Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04782


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Anno de 1842.
Tera Feira 30
Tudo agora depende de nos mesmos ; da aossa prudencia modeaac fio e energa : cnn-
linaemoB como principiamos e seren.is aponlados com adc.iracao entre as Nacfies maia
callas. (Proclamacio daAisemblca Geral do irazil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Gi*ni>. Praib e Jtio grande do Norte, segundase sextaa feras.
Bonito iCaranbuns, a tO e 24-
Cabo Serinhaem Rio Formoio Porto Cairo, Macei e Alagoai no 1. H, e
lajea 43. Santo Antao quintas feiras. Olinda todos os dias.
DAS DA SEMANA.
jy g^ Degolaco de a. .lo.o Rtiplista. Aud. dj J. de D. da 2. r.
31) l';ia. s. Roa de Lima Re. And. do J. de D. da i. w.
31 Ojam a. R) mundo Nonato Card. Aud. do J. da D. da 3. T.
i Quii, s. Ejrylin Ab. Aud do juii de I), da 2. v.
2 SeXt. s. Estevao Rci. And. do J. de D. da i', t.
3 Sj>. a Eufemia V. M. Re, Aud. do J. de D. da 3. r.
4 D.un. N. S. da Penha.
de Agosto. Anno XVIII. N. 18-
O Diario publi.-a-ie todos os dias que n.'io forent Santificados : o preco Ja assignalnra be
de tres mil res per qtiarMl p.ijoa adiantado*. O annunrins dos assignantes sao inserido,
gratis e os ils ij-ib o nao forcm raiilo de 80 reis por linha. As reelamaerjs derem aer
dirigidas aesia Tipografa ra das Cruies 1). 3, eu a pra<;a da ladi^-endcncia bija de litro
Numero 37 e 3S.
CAMBIOS NO DA 29 DH AGOSTO.
compra venda.
Cambio sobre I.ondre* 25 nominal.
k Para 37S re |>. frai.ro.
i.isboa !,i) |nr 1.0 de pr,
N'i'jeda de cobre 4 por l de dsjtconto.
dem de letras de bas firmas 1 e ale{.
Oono-.Voed.de 6.400 V. 4(5,300 iC.iiOO
N. dfi.iOJ 1,30O
de 4,000 i. KKI 9,300
PraT TalacSes ,880 1,890
Penis (lolumnarei l,8.s .SIO
dita Mexicanas .SS0 l ,89(1
miuda f,tW 4,730
Preamar do 30 dia de Agosto.
1." a J1 horas e 42 m. da manba.
2, a i horas e 6 m. da larde.
PHASES DA I.A NO MEZ UE AGOSTO.
Loa Nora a f -- fia 0 horas e 2! m. da lard.
Qoart. mi', a I'! aa 3 horas e 4 m. da manh.
La cheia a 20 is 11 horas t .'ili m. da t..r I.
Quart, rom, a 20 a 1 huras e 30 ro. da manh.
DIAR
PARTE OFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 2G DO C0RRENTE.
Officio Ao ongenheiro em cliefe das o-
bras publicas ordenando que mande por
disposigo da cmara municipal d'esta cicla-
do a pedra do Fernando que em seo oflicio
de 22 do presente mez declara poder dispen-
sar.
Dito A supram^ncionada cmara, sci-
entilicando-ada expedigiio da precedente or-
dem em resposta ao seo otlicio de 30 de Ju-
nho ultimo em que pedio dita pedra pa-
ra darem cometo ao calgamenlo de algum is
ras d'esta cidade : e dizendo que na pri-
meira occasio opportuna mandar vir mais
da referida pedra.
Dito Ao commandante superior da guar-
da nacional de municipio de Goianna intel-
ligcnciando-o de haver concedido reforma no
posto de ajudante do quarto batalho da mes-
ma guarda nacional Cosme Ferreira de
.Millos Jnior.
Dito A irmandade de N. S. da Solida-
do participando ter resolvido d'acord com
oExm. Prelado diocesano collocar o Sanlis-
simo Sacramento naquella igreja fim de
soccorrer aos enfermos existentes no hospi-
tal regimental ella contiguo ; e signifi-
ca iulo-1 he que todas as despesas que fo-
rem necessarias serio feitas por conla dos
cofres pblicos.
Dito A administrago dos esUbeleci-
menlos de cari lado communicando a su-
praeitada resoluto, e determinando que
mande entregar ao capello do batalho pro-
visorio, Antonio de Faria Neves a umbela,
o trnelo a ambula de prata com cafa de
damasco o relicario de prata com sua bol-
ea o vaso de ungo e oito opas encarna-
das ,
lil.tr
grande hospital de cariJade.
Dito Ao commandante das armas, com-
municando o conteudo no precedente oflicio ,
c ter resolvido fazer collocar o Santissimo Sa-
cramento na citada igreja para o fim supra-
indicado : dizendo que expessa suas ordens
pertencentes ao extincto hospital mi
, e que existen) em poder do capello do
F@LMITB
para que a guarda all existente porte-se
com a decencia e moderado que um tal
lugar exige: e delerminando-llie, que, lo-
go que o capello do batalho provisorio re-
ceber as alfaias que lite foro mandadas en-
tregar fa^a S. S." scicnte d'islo a Presi-
dencia.
Dito Ao juiz do direito Manoel Teixci-
ra Peixoto nomeando-o para presidir o an-
damento das rodas da lotera concedida a fa-
vor das obras da igreja deN. S. da Saudo
do Pogo da panella que lera comego em o
dia primeiro de Setemhro prximo futuro .
no lugar que Ihe for indicado pelo respecti-
vo cscrivo.
Dito Do secretario da provincia ao su-
pramencionado cscrivo, participando a pre-
cedente nomeago ; e dizendo-lhe que S.
Ex. Ihe ordena indique ao nomeadoo lu-
gar onde vai ser procedido o andamento das
rodas da citada lotera.
Dito Ao director do arsenal de guerra ,
ordenando, que a vista da conta que Iho
remelle do corrieiro francez Miguel Sou-
get mande satisfazer a quanlia de >00,>
reis, importancia dos arrcios por elle pre-
parados para as parelhas -le tronco que tem
de puchar o parque d'arlilharia de calibre 3
pertencente companhia d'arlificcs.
Dito Ao commandante das armas par-
ticipando ter dado a antecedente ordem em
allenco ao que S. S." requistou em oflicio
de 25 do corren te.
DitoAo mesla, intelligenciando-o d'ha-
ver expedido as convenientes ordens para
que sejo substituidos por. guardas solleiros
os guardas nacionaes casados perteni.cn tes '
a torga da guarda nacional destacada em 0- '
linda sob o commando do major Joo Paulo*
Ferreira, queexistem nesta cidade.
Dito Ao inspector da thesouraria das ren-
das provnciaes transmiltinlo ascontas do
ex-prefeito da comarca de Goianna de despe-
Dto Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda ordenando que mande satisfazer ao
commandante do batalho d'infantara doG.
N. destacado a importancia de urna sepultu-
ra dada ao soldado do mesino batalho Vic-
torino Ferreira da Silva.
Dito Ao commandante das armas se-
entificando-o da expedigoda procedente or-
dem.
Dito A enmara municipal da Boa-vista .
approvando a nomeago que fez do cida-
do JozeDomingues Montenegro para encar-
roado da vaccina naquelle municipio.
Dito Ao inspector da thesouraria das
rendas provnciaes participan lo o Conteudo
no anterior ollicio.
concedeo-lhe desligamento do referido bata-
lho.
sas feitas com o sustento dos presos pobres
de jusliga d'aquella cidade desdo o primeiro
de Janeiro al o ultimo de Margo do corren-
leanno, ecom o fomecimento de azeite pa-
ra luzes e aluguel da casa que servio de
quartel ao respectivo destacamento, na im-
portancia ludo do 107^240 reis, fim de que,
achando-as legalisadas asmando pagar ao
bacharel Luiz Paulino Vellez de Guivara.
DOUS ERROS,
Pon A. DROZ DESYOYES. (*)
Anlony voltou para casa e ah se achou em
frente de Clemencia esse muro de bronze
que se levantava entre Maria e elle. Longo
lempo custou a hahiluar-se a esta lerrivel po-
sieo nao vendo sua mulher seno nos mo-
mentos em que nao podia evitar encontra-
la e dando por desculpa os t rabal I ios doseu
gahineto e os negocios de que comegavo a so-
brecarrega-lo. Nao encontrando seno no
estu lo lenitivo a scus desgostos a elle seen-
tregou dia e noilc o que augmentava a sua
repuUcfto.
Quanto a Clemencia ; tinha-se nella ope-
rado de repente urna metamorphose que po-
deiia passar por inexplicavel se nao houves-
sem bastantes exemplos. Esta mulher, que
nao Liii i i a mesmo formado urna idea do erro
que com metiera qje linha desposado Anlo-
ny sem o amar ordom de scus pas o na
ob< igago em que eslava de obedecer sua
YoiiUde sentio em seu corago despertar u-
ma paixo que Ihe abri as portas da vida.
Como unta louca aquem volta sbitamente
a razo como um ceg de nacenca ; a quom
* ) Vid. DiarioN. 81, 183, elSi.
a mo de um operador hbil acaba de dar
luz, ella aohou-so de repente no mundo, a
igual das senhoras do dislincgo como ella.
Asvantagens de Antony exaltro-a : van-
gloriando-se de um tal marido, o amor que
concebeu por elle foi tanlo mais violento e ex-
traordinario quanto a gravidade do seu cri-
me Ihe appareceu por lim e ella ousava a-
penas levantar os olhos para seu marido. O
temor de que elle nao penetrasso esse horri-
vel mysterio pesava sobre ella como urna mo
de ferro e em seus remorsos teria dado os
mais bellos anuos da sua vida para ter chega-
do pura e santa aos bracos daquelle a quem
amava.
Noentanto este amor to delicado esta
dcdicac/io to terna e tamben) essa descoberta
inesperada deque Clsmencia nada menos era
do que elle se tinha imaginado altrahiro
Antony pouco a pouro para ella ; elle attri-
buio-se a honra desta mudanga e lisongea-
do em seu amor proprio perdeu cmfim a-
quelle ar melanclico e aquella frieza som-
bra que nos primeiros mezes do seu casamen-
to nao o linhii) deixado.
Depois da sua ultima entrevista com Maria
nao tinha procurado tornara ve-la : smen-
te um dia lendo-lhe mandado um bilhete
com urna consideravel somma de ouro esta
Ihe voltou com o bilhete, cuja obrea eslava
intacta, e sobre o qual lnho sido tragadas
estas palavrasNao aggraveis vossas culpas.
Dito Ao juiz de direito do c me da co-
marca da Boa-vista, disendo, que loi muito a-
gradavel presidencia a participago, que
fez em seo ollicio do primeiro do corren te ,
de achar-se completamente dissolvido o ajun-
tamenlo sedicioso da povoago do Ex ; e
que espera continu empregar pela sua
parteas providencias necesarias para que a
Iranquilidade publica naquella comarca par-
maneca inalteravel.
DUo Ao administrador do correio or-
denando que d'ora em diante faga pulir fia-
ra Flores doiis correios um no dia 15 e ou-
trq no dia 28da cada m;z ; que determine ao
agente d'aquele municipio faga rcmetter
por lim proprio a correspondencia porten-
cenle Boa-vista no dia immediato ao da
chegada do correio ; e que satisfaga a despe-
sa que ello i/.er com tal remessa o in-
telligenciando-o de que nesta dala ollicia a
amara municipal da Boa-vista fim de no-
mear um agente de sua conlianga.
DitoA cmara municipal da Boa-vista, par
ticipando o conteudo no precedente; ollicio e
ordenando, que nomeie um agente de suacon-
ianga que se responsabilice pela entrega,
fe remessa da correspondencia ollicial das di-
versas autoridades d'aquelle municipio.
Dito Ao commandante das armas par-
ticipando que em atlengo sua informa-
gao dada em oflicio de honlem' acerca do re-
quermento de Barlholomeo Gomes d'Albu-
qoerque alfores da segunda companhia do
batalho d'infantara de guardas nacionaes
destacado em servigo na cidade de Goianna,
COMMANDO DAS ARMAS.
FXI'KDIKXTE DO DIA 22 DO COIttRNfst.
Ollicio Ao Exm. Presidente commu-
ncando-lhe (|ueo commandante da fortaleza
le laman Jar remetiera ao coronel chefu
Reg,
de legio
rancisco de Birros
espingardas do adarme 17 ,
corrame, que all dexara o
as 50
e competento
commandante
, que
ao ser-
Assim se passavo os mezes 5 havia j seto
que Antony era casado quando Clemencia
sentio dores que tanto lisongeo um recein-
casado e que a ella so envergonhavo a
ponto de pedir ao co urna nica graca a de
morrercom seu lilho.
Os Srs. de St.-Yves, inmediatamente pre-
venidos, apressro-se a vir ter com sua filha.
FingirO ambos langar sobre Antony as cul-
pas desta crise prematura e se mostrru tan-
to mais descontentes que levantando alto a
voz, estavSo cortos de arredar desto ponto a
atlengo de seu genro. Mas Antony nao li-
nha e nao podia ter suspeila alguma : o amor
de Clemencia para com elle era extremo e a
esse respeito nao podia levantar-seem sua al-
ma a menor sombra de duvida. Langou pois
as causas deste parlo adiantado sobre a nalu-
reza que militas vezes extravagante e
sobre a constituigo de Clemencia cuja fra-
queza porem nada indicava ; e agradeceu
Providencia de que nenhum resultado perigo-
so tivesse seguido este desvo das regras ge-
raes.
Porem Clemencia excessivamenle magoa-
da entregou-sea urna tristeza bem poueo
natural em urna joven mi. Nao poda ver
seu fillio lestemunha muda do seu crime ,
e foi ella quem apressou sua partida e a pri-
meira a pedir para elle oseio de urna estro-
nlia. Conge desta pobre creatina nao que-
ra ella pensar c nao comecou a respirar
do brigue Caliope.
Dito Ao commandante da escuna do
guerra = Primeiro d'Abril = remettendo-
Iheo paisano Joze da Silveira Nicolao
d'ordem da Presidencia sedestinava
vigo da marin.'ia.
Dito Ao capito commandante da forga
destacada em Serinhaem e Bio-formoso ,
mandando suspender o fomecimento de lu-
iros aos olficiaes por ser contrario a provi-
so de 27 d'Agosto de 1829 cuja execugo
filra recoininendada pelo aviso da reparligo
da guerra de 9 d* Abr I desle anno, e auto-
risan lo-o a dispender com o fomecimento
das tres luzes do quartel a quanlia de reis
I2,>000 regulando-so cada luz a 140 reis ,
conforme o prego do azeite naquelle lugar.
Dito Ao commandante do batalho pro-
visorio para que abanasse adiantado os ven-
ci(nonios do destacamento de Serinhaem ,
relativos ao mez de Setemhro dovendo en-
viar a importancia a secretaria militar ate* a-
manh ao meiodia.
No mesmo sentido se ofticiou ao comman-
dante d'arlilharia acercado destacamento do
llio-formoso.
Portara Ao lenle coronel comman-
danle do balalho d'infantara de guardas na-
cionaes destacado mandando excluir do
mesmo o soldado Joze da Silveira Nicolao e
i'cmettcl-o ao commandante da escuna pri-
meiro d'Abril onde tinha de servir.
DEM DO nli 23.
OflicioAo Exm. Presidente enviando-
Ihe a requisigo dos arre os para as parelhas
de tronco que tem de puchar o parque d'arti-
lliaria da companhia d'artilces alim de dar
suas ordens para que fosse salisfeila.
Dito Ao mesmo Exm. Sur. enviau-
do-lhe o processo verbal feito ao reo soldado
mais livremente seno depois quedellase vio
separada pela distancia quo vai de Pars ao
castalio de St -Yves.
Que differenga com Mara culpada tam-
li mu que algumas semanas depois deu
a luz um lilho sem nomo, que alimenlou com
seu proprio le:le o pelo qual sacrificon sua
honra e seu futuro vivendo no seu oppro-
brio o adiando cm seu corago forgas bastan-
tes para ludo suppoi lar para ludo arras-
lar!
Alguns annos decorrero e a nao ser
Iue Clemencia nao procuiava ver seu lilho o
pareca incommodada com a sua presenga ,
nenhuma inquietago a perturbava. Anto-
ny segua a sua brilhante carreira e, s-
niente admirado do pouco amor do Clemencia
para com seu lilho era para elle mais terno
do quo teria sido se sua mulher como todas
asmis, sesentisse reviver nellc. Julio ti-
nha tocado o seu lerceiro anno ; confiado a
una criada era ella quo delle tomava cuida-
do e quem o fazia sabir quasi todo o dia ,
sol pretexto junto do pai deque o ar li-
vr< a solide da infacia mas na realdade,
pr. Me Clemencia o afasia va de si o mais pos-
Muilas vezes Anlony quando algum ne-
: uio nao o retinha no tribunul apressava-
s! a deixa-lo e vollando pelas Tuleries on-
de eslava corto de encontrar Julio o tomava
pela niaue cetra va com che adiando nesta


2
do batalhSo (Tin Cantara de (guardas nacio-
nacs distaeiJo, Manuel Cictano do Xasci-
ment, para ser Jujgado era ultima instan-
cia pela junta dejusrica,
DitoAo mesmo Exm. Snr. remetlen-
do-lhe competentemente informado o roque-
rimenlo do capilo reformado Antonio Bene-
dicto d'Araujo Pernambiico que peJia a no-
ineaQo de instructor do batalh&u de guar-
das nacionaes destacado.
Dito Ao Kxm. brigadeiro Antonio R>r-
ges Leal rcmetlendo-lhc por copia omap-
pa do armamento c corrame foirieeido pe-
lo arsenal de guerra a guarda na< ional dos
municipios d'Olinda e guarag os livros
de matriculas eoutros papis lamientes n
guarda dos mesmos municipios.
Dito. Ao tcnenle coronel chefo do pri-
meiro batalliao d'Olinda dizondo-Ihe que s
polioos guardas da forra destacada naquella
cidade serem por outros substituidos por
intermedio do commandanle das armas, a
quemdevia remetter as pracas substituas,
com as razes que bouvessem ein favor dos
substituidos.
Dito Ao commandanle da fortaleza de
Tamandar disendo-lhe que (cava sciente
da remessa que fizera das armas ao coronel
ebefe de legio Marros Reg, conforme com-
municara cm seo oflicio de 11 do corren te.
DitoAo commandanle da forga desta-
cada cm Serinbaem e Rio-formoso di-
sendo-lhe que na prime ira opporluna oc-
casifto remeltessc para esta capital o sar-
gento c soldado que all se acho presos,
lim de serem processados militarmente.
Dito Ao mesmo significando-llie que
os destacamentos de linba encarregados de
policiar os termos de Serinliaem e Rio-for-
so, nao devio ser deslrahidys na condugo
de recrutas para esta capital e que s (pian-
do tivosse de mandar alguma escolta condu-
zir soldados podio ser taes recrutas envia-
dos, quando antes se nao possa verificar a
remessa por gente pedida pelo sub-delegado
a guarda nacional do lugar.
REPARTIDO DA POLICA.
Parte das occorrencias dos dias 27, e 28.
Eoro presos no dia 27 pelo inspector do
quarloiro da ribeira d'esta fregueza de San-
to Antonio Luiz Francisco Macio! e pelo
commandanfe da guarda a ribera da Boa-
vista Antonio LlZ, por briga : furo reco-
lliidos a cadea. No dia 28 polo commandan-
te do corpo policial M. A. Ferreira Marga-
rida Pastora por ler brido na cabega a lima
crianca ; pela patrulba rndante na ra nova
.Manoel Pedro por estar em desorden) ; pela
do Manguinbo o escravo de nome Antonio
pelo mesmo motivo cujos presos loro igual-
mente recolhidos a cadeia e d'ordem do dele-
gado do 1. dislrielo d'este termo o solda-
do do balallio destacado Joio Ferreira dos
Anjos por ferimenlos.
1NTELUOR.
PAR AMIBA.
As eleicoes para Reputados na Parahibavao-
em
prazer descanso aos seus Irabalhos do dia.
Cada vez que Clemencia o via assim vollar ,
urna nuveru cobria- lbe o semblante, o remor-
so torturava-a d ese ja ra que a vista tiesta
manca desagradasse a Antony da mesma
maneira que a ella llie f.i/.ia mal o nfio
poucas vezeslinlia lido o pensamento de lan-
C.ar-se aos ps de seu marido e descobrir-
Ihe o nascimento de Julio (i mdo-se para
o seu perdo no amor que ella l!ie tirilia.
Mas como cobrir se a si mesma de vergontia ,
lornar-se despreziyel aos olhos de quem se
ama ?
Um dia yindo assim buscar Julio Anto-
ny o vio brincando com um pequeo cmara
da que se lbe linba reunido. Sem os ar-
rancar a<)5 seus divertimentos comprazia-se
em ohservi-los e cm admirar a docilidade
com que Julio escutava o seu novo amigo e
como se submellia sua vontade piando
urna joven mullier correu precipitadamente ,
agarrou em seu lillio e levoii-o comsigo a
pressando o passo tanto quanlo lbe permittia
este caro e precioso fardo, hila com ludo nao
se afastou a saz ligeira para que Anlony nao '
reconhecesse nella Mara. Era a primeira I
vez que avia depois de alguns anuos, esla-
va lo bella como nos lempos em que a l-
idia conbecido mais bella lalvez porque a
sua (iliysioNomia linba adquirido as hitas
quuexperiroenlou um carcter cuero de tur-
ca e de nobre/a,
se procedendoem perfeita tranquillidade, co
mo as primarias : as noticias que do resida-
lo (Pellas b so smente dos cinco rollegios
da capital, Alhandra Pillar Guarabira e
Maranguape : eis-aqui as pessoas mais vola-
das uestes collegios :
Votos.
Exm. Presidente. 168
Dr. Frederico d'Almeida e Albuquerque. 147
Dr. Antonio Joze llenriques. lii
Dr. Francisco d'Assiz Rocba Jnior. 129
Joaqum Manoel Caineiro da Cunha. 127
Major J. Maria Ildefonso. 9l
Dr. Trajano Alipio Chacn. 79
Costa Machado. 6
PUMO DE PERMUTO.
O Paquete de vapor S: Sebastio sahido
ilo Rio (le Janeiro no dia 18, chegou aqu bo-
je (49) pelas 5 horas da tarde. As noticias .
que nos traz de Minas este paquete chega
at 6: o Raro de Casias havia entrado na
Capital daquella provincia ; mas tendo sido
obligado a fazer marchas forjadas paroocon-
segair nao se achou em estado de atacar lo-
go os rebeldes que eslavao meia legoa da
Cidade. Estes haviSo recobrado Queluz don-
de as forjas Iegaes os havo expulsado ; de
surte que, ao dizer de alguns joruaes do Rio,
aquella marcha fui toda prejudicial legalidc-
de nao obstante os Iouvores que por ella
merece o General.
Eis-aqui o que o Jornal do Ccmmcrcio re-
fere a respeito de Minas no seu N. de 1G do
enrente :
Chegarao ante-hontem noticias de Ouro-
Preto al 6 do correte. O nossos assignau-
(es ( a quem mandamos hontem distribuir um
spplemenlo contendo o oflicio do Snr ba-
pSq de Caxias ) j;i sabem da entrada deste ge-
neral em uro-Preto no dia G. Alem deste
offieio publicamos boje outro do Snr. presi-
dante de Minas Geraes que d noticias bas-
tante satisfactorias.
Por urna carta do Ouro Prcla datada de 6
do correte sabemos que as forcas rebeldes
que atacar Queluz se reunio depois s que
existido em Santa Barbara e que no dia 5 e
6 eslivern ti vista do Ouro Preto em distan-
cia do meia legua leudo em numero peno
de dous mil bomens ; que a lorca imperialis-
ta era mnilo mais numerosa, estando a cidade
inuito bem defendida com artilharia postada
em todos os pontos por onde poderia ser ata ra-
da oque ludo fez com que os rebeldes se nao
animassem a tentar o ataque.
O portador destas noticias, que se achou
em Queluz quando esta villa foi tomada ulii-
mamentc pelos rebeldes retere que no ata-
que delta bou vera fogo desde as 5 horas da
manlia at a noite e que se nao aeonteces-
se ter sido baleado o bravo major Pedro No-
laseo de Azevedo tal vez os rebeldas nao con-
segnissem toma-la. A nossa peda nesse ata-
que segundo o mesmo conla fui de perlo
de 30 homens mas a dos rebeldes passa do
dobro, tendo entre elles umfilbo de seu com-
mandantc Galvo.
Accresccnta' o mesmo proprio que depois
deste successo os rebeldes tcm commeltido to-
Pela primeira vez Antony deixando Julio
a sua aia correu para Maria c chegando-
seaella, lbe perg',:ntou se nao quera dei-
xar-lhe conhecer aquelle minino urna vez
que o acaso o tinha assim levado sua vista.
Tremendo e palbda Maria que comtu-
di, nao era acensada defendeu-se deste en-
contr e protestou que ignorava a quem se
tinha reunido sen filho.
Simples efietto do acaso nao duvido ,
relorquio Antony mas, seris mais severa
do que elle ? Ao mesmo lempo pegou ao eol-
io nossa pequea crealura, que vendo um
semblante que Ihe sorria pz-sc tambem a
sornr.
Maria voltou ac beca para nodeixarver
as lagrimas que, em vo, se esforcava a reter.
Assim oppor-vos-heissempre, disse An-
tony a que condena seu pai ?
Basta senbor lbe respondeu ella ,
que esta crianca con liega um sii dos autores
de seus dias, pois que loria a envergonhar-
so do ambos. Assim ao menos nao po-
llera exprobrar a sua vergonha seno a urna
nica pessoa ; a niim.
E para que nao me fazer parlilhar esse
pezar? replioou Antony.
E', respondeu Marta porque nao se
devem partilharos pozares seno com aquel-
les que lem a sua parte na felicidade.
E verdade que ella nunca mais pode-
r completa para mim !
'da a sorlc de attentados roubando e incen-
diando as propriedades dos legalistas na Ca-
cboeira e cm todos os outros lugares por onde
passro ; que o ex deputado An'ao que
se achava preso na carlea do Ouro Preto desde
3ue as forcas Iegaes oecupro Queluz em 15
ejulho se enforcra na prisffo no dia 6
do correnle quando no Oliro Preto se souhe
da approximaco do baro de Caxias.
O enlbusiasmo das forcas numerosas exis-
t en les no Ouro Preto era extraordinario, e
nada recciavo dos rebeldes ; fallavo-lbes
porem officiaes e um hbil general que os di-
rigisse : hoje tem ludo
L-se na Sentinella oseguinte :
Foram adiadas as eleicoes primarias n'esla
provincia para 18 de selembro e as secunda-
rias para 2 de outubro. K um relevante Ser vi-
co que o Exm Presidente o Sr. Honorio Her-
meto fez ao Rio de Janeiro.
Dizem os passageiros do Paquete que o
!'xtn. Mrquez de Paianagua levara um li-
ro de pistola estando ; janella de sua casa ;
que este tiro que se no em pregara, fora dado
porum Oflicial que linba sido immediatamente
preso.
Na Baha procedero-se s eleicoes de Re-
putados deque fallaremos no seguinte nu-
mero. A provincia ficava em tranquilidade .
at 22 do correnle data dos ltimos jomaos
que tivemos.
COM M NICA DO.
Amicus Plato amicus Coesar ,
sed magis rnica veritas.
Se he certo que, o homem que preaa a jus-
ticia e ama a veidade nao pode com indif-
ferensa tolerar que se falte aquella, e se viole
esta com raso seriamos tachado de inimi
go da verdade o menos presador da juslica,
se por ventura mudo nos conservar-se-mos, e
por alto deixisse-mos passar ocommunicado
publicado a 2o do crrente ; por quanto esta-
mos mais que muito convencido, de que o seu
author espesinhou urna e guerreou de mor-
te aoutra, Sim faltaria-mos um dever
tanto mair, quando n'essc communicado lio
tratada de urna maneira menos digna a maio-
ria do corpo Accademico essa maioria
que com ufana confessamos pertencer : se
hem que, na opiniAo do Ilustre communicati-
te ella ss coniponha de pessoas que se di-
sem amigas do Governo s por que espero
um dia pertencer a classe dos Radiaris de
todas a mais dependente. De passagem dire-
mos ao Ilustre collega que nao Ihe inveja-
mos a descoberta e nem lo pouco olliamos
para a sua independencia e a de seus compa-
nheiros com olhos ambiciosos. Si o dar mor-
ras um Ministerio que em nossa opini-
o desviou o Brasil do precipicio para o qual
alguns homens desvairdos o queriao arro-
jar constitue o cidado independenle nao
queremos semelhanle independencia. Se el-
la consiste em pagar os servidos relevantes de
um Presidente cntoando-lhc morras, detes-
tamo-la. Sa he necessario em lim, para sor
reputado independenle bravatear contra ho-
mens quu nunca nos offendero e cujo u-
m
Que queris pois ? interrompou Mara;
nao leudes vos urna mullier a quem amis ,
um filho que vos caro, fortuna ludo quan-
to ha de real bem como tudo o que nao
seno fumo visto que adquiriste aquelle no-
me aquella illuslrac/io pela qua! outr'ora
suspiraveis ?
Para vos Maria !
Presentemente para outra disse ella
fazendo um movimenlo que nao se saberla
hem explicar. Que importa Finalmente
o idolo muda, a f fica. Mas, senhor en
vos peQoentregai-me meu filho e permilti que
me retire porque confessar-vos-hei vis-
to que nc vo lo posso oceultar este encon-
tr imprevisto de tal maneira me traiistornou,
que apenas me posso sosler.
Permitti que vos acompanhe ao me
nos al...
Nao disse ella terei mais forca si-
me deixardes. Mas acredilai accressentou
ella que nao ha sentimento algum sinistro
para vos nestas pal vras. As nossas exis
tencias eslo hoje demarcadas a nenluim Je
nos permillidoarredar-se do seu caminho.
Ausenlou-se, o Antony perturbado e cotn-
movido foi ter con Clemencia.
Felizmente noticias importantes e que
impediro uo sua oiulher conhcccsse a sim

nico crime he nos nao conhecer preferimos
antes ser lido em conla de dependente lou-
vando o mrito s por amor do mrito e des-
presando o vicio, s por que o reputamos tal.
Mas diziamos nos, que o author do commu-
nicado em quosto havia espesinhado a ver-
dade e ultrajado a juslica e he isso o que
passamos mostrar ; porem antes de o fazer,
cumpre-nos declarar, que nao tendo nos con-
corrido directa nem indirectamente para
a publicacilo do communicado que se refe-
re este cuja doulrina combatemos nao nos
julgamos obrigado sustntalo tarfa, que,
sondo alias bem fcil deixamos para seu au-
thor contentando-nos em mostrar que o
ultimo communicante nao he to amigo da
exactido como inculca.
Principia o illustrc colloga por afllntar, quo
muitosesludanles oppozicionstas acompanha-
ro cm boa ordem aquellos, que festojaro na
noite do 1) de Junbo a pacilicaeao de S. Paulo,
c que se pora caso outro tanto nao tisero na
noite do dia 13, fui por que cnto o im ja nao
ora o mesmo; por- m sem vilipendiar, e rediru-
lisar um accademico, quem havio calumnia-
do. Em prirneiro lugar diremos aoillusttccol-
lega, que he verdade, que ateunscsludaiites q'
sedisem da opposic/io, accompanharo o fes-
tejo da primeira noite por que pode-se mui-
to bem nao gostar do Governo actual, sem to-
dava sympathiar com os Tobas e os Feijs ;
mas 0 que he tamben innegavel he que ne-
nlium dos que deao os gritos sediciosos con-
tra o Ministerio, e o Presidente da Provincia,
sabio na primeira noite. Esses icaro em
suns casas e por isso muilissima raso teve
o authordo prirneiro communicado quando,
narrando o fado disse que na noite do c"ia
9 os oppozicionislas isto he aquelles que
dero os gritos sediciosos apenas se conten-
ta rao com o nao sahir. ('orno pois ocsa o il-
lustre collega laxar de inexacto seu adver-
sario ?
0 que porem nos parece engracado ponto
de faser rir as pedras he o motivo que o
Ilustresegundo communicante aprsenla pa-
ra explicar o procedimento de alguns dos seus
companheros que com pedidos e ameacas
procuravo dissuadir os osludantes que pela
segunda vez querio festejar a fausta noticia
,la pacilicaeao de S. Paulo. E na verdade. se
os oppozicionstas procuravo evitar o festejo,
por que sabido que elle s tinha por im =
zumbar de quem estava quieto = como he ,
que se resolvero aconcorrer com suas pre-
sencas para urna aceo que o Ilustre colle-
Rfl "dis ser lilha de intrigas mal intendidas ?
Nao o commiinicanto bem sabe que o lim ,
do segundo festejo nao foi escarnecer de al-
guem ; porem sim dar mais urna prova do
enlbusiasmo, que lavrava nos peitos dos a-
migis da ordem pela sempre feliz noticia da
defeceo da rebelda na Provincia de 5. Pau-
lo ? E tanto nao ignora o Ilustre collega ,
que esse era o lim do segundo festejo que
logo depois lalvez mo grado seu nos diz ,
que os oppozicionislas se rezo I ve rao acom-
panliar os colaboradores do festejo por que
estes Ibes assewrarao, que o nico lim que
linho em vislas era festejar o regosijo com-
mum. A' vista de to palpavel contradiga o ,
como se alar o Ilustre collega ? Nao menos
agitado esperavo-oem casa e desviro a
sua a l tenca o do encontr que tinha tido. A
Sra. de Sl.-Yves ora murta havia mais do
um armo c o jardineiro do easlello annun-
ciava-lhc que o marquez seu sogro acaba-
va tambem de morrer de um ataque apoplti-
co. Foi-lbe pois preciso partir incontinente,
e, deixando em Pars Clemencia cujapre-
sengu nao era necessaria no casteo pedio
inmediatamente cavallos o em poucas horas
eslava na estrada de Tours.
A nica Herdeim do Sr. de Sl.Vves era sua
fjlha. Depois de ter feito as ultimas honras
fnebres a seu sogro. Antony quiz lancar u-
ma vista de olhos sobre os seus papis,, e as-
segurar-sese nao tinha feito tlgumas dispo-
sice? testamentarias ; maso Sr. de St-Yves
nao tinha deixado acto algum de sua supre-
ma vonlade. Percorrendo os papis de seu
sogro cahio-liie na mo um que leu di-
versas vezes com o semblante alterado eo
espanto pintado em suasfeices : era a carta,
escripia em caracteres de sangue por aquello
que tinha deshonrado sua mullier. carta fa-
tal que o pai de Clemencia nao tinha destrui-
do julgando-sesemduvida longo da sua ho-
ra extrema e quo, por um imperdoavel es-
quecime-nto tinha deixado confundida no
meio dos S3U8 pipis.
( Continuar-se-lia.)


>a
1
rr3fa nos parece a razilo que o communi-
cante nos quer impingir se no para justilicar,
jo menos para attenuar o procedimenlo irre-
floclido e tresloucado dos seus compan'ieiros ,
,|iK! sem motivo algum ousarao soltar vozes se-
diciosas contra o Ministerio, o o Exm. Presi-
dente da Provincia na mesma occasio em
me mais de 80 esludantes entoavo vivas
pss'as uuthoridades. Diz o Ilustre collega ,
nucos oppozicionislas dero esses gritos por
que havio exigido dos colloboradoi es do feste-
jo que noilessem certos vivas e quo ha-
vendo sido estes dados, motivou isso o romp-
Diente que leve lugar. Ora realmente se
no livessemos visto era letra redonda scme-
lliante desculpa certo que nunca nos pas-
saria pela memoria que algucm se lembrasso
de apresenla-la para justificar aquelles quo,
como nos assegura o Ilustre collega derao os
seus vivas (aqui para nos morras) com a mejor
intrepidez e tranquilidade. so bem que
o promcUimcnto de que falla o communican-
le em nada o dcsculparia anda mesmn que
houviv-se existido sempre ser bom notar ,
(pie tal promessa nunca leve lugar se no da
parte de meia duzia que no podio respon-
der por todos urna vez quo n'aquella reu-
niao nao liavia um chefe cuja vontade se su-
geitassem todos os outros. Confessc pois o
iustre collega que os tacs oppozicionislas,
reumndo-se aos e.olloboradores do festejo s
tivero em vistas perlurb-lo por que talvez
no se ujuslassc elle com suas ideias. Muito
eslimirnos que o Ilustre communicantere-
prove e mesmo ache filho do desvario o pro-
cedimenlo dos seus companbeiros que des*
peilo de todas as conciderac/ics nilo duvida-
ro ultrajar as primeiras aulhoridades do Paiz,
c nem lo pouco offender seus collegas. O
illuslre communicante nos quoira persuadir ,
quo o autor da exposico que tanto o esta-
magou seja menos amigo da ordem do que
os seus companbeiros s por que fez conhe-
ccr ao publico seus aclos que em nossa opi-
jiio no podem deixar de ser laxados de
anarchicos, e desordtfiros. Pois que Es-
es homens independentes que cora voz alti-
sonante nAo Loniero peante urna popula-
do inteira ultrajar o Ministerio e o Presi-
dente da Provincia, sao mais inimigos da de-
sordein do que aquelle que a penas publica
esses ullrages ? Por certo que se o illuslre
collega nao nos dicesse nunca em tal pen -
sanamos. Se os Senbores oppozicionislas nao
querio que pubiieassem seus actos no
os praticassem. Sempre ouvimos diser, que
quem no quer passar por lobo no lhc ves-
te a pele. Em iim o nosso col lega no nos
parece haver lanzado mo do melhor mcio pa
ra delTeiidcr seus companheiros. O melhor ,
e lalvezo nico heconfessar que eslo ar-
rependidos, e ento aproveitar a occasio pa-
ra diser amen
O acadmico G.
VAB1EDADE.
CARTA DO ENXOTA-Ca'ES DO PALACIO.
DAS COIITES AO IURBE1HO.
Meu ipierido Mostr. Terminou felizmen-
te e sem soco a campanha eloitoral que
lo encarnizada se pelojou nasla Capital. Es-
ta lebre est corrida. Ambos os exercitos e-
leiloraesficriiosenliores docsmpo da balalha!
ambos softYriO grandes derrotas e ambos
.saliiro Iriumphantes. As duas bandeiras
bulligcraules, a Cirtista e a Selembrista ,
islo a Monarehia conslitucional e a Re-
publica ambas combattlro com arrojo e com
coragem medanle os socorros e vintep.s ;
porem a phalange do bonet rouge apesar dos
halalhGes auxiliares tuve de ceder o campo
pltalauge ministerial a sua perda mais sen-
si ve I.
O Governo triumphou levando Cmara
oilu Depulados que sao os Ministros do Ib'i-
no Ju&ticee Marinha o Gorjo o Falc&o
guel de Oliveira Borgos do Commercio e o
Coronel Marcely : 8. s Setembristas conse-
guirlo levar Cmara o Faustino da Gama ,
q Sanchos Piolbo o Ottolini o Jos Este-
vinho o Vieira de Castro o Jos Alexan-
dre e o Duarte Leito sao 7. E' verdado que
todos sao machuchos gente gorda e de nome-
a.Ia. As tropas suissas islo, os Batalhoes
Provisorios que combalcrlo a sold do parti-
do de Septembro tamhem ganhro seus
loaros. A velha Opposigo Carlista conten
tou-so com o sen Porla-Bandeira o Conego
Caslelio Branco! e o carunchodo Portugal Ve-
liio satisfez-se com o seu Medico Beiro !
lamben) triumphou a columna movel, s-
lo os Soldados arrufados o Bitalho que
combate os meios. Sahiro Depuladoso Ro-
drigo o Aguiar, o Avila o Luis das mu-
as, e o Garret do Sdlvaterio } o Qezar de Vas-
concellos por velho e o Jlo'da Miran la por
novo ignoro. Mostr por onda vence-
rlo e que partido pode ou deve em consci-
encia contar com ellos. Temos por tanlo tri-
umphose derrotas gostos e desgoslos gen-
te a rr-se e gente amuada mais claro am-
hieftes satisfeitas o ambiges por satisfazer!
Enlre asambicoes por satisfazer da parle
das opposicoes ficro o Seabra o Francisco
Jeronymo v oJoaquim Antonio Je Magalh&es,
e o Jos Eugenio o Leonel o Luis Jds B-
beiro (dos fundos ) o Manoel Passos, o o
Conego Vilhena !! E da parta ministerial lic-
ro o Gualter, oCordeiro o Pereira de Mel-
lo o Pinto de Magalbes o Euzebio o Son-
sa Azevedo, o Almeida, o Vioenl Carlos ,
o Lucas o Crespo o Jos Gomes o l)>>u-
tor Almeida, o Carvalho e o Augusto Xavier !
De quem tenho mais pena do Joaquim Anto-
nio de Magalbes e do Passos Manoel : o Pas
sos julgou que a sua carta pelos cuccessos do
lombo do mano Iho abr rilo a urna como in-
demnisac eo Joaquim dos Magalbes assen-
lou que depois de ter mandado armar as bar-
ricadas eslava DeputaJo nato per Lisboa! am-
bos se engaarlo.
Agora o mais interessante a pergunla que
fazem os curiosos. Para onde iro o Rodrigo,
o Aguiar o Avilla o Luis Mousinho e Gar-
rclt? Inimigos do Costa Cabral junclar-sc-ho
aos nimigonda Carta ? ou te rom os opposioo
lluctuante ? Em quanto ao Rodrigo parte-
nos que a Pasta dos Estrangeiros lho podo a-
maciar o azedumo. O (arrett, como bom
pregador que lio pregar de todos os Snelos
conformo a esmola. 0 Aguiar ha de; chegar- whuihhou-wi .. ......w,.,..- .....-,
se razo." 0 Avila depois de langar fra do vaccas 6,823 vitellas 37,7;ifl rarnci
buxotudo oque tem para dizer fiea salisfoi- O cebo em velas importen 466,163 kilogra-
lo entregue s combinares consoladoras dos mos Bastado cebo. Mostr: vou-
la capolla de Cardona para Burgos os ossos do
Cid D. Rodrigo ias del Bibar e de sua
mulher D. Ximena !! A Rainha Chrstina
v.omprou por 700,000 francos o i alacio e par-
que de Malmaison ( Paris ) anliga e favo
rila habitaco da imperalriz Joz.'lina. Che-
s'oii a MaJrid e vai tozar as suas niaeaquices
no Iheatro da Cruz Mr. Klischnig, que des-
s,i ridade lovou bons pinlos a pouco lempo.
Rubini o re dos Tenores chegou a Pa-
rs o de vai para Londres onde est es-
crplurado. A bolla o joven Jenny Colom Lc-
pliis urna das mais celebres cantoras do
Iheatro de Paris acaba do passar por um i
desfeita pelaqual tamhem tenho do passaci
morreo foi-se na flor da idado e depois
de urna doenca larga o penosa. S. A. R. o
infante D. Francisco de Paula to da Rai-
nha de Hespanba acaba de accoilar com
muito prazor a honra do colimando do pr-
meiro balhodn milicia rural do Malaga! S.
A. vai-so adianlando! nodla (> houve em
ilarcelona um acto de f Queimro-se na
praca publica varios trastes o roupa estran-
geiras Sao os prolimiuaros do tractado do
commercio.
Escrevem do Pamplona que ao sabir do
Theatro na noite de (} o Redactor do una fo
Iba republicana fora ^ssassinado Quem
Redactor deve andar com o Credo na boca!
Est para casar Mr. Ser i be eseriptor fecun-
do de comedias \ a noiva urna viuva rica .
Mad. Bialey. Esta commiinho matrimoni-
al no se parece com a do Vctor Hugo. Se-
gundo noticias oficia's no Maio passadn
consumirlo-so em Pars6,334 bols i,B)8
irn
algarismos. 0 Luis da Silva ha de gritar,
vomitar o seu discurso e por Iim licar o
Luis da Silva na forma do costume.
Tambom no deixa de ser curioso ouvir a-
gora os nossos Republicanos : desespralos
lanco ellos a culpa sobre as costas do Jo-.
Antonio de Miranda ; lambem tem Bodriguos
que me ia esquecondo, Juiz de Oireito de Tho-
mar o qual dizem comer a dous carri-
nhos, e por Iim afraicora o bonm'l rouge de
Thomar e dora seis votos por obsequio ao Cos-
ta Cabral A RevolucaOde S-tembro estoma-
gada docomportamento do Sr. JoaO Antonioj
1 lio mandou dizer que pro"urassn cadeira no
Centro ou na Uireita porque na Esquerda
n esl locos irapedilus.
Queixao-se lambem.aiiiargam"nte do pobre
homem chamado oFerrodo Louriga!, quo
Uvera a fraquoza deatraicoar tad bons Sonho-
rns o sendo doLourical, canlo sotembrista !!
O Conslituicional vendo-se s com o C stello
Branco diz cheio de um gusto foi fingido :
foi nomeadopela gente mais Ilustrada da na-
cao! Se os 7,500 bravos (izeracahir o Colosso
Miguelista os 16 safi agora bastantes para
por ludo em palha velha !! OConslilucional
reparte urna das suas coroas ao cidadao Berga-
ra ,por quedesistiu da sua candidatura a favor
da opposico ca lisia ? O Bergara segundo
o elogiador tocou a sublime das virtudes c-
vicas cima disto nada.
0 nosso Padre Lcenla oceupa o son tempo
no descobrira o segredo eloiloial como lho
assacou a BevoluQo e em fazer ver que o
nobre Duque da Terceira no perdeu a cabega.
nem o Costa Cabral se fi/.era amarello O
diabo do Padro foi descortinar que a opposi-
codera 300,000 a um Eleitor d'alem do Te-
jo para se lingir mais doente e abandonar a
Eleigo, privandoassim o Governo de um vo-
to que Ibe prometiera .' Se assim o tal
Fleitor j levou com que pagar ao Medico !
s Ministoriaes inclucm na relaco des seus
traidores o Visconde de Andaluz e o Governa-
.lor de Peniche Miguel C >rreia de Mes(|uita !
Diz-se tambom que o Joz da Silva e os da sua
panella mettero o nome do Bodrigo o este
leve votos dos Carlistas dos Setembristas e
dos Miguelistas O nome delle eslava na lis-
ta da coalhso e leve voto dos Carlistas e da
genio do Governo Qoe e.ste conlava com
alguns Setembristas e ^jue estes lho fallarn ,
quasi de certeza! Que houve facidade no
ha duvida. Apesar porem destas galanteras,
a cousa no vai to m como isso e a crise
ministerial passou ; pois no ha duvida algu-
madeque, se apposic/io Iriumpbasse em Lis-
boa o Ministerio eslava com os Anjinhos e
o S da Ban Jeira seria chamado !
Enlre as inanias da epocha actual faz gran-
de bulla a da transladaco dos ossos dos inoi-f
tos. Os Progressislas dero agora em andar a
basculhar pelas sepulturas os ossos os
"quaesdo nomesde pessoas celebres. Ja ahi
linho desenterrado os de Francisco d'Alma-
la para os por no prado do repouso. Consta
tir Mostr quo son chimado a casa da mi-
nba indura. Visitas Ta Michaola e de
caminho ponha-me aos pea do Collegio elci-
toral.
Seu amigo
O Enxota Caos.
( P. dos Pobres no Porto. )
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Bendimonto do dia 20 de Agosto
4:805* 400
DESC-.r.r.EGA HOJE 30 DE AGOSTO.
Barca Inglesa = W. Russell = Dironles
mercadorias. ..
Patacho llamburguez = Fortuna = Boti;as
vazias.
RIO DE JANEIRO.
CAMBIOS NO DIA 17 DE AGOSTO.
Presos a dullima hora da praga.
Cambios sobre Londres. KS l|2 fronxo
Paris. 7>V> "
IIan?burgo. .710
Metaes. DobrOes bespanhes.30j800



<(

o
((
da patria. oOjOO
Pesos bespanhes 1*990
dapalria. 1*960
Pocas de 0*100. v.'IG.8:iO
' de n 16*800
Moedas de .>000 9* 100
Prata......103112
HOVIMENTO DO PORTO.
ENTRADOS NO DIA 29.
Portos do Sul ; 12 (lias ; Barca de Vapor
N. S Sebaslio Cap Joze Maria Falcao ,
equip. 26 Passageiros para este Porto : Co-
ronel Francisco Joze Martins c umescravo,
sm
erctaria ta Thesouraria de Pernambuco 29
do Agosto do 1812.= J. V. Uaslos.
AVISOS M A R ITIMOS.
= Para Liverpool segu viagem com bre-
Vdadsa Barca Ingloza Willi.im Bussell lorn
lugar para 30 caixas de assmar ; quera na
mesma quiser carregar dirija-so aos sons con-
signalariosRussclj Mollors Companhia.
s_r Para o Acarc segu viagem imprclo-
rivelniento no dia lo do Sotombro o Pata-
cho Fmulacao recebe carga e passageiros pa-
ra o que tem bous commodos quem preten-
der di i i ja-so a ra da Cadeia do Recjfo a fal-
lar com Manoel Gonsalves da Silva ou com
o Capillo do mesmo Patacho a bordo fundi-
ado defronte do Trapiche novo.
I. Ll LA o.
Aginar
1
i res
Fer-
Oomingos Malaquias de
reir, Dr Benedicto Marques da Lilva Aca-
lma e um escravo Giuseppe Antonio Silva, I-
lalianno, Mr C." Lenere Orn ParaoNoile
Jos Baptista dos Santos Cadet Joio Px'ne-
ilicto Gaspar Gifenig com sua filha 5 es-
clavos Daul Glosy Pedro Martnez An-
tonio do O', e Almeida e um escra\ot
SAHIDO NO MESMO 51A
Rio de Janeiro ; Brgue Brasileo Lio Ca-
pito Antonio Bibeiro de Almeida carga
diversos gneros.
No da 28 no entraro nem sahiro embar
cacos.
es- Mr. Calmont di Companhia farflo lei-
lo por inlervonoo ilo correlor Oliveira de
10 diizias de como do lustro e urna caixa
de selins de patente feltos em Londres de
eouro de poico com principio do mofo ;
(piarla foi ra I do correte ao meio dia em
ponto no seu armazem da ra da Cadeia.
OrQnninta lona primeiro de Selembro
llavera leilo de urna porclo de sacas com mi-
Ibo no armazem do Fernando Joze Braguez
aopdo arco da Caiiceicao do Beeife por
coula e risco do quem pretencer.
%3?~ O Correitor Uliveira faz Leilao em
sou Fscrilorio quinta feira 1. de Setem-
hro ;s 10 horas da manila, de cerca 130 man-
gas de vdro lizas*para lanternas e 112 di-
tas [aviadas Iium lustro para seis luzes de
azeite com basianles vidrosde sobrecelente ,
requissimos candeiros de brou/e dourados com.
pngentes de cristal lapidado proprios para
cima do meza ou cocrolos me/ai de jacaran-
d para mcio do salla c gogo cadeiras a
muilos oiiiros trastes bnm lindo relogio de
repilicao e huin completo ogo de livros In-
gle/os dVxcellente papel perl'eiamente risca-
do <; o mais adquade para eocripturaco cora-
inercia I.
DECLABAC AC AO.
tsr A arremalaco dos 7 cavallos porten
cenes a companhia de cavallaria do linha ,
fica transferida para o dia31 do correle mez
dos papis hespanhoes que yo trasladar-so|es rrealisada na forma -a snnunciada, =e-
A V I SOS DI VERSOS.
uy Precisa-se de una ama para caza de
pequea familia : na ra Augusla n. G lado
diroito.
t^" Roga-se ao Sr. Padre Manoel Correia
de Plgueiredo morador em Olinda de vir a
na do Quciniado D. 3, lado do poenle que
se Ibe de&eja fular.
Companliia de Beberbe.
tsr Beccbom-se novas inscrip^oes para a
Companhia do Encanamento no Escriptorio
do caixa o Senbor Manoel Goncalves da Sil-
va. Os novos subscritores realisaro inmedia-
tamente por conla da 1. preslaco a im-
poi lancia de por cont sobre o vallor das ac-
ones (pie subscrevem ou 2*000 reis porcada
urna ; Iim de se nivolarem com os mais ac-
cionistas. Besto apenas 1237 aeces dispo-
niveis e adverte-so s pessoas que quiserem
dar em prego seguro a seus capitaes com um lu-
cro provavel de mais de vinte por cento ao au-
no que nao perclo to favoravel occasio da
conseguirem osso lira contribuinJoao mes-
mo lempo para una empieza patritica e da
raaior ulildade para esla Piovincia.
= Aluga-se por um ou mais anuos hum
grande cilio cora hura sobrado junio aponte
do Manguinho contendo excellentes baixas
com capira que cliega para mais de dez caval-
los boa agoa para bebor bastantes ps de
laranjoiras sondo a maior parle de embigo, e
solidas grandes quaiilidades de pos de co-
queiros mangueiras cajueiros pinheiras
roraeiras pilangucras jambeiros parrei-
ras &e. lodos estes arvoredos do bstanles
fructos assim como terreno para plantar ar-
ios hortaloe com milita abundancia, quem,
pertender diriji-se ra do Crespo D 7. la-
do do sal,
tzr OsSrs. Folippc Jo?.e Alves e seu so-
bi inho Bernardo naturaes da Cidade de Co-
imbra, annunciom suas moradas para se tra-
tar negocio quo Ibes iiileressa.
= Aluga-so o segundo andar do sobrado si-
lo na ra do Nogueira junto a outro cabido; a
fallar na loja do mesmo que se dir aonde mo-
ra o dono do mesmo.
as Aluga-se o 2." andar do sobrado, na ra
da Larangeira 1). 7 ; a tratar no mesmo.
Perci/.a-se de lugar huma casa terrea
i ie ludia quintal e cacimba e sen alnguel
mo excede de 12.000 mil teis mencaes sendo
as i as seguinles ra da Boda paleo do para-
, i/o Crines, mundo Novo Florentina atrs
'da Matriz. quena a livor diriJB-sc a ra da
Boda D. 15.




Plf.UI.AS VEGETAES T. UNIVEIIS.VES AMERICANAS.
Estas pilulas j bem conhecidas pelas gran-
des curas que tem foilo, no requerem nem
dieta e nem resguardo algum a sua com-
posigao to simples que nao fazem mal a
mais tenra enanca : em lugar de debilitar ,
fortiico o sy.itoma punlico o sangue ,
augmentao as secregoes cni goral : lomadas ,
seja para molestia cb.onica 011 somente co-
mo purgante suave; e o mellior remedio que"|
tem apparecido, por nao deixar o estomago
naquelle estado de conslipacao depois de sua
operado como quase todos os purgantes fa-
, zem e por seren mui facis a tomar e nao
causarem incommodo nenhum. O nico de-
posito dellas em casa de D. Knoth agen-
te do author: na ra da Cruz N. 57.
N. B. Cada caixinha vai embrulhada em
seu receituario com o sello da casa em la-
cre preto.
sar O Briguo InglezNewburn Capilo T.
Vi. Wrangles dn primeira classe A. I. e de
lote de 274 toneladas pouco mais ou menos,
t arribado no porto do Natal do Rio Ciando
do Norte, com agoa aberta na sua viagem
de Mauritius para Londres carregado de
perto de 500 toneladas de assucar precisa
de 9 a 11 con tos de reis a risco sobre o casco,
frote e carga para pagamento dos conserlos,
e mais despezas no dilo porto do Natal. Rc-
cebe-se os^flerecimentos por cartas fechadas
no Consulado Britnico na torga (eir 50 de
Agosto de 1812 ao meio dia.
tsr Wanled a loan of liom Rs. 9:000 j 000
Rs 11:000 000 ou Botlomry on the A 1
British Brig Newburn 274 tons regisler
or tliereabouls, Captaiu Thomas M. Wrangles,
on a voyage from Rio Grande do Norte, lo
Lonclon, to defray the expenses ofrepairs &/
incurred at tlie brmer port, said vessel ha-
ving pul in diere leaky on lier voyage from
the Mauritius to Condn, laden with a Cargo
ol'ahout 360 Tons of Sngar.
The Botlomry lo he on Ship, Freight, and
Cargo.
Sea'ed tendis will he received at the Bii-
tish Consulale in Periiamhuco on Tuesday the
30."' day of August 1842. at 12 O'cJock.
*ssr lypolito S. Martin & Companhia avi-
sHo aos seus freguezes que receocro de Fran-
ca pelo navio Armonque um novo sorti-
mento de lindas sedas e setins lavrados para
vestidos, cortes de crep bordados chales de
padroes modernos guarnigoes de flores para
vestidos, grinaldas de flor de laranja ca-
chos de flores para chapeos de seda de son ho-
ra ditos do rosas para vestidos e plumas su-
periores chapeos de seda para senhora e
meninas, bicos de blond de soda e de l-
nhe litas ricas, luyas meias e toda qua-
lidade de calcado para senhora e meninas, do-
nets de panno fino para homem chapeos re-
dondos para meninos e ludo que diz res-
peito as lejas molhor sortidas : na ra Nova
D. 5defronle do caldereiro.
tsr Pedro de Alcntara MagalhSes retira-
se para o Para.
tS Aluga-se um escolente preto para co-
zinha i na ra do Cabug loja defronte da
.Matriz
tsr Um homem conhecido nesta praga ,
deseja administrar um engenlio, anda mes-
moque estoja atrasado em agricultura, para
mWhor poder mostrar sua hahilidade: os pre-
lndentes dirijo-se a ra dos Quarleis D. 4.
tsr Aluga-se ou vende-se urna canoa a-
berla muilo forte e bem construida que
pega em 500 lijlos de alvenaria ; quem a
p-rlender procuro na ra augusta caza que
faz quina com o beco do Peixoto
tsr Tendo-se desencaminhado urna letra
com protesto de : 13 i.> 108 rs sacada em 8
de Fevereirodc 48 O por JoSo Joze Rebei-
ro dos Santos, e aecoila por Miguel Allonso
Ferreira pede-se a quem a achar reslilui-la
aoabaixo assignado, por liie nao servir de
nada, visto ter-se ja prevenido o acceitante.
Manoel Alvos Guerra.
tsr O Snr. Joo Baptisla Navarro, que
mora para oMonleiro, ou Apipucos queira i
ao armazem de Fernaodo Joze Braguez, ao p
da Conceic.lo do Recife, a fim de se concluir
aquello negocio que nao ignora.
tsr Qu'/n precisar de urna ama para caza
a qual serve para comprar na ra e fazer
todo o servico prelere-sesompre homem sol-
telro dirija-so a ra das larangeiras D. 4.
tir Quem precisar de um caixero para
escripia com um mui pequeo ordenado ,
ou sem elle por algum lempo dirija-se a ra
do Fogo n. 12.
tsr Joio Frederico Maiitz, natural de
Aremandfi retira-so para o Rio de Janeiro,
t^* Izidro Marlins Lins Soriano relira
se para o Rio de Janeiro.
tsr Precisa-so de um homem solleiroquo
se epearregue de urna hurla e mais Irabalho
do um sitio : no primeiro sobrado ao p da I tsrVonde-se, permuta-so ou arrenda-sc um to e farinha da torra por prego commodo
ponte dos Affogados lado direito ao entrar da sitio pequeo muito perto por ser logo ao na ra do Rangcl D. 22.
pevoagAo. sabir da Soledade para o manguinho com j tsr 5 mgrinhas do nagao |mogambque
nao poucos arvoredos de fruto, chaos proprios de 12 a 15 annos proprias para o que se ||>'
com grande e decente caza de sobrado toda quiser ensinar lodus de bonitas finuras
envidragada cOntendo 14 quartos um ale- na camboa do Carmo D. 11 segundo andar
isy Alexandre S. Martin fa9 certo ao res-
poitavel publico quo est demandando a
Charles Louis Richard do Lahautiere, e Louis
Frol Buessard, para anullar a venda simu-
lada quo fes o primeiro ao segundo da loja ,
fas< rulas o bens do annunciante que nesta
Cidade tinha ; o por isso que tendo feito citar
aos annunciados para prestarcm tanga a-
inda a no prestarao, ninguem Ibes compre
dita loja fasendas, escravos, e movis de casa.
tsr Aluga-so por lempo da esta ou an-
n nal mente um sobrado no va radon ro do
Olinda o qual he o que tem varanda de pao
adiante do do Snr. Joaquim da Lingoeta : a
tratar na ra do Vigario D. 27 ou no segun-
do andar do sobrado do finado Antonio Au-
nes na ra da Cadeia do Recifie.
COMPRAS.
tsr Escravos de ambos os sexos e tam
bem com officios carpinas pedreiros e fer-
reiros para fora da provincia : na ra da
Cadeia de S. Antonio sobrado de um andar
de varanda de pao D. 8.
- H urna caza terrea em chaos proprios que
lenha 2a3 quartos quintal com cacimba, e
em boa ra do hairro de Santo Antonio quem
tiver annuncie.
tsr Compra-se ou aluga-se urna canoa de
carregar agoa que seja bem construida : na
ra da Cadeia do Recife n, 6.
**tsy Os exercicios de S. Ignacio de Layla ,
o mcslre da vi Ja a immitago da Virgem
Maria e um 1. tomo das cartas de urna mili
a um filho sobre a religiao ainda mesmo
uzados e por todo o prego ; quem tiver an-
nuncie.
? Duas obras de breviarios novas ou
estando em bom uzo ; quem tiver annuncie.
OT Para fora da Provincia mulatinhas,
crelos e mais escravos de bonitas figuras ,
de 15 a 20 annos e so pago bem agradan-
do : na rna da Cadeia do Recife n. 5 primei-
ro andar das 9 horas as 4 da tarde.
tsr Urna negrinha que ten ha 15 a l6an
nos, sem achaques nem vicios ainda que
nao lenha habilidades : na ra do Nogueira
sobrado de um and ir D. G.
V.tsy Um balanga pequea com pesos at 8
libras em bom uzo: annuncie.
VENDAS.
= Conlinua-se a vender muito barato as
ferragens e miudezas da loja da esquina da
pracinha do Livramcnto da viuvado Burgos ,
entre as quaes sao pregos dourados ditos
de bomba bacas de rame dohradigas de
diversas qualidades hotOes de osso, ditos de
duraque candieiros francezes com globopis-
tolos ferros para engomar frigideiras es-
lanhadas almofagas ou pentes para lavar
cavallos escova para ditos serrotes pe-
dias para escrever, feixaduras para caixas pas
de ferro ; que a vista do comprador se dir o
motivo porque se vende to barato.
= Farinha de mandioca de S. Calharina ,
em sacas de dous alqueirese meio do rio, a-
pregode 4,>800 : na ra da cadeia do Recife
D. 58 e 59.
= Duas canoas feixadas com mais de fio
palmos de comprido, 2duziasde costado d'a-
marelo e 200 barricas vazias que foro de
farinha de trigo ludo por barato prego : na
padaria de Joo Lopes de Lima.
= O Repertorio da Legislagao militar, por
Cunha Mallos obra completa; na ruado
Crespo D 12.
= Uma grande meza para jantar com abas,
e aparadores duau mangas de vidro bem la-
vrailas tres cmodas do Jacaranda e um
garda roupa e guarda louga bastante lindo j
na esqnina da pracinha do Li vi amento, a fal-
lar com Antonio Carlos Pereira de Burgos Pon-
ce de Leo.
= F< rramenta para tanoeiros feifa por um
dos milhores autores ; por proco commodo ,
na ra do Vigario D. 50.
= Vende-se ou Iroca-se por urna preta ,
um nioleque de 15 annos muito humilde,
proprio para aprender qualquer ofiicio : por
preco commodo no armazem da ra nova
D. 51.
CT" Um escravo crelo de 50 annos para
todo o servico e he ptimo canoeiro : no
beco da lingoeta vendado Joaquim Joze Be-
bello.
isj- Potassa da Russia em barris pequeos
de superior qualidade por prego commodo:
na ra da Cadeia do Recife n. 18.
tr Urna poigo do cera do carnahuba de
boa qualidade por prego commodo : na ra
do Crespo D. 5 lado do norte.
greto na frente com dous porioes de ferro ,
e no fundo ouiro porto gran lo coxeira, ca-
za para protos cozinha pogo d'agoa capaz
de beber-se e tanque para banho : na ra
do muro da Penha sobrado D. 18 das (J as
oito horas da manh e das 5 da tarde em di-
ante.
v^s^ Um guindaste do ferro inglez ltima-
mente chegado por prego commodo : no ar-
mazem de Augusto & Companhia na ra de
Apolo ea tratar com Me. Calmont & Com-
panhia.
tsr Estopa de algodo propria para sacos
de assucar por prego barato : na ra da
Cadeia do Recife em caza de Me. Calmont &
Companhia.
X tsr Carros remos vinho e moendas
de ferros como ltimamente, umsortimen-
lo de todas as qualidades de pregos nova-
mente chegados entre elles urna porgode
caixaes : no armazem de Me. Calmont & C.
or No fim da ra da Poda um terreno
com 120 palmos de frente, com alicerce fun-
dado a 10 annos com 140 palmos de fundo :
a tratar no sobrado que tem lampio junto do
ferreiro.
tsr Osutencilios e traspassa-se as cha-
ves ( com licenga do seu proprielario Pedro
Ignacio Baptista ) do peposilo de assucar re-
finado cito na praga da Boa vista : na ra
da senzala velha padaria n. 5l.
HT Urna caza pequea no Recife : quem
a pretender annuncie.
tsr Caixas de pomada chegadas ltima-
mente pelo o Importador : na ra da Cruz n.
20 primeiro andar.
ST" Urna venda com poucos fundos na
ra da Trompe quasi ao virar para a Solida-
dade : a tratar na mesma n. 445.
tsr Vinho de Rhen dito de Bordeaux e
de champando de superior qualidade cerveja
branca e preta em grandes e pequeas por-
gues : na ra da Cruz D. 00.
tsy Presuntos inglezes chegados ultima-
mente e lonas da Russia : na ra da Cruz
D. O.
tsr A parte que est cravada no sobrado
em Beberibe que fui do tinado Antonio Joze
Couto : na ra de S. Bento em Olinda, nu-
mero 40.
cy Superiores o lindas cortes de lanzinda
para vestido : na ra do Crespo D. 0 lado do
sul.
tsr Lances da ventura acazo da desgra-
ga hiroismo a virtude com 0 voluntes ,
por prego commodo : na ruado Queimado lo-
ja de ferragens D. 15.
tsr Umaparelhodo cha de porcelana por
16,? rs. um meio dilo de meza de louga ver-
de mui lindo por 25j rs., um porta licor por
12* rs. urna par le mangas de vidro lavra-
das mui lindas por 10> rs. um dilo de lan-
ternastambem lavradas por 8,> rs. um pa-
ianquim 20 rs. garrafas com sement de
coentro de locera, 9 vaos de caixilhos do ja-
ncllas e 4 do alcovas, novos e mudemos,
por prego commodo : na ra Direita D. i ,
lado do poenle.
tsr Urna meza grande anliga do Jacaranda
com umaexcellente taboa de Jacaranda que
pode servir para qualquer obra e troca-se
urna bem perfeila Imagen) do Chrislo : na ra
Direita D. 58 defrontoda botica do Peixe.
tsr Urna crela de 24 annos; cozinha bem
o ordinario e he muito asseaaa lava de
sabo e varrella engomma coso bem boa
figura e disposta para todo o servigo vende-
se por motivos e prefere-se para fora da
provincia : na ra das trincheiras D. 25 se-
gundo andar.
tsr Superior farinha de mandioca vinda
de S. Francisco do Sol, a 4fi0 o alqueiro :
a bordo do BrigueNac. Dos To Guarde anco-
rado no forte do Mallos.
tsr Urna carroga de carregar por baixo ,
propria para conduco de pipas e caixas de
assucar, muilo lorie : na ra da Cadeia do
Recife n. 6.
tsr Um quato carnudo: no paleo do
Carmo venda D. 5.
tsr Urna negra de meia idade, cozinha ,
e faz todo o servico por 150,7 rs. : no beco
do ferreiro na Boa vista D. 1.
tsr Urna negra henguella de 18 annos.
cozinha o ordinario engomma alguma coli-
za o he muilo habilidosa o tambem ven-
de na ra, no tem vicios nem achaques o
que se afianga : na ra do Cabug loja do
mm Um escravo pardo para fora da
vincia eum preta de angola para o servico
de campo : no ultimo sobrado da ra das
Cruzesjiindo para S. Francisco.
Ermilage.
tsr Novos productos : xaropes finos de
primeira qualidade de limo e laranja a 010 a
garrafa dito de lamarino a 800 rs. dilo do
segunda qualidade a 520, charutos de pi.
metra qualidade a 1^000 o cento e de se-
gunda a 00 rs. : na ra da Cadeia de S. An"
tonio D. 4.
tff* Salitre refinado em barricas e a re-
lalho por biralo prego : na ra das larangei-
ras D. 5 sobrado do Claudio Dubeux.
tsr Sebo de rim do carneiro capado pro-
prio para remedio : nu assougue franceza de-
fronte da cadeia.
tsr o protos por 500 rs. cada um bons
para lodo o trabalho por serem muito robus-
tos um moleque pega de 18 a 20 annos,
ptimo para ludo que se Ihe quiser aplicar ]
5 escravas cozinhao lavj, e engommao ]
urna dita boa vendedeira e compradeira 2
escravos bons para engendo por ser un
carpida, eoutro mostr de eaza do caldeira :
na ra de Agoas verdes D. 37.
tsr Cerveja em barricas do 4 duzias de
garrafas a 2 rs. a duzia, genobra da Hollanda
de superior qualidade em botijas e frasquei-
ras mn pequeo lote de charutos da Fia vana
o Aanilha do muito boa qualidade e outros
da Babia que se vendem muilo em conta lo-
nas da Russia : na ra da Cruz D. 4: na mes-
ma caza tem um lindo sociavel de 4 rodas pa-
ra vender.
cr Barricas com farinha de trigo ameri-
cano : ditas da marca SSSF, meias ditas com
dita sacas com arroz de vapor c da fabri-
ca sacas com sovada caixos com chapeos
do bra latas com pilulas da familia con-
degas balaios, barris com tinta amarella ,
verde e branca egales de diversas quali-
dades : na ra estreita do Rozario D. 17.
tsr Vende-se e aluga-se muito boas bichas
bamburgiiezas chegadas ltimamente por
preco commodo : na ra estreita do Rozario
I). 17 padaria de Francisco Alvos da Cunda.
isr Urna venda cun poucus fundos na
ruaJarga do Rozario defronte do beco do pei-
xe frito a dinheiro ou a prazo com boas
firmas : a tralar na mesma.
tsr Urna morada de caza de taipa na po-
voaco dos A (Togados, na ra de S. Miguel :
na rna Direita I). 40.
tw Lina carleirinha de amarello nova
para esen ver em cima do ni'za por preco
commodo: na rna estreita do Rozario arma-
zem D. 30.
>c?" Um transeiim com passadorde ouro,
unscorazes cncasloados com rcquiifes, cor-
des, colares., botOes para punhos, dedal, o
ludo de bom ouro, e hum ancl de aman-
lista proprio para vigario : as 5 ponas D.
25onde tem lampiao.
W Urna canoa de amarello nova mui bem
construida que carrega 80 a 900 lijlos de
alvenaria grossa ou so aluga : na tua da
praia ao p da r i boira no eslaleiro de Joaquim
Joze dos .Nintos ou na ra velha da Boa vis-
la venda D. 19 ; na mesma venda um bra-
co de balanga grande ptimo paia armazem
do assucar ou de couros ontro dito mais pe-
queo todos dous oom con xas e correles ,
dous a tres tornos do pozos de 4 arrobas o
um terreno com 20 palmos de frente, ja com
aheerces fe i tos para urna caza na ra de
S. Miguel nos Ahogados.
OT Urna negra crela de 2G annos rom
um:; hlha do 7 annos muito experta as ha-
bilidades se dir ao comprador, e vende so
porque a dona retira-se para fora: na ra
do lagundes D. 18.
Br Urna pequea caza torrea na ra doJ 0-
go da Bola em Ofinda com chaos proprios ,
e baslanlo terreno para o lado direito e pa-
ra o fundo ptimo pa a edificar oulras mo-
radas ou para sercare fazer sitio : na ra
de Mlhias Ferreira n. 11.
ESCRAVOS FGIDOS.
miudezas I). 5.
c?- Urna duzia de costadinho do amare-
lo, urna canoa de 20 palmos de comprimen-
ssr No da 18 do corren te fugio urna cs-
crava de nagao por nomo Caelana de 25 an-
nos e a buxexa direita irisada e na mesma
urna cicatriz leveu pao da costa em meiu
uzo carniza nova do niadapolo quem a
aprehender dirija-w a pracinha do Livramen-
to D. 17 que ser recompensado.
REECIFNAHP, DEM.F. DE F.= 8421


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5IQM20VK_2P26J0 INGEST_TIME 2013-04-13T01:12:06Z PACKAGE AA00011611_04782
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES