto no estado dos adunes conhecimen-
tos humanos, especialmente dos da economa
poltica uciiliiiina naeao ha hoje no mundo
civilisado que nao deixe Iivres os seos pro-
ductos de cxportaeao para que possao concor-
rer nos mercados geraes com gimes produc-
tos aos das outras nacoes, impomlo-lhes penas
quanto baste para fiscalisar-lhe a exportacao .
he isto o que ensina a sciencia e a praxe de to-
do o mundo ; mas pelo contrario no Brazil ,
sendo o assucar um dos doas principaes produc-
tos (ao menos nesta provincial cujo valor mon-
ta amilhue-.il cruzados, e que tem de con-
correr nos grandes mercado* com o de outros
paizes que o fabrico melhor c de superior
qualhlade urna lei sobre esse mesmo genero ,
cujas despezas to fabrico orco a grandes som-
mos impoe-llie o pezado tributo do dizimo ,
impropriamente assim tlito urna ve/, que en-
tra o lavrador com 5 e o exportador com 7 ,
preferindo-se 12 e nao 10 p. c.
Ora. he sabido e claro que os impostos de
consumo pcao sobre o consumidor, e os de
cxportaeao ao fabricante tendo o assucar de
concorrer nos mercados gnraes, desconto os
de 27 e 28 d.nhe.ros subios pormilre.s, que |.1(lort.s (lo (.orron,e cm tafis mer-
em 2.5 de levereiro, e 4 do corrente lorao re- i r i- i .... m
raettidas aos agente; do Brasil en Londres por ca,l; t0,l hsP,nJ, in^{c 1"w os 7 P-
conta do dito tribunal do thesouro. c- *"\ seSuroS commissoes, e o lucro que
ihem no da 12.
Dito Ao Exm. Presidento da provincia in-
formando depois de ter ouvido aos chefes res-
pectivos das repartiedes que numero de guar-
das he indispensavel para a alfandega e mesa
gar ; como exigi em oflicio de 28 do passado,
para dar execucao ao imperial aviso da secreta-
ria de estado dos negocios da fasenda de 14 do
mesmo mez.
dem do da 15.
Oflicio Ao Exm. Presidente da provincia ,
informando com a copia do orcamento apresen-
tdoa assembla legislativa provincial, para as
despesas da cathedral de Olinda em o anno fi-
nanceir) de 1843 a 1814calculada pelos crdi-
tos votados para os dous annos anteriores, o
requerinuntodo cabido da mesma cathedral.
Hito Ao administrador da mesa do consu-
lado prewnindo que emquanto nao viesse de-
isao do tribunal do thesouro publico nacional
a <|uem se reiiresentou sobre a insulficioucia do
crdito concedido para as despesas daquella me-
sa no corrente anno financeiro, devia sobres-
tar no seu pagamento quando a somma para
cada '.""a oresentemente marcada e

(pie
hes deve dar o emprego de seos capitaes, e da-
hi deduzida a somma de taes parcellas fixao o
preco no mercado da Rabia : donde resulta que
o lavrador indubitavelmente (az com seo gene-
ro face ao dispendio e aos impostos.
Relectindo-se pois que nenhum producto
meramente de agricultura paga somentc taxa ,
e attendendo se que o assucar deixa de ser pro-
iludo meramente asnela, urna vez que o seo
fabrico arrasta o dispendio maior de ."0 p. c. ,
concluir-se-ha que qualquer semelhanle la-
xa importa necessariamente o atrazo de sua la-
voura.
Accressc aini a mais para cnervar-llic o pro-
zresso, o regulamento da meza de diversas re-
as de '50 de maid de 1830, no artigo que man-
ila que sejao brocadas as caixas no acto de se a-
condicionarem nos trapiches impondo a des-
proporcionada pena de perda total por qual-
juer alteraco as taras; porque cssa broca ao
ngresso das caixas alm 'e favorecer ao ex-
travio de grande quantidade de assucar em pre-
|uiso dos proprietarios. e em beneficio dos tra-
picheires ( ie quem se diz que reservuc c z\c- saas prosperidades.
Ihor de meia arroba em cada urna ) quebra or-
dinaria quando repezadas na sahida ; oflerece
consideravel altcrat ao, pela humidade recebida,
que n3o s muito deteriora o mesmo assucar as
amostras como augmenta o pezo dos caixes
della embebidos; quando alias a broca feita ao
realisar da venda a vista dos agentes do con-
sulado que por sua parte verificassem as quali-
dades tudo evitara.
Passando a segu- da contrariedade proposta ;
isto he o tratado da abolicao do trafico da escra-
vatura feito com a Inglaterra sem se haver an-
tecedentemente promo\ ido a colonsaco de bra-
cos livrts e adequadosao servico rural, he prin-
cipal causa da ruine da nossa agricultura: oque
he tanto mais fcil de provar-se quanto actu-
almente se conta de fabricas de assucar reduci-
das a pequeo numero de bracos ; e outras de
fogo morto por nao ser possivel ao lavrador
comprar, a 500) rs. escravos que durante o
trafico por menos de metade se obtinhao : con-
vindo antes que o governo seja habilitado a pro-
mover colonisacao de bracos livres, propri-
os para a cultura do campo e a industria
do pjiz : e ape/.ar de que a colonisacao branca
he precisa para a prosperidade do paiz em geral,
todavia he menos propria para a cultura da ca-
na e se por muito tempo se puderem manter
as povoacocs a beira mar e ao comero tive-
rem a rantagem de suprir bracos escravos as
cidades e villas fazendo-os refluir para o ser-
vico do catino de cerlo nunca serao esses bas-
tantes para encher o vacuo que nos deixe a
total abolicao do trafico : tornando-se por con-
sequencia conveniente que se nao assignem
tratados de commercio com aquellas nacoes ,
qne assentirao explcitamente aos tratados da
abolicao do trafico e de visita se um artigo
especial que a iinilacao dos inglezes, nos
tleixe livre trazer colonos africanos embora
se extatuao quaesquer garantas, salvos os re-
gulamentos policiaesa que devem ser sugeitos;
e competindo ao governo de determinar o nu-
mero que animalmente deve ser admittido
no paiz oqual nunca devera exceder ao de co-
lonos bramis em tal anno importados.
Para a 3* contrariedade ja lembrada moti-
vada pela lei, que deixou livre o premio dos
capitaes tomados por emprestimo urna peque-
a reflexao bastara para sentir-se todo o incon-
veniente que coinsigo acarrala. Pois desde tal
promulgacao, em um paiz novo como o nosso ,
onde tudo est por fazer e falto de capitaes ,
ningucm mais que agricultura e o mesmo com-
mercio se tem resentido por haverem os pre-
mios excedido a 21",. Porque cm urna na-
eao manufacturera um lucro que da um ca-
pital empregado com urna administraco deli-
gente esse he o lypo de seos juros : em urna
nado porm agrcola como o Brazil, o lucro
da sua lavoura no periodo de 10 annos segun-
do os memores calculistas apenas chega a 5
%, logo o typo dos juros nao deveria exceder de
6%; porque tendo-nos a experiencia demons-
trado que os dadores de dinheiros por altos pre-
mios no l i ni de poucos lempos acho-se sem
elles c Mmenle possuidoies de letras escrip-
turas envolvidos cm dispendiosas demandas ,
tudo porque os premios resultantes nao conser-
vao o necessario equilibrio com os lucros da
lavoura c commercio ; claro fica que o interes-
se rominniii do estado e mesmo a moral pu-
blica clainao precisamente a sua revogacao.
O miseravel estado de desfalque em capitaes,
que a premio rasoavel posso occorrer as pre
cisoes da agricultura e commercio, urge a crea-
cao de um banco ou caixa de crdito mutuo ,
cujo plano c estatutos regulamentares deveria o
goverpo encarregar a associaco mercantil e ao
eonsellio de lavoura ahaixo indicado revogan-
do-se em seo favor todas as leis que a sua crea-
cao por ventura se posso oppr bem como a
de 30 de agosto du 1833 de que julga a com-
missao proceder parte da decadencia actual do
commercio e agricultura pois que por ella a-
limentando-sc a immoralidade desappareceo a
coiiliaiica e crdito mutuo to precisos para
a nrncnnri^'tJAi'
I *


Parece alem de tuJo indispensavel, que a la-
voura assim como o commercio he representado
por um corpo que cuida deseo* interesses c se
communica com as authoridades supremas da
provincia tambem tenha um conseibo ou jun-
ta oceupada em letnbrar, pedir e requerer
quanlo lor a bem da agricultura da provincia ;
que seja elle creado por urna lei, e a nomeacao
do seos membros feita pelo governo provincial ;
escolhendo dentro os lavradores os mais aptos
para gratuitamente exercerem as inherentes
lunecoes.
Tenha elle a seo cargo, animar quanto fr a
bem da agricultura tal como, introduzir no
paiz novos ramos de cultura ; adquirir infor-
maces sobre methodos de cultura aperfeicoados
em outros paizes, e admissiveis no Brazil; pro-
mover a creacao de companhias que rateem as
trras baldas e outras que as colonisem pre-
vonindo eanimandoa plantacaode mandiocas e
legumes : devendo requerer aos poderes com-
petentes a abertura de canaes de novas estra-
das e melhoramento das existentes ; a cons-
truccSo de pon tes e cncinamentos de rios e
tudo o mais que tenha por fim (acuitar o transi-
to publ.co. Encarregar-sc-ha de engajar mes-
tres de veterinaria e de instrumentos agrarios ,
cuidando ainda mais emorganisar a estatistica
dosvadios, e proletarios da provincia afim de
lazer delles cidadaos uleis : devendo finalmente
ser consultado pelos poderes do estado sobre
negocios relativos a mesma agricultura,
Nao he meuos urgente e necessario que o
governo vista dos consideraveis mclhoramenlos
ao fabrico do assucar, e grandes aperfeicoa-
mentos de fornalha ( o que sem duvida fez des-
preciar no mercado o assucar do Brasil), quan-
to antes seja authorisado a contratar e mandar
vir mestres de assucar e fornalhas onde me-
Ihor os houver, para que em qualquer dos en-
gnnhos da provincia que melhor commodo offe-
recer se estahelccao escolas de tal ensino, don-
de certamente resultar grandissima utilidade ;
Urna vez que os governos de todas as naces se
nao excusao prestar-sc por todos os modos a a-
Jervorarsua industria porque d'ella depende o
hem publico e a verdadeira prosperidade na-
cional.
Reconhecc finalmente a commissao quenas
indicadas reformas e principalmente na con-
sohdacao da ordem est o remedio que talvez
possa melhorar to lamentavel estado da nossa
agricultura ; donde se po Jera coucluir, que
muito efficazser incutiar-se as massaso amor
do trabalho tornando-as por meio de urna se-
vera moral incapazes de movimentos revolu-
cionarios em que as precipitao ambiciosos que
cavando a propria ruina accelero assim a que-
da total dos nicos ramos que podem firmar e
manter a grandesa nacional. Villa de S. Fran-
csico em sessao de o de marco de 1843. An
tonto Calman du Pin.Burilo de S. Francisco,
vencido quanto a penltima contrariedade
Utro de Jtapicur de cima. Luiz Francisco
Gone-auesJunqueira. Francisco VicenteVi-
anna.
Parecer em separado do Exm. Sr. llamo de
S. Francsco.
O abaixo assignado divergindo da opiniao dos
seos Ilustres collcgas da commissao da lavoura ,
tam somente na parte em que considorao que
o privilegio das .bricas de assucar soja urna
das causas para b entorpecimentoda lavoura e do
commercio ; entende que vista da lei de 30
de agosto de 1835 nao se pode dizer que existe
tal privilegio, quando ella sujeitou os engenhos
a regra geral das execueoes sobre os outros pre-
podendo ser arrematados quando a divi-
o reccio de se confiarem capitaes aos lavradores
de assucar. S. Francisco 5 de marco de 1843.
Bardo de S Francisco.
(Correio Mercantil.)
PERNAMBUCO.
-fi-TTTI-------
dios,
da exceder a metade do seo valor soffrerem se-
gunda o terceira avaliac. o; e afinal serem adju-
dicados aos acredores com o ahatimento da
quinta parte quando nao baja arrematante ; a-
J. m disso podem ser penhorados todos os ren-
dimenlos escravos at 12 annos, creares ,
&c, &c., exceptuando tao somente a dita lei a
fabrica eutencilios indispensaveis para o seo la-
boratorio com o que tiverao em vista os legis-
ladores prevenir graves inconvenientes, por
quanlo de certo aconteceriao tendo os acredores
a faculdade de penhorarem quaesquer objectos
relativos taes fabricas icarcm estas destrui-
das, oque acar/etaria a total ruina de seos pro-
puetariose prejuizo fazenda publica nos direi-
tos que percebe.
O abaixo assignado deixando de produzir ou-
tros argumentos para mostrar que a mencionada
lei he fundada nos principios de justica e equi-
dade esemelliante a legislacao de alguns outros
pai/esa respeito de labricas importantes, esta
convencido quedasua existencia nenhum mal
pode vir a lavoura e ao commercio e que o
supposto privilegia consiste rio grande valor dos
engenhos que se torna difcil serem vendidos
ou arrematados quando o devedor nao possa
pagar qu sea de m f.
A sobremencionada lei deixou livre a qual-
quer rennnciar privilegios quando mais esta
garanta seja exigida por maior seguranca de
bualquer contracto e desta maneirn
ASSEMBLA PROVINCIAL.
Acia da 35.,sms5o ordinaria da Assembla Le-
gislativa Provincial de Pernambuco em 22 de
abril de 1843.
PresidencitTdo Sr. Paula Lacerda.
Feita a chamada acharao-se presentes 23 Srs.
deputados, faltando os Srs. Machado Rios Pe-
reira de Brito Faria Mello Pinto de Almei-
da, e Paula Mesquita. O Sr. vice-presidentede-
clarou aberta a sessao: foi lida, e approvada a
acta da antecedente.
EXPEDIENTE.
Um ofMcio da cmara do Recife propondo al-
guns impostos : commissao de negocios das
cmaras. Um requerimento dosofficiaes do cor-
po de polica pedindoexpIicacSoda lei provin-
cial n. 82: commissao de petices.
Outro de Anastacio Xavier de Couto, empre-
ado da cmara desta cidade pedindo appro-
vaco da gratificado de 50$ res que Ihe foi
concedida pela mesma cmara : commissao
de negocios das cmaras.
Outro de Francisco de Sousa Magalbes, vi-
cario collado da freguesia de Itamarac, pedin-
do augmento de congrua : commissao de
ordenados.
O Sr. primeiro secretario requereo, que se
desse asnento ao Sr. deputado supplente bacha-
rel Joo Mauricio Cavalcanti da Rocha Vander-
ley ; e sendo approvadoeste requerimento, as-
sim como o parecer dado pela commissao de
conslituicjio e poderes a cerca da eleico do dito
senhor, foi este int'odusido na sala com as
formalidades do estilo preslou juramento e
tomou ascento.
ORDEM DO DA.
Continuando a discussao do parecer da com-
mis'io de constituyan, e poderes sobre o pro-
jecto de estatutos do seminario episcopal de 0-
linda o Sr. Lopes Gama mandou a mesa a se-
guinte emenda, que foi appoiada :indico,
que so esta assembla approvar o parecer em
discussao a Ilustre commissao de orcamento
formule urna resolucao que abrogue a quota ,
que foi marcada para os professores da cidade de
Olinda.
Foi tambem apolado oseguinte requerimento
do Sr. Carneiro da Cunha:riiqueiro que o pro-
Jecto de estatutos, sobre que versa a discussao,
seja remettido ao Ex.mo hispo diocesano para
dar o seu juiso : Encerrada a discussao foi
approvado o requerimento do Sr. Carneiro da
Cunha Meando adiado o parecer as emendas.
0 Sr. vice-presidente deo para ordem do dia a
continuado da de hoje e levantou a sessao.
Francisco de Paula Cavalcanti de Albuquer-
que Lacerda, vice-prosidente Francisco Jodo
Carneiro da Cunha, \. secretarioAntonio Jo-
s de Oliveira,2." secretario interino.
'DIARIO DE PERMHIUICO.
: de
Nodiscurso do Sr. Dr. Jos Rento, que sahio
no Diario de hontem aparecero, alem de
pequenoserros typograficos algumas frazes ine-
xactas conforme nos veio reclamar o fachv-
rafo alegando que a urgencia com que Ihe
foi pedido por esta Typografia o seo trabalho
para sabir a luz e ao barulho da discussao,
que no fim se tornou bastante reida, nao ti-
nhadecifrado e escripto com a devida correcao e
vagar o mensionado discurso no qual vem a-
dulteradas as seguintes palavras e frazes Na
pa. 2a col. 4. e linha 8'as palavras aos fiis
testemunhas, leia-se aos fiis, e que teste-
munhas. Na linha'91 em lugar das palavras
os primeiros da doutrina leia-seos pri-
meiros mestres da doutrina do christianis-
mo. Na lin. 93 em lugar de archotes lea-
se faroes. Na linha 95 em lugar das pal.
D'aqui foi que muitas eocolas leia-se D'a-
qui nasceo que muitas escolas &c. Na li-
nha 89 em lugar da palavra necessario leia-se
- mesmissimo ministerio. Na linh. 102 em
lugar de 1779 leia-se 1179. Na pag. 3.
linha 31 as palavras seminario somente leia-
se O seminario nao pode deixar. Na linha
37 em lugar de decretos episcopaes e decreto
cannico, leia-se direitos episcopaes? pelo
direitocannico ... Na linha 75 em lugar das
palavras He verdade porem nao se pode.... at
as palavras sobre adminislraco temporal,
leia-se He verdade que pelo acto addicio-
nal as assembleas provinciaes podem legislar so-
bre a instrucao publica ; mas este art. do acto
addicional nao deve ser entendido descripcio-
nariamente mas em relaco aquella instrucao,
que diz respeito ao seo poder a educaejio tem-
poral &c Na linha 85 em lugar das pnlavras
instruidos segundoa disciplinaos despensadores,
leia-se instruidos segundo a disciplina eccle-
siastica e que devem seros dispensadores dos
misterios da Heligiao. Na linLa 100 em lu-
Na.*coi.
*iiip
c-ku munus.
linh. 2.' em lugar de memoricamente, leia-se
numricamente.
Tambem he enexacta a circumstancia de ter
fallado o Sr. Lopes Gama depois que fallou o
Sr. JosBonto mas fallou pela segunda vez
somente quando se discuti a urgencia, repro-
dusindo os mesmos argumentos, e consta-nos
que mesmo no segundo dia da discussao, em
que o Sr. Dr. Jos Bento fallou largamente res-
pondendo ao Sr. Neto elle nao fallara antes
se retirara da casa fallando o Sr. Neto em pe-
nltimo lugar e o Sr. Carneiro da Cunha em
ultimo o offerecera o requerimento que vem
na acta. Cumpre-nos ratificar estas circunstan-
cias visto querermos e desejarmos que a dis-
cussao seja apresentadacom toda imparcialida-
de: oque cumpriremos sobre todo quando
tivermos bem montado como pertendemos, o
estabelecimento dos tachigrafos.
COMMERCIO.
Alfandega.
Rendimento do dia 26.......... 6:037$386
DescarregBo hoje 27.
Patacho yperade Palket vinhos.
Brigue Margara i o resto.
Barca Emily fazendas, louca sabSo ,
presuntos, carros de mao e carne sal-
gada.
Brigue Droma canos de ferro.
Brigue ConceicHo Flor de Lisboa la-
gedo.
Movmento do Porto.
Navios entrados no dia 25.
Ass ; 37 dias, sumaca brazileira fom Suces-
so capitSo Joflo Antonio da Silva de 141
toneladas equipagem 12, carga sal; ajo-
s Manoel Fiuza.
Navios entrados no dia 26.
Malaga por Gihraltar ; 36 dias trazendo do
ultimo porto 26 caico hespanhol Palermo,
de 60 toneladas capito Gabriel Remontel,
equipagem 12 carga vinho, azeite doce e
&c. ; a Joo Pinto de Lemos & Filho.
Parahiba ; 3 dias cter brazileiro Prompta,
de 30 toneladas capit5o Henrique Jos V-
eira equipagem 6 carga lenha ; a Mada-
hide.
Bahia ; 8 dias brigue sueco Superb de 485
tonelada, capito John Ryberg, equipa-
pagem 12, carga lastro ; Ordem
Editaes.
O 111.mo Sr. inspector da theseuraria da-
rendas provinciaes manda fazer publico qus
em cumprimento do olliciodo Exm. Sr. Presie
dente da provincia de 20 do corrente perantea
mesma thesouraria sob as condi^oesj publica-
das nesta folha n. 67 de 23 do corrente, se con-
tratar no dia 29 d'Abril corrente ., dous
leos deimpedramentodasareias do Giqui na
estrada de Santo Antiio : o 1. oreado na quan-
tia de 9:23lg464 res, e o 2. na de9:3418864
reis.
A discripcao e orcamentos destas obras pode-
rao ser consultados na reparticiio das obras pu-
blicas pelos licitantes, os quaes deverao, depois
de competentemente habilitados, apresentar com
antecedencia nesta thesouraria as suas propos-
tas em carta feixada para serem abertas em pre-
senta de todos nos dias aprasados, pelas 11 ho-
ras do dia.
Secretaria da thesouraria das rendas provin-
ciaes de Pernambuco 25 de abril de 1843.
O secretario,
Luiz da Costa Porto-Carreiro.
2
5
6
8
9
orfos se ha de arrematar a quem mais der por
tempo de 3 annos que h de ter principio do
1. de Julho do corrente anno ao fimdeJunho
de 1846 as rendas das seguintes casas:
Da de n. 1 no largo do Cotuvello o l. andar.
ruadoCollegio.
das Larangeiras.
doRangel.
Velha da Boa-vista.
da Gloria dita.
10,ell de S. Goncalo dita.
12 do Cebo dita.
13 por dotraz* do Assogue dita.
14 do Rozario dita.
As pessoas que se propozerem a arrematar di-
tas rendas poderao comparecer na casa das ses-
ses da mesma administracao nos das 10 12
e 15 do mez de Maio p. futuro as 4 horas da tar-
de com seos fiadores e adverte-se aos inqueli-
nos que se acharem devendo rendas atrazadas ,
que se nSo acceito seos leos e nem por isso
se Ihes dar preferencia ao lanco que for offere-
cido. Sala das sessoes da administracao do pa-
trimo dos orlaos 24 de Abri! de 1843. J.
1U. da Cruz escriturario.
CIRCO OLMPICO.
Grande e extraordinario expectaculo gimnas-*
tico e equestre a beneficio e por conta de F.
para sexta feira 28 do corrente.
Primeira parte.
I) i (Te rentes dancas sobre a corda forte onde
particularmente Joao Rernah se distinguir
com novos e admiraveis ebuilibrios sem ma-
romba.
Segunda parte.
Varios exercios equestres a saber: 1. Volteios
aerios saltos de barreiras, pulos grotescos.
2. A interessante scena do caboculo a cavallo ,
executada por Bernab. 3. Novas jocosidades
do palhaco tanto no chao como a cavallo. 4.
Madame Bernab apresentar novos passos de
graca. 5. O desafio dos dous soldados, scena
jocosa executada tanto a cavallo como no ch5o.
6. As habilidades do cavallo Romeo. 7. O
pequeo cavallinho demostrar tambem as suas
habilidades respondendo a varias perguntas do
seu amo.
Terminar o expectaculo a heroica scena o
diflicil execucao dos dous gladiadores combaten-
tes sobre dous cavallos em pello.
Iieclaracoes.
Pela Sub-Delegatura da S de Olinda ,
se apprehendeo um carneiro o qual se enlre-
gar inmediatamente a vista dos signaos que
appresentar o seu dono.
Companhia do Bebiribe.
= Sendo necessario exigir parte da 2.* pres-
tieao, afim de se remetter para Londres a im-
portancia da encomenda dos canos de ferro e
nao se podendo fazer esta exigencia antes de ser
realisada a 1." prestacao : sao advertidos os Srs.
accionistas que ainda nao completaran as suas
entradas liajao de o fazer impreterivelmente at
o dia 10 de maio prximo ; sob pena de perde-
r m as quantias que tiverem realisado na for-
ma dos estatutos art. 17O accionista que dei-
xar de pagar alguma, ou algumas prestacoes de-
pois do praso marcado (30 dias) no art. 17 ,
perder as entradas que tiver feitoem beneficio
da massa social, ea roa iiscriptu floar de ne-
nhum efleito. Escriptorio da Companhia do Re- j
biribe 10 de abril de 1843. Bento Jos Fer-
nandes Barros.
administracao do Patrimonio dos Orlaos.
= feranle a administracao do patrimonio dos
Avisos martimos.
Para o Porto a sahir com toda a hrevi-
dade a muito velleira barca Espirito Santo;
quem nella quizer carregar, ou ir de passagem
para o que tem excellentes cmodos dirijase
ra estreita do Rozario n. 13 ou a bordo ao
capitao.
Leiles.
^~^^^^
J. O. Elster far leilo, por interven-
cao do corrector Oliveira de grande e varia-
do surtimento de ferragens e miudezas de
todas as qualidades ; sexta feira 28 do' corren-
fe pelas 10 horas da manha ; no armazem da
sua casa nova na ra d'Alfandcga velha.
Avisos diversos.
O ARTILHEIRO N. 39.
5AQ, hoje, e acha-se renda.
Precisa-se de urna ama para o servico in-
terno de urna casa de pouca familia; no Re-
cife, ra do Amorim n. 37.
= Castor Joo deAlemo, subdito Britan-
nico; relira-se para o Rio de Janeiro.
Dizapareceo no dia 25 do correnje nm ne-
gro por nome Candido official de pintor, le-
vou calsa de riscado azul nova eamiza tambem
de riscado azul com lista branca alto e seco do
corpo bem barbado pez grandes e giossos ;
quem o pegar poder levar no Trapicho novo
emeasa de Francisco Antonio da Costa Gui-
mares, ou em iranio Amaro na casa do mesmo
que sera generosamente recompensado. -
Aluga-se a segundo andar do sobrado de
4 andares na ra do Ruzario larga que tem
botica : no mesmo sobrado no terceiro andar.
Precisa-se de urna mulher portugueza de
meia idade que sai ha cosinhar e engomar, para
ama de urna casa de pouca familia : na ra No-
va n. 38.
No dia 28 do corrente vai em praca por
ser a ultima urna casa terrea" de pedra e cal
com xos proprios, cita na ra de Mathias Fer-
reira n. 44 a requerimento de D. Dionizia
Melania de Barros Guedes inventariante dos
bens de seo marido o Tencnte coronel Francisco
Gedcs de Quinhoes : os citantes eompaie
cao no juizo municipal dos orlaos de Olinda.
J


Wf-U.....:mr //.
CURSO DA HISTORIA DA PHILOSOPHIA
por
victor cocsm,
vertido em portuguez por
ANTONIO PEDRO DE FIGCEIREDO.
Paraexpor em breve e expressivo bosqueijo
a immensa utilidade e importancia do Curso do
Philosophia do Sr. V. Cousin o Plato dos
nossosdias, e conseguinlemente fazer sentir a
rigorosa neccssidado d'elle ser estudado por to-
dos os Brazileros, nada menos lora mister, que
urna pena douro e um espirito tal que assoc'iasse
preciso mais depurada o poder de assimilar-
se tudo o quo l ; infelizmente careco de dispo-
sices tao proficuas ; e por isso nao se espere
do mim o ver relevada a utilidade da obra ; an-
tes receio que debaixo da minha pena ella di-
minua o seu mrito.
urna verdade recebida por todos os pensa-
dores, queacivilizacao obra da philosophia
a qual sondo ao mesmo passo um dos elementos
dessa mesma civilisac5o 6 o elemento por ex-
celencia que Ilumina e desenvolve todos os ou-
tros, donde se segu quo a civilisacao se nao
pode dar nos paizes aonde a philosophia no-
rada e despresada
Foi reconhecQndo esta ver lade c se afanando
com solec.tudo no estado da philosophia que
a Alemanha. a I-ranea e a Inglaterra, tem po-
dido al.geuare remover os embaces que dif-
ficul tavao o tao |ustamente jabado desenvolvi-
mento mora e material d-d que hoe gozo, de-
scnvolv.mento que Ihes \cm conqsldo _
meirajcrarch.a entre as na,.5es modernas : 'lsto
posto dessemariancia| fecundo derramado
da cade.ra que >r tantos annQS ^^ o r
, cousin rj0 ns po,iemos deparar com um
nos rememos capazes do sanar os ma|es> sobre_
maneira u -v.. V. Cousin partindo do Oriente, ca-
averando Grecja af6 Q prmero quarto dest(>
sequo, estudou com indefesso desvello, por to-
'Jas as partes, os quatro cxageradossyslemasphi
losophicos ou os quatro pontos de vista sob os
quaes so possivel considerar o espirito huma-
no a saber : o sensualismo, o ideialismo, o
scepticismo, e o mysticismo; c, n lies descri-
minando a parte boa da m que cada um en-
volve creou com a primeira parte, urna no-
va philosophia, a que chamamos Ecletecismo.
Entre as mumeraveise importantissimasques-
toes philosophicas que resolveu, oceupou-se da
transcendente questao. estreiada por Aristte-
les*! desde entao continuada por quasi todos os
pbilosophosa.tc Descartes e Kant Quaes san
os elementos integrantes de que se compoe o pen-
samentoc deu-|he a mais simples c irreduc-
tive! solucao na formula seguinte causa e.
substancia. Demonstrou com evidencia pal-
pavel a Trindade Sanctissima nao como mvs-
fazer algum interesse
gocio e queira iazer aigum interesse a urna
pessoa, que entra com a sua agencia e 2008 rs.
em dinheiro queira annunciar a sua morada
para ser procurado.
Pergunta-se aos rmiiosda meza regedo-
ra da irmandado de S. Jos da Agona qual o
motivo porque anda nao empossrao a nova me-
za se ainda acho pouco o tempo decorrido ,
ousequerem continuar a reger o futuro anno,
ou se ser por capricho dealguns irmaos que
sejulgao o tudo da irmandado ; assim dezeja
saber. Um IrmBo.
- Roga-seaoSr. Antonio Jos RabelloGui-
mariies queira vir saldar a sua conta antes de
se retirar para o Rio; np pracinha do Livramen-
to loja de fazendas de Jos Esteves Viana n. 41.
Declara-se 10 Sr. arrematante do contrac-
to do consumo das agoas-ardentes, deproduc-
cao brazileira que visto sua S.* ter colleetado
50 caadas quando n3o se vendem 6 no bo-
tequim da Estrella derxa-so do ter este gene-
ro, do 1. de maio do corrente anno em diante.
Aluga-se urna preta para o servico de
casa ; quem a pretender dirija-se venda da
esquina da travessa da Pol, ao voltarpara a ra
das Cruzes n. 2.
OfTerece-se urna crioula de bons costumes
para ama de casa de pouca familia, e fazer todo
o servico de casa menos comprar na ra ; di-
rija-sc ra Direisa n. 66.
O Sr. Joao JosRibeiro dos Santos, quei-
ra ir na ra da Cruz do Recife n. 48 para se
llie entregar urna carta que de Porto Alegre
Ihe traz Manoel Jos Sarava, e mesmo Ihe de-
soja fallar.
Precisa-se de um homem para feitor de
um sit'o perto da praca, que cntenda de pla-
ales tratar de arvoredos e tirar leite de va-
cas ; na ra da Cruz no Recife n. 48.
O Sr. Jacintho Jos Cabral da Cunha ,
queira diriffr se ra do Queimado loja de fa-
zendas n. 37 ou annunciar a sua morada para
ser procurado a negocio de seu interesse.
Troca-se um quarto de meias carnes,
sem achaques por outro de milhor figura e
gordo voltando-se oque for razoavel ; quem
pretender dirija-se ra Nova ao p da ponte ,
na 2.'casa no ultimo andar, do lado do norte.
Arrenda-se um sitio na estrada dos A lu-
los ao p; de Joaqum de Oliveira com casa de
pedra e cal, tem commodos para grande familia,
estribaria annexa a mesma, muitos arvoredos de
fructo baixa para capim, e parte della ja plan-
tada ; quem o pretender dirija-se loja de fer-
ragens defronte do Corpo Santo, que achara
com quem tratar.
A pessoa que annunciou ter urna Biblia
para vender queira dirigir-se ao seminario ,
ou annuncie o preco da dita Biblia, que se quer
comprar.
Urna mulher de bons costumes, se encar-
terio, mas como verdade que.'podendo ser tra- ref da "fjo de meninos de peito, impedidos
tada por a philosophia mais simples a cees- (,esemPpdl(,(,s' e tambem recebe meninos des
vel mais humilde intelligencia. Desenvolveu r^lP"!.C"r" "SS?.! "L*
completamente e illustrou as provas a priori e
a posteriori acerca da existencia de Dos, dadas
por Descartes. Creou urna nova theoria arespeito
da libt-rdade mais precisa e luminosa como
dado ao espii ito humano a qual tem a virtu-
de de excluir as objecces a que todas as outras
conhecidas precedentemente estavao sugeitas.
Em moral deuo ultimo golpe mortal no prin-
. cipio de utilidade que tao pernicioso pol-
veiisando inicuamente o systema do patriarcha
desto principio .ocke continuado por os
seus sectarios inclusive o mais exagerado J.
Bentham.
No tocante a poltica revelou immortaes tho-
orias ; entre outras systegmatisou a ensinada
por o celebre Vico que as firmas differentos
de goveruo nao sao fados voluntarios, mas ne-
cesarios c subordinados as leis topographicas
dos paizes.
O estylo em que estas lices foro pronun-
ciadas sem contraversia o mesmo que gran-
geou ao mmortal Platao o eptheto de dirino ,
e sobre o ser clarissimo sobremodo enrique-
cido de mui vivas e brilhantes imagens o que
arrastra o leitor insencivelmente a ler de urna
vez se possivel fosse toda a sua serie.
Eis no mais limitado resumo o que me
foi possivel relerir a respeito das liedes de Phi-
losophia do ^r. V. Cousin quo comporo tres
volurnes in 4. de mais de 400 pag. cada um,
de cuja versao ousei encarregar-me c para a
qual se subscreve as lojas da ra e patio doCol-
legio n.05 2 e 20 por o preco de 10S000 reis
cada exemplar. Hecifc 2") de abril de 1843. __
Antonio Pedro de Figueiredo.
Na ra da Guia n. 31 2 andar, deze-
ja-se fallar com o Sr. Francisco Joaquim Du-
arte e entregar-se-lhe 20S000 reis ; roga-
Sc-iiifi o lvor g uppsrcccr, ou snniiniar a sua
residencia.
Na ra da Cadeia (velha) loja n. 60 ,
existe umacarfa para Lodovico Jos de Medei-
rn, com urna enoommenda.
Urna pessoa que tenha algum pequeo ne-
promette esmerar-se ; na ra Direita n. 50.
rr: Quem precisar de um rapaz portuguez ,
de idade de 20 annos para caixeiro de venda,
nudcoutra qnalquer oceupacao dirija-se ao
patio da Ribcira de Santo Antonio n. 19, ou an-
nuncie.
= Ninguem contrate negocio com Vicpnte
Ferreira de Araujo, sobre a propriedade Cacim-
binha cuja foi desmembrada do engenho Dois
Bracos, de Serinhaem, por urna escrplura falsa
e como o abaixo assignido est em quesliio ju-
dicial com o mesmo Vicente Ferreira de Ara-
ujo para revendica-la outra vez ao engenho ;
por isso faz sciente ao respeifavel puhlico.
Jnaquim Cor rea d'Araujo.
Pela declaraco (eta pelo Diario de segun-
da feira 2 i de abril, do Sr. deleaado da comar-
ca do Cabo sobre existirem tres escravos reco-
Ihidos raqui'lla cada sua ordem, sendo que
um delles seja um preto de nomeJos, naco
Angico, de idade de <0 annos, pouco mais ou
menos he alto e corpolento rosto comprldo e
marcas de bexigas na caheca ao p da testa
tem urna costura de urna pancada e no braco
osqnerdo tem duas marcas de nascidas, fii?io
em.'unhodo anno p. p. ; este escravo he bem
conhecido nesta praca por ter sido sanhador .
e o abaixo assignado supplica aquella authori-
dade que no caso de ser um dos seus escravos
o mande vir, que est prompto a, pagar toda a
despo7a que o dito tenha feito epossa fazer ;
na firncn da Boa-Vista n. 7.
O Sr. que se ofToreee a cobrar dividas fo-
m desla praca por exocuco, edn fiador di-
rija-se a ra do Itangel n. 54, a tratar com Vic-
torino Francisco dos Santos.
A Sr.* I). Clara Josepha Monica de Mello,
podo mandar receber urna carta que Ihe envino
da Parahiba ; na ra do Trapiche n. 32. 1." an-
dar.
Dezeja-se fallar com o Sr. Francisco Igna-
cio de Mcdriros, para negocio de seu interesse
na ra do 0<'C'ma^ n- *
Na ra das Larangeiras n. 27 fazem-se
chapeos para senhoras, vestidos, e toucados ,
tudo no ultimo osto c tambem se engoma
com perfeicao lau Fpfi uc iiomem como
de senhora, nesta mesma casa propoc-se a en-
sinarescravasdodozeannos para cima, destes
mesmos servicos, dando as senhoras o sustento
e Meando o sorvico polo ensino.
Na loja da ra do Queimado n. 3, existem
varias carta--- para o Km. Sr. I)r. Antonio de
Andradij Luna Francisco Jos Pacheco de Me-
deiros e Joaquim Goncalves Bastos.
= Precisa-se alugar urna escrava para o
servico do urna casa de pouca familia quo
saiba comprar, cozinhar, ensaboar e en-
gommar dando-se-lhe o sustento e 10,000
rs. mensacs: na Solidado indo pela Trempe,
segunda casa nova n. 42.
=s Antonio Joze Rauello GuimariJes, retira-
se para o Rio de Janeiro a tractar dos seus
megocios.
No principio da ra Direita n. 2 pri-
meiro andar, alugi-se pretas e moloques para
venderem na ra e sendo bons vendedores pa-
ga-se milhor do que em outra qualqucr parte.
= Quem quiser roupa lavada e engom-
iiiiiila costuras chas lavarinto obras do al-
faiatc tudo com perfeicao e preco commodo ,
dirija-se a ra atraz de S. Joze n. 18.
= Descja-se fallar com muita urgencia ao
Sr. Antonio da Costa Morato e caso ja niio
exista a algum dos seus parentes mais chega-
do ; na ra do Cabuga loja defronte da Ma-
triz.
Precisa-se de um moco de 12 a 14 an-
nos que tenha alguma pralica de venda : na
Solidado venda nova n. 20.
Prec:sa-se de um bom cozinheiro que
se queira sugeitar ao servico de urna casa de
pasto: na ma dos Quarteis n. 12.
= Joao Baptista Correia de Menezes sub-
dito Portuguez, retira-se para forado Imperio.
= O Thesoureiro da sociedade Theatral
Philo-Thalia principia a fazer a distribuicao
dos bilhetespr.ra a recita do da 30 do corrente,
uosdias 27, 28, e 29 na casa de sua residencia
na ra larga do Rozario n. 33 primeiro an-
dar das 10 horas da manha as duas da tarde ,
tendo em vistas os Srs. Socios o 6. do art.
11 dos estatutos.
= Joao Bernab rctira-sc com sua familia,
e companhia.
= Precisa-se do um rapaz portuguez de 12
a 16 annos para caixeiro do venda; na ra
do Livramento n. 38 ; na mesma vende-se
um viveiro proprio para canarios.
Aluga-se a casa do sitio do Exm. Snr.
Senador Manoel de Carvalho Paesde Andrade ,
nocorredor do Bispo juntamente algum pe-
dnco de trra ou sem ella ; a tractar no mesmo
sitio.
Joze Marques da Costa Soarcs ex-li-
quidatario e caixa do casal do finado Sr. Anto-
nio Marques da Costa Soares, declara que ten-
do encontrado entre os papis, que tomara
conta pertencentes ao mesmo casal, urna letra
de rs 2:1238610, saccada em 2 de Abril de
1831 por Joao Pires Ferreira, a 28 mezes pre-
cisos acceita pelo Sr. Joze Antonio Lopes ,
o nao adiando a mesma mencionada no balan-
co que recebeo passara a exigir do dito Snr.
Lopes sua importancia e comparecendo o
mesmo Sr. apresentou um recibo do fallecido de
rs. 700,000 rs. que havia recebido por con-
ta da dita letra edisseter mandado mais 14
caixas com assucar ; o que passando-se a exa-
minar do respectivo bvro da entrada se verifi-
cou ter o fallecido recebido em 1836 e 1837
ditas caixas importando as mesmas em Rs.
1:181,190 o abatidas estas quantias veio ar-
restar de saldo rs. 239,420, o que tudo cons-
ta dos respectivos livros do casal. e como a re-
ferida letra de rs. 2:123,610 fosse desencami-
nhada antes do ajustes de contas e o a cima
mencionado passasse urna clareza da mesma ,
faz este annuncio p-ra que ninguem faca tran-
sacao alguma como a mencionada letra visto
achar-sede nenhiim efieito, pelas Iransacoes
a cima mencionadas.
Aluga-se urna casa terrea novamente edi-
ficada na ra da Solidade com commodos pa-
ra urna grande familia por ser bastante larga ,
com duas sallas sendo urna dellas forrada com
seis quartos cosinha (ora, corredor ao lado
quintal murado e outro sercado com urna cacim-
ba com muito boa agoa de beber e urna estriba-
ra ; quema pretender di rija-sea ruada Auro-
ra n. 58 casa de Herculano Alves da Silva.
Lotera de V. S. de Guad'lupe.
As rodas andao no dia 15dop. futuro
mez de im'ij, como annunciou e os buh-
les acbao-se a venda nos lugares ja declarados ,
e ja acha-sc grande parte vendida.
= Francisco Antonio Vieira da Silva com
casa de cambio na ruadla Cadeia do Recife loja
n. 2i faz publico que Manoel Gomes da Cu-
nda e Silva deixou de ser seo caxeiro desde o dia
13 do corrente mez.
_______-_________________IJ
ta ter 32 a 35 annos baixo e barregudo, cor
meia fula ps pequeos, sendo que algum
soja o proprio fari o favor de annunciar man-
dando entregar ao seo Sr. no armazein n. 44 ,
na ra da Alfandega velha do Recife que pa-
gar todas as despezas que se fizerem.
Da-se um cont de reis a premio sobre hy-
potheca em casas, ou boas firmas; na ra atraz;
da Matriz da Boa-vista n. 2.
Pede-se encarecidamente ao Sr. Delega-
do da Commarca do Cabo que em virtude do
seo avizo no Diario n. 90 de Segunda feira 24
do corrente relativamente aos 3 escravos quo
se adido prezos na cada da mesma Commarca ,
veja se entro os 3 escravos, esta Benedicto de-
nacao Congo de idade do 30 annos cor fula
por ter estado docnte muito vagarozo no an-
dar e a falla ainda meia atravessada que pare-
ce novo ; dezaparecido da casa do Sr Antonio
Joaquim de Mello, no dia 18 de Marco do pre-
zente anno ; se ah estiver o annunciante Joao
Dias Barhoza Macudum obriga-sc a toda a des-
peza alm dos 50i reis, ja olTerecidos a quem
o aprezentar na ra de S. Rita n. 57 ou na
reparticao do Correio.
Trata-se de comprar a casa terrea n. 10
sita na ra do Cotovcllo pertencento a Ca
(harina dos Praseres Lima viuva de Joaquim
de S. Anna ; quem tiver alguma reclamacSo a
lazer declare quanlo antes.
= Aluga-se a sala c um quarto de urna loja
sita no largo da Ribeira n. 19 propria para
qualqucr negocio, por ser um dos melhores lu-
gares j experimentado.
Roga-se ao Sr. Delegado da Commarca
do Cabo, para que tenha a bondade de exami-
nar se dos pretos, que se achao prezos na cada
dessa Commarca, se tem algum de nome Joao,
o que nao sirva de regra ,. pois consta ter tro-
cado o nome he de estatura alto, he bem pre-
to da crtr tem o nariz um tanto chato olhos
grandes falla a modo do mato tem em urna
das pernas um signal para baixo do joelho de
um pao que o ferio anda fgido a 18 mezes ,
o consta ter and,alo nessa Commarca do Cabo ,
e he seu Sr. Fernando Joze Braguez mora-
dor no Recife.com armazein ao p da Concei-
co da ponte, e se obriga a pagar todas as des-
pezas que se faca caso seja algum dos 3 e
se Sr. Delegado o mandar para seu Sr., fra
da despeza paga a quem o conduzir 40S reis.
O abaixo assignado pede por especial fa-
vor ao Sr Delegado do Cabo para examinar
se entre os 3 escravos que annunciou ter prezos
na cada daquea Commarca existe um de
nome Matheos, naco Calaba, baixo, cT nao
muito preta falla vagaroza, com um signal de
urna fstula no rosto, com oflicio de trabalhac
em olaria. Este escravo fugio a 7 para 8 annos ,
e sendo o mesmo responder por toda a despe-
za sendo enviado ao Recife na ra da Flo-
rentina n. 16, aonde mora Joao Bernardina
de Vasconcellos.
Q
Quem quizer comprar ps decoqueiros
pequeos em estado de se mudar ; dirija-se a
praca da Independencia loja n. 3.
Roga-sc ao Sr. Delegado da Commarca
do Cabo para que tenha a bondade de exami-
nar se uos -i prosee
nnn
-1-
cho presos se -u
CINTA FEIRA27do corrente haver um
indo dveri ment na casa da SOCJEDA-
DE NATALENhE, debaxoda direcco de Ra-
fael l.ncci. consistindo em novas cantonas, a re-
peti'cao da pantomima OS TRES PRINCI-
PES DE SALERMO terminando com u-
ma nova pantomima jocosa. .Osbilhetes ven-
dem-sc na ra do Crespo loja n. 8 na ra do
Queimado loja de louca n. 32 e no botequim
junto da casa: pelos preces seguintes, 1* gal-
lara 1500, 2' e 3* ditas 1000 e platea 1000.
N. B. Asegunda e terceira gallinas sendo-
propriamente para as familias nenhum bo
mem apezar de munido do seu competente b-
Ihde peder nellas ter entrada salvo se se a-
prezentar junto com a sua familia: o mesmo
ter lugar para com qnalquer senhora que apr-
senla r individualmente. Scchuver continua-
damente das 6 horas em vante nao haver di-
vertimento transferindese o dia annunciado
por outro annuncio.
Roga-se ao Sr. delegado do Cabo que
laca o favor de ver se alguns dos escravos men-
cionados no seu annuncio tem os signaes se-
guintes : chama-sa Benedicto (talvez mude o
nome de 55 annos de idade pouco mais ou
menos estatura regular, cheio do corpo ca-
heca espontada, olhos pequeos e cor de logo,
rosto cheio ecompiido, harpado bastante, e
faz-se maluco porem he muito ladino en-
cruza os bracos quando se briga com elle ; e
neste roga-seo favor de o remetter esta praca
ao majorMayer, que est prompto a contribuir
com toda a despeza.
Desappa'recco no dia 12 do corrente urna
canoa de amarello de um pao s com 38 a
40 plmos de comprido e tres e meio a 4
de bocea com o beque quebrado, tendo
na popa a marca FM cuja canoa existia na ra
i
Nova ; quem a trouxer ou der noticia certa on-
de ella est recebera 258 rs. de recompenca na
venda de Luixios Marques : na ra do Bangel,
algum de nome Jos, naco congo represen- esquina da travessa do arsenal, n. 11^


/
Doseja-se fallar aoSr. Luiz Antonio Pd-
raira a negocio de seu ntoressc, un nuncio.
Compras.
No assougue francez defronte da cadei ,
com;)ro-se carneiros gordos de toda qualida-
de ; assim como vende-se carne do Itoi da miis
gorda que ha na praea isto semanal a 100
rs. a Mitra e nao a 120 e 140, isto entao lie
para desmentir a quem tocar, que dos os re-
compense.
Comprao-se electivamente escravos de
ambos os sexos com olficio ou sem ello de
12 a 20 annos para ora : na ra Fogo doao
p do Kozario, n. 8.
- = Compra-se um carneiro, grande e man-
co proprio para menio : na ra da Matriz da
Boa vista n. 26 primeiro andar.
Comprao-se tartaruga pentes velhos ,
e quebrados ; e tambem conserta-se toda obra
de tartaruga : na ra de Hortas n. 82.
= Compra-se um almofaris de bronze, ou
forro, proprio para botica : na Camboa do
Carmo n. 19, primeiro andar.
Comprao-se escravos com offioios de po-
dreiro carpina e ferreiro ; em casa de Lou-
renco Jos das Neves na ra da Cruz n. ftl.
Vendas.
^ Vendem-se meias de soda preta de pezo
para 'va. c pretas e brancas para meninas de
6 a 12 annos sapatos e"botins de bizerro para
meninos da mesma idade garrafas de rolao
hamburguez chegado prximamente pentes
de alizar de differentes modellos, ditos de bixos
de differentes tamanhos faccas de marfim de
fechar carta cordes de algodao branco para
espartilho de Sra. ditos de seda prea para hur-
zguinsdc Sra. homens e meninos meias e
luvas de la para homem e Sra botins de du-
rque com ponta de couro de lustro caixa
redondas de tartaruga para rape pentes de fe-
char de marfim e chifro amendoas confeitadas
de differentes qualidades linhas de marcar em
miadinhasde portugal, ligas de seda para Sra.
latas com caldas tomates, apitos grandes de
marfim ; na ra da Cadeiavclha n. 17.
Veitch Bravo & C. tem a honra de par-
ticipar ao respeitavel publico que na sua botica e
armazem de drogas ra da Madre de Dos n.
1', vende-se o seguinte : extracto fluido con-
centrado de salsa parrilha da jamaica C. II
JJuller & C. a mais enrgica e cffcaz prepa-
racodesta raiz que at hoc se tem descober-
to o que prova o grande apreco e repetidas
indicacOes que della fazem as pharmacopeias de
Londres. Dublin Edinburgh &c. &c. ; o ce-
lebre Colirio anti-ophthalmico cujo medica-
mento he bemeonhecido porscus bonse saluta-
res effeitos, para distruir nevoas bebdas ,
inflamaces e outras docncas d'olhos em que
nao he preciso para seu curativo radical, re-
correr aos meios op ratorios agoa de Sei-
dlitz, cSoItz, Soda-VVator, limonada gazoza;
vrdaileiro c finissimo Arrow-Root de Bermu-
da Magnesia-Calcinada ptima sag, es-
covaspara dentes, pos mui linos para o< mes-
mos; mostarda ptima para me/a,pos de Seidlitz
e de Soda e um grande numero de prepara-
coes de differentes olijectos que se cncontraoa
venda as principaes boticas da Europa ; na
mesma caza se vendem as verdadeiras pilulas
Vigetaes universaes do Doutor Brandret, vin-
das directamente de seu author e compositor
nos Estados-L'nidos; assim como urna porcao
de salsa parrilha nova recentomento ebegada.
Partcpao a todas as pessoas zelozas de sua es-
cripturacSo ( como principal, e nica garan-
ta da nossa honra, e probidade ) que sao agen-
tes da ptima tinta de escrever do seu amigo
Doutor Thompson cuja preparaciio novamen-
tedescoberta se torna digna dos maiores elogios
por ter a p.irticularidade de se tornar lanto mais
preta quanto maior he o espaco depois de Ihc
termos confiado nossos negocios e cuidados.
= Vende-se louca vidrada da Baha ; na
ra da Cruz n. 64.
\ende-se superior vinho de cherry dito
da mideiraseca, dilodo Porto da feitoriade
1832 ; dito de Bordeaux em caixas de urna du-
dirza de 7 10 1J rs. dito cm garrafado
du 210 a 320 a garrafa champagne das mareas
cnhecidas conservas de varias qualidades em
azeite e vinagre dita em doce de differentes
qualidade de frutas da Europa sardinhas em
molho de moito boa qualidade, repofho ( chou-
trouta ) Hencnques do fumo em caixas azeite
doce fino vellas de espermacote, mustarda ,
irtgfeza e franceza e trezentos charutos de
Ha va na rap de Humburgo sevadinhas ; er-
vlfvas em grao pe ras nmeixas rrrasses,
doces cha de differentes qualidade serveja
preta e branca licores finos de Bordeaux sorti-
dos, todos estes e outros objectos se vendem
por prer/o ommodo em casa de Fernando de
JLuca : rurda Cadeia n. 16.
= Na ra do Passeio n. 5, loja franceza
e frahica de chepeos de sol, vendem-se cha-
peos bordados para homem e senhora do me-
Ihor gosto e qualidade novamente chegados
de Pariz e achao-se chapeos dos mais fortes ,
e fe i tos com a mesma perfeico ; e mais um
sortiment de seda para cobrir chapeos de sol ;
e tamhein se conseria toda e qualquer chapeo
de sol com muita perfoico e brevidade ; ven-
dem-se ricos cobertores para cama e cabos de
sol le los com umita perfoico ; e tambem com-
prao-se arin ico-s velhas do chapeos de sol.
Vende-so um garrote cm grao, filho
do pasto ptimo para carro por estar gordo e
possante : no patio da Igreja da Paz nos Aflb-
gados n. 88 a fallar com o tenentc Canu-
to Joze Vebozo da Silveira.
>- Vendem-se pannos pretos de boa quali-
dade a 3, 3600, e 4000 rs. dito azul a 3,
e a 3800 rs. lencos de se la e de setim de es-
quisitos padroos para grvalas a 1500 e 2o60 ,
ditos de seda com franja para senhora a 1400 ,
ditos de cores superiores para homem e senho-
ra a 2200 ditos grandes de chalim a 1000 rs. ,
ditos do cambraia fina adamascada brancos o
de cores a 480 los brancos pequeos a 3000,
lencos do 3 pontas de fil milito fino a 1400 ,
brim trancadoescuro de listras de puro linho a
680, ditodo litras branco de algodao a 400
rs. dito liso escuro de linho a 400 rs. risca-
do trancado para calcas a 240, tafet roxo e
furtacoresa 500 o covado chitas de cores a
160 e escuras a 180 ditas finas paracOberta a
2S-0 riscadinbo echila franceza de cores (xas
para aqueta a 200 rs. pecas de bretanha de
rolo do 10 varas a 2000 merino azul claro,
escuro, e cor de rap a 880 angolina preta
muito larga propria para vestido e mortalhas
a 520 baetilha branca de dous pellos a 320 o
covado e outros muitas fazendas, quesecon-
tinuo a vender pelo mais barato preco que
he possivel: na ruado Queimado esquina do
beco do Peixe frito, n. 1.
"*= Vendem-se chapeos de sol de seda supe
rior chegados ltimamente de Franca : na
ra do Quciinado loja de A. L. G- Vian-
da, n. 11.
Vende-se um mulato de 19 annos sa-
be bolear com principios de sapateiro e de
pintor : na ra larga do Rozario loja de
miudezrs, n. 35.
-= Vende-se um cavallo castanho gordo ,
hom carregador e muito manco : na ra Nova,
loja n. 18.
Vendem-se papel para msica dito pin-
tado para enfeitar bandejas dito de holanda,
livros cm branco, artes de msica cartas e
taboadas, varios livros e cartas de enterro ,
miudezas volantes, gales ordinarios, peonas
de ac, fl tres para chapeos e cabeca, bicos de
linho, suspensoriosjpara meninos, meias deseda e
1 ivas de varias qualidades sem dedos, e muito
baratas esporas de tarraxa pretas e de lato ,
agua de colonia muito boa em frescos quadra
dos; na praca da Independencia loja de miu-
dezas e livros n. 36.
Vendem-se um bonito escravo de naco,
carreiroetrabalhador de enchada ; urna escra-
va mo?a lavadeira ecozinha bem; urna di-
ta para todo o servico; urna negrinha e urna
mulatinha de 12 annos ; um moleque de 14 an
nos; um preto muito reforcado para todo o
servico; urna cadeirinha de bracos muito rica,
toda dourada muito bem arranjada e sem uso
ulgum : na ruado Fogo ao p do Rozario n. 8.
Vendem-se urna porcao de milo para
charutos tirados e por tirar e cera amarella do
paiz cm porcao e a retalho : na Iravessa do Ro-
zario n. 3.
Vende-se urna canoa de carregar agoa ,
nova ; na ra da praia serrara n. 21 a di-
nheiro ou a praso.
** =s Vendem-se chapeos de sol de nobreza,
grandes e pequenes, lencos de gorgurao e de
gros de aples para gravatas retroz de pri-
meirae segunda qualidade termoras larg.s e
'streilas cordaozinho de seda para debruar
fado toalhas grandes e pequeas para meza ,
e guardanapos galoes de ouro chales de se-
da de muito lindos gostos azeite doce em pi-
pas em meias pipas quartolas e oitavos fei-
jiio branco amarello o fradinho painco, fa-
rinha de diversas qualidades, roihas cevada ,
cadeiras mezas de jogo secretarias touca-
dores canaps e marquezas de pao preto e
ole, pillas da familia urna caixa com pen-
tes archotes, caixas com nozes pedras de
aliar fechaduras grandes e pequeas para ar-
mazem fio de sapateiro? garrafas de cristal,
e vidro enchadas e pregos do diversas quali-
dades, chapeos de baeta, cestos, balaios o
condecas grandes e pequeas, e outros mais
gneros: na ra estre
Vcndem-se var
musica militar e as
chegado ltimamente de Franca no navio Zilia:
methodos completos para flauta, por F. Ber-
biguier.cF. Devienne; ditos para rabeca .
por Les Fils Alday ; ditos para violao por Fer-
dinandoCarulli, eo supplemcoto aos ditos,'nos, lava*, cozinba engomma faz renda ,
por F. Carulli; methodos completos para pian- e cose chito: na ra da Senzala velha no fim
no por Francois Hunteu e Viguerie ; ditos como quem vai para o porto das canoas, n. 50.
pequeos praticos por Henri Lemoine ; exer- = Vende-se rap de Lisboa : na ra da
ciciojornaleiroparapianno com40 estudos Cadeia do Recife, loja de Joao da Cunha Ma-
por rerng; eoleces de estudos para pianno galh5es.
por Henri Bertini Jeum methodos para can- A bordo do brige Restaurado fundiado
to por G. Carulli, rudimento do pianista, defronte do largo da assembl a so vendo fari-
ou reuniao dos exercicios mais indispensaveis nha de mandioca de superior qualidade a38520
para adquerir um mechanismo perfeito por res o alqueire velho e em porces ; trata-so
Henri Joune; lbum musical dos jornaes pia- com Manoel Joaquim Podro da Costa na ra
nistas, pelos melhores autores ; peqaenas re- da Cada n. 46.
creac5es msicas para piano por Henri Lemoine; = Vende-se em Olmda um boa casa de pe-
methodos para orgao expressivo por A. Min; dra e cal com quintal sufficiente plantado de
6 recreantes' para o mesmo, dito por Mans
Gueit; differentes msicas para' piano como
sejao rondos variacoes e quadriihas por
Ch. Czerney, Strauss, Launor, Francois Hun-
ten, G. A. Osborne Th. Dobles N. Louiz,
Henri Lemoine Jules Dejazet, F. Sor, Henri
Hery, Henri Rosellien Joan Nep Rieger ,
Frool Kalkbrenner A. Mocher J. B. Cera-
mer F. Danri, C. Marcailhou N. G. Bach ,
Henri Bohlonan J. B. Duvernoy Jaques
Hevz, M. Clementi, J. Q. Dussele, J. Ro-
senhain Jultim, Murart, Ch SchumheChaul-
lier Leffebure, Wely, L. Levasseur; diffe-
rentes sonatas para piano com acompanhamen-
io de rebeca adlibitum ; ditos com flauta ra-
beca e violloncell, por L. B. Dasseh, e Cle-
menti ; differentes consertos para flauta com
outros instrumentos, por F. Devienne; ditas
para um o dous violes, por Mauro Giuliani ,
F. Carulli, Henri Maurice Raaulx, Luiz
Ange Carpentras, W. Cerruti, J. Strauss ,
differentes msicas para duas flautas, por Th
Besbiguier C. Doniseti, P. Cathermann ,
L. Leplus Stanislas Veriroust, C. Cottignies,
differentes Romances pata cantoria com musica
para viola differentes valcas quadriihas ,
galopes para acordeocs; na ra Nova loja
do Bom Barateiro de Guerra Silva & Com-
panhia n. 11.
\ = Vendem-se um Tito Livio em latim e
outro em latim e portuguez com pouco uso :
na ra da Matriz da Boa-vista n. 26 pri-
meiro andar.
Vendem-se 400 garrafas vasias, a 60
rs. : no botequim da estrola
Vende-se rap de boa qualidade a 800 rs.
a libra eem pori.o a 700 rs. : no atterro
a Boa-vista loja da esquina da Iravessa do
Marti ns.
= Vende-se um molecao : na ra da Ma-
triz da Boa-vista n. 26 primeiro andar.
Vende-se urna venda sita nos 4 cantos de
Olinda no beco das cortezias: a tractar na
mesma.
Vende-se por qualquer preco que se of-
ferecer a annacao que se acha feita no ar-
mazem da ra da Senzala velha n. 116 em
consequencia da pessoa que oceupa a casa ,
pretender mudar-se : a tractar na mesma.
Vende-se urna venda com os fundos que
convior ao comprador ou so a annacao e per
tences : na ra da Guia n. 7 ; a tractar na
mesma com Joze ("arvalho da Costa.
Vende-se a armacao de urna venda com
alguns pertences na ra de Apollo do Recife,
n. -.1 : a tractar na loja de Mequista & Dutra ,
na mesma ra.
Vende-se urna porcao de panno de linho
dallhadeS. Miguel e um moinho de pedia
para moer caf : as 5 pontas venda de Joao
Joze do Monte n. 90.
> Vende-se panno de linho em pecas de 18
varas : em casa de Hermano Mehrtens na ra
da Crauz n. 47.
"** Vende-se chapeos de sol de seda preta
francezes o mais delicado e o melhor possivel ,
a6i00e7000, chales do lanzinha bordados
a retroz, superiores e bonitos : na ra do
Queimado, loja de Carioca & Sette n 25.
Vende-se um armacao de urna venda e
alguns objectos pertencentes a mesma : na ra
le Apollo defronte da fabrica dos Srs. Mesquita
& Dutra.
Firmino J. Felis da Roza tem a venda
muito bom sal de Lisboa por preco commo-
do e saccas com farinha de mandioca a 3200 ,
no armazem de Francisco D;as Ferreira & Com-
panlua e na ra da Moeda n. 8, e mana
em caixas de 16 libras.
Vende-se o sitio da Capelinha de Moiule-
go que fica junto ao chor menino: a tratar
no mesmo sitio.
Vendem se azeite doce a 3640 a caada,
e a 480 a garrafa milho alpista a 500 rs. o
quarteiro painco a 280 cevada a 100 rs. a
libra, espermacete a 720, bolaxinha ingleza a
280 farinha do Maranho a 100 "rs. touci-
nho a 120 160, e 200 rs. banha de porco a
fruteiras, cacimba, com seu jardim ao lado:
a tractar na ra de Mathias Ferreira com Joze
Justino Fernandes de Souza ou na ra da
Boa hora n. 29.
= Vendem-se dous escravos do naco, pro-
prios para o servico decampo : na ra da Ca-
deia loja n. 40.
Marques & Veiga vendem em sua casa
na ra do Amorim n. 50 o seguinte por
preco com modo : fumo em folha para charutos
de primeira e segunda sorte alhosem maun-
cas ceblas aos molhos e centos passas su-
periores em caixas, vinagre em Itarris tou-
ciulio do Lisboa em barris de 4 arrobas ba-
nha de porco muito alva em barris pequeos,
papel de embrulho e de escrever muito barato,
e bom. .
= Cadeiras americanas com assento de pa-
Ihinha camas de vento com armacao com-
modas do angico ditas de amarello marque-
zas do coodur camas de vento de amarello
muito bem feitas a 4500, ditas de pinho a 3500
assim como Outros muitos trastes ; pinho da
Suena com 3 polegadas de grossura dito
serrado dito americano com differentes largu-
ras e comprimentos travs de pinho e bar-
rotes com diflerentes grossuras e comprimen-
tos ; tudo se vende mais em conta que outra
qualquer parte: na ra da Florentina em
casa de J Beranger n. 14
Escravos fgidos.
Fugio no da 25 do corrente o mole-
que Vicente, crioulo, de 16 annos grosso
do corpo, baixo bastante fulo nariz grande
e chato toma tabaco he muito regrista, com
urna cicatriz na cabeca a pouco leta do lado
esquerdo levou vestido camisa e calcas de li-
nhage costuma a trabalhar de servente de po-
dreiro e ltimamente andava trabalhando no
calcamento do atterro da Boa-vista ; quem o
pegar le,ve a seu Snr. Domingos Goncalves da
Cruz, nos 4 cantos da Boa-vista quo ser
recompensado.
= Em Dezembro de 1838 fugio a escrav
Joanna crioula de 40 annos com falta do
dentes estatura baixa tem um geito no bra-
co direito de maneiras que nao pode levar a
infio a boca mas nao Ihe empede de fazer to-
do o servico ; noanno em que fugio fallava-
Ihe urna unha em cm dos dedos dos ps ; quem
a pegar leve a ra Direita n. 2, primeiro an-
dar que receber 50,000 rs. de gratificacao ;
assim como promette-se igual recompensa a
quem denunciar onde ella se acha guardan-
do segredo a tal respeito.
= Fugio no dia 17 do corrente do enge-
nho Rrejo de S. Joze da comarca de S. An-
tao o escravo Caetano crioulo de 25 annos ,
altura regular grosso do corpo bem preto ,
tem as pernas nm tanto zambas de maneiras ,
que o faz andar com as coxas muito unidas, ros-
to largo e olhos sumidos tem urna ferida
atraz da O'clha direita ; quemo pegar leve ao
dito engenho a seu senhor Luiz Barbabalho
de \asconsellos que gratificar.
No dia 22 de Agosto do anno passado ,
desappareceo a preta Mara, Benguella es-
tatura regu'ar, secca do corpo, rosto com-
prido e abocetado tem as costas da mao di-
reita um carosso pequono ps apalhetados e
um delles tem o dedo grande mais virado e sem
unha, sabio com 1 taboleiro novo a vender pa-
ja velho saia de chita roxa e panno da costa
novodebruado as cabeceiras com matames
brancos porem boje tal vez ten ha mudado do
trage ; auem a pegar leve a ra da Senzala ve-
lha n. 144.
No dia 19 do corrente fugio o escravo
Cosme Benguela alto muito magro, lula,
lingoa branca de comer trra e urna cicatriz
de um queixo nao tem barba alguma bracos
e pernas finas olhos aperlados este negro
vinha da Boaviagem quando desappareceo dos
outros que vinhao igualmente e por isso
pequeas, c ourros mais """". uv. e-suy .*. uc.iua ue porco a se mf m Q ^^ do
;.ta do Rozario n. 13. 400^ e lodosos rna.s gneros por preco com-1 ^ muteHWutoBt ,evou VPStido *mM e
nos iustrumentos para ...o.o no pauo uoTer.o ver.uan.,. ccroulas de algodao, e a camisa de mangas cur-
segmntes msicas ludo, ^ \ende-se um mulato robusto, de 28 t c ,,ouro de boi lavrado de preto e branco ;
..K. 1 ......... .... .w.. .,. /.lio. rirm,..- i.ptririn nrk !! rn'i (lo
annos, proprio para todo o servico : na ra da
Cadeia do Recife loja de Joao da Cunha Ma-
Salliiies
ss A ende-sc urna escrava crioula de 28 an-
quem o pegar leve a ra de Agoas verdes n.
70 que recebera 10,000 rs. de gratificacao.
Recipe: raTitp. deM. F. de Fama.=1843


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2BCTY068_DOR9H0 INGEST_TIME 2013-04-13T03:25:44Z PACKAGE AA00011611_04946
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES