Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04787


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/
Annode 1842.
Quarta Feira 5
Tildo acor* depende de na moa ; da ossa prudencia aioderaco e eaergia : Con-
(inaemna coaao priaeipianoi e terenea aponladoa cum admiracao enlre aa Nacdea naia
|>U|US. (Proclaasacio daAssemblla Geral do iratil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Gniaana Faraib e Kiu grande do Norte, segundas e sexta feira.
Booilo t Garanhuns, a 40 e 24- ... a
Cabo S"'>'<'",em i ^' F^nnota Porto Caira Macei e Alagoas no i. 11,
Bua-visl e Florea 43 r 28. Sania Anlao quintas feiraa. Olind lodos oa dias.
DAS DA SEMANA.
,. Candido M. And. d> J. de D. da 2. r.
s. Francisco de Assis P riaroliti. Re. And. do J. de D. da 1. v.
t. Placido e seo rom Mm. Aud. do J. de D. da 3. v.
,. 'truno Fundador. Aud do juii de 1). da 2. V.
,. Marcos P. And. do J. da D. da i', r.
s. Erigida Prinr.-za Viu. Rali Aud. do J. da D. da 3. T.
O Patrocinio dn S. Joie
3 Se*,
4 l'erc.
5 Qjart
li (juint
7 Sexl.
* Sab.
9 Dom.
de Ontnliro. Anno XVIII. N. 214.
O Diario publiea-aa lodos 01 dial que nao forem Santificados : preoo da asignatura ha
de Irea mil reis por quartel pagos adianlados. Oa annuncios dos assignanles ajo inserido,
praiis e os des que n n.iii forem raio de 80 reis por linlia. As recUmaciVa derem ser
dirigidas a esta Tipografa ra daa Cru/ea D. 3, au a praca da lndeuendrncia luja de |mil
Numero 37 r. 18. ~
CAMBIOS no da 4 deoitibro. compra venda.
Cambio sabr Londres 25 \ Nominal.
a> Paria 375 raiap. franco.
Liaboa 400 par 100 nominal,
Moeda de cobre 4 a 5 por 100 de d.aconto.
dem drlstru da boas firmes 1 \ a \.
Odio- Moeda da 6,400 V. l.',700
. N. 15.60J
. da 4,000
PaUTi Patacea
Petos Columnaraa
a dito Mexicanos
miada
8.800
.N20
1,820
1,820
i,M0
45.1KK1
45.7O
0.000
i, si'
i ,m
1.84
1,680
Prtamar do dia '> de Outubro.
s)."ali horas f m. da manhS.
2. a 6 horas e 30 m. da larde.
PHASES DA LOA NO MEZ DE OUTUBRO.
Loa Nora a 4-- ia 4 horas e 6 m. da ntanh.
Qnarl. crcac. a 11 -- ac 4 horas a 22 m. da msnh.
La ebeia a 19-- 4a 8 horaa a 53 m. da nianh.
Qnarl. ssinR. a 26 il 40 horas a 23 m. da lard.
DIARIO DE PERNAMBUGO.
! GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 50 DO PASSADO.
Officio Ao director do arsenal de guerra,
significando que faej. apresentaraocommis-
rio fiscal a relacoque era costume fazer-se,
dasdespezas miudas e mu diminutas d'a-
quelle arsenal para que por ora so nessa
relac/,o e nao em cada um dos pequeos bi
Hieles proceda elle (iscalisaco alim de
por-lhe o corrente : que espera a Presi-
dencia evite S. 8/ o mais possivel a neces-
silade d'essa relago fazendo comprar em
maores porgues e com as formalidades pro-
prias de executarem-se as instrnecoes do mi-
nisterio da guerra de 10 de Outubro do an-
uo passado, todos aquelles gneros que or-
dinariamente o arsenal gasta : que a fiscali-
saco dos procos nao envolve o direito de re-
cusar o fiscal o pagamento do particular que
vendeo o genero ; mas somente o de impe-
dir a continuado do abuso que poi ventura
appareca dando parte do que observa ; co-
mo se declarou em officio da Presidencia
S. S.a dirigido, com data de 16 d'este mez
( Setembro ) : e que no dito officio j foi re-
soivido quando divia por o Fiscal a sua no-
ta nos fornecimentos de gneros para os bata-
llioes fortalezas e mais repartieres que
ten de ser abonados aos almoxarifes ; pro-
cesso este que nao embaraza a fiscalisago ,
quedeveser feita sobre os pagamentos d'es-
ses gneros, quanJoos requerem os particu-
lares que os tivorem vendido.
Dito Ao inspector da thosouraria da fa-
zenda intelligenciando-o doconteudo no an-
tecedente officio.
Dito Ao mesmo ordenando que re-
mella com urgencia um orcamento de toda a
desposa que deve sor feita nao s com os
jui/.es de direito das diversas comarcas d'esta
provincia como com os juizes municipaes ,
de orpliiios promotores pblicos e toda
a mais que pertencer ao governo geral 5 a
fin de ser enviada secretaria de estado dos
negocios da justica at o lim de Outubro fu-
turo infallivelmente para se formar com exac
tido o orgamento geral d'aquelle ministerio ,
que deve ser presente aocorpo legislativo em
n sua prxima reuoio.
Dito__Ao delegado supplente do termo do
Liruoe.ro devolvendo os documentos, que
acompanharo o seo officio de 22 do corrente
( Setembro ) noqual consulta a presidencia
sobro o que deve proceder respeito de Joze
Virissimo de Souza preso pelo subdelegado
supplente d'aquella fieguesia, em consecuen-
cia de urna precatoria da villa do Brejo o
qual pedio-lhe mandado de babeas Corpus
e declarando que nao Ihe compete deferir
a dita preteneao por nao ser o delegado ,
mas somente'o juiz de direito e a relaco
os superiores legtimos para concederem ba-
beas corpus aos individuos presos por or-
dem dos subdelegados como claro no ar-
tigo 438 $ 8. do regulamento numero 120.
fritosAo commandante das armas-, e
ao inspector da thosouraria da fazenda, com-
municandohaverS. M. o Imperad ir deter-
minado por aviso da secretaria da guerra de
i) mita mais as pracas de pret quando mar-
cliao odeixarsuas familias o seo respec-
tivo sold ou parte d'elle; por ser urna tal
permisso alem de abusiva prejudicial ao
servico por dificultar os descontos que
os sidos d'aquellas pracas esto sujeitas ,
quando por doentes entro nos hospitaes (
existo nesta provincia pravas vindas de ou-
tras onde tenbo deixado seos sidos se-
j3o incluidas no respectivo pret contar da
data d'aquella ordom cm diante.
Ditos Aos mesmos participando haver
S. M. o Imperador mandado declarar por a-
viso de o do corrente ( Setembro ) que fin-
do o prazo de selle annos marcado para du-
raco dos cava los que se abono aos offi-
ciaes do exercito, a quem elles competem pe-
los seos exercicios nao ha direito para se a-
bonar nova remonta que s se concede por
urna vez quando os officiaes entro om ex-
ercicio a que competem cavalgaduras ; e
que quando dentro do mesmo praso passfio
ter otilro exercicio que tambera compitio
cavalgaduras nao tem direito a novo abo-
na e devem continuar servir com os ca-
vallos j recebidos.
Dito Ao inspector do arsenal de mari-
nha ordenando em cumprimento do aviso
da secretaria da mariuha de 5 do corrente
( Setembro ) que forneca ao capito de
mar e guerra Antonio Pedro de Carvalho ,
em commissao as provincias do Para e Ma
ranho copia das guias e notas relativas
ao primeiro tenente Manoel Ignacio Orino .
quer dos seos embarques, e desembarques
nesta provincia quer das quantias que
tiver recebido poraquelle arsenal.
Dito Aocirurjjio encarn>gado da vac-
cina determinando, que remella secre
taria da Presidencia algumas laminas de pu*
vaccinieo para serem enviadas ao encarre-
gadoda vaccina em S. Anto.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda dizendo expela suas ordens para
que seja indemnisada a caixa das economas
to batalbao provisorio de trez mezes de sold
quo mandou adiantar o commandante das ar-
mas aos primeiros cadetes Luis de Albu-
querque Maranho Estevo Paes Barreto ,
I,ourenc.o Joze da Costa Vasconcel'os Mano-
el Thomaz de Albuquerque, e Bento Joze
da Costa e aos segundos loze Francisco Soa-
res e Joze Antonio Pessoa do Carvalho, que
seguiro para a corte.
Dito__Ao supramencionado commandan-
te das armas, scienlificando-o da expedido
la precedente ordem
DitoAo inspector da thesouraria da fa-
zenda transmittindo a ordem do tribunal
do thesouro sol) o numero 81.
Dito Ao comman Jante das armas or-
denando que mande addir al um dos cor-
pos de primeira linha afim de que por elle
recebo os seos vencimentos contar do pri-
meiro do corrente ( Setembro ) al que sejo
reformados os soldados doantigo corpodos
municipaes permanentes Alvaro de Luna
Freir e Francisco Xavier de Freitas que
ficarao estropeados na guerra de Panellas.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda intelligenciando-o da expediego da
ordem antecedente 5 e determinando que
mande pagar aos supracitados soldados os ven-
cimentos do mez de Agosto.
DitoAo commandante geral do corpo
de polica communicando o conteudo nos
dous ltimos officios.
Dl0 Ao Engenheiro em chefe das obras
publicas significando que nada mais tem
a dizer-lhe acarea do seo officio datado de
23 do corrente ( Setembro ) alem do que j
Ihe declarou em officio do 19 do citado mez
sobre o que representou respeito do forne-
cimenlo da trra necessaria para os atierros
da estrada de Parnameirim.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda ordenando que mando indemnisar o
arsenal de marinha das despesas que por
a da segunda em 1 :20,>800 reis e a da 3.
em 1:857j(250 reis; alem da quantia de
*9275 res-, que devera ser abatida da im-
portancia do seo fretamcnlo.
Dito Ao inspectur do arsenal do mari-
nha, participando ter expedido a ordem an-
terior.
Ditos Ao Presidente interino da rea*
g3o eao inspector da thesouraria da fazen-
da communicando ter sido nomeado desem-
bargador da referida relaQo por S. M. o Im-
perador o bacharel Bodrigo Antonio Montelro
de Barros.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda determinando em consecuencia de
requisiQo do Presidente da Paraiiiba que
continu a pagar companhia provisoria da
mesma provincia na forma at aqui prali-
cada.
Ditos Ao mesmo, e ao director interi-
no do curso jurdico d'Olinda scientifican-
do-os de haver S. M. o Imperador determi-
nado que Picando sem effeito na parle res
pectiva o aviso de 26 de Fevereiro de 1838,
se restabelega o lugar de official ajudante do
bibliotecario do mencionado curso juridico .
com o vencimento annual de 600, reis: e
nomeado para o dito lugar Joze Eustaquio
MacielMonteiro.
DitoDo secretario da provincia ao su-
pramencionado Maciel Monteiro intelligen-
oiando-o de sua nomeaco afim de que sol-
licite o competente titulo na secretaria de es
tado dos negocios do imperio.
COMMANDO DAS ARMAS.
EXPEDIENTE DO DA 28 DO PASSADO.
conta do Ministerio da guerra fez com as bar-
iiiiiniln or doentes eiurao nos iiiiiii So pecas de fardamenlo e- cas de vapor =Paquele do sUl=Gu.mau=
quando inui.iiis.iu fv___ r vindas ao porto desta cida-
quipamento ou armamento ; assim como
que cessem todos os abusos d'esta natureza ,
jue aqui lenbo occorrido } e que quando
e = Ipiranga = vindas ao porto desta cida-
de em commissao do governo imperial im-
portando a da primeira um 87#33 reis,
Officio Ao Exm. Presidente para que
houvesse de mandar abonar ao lenle J.
A. Pimentel tres mezes de sold adianlados
comprehendendo o expirante e nao s a
elle como a cinco cadetes de primeira clas-
se que embarcavo para a corte no vapor =
Ipiranga = as competentes commedorias
de embarque.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. commu-
nicando-lhe que pela caixa de economas
do batalho provisorio linha mandado abonar
a 5 cadetes de primeira classe e a 2 do so-
gunda que seguio para a corte tres me-
zes de sold adianlados e que nc ultimo
pret deste mez e as relages de mostra se
tirasse a importancia deste abono afim de
sera caixa competentemente indemnisada;
expedindo S. Ex. suas ordens neste sentido
a thesouraria.
. Dito Ao mesmo Exm. Snr. remet-
tendo-lhe em proprio original o officio que
em data de 14 do corrente dirigir o capito
commandante da forra expedicionaria a Pa-
je de Flores.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. pariici-
pando-lhe que em cumprimento de suas
ordens lico nesta data embarcadas no vapor
= Ipiranga = 1 tenente e 160 pracas de
pret do batalho provisorio levando todas
uniforme pequeo e equipamento.
Dito Ao major Joo Paulo Ferra dan
do-lhe d'ordem do Exm. Snr. Presidente:
esclarecimentos sobre os auxilios que deyia
prestar as autoridades policiaes do munici-
pio de Olinda, afim de evitar (como succe-
deo na noite de 22 do corrente ) que o sub-
delegado de Maranguape com urna forca de
40 pracas a pretexto de servido fizesse
vexacoes e causasse terror ao povo cora a-
parato bellico desnecessario.
Dito Ao commandante do destacamen-
to de linha do Bio-formoso remettendo-lhe
pelo sargento F. A. da Costa a importancia
de lo dias de vencimenlos adiantados para
o referido destacamento, prevenindo-o que
o capito Adelo se retirara a capital, com
todas as pracas de caladores.
Dito Ao tenente coronel commandante
do batalho provisorio mandando abonar
tres mezes de sold adianlados aos cadetes
de primeira e segunda classe que embar-
cavo para a corte devondo no pret ultimo
desto mez e as relacoes de mostra tirar
da thesouraria a importancia deste abono.
Dito Ao mesmo, para que pelas A ho-
ras da tardo embarcasse no vapor = Ipiran-
ga = as 160 pravas que sob o commando
do tenente Pimentel devio seguir para a
corte levando todas o soo uniforme peque-
no c equipamento devendo dellas formar
urna relago nominal com declararlo dos
objectos de fardamento, e equipamento o
socorrimentoquelovavo afim do ser en-
tregue ao mesmo tenente.
Dito Ao tenente coronel commandanto
do batalho de infantariade guardas nacio-
naes destacado exigindoum maj)pa de to-
das as pracas do mesmo batalho com de-
claraQo dos corpos a que pertenco afim
de saber-se se elles tinho J remettido o
numero de pravas que Ibes foi marcado pela
Presidencia.
PortaraMandando excluir do batallifio
provisorio as 100 pracas de pret, que nesta
dataembarcaro paja a corte, cujos nomes
constava da relaco que se remettia ao res.
pectivo tenente coronel commandante.
dem do da 30.
OfficioAo Exm. Presidente participan-
do-Ihe que tendo transmitido ao major
commandante da forca estacionada em Olinda,
os esclaremimentos dados em seo officio de
26, acerca dos auxilios que devia prestaras
authoridades policiaes daquelle termo 9
feito-ihe sentir a raso por que se davo taes
esclarecimentos, o mesmo major responde-
r como vera do officio que em proprio o-
riginal apresentava ; isto, que nenhuma
forca linha prestado ao subdelegado de Ma-
ranguape e que era falso e pura calum-
nia o ter elle feito vexaertes e causado sus-
tos ao povo na noite de 22 do corrente sen-
do oerto que elle major sido a respeito dos
auxilios asss escrupuloso.
Dito__Ao teen te coronel commandante do
batalho de infantaria de guardas naoionaes
destacado,comraunicando-llieo indeferimento
dos guardas Joo Joze do Santa Anna Hen-
rique Pereira Gomes Joaquim Theodoro do
Espirito Santo e Francisco Joze da Encar-
naco que pedio ser excluidos do batalho,
por motivos que o Exm. sr. presidente nao
conciderou attendiveis.
Dito__Ao Doutor presidente da junta de
saude exigindo urna segunda va do pare-
cer por ella dado acerca de varias pracas de
linha que foro propostas para reforma em
Agosto de 1811.
Dito__Ao major commandante da fortalesa
de Tamandar ordenando-lhe, que Ihe
mandasseapresentar no da 29 do corrente ,
para ser inspecionado no dia 30 pela junta de
sande o almoxarife Damio Joze d'Albu-
querque afim de sor proposto para reforma.
DitoAo major J. P. Ferreira disendo-
lhe em resposta aos seos officios de 28 e 30
do corrente que assentara praca o recruta
Manoel Ignacio do Rozario j que at agora
nao Ihe fora entregue o recruta Silvestre
Francisco Pessa e finalmente que a bai-
oneta do cabo Manoel Nobcrto tendo sido
quebrada em servio devia recolhe-la a
reserva para em lempo opportuno ser man-
dada para o arsenal de guerra.
Dito:Ao commandante, do destacamento
da guarda nacional do Pao d'Alho, dizendo-
Ihe que pelo pret do mesmo destacamento
devia tirar os vencimentos do guarda Manoel
Joaquim de Santa Anna ate o dia 22 do
corrente ; por isso que no dia seguinto fora
ligado ao batalho de infantaria dc guardas
uacionaes destacado.
PortariaAo tenente coronel commandan-
te do baialhaodc guarda? nacionaesdeslacado,


2
man Jando desligar o guarda Antonio Domin-
es Pereira logo qna llic osse appresenta-
do o substituto, conformo determinara o Exm.
sr. presidente
REPARTKAO DA POLICA.
Parte das occorrencias do dia 2 docorrente.
Participo V. Efc que hontem DftO occor-
reo novidade segundo as partes hoje rece-
idas.
dem do da o.
Participo V. Ex. que hontem pelas 7 ho-
ras da manhil fora gravemente ferido na ra
do collcgio cora algumas baioneladas pelo
soldado da companhia d'artilices Pedro AI ves,
o sargento da mesma Luiz Manoel da Rocha,
commandante ento da guarda da cadea
d'esta cidade a que tambem pertencia o
sohredito soldado o qual s'acha preso ,
tendo sido aquello recolhido ao hospital res-
pectivo.
EXTERIOR.
PORTUGAL.
CMARA DOS EPI/TADOS.
Foro hontem 21 de Agosto recebidas por
Sua Magestade a Rainha as duas Deputaces
desta Cmara a primeira com o fim de A
felicitar pelo Nascimento do Snr. Infante D.
Joo ; e o Presidente da Deputaco dirigi a
Sua Magestade a seguinte allocuQo:
Senhora! = A Cmara dos Deputados ,
anciosa de manifestar a Vossa Magestade o Ju-
bilo de que se sent possuida pelo fausto nas-
cimento do Serenissimo Senhor Infante Dom
Jo3o Dqque d Bja novo e precioso pe-
nhor da perpetuidade da Augusta Dynaslia
de Vossa Magestade com o qual Approuve
i Divina Providencia felicitar estes Reinos ,
resolveo mandar Presenta Real de Vossa
Magestade esta especial e respeitosa mensa-
gem para em nome da mesma Cmara e
da Nacjio de que representante, congratular
a Vossa Magestade por to grato e ditoso a-
contecimento.
k Digne-so Vossa Magestade acolher a fiel
expresso dos sentimentos do re?peilo que
para com a Real Pessoa de Vossa Magestade a
Cmara dos Reputados por esta occazio rei-
tera na Augusta Presenta de Vossa Magesta-
de.
Sua Magestade Dignou Se responder :
Ouvi com muita satisfago a expressAo
dos sentimentos de que a Cmara dos Deputa
dos se sent possuida pelo fausto nascimento
de Meu presa Jo Filhob Infante Dom Joo.
A Cmara dos Deputados, dando um t;io so-
lemme teslemunlto da expresso dos seus vo
tns mostea quanto tem a pcito a prosperi-
dadeda Nacjo e da Familia Real. >
A segunda Deputac/io dirigi mesma Au-
gusta Senhora a seguinte resposta da (.amara
ao discurso da Cora na Abertura da presente
Sesso.
Senhora. != Na magnnima determina-
?o com que Vossa Magestade Attendendo ao
voto nacional espontanea e claramente ma-
nifestado, Houvh por bem Declarar em vi-
gor a Carta Constitucional da Monarchia ou-
torgada porseu \ugusto Pai, de saudosa me-
moria e restaurada custa de gloriosos sa-
crificios a Cmara dos Deputados reconhece
com que alta Sabedoria Vossa Magestade S-
Desvela pela prosperidade da Naco. Esfor-
Qar-sc-ha por satisfazer aoseu mandato, e cor-
responder honrosa con lia nga Je Vossa Mages-
tade concorrendo. quanto em suas attribui-
ees couber, para a consolidarlo da I.ei Fun-
damental.
Compraz-se a Cmara de saber que Vos-
sa Magestade continua a receber demonstra-
eoes de Amizade dos Soberanos Seus Alliados;
ofiU com satisfaeo que apresentarAo as suas
credenciaes os Ministros de Suas Magestades
os Res da Prussia e Sardenha ; e confia em
que o Coverno nao poupar diligencias para
extender as relaces polticas c commerciaes
deste paiz.
A chegada do Internuncio de Sua Santi-
dade a esta Corle enche de prazer a (amara
dos Doputados persuadida Je que assim se
firmar a concordia entre o Coverno de Vos-
sa Magestade e oda Santa 5> concordia m
que tanto interesso a orden publica e a tran-
quillidado das cnnsnoncias. Se para tao
importante lim limito espera a Cmara la
illustracao e virtudes do Snmmo Pontfice ,
tambem" conta com que o Coverno de Vossa
Magestade sustentara os direitos Ja Coros ,
da Naco e Ja [groja Lusitana como fize-
ro os Augustos IVeJecessorcs do^ Vossa Ma-
1 ido
A Cantara guarda respwtosaBwnle a a-,
presentarlo dos dous Tractados celebrados
com Sua Magestade a Rainha da Grm-Breta-
nha um para reprimir o trafico da escra
vatura butro para estabelecer as relaces
de commercio e navegago entre os subditos
das duas Coras; e persuade-se que tendo
sido em ambas consultada a dignidade naci-
onal 5 o primeiro promover a civilisaijo dos
povos Africanos, o o segundoafiancar aos
productos e bandeira de Portugal vantagens
reaes sob os principios do urna eflectiva re-
ciprocidade.
A Cmara dos Deputados examinar
com escrupulosa attenejio o Orgamento da Re-
ceita e Despega do Estado ; e concorrer com
todo o zelo para que se coordene um systema
completo de Fazenda fundado na combi-
naeao da indispensavel economa da despeza
com o maior aproveilamento da receita sem
oppressAodos conlrihuintes ; a fim de conse-
guir*se o necessario equilibrio entre essa des-
peza e receita.
A Cmara observa com satisfaeo que Vos-
sa Magestade Se Digna applicar os seus Ma-
ternaes Cuidadosa sortedas Provincias Ultra-
marinas para que hajo de afiiangar-se aos
subditos de Vossa Magestade nellas residentes
todos os beneficios do rgimen constitucional,
e promover-se os desenvolvimentos dos im-
portantes recursos que daquellas posseses
podero provir : a Cmara estudar pois at-
entamente as proposlasque acerca de tao vi-
taes^interesses o Coverno Ihe apresentar.
c Contribuir finalmente' para o melhora-
mento dos varios ramos da administracAo ,
com todas as forcas qne inspiro o verdadeiro
amor de Patria o desejo de bem cumprir a
missao que lhe foi commettida e a ambi-
qSo de merecer a alta confianca com que esta
Cmara honrada por Vossa Magestade.
Palacio das Curtes, em 18 d'Agosto de
1842. Bernardo Gorjo Henriques, Presi-
dente Antonio Pereira dos Beis Deputado
Secretario Diogo Antonio Palmeiro Pinto ,
Deputado Vice Secretario.
NOTICIA DIVERSA.
Chegro folhas inglezas ate 20 de Agosto.
As noticias dos disCrictos manufacturemos e-
ro satisfactorias, ia-se restabelecendo a tran
quillidade os operarios voltavo ao trabalho,
c nao havio noticias de algum novo distur-
bio que merecesse referir-se ; em consequen-
cia destas noticias os fundos que tinho
soiTrido alguma depresso tornro ao pri-
meiro estado.
A Rainha ia visitar a Escocia como fize-
ra Jorge 4. ha vinte annos havia-se manda-
do reparar o Palacio de Holy Rood em Edim-
burgo ; dizia-se que S. M. se demorara s
14 dias o que seria accompanhada de Lord
WelliDgton e maisS. R. Peel e S. J. Gra-
ham estes ltimos se o estado d'agitacao,
em que so achava o paiz o permittisse.
Loro llill resignou oCommanJo em Ghefe
Jo oxcrcito por doente passou esto a Lord
Welligton. No dia 15 entre as 9 e as 10 Ja
noite achou-so emWindsor Castle um indi-
viduo de 40 annos, que pareca operario e
que se tornava suspeito por se haver intro-
duzido furtivamente no Palacio ; presume-se
que fora movido so do desejo de descancar ,
havendo caminhadn muito de dia, eachan-
Jo opportunidaJe d'entrar no Palacio. Ila-
via chegado a Londres S. A. S. o Duque de
Saxe-Coburgo Gotha.
O projecto de lei de Regencia em F ranga
soflreu algumas leves modificac/ies na Com-
misso e estava-se discutindo : terminro
amigavelmente ns diu'erencas existentes en-
tre a Franca e o Imperador de Marrocos o
qual havia mandado apprehender as munices
e armas compradas em Fez por os agentes de
Ab-El-Kader.
OEmbaixador da Persia na Turqua havia-
se retirado. Segundo urna carta Je Constan-
tinopla inserida na Gazeta d'Augsburgo o
Manifest do Schah tornava impossivel urna
reconciliar o entre as duas potencias.
Segundo as noticias d'Alemanha a esqua-
dra do Egypto eslava a sahir para excrcicio.
As folhas alemas vem cheias de noticias 'in-
cendios ; a pequea Cidade de Talbac jne-
lo a Gotha foi quasi toda consumida por um
incendio ; de 500 casas ca.-o 50. A al-
etea de Bechtof no Wurtemberg sofi'ieu tam-
bem um grande incendio morrerao 5 ere-
ancas.
m Calanita ( Grecia ) tinha-se sentido
outro tremor de trra mais forte que o d'A-
bril ; destruiu a Igreja Je S. Jorge o ar-
i uinon mais oii menos de 40 a 50 edificios.
Rcctava-se prxima erupcao do \eznvio ;
ostava-s" preparartdo a esquaira Jo Re de
les para acoompanhar a Lisboa a Irma
do Re, esposado Imperado! do j>razi!. que
de Lisboa deve ser acompanhada por a es-
quadra do Brazil.
Santanna ( no Mxico ) celebrou o seu an-
iversario mandando soltar os prisioneiros
feitos na expedico de Sancta F com pena
de moriese fossem novamente apprehendidos
com as armas as mos.
( P. dos Pobres. )
PORTO 27 D'AGOSTO.
Carta do Enxota-ces do palacio das
cortes ao barbeiro.
Mestre, em poltica nao ha moral; e quem
se entrega a este inleressante modo de vida
est habilitado para teda aqualidade de obra.
E'i mesmo e mais sou um simples Enxola-
c5es so por andar mettido com os taes po-
lticos ja conheco em mim certa disposiefio
para a pouca vergonha e se nO mudo de of-
ficio ainda hei de ter urna carinha mais es-
tanhada que a mellior cagarola dos tempoe
modernos. Quando meu pai era vyo e que
nao havia tanta poltica a Nagao tinha mais
carcter e o povo mais moral Hoje ha rou-
bos por poltica ha assassinios por poltica !
ha cacetada por poltica ha juramentos fal-
sos por poltica e at ha descomposturas pes
soaes e publicas por poltica Em fim, Mes-
tre o Systema Representativo entre nos o
imperio das paixOes baixas e vis dogmatisado !
E quem mais velhacaras fizer quem tiver
menos vergonha esse a maor notabilida-
de !
Ha tem pos a esta parte que esta Cidade est
sendo urna segunda Buenos Ayres ; com a dif-
ferenga que la manda o Rosas assassinar os
homens c assassin5o-se os cSes! Depois das
10 horas da noite ninguem pode transitar pe-
las ras sem grave incommodo Dada esta
hora comeca a girar pelas ras urna cohorte de
Cidados Soberanos fardados de assassinos e
devadios fazendo montara ao bicho Cao, que
nao tem Cnsul nesta Cidade uns trazom u-
mas redes de corda e com estas tapo as bocas
das ras ; e outros perseguem os Caes at el-
les se embaracarcm as redes Logo que os
tristes caliere uo laco os seus algozes lites ti-
r8o a vida s pauladas e s facadas O mo-
tim que estes carrascos fazem os alaridos das
victimas causo dolorosa sensaco nos habi-
tantes da cidade e por isso correm aonde se
persentem estes motins : ora liberto os Caes,
ora espanco os executores ; e graves desor-
dens se terio seguido, se a Guarda Municipal
nSo acudisse !
Ha das para os sitios do Caes doSodr o
Povo espancou utn destes agarradores de Caes
e o maltractou e at me dizem que levara a
sua facada como muleta Na Estrella succedeo
um caso simdhante Estes executores nAo fa-
zem diflerenca de Caes com eoleira ou sem el-
la. 0 que se querem sao os 160 reis por cabe-
ca. Diz-se que isto para moralisar o povo.
Que se extinguAo os CAs vadios visto que
nAo podem ser Deputados, v mas de outra
maneira menos barbara, feroz e de zangui-
nha.
No Jornal dos Debates de 5 a 8 do corrente
vem urna correspondencia que diz que nos al-
dos Circuios corria que a intriga contra o Es-
partero progredia com born successo! que o
Coverno britannico era connivente ou tornava
tarte nella que o Rodil entrava e que em
breve a Rainha Christina entrara trumphan-
tc em Madrid Julgo, Mestre que isto
maranhAo ; com tudo em Hespanha geral a
idea de prximos movimentos, e se tomo
medidas para rebate-Ios.
O Imperador Ja Russia ao saber da morte
do Duque de Orleans vesto-se de lucio por
doze dias e mandou suspender o grande baile
pelo anniversario da GrA Duqueza Olga.
A semana passada succedeo noTheatro do
Principe em Madrid o seguinte successo : Es-
lava-se representando a Comedia Quinze
annos ha quanJo em urna scena do 2. acto,
em que representavAo os Actores Romas, Sa-
brado e Castanon este foi accommettido de
urna apoplexia fulminante! s us companhei-
ros o retirAo logo da scena e poneos minu-
tos depois appresentou-se o Auclor e disse ao
publico, que porordem superior se dava a
funcgAo por conclnida porque o Sr. Castanon
tinha morrido No dia seguinte o cadver
estava na Igreja de S SebastiAo !
Segund o Noticioso d'ambos os mundos ,
peridico de Nova Vorck Estados-Unidos ,
loi all este anno supprimido o verAo por me-
dida extraordinaria. Nao havia memoria de
terse jamis visto urna estagAo mais fria, de-
sigual chuvosa e tempestuosa como a pre-
sente Passemos agora s nossas colisas e
deixemos as tempestades dos Estados-Unidos.
Na 2." concorreo muita gente s galleras
da Electiva desinquieta por cans do Presiden-
teGorjao, Esto nao apparecoo sendo oceu-
pada a cadeir* da Presidencia pelo Agostnho
Albano. 0 Secretario Reis leu um officio do
Gorjo no qual pedia o desonerassem do lo-
gar de Presidente em raz8o da grande des-
feita que lhe fizera a Snr/ D. Minora Um
deputado fez urna proposta para urna mensagem
ao Presidente pedindo-lhe tomasse assento,
porque a Cmara censurava a desfeita que
lhe haviao feito e nAo Iba dava a demisso.
Contra a mensagem fallrAo o Avila, Mousi-
nho Vieira de Castro Julio e Jos Estevi-
nho na parte tocante censura : a favor o
Castilho Carlos Rento Simas e outros. O
Simas pedio sesso permanente at deciso.
O Jos Estevinho confessou o facto, mas o at-
trbuio ao Presidente.
E por fim venceo-se a proposta do Lopes
Branco isto v nceu-se que o Gorjo cou-
tinuasse a ser Presidente, eque a Cmara lhe
dissesse que elle era muito bom Presidente ;
mas nao se approvou que a Cmara dissosse
que fura muito mal feito descompor o seu Pre-
sidente !!! A Maioria esbofeleou-se a si mes-
ma a Minora lhe cuspio na cara As dis-
eusses tem marchado com ordem e as gale-
ras conservr3o-se pacificas.
Julgo que as Cortes sempro se rao fechadas
no fim da semana corrente. Os nossos ini-
migos tem espalhado que queremos acclamar
a Rainha absoluta, e nao se falla n'outra cou-
sa nesta Capital. O Nacional affirma que em
Cintra haveriao gritos para esse fim isto
mentira. Hontem 23 o Archi-Duque de Aus-
tria foi visitar os Arsenaes da Marinha e do
Exercito. No da Marinha demorou-se bastan-
te examinando tudo rom muita ltenlo ,
mandando a final manobrar dentro do Arse-
nal oCorpo Naval, que lhe eslava fazendo
a Guarda de Honra. Na casa do-Risco tambem
se demorou vendo manobrar os Aspirantes
da Marinha.
Diz-se que haver em breve urna grande
Parada em obzequio deS. A. que alto ,
magro, muito novo e boa figura. 0 Jos Es-
tevinho pedio dous mezes de licen^a ; dizem
uns que tem medo do Gorjo outros que vai
refrescar. A'manh temos Touros fidalgos
que me dizem ser cousa de grande luxo. 0
Principe tem andado accompanhado do D. da
Terceira Ministro da Marinha Ajudantes
d'ordens Major General e um grande Esta-
do Maior.
Seu amigo ,
O Enxota-Ces.
lIl'Rl l)E PERNAMBUCO.
Recebemos pelo hrigue Maria Feliz o Pe-
ridico dos Pobres do Porto at 27 d'Agosto
inclusive.
A Cmara dos Deputados proceda d'um
modo escandaloso as discusses a ponto de
obrigar o seu Presidente GnrjAo a abandona''
a cadera presidencial e pedir a sua exonera-
qo que nao lhe foi concedida mas dirigin-
do-lhea Cmara urna mensagem satisfacto-
ria, tornou a lomir assento. Concluio-seo
debate snhro a resposta Falla do Tbrono a
qual se l no lugar competente. Foro a-
poiados e remettidos s commisses respecti-
vas dous projectos um do Sr. Mousinho con-
tra as sociedades secretas, e outro doSr.
Miranda subsltuinilo nos processos o papel
sellado pele sello de verba &c.
Tinha chegado a Lisboa u Sr. Silvestre Pi-
nheiro Ferreira que foi cumprmenlado por
urna commisso da gacledade Philomalica.
O calor tinha chegado a um grao mui ju~
bidn em Portugal.
VARIEDADES.
CAUTA DO CIDADA KIKIftlKI JNIOR AO BARBEIRO.
Mestre. Vejo-me doudo com o meu Dr. Le
Chevalier de Antunes 0 rapaz come a fran-
ceza vesteafranceza! falla fraiiceza! pas-
seia a franceza e at escarra e dorme fran-
ceza de sorte que ca em casa j se nao o uve
fallar senao cm Monsieur ahaixo e Monsieur
cima Mademoiselle para aqui MaJemoi-
selle para all! E' um louvar a Dos A mi-
nha casa Mestr j se nAo chama casa, co-
mo no tempo de meu Pai e de meu Av : mas
sim la maison Elle tem posto nomes novos a
todas as cousas Quando quer cear nao diz
como a gente vamos cear mas sim >a-
mos souper e quando se vai deitar diz qna
vai coucher Em fim Mestre assim I*""*
me ajude como o rapaz d contigo na casa dos
Orates !
Entre as manas sciontikas que S. S. troi -
xe de Pars, ornadas mais dominantesi a
balda de reformista Elle tem-nie virado a
casa de cima para baixo e de baixO parad-
ina aqu caa acola pinta .' ora gruda pa-


->
9
peis pintados ora quer o chao lavado a sabo-
nete Ante hontem quiz Mr. LeChevalier
corlar o cabello, e chamando pelo gallego [que
j nao gallego mas Valet do chambre ] Ihe
ordenou fosso chamar lo Citoyen Purruquier !
O tal gallego, que mesmo dos de Ponto Ye-
dra, ficou cora cara d'asno sem atinar que di-
abo de animal fosse o tai Citoyen le Perruqui-
er. O meu Dr esquentou-so e disse Sa-
cre nom do Dieu e dando ao diabo o a-
tra/o da nossa civilisaco nao teve remedio
seno dizer-lhe que era o Cabelleireiro re-
metiendo-lhe dous pontaps pela rabadilha ,
de que o gallego nao cou l muilo salisfoito!
O maldicto do Chevalier est estragadinho
de todo Elle pucha Lord que tem diabo!
quiz que eu lhe comprasse um cavallo, a que
elle chama mon cheval; mas nao o quiz de
rabo comprido porque dizia elle o rabo
comprido cheirava a portuguez ; mas sim de
meio rabo a que poz o nomeda minha ll.ir-
sa E nosatisfeilo com os arreios de prata
tomou um rapaz pequeo para tractar do ani-
malejo ; este rapaz chama-se o Jockei e ga-
lopa atrs de Mr. LeChevalier com osseus
calcOes amarellos Nao contente porem do
chaval e do Jockei quiz tambem um cabriolel,
para dar osseus passeios sanitarios e recrea-
tivos at quinta que elle chama o sec Cha-
tau !
Mestre milito custa ter um lilho formado
em Paris! E' verdade que o rapaz honra me
as barbas ; pois alm de vestir com milito
gsto encyclopedico como elle diz. Sabe
Medicina por msica pois por ora o que elle
faz tocar flauta Ergue-se quando os Pc-
dreiros janto ; lava a cara com agoa de co-
lonia; fnza o cabello Nazarena; alisa o Pas-
sa-piolho ; caiga os cpalos do polimento; en-
ia as caigas de setineta ; pega das luvas ; as-
sobia ; fuma ; toca flauta ; e se acaso me vi,
apenas diz, Bon jour! e vae-se com o tal Bon
jour pela escada abaixo al o diner que c
entre nos querdizer ateas horas do caldo !
E' um gsto ve-lo jantar Elle entra as-
sobiando a Marselheza Faites servir le di-
ner diz elle criada depois virando-se pa-
ra mim e para as manas diz Asseyez vous !
que o mesmo que senlai-vos. Repartindo
a sopa me diz Mon pere voulez vous un
peu de soupe ? por mais que lhe pego que
sedeixe dessas francezices eme falle em por-
tuguez, ne pas ne pas, o que me respon-
de, em piscando o cilio s manas que j se vo
ufraucezando sollrivelmente. Quer sempre
um prato de poisson que quer dizer peixe!
exige pastellinhos pudim fricass galli-
nhola ecerveja bordeaux e champagne! por
mais diligencias que tenha fe i to para elle be-
ber vinho do Porto ne pas possible Diz el-
le que as pessoas do grande tom os fachio
nahles nao uso de similhante liquor que
est reprovado nos Restaurantes de lu pois arruina-nos urna lonea disserlago sobre
a qu-lidade dos Cantos Vinhateiros, nasci-
mento ecrescimento do bigo influencia me-
lanclico-poltica da uva do Douro nos est-
magos scientificos ; e conclue reprovando in
totum o vinho do Porto at mesmo por ser
artefacto nacional, cousa com que S. S. em-
birra limito!
Depois que Mr. Le Chevalier de Antunes
chegou de Paris toda la maison d'este seu
criado anda em urna perfeita revolugo a
anarchia mais completa se estabeleceu no in-
terior do domicilio Mr. Le Chevalier deu s
manas uns figulinos pintados que trazem as
modas mensaes que sahem d crneo inven-
tor dos poralvilhos de Paris. Tudo se anar-
chisou! Iiouve urna perfeita Bernarda no guar-
da-vestidos A (Jiescura deshumanamente
cortou aparou methamorphoseou os ves-
tidos da ultima pragmtica Tirro-se fo-
Ihos e pozero-se folhos, mudro-se as man-
da casa desde que Le Chevalier chegou adoe-
ceu at a criada grave se declarou asmtica
e est toda a noite dejanella para respirar li-
vre e o pobre do gallego nao faz seno quei-
xar-se das hemorrhoidas !
Pelo que vou ouvindo c pela maison o
Dr. opinou que as meninas devio ir aos ba-
nhos da Foz para refrescar a cutis e dar tom
natureza Eis-me mettido em novas despezas
que me atrapadla o orgamenlo. Guiihermina
nao quer ir pelo rio que tem medo das 18
bragas, e prefereocabriolet .do Irmo An-
nicas quer ir de burrinho! A Ermelinda nao
quer ir seno no mnibus para gosar da con-
versagao de certo Dandy que muito engra-
gado e a Certrudinha essa tentada com
agoa e prefere um barco sem tolda. Quan-
do ao Desert se tractou desta importante
questo eu pedi a palavra e n'um improviso
hrilhanto expuz as conveniencias polticas e
financeiras de um carrogSo puchado a bois !
alavras n5o ero dictas saltrSo sobre mim
que me fizero metter a viola no sacco A
Curia Romana n8o gritou mais contra Luthe-
ro e Caivino do que gritro as meninas! At
a mamulla franziu a pona do nariz !
Em carrogAo gritrao todos em carro-
eo Que diria a primeira nobreza que se
nSo fallara no passeio dos Loyos, no Jardim,
no Tivol se as manas de Chavalier de An-
tunes se apeassem d'um carrogo na Canta-
reira Eu disse a Doutora da Guiihermi-
na, voto contra! Apniada, disse a Annicas!
Eu por mim disse a Ermilinda fago o Pa-
p responsavel pelo progresso das mi unas de-
bilidades Eu disse a Gertrudiuhas an-
tes quero morrer que r puchada a bois! Meu
lilho tomando certo tom dogmtico disse :
Isto no soffre discussfio. HAo de ir nao
comofilhas de um anligo mecnico mas co-
mo Irmas de Le Chevalier d'Antunes aspiran-
te Candidatura. Alons Mademoiselles a-
lons : ntre Pere est anachronique !
Em fim Mestre nao ha remedio ; l vai
tndo para a Foz. Nao sei que diabo teem as
naturezas modernas que nao sao como as an-
tigs No meu tempo o nico banho era o
semicupio! tmpora, mores Com a his-
toria da Foz vai tudo c n'uma poeira A cri-
ada grave nao faz outra cousa senSo tirar
guarnigfies e por guarnges nos vestidos que
artistamenle disfargados ninguem os ha de co-
nhecer Com efleito teem sido deshumana-
mente martyrisados! Mr. Le Chevalier j
mandou vir vestidos de tartalana chapeos de
gaze verde dictes de cor de cana d ir tos de
palha de Italia dictos de palha de arroz pa-
ra as encantadoras! Vierfio camizetes cam-
poneza romeiras cambraias, sarjas ca -
chemiras filos, gros de aples franjas ;
botas cor de cinza luvas amarellas dictas
cor de alecrim ; e chapeiinhos de sol, cor de
eclypse Em fim parece que vao para bailes !
Nao se ouve fallar seno em Soires, em Ren
dez-vous em Ronds, em Walsas Em fim,
Mestre, eu nao sou para estas cousas .' Pode
ser que isto seja muito bom mas maldicta a
graga que lhe eu acho E'verdade que de-
pois que o Dr. chegou de Pariz e deitou o ca
briolet e a Horsa ja o meu Barbeiro me d
Excellenca Mas isto de Excellencia nao en-
che barriga e os pintos esUo caros Em
fim i vamos indo.
Seu amigo,
Kikiriki Jnior.
Cap. G. Baptisla Villa com a mesma
carga que trouxe do Genova.
DECLARACA.
COMPANHIA 1)0 DEBERME.
Os Snrs. Accionistas da companhia doen-
canamento d'agoas potaveis para eslacidade,
sao avisados pelo presento para que hajo de
realisar dentro de 50 das contados desta da-
ta dois por cento sobre o valor das aegoes que
subscrevero, por conta da i.' prestago
no escriptorio do caixa da companhia o Sr.
Manoel Gongalves da Silva, na ra da Cadeia
do Recife.
Escriptorio da Companhia 26 de Setemhro
de 1812.
O Secretario
Jos Rento da Cunha Figueiredo.
LOTERA DE S. EEDR0 MARTYK DE OLINDA.
Os bilhetes da primeira parte da primeira
lotera a favor das obras da Matriz de S. Pe-
dro Marlyr d Olinda achaft-se a venda nos
lugares seguintes = Recife porto das Canoas
na taberna doSr. Joze Pereira ra da Ca-
deia na loja do Sr. Vieira cambista e loja do
Sr. CapitSo Joze Gomes Lial; em S. Anto-
nio ra do Colegio loja do Sr. Menezes ra
do Crespo na loja do Sr. Braga D. 7 lado do
sul, ra do Cahug botica do Sr. Mourpira ,
ra das cinco Ponas paHaria do Sr. Carlos
Leocadio Vieira n. 65 ; Roa-vista na botica
do Sr. Joze Maria Freir Gameiro : em 0-
linda nos quatio Cantos loja do Sr. Domingos
Jozp Alves da Silva ; as rodas ando imprete-
rivelmente nodia 21 de Novemhro prximo
futuro na consistorio da Igreja de N. S. da
Conceigo dos Militares e abaixo segu o
plano.
4:000 Rilhetes 8* 32:000.*
Renefieio de 12 por o|o 3:840.*
8 por centona formada
Le Geral......2:5(50,
Sello de 6,000 bilhetes. 480* 6:880j
Liquido Rs. 25:120*
1 Bilhete ;...... 6:000*
1 Dito........ 5:000*
1 Dito ...... 1:500*
i Dito........ 1:000*
2 Ditos........ 500* 1:000*
4 Ditos ..... 200* 800*
8 Ditos ........ 100* 800*
16 Ditos........ 40* 640*
48 Ditos........ 20* 960*
916 Ditos........ 10* 9:160*
2 Ditos 1 e ultimo branco: 130* 260*
25:120*
AVISOS MARTIMOS.
= Faz sciente ao rcspeitavol publico Ma-
demoizelle Zo Popon professora de piano quo
nao he verdade o boato arteiramente espalha-
do (por pessoa interessada a isto) de que a
annunciante pretenda retirar-se d'esla cida-
de ella pelo contrario declara posilivamcn-
te que sobremanera peniorada do bom a-
colhimento, pretenda aqui morar e conti-
nuar as ligos do piano e canloria : ella mo-
ra no atterro da Boa-Vista no primeiro an-
dar da caza onde foi o collegio pernambucano.
*zr Aluga-se um negrq para qualquer
servigo por prego commodo no praga da Inde-
pendencia N. 9 a onde preciza-se d'um caxci-
ro, menino e portuguez : dos que chega-
r.1o a pouco.
= Queni preciznr de urna ama para caza de
homem solteiro ou de punca familia dirija-so
a ra da Piedad* N. 11 no forte do matto ;
sobrado do um andar de fronte da vendada
quina.
tsr Quera annunciou querer comprar o li-
vro Orasio traduzido ao p da letra v a
ra Direita loja de Marcineiro N. 27.
tsr Ofercce-se para ama de caza urna mu-
llier branca quem a pretender procure na
ra do Sebo caza terrea D. 20 confronte o so-
brado de Joanna dos Passos.
sa Roga-se aos Snrs. Joze Guedes Salguei-
ro, Joza Gabriel da Silva Loureiro e Chns-
tovao das Mercez Goncalves Guerra dirijo-
se a ra da Cadeia loja de chapeo sN. 42, que
se lhe dezeja fallar a negocio de seus inte-
resses.
- Roga-se ao mestre alfaiate que o-
ra trabalha na tenda do denhor Manoel
Joaquim na ra das larangeiras, qtieira
quanto antes lever na ra estreita do Ro-
zario a quem bera sabe, a casaca e calca de
panopreto. que tres mezes incompletos
tem em seu poder para fazer abusando con-
tinuamente dos recados e at da propria
pessoa do dono que j est cangado de con-
descender edisposlo a recorrer aos recur-
sos da lei. Se por ventura nao esliver promp-
ta satisfs entregar o pao e cinco mil rs.
que recebeu.
ES~ Quem precisar de urna ama para todr
o servigo de urna caza dirija-se a ra do
Rangel D. 7.
tsr Precisa-se alugar um sobrado que seja
dentro do Recife : quem tiver annuncie.
W Ha no sitio do Cajueiro duas cazas pa-
ra alugar para se passar a festa com mui-
to bons commodos e banho com hanheiro
prompto : quem as pretender dirija-se ao
mesmo sitio para ajustar, eum sitio na pas-
COMMERCIO.
gas e espartilhou se a cinlura do maneira
que as costelas das raparigas se miem urnas
s outraf '
Minha lilha Guiihermina j deita o seu es-
carrinho de sanguo por causa do tal esparti-
lho mas como moda est muilo satisfeita!
O meu Dr. tomou-lhe o pulso, passou-lhe re-
vista lingoa : e fallando muito em Bupuy-
tren, Corvizat, e Brosset, e nao sei em quem
mais receitoii-lht! leites de jumenta toma-
dos boca do cofre isto na nascente. A
Annicas que al aqui venda saude depois
que espartilhou a natureza nao faz seno
quexar-se do seu estomago 0 meu Dr. lhe
fez urna dissertagof papa muito lina ] sobre o
systema das visceras e architectura interior
dos intestinos e lhe applicou agoas frreas!
ahi temos a menina todas as manhs por Ce-
dofeita fra i mais a criada a concertar o esto-
mago. A Ermelinda queixa-se de dcbilida-
.!.-. e a Gerirudiflhaj que anda o anuo pas-
sado dorma com as bonecas j senlo falta
ne respirado Em fim o Seso omiuino c
ALFANDEGA.
Rendimento dodia 4 de Outubro 5:503*8il
DESCARREGAO HOJE 5 DE OUTIBRO.
Barca Ingleza = Thomas Mellors = Ferra-
gens
saba, menteiga, serv ja, bata-
tas presuntos queijos conservas,
carne e fazendas.
Brigue Inglez = Severn = Fazendas fer-
ragens louga cobre formas para
assucar queijos e presuntos.
Brigue Inglez =Amilia Hil = Carvo de pe-
dra.
Patacho Americano = James= Barricas aba-
tidas.
Brigue Portuguez = Maria Feliz = Alhos ,
magaes, vimes ,
abatidas.
selas, e barricas
M0V1MENT0 DO PORTO
NAVIO SAH1D0 NO DA 3.
Bahia ; Polaca Hespanhola Mensageira, Cap.
.1. Mlett carga a mesma que trouxe de
Malaga
SAHIDO no da 4.
Rio do Janeiro ; Barca Sarda Paquete Feliz, J que recobeo.
= Para a Bahia com toda a brevidade o
patacho nacional Flor de Maroim quera
no mesmo quizer carregar ou ir de passagem,
dirija-se a Gaudino Agostinho de Barros, na
pracinha do Corpo Santo D. 67 ou a bor-
do ao capilo do papalina.
r= Para o Ro de Janeiro o lindo, eve-
Ieiro Bergantim Relmpago forrado e
encavilhado de cobre Capilo Joze Antonio
de Carvalho a sabir com muita brevidade
por ter parte do seu carregamento prompto :
para carga escravos a frete, e passageiros ,
tracta-se com Joaquim Baptista Moreira no
su escriptorio na ra de Apollo ou 'com o
Capilo a bordo.
cr Para Lisboa com toda brevidade por
ter a maior parte do seu carregamento prom-
pto o Brigue Portuguez S. Domingos; para car-
ga e passageiros trata-se com o Capilo na pra-
ga do Commercio ou com o consignatario
Thomaz d'Aquino Fonceca na ra Nova
Decima 21.
LEILA 0
= Hoje quarta feira 5 do corren te no
armazem do Fernando Joze Bragues e haver
leilo de urna porgfio de fumo por conta de
quem perlencer.
A VI SOS DI VERSOS.
ts^ Sahioo Carapuceiro n. 54, tractando
das Deosas, isto he; das senhoras, queque-
rem passar por divindades. A variedade he
um pequeo artigo sobre a importancia do
ar de corpo :
ca loja de livros n. 37 e 58.
SST A commisso administrativa da socie
dade Euterpina convoca a sociedade pa-
ra 5.* feira 6 do corrente s 5 horas da lar-
de a fin de deliberar acerca d'um oificia
tsr O abaixo assignado roga ao Snr. The-
soureiro da Lotera a favor das obras da Igre-
ja de N. S. do Rozario da Freguezja da Boa
vista o favor de nao pagar a pesso'a alguraa
o que por sorte sabir em o meio bilhete nu-
mero 741 v por isso que o mesmo abaixo as-
signado perdeo o dito meio bilhete que lhe
pertencia.
Luiz Antonio Rodrigues de Almeida.
cr Manoel Gonsalves Cruz e? companhia
fazem sciente ao publico quedo 1. de Outubro,
em diante a firma de sua casa passa ser a de
Cruz 6i Barboza.
= Aluga-se o sitio na ponte de Uchoa ,
junto da viuva do snr. Amorim com boa
caza de vivenda excellente agoa de bebor, co-
xeira estribara c caza de pretos na ra
nova D. 22 segundo andar.
Aluga-se igualmente por lempo de festa
ou anno o silio na passagem, que foi do padre
Antonio Soares com muito boa caza coxei-
ra estribara senzalla para pretos e baxa
com capim na ra nova D.22 segundo an-
dar.
= Da-se dinheiro a premio em porges pe-
quenas sobre pinhores de ouro ou prata na
ra Nova D. 5.
Aluga-se urna casa com quintal mu-
rado cacimba e cmodos para grande fa-
milia cita na ra de S. Goncalo ; a tratar
com Marcellino Joze Lopes.
GW No di* i3 do corrente an-
dao impreterivelmente as rodas,da
Lotera da Matriz da Boa-vista e
os bilhetes vendem-se nos lugares
do costume.
Aluga-se para se passar a festa ou
morar annualmente, urna caza em Olinda na
i na de S. Joao com cacimba, grande quin-
vende-se na praga da Indepen-i l,a' e"Us com modos a tractar no sitio
^= vi to ; defronte da Igrea do
.
.reja do lupe.
Da-se seis ceios mil reis ,
tsr Da-se seis ceios mil reis a juros de
dois por eento ao mez sobre piphores de ouro,
a saber em porgo? de cem a duzenlos mil rs.;
as 5 Puntes D. 50 e 52 na quina d.o bep'
do marisco,


.4
es Alfredo Mansell Power subdito In-
gle/ relira-se para Inglaterra.
= Quem preci/.ar dn um rapaz hrazileiro
de idade de 15 a 16 minos o qual sabe 1er
escrever e contar pura caixeiro de cobran-
zas ou loja de fazendas ou mesmo de miude-
zas pois j disto t'm pratica dando iador
sua conducta : annuncic.
P1LULAS VEGF.TAES E UN IV ERSAES AMERICANAS.
tsr O nico deposito dellas he em caza de
D. Knoth, agente do Author, na ra da Cruz
n. 57.=: N. B. cada caixinha vai embrulha-
da em seu receituario com o sello da caza
em lacre preto.
= Aluga-se um sobrado de 2 andares e
loja jaa ra Praia, quem pertender, dirija-se
ao forte do Matto prenda de Cameiro Mon-
teiro.
= O abaixo' assignado vende a parte que
tem no sobrado de trez andares e soto sito
na ra dos Tanoeiros em chaos proprios .
2 confronte o trapixe novo : assim como o
sitio denominado sainas na freguezia de Ma-
rangnape distante desta Praga 3 legoas ,
no qual contem caza de vivenda e sen-
zalla de taipas 300 pez de coqueiros ,
bastantes pez de larangeiras e outras fructei-
ras que por poucas se nfio menciono pasto
para gado mato virgem trras encapueira-
das para plantaces noque he muito frtil,
proporcOes para fabricar-se cal preta assim
como sal, lugares proprios de se situarem
viveiros para peixe, e outras proporges que
vista do comprador se dir ; cujas propie-
dades achao-se livres e desembarazadas de
hipoteca ou outra qualquer alienagao; quem
pretender dirija-se ao cartorio do escrivo
Souza na ra da Cruz ou annuncie.
Joo da Cruz Fernandes Souza.
tsr Aluga-se o terceiro andar da caza da
ra Nova D. 10 a tratar na mesma.
tsr O Cirurgio Lino da Penha de Franca,
mu ion a sua residencia para a ra da Ale-
gra caza junto ao chapeleiro.
tsr Precisa-se de urna ama de leite livre
ou escrava com tanto que nao tenba flho :
na ra Direita no segundo andar do sobrado
da quina do beco do Serigado por cima da
venda de Antonio Ignacio da Roza.
tsr O Snr. Manoel Alves Coelho queira
annunciar a sua morada para negocio de seu
iuteresse.
tsr A Commisso administrativa da So-
ciedade Terpsichore, convida aos socios a
mandarem boje suas proposlas para convida-
dos da partida de 15 docorrenle.
st Aluga-se o segundo e terceiro andar
da caza D. 4 na ra da Cruz: a tratar na
mesma.
er Lourengo da Costa Louroiro mestre
all'aiate na ruada Cadeia do Recife precisa
de ofliciaes do mesmo officio.
BP* 0 Sr. que pretende fallar a Manoel Jo-
ze Dantas., dirija-se a ra da Praia caza de
Francisco Joze Pinto Vianna.
tsr Offerece-se urna mulher parda para
ama de caza : quem precisar dirija-se ao beco
de Joo de Barros sobrado de 3 andares ,
onde tem um barbeiro no primeiro andar.
tsr Joze Manoel de Medeiros portuguej
retirarse para a Baha.
t9> No da 2 do corrente desapareceo um
pardinho torro de nome Miguel cbelo ca-
repnhado olhos pardos de idade de 9 an-
uos quem delle souber tenha a bondade de
levara ra do Bom Jess das crelas.
tsr Aluga-se urna preta sendo para o ser-
vigo de dentro de alguma caza : no forte do
mattos padaria de Antonio Maia Cortes na
mesma tem para vender urna pequea por-
code mcldeabelha em caadas e garra-
fa por prego commodo.
tsar Precisa-se de urna criada para
servico de urna caza : na cambo do
J). 11 pnmeiro andar.
VST Quem annuncou no Diario n. 213 um
preto que cozinha o ordinario dirija-se a
ra do Caldereiro sobrado de um andar D. 1.
ss^ Um mogo solteiro de bons costumes ,
se ofTerece para ensinar primeiras letras lo-
ra s praga iem bstanle pratica pelo me-
thodo que foi adoptado noa paizes da Europa:
na entrada da ra do Rangel loja de cera De
cima 37.
jar Furtaro do engenho velho do Jaboa-
to ao amanhecer do da 2 do corrrente
um cavado anda novo com manchas de ro-
dado : quem o aprehender leve-o ao mesmo
engenho que ser gratificado.
tsr 0 Snr. Fernando Antonio Sarment
Maia tem urna carta vinda do Maranho, na
camboa do Carmo D. 11 'primeiro andar.
tsr Quem tiver urna canoa em bom esta-
do para alugar, que possa conduzir 4*000 rs.
d'agoa pouco mais ou menos pode-se diri-
gir cjdaije de Dunda ra do Varadoro yenda
tojo o
Carmo
do Sr. Jos Fernandos da Silva N. 19
ou annuncie por esta folha para se tratar do
ajuste.
tsr Joo Felippe de Souza Lio previne
aos foreiros das trras pertencentes ao vincu-
lo do N. S. da Conceigodos Coqueiros que
su ao annunciante como inventariante dos
bens do mesmo vinculo compete o pagamen-
to dos foros ; assim como os ladennos das
casas que se houverem de vender desde o fa
lecimento do administrador do referido vin-
culo Joo Marinho Falco para o que
tem constituido nesta Cidade por seu procura-
dor bastante a Joaquim Candido Ferreira ,
nico aulorisado para taes cobrangas alem do
annunciante ficando certos lodos os forei-
ros que nao se levar em conta qualquer re-
cibo e licenca que nao sejo passados pelo
annunciante ou seu procurador.
ssr Kalkmann & Rosenmund declaroque
do primeiro de Outubro em diante s vendem
com a condigo dos compradores assignarwm
letras, mencionando os juros de 1 e meio por
cento ao mez no caso de nao serem pagas no
vencimento.
tsr Arrenda-se urna casa, em Santa Anna,
junto da propriedade de D. Marianna conti-
gua a olaria da mesma prxima ao Rio Ca-
pibaribe muito propria para passar a festa .
quem a pretender dirija-se a pracinha do
Corpo Santo D. 67.
tsr Preciza-se de urna pessoa que enten-
da de nogocio de venda para se encarregai
de urna dita fora da praga, de sociedade dan-
do fiador a sua conducta : tambem se precisa
de um pequeo chegado agora do Porto : a
tratar no beco do Peixe frito D. 4.
- No dia 6 do corrente mez de Outubro se
ha de arrematar na portada morada do sr. Dou-
torjuizda 1. vara do civel por execugo de
Manoel Fernandes da Cruz contra seus deve-
dores Joaquim da Fonceca Soares de Figue-
reido e su mulher, os bens seguintes: urna
grande e excellente casa na estrada do Mon-
teiro com um pequeo sitio esahida para
o rio outra grande casa por acabar no lu-
gar do caldereiro tambem com uiu pequeo
sitio e sahida para o rio e tres olarias no
mesmo lugar do Monteiro una pequea com
fornodecozer telha outra grande corn torno
grande e outra com forno de cozer lijlo ,
acompanhadasde umasenzalla, e casa para
feitor ; tambem se arremata urna escrava de
nago da Costa. As pessoas que quiserem
arrematar os ditos predios dirijo-se ao mes
mo lugar do Monteiro para os examinarem ,
e ao porteiro dos auditorios para ver as com-
petentes avaliaces.
zinho, IavSorpa, e boas vendedeiras de
ra 1 dita por 250* reis com as mesmas ha-
bilidades 1 cscravo por 300* reis bom para
todo o trabalho i moleque de 8 annos bom
para servir em urna caza ; na ra d'Agoas
verdes n. 44.
V= Huma maquina de vapor assentada no
Coelho junto com ama serrara ou sem ella, a
maquina acha-se prompta de trabalhar e po-
de ser applicada a qualquer fabrica ou estabe-
ciment que os compradores pertenderem ,
com muita facilidade : quem quiser ver a mes-
ma ou tractar da compra ; dirija-se a casa de
Fox & Stodart ra da Senzalla nova D, 1.
= Urna escrava da costa de bonita figura ;
por prego commodo as cinco Ponas caza
N. 130. .
= Saccas com farinha da trra muito boa
qualidade e por prego commodo assim co-
mo se vende garrafas com serveja preta e
branca de muito boa qualidade garrafas
de licores de todas as qualidaJes oaixas com
passasa 4*5Q0, e a retalho a 200 rs. a libra,
vinho da Figueira a 1920 a caada e a reta-
lho a 200 rs. a garrafa vinho do Porto e de
Lisboa da marca PRR, e outros muitos ge-
eros por prego commodo : na venda nova
defronte de palacio da parte do passeio pu-
blico.
er O melhor taboado de pinho America-
no que aqui tem aparecido at 3 palmos de
largura e 30 e tantos de comprido dito
da Suecia costado costadinho assoalho,
forro de cazas e fundos de barricas, at 30
palmos de com prdo a duzia a 3*200, 4*,
5* 5*500, 6* 6*400, e outros differentes
pregos que a vista do comprador se far todo
o ajuste, assim como se vende a praso con-
forme as porgues : atraz do theatro junto ao
sobrado a fallar a Joaquim Lopes de Almeida
caixeiro de Joo Malheus.
ty Principios de phyziologia medica, com*-
pendi de anathomia pathologica eementos
de anathomia tratado das molestias das cri-
angas o medico das mulheres elementos
de grammatica franceza manual de partei-
nova grammatica de Constancio Dic-
COMPRAS
tsr as obras da Alfandega compra-se
500 caibios de 30 palmos: os prelendentes
entendo-se com o Director.
SS- Para o Rio de Janeiro urna escrava
preta de bons costumes e que seja perfeita
engommadeira e costureira no atterro da,
Boa-vista defronte da Matriz segundo andar
casa do Sr. Carneiro da Cunha e na mesma
casa tambem se compra um carrinho doqua-
tro rodas que seja puchado por um cavallo.
tsr Mos travegas com 40 palmos de com-
prido : e vende-se tambem enchameis de di-
versos taannos e urna trave de 42 palmos;
na ra da Cadeia a fallar com Manoel Joa-
quim Gomes.
= Um moleque de angola que tenha 12 a
14 annos ; na ra da Roda venda com frente
amarella.
= 300 Varas de bico da trra de largura
de dedo e meio at dois ; na ra dos Quarteis
loja D. 3.
VENDAS
= Birris de cal virgem em pedra vinda de
Lisboa que serve para os engenhos em lugar
da Potaga ; em casa de Manoel Ignacio de 0-
liveira na praga do Commercio.
= A armago e lodos os pertences da ven-
da do patio de S. Pedro D. 2 ; a tratar na
mesma, ou na ra estreita do Bozario D. 33.
= Travs de quarenta palmos o um em
quadro de grogura enxamis de louro de 20
palmos urna porgo de caibros de 30 pal-
mos algum taboado de amarelo, de costedi-
nhp assoalho reforgado e assoalho sendo
ludo de boa qualidade ; a tratar com Manoel
Ignacio deOliveira na praga do Commercio.
tsr l!m terreno no lugar do Luca na
esfrada que vai para a estrada nova para a
Varzea com 30 bragas de frente e 3G de fun-
do tem banho do rio de agoa doce grande
baix para capim a trra he muito boa pa-
ra capim de planta : na ra Nova D. 13 e 14
a fallar como AntonioFerreira da Costa Braga.
= 2 Escrayas por 560J reis cada urna co-
ros nova grammatica ne LiOnswucio uic-
cionario de Constancio : no atterro da Boa
vista bolica de Joaquim Joze Moreira.
tsr Um sobrado novo de um andar n ra
do Padre Floriano D. 77 junto ao do Frei
Caetano de 2 andares com soto e cozi-
nha no mesmo bem asneado, em chaos pro-
prios grande quintal murado e cacim-
ba : na ra estreita do Rozarlo no segun-
do andar de urna propriedade de 3 ditos com
loja de marcineiro.
tsr Legislago portugueza Comto, sci-1
encia do Publicista Repertorio das leis ex-
travagantes, Diccionario trilingua, francez,
latim e portuguez Magnum Lexicn, e
outras obras que pouco uzo tem, por prego
commodo : na praga da Independencia n. 9.
tsr Urna pipa arquiada de ferro que serve
para azeite de carrapato por ter servido no
mesmo por prego commodo : na Boa vista
beco do Veras D. 6.
tsr Na travessa do Rozario defronte da
Igreja vende-se todo e qualquer sortimeoto
a retalho ou mais junto Iouga vidrada de
superior qualidade por prego muito commo-
do e de todo osortimento.
tsr Urna preta de 20 annos perfeita en-
gommadeira cose e cozinha para fora
da provincia ; urna negriuha e urna mulati-
nha de 15 annos, e um preto mogo para to-
do o servigo : na ra do Fogo D. 25.
l:5~ L'm sobradinho com bastantes com-
modos em chaos proprios, e fresco., em
Olinda na ra de S. Bento, onde tem botica;
e tambem se aluga por festa ou annual : a
tratar na ra do Balde n. 24.
tsr Superiores charutos e fumo em fo-
lha : na ruado Vigario n. 18, caza de E.
Schaefier.
tsr 3 a 4 quartos cm boas carnes e nao
se deixar de fazer negocio ; quem pretender
annuncie.
tsr Cm terreno com 120 palmos de frente
com alicerces e 140de fundo, a 20* rs. o
palmo no alinhamento da ra da Roda : a
tratar ao sobrado de frente amarela.
tsr Ccnebra de superior qualidade em
barricas de 10 duzias, e em frasqueiras : na
ra da Cruz D. 4.
tsr Redes para tipoia ou sala vindas do
Maranho muito bem feitas e grandes por
prego commodo : as 5 pontas N. 98.
tsr No armazem pequeo de Francisco Di-
as Ferreira no caes de Alfandega se vende em
porgo e a retalho papel branco superior a 2j;
cada resma dito mais inferior a 1800 a
dinheiro a visia.
tST~ Urna morada de caza terrea na ra dos
Copiares n. 20 por prego commodo ; a tratar
na ra da Cadeia voJha n. 14 no (.ercejro an-
dar.
^ SsrOs seguintes Hvrosem pouco ,uso despo -
didada Marechal; Mcielanea ; Novelas ;Ori-
entaos ; Novelas Galantes ; os Martyres : na
ruada camboa do Carmo D. 11 no primeiro
andar.
tsr Essencia de aniz primeira qualidade:
na ra da Cadeia velha n. 14 no terceiro
andar.
r- Urna porgo de fumo ordinario: no ca-
es da Alfandega no armazem da quina do Di-
as Ferreira por prego muito commodo.
tsr- Superior salitre refinado em barricas ,
e a retalho a 200 reis a libra : na ra das La-
rangeiras sobrado D. 3 de Claudio Dubeux.
Urna escrava moga: na quina da praci-
nha do Livramento a fallar com Antonio Carlos
Pereira de Burgos Ponce de Lio.
=Na ra das Cruzes D. i, frente amarella
os seguintes gneros muito em conta :
Superior manteiga inleza a 640 rs. a li-
bra dita franceza a 400 rs. banha de porco
a 440 rs. a libra passas muito novas a 360
a libra amendo-as novas superiores a 360 a
libra vinho do porto engarrafado a 400 rs.
a garrafa dito muscatel a 560 licor a 280 ,
dito em meias garrafas a 200 rs., paios a 2560
a duzia, lingoigas a 300 rs. a libra, prezunto
a 280 a libra bolaxinha a 280 a dita cha
issom a 2560 a dita caf em grao a 180 ,
dito moido a 280 a libra cravo da india a
960 a libra erva doce muito nova a 360 a
dita cominhos a 280 canella a 920 a libra,
spermacete de 5 e 6 em libra a 720 agur-
denle do reino muito forte charutos da Ba-
ha a 1280 a caixa de 200 charutos albos a
640 a reste, e molhos a 140. sebolasem mo-
Ihos a 1100 macarro a 240 a libra talhe-
rim a 260 dita breu a 1000 rs. a arroba ,
pumada a 260 dita, pimenla do reino a 240
a libra, alfazema a 200 rs. a dita queijosa
1100 serveja branca a 440 a garrafa dita
preta a 360 a dita papel almago a 2700 ,
3200 5900 e 5400 dito de pezo a 2900 e
3200 a resma vinhos de todas as qualidades
e outros muitos gneros por prego commodo.
tsr Carne do seno muito boa, em por-
gad e a retalho : na ra da Cadeia do Recifo
D. 35 segundo andar.
ESCRAVOS FGIDOS.
No dia primeiro de Outubro as 9 ho-
ras da manh fugio urna escrava de nome
Mara do gento magra e com as mages do rosto alguma
cotiza ossndas, levou vestido de chita de as-
sento escuro e com palmas, e pao fino pre-
to e condusio urna filha tambem preta de
1 anno porem muito franzina, e tem a ca-
vicula do brago esquerdo quebrado levou ar-
golinbas as orelhas e contas encarnadas no
pescogo; qnern a pegar leve a Sra.do Bngadei-
ro Joze Joaquim Coelho, na ra Nova, que pa-
gar bem.
tsr Fugio no dia 2 de Outubro um mu-
lato de nome Luiz de 16 a 18 annos pouco
mais ou menos cujo tem o.< signaes seguin-
tes ; cabello cachiado rosto com semblante
de quem tem faslio altura regular tem os
dedos polegares dos ps bastante abertos e
urna pequea ferida na canella de urna perna,
levou alguma roupa alem da que levou vestido,
supe-se ter seguido a estrada do Certo por-
que he iilho da Villa do Pombal; quem delle
tiver noticia poder pegar e levar na ra
Nova na loja D. H que ser bem recompen-
sado.
tsr" No dia 2 do corrente fugio um negro
que exista em poder do ahaixo assignado ,
pertencente a Joo Firmino da Cosa Barra-
das cujo escravo se chama Jos calombm ,
preto nago angola representa ter de 50 a
40 annos de idade com cara grande os ps
apalhetados, altura regular alguma cousa
zamba das pernas, levou vestido camisa e cai-
ga de estopa quem o pegar levo-o a casa do
abaixo assignado que mora na ra dos Bar-
beiros bairro do Recife quesera generosamen-
te recompensado.
Luiz Antonio Barbosa de Brto.
tsr Fugio ou furtaro, no dia 16 de
Novembro do anno p. p. um escravo anda bu-
gal de nome Fortunato com os signaos se-
guintes : estatura regular de 50 annos para
cima falla descangada rosto comprido com
bastantes marcas de bexigas principalmente
no nariz com urna pontinha de barba no
queixo cor preta ja com alguns cabellos
brancos ni cabega quando anda levantaos
ombros alguma coliza e anda de vagar que
parece estar doenle dos ps quando desapa-
receo eslava magro ; e levou calca e carniza ja
velha : quem o aprezentar na ra da Cadeia
do Recife D. 35 no segundo andar recebe-
r 100* de gratificago.
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F, =18*2


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGOHNYY7T_C37MU9 INGEST_TIME 2013-04-12T23:12:40Z PACKAGE AA00011611_04787
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES