Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04767


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1842.
Quara Feira !0
Todo aRora depende t no memo ; .1. nos, prudencia motueSo e enerE coa),
tiaoemos coaao prm.-.p..D.ot e sereB.i aponlados ron. a,,,rv.i" 'entrr H Naifes ,.,
~"AS-______________ (ProcUmcao da Assembla Geral O mil .;
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Coiatu.a, Paraib e itio grande do Norte aegunda e teuaa feras.
Bonito sCaraLuDi (l e 24-
Cabo Sennliaem Rio tonos Pono Calvo Macei e Alaros, no I. 11 e 21
) aje 13. Sanie Anlo quimas feira. Olinda lodo os das.
DAS DA SEMANA.
8 ie^. a. Cjrriaoo M. Chae. Aud. do J. de D. da 2. t.
V i'eic. jejum s Jtonio M. Re. Aad. do J. de D. 40 Qifcrt. l.ourenco M. s. Aaleria V. M.
44 Quint. sa Tibnreio e Sotana Mm. Aud do juit de I) 2 v
4 Ser. n. Clara V. F. Aud. do J.deD. da 4. t.
13 Sal, jcjuin as Hypoliio Cassiano Mm. Re. Aud. .lo J, ,!e I>. da 3. r.
4i 0 un. a. I.iiicliio S<>cerdole.

dr Agosto. Anno XVIII. N. 171.
^^i'M
O Diario |iuhlioa-*e todas M Jiaa arie nao forem Santificados : o prec i, ais.gnatara h
da tres mil rail por quarlel pa^ot adiantado*. Os anmint'ios dos assignanles s.'i. inseridoa
.ralis r os daaajue o nao foreni rar.o de S8 reis por linha. A redaacoes deren fs> dirigidas a eta Tipografa na das Cruies D. 3, eu a prara da lndepeadeacia' lnja delirios
JS limero 37 e 3S.
CAMBIOS .no n 0 de agosto.
Cambio obre Londres 2(1 d. nominal.
u Pari 360 rei p. franco.
a Lisboa 100 por 100 de pr.
Mneila de robre 4 poi 00 de d.lBD.to.
dem de letras da boas firman le |1 ef
Descont de bilh. da Alfandega I a | i
me.
compra venda.
Orho-Moed.de 6,400 V. 45,900
N. 45,80)
. da 4,000 s.stitl
Palao.es 4,820
Petoa Coluaaaaraa 4,820
dito Mexicanos 4,8*0
aaiuda 1,640
PrUTS
46,460
46,000
9000
4,840
1.84
4.840
1,680
w
Premun- da i!a JO de Agosto.
i. "a 7 horas e 42 m. da nianKV
5. a 8 Loras e 6 m. da larilr.
P1USES DA LA IVO MEZ UE AUOSTO.
La Nora a 6 -- is 0 horas a 29 m. da tard
Quarl. crear, a 43 -- a.s 3 horas e 4 m da ni.nh.
La cheia a 20 -- as i I horas e 86 m ds tard.
Qaart. min*. a 29 as I horas e 30 m. da raanh.
I I V I.
t NA M BUCO.
00 VE UNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 4. DO C0RRENTE.
Oflicio Ao engenheiroem chefe das o-
bras publicas participando haver concedido,
ni attenco sita informado ao arremat-
tanle do 8. lango da estrada de Santo An-
to Gabriel Alonso Rigueira o praso de
inajs ilou- mezes para findar as suas obras.
Dito Ao inspector Fiscal das obras pu-
blicas intelligenciando-o de haver concedi-
do o supracitado praso.
Dito Ao commandante das armes, ac-
ensando recebido o seo ofllcio de 3 do presen-
te em que requisita que a Presidencia
mande entregar ao tenente coronel Luiz An-
tonio Favilla commandante do batalhao
provisorio a quantia de 600,, reis para os
concertos, que resta fazer no quartel do Hos-
picio ; signifcando-lbe que achando-se
j nesla cidade o cap; tao do corpo de enge-
nheiros Gustavo Adolfo Femandes Pinhei-
10 ila Cunha que fora nomeatlo pelo Govor-
iio Imperial para ser empregado na direcc.no
das obras militares da provincia, deve por el-
le mandar proceder o ornamento do concert
restante e remetlel-o secretaria para so
resolver final; e scienlificando-n de qtw-
d'ora em diante taes obras serao dirigidas pe-
lo dito olTicial.
Dito Aoengenheiro em chefe das obras
publicas, utorisando-o vista do que in-
forma em oflicio de 4 do corrente sobre o re-
querimunto de varios propietarios e mora-
dores na estrada dos Atbelos mandar fa-
zer urna vala que d" cscoamento as aguas
pelo lado da encrusilhada do Manguind e
os mais reparos indispensveis que indica
no referido oflicio.
DitosAo inspector liscal das obras pu-
blicas c ao inspector da thesouraria das
rundas provinciaes communicando ter dado
a autorisaco antecedente.
Portara Mandando passar nomeacao de
tenente graduado para o batalho destacado
ao tenente de guardas nacionaes Miguel Ar-
canjo de Vasconccllos.
Oflicios Ao commandante das armas ,
ao inspector da thesouraria e ao chefe da
legio de Nazarelh participando a supra-
mencionada nomeacao c significando ao 1.
o ultimo que o nomeado deve (car no cem-
mando do destacamento do supracitado corpo,
existente naquella comarca de Nazarelh.
Portara Ao Director interino do arse-
nal de guerra ordenando que receba do
commandante do batalho provisorio o arma-
mento que nelle existe e lhe for apresen-
lado dando em troca igual numero de ar-
mas das que actualmente tem o mesmo ar-
senal.
Quicio Ao commandante das armas ,
participando a expedic.o da precedente or-
dem ; e dizendo que pode mandar faze-la
ffoctiva.
Dito Ao inspector da thesouraria das
rendas provinciaes, determinando, que man-
de adiantar um mez de sold as pravas do des
tacamento policial da comarca de Santo An-
to vista do pret que lhe for remettido
pelo commandante geral do respectivo corpo.
Dito Ao commandante geral do corpo
de polica intelligenciando-o de haver expe-
dido a ordem antecedente.
Dito Ao delegado da freguesia do Rom
Jai dim aecusando recepQo do seo oflicio de
50 do mez prximo findo em que parteci-
na terom-se concluido as elec,e8 primarias
naquella frcguezia sem a menor alterac,o na
tianquillidatle publica.
Portara Ao Director interino do arse-
nal de guerra
di requisicao do chefe de polica que man-
de fornecer ao subdelegado da freguesia da
Roa-vista d'csta cidade os objeclos, constantes
dareUsjo, que lhe remelle, para a guarda
do Manguinho.
OlTicio Ao chefe de polica participan-
do o conteudo na precedente portara.
TRIRUNAL DA REI.AQ*0\
SKSS.V DEI DE ACOST DE 1842.
Os embargos de Joze Mara da Costa Carva-
Iho e sua mulher contra Joze Antonio dos
Santo* e Silva e sua mniher na appella^o
civel desta cidade escrivo Jacomo ; forao
disprezados mandando-se cumplir o aceor
do embargado.
Na appellago civt-1 do juizo pos orfaos des-
ta cidade appellantc Mancel Joze Pe re ira 'de
Amorim appellada Auna Mara Joaquina
Silvana eserivflo Jacomo se julgou pela
reforma da ttentenca recorrida.
Osembagos de JooJoze dos Santos Pessoa
contra Joze de Pinlm de Araujo na cauza de
appellaco civel da villa da Imperatriz comar-
ca da Athalaya provincia de Allagoas es*
crivo Ferrera ; foro disprezados mandan-
do-se cumprir o accoido embargado.
Na a[)pellaQo civel desta cidade appel-
lante a fazenda nacional appella:los Anto-
nio da Cunta Soares Guimares eoulros ,
escrivo Randeira ; se julgou nullo o proces
so de n. 08 v. em diante. .
RFPARTIGAO DA POLICA.
Parte das occorrencas dos das 0. e 7.
Foro prezos no da 0 pela I. Palrulha da
ra nova Justino Jos Ferreira ; enodia 7
pelo OlTicial da I. ronda do Bairro do Recite
Domingos Gomes por estar em disordem em
cazas de urnas mullieres all moradoras.
E' o que consta das Partes diarias dadas
pelo Commandante Geral do Corpo Policial.
fc\TEi.l()l..
REPl'BMCA ORIENTAL.
ENTRADA DA ESQL'ADKILHA
PAR ANA'.
ORIENTAL NO RIO
Parle olleial.
Crvela de guerra nacional Constitucin ,
fundeada no Rio Paran, tres leguas cima de
S. Pedro 2 de julho de 1842.
Oabaixoassignado, commandante da-es-
quadrilha nacional de operacoes no Paran ,
tem a honra decommunicar a V. Ex. que,
ao meio da de 2o do mez passa.lo franqr.e-
ou viva forca o passo de Martn Garca.
Apezar de haver soffrido por mais de urna
hora o fogo do ambas as bateras sahimos
do combate sem avaria consideravel. E ptis
neste ponto zombamos inteiramente do mi-
migo.
Capturamos duas balceiras cpm algumas
provisOes e na boca to Haradero tomamos
tres embarcages pequeas que navegavoem
lastro. As nossas tripuladles vo-se aug-
mentando e ludo nos prognostica o melhor
resultado da expedijo.
Pelos individuos que fizemos prsioneiros .
sabemos que o Sr. general Lopaz hostilsa pe-
lo norte de Santa F as forjas de Oribe, e que
os Indios do Chaco que servem ao general L-
pez tem arrebatado as melhores cavalhadas de
Oribe. A esquadrillia quecommanda. Se-
gu nestas aguas acha-se na Bajada ou San-
ta F.
As nossas tripulacoes tem dado provas de
comprehender que pelejo pela causa da hu
manidado e em sua disciplina e moral sao
exemplares. Dos guarde a V. Ex. .1. Ga-
ribaldi Exm. Sr. ministro geral do Estado
ordenando em consequencia iOri-mlaj, D. Francisco Antonino Vidal.
Montevideo i de julho.
Da barca franceza Leopoldina Rosa nau-
fragada na cosa de Castillos em ) "le niaio .
perecero 251 pessoas e salvaro-se 72.
."> de julho.
Chegou de Buenos-Ayres em companha
do Sr. Mandeville oSr. Cordn encarre-
gado de negocios de S. M. Brilannica para o
Paraguay a quem o degollador Rosas nao
consentio seguir viagem para o Paraguay ,
nem por mar nenj por Ierra allegando que o
Paraguay una provincia argentina e que
nenbiim governoeslrangeiro pode abrir com
ella relagoes diplomticas.
(> de julho.
No dia i do corrente chegou stla quinta
ilo Arroyo Secco S. Ex. o Sr pr< sidente da
repblica general D. Fructuoso Rivera.
7 de julho.
Por communicacoes oflieiacs sabemoi que
o general Aguiar chele do eslado maiordo
exercito oriental passou oGialeguay sen-
do derrotada o vanguarda de l i quiza foile
de. 200 homeDS por urna deviso mandada
pelo coronel Blanco.
Tambem pelas mesmas communicaeOes ,
sabemos que tos cinco barcos rosislas que,
s nniens de Brown subio o Uruguay en-
calhro nos Amarillos a escuna Palmar eos
brigues Belgrano c Molieska. Na data das
ultimas noticias tinho conseguido safar a
Palmar m*8 os dons brigue., licavo ainda
enealhados e tinho tombado j sobre um
banco doara.
9 dejulho.
Os barcos de Brown ainda nao desencalh-
ro, apezar de lodos os esforz. Julgao-se
perdidas.
Parece nduhitavel que Rosas cortn to-
da a communicago com o interior em eon-
sequenca da gloriosa insurreQo da provin-
cia da Rioja e de outras provincias argenti-
nas. Con ia por certo em Buenos-Ayres que
o Chile romper hostilmente todas as suas re-
laces com as provincias dominadas por agen-
tes do degollador Rosas.
( Nacional. )
( J. do Com. )
INTERIOR.
MINAS.
Illm. e Exm. Sr. Tenlio a honra de par-
ticipar a V. Ex. que os rebeldos acampados
na povoaco de Chapeo d'L'vas e na fazenda
Pedro Aives fugiro antes da minha entrada
uestes lugares so com a noticiada marcha das
forcas imperiaes. Occupei estes sitios hon-
tem e boje sem queimar urna escorva : e at
perto de Pedro Alves uns 8 cavalleiros logo
que descubrirlo o capito Andr Pnlo Duar-
le da Costa Pereira commamlanle de parti-
da avancala que se havia adianlado obser-
vando ocaminho fugiro toda desfilada e
sem dar um tiro.
.lulgoque fugiro de toda a parte; porquan-
to toreando as marchas para osapanharem
Chapeos dTJvas, Retiro, Pedro Alves e oulros
pontos onde ellos espalhavo que estavo
enlrincheirados, enguerrilhados com grandes
forjas nem um s tem a columna encontra-
do. Nesla fazenda demorar-me-lir uns Ires
ou quatro das porque a tropa vem fati-ia
da das marchas. preciso explorar minio
bem as vizinhancas porque havia uestes si-
tios muitos sequazes da rebellio e porque
arabo de rece be r participacn do mcu succes-
sor que se acha no resisto do Parahybuna ,
devendo rhogaraqni at 20.
A communicaco desta columna com as for-
cas da villa ta Pomba e Mercas est aberta .
estas massas da legaldade de combina-
cao o mutua eoadjuvaco rcduziro ordem
a rebellada Barbacena quaesquer que sejo
as forjas e opposi^oes dos miseraveis anar-
chistas.
Consta que naquella infeliz cidade reina o
terror e grande desmoralisaco entre os re-
beldes. Os Brazileirns leaes podem exultar
pela completa pacific(iro da provincia do
Minas.
Dos guarde a V. Ex. por muitos annos.
Acampamento da Ia columna de operacoes da
provincia de Minas na fazenda Podro Alvei,
em 18 de julho de I82. lllm. eExm. Ir.
conselheiro Joze Clemente Pereira ministro
e secretario de estado dos negocios da guerra.
Joze Thomaz Henriques, coronel comman-
dante da columna.
Arrozal 10 de julho de 1842.
Finalmente quebrou-se hontem o encanta-
mento que aqui tinha a tanta gente amedron-
tada. A fazenda de Joaquim Breves foi visi-
tada por urna for?a da nossa guarda ; mas in-
felizmente mallogrou-se a busca, porque elle,
de antemo avisado fugio deixando a se-
nhora e familia. V como sempre essa ho-
niem Este rebelde em miniatura que tan-
to brava tea va que por ah andava declarando
guerra a ceos e trra pavoneando-seda suas
forjas que o habililavo, dizia para affron-
tar todas as finias dos imperialistas, mostrou-
se digno e fiel alliado dos seus de S. Pauj'o ,
fugindo apenas avisto urna arma da legali-
za,le. Sua arlilharia suas muradlas e fos-
sos invenciveis sua cohorte de Capan
gas nao podero salvar sua inconquistavel
praca de nella cntrarem os nosos apenas o qui-
zessem ; e pena foi que ha mais lempo por
um mal fundado receio de fazer victimas. I
se nao tivesse dado ; ao menos nunca suppuz,
eu que fosse elle capaz de azer frente.
O meio de pacificar este lugar de todo he
tirar delle esse cstonteado. Urna vantagem
colhemos nesla diligencia e he desengaar
elle e amuitos incrdulos que tinho cmo do-
gma que sua fazenda nao chegava a justica ;
agora nao lhe ser to fcil ahi reunir Capan-
gas que j nao acredrtarfl no asylo inviola-
vel que elle a todos oflerecia em sua casa ; e
por ou tro lado patenteou-sc mui significativa-
mente a impopularidad do nomedesse homem.
pois li a guarda nacional da qui mesmo quem,
disposta a a lirn lar as resistencias que se dizia
opporia elle foi ajudar a buscar com o mai-
or enthusiasmoe gusto. 0 Jos Gomes do
Souza Portugal ,. commandante da cavalla-
ria muilo se distingui na diligencia pelo
biiin acert della alm do muilo que se ha
prestado em todo o tempo do destacamento.
Agora tenho por infallivcl que Joaquim Rreves
nao ousara mais erguer a cabeca e pelo
lado poltico seo pode desprezar completa-
mente e dar-lhe risos de piedade que so me
merece.
Jos Breves generoso e nohre como sem-
pre noquiz tomar parte as deliberacoes
sobre a priso delle e at por um excesso do
delicadeza muilo louvavol se retirou dias antes
para fura de deste lugar. Quem dir que sao
irmos esles dous homens !
P. S. Esquecia-me dizer-te que ja mais
dcsassombrados, podemos fazer marchar mais
de cem pracas de infamara e pedestres que
seguem agora mesmo para Rezende tendo
frente o subdelegado Valerio Luiz de Menezes
e o juiz do paz Jos Goncalves de Moraes Fi-
ca-se preparando um outro contingente e se
fr preciso toda a guarda nacional, ir com o
maiorenthusiasmo. As despezas da marcha
desle dtfstacamento sao fuilas nessa casta
pelas subscripto aqni promovida palo dele-
gado. ( Carta particular. )
TOMADA DE SILVEIRAS.
A lonja imperial do meu commando entrou
hontem pelas tres horas e meia da tarde en
Silveiras depois de um renhido combate ,
que comer.ou s onze horas da manha nao
tendo expressOes que posso manifestar o ju-


bilo de que eslou possuido, pela prova lo
valor c intrepidez que a ceba de dar a dis-
tincla columna que comiga seguia compos-
ta apenas de 1)00 p'acas.
Cbegando a fazenda dos Mineiros, polas
duas Loras da larde do dia 11 dei discanso villa pelo ineio"d7a~', por sso que eu til) lia
a columna e pouco depois avance) com ofllciado ao major Pedro aulo para fazer
destino de pernoitar no Sap sitio que ,
restarlo caminlifio debandadoa em diversos
grupos h minos.
, Todos os ineus oftkiaes se coudiuro bem,
mostrarlo valor e sao dignos de estima.
1 balalho de fuzileiros entrou hujo fiesta
i rara hontem com urna forra de 200 homens
i>o;ico mais ou menos al-m da que ali j se
achava reunida que suppoe-se sor igua! em
numero.
Todas as formages concordo em que a
reunio de Torcas na villa de Sla. Barbara ,
jm-i !/' que a principio pareca a mais lemivel nao
avangar pelo lado de Arcas emquanin eu a- lem creseido liavendo al desereo de mui-
I ll"l\ :I IW i-..lw, I I ..- a.. ,%.. J _. n.,...ll,... ...___1..., ........ ...til. .1.. rV. ,. I .'. ...tn mim
. > -..-..v, ,.. ,,, ,,., ,: 41 ,.,,., < -1111 j 11 ii r 1111 ( u u 113 u i i;i t-o: i u 11 11 ti y c 1111 u iiic iicskiiiii ti<-- mu-
segundo as informaces, me pareca proprio. lacava es rebeldes por estelado t mas o meu los guardas para a villa do Celo onde com
\>lliln iviIimii filia i i( .ii'in'i i iicvLi itanmitaA i*l! ,.' .' .....
~oU .u. -"MU,q,.v, ic H,Cv<... v,uVlv. iaCava es rebeldes por estelado ; mas o meu los guardas para a villa do Cacle onde com
\cndo pme.ii que olierecia asylu pengoso, offlcio s cliegou bontem ao dito major, e nimio entbusiasmo suslentava-se a causa da
por estar collocado n um baixo cercado de por isso nao pude o balalbo vir mais cedo. legalidade.
malos c alturas mu dominantes rolmcedi No correio esistem malas interceptadas. Desde o dia 17 em que entrou na cidade
a ganliarde novo a fez< nda '
Pelas sete boras do da se
ce i para Silveiras niarcliando por t
perigosas, por screm cebarlas de malos e
cheiastde precipicios : a legua e meia de dis-
tancia ,' no lugar denoniinado=Alcgre=:,
a miaba avancada encontrn a estrada cor-
tada por urna valla em lugar aperlado sujei-
to a eminencias coberlas de malos. Ininic-
diatamente mandei dar alguns tiros varan-
do o malo, e ao tnesmo tempo avancou a
columna a marcbe-marclic a ganbar o lado
opposto ; o que conseguio com tanta celeri-
dade e ordem, que nada mais tive a desejar,
dando muitos vivas a S. M. o Imperador:
os rebeldes responderlo com poucos Uros.
Continuando a marcha fui logo embara-
zado por una trinebeira de grande altura ,
que tapava toda a estrada o por qualquer
dos lados era o transito impraticavel : un
vivo fogo dos rebeldes suslentava a mesma
trinebeira que por ser construida de ma-
deira com tena pido meio dava lugar a que
nos os nao podessemos offender: mas nada
embaracou a bravura dos olliciaes olliciaes
inferiores c soldados do meu commando.
Houve um vivo fogo de parle a parte. a
trinebeira foi den ubada por um lado a gol-
pes de fonces e machados ; os rebeldes, es-
pavoridos com tanla coragem fugirao pa-
ra os malos e a columna passou dando
hoyos vivas a S. M. I. mas leudo perdido
alguns morios alm dos feridos.
J perto da villa urna outra trinebeira,
mais forte e mais bem guarnecida que a
primeira nos obstou o passo, impedindo
qualquer manobra os malos e pantanos impe-
netraveis que se offereciode um e outro la-
do. Novo fogo, e renliidissiino, se abri entre
a minba forga e os rebeldes; alguns soldados
meus cali i rao mortos ; o valente capitao S ,
que commandava a frente foi ferido c o
seu cavallo morto eu eslava junto a os of-
liciaes e soldados animando-os 5 duas orde-
nabas minbas e um criado foro tamben) fe-
ridos ; masas balas do inimigo faziao pou-
ca impresso no meio dos gritos de-Viva o
Imperadore devencer ou morrer da-
dos pela nossa tropa com enlbusiasmo ; fe-
lismente ver.do ao loriga um morro limpo,
que ficava superior trinebeira e dominava
a villa ordenei que urna forca de cagadores
o ganhasse a lodo o risco o que ella desem-
penhou aceleradamente por pantanos e val-
lados e logo que montou o morro e fez fo-
go sbreos rebeldes e seus entrincheiramen-
tos e emboscadas el les vendo-se cortados,
fugirao precipitadamente dexando alguma
municao de guerra e at carluebos de peca ,
ficando em nosso poder duas de pao com ar-
cos de ferro canelas, lanadas e mais per-
tences. A trinebeira foi sem demora pos-
ta em trra e a columna avancou ; dahi
at a villa que seria meio quarto'de legua,
o fogo foi cosanle dos malos para nos e
vice-versa mas ganhei a villa, que eslava
absolutamente deserta e s boje alguma gen-
te comeca a apresentar-se. Foro feilos al-
guns prisioneiros que licu presos mas
bem trotados, porque nao quero que se di-
ga que a forca imperial assola e espanca.
Na manha de boje liz sabir urna partida
forte a recollier os nossos mortos que fo-
ro oito : c cabe aqui dizer a V. Ex. que
meia hora depois de oceupara villa ebegou a
ella um grupo de cavalleims vindo de Corena,
a acompanharem o cirurgio Joo Francisco
Romdolol, denago Sardo que voluntaria-
mente ali so offereceu ao sub-delegado para
vir tratar dos mais feridos pois era geral-
mente sabido que os rebeldes resisliriao.
Considere V. Fx. ;uanlo me foi grata a
arriscada vinda deste benelico professor no
momento em que me va eom l) feridos sem
ter quem os tralassc. Este Dr. que me pa-
rece bem hbil. curo-i logo os feridos dos
quaes por ora s inorreu nm cabo de esqua-
dra e tenho imformaces de que os mais
escaparo ,-eu rogo a S. M. 0 I. que ba-
ja por bem de opremiar.
Dzem as pessoas aprsenla lasque os re-
beldes er2c mais de 600 com mandados por
nm tenente Anacido proprietario deste dis-
tridO, e que os seus mortos foro de |Oa
-o, alem de muitQS ferelos, e que os que
1 riles rolrocedi No correio existen malas intercepladas. Desde o dia 17 em que entrou na cidade
dos Mineiros. pelo* rebeldes oflicios do governo e carias IS. Juo d'El-Rci o intruso presidente, lem-
gutte (12) avan- particulares,- e espero alguma aoloridade I se tornado inui difliccis as communicages
ido por estradas | competente para tudo lbe entregar. entre esta capital e a comarca do Rio das Mor-
rluC iti\ iii-il ... ^ .
Acbei um clarim duas trompas um
bumbo pequeo urna porefio de baleiras ,
muilas balas, muita plvora milita peder- mais piomptanienle noticias directas.
neira e bastante chumbo e urna bander-
ice Rio Craude Rio Verde c Sapucaby ,
donde poder o governo imperial recebar
tamenle noticias directas. Igual
difliculdade exisle desde o rompimento da se-
digo as coinmunicaeoes desta capital para a
cortee para n comarca do Serio bavendo-
se interrompido a marcha dos correios por
serem interceptada as malas em Rarbaccna e
Santa Ralbara.
Tenho razes para crerque a noticia da se-
7 --------......
ra exquizila em um grande pao de pinbo en-
carnado farpado com urna langa e urna meia
lua de ferro.
Tem-se adiado tamben) munQOes de guer-
ra enterradas eesta chegando a todos mo-
mentos novos apresenlados bem como pre- !
sos e armas apprehendidas pelas escollas em dico chegasse corte at o dia lo do corren-
pregadasem explora^Oes. [ te e boje tive noticia poslo que anda in-
Deos guarde a V. Ex. Acampamento em directa, de haver dahi partido no dia lOal-
Silveiras, lide julbo de 182.- Illrn. eFxm. guma tropa para esta provincia. Se assim
Sr. conselhero Joze Clemente Pereira mi-' acontecen como era de esperarse da ener-
nistro e serretario de estado dos negocios da gii e solicilude do governo imperial eseti-
guerra.Manoel Antonio da Silva coronel verem vindo tamben) mais alguns olliciaes a
quem se possa confiar o commando da guar-
da nacional em diversos municipios pare-
e>-ine mais que provavel que o movimento
revolucionario se sulloque em muito pouco
lempo porque observo que a favor da lega-
lidade se erguem em varios pontos considera?
commandanlc da columna.
AS TERCAS KF.IRA8.
S. Paulo 0 de julbo.
Ha carias cousas que parecendo ser fi-
Ihasde meraeasualidade nao deisao toda-
va de causar-nos certa sensaco pela notavel veis forc,as a que s lem faltado por ora di-
coincidencia que entre ellas se realisa ; estas
coincidencias que sao frequenlissimas em o
mundo pbysico e que por asobservarmos
diariamente deixo de sorprender-nos, pro-
duzeni quando applicadas ao mundo pro-
ariamente moral certo vacuo inexplic vel
em a nossa razo que nos deixa sempre na
diiyida de serem ellas produzidas por esse fa-
talismo q'alguns crm dorminar todas as coli-
sas deste mundo 011 por urna combinarn
indefinivelde circumstanciasquese reunem ,
como se costuma dizer por um nao sei
(lue- -^
Kstaro nossos leilores lembrados de urna
fesla eita por urn frade benedectino em Soro-
caba na qual poz ao paspalho e fofo Tobas
sentado em um tbronode ) degros : cerlos
eslaro igualmente de que esse mesmo frade ,
poneos (lias depois do brilhante festejo feito
em bonrad'el-rei,quebrou todas asimagms da
igreja e fez mil estragos no mosteiro. Pois
bem ; este celo de loucura e furor fradesco lo
receo j pela carencia de olliciaes militares,
j porque nos poucos das decorridos desde o
rompimento nao era possivel dar (odasas pro-
videncias para a conveniente orgauisaco des-
sasforgas, do que incessantemenle se cuida.
Nesias circumslancas parece provavel
que os sediciosos fago grande esforco para a-
tacar a capital para onde o intruso presiden-
te convocou a assemblea legislativa provincial,
por portara de Jl do corren te ( da inme-
diato ao da sua acclamago ) designado para
sua reunio o dia 1. de ji'lbo prximo (utii-
:o ; afouleza esla que noattribuo a nutras
cousas seno esperanga de que ja mtao ti-
vesse rebntado a sedico nesla capital e em
outros pontos (que alias se Conservo fiis
legalidade ) como se v de cartas de parti-
distas seus que me foro presentes. Deao-
cordo com o commandanlc das armas te-
nbo dad todas 19 providencias possi.eis nao
S para rcpellir o ataque, mas tamben) para
fazer marchar forgas sobre Queluz na primei-
pralicado em urna terga feira de novembro. ra opportunidade.
Mazas correrlo, reunio-se a assemblea pro-i No municipio de Itabira onde a faego
vincial apresentou-se approvou-se a assaz contava com grande apoio nao s se tem
rallada representago dos mandis e ruflaes ,!obstado a qualquer movimento mas tam-
appardhou-sea heroica commisso de mais I bem observa-se que as authoridades ecom-
heroica mensagem ella parti ella cliegou mandantes de forgas tern podido reunir e a-
aoKio de Janeiro, foi repellida pello governo nimar os legalistas atesta dos quaes se a-
e pelo novo : masa noticia do desprezo que: presenta a respectiva cmara municipal que
obleve na corte quando cliegou a esla capital ? f,.z publicar urna enrgica proelamaco con-
.\a terca feira de entrudo. Prcpara-se a re- | ira o attenlado de Rarbaccna. Consla-me que
yolucao o rompimento appareceu Tobas na villa do Presidio cresce todos os dias a forca
e acclamado em Sorocaba a 17 demaio, que da guarda nacional em favor da legalidade"
r.i terca leira. A sua phalange marcha con-je o mesmo acontece em Tamandu donde
Ira esla cap.tal, c na terga feira 24 do mes- oliciou-me o respectivo juiz de direilo em
mo mez chego os rebeldes ao alto dos Pinbei- data de (9 do corrente asseverando que
ros. I arte das lorgas impenaes marcha para apoiado por outras autoridades pela forCa da
Lampinas ; da-se o ataque e os rebeldes > guarda nacional e pelo capitao do corno 'poli-
saoderrolaoos na lerga feira 7 de junho. cial Joo Joze Dias Pinheiro que com-
Lslavo os rebelles acampados em Ra- mandando ali um destacamento, resistir
ruery os legalistas os procuro e sao pos-
tos em fuga a 14; que foi terga feira. Soro-
caba restaurada no dia 20 mas a noticia
de to feliz successo cliegou a esta capital no
dia 21 que diz a folhinha ser terga feira. O
padre Valerio d bospedagern aos ex-depiila-
dos Alvares Machados A mar I Gurgel e Flo-
rianode Toledo : combina seus planos pro-
clama a rebellio mas obligado a fugir
com os rebeldes todos no rm-smo dia 21 na
mesma terga feira. Finalmente u Exm.
general bario de Caxias volta ciieio de gloria
esta Cidade e faz a sua entrada no dia 28,
que tambem foi lerga feira.
Con ti tina r a ser-nos favoraveis as lergas
fera ? Dos o queira que nao s dias cumj
os dias todos da semana.
( Vordadeiro Paulista. )
MINAS CERAES.
N. 9S.Illm. e Exm. Sr.-vTendo eu a
21 do corrente dirigido a V. Ex. o offlcio
n. 97 junto por copia, exporei agora o que
de novo lem occorrido. Consta por diversas
vas posto que anda nao baja toda a certeza,
que o iiilruso presidente marchara de S. Joo
d'El-Rei para Qneliu onde se dizque en-
com diguidade e energa s ordens e promes-
sas que lbe foro dirigidas por parte do go-
verno intruso nenhlim rece i o linha pela se-
guranza da comarca ainda quando fosse a-
tacada por forgas de fra.
Rem desejava dar a V. Ex. como do
meu dever circunstanciadas informacoes
de outros-municipios 5 mas a dilTicuIdade das
communicagoes inhibem-me de faze-lo por
agora.
Conclnrei repelndo que cmquanlo fago
lodos osesforgosdeque sou capaz fiara suf-
foear a sedigo espero ancosamente as or-
dens e providencias queemtaes circumslan-
cas tero cerlamenleJe partir do governo
imperial. O que ludo V. E. se dignar le-
var augusta presenga de S. M. o I.
Dos guarde a V. Ex. OuroPreto, pala-
cio do governo 26 de junho de 1842, s
11 horas da noito.Illm. e Exm. Sr. minia
Iro e secretario de estado dos negocios da jus-
lica.Bernardo Jacintboda Veiga.
N. 100. Illm. o Exm. Sr. Desde
que iveobi a primeira noticia da scdicAode
Oarbacena tenho constan temen te ofllciado
' V. Ex. mas at boje neilhu
posta lenho (ido neni uo menos noticias da
corte ex'-epco de urna caria particular de
tldejunho, pela qual conheci que ainda
enlfio nao consiava ah aquello succe.sso.
Continuando agora as minliasparlcipaces
devo dizer a \'. Ex. que os negocios apre-
sentfio ha dias urn aspecto rnui favoravel
legalidade. Como conslasse que o intruso
[residente se achava em Queluz com o pro-
jecto do atara' esta capital lomou ocom-
mandanle das armas a deliberaco de mar-
char sobre elle parlindo bonleni daqui com
alguuias lorgas que, reunidas a outras que
j se achavo no Arraial do Ouro-Rranco
distante de Queluz tres leguas seriaejnais
que sufflcientes para derrotar os sediciosos.
o momento porem da marcha chegou
aqui a noticia de haver se o intruso presiden-
te retirado do Queluz levando comsigo al-
guma forca e dispeisarido-se o resto.
Nenhuma relle.xo farci por ora sobreest
fado por nao estar anda informado das
verdadeiras razes que o molivro ; mas
para mim indubilabel que elle concorrer pa-
ra o mais promplo xito da lula animando
anda mais os legalistas, e desalentando o
partido sedicioso que esperava ver atacada a
capital em poucos dias.
Nao obstante esla oceurrencia seguio o
commandanle das armas asna marcha dei-
xando nesla capital suflieienle guarngo e
lalvez amanh faga ocrupar a villa de Queluz
por alguma torga o que ser bstanle para
pie lodo o municipio sustente o governo le-
gitimo pois que apenas um pequeo nume-
ro de seus habitantes, e principalmente os
da mesma villa dominados pelo lerror, des-
viro-se da senda legal.
Por esla mesma ocoasio devo participar a
V. Ex. queoDr. Joaquim Antonio Fernan-
des Leo que acbou-se naquella villa duran-
te a sua oceupago pelos sediciosos, apresen-
tou-se passados dias a um dos comman-
danlesdas forgas legalistas que o fez con-
Juzil* a esta capital onde se acha preso por
ordem do elide de polica at que se ave-
rige a culpa que se lbe impula neste movi-
mento.
Esta a presen taco nao facto que se deva
julgar i n difieren te e dever concorrer nao
pouco para o desanimo dos sidiciosos.- e es-
clarecimento dos Iludidos. Algumas outras
pessoas indiciadas de baverem tomado parle
na sedico Ii.mii sido igualmente piesas.
Nos municipios donde tenho recebido no-
ticias reina ern ge ral grande enlhusiasmoa
favor da legalidade e posto que os habitan-
tes de un ou outro dislricto apoiern a sedigo,
diflicilmente podero combinar'um qualquer
plano de operaces ; por se achrenla cada
passo embarazados por forgas legalistas, alem
de Ihes fallaren) outros recursos para urna lal
empreza.
Logo que se me oflereca urna occasiAo de
portador seguro terei a boma de dirigir a
V. Ex. mais circunstanciadas participages;
e concilio esla observan lo que a meu ver ,
a energa do governo imperial apoiada pel
grande maloria desta provincia ser bas-
tante para suffocar a re volta que, com-
quanto deva causar grandes males aos Minei-
rps ir-se-ha enfraquecendo em vista do de-
senvolvimenlo das orga da legalidade e da
manifestado da opirno publica como j se
tem observado : o que V. Ex. far-me-ha a
graga de levar ao conhe'cimento de Sua Ma-
gestade o Imperador.
Dos guarde a V. Ex. Ouro-Preto pala-
ciado governo, 2 de julbo de J 842 Illm.
e Exm. Sr. ministro e secretario de estado
dos negocios da justica.Rernaido Jacintbo
da Veiga. ( J. do Commercio. )
IIIARIO DE PERWBim
ELEICOES.
O dia I do correte est marcado para as
eleigoes dos Depulados que devem na As-
semblea Geral representar Pernambuco n'essa
nova era c ordem de cousas ebeia de espe-
rangas e de futuro que a Divina Providencia
fez nasccr, quando o Imperio pareca to pel-
lo do abysmo. Mas tantas e.;perangas e fu-
turo dependen) inicuamente da urna eleito-
ral Os eleilores actuaes podem dar-lhes re-
alidade ou fasel-os dissiparem-se como hum
sonbo : elles tem em suas mos encerrados os
destinos da Patria. e
Todos sabem como at o presente t m sido
feilas as eleigoes. Complacencias transaegoes,
o acaso e talves o crime tem elevado mui-
las pessoas ao eminente lugar de represen-
tan lo da iiaeo : parece que a consciencia d s
elelores qUasi nunca lia presidido luim acto
ile tamanba importancia. Pasmosa con tia-
dicgo .' .Na esoolha de quem se encaircguo


deseos direitos e inlqVesses particulares todos
s notabilidades da rebelda do Rio Grande do
Sul as dcsculpas com que procurarao ate-
nuar o plalhrmfernal dos incendiarios da Ba-
so provas da identidade e harmona
lii.i
se mostro zelosos apartidar ios do mrito,
deixo o amigo, aquellos com quem lem
relaccs, para confiar seos poderes n-
n.entos, c aliancao mais fidelidadc no desem- i as dort beld, n? I ^^ \
indiflerentc como o merilo ,1o candidato ,S a im ', *!"'m *"*
dos a vcrem passar leis, que oppoe hum obs-
tculo insuperavel aos seos planos protesta-
bles
;i eminente calhegoria a que aspira : enlo
prevalecen! exclusivamente a amisade os
do d'esle seo proceder ? Nao tragaremos
o quadro consternador do nossas desgra-
nas bem conliecidas e sentidas por todos ,
a independencia do Imperio nao milito ai-
rosamente sustentada huma divida espan-
tosa que roe como hum cancro a fortuna
publica a industria estacionaria se nao re-
trograda nossos poucos lucros absorbidos
por impostos e o que mais he a vida e
os bens dos cidados ao capricho e discricao
do rebeldes, eassassinos. Entretanto quando
se inquire a causa de to lastimozo estado ,
graves accuaacoes pesio sobre as passadas le-
gislaturas, que nos legaro huma grande par-
ledos males, que solYemos, sem jamis cui-
dar seriamente, como Ihes cumpria de me-
Jhorar a sorle do Estado.
He pois mister arripiar a carreira e boje
mais do que em nenhuma outra occasio os
Klekores devem ao paiz huma votaco cons-
cienciosa,. OGovernodeS. M. I.. dissolven-
do a tmara de 1812 fez hum appello so-
lomno para a nacao : a naco est no caso do
Juiz para quem se recorre em raso de hum
grvame sollrido e cu jo mais sagrado dever
he averiguar com escrupulosa attenco se es-
te grvame existe ou se he imaginario. O
acto que dissolveo a Cmara mportou a de-
daracode que ella nao represontava a von-
tadedos Brasileros os quaes tinhosido I-
Judidos ou forcados dar votos individuos i-
nimigos de sua ventura e prosperidad. Os
Eleitores actuaes, orgos da naco para quem
se appellou vo decidir esta grave questo ,
vo declarar se reconhecem como verdadeiros
interpretes de sua vontade os bomens que
A' PEDIDO.
Redeas inclumes precor. *
Depois de to agradaveis e to variadas
recroaces com que o Ilustre artista o Sr.
Jos dos Res e sua esposa M. Emilia
Amanti presentero aos habitantes d'esla
eidade seria ingratido se Ihes nao desse-
moa um publico teslemunho de nosso reconhe-
ciment e prova desaber-mos apreciar o
mrito dos que mimosos da natureza, della
recebero dons que no cabem em partilba
a todos os seus lilhos. <
O Sr. Deis o sua consorte sao do numero
daquees genios raros, que honro a sua es-
Elle direclot
bra ( buo ); 1 pianno; 2 caixas com vinhos;
a Kalkemann & Hoscmuud.
X caixas com calcados; urna dila com pellec-
2 ditas com selins ; 3 ditas com vidros n
ilias com miudezas ; 3 ditas com fazendas
urna Avrial l'reres.
14 cansa rom trinas : a Lenoir Puget *
t'ompanhia.
1 caixa com fazendas ; C fardos com ditas ,
1 embrulho com amostras; 1 caixa com vidros:
a Bolli & thavannes
ij caixas com fazendas : a Tobler Freres.
(i caixas com papel; urna barrica cora araei-
xas : a A. Hosch
1 caixa com roupa : a Vautier.
,..-,, .,..-.........,,,,.,,. pecio. Elle director d'uma companhia de
adve L-1 n8,r rT; f V" e os j arlislas gimnaslicos de mu/.ica e de mmica
s P ,'' ,d da orcm lwi*> lio- menee de todas as pessoas do gesto os mais
hum !L! Pl'f'c moderna lembrando bem merecidos applausos; ella faz recordar
*La i 5? x combalcr iPPOStOS aos que t-m a fortuna douvil-a cantar csses re.ro uc 1841 a 1842.
omMinV 0*'iPPire1 ?. Paulo, tmniws fabulosos, em que Mwnstruirao os I Or-Bretanha .*.... 3,384:133 H 654
mnnnas, o, conforme o n ano da faccSn Lun ,i ti,,,!.,, mi- ............... ___ i?...... i :. Resumo do Valor do mappa d.t importacao da
Allandegade Pernamboco no anuo 'finan-
re i ro de 1841 a 1842.
Sia ron'nV, ;m ? n PUn-^ faC "",r0S d Theb'8 l*los sons encantadores
eva.onpeiem todas as Provocas do lu-, d'Amphio. Se osla historia passa entre os
n!rin, kE p3Cr,tas . o s iwe'0''' P^^-balar-lheoTbro- Los de M. Emilia Amanti, he sem u uras,
nstttnicAe^ mn0', mfl an,qU,,* ,0SSaS l'c tudo realidade. M. Emilia pela modula-
SeSS^' ling,n,,0,lueasrna,,temcfasyn'|^odesuavoz, pelaexpressao viva, esen-
'h.',,,-,,' _. limental com que exprime os mais temos mo-
uesenganemo-nos, so o Ihrono de S. M. vimentos do coracftohumano, pelos movimen-
i. o anr. i, i odro 2 pode salvar o Brasil,, los pantommicos de que accompanha o seu
t so os sinceros amigos d'esse throno aquel- doce cantar nao digo, que possa mover o
les em cojos coracoes che repousa merecem mundo phisico ; as pedras as arvores os
nossa con banca. A felicidide do Imperio es-1 ros nao obedecero sua voz : mas tudo o
la indissoliivelmente ligada preponderancia; que ha d'l.umano se curvar a sua voz que
uas uleas e das pessoas que hoja dirigem os lio a VOZ da natureza: de molo que
nossos destinos. Se o triumpho do partido
da ordem for permanente como tudo alian- ,
?a he de esperar que em breve possa o
tioverno supplanlada nteiramente em S.
Paulo e em Minas a desordem por lim lula
Sed*anliga Grecia lora ,
I ma das G rafas sfria ;
Ou das Flhas da .Memoria
O numero augmentara.
Mas em lim dexa-nos M. Emilia deixa-l
desastrosa do Rio (irande do Sul que he o
sorvedotiro do nosso sangue e dinheiro e
hum estimulo continuo de rebelda em que
os mimigos da Iranquihdade publica tem os I dora moderar o sentimento desuaperda
olhosfixos, eque, restituida a paz ao lm-' Com tnaior rasflo, que o I.iiico Latino
peno, esteja enlao habilitado para promover nos deverianios cantar:
sua industria melhorar as lis existentes ,
e dar-lhe algumas de que anda inteiramen-
te carece e assm adiantar sua civilisaco e
Franca
Cidades Ausiaticas .
Portugal e suas posseces
llespanlia.......
Paizes-Baixos.....
Italia ........
Suecia........
Dinamarca .
Dominios Austracos ,
Eslados Unidos ,
Estados do Rio da Piala .
Portos do Imperio .
Total.......
1,189:640 I 481
428:775 J 7.r>8
852:578,y 440
95:880^089
15:696 $ 977
09:166 ) 577
36:409 $ 67 5
2:781^500
113:321 J 212
960:644 H 306
241:146 609
375:948,^919
7,766:124J 117
EDITAE.
Vicente Thomaz Pires da Figtieredo Camar-
go Inspector da Alfandega Ac.
.........-........~ ..... oa.!-i Eaz saber que no da \\ do corren te mez se
nos sen estima vel esposo 5 e so a lem branca ho (,e arremalar em hasta publica na porta
e que tornarSo a pisar as nossas areias po- \ l'a niesma ao meio da A caixas com 490 tjo-
e ass
prosperidade.
Est de nossa parte ajudar o doverno ;
ompunhAo amatoria da Cmara dissoivida j mandemos para a Assemblea Geral bomens, L
' que o vo auxiliar e no que o estorvem na
ouseasprovisesdoPoder, que dissolvo-a! que va0 {,ux'l'ar n5o que o estorvem na
sao justas e bem fundadas. V-se d'aqui gnele empresa de salvar o Brasil, escolhidos
com que circunspecto devem serfeitasas lo circ,lln politico, que devenios j tantos
com que circunspecto devem ser feitasas
presentes eleices e nos fazendo justica ao
bom senso e ao espiriio de ordem dos nossos
concidadaos j podemos prever de que la-
do esteja o triunfo.
Se hum partido d-se bem conhecer por
seos feitos e pensamentos, como a arvore pe-
los fructos que produz, he indubitavel, que
os bomens d'esse credo poltico que tem
perdido entre nos a influencia que lao per-
niciosamente exercxa jamis podem mere
cer a honra de representar a nacao, se he que
esta deseja realmente evitar sua ruina. Quaes
s*0 em verdade os principios e os actos do
partido que cumpre afaslar da urna ? Em
materia de religiao, ninguem o ignora he
desconceituar a cren^a dos nossos paes he
dissipar os prestigios lo christianismo : a na-
co conserva viva lembran^a daafoutesa, com
que os seos corypheos nao ha milito pretendi-
o que a Igreja Brasileira se separasseda S.
beneficios quasi t;lo extenso como a nacao
inteira pois se compoe de todos os Rrasilei-
lros que penso maduramente c tem moti-
vos de amar a ordem bomens que de ne-
nlmm modo partilheni os senlimentos d'esse
partido, que nos ha causado tanto mal com
a sua descoberla de livrar o Monarcha de coac-
go e do faser oppos{o de plvora e bala
leis feitase sanecionadas pelos Supremos Po-
deres da NacSo.
Sejao-le os Ceos propicios e os ventos
le conduso em paz, Nao feliz ;
Trazo-nos outra vez Amanti e Reis
E' quanto le suplica este paiz.
Os applausos lilhos dos mais puros sen-
imentos, que d'um modo n;1o equivoco no
Ihoatro desta eidade e na Sociedade NATA-
LEMSE se der.) ao Sr. Jos dos Reis e a sua
consorte M. Emilia Amanti boje se renovao
pela boca d'um dos seus mais justos admi-
radores.
oe propunho que os sacerdotes se casas-
sem o indicavo outras medidas de igual na-
turesa. Quanto poltica, a grande ideia do
partido, que nos est causando tanto dam-
no he acabar no Brasil com essa monarchia
solitaria do novo mundo que he a nossa glo-
iia eso he capaz de faser a nossa feliciJade.
O Governo monarchico, que foi sempre o
rgimen dos nossos antepassado-i, de que he
typo o primeiro de todos os Governos o do-
mestico que acha hum modello na maravi-
llosa organisacao da Igreja de Jess Christo ,
essa forma de Governo que satisfaz todas as
exigencias da raso e conciba a liberdade e
a felicidade nSo agrada a taes bomens : to-
das as suas acedes encaminli;lo ao governo re-
publicano que conforme os seus votos esta-
ra j eslabelecido no Brasil se o seo poder
fosse igual sua vontade. Insensatos, que
nao altendem resistencia que a opinio
nacional oppoe ao seo pernicioso systema .
lao incompalivi'l com as nossas circunstanci-
as posto que fosse legitimo quanto mais que
NOTICIAS RLE1TOBAES.
Elleilores da fregue/.ia da villa de Garanhuns.
Snrs. volos.
FACTS DIVERSOS.
Nodia 10 do passado foi ejecutado na vil-
la de Garanhuns o cabra Antonio oseravo,
que fora condeninady-a pena ultima polo Jurv
daquella villa.
Francisco Ignacio de Paiva
Dr. Joo Nepomoceno Xavier de Men-
donca
Dr Francisco Machado Dias
Joze dfi Carvalho Araujo Cavalcanli
Manoel Antonio Martins Pereira
Joze de Barros Silva
Quintiliano Ferreira da Cunha
Joze Joaquim Ferreira
Antonio da Silva Queiroz
Francisco Teixeira do Macedo
Chrislovo Teixeira de Macedo
Joaquim Eiao Machado Dias
Ignacio Alvos da Costa
Joze Alves Bizerra Cavalcanli
Joo Ferreira Moraes
J0A0 Ignacio de Mello
Joo Joze do Araujo
Joaquim EiAoCampollo
Luiz Francisco da Silva
Joo Baptisla da Silva
Antonio Teixeira do Macedo
Joze Correa Paes
Miguel Primo Villar
Antonio Dias da Silva
Manoel Joze Correa
Francisco Borges Pereira
que
he ainda hum problema entre os Polticos. ..-..~..~~ .~.B^.,.. .......
Se a Repblica he huma forma de governo Joze Cavalcanti d'Albuquer
que realisa as condicOes essenciaes de huma Verssimo da Costa Soares
ba organisacao social! Antonio Rodrigues Lim
A protecoao que sempre merecero aos Joze Felis de Brilo
inimigos politicoida actual ordem de cousas Joaquim Papa i de Paiva
os sediciosos de todas as Provincias, os lou-j Joao Lourenco de Mello
vres que al no parlamento prodigalisavo ---------
571
510
507
501
i)2
8(
SO
178
ifiO
466
464
462
4o9
455
430
42 i
422
41 i
409
405
500
505
504
393
383
366
364
501
550
344
331
520
COMMERCO.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia ) de Agosto 2:259*307
DESCASCA PARA0 1)1 \ \\ DE ACOST.
Brigue Bremense = Lowiso = Fazendas ,
manleiga presuntos equeijos.
Brigue Ingle/. =Fanny= Bacalho
IMI'ORTACA.
O Brigue Bremmence .ovvise vi-idode Bre-
men e Havre de Grace entrado no corren te
mez consignado a Kalkemann & Rosemund
man lestou o seguinle : De Bremon. __ 1\
raizas rom Fazendas ; 2 fardos com dita ; ll
caixas com vidros ; nma dita com amostras;
145 barril com cerveja ; II caixas cora miu-
dezas ; 4 ditas com instrumentos urna dita
rom louca 5 101 pitas com vinho 200 pre-
st 11 los ; 3 caixas rom lona; 54 barucas rom
genebra; 3 raixa- rom trastos: 15 lardos com
ditos; 16 duzias de cadeiras ; 10 lastros de
cartSo de pedia; 30 gigos com gairalas 5 1073
garraoesvasios: a Kalkemann & Rosemund
Do Havre delirare 16 caixas com fazen-
das ; 14 d tas com trastes 2 dilas com miu-
de/as ; 140 ditas rom vellas ; 699 barra rom
manleiga ; 363 ditos com potassa ; um caixa
com nm rano ; 2 ditas com charutos ; 3 ditas
com bixas : 2 ditas com ervas ; urna dita com
maquinas; um sarco com sal; 6 vasos com
flores; nma caixa com passas; 1 barril rom
peixe ; urna caixa com biscoito; um seslo com
08 de limpar facas no valor de 9000 reis im-
pugnadas pelo Guarda Caetano Aureiiano de
Carvalho Couto em Despaxo por Factura de
Vicente Anastacio Rodrigues sondo o arrema-
tante sugo ito ao pagamento dos Direitos e Ex-
pediente. Alfandega 9 de Agosto de 1842.
V. T. P. do F. Camargo.
T11EATRO.
Reprezentacoe can loria =Rafael e Ma-
damoizelle Lucci, gratos aos briozos habitan-
tes desta Capital, vo Domingo 15 do cor-
lente dar urna explendida fungi da maneira
seguinle : reprezentar-se-ha a muito aplau-
dida peca = D. Ignez de Castro = No lim do
2 ? acto Rafael Lucci cantar urna aria do
=Barbeiro de Sevilha= No lim do4Pacto
Madamoizello Lucci, caiitar=Uma nova Ca-
vatina da Opera Gaza Ladra= No lim do 3?
acto remtala o expectaculo com um =ExceI-
lente c aplaudido novo Duetto da Opera Gazza
Ladra Forse un di conoscerete= Este bri-
Ibante expeelaeulo deixar sem duvida sap-
tisfeitos os amadores da divina arte na qual
la rao o Snr. Lucci c sua (Iba os possiveis
exforens para agradar a os seus benignos es-
pectadores.
NB. 0 Expeelaeulo ter lugar nodia mar-
cado nao chovendo das C horas da tarde
em vanto e no caso de chover se transfri-
r marcando-seo dia pelas folhas dublicas.
Principiar as 8 horas e meia em ponto.
A viso martimo.
K3" Para o Aracaly sai imprelerivelmen-
le no dia 14 do correte a sumaca Estrella do
Cabo com duas torgas partes do seu carre-
gamento a bordo, no dia de hoje deve ficar
quaze abarrotada e s recebe carga miuda :
os prelendentes dirijo-se a Manoel Joaquim
Pedro da Costa.
AVI SOS DI VERSOS.
vidros ; 11111 dito com agoa mineral 5 nma ca-
* Rogo-te que mos tragas saos e sal-
vos. = Traduzido livremente de Horacio.
Em vesperas de eleic<5es parece ter
seu lugar o N. 58 do Carapuceiro que Ira-
da da gente de duas caras e sahio hoje.
Traz mais urna variedade comparando os
grandes livros com as folhas peridicas. Com-
prem que bao de gostar. Vende-so, na
praca da Independencia loja de livros Numero
57e58.
tsf- 0 ahaixo assignado faz sciente ao res-
peitavel publico qu vendo hum annuncio
no Diario de terca feira n. 170 de urna fuga
do caixeiro de Manoel Joze de Figueiredo &
Irmos ; que se nao enlende com o ahaixo as-
signado por que antigamente se assignava
Antonio Joze da Silva e como algumas pes-
soas posso ignorar o aumento donme, por
isso faz o presente.
Antonio Joze da Silva Pereira.


ser perto da praca j as pessoasque se quise-
i-m ulilisar d-ndo meago annuncie.
VST Manoel de Mallos Teixeirn Lima, <
Francisco de Assis Lima rqtiro-se para
tura ila provincia
l'ILL'LAS VtlUETAES E IMVKIISU.S \MKMC4NAS.,
Eslas pilulas ja bem conhccidas pelas gran-
des curas que tem feito, au requerera nom
diela e era resguardo algum a sua cooi-
posigo lo simples que. nao lazem mal a
niais lema manga : era lugar de debilitar ,
forlificao o sysiema, purifico o sangue caixa para guardar cadeinnha di ija-si. a
mrmentao as secreges em mi: lomadas I ra Nova da Trompe sobrado de porta larga.
Sfapara molestia rlironica ou sement J st Nosilio da pasara do arrumbad-
mo purgante suave; o melhor remedio que l aclia-se urna carrosa bo. p carrero promp-
temapparecido, por nao deixar o estomago tapara qualquer (essoa que delta precisai
CP-Quem annunciou querer comprar urna
_. _______1 .. r..l,.;..inl.n ,111-i >_<(> ,1
naquelle estado de conslipago depois de su.
operago como quase todos os purgantes fa-
zem e por seren mui facis a tomar e nao
causarem incommodo nenhum. O nico de-
posito dallas em casa d I). Knoth agen-
te do author: na ra da Cruz N. 37.
N. R. Cada caixinha vai embrulhada em
seu receituario cora o sello da casa em la-
cre preto.
D. Hoza Emilia Augusta da Cruz com
sua filha menor retira-se para fura da Provin-
cia.
Domingos Antonio Jozc da Silva c Mello
retira-se para o Aracaly.
U* Offerece-se um rapaz portuguez para
caixeiro de ra ou para lomar con la de u
ma venda por bataneo do que lem bstanle
pratica ou de outra qualquer oceupago ; na
ra do Crespo 1). 8.
tar Joze Francisco de Azevedo Oliveira ,
ietcri-se para o orto a tratar de sua saude.
tar Arrenda-se urna caza em S. Anua ,
junto da propriedade de R. Mariana, prxima
ao riocapibaribe muito propr a para se pas-
sar a festa ; qucni a pretender dirija-se a
pracinha do Corpo Santo I). 07.
tsr Na ra do Rangol 1). 35, aluga-se um
negro que seja bom forneiro e-cntmda do
todo o mais servigo de nadara j e vende-Be
caixas com duzentos charutos da Babia a \,s
rs. cada caixa.
VST Aluga-se urna pela para cozinhar e
comprar na ra : na ra Nova na penltima
loja do lado do norle.
tsr Quem precisar para algum silio de
urna canoa de estrume dirija-se a ra Nova
na penltima loja do lad i do norte.
tsr Precisa-se de urna ama forra que te-
nha bom e bstanle leite : na ra Augusta so-
brado deum andar esolo.
tsr Aluga-se um quarto com commodos
para duas ou 5 pessoas : na ra da praia por
baixo do sobrado do escrivao Benicio.
tar Joze Francisco Lopes Jnior, retira-
se para fora da Provincia.
tST Precisa-se alugar urna caza terrea pa-
ra pouca familia em ra mais publica do
bairro de S. Antonio : na ra da Conceigo
do Recife n. 28.
tar O Sr. L. Robert queira dirigir-se a
loja de Didier Robert & C. na ra Nova pa-
ra receber urna carta que foi tirada do cor-
reo por engao.
tsr Antonio Soares da Silva retira-se
para a Cidade do Porto a tratar de sua
saude.
tsr Quem annunciou querer vender a ope-
ra da Norma dirija-se a ra da Cruz n. 5.
tsr Aluga-se urna caza assobra.iada com
cmodos para grande familia, cita na ra da
Alegra : a tratar com Marcelino Joze Lopes.
car Quem annunciou precisar de 200^ a
premio de 2 poreento ao mez, dando boas
firmas dirija-se a ra da senzala velha pa-
daria D. 50.
tsr Joo Baptista Fermink, retira-se para
o Maranhao e faz scienle nadadever a esta
praga.
tsr Quem precisar de urna mulhcr branca
para o servigo de] una casa de pouca familia,
de portas dentro dirija-se a ra velha da
Boa vista venda I). 10.
tsr Pede-se ao Sr. arrematante do dizi-
mo do capim e mais socios o favor de de-
clarar o lugar onde se deve pagar o dito di-
zimo.
tar Na ra do Crespo loja I). 0 da parte do
sul existe urna carta para o Sr. Capito Cae-
tao Joze de S. Anna.
tsr O dourador que quiser dar lico da
inesma arte em sua caza annuncie sua mo-
rada.
O* Quem precisar de urna ama para caza
de hornera solteiro para todo o servigo di -
rija-se a ruado Queimado I), 3.
tsr Perdeo-se no dia 8 do corren te um
requerimento de Joaquina Dellina de Mella
com despacho do Governo ; quem o achou
20 annos. e se pago bem : na ra da Ca-
doia do Recite n. 5 das t horas da manh
as 3 da trde.
.
VENDAS.
C Farinba da Ierra de boa quahdade a
(r>0, e arroz com casca a 7,810o alquei-
ra ludo pela medida velha sera amarella
a "'calibra loncinhode Santos muito-al-
vo a 100 dita: no paleo do (armo quina da
ra de Borlas lado direrto D. 1. ___
A obra de geomelria por Lacroi i :
quem pretender aununcie.
WT A venda da ra Nova I). 20 com
850* de fundo : na ra dos Pires I). 11 a fal-
la i com Manoel Luiz Viraos.
tsr Um arado inglez muito bom com
lodos os seus assessorios : na ra do Quei-
mado loja de ferragens 1). 18.
er Uma porgan de la de cana propna
para encher colxes a travisseiros e sacas
com arroz pilado a iZ : na ma do Aragao
venda D. 14.
tsr As bemfeilorias e uma boa caza de
taipa nova cita em lenas foreiras entre
as duas pontes da Magdalena, o da-se por pra-
gocommodo: na ra Nova na penltima lo-
ja do lado do norle.
tsr Lma cadeirinha em muito bom uzo ,
e um novo e lindo bote pjr prego comino-'
do : na ra do Cotovello D. 50.
or Agoa de Ungir os cabellos e suigas: na
pracinha do Livramenlo loja de chapeos D 19;
cada vidrinlio vai acompanhado do melhodo
de se aplicar.
sai Conloes dedaes aneles c memo-
rias de ouro de lei porgode piala de mar-
ca de dilferenles qualidades ; urna porco de
corligapara rolhase balO(|ues de pipas : as
"> ponas D. 25 venda que tem lampio.
Bt" Um negro de nago de 25 annos, pa-
ra todo o servigo d* campo por 350f ; uma
negrinlia crela de 10 annos, com principios
de costura : na cara boa do Carmo 0. Li se-
gundo andar.
tsr Lma preta de 20 annos lava de sa-
bo laz dores de lodas as qualidades e to-
llo o mais servigo de urna caza : na ra No-
va D. 10 padaria de Bento Antonio Domin-
gues.
tsr Rap rolo ltimamente chegado de
llamhurgo : na ra da Cruz D. 10 e na ra
Nova D. 1 e 2 em caza de J. Colombier & C
tsr Por prego commodo um jogo de 'ban-
cas de Jacaranda modernas : na praga da
Independencia loja u. 11.
tsr L'ma escrava moga do gento d'Angola
cose liso, engoma, cosinha e he boa qui-
tandeira ; quem a pertender dirija-se ru.i
do Rangel casa I). 0, lado do Puente.
tsr Lma venda cila em boa rua com
OCHAVOS FGIDOS
naquella visinhanga : a tratar no mesmosi-
llo de Francisco AntoniodeCarvalhoSiqmira.
tsr A quem faltar um cscravo denoine Jo-
ze de 21 annos meio bucal dirija-se a
rua do Amorim cm caza de Antonio J /.<
Francisco Veiga que dando os signaos se
dir aonde elle existe.
XST Quem precisar de uma mulher portu-
gueza para servir, engommar coser e lo-
do o ServifiO pertencente a uma senhora di-
rija-se a rua da Cadeia do Recife befronte (la
botica do Sr. Vicente e da caza de Rento Jo-
ze da Costa.
tsr Lm alveitar chegado ltimamente da
Cidade do Porto se oferece para ferrar cavados
a Portngueza Franceza, Ingleza, e Ilalian-
na ; cada cavallo pelo pr go de 2^000 res .
assimeomo capare sangrar, c,curar qual-
quer mokstia quem do seu prestimo se qmzer
utilizar dirija-se a rua de Santa Rita nova
venda D. 28.
= Aluga-se por prego commodo um bom
armazem de rua a rua sito na rua da moeda
no fundo da venda do Sur. Alexandre ; e le-
va-se em con la os concertos que precisar :
trata-se na rua do Nogucira D. 25 ou 19.
Precisa-se alugar um sobrado de um
andar em mas que nao s>jo esquisilas
que o prego nao exceda de 11^000 ou algu-
ma casa terrea que seja no pateo do Carmo ;
quem tiver annuncie.
= Preciza-se de dois pequeos com prin-
cipio de sapat. iro para trabalhar em urna
teuda pagando-se a semana a seus pais ou
Snrs. quem pretender dirija-se 10 sobrado
que bota para a rua da Praia e do Fagundes
sobrado velho ou na tenda que fica no oilao
do Livramenlo na quina do beco do carsa-
reiro.
lis^-A vi uva do fallecido Jos Antonio Maia,
convida aos credores de seu cazal a se reu ,
nirem manhS ll do correte pelas 10 horas;
da manhfi na caza de sua residencia na rua
do Rozario larga no 3. andar do sobrado D. ;
1, a lim de deliberaren, oque julgarcm con-, Ul, 1UU f
veniente acerca de seus respectivos interesses., |)()I1S geeros os quaes chegarao de 700 a
ssr Roga-se encarecidamente ao Sr-sa|- 8()0 mil reis a dinheiro ou com boas firmas:
genio do contingente Joao Antonio de Menc-, |]a ruu (jS yuarU(is D 2.
de annunciar a sua morada para ser ^^ |jma vaca jt ,(-a lourina muito gor-
ila ; c prxima a parir muito boa de leite :
i na rua Dircita D. 2 segundo andar.
tsr Lma canoa ab.rla em muito bom
ts, mnwiu gauvg ..... .-. uzo : na rua ilo Vigario D. 5f a tradar com
peilavel Publico que em 51 de Julho p. p.,: p ja gjjva |js|,oa,
por mutuo consentimiento dissolvero a soci-j cr (arrafasd0 Monfort propria para lim-
edade que liubo e que girava d maixo da parepolir com estrema facilidad.: toda sor le
lirma de Andrade Castro & Fonseca (ican- d(J meUes amarellos, principalmente as obras
i,. ,..,rt..,.,...,.'., (,, \., I id 111,1 'icui i( :i le i m:i< t i :H i .
zes, de annunciar a sua morada para ser,
procurado, ou dirija-se na rua do Livramen-
lo venda I). 2 junto casa da Sr. viuva
do Burgos.
Os abaixo assignados avizao ao res-
iiiiuauc .-niuiauc u.ivi.i.) ue melaes amarellos, principaimenie as oiji->
do encarregado da liquilago d'algumas tran- ; (1(, |alAo ? C|U0 arreios (le car,.os ornamen-
saegoes pendentes Jos Paulo da Fon seca. tQg mjjjtareg j candieiros de salla &c. dando-
Manoel Jos Rodrigues d'Andrade. Joao j |es em pouCS mnuutos um lustro verdeira-
Bernaidino de Moraes e Castro.Jos Paulo', dmiravel. t oue de outro modo se
dislancia, de primeiras letras, latini mu- ""j^- Smpalo inglezes, no atierro da Boa
zica e francez por prego mu razoavel : a yigU D> 9, e na praga da Independencia De-
pessoa que o pertender annuncie a sua mo-Ljm \"t
rada para s< r procurado. ^. \- ,raves dc ^ a 52 palmos : na rua
tsr O capilao Joao Felippe de Souza Liao (|a Mad|.e d(J ,)c;. |fl|. de Jo/e Anlon0 da Gu-
a/ saber a os foreiros do vinculo de N. S. da
Conceigao dos coqueiros do bairro da Boa-!
vista que tem nomea lo por bstanle procu-
iili.-i.
----------7J -----
rador., dos loros e laudemios do dito vinculo
a Joaquim Candido Ferreira com quem os
mesmos foreiros se devem entender pois que
para isto se acha legalmente authorisado.
tsr Quem no Diario de 8 do corrente an-
nunciou querer 200a res a juros d- dois p.
c. ao mez pode dirigir-se na Boa-Vista rua
velha casa D. 57 que ahi sa dir quem os
da e na mesma se aluga um sobrado na
rua do Amorim n. ll t.
COMPRAS.
Lm escravo moco, pardo ou preto,
com ucspaciio uo iioveruo ; quem o achou, tsr l m escravo moco, pardo ou preto,
tenha a bondade do mandar entregar na rua j que seja official de carpira : annuncie.
Direita defronte da botica do Sr. Peixe. tar Lma negra de bonita figura que nao
tST Da-se200,) a premio de 2 por cento ao. ton|)a vicios nem achaques e que seja pel-
mez, com firmas a contento, ou pinhores de (Vita cozinheira e engoinmadeira : na cam-
--------_ r -----... ,. ,.,.^ ._, t.. i,,,,,
, com firmas a contento, ou pinhores de Feita cozinheira e engoinmadeira : na cam-
auro, pelo lempo que se convencionar : na] boa do Carmo I. II no segundo andar.
tsr Para fora da provincia esclavos de
tsr Ha um te
rua da Florentina casa tcrri-a que tem olaria.
erreno proprio para se dcslei- ambos os sexos com preferenga mulatos
farvaocas, porter lodos os commodos e|crelos de bonitas figuras, [ara menos de
Lm quarlo ptimo para carga BlgU-
ma couza carnudo por prego muito commodo:
no Pateo do Carmo. D. 5.
t5^ Lina escrava de nago de bonita fi-
gura boa lavadeira : na rua do Crespo loja
I). 0 da parle do Sul.
ti? Lma canoa aborta acabada de ser
construhida ; conduz 000 lijlos e por proco
commodo a tradar com Marcelino Joze Lo-
pes.
tsr Para fora da Provincia uma preta de
nago angola idade trinla anuos sem abe-
lidades : na rua das cinco ponas beco lo ma-
risco D. 10.
tsr Lmsilhocom pouco uzo, para mon-
tara de senhora com mana e mais arran-
jos : no Recife rua da Conceigo loja n. 28.
tsr Farinba de lii^o da bem conbecida
marca SSSF : na prensa do Sr. Mondonga no
foiledo Mallos.
tsr Um escravo de nag&o congo, c urna
escrava de nago eagange sabe todo o arran-
jode uma caza: no larga di Toreo luja de
azendas D. 8.
isr Fidolis crioulo do maranhao, reforja-
do retii o barbado : fugio no dia 11 de
julho prximo passado lem se vislo as uu-
mediagoes do monteiro onde anda acontado,
promete-se boa gralilicago a quem o prender
trouxer a seu dono na rua do Vigario n. 16.
tsr No dia 20 de julho um negio de norae
Alcixo reprez-nla ter Irinla e seis anuos
pouco mais ou menos estatura ba.xa um
lano Beco barriga grande cabega pequea,
olhos grandes boigos grossos um lano ga-
(r0 urnas sicalrizes no brago esquerdo,
ambo das pomas ; levou vestido caiga de
brim lizo pardo camisa de algodo de lora ;
qualquer pessoa ou campanha podera pegar e
levar ao seu senlior que generozamente ser
recompensado, nareOnacaon. lObnaniado
azeite de peixe ou na rua das Cruzes D. 8.
tsr No dia 5 do corrente mez fugio um
mualo de nome Manoel lill.o da Cidade de O-
linda onde tem sido visto depois da fuga ;
foics ravodoJuiz de Direilo o Snr. Antonio
Raptista Gitirana elle reprezenta 10 annos
de idade cabellos cortados de pouco lempo ,
beiCOS grandes e grossos denles da frente
largos com uma cicatris rcenle de corle de
faca no dedo ndex da mo esquerda ; levou
vesta de chita, e clupeo preto de seda : quem
0 pegar e levando ao atierro da Boa-vista caza
do medico Brito ser gratificado.
tsr No dia 15 do julho um negro por no-
me Joo nagao casange id.de trinla annos
pouco mais ou menos eslatuia baixa gros-
so do corpo olhos afumasados pernas aiqui-
adas pos grossos e loveiros pelos lados, e
pelos tornozellos um mais do que oulro com
falta de um ou dois entes <:a fnnle : quem
0 pegar leve a rua das Cruzes I). 1 que so-
i generozamente recompensado.
ss No da 5 do corrente dasapareceo do si-
tio Tolo do Enginho S. Joo da Vanea um
escravo de nome Luiz de "nago cagange ,
altura e corpo proporcionado a 18 annos la-
dino meio abeslado bem prelo da cor,
olhos regulares pea e mos pequeas com
alguns siguaes .le quoimadur de logo bem
como na sobrancelba e canto do oilio parte
ooqueixo uo cotovelo do brago e parte do
su taco, siguaes estes bom vr/iveis levou
vestido carniza e siroula de algodo da trra ,
1 leudo parte do olarinbo desapregado : avaha-
se ter sido loubado e por isso protesla-se a
punigAo do roubador com todo rigor da Le.
Rogo a todas as Autoridades policiaca dei-
tem os olhos a ver se podem aprehend. r dito
escravo : quem tiver nolicia ou aprehnde-
lo leve-o a seo Snr. Manoel Thomaz de Bar-
ros Campello no Fngenho S. Joo que
prometi bem recomp'-nsar.
cr Jacinto de cabinda negro escravo
de Alvaro Fortunato Jordo o qual o tra/.u
vendondo agoa em urna carroga fugio no
dia 5 do corrente Agosto o qual tem os se-
guintes signaos he de pouco mais de meia
idade estatura mediana, bem preto ros.o
, comprido com algumas marcas de bexigas,
1 tem alguns cabellos brancos he quebrado de
uma verilha ; levou vestido jaqueta de ganga
azul ja uzada e carniza e calca de algodo gro-
go da Ierra;desconfia-se que esteescravotenlia
fgido para o serlo para a fazenda deno-
minada Liberal a cuja fazenda elle perln-
con. quando esta era de Antonio Cordeiro w<-
niz Falco mas se julga que elle para aii
tenha hido por que em outra fgida queja
fez seguia essa mesma derrota e nocliego
a hir por ser denunciado por um oulro ne-
gro. Rogare as authoridades compelenies^
e capiles de campo que vendo o dito es-
cravo hajo de fazer apreender e lvalo a
seu refer :o Snr. o qual mora no atterro d<
afjgados onde bem recompensar a que
llie apresi ntar.
No dia 5 do corrcnle mez fugio um ni' -
lato de nome Manoel flhoda cidade de
linda onde tem sido visto dep-ds da luga)
foi escravo do juiz de direilo o sr. Doutor An-
tonio Baptista Getirana : elle representa
annos de idade, os cabellos corlados de pouc
i lempo beicoa grandes e grossos denles
i frente largos com uma cicatriz recente
i corle de faca no dedo index da mo esquen ,
jlvou carniza e caiga de algodo da Ierra ,
, aqueta de chita,; cbap o pretode scda:qi"''
| o pegar leve-o ao aterro da Boa-vista eaza a
; n.edico Brito que ser gratificado.
RECIFKNA TYP. DL M. F. DE F. = M*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETJ95PFI7_31XFC4 INGEST_TIME 2013-04-13T02:58:13Z PACKAGE AA00011611_04767
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES