Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04790


This item is only available as the following downloads:


Full Text
- i
Anno de 1842.
Sabbado 8
Tai Ror* depende de ni mesmoi ; da aoaa prudencia atoderacSo eenerga : coa-
liaaeaioa cobo principame e teremat apuntado, com arimiraco entre t Nacee anaia
tulua. (Proclamaco daAaaeabla Geral do iraiil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Coianna, Paraiba e Riogrande do Norte, aegandaa a icxtai feiraa.
Bonito s Garankuns u 40 e 24-
Cabo Sarinhaem Rio Formozo Porto Cairo, Micei e Alagoai ao 4. 41,
Boa-viil e Florea 43 e 58. Santo An;io quinta, feiraa. Olinda lodoe oa diai.
DAS DA SEMANA.
3 Se, i. Candido M. And. d J. de da 2. t.
4 l'ere. Francisco de Ais Pa riarcha. Re. And. do J. de D. da 4. v.
f> Qjait. Placido e icos com Mm. And. do J. de D. da 3. v.
?5 Quint. a. Hruno Fundador. And. do juit de I), da 2. T.
7 Sext. Mareos P. And. do J. 4* D. da 4; ?.
H Sah. Bri;ida Princera Viu. Re. Aud. do J. da D. da 3. T.
4> Don. O Patrocinio da S. Joie
de Oatubro. Anno XVIII. N. 217
dirigid
Numero 37 e 38.
Santificado! : o prec<> ,1, aeaignatara bt>
assignantea a.io inundo
reclanacci devea aer
mdencia luja de Iivrua
CAMBIOS no da 7 de oitibro. compra venda.
Cambio tabre Londraa 25 \ a 20 Nominal.
Paria 375 re, p. franco.
.. Lieboa 406 por 400 unminal.
Moeda de cobre 3 por 400 de deaconto.
Ideaa de letraa de boa Grasas 4 { a {.
Odio-Moeda da 6,400 V. 45,500
. N. 45.30J
da 4,000
PliTi Patacoee
a PetoeColuanaree
dito Meiicanoa
a auda
8,500
4,7fit)
4,7iW
4,7fi0
4,(140
46,700
IS.6M
8 700
4.7HU
4,780
4.6S0
Preamar dn dia S de Onubro
4. "a 8 bora* a 30 m. da aianka".
2. a 8 horas r 54 ai. da tarde.
Laa Nora
Quart. i-reac.
La obaia
Quart. ating.
PHASRS DA I.UA NO MEZ UEOl'TTJUUO.
1 4-- il 4 horas e 6 >. da manh
a 41 aa 4 httrae a 22 m. da manh.
a 49 4a 8 burea a 53 ia. da manh.
a 26 -- 40 horas a 23 ai. da tard.
S9
DIA RIO DE PERNANRU
EXTERIOR.
PER' E BOLIVIA.
TRATADOS PRELIMINARES DE PAZ E AMIZADE EN-
TRE AS REPBLICAS DO PERL' E DA BOLIVIA.
Aceita pflos governos do P.er e da Bolivia
a generosa mediago que para por termo
guerra que desgraciadamente as afligia of-
lereceu em nome do governo do Chile o
Sr. D. Ventura Lava'ile seu ministro ple-
nipotenciario junto dos ditos governos, au-
torisado para esse effeito com o carcter de
ministro mediador, nomearo aquelles os
seus minicdros plenipotenciarios a saber : o
Exm. Sr. O. Manoel Mendos, presidente do
conselho de estado encarregado do poucrexecu-
tivo da Rep-jblica peruana, aoSnr. D. Fran-
cisco Xavier Mariatgui, vogaldo Exm. tribu-
nal sup re mo de justicia; e o Esm. concelho do
goven.io encarregado do poder oxeculivo da
repu'jl'.ca de Bolivia, ao Sr. D. Hilarin Fer-
nn dez seu ministro de estado no despacho
da fazonda osquaes, reunidos com o Snr.
i Ministro mediador, procederao ao reconheci-
mento e troca de seus respectivos plenos po-
deres e tendo-os achado em boa e devida
forma convierto nos artigos seguintes :
Art. 1. As repblicas do Per e da Boli-
via protesto-se paz e amizade inalteravel. es-
quecendo para sempre os motivos que as o-
ibrigaro a tomar as armas
Art. 2. Para aangar s partes contactan-
tes de urna maneira solida e estavel a paz
que restabelecem cedem reciprocamente de
quaesquer direilos que posso ter a indemni-
sagOes pelos males que se tem feito renun-
ciando as duas a toda a classa de reclama-
res por despezas das ditas guerras sem
que Per nem a Bolivia so posso jamis fa-
ze'r cargo algum pecuniario pelas ditas cau-
sas.
Art. 3 Com igual im reconhecem as duas
partes contractantes o principio da liberdade
e perfeito direito que cada urna dellas tem
para regular suas leis fiscaes e relances de
commercio como melhor convenha aos seus
interesses ; este mesmo principio servir de
base quando queiro formar um tratado de
commercio.
Art. -i. Os governos do Per e da Bolivia
IF@LHIT0
OCONDE L U Z Z A N I (*)
Passdos seis mozos os dous esposos ti-
nho voltado a Marcelha. A'auzencia he
sempre muito contraria aos favoritos : assim,
o rei de iples recebeo com a maior ndifle
renga o conde Luzzani que se lizongeava de
possuir a sua amisade ; o tcndo a ouzadia
de se queixar com demasiada franqueza vie-
se repellido do pago e obrigado a sahir de
aples antes do que pretenda.
Alice vivia em Marselha com toda a osten-
tado do luxo que as riquesas de seu marido
permiltio; porem nao era feliz. Alem da
morte recente de sua mi outras causas do
amargos desgostos a nao deixavo appreciar
todas as commodidades quo a cercavo.
Ella esta va, um dia sentada no seu quar-
to com um livro diante de si aberto ; mas
nao lia. A imagiriago da bella dama se oc-
cupava de tempos que ja nao existiao quan-
do um criadolhe entregou urna carta. Ali-
ce licou recelosa quando conheceo a letra de
( ) Vid. Diario N. 211.
poem em completo esquecimento os compro-
missos que tenhao contrahido os subditos de
ambas as nages durante a oceupagio ds
respectivos territorios.
Art. 5. Batificado que seja o presente
tratado ficaro em plena berdade os pri-
sioneros paradisporem de si orno melhor
Ihes convier devendo os individuos milita-
res apresentar-se ao chefe que for commis-
sionado para esse lim.
Art. 0. 0 governo de Bolivia retirar o
seu excrcito do territorio peuano oilo dias
depois da troca deste tratado.
Art. 7. Qualquer das partes que infringir
algum 'ios artigos ou clausulas do presente
tratado Picar obrigada a pagar as despesas
da guerra que occasionar com a violaco.
Art. 8. A troca das ratifioac/ies deste tra-
tado se verificar trinta e cinco dias depois da
sua dala ou antes s<- for possivel por in-
termedio do Sr. ministro mediador.
Puno 7dejunhodel842.
Em f do que nos abaixo assignados, mi-
nistro mediador da repblica do Chile e mi-
nistros plenipotenciarios das partes contrac-
tantes, firmamos o presente tractadode paz
e de amisade referendado pelos nossos secre-
tarios e sellado com os nossos respectivos
sellos na cidade de Puno aos sette dias
do mez de junhodo anno do Serihor de 1842.
Ventura Lavalle ministro mediador.
F. J. Mariatgui ministro peruano. Hi-
larin Fernandez ministro boliviano.Ma-
nuel Bomero secretario da legagSo chilena.
Joze Seguin secretario da logagao perua-
na.Manoel Buytargo secretario da lega-
gao boliviana.
REPBLICA ARGENTINA.
Bl'ENOS-VYHES 22 DE AGOSTO DE l8i2.
Viva a Federago!
Temos a maior satisfagSo em annunciar
que sabbado 19 do corrente s 2 horas da
tarde foi recebido e reconhecido por S. Ex.
o nosso filustre restaurador das leis no seu
palacio o Exm. Sr. ministro plenipotencia-
rio de S. M. o rei dos Francezes junto do go-
verno encarregado das relaces exteriores da
Conlederacao Argentina conde Alexandrc
deLurde, commendador da real ordein da
sua cunhada com quem nao se correspon-
da a muito.
Huma carta de Giulia nao pode annun-
ciar-me cousa boa disse ella rompendo o
sobrescripto.
Noseenganou. Apenas ebegou ao meio
da certa urna pallidez mortal lhe cobrio o
semblante, equasi que perdeo os sentidos.
Mas superando aquella fraqueza mandou
apromptar a carruagem e correo casa de
Delmas 5 porem all lhe dissero que elle
tinha sahido pela manha e que Giulia tam-
ben, nao eslava em casa. Alice (icou perple-
xa ; mas finalmente resolveo procura-lo
na quinta do Deserto grande propriedade
que elle tinha comprado pouco depois do
seocazamenlo.
Delmas eslava s quando a senhora Luz-
zani entrou ; e, apenas a conheceo recuou
dous passos, com semblante melanclico ;
porem logo arrependido, foi recebe-la ,
com civilidade e aconduzio a um sof. El-
la sentuu-se ; porem elle icou em p e
rom os olhos baixos, sem dizer urna pa-
larra.
. Senlior lhe disse a condessa a vista
do perigo que ameaga meu marido sem at-
tender ao que de improprio tem este passo ,
venho pedir-lhe os papis que o |>odem aecu-
sar e se achoem seo poder. Terei de vol-
tar com o desguato de me nao conceder este
favor ?
Lej'iaode Honra e da ordein da Torre e Es-
pada de Portugal condecorada com a impe-
rial orden de Nichan-YItiliar. em diamantes,
e com outras distinctas dignidades.
As 2 horas menos lo minutos foi em
pessoa o Sr. ministro das relaces exterio-
res no coche de S. Ex com a escolta deste ,
acompanludo do Sr. General primeiro nju-
dante de campo conduiir o Exm. Sr mi-
nistro de S M. o rei dos Francezes de sua
casa do Exm. Sr. governador. Na porta,
urna companliia de granadeiros com msica
e bandeira e na fortaleza urna salva de 21
tiros, fizero as honras que competio a S. Ex.
Quando terminou este nteressanle e solem-
ne acto, regressou o Exm. Sr. ministro para
a sua residencia com o mesrao acompanha-
mento com que havia sahido delta c recebeu
as mesmas honras.
O Exm. Sr. ministro conde de Lurde, ao
pomas maos de S. Ex. a credencial de seu
augusto soberano pronunciou o interessante
discurso que temos a grata satisfaco de publi-
car >m a resposta do Exm Sr governador
nosso Ilustre restaurador das leis.
As dislinctas qualidades que adorno a S
Ex. o Sr. conde de Lurde, seus talentos ,
capacidade diplomtica e a alta e justa con-
sideraco de que goza garantem o melhor
xito na sua importante misso. Temos a
persuaso de que sua residenia neste paz
contriUuir. para se estreitarem as boas e ami-
gaveis relaces que felizmente existen, entre
ambos os governos. Desejamos a to honrado
diplmala a melhor saude e felicidades.
Lu/. Philippe, re dos Francezes, ao go-
vernador e capUo general da provincia de
Buenos-Avres, encarregado das relaces exte-
riores da Confederacao Argentina saude
Sendo o nosso intimo e vivo desejo o de en
treter e estrellar cada vez mais os vnculos de
boa harmona que to felizmente subsistem
entre a Franca e a Confederacao Argentina,
nao podemos deixar paramis larde enviar
um ministro que junto de vos d compri-
mento s nossas ntences a este respeito.
Em consequencia elegemos o conde Ala-
xandre de Lurde commendador da nossa
real ordem da Legio de Honra e da ordem
da Torre e Espada de Portugal condecorado
com a imperial ordem de Nichan, Yftihar, em
diamantes, ele. etc. etc., eonomemos
nosso ministro plenipotencia rio junto da Con-
federado Argentina.
O especial conhecimento quo temos do seu
talento, de suas qualidades pessoaes e da sua (
leadade no nosso sorvigo nos faz crer que
elle nada omittir no exercicio das honrosas
funcgOes que llieencarreg-mos, para lhe con-
ciliar a nossa estima e conlianca e merecer
por ella a nossa approvagao.
E'nesta conviego que vos supplicamos a-
colhais avoravelmente o nosso ministro, o
deis um intuiro crdito a ludo quanlo elle vos
manifestar por nossa- parte e principalmente
quando vos exprimir a seguranga da nossa
sincera estima e perfeita amizade. Por es-
te motivo rogamos a Dos que vos tenha em
sua santa guarda.
Escripia no nosso palacio de Neuilly aos
vinte e um dias do mez de maio do anno do
Senlior mil oitocentos e quarenta e dous.
(L. do S.) Vosso bom amigo Luiz Philip-
pe. Guiot.
Senlior governador. El-rei nomeando um
ministro plenipotenciario junto da Confede-
rago Argentina quiz dar a V. Ex. um tes-
temunho de benevolencia e de confianga no

seu governo.
Tenho a honra de a prese rilar-vos as cre-
d-mciaes de S. M. o rei dos Francezes que mo
acredilo neste carcter.
Considerar-me-hei feliz de poder contribuir
para tornar mais intimas e cada vez mais a-
migaves as relages que j existen, entre oa
dous paizes.
Este empenho me ser fcil ; esou de an-
temo convencido disto e cumprindo-o Sr.
governador julgo quo terei satisfeito as in-
tenguesdo rei.
Sr. ministro.No alto carcter com que
S. M. se dignoii nompar a V. Ex. junto do
governo da confederago vejo com intimo
prazer um novo testemunho da elevada polti-
ca de S. M. e da sua fina e cordial benevo-
lencia.
O governo argentino nao perder occasio
alguma de provar a S. M. a sua constante dis-
posigo, seus vivos desejos de eslreitar os vn-
culos de reciproca amizade e perfeita intelli-
gencia que felizmente restaboleceu a conven-
go de outubro.
V. Ex. ser urna testemunha fiel desses de-
sejos e dos sinceros votos que ella faz pela
__ No me pessa impossiveis senhora ,
disse elle com visivel perturbagao : os seus
papis nao existen, no meu poder e as con-
sequencias da conspiragao em que elle entrou
contra o rei Joaquim sao taes que me nao
resta meio algum de o salvar.
Eu sei que os papis do conde lhe fo-
ro entregues disse Alice.
_ J os nao tenho replicou Delmas.
Isso he vinganga exclamou a condes-
sa desesperada ou mais propriamente ,
urna traigo!
- Nao sou eu o traidor, disse Delmas
seiilando-se : antes de me julgar be necesa-
rio ouvir-me. Creio que nao lera esquecido
totalmente a poca fatal que to desastrosa-
mente perturbou o nosso destino ... e eu ha-
va prevenido por tal forma todos os acciden-
tes os raeus brigues io to bem armados,
que'a peda enorme resultante do aprisiona-
mento dos meus navios, s poda ser occasio-
nada por hum traidor interessado na minha
total ruina .. Esse traidor foi o conde Luz-
zani. Inspirado pela cega paixo que a senho-
ra lhe inspirou incapaz de regeilar qualquer
meio por muito infame que fosse de satis-
fazer a sua inclinaco avsou secretamente os
nimigos e entregou-lbes assim os meus na-
vios com o lira nico de impedir o nosso ca-
samento : e para absolutamente o eslorvar,
travou amisade comiso insiuuou-sc destr-
mente na minha conhanca 5 e quando me
vio disposto u dar-lhe inteiro crdito pro-
poz-meo casamento de sua irm, moca rica
e bella .... Emfim senhora eu consent ,
na certeza de me nao ficar outro recurso para
restabelecer o meu crdito inteiramente per-
dido .....
- Nao posso arredilar de leve senlior ,
quando se ataca assim a honra de meu mari-
do ....
- Eis-aqui a piova senhora respondeo
Delmas npresenlaudo-lhe hum panel com le-
tra do conde ; he o aviso que elle remetleo
em seguirda va ao commandante ingle/ da
fragata que tomou os meus navios.
- He crueldade respondeo depois de o
ler a condessa querer desta sorte obligar-
me a desprezar meu marido quando a des-
ventura o persegue !
- O hotiiem que assim perturbou a minha
felicidade nao be to infeliz quanto merece !
- Se o senlior nao quizesse quem poda
violntalo ? a ruina dos bens nao has-
tava ....
- Seu pai nao havia consentir e alem
dsso s quem passa por trances semelharttes
pode avahar a perlurhaco que ellescausio....
Emfim senhora, be indubitavel que a nao
existir o conde Luzzani eu seria perfeia-
menle venturoso e que os bens 4e sua irm
uo me indemnisiro da perda que elle me
'causou.
Porem eu que fui victima innocente da
, .1



'B1
I'
I
I


ventura de S. M. o re d )s Francezes real
familia e prosperidade da Franca.
Congratulo a V. Ex. pela distincta confi-
anga que moreceu de S. M. quando encarrc-
gou sabedoria e prudencia de V. Ex. esta
honrosa missfto; felicito-me desde j, Sr. mi-
nistro pelos importantes resultados que es-
pero da elevaco de sen ti mantos com que a
Ilustrada capacdade de V. Ex. saber digna-
mente desempenha-la:
( Gaceta Mercantil. )
MONTEVIDEO 2 de sotembro.
O coronel Penalosa que passra do Chile
a llioja e se apoderara desta provincia e da
deCatamarca derrotou no dia lude ju-
Iho, ao governador Tucumam Cutierres, a-
poderando-se desta cidade mas no dia 18 foi
dispersado pelas Torcas do rosista Benavides ,
m um lugar chamado Manantial perto de
Tucumam.
No dia 15 de agosta Brown com urna
flotilha de 13vellas alcancou a Garibaldi,
que encalhou na bocea de Arriva do rjo de S.
Joo com a corveta Constitucin e brigue Pe-
reira. Garibaldi mandou para Corrientes a
escuna com todos os petrechos e armamento
que conduzia e pelejou durante os dias 13 ,
16 o 17 por trra e mar at que aberta a
corveta pela forga quefazia a artilharia e pelo
seu estado de encalhada lancou-lhe fogo, as-
sim como ao brigue Pereira, retirando-se pa-
ra trra. Brown perdeu dous vasos pequeos
e retirou-se com os outros em muito mo es-
tado. Ainda nao chegou a parte de Garibal-
di mas o governo j llie oiciou approvando
a sua conducta e ordenando-lhe que continu
a guerra no Paran com a escuna e cora os va-
sos que possa armar em Corrientes.
No dia 2(5 do passado notificro os mi-
nistros de Inglaterra e Franca ao general Ro-
sas que cessasse a guerra pois que os seus
governos estavo resolvidos a inlervir na pa-
cificaco do Rio da Prata. Ignora-se por ora
o resultado desta intimago.
Rosas mandou entregar todas as embarca-
res que tinha tomado e que navegavo nos
rios Uruguay e Paran sem duvida para di-
minuir a impressoquedevia fazer em Ingla-
terra a descoberta do trafico que fazia de li-
cengas para navegar o Uruguay bloqueado
para todos os barcos que nocompravo es-
sas licengas a 50 por cento sobre o valor da
earga.
Trata-se em Ruenos-Ayres de fazer urna
nova emisso de papel. Mo se sabe como
resistir o desacreditado meio circulante da-
quella praga a esta nova prova. As perdas do
commercio principalmente do inglez, serao
immensas.
Po dia 20 de agosto incorporro-se ao
exercito oriental em Entre-Rios 1,000 Cor-
rentinos. J). Pedro Ferr vinha com o resto
do exercito de Corrientes para Entre-Rios,
onde se reunirO, chegada do general Ri-
vera todos os chefes da liga. O presidente
chegou no dia 51 do passado a Durazno com
1,300 homensde infantaria ecavallaria que
levou desta capital e vizinbancas. A rep-
blica do Paraguay fez marchar 3:000 homens
para as fronteiras de Corrientes.
.No dia 30 de julho eslava passado para a
r
2
quem do Paran todo o exercito de Oribo ,
forte de 7,000 horneas. Urquiza que, com
a vanguarda de Gribe tinlia avangado at
Concordia r,tirou-se precipitadamente logo
quecom^gro a concentrar-se as torgas alija-
das em Entre-Rios. O exercito alliado dirge-
se a marchas Toreadas, sobre o Gualeguay ,
para occup.ir a sua antiga linha.
O xito desta campnnha, quecomegar por
ambas as parles dentro de dous rhezes nao
duvidoso para mim. Os soldados de Rosas
suecumbir aos golpes dos soldados liberta-
dores porque os elementos com que tem de
lutar sao irresistiveis. Tomem Vms. nota do
meu prognostico. (J. do Com.)
Li-se no Jornal do Commercio :
Sobre os movimentos das forgas de Rue-
nos-Ayres encontramos oseguinte na Bri-
tannia jornal inglez de Montevideo de 27
de Agosto :
Chegro noticias de que a principal for-
ga do exercito de Buenos Ayres, comman-
dado pelos generaos Oribe e Pacheco e des-
tinados invaso desta repblica atraves-
ara finalmente o Paran e entrara na provin-
cia de Entre-Rios.
S. Ex. o presidente deste estado enviou
ao governo officios do governador de Corri-
entes com data de 2 do corrente referin-
do que se tinho expedido ordens pura se
reunirem ao exercito todos os soldados licen-
ciado? e que toda a forga corren ti na mar-
chara immediatamente para cooperar com a
desta repblica em Entre-Rios. A primeira
diviso de cavallaria s ordens do general
Ramrez j tinha marchado.
Esta poderosa concentrago de tropas
oppor urna forte barreira ao exercito de Bue-
nos-Ayres e far que Entre-Rios seja por
algum lempo o theatro de operagoes milita-
res.
INTERIOR.
ambigo de uns e da paixo de outros devo
soffrer as consequencias de ludo Ah Del-
mas Luzzani he meu marido e nao posso
deixarde padecer quando elle padece! Eu
invoco a sua generosidade....j l vai o tempo
em que me seria licito chamar em meu auxi-
lio outros sentimenlos....
Delmas licou pensativo ; mas passado al-
gum tempo, chegou-se a urna janolla que
deitava para o mar ; e chamando Alice :
V aquelle navio, que se confundo quase
com o horizonte ? lite disse elle. Se eu dis-
ser ao capito : Everard pe o conde
Luzzani longe dos perigos que o cercao... o
conde ser salvo.... I masn i ondico basla pa-
ra eu dar essa ordem...
Qual he senhor ?
Exijo que o noacompanho no desterro :
essa vinganga me basta.
Eu nao exijo mais do que salvar-Ihe a
vida.... um homem to falso me causa hor-
SANTA CATKARINA 2 de setembro.
Corre por aqu que o cavalheiro Van Lele
poe em duvida ou antes nega a existencia
de minas de carvao de pedra nesta provincia.
Em que se fundar o Ilustre engenheiro bel-
ga para emittir to estranha opinio ? A e-
xistencia de minas de carvao de pedra aqui
nao urna voz vaga ; est determinada por
exames e experiencias reiteradas. Em 1838,
o Dr. Frederico Sillow que autoridade
de grande peso assignalu e mostrou aos
moradores do rio Tubaro o mineral. Em
1833, o presidente Feliciano Nunes Pires
mandou ali o Inglez Richardson entendido
em mineraloga o qual trouxe amostras que se
achou serem do verdadeiro carvao de podra :
a estes indicios e primeiras provas seguiro-
se as investigages trabalhos e viagens dos
irmos Bouliech que muito illustrro a
materia e eomprovro a existencia das mi-
nas. Em 18311, o teen te-coronel Queiroz
Carreira mandou da estrada de Lages pedagos
de carvao que analysados segundo os pre-
ceitos da sciencia em presenga do Sr. ge-
neral Andrea se venficou serem de excel-
lente qualidade e tao bom ou melhor que o
de Vallongo em Portugal : finalmente os a-
turados e repetidos exames do Dr. Parigot,
em que o tem guiado o saber que nao pode
negar-se-lhe e os seus desejos de ser til ao
paiz, puzero termo a qualquer hesitago
(jue ainda pudesse haver e foi reconhecido
que na provincia de Santa Catharina se en-
contra o carvao de pedra em abundancia. E
contra taas provas reaes, valer o teste-
munhodoSr. Van LJe, que percorreu a
galo|ie urna pequea parte do litoral da pro-
vincia e passou de sallo pelos terrenos re-
conhecdos por carbonferos !' Nao o creio.
( Carta particular.)
BAHA.
A CURVETA B. UNITARIA.
A marinha imperial acaba de ser reforcada
com urna nova corveta de elegante e solida
construego e que hontem ( 22 do passado )
foi hincada ao mar sem experimentar o
mais pequeo em barago ; no mcio dos vi-
vas e applausos de numerosissimo concurso
de povo que se apinhava no arsenal de ma-
rinha no mar em pequeas embarcages ,
e sobretudo as ja nellas que tinho vista so-
bre aquelle lugar.
A nova crvela tem o nome de D. Jan ua-
n pode montar 36 bocas de logo e he
lotada em 637 toneladas. A sua conslrugo ,
devida ao Snr. Eugenio FreJerico Henrique
Vandenhussche he mui difieren te da que
havia sido at aqui seguida no nosso arsenal:
entre outros melhoramentos aqui introduzi-
dos pelo Snr. Vandenbussche observaremos
como mais notaveis a substiluigo do caver-
narne antigo de pesadas madeiras que alern
do grande peso e espago que oceupavo mili-
tas vezes sabia do arsenal j incapaz do servi-
go por bragos de ferro de muito boa inven-
go que reunem maior solidez e durago
muito menor pezo e volume. Tambem no-
taremos a grande economa que trouxe ao ar-
senal a carreira da nova invengo sobre a
qual correo impvida a corveta sera experi-
mentar o menor embarago. Com e Afeito ,
somos informado que s neste ponto a e-
conomia para os cofres nacionaes n;lo foi
menor de 4 a 3 contos de reis s em
materines para a carreira nao fallando na
mo d'obra que se pode calcular em um
cont de reis pelo menos. A crvela D. Janu-
aria tem de quilha 113 5l pos, 35, 58
ditos de boca e 16 de pontal ; he toda
pregada e cavilhada de cobre e forrada de
.netaI de patente (Muntz )
Felicitamos ao Snr. capito de mar e guer-
ra Ribiano digno intendente da marinha ,
pela boa recompensa que teve a Ilustrada
confianga que S. S. sempre depositou no
Snr. Vandenbusssche despeito de quan-
tos tropegos o espirito de rivalidades e de
antK-os preconceitos suscitou para obstar os
melhoramentos introduzidos.
S. Salvador. Deixamos copiado no arlig o>
exterior o que julgamosde mais interesse oo>
negocios estrangeiros. Nao obstante o tra-
tado que publicamos celebrado entre as
Repblicas do Per e Bolivia renovou-se a
discordia immediatamento entre ellas : he a
sua condigo !
Nossas folhas da Baha sao muito atraza-
das.
L-se na Sentiaella :
S. M. o Imperador, no dia 8 do correle,
pelas 10 horas da manh fez a sua visita d
compriment a S. A. R. o Principe Adaberto.
S. M. levava s a gran-cruz da Aguia Negra.
Por decreto de 30 de Agosto foram demit-
lidos do servigo do Imperador os mogos da
Cmara JozeMaxmiano Baptista Machado,
JozeBarreto Pereira Pinto, eRaphael For-
tunato da Silva Brando.
Foi em fim demttido o celebre director da
fabrica de farro de Vpanema e mandado vir
acorte por ordem doSr. Ministra da guerra,
e nomeado interinamente para exercer as
mesmas funeges o capito Antonio Ribeiro
de Escobar. Muito se apraz a Sentinella
em nao ter calumniado o S. IJ oem ; muito
mais serias sao as aecusagoes que agora Ihe
sao feitas.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Rendimento dodia 7 de Outubro 11:078,439
DESCARREGA H0JE 8 DE OUTUBRO.
Rrigue Inglez = Severn = Ferro e fazen-
das.
Barca lngleza = Thomas Mellors = Ferro,
formas, maqumismo, e taxasde ferro.
Brigue Inglez =Amelia llil = Carvao de pe-
dra.
Brigue Dinamarquez = Boruholm = Fari-
nha.
Escuna Americana = Sigeira= Charutos ,
e pillas.
Brigue Portuguez = Mara Feliz = Ferra-
gens azeite, fazendas papel e
carnes.
ror !
Delmas escreveo immedialamento ao capi-
to dando-Ihc juntamente as instruegoes
para so entender com Luzzani. Alice reli-
rou-se para sua casa ; e pouco tempo de-
pois eutrou o conde muito agitado.
Nao posso esconder mais tempo lhe
disse file perigo que nos ameaga...
J sei ludo respondeo Alice.
Mas ignoras lalvez que rulo me resta es-
peraos* alguma uc fugir.
Podes fugir disse a condessa dando-
Ihe um papel.
Delmas foi o meu aecusador respondeo
o conde Luzzani depois de ler o papel: como
posso confiar na sua protecgo ? !
Delmas ha decumprir oque prometa.
Mas a quem promelleo elle ? faJ.
laste-lhe !' .
Luzzani l hes desgrasado p eu que-
ro esquecer-me de ludo .... I'oge .... se-
pa remo-nos.
-Eu sei que nunca possui o leu corago ,
Alice ; t nunca soubeste jngir sentimenlos
que nao linhas. Dize a verdade : nao pen-
sas que o dezejo de te ver mais livremente se-
ja o motor de tanta generosidade ?
Eu nao quero mais tornar a ver Delma.
Nflo esperdiecs o tempo que he precioso.
Adeos Alice adeos i longo de mim
pensamentos indignos de nos ambos eu me
entrego tua virtude levando comigo a espe-
ranga de algum da nos tornarmosa ver.
O conde chegou-se a ella deo-lhe um bei-
jo na face e relirou-se precipitadamente.
Passado pouco tempo, urna criada veio por
em cima da mesa um calmante que Alice cos-
tumava tomar ae recolher. Ero oito horas
danoite quando o conde se despedio ; Alice,
fatigada pelas afllicges qne tinha experimen
tado aquelle dia para conciliar algum repou-
so lanoou-lhea m/loe bebeo-a leda. Pon-
eos minutos dopoi* os seus olhos se fechro,
niARIO DE PERNAMBCO.
OUTUBRO 7
Tivemos hoje noticias do Rio pelo Paquete
inglez at i6 do passado e nada de novo
havia occorrido naquella corte assim como
as provincias do Sul depois da sabida do
IMPORTACA.
0 brigue Inglez Severn vindo de Li-
verpool entrado no corrente raez, consigna-
do a Johnston Pater & C."
Manifestou o seguinte.
20 toneladas de,ferro em barra, llOquin-
taes e 101 libra de cobre 5 barricas com car-
ne salgada 3 caixas com fazendas de la 3
ditas com ditas d'algodo, 1 embrulho com
livros: Ordem.
30 barris com manteiga : a Jos Pereira
da Cunha.
45 quintaos e 28 libras de ferro 33 bar-
ricas com ferragens 9 caixas com faxendas
d'algodo 1 lata com quejo : a Kenworthy
& C."
8 fardos com fazendas de linho 2 caixas
com ditas de dito 10 fardos cora ditas d'al-
godo 40 barricas com ferragens 5 caixas
com fazendas de l, 1 dita com ditas de seda:
a Johnston Pater & C.a
e ella cahio dormindo no travesseiro do canap
em que seta va sentada.......
0 mais veleiro dos corsarios bordejava no
dia seguinte-a pouca distancia da rosta d'on-
de em cada giro, se afasia va cada vez mais,
al que dcsappareceo de todo. Em cima do
convez, passeiavo dous mancebos i um era
o commandante e outro o cirurgio do na-
vio.
- Esla aventura parece de novella ; no
entanto seria talvez nelhor que tivesse exe-
cutado risca as instruegoes de Delmas que,
se me nao engao mencionavo smnte o
conde.
Sim ; porm confesso que me cuslava
muito deixar a mulher na praia s ; e dor-
mindo : al. m disso Luzzani de modo algum
oonsentia separ-se della e bem pode ser que
tambem corresse perigo....
Fallaste com ells i'
Se eu te digo que eslava dormindo?
Nem os movimentos nem a bulha chc-
grflo a desperta-la hesomno extraordina-
rio Quero v-la.
Ambos descroacamara onde Luzzani ,
sentado ao peda moga esperava a cada ins-
tante que ella acordasse. O cirurgio poz-se
a examina-la com todo o cuidado e qui/ to-
mar-lhe o pulso porque a sua perfeita im-
mobilidade lhe pareca fra do natural.
|JfElla dorme disse Luzzani ; deixe-a
despertar por si.
Dorme, sim, para nao tornar mais a a-
cordar.
Que diz, senhor! exclamou o conde en-
furecido.
- Eu nao aecuso ninguem ; declaro o quo
estou vendo. Esta mulher tomou huma be-
bida para dormir ; porm a dose do narctico
foi demasiada para a sua constiluigo. Nao
he isto senhor ?
O conde nada respondeo e ficou anniqui-
lado ; poremd'ahi a pouco ergueo-se ea-
pertou nos bragos com urna anxiedade frene-
tica aquelle corpo inanimado. Bem que
nenhum signal desse de vida o misero se
deixou licar junto delle recusando acreditar
o testemunho dos seus proprios sentidos.
Dous dias velou no mesmo lugar; mas no
terceiro, finalmente cedeo alguna instan-
tes aosomno.... Pouco depois acorda espavo-
rido j nao v Alice.... corre como doudo ,
sobe ao convez e sent ainda a pancada ou
queda de um corpo que tiuha langado ao
mar ; chegou borda e observa o borbo-
teo das agoas, sorvendo o deposito que lhe
havio confiado.... arremessa-se atraz delle ,
e desapparecc aos olhos dos espectadores, que
fizero vaos esforgos para o salvar.
FIM.


I
*
a James
com
5 fardos com Pendas d'algodo, U caixas
com d.tas de d.to : a Russell Mellors & C
7 fardos com fazendas d'algodo 13 ditos
com ditas de l 49 caixas com ditas d'algol
dao 2 dit;lS com ditas de linho 50 barris
com manteiga, 2 ditos com feri.agen3 a
mes Crabtree & C-
8 fardos com fazendas d'a!god;Io :
Cockshott &C."
26 barucas com louca 50 barris
manteiga : a Fox Brothers.
49 ca xas rom queijos, 500 barris com pl-
vora : j\\ O. Bieber& C."
6cai xas com fazendas de linho : a Gaskoll
Jonsori & C.
3 b arricas com ferragens 20 caixas com
fazendas d'algodo, 12 fardos com ditas de
dito : a B. Lasserre & C.
9^ caixas com fazendas d'algodo : a A. M."
90 tonelladas de carvo de pedra : a Joa-
quim Baptista Moreira.
3 caixas com queijos, 2 ditas com conser-
vas, 10 prezuntos : a W. E. Smith.
10 fardos com fazendas d'algodo 10 cai-
xas com dita de dito 16 ditas com dita de
linho 8 fardos com ditas de dito : a Jones
Patn & C.
5 fardos com fazendas d'algodo: a Latham
& Hibbert.
800 formas para assucar: a Fox Stodart.
3 caixas com fazendas d'algodo : a Rosas
Braga & C.
1 dita com mobilia : a Joo Pinto de Lo-
mos & Filho.
1 gigo com louca 1 caixa com perfuma-
ras 2 barricas com drogas 1 caixa com
papH : a W.M !YJay.
1 caixa com chapeos: a J. O. Elster.
45 fardos com fazendas d'algodo 2 cai-
xas com ditas de dito : a Dane Youle & C.
43 caixas com fazendas d'algodo: a Me. Cal-
fliont & C.
1 gigo com louca : ao Capito.
I caixa com amostras : a Russel Mellors
<& C.
II embrulhos com ditas : a diversos.
1 dito com livros : a P. Purby.
O brigue portuguez Maria Feliz Yin-
do do Porto, entrado no corrente mez con-
signado a Antonio Joaquim de Souza Ribeiro
a I nj Jjajui
a Francisco Gomes
1 embrulho 'n fi Ir.
Lopes Moreira.
1 barrica com nozes:
de Carvalho.
1 saco com embrulhos: a diversos.
2caixas com polucia, e pertences para cha-
peos : a Antonio d'Oliveira Maia.
1 bote : Ordem.
8 barris com.ferragens 8 cndeles ditas
2 caixas com linhas, 20 canastras com alhos'
a Joaquim Jos Rabello.
10 barricas com ferragens, 26 cunhetes di-
tas 8 caixas com linhas 5 fardos com con-
deces, 20 barris com azeite, 42 canastras com
alhos 100 rodas d'arcos de pao : a Antonio
Joaquim de Souza Ribeiro.
1 caixa com obras de prata, 1 dita com va-
*os de madeira, 1 dita com miudezas : a An-
tonio Ferreira da Costa Braga.
1 lata com carnes 1 barril ditas : a An-
tonio da Costa Soares.
6 barricas com ferragens 10 caixas com
pomada i dita com miudezas: a Domingos
Goncalves de Moraes Jnior.
2 barricas com ferragens 27 fardos com
alhos : a Antonio Luiz Gomes.
10 barricas com ferragens: a Jos" Joaquim
Pereira.
2 ditas com ditas : a Joo de Freitas Gui-
mare*.
26 feixes d'arcos de pao 5 barris com fer-
m
do ultimo porto 9 Paqueto Inglez Swift
Commandante Douglas.
Trieste ; 50 dias Brigue Dinamarquez Bot-
nholm de 185 tonel. Cap. J. D. tfrilKya,
equip. 9 carga farinfia de trigo : N. "()'
Bieber ACompanhia.
DECLARAgES.
O Brigue escuna Carolina
recebe a
horas do
mala para a Babia hoje ( 8 ) as il
lia.
= O administrador da meza da recebedo-
ria de rendas internas geraes t-jndo ja feto
publicar osartigoslO, e 20 do reguiamen-
to de 11 de abril de I82 que impfe a obri-
gaco a todas as pessoas que compro ou
vendem escravos de fazerem averbar os res-
pectivos ttulos naqnella repartido dentro do
prazo de 30 dias contados da dala do contracto,
mostrando ja terem pago a respectiva taxa d
1*000 rs. que se acharem a dever sob
pena de serem multados na quantia de 30*
res at 100* torna pela ultima vez a lem-
brar, queaquelles artigos se acho em exe
fresca, cu jo fiador Ihe nao avia anda pago.
Mis como hia dizo-ido prejudici este ge-
nero de especulado nao so o verdadeiro
necesstado como osproprios actores ; por
ipieopovo, aborrecido como est de tan-
tos logros intiba-so na verdadeira bonefi-
cuncia perde o gosto a semeiliantes espec-
tculos, e na ocecasia,) de se Ihe arruinar a
t|ticima-ropa os billietes da capodra ou nina
grande parlo os rojeita ou se os toma por
nimia condescendencia suspira quando v
sahr das algiboiras os mgicos papelinhos ,
com queso compro os moldes e que se rao
con verter em milho para engordar nicamen-
te o Galo. Ora bem se v que dinheiro to
xorado para nada clicga ; mas no cazo de
chegar e anda de sobrar alguma cousa dos
taes 210* res en to la volta o peralta para
ojogo; mas no cazo contrario ah est o
Manifestou o seguinte:
1 caixa com linhas e retroz 2 ditas com
pomada 1 fardo com fazendas d'algodo : a
Victorino de Castro Moura.
1 caixa com obras de prata : a Joze Justi-
no de Souza.
6 barricas com ferragens 6 caixas com ta-
mancos: a Mendes & Oliveira.
3 caixas com linhas : a Lourenco Fernan-
des do Carmo.
2 caixas com linhas 20 canastras com a-
lhos, 18 barricas com ferragens 18 cunhe-
tes com ditas, 12 caixas com cacado : a Joze
Aflbnco Moreira.
28 canastras com batata : a Joze Antonio
Pereira.
113 canastras com batatas, 10 barricas com
painco : a Paulo Joze Alves da Silva Jnior.
4 caixas com calcado 1 barrica com dro-
gas 2 caixas com ardiles : a Joze Joaquim
da Costa Le to.
1 caixa com fazendas de linho : a Sebastio
Joze Gomes Perna.
15 barricas com ferragens 2 caixas ditas.
4 ditas com linhas 3 cunhetes com ferra-
gens : a Francisco Xavier Martins Bastos.
25 barricas com cevada 30 bailas com pa-
pel pardo : a Antonio Jos Gomes de Arantes.
13 caixas com pomada : a Joo da Costa
Lima Jnior.
60 canastras com alhos : a Jos Antunes
Guimares.
2 barricas com carnes : a Jos Gongalves
da Fonte.
8 ternos com condenas, 71 ditos de cestos :
a Manoel Fernn es Guedes.
1 caixa com pertences para armador, 1 ca-
bra : a Antonio Ramos.
6 canastras cora alhos : a Joaquim Fran-
cisco d'Alem.
1 caixa com drogas : a Jos Alves ja Silva
Guimares.
5 barricas com carnes, 10 sicas com feijo :
a Jos Joaquim Rabello.
7 canastras com mances: a Francisco Fer-
reira Bailar.
1 caixa com fazendas de linho : a Manoel
lereira Caidas.
1 caixote com obras de prata : a Francisco
Jos <|a Silva.
1 buio com peixes vivos : a Manoel d'A-
zevedo Maia.
2 cestos ignora-se: a Jos Joaquim da Costa.
l canastra com maces : a Domingos Al-
ves da Cunta.
ragens : a Amorim & Lisboa.
6 caixas com tamancos : a Miguel Antonio
da Costa e Souza.
2 ditas com chapeos 3 barris com ferra-
gens : a Jos Pereira a Cunha.
50 volumes com barricas abatidas : a Mi-
guel Rodrigues do Carmo Ramiro.
2 barricas com alhos, l2.canastras com ba-
tatas 2 ditas com maces, 7 ancoretas com
azoitonas: a Joo dos Santos Nunes Lima.
2658 resteas de cebollas 6 canastras com
maces: a Manoel Ferreira Guedes.
2 caixas com chapeos: a Henrique Bernar-
des d'Oliveira & C.
2 canastras com cebollas, 1 dita com alhos:
a Domingos Jos Viera.
1 caixa com marcella : a Bartholomeo &
Ramos.
4 barris com vinho: a Manoel Alves Guerra.
1 dito com carnes 1 dito com vinho: a Jo-
ze Francisco d'Azevedo Lisboa.
1 dito com dito : a D. Catharina Francisca
do Espirito Santo.
10 barricas com ferragens, 3 caixas com li-
nhas 1 dita com fazendas d'algodo 3 di-
tas com chapeos, \ barris com carnes, 2 far-
dos com fio, 100 canastras com alhos : a Sil-
va Barroca & Andrade.
30 barricas com cevada, 1 cunhete com cal-
cado e calungas : a F. J. F. da Rosa.
5 barricas com batatas : a Domingos Fer-
reira das Neves Guimares.
16 ditas com ferragens: a Mendes AOlivei ra.
4 caixas com pomada : a Antonio Joaquim
de Souza Bibeiro.
4 fardos com junco, 1 caixa com palhnha,
2 barricas com ferragens 68cadeiras, 1 sof-
f 2 poltronas. 1 porco de cebollas 18
canastras com alhos, 8 barricas com liacas de
vime, 16 canastras com maces 1 saco com
nozes 1 caixa com figuras de barro : a An-
tonio Luiz Gomes.
W-------
RIO DE JANEIRO.
CAMBIOS NO DA 15 DE SETEMBRO.'
Precos na ultima hora da praga.
Cambios sobre Londres. 26
Pars. ... 368 nom.
Haroburgo. 710
Metas. DobrGeshespanhes.30*000
cueto e que todos que deixarem decum
prir as disposicoes delles sorero as ponas
nelles indicadas. Recebedona das rendas in-
ternas geraes 5 deoutubro de 1842.
Francisco Xavier Cavalcante d'Albuquerque.
AVISO MARTIMO.
Para Montevideo a Escuna Americana
lozano Capito Taylor de lote 155 Tone-
ladas encavilhada de cobre e de boa mar-
cha prompta para receber frete ou passagei-
ros para o que ter bas accommodacoes', a
tallar ao Capito ou a seu Consignatario Jos
Ray.
LEILA 0.
3. P. Adour & Companhia faro lei-
to por intervengo do Corretor Oliveira ,
Terca feira 11 do corrente as 9 para as 10 ho-
ras da manfi, no seu armazem, ra da Cruz,
dos seguintes artigos proprios do mercado, e
por precos baixos visto venderem-so para fe-
char contas a saber: luvas, e meias de seda,
ditas de fio de escocia, veludos, sarjas e mui-
tas sedas, lencos de fil, chapeos para ho-
mem, fitas do seda de varias qualidades ren-
das e bicos miudezas ferragens chapeos
de sol de seda, cacado para homem e
Sen horas e meninas, marroquins bezer-
ros e muitos outros artigo.
Qador que agaonte asfavas. Tal a tatica
dos Tibiquo(|ues dos debuts desarruma-
dos e tal vez ex pulsos das cazas dos patrOes,
queem vez de hironi plantar ps de burro \
n na falta de sement fazorem carvo ou
tirarem lenha para o que leo sem dnvi-
da excellentes corpanzis ; vo atrahidos a
essa nova roda da fortuna cujo azar tem
sempre para elles a maior probabilidad? e o
qne mais para os pastranos que Ihe do
impulso. Se comtudo a derrama foi boa
ludo ganho o nada arrisco ; se foi m ,
nunca o foi tanto que o cocoroe a nao ti-
rasse a rago de milho perintotum A-
qui temos pois o Galo ndio plumoso e
guerreiro, cantanlo nao de aza a rasto den-
tro da capueira ; mas no puleir. da Capunga,
todo moquenco e triunfante o seguinte cs-
trebiiho quem tolo para si pede a Dos
que o mate e ao dabo que o leve.....
Ora viva !
cqj- No dia i3 do corrente an-
dao i m preter ve I me n te as rod.is da
Lotera da Matriz da Boa-vista e
os bilhetes vendem-se nos lugares
do costurne ; e abaixo se segu o
numero de bilhetes premiados.
AVISOS DI VERSOS.
O GALLO DA CAPOEIRA.
(i
te






da patria. .
Pesos hespanhes 1^948
n da patria. .
Pegas de 6 JO. v. 16*100
de n .
Moedas de ijOOO.
Prata......96
MOV ME NT O DO PORTO
NAVIOS SAHIDOS NO DIA 6.
Liverpool; Brigue Inglez Columbia, Cap.
D. Goim carga varios gneros ; passa-
geiros 6 marujos inglezes do navio naufra*.
gado J. Latham E. Conlier A. Bra-
ne, Monles inglezes e o brasileiro J.
J. Gomes.
Havre j Barca Franceza Armorique Cap.
Renouf carga varios gneros ; passageiro
o francez Gerard.
ENTRADOS^NO DIA 7.
New York ; 57 dias, Hiate Americano Li-
geiro de 50 tonel. Cap. Joseph Ellis ,
eqnip. 6 em lastro : ao Capito.
Rio de Janeiro pela Ba!,ia ; 20 dias, trasendo
BENEFICIOS DO THEATRO.
Aquiestou meu amigo Galo Moro longe,
e por isso nao ptfte responder mais cedo ao
vosso cocoroeo do Diario novo de 10 do
mez passado. Dizeis ali, que o meu annun-
co de 9 no Diario grande insultante.
Nao basta dizel-o meu bom Galo da capoeira;
de mister que o proveis o que certamen-
te nao ser fcil ; por que como sabis ,
nao por ahi que vai o gato aos filhs. To-
do mundo sabe que o propietario de
qualquer empreza pode e deve mesmo ti
rar d'ella o melhor proveito possivel com
tanto que dahi nSo resulte o menor prejuizo
i as Leis, e aos coslumes. N'este cazo a em-
preza deixa de ser til para ser criminosa.
Eu porem me explicarei agora por tal for-
ma que alem de tirar todo o ressabio do
nosso Galo da capoeira mostr nao menos
que nunca foi minha intengo insultar al-
guem e muito menos o bom do Galo que ,
afora o grasnado em um ou outro de seus
annuncios deverte a gente as mil maravi-
Ihas quando est de vea a deixar-se ouvir
em estilo de Galo msico ; quesera horri-
velmente brbaro aquelleque o quisesse
fazer Capo Coifado do Galo Livre-o Dos
de to ruins intentos O que eu disse pois ,
o que todos diro, e o que o mesmo coco-
rot nao poder negar que alem das
loteras, subscripces de todos os dias e
mais fricacisde todas as oras, temos de mais
i mais a insuportavel especulado dos bene-
ficios que entro na escalla das domis con-
tribuidles forjadas. Ora se ao menos o.
verdadeiro necesstado podesse com essa es-
peculaco tirar algum proveito seria anda
toleravcl ; mas longe de u'.lisar ,
trario s o nosso Galo engorda ,
1
1
1
1
1
2
4
8
2
981
Premio.



ii
.....200ji000
..... IOOjOOO
..... 50*000
1., e ul-
timo b. H2000
..... IOjOOO
12:000*000
6:000*000
3:000*000
1 000*000
500*000
400*000
400*000
400*000
224*000
1 o:696*000
39:620*000
quasi sempre o patureba que para ah vai
accarrelado como fiador. O nosso bom
Galo confessa islo, por outros termos ,
no Diario Novo, tritando do beneficio-
( debut, como diz o cocoroc em
lngoa Galo ) da Sra. agoa-xca ou agoa-
SahiooXarapuceiro n. 55 e tracta
da mui interessante materia dos espirros, fa-
zendo ver que o coslume de saudar-se por
tal motivo data de lempos iminemoraes as-
sim como explica os differentes caracteres
dos mesmos espirros. Conclue com un,a va_
riedade bem attendivel a respeito dos namo-
rados sem ventura : vende-se na praga da
Independencia loja de livros n. 37 e 38.
*= Offerece-se urna pardinba orf e sem
lhos para o servieo de porla dentro, com
muito bous modos por tanto que nao v em
caza alguma sem dar fianza a sua conducta
annuncie.
= No dia U do corrente mez de Outubro
se ha de arremattar na porta da morada do
snr. Juizda primeira vara do civel, por exe-
cugo de Manoel Eenandcs da Cruz contra
seus devedores Joaquini da Fonceca Soares
deFigueredoe sua mulher os bens seguin-
tes : urna grande e excellente caza na es-
trada do Monteiro, ladrilhadade pedra mar-
moro com um pequeo sitio e sabida para o
rio ; oulra grande caza por a esbar no lugar
do Caldereiro tambem com um pequeo si-
tio e saluda para o rio e trez olarias no
mesmo lugar do Montoiro urna pequea com
forno de cozer telha outra grande com
forno grande e outra com forno de cozer ,
lijlos acompanhadas de urna senzalla, e
caza de feitor ; e tambem se arrematar u-
ma escrava de nago da Costa. As pessoas ,
que quizerem arremattar os predios ditos,
dirijo-seao lugar do Monteiro paraos exa-
minar e ao Portero dos Auditorios para ver
as competentes avaacfies.
ey .Ouem tiver e quizer alugar um pre-
pelocon- to bom canoeiro, mentalmente, ou por dias ;
perdendof dirija-se ra Nova lado do norte penlti-
ma loja que se dir quem preciza.
SS5" Defronte do Corpo Santo raza D. 2
tem para vender quatro pilares de pedra ,
cada um com 15 palmos de comprido, e tam-
bem se vende urna porcfio de cantara, e al-
gum travejamento velho.

V


r^rtlWllWlrtWWMMI! "


tsr Precisa-so de G00* a premio rom se- / tsr Urna Senhora moradeira em Santa An-
guranga de hypotheca em urna raza terrea li- na, convida as Sanhoras passadeiras da festa
vre e desembarassada ou com boa firma : que quizerem mandar fazer vestidos do ultimo
na ra dos Quarteis D. 3.
;osto e mui bem feitos : por preco milito
Aluga-se urna loja na ra estrcita do em corita e mesmo toda qualquer costura : que
Rozario pelo mdico proco de ls mensaes : i dirijo-se a o ultimo porto de ferro a direita
a tratar na ra do Xogueira n. 27.
tsr* Aluga-se urna caza terrea com com-
modos para familia e temi quintal mura-
do cacimba e estribara cita na ra de S.
Gonsalo : a tratar com Marcelino Jos.
tsr Aluga-se urna canoa de carga de 400
lijlos : na serrara de Manoel Gomes da Sil-
va por detraz da ra do Fagundes.
t9* Qualquer marrineiro que quiser con-
tratar fazer urna porto de bancos de palhi-
nha para a sociedade tbeatral Phlo-Thalia ,
comprela na ra do Queimado D. 13.
tsr* Aluga-se o terceiro andar da caza n.
5 da ra larga do Rozario : a fallar na mes-
ma com Freitas Barboza.
tsr Joana das Chagas Bandeira vi uva do
falescido Paulo Ventura Pinheiro faz saber
a todas as pessoas que devem ao seo casal ,
e tem em poder do mesmo casal pialiores de
ouro erapenhado, bajo de bir remillos no
praso de outo dias visto que vai proceder
inventario de todos os bens que ficaro por
alescimento daquelle finado e os que nao
o vierem remir no referido praso, pcirdero
todo o direito.
= No se tendo reunido a sociedade Euter-
pina no da 6 do correnteem n. exigido pe-
los estatutos, a commissao administradora
pela segunda vez convoca sesso para segunda
feira 10 do crrente as seis horas da tarde a
fimderesponder-seum otuciorecebidode urna
sociedade em que pedo a concesso da caza
para nella dar urna partida em o dia ultimo do
corrente mez.
= O abaixo assignado faz certo ao publico
e a quem mais convier que os bens de Joze
Marques da Costa Soares esto debaixo de
dois arrestos por mandado do Juizo do Civel
da terceira vara; o primeiro arresto feito a re-
querimento do annunciante e o segundo a
requerimento de Henrique Christophors como
administrador Je sua mullier e do annun-
ciante que tambem be parte : este ultimo
arresto foi feito muito depois do primeiro e
para melhor conhecimento da verdade declara,
que o primeiro arresto est na concluzo do
Juiz substituto o snr. Doutor Vicente Ferreira
Gomes por se ter dado de suspeito o snr.
Doutor Nabuco e o segundo foi com vista
por parte de Joze Marques ao seo Advogado
Camello, e anda nao aparecero os Embar-
gos e como consta ao annunciante que o di-
to Joze Marques procura vender os bens he
a razo porque o annunciante faz esta decla-
raco para ninguem chamarse a ignorancia ;
e declara mais que as arrematar-oes que elle
fez para si e os que outros lizero reque-
ridos por elle esto nullas por nao haver nos
escriptos de praca certidoens do porteiro dos
pregoens : assim como a caza de sobrado da
ra d'Alfandega velha ; que mandando ava-
luar a sua vontade a arrematou por solo fo-
reiro sendo o solo proprio alem de outros
vicios era que labora o inventario que con-
tribuem para augmento das nulidades e de
que o annunciante tem certidoens, com di-
signiode propor a competente acgo de nulli-
dade.
Antonio Marques da Costa Soares.
tsr 0 abaixo assignado faz sciente ao snr.
Tezoureiro da lotera do Rozario que inadver-
tidamente rompeo um bilhete inteiro de nu-
mero 510, da primera parte da terceira lotera
por ter sahido branco: cujo bilhete foi com-
prado na loja da ra do Collegio do Sr. Jos de
Menezes Jnior e rompido nessa mesma lo-
ja a vista de varias pessoas que ah estavo ,
eque estao promptas a jurarem se necessario
for; e como tenha sido julgado nulla a dita lo-
tera e no da 10 do corrente (enha de no-
vamente corrers rodas ; por sao faz o pre-
zente a fim de prevenir fucturos.
Joaquim Francisco da Silva.
tsr* Offerece-se urna senhora para ensinar
meninas fora destaCidade a 1er escrever ,
contar coser, bordar, e fazer lavarinto, do
que tem bastante pratica: na ra Direita nu-
mero -119.
tsr* Precisa-se mandar tingir algurr.a rou-
pa de seda e quer-se obra perfeila e por
isso se precisa saber so ha algum tintureiro
qun possa bem satisfazero que se quer; quem
esliver nestas circunstancias annuncie.
tsr" Precisa se de um official de pdarma-
cia ou de algum menino qu > ja tenha algu-
ma pratica : no atierro da Boa vista botica de
Joaquim Joze Moreira.
=Preciza-se de urna mulhcr forra ou cap-
tiva para serviros de urna caza de pouca fa-
milia o para comprar na rna dirija-se a 'ra
da Cadeia N. 37 loja de ferragem.
forte
a mesma
que segu para a ra da caza
Senhora declara a os Senhores alfaiates que
quizerem dar a fazer calcas coleles jaque-
tas pelo proco de urna pessa pela outra a
cruzado podem aparecerem na ra das Flo-
res D. 6, ad'verndo que as ditas obras se
fazem muilo bem l'eitas ecom brevidade.
PILULAS VEGETAES E L'NIYERSAES AMERIC\NVS.
tsr O nico deposito dellas he em caza de
D. Knoth, agente do Author, na ra da Cruz
n. 57.= N. B. cada caixinha vai embrulha-
da em seu receituario com o sello da caza
em lacre preto.
tsr Madama Marie costureira franceza che-
gada ltimamente de Pariz tem a honra de
avisar aos seus freguezes que ella mudou a
sua residencia da ra da Concordia para a ra
nova D. 12 segundo andar do sobrado que faz
quina para o bixo que vai para a camboa do
Carmo.
tsr Antonio Joo Brno casado natu-
ral da costa da mina, retira-se para a Parahiba
a tratar de seu negocio.
tsr Precisa-se de urna ama que tenha bom
leite prefere-se captiva : na ra do Cabug
loja de miulezas junto a botica.
tsr Faz-se certo ao Sr. J. J. G. que a
caza da Sociedade Natalense, nao he proprie-
dade de sigano algum que possa aparecer
nesta Cidade e que se a sedeo ao Sr. Luc,
para fazer algumas representacGss foi por
pedido de urna pessoa respeitavel desta pro-
vincia. He esta a primera e ultima vez que
Ihe responde = Um Socio.
ty Na ra do Queimado loja de Luiz Jo-
ze de Souza existem duas cartas vindas do
Aracaty, urna para o Sr. Jos Pires de Mo-
racs e outra para o Sr. Francisco de Paula
Moura estudante do Seminario de Olinda.
tsr Precisa-3e de urna pessoa que en-
tenda de padaria para fora distante 24
legoas desta praga : na ra eslreita do Ro-
zario D. 16 segundo andar.
W A quem convier tomar 30 arrobas de
capim diariamente por tempo de um anno,
a 120 rs. cada urna arroba, dirija-se a ra
di Guia sobrado n. 11.
tsr Aluga-se o segundo e terceiro andar e
soto da caza D. 4 na ra da Cruz : a tratar
na mesma.
tsr 0 Sr. Manoel Joze Tavares da Silva ,
queira annunciarsua morada que se Ihe
deseja fallar.
tsr Precisa-se de dous homens fortes para
servirem no campo nao importa que disso
nao tenho pratica para um engenho nao
longe da praca e paga-se bem conforme a
sua actividade : na ra da Cadeia de S .*nto-
nio armazein por baixo da morada do Snr.
Cardozo.
ssr A pessoa que Ihe convier 4 escravos ,
para trabalharem de enchada, dando-se-lhes
o sustentoe 48,y por mez, dirija-se a Joao
Dias Barboza Macondum na repartico do
Correio.
tsr 0 primeiro secretario de sociedade Na-
talense taz certo aos Srs. socios que ainda
hoje pelas 6 e meias horas da larde continua
a sessao do primeiro do corrente.
tsrUrn rapaz porluguez de 14 annos, pr-
ximamente chegado pretende arrumar-se
decaixeiro em qualquer estabelecimento a
excepgfio do venda : na ra do Lvramento
Decima 2.
tsr Precisa-sede um caixeiro Portuguez
paia urna venda defronte da praga da farinha
D. 3 : a tratar na mesma.
tzr Arrenda-se parte de nina caza de so-
brado no bairro do Rtcife em boa ra e
independente consta de urna sala alcova
e gabinete um quarto cozinha e dispensa,
quarto para prctos, quintal pequeo e cacim-
ba por preco muito commodo; a quem con-
vier dinji-sea ra do Vigarion. 18 primeiro
andar, das9 horas da manh at as 5 da
tarde.
tsrFurtarao da caza D. 37 na rna do Ara-
go um ponteiro do ouro com alguus en
feitos tendo o letreiro do Anna Thereza de
estando cufiado em um transelim
: quem o adiar ou dclle souber
reslil.ua a mesma caza que alem do agrade-
cimento ser gratificado.
* r Quem annunciou ter duas pretas para
alugar as tardes querendo ilugar urna di-
rija se ao pateo da S. Cruz caza ao p da do
Sr. Pirelte.
tsr Arrenda-se um terreno no beco das
Barreiras com pronoreoes para nelleestabele-
Jesus ,
francez
removidas para o mesmo lugar e dos ,Coe-
llios na conformidade das posturas da Cma-
ra Municipal : os pretendentes dirijfio-se
io commandante geral do corpo de polica ,
que se acha authorisado a fazer dito arrenda-
miento.
tsr 0 abaixo assignado tem a honra de
scientificar ao respeitavel publico que con-
tinua na caza de sua residencia ra de S.
Thereza D. 1 a ensinar a 1er escrever con-
tar grammatica portugueza e doutrtna
Christa pelo mdico preco de 1 mensaes ,
e gratuitamente aos filhos de pessoas que por
sua pobreza nao poderem pagar as quaes de-
verao neste caso apresentar documento que
prove essa pobreza e a boa conducta do me-
nino. = Emilio Xavier Sonreir de Mello.
tsr Quem annunciou querer comprar as
fbulas de La Fontaine dirija-se a ra dos
Quarteis n. 2.
tsr Os Srs. Jozo Vicente de Lima Benlo
Joze Antunes Pereira Antonio Joaquim Pe-
reira da Silva Manoel Joze de Oliveira Mar-
luis, Manoel Martins Dias, Paulo Joze da
Silva Soares de Abreu Bernardo Lopes, An-
tonio Ferreira Mendes Braga Leonardo Go-
mes Joze Martins Aires Domingos Ferrei-
ra das Neves Joze do Oliveira Antonio Jo-
ze Ferreira Guimaraes queiro vir na ra
do Crespo loja D. 6 para se Ihe entregar car-
tas vindas do Porto.
tsr A abaixo assignada avisa ao respeita-
vel publico que ninguem faga negjco com seo
filho Bonifacio Marianno de Maltos nem com
outra qualquer pessoa a cerca de um escravo
pardo de nome Roque cujo escravo tendo to-
cado em partilha a abaixo assignada foi-lhe
aprehendido ob, e sub repticiamente no dia 5
do corrente a requerimento do referido Boni-
facio que monido de um formal do partilha
falco conseguio Hundir o mecritissimo, Ju-
iz que ordenou a anrehensao ; e como tudo
esteja j desfeito, ef abaixo assignada conse-
guisse outro mandado de aprehensao a seu
favor e nao se haja ainda executado este por
oceultarem o mencionado escravo a abaixo
assignada faz esteannuncio a fim de previnir,
que alguem seja engaado com o falgo formal
de partilha de que falln, a rogo de Mara
da Paixoe Mattos, Firmino Joz,e de Mattos.
COMPRAS.
tsr Um moleque de naca benguella de
12 a 13 annos sem achaques : na ra da
Boda venda com frente amarela.
ar As fbulas de La Fontaine em fran
cez : na ra Augusta n. 8.
tsr Um quarlo para cangalha que seja
novo e sem achaques: na ru de S. Fran-
cisco caza em que mora o advogado Joze Nar-
ciso Camello.
tsr Uns caixoes para amostra de venda;
quem tiver annuncie.
== Compra-se armacoes de camas de vento,
na ra da Crus arma/.em de trastos N. 31.
"vendas!
tsr Amendoas doces sem casca a 200 rs.
a libra, e a oa rs. a arroba :. na ra Nova bo-
tica de Domingos da Silva Teixeira.
tsr Urna negra de naco de 24 annos ,
bonita figura cozinha bem o ordinario, en-
gomma lava de sabo e var relia faz doce ,
e refina assucar : na ra de Hortas n. 46.
ts^ Mr. Nicolle Francez ltimamente che-
gado de Franca tem estabelecido na ra do
Passeio D. 12 junto a caza nova do Sr. Cu-
nda Guimaraes um armazem de liquido de
todas as qualidades, comosejo vinho de Bor-
deaux em meias pipas dito dito em garrafas ,
pelo prego de 200 reis ate 1 # reis cada urna ,
vinho muscalel fronlignam em caixas de 12
carrafas agurdente de Ira rica de todas as
qualidades dita em conservas de morangos ,
roma licores os mais linos e muito bem sor-
ullos kirschenwosser absinthe a muito
apreciada agoa de flor de laranja" &c. azeire
doce de muito superior qualidade de nice em
cestas de 12 garrafas, conservas de varias qua-
lidades ; assim como sardinhas, ervilhas ,
saussisses champgnons cepes al'liuille ,
truffes de pesigard &c. caixas de sailaisous
em i2 frascos sortidos, bem como azeitonas ,
pepinos pequeos, alcaparras, tum seholi-
nha pequea cneharas ; muito bom queijo
da suissia e excellentes charutos chegados
ltimamente da baha : e mitras muitas cou-
zas proprias para o deliciozos lempos da festa ;
ludo por commodos precos ao oleance de todas
as classes.
Uf- Duas arrobas de banha de porco a 320
e em retalho a 540 : no assougue defronte da
cadeia.
las por proco commodo: na ra eslreita do
Rozario armazem D. 30.
tsr* Urna pquena casa terrea na rna do Jo-
go da bola em Olinda chaos proprios e mais
urna porgfio de terreno para o lado direito, p-
timo ou para plantar ou para edificar outras
moradas ; tudo por prego rasoavel : na ra
de Mathias Ferreira sobrado n. 11 na mesma
casa salustios tradusidos ao p da letra ;
Resuraos de Arilhmetca para o U90 das me-
ninas, offerecidas as Professoras Publicas des-
ta Provincia a 240 reis ; e ditos de gram-
matica portuguesa porS. H. de Albuquer-
que a 640 reis.
tsr Azeite de carrapato a 2j a caada e
280 reis a garrafa : na ra Augusta ir. 8.
tsr A historia de Pamela Andrewes, ou
a virtude recompensada : na ra da Cruz Bo-
tica do Snr. Luiz Pedro das Neves.
tsr Urna escrava ja de idade cozinha o
ordinario de urna casa, muito fiel nao foge
nem bebe o que so pode afiiancar, pelo pre-
go de 120* por ser fraca figura e tambera
se troca por um moleque ou negrinha de 12
annos : no atierro da Boa-vista D. 39.
tsr* Dous pretos de muito boa figura mogos
sendo um crelo e outro de nagao : na ra da
Cruz n. 23.
tsr* Bombas de ferro: na ra da Cruz D. 6i.
tsr* Um bonito moleque de idade u'e 16 a
18 annos de naco angola os pretenden'tes
podem dirijir-seao entrar da ra do Rangal 0,
5 que acharo cora quem tratar, e sendo pe-
la manh melhor e no mesmo sobrado tam-
bem se vende urna bonita escrava da costa ,
e de entre algumas habilidades, que tem urna
dellas he de engommar, tambem se vende
outra escrava propria para servigo de engenho
por ser muito possante.
tsr Por preciso urna escrava perita en-
gommadeira boa figura idade de 22 annos,
o outras escravas, e escravos e dous mo!e-
ques : na ra de Agoas verdes D. 38.
tsr* Barris com viudo de feitoria o mais su-
perior possivel da colheita de 1834 e j muito
claro : armazem de Machado & Santos ou a
fallar no pateo do Carmo venda N. 1.
tsr* Azeite doce de Lisboa de superior qua-
lidade a caada por 430 e a garrafa a 560 re-
is : na ra dos Quarteis 0. 5 na mesma ca-
sa tambem se vende um cavallo castanho mui-
to bom passeiro e galopiador.
tsr* Ainda se vende o engenho da Concei-
gode Muribeca esodesejo, que tem seu
dono di." comprir seus tratos o faz desfazer-se
deste predio alias bom: quem o pretender
dirija-se a tratar com seu prorielario que
actualmente se acha alojado em casa do Sr.
Juiz do Civel Nabuco na ra Nova.
tsr* Duas duzia de taboas de iouro e de a-
sualho de superior qualidade : na praga da
Boa-vista D. 16.
tsr* Um terreno de propriedade no lugar
do atierro dos Affogados do lado do nascen-
te, com 220 palmos do frente, e mais de oOfJO
de fundo : na ra Direita sobrado n. 54.
tar* Um ptimo silio no lu^ar da barreta
com casa muitas fructeiras Ierras para ca-
pim e mais planlages terreno proprio para
vaccas de leite por prego commodo : na ra
da Florentina em urnas das cazas de Joo
Zurrik que fica confronte a de D. 13.
ESCRAVOS FBG1D0S.
tsr Fugo no dia 30 passado o preto Anto-
nio de nago bambahuhira alto, magro ,
representa 30 annos de idade denles aber-
tos, credas furadas as faces laldadas de infei-
tos de sua trra bem como lodo corpo ps
inchados cor amarellada : quem o aprehen-
der leve-o a restilaco de Santa Rita que ser
bem gratificado.
tsr No dia 5 do corrente fugio um preto
por nome Francisco canoeirode nagao cam-
buta de estatura ordinaria cara redonda,
com algunssiguaes de bexigas os olhos um
tanto vermelhos mose ps muito curtos,
e muito regrista, e dado a valenle quando
est com a cachaga levou camisa e serou-
las de algodao e chapeo de palha 1 lenco
amarrado na cabega d-se urna generoza
gratificago a quem o pegar e o entregar na
padaria da ra dos Quarteis da polica.
tar* Desapareceo no dia 5 do corrente mez,
de Oulubro um moleque de nome Francisco ,
de idade pouco mais ou menos de 13 annos ,
de nagao rebollo com camisa de chila a^ul
grossa com duas caigas urna de pao da cos-
ta outra azul velha tem um dedo de urna
mSo meio torio embigo grande o dito mo-
leque venda pesinhos na ribeira roga-se a
toda sa s aulhoridades policiaca e capites de
campo que o pegarein de levar na piacinha do
Lvramento D. 26 que ser recompensado.
c^ Um balco novo e morderno com 5
cer-se urna ou mais fabricas das que vo se -ilmos de largo proprio para loj i do fazea -
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. =1842.




DA
RECEPTA E DESPEZA
DA
Administradlo do Patri-
monto dos Orfaos.
DO
l. de Janeiro ao fin de Junho
DE
1842
PEK1TAMBTTCO.
\Ta Ty|>. deM. F. deFaria.
1842.
y


Contada Receita e Despega d;ajWmi#stea<;ao do Patri
1*4
RECE1TA..


Janeiro 3 Pelo que se recebeo do Procurador da Administrado importancia do* rendimen-
tos arrendados ueste mez segundo consta do Liyro i. respettiro. .
Fere-cio a8 Do dito dem idem. ........
Marco 3i Do dito idem idem............
Abril 3e Do dito dem idem............
3:4v4aaS
904U750
95fUi47
4:346^ oo
P

9-633iaa



monio dos Orfos do t. de Janeir ao fim de Junho de 1842.

i84a.
Jnoeira
Fe?ereira>
Marea
Abril
Marco
DESPEZ
a Pelo Saldo a favor do Thezoureiro em 5i do pastado. ...*.
15 Pelo que fe pagou aos Empregados da Administracao importancia de
seus ordenados .vencidos ero dito me/.,...........i
Ais extinelos Congregados suas diarias dem. ......; a
Ao Padre Jote Goncalo, di n\.~ prestacao por conta de suas diarias
vencidas..................... 3
16 Pelo que se entregou ao Director do Collegio dos Orfios para pagamento
dos ordenado dos respectivos Eujpregados do trimestre vencido ora dito
mes....................* -' 4
k Ao dito para as desperas diarias do corrente, ......... 5
Ao Administrador das obras do Patrimonio pata continuacio das despe-
ras ao sen cargo.............'.... ti
iq Pelo que se pagou a os Empregados d'Administracao seos ordenados
vencidos em Janeiro ultimo......'........7
' Aos extinctos Congiegados de suas diarias dem....... 8
2o A o Padre Joie Goncalo da iS." prestacao por conta de suas diarias
vencidas....................9
Pelo que se entregou ao Director do Collegio dos Orfos para as despeas
diaiias do corrente nv.z...............10
k Pelo que 6e pagou ao (Jilo Director de diversas obras de carpira que
mandou faier no dito Collegio. ............ II
9 Aoa Empregados d'Adir.inistraco de secs ordenados vencidos em Feve-
reiro ultimo. ..:...............i
Aos extinctos Congregado de suas diarias idera......* '. '^
lo Ao Padre Joze Goncalo, da i6t preslaco por conta de suas diarias
vencida....................J4
Pelo que se enliegou ao Director do Collegi j dos Orlios para as despeas
diarias do renle met...............*>
8 Pelo que se pagou aos Empregados d'Admiiiislraclo de seos ordenados
vencidos em Maico ultimo.............IO
Aos extinctos Congregados, de suas diarias ideo. 17
Ao Padre Joic Goncalo da 17.* prest a fo por cenia de suas diarias. 18
Pelo que se entregou ao Director do Collegio dos Orfios para pagamento
dos rsped vos Empregados do trimestre vencido em dito mea. ... 19
Ao dito para as despesas diarias do corrente. ........20
Pelo que se pagou ao Theioureiro da Mesa de Rendas internas do 1. se-
mestre financeiro de i 841 a 1842 da Dcima dos predios do Bairro de
S. Antonio. ...............aI
u Ao dilo dito do Bairro da Boa-vista. 2
9 A Antonio Joie Pinto por diversos objettos para expediente d'Adminis-
trdcao comprados 110 auno prximo pussado......*' ". a
10 Pelo que se entregou ao Administrador das obras do Patiimoniopara as
despeas a seo cargo. ...,.......... 24
a5 Pelo que se pagouao Theioureiro da Mesa de Rendas internas do 1.
semestre fioaneeiro de 1841 a 1842 da Deoima dos predios do Bairro
doRecife............. *5
20 Pelo que se enlrogou ao Director do Collegio dos Orfios para a testa dd
MateVnidade de N. Senhora Padroeira dos mesmos Olaos. ... o
13 Pelo que se pagou aos Empregados da Adminislracio ,- de seos ordenados
vencidos em Abril ultimo..... ......27
Aos extinctos Congiegados de suas diarias vencidas em dito mes .. jo
14 Ao Padre Joze Goncalo da 18." prestacao por conta de suas dianas
vencidas.......... "
Pelo que se entregou ao Director do Collegio dos O.faos para as de*pes
do corrente mes. .......
16 Pelo que se pagou ao Padre Vrente Pereira das cusas da Sentenca que
a *eu favor obtirera para se Ihe pagar as diana como Congregado. *l
8-27U5C*
lo4Ul'7
1670400
IOU'jOO
475Uooo
796C58
aooL'oou
io4i65
167U4V0
icoUooo
7o6Uat(>
40U000
io4Ui65
l5l20o
100U000
775U9"6
104U170
i67U4oo
ooUuoo
475U000
757U34i
i3i535
48U974
14U960
aooUoco
905U592
3ooooo
io4Ui65
114U000
100U000
78826
25893
9:5()485


*84a RECEITA.
Transporte. g:ti33Uiaa
Mato Pelo que se recebeo do Procurador d'Adajinistracio importancia dos rendimen-
tos arrecadadoa neste mess segunda consta do Livo i. respectivo. 643o8fc
Junho Do dito dem dem..... ........i:oi4lJ6l5

n:agoU8ai
O Padre Domingos Ger
Presi
Laui entino Antonio
Escii
Joo Krancis
Thezou

Francisco Xavier
Procu
Antonio Rodri
Forne
i


i8it DESPEZA.
Transporte.
Maio 16 Pelo que se pagou a Maiioel Figueiroa de Faria pela itnprcssio, papel, c
destribuicio do Relatorio ecenia da Administiaclo de 11 deJunhoa 3i
de Dezembro da anno prximo pastado..........3a
Junbo lo Aos Empegados da Adminislracio, de seos ordenados vencido era Maio ult. 33
c Aos ex I i netos Congregados de suas diarias idem. ......... 3 II Ao Padre Jote Goncalo da I9. prestacio por conla de suas diarias ven*
cidas....................35
Ao Ekcripluraiio d'Admiuslraca< de diversos objertos para o exepdienle
d'Adminislracio e despetas miadas............36
Pelo que .<_ entregou ao Director do Cillegio dos O laos para as despetas dia-
rias do corrento tnet. ... .'.*.. ... 3 15 Ao Administrador das orbras do Patrimonio, para continuacio das despe-
as a seo cargo..................38
ai Pelo que se pagou ao Padre Vicente Pereira da 1. e 2. prestacio por
cunta de suas diarias vencidas............. 3g
aS Ao Solicitador d'Adminislracio do accretchno de seo ordenado a 5oUooo rs.
de 8 de Abril ao tim de Maio...... <......4
Ao dito sendo 34Uq5o rs. por saldo das despezas judiciaes por este feitas ,
e 81 Uooo r.-. para continuacio das mesnaas. ......... ^i
Pelo que te abona ao respectivo Tbetoureiro importancia diversos ob-
eclos que comprou para a aula de primeiras letras do C llegio dos Or-
laos. .................4a
Ao dito idem para a aula de Msica do dito Collegio. 4^
De ballanco por saldo do dinheiro existente em caixa. i ..... .
9:256U45
80U000
io4Ui65
117U80C
I00U000
5852
76aU466
100 Uooo
aooUooe
736i
|i!4U95.
I
3396e
35Uaeo
10:97011907
31911916
m
11:39011825
mano Affonco Rigueira
dente.
Moreira de Carvalhe
vio.
co de Cbaby
reir.
Pereira de Brito
rador.
gwe de Almeida
ceder,

r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXX8XGZSN_786Q6O INGEST_TIME 2013-04-12T22:11:48Z PACKAGE AA00011611_04790
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES