Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04807


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1842.
Sabbado 29
Todo agora depende de nt meemos ; di duiii prudencia mnderacao eenerga : cna-
linaemoe como principiamos i ieremea montados oom admiraou iti as Nacoea mais
.aullas. (Proclamacio daAssemblee Geral do iriil.)
i
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Guiarme, Paraiba e Hiogrande do Norte, aegsndase sextas feirae.
Bonito f,aranhm:>. a 40 e 24-
Cabo Serinhaem > ^' foTmoio Forte Cairo, Macano Alagoae no 1. 11, e 21.
Boa-riata Florea 13 e 8. Santo Ani.'io quintas feiras. OHndavlodoa os diaa.
DAS DA SEMANA.
2 Se?, a. Bafnel Are. Aad. d.> J. de D. da 2. t.
?> Tere. Chrispim c Chr spiniano Irs. Bel. Aud. do J. de D.
ti Qjart. a. Evaristo 1'. M Mm. Aad. do J. de D. da 3. y.
*>7 Quint. jejum s. Ivlcsbfio Imperador. And. do juii de D. da 2.
5S Sext. % Simito e s Judas App,
?fl Sab. a. Feliciano M. Re. Afcd. do J. da D. da 3. ?.
30 osa. a. Serapiao B. C.
da 1. t.
T.
de Oulubro. Auno XVIII. N. 25?.
O Diario publica-te todoa oa das qne n Jo forera Santificados : o preco da atsignatnra ha
de tres mil reis por quartel pagos adianlados Os annunc-ios doe assignantee sao inseridoa
gratis e oa doi que o nao toree raiao de 80 reis por linhs. As reclamanes derem aer
dirigidas a esta Typografia roa dat Cruiea D. 3, eu a praca da Independencia loja de litros
Numero 37 e 38.
CAMBIOS no da 27 de outubro.
Cambio sobre Londraa 27 J Nominal.
a Paria 350 raiap. franco.
s a Lisboa 400 per 100 de premio,
Moeda de cobre 3 por 100 de descont.
dem de letras de boas firmas i }.
Ooo- Moeda da 6,400 V. 15,400
, N. f5,*fN
, de 4,000
PllTl P at acoca
Peto Colnmnarts
dito Maxicanoa
v asiuda
compra venda.
15,600
15,400
8.300 8,500
1,720
1,720
1,720
1,580
1,710
1,740
1,740
1,621)
Prtamar do dia 29 de Outubro.
1. a I bora a 18 as. da eaanba.
2. a 1 hora e 42 as. da tarde.
PHASES DA LOA NO MEZ DE OUTUBRO.
Loa Nora a 4 a 4 horae a 6 a, da manh;
Quart. oreac. a 11 aa 4 beraa a 22 m da manh.
Lna obaia a 19 a 8 hora s 53 a. da manli.
Qoart, rain;, a 26 -Sa 10 boraa a 23 m. da lard.
ARIO DE PEHTOAMBlldO.
PAUTE QFrlCiAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 22 DO CORIiENTE.
Olicio Ao agento da companhia das bar-
bas de vapor dizendo que mande dar pas-
sagem para o Cear bordo do vapor che
gado do sul ao major de primeira imita Ma-
noel Joaquim deOliveira i um soldado seu
amarada de nomo Joao Prxedes c um
criado cabouculo cham;tdo Candido.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda determinando que faga adiantar o
sold do corren te mez e o de novembro fu-
turo ao major cima mencionado passar-
llie a competente guia e pagar do primeiro
de dezembro em dianla a quantia de o0 reis
por mez mulhcr do dito ollicial ,, D. Joan-
na Baptista Accioli de Oliveira. = Commu-
nicousea expediegao d'ostas ordens ao com-
mandante das armas, recommendando-sc-
lhe que fizesse seguir o referido major e seu
cantarada.
Dito Ao inspector fiscal das obras pu-
blicas significando em respasta ao seo oli-
cio de 20 do correte, que as madeiras ,
que se devem comprar para a ponte do lleci-
fe na importancia de 1:200,y000 reis se-
ro pagas por corita dos tres contos de reis ,
designados paja o concert da mesma ponte
na distribuidla dos fundos consignados pa-
ra as obras publicas.
Dito Ao commandante das armas, de-
volvendo o requerimento do furriel do bata-
lhao d'mfantai ia da guarda nacional destaca-
da -Antonio dos Santos Pesaos em que pe-
de dispensa do servigo lim de que llie faga
constar que no tem lugar a sua pretengao.
Dito Ao delegado supplentedo Bonito,
significando que dos trez recrulas que
reme t leo assenlaro praga os dous soltei-
ros e volta o casado Manuel Caetano Bi-
zerra acompanbado do sua multrer e um fi-
llio menor por ser por lei prohibido o re-
crutamento do homens cazados : e recom-
raendando-lhe novanu-nlo que nao conti-
nu remellar para esta cidade individuos ,
isontosdo recrutament).
Dito Ao commandante das armas, com
muriicarido ,. que n'esla data se dirige ao
Exm. Sur. ministro da guerra im de que
este resolva acerea do ollerecimento que
faz o alteres decommisso do batalhao provi-
sorio Joaquim Pereira Xavier de Oliveira ,
para ir servir no Rio Grande do Sul.
Dito AJozeRay signilicando em res-
no'sta ao seu oilicio d 20 do presente que ,
iiavendo G. T. Snow apresentado-lhe a car-
ta imperial de 20 de agosto d'este anno. pela
qual S. M. o Imperador houvo por bem ap-
jnovar a nomeago que delle lizera o presi-
Tjonte dos estados unidos d'America para cn-
sul daquello governo nesta cidade tem ex-
pedido as neeessarias ordens jiara que elle
entre em exercicio o seja como tal reco-
nhecido.
Dito Ao chefo da legio da guarda na-
cional da Boa-vista, scientilicando-o, do que
brevemente ser tomada em consideracSo a
requisigo que faz em oilicio de 18 d'este
mez de um instructor para a guarda nacio-
nal d seu com mando e de cornetas para os
corpos de caval'aria.
Dito Aojuizde direito da comarca da
Boa-vista aecusando recebido o seu officio
de 9 de setembro .ultimo em que d parle
de achar-se inteiramerite tranquilla aquella
comarca : o recommendando-lhe que con
tinue empregar todo o sen desvelo na ma-
nutencoda ordeni publica azenio obstar
qualquer movimento que a possa trans-
tornar, e participando inimcdiatainento
presidencia as occorrenci^s mais notayeis.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda ordenando, que mande satisfazer
ao quartel-mestro do batalhao provisorio a
quantia do 100,> reis em que segundo
conta que lite remelle importa a despesa .
feita com as rages quo por espago de Ires
das se tem fornecido aos recrutas postos
em custodia desde 8 de fevereiro at 19 do
comente. = Parlicipou-se ao commandante
das armas.
Dito Ao delegado do termo do Brejo ,
aecusando recepgo do seu oilicio de 14 d'es-
te mez em que d parte de ter sido assassi-
nado no lugar da Pedra comarca de Gara-
nhuns, Jernimo de Albuquerquo Arco-ver-
de, e do que tem occomido depois d'essa
morto : e recommendando-lhe muito que
empregueos maiores esforgos tan lo para
seren descobertos e presos os assassinos ,
como para quo a ordem publica nao soffra a
menor alterago por causa de vingangas par-
ticulares.
Dito Ao commandante das armas de-
terminando que despega do servigo o sol-
dado do batalhao d'infantaria de guardas na-
cionaes destacado Antonio Joze dos Santos,
visto segundo informa ser do mo com-
por(amento, e yangada idade.
COMMANDO DAS ARMAS.
EXPEDIENTE DO DA 22 DO CORRENTE.
Oilicio Ao Exm. Presidente, iogando-Ihe
houvesse de passar ordem a thesouraria pa-
ra o pagamento dos medicamentos fornecidos
a companhia de guardas nacionaes destacada
em Goianna e alguns soldados de linlia ali
em servigo, do i. de junho ao ultimo de se-
tembro do comente anno cuja conta legali-
sada I he apresen (a va.
Dito Ao mesmo Exm. Snr., dando-lhe
a informagAoque pedir em despacho de hon-
tem acerca dos recrutas vindos do terjny de
Santo Anto.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. devolren-
do-Ihe a supplica de Maria Anacleta e sig-
nilicando-lhe que o recruta Manoel Lou-
rengo Ihe nao fra ainda remellido.
Dito Ao major chefe do primeiro bata-
lhao da guarda nacional desle municipio ,
communicando-He em resposta ao seu oili-
cio de 21 que expedir ordem ao comman-
dante, do batalhao de infantaria de guardas
nacionaes destacado para fazer effectiva a
entrega do armamento constante da relagao
que enviara.
Dito Ao major Manoel Joaquim de Oli-
veira fezendo-lhe constar que d'ordemdo
Exm. Snr. Presidente, devia seguir Daca a
provincia do Cear no vapor chegado ltima-
mente dos porlos do Sul, lim de ser empre-
gado ali como fosse de conviniencia para o
servigo.
Dito Ao commandante do destacamento
do primeira linha do Rio Formoso dizendo-
ihe quo por agora n8o convinha que fosse
retirado o mesmo destacamento como se
Ihe tirilla em outra occasio annunciado.
Dito Ao delegado do termo de Gara-
nhuns dizendo-lhe que recebero-se os
recrutas que enviara com o seu oilicio de 8,
e que as despesas feitas com o sustento e con-
duego dos recrutas devio ser pagas pela
collectoria do termo como era expresso as
instrucgos de G de abril de 18il e no caso
de noliaverdinheiro so dirigisse ao Exm.
Snr. Presidente com a conta legalisada
lint de ser paga pela thesouraria.
Dito Ao dezembargador chefe de poli-
ca devolvendo-lhe para ter destino o re-
cruta Manoel Antonio que sendo residente
no termo do Bonito e preso as Areias al-
| gava ser cazado com seis iUtos sendo Ihe
impossivel da priso, agenciar os documn-
tenlos a to grande distancia por nao te
pessoa alguma a quem encarregasse deste ser-
vigo.
Dilo Ao tenente-coronel Manoel Ignacio
de Carvalho Mendonga devolvendo Ihe o of-
ficio que Ibo dirigir o doutor juiz de direito
presidente do tribunal dos jurados e dizen-
do-lhe que ficava sciente da soltura do al-
feres Peixe em virlude d'ordem de habeas-
corpus que Ihe foi dada.
Dito Ao tenenle-coronel commandante
do batalhao de guardas nacionaes destacado ,
enviando-lhe urna relagao nominal dos guar-
das do segundo batalhao deste municipio ,
que passando a pe tncer ao do seu com man-
do deixarode entregar o armamento que
linho recebido em vista do que Ihe orde-
nava que fizesse eilectiva dita entrega, con-
forme requisitava o respectivo major com-
mandante.
Portara Ao tenente-coronel comman-
dante do batalhao provisorio remettendo-
Ihs o conselho d'averiguago feilo ao soldado
da segunda companhia Theodoro de Paula
Leite, o mandando-o reconbecer soldado
particular na forma do decreto de 4 de feve-
reiro de 1820 e proviso de 2G de outu-
bro do mesmo anno.
DitaAo tenente-coronel commandante
do batalhao de infanteria de guardas nacio-
naes destacado mandando desligar do mes-
mo com guia para os respectivos corpos ,
os guardas Antonio Ignacio Maxado o An-
tonio Joaquim do Almeida, em vista das cir-
cunstancias attendiveis que apreSentarao, de-
vendo solicitar dos commandant' s dos mea-
mos corpos, a competente substituigo na
forma da lei.
REPARTIQAO DA POLICA.
Illm. Exm-. Sr.Tendo sabido no da 25
do comente urna escolta de cavallaria com-
mandada pelo capito de polica Joaquim Joze
Carneiro Monteiro com ordem minha para
ser capturado^ condusido a esta capital o fa-
cinoroso Alexandrc Valenlim, bem conheci-
do pelos seus assassinatos n'esla provincia ,
que constou achar-se no engenho Armazem ,
fieguezia do S. Lourengo da mata regres-
sou o ilito capitao bontem por onze horas
do dia participou constante da copia junta ,
trasendo o auto de resistencia e em virtude
d'uma e oulra estou passando as ordens ne
cessaras para se proceder na forma da lei.
Nao occorreo mais novidade, segundo cons-
ta d'outras parles.
Dos Guarde a V. S. Secretaria da polica
de I'ernambuco 27 de Outubro de 1842.
Illm. e Exm,. Sr. Baro da Boa-vista, Pre-
sidente da Provincia.
O Dez. Chefe interino da polica
Domingos Nunes Ramos Femeira.
Illm. Sr. Em comprmento ordem de
V. S. de 25 do corrente que me foi trans-
mitida pele meu commandante as cinco ho-
ras da tarde do mesmo dia para o fim de di-
rigir-me ao engenho Armazem o ahi pren-
der Alexandre Valentn, o conduzil-o em
seguranga at esta capial formei logo urna
escolta composta de ito soldados e um
sargento e pondo-me caminho, clieguei
ao dito engenho pelas onze e meia horas da
noite tomando entAo as mnhas informagOes
cerca da residencia do dito Valentn vim
ao conhecimeuto de que habitava com um dos
filhos doSr. do engenho de nomo Joao Car-
neiro da Cunha Jnior, assim intoirado pas-
sei a por a casa em cerco ; mas o dito Joao
Carneiro filho que se achava enlo no en-
genho que eslava moendo sentindo a casa
eercada tratou de reunir uns vinto e tantos
homens e deo Ibes os gritos d's armas j
fogo fogo e logo so encarduliou para a
casa cercada : u coloque os soldados em po
sigo de o repetir ; entretanto pela proximi-
dade em que se uchaya cercada digo ,
conheceo-mo o dito Joo Carneiro e solictou
failar-me ; ordenei quo chegasse s assim
fez e enlo pedio me a ordem por que cer-
cava a sua casa respondi-lho que logo que
amanhecesse lh'appresenlava n'esta occa-
sio tentn ello fazer saiir da dita casa urna
mulher e meninos a que nao annui por ser
noite, o recar do quo por aquelle modoso
desse fuga a Valenlim : assim desengaado
foi procurar seu pai Joao Carneiro da Cu-
nha c este veio ter com migo para dar es-
cpula ao mesmo Valentim e vendo a mi-
nha repugnancia em satisfazer o seu pedido ,
e presislencia no c'.imprmenlo da ordem ,
que levava ; rcliroii-so asseverando-me ,
que nada receasse n'aquelle lugar. Entre-
tanto serio tres horas, quando romperao
tiros do lugar do engenho sobro a escolta ,
talvezcom o intuito de arredar da posigao ,
em que se achava a mesma forga o conse-
guir dest'arle aevaso de Valenlim ; malo-
gradas suas esperangas e vendo o Valenlim
depois d'haver dado muitos tiros de dentro
da casa em que os soldados nao abandena-
vo suas posigOes desesperado saliio para
fra da casa armado do urna faca urna pisto-
la e um bacamarle e descamegou as duas
armas sobre a palmilla enlo perseguido
pela mesma patrulha e crusando-se os tiros
do Valenlim com os da gente reunida no en-
genho e escolta depois d'uma obstinada resis-
tencia da parlo desto servindo-so entao da
faca quo trasia contra mim sucedeo ser
gravemente ferido do que logo faleceo.
Dos Guarde a V. S. Quartel do corpode
polica 2G de Outubro 1842. Joaquim Joze
Carneiro Monteiro. capilo da 3. companhia,
Gon forme.
Cavalcante d'Albuquerquo
Amanuense da secretaria.
liNTERlll.
BAHA.
Pelo communicado quo ha pouco inseri-
mos sabe-se o que acerca do collegio do
Filo Areado se deve pensar. Ninguem ha
na Baha que se nao arripiasse com a appari-
go da acta desse collegio que sendo de 30
eleitores deo a cada um dos seus candida-
tos predilectos o extraordinario numero do 130
votos. Nao publicamos esso parto da infa-
mia essa proslituigaoilagrante da urna o ,
mesmo nao sabemos so guiada pela cons-
ciencia e pela lei dovia a cantara desta cidade
apurar o Pililo Arcado. Nao o devia mas o
fez. A cmara nao podia reconhecer como
legal e authentico um papel sujo entregue por
um rapazola ao sr. Dr. Ros sem oilicio da
cmara respectiva sem neuhum carcter de
authencidade ; a cmara nao o podia fazer ,
e excusado era a respeito consultar a admi-
nistradlo da provincia. Mas ella o fez e com
esse passo acabou de provar-nos a repugnan-
cia que tinha de considerar valioso o papel su-
jo. O Excel. Sr. Pinhciro que ( honra Ihe
seja feita ) nao pactua com infames, deve
poisemilra sua opinio acercado Pilo Ar-
cado e o que d'eilo se deve esperar sabe a
Bahia. Pensamos pois em definitiva, que
a cmara nao podia nem devia apurar um
papel que nenr.umaaulhenticidade tem por
Ihe nao ter sido ofilcialmente remellido pela
cmara de Pilo Arcado que a cmara de-
via limilar-se appurago dos de mais colle-
gios ( o que com effeito nos consta ter feito)
e expedir diplomas aos deputados por elles
Caritas remetiendo a final o papel sujo c-
mara dos srs. deputados para que o tome na
devida consideracao.
Resta-nos algumas palavras curtas acerca
do alguns notnes que no communicado fo-
ram impressos. A incerteza o tenebroso
do acto praticado nos nao permitte antici-
par juisos ; ao senhor Novaes Rocha, porem ,
nws parece summamcnlc necessaria urna pie-


2

na justificago peranle a Bihia inteira que
horrorisada o apnnta porante o cimmuniea-
do que sem rebufo o acusa. 0 crime he
atroz ; elle offende o systema jurado desacrc-
di.tando-o por urna vez nff.-udo a sociedade
inteira que o jurou e oquer virgem que nao
qner nem pude sor ludibriada porum ambi-
cioso ou por un infame.. Esperamos do sr.
Novaes Rocha essa juslilcagao e emquanlo
nao apparecer temos suspenso o nosso juisa.
Quanto 10 sr. Paulo Joze do Mello em seo
nomo no dos soos prenles o amigos, no
do todos quantos se interessaro pela su* can-
didatura protestamos contra essa torpeza,
contra essa volagao do mais sagrado direito
do cidado. O sr. Estuquo que nao temos
a honra de conhcccr de perto nao pode nol-
la assentir.
Ficando intoirado dequanto mecommuni-
ca essa cmara em seo ollioio de hontem a-
ceroa da acta do collegio 'deitoral de Pililo Ar-
cado de cijaauthenticidide a mesma cma-
ra duvida pelos motivos expendidos em seo
dito olficio ; cumpie-me responder que at
o presente anda nao Coran* remettidos a esta
societaria nem o; trabalhos da junta nem
os da mesa paroch.il ignorando-se por isso
o numero de eloitores que dea essa freguezia
nica deque secompoem o collegio cuja
acta nflo me tendo sido anda remellida, ap-
parecco hje nacaixa dos requerimentos
sem que se possa saber quem f>i o seo porta-
dor conlendo o numero de 130 eleilores ,
presentes o mais mu que por nao compare-
cer lora multado. E com quanto este govor
no tambem so persuada que tal acta ou nao
lie verdadeira ou quando o soja carece da
neressaria legaldade para que os votos pos-
sam aproveitar aos votados por parecer dic-
tada smente pelo arbitrio : todava, nao com-
peti :< ao mesmo governo e smente c-
mara dos Srs. deputados o coniecimento
desse negocio, nenhuma delberagao p le to-
mar tal respeilo lanto rnais por ter em
lemhrang*, que igual dedaragao fora feta pe-
lo governw imperial as cmaras de duas das
capilaesdas provincias do Norte sobre ob-
jecto semelhar.te. Pdenlo assegurar essa
cmara que passo mandar fazer as averi-
Srs. Redactores.
Acaba de apparecer no Diario Novo sobo
titulo de com mullicado, urna a nal y se do Pin
logo mire o pa\tor e a ove/ha no qual o scu
auctor animado dos mais fervorosos desoos
pelos progressos da religiao, pertende mostrar
que a compnsigflo material do dito Dialogo es-
i bem longo de preencher as vistas paternaes
do Ex." pastor.
Anda que o severo auctor do communicado
faga urna grave imprecaran contra aquelle (|ue
formar man juizo sobro as suas intences,
certos de que as suas vozes por esta vez nao
chegcsrlo aos ceos, dii-lhe-hemos que atravez
dos buracos da sua capa, divisamos a sua vai-
dade.
Na verdade, os argumentos empregados nes-
ta analyse parecem mais derivar d'alguma in-
disposigflo particular contra o auctor do Op*
culo do que d'uma critica assizada e escru-
pulosa.
0 auctor do communicado depois de de-
clarar que ama o respeta o Ex."" pastor alem
das conviec&es appliea-lhe a seguinte pas-
sagem extrahfla do mesmo Dialogo : Todo o
mar conven do em lagrimas poueo pan
chorarse do indamente o trmpo (pie se perde
anipuerilidades, Todos sahem que a obri
deque se trata tem por frm vulgarisar a ins-
trurgfto religiosa, e que nao mais do que urna
compilago dasdoutrinas derramadas em mi-
Ihares de compendios da mesma natureza ,
ordenadas em forma dialogal pelo Ex."" pas-
tor por ser o methodo mais adquado capa-
cidade intellectual daquella classe do leitores
a quem S. Ex.' a offerece. Nesla certeza, que
homem hovera ah dotado de sentimentos pu-
ros e honestos, que se atreva a aounhar de
puerilidade a confcCciio d'uma obra que en-
cerra a doutrina da sua religiao ? Su esta a
lmtrac&o da sociedade, de cajo contacto, co-
mo diz o nosso critico, parece estar arredado
n nobre pastor por mais de meio secul ; pe-
dimos a Dos de todo o nosso corarlo que nos
permita acompanhar o nobre pastor na sua
honrosa solido at aos ltimos instantes da
nossa vida.
0 auctor do communicado contina dizen-
guaces necessanas sobre o modo porque se do que os epithetos de carrancas de clmf,riz
procederam as elcices em Pillo Arcado a- us proas de navios rsticos, bocicodeos de.
lim de serem punidos em conformidad da
le os authores de laogrosseira falsidade ou
arrojado arbitrio e subministrar ao governo
imperial os csclarecimentos necessarios em
CORB. ES PON D ENCA.
sao doestos rom quemis s in iliiam os ho-
mens, do que se inslruem as verdades que
Ihes convm saber. Tinhamos lido grande
parte do opsculo sem deparamios com os
taes negnos para serem presentes a refer ditos epithetos e confossamos que quando
da cmara dos Srs. deputados. E quando a j lomos a primeira parte da analy-e, demos ra-
camara enlenda que de ve es pajar a apura- Uf ao seU anclo-, por su pernios que os Un-
gi da acta de que so trata, at que chegue I n,os que elle menciona ero empregados pelo
o resultado da junta respectiva e da mesa Ex." pastor contra as ovelhas que por fraque-
parochial ser-lhe-ho remeltidis tanto as z. sodpsvaravao do redil da i groja, goteemos
listas daquella como a arla desta no mo- verificar-nos do que o communicantedizia, e
ment cm que este averno as rervlnr. Dos com effelo, encontramos pag. 7 os luencio-
f'jarrte a Vv. rain. Palacio do gowrno da Ba- | nados epithetos. Mas porque mancira se acho
iiia 11 de outubro de IS4-2 J. J. P de
Vasconccllos. Srs. presidente e vereadores
da cmara municipal desta eidade.
( Do Commercio )
PER NA.MU l CO.
<:i"iu:o ji minen.
all applicados ? Vejo-na os nossos leitores ,
e reconhecero a futilidaile e mesquinhez dos
argumentos da analyse. 0 pastor De bom
grado annuirei vossa perlengo, principian-
do a declamar contra a malvadeza daqijelios
que ouvindo fallar nos misterios da Fe princi-
pias a carpir, manifeslando a f.ilsidade do sen
zelo pelas palavras Vm. vio o que profore i1
Sendo prezentea S. M. o I. o officio de 15 franzindo a testa, maneira de chafarz, ou
o mez passadooni queV S. da parte do crime de proa de navio.
comedido pelo csludante Joaquim Bautista de
Mello Ox: l que despeilozo por ter sido re-
provado as materias do 3. anno accomet-
tera o tspaneara ao lente desso curco jur-
dico o Doiitor Antonio do/e Coelho. Manda
o Mesmo Augusto Senhor declarar a V. S. ,
que tendo-se-lhe ja por aviso de 4 do corre-
te indicado o modo por que se devin proceder
contra aquelle Hrlinquente nada mais ha
que resolver .sobre similhante objecto. Dos
(i. a V. S. Palacio do Rio de Janeiro em 7
ile Outubro de 182. Candido Joze de Arau-
jo Vianna. -Senhor diivcior interino do cur-
co jurdico de OlinJa.
vSendo prezento a S. M. n I. o olficio de
jui idico o Doulor Antonio Joze Coelho, d
parte do t tentado comet ido pelo esludante
Joaquim Bailisla de l-llo Oxal que des-
peilozo por ter sido repiovado as materias
do 3. ann> accomellera e espancara o
mencionado lente : Manda o Mesmo Augusto
Estamos persuadidos de que o auctor do
communicado conhece bem os preceilos da
rhelorica mas nao sabemos o motivo porque
parece agora ignora los. As ronzas boas com-
tarao-se cun as boas ; as ms com as ms ;
as feiascom as feias &<-,. : nesle caso, que ad-
mragaodeve causar o comparar-se a testa d'um
impo obstinado quamlo se franze com a
enrugada carranca d'um chafariz ou com
a d'uma figura de proa:' S. Judas apostlo, na
sua epstola catholica fallando dos impos ,
exprime-so pela seguinte maneira ; Ponan
e^les lda tai pie ignorao, e se pervertem como brutos
iridcionaes em todas aquella* coizns qtfe ta-
to pela maneira pottoo decorosa com quo 0
trataos.
Esso amigo noappareceu, e a analyse sa-
bio mpressa no jornal que havia promeltido
no seu programma deender a religiao e a ver-
dade !
Fas "o que
dm as lagrimat.
Yodaremos ao assumplo se for precizo.
A' PEDIDO.
Illm. Srs. Presidente e Vereadores da
Cmara Municipal.
Dis Joo Francisco Regis morador na ra
VelUa do bairro da Boa-vista que sendo ser-
vidlo publica o porto da ponte Velha do mes-
mo bairro como V. S. declararo em seu
despacho de 15 do corren te Setembro pro-
ferido no requerimento de Miguel Aroanjo de
Figueiredo publicado no Diario de 20 do cr-
renle por isso requer o supplentc a V. S.
quebajo de conceder-lbe licenca para mandar
ali naquelle porlo lavar es seos cavallos sem
interrupco depessoa alguma.
P. aV. S. quelhedefira, eR. M.
Joo Francisco Regis.
Osupplicantc indepeudento de licenca desta
cmara pode utilizar-si dos lugares destina-
dos para servido publica. Recife em sesso
ordinaria da cmara municipal em 21 de.Se-
tembro de i8i2. Barros pro presidente
Costa MonteiroMello CavalrantcRicar-
do do RegOliveiraC. Monteiro.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Rendmento do da 27 d'Oulubro 4Stff846
DESCAnREGA IIOJE 29 DE OUTUBRO.
Barca dinamarqueza = Preciosa = alcatrSo ,
pixe. e formas de barro.
Escuna porlugueza = Liberal = podras.
Brigae = Brandwime = farinha, bolaxinha,
farellos barricas abatidas, e dita*
com ta mpas.
HOVIMEKTO DO PORTO.
14 do mez (ludo em que o lente desse curgo bem mtura'mente. Q auctor do communicado
dir qual das duas comparagoes mais apro-
priada.
Transcreveimos agora a passagem onde
se acho os outros epithetos. Ov. r Sr.
bispo, a expre.ssao que nulnei mu commnm
entre os rsticos, lula casta de bocicodeos
S*Hlior que alem do processo que contra j ludo i/uer ver para cr,ir.
nque le delinquente se deve instruir na con-1 Seria mister, como j dissemos, que o auc-
loi midade das leis criminaes ; V. S. proce- i tor da analyse i-norasse as mais simplices no-
ila tambem contra elle se anda o nao ti ver {des de rhtorica para condemnar estes epithe-
tos postos na boca d'um rustico ; porem como
n.io as ignora nao podemos desculpar o dar
a entender que os termos criticados etAo ditos
por S Ex.% e que Ihe (juise.sse arrogar a in-
tolerancia do mais furiozo inquisidor d'um
frito nos termos do decreto de 19 Ue Acos-
t de 1837. Dos (i a \. S. Palacio'do
Rio de em 4 de Outubro de iH .2. Candi lo
Joze de Aranio Vianna. Sr. director interi-
no do euno jurdico de Olinda.
os epithetos de rustico bocicodeo alem de
serem tomados em accepgfto diversa daquella
em que os tomou o auctor da analyse ii de nao
importarem oSviltamenlo que elle julga, sao
propriose mui proprios na boca do interlocu-
tor que os profere, e por ventura de excessiva
mo ovelha um moco sem instruccao creado na
simplicidad dos campos evidente que de-
ve fallar em termos claros, e com a franqueza
dos camponezes porque o estilo dte de ser
sempre aproprado ao carcter das perso-
nagens. Querer que a lingoagem franca e cla-
ra do mogo dos valles seja igual joeradae
poli la ocugo do homem da corle urna
cousa contradictoria, e talvez baja alguemque
Ihe d oulro nome.
Admira porem que o Ilustre censor cujos
delicados lympanos tanto se offendetn com o
sido dos termos de que uza um camponez con-
tra um impo, caia no mesmo defet liberali-
sando outros mais injuriosos contra a primei-
ra auctoridade religiosa desta provincia !
0 que porem offen le mais ao innocente auc-
tor da analyse e o move a fazer urna virulenta
aecusagoao nosso bom pastor a maneira
pnla qual no opucuio se tracta ils doutrina que
versa sobre a inobservancia de 6." preceito do
declogo. Concordamos em parte sobre a jus-
lica da aceuzagao, mas nao sobre a forma por
que elle a faz. Dizmos cm parte, por que se
por um lado a prudencia e a modestia aconse
Inflo todo o melindre sobreests materias, por
outro lado a illustacao e as luzfs do nosso
sculo hSo inventado para ludo tantas formas
e modos diversos, que se torna lorgoso preve-
nir os incautos sobre os males que podem
provir dessas nnovages.
Em quanto forma da aecusago, seja-nos
lcito dizer que o seu auctor procurou mais
vilipendiar o Exm. pastor do que notar-lhe os
defeitos da sua obra. Dizer que a reputago
de S. Ex esteva arriscada pelo demasiado
conhecimento que parecia ter das abomina-
ges que condemnava o mesmo que dizer
que quem condemna as fraudes fraudulen-
to ; os assassinios assassino ; as impieda-
des impo ; os sacrilegios*, sacrilego &c.
&e) Muto podenamos responder a esta ar-
guigao mas julgainos que nao vale a pena
e por isso passamos adiante.
O auctor do communicado mostra a mais
anglica innocencia quando diz que o paginas
140 do opsculo se da cincas naescriptura, es-
labelecendo modos e formas que em parte al-
guma foro estabelecidos. 0 censor, pela
innocencia que mostra, j tem um lugar pre-
parado na mansflo dos justos mas antes de
ir gozar dessa neffavcl gloria fique sabendo
que desde o principio daquelle sculo em que
raiou a aurora da illutraco, todos os ami-
gos dosdireitos do homem, os adoradores da
Deosa rasan finalmente lodos aquellos que
se refrescrao com os orvalho dessa aurora, a-
bandonaro os anligosuzos ecostiM.es a que
chamam golbicos e substiluiram-nos por no-
vos modos a Jo-mas, que intitularan) luzes do
sculo. Na matei ia cm quesl i des'livolve-
rloafl brilhantes theorias que por ah seacbam
derramadas no Aivt. Franc. Ther.. Pbil. .,
naGuer.. desD... &c. de, que sao outros
tantos compedios por onde a mpcnlade
estudiosa principia boje o sen curso de iilus-
tracao.
llavendo dois modos de encarar os objectos.
sto, parecemlo a uns milito bem aqullo
que a outros parece muito mal, nflo para
eslranfiar que muitas pessoas arreditem que
os nevos modos ejonnas que proviram da
illustracao sejam outros tantos males que
allgem a huinanilade, e que procedam para
a livrar delles como o hbil, cbimico que ana-
ly/a primeir miente o veneno para depois
mostrar a cllieacia do antdoto.
Dando porem de barato que a rasflo esteja
toda da parle do auctor do communicado, nflo
seria mais prudente que elle crilicasse a sos ro-
sigo esses defeitos do que os publicasse
com o intento como mostra de desacredi-
tar o nobre prelado nduzndo por esta ma-
neira allomas ovelhas a de>prezarem as vozes
do seu pastor!' Nflo seria melhor que elle at-
tendesse aos dictamos da prudencia, visto que
os prudentes sao s os que
...............sabem
0 como, e quando e onde as couzas cabem i*
Seria, sera minio melhor; mas o auctor do
communicado nao leve o amigo que elle deso-
jara que assislisse com os seus conselhos ao
nosso bom pastorum amigo sincero e escla-
recido, a quem consultando sobreest prodiic-
go, Ihe dissesse: Senhor, etUiobra ircompro-1 e mulber.
mtter o respeito que se deve consagrar ao nos-1 Ditos
so viriuozi pastor, e pode ella muibnn des- com Manoel Elias de Moura.
d'gno de lamentarse com tw.
Nos das 26 e 27
hirao embarcaces.
nao enlrro nem sa-
DECLARAgES.
Collectoria do municipio d'Olinda.
0 collector do municipio d'Olinda faz cons-
tar a quem convier que o praso marcado
para a matricula dos escravos ullima-se no ul-
timo do corrente mez como j aniiuncion ,
eque lindo esle praso requerer a authorida-
de competente para proceder na conformida-
do dos arligos 23 e 24 do regulamenlo de 11
d'abril do corrento anno ; tendo de continuar
o proceguimenlo pelas ras de S. Joo, (Juar
leis Bom Sucesso, Mangabeiras, estreita de
Sebasliflo Lopes, largo do Amparo ladera
da Mizericordia Nova Malinas Ferreira ,
Bom-im Xavier Santa Roza da frente de.
S.TTancisco, do Carmo do S. Francisco,
piaia do mesmo nome. atterro do Varadouro,
e dos Arrumbados. Olinda 15 de outubro de
1842.
0 escrivo
JooGongalves Uodrigu sFranga.
=s Eistem na administragao docorreio des-
ta eidade as cartas seguras seguintes :
lima carta Filiciauo Ignacio Mua urna
dita Joze Antonio Alves Silva urna dita
Joze Francisco Azevedo Lisboa, umadita a Jo-
ze Sabino Antones Carvalho, urna dita Cle-
mente Joze Ferreira Costa ; autos do re< ur-
go crimes entre partes Alexandre Francis-
de Seixas Machado com o doutor promotor
publico viudos da Parahiba do Norte para
a relagflo.
= Existe na administragao do correio des-
ta eidade os autos seguintes vin los do Rio de
Janeiro em 22 do corrente.
Autos de revista entre partos Anneceto N-
nos da Silva e mulher com Joze de Coes o
Mello e mulher.
Ditos D. Anna Joaquina de
Vasconcellos e outros com D. Anna Joaqui-
na da Gama e outros.
Diios a Rernardo Easserre & C*
com Joo Ferreira dos Santos.
Ditos Antonio Joze de Mello,
e Joan Lopes Delgado.
Ditos Antonio Joaquim da Sil-
va e mulher, com Manoel Crrela de Mello,
*
NicoloOltolheber&C.*,
Torrecremata Sanches de. V-se pois que, conceitiuu a >wsa propria pessoa, mormen-\ Ditos 0 procurador fiscal pro-


.5-
vincial da thesouraria com os herdeiros do
finado senador Joze Ignacio ttorges.
Oitos Leonardo Bizerra de Si-
queira Cavalcante com Russel Mellors &
companhia.
O arsenal de guerra compra porca de
esleirs d'Angolla quem as livor aprezente-
S8 no dia 29 as 11 horas da maiih.
A VISOS M AlTTIMOS.
S^" Para o Rio de Janeiro segu com mul-
ta brevidado a barca nacional Ijabel ; quem'
lia inesm i quizar earregar ou ir de passa-
grtn de pa9sagem dirija-se Gaudino Agos
tinlio de Barros no pracinha do corpo Sanlu
ca/a n. 67.
t^- Para Philadelffia o brigue americano
:= Seaman = recebe frote por prego commo-
do ; quem pretender dirija-se a caza dos con-
signatario L. G. Ferreira & Companliia.
= Para o Ass sai impruterivelmenle no
dia lOdenovembro o liiale = Vingadora =
para carga e passagei ros trata -se com Manoel
Joaquim Pedro da Costa na ru da Cad< in.
Para o lo de Janeiro segu com mili-
ta brevidado o brigue brazileiro Fiel de
muito boa conslruca ecmodos decentes
para carga ou. passageiros trala-sc com Fir-
mino J. F. da Boza na roa da Mueda n. 140,
ou com o capilo Manoel Marcianno Ferreira.
Nos lo jas dos Srs. Me-
nevos ra do Collegio, S.
Veito, ruado Queimado,
Guerra e Silva ra Nova o
viuva de Burgos pracinha
do Livrameuto %e na dos srs.
Vieira Cambista e Gardozo
Aires Jnior ra da Cadeia
yellia aelo-sc a venda os
bilhctes da lotera do Thea-
Iro, cujas rodas ando iinpre-
fenvelmenle no dia 9 de No-
vembro prximo futuro.
tssr Aluga-se uin grande armazem todo la-
drillado do pedra, na ra da Praia ofl-.-ro-
cendo a grande vantagem de ter o embarque
na porta a toda hora proprio para armazem
ile assucar on para qualquor outro eslabole-
eimento ; quem o pretender, dirija-se a ra
la Praia sobrado de 2 andares n. 3 e 8.
X^" Arrenda-se para qualqtier estaboleci
monto um armazem no lugar do cortume
dos CopIIios por baixo do sobrado que foi
de Antonio Coolhoda Silva ; quem o preten-
der dirija-se ao dito sobrado.
tST Tr.-.s-passa-se a permuta de urna caza de
pedra e cal cita no lugar da Caza Forte d'1-
fronle da ganieleira, cuja caza se acha em cai-
xiio ; fallando to somente os ropartimonlos ,
cuja bipolheca se acha passada no cartorio
privativo: a pessoa que Ihe convier este ne-
gocio dirija-se a ra Nova n. 07 ou a Do-
mingos Joze Rodrigues de Azevedo.
= Ouem precizarde um forneiro dirija-
se a rila dos Quarteis casa de pasto n. 2.
tST Humcaixeiro porluguez proximanento
chegado pretende arrumarse em loja de fazen-
das do que ja tem alguma pratica ; na ra
do Livr.^mento n. 3.
C3- Precisa-se de urna ama de leitfl que
nao tenha filho na ra do Crespo n. 13.
tsrPretende-se alugar um pequeo sitio an-
imalmente nos lugares seguintes, Taoaluna .
ou salgadinho, quem o tiver annuneie para
ecr proeurmln pagn-co um auno adjuntado
sendo o proco resuavel.
ssr John Grey subdito Britannico; retira-
se desta Provincia.
KS7- Aluga-se o primeiro andar do sobra-
do da ra Nova n. 7 : tratar na loja por
baixo do mesmo.
Sff" 0 abHixo assignado vendo o annuncio
f-ilo por Joze Marques da Costa Soares nos
Diarios no dia 22 doeorrente mez, e nao po-
LEILOES.
= Alexandre Mackay & Companbia (aro
leilo porconla de quem pertenec- o inler-
v^ncao doCorretorOveira, do casco da bar-
ra ingloza Middesex liaufragaila na costa do
Rio Formoso o legalmente aban lonada .
assim como dos salvados da mesma barca con-
sistindo em cerca de 2!) sacas de I1 de carnei-
io avariadas um ancorte cabrestante de
patente ancora de pri ,-um tanque de fer-
ro urna secreta, escotilhas brozeadas urna
verga grande um maslro grande 4 vergas
pequeas 2 mastros de sobrecellente ," urna
lanxa 3 argolitas de ferro 2 cestos de ga-
via 2 barricas de farinlia urna dita de bo-
iaxa e 1 bab &c. : .Sabhado 29 do corren-
'te sis 10 horas da manila, no armazem de
Bailar ra de Apollo.
lefio Kellor, nflo tendo podido conclu-
ir nos leiloes antecedentes a venda das mili-
tas fazendas que tinha para dispor conti-
nuar por inlervencao do oorrelor Ohveira
na segunda fe ira 31 do correte no sen ar-
mazrm na ra da Cruz n. )8 as dez horas
da maulla em ponto.
= Leilao que fazem Lenoir Pogftt & C. por
inlervongo do corredor Oliveira de um gran-
de sortimeuio de fazendas francezas., e suis-
sas como sejao, camhraias adamascadas e bor-1 J,,n,,o guardar silencio e querendo que o Mu-
dadas lencos e chales de rassa e fil, cha-lblio<) licasse desengaado com aquello Joze
les de seda ," sarjas 9 selms lizos grvalas j Marques pertende o annuncianle fazer ver
de s.'tim bicos de linho, selins. um 'grande ; aSora com os documentos abaixo transcriptos,
sortimenlode llores, cucos encarnados, litas, > contrario do que elle afirmou e lendq a-
brins, eazemiras proprias para f.ishisnables, I nda mais documentos entre elles fortes
! linalmente un grande surlimento de silcai-! des do qual se pode tirar grande partido, no- los junio aos autos do inventario no dia 21
laudo que (odas as fazen las se bao de entre 1,,! Marco do corren te anno que foi notorio:
gar pelo preco mais elevado que se oflerecer : e os rezervo -mii seo puder para prezenta-
quartafeiraiJJoNoveil.roaslOborasenipon- los so a tanto aquelle Joze Marques o obri-
tono sru armazem da ra da Cruz. -rar ,Com ns <1" a?ora vo transcriptos co-
nhecersi o publico seda parte delle ou do
annuncianle est a verdade ; assim como se
a caza da ra da Alfandega velha he foieira
ou em chaos p'oprios e se as arrema tagnes
forao feitas com as solemnidades legaes como
elle afirmou ao publico pcrante*o qual ocn-
nuncianle niio quer ficar por mentirozo e he
somente por este motivo e por amor da sua
honra e vordade que faz o prezente annuncio.
Recite 24 deOutubro de 1842.
Antonio Marques da Costa Soarps.
0 I." Documento um requer ment despa-
chado pelo juiz tle orfos o Doutor Francisco
Carneiro da Cunha no dia 13 deSetembroque
i-ontem o theor da certido Sfguinte. = Cer-
tifico qii'-' vendo os autos de inventario a que
se esi procedendo dos bens que iearfio por
Ial'cimcnto de Antonio Marques da Costa So-
ares nelle se acha oescripto de pra^a men-
cionado no requerimento retro o qual foi
passado na forma que so pratica enm os dias
da lei f niio ocha cerdiio Jo pmtoiro
do*pnegoen* e forfio arrematantes da caza
de sobrado de dois andares da ra do Rangel
Francisco Dias Ferreira das cazas da ra das
Trinxeiras o por detraz da Matriz da Boa-
A? I SOS DIVERSOS.
Saldo o Carapuceiro N. (>| constan-
do da importante Acia da 3. sessao (a Cma-
ra Legislativa das Senftqras Deputadas sol)
a Presidencia da Sen hora I). Clai inha. Ven-
do-so na praca da Independencia n. t e 8.
0 director de insaios da sociedade thea
Iral Pbilo-Thalia aviza aos ser.iiores socios
representinli s que Ihes tocaro parte no dra-
ma Mouro de Orrnz que no dia 31 do cor-
rente principia a ensaiar-se o referido drama ,
e por isso hujao de viivni reeeb'T as suas par-
es boje ai* na ra Praia n. 82.
Corre pelas nulos de todos empressa a
ennta q'osr. Joze Marones Costada Soares, doo
da sua administracAo desde 14 de Agosto de
1839 30 de Agosto de 1842, lempo em que
se ingerio nos negocios da caza de sen finado
pai em consequencia de urna concordata
creditoria ; resla-nos agora ver a conta que
deve aprezentar o sr. Ignacio Marques da
Costa Soares na quabdade de cabera do ca
zal inventan inte a que estove senhor da caza
do finado e de tildo quanto nella havia des-! vista Joze Marques da Costa Soares, e o en-
de 2(1 de Jiilho de 183" at 14 de Agosto de gcnlio Trapixc e Agoa-fria Gaspar de Me
i 8311 islo he dois anuos edezanove dias.
'Todo clama pela apparic/io de una tal conta
nao sendo de esperar a eiia faite o mesmo sr.
Ignacio Marques, cuja probidale edezinte-
resse he notoriamente sabida.
tie/es Vasconcellos de Drummon ; o referido
consta dos autos a que me reporto,e dos quaes
liz passar a prezente por n.im subscripta e
assignada, nesta dita comarca de S. Antonio
da Cidadc do Recife e seo termo Provincia de
Pernambuco aos 3 dias do mez deOutubro
do anrto rf*J n.iseimento de NossoS:>nhor Je/.iis
Christo 1842. vigessimo primeiro da lndepen
lencia e do Imperio do Brazil lz escrever o
assignei = Francisco Joiquim Percira de
Garvalho.
0 2." Documento um requerimenlodespn
(Indo pe|.) mesmo juiz de orfos no dia 11 de
rlembro do c.irrente anuo que con tem a
eerliilA seguinte = Certifico que vendo os
antis di) inventario dos bens do finado Anto-
nio Marques da Costa Soares nelles se arda
os documentos ann lados na petiqao retro os
quaes silo do theor seguinte; auto da arrema-
tadlo das moradas de cazas da ra das Trin-
xeiras D. 4 e por detrada Matriz da Boa-
vista D 8 por 10:510, reis ; anno do
nascimento de Nosso Senhor Jezus Christo de
1839, aos 22deNovembro em praoa publica
a qu-1 prezedi i 0 Doutor juiz do civel e orfos
Marliniannn da Rosa Basfos, arrematou com
todas as serimonias do estillo Joze Marques
da Costa Soares, ns moradu de cazas terreas,
urna na ra das Trinxeiras do bairro de S.
\nlonio r.m chaos de furo I). 4, e oulra na
ra alraz da Matriz da Boa-vista em chaos
proprios D. 8 pertencentes no cazal do faie-
cido Antonio Marques da Costa Soares am-
bas por 10:ol0.> reis a /rozo de seis meses
por convcncfio do liquidatario da caza do dito
finado, ptigand) asiza o* mesmos liquda-
tario$ d'' que liz e.'de auto em que assignnu o
juiz com o arrematante liquidatario, e. por-
(ejro Francisco Joaquim Pendra da Carva-
Iho o escrevi =Bisto= Como liquidatario ar-
rematante Joze Marques da Costa Soares, Jo-
ze Marques da Costa Soares, Ignacio Marques
da Costa Soares o porteiro Amaro Antonio
deFiria. ( O mesmo dorum-rnto consta ou-
tro auto da arrematado fe i la por aquello Jo-
ze Marques da morada de caza da ra da Glo-
ria por 1-205. reis ; assim como outro das
moradas de cazas urna de trez andares na
rna da Alfandega arrematada em chaos de fo-
ro outra terrea no arrombado e um arma-
zem grande todo por 24:320.) reis ; assim
como outro auto de arrematadlo do sitio do
arraial por 1:20l reis;e da mesma certido o
esrnvao Francisco Joaquim Peraffl de Carva-
llio. certificou de ter precedido escriptos ao
porteiro, dos ditos predios em cujos escriptos
se no achilo certidos do porteiro. )
0 3." DornniiMifo um requerimento despa-
chado pelo juiz do civel e orfos o Doutor
M.irtnianuo da Rocha Bastos, no dia I2de
Maio 1841 que cont i o atteslado dos ava-
fiadores sobre o modo porque foi avaliado a
caza de tres sobrados di ra do Trapixo. que
be o theor do attestado seguidlo = Em virtu-
de do despacho retro alle.stamos que na forma
da pratica e estillo o solicitador Joaquim Joze
da Conceico, entregou-nos urna rellaco dos
predios urbanos pert Antonio Marques da Costa Soares por man-
dado de seu filho o Senhor Joze Marques da
Costa Soares e procedendo as deligeneias do
nosso ofilcio passemos a caza de sobrado de
trez andares na ra da Alfandega velha D. 7,
e ah adiamos o dito Senhor Joze Marques no
escriplorio a nossa espera que nos recebeo ,
procedemos a avaacfio da dita eaza no mes
po escriptorio por acbarmns feixado o se-
cundo e terceiro andar, quanto ao pagamen-
to fomos saptisfeitos pelo referido solicitador
por mandado do sobrMito Senhor Joze Mar-
ques Recife 1 i de Maio lS4l Joo Baptis-
ta Fernnndes avaliador do juizo Joaquim
da Silva Amorim avaliador do juizo: reconde-
no verdadeiras a letra e as-iignalurns cima
declaradas por ter visto outras sernelhantes .
Recife 26 de Junho de 1841 eslava o signal
publico em festemunhode verdade o tabellio
publico Guilherme Patricio Rizerra Cavalcan-
te ; eslava o sello das arma? Imperiaes rom a
seguinte verba numero 6:354, pig.m 160 rs.
de sello recebedoria 7 de Outubro de 1841,
Barros Carvalho.
O -l." Documento um requerimento desca-
chado pelo juiz do orfos o Doutor Francisco
Carneiro da Cunha. em \ de Outubro de 1812,
que contem o theor da certido seguinte =
Em virtude do despacho certifico quo os es-
criptos passndos para arremataren! os predios
constantes do requerimento, nao apregodos
com os dias da le, e as cazas da ra das Trin-
xeiras e por detraz da Matriz da Boa-vista
trouxe somente em prepoens na oecazio da
arrematadlo, em f do meoolicio passo a pre-
zente certido em que me assieno Recife 5
da Outubro 182. o porteiro Amaro Antonio
de Faria reconlleco verdadeira a letra e sig-
na| supra. Guiado do Recife 7 deOutubro de
1841 eslava o signal publico em testemu-
nha de verdade o tabelio publico loo Fran-
cisco Regis.
0 o.* Documento Um requerimento despa-
chado pelo juiz o Doutor Nabuco em 5 de Ou-
tubro do corrente. anno que contem urna
certido do tabelio Guilherme Patricio que
foi extrahida do livro de nottas daquelle car-
torio que be o exjraelo seguinte =eserip-
tura de venda de urna morada de cazas de
trez sobrados silos m ra defronte do Trapi-
xo da alfandega que fazem Manoel Pires
Ferreir* por si, ecomo procurador de sua
miilher a Antonio Marques da Costa Soares ,
no anno de 1806 em 18 Je Pez'nnbro nesta
villa do S. Antonio do Recite de Pernambuco;
no meu escriptorioaparecorSo partes prezenles
outorganles e acceiantes saber de urna co-
mo vendedor Manoel Pires Ferreira por si ,
como procurador de sua mullier D. Mara Mi-
eaelia Victoria da Maia p*la procurago e
como comprador Antonio Marques da Costa
Soares moradores nesta prae.i de mim ta-
helio reeonheeidos pelos proprios de quedou
f ; e pelo referido vendedor (oi dito m mi-
nba prezenca e das testemunhas adianto no*
meadaseassignadas.qun elle esuaconstiluinte
eroSrs. e possuidoresdeunia morada docasas
de trez sobrados, sita <.m chaos proprios na ra
defronte do Trapixo da Alfandega no bairro
do Recife, quu parle pelo noile, com cazas dos
herdeiros de Manoel Joze Ferreira e pelo
sul com cazas do falecido Doutor Francisco
Joze de Salles que de prezentes sao de Joa-
quim Joze de .Miranda que a edificaroa
custa de sua fazenda em chaos que tocaro
por heranca a dita sua constituinte de sua
mi sogra delle vendedor e da forma que
elle e a dila su i mulher eslavo possuindo a
dita morada de cazas livres e dezembarga-
das sem contradieo de pessoa alguma se a-
cha justo econtraclado e a dita sua mulher a
V(mdellas e trespacalas c em nome da mes-
ma como do facto as vende o trespassa pe-
la prezente escriplura desie dia para sempre ,
ao dito comprador por prego e quantia 7:200,
reis que confessou baver receido a mesma
quantia da mao do dito comprador ( a escrip-
tura cima transcripta se acha com assigna-
turas seguintes =sAntonio Joze Peres da Sil-
va, tabelio o escrevi = Manoel Pires Pterre-
ra sss Antonio Marques da Costa Soares= Ni-
colao Martina Percira = Antonio de Freitas
Crrela. )
XST Precisase de urna ama forra ou cap-
tiva para cozinhar n engomar, e ornis
ser vico ; no 'atierro da Boa-Yista loja fran-
ecza.
js^* No botequim da Estrella precisa-se de
trez caadas de leite diariamente que nao
tenha agoa ; quem quizer a dita freguesia
com tanto que sej cedo ; dirija-se ao mes-
mo ou annuncio para o ajuste.
** Precisa-se de um pequeo para o oli-
cio de tanueiro ou que j tenha luzes des-
ta officiru ; quem Ihe convier anunde.
Sz&~ Boga-se encarecidamente a quem for
offerecido um peso de hronze de arroba, que
bontem a noito as oito horas furtarflo dois
cabras a titulo de comprarom. iduas libras de
cera na loja da pracinha do Civramento
numero !. baja de o aprehender, e le-
vara dita loja do cora que sb recompensa
r o seu trabalho.
Quem quizer alujar urna caza para pas-
sir a festa no poco d Panolla, com tres
quartos dispone duas salas e cozinha
fora ; dirija-se a pracinha do Livramento nu-
mero 7.
0 sr. Gherobino Henrique Logoa, que
se acha a bordo da barca de guerra Portugue-
za queira antes da sabida dirigir-se a ra
ilo queimado n. 6, arranjar o negocio que
nao ignora.
Osr. Joo Rodrigues Chavier tenha a
bondade anniniciar por esta folha sua mora-
da para se Ihe fallar a negocio de seu ente-
resse.
Pede-so ao sr. que lo/ o annuncio pelo
Diario de Pernambuco de 2"i de Outubro des-
te corrente anno de um escravo que apari-
ceu na propriedade C.oub fassa o favor
de responder poj este mesmo Diario, se o
dito escravo Antonio tem os signaes seguin-
tes para se mandar ver se he do estatura
regular de 40 annos de idade falla bastan-
te atravessada e grossa talhos muidos pelo
rosto e abastante tempoque fugio ou fur-
taro do poder do seu legitimo senhor.
Antonio Joze Alves Ferreira.
lloje 20 do corrente se ade arrematar
em praca publica do juizo da 3. vara do civel,
as horas do custume urna caza terrea cita no
boro do Padre Lobato por exccucSo do ha-
chare! Francisco Carlos Brando conlra
l uiz Francisco Correa Comes de Almeida.
Olereee-se um rapaz branco brazi-
Idro sabe ler cscrever e contar para
enxeiro de urna venda armazrm do assu-
car ou de carne coca, ou para leitor de a|-
srum sitio ; quem quizer dirija-se ao beco do
Carcereiro cazan. 11.



tsr Aluga-se um sobrado de dois andares
e loja, na ra da Praia por 650> rs. annuaes:
e tambern se aluga por 10j res mengaes a
loja do sobrado dos 4 cantos da Boa-vista;
fallar com Manoel C. S. Cameiro Monteiro.
= Lava-se desabo, engoma-se, e coze-
se custuras clians, ludo por prego commodo,
com prefeigao e promptido ; no pateo do
Carmu n. 6.
tsr Tendo saludo em o da 5 de Novembro
de 1841 da villa do Pillar da provincia da Pa-
rahiba para esta cidade Manoel de Caldas lirau-
do Jnior e nao tendoat hoje apparecido,
ro-'a-ses pessoas quo souberem uoticias delle,
queiro ter a bondade de dirigir-se a praga
da Boa-vista ; botica da viuva Cnnha.
tsr Roga-se ao Sur. Francisco da Costa
que he mestrede calafate, queira fazer o avor
deiraruadasCruzesn.il que se lhe de-
seja fallar.
ssy O abaixo assignado lenJo annunciado
o dia 21 do prximo mez de Novembro para
comegar a correr a roda da lotera da sua Ma-
triz de S. Pedro Mrtir de Olinda v-se o-
brigado a transferir esse acto para o dia 6 de
Dezembro prximo luturo por baver sido
marcado para o mesmo dia 21 de Novembro o
andamento das rodas da lotera de N. Sra. do
Guadulupe da mcsma Cidade e tcrem sido
fettas outras iguaes transferencias pelos ad-
ministradores da lotera do tbeatro, e do San-
tissimo Sacramento da Boa-vista, por cauza
do embargo feto nos premios da lotera do
Rozario damesma freguezia da Boa-vista, que
a poucoacabou de correr : portanto o mesmo
abaixo assignado convida os amadores da sor-
te a comprar bilbetes na certeza de que nao
occorrendo algum outro igual embarazo a di-
ta lotera hade correr impreteriveimente no
mencionado dia 0 de Dezembro. Os bilhe-
tes CQ&o-se a venda nos lugares seguintes =
Recife porto das canoas na taberna do Sr. Jo-
ze Pereira ra da Cadea na loja do Sr. Vi-
eira Cambista e loja do Sr. capito Joze Go-
mes Leal ; em S. Antonio ra do Collegio na
loja do Sr. Menezes ra do Crespo na loja
do Sr. Braga n. 15, lado do sul, ra da Ca-
bug botica do Sr. Morena ; ra das cinco
pontas na padaria do Sr. Carlos Leocadio Vi-
eira n. 65 ; Boa-vista na botica do Sr. Joze
Mara Freir Cameiro; em Olinda nos quatro
cantos loja do Sr. Domingos Joze Alves da
Silva, e taberna do Sr. Joze Manoel dos San
tos, e na ra de S. Bento cazan. 12; as ro-
das andaro no consistorio da Igreja de N.
Sra. da Conceigao dos militares no dia t de
Dezembro.
Vigario Joo Joze Pereira.
tsr Precisa-se de um oficial de charutei-
ros, para trabalhar no mesmo ollicio : na
travessa do Rozario n. 5.
tsr Pede-se por favor aoSr. que fez o avi-
so no Diario n. 251 do seleiro do Uado Joo
Bezerra demandar dizer se o negro que
ali apareceo he de nago cabund alto ,
cara comprida e feia perlence a Manoel
Alves Guerra no Recito ra do Vigario n. 3,
para o mandar buscar, ou romelte-locom se-
guranza que p tgar ao portador 80ji rs. de
seu tiabalho.
tsrO Sr. Jernimo da Silva Monteiro quei-
ra ir pessoalmente reccber urna carta que lhe
perlence na ra larga do Rozario N. 33.
tsr Precisa-se de urna ama idosa que
saba coznhar e engonunar para casa de
um homem solteiro : na ra da Cruz arma-
zem de trastes n. (33.
t^- Aluga-se urna casa de sobrado com
bastantes commodos na Trempe ; quem a
pretender dirija-sc a ra da Cadea do Reci-
te n. 21.
tsr Existe r.o escriptorio de .\. O. Dieber
& Compauliia urna carta para o Sr. Joze da
Motta vinda de Cotinguiba, o mesmo Sr.
queira ir recebe-la.
tr A pessoa que annuneou no Diario de
24 do corren te querer comprar urna morada
de casa terrea as ras principaes do bairro
deS. Antonio, querendo unta na ra dos
Martirios e (ue estar conforme com o pre-
go que do mesmo annuncio consta annun-
cie sua morada.
tT Novo deposito d* rap princesa da
Babia acaba-se de estabelccer na ra da
Cruzdo Recifeescriptorio n. lt ; este rap
da grande fabrica de Gasse que pela sua
boa qualidade sempre mereceo a geral esti-
ma do respeitavel publico desta Cidade, as-
sim como do Rio de Janeiro e Baha e para
que venda a resultar mais alguma vantagem
ao grande numero dos consumidores deste
rape"; o fabricante manda estipular no seu
novo estabelecimcnlo o prego de 900 res
quando se compre de 5 libras para cima va-
lor da magma fabrica na Baiiiu.
DT O Sr. arrematante do dizimo do ca-
pim de planta queira mandar o seu procu-
radora Olinda, ra do Amparo, segunda
venda passando a botica a lim de contra-
ctas
tsr Conserta-se chapeos de sol com per-
feigo seguranga e promptido por preco
commodo : na ra da Ordem Terceira de S.
Francisco por baixo do Hospital da mesma
ordem, na mesma virlo-se urna grande por-
go de varas de baleia para chapeos de sol ,
e ilhs para colete.
tsr Oabaixo assignado tencc visto em
alguns nmeros do Diario de Pernambuco os
annuncios do Sr. Gaspar da Silva Fioes, re-
lativo a nulidade do testamento do tinado
Francisco de Paula Nigramonte, pelo qual
instituto herdeirosa seus ilhos naturaes e
comocm nome do mesmo abaixo assignado
fui que so tratou desta nulidade e queren-
do previnir que seu nomeaparessa em folbas
publicas como influente em tal negocio *
quando athe o presente lem gosado da estima
dos seus conciuados, vivendo pacificamen-
te e obediente as leis desde ja desiste de
continuar a tersarte em semelbanteques-
to e cassa todos os poderes que tem dado
a seus procuradores, os quaes nao podero
mais em seu nome demandar ou requerer
qualquer cousa. Felis Joze Coimbra de
Andrades.
tar O Escrivo da mesa regedora da Ir-
mandade de N. S. do Amparo da Cidade de
Olinda; avisa a todos os irmos da dita Ir-
mandade para Domingo 50 do corrente se
reunirem no consistorio da mesma alim de
se proceder a elleigo da nova mesa.
tsr Joaquim Trajano da Silva brasilei-
ro retira-se para a Babia.
tsr Quem annuneou querer comprar ou-
ro e urna corrente grossa sem feitio diri-
ja-so as 5 pontas n. 23 na mesma vende-se
um bom relogio de caixa de ouro e outro de
prata ambos sabonetes.
tsr Acha-se urna canoa velha no fundo da
casa terrea junto do tanque d'agoa do atierro
da Boa vista o dono da mesma queira a ir
buscar, do contrario se deitar pelo rio
abaixo.
tsr Aluga-se o segundo andar do sobrado
da ra Direita n. 5G ; tratar no terceiro an-
dar do mesmo.
COMPRAS
= Urna caza terrea, que no exceda de um
cont e quindenios mil reis em ras publi-
cas do bairro de Santo Antonio ou no atier-
ro da Boa-vista : quem tiver annuncie.
ts?" Continua-sea comprar moedade de
prata e ouro : na ra Direita venda n. 36.
cyLmacasa terrea em qualquer dos bair-
ros do Recife, que nao exceda de l:600j rs. :
na ra do Fogo n. 18.
tsr Quatro milheiros de lijlos de alvena-
ria grossa por tOc rs. mandando-se bus-
car na olaria: annuncie.
tsr l)m jogo de voltarete na ra de
Apolo armazem n. 13.
VENDAS.
tsr Urna canoa aberla, nova que cun-
duz 600 lijlos por preco commodo e tam-
bero se troca : tratar com Marcelino Joze
Lopes.
er Dous cavallos assas gordos, bonitos
e carregadores : na ra Velba sobrado da
quina do beco do Veras na Boa vista.
9%sr Cma venda com um contile reis de
fundo tem commodos para familia e em
um dos melbores sitios desta praga : na ra
de Agoas verdes N. 15.
vOT Diccionario de casos escolhidos de
oonsciencia por Kuzebio da Morto obra
inuito propria para os Srs. Padres conferen-
ciantes de moral : na ruada Cruz n. 37 se-
gundo andar.
-ve?" Anathomia pathologica grammatica
de Lliomond por prego commodo : no at-
ierro da Boa vista botica de Joaquim Joze
Moreira.
ssy Lina mulata de muito bonita igura ,
de 18 a 20 anuos cozinha o ordinario, cose
bem e borda o faz llores : na ra estreita
do Rozario n. 33.
tsr Duas escravas de nago de 22 a 25
annos de bonitas liguras com todas- as ha-
bilidades necessarias aos arranjos de urna
casa, e de boa conducta; 3 ditas com ha-
bilidades um lindo rnoleque de 1 annos ,
com principios de cozinha ; um dito de 15
annos; 5 oscravos, um bonito mulato de
conducta aiaiieada bom criado pois abe
fazer ludo com asseio : na ra de Agoas ver-
des n. 58.
S3P L'm sobrado de 3 andares mu bem
construido cito na ra da Praia com um
ptimo armazem e tem muito bons commo-
dos rende 1:100* rs. annual ; e um famo
zo sitio comexcellenie casa de vivanda no
principio da estrada da Ponte de Uchoa : na
ra de Agoas verdes n. 38.
tsr Vinhos do Porto Rheno, Bordeaux ,
Saulernes, Muscatel e outras qualidades ludo
engarrafado agoardente de franga [cognac]
genebra hulandeza,- kercho, absintlie, gen-
diana licores de todas as qualidades azei-
te doce em caixa sardinhas em latas prvi-
Ihas em ditas doce de marnialada de abr-
cois o cerejas em ditas bocetas de dito
critalisado biscoito de franga chocolate di-
to ameixas seccas copos lapidados pi-
res e chicaras da poreelana charutos da
ilavana muito finos tudo chegado recente-
mente e da mais superior qualidade : no
armazem a ilharga do Corpo Santo n. 25.'
/^sy Abotuaduras de duraque, seda e de
massa prelas e amarellas de todas as qua-
lidades, bicos rendas, relroz de todas as
cores boles grandes de osso brancose pre-
tos fitas lavradas meias para meninas de
todos os tamaitos luvas sem dedos a 480
estojosde navalhas finas linda de marcar
azul e encarnada, pescocintos brancose pre-
tos proprios para meninas a 240 bolOes de
retroz grandes para farda a 14 lo a grosa, da-
dos a 720 a bala espingardas de espoleta a
5t00 e outras muitas miudezas por pre-
go commodo: na ra do Cabug loja de miu-
dezas n. 4.
varia, e em bom estado, por prego commodo
na ra da liadta velha n. 55.
\ss?" Um Diccionario Magnum Lexicum ,
urna Prosodia, Obras de Orago Selecta, e
Ouvidio por prego commodo : na ra Nova
defronte da Conceigao n. 42.
tsr Caf moido o melhor que be possivel
neste genero em porges grandes e a rela-
Iho e muilo em conta para ser vendido pelo
miudo e se manda levar em caza dos fregue-
zes ; na ra do Azeite de Peixe na caza n. 11,
na padaria de Manoel Ignacio da Silva Tei-
xeira.
tsr Depozito de caf moido aonde s se
vende de oito libras para cima, o prego muito
em conta para se vender a retalho na Boa-
visla no largo de Santa Cruz na padaria de
una s porta junta ao eobrado.
19* lina preta de 20 annos sabendo per-
feitamente engomtnar cozinhar e cozer ,
para lora da provincia urna dita com as mes-
mas habilidades douspretosde todo o ser-
vico bonitas figuras sendo um canoeiro
urna preta muito reforgada da costa lavadeira
de sabio e varrela por 500 urna dita de to-
do o servigo por 20ji urna mulatinha de 12
annos : na ra do Fogo n. 8.
tsr Urna negrinha crela de 16 annos ,
recolhida sem vicios nem achaques sabendo
coser faz lavarinto e renda de todas as lar-
guras cozinha o ordinario e lava de sabo :
na camboa do Carino n. 19 segundo andar.
tsr Rape' de Lisboa a 3200 a libra re-
troz preto um tanto grosso em miadas a 80
reis a oitava lindas prelas d'oeiras o mas-
so a 900 reis, linhas pardas e pretas e
azul ferrete em novellos a libra 1280 es-
poras estanhadas a 4 a duzia boles amar-
los finos a 500 rs. a duzia ditos de massa
para cazacas a 320 a duzia ditos mais peque-
nos a 160 dados para gamo rebique o
lilas preta de relroz a dOO res a pega e assiti-
nadas em sortimento pelo custo e outras
muitas couzas: na loja do Bandeira na ra do
Cabug.
CF* Na ra da Cruz do Recife n. 55 ta pa-
ra vender um pianno de bom autdor inglez ,
de excellentes vozes e de gosto o mais moder-
no por prego commodo.
cr Por prego commodo canoas grandes
que servem para canoas de conduzir agoa :
na ra da Cruz n. 55 no escriptorio de Manoel
Joaquim Ramos e Silva.
tsr* Rape' rolo em graudes e pequeas
garrafas a 400 e 800 reis a garrafa cdarulos
de davana ebegados ltimamente de llambur-
go: vende-se na caza de Fernando Lucca ,
na ra da Cadeu velda.
sai Caixdes com muito bons edapeos de hac-
ia sacas com superior arroz de vapor e da
fabrica latas com as verdadeiras pilulas da
familia duas bancas de Jacaranda barris-
clo tintas em massa branca e verde fio
de gapaleiro em miadas bixas hamburguc-
zas muito grandes e outros mais gneros :
na ra estrella do Rozario n. 15 padaria de
Francisco Alves da Cunha.
mr Um quarto russo bom passeiro e es-
qu pador polo preco de 30ji vende-ce por pre-
cizo : na ra Direita n. 84.
ss^ Barricas com farinha SSSF no arma-
sen do sr. Mondonga a fallar com Francisco
Alves da Cunha na ra estreita do Rozario
numero 15.
VST Um preto cozinheiro com muitas dabi-
lidades que ao comprador so dir : na ra
da Gloria n. 11 lado direilo viudo da ponto
velda.
tsr Carnauba de boa qualidade, grandes e
peqenas porgues a 7jf a arroba e fumo em fo-
ha para charutos : na travessa do Rozario
numero 5.
ty Um escravo de 50 a 32 annos de bo-
nita figura bom trabaldor de enchada e tre-
Ipador de coqueiros : da Sjlidade para o Man-
guind na penltima caza antes de cliegar na
mar onde mora Exm. Sr. D. Thomaz
Bispo.
VST Uma escrava crela para fora da Ierra,
cozinha o ordinario de uma caza e engamma
lizo : ua ra do Queimado n. 5.
tsr Uma carroga corn rodas de ferro : no
alterro da Boa-vista loja de segeiro as cazas
onde mora o sr. Cintra.
tsr Urna urna nova para depozito de ossos,
muito bem consturida ; quem a pretender di-
rija-se a caza n. 18 na ra dos Martirios,
na mesma caza se engomma com muito asseio
tudo isto por preco commodo.
ssy Barris com potassa americana e barri-
cas com farello : em casa de Matlieus Austin &
Compandia ra do Trapixe novo.
tsr Urna negra de bonita figura crela ,
lava de sabao e varrela cozinda o ordina-
! rio e tem uma cria de 8 annos : na ra do
Fagundes n. 56.
S3^ No sitio defronte de S. Joze do Man-
guind vendem-se 5 casas terreas, com quin-
tal em cdos proprios : a fallar no mes-
mo sitio.
tsr Uma escrava de nago Benguela sem
vicios nem aedaques : na ra do Hospicio se-
gunda caza terrea lado do nasceule.
tsr Capim por arrodas e em porgao : na
ra dos Pires no ultimo portao a esquerda
quem quer voltar para o corredor do Bispo ,
ou na ra do Livramento armazem de louga
e muldados n. 20.
tsr Urna venda em muito bom lugar e
com poneos fundos na travessa da ra da
Gloria, vende-se porque o dono est doente
e quer ir para o malo, adindeiroou a pra-
so com boas firmas : a tratar na mesma.
tsr Uma machina de vapor para moer as-
sucar 3 ditas para moer com agoa uma
dita para moer com cavallos formas de furo
para purgagodeassucar e rodas para car-
roga tudo de boa qualidade : na ra da Ca-
dea do Recife escriptorio de Joze Antonio
Bastos.
tsr Urna corrente grossa de ouro com
um relogio lambem de ouro, muito bom, por
l80ji : na ra Nova loja de Caldereiro n. 55.
ESCRAVOS FGIDOS.
t^* Fugio no dia 25 do corrente um preto
de nome Jacintho nago quigam, de idade
pouco mais ou menos de 18 a 20 annos scn
barba alto com os dous dentes da frente
de cima limados levou vestido caiga e carni-
za de a'godao entrangado ; quem o pegar le-
ve o na venda de Diogo Rodrigues em fora de
portas que ser generosamente recompensado.
tsr No da 18 de Agosto do corrente
anno, fugio do engenbo Piripiri do Norte ter-
mo da Cidade do Natal provincia do Rio Gran-
de do Norte um escravo de nome Hilario ,
idade de 30 e tantos annos alto .secco do
corpo ps grandes, bem barbado, bom ofli-
cial do gapaleiro um tanto surdo ou que
se finge surdo levou comsigo a tenda dentro
de uma malinda de conro : quem quer que
o encontr o poder aprehender c leva-lo
naquella provincia no dito engerido a seu se-
nlior o Tencnte Joze Fernandos Carrildo e
nesta praga o poder entregar ao Uoufcor Joa-
quim Aires de Almeida Freitas na ra das
Cruzes n. 22 que ser recompensado do seu
trabalbo.
tsr No dia 21 do corrente fugio do abaixo
assignado um escravo de nago Cabund de
nome Antonio mais condecido pelo alcunlio
de Joamo quo pelo proprio nome com os
signaes seguintes : estilura regular edeio do
corpo cara redonda ps curios e largos ,
lem em a mo esquerda uma empinge e de
quebrado da verillia esque.da^ levou carniza
de madapolao e caiga de bnm pardo cons-
ta andar pelo Recife vendendo fructas em um
taboleiro; roga-se poi tanto aos c;.pitaes decam-
po e mais pessoas do povo o queiro pegar ele-
va-Io a estrada de Joiio de Barros sitio lo ins-
pector do quarleiro que generosamente gra-
tificar, i^
Joo Nepomccono Ferreira de Mello.
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. =1842.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENDQTDQDG_I61ZIJ INGEST_TIME 2013-04-13T02:28:31Z PACKAGE AA00011611_04807
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES