Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04910


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Armo de 1843.
Sabbado II
X?BH
jAO agoia df-enile .le nj meamoa ; di sjoata prodencia mrirra^.iu. anargia : con-
lr..iS! como principiamos e seremos aponanos cum admire ao enlie as Nacoee mili
liR*ta ( Proclama^ jo da Assembla Geral do Bbaiil.)
e Alagoa* no 1. 41 ,
Olinda lodoi o diga.
PARTIDAS DOS (.OHRElos TERRESTRES.
Giihnnc, Parahiba Riogrande do Norte aeguuda e afilas feirae.
Booi'O o Garanhuna a 40 e 24
Cn_ .. brinhem, Rio Formoso Porto Cairo Maceio ,
fin >s Florea a 13 e 28. Sanio Ant.io, quintas (eiraa.
DAS DA riEWANA..
6 g- Olegario H. And. do J de 1). da 2. r
7 IcfC. r. Thonat d'Aquino B Aud. do J. de U. de 4. .
S Ubt'llt Joto de Ueos Fon ador Aud. do J de D da 3. r.
9 <}uMtt a. Francisca Humana Viur. Aud do J. de D da 2. r.
40 e> Temp. o misterio da nnn.iocle J. C. Aud. do J. de da 4. r.
4i Sal'. Temp. Candido M Rol. Aud do J. de D. da 3 r.
42 Pon,. 2 da quareama a. Gregorio P. Duut. dalgr.
d Margo
Anno XTX. N. 57.
^pg^gajHHia^BlKK9aVnflHHE&35mBHn?waHm
O Hiari.. puhlica-er todoaal JiasquanSo on-ra SatUtficadoa: O preo da asaignatora h
dr tres mi! rea por qaartel pagos adiantadus. Os annunrios dos aeaignantea ao inaerido
gratis, e os d-s que o n.in forem laijo di SO res por linha. As lecUmacoes der. sel din"
gidaa a esta lyp., ra das Cnnes N M.ou i.rara da N.lerendencia loja de lirroi N. ie 8*
canatos.Nediaj 4o de Maroo
Cambio aobre I.ondrea 38 d por IU0 OuBo-Moeda da ,400 V.
Pana350 iris por (raneo.
Liaboa 400 por 400 de premio.
N.
| de 4,000
PaaTa Fatacra
k Petos Columnarea
k ditos Meiioaaoa
compra
45.0JU
4i SJj
8,300
4,710
4,710
4/,'iJ
resida,
45.2J
45,000
8 500
1*60
4,/tiU
4,700
Moeda da cobre 2 por (00 de deconto. j
dem de letraa de boaa Grmaa I J por g
I'UAaEsuA LANOM2 DEMARCO.
Loa Clieis lf, a 3 horaa a 3J m, d. m. I Loa ora 4 as 3 i oras e 43 m. da manha.
Qairt.aa.iaa;, l, ,taS dorase lim. da tard. | /uart. creac. a i.', i 7 llorase :J a. da in.
Prcamtir de boje
4. a 1 boras a 1S m. da manilla. | i. a I horas e '2 m. da tarda.
HAMMG.
Tribuna! da Uclacao.
SESSAO OE lODEMAngo HE 1813.
Na appellacao civel dcsta cidade appellan-
te Ignacio Jos Vicente e appellado Maximia-
no Martins de Jess o outros, est-rivao Ja-
co to ; se mandn vista ao curador geral.
Na appellacao civcl desta cidade appellantc
Antonio Martina Riheiro, appelladas Antonia ,
Mara, e o curador eserivao Bundeira; se man-
dn vista ao curador geral.
Os embargos do D. A-ma Triste de Alencar
Araripe contra Jos do Monte Furtado na ap-
pellwcao civel da comarca do Grato, eserivao
Posthumo ; Corita dispresados mandando se
cumprir o acoordSo embargado.
Na appella'.o civcl desta cidade apellantes
Antonio d~, silva & C., appellado Grabriel An-
tonio e/Scrvao Bandeira ; sejulgou pela refor-
ma da sentenca appellada.
O.semhargos da viuva e filhos de Antonio
J s Teixeira Bastos contra a viuva c filhos de
Joo ("arlos Pereira de Burgos Ponce de t.eao,
esnrivflo Ferreira ; se deeidiro nlgantlo-se por
sentcnca a dezistencia e composicao que fi/.crao
as ditas partes.
Na appellacao crime desta cidade appcllan-
te Bento Goncalves appellado Miguel Jos
Teixwira eserivao Jacomo ; se julgou pela
conrmaco da sentcnca appellada.
BAHA.
Os seguintes trexos do Helatoriodo Exm. Pre-
sidente da Bahia mostraran que o estado da-
quella provincia nao he destacadamente pa-
ra invejar'; e que nao he so o Exm. fiarad da
Boa-Vista que tem tido a lutarem sua admi-
nistracad com a immoralidade publica c
geral.
Os crimes particulares ,j vfio sendo menos re-
petidos nao s na capital, como mesmo as
loinarcas ondea le das reformas sendo me-
chor executada nao foi impregnada pelas elei-
eds ; esso acto magestoso do cidadao eonstifu-
cional, que pelo abuso da ambico se tem tor-
nado o flagelo da provincia, indispondo, e mes-
mo armando uns cidados contra os outros ,
confundindoo virtuoso com o vicioso, e intro-
pusindo nos empregos pblicos individuos, que
por seus mos 'Ostumos bem longe estavo de
osoecupar, senofosse a descnvolla influencia,
que emprego a lavor dos candidatos das depu-
taedes, que depois se tornao seos protectores ,
e Ihes pago csses servicos, em detrimento da
justica e das rendas publicas, com empregos e
honras, que arranco do governo a quem illu-
dem, figurando seos protegidos como cidadaos
dignos de taes gracas, por servidos que on nun-
ca prestarao fi causa publica, ou, cm desabono
da verdade, sao por elles exagerados. Alm des-
te motivo e dos mais, que nascem da desmnra-
lisacao quasi geral, e do orgulho de alguna,
que se disem poderosos, temos o da oriosidade
em que ja/.em, pela maior parte, os homens
sem patrimonio, os quaes, com poucas excep-
coes, fasem da fraude e do roubo nm genero d<>
oceupacao; o para opprobrio da humanidade
ainda alguns ha, que se emprego em eje-
cutar assassinatos por ordem de quem Ules
paga, subtrahindo-se a punicSo das leis ,
nao s pelas cautellas que toinao de pra-
ticar oceultamente tao cruentas execucoes ,
corno porque contad com a ignobil cobar-
da de algum que por ventura os observa ,
e nao se atreve a dcnuncial-os. Muitos desses
poderosos, que bem se podem chamar abutres
dasociedade, edos quaes abundados nossos
sei toes abusando da propria justica fazom
sombra della assassinar seos inimigos, por ima-
ginarios criines de resistencia justica impu-
tados as desgranadas victimas, a quem tem de-
nunciado c feito pronunciar por juizes terrlto-
riaes obedientes a seus caprichos, e subor-
nados por suas liberalidades, ou amerironta-
dos pelo bando de l'accinorosos do sen squito .
como tem acontecido no municipio de l'ilao Ar-
cado, onde no mez dejulho foi sacrificada ao
ferro d'alguns aU03es dcbaixo daseapparon-
te motivo de resistencia uma familia quasi ii-
teirl, compretiendendo mulheres em estado de
gravidet, enadescapandoum ministro da ro-
ligiao, o proprio parochodessa fregucsia i| le
lanibem era memoro uqueiia famiiia e ia ex-
erceruma de suas obriga^des parochiaes Sen-
do en informado, que alem de indisposiedes
particulares, foi uma das principaes causas o
arredar esseparocho de embaracarque as elei-
("iis se fizessom a bitrio de queiu as qui/. di-
rigir. Nao se passarad dous meses sem que se
repetissem taes scenas : os assassinos tinhaO
votado morte outra familia honesta que Ihes
lesagradava e fasendo pronunciar alguns de
seus membros, os Ibram atacar na comarca vi-
inha para onde se tinhiio refugiado c ahi,
sob o mesmo pretexto de resistencia s j US ticas,
assassinam alm de outros da comitiva aum
bra?0 e honrado ofilcial de guardas nacionais .
que sendo capa'de morrerem defesada patria
i'- da tranquilidade publica perdeo a vida as
mitos de vis assassinos. As providencias dadas
pelo governo da provincia para embaracar taes
rimes, ou sao retardadas pela distancia o in-
commodidade das estradas o; (Iludidas por
aquellestpieas devem porem etecucSo bem coi-
tos deque o mesmo governo nao as pode fazer
i'xecutar com iireterirad de formulas e compe-
tencias : o qne acaba de acontecer, pois que
nem a forja de tropa de linha que dous meses
antes dos ltimos assassinatos fis marchar pura
aquella comarca pode chegar a tempo de os
previnir, nem os criminosos forao ponidos;
constando-me pelo contrario que fdra con-
demnadocm sete annosde prisao por um si-
mulacro de jury daquclle lugar, um menor de
21 annos irmao do ofilcial assassinado, so-
mente pelo crime de pertencer a essa familia vo-
lada a morte. Si por degradacao da moral e da
rasaopor via de regra acontece, em toda a par-
te que a causa injusta do mais forte quasi
sempretriumpha da do fracO, inda quo seja
justa nos nossos sertdes he essa regra tao bem
cstabelecida que nao offerece se nao rarissi-
mas eveepedes ; ea raso disso proven) de nao
sera justica e Sim a Torca a que naquelles
lugares decide as qnesloes tanto criines co-
mo civeis, embora apparecao ellas em juizo.
J vedes senhores que esta contristante
narracao de criines di, respeito a Pililo Ar-
cado: nos outros municipios da provincia o
mesmo no da reir de Santa Anna onde exis-
te um escravo fgido lamoso salteador, e as-
sasslno que tem tido a ousadia de atierrar a
lodos os viandantes j a repe'icao desses cri-
ines tem diminuido, depois que se estabelcce-
i.o as novas autoridades policiaes e pida ac-
tividade eaptidaodo attual jniz municipal,
liie tem sabido empregar rom proveito a (orea
que desta cidade tem sido para ali destacada. Fu
onfio que a lei das reformas completar a gran-
de obra de fa/ei suspender os criines, e man-
ter a seguranca individual, tanto mais rpiando
vejo, que a historia nos offerece oxemplos de
sociedades ainda mais corrompidas, que se tor-
naro depois o cspelho de bons costumes da
eguranca publica e das acedes heroicas. A
experiencia, a instruecad eo trabalho assim
como mudan acondiciio de um individuo as-
sim tambem a deum povo inteiro ; e muitas
m'sis isso sedevea um homemdegenio a um
philosopho que como Scrates soube introdu-
sir a moral pelo interior das familias, ou a um
poltico como Pedro da Russia que mere-
;-eo onomede grande por ter derramado a in-
lustria e a civilisaco por seus vastos estados.
Finanras, thesnuraria provincial, e obras
publicas.
As nossas financas ainda continuio em mo
st ido ; e astora teremos urna receita muito me-
nor do que foi calculada, nao sd porque a difli-
ul lade da arrecadaco cresce na propincuo do
atraso das fortunas dos contribuintes como
porque a safra do assuear he este anno muito
licuor que a dos annos anteriores. Todo o es-
Torco que tenho Coito para porom dia os orde-
nados dos empreados provinciaes, nao tem
sido bastante para o conseguir: he verdade, que
o pagaran ao cofre geral, contorme as ordens
lo thesouro os cem contos de reis que por
idiantameotoo mou antecessor, e cu tinhamos
feito passar |iara o provincial, e bem a-sim as
letras que restavad favor dos empresarios
lo Cemiterio demolido. Mas isso nao tem feito
essaroclamor contraathesouraria : esto re
particSo tem cabido em inteiro descrdito, uo
porque nSo pode pagar puntualmente ou por
te ter querido lser acreditar ao publico, que
aliserebatcm os ordenadase crditos, retar-,
lando-separa Isso as entradas nos prasos com-
petentes ; eii ussc i"1" ii!i" outras urovas
apesar d'estar Uto vigilante que exig do res-
pectivo inspector um balanc te diario da recei-
ta e do modo porque se faz a despesa. O tac-
to inaudito do roubo do cofre sem arromba-
mento de portas oujanellas, augmento!! as sus-
peitas de falta de ti ieli la le de alguns dos mem-
brosdessa reparlicSo : o porteiro eo thesouroi-
ro, que enlo servio foro suspensos e met-
!i los em processo, mas alinal foro absolvidos
pela relacfto donde recorreo o procurador da
iora por via de revista para 0 supremo tribu-
nal de justica. Se porum lado conheoo a neces-
sidade de um arbitrio na demisso dosemprega-
gados de fasenda, que se torno auspeitos de
prevaricacad, atienta a difilculdadodas provas
liara seren expulsos upunidos; por outra par-
te vejo que esse arbitrio p le degenerar em in-
justica, ou falta de equidade conforme o ar-
dil que houver de figurar algum inimigodo em-
preado ou invejoso do seu lugar para fazer
acreditara malvisico. A este respeito vos de-
cidirois se he ni,lis conveniente aos int resses projecto.
da fasenda e moral, punir por SUSpeitas el lintrarao em 1.a disrusso os estatutos do col-
aecusaedes vagas ou em falta de provas ju- legio dos orlaos e loro approvados. O Sr.
ridicas, tolerar o descrdito em que cahirom os presidjote deo para ordem do dia l. discusso
tos projectos n. 13, e I4de 1841,' en. 17, 18,
raaaa-aaaaaaiMaujaa'qaaajaaaa>aaiaa modos para seestabelecer provisoriamente o di-
to collegio: 2. Seno caso allirmativo S. Exc.
\\.m!t aniuie a que se t stabeleca em algum dos
litos rerolhlmontos o referido collegio.(Jitira-
na.Emen la additiva ao 1. quesito do reque-
rimento.As palavras o dito collegioacres*
rente-se sem prejuizo das reirs do mesmo
recolliiinento : S a R.Figuercdo. Tomou as-
sento o Sr. llego llantas.
OBDBM DO DIA.
Entrando em -2.a discussSo o projecto n. 16
de I8 con -e leudo (i loteras de (i'i contos do
reis cada um i nutrs dos Allbgados o Sr. Gui-
marcs mandou o seguinte requerimento :re-
quofro o addiamento do projecton, K, que es-
ta om dlscussSo, at que se decida o que oflb-
recl concideraco desta casa, e que se julgou
objecto do deliberaoao: foi apoiado, e entrou
lainbeineui discusso linda a tpial foi rejeita-
do tanto o requerimento de addiamento, como o
empregados suspeitos.......
PERNASHIBUCO.
1S'|_>
levantou a stssao a
21, _>:>, e2S de
urna hora.
Pedro Francisco de Paula Caralcanti de Al-
buqwnpi presidente.Francisco Judo Carnei-
rodaCu/nha l. secretario.Antonio Jos de
Oliveira -2." secretario.
EXPEDIENTE DA ASSEMBLEA
Dia 9 de marcoN.u 18.
III. Sr. A assemlilea legislativa provincial a
requerimento da coinmisso de fazenda c orca-
ASSEMBL1U PROVINCIAL.
Acia 'la telima sessSo ordinaria 'da AssembUa
Legislativa Provincial de Pernambuco em 9
de marco dr 1843.
Presidencia do Sr. Pedro Cavalcanti.
Felta a chamada acharto-se presents 24
S\s. depulados fallando com participaco os
Sis. Lopes Gama, eVieira de Melle, o sem el- ment resol veo, que seofilciasse ao Exm. >sr.
la OS SlS. Pereira de linio, Paula Lcenla e Presidente da provincia para se dignar enviar por
Mello. O Sr. presidente detlarou aberta a ses- copia a ordem pela qual mandou O governo lm-
so : foilida e approvada a acta da antece- perial suspender a execuefio dos $S 1 "2 12,
dente. i'j, 16, e 22 to artigo 31 da lei provincial
EXPEDIESTE. r.i do orcamento n. Di-, lini ta mesma commis-
in retmerinieuto i e Manoel (.amello (.aval- .
,,!.; .ii, .,.,,., mn.i sao poder organizan proiecto que tem de apre-
canti de Albuqiiertpie, fiscal da '-amara mu- i i i n u
pal .la villa de Santo Anto, pedindoa conlir- motarj resollicio que levo aoconhccimcnto
macando ordenado que Ihefoi concedido pela de \. S, para lazel-o presente as mesmo Exm.
dita cmara : a commissao de contas munici- Sr. III. Sr. l)r. Casimiro d Sena Madureira,
:S. da Provincia. =F. J. C. daCunha,.
paes.
A coinmisso de fasenda e orcamento man-
dou a mesa o lequerinienlo seguinte: A coin-
misso de fnsenda e orcamento ti-ndo em vis-
ta o relatorio do Exm. Presidente da provincia ,
para poder dar o seu parecer, requer que se pe-
ca ao mesmo Exm. Sr. a copia da ordem pela
qual mandou 6 governo imperial que se sus-
pendessea execuco dosS. S- L, 2., II., 12.,
secretario.
N." 19.
III. Sr. Constando a assemhlea legislati-
va provincial que o collegio das orlaas criado
nesta provincia por decreto de 9 de dezembro
de 1830 nao se tem cstahelecido por falta de
casa resolveo que por intermedio da presiden-
18., Ifi., e -22. do ai ligo 36 da lei provincial n. ciase exigisse do Ex. Hispo Diocesano as se-
9 do orcamento vigente afim de melhor nisar o projecto que tem de apresentar. Sala das de N. *. daConceicSo de Olinda ou da de N.
commfssoes 9 de marco de 1843. Cavalcaoti. S. da Gloria desta cidade ha commodos para
-Lobo Jnior. Manoel Cavalcanti. : foi a- seestabelecer provisoriamente o dito collegio ;
poiado, eapprovado.
Foi lido julgado objecto de deliberado, e a
imprimir o seguinte projecto do Sr. Guimaraes:
A assembla legislativa provincial de Pernam-
buco decreta : Art. 1. Fico suspensas as leis
provinciaes, queconcedem o benefiiode lote- cao que coinmumco a \ S. parale
rias: excepto as que dizem respeito ao Semina- nliecimento do Ex. Sr. Presidente d.
2. se no caso allirmativo S. Ex. Rm. an-
ime a que se estabeleca cm algum dos ditos es-
tahelecimcntos o referido collegio sem prejuizo
dos estatutos do mesmo recolliimento : resolu-
evar ao co-
a provincia
rio Episcopal aotheatro publico castres i- afim do dirs suas ordens respeito. lllm*
grejas desta cidade cujas obras estoem anda- Sr l)r. Casimiro de Sena Madureira, sccre-
mento. Art. 2 Logo que sejo extrabidas to- tario da provincia.F./. C.daCunha,l. o
das as loteras comprehendidas na excepcao do secrctario.
artigo precedente cessara a sua disposicao. Art. ________
3. Ainda quando tenha vendidos alguns buhe- resi'MO dos oebates.
tes das loterias suspensas, nao podem estas ter
execucaov, sajado obrigados os respectivos tlie- Sendo de 9 de Marco.
soureiros a restituir o seu importeas pesso.is,1 Approvada a acta da sesso antecedente o
queoexigirem salvo se houver extracto de declarado o expediente, o Sr. 1." secretario leo
maisde ametadedos mesmos bilhetcs poden- o requerimento (!a coinmisso de constituieo e
do ellas nicamente por este motivo ser extra- poderes, que cima se l na acta. O Sr. Dr.
Indas. Art i. O conhec.mento a dec.so c Jose |(,nt((' pede que o mesmo Sr. secretearlo
execucao dos casos contidos no arti.'o anteceden- ,' ..__. __. .
,,.....mpetemao Presidente da provincia. Art. nforme.se a Presidencia da provincia mandou
papis relativos ao objecto do requerimento em
discussfio, pois delles tem idea. O Sr. secre-
t rio declara que nao vierto papis alguns. O
requerimento foi approvado sem discusso. O
r. Dr. Gitiranalezo requerimento, que no
transcripto o re-
, que se l na acta.
por decreto de 9 de dezembro de 1830 nao ,, "1"el, \A"*"Z /'l'l'rovados. O Sr. Dr.
Em anda estabelecido por falla de cas, re- ( l,s,u,ll l, l,m l,roJec, Pora <**m susP/n-
queiro que por intermedie do Exm. Presiden-'S;IS 'r"nas loteras, que a assembla concodeo.
teda provincia se rwgtrotc ao Exm. Rispo | Dizque o anno passado quando se discuta a
iiioces.itiii; i. Si.- h" h1 uiiuieiiiu (ia Concs-i' OfCriuUi, oeiecco um artigo additi-
eo de Olinda, ou da Gloria desta cidade com-' vo no sentido do projecto que agora apre-
o. Fico derrogadas todas as disposiedes em
contrario. Paco da assembla provincial de Per-
nambuco 9 de marco de 18*3.C. M. S. Gui-
marSes.
'oro litios, e approvados o requerimento
seguinte do Sr. Gitirana, e adiameotodo Sr. lugar competente deixamos"ti
Figueredo.Constando esta assembla qu quermento \clo o emenda ,
o Collegio das oras ciado nesta provincia A eMeSi e esta foro ai.pr.



2
sentava ; mas que a assembla houve por bem
rejeitar o mesmo artigo : entretanto como a
experiencia tem mostrado a nccessidade da me-
dida proposta no projecto dito elle conlia que
a assembla agora approvar. Julgou-sc o pro-
jecto materia de deliberado e foi imprimir.
Entrn em 2.* discussao o projecto n. 16 de
18V2, concedendo t loteras de ti\ contos de
Teiscada urna matriz dos Ahogados. O Sr.
Dr. Custodio lequer addiamento : vide a acia.
O Sr. Lobo Jnior vota contra o addiamen-
to, por nao descobrir inconveniente algum em
quepasseo projecto em discussao apesar do
outro pelo qual se pretende suspender algu-
mas loteras; acha que se deve conceder as lo-
teras do projecto e anda approvado o olerecido
pelo Sr. Dr. Custodio, pois em occasiao op-
portuna poderao correr. O Sr. Dr. Padilha,
vota contra o projecto e contra o addiamento,
pelo qual sse transfira para outro da a discus-
sao, quando elle deseja ver logo por trra esse
projecto em discussao. O Sr. Dr. Custodio sus-
tenta a conveniencia do addiamento que pro-
pte e respondendos iasoes producidas diz,
queorequerimendo nao olende o projecto em
discussao que lendo a casa tomado em consi-
derado o projecto que olTereceo pelo qual
as loteras devem licar suspensas nenbuma
vantagem rezulla de oceupar-se a assembla de
um objecto que aleta de estar dependente de
um outro o le rece de mais no caso de ser
vencida a discussao do projecto de que a casa se
oceupavaa nenbnma utilidade, visto que esse
projecto estara sem discussao por longos das.
O Sr. Tiburtino diz que nao pode prestar o
seu assenso ao requerimento de addiamento ,
pois que este por im s tem hincar urna
pedra por assim dzer sobre o projecto em dis-
cussao ao qual elle presta seu voto que jus-
tifica mostrando as necessidades que sollrein as
matrizes ( algumas ) entre as quaes oc-
cupa um lugar a dos A litigados. O r. Dr.
Beltrioyuta pelo addiamento, edarasao
O Sr. Tiburtino moslra a vantagem que se
tira da celebrado do culto divino, para que
mister he de certas igrejas : dah conclue que
o projecto deve de ser approvalo pelas pre-
cisos que sollre a matriz dos Ahogados : ar-
gumenta com o exemplo das loteras conced-
dasoutras igrejas. Sobre o addiamento, diz
que o projecto mereceo j o acolhimento da as-
sembla a qual delie j se oceupou appro-
vando-o em primara discussao. O Sr. Dr.
Custodio declara que nao requereo addia-
mento com as vistas de azer com que de doi-
te sobro o projecto, urna pedra, como se
dsse ; mas por adiar occio/a a discussao pe-
as razos que prodnzio. O Sr. Tiburtino a-
cba na religiao que profanamos um freio
mu poderoso para conter os mos, entende
que porisso se devem empenbar todos,na decen-
cia e conservado dos templos, e assim vota
pelo projecto.
O Sr. Jos Pedro vota contra este. Mostra
o prejuizo e dennos, que cauzao as loteras.
O addiamento foi regeitado, e o projecto igual-
mente. En Ira rao em primeira discussao os es-
tatutos do collegio dos orfaos que forao ap-
provados para passar segunda. Esgotada a
ordem do da levantou-se a sessao segundo
nos parece pela meia bora da tarde dando
o Sr. Presidente a ordem do da para 10 a que
na acta se mostra.
Varicela de.
O CARAPUCEIRO.
O COMETA.
DIARIO DE PEIIWllllim
O vapor Paynense ebegado boje ( 10 ) dos
portos do Norte deixou aquellas provincias em
socego.
Correspondencia.
Srs. Redactores. No resumo da discussao
do dia 8 de Marco, publicado no seo Diario
d'hontcm, ha algumas inexaotides contra as
quaes nao posso deixar de reclamar. Nao dis-
te que o Exrn. Sr. Presidente prestou a sua as-
signatura ao ohV.io dirigido a Assembla Legis-
lativa Provincial, nem opodiadizer.sendoacor-
respondencia do Governo com ella assignada pelo
Secretario respectivo em virtudedo acto addicio-
nal: e menos me serv da expressio o vosso
rclatorio nao he nada como se l no refe-
rido resumo: no primeiro caso o que disse foi,
que S. Exc. tal vez occ upado com os trabalhos
de sua administrado nao teve lempo para exa-
minar a redact o do citado olicio, prestndo-
le o seo consentimento sem notar na oflensa ,
que n'elle se fasia a Assemb a, e no segundo,
que se insislindo a Assembla pelos esrl, reci-
mentos pedidos S. Exc. n-spomiesse-lhc utra
vez que se aehavio ellos no seo relatorio, podia
ella com razio replicar-lhc no vosso relato-
rio nio ha nada Son &c. F. Lopes Neto.
S, C. 10 Mrco d t*1*
O que se nao tem dicto por ah com a appa-
ricao do cometa Cuantos sustos nao tem ra-
pado milita gente por esse que chamao sig-
nal no Ceo Quem assevera ser pronostico de
secca quem de diluvio e quem finalmente ,
que em todo o caso a tal facha que apparece
nessas alturas nao podo deixar de ser castigo
de Dos. O certo he que se este cometa, que
agora faz a honra de visitar-nos apparecesse
as noites prximas ao horrivel assassinio dos
infelizes Fr, Caetano, e seu companheiro ou
do brbaro homicidio perpetrado na pessoa do
desg arado Antonio Francisco senhor do en-
genho genipapo; quem tirara da cabeca de
muita gente que o alias formoso planeta era
mensageiro dessas desgracas ?
Quando vejo acreditar nessas cousas nao a
velhas bruxas c invencioneiras nao a crian-
cas c aediotas, se nao a varias pcssoasd'al-
guma cultura intellectual reconheco quam
acertada se ja a seguinto mxima de Sneca o
'loslo nter ccetera mortalitatis incommoda
ritat errandi, sed errorum amor Entre outros
males inherentes nalureza humana ha o da
icgueira d'alm, que nduz o homem nao s a
rrar se nao a ter amor ao seu erro.
Nos anjig is tempos crio os cometas um ob-
jecto d'horror assim para os grandes como
para os povos. Era entio opiniio constante,
que riles annunciavao a mortc dos Reis, a sub-
versio dos imperios, a peste a lome a guer-
ra e todas as calamidades humanas. Homero
liz formalmente que elles nao trazem se nao
lesastres e cat. strofes aos infelizes mortaes.
Virgilio falla dos cometas como Homero e
vil o nos atiesta que nunca houve cometa ,
que se tnostrasse impunemente sobre a trra.
Et munquam ten is opectatum impune co-
metem.
Em 1(580 tremeo toda a Europa a vista d'um
rnela que appresentou-se com urna formi-
davel cauda e de barbas vermelhas. Vcrdade
be que sabios astrnomos assoveravio que
esse cometa era o mesmo que 6j6 annos de-
notada creacao do mundo havia trazido o delu-
vio universal ; oque em verdade era para in-
quietar a gente ; c por isso loi geral a conster-
nacio. Aqui temos um cometa ( escrevia a
Sra. de Sevign ) bem cumprido e da mais
bella cauda que he possivel ver-se. Dizcm ,
que tendo os mdicos desengaado ao cardeal
Mazarino os cortezaos deste crrio que era
mister honrar-lhe a agonia com um prodigio ,
etlissero-lhe que appare^ia um cometa que
Ibes causava medo. O cardeal teve a forca de
zombar dellesdi/endo-lhes com pilheria que
o Sr. cometa fazia-lhe muita honra.
Foi o formoso Baylc quem com mais vigor
combateo os vaos terrores inspirados pelos co-
metas ; eoseu livroesta cheio de argumentos
irresistiveis ; porm muito antes delle um an-
tigo poeta francez j escrevia os seguintes versos
para zombar dos que creem no influxo dos co-
metas.
Combien voit on de fois que le Tout-Puis-
sant jet te
Lesometes satis maux et les maux sans come-
te?
E quantas vezes vemos que Dos manda
Cometa sem males e males sem cometa ?
Mas ninguem tratou esta materia com mais
espirito c graciosidade do que a meu ver,
o judicioso Benedictino Feyj m seu Theatro
critico. O cometa ( diz elle ) he urna bravata
do ceo contra a trra e talvez que delle se
quizesse fazerum espantalho para os soberanos,
a im de Ihes reprimir o orgulho em roncidera-
cio a terem elles menos que temer sobre a tr-
ra do que osdemais homens : porm os Mo-
narchas tem neste mundo bastantes inimigos ,
que temer sem ser necessario para os conter,
que as brilhan'es agilaces do ceo conooirio
com os vapore* da trra. A ambicio dos vizi-
nhos os quexumes dos vasallos os apuros
do governo esses he que sao os cometas que
ossoberanos devem receiar. Admira tanta filo-
sofa em um Escriptor Hospanbol cercado de
Familiares do Santo Officio!
Nao falli por ah almas pusilnimes e
temoratas que afirmio que sempre que ap-
parecem cometas seguem-se-lhe catstrofes ,
epidemias, seccas diluvios guerras, e in-
nmeras calamidades : mas se'todas estas cou-
sas tem havido no mundo e podem dar-se
hesim um merosignal, um prognostico que
Dos nos envia. E quem vos disse meu pai ,
senhor, com que me haveis de provar, que
assim he e nao que o cometa appareca natu-
ralmente em seu tempo conveniente como ,
por ex. ala? Domis que influencia pode
ter sobie a trra o cometa que nos fica dis-
tante tantos milhes de milhes de legoas ? E
Dos, para castigar-nos ha mister fazer-nos
avisos por meios miraculosos ? Os funestos a-
contecimenlos as desgracas as miserias
que quotidianamente vemos no nosso mundo ,
nao sao mais que suflicientes avisos para fazer-
mos penitencia de nossascuhas e reconciliar-
mo-nos com o Pai das Misericordias ? Fora
disto est demonstrado que os cometas sao es-
pecies de planetas ; que o seu curso he regu-
lar e su jeito a leis positivas e fixas ; que se
se nao mostrao se naoem longos intervalos ,
he por que decrevem curvas mui vastas e mui
excntricas cujos pontos mais remotos esca-
pao curtidade e fraqueza dos nossos olhos: que
seus vapores ( se he que elles os tem ) esto
em tio immensa distancia de nos que nio po-
dem ser-nos contagiosos ; finalmente a ser
verdade que esses planetas exercem sobre a
trra influencias malignas ; as nossas senho-
ritas do grande tom os nossos jovens afemina-
dos todos de compleicio fraca e valetudina-
ria devem tractar de por-se bem com Dos ;
por que ahi est o corneta que nos vem brin-
dar com nnumeraveis infermidades e desgra-
cas. Larguern os bailes, as quadrilhas os
soars os theatros ; e toca a fazer penitencia
= Agite penitentiam. Se a libertinagem des-
te tempo nao houvesse com mi sacrilega tira-
do da Procissao de Cinza o Purgatorio o In-
ferno oTyrannocom osMartyres de Marr-
nos a Morte a Arvore da Penitencia carre-
jada de vernicas, livrinhos rozarinhos, e
hentinhos e os ferricocos vulgo papangi'is;
talvez agora nao viesse o Sr. cometa annunciar-
nos sabe Dos o que.
Mas que aproveilo os mais poderosos ar-
sumentos do que serve a rasao para o com-
mum da gente que logo que v qualquer ob-
iecta raro tem toda a disposioio para o atri-
buir ao maravilhoso ? O que j fe nao ha fan-
taziado cerca do actual cometa ? Certa velha
"rendeira e que tendo j ouvido scteMissas
novas concidera-se beatificada e que mui
Travo e ponderativa airmou ter observado
mais de vinte ronclizes ( queria dzer eclipses
no sol e na la disse que vira um frade
wndurado na ponta deste cometa e que
he o infeliz Fr. Caetano que vem pedir
Mstica do brbaro assassanio commettido em
sua pesoa Desorte que para ser punido um
"rime alias tio commum e vulgar desde que
"xistem homens preciso foi que o todo Po-
deroso destacasse la dessas immensas alturas um
nlaneta, e o mandasse ao Recife de Pernamhu-
po e se este appresentasse sem dizer palavra !
Boa velha para ser cerrada !
Outros inventao outras caraminholas cada
um segundo a fertilidade do seu engonho, e to-
dos se neulcao por inteirados da emhaixada do
Cometa : at j am'io inventando que um
dos Padres Capuchinbos.ora emMissao por esses
matost,em dicto mil parvoices a respeito do Co-
meta. Onso afirmar que he tudo mentira ;
porque os Religiosos que nos mandn o Sa-
Vrada Congregacao da Propasanda sao San r-
dotes cheios de zelo, e e piedade sim; mas ins-
truidos e romo taes nao podem deixar de sa-
ber que a Beligiao de Jess Christo para ca-
lar nos nimos e operar conversoes nao h
mister recorrer a fraudes e mentiras preva-
lecendo-se da ignorancia e credul'dade dos
povos: nao carece de dizer como Mahomet,
que trazia o sol dentro da manga do seu vesti-
do. A palavra de Dos dimana da Summa
Verdade e para os triunfos da Cruz e con-
versao dos homens nunca nenhum Apostlo re-
correo a artimanbas e imposturas.
Rem lonse de serem sempre os Cometas pre-
sagios funestos militas vezes tem sido reco-
nhecidos por astros pacificos e benvolos. Na
morte de Cosar descobrio-se nos Ceos um co-
meta; e os Pomanos, em vez de Ihe terem me-
do o concid -raro por um feliz presagio nao
duvidando, uue fose a alma do beroe. que to-
mava o seu posto nos Ceos. Refere Plinio. qpp
entao levantro-lhe um templo em reconheci-
mento do seu bom na'nral. Nao fallao pessoas,
que de sua propria aucforidade afimao que
29 annos antes do Diluvio universal appareceo
um Cometa, que por todo ese tempo ameacou
a trra com a triste catastrore nue Ihe es-
tava eminente. Mas qual foi o Historiador ,
que nos transmitfio esse fecto ? Por ventura
sem ser em tempo de cometas como se pode %n.
Cm. k.. L-" i no<> tinha nlgnm lornal na su aren ? J haviao
afirmar em boa lgica que osles quando ap- nim^ ,
,..._ ,. 7* i. '. I n'm.tnnks nesse tempo ? A Bib ba o mn s an-
pareccm sao causas de taes, e taes males ,:_i- .
(; ,. .____ o 1 "ifto nvro que ron hocemos nana nissooiz:
li/icos, e at moraes ? He pessimo raciocinar o inan ;. ,. ,' r___. ,
Ji'r dizer pust hoc ergo propler hoc : depois disto, r. .. __
lu, nnr...... j:. 1,1 ia i. u *'stas l(lp,as extravasantes, esses terrores pa-
logo por causa disto. Masa me sa Ita pela proa ., j
passagen que contem quasi todos os segredos
dest arte burlesca. O Ceo diz elle he ha-
bitado por dozc divindades que goslao de dis-
farcar-se debaixo de diversas figuras. Al*
heoCarneiro: todo aquello que nasce de-
baixo da sua influencia he rico em rebanhos
e lis ; mas tem a cabeca dura e o aspecto de-
savergonhado. A 2.* he o Touro : Ello ins-
pira o humor feroz e selvagem o amor as
pendencias c todas as inclinaces dosani-
maes corngeros. Sob o Leao nastom os
gulosos os ralhadores os soberbos e al-
tivos. A Yirgem domina sobre os gamenbos,
peralvilhos inadracos <&c. A Halanca sobre
os mercadores. O Capricornio influe nos ma-
ridos desgracados &c. Assim a face do Ceo
est sempre a mudar e nos envia a seu talante
ora bens e ora maies.
Tio lindas fantazias mereciao ser adoptadas
pelo que os rabes seencarregrio de as exten-
der e aperfeicoar. Elles tfibuhirio a cada
um dos Astros urna especie de termo, commar-
ca ou departamento no corpo humano. O sol
por ser mais quente teve a cabeca, o coracio,
a medulla oblongada e o olho dimito, Cou-
berio a Mercurio a lingoa as maos, as pernas
o systema nervoso e a imaginario. Saturno
foi encarregado do ligado do bato e da o re-
ina dircita. Jpiter da resiSo umbilical, dos
intestinos, edopeito. Marte do chylo do
sangue e dos narizes. A ^ enus tocou o de-
partamento das alcovas o bom passadio, ea
gordura. Coubcrao finalmente La o olho,
e aorelha esquerdos, os polmdes, e o estomago.
Antes dessas eras o famoso Herines havia es-
tabelecido que assim corno dao-se sete bura-
cos na cabeca humana, ha tambem see planetas,
que presidem a esses buracos a saber ; Saturno.
Jpiter, s duas orelhas Marte e Venus s
duas ventas, o sol, c a la aos dous olhos, e Mer-
curio bocea. O tal Hermes esqueceo-se d'ou-
tros buracos, que segundo o seu systema vierao
u ficar nullus difi-cesis ou departamentos neu-
tros. Seria um nao acabar se cu quizesse re-
produsir aqui tudo quanto os antigos parvoeja-
rao a respeito de influxos astronmicos. O su-
pra-citado Bayle pulverisou inteiramente todas
essas aventesmas em o seu longo discurso sobre o
Cometa.
Mas que Pericles que Pemosthenes que
Cicero que Bossuet, que Bordalieu, que Mas-
sillon que Mirabeau haver o, cuja eloquencia
possa dissuadir a muita gente, que o Cometa nio
he causa nem presagio de males pblicos ? De
ora em vanteemsucccdcndo qualquer cousa, que
nio seja muito commum e que nos moleste ,
tem de correr por conta do bom do Corneta, ali &
lio bello tio magestoso e que tanto paten-
teia as espantosas maravilhas do Creador. Se
houver secca, foi o Corneta, que a trouxe. So
houver muita chuva, tambem foi o Cometa. Se
o demonio se metler as cabecas d'alguns des-
contentes, ou demagogos, e por ahi lizerem al-
gumas das suas costumadas rusgas e pozerem
tudo em confiagracio, d'c. &c. loi c innocen-
te Cometa a causa, ou pelo menos o precursor.
E porque nio appareceo elle antes da ultima re-
volta de Minas, e S. Paulo? O governo teria to-
mado as mais proficuas medidas, e a grand rus-
ga teria sido su (Tocada no nascedouro. De mais
folbas inglezas annunci rio o dia, mez, annu, e
lugares da apparicao deste Cometa: logo ha Ma-
bematicos que adevinhao ou que converso
com Dos.
Eu bem sei, que estas verdades tio palpaveis
nio entrio nos cascos da gente supersticiosa e
amiga de nutiir-sedos devancios do maravilho-
so e que longe de vir a concert comigo a este
proposito bem pode ser que at me tache de
incrdulo ou herege, que zornbo dos castigos
de Dos. Mas a isto respont o muito d'espaco, e
com imperturbavel pachorra que incrdulo s
he aquelle que nega qualquer dos pontos in-
cluidos no Credo, e nos artigos da F, em sum-
ma que nao est por tudo, que er, ensina, e
manda crer a Santa Madre Igreja Catholica A-
poslolica Bomana : e nem no Credo, nem nos
artigo^ da F, nem em Canon algum da Santa.
Igreja descubro, que eu seja obrigado a crer na
influencia, eeficacia dos Cometas. Pensem pois
oque quizerem de mim ossanctanarios, as bea-
tas, e todos os pastranos ; declaro, que nenhum
medo me faz o Cometa antes o tenho por um
bonito planeta mas exlranho a este nosso sub lu-
nar do que nos mesmos somos ao que se passa
na Groelandia. Outros sao os Cometas, que me
cnusio sustos como sejio os delapidadores das
rondas publicas eos revolucionarios isfomea-
dos. Estes sim he que sio uns Cometas crini-
tos caudatos, e barbalos, que nos devem por
muito cautelosos esobre-aviso.
um jiinuii iiomeiii e me diz
u*) he causa das calami lades e desordens
.-^ irnomenos celestes sao res-
>v i iw n^ < innrr'iM-* *.*!' -t^. c"\' ii j
C.l ta dosGregos, e"Romanos. Petronio trazuma
AdmoestacOo fraternal.
Lembro aolll.mo Sr. Escriptor do Paisano,
que para defender a atlminslratio do Ex.m Sr.
Bario da Boa-A irla nosso tio benemrito pa-
mYi'u, nao ihe era mister (creio) iraciar-uw
com desprezo e dar-me torquezadas como o
fez em o sen n. \ ; e fique certo o nobilissimo




anonymo, que quando S. Ex.1 haja de largar o
governo nunca ser scu detractor o
Redactor do Carapuceiro.
rublicaro a pedido.
Eu abaixoassignado atiesto que o Sr. Pe-
dro Reguaire acha-se em minha casa no ene-
nho do Guerra na commarca do Cabo, aond
fez um assentamento de quatro vasos, para la-
zer assucar e tein tido o xito desejado, por ter
eu conseguido poder trabalh. r com cal s e ter
feito bom assucar em qualidade, e puro tenho
conseguido fazer at setenta e duas formas com
assucar dentro em vinte e quatro horas e a
facilidade dos meos proprios escravos aprende-
rein a fazer assucar sem que hoje me seja pre-
ciso ter maisoutra pessoa com elles.
Recife 9 de marco de 18 W
Luiz Pires Ferreira.
COWMERCa
I^M^ !! I .MM1,,^^
Alfandega.
Rendimento do dia 10....... 2:220gl78
escarrego hoje 11.
Brigue Armorii/ue o resto.
Brigue Skelleftem obras de ferro, c
chumbo.
Brigue Leopoldo carvao.
Brigue Schoonu Mary b,urricass abatidas e
fumo.
Brigue Aslra sal.
Barca Espirito Santo taboas, e barricas
vazias c ped ra.
Brigue Indiano fazendas.
"iPOUTACAO.
A barca prus?;iana Leopold, capitao J. C.
Holt, vinda de. New Castle consignada a N.
O. Bieher, en irada no corrente mez, manifestou
oseguinte : = 349 toneladas de carvao de po-
dra ; ao C_onsu|.
7 corr en[es (je ferro, 4 ancoras, 17 volumes
com le rragens, 4 latas com ditas ; aos consigna-
tario^,
J brigue Francez Armorique vindo do Ha-
yedo Graca, entrado no corrente mez, consigna-
do a liolli 9 Chavannes manifestou o seguin-
e : = 160 barris com manteiga 25 gigos com
chapanha 5 caixas com licores 2 ditas com
fasendas de seda, 3 ditas com ditas de algodao,
500 gigos com batatas, 1 caixa com litas, 2 di-
tas com calcado 1 dita com chapeos de sol, 3
ditas com comestiveis; Bolli & Chavannes.
1 caixa com livros, 1 dita com calcado, 1
embrulho com livros; a L. A. Dubourcq.
Gcaixascom papel, 1 dita com armas, 3
ditas com chapeos, 2 ditas com quinquilhraias,
5 ditascom calcado 1 dita com luvas, 1 dita
com louca 2 ditas com fasendas e outros oh
jectos urna barrica com rame 2 barris com
vinho ; aJ. P. Adour&C.
9 caixas com asendas de algodao ; a Tobler.
1 caixa om fitas a H. Ziinmer.
1 caixa com fasendas de seda 5 ditas com
ditas de algodao 1 embrulbo com amostras ;
aJ. Kcller.
1 caixa com fasendas de seda; a Cals Jnior.
1 caixa ,om trastes.; a J. B. Herbster.
50 barris com manteiga; a Le Bretn Sch-
ramm & C.
2 caixas com fasendas de algodao 4 caixas
com chapeos I dita com obras de papelao I
dita com obreias e instrumentos de muzica 1
dita com carneiras 1 dita com calcado ; a Lc-
noirPUget& C.1
1 caixa com 2 camas de ferrro, 48 ditas com
olhas de chumbo, 2 ditas com papel pintado, G
ditas e 1 bahu com dilTerentcs artigos, 1 caixa
com muzica, 1 dita com piano. 2 ditas com tras-
tes, 1 dita com urna bomba de ferro, 1 dita
com urna pedra dj filtrar 1 ditj com vidros ; a
Meuron &C.*
50 gigos com champanha ; a Me Calmont &
Companhia.
3 ditos com ditos; a L. G. Ferreira & C."
1 caixa com fasendas d'algodao 3 ditas com
ditas de la 1 dita com ditas d'algodao eseda ,
1 dita com cartas de jogar 1 dita com esporas
e estribos, 1 dita com vidros 4 ditas com car-
neiras, 1 dita com miudezas. 1 dita com fasen-
das de seda 1 dita com pon tes e bonets 3 di-
sas com calcado, 1 dita com bandejas; a B. Las-
are 1 caixa com fasendas de la 2 ditas com per-
fumarias 1 dita com louca, 1 dita com bande-
ja e differentes artigos, 2 ditas com vidros 1
dita enm nannl r.niai!n 3 ditas com calcado e;
mhMBHM** !' mmmmtmtmmtummmmtm'-mi m_ i m un, \m im < j
reir Manoel Jos Vieira Manoe Jos de > ha para tornar o mais brilhante possivel esta
Campos Domingos Jos Vieira da Costa. Jos parte.
Ignacio da Bocha Jos Antonio Comes (ni- DiTerentes trabalhos sobre os cavallos, vol-
inaiaes Jos Lourenco Concalves, Joao-Jos teios, aceas heroicas, e jocosas, aonde pjr-
de Miranda, Alexandre Saint Martin, Ai:- ticularmentc o joven beneficiado dislinguir-se-
tonio Flix Gerardo, Paulo Jos Comes Fir- ha, executando a graciosa scena do jardineiro,
ino Goncalves, Manoel Gancalves Lui l'cr- Etocatar-se-lia pela primeira veza scena mitho-
reir dos autos. Jos de Ol'iveira Joaquim lgica eZeftro Flora, e Cupido, sobre dois
quim Consalvcs Maia Manoel Ferreira dos mido e o c.ivallo (lampista apresentarao novas
Santos, John Donnellv Peter Donnelly habilidades.
Manoel Gomes da Cruz ,
Augusto Ferreira Pinto ,
Jos de Oliveira .
Antonio de Souza ,
Joaquim Jos Correia Manoel de Oliveira
Jnior, Manoel de Abroo Antonio Joaquim
de Abreo Cardoso Francisco Xavier da Cu-
nha Antonio Jos Fnnes Tlnmaz Purcelle
As feslas dos ind os do Opador executadas por
de/ pessoas apresenlando evoluces, grupos, o
pirmides no uso indiano.
Terminar o espectculo um novo trabalho
sobre a corda volante apresentado pelo bene-
ficiado, o noal exenutar na mesma os mais dif-
Francisco dos Santos Mendonca Jos I Van-1 ferentes vi'.os, terminando com a dilcultosa
cisco da Siva, Manoel Jos Rodrigues deA-p rodado moinhoa rento em fogos artificiaes.
drade
Costa
naci
Manoel Alves Pinto Jos Caetano u-
Fis o (pie offerece o beneficiado a esle genero
Francisco Soares Cordeiro luiz Ig- so publico para a noit doseu beneficio ,
Gonzaga Joao Antunes Guimariies ,
Joiio Antonio Machado.
E (Ufaos.
com ditas de linho, 1 dita com letras em branco,
3 ditas com fitas I dita com fasendas de seda ;
a Kalkmann & Roscmund.
4caix.(SCom papJ, 2 ditas com asendas de
seda, 1 dita com fitas de seda, 2 ditas com lu-
vas e calcado 2 ditas com chapeos de sol, 2 di-
tas com fasendas de seda o algodao, 1 dita com
ditas de dito e miudc/as; a I.. Pluguiere.
1 caixa com papel pintado, 1 dita com ditoe TliomazPereira Manoel da Costa, Ilans Fre- cvalos apresentada por Bemab, o Benefici-
livros ; a J. P. de Lemos & Filho. derico de Husum, Jo3o Soares Botelho Joa- ado, c o pequeo Alexandre.O cavallo Re
1 dita cem roupa ; ao Ex.mu Barao da lloa-
Vista.
1 dita com calcado; ao Dezembargador J. L.
de Souza.
1 dita com differentes objectos; a P. da Silva.
1 dita com espartilhos e I allinete ; a Hercu-
lano Alves da Silva.
1 dita com merciarias de la, 1 dita com vi-
dros c urna lata com 1 alincte; a Francisco An-
tonio de Oliveira.
\ dita com 2 bonecos de ferro ; a M. Carlos
d'Almeida.
1 dita com urna espingarda ; a F. L. Nctto.
1 dita com agoa de colonia ; ao Dezembar-
gador Belmont.
45 barricas com manteiga, 300 gigos com ba-
tatas ; Ordem.
1 lata com comestiveis; a J. Chardon.
1 caixa com miudezas ; a Semjean.
1 embrulho com pedras e lapes de pedia ; a
O. M. C. da Fonceca.
1 caixa com hrinquedos, 1 en.brulho com a-
mo tras ; a A. Millochau.
2 barris com drogas, 1 caixa com papel c dif-
ferentes artigos 7 ditas com drogas 1 barril
com vinho, 2 caixas com agoa mineral ; a Bar-
tholomeo & Ramos.
1 caixa com livros, 8 ditas com papel, 5 di-
tas com louca, 2 ditas com perfumaras, 1 dita
om fosphoros, 1 dita com bengalas, 1 dita com
flores artificiaes. 1 dita com fazendas d'algodao,
0 ditas com calcado, 1 dita com luvas e miude-
zas, 1 dita com chapeos, 12 barris com vinho ,
2 ditos com agoardente, 1 dito com amendoas ;
a Avr I Freres.
\ barris com drogas, 4 caixas com ditas, 2 far-
dos com ditas, 2 caixas com vidros, 1 dita com
fundas, 19 barris com agoa de soda; a Saisset
Fora do manifest.
1 caixa com fasendas de seda ; a J. Keller.
1 fardo com livros e papis ; a Wauthier.
1 caixa com conservas; ao capitao.
1 dita com plantas 1 dita com sementes,
frasco com amoixas, 3 gansos vivos; a Du-
perron.
1 embrulho ignora-so ; a M. d'Almeida.
1 caixa com mcias e calcado ; a Aflonco St.
Martin.
Hovimento do Porto.
Navios entrados no dia 9.
Maranhao ; 18 dias, brigue escuna brazileiro
Laura de 163 toneladas, capitao Luiz Fer-
reira da Silva Santos eqnipagem 12 carga
diversos gneros : ao capitao.
Navios sahidos no da 10.
Parahba ; barca ingleza Ch ise, capitao James
Cook carga lastro d'assucar.
Dita ; barca ingleza Elizi Johnson, capitao P.
Petrie carga lastro d'assucar.
Rio de Janeiro; brigue brazileiro Fiel, capi-
tao Manoel Marciano Ferreira carga diver-
sos gneros.
Narios entrados no dia 10.
Para, Maranhao, e Ceari ; 16 dias, vapor bra-
zileiro Parahense de 2W toneladas com-
mandante Joao Melitao Henr'ques, equipa-
gem 2i ; a Joaquim Baptista Morcira. Tras
79 recru'as.
Terra Nova ; 33 dias barca ingleza Manrhes-
de 163 toneladas, capitao John Smith,
ter
eqnipagem 10 carga bacalho : a
& Hibbert.
Latham
O Dr. Jos Nicolao Bigueira Costa, juizde di-
reto interino da 1 vara docrmc da Com-
marca do Recife por S. M. I. que Dos
guarde &c
Faco saber, que A primeira sesso ordinaria
dos jurados deste anuo que sob a minha pre-
sidencia teve lugar neste termo do Rocif as-
sistirao com assiduidade os senhores juizesde
facto sorteados Antonio Joaquim de Almeida
Cuedes Alcanforado Antonio Ferreira Baltar
Antonio Jos da Costa Araujo Bernaido
Pamiao Franco Dr. Clemente Jos Ferreira
da Costa Clorindo Fenvra Catao Custo-
dio Jos Alves Caetano da Silva Azevedo
Caetano Jos da Silva Francisco de Paula
Prciro Francisco Carneiro Machado Bios
Caudino Agostinho de Barros Jos Pilarte
RangelJoaquim Tsnacio deCarvalho Men-
donca Jos Rodrigues Pereira Jos de
Carvalho da Cosa Jos Chavier Vianna--
Jos Goncalves Ferreira Costa Jos ^ eir
Rrasil Jos Ignacio Pereira Dutra Dr. Jo-
s Bernardo Galvao Alcanforado Dr. Joaquim
N Helia Castro Tavares Jernimo Moreira
Pontea Joao Pinto de Pernos Joao Facun-
do da Silva C.iiimaraes Miguel Afonco Fer-
reira -- Manoel I'elis Ramos Manoel Ferrei-
ra Ramos Manoe Antonio Monteiro de An-
drade Manoel Belarmino Fdelfonco Cahral
Severiano Henrique da Costa Pimentel -Jaco-
mo Ceraldo Mara I nmachi de Mello Manoel
Coelbo Cintra-Joao da Motta de Almeida Con-
t ; c os senhnres uizes de facto chamados Dr.
Luiz Paulino Cavalcanti Vello/ deCuivara-
Pr. Jos Francisco de Paiva Elias Baptista da
Silva Angelo Custodio dos Santos Gustavo
Jos do Reg-Jos Gomes T.al -Joao Arce-
nio l'arbosa Joao Antonio Villaseca Manoel
Alves Guerra -mnjor Jos da Silva Guimaraes-
mapir Manoel do Nascimento da Costa Montei-
ro Manoel Caetano Soares Carneiro Monteiro
- Jos Antonio Pinto Antonio Ricardo do Re-
g : tendo sido multados na i;uantia de 70 a
80.000 re:s a rasiio de 10.000 por dia por
ii o terem comparecido, nem apresentado excu-
sa legitima, os senhores Jos Ribeiro de Rrito-
Ignaco Pereira Putra -Manoel Pereira Pinto,
E para constar mandei lavrar o presente que
ser publicado pela imprenca. Dado e passa-
do nesta Cidade do Recife sob meo signal esello
deste pliso, ou valha sem sello ex cau^a aos 2de
Mano de 1843 Eu Jos AfTonco Guedes Al-
canforado, escriviio privativo do jury o escrevi.
Jos Nicolao Jigueira Costa.
Vicente Thomaz Pires de Figueiredo Camargo,
inspector d'Allandega &c.
es-
perando nesse dia mas do que nunca a proteceo
dos seus patricios, e do respeitavel publico em
geral.
Principiar s 7 h'tras e meta da noite.
Preco dos bheles de camarotes...... 6S00O
Ditos de platea.................. ljjOOO
A venda dos mesmos acha-se na casa do an -
nunciante ou na loja de miudezas n." 39 da
praca da Independencia, e no mesmo Amphi-
theatro.
Lees.
P. A. Dubourcq linalisar por interven -
cao do Correto Oliveira o leao eomerado da
mobilia e mais adornos da sua casa, dos sena
reconhecidos escravos e dos seus helos, quanto
apreciareis predios ja annunciados : segunda
feira 13 do torrente as 10 horas da manha em
ponto, na casa de sua residencia ra do Vi-
gario n. 21.
Avisos diversos.
OITerece-se una mulher de boa conducta
para casa de pouca familia e que esta seja ca-
paz ; quein precisar dirija-se ra do ir. Bom
Jezus das Cnoula? n. 5.
Oueni precisar de um inosso portuguez ,
para caixeiro de ra ou escripia, e mesmo pa-
ra fa/er a escripia de qualquer Sr. negociante ,
annuncie por esta folba para ser procurado.
Ofi'erece se um rapaz brazileiro para cs-
crever em algiima casa de negocio anda quo
seja giatis, s a liin de ter pratica nocommer-
cio, (iijo da li. dor sua conducta: a pessoa que
quizer, annunue puf esta folha para ser procu-
rada.
Aluga-se o armazem do sobrado de 2 an-
dares, silo na ra do Amorim, junto ao ferreiro
Caetano, lambem se arrenda toda apropriedade;
a tratar no pateo da Ribcira de Santo Antonio
n. 19.
l.ourenco da Costa Jourciro mestreal-
faiate morador na ra da Cada do Recife, pre-
cisa de ofliciaes do mesmo ofici, advertindo se
porem que sejao livres.
A actual meza regedora da Trmandade do
patriarca S. Jos Riba-mar convida todos
oslrmaosparacomparecerem no dia domingo 12
do corrente no respectivo Consistorio pelas 10
horas da manha a lim de se elegera nova me-
za na forma do costme. Consistorio e meza
5 de Feverciro de 1843. Jos Antonio loa-
res Roza escrivao da mesma.
s<
Orvetes de fructas e creme, no botequim
junto ao thcatro das 5 horas da tarde s
10 da noite.
O abaixo assignado, como procurador bas-
tante de Bernardo de Souza proprietario do
lleclaracoos.
O Vapor Parahense, recebe as malas
para o Sul hoje (11) as \ horas c meia da tarde.
GABINETE XITER ARIO.
Lem ,ra-seaos Srs. Socios a entrega dos
livros como se annunciou no n. antecedente.
Relajo dos nomes das pescas cujos ttulos
de residencia se acho ha muito ja pas-
sados na secretaria de polica e lem sido
porrezes publicados.
Joaquim Antonio de Campos, Joao Antonio
Hall Felisberto Claudino Pereira de Abreo
Rernardino Jos Pereira Manoel ^ ieira ,
Faco saber que no dia 13 do corrente se hade hiate Flor ds Larangeiras, vista do segundo
arrematar ao meio dia na porta da mesma, urna annuncio do Sr. Custodio Jos Alves appare-
caixa com -\0 cortes de vestidos de la e seda no : cido nos Diarios dc6e7do corrente mez de mar-
valor de 180,000 rcis impugnados pelo guar- C<> responde ,quc o scu constituirte nao se con-
da Manoel da Fonceca d'Araujo Puna; no des-, sidera devedor ao annunciante dito AI ves, nem
pacho por factura de Me. Calmont &Compa- nhia sob n: 3510 : sendo o arrematante su-1 aquellos annuncios; se o dito Sr. Alves tem do-
g.'ito'aosdireitos e expediente. Allandega 10 cumentos, como diz, apresentc-os, e appareca
de Marco de 1843. V. T. P. de F. Camargo.
com elles para se conhecer qual odireito, que
tem, que annuncios nada provao. Como pro-
curador bastante Joo Gomes Martins.
L'm mosso se olTerece a qualquer pessoa,
para ensinar muzica tanto de cantona como
om armas ; a Didier Robert & G | Daniel P. Auatin
480 barris com manteiga, 1 caixa com pclu- Antonio Jos Mendos
Jos Alexandre. da Silva ,
Manoel Luiz Madurei-
CIRCO OLMPICO.
A beneficio do joven palhaco Francisco da
Silva.
Grande e extraordinario espectculo para flauta pois tem bastante pratica ; assim como
domingo 12 de marco, dividido da mancira se-' a primeiras letras, tudo por menos preco do que
rainle, f,m outra qualquer parle ; quem quizer apren-
Dancas de corda forte com maromba e sem der annuncie.
cj|a = Precisa-se alugar um sobrado de um s
O pequeo Augusto, discpulo de Bernab, andar, ou urna casa terrea, que tenha com-
sc apresentar pela primeira vez sobre a cord;i modos para urna grande familia as ras se
tga; a B. Lasserre&C/ |liveir,.
2 caixas com fasendas dalgodao, 2 ditas com Mana
armas, 2 lardos com fasendas d'algodao, 1 caixa, Gatis,
c|a ; a N. O. BicberAC* ra in.mll!.; iVnirade O-! cutara urna danca de carcter, terminando com icita epteos do Carmo o Livramento e
.7 fardos com M.rh.nte. 39 barns com man-, nandes J^AKes ^^ ^ ^ Z?\< por nenies objectos. -atienda'Boa-vista: a radar com Clemente
Boraea lose Jacinto Raposo, Joao Joio Bernab nao deixar de fazer os mais d.f- Pereira de Mello na ra do Queimado loja
joio Mara da Guaba Francisco Pe- | licultosos exercicios sobre a corda sem maroiii-, n. 18.


*
= Francisco Ribeiro de Brito, a tempos
fe'.sciente ao publico, para que nao tratem
negocio algum com Antonio Percira Tirano ,
relativamente as casas de que o mesmo Tiran no
se acba de posse na ra da Alegra e Gloria ,
por isso que as mcsmas casas por hora anda se
achao bypothccadas at que se ultime todas
as questes do sobrado n. 36, da ra Nova e
para nao aparcccreip duvidas, de novo faz scien-
te ao publico.
| Ha para se alugar dous quartos muito
grandes de urna casa terrea no atierro dos
AfTogados por preco commodo prefere-se
a pretas forras ou pessoas de boa conducta :
a tratar no mesmo lugar n. 173.
Precisa-se de urna ama secca para cozi-
nhar engommar, eensaboar: na ra de S.
Tbereza venda n. 2o.
= A commissao administrativa da socieda-
de Terpsicbore convida pela primeira vez a
todos os Srs. Socios a oomparecerem em sessao
geral que ter lugar no dia segunda feira 13
do corrente as 6 horas da tarde para se proce-
der a elleicao da nova Commissao.
Roga-se encarecidamente a quem quer
que concorra com a procuradoria de urna casa,
que existe fechada na ra da Gloria da loa-vista
pertoncente ( segundo consta ) aos bens leti-
giosos do finado Adriao o favor de aluga-la .
pois estando fechada a um anno pouco mais ou
menos tem servido de encommodar os visi-
nhos tom as muitas pessoas que diariamen-
te batem a porta, para endagar quem aluga
dita casa, e como disto resulta prejuiso para o
fucturoao legitimo dono espera-seque mara-
ca alten '5o este pedido do = Encommo'ludn.
Aluga-se a loja do sobrado n. 39 da ra
do Nogueira : a tratar no mesmo sobrado.
Por precisao rebate-so urna letra de 400
e tantos mil rs. que vence juros e se vence
noprimeiro do prximo Abril, firmada por
pessoa sesuda : a fallar as 5 ponas n. 45.
Deseja-se (aliar ao Sr. Antonio Jos Cor-
roa e tambem entregar-se-lhe urna carta
viuda da cidade do Porto : na ra Direita, ven-
da n. 16 esquina de S. Pedro.
Joze Ployon ourivus francez faz cer-
to a quem fordono de urna colhcr de prata ,
quo elle japprchendeo a um moleque que a an-
dava vendendo ; quem se achar com direito a
ella dirija-seao ann inciante quo dando os
signaes Ihe ser entregue.
= Johnston Pater & Companhia avisao aos
Srs. de engenho e mais pessoas que estao em
rellaco com a agricultura que tem nos seus
armazens, para venderem grande sortimen-
to tanto de moendas como de taxas batidas
e fundidas assim como tambem espero de In-
glaterra porco de maquinas de vapor e mo-
endas (cando desta maneira com um com-
pleto sortimento para servir aos seus freguezes ,
o melhor e mais barato: na ra da Madre de
Dos, n. o.
= Deseja-se fallar nesta praca com o Sr Joao
Ennes Vianna residente na Cidade da Parahi-
ba natural da Cidade de Braga.
Perdeu-se da ra de S. Franc'sco at a
casa do Sr. Cadozo em Santo Antonio um al-
l nete de ouro ; quemoachou querendo resti-
tuir se dar a metade do valor e annuncie por
esta folha o alfinetc tem um diamante.
Da-se 100S reisajuros sobre penhores
de ouro ou prata : na ra de Santa Rita n. 5.
-----Em virtude do aviso enserido no Diario
de Pernambuco de 9 do corrente tem o abai-
xo assignado a declarar ao Sr. Joao Ferreirados
Santos, que nenhuma canta tem a concluir
com elle porque nada Ihe deve e do contra-
rio aprsente documento ; tem mais o abaixo
assignado a declarar ao Sr. Joao Ferreira que
Ibe mande pagar a quantia que Ihe deve impor-
te de fazendas quede sua loja Ihe coniou as
quaes at hoje nao tem pago, nao obstante ter-
Ihe sido pedida por algumas vetes. Luiz
Jos de Souza.
Aluga-se urna casa no fim da ra do Co-
tovello junto o porto da olaria do Sr. Cor-
reia com bonscommodos bom quintal e ca-
cimba cozinba fora e grande bom fogao e
forno ecom soto que tem commodo para
familia capaz de morar nella preco 12:000 re-
s por mez c que he muito fresca : na ra do
Cabug loja de miudezas defronte da Ma-
triz de S. Antonio.
Precisa-se de urna ama com leite forra
ou escrava para criar urna enanca, paga-se
por mez ou semana: na ra de Santa Rita, n. 1.
SOCIEDADE A.MIZADE NOS UNE.
Lcmbra-se aos Snrs. Socios a sessao do
dia 12 annunciada no n. antecedente.
O morador da ra das Cruzes n.
46 pede ao Sr. Francisco da Costa calafate ,
o annuncio de sua morada.
dem o obrado de 2 andares n. 6 da
negra se embriagar e foi para as bandas de S.
Amaro ; a pessoa que dola livor noticia e a
queira restituir o poder fazer no armazem
de vidros aoladoda Cadei ou na loja de se-
rada ra do Cabug que ser recompensado.
= Precisa-se de urna escrava boa cozinheira,
e engommadeira sem vicios conhecidos : na
ra estreita do Rozario n. 31 terceiro an-
dar.
= Jos Soares de Azovcdo lente de lingoa
France/.a do Lyceo tem aberto em sua casa
ra do Collegio n. 14 primeiro andar um cur-
so de lingoa Franceza e outro do Philosophia.
As pessoas que desejarem estudar urna ou outra
destas disciplinas, podem dirigirse a casa do an-
nunciante de manh at as8 horas, ede tarde
das 3 em diante.
No dia 8 do corrente desapareceo um b-
chinho de nome fu rao elle he muito conhe-
cido porque tinha por costume andar pelas
ras; quem o tiver pegado ou der noticia
onde elle existe dirija-sea ra larga do Ro
zario junto a botica d is Srs. Bartholomeo &
Ramos no segundo andar quo ser recom-
pensado.
=- Jacio i lio Augusto de Miranda retira-se
para a Europa.
= Candido Jos Antunes Portuguez re-
tira-se para o Rio de Janeiro.
= Antonio Valentim da Silva Barroca, re-
tira-se par.i fora do imperio.
= Precisa-se alugar urna casa terrea com
quintal e cacimba que o seu aluguel nao
exceda de 128900 rs. sendo no bairro de S.
Antonio as ras do Rangel, Direita Hortas,
Agoas verdes Fogo e Larangeiras : na ra
Vende-se precioso vinho do Porto de dopulceiras, um alfinete ; rudo de ouro, pe-,
23annos, em caixotesde duasduzias de gar- dras para ladrilho de n.ais de dous palmos em
rafas: em casa de Domingos Joze Vieira na quadro a 720 res e urna canoa de agoa que
praca do Commercio. tambem se aluga.
Vende-se um escravo de nacao bom co-. Vende-se urna caza terrea no lugar do
zinheiro : na ra do \ gario n. 11 a tratar Mondego : na praca da Boa-vista n. 20 ou
com Luiz Pistor. na ra Nova casa de Manoel Pereira A.aga-
Vende se um preto proprio para qual- Ibaes, veja-se o Diario antecedente.
quer servico de 19 a 20 annos com princi- No Hospicio n. 14 vende-se um car-
pi de cozinhar : na ra do Crespo n. 12. ro arreado e urna cadeirinha da Babia ; tudo
= Vendem-se chapeos de palha e do chile, em bom estado,
bem sortidos: em casa de L. G. Ferreira & = Veodc-se assucar refinado em pes a
Companhia. 160 reisa I i lira primeira sorte e em p a
= \ endem-se alvaiade tinta amarellaem 120 rs. segunda sorte, e a 80 reis terceira,mel
poz de superior qualidade e outras tintas : em a 80 res a garrafa o assucar be puro de potas-
casa de L. G. Ferreira & Companhia. saecal: no deposito de assucar refinado ao
= Vendem-se vinho de madeira legitimo em p do arco de S. Antonio,
pipas, meias pipas e barris cha hisson e pe- | = Vendem-se dous piannos do superior gos-
rola em caixas e latas e chumbo de municao j to chegados recentementc dos quaes um he
do melhor.sortimento
do Livramento n. 10.
= Precisa-se de urna ama que tenha bom
leite, e seja captiva na camboa do Carmo nu-
mero 13.
Aluga-se o armazem e 3. andar do so-
brado de 4 andares, da ra do Amorim de-
fronte do ferreiro Caetano ; a tratar na ra do
Vigario n. 13.
= Policarpo Nunes Correia partecipa ao
respoilavel publico quo acha-se residinco no
bairro da Boa-vista ra da Conceicao, n. 18;
lugar este que Ihe foi applicado por seus facul-
tativos por ser ares mais livres em beneficio de
sua saude por isso vio-se na dura necessida-
de de anandonar o do Recife, onde achava-se ha
tempos estebelecido com aula de primeiras le-
tras. Sua conducta e condecida pratica ,
adquerida em 28 annos que frequentou Ir::
escriptorios de respeitaveis casas de aommercio
desta cidade exemplar regimem em sua aula ,
e o grande adiantamento que obtiverao seus
alumnos naquelle bairro fizerao com que sem
pre merecesse a estima de grande numero de
Srs. Negociantes c mais pessoas gradas dos 3
bairros confiando-lhe seus caros filhos ; o an-
nunciante pelo presento agradece a alguns dos-
sesSrs. que novamente tornarao apreferir a
sua aula ( nao obstante a peqnena longitude )
para o inteiro adiantamento de seus filhos envi-
anJo-lhe seusantigos alumnos ; assim como sr
offerece a receber alguns meninos com menor
estipendio attenta as circunstancias de seus paes.
Compras.
sb Compra-se urna corrente de ouro : narua
Direita n. 17.
Compra-se urna duzia de oolhercs de
prata em bom estado esem feitio : na ra
doQueimado n o, terceiro andar.
Compra-se urna negrinha de 12 a 20 an-
nos e se or crioula melhor, eque nao te-
nha vicios nem achaques : na Soledado de-
fronte da Igreja n. 8.
Vendas
""* Vende-se Epitome de Grammatica Poru
guezacxlr.hidode Jernimo Soares Barhoza
por um Professor que tem ensinado mais de 20
annos o qual serve de compendio na Aula do
I.yeo desta Cidade : na praca da Independen-
cia loja de livros. ns. 6 e 8.
Vende-se barricas vasias : a traz do the-
atro n. 18.
^ende-se painco a 240 o quarteirao,
cevada a 8o rs. a I i lira azeite doce de 1 ishoa a
500 rs. a garrafa, vinho de Bordenux a 200 rs.
a garrafa : na venda da esquina da ra do Ara-
gao, que volta para S. Cruz.
= Cadeiras americanas com assento de pa-
Ihinha camas de vento com armaco com-
modas de angico ditas de amarello marque-
zas de condur camas de vento de amarello
muito bem feitas a 4500, ditas de pinho a 3500
assim como outros muitos trastes ; pinho da
dito
em casa de L. G. Fer-
reira & Companhia.
Vende-se a melhor venda da Cidade de
Olinda no lugar dos 4 Cantos, esquina do
lado do norte, a qual vende a retalho por dia 20g
e mais, contendo poucos fundos : a fallar na ra
do Livramento n. 20 e tambem so vende a
prazo.
Vende-se farinha de mandioca de S.
Catharina em saccas dedousalqueires e meio
do Rio de muito boa qualidade e preco com-
modo pilulas da familia chegadas do Porto ,
pelo ultimo navio : na ra da Cadeia do Recife,
n'. 12 e 14.
ss Vende-se batilba branca muito en-
corpada propria para cobertas de escravos : na
ra do Queima lo loja n. 2 esquina do beco
doPeixe frito.
Vendem-se lencos de cambraia bordados
de linha de marcar a 240 e outros a 200 [re-
s cada um fitas de sinteiro para menino e
tambem servem para suspensorios a 160 res ,
ditas de garra lavrada p; i a lacos de todas as lar-
guras pelo mesmo preco, fita estreitinha de ve-
ludo preta para cabello desenhora a 100 reisa
vara ramos de flores francezes a 240 res cada
um caixinhas com um sortimento de agulhas
francezas para costura de senhora sendo em
caixinhas douradas a 320 reis : na praca da In-
dependencia loja n. 39.
= Vendem-se tinas com salmn superior :
em casa de James Crabtree & Companhia ra
da Cruz
-----Vende-se no botcquim da estrella de bo-
je em diante sorvetes das 10 horas da manh ,
a una da tarde, bem como das 4as 9 da noite.
Vende-se um moleque de 13 a 14 an-
nos pescador do redinha e muito esperto ,
sem achaques; um negro de nacao do 25 an-
nos proprio para todo o servico ; urna negra
de nacao Angola de 35 annos perita co-
zinheira sabe fazer pao de l e lava do sa-
la o : na ra estreita do Rozario n. 2 pri-
meiro andar.
Vende-se um calix dourado um mis-
sal encadernado de novo com sua estante una
pedra dar e um vaso para Santos leos ; tu-
do pelo diminuto proco de 55:000 reis : a tra-
tar na ra larga do Rozario n. 30 primeiro
andar.
= Vende-se ou arrenda-so urna boa casa
de campo no lugar da Piranga com terreno
arrendado ou aforado para ter 16 a 20 vaccas de
leite: a fallar com o Coronel Manoel Cavalcan-
te proprietario do mesmo, em Giqui.
\ende-se um engenho de agoa moente
e corrente trez legoas distante desta Cidade ,
com muitas matas e com mais de urna legoa
de trra quadrada procure no atierro da
Boa-vista na loja de Joo Leite Pitia Orti-
gueira.
= Vende-se urna negra parida a dous mezes,
sem cria, porem com leite : na ra Nova, n. 33.
-----Vendem-fe duzias de meias de linho
muito finas e por preco commodo : na ra
da Cruz no Recife venda n. 51 ao p da bo-
tica do Sr. Luiz Pedro das Neves ; assim como
se vende couros de cabra bezerros e sola de
muito boa qualidade e por preco commodo.
Vende-se urna negra de Angola moca,
que sabe fazer o servico de urna casa e com
urna cria : na esquina da ra das Laranjoiras ,
primeiro andar do sobrado por cima do relojo-
ciro.
Vende-se urna morada de casa terrea na
Campia dos Remedios com mais de 400 bra-
cas de trra boa para plantar por 500-000 rs. :
na ra do Collegio n. 6 botica de Cypriano
Luiz da Paz.
Vende-se urna pouca de prata velba para
desmanchar, diamantes de dierentes tamanhos
para trovadores, urna caixa com realejo que
toca dando-se corda um apparelho de porcel-
lana dourada para cha urna bandeja grande
da Fonccca Coutinho ra do Hospicio. | rotes com difTerentes grossuras e compnmen-
=No dia 27 dop. p. urna preta lavadeira con-j tos; tudo se vende mais em conta que outra
duzindo urna trouxa de roupa fina para n Man. qualquer parte: na rus da Florentina
teiro se desencaminhou a dita roupa, por a | casa de J. Beranger n. 14.
Suceia com 3 polegadas de grossura
serrado dito americano com dierentes largu- urna manga de vidio I za urna gamella grande
urna terrina para soupa paies de
praca da Boa-vista ; ese tracta com Prxedes ras e comprimentos troves de pinho c bar-j efunda
em
brincos de bonitos modellos as 5 Pontas ,
n. 45.
^_ M l~,:s J~ C~.S *>i,_
i.u IUJO uw vjadvuv i..* %-it ,.--...- .--
de-se um grilbao um par de brincos, outro
to chegados recentementc
de forma horisontal e outro perpendicular
ambos de vozes muito boas por precoscom-
modos vista a qualidade: na ra da Cruz, n. 55.
=: Vende-se urna morada de casa terrea nos
AfTogados, em chaos proprios sita na ra de
S. Miguel: na ra de Orlas n 82.
= Vende-se urna commoda de amarello
do uso bem feita por preco commodo : na
ra de Agoas verdes, n. 38.
= Vende-se 125 palmos de terreno por de-
traz das 5 pontas ; 3 aliccrces na ra < o Pala-
cete e 143 palmos de alagado por detraz da
mesma ra : no segundo andar do sobraco de-
fronte do theatro.
= Vende-se urna cadeira de arruar j usa-
da e urna carteira de escriptorio de duas faces,
com 9 palmos de cumprimento : na ra da Cruz,
n. 20.
No armazem de trastes da ra da Cruz ,
n. G3 vendem-se cadoiias sofs bancas, o
mezas de meio de salla, e cadeiras para meninas
de Jacaranda oleo angico r e cerdeira mar-
quezas mezas de jantar guarda-roupas ,
guarda-loucas sacretarias com estantes me-
as do costura carteiras de urna so face la-
vatorios moxos de pianno cadeiras de aleo-
va tocadores camas, e outros trastes tudo.
de amarello armarios de pinho pndulas ,
bandejas e encorados; aviao-se encommen-
das com brevidade, e tudo por commodo preco.
= Vende-se 360 pataces sendo 190 hespa-
nhes e 170 brasileiros : na ra do Cjueima-.
do loja n. 14.
Vende-se Cdigo do Processo Criminal
de primeira instancia para o Imperio do Brasil,
e dis.osicao provisoria acerca da administraco
da justica civil, com notas as quaes se mos-
trad os artigos que foro revogados, amplia-
dos ou alterados. Seguido da lei de 3 de De-
zembrode 1841 que reforma o mesmo Cdi-
go dos regulamentos n.1 120 122 cl43,
dos decretos n.* 133 e 157 e da guia para os
inspectores de quarteirao : na praca da Inde-
pendencia loja de livros n. 6 e 8.
= Vende-se trastes de casa e arranjos de
lo o i'a tudo em bom estado; um caxorro
grande de corrente, ptimo para guardar loja:
no Forte do .Mallo ra da Mocda n. 21 ,
por cima da loja de sapateiro.
s: Vende-sc um cavallo rodado de muito
bonita figura bastantemente gordo com to-
dos os andares : a tratar na ra do Oueimado >
loja do sobrado n. 18.
= Vende-se urna preta de 35 a 40 annos ,
cozinba scfrivclmcnte cose chfio : na ra por
detraz da ra da Aurora, junto ao Collegio S.
Antonio casa de Francisco Xavier Alves Bas-
tos.
= Vende-se urna duzia de cadeiras, umso-
f o 2 banquinhas tudo de angico muito
bem feito, e em conta : na ra da Penha n. 21.
Escravos fgidos.
= Fugio urna negra de nome Mara de
naco Caoange, de 24 annos pouco mais ou
menos, corpo secco, altura regular, levou
vestido saia azul de lila e panno prelo :
na ra do Hospio casa n. 14.
No da 20 de Fevereiro fugirao Pedro ece-
bastio do engenho Samba de Mara Jos de
Lima Ruarque os quaes sendo apprehendidos
em urna obra em S. Goncalo, no dia 2 de Mar-
co sucede que estando em um tronco podero
evadir-se do mesmo no da 4 pelas 8 horas da
noite, os quaes tem os sgnaos seguintes: o
primeiro nacao Angico cara talhada ba>tan-
te carnuda olhos empapujados estatura re-
gular cheio do corpo pernas grossas e ban-
zo iras psgrandes, com loupa dealgodaoda
Ierra, adverte-se que he de cor preta, o segundo
alto secco cor fula cara comprida bem
parecido pernas finas c alguma cousa tortas,
em urna deltas urna pequea ferida ps pe-
queos com camisa de urim e caifa de gan-
ga azul ; as pessoas que o apprebenderem dn-
jao-se a ra do Cjueimado n. 21, aonde seri
generosamente recompensados.
Recipe: na Ttp. de M. F. de Faria.=1843.
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMRV2ZTRP_SKEXMN INGEST_TIME 2013-04-13T02:10:00Z PACKAGE AA00011611_04910
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES