Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04760


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1842.
Ter$a Fe ira It


i
'_i.5JBCWSr.s
Tudo agota depende de nos meamos ; da noas. nrnden.i. modeucfu,, ecner.i, on.
copo P.0,pIo. ete,eB1cS.rudoSel.dn,ir.c;i;,':snEs E
____________________(FrocUmaeao da Asaembla Geni do iratit.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
C.hn St-rir.!.*. ltio PoimotO.PottoC.lTO, M.c-,0 e Al0 1.
Pajea 13. .^.nt Ani.o .(amias fe.raa. Olinda lodo os di:,..
II.
DAS DA SEMANA.
1 Se*. B. S. Pedro ndvinoula. Clmnc. And. do J. de D. da 5 T
2 leic. iN. S' dos Anjos. Re. And. do .1. de 1). da 1. t
3 Qj.rt. lii\en<-:"io de s. EsievAo ProtomorU. And. do 3. de D. de 3
4 Quii. l)omBOs de Guaaiuo Fundidor. Aud do jnt de n da 2
! Srt\ X. Sra. da. Vvcs. And. do J. de U. d. Y. .
(i Sab. Transfiguracio de Cbruto. Re. Aud. do I. de D. .la 3. v,
7 Don. a. Caelnno. s. Dnalo M.
de Agosto. Anno XVIII. N. 164.
O Diario publioa-w tod.a os das ;oe njo forem Santificado* : o |>rec0 da assirnatnra be
de Iros mil reil por quarlel pajas adianlados. Os annunci.n dos astignantes i.'ij inserido
pa>ll e os das q>ie o n.io fnu-m rai.io de 86 reis por linlia. As reclamaeoea detem .r
dit|id.e. ettaTypogt.fi. roa daaCriUM 1). 3. ou a uraja da Independencia' loja delirios
Numrio 37 o ;S.
CAMBIOS no pa f. de acost.
Cambio subir Londres 2(1 i d. p. 41!.
v u Paria 360 reis |. franco.
, n Lisboa J|0 por 100 dt ['.
Mueda ilc cobre 4 por 100 de descomo,
dem dclelraa de boas firmas le ale,'.
Desci-r'iide billi da Alfand*-a 1 -J I
compra venda.
OfJKo Moeda de 6,400 V. 15,900
- .. ti. d.'.SOJ
de 4,000
Futa. P.ucues
' F.toa Cilumnares
dito Meiic.n*.
' muida
s.soo
1,820
1,820
1.8?0
Hi.lOO
16,000
.IKMI
1,840
1,840
1.840
i,80
Preainar ,lo
t."a I borai
2. a 1 Imras
tiin >
18 IB.
42 m.
de ttosto
da man' i,
da Urde.
IARI
PARTE OFFICiM..
.MIASES DA I.UA M) MEZ UE AGOSTO.
I mi Nuil a 6 a 0 boras r 20 m. da lard
Qnarl. crear, a 1.1 -- ka 3 Imras e 4 m da manh.
I.'ia chela a 211 -- 4s II horas r >(i na. da lard.
Quarl. ming. a 2! --s I horas e 30 m. da manli.
BUCO.
$oVer-no da provincia.
EXPEDIENTE DO DA 29 DO PASSADO.
Ollicio Ao Engenheiro em chefe signi-
ficando -Ihe que pode mandar tomar conla
do torreAo do lado de SE. que faz parte
do edificio da alfandega o nelle fazer os ar-
ranjos necessarios para dar mais extenso i
repartioAo das obras publicas ; visto haverem
desaparecido as razrtes pelas quaes se nao
julgava conveniente cedsr-lh'o segundo in-
forma o inspector da tbesouraria da fazenda
em oflicio de liontem no qual declara que
a mesma alfandega pode dispensar o mencio-
nado torro;! o.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda dizendo que expela suas ordens ,
para que o supramencionado lorreo seja pos-
to disposicAo do supradito engenheiro.
Dito Ao inspector da thesouraria das
rendas provinciaes, romeltendo as contas das
despesas fcitas com o sustento dos presos
pobres de justica da comarca do Limoeiro
desde 2 de Abril at ."O de .limbo do corren-
te anno, fim de que, estando conforme,
nande satisfazer a sua importancia ao forne-
cedor dos referidos presos Manoel (lomes de
Queiroz.
Dito Ao Delegado do termo do Limoei-
ro intelligenciando-o da exp.-dicAo da pro-
cedente orden; em resposta ao seo ollieio de
odocorrente, emquea requisitaya.
Dito Ao Engenheiro em chele acensan-
do recebido o seo olicio de 26 do corren te ,
que acompanharAo o orea ment e plan-
tas da obra do atierro que deve substituir a
ponte do Xiimhi na estrada do I o do alho ;
e ordenando-lhe que mande fazer a referi-
da obra na forma proscripta pelo regulamen-
Jo provincial de 2J de Maio d*este anno.
Ditos Ao inspector da thesouraria das
rondas provinciaes e ao inspector Fiscal das
obras publicas scientificando-os de ter dado
a ordem antecedente.
Portara Ao commandanle do vapor s=
Paquetodo sul = ordenando que largue
para os portos do norte hoje mesmo na mar
Dita Ao commandanle da fortaleza do
brum determinando que ddxe sair od-
iado vapor.
Oflicio Ao commandanle das armas ,
transmiltindo um ollicio do inspector da the-
souraria da fazenda acompanhado dos do-
cumentos relativos ao pagamento do pri-
mer sargento Manoel Joze Carneiro fim
do que satisfaga a exigencia do commissario
fiscal do ministerio da guerra.
Dito Ao dezcmhargador relator da jun-
ta de justica, remetiendo o processo verbal,
feito ao particular Jo/e Rodrigues Soareg e
segundo sargento JoAo Francisco Ferreira
Magalhaes fim de que depois de visto
o aprsenle em sesso da referida junta.
COMMANDO DAS ARMAS.
EXPEDIENTE DO DA 28 DO PASSAnO.
OfiicioAoExm. Presidente, informan-
ilo o requorimeato de Antonio da Cruz sol-
dado que foi do extinclo regiment d'arli-
Iharia que em atlencao a ter servido 2l ali-
os, eachar-se impossihililailode haver os
meios de subsistencia de sua tnulher e
llhos supplicava sor addido a um dos cornos
FOLKlITil
O NOIVO DE AI.M-Tl Ml'EO.
Sim minba boa Milu teu noivo o lilho
de mcu correspondente de Francfort que
ino escreveu devechegar um desles dias :
em breve pois minha Augusta ns te per-
deremos : ali no novo estado que vais a-
bracar, sigo-te as heneaos paternas, sejas tao
feliz quanto todos desejamos,quanlo mereces.
Com quo vossa mere- Sr. Guilher-
me com suas philosophias com suas teimas
de nao acreditar em gente velha est deve-
las resolvido a sacrificar sua illia ? Nolhe
lenhoeii repelido urna e muitas vezes que
ni.io para bodas o anno que corre e que o
noivo do oulro mundo...
Hasta, Certrudes, vai cuidar deten
servico c nao nos atordoes os cuvidos com j
delinha da provincia para nelle esperar sua
reforma.
Dito Ao mesmo Exm. Sur. significan-
do-lhe que o bncharel Manoel Joze da Silva
Neiva remetiera T2 recrutas dos quaes 22
assenlaro proca no lia 2 do corrate e os
mais foro sollos por naoestarem as circuns-
tancias de servir no exera'lo.
Dito Ao mesmo Exm. Sur. devolven-
do-lhe informado o requerimenlo do soldado
Joaquim de Mello S Cavalcanle do hala-
HiAo de guarda nacional destacado.
Dito Ao inspector da thesouraria re-
moliendo-! he as guias do segundo lente
Joze Antonio Barbosa rccolhido da provin-
cia do MaranhAo edo alfoces Francisco Jo-
ze de Sou/a Alvos \indo do Para.
Dito Ao delegado do termo do l-imoei-
ro preyinindo-oqiie da forcada guarda na-
cional ali destacada se mandara recolher ao
batnlhgo respectivo nesta capital 10 pracas,
para coadjuvarem o servico da guarnicAo."
I;;ual commiinicacao se fez ao delegado do
termo deGoianna.
Dito Ao Delegado supplente do termo
do Piio-formoso dizeudo-lhe que o depo-
sito contava com um soldado desertor de
nomo Joze Felippe sendo de presumir que
seja o individuo que se acha preso por criine
de furto de escravos : pelo que convinha llie
fosse remellida a sua iliago e signaos,
para serem confrontados com osassentos exis-
tentes no mesmo deposito.
Dito Ao commandanle interino da com-
panhia d'artices remeltendo-lhe os reque-
rimentos e excusas dos soldados Joaquim
Francisco do Eivramenlo e Antonio do Sa-
cramento para que organisasse aconta do
que se Mies devia de faldamentos tendo em
vista o disposto no decreto de 2i> de Marco
de 1840.
DitoAo commandanle do deposito or-
denando-lhe que fosse recebida no hospi-
tal regimental em lugar conveniente para
ar Irada la por Tonta do mesmo l.uiza Ma-
ra do Jezus que l'oi a aeomeltida di lerri-
vel epidemia das bexigas por occasiAo de ter
hido 80 dito hospital visitar a seo lilho solda-
do Antonio Francisco l.eile que se achava
alectado do mesmo mal.
Dito Ao major commandanle da forra
destacada em Olinda para que mandasse
pessoa autorisada receheros objectos d'arma-
nientos e cquipamento que requisitara ,
por cujos objectos fice ra ro.-ponsa\e|, para
ns restituir ao arsenal de guerra (piando a
Torea fosse dissolvida.
Dito Ao major commandanle interino
do lerceiro hatalliAo d'arlilharia mnndanih-
Ihe presentar ocx-soldado Jo/o do ('.armo
d'Oiivoira que por portara de hontem fora
addido ao hatalliode seo commando.
Dito Ao lente coronel commandanle
dohatalhao de inlantaria de guarda nacional
destacado para que mandasse recolher a
esta cidadfl 10 pracas das comnanhias cm ser-
vico na cidado de (oianna e termo do l.i-
moeiro, alim de coadjuvarem o servico da
KiiarnieAo.
Dito Ao mesmo pan recebar e con-
siderar pracas i\,> hatahao do seo commaiiio
a lO guardas que lito seriAo remcllidas pe-
lo major Joo Paulo Ferreira.
Dito Ao major Joao Paulo Ferreira ,
commandanto da torea destacada em Olinda ,
para que doslgasso da mesma o remelles-
so com guia ao lenle coronel commandan-
le do balalhao destacado ."Odas mil llores
pracas e com preferencia aquellas que es-
tilo no caso d' serem designadas para o acti-
vo servico.
Dito Ao major commandanle interino
do lerceiro hatahao d'artilharia para que
Ihe remotease urna relaefio das pracas em ser-
vico as diirerenles provincias do imperio ,
que deixarAo consignacAo as suas familias ,
alim de se saber dos seos actuaos destinos.
DitoAo mesmo para mandar apresen-
lar :ia secretaria militar -o secretario do seo
batalhb com o livro de matricula alim de
se fazer esta conferencia.
I requer ment de D. Izabel Mara Ferreira ,
j relativo a concessAo de terrenos de Marinhas.
Portara Ao Snr. Inspector da fazenda,
mandando pagar a D. Candida A. R. Cordei-
ro a quantia dc20> res dos juros de fi por
cento do conhecimento numero 07.
Dita dem a F. S. de Assis Carvalho ,
dem 304 reis dito numero 60.
dem bo da II>.
Ollicio Ao Exm. Snr. Visconde d'A-
hrantes presidente do thesouro publico na-
cional com os halanros da receila e despe-
sa geial desla provincia das rendas appfica-
das ao resgate do papel, edo rendimenlo do
un por cento de arin.izenagem addiciolia p-
plieada ao pasamento da divida externa re-
lativos ao mez de Junho lindo.
Dito AoExm. Presidente da Provincia ,
remetiendo para dignar-se de enviar a direc-
tora do monte po dos servidores do estado,
duas letras no valor de 534*217 reis impor-
tancia das conlrbuices arrecadadas at 0 do
corrente.
Dito Ao mesmo enviando-lhe a ilia-
cAo do cmela Manoel A. dos Santos da ter-
ceira companhia c-!o primeiro batalhlo das
guardas nacionacs do municipio do Iterife ,
por perlmcer o assenlamento de praca e
pagamento do sold a thesouraria provincial.
Portara = AoSnr. thesoureiro da fazen-
da mandando pagar ao tonente F. J. Machado
Freir a quantia do 50* reis dos juros de
." por cento do conhecmenlo numero.
REPARTICO DA POLICA.
Parte das occorrencias do da 28.
tuas sandices boas para a superstlcAo da ple-
be crdula, mas que me nao podem alemo-
risar.
E' qii' realmente faz-me d ver a fac-
lidade com que queris ser verdugo de vossa
filha que tenlio lauto amor a esta pobre
pequea....eu a vi nascer, eu a embalei nes-
les bracos e v-la agora esposta a m nor-
ial. Sr. Cuilhermc, antes de s fazer ha-
veis de matar a velha Certrudes.
E Gertrudcs chorava.
Tu vers lertrudes, que minha fi-
lha ha de casar o que nada Ihe ha de acon-
tecer. Nao dzes que esse noivo do oulro mun-
do vem de 7 em 7 anuos que chega ordina-
riamente no da 7 de Janeiro isto depois
de amaiilia.
Depois de amanliA disse a moca espa-
vorida.
Depois de amanlia verdado disse
Gertrudes.
Enlao ti depois de amanb que deve
chegar o (al frasca rio que mesmo depois de
IIIESOCRARIA DA FAZENDA.
EXPEDIENTE DO DA 1 4 DO PASSADO.
Ollicio Ao Exm. Presidente da Provin-
cia informando o requerimento do alferes
I.or.renro Joze RomAo sobre as vantagens ,
que pretende como ajudanleda guamigao da
llha de Fernando de Noronha
Dito Ao mesmo Exm. Snr dem sobre
o plano da lotoria concedida (groja da Sra.
deCiuadelupe de Olinda.
DEM DO DA lo.
Ollicio Ao mesmo Exm. Snr. dem o
Hontem pelas 7 horas da noite na ra da
(loria do Rairroda Roa-vista foi brbaramen-
te assassinado com um tiro depistolia o infe-
liz Joaquim Manoel de Castro escapando o
seuaggressor ligeramente a cavallo da p
bliea perscguieAo.
Foro presos pelas prmeiras patrulbas dos
dstrictos de S. Joze, e Ribeira Joze de
Souza Menezcs e Anlonio Claudino aquel-
le por se fazer suspeito e esto por dar urna
bofetada em outro : forAo recolhidos a ca-
deia.
E'oque menciona o commandanle gerl
do corpo policial em sua parle de hoje.
liNTEKOR.
ESTADO DA CAPITAL DO IMPEKIo.
Depois que chegaram as noli ias de Soro-
caba o estado da capital do imperio otfere-
ce um aspecto digno do coideraco. Quan-
do foi puLlicada a proclamaco bu pasquim
em que a faeeo votava ao eitermnio parla
morlo gosla de donzellas em depois de
amanliA provavolmme tambem chogar meu
nenio : quero que o casamento se faca no
mesmo da quero com o exeinplo de seu fe-
liz consorcio desengaar a plebe desla cidade ,
e desterrar para sempro um preconceilo lio
absurdo.
Muitas vezes chamamos absurdo oque
excede nossa comprohonsao disse um man-
mboque, encostado a um canto, pareca
seguir atiento a eonlestacAo de Cuilhermee
|i sua criada.
Todos os olhos se vrarAo para elle : todos
como que Ihe pedio cxplicacoes do seu apo-
phlegma.
Que! vos tambem. Heuriquo vos1
quo lendes fama de instruido que parecis!
medtador e refleclido, tambem dais crdito
a tao disparatadas .surpeisliees ? Acreditis!
no noivo do outro mundo ?
Acredito, bem que no de leve 5 mas1
preciso me era ser mais incrdulo do que S. i
Tliorad para duvidar anda daquillo mesmo |
I que vi daquillo que por desraca minha ,
presenciei em minha familia.
Vistes o noivo dissero a um lempo
Certrudes Augusta e urna senhora de meia
idade que apertando-a ao eolio mostrn
ser sua mAi inquieta pelo futuro de sua fi-
lha vistes o noivo dissero espavoridas.
O noivo do entro mundo disse galhn-
f*ndo (iuilherme era bonito ou fen ? Con-
tai-nos contai-nos essa historia.
CosImoo farei se da vos pode servir
para evitar urna imprudencia que compro-
mello a sorle da encantadora Augusta.
0 tom de Henrique pareca to sincero ,
elle mostrava-se to penetrado de quedizia ,
lo molestado por tristes recordarles que
logo alcancou para o que ia contar a confian-
qa dosouvintes. Todos rcuniro-se em cir-
culo ao redor delle. Certrudes icou em |>
por detraz da cadeira de sua ama e Augus-
ta sem duvida por maior curiosidade foi
sentar-se bem juulinho delle para nao perder
nem urna de suas palavras.


r
-*----
"'_.:" i '
da populaco e com a sua coslumatla inso-
lencia bradava abaixo un llirono estran-
geiro que nos avilta quando par dessa
proclamacfio divulgavain-.se noticias fabrica-
das pela commissfio directora ^-^ populaco
da capital moslrouse inquieta indignada ,
mas no abattda ; pareca sentindo a gran-
deza dos objectos que se acliavain allacados
que sauda jubiloso a aurora de urna revolta .
essa rebcllifio que se Fe i j no poder nao t-
vesse por todos os modos favorecido, feria
sido logo a principio esmagada est boje
softrendo rijos golpes que nos assegurain seu
prompto exterminio. Desdo o combale do
Taquary anda os rebeldes nao alcancaram
urna v.intagem, ainda nada tentaran! os nos-
Oe/.a (JOS UUJCtlun i|irew avm..... .^- .....- ......- ,----------- .
desconliar da vigilancia t- da energa do go- sos bravos que de prompto o nao consegms-
verno e querer lomando parte acliva na | sem ; nem salvou-os a esscs columnas, o
direcco dos pblicos negocios, supprir a sup- pao e a marmcllada que Ibes deu o seu ni-
mia insulliciencia da aceito governatva com ge Alvares Machado nem o armisticio que
a sua vigilancia e a sua energa. Poroulro
lado os agentes da commissao directora mos-
tiavam-se aetivos incancaveis ; sua lingua-
gem era a amea^a ; os coitados pareciam
persuadidos que o Rio de Janeiro seria, como
Sorocaba entregue indefeso a seus planos ,
ejem seu descommedmcnlo nao discutiam
se havoria victimas por.'m quaes seriam es
sas victimas.
Nessascircunstancias sentiu o governoa
necessidade de um grande golpe o o desfei-
xou. As garantas foram suspensas ; nao
houve mais liberdade para conspirar ; e dos
na occasiao do sua prxima derrota Ibes con-
cedern! os Andradas e os l.mpos.
As Torcas mperiaes desde esse lempo tem
estado em inacc-o, c cm vez de aproveitarem-
se desse erro do general a quem foi conliada
a direcco de nossas armas os rebeldes pu-
zeram-so tambem em completa nacco : a-
inda felizmente de nosso lado algumas breves
excursoes confiadas aobriihante valor do bravo
Francisco Pedro tem vindo attcstar nossa in-
mensa superioridade. Appareca no Rio Gran-
de quem saiba aproveitar-se della e a paci-
icaco do Rio Grande nao he mais difilcil do
ihc consentiuque esquecesse todas essas an-
tigs relaces, como as esqueceram esscs
homna para prodigalisarem-lhe insultos e
dissabores : elle pois sentiu que Iho convinha
offerccer sua demisso.
Eis a conjectora que suppomos mais razo-
ave! c decorosa ao mesmo lempo para o go-
verno e para o seu delegado. Esperamos que
essa mudanca repentina de presidente em
nina provincia covulsa como8. Panto uao
produza eslrcmecimentos ; esperamos que os
amigos do Sr. baro de Monf Alegre que elle
pode em lempo arrancar ao lurbilho das pai-
\oes revolucionarias que impellia os anti-
arribados conlinuarfio a prestar ao llirono e
constituioao os serviros que prestavam. I a-
ra fiadores de nossa esperanca temos dous
poderosos alhletas na imprensa o (.overnis-
ta ,eo Verdadeiro Paulista : continuaran es-
ses peridicos a centralisar os esforcos eos
pensamentos dos Rrasileiros de S. Paulo bem
convencidos de que governo ordem, orlem e
liberdade.
Bicisco Antonio Pereira da Silva
Jo/e Maximino Pereira Vianna
Ignacio de Barros Barrlo
Joze Gomes dos Santos Pereira le Rastos
\nloniodeSCavalcanle Luis
Vigario Manoel Cspiridio Muniz
Dr. Domingos do Souza Leao
Manoel Cavalcantc de Albuquerque
Francisco Cavbante de Souza Leao
JoaCoelho da Silva
Francisco de Pinho Dorgr
Jozc Anlonio Pereira
Manoel Pires Ferreira
Supplenles.
P. Joaquim d'OUveira Albuquerque.
Anlonio de Souza Lefio.
Francisco Pedro Soares Braodfto.
Antonio dos Santos Si(|ueira Cavalcantc.
conspiradores alguna presos, oulros escon- | que a do S. Paulo ou a do JJananai.
didos para evitarem a aeco da juslica nem | .ltimamente chegou.nos noticia de nova
um pode mais reatar os fioa assim corlados do ; empreza do mesmo l- rancisco Pedro; emDora
suas tramas ; os dous que por serem senado- nao fosse ella em seus resultados tao leiu co-
les nao foram incommodados vom-se pois! mo se esperava porque os rebeldes lugn-
reduzidos a manlcrem correspondencia com I do evitaram o seu encontr sempro nos am-
i .___ _..____- ......- !.HnAplnnlai< un l H'il US
os seus alliados das provincias a inventaren!
xou algumas presas importantes em cavallos
....i..*. ..i.,,,,..- nrici\nai-
MARIO DE PERIMBUCO.
434
117
407
59a
558
r.i.'i
542
542
34o
329
518
.51 4
r.n
30*
cifras que so persuaden! ser dilT.ceis de adevi- e objectos bellicos e entre alguns prisione -
nhar ; nada mais podem tentar contra a or- ros o proprio imo do chefe da repblica, us
dem no Rio de Janeiro. i negocios do Rio Grande mostram pois favora-
Immediatamente renasceu conlianca na -bilissimo aspecto ; esperemos mais um pouco
populaco e com olla a esperanca de pro.\i-|e (eremos de em breve applaudir a sua pan-
ino triumpho: a indignaco publica acalmou- (cacao.
se n8o sendo mais de continuo excitada pe-
las bravatas dos plegadores de esquina e re-
conhecendo lodos que o governo era mais que
Mifliciente para desempenhar sua misso sal-
vadora. Em breve vieram as noticias de So-
rocaba confirmar essas felizes disposiefles do
espirito publico e boje a quem examina e
estado delle no Rio de Janeiro fcil per-
ceber que todos quanlos deposilavam suas es-
peranzas no triumpho da faeco, quanlos das
armas do Tobas ou do Joze Feliciano ou
do vandalismo do incendiario ttoni agnar-
davam sua prosperidade estfio j desenga-
ados de que nada conseguiriam e buscam
j consolacOes que os reanimem.
Toda a populacho da cidaJe parece animada
por um s e nico pensamento, e se ainda ha
alguma ioquielacfio nao provem sta do receio
de perigo apenas a anxiedade por noticias.
Todos sentem que essa anarchia que lavra em
alguns pontos das industriosas provincias de
Grandes sacrificios de homens e dinheiro
nos lem custado essa luta devida especial-
mente as trahicoes desse homem que acaba
de depor de lodo a mascara com que tanto
tempo se escondeu aos olhos de quem o nao
quizesse penetrar mas o Rio Grando lem
elementos de prosperidade mais do que suffi-
cienles para em pouco tempo indemnisar o
imperio dos sacrificios que Ihc tcm custado.
Mudanca do Presidente de S. Paulo.
Tem causado alguma admiraefio a mu-
danca do presidente de S. Paulo as actuaes
circunstancias e todos procuram causas a
que a allribnam. Sentimos que justa essa
curiosidade ou antes essa attenefio publica ,
e como de'la tambem no estamos exemplos ,
vamos dar ao publico as nossas conjecturas.
O Sr. barao de Moni'Alegre foi para a pro-
vincia de S. Paulo muito tarde para que pu-
. dessem seu nome suas antigs relaces ser-
S. Paulo e de Minas nao pode aturar muito, virem causa da ordem. A poltica extrava-
e bieve ceder a aeco do governo; mas quan- i gante do commodista Alvim eslava dando seus
do vira esse dia de verdadeiro triumpho i'To-; fructos ; a assembla dos rufes eslava ja
da a demora prejudicial, toda a delonga m- trabalhando. 0 Sr. baro de Moni Alegre ,
poem sacrificios todos o sentem dahi es-1 que tanlo lempo residir naquella provincia ,
sa anxiedade essa soll'reguidao por noticias. ;e ahi exercera influencia, que via figurar no
Nunca porm desconfianca das nossas forcas,! partido Tobas homens que outr ora o-
unca receio de que suecumba a consti- ram em geral inimigos de Tobas e amigos
No lugar competente publicamos a corres-
pondencia de um amigo do infeliz Castro as-
sassinado na ra da gloria sobre cujo ob-
jeclo nada dizemos visto que o correspon-
dente tem ouvido o mesmo que se nos in-
formou como da sua correspondencia se de-
predando. Devenios lodavia aflirmar que
essas poucas lnhas que escrevemos nao
forao filhas do desejo de revolver as cinzas de
um morto, objecto para nos sempre digno ou
de respeilo ou de indulgencia. Oulros forao
nossos intentos.....
Assevero-nos que anda note as ras
desta cidade certo facinoroso sobre cuja ca-
bera est lancada urna sen tenca de morle ,
vestido ora d<- mulher ora de ecclcsaslico :
nos o recommendamos polica desta cidade ,
que muito deve ler a pe lo joeirar a nossa tr-
ra de assassinos c ladres.
A chegada do paquete inglez sahido do
Rio de Janeiro a 11 de Julho nao nos adi-
antou noticia alguma da capital do Imperio
nem das Provincias.
tuico.
sse estado dos espirlos assaz lisongeiro
para que nos congratulemos por occasiao del-
le c para que o lzessemos sobre-sahir.
(Brasil de "> de Junho.)
Rio Grande.
No meio das noticias de S. Paulo e de
Minas, que attrahem toda a attenco pela
novidade da luta que nclles est travada as
noticias que nos chegam do Rio Grnde pouco
excitam a curiosidade. Essa rebelho irma
cernea das que ltimamente tem rebenlado
nos dominios do Tobas e do Jase Feliciano
inspirada fomentada pelo mesmo frentico
Era noite urna note de invern fria e en-
regelada o granizo crepitava os vidros da
mella o ventosoprando em referas asso-
biava gemia por entre os ramos das arvo-
res despidas de folhas. Por esquecimento
da curiosa Gertrudes ainda se nao tinha accen-
dido velas e a sala apenas se achava ahuma-
da pela lenl.i que arda na cha min e cuja
cbamma caprichosa projectava-seem phantasti-
cos desenhos sobre os movis. Tudo, em-
lim predispunba o espirito para essa eredu-
lidade infantil, para esse vago de ideas que
vence a razo e faz acreditar em mysterio-
sas apparices em lobis-homens almas do
oulrTmundo bi uxas e vampiros.
Alfredo ento comecou :
(t Nao ignoris, Sr. Guilherme que Uve
urna prima encantadora por sua belleza por j
sua jovalidade ; nao ignoris lambom que ha j
"annosella morrea ; mas as circiimslancia,
de sua morle todos a ignoro ; s nos as sabe-
mos nos os seus prenles. e eonaiderac&w \
de familia nos lizcrao sobre ellas jurar um|
seus persuadiu-se poder destacal-os dessa
allianca que suppunha nova e anda pouco
lenaz, e lormar com elles um terceiro par-
tido que mantivesse a ordem ; chegou
larde : os amigos com que contava estavam
em demasa compromettidos, nao podiam
mais remar. Em breve a facQo recorrea s
armas ; os Feijs os Paula Sousas, os Ver-
gueiros amigos velhos c alliados pelos
vnculos de ufiinidade a S. Ex. em vez
de o appoiarem hostih'saram-o ... A faCQo
foi vencida : agora indispensavel adoptar
medidas severas que nao a deixem mais em
suas convulsoes dilacerar a provincia *
a delicadeza doSr. baro de Mont'Alegre nao
Eleitores da Freguezia Je S. Frei Pedro
calves.
Os Srs. Gaudno Agostinho de Barros
Manool Gonsalves da Silva
Antonio JoAo da Ressrreicao e Silva
Vigario Francisco Ferr ira Rarelo
Antonio Gomes Leal
Francisco Cavalcant" de Mello
Joze Gomes Leal
Francisco Marnede d'Almeida
Antonio Joaquim Ferreira de S. Paio
Padre Franco Joze Tavares da Gama.
Manoel Joaquim Ramos c Silva
Francisco Jozc Silvcira
Joao Maria Seve.
Joo Pinto de Lemos Junier.
Padre Ignacio Francisco dos Sanios.
Antonio Francisco Maia.
Ignacio Antonio Borges.
Pad-o Joaquim Rafael da Silva.
Joaquim Jozc de Miranda Jnior.
eterno silencio. Se vos boje eu as lvelo ,
sacrificio que faco a amizade para que sal-
veis vossa lil ha ea nao levis ao fro leilo
do tmulo julgando leva-la ao Ihalamo nup-
cial.
No dia 7dejaneirodo anuo de 17... fa-
zem depois de amanh sete anuos o riso e
a alegra animavao o palacio de Wexhein, mi-
nha prima havia casado com o joven conde
do T. e todos no palacio celebravo to feliz
uoifo.
Rem que esse consorcio satisizesse todos
os clculos d prudencia e inlaresses que em
ambos os contrllenles se encontrava igual
nobreza opulencia e formosura, lodavia era
o'amor que Ihe havia presidido. Mais de u-
nra vez nos saines de Berln minha prima ti-
nha encontrado o joven conde ambos am-
rao-se. Confidente da paixao do mancebo ,
seu pai approvoii-a e pedio a meu lio a mito de
sua lilha : meu tic a ceden. Fizero-seem
Berln lodosos preparativos das nnpoias cm
Burlin devio-ae ellas concluir.
Gon"
550
?>10
496
1U
388
."8
578
572
386
546
545
396
524
525
521
51c,
517
511
511
Eleitores da IVcguezia de Jaboalo.
Os Srs. Yotos-
Izidro Francisco de Paula Mosquita G0I
Baro de Suassuna -J8)
Joze Francisco da Rocha Guedes 511
NECROLOGA.
Acaba o nosso Pernambuco de sofrer um*
perda concideravcl na sentida morle de um de
seus dignos ilhos oCi.urgio Mor de Brigada
Joaquim Jcronymo Serpa. Naseeo este dig-
no Pernambucano de jn.es honestos a os lo do
Septembro de 1775, e fez os seus estados
Cirurgicos no Hospital Real de S. Joze cm
Lisboa. Regressando sua patria assenlou
praca de Cirurgio Mor no Regiment d Arti-
maa em 1808 eahi era ge. almcnte ama-
do de seu chefe e de seus colegas OfflCiajS
or suas maneiras urbanas por sua afabili-
dade por seu honesto proceder c sobre tu-
do por sua pericia em curar os enfermos.
A Revolucodel8l7 nesla Provincia que
comprometteo a muitos homens de probidade,
tambem involveo o nosso amavel e pacilico
Serpa que foi conduzido cadea da Rabia,
onde jazeo por A annos. Varios de seus com-
panheiros de infurlunio e que existen nc
meio de nos que testifiquen! qual o seu ca-
rcter firmo, paciente, sempre honrado no
trabalhos e sustos de urna prizao cruel r
qual era ento a dos criminosos 'Estado. Ala
por fugir occiosidade e por fazer o bem ,
que poda estar aoscu alcance na triste situa-
oo em que se vie emprehendeo a sua tra-
duQo do Traclado de educaco Physico Mo-
ral dos meninos que veio a publicar no au-
no do 1828,
Podendo morar nesla capital onde tuina
os maiores crditos e contava numerosos a-
migos onde podia adquirir inaor fortuna ,
escolheo para sua habilacfto a Gdade deO-
linda a fim de dar pasto ao seu genio medita-
dor e grandemente estudioso. Em 18>i
remetteo Sociedade de Medicina do Rio de-
Janeiro urna obra de Anatoma compcsla por
elle, e primorosamente desenliada por seu
proprio punho, e a dcsc-ipeo das plantas in-
dicinaes de Pernambuco o que ludo merc-
ceo o mais grato acolhinienlo d'aquella Ilus-
trada SocieduJo que em lecunhecimcnlodo
seu mrito Ihe envjou o diploma de Socio cor-
respondente. Tambem foi Socio correspon-
dente daSocied.de de Medicina delernam-
buco c do Gabinete LIteraro.
Em 1855 tirou por concurso a Cadeira do
Botnica e foi prvido na Directora lo Jar -
dun de Olinda. Nao tardou em organizar um
compendio para os seus alumnos ; e comeca-
va oulro de Agricultura anlogo ao clima do
Brasil quando adoecco e urna hylropezia,
que em poucos das fez espantoso p:".resso.
lerminou-lhe a vida a 17 do mez prximo
passado. Joaquim Jcronymo Serpa era um
dos nossos mais habis Facultativos, era fi-
losofo tinha nao vulgar lico c nem por
isso quiz deixar a triste fama de incrdulo :
falleceocotn lodos os Sacramentos da Igreja ,
como verdadeiro Christo que sempre fra,
Infelizmente porem recordou se meu lio
que em nossa trra urna tradico vulgar marca
como de mo agouro o dia 7 de Janeiro de ca-
da seteannos ; recordou-se que longe nao es-
lava esse dia. (iiiio queris Guilherme ,
quiz meu to desengaar pelo exemplo da
prosperidade do consorcio de sua lilha os po-
vosque andavo illudidos. Meu to era co-
mo sois phlosopho e infelizmente nao ti-
nha minha prima urna mfii que incredul-
dade do pai oppuzesse os escrpulos da pru-
dencia materna.
( A mfii de Augusta corou abaixou os
olhos e sentio quanto era justa essa rctlexao ,
e promelleu-se a si mesmo que nao consen-
tira que seu marido por urna v pertinacia,
mal pretextada pelo desejo de comballer su-
persticiosas crencas arriscasse a sorte de sua
lilha.
Meu lio parti para o eastello de Wex-
hein e deu palavra a seu futuro genio, o con
dedeT... para ahi ccleltiar-se o consorcio no
dia 7 de Janeiro.
No dia marcado chegou o noivo : era el-
le-, era o conde de T. lodos o reconhec-
mos 5 era elle mesmo suas feices urna por
urna seus olhos sua boca e roctanlo
um sentimento repulsivo se apoderava do
quanlos o vio e exlranluvo-lhc. um nao
sei que, que nao linha o conde de T... dos sa-
ICesdeRerlin.
Sua tez eslava como assafn>ada sus
mfios fras e hmidas como a Ierra do supul-
chro mas sua natural jovalidade o nao ha-
via abandonado. Esse era o espoo de mi-
nha prima o casamento se havia celebrado ,
e por isso a alegra animava o velho eastello
de Wexhein.
Todos por fim se retirarlo e rccolhcrao-
se e os esposos tambem : ao ver pela ulti
ma vez minha prima, a quem me prenda
urna amizade quasi fraterna com quem eu
havia sido educado um triste presenlmieii-
to opprimia-mc 0 corac>> iuiz l'alUi-llte ,
rallou-me a voz quiz desojar-Uie prosperi-
dade, sachc lagrimas.


as^
I"
(. jnz sepultado na lgreja dcN. Snra do Gua-
dalupe.
A morlo desle digno Pernamhneano (fin si-
do geralmcnle sentida mormente da pobre-
/;i de. Onda que elle curava com nina ala-
nilidade consoladora c propria d'um to ba-
dil Profossor. Ainda que havia saludado pe-
lo antigo systema, olio cuiduu de pdr se a par
dos progressos das Seicncias Medicas soba-
as q naos lia. e modilava com aturada, c nun-
ca mterroinpida ajtpIicagAo; e por isso na sua
clinte sempri! fogio de sysleinas exclusivos.
Quem onneceo o nosso Serpa, que o nflores-
peilasse e a-.nasse Dotado d'um genio jo-
vial a sua conversaban ra adubada de grt-l
eiosas fae todos r<5go7.ijavao e a ninguem oflendiao.
Ilomom de palavra amigo fiel e seguro ,
lio'jrador de toilos compadecido das fraquo-
y.as humanas, tolerante, generoso a todo mun-
flo afagava a lodos mettia no corar; fi-
nalmente Joaquim Jeronymo Serpa era dola-
do de IoiUis as virtudes que consliluem um
cidado honrado c prestante : su'alma pura.
e sincera nao conhecia as artimanhas da trai-
go, e.da perfidia, em summa elle sabia guar-
dar a dignulade de homem: mas como tal de-
via de pagar o irrevogavel tributo de niscido,
e de desapparecer para sempre da face da ler- ,
ra sim porm nao da memoria de seus a
migos ede innmeras pessoas, a quem tan-
to beneficiou. O seu nome passar posteri-
com probidade aclividade e energa os de-
ve ros contrahidos pela sua nova profissAo :
continu o lllm. Snr. Delegado as pesquisas,
que honra Ihe soja fcjta tem dado prin-
cipio com lauta prudencia e promptidao, nao
Ihe sirva de desanimo o boato de adrede es-
palhado de dividas insoluvois do infolis assas-
sinado e vira ao conhecimento da nulo vil ,
infame,c prfida, ta qual puli um tiro, que
tanto alarma tem causado a os homeiis pro-
bos, c Cidadaos pacficos. Dgnom-so, Snrs.
Redactores do inserir em sua conceituada
l'olha estas regias que considera urna divida
COiYlMKKClO.
alfandega.
Rendunente do dia 50 de Julho p. 886*871
Hilo no I. do crrenle 1:898*64f
DESCARRBG' IIOIE 2 lK ACOST.
Briguo Sardo = Hara = Pedra e o resto
da faz.cnda.
Brigue Portugez =Flor de Lisboa = Pedra.
Brigue Americano =Uannali = Farinna.
Brigue Americano =Ganges= fazendas ca-,
boa vellas lonas, banha e vidros.
Brigue Rrasileiro = Bom Jess = Nanos
gneros.
Pela Meza de Bendas Internas Provin-
ciaes desta Cidade se annuncia a todos os
devedores de Decima urbana dos trez bairros
desta Cidade e PovoacAo dos A (logados,
que nao livercm pago seus dbitos at 0 dia 7,
.lo presente mez; que desso dia em diente
serfio exeoutados polo principal c juros de um
por cento ao mez na forma doart. da l.ei
Provincial n. 9f do crrente auno ; por se lin-
dar ni'sse d cedo a indicada l.ei para a realisaeo do pa-
gamento d seinellianle divida. Oulro sim ,
qnc est lindo o praso para o pagamento dos
Impostos Provinciaea do oorrenta anuo linan-
peiro de 1812 a 18tr> ; e que na mesma con-
forroidade se proceder executivamer.le con-
tra todos os devedores que nao livercm pago,
at o indicado dia 7 do presente mez. Meza
de Beodas Internas Provinciaes l de Agosto
de 1812. = So impedimento do Escrivo o
Administrador Jo/o Guedes Salguero.
= O Sub-Delegado Supplentc da Moribeca
az sciente ao publico que o piolo annuncia-
do por elle no Diario de 2 de Julho p. p. j
foi entregue a sen snr. o'renle Coronel Joze
Gomes* dos Santos Pe reir.
AVISOS M ABIT l.MOS.
dade de parceriacom os nomes dos mais pre- Hendimenlo d'Alfandega de Pernambuco no
zados e dignos lilhos de Pernambuco. Ali! j moz de Julho prximo passado ,_aMber:
quantas ve/es fui soccorrido em minhas en- Hendimenlo -
fermidades, em meus padecimtntos pelo meu Restitoieoes
bom Amigo Serpa A sua prezenes bastava
para ino dar algn lenitivo. Sombra'cara do
meu prezado Amigo recebe lagrimas que
538*662
Liquido 97:246*285
111 U M/.mi" J*f3" < -v-.-- O"------- -----
me trasbordo do peito como um ultimo |)reitos de 15 por cento
tributo da minha gratdo e amisade. Gu- r)los de 48 1|2 por cento de bo-
za alnn feliz na mansAo dos justos do inefTa-i bidas espirituozas.....
vl premio da v.irtude em quanto saudoso | |)loS de 50 por cento da plvora,
vai peregrinando nesle mundo de illusoes cj |)t0s do .'0 por ccnlodoch .
O Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama.
CORRESPONDENCIA
Snrs. Redactores.
| Ditos de 5 por cento dos ulenss
de ouro c prata
Reexportado de 2 por cento .
expedientada I 1 aprcenlo .
Dito de 112 por cont de merca-
dorias naciona s.....
Premio de l|2 por cenlo ao mez
i rreiiiii' > i- r---------------
Mui sensivel me ha sido o ver que sobre ; Armazenagem de l|l por cento
as cin/.as de um infeliz sobre as quacs cor-
ao mez
89:368*870
13:069*828
146*250i
268*200
67*500
17,>200
0:707, 101
17*895
1:283*804
1:147*731
xf Freanse para llamburgo ou qualquer
outro porto da Europa o velleiro e novo
Brigue Uta, Capitoll. W. Jacobson de
lote de 1S0 tonel. loriados oncavilhado de
cobre : os pretenden tos drijao-se aos consi-
gnatarios Me. Calmonl & Companhia
tsr Para o Goar segu viagem immediata-
mente com a carga que tiver o Brigue Impro-
ba forrado progado e cavilhado de cobre ,
de primera marcha : trata-se para carga ou
passagem -om o capilao Francisco Ferreira
Borges na ra da Cruz.
LEl L AO.
asa l.cil.lo que faz Joaquim (.. V. (luima-
raes, no seu armazem defronte da oseadnha
da Alfandega nos das 2 0 3 do corren te ,
polas 10 horas da manha dos gneros se-
uinles por con la e risco Je quom pertcn-
cer. lOcaixascom 12 llar.dres cada nina ,
de doce de calda de diferentes qualidados de
ti netas 2 ditas com 72 buions de goleia ,
cada urna, 12 ditas com bocotas de marmcl-
lediferentes tamanhos ludo vindo
OS,VIUM9inUHiluicin, o-j.,.~ ^------------ ao mes i |afJa (._
rem as lagrimas de urna mi desolada, se |)iaaddicionalde T> l|2porcenlo lti.uwow^^ Lisboa 5 hilas com simonlc da Baha,
ciiminhosem barricas, albos do estreilo ,
caixas com charutos barricas com tapioca
do Maranho.
97:246*288
5*860
Rs. 97:249*845
O Escrivo da Alfandega ,
Jacomc Goraldo Mara Lumachi de Mlh.
proeurava deitar urna nodoa, urna nodoa, que
tem por fim imprimir o ferrle do odie e o
despreso sobre a memoria de um mancebo j i r(mo|ymentos do cer(i'l<"'S
bastantemente desdit\so para cahir a os sous
25 annos s mios vis de um trahidor as
vesporas do da em que os lagos do hyme-
neo o hio prender para sempre a os destinos ,
de urna pessOa cuja sorte tinha ello em vis-
tas melborar i Julgo portante, Snrs. Be- \
dact.ires de meu rigoroso dever lavar as cin-
zas daquellc infeliz da mancha com que se
as quer nodoar e assegurar-lhos que a in-
formacao que Ibes derao respcilo do sua
conducta u falsa. O infeliz assassinado era
< arrimo de urna mai avclhantaia de duas
irmas orphas o de um irmaosinho em
CUJa sustentaco e edncac.o Irafcalhava noi-
U) odia, equem to bem desempenha tao,
adrados deveres pode com raso ser aecusado Re de Janeiro o Baha ; n oas euuu
"o .... I ...___ n..-i. Qi ,l,~c n mnio l'ndllPle.
MOV MEM'O DO PORTO
NAVIO KNTIIMIO NO lli TA DO P
Elsenow, "Odias, Brigue Sueco Avencede
-270 tonel. Gap. L. P. Romn equip.
?| carga taboado ferro, e alcatrAo : a
A. Schramm.
DITO NO DIA 1.
4q haver contrahido dividas que nunca se
pago pelas vias ordinarias ? E que dividas ;
sao estas Nao nunca constou que a i
virgem fosse por elle desdorada nem o tla-
mo nupcial deshonrado; outros erAo seus
sjn timen tos elle abominva o crime. Foi
a profisso ltimamente abracada do sollicitar
causas que Ihe poderia haver granjeado ci-
tes inimigos s por que elle desempenhava
,io ultimo Porto 2 das c mcio Paquete
Ingle/ Linnet Commandanlc o lente
Coghlan.
DECLARACOES.
No dia seguinte quando nosdispunha-
mos para entrar no aposento da joven esposa,
para com os chascos e gracejos do costume a
oomprimcnlarmos, nem um de nos achou ri-
sos nem um achou alegra. Entramos o
noivo tinha desapparecido a noiva eslava
detada envolta numa especie de morljdha;
corremos para olla aehmo-la mora
( Augusta eslrcmeceu : o mancebo fez urna
longa pausa, como que para comprimir as do-
lorosas sensagoos que tinha despertado essa
narraco depois de ter levado o knco aos
olhos proseguio.)
Em cima de urna cadeira do aposento vi
o-so ainda as vestes de noivo e n'uma mesa
um bilhete que dizia Incrdulos aprendej
a conhecer-me : sou o noivo d'alm-tumulo .
( Nossa desosperaco nao b exprossoes
que a reprosentom ; a camarista da infeliz
nao pude dar-nos informaees algumas so
nos dissft que por dormir no quarto contiguo
tinha podido ouvir logo boca da noite mili-
tas msolitas risadas a que succedeu profun-
= A Cmara Municipal desta cidade do I
Rccifc faz sesso extraordinaria no dia 1 do
correte Agosto.
do nao interrupto silencio ; nem ruido de
chaves, nem som do passos tinha ouvido e
por isso nao sabe como o noivo pode sabir do
aposento. Indagamos do gunrda-portao se o
tinha visto sabir : elle o nao vira.
,< Nao podendo ere: de leve em cousas que
nos pareciao absurdas tinhamos rvsolvido
examinar as menores circunstancias para des-
cobrir onde eslava o verdugo de nossa mise-
ra parenta amos sabir para implorar o au
xilio da polica quando meu desgranado lio
receben urna carta do Berln era do conde
de T, Grave enformidade que o tinha posto
m risco de vida Ihe havia impedido de vir
para o castello como prometiera ; elle pe-
dia que odesculpassem e que adiassem o casa-
mento Essa carta deviamos ler iccebido na
vospera : essa carta loria evitado grande in-
fortunio : um sinislro acontecido ao portador
tinha retardado por 21 horas suachegada.
Nao havia, pois sido o conde que eslava
doente em Berln, o noivo da infeliz; uo ha-
via sido elle .ue a G"l> assassinado. U
AVISOS DIVERSOS.
\ Lotera de 1%. Scnli -
ra do Pozario corre infa-
Uvelmeutc 11 > da 7do coi-
rente ; os Mlheles achfto-
se a venda nos lugares do
coslume.
= O thezourciro da 2. parle da ."i. Lotera
do Livramenlo, pagar os premios da mesma
nos dias 3 e i do corrcnle no 1. andar da
casa D. 8 na roa do Crespo das 10 horas
damanhas 2 da tarde; e dcpms pagara na
casa de sua residencia ra das Cruzes nos
dias segundas c quintas feiras de todas as se-
manas s mesmas horas.
Preciza-se de um menino para urna
nadara, qae este lenha 12annos de idade
ponen mais ou menos : na ra da Senzala
N. 29.
= Leonor Carolina Catanho de Vascon-
celos professora substitua das cadeiras de
primeiras letras desta cidade faz sciente aos
paes de familias que m conseqnenoia de
se achar vaga a cadeira do bairre da Boa-yis-
ta pr a respectiva professora ler-se jubila-
do : a annuncianlc na qualidade de Substi-
tua vai regar aquella cadeira para o que
previne a todas as pessoas que quizerem ma-
tricular as suas lilhas que brevemente pu-
blicar o dia em que dar principio aos seus
trabalhos \ assim que tenia arranjado una
caza propria para esse fim.
^= Francisco Joze da Costa brazileiro ,
relira-se para o Aracaty levando om sua
companhia um son eaixeiro de nomo Vicente
de Paulo Ferreira Chaves c um fmulo.
VoncesludOliveira Cabial, brazileiro,
relira-se para o Aracatv.
= llypolhcca-se urna morada de caza ter-
rea na ra velha por 400* rf. ; quem qui-
zer annunoe.
= IVreisa-se de mocos .ue suibSo Iiem
trabalhar de masseira ; procure na venda
nova na esquina da ra do collegio que di-
r quem preciza.
= Quem annumiou no Diario de honlem
n. 165 um escravo crilo de 18 annos ven-
da leve ao porto das canoas no armazem df
Paiva &Manoel.
= Jofio de Brito Concia na qualidade do
invenlariantedos bens que dcixam sua fale-
cida mi Luiza Chrstina Teixeira avza
aos acredores da mesma sua mili par que
quanto ante venhao competentemente abcli-
tar-sc no inventario que se est proceden-
do no juizodo civel da ">. vara escrivo San-
tos para ai serem attendidos os seus d-
bitos.
ss O Arrematante do imposto das agoas-
ardentes de produceo brasleira do Muni-
cipio do Recifo Onda eCabo, aviza aos
snrs. de engenhos que vendem pelo miudo ,
em caadas e a garrafas, eomo seja o snr.
Joan Coelho da Silva do engenho Palmeira,
e sur. Joo Carneiro do engenho Ammarem ,
e outros que devem dito imposto em que fo-
ra collectados ; que i?m conformidade man-
dem pagar o que devem, e de novo serem col-
lectados sobre a pena de serem oxeculados na
forma da lei assim como lodos que qui-
zerem vender dito genero podem mandar
ajustar-se com o contractador sob pena da
que se o nao lizerem estaro sujeitos a collec-
ta que Ibes forcm imposta. Recife l.deA-
gosto de 1812. = O Arrematante Thom
Pereira Lagos.
= Constando abaixo assignada que Jo-
ze Rodrigues de Oliveira Lima pretende hy-
polhecar o sitio no lugar da Barreta annexo
a propriedade da abaixo assignada ; por isso
previne ao respeitavel publico e a quem me-
Ihor convier, que nao contra tem negocio de
qualidade alguma com dito Lima, sobre a
mesma propriedade 5 visto perlencer esto si-
lio quase lodo abaixo assignada por nao
ter cumplido com os pagamentos vencidos ,
como se poder ver nocartorio do Escrivo
Coelho. Adverte-se mais que tendo o mes-
mo Lima urna pequea parte no sitio da lly-
bura de que lobem he proprictaria a mes-
ma abaixo assignada desta mesma parte,
se acha penho.-ada por execucSo minha ,
pelo principal e cusas, na quantia de
um cont cento c tantos mil rs.; c para que
ninguem se chame a ignorancia se faz o
presente annuncio. Ignacia Maria Xavier.
-- Ouem annunciou no Diario de honlem
prmeiro do correte Agosto querer vender
urna creoula para fora da Provincia pode
dirijir-se a ra da cadeia do Recife N. m pri-
meiro andar.
noivo o assassino quem havia sido .
O mancebo calou-se ; nem urna re 11 ex Ao se
fez ouvir : (piando acabou todos eslavo
horrorisados. Guilhcrme nao sabia se devia
dar crdito sua razo que Ihe moslrava a
impossibilidade dessa historia. 011 a seo joven
amigo, que sempre havia conhecido, verdico
e consciencioso. Cansado, emfim dessa lu-
la elle inlerrompou o silencio.
Ilcnrique isso que nos contaste*
verdade ? Vistos vossa prima amortalhada
por mios incgnitas lestes o bilhete do as-
sassino ? Ser todo verdade 011 antes algu-
ma invencao de vossa phantesia para onlre-
ler-nos h divcrlir-nos nesta tao comprida
noite de invern ?
- Contei-vos a verdade do que presenciei.
e anida naodei a ninguem oireito para duvi-
,|ar da minha sinceridade.
__ .Nao vos enfadis meu bom amigo ,
tamaito meu nteresse nossa historia, e
olla repugna lano razo que deveis consvu-
lir-mc algumas duvidas.
- Sabis alguma particularidade sobre o
noivo de alem-tumulo i' pergnntou Augus-
ta com voz trmula e balbucante : contai-
nos quanto sabis para que seja-nos possi-
vel precaver tamanha cataslrophe.
Eos olhos de Augusta e sua voz estavAo
to supplicaotes e seu ar de susto tanto
realcava sua bellesa que Henrique nio po-
de resistir.
E' bem vago formosa Augusta bem in-
certo o mais que sei do noivo de alem-tumu-
lo : preocupado pelo infortunio de minha
prima proeurei, quanto me foi dado re-
montar a origom dessas tradiertes aterrado-
ras. Tudo vou conlar-vos : feliz de mira
se pudor convencer vosso pai e impedir essa
casamento que elle quer concluir em anno de
man agouro com pessoa que nao conhece.
Tolos ento chegarAo suas cadeiras fiara
mais perto de Henrique. Depois de algum
silencio elle comecou :
(Continuar-se-ha. )


I? fe Ur..WJ IB
--.
tr Raimundo Frederico da Cosa e.Silva,
rclira-se para o Maianimo.
tsr Agostinlio Joze Fernandos Cuimares
retira se para porlugal a tratar de sua saudo.
SST O Capito Joze Lopes de Carvalho ,
retira-se desla piovincia, a tratar Jeseus ne-
gocios nesle Imperio. por isso faz o pre-
sente annuncio para conhecimenlo das pes-
soas, com quem tem litio transadles de
t|ue e aoha saldado em contas.
tsr Izabel ('.andida de Carvalho Ferreir ,
retira-se para o Porto a tratar de sua saudc ,
com duas lillias menores.
r^" Antonio (-andido Augusto, e sua mu-
Iher Mara Candida Augusta ; retira-se desta
provincia.
P1LULAS VEGETAES E UNIVERSAES AMERICANAS.
Estas pilulas j bein conhecidas pelas gran-
des curas que tem feito, nao requeren) nem
dieta e nem resguardo algum 5 a sua com-
posigo to simples que nao fazem mal a
mais tenra crianga : em lugar de debilitar ,
fortifico o systema purifico o sangue ,
ugmentao as secregrtes em geral : tomadas ,
seja para molestia cbroica ou somonte co-
mo purgante suave; o melhor remedio que
tem apparecido, por nao deixar o estomago
naquelle estado de constipado depois de sua
operago como quase lodos os purgantes fa-
zem e por seren mui facis a tomar e nao
causarem incommodo nenbum. O nico dc-
alazo, com urna cslrela na testa, e com can-
galha ; deojlevar ao palco de 8. Pedro de-
Ironteda casa do bilbarque sera recompendo
t&~ Quem tiver un pelo para Mugar ,
de boa conduela que sirva para pag*. m e o
queira alugar, annuncie.
M* Anenda-se na illia defronte do palacio
novo urna grande c excellente casa t rrea ,
rom iim grande soto, t um bom quintal cer-
cado na ra dos Quarteis no primeiro an-
dar per cima do botequin:.
t?r O Reverendo Antonio Chavier Pinhoi-
io ya i ao.Rio. de Janeiro.
COMPRAS
psito dellas em casa de D. Knoth agen-
te do author: na rila da Cruz N. 57.
N. R. Cada caixinba vai enibrulliada en;
seu receituario com o sello da casa em la-
cre preto.
*a<- OsSrs. adminislradores da casa falida
do Sr. Manoel Pereira Cuimares A Compa-
nbia aviso a todos os Sis. Credores da mas-
sa administrada para se reunirem no dia 5
do crtente pelas 11 horas da manha no es-
criptorio da adminislrago na ra da Cruz no
Recife para Ibes sor patele o estado actu-
al da mesma casa.
tsr Aluga-se o sobrado de um andar e lo-
ja no becojdo Padre D. 5 ; quem o pretender
dirija-se a ra da Senzala junto a restilaco.
t&" Ha um mez pouco mais011 menos fur-
tarfio da casa de Antonio Joze da Costa no
atierro da Roa visto J urna pistola ingle/a de
espoleta de baila Angada com o cao que-
brado na parte superior ; quem a restituir na
ra larga do Rozario D. 5 no primeiro andar
receber de gratificaga o vallor della a vista
deoulra que se Ihe apresen tara.
tsr ConvidSo-se aos Srs. Socios da Socie-
dade Apolnea ej-utos para formarem a nova
Commisso administrativa para que hajo de
comparecer na caza da mesma socedade a to-
Lscravos de ambos os*^fcos e tam-
ben) corn cilicios carpinas pecfriros e fer-
reiros para fora da provincia : na ra da
Cadeia de S. Antonio sobrado de um andar
le varanda de pao I). 8.
ta Uma caixa de madeira para guardar
cadeirinba : annuncit?.
tsr Um braco de balanca que nao soja
milito grande e nem pequeo, um peso de
arroba e um de meia dila athe quarta c 2
a 4 taboleiros que sejo grandes e sirvo pa-
ra serieiro : na ra estreita do Rozario viudo
do Colegio a esquerda D. 15.
W Esclavos ladinos de 18 a 0 annos ,
com habilida lesou sem ellas para fora da
provincia 1 na ra Nova D. 15 loja de Anto-
nio Francisco da Costa Rraga das 0 horas
da manha a 5 da tarde.
VENDAS.
tsr Usas geraes dos pen.ios exuahidos na
Lotera do Livramento : na praga da Inde-
pendencia loja de livrus n. 57 e ."8.
tsr Urna propriedade com mais de meia
legoa de trra em quadro prxima ao rio
de l nna com malla virgem de tirar ma-
deiras de construgao e paos para fa^cr ca-
noas tem todas as proporcoes para levantar
engenho d'agoa sendo o terreno de grande
producto e vende-se para pagamento de di-
vidas por isso o prego he commodo : na
fraga da Independencia loja de livros n 57
e 58.
tsr Fma caza de taipa coberta de tena ,
na encruzilbada de Rellem com armago e
ulencilios de venda, e commodidade para
familia independenle da venda na soleda-
de venda confronte a entrada do beco do Pom-
bal.
Agoa de Ungiros cbelos e suigas : na
8>, bros^guins de sedae duraque para h-
meme senhora sapatos de couro de lustro
para homen e senhora sapatos de marro-
quime de lustro para meninos e meninas ,
hotisinhos para ditos, bolins de bezerro fran-
cezede Lisboa mcios bolins ditos broze-
guis de niarroquim para snnhora a 2, e bo-
lins de bezerro francez a 5*1 chapeos de seda
franceza a u\>o00, bengalas de cana a i, es-
;>artilho para senhora a 2.v lencos de seda
para grvala rucias de meninas : na pra-
ca da Independencia n. 0, 7, e 8.
tsr Fina porgo de l de cana, piopria
para encher eolses c liavisseiros ; e sacas
com arroz pilado ludo por barato preco : na.
ra do Aragiio venda I). 11.
tsr l.'m bom preto robusto e moco : na
praga da Roa vista I). Jo.
tarima duzia decadviras de palhinha, um
pir de mangas de vidro duas banquinhas
deamarello em meio uzo: na na do jardim
casa do m<>smo nome.
tsr Azcile doce a IjSOO a caada e GO
a garrafa, dito de carrapato o de coco-a 5200,
arroz branco a 12ji medida reina e verme-
Iho a lOj espermaceti a 700 sevadinba a
160 sag a 280 sevada a 100 farinha do
Maranho I 40, massas tinas .. eslrclinha. pe-
vide, macarrfio, talharim lelria presiin-
lo a S0 lingoissas a r;00 paius a 200 rs. :
na ra Nova D. 55 ao pe da ponte.
t^ Fma negra de naco de 20 annos ,
cozinha boceleira c perfeta engomma-
deira ; na ra Direila l). 55 segundo andar.
w Cordas para violas feilas de garga ,
ditas de seda retroz preos e de cores bo-
tes para casaca de diflerentes qualidades .
leques anes, anelOes dourados navalhas fi-
nas para barba n mais miudezas por pre-
co barato : na ra Direila D. 55 segundo an-
da, das i as (i da tarde.
13^- l'm molcco pessa de 20 annos de
todo o servico ; um preto Irabalhador de en-
liada em 468,>888 : um preto de meia idade
preprio p.ra servico de campo ; e duas canoas
.bertas que servem para conducho de lijlos e
ci.tullios. Tambern se vende dividas seguras
com razoavel abalimento.
tw Na ra do Amorim N. 105 estabeleci-
mento de Antonio Yaz dliveira conlinua a
vender bom caf moido em porcoens e a rela-
Iho, por prego cmodo ; igualmenle recebe
caf em grao para torrar emoer; na memaca-
za ha para vender quatro rodas de -ferro pro-
prias para bombas de cacimbas e um borrador
com seu com peten le fSjftoe mu moinho gran-
de para moer caf.
rm^m 'Vis de parroiras da* melhor qualidado
ilt^ja da Italia e pedia marmore de difli-
1 enrwftamanhospara mezas: na na (la Cruz
D. 1 junio ao arco do Ron; Jezus.
= o armazemde Joaquim (ongalves Vi-
eira (iiimares dcfronle das escadinhas da
Alfandega presuntos bons a 200 rs. a Ib.
= Fin pequeo rebanbo de boas ovelhas
na cidade de Olinda ra de S. Rento casa de
sobrado D. 16.
E S C R A V O S F li G I D O S
chada ; urna prela de honila fi 11ra engom-
madeira e oozinheira de forno e fiigo que
se dar a contento: duas negrinhas de 12
annos : na ra do fogo ao p do Rozario De-
cima 25.
S2"r Fma negra da costa, robusta e sadia,
quilandcira cozinha o ordinario : em S. A-"
maro na entrada da ostra.la do mesmo, sitio
de Joio Baptisla Claudio Tresse.
t3- Fma cadeirinha em muilo bom uzo,
por preco commodo; e um bolo em bom uzo:
na ra do Colovllo D. 50.
tsr Farinha de mandioC' em sacas de al-
queirc de superior qualidade mui bem
ts?' So dia 20 do correnle fugio um escra-
vo de nome Joo naoiio cagance represen-
ta ler 25 annos ; levou vestido carniza ese-
roula de algodaozinho, bastante alto, seco
docorpo, nao tem barba, pscompridos e
secos tnm em urna das peinas um signal do
boubas ; sabe-se que o dito escravo tm em
vistas embarcar: por isso roga-se as pessoas
encarregadas da Polica toda a vegilancia e
mesmo alguma particular que o pegar pde-
la leval-o ao sitio da Palmeira trras do en-
genho da Torre a J0A0 Rapista da Silva, que
ser recompensado generosamente o seu tra-
balho,
t&- Do engenho Palmeira de Jaboato,
fugio em meiado de Julho p. p., um molc-
quo, que representa i annos de idade la-
dino e bem parecido sendo o maior signal
que tom nao estirar o dedo minimo da mo
esquerda por causa de um panericio que le-
ve no mosmo do nome Pedro, e consla an-
dar pelo bairro do Recife, com o supposto
nome de F.stevao : quem o aprehender leve-
a Joo Coolho da Silva, no dito engenho,
ou na ra da cadeia do bairro de Santo Anlo-
--------------.--v.^. n,- .v v,,.uu iiuiu ra auum 1;
marera posse boje (2) as G horas da tardo ,; thodo de aplicar dila agoa 1
> mr:i lplap_ca .1.. ..,,..,.;..*. ^_. r* *
I til a saca : no armazem de Joaquim F.onsal-
e para tratar-se da seguinte partida para a
qual podem os snrs. socios comparecercm pa-
ra pedir bilhetes de convite.
WT Precisa-se de urna casa terrea ou um
andar de sobrado no bairro do Recife c que
naoseja em ra muilo exquisita paga-se al-
gunsmezes adiantados, ou d-se fiador a
contento como convier ao proprietario : na
ra do Amorim a fallar com Antonio Joze
rancisco Veiga.
--"r Roga-se a pessoaque por engao tirou
urnas cartas vinda da Rabia pelo Vapor Rra-
sileiro Paquete do sul para Manoel Ribeiro
la Fonseca queira ter a bondade de as en-
tregar na ra Nova D. 5defronle da Matriz
ou annuncie sua morada.
jj^, v t v "*v "tua,iu;> suias u as ioji
Malriz urna Jg '^ i^gS SS^Sff, ^^Z^T a I^^ ^ ^^'^^
Ca.a termo da Cdade do Porto, para Anlo- tratar na ra daCadeiao Recin ai?Ci,?niia ma,b" visu.de ladoque Irin-
...o de tal i qnem or seu dono baja do pro-, tsr Fm cabra c r ,>o e 'rador na ra gSjS' ?ada qUt dWM ^Nl a esta
Citrar oujann.mc.ar a sua morada. Diroita passando o beco da pe,Z sobral de mi Vi 1^ mtT*em d r na cxlenil0 de
t&- O meio bilhete que ja foi annunciado | dous andares de varanda de ferro i pZ ^ 1,4 de]*** para ima e Para baixo di'
por este Diario de SO do p. p. da segunda tsr Farinha da torra em sacas a ^QH S*.* i de8frlIcla toJos S ommodos de
parte da segunda lotera a favor das obras na venda nova defronlede LSI d^ .miedo .n^.3 fe^f ,0,r estar Prxima ao rio o a
IgrejadeN. S. do Rozario de n. 1752 que por : passeo publico. w at ^Ic, d lwrte d jais plena j.berdade. Esta caza tem G sallas
engao se nao poz o numero, perlence a An- | t^- Fma canoa que pega em b* caTe m, ^.quarlos 2 cosin,ias > sinhas para pretos ,
tomo de Araujo Soutello da Cidade do Para. :' lodos os seus predeuces na ra d nrill T I eSl"bar'-a e *Umlal murado e offereci franca
WDeseja-se fallar com o Snr. Antonio mazem de Joz^da Campos P '" 3r"' TT^ paraPassarem esla "" duas gran-
TfI21*lt?* '>ara RfiWl de seu tsr Mofas sacas denuito superior farinha SLS!?? 2 'ndPndentea .omo ja tom
feta na Muribeca : na ra do Colegio D. 2
lado do poente.
Fmaescrava quitandoira lavadeira ,
lanquim acabado de novo, e bem dom-nin '-* ^ ,
! ainda nao foi servido : na na da Cade a do JCJu^ Cm **""*" dP man,,Ca de ,,oa
Recife 11 12 arua ^le.a do qualidade e prego commodo, bem como
i & 5 pedras de sacada com 20 palmos de TSPZSff frt* gCnCr '' I" ""
; comprimento ; e um violo novo na na di 1' ,d/t.m P' a
senzala n. 51 da tsr Una duz.a de cadeiras un. sof um
tsr 5escravos sendo um pescador nutro T f CaS ,,ra d Porto e mod'3rna: na
! carpina e oulro para todo o^vigo de cara os. *" ^ ^'^ JoM da Silva **
po; urna escrava engommadeira e ensahna- *-. iu- .
deira e caixas com 1G libras de mai 1P1^-L8 PU0Mdoca,si,no8 P^WS pare
dinheiro ou a praso : na da Sl<5d nu '' -ri^a0.d! ,0J :" do Queimado D 1.
mero 140. ** nU .lsrn A v,1,va e F''os de Antonio Joze Tej-
er Fma morada de casa de um andar cn2" Vend,0'1ara Pagamenlode seus
com 8 quartos salas e as lojas G gradi I SeT 1 ff"'.kTi P"* ^ StH
nuinini m..ai,,. _;u. _'Jas, t-rdn(,e | a'em do no Capibanbe defrmle da Povoa-
1110
sobrado de
cadeia
Ferreirade Andradc para negocio de i
inleresse, dirija-se a ra da Madre de Dos
loja D. 21.
tsr Perdeo-se urna cartoira no dia IR i
acontecido .faz parte desta propiedade duas
olar.as com 2 fornos, terreno sufficienle onde
se lira todo o barro necessario para o manojo
das olanas : tem alein disso baixa para capim,
o grande terreno onde se pode fabricar o mais
delic.ozo sitio pela ferlilidade do terreno
Jonde sea possede um terreno no atierro dos
AITogados com fundos atbe-a baixa mar
, mais urna carta ptimo para pagem por"w ba,hnle exnTrinP 'V m fun',os athe a
para entregrr ao caixeiro do Sm Rernardo dThnniS. r..,Z, for ser nas,anle experlo e qual tem 50 pa mos do fenle e ia en
I-uiz.da Costa; quema achar por obsequete ^ V10^^ "nun- corees; mais &G palmos Po\"lir^ 7
queira annunciar a sua morada. w l'ma nnrrn ,i nnr, 18us,a rom 2 n:il e tantos de fundo e
w & Roga-se, aoS, Padre Manoel Rranco I lZ. ^SPISZ'JSZ* &\'!** "."* 1* : mais
> andaros junto a oseada
da mesma cadeia que ser bom recompen-
sado.
tsr Fugio um negro no dia 5 do p. p. Ju-
lho por nome Joao, naco cagango idade
50 anuos pouco mais 011 menos, estatura b.i-
xa groco do corpo peinas arqueadas e os
psgrogos e Ibveiros pelos lados, e lorrio/el-
!os um mais do que oulro com talla de um a
dous denles a dianle da parte dcima,;? olhos
fumagados : quem o pegar leve-o a ra das
Cruzcs D. 1 quo ser generosamente re-
compensado.
tsr Fugio no dia 25 de Julho p. p., um
negro e nome Domingos, nago cagange ,
idade 50 annos pouco mais ou menos al-
tura regular p s cambados para o lado, apa-
Ihetados e em urna das pomas tem una
grande cicatriz d'uma ferida que leve ; tem o
apellido de chambary e desconfia-se que se-
guisse para as bandas do sul: tem os signaos
seguintcs--corpreta, feigoes miudas boca
pequea e olhos vivos, parecendo creoulo :
quem o aprehender leve-o ao beco da Lin
gueta ven a de Joaquim Joze Rebello que
gratificar o seu trabalho com generosidade.
cr No dia 51 do p. p. desapareeeo o es-
cravo Antonio baixo grosso do corpo, pez
grandes e chatos, tem faltas de denles na
frente lalla bem explicado do 50 annos ,
levou vestido camisa e caigas de algodao tran- *
gado, e camisa de chila chapeo de couro : -
quem o pegar leve na ra D.reila padaria
\t. lo que ser recompensado.
tsr Fugio da ca.sa de Joo Das Rarboza
Macudum na ra de S Rila urna escrava o
um escravo, a escrava de 22 annos de nomo
Luiza crela acabialhada de estatua pro-
porcionada cheia do corpo, odos pequeos,
eom vestido de chila azul e oulro de liscado
tambera azul e camisa de babados : o es-
cravo de nago congo de 25 annos, de cs-
ura resillar secco do corpo
e ja com ali- : V"""1 re8l,I;ir secco do corpo cara redon-
B/daruaAu-.1 '' e nioslra l'ir csti,l, docnle levou ca-
|iio.i;a annunciar a sua morada. & |ma norcao ... -__. n nra. i 8"81 rom 2 n:il e tantos de fundo e que s I n,lsf v;,ha dc ald*0 > Ca'Cs de ganga a-
t#- Roga-se ao Sr. Padre Manoel Branco toquT, ^t^tEl fe !S"? *"??** mars : mais (Jh,il's "1 "T* \ ^ Umhem ^* m "'"a
Rezcrra natural de Macei baja de mandar la iSto^^ld-ffaSi .Pa A5 ?a jl ***#* Pra neUe edificar-se" ^ fbro esquerdo de sujo de carre-
conclu.r em Pernambuco o negocio que nao didas de folha e"lc pu pm^ laerrn caires"' m"", Ji frrage"8 "a pracinha do Li' E f qTf S ****' ,eve a di,a casa "
,gn0ra' !Pa- mostrar gne^Tre^m".^ ^M^^^JT^ "^ 2Trt"^oCoB* '"le -r recompon-
tsr Roga-se a pessoa que pegar um cava-
Jo que desapareeeo no dia 50 do p. p. do
palco di ribeira com os signaos seguintes :
mallas ,_e velas de espermacete : as 5 pon-
as D. 25 onde tem lanipio.
tzr Chapeos do Chile fines de aba larga a
-- caza onde
lMa a l0Ja a Vnsa comprar por pertencera
caza a annuncianle. A parlo de urna caza de
o andares na ra da Cruz no Recife n o ,(;ava_ RFXIFENA TVP. MSM.F. DE F. = 1812


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ5PC1ENZ_NRA5PY INGEST_TIME 2013-04-13T01:09:43Z PACKAGE AA00011611_04760
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES