Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04761


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1842.
Quarta Fera 3
mam
7\
*-
\j
Tudo agora .leple de n. mesmo, ; d. nossa pn.aenci. ooW'lo enrrrir, con-
UNN*. como pringamos e eremos apon...!,,, r, .,l,,urro Vnf, .. N.oe, ,.,
__________________(rroclanuci'io da AsaeatMa Gerl do 'imtil.)
mitas.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Go.anni r.raib. e Rio pande do Norte sesunj.s e senas hie.
Honiio : Garaaliuru .. 0 r 24-
Cabo Serl,.em Rio Formoto Porto Calvo M.cei e Al.go.s not.* ,11 21.
H.jM Sanie- Aniao qu.nlas fe.ras. Olinda lodo os di.-.,. '
DAS DA SEMANA.
4 Se. s. S. Pedro adrinrjula. Clianc. Aud. do .1. de D da 2 T
2 i.-ii. N. S- dos Aojos. Re. Aed. do J. de I), rla.
: Ojart. Waco de i. l-sieviio I'rolomarlv. Aud. do J. de D. da 3 v
4 Quiul. Uomiroi de Gusm.'.o Fundador. Aud do juii de I) da 2 V
> Se**. N. Sra. das Neres. Aud. do J.deD. da i[ T.
0 Sab. Traiisfisuraorto de Clirisio. Re. Aud. do J. de da 3. t.
7 F)oB. a. Cnetano. s. Donato M.
de Agosto.____Anno XVIII. N. 165.
mmmmMarsmJBtmarrvnm u ^^rrjz-^ra/.T^r-^tcaitmmKm%uyMaja^smBmmmmmam
O Diaria publica-te todei M das que rijo forem Santificado, : o prec0 da assignalura he
de toe* mil rail por uartel pigal aaianlados. Os annuncioj doa assignantes sc inserirlo,
gratis c 01 dea que a nao i.....m rosto do 88 res por Kobo, Aereelaaiaeoee dereas aer
- dirigida! .1 mu I \|
&/* Numero .i7 c 38.
""'"."' '.............*" "------1 --..., r........... a.nioii|un ueveaa ser
II i ella I Tpogrifii ral das Croxej I). 3, ou a praca da Independeacia loja de lirios
CAMBIOS no da
Cambio si.l'i* I.ondre M d. nominal
> f'ari, SAOreiip rranoo.
u Lisboa lili) |.or 1(10 da pr,
Moeda de oobre 4 por IUU de descomo.
lrir. de letra, lie lua, frrrtfs Ir ale!.
Ilesconlo de liilh. da Alfnml-^a I a {
me 1.
2 de agosto. compra Yenda.
ao O*o-Moedide,100 V. 15,900 lf.,160 N. li.SOJ Ifi.OOu de 4.000 S.S00 000 PlTl I'alacoes 1.V0 1.S40 Petos Coluanarai 1,820 f,8M dito MriU-anos f.Y-ll 1.S10 anuda 1,040 l.liM)
l'reamor dn din 3 de AanstO
1. a 2 horas t (i m. da manh.v
*"? ''oras- e 3 m. da tarde.
PHASES DA I.UA ISO MKZ liE AGOSTO.
I ua NoTa a li -- a (I horas e 20 m. da tard
Quarl. erOSO, a 13 -- 3 Imra, e 4 m da manh.
Loa cheia a "(I -- s 11 horas e !>(*> m da tard.
Ouarl, rain, a 29 -- s I liora, e 30 ni. da manh.
IX O.
GOVERNO DA PROVINCIA.
t EXPEDIENTE DO DA 50 DO PASSADO.
Oicio Ao Engenheiro em chefe orde-
nando avista da sua informago dada em
olicio d horlem sobre o requer monto de
Joo de Carvalho Paes de Andrade arrema-
tante do primciro lango da estrada de Santo
Anlo o do certificado do Engenheiro en-
carregado da mencionada estrada que man-
de tomar cunta da obra e lavrar o compe-
tente termo de recebimento expedindo os
ttulos da pagamento na conformidade do
regulamento de 25 de Maio do corrente anno,
e responsabilisando o mesmo arrcmattante
pela obra por espago de um anno segundo
a condigo do contracto de sua arremata-
do.
Dito Ao inspector fiscal das obras publi-
cas intelligenciando-o do cerniendo no pre-
cedente ollicio.
Dito Ao inspector da thesouraria das ren-
das provinciaes dizendo ; que havendo o
aupracitado arrematante finalisado a sua obra,
cumpre que lite mande pagar 3 ultima pres-
tacSo vista dos ttulos de pagamento, que
na forma do stipramencionado regulamento .
Ihe forem por elle apresen tada.
Dito Ao inspector Fiscal das obras pu-
blicas acensando recepgo do seo ollicio de
29 do edrrente a que aeompanhou o pro-
jecto de distribuidlo dos fundos para o cor-
rente exercicio apreseritados pelo engenhei-
ro em chefe.
Dito Ao chefe da legio da guarda na-
cional do Limoeiro determinando que in-
forme acerca do que no ollicio que Ihe re-
tnelte participa Presidencia o major com-
mandante do esquadro de cavallaria da re-
ferida guarda nacional relativamente vaga.
que existe, de capito da 2. companbia do
mesmo esquadro.
Dito Ao inspector do arsenal de mari-
nha autorisando o para effectuar a compra
<\o tresentas toneladas de carvo atienta a falta que lia d'este oombustivel .
e a necessidade de o ter para supprimento
das barcas de vapor.
Dito A junta qualilicadora do Limoeiro,
aecusando recebidas as listas dos fogos e
cidados activos d'aquella freguesia.
ra o soldado Jo/e de .Mocaos Gomes Perrei-
ra do terceiro balalhao d'arlilharia a n .
que aspira servir como cadete de primeira
classe.
DEM DO DA 50.
OllicioAoExm. Presidente, romellen-
do-lheo requerimonlo do capitao Joaquim
Joze de Paria Nevos instruido na forma do
decreto de 51 de Julho de 1811, no quai
supplioava a S. M. I. a mero do habito da
ordem de S. He:! lo do Avis.
Dito Ao major commandanlc da forca
destacada em Olinda romettendo-llie o 1110-
dello das guias que pedir em seo ofiioif.
ilesla data.
Dito Ao capitao Francisco Pinto de S .
remetlendo-lhe a portara de nomeaco e
mais papis que servio de base ao consellio
do investigarlo que tem do qualificar a de-
serco do alferes do batalho provisorio Den-
lo Ferreira Marques Brasil na forma da
resoluco de 26 de Maio de 18~>;;.
Dito Ao tenenle coronel commandanlo
do batalho provisorio communicando-lhe,
que nomeara o capito Francisco Pinto de S.
(enenle A. J. de S. Cosseiro e alferes Jo-
ze Joaquim Meirelles para membros do con-
selho de que Irada o precedente ollicio.
Portara Nomeando o conselho a cima
designado.
Dita Mandando reconhecer cadete da
primeira classe aos soldados Julio Cesar Pes-
soa de Saboia e Joze da Cunta Moreira, do
batalho provisorio.
Dita Ao commandante da companlia
de cavallaria mandando reconhecer primei
10 cadete ao moldado Henrique Eduardo da
Costa Gama.
Dita Ao major commandante do bfita-
talho terceiro d'artilliaria a p mandando
reconhecer primei 10 cadete o soldado Joze de
Moraos Gomes Ferreira.
daFoncica, Escrivo Posthumo; se man-
dn ouvir o Dr. Desembargador Procurador
Ja Cora e Fazenda Nacional.
Na appellacjio civel desta eidade appellan-
le Antonio Martins Rbeiro appelladas An-
tonia Maria e Anua o o Dr. Curador Ge-
ral Escrivo Jacomo ; se mandou ouvr ao
nesmo Dr. Curador.
Na Revista civel entre parles Recorren le
In/e Antonio Ferreira e Recorrida a Pazcn-
la Nacional, Escrivo Jacomo 5 se Julgu a
favor do Recorrenle.
Na ap[iellaco Clima .los Jurados da eidade
da Parahiba appellante o Promotor Publi-
co, appellado Joaquim Malinas de Brillo, Es-
erivo Jacomo ; fui julgado procedente o re-
curso.
REPARTICAO DA POLICA.
Parte das occorrencins dosdias29, 50e3l.
Das parles dadas polo Commandante Geral
do Corpo Policial consta que foro prezos
na noite do da 50 Joze Antonio Jacome o
Portuguez Tiago de Lagos, c os escravos Jo-
o o Joze : o I, pelo Inspector do Ouartei-
rao da rh'ira de Santo Antonio : o o i\ pelo
do QrjarteirSo do manguinho, a ordem de
seus respectivos Sub-DelegadOs ; e os ltimos
por um soldad.) de Polica. Na noile de boje
o salego Joze Antonio do Monte a ordem
do Sub-Dclegado do bairro da Boavisla. Na-
da mais menciono as refiridis parles, e
n-m quj tenlia i c orrdo novidade.
1NTKIUOU.
A OPl'OSIi:\o A0 REGENTE FEIJO.
TRIBUNAL DA RELAQ0\
SESSV DE 2 DE ACOST DE l82.
COMMANDO DAS ARMAS.
EXPEDIENTE DO DA 29 DO PASSADO.
Ollicio Ao Exm. Presidente rcmet-
tendo-lhe a contaduppla do que se eslava
a dever de fardamento, aos soldados da com-
panbia de artfices J. P. do Livramento e
A. do Sacramento para que tiyesse a bon-
dade da mandar satisfazer pelo arsenal de
guerra.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. enviando-
Ihe para ser presente a junta do jnslica o
processo verbal feito ao particular Joze R.
Soarus, e segundo sargento J. F. F. Maga-
Ihes.
Dito Ao Delegado do primeiro districto
do termo desta eidade, disendo-Ihe que em
virtude d sua requisico mandara conservar
em custodia no seu respectivo quartel o fur-
riel Manoel Soares de Mello do batalho de
infantaria de guarda nacional destacado in-
diciado em crimede furto de escravos.
Dito Ao mesmo, communicando-lhe,
que assentaro praca o voluntario Manoel
Antonio dos Santos, e recruta Francisco
Candido da Paixo que acompanharo o
seo ol!cio desta data.
Portara Nomeando o conselho de direc-
co que tem de conhecer da justificago di
Na Appellaco civel da eidade de Goianna ,
appellante Tliomaz Antonio Guimares ap-
pellado Joo Joze de Moraos Escrivo Jaco-
mo ; se mandou ouvir o Dr. Curador Geral
dos Orplios.
Na appellaco civel desta eidade appellan-
te Francisco Joze Rodrigues appellado Ve-J
rissimo Gomes Coimbra Escrivo Ferreira ;
se julgou pela conlirmaco da sen tenga ap-
pellada.
Na appellaco civel desta eidade appellan-
te Joze Maria de Amorim Jnior appellado
Bodolfo Joo Rarata deAlmeida, Escrivo
Ferreira ; se julgou pela confirinac/io da sen-
tenga appcllada.
Os Embargos de Jernimo Saturnino Guo-
des Alcanforado contra D. Maria Candida
Pina oppostos ao Accordo proferido na
eauza de appillago civel desta eidade Es-
crivo Bandeira ; foro despiezados man-
dando-se cumplir o dito Accordo.
Os embargos de Francisca Maria de Jezus ,
contra Antonio Pedro Prazo, eoulros, na
cauza de appellago civel da commarca do
Brejo, Escrivo Bandeira; foro despieza-
dos mandando-se cumprir o Accordo em-
bargado.
Os embargas de Joze Rodrigues da Silva ,
e oulros contra Joze Joaquim Soares da C-
mara na cauza de appellaco civel desta ei-
dade Escrivo Bandeira ; fora despre-
zados.
Os embargos de Manoel Luiz da Veiga e
Filhos contra Joo Naiizo da Fonceca e
outros na cauza de appellago civel desta ei-
dade Escrivo Bandeira ; forao despre-
zados.
Na apellarn civel desla eidade appellan-
tes os Administradores do Patrimonio dos
Naopposigo que se fbrmou em 1830, e 1837
no parlamento e na imprensa, aos destinos do
governo Peij teve innegavelmente origem o
nosso partido o partido da ordem : tanto os
nossos adversarios o reconhecem que nem
um instante somonte se esquecem de amaldi-
coar o estadista (|iie enlo ergueu e stisten-
tou essa opposigo nem mesmo quando nao
tem elle, como a nao tem actualmente,
ingerencia nem-uma na direcgo do estado.
Essa opposigo foi extrema houve um com-
pleto divorcio entre o executivo e o legisla-
tivo entre o governo e a opinio ; e nossos
adversarios to boje como do ento nos
procuram Iangar em rosto esse nosso proce-
der ; nogastes pao c agua ao governod-
zem-nos o assim resumem suas exprobra-
cits. Poderiamos dizer-lhe ; negar pao
e agua recurso muito parlamentar, muilo
Consenlaneocom a ndole do systera repre-
sentativo ; o mcioquo tem as maiorias ,
appoiadas na opinio nacional de obrigarcm
o governo a satisfazer essa opinio : abri
qualquer publicista por menos amigo que
leja do systema constitucional por mais
avi'sso que se mostr aos direitos do parla-
mento e veris como a esse respeito vae
elle de acord com a nossa opinio sustentada
na imprensa desenvolvida na cmara pelos
nosos co-religonarios polticos.
Como si essa resposla nao bastasse porque
em geral theorias mais ou menos melaphy-
sicas, excedem a vulgar comprebenso ,
peij o regente contra quem a opinio la-
Uva acaba de mostrar-se qual o de com-
pletamente jusliliicar-nos com fados incon-
Icstavcis. O redactor do Paulisla de Soro-
ca ha r 0 publicista di revolta do Tobas o
homeni da guerra bahianada os quem
ira o regenta de ento! Sua sede de domi-
nio que comocidado o obliga a por-so em
hostilidade a todas as lea aos dogmas mais
puros da constituidlo como regente o ar-
ni.ivii contra ella, o faza irrilar-se contra o
parlamento, perseguir a imprensa condem-
nar todas as insti'uiroes todos os homens.
caha Feiji'i, regente, d incremento a re-
voluco do Bio Grande balda todos os es-
forcosdoa nossos soltando todos os prisione-
rosque apanham e por lim para evitara
vigilancia publica sompre ltenla sobre o
mais importante desses prisioneiros, o presi-
den le e chefe da rebelda ello o manda para
a Haba para a Babia onde seus amigos fo-
mentavam urna rovoluco ede onde esse
prisioneiro que al tinba a Nl>erdade de to-
mar banlioa de mar se retirou para o Rio
(raudo quando Ihe approuvc.
Peij regente Un ha os mesmo instn-
clos que Fej, jornalista de Sorocaba
guerra a constituidlo e ao thronoPeij
regente era sacerdote c promova um scisma
na grja brasleira, faza ameagar com in-
solencia inaudita osummo pontifico e man-
da va convidar irmoe moravios para conver-
terem os nossos Indios. Feij, publicista
minguado, no]deixa de ser sa- erdole, e nao
anhela seno por sangue brasileiio que (arto
sua sede,
A esse homem na o nosso partido fez
toda a opposico Ic^itinka e ha quem nodo
exprobre lia quem nao reconhega que
esse um dos mais brilhanles ttulos de gloria
do nosso partido:' Sini advinhamos os in-
tinctos ferozes e anarchicos desse homem or-
gulhoso que se suppe destinado dicta-
dura., (zemos-lhe opposigo e nessa bri-
lliaiue opposigo em que tantos talentos se
produzuam na tribuna tantos eloquentissi-
mos discursos vieram Ilustrar os annaes de
nosso parlamento, nessa opposico, que
primeira ixou a doutrina parlamentar era
nossa trra e fez conhecer a verdade do re-
dimen representativo, apprendei comnoaco ,
guerreavamos o governo porque nao linha
lenas insttuges, poique deixava a aocie-
dade agitar-se as convulses da anarchia
som buscar-ilie remedio: guerreavamos o
governo porque nao sabia ser governo.
Anda assim nem mesmo luclando contra
esse homem frentico, e cujas tendencias nos
eram manifeslas, anda assim nao desmen-
timos um instan tu s nosso dogma sagradoa
ordem a primeira necessidade do Brail;
nunca prodigalisamo.s elogios animantes
aos rebeldes nunca procuramos agitar o
paize provocar resistencias... E era o Feij
quem esta va no poder o Peij, o estupido
jornalista de Sorocaba o anarchista pregador
de subverso social!
Certo esse homem tem ttulos nossa gra-
tido no meio de seus crimes nos o reconhe-
Cemos e confessamos .- devemos-lhe a roais
completa justilicago que se pode fazer de um
parlido poltico. Feij, rebelde, procu-
rando com seus esforgos de pygmeu abalar o
imperio mostra quanta a gloria de ter
feito opposigo, como o nosso partido a fez ,
a Feij regente do imperio procurando
abalar o throno.
(Do Brasil.;
IHtillO DE. PERMCO,
Consta-nos que algumas pessoas tivero
ornaos da Baha que do noticias do Rio al
1" ; as quaes todava nada do de novo da-
quella capital nem de estado dos sediciosos
le Minas.
nobreza. qtiedera perante o auditor de guer-0rphos, e appellado Felppe Menna Callado Feij sada, jubilosa o movimento de Soro-
Poroccaso de pubiiearmos o communica-
do que abaixo se segu declaramos com
quanto nos parecesse ito desnecessario, que
nao adoptamos nem nos fazemos solidarios
das proposiges quaesquer que ella sejio ,
dos artigos communicados correspondencias
&C. &C. s pelo fado de Ibes darmos lugar em
nossa foiha: quando os seus principios se na
encontrAo com os nossos, quando a sua dou-
trina nao difiere essencialmente das que pro-


i
fessamos e seguimos julgimos melhor dei-
xar ir como vem as ideias alheias n que os
nossos leitores daro o valor que quizcrem.
COMMIMCADO.
Suecessos insignificanles e menos impor-
tantes as vczes segundo as circunstancias do
lempo e pessoas, tomo um carcter de im-
portancia inmerecida ; e quanto maissoao
onge mais desfigurados cliego : para evitar
por tanto que se queira dar alguma importan-
cia poltica ao successo da noile do di. 15 do
corrente occorrido era Olinda c que corran
noticias desfiguradas com prejuiso da verda-
de b talvez indecorosas grande maioria dos
Estudantes julgo til fazer urna exposico
fiel, como testemunha cceular de tudo que
occorre-.
As noticias da Rebellio de Sorocaba e
Barbacena juntas aos boatos espalhados todos
os das por inimigos do Governo de um prxi-
mo rom (tmenlo n'esta Provincia Parahyba,
e Car sobre maneira consterna vo os cora-
$es da grande maioria dos Estudantes cu-
jos principios d'ordem e espirito de paz re-
peHem ideias anrquicas : verdadeiros aman-
tes da Monarqua, do Brazil edas Instituices
do Paiz vamos com horror as funestas con-
seqoencias da victoria da Rebellio ; a queda
d Throno com o desmoronamento das Pro-
vincias cobertas de cada falsos e juncadas de
cadveres se nos antelhava por urna (iliaco l-
gica do principio urna vez passado em aresto
de conquistar o poder pelas armas roubando
ao Monarca as duas mais sagradas e essen-
ciaes prerogativas que Ihe concede a Consti-
tuido do Imperio nos 5.", e 6. do Art.
101 : possuidos destas melanclicas apprc-
hencOes nao quimricas por quanto a Histo-
ria nos aprezenta muitos exemplos semelhan-
tes achavamo-nos todos os amigos da or-
dem quando na noile do da 9 do corrente
divulgou-se a feliz noticia da pacificaQo de S.
Paulo vinda no Paquete doSul entrado na
tarde do mesmo da : a alegra e enlhusias-
mo foi completo entre os amigos da ordem ;
de todas as partes davo-se reciprocas felicita-
Qes e parabens como se todos tivesse
vindo um grande bem ; e com elfeito nao era
pequea felicidade para quem ama as cousas
do Brasil ver di ssipar-se o monto de negras
nuvens que no nosso horisonte ameacavo
liorrivel borrasca. Em consequencia de to
justo enthusiasmo por urna causa to sancta
na noile seguinte depois de havermos tira-
do licenca do Subdelegado sahimos mais de
cem Estudantes com urna Msica pelas ras
d'esta Cidade dando vivasS. M. I., ao Bra-
sil Constituico pacificaco de S. Pau-
lo ao Ministerio ao Har o de Caxias e ao
Exm. Bario da Boavista dando deste mo-
do expanso ao nosso enthusiasmo e exu-
berante prova de nossa adheso Monarqua,
eao Governo, que tantos servidos tem feito
para salvar o Brasil das garras dos anarquis-
tas. Percorxemos todas as ras sem a menor
novidade at meia noile e depois retiramo-
nos em paz para nossas casas. Os oposicio-
nistas ou inimigos do Governo contentarfio-
se de nao acompanhar-nos. Na noile do da
13 para reilerarmos mais urna prova de nos-
so enthusiasmo, sahimos outra vez com urna
Msica acompanhados por alguns opposicio-
nistas que desde o principio tinho querido
frustrar nosso divertimento, dissuadindo e
pedindo a muitos Estudantes que nao nos a-
companhassem, e nao podendo conseguir seos
fins dicediro-se acompanhar-nos, nao por
tomarem parte no regosijo publico mas lo
somentecom o indigno intento de perturbar-
nos, eobstarem que dessemos vivas ao Mi-
nisterio actual e ao Exm. Presidente desla
Provincia : porcm como a grande maioria fes-
tejava a ordem e reconhecio no Ministeiio
actual, e no Exm. Baro da Boavista seo
digno delegado os mais seguros baluartes ,
e atlantes da ordem do Throno e do Bra-
sil rifo podero tolerar que urna insignifi-
cante minora de desafectos a o Governo vies-
sem Coartar o nosso enthusiasmo impondo-
nos silencio ; apenas liaramos andado um
pouco quando soaro os gritos de viva o Im-
perador a Constituico o Ministerio e o
Exm. Baro da Boavista ; estes dois ulti-
mes vivas os opposiocionistas respondero com
gritos sediciosos oppostos cujas voses foro
todavia sufocadas pela cxploso de muitas vo-
ses dosoutros que correspondio aos vivas.
Ah separaro-se os taes desafectos ao Gover-
no em pequea tracto dando grifos de viva a
opposico ao que alguns dos nossos em re-
presalia respondero com gritos oppostos.
Continuamos percorrer as ras e quando
esta vamos na ra do Amparo viero-nos diser
que os opnosicionistas nos esperavo nos be-
cos do logar denominado Quatro Cantos para
despersar-nos forca voltamos immediata-
mente este logar-, onde com eTeilo se acha-
vAo reunidos ; mas uu fosse falsa a noticia ,
on medo da parte delles pequea frago
vista dos outros o certo he que nao se alre-
vero attacar-nos penas davo seos gri-
tos sediciosos quando davamos vivas ao Mi-
nisterio e Exm. Baro da Boavista : desee-
mos ao Varadouro voltamos e tornamos
passar pelo mesmo logar onde clles conti-
nuavo reunidos ; repellimos os mesmos vi-
vas e elles os mesmos gritos oppostos :
entretanto chegou o Subdelegado de S. Pe-
dro Marlyr com urna patrulha e convidou
os taes opposicionistas, que se despersassem ;
nos porem deseemos com o Subdelegado at
o largo de Palacio velho onde depois de re-
pelinos os vivas ao Imperador Constitui-
co Ordem ao Ministerio actual e ao
Exm. Presdanle de Pernambuco recolhe-
mo-nos em boa ordem nossas casas. Eis o
facto occorrido na noite do da lo do corren-
te facto que nao darmos o devido des-
cont de iirelletido e precipitado peder-
amos qualficar de indecoroso e indigno de
membros de urna corporaco respeitat'el e
Ilustrada que sempre tem dado as mais de-
cididas provas de adheso ordem e a Mo-
narqua e que nunca vio desmentidos at a-
quelle da simelhantes sentimentos por nem
um de seos membros. Mas se estes irmos
desasisados nao se invergonharo de lancar
um borro na reputado lo merecidamente
at>; boje adquirida por esta Ilustrada Corpo-
raco elles se tero ao menos corrido de peio
reconhecendo que a grande maioria de Estu-
dantes de todas as Provincias compartilho
sentimentos de ordem e de adheso ao Go-
verno e que se acho promptos dar pro-
vas disso e que s urna insignificante mino-
ra deseja a anarqua e a drsordem semi-
Ihantes essas aves da noute que sahem
prear na escurido das trevas;pois sas trevas,
e a desordem podem abrir-lhes camnho seus
intentos, porque, como diz um Apostlo E-
vangelista Omnis qui male agit odit
lucem ; et non venit ad lucem ut non ar-
guantur opera ejus Olinda 29 de julho
1842. A.
NOTICIAS ELEITORAES.
Temos al hoje listas de Eleitores das fre-
gnezias de S. Fr. Pedro Goncalves A (Toga-
dos JaboalSo S. Lnurenco, S S. Pe-
dro Mrtir Poco Itamb, Muribeca, Ipo-
juca Maranguape Tracunhem.
Sabemos alem destas que as eleices das
outras freguezias das Comarcas mais visinhas
da capital esto urnas concluidas outras a
concluir-se.
Eleitores da fregueziado Poqo da Panela.
Os Snrs. Votos.
Carlos Martins d'Almeida. 450
Joze Camello do Reg Barros. 450
Coronel Francisco da Roxa Paes Brrelo. 429
Francisco Jacinto Pereira. 429
Antonio Lins Caldas. 429
Francisco Mus Tavares. 426
Joo Francisco do Rgo Maia. 422
Joaqum Joze Carneiro Monteiro. 421
Antonio Clemente Esteves de Larras. 420
Joo Francisco Carneiro Monteiro. 420
Florencio Joze Carneiro Monteiro. 416
Francisco de Paula do Reg Barros. 415
Joo Ignacio Ribeiro Roma. 412
Joze Ignacio Pereira da Rocha. 412
Marcolino Al ves Vuelta. 408
Francisco Joze Alves Gama. 407
Joaqum Francisco de Paula Esteves 405
Dezembargador Joaquim Teixeira Peixo-
to d'Albuquerque. 402
Bento da Roxa VVanderley Lins. 595
Eleitores da freguezia de Maranguape.
Os Snrs. Votos.
Coronel Francisco Antonio de Souza Lefo. 85
Teen te Coronel Francisco de Paula Sou-
za Leo.
Joo Marinho de Souza Leo.
Antonio Francisco de Souza Leo.
Vigario Antonio Baplista Coelho.
Luis Antonio Rodrigues de Aimeida.
Domingos Francisco de Souza Leo.
Coadjuctor Manoel Joze do Nacimento.
Fiscal Luis Alves Ferreira.
Supplentes.
Coronel Joaquim Cavalcante d'Albuquer-
que.
Tenente Coronel Joo de Pinho Borges.
R^veiendo Felippe Neri de Faria.
Major Joze Francisco de Faria Sales.
Eleitores da freguezia de Tracunhem.
Os Snrs. Votos.
Vigario Joaquim Joze de Santa Anna
Cardozo. 160
85
85
72
71
71
68
62
59
28
27
15
12
156
15o
129
126
119
118
101
101
100
94
94
94
95
95
89
89
86
85
85
80
Joze Mara de Barros Barreto.
Manoel Cavalcante de \lbuquerquc.
Doutor Joaqum Manoel Veira de Mello.
Manoel Joze de Oliveira Mello.
Francisco de Borja Veira de Mello.
Joo Mauricio Vanderley.
'oo Fernandos Vieira de Mello.
Joze Anlonio da Cunha Azevedo.
Joze de Barros Marinho Falco.
Joze Cavalcante da Bocha Vanderley.
Padre Joo Antonio Galio.
Francisco Antonio Gaio.
Joze Xavier da Bocha Vanderley.
Joze Vieira de Mello.
Padre Antonio Goncalves da Silva.
Manoel Bemardino Vieira de Mello.
Manoel Cavalcante Vanderley.
Joo Marques Bacalho Jnior.
-aurenlino Gomes da Cunha.
Antonio da Silva Pessoa.
Eleitores da freguezia de Itamb.
Os Snrs. Votos.
Marianno Ramos de Mondonga. 551
Felippe Neri de Mendonca. 550
Vigario Manoel Thimoteo Campos. 510
Padre Vicente Ferreira Gnedes. 500
Manoel Gucdes Gondim. 299
Joze Pedro Celestino de Mendonca. 298
a Cezar d'Albuquerque. 295
da Silva Monteiro. 282
joaqum Monteiro Guedes Gondim. 281
Joo Joze de Souza Gomes. 267
Luiz Al vares de Carvalho. 265
Pedro de Mello e Silva. 261
Joo Chacn Cavalcante d'Albuquerque. 259
Joaquim Manoel Correia. 255
Francisco Joze Pereira Cavalcante. 242
Cosme Ignacio d'Azeveo Lima. 24l
Joze Venancio da Costa Alecrim. 229
Pedro da Cunha Andrade. 218
Antonio Joze Gumares. 216
Joo Baptista Bezerra Cavalcante. 184
jooGuilhcrme Cezar. 168
Francisco Feliciano de Brito. 168
Ignacio Gomes da Silva. 152
Supplentes.
Joo Correia de Lacerda. 145
Francisco Pereira da Malla 151
Dr. joaquim Francisco Cavalcante Lins. 119
joze Rodrigues Chaves. 119
Joze Joaquim Teixeira Borba. U8
Antonio Joze Carneiro de Mosquita. 98
joo da Cunha Cavalcante. 87
FACTOS DIVERSOS.
A Escuna Americana Okelly encontrou na
altura da linha a 26 do passado a Fragata
Campista que conduz os deportados do Ro
de Janeiro para Lisboa.
Consta-nos que o Sub-Delegado da fregue-
zia de S. Antonio reunir os Inspectores c
que assenta rao entre si de fazerem rondaros
seus destriclos ( alem das rondas do custu-
me) pelos moradores afim do rapturarem
os assassinos que diz-se terem fgido das pri-
zes de Alagoas esta medida pode produzr
algum fructo e munto til ser que os cida-
dos se prestem a ella.
Lista das pessoas que assignaro a subscrip-
ta o para os infelizes que soffrero no in-
cendio de Hamburgo durante os das 5, 6 ,
7, e 8 de Maio de 1842.Sendo rcmellida
a importancia em moeda de prata ao Se-
nado de Hamburgo pelo Brigue Princeza
Carolina Amelia sahido em 50 de Julho.
200.
100*
100*
loo,,
100,
50*
50*
50*
50*
50*
50*
50*
50*
50*
50*
50*
50*
25*
25*
25*
25*
20*
20*
20*
20*
Joze Ramos de Oliveira ....
Luiz Gomes Ferrrera & C. .
Manoel Goncalves da Silva .
E. Schramm........
F. Biber ......
Angello Francisco Carneiro .
Francisco Antonio d'Oliveira .
Antonio Joze de Ma&alhes Bastos
C. Diestel.........
J. O. Elster........
J. Keller.........
Johnston Pater & C......
Me. Calmunt S C.......
B. Lasserre & C.......
Kalkmann & Rosenmund .
Joze Antonio Basto.....
Joo Joze de Carvalho Moraes .
II. Zimmer........
II. Mehrtens........,
Geo Kenworlhy di C......
C. Roope di C........,
Mendes & Amorim.....
lliiin annimo........
Ilum annimo .
Gaudino A. de Barros .
Caelano da Silva Azevedo .
A. Zaoher......
Cesar Kruger......
A. L. ll.Sehmitt ,
Saisset d: C.......
J. H. H. Holm .
I. Tegetmeier.....
II. Forster di C......
E. Rothe.......
A. J. d'Aren.....
Dourley Raymond & Prytz
Davis & C. ...... .
J. Louden .......
Lourenco Basto di C. .
G. Wellhausen.....
J. CarroIl&F......
Ilum annimo.....
Avrial Freres......
Manoel Alves Guerra .
B. B. P. deMesquita .
Antonio Francisco Maia .
1 .chinanii di C.....
J. D. Wolfhopp .
Joze Gonsalves da Fonlc .
Fernd von der Meden .
F. A. Dose.....
William Bauch ....
G. Wicdemann ....
M. Amberg.....
J.P. Adour diC. _. .
F. Robilliard .,
F. Ilansen ......
I). Robert & C......
Regord di C. .... .
J ules Colombier di C. .
.1. Churdn......
Domingos Joze Teixeira ,
H. Voss.......
J. Ebeling
J.
F.
A.
L.
V.
Baumann..........
de I.ucea..........
Schafheitlin.........
Schuler ..........
d. Meden...........
Aug. Tappenbeck........
L. Bruguiere..........
S. Tobler...........
E. Bidoulac..........
W. May............
F. C. Elster..........
A. Willmer..........
E. Schaefier ..........
Joo Cardozo Aires Jnior......
B. Thiele...........
Joo Kramer .......
J.H. Winter..........
A. T. Moon Hein.......r.7
J. 11. Dencker........
J. M. Ribeiro d'Andrade.....
Francisco Mamede d'Almeida Jnior
Vicente Alves Carvalho......
Hum annimo.........
20,>
20.y
20*
20*
20*
20*
l,>
20*
20*
20*
10*
10*
20*
20*
20*
20*
10*
16*
20*
10*
10*
100
10*
20*
10*
10*
10*
10*
10*
10*
20*
20*
10*
10*
10*
10*
10*
10*
10*
10*
10*
10*
10*
10*
10*
10*
lo*
10*
10*
lo*
10*
20*
20*
10*
10*
10*
10*
10*
10*
10*
10*
lo*
0 Thezoureiro da Loleria a favor das obr^s
da Igreja de N. S. da Sadc do Pogo da Pa-
nella tem marcado o dia 1. de Setembro pira
o impreterivel andamento das rodas da mes-
ma Loleria sendo que os amadores (leste li-
cito jogo concorro com o seu'contingenle.
PLANO
Para as meias Loteras concedidas a favor das
Obras da Igreja de N. S. da Sade da
Freguezia do Poqo da Panell.
4,000 Bilhetes a 8*000 52:000*
Beneficio de 12 por cento 5:840*
8 por cento na forma da Lei
Geral de 11 Oulubro de
1857........2:560*
Sello de 6,600 bilhetes 528* 6:928*
Liquido R.5 25:072*
Bilhetes premiados.
1 Bilhele......... 6:000*
1 Dito.......... 5:000*
1 Dito.......... 1:500*
1 Dito.......... 1:000*
2 Ditos........500* 1:000*
4 Ditos........ 200* 800*
8 Ditos........100* 800*
16 Ditos........40* 640*
48 Ditos........20* 960*
916 Ditos........10* 9:160*
2 Ditos primeiro e ultimo
branco.......106* 212*
1,000 Bilhetes premiados
R.' 25:072*
...
Elias Baptista da Silva
Os bilhetes acho-se venda nos lugares
seguintes : Recife Vieira cambista e An-
tonio Duarte na ra da Madre de Dos ; San-
to Antonio boticario Joo Moreira Marques,
Joo da Silva Santos na ra do queimado e
Menezes com loja na ra do Collegio.


\i
COMMEftCIO.
ALFANDEGA.
ISendimenlo do tlia 2 de Agosto 5:173*353
DKSCAr.UEGAf) MOJE 3 DE AGOSTO.
Brigue Sardo = Mara = Pedras dojinarmore.
Brigue Americano =fianges= fazendas fa-
zendas u bolaxa.
?"
.i
Bezumo da Expor^acAo da Provincia para (ora
Jo Imperio no mez de Julho do correle
mu).
Mgodfio suecas- 1899 com 10:327 gj 15-lb.
Assncar caixas- 1210
Fexos- 39 / 1/v_ nn,, ,,
Barrcas5i51 com 107:998 << 8Ib.
Saceos 1060 )
Agurdente pipas--4 720 can.
Couros Migados 11:190
Chifres 9:620
Cobre velho 804 Ib.
Doces 506 Ib.
Madeiras taboas 14
Prata com obras velhas 94onc 1|8!
Solas e Vaquetas 4:241 meios.
Moeda Rs. = 68:187,>6I<
Gneros rotados e gasto
dos navios = I:5oi,50
Valor da exportaco rs.=358:585j898
Direitos" rs.= 27:298^105
Sal i rao para lora do Imperio 15 embarca-
ees, sendo 6 Britnicas, duas Francezas ,
urna Portugueza duas Austracas urna Di-
namarqueza e uma Sarda.
Rendimenlo do mez de Julho p. p. naRcce-
bedoria de Rendas internas geraes.
2. decima de mo mora 697*793
Rizima de Chancellara .... l58,>650
Decima urbana....... 7;> ><'.()(>
Direitos novos e velhos .... 758*624
Ditos de Chancellara..... 5*550
Verbas da mesma...... 2*000
Imposto de letras a juizadas 42*957
Emolumentos de certides 2*910
Foros de terrenos de Marinha 5*780
Siza dos bens de raz..... 5:85l.>20l
Taxa addicionil do sello 276*780
Dita anterior do sello..... 1:966*440
Imposto de lijas aberlas 5:590*900
Dito-de barcos do interior 9*600
Imposto de seges e carrrinhos 23*600
Taxa de 1* rs. por escravo 101*000
15:329*455
man : com a mesma carga que trouxe
d'Elsenow.
Baha 5 Escuna Americana Okelly; Cap. Ale-
xandre Weley : com a mesma carga que
liouxe de Baltimore
Boston 5 Briguo Aniericr.no General Boliver ,
Cap. jobn C. Dixey ; em lastro
Bio de Janeiro ; Sumaca BrasHcira Amizale;
Cap. joze Pedro dos Santos ; carga diver-
sos gneros.
EDITAL.
ga miuda o passa^eiros ; os pretenden tes
entendo-se com o mencionado mestro 011
com o seu proprietario Antonio Joaquim de
Souza Ribeiro na ra da Cadeia do Recito.
L EIL A 0 .
Recebedoria das Rendas internas Geraes da
Provincia de Pernambuco o 1. de Agosto de
1842.
No impedimento do escrivAo
O 1. cscripturario
Manoel Antonio Simes do Amaral.
RIO DE JANEIRO.
9 DE Jl 1110.
Mercado Monetario.
Cambio : = As sommas saccadas esta se-
mana sobre Londres orgAo por L. 30,000 a
mor parte a 26 no dia 7 do correte. Nos
das 5 e 6 fzera-se alguns saques a 26 112 ,
e no dia 7 sacou-se alguma cousa a 26 114.
Iloje fez-se alguma cousa a 26 e houve um sa-
que a cambio mais alto que nAo estabelece
cotacAo.
Sobre Paris passra-se algums letras a
562, 365e 568
Em metaes fez-se alguma cousa s nossas
cotaces e em apolices houve vendas a 68 ,
681|2e69.
9* Dscontos : = Tem havido escassezdedi-
nheiro e os premios subirAo a 10 a 12 por
cento para primeiras firmas. Hoje porem
comecAo a apparecer mais capilaes, e espe-
ramos que as medidas que tem de adoptar o
Esin. ministro da fazenda contribuirn mui-
to para tornar o mercado ao seu estado
normal. (Bolctim Commerciai.)
MOV MENT DO PORTO.
NAVIO ENTRADO NO DIA 1.
Baltimore ; 38 dias ; Escuna Americana 0-
kelly; de 101 tonel.; Cap. Alexandie
Weley ; equip. 7 ; carga farinha de trigo,
ecarne de prco, a L. G. Ferreira <^Com-
panhia.
SAHIDO NO MESMO DIA.
Tamandar; Vapor Brasileiro Paquete do Nor-
te ; Commandante Francisco Martins Se-
tubal.
SABIDOS NO DIA 2.
Babia; Brigue Sueco A vence; Cap. L. P. Bo-|
Vicente Tbomaz Pires de Figueiredo Carnar-
io Inspector da Alfandega ove.
Faz saber que fhoje) 3 do c rronle ao
meio dia, se ha de arrematar em bast pu-
blica e na porta da mesma 126 cadeiras
de oleo no valor de 390*600 rs. ; duas se-
cretarias de mngno no valor de 85* rs. :
doze bancas, de oleo no valor de 139*200 :
dous camaps no valor de 31* rs-, empugna-
das pelo Guarda JoAo Cancio Gomes da Silva ,
no despacho por factura de Joze Antonio de
Carvalho : 96 radeiras de Jacaranda no va-
lor de 405*200: 8 loucadores, no valor de
52.) rs. ; empugnadas pelo Guarda Thomaz
de Aquino de Carvalho no mesmo despacho ,
sob N. 529 ; sujeilo o arrematante ao paga-
mento dos direitos e expediente. Alfande-
ga 2 de Agosto de 1812.= V. T. P. de F. Ca-
margo.
THEATRO.
= Domingo7 de Agosto terceira recita:
primeira parle representar-se-ha a comeJia
em um acto Reinaldo e Catharina : segun-
da parte M. Carmela Adelaide Lucci cantar
uma scena ecavalina ; nova Tutto e va-
no niun m'ascolta da opera Torvaldo, e
Droliska do celebre M. G. Rossini : tercei-
ra parle a farga Manoel Mendes : quarta
parte scena e duelo novo come frenar il
pianto da opera Gazza Ladra do celebro M.
G. Rossini.
Bafnel Lucci procura todos os meios de
poder agradar a este respeitavel publico e
pede desculpa por algumas faltas involunta-
rias pelo que ficar eternamente agradecido.
Os bilhetes achAo-se no mesmo thealro.
N. B. o espectculo tpr lugar no dia mar-
cado nAo chovendo de 6 horas da tarde por
diante ; e no caso de chover se translirir ,
marcando o da por esta mesma folha.
Principiar impreterivelmente as 8 horas e
mea.
-
= Leilo que faz Joaquim G. V. Guima-
res no sen armazem defrootn da escadinha
l.i Alfandega nos dias 2 e 5do corrente ,
i lis 10 horas da manha dos gneros se-
'-niiilps por conta e risco de quem perten-
ivr. 10 caixas com 12 (landres cada urna ,
Iti doce de calda de diferentes qualidades de
fructas 2 ditas com 72 buions de geleia ,
cada urna 12 ditas com hcelas de marmel-
l.id.i de diferentes lmannos, ludo viudo
de Lisboa ; latas com simontc da Babia ,
cuminhos em barricas albos do cstreilo ,
caixas com charutos barricas com tapioca
do Maranho.
AVISOS DI VERSOS.
AVISOS MARTIMOS.
^^- Para o Cear segu viageui
immediatamente com a carga que ti-
ver o Brigue Impreza, forrado, pre-
gado e cavilliado He cobre de pri-
meira marcha : trata-se para carga
ou passigem com o capitao Francia
co Ferreira Borgesna ra da Cruz.
tar Frela-se para Hamburgo ou qualquer
outro porto da Europa o velleiro e novo
Brigue Melita Capitao II. W. Jacobso de
lote de 180 tonel. lorrado e encavilhado de
cobre : os pretendenles dirjo-se aos consi-
gnatarios Me. Calmonl & Companhia
= Para o Aracaty segu viagem a soma-
ca Estrella do Cabo tem parte de seu carre-
gamente pronpto e per ten de sahir a 17 de
Agosto ; quem quizer fretar dirija-se a Ma-
noel Joaqujm Pedro da Costa.
= Para o Rio de Janeiro a barca brasilei-
ra Firmeza bem conhecida nAo s pela velo-
cidade de suas viagens como pelos superio-
res commodos e bom tratamenlo aos passa-
geiros, segu em poucos dias por ter a
maior parte de seo carregamento, para o res-
tante e passageiros e escravos a frete trata-
se com Antonio Francisco dos Sanios Braga
ra da moeda n. 142, ou com o capitao da
mesma Narcizo Joze de Santa Anna.
CS- O Brigue escuna Americano B. F.
Loper forrado de cobre, e de primeira mar-
cha propoe-se a seguir viagem para Luan-
da achando-se prompto o seu completo
carregamenlo ; quem nelle pretender carre-
gar pode ir inscrever a quantidade de volu-
mes na ra da Cruz numero 57 afim de ver
se conven ou nao seguir dito vaso tal des-
tino.
= O Palaxo Americanno llannak para
o Bio de Janeiro ncsles tres dias, recebe pas-
sageiros; trata-se com os consignatarios Hen-
ry Forster & Companhia, ra do Trapixe no-
vo numero 17.
s: Para o Aracati sai no da 4 do corrente
a sumaca Felicidad de que he rueslre Jo/..
Rodrigues Pinheiro s recebe alguma car-
CS" O Carapuceiro N. 56, que sabio hoje,
a lodos interessa ; porque tracla de ser uma dona de casa. Os homens devem
lelo para saber o que fazem quando cazAo .
e as mulheres tambem para conhecerem os
seus deveres. Ora para ler ordinariamente
he preciso comprar ; porque nem todos esto
para em prestimos : ergo nao sei se me
entendem. Em fim a Variedade tracla dos
meios de. evitar o tedio da occiosidade. Ven-
de-so na praQa da Independencia loja de li-
vros N. 57 e 58.
A Lotera de N. Senho-
ra do Rozario corre infa-
Ihelmente no da 7do cor-
rente ; os bilhetes achil-
se a venda nos lugares do
costnme.
= Manoel Caetano Soares Carneiro Mon-
te i ro tem para alugar um primeiro andar
loja na ra da praia.
tsy Offerece-e um portuguez chegado a
pouco tempo para caixeiro de qualquer ca-
sa : quem o pretender, annuncie.
= Precisa-so de um homem que queira
sentar pra^a por outro no batalhAo de In
fantaria de Guardas Naconaes destacados :
quem estiver nestas circunstancias dirija-se
ao beco da Gloria na Boavisla fabrica de
chapeos.
tsr Candido Liberato de 01 i ve ira Maciel ,
c nao Candido Liberato da Silva Maciel, co-
mo sabio no Diario N. 165 : mora em Igua-
rass c quando vem ao Recife assiste na
ra Velha da Boa-vista D. 57.
= A pessoa que annunciou uma negra
crila de idade de 18 annos dirija-se a ra
dereita D. 20 lado do Livramenlo.
= Aluga-se uma loja com sua armaQo ,
na ra do queimado D. 51 e vende-se as
fazendas que nclla existe a prazo de 5 6 ,
9 a 12 mezes com letras e boas firmas dan-
do a dnheiro uma parte, e o mais como
dito prazo cujas fazendas andar por dois
contos e seis centos mil- reis pouco mais ou
menos: trata-sena entrada da ra do Ban-
gol loja do sobrado D. 59.
= Aluga-se uma boa caza com cmodos
para uma familia na travessa da ra da
Gloria para a ra da alegra defronte do beco
que vai para o assougue ; quem a quizer a
lugar drija-s a caza parede-meia o onde tem
lampio e tambem se troca um muleque
dsete annos por uma negrnha da mesma
idade ou de mais tornando-so o que fur
justo.
= Quem tiver uma carta ltimamente
chcgAda do Porte por uma sra. para Joze An-
tonio Pereira queira annunciar sua morada
para ser procurada.
= Offcrece-se um rapaz portuguez che-
gado a pouco tempo, para caixeiro de venda;
sabe ler rscrever d fiador a sua con-
dula e tem alguma pralica de venda : quem
do seu preslimo se quizer utilizar dirija-se a
ra doPadre Floriano venda que tica junto ao
beco tapado N. 88.
=Permuta-se de um sobradnho de um an-
dar por uma caza terrea que seja grande ,
equetenha bom quintal para um pequeo
ostabelecimento voltando se o que se con-
vencional : annuncie.
= Aluga-se um bom armazem de ra
ra silo na ruada moeda no fundo da ven-
da do sr. Alexandre ; he por prec/) cmodo .
e leva-se em conta alguns concertos : trata-so
na ra do Nogueira D. 25.
ss A pessoa que por engao trocou um
chepo deTsol de seda na Matriz le Santo An
Ionio no dia das elticoes queira ter a bon-
dade dco mandar destrocar na ra das trin-
xeiras lado da Matriz D. 11 ao pedo lam-
piAo do meio dia at (i horas da tarde que
se ficar agradecido.
= Publica-se para conhecimenlo das pes-
soas que pretenden! comprar a caza cita a-
lem da ra do Mondego annunciada para
venda ou hypolheca; que esta caza nAo ho,
nem pertence a Joo Machado de Matos e
simaoannunciante edeclara-se ao ex dono
Matos que nAo se anda enculcando como
donodella ; por isso que dous proveitos nAo
cabe n'um saco e desde 12 de Julho de 1858
que dimilio-se da posse e dominio da dita
caza, por ter recebido oseu valorem boa moe-
da oque est bem claro no juizo compe-
tenle ; escrivAo Mapalheg.
= 0 abaixo assignado fazsciente a todas
aquellas pessoas que liverem penhores em
seu poder, hajao de os vir tirar no prazo de
oilo dias, do contrario os vender para seu
embolso.
Antonio Ferreira Braga.
= Lourcnco da Costa Loureiro faz publi-
co quedissoiveuamigavelmente a sociedade
(uetinhacom lozc (tnncalves de Faria ; na
caza de pasto denominada l'nio cita na
ra dos quarteis D. 8 (cando o annuncian-
le encarregado de receber as dividas ; assim
como obrigado a pagar o que caza ficou de-
vendo : outro sim faz certo, que continua
o mesmo estabelecimento servindo a todos
com promptido e aceio.
= 0 corpo de polica contracta muzicos pa-
ra a banda de msica militar que est orga-
nisando : quem estiver n'esla circunstancia
dirija-se a secretaria do mesmo.
= Aluga-se um armazem com frente pa-
ra a ra dos Barbeiros e alfandega velha :
noescriptoriode Henriquo Christophers.
= Tendo-se perdido um protesto com
uma letra dentro de reis 4:151*138 passa-
da pelo Snr. JoAo Joze Ribeiro dos Santos ,
quem a achar fa^a o favor entrega-la na ru
ilo Vigario numero 7 que se lhe recompensa-
r seu trahalho.
tar Maria do Carmo retira-se para Por-
tugal.
= Antonio Joze de Oliveira Castro re-
tira-se para o Aracati levando em sua com-
panhia seu caixeiro Joze Maria da Silva, e
fmulo de nome Paulo Joze Bandvira pre-
to.
= Antonio Joze Villas Boas, retira-se
para o Porte a tratar de sua saude.
associacaO commercial.
tar Nao tendo comparecido numero suf-
ficiente de socios na reuniao convocada para
o dia primeiro do corrente ica a mesma
transferida para o dia 4 na certeza de que
os socios que lorem presentes a esta segunda
convocacAo decidem o que ha a tractar na
conformidade do artigo 5. do capitulo i. dos
estatutos.
= Precisa-se de urna criada pan lodo o
serviQodo urna casa ; na ra da camboa do
Carmo sobrado de 2 andares no primeiro.
= Na ra do Vigario D. 55 casa de J.
O. Elster precisa-se de uma ama que te-
nha leite para criar um menino e que se-
ja limpa e de bons costumes.
= A commissAo administradora da socie-
dade Euterpina tem designado odia sabba-
do 6 do corrente para a partida desle mez.
= Aluga-se sem o primeiro andar a ca-
sa numero 1 do atierro da Boa-vista pinta-
da de novo e com excellentes cmodos pa-
ra uma grande familia algumas das novas
da ra da aurora, sitio de santo Amaro e
ra da Solidade com abatimenlo : a tratar
com Francisco Antonio d'Oliveira eu com o
seu caxeiro Manoel Joaquim da Silva.
= Os dois meios bilhetes da segunda lote-
ra do Rozario da Boa-vista numero 288, n
291 pertencem ac Snr. Joze Goaldinoda Silva
residente no Para.
= Furtaro no dia primeiro de Agosto de
um casssu na ra Direita duas toalhas de
bretanha de linho urna toda de lavarinto de
estrella o a oulra de lavarinto em roda ,
ainda nAo servidas marcadas com linha en-
carnada c sem hico ; a pessoa a quem fo-
rem offerecidas as apprehenda e leve a ra
do Rozario larga sobrado D. 4 primeiro
andar que ser recompensado.
= O arrematante do dizimo de capim de
planta, e mais socios rogo aossnrs. que
estAo devendo o mesmo disimo hajo de ir
saptisfazer no praso de oite dias e nao o
faiendo se uzar do que a lei concede por
.soque gozo do mesmo privilegio que go-
za a fazenda nacional, o j estarem tirados
os competenles mandados de execuc.
cr Quem precisar de duzentos mil reis a
juros de 2 por cento ao mez sobre pinhores
de ouro ou prata ; dirija-se a ra do Rangel
D. 17 que se dir,


^s
4.
tsr Raimundo Frederico da Cosa e Silva,
re tira-se para o MarauhaO.
ts?" Agostinho Joze Fernandos Guimares
retira se para portugal a tratar de sua saude.
sy O Capito Joze Lopes do Caivalho,
relira-se desta provincia, a tratar deseus ne-
gocios nesto Imperio, por isso faz o pre-
sente annuncio para conhecimenlo das pes-
soas, com quem tcm lelo Iransages di
que sa ada saldado em con las.
w- Os Administradores da casa Calida
do Sr. Manoel Pcreira Guimares & Compa-
nbia aviso a todos os Sis. Credores da mas-
Si administrada para se rtunirem no da 5
do corren te pelas II horas da manh no es-
criptorio da administradlo na ra da Cruz no
Recito para lites sor patente o estado actu-
al da mcsiiia casa.
PILCLAS VEGETAES E DNIVERSAES AMERICANAS.
Estas pilulas j hem condecidas pelas gran-
des curas que tem feito nao requereni nem
dieta e nem resguardo algum ; a sua com-
posigo to simples que nao fazem mal a
mais tenra crianga : em lugar de debilitar ,
fortifica o o syslema purifico o sangue ,
augmento as secreges em geral: tomadas,
seja para molestia chronica ou somente co-
mo purgante suave; o melhor remedio que
tem apparecido por nao deixar o estomago
naquelle estado de con si i par fio depois de sua
operago como quase todos os purgantes fa-
zem e por seren mui facis a tomar e nao
causarem incommodo nenhum. O nico de-
posito dellas em casa de D. Knoth agen-
te do aullior: na ra da Cruz N. 57.
N. B. Cada caixinha vai embrulhada em
seu receituario com o sello da casa em la-
cre preto.
OT" Ha um mez pouco maisou menos fur-
taro da casa de Antonio Joze da Costa no
atierro da Boa vista urna pistola ingleza de
espoleta de baila forgada com o cao que-
brado na parte superior ; quem a restituir na
ra larga do Rozario D. 3 no primeiro andar
receber de gratificaga o vallor della a vista
de outra que se lhe apresentar.
tsr* Roga-se ao Sr. Padre Manoel Branco
Bezerra natural de Macen baja de mandar
concluir em Pernambuco o negocio que nao
ignora.
f* Anenda-se na illia defronte do palacio
novo urna grande e excellente casa tarrea ,
com um grande sotao, e um bom quintal cer-
cado na ra dos Quarteis no primeiro an-
dar per cima do botequim.
= Joo de Brito Correia na qualidade de
inventariantedos bens que deixara sua Cale-
cida miii Luiza Christina Teixeira aviza
aos acredores da mesrr.a sua mi para que
quanto ante venho competentemente abeli-
tar-se no inventario que se est proceden-
do no juizo do civel da 3. vara escrvoSan-
tjT Duas negras vellias que sejo robustas
boa do Carmo I), 11 no segundosndar.
tsr L'ma casa terrea em boa ra que nao
seja forria e que o seu valor nao exceda l
um cont de res : annuncie.
tsr Urna forma de fazer obre i a estando cm
bam uzo e garrafas vasias: na ra de S.
Rita nova lado oposto a Igreja I). 17.
VENDAS.
tsr Na praga da Independencia loja de
livrosn. 57 e 38 vende-seas seguintes mu-
si-as para pianno: o milindre de sinh 1* rs.
sabes porque, tu me engaaste ? 320, peg
na lira sonora, a 640 ; cu nao quero que tu
digas, 040; aos encantos de Nauzina,610;
aria ab ch'-io l'adoro ancor ; 2,)i000.
tsr l'ma escrava de bonila figura cose,
cozinha e engomma liso nao tem vicios
nem achaques : na ra de S. Rita D. 14 lado
esquerdo indo da ribeira.
tsr Bichas grandes de Hamburgo: no be-
co da lingoeta n. 4.
tsr Potassa da Russia de primeira sorte :
em casa de Manoel Ignacio de Oliveira na
praca do Commereio.
ter .Sacas com milhoa 3ji : no caes da al-
fandega.
tsr Um porgo de pedra de cal : a fallar
com Francisco Ferreira Borges a bordo do
Brigue Empreza fondeado defronte da Lio
goeta.
ssr
Vinho branco de superior qualidade ,
de madeira e do Tenerife em barris meias
pipase pipas", por proco enmmodo : rm ca-
sa de Me. Calmnnt Companliia na ra u
Cadcia do Becife.
Pipa* qurtolas o barrisque foro
de agoa ardento um selim em mcio uzo .
caixas grandes e pequeas de amarello e pi-
nho una gamela muito grande de amarlo,
um fileno um reldgio americano para cima
de mesa um realejo que tooa dando-se cor-
da um berco o'c condur : as 5 ponas
venda 0. 22 onde tem lampio.
Para fora da provincia urna escrava do
ra cozinha lava de sabfto o
a tratar no sobrado da ra da vi-
tos para ai serem altendidos os seus d-
bitos.
= Leonor Carolina Catanbo de Vascon-
celos professora substitua das cadeirasde
primeiras letras desta cidade faz scienle aos
paes de familias que em consequencia de
se achar vaga a cadeira do bairro da Boa-vis-
ta por a respectiva professora ter-se jubila-
do ; a annunciante na qualidade de substi-
tua vai reger aquella cadeira para o que
previne a todas as pessoas que quizerem ma-
tricular assuas filhas que brevemente pu-
blicar odia em que dar principio aos seus,'
tsr Um terreno no fim da ra da Boda ,
com 12o palmos de frente com alicerces
fundados a 16 annos e com 140 palmos de
fundo : a tartar na mesma ra sobrado que
tem lampio junto ao ferreiro.
tsr Urna negra crela recolliida de 20
annos bonita figura cozinha o ordinario .
engommadoira cose chao e lava de sabSo;
urna negrinha crela de 12 annos com
principios de costura; um moleque de 14 an-
nos ; e um negro de 20 annos todos de bo-
nitas figuras: na camboa do Carmo D. 11
segundo andar.
tsr Urna rede com 12 bragas de compri-
men to propria para despescar viveiros por
prego commodo : na Pracinha do Livramen-
to n. 20.
t^ 3 escravas mogas de boas figuras ,
cozinho engommao, e urna cose bem, urna
mulatinha de 16 annos cose faz lavarinto
e arranja mui bem a urna casa; 3 pelos pti-
mos para lodo o servigo de campo ; um mo-
leque de 12 annos, bom servente de urna
casa : na ra de Agoas verdes D. 37.
tsr Um armago toda envidragada e corri-
da de armarios propria para loja de fazenda
ou miudezas tambem se vende os caixilhos
separados por estar a armago desfeita ou os
armarios ; e um babu de landrescom 4 pal-
mos tudopor prego barato : nr ra Direita
D. 41.
S9* Urna duzia de cadeiras um canap1
de Jacaranda ludoem meio uzo, e por pre-
go commodo : na rm da Cadeia do Becife lo-
ja D. 24.
t^" Urna venda com os fundos de 600* ,
e querendo o comprador tira-se athe 200 ,
em effeitos para fora na ra da senzala ve-
llia defronte do beco do Campello parede e
meia ao barbeiro : a tratar na mesma.
tsr L'ma escrava cabrinha de 15 annos,
bonita figura cozinha lava de saho,
engomma
rago.
ar* Bas empeadas de Inuro novas : na
ra Direita loja de fazendas 0. 8.
tsr Paneiros de sal a 520, papel de peso
em resmase meias ditas, almasso branco v
azul e ile embrulho manteiga ingleza a
600, franceza a 400 de tempero america-
na a 160 de porro a 440, azeile doce a ca
nada a 4200 e a garrafa a 560 (abaco da Ba-
bia a 520 a libra e em latas a 400 pataca .
alpisa farinha do Maranho a 100 rs. ,
graxa 97 a 140 o pote espermacole a 680.
pasos a 240 ameixas a 160 queijos lia
roengos a 1^200 paios a 2400 a duzia lin-
goigas a 560, e mais gneros por prego com-
modo : no largo do Tergo venda D. 4.
SSF" Lma negra crela de 25 annos sem
vicios nem achaques, cozinha e engomma
bem : na ra do Queimado D. 15 loja de Ca-
rioca ; Sete.
^125" Riquissimas pedras de marmore ten-
do em cima de cada urna tlor dourada, muilo
proprias para eseriptorio pela delicadeza e ser-
venta que tem de se butarem em cima de
pa peis, brincos immitando os da moda de
400 a mil rs. um sorlimcnto de botftes de
abertura dourados e de osso fitas lavra-
das e lisas de todas as cores conlas doura-
finas-, aboluaduras de niassa; selim; e ama-
relias a 610 papel pintado proprio para on-
eadernago de flvros dito dourado firto ; lu-
pas de soda a 600 rs. o par ; bandejas de di-
ferentes polegadas c gargantillos de bnin
gosto : na ra do Cabug loja de miudezas
n. 3 ; na mesma loja alugao-se dous pelos
serradores ou para outro qualquer servigo.
t^" Farinha da torra em sacas a 4^5*00 :
na venda nova defronte de palacio da parte do
passeio publico.
13* A loja de fazendas D. 24 na ra do li-
vramenlo com pouecs fundes a dinheiroou
a praso com boas firmas, ou Iroca-se por
alguina raza lenca ou sitio perto da praga.
tsr L'ma neyra crela de 24 annos co-
zinha o ordinario cose e engomma liso : na
ra de S. Rila nova venda D. vinte e oito.
ssy Farinha de mandioc-' em sacas de al-
queirc de superior qualidade mui bem
torrada e clara imitando a que vem de Mago,
chegada ltimamente do Rio de Janeiro, a
u a saca : no armazem de Joaquim Gonsal-
ves Vieira Guimares ao pe' do arco da Con-
ceigot D. 3l.
tsr Sacas com farinha de mandioca de boa
qualidade e prego commodo bem como
sacos vasios proprio para dito genero : na ra
de Apolo armazem B. 15.
tsr Urna bonila parelha fie cava I los mela-
dos de dinas brancras um j ensinado pa-
ra carro e o outro por ensinar, e este ulti-
mo lem servido de sella : na ra do Oueirr.a-
do B. 5.
Um moleque de idade 14 annos, comc,
bastante principio de pedreiro na ra Di-
reita padaria D. S.
Um molatinhode idade 15 annos na
ra doCollegio B. 12.
tsr Lm violo de oxcellemes' vozes Jpor
\f ; na ma do Queimado U. 2 loja do lado do
nascente.
trabalhos ; assim que lenha arranjado urna com principios de costura : na ra da Cadeia
caza propria para esse fim.
= Constando abaixo assignada que Jo-
ze Bodrigues de Oliveira Lima pretende hy-
potbecar o sitio no lugar da Barreta annexo
a propriedade da abaixo assignada ; por isso
previne ao respeitavel publico e a quem me-
lhor convier, que nao contratem negocio de
qualidade alguma com dito Lima, sobre a
mesma propriedade ; visto perlencer este si-
tio quase lodo abaixo assignada por nao
ler cumplido com os pagamentos vencidos ,
como se poder ver nocartorio do EscrivAo
defronte do Theatro B. ll primeiro andar.
tsr Sacas com farinha de Mag e ditas
com milhoa 5*200 : na ra da Cruz n. 46.
*& Um terreno com 42 palmos de frente
c 12o ditos fundo no lugar dosCoelhos, que
faz quina com a ra dos Prazeres ; e urna
carroga com um boi ; um negro proprie para
andar com a dita e para o servigo de en-
chada a tratar na venda da quina da ra
da Alegra de Joze Ferreira Lima.
KA Sal de Ass a bordo do Patacho Maria
Luiza fundeado defronte do trapiche novo:
UMMo. Adverte-se mais que tendoo mes-, a trat. r com seu proprietario Antonio Joa-
mo Lima urna pequea parte no sitio da Hy- I quim de Souza Bibeiro
hura de que aobem he proprietaria a mes-
ma abaixo assignada desta mesma parte,
se acha penhorada por execugo minha ,
pelo principal e custas na quanlia do
um cont cento e tantos mil rs.; e para que
nmguem se chame a ignorancia se faz o
presente annuncio. Ignacia Maria Xavier.
COMPRAS.
Escravos de ambos os sexos de 12 a
20 annos : na ra do Fogo n p do Rosario
D. 25.
tsr* Urna flauta de buxo em bom uzo
tsy Urna escrava de nago angola moga
e de bonita figura cozinha o ordinario la-
va de saho e varrella e engomma ou tro-
ca-se por um moleque da mesma nagfio que
seja pouco ladino ao comprador se dir o
motivo da venda : na ra da Roda venda de
qualro portas que tem lampio.
m t? Fitas assetinadas lavradas, dilas^de seda
para lagos e debruns de todas as cores e largu-
ras, por | r go barato tanto em pegas como a
varas : na ra doCabug loja doBandeira.
Ky- Urna duzia de costado de amarelo, du-
as canoas fechadas com mais de 60 palmos de
na compridas 200 barricas que for3o de fari-
rua Direita loja de fazendas D. 41. i nl.a de trigo urna porgo'de calas grandes
MT lm pianno de 6oitavas : quem tiver e pequeas vazias ; ludo por barato prego :
annuncie. na padaria de Joo Lopes de Lima,
das brincos pretos e de todas as cores a 80
rs. o ar, entremezes a 80 rs. novellas a
140 sapatos francezespara senhora a 720 ,
ditos feitos na Ierra a 540 e outras muilas
fazendas e miudezas muito mais* baratas qu"
em outra qualquer parte : na ra Direita D.
8 defronte do beco da penha casa que est
pintada de novo.
ssy Urna *lva para padre muito rica ,
bordada de susto, e de panno de esgm'o :
urna pipa o urna quartola arquiadas do ferro ',
e mais 5 (landres e medidas ; ludo do servi-
go de azeite de carra pato: as 5 pontas I). 57.
tsr Um moleque crelo de 12 annos com
principio de marcineiro ; urna negra da Dis-
ta robusta esadia cozinha o ordinario e
hequilandeira : em S. Amaro na entrada da
estrada sitio de Joao Baplista Claudio Tresse.
W Um pequeo carrinho proprio para
devertimento de criangas obra muilo cu-
riosa por nao ser preciso quem o puche pa-
ra o fazer andar o qual por urna nova in
vengo a pessoa que nelle esliver o faz andar
por meio de um leme que o mesmo tem : na
ra Nova loja do Sr. Vilaga.
tsy Verdadeira estamenha fazenda esta
feita nicamente de l propria para hbitos
de terceiros de S. Francisco, esta estamenha
foi mandada vir de encomenda por nao haver
nesta praga nem mesmo na Babia e Bio de
Janeiro : na ra Nova D. 25 loja de alfaiate
de M. F. Coimbra.
-tw 0 livroimmitagodeCbristo em bom
uzo por Thomaz Kempis Cicero Julli Ce-
zaris ; Tito Lirio ; Patavini : na ra Direita
B. 20 loja de couros, lado deLivramenlo.
tsr A opera Norma para cantoria com
coroseacompanhamenlo de pianno: quem
pretender annuncie.
tsr Duas vaccas com crias ; urna caza de
laipa anda por acabar em chaos proprios ,
e tem lugar para mais quatro casas : na So-
ledade sobrado de um andar com mirante.
tsr Urna mulata de 25 annos propria
para todo o servigo por ser muito ronusta : na
ra da Cadeia do Becife D. 18.
Todas as bem feitorias e urna casa
de laipa nova coberla de lelha em um ter-
reno forero situada entre as duas pontea da
Magdalena com 61 palmos de frente e 500
de fundo ; urna tualha de panno de linho fi-
no toda aberla de lavarinto do ultimo
gosto : na ra Nova na penltima loja do la-
do do or"!*.
tsr 8 quadrosgrandres com a moldura la-
vrada obra de muito gosto, dous pares de
jarros de flores grandes, e um par de castigaes
de casquinha muito fina lavrados sendo o la-
voremprata tudo com pouco uzo, e por
prego mdico na ra da Virago, caza de mar-
cineiro.
^tsr Bicos brancos ditos pretos fitas
de garra a 80 e 120 a vara, eslojos de navalhas
ESC 11 A VOS. FGIDOS.
ssp- Na noute de 31 de Julho p. p. fugio
urna escrava prela creoula de nome Anto-
nia idade 20 annos pouco mais ou menos,
estatura regular seca do corpo e com um
signal bem caracterisco no olho esquerdo ,
que he una grande cicatriz e o encapelado
do olho rasgado o qual parece que anda es-
t em ferida ; levou vestido de riscado azul e
urna saia de outra negra Esta escrava he
perlencente a Angello Joze da Silva de Por-
to-Calvo e eslava aqu para se vender : quem
da mesma souber far o favor parlecipur a
Manoel Ignacio de Oliveira, na praga do com-
mereio.
tsr No da vinte e quatro de Julho p. p.
fugio urna preta por nome Roza nago re-
bolo, representa quarenta annos pouco mais
ou menos estatura regular seca do corpo ,
rosto descarnado as faces altas orelhas pe-
quenas denles acngulados abertos o um
tanto com pridos, tem urna coroa na ca boga
decarregar taboleiro: levou vestido de chita
azul clara j desbolado por diante, com bico
por baxo pao da costa anda novo com
malames em toda e franja do mesmo pao as
pontas .- quem a pegar leve-a a Thomaz Joze
da Costa e S na ra do Amorim.
k Fugio no da vinte e sete do p. p. Ju-
lho, um negro de nome Joaquim de nago,
corpo seco cor preta cara comprida bar-
bado com dous dedos de menos em urna das
mos ; levando vestido calca de ganga azul e
jaqueta da mesma; cujo negro heapolidadq
na ra pelos outros por canoca : quem o pe-
gar leve-o ao seu sur. Manoel Ferreira Cha-
ves na ra do Hospicio, caza junto aosnr.
Padre Laurentino Moreira de Carvalho.
CS- Desappareceo no da trinta de Julho p.
p. urea preta de nome Calharina nago an-
golla levando vestido de chila bastante sujo,
altura regular tem um signal na testa de ler
tido urna ferida em um brago direilo tem
mais um signal de ter apanhado com o chico-
te, quando anda mlleos ps para dentro ,
e bastante telada ainda est um tanto bucal:
roga-se a quem della souber a levem a ra
Nova D. quatorze lado do sul que ser re
compensado.
ssr Fugio no da 25 de Julho p. p. um
negro de nome Domingos, nago cagange ,
idade 50 aunes, pouco mais ou menos al-
tura regular p s cambados para o lado, apa-
Ihetados e em urna das pernas tem urna
grande cicatriz d'uma ferida que leve ; tem o
apellido de chambary e desconfia-se que se-
guisse para as bandas do sul: tem os signa-s
seguintes cor preta fejgOes tmwina boca
pequea e olhos vivos parecendo rreoulo :
quem o aprehender leve-o ao beco da Lin
guela ven a de Joaquim Joze Rebello que
gratificara o seu trabalho com generosidade.
BECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. = 1842


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9XTHVQVQ_IFHZBJ INGEST_TIME 2013-04-12T23:53:38Z PACKAGE AA00011611_04761
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES