Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04864


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1843.
Sabbado 14
Tado agora depona de nos aaeeinos da nossa prudencia, aoderecao energa : con-
tinnemoi como principiamos e seremos apontados com admiraoao enire as Nacfies maii
. collas. ____________ ( Proclamaeo da Assembla Geral do Bb/al.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES
Soiaena, Parahiba e Rio grande do Norle seganda ; e sextas feira.
Uonilo Garanhuns a 40 e 24.
Cabo, Serinhaem, Rio Formoso Porto Cairo MaceiA, e Alagoas no 4. 11 J|
Boa-sl e Flores 28. Santo Anuo quintas feiras. Olinda todos os das.
DAS DA SEMANA!
9 Sg- Jnha *ad- io de D. ** 2- T- '
jq Xerc. P,u, Kremil Aud. do .1. de D. da 1. .
i I Quari. HyginoP. M. Aud. doJ. deD. da 3. t.
42 Oaint SatyroM. Aud. do J. de D. da 2. t.
, s, Hilario B. Aud do J. de D. da 1 T.
4i Sab.'i. Flix M. Re. And. do J. de D da 3 t.
14 Dom. O SS. Norae de Jeius s. Amaro Ab.
de Janeiro;
Anno XIX. N. II.
O Diario publiea-se todos os das que nao forem Santificados : o preeo da assignatara kr
de tres mil reispor quartel pasos adiantadoa. Os annuncios dos assignantes sao inserido,
gratia, e es dos que 6 n3o forem a raio de 80 reis por inba. As rerUmacoes derem ser dtri.
pilas a esta Typ., roa daaCruiesN. 34,oq a prana da Independencia lojade lirrosN. 6a 8<
CiUBios.No da 43 de Janeiro.
Cambio obre Londres 27 \ Nominal. j Ocfto-Moeda de C.400 V.
a Paria 350 reis por franco. N.
a a Lisboa 100 por 100 de premio, j
de 4,000
| PBiTi-Patacea
Petos Columnares
ditos Mexicanos
compra renda
15,200 15,400
15,0l)J 15,200
8,400 8,600
1,780 1,800
1,780 1,800
1,780 .800
Moeda de cobre 3 por 100 de descont.
dem de letras de boas firmas 1 J. 'a
PHASES DA LA NO MEZ DE JANEIRO.
Las Nora 30, i 9 horas e 42 m. da maah. I La cheia k 16, as 5 horas e 36 m. da manh,
Qaarl. creso. 4 8, as 5 horase 52 sa. da tard.| Quart. min. l, s 10 horas* 42 aa. da I,
Preamar de hoje
1. a 3 horas e 42 aa. da manira. | 2. a 4 horas e 6 m. da tarde:
E PE
uco.
PARTE OFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 6 DO CRREME.
Oficio Dj secretario da provincia ao ter-
ceirocommandanle doeprpo de polici? Ma-
nuel Pedro de Souza commandante do desta-
camento de SerinhVm prevonindo-o de or-
dem do Exm. Presidente da provincia para
com o destacamento de seu cotnmando im-
pedir que fosse invadido o engenho Genipapo
pelos inimigos de leu proprietario Antonio
Francisco do Reg Rarros que a elle che-
gara no dia 2 com 20 homens armados em
consequencia do que constava pertenderem
attaca-lo com intervenco do delegado sup-
plente, a que se puzesse em attitude de
manter a seguranga publica obstando a qual-
quer invasSo que se pertendesse fazer no
ditoengenho e a que delle sahissem gru-
pos armados para exercerem reprezalias fa-
zendo dissolver todo e qualquer ajunharaento
armado, que apparecesse as visinhangas
do referido engenhopro ou contra.
E que esta mesma determinado partici-
passe ao commandante do destacamento de
polica do Rio Formoso.
dem do da 7.
Oflicio Ao inspector da thesouraria das
Tendas provinciaes, devolvendo o requer
ment em que Anacleto Pereira de Sonta
e Si va pede o pagamento das despesas, feitas
com o aluguel da casa que serve de quartel
ao destacamento do termo da Boa-Vista, e
rom o fornecimento d'agua e luzes res-
pectiva cadeia : e determinando faca-lhe
constar que procedendo a duvida do conta-
dor d'aquella thesouraria deve elle apresentar
documentos em forma que legalisem as re-
feridas despesas.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda, ordenando que mande pagar ao pri-
meiro tenente Antonio Jos de Mello com-
mandante do destacamento de primeira linha |
do termo do Rio Formoso a quantia de reis
8640 que despendeo com o aluguel de 2
cavallos no regresso Jo mesmo destacamento
para esta capital.Communicou-se ao com-
mandante das armas.
Dito Ao director interino do arsena. uc
guerra determinando que faga receber do
commandante da companhia de artfices e
recolher aos armazens d'aquelle arsenal pa-
ra terem o conveniente destino, o armamen-
to e corrame constantes da reiago que
lhe envia.-Participou-se aj commandante
das armas.
Portara Mandando observar o regula-
memo para o corpo de polica firmado em 2
de junho do anno passado menos na parte
penal Remetteo-se um exemplar do dito
regulamento ao commandante geral do corpo
de polica para que guardada a retenda
exoepco, o pozesse em execugo.
Dita' Dispensando Antonio da Rocha e
Souza do cargo de delegadosupplente em se-
gundo lugar do termo de Garanhuns; por as-
srno haver requerido. Communicou-se ao
cliefe de polica interino.
Ditas Nomeando para subdelegados ,
de Maranguape a tenente-coroncl Joo de
PinhoBorges; de Plores ao cidado Marcos
Ferreira Cmara \ da freguezia de S. Jos
do termo de Flores Joaquim Baptista de A-
zevedo ; da de Affogados do mesmo termo a
Joo Manoel Atbayde da de Baixa-verde a
Francisco Xavier Martins ; da de Serra-ta-
Ihada Manoel Nunesdo Souza ; da de Co-
lonia Francisco Ferreira Cavalcante ; e da
freguesia das varas Laurentino Angelo de
Almeida Lima Farticipou-se ao ebrio de
policia interino.
DitaAo inspector do arsenal de man-
niiP mnHe examinar o
r>K
_ 1-----------A~
viuvuuuuw ,
concert de qne precisa a escuna = Lebre=;
e que do resultado d'este exame d parte
Presidencia para resolver a respeito.
Oflicio Ao engenheiro em chefe das obras
publicas aulorisando-o a mandar preparar
osobjectos, necessarlos aos trabalhos rela-
tivos ao levantamento da planta da provincia,
eem que tem deempregar-se fra desta ca-
pital : e intelligencianJo-o de que nao de-
ver sahir para esse fin. seno depois que
tiver remettido a secretaria da presidencia ,
para sor presente A. L. P. o relatorio do
estado de sua repartido. Communicou-se
ao inspector da thesouraria das rendas pro-
vinciaes e as inspector fiscal das obras pu-
blicas o conteudo na primeira parto deste ol-
ficio
Dito Ao director interino do arsenal de
guerra, ordenando, que mande promptifi-
car com a brevidade possivel 2o0 bonets de
gorra para o batalho provisorio do Cear ; e
leve a importancia de sua despesa a conta do
supprimcnto que se faz aquella provincia.
Commnicou-seao inspector da thesoura-
ria da fazenda.
Dito Ao mesmo determinando que
mande apromptar os objectos precisos ao
hospital regimental da provincia do Cear ,
e o instrumental para a muzica do batalho
provisorio da mesma provincia constantes
das duas relages que lhe envia ; e que re-
meta thesouraria da fazenda a conta da
respectiva despesa para ser paga da quota
consignada para suprimento d'aquella pro-
vincia. Olficiou se respeito ao inspector
da thesouraria da fazenda.
DitoAo mesmo significando em res-
posta ao seu olficio de 4 do presente mez, que
dos mappas que lhe foro exigidos deve
remetter secretaria da Presidencia os rela-
tivos aos 3 ltimos mezes do anno prximo
findo.
Portara Demittindo Joo Nepomu-
ceno Paes de Lira do lugar da supplente do
delegado do termo de Santo AntSo por ha-
ver em abuso do seu emprego como consta
de um olficio que dirigir ao tenente-coro-
nel commandante do primeiro batalho d.*
guarda nacional de Sant;> Anto recrutado
indevidamente um corneta do mesmo bata-
lho o depois soltado-o pedidos d'um seu
amigo.Communioou-se ao chefe de policia
interino.
rt(T5j3 kmn nanector d thesour9ri rf*
fazenda, ordenando que em confermidado
do artigo dez das instrueces de 8 de abril
de 1841 mande pagar ao primeiro com-
mandante da segunda companhia do cor-
po de policia Severino Henrique de Castro
Pimentel a quantia de 5ji00O reis por cada
recruta idneo.
DitoAo mesmo determinando, que man-
de pagar ao tenente Jos Augusto de Mene-
zes Prestes ou pessoa por elle autorisa-
d a quantia de H4000 reis que des-
pendeo com o frete de seis cavallos, que con-
duziroda villa de Flores para esta capital a
bagagem da stima companhia dooitavo ba-
talho de caladores que all se achava es-
tacionada. Participou-se ao commandante
das armas-
Dio__Ao inspector da thesouraria das
renda* provinciaes devolvendo o requeri-
tnento de Joao Saraiva de Araujo fcalvo ; e
significando, que vista do que informou o
contador d'aquea thesouraria nao pode ter
lugar o pagamento pedido pelo menciona-
do Saraiva.
COM MAN DO DAS ARMAS.
expediente do da 4 DO corrente.
Oflicio Ao Exm. Presidente enviando-
U,t> a palafito nominal dos individuos que
VOlUlim'"'"1""*' 1 v '*"~' *""""" ----------------------
praca em todo o mez de Dezembro do anno
prximo findo.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. enviando-
I lhe o parecer da junta de Saude e propondo
para dimico em virtude de incapacidade
|fizica a um soldado de Cavallaria, um da
Companhia d1 Artfices e 4 do Deposito, cu-
' jos nomes hio escriptos no referido parecer.
Dito Dj Secretario militar ao Comman-
jdantedo Destacamento do termo do Cabo,
! reinviando-lhe parte do; papis de contaba-
lidade relativos aos mezes de Novembro e
Dezembro para serem de novo organisados
conforme os modellos que enviou.
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERALi
Cmaras dos Srs. Senadores',
A primeira sesso preparatoria teve lugar
no dia 26 ; os Srs. Senadores presentes sao
10 ; reconheee-se existir na corte numero
sufliciente de srs. senadoras: nomea-se a
deputaefio que deve pedir a S. M. a hora e
lugar para a abertura da A. G.-L-se o diplo-
ma do sr. Ameliano e encerra-se a sessso.
Na2.a l-so o diplomado sr. Carneiro
Leo.
CMARA DOS SENIIoRES DEPILADOS.
A primeira ses:s5o preparatoria he a 24 : e-
leita a meza por acclamagao ; o presidente
he oSr. Cavalcat.ti Lacerda ; he eleita a com-
misso de poderes n lido o expediente.
A segunda he a 26 ; f o seguinte parecer
da com. de poderes :
PARECER.
A commisso de poderes havendo entra-
do no exame da legalidade e irregularidade
dos diplomas que lhe foram presentes con-
ferindo-os com as actas geraes das diversas
provincias e estas com as autenticas dos
respectivos collegios tomando em consde-
raQoos pontos contestados em alguns d'elles,
e nao lhe sendo possivel ainda concluir o exa-
me das eleicoes das provincias das Alagas ,
Sergire e Espirito Santo nem tio pouco to-
mar em considorago as eleicoes d'aquellas
provincias cujos deputadns ainda se nao a-
presentaram com os seus diplomas como
sejam Para Minis Geraes Matto Grosso e
Parahyba tem acerca das outras tomado
o seeuinte acord que submette conside-
rarlo dos srs. deputados reunidos em sesso
preparatoria.
Maranhao.
Nao tendo sido presente a commisso ne-
nhuma das authenticas parciaes dos collegios
eleitoraes d'esta provincia e smente a acta
geral da apuraco feita pela cmara da capi-
tal julga a commisso que para tomar-se
conhecimento do diploma que apresentou o
sr. Joo Antonio do Miranda,, de mister
que se pe$a ao governo a remessa das refe-
ridas authenticas e mais papis relativos i
mesms eleicoes que consta haverem sido
enviados pela cmara da capital ao governo.
Piauhjr.
N'esta provincia procedeu-se as eleicoes ,
e, segundo consta das authenticas, nao se
deprehende irregularidade alguma. A com-
misso confrontando-as com a acta da apu-
raco geral e com esta os diplomas apre-
sentados pcloi srs. Jos Joaquim de Lima e
Silva e Joaquim Ignacio da Cosa Miranda ,
achou que os diplomas esto curiaes e por
isso de opinio que os mesmos srs. sejam
declarados deputados pela provincia do Piau-
hy e tomem assento n'esla cmara.
Cear.
Examinoua commisso os 5 diplomas que
lh<. f/jatn riroanntac "erteCSteS SOS S"3
deputados eleitos por esta provincia Miguel
Fernandes Viera MaDOel Jos de Albuquer-
que Padre Antonio Pinto de Mondonga, Pa-
dre Jos da Costa Barros e Antonio Jos Ma-
chado e achou que os referidos diplomas sao
legaes porque esto conform- 8 com a acta
geral da apuraejio feita pola cmara da capi-
tal. Desejando porem a commisso con-
frontar com a acta geral as authenticas das
parciaes nao lhe foi possivel verificar este
exame por faltar a do collegio da villa A-
quiraz composto de 15 eleitores ; mas a vota-
cod'est.j collegio nao ple prejudicar por
maneira alguma a eleigodosoito srs. mais vo-
tados q' formam a deputaco do Cear ;por isso
que entre o menos votado e o primeiro sup-
plente a diffarenga de 21) votos numero
superior votaco inteira do mencionado
collegio. E', portanto, a commisso de pa-
recer qua por esta razo e porque nenhu-
ma queixa de representaco existe contra as
eleig-is d'esta provincia que foram feitas
com toda a regularidade sejam declarados
di-putados os srs. Miguel Fernandos Vieira ,
Manoel Jos do Albuquerque Padre Anto-
nio Pinto de Mondonga Padre Jos da Costa
Barros e Antonio Jos Machado e tomem
assento n'esta cmara o 1. 2. 4. 6,
e 8. d'estes srs. cujos diplomas foram pre-
sentes.
MO Grande do Norle.
Nada apparece contra as eleiges d'e*ta pro-
vincia asquaes, pelo exame das authenti-
cas remettidas por todos os collegios eleito-
raes foram feitas com regularidade ; a com-
misso confrontando com a acta geral o di-
ploma apresentado pelo sr. D. Manoel de As-
sis Mascarenhas de opindio que seja o
mesmo senhor declarado deputado pelo Rio
Grande do Norte e como tal tome assento
n'esta amara.
Perhambuco.
A commisso recebeu os diplomas dos srs.
Cavalcanti de Lacerda Maciel Monteiro o
Peixoto de Brito e conferindo-os com a
anta geral d'aquella provincia e esta com as
authenticas dos collegios achou aquellos
conformes e regulares nada tendo que op-
pdr eleigo da referida provincia que deve
sur approvada e contra a qual nenhuma re-
clamagose apresenta ; sendo declarados de-
putados e admittido's a tomar assento os srs.
Manoel Ignacio Cavalcanti de Lacerda An-
tonio Peregrino Maciel Monteiro e Flix Pei-
xoto de Brito.
Baha.
Foram nr^ssntes cnmm dos srs. Francisco Antonio Bibeiro, Eusta-
quio Ailolpho de Mello e Matos Joo Mauri-
cio Wanderley como supplente e se a-
cham conformes geral e s parciaes em nu-
mero de 38. Mas tomando a commisso em
considerago o requerimento dos srs. Joo
Mauricio.VVanderley e Angelo Muniz da Silva
Ferraz que declaram falsa a arta apurada do
collegio da villa de Pilo Arcado composto
de 130 eleitores e apreseutam a verdadeira
acta do dito collegio composto de 32 elei-
tores com a apurago da qual elles se re-
putan* os verdadeiros representantes da pro-
vincia examinou com a devida circumspec-
go esta questo e entende com os recla-
mantes que aact? do Pilo Arcado, figurando
um collegio de 130 votantes, manifesta-
mente falsa segundo foi a opinio nao so
do presidente da provincia como da cmara
municipal que nao se julgou todava auto-
risada para eliminar os ditos votos. Deixan-
do de parte a mandra irregular por que foi
entregue presidencia a mencionada acta e
outres factos que por si depOe contra ella a
commisso julga provada a falsidade a face
dos documentos presentados dos quaes v-
seque a freguezia do Pilo Arcado em 1834
de a 13 eleitores, em 1835 14 ; eem 184,
?j ; nao sendo provavel que no presente an-
10 podesse dar 130 : falsidade esta que flea
coS!"!"'.!!!??!:'.? Vsniasesraiia rnm a certidc
i los iogos d'este anno extrahida competente.
! liiTilo que sao 3,292 e Cun aa ueciara-
i gdes do secretario da cmara municipal e do


tabellio da villa aseverando o primeiro
nao ser sua a letra da copia da acta como
alias se figura e o segundo que nao a con-
certara.
Se por um lado est patente a falsidade d'es-
ta acta por outro nao ha razo para duvi-
dar da authenticidade da acta do verdadeiro
collegio do Pilo-Arcado tirad- pelos recla-
mantes por certido da secntiria do gober-
n composto de 32 votantes sende os elei-
tores 33 por ter um d'.-lles votado em ou-
tro collegio porquanto nao s nao anpa-
rece reclaroago alguma contra a authentci-
dadedVsta acta como ella combina com o
numero de fogos com a acta da eleicSo pri-
maria e attestago d0 secretario da cmara
municipal respectiva que declara ter sido
esto o verdadeiro colleffio reunido ; accres-
cendo que no dia 20 de novembro d'este n-
no, este mesmo collegio 89 reunir e votara
na eleigo dos diputados pmvinciaes como
consta da competente acta. A' vista do que
a commisso de parecer que seia eliminado
* o ficticio collegio de 130 Votantes e q.je se a-
pure o verdadero constante da acta em
que tiguram 32 votantes exoedindo-se para
este fim as conveniente particiMCnat, e em
consecuencia que 8-ja rejeitado o diploma do
r. Eustaquio de Mello e Matos que sabe
do numero com esta elimnago ; que se ap-
prove o diploma do sr. Francisco Antonio
Itibeiro e tome assento por nao haver
sobre elle duvida ; e que tambera tornera
assento desde j como diputados eflerti-
vos os srs. Joo Mauricio Wanderldv e An-
gelo Muniz da Silva Ferraz indepndete
de esperarem diplomas visto que com a
rejeico da acta falsa e admisso da verdadei-
ra ficnm collocados no numero dos 14 depu-
tados segundo verificou a commisso.
Outrosim tendo a commisso duvida so-
bre a validado das eleiges da cidade da Ca-
choeira e da freguezia da Madre de Dus do
Boqueirao que d 7 eleitores e nao poden-
do opinar por falta de esclarecmentos al-
guns dos quaes consta teremsido remettidos
secreUna do imperio requer a commisso
que se pega ao governo todos e quaes nier es-
clarecimentos e documentos que tenha ou
possa haver acerca da dita eleigo ; nao obs-
tando a que os deputados da provincia ternera
assento porque a eliminago de taes votos
nao faz alterago na ordem.
tiio de Janeiro
Desta provincia forara presentes com-
misso os diplomas do sr. Paulino JosSoa-
res de bouza Jos Clemente Perira Joa-
quim Francisco Vianna Jos Ignacio Vaz
Vieira Visconde de Baependy Francisco
Jos de Sou/.a Soares de Andrea" e Ignacio Ma-
noel Alves de Azvedo os quaes entende
conformes com a acta geral e esta com as
authenticas dos 25 collegios da provincia ,
cuja eleigo nao contestada em sua regu-
laridade ; a commisso de parecer quespja
upprovada e reconhecidos deputados e como
taesadmiltidos a tomar alsento os senho-
res j mencionados.
S. Paulo.
Desta provincia foram presentes commis-
so 29 actas faltando a geral e as de Cn-
rytiba e Itapetininga, porque em Ubatuba nao
houve ellnges por queixar-se o juiz de paz
de cesegu da parte do juiz municipal, que,
pelo contrario a representa como simulada
pelo juiz e paz com o fim de evitar urna e-
leico desfavoravel. O negocio j est affecto
ao poder judiciario sendo certo que a falta
de um to pequeo colegio (de 1o eleitores)
nao fJJe inlluir sobre a validade da eleigo
de toda a provincia. As actas dos 29 collegios
que a commisso examinou esto regulares ,
notando-se apenas que votaram no daAfihaia
5 eleitores da freguezia da Conceigo ue Gua-
nilhos contra os quaes appareceu no da ci-
dade urna reclamaco por vicio da eleico pri-
maria. Esta reclamaco foi remettida a esta
cmara para resolver ; mas, nc tendo vindo
commisso ella abstem-se por ora de dar
oseu parecer; at porque, quando nao sejo
reconhecidos legtimos esses eleitores nem
por iss se dever invalidar o collegio que se
fOmpoz de 28 aos qu.ies nao foi presente a
reclamago apresentada na cidade. Em duas
reguezias deixou-se de proceder eleigo pri
maria ; em S. Vicente por nao haver concor-
rido gente suficiente para formar a mesa, e
na; Parahybuna, porque o juiz de paz (que en
trou em exercicio) sob pretexto de irregula-
ridades nao quiz presidir a eleigo elavrou
d'isso um termo. Oa, como a apurago d'es
as 29 actas aprsenla como deputados os mes-
los *>nhores menciona ios nos diplomas ; co-
mo estes. sendo um extracto euthentico J->
acta geral podem al certo ponto supprir sua
ialla
5
emende a commisso que devem ser reConhe- faemi ttir esse juizo. ja crines tao horroro-
CIOS ft npplarailnc .l.,.,i 4..____> n...i. .__I .. ....
cidos e declarados deputados por S. Paulo os
Srs. Jos Manoel da Fonseca, Carlos Carnei-
ro de Campos Fernando Pacheco JordSo ,
Joaquim Octavio Nenias Joaquim Firmino
Pereira Jorge e Rodrigo Antonio Monteiro de
Barros, cujos diplomas foram examinados.
Snela Catharina.
Nao appareceu reclamaco alguma contra
as eleiges desta provincia ; a acta eral as
parciaes e os diplomas cofnbino perfeitamen-
te ; e por isso entende a commisso que deve
s-r reconhecido deputado por Sancta Cathiri-
na e tome assento o Sr. Jeronymo Francis-
co Coelho.
Goyaz.
Fizeram-se as eleiges desta provincia com
regulandade, segundo se colhe da acta da ge-
ral que est conforme com as parciaes de
13 collegios que a acompanharam ; faltando
smente as authentice dos collegios Arraias e
.Natividad, que nao foram comprehendidaS
na apurago geral por nao chegarem ao tempo
da apurago. Mas, como contra estas eleices
nao appareceu reclamago alguma e nem a
votago das authenticas que faltam pode in-
lluir no resultado final porque entre os de-
putados menos votados e o primeiro supplente
Oliste a difT renca de 100 votos, a commi.so
de parecer q' sejam declarados deputados por
Goyaz e tornera assento os Srs. D. Jos de As
sis Mascarenhsse Antonio Ferreira dos San-
tos cujos diplomas esto conformes Com a
anta geral.
Paro da Cmara dos Reputados 26 de de-
zembro de 1842.Francisco de Souza Mar-
tins. Francisco Gongalves Martins Eu-
zebio de Queiroz Coutinho Mattoso da Cma-
ra. Joo Los Vieira Cansanso do Sinim-
b. Joaquim Jos Pacheco.
3.* oessao preparatoria em 27.
A ordem do dia he a discussSo do parecer
a cima ; que he approvado assim como os de
oiitras commissoes pelos quaes sao reco-
nhecidos Dep. os Srs. Souza Moli Cajuei-
ro e Dantas pelas Alagoas suspendendo
a commisso oseu juizo a respeto do Sr. Pon-
tes VisRueiro a vista da reclamaco do Bi-
cha re Jos Tavares ; os Srs Ramiro eMa-
Ralhes Castro pela Bahia Alvos dos Sanios
porS. Paulo, Brrelo Ped roso, pelo Rio,
e os membros da 1. commisso de poderes.
Entrou em discusso um requerimento desta
commisso para se pedirem ao governo os do-
cumentos que se refere urna queixa de Mon-
senhor Miranda contra aseleicfies de Sargi-
po que he approvado.
4.' Sessao prep. em 28.
Lcitura do parecer da commisso de pode-
res sobre a acta eeral do Espirito Santo, que
he addiado por 48 horas.
5 sus. prep. em 29.
Sao ap. diversos pareceres que declaro
Deputados os srs. Carneiro da Cunha e Al-
mida Alhuquerque pela Parahiha A$ruiar e
Nabueo por Pernambuco Rodrigues Torres
pelo Rio Rezende como supplente por
Pernambuco. He lido o parecer que reco-
nhece Deputado pelas Alagoas o sr. Pontes
Visgueiro e fica addiado por 2i horas a re-
querimento do sr. Dantas.
sos, to contra a natureza, que s eviden-
cia o homem honesto deve ahaixar a rabeca ,
deplorar a perversidad da pocha !
( Correio Mere. )
DIARIO DE PERXAMBCO.
0 D-N. N. 6.
MINAS GEKAE9.
O resultado das eleif;5cs de Minas he o mes-
mo que demos no nosso N. 6 constando a-
gora de 1390 eleitores s com a difirenos
de que trocaro a numerado o Sr. Dr. Vas-
concellos com o Sr. Conselheiro Miranda Ri-
beiro e o Sr. Commendador Henrique de
Rezende com o Sr. Com. Carneiro, ficando
assim o Sr. Rezende em i7." lugar com 781
votos.
BAHA.
Falleceu hoje (5) o Sr. Gregorio da Silva
Freir, rico capitalista e proprietario desta
cidade em consequencia dos ferimentos que
reoebera s ll horas da noitede 3 do corren-
te de dous escravos seos no seo proprio
quarto de dormir e cama. O nfelfz assas-
sinado teve anda tempo suficiente para fa-
zer tr-stamento ; e nesse acto diz-se for-
neceu todos os escUrecimentos s authorida-
dts para poderem descobrir os verdadeiros au-
thoresdo crime de que foi elle victima. A
acreditarmos a voz geral e publica sobre es-
te sinistro acontecimento, he horroroso ocri
me, eacompsnhado de circunstancias que
anda meiao torno odioso ; em tantos mys-
terios porm parece elle sepultado tantas
informaces contradictorias apparecem. Ue.
al pleno conhecimento
.msieuiu-uos at pleno conhecimento de
., fzer qualquer imputaco em caso to grave
j e como noapparece sobre a elt.ico'quem q'ier que seja embora como cima
uest-i provincia recJam?.go ou duvida alguma, ij o diss^mos, a voz mihijca bs siiihori"-?
...Fumum exfulgore...
Nao s o intrpido que d regras em eco-
noma social o mesmo Rdactor do D-n. a-
presenta um artigo em on. 6 no qual vem
muitas prelaedes desta sciencia com o fim de
convencer que erra a Administraco em nSo
parar com todas as obras publicas applican
do exclusivamente as rendas da provincia ao
pagamento dos Em pregados. Se podesse-
mos acompanhar em todo o seu variado curso
este inextricavel aranzel milito haveria com
que divertir-so o publico porque na verda-
de jamis alguem deo-se ao traballio de acu-
mular tantas cousas disparatadas como fez
o autor desse artigo para refutar urna pro-
posico em que afinal concorda com o seu
adversario com a nica difierenga de levan-
tar falsidades que este n8o diz e de emma-
ranhar oseu discurso de sorte que a penna
a mais hbil nfio ser capaz de analisal-o com-
pletamente. Tractaremos pois smento de
alguns tpicos deita peca inestimavel.
Occupando-se em primeiro lugar o D-n. da
Assembla Provincial comec por tecer-lhe
o elogio de seguir esta corporago em suas
leis do orcamentoo/jriVic/p/o de eterna jns-
t'ca de tirar ao povo nao o que elle pode
dar mas o que deve dar e acaba por di-
zer que em todas as leis desta Assembla cal-
cao-te aos ps os principios que devem pre-
sidir ao orcamento d is despesas publica* ,
que sao limitar as des pesas He um estado s
mas necessidades combinadas com as suas
facuidades.
D-spensamo-nos de defender Assembla
Provincial porque devendo este Redactor
nella tomar assento por seus serv'cot pro-
vincial, l se ha de achar com quem pulverise
as suas falsas accusaQes e as preluccoet de
economa poltica ; notamos apenas que na
mesma prima cantasse elle to irreflectida-
mente a palinodia a urna corpora^o que ha
Je por intorease adular, eainda mais que se
eontradicesse to claramente. Para deraons-
tral-o, basta reunir algumas das suas pro
posi*s eil-as : = (( Quando na Assembla
Provincial [se tem dejdiicutir a lei do orca-
ment o principio financial de eterna fus-
ticaisto \ que nao pelo que pode o povo
dar, mas sim pelo que deve dar que se
devem medir os impostos pblicos tem
tambera lite servido de guia comecand>
pelas despesas. > Eo que tem resultado ?
Calcarem-se aos ps os principios que de-
vera presidir ao ornamento das despesas pu
blicasque sol. que as dpspesas d'um es-
lado devem ser limitadas s.suas necessi-
dades combinadas com suas faculdades__
2. que estas necessidas devem ficar a cargo
do estado quando se nao posso remediar
poralgum outro meio.
As contradiccOes deste tpico nos dispenso
de notar algumas bellezas mais salientes co-
mo o(t tem tambem lhe servido de guia
sem ter-seainda fallado n'outro objecto que
dirigase a Assembla as discusses da lei do
orcamento. Que as necessidades do esta
do 5 devem ficar a cargo delle quando se
nao posso remediar p A difficuldade de avaliar o estado de proj-
peridade tuscepvol de impoiicao &c.
Depois de censurar o relatori da Presiden-
cia por pedir augmento em alguns ramos de
despesa indispensavel ao passo quelembrava
a aboliQo do imposto do algodo aventura
o eximio economista que a renda publica po-
de crescer pela diminuigo de cortos impos-
tos e extengo de outros Nao liaver nisto
grosseira contradicho ? verdade que a Pre-
sidencia segu um principio opposto ao do
nosso Ricardo advertindo que podia-so re-
mediar o dficit ou por novas imposices, ou
pula reduco das despesas na parte relativa
aos empregados pblicos superfinos, que hs
na provincia.
Para levar ao fim o proposito de aecusar a
Presidencia levanta-lhe o autor do artigo ,
que ella exerce um arbitrio} no 'dispendio do
dinheiro arrecadado pagando somente os em-
pregados com as sobras do corpo de polica ,
h das obras publicas e que d preferencia a
Mta nhrag 8Kas ia.yiuuucvas ; e levanta
nos o falso testemunho de termos firmado
em o n. 269 de nossa folha que s obras
publicas se devia dar preferencia sobre qual-
eriptores tem lido para provar que estes tra-
badlos esto em ultimo lugar na escolha das
despesas d'um estado.
Infelizmente porem os seus autores esto
de acord com a nossa opinio e com os ac-
tos da administraco actual. El les apenas
poem em primeiro lugar as despesas com a
forga armada e a polica nivellando todas
as outras em que entro os trabalhos nece-
sarios ao commodo dos cidados s obras
de nteresse geral
Nesta provincia sao pagos em dia os solda-
dos de primeira linha, a forga policial, os em-
pregados da administraco da justica e poli-
cial A thesouraria das rendas provinciaes tem
despendido mais com os empregados de ou-
tra ordem do que com as obras publicas.
Estas apenas tem custado provincia no se-
mestre lindo {sessenta e nove contos de reis ,
ao passo que se pagou o primeiro semestre
aos empregados provinciaes que orea em
mais de sessenta contos alem de ter-se pa-
?o sob a administraco do Exm. Baro o se-
mestre do julho a dezembro de 1841 que ex-
ceda do 6i:000ji reis e tudo o mais que
se Ihes devia de abril a junho desse anno.
Reconhecendo.o governo que nao pode pa-
gar logo tudo o que deve a estes empregados,
tambem nao f /. as obras do que precisa a
provincia nem mesmo as decretadas mas
apenas as que pode ir pagando. Nao por
preferencia as obras publicas que se pago
em dia os jornaleiros mais sim porque estes
servidores do estado nao podem ser privados
ilo seu jornal.
E' falsa a mxima de que a dispesa com as
obras publicas dore ser das ullimas que o es-
tado f*ca f os mesmos escriptores copiados
pelo D-n a poem a pardas outras, fioando
ipenas em primeiro lugar a da forga armada.
te a administrago provincial paga em dia o
corpo de polica se os empregados dejusti-
ga e polica, se as pragas do exercito sao
pagas puntualmente que razo tem o au-
tor do artigo para censurar a Presidencia ,
por dar esta preferencia ao corpo de polica
sobre os empregados de outra ordem ? Se as
desposas com as obras publicas nunca e.^ce-
lem as que se fazem rom estes ltimos em-
pregados sequasesempre guarda-sea pro-
porgo como cima demonstramos por ci-
fras que nao flho para que ha de oD n.
levantar una aecusago infundada ? Se a
queixa libra toda om dever-se aos emprega-
dos e nao aos que trabalho as obras pu-
blicas esta differenga traz mais um elogio a
administraco que s manda fazor as obras,
que pode ir pagando, entretanto que nao po-
de supprimir os empregos o ha de por con-
sequencia pagar por partes a divida dos orde-
nados ; guardando proporgocom outras ne-
cessidades secundarias da provincia.
Anda mais falsa ea proposigo do Econo-
mista que s ao 3." dos contribuintes apro-
veita o benificiodas estradas pontes e ou-
trosmeios de auxiliar a industria em geral r
por quanto o auRmento desta que produz a
prosperidad* de urna nago o o crescimento
da renda publica. Carece de demonslrago
a dogmtica assergo de que c povo separado
ios homena iaboriosos paga dous tergos do
impostos dos predios urbanos. Nao sabemos
como esleja fbra das industrias a edificago-
dos predios ur >anos a criagSo e talho do ga-
do &c. ; e foi nesto sentido que dissemos
nao onvir aos homens laboriosos aos que se
emnrego em qualquer industria e que sao
os verdadeiros contribuintes, que toda a ren-
da se gastasse com os ordenados.
Nos fizemos a comparago entre os homens,
que vivem de qualquer industria como os em-
pregados pblicos ; s proceda para o argu-
mento do D-n. se nos p ovasse que os em-
pregados pblicos formavo os 2 tergos da con-
tnbuigopara as rendas publicas, por Ihes
deverem ser os dous tergos dellas applicados
exclusivamente.
Se fosse possivel conceder ao D n. que s
um tergo da renda publica devia serapplica-
do em beneficio da industria por pagar esta
apenase 3.' parte dos impostos ainda assim
o procedimento da administrago erajustifi-
cavel por que s se decretSo para obras pu-
blicas provinciaes 200:000, reis quando o
orgamento das despezas provinciaes passa de
600:000* rs A presidencia nunca excede, an-
tes limita-se a gastar o que se decreta na lei
do orgamento, e neste ultimo semestre dis-
pendeo menos de 70:000* rs. com obras ab-
solutamente indispensaveis o to urgentes ,
que o D-n. nSoaaattrere a .-.por.tai-a, re-
brindo somente as obras que se pago pelo
cofre /eral qija nada d6VM aQ pPSSOa| ,ja
provincia, e chegando o seo despejo at a dizer
nne na* l<>cncv< f..iluc onm -s.
palacio
quf uuira aespesa e accarreta quantos es-'alfandega, e forga do 1.'linha e comprehen


s
%
dealguma provincial, que se devia conver-
ter no pagamento dos empregados.
Nao se pode nem se deve responder' a
quem desta sorte abusa da paciencia do pu-
blico faltando verdade.
As obras de palacio, da alfandega, e do caes
attesto os desejs,quetem o Exm RarAodea-
diantar a nossa provincia dando-Ihe commo-
dos, e elegantes edificios pblicos para hom-
brear com as mais polidas do Imperio e ali-
mentando os jornaleiros nella residentes com
dinheiro do cofre geral que alias teria sido
enviado para a Corte ou para as outras pro-
vincias cujas despezas esto a cargo desta.
Se a thesouraria de Pernambuco a mais
pontual as remessas para pagamento da di-
vida externa ; porque razio havia de ir tolo
o mais dinheiro para a Corte e para as ou-
tras provincias que alias sempre ella occor-
re, e ha de o D n. ter pena de que algum se
tenha applicado para estas obras que sSo
milito menos improductivas do que o dinhei-
ro despendido com empregados, os quaes to-
dava esto pagos do que lhesdeve o cofre
geral ? Cortamente sem estes edificios tea-
mos de alugar outros como se alugava a ca-
za da aominislracjio das obras,publicas e a-
inda se aluga a do consulado.
Parece-nos que o D-n. nao apresentou fei-
to algum pelo qual se deva lancar ao Exm.
Presidente a menor culpa no atrazo da divid
dos empregados provinciaes. Elle apenas a-
dulterou todos os factos querendo que o di-
nheiro do cofre geral applicado as obras ge-
raes se tirasse para os *mpregados provin-
ciacs e que estes empregados sejo preferi-
veis nos pagamentos contra a opinio dos
mesmos escnptores que segu 5 e pondo a-
linal em nossa follia o que ella nao contem ;
puis sdissemos que se nao devia dar ao p-
gumento dos ordenados a preferencia que
eiigia o D-n. maissim ir continuando com
as obras publicas sem abandonar o pagamen-
to da divida destes empregados
i 0 D-n. de 13 de Dezembro destroe por si
80 quantas falsidades aventurou o novo Eco-
nomista poltico nesse artigo, que pareca vir
dar nova luz a sciencia pela fumaca de en-
tendedor com que pricinpiou ; mas des-
ganadamente verificou-se o contrario do que
ensina Horacio e tivemos o fumo depois
da luz.
Tivemos pelo Vapor Paquete do Sul, que
va ao Cear por conta do Governo jornaes
da-Corte at 30 de Dezembro : nada de no-
vo havia occorrido : em lugar competente
damos resumo dos trabalhos da Assembla
Legislativa.
A PEDIDO.
B Metes da lotera da matriz da Boa-Vista
pertencentes Sociedade.
Bilhctes inteiros.
393, 395, 392, 388, 387, 385, 386,
397,
38 4>
810,
380, 379, 578, 376,
840, 8*2, 841, 845,
913, 914, 916, 917,
921, 923, 924, 925,
932, 933.
383, 382, 381,
997, 373, 374,
844, 907, 911, 912,
918, 919, 920, 922,
9-26, 927, 928, 929, 930, 931,
934, 935, 290, 857, 854, 853,
849, 850, 848, 847, 846, 877,
1007, 998, 298, 299, 297, 296, 293,
291, 884, 882, 881, 880, 879, 874,
871, 868, 866, 865, 905, 521, 863,
9112, 901, 900, 903, 898, 897, 896,
893, 892, 398, 448, 1362, 1299,
1300, 1360, 126, 127, 124, 128, 136, 135,
90, 129, 134, 118, 116, 115, 125, 114,
113, 117, 120, 121, 119, 65, 50, 51, 1351,
52, 54, 53, 1352, 56, 1353, 131, 1283,
3313, 1282,1292, 1284, 1311, 1298, 1310,
130, 69, 70, 72, 73, 75, 71, 1287, 1288,
107, 1291, 105, 1375, 108, 103, 1374,
62. 937. 938, 939, 940, 942, 943,
852, 851,
377, 1434,
292,
872,
904,
894,
1301,
104,
944,
798,
138,
607.
945, 946, 375, 909, 910, 774,
800,
I
I
681, 605, 177, 176, 175, 174, 18,
14, 419, 4, 594, 595, 596, 603, 606,
608, 609, 675, 674, 542, 544, 545,
122, 133, 1281, 1279, 1280, 58, 111, 57,
1344, 1293, 1267, 1278, 110, 1266, 112,
9,' 95, 97, 99, 1357, 1356, 59, 1359,
1355, 1358, 1370, 1365, 1366, 1364, 1363,
1361, 1296, 1297, 1372, 1371, 1369, 1373,
1368, 1367, 40, 46, 47, 48, -49, 38, 39,
37, 1326, 1327, 1286, 167, 165, 164, 163,
728, 727, 626, 627, 724, 722, 719, 1237,
1236, 1244, 1240, 1245, 1238, 1246, 123,
348, 539, 146, 403, 405, 402, 1304, 1303,
1307, 1290, 109, 1306, 1289, 1315, 1314,
1317, 1318, 1319, 1302, 123, 1321, 132:.,
42, 43, 44, 45, 1305, 1309, 1308, 1295.
i'J4, 144, 145, 148, 141, 142, 438, 183,
139, 182, 178, 667, 608, 660, "70, 671,
630, 631, 632, 644, 645, 664, 665, 720,
672, 610, 611, 612, 613, 614, 615, 619,
621, 791, 790> 788, 787, 786, 785, 784,
783, 782, 781, 744, 743, 742, 741, 740,
736, 733, 734, 731, 1409, 758, 757, 756,
755, 752, 751, 748, 747, 746, 745, 770,
767, 766, 765, 764, 763, 762, 760, 761,
759, 562, 691, 690, 656, 1421, 1490, 1449,
792, 772, 776, 140, 143, 151, 152, 349,
350, 351, 352, 354, 494, 344, 617, 597,
602, 1149, 1178, 1181, 549, 472, 471,
1145, 468, 1122, 1144, 1127, 1140, 363,
..62, 1128, 1129, 1130,1132, 1138, 1146,
1243, 775, 793, 769, 754, 750, 729, 721,
541, 151, 535, 777, 535, 520, 532, 9,
171, 173, 794, 797, 686, 172, 170, 738,
168, 169, 10, 737, 1263, 1261, 1260,
1258, 1257, 1256, 1254, 1253, 1276, 1275,
1274, 1272, 1271, 1270, 1269, 160, 137,
158, 157, 155, 154, 153, 687, 685; 684,
683, 680, 409, 679, 678, 677, 495, 739,
261, 274, 11, 977, 563, 979, 980, 533,
982, 536. 316, 314, 2i4, 315, 710, 303,
305, 311, 367, 407, 369, 412, 406, 424,
422, 427, 420, 421, 428, 479, 466, 543,
004, 723, 735, 749, 253, 254, 255, 256,
257, 258, 259, 304, 308, 319, 318, 337,
345, 346, 365, 415, 416, 417, 423, 425,
511, 510, 507, 426, 429, 430, 431, 432,
435, 436, 446, 467, 489, 488, 499, 500,
501,-502, 503, 504, 224, 223, 221, 220,
219, 218, 217, 525, 522, 518, 225, 232,
230, 233, 625, 628, 629, 726, 730, 776,
546, 547, 548, 553, 558, 559, 589.
Amanha se publicar a lista dos nmeros
dos meios bilhctes pertencentes mesma So-
ciedade, a qual se acha nesla typographia des-
de odia 12 do correntes, nao tendo sido pu-
blicada por falta de paco.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Mendimonto do dia 13........ 4:0134237
DESCARREGA" HOJE 14 DE JAHEIRO.
Brigue sardo = Zefiro = fructas seccas, pa-
pel alfazema cominhos alhos ,
batatas, massas, evinho.
Brigue portuguez = Tarujo 1. = farellos ,
carnes, rap, drogas e fazendas.
Rrigue sardo as Silencio = vinho
Barca ingleza = Columbus s=s fazendas fo-
Iha de flandres, e batatas.
Brigue inglez = ElizaBell = fazendas sor-
reja tinta e arenques.
RIO DE JANEIRO.
CAMBIOS NO DA 29 DE DEZEMBRO P. P.
Pregos da ultima hora da praca.
Cambios sobre Londres. 26
Pars. .365
Han?burgo. 673 a 680
Metaes. Dobres hespanhes.29900 a 30*000
da patria. 29*900 a 30*000
n Pesos hespanhes .
o h da patria.
Pecas de 6*400 v. 16*200
de n .
' Moedas de 4*000 9*050 a 9*100
Prata......96
A plices de 6 por cento. 70 3|4
CAMBIOS.
Babia 3 de Janeiro de 1842.
Londres......
Franca.......
Lisboa......
Rio de Janeiro.. .
Provincias do Norte.
Dobres Hespanhes.
u Mexranos .
Pecas de 6*400 .
Moedas de 4*000. .
Pesos hespanhes. .
Prata cunhada. .
.27d. p. 1*.
350 rs. o franco.
.95 a 100 p. c
. ao par.
. dem.
. 28*500 em pag.
.28*000 ~
. 13*500
. 8*500
. 85 p. c.
. 85 p. c.
MOVIMENTO DO PORTO.
NAV1C SAHIDOS NO DA 12.
Baha ; barca ingleza W.- Russell, cap. Ro
berto Bruee, carga a mesma que trouce.
i Montevideo ; barca franceza La Touvette ,
cap. Carlos Sagent, carga a mesma que
irouc?.
Liverpool ; brigue inglez Richard, cap. John
Saisield carga algouo e assucar.
cap. Luz Ferreira da Silva Santos carga
diversos gneros.
DITOS ENTRADOS NO MESMO DA.
Falmouth Canarias e Madeira ; 33 dias
paquete inglez Linnet, commandanle Co
ghlon.
Lith ; 50 das brigue inglez Elisa Bell, de
275 toneladas cap. John Bell, equip. 11
carga carvo de pedra cerveja e bata
tas : ordem.
DECLARARES.
= O administrador da meza da recebedo-
iia das rendas geraes internas avisa pela ul-
tima vez aos moradores do Bairro do Recite,
S. Antonio Boa-vista e Affogados para
que venh3o pagar o imposto denominado
!o banco the vinte do corrente, pena d se
nroceder a oxecutivo contra osomissos. Re-
"ebedoria 12 de Janeiro de 183. = Fran-
cisco Xavier Cavaleante de Albnquerque.
= O arsenal de guerra por ordem da
Presidencia de 7 do corrente contrata a
factura de cem caigas cem lences com
fronhas e cem guardanapos tlldn de hrm ,
lando a fazenda : n tambem a d^ 250 bo-
nets de gorra conforme o modello que se
mostrar, dando o empreitador a fazenda e
mais accessorios. A quem convier compa-
a no referido arsenal as 11 horas do da
16 do corrente a dar sua proposta ao director,
hindo habilitado por pessoa que se responsa-
hilise quando por si nao seja conhecido.=
Vrspnal de guerra 13 de Janeiro de 1813.
Martns coronel director interino.
= O arsenal de guerra, de ordem da Pre-
sidencia de 7 do corrente, compra os seguin-
tes objectos 2 trombones 4 clarinetas 2
trompas 1 requinta 1 flautim e um par
le pratos ; e tambem cincoenta mantas de
ilgodo para cama e cincoenta barretes de
nano branco ou de meia para doentes do
lioipital. Os interessados compareci com
is suas propostas naquelle arsenal ao direc-
tor no dia 16 do corrente pelas onze horas.
\rsenal de guerra 13 de Janeiro de 1843.
Martns coronel, director interino.
= O arsenal de guerra comora 4 g) de oleo
de linhaca?, 2 (0 defd'alvaiade 2o Q de co-
hrevelho, 2iduzias de limas surtidas, e
2 <]> de rame de ferro Ja grossura que se
mostrar : os vendedores compareci ali ao
lirector com as suas offertas no dia \Q do
"orrente s 11 horas. Arsenal de guerra 15
le Janeiro de 1843.Martns, coronel di-
rector interino.
AVISOS MARTIMOS.
- Para o Rio de Janeiro segu vu-
gem o brigue americano Chipla com
excedentes cmodos para passageros ; os
pertendentes dirijo-se a Matheus Austin &
C. ,rua do Trapiche novo n. 18.
= Freta-se para Montevideo ou Buenos
Ayres o Briguo Sardo Triumpho do Brasil ,
forrado de cobre e de boa marcha ; quem
o pretender pode entonder- Irmos na ra da Cadeia do Recite n. 45.
= Segu viagem em poucos das para o
Ro de Janeiro o Brigue Jpiter anda re-
cebe alguma carga a frete negros e passa-
geiros por ter excedentes commodos para
os conduzir a tratar com o Capito Jos
Xavier Vianna ou na ra do Vigario n. 3
LE1LES.
ncm tenciona mais vender ; j por isso fa a
presente annuncio
Manoel Francisco Guimaries.
tsr Precisa-se de urna criada Portugueza
capaz de tomar conta de urna casa e reger :
- na ra do Livramento n. 14.
mr Alu^a-se um grande armazem na ra
, da Cadeia velha da casa n. 32 ; quem o pre-
tender dirja-se na mesma ra loja n. 39.
=JozeClaudino Leite. pedeao sr. Antonio
Baptista Ribero de Farias que declare se
o moleque tem Ib" annos de idade pouco mais
ou menos nacao congo os dentes da fren-
te de cima apartados os dous cor natural ,
marca de ferro parece que nos peitos, e que
Ihe Picar muito obrigado.
= Ls. Bruguiere, far leilo no dia 14
do corrente em sua casa na ra da Cruz n Joaquim Candido Ferreira.
1 as 10 horas da manha por intervengo do pmi(m Franke, te[
corretor Oliveira e em prezenca de um de-
e ripeo de quem pertencer do casco do na-
vio Francez V-illant, barco naufragado na
Ilha de Itamarac no estado em que.se a-
char.
= Jones Paln A C." faro leilo por in-
tervenido do corrector Oliveira de 150 bar-
pstimada n'este mercado e no do Rio de
estimada n este mercado e no Jane.ro pela sua reconhec.da super.or quah- A| um solo Q
lotera do thetaro.
vs- As rodas dcsta lote-
ra andao mpreterivel-
mente no da 7 de feverei-
ro provimo futuro e os
respectivosbllictesacho-
se a venda nos lugares do
costme.
bt Apessoa que traclar negocio relativo a
venda que se acha na casa n. 56 defronte da
Pibeira da Boa-vista nao ultime o ntgocio
sam falfar com o Proprietario Joaquim Jos
Ferreira ; por que o mesmo quer ver se lho
faz conta consentir venda ali, ou outra couza.
tST Roga-se a pessoa que achou dois caval-
los um castanhoe ooutro rudado ambos com
luim par de ancoras cada um as ancoras sao
novas ambas tem o topete cortado o rudado
tem urna barroca em urna p apessoa que os
arhou ditija-se a travessa dasCruzes que vira
ra o quartel n. 8. que ser recompengido.
N Bf A pessoa a quem for offerecido um cor-
do de ouro grogo, somente com urna volta
e com 13 treze oitavas e meia de pezo enfiV
ado nelle urna rdomiuha com o pezo de urna
oitava e 2-* graos e 1 par de argolinhas de
ouro com 5 diamantes cada urna nao com-
pre que foi furtado do Banheiro pegado a o-
laru da passagem da Magdalena e a pessoa
a quem for offerecida querendo fazer o favor
tmalo e restituir na ra do yueiraado o. 57,
quesera reoompencado.
tw Os Srs. Antonio de Oliveira Mello,
Joze Victorino de Mello de Lemoi Jo8o An-
tonio de Souza Vieira Francisco de Paula
Carneiro Joo Baptista Joaquim Corria
de Araujo Joo Correia Gomes, Manoel Ig-
nacio da Conceigq,; queiro se dirigir a ra
das Trinxeiras Q. 8 para lhe serena entre-
gues urnas cartas vindas do sertao.
LOTERA DE GUADELUPE
As rodas desta lotera
andfto mpreterivelmente
no dia 4 do presente mez
de Janeiro. Os bilhetes
achao-se venda nos lu-
gares j annnnciados.
Cr O abaixo assignaJo aviza aos foreiros
do vinculo de N Senhora da Conceigo dos
coqueiros que estando legalmenta autbori-
zado para cobrar os foros bem como para
passar licencas e receber os laudemios, ten-
do-se finalizado o anno de 1842 aviza aos
Senhores para mandarem satisfazer os annoa
vencidos at 31 de Janeiro e na falta se lhe
impor a pena de lei; quem o pertender pro-
cure na ra Nova n. 2 das 7 athe as 9 da
manh e ffi Kalium nu / r/r.in.
Phillipe Frankel tem a honra de avi-
' "a ,w"r ......r........*-~ -~ jjj. rrnl|,pe frankel tem a nonra aeavi-
corretor Ol.ve.ra e em prezenca de um de- Mr ao Uve| b|ic(, e no da de Dq.
legado do consulado de Franga por conta J d rorrente) a.
mingo prximo seguinte ; 15 do corrente) -
brir seu assougue na casa n. 36 na ra da
Senzalla velha no Becife e se esmerar em
(uprir aquellas pessoas que quizerem appro-
veilar da sua freguezia com a melhor carne ,
tanto de vacca carneiro como de porco
tervencao do corrector u .ye.ra ue iou Dar- cnm a major ^ .^ UqU) ,0 ^
ricas de serveja branca 1 Ld.nburgo a.mais cnm ao corle Iin ceio como ao corte noque elle espera me-
ilade chegada prximamente pelo navio E-
liza-Bell a qual ser em lempo competen-
te desembarcada : terga feira 17 do corrente
s \ 1 horas da manha em ponto no arma
iem de Jos Bodrigues Pereira & C *.
AVISOS DIVERSOS.
0 abaixo assignado aviza ao sr. collec-
(>r lio Caoinn mta l.ifilo n rr\a-r iln
B"olu
BITO NO DIA I.). ..-i ...........; ^__ ...... _. ,.Bviiw | sff a|nMiKW u* HlUMttvri
-3. 'n hu4 1403,147,62-2, 23, 024, iMaranlio ; brigue escuna brazileira Laura i do anno de 1842 nao vendeo mais capim na ra do Livramento n. 3.
Aluga-se um soto proprio para ho-
mem solteiro ; na ra do Livramento n. S.
t*r Deseja-se falar a Viuva de Joze Ignacio
Gomes de Barros, ou a seus flbos a negocio
de seu interesse no Forte do mato ra da
Y. >eda em caa da Viuva de Onofre.
T Bichas li'opiiina quaiidade chegadas
prximamente p superior farinha d'Ararta ;
no Atierro da Boa-vista venda n. 44 junto a
travessa do Martins.
Apoiiccs da contadoria vencendo juro ,


tsr Gaspar da Silva Froes faz sciente s
pessoas de quem tem peuhores j vencidos
que os vo buscar pois ao contrario os vai
expor a venda annunciando os nomes das pes-
soas a quem pertencero : e roga as pessoas
de que os penhoros anda nao se vencero ,
que lindo o prazo os vo resgatar pois nao
Iht. faz maisconta suis reformas e para nu
se chamarcm a ignorancia faz o presente an.-
nuncio.
cr Joze Soares d'Azevedo lento da lin-
goa fraiueza do Lyceo tem aberto em" sua
casa, ra do Collegio n. 14, primeiro andar,
um curso de lingoa franceza e outro de Phi-
losopbia. As pessoas que desejarem estudar
urna ou outra destas disciplinas podem di-
digir-se casado annunciante de manh
at as 9 horas e de tarde das 3 em diante.
No sitio que icapordetraz do sobrado do
finado Monleiro contnua-se a vender agoa
a dezreis a caneca da melhor qualidade quo
pode haver e com mais abundancia do quo
em p.utra qualquer parte.
tsr Oflerece-se para qualquer loja, me-
nos venda um rapaz de 10 annos o qual j
tem bastante ortica de fazendas para esta
praga ou fra della ; a pessoa que-do mesmo
precisar polo procurar na ra nova n. 7.
ss- Alluga se um sobrado de dous anda-
res e loja na ra da Praia e urna pequea
casa terrea no becco do Tambi ; a fallar
com Manoel Caetano S. C. Monteiro.
t^~ OfT/rece-se um mogo portuguez de 16
annos de idade para caxeiro de ra ou ou-
tra qualquer arrumago o qual tem pratica de
roa ; quem do seu prestidlo se quizer utili-
sar diriji-se a ra do Ringel n. 45.
tarGuillierme Evms, retira-se para a Bahia
tsr Precisa-se de um feitor, que traba-
Ihe deenchada entendade borta arvore-
do e voceas : na Magdalena estrada nova
primeiro sitio de porto de ferro.
tsr Precisa-se de urna ama de leite preta,
forra oucaptiva na ra larga doRozarion. 50.
tsr O Sr. Vicente Tavares da Silva Cou-
tinho outr'ora Farreira de Paula como l se
no Diario de 10 do corrente anno de 1843.
as suas expresses respectivas de ter em seu
poder alguns escravos, e que estes s os en-
trecava seus legtimos donos em razo de
falcidades que tem esperimentado com a en-
trega delles o que he lYavel; mas eu ten-
do 3 escravos em fcg para melhor de 20 me-
zes e elles ^odendo estarem em sua posse ,
quizera .nerecer-lhe o obsequio de examinar
entros que l existem se algum tem os s-
naes seguintes : Francisco Renguella pre-
to alto, bem endentado e os de cima li-
mados ladino bem feito de mos e p.< ,
bom trab*lhador de todo o servigo repre-
senta 30 e tantos annos: outro Jo mesmo
nome tambem Benguella conhecido por
fulla cara bechigosa, dentes bons e abertos,
naturalmente barbado assim o primeiro
mostra sei-mais velho e he bem feito, e
to trab^.lhfidor como o primeiro, acrescendo
carrinr mal, he ladino mas meio atrapalha-
preto ainJa nao barbado quanJo sahio
este preto tambem Benguella ainda moco ,
tem um grande talho em cima da p direita,
signal este quanto basta para ser o meu es-
cravo. Estes pretos tomo tabaco, e n"u
bebio fumo isto pois esmero em vmc. sendo
l eiisto taes escravos de me os mandar
por pessoa de sua confianga a entregar no si-
tio da capclinha do Mondegoou chora meni-
no termo da Boa vista comarca do Reci-
fe quedou por cada um IOuji rs. certo
queso reci bu no momento da entrega-, e des-
te obsequio ficarei muito obrigado; prompto
com o meu pouco pre limo nesta praga ou
onde vi r Ihe podcrei ser til. Sebastio dos
Oculos Arco-Verde Pernambuco Cavalcanti ,
seu muito conhecido.
i^y No da 10 do corrento desapareceo do
sitio (io abaixo assignado nm poldro casta-
nho tendo s o signal dos dous ps calcados;
quem do mesmo suiber dirija-se ao abaixo
assignado no seu escrip'orio na ra da Cruz
do bairro do Recife que ser bem recom-
pensado. Caetano Pereira Goncalves da
Cunha.
tsr Alua-se o secundo andar do sobrado
aonde morou o sur. Major Nascimento sito
atraz da Matriz da Boa vista ; quem o pre-
tender dirija-se a mesma a ra n. 22 ; na
mesma nrecisa-se de um pequeo para cai-
xottii ic ; daria, e lambemde um rapaz, pa-
ra andar pela matto vn Jo pao com um preto.
Colico S. Antonio.
tsr Aclia-so aberto este estabelecimento
desde o dia 9 regulares das aulas comeco segunda feira iG
do corren* depoisda nissa d*invncago ao
Alem das aulas designadas nos estatutos,/
abrir-se-ha no primeiro de Margo as das lin-
goas Grega e Hespanhola.
A direceo tendo dado provas, com o re-
sultado dos trabalhos do anno prximo pas-
sado de quanto se esforca pelo adiantaraen-
to dos seus educandos e sabenrio que mui-
tas pessoas por falta do meios nao podem ma-
tricular seus ilhos na classe de pensionistas
ou meios pensionistas, declara que nao s
admitem alumnos internse meios pensionis-
tas mas tambem externos para os quaes
hano colegios commodidadesnecessarias. Pa-
i acuitar mais a instri c.o a esta ultim aclasse
a direcgo marca a retnbuicao mensal de 3f
rs. de cada alumno que frequentar a aula
d. primeiras letras e a de 5# rs. do que se
matricular as outras das quaes pode fre
quentar aquellas que lhe convierem sem au-
gmento da dita retribuigo. Bernardino
Freir de Figuiredo Abreu e _Castro Dire-
ctor.
tsr A pessoa que annunciou querer com-
prar urna canoa de 1500 a 2000 lijlos di-
rija-sa ao sitio que fica por detraz do sobra-
do do fallecido Monteiro.
tsr Precisa-se de urna ama de leite forra,
ou captiva que tendo bastante leite nao se
olha o prego : na ra dos Quarteis n. 20 por
cima da loja de miudezas no terceiro andar.
tsr Precisa-se de urna ama para casa de
homem soltdiro para o servigo interno : na
ra Nova loja n. 43, ou annuncie.
tsr O Snr. Joo Antonio de Souza Vieira,
tenhaa bondadede dirigir-se as 5 ponas n.
114, (jue se lhe deseja fallar.
or O Padre Joo Joze da Costa Ribeiro ,
faz sciente aos pais de seus alumnos, que no
primeiro de Fevereiro prximo pretende
abrir a sua aula na ra da Cruz n. 37 pri-
meiro andar.
Industria Pernambucana.
tsr O deposito de chocolate estabelecido
na ra Nova n, 15 mudou-se para a ra da
Cadeia velha loja do Bourgard aonde adia-
se de novo um bom sortimento desta substan-
cia, como chocolate especial de baunilha, fer-
COMPRAS
=a Escravas crilas ou de nacao de idade
de 12a lannos, com algumas abilidades ;
na ra Direita n. 43 das 6 as 9 horas da ma-
nh e das 1 as 4 da tarde.
tsr Urna propriedade de casas nesta cida-
de que nao pague foros e seja boa casa e
tonha commodos : na ra de s. Rita nova
numero 54.
i.-*- Urna porgo de sebo em rama ou ja
derretido em pao : quem tiver annuncie.
tsr Sera de carnahuba at 6#400 a arro-
ba : quem tiver annuncie.
VENDAS. T
reo e de saude; a prompta extrago o m-
dico prego eoempenhocom que tem sido
procurado he um garante da sua boa qua-
lidade e delicioso sabor ( superior sem com-
pjragi.6 alguma ao chocolate de Lisboa ) he
urna prova com quanto os verdadeiros ami-
gos da insdustria brasileira querem a prospe-
ridade oeste bello imperio que desde ja pode
rivalisar com as primeiras nages civilisadai.
tsr Precisa-se alugar urna preta para o
servigo de rr.ui pouca familia a qual cozi-
nhe ngommo, e venda na ra; assim
como d-se dinlieiro a premio em pequeas
quantias, sobre pinhores de ouro e prata ;
quem pretender annuncie.
Traspassa-:-e um terreno no beco do
Espinheiro com 300 palmos de frente e
com igual largura nos fundos ; um terreno
na estrada velha de s. Amarinho com 100
palmos de frente e fundo at a caraboa : no
pateo do Hospital venda n. 16.
W Pede-se aosnr. I), morador em Olin-
da que em Dezembro de 1841 reeebeo a
quantia de 83 rs. para por favor alugar dous
cavallos tenha a bondade mandar entregar
Na praga da Independencia loja de li-
vros n. 37 e 38 ou 6 e 8, a Arte de Gramm a-
tica da lingoa Portugueza para uso das
escolas, composta por Emilio Achilley Mon-
teverde pelo prego de 400 rs.
Ha muitos resumosgrammaticaes da nossa
formosa linguagem : mas uns so deficientes,
outros nimiamente di Husos; muitos nao com-
bindo com oa principios da Ideologa e al-
guns foro redigidos segundo um methodo
philosophico, em cuja exposigSodemasiada-
mente se dilataro seus autores que deixao
por isso de ser proprios para discpulos novi-
gos. O autor da grammatica que seannun-
io soube evitar estes inconvenientes, e
compondo um synopse dos rudimentos do
idioma portuguez offereceu as escolas pri-
marias o compendio mais til, manual e ba-
rato que existe.
tar* Urna escrava de nago de bonita fi-
gura sabe cozinhar o ordinario lava tanto
Je sabo como de varrella he boa quitandei-
ra : em fora de portas casa n. 18, que se di-
r o motivo porque se vende.
BT Um casal de porquinhosda India, mui
lindos, e urna canario de imperio em sua
gaiola de rame : na ra de Hurtas n 62.
tsr Um herdeiro do casal do Tinado Jos
Ferreira Ramos vende urna parte que tem
no sobrado em que mora osr. Manoel Ignacio
de Oliveira na praga do Corpo Santo ; quem
quiser comprar procure em casa de Manoel
Bezerrra Cavalcantede Albuquerque no beco
Jo Lobato ou a Joaquim Jos Ferreira na sua
prenga no Forte do Mattos.
, ss5" Saccas com farinha de mandioca e ar-
roz de vapor por prego commodo : na ra
da Cadeia velha armazn) n. 35 de Manoel
JozeMartins da Costa.
ar* O engenlio Tracunhaem moente e
cerrenle sito na freguezia deGoianna, dis-
tante daquella cidade 3 legoas ; este engenho
offerece grandes vantagens pois he um dos
melhores desta freguesia he de grande pro-
JugSo tem grande extenco de terreno ,
bom cercado e pastagem, muitas e boas mal-
tas ptimas varzeas e corgos com suficien-
cia de se fazer para cima de 3000 pes, e
acha-se todo demarcado : vende-se por seu
proprietario querer relirar-se para a praga :
a fallar no mesmo engenho ou em Olinda
ra do Carmo casa de vidragas que tem lam-
pino na porta.
Kr Cadeiras americanas com assento de
palhinha camas de vento com armagSo
bar de educar, duas escravas de muito boas
figuras sem defeitoalgum urna mulata de
18 annos boa figura cose engomma e
faz o mais servigo de urna casa : na ra de
Agoas verdes n. 44.
tsr Urna morada de casa de 3 andares, a
um sotSo sila na ra do Amorm do bairro
do Recife a qual tem muitos commodos e
os fundos he para a ra da Moeda e rende
GOO. e pode render 650# por anno, urna ca-
za terrea na ra da Praia a qual tem o n. 3i
que rende 16# a 200 por mez tambem tem
muitos commodos e sot&o com grande quin-
tal cacimba e cozinha fora *, quem a pretender
dirija-se ra do Queimado loja de ferragens
n. 10 que se dir quem as vende.
tsr Urna escrava de nago de idade 25
annos, engomma bem liso e cozinha o or-
dinario de urna casa lava tanto de varrella
como de sabio : na ra do Fagundes n. 27.
tsr Bogias de carnahuba de 6 e 9 em li-
bras a 320 a libra cartas e taboadas para
menino a 80 e 40 reis pautas grandes e pe-
quenas a 60 e 30 reis : na ra Nogueira nu-
mero 1").
nr Cal, telhas tijolos de Iadrilho al-
venaria e de tapamento caibros e travs :
no Porto das Canoas onde tem carrogas e ca-
noas de agoa.
tsr Barricas com farinha sss e america-
na de diversas qualidades fio para gapatei-
ro caixes com chapeos de bata barris
com tinta em massa de differentes cores la-
tas com as verdadeiras pilulas da familia cai-
xas com muito superiores charutos, galo de
espeguilha : na ra estreita do Rozario pada-
ria de Francisco Alvesda Cunha.
Br Marques & Veiga vendem no arma-
zem do sr. Gumares ao p do arco da Con-
ceigo, Darricas com farelos novos a 4500 a
barrica.
^ tsr Abotoaduras douradas do ultimo gos-
to para coletes, ditas para cazaca, douradas ,
e de duraquee massa a 480 bico9 estreitos
e largos finos fitas de todas as qualidades ,
oculos de todas as cores e graos pentes de
marrafa de tartaruga, tamancos de lodosos ta-
annos essencia de roza tinta encarnada
e azul e outras muitas miudezas por prego
commodo : na ra do Cabug jola de miude-
za pintada de a/u'-
tsr Um sobrado aC um andar e soto em
chao pruprio na ra J> Santa Rita n. 14 ;
tratar na padaria da camboa Jo Carmo ; na
mesma vende-se urna porgo de barricas que
foro de farinha.
a mesii peSmn de quem reeebeo a referida! sem ella, muito bem feitas a 4500 rs. ditas
de pinho a 3500, marquezas de condur :
quantia; docontrario ver o seu nome decla-
rado.
tsr Quem precisar de um rapaz portuguez
de idade de 18 a 20 annos para caixeiro de
ra ou loja Je fazendas ferrageus ou miu-
dezas pois entende de tudo isto dirija-se
a ra larga do Rozario n. 42.
aa O abaixo assignado faz sciente ao res-
peitavel publico que o linado fre Caetano de
Santa Ingracia Muniz lhe hypotecou o sen
sobrado de dous andares e trapeira da ra
ilo Padre Foriano D. 2 e pela nova nume-
go n. 71 bypoteca esta feita em 23 de
novembro de 1839, que se hade vencer em 4
de margo de 1843, e para ninguem fazer ne-
gocio com o dito sobrado se faz o presente an-
nuncio. Manoel da Silva Lopes.
v.' Joo Fon tes Braga nao he mais cai-
xeiro de Davis Gompanhia.
E" lia urna ama com muito bom leite: as
5 pontus n. i56
tsr Precisa-se d um caixoiro, e um
marcador : no botequim junto ao theatro.
tsr Manoel Pereira Muniz Tavares decla-
ra aosr. Manoel da Silva Lopes, e a quem
convier que o sobrado de dous andares e
trapeira da ra do Padre Floriano n. 71 edi-
ficada pelo fallecido Fr Caetano de s Engra
cia Muniz pertence ao annunciante, por
ESCRAVOS FGIDOS.
tsr No dia 24 de Dezembro de 1842 des-
apareceo um moleque de idade pouco mais ou
menos de 12 annos, com os signaes segumtes:
cabega grande com o cabello ruivo olhos
grandes e inchados por natureza barriga
grande pernas finas pt:s compridos e mais
urna barruga ao pedo dedo minimo ; a pes-
soa que souber ou tiver noticias annuncie pe-
lo diario que ser recompensado.
tsr No dia 26 para 27 de Dezembro de
1842 fugirodo engenho Sebirdo Cava lan-
te na comarca do Rio Formozo doiiM seravos
B> U Cl-
genlio Mundo novo, mal e indiretamente re-
cehiilas iipIo dito fallecido ; que sobre esta
Espirito Santo qual devim assistir todos I propriedade pende acgo do annunciante no
os alumnos. Juizn .Ja segunda vara do Ctvel.
mezas de jantar commodas de amarelo e
de angico assim como outros muitos trastes e
pinho de succia com 3 pologadas de grossu-
rura, dito serrado tudo mais em conta do que
sm outra qualquer parte : na ra da Floren-
ena casa de J. Beranger.
Um moleque de 19 annos robusto ,
e ptima figura por 600* : em Fora de
Portas ra do Brum n. 21.
- Urna casa terrea n. 123 sita na ra Di-
reita com soto cozinha fora quintal e ca-
cimba ; tratar na ra dos Quarteis n. 2o.
er Urna venda nooito do Livramento ,
n. 2 que vende diariamente o aluguel da
casa : a tratar na mesma.
tsr Superior champanhe e outras qua-
lidades de vinhos Cognac absinthe Ker-
cho genebra holandeza azeite doce em ca-
xas chocolate, marmelada de Cereja e a
bricotes em latas ameixas copos lapida-
dos ditos ordinarios, arenques de fumo,
charutos da havana ; tudo por commodo pre-
go : no armazem no beco do Corpo Santo ,
numero 25.
tsr Por prego commodo urna pequea ca-
sa de taipa porem em bom estado, e em chao
pruprio sita no lugar da Casa Forte ; tra-
tar no atierro da Boa-vista casa de sobrado de
i ndar 11. 8u.
tsrL'm moleque de 12 annos bom para ser-
vir urna casa, um preto bom para todo o traba-
Iho urna negrinha de 14 annos com bons
principies de liaiidades boa para se aca- RECIFE NA TTP. DE M. F. DE F. = iM3
ladinos ; um de nome Mauricio de nago
angico idade de 40 annos alto b*m fei-
to do corpo cara secca tem marca de sua
trra as fontes e testa desdentado adian-
te no queixo de cima cor fula levou cha-
peo de carnahuba oleado de branco urna pis-
tola jaqueta e caigas brancas tamisa de
madapolo e de algodo da trra serou-
1 bata encarnada e mais alguma roupa :
e outro de nome Raymundo de nago con-
go idade de 40 annos baixo secco des-
dentado adianto no queixo de cima com o
dedo polegar da mo direita lascado esem
mili- tem marcas de chumbo na cabega ,
e levou urna espingarda lazarina curta com
aneis de lato e guarda coice do mesmo pre-
gado com taixinhas um chapeo fde palha no-
vo jaqueta de chita de assento branco e
llores encarnadas, e caigas brancas, cami-
sa de maJapolo, e de algodo da trra ,
seroulas, bata encarnada e mais alguma
roupa ; supoe-se ter hido para o serto, e
roga-se todas as autlioridades policiaes e f&-
pitesde campo e mais pessoas particulares,
quiro prende-los e leva-Ios ao dito engenho,
ou nesta praga na ra Augusta n. 8 que se
gratificar todas as dispezascom generosidade.
tsr Fugo no dia 15 de Dezembro p. p.
urna escrava crioula de nome Mara Anto-
nia alta secca do corpo, e tem a cara
cheia de mercas de bexigas j corista esta ;'s
cravw andar na Cidade de Olinda por ter
aii iiii ; quem a pegar leve em Fora de Por-
tas casa n. 18.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2WV7YXW5_SWDOP6 INGEST_TIME 2013-04-13T01:34:25Z PACKAGE AA00011611_04864
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES