Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04785


This item is only available as the following downloads:


Full Text
mmm
Annode 1842.
Segunda Feira 5
Tudo agora depende fie fumo ; da pon prudencia moderaran c encrfia : con-
liaaaaMM como unncipiau.oa e aeremos aponlados eos admiracao entre aa NacSea mais
fullas. (Proclamaran ili Assenblca Geni do srazil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
fnianna Paraba e Rio grande do Norte, segundea e icxtas feiras.
Bonito Garanbuns a 40 e 24-
Cabo Serinbaem Rio Formoto Porto Calva, Macei e Alagoaa n i. 41, a
Rua-sista e Florea 43 e 28. Santa Antio quintal feiras. Olinda loaos os diae.
DAS DA SEMANA.
3 s(j. s. Candido M. And. dj J. de D. da 2. t.
4 1'srn. Fnciaco de Assis Pa riarrha. Re. Aad. do J. de D. da i. t.
5 ()j:.'rt a. Placido e seos com. Mn. Aad. dn .1. de D. da 3. T.
li Quii, 'ruao Fundador. Aad do juii de I), da 2. T.
1 Sest. a. Marcas P Aud. do J. de D. da i', r.
8 Sab. Brgida Princesa Viu. Ral. Aud. do J. dt D. da 3. t.
> Do. O Patrocinio da S. Joxe
de OntubriK Anno XVIII. IV. 212.
O Diario publica-se indos os das qne nao orem glntificadoa o prefo da asignatura lio
de tres mil res por quartel pagos adiaalados. Oa annuncina dos ataignantea san inserido*
gralia e oa das que o nao forem raiao de 80 res por linhs. As reclsmac5es deent ser
dirigidas a esta Typografia ra daa tlrur.es D. 3, eu a prsca da Independencia luja de lirroa
Numero 37 e 38.
CAMBIOS ho da i. de o ti rro.
bio
abra Londres 25 Nominal.
Paria 375 res p. franco.
Lisboa 406 par 100 nominal,
Moeda de cobre 4 a 5 por 400 de descont.
dem de letras de boas firmas 4 -J a f.
Ooao- Moeda de (5,400 V. 4 i,700
n. m.-ioi
da 4,000
PT* Pataefiea .
Petoa Colnmnares
dito Mexicanos
miuda
compra venda.
45,'K>
4S.7"0
.ooo
l,s'">
l,M0
4.S4
4,680
8,800
4,S20
4,820
4,8?0
1040
Prtamar do dia 3 Je Oululnr.
4. a 3 horas s 42 as. da manbi.
2. a horas e f> m. da tarde.
PHASRS DA hOA NO ME7, UEOLTCBRO.
Laa Nosa a 4-- is 4 boras e < na. da man!)
Qaart. ereae. a 11 -- ka 'i liaras e 22 ia. da manli.
Laa chiia a 49 a 8 hraa a 5-i aa. da manli.
Qnsrl. ming. a 26 is 40 boraa c 23 m. da Isrd.
PERNAMBUC
EXTERIOR.
Vimos o Evening-Mail ( jornal de
Londres ) que alcanga a 22 de Agosto p. p. 0
Parlamento Inglez foi adiado a i2 do mesmo
mez.
A respeito dos negocios de Portugal l-se
u'aquelle jornal o seguinte :
Lisboa 15 d'Agosto.
As corles serO addiadas por alguns mozos,
qtiando se concluir a uiscusso sobre a res-
jiosta falla do Throno na Cam.ira.dos Dipu-
tados e depois de dado un voto de confian-
za relativo a finanzas. Entilo so completar
a recomposigo do Ministerio. Pde-so an-
nuneiar com alguma prubabilidade qu; os no-
vos Ministros ser Jos Mura de Souza para
os Estrangeiros ; Gurjo para a Jusliga ; e
talvoz o Bario de Leiria para a Marinha re-
cebendo o actual Ministro da Justiga a nomea-
eo de Presidente da Cmara dos Deputados.
Sao estas as nomeagos j annunciadas ha al-
gum tempo como provaves. Com ludo a
crise pode anda .cer fatal ao actual Governo.
INTERIOR.
Temos noticias de Lisboa dades pelo nosso
correspondente ate 15 do Agosto. A Cma-
ra dos Deputados tinha-se occopado por urna
semana e provavelmenlo por mais outra com
a discusso sobre a mensagem. 0 resultado
seria urna immensa niaioria a favor do Go-
verno. Nao havia receio algum de aggresso
da parte da Hespanha. A recomposigo da
Administraco anda estava suspensa. Os ar-
ra lijos para a eflectva imposigoda decima es-
tavo concluidos e seria immediatamonte
imposta sobre os residentes Inglezes, France-
zes llospanboes e AllemSes residentes assim
como aos Portuguezes. Oannuneio official
do i-econhecimenlo da Rainha D. Mara peta
Corte da Russia tinha causado a maior satis-
faco.
().s lavradores de vinho do Douro tinhao-se
cmgregado n'uoii associaoo cooperativa. A
miseria no UOrte de Portugal de vida falta da
collieita de millio nao tinha sido inda total-
mente culculada. Com tudo o nosso cor-
respondente por observar/lo pessoal e minu-
ciosa posquiza annuneiou que a prxima
vindima cun toda a probalibade humana se-
riu urna das melhores que tem sido testemu-
nhadas ha Di.uitos annos.
Nao se tinha feito progresso algum com a
convenco da pauta d'Alfandega e pelo mo-
do faccioso por que as Cmaras tem procedi-
do at agora havia pouca esporanga do le-
p.islago practica ou esforgo patritico ainda
n'esta parte da Pennsula.
As noticias de Madrid chego a 13 d'Agos-
to inclusivamente.
Cria-so era I (toen te n 'aquella cidade que as
Cortes nao serillo convocadas antes do fin do
Novembro p. f. nao obstante a promassa fei-
ta pelo Ministerio de apresentar o ornamento
om tempo de admittir votago antes do 1. de
Janeiro. O.VIinistroda Justiga estava oceupado
em preparar unta quanlidadede projectos que
erodeslinados a constituir um novocndigo c-
vel. O Ministro da Fazenda tinha offerecido a
direcgo da Reparligo das Alfandegas ao Sr.
Gamboa.
Tendo alguns bandidos Portuguezes pren-
dido a um Senador chamado Saens, de quem
exi^iro um restaste de 30,000 pezoso Go-
verno Hospanhol dirigi urna nota muito e-
norgica ao Gabinete de Lisboa ameagan-
do-o de f-tzer marchar tropas para Portugal em
perseguigo dos roubadores; se tornassem a
occorrer semelhantes ullrages. A resposta
do Governo Portuguez foi muito satisfacto-
ria. Elle authorisou as tropas hespanholas a
entrar no seu territorio, se chegassem a a-
conbecer outra vez taes fados e expedio or-
dens para esse eflito as authoridades fron-
teiras.
MARAMIAO.
AS ELEIC-ES n\ CIDADE DE S. MIZ.
No dia i I do crrante ( Setembro ) foi
tomada de assalto a freguesia de N. S. da
Victoria desta cidade pelos conquistadores de
mezas do 9 de Janeiro de 1841 perlencen-
tes pela mor parle freguesia de N. S. da
Conceigo. Comegaremos pelos preliminares
da vespera que vem muito para o caso e da-
remos depois eonta dos excessos do dia.
No dia 10 noite bou ve em S. Anna gran-
de reuniAo da gente dos JansensPacos a
qual havia sido convocada pelo provocador a-
viso que se segu.
l!i vzn.r.inos Sabbado 10 do correle ,
haver grande reunio do partido Bemlevi ,
na greja de Santa Anna. Odia 11 o dia
da nossa eleigo ; por tanto nao deixeis de
comparecer na reunio da vespera aflm de
combinarmos nos rneiofl de anniquilarmos es-
se pugillode ladroens inimigos do Brazil ,
que intentode novo levantar o eolio para as-
solarem a Provincia e Ievarem-na ao a-
bismo.
BnAZii.Einos Ninguem falte : a causa
nacional; cumpre a todos tomar parte nella.
Nessa reunio fizero-se os mais vehemen-
tes e virulentos discursos contra os calanos ,
isto contra o partido da ordem e foi li-
da a incendiaria proclamagao que aqui se
transcreve.
proclamaca.
(*) Br.vzileiros Congratulai-vos ;
chegado o dia 11 de Setembro dia em que
vio ser coroados todos os vossos exforgos ,
todas as vossas fadigas em prol da causa
publica.
Essa horda de malvados que para conse-
guir os seus fins nao duvidou dilacerar a
Provincia com o aconte da guerra civil, mor-
de-se de raiva j porque boje, Ihe fallecer os
meiosdepor novamente em combusto esta
bella porgo do Imperio Brasileiro. Infa-
mes...... nao se pejaro al de assossiar-se
ao vil estrangeiro que, pisando o solo da vos-
sa Patria ouza insultar-vos !......
Maranhenses A vossa causa deixou de
ser desd'esse momento urna causa de parti-
do ; a vossa nacionalidade foi gravemente
ofTendida. Cumpre agora que mostris a
esjes bilhostresque, se um pugillo de Bra-
zileiros degenerados foi tau infame para in-
sufflar-Ihes o arrojo que tivero nao he pa
ra que elles segloriem da sua ousadia......
Cumpre mostrar-lhes que vos sois os mesmos
quesellastes com o vosso sangu'o a gran le
obra da vossa Independencia ; e que ainda
sois os mesmos para sustental-a e para pulve-
risar essa faego despresivel que vendida ao
seu ouro julga-se com direito de Ihes ven-
der a Patria que nSo e sua ; pois a Patria so
pertence a homens livres. .... Maranhenses !
0 triumpho da vossa causa j nao pode ser
duvidoso ,' Vede', o reparai como esses in-
dignos ando tmidos e cabibaixos como
que acurvados debaixo do peso de tanta in-
famia e pungidos pelos remorsos de tantas
atrocidades V"de e reparai : o estigma
da opiniSo publica que os acabrunha ; sao as
maldiges da Patria que os trazem encolhidos
e confusos.
Brazileiros A causa de todos : apresen-
tai-vos e rcuni-vos todos em torno da ban-
deira Nacional.
Queris conliecel-a Olhai para a legenda
nela inscripta Independencia ou morte.
(*) Este aviso, segundo nos informo, foi
distribuido na parada que teve logar no dia 7
de Setembro commandada pelo comman-
le superior da guarda nacional.
( Nota da Revista. )
Pedro 2." Conslituigo.Essa i? a ban-
deira Nacional ; esses sao os sagrados ob-
jectos do vosso culto e venerago. pelos qnaes
deveis derramar o vosso sungue. Armados
d'este talismn quem poder resistir vos ?
Appaiccei e a viclora vossa.
Viva S. M. o Imperador !
Viva a Constituigo do Imperio !
Viva o Partido Brazileiro I
Viva o Grande Dia i I de Setembro
A'vista desso aviso e proclamago que
Ihe serve como do commentario ; vista
dos discursos incitadores e anarchicos que fo-
ro proferidos na reunio ; vista das amea-
gas do Caboclo e provocagdes do Cor-
reio anteriormente feitas nao para ad-
mirar que urna turba electrisada pela co-
mesaina e bebidas, estivosse disposta a to-
ser insultos o a commetter excessos cuja
responsabilidade deve pesar sobre os auto-
res de taes reunioes e forjadores de taes
proclamagOes e discursos.
Essa noute pois na passeata que fizo-
ro pelas ras estes conquistadores de mozas,
aosahirem da reunio insultaro a alguns
cidados pacficos em frente de suas casas ,
como ao snr. Manoel Duarle Godinho a quem
quebraro as vdracas e ao snr. Feliciano
Antonio Pinbeiroem cujas portas dero for-
tes pancadas tudo isto ao som dedesentoa-
dos Morras. Taes fero os preludios dos
excessos e abusos commellidos no dia 11.
Na manila desse dia achavo-se as portas
principaes e latones da cathedral lomadas
por tros grupos de semelhanle gente, quasi
todos elles de jaqueta e parochianos da Con-
ceigo os quaes insultavo e rcpellio os ci-
dados honestos do nosso lado que se dirigi-
o ao templo. As vas de facto foro empre-
adas contra alguns destes como os snrs.
Joze Mara da Silva Porto e lente coro-
nel .lofio Joaquim Beifort Sabino. Este ul-
timo pessoa muito do bem membro de
urna familia das mais distinctas do Maranbo,
o chefe de urna repartigo fiscal ; o bravo ,
em summa que se cubri de gloria na pa-
eicago da comarca de Pastos Bons e a
quem se deve em grando parte essa pacifica-
go : foi indignam-mte maltratado por mais
de urna duzia daquelles individuos em pre-
senga pode-se dizer do chefe de polica ,
que acoda ao tumulto e nunca tratou de
mandar dissolver (*) os grupos que exercio
taes violencias, como era do seu dever !
Assim foi vedado o ingresso a grande n. de
cidados activos que ero repel dos com vo-
zerias de fora fora ou empurrados .e se
reliravo para nao ser espancados. Com tu-
do apesar destes infames manejos conse-
guiro introduzir-se no templo a todo o risco
unscentoe tantos do. nosso lado, e ahi se
conservaro a maior parte delles quasi at
ao momento em que se devia fazor o sortea-
mento dos 16 que devio eloger a meza Nes-
ta occasio entra novo reforgo da Concego ,
leudo sua frente o snr. Izidoro Jansen Pe-
reira commandante superior da guarda na-
cional e pertencente elle mesmo a esta ul-
tima freguesia : redobro-se as vozerias e o
tumulto. Entilo comegaro a ser expulsos
pela gentalha da freguesia extranha, aosem-
purres eumiuin, os cidados pacficos
da parochia que haviao penetrado no templo
para tomar parte as eleigfies sem que Ihes
valesse as reclamages que fazio alguns del-
les ao chefe de polica que evitasse estas
violencias fazendo sabir a gente da Conce-
go que as praticava. A sen ha que davo os
chefes da pandilba para taes expulses era
esta : 0 snr. fulano est encommodado ;
queira retrar-se para nao soffr?r a gum in-
sulto do povo.Seguia-se logo a execugo :
o paciente era rodeado empurrado e pos-
to lora. Os quo ero essim expulsos soffrio
iiovos insultos dos grupos que guardavo as
portas. Em breve licou o templo tai somen-
le entregue aos Jansens Pagos e aos seus
servos humilissimos.
Depois dettU scenas teve logar o sortea-
menlo. Prohibido o ingresso ou expulsos
os cidados activos da parochia, em sua gran-
de maioria foi necessario exirahir mais de
iio nmeros como nos informo para
que a orte recahisse nos conquistadores.
To mperceplivel era a sua maioria na rica
o populosa freguesia da S Nessa occasio
observou-se oulro escndalo que nio deve-
mos omiltir. O negociante Francisco Fruc-
tuoso Ferreir que havia lieado no templo
por descuido ou engao dos encarregados das
exclusoes violentas foi sorteado para ele^er
a meza e porque nao poude romper a imil-
tidao para se apresentar inmediatamente ,
foi excluido da commisso eleitora, a pretex-
to do so haverem j lirado alguns nmeros
depois delle embora nao se achasseni pre-
sentes os cidados om que recabira a sorle ,
e estivesse incompleta a commisso Tal
nos dizem que foi a opiniao do chefe de po -
lcia sendo consultado pelojuiz de pa/. I
Assim foi excluida no dia 11 de Setembro
a maioria dos porocliianos da S isto os
cidados mais abastados, Ilustrados o cons-
cienciosos dessa oppulenU freguesia por in-
tlividuos, nimios dos quaes nao linho as
qualidades que se requer.;m para votar, e
a maior parle delles parochianos da Conce-
go! E todas estas violencias tivero lugar,
presente o chefe do polica que assisliu s
eleigdes desde o seu comego Aos que lh
pedio que lizesse sabir a gente la Conce-
go consta-nos que responda S. S. 0""
a cada um era licito ver--, como si esses
turbulentos viessem ahi para ver e nao pa-
ra perturbar o acto o expedir os legtimos
votantes eelegiveisda parochia Aos quo
Ihe perguntavo si estavo garantidas as suas
pessoasQue tanto como*a delle : respos-
ta que a ninguem salisfazia, vista dos
excessos que se estavo commettendo. A ou-
tros emfimque quem nao quera ser insul-
tado nao vinha all ; como se nao fosse de
sua restricta obrigago garantir ao cidado a
liberdade do voto colubindo os abusos !
(*) O snr. Antonio Joze de Lemos consta-
nos que fora preso nessa occasio o depois
sollo. (ldera )
Ao passo que estas escandalosas violencias
ero exercidas na S onde nao havia urna
pequea guarda so quer para obstar ao me-
nos s que ero feitas na ontrada era para
ver o aparato de tropa que bia por outras
partes da cidado Dous fortes corpos do guar-
da foro col locados por ordem do chefe de
polica um no largo do Carino outro no
le S. Joao e postadas ims cantos das ras
sentinellas que tomavao as beugallas e cha-
peos de sol a quantos passavo na direcgo
de qualquer das matrizes. Estas disposigoes
foro observadas por odias. A isto to so
mente so limitaro as providencias!
MasPorque razo nao mandou o chefe
de polica que desenvolva todo este aparato
de tropa dissolvuresses grupos de turbulen-
tos que postados entrada da cathedral ,
insultavo, repellio e espancavSo os cidados
pacficos que concorro a tomar parte as
eieiges Seria porque este facto nao chegou
ao seu conhecimento ? Nao ; porque elle os
apanhou in tlagranti maltratando o snr. Sa-
bino. Seria por falta de forga ? Nao; por-
que nos consta que foi posta sua disposigo
toda a forga de linha que havia na cidade.
Porque razo nao mandou elle sabir do tem-
plo como Ihe fora por vezes requerido a
<> nto da Conceigo que expellia com vio-
lencias os legtimos votantes e elegiveis da Vi-
ctoria ? Seria por ser mpraticavel urna se-
melhanle medida? Nfio : porque nada era mais
fcil vista das listas dos cidados activos
desta ultima parochia. Seria por falta do


A-
2
forca? Fica demonstrado que nao. Por-J
que razo finalmente nao chamou S. S. para
o logar do tumulto parte dessa torga que em-
pregava a alguma distancia dcll; ao monos
por momentos?!...
Snr. Joze Mariani! Qual fui o uso que fez
V. S. da authoridadedeque se achava reves-
tido e da torga que tinha Sua disposicuo ,
para cohibir os escandalosos abusos que ve-
rao logar, no dia 11 de Setembro, nasclei-
cCm da Iregnezia da Se ? !....
Organisada a commissilo cleilora pela lor-
ma que havcmos dicto elegeu esta para mu-
yanos os sor* Antonio Janscn do Paco ,
Eduardo de Frailas JoAo Joaquim Lisboa, e
francisco das Chagas Cambia. Os dous
ltimos sao guardas da all'andega. No dia 12
cncerrou se o recebimento das listas com o
numero 338: isto em urna freguezia onde o
numero dos cidadaos qualilicados como votan-
tes e elegiveis elcedia a 700 !.... Consta-
nos que 200 dessas listas erao assignadas a
rogo, e que grande n. das outras foro apre-
,sentadas por um tercerosem serem reconhe-
cidas por tabellio Lavrou-se a acta de se
haver concluido o recebimento das listas em
que assignro vencidos o juiz de paz e o pa-
rocho que sempre se portrocom muita dig-
nidade e est-se fazendo a apurago.
A maioria dos cidadaos activos da paroebia
que foi violentamente privada, no dia 11 de
Setembro do direito de intervir na cleigo
da meza abandonou inteiramente o campo
aos seus adversarios para se nao expor a no-
vas violencias e consta-nos que val levar as
suas reclamacoes aos poderes supremos da na-
gao acompanhadas de mais de 400 listas que
tinha para dar, e requerer um exame judi-
cial as listas apuradas pela meza. Lila em
summa parece estar disposla a Jangar mo
de todos os recursos legaes para conseguir
a annulagAodaselcicOes da freguezia da S ,
e fazer com que as violencias commetlidas
naqnelle dia nao aproveitem aos conquistado-
ros de mezas em prejuizo dos di re tos poli-
ticos do cidado e da moral publica.
Na Conceico nao loi necessario recorrer
violencia porque o partido da ordem aban-
donou essaJ eleic/.es aos seus adversarios l-
tenla a grande irregularidade com que ah
fura feita a qualilicago. Mas os paroebia nos
dessa freguezia nao estivero ociosos ; pois
foro como acabamos de ver empregados
pelos Jansens em fazer as elecoes da S.
A* vista destes e outros lacios incontcsta-
veis que havemos consignado na Revista co-
nhegao contemporneo do Brasil qual dos
dois partidos em que se acha dividida a pro-
vincia he o verdadeiro partido da ordem.
Veja de que lado esto os autores de reunoes
tumultuarias os forjadores de avizos pro-
clamacoes discursos ameaeas e provoca-
ces anarebicas os quebradores de vidracas,
perpetradores de violencias de todo o genero ,
c fazedores de cloces a todo o cusi ; esses
emlim que apello constantemente para os
meios reprobados e violentos os cacelistas de
O de Janeiro de 1841 : vi'ja do que lado esto
as victimas e objecto dessas violencias ; a-
quelles que podendo recorrer aos mesmos moi-
os recuso todavia fazel-o e s apello para
os legaes ainda quando esto certos da ine-
ficacia da proteceorda lei ; aquelles em fim
que o ajudro acombatera poltica do mi
Misterio andrade e as tendencias subver-
sivas de seus compartidarios e decida com
a Ilustrada imparcialidade q'o caracteriza, sem
respeito a quaesquer concideraees humanas.
Porque este artigo j vai demasiadamente
longo reservamos para outro o descnvolvi-
mento desta queslto em que agora toca-
mos de passagem.
lanimes. Comegada a cleicao *forilo-se re-
tirando pouco a pouco sem soffrerem o me-
nor insulto se que nao merecen) tal nome
algnns leves motejosqne Ibes diriga fra
da Igreja una ou outra pessoa do novo.
Esses mesmos gracejos, em si tAo innocentes,
toro prohibidos, lalvez com demasiada se-
veridade pelo Cheto do Polica que tinha
ilo anlemo lomado todas as providencias
p4r evitar qnalquer desaguisado. Foro e-
leilos membros da mesa parochial os Sis.
TeneuteCoronel Antonio Jansen do Paco,
Dr. Ldiiardodc Frelas Joo Joaquina dos
lude do resoluc.ao da meza e no raeio de nu-
merossimo concurso de povo ; e que nada
era maisfacil do que verificar se tinhi havido
arrombamento ou roubo de listas Insistin-
do porem o arrojado Juiz Municipal em la-
vrar um termo de achada recusaro-se se
mesarios a assigna-lo; depois do que, declarou
que suspenda a mesa parochial! !
O digno Juiz de Paz, bem convencido de
o sr. Joze Candido ultrapassava as suas at-
tribuigiVs ; porem receioso de que hotives-
^e algum alvoroto entre o immenso povo, im-
paciente por ver continuados os trabalhos da
cuetos l/.sboa Francisco das Chagas Cam- mesa suspensos por modo^^ *
boa. No dia seguinte, deu-sc principio ao quinto inaud.to ,. P*^".^?"^"
recebimento das sceduUs observando-se o ra a capital a pedir prov.dencas ao Governo
prescripto no Decreto de 4 de Maio d'este an-
no : e como segunda chamada feita pelo
Juiz de Pez nao comparecesse nenhum ci-
dado activo para votar cncerrou-se o tra-
balho do recebimento das listas e procedeu-
se no dia treze apuraco que no mes-
Oo dia se concluiu.
Nunca julgamos na verdade que se fi-
zessem a* eleiges aqu na Capital com
tanto socego e serenidade. As amiudadas
provocares que todos os dias appareciAo es-
tampadas nos infames peridicosOpinio e
Picapoos insultos as calumnias as tor-
pesas que vomtavAo esses dous orgos da fac-
coconlra os cidadaos mais honestse respei-
aveis do nosso partido e contra a honra das
Em verdade, parece apenas crivel que che-
gasse a ousadia ou antes o estonteamenlo de
um Juiz Municipal ao ponto de se ingerir as
elecoes, e de suspender a mesa parochial .
Veja o sr. Sotero as gentilesas lo eminen-
temente legaes do partido da ordem Por
que nao exclama agora o contemporneo con-
tra o acto por ventura o mais escandaloso ,
de abuso e excesso de auctoridade que tem
practicado um magstFado no Brazil Veja o
publico imparcal qual dos dous partidos o
que desejava vencer elecoes a todo o custo.
Dganos o bom de mestre qual era a intenso
do'honradissimo Juiz seno apoderar-se da
urna para fraudar o voto publico, nico meio;
se bem que desesperado a que poda re.cor-
taveis (10 nossn paruuu e tumid a uuma *- w ihi M- :. : r. ft
uls familias, tido nos fazia receiar que hou- rer. Para que fim insista com tanto afn o
Ma lamn, ...... ::?;. ,u, > ima r.nriido em leval a para sua e por
vosse algum tumulto apesar da vigilancia das
autoridades policiaes ; porem felizmente ,
esses desordeiros cujo caracterisco a co-
yardia nao quizeroser lestemunhas da sua
derrota e d'esse modo tagarnos-Ibes essa
justiga coneorrero para que ludo se con-
rluisseem paz esocego. Temos para sentir
que a imprudencia do Sr. Joo Belfort Sabi-
no dessecausaa que elle fosso desfeileado ;
posto que tal acontecimento nao tivesse lo-
gar na Igreja ; mas fra e longo d'ella. Sa-
bemos por pessoasTidedignas que foro tes-
tomunhas oculares \ que encaminhando-se a-
quelle Sr. para a porta da Sachristia no
largo de Joo do Valle aproximaro-se d'el-
la u'ns poneos de individuos e Ihe perguntaro
o que tinha elle de fa?.er na S pois nao era
esta a sua freguesa e que respondondo o
Sr. Sabino que nao dava satisfages cana-
ula replicaro-lhe os que o rodeiavo que se
retrasse para a sua freguesia e que n3o qui-
zesse alli campar de valento. Dicto isto o
sr. Sabino fe/.-se passagem por entre elles ,
sr Joze Candido em leval a para sua o por
que motivo desistiu d'esse proposito, logo
queviu que o digno Juiz de Paz Uvera a fe-
liz iembranga de lacrar oscadeados da urna ,
cppondo lhcs o sru sinete ? i
Esperamos que o governo Provincial to-
mando em devda consideragAo um attentado
Lo qualificado d1 as mais enrgicas provi-
dencias para desaggravo das leis to inslita-
mente conculdadas e manutengo do respeito
devido aos foros do povo e priroeira aucto-
ridade que a to curta distancia daquelle
lo"ar c assim menospresada por um de seus
gobernados. ( ) Correio Maranbense.)
Vonoschegando diariamente noticias de
se haverem procedido seleices as differen-
tes freguezias mais vizinhas da capital ; por
ora tem completamente vencido o partido do-
minante na S 15eleitores Conccigao 21,
Bacanga 5 Pago e S. Joze 6 Vinhaes 1, e
Ical 7 ao todo 58. Ainda nada sabemos
exactamente de Alcntara eseus dstrictos ,
nSo tenho rellages mas nao posso deixar
de tributar encmos, de tecer elogios aos^os
actas e a sua firmeza em quahdade de Dele-
gado d'esta Cidade.
Parecia-me quasi impossivel aparecer na
epocha de egosmo, em que vivemos um ho-
rnera que sacrifi-asse o seo bem estar ao :nte-
resse publico; mas enganei-me. O Sr. Bran-
dan tem mostiado que no Brazil anda h ho-
mens que fazem sacrificios pola I alna o
que nfto reculo diante dos perigos. A Polica
d'esta Capital era mizeravel-, alguns de seos a-
gentes havio mullificado a sua acgAo ; ap.
pareceo o Sr. Dr. Brando ludo siudon de
face : o crimino) tem sido perseguido e os
homens honrados tem achado um abrigo.
Entre os actos do Govermo doLxm. Sr. Ba-
rio da Boa-vista um dos que muito o deve
honrar he a nomeagao do to destnelo em-
pregado. Rico, desenteressado, e superior i
todas as conciderages elle tem felo servi-
gos a Policia que qualquer outro talvez nao
tivesse coragem de os fazer. Dizem que urna
guerra bruta e feroz Ihe he feta por certa
gente, rnenle porque elle he empregadodo
Governo actual; taxa-no de nimiamente se-
vero ; e eu dire que s*> reos de I oficia e
delractores infames podom ter semilhanle
procedimento. Isto nao deve esmoreeer o Sr.
Dr. Brando; porque elle deve saber mu
bm que asengura do perverso, principal-
mente se he Malabar, em vez de obscurecer,
fax brilhar a conducta do homem probo. O
Govjrno e a populago sabero avahar o seo
merecimento, e Ihe faro a devida justiga.
Sirvo-se Srs. Redactores de dar um canto
na sua folha a estas linhas de
Quem sabe respeitar o ment.
emnregando meios violentos, que foro re- postoque tam vsinha esteja isloe.quanto
pelldos por um delles com um soco ; acn- ,o numero dos seus elcitores por ("J"
tecendo romper-se-Ihe a casaca no exforco
que fez para abrir caminho por entre todos.
Lis o nico desaguisado que teve logar no dia
das elecoes ; porem, note-se bem que es-
sa violencia nem foi na Igreja nem pratica-
illl liuilioi""'*""''------------------- r ,
to ao mais nao padece duvida de que vencer
ali em tudo o partido dominante. Cremos
que o mysierio sobre o numero dos cleitores
continuar at consumago das apurages ,
e que ser igualmente observado pela gente
Pas-
Sa VlOlUlU-lil IICIII lu na ii>l" > ..w... r.. *, .,..w ..-.- -------- ( -i
da contra algum cidado votante ; pois o sr. opposta de Itapucaru-mirim \-axia>
. .. r. .... ______i____i___i._ .__ n.,. ., V1 nrnvivol nup. lenham
Fizero-se no da designado os elei-
coes primarias nesta cidade. O partido bem-
tevi alcangou, em ambas as freguezias a
mais completa victoria sobre os seus adversa-
rios. Na Conceigo nunca duvda-nos um
s momento do nosso triumpho por quanlo.
ah tem sido constantemente derrotados os
nossoscontrarios ; porem quanlo fregue-
sia da S, que elles reputavo a sua forlalesa
inexpugnavel, contavamos que fosse dspu
tado o terreno palmo a palmo se bem que
estivessimos certos da no>sa superioridad^
em votos. Qual nao foi porem a nossa sur-
nresa quando vimos que apenas uns vinte
dos contrarios ( se tantos ) se acbayo presen-
tes ao passo que o corpo da Igreja era todo
oceupado pelos nossos Para logo nos con-
vencemos de que a faeco perdidas as espe-
rances deganhar a eleigo julgra mais pru-
dente c acertado abandonar o campo ao ini-
mro. Lia-se o desaponlamento nos semblan-
tesd'esses poucos que se schavo presentes :
conbecia-se que era apenas um exorco que
i,7opara nao darem parte de rteos e pusii-
Sabino era de urna freguesia exlranha e a-
lem d'isso foi elle o primeiro que recorren
s vas do fado. Temos raso para assim
allirmar pois o proprio sr. Sabino o confessa.
(Revista Maranhense.)
Gontiltas da faeco na villa do
Rosario,
0 partido cabano que com a mais inau-
dita impudencia se arreia com o pomposo
eplheto de amigo da ordem vendo que ,
por toda a provincia Ihe foge o presa das
millas arremessa-se aos meios extremos ; e
nao h excesso que nao practique as presen-
tes eleiccs com o ito de as anular j que
de ganial-as tem totalmente perdido as es-
peranzas. Na villa do Rosario onde a fae-
co nao encontra o menor apoio procedeu-
se clego no dia designado compare-
cendo mais de quinhentas pessoas do nosso
lado, ecentoe tantas apenas, dos contra-
rios. Concluido o recebimento das listas
tos-Bons. &c. E' provavel que tenhamos uina
inundaco de actas soffrivel, seno tam mons-
truosa como a do anno passado ; e os nossos
cabalistas, semclhantes a um tyrano de Ro-
ma que afogou os seus convivas em llores, pa-
reccm resolvidos |a dar cabo de todos os can-
didatos possiveis afogando osem votas.
No Rosario tem liavido graves occorrencas,
e para l parti a toda pressa o sr. ebefe de
policia no dia 15 pela manbS. Disem que a
urna fora na noite do dia 11 tirada da igreja ,
e que o juiz municipal dotor Belfort a a-
prehendera demanh n'umacasa particular ;
que processara e suspender o juiz de paz e
os outros mzanos e que em consequencia
disso fora interrumpido o acto. A opposi-
co do Rozario acusa o partido dominante de
iaver roubado a urna afim de falsificar as
listas, por ler conhecdo evidentembnte que
perdia as eleigocs ; mas quem est inteirado
do estado dos partidos naquella villa e sabe
da grande maoria que tem o dominante nao
A' PEDIDO.
Sendo mullos, e mui patentes os beneficios
que comegamos a experimentar da execugAo
da Le de 3 de Dezembro de 1841 que re-
formou em mutas de suas partes o Cdigo do
Processo Criminal ; reforma que por ser re-
clamada pelo imperio das circunstancias em
que se achava o Brasil principalmente no
que locava sua seguranca interna e indi-
vidual a Nago aceitn como urna medida
de salvaco Publica dictada pela Sabedoria
dos Poderes Polticos ; e sendo tambem de
nao menos nteresse a Lei que crcou um
Concelho de Estado, a quem o Monarcha con-
sulte quando Ihe aprouver, circundando mais
por esta forma o Throno Brazleiro do pres-
tido necessario e da confianga qne inspi-
r homens notaveis pelo seu saber prorundo.
eabalisados em todos os ramos da-Publica
Admnistrago quaes os que no dito Conce-
lho tem assento : .. ______ -..
Indico que esta Assembla, imitando o hel-
io exemplo do outras do Imperio se dirija a
Sua Magestadeo Imperador, por meiodeum
voto de gragas, no qual agradeca em nome
da Provincia a Sancgo que o mesnio Au-
gusto Senhor se dignou dar as duas Leis cita-
das Assembla Ceral o seu fasimento e
aosmembros do actual Gabinete Imperial a
sabedoria e energa com que as tem sahi-
doexecutar, o sobre-ludo, o quinto se tem
esmerado em sustentar a ordem publica, ta-
ra redigr o mesmo voto de gragas indico tam-
bem se nom.^e urna commisso especial.
Paco da Assembla Legislativa Provmcwd
do Ro Grande do Norte 9 de Setembro de
1812 = Rafael Arcanjo Galvao.
PERNAMBFCO.
TOS. wiuiiinuu u > .' --------^ ---o--......... -- _
i i aosl posto, resolveu a mesa que, atten- pode dar peso alguma semelhante aecusagao,
J ____ --__i.'. .. -l____l.,l n n..na onmn eo 1117 mi-
ta a pouca seguranca da matriz que se est
edificando fosse depositada a urna eleitoral
na casa do procurador da Cmara contigua
matriz. Assim se fez ; porem constando
ao juiz de paz que bavia intento de roubar a
urna requisitou immediatamente algumas
pracas do destocamento all existente para
tornearen) a casa do procurador at ao dia se-
guinte em que se bavia de comeg ir a apura-
gao das sedulas. Na occasio em que se la
buscar a urna apresenta-se o sr. Dr. Joze
Candido Belfort,'juiz municipal, dizendo
que vinha proceder a aucto de corpo de delic-
io de achada da urna que lora subtrahida da
gnja : Qual nao foi a surpresa dos mzanos,
ouvindo to escandalosa e grosseira falsidade!
Respondeu-lbe o juiz de paz refreando a
sua justa indignaco que S. mcrc labora
veem grande erro ; pois fora a urna levada
paaa casa do procurador da Cmara em vir-
Rendimento da Meza da Recebedoria de
Rendas internas Geraes no raez de
Setembro findo.
e se foi roubada a urna como se diz ou-
tras causas deve para isso ter liavido.
0 facinoroso Flix Paschoa foi preso e
tentando evadir-se da cada do Riacho foi
morto pela guarda segundo em officio de 8
de Agosto communca ao sr. commandante
das armas o major da guarda nacional daquel-
la villa Francisco de Souza e Cunha.
( Publcador Maranhense.)
CORRESPONDENCIA.
Snrs. Redactores.
No conheco o Sr. Dr. Rrando ; com elle
(*) Sabemos que partir por ordem do
Exm. Presidente o Dez. Chefe de Policia
a lim de lomar conhecimento d'este attenta-
do e obstar contnuago dos abusos e ex-
cessos praticados pelo sr. Joze Candido no
acto da eleico. ( N. do Correio. )
Rendimento geral.
Direilos novos, o velhos
Diretos de chancellara
Verbas da mesma
Dizima
Impostos de letras
Emolumentos de cerlidries
Foros de terrenos de marinha
Ladennos
Siza
Sello addicional
i." Decima de mo mora
Mcia siza de escravos
Sello de lierancas e legados
609,0f)
6*600
L0l4,*l9l
ljSGO
5*000
253*750
7:530*400
259*l(.0
.458*112
11*000
556*357
10:654*24
Rendimento applicado ao papel moeda.
Impostos de lojas
1:165*600
abertas
Ditos de barcos do
interior
Dlos de seges
Taxa de 1* rs.
I0,i 200
38*400


por eseravo
.Sello do papel
f
235*000
1:227*510 2:683*710
13:337*951
Recebedoria i." de Outubro de 1842.
O escrivao
Estanislao Pereira d'Olivoira.
= Existo na adminislraco do Correio as
cartas seguras ab;.ixo
Anna Joaquina Corris de Araujo tenen-
1o coronel Jos Costa Reg Monleiro.
Officios existentes no correio de inte-
resse particular.
1 oITicq do Exm. pr-asiJente Ao Exm.
ministro da guerra interesse de
loze Soares. de Souza.
1 dito do dito Ao dito-dito interesse de
Mara do 'Sacramento.
1 dito do dito Ao dito dito interesso de
Jernimo Joze Rustorf.
1 dito do dito Ao dito dito interesse de
Toralo Alexandrino dos Santos,
i dito do dito Ao dito dito interesse de
Joao Themoteo da Roza Galvfto.
1 dito do ditoAo dito-dito, interesse de
Manoel Cavsdcanle Silveira Rizerra.
1 dito do ditoAo dito-dito, interessede
Antonio de 'Alhuquerque Maranhao.
1 dito do dito-- Ao se do Rach.arel Joo de Barros Fal-
cao do Alhuqucrque Maranhao.
COUMERCIO.
ALFANDEGA.
Rendimento d odia i. de Outubro 1:281 *327
DKSC/.RKKC.io HOJE 3 DE OL'Tl BDO.
Rrigue Es'juna Americano = Rozario = Ta-
beado.
Escuna Americana = Alicia = Familia de
trigo.
Escuna Rrer.ience xsz Calharina = Fazendas,
poUiSsa e alcatro.
Rrigue Ip.glez = Severn = Fazendas fer-
ragens queijos e louca.
Barca. Ingleza = Thomaz Mellors = Fazen-
das.
PRACA DO RF.f.IFF 1. DE OITIBR0 DE 1842.
Revista Mercantil.
Cambio = Houvero Iranzaces a 25l|2d.
por I* e aiihI.i ha sacadores.
Algodo = As vendas foro regulares a 6000
por '.
Assucar = Est mais firme a .'00 res por
sobre o ferro.
(kmros = Silo procurados a 115 reis por Ib.
Meios de Sola == Vendorfto-se de 1:650a
1:700 cada um.
Ac de Milo = Vendeo-sc de 16* a 17* reis
o quintal.
Alcatro Sueco = dem a 14* o barril.
Azeite de Peixe = dem a 1* o galio.'
Racallia = Existen em ser 2000 barricas ,
e a sabida he muito limitada ten-
do-se vendido a retalho a 10*300
pelo novo e 9* pelo velho.
Cafl = Vendeo-se de 5*400 a 3*600 a (.
Carne Secea = Enlrou um carregamenlo de
Monte-video que fez elevar o de-
posito a 4-1:000 arrobas.
Carneiras= Vendero-se de 1G> a 18* reis a
duzia.
Carvo de Pedra = dem a 20* reis tonelada.
Farinha de Trigo = dem de 18* a 19* --
a barrica em retalho tendo entra-
do um carregamento de 920 barri-
cas : 0 outro de 1000 seguido pa-
ra o Sul.
Feijo = dem a 8* a sacea.
Ferro da Suecia dem de 7*500 a 8* reis
o qq.
Milho = dem de 2560 a 2880 a sacca.
Papelao = dem a 4:800 a o .
Potassa da Russia = dem de 2(50 a 280 a Ib.
Prego Caixar = dem de 1:800 a 2000 -
o milheiro.
Queijos Flamengos = dem a 1 *050cada um.
IMPORTACA.
A Escuna Sarda = Domingas se vinda de Ge-
nova entrada no raez p. p. consigna-
da a Manoel Joaquim Ramos & Silva.
Man festn o seguinte por franqua.
256 B.llas com papel ,111 fardos caixas f
& barris com drogas 150 caixas com mas-
sas H fardos com quinquilleras 15volu-
mescoui fasendas 175 caixas com vinho ,
azeite & conservas 9 ditas chapeos & sapa-
tos 26 ditas com alvaiade & caximbos 15
barris com alpista 1 caixa com coral, 1 di-
ta com cabello, 7 fardos com fasendas 560
remos de pao, 1600 vassouras 8000 lij-
los ; Ordem.
O Patacho Rremence ss Catharina = vindo
de Bremem entrado no mez p. p. con-
signado a J 0. Elster
Manifeston o seguinte.
Caixotes cem fasondis 1 dito com tras-
tes ; a Kalkemam & Rosemnnd.
3 Caixotes com botes ; a II. Mehrtens.
2 ditos com boloes 2 ditos com fitas 23
ditos com fasendas 2 ditos com thesouras.
17 ditos com miudesas 4 ditos com bizarros
de lustro 15 ditos com fitas d'algodo, 1 di-
to com pelucia 2 ditos com pertencentes pa-
ra chapeos, 4 Rallas de papelo, 8 caixas com
taboinhas 20 barris com pregos 64 caixo-
tes com ferragens, 113 ditos com vidros, 2
ditos com amostras 1 emhrulho com amos-
tras, 200 barris com polaca, 100 caixas com
queijos 100 barris com alcatro 180 pe-
drs de ladrilho, 1500 garrafocs vasios ; a J.
0. Eistcr.
A Escuna Americana = Alicia = vinda de
Raltimore entrada no mez p. p. con-
signada L. G. Ferreira & C.
Manifestou o seguinte.
1 Fardo con) chapeos de palha 25 ditos
com fasen jas d'algodo 50 caixas com pi-
olen ta, 859 barricas com farinha, I36meias
ditas com dita ; a ordem.
0 Rrigue Inglez as Sy!ph ss vindo de Monte-
video entrado no mez p. p. consignado a
Frederico Rohilliard.
Manifestou o seguinte.
3890 Quintaos de carne secca 5000 lin-
goas ; ordem.
Exportac.o da Provincia de Pernambuco para
fora do Imperio no mez de Setembro de
1842.
Algodo Saccas 1:808com 9:816
Assucar Caixas 228
t ,1
Ib.
Rameas 247
Fexos 6
Saceos 7iG
Couros Salgados.
18:617 @ 2 Ib.
29:015.
Clifres.
Cobre velho.
Roces.
Obras de prata.
Cubas de boi.
Moeda.
(eneros miudos e gasto.
Valor da exportaco.
Valor dos direitos.
Conduzro os gneros cima 7 embareac-
es sendo 4 Inglezas 1 Franceza 1 Ham-
burguezt, e 1 Sarda tripulados por 66 pes-
soas contendo i:652 1|2 tonelladas.
19:000.
1:424 Ib.
101 Ib. e 1|2.
497 oneas o 3|8.
57:800.
Rs. 118:188*720.
1:439*685.
332:488*012.
27:235*293.
H0V1MENT0 DO PORTO.
NAVIOS ENTRADOS NO DA 1.
Raltimore ; 46 das Escuna Americana Ma-
ry Wilkes de 97 tonel, Capito Washin-
gton Guet. equip. 7,carga farinha de trigo: a
L. G. Ferreira & Companhia.
Hamburgo; 43 Um Galera Dinamarqueza
Cybellede200 tonel.-, Cap. Erick, equip.
13 carga carvo de pedra: a N. O Rrber
& Companhia.
llhada AsscnccaO; 8 das, Rrigue Inglez
Amelia Hill de 3Q7 tonel., Cap. William
Hill equip. 14, em lastro de carvo de
pedra : a Jobnston Patera Companhia,
S.VHIDOS NO MESMO DA.
Rio de Janeiro; Brigue Escuna Brasileiro
Bella Mara. Cap. Manoel Ignacio Ferreira,
carga diversos gneros passageros Ma-
noel Joze da Silva, brasileiro ; Marc Las-
serre francez
Araraty : Sumaca Brasileira Delmira Cap.
Joze" Joaquim Alvos, carga diversos g-
neros; passageros brasileiros Geranio Cor-
roa Cima Demiciano Poreira dos Aojos,
AntonioGrugel do Amaial, Francisco An-
tonio Estevjs e sua irm Izabel Mara da
Coneeicpo Felis Monleiro de Castro, Fe-
liciano Perryvidal, Austraco; Joze da Sil-
va Simoes, portuguez; Domingos Joze de
Miranda dito.
DECLARAC AO.
= 0 collector do municipio d'Olinda ; faz
constar quem convier, que no prximo mez
de Outubro vai proceder a matricula geral
dos escravos de conformidade com os artigos
1,3 e 5, do Regulamento (de 11 de Abril do
correnteanno devendo os Senhorcs admi-
nistradores rendeiros ou oulras pessas,
que ti ver m osera vos em seu poder, ou em
seu servico, aprezentarem relacfies assigna-
das contendo os nomes sexos cor idade,
sabida ou presumida naturalidade ofici-
os, ou profissoes para ser^m matricula-
dos ; e que (indo o praso dos 30 das marca-
dos no art. 4. para por em efetividade as pe-
nas com minadas nos artigos 25 e 2 i do
dito Regulamento contra os que deixarem dt-
eomparecer : tendo principio o proeedimento
da mitricula pelas ras s"5iiintes. Ras de
S. Pedro Mar tyr do S. RmiIo, Porto se-
guro S. Pedro Apoclo, Varador ra de
S.Pedro Mangueras, Roa hora, Ctbral Jogoda
Rolla, Bica dos 4 Cantos, Aljobe. Coixo dos
4Cantos do Amparo, do*Gallos do I.up-
pe eda Floresta.
Olinda 19 de Setembro do 1342. 0 Escri-
vao JooGoncalvesRodrigues Franca.
AVISOS MARIT|MUS.
Para o Rio de Janeiro sabe no di* 5
do corrente o Rrigue. Francez IWanger, Ca-
pito Remoly tendo bons commodos pira le-
var passageros : I rata-so com n consignata-
rio A. Schramm.
= Para a Rabia com toda a brovidade o
patacho nacional Flor de Maroim quem
no mesmo quizer carregar ou ir de passagem,
dirija-se a Gaudino Agostinho de Rarros. na
pracinha do Corpo Santo D. 67 ou a bor-
do ao capito do papalina.
as A canoa--Crioula recebe carga para
o Rio Grande do Norte e sai al o diu 4
do corrente ; a tralar na ra do Cahug loja
de Antonio Rodrigues da Cruz.
AVI SOS DI VER SOS.
HOJE s 10 horas, cor-
re a Lotera de N. S. do
Rozario da Boa-Vista, o res-
to dos bilhetes se acho
venda nos lugares annuncia-
dos.
tsr Precisa-se de urna ama de leile pre-
ferese escrava ; na Solidaoe D. 12.
tsy Quem annunciou no Diario de quarta
feira 28 do corrente N. 209 a venda de
urna escrava mossa com as abelidades pre-
cizas para arranjo do urna caza queira diri-
gir-se a Romo Antonio da Silva Alcntara
em caza de Manoel Goncalves da Silva na ra
da Cadea do Recife.
tsr Kalkmann & Rosenmund declaro que
de boje em diante so vendem com a condico
de os compradores assignarem letras mencio-
nando os juros de um e meio por cento ao
mez para o cazo que nao forcm pagas nos
das dos seus vencimentos.
tse Qaem achou um papagaio com um pe-
daco de corrente de prata no p que fugio
na manli do dia 30 de setembro do 2. an-
dar do sobrado do atierro da Boa-Vista em
quo habita o Dr. Peixoto de Brito e o queira
restituir receber de gratificado 4*000.
= Alfredo Mansell Power subdito In-
glez retira-se para Inglaterra.
er Preciza-se fallar com a Snra. D. Maria
Joaquina dos Anjos iilha do finado Joaquim
Gomes de Siqueira a negocio de interesse;
annuncie a sua morada ; ou dirija se a ra
da Flores caza D. 12 do meio dia the as
3 horas.
* Arrenda-se um engenho d'agoa moente
e corrente, cujas Ierras produzen 5 a 4 folhas
de canoas com matas em costadas a boca da
fornalha e igualmente partidos boas ca-
zas para lavradores e ptima casa do viven-
da : a fallar nr loja da quina da ra do Cres-
po confronte a do sr. Viegas.
-Na ra d'aurora no 1. andar do sobra-
do em que mora o sr. capito Joo Pedro de
Araujo Aguiar engoma-se e coze-so com
porfeico : quem precisar de qualqner das
duas eousas pode dirigir-se a referida casa,
que achara com quem tratar.
- Precisa se de um homem que enlcnda
de padaria forno o maeeira : trata-se na bo-
tica nova no aterro junto a ponte da Roa-
vista.
- Jos-1 de Souza Fortunato soldado que
foi do extincto regiment dartilhara apr-
sente na secretaria militar sobre objecto de
seo enleresse particular.
tsr JooFelippe de Souza Lio previne
aos foreiros das trras pertencentes ao vincu-
lo de N. Snra. da Conceicjio dos Coqueiros ,
que s ao annunciante como inventbante
dos bens do mesmo vinculo compete o paga-
mento dos foros ; assim como os ladennos
das casas que se houverem de vender desde
o falecimento do administrador do referido
vinculo, JrSo Marinho Falca, para oque
tem constituido nesta Cidade por seo procura-
dor bastante a Joaquim Candido Ferreira u-
nico autorisado para taescobrancas alem do
annunciante licando cortos t >dos os foreiros
que nao se levarO em conla qu.ilquer recibo ,
e licen^a que nao sejo passados pelo annun-
ciante ou seo procurador.
xsr A pessoa que deseja fallar ao corros-
pon lente do Snr. Joze Venceslao Alfonco Ri-
uoira Poreira do Rastos quer.ndo enton-
der-se com um seu irmo reznenlo nesta
praca apezar do nai> sor seu correspondente,
pod dirigir-se a ra Nova I). 28 por cima
d'uma loja de luuca.
tsr D. Anna Joaquina Cava lean te de Al-
huqnorque Ucha, vinva de Pedro CavaJcanto
de Albuquerque Uba. pelo [ rezente annun-
cio conviia a lodos os Snrs. crodores do seo
ca/al, para que hajo de comparecerem no dia
do corrente as 5 horas da tarde, em caza de
geopai oSr. Francisco Xavier (-avalcante 1
Albiiquerquo na ra das Agoas-verdes a
quem annunciante tem autorisado com pro-
curaco bastaulfs; a lien do trat^rem sobro n
milhor meio dos seo* pagimontos fazondn-
selhes ver nessa occazio o estado da caza.
B^ Furtarao no dia 28 do mez p. p. urna
calca de casemira cor de Caf urna dita da
brim trancado branco o um longo de sed.
encarnado ludoom ponen uzo ; portante ro-
ga-seaquem l'or olTereCi lomar elevar na Na lo Crespo loja I). II .
ou annunciar sua morada para ser procurado:
assim como se aviza que so pagara qualqner
despeza que se houver feilo.
CJ* Ouem annunciou um segundo e ler-
cciro andar, em una das memores ritas do
recife : declare a sua morada ou dirija-se a,
ra do Vigario n. IS.
tsr Joaquim C.oncalves Ferreira tendo pro-
cedido a convocaco dos seos credores no dia
30 de Setembro ultimo relira-se para o sen
engenho, dexando constituidos seos procu-
radores bastantes por ss > que ho lempo pro-
prio de dar andamento a estabelecimentos do
semilhanle nalureza.
cr ODr. Joze Joaquim Giminianode Mo-
raes \avarro mudou a sua residencia para
a ra do Rozario estreita segundo andar em
urna propriedade de tres andares por cima
de urna loja de mareineiro.
Cp Per leo-se Domingo de madrugada ao
p da praca nova no principio do arial
duas voltas de cordo de ouro ; quem achou
querendo restituir a seo dono dirija-so a ra
do Fagundes n. 17 que se dar o adiado :
na dita casa lava-se ropa e engoma-se com
perfeico : e vendo-se um oseravo sem vicios
nem achaques.
tsr Manoel Francisco de Jezus Veras faz
sciente ao rospeitavel publico, que desde o
da 50 de Setembro p. p. deixou de ser cai-
xeiro do trapiche do Vianna, do qual sao ren-
deiros Joze Pereira Vianna & Souza por os
cima ditos odespedirem, sera Ihe declara-
rem o motivo e para conhecimento do pu-
blico faz o presente annuncio.
tsr Preciza-se arrendar um pequeo silio
pertoda praga e que tenha hanho ; quem
livor, annuncie.
U A quem Ibe faltar um barril com man-
lega Franceza ; disondo o pe'zo Ihc ser en-
tregue na ra da Penha venda D. 12.
tar A 3.' e ultima praga dos cinco escravos
docazal do fallecido Lpurenco do Bruno Ro-
drigues Luna, aununciada para o dia 30 de
Setembro licou por inconvenientes transfe-
rida para boje 3 do corrente. Nessa mesma
occasio e perante o mesmo Sr. Dr. Juiz de
orfos cone 3.a e ultima praca urna morada
de caza terrea as cinco Pontas D. 60 per-
lencenteao cazal do mesmo fallecido.
tsr Arrenda-se um sobradinho de um an-
dar na ra da Praia lado da sombra de tarde :
na praga da Independencia loja de livros n.#
57 e 38.
i^ Francisco Joze Rapozo comprou em
asta publica urna morada de caza terrea sita
na na do Rozario da Boa-vista n. 505 pelo
Juizo da 3.' vara do civel execugo do Dr.
Francisco Carlos Brando. contra Euiz Fran-
cisco Correia Gomes de Almeida, aquellos que
liverom direito recorro ao deposito Geral ,
onde osla consignado o proco d"arrematac.o.
tsr 0 tenente coronel Ignacio Antonio de
Rarros Falco comprou por con la do Reve-
rendo Conego Joo Rodrigues de Araujo os
bilhetes inteiros de nmeros 826, 225, e 127,
sendo o Io da Ia parte da 5J Lotera do Roza-
rio da Roa-vista ; o 2o da V parle da 1* Lote-
ra de N. S. de Ouadelupe de Olinda ; e o 3o
da I. parte da 12. Lotera do Thcatro publi-
co do Recife.
tsr Quem annunciou no Diario n. 209 ,
le Quarta feira 28 do mez p. p., querer ven-
der urna escrava cujas habilidedes so dirio
avista ; annuncie a sua morada ou dirja-se
a ra do Queimado casa de Antouio Joze de
M, Rastos.


= Antonio Fela Gerard ; retira -se para, coslumadas rcllexoes, um Genio se m'apre-
prana j senta esem prembulos me diz:
tsr Aluga-se urna caza terrea com gran- Sab.i que a la existencia tao aviltada por
des commodos leudo 2 salas, t quartosr co-
essesde quem fuste rival a tua carreira por
(
ues commotuoa lemiu j mi, Mu..~t -------- ,_ ~ __
zinha fora quintal, e um grande sotfio : a cites tao censurada urna e oulra vio ser imi-
tadas. O seu Poecta o o que ja foi teu .
Vate insigne tujas obras menoscabaran ;
mas a quem levados da necessidade recor
tratar na praga da Independencia n. 20
Plf.UIAS VEGETVRS E UNIVERSAE5 AMERICANAS.
tsr O nico deposito dellas lie em caza de
1). Knoth, agenten Author, na ra da Cruz
n. 37.= N. B* cada caixinha vai embrulha-
da em seu receituario com o sello da caza
em lacre preto.
tsr Quero quizer tomar conta de urna ven-
da dando fiador ; dirija-se a ra do Vigario a
fallar com Lima Jnior = 0Snr. Joze Joaquim Borges de Castro ,
queira declarar onde reside ou drigir-se a
casa de Bento Joze Alves, ra da Cadeia N. 6,
para Ihe ser entregne urna carta vinda da
Babia. *
__ Um homem razado e de bons costu-
mes natural desta cidado se otlerece para
ensinar mmiuos as primeiras letras letras ,
e gramtica portu;u3za com preferencia
para lugar de certao e tambem entende de
cirurgia; quem do seu prestimo se quizer
utilizar annuncie por esta foUia para ser
procurado.
tsr Precisa-se de urna crela forra de meia
idade, que saiba engommar e cozinhar ,
para ama de um caza de pouca familia de
portas dentro : na praga da Independencia
ii, 33 e 34.
tsr Urr. moco de 21 annos chogado pro-
x i mamen te de fora desoja arrnmar-se em
qualquer car.a d; negocio de caiseiro, tan-
to de mullalos como seceos lem pratica de
escripia e d fiadora sua conducta : quem
de seu prestimo se quiser utilisar dirija-se a
ra dasTrincheiras sobrado D. 9.-
tsr Quem annunciou querer comprar um
melhodo de msica que seja completo para
violo dirjase a na de S. Amaro do bair-
rodeS. Antonio caza terrea com soto.
ty Na ra do Bangel D. 35, d-se 010
em cobre por .p>0.> em papel ; e vende-se urna
caza em chao propno com um andar o so-
tan na ra do Fagundes D. 7, e urna por-
go de barricas que foro de farinha de trigo.
or A Senhora D Anna Maria e o Sur.
Gaspar Joze dos Reis queiro dirigir-se a
ra do Queimado loja de ferragons I), 5, pa-
ra receberem urnas cartas vindas da Villa do
Sobral.
tsr Huei precisar de um caixeiro portu-
guez de idade de 10 annos para caixeiro
de engenlio ou outra qualquer arrumago,
e sabe hem ler e escrever dirija-se a ra
do Rangel venda D. i 7.
t^* Precisa-se alugar um preto para o ser-
vico de urna pequea familia sendo robus-
to" e sadio : na na do Trapiche n. 7.
HT Precisa-sc de um caixeiro de 18 a 20
annos para vender bolaxinha doce as ven-
das com um negro, que d conliecimento da
sua conducta : na ra Direita padaria n. 131
defronte da torre do Terco.
tr Quem annunciou querer comprar um
melhodo de. msica para violo dirija-se a
ra Direita botica N. 86 defronte do beco do
Serigado.
cr Aluga-se o primeiro andar da caza da
ra da Cadeia vlha D. 5 proprio para es-
criptorio com urna sala e alcova na frente ,
e outro tanto atraz e ogo para cozinhar :
a tratar na mesma.
tsr Quem annunciou no Diario n. 210 ,
ter para vender urna escrava lavadeira em
lora do portas caza n. 217 dirija-se a ra da
Cruz caza n 22 para se tratar da ven Ja da
dita escrava pois procuraniJo-M a dita caza
em fora de portas nao scencontra.
IZT Offerece-se para caixeiro de ra ou
outra qualquer oceupago excepto venda ,
um rapaz portuguez de 18 annos lillio de
Guimares, d fiador a sua conduca : na
ra do Cabug loja de miud zas n. 4.
tsr Quarta feira f docorrentc se lulo de
arrematar os trastes do fallecido Joaquim
Leocadio de liveira Guimares no arma-
zem do Sr. Joze Antonio Pinto na ra da
Cruz em presenca do Sr. Dr. Juiz do Civel
da terceiravara das 10 horas do da cmdi-
ante.
= Umbehna Bernarda de Carvalho tem
aula aberta para ensinar a ler escrever, e
contar cuzer de lavarintoi e cacundo bor-
dar de linha de ouro e de marca ludo com
perfeicfio, e por pceo commodo: quem pre-
tender dirija-se ra da Alegra vindo da
Fgreja da Santa Cruz nona casa.
as as margeos do ameno Capibarib^a on-
de em santa paz minhas cinzas descanso ,
ostumo para recordar o lempo d'antizas glo-
rias a divagar nocturnamente. Ali em Ur
niadaspassadasnuulcs, absorta em minhas
rero para corrigir-lhcs os seus s aparato-
sos cnlremezes. 0 teu professor de muzica ,
tambem be hoje o seu porque o merecimento
de suas produeges com quanto conhecido ,
s era desprezado por te pertencer. Hu-
ma s cousa resta ; c a acquisico do teu pro-
fessor dedanga, eu os acconselharia a fozel-a ,
se como t, quizessem hem empregar seu
lempo e dinheiro para devertir o publico in-
grato; mas... tfflves... talves que considera
roes parlicularos d'isso os desviem e nesse
cazo incompleta ser a obra. Exulta pois ,
est consumada tua vinganca e o lempo vai
mostrando, queas invectivase ultrages; deque
foste victima ero lilhas no do desmere-
ciment de leus espetaculos ; mas sm da in
veja que devorava o corceo de teus zoilos. A
Dos. Disse e qual outro meteoro sbito
desapareceu. Se d'alguma gloria esta revela-
go poder servir aos vvenles bem paga se
julgar de seu trabalho a
Alma da Pastoril.
COMPRAS.
lima caza terrea no bairro de S. An-
tonio quo tenha bom quintal e cacimba ,
preferndo-se as ras das Cruzes Rangel ,
Florentina largo do Hospital e Larangci-
ras : quem (.ver annuncie.
tsr Orna negrinlia ou cabrinba de 1-4 a
lannos, com habilidades ou sem ellas:
na ra do Livramnlo D. 11 segundo andar.
tsr Um selm inglez em bom uzo com
os competentes preparos, ou sem elles; quem
liver annuncie.
tsr As fbulas de La Fontaine em Fran-
cez : na ra Augusta n. 8defronte dos sobra-
dos de Joze Maria ou annuncie.
t^ I na sancta ousagrada Biblia, impres-
sa ein qualquer parte, preferindo-so em Lis-
boa : na ra do Fajundes D. 7 ou annuncie.
tsr Um preto da na$I que seja moco ,
nao se repara prego : na ra do Caldereiro
sobrado D. 1.
tsr Escravos de ambos os sexos, com tan-
to que sejAo mocos e robustos : na Soledade
sobrado nico.
VENDAS.
Um hrago de balanca o urna caixa
grande de amarelo : na ra do Caldereiro s-
brado de um andar D. 1.
^cr Colego de leis alvars e Decretos
de 17i0 a 1800 7 v., Direito mercantil 2
v. assentos da suplicaclo 1 v escola mer-
cantil um volume : na ra eslrola do Boza-
rio botica de Joo Pereira da Silveira.
tzr 400 varas da panno de algodo da
trra a 22o rs. a vara : na pracinha do Li-
vramento n. 29.
tsr Xaropede tamarindos, dita de limo,
dito de laranja dito de grozelas dito de or-
chata dito de maracuj doce de tamarin-
dos em frascos de 2 libras: na ra estreila
do Boza rio botica de Joo Pereira da Silveira
tsr lima negra de angola de 2-1 annos,
boa cozinbeira e hbil para todo o servigo
de urna caza muito fiel 9 sadia : no atierro
da Boa vista loja de alfaiate de Manuel Joa-
qun Venancio.
vey Sohrecasacas de panno prelo e de co-
res a 56(> ditas de merino superior a 2.'.> ,
casacas de todas as cores a 30j coleles de
born setim madru a 7,> ditos de vellido pre-
to liso a 8j calcas de panno preto e azul a
1 i,y Jilas de bonscasemira de bom gosto a
12. : no atierro da Boa vista loja de alfaiate
de Manuel Joaquim Venancio.
tsr Sacas com farinha Ja trra a 4i tendo
um alqueire da medida velha : defronte da
IVnha venda D. 12.
tsr Lina escrava de nago ja de idade,
muito esperta cozinha o ordinario e lava
de sabo pelo diminuto prego de l20,> por
ser de fraca figura advertindoqueno oge
c nem bebe o que se pode aliancar: no atier-
ro la Boa visia D. 39.
tsr l m excelleute sitio na Barreta com
casa Ierras para plantaco, arvoredos, pro-
porgoes para ter vaccas c\c. : na ra da Flo-
rentina en limadas c< sas de JioZurrik, que
fica confronte a de D. 13.
tsr Ima venda com poneos fundos a di.
nheiro ou a praso : na na de S. Rila nova
D. 7 : a tratar na mesma.
cy O Biigue Biasiieiro Victoria e tam
bemaluga-se para retener carga, ou serv
Je barcaga dos navios que precisis crenar,
e-tudo por prego commodo : a fallar em ca-
za da Bento Joze Alves.
tsr Finissimas meias de fio da Escocia ,
para senhora o melhor que he possivel :
na loja de Carioca & Sette na ra do Queima-
doD. 15.
\fr No atierro da Boa-vista loja francea 5
chapeos para Senhora e neninas, luvas de
seda, e de pelica, fitas, bicos de todaqualida-
de seda branca para vestidos guarnigfio de
llores para vestidos capailas, o caxos de flo-
res muito lindos; assim como urna porgo de
utencilios de ferro batido para cozinha ludo
por menos presos do que em outra parte.
tsf- Lm vidro para palanqun urna me-
za do jantar e um bahu em bom uzo : na
quina da pracinha do Livramento por cima
da loja do Sr. Bastos.
tsr Vende-se uu troca se um bonito es-
cravo de nagao angola de 28 annos, ptimo
mestre carreiro e enlende de agricultura :
no pateo da S. Cruz a fallar com Joa Sebas-
tian Pirete que dir o motivo porque se vende.
tsr Um ree com seu tragado ; e 3 selins
em meio uzo: na ra do Cabug loja de miu-
dezas junto do Sr. Bandeira.
tsr Urna caza de louga de barro, tem
commodo para familia : na entrada da ra
do Rangel D. 37.
tsr Urna meza de jantar quasi nova ,
para 20 e tantas pessoas: na loja de livros da
praga Ja Independencia.
tr Arre* de vapor a 2ji400 arroba e
muito boa salga parrilha: no armazem de Fer-
nando Joze Rraguez junto ao arco da Con-
ceigaO.-
BT O segundo e terceiro volume do Jor-
nal Panorama e o segundo do archivo Po-
pular em bom uzo : na camboa do Carmo
D. li primeiri) andar.
tsr Na estrada do corredor do Rispo, terre-
nos para se edificar cazas dando-se a frente
o o fundo, queseconvencionar da parte do
sitio do Major Mayer segundo a nova dire-
ga dada pela Cmara Municipal : a tallar no
mesmo sitio.
tsr Dous lindos moloques de 12 a 15 an-
uos sendo um bom official de ferreiro ; um
escravo bom carreiro ; 4 ditos para tedo o
servigo ; duas escravas recolhidas com bo-
as habilidades sem vicio algum ; o ditas 5
e urna mulatinha de 10 annos, com boas ha-
bilidades : na ra de Agoas verdes D. 38.
tsr l'ma caza de taipa nova e bem feita,
no lugar da caza forte defronte do assougue
do Sr. Pessoa ; e urna negra propria para o
servigo de enchada : no pateo da ribeira so-
bado de um andar na loja D. 4.
tsr Urna meza de Jacaranda para meio de
sala por prego commodo e as obras de
Cames : na ra Direita loja de Marcineiro
n.27.
v* Sement de nabos, rbanos, rabanetes,
salga alfacu mustarda couve tronxuda ,
dita lombarda sebolinbo repolho, espina-
fre, e coentro, todas muito novas : no at-
ierro da Boa vista venda D. 36.
tsr Um relogio sabonele horisontal com
caixa de prala lavrada muito commodo para
algibeira por ser dos mais modernos por
prego commodo : no atterro da Boa vista D-
cima 39.
tsr Vende-so ou aluga-se dous escravos
de forga para qualquer servigo: na ra do Vi-
gario n. 10.
tsr Urna porgao de sacas com arroz pilado
com alqueire da medida velha, por prego com-
modo : na ra da Conceiga da Boa vista De-
cima 8.
tsr Presuntos bons e muito baratos : ne
armazi 111 do Braguez ao p do arco da Con-
ceiga.
tsr Presunto americano muito bom a
200 rs. a libra e fumo em folha para sigarro:
no armazem defronte da escadinha da Alfan-
dega.
r Lina caza terrea perto do banho do
Caldereiro com duas salas 4 quartos co-
zinha fora e telheiro para recreio tambem
se aluga por 80j 364 palmos de trreno no
cortume dosCoelbos defronte do finado An-
tonio Coelho : na ra larga do Rozario caza
de 4 andares que lem botica.
ESCRAVOS FGIDOS.
tsr No dia 26 de Setembro fugo, urna ne-
gra por nome Maria nago angola de 24 an-
uos cor hem prela bonitota, baixa echeia
do corpo, lovou uma gamela de peine e um
prato com banl.a que andava vendendo e
loi vista nesse mesmo dia de tarde em Beberi-
be levou vestido cor de roza novo pao da
costa j velho lem os ps dalos e os dedos
curios com urnas marcas na barriga das per-
nas ; quem a aprehender leve-a em caza de
sua Senhora em fora de portas defronte do
Sr. Luii Antonio Vieira que ser generoza-
rnente recompensado.
tsr Um preto de nago bambabuhira al-
to magro reprezenta 30 annos de idade
dentes abertos orelhas furadas as faces ta-
Ihadas bem como todo o corpo ps inchados,
cor amarellada levou vestido calca de lila prela
e carniza de chita de pintas miudas j desbo-
lada : quem o aprehender leve-o a restilago
de Santa Rita que ser bem recompensado.
ur Fugio no dia 7 do p. um escravo de no-
me Antonio nagao cagange com os signa-
es- seguintes : representa 16 annos alto ,
sem barba secco do corpo levando carniza
encarnada de baUa e caiga de brim branco;
quem dello souber ou der noticia pude levar
ao sitio da passagen de 01 inda denominado
olho de agoa ou na ra do Vigario armazem
numero 8.
tsr Fugio no dia 18 do passado o preto
Fernando crelo, natural do Certo kvou
vestido camisa e calcas de algodo da torra ,
alto grosso do corpo cor fula : bem barba-
dodesapareceo com suigas por baixodoquei-
xo nao tem dentes da parte de cima do lado
direilo e quando falla parece abestado :
quem o pegar leve a caza de Manoel Luiz (ion-
salves na ra da Senzalla velha que ser
recompensado.
tsr No dia 22 de Agosto p. p. desapareceo
un\a negra de nago benguela de nome Ma-
ria estatura regular secca do corpo cara
comprida e boceada tem as costas da mo
direita um carogo pequeo tem ambos os
ps apalhetados, um delles tem um dedo gran-
de mais virado e sem unha ella saldo com
um taboleiro novo a vender pao de l e podios,
levou vestido cabeco de algodozinho j ve-
lho saia de chita roxa e pao da costa no-
vo, e debruado as cabiceiras cm matamos
braneos : qualquer capito de campo ou au-
l Mondados pul i caos a podero pegar e leva-la
na ra da Cadeia velha do Recite I). 22 que se-
rlo recompensados assim, como se prostela-
r;i contra quem a ti ter occult ou roubada.
tsr Na madrugada do dia l do p. fugio da
casa do abaixo assigado o africano Damio ,
de nago congo, anda bucal, cara redonda,
olhos grandes sobrancelhas grossas pouca
barba dous dedos de menos no p esquerdo,-
e o mnimo de uma das mos cortado pela se-
gunda juncia. Foi vestido com camisa de al-
godozinho trancado e caiga deserapilheira.
Este preto he mais conhecido pelo nome de
Jacob e tal voz que responda pelo de Bertol-
do por ter sido primeiro que se Ihe deu logo
que chegou da costa de frica: sobo de Da-
mio porem he que foro arrematados os seus
servicos. Os aprehensores dirijo-se a ra da
Boda casa D. 16, segundo andar quesero
recompensados. Luiz da Costa Porto-carreiro.
tsr Em J11II10 do crrente anno fugio um
escravo africano de nome Antonio alto espi-
gado pouco corpo nao he mal parecido pa-
ra negro traz tima argolinha na orelha es-
querda e tem os ps radiados de bobas.
Este escravo pouco lempo antes desta fgida
esteve oceulto em uma padaria por detraz da
ra do Atterro da Boa-vista de um Portuguez
Joo Antonio Miguis, e tendoeste sido preso
por barricas de farinha furtadas adiadas na
sua padaria o dito escravo fugio dahi e loi
buscar padrinho e veio para casa e sendo
solt o dito Portugueez, tornou o preto afugr,
oquedeixa suspeitar que foi oulra v?z pa-
ra a companhia d'aquelle que agora (dizem)
fora para a Cidade da Parahiba : quem delle
livor noticia 011 o pegar leve- a seu Snr.
na ra do Rangel D. 2o na quina do beco do
Carcereiro qu* sir gratificado.
tsr Boga-se as authordades policiaes e ca-
pitesde campo a aprehenso de um molati-
nho de nome Jacob que fugio no da 9 da
Sttembro p. p. de 13 a 14 annos pouco
mais ou menos com os signars seguintes :
cor natural cabello bom e cachiado com
um signal de marca de ferida na maga do ros-
to reforgado do rorpo e muito esperto ,
sabio com uma caiga de algodozinho entran-
gado de 280 res a vara de barguilha e cami-
sa de algodo quem o pegar lvelo as o
pontas D. 17 011 ra ra do Fogo loja de alfaia-
te de Vicente Alves Ribeiro que ser bem re-
compensado.
tsr Uma negra de 40 annos baixa e
cheia corpo com urna calva na cabega do la-
do direito do mesmo lado na perna signaes
de mordidela de caxorro por nome Luiza ,
carniza de algodozinho vestido de riscado
azul velho, pao da costa velho corpo cneio
de signaes da trra ilella fugio no dia 27 p-
p. pela manila ; quem trouxer ser bem re-
compensado; na ra do Qudmado D. 4 segn*
do andr.
BECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. =1842.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EC1INOBSD_B0OCJ5 INGEST_TIME 2013-04-12T22:13:51Z PACKAGE AA00011611_04785
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES