Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04906


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Afino de 1843.
Terra Fe ira 7
lu"'J "" det*n,lB.-1e -o. d. no... prodenc,. 0d.cao, .
. n; mi como priMiinam. e seremos apont.do. cm admirado entre a, Nace., m.i
*""" __________________(HrocliDwcao d. Assembla Ger.l do Buui.j
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES
43.iim.is, Parahiba Bio grande do Norte segunda- lexiti feiri,
Borii'O o G.r.nhuns 10 e 24
Can Srinhieai, Ri Kormoso Pono Cito Maceio, Al.roa. no
Bo*-*i Floree i '3 2. Santo Asta*-, qa.ela, fei,. Olind. todo.
DAS DA hEHAftA.
6 tftf, Ole?o R. Aud. do J de D. d* 2. t.
7 Krc. *. Thoaax d'Aqtiino B Aud. do J. de D. de 1. ?.'
H QualN Joto de Dos Fnn dor Aud. do J de D da 3. t.
9 >)-Aa. *. Francisca Romana Via. Aud do J. de D da 2 t
40 en Temu. o misterio da-paixjode J. C. Aud. do J. de D. da 1. T
di Sab Temo, h Candido .VI ital. Aud do J. de da 3 t.
tt Dou. 2 da quareama a. Gregorio P. Dout. dalgr,
PARTE OFFICUL
de Marga
Anno XIX. N. 58.
O Diario publica-., todo, t da. qua n.'io forem Santificados: o preco da es.ignatnra l>e>
de tres mil reia por quarlel pagos adiantadoa. O. annuncios do. .asignante. Jo insaridoa
gratia, e os dos que o nJo forem ratao de 80 reis por liaba. A. reclamaodes derem aei din.
gula, a esta Tt/p.j roa daaGraie.N 34. oo a pra"a >le Independencia lojade liYros N. 6a 8.
c.miios.No da 0 de Marco. compra Teada.
Cambio sobre Londre. 28 d por 100 Ooio-Moada da S.400 Y. 15,0 JO 16,20a
Pan.350 reis por franco. N. 14,80J 16,000
Lisboa 100 por 100 de premio. a da 4,000 8,400 8.600
j Plili-Patace. 1,760 1.7SO
Moeda de cobra 2 por 100 de des cont. Peos Columnarat 1,760 1,7)0
dem deletrea de boaa 6rna. 1( Ij gao met. ditos Mea.ic.nos l,7(ij 1,780
PHASESUA LANMEZ DEMARCO.
Lu. Ckeia i (f, la 3 boraa a 3j m. da m. I La ora l., ka Si oras e 43 m. da m.nhj,
Vuin.mmg. i U, as 8 oras a 14m. di tard. | v/uart. creac. a i.', s7 boraa a -^m. da m.
Preamar de hoje
1. a IJ boras a 6 m. da manhja. I 2. a 10 horaae 30 m. da larda.
B L
T>m xa
nmMiMU
->^> $4*c>-) -/
Comm.'uilo das Armas.
EXPEDIENTE DO DA 20 DO PASSADO.
por
OTicio Ao Exm. Presidente, rcmettondo-
!he o mappa demonstractivo do n, de pravas
do exercito que tiverao demissao nesta pro-
vincia do l.demarcode 184!, a 19 de Janei-
ro deste anno com as declaracoes eligidas no
aviso imperial do referido dia 19 do Janeiro
ficando na intolligencia de faser remcssa de igual
marapa de seis em seis meses.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., rem ittcndn-lhe
14 relacoss contendo os nomos de 109 guardas
que em dilTerentes datas foro m tildados excluir
dobatalhiio deslacado eque nao tem sido al
o presente substituidos allm de queS. Ex. ti-
vessea bondade de exigir as competentes subs-
tituices aos respectivos corpos.
Dito Ao mesmo Exm. Sr. informando o
requerimento de Jos Teixeira Pinto que pe-
dia fosse sen filho Francisco Jos Nicacio, dis-
pensado do servico do batalho destacado
ser o seu arrimo.
Dito 4.o Exm. commandante das armas da
orte pcdindo-Iheosesclarecimen'.os a respei-
to da clasifioacao dosvencimentos que se esteva
a dever ao soldado Manuel Flix da Rosa men-
cionadosna guia que em 12 de Janeiro do an-
no p. p. se passou ao dito soldado pelo depo-
sito da Praia Vermelha.
Dito Ao coronel chele de legiiio da comar-
ca de Nazareth disendo-lhc em resposta ao seo
ofilcio de 17 do corrento que mandara assen-
tar praca no batalho de artilheria para servir
por tempo de 2 annos, o guarda Manoel Micha-
d > da Silva que tendo sido designado para fa-
sr parte do batalho destacado se evadir em
caminho.
DitoAo majorJ. C. de S. Cosseiro di-
sendo-lhe em resposta ao seu olicio dcsta data
que no impedimento do vogal ( do conselho de
guerra que presidia ) Pedro AITonso Fer reir ,
o primeiro tenonte Salvador Coelho de Dru-
mond.
Dito Ao desembargador chefe de polica ,
communicando-lh, que mandara assentar pra-
va ao reoruta Jos Joaquim Fereir, menciona-
do no seu officio desta data.
DitoAo commandante do batalho de suar-
das nacionaes destacado, coinmunicando-lhe,
que ao Exm. Sr. P.esidente lisera remessa das
relacoes dos guardas que deviao ser substi-
tuidos.
I'itoAo commandante da companhia de ca-
vallaria para que remettesse a secretaria a im-
portancia dos vencimentos das nnatrn nrarais
destacadas no Rio Formoso, ateo iim deste mez,
afim de ser enviada.
Portara Ao commandante do batalho se-
gundo de artilharia a p mandando abrir as-
sentode praca ao guarda nacional do municipio
de Nazareth Manoel Machado da Silva, com de-
claracaode servir por tempo do dous annos,
porseachar comprehendido na disposicSo do
artigo 7. do roftulatnento n. 106 de 7 de de-
sembro de 1841.
Dita Ao commandante da companhia de ca-
vallaria mandando abrir os assentos do solda-
do Manoel Flix da Rosa em virtude da guia
que Ihe remettia, ficando sem effeitoa guia que
anteriormente se havia passado pelo batalho
de artilheria a p por contar uina inexacti-
dao.
dem do da 21.
emais Igl60 resto dos
cadas no Rio Formoso ,
vencimontos anteriores.
IDRM DO DIA 22.
Ollcio Ao Exm. Presidente, informandm
requerimentode Firmino Alvos Lima que a S.
M. o imperador pedia a confirmaeao do posto
de alferes da extinnta companhia de bravos da
patria que deixou de r.xercor em consequen-
oia do aviso da reparticao da guerra de 21 de a-
bril de 1834.
DitoAo mesmo Exm. Sr. informando so-
bre igual pietenc,lo de Manoel da Porciuncula ,
que pedia a confirmaeao do poslo de alferes da
extincta companhia de intrpidos, enviando por
copia a informacaoque a respeitodera em 9 de
marco de 1841.
Dito Ao Exm. Presidente, c commandan-
te das armas do Cear. a respeito de urnas pe-
cas de fardamento com que devia entrar pan
a arrecadaeiio gemido batalho segundo de ar-
tilheria a p oeapitiioj. C. de Mello Padlha.
Di'o Ao coronel director interino do arse-
nal de guerra sobre a difTerenea encontrada
entre os obfectos recolhidos ao arsenal pelo
quartel-mestie J. J. d Nascimento, com os
que devia recolher constantes do mappa que
foi enviado a sua reparticao em 16 dedesembro
do anno findo.
Dito Ao commandante do destacamento do
termo do Cabo disendo-lhc que o Exm. Sr.
Presidente havia reclamado providencias para
que fossem removidos os embaracos que en-
contrava no fornecimento do corneta, c das pra-
cas com que devia ser elevado o destacamento.
Dito Ao delegado do termo de S. Antiio .
disendo-lhe que mandara assentar praca aos
recrutas Manoel Joaquim dos Santos Ignacio
Correia de Lima o Andr Avclino Gomes, fican-
do em custodia Antonio Patricio dos Santos,
por allegar sor o arrimo de um pai decrepito, e
de 11 irritaos.
Portara Mandando de ordem da Presiden-
cia excluircom guia para o respectivo corpo ,
>or nao eslar nascircumstanciasde pertencer ao
batal.iao de infantera de guardas nacionaes des-
tacado o soldado Jos Juaquim do Espirito-
San lo.
dem do da 23.
Olicio Ao commandante do batalho se-
gundo de artilharia a p exigindo varios escla-
recmentos, acerca da avaria eruina das pe-
cas de fardamento que cahirao.'io mar na oc-
casio de emba-car o batalho entiio terceiro )
para a corte, em junhode 1841.
Dito Ai delegado do termo de Igtiarass ,
devolvendo-lhe os papis de contabilidade do
destacamento do mez de Janeiro, para seren
reformados, no sentido indicado pelo commis-
Sro fiscal do ministerio da guerra.
dem do da 25.
bilitado at de acompanhar a escolla que o foi
condusirao quartel.
dem do da 27.
OfflcioAoExm. Presidente, ponderando-
le, que convinha pedir-se ao governo impe-
rial ; esclarecmentos acea do roldo que Rea
"ompetindo aos anspecadasde artilheria e art-
fices ; por isso que a tabella de 28 de marco de
1825 que reguJou o sold das pracas de pret,
foi nesta parte omissa ; talves porque naquella
epooha nao entrn no plano de organisaciio do
exercito os anspecadas nos corpos de que se tra-
ta o que emquanfo taes esclarecimentos nao
fossem dados, havia mandado abonar-lhes o
sold de soldado.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., informando so-
bre a duvida que apresenlou o commissario fis-
cal do ministerio da guerra parase nao abo-
nar ao secretario militar as vantagens de esta-
do-niaiorde primeira classo, marcados nos ar-
Ii!los20e28 das instruccoes que acompanha-
rao o decreto n. 263 de 10 de Janeiro deste
anno.
Dito Ao delegado do termo de S. Antiio ,
di/endo-lhe que comosseus o'licios de 24 e 2S
do corrente forao aprosentadosos recrutas Lu/
\ntonio Jacintho, Antonio Lopes e Joiio Joa-
quim do Espirito-Santo tendo assentado pra-
ca os dous primeiros e ficado em custodia o ter-
ceiro para ser inspeccionado.
Dito Aomajor commandante intirino do
secundo batalho de artilh tria ordenando-lho
que tirassepara os anspecadas do sen batalho
o sold de soldado at que do poder compe-
tente se obtenha o esclarecimento que se pedio
sobre o sold (pie taes pracas deviao ter.
No mesmo sentido se oTiciou ao commandan-
te da companhia d artfices.
OfflcioAo Exm. Presidente, para que hou-
vessede providenciara respeito do corneta, que
devia ser fornecido ao destacamento do termo
do Cabo e sobre a entrega das pracas com que
devia ser elevado o mesmo destacamento.
DitoAo inspector da thesouraria remet-
tcndo-lhu para serem pagos os papis de con-
tabilidade do destacamento do termo do Brejo ,
relativas ao met do Janeiro ultimo.
Dito Ao mesmoj paiticipando-lhe que no
da 29 dejaneiro fra dissolvido o destacamento
do termo de Iguarass e substituido por ou-
tro do batalho destacado, o remettendo-lhe ,
Para serem pagos os papis de contabilidade ,
do I. a 28 do dito mez.
HitoAo segundo commandante geral Ma-
"oel Bizerra d) V.lie, rcmetlcndo-lhe a quan-
tia de 248320, perlencente aos vencimentos at
0 finido mes fiara "TS**; rio < nvallnriji desta
Offlcio Ao Exm. Presidente dcvolvendo-
Ihe informado o requerimenlo do alferes refor-
mado Joo Jos de Miranda, que a S. M. o Im-
perador pedia o pagamento do 1:210,SO0O reis,
de sidos que deixou de receber do 1. de Ja-
neiro de 1827 ao ultimo de julho de 1831.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., informando
sobre igual preteneao do ex-segundo-tenonte de
artilheria Joo Carneiro Lo.
Dito Ao mesmo Exm. Sr.., reinviando-lhe
o recruta Antonio Mnoel por ser escravo de
Ignacia Francisca da Conceico como milhor-
mente venados documentos que Ihe remettia.
Dito Ao inspector da thesouraria devol-
vendo-lhe o requerimento pelo qual a irmauda-
de de ^ossa Senhora da Solidado solicitava a
paga doarrendamento do edificio onde eslava
alojado o deposito e estabelecido o hospit .1 re-
simi.ntal, e disendo-lhe que o referido edificio
fra oceupado desde 9 de marco do anno p. p.
Dito Ao majorcommandante intirino do se-
gundo batalho de artilheria mandando dar
descarga do armamento e equipamento que
perteniiao as pracas destacadas no Rio Grande
do Sul eMaranhao. as quaes foro desligadas
por portara de 23 de marco e 18 de outubro do
anno findo.
Lito Ao mesmo, dando-lhc os esclareci-
mentos que pedir a respeito de algumas pe-
ras de fardamento arruinadas, a cargo das com-
panhias.
lito Aocommandanle do balalhao de in-
lantaria de guardas nacionaes destacado, mau-
lando suspender nota de desercao do soldado
Estevao Pereira cm vista doattestado que Ihe
. reinetteo e pelo qual se prova que o referido
- 1 sitUndu Mamara nvni'nnKmtu informo n mrncci
ASSEMBLA PROVINCIAL.
Acia da terceira sesudo ordinaria da Assembla
Legislativa Provincial de l'ernambuco em 4
de ni'i reo de 1843.
Presidencia do Sr. vice-presidente Paula La-
cerda.
Feita a chamada acharao-se presentes 19
Srs. depurados faltando com participacao os
Srs. Lopes Gama e Leal, o sem ella os Sis. Pe-
dro Cavalcanti, Manoel Cavalcanti, Domingues,
Mello, e Costa. O Sr. vice-presidentedeclarou a-
berta a sessao : foi lida e approvada a acta da
an'.eodente.
EXPEDIENTE.
l'm offioio do secretario da provincia remet-
iendo outro da cmara municipal da villa do Ca-
bo, em que pede ser dispensada da multa que
Ihe fora imposta o anno passado por nao ter
enviado em tempo as suascontas e orcamentos:
commissao de contas. Outro da cmara mu-
nicipal de Garanhuns pedindo a criacao de 3
cadeiras de primeiras letras para meninos e
una para meninas as povoaces de S. Bento,
Papacara e Corrente: commissao de ins-
truccao publica. I'm requerimento dos habitan-
tes da freauesia de N. S. da Conceico da La-
goa debaixo pedindo, que a dita freguesia
continu a pertencer ao termo de Garanhuns e
nao ao de Cimbres, como pretendem alguns:
commissao de estatistica. O Sr. Pereira de Bri-
to mandou a mesa o requerimento seguinle :
constando pelos jornaes desta cidade ter havido
em acto do conselho dos professores do lyco
urna contcstacio'ou oqur-r que fosse'entre o es-
trangeiro profesorde (ieograliaeoExm. direc-
tor dos estudos da provincia e presidente do
conselho dos professores do mesmo lyco a
ponto de que o Exm. director por delicadesa ou
justo recentimento pedir sua demisso : ro-
queiro pois que se pergunte ao governo, qual
o procedimentoou providencia que houve a
respeito : salva a redaccao: depois de apoia-
do entrou em discusso e foi recitado. O Sr.
Neto mandou o requerimento seguinte : deven-
do terminar brevemente os engajamentos dos
Srs. Yauthier e Raulitrcau engenheiros Fran-
cesea ao servico da provincia e nao tendo o
Exm. Presidente da provincia dito a este res-
peito cousa aluma no seu relatorio ; requei:
que so pergunte ao mesmo Exm. Sr. se j(ili_..
necessariaa renovaco dos ditos engajamentos,
e ascondicoes com que pode ella ser feita :
depois de apoiado entrou em discusso e foi ap-
ORDEM DO DIA.
Continuacao da segunda discusso das postu-
ras municipaes da cidade de Goianna. Ao arti-
RQ 5. vierao mesa as emendas seguintes : do
Sr. Neto A litnpesa das testadas dos predios
das ras e travessas da cidade e povoaco do
municipio Pica a cargo dos respectivos morado-
res, cada um dos quaes ser obrigadoa conser-
var limpa melado do leito das mesmas ras e
travessas fronteiras as suascasas sob pena do
pagar a multa de 2S000 reis para as despesas
da cmara, e de ser feita a dita limpesa sua
custa : salva a redaccao : do Sr. Figuerodo
A emenda do Sr. .Noto as palavrasfica a car-
go dos respectivos moradoresaccrescente-se
e na lalta (lestes dos respectivos proprietarios
o mais como na emenda : do Sr. Faria Em
lugar das palavras na alosma obrigacao do
artigo etc. at o (im diga-se esta disposico
hextensiva aos proprietarios foreiros rendei-
ros de terrenos dentro da cidade, onde no hou-
verem edificiossalva a redaccao. Foro apoia-
das, e enlrarao em discusso finda a qual,
foi approvada a eme ida substitutiva do Sr. Ne-
to e rejeitada a do Sr. Figueredo ficando
prejudicada a do Sr. Faria. Ao artigo 6. vie-
ro a mesa as seguintes emendas : do Sr. Neto
suppriina-se o artigo 6.":do Sr. Jos,Pedro
Niinguem poder traser sollos pelas ras da
cidade e povoaco porcos, cabras, e carneiros
sem cangas cues sem alcemas o mais ani-
maos daninhos sob pena de serem aprehendi-
dos ou morios pelos liscaes respectivos, e o seu
producto applirado ao sustento dos presos po-
bres : salva a redaccao :doSr. Pereira de
Carvalho suppressiva e substitutiva; suppri-
ma-seda palavra sob pena at o fim c subs-
titua-se a estas a seguinle : sob pena de se-
rem morios pelos fiseaes e destinados ao sus-
tento dos presos : salva a redaccao : do Sr. Fi-
gueredo : depois das palavras sob pena
accrescente-se de dous a tres dias de prisao ,
e o dobro na reincidencia, esupprima-se o res-
to do artigo : do Sr. Barros Cavalcantisup-
primao-se as palavras a qualquer possoa at
u Iim do artigo. Foro apoiadas e entrarao em
discusso, fiada a qual foro rejuiladas as e-
inendas dos Srs. Neto, Jos Pedro e Pereira de
Carvalho, e reprovado o artigo ficando preju-
dicadas as nutras emendas. Entrando em dis-
cusso o artigo 7., o Sr. Figueredo pedio a
palavra pela ordem, e mandou o seguinte re-
querhncnto : requeiro, que se verifique a vo-
taco a cerca do artigo 6. das posturas, e e-
mendas respectivas. Dada a hora, o Sr. vice-
presidente deo para ordem do dia a mesma de
hoje e levantou a sesso.
Pedro Francisco de Paula Cavalcanti de Al*
buouerane. presidente Francisco Joo Car-
neiro da Cunha 1. secretario Antonio Jos
de Oliveira 2." secretario.
EXPEDIENTE DA ASSEMBLA.
Dia 4 de marco N. 14.
Illm.Sr.A Assembla Legislativa Provin-
cial a requerimento de um de seus membros re-
sol veo que se ofliciasse ao Exm. Sr. Presiden-
te da provincia afim de informar se julga ne-
cessariaa renovaco dos engajamentos dos en-
genheiros francezes os Srs. Wautbicr e Baule-
trau visto ter de terminar brevemente os seus
engajamentos ; e no caso de affirmativa quaes
as condicoescom que podem elles ser feitos : o
que faco presente a V. S.* para levar aoconhe-
cimento do mesmo Exm. Sr.illm. Sr. Doutor
Casimiro deSena Madureira, secretario da pro-
vinaiaF. J. C. da Cunha primeiro secre-
tario.
INTERIOR
CMARA DOS SUS. DEl'l TADOS.
Sessao de 20 de Janeiro.
L-se um olicio do secretario do senado ,
communicando que o mesmo senado proceder
a nameacoda commisso especial do exame do
iirojccto do codico do commercio que deve
trabalhar de accordo com a nomeacao pela c-
mara dos Srs. deputados e que sahirao mem-
bros da referida commissao os Srs. Jos Cle-
mente Pereira visconde d'Abrantes e Candi-
do Jos de Araujo Vianna. Fica a cmara in-
teirada.
Contina a discusso adiada do reauerimen-
io uSt. Lrbano sobre oattentado commetti-


do o bordo da escuna Primeiro de Abril no
porto do Pernambuco com a emenda do Sr.
Mariel Monteiro.
O Sr. aguiar: Eu nao cedo da palavra ,
Sr. presidente sei que a malcra j est bas-
tante discutida estoudisso convencido ; e ce-
dera da palavra se o nobre deputado que fallou
em ultimo lugar nesta questao nao tivosse
emittido certas proposices, que a meu ver,
sao dignas de algum reparo e a respeito das
quaes entendo dever dizer alguma cousa.
Sr. presidente a cmara tcstemunha de
que sempre me tenho pronunciado e prestado o
meu votoem lavor dos requerimientos aposen-
tados por meus nobres collegas: porm isto
succede quando estou convencido da necessida-
de e utilidade dos esclarecimientos que nelles se
exigem. Mas quando o nosso espirito nao
tocado dessa necessida le ou utilidade ou
mesmo quando taes requerimentos nao sao con-
cebidos em termos proprios e adaptados, creio
que me licito recuar um poueo, e nao prestar-
Ihescom tanta facilidade o meu voto.
Naoseconclua daqui que me opponho a que
seexijo informacoes a respeito do facto que
deu lugar ao requeriment ; nao se conclua
tambem que pretendo fazer adeeza de alguem,
obstando a que se ebegue ao conliecimento da
verdade ; pelo contrario desejo es;es esclare-
cimientos porque nelles e4'i a delcsa daquelle
contra quem se tem feito tantas oceusaces.
Antes porm de entrar na materia permit-
ta-me o meu nobre collega por Pernambuco ,
que fallou em ultmo lugar faze um reparo ,
e vem a ser : leudo o meu nobre collega e ami-
go que se senta minlia esquerda offereci-
do uina emenda substituitha ao requerimiento
primordial o nobre deputado, comparando-a
com esse reqtierimento disse qui' era quasi a
mesma cousa e que preenebia o mesmo lim que
tirilla gn vista ; mas entretanto notei que elle
se esforcou quanto pode para eombator essa e-
menda ; donde concilio que ella nao a mesma
cousa que o requeri ment.
O Sr. Nunes Machado : Se ha diflerenca ,
para peior.
O Sr. A guiar: Se peior devia ter a-
doptado a emenda.
O Sr. Nunes Machado : A emenda que
peior.
O Sr. Maciel Montero : Entao nao a
mesma cousa.
q Sr. Aguiar : Isto faz-mo convencer
eomo dizia que a emenda e muito differentc
do requerimento ; e como reconlieco isto es-
tou resolvido a votar pela emenda.
Sr. presidente, eu comprehendo que se exi-
jao informiecsa respeito de um facto pratiea-
do por qualquer autoridade quando esta tem
atacado os direitos do cidadao quando tem in-
fringido as le s abusando do poder e autorida-
de que llie foro confiados para fazer a felicida-
de deseas subordinados, ou mesmo quando
qualquer de nos tiver scicncia de um facto cri-
minoso que ou tenha escapado perspicacia
do governo, ou que este teuba empenho na im-
punidade delle para proteger o scu autor, aim ,
digo de que taes crimes sejio severamentente
punidos; mas pedir esclarcciinentos para que
esta augusta cmara ( como disse o meu nobre
collega por Pernambuco que fallou em segun-
(Jo lugar') vote censuras ao autor de crimes,
nao comprebendido. Ou o facto 6 criminoso ,
ou nao : se 'criminoso deve ser punido em
conformidade das leis criminaes ; e se o nao ,
tambem nenhum direito temos de fazer cen-
suras.
(J Sr. Maciel Mointeiro: Apoiado.
O Sr Nunes Mechado: As informacoes
pedem-se pelas ra/.es que deo o nobre outor do
requerimento.
O Sr. Aguiar : O nobre deputado disse
que era preciso queviessem os esclarcciinentos
para que ao menos a cmara fizesse urna censu-
ra ; e o que se l no jornal da casa.
O Sr. Urbano : Est engaado.
(J Sr. Aguiar : Sinto noteraqui o Jor-
nal ; mas eu o mostrarei ao nobre deputado.
Portanto no caso em questao ou o facto 6
verdadeiro ou nao ; ou Bolle leve parte o no-
bre baro da Boa-Vista ou nao teve : se teve
parte seja responsabilisado c solra a pena que
est consignada ao seu del ido ; porm se nao
teve para que tanto desfavor tanta censu-
ra ? ..
O Sr. Nunes Machado : Para saber disto
que se pedem as informacoes.
) M\ Aguiar: E censuras tanto mais
injustas quanto o ju zoque o nobre deputado
faz nao firmado em fuctos e em provas irre-
fragaveis! O nobre deputado em seu discurso
mesmo confessi pie o seu juizi baseado em
illaces e illacoes de que talvez tenhj. ue retrac-
tar-1" '
O r. Nunes Machado : Para forma-lo
que desejo as informacoes.
O Sr. Aguiar: E' portanto urna censura
haseada i>m illacoes em supposieps
O Sr. Nunes Machado : Em probalili-
dades chama-seem juizo provas indirectas.
O Sr. Aguiar : O nobre deputado se se
tratasse de seu julgamento, nao havia certamen-
te de querer admittir probabilidades; havia de
exigir provas factos provados.
Sr. presidente o caso tem sido relatado por
tantas vezes, que me nao darei ao trabalho de
referi-lo de novo e se bem o quizermos exa-
minar acharemos que todas as accusaees que
se tem feito pesar sobre o presidente de Pernam -
buco partem uni "ament de um ponto, e vem
a ser o ter aquelle funecionario publico enten-
dido que nao era civil o crime que os nobres
deputados olho como tal !
O Sr. Nunes Machido : Apoiado.
O Sr. guiar: Mas por ventura esta bem
ducidada esta questao ? Est completamente
lecididoeste pon'o de direito? Quem ser o
juiz ? pergunto eu.
O Sr. Nunes Machado : Agora o nobre
leputado.
O Sr. Aguiar : Eu nao serei o juiz, nem
tenho ta s pretences ; assim como nao reco-
nlieco out.ro qualquer juiz que nao seia a pro-
visao de 20 de outubro f)e 1831. Todossa-
bem que desde que se promulgou o cdigo do
orocessocm 1832, suscitou-se por toda parte
ssa grande questao a resp ito da diseriminaco
le crimes militares do< crimes civeis, eo|o-
verno sempre hitando com os embaracos que
resultavfio dessa falta de clareza instado pelo
(residente da Bahia a este respeito mandn
ouvir o parecer do supremo concelho militar de
iustica o qual resolveu que emquanto nao
bouvesse urna lei positiva que removerse seme-
jantes embaracos, eontinuario a ser jomados
'elo furo militar e como puramente militare;
onsidorados os crimes resultantes : 1. da vio-
ladlo dfl santdade e religiosa observancia do
uramonto prestado ; 2. da ofensa subor-
linaco e Iiom disciplina do exercito e armada :
3, da alterariio na ordem po'ioin e econo-
ma do servico miliar ; e \. finalmente do'
xeesso e ahno da autoridade ou influencia de
'mprego militar.
Agora figuremos o caso ; vejamos se se pode
classificar o crime de que so trata tomando por
principio regulador o mesmo princ:pio que to-
mn o supremo concelho militar isto que
s crime militar aquelle eme nicamente pode
ser commettido porum militar.
O Sr. Nunes Machado ( rindo-se ) : A-
poiado.
O sr. sfquiar: Podia o commandante do
brigue aurora ser postoa ferros a bordo de um
navio de guerra por ordem de um homem que
nao fosse militar e excrcesse autoridade nesse
navio ?__
O sr Nunes Machado : Se tivisse um na-
vio e o levasse para l podia.
O sr. Aquiar : Mas elle usou de autori-
dade propria ; ordenou que se tirassem ferros
de urna pessoa e que se lancassem n'outra__
O sr. Urbano : Para issso bastava com-
prar um par de grllhes.
Osr. guiar : Perdoe-me o nobre de-
nutado : nao hasta isso : necessario tambem
que commande um navio de guerra e que esto
seja do estado ; necessario que quem assim
manda estoja revestido da autoridade publica :
preciso que estej;i alistado no exercito ou na
armada; indispensnvel que tenha neste sen-
tido prestado juramento ; preciso finalmen-
te o concurso de todas estas circumsiam i>.
O sr. Nunes Machado : Logo nao ha im-
possibilidade.
O sr. Aguiar : Se vamos argumentar com
as possihilidades nao s tudo ser possivcl ,
porm ainda mais possivel que sejao injustas e
infundadas as accusaccs dirigidas contra o no-
bre harao da Boa-vista urna vez que s se as-
sento em supposires.
'' sr. Nunes Nunes Machado : Essa
urna especie.
O sr. sSguiar : Sr. presidente se atten-
dermos ainda A origem do facto mais nos
convenceremos de que o crime sem duvida
militar. Porque foi elle eommeltido ? Foi
commettido poroccasiao doexerciciodeuma at-
trihuicao de um dever que estava a cargo do
commandante da escuna o recrutamento de
marinheiros para a armada. Onde foi com-
mettido ? Dentro de urna praca forte como
um navio de guerra. F/ verdade renhores ,
que por mais aue meesforce nunca infeliz-
mente terei em favor de minha opinio o apoio
do nobre deputado tiioahil jurisconsulto; po-
rm em compensacao tenho o apoio muito
poderoso de dous nobres collegas nossos, um
deputado pelo Piauhy c outro pelo Rio de Ja-
neiro que o membros do concelho supremo
militar. Elles tivero a bondade de me escla-
roeerem a este respei'o e acharem ajustadas as
minhas ideas, e penso que o crime puramen-
te militar ; assim creio que o nobre depu-
tado nao recusar assentimento s suas opinies,
urna vez que elles sao versados na legislaco mi-
litar do nn7 f c COiO aes
materia.
uV65 ter rto na
O sr. Nunes Machado da um aparte que n5o
ou vimos.
Osr. guiar : Mas eu apenas tenho ou-
vido decidir categricamente : s tenho ouvido
dizer que o crime 6 civil.
{ Contina )
RE.ATORIO
Da repartido dos negocios da justica.
(Continuado do n. antecedente.)
Admnitstra^do da justica cirile criminal.
execuc&o da lei de 3 dezembro de 1841.
Sanccionada a lei de 31 de dezembro de 1841,
tratou loso o overno de or^anfsar os reaula-
mentos indispensaveis para a sua execucao e
queforSo publicados em 31 de Janeiro, 8 de fe-
vereiro e15 de marcode 18*2. O primeiro re-
nula a parte crimnale policial da lei; o ultimo
a parte civil della e o sesrnndo contm dispo-
sicoe provisorias neeessarias para roRiilar a
transi'ciio doantijto para o novo svstema.
O pouco tempoque teve o frovernopara orga-
nisar tao complicados trahalhos uma das cau-
sas das imperfeices que nelles podem notar-se.
Seriio porm corriaidascomo tempo, eloao que
a experiencia tenha reunido copia soffHen'e de
materiaes que sirvo de base a urna reviso. S-
mente assim poderemos obter leis e reglamen-
tos perfeitos.
O soverno se apressar a pedir-vos, pormeio
de propostas a correccao de alauns pequeos
defeitos e lactinas j reconhecidas. queescap-
ro na lei citada e de outras que para o diante
posso apparecer.
A execucao de leis semelhantes de 3 de de-
sembro de 1841 a oual substitue inteiramente
um sysfema judiciario por outro devia neces-
sariamente ser morosa em tantas e to vastas
nrovincias, em militas das quaes sao difTIocis as
"ommunieaoes. Devia tambem er morosa por
pxisir grande copia de informacoes que levo
'empo a reunir-se.
Aoha-se porm ho'e em execucao em todas a
provincias do imperio faltando apenas em al-
-iiins termos de urna ou d 'ontra alrumas nomea-
"esou providencias definitivas. O enverno
'em demorado a nomeacao de.jui/es mnnicipaes
nara varios lueares, d'Mxando serviros nomea-
dos provisoriamente pelos presidentes, aflm de
dar tempo a nue se possa formar mais seguro juizo
sobre a sua idoneidade.
Estilo por marcar os vencimientos dos juizes
mnnicipaes. de orphos dos promotores ecar-
"ereiros de alaiins ( poneos) hipares por nao
se haverem ainda completado as informacoes
para isso neeessarias.
A t3o exagerada despesa com a nova onjanisa-
oojudiciaria e de polica pela lei de 3 de de-
zembro a saber: com ordenados e gratifioacoes
dos juizes mnnicipaes e de orphos promoto-
res chefesde policia ecarcereiros monta a 180
'ontos de ris. R creio poder assegurar one ac-
Tosccnfada essa quantia com a que ter de pro-
vir dos ordenados e {tratiflcaces ainda nao mar-
cadas nao exceder somma total a 230 ou
240 contos.
Esta somma calculada na hvpothese de se
nasar todos os ordenados marcados. Como po-
rm nao tenhSo de ser nomeados hachareis for-
mados para todos os lugares de juizes muntei-
naes e orphos ou porque o seu numero in-
nffioienfe, ou porque algnns nao tem todas as
finalidades precisas ou porque a outros nao
A fra de duvida que aauella quantia nao ha de
ser despendida por inteiro.
Para avahar o exceeso de despeza que trouxe
a nova lei seria tambem necessario dcduzir da-
quella somma:
1. A importancia do ordenado de onze luga-
res de jues do civel que j fora ex ti netos ,
em conformidade do art. 115 da mesma lei.
2. As importancia da despeza proveniente de
ratificaces e alguns chefes de polica e que
j se fazia antes da dita lei.
3. As despezas provenientes dos vencimentos
que pelos cofres de aleumas provincias era pa-
gos aos juizes municipaes e promotores, ou a
empregados que estes vieran substituir e de
ordenados pagos pelas munipalidades aos car-
cereiros.
E se como tanto de esperar a vova le,
dando ao poder mais forca contra as faeces,
contribuir para que nao reappareca as desor-
dens e commoees que tem continuadamente
afTIigidoopaiz inquestionavelqne o saldo a
favor dos cofres pblicos ser espantoso.
Seria grande erro avahar o efleito das leis pe-
los primeiros e deencnntrados resultados nue
apresento no meiodos tropeos da sua primeira
exeeucaf) e isto muito principalmente quando
storvada pela m vontade ainda que de pou-
oos obstinados em desacredita-las.
Comtudo, aposar de haverdecorrido tao pouco
tempo desde a poca em que se pAz em execucao
a lei de 3 de dezembro de 1841 at hoje posso
assegurar-vos que ella tem produzido vantagens,
nao sondo urna das menores haver arrancado a
auton'dadedas mosde muitos que se servir o
ou prctendiao servir della para envolver algumas
das provincias do imperio nos horrores das re-
bellines.
Desencaminhou-se adias urna canfla de
earreira eomprida e pintada de preto, tendo as
letras iniciaos juntas na poupa M. A G; quem
della souber far favor avisar na ra do V gario
r.. ?., uiide se gratificara o seu ra!al!i0.
i Grande a vantagem que se vai tirando da is-
calisacao exercida as correices pelos juizes de
direito sobre os tabellies, negocios de orphos,
capcllas. fabricase testamentos. Pelo que se
vai observando de presumir que em breve de-
sappareco ao menos as cmaras, cujos juizes
de direito sao zelosos e intelligentes os enormes
eescandalosos abusos de que estao incados -
quellos ramos do servico publico queem mui-
tos lugares tem jazido no mais completo aban-
dono.
Posto que na Ord. do liv. 1., tit. 62 e nos
alvars de 13 de Janeiro do 1615 de 25 de maio
de 1775, 18 de outubro de 1806, 9-0,eem ou-
tras leis, se achem declaradas e desenvolvidas as
attribuices dos provedores de comarcas ho-
je pertencentes aos jui es de direito, fra conve-
niente colligir e separar aquellas que actualmen-
te se podem considerar em vigor, das que por
dierem respeito as cousas obsoletas ou nao sao
hoje exequiveis ou somonte o podem ser pos-
tas em harmona com as alteracos que tem sof-
frido asinsttuiees e estabelecimentosa que ha
mais de dous seculos sereferiao.
Cada um dos novos provedores pode, na pra-
tica e medida que os casos se voapresentando,
fazer esta separacao, e muitos haver ah que
faco com criterio e acert. Todava porque
cumpre facilitar a sua tarefa e estabelecer unifor-
midades de proceder, sem duvida prcferivel
recapitular todas as attribuices dos aotigos pro-
vedores que atienta a diversidade dos tempos,
da legislac5o odasinttuices se devem actu-
almente considerar subsistentes, e marcar mi-
nuciosamente a maneira pratka porque essas
autoridades devem proceder hoje noexercicio das
delicadas e importantes funeces que lhes sao
encarregadas.
J se comecou a entender nesse trabalho que
exige tempo e sobre o qual foi consultada a
seccao de justica do conselho de estado.
A noss legislaco sobre as appellacoes e ag-
gravos tem necessidade de ser revista e retocada.
Convm supprimir alguns dos casos em que a
urdenacao da o aggravo de petieao de instru-
mento e nos quaes podem, sem inconveniente,
esses recursos di-pensar-se e accrcsccntar ou-
tros casos importantes em qne nao se dao pon-
do a sua materia mais em harmona com o de-
senvolvimiento de outras partes mais modernas
da nossa legislaco e com as necessidades ac-
tuues do nosso foro.
Estas providencias que nao cabem na aleada
de um regulamento, esto sendo eleboradas pe-
la seccao de justica do conselho de estado com o
tempo e reflexo que exigem assumptos tao com-
pli( adose comprehendidas em urna pro posta ,
servos-ha esta opportunamente apresentada.
A experiencia convence cada vez mais que os
meios de represso cstabelecidos pela legislaco
actual contra os repelidos abusos da imprensa
sao inteiramente nullos, inteiramente Ilusorios.
Para os cohibir, sem todava oTcnder a lberda-
de de exprimir o pensamento acha-se organi-
sada urna proposta a qual depois de retocada ,.
vos ser ofTerecida. Nella e no relatorio que a
deve acompanhar vos sero patentes as ideas do.
governo sobre to importante objecto.
Nao m.enor a necessidade de reformar varias
dsposices do cdigo penal. Os melhoramen-
tosque o governo julga mais urgentes sobre esse
assumpto esto tambem consignados em outra
proposta que com a possivel brevidade vos sera
apresentada.
Nao me possivel apresentar-vos um quadro-
cclassifieacao dos crimes commettidos no impe-
rio no anno precedente. A legislaco anteriora
lei de3dedescmbro de 1841 nao subministrava
meios para se obter com regufaridadeeuniformi-
dade os materiaes que servem de base a traba-
Ibos semelhantes e essa lei e o respectivo re-
gulamento sao de to fresca data que, em vir-
tudedelles muito pouca cousa at hoje se tem
podido reunir.
Ndo publicamos o resto do relatorio por aos
parecer menos inleressante paranossa provincia
(OSRR.)
RIO DE JANERO.
NOTICIAS DIVERSAS.
A fragata Constituico destinada ir bus-
car a Agusta Imperatriz do Brazil acha-sc o
mais ricamente possivel adornada tendo sido
feitos todos os seus arranjos na corte do impe-
rio com materiaes do paiz e sob direci o do
inspector do respectivo arsenal de marinha.
S. M. I. Dignou-se de visitar esta fragata ,
onde almocou com a Augusta familia Imperial,
dando alguns dos Srs. Ministros d'Estado a
distim ta honra de se sentaren) com Elle a mesa.
A diviso destinada para esta importante
commissao ser composta da supradita fragata ,
e das corvetas Dous de Julho e Eut'rpe : e
de\a sabir do porto nofim do mez prximo pre-
trito ou no principio do corren'e.
Alm das pessoas ja publicadas foro no-
meadas para a honroso emhaixada do aples;
para secretario o Sr. BelcBS para Capelldoo
Beverendo Sr. Conego Silveira o Exm. >r.
Yerna e o medico doutoj Freir, Alleuiao.
Dizem que o >t. ('arneiro Leo q"e
como j noticiamos faz parte desta unssao,
ser nomeadp Conde de Villa Nova de S. Jos
OSr. Ellis havia annunciado para o dial
dopassado um leilo por eonta do go\erno
Biilaiiiiico, dotrem peilcncCtc m!SC!,n (*VP~
cial, de que elle viera eocarregado: e suscitou-
I


W",^"l^*^^" I III dl
ss a questao de deverem csses objectos pagar ,
-ou nao direitos do importado.
Diza-se que S. M Imperial declarou ao
mes:no Sr. FJIis, que o governo Brazileiro
nao entrara em negocia -o alguma sobre o tra-
tado sem que o governo inglez aeeitasse cer-
tas con Jiccoes, intercssantes para o Bra/.il ;
entre as quaes enumero-se o pagamento de
presas e a desoecupaco do territorio Brazi-
leiro no Para.
O Sr. Francisco de Paula Ferreira do Amo-
rim foi nomeado cnsul geral do Brazil em
aples. A 'en/me//a retere, que foi nomea-
do procurador interino da cora o Sr. Francis-
co Gomes de Campos.
Constava que o Sr. Candido Baptista de
Oliveira enviado extraordinario e ministro
plenipotenciario de S. M. I. junto corte da
Bussia tinlia sido removido para ministro re-
sidente em aples. O ministerio segundo
se dizia tinha na cmara temporaria urna
matara de quaze70votos.
roim, capito Joao Jos da Silva, carga di-
versos gneros.
Declaracocs
BIO GRANDE DO SUL.
Lfi-se no Diario ao Rio de 31 de Janei-
ro o seguintc : De Algrete onde se reuni
o congresso dos re/ield s sabemos, que hou-
vera ali grande dissentimento acerca da no-
mcaco do Presidente porque uns querio
contiuuar com o putriarcha liento Gonca'.vos e
outros Ihe do por competidor um t>:>\ Fon-vn
toura. Por lim venceoo primeiro ritirando-
se desde logo todos os da parcialidade contra ;
de modo que asim terminou o grande concilio,
e ficarao as cousas petares para cites do que
antes. Ento Bci.to Gonealves imitando o
modello de seo componheiro Fructo, reduzio o
seu governo um so ministro que ficou un
Luiz boticario > rapaz que tem servido de
secretario do ?>to. Esta divergencia vem bem
ao nosso cftso ; e espero, que se ha de colher
d'ella toda a vantagem que oTerece; e no de
30 que fora morlo o rebelde, e perverso assas-
sino Juca Paria que to celebre se fez por
crimes horrorosos, commettidossangue fri.
COMMERCIO.
Alfandega.
Bendimento do dia 6........ 4:794S559
Descarrego hoje 7.
Brigue Astra sal.
Barca Espirito Santo dierentes g-
neros.
Barca Eliza Johnston carvo.
Brigue Skelteftem o resto, e obras para
a cornpanhia de Beberibe.
Brigue Armoriuue batatas.
Brigue Cynthia bacal bao.
Brigue.;-- Schoonu Mary diflerentes gene-
ros.
Brigue Leopoldo carvao.
Brigue Clyde bacalho.
O vapor Bahiana recebe a mala para o
norte hoje (7) s 3 horas da tarde.
OsSrs. accionistas da cornpanhia de Be-
biribe sao pelo presente avisados para no es-
criptorio do caixa o Sr. Manoel Gonoalves da
Silva realisarem mais 4 por cento sobre o va-
lor de suas acedes icando assim concluida ;i
entrada da primeira prestacao. A vista do re-
cibo serao entregues no escriptorio da corn-
panhia na ra Nova n. 7 as competentes a-
polices ; sendo os Srs. accionistas advertidos de
que as nodevem transferir, sem que previa-
mente sejo averbadas no inesm:> escriptorio.
Jos Rento da Cunha Figueiredo, 1." secreta-
rio da Cornpanhia.
Avisos martimos
Aos carregadoros e passageiros para Lis-
boa so recommenda o brigue Emprehendedor ;
voja-se o Diario n. 52.
dem para o Cear o hiate Olinda : dem.
= Para Lisboa o brigue portuguez Unirn,
pretende sabir em 26 do crtente ; quein qui-
zer carregar, ou hir de passagem para o que
tem bons commodos, falle com o seu consigna-
tario Thomaz d'Aquino Fonseca ou com o
capillo Joaquim Mara da Silveira, na praca do
commercio.
= Para o Aracaty o patacho S. Jone Vence-
dor, sabir impreterivelmente no dia 27 do cor-
rente com a carga que tiver a bordo; quem qui-
zer carregar ou ir de passagem dirija-se a .Ma-
noel Joaquim Pedro da Costa na ra da Ca-
deia n. 46.
Para o Bio de Janeiro partir dentro em
poucos das o brigue Fiel, de superior marcha
e commodos para passageiros, para o que os
pretendentes traten com Firmno Jos Fclis
daBo'a, ou com O capito Manoel Marcianno
Ferreira, nao podendo mais receber carga, por
ter seu carregamento completo e so recebe es-
cravos a frete.
Precisa-se de um sacerdote paracapello direito interino da 2.* vara do crime, faz pu~
de um engenho distante desta praca 10 le- blico que ass.'ste no 1." andar do sobrado n.
Groas, e ensinar ali primeiras letras, nao se 43, na ra da Praia.
iln\ ida pagar com gencrosidade; as Cinco Pon-
tas n. 02.
A medicina
popular americana que ha
Lotera de V. Pedro Mrtir de Olinda.
Em consequencia da mudanca do dia do
andamento das rodas da lotera do theatro o
tantos annos estaemuzo as Indias Occiden-! thesourciro faz certo que esta lotera corre
taeseOrientaes Costa d* frica, &C. &c. tem ; impreterivelmeiitc no da 8 de Marco corrente,
provado como una medicina inestimavcl sendo por j:'i se ter vendido grande numero de bilhe-
preparada de prepsito para clima quente, e tes. O resto dos bilhetes se acho a venda
composta de ngridentes que nem requeren) nos lugares seguintes: Becifc, porto das Ca-
ilieta nem resguardo, o pode ser administrado
ns enancas as mais tenras.
As vantagens deste celebre remedio em curas
de molestias de ligado, gotta, dores de cabera ,
inflamacQes em gen
noas, na taverna do Sr. Jos t'creira ; na ra
da Cadeia na loja do Sr. \ ieira Cambista e
do Sr. capito Jos Comes leal; em S. An-
tonio ra do Collegta loja do Sr, Mcnezes ;
I, retenedes d'onrina, pe- ra do Crespo, na tajado T. Braga o. 13,
dra na bexiga ervsipela ataques nervosos, e na loja do Sr. Manoel Ferreira Ramos na
Leiles.
Lembra-se aos amadores o leilo do Sr.
L. A. Dubourcq quedeve ter lugar nos das
8 e 9 do corrente. Veja-se o Diario n. 52.
Hoje he o leilo das fazendas inglezas de
James Crabtree & C.a
Avisos diversos.
llov ment do Porto.
Navios sahidos no dia 4.
Haranho ; hiate brazileiro Flor das Larangei-
ras capito Bernardo de Sousa carga di-
versos gneros.
Navios entrados no dia 4.
Bio de Janeiro; 19 dias brigue portuguez
Vnio de 220 toneladas capito Joaquim
Maria Silveira equipagem 13, carga las-
tro : a Thomaz d'Aquino Fonceca.
Bahia ; 15 dias, brigue inglez Skepton de
319 toneladas, capito Charles Huntly, equi-
pagem 11, carga lastro : a Johnston Pater&
C.
New Castle ; 54 dias, barca prussiana Leopold ,
de 271 toneladas capito John drl Holty ,
equipagem 12, carga carvo de pedra : a N.
O. Bieber&C.4
Sahidos no dia 5.
Genova ; polaca sarda rI.efiro, capito Joo Bap-
tista Leite, carga assucar.
Jlaranho ; brigue ingle/. Skepton, capito C.
Huntly carga lastro.
Navios entrados no da 5.
Rio de Janeiro, Bahia, e Macei ; 12 di;s, va-
por bra/ileiro Ruhiana commandante Ma-
noel dos Santos Ornellas.
J-isboa ; 20 dias, brigue portugucr. Triumpho,
de 300 toneh das capito Silverio Manoel
dos Beis, equipagem 19, carga vinho, &c :
a Mendes& Oliveira.
Havre de Grace ; 45dias brigue francez 4r-
mortque de 223 toneladas capito Pedro
Benowf, equipagem 12, carga fazendas : a
Bolli Schavannes.
s
O PAISAN O N. 4
Amo hontem e est venda.
Anda nao apareceo o livro allemo que
se perdeo a 2 do corrente no passeio publico ,
annunciado neste jornal nos ltimos nmeros.
Anda esto por alugar as 2 casas da es-
trada do Manguinho annunciadas no n. ante-
cedente.
Ainda se precisa alugar um sobradinho no
bairro de Santo Antonio.
Ainda se precisa um sacerdote para capel-
lo d'engenho, na ra estreita do Bozario n. 31,
3. andar.
Ainda se precisa um feitor para engenho,
no Mondego n. 147.
Na ra do Bangel n. 3 ainda se acha o
moco solteiro que se olT. rece para cscriptura-
fo nesta praca ou fora della.
Herculano Jos de Freitas lembra s pes-
soas que tem pinhores em sua mo o seu an-
nuncio publicado nosdous nmeros anteceden-
tes desta folha.
Jos GomesMoreira, precisa de ira Por-
tugal e deixa por seus procuradores os Srs. de-
clarados no seu annuncio dos ltimos nmeros
deste jornal.
Jos Antonio da Cunha faz igual an-
nuncio.
= Precisa-se fallar ao Sr. Joo Pereira do
Lngo Braga, por isso roga-se-lhe queira decla-
rar onde mora ou onde o podem procurar.
= Precisa-se alugar um moleque pagan-
do-sc oito mil reis menraes e d-sede vistir ;
quem quizer alugar dirija-se ra da Santa
Cruz n. 75 a qualquer hora.
Quem quizer hypotccar, ou vender urna
casa terrea neste bairro de Santo Antonio, em
boa ra, annuncie por este Diario.
Aluga-se um moleque para vender azeite
de carrapato do que ja te::: pratica ; na ra
da Praia 1. andar do sobrado n. 33.
Aluga-se urna loja para fazendas, so com
aarinacSo, na ra do Queimado ; quem a pre-
Halifax ; 40 dias, brigue inglez Clyde, de 125
toneladas capito John B. Zuille equipa- | tender dirija-se mesma ra n. 0.
gem 8 car^a bacalho : a Le Bretn Sch- Offerece-se umn parda, para ama de casa,
a qual sabe engomare oozinhar perfeitamente :
mjem nrpcisnr dirija-se ao patn An rrmG q_
ramm & C.a
/Vario sahido no dia 0.
otnbrigas, dic. &c. tem causado grande extrae-
cao em todas as provincias como nico e ver-
dadeiro purificador do sanguo.
A medicina popular americana composta de
dous principios diflerentes um purgativo e
desobslruente removendo os humores viciados
das diflerentes partes do corpo e assim purifi-
cando osangue; o mitro tnico dando tarca
c vigor aos orgos da digesto e por tanto impe-
dindo a cumularan dos humores nos intestinos,
.te. urna combinarn como esta nao pode ser
seno proveitosa na matar parte das molestias ,
e sendo vegetal esta combinacSo pode ser admi-
nistrada a creatina mais delicada sem receta al-
guna e com certeza de benficos resultados.
Aqui vende-sesonientc em casa do nico a-
gente Joo Keller, ra da Cruz do Recite n.
18, e para matar commodidade dos compra-
dores, na ra da Gadeia do Recite, em casa de
Joo Cantazo Ayres, na na Nova na de (nena
Silva &C.\ e atierro da Boa-vista, na deSal-
les & Chaves.
Nestas mesmas casas tamben) vendem-se as
pilulas vegetaes do Dr. Brandreth.
Aluga-se o arinazein e 3. andar do so-
brado de 4andares, da ra doAmorim, de-
ronte do ferreiro Caetano ; a tratar na ra do
Vigario n. 13.
Precisase de um caixeiro com 12 a 14
annos para venda ; na ra estreita do Boza-
rio n. 0.
Cjuem quizer comprar 21 psdecoquei-
ros, em bom estado de se replantaran dirija-
se Cruz d Almas no caininbo que \ai para Be-
beribe, em una cazinba junto ao corral da ma-
ta nea.
Precisa-se de um caixeiro para urna venda
e que d fiador sua conducta ; quem estiver
nestas circunstancias annuncie para ser procu-
rado.
O abaixo assignado roga aos Srs. Francisco
Joaquim Alvos, Antonio de Amorim de Bar-
ros Maria da GonceicSo Margarida Iguaria
dos Prazeres, nao paguen) os seus crditos e le-
tras a seu ercdor Jos Coolho das Neves por
este ter entregado ditos crditos, para seu pa-
gamento, e por ter por noticia que oditor.
Nonos, anda cobrando das ditas pessoas e (pie
ja tem recebido quantias por conta faz o pre-
sento para ao depois nao se chamaren) ao en-
gao. Jo.- Joaquim Duarte Pereira.
Morand Angelo Maria Luiza subdtito
francez retira-se para Franca.
O abaixo assignado procurador bastante de
Joaquim doBego Pereira de presente na Iba
de S. Miguel, declara, e faz o presente annun-
cio, para conhecimento do corpo de commercio,
desta praca c a quem mais comier, que ha-
vendo quem se julgue credor de seu constituin-
te aprsente suascontas, ou outro qualquer
documento legal no praso de 8 dias para con-
ferir e pagar todo e qualquer saldo que apa-
reca, contra o dito Bego Pereira ; outro sim ,
que excedendo dito praso fica o dito seu cons-
tituinte de contas justas nesta praca e que a-
parecendo alguma quantia a exigir-se do refe-
rido Pereira he nulla, e completamente falca
o que faz certo por esta folha, para que em tem-
po nenhum se chamcm ignorancia : o mesmo
annuciante declara que a casa de negocio de
seu constituintc, passou a ser propriedade do Sr.
Antonio Dominguos d'Almeida Possa desde o
dia 15 de fevereiro prximo passado dia em
que sedissolveo a soeiedade que este tinha ce-
lebrado com seu constituintc, como tudo cons-
ta do halanco geral, e papel privado de distrac-
te da dita soeiedade. Jos de Medeiros Ta-
rares.
Na ra do Sr. Bom Jczus das Crioulas n.
2 ha urna ama para todo o servico de casa.
OITcrece-se urna ama secca, para casa de
pouca familia; na ra Bella n. 3.
Olfescce-se um homcm que tem os neces-
sarios conhecimentos, para administrar alguma
esquina que vira para a ra do Queimado ; ra
do (Jueimado loja de terragens do .T. Joa-
quim Claudio Monteiro, as 5 Pontas paa
dalia do ir. Carlos Leocadio Vieira n. 03 ;
ra do Cabug, botica doSr. Moreira; n-
praca da Independencia loja de livros do Sr.
I'iauein'ia ; Boa-vista botica do Sr. Jos Ma-
ria FreirGameiro ; em Olinda nos 4 Cantos ,
loja do Sr. Domingos Jos Alvos da Silva, e
na taverna do Sr. Jos Manoel dos Santos e
na ra de S Bento n. 12.
Boga-se aoSr. \ cente Ferreira da Sil-
va Coutinbo que faca o favor de ver se entre
os negros do seu annuncio, existe um com os
signaos seguintes : cbama-se Benedicto, (tai-
vez mude o nomo .' de 50 annos, estatura re-
gular ebeio do corpo caliera puntuda olhos
pequeos e cor de fogo rosto chcio e com-
prido barbado bastantemente desuissas.he
milito ladino mais faz-se maluco e encruza
os bracos quando se briga com elle e no caso
de existir, queira fazerofavor de remette-lo
nesta praca 80 Mayor que pagar todas asdes-
pezas necessarias.
Quem tiver um roteiro velho, de todas
as bandeiras de navios, e o quizer vender an-
nuncie, ou dirija-se ra estreita do Bozario
loja de alfaiate para se tratar.
Precisa-se de pretas para vender azeite,
pagando-se urna pataca por cada caada ; na
ra das Trincheiras sobrado n. 42, para se tra-
tar do ajuste.
Na ra da Cruz n. 53 escriptorio deM.
J. Ramos o Silva, compro-sc para fora da tr-
ra 2 pretas mocas do boa figura e de servico
de casa saliendo coser e engomar.
Os Srs. assignantes do Universo Pittores-
oo, podem ir receber o n." 23 e 24 do dito
jornal ra da Cruz n. 45.
No botequim da ra larga do Bozario n.
27 baver para boje, e continuar a ter todos
os dias sonetos de fructas de todas as quali-
dades.
= Precisa-se alugar urna casa terrea com
quintal, cacimba, ecujo aluguel nao exceda
de 128000 reis no bairro de Santo Antonio ,
ras do Bangel Direita de Hortas Agoas
verdes, Fogo, l.arangeiras; na ra do Li-
vramento n. 10.
ss Conreino Jos de Almoida, subdito por-
tuguez retira-se para Portugal, a tratar de sua
saude.
= Joseph Bidgway ; retira-se para Ingla-
terra.
= Costodio Jos Alves de novo annuncia,
que o hiate Flor de Larangeira Ihe he respon-
savel, por urna porco da carga que Ihe nao en-
tregou na viagem que ez a Camam em Marco
doanno passado, como dos documentos em seu
poder e que at boje nao tem sido satisfeita.
= No botequim da ra das Cruzes haver
sorvetes de hoje em liante.
= Antonio I urlado de Mendonca retira-
se para lora do imperio.
= Antonio Monteiro Pereira, retira-se pa-
ra forado Imperio.
Rento Jos Bibeiro de Souza subdito
portuguez retira-se para Europa.
Compras.
Compra-se dous pedacos de pedra de so-
eirade 3 a 3 palmse meta usadas ou novas:
na ra do Nogueira n. 13, ou annuncie.
Compra se urna corrente com sinete de
ouro : na loja da vi uva do Burgos.
Vendas
Vende-se um cspelho redondo com.
bom vidro proprio para algibeira por 600 rs.
2 mais pequeos a 400 rs. cada um, um pen-
'.c com vidro eescova por GCOrs. : na Sotada-
obra publica ou particular ou mesmo algum de, padaria n. 1.
engenho; na ra do B; ngel n. 43. = Vende-so una duzia de cadeiras, umso
Precisa-sede um sacerdote de bons eos- f e 2 banquinhas, tudo de angico muito
bem feito, e em conta : na ra da Penha n. 21.
tumos, paracapello de um engenho distante
desta piara, 15 logoas, a quem se far bom
partido: na ra estreita do Bozario, n. 31 ,

Rio de Janeiro; patacho brazileiro Flor de Ma- na da ra de Hortas, do lado direito n. 2. I Obacharel Luiz Duarte Pereira, juiz de
\ende-se um preto do nacao que sabe
tratar bem de cavallos serve para quatauer on-
u i servico quem o pretender dinj.-se a casa
do ^. Bcrnab na ra dos (uarteis.


-
^4
1
i:

------Vonde-so azeite doce de Lisboa em cana-
da a 4:009 reis e a garrafa a 500 res al-
piste a 500 reis o quarteiro painco a 2M) re-
is cavada secca a 100 reis a libra ; c mais g-
neros tudo por preco commodo : na venda n.
7 no largo do Terco.
= Yende-sc gello todos os dias a bordo do
Brigue Americano Messenger ancorado de-
fronte das escadinbas da Alfandega os compra-
dores podem hir a bordo no bote do inesmo ,
sem dispe/.a alguma.
= Sal de Lisboa muito bom a bordo do
brigue Sueco Astrea : a tratar com Leopoldo
Jos da Costa Araujo no Forte do Mattos ,
esquina da ra da Lapa segundo andar.
Vende-se urna venda na ra Direita n.
36 com poucos fundos: a tritar na mesma.
Vende-se urna parte de urn sobrado do 2
andares na ra larga do Itozario e a metade
de urna casa terrea, sita no lugar da Estancia ,
com bastante fundo proprio para plantacao ,
tudo por preco commodo : na ra Augusta,
n. 51.
Vende-se Sal de Lisboa, de muito boa
qualidade a bordo da barca Espirito Santo :
a tratar na mesma ou na ra estreita do Roza-
rio n. 13.
Vende-se umacanoa que pode carre-
gar duas pessoas, e dous remos a moda do Rio,
urna feehadura grande de porta de loja corn
sua comptenle chapa e parafu'.os um model-
lo de um brigue barca un bahu de 5 palmos ,
usado, urna mesa pequea de amarullo e 3
cangalhas: na ra do Queimado loja n. 14
Vende-se farinba de mandioca, de S.
Catharina, em sancas de 2 alqucires e meio
do Rio de muito boa qualidade e por proco
commodo ; pilulas da familia che^adas do
Porto pelo ultimo navio : na ra da Cadeia do
Recife ns. 12 e H.
Vende-se urna casa de sobrado de um
andar solo com 30 palmos da largura, com
quintal de 42 palmos de fundo cacimba ao
meio junto a Francisco Antonio de Oliveira :
a tratar na venda do dito sobrado a dinheiro ,
ou a praso.
= \ ende-se lencos de mao para senhora ,
decambraia bordad)-; com linha de marca de
cores, a preco de 200 e 2V0 rs. cada um, e sen-
do em porcao se dar mais barato ; fitas de
sintoiro para meninos c para suspensorios, a
160 a vara ditas de garra guarnecidas deco-
res pelo mesmo preco e outras muit s miude-
zas, tudo barato : na praca da Independencia,
n. 39.
= Na loja nova na ra Nova acba-se a
venda por mais barato preco que em outra
qualquer prteosseguintes artigos: muito bons
diales e lencos de seda ditos de cambraia mui-
to finos para maos sarjas largas o estreitas
para vestidos, lencos pretos para pescoco, pan-
nos para mzase piannos. pannos fin nos pre-
tos e de cores, enserados inglczcs para mezas,
e forrar salas, sodas brancas e de cores para ves-
tidos luvas de seda preta com dedos e sem el-
les, meias de seda brancas e pretas, violos, ra-
becas rabeces flautas de bano e de buxo ,
clarinetes, trompas cornetas de chaves cor-
netas de latao e de cobre ; lindas cortinas para
janellas muito proprias para as casas que Ihe
bateo sol lindos quadros, urna porcao de
diversas estampas coloridas e de fumo e ou-
tros muitos obejectos.
*. Vende-se rap de Lisboa muito fresco c
chegado ltimamente vasos de porcelana ,
muito ricos para flores, de todos os tamanhos,
cha isson de muito boa qualidade meios cha-
les de seda para senhora cortes de colletes de
varias qualidades esteiras pintadas para ban-
cas de todos os tamanhos suspensorios de bur-
rachc de todas as qualidades cond ;cas de to-
dos os tamanhos vindas do Porto aderecos e
brincos pretos para senhora bandejas finas de
todos os tamanhos. franja para cortinados de
cama de todas as larguras e padres luvas
de seda preta e de cores para senhora meias de
seda pretas e de cores para dita sarja preta es-
treitas e largas de muito boa qualidade, cartas
de jogar Francezas muito finas facas e garfos
de varias qualidades, caixinhas de agulhas
Francezas papel de peso e almaco de todas as
qualidades ditos de cores sapatos F'rancezes
para homem e senhora de todas as qualidades,
ditos para meninos, pentes travessa de tarta-
ruga, capuchos compridose redondos de todos
os tamanhos, selins Francezes com todos os
preparos retroz sortido agoa de colonia su-
perior e outras muitas miudezas por proco
commodo : na ra dos Quarteis n. 2i.
i Vende-se diversas obras de bom ouro,
sem feitio : na ra do Collegio n. 6.
Vende-se urna oscrava muito moca c
do boa figura engomma cozinha e cose ;
uiiiadilu CODQas mesnias habilidades, para fura;
dous moloques de 13 a 14 annos proprios para
pagons ou officio ; duas pretas de mcia idade ,
por commodo preco ; dous pretos mocos de todo
I'
. Yende-sc urna negra d'Angola que te-
r 25 annos lava de sabao e varrela engom-
ma liso e cozinha o diario; profere-se vnde-
la para o mato ou para fra da Provine a: na
ra Nova n. 5.
Vende-se por preciso um crioulo tanoei-
ro sem vicios nem achaques; na ra do Cres-
po sobrado de 2 andares n. 12.
Vende-se um casal de escravos, sondo o
negro bom canoeiro, e a negra cozinhoira, dir-
se-ha o motivo da venda ; no atierro da Boa-
vista n 20.
Vende-se Theoria dos seres insenciveis ,
ou curso completo do Metafsica sagrada e pro-
fana pelo A bbade Para du Phanjas em fran-
cez 3 v. ; obra mu estimavol pela vastidao e
clareza com que trata todas as principaes ques-
tes filosficas, e actualmente mui rara pela
falta de edices; Ensaio robre a Psycologia por
S. Pinhciro Ferreira, em Francez, 1 v. ; Cur-
so de Direito Natural por Mr. do Portets, 1 v. :
em Olinda botica da ra do Amparo.
=Vende-se urna carroa de fortissima cons-
trueco vindade Liverpool propria para um
engonho, por ser muito pesada ; a tratar com
o carpina Euzebio Fernandes, ou na ra do
Vigario, n. 13.
Vende-se urna moleca com 12 annos,
sabe lazer ptimamente lavarinto assenta urna
camisa cose chao e faz todo o servico inte-
rior de urna casa : na esquina do Livramento ,
n. 1.
=a Vende-se duas escravas urna de nacao ,
de 22 annos, outra crioula de 20 annos, am-
bas com bonitas figuras e com boas habilida-
des; dius mulatnhos um de H annos, pti-
mo parapagen, ou qualquer offijio, outro de 10
annos: na ra de Santa Rita n. 27 primei-
ro andar.
Vende-se azeite doce a 48 reis a caada ,
e 560 reis a garrafa dito de cocoa 2:880 reis
a caada e 100 reis a garrafa dito de esper-
macete a 2:880 reis a caada o 400 reis a
garrafa toucinho de Santos superior a 160 rs.
a libra cevada a 80 reis farinba do Maranhiio,
sag a 320 reis caf do Rio e da trra a 160
reis, espermaceti; a 680 reis a libra : na ra
Nova venda n. 65 ao p da ponte.
Vende-se urna negra de nacao Angola ,
de 22 annos bonita figura cozinha bem o
ordinario de urna casa lava bem de sabao en-
gomma liso ; urna dita de nacao de 35 annos ,
perita cozinhoira e compradeira de urna ca-
sa lava de sabao ; urna negrinha de 12 a 13
annos, com principio de servico de casa ; um
negro de 25 annos proprio para todo o servico :
na na estreita do Rozario, n. 22 primei-
io andar.
Vende-se urna escrava de nacao Angola ,
de l7 a 18 annos, bonita figura, com algu-
mas habilidades vende-se por necessidade que
a dona tem ese dir ao comprador o motivo
porque se vende a dita escrava : na ra do Ara-
gao n. 14.
Vende-se oliados em covado para cubrir
mzase piannos a 1:000 o covado apparclhos
de barretina chegados do Rio a 3:200 reis e
cora pegada a 3:800 reis bandas com baca-
lirio de ouro, galao entrefino espadas pratia-
das e de ferro da melhor qualidade que pode ha-
ver c todos os objectos pertencentes a loja de
seleiro por proco commodo : na ra Nova ,
n. 5 loja do Jos da Cruz & Companhia.
= Vende-se oleo de linhaca em botijes ,
em maior ou menos porcao : na ra do Viga-
rio n. 13.
= Vende-se 66 palmos do terreno na ra
da Concordia com os fundos para mais de 400
palmos at abaixa mar tendo j 250atterra-
dos: na ra do Sol n. 25 primeiro andar ,
casa de Joo Albuquerque da Silva Souza ; na
mesma casa precisa-sc alugar um sobrado de um
andar ou um primeiro andar e que tenba
quintal para se ter um cavallo e que seja as
ras seguintes: ra estreita do Rozario das
Cruzes, Livramento, pateo do Carmo S. Pe-
dro ; adverte-se que se nao olha ao preco com
tanto que S"jo asseadas; quema tiver annun-
cic ou dirija-so a casa cima.
Vende-se arroz de vapor, chegado l-
timamente do Maranho a 2350 a arroba:
no armazem de Joaquim Goncalvcs Vieira e
Francisco Dias Ferreira defronte da cscadi-
nha da Alfandega.
Ain'la ha a venda cavalla secca a 88500
oqq. no armazem do Guimaresdefrontcda es-
cadinha da Alfandega
Ainda cs!5o a venda os livros de Mathema-
tica Economa Poltica e outros annunciados
na ra Direita n. 78.
Va noel Pereira de S na ra do Quei-
mado tem a vender brincos de ouro e diaman-
tes pulceiras de filagr e outros objectos.
Os livros annunciados na ra da S. Cruz
n. 56 ainda se acho venda.
Ainda esta por vender a casa da biquinha
de S. Pedro em Olinda, annuiiciada nos lti-
mos ns. deste Diario
__i,i... ..~ ..n. ...... 4r..:~....i<%i~
- -..... vi III Vil tUlllf t IIU IUUUU X^ UVIIIIUUV ..*
ja n. 14.
Indom a casa terrea e terreno na estra-
da de Bellem dofronto do Exm. Visconde de
Goianna, annunciada nos ultimnos Diarios.
dem o sitio dos Remedios, veja-ss o Dia-
rio n. 52, e trata-se nar ua Nova, venda do Li-
ma.
dem um cavallo carregador um negro
e outro moco no atierro da Boa-vista
lOSO
loja de chapeos de Chavos o Salles^ vejase o
Diario n. 52. (^-.__/~f.
Vende-se leite : no beco do Peixe frito ,
a nove vin tens a garrafa sem mistura.
-T Ricos nretosa80, 120, 160, e 2W> rs. a
vara, pocinbt" de dito bronco.com 10 varas a
700 rs. a peca /neos de fil de 3 pontos a 800
rs. ditos de camb.-ia com bico a 800 rs. a
rs. lampannas para (
peca sabnnetes a 40
mezes a 80 rs. linha de rcar Pa a 20
o novello obreias colv* (tesouras' ca"
nivetes, fitas para liga, e ulras ca|"lue-
Iherias por preco commodo, .Para se H~
darcontas: no atierro da Boa-visi,1' ,0Ja 48-
Sette, ra
neias de
om
Vende-se na loja de Carioca &.
do Qumalo n. 25 finissimas u
linho do Porto.
Vende-se um preto de 25 annos, L.
official de toda obra de pedreiro ; 3 ditos mo-
cos bons para todo o trabalho ; um dito carni-
cero e pescador de rede ; 3 pretas mocas com
boas habilidades ; urna mulatinha de 6 annos,
boa para quem tiver urna menina na escola
fazer-lhe companhia e juntamente aprender :
na ra de Agoas verdes n. 44.
Vende-se farinba de mandioca saccas
grandes a 3:200 : no armazem de Francisco
Dias Ferreira & Companhia no caes da Alfan-
dega e na ra da Moeda n. 7 assim co-
mo saccas com bom milho, e manna em caixi-
nhas de 16 libras.
Vende-se couros de cabra escolhidos do
superior qualidade, sola e be/.erros sera ama-
relia ; tudo por preco commodo : na ra da
Cruz n. 51.
>* = Vende-se a Escuna Americana Mary de
128 toneladas recentemente chegada de Bos-
ton ; os pretenden les podem-se entender com
os consignatarios Henry Forster & Companhia.
Vende-se urna canoa de conduzir agoa :
na ra do Queimado loja n. 6.
1 transelim e urna gargantilha de ouro ,
feita no Porto urna pouca de prata velha para
desmanchar, urna duzia de cadeiras de oleo com
assento de palhinha quasi novas: no beco
do Peixe Frito hoje travessa do Queimado ,
ii.
9.
Vende-se urna escrava de nacao Mocam-
bique, de 17 annos, de bonita figura, com
principios de cozinha engomma e lava rou-
pa e he geitoza para tudo que se Ihe manda
fazer, sem vicios nem molestias : na ra da
Conccicao da Boa-vista n. 16.
Vende-se um molcque de 15 annos, pro-
prio para todo o servico ; e um negro de 26 a
28 annos : na ra do Crespo loja n. 10.
Escravos fugirlos.
Fugio a 22 do me?, p. p. o preto Joao ,
official de carpinteiro escravo de Joao Mano-
el Pontual do engenbo Aurora freguezia da
Escada com os signaes seguintes : alto, gros-
so do corpo barbado, representa mais de 3o
annos tem urna grande cicatriz no peito do
direito do lado de fora que toma at os
dedos tem os ps um tanto voltados para den-
tro andar pausado corpo pouco direito le
vou vestido camisa de brim fino com alguns
rasges calcas de panno preto usada e cha-
peo de palha ; quem o pegar leve a ruada Ca-
deia n. 50, que ser gratificado.
No dia 20 de Outubro do anno passado ,
fugio desta praca urna negra captiva doCapito
Ignacio Francisco Pereira Dutra que foi es-
crava do defunto Capitao Custodio Moreira dos
Santos chamada Francisca com os seguintes
signaes : altura regular cheia do corpo bar
riguda embiguda ps grandes e chatos cu-
ja negra foi comprada na Villa de 'anlo Antao,
donde tem muitos conhecidos e um filho mu-
lato ; roga-se a todas authoridades policiaes des-
ta edaquella Villa aonde ella aparara remette-
la para a cadeia, e ^e algum capitao de campo ap-
prenderlevcm na ra do Jardim n. 55 que
se Ihe dar 508 reis de gratificaco.
Fugio em Abril do anno passado um
escravo de nomo Jacintho nacao Chiicam ,
com os seguintes signaes : dous dentes da fren-
te de cima abertos urna marca de caximbo em
cada um braco por cima do sangradouro levou
vestido calca e camisa de algodo trancado, mos-
tra ter de idade 18 a 20 annos, bonita figura ,
sem barba quando quer falla bem portuguez ,
e quando nao quer nao falla nada ; roga-se
a todas authoridades que o posso pegar e levar
a ra da Senzalla nova n. 7 que receber
100S de gratificaco e mais as dispezas que ou-
ver.
,,u .! uc revereiro
iuuiu ue ooruo ao
Patacho Nacional Pelicano um escravo de ne-
me Felisberto naco Cacange de 20 annos
pouco mais ou menos estatura baixa foi ves-
tido de camisa do algodao-zinho caifa de ris-
cado azul, e chapeo de palha de tranca de bico-
cujo preto tem trez signaes em cada fon te '
ej pertenceo a Angelo Francisco Car eiro
quem do mesmo der conta sera gratificado en
casa de Gaudino Agostinho de Barros na pra-
cinha do Corpo Santo n. 66.
= Na madrugada do dia 4 de Marco, de
bordo do Brigue Nacional Independente fu-
gio um escravo bem preto de nome'Luiz de
30 a 3i annos estatura alta falto de um ou
dous dentes da parte superior ; cujo escravo j
pertenceo a Manoel Alves da Silva ; quem o ap-
prehender queira leva-lo a bordo do dito Bri-
gue Independente de que heCapito Joaquim
Antonio Maia ou a casa de Gaudino Agosti-
nho do Barros, na pracinha do Corpo Santo
n. 66.
Em Fevereiro de 1831 furtaro nesta
praca um moleque da nome Eutico tinha 9
annos de idade cor bem preta, feices bo-
nitas, bastante canelludo que mostra ser al-
to Em Maio de 1837 desapparecero do en-
genbo Ariticum sito na freguezia de S. Miguel
dos Barreiros comarcido Rio Formozo uua-
tro escravos dosquaes apparecerao dous, fal-
tando at hoje Verssimo crioulo, que boje
deve nstar com 30 annos cor pouco preta es-
tatura 0"mnaria > corP reforcado; Manoel (por
alcunho ?M* ) d ?entio de Angola re-
presenta boje J mesma itlade estatura e cor-
po tendo acoi'umPouco mais preta no que
aquelle. Em MaKode ^38 furtaro do mes-
mo engenbo quatro es^ras dos quaes appa-
recerao dous faltando i>mngos (por alcu-
nho Macei por ter sido comprado a um mo-
co morador da quelle lugar ; d gento de An-
gola deve ter hoje 35 annos be a altura bom
corpo bem preto o levava urna fen da em urna
perna ; Paulo do gento de Angola dt>ve ter a
mesma jdade estatura ordinaria cor p."eta ,
os dentes muito alvos, e um pouco acangu'~
lados. Nesta mesma occasio sumiu-se urna
preta de nome Francisca do gento de Angola,
deve estar hoje com 32 annos, corum tan-
to fula boa altura corpo grosso ; estes
escravos consta que foio vendidos para o Ser-
to, e que estivero na Villa do Urub, em
poder de um Fernandes, que talvez os compras-
se. Em 839 fugio ou furtaro da Cidade de
Olinda, (estando servindo a um estudantc F-
lix Teotonio da Silva Gusmo ) um moleque
de nome Jos do gento de Angola cor bem
preta dentes muito alvos estatura baixa r
psapalhetados por tertido muito bixo e leva-
va urna ferida em urna perna deve estar hoje
com 20 annos ; quem souber destes escravos,
e quizer descubrir onde esto depois de veri-
ficado isso ter 408 reis por cada um e se Ihe
guardara um inviolavel segredo e aquella pes-
soa que souber delles eos quizer trazer a seu Sr.
Thomaz Jos da Silva Gusmo morador na
praca da Roa-vista ou no engenbo Massanga-
na de Porto Carvo a entregar a Sr. Joaquim:
Boarque de S. Payo, lera 808 res por cada um
dos ditos escravos. Do mesmo engenho Ariti-
cum fugro em Novembro e Dezcmbro do an-
no (indo trez escravos .silvestre, (por alcunho
Caisara ) do gentio de Angola estatura or-
dinaria reforcado do corpo cor preta, de-
ve estar com 32 annos e he seg de um olho ;
.1 nli.ni crioulo deve estar com a mesma ida-
de estatura ordinaria cor bem preta e
tem um calcanhar muito foveiro de urna gran-
de lerida que teve ; Jorge do gento de An-
alto boa figura representa a mesma
etem a cor bastante fula ; quem souber
destes c os entregar em urna das duas parles
cima declaradas ter 508 reis porcada um. Pe-
de-se encarecidamente ao Sr. N cenle Tavares
da Silva Coutinho que no caso de ter algum
dos escravos cima declarados se sirva participar
parase mandar buscar, e pagarem-se todas as
dispezas.
No dia 4 do crrante mez pelas 5 horas da
tarde desaappareceo um preto de nome Do-
mingos naco Cacange representa ter 8 an-
nos cor fula com bastantes marcas de bexi
gas no rosto, de boa estatura levou vestido
camisa de madapolo calca parda e chapeo
do palha com aba grande ordinario ; roga-se a
quem souber ou pegar e levar na ra larga do
Rozario n. 44 ou na praca da Independen-
cia n. 3.
No dia 14 de Fevereiro fugio um escravo de
nome Nuno de naco Mozambique que re-
presenta ter 20 a 22 annos, estatura regular,
secco do corpo pernas finas e tem na testa
um signal de sua trra a rrtaneira de una ma-
cula porem muito apagada cujo escravo he
official de calafate levou vestido calca de algo-
do entroncado de barguilha c camisa do
mesmo panno ; quem o pegar e levar a casa de
seu Sr. na ra da Cadeia do Recife n. 2 se-
r recompensado.
Rkcip*: na Typ. de M. F. de Fama. =1843
gola ,
idade
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXOHW3OLD_E7K1IL INGEST_TIME 2013-04-13T00:07:19Z PACKAGE AA00011611_04906
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES