Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04826


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Annode 1843.
TVrga Feira 22
Todo ajora depende de no meamos ; da noisa prudencia moderaco e energa : con-
tinuemos cuma priH-.piamiu e aeremos aponlaJos com admira -.'.o enlre as Nacles m>9
cultas. C Proclamado da AssemMa Geral do Blum.. )
PARTIDAS DOS C0RRE10S TERRESTRES.
Coianna, Parahiba e Rio grande do Norte segunda e sextas feiras.
Bonito e Garanhuns a 10 e 24
Cabo Serinhem, Rio Fornviso Torio Calvo Maeeio e Alaoas no 1. 11 e 21.
Boa-vista e Flores a 28. Santo Ant.io quintas feiras. Olinda todos os dias.
DI AS DA SEMANA.
24 se. Apresentar.'o do N. Sra. And do J. de D. da 1. r.
22 Tere. GioilMI V M. Re. And. do J. de D. da 2. v.
2i Quart. s. Clemente P. M. Aud. do J de D da 3. v.
.,, Oniol. s. Joo da Cruz C. Aud. do J. de T). da 2. T.
23 Sni. s. CatharinaV. M. Re. Aud. do J. deD.dal. .
> Sab s. Pedro Alexandrino B. M. Re. Aud. do J.del). da 3. v.
>7 |)om. 1. ao advento, s. Margarida de Snboia Viu,
de JVovembrfc Atino XVIII. N. 553.
O Diario publicase lodosos dias que n.'to forem Santificados: o preco da assignalora h
de (TOS mil reis por quarle 1 paos adiantadn. Os annuncios des assignantes sao inserido
gratis e os dos que o nn fon-m altado ile SO reis por linlia. As reclamac<"ies deven se
dirigidas a esta T_vpo;ralia, ra das Cruies N. 34, ou a praOi da Independencia loja de livro*
Numero (i e 8.
CAMBIOS nu da 21 de outubro. compra venda.
Cambio sobre Londres 2S Nominal'
Paris 350 reis por franco
Lisboa 100 por 100 de pr>'Miii>
Moeda de cobre 2 por 100 de descont,
dem de letras de boas firmas 1 a 1 |.
Ouito-Moedade C.100 V.
M u N.
i de 4,000
I'lUTl-Pataces
n Petos Cnlumnares
dilos Mexicanos
<( miuda.
l.fiOO
14.40J
8,! 00
1,700
1,70J
1,700
,58J
15.80
14,000
8.200
1.720
1,720
1,720
1,610
Preamar do din 22 de Novembro.
1." a 0 horas'lS m. da manliaa.
2xa al) llorase 42 m da urde.
PUASKS DA LtA NO ME' DE KOVEMBRO;
La Nova 2 1 bor e 40 m. da i if,
Qitarl. cresc. 9 s 10 horas e 57 m. .la lard.
Iu cheia 18a 1 bora e 10 m. da manh.
Quart. minp. 25 t horas e 42 m. da manh.
I
uiari
S>E PEKNAMBUC
PARTE OFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 15 DO C0RRENTE.
OiTicio Ao Exm. e Rm. bjspo diocesano,
dizondo que em occasio opporluna, ser to-
mado na devida considerago o que represen-
ta em seo oHicio de 12 docorrenle acompa-
iihadod'outro do parodio da freguesia da S.
Miguel dos Barreiros em que expoa as
tristes circumslancias -Ja respectiva matriz j
e'.n consequencia da falta dos utenss neces-
sarios decente adminitrago dos Sacra-
mentos.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda exigindo urna certido dos assen la-
mentos do segundo lente Francisco Elias
Pereira extrahila do livro mestre do quar-
to corpo deartilharia montada de primeira li-
nlia ; afim de em cumprimento de ordem im-
perial ser remettida a corte.
Dito Ao director do arsenal de guerra ,
scionlilicando-ode haversido recebida por S.
M. o Imperador a espingarda feta naquelle
arsenal, e offerecida pela presidencia ao mes-
ino Augusto Senhor : e determinando-lhe ,
que louve ao mestre da officina de serralliei-
ros Jernimo Joze Bustorf e aos demais
artistas que tivero parte em lo primorosa
obra, o esmero que empregaro na sua fac-
tura
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda participando ter sido approvada pe-
lo Exin. Sor. ministro da guerra a delibera-
dlo tomada pela presidencia sobre a duvida,
posta pelo commissario fiscal daquelle minis-
terio no ajuste de contas do ex-sargento do
segundo batalho provisorio de primeira li-
nfa Joo Francisco Monteiro.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda communicando que por decreto de
21 de outuhro ultimo houve S. M. o Impe-
rador por bem conceder Joaquim Pinto
Brazil demisso do emprego de professor
substituto das cadeiras de philosophia e
geometra do collegio das artes do curso jur-
dico d" Olin la.Igual participando se fez ao
respectivo director interino recommendan-
do-se-lhe que pozesse concurso a referida
subslituigo.
Portara Determinando ao commandan
te do vapor = S. Salvador -=., que ordem
do Exm. Sr. ministro da guerra entregue o
soldado Policarpo Joze de Alouquerque que
lii ser remettido pelo commandante das
armas.
wmm
FL HITO
MANCA CAPELLO. (*)
O conde e Juliani tinho chegado conver-
sando salla do baile ; abi encontraran
Bianca que eslava s Juliani approximou-
se d'ella.
Dava parte vosso pai senhora, de u-
ma noticia 'que vos interessa diz elle. A
paz que a Repblica acaba de concluir apres-
ar eu o espero a volta de uossos gucr-
jeiros.
A rapariga estremeceu.
Espera-se pois prximamente o senhor
Lorenzo Barbarini ? pergunlou ella com a
voz trmula.
Ocoule nao deixou tempo Juliani que
COMMANDO DAS ARMAS.
EXPEDIENTE DO DA \ I DO CORRENTE.
Illm.0 e Exm." Sn.rEstando o auditor da
gente de guerra sujeito as nomeaces que eu
tiver de fazer para os conselhos de guerra e
havendo o actual auditor Jos Nicolao Rigup-
ra Costa sido nomeado para o conselho qu?
tem de julgar o soldado da companhia de
artfices que ferio o sargento commandan-
l"j da guarda da cadeia entendeo que poda
na qualidade de juiz de direito do crime se-
guir para o termo de Iguarnc com o im de
presidir os jurados sem fazer a este com-
mando a competente participadlo e menos
de haver regressado a capital e parecendo-
me que este procedimento era contrario ao
bom andamento do servido e que involva
irregularidade pois a falta de taes commu-
nicages me deixava indiciso as nomeages
dos conselhos dirigi-lhe o officio que por
copia a V. Ex. aprsenlo em resposta do
qual tive hoje de receber o que em origi-
nal envi. D'elle se ve que o auditor se
nao leconhece legalmente impedido quan-
do fra da capital estiver excrcendo qualquer
acto do seo nfllcio como juiz de direito e
que assim entendido nSo aceita a adverten-
cia que lhe liz e se julga dispensado de par
ticipar-me a sua sahida ou recolhim*n-
to a capital onde se fazem os conselhos de
guerra.
Nao me conformando pois com semelhante
procedimento do auditor, pois que para o
nomear, ordenar e regular os trabalhos dos
conselhos de guerra devo ter sciencia se o
auditor est ou nao desimpedido e promp-
to para exercer suas funeges que em mui-
tos casos nSo pode recahir em outro de no-
mrago minha ; levo o ex posto ao conheci-
mento de V. Ex. para que se digne tomar
a providencia que convem ponderando que
a respeito dos consplhos de guerra a sahida
do auditor para fora da capital em actos do
seo officio importa o mesmo que um ligiti-
mo impedimento ; por quanto nSo tendo el-
le o don de dividir-se impossivel lhe da
villa d) Iguarag d'Olinda ou de outro
qualquer ponto da comarca onde estiver como
juiz comparecer e officiar nos conselhos
de guerra como auditor na capital. Deixo de
parte a protelago que soffrem os processos
militares, tendo o auditor como juiz de di-
reito de exercer dentro e fra da capital ac
tos do seu officio por que sobre este objecto.
honlem representei a V. Ex. de qum es-
pero tambem urna providencia qualquer. =
Dos guarde a V. Ex. quartel do comman-
do das armas de Pernambueo H de novembro
de 1812 = Illm. e Exm. Snr. Baro da Boa-
(*) Vid. Diario 259.
respondesse ; deu um passo para diante e ,
fitando-a fixamente :
Senhora Capello diz elle com um tom
brusco d'aqui dous dias esposareis Louren-
zo Barbarini.
Bianca deu um grito e sustentou-se com as
duas mos sobre urna poltrona. Juliani ti-
nha feito um movimento d sorpreza e des-
contntamelo ; mas reprimia-o a tempo ,
e voltando-se para o conde :
- Nao convem prometter nunca o espolio
de um bravo nem a chegada de um ausente .
diz elle surrindo-se. A volta de Lourenzo
pode tardar mais do que pensaes : para que
jangar no coragftode vossa filha urna emogo
que faz agora parar sua alegra ? 0 baile nc
quer semblantes pensativos.
E pegando na mo de Bianca :
Vos me deveis esta noite inteira diz
elle ; quero conduzir-vos em pessoa ao meio
das dansas.
A rapariga apoiou machinalmente seu bra-
go sobre o de Juliani, e ambos entraro na
saPa do baile.
vista Presidente da provincia. =. Antonio
Pedro de S Brrelo, commandante das
armas.
" Officio Ao mesmo Exm. Snr., enviando-
Ihe o requerimento do primeiro lente Pe-
dro A (Ton so Ferreira que pedia a S. M o
Imperador a graga de lite contar a anliguida-
dede*8 de julhode 181i.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. enviando-
llie informado o requerimento do soldado vo-
luntario Antonio Francisco Baplista que
pedia licenga para continuar os seus esludos
preparatorios.
Dito Ao mesirlo Exm. Snr. remeiten-
do-lhe informado o roquerimenlo do segundo
cadete Herculano Geraldo de Souza Maga-
llies que pedia a nomeacSo de alferes de
commisso para o batalho provisorio onde
infantaria de guardas nacionaes destacado.
Dito Ao inspector da thesouraria re
mettendo-lhe os recibos dos vencimentos do
olficial commandante do destacamento do Bo-
nito pertencentes ao mee de setemhro ; assim
como o da quantia destinada para agoa e luz,
que nao acompanharo os de mais papis re-
mettidosem 7 do outubro.
Dito Ao major Manoel Joaquim de O-
liveira para continuar na presidencia do
conselho de guerra do soldado da companhia
de artfices visto niio se ter efectuado a sua
viagem para oCear no vapor que para ali
parti.
DitoAo director do arsenal de guerra,
enviando-lhe urna representagflo do comman-
dante do forte de Gab acerca dos fretes
dos gneros a conduzirdo mesmo arsenal pa-
ra o forte e vice-versa.
Dito Ao commandante do brigue = Im-
perial Pedro = rfimettendo-lhe o guarda
Justino Joze do Amparo que devia ficar a
bordo se por ventura.fosse desertor do mes-
mo brigue.
Dito Ao tenente coronel commandante
do batalho de infantaria de guardas nacio-
naes destacado para mandar apresen lar ao
commandante do brigue =!mperial Pedro=,'|
o guarda Justino Joze do Amparo que ali
devia ficar no casi de ser dezertor.
Dito Ao mesmo, para que mandasse re-
tirar a capital as companhias destacadas em
a cidade de Goianna e termo deNazareth.
DEM DO di.v 1 i.
Oficio AoExm. Presidente, remelten-
Ihe informado para que deferisse como fos-
se de jusliga o requerimento de Joo Fran-
cisco Pereira que pedia ser desligado do
batalho de infantaria de guardas nacionaes
destacado.
Dito Ao doutor Joze Eustaquio Gomes ,
participando-lhe que as 10 horas da ma-
Tendo ficado s o velho Capelo senlou-
se e deixou cahir a cabega sobre v peito : o
que acabava de saber o havia ferido no ponto
mais sensivel de seu orgulho. O amor de sua
(ilha por um estrangeiro indigno sem du-
vida de urna tal preferencia j era urna dor
acerba ; mas o que o mortificava alem de tu-
do era o pensamento de que esse amor ti-
nha sido adviuhado que a vergonha de seu
sangue era conhecido alem d'elle por ou-
tro*.
Comprehendia, demais, que sua honra as-
sim tornava-se a propriedade dos Dez ; que
piles podiAo d'ahi em diane tudo lhe pedir ,
nSo so em nome de sua auloridade como em
recompensa de sua discrigo.
Por muto tempo ficou mergulhado em suas
negras meditagck's. Os alvos vislumbres do
dia comegavao a penetrar as galeras. Ju-
liani reappareceu com Bianca.
O conde levantou-se chamou a sua gndo-
la e despediu-sede Juliani. Biancaapp:o-
ximou-se para pegar em sua mo ; mas o ve-
lho passou para dianti sem Ib'a offerecor. As-
nha do dia 22 do correte teria lugar na se-
cretaria militar a arrematago dos medica-
mentos para o hospital regimentai, e que
essa hora devia estar presente por fazer
part- do conselho extraordinario de que trac- >
la o artigo 22 do regulamenlo de 17 de fave-
reirode 1852.
Iguaes communicagoes se fizero aos com-
mandante de corpos ecirurgies dos mes-
mos.
Dito Ao tenente coronel commandante
do batalho provisorio reme-ttendo-lbe as
guias das pragas vndas do Cear nos vapores
= Correio Brazileiro =, e = S. Sebastio=3
com destino a corte as quaes aqui desem-
barcando passaro a pertencer ao batalho
do seu commando.
Dito Ao commandante da companhia de
cavallaria para que informassa se durante
o tempo que estivero reclusas a bordo da
escuna ss 1." de abril = as tres pragas men-
cionadas noolficio do inspector do arsenal de
marinha que lhe transmett.'a recebero as
etapesque Ihes competido,
REPARTig.VO DA POLICA.
Pessoos despachada de a 26 de
Outubro.
Joze Lopes do Amaral Brazileiro Jnsn-
na Francelina das Duros Brazileira, Simia-
na escrava da mesma : para Porto de Pedras.
Luiz escravo de Joo Vasco Cabral filho ;
para Macei.
Ignacio e Joo escravos de Manoel Cae-
tan o Soares Carneiro Monteiro : para o Rio de
Janeiro.
Antonio nagSocansange escravo de Mano-
el Piulo da Cunha : idem.
Joze Miguel dos Santos, Portuguez : para
Lisboa.
Joaquim Joze Gil Portuguez : para a A-
lagas.
Francisco Leito Figueira, Brazileiro: pa-
ra o Rio Formozo.
Caetano escravo do mesmo cima : idem.
Laurentina escrava de Joze Eugenio da
Silva Barros : para Serinhaem.
Manoel Joo da Silva Brazileiro : para o
Rio de Janeiro.
Manoel Joze de Carvalho, Portuguez : pa-
ra Macei.
Migue! Zacaras, Brazileiro : para o cer-
to da provincia.
Joze Manoel de Souza Reis, Brazileiro: pa-
ra Macei.
Mmica escrava de Jernimo Joze FerreU
ra : para o Rio de Janeiro.
Anglica escrava de Manoel Joze da Silva
Lete : para a ilha de Fernando.
sim chegaro aos degros do palacio perto do
canal.
No momento em que Capello entrava na
gndola um homem enrolado em um capole
appareceu como urna sombra ao lado de Bi-
anca : ella estremeceu e inclinando se
para elle :
A noile proxima-se disse ella mu de-
vagar, urna hora, sobre o caes da virgera....
N'esse momento Capello voltou se ; a
rapariga Iangou-so na gndola e a sombra
desappareceu por detraz das columnadas do
palacio.
Meia noite tinha tocado j muito tempo no
relogio de S. Marcos ; o ceo eslava escuro e
urna nebrina lluctuante cubra as lagunas; tres
bomens enrolados em capotes e com chapeos
de feltro embicado sobre os ollos encontra-
rn se defronte do palacio Capello. Trocaro
signaes urna palavra de ordem e reconhe-
cero.
Nada de novo ? perguntou um aos ou-
tros dous.
Nada, Beppo,


I



2
i
Gaspar Luiz Pinto, Portuguez : para o Rio
de Janeiro.
Semeiio escravo do desembargador Joze
Libanio de Souza : para o Para.
Maooel, escravo de Thomaz Pires de Fi-
gueiredo Camargo : para Macei.
Joo Fortunato Lvedra Jordao Portu-
gue : para Macei e Alagas.
Joaquim escravo de Antonio Baptista Ri-
beiro Torres : para o Rio de Janeiro.
Joze Soares Marinho, Brazilciro: para
Santo Antonio Grande.
Antonio Joo Bruno, Mineiro : para a Pa-
ra h iba.
Augusto Lamp, Henaveriano : para o Rio
de Janeiro.
Luiz Antonio Barboza de Brito Brazileiro
adoptivo : para Sernhaem.
Nicolao Alexandre, Manoel, Pedro, Ber-
nardo Joaquim Baca, e Raimundo escra-
vs de Luiz Antonio Barboza de Brito : idem.
Gabriel Germano de Aguiar Brazileiro ,
Joze escravo do mesmo : idem.
Maria, escrava de Joze Jacome Tasso Ju
\ nior : para o Rio de Janeiro.
Vicencia escrava de tiaspar de Menezes
Vasconcellos de Brumond : para Serinhaem.
Joze Antonio da Silva, Austraco: para o
Rio de Janeiro
Maria loz.fa, Brizida, escravas de Fran-
cisco Gordeiro Rapozo : para o Rio de Janeiro.
Calharina escrava de Manoel Joze Vian-
na : idem
Vicente Eyraa Hespanhol : idem.
Mana de naQo escrava de Joo dos San-
tos Porto : idem.
Pedro, Lina, Monica, Manoel, Francisca
e Felisbina escravos de Joaquim Pinto de
Azevedo.
Eduardo, escravo do doutor Anselmo Fran-
cisco Pirelte : Goianna.
Francisco Machado Brazileiro : para a
Parahiba.
Joze Antonio escravo de Joze Francisco
Ribeiro de Souza : idem.
Malhias Joze de Souza Neri, Brazileiro, le-
vando em sua companhia sua mulher e seis
lilhos menores e dois discpulos de nomos
Manoel Joze, e Manoel Pedro, ciionio es-
cravo de Joaquim Coelho Cintra : para Goi-
anna.
Raquel crioula escrava de Manool Joze
Viana : para o Rio de Janeiro.
Antonio Joaquim Fabio Brazileiro adop-
tivo levando em sua companhia um flho de
nome Antonio Joaquim Fabio Jnior : pata
o Passo de Camaragibe.
Joze Rodrigues do Nasciment Brazilei-
ro : idem.
Francisco Alves de Moura Brazileiro :
idem.
C. A. Gultrois, Hamburguez: para a Baha.
Victoria escrava de Maria Rosa da Concei-
cSo : para o Rio de Janeiro.
Lionor, escrava de Antonio Joze Leal Reis:
idem.
Silvestre escravo de Manoel Joaquim Se-
ve : idem.
Rosa escrava de Antonio dos Santos Cos-
ta : idem.
Francisco Salustiano Min Hespanhol :
para a Cutinguiba.
Antonio e Germano, escravos d Antonio
Machado de Farias : para o Rio de Janeiro.
Antonio da Cunha Mendon^a Portuguez :
idem.
Benedicta escrava de Antonio Pereira da
Cunha : Lauriana escrava de Lourenco de
S e Albuquerque : para o Maranhao.
Carlos Frederico da Silva Pinto levando
Nao vistes pessoa alguma parar perto do
palacio ?
Ninguem.
Bem.
Os tres esbirros pozero-se a passear bor-
da do caes ; o que pareca o chefe ia adiante.
Desejaria bem saber, diz emfim um dos
quecaminhav3o atraz porque o conselho
tem tanto peito conhecer. o que se passa
em casa dos Capellos ; um velho e urna rapa-
riga nao podera conspirar contra a Rep-
blica.
Beppo voltou-se.
Francisco ? diz elle.
O espio approximou-se.
Queres que te d<> um conselho ?
Qual?
E' de tudo ver ludo ouvir e nunca fa-
zeres reflexo alguma : Na vossa profisso as
reflexes sao muito nocivas. Teu antecessor
tinha tambem a mania de querer saber os
porqus que fazia ; isto desa^radou aos hon-
rados rnembrosdo conselho.
Beppo rou o chapeo.
em sua companhia o seu escravo Raimundo :
para o Rio Formozo.
Antonio JozeCorreia, Brazileiro: para o
Porto dos Touros.
Jo3o Alves de Souza Portuguez Miguel,
escravo de Manoel Alves Guerra: para Macei.
Joze de Souza Mattos, Brazileiro adoptivo :
para a Parahiba.
Manoel Joze Barboza Portuguez : para
Alagas.
Joaquim Lopes Daos Portuguez : idem.
Pes&oaa despachadas do 26 ao
ultimo do mez.
Augusto Loupe Framei, levando em sua
companhia sua mulher e um lho : para Ma-
cei.
Victorino escravo de Manoel Z"ferinodos
Santos : para sua fazenda em Agua-preta.
Francisco Ventura Fernandes da Luz, Por-
tuguez : para o Rio de Janeiro.
Joze Bernardo de Lima Brazileiro para
Maranguape.
Domingos Goncalves de Moraes Jnior, Por-
tuguez : para o Rio de Janeiro.
Antonio e Antonio crioulo escravos de
Manoel Joze Vianna : idem.
Joaquina, escrava de Salvador Pereira Bra-
ga : idem.
Clemente Joze de Lira Silva Portuguez :
para Luanda.
Joaquim, escravo de Joze Luiz Caldas Lins:
para o Bio Formozo.
Cosme Antonio de Albuquerque Brazilei-
ro : para o Aracaty.
Raimundo crioulo escravo de Cosme An-
tonio de Albuquerque : idem.
Antonio Cosme de Albuquerque Brazilei-
ro : idem.
Marcolino crioulo, escravo de Antonio Cos-
me de Albuquerque : idem.
Damio escravo do mesmo cima : idem.
Joo Joze da Conceigo Brazileiro : idem.
Thomaz Latham, inglez : para Inglaterra.
Luiz naco Benguela escravo de Francis-
ca Maria da Coneeic,ao Dellina escrava de
Joze Marcellino da Roza : para o Rio de Ja-
neiro.
Antonio da Rocha Freir Brazileiro: pa-
ra o Aracaty.
Joanna e Andreza escravas de Antonio
Francisco da Costa Braga : para o Rio Grande
do Sul.
Balbina escrava de Joze Joaquim Vieira ,
Benedicta, escrava de Francisco Martins de
Lemos : para o Rio de Janeiro.
Francisco Antonio Esteves Brazileiro, le-
vando em sua companhia urna mana de no-
me Maria Izabel da ConceiQo e urna so-
brinha de nome Izabel Maria dos Reis : para
o Ico.
Flix Martins de Castro, Brazileiro le-
vando era sua companhia um seu escravo de
nome Gregorio. -
Paulo Ignacio Joaquim Emidio 1 la-
rio e Antonio escravos de Joaquim Pinto
e Azevedo : para o Rio de Janeiro.
Eduardo Combbcz, Inglez : para Ingla-
terra.
(Continuar-se-ha )
EXTERIOR.
TURQUA.
O Sud de Marseilles de 5 de Outubro
traz urna carta de Constantinopla de 17 de se-
tembro dizendo que o governo Ottornano
tinha-se envolvido cm novas difficuldades com
a Austria. A corr.panhia Austraca da nave-
gado por vapor no Danubio tinha estableci-
do ha alguns annos com autorisaco da Poita
- De tal sorte que enviarao-no a desea n-
car de sua curiosidade....
- Em urna masmorra ? perguntou F ran-
cisco atemorisado.
- Nao no Adritico.
O esbirro deu um salto para traz e Beppo
continuou tranquilamente seu caminho.
Logo que passaro alem do palacio, voltou-
se notamente
Tudo est socegado diz elle a laguna
acha-se deserta a hora da intrevisla passa
da ; podemos partir. Pela praca de S. Mar-
cos rapazes.
E todos tres se retiraro.
Dava urna hora.
Ento um rumor de remos se fe* ouvir ; u-
mt gndola esenrregou por entre a nebrina,
tocou o caes da Virgem e um homem vesti-
do como um simples gondoleiro d'olla sahio :
era Mateo.
Apenas havia posto p em trra quando a
porta do palacio se abri. Bianca appareceu.
Osdous amantes se reconbecero e lanca-
ro-se um para o oulro ao mesmo tempo. Ma-
uma Iinha regular entre Constantiniplae Tre-
biaonda a qual tinha sido summamente lucrat
va. Muitos altos dignatarios do Imperio i
tendo formado urna associacAo havio com-
prado dous vaoores com os quaes crearo
urna feliz competido com a companhia Austr-
aca. O governo Turco com o intento de animar
a empreza domestica, e cedendo s suggeslvs
da Russia. potencia que tinha repetidas ve-
zes testemunhadoa sua exaperacao e o seu
despeito de ver navios Austracos navogarem
o mar negro tinha intimado officialraente
a companhia Austraca que Ihe retiravaali-
cenca de fazer a nevogacao a vapor entre
Constantinopla e Trebisonda. Oencarregado
de negocios d'Austria inmediatamente pro-
testou contra esta medida e o director da
companhia declarou que continuara o servido
sem interrupQ3o at que se laiiQasse mo da
forc,a e que elle entao pedira protecc8o ao seu
governo e soccorro. Todava a medida ha-
via sido adptada em conselho e oficialmente
notificada s partes interessadas. Consegui-
temente nSose julgava provavel que o Divn
deixasse de as tomar em consideracao nao
obstante o conseibo dos representantes da
Gram-Bretanha e Franca que debalde se
esforcaro por dissuadir o ministro dos nego-
cios estrangeiros de adoptar urna tal medida.
A Gazeta de Augsburgo de 2 de Outubro
publica urna carta de Constantinopla dizen-
do que a Porta Oltomana tinha regeitado o pla-
no proposio pelos representantes das Potencias
Europeas para a pacificado lo Lbano, I>iz-
se quja Porta agora propon mandar am fio-
vernador Turco para a Syria com dous chefes
subalternos debaixo das suas ordens, um
para os Drusos e o outro para os Maronitas
Os embaixadores tinho prosleslado contra
esta medida.
A Gazeta da Lipsic de 2 de Outubro diz
que o Pricipe Milosch ex-governador de
Servia goza d'uma renda annual de
140,000 ducados ( 60,000 libras inglezas),
sem contar as suas posseses territoriaes em
Wallachia. Nenhum Principe pertencenle a
alguma das dynastias Europeas, qne tenha
sido privada do throno possue tamanha
renda.
A Gazeta de Augsburg de 2 d'Outubro an-
nuncia que a familia ex-Real de Franca era
esperada em Goritz na sua volta de Krchberg,
em lins do mez anterior. Tinha corrido
o boato de que aquella familia eslava para
mudar de residencia para Veneza mas isto
era um erro poisque ella tinha renovado o
arrendamento da sua caza de Goritz por mais
trez annos.
As ultimas noticias de Alexandria, chegao
a 17 de Setembro. O Pacha foi a bordo da
esquadra a 17, e esteve no mar at 20 e
ento voltou para o porto alim de receber
ali as insignias da dignidade de Grao Vizir.
irazidas de Constantinopla por Samy Bey e
no dia seguinte parti este para Constantino-
pla no Redschid. A osquadra Egypciaca a-
inda andava cruzando lora da costa vista
da trra. A 7 osdous uavios inglezes Van-
guarde Cambridge, que sahirSo de Bey-
rout a 4 apparecerAo diante de Alexandria ,
mas depois de trocarem salvas com bateras ,
proseguirn n'unia directo occidental.
As noticias de Beyrout de 8 de Setembro
dizem que fra tomada econfiscada pelas au-
toridades Turcas urna quanlidade de plvora
desembarcada a 5 em Ras Beyrout por um
navio mercante francez. O Vernon, fragata
ingleza chegou o Beyrout a 5 para soccor-
rer o Inronstant que se fez de vela a 6 e
chegou a Malta a 26.
( Evening Mail.)
teo pegou na mo da rapariga e apertando-a
nai suas:
Sois vos diz elle com urna expresso
cheia de ternura vos que posso ver Bi-
anca !
Silencio disse ella em voz baixa tenho
medo !
Oque podis temer ? tudo agora dor-
me ; as serenatas mesmas teem-se adormeci-
do sobre as lagunas e as escadas de seda
nao estao mais pendentes s varandas deser-
tas.... Porque tremer assim i*
Se viessem....
Quem pode vir esta hora ?
Ecomo a rapariga olhava sempreem torno de
si com temor, elle puxou-a para mais perto de
sie beijou-lhe as mos que tinha as suas.
Tivestes emfim compaixo de mim ,
continuou elle com urna voz doce.... at ago-
ra vos tinha pedido em vo um 'esses entre-
temulentos em que o coraco se pode abrir
sem testemunhas.... e hoje m'o haveis conce-
dido !. iioj'! estamos juntos e sos :.... ouso
apenas cr-Io por instantes perguntu a
CORRESPONDENCIA.
Senhores Redactores. Tendo ouvido di-
ser que n'esta cidade e no bairro da Ra_
Vista havia um eollegio de educacao para
meninas, do qual era Director o senhor Dou-
tor Thebergo suppz que est estabelleci-
m-mto nao teria os com modos necessarios e
sulliciencia para preenoher seos lins tanto
mais, quantoconheco ainda no u,eu pajz 0
pouco gosto que ha por couzas taes ; m;,s
fiquei por certo raaravilhado quando visi-
tando o eollegio quinta feira p. p. encon-
trei n'elle todas as proporces para as meni-
nas obterem urna educacao se nao mu van-
lajosa ao menos accommodada aos nossos
costumes e necessidades.
Alem do aceio com que estao preparadas
todas as aulas que sao de primeiras leltras
geographia desenho danca e muzica ,
eu vi na melhor boa ordem possivel lten-
las as nossas circunstancias anda e come-
en do estabellscimento o dormitorio das e-
ducandas a salla immediata em que pt<|a
manha ellas tem de arrear se e a Capel-
la do eollegio em que ouvem Missa nos
Domingos e dia,s Santos e fazem oraco a
noite e me satisliz de observar em tudo
quanto vi muita simplicidade e a maior de-
cencia.
O eollegio tero um pequeo sitio onde em
dias destinados, e pela tarde as educandas
vao recrear-se sob a direccao de um de suas
mestras. Corr este aprasivel lugar e a
mesma regula ridade e aceio, que vi na casa,
achei tambem no sitio. Tive occasiao e
tempo bastante para entreter urna conversa
sobre oestabeleciniMito com o senhor D.iutor
Theberge. sua digna Snra. e as Profeso-
ras que ali estavo ecoufesso que pinho-
rado pelasmaneiras affaveis o seductoras ,
e instructiva conversacao, com que todos me
demoravo fiquei fazendoo juiz) mais van-
tajosod'esse estabellecimento.
Seo Director, o senhor Doutor Theberge ,
Medico ; mas que me pareceo versado as
Bellas Leltras sua senhora madame Elisa
Theberge dotada de urna alma bem forma-
da de apreciaveis qualidades e bastante
hbil as materias de sen ensino a senhora
D. Maria Magdalena, cuja capacidade bons
costumes, e virtudes a tornao superior a torio
o ellogio e ltimamente sua substitua a
senhora D. Anna Eligen ia nao menos dig-
na que suas companheiras de sinceros enco-
mios pelo zelo e pericia com que se ap-
plica ao ensino da classe que Ihe est con-
fiada emfim ludo tudo me deixou conven-
cido da utilidade que deva Pernambuco ti
rar d'esse estabelleeimento para cuja dura-
cao e brlhanlismo me persuado devem
concorreros bons Pernambucanos, mormen-
to os pas di familias preparando assim pa-
ra as suas filhas urna edueagao honesta, e
que as nao torne de peiofenndiejio que as Se-
ulioras da Europa. E para que o publico
imparcial faga o verdadeiro juizo qus deve
d'esse eollegio, quetalvez tenha sidoaho-
canhado por mal intencionados e ignoran-
tes eu Ihe rogo o obzequio da inserir em
sua folha estas duas regras que s3o do seo
venerador e attento V. T.
ALFAiNDEGA.
Rendimento dodia2l de novb.ro 3:805*724
DESCARREGA HOJE 22 DE NOVEMBRo.
Barca Franceza = Anloinetle = vinho a-
zeite, farinha e miudezas.
mim mesmo se estou acordado se estou e-
leateo se sois Blanca !.... Oh meu Dos!
quando me sinto amado d'esta sorte, nao
duvido mais do futuro nada mais temo : pa-
rece-me que nem Dos poderia arrancar-vos
de mim.
- Ah vo ensaia-lo diz Bianca.
Maleo estremeceo.
-Sim continuou a rapariga ; por isto
qu quiz ver-vos Mateo. amanha me
casaO
- Oh meu Deus verdade ? txclamou o
rapaz (
Hontem mesmo rio baile meu pai mo
declarou. E' amanha que chega Lourenzo
Barbarine.
-Amanha__Lourenzo B-trbarini !
'Estar aqu na hora do casamento.
- Ah o nao terei tempo de mata-lo
antes !
-O que dizeis ? i
Queres antes qu! ella te lire de minh
posse Bianca? esclamou o rapaz em de-
sespero. Donde vem elle esse Iijiiumii qM


5
ri rn ss MvJanni as bicalh.
are lila'!'''-' = Sitfthiogal = fazendas sa-
bo, e ferragens.
Patacho Ingle: as Penelope = carvo.
Patacho sueco = Alert = 3 pegas velhas.
Birca Franeeza = Camelia = batatas.
IMPORTAQA.
0 patacho Inglez = Ponelopo as vindo de
NrtW-port, entrado no corrente mez con-
signado a Me Calmont & C*
Manifestou o seguinte :
178 toneladas de carvo de pedra ; a Me.
Calmont &C*
0 brigue Inglez sa Madonna = vindo de
Terra-Nova entrado no corrente mez, con-
signado a James Crabtree & C."
Manifestou o segunte :
2951 barricas com hacalho, 55 toneladas
de carvo ; a James Crabtree & C*
A barca Franceza ss Hortense = vtnda do
Havre de Graga entrada no corrente mez ,
consignada a Kalkmann & Rosemund
Manifestou o seguinte :
11 fardos com azendas 2 caixas com di-
tas 3 ditas com papel, 1 dita com obrcias ;
a Holli & Chavanncs.
6 caixas com fazendas 2 ditas com roupa,
2 ditas com sedas 5 ditas com biscoito 2
ditas com chapeos 3 ditas com perfumarhs ,
2 ditas com phosphoros, 1 dita com escovas ,
5 ditas com vidros, 2 ditas com bonfa 2 di-
tas rom sellins, 1 barril com arenques ; a
J.O. Elster.
6cHxascom fazendas, 1 dita com pennas,
85 gigos com vinho 1200 ditos com batatas,
475 harris com manteiga 8 ditos com vi-
nho, 10 ditos com tintas 1 ejibrulho com
amostras a Kalkmann & Rosemund.
51 fardos com papel, 1 caixa com fazendas,
1 diti com estampas ; a L. A. Dubourcq.
1 raixa com com chapeos 15 ditas com
vidros, t dita com calcado 1 dita com cha-
peos de sol e luvas 1 barril com alfinetes ;
a Cals Jnior.
4 embrulhos cem amostras ; a diversos.
1 eano para bomba ; a Rellenot.
13 potes para linguigas, 39 caixas com quei-
jos 1 porgo de magas ; ao capilo.
1 caixa com pennas ; aZimmer.
6 ditas com fazendas ; a J. Keller
4 ditas com pertences para carros ; a Mon-
te i ro.
4 gigos com vinho ; a Bandoux.
1 caixa com fazendas, 1 dita com pennas 5
a L. Rrugniere.
3 barricas com sal ; a Silva.
6 caixas com fazendas ; a Toker.
2 barricas com tintas 1 caixa com fazen-
das ; a C. Kruger.
4 caixas rom fazendas 1 dita com caiga-
do -, a Lenoir Puget 01 C."
5 barris com alvaiade ; a Souza.
2 caixas com ballangas, 2 ditas eom pezos,
1 dita com escOyas 2 ditas com colheres, 1
mala com chapeos de sol ; a J. P. Adwur &
Cumpanhia.
1 caixa com caixinhas de muzica, 1 dita
com bejoteria fina ; a Garnier.
1 caixa com fazendas ; a Lehmann & C
1 caixa com ditas ; a Millochau.
1 dita com miudezas aSaisset & C/
1 dita com calgado ; a F. Colon.
160 barris com manteiga ; a N. O. Bieber
A C.'
4 caixas com pertences para alambique ; a
Lasserre diC*
1 caixa com utensilios para celeiro 4 di-
ta com papel 2 ditas com calgado 5 ditas
com agoa de colonia 1 dita com miudezas ;
a Avrial Freres.
toma tua mo sem ter pedido teu corago ?
Que elle que nao escolheste elle que nao
amas, ver, com um decreto dos Dez na
niao t'arrancar de meus bragos !. Ah !
pregar-lhe-hei esse decreto sobre o corago
com o meu punlial.
-E vos perdirieis sem me salvar : diz Bi-
anca com os olhos banhados em lagrimas
Os instantes sao precisos... Escu'.ai-me, Ma-
teo vos sois nobre.. .
Mateo lez um movi ment.
- Apresentai-vs meu pai ; dizei-lhe..-.
sim dizei-lhe que vieste de Ferrara debaixo
de vestuarios de. um homcm do povo, porque
o territorio da Repblica eslava interdicto aos
Corsiuis. Este nome Ilustre condecido de
meu pai como de todos ; quandn souber que
o tendes vos escutar. Se for preciso nos
langaremos smis ps imploraremos sna
misericordia. Talvez que se deixe com mo-
ver.
Que importa diz Mateo sacudindo a
abega o conselho doz Dez nao decidiu de
10 caixas com magas 6 ditu com con-
servas, 1 barrica com qm.ijoi, 2 milas com
calgado ; 1 caixa com suspensorias 2 ditas
com bejoteria 2 ditas com fazen la*, 2 di
tas com pertences 9 Jitas com queijos ;
ordem.
O cter A-uericano = Prorapto = vindo
de New-Yorck entrado no corrente mez ,
consignado a Ruarte Valeriano Madail
Manifestou o seguinte :
132 caixas com charutos ; ordem.
MOVIMENTO DO PORTO.
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 20.
Bremen ; 52 dias, patacho Bremense Orion,
de 140 toneladas cap. C. Snumacher ,
equip. 8 carga lastro : ordem.
navios sviudos NO da 21.
Pot tos do Norte ; vapor brazileiro de guerra
Guapiass commandante Joze Mana No-
gueira.
Rio de Janeiro ; brigue brazileiro Fiel, cap.
Manoel Marcianno Ferreira carga diver-
sos gneros.
ENTRADOS NO MESMO DA.
Havre de Grace; 48 das barca franceza
Camelia de 309 ton. cap. Joo Biptista
Guilbert, equip. 16, carga fazendas : a
Bolli & Chavannes.
Montevideo 40 das briguo sardo Trium
phodo Brazil, de 149 ton. cap. Nicolao
M niaxa, equip. 10 carga carne secca :
a Amorim & Irmos.
AVISOS MARTIMOS.
= Para Genova SBRueviagem em poucos
dias por ter o S"U carreginvnto completo o
patacho sardo Renedicta Maria ; quem no
mesmo quizer ir de passagem para o que
tem excellentes commodos; dirija-se aos
seus consignatarios Manoel Joaquim Ramos
& Silva ra da Cruz n. 53.
tsrPara o Cear sane imprelerivelmente no
dia 2 de dezembro a sumaca Estrella do cabo,
ainda recebe carga miuda e os pretetidentes
dirijo-se a Manoel Joaquim Pedro da Costa.
tsr Para o Acaracu o Hiate Olinda tem o
carregamento prompto e recebe alguma carga
miuda, e trata-se com Manoel Joaquim Pedro
da Costa na ra da Cadeia n. 46.
tsr- Para Lisboa o brigue portuguez Con-
ceigo Flor de Lisboa capito Vicente Anasta-
cio Rodrigues sahira com toda brevidade ,
por ter quasi toda a sua carga prompta : quom
quizer carregar ou ir de passagem para o que
tem muito bons commodos entenda-se com
o dito capito ; ou com Mendes & Oliveira.
L E I L O E S .
tsr 1. O. Elster far Ieilo por interven-
go do corrector Oliveira dos mais lindos
chales de seda, queja mais foro importados
n'este mercado, e muita procurados por se
rem da ultima moda assim como de finissi-
mos merinos, lengos de cassa ditos de seda
para homcm chales de cambraia sedas de
varias qualidades, pannos leves do gosto mais
mederno para caigas e de muitasoutras fa-
zendas muito procuradas chegadas recente-
mente do Havre pelo navio Hortense e s
agora despachadas,- terga feira 22 do corrente
s 10 horas da raanhno seu armazera ra
do Vigario.
AVISOS DI VERSOS.
ssr Quem annnunciou a venda de duas ca-
vossa sorte ? O que poderia contra essa von
tade suprema a vontade de un velho? As
nobres Venesianas pertencem Repblica e
nao seus pais !
- Bem imploraremos aja mesmo conse-
lho.
O rapaz surrio amargamente.
- Nao sabis que os homens que governo
nao tem corago ? o que faro vossas lagri-
mas ? Elles esto acostumados ver derra-
ma las. Nao nao longe de vos urna v
esperanga ; os Dez fallar e vosso pai po-
ra esta mo na de Birbarini quando mes-
mo tenha ella deenregelar-se para sempre.
- Mas cnto que meio ha do salvar-nos ?
diz Bianca ora de si.
Os olhos de Mateo animaro-se.
- II1 um continuou elle, ... um s. .. .
mas para emprega-lo preciso nao contai
com a compaixo de ninguera. Somos linda
senhores de nossa sorte com tanto quenco
nos abandonemos.
E segurando a rapariga pelas duas mos:
sas no bocodo Padre ; dirija-se a ra da Au-
rora casa em que tom o 2. lampio.
ur Roga-soao sr. que veio do Rio de Ja-
neiro encarretpdo de tratar certo negocio com
o perfeito da Penha a respeito da sra D. Ma-
r Rora dos Passos queira dirigir-se ao
Hospicio de N. S. da Penha afim de se ul-
timar.
=3 Precisa-se da urna ama que tenha bom
leite SMido escrava ; na ra Nova n. 2.
as Napadariada ra Direita n 31, preci-
sa-se de um preto cativo que enlenda de mas-
seira.
as Quem precisar de urna ama para den-
tro da casa dirija-se atraz dos Martirios n.
56; e tambem se aluga duas canoas ab rtas.
as A pessoa qn* deseja fallar com Monoel
Gongalves da Silva Queiroz, dirija-se ao Ater-
ro da Roa-vista n. 86.
= O primeiro secretario da sociedade Na-
lllsns' avisa aos sentares socios que boje
( 22 ) pelas seis e meia hora da tarde ha ses-
so.
tsr Alugo-se trez moradas do cazas com
grandes commodos no sitio do Cajueiro; quem
as pretender dirija-ss ao mesmo sitio para
tratar por anno ou por festa.
tsr O abaixo assignado avisa a todas as
pessoas que tem penhores em sua mo qiia
hajo dos vir tirar no prazo de trez dias,
seno sero vendidos para seu pagamento.
Joz" Francisco do Azevedo Silva.
= Quem precisar d* urna ama livre com
muito bom leito ; dirija-se lo: isla no na
da Conceigo N. 10
tsr Quem livor para alugar urna mora
da de casa terrea que seja grande e tenha
bom commodo para urna grande familia e
loja ; quem a tiver, sndo no atierro da Roa-
vista annuncie.
tsr Aluga-se para passar a festa um so-
brado na cidade de Olinda na ra de S. Ben-
to com agradavel vista para o mar e mui-
to fresco por prrgo commodo; quem o pre-
tender dirija-se ra Velha a fallar enm o
tenente-coronel Joze da Cunha Moreira Alves ,
n. 63.
tsr Precisa-se de urna ama para todo o
servigo e compras de urna casa de muito
pouca familia ; na Solidada casa nova que
fica bem defronte da igreja
tsr" Offerece-se urna crioula moga para
ama de casa de homem solteiro ; quem do sen
prestimo se quizer utilisar dirija so ra do
Padre Floriano n. 72.
tsr" Para urna familia estrangeira sem
filhos, procura-se urna ama de casa parda
ou preta forra que saiba perfeitamente en
gommar, ecuidar no servigo interno da casa,
as pretendentes dirijo-se a ra da Cruz nu-
mero 7 primeiro andar das nove horas at
ao meio dia.
tsr* Precisa-se de urna ama de leite ; na
ra Direita padaria n. 24.
tss- O mogo Portuguez que estiver as
circumstancias de querer ir para urna caixa-
ria no mato perto da praca que tenlia de
idado de 12 a 14 annos, e que saiba bem lr,
para casa de boa familia, e ter bom interes-
se ; dirija-se venda da esquina da ra de
S. Joze n. 2 que l achara com quem tra-
tar ou no armazem n. 15 defronte do Cor-
po Santo.
Lotera da Matriz da Boa-Pista.
Nao se tendo verificado o andamento das
rodas da lotera do theatro impossivel se
torna correr esta no dia designado affian-
gando-se porem ao respeitavel publico que
logo que se extraa aquella esta Ihe succe-
der immediatamente pois o extraordinario
- Bianca exclamou elle queres tu con-
iar-te mim ?
O que queris dizerj? pergunlou ella.
Aqui continuou Mateo tu escrava
dos Dez eu le offereco a lberdade a liber-
dade com um amor sem limites.. com o
mundo que se abre inteiraraente diante de
nos !... Bianca ... urna gndola est ali !...
oartamos juntos.
A rapariga recuou.
Fugir comvosco diz ella.
- E' o nico meio de tornar segura nossa
felicidade.
E meu oprobio Mateo.
Nao ser tu a mulher de meu corago ?
L'm sacerdote santificar nossa unio.
I E meu pai !... meu pai que deixarei s
aqui, deshonrado... meu pai cujas cans se-
ro apontadas com o dedo... oh nunca ...
Mateo serrou as mos, olhou para ella com
um momo desespero.
__Ento, diz elle oque queris fazer ?...
I esdosareis Lorenzo Barbarini.
IMM
consumo que ha tido habilita a fazer tal as-
sergSo.
cy Dasap.ireeej da venda da na da Seu-
zala velha n. 60 urna cruz de ouro com urna
imagem de Christo o quatro anjos e urna
senhora da Conceigo tu Jo na mesma pe-
ga roga-se por tanto a qualqu^r pessoa que
dola tiver noticia ou Ihe for offerecida a-
prehende-la ou dar parto na dita venda, of-
ferecendo-se pessoa metade do valor que a
mesmo cruz tiver.
tsr Oflerece-se urna mulher parda para
ama de leite ; na ra Direita numero 28.
= J O, Elster far Ieilo por intervengo
do corretor Oliveira, de grando sortimento de
miudezas e ferragens de varias qualidades ,
inclusive espingardas, Ia2arinas, pistolas, es-
padas para guarda nacional, ecavallaria. sel-
lins e oulros ohjectos de prornpta extrago;
quarta feira 23 do corrente s 10 horas da
manh no seu armazem ra do Vigario.
tsr Senhores Redactores = lendo no ba-
lango da casa do fallecido Antonio Marques da
Costa Soares na conta que expz ao pnblico o
Snr. Joze Marques da Costa Soares datada de
30 de Agosto do corrente anuo do lempo da
administrago de que for caixa af. 12 da dila
conta declara duas casas na Ponte velha ( que
uma Jevidida) com valor de 4:000ji000 u-
111 dila na ma do RozariodaBoa vista em
valor 3:000,>000, urna dita no atierro da Boa
vista n< valor de 8:000^000 com a nota (A)
que diz= estes quatro predios esto na posse
docazal que tem escriptura de compra siza-
paga, laudemio foros e decima eolal-
le.cido tazia as lucaces : por isso nao obstan-
te o pleito que sobre elles ha (que est no tri-
bunal da relago ) proposlo pelo sargento mor
Francisco Gong-ilves da Rocha como cossio-
nario de Joze Mara da Cunha Guimares ,
entendeu a administrago que nao era razo
bastante para illiminalos do balango.
Parece que. seria de razo ; e d jusliga ,
queaadmioistragodissesse a verdadeemludo
e por ludo declarando que o fallecido Mar-
ques comprando em 28 de Maio de 1832 essas
casas por 3: lOOjOOO dando-se por pigo e sas-
tifeito de ludo quanto lhedevia o seu devedor
Joze Maria da Cunha Guimares cissionario
de Rocha depois dessa escriptura selebrada
recebeo o fallecido desde 11 de Abril de
1843 at 24 de Margo de 1837 ,em dinheiro
2:058,337, como de seus recibos. Duas exe-
cuges contra D. Cosma do Livramento Quei-
rs 1:50O0OO por escriptura do 1. de Julho
de 1836 na nota do Tabellio Dutra. Pelo
que receben mais do que devia Guimares
438*337 parece que he prova bem clara que
a escriptura da vendadas casas por 3:100<000
nao foi verdadeira e s para seguranga de
Marques.
Demais como pode ser vahada a venda
desses predios de valor de 12:000*000, por
3:100*000 nulla conforme a leipor lezo
enormisisima: a graga inda vai mais longe?o
senhores administradores entendem que deve
o cazal icar possuindo os predios e os
3:358*357, que o fallecido recebeu doCusi-
onario Joze Maria da Cunha Guimares que
taes as consciencias dos herdeiros adminis-
tradores. Dignem-se de inteirar ao publico
desta verdade que consta dos autos ; e o sar-
j>ento-mor Rocha ja teve sentenga a seu fa-
vor.__Jos Maria da Cunha Guimares, pro-
curador bstanlo de Francisco Gonc,alves da
Rocha.
tsr Na ra do Queimado loja n. 14, de Luiz
Joze de Souza, ha para vendar chapeos de sol
de seda por prego commodo e de' superior
qualidade, tambem se vende velas de carnauba
muilo bem feitasde 6, 7e 8, em libra a 320 rs.
Morrerei, respondeu a pobre menina
fora de si
Elle surrio amargamente.
Assim preferes a morte ao desterro
comigo continuou elle ; entretanto Bi-
anca havieis me dito, que me amaveis, que
era eu ludo para vos.
E disse a verdade, disse em voz baila a
rapariga chorando.
Nao digis isto exclamou Mateo ; pelo
amor de Deus nao o repitis Amais-me e
ides esposar out.-o Sou tudo para vas e
me prefiris o orgullio de vosso pai .. Ah !
nao me fallis maisd'amor senhora Dizei
que por um instante tivestes compaixo de
mim e que ambos tomamos essa compaixo
por ternura.
Mateo exclamou Bianca.
Mas, inteiramente entregue a seu despre-
zo elle a nao ouvia mais.
( Continuar-9e-ha.)


PILOTAS VEGETAES, E L'NIVERSAES AMERICANAS.
O nico deposito dellas he em casa do agen-
te D. Knoth ; aa rua de Apollo n. 27.
ar A pessia a quem for offerecido uns
oculosde armago branca com caxa encar-
nada que foro furtados por um preto ga-
nliador qneira fazer o favor de os tomar e
levar a raa de s. Rita Nnva n. 54.
Precisa-se de pretos para serventes de
pedreiro quem os tiver dirija-se rua da
Senzala velha numero 88 ou na Senzala
nova na obra que se esl fazendo que l
achanto com quem tratar.
CT Quem precizar de doce para embar-
que de todas as qualidades; dirija-se aloja
dosenhor Antonio Gomes Pessoa na rua da
Cadca que Iho dirao quem o faz.
t^ Joze Gongalves Ferreira Costa conti-
tinna a manjar fazer atierros tanto grandes
como pequeos por commodo prego com
mais ou menos demora conforme os donos
quizerem ajusta por mpreitada um tanto
por braca conforme o fundo ou ajusta tam-
bem por canoas, bota canoas tieareia em obras
de casa e enche caix ;s de casas por canoas
ou impreilada e s recebe o dinheiro no
im de qualquer atierro quando der por
prompto para ser medido; elle foi quem mati-
dou fazer no Hospicio aquello grande atierro
do Exm. Sr. Joze Garlos Marinck da Silva
Ferro eoutros muitos em a rua d'Aurora
e s deixa do tomar qualquer atierro ou im-
preitada quando de tolo em todo Ihe pode
dar prejuizo ou nao tire resultado por pe-
queo que sej : os pretendentes dirijo-se
n rua d'Aurora em casa dosnr. Joze Jacinto
Silveira D. 9, na praga da Independencia
loja do Sr. Olivtira n. 28 na rua da Cadeia
loja dosnr. joaquim Gongalves Casco n. 45,
onde elle vai todos os das em ditas casas.
er G. W. T. Kohlmeyer retira-se para
Tora do Imperio.
ar Aluga-se o segundo andar do sobrado
da rua da Cruz n. 03 com commodos pa-
ra urna familia regular ; quem o pretender ,
dirija-se ao armazem do mesmo.
ar Furtaro de um sitio no Remedio um
taso grande de derreter sera boca larga ,
fundo eslreito com peso de duas arrobas
pouco mais ou menos roga-se a quem delle
souber ou a quem for offerecido naja de o
aprehender e anuunciar por esla folha ou
partecipar ao abaixo assigna lo que ser re-
compensado e se guardar segreJo.
Joo Anastacio Camello Pessoa.
ar A pessoa que Ihe desaparoceo um es-
cravo Labo na madrugada do dia 15 do cor-
rente, e qnefoi adiado pelo soldado'do corpo de
polica Gonzalo Francisco Tavares, quem for
seu senhor diriga-se a secretaria do governo
a fallar com o dito soldado pois l se ada as
ordensdo expediente e Ihe dar os signaes
do ditoescravo.
ar Ainda nSo se effectuou a venda da ca-
sa terrea do becco da Bomba n. 4 lado do
lado do norte por falta de ajuste ; que a pre-
4
frente 4 quartos urna grande sala atraz >
cozinha fora urnas boas lojas para estriba-
ra ; quintal grande con cacimba e tanqn-
para banho por prego commodo tambem
ge aluga animalmente ; quam a pretender,
dirija-se a nusim Olinda sitio defronte do
Lupe.
vor Desja-se fallar com o snr. Joaquim
Manocl de Castro e as senhoras Clara Maria
ilas. Antonio, e Micaella Ferreira de Souza,
ou seus herdeiros annunciem para se Ibes
fallar.
ar Quem precisar de um caixeiro prin-
cipalmente para loja de mu lozas de que ja
tem bastante pratica, dirija-se a fjra de por-
tas n. 122.
Di Urna senhora de bons costumes se
propOe a tomar criangas com ama para se
criarem com loite impedidas e desimpedi-
das e tamh mu se recebe as que estiverem ja
desmamadas para se acabar de criar com todo
o mimo e amor : na rua Direita n. 50 segun-
do andar.
ar Roga-s ao sr. A. C. P. de ir a rua da
praia n. 32 pagar o que deve do contra-
rio se cobrar judicialmente.
ta^ Aluga-se um grande soto com mui-
tos commodos : na rua do Livramento nu-
mero 3.
ar Rogase ao snr. C. R. M. O. N. de ir
pagar certa quantia que muitos mezes pe-
dio emprestado a J. A. P na rua do Vigario
tender diriga-se a rua da Gloria perlo do
convento das freirs n. 33 lado do norte.
ar O senhor Francisco Joze da Costa Gui-
raares morador em um cilio perto da pra-
ga queira fazer o obzequio vir ao armazem
de carne da esquina defronte do trem da par-
te do mar ,* para concluir o negocio que bem
sabe. No mesmo armazem compra-se um sel-
lim em raeio uso com os seus pertences ou
sem elles
ar Precisa-se de um ou dous rapazes, para
caixeirosde loja de fazendas para fora desta
praga que tenhao idade 10 a 18 anuos.
quem estiver neslas circuntancias ; dirija-se
a rua da Cadeia do Recife loja n. 24.
ar Deseja se saber as moradas dos Snrs.
Manoel Francisco Rodrigues, Luis Dias Cor-
reia, e Custodio Joze Ramos, para se Ihes fal-
lar a negocio de interesse, no escriptorio de
Gaudino Agostinlio de Barros pracinha do
Corpo Santo n. 66.
ar Offcrece-se urna crela de bons costu-
mes para criada de casa de homem solteiro ,
ou de pouoa familia : na rua da Penha nu-
mero 15.
ar Quem annunciou no Diario n. 2l ,
querer comprar urna duzia de cadeiras com
assento de palhinha e dues bancas de sala ,
dirija-se a rua do Rangel sobrado n. 56 ; na
niesma casa su vende um jogj de gamo em
bom nzo.
tsr* A pessoa que quiser fazer sociedade
em urna padaria nova sita em muito bom
lugar ejprompt; de tudo pode annunciar
achando-se em circunstancias de poder fa-
zer ficando certo que todo e qualquer ne-
gocio ser feito e dominado pela pessoa que
pretenda a dita sociedade.
ar Aluga-se para se passar a festa urna
casa terrea na cidade de Olinda na rua de
s. Joo muito fresca com duas salas na
armazem de assucar n. 21, isto quanto an-
tes.
ar Roga-s3 ao snr. J. A. que naja de
ter a bondade antes de retirar-se para o Cea-
r de ir ou mandar pagar no praso de 6 dias
a quantia de 26*' que o mesmo he devedor
na loja da rua da Cadeia velha importe de
fazendas que o mesmo comprou para seu uzo,
do contrario se uzar dos meios judiciaes.
ar Alug-se o segundo andar da casa da
rua do Encantamento confronte ao beco que
vai para a rua do Vjgario : ni rua da Cadeia
velha loja de fazendas por baixo da casa da
residencia do CorretorOliveira.
CF* Deseja-se saber da moradia do snr.
Vicente Ferreira Maria para negocio de seu
interesse.
ar Aluga-se um soto para pouca familia
de urna at duas pesssoas, por prego com-
modo ; ,uem pretender dirija-se a travessa
estreila do Rozario botica defronte do n. 1.
ar Cede-se por aforamento um terreno
na frente do sitio do Exm. Dezembargador
ConselheiroMaciel Monteiro, tendo algumas
bemfeirorias feitas pelo foreiro que ceda o
dito aforamento ; o terreno he bastante en-
chuto e proprio para logo se edificar in-
dependente de atierro: trata-se na rua de
iiortasn 140.
tsr* Arrenda-seannualmenle ou pelo lem-
po que seoontratar urna casa terrea abar-
racada, com grandes commodos, sita no
lugar dj Manguind e pertencente ao seu
proprictario o Exm. Dezembargador Conse-
ihdro Maciel Monteiro: trata-se na rua de
Hortas n. 140.
S^-Totjiou-sc no dia 13 docorrente a urna
preta que andava vendendo agoa urna lma-
gem do Menino Dos com seus aderegos de
ouro esem um boto no punhoda camisa;
quem for seu dono dirija se defronte do Cor-
po Santo na obra nova junto do Snr. Mamede,
a fallar com o meslrecarpina.
ar Precisa-se de 500ff pagos os juros
meiisalmente d-se fiador ou hypolheca
em urna grande morado de casa : annuncie.
COMPRAS
Um prelo ou moleque sem vicio: na
rua do Caldereiro sobrado de um andar nu-
mero 2.
ar 4 pipas que servissem de agoardente ;
quem tiver annuncie
VENDAS.
ar Urna negra de nacSo Angola de 20
annos de bonita figura propria para todo
o servigo ou Iroca-se por um negro mogo
queseja gil para comprare ganliar na rua :
na rua Nova n. S,
ar Vende-seou troca-seo sitio denomi-
nado Remedios com boa casa de vi venda ,
por propiedades ou Ierras em qualquer parte
de Portugal, ou por casas nesta cidade ; o si-
tio tem umacapella, urna grande olaria do
podra e pal bnm barro de agoa doce com
um sobradinho junto a mesma senzala pa-
ra escravos um grande viveiro boa baixa
para capim urna porga o de coqueiros di
versos ps de larangeiras e oulras arvores
de fructo : a tratar no mesmo sitio com o
feo proprielario. J
Urna venda no beco do Peixe frito n.
5 : a tratar na rua de Agoas verdes nume-
ro 15.
ar Urna insigne davina tronxada se-
melhante dos cacadoies do exercito (ran-
ee/ na Affrica essa davina to polida como
bem fabricada pode ser uzada ou por um pai-
sano ou militar elh man la urna btla a dis-
tancia de 900 metros isto he de 2700 p;s ,
f ha ornada com urna baionota o compra-
dor para convenser-seda verdade pode es-
perimenta la: rio atierro da Boa vista casa
de M. Emilo.
ar 5 pipas arquiadasde ferro, e bola-
xa inferior parasevados a 800 rs. a arroba :
na rua larga do Razario n. 32.
ar Na rua Direita sobrado de um andar
n. 15 ao pede dous de varan las douradas ,
vend sa doce de caj scca e co:n calda
muito bom e por commodo prego o lambom
de limo e mangaba, e faz-se bolos de di-
versas qualidades, com muita dolioadeza.
ar Urna morada da casa terrea na rua da
Gloriada Boa vista n. 29, com excellente
quintal e bons commodos ; e tambem so
aluga urna casa terrea taita a moderna com
bons commodos na povoacao dos Affogados:
a tratar na rua Direita n. 3b* primeiro andar.
ar Um moleque de Angola, de 12 an-
nos bonita figura e apto para qualquer offi-
cio : as 5 pontas n. 2*5.
ar Potassa da Russia cm barris peque-
nos : em casa de Hermano Mohrtons, rua da
Cruz n. 47.
ar A propriedado Cumln para engenho
at de agoa com canas plantadas a casa
ja armada para engenho, agoi corrente mui-
to fino com 600 bragas de frente e meia
legoa de fundo muita madeira de amarelo,
e outras muitas que se precisar todo cober-
to de maltas virgens bom sercado perto
la povoago de Cravat, 20 legoas a esla
praga casa de vivenda as Ierras desmar-
cadas : a fallar com seu proprielario Manoel
Bernardo Ferreira.
tar Um preto mogo, bom canoeiro : na
rua da Gloria n. 91.
7ST Champes de tamarindos, pitanga, ma-
r cuj orchata laranja e frascos com do-
ce de tamarindos: na travessa estrena do Ro-
zario botica defronte do n. 1.
ar 10 meias barricas de paingo de boa
qualidade : na rua da Cacimba armazem de
Paulo Joze Alves da Silva z Irmo.
ar Mann em caixas de 16 libras por
prego commodo : na rua da Moeda n. 7.
tsr Urna morada de casa terrea em boa
rua com quintal murado e porto a qual
rende mensalmente 12,> : na rua do Livra-
mento n. 25 primeiro andar.
ar Taxas de ferro balido e coado em bom
sortimento por prego muito barato : na rua
do Vigario n. 3.
ar Um relogio de ouro de machina ho-
risontal com corren tes de ouro ou sem ella;
na rua d* Queimado loja de ferragens n. 13:
assim como urna duzia de cadeiras america-
nas.
ar Carne secca do serlo muito fresca e
gorda : na rua da Conceigoda Boa vista ar-
mazem de Rufino Gomes da Fonceca.
ar Urna negra crela recolhida de bo-
nita figura coso faz lavarinto e renda de
todas as qualidades cozinha o ordinario e
lava de sabo ; e urna creolinha de 8 annos ,
do bonita figura : na Camboa do Carmo n.
19 segundo andar.
t^" Urna carroga de carregar agoa e um
boi para a mesma : na rua de S. Joze nu-
mero 27.
ar 6 cadeiras de angico e duas mesi-
nhas novas de amarelo bem feilas e enver-
nisadas com gavetas : na rua de Agoas ver-
des n. 58.
ar Urna porgo de barricas vasias que
foro de farinha do trigo, pipas vasias para
obras de tanueiros e ancoretas e tinas : no
atierro da Boa vista n. 54 junto do segeiro
Emilio a fallar com Antonio Pereira Velozo
ar Chegados no ultimo navio de Londres
6 piannos do celebre author Bwadwood dos
quaesdous de construgo vertical, e dous
fardos de enserados de lona vindos de Ingla-
terra proprio para qualquer servigo e de
muito mais dura por seren de um panno s
e sem costuras : na rua da Cadeia do Recife
n. 4, casa de Me. Calmont & Companhia.
tar Urna casa terrea sita no lugar do Mon-
dego bem construida com bastantes com-
modos a saber : duas salas bastante gran-
des 4 quartos corredor lavado cozinha
fora com fugo inglez murado cacimba
com excellente 8goa de beber toda envidra-
gada feita a moderna : na praga da Roa
vista n. 20 ou na rua da Cruz rio escripto-
rio de Manoel Jnaquim Ramos e Silva.
or Barris com breu graxan. 30, pa- ;
pe de peso sag em arrobas, 4 terms de
medidas, 5 de folha e um de pao e urna
bomba, canteiros balco para venda : na
rua das Cruzes n. 9.
ssr L'm* das melhores venda no pateo da
s. Cruz com commodos pira grande fami-
lia : na rna da Alegria a fallar com Joze Joa-
quim Bitelho.
or Eirocti va mente superior salitre refi-
na io em birrieas e a retalho pelo barato pre -
oo de 200 rs. a libra : na rua das Lirangei-
ras n. 5 sobrado de Claudio Duboux.
or Espa las pratinlas com roca e sem ella
e boa qualidade, por prego de 11<" rs. cada
umi : na rua Nova loja do ferragens n. 2o.
or Superiores pentes de tartaruga para
marrafa a 1ji300 o par : na rus do Queima-
do loja n. 3 confronte ao b'ca do Peixe frito
CT Um negro ganhador e serrador, sen
vicios nem achaques : atraz dos Martirios nu-
mero 56.
or Por prego commodo urna excellente
machina para socar assucar e urna ptima
carroga que foi da companliia da fabrica de
farinha : na rua do Trapiche novo n. 10 em
casa de Jones Paln & Companhia.
SS" Sal do Ass a bordo da Sumaca Del-
mira ; a tratar com Antonio Joaquim de
Souza Ribeiro.
or Urna mesa com duas gavetas um ba-
nheiro grande dous cavaletes proprios para
retratistas 12 arrobas de oca 3 tabolotas
para portas um diamante de cortar vidro e
varios quadros domados, assim como piaseis
e varias ferramentas pertencentes a pintor:
na praga da Boa vista n. 30.
Cadeiras americanas com assento do
palhinha camas do vento com irmago e
sem ella muito bem feitas a 4300 ditas
de pinho a 3500 marquezas de condur ,
mezas de jantar commodas de amarelo, e
de angico assim como outros muitos trastes ;
e pinho do suecia com 3 polegadas de grossu -
sura dito, serrado tudo mais em conta dO que
em outra qualquer parte : na rua da Floren-
tina casa de J. Beranger.
^or* A Sumaca Brasileira Santo Antonio ,
de construgo Brasileira ; os pretendentes po-
dem hir examina-la no forte do Mallos ea
Iratar do ajuste com Manoel Joaquim Pedro
da Costa na rua da Cadeia n. 40.
or Urna porgad de resina de angico mui-
to nova elimpa a qual pelo bom arranjo
em que se ada om dous saceos de couros ,
pesando cada um duas arrobas e-27 Ib. livres
da tara, eslo com suficiencia para serem ex-
portados : no porto das canoas no segundo
andar do sobra Jo da esquina de Manoel An-
tonio de Souza Reis, das 6 as 8 horas da ma-
nila e das 3 as 6 da tarde.
OT Duas escravas urna de 16 annos pti-
ma para mumbanda cose bem e cozinha ,
e a oulra quitandeira lava bem de varrelia
usa bao : um moleque crelo de 12 annos ,
ptimo para qualquer ofhVio dase a conten-
i para se ver as habilidades : na rua Direi-
ta n. 43.
or Na rua Nova loja de seleiro de Joze
Ramos da Cruz & Compinha que foi do
Labulier, vendem se'bandas ricas com baca-
Ihosdeouro, a 30ji rs, e do novo padrao
a 56ji vindas agora do Rio de Janeiro.
or Um bom sobrodo de 2 andares e so-
to, com armazem cito na rua Nova n. 37
o qual se vende por preciso aim de se pa-
gar um debito que a mesma casa est obri-
gada: na rua do Livramento armazem n. 20.
ESCRAVOS FGIDOS
or Fugio um escravo crelo de 20 an-
nos de estatura regular, sem deffeito al-
gum exterior pouco ou nenhum bugo de
barba, fugio enva noute de 18 do corrente ;
provavel ter procurado o serlo do Ass de
onde he natural, e foi comprado nesta pra-
ga a Joze Carlos de Carvalho morador no
supradito serlo o qual escravo pertence a
Manoel Francisco da Silva residente na rua do
Livramento n. 25 primeiro andar que gra-
tificar competentemente a quem lh'o apre-
sen lar.
or Desapareceo no dia 20 urna negra
meia bucal, com 3 gamelas e um cal ieiro
de furo, com nm coco de esfregar casa: quem
a pegar leve a rua do Cabug n. 3 que ser
recompensado.
or Fugio de bordo do Rrigue-Escuna
Izabel na noute de 19 do corrente um escra-
vo de nome Francisco, crelo de 16 annos,
com oflicio de Barbeiro bem retinto tem
urna cicatriz na testa por cima doollio dimi-
to estatura regular sem barba muito
sperto levou calcas e camisa de rispado :
quem o pegar leve a rua da Cadeia do Recife
n. 45 que receber OOji rs de gratrficagao.
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. =1842.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E24QCU6YK_D3B3MA INGEST_TIME 2013-04-12T23:21:33Z PACKAGE AA00011611_04826
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES