Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04804


This item is only available as the following downloads:


Full Text
m
Anuo de 1842.
Ter$a Fera JS
41.
Todo agora depone de as mesmos ; da ioiii prudencia moderacao caergia : aoa-
linuemoi como principiamos e aeremos apontados cu admiraco entre aa Nacoca aaais
eulias. (Proclaaiacio daAsaembla Gsral do sratil.)
PARTIDAS D)S CORREIOS TERRESTRES.
r.oianna Paraiba e rliojraade do Norte, eeeamdae a tenas (airaa.
Bonito .Garanhui.. O e 14-
Cabo ^rinhaem Rio Formo Porto Caito, Macelo e Alacoae no 4. ,
g T,ia e Florea 13 t 8 Sanio Anto quintas feiras. Oliada lodoa oa das.
DAS DA SEMANA.
1\ Se?, a. aUaal Aro. And. d.< J. de D. da 2 t.
*5 reto. a. Chrispira e Chr apiniano Tra. Re. And. do J. de D. da 4, .
jifi Ojaii. a. Erarislo P M Mm. Aad do J. de da 3. t.
17 Quii, jejam Elesbo Imperador. Aod do jui de D daS.V.
*>H ScSt. >I" Simfio e s Judas App. Aad. do J. do D. da 1. t.
59 Sab." a. Feliciano M Rol. Aud. do J. da D. da 3. ^~
SO Do. Serapio B C.
de Outubro. Anuo XVIII. N. 251.
O Diario publiea-ae todos oa das que alo foram Santificados : o preco da sssifnatnra ha
de trea mil rcis por quartel pa;os adiaatadoa Oa annuncins doa aasignanles (J0 iaaeridos
palia a oa dos que o nao forern rai.o de 80 res por linda. Asreclamaooee derem aer
dirigidas a esta Trperrafia roa das Croata D. 3, aa a praca da ladependaacia loja da litroa
Numero 37 a 38.
CAMRIOS no da 24 de outubro.
Cambio aobra Loadraa 27 f Nominal.
a Paria 350 res p. franco.
a a I.iaboa 00 por 400 de premio,
Moada da cobra 3 por 400 da descont.
dem de letras da boas firmas \ \ i |.
Odio-Moada da 6,400 V. 45,400
N. 15,20)
a da 4,000
Pura Pataeoca
Patos C.oluianares
a dito Mexicaaoa
miuda
compra venda.
45,00
15,400
8.300 8,500
4,7
4,7*0
4,720
4,580
4,70
4,740
4,740
4,620
Preamar da din 25 de Outubro
4.a a 10 Lora a 6 m. da mansa.
2. Itl hora e 30 m. da larda.
PHASRS DA I.DA NO MEZ UE OUTUBRO.
Loa Nora a 4-- as 4 borae a 6 a, da manb.
Qaart. eraae. a 11 ka 4 horas a 22 m da manb.
Loa chai a a 49 4a 8 horaa a 63 m. da manb.
Qaart. miag. a 26 4a 40 boraa a 23 m. da tard
IIIAR
DE PERNAMBUC
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 19 DO CORRENTE.
Portara Aocommandante do brigue==
Imperial Pedro = ordenando que d guia
de desembarque ao primeiro marinheiro An-
tonio Joze Rodrigues, que fra Julgado inca-
paz do servico pela junta de saude ; e intel-
ligenciando-o de que fica sem elfuito a or-
deni para o desembarque do segundo mari-
nheiro Francisco Fernandos visto ter sido
dirigida por engao que bouve no parecer
da mesma junta.
Dita Removendo em virtudo da dis-
posigo do artigo 13 da lei provincial nume-
ro 94 de 7 de m lio d'este anno o profess >r
da cadeira supprimida de primeiras lettras de
Taquara para a da freguesia do Cabo sup-
primindo ascadeiras de Guagir e Pitim-
b ; e removendo o professor d'esta para a
de Muribeca eo d'aquella para a de Una.
Participou-se o conteudo nesta portara
ao Exm. e Rm. director dos estudos, e ao
inspector da thesouraria das rendas provin-
ciaes j com recomtnendacilo aopiimciro de
marcar aos professores removidos um prazo
razoavel para se apresentarem em suas novas
cadeiras.
Ortlcio A cmara municipal do Cabo ,
intelligenciando-a d'haver removido o profes-
sor da cadeira supprimida de primeiras letras
de Taquara para a d'aquella freguesia do Ca-
bo e o de Pilimb para a de Muribeca.
Dito Acamara muuicipal do Rio For-
moso scienlificando-a de remocho do pro-
fessor da cadeira supprimida do primeiras let-
tras de Guagir para a de Una.
Dito Ao inspector da thesouraria das
rendas provinciaes ordenando que na
forma requisitada pelo engenheiro em che-
fe no oITlcio que por copia Ihe remelle ,
' mande pagar sem demora as pessoas que
vendTem a madeira prorisa para concert de
urna parte da ponte do Recito e que impor-
tar na quaniia rfe I ."OOm res
Dito Ao erig*nlieiro em chefe das obras
publicas eommunictn lo a expedicgo da
precedente ordein : autorisando-o declarar
pelos peridicos que as pessoas quem se
tem feito ncommenda de madeira para a su-
pradila ponte serio pagas sem demora pela
thesouraria das rend is provinciaes na for-
ma por S. m. proposta. l'ai ticipou-se ao
^inspector fiscal das obras publicas.
Dito Ao commandante das armas sig-
nilianJo em resposta ae seu olicio de 17 do
correnle que o major Mano.d Joaquim de
Oliveira ; que tem Je seguir para a provin-
cia iloCear ; dever ser considerado como
em diligencia na mesma provincia; visto nao
lera presidencia recebdo ordem do goveino
imperial para que elle seja desligado da
guarnido desta provincia.
Dito" Ao engenheiro em chefe das obras
publicas determinando que informe
quanto montaro as pequeas despesas que
se tem de fazer para principiar a instalado
dos ofliciaes e fjoi trabalhos para a ponte do
Caxang ; bam como quanto monlo as
despesas, ja feitas com a extraego de podras,
e outros servigos.
Ditos Ao Eim. e Rm. Director dos es-
tucos e ao inspector da thesouraria das ren-
das provinciaes communicando ter manda-
do passar proviso Manuel Francisco Cezar
para a cadera de primeiras lettras de [guara-
g ea Joaquim Antonio de Castro Nunes
para a da Roa-viagom. Inlelligenciou-se da
.primeira nomeago a cmara municipal de
iguarag o da :egunda a d'esta cidade.
COMMANDO DAS ARMAS.
EXPEDIENTE DO DA 18 DO CORENTE.
Olicio Ao Exm. Presidente transmil-
tindo-lhe um ofilciodo alferes de commisso
do batalhao provisorio Joaquim Pereira Xa-
vier d'Oliveira pelo qual se offerecia para
prestar seus servigos no Rio Grande do Sul ,
concorrendo por esta forma com o seu con-
tingente para a paciicaco daquella provin-
cia.
Dito Ao major commandante do esqua-
dro de cavallaria da guarda nacional do mu -
nicipio parlicipando-lhe que no dia 25 do
crreme pelas 9 horas da manha teria lugar
a inspecgodo mesmo esquajro cujas pra-
gas ( dismontadas ) devio comparecer em a
secretaria militar onde com antecedencia se
depositara o archivo.
DitoAo teen te-coronel commandante
interino da fortaleza do Rrum significando-
Ihe em resposta ao seo olicio desta data que
fizesse constar ao doutor juiz de direito pro-
sidenti* Jo tribunal dos jurados que a re-
quisigo para a soltura do alferes da extincla
segunda linha J F. deS. Peixe devia ser-
Ihe dirigida alim de fazer efloctiva a soltura
do dito alferes pois que as fortalezas s se
recebem e solido presos militares anda
que por crimes civis d'ordem da respecciva
autoridade militar.
Portara Ao teen te-coronel comman-
dante uterino do terceiro batalho d'artilhe-
ria a p mandando excluir do mesmo a 46
pragas que tendo marchado para a provin-
cia do Maraohio a fazerem ali a campan ha ,
tivnro durante e depois d'ella dillerentes
deslinos.
DitaAo teaente-corouol commandante
do batalhao provisorio, remettendo-lho o con-
selho d'averiguagSo feito ao soldado de pr-
meira liada Joaquim Antonio da Fonceca e
ordenando que elle fosse reconhecido soldado
particular na forma do decreto de 4 de ft-
vererode 1820 e proviso de 26 de outu-
bro do mesmo anno.
dem do da 19.
Odicio Ao Exm. Presidente, incami-
nhando-lhe o requerimento do major da ex
tincla segunda linha com s>>l lo Francisco Jo-
ze de Mello, que pedia a S. M. o Impera-
dor a uraga de lh mandar ah mar o sold
pela tabella de 28 d marco de 1825.
Dito Ao mesmo Exm. Sur. remetten-
do-lhe competentemente informado o reque-
rimento de Angelo Costodio do Sacramento ,
ex-sargento do extincto regiment de infan-
tera de primeira linha desta cidado que em
attengo a sua avanzada idade e molestias ,
ea ter prestado 20 annos de servido na pri-
mera linha supplicava a S. M. I. a mer-
go de o reformar.
Dito Ao mesmo Exm. Snr., informan-
do o requerimento de Albino Jozo que pe-
dia demigo por ser viuvocom fiihos, e ha-
ver sido por tal motivo impropriamente re-
crutado.
DitoAo mesmo Exm. Snr., mandan-
do-lhe apresentar para ter o destino que jul-
gasse conveniente o soldado do batalho de
infantaria de guardas nacionaes destacado
Antonio Joze dos Santos que por seu mo
comportamento e incorrigibilidade fra
excluido do dito batalhao.
Dilo Ao mesmo Exm. Snr., enviando-
Ihe informado o requerimento da viuva Eme-
renciana de Jezus que pedia fosse excluido
do batalhao de infantaria de guardas naci
naes destacado seu filho Joze Alves Rizerra.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. dizendo-
Ihc em cumprimento aoseu despacho de hon-
tem que o furriel Antonio dos Alijos Pes-
soa perlenca ao segundo batalhao de O-
linda.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. requis-
lando-lhe a expediegao de suas ordens a the-
souraria para serem abonados os vencimen-
tos do corneta Fioriano Gongalo, incluido
nos papis de contabilidade do destacamento
da guarda nacional de Iguarag.
Dito Ao inspector da thesouraria re-
m*ttendo-lhe para serem pagos os papis
de contabilidade do destacamento do termo
do Santo Anto, do 27 a 30 do junho ,
edo primeiro a 16 de selembro ultimo cer-
to que o destacamento fra dissolvido no dia
17 do referido mez.
Dito Ao dezembargador chefe de poli-
ca communicando-llie que fra sollo o In-
dio Domingos Soares que Ihe remetiera
com o seu olicio desta data por nao se ve-
rificar a deserco.
Portara Ao tonente coronel comman-
dante do batalhao d'infantaria deG. N. des-
tacado mandando excluir do mesmo por
mo comportamento e incorrigibilidade os
guardas Manoel Martina Rodrigues e Anto-
nio Joze dos Santos e enviando-os a secre-
tara militar a fim de se Ihes der destino.
REPARTIQO DA POLICA.
Parte das occorrencias do dia 21 do corrente.
O commandante geral do corpo policial par-
ticipa que non tem nao occorreo novdade
n'esta cidade. O delegado supplente do ter-
mo do Ronito partecipa em lo do correnle
nao ter sido ali alterada a tranquilidade pu-
blica e o do Rio Formoso participi que pe-
las ll horas da noitedo dia 16 do corrente
fugiro o* onze r 'os presos dojustiga que
existio na fortaleza de Tamandar por
um arrombamento que na mesma consegui-
do fazer e que elle passara logo que disto
fora informado dar as mais prontas provi-
dencias que estavo em seu alcance para
a captura dos mesmos reos.
transcriptos nos peridicos do Chile e nos de
Montevideo.
No dia 2 de setembro os ministros pleni-
potenciarios nglcz e francez Mandevitle e
Delurde dero conta a este governo do resul-
tado dos seus esforgos. Por elle so v que ,
ainda que nao tivessem obtido resposta es-
cripta de Rosas mas smente verbal por in-
termedio do ministro Arana o dictador ne-
ga-se a todo o arranjo e vai abrir campa-
nha que as suas inslrucgojs limito-se a of-
ferecer aos belligerantes no Rio da Prata ,
os seus bons ffieios sem de nenhum modo
nlervir naquesto, nem intimar a paz que
a copia que circulou aqu de uns artigos do
instiueges de M. Mandeviile nos quaes se
dizia que a Inglaterra intervinha na questio ,
o aos quaes eu me refer err. urna das minhas
cartas nao passa de urna infame mistifica-
goque nao tem parallelo na historia ; que o
silencio de M. de Mandeviile, a respeito des-
tes boatos, foi calculado para obtor o trac-
tado.
Asopcrages vo portanto comecar. Ori-
be sabio com seu exorcito da R ijada e acam-
pou a cinco leguas daquello lugar em um
ponto chamado as Couchillas.
Veremos.
INTERIOR.
EXTERIOR.
MONTEVIDEO, 21 DE SETMBRO.
Com data de 30 do passado escreveu o co-
ronel Garibaldi detalhando as suas perdas
nosdias 15 16. Fez voar as corvetas Cos-
titucion e brigue Pereira, salvando a es-
cuna Procid a bordo da qul ig u a sua
bandeira. Perdcu no combate 60 homens ,
cncoofllcaesflo commandant-* Arana Vai
continuar as operages no Paran em vasos
menores.
O exercito combinado forte de cinco mil ho-
mens rep.dlio a vanguarda de Oribe ao
mando do Urquiza tornando o Gualeguiy a
ser a linha divisoria. O presidente Rivera
devia marchar no dia 16 de Durazno com do-
us mil homens para reforgar o exercito de
Entro-Ros; Ferr vinha com o resto das
Torgas corren ti ras e Paz e Lpez devio re-
unir se na Concordia com Rivera para absen-
tar no plano de campanha.
O dictador Rosas fez promulgar as pro-
vincias do interior da Repblica Argentina
um decreto que foi posto em execugo em
Mendonga onde foi publicado a 31 de mar-
co. Determina este decreto que todos os u-
nitarios sejo declarados loucos e que o.s
principaes sejo fechados no hospital para ali
serem tratados. Que os unitarios, como lou-
cos nao podem administrar mais do que
dez pesos, fiendoo resto de suas fortunas
embargado e administrado por pessoas da con-
fianca do governo de Rosas
Nao podem comprar nem vender nada ,
nem servir de testemunhas em nenhum docu-
mento publico nem privado salvo cm casos
urgentes mas obtero previamente permis-
so da polica precedida de um certificado
do seu estado mental leito por mdicos.
Este decreto extraordinario que prova a
mucura de quem o fez e nao a daquellcs pam
quem foi feito foi impresso em Mendonga ,
RIO DE JANEIRO.
SENTENCA DE PRONUNCIA
Proferida pe/o Jitis Municipal da segun-
da vara desta Corle !)r. Bernardo Au.-
gunto Pfascentes de Azambuja no pro
cefso ex-ofjic o, cerca do* comprometti-
dos poli ti ros nesta Corte.
Vistos estes autos de summario, tendo por
base o olicio inicial do desembargado!1 chefo
de polica desta corte del les resulta a prova
da existencia do urna sociedade patriarchal
deinvisiveis, eom ramiicago pelas provin-
cias do imperio e concelho central nesta cor-
te } exigindo dos associados coragem reso-
luco obediencia e segredo e proclaman-
do o principio de resistencia ao governo e seus
empregadus, corno se observa de seus respec-
tivos estatutos por copia autlii-ntica a fl. 30 ,
que acompanho o segundo olficio do mesmo
chefe de polica e se mostrao serem os pro-
prios e idnticos dessa so iedade j pela
confissAo Jeduzida das p lavras de Francisco
Alves de Castro Roca a fl. 46 v. em cujo
poder foro elles achados j pelo dito das
testemunhas 5. e 6. a fl. 64 v. e fl. 71 v.:
sendo aquella o secretario do circulo invisivel
om Rarreiros que os escreveu segundo
declarou a fl. 39 e fl. 62 v. e j pelo depoi-
meuto da 7. testemunha que disse a fl. 80
v. ter visto os mesmos estatutos em mo da-
quella 5. testemunha e reconhecer serem
semelhantes aos que nesta corle Ibe mostrou
o Dr. Francisco da Salles Torres Hornern ;
nao se podendo lambem duvidar da existen-
aia de urna tal sociedade em vista dos do-
cumentos ex 11. 6, que acompanho o dito of-
licio inicial das declarages constantes da
copia aulhentica ex fl. 34 o dos depoimen-
los das testemunhas do summario, mormen-
te a fl. 62 11. 73 e fl. 80 v. bem como da
2. testemunha que ratificando a 11. 22 a sua
declarago de fl. 9, assevera ter assislido nes-
ta corte a urna reunio presidida pelo dito
Torres Homem ; c posto quo esses estatutos
guardem reserva quanto ao nome de S. M.
o Imperador e quanto aos lins directos da
sociedade, todava deixo entrever outros,
que nao s os declarados de sorte que, com-
binados elles com a prova constante dos autos
e com os fados e circunstancias das rebellies
e outros movimentos as provincias a que so
referem o primeiro e segundo ofilcios do che-
fe de polica cima referidos de conforrnW


dade com as pegas officiass publicadas 'nesta
corte fica fura de duvida que no seio da-
quella sociedade nos seus circuios se tra-
tava d') apoiar essas rebilliiHs e promovor a
desordem assirn nesta cidido como nos
damais pontos do imperio onda appirecesse
opportunidade enviando nissarios pro-
cla-nages ordrns circularas e enlreten-
do correspondencia com os diversos circuios
invisiveis e seus respeclivoa membros oque
tena se prova do documento ex ti. 11 de-
clanges ex 11. 34 e depoimento das teste-
munhas 5. 6. e 7., de fl. 61 G6 v. e 80 ,
e informante a fl. 93 sendo at de sciencia
certa a quinta testmunha que foi secreta-
rio no circulo de B irreiros e merecendo a
stima testmunha tanta confianga do sobre-
dito Francisco de Salles que era por este
quasi diariamente informado de tudo que se
passava e deliberava as reuoies nesta corte,
como se v a fl. 80 v. : ora da mesma pro-
va do summario j mencionada e do ruis
que se ada nos autos v-se quo ero mem-
bros do concedi central e oulros circuios da
sociedade Patriarchal nesta corte : o mes-
mo l)r. Francisco de Salles os senadores Jo-
ze Bento Leite Ferreira de Mello e Joze Mar-
tiniano de Alencar o concelheiro Antonio
Paulino Limpo de Abreu o conego Geraldo
Leite Bastos Tristo Ramos da Silva Joze
Francisco Guimares Elizeu de Azevedo
Coutinbo Gabriel Getulio Monteiro de Men-
doriga lem de Francisco Alves de Castro
Roso Theophilo Benedicto Oltoni e outros
todos mais ou menos influentes e interessados
na causa da rebelliao e da revolta j toman-
do deliberages a respeito, j enviando emis-
sarios cartas proclamarles e ordens j
indo pessoalmenta em commisso j prepa-
rando movimentos ou rompimento nesta ca-
pital ; factos estes que assaz alteslo as de-
claragoes feitas na villa de reas e que de-
correm de 11. o v. bam como osdepoimen*
tus das tes lem un has o. G. e 7. combina-
dos com odaquarta testmunha e informa-
go da de fl. 93 e documentos juntos aos au-
tos ; assim que os cima mencionados de-
pois da dissolugo da cmara dos depulados e
antes da suspenso de garantas frequen -
tavo assiduamenle as reuniOes em casa do
refer lo senador Joze Bento como da rela-
godell. 0, confirmada pelo juramento de
11. 22 v.: assim tambem que Joze Francis-
co Guimares e Eliseu de Azeredo Coutinbo
foro como emissarios daqui para S. Paulo ,
dosquaes o primeiro nao s ha va convi-
dado a segunda testmunha para entrar na
reunio deinvisiveis e para se armar, ul a
fl. 9 o II. 20 como inda levara urna carta
missiva da sociedade para Raphacl Tobas e
o segundo parti logo depois da dissolugo da
cmara levando ao mesmo Tobas cartas da-
quellesenador Joze Bento, tendo-se dirigi-
do primeramente fazenda de Joaquim Bre-
ves, oque consta dos autos, ut a 11.9 ex fl. 13,
fl. 64 v. fl. 68 v. e 11. 81: mostra-se mais que,
nessa qualidade de emissarios tambem par-
tiro desta curio depois da dita dissolugo ,
um homem da campanha Antonio Nunes
Correia e Francisco Alvos de Castro Roso,
todos tres m direcgo fizenda e casa da
quelle Joaquim Breves, levando-lhe cartas
do referido senador do senador Alencar e do
cons-Ih -iro Limpo de Abreu e seguindo de-
pois para as villas do norte de S. Paulo on-
de os dous ltimos enliro ras fileiras dos
rebedes sem que se possa duvidar desles
factos, em vista dos depoimentos das teste-
menbas quinta, sexta quarta e selima, com-
binados entre si e com acarearlo a fl. 93 ,
resultando anda dos ditos dessas testemu-
nbas : I. que aquelle homem da Cam-
panha anler. de partir como emissariu es-
teve em casa dos referidos spnadores e pos-
teriormente deelarou a sexta testmunha ,
uta 11. 08 v. que elle era primo Joze Bento e que fora enearregado pelo se-
nador Alencar de dizer a Joaquim Breves que
era lempo de cumprir a sua promessa; 2.,
que o emissario Mues sabia de tudo quanto
se passava e deliberava as reunioes dosin-
visiveis c no concelho central por Ih'o
commumear o I)r. Francisco de Salles se-
cretario deste e bem assim queesse mesmo
Nunes fora daqui enviado por aquelles men-
cionados senadores pelo referido conselheiro
Limpo e pelo conego Geraldo a quem parti-
cipava o que occorria no norte de S. Paulo
cerca da rebelliao sendo que levara elle Nu-
nes a incumbencia particular de cortar a mar-
cha do balaiho de fuzileiros e de seduzir as
pracas como so v de sua propria declara -
gao de 11. 82 a 11. 83 ; 3. emfim que o e-
missario Roso tambem segundo sua pro-
pria declararlo a 11. G0 v. e depoimentos ci-
ma refeiidos tinha amizade intima cornos
conselheiro
g bredilos senador Joze Bento e
Limpo, e nao s diz qu-j freqnentava-os qua-
si diariamente at sua partida mas anda
(segundo referid a quinta testmunha a fl.
16i v. ) que havia levado aulorisaco para
conceder patentes : e observarido-se mais do
depoimento da sexta testmunha a fl. 61 ,
corroborado pelo de fl. 93 .que a viagem des-
te mesmo Roso fra decidida na casa do dito
senador Joze Bento, estando a jantar em
campanilla dos nomeados Alencar Limpo e
Geraldo, e por occasio de se 1er urna carta
vmda das villas do norte de S. Paulo, onde
se particioava que aliseachavo mil homens
promptos a marcharen! sobre esta corte aos
quaes faltava um chefe falta esta que elle
Rozo a supprr attendendo-se ao que tam
bem refere a stima testmunha quandojura
ex II. 81 do sciencia certa cate defacto
proprio que em urna reunio na mesma casa
do senador Joze Bjnto e achando-se presen-
lesos deputados portadores da mensagem da
assemblea provincial de S. Paulo e com er-
les os j referidos Alencar Francisco de Sal-
les e outros patriarchas invisiveis decidirlo
definitivamente que apparecesse o rompiman-
to nessa provincia de S. Paulo pois que
constava que mais de mil homens da parte
la serra estavo promptos a avanzar contra
e-da corte e porque esso rompimento havia
de ser acompanhado pela provincia de Minas,
e por alguns municipios da do Rio de Janeiro,
alem das do Norte Goyaz &c., delibera-
rlo esta que foi circumstanciadamenle com-
municada dita 7. testmunha pelo mesmo
Francisco de Salles que lhe havia enearre-
gado de fazer grande parte dos avisos para es
sareunio: reflectindo-se tambem sbreos
ditos das quinta c sexta leslemunhas a II.
Ole II. 71 v. que indico Gabriel Getulio
Monteiro de Mendongaeomo urna das pesso-
as influentes na rebelliao e como encarrega lo
de fazer apparecer a desordem nesta corte ,
quandochegasse a noticia de se acharem re-
belladas as sete villas do norte de S. Paulo ;
notando-se, como se ve da copia do oflicio
do chefe de polica de Minas a l. 97 trans-
inittindo a este juizo pelo chefe de polica des-
ta corte que o dito Getulio em relago
directa com os rebeldes daquella provincia ,
mandara um proprio cidade do Ouro-Prelo
com cartas a Joze Pedro Uias de Camino
( que acaba de ser preso servindo de secre-
tario do governo intruso, ut a II 78 e ditas
79 ) de cujas cartas resultou espalhar-se ali o
boato entre outros de haver skloassassi-
uado e arrastado pelas ras de S. Paulo o ba-
ro de Monl'Alegre constando ainda a fl.
G5 v. e mais lugares do processo que se offe-
recera a Joaquim Breves a presidencia da pro-
vincia do Rio de Janeiro e se lhe prometiera
coadjuvago pelo movmonto em Itaguahy e
rompimento nesta corte onde dizio nao
haver mais tropa ; e accrescenlando mais ,
em vista dss declararles de Andr Cursino e
Julio Augusto constantes do documento ex
l. 34 e sous depoiuientos a II. 04 e 72 com-
binados com o que refere a stima testmu-
nha a fl. 82 e 84 v. ecom os esdarecimen-
tos fornecidos pelo oflicio quaito do referido
chefe de polica da corte a fl 5o e docu-
mentos do que o mesmo faz mencAo que o
negociante de ferragem Tristo Ramos da
Silva meinbio do concilio central dos invi-
sveis mandava armamento para os rebeldes
de Minase S. Paulo sendo que o que ia pa-
ra esta provincia era remetlido i Antonio Joze
Noguei.-a do Baan d por intermedio da-
queilo Joaquim Breves e quo ero rebeldes
nessa parte da provincia de S. Paulo um An
Ionio Marianno da Silva e Francisco Joze Ra-
mos o primeiro irmao e o secundo primo
do referido Tristo Ramos da Silva : combi
nando-se em fim entre s estes e outros
mu i tos factos que sobresalan) do presente
processo nao ha que duvidar da parte que o
supramencionados Miembros da sociedade pa-
tria relia I dos invisiveis e outros ;tomavo
pela causa da rebelliao e da revolta : e como
cierto que as provas dos autos nao apresenlAo
esses e outrss factos como solados e filhos do
mero acaso e antes revelo un plano vasto
combinado, tendente aos mesmos fins de a-
poiar os referidos movmentos e de faze-los
apparecer onde fosse possivel, mrmente
ponderando-se que o emssario Elizeu parti
logo depois da dissolugo da cmara ; que o
emssario Nunes parti ao lempo em que mar-
chou o balaiho de fuzileiros ; que Roso foi
mandado para diiigir os mil homens de cima
da sena que se dizio promptos ; quo estes
dous ltimos em seguimento de sua missao,
tomro armas e inluio na rebelliao do nor-
te de S. Taulo ; que o homem da Campanha
levou proclamares do Tobas feitas depois
do rompimento cm Sorocaba ; quo o ex-de-
putado tjttoni memhro do concelho central,
foi dcsla corle para .Minas logo que rompeu o
movimento em Barbacena j que o referido
Joaquim Breves ao qual se dirigio as car-
tas o armamento e os emisarios cima men-
cionados 4 o mesmo que se pretenda pro-
clamar presidente intruso da provincia do lio
do Januro como se v do documento fl. /6,
e oriicios a fl. 75 que Iho precede das de-
claracesex-fl. 34 e dos depoimenlos das 5.
c 0. leslemunhas ex-fl. 61 e fl. 60 v. : e sen
dooutrosim certo que todos esses factos, e
outros constantes dos autos quando nao
tendessem a proel, mar o systema republica-
no manilesto sem duvida os fins e planos
oceultos da sociedade patriarchal, quanto a
tendencia directa a privar ou cercear ao
menos em parte a autoridad* constitucional
de S. M. o Imperador relativamente livre
escolha de seus ministros e nomeaco de pre-
sidentes bem como a oppor resistencia ao
livre exercicio dos poderes moderador exe-
cutivo ejudiciario e a obstar ou impedir os
eflelos das determnacoes daquelles dous po-
deres conformes consliluico es lois ema-
nadas do corpo legislativo com a sanego im-
perial pois que de facto apparecero movi-
mentos contra o governo nomeacOes de au-
toridades illegaes e rebeldes proclamagoes de
presidentes intrusos que declaravAo de nen-
hum elfeito leis geraes do estado &c, &c. ,
nao pdem cerlamente deixar de ser pronun-
ciados aquelles que residentes nesta corte ,
apoiavo e oorrespondio aos referidos mevi-
mentos tramando e tentando directamente ,
e por factos em proldos mejmos. Por lin-
yera ser reconhecido como tal fra do conce-
lho ou circulo que fundar ou que fr enear-
regado de dirigir.
Arl. 8 Os circuios serAo solados e desco-
nhecidos uns dos outros e sem outro nexo
ire si que nao seja o concelho patriarchal ,
que dirige a todos invisivelmente e pelo nieio
indirecto de seus patriarchas.
Art. 9." O concelho patriarchal do Rio de
Janeiro ter o titulo de-concelho ptriarcha|
central porque delle partir a diivcgo prin-
cipal para os outros e por elle convergii
os trabalhos de todos como para um ecutro
nico.
CAPITULO III.
Das qualidades requeridas para entrar no con-
celho e dos direitos e deveres dos socios.
Art. 10. A causa do Brazil de lodos : to-
do o homem portanto ser admissivel tendo as
segointes qualidades : moralidade ntelli-
gencia forcad'alma, direccao sincero af-
feclo s instituiejes livres do Brazil e sua
independencia e capaeidade de sacrificar se
pela causa publica.
Art. ll. Seus direitos consistem na protec-
go que Ibes poder prestar a sociedade mr-
menle em apertos polticos eleices e do-
mandas.
Arl. 12 Seus deveres sao: guardar escru-
pulosamente sua promessa velando alenla-
mente na conducta do governo e na de seus
em pregados avisar de tudo ao seu concelho
ou crculo prestar sociedade o auxilio ou
servico que ella exigir e que estiver ao seu al-
to",Tobrigo as pro'res resultantes do presente canee, cumprir sem hesitar o que por ella
sumario ex-oficio das carearles e informarlo lhe fr ordenado e finalmente conservar o
symbolo na maior guarda e segredo
Art. 13. Se acontecer que falleca ou seja
[- excluido do algum circulo algum dos nella a-
liliados isto ser notabilidade e far haver
o seu symbolo, e entregando-o ao concelho
- patriarchal, e nao podendo porm obte-lo sem
fl. 85 II. 87 e fl. 95 e do mais dos autos
a priso e livramento ao conselheiro Anto-
nio Paulino Limpo de Abreu conego Geral
do Leite Bastos, Dr Francisco da Salles Tor
res Homem Joze Francisco Guimares
Tristo Ramos da Silva, Gabriel Getulio Mon
teiro de Mendonca e Elizeu de Azevedo notabilidade nao far caso delle e so parti-
Coulinho, comocomprehendidosnosartigos cipar ao concelho. o numero tal falleceu.
._ ... ,, ^ .-. .* k 1 i\...n.ln mM.Linn mnmKt'/i dn Or.
87 9i, 90 e 107 do cdigo criminal : o
escrvo os lance no rol dos culpados e expega
as ordens necessarias para captura dos mes-
mos. As referidas provas e mais dos autos
igualmente obrigo a priso e livramento ,
aos senadores Joze Bento Leite Ferreira do
Mello e Joze Martiniano de Alencar como
eomprehendidos nos indicados artigos-, suspen-
so, Jporem todo e qualquerprocedimento a
respeitodestes o escrivo tire traslado para
ser remetlido competentemente acamara dos
senhores senadores: fique outro traslado nes-
te juizo para o que for de misfer a bem de
quaesquer ulteriores diligencias ex-oflico ,
qnando tenha o presente processo de subir
para a cabega do termo. Rio de Janeiro ,
:7 de setembro de !8i2. Bernardo Augusto
scenles Azambuja.
Estatuios do Concelho da Sociedade -- Pa~
tiLuchan Invisiveis.
CAPITULO I.
Artigo I.* A sociedade dos Patriarchas In-
visiveis a reunio dos amigos da indepen-
dencia, liberdade constitucional, fela na for-
ma desta.
Arl. 2.* Os fins da sociedade sSo sustentar
e defender a independencia do Brazil e a cons
tituigo por ella jurada, pelos seguintes meios:
Art. 3." $ l.'efendendo todas asdoutri-
nas a isso conducentes.
$ 2." Ajudando ao corpo legislativo em todos
os seus Irabiilhos por palavras e escriplos.
3-* Censurando pela mesma maneira ,
os actos inconslilucionaes e arbitrarios do go-
verno e seus empregados oppondo Ibes re-
sistencia.
$ 4." Promovendo a unio enlre tpdos os
Braziieiros e aplanando quanto fr possi-
vel os obstculos ocorrentes.
CAPITULO II.
Art. A." Em cada urna das provincias do
Brazil em lugar que molhor convicr far-
se-ha congregar um numero de cidados bra-
ziieiros que nao seja menos de cinco nem
mais de dez com as qualidades marcadas no
capitulo 3." e todos os membr<>s desta socie-
dade por isso que tem de ser propagadores
de urna afiliago numerosa ; tomaro nome
de patriarchas e a sua reunio o de concelho
patriarchal.
Art. 5." Cada um destes concilios procu-
rar fundaren) todas as mais cidades e vi .las
da sua respectiva provincia onde fr neves-
sario e possivel urna ou mais reunioes, que
se chamar circuios patriare haes.
Art. 6." Cada um destes circuios ser de -
ignado por urna letra maiuscula do alphabe-
lo, c os seus membros por um numere acom
pandado de una letra maiuscula que indi
cara o seu circulo.
Art. 7.' Nenhum membro do concelho de-t
Art. 14. Quando qualquer membro do cir-
culo houver de se ausentar por longo lempo do
seu domicilio habitual, o far saber ao res-
pectivo circulo, declarando-lhe para onde.
Art. 15. Logo que se achar installado em
urna provincia o concelho patriarchal esto
encarregar a cada um de seus membros a for-
madlo de um dos circuios de que trata o arti-
go 4., capitulo 2." e delegar poderes pa-
ra o mesmo fim ( quanto s cidades e villas
remotas ) s pessoas de sua conlianga e que
reuno as qualidades do capitulo 3."
Ai t. 16. Quando o palriarcba fundador li-
ver encontrado sujeilos idneos para a forma-
go do circulo os participar sem os previ-
nir ao concelho patriarchal, dando a este por
escripto o nome, naturalidade e domicilio. .
Ait. 17. O concelho patriarchal, depois de
infoimado escrupulosamente das qualidades
dos propostos seus empregos o far saber
ao patriarcha fundador que os pode admitlir ;
e no caso em contrario responder simples-
mente que nao sao sdmissiveis.
Art. 18. Depois de formado o medio de um
circulo cada um dos nelle associados ter o
dircilo de promover rio vos adeptos; m s a ap-
provago que delles fizer o circulo tica depen-
dendo.da confirmago do concelho patriar-
chai, a cujoconhecimento ser a proposta le-
vada ptdti modo indicado no precedente ai ligo.
Art. 19. Quando o patriarcha fr solicitar
algum adepto para entrar na socieda usar da nomenclatura patriarchal. e smen-
te lhe dir o fim da sociedade que ella as-
saz numerosa em lodo o Brazil e or^anisada
do melhor modo para asseyurar sua existencia
sem compromeltimenlo de seus membros.
Ait. 20. Obtido o consenlimento do adep-
to, o patriarcha fundador ou director o par-
ticipar ao concelho patriarchal, e este lite
enviar o symbolo contendo o seu nome o o
distinctivo do circulo a que pertence.
Art. 21. Becebido o symbolo o proposto
ser recebido no circulo depois de prestar o
juramento seguinte : Juro e prometi p?-
rante Dos e todos os patriarchas invisiveis
sustenter e defender debaixo deste novo
lago social a independencia do Brazil 8
a constiluigo que elle tem jurado e quer,
cumprindo as obrigages que para csse hm
me sao impostas, o que desde j livremcn-
te aceito. E,outrosim, prometi guardar
da mesma sorte com inviolavel segredo,
tanto a existencia desta sociedade como
quanto por parto della me fr communica-
do assim Dos me ajude.
O presidente entregar o symbolo dizen-
d-lhe : Urna mo occulla e invisivel se in-
teressar por vos em todos os vossos trabi-
Ihose necessidades que frem dignos da at- ^
Ungao da sociedade 5 sede fiel ou Ufl* >
por isso que invisivel esta mesma mo
que vos quer proteger c fazer bem : esla


s.
sociedade cobre tolo o Brazil, e tendes por
irmos a todos os cidados honrados. De-
pois disto communicar o presidente verbal-
mente as instrucges que o devem guiar em
sua conducta.
CAPITULO IV.
Art. 22. Haver no concelho patriarchal
um presidente um vc-president< e um se.
crelario pleitos maioria de votos e seu
ex'Tcicio durar um anno.
0 presidenta ser o relator de tudo o que
houverde su tratar sendo, todava, livre aos
outros palriarchas recordar ou indicar o que
lhftS parecer jnsto.
Art. 23. Nos circuios patriarchaes o pre-
sidente ser o patriarcha fundador, ou aquel-
lo qu' o conce.o designar.
Art. 24. As deliberares terao lugar mai-
oria de votos symbolicos comprehendendo o
presidente som que haja actas dassessfles ,
mas smente apontamentos avulsos que a ne-
cessidade dictar os quaes sro tomados pe-
lo secretario e consumidos logo que a neces-
sidade cesse.
Art. 2o. Havor sesso ordinaria urna ver
cada semana sendo preciso e possivel no
dia e lugar marcado pelo presidente na sesso
anterior, e haver extraordinaria sempre que
tres membros o oequererem.
Art. 26 Haver para as despezas urna con-
tribuido fixa que cada concelho ou circulo
marcar segundo as circunstancias de seus
membros: e no caso de urgencia extraordina-
ria recorr-dr-se-ha liberalidade dos membros
docunci.lho ou circulo.
Art. 2?. Os circuios fundados pordclibe-
rac,ao do concelho patriarchal as cidades e
villas distantes do lugar em que elle tem as-
sento, sao dispensados de observar as forma-
lidades exigidas nos arts. 15, 16, 7, e 19, a
respeito da admisso dos socios : e cada circu-
lo alii constituido fica autorisado a gubdividir-
se e nomear novos socios sem dependencia
do referido concelho patriarchal ; sendo po-
irra as admisses approvadas por voto unani
me ; e p.ira isso o concelho patriarchal Ihe
enviar os symbolos que julgar bastantes ,
com os nmeros e letras e quando Ihe frem
pedidos, estes circuios enviarn aoconcelho
registros das suas dfiliago'S conforme o dis-
posto no artigo 6 do registro geral em cada
circulo.
Art. 28. Em cada um dos circuios patriar-
chaes haver um regalo geral dos afiliados de
todo i os circuios de sua dependencia con-
tendo os seus nomes pela ordem da admis-
so na sociedado empregos e domicilios.
Art. 29 Os concelhos patriarchaes deve-
ro corresponder-se tanto com o central como
entro si servindo-se de cifras ou letras sym-
pathicas que a sociedade adoptar.
( J. do Commercio. )
o proceguimento pelas ras de S. Joao, Quar
teis Bom Sucesso, Mangabeiras, estreita de
Smastio Lopes largo do Amparo ladeira
da Mizericordia Nova Mathias Ferrelra ,
Bom-fim Xavier Santa Roza da frente de
S. Francisco, do Carmo de S. Francisco ,
ptaia do mesrno nome. atierro do Varadouro,
n dos Arrombados. Olinda 15 de outubro de
1842.
O escrivSo
Joo Goncalves Rodrigues Franca.
=s O arsenal de guerra compra poroto de
morim quem o tiver apprezente-se com a
competente amostra na sala da directora -
manha s 10 horas do dia.
= Perante o concelho d'administracSo do
3. batalho de artilheria a p, se hade ven-
dar a quem mais der, urna pessa de gazemi-
ra encarnada : quem a pertender pode com-
parecer na secretaria do mesmo batalho na
fortaleza do Brum, s 1 1 horas do dia de hoje.
M. L. Maciel
1. tenente ajudante.
Jnior ra daCadeia, Vieira Cambista, Jo-j,
o Cardozo Aires Jnior Tora de portas, Bo-
urgard ra do Cabug. Joo Moreira Mar-
qus, ra Nova, Domingos Antnnes Villassa ,
,ua da Praia, Joze de Medeiros Aguiar, cinco
pontas, Manonl Ferreira Diniz, largo da B-a-
vista, Joz- da Silva Saraiva, e Victorino Fer-
reira de Carvalho.
PLANO.
Da l.* parte da 1.* nova lotera concedida a
favor das obras da greja matriz da Boa-
3,lS5&bilhetefla..... *6*000 50:000*
Beneficio de 12 p.
cento........6:000*000
Imposto de 8 por
cento......4:000*000
1,500 bilhetes
nteiros... 1,500
1,625 ditosmeos 3,250
AVISOS MARTIMOS.
tsr Para Philadelfia o brigue americano
= Seaman = recebe frete por prego commo-
do ; quem pretender dirija-se a caza dos con-
signatario L. G. Ferreira & Companhia.
3,128. Sello de
80 reis... 4,750
380*000 10:380*
LEILES.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Bfndimjnto do da 24 d'Outubro 8:680*368
descarregaO hoje 25 de outubro.
Escuna porluguiza = Liberal =sebolas, e
arcos. ^
Brigue Escuna Americano = Seaman = Fa-
rinha de trigo.
Barca dinamarquesa = Preciosa = fazendas ,
e botijas vazias.
Brigue brazileiro =T ntaco =azeite, alpis-
te, e chucula le.
Patacho hespanhol = Cassador = vinho alfa-
zoma e alhos.
= J. P. Adour & C. farao leilo por n-
tervengo do corrector Oliveira na terga feira
24 e na quarla 25 docorrente s9 para as
10 horas da manha no seu armazem ra da
u-uz dos seguintes arligos proprios do mer-
cado e por presos baixos visto venderem-
se par* saldo de contas a saber : lencos, cha-
les e meias de seda ditas de fio da escocia ,
veludos sarjas e oulras sedas lengos de
fil, bicos, miudezas, ferragens, chapeos de
sol papel pintado e dourado para forrar
sallas gapatos deduraque e setim para se-
nhoras, bolins para ditas marroquins, be-
zerros e muitos outros objectos.
= Johnston Pater & C/ farao leilo por in-
tervengo do corrector Oliveira de grande
variedadede fazendas inglezas de linho al-
godo e la proprias d'este mercado as
quaes se vendero para feichar contas : quinta
feira 27 do corrente s 10 horas da manh en
ponto, no seu armazem ra da Madre de
Dos.
\== Leilo que fazem Lenoir Puget <5 C. por
intervengao do corrector Oliveira de um gran-
de sortimenlo de fazendas francezas e suis-
sas como sojo, camhraias adamascadas e bor-
dadas lengos e chales de cassa e fil, cha-
las de seda sarjas e setins lizos grvalas
de setim bicos de linho, selins. um grande
sortimenlo de llores, lengos encarnados, fitas,
brins, cazemlras proprias para fashsnables,
e finalmente um grande surlimento de alcai-
des do qual se pode tirar grande partido, no-
tando que todas as fazendas se ho de entre
ar pelo prego mais elevado que se ofierecer :
quinta reir 27 do corrente s lO horas em pon-
tono seu armazem da ra da Cruz.
1
1
1
1
1
2
4
8
2
Liquido rs. 39:620*
premio......... 12 000*
6:000*
3:000*
1:000*
500*
400*
100*
400*
,......200*000
..... 100*000
..... 50*000
l. e ultimo
brancos... 112*000
m. 16*000
224*
15:696*
59:620*
H0V1MENT0 DO PORTO
NAVIOS S.VHIDOS NO DIA 23.
Maranhao ; brigue escuna brazileiro Laura
rap. Luiz Ferreira da Silva Santos ; carga
diversos gneros.
Ass ; brigue brazileiro Feliz Destino cap.
Manoel Pereira de S ; carga diversos ge-
nero*.
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 2i.
Liverpool 50 dias brigue inglez Stwarls ,
de 215 ton. cap. John Fisher tquip. 12,
carga carvao de pedra : a Deane Yowle &
Companhia. ______
AVI SOS DI VERSOS.
DECLARAgES.
Collectoria do municipio d'Olinda.
O collector do municipio d'Olinda faz cons-
tar a quem convier que o praso marcado
para a matricula dos escravos ultima-se no ul-
timo do corrente mez como j annunciou ,
e que findo este praso rcqueroi n aulhorida-
de competente para proceder na conformiHa-
de dos arlig<>s 23 t e 24 do ropulamenlo de II
d'abiil do corrente anno ; leudo de continuar
Offerece-se urna mulher de idade e de
bous costumes. pata ama de caza tanto d*
homem solleiro, conio lo familia j na ra do
Calden irn n. 6.
ty Aluga-se urna caza de dous andares ;
no aterro daBoa-Vista a tallar com Joaquim
de Oliveira e Souza.
tsy Aluga-se um mulecote para lodosos
arranjosde una caza, por saber cozinhar com
prar, e fazer todo o mais servigo quem per-
oizar dirija-se ra do Nogueira sobrado de
um andar D. 309.
tsr O Sr. Francisco da Costa que cala-
fate queira fazer o favor de hir ra das
Cruzas n. \\ que se Ihe dezeja fallar ou
annunciesua morada para ser procurado.
tsr Quem percizar de ulugar um preto que
sabe fazer cera dirija-se paJana a traz da
matriz da Boa-Vista: assim como se vende du-
zenlase tantas barricas vazias que forio de Ta-
ri n ha de trigo.
tsr Appareceo na propriedade Oouba um
escravo, que diz chamar-se Antonio, com
a falla bastante atrevessada diz ser de enge-
nho do serto e do Senhor Mar de Guer-
ra- quem for seu Senhor mande ao Seleiro
do'finado Joo Bizerra. quedando os signaes
cortos Ihe ser entregue advertindo-se que o
annunciante nao se r sponsaboliza pelo mes-
mo escravo cm cazo de fuga.
tsrOi bilhtes da lotera da Matriz da Boa
vista continua-se a vender nos lugares abai-
xo mencionados ra do Collegio, Joze Menezes
N. B. Este plano offerece vantagens reaes ,
e effectivas. Duas partes de bilhetes brancos,
jogfio contra urna premiada. O numero desses
bilhetes tambem se acha reduzido o que
aprezenta um outro dado em favor. Os dous
primeiros premios sao bastantes valliozos, e
constituem a fortuna do individuo a quem cou-
berem por sorte. S se pode notar, chegar a
mais o vallor numrico dos bilhetes porem
quem com 8*000 rs. se contenta com 6 contos,
sendo a entrada duppla, tem a proporgo exa-
cta nos 12, eento maisdeve saptistazer pe,
maior possibelidade d'acquizigo de premios a
por que em verdade metfio as vantagens ja
descriptas, e nSo he muito que o espirito d'as-
sociago to necessario ao Brazil, se veja des-
siminado entre todas as classes do povo, e as-
sim se facelitem as compras. Alm disso o be-
neficio vai ser applicado para a conbtrucgao
do templo mais magestozo da provincia, aonde
nuvens d'incenso, dedicadas ao supremo cre-
ador do Universo vo brevemente espargir-se.
Este incentivo derramado entre urna maga de
fiis, far, que elles com fervor concorro ef-
licazmente, para este to dezejado, quam jus-
to, e louvavel fim.
BT O Sr. que tratou de hlr trabalhar em
charutos na fabrica da ra do Aljubeem Olin-
da queira apparecer para dar principio ao
trabalho ; em a mesma perciza-se de mais um
official que trahalhe dezembaragado quem
quizer aparega na dita caza para tratar do a-
juste.
%ST Qupm annunciou querer comprar urna
caza terrea pequea em urna das prinoipaes
ras da Boa-Vista dirija-se ra da Gloria
D. 33 lado do norte.
tsr Perciza-se de um official depharmacia,
ou mesmo algum menino que tenha alguma
pratica ; na botica de Toaquim Jos Moreira ,
aterro da Boa-Vista D. 40.
lar Perciza-se de alugar urna preta para
vender na ra ; na Boa-vista ra da Gloria
D. 12. A
tsr Tendo-se annunciado para o da 7 ae
Novembro o andamento das rodas da lotera de
N. S. doGuad'lupe de Olinda nao pode ter
upar nesse dia vista do annuncio feito no
Diario n. 230 de 24 do corrente sobre a lote-
ra do theatro tanto por ser a maior parte
dos empregados desta os daquella, e o lugar
do andamento das rodas u mesmo, como por
melitaretn as mesmissimas circunstancias que
naquella do Theatro melito; pelo prezente
se faz publico que as rodas da mencionada lo-
tera deN.S. do Guad'l-ipe andar impre-
lerivelmentenodia 21 do indicado mez de No-
vembro p. futuro ; achio-se venda os bilhe-
tes nos lugares j annunriados.
Percra-se alugar urna preta para ser-' urna casa,
vigo" de um. laza de pouca familia sendo = Precia- alugar urna cas.
principalmente para comprar e cozinhar :
na ra de Santa Rita n. 88.
tsr Roga-se ao Sr. Luiz Cezar Pinlo de
Faria de aparecer na restllago d'agoarden-
te ra de Santa Rita, que se ihe dze)> fallar.
Precisa-se de um feitor que trabalha
do enchada ,. para um sitio perto da praga :
no principio do atterro dos Affosados em ca-
sa de Silvestre Joaquim do Nascimentr.
tsr Aluga-se urna canoa de conduzir agoa,
bastante grande e muito estanque : na ra
da Cadeia do Recife n. 45.
= Zimmer Rumm & Companhia fazem
sciente ao publico, que Domingos Joze Viei-
ra Guimares deixou de ser seu caixeiro des-
de o dia 20 do corrente Outubro.
= Precisa-si alugar um moleque, ou urna
negra para o servigo interno o externo de
imacasade pouca familia, prometle-se bom
tratamento ; annuncie ou dirija-se a ra
da Cadeia loja de chapeleiros n. 42.
tsr Arrenda-se um muito eorr. sitio no
ugar do Barbalhoh que fica bm defronte do
Monteiro he cercado de limo e tem bas-
tantes ps de larangeiras o outras diversas
fructeiras, e Ierras de plantagoes com boa
cacimba de agoa de beber, com sua boa caza,
pois tem quatro quarlos o Uuas salas cozi-
nha fora, e estribara para dois cavallos, e ura
grande tilheiro de recreio e muito perto do
rio Capibaribe, arrenda-se pelo tempo de fes-
ta ou mais tempo conforme os pretendentes
quizerem pelaquantia de 00* reis ; no at-
terro da Boa-Vista D. 9.
t^- Prerisa-se de um menino de 12 a 13
annos de idade que tenha alguma pratica de
vender ferragem e miudezas ; quem estiver
nestas circunstancias dirija-se a ra da Ca-
deia velha loja D. 30 ao p do arco da con-
ceico.
tsr Aluga-se um2.8 andar na ra do Amo-
rim do sobrado confronte ao de n. 13: tra-
tar no mesmo sobrado 1. andar.
tsr Quem precisar de um rapaz de idade do
15 16 annos qual sabe ler escrever o
contar perfeilamente, e j tem algumas luzes
de commercio he hbil para caixeiro de
[oja de fazenda, ou para cobrangs ou outra
qualquer arromagao excepto venda que dis-
to nao tem pratica alguma para esta praga ,
ou para fora della, o qual d fiador a sua con-
ducta ; quem do seu prestimo se quizer uti-
lizar annuncie sua morada, ou dirija-se a ra
estrellado Rozario n. 30 no 1. andar de-
fronte da botica.
lotera ua matriz da boa-vista.
= Tendo-se annunciado o andamento das
rodas da lotera do theatro para o dia 9 do fu-
turo mez de Novembro isto de urna forma
pozitiva tambem annunciamos ao respeita-
vel publico que a lotera da matriz deve cor-
rer no dia 24 do dito mez de Novembro.
tsr O."Secretario da Sociedade Panence,
aviza os snrs, socios da mesma para sesso
extraordinaria no dia 28 do correnle pelas 4
horas da tarde na caza do coslume.
cr Firmo Antonio de Figueiredo mudou
o seu labaratorio chmico da ra da Roda pa-
ra a da Florentina defronte do sobrado do
Sr. Eiras n. 38 onde continua a vender
ptimos licores agoa-arden te de anniz e do
reino e genebra tudo por mais commodo
prego possivel.
tsr Urna senhora de bons costnmes se
rrope a tomar changas com ama para se
criarem com leite impedidas e desimpe-
didas e tambem se recebem as que estive-
rem ja desmamadas para se ac harem de
criar com todo o mimo c amor: na ra do
Livramento n. 3 segundo andar com a en-
trada pelo Rangel. .
tsr A mulher que trouxe no da sexta rei-
r 21 do corrente um bico na ra das Trin-
cheiras para vender queira aparecer nadi-
ta casa parase effetuar o n-gocio.
tsr Arrendo-so duas moradas de casas
para se passar a festa ou por anno no sitio
do cajueiro a margem do rio Capibaribe :
tratar no mesmo sitio.
tsr Aluga-se urna morada do caza em
Olinda no pateo do Amparo para se pas-
sar a festa; com grandes commodos para
rande familia e por prego commodo : a
tratar na mesma Cidade na ra de Mathias
Ferreira n. 40.
tsr Aluga-se urna casa de sobrado na o-
ledade ; quem a pretender dirija-se a ra da
Cadeia do Recife n. 10.
tsr Lourengoda Costa Loureiro, raeslre
alfaite, precisa do officiaes do mesmo ofl-
cio que sojflo livres e sendo bons pagio-se
bem mais do que em outra qualquerp arte.
= No beco da Pol casa por cima de Fran-
cisco Maciel de Souza, no segundo andar ;
precisase de urna ama para todo o servigo de
terrea no
bairr'de S. Antonio para pequea familia ,
que nao exceda de oito mii reis mensal, a su-
jeitando o bom acoio algum concert quem
tiver dirija-se entrada da ra do Rangel
[loja de cera D. 3.


LOTERA DO THEATRO.
as A lotera do theatro nao tendo em lem-
po algum deixa.lo do eftectuar o andamento
da su*s rodas nosdias em que para isso lern
sido fixados pela primara vez e quiga a
nica tem de annunciar-se que as rodas
da 1. parlada 12." lotera nao podem ter an-
damento no da 25 do corrent Outubro corno
se havia declarado Visto ter sido diiiiculta la
a prompta extraegodos seus brinetes ja pe-
la falta do paga-".en lo dos premios da lotera
do Rosario que. continuo a ser retidos e
j por se ter anteposto a lotera da Matriz da
Boa-vista que nao podendo dar andamento
tambem as suas rodas retem em si capitaes ,
que a estarem desembarazados concorrerio
a dar extrago a lotera do theatro com a
inaior presteza* Nao obstante porem todas es-
tas considerages pelo presente se declara ,
que as rodas da mencionada do theatro anda-
rao infalivelmente no dia 9 do Novembro pr-
ximo futuro achando-se a venda os hilhctes.
que reslo nos seguinles lugares. No bairro
do Recife as lojas de cambio dos Srs. Vieira,
e na do Sr. Joo Cardozo Ayres Jnior ; e no
deS. Antonio as dos Srs. Joze de Mene-
zes ra do Crilegio Antonio de S. Leito,
na do Queimado n. 23 Guerra e Silva, ra
Nova e da Sra. Viuva de Burgos na praci-
nha do Livramento.
= O abaiioassignado tem a honra de par-
ticipar a todos os Srs. Reverendos oposito-
res a freguezias, que elle pretende abrir con-
ferencias demoral no dia terca feira 2o do cor-
rente qualquer porum que se quizer ins-
crerer o poder procurar no Convento de S.
Francisco a qualquer hora.
Fr. Joo de Capistrano Mendonga.
tsr Francisco Cordeiro Rapozo subdito
portuguez retira-se para o Rio de Janeiro,
tsr Aluga-se toda a casa n. i do atierro da
Boa-vista ou sem o primeiro andar ; as no-
vas da ra da Aurora ra da Soledade e
no sitio de S. Amaro ; dous sitios na ponte
de Ucboa a margem do rio em frente do de
Francisco Antonio de Oliveira com quem
se trata do prego ou com seu caixeiro Ma-
noel Joaquiro da Silva.
tsr Aluga-se para passara festa urna casa
com commodos para familia caiada e pinta-
da de novo na passagem da Magdalena en-
tre as duas pontea junto a venda : tra
tar na mesma venda.
tar Precisa-sa de urna ama forra parda ,
ou preta para o servido interno de urna ca-
sa de pequea familia : na ra Direita n. 58
primeiro andar.
tar Joo Alves de Souza retira-se para
Macei.
tsr Quem precisar de urna ama de leile
parida de primeira barriga, e sem filho di-
rija-se a ra Direita na quina do beco do se-
rigadon. 05.
tsr Quem quiser dar por alguma lempo
urna preta escrava para se a perfeigoar em
costuras da moda dirija-se a ra Nova nu-
mero 10.
tsr Quem precisar de um homem para
padaria tanto para forno com para massei-
ra dirija-se ao beco da Pol venda n. 10.
tar Para evitar equivacos a respailo do
annuncio inserido no Diario de 19 e 20 do
corrente cujas letras iniciaes sao J. J. S. .
declara-so que o sobre nome desle snr. he de
Santos.
COMPRAS.
Um cordo de bom ouro sem feitio ,
de oito a des oitavas : na ra do Vigariu ven
da da quina de Francisco Ferreira da Silva.
tsr Escravos de ambos os sexos para fora
da provincia, com tanto que representem boa
figura e sejo mocos na idade bem como
escravos de oflicio, sendo pedreiros e carpin-
teiros os quaes agradndose pagaro bem :
na ra da Cadeia do Recite n. 45.
tsr Urna arroba de ipecaconha preta e
urna dita de parrena : na ra do Queimado
n. 7 loja de Luiz Joze de Souza na mesma
loja aluga-se um preto para trabalhar ern pa-
daria do que tem niuita pratica.
t&~ Urna negrinha de angola ou creo-
la de 1-i a 18 annos que nao tenha vicios,
nem achaques e entenda de algum servido
de casa : na ra do Colegio sobrado n. -4.
tsr Kffeclivamentel para fora da provincia
mulatinhas crelas o mais escravos de 13 a
20 annos pago se bem agradando : na ra
do Livramento D. 5 com a entrada pelo Ran-
gel das 9 horas as 4 da tarde.
VENDAS.
tarr 9o toros de angico da boa grossura ,
sendo a maior parte pegados em dous que
pnIo comprimento se pode tirar qualquer
obra: na ra Nova n. 32,
tsr Urna canoa usada, da amarello que
carreja 900 lijlos a qual precisa de conser-
to que est principiado para voy no estalei-
ro do Luna nos Aflojados e para o ajuste
na ra da Livramento loja n. 10.
tsr 25 enchamis e 25 traveis, madera
de mangue : na ra do Livramenlo loja nu-
mero 10.
ssr Manteiga ingleza muito boa a 640 e
720, d.ta franc;zaa 480, dita de porco a
440, passas muito novas a 280 uvas a 480,
liios a I60,queijos o melhor possivel a 1280,
batatas a 50 rs. ovada a 100 rs. tapioca
a 140, espermacete de 5, e6 em libra a 700,
Ietriaa240, nncarro a 200 rs. : na ra
das Larangeiras venda n. 46.
t^r Estojos de navalhas de superior quali-
dade e elegante gosto de cabo da marfm ,
sendo lalvez as melliores que fenha apirea-
do por nao se fazer preciso levar ao rebolo ,
por ter excellente corle : na prag.i da Inde-
pendencia n. 5.
ssr Um bonito mulato para pagera de
16 a 18 annos sabe bolear, cozinhar, etem
principios de sapateiro na ra da Cadeia do
Recife loja n. 20. ^
tsr Barricas com familia SSSF : na pren-
sa do forte do Mallos a tratar com Fran-
cisco Alves da Cunta, na ra estreita do Ro-
zario N. 13.
ssr Urna barcaca prompta com todos os
seus pertences de lote de 8 caixas e mais
arrumaco : em fora de portas na penltima
casa junto ae Pilar a fallar com Antonio Joa-
qun) dos Santos.
tsr Urna canoa grande de conduzir agoa ,
anda nova: na ra do Cabug loja de miu-
dezas n. 5.
tsr Superior caf moido dito de sevada
tambem moida por prego muito commoJo :
na ra Direita na relinaco n. 40.
tar* Caixas com chapeos de Braga saccas
com arroz do vapor e da fabrica latas com
as verdadeiras pilulas da familia, balaios,
condegas, pegas de galoes de palhla bichas
Mamburguezas, duas bancas de Jacaranda
para jogo e outros muitos gneros por pre-
go commodo: na ra estrella do Rozario nu-
mero 13.
tsr Urna venda com os fundos de 500 a
600i rs, e querendo o comprador tira-se os
effeitosquo nao quiser por o vendedor ter
nutra venda aonde bote os cffeilos : na ra
da Senzala velha defronte do beco do Campe-
lo paredee meia eo barbeiro.
y Urna escrava de nago de 24 annos.
engomma bem liso e cozinha o ordinario
de urna casa lava tanto de sabo como de
varrella : na ru Direita n. 43.
tsr Urna morada de casa terrea em boa
ra, Com pequenu quintal murado; e porlo
1 sitio em S. Amaro junto a Igreja, com casa
de pedra e cal e um famoso viveiro de pei-
xes : na ra do Livramento n. 25 primeiro
andar.
^ey Um Diccionario Magnum Lexicum ,
urna Prosodia Obras le Orago Selecta, e
Ouvidio por prego commodo : na ra Nova
defronte da Conceigao n. 42.
tsr Urna lapinha para o prez^pio do Me-
nino Jess com todos os ornatos que sao
precisos para a sua maior elegancia : na ra
Direita casa do artista Gcminianno Hilario de
Oliveira e Mello.
tar- Oleo de Inhaca a 2*!00ogalo em
botijoa 300 rs. a libra passas novas a 240,
letriaa 280 espermacete a 680 queijos fla-
mengos novosa 1*200 tabaco simonte em
latas de libra a 520 e sem lata a 280 tou-
cnlio de Liaboa a 20 a libra e de Santos a
160 e 200 rs. carne dos mesmos a 60 rs. ,
alpista a 400 rs. o quarteiro caf a 160 ,
sevada a 100 rs. tapioca a 120. graxa a
140 vinhos de Lisboa orlo, c Figueira ,
e mais gneros ludo por prego commodo :
no largo do Tergo n. 7.
tsr Um mulato de 18 annos, bonita fi-
gura ptimo para pagem : na camboa do
Carino n. 19 segundo andar.
tsr Urna casa terrea de lijlo e cal cita
em o atierro dos Affogados defronte da em
que mora Antonio Luiz de Freitas a qual
lem a frente para o nascenle com a largu-
ra de 30 palmos e >2 de fundo cozinha fo-
ra quintal murado de90 palmos, cacimba
&c. : tratar em o deposito de agoa e pa-
daria junto ao theatro ; a referida casa he fo-
reira.
tsr Um prcto da costa ganhador de ra :
na quina do Livramento por cima da loja
do Bastos.
tsr Urna rotula em br.m estado, e duas
janelas urna rebeca boa ludo por menos
do que justamente vale: na ra da Gloria
casa da refinago.
w Charutos da Hivina: na ra do Cres-
po n. 17 loja de fazendas de Joze dos Santos
Neves.
%ar Uns escravos de ambos os sexos, pro-
pros para o sarvigo de Campo : tratar com
Joo Das Barboza Macoud, na repartigu
do Corr.Mj.
tsr Urna boa negra cozinha lava f-
com alguns principios de do uiira : ua ni.i da
Cadeia do Recife n 5 ; assim com > um bom
cavallo gordo bom passeiro o muito bem
armado proprio para menino por ser pe-
queo.
*sssr Maquinas de vapor com suas moendas
de differentes tamanhos e pregos um grande
sortiment de moendas para animaese para
agoa de bem conhecida frabica de low moor
laxas de ferro balido e fundido de quatro pal-
mos at 10 de boca formas de ferro para pur-
ga? assucar de tamanho e feitio em uso as
provincias do sul, um* prenga hidrulica que
pode servir para embarricar assucar com mui-
ta promptidocomo j se esperementou; esta,
e as maquinas de vapor os vendedores encum-
bem-se de mandar assentar por um mecanis-
ta hbil: em caza de Fox & Stodart, na ra
da S-nzalla nova n. 4.
tsr Urna preta de 20 anuos, sem defei-
to algum a melhor figura que se pode dar ,
perita engommadeira e faz o mais servigo
de urna casa 3 ditas com boas habilidades ,
e boas vendedeiras urna dita por 300ji rs. ,
cozinha ava e vende na ra ; um preto
de meia idade por 250* rs. muito forte pa-
ra todu o trabalno : na ra de Agoas verdes
numero 44.
isr A dinheiro ou a troco de lijlos urna
canoa nova bom construida, propria para
familia ou para conduego decapim -, assim
como aluga-se outra de 600 lijlos : na ra
da Praia n. 55 a fallar com Joo Evangelista
de Mello.
tsr Um escravo mogo de boniU figura ,
bomcanoeiro, e ptimo serrador, e tem
habilidades para todo e qualquer servigo ,
vende-se por circunstancias que se diro ao
comprador : na'rua da Praia n. 55.
v>^ Urna bonita escrava moga de 20 an-
nos sabendo perfeitamonte engommar, co-
zinhar e coser para fora da provincia urna
dita ; duas negrinhas de 13 a 14 anuos ; uni
lindo moleque de M annos bom pagem ,
e sem vicio algum ; urna mulatinha de 12
annos ; urna preta de boa figura engomma-
deira ecozinheira ; edous pretos mogos ,
sendo m canoeiro : na ruado Fogo ao p
do Rozario n.S.
tsr Bixas pretas chegadas prximamente
de Hamburgo ptimos queijos do certo ,
sag amendoas molares de superior quali-
dade ; e legitimo vinho feitoria : no atierro
da Boa vista n. 19 junto ao beco do Fereiro.
tsr Lindos cortes de vestidos de lanzinba
de modernos padres chales de l de excel-
entes padrOes, meias pretas prefer veis as de
seda parasenhora ditas tambem pretas pa-
ra homem muito linas, panos pretos e
de outra? cores setins camhraias sarjas,
brins trangados brancos escuros lengos
de seda para algibeira meias de escocia mui-
to linas para senhora, alem destas outras mu
tas fazendas de gosto e por barato prego na
ra do Crespo loja n. 23 segunda vindo da
ra do Queimado.
tsr Rape' de Lisboa de superior qualida-
de por commodo prego em libras e oita-
vas a 40 rs. ; meias sacas de farinha da Mii-
ribeca de superior qualidade por menos
prego do que ja se lem rendido : na ra do
Collegio loja n. 4 do Menezes.
tsr S ra de carnauba em grandes e pe-
queas porgoes muito al /a, e de boa quali-
dade sendo o menos 7 rs. a arroba ; e fu-
mo em folha de boa qualidade para charutos :
na travessa do Rosaiio loja de sera n. 3.
tsr 200 pedras de dous palmos em quadro,
muito lizas, ecom as quinas todas vivas,
a prego de \t cada, una ; dirija-se em caza
de Joze Gonsalves Ferreira Costa na ra da
Aurora em Santo Amaro ou no Recife na lo-
ja de Joaquim Gons-lves Casco onde est
urna para amostra.
tsr Na loja do Bom Barateiro de Guer-
ra Silva & Companhia na ra Nova n. 11 ,
acha se a venda purgantes e vomitorios do
verdadeiro Le Roy,, chegado ltimamente
de Franga na Barca Cecilia.
tsr Urna porgao de praia fina sendo urna
duzia de lacas una dita de garfos urna
parelha de trinxar, e outras obras : em
Olinda ra do Balde n. 24.
e bjnet inglez ; roga-se a qualqnor authorida .
de ou capilo de campo o obsequio que delle
ti ver noticia de o pegar e levar no Trapicim
novo ou em Santo Amaro em caza de Fran-
isco Agusto da Costa Guimaijs qui sera
bem recompensado.
ISf" Fugio no lia 23 do corrente um preto
de nome Jacinlho nago, quigam de idade
pouco mais ou menos le 18 a 20 anuos tem
birba alto, com os dous den tea da frente do
cima limados levou vestido caiga e Carniza de
algodoentrangado ; quem o pegar leve-o na
venda de Diogo Rodrigues em fora de portas
quesera generozamenle recompensado.
tarManoe! de nago cabund, alto, feio do
rosto cara comprida, cosluma embebedar-so
falla mal e muito devagar he canoeiro cos-
tuma atterrar vivoiros e tendo tambem an-
dado com um mscate pelo mallo, pode muito
bam por l estar. Antonio da costa muito
alto o magro olhos vermelhos meio ves-
gos he embarcadisso por isso talvez an le
embarcado ; quem os pegar bve-os na
ra do Vigario n. 7 que tara por cada um
50,11 sendo pegados nosta provincia e em
qualquer outra do imperio 100,?.
tsr Em fins de Sdterabro p. p. fugiro do
ongenho Varzea Grande em Serinhaem, dous
escravos com os signaes seguinles : um negro
crelo fula de nome Felis, de 25 annos de
idade estatura ordinaria cantos na cabega ,
muito pouca barba, e meio espadua lo. Lui-
za sua mulher parda cor de laranja lera
16 annos de idde espigada docorpo ca-
bello pichaim com bastantes sardas no ros-
to e um lobinho as costas de urna das
raaos ; quem os pegar leve-os o sohredito en-
genho ou na ra da Cadeia do Recife lo-
ja de fazendas n. 41.
tsr No dia 21 do corrente fugio urna ne-
grinha de nago BangUrfla por nome Joanna,
le idade de 14 a 15 annos pouco mais ou me-
nos sahio com vestido de ebria roxa no cor-
po ecom um taboleiro vazio quebia com-
prar vendas que tem de costume vender laran-
jas ; roga-so a quem a pegar leve na ra do
Livramento n. 5, ou em Santa Anna em um
sitio que fica confronte ao do sr. Nicclu, que
ser recompensado.
w Fugio no dia 22 do corrente um mo-
leque crelo de nome Benedicto, de idade de
10 annos cara feia e picada de boxigas,
com os dedos dos ps carcomidos de bichos ,
cujo moleque veio para o poder do annuncian-
to no dia 21 do corrente, por o haver recebido
da senhora l). Anna Maria da Conceigo, viu-
va do fallecido Custodio Moreira dos Santos,
e hoja azada com o sr. Ignacio Francisco Ou-
trai, moradores na ra do Jardim por isso
muito de supor que ande por ali; as pessoas
que o pegarem podem leva-lo na ra do Cres-
po loja de Manoel Gomes Veigas na esquina
que sero recompensados.
tsr Fugio no mez deJunho de 1838 um
preto de nome Manoel, do gentio de Angola ,
com os signaes seguinles : baixo cheio do
corpo um tanto fula semblante triste fala
descangada muito cabelludo por todo o cor-
po barba serrada bem ladino he cozinhei-
ro e alfaiate o qual se supOa ter hido para o
certo ou embarcado para fora da provincia ;
no dia 8 de Dezembro de 1840 fugio outro
de nome Francisco anida alguma cnuza em-
harrag.do na falla, he de Angola de estatu-
ra alta alguma couza cheio do corpo rosto
comprido denles aborto* na frente, tem urna
marca de A no peitodireilo quando anda
he com a cabega levantada e abre os ps pa-
ra os lados decujos escravos se pede a apre-
henso delles a todas as minoridades poli-
ciaes, e mesmo capiles de campo e mais pes-
soas particulares os fago conduzir para es-
ta praga de Pernambuco a cnlregar ao Snr.
Joaquim Pereira de Mendonga morador na
ra da Praia sobrado de dous andares D. 38 ,
onde pagar lodas as desposas as-sim como
alem disto promele-se mais urna gratificago
de lOO* por cada um.
ESCRAVOS FGIDOS.
tsr No dia 4 fugio um preto por nome
Gongalo alto bonita figura levou caiga
de ganga azul, carniza de aigodo trancado ,
Erratas mais nolaveis do communicado as-
signado porSimpresso no diario do 24 do
corrente pagina segunda.
Columna primeira linha 39 um daquel-
les em lugar de alm daquelles.
Col. segunda linh. 31do que temos dado
em lugar de da que temos dado.
Col. quarta linh. 53 juramentos militares
em lugar de puramente militares.
Linh. 90 lembramo-slhes em lugar de
lembramos-lhe.
Linh. antepenltima nefaceris em lugar de
nefeceris.
RECIFE NA TYP DE M. F. DE F. =1842.
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWE8MR1VZ_WY6PUA INGEST_TIME 2013-04-13T01:54:38Z PACKAGE AA00011611_04804
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES