Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04905


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Afino de 1843. Segnnda Fera 6
Wj^MUBWWBBBBMiMM'liWIBCgagaairWM.lllii ii sm ,nM, IM._, ,..__^^^
Ta.lo s^ora deVande de no. ae.mos ; d. no... pradea. oder.cao, eoerris : con-
(in'lBOl coo pnnc.uismns e eremo. spont.do. con. sdmir., d entre U N.r.oe. m.i.
>** __________________f ProcUnuyao d. Assemhlrs Gersl do BiilL.)
PARTIDAS DOS COKRLIOS TERRESTRES.
Coiiit-, Parshibs Riogr.nde do Norte gand' t sexiss fer
Bofii'O e Gsrsnhun* > 10
24
AIsros. noi., 11
Olinds lodo, oa diai.
Cano Srrinhdem, Rio Formo.o Porto Calyo M.ceio ,
gui-visia Flores '3 e 28. S.nio Anuo, qninlss feir.s.
DAS [)A .SEMANA.
A t'eg. Olegario R. And. do J de D. da 2. ,
7 icrc. s. Thoai d'Anuino B Aud. do J. de I), da 1; y.
X guar, a. Joao de Dos Fun adnr Aud. do J de I). da 5. y.
9 Ouial. a. Francisca Romana Yiuy. Aud. do J. de D da 2 y
10 Sest Temu. o misierio da paixode J. C. Aud. do J. de D. da 1 y.
ii Sab. Temp. i. Candido M Kel. Aud. do J. de D. da 3. y.
12 Do! i <1* quare.ma a Gregorio P. Dout. dalgr:
de Marco
Anno XIX. N. 52.
O Diario publica-te lodoso, das iiua n.io forem Santificados: o preco da sssignators he
de Ir. mil rei.por quanel pago, adianlados. Os annuncios do. a.signantes .Jo inseridla
gralia.e os dos que o n.in forem n rsijo de H0 res por linha. As reclamacoea deyera ser din.
gulaa a esta Typ., ra das Qne. N 34.ou i.ra.-a da Independencia loja de liyro. N. 6a 8.
wmi
cambios.No da 4 de Mnvo.
Cambio sobre Londres 28 d por 100 Onu-.WJi ds 6,400 V.
n Pars 350 reis por franco. N.
Lisboa 100 por 100 de premio. a de 4,000
| PtiTi-PatacdVs
Moeda de cobre 2 por 100 de des cotilo. Peros Colunnarss
dem de lstras ds boaa firmaa 1, 1J ao met. dito. Meneos
PHASESuA LOAMOMEZ DEMARCO.
La Chais ,i If, s 3 horas e 59 m. da m. I La nova 4 1., as 3 I oras e 43 m. da mtnh
Outrt.minj. a 22, as 8 horas s 14 m. da lard. | JsjM*. <-ie.c. i,', s 7 horase 2it. da m.
Preamar de boje
i. si) horss a 1S ds msnhlia. | J.
compra
15.0JO
14,80J
8,400
1,760
1,760
1,7J
yenda
15,209
16,000
8,600
1,780
i,7M)
1,780
PARTE OFFICIA!
M.meEx.moSr.Picando S. If, o Impera-
dor inteiraio pelo ofn>o do V. Ev. de 23 de
Janeiro ultimo dos motivos que levo, V. Ex.
para passar a residencia da Presl le cia para o
antigo palacio rio governo que sevia de casa
da relaco dessa provincia : assim o commuri-
oo a V. Ex. para seu conhecimento. Dos
Guarde a V. Ex. Palacio do Rio de Janeiro 9
dn levereiro de 1i3. .lose Antonio da Silva
Mala.Sr. Presidente da provincia de Prnam-
buco.
Dom Pedro porCraca de Dos o unnime ac-
clamacao dos pavos, Imperador Constitucional
c Defensor perpetuo do Rrasil. Faco saber vos
presidenta da provincia de Pernambuco que .
toado considerado ao que me oi presente em
consulta do consol ho supremo militar, que
mandoi proceder sobre o vosso olficio n. 205
de 21 do outubro do anno passado cobrindo
o do commandante das armas da mesma pro-
vincia e do juta de direito do crime, o dou-
tor Manoel Mendesda Cunta Azevedo naqua-
Jiilade de presidente de jurados relativo a mu
conflicto de .jurisdiccao entre elle e o dito com-
mandante das armas, para a soltura de un
preso militar por crime civil detido em pri-
sa militar ; e que sendo sentenciado pelo jury,
o dito juta mandara soltar scmcommunicacjio ao
commandante das armas; e exigindo este que
taes presos nao entrem naquellas prisoes, n< m
d'ellas saiao sem que o magistrado civil Ib'o
requisito: hei por bem porminha immediata
imperial rosoacSode de desembro do anno
passado, conformando-mc inteirame ite com o
parecer do conselbo, mandar declarar, que sen-
do inteiramente separados os diversos poderes
constituidos da naco sao igualmente separa-
dos e Indpendentes os ramos, ou subdivisdes
de cada mu destes poderes e que nao tend > ca-
bimento de uns para osoutros o modo impera-
tivo tem nicamente lugar as communicaces
d'ollicio as requisi'coes ou emfim as exigen-
cias conforme as circumstancias eque no ca-
so em questo nunca os magistrados podem ter
poder algum sobre os militares em objectos de
mi \ ico para Ibes darem ordens ; eque emfim
limito bem se houverao o commandante da for-
talesae o commandante das armas no modo .
porque entenderao esta que-tao ; e vos no mo-
do porque a resol-testes ; deveodo ficar entendi-
do por urna vez, que os reos militares presos
por-rime:, civis estiio as suas respectivas pri-
soes 4 disposicao dos jotaes para os exigirem,
quando Ibe for preciso e que nenlium militar
nao reo est nem s suas disposiedes, nem s
las ordens. Entendei-o e lazei-o cumprir as-
sim: S. M. o Imperador o mandn pelos meiii-
bros do conselbo supremo militar abaixo assig-
nados. Joaipiiin Flix Conrado a fez nesta cor-
te e cidade do Rio de Janeiro aos desolto dias do
inez de Janeiro do anno do nascimento de nosso
SeiihorJezusChristode 1843.-Manoelda Fonce-
ca Limae Silva a fez oscrovere subscrevi.Luis
da Cunba MoreiraJi o Clirisostomo Callado.
faca apromptar o patacho Pirnpama, i lm de
poder seguir para Fernando Co nmiinieou-so
ao commandante das armas, ao chefe de poli-
ca interino e ao juta municipal da I." vara.
Dito Ao Inspector fiscal das obras publicas,
intelligenciando-o de ter o proprietario da casa
do Catang Patricio los de Soti-a annnido
sorem os pagamentos do sua propriedade feitos
o I." de 2:000^)00 reis no |.o de abril ; e o 3
de igual quantia nodia ISdeJulbodocorronte
anno ; e ordenando que mande passar os ttu-
los de pagamento a fin de ser elle pazo as
mencionadas pocas. Partieipou-se ao inspe-
ctor da thesouraria das rendas provinciaes e ao
engenbeiro em chefe das obras publicas.
Dito -- Ao chefe interino da 1." legiao da C.
NI deste municipio, determinando que nodia
l. demarco (correte 1 pelas 3 1/3 horas da
larde faca postar em frente dn igreja da orden)
3.a de S. Francisco o 2. batalhiio da dita legiao.
ou o I. no caso d'estar o outro de servico, a (im
d acomoanhar a proeissSo de cinza que pre-
tendem fazer os respectivos 3.0S
Portara Supurimindo em virfude do arli-
KO 12 da le provincial n. 94a cadeira de lafim
da villa d Santo A otilo vaga por ter-se ubi-
lado o respectivo professor. Communicou-se
ao director do lycoo acamara municipal res-
pectiva, e ao Inspector da thesouraria das ren-i
das provinciaes.
Offlrio Do secretario da provincia cmara
municipal de Coianna communicando que S.
Ex. oSr. presidente vai levar ao conhecimenfo
da assembla legislativa provincial o ohjeoto do
seu offlcio em que representa acerca da neces-
sidadede um advocado que se encarregue das
causas daquella municipalidade.
Tribuna! da Relncao.
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DE 20" DO PASSADO.
Ofllcio AoExm. e Rvm. bispo diocesano,
significando em resposta ao seu ollicio d'esta da-
ifa 25 ) que a abertura da assembla legisla-
tiva provincial nao pode ser transferida para o
da 2 de marco ( corrente ), que em consequen-
cia deve celebrar-sea missa pela forma indicada
a 2." parte do seu referido ofllcio ; e que nes-
te sentido baja de dar suas ordens ao .Mestre da
Ca pella.
Dito Ao director interino do arsenal de
lueri a declarando que sobre a compra de azei-
Je de carrapato e factura das chapas de tala-
bartes para o 2." batalho d'artilheria p de
pie tracta em seu ofllcio de 23 do corrente ( I.;-
vereiro d'Ve cumprir o que dispo o regula-
menlo daquelle arsenal, e as ordens que semi-
llante respeito tem sido expedidas pela presi-
dencia.
Dito Ao Exm. e Rvm. bispo resignatario ,
'Once .lendn-lh? a demissao que pede, do lu-
Kar da director do Lyceo detn cida le. Parti-
1 i|> Mi-se ao inspector da thesouraria das rendas
provinciaes.
Dito Ao inspector do arsenal de marinha ,
determinando que com a necessaria brevidade
SESSAO DE 4 DE MAR^O HE 18W.
Xa appellaciio civel desta cidade. appellan-
tes Resnchet ,. Puoet e outros appellado Tito
FiokRomano; escrivSo Ferreira, sejulgou pe-
l reforma da sentenca appellada.
Na appellacao crime dos jurados da cidade da
Forfalesa do Cear appellante Antonio Joa-
Ojutm de (lliveira Castro, appellada JoannaCan-
dida : escrivilo Rogo Rangel, nao tomarao co-
nhecimenfodo recurro.
A appellacao civel do Oneivaraniobim do Cea-
r appellante Rernardo Dnarte Rrandaoe ap-
pellados Kstevao Jos de Freitas e Aranjo e sua
mulher; escrivao Randeira se mandou des-
cer para o juio do civel da segunda vara desta
cidade para se proceder na avaliacao.
Na appellacao civel desta cidade appellanfes
Mara de .lezus Cordeiro e outros appellado
loan Crrela Comes; escrivao Rearo Rangel, se
julgou pela reforma da sentenca appellada.
Na appellacao civel desta cidade, appellan-
tes Amorim & Irmaos, appellada a fasenda pu-
blica ; escrivao Jacomo se julgou pela refor-
ma da sentenca appellada.
Do aggravo de peticiio de Antonio Pin'o Fer-
reira Vianna contra Joo Henriques de Mattos ,
da primeira vara do civel desta cidade nilo to-
maran conhecime:ito por nao se arhar compre-
hendido em algum dos casos do artigo ISdorc-
gulamento n. 143 de 15 de marco.
O agerravo de petican do juizo dos orphios
des'a cidade aggravante Rento Jos da Costa ,
oi prvido mandando-se reformar o despacho
de que se aggravou.
trod mesmo secretario acompanbandoduasre-
presentacOea da cmara de Coianna sobre a
neressidad de niais urna cadeira de prlmeiras
letras na cidade e de um advocrado para defen-
der as snas causas :~fts commfssSes de Instmo-
'ao publica ede negocios das cmaras. Outro
remetiendo 3 exnmplares do novo regulamento
das obras publicas, da contabllidade desta repar-
ticao e dos conservadores das estradas: com-
missio de constifnicao e poderes. Onfro com a
resposta dada pela cmara de Naeareth acerca
do Parecer da eommissio de e\ame de contas
sobre as suas contas do anno de ISHf 1811:
commissao respectiva. Outro remetiendo o re-
-Milamento do corpo de poli ia : a commissao
de constituirn e poderes. Onfro remetiendo as
ultimas alteracrWs faltas no Ivco: commis-
sao de instruirn publica. Um ofTiciodo Sr. de-
putado Leonardo Bizerra de Siqueira Cavalcan-
'e, participando, que por motivo d molestia
nao podia comparecer na presenta sessSo :sel-
ente, l'm requerimento do vinario da fre-zuesia
de Santo Antonio de Caranhuns pedindo provi-
dencias sobre os conflictos de jurisdiccao que
tem apparecido entre elle e o vigario da fregue-
sia de N. S. do O' do Allinho acerca dos limi-
tes das ditas freguosias: commissao de esti-
lstica.
O Sr. Jos Pedro pedio dispensa de membro
da commissao de polica depois de apoiado ,
entrn em discussao este requerimento e foi re-
jeitado.
O Sr. Nelto Jnior mandou mesa a Indica-
Cao segninte : Duas das rnais ricas e populosas
provincias do imperio acaba de passar pelos
horrores da guerra civil. Conciderando amea-
cades as instituicSes do paiz com a recente dis-
solucao da cmara dos Srs. deputados a mor
parle deseos habitantes, semattemlera sua in-
competencia para julgardesse acto do Poder Mo-
derador, hasteou o estandarte da revolta, ar-
mando-se em delbsa d'aqnelles sagrados objec-
tos. Seo procedimento sem duvida criminoso,
excitou o zelo do governo imperial : e bem de-
pressa succunibindo ao poder da forca os re-
voltosos cederfio o passo as autoridades legacs,
que restabeleceifioa tranquilidad publica fa-
zendo-os depor as armas frafrecidas. Mas por
um capricho da fortuna, muitos cidadaos Ilus-
tres pelos serviros prestados a nacilo, por suas
luzes e posico social, e que promOTerfio com
riscos pessoaes e saudarO com sinceras de-
nioi stracoesde jubilo a maioridade do Sr. D.
Pedro 2., involvidos poriim erro funesto na
desgraca geral ou cnineni boje o negro pao de
desferro ou babilao na propria patria as in-
mundas masinorras do crime.
IWiB*>*a^"asarawHi^s^<*v^-,.'wSSaBW^^iuU^pUWjjB^raasaaPB
be cortamente o direito de interceder por aquel-
las victimas do erro peranteo throno augusto
de S. M. I. ; bravos no calor da peleja mas
compassivos o generosos depois da victoria al-
ies deselao que o denso veo de urna amnista ,
cobrindo os paseados erros, venha habilitar
seus irmaos de Minas e S. Paulo para continua-
ren a servir a nacao ajudando-os a pugnar
pela monarchia constitucional do Rrasil. Tendo
dado sempre sobejas provas do sua sincera ad-
besao a conslituicao r a S. M. 1., elles niio po-
dem ser suspeifos de aos pez do augusto impe-
rante deposltarem reverentes a justa supplica
dessa medida salvadora : e por isla indico, que
esta assembla oririlo de fao nobres sentimen-
tos depois de felicitaras. M. I. pela pacifi-
carao das duas provincias sublevadas imploro
com odevido acatamenlo, de sua paternal bon-
dade a graca de permittir que a esperanzosa e-
pocha de sen consorcio com a >erenissima prin-
cesa de aples seja marcada nos annaes do
Rrasil com a amnista dos crimes ltimamente
rommeffidos por opinioes polticas as provin-
cias do S. Paulo e Minas Ceraes.
O mesmo Sr. fez o segninte requerimento :
requeiro (pese nomoie urna commlsso espe-
cial de tres meinbros para dar o seu parecer a-
cerca da indicaran relativa a amnista para os
crin.es polticos das provincias de Minas e S.
Paulo :depois de apoiado entrn em discus-
sao e foi approvado: passando-ie a proceder a
eleicSo para a dita commissao sairad eleitos
os Sis. Mendos da Cunha com 15 votos, Figue-
redocom Me Rernardo Rabello com 9. O Sr.
Barros ("avallante mandou a mesa o seguinte
requerimento: requeiro que esta assembla
mande urna commissao de 3 de seus membros
felicitaras. M. I. pelo sen feliz consorcio :
foi apoiadoeentrn em discussao: OSr. Neto
requeiro o adiamanto da discussao* do reque-
rimentodo Sr. Ranos Cavbanle at que so
descula o parecer da commissao especial a
qiiein foi remedida a indicacSo relativa am-
nista :depois de apoiado, enlrou em discus-
sao e foi approvado. Forao lldos e remettidos
commissao de polica os requermentos de
Francisco Fernand-s Viana de Azevedo e Jos
Lopes Viana pedindo o lugar de continuo da ca-
sa desta assembla.
OIIDKM DO DA.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
Acia da segunda sesso ordinaria da Assembla
Legislativa Provincial de Pernambuco cm 3
de marco de 1843.
Presidencia doSr. Pedro Cavalcant.
Fcita a chamada achario-se presentes 23
Srs. deputados faltando com participaciio o
Sr. Lopes Cama c sem ella os Srs. Mello e F-
gueredo. O Sr. presidente decarou aborta a
sessao : foi lida e approvada a acta da antece-
dente. '
EXPEDIENTE.
l'm ofllcio do secretario da provincia remet-
iendo as contas c orcanientos das cmaras mu-
bicipaes do Recife, Olinda, Goiarina, Brejo, Bo-
nito, Caranhuns, Boa-Vista, Cimbres, Pao do
Alho e Nazareth ; e declarando nao lerem an-
da vindo as do Cabo Scrinhaem c Bio Formo-
so : commissao de contas das cmaras. Ou-
A dolorosa contemplacao do semelhante in-
fortunio constristou sobre maneira os generosos
corarfies pernambiicanos. Obedientes ao gover-
no imperial e respeitadores dasles, deseia-
v8oc( llmenle o necessario triumfo desfas, e
a fiel execurao dos decretos do mesmo governo,
sempre solicito em promover a prosperidade do
imperio. Porm restabelecida a ordem publica ,
cuja alteraeio orgia as vigorosas medidas em-
preadas seus votos constantes dirigiriio-se
desde logo ao co para-que bouvesse de melho-
rar a sorfe d'aipiellas victimas do erro parti-
Iba da humanidade. A epocha feliz do prximo
consorcio de S. M. I. coma serenissima Prince-
sa de aples, parece destinada pela Providen-
cia Divina para se enxugarem as lagrimas das
numerosas e innocentes familias, que as pro-
vincias deS. Paulo e Minas Ceraes chorao imi-
te e dia a privacSo o a miseria de seus protec-
tores naturaes. O consorcio dos Monarchas tem
sido em todos os paizes assignalados por actos
de clemencia quepinhorando a gratidao dos
povos illustrao os soberanos, que os praticao.
No Brasil, quem mais orador da innata pie-
dade de S. M. I. do que os honrados Mineiros
e os valenfes Paulisfanos que com denodo a-
ndarao eflicazmente o immortal fundador do
imperio na uloriosa empresa da nossa emman-
cipaco poltica ? A aclamaco e a maiorida-
de doSr. D. Pedro 2." forao arompanhadas da
amnista dos rrimes polticos atento commet-
lidos ; e quando Sabino, Vinagre o Baimundi
Comes gosao de tamanho benificio o consor-
cio de S. M. I que hade assegurar a prospe-
ridade do Brasii perpetuando a dinasta do
^r. D. Pedro 1.", drvar nos ferros mi no exi-
lio Tobas Jos Feliciano, Anlao e Ottoni ?
Aos Pernambucanos pelo sen sangue derrama-
do em todos os campos de gloria do Brasil, ca-
Entrou em segunda discussao o artigo primef-
ro das posturas municipaes de Coianna e foi
approvado com a emenda da commissao. Ao
arligo segundo o Sr. Neto mandou a seguinte
emenda : eliminein-se as palavras absolu-
tamenteque forem pela cmara etc. at prin-
cipis e de serem etc. al tiverem : depois
de apofada entrn tambeni em discussao .fin-
da a qual foi approvado o artigo e rejeita-
das tanto a emenda da commissao, como a do
Sr. Neto : o arligo terceiro foi approvado e re-
jeitada a seguinte emenda do Sr. Neto: eli-
minem-ae as palavrascom especialidade ha-
yendo suspeila e substtuao-se as palavras
para isto por esla cmara pelaspara esse
fim pela cmara. Ao artigo quarto viera as se-
gundes emendas : doSr. Rabelloem lugar de
dez mil reis de multa diga-se de multa propor-
cionada aos possuidos do edificante ou reedifi-
cante: additivaAquello que possuircinco con-
tosde reis para cima pagar dez mil reis e des-
la quantia para menos pagar cinco mil reis
doSr. Netoninguein pnder edificar, reedi-
ficaron concertar casas as ras ou Iravessas
da cidade e povoacado municipio sem previa
licenca e cordeacad da cmara sob pena de pa-
gar a multa de 4 a 12S reis para as dtspesas da
cmara, e de ser demolida a custa do contra-
ventor a obra feta sem licenca ou cordeaca
salva a redaccao : do Sr. Jos Pedro : substi-
tutiva supressiva do Sr. Neto supprima-
se a paJavra concertar: supprima-se a pa-
lavra laca ou concert e depois da pa-
Invra travessa a palavra estradas : de-
po de apoiadas entraran em discussao,
linda a qual foi approvada a substitutiva do Sr.
Veto, ea primeira do Sr. Jos Pedro, Meando
prejudieada a segunda e foraoreprovadas a do
Sr. Babello. Dada a hora o Sr. Presidente deo
liara ordem do dia a mesma de ho.;e e levantou-
se a sessa.
Frainiscoiir Paula Caraictnti Lacerda vice-
presidenteFrancisco Joo Carneiro da Cunha
1." secretarioT4niqnio Jos de Olivcira 2. se-
cretario.


*
RE.ATOIIIO
Da repartico dos negocios da justiga.
(Continuado do n. antecedente.)
Os estragos que produzio a rebelliiio as
duas provincias de S. Paulo e Minas lorao in-
mensos. Alm las vidas que ceifou dos in-
cendios e devastarles a que deu lugar, dasdes-
pezasque occasionou ao estado, do desfalque
que produzio e ha de produzir aindn as rendas
geraes e provincias ; reduzio muita gente mi-
seria pricipalmente na ultima provincia e as
classes menos abastadas, cujas plantarcs e crea-
cao em grande parle forao perdidas.
O procedimento dos bomensque fomentrao a
rebellio tanto mais criminoso quanto sao
futeis e falsos os pretextos com que a pretende-
rao justificar e que consto das proclamaces
manifest dosdous intrusos presidentes
Diziao que tinhao appellado para o recurso
dos povos livres como se o recurso dos pvos
livres fosse a rebellio armada das minoras.
Aquelles motivos e lins officiacs mais nota-
veis podem resumir-se nosseguintes :
1. Libertar sua mag;stade o imperador de
umasupposta coaccao em que diziao, t-
Jo posto o ministerio.
2. Sustentar a dignidade da provincia co-
mo se obedecer as leis que resulto do accordo
das vontades de sua n agestade o imperador e
das duas enmaras legislativas, em taes questes,
nicos legtimos representantes da nacao po-
desse ser cousa indecorosa !
3. Evitar que fosseanniquilada constitu-
cao ameacado e rebaixado o throno imperial ,
pela execucao das leis do concclho de estado e
da reforma do cdigo do processo.
Os argumentos com que se pretendeu mos-
trar que aquellas leis crao contrarias a cons i-
tuica do estado depois de largamente ponde-
rados, baviao sido rcpellidos por urna inmen-
sa maioria das cmaras legislativas e do paiz que
asabracou. A questao eslava portanto compe-
tentcmentejulgada ; smentea razao nacional,
nieIhor esclarecida e por meio de seus repre-
sentantes a poderia rever pelos meos mar-
cados na constituiro. Tudo o mais era anar-
chia porque se dos casos julgados pelas mai-
orias tivessem as minoras recursos para as armas,
nao bavera sociedade possvel.
1. A dissolucao da cmara.
Procuraviio assiin arredar ou falsear com ar-
mas o juizo que a nacao era chamada a profe-
rir segundo a constiluicao do estado. Gran-
de prova derao de que temido esse juizo aquel-
lesque o nao aceitarao!
Terminada a rebellio tratou-se de cum-
prir a le fazendo-se processar os seus cabe-
cas afimde que fossein punidos. Nesta triste
e penosa tarefa tem apparecido as maiores dif-
ficuldndes.
E' ella todava indispensavel porque pon-
to averiguado que a principal causa das rebel-
lies e desordens que continuamente tem al-
fligilo o paiz provOm da absoluta impunida-
de de seus autores.
O cdigo penal nao estabeleceu regras para
ciassifka o dos cabecas no crime de rebellio ,
nao declarou o que se devia entender por ess;.
palavra qual dao uns urna comprehensiio
mui ampia ao passo que outros muito a ris-
tringem.
Essa expresadocabecasexcluc a complici-
dade e o artigo 5. do cdigo penal delineo*
cmplices aquelles que directamente concor-
rem para que se commetta um crime.
O vago desta legislando devia necesariamen-
te trazer comsigo consideravei embaracos <
prestar-sc ao mesmo tempo s perseguirles e '
impunidude.
As explicacoes dadas pelo governo c pelo?
presidentes nao podido sanar esses inconveni-
entes que smento pelo corpo legislativo po
dem ser removidos.
A' essa difficuldade na formacao dos procs-
eos pelo crime de rebellio outras tambem mui-
to graves accresciiio.
Em alguns lugares nao erao processados pelat
autoridades locaes individuos que devino sei
considerados como cabecas e isto ou porque
essas autoridades cedido aos receios de compro-
mettimento as solicitacoes de amigos ou d<
credores, ou a considerares de parentesco.
N'outros movidas ou por um zelo exagera-
do ou pelo incentivo de anigos ou novos ag-
gravos, processavo individuos que posto ti-
vessem tomado parte no movimento pevolucio-
nario nao podan de modo algum ser consi-
derados como cabecas, e portanto punidos.
Daqui umadiversidade de procedimento ex-
traordinario que em taes casos sempre produz
desmoral sardo e tira toda a forca moral >
decises dos tribunaes.
Para estabelecer a possivel uniformidade em
um negocio que lequer tanta para sujeilar a
um scadinhotodasas provas existentes e dar
waiut aramia qiuu suciuaue quer aos
aecusados, o presidente da provincia de S.
Paulo de accordo com o governo imperial, e
autorisado pelo artigo 60 do regulamento n.
120 de 31 de jaueirodo corrente anno orde-
nou ao respectivo chefe de polica que discor-
rendo pelos lugares onde a rebellio se mani-
festara c chamando a si todos os processos co-
mecados formasse culpa aos individuos que
como caberas da rebellio podesse ser havidos.
Esta medida desasombrou e fez voltars suas
rasas e antigs oceupacoes urna parte da popula-
cao rereiosa e foragida e que tomar urna parte
menos importante na rebellio.
O numero dos classlficados cabecas da rebelliSo
no sul da provizcia petas autoridades locaes e
que montava a 206 ficou reduzido a 30, com-
prehendidos r.esse numero seis militares.
A justicn das localidades nessas occasioes
poucas ve/es pode ter esse nome, e quasi sem-
pre o resultado de decidida proteefao ou da vln-
ganca.
Esjc pensamento dominou na lei de 3 de de-
emhro de 1841.
Nao era possivel na provincia de Minas fie-
mes attenta a diversidade, distancias e dislgu-
al importancia dos lugares onde a rebellio se
manifestou adoptar em tudo semelhante pro-
videncia. Nao obstante, o processo de atguns
dos principaes reos foi organ isado pelo chefe de
polica.
A rebellio em S. PauloeMinas tinha o mes-
mo fim e espirito fnllavaa mema linguagem,
usava dos meamos meios, tinha as mesmas re-
Incoes para esta curte da qual recebeu a mes-
ma direceo e plano. A reunido e compara-
rdo de todas as provas colhidas em todos os pon-
tos que ella percorreu produziria a mais com-
pleta evidencia. Essas provas poim achao-se
repartidas. separadas em varios processos, e
por isso friccionadas, dcsajadas de outras que
as completando ou explicando.
As provas para o processo de reos do mesmo
delirio nao podem pois ser faccionodas em di-
versos grupos independentes sem grande prejui-
7.Q da justica e da soc'edade. E' isso ainda um
grandedefeito da nossa legislacao.
Antes que pnsseadiante, referirei que, tcn-
dn o presidente da provincia de S. Paulo em
officio que me dirigi em data de 2 dejulho
pioximo passado declaro que julgnndo in-
compativel com a trnnquillidade publica ecom
o decoro a ronservnco na mesma provincia
'los senadores Diogn Antonio Feij e Nicolao
TVrcira de Campos Vergueiro os ia fazer sa-
bir da provincia enviando-os para esta corte,
o governo imperial resolveu que seguissem para
i provincia do Espirito Santo. Esss senadores ,
'los ouies oprimeiro era vice-pres;dente da re-
'lellio de Sorocaba foro depois pronuncia-
dos no processo organisado em S. Paulo por
rausi da dita rebellio.
Chegada que foi provincia do Cear a no-
tira da dissoluco da cmara cornecou-se o
notar grande agitnco em certos individuos ,
ruja lineiingem j antes era ameacadora. Teve
o presidente dn provincia denuncia de que pre-
'endionssassina-lo c ao mesmo tempo (azor
ippnrercrum rompimento na capital, para o
liio A havia rente reunida e nao pouco arma-
mento junto fia da cidade.
Nessn mesma oceasio desertavdo varias pra-
"as do batalhao provisorio seduzidas pelo Pa-
ire Alexandre Francisco de Cerlielon Yerdeixa,
o qual j havia infruct osnmcnte tentado fazer
desertar una companhia do corpo policial da
orovincia destarada nn cidade Januaria.
No d;n 22 do mez de junho forao denunciar-
e ao d'to prudente dous soldados declaran-
lo-lhe que hnvio sido enenrregndos de assas-
'ina-lo por um certo Bernardo Antonio da Sil-
veira que frtra capito das forras rebeldes ,
me em 1839 tomrao e saque/iro a cidade de
f axias e sendo depois amnistiado em virtude
lo decreto de 22 de agosto de 18W), quebrar;
'termo que tinha assignado de residir em Per-
irmhuco passando-se para o Cear. Sendo
>reso econduzido presenca do chefe de poli-
a confessou que commettra aos ditos sol-
'ados aquelle nssnssmio mas que (i/era isso
-vomite o alferes reformado Thomaz Lourenco
la Silva Castro lh"o r-ncarregra. Declarou
nais que f-rime-ramente se havia assentado
om fazer atacar o palacio da presidencia por
'rnfa homens decididos, mas que parecendo
arriscado esse arbitrio fora tido por mais con-
veniente fazer esperar o presidente em sua pas-
;agcm na vespera da noite de S. Joao.
Este assassinato devia ser seguido de um
rompimento na capital acompanhado de ou-
tros na cidade Januaria na Serra Azul e no
termo do Crato para onde havia partido o
nlferes Thomaz Lourenco da Silva Castro pa-
ra encontrar-se coto scu irmo Jos J.ourenco
de Castro e Silva e com amnistiado da re-
bellio do Maranhao Lirio Lopes Castello Bran-
cn i que de Pernambco se passia para o Cra-
to acompanhado de alguns sequases.
Descoberta assim a conspiracao tomou o
presidente da provincia medidas enrgicas para
frustra-la e os processos nn e for!P;""o vic-
rao confirmar aquellas reyelaces.
Verifcou-se que os dous soldados cima
mencionados ja baviao esperado o presidente na
noitedo dia 21 para assassina-lo e que o ci-
rurgio Jos l-ourenco de Castro e Silva trou-
xera o plano do rompimento de Pernambuco ,
onde estivera depois que deixou esta corte na
qual tinha frequentos relacoes com o circulo a
que pertenciao os chefes da rebellio de S.
Paulo o Minas,
Havendo-se os sobreditos Jos Lourenco e
Livio passado para a freguezia do Ex na co-
marca da Boa-vista da provincia de Pernambu-
co, que confina com o municipio do ('rato, co-
mecrodecombinaco com Childerico Cicero
de Alencar Araripe Thomaz Lourenco da
Silva Castro e outros a empregar todos os meios
ao seu alcance para revolucionar esses lugares.
O presidente da provincia fez logo guarne-
cer com fortes destacamentos do corpo policial
e da guarda nacional os pontos mais ameaca-
dos a saber: a cidade Januaria e as villas de
Granja Crato Queixeramobim impera-
triz e Cascavol dando todas as providencias
para suocar logo qualquer movimento que ap-
parecesse e seguindo elle proprio para o Cra-
to levando munices armamento ealguma
tropa de linha.
Em Flores e na Boa-Vista na provincia de
Pernambuco comecou-se logo a reunir forca
de guarda nacional da qual parle se po/
promptamente em marcha para destrocar a reu-
niao do Ex e prender os perturbadores, os
quaes nao se podendo manter com a pouca
gente que tinho conseguido angariar dis-
persro-se bem como outro grupo que havia
reunido Joaquim Ignacio Pessoa e que ameaca-
va a villa da Granja.
Na comarca do Rio Formoso em Pernam-
buco em alguns outros lugares que limilao
essa provincia com a da Parahyba do Norte e
no districto de Tamatanduba do municipio de
Flor, na provincia do Rio Grande, occorr-
rao fundados receios de perturhaco da ordem
publica, as quaes porm se desvanecrao pelas
promptas e decisivas providencias que com pre-
venrao derao os respectivos presidentes.
Havendo-se debandado os desordeiros do
Ex derramrao-se pelos sertes vizinhos,
procurando esconder-se para escapar s diligen-
cias feitas para sua priso. Nao obstante forao
presos os principaes nos Imites das provincias
da Paralaba e Rio Grande do Norte ; entre as
villas do Principe e Pombal, e sendo condu-
cidos para Pernambuco evadirao-se na villa Flores, com o coronel de legiao Francisco B; r-
Sosa Nogueira Paz a quem tinhao sido con-
fiados e que com elles era connivente.
No dia 19 de rnaio teve o presidente da pro-
vincia de Pernambuco denuncia de que se pro-
urava seduzira'guns inerios de primeirj li-
nha e do corpo de polica afim de que moves-
ambem se manifestando ali indicios da existen-
ia de um plano para fazer revolucionar o im-
perio logo que fosse dissolvida a cmara dos de-
butados azendo-se rebentar ao mesmo t-ntpo
a desordem em varios pontos do centro das pro-
vincias do norte quando nao fosse possivel fa-
-la apparecer as capitaes.
Porem ou porque os promotores da desor-
dem reconhecessem que nao achario apoio na
populacao ou porque das providencias dadas
pelo presidente conhecessem que fra aventado
o seu designio nao foi perturbada a iiuuqu-
lidade da provincia.
Nesse tempo estavo os agitadores de todas as
provincias que nao tinhao a coragem ou a forca
precisa para romper com os olhos fitos sobre a
rorte, e sobre a sorte da rebellio em Sorocaba e
Minas. As noticias favoraveis causa da ordem
e do throno constitucional, as quaes logo que
aqui re. ebidas crao transmittidas para as pro-
vincias do norte por barcas de vapor esfrirao
o calor que mostravao os revolucionarios, e a da
derrota de Sorocaba cortou em flor as suas mais
caras esperancas.
Taes sao, senhores, .es fados principaes que
desde o encerramento da ultima sessao legislati-
va at hoje a Itera rao profundamente a tran-
quillidade do imperio cujas inslituices ame-
aravao subverter.
A anarchia est por ora comprimida nao
suffocada. Ella ainda tem vida e pode para
o futuro renovar a luta aberta se nao fr apro-
veitada a victoria para fortalecer o poder que
o mais forte elemento de ordem, e que pode ser
fortalecido sem prejuizo c antes com mais se-
guranca para a liberdade bem entendida, c pa-
ra as garantas reaes do cidado.
Na provincia de Pernambuco forao commet-
tidos alguns assassinatos que causrao grande
impressao ou pela maneira porque forao per-
petrados ou pela qualidade e lelaco de fami-
lias das victimas.
O do delegado de Serinhaem Pedro Caval-
canti de Albuquerque Ucha, pzessa villa em
grande agilaco durante alguns das reslabe-
lecendo-Se norm n eor?2C Cr,rn n nrpspnrn (lo
D
seguir o presidente, enviando tambem o de-
sembargador chefe de polica interino da pro-
vincia.
Nao havendo porm sido possivel descobrir
judicialmente o assassino nao obstante indi-
car a opiro geral quem elle era voltou o di-
to chele de polica para a capital. No entretan-
to o engenho que pertencia ao indigitado autor
doassinato, o qual fugo para fura da provin-
cia atacado por mais de sessenta homens cr-
inados sao horrivelmente assassidos um seu
sobrinho um scu primo c um sm cunhado e
incendiadas varias casas. Ningucm se atreve a
depor contra os autores de tamaitos attenlados,
porque grande o receio de que, absolvidos pe-
lo jury do lugar, voltem a exercer vngancas.
Supposto no meu antecedente relatorio j ti-
vesse a honra de exprtr as principaes cousas des-
te eslado violento e excepcional em quesea-
chao rnuitos lugares do interior de algumasde
nossas provincias, nao posso deixarde transcre-
yereseguintc trecho de um extenso officio do
mencionado chefe de policia interino ao pre-
sidente da provincia, e que este me transmittio.
... Nada pude colher diz elle de se-
melhante inquiricao mais do que a notoriedade
do facto por ouvir dizer nos termos mais ge-
nricos e com urna negativa absoluta dequaes-
|uer circunstancias, e ainda mesmo referencias
le ouvida ficando-mc por isso forrosamentc a
onvinecao do quetrahio a santidade do ju-
ramento oceultando e negando de todo o me-
l a verdade de que sabiao. Nem isso pode ad-
mirar, porque tambem conheci estar ali em vo-
$a, eser mxima geralmente seguida, que
ninguem pode ser ohrigado a jurar a verdi.de
om risco inminente da sua propria vida pela
erteza com que se conta da impunidade dos
Tminosos sempre absolvidos pelo tribunal dos
urados, quando se rene c maiormente quan-
lo sao podi rosos em cuja conta sedevem ter
dguns senhores de engenho e os protegidos por
stes que a maior parte das vezes se vingao com
issassinatos as testemunhas que contra elles
lepoem se logo nao sahem da Ierra para muito
'onge.. .. estes assassinatos geralmente fal-
'ando sao mandados fazer por aquelles pode-
rosos ou perpetrados sem seu mandato por as-
esinos seus protegiJos para suas emprezas a
pie chamao vulgarmente guarda-costas, a quem
"iii todo o caso prestao todo o asylo apoio e
i mais decidida protecrao para os conservar e
om elles o prestigio e respeilo em queprcten-
lem sertidos pelos outros seus vizinhos....
Nao me parece que a populacao desses lugares
iossa ser chamada popularo de homens livres
n. cidadaos deum imperio constitucional, maft
senhores e vassallos e onde as aulrridades po-
liciaes ecriminacs siio em ludo driles depen-
dentes e ainda mais do que se elles tivessem a
regaba de nomea-los : tal o estado de avilta-
mento e conecao em que ellas se achao.
Para estes e outros rasos semelhantes sao in-
lispensaveis medidas extraordinarias porque
nao basta a accio ordinaria das leis para des-
'ruir um estado to tyrannico u tao vilenlo,
e que inteiramente excepcional. Muito sede-
e esperar do tempo e da civilisaco mas a sua
are- o lenta e aquelles males nao podem es-
perar gmente della o urgente e indispens. vel
remedio.
Nos limites das provincias de Pernambuco e
Aiugoas nos municipios de Garan'nuns e Fai-
meira, existem tres grandes facinorosos que an-
rlao conslantem nle ncompanhados de extraor-
dinario numero de assassinps conhi cidos na-
quelles lugares e em Sergipe pelo nome de
espoletas e que ordinariamente se emprego
em roubar escravos na provincia de Pernambu-
co e A lagas para vend-los em Sergipe e vi-
ce- versa.
Os presidentes daquellas duas provincias ti-
nhao ltimamente dado providencias para aca-
bar semelhante bando de malfeitores fazendo
para isso o das Alag<*as marchar 120 praras
de linha e pol,cia e 80 de guardas nacio-
naes.
Alguns dos rebeldes do Maranhao nao a-
presentados e outros amnistiados reunidos
im grupos pouco numerosos tem aterrado com
assassinios violencias e depredar des asco-
marcas de Pastos Bons e Itapic ur. O vire-pre-
sidente da provincia tinha feilo reforcar os des-
tacamentos existentes nescs lugares, e ido ser a-
quelles facinorosos perseguidos.
Em officio de 4 de novembro prximo passa-
do, part* ipa o presidente do Ccar que um s-
quito de desordeiros do grupo de Jeaquim Ig-
nacio Pessoa de quem arma fallei atac/ra
no termo da Granja o subdelegado Jo- Ensebio
de Oueiroz que ficou ferido sendo rroitJ-
mente um seu irn-do, e fi< ardo rrerto oulro in-
dividuo. Estes turbulentos salteadores tem frin-
mettido < slragos nos pados e bens dos h litar-
lea da comarca que sao havidos por adherrr -
tes ao governo. O presidente da provincia ti-
nhsddu as neressanas providencia p m""c
um forte destacamento de linha que para ali fea jfossem perseguidos e processados enviando ao


jugar o chefe interino de polica com sulficicnte
forca.
( Continuar-se-ha. )
MARIO DE PEIMlliT
:.=.
3
O vapor Bihian trouce-nos jornaes do
Rio at 20 do passado.
Continua infelizmente a fobre a fazer vic-
timas todos os das; e a medicina ainda nao
p)de achar com que p.V obstculo ao progresso
espantoso d'este contagio terrivel naquella
corte.
O Exm. Bispo Capellao Mor attendendo
secca e a febre perniciosa que vai decimando a
populacho da capital determinou que haja
preces publicasad petendam pluviam. por
tres dias sem prociscao em todas as igrejas
collegiadas e as matrizes.
O Sr. K lis Ministro plenipotenciario da
Gran-Bretanha na Corte do Imperio devia ie-
tirar-se para Inglaterra no fim de Fevereiro.
O Sr. Tenente General Andrea Ibi nomcado
presidente e commandante das Armas de Minas.
Os Srs. Ministros da Marinha e Fazcnda tem
obtido grande numero de votos para a sua ree-
leicao como Deputados.
Haviao tomado assento na Cmara dos Srs.
Deputados os Srs. Concelbciros Reg Barros,
e Dr. Carneiro da Cunha Representantes pol-
ista provincia.
Carne secca Nao houvero entradas, e apezar
das vendas terem sido pequeas, o de-
posito nao excede a 1 'j.,000 e o
preco de2,200a3,0ft0reis.
Farinha de trigo Nao tem bavido entradas ,
e o deposito nao excede a 3,200 bar-
ricas e tem-so vendido de 15,00!) a
18,000 reis.
Manteiga Vondero-se cen barris chegados
de Liverpool a 500 reis a libra.
Passas Ha falta.
Ra de S. Francisco, detraz do Theatro, Ca- i corrente me? dentro do Circulo Olmpico *
doia Collegio, Crespo, Cruses, becosda Po- na ra da Florentina com a quantia de 12$
l e do Pexe frito ra dos Quarteis los- reis, o urna letra da quantia de 2008 reis, con-
do novo. Florentina, Caes do Maxado, Roda,
Palacio velho S. Amaro, B. J. das Crelas,
Aviso- mar timo.
ja de icar-secom odinbeiro quo na mesma se
adiar, e botara carteira com a referida letra no
Calabouco, letra/ da Matriz, pato da mesma. Correo desta Cidadc ; pois de nada serve a
que ni a acbou c muita falta faz a seo dono ,
cin consequenca de certas lembrancas que
na mesma se achilo o em quanto a letra os as-
l sotantes j se achilo prevenidos de nao a pagar
Pura o Rio do Janeiro a barca
Sal Oestrangeiro tem-se vendido de 750 a Irihel, capitao .los Gomes do Amorim asa-lsenao a seu proprio dono quo he Luiz Ante
800 reis o al pjeire velho.
Tabaco maependim Vendeosc de 2,000 a
1,000 reis.
Toucinho de Lisboa dem de 0,000 a 0,400
reis a (5>.
Vinagre de Portugaldem de40,000 a 55,000
reis a pipa.
Existem no porto 56 embarcaces.
fovimcnto do Porto.
COMMERCIO.
Alfandega.
Rendimento do dia 4........ 3:392S628
DesearregSo hoje 6.
Barca Brilltanl carviio.
Brigue Cynthia bacalho.
Brigue Guiare peixc vinho ceblas ,
e charutos.
Brigue Skelteflem cerveja fazendas,
queijos, oleo, chumbo e utencilios
de ferro e de chumbo para ls obras
da companhia de Beberibe.
Barca Espirito Santo dillercntes g-
neros e pedra.
Navios sonidos no dia 3.
Lisboa; brigue portuguez Tarujo 1., capitao
Manoel d'Oliveira Faneco, carga assucar.
Montevideo ; hiate americano Waldam Price ,
capitao Jancctte rom a mesma carga que
trouxe de Philadelphia.
Fundirao no lameirao os biigues inglezes Re-
lianee Newhane.
Navios entrados no dia \.
Iiircom brevidade, por ler a maior parte do
seu carregamento prompto : para carga, passa-
goiros, c escravos a frete trata-se com o seu
consignatario Joaquini Baptista Moreira, no sen
escriptorio ra de Apollo ou com o capilao
a bordo.
Para o Aracaty o hiate Vingadora, deve
sahir com brevidade e ainda recebe carga, e
tracta-se corn Manuel Joaquim Pedro da Costa.
Para a cidade do Porto de\c seguir com
toda a brevidade o brigue portuguez Ventura
Feliz capitao Antonio Francisco dos Santos ;
quem no mesmo quizer carregar ou ir de pas-
sagem dirija-se ao dito capitao ouao consig-
natario Joaquim Jos de Amorim.
= Para Lisboa com brevidade por ter a
maior parte da carga prompta o muito velei-
ro brigue Portuguez Empretendedor forrado
e encavilhado de cobre e de que he capilao
Ignacio Jos de Araujo para carga, ou pa-sa-
Val para-so ) dias, Irrigue ingle/. A gnrs | g'eiros ( para oque tem asseados commodos ,
trata-se com seu consignatario Francisco Sevo-
Jlesumo da exporlacao da provincia para fora
do imperto na mez de fevereiro de 1843.
Algodao saccas 2,439 com 13,2il (S> 3 lib.
Assucar ca xas .,(1)1
l'exos 233
Bar."* 6,014'com 306,814 @ 3 lib.
Saceos 13,072
Latas 42
Agoardente pipas 217]
'las i-Mi-
garrafes 100
Arroz alqucires........ 30
Couros salgados......... 16,651
Clfres............... 1,450
de 280 toneladas, capitao Charles Coblc, e-
quipagem 15 carga cobre : ao capitao.
Mar Athlantico ten Jo sahido de New Bedford
a 8 ','t mezes brigue americano Inga de
170 toneladas capitao Flecha G. Catwosth,
equipagem 23 : ao capitao.
Boston; 79 dias, escuna americana Mary,
de 528 toneladas, capitao Charles Jones,
equipagem 6 carga taboado e varios g-
neros : a Henry l'orster& C.
Sorra Leda; 19dias, brigue dinamarque/. Wi-
Ihelmine de 128 toneladas capitao John
Toosby equipagem 10 carga lastro : a Le
Bretn Schramm & C*
Sahidos no mesmo dia.
Genova ; polaca sarda Sommaria capitao Ja-
come Ramellas, carga assucar.
nano Rabello ou com o capitao na praca do
Commcrcio, ou a bordo.
Leildes.
Edita!.
Cobre velho............ 4i0
Doces................. 1,139
Passaros secos........... 180
Madeira paos........ 190
Sola e vaqueta meios.... 1,049
libras.
ibras.
Moeda.................Rs.
Gneros miudos e gasto.....

uior cxpcris'G
4:004,000
2:675,454
778:599 12!
Dito dos difeitos........ 86:828^858
Sahiro 29 embarcares das quaes 2 forao bra-
zileiras 10 britunnicas, 1 franceza 2 por-
tuguezas, 2 americanas 1 hespanhola, 2 aus-
tracas 1 napolitana 4 sardas 2 suecas, 1
prussiana, e 1 oldemburgueza.
I'KA;.V PO KKC1FE 4 DE MARCO.
Revista mercantil.
Cambios Est firme a 28 d. p. 18 ao qua'
tem bavido transaccoes regulares.
Algodao As entradas tem sido mais avulta-
das e as vendas tem variado de 4,800
a 5,000 reis a @, sendo o ultimo pre-
co o de inelhor cscolha.
Assucar A entrada foi regular e apparec-
rao compradores ao preco notado de
1,050 sobre o ferro.
Couros Lontinuo procurados a 145 reis a
libra.
Alcatro sueco Vendco-se de 9,000 a 10,000
reis o barril.
Azeite doce dem de 1,900 a 2,000 reis o
galao, tendo-se vendido o de Lisboa jo
ultimo preco.
Bacalho Tendo seguido para o sul um car-
regamento chegado na semana linda ,
e engaitado 9,200 por barrica, e tendo
sido as vendas mais avultadas
O III.mo Sr. inspector da thesouraria das ren-
das provinc-aes manda fazer publico, que em
vrtude da ordem do Ex.mo Sr. presidente da
rovincia de 23 de Janeiro ultimo serao arre-
matados por venda a quem ma;s der, nos dias
10, 11, e 12 (fabril prximo futuro os objec-
tos conslantos da relacao abaixo transcripta.
Os licitantes habilitados na forma da lei de-
vero comparecer na dita thesouraria nos dias
indicados. Secretaria da thesouraria das rendas
provinciaes de Pernambuco 3de marco de 1843.
O secretario, Luiz da Costa Porto-carreiro.
Relacao e avaliacao dos objectos existentes na
ponte dos Carvalhos, os quaes convem ser arre-
matados por conta da fazenda piblica.
80 alqueires de cal preta a 400 reis o
alqueire.................... 328000
1600 fijlos de alvenaria grossa, a
20.000 reis o milheiro......... 328000
Os alicerces principiados para a casa
da barreira, a saber :
3 V bracas cubicas de obra de pedra
e cal a 80,000 rs. a braca cubica.. 2808000
2 portas de amarello a 6,000 reis___ 128000
3 ditas de louro a 4,000 reis....... 128000
\ grades das ditas portas a2,560rs... 108240
Vais urna dita inferior............ 860
7 anellas de amarello a 3,000 reis.. 218000
7 grades das ditas a 2,000 reis..... 14S000
Rs. 413S880
Certificada pelo engenheiro da estrada do sul
abaixo assignado. Ponto dos Cardillos 27 de fe-
vereiro de 1843. H. A. Millet. Visto e ve-
rifieado. O engenheiro em chele L. L. IFau-
Ihier. Conforme, Luiz da Costa Porto-car-
reiro.
Deca rarjio.
= L A. Dubourcq, estando a rotirar-se pa-
ra Franca far leilao por inlorvcnco do Cor-
rotor Oliveira quarta, e quinta-feira 8 o 9 do
corrente s 10 horas da manha em ponto na
ra do Vigario n. 21 de toda a mobilia ca-
dornos da sua casa e dos escravos do seu sor-
vico, todos reeonhecidamente bons polas sua
qualidades ; igualmente far a venda publica .
sob as condicoos que no acto soriio patentes .
dos scus ptimos e bem situados predios: a
sabor emOlinda urna casa com sitio oheio de
fruteiras e terreno frtil proprio para plan-
taros capaz do grande produccao alm de
gosaralli da molliorsaude, pela salubridade do
lugar e una rasa terrea muito bem edificada ,
na ra do Amparo, a melhor d'aquella C'dado.
Na Estancia um grande sitio com tros casase
suns dependencias, o mais aprasivel do quantos
existem nos suburbios d'osta praca pela amo-
nidade do lugar e ser s'tuado s margons do
RioCapihnribe (sobranceiro a todas as cheias
do invern ) sobre modo encantador polas va-
riadas lindasscenas que olToroce particular-
mente polos nossos festivos tempos do vorao ; o
se polo lado do intoresse for contemplado nao
resta duvida alguma que muito capa' ser (\c
produsir as ma:s decididas vantagens j pelo
grande lurro que podo tirar-so dosseus mul-
tiplicados productos, e j pola divisiio, quepo-
do fazer-se do terreno para levantar novos si-
tios, que pelo progrossivo augmento dos valo-
res de terrenos prximos praca devem ser
bastantemente apreciados.
James Crabtree & C." farao leilao por in-
tervenco do corrector Oliveira de grande e
variado sortimento de fazendas inglezasde la ,
lindo e algodao : tena feira 7 do corrente s
10 horas da manha no seu armazem da ra
da Cruz.
= OCorretor Oliveira far leilao de urna
porco de gigos de garrafas vasias 137 fardos
de pcixe secco da melhor qualidade que n'esta
tem sido importado 50 barriz de vinho tinio ,
e branco do Cabo da Boa Esperanea e de 2
caxas grandes contendo 40 inilheiros de cha-
rutos de Manilha chegados prximamente pe-
lo brigue Guiare: Segunda feira 6 do corren
te s 10 horas da manha no armazem de Jos
Rodrigues Pereira& Companhia porto d ar-
co da Conceico.
Avisos diversos.
= O administrador da mesa da recebedoria
das rendas geraes internas tendo marcado o pre-
sente mez para a arrccidacao da taxa de 1,000
reis por escravo deste bairro deS. Antonio, prin-
cipiando pelas mas abaixo declarados conti-
nuando a annunciar as ras que se forem se
guindo e nessa mesma oecasio receberao as
eortides das matriculas de que tracta o artigo
s
O ARTILHEIRO N.
Amo hoje, e est venda.
25.
aug-|8.do regulamento de 11 de Abril de 18i2 ;
mentn o prc:o a 9,500 e 10,000 reis j ninguem tem comparecido, e por isso avisa peT
a refalho ; e o deposito nao excede de la ultima vez aos moradores das referidas ras ,
para que venho receberem as cerlidoes e pa- boar roupa
garom a referida taxa pena de proceder a exe-
cntivi Roccberforia 4 de Marco H IRIS
quintal: Francisco Xavier Cavalcanli de Albuuueraue,
4000 barricas.
Batatas \ endero-so de 640 a 700 reis a @.
Cal^s !c iaho patate Mera a 23:O00 r-< -
Lotera do Theatro.
Achao-se venda nos lugares do costu-
me os bilhetes da !. parte da 13.1 loteria, cu
jas rodas andao impreterivelmente no dia 10 de
abril prximo futuro.
= Aluga-se um primeiro andar de um so- .rado quem a achar e a quiscr restituir en-
brado com bastantes commodos, na ra Di- fregar no Consulado Inglez na ra do Tra-
reita a casa tem quinfa! mu grande ca im- ,'piche novo onde ser generosamente recom-
ba com muito boa agrta que serve para ensa-
rno AI ves Monteiro.
Joseph Ridgway ; retira-se para Ingla-
lerra.
Antonio Joaquim V a/, de Miranda de-
xoudeser oaiveiro da casa, ou loja de miude-
zas dos ab.iixo assigna los desde o dia 15 de
fevereiro do corrente anno. Henriqutt &
('czar.
Preciza-se de um caixeiro para balco ,
queseja desembaracado e um escravo para o
servico de casa ; na ra do Pillar em Fora de
portas n. 122.
D-se qualquer quantia a premio de 1
\'i p. 'o sobre penhores deprafa, ououro; os
pretendentes dirijo-se ra da Cadeia velha
loja n. 60 que se dir quem a d.
George Kenworthv & C. administradores
da casa lallida que existi nesta cidade com a
irnia de Gaskoll Jonbson & C. como ja foi an-
nunciado.epela mesma casa rcconhecido.annun-
cio ao publico que ninguem contrate negocio
nem outra alguma transacao com Joseph Rid-
gway sobre certa porco de fazendas estimadas
emsete confos de reis;porque tendo osannunci-
anfes requerido judicialmente o deposito dellas
nao aparocem laos fazendas e o annunciado se
tem negado aprezenla-las tendo sido notili-
ivido para islo e sobre o que os annunciantes
proseguern pelo direifo que Ibes assiste com
o que previncm qualquer procedimento que
apparecer possa.
O Sr. Jos da Trindade Gravat queira
pianto antes aparecer na ra do Sebo na casa
|ue bem sabe, para concluir o negocio que esta
obrigado.
Da-se dinbeiro a premio cm grandes o
em pequeas porces, sobre pin boros de ouro ou
jirafa passando o muro da Penda no segundo
sobrado no segundo andar,
Os Senhores .Miguel Antonio Moreira
Salvador c Antonio Lopes Pereira de Mello ,
pieirao dirigirse a ra estrofa da Rozario n.
13 parase Ihesentregar duas cartas vindasdo
Porto.
OlTercce-se um mosso branco para cozi-
nbeiro de urna casa particular o qual faz todo
o servico do que tem bastante pratica ; quem
preci/ar procure nesta Tvp.
ss Antonio Furtado de Mendonca retira-
se para lora do imperio.
Nao houve engao algum em indicar-se
o sobrado n. 22 da praca da Boa-vista para com-
prar-se tijolos ; descuido foi de quem procurou
ossa casa e nada perguntou a moradora do
primeiro andar.
Aluga-se tima casa terrea na ra de S.
Goncalo lado da sombra com tres quartos ,
quintal murado, e cacimba : trata-se com Mar-
cellino Jos Lopes.
(v)uem annunciou querer alugar urna ne-
-MM do meio dia para tarde ; dirija-se a ra da
Praia n. 45, segundo andar.
D-se quinhentos mil reis a premio de
2 p. "a ao mez, sobre penhores de ouro e prata
pelo lempo que convier, tambem se aluga men-
calmente urna boa canoa aborta muito forte,
fabricada de prximo, que pega em dous mil
tijolos de alvenaria; na cidade de Olinda, no si-
tio dos Tamarindos adianto dojardim Botni-
co que achara com quem tratar.
Aluga se o sobrado de dous andares, nos
Quatro cantos da Boa-Vista e a casa terrea n.
3 a fallar com Manoel Caetano Soares Car-
neiro Monteiro.
= Costodio Jos Alves de novo annuncia,
que o hiate Flor de Larangeira Ihe he respon-
savel, por urna porco da carga que Ihe nao en-
trogou na viagem que (ez a Camam em Marco
do anno passado, como dos documentos em seu
poder, e que at hoje nao tem sido satisfeita.
= Pelo juiso da 1.* varadocivel se hSo de
arrematar no dia 10 do corrente, pelas 4 ho-
ras da tarde as fazendas crditos e letras
penhoradas'a Joaquim Domingues de Souza,por
exerucao de seus credores sendo a arremata-
do no btfirro do Rncife na porta da loja do
mesmo Joaquim Domingos de Souza.
= Perdoo-se nojed'uma carruagem indo da
ra Nova Benifica, urna espada com o cabo dou-
a tratar rom o propriotario na ra
do Crespo n 12 lado do norte.
Rora-SO a nossos* ""jeSch^U 'JT!5 cnrlm'ra
de marroquim verdo, em a noite do dia 2 do
peneado.
Precisa-se de urna ama de leite na estrada
de Joan de Barros, sitio do capitao Paulo
Nu iiiilequim sorvetes de hoje em diante.


4

A quem Ihe faltar um escravo pouco la-te meu mano Joo Gome? Moreira, comopri-
dino quedi/chaiiir-se Antonio, e perten-! meiro procurador e em segundo o Sr. Ange-
cor a um Sr. de engenho perto desla praca o j lo Francisco Carnoiro.
qual se achou muit., inchado de frialdade di- = Jos Antonio da Cunha vai a Portugal
rija-se quanto antes a cidade de linda a fal- tratar de sua saude deixando com todo o seu
lar com Antonio Tristao de Serpa Brando Ju- negocio seu mano e inleressado Henrique Jo-
nior que dando os signaes Ihe ser entregue, s da Cunka.
nao se responsabelisando em cousa alguma pelo = Precisa -se para um engenho distante
desta Cidade 9 legoas de um feitor que tenha
inteira pratica desta oceupacao : na ra do
Mondego n. 47.
= Precisa-so de um sacerdote de bons eos-
turnes para capello de um engenho distante
desta praca 14 legoas, a quem se far bom par-
tido : na ruaestreita doKozaiio n. 31, pri-
meiro andar.
inesino escravo.
Na ra Direita n. 69 deseja-se fallar
com o Snr. Joaquirn Cardozo Coutinho de
Abreu natural de Lamego, a negocio de seu
interesse e tamhem se roga a qualquer pes-
soa que sai ha aonde existe o dito Sr. de parteci-
parem dita casa que se agradecer.
Na ra Nova loja n. 58 ha urna car-
roca c cavall para a quem pagar, e fazer o
servico (|ue foi possivel.
Aluga-se urna casa terrea no bairro de S.
Antonio nao sendo eni becos para pouca fa-
milia que tenha quintal e cacimba e que o
seu aluguel nao ex eda de 12,000 mensaes ;
quem tiver dirija-so a ra Direita n. 103 ,
das 8 horas em diante, todos os dias uteis.
= Joze Soares de Aze.edo lente da lingoa
Franceza do Lyeo tein aberto em sua casa
ruado C.dlegio n 14 primeiro andar, um
curso de lingoa Francesa e outro de Philoso-
phia. As pessoas que desejarem estudar uinaou
outra destas disciplinas podem dirigir-sc a
casa do annunciantc, de rnanh at as 8 horas ,
v de tarde das 3 em diante.
O Sr. Francisco Goncalves da Costa ,
queira ter a bondade de ir a ra da CrU2 do
Recita, para finalisar o negocio que nao ignora.
Jo/e da Silva Moura faz sciente ao
respoitavel publico assim como a todos os seus
redores que as suas duas casas de negocio si-
tas as 5 pontas que foro fechadas por or-
deno do Sr. I)r. Delegado, em consequencia de
urna denuncia dada por pessoas inimigas, como
se conkeeer ja se acho abortas, e em anda-
mento o seu negocio como dantes comprando
e vendando por seu bastante procurador ^Fran-
cisco Martins Ferreira, pois o annunciante
considerando-se sem culpa nao mudou de esta-
do nem de condicSo nem de crdito; e os seus
credores e aquelles Snrs. que tem penhores
em mo do annunciante podem entender-se
com aquelle seu procurador bastante que de
Compras.
tudo est encarregado.
Perdeo-se no dia 2 do correte um sa-
quinho de riscado azul com 3 relogios de
prata com chaves novas : quem os achou leve
na ra do Oueimado, l>ja n. 1, dos Srs. Fran-
cisco Jo e Teixeira Bastos* Companhia.
Ouem precisar de urna ama para en-
gommar cozinhar coser e todo o mais
servico de urna casa de homem solteiro ou
viuvo dirija-se a ra do Liyramento n. 22.
Quem annunciou querer vender um mo-
leque de 15 e um preto de 20 a 28annos,
dirija-se ao pateo da S. Cruz venda n. 70 ,
esquina dos Pires.
Cjuern quizer alugar urna negra para
vender azeite de carrapato ; e tamhem com-
pra seuma casa que naoseja foreira dirija-
se a ra Direita n. 59 ou annuncie.
=: Aluga-sc duas casas na estrada do man-
guinho sendo urna na esquina que volta para
a estrada velha da Capunga por preco bastan-
te commodo ; os pretendentesdirijo-se a ra
da Cadeia do Becife loja de chapeos n. 46.
= Aluga-se um grande armazem com por-
ta de cocheira e bastante arpjado ptimo para
qualquer especulaeo por ser tambem muito
perto do porto de desembarque ; quem o pre-
tender dirija-se ao tanque d'agoa do Catao na
Boa-vista ra velha n. 2
s= Pedro Nunes da Fonceca retira-se des-
ta Provincia.
= Francisco Jos da Silva Bogadas subdi
lo Portuguez retira-se para fora da provin-
cia.
Bento Jos Bibeiro de Souza subdito
portuguez Tetira-se para Europa.
= Da-se 600,000 rs. a juros de dous por
cento sobre penhores de ouro ou sobre hy-
polkeca de urna casa livre e desembarassada :
no atierro dos Ahogados, defronte do viveiro
do Muiik armazem de sal n. 77.
=2 Herculano Jos de Freitas avisa a todas
as pessoas que tem pinhores em seu poder ja
vencidos a sen tempo kajo de os vir tirar da
dac'a deste a oito dias se nao passar a vnde-
los para seu embolco visto alguns nao che-
garem para o principal e juros enconsequen-
cia de alguns estarem a 5 para 6 annos ja ven-
cidos e para que se nao chamem a ignorancia
faz o presente annuncio pois que at aqu nao
tem usado de os vender, nao obstante ja ter
feito varios annuncios, e este he o ultimo.
= Antonio Monteiro Pereira, retira-se pa-
ra fora do Imperio.
= Jos Gomes Moreira faz-se-lho precizo
hir a Portugal a tratar de seos negocios -, e per-
tende voltar com muita brevidade e deixa a
sua casa e lojas no mesmo grroao todo e fi-
Compra-se o terceiro tomo do Archivo
Thcatral ; quem tiver annuncie.
Compra-se um quarto para carga que
soja novo gordo e possante : na Cid..de de
Olinda no sitio dos tamarinosadiante do jar
dim botnico.
Compra-se armaocs de camas de vento,
de amarello pinho c louro: na ra da Cruz,
armazem de trastes n. 63.
Compra-so para fora da Provincia efecti-
vamente mulatinhas ciioulas, e mais escra-
vos de 13 a 20 annos, pago-se bem sendo bo-
nitos : na ra do Livramento, n. 3.
Compra-se a collecao do Panorama des-
de a sua origen) at 31 de Dezembrode 1842:
ua ra da Cadeia do Becife n. 38.
Compra-se urna corrente do ouro sem le
to 1 botode abertura de camisa um escra-
vo de 20 annos sem vicios e nem achaques ,
e que tenha bonita figura : na ra do Bangel ,
n. 81.
annos sem vicios, e nem achaques, proprio
para todo o servico e igualmente um negro de
26 a 28 annos pouco mais ou menos; quem pie-
tender annuncie.
= Vende-se um escravo moco de naco, co-
zinha bem o ordinario sem molestia esem
vicio algum boa figura ; urna escrava de na-
co cozinha cose chao lava roupa tanto de
varrella como de sabo e engomma e nao
tem vicio algum ao comprador se dir o moti-
vo porque se vendom.
as Vende-se urna casa terrea de tijollo c cal,
com soto e mais trez ditas de taipa com um
grande quintal tondo neste alves de frutas ,
em Olinda no lugar da biquinha de S. Pedro :
no Atierro dos Affogados no sobrado do Cima.
= Vendem-seos livrosseguintes : escola de
anecdoctas ; Atlas moderno para uso da nio-
cidade historia de Gilbraso n. 3. e 4. ; filo-
sofa por amor; officio d< semana sancta con-
forme o miss I, e briviario Romano ultima-
mente correcto por ordem e mandado do Papa ;
Rimas de Manoel Maria com bellos sonetos;
mil e urna noite os tomos 2. 3. e 6. ; noti-
cia verdica dos acontecimentos que tivero lu-
gar no serco do Porto nos annos de i832 a
1833 ; amada noiva Brasileira ; opuscolo so-
bre os deveres dos espozos a noiva Brasilera ,
Diabo Amoroso Pedro Novclla ; Honrado
Negociante tralado da orthografia l'ortugue-
esquipar e bastante grande por preco com-
modo : no Atierro da Boa-vista loja de cha-
peos de Salles & Chaves ; assim como um negro
j idozo o qual sabe mugir leile, e tratar de vac-
case outro bastante moco, bonita figura, e cor-
pulento ; na mesma loja cima.
\ ende-se por preco commodo um cor-
do de ouro: na ra Nova, n. 20.
Vende-se um cavallo rus-o pomho bas-
tante gordo, com todos os andares por preco
commodo: na Solidado defronte da Igreja, n. 6.
Vende-se urna commoda de amarello
do uso muito bem feita de columna por
preco commodo: na ra de Agoas verdes, n. 38.
^ ende-se superior rap Princeza de Lis-
boa ltimamentechegado em librase oita-
vas sapatos de lustro para senhora e borze-
guins ditos gaspiados para sen hora sapatos do
bezerro de 1 e 2 solas para homem c botins
ditos ; e maissortimentosde miudezas por pre-
co commodo : na praca da Independencia lo-
ja 38 e 40.
Vende-se quatro pipas de agoardento
branca de 22 graos por preco commodo no-
Trapiche do >r. Angelo Francisco Carneiro :
na ra larga do Bozario n. 50.
Vende-se sorvete de frutas e creme de
11 horas do dia at 8 da noite: hospcJaria
commercial hotel ra da Cruz n. 38.
\ ende-se um talim hranco novo sem uso
Vendas
algum
^ ende-se por preco muito commodo e
mesmo troca-se por predios nesta praca um
sitio na estrada do Arraial com boa casa de
podra ecal bastantes fruteiras, boas trras
para plantar e cacimba com muito boa a.'.oa ,
o qual fica confronta ao do fallecido Burgos ;
adverte-se que a pessoa que o pretender nao
deixar de fazer negocio a vista da barateza do
preco ou condices favoraveis da permuta : a
tratar na ra larga do Bozario ; n. 30 primei-
ro andar.
\ ende-se diamantes para cravadores ,
relogios de caixa de ouro e de prata, e varias
obras de ouro e prata sem feitio pesos e me-
didas de pao o de folha balancas para halcao ,
pipas, quartolas, e barris vasios : as 5 pon-
tas n. 45.
Vende-se urna preta boa arranjadeire de
urna casa e quitandeira : na ra do Rangel ,
n. 7.
= Vende-se um cavallo de bom tamanho ,
com todos os andares e sem deflbito
na ra do CJueimado loja n. 14.
Vende-se um preto de 18 annos pro-
prio para qualquer servico, principalmente pa-
ra o campo : na nu. do Crespo n. 12.
"*^= Vende-se o curso normal de Geometra e
Mecnica applicada as artes por Dupin ; Ari-
thmetica porPayarard ; Geografa por Basilio ;
Grammatica Inglesa por Modisi, Tratado de
Ecconomia Poltica por J. B. Say e E. Politi-
ca por Ferrier tudo p'- muito commodo '.to-
co : na ra Direita, n. 78.
Vende-se um bote novo com todos os
seus portences : a tratar com o capitao do bri-
gue ^ entura Feliz, Antonio Francisco dos
Santos ou com Joaqum Joze de Amorm, ua
ra da Cruz n. 45.
Vende-se urna novlha filha do Pasto ;
bastante gorda e ainda nao pari : na praca da
Boa vista n. 26.
= \ ende-se um sitio com casa de vivenda
de taipa, cacimba, carvoredos, juntamente
um terreno com 100 palmos de frente e 1000
de fundos ambos na estrada da ConceicSo que
vai para Belem : a tralar na mesma estrada de-
fronte do Sr. Visconde de Goianna.
\ ende-se arroz de vapor chegado l-
timamente do Maranho a 2350 a arroba:
no armazem de Joaquim Goncalves Vieira e
Francisco Dias Forreira defronte da escadi-
nha da Alfandega.
=t= Vende-se urna venda na ra da Manguei-
ra n. 20 detraz do assouguc da Boa-vista ,
com os fundos a vontai e do comprador a dinhei-
ro, ou a prazo : a tratar na mesma venda.
=ss Vende-so 2000 alqueires de superior sal
de Lisboa chegado ltimamente : no escriptorio
de N. O. Bieber & C* ra da Cruz, n. 4.
= ^endo-soum escravo de naco ptimo
cozinheiro : na ra do Vgario a tratar com
Luiz Pistor casa n. 11.
= ^ ende-se urna venda na praca da Boa-
vista na esquina do beco do \ eras com pou-
cos fundos : a tratar na mesma.
/a, epithomeda grammatica filosfica, tudo algum para official ou cadete de batalhoa
por barato preco ; na ra da S. Cruz n. 56. P por menos do seu valor por nao ser mais
Vende-se presuntos inglezcs, queijos Ion- preciso ao seu dono ; quem precisar annuncio.
drinos, conservas de todas as qualda tasem conserva proprias para pastis, herrengs, de 36 graos proprio para marcineiro e chape-
latas de salmao em conserva ditas de caca, leir0 Por preco de 1:440 a caada e sendo
cando authorisado por urna procurnriSn hastnn-l = Vende.-sn utn meleque cea: idade dn 15 = Vnje_ 5K: cavco crregador hairn Re^u's: "a Tvr. ee M. F. p^Far..8*3
soupas, ervilhas caixinhasde cha imperial,
de duas libras cha preto superior em em-
brulhos de urna quarta de libra proprio para
casa de familia dito hisson c aljfar vinho do
Porto, Sherrv. Constancia, Tenerif, Madei-
ra Claret, Champanhe superior genebra
em frasqueiras e garrafes agoardente de
Franca, licores de todas as qualidades, ma-
roscino serveja branca e prela em barris e a
retalho lingoas salgadas, carne salgada a re-
talho e em meios barris etcovas de cbelo
proprias para sala ditas para sapatos ditas
para.carro pinceis para pintar saceos de ta-
pete proprios para conduzir fato tijolos de
limpar facas caixinhas de Seidlitz dito em
vid ros passas miudas proprias para pastis,
tamboras de passas boas para podins, alcapa-
res e rnais ohjectos tudo da melhor qua-
lidade: no armazem de Dowsley Prytz & Com-
panhia, ra do Trapiche n. 44.
= Cadeiras americanas com assento de pa-
Ihinha camas de vento com armacao com-
modasde angico ditas de amarello marque-
zas de condur camas de vento de amarello
muito bem feitas a 4500, ditas de pinho a 3500
assim como outros muitos trastes; pinho da
Succia com 3 polegadas de grossura dito
serrado, dito americano corn dilTerentes largu-
ras ecomprimentos travs de pinho e bar-
rotes com difieren tes grossuras e comprimen-
tos ; tudo se vende mais em conta que outra
qualquer parte: na ra da Florentina em
casa de J Beranger n. 14.
= Vende-se urna porco de cebo pizado :
na ra das Cinco Pontas n. 23.
= Continua-se a vender bichas ultima-
mente chegadas de Hamburgo tanto em centos
como em porcoes pequeas, por preco commo-
do assim como rr> rolo hamburguez em
garrafas a^OOO cada urna, e outras umitas miu-
dezas por preco commodo, na Praca da Inde-
pendencia n. 39.
Vende-se bicos brancos e estreitos abo-
toadurasde massa a 500 reis, ditas de duraquea
600 reis oculos de armacao a 1:280 fitas de
gana linhas de carritel a 30 reis sabonetes
finos a 60 reis tezouras finas a 500 reis fa-
cas de cabo de osso a 2:400 a duzia mei; s pre-
ta de algodao a 400 reis o par lavas pretas de
seda a 400 reis ; na primeira loja de miudezas
da ra do Cabug n. 3.
= Vende-se cavalla secca em pacotes de
quintal a 8:500 este peixe j bem conhecido
no Bio de Janeiro aonde sempre tem um va-
lor superior ao bom bacalho, he s ultima -
mente que tem sido importado para este porlo,
e pela sua boa qualidade nao lardar a ser um
genero dos mais procurados : no armazem do
Gu i maraes defronte da escadinha da Alfandega.
Vende-se na loja de Carioca & Sctle ra
do Queimado n. 25, chapeos de sol de seda
muito bons bicos pretos lencos pretos de su-
perior qualidade meias pretas de seda de todas
as qualidades riscadinhos finos para camisas e
aquetas sarjas pretas, setins decores, ve-
ludo preto e de cores ; e todas mais fazendas
por muito commodo preco.
= Vende-se agu has Portuguezas chegadas
ltimamente de todas as grossuras tanto pa-
ra alfaiate como para senhora por pre-
co commodo : na ra do Cabug loja de miu-
dezas n. 4.
porcoes grandes por 1:280 : na ra Nova ven-
da de Manoel Ferreira Lima.
^ ende-se trastes de varias qualidades e
superiores, tanto vindos do Porto como leitos
no Paiz do melhor goslo possivel, e por me-
nos do que em outra qualquer parte : no ar-
mazem de trastes da ra da ( ruz n. 63;
na mesma casa cima tambem se recebe qual-
quer encomenda de mobilha para se fazer com
toda a brevidade, e ao gosto de quem encomen-
dar.
= Vende-se ou permuta-se um sitio no.
lugar dos Hemedios denominado Engenhoca ,.
junto a Igreja corn urn sobrad i nho e estri-
barla de pedra e Col e sen/alia para e?cravos y
terreno para pastar 16 vacras, baixa para plan-
ta de capim um viveir > e terreno para outro
quasi prornpto barro para toda qualidade de
obra de olaria porto de embarque coquei-
ros, manguciras; no mesmo sitio tem barro
para quartinhas muringucs ; e outras obras :
a tratar no mesmo sito ou na ra Nova venda
de Manoel Ferreira Lima.
Vende-se travs de qualidades superiores,
de 35 a 50 palmos de compriinento e grossu-
ra de 7 a 12 polegadas: na ra do Vigario, n. 3.
Escravos fiigirios.
= O abaixo assignado faz publico que tendo
no dia 29 de Dczcmbro desembarcado de bordo
do Hiate Olinda um escravo que Ihe foi re
mettido d,> Aracaty para aqui ser vendido ; urna
hora depois de estar em casa sahindo este a
ra nao voltou rnais : depois ento deste acon-
tecimento foi que urn outro escravo contou ao
abaixo assignado que o fgido Ihe dicera que
haveria 4 annos elle tinha sido furtado a seu
pnssnidor morador n;im q bandas de lguarass.
e Sr. de varios engenhos eque vendido em
Pedras de Fogo para o Serlao ali perlencera a
diversos Srs e que se um dia elle viesse a Per-
nambuco fugiria para o poder de seu primeiro
r.: nao sabendo pois o abaixo assignado, sese-
ra verdadeira osla historia nem tambem ani-
mando-se a duvidar d'ella leva ao publico este
acto, e roga a qualquer Sr. de engenho que
se achc nelle comprehendido de se dar a co-
nhecer por esta folha visto que o abaixo ssigna-
do nao pretende questionar o seu legitimo do-
minio e sim verifica-lo e documenta-lo a
fim de que a parte que se acha em tal preju-
dicada reclame de quem ltimamente vendeu-
Ihe o dito escravo Apezardeato prezentc ,
ninguem ainda se ter declarado embora tenha
th por vezes saludo a luz este annuncio com
tudo o abaixo assignado continua a da-lo ao f.re-
lo, persuadido que a nda nao forao bastan-
tes estasvezes, para que elle chegasse ao conhe-
cimento de quem se deseja. Manoel Dias.
P. S. os signaes do escravo sao os seguintes :
negro, nao muito retinto, idadcde!7al8
annos bonito de figura corpo espigado na-
co Mexicongo tendo os (lentes da frente cor-
tados chamava-se presentemente Francisco ,
e fugio corn camisa de panno hranco chapeo
de palha do carnauba de copa baixa, cabs
pequeas, e com duas calcas urna de algodao
o outra de riscadinho azul e branco por cima
d'aquclla.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1OWNWMO7_E5IABQ INGEST_TIME 2013-04-13T02:15:34Z PACKAGE AA00011611_04905
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES