Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04757


This item is only available as the following downloads:


Full Text

m
Anno XXVII
Sexta-eira 28
DIARIO DE
de Wovembro de 1851.
JN. 270.
PEMAMBUCO.
. ~ ~t. ktijit'T'^k^ m "crri
A svTBCaiPO'lO.
Aduntj.ho.
Pdr trimestre.......
Por semestre c..........
Por anno .........r
Paoo DBNTSO DUTamtSTSH.
Por quarlrl.............
NOTICIA! DO IMPERIO.
Minas.. ai5 de betbr.
DAS DA SEM4IA.
Pari..... 8 deNovbr.
Miran bao lldedllo
Ceani... 16de dito.
Parahlbi. 2l de Nobr.
i... .
S.Peulo.* 3 de rlim.
II. del., II de ,\ovkr.
Babia... 17 de dito
1/000124 Scg. S. Joo di Crui.
8*0001', Tcrf.Syilucuod v.
l/)CM j( yuart. IvPedro Alc-
zandrlno b. m.
27 Quint 8. Margarlda.
28 .Vfll. S.CregorioIII.
!l Sao. (Jejun JS. Si
lurnino in.
3U Doin. 1.a do advens
S. Andr ap. C
i/500
audiencias,
Jm'iod Orp/iol
2. eS. a lO horas.
i. varadocivtl.
3. c. ao meid-dia.
Fazenda.
3. e6. al 10 horas.
2' rara do rii-r/.
4. e abados ao meto-d.
Helaran.
Tercas e sbados.
PARTE OFFICIAL.
*
EPHWInElDEI.
Crcsccnle a 30, a I hora e 7 minutos da larde.
Cheia a 8, as 9 horas c 2 mioutos da t.
Mingoante ili, as 7 horas e 2 minutos da ).
Nova .ii?-!, as 11 horas c 47 minutos da tarde.
ra Ai a n di ho je
Primelra s 3 horas e 18 minutos da tarde.
Segunda s o horas e 2 minutos da inanha.
H
rATlTlDS DOI COBB.EIOS.
Goianna e raahiba, s segundas e scitas-
fciras.
Rio-Grande-do-Norte, todas as quintas-feiras
aouieio dia.
Garanhunsc Bonito, 8 e 23.
Boa-Vista, c Flores, 13 e 28.
Victoria, s quintar-feiras.
Olinda, todos os dias.
NOTICIAS TITBANOUBA.
Portugal. I 1 ,1,- llml,, Ans,-,-, 3deOutbl'
llr-paoha. 8 de dito Sulssa. .. 3 de dito.
Franca... 8 de dito Suecla... I de dito
Blgica... 4 de dito Inglaterra OdeOulbr
Italia.. .. 3de Oulbr K.-Unidos 2id>Setbr.'
A le mi -mi i i de dito Mxico... 15 de dito,
l'russia... 3 de dito. California SOdeAgosto
Dinamarca 3 de dito ,Ctiila. 26 de Abril.
r.n.ii... I de dito Hucnos-A. 3 .'.e Selb.
Turqua.. 21 de Selbr|Monlcvidco rjdc dito.
CAMBIOS SE 27 DX KdlBmo.
Sobre Londres, a 28 3;t c 29d. p. 1/000 Firme
Paris, 333 por Ir.
Lisboa, sein liansacces.
MBTAKI.
Ouro.Oncasbcspanholas.... a 28/600
Hoedas de 6/400 veibas. 16/000 a 16yM0
- V de 6J400 novas. 16/000 a 16/200
* a.i de4/0C0....... 9/D00 a 9/100
Pratt.Patacoes brasileiros.. 1/940 a 1/9"
kfX Pesos columoarlos... 1/920 a 1/910
'" Ditos mexicanos..... 1/740 a 1/750
Alves d
nsegul|>
que estfjam sentenciados, pols que a sentenca I dade, o contrato feilo C0(n Bazilio A
se inclue no prooesjn, c se nao da o vcrdadelroMiran la Varejfio, cumprindo por conseg
processo sein a sentenca, para applicar-sc o|,e joferir.se 0 reclaroaiile.slos Antonii
da segunda vara que' pode accarretar bastante. if PP08t. o trahalho 8 despez.S do, llgri-
dilliculdades e conduair a ciecncao a alguns|UB10 a respoitodo commuso, he o propno
absurdos, como por exeniplo de seren perdoa-|aue convm em que so estipule novo foro,
dos os que anda nao tivcsscui sido julgados elque olleso obriga com condices mais van-.
MINISTERIO DO 1MPEUU). *
Approva a solucilo da I* pelo presi Jento I -
provincia do MaranhSo duvida proposta
pela cunara municipal da villa de Pastos
li'nis declaran lo que cmara municipal
a que nertencer a freguezia da residencia I luir osqueuui dia antes tivessem sido, aln-I tajos do que as oflerecdss pelo outro pre-
do.le.tor multado compute .r^^^^
producto das multas impostas pelo COlle- proceMo da mesma inaneira. Nao pode
gio eleitoral. I ollerecer duvida alguuia o decreto de 18 de ju-
1.' Seccao,llin de Janeiro. Ministerio lho de i84i, e o que em outros se tem determi-
dos negocios do imperio, em de sutembro
de (851.
Illm. e Exm. Sr.Tendo sido presente a
S. H. o Imperador, com o oflicio de V. Exc.
de 26 de julho ultimo, a copia do que Ihe
dirigir em 31 de mao desle anno a cmara
municipal dt villa de Pastos Bjiis, dessa
provincia, consultando a essa presidencia
se pertencia a arrec Jacta das multas im-
postas pelo collegio eleitoral dos eleitures
quefaltamsem motivo justificado cmara
do lugar onde so rene o collegio, ou a do
districto da frdguezia da residencia du elni
lor multado : houvo o mesmo Augusto Sa-
nhor portrem approvara solucta dada por
V. Exc. aquella duvida, di (darn lo que dis-
pondo o art. 127 da lei de 19 de agosto de
1846, quo as multas declaradas pela referida
lei faro parle da renda municipal do termo
em que residir a possoa multado, ho mani-
fest que cmara municipal a que oerten-
cora freguezia da resiJencia do eleitor mul-
tado, e nan exclusivamente do lugar on-
de se reuni o collegio uleiloral, competo
arroeadar o producto das mullas maosla.
pelo mesmo collegio. U que commuuicoa
V. Exc. para seu conliecimenlo,
Dos guarde a V Exc Vitcondc da Monte
Alegre Sr. presidente da provincia do Mn-
ranliSo.
AVISO !H: 19 DE SETEMISRO DE 1831.
Declara que deve proceJer-so apurac^o
dos votos para vareadores e juizes do paz
da cidade de tlaxias, na provinria do M-
ranho, pelos respoclivoslivns, ns forma
ordooada pela presidencia.
I." SeecSo.Rio de Janeiro.Ministerio
dos negocios do imperio, em 19 de setombro
do 1851.
Illm. e Exal. Sr.Sendo ouvida a seceso
do imperio do conselho de estada sobra o
idlicio da presidencia dessa provincia de 30
de Janeiro do anno prximo passalo, e pa-
pis que o acompauharam, mlalivos a filn-
lianra > das acias,da eleicao de vereador^s'e
juizes de paz a que se proceden na cidade
do Csxias no mez de outubro do 1849 hou-
ve Sua Magef lade o Imperador por bem de-
clarar quo, nSo estando (trovada a argida
falsincacdodas actas, nem ioOniudo, quan-
do reslmeiile exisiisse, no resulta lo da vo-
tacflo, deve a cmara munlciial procedor
aiiuracilo ; elos livros respectivos, romo llic
fora ordenado pela presidencia da provincia
cm ollicio de 7 dodezembro de 1819. Oque
cammunicoa V. Exc. pira seu con iccimou-
lo o execufo.
Dos guarde a V. Exc. Yisconde de Monte
Alegre.Sr. presideulo da provincia do 11-
ranliSo.
GOVEKNDA IMlVINGIA.
EXPEDIENTE DO DIA 17 DE NOVEMBIIO DE
1851.
Officio. Ao desembargador chefe de poli-
ca, dizendo (juc vista do que cxpde o direc
lor do arsenal de guerra do ollicio que remeti
por copla, nao podem ser rccolliidos ao mesmo
arsenal, conforme S. S. propoi os dous meno-
res, que Ihe foraui enviados pelo subdelegado
da Boa Vista, o qual deve conseguinteuicnie
mandar novailicnte reccbe-los no iiicsiuo arse-
nal* lnteirou-se ao referido director.
Dito. A pagadoria militar declarando que,
visto nao ae ollerecer mais duvida alguma, -
cerca dos papis rclallvos a divida de que pede
pagamento o tenenlc da quarta clanse do exer-
cito Jos Gyrlaco Ferreira, deve devulvc-los
presidencia, alim de seren rcinctlidos thc-
souraria de fazenda.
Dito. Ao director do arsenal de guerra,
concedendo vista do orcamento que devolve,
a autorisaco que pedio para despender a quan-
tia de 297/920 ra. com a proinplilioacio do ln-
damento para a companhla de artilices.Com-
inunicou-se pagadoria militar.
Dito. Ao jiu/. de direito da comarca do Bo-
nlto, approvando a nomeacao que fes de
Francisco de Paulada Cunta bastos para subs-
tituir interinamente ao escrivao privativo do
jury daquelle termo Manoel Teixcira de Car-
valho, que falleceu..
Dito. Ao segundo substituto do juis muni-
cipal da segunda vara desta cidade, disendo
que com a copia, que remelle, do parecer do
desembargador procurador da corda soberana
efsienda nacional, responde ao ollicio de S.
mc.de 4 do correte.
Parecer d que te refere o ciprio cima.
Illm. e Exm. Sr. --*' vista do offlelo de V.
Kxc. de i I do correntc. que acouipanbaram o
do juis municipal substituto da segunda vara
desta cidade, as copias do decreto de 16 de ju-
nbo c do aviso da reparlicao da guerra de 23
de agosto deste anno, tenho a ollerecer a con-
siderarlo de V. Exc. o que me patecc collegir-
se das expresses do mencionado decreto, pelo
qual forain perdoados os reos do criuie de des-
ercao. Com quanto emenda acuelle jui que
lias expresses -- eslejain ou uao processados
nao se compreheada os desertores que esti-
verem condemnados c cumprindo sentenca,
porque desses se nao futra declarada ou expl-
cita menean no mesmo decreto como accontc-
cera pelo de 1 de junio de iSil, emendo po-
rein que nao be procedente a duvida oirereclda
para nao enlregar-se o soldado Manoel Virissl-
ni) de Jess, que se acha condcinnado a cum-
prlr seuteuca de priso por dous anuos na Iba
de Fernando de Noronha. O decreto de que se
trata he genrico as palavras Heiporbein
perdoar os reos de deserco estejam ou nao
processai'os, urna vez que se apresentem no
praso de seis inezes, eto c por isso nao ex-
cepta os queestiverein sentenciados, visto co-
mo o perdao, remitle a culpa ou pena; e en-
lender-se contrariamente, resultarla que nao
aeriain perdoados os processados que esto pre-
sentes e nao tem de fazer a arn-esentaco no
praso determinado e slin exclusivamente os
nao processados ausentes, vlndo assiin a limi-
tar-se e reslringir-sc a comprehenso do que
se estatuir no mesmo decreto. (Juandu se diz
processado em crlme de deiersao, enteude-se
julgado, alienta a iclcndadc do processo, a
mesmo porque nao podendo ser processado
sein estar presente o reo, distruir-se-hla una
parte da imperial clemencia, executando-sc o
perdao apenas com os desertores ausentes c
nao processados, ou smenle com o conselho
de disciplina, que nao lie anda seno un cn-
saio para o processo do conselho de guerra.
Aliendendo que nao seda sentenca senao cm
processo, sendo este o feilo que corre eui juizo,
s actos judlciaes e termos cin qualquer causa,
por concludcncia desses principios, o decreto
citado abrangeo os reos de deserco qualquer,
nado, porgue oestes o perdao Coi conferido s-
meme aos sentenciados, sendo parcial,; c pelo
decreto citado fol mais ampio, c se estendeu a
todos osvos jprooeaasados e ao processa-
dos pelo crline de deserco, cntendendo-se por
processsados os seulenciados, porque se nao
pode adinttlir nina parte dos prouessos c regei-
UrfaOUlra parte dos mcsinos, principalmente
nos especiis dos couselhos de guerra, em que
nao lia pronuncia e depois o processo do jul-
gainenlo, mas un s l'eito seguidamente na
prescuco do reo ate tinal deciso. V. Exc
no cntanto decidir o que for maisjusto c a-
certado senao entender, que deva levar a con-
sideraran do governo imperial a resolucao des-
ta duvida.
Dos guarde a V. Exc. Recil'e, 13 de novein-
bro de SJl. Illm. c Eim.sr. Dr. Vctor de
Uliveira, D. presidente desta provincia. Fir-
mino Antonia de Souia.
Dito. -- Ao promotor publico desle termo.
llavehdo necessidade de que nao baja demora
na deciso do processo da apprehenso do pa-
tacho llcrmtna como se ve das inclusas coplas
do parecer do procurador da coioa soberana e
fazenda nacional de 13 do corrente e dos ofnclos
de ;ni/ muuicipal da scguuda vara de 27 de nu<
tubro lido c do juiz de orphus deste termo
de 7 deste mes, c do que dirige ao referido juiz
municipal, tenho a rccoiiiiiit'nd.ir a Vine, que
trate de activar os mais termos do mencionado
processo, requerendo ludo quaulo forabem
da justica, c representando contra qualqucr
oinlsso que a prejudique.
Dito. -- A'iltcnculc-curoncl Fernando Fran-
cisco de Aguiar Montarroyos, recoiiiiiiendaudo
que mande recolher com brevidade ao arsenal
de guerra as armas c mais objectos menciona-
dos na nota que remelle, os quaes, segundo
consta de ollicio do tenenlc-coronel Jos Tho-
iii i de Aguiar Pires Ferreira, S. inc. na quali-
d .dr de cuele do primeiro balalbo de guardas
uaciuiiacs da freguezia de Muribcca, recebeu
ci.i de mam de 1848.
Dito. Ao caminan I une do patacho Pira-
pama, para que receba do inspector da pagado-
rli militare conduza a seu bordo para presi-
dio de Fcruaudo duzentos alqueires de farinha
de mandioca,uina prensa com seus utencilios, c
10arrobas de bolacha, reservando V. me. lugar
competente para o trun-porte dos medicamen-
tos que opportuuameme Ihe sero enviados.
Intelrou-se a pagadoria militar.
Dilo. Ao juiz de paz de l'o-d'Alho. Em
suluco ao ollicio de 3 do correntc, em que V.
me. pede que Ihe eselareca, cm primeiro lugar
se o escrivao desse juizo pode accumular o ein-
prego que actualmente cxcrcedc secretario da
cmara municipal dessa villa, c em segundo a
queui compete no impedimento do mesmo es-
crivao, fazer o registro cstabclccido pelo decre-
to n. 798 de 18 de junlio deste anno, tenho a de-
clarar-llic, quaulo a priineira duvida, que ties-
ta data exlju mforinaccs da mesma cmara,
acerca do lempo c modo porque liveram lugar
as uoincaccs dos dous caigos, alim de poder
resolver respeilo; c quaulo a segunda, que o
registro de que se trata deve sempre ser feito
por quem servir de escrivao do juizo.
Dilo. A adininistraco do patrimonio dos
orphos, approvando que sejam pintadas a oleo
as mesas do refeilorio do collegio dos iiiesmos
orphus.
DEM DO DIA 18.
Oflkio. A'lhesouraria de fazen ll, trans-
iii ii luido por copia o aviso do ministerio do
imperio do 15 du seUmbro ullimo, no qual
se exige o orea-mulo das do.saezas prova veis I
c mi ,i exi-ciico do regulamunlu, quobai-
xou com o decreto n. 798 desle anno,
alim de que, cm vista da nata que tambem
remello, da qual con*tia divisSo em rus-
tridos do paz da mor parle das l'eguezias
l'jrlana.Ao agente da companbia das
barcas de vapor, para dar passagem para i
corto por coat.do govorno a Manool ISunes
de M i ii ra e n Jos Ouol n- Gomos, que t i ve-
ra ui baixa do s uvira do exercito.
rniBuntL da helacaov.
SESSAO DE 18 DE NOVEMBRO DE 1851.
Prndetela do Exm. Sr. coruelheiro Asevtdo
As 10 horas da manliSa, estando presentes
os Srs. desombargadures villares, Bastos,
taSo, Souza, liria' lo, Luna Freir e Pcreira
Montciro, filiando com causa o Sr.defem-
bargador Valle ; o S. presidente declara
aberla a scsilo.
JUI.GZMPSTOS.
Ilocorrento, o juizo; recorrido, o juiz mu-
nicipal do Cabo Manoel l'innino ile Mello.
Mandiram pronunciar o reorrido no
rt. 157 do cdigo criniiiul.
Recurrente, o juizo de direitn; recorrido,
ola Cabral da Silva. Iteformaram o des-
pacho de (|iio o recorreu.
Appellanle, o juizo ; appnllado. Joilo l.eitilo
da Silva.Mandaram a novo jury.
Appellanle, Jos Ferreira Albino; appellado,
.'os Francisco dePa-s Lima. -Mandaram
a novo jury.
Rcorrontes, Mellors Hussel Companbia ;
recorr la, a companbia do vupores por
seu agente.Julgaram a favor do genio
da Conipanltia.
Appellanle, o Exm. Imn do Susssuna ; ap-
pnllados, os berdeiros de Gervazio l'ires
Ferreira.Conlirmaram a senlenca.
Appellanle, o D. Abbado do S. liento de Olin-
da i appollados, Manool Cimillo Vulcicer
esua mulher. Desprezarim os embar-
cos.
Appellanle, Mara do Amparo; appellado,
Vicente Cuedes Gondim. Desprezaram
os embargos.
iLiemciu.
Appellantes, Estevilo Jos Paes Brrelo e
su i ninllii'i appellados, Francisco Paes
Barrlo esua mulho'. Man laram aver-
pellado, i'i.uinsro i'c Miranda Leal Seva
Recorren!-1., Manoel Jos Antonio o outros ;
Recorridas, Jos Ribeiro de Castro o ou-
tros.
iiistribuicQbs.
Agravante, JoJo Vieira daCunba; oggra-
va lo, Francisco Jos da Costa
Appellante, afazeodi; appellado, Manoel
Antonio Rodrigues Machado
Appellanle, Ignacio Jos da Costa ; apella-
do, Ignacio Alvos Feitoza.
Appellante, Manoel Alves Cuerra ; appolla-
dos, Jaso \'i ul ni Riguoira Costa o sua
mulher.
Appellante, Vicente Ferroira da Costa ap-
pellado, Manuel do Souza Pcreira.
Recrrante, Luiz Jos Ferreira Leite; recor-
ridos, Miguel Antonio Lopes e oulros.
lavanl iu-si: a sesslo a hora c meia
EXTERIOR.
-------------
sos cadveres;--pparecem boje suppli-, clarar a guerra ao Bra/l nao ha urna ola
cando-Ihe quo esqueci o sn!manto geno- | dirigida ao governo ingloz/ Sua excelleti-
roso que tanto lugar Icni om sou pcilo, o;cia suprema andn ..... pouco alrapalbado
que por cotisoquencia saerillquo anda S n essa desnocossario desvo dos usos recebi -
m lior numero de victimas He sto tilo ex-
cessivaaienlo horrivel, qu j a penna resisto :
demorar-te sobre tal ponto.
Tambctn nos nflo demoraremos sobre a
parto cmica desses para^raplios, nos quaes
o nico sonlmnnlo verdaleiro que so aclta
exprimido lio a juello profun lo- ai daquello
que por qualquer modo resiste vossa ven-
ia Ir \i-s i s iln i lir n a |u di's papalvos
quo cirio era o que so Ibes f.i/.ia dizer.
Mu I ni o dispomlc, accresccntum grave
..... I1', romo t lora i oi.a nova quo Ilusas
mando e dispoulia das eaber;as de todos
Quinto ao mus, ardemos ja por qu; cheguc
o momento do vermos aquellas intrpidos
ronresentinles marchando todos a guerra,
elovando a sui frente o atilado n vilnroso
general quo soubo empreliondcr com lano
araoj i, e consummar chm lana gloria, a
un nuil I campanil! da Ahur.- la.
Ilestrinjamo-nos declaracito do guerra
ao Brazil, que Ilusas diz agora lor feito ao
Brasil detde 18 iIj agosto, noticia qbu igno-
ramos absofutainnle, apezar do muito que
lomos as notas que naquolli dita passou
ao Sr. Soulboro.
Nos niissos nmeros de 30 do agosto o 2
o \ de scl-nibro ofeupamo-nos mili larga-
mente com aquelles documenlos. Mostra-
mos claramente que, para encubrir a sua
Ir.i.| ui-/.i, para desculpar sua inardfo em-
i|ll Milu lin[ia a boje lili.'rila espomilla no
governo ingle/, aquella faiifsrrSo nrnclama-
bar o imposto da chancellara. ,
uBSiGviggs.
Appollanles, Miguel Concalvoi RoJVin'es
Franca e oulros ; appullados, Jos"Raxi i
CuiiClvcs Muniz e oulros.
Appedlinte, Antonio Jos Pimenta da Con-
ceicilo ; appellado, Joaquim Msrlinho da
Cruz Correia.
MVISI1HS.
Passaram ao Sr. desembargador Villares
ao Sr. desembargador Bastos as seguinles
appellacci em que sao :
A p pe I la n le, a justica appollado, J>3o Do-
mingues de Araujo.
Appellanle. Mara Tlicodora da Concei^ao ;
appelladn, Aleixo Jos de Oliveira.
QUESTAO' DO RIO DA l'RATA.
Montevideo, 17 de outubro.
A deetaracao de guerra feita pilo general
llosat.
No ollicio que Rosas dirigi o mandnu as-
signar pelos sous reprosintanles, dirigido a
si mesmo, ao riimetler-lhes os desaliados
decretos que honteui publicamos, acham-
so, entre oulras preciosidades do mes no
jaez, ossoguiutes paragriphos :
0 bando traidor desilvagois unitarios,
cspilanoulo pelo louco, traidor e selvagem
unilarioUrquiza, lo-nou a empunhar as ar-
mas. Extermina!, sonlior, essa b indo funes-
to quo lo prol'undus infuitunios, que lSo]va-snum D. Pacico ; mostrstoos que a-
grandesdesgracas tem ciusalu a patrii. A qucllo famoso amoricano, uo su reconhe-
sut insolente leima de dominar as reau-'cn no governo ingle/, um dimito do quo
blicas do Prala suhjugaudu o voto nacional! oslo careca, mas quo lho OUtorgava mais do
e poslorgando a soberana do povo ; a sua i que elle pretenda ; mostramos que, quanto
proterva insistencia om cliamir a toda i na- ao Brasil, essas olas eram o mais ruim, li-
So quo quoira auxilia-lo para humilhar as mido o contradictorio que jamis produzir
repblicas de que esses dosnattiralisailos um governo q'cll >s crilo ointclligiveisain-
sflo indignos Albos; lao negra mal lado ho o da pa-a o mais perspicaz odipo |ol-tico, por
cscanda-lo de todo o homem no mundo quo scroin calculadas para si dizer ludo o nada,
amo a sua patria, do lodo o corsc.au em qua o para que nBo so soubesso no A n qual era
palpite a honra. I a resolucSo. Por isso fai quo entro oulras
O poJeroso auxilio da iniervencno eu-^ muilis cousss dissemos cito :
ropa, em que tantj cinliaram. declni ur ll;clira por ullimo : (i., queseantes do
depois de tanto sanguo derramado, decli-'expiraren! us seis mozes, prosoguirem as
nou ante o poJer da opiniflo univorsal, o1 acluaos aggrossOes do Brasil conlra ello llu-
mui especialmente ante a magnnima o para'sas o contra a repblica oriental, nao lho
sempre i minora I resistencia do grande lio Acara entilo oulro arbitrio scno o de re-
sas, o a cooperaeflo do seu Ilustre alliado o polli-las immediatameute. som mais espera.
Exm Sr. presidente Oribe. Agora linoam-' Ni declaraclo t." aesba do eslabelecor que
so essos impos nos impotentes bracos do ja lho he Aireis) fazer a guena immediata-
onvilociJo governo imperial, para que os, monto, pois que o imperio* comoi;ou; o
elevo ao poler.e para vingarou-so assim da i agora ostab.'locc que s a lira no caso de
patria que os repello por asquerosos,porteii-! que o Brasil a proeiga.
deodu roluzi-la ao villissimo papel a quo Quintas contradicAics ; l'atonlo esl a prazer selvagnm, aquelle pira quem ella be
ellos se tem s ijoitado do escravos misera- sua i le de appsrvnlar que declara alguma tuna misslo sagrada ; todos tem os olhos
veis doUrasil. cousa, oque adopta alguma resolueau ; ao : aherlos com o ardor do urna esperance res
Vencerois por cerlioulra vez essi infa-imosino lempo quo acrescc ita imrnediala-'siiscilailaeohre a selvagnm o brutal eslupi-
ine turba, desatinada polo furor do crime;! monte reslricces o norciis que a unntillim. dezilesous inimigos Irumpliantes ; lodos
e rocordai-vosque o sentim^nlo generoso E, sean, a quo ve n tillar ni"'.o con licin d- tem na estravagancis ilasses crimes a prn-
quo lauto lugir tom no VOSSO peito srgenli- nienle.' Posio que, segundo Rosas pretende,
nodeixa de salo quanlo di'siira a imp rio-'o Brasil ja contra olio inlciou a guerra, e
sa justica e se aparta do exigente dever. que de mais a mais, com a su i actual Inva-
das
Mas, cmAm, ja c dec^arou ; bem est. V.
csse guerreiro valente, que conla com a ar-
deute decislo de tola a repblica, amen da
formiJavel pliahmgu dos sous mu briosos
representantes, quo todos sao soldadas, e
soldados quo v3o guerra com ludo quanto
valem e possue, esso inclyjo Rosas que pode
ludo, o i)ii,i fez nos dous m3zes decorridos
desde enlSo O que fez para curar essa* fo-
rida aleivusa quo esta verlcn Jo aaugue, o
que mais sanguo esta demandando, causada
pela entrada e permanencia dos vasos do
.", i imperiaes as guerras do Paran? O
quo fez ao ver que as aggressdes do Brazil
prosegua ? Ropellio-as acaso tninediata-
menle e sem espera, como liaba protesta lu
com engaosa arrogancia P
Oh i ni i;iiii a chegar o tem o om que
todos reconhecero quo aquello homem,
forsa de gritos, di nnpostursse de lorror,
o animado pola fortuna que boje lho tol-
lo u iradamente as costas, linha conseguido
appirrcir com as fascinadoras apparencias
uo um ii i nr ai do valia, snle os olhos ora ex-
poliados, ora venda los, da irrefleclida mul-
lidlo ; mas que entretanto nao foi na rea-
lidade sciiilo um finl'.irrao insoleotee inca-
paz, moral o plisicamenle, de dominar a
nova situacSo, produzida pela sua amliic.Vi
es.'us delictos. (Commtrcio del Piala. )
(Jornal do Commtrcio.)
ESTADO DA EUROPA.
A "lira marcl|],a soara nmadurecc para
a Ion i'. I.a'.i iU.-,nl i que os principes du
Alemenos cilcanans pesos diroilos dos
id.ulos c:n massa, eos soberanos da Italia
decimam os patriotas om departimento; en-
Irelantoque os primei os sn assignalam ues-
sa guerra conlra a libardade oor vorgonho-
sos perjurios, o pela oppressao dos povos, e
os segundos por um syslema calculado o cs-
l linio de crueldade para cora os indivi-
duos; entretanto que as almas lernar so
compadecim do tantos soAVimcntos e os
li nis so indignam contra urna tal perversida-
de; entretanto quo os bomens briosos
rompem em invectivas centra taes crimes,
lia urna classe do boaicns que considera to-
dos estes symptomas com calma o que so-
nha o prazer da vinganga.
O rovolueionirio carrejado de ferraem
sua rmismorra ; o ropublicano bsnido, do
fundo do siu exilia ; o demcrata vencido,
do rcliro em que occulla sua derrua ; eslo
; para quem loda a convulsilo poltica be um
.. r. que de mais a mais
uuinio ao louco o sevigim unitario'uto no eslalo oricuial, si propo rcalisar
Urqiiiza,a huminidaeo aggravadi vos ap-|uma sntigs idea de conquisto, o n quo p lo
(plaudira quan lo livordes leilo sumir essa 1 lunila'-so lloias para julgar piovavcl, nem
Appt'llantrs o appellados, Manoel Antonio singumolenta personillcacuii do toda ajJtlUtUpoMlwl, que, na altura a quo clio0'it-
Dias e Jos'Venancio Pntenla do Car- I malilado I rain as cousas, o Brasil se deloiiha c nHo
valho. t O governo doBra/il, omquanlo dccla-
Passaram do Sr. desembargador Bastos rava ao reprosontanto di Crila-Bretanlia no
ao Sr. desembargador Leo as seguinles 8p- Rio da Janeiro que mo linha tencao algu-
pollncOos em que silo : mado fazor a guerra Coifeilcraca'o Ar-
Appellanlc, Diogo Jos Leilo C. iimar3os; Igentina omquanliassnn fallava para ador-
a|iprllaio, Joilo da Silva Braga.
Apnollante, Antonio Joaquim iln
Andrade ; appollado, joaquim
Freir.
Appcilanlcs, Florencio Jos Cameiro Mon-
Sanlos
Mendos
mecer n repblica, quo repousava junta-
mente debnxo da obrigacio contrahid por
olla c polo imperio na convenci de 27 de
agosto de 1828, do annuncisr potencia
mediadora qualquor rompimcnlo do paz,
toiro o sua mulher; appellados, Mmoelisois mozes autos ; om quanlo com baxeza
Ciotano Soarcs Carnciro Monleiro e ou-.simulava inlencOes pacilcas ; negociava a
Irot. cumpra do abominavel U.quizs ; c, suble-
l'assaram do Sr. desembargador Luna vado esto, correu publicameiilo cm sua pro-
prosiga ? Sera sem duvid por medo do
fecia cerlt dif rompa vinda do dia da li-
i i i r da horade t alilo. Em 1818 os
demcratas jogiram o jugo da realeza om
1851 os res jo .-a o o jugo da democracia.
Os republicanos verniclhos sorriem, com
um prazer secreto narracSo de crimes que
justiticain suas proprias acQas. Os socia-
listas triumpham vendo loucuras mais sol-
vagens o mais ins-nsalas quo as sus. Os
multo que llosas taz em cumpri iien'.u do patriilas serios v n chegar rpidamente h
lempo em que se' precize por de parle to-
do o escrupulo. tls constiluconaes mode-
rados coinprehi'iilem quo para o futuroa
ii-ul nari.> ser extempornea, que ella sera
umi falta, um suicidio ; que os despotas em
suacega AosliliJade cjiliindom-os como
reslo dos demcratas, o quo conseguiulc-
moiile ellos serao obrigados a fazer com es-
impresciudivl devor quo diz ler de impe-
dir a tal conquisti.
Mas, c nlim, so n Brasil proiegue, quo
faraltosisi' O i EiUSo (diz com prosopo-
poiaijanao lie ir ao governo argentino ou-
tro arbitrio seno u de repellir immediila-
inente esses alienta los.
D) maneira que, se o Brasil nao proso-
guir nos allentados jt conmctli los ale lio- les causa commum na guerra futura, ua
je, Rosis nada fara actualmente, o deixi- guerra sania da liberdade. Cada da vni-
ios-la impunes. Mas enlao, cono acaba do se agora na Europa liberaos pacilies con-
doclirar timbnm que he inevitavcl para ello veilorem-so o tornarein-sc cm republicanos,
fazer a guerra i mu i liiUmeule i' e dignos conservadores passaroif, apezar da
Tal lio, pois, por mais incrivcl quo pa- mais viva repugnancia, para as Alonas du
. a resposla do defensor heroico, res- moviinenlo. Cada nova inquidado quo ap-
pellados, os berdeiros do Jo3o da :est 'da do lo lo o timbre mariil, "oqais'i"hiPosll a 'l""1 a,ta |pr attontatnooln para parece do biixo do sul he um dcmacrala do
Alba no. pendurada nosnnsso lomplos, viram-i pas-porecbora iiiiecisao, o desanuio e os cm- i mais, um realista de menos.
Appellanles, Diogo Cokschol. t Companbia; sear com certa lodiiTeranca desdenbosi pe-l'licl0* 1(l"o se soliou col'ormula-ln. | De tolasdodeploraveis loucura; comm.l
appellada, I). Cocelia Calharina du Monle los seus rios. Esta erdi aleivosa esl ver-J Ouiz por urna parte apparentar allivoz e (li ias peles dspotas quo manim a Europa
Sinay. lendo sangue, o mais sanguo est deman-1'0''1080' PW OUtrs na) comproin-ltor- deuaixo de seu calcanhir do ferio, nilo ha
Ao Sr. desembargador Pereira Monleiro'dando, e com sanguo sor" curada, porque sea fazer uada delirmini lo e absoluto, ncnlnmu mais inseusaU que a que os levou
desta proviocia, faca organisar.e envo com t. ,a"aran' uu, sr- uesemnarga, or i.una vauo esto, correu pulilicame.i o cm sita pro- w
brevidade a societaria da presiden-,a, ore- tr8lr, Sr desembargador relies as se- tecr-fn..Invadi os nussos nos, inJefesos faWr
forido orea'ionio guintos appellaces om auesSo : [sob a fe dos Iralados. Os Argentinos viram '
Appellantes, os indios de Arronchos; ap- a bandeira brazileira, essi bandeira despi-1 rC">
Hito.An commandaiilesuperior da guar-
da nscional do municipio d.Recifo inlei-
ranuo-0 de havor concedido a Joaquim An-
tonio dos Santos Anilla le, vista da justi-
ficaco quo aprosentou de girar em son
commcrcio com mais a dispensa que requerera do servco activos seguinles appollaijes emquosSo: |jV. Exc. declarou a guerra as olas de
da mesma guarda nacional para seus dous Appellante, Domingos Francisco Cavalcan-: 18do agosto ultimo, dirigidas ao honrado
caixeiros Jos Joaquim Lopes Poreira Cui- ti; appellados, D Ignez Mara das Noves ministro britanuici junio do governo da
maraes o Jos Cuedes de Albuquerque. eoutros. Confederado Essasnolassaovossas.es-
Dilo.Aojmz municipal da primeira va- Passaram do Sr. dosembjrgadorTelles ao.'sasnotissio vos mesmo, sonhor; all esta
ra dosta cidade, para luiuetter para a;sr. desembargador Pereira Monleiro as se-|ocavalheiro, o homem de corarlo, oemi-
forlaleza do Brum duas parelhas do calce-! guinles appellaco-s om quo silo : i nenie pilriot, o sabio estadista, o guer-
tas alim do fazerem a limpeza da mes- Appellante, Kilippe Santiago Vieira da Cu-
ma fortaleza em substituidlo aos que la es- nha ; appellado, Thomaz Lilis Caldas,
tavam.Communicou-so ao commandante Ao Sr. d-sembarga.lor Villares as seguin-
dos armas. | lesappellacOes em quesSo:
Dito.Ao director dis obras, publjcas,'Appellante, Joaquim Pereira Homem; sp-
aul risando-o, vista do que informou ol pallado, Jos Loopoldodi Silva,
inspector ds Ihesourarin da fazenda provin-' Foi lidoem mesa um ollicio do Sr. desem-
ciaa mandar lavrar o termo do recebimon-| bargador Sintiago, participando queestava
lo definitivo da obra dos colicortos do caes, nogoso de seis mezes do lieenca que obti-
do passeio publico contratada em 21 de mar- vera do governo imperial, em virtude doisas: representantes o representados, todos
co do anno passado, por tor-se terminado o\^e remellii dezonove processos civeis que somos vossossida los, o soldaJos que va-
praso da responsabilnlado do arrematante, existiam em seu poder, dos quaes os Ireze masa guerra com ludo quanto valemos e
nc- devendo poim praticar-se o mesmo primoiras foram entregues ao Sr. desem-
respeitoda quo foi arrematada cm 19 le se- bargador Villares, eos seis seguintos foram
tem bro do dito anno.loleirou-se ao refe-( novamonte distribuidos,
rilo inspector. I Ao Sr. desembarga lor Villares as seguiu-
llilo.Ao bacbarel Caetano Eslollta Ca-, tes appellacoes eai quo sao :
yale*nte POSna, ConVidanlo-0 vir prestar! AppINntc, Jos Jacome de Araujo ; apps!-
n devido juramento liai de entrar no exor-| lado, Cnristovilo Xivier Lopes,
co do lugirdo juiz municipal du termo dei Appellanle, Josepha Maria da Conceii-So;
ni-o vali'iil -, o general Rosas, Analmente,
all esl retratado con sensirel eloquon-
cia. NJo ha no idioma termos asss ox-
pressivos u bellos para denotaren! o voto
de admirar Tu e respeito, de amor o de gra-
lidSo, do folicitaco, de honra o gloria, que
pelo contoudo dessas notas vos dirigemos
reprosentantos, Sr. general llosis...
Marcbemos lodos gu'rri, general Ro-
Ruianna, para o qual foi removido por de-
crolo do 23 de oulubro ullimo, visto assim
convir ao servico publico o provenndo-o de
quo lli'.i-lliii marcada o praso de tres mezes
para a apresontac.1o do seu titulo.
Dito.--A sdmiuistrac8o do palrimonio
dosorpli3os, autorisaudo-a a manjar fazor,
appollado, Ignicio do Arroxellas CiIvSo.
Appellanle, Jou Leite Pila Ortigueira ; ap-
pellados, Minu.d Pereira Cuim.iriins o ou-
l'OS.
AppelUntos, a viuva e berdeiros de Cuadino
Aguslinho de Barros; appellados, Viriato
do Carvalho Tavarcs e outros.
de conformidadocam o quo propoz o direc- Appellante, o juizo ; appellados, Manool Car-
lor du collegio dos mes mus orphaos.os con- neiro Leal e outros.
certos de que necossila a la liana do referido Appellante, lio da Silva Bego e Mello ; ap-
collegio. pellado, Francisco Jos Rodrigues Saca-
Dito.A cmara municipal do Olinda.. vcui.
Accusando recebido o oR,-i i de Vmrs. de 18 Appellantes, Manoel Rolrigues da Silva o
de julho ultimo, solicitando a decisi do sua mulher; appellados, Azovedo t Ir-
quo dirigiram ao mou antecessor em o I.", milos.
do fevoroiro desto anno, acompanhado de Appellantes, Manoel Francisco Anaslacio e
roquorimentos, documentos o informaedes outros; appellado, Filippe Dias dosSan-
do,-si cmara respeito do Toro da ilha Ca- tos.
,um Ass, sobre o qual parante essa mesma Appellante, Domingos Francisco Tavares;
i-amara litigam Basilio Alves de Miranda Va- appellado,Manoel Joaquim llamos e Silva.
rcjSu o Jos Antonio Gomes Jnior, lenho a Appellante, Alexsn Ira Joaquim Stiro ; ap-
pnssuiuio*. M ni li i e disponde ; e ai do nn-
sur.iv.ll quo nflo corra ao lugar quo Ihe de-
signardes ; ai do vil quo por qualquer
mudo resista mu i vonlade, quo hu a us
sa ; pererja nosse acto com a morto dos in-
fames.
Podois tu lo, general Rosas: o Dos das
vingancas, que nuuct dcixa sem castigo o
crime impenitente, naa permiitir que fi-
que sem ropa aran o ultraje com que nos
ferio o govorno da Brazil, o a infamia dos
desalmadas traidores que so puzeram s
suas o den-. Porm, se, como nao he pos-
sivel cr-lo da sua justica divina, nos seus
inezerutaveis designios, escreveu o nosso
Infortunio,combalei at nao poder mu-,
general Rosas, lao mais memorare! ox-
ne n iint < r mais o Brasil, a quem teme, a confundir, em um odio com murn.os ultra-
iiiln n.i-i"ni en* ausencia das bravatas o 'revolucionarios e os amigos da iiberdadn
amaseis de oulubro, essa Tilla do vigor nos constitucional moderada, e a tratal-os com
peusamenlos o uoeatylo, essis vacillages, 'a mesma soveridade. ir-so-hia que jura-
ossasconlradicgiJes.o ossa manfost vacui- | ram reunir om umcerpide exercito com-
dalodas-ii rosposl, porque realmente, pacta ledos os seus adversarios assim aquol-
depois do l-la tanto, Acarnos as escuras so- los que dillerom delles no todo, como os
bro qual seja a resuluco difiniliva de que s differom rolalivameiile aus deparli-
l;,,,,,, ni 'iitus ; assim aquellos que lem a mira na
Aviso-lhe, disso lie, quo paz osl rola deslruicflo de seu poder, como os quo ono
por parle do Brazil, e quo Ihe larci a guerra a tom sonlo em sua rcgulacSo.
seis mezes contados do dia que V. quizer ; O prooedimenlu dos Austriicos e dos Ra-
ma." como me compellcm ji a guerra, fa-la- varas na llesse, o procedimento o as decla-
hoi desde ja; ainlaqui nflo a fatei desde raguas da dieta por toda a Allemanna, op-
ja; fa la-hoi dopois, se chegar o caso de p'imindo e doclarando que nSo tolerariatu
que u mou inimigo prosiga na sua guerra nonbum corpo represonlativo, cujo poder
actual : porque, cumo este invadi o Esta- fosso mais quo tiominil, esto procedimento
doOrienlal para rouhar-lhca independe!- tem obrigados millares de ciIsdos paci-
ca, e como a minln obrigacio he porianlo lieos, racionaveis o moderados, a fazer sua
feii-laj, nflo devo defonJc-la ja, mas'esculla entro a tyrania absoluta o a demu-
quauloo meu inimigo chegara prose- cracia absoluta. Tem-se-lhe dilo cm urna
guir nossu dimnado intento .. llngoagem que nflo pcrmHlo nenhum equi
Eis ah o quo dissemos. llosas cunheceu voco, que para o futuro nflo deve haver mais
que tiiilumus tornado transparente a susjnem hesilacflo nea, coinpromisso, nem
docantada llrmoza c habilidad, por isto se meio entre as duas opimoes.
aprdssou a ordenar que os jai/es do pa:, ss Este justo meio, essa termo meJio lao
ropsrtlcOes publicas, etc., Ihe dirgissem charo ao homem prudente e avisado Ihe ho
balorasrelicilacOoj pela excelca sabodoria desapiedadsmonle iutordicto. Seus sobo-
das suss notas jerundianas de dc18agosto; ranos lem proclamado por toda a parto
be por isso que na dita nota de 20 de setem- Paiei vossa escolhs ; aquelle que nflo es-
bro, que elle rodigio, o foi assiguada pelos la com nosco esl contra nos, importa sub-
seus ropresentsntes, se le : melter-vos a urna direceflo arbitraria que
Essas uolas sflo vossss, essas nolas silo torna o progresso impossivel e a vida into-
vs mesmo, senhor ; ali osti o cavalheiro, leravel, ou lancar-vos em corpo asiros as
o homem de corceo, o eminento patriot, fileras do movimento, que pelo monos tem
sabio esla Jista, o guerreiro valenle, o gene- a probabilidado de conquistara salvacBo,
Iremo ; sepultai-vos comnosco, sepullomo- ral Rosas, Analmente, ali eat retratado com senao immediatamemc ao menos depois da
nos lodos debixo da torra que nos sustovo sencivel eloquencis. Nflo In no idioma ler- numerosas IribulacOes e do um certo lapso
mos bastante expmssivose belles para de- de"*empo. Pucos estadistas oonbccem
notsromovotodcadmiracao e respeito do todas as consoquenciss de>ls altsrnativa
' "0
nos diasds no-si gloria. Sempre ros l ira-
mos carga, nun a podis duvida-lo sempre -
nosfariamos carga do urna vida quo nos ti- amor ede-gratidflo. de (elicitacflo, de honra, lao louca, tao brulalmenlo proposta ao
vesaeis coaservado para sentir o opprobrio, le de gloria, quo pelo conle Jo dessas notas mesmo lempo na Italia e na Allemanna.
edeum p8o quo nos li/esseis deixado para vos dirigemos representantes.. Temos em nossolpoder carias de homeus
manter urna existencia de ignomia. Quanlo he pobre de csbe;a aquello tyran- polticos eminentes que perloncem ao par-
Apa.'temos a vista da ferocidsde com quo I no Depois quo publica esses tristes o ver- lido constitucional nos dous paizes; o tom
aquellos homens envil ;ci.los, entro os Igonhosos documentos, o depois que v que de ums e de oulras parece-so cslranha-
quaesfiguram Ires ministros do Dos de paz, 'tornamos palpavel a sua inhabilidade, in- mente. Em Allemanna antes do 18*8 opar-
aquelles homens quo viram impassiveisas- tenia suffocsr esta verdado que o humilha, tido democrtica quasi que nflo exista ;
reponder a Vmcs. renitltendo-lhs por co- pellados, o curador gcral o Domingos Bar- sassiuar o seu prosidento na sua propria sa-'sob opeso derediculos elogios que a si pro- as clsssos moJus eram om ravur de una
pia o parecer quo deu a respeilo o promotor bosa Rodrigues. la, o tanto- oulros com.iilrioliS as mas priu tributa. grande xlenjo dasiliuerJailes pnDIicas e
publico desse termo, vista da qual o do Appellante, Anua Joaquina do Sacramon-; que viram fuzilsr n'um acampamento cm- Entretanto revela agora qua declarou a do sua defensflo; ollas ajuntaram-se aos
que pooJerou o advogado dessa oamira, e lo Azres ; appellado, Alexan Ira Ferreira )co sacerdotes o urna moga grvida; quo sea- guerra as notas do 18 do agusto. Assim gabinetes para esmagar o partido extremo,
dos pipis junios nflo pode ler lugar Igum, dos Santos Caminha. (hilo do ver o monslro rodear-sena sua sera. Mas n3o ho para sorprender quo aquel- o acham so hoje esmagadas por sua voz.
por inteirauenlo prejudicial a niunic pii- Appellante, Jos Francisco Concalvos; ap- 3 quinta, desde Janeiro al maio de numero- le sabio estsdista ignore que o modo de de- Ellss compreliendcm agora seuorro; sen-
ILEGIVEL
rr


m

tem-nocoro umaexcessiva imirgura a mu
seguramente 0S0 cahirflo entoutro.
As dlITerengas que 6epsravam os amigos
da liberdade fundarajii se rpidamente om
presenga do inimigo commum, da qual o
poder s ten mostrado raais formidavel,
e o odio miis ceg e mals encarnizado do
que olios O ler i sai crido. Elles comegarn
a jJ'iutinJ^B^onviccSo deque podem di-
vertir-le^alWKTerir entra si sabro o uso
queso far da victoria, omquanto esta nao
for g orla. Na Italia a situago ln exacta-
mento a mosnin. Osentimento geral quo
all se experimenta lie a miis violenta, a
miis viva, a miis rlenle effervescencia.
O desgoslo o o desespero vSo lancando rpi-
damente todas as classes de liberaos nts
lucirs do partido republicano.:** ,*
Mazzini quo em 1849 nflo tinha setiSo.pnu-
cos partidarios e se considera va cotn4.uma
cabera volcauisada e um loucocnlhusiasta,
veo numero ds seus adherenles ircrescen-
do de dia em da. Com effeito, excepto
no Piemonte os conslitucionaes moderados
eslo quasi todos alistados as fileiras das
opinioes extremas. A ideia da unidade e
da independencia nacional que lu dous an-
uos, era menos que un sonho, lio actual-
mente reconhecida pelos observadores phi-
losophos e imparciaes, como penetrando
profundamente nos ospirilos de todus as
el ?'- As rivalidades municipaes, que
antes so opp1 nliain a esta ideia acliam-se
hoje ti/tasi exlinctas, o no prximo movi-
iiiiiin revolucionario, lVimanos, Napolili-
nos, Toscanos e Lombardos oslarflo promp-
los para obrar como um s povo. Para di-,
zcra verdade os despotas tea) fortalecido
sulla inimigos em una va da qual nom des-
conliavam.
Isso nSo he ludo. Elles tem cnsinado aos
amigos da librrdado urna oulra ligSo quo
nSo ser fcilmente esquecida, e que he
loucura inculcar. NSo vos fiis mais MM
principes; iienhum juramento pode lga-
los ; clles n3n cumprem suas promesas.
O re de aples rio-se da constiluicflo que
jurou man ter, o principe d'Anhal-Dessiu
confeti! publicamente que meditara o per-
jurio quando prestou juramento alibirda-
de; o eleilor da Hesse, o re da Proieis, o
imperador da Austria, todos rcj'itim a
ideia do rnsnter a l promeltida a vssallo*.
Os contratos eseriptos sSo rotos como ver-
daderas teias do aranha as seguranzas
mais fortes sflovarridas como p.
( Hconomisl.)
DI.UI0 DI PIIIUIBDGO.
BEOIFB, 27 D* MOTMBIIO OX 1851.
Ilontem (26) rouniram-so os accionistas
do Banco de Pernambuco para o lim de ap-
provarem os respectivos estatutos, oque fi-
zeram com as alteracoes constantes das
emendas e nrligos additivos, quo abaixo
transcrevomos, sendo designado o dia 29
do correte para proceder-se a eieigflo da
dircccilo e mesa da assembla geral dos di-
tos accionistas, inundo esta houver do reu-
nir-sc ni forma dos estatutos.
Emenda ao art. 53.
Em vez de duss chaves etc.--diga-.se
tres chavos differentes, que serflo guarda-
das, urna pelo gorente e asoutras por cada
um dos directores de semana, osquaes li-
rio obrigados a verificar as quantias etc.
(como no artigo.)
(Silva Barroca
Approva lo.
Artigo substitutivo aoart.54.
O gerente lera om componsagflo do seu
trabalho e rcsponsabilidade, assim como
para rolribuir ao seu fiel, urna commissflo
de 5 por c, depois de ictirado o (Indo de re-
serva sbreos lucros liquidoa, nflo poden-
do jamis <>ssa cominissflj excoJc-a quan-
tia de i io i,o ni rs.
O servieo dos membros da direcco he
gratuito etc.
F. A. de Olivoira.
Approva la u primoira parle smenlo.
Tendo o Sr. Olivoira retira lo a segunda
1 parle e o Sr. Cervario adopta-a por sua.
Aoart II.
Em vez de accordo. diga-so ouvindo o go-
renle, o mais cuino no artigo.
Olivoira.
Approvado.
Emenda ao art. 56
>o I. Depois deduas lirmasdifa-se
cotihicdas pelos directores.
add. 10 .'--Emprestar sobre aeces do
prnprio banco, edeoulras companhias 60
a 70 por cuto do valor quo liveron no mer-
cado.
(Barroca.)
Approvado.
Emenda substitutiva ao ; 4.a do art. 56 ti-
tulo Vil.
Emprestar sobre a plices da divida pu-
blica, e da enmpanhia do Beberibe, pela for-
ma quo couvior a direcgflo.
(F. A. de Olivoira.)
OS CANDIDATOS A' PRESIDENCIA DA BE-j Approvado.
PUBLICA FBANCFZA. Emenda ao art 57.
Como nada temos que oceultar, nao hesita- Em lugar de-de t5 em 15 diisJiga-se
nos ein publicar oque pensamos das difieren- semaiioliicnto
ic. candidatura, poiilvela de 1852. O prluclpe j Suprim,.se.:o proc0preditonunca poJer
THBATRO DE SIZ1BEL.
thesourarii, a quem por menos fizer lobra
dos canearlos supplementirios da ponte,1
aobreoru5Sirlnhaem,avaHadosem6W,400. en ANDE ESPECTCULO VARIADO DRAM-
TICO ECANTO
ni HBNlrlAIO OK C1ST1U
Vlni'letta Landa.
Sabanlo, 29 til novembro Se 1851.
Depois de urna escolhidt ouverlura, sulii-
na forma dos''
17 de miio do
A arrematarlo ser feita
arts. 3tad7 da lei n. 286 de
crrante aono. ,>
As pessoas que se'prpozerem a esta ar-
remataeflo, comparecam na sala das sessOes
do mesmo tribunal, nos das cima meocio- i.i scena o muito inleressanle o appla-
' de p*8Kem, ou embarcar ...CT."""' ert'*''' Um)e.m Primos ao
dito br. W. Y. K. que nSo atribuaa V, a ,.
tornidde dos eseriptos assignados por p
mesmo catoitao, ou com o consig- pHet-Cbrion: ou Cabrion-Pipiietno f,
;. ,n. A. Ki a....; comooSr.\V*. Y. K que lingindo-nos co.
nheoor nlo diz quem somos,
nados pelo meio dia, competentemente ha-
bilitados.
E para constar se man Ion lllxir o pro-
slito, e publicar polo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazeada pro-
vincial de Pernambuco, 19 de novembro de
1851.O secretario,
Antonio Fcrreira da Annuncia^So.
Clausulas especiaos da arrematado.
1.a As obras dopendontes desta arrema-
taclla, serSo feitas de conformidade com o
ornamento apresentado ao Extn. Sr. presi-
dente da provincia, polo proco de 642,400.
2.a O arrematante comecar a obra no
praso de um mez contado da data da par i -
cipacSo que Ihe fur feita da approvaco da
arrematicfio pelo governo, o os concluir
no praso de quatro mozes, ambos contados
da mosma parlicipaclo.
3.a A importancia da arremalac,3o ser
paga em duas prcstacOes iguacs; a primei-
ra depois de ter foito motade da obra, e a
segunda depois de lavrar o termo do rece-
bimi-nto dillnitivo.
4." Para fulo mais quenflo est determi-
nado pelas presentes clausulas, seguir-se-
ha inteirainente o que dispOe o regula-'
ment. Conforme. -O secretario,
_________Antonio Ferreira da Annunciac3o
mo drama em quatro actos e um prologo
intitulado
LZARO PASTOR.
No lim do prologo a beneficiada cuntir a
bella aria da opera
Ernani.
No lim do primeiro acto a beneficiada e a
Ara. D. Cirmlla, canlarSo o bello duetto da
opera
Norma.
No intervallo do lerceiro ao quarto acto
ser executada pela beneficiada as dillicels
vil incoes de
tlhodas.
Dando fim o espectculo com a muito
applaudida cavatina Intitulada
POLACCA DOS PURITANOS.
A beneficiada espera merecer a protecsBo
do Ilustrado publico desta capital.
Os bilhetes acham-se desde j venda
om casa da boneficiada na ra da Uni3o n 3,
o no dia do espectculo no thcatro.
Theatro de Apollo.
119.a RECITA DA ASSICN ATURA.
Setjunia-ftlra i." tic degenero de 1851.
| En festejo do feliz anniversario deS. M.
'o imperador.
Deppisdeuma brilhante ouverlura eiecu-
0 Sr. dezembargador chofe do polica da uda om grande orcho.tra, e depois do can-
l)<'clai';u;ocs.
de Joiovllle? N'ao: se elle he republinano, se- i ,
ria liso pelor que a guerra civil, porquauto lia- '* o ncu.
veria uina guerra com sua propria familia ; ic
he inonarchlsta. sua elcico serii ooii trahicao
repblica. Um candidato socialista ? Nao ;
por quanlo a sociedade recuarta dianle de
om ooiue que a eneberia de horror, lim
candidato militar? Ko a espada tem II-
do uina parte demasiadamente grande na Fran-
ca de 18 de ,i nni u n, para ca. Um soldado
achaodo-se embarazado as diliculdjdcs da li-
berdade, nos lanrana em guerra, c a repobli-
ca nao pode tornar-sc liruiementc fundada sc-
iionapaz, Um republicano da escul.1 dicta-
torial de cerlo peridico? Nao l.'m republi-1
cano intolerante, que Iracc um circulo em tor-'
no de i com um ralo igual a sua propria Bom-
bri, iorili;i a uina grande naci. Tudo f
oque o.ii pensa comigo nao deve peusar!.[
desgoslaria < ni pouco lempo o orgulho c a dj- .
naslia da Franca. A Franca he orgulliosa ; rila
jidc sollier o que a opprime, povm nunca o '
que a huuiilha. Keuhuin desles ciudidalus ob- I
leriao nono apoio; porein conlicicmoa .iic >'' l,v''' P'blico desta capital, que sabbado,
ou seis liomenseui Franca petos quaei volaiia-, 2 do corrcnte, lio o espeoliculo em beoe-
inos com oj ollios fechaJos. Boira clles ha re-1 UCIo di cantora Muili Lana, Oujo ineri-
iiublicanos da respera, c republicanos do dia i t'i arlislico ja ha assas couhccilo por
M'guiDtc; e inesuio homens que nao eran re- tolos,
publcanos antes do dia em qua.o
(Barroca.)
Approvado iniottim.
Emenda ao art. 58.
Suprima-sepoder com tudo ser refor-
ma la etc. at o lim.
(Barroca.;
Approvada.
I.'ii n la ao art. 41.
Em lugar decada umdiga-se--dous
ele.
Suprimam-seas palavrasdo accordo.
Approvada na primoira parlo proju licada
na ultima.
_ (Barroca.)
Communicado.
Temos satisfcelo do ennuneitr no res-
provincia, uiauda fszer publico para conhe-,taao
cimento dos tnicressados e dovida execu-' lJyiiiuo nacional.
co, as instruccoes quo organisou para os'perantea ollige de S. Magostado, subir a
presepios, quo sao do llieor seguinte : (scena pola segunda vez o drama
Instruc^Oei para osireiepioi a que se re/ere, O IK.MI I \ DA SERRA DE CINTRA,
u circular des/a dala dirigidas a lodo os de- ] 0 entprozario tendo annunciado a repre-
Icgadosda provincia. ;scntac3o do Idiota, e tencionando levar
l. As reprosentacOos religiosas denomi- scena o Mysterio D. JoSode MaranHa, no dia
nadas nesta provincia cjm o nomj de preso- 'u do mesmo mez de dezembro, vio-se obri-
pios, nSo poder.lo Ir lugar sem que preco- >-'''", em ..-,1o dos trabalhos do segundo, a
da ln:"nri do chele de polica damasina deixar de ensaiar o Idiota, e de leva-lo tflo
provincia, e osla informacao de autortdade breve a scena ; e espera quo o generoso pu-
policial do dislriclo em quess mesmas re- blico desta cidade, o descuidar desta vez
presentacOos se lizercm. ,mais.
Nos termos onde nSoostivero chofe do Comecar as 8 bnrai
polica, ser a licenca concedida pelo dele-'
gado de polica respectivo sobre informa- j
vio do subdelegado do dislricto.
3." Estas represenlacOes duraiSo smente '
dosde a nolo de Natal al o dia do Ros, e
em cada dia comecar3o smente as 6 horas
da noite, e fiodarSo impreterirolmente a
urna hora da madrugada o mais lardar.
atarlo Luit Jos de S Arrujo ,
na ra da Cruz o 33.
Para o Porlo.
Sahe com a maior brevidade
possivel, por ter parte de seu car-
regamento, a linda e veleira gale-
ra portugueza Bracharense tem
aceiados commodos para passagei-
ros : quem na mesma quizer car-
regar, ou ir de passagem, enten-
da-se como capitSo Rodrigo Joa-
quim Concia, na prac;a do Com-
mercio, o com Novaes & Compa-
nliia na ra do Trapiche n. 34-
Para o Rio de Janeiro,
o bern conhecido brigae escuna na-
cional Olinda, capilao Manoel Mar-
ciano l'erreira, segu impreteri-
velmeote no da 3o do corrente
mez, por ter o seu carregamento
prompto, p le receber algumas
miuile/.as, passageiros e escravosa
fele, offareceado para estes os
melhore.? ngasalhos : trata-se com
os consignatarios Machado &c l'i-
nheiro, na ra do Vigario n. io,
)ftao
Publicaces Iliteraria.
ELEMENTOS
DE
Homaopathia.
Sabio a luz a segunda parlo desla obra
composta polo professor homocopatha Cos-
s I Bimont. Recebem-se assignaturas para
4-Oiensaios das referidas ronresenlacaes '"',p0"0'.'"'' "8ea ^enda tuo oointo he
smente podero principiar no dia 8 dedo- nTJLJ rZ l"Sff f P""Ca d* h"
zembro de cada anno, 15 di.s antes do dia ?.C "'",' co" S6J* : ,,wo" ,01Pressos
de natal para historias do doenles, regtmens apro-
5." NJ poderSo obler liconca nari fazer'pr""los para Provinc'8 J Pernambuco, e
LZ,f...iL ., ......l"?"?a.:P.!"_"" encarrega-sode mandar fornecer nualouer
segundo andar, ou com o cap
na |irar i.
- Freta-se para qualquer parte do Norle,
atao Cear a barcassa a Nova Esperanza *
grande nova e de boa construido, ou reco-
be-so carga a frete para o Rio Can Je do
Norte e Ass : a tratar na ra da Madre de
Dos n. 3.
i i i ii i i i T~m------------------1i
Leilfto.
- O corretorMiguel Carneiro, I'ir leilo
no dia sexta-feira, 28 do corrente, as 10 ln-
ras da DMuIi no seu armszem na ruado
Trapiche n. 40, de diversos trastes novos, e
usados, uina mesa elastici nova, ricos lus-
tres, lanternas, candieiros, louca, quadros
com estampase urna porcSo dricos vasos
para flores, e uniros muitos objoctos por to-
do o proco.
Ejaque at equinos detconheces;
u O veo myisterioso emfim se rasgne
ii lie lempo, he lempo jqufpa*%nli> Em theilros n'.s j representamos,
Fizamos versos j de pe quebrado,
Dramas de concoito publicamos
Pernambuco j nos tem admirado.
fc^E aquello quena rbita grande cira
A uossa npbremSo, tem aperlado, j
Safra!...^
Maldito cons.ianto a quanto obrigas
c (Jue fazes bra ncas ser pretas formig,8t i
;.-Jim se mo tirando das manobras nada u
C*o".-Af de soldado Sr. W. Y. K. o drama
Peregrino Branco foi excelentemente re
presentado no theatro de S. Francisco
V.S. nao sabemos porque- uesse temni
nao poda htr a thealros, por Isso nSo o
vio.... Ah !.... sim.. perdde, V. 8. vio... vio
vio sim Sr., e at por signal que foi de so-
bre-casaco, suissas, e oculos verdes ; diga
serio, isso seria graja do quem nos contoui'
So fui l vai.
Preparar!... Pontar'... Fogo/!... num"
Obi Dtabo orrei o morcago : porm mat'ei
o piru! 1... e ficou mesmo espicludinho, co.
mo algica de V.S.
Pipiiet-Cabrion.
Avisos diversos.
presepios se nflo as pessoas que tiverem da-
do provas de sua moralidado e respeiloas
autoridades.
6 As casas que tiverem presepios sem
;"'"' ou que lendo-a n.io satisfizeroui es-
tas obrigacOes, serflo immediatamoute fe-
chadas.
7. O delegado e subdelegados do polica
nos respectivos districlos de sua jurisdic-
QSo, farflo cumprirpor si, ou por seus su-'
bordnados as obngsc^s que neslo so im-
pem aos donos dos presepios.
Secretara da polica de Pernambuco, 16
"umhcs ortc,oT.qlSKr.a?a,52:!. Covi h,"l puMice a innocente d8- de novembro de issi.-jeronymo Martinia-
tT^^Ts"^uc.noTin".^ '"X0'. q"e a ,i!tf?w,,.,*f T? pr- 1 !;lguein!de Mell- S8crels'ia Ja p,,licia
licito republicanos por patrloUsmo, a melhor I *"",' "a noite dn sabbado, nao duvt lamos de Pernambuco, 19 de novembro de 1851.-
bai
cllcto republicanos por pat...
especie de todas, porquauto o dever he mais u,n su momenlo quo ello sa furto a concor-
seguro queo capriclio e aconsciencia maU so- rer coin sua assislencia pera abrilhantar
lida que a opiniao. Nao nos faltarao caudida- lo oxpectaculo em seu beneficio; porque
los quaudo chegar a hora de procura-Ios, c en-, lo lo o son producto lom do reverter em
tre os cidadaos comjireferencia aoi principes proveilo do morito que so ve bracos com
primeiro ama-
no comeco das repblicas. Todava declara-
mos francamente que se d'aqui para 1852 o ar-
tigo 45 da conslituicao l'or reformado, se Lula
Kooaparte for coostltucionalincnte reelegivel,
se elle llver restaurado o sullragio universal
que deve a nario, se tiver dado seguros pc-
a penuria.
O eslado do viuvez, a falta da recursos
da beneficiada, que se tcha com urna li-
linha em lenra dado, sflo por cirio moti-
vos forlissimos para que o benclicente pu-
iihorrs repblica, se a Franca nao poder a- : pilco desla rica capilal Ihe nflo negu a sua
i lur ncnliuin mi i.l.i i diguo de sua estima c
conQanra e se for absolutamente necessario rs
colber entre um candidato da familia de Or-
leans, um candidato de guerra, um candidato
da Couvenco. um candidato do socialismo,
mu candidato da estreita o repulsiva repblica
do Siecie, e o actual presidente, escolhcriamos
llouaparte a despeito da repugnancia que temos
aoseu noine. Porque? Porque com este nome,
conslllucionalincnterccleto com penbores da-
dos le lamos ao menos a probabilidade de pre-
servar a repblica, e com os outros nao (cria-
mos n< niiiiin i, porcm ainda esperamos nao i.
aer reduzidos a escollier entre umperigoe im-' '""' '>rasiliro Uuviaoio
possibllidadcs. A Franca be rica c Dos hel paiz.
Brande! CONSULADO CEHAL.
U< Lamartine. lieildimcilto do da 1 a 26. .
Antonio Jos de Freitas,
nuense.
O Sr. dezembargador cliefe de polica da
provincia manda fazer publico para conbe-
cimenlo do quem pertencsr, quene>tare-
partiQflo consta, por officio* do chefe de,
polica da provincia do Ccar, sob a data \'s- l'el" Pr|,to de 1,000 rs.
de 17 dejunho e l!i deselemoro, ltimos,
que p!a delencil da villa do Crsto, d'a-
quolla provincia, foram aprehendidos ao
fornecer qualquer
e n i-i i.ii nion la do mcdicamoutos homceopa-
Ihicos, lano avulsos como em caixas, em
glbulos como em Unturas.
No prelo : Val/iogenesia dos medicamen-
tos lirasiloiros.
Eleinmtos de anatoma e phisioloijia com es-
lampas, paraos curiosos em homieopallua.
Koga-sc aos senhores assignantes o ob-
sequio de m n lur rerebor sous exempla-
res no consultorio humojopaltuco da ru
das Cruzei n 28.
TR.VTAMGLNTO I10ME0-
PATHLCO.
DAS MOLESTIAS VENEBEAS,
e conselhos aos doenles para sa curaiem a
si mesmo, sem precisaren! de medico;
polo professor homceopatha
Gosje-Bi'mon.
Sahio a luz e acha-sc a venda no consul-
torio hornos uiatliico da ra das Cruzes n.
COMMERCIO.
Al.FANDKCA.
Rendimiento do dia 27 .
Desearrega hoje 28 de novembro.
generus
ir
II'.'in do da 27
2I:7!)5,DI5
DIVERSAS PROVINCIAS
Reudimento do dia 1 a -.% .
dem do dia 27.
1.818,648
218,581
2:067,22
V I1L\ii;.ICMI DA LEI DE3I DE M M.i
.Sobre lodos os pontos o ConttUutionel leva i
presentemente vanlagem a eus adversarios. I
'i questo est decididamente collocida em
urna mais clara lux ; porm o Consiitutionet tein
ainda mais rasao do que suppoe, pori|uanto o
artigo -1? da constituirn n.lu s exige 2,000,000
de votos pelo menos, porein tambem que o cau-
didado trnha obtido mais de metade do nume- 11,,-/-,.,.,.,.-........_____ ^ _____.\7^.'Z.7
ode.ulTraglos eipressos. c pelo menos dous "tCLliKDOIHA DE RENDAS INTERNAS CE-
inlllioe. No caso de que nenhum dos candi-' UVES DE PERNAMBUCO.
datos obtenha mais que a metade ilo numero Reri'JilIieiito do dia 27. .... 302,221
ilosauUragios csprrssos, epelo menos 2,000,000 j CONSULADO PROVINCIAL.
devotos, a assembla nacional elrge o prcn- ] Rcndimeiito do da s7
denle da repblica por maioria absoluta e es-1 imhwb,bim
crutlneo secreto, d'enlre os cinco |caudidilos Mnulmonln ,lnnnnln
elegiris que tem obtido malor numero d vo- iHOVlOieniO UO j)ll.
Ora supponhamos que a 9 de malo proxl- '
que era cria da casi do dito seu aenliorj
! lino do um prelo de Angola com urna criou-
: la. e quo liavia rugido antes do aono de
-------- 11832; e bem assim a escrava Francisca,
I que declarou ser natural da rregncia do
313,763 Corpo-Santo, desta citado, ter 28 annos,
pouco mais ou menos, e perlenccr a Joflo
Francisco dn Albuquerque, o D. Annn, mo-
radores junio ao arco do Sinto Antonio,
dcs'.a mesma cidade ; como ludo so ve das
copias dos interrogatorios, que acnmps-
nharam ao ullimo dos mencionados oflicios
Secretaria da polica do Pernambuco,
27 de novembro de isji.
ilo
I I l.:'
2 661,473
Knlonio Jos de l'reitas,
Primeiro amanuense.
Avisos martimos.
molo loro a lei de 3l de maio venha a dar as
seguales proporces:
Llrilures inscriptos
Numero de votaules
Maioria absoluta
Candidato de mullidao
Lulz Napoleio
Lorocbejaquelelu
General Gavaignae
General Changarnier
.ni L j:. ,i ijiieoei.i uu
',;ii,iin
.OOO.tKIO
3,0(10 ooi
3,000,000
2,400,000
300,000
200,000
100,000
Navio sahido no dia 27.
Liverpool galera ingleza Columbus, cap -
tflo Richard Cjble, carga algodflo o as-
sucar.
i
K1TAES.
Kaco saber que ac^ando-se vaga a ca-
47 da co.tiiui-,sl" te rhetorio.a do callagio das aitcs des-
.10, a maioria da assembla* legislativa, dirig- ta academia jurdica de Olimla por falleci-
da por Mr. Berrycr, Mr. Tbiers e Mr. Mole, n-i ment do urofessor Lui Paulino Cavalcanli
de, estrictamente fallando, excluir o candidato] Vellez de Cuivara, est posta concurso a
da rnulUdo, porque tem um voto de meaos do; diti cadoira, cojo praso sera tres mozas cou-
jue a maioria absoluta, e pode eseluir Lu/.' lados da data desla.
E para que chegue a condec ment de to-
do mandei aflixar esto nos lugares do cos-
tume e publicar pela imprensa.
Secretarla da academia jurdica de Olinda,
S4 de novembro de 1851.
Visconde de Goiann*.
Fajo saber a quem convier que achan-
do-sevagaacadeira da substituto de in-
glez o francez doollegio das artos desla
academia jurdica, est posta a concurso a
dila cadeira, cujo praso ser tres mozos
contados da dala deste.
E para que chegue ao conbeclmento de
oos mandei afluir osle nos lugares do
napoleio llouaparte por duas raides primel-
ra porque nao he eleglvel, segunda porque s
preheochc urna dai duaa condiedes eligidas.
i o um tal caso acconlecer Infallivclmente
quelr. Berryer, Mr. l'hiers e Mr. Ilol faro
urna fusao sobre o nom* do general Changar-
iner, eile diro para Froshdorli e para Glare-
niout Conciliai-vos, e se o fixerdes, nos de-
beremos o general Changarnier por maioria
absolutac escrullneo secreto; senao, amalo-
ri,i raapeitari a ordem da votico e eotao aca-
badas ficarao vossas preleDfdei, que se terao
neutralisado umaa as outras. Assim ineltida
entre os denles de um vicio de tal poder, a ln -
sao nao deveri neni poder hesitar por mais
lempo. Mr. Lula Aapoleo Donapane sera ex-
cluido e Mr. Cbaogarnier, o eipellldo, sa loi- co>Lini", o publicar pela imprensa,
nari a seu turnu o expulsor. lato be tao claro i SecrelaJ-a d, academia juridica de Olinda,
como ata* meildiana. Porque melospodera aer aa ,iH nove nbro de 1831 ""f
frustrada esta Intriga lo pacicnteuiente urd-1 ue nove.nuro u ;" .
da? Pela complei. abrogafo da Ieide3ide' Viscou le do Coianni.
malo, pela reslauracflo do auflraglo universal,; O Illm. Sr. Inspector da lliesouraria da
pela eolia ao principio absoluto da soberana \ hienda proviucial, em cnmprimentojda or-
incional. deni doExm. Sr. presidente da provincia de
E.Oirariin. -15 do correte, manda fazer publico, que
(Preiu.) f nos dias 1, 8 e 4 de dezembro prolimo yin-
___^.^^ douro, ir a praja pare ser arrematado pe-
i rante o tribunal administrativo da iiic.-uia
REALCOJIPANAIADOSPAOUICTES INCLEZ A
VAPOR.
No dia 1 Jo dezmbro es-
pera-so o vapor Tay com-
mandante Chafran da Europa,o
qual deiiois da demoaa do eos-
tumo seguir para us portos do Sul; para
1:739,260 passgom diriji-seem casada agencia n.
' 42, ra do Trapicho novo.
-- Do ordem do Illm. Sr. diroclor geral da
instruc?8o publica, fsco saber a qu^m con-
vier, qua por deliberacflo aprova la do S.
Exc. o Sr. presidenlo da provincia fra desta
cidade, e da de Olinda os exames de ins-
t'uccflo elementar serflo feitos om cada es-
cola pelo respectivo Sr. professor, c junta-
mente com alguma pessoa ilonea da con-
fianca do Sr. inspector do respectivo circu-
lo, que lom obrigaeflo de presidir a todos
esses oxames.
Ilem os individuos, que tem escolas par-
ticulares, quer de iostruceflo prinlaria.quer
secundaria,alo ullimo do prximo nnz de
dezembro podem requeror su is licencas ;
mas do Janeiro viudouro em dianle ninguem
sem lie mea poder ter otela sob as penis
impostas no regulamcntode 12 de maio des-
te anno.
Directora geral, 25 de novembro de 1851.
Candido Eustaquio Cesar de Mello, amanu-
ense archivista.
Pela subdelegacia da freguezia dos alo-
gados, se faz publico, que foi apreendido, e
se acha recolhido a cadeia um preto crtoulo,
que diz cbainar-se Luiz, o ser escravo de
Joflo Cavalcante, morador na ra da Prai
quemse jolgar com diraito ao mesmo com-
prela na mosma subdelegacia, que provan-
do o dominio, e posse legal Ihe ser entre-
gue. Subdelegacia da freguezia dos afoga-
Joj 25 de novembro de 1851. O subdelega-
do. Francisco Luiz Manoel Vianna.
Pela subdelegacia da freguezia dos
Afogados so faz publico que foi aprehendi-
da, escacha recolhida a cadeia osla cida-
de, a preta creoula que diz chamar-se Joan-
na, e escrava de Antonio Jos do BnmQm,
fgida a quatro mezes : quem se julgarcom
direito a mesma, comprela na mesma sub-
delegacia, quo provando o dominio, e posse
legal, Ihe ser entregue.
Pai a o llio Grande do Sul protende sa -
hir breve o brigue Feliz UniSo por ler urna
parle do seu carregamento prompto, inda
recebe carga a frete. Quem no mesmo qui-
zer carregar pode entender-se com os con-
signatarios A mor ni A I raos ra da Cadeia
n. 39
Para o Aracaly al o da 5 de dezembro
o patacho tAracaty a tratar com Manoel
Dias na la da Senzalla Velha n. 130.
Para o Rio de Janeiro, segu com bro-
vldado por ter parto da carga engaojade, o
veleiro patacho Clemantina, para o resto da
carga ou escravos a frele : dirija-se a Joflo
Francisco da Cruz, na ra da Cruz n. 7.
Para Lisboa sali impreterivelmenle
no dia 7 de dezembro o brigue portuguez
Conceicflo de Mara. Aiuda recebo alguma
carga e passageiros para o que tem excel-
Icntes comino los, Irats-se com seus consig-
n.it iri i-Tii.nn.i' do Aquino FonSPCi 4t Fi-
Iho : na ra do Vigatio n. 19 primeiro an-
dar ou com o capito na praca
Para o Rio de Janeiro sahe no dia 31
do corrcnle, o palacho Sania Cruz. Anda
recebe alguma carga miuda, passageiros e
escravos a frele : a tralar ao lado do Corpo
Santo, loja de massames n. 25.
Para o Ro Grande do Sul, seguir eni
poneos das, por lera maior parle do seu
Carregamento prompto, o brigue nacional
lien.-; te Guardes cipitflo Lauriano Jacinlho
de Can 1 ii i, e nni la recebe alguma cirga a
frete: a Iritarcom Bailar et Oliveira, na ra
da Csdoia do Itecife, nrmazem n. 12.
O patacho hrasileiro Valen-
te, de que he capilao Francisco Ni-
colao de Araujo, segu impretc-
rivelmentepara o Rio de Janeiro,
no domingo, 3o do corrente: para
carga miuda, passageiros e escra-
vos a frete, (ruta-se cotn o capillo,
ou com os consignatarios Novaes
& Companhia na ra do Trapi-
che n. .'.
Para o Rio Grande de Sul segu com mul-
ta brevidade o patacho vinte nove de setem-
bro,tendo ja a maior parte da carga prompta,
para o reslo dirija-se a Joflo Francisco da
Cruz : roa da Cruz n. 7ouao capitSo Ma-
noel Jos Montetro Vianna, na Praga.
Para a Baha.
Em poucosdas por ter parto de leu caTrc-
gamenlo prompto, o hiate Ligeiros forrado
e pregado de cobre para a cargt, e passagei-
ros dirijao-se a ra do Vigario n. 5.
-- Paia o Cear o hiate N. Olinda : a tra-
tar com Manoel Dias, na Senzalla Velba n.
134.
I'arj o Bio de Janeiro, sa-
liir com a maior brevidade pos -
sivel, por ter parle da carga en-
gajada, a bem conhecida escuna
ACOXPASSOi.il
Enciclopdico, e amavol Sr. W. Y K. Ao
ler o Diario de hoja, vi com pasmo, cadmi-
raeflo, vosso communica lo e vejo a impu-
tarlo quo me fazeis de ser eu o suthor da
correspondencia d'ontem, assignada pelo
valorrtePepilet -Cabriflo. -.Quizasteis ad-
vinhar, e por fim com desprazer meu vi que
sempro faltis a vordade sompre sois
inexacto--Senhor?... Sabeio pois, meu cha-
ro enciclopdico quo nenbuma parte tivo
na correspondencia que tflo malignamenlo
mo imputaos A parte que ou tive n'ollafoi
a mesma que Plalos leve no Credo ; e per-
metti que vos diga, que s'o fosse, teria a co-
rogem de vs affirmar. Agora loca-me n
vez para vos lizerque nflo emprosteis en-
lencOes llieias a oulrem.Nflo sejaes tflo
precipitado, para nflo se vos poder dizer
que fallaos rerdade nflo queraesser in-
justo, para com aquello, quo tambem sibe
conhecer as regias do cavalheirismo ; se
por infelicilade nflo possuo a alia intelli-
gencia, que vs possuis; ao menos fazei
justica a um pobre soldado, que smente
Ihe resta o seu--Arcabuz.A minha maior
-!: iira. he que as balas com que so carre-
ga, sflo de .leo ; porm n'este pomo, la I -
vezhsji algu n equifcoda nossa parto?...
Vamos aquestflo! Sr. Enciclopdico, dizeis
vs, que nflo ignoraveis que o drama0
Peregrino Branco linha sido levado sce-
na no thoalio de S. Francisco : quero con-
cederlos, por urna faialidade, que assim
losso ; pni mu qual fot o motivo que vos in-
duzio asseverar o contrario ? Ah.' percoa-
do-moquo estis' cassuando, com o res-
pertavel publico a quem devemos todo
acatamento, esinceridade. Dizeis quo acoi-
taria a mesma advertencia, sopor ventura
tivosseis dito, que era a primeira vez que
esse drama era levado a scena. Bem enten-
do o que queris .. crio.... sim .,. orflo fre-
guezes ; e tanto isto era nossi intensflo, que
mais abaixo dissesteis, que havicis assistilo
a um ensato e que mudo vos tinha agra-
dado o enredo d* poja. Logo verificado es-
l, que ignoraveis completamente, o enredo
do drama: por tanto, a vossa conlradicflo
ha bem palpaval; o a vossa logici em
quanto frivola escapatoria,-- a nflo ser do
Fr. Gerundio, he tal vez do tartufo de Mu-
lierol....
Muito loria que respondor vossa corres-
pon Jencia, so a mim mo pertencesse; po-
rm, comoj vos 11/. .sillar, nflo tomo-a pa-
lernida le d'um acto; que me nflo pertence,
e nom tflo pouco quoro inculcar do cscrip-
tor profundo, e elegante.
Doixo isso para vos, Enciclopdico como
sais; e do urna elovada intelligencia I Po-
dis oceupar-vos om elogiar, a quam vos ap-
prouver, ninguom vos prohibo de consa-
grar amizade ao digno artista.
eclaro-vos qtn isso pouco m'importa, o
no n tflo pouco he do minha competencia;
uiios vos louvo esse proceder, o francamen-
te vos digo, qua nenhuma indisposieflo le-
nho, com o meu Ilustre Enciclopodico, e
nem tfln pouco, com aqu'lie sonhor, ant'S
fthe tenho algumas sim.nthias, e lamento
profundamente como vos dizeis-nflo po-
der comprehenderosso elvalo circulo, em
que giram essas immcnsas amizades,.
Concluo dizendo, quo vos enganastes
completamente em minhi proflssflo, equi-
zestes advinhar. .. porm infelizmente a
sorlo nflo vos foi propicia! nv.tos por
i por pedras, o nada podcstes ctise-
guir; por isso aconselho-vos, que para ou-
lra vez sejaes mais prudente, mais ver la-
den o, em vossas supposicOas ; deveis saber
como-Enciclopodico. que ellas nem sem-
pre, sflo verdicas; e que minha mordaz ina-
lidicencia (como vos dizeis) nflo serve para
reilicularisar ninguom e muito a, pessoas
reipeitavois.... Assimcomo ficai sciento, que
o meuArcabuz nflo sea vo a pessoa algu-
ma seja a quem quer que for ; e s sim a
este pobre soldado, que militando, em omi-
ts campanhas, sempre foi invousivel I! .'
lie quanto vos allirma o meu
Arcabuz.
Foi-nos entregue es le artigo no dia 26 do
corrente, e por estar adianladi a composl-
eflo do nosso Dinriode 27, nflo foi nelle pu-
blicado. Os r. n.
OU! QUE CAVACAO...
Com o devido respeiio, pergiintamos ao
Illm Sr. W.V. R. se os Trinla Annos, ou
vida do um Jogador, Aben-Afam, Olio-
mam da Mascara INogra, o Tributo das Cnm
Virgens, el magna comUaat* caterva foram
[levados a scena, ou repres.-nlados no ihca-
nacional Marn l'irmina, capitaoltrodeS. Izsbel : pois palavra de honra, que
Jlo Bernardo da Roza : qtiem![or,mv 1ue foram... o que meu Dos?
, Nem ni mesmo sabemos. Algica do Sr.
pretender embarcar carga m mes-, w. y, k. nos tem intoiramente esbabacado'..
Acha-se justa o comprada casi dj
ra do Padre Floriano n. 68 : quem se jul-
gar com algum direilo, ou nypotheoa, an-
n unc o por estes 4 dias.
Ainda est por alugar (em razio de tor
sido necessario fazer alguns reparos; a ex-
cedente casa nova de pedra ecal, com gran-
ge sitio, muitas arvnres de fructo, eztens
baixa; o ptimo banho do Capibaribe, no
corredor de S. Joflo da Matriz da Varzoa,
Os reparos precisos esli concluidos, e a-
cha-se hoje prompta, pintada de novo -
trata-s* na ra da Cadeia do Recife loja n.
41 preferindo-so quem a tomar em arrenda-
mento.
Melquades Antonio de Almeida Couli-
nho, emharca para o Rio de Janeiro, o seu
scravoGeraldo, de ida le do 10 annos.
Procisa-se allugar um preto : na ruada
Gloria refitiaca n. 114.
Napoleio Gabriel Bez embarca para o
Rio de Janeiro, seus escravos seguintes,Luiz
e Vicente, crioulos.
O abaixo assignado, como prior da ve-
noravei ordem 3a. do Carmo do Recife,vemio
um annuncio inserido no Jornal Impren,
sa de 26 do corrente, em que se pretende
por alguma maoeira desconceiluar o cara-
ter, illibado, e sizudo do nosso ir,nflo secre-
tario, o senhor Manoel Jos Teixeira Bastos
com pequeas couzas, que ordinaria monta
sempro aparecom em tass confrarias, des-
do j declara ao autor do annuncio quo o
faci da chave da secretaria nflo foi acompa-
nhado da resposta por elle assim relatada,o
que quanto a ello nflo ter vestido o habito
para o acompanhamento da procissflo, foi
isto'smenlo divido ao mo estado do mesmo
habito, que s pode servir para os actos in-
ternos da mesma ordem, e nflo para aquel-
es exterioras, de que depondem de mais
brilhanlismo, como seja o de urna procis-
sflo : flnalmonle o abaixo assignado, roga a
osse autor do annuncio, quo nflo procuro se-
ver ossas intriguinhas improprias do um
casaxeligiosa, onde todos so devem confra-
ternizar para maior respeito do templo s-
gralo, o augmento da sobredi la ordem, dei-
xando de repetir aununcios taes, que s ser-
vmu de desarmonzar o pensameoto, que o a-
baixo assignado tem om vista.isto hea uniflo
de lodos os nossos irmflos, o bem, e felici-
dade da nossa ordem carmelitina. Itecife
26 de novembro do 1851Francisco Baptls-
la de Almeida.
Joaquim Jos Corris faz saber aos
seus devedores, quo s ellepde receber suas
livias, e quem as pagar ao Sr. Laurianno
Pinto de Paiva perder o sou dinheiro pois
o dilo Paiva nada mais tem na sociedade a-
lem da divida de 285,036 rs. que rallaran
para enloirar 1:526,947 rs. que ficou
derendo a praca.
-- Borda-se com pcrfel(3o de muito bam
gosto reposleiro o candinos, o mais obras.
,\a mesma casa paga-se 480 rs. por caada
de azeite: na ra estreita do Rozario n. 37,
;-Na ra da Aurora n. 32 precisa-se para
caixeiro de vend um rapaz que abone a
sua conducta na mesma casa vende-se urna
armaeflo de venda por prego commode til
conta para um principianteporalluguele ser
de 10,000 rs. e ptimo logar para negocio, a
a casa tem commodos para familia: na mes-
ma casa ha para vender encllenles canarios
recentetnsnte ciiegados de Lisboa, e por
commodo prego.
Joaquim Jos Corroa pede aosseuaerc-
doresquo lhetirdmuma conta correte eap-
parocaoi sabbado as 4 horas da tardsparsar-
ranjarmos nossas contas.
Desapareceu no da 8 do corrente, da
villa do Gibo, o escravo cabra de nomo Mi-
guel, representa ter 30 a 35 nonos pouco
muso i menos, com os signaes seguintos :
pouca barba, rosto comprido, beicos gros-
sos, bocci regular, bastante gago, estatura
ordinaria, um pouco cheio do corpo, e ca-
bellos encarapinhados : quem o appreonder
e levara casa do Dr. juz municipal do mes-
mo lugar Berna, ou a do Sr. Antonio Joa-
quim Buarque na ra do [.mmenlo n. 27,
ser geuorosamonto gratificado.
-- Precisa-se alugar um armazem que sir-
va para se bular qualquer estabelecimanto,
e mesmo comprando-so alguns objectos que
' ii '.'niia a dita casa, sendu as mas segua-
les : ra da Cruz, ra da Cadeia, praca do
Commercio, ni i do Trapiche, e Vigario;
quem liver annuncio para ser procurado ou
dirija-so a ra da Madre-de-Deus, taberna
n. 36.
Quem annunciou no Diario do 26 do
correnle, querer comprar um selim usado,
apqareca na ra do Rangel n.38 segundo an-
dar, que acnara com quem fif dito negocio.
Aluga-s por pruno camino lo para pas-
sar a fesla, urna el'gante casa terrea, com
hons commodos para familia, tem dous so-
tflos, um dellescom bonita vista para o mar,
e para o Recife, na ladoira da Btquinba ora
Olinda, a tratar nu mesmo lugar na ra do
Balde n. 24.
Deaapireceu no dia 23 do corrente, do
sobrado n. 22, da ra daa Cruzes, tima es-
crava creoula de nome Leduvina de 20 an-
nos, com os signaos seguites : alta, e refor-
jada do corpo, bem preta, rosto comprido,
nariz grande, olhos papudos, lieicos grossos,
mios e ps grandes; levou vestido de cassa
do lislras escuras, foi em corpo porm ple
s t que lenlia aranjado algum panno para sa
tragar, esla preta foi comprada ao Sr. Arru-
lla que tem taberna no paloo da ribeira, e
antes deste, foi captiva do Sr. capitflo Mara-
nhfio ; e suppOe-se ella ter ludo para os en-
gentos Penado, e Congaga, por serem dos
prenles de seus senhores, lugares que ella
j tem estado por varias vezes, e tentio no-
liciai que ella passou no dia 26, na pona uo
Caxang, com um prelo velho dizendo' que
bis para S. Lourengo, para ver *ua sonhora
moga ; por isso roga-se aos senhores desles
ongenhos, e aos inesmos capulesdaveampo,
de appreonder e trazo-la a mencionada casa
cima, que serflo generosamente gratifica-
dos.


w^
1
.' '
Advartc-se lo Sr. Joo Cuiz Vianna ,
aTeinquMto nflo'ptg" oselugueia qoe
.f(e da casa da rua da Alegra, tera a hon-
ra de ver seu nomo nosla folha.
.. nosapareoeu na Urdo de*93 do cr-
rante umaprela ciioula do nome Herencia,
, dde de 15 16 annos.com oa ignaes so
cuiDtes: bastante alta, e magra, olhos bran-
X08 bastante preta, pernag um pouco ar-
.(da ia velho, suppOe-ae ailar acortada em
Igom calogi, poia ella neda a.be du ras
de pela primeira vez que pegar leve-a a
rua da matriz da Boa-Yiata n, 33, que ser
generosamente recompensado,
precisa-sede urna negra, para vender
na rua e fazer algum servico erh casa : a
iratar no aterro da Boa Vista, 'venda n. 43.
.. Na rua Diroita, junto do beccodo Suri -
gado n. 89, segundo sobrado, precisa-se de,
urna ama de casa para homem solteiro, miis
n3o sendo mota.
Na rua do Mondego n. 19, ensiuam->e
escravas a eogommar com toda a perfoigUo
easseio: q\iem se quizer utilisar, dirija-se
i incsma que chara com queo t'alar.
.. I'r.'cisa-so fallar ao Sr. Manoel Baltha-
zarde Uliveira Uastos. roga-so-lhe pois de
annunciar a sua morada, ou de dirlgir-ge
rua do Vigario n. 19, escriptorio de Machado
Plnlieiro.
JuliSo Jos de Araujo, remelle para o
llio de Janeiro, os seuseseravos Francolina,
cabra, e Norborlo, crioulo, ambos de me-
nor dad.'.
-- Antonio Jos Teixeira, subdito portu-
guez, retira-se para fra do imperio.
l'oi furtado da estribara do
quintal da tasa que mora Francis-
co Antonio Vieira, na rua daSole-
dade, ao voltar para o Manguind,
um cavallinho russo, com urnas
pintasamarcllas pelo corpo, muilo
bem feito de casco, cabeca e ore-
Ihas pequeas, tem um baixo no
lugar da picadeira, tem urna mar-
ca de ferro na anca, he multo ar-
digo, anda ptimamente baixo e
he bom galopeador : a peasoa que
o aprehender, ou der noticia anu-
de elle existe ter boa gratilicacao.
Convoca-se a assembla ge
ral dos accionistas do banco de
l'ct nambuco, para o dia 29 do cor-
rente, as 11 horas da manhSa, em
um dos saloes do palacio do gover-
uo, llm de se elegerem os direc-
tores do mesino banco.
l'recisa-se alugar urna ama
de leite, para acabar de criar urna
crianca de selc mezcs, preferindo-
se preta e captiva : na tua da S.
Cruz n. 66, defronte da ribeira.
Precisa-se de urna ama de
leite: na rua do Cabug, botica
n. 11.
Antonio Jos llibniro Bastos, ombarca
para o Mi do Janeiro o muloqiie creoulo de
nome Jos.
-- A luga -se nm sotSo com alguns com-
ino lose muilo fresco, proprio para 1 ous!
rap>zcs solteiros na travessa dos Qnartcis : I
a tratar na rua da Florentina n. 30.
ltenlo. I O secretario da irmandade
A mesa regadora da inundada do Divino de N. Senhora da Conceicao dos
Espirito Santo, em consequenci da dilibe-!...,.. .01
raoSo da mesa conjuncU, convida a todos pilcares, a vista do art. 10 dos
o irmSoa a comparecerem no consistorio
da menina, no domiugo, 30 do corrente, as'
9 horas da manhSa, para reunio de mesa
geral, e pede aos meamos nflo faltem, por
ser de grande interesse a mesma irmanda-
de, o que ao tem a tratar.
Napolen Gabriel Bez embarca para
o Rio de Janeiro o sois eseravos se-
guintes : Jos e Boniflcio, crioulb, Izabel
crioula.
Koga-se ao lllm. Sr. subdolegado da
freguezia da Boa-Vista, que se digne dar
suaa ordens para que o3o continuom a la-
var-se no rio da Capunga, porto da estrada
nova, ceitos malandrines, que sem respeito
s familias que por ali mor j m nSo duvidam
porem-sj nui, e correrem por Ierra, pro-
nunciando piUvras obsenaa, que s podem
ser ouvidas por ellos.
-- F. Blancheteaua senhora vSo a Babia.
Attnctto.
Q arrematante dos imprslosdas
afefigOes, das licenciados mscales e boce-
teiras, mudou-se para a rua das Agoas Ver-
des n. 35.
Na casi de modas francezas de madar
1110 Millochau Buessrad.as senhoras acharao
para passar as testas, sortimento de tudo o
que componha a toilette de bom gosto,Unlo
para ei.la le,como para o campo, e por pre-
sos mais rasoiveis sendo da quulidade igual
o que ba em oulra qualquer parte.
999999&99St#9S999999
* Pimo (algnoux, dentista 9
france/,. oUcrcce sen prest-
S mono niibllro para tollosos W
mlsieies 2 porte ser procurado a qual- f
quer hora cm sua casa, na ov
rua larga do Hozarlo, u. 36, *
9 segundo andar.
-- Aluga-se um bon sitio no lugar do
Cordelro, a margern do Cipibaribe, com boa
casa, estribarla para 3cavallos, cftas para
pretos e feitor, pomar ejarlirn; assim como
baixa, com capim e mu ti orlalice : a Ira-
tralarnarua do Queimado n. 30, segundo
andar.
Precisa-se do urna criada, somante pa-
ra o servido do cozinlia e compras, para
urna casa do muilo pouca familia : na rus
do Itozario da Boa-Vista, sobrado n. 33.
-- Acha-sejusta e contratada a compra da
casa ea meiaagoi no fundo da mesma, oa
rua Augusta n. 15 : quom se julgar com al-
gum direitoou hypoth ci annuncie uestes
quatro dias por esta folha.
Um sacerdote que tem pratiua do 4
i ensino de primeiras letras, gramma- i)
9 tica latina e franceza, geometria, mu- 9
i zica vocal ede alguns instrumentos, |
9 inclusivamente do piano accoita a
9 capellania do algum engenho proxi- fi
I moi esta praga subjeilando-se a fa- 4$
9 zer sua residencia aonde livor de .,
9 exercer o ensino das referidas mate- )
rias: a pessoa que com o inesmo qui- -i
zer contratar, dirija-so a rua Nova o. 0
8, onde ser informado. -
" 9999999 $
3
- Frecisd-se alugar urna escra-
va, que seja boa cosinbeira c com-
pradeira, : quem a tiver dirija-se
a rua da Assumpcao ou muro da
l'enha o. 16.
Hotel no Monteiro.
Domingo, 16 do correte, abre-so esle
com as seguimos pro-
Precisa-se de urna ama de leite, que re
ceba urna crianza, quelem7mezes o rucio cslabelecimento
de idade, para criar em sua casa, e qued porgues :
conhocimenlo de sua conducta : no pateo Sala mobillada o independente, para as
do Terco n. 33. familias, que indo a paasoio quizerom des-
lima mulher se offerece para ama de cancar.
casa de pouca familia : no pateo do Terco
u. 1, segundo andar.
U abaixo assignado, ratifi-
cando seus annuncios pelos jor-
naes da capital em 1847 e 1849 '
_ i a 1 IT- lian o prezuuu,
prio presente declara, queconti- bandojas, etc. etc.
Quartos proparados para dormida.
Espagose e bom arejada sala dejantar,
com capacidade de servir 40 pessoas.
Soiti para recreio e passeio.
Estribara e urranjos para cavallo.
Comida mensal e avulso. preparam-se jan-
taros o prezunlos, aluga-se louga, vidros ,
ma a nao assignar e saccar lettras
de pessoa alguma,porque nao deve
e nem tem transaedes a fazer, por
cujo motivo ser e be falso qual-
Tudo por prego muilo rasoavel, e acon-
tento dos pretenJenles.
Na casa de modas francezas do m ola -
me Millochau Buossard, recebau-so pelo ul-
timo navio vindo de Franca, um grande
sortimento dechapeus de todas as crese
iuhosde se-
quer papel assignado pelo anntin- qualidades.u manteletes o capot
ciante deiia nalnreyi osm mmn ^ de 5resi e preta,juntamen|e com alguns
came aessa natureza assimeomo dg caml)rU'bl)jad'quulodos se venderse
tambem declara, que toda e qual- muito barato.
- Quom precisar de um
caixeiro brasi-
" leiro para vriiua uu......i/.-io de assucar ou
Ciuaae do nio l'ormoso, como ja qualquerestabelccimento, tanto para a pra-
&_._______'. _______________._ _>.. Juila un nm Cilio.
quer pessoa na mesma capital e na .
-r...... leiro para venda ou armazem de assucar ou
annunciou, nada tem que nroc- "coino iIHra n,al"' d,'r'Jv8e n,s Cincj
... .. n r. Ponas n. 100, quo informarSo a conducta,
rar do annunciante, por qualquer ou no pslco de 's. |.crJro 1: a tratar com o
divida que cm sen nome se faca mesmocaixeiro.
., _,,. i,'_i Precisa-sede urna ama, que tenba bom
por pequea que seja. hngenho eabujinl0 Mto: ni rul o Livramento
'iindalii da freguezia de Sei inhSem n. 35
em iodenovembrode i85t.--Joao ^cisa-so de um proio para^oserv.50
M_ ... de casa: na padaria da rua do Domingues
auricio de Uarros Wanderley. pires n. 4*.
Aluga-se urna engommadeira, escra- -- Hoga-se ao Sr. F. C. P. C morador
va, ou forra, para cisa de familia: na rua do em Aurora, queira mandar pagar a quin-
Urum, sobrado de andares no segundo. lia de 103.960 rs. de fazindas que comprou
Franciaco Joaquitn Cardozo, ombarca pira si, e outras do quo abonou a diversos,
Para o Rio de Janeiro, dous eseravos creou- om Santo Amarinlroa pessoa que no igno-
los, Severieo e Benediota. ra e oinquanto nSo o lizer lera de vorcj'u
No dia 3 de dezembro, flnda a audien- nome repetidas vezes no jornal.
cia doS'. r. juiz da segunda vara, ae hSo Qiem tiver urna cscrava desembaraza-
de arrematar 3 eseravos, penhorados a Ma- di para o servido da urna casa, que stiba
noel Jnaqiiini Soares, por execu(8o de J0S0 solTrivelmento engommar e cosiuliar; e q J'avares CordelroescrivSo Motta. rendo della dispor : leve-a ao segundo an-
Aiuga-so um pequeo sitio com excel- dar da casi da esquina da rua do Sol com en
Unte casa no lugar da Capunga, defronte do Irada para a rua das Flores, onde se paga
Sr. Deburcq : a tratar nos Coelhos, na se- bem.
gunda caja, defionte do muro do hospital. | Precisa-se de urna ama forra ou osera-
Aluga-se urna casa em Olioda na ladei- va, para o servico de cosinha: na rua lara
ra da misericordia 11. 13,prompta,limpa,cai- do Itozario n. 31, venda da esquina quo vol-
ada o pintada ; a fallar para ver com o Sr. la para o quartel de polica.
Antonio Luiz Gonzaga na rua do Hathas. -- No dia 38 do corrcnle, Dada a audien-
forreira; o para ajuslar com Joaquim da ca do lllm. Sr. Dr. juiz do civel, ao ineio
da sn ha do arrematar a meior liarle do so-
brado da rua do Livramento n. 16 cm que
estatutos, que regem a dita ir-
mandade, convida a todos o ir-
inos da mesma, para que compa-
rscam no dia 3i> do corrente mez,
as 8 horas da manha, no consis-
torio da referida irmandade, fim
de se proceder a nomeicao do pre-
sidente, que ha deservir no anno
de i852.
Na primeira audiencia do lllm. Sr. br.
juiz dos f .ilns da fazenda irSo apraca por
execuQao da fazenda provincial os bens se-
guintes : urna casa lenca de raadelra e bar-
ro na rua de S. Miguel, do bairro dos Afoga-
dosn. 85, com quintal em abarlo, avahado
em 30,000 rs. : dita na rne-inj rua n. 87, de
niiii. 'ii 1 e barro por 50,000 rs. : dita na
mesma rua 11. 95, de madeira e barro por
70,000 rs.: dita na mesna rua n. 101, 011-
caixilo de tijollo e cal, quintal grande em
aberto por 300,000 rs.: dita na mesma rua
n. 103, de barro e madeira, quiutal em
abarlo por 70,000 rs. ; cujos bens vSo se-
ren arrematados por venda, por oxecuc.lio
da fazenda provincial conlra Joaquim Cae-
tano da Luz.Ua casa terrea n. 38, 110
Becco do yuia'io do bairro dos Afogados,
com 30 palmos de frente, eMie fundos,
quintal e te de lijollo'e 111 iis do bairro, avahada
por venda em 100,000 rs., por exccucjto da
fazenda provincial contra Anna alaria da
Paixlo. Lucio, crilo nom 30 nnnos deidado
do serviQodecasa, avahado om 400,000 rs.;
Luciana crila com 45 annos de ida.le, do
viv; 1 de cisa avahada cm 300,000 rs.; 1
muleqqe com 6aunosdeidade, avahado por
Jim rs. 1 dito com anno do idade, avahado
em 100,000 rs.; I carro de quatro rodas,
avallado por 200,000 rs. ; 1 dito de 9 ro-
dos, por 130,000 rs.; 1 canup com es-
sentodd palhi iniloj, por 5,000 rs,; 1
duzia ilecad'iras do pao d'oleo assentus de
pallia por 19,300 rs.; 1 camap e 8 cadei-
ras de .naduira de Jacaranda fosada-) por
33,01)0 rs.; I parda bancas da mesma ma-
deira por 13.000 rs.; 2 ditos da mesma ma-
deira por 30,000 rs. ; 3 pares de lanternas de
vido por 20,000 rs. ; um par de mangas de
vidro lizas por 3,000 rs.; 1 lustro usado por
30,000 rs.; t marqueza do amarello com as-
sent de palha por 6,000 rs.; I duzia de ca-
doiras ordinarias por 24,000 rs. ; 1 cama do
ferro por 6,000 rs.;l dita de amarello de
armicao por 8,000 is ; 4 ditas de vento usa-
das por 8,000 rs.; 3 ditas de molla por 16,000
rs. 9 bas usados por 4,000ajs.,9 ditos do
flandres por 1,000 rs.; 1 comino Ja de ama-
rello por 8.000 ra.; 1 ai arador por 6,000 rs.;
I meza de cusinha por -'./ rs.; I dita de tan-
ta! por 8,000 rs.; 1 tocador por 6,000 rs. ;
1 lavatorio e seus pertences por 6,000 rs.
1 guarda louca por 10,010 rs. ; meio appa.
reino delourja para meza dejantar por 16/
1 aparelho para cha por 5.00o rs.; 12 copos
para agoa por 3,000 rs.; 12 ditos pequeos
por 1,000 rs. ; 4 garrafas brancas por 4,000
rs.; e 4 compoteiras por 6,000 rs.; pinuora-
dos ejtes bous por cxecuQo da fazenda pro-
vincial contra JuSo BiptisU Poreira Lobo.
Urna banca de pinho para fabrica de cha-
rulos avahada por 2,000 rs.; urnas tilia is
de pinho que foram do nrmac9o de luja por
1,920 rs. ; 3 hieiros envidiados por 3,000
rs.; 2 siccos com fumo por 640 rs-; o
100 caixas vazias por 1,000 rs.; pinliorados
estes b ins por oxecuf lo da fazmida provin-
cial contra Antonio Joaquim te 11 es .1
Aievcdo.--Urna escrava de nome Mana da
nae'1.) com 40 anuos do idado do SOrvC/i de
casa, avahada por 300,000 rs.; aqual e-i 1
penhorada por uxecuc,"o d fazenda provin-
cial a Alexan Jre Joaquim Satyro, como les-
tamenleiro de Francisco Jos Duarte.Urna
commoda de Jacaranda por 10,000 rs.; i..
cadeiras da mesma madeira (usada) por2ig
rs.; 2 bancas do Jacaranda por 30,000 rs. ;
I armario de amorello por 6,000 rs.; 2 lan-
ternas do vidro por 4,000 rs.; o 1 meza de
jantar de amarello poi 0,000 rs.; p nhora-
dos estes bens por execuc.no da fazenda pro*
vincial contra Evaristo Mondes da Cunha
Azevelo : 9 livros da recolta o despea do'
imperio por i,uu) rs. ; 28 ditos em broxura
fautor) Jos Ignacio ddAbreu Lima por 14/
rs.; 1 dito Jess Christo peranle o seculo,
em broxura por 5,000 rs.; 1 dito intitulado
Soildo-- em broxura por 5,000 ra. ; 3 me-
zas pequeas de abrir por 12/rs,; 12 cadei-
ns ,1o bratoscomassentos de palha, por 30/
rs.; 6 ditas com i
gado Itozario n. 96, loja de mludezas. I O dono da fabrica de charutos, da rua
Compra-s a obrinha intitulada o Nova n. U,avisa a lodosos seus freguezes
Hoco louro e nSo se repara o preco : na e as maia^asoas quo se quizerom utilisar
de ,lurlas 1*2- dos seus muito apreciaveis charuto, que
--Lompra-seapadana deS. Amajo, per- agora tem novo sortimento, que se appeli-
ti'iu'Mii i Seln-ti.lu Jos ilooiivcira : quem dam : regala do S. Flix, resala, regalos,
sejeh^r com direitos a ella annuncie.
Vendas.
Havanna, irnperiaes, a vista-faz-f, patuscos,
viajahles, fama, vaya, cacadores, da Baha,
qacui Tunar sabara, a experiencia-o-pro-
vara, a boa-fama, Emilios, voluntarios, e
outras muitas qualidades que serJo presen-
tes
s; 1 c~C- r *"." i Em fora de portas rua do Pilar n. 13 5,
odinram a luz as tolliinhas m- ha para vender nmescravo crioulo com ofll-
FflLlilAS PARA 1852.
alnram a luz as folhinhas im-
ressas nesla typographia, sendo co'lo pedreiro preferndo-se a quem nim-
..... ,_ j ii- prar para embar,'Ue,por molivos.sendo pro-
e porta a 160 rs e de tlgbeira prlo dos que se procura para tal de.tino
5e
a 3io rs
contenilo todas as de al-; ''"!'' Pe,a perfei^ao no ata ofllcio,com boni-
ta (gura, na mesma casa ha um bonito es-
ciler proprio para dverttmenlo deqnem
for apaixonado, ou para algum capillo de
embarcado : he novo o construido do supe-
riores madeiras : qnem precizar procure no
referido lugar.
_ Veude-se czaos do ganfjos : oa rua do
Collegio n. 5, se dir quem os veude.
Casimiras baratas.
Vendem-se os mais modernos cortes de
casimira, qu; ha no mercado, a 4,500 rs. ca-
da corte, ten lo grande sortimento para o
comprador escolher ; chitas francezas do
lindos padrOes, de cures Rxas, a 2(0 rs. o
cova.lo ; ganga amareila para jaquetas e pa
lils de meninos, a 210 rs. o covado : na rua
do Queimado n. 19.
Vendem-se verdadeiros cha-
rutos de iavana, os mais superio-
res que tem viudo, a esta pracu :
prezuntos de VVestphalia, lingnas
seceos de Buenos Ayres e lentilhao
cm garriloes, tudo chegado rece 1-
temente: no armazem de VV.Baucli
na rua da Cruz n. |5.
ir HttiiodaexpMif&o. a)
^1 Na loj 1 do sobrado amarello nos qua- )
i tro cintos da rua do Queimado n. 29 a)
>, tem para vender nova fazenda pira %
f) vest los de snn'iora, denominada mi- a)
mosda exposiqSo, fazenda de dilica- 9
a^ dissmos gustos e cores muito lixas v"|
t) pelo diminuto pre^o de 440 rs. oca- 9
) vado. a
^^^.VOaVaVaVVtjVtfaVty
I .ene .i > de seda.
Vendem-se lengos de seda de urna s cor
gibeira alcm do calendario, a de-
finico dos corpos celestes, astro-
logia, cometas continuaejio da
chronologia principiada, ha annos,
juizo das mudancas de tempo pe-
los meteoros, tabela dos emolu-
mentos dos parochos em todas as
funeces religiosas, e urnas colle-
eces de anecdotas,bons ditos,etc.,
outras a confssao do marujo e nu-
tras alinguagem das llores, inicias
e jogos de finezas de flores, e breve
sabirao as de almanak, muito acres-
cenlado e corrigido : vendem-se
ni livraria da pra?a da Indepen-
dencia n. 6 c8.
Vende-se cimento a 8,000 rs. a barrica:
na rua Nova n. 33; assim como urna verga
do pe.Ira para porta.
Ven le-se um muloque creoulo, de ida-
do 18 a 20 annos : na ruu Direita n. 14.
Vende-so familia do Maranhao a 100
rs., arail i a 160 rs. : na rua Direita n. 14.
Dinheiio vista.
Ven lem-so pelo costo selins inglozes,for-
rados de couro de p neo. ditos de borranha,
ditos desoa com eslufo, silliOcs para mon-
tara de senhora, cabezadas rolicas, ditas
chalas de lustro, esporas linas de metal
branco, estribos de metal h aneo, ditos de
ac : na rua N jva n. 28, loja de seleiro.
Vendem-se porles, portas o sacadas
de podra com soleiras de granito, deposita-
das defronte da fundic;So doStarr,em Santo
Amaro : a tratar na rua da Cruz do Recite f
n.5l.
polo commodo pieco de 1,280 rs., e mcios
i ditos para pescoco de homem a 640 rs. : na
I loja de miudezas da rua do Collegio n. I.
IM.mr.is romanas.
Vendem-se balancas romanas pira pesar
I 32 libras, ditas para 25, ditas para 16, sem
[ se preciar de pesos: na loja de miudezas d
ma do Collegio n. t.
-- Vende-so urna mesa de amarello com
:as suas competentes gavetas, com quatro
palmos de largura e seto do comprmanlo :
na rua Bella n 16
- Venlc-so un piano inglez, cm bom es-
lado, por 150,000 rs. : 111 rua do Cabug n.
r 16, se_ 1 lo an Jar.
Vende-se urna oscrava crooula com
^ 4:000,000 \Z*JE%9^Sttff
N. loJ.Tre VMfc na -* W^ .'ozario. de-
da C.d.l.ido necife n 34 .recebaran, pelo | ''""'vena'-3 um, parJa do -20 .24 anno.
SSSSHI Sfi sses*" asa
dOsS-rvidores do F.stado, o pelo mosmo va- fi', r ,
porchogaramosmuiafotunadosbilhctse! *- ,,,ta larga Iranceza, a 340 rs.
cautellas da 7.* lotiria a beneficio do thea-. Vende-so chita franceza larga, pa Irdes
trodoNicthnroy, o 2 lotcria u beneficio do I modernos, escuros o claros, e cores lixas,
Hospicio de Pedro II, dosquaes vom a lista | pelo baratissuno prego do 240 rs. o covado,
no primeiro vapor, o trocam-so por bilhetes
j premtaxlos das loteri is do Rio do Janeiro
e desla^provincia.
* PEClimCUA.
Anda existe urna pequea quan-
tia d is 8djperiores cjlxas de liuho,
do niel Un i' gosto que tem iippare-
cido.no mercado, pelo barato pre-
co da.io.ooo rs. cada urna : na rua
do Queimado, loja n. 17.
No armazem de Jos Joa-
quim Dias Pernandes, da travessa
di Madre de Dos n. 12, ha para
OI11U3 UO puma, Utfl W J 1 > .
incosio de pajha por vender, caixas com enxofre; ditas
l & 1^ A ^ v** aptiflAlA da I _____ ______a f 1 Id
Aen^3o Queiroz, na rna do Mun lo Novo
D.30.
Antonio Ricardo do Reg, embarca pa-
ra o Rio de Janeiro, o souescravo Manoel, do
riacho Angola.
Precisa-se de urna ama, que leu lo bom
leite, sendo asseiada e cuidadosa, quena a-
mamentar urna crianfa do dous inezes :
quem estiver nestas crcumstancias ( sendo
forra), rija-se atrs da matriz da Boa Vista
n. 16.
Precisa-se de um homem para feitor de
engenho, muito perlo desla praca : na rua
Nova n. 67.
Aluga-se metade de urna casa, com en-
trada separada, constando de sala de visi-
ta, alcova, sala dejantar, cozinha e um ex-
ilenle terraco : a quem convuer, dirija-se
> rua do Crespo n. 5, para se'Ihe onsinar
rua.
?. I. I. Vollmaier aliador de pianos
%i 'az sciente aorespeilavel publico des-
atV sa cidade,que se aeha prompto a qual-
fc luer hora do dia para exercer o seu 9
V ofllcio tanto ni cidado.corno nos seus 9
% arrebaldes,A presos muito favoravcis,
* Pode aar procurado na rna da Cruz
f> n. 38. .a,
****999999**99%9SB* 9
tem loja de fazeddas An.lra le .\ Ir.uSo, son-
do o sobrado avahado em 3:400,000 rs., e a
parteque se arremata em 1:627,490 rs., lio
ultima praca, por exocuc,3o do Jos de
Medeiros Tavares, contra JoSo Francisco
Ferreira esua mulher, escrivSo Santos.
Esi justa a compra da casa n. 43 da
rua Direita dos Afogados : quem tiver que
reclamar sobre a dita casa, annuncie no
praio de 15 dias, ou calenda se con o
comprador, na padaria do mesmo lugar, o
na mesma casa vende-so a taberna que nella
existe.
Dessppareceu no dia 34 do corrente I
cinicuo capado, grande, semarmac3o, cor
branca, eo 111 u 1111 orelha rumor do que a ou-
lra por ter sido cortada para signal, ecom
o l'oiuulio ralado do cabresto : quem delle
der noticia certa, ou o irouxer a vendado
leSo d'ouro no Hospicio, ser bem recom-
pensado.
- Adverte-se ao Sr. Bernardo de Alhu-
querque Fernandos Cama, que o seu corres-
pondente nesta prar;a, ndo tem pago a subs-
cripto do Diario.
--.Precisa-s) de urna preta cosinbeira
para servido de urna casa de pouca familia:
no aterro da Boa-Vista n. 1, loja.
13,000 rs. 1 camap com assento de
pallia 8,000 rs. i 1 hvro reparador pequeno
por 1,000 rs. ; 1 lavatorio por 3,000 rs. ;
4 mangas de vidro e 2 casticaos tambe ni do
vidro, por 14,000 rs.; e 1 burra de ferro pe-
quea por 10,000 is.; pinhorados esses bens
por execucSo da fazenda provincial conlra
Joio Baptisla recira Lobo.
- J0S0 Antonio Lopes Carneiro, retira-so
para lora do imperio.
Aluga-so urna casa torres com sollo,
no sitio do Cordeiro, margem do rio Capi-
baribe, com commodos para grande familia
cosinha fra, cocheira, estribarla para 6 ou
8 cavallos, e quarto para criado ; urna dita
mais pequea no mesmo sitio, tambem com
commodos para familia, cosinha fara, e es-
tribara para 4 cavallos ; para vor 110 uies-
0 sitio, e para tratar com Gabriel Antonio,
no pateo do Carino n. 17.
" M i-h'I de Almeida Lopes, cora ciss
deconsignacSo para comprar o vendor es-
eravos, tanto para esta provincia, como pa-
ra fora della, mudou a sua residencia da
ruadiCadeia do Rjcife, n. 51, para a rua
da Cacimba, 11. II, aoudo morou o finado
Exm. vigario, Uarreto.onde continua, offe-
recendo-se toda a seguranza precisa para os
mesoios e bom tralamento.
Precisa-se alagar urna casa com sitio,
ou sem elle, na capunga, ou anda mais
perlo, com tanlo quo lenha ajjnlio no ro
Capibaribe, e seja perto delleTOesta typo-
graphia se dir quem precisa.
Preciza-se de um portoguez que seja
perito em plantajes de sitio, e saiba ti-
rar l'ormigas, quem estiver nestas circuns-
tancias e quizer trabalhar no sitio na traves-
sa do Remedio n. 31 ootenda-se com seu
proprrttano, o Porteiro da Alfandega desta
ciladf, na mesma repartirlo que a vista da
prova que der desabero que cima se desa-
ja, e da sua boa conducta &. &. tratar-so-he
doaiuste.
Nova tinturarla (ranceza na rua
Velha n. r]l\.
Ah lingem-se obras de qualquer panno,
e liniBlose ea/.aeas que licaiii cono novas.
ludo por prefo commodo.
Precisa-se do um negro para o servico
de padaria no aterro da Boa Vista, casa nu-
mero 33.
com azeite fino em garrafas; ditos
cu 11 vinho muscatel ; farinha da
marca SSSF e fontana, e outros
gneros de estiva de diversas qua-
lidades.
Vcndem-se sclius inglezes ,
para montara de homem c senho-
ra : na rua do Trapiche n. fi, ar-
mazem de Adamson llowie &
Compinhia.
Vende-se panno de algodo,
para saceos, muito superior e ba-
rato : na rua do Trapiche n. 4*,
armazem de Adamsun llovie &
Companhia.
Figuras e vasos parajardim.
Chegaram do Porto as melhores figuras e
vasos para jardim, do 1 1; 1 fabricada na-
l'ielle paiz ; as amostras estam patentas pa-
ra quem quizer comprar: na rua da Cadcia
40, segundo andar.
Grande pechincha pira urna casa
de familia.
Vende-se um mulata perfeita coziuhoira,
lavadeira, engomma e faz doces, por preco
muito commodo, por nSo ser bonita figura :
tratar na rua do Crespo, loj n. 16, da
esqu ina.
Vendn-s
moda em bol
Compras.
Compram-soeseravos o vendem-sede
conimisso, para dentro e fra da provin-
cia : na rua da Cacimba, sobrado 11. 11, on-
de morou oSr. vigario do Recifo.
Compra-se dous pares di rachilhns para
alcova ou saccada do varanda, estando em
bom estado : na rua da SeOzalla Valba n.
100.
Compra-so umselim usado: na rua lar- | por proco commodo urna com
uso: na rua do Apollo, ar-
masetn n. 34.
CH\' BRAZILEIRO.
Vende-so cha brasileiro em latas de libra,
a 2,000 rs. cada urna; quem, considerando
que o cha da India he proparado com o ail,
e secco dentro de vasilias do cobre, e por
consequencia impregnado de materias vene-
nosas, que affeclam a salid, nSo preferir
de certo o cha brasileiro, que he preparado
de um modo muito simules, o secco sobre
laminas de ferro,lornainlo-se poras-o mesmo
muilo mais saudavcl : no pateo do Collegio,
casrdo hvro azjl.
l'entes de tartaruga.
Vonde-sena rua das Trinchoiras n. 3, loja
de lartarugueiro, pintada de verde, pentes
le tartaruga de muito superior qualidade e
do ultimo gosto, por pceo mais commodo
do quo em oulra qualquer parto ; assim como
seconcertam todas as qualidadas de obras,
11 lo sendo vas id is, e compra-se tartaruga
n ponles velhos.
Vende-se um pelo da costa proprio pa-
ra armazn) do assucar,ou para oulro qual-
quer servifo. ni rua da nfadre do Ueos fubri-
tendo grande porcS > para oscolhcr: na loja
do sobrado amarello, nos quatro cantos da
rua do Queimado 11. 29.
Sedas furia cores, a 1,70; rs, o
covado,
por lao diminuto preco, que mdei-
xar de ter um vestido de seda pi-
ra a festa ? na rua do Queimado n.
10, vendem-se as mellibres e bo-
nitas sedas furia cores, para vesti-
dos de senhora, meninas e mante-
letes, a 1,700 rs. o cov.ido ; dam-
se us amostras, ou mandam-se as
peras em casa para mellior o com-
prador escolher.
Vendc-se um escravo do genlio, de
idade 25 a 30 annos, he uslivador e sabe re-
mar cm alvarengas : quem o pretender pro-
cure 110 becco da Lingoet*, taverna n. 8.
Na rua daSenzalla Velha n. 48, em o
novo armazem da vinhos, contioua-se a ven-
der excellenles viuhos de Lisboa Pltll e Fi-
gueira por 300 340 rs. a garrafa, 1,500 e
1,800 rs. por caada.
C5" Ara ruta a 1,600 rs.
Na rua do Rozario n. 43, vendem-so latas
com bjlacbinhas do aramia do Rio do Ja-
neiro, pelo commodo preco de 1,600 rs. a
lata.
--Vende-.-' ou aluga-se um sitio em O-
linda na roa do Bom Suresso passando a
bica do Rozario o segundo si lio : a tralar no
mesmo.
Vende-se a grande casa terria, sita na
rua do Mondego, n. 56, pertencenle a Rita
Mara da Paix3o, He urna das casas melho-
res construidas nesta cidado, tendo grandes
nccominlaces, fcita com muita seguran-
za ac-io e de gosto rnoiorno. Tom cin-
co jauellas il frciile, com grande po'tSo de
ferro ao lado, quatro salas, dez quarlos,
grando cozinha, com jiodos para creados e
eseravos, estribara e grande quintal mu-
rado. Acha-se hypothecada aos Srs. Jos
Antonio Basto, e Ufane Youle & Companhia
sendo que vende-se para pagamento destas
hypolbecase com o consenlimeuto dos mes-
inos cru lores hypothecarioi. As pessoas
quo a pretenderen!, queirSo dirigir-se ao
Sr. Jos Antonio Bislo, na rua da Cadeia
do Recite n. 34, qual se acha competente-
mente autorisada para o ajuste.
Yc.idctn-se s'patos de couro
de lustro de Lisboa, para senhora,
a 1,600 rs.: na pra9a da indepen-
dencia n. i3 e 15, loja do A-
rantes.
Vende-se o engenbo Lagfla Redonda,
no districto de porto Calvo, urna legua em
distancia dessa villa, de superiores trras,
tanto de cuma, cumo do mandioca e tudo o
mais; ho composto de grandes virseas.e do
mellior cercado possivel; acham-sc desmoro
nados os seus edificios, por isso que tem es-
lado uns poucos de annos de fugo morto,
melhorando assim cada vez mais as Ierras
para sua producido, vende-se a dinhoiro,
ou a prazo, e mesmo em permurla do es-
eravos etc. : a tratar nesla cidade com Lino
Jos do Castro Araujo, na prac,a corpo Sauto
n. 2, ou com Jos de Uarros Pimentel do Re-
g FalcSo, junto ao pisso de Camaragibe,
no .-en cugenho varsea de Souza.
Venie-se o cenlo de ceblas a 320 rs.,
Na 111a do Collegio a. 5, veudc-se so-
blas muilo novas a 330 rs. o cont, latas
3,400 linguicas novas a 360 rs. a Ib paios
a*40rs., farinha de araruta a 140 rs-, mar-
melada nova a 50J a Ib., jalea de marmello
a 480, doce de goiaba muito fino mandado
fazer de encommends, queijos muito boas a
outros muitos gneros por prego muito
comino lo : o proprietario deste estabeleei-
mento dezeja-seafreguesar e promet servir
bem os freguezes.
Bilhetes do Rio de Jahetro.
aos ao:ooo,ooo de rs. *w*
Na loja de miudezas da praca da
Independencia n. \ vcndem-sa
bilhetes inteiros, meio*, quartos,
ni Ti vos e vigsimos, a beneficio da
sctiipa lotera do thedtro da impe-
rial cidade de Nictheroy, que ha-
via de*torrer no dia i5 do corren-
te; na mesma loja tambem se ven-
dem bilhetes inteiros, nieios, quar-
tos, oitavos e vigsimos, a bene-
ficio da segunda lotera do Hospi-
cio de l'edro 11, que havia de cor-
rer no di 1 a5 a 27 do corrente.
HvmwmwwBmm-.viiammmmmvii
li.intois l'ailhetck Companhia.
Conlinua-se a vender no deposito
geral da rua da Cruz n. 53, o excel-",
l'intee bem conceituado rap arela
preta da fabrica.de Uaolois l'ailhet & 9 '
Compaubia da Babia, om grandes 9
piquetas porcOes pelo prego estaba- 9
re, ..o. 9
A'tMijso ao harateiro
Na rua N va n. 8 loja de Jos Joa-
quim 31oreira ck Companhia,
Vendem-se fortes e flecxives chicotes
para carro, pelo baratsimo preco de 1,500
ris, caixas de muito boa madeira, fcitas
com muilo Irabalh e gosto, destinada ni-
camente para preparos do barbas, pelo de-
minuto preco de 4,000 ris, chicotes do bor-
racha para cavallo, fortissimos e de qualida-
do tal, que .> vista os compradores poda-
rao avahar, ruesmo por seremos primeiros
que ueste genero aqu tem vindo : o prego
dir-se-ha em segredo a quem pretender.
Oh que barateza !
Vende-se na rua Nova n. 8, loja de J. Joa-
quim Moroira & Companhia, vendem-se lu-
vas de pelica muito frescas, e novas bran-
cas de cor, para homem e senhora, pelo
diminuto preco de 900 rs. o oar ; ditas de
fio do 1.-.-1 o 1 com um loquezinho de mofo
por 320 o par; espartilhos para senhora, o
que lemapparecido de melhorneste genero,
por 6,00c;um resto de spalos demarroquirn
preto, ps pequeos, a 1,000 rs. lencinbos
Jo role lo mellior gosto possivel, a 1.800 rs.
ditos de seda o 73J, gollinhas de cambraia,
a 1,000 rs ,*luvas de torga! a 1,000 rs., plu-
mas brancas quo muilo servem para toucas
echapeozohnsde menino, a 500rs. e outras
muitns fazendas de gosto c qualidade que
na mesma Joj se veuderSo par baralissrmos
pregos.
CltAXV ECONMICA EJI MASSA.
Da insigne fabricante americano, James
Masson. A sua composigo he feit de pro-
posito para lustrar com agpa e conservaro
lustro, lano de invern como de verSo ; a
ran le voltaje 11 que ha nesla graxa he a
consorvago do calgado, e luslrarmn-so os
sapatos ou botins ain la mesmo motlalos,
e urna pequea lata aturar mais do que tres
boifles, ecustar menos do quarn. Venda-
se cm barricas, ou uorgo de duzias, no ar-
mazem de Vicente Ferreira da Costa, na rua
la aladro de lieos, e na rua doAmorirnn.
35, armazem de Tasso Jnior.
Vende-se no Marmihilo, a fabrica
de bugias stiarnas e sabdo.
Us administradores da liquida-
cao de Theodoro Chavanes, ven-
dem a fabrica denominada Mara-
nhense, na rua do Pioponto, des-
ta cidade ( porto dos remedios) ,
a saber : casa em que est mon-
tada a fabrica, com ao bracas de
frente c i5 de fundo ; 1 prensas
bidraulicas, orisontaes deforcade
600,000 libras, cada urna 1 dita
vertical deforca de 400,000 libras;
3 grandes caldeiras montadas, pa-
ra o fabrico do sabo ; 4 ditas pa-
ra derreter sebo; todos os perten-
ces necessarios para o fabrico do
stearina e sb5o ; 9 eseravos en-
tendedores do servic,o geral da fa-
brica ; 1 terreno annexoa fabrica,
com 7 bracas de frente e i5 de
fundo ; 1 dito fronteiro a mesma
fabrica, com 18 bracas de frente e
38 de fundo : as pessoas quepre-
tenderem comprar, pdem nesta
praca dirigircm-se a J. Keller 81
Companhia.
ACinADKDEPARLS.
mi lo collegio 1
Novo sortimento de chapeos de sol, para
homem e senhora, a saber : ~ chapeos de
sol de seda, armacfo de baleia, de 4,500 rs.
para cima; ditos ditos para senhora, de 4,000
rs. para cima ; ditos de panno lino, de ar-
ma Jo de baleia e de ferro, de 1,600 a 3,900
rs. ; ditos ditos de armaco de junco, de
,200 a 1,800 rs., todos limpos: grande aor-
timento de sedas e pannos, em pegas para
cubrir os meamos, balejas para vestidos e
espartilhos de senhoras. Concertam-so to-
das as qualidades.de chapeos deso, tudo
com perfeigo e por menos prego do que om
com boUcliinha de araruta muilo nova a [oulra qualquer parle.
mm


hni
Vende-ac, por preco com- Sapatos de tapete.
modo, fumo em Col lia, para cha- Vcndem-se os bem conhecidoj corles de
inouu, j i pete, pira tpalos, a 500 rs.T par : nt
rutos de pnmeira e segunda qua- rua do Queimado, loja do sobrado amarello
lidades, macella chegada ltima-
mente do Porto, e calvirgem de
Lisboa tambem desembarcada
poneos dias : a tratar no armazem
.Achias Ferreia, no caes da al-
fandega, ou com Novaes ck Com-
panhia, na ra do Trapiche n. 34.
Vendem-se ancora* e amar-
ras de ferro para navios i cm casa
de Geo Kenworthy &< Companhia,
na ra daGtuz n. a.
Vendem-se relo^ioje ou-
ro e prata, de sabonete e de vidro,
patente inglez .- em casa de Geo
Kenworthy & Companbia, na ra
da Cruz n. a.
i Vende-se superior panno de
algodo para saceos de assucar :
em casa de Geo Kenworthy &
Companhia, na ra da Cruz n. i.
Vcndem-se arreios para ca-
vallos de carro e cabriolet, chega-
dos agora : ca casa de Geo Ken-
worthy & Companbia, na .na da
Cruz n. 2.
Vendem-se cabos dclinboc
de manilha: em casa de Geo Ken-
worthy & Companbia, na ra da
Cruz n. a.
Vendem-se silhes de couro
de porco, para montara desenlia-
ra, bem como cabecadas de couro
bianco : em casa de Geo Kenwor-
thy & Companbia, na ra da Cruz
n. a.
No cscriptorio de Novaos Compa-
nbia, na ru do Trapiche n. 3i, t im para
Tender por preco commodo os sogui'itcs ob-
jeclos chegados ulliinimcnte: chapeos do
chile interlinos, Hola para cscraver, gran
em potes paia calcado, linha do roris, macos
com palitos cnfcitadose panno de iiuliu : a
tratar no mesmo escriptorio.
Vende-si urna mulata do idade de 18
aanos, sem ter vicio algum : quem a quizer
negociar, dirija-se a ra do Livramcnlo n
33, loja de calcado.
Sao hamburguesas.
Vcndem-se e alugam-so as bem acre lili
das bichas de llamburgo, mais barato do
que em oulra qualqucr parle; penetras de
rame, condenas, casias e bunios, ludo
muitoem conta : na ra estrellado Rozarlo
li. 13, padaria que foi o 8r. t.unba
Vende-so um escravo de mqSo costa,
moso e muilo forte, proptio para armazem
de assucar : quein o pretender dirija-se a
ra do Calinga, loja de Joaquim Jos da Cos-
ta Fajoles
Vende-so urna negra do nac,So do bo-
nita ligura e moc, engomma, cisinha, e he
quitandeira : na ra Augusta n. 22, casa do
Cabo.
-- Vende-se um cavallo russo milito man-
So e gordo, proptio para homem de capact-
dade, sem achoques o minio minliiiio, o o
motivo da venda lio porseu duno rctirar-se
para fra do imperio : defronle d" viveiro
do Muniz, sobrado di quina n. 39
Lsposico de riquissimos vasos pa-
rt flores e perfumaras.
Ven lem-se ricos vasos do porcelana da
China de varios tamanhos para flores e per-
fumarias, do [odas asquali la lo: na rua da
Cruz do llecife defronle do Corpo Sanio loja
de barbeiro n. 58.
Vendo se por metade (ou nimia monos
400 formas de 6 e 9 cni libra para fabricar
vellas : na ra da Somalia Vellu. n. 109, e
garrafas com sement de cuentroa 200 is.,
Ven tc-so um i equeno sitio, cim casa
n. 89.
Algodao para saceos.
Na loja do sobrado amarello, nos quatrol
canlos da ra do Queimado n. 29, vendo-so
al godSo para saceos, por preso mullo com-
modo.
Casimiras baratas.
Vendem-se os mais modernos cortes de
casimira, que ha no mercado, a 5,500 rs.
cada corlo, tendo grande sortimonto para o
comprador escolhor : na ra ilu Queimado,
loja do sobrado amarello n. 29.
Aos 20:000,000 ders.
Acaba de ebegar pelo vapor S.
Salvador, os bilhetes, unios, quar-
Ui.-.. oii.ivos e vigsimos da lotera
do io de Janeiro, a beneficio do
theatro da Niclheroy cuja lista
chega pelo primeiro vapor, even-
dem-se na ra do Queimado, loja
de feragens n. 3^ A, de Antonio
Jos llodrigues de Souza Jnior,
Vendcm-so relogios de ou-
ro e prata, patente inglez : na roa
da benzol la Nova n. -']>..
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americano
com cambSo de sicupira e bracos
da ferro ; na fundicfto da 1 u;i do
Brum ns. 6, 8 e 10.
Bombas de Ierro.
Vcndem-se bombas de repuxo,
pndulos e picota pera cacimba :
na ra do Brum ns. C, 8 e 10,
fundicao de Ierro.
-- Vondem-se velas de espermacete, em
caixas, de superior qualidade : cm casa de
J. Keller & Companbia : na ra da Cruz nu-
mero 55.
Familia de mandioca.
A mais nova e mais barata farinba de
mandioca que ha no mercado, vende-se ni
ra da Cruz do llecife, armazem n.13, de
JoSo Carlos Augusto da Silva.
Deposito de cal virgem.
Cunba 6; Amorim, vendem barril com cal
4 =
g| -;",->- *- *
Vende-se um carro de qua-
tro rodas, muito leve, para um ou
dous cavallos: na cocheira do Mi-
guel Sougei no aterro da Boa
Vista.
^ Artilharia & cacadorrs. fa
Vendem-se Superiores luvas de re- !
** troz prelo proprias para uniforme de *
0 arlilharia e caladores 1 na loja do sir-
gueiro, no pateo da matriz.
pelos muito baratos preros abaixo : em pedra, chegada ltimamente de Lisboa,
tullirles inteiros 55 ono no barca Margarida, por menos preso do
Ijillietcs imeiros Ja,000 oueeiri0utra qualquer parta: na ra da Ca-
Mcios bilhctcs
I 1,000
5,5oo
2,800
i,3oo
Ouartos
Oitavos
Vigsimos
AGENCIA
da fundicao Low-Moor.
HA DA SEMZALLa NOVA .N. 42.
tueste estabeleeimenlo conti-
queein oulra qualqu
deia do llecife 11. 50.
Azeite de carrapato da fabrica de
Araujnck Filhos, no Pcnedp
liste azeite pela perfeicSo cm que he
fabricado nSo s servo em lugar do azeite
doce o de coco, para qualqucr qualidade de
coudieiros por mais delicados que sejSo,
como he muito prcfirivel a quulquar outro
por dar urna luz 111.1. brilliatite, ser mais
duralivo, e seu custo ser mais baralo ; n.lo
& #a>l??g*j! celta*. barrls de 5.', be muilo recom-
Tnlxii- pura einniim. ; mendave! aacasasestrangeiras, como ex-
Na fundisfio de ferro da ra do llrum, excellente vinho para pasto,
acaba-se de receberum completo sortmon- Machinas de fazer.caf a vapor.
Vendem-se macliinasue*fazer caf, que
to de taixas de 1 8 palmos do hocca, asi
quaes achain-se a venda por preso com-
oodo, e com promptidito embarcam-sc, ou
rarrogam-se em carros som dospozas 80
comprador.
IMVEItp DOS IIOMLNS,
a 5oo rs.
\'."i lr-se c.-lc compendio aprovado para
as aulas, em meia encadernas^o, a 500 rs. ,
i- d : um: na livraria 11. 6 c 8, da prasa da
Independencia.
na a ha ver um completo sort- ilemocheiro dcsagradavcl qur exala o azei-
____, 1. _.___i _,:_ ,.,.,,. le de carrapato commum, nom em nada
ment de moendas o meias moen- delleM,,,,,. vendo-seem barriz de
das para engenho, machinas de 16 caadas a 2,400 rs. a caada, no armasem
vapor, etaixas de ferro batido e ,deJ'' Tasso jnior, ruado Amorim n.35.
coado, ue todos os tamanhos, na- """ 1'' fC ? ,
. eom bombas de repudio para regar borlas
ra dito. ,d baixas decapim : vendem-sena funds3o
Deposito tu iaiii-.c de 'Coitos os ;do llowmon Me. Callum,na ra do llrum
Santos na Unliiu. |ns. 6. 8 o 10.
Vende-se,em casa deN. O.Bieber&C.,
na ra da Cruz 11. 4, olgodo transado da-
quella fabrica, muito propno para saceos de
assucar eroupa deescravos, por preso com-
modo.
I'ara as escolas.
Vende*so do pateo do Collegio, luja do
livro azul a lynopiis do general Abieu e Li-
ma, ltimamente adoptada pelo Ix-ii. presi-
dente da provincia como compendio de Iti-
tura e historia do Mrasil as escolas prima-
rias da provincia.
Preso em broebura 2,5fi0
Knc:. 111., .1 ,200o
AL(;UUAU' PA11A SACCOS.
^ vende-se minio bom algodflo parasa- b
9 eos Je assucar, por preso cmmodo :
em c.:sa de Ricardo l'ioyc, na na da S> 1 <"
- Vendem-se cera em velas ,
fabricadas cm Lisboa c 110 l'iode
de igo libras
Vende-se farinln SSS milito
nova e de superior qualidade : a
tratar com Manoel da Silva San-
tos, no armazem do Aunes, no
caes da alfindega.
Moflidos snpevlows.
Na finid:!'"'! do C. Starr & Compatible,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas
de canna, todas do ferro, do um modelo e
oonstrucs.lo muito superior
FARINIU de mandioca.
A mclhor farinba de mandioca
que ha na mercado, vende-se a bor
do da suii 1 a S. Antonio, entrada
de S. Catharina n 1 da 20 de no-
vembro,fondeada confronte a esca--
dinha do Collegio: trata-se a bor-
do da mesma sumaca, ou na rui do
Vigjrio n. 19, segundo andar, es-
criptoriode Alachado c\- l'iriheiro.
Janeiro, em caixas de 100
sortidas, de 1 a 16 em libra,etam-
bero de um lamanho, por me-
nos prcro do que em oulra qual-
qucr parte : trata-fie no escrito-
rio de Machado & l'inhciro, na
ra do Vigario n. 19, segundo
andar.
Principios geraes c cconou.ia pu-
blica c industrial.
Vende-se este rompen lio, approvado para
as aulas do primelrai letras, a 480 rs.: nn
praga iia Independencia, livrarii n. 6e8.
Vende-so um esclavo bom bolieiro c
do boi conducta : na ra das Larangeiras 11.
14, segundo andar.
-- Vendem-se 12 por'as novas He cedro,
de pedra ecal c viveiro de peixe, planta !e proprias pan qualquer casa, por p:cso com-
capim, coqueiios e muito mal arvoredoa ba
fructa de diversasqualidados bem ccrcadoj rado8 de ferro,
eamurado de urna banda por preso com- Na funacao da Auroro, cm S. Amaro,
modo, por seu dono M retirar a tratani!e d rte rcrrode divcr60s mo-
sua saude : nos AlogaJ01 na ra do Catuca, dcl()S
taverna de J0S0 llcsfinliol, a tralar com o vende.M um excellente sitio em Re-
mesmo. ....'bcribe, pcrlencenlo ao Padre Francisco Jos
-- Vende-se I mnleque creoolo de idade de |r 8 fa|, r I1() ,m.smo sjtj, 0u na
12 annos, 1 casal do escravos de todo serv- rua d) Aurora ,. Mgu|)do aBjar,
qo e campo, 1 mul.ila osa que coze e en-. s 1
gomma,2escrsvasc oouLisde bonasligu- AllllgO (lepOSllO (1G Cil
ras, cosinham o engomam, 3 escravos do viropm
serviso de campo, t mulato moso bornear-' fj
reiro, e 3 escravas do meia idade : na rua' fta rua do Trapiche, n. 17,
d,"mob.'l.as de perro. !muit01s,,Pe.rior cal nova f'd>
Vendem-se ricas mobiiias de fer-|cl'cRad'? '''emente de Lisboa ,
ro, como canape's, mesas, cadeiras' VlllilO de Champagne,
c superior qualidade : vende-se no arrr.a-
em Kalkmaou Irmflos llus da Cruz, n. 10
Deposito de cal e potassa.
No armazem da rua da Cadeia
doKecile n. 12, ha muilo supe-
rior cal de Lisboa, cm pedia, as-
sim como potassa chegada nllima-
mente, a preeos muito rasoaveis.
Agencia de Edwin Maw.
^a rao (1c Apollo n. (i, armazem de Me. Cal-
c.om braco c sem elle, e muitos n-
teos objeclos de ferro : no arma-
zem de Kalkmann Irmaos, na rua
da Cruz n. 10.
di ...
t+ Rua no Crespo n. 20.
9 Vendme-secortes de camhraia com 8 #
C varas, c cores escuras a 3,000 rs.
--Inda se vendem alguns terrenos alaga-
pela manoira do trabalitar se tornan) as me-
Ihoresque se tem descoberto e pelo dimi-
nuto preso de 0,000 ra.; assim como outras
grandes do 16 xicrsa de caf, em ludo iguiea
1 ns viiid.is ilc franca : na rua da Csdetado
1 llecife, loja n. 61, de Antonio Francisco Cor-
i rcia Cardozo.
Vende-se superior farinba
de mandioca, muito fina, em sac-
cas desembaicada do patacho
Conceicao, viudo do liio de Janei-
ro, enlrado cm 36 do coi rente mez
de outubro, por preco commodo:
nos armazens de Antonio Annes e
Dias Ferreira, no caes da Alfandc-
ga : a tratar nos meamos, ou com
Novaes & Companhia, na ruado
Trapiche n. 3!.
Chegucm freguezes antes que se
acabe.
No armazem de Martina & Irmo, na rua
da Cruz do llecife n. 6-2, chegaram ltima-
mente os seguintcs gneros oe muito boa
qualidade : -- queijos Ion Irinos, prezuntos
iuglezes e do l'orlo, conservas inglezas e
francezas com dill'erenles Tulas, latas de
Siliii.l'i, ditas de ervillias o sardinhas de
antes, ditas com bolacliinbas inglezas ,
marmelada de Lisboa, moslarda, o muilo a-
creditadocb deS. Paulo, caixascom muito
superiores masas finas para sopa, gtgos com
cltampanbe, viudo de Xercz, Madeira, llu-
cellas el'otto, garrafas com extrait de ab-
sinltie o oulros muitos genoros, ludo poi
mdico preso.
Velas de carnauba em libras.
Vcndetn-so velas do carnauba imitando
espermaceto : na loja de sileiro da rua da
Cadeia do Itecifo 11. 36.
-- Vendom-su barris de oitavos com vi-
nho Unto da conipanliia do Alto ouro no
Porto : quem os pretender entenda-se com
Antonio Kiancisco dcMoraes,ageoteda mes-
ma companhia, ou no armazem do Sr. Jos
Joaquim Dias demandes. U mesmo tambem
tem para vender pipas, meias ditas, e barris
de quarlo tambem com vinho tinto da dita
companhia : a fallar com os mesmos cima.
-- Veudem-se amarras de ferro: na rua
da Scnzalla nova n. 42.
Na l'raia de Santa Hita, armazem n.
43, de Manoel Jos Dantas, ha para vender
Jacaranda em cossoeiras e loros: a 1 miar
com Jo3o Francisco da Cruz, na rua da Cruz
numero 7.
Venham ver.
Vendem-se na rua do Queimado, loja n.
17, cbapeos d* sol do seda cor de caf, su-
peiiores a 5,500 rs., corles de casomiras de
cores escuras a 3,840 r;., chitas francezas
finase de cores lixesagtO rs. o covado,
cainbraias francezas de core modernas a
560 rs. a vara, pesas de cantbraia liza mui-
to lina eom 8 1 \2 varas a 3,500 rs. cada pesa,
corles de cassa pintada a 2,030 rs., o ulras
lezendbs por preso muilo barato. Dam-se
as amostras com ponltores.
Vende-se vinho do Porto de feitoria,
de 21 anuos, do superior qualidade, tanto
em barris de quinto, como engarrafado, por
moJico preso, atiendendo a sua qualidade :
IIO largo do l.i vi 'amonto n. 20.
Admiravel sortimento de louca v-
drada.
Tanto do Porto como da Bahii, cono se-
j.iiii : panellas, tijellas, grandes casarolas
com cabo, fregideiris, alguidares, talhas
para doce, jarres Unos, quarlinhas, gar-
rsfas, coros, resfriaderas, moringues; ludo
para resfriar agua, vasos linos do lodos OS
tamanhos para flores, balaios para meninos
anilarcni, ditos para costura, baldes para
rompas, calungas para prezepio : na rua da
Cadeia do Rcoile n. 8.
No aterro da Boa Vista, loja n. 18,
def-onte do Tribunal do Com-
mcrcio.
Continua-se a vender riscados
oscuros, multo fortes, optim fa-
---------L._. -------------------.-------- I I
* at* ^
Vendem-se escravos bai a-1 cacado, m par d/borzeguins par.
tos, mocos e de bonitas figuras, ne-jdos, com botOes de madreperola
gros, molccoes e moleques, borii-(blancos, e consta que levara un,
i. s mulatos, ptimos paro pageos,'cavallo, que naquclla occasiSo
negras mogas e bonitas na ruajlugra, o qual tem os signaes se-
das Larangeiras n.i4, segundo'guintes : castanho, barrigudo
andar. Iclinaspretas, g/dojs tem um ta'
-- Em cnsu le J. Keller & Com- |h0 em umaMnea; lTe provavel m,
panbia, na ruada Cruz n. 55, acha-ae a ven- 'f *ovcl que
'queira passarpor forro, he boliei-
ro e escravo de Luiz Antonio Si-
queira .-quera o pegar leve-o a rua
da CarJeia do Recife n. ai, quese-
ra recompensado.
--. De23 para 24 de novombro de 1851 de
sapparrteu do engenho Onsa na freguezia"
da Lscada um escravo de 25 annos do idade
pouco mais ou menos, he conhecMa Di'
nome de Manoel J0S0, foi do Sr. J0S0 Itibcl
ro de Vasconcellos Peasoa desta praea p.
ga-se bem a quein o entregar na rua da p.
nlia, venda da esquina do Sr.- J0S0 Pinto
Reges de Souza, ou no mesmo engenho i0
dono do dito eseravo A mani Joaquim Ca-
valcanli de Albuquerque.
De 23 para 24 de novembro de I85|
deaapparecetdo engenho Onsa na freguezi
da Escada, um muloqui de 18 a 20 anuos
do idade; estatura regular, eflr bem prela
creoulo, masns do rosto altas, nariz chato'
cabesa e orelbas pequeas; levou vestido
calsa azul desbottda, camisa de madapolSo
chaoo de palha novo, cbama-ae Antonio,
he provavel que tonha procurado Iguarassu
ou Pao d'Alho, onde tem mSi entra escra-
vos do engenho Lavagem, oii mesmo o en-
genho Abreus na rregunxla do Nazreth,on-
de tem parceiros : paga-se bem a quepo
levar no ongenho Onsa seu senhor Igna-
cio de llollanda Civalcanti Jnior, ou en-
tregar nesta prasa ao Dr. JoSo Lins Caval-
canti de Albuquerque, na rua Augusta, es-
quina do Dique.
Continua a estar fgido desde odia 13
ilo correle, o moleque de nome Mamode
crioulo, de idade de 15 a 16 annos, bstanla
esperto, secco do corpo, estatura regular,
psemSos grandes: levou camisa de ris-
cado azul, calsa de algod3osinho azul tran-
sado, e mais alguma roupa. Suppe se tor
tomado a direc;3o do Bonito, onde mora o
seuantigoSr. JoSo P. Alves ex alfares de po-
lica, de quem anda lie escrava a mSi do dito
moleque : roga-se as autoridades hsjam de
appreende-lo, e leva-lo a casa de seu Sr. o
miijiir Antonio da Silva CusmSo, na rua im-
perial n. 61. que sera generosamente recom-
pensado,
150.000 rs.
Na noite do dia 22 do corrente foram d.t-
semeaminhados, 3 escravos, sendo urna pre-
la criouia, do nomo Flonnda, prenha, do
idade que representa 24 annos, tendo os sig-
naes seguintes : denles limados, altura re-
gular,tem o ar desfarsado.a qual foi do frin-
cez JoSo Lobato fabricante de chapeos de sol
da rua do Passeio, e o molato Baztlio de ida-
de que represente 19 annos, espigado, e com
busso ; levou vestido calsa e camisi de rii-
cadinho azul, e chapeo de couro, he natu-
ral do Ico, Antonio mulato de idade den
annos pouco mais ou menos; levou cal-
ca do ganga amarella de quadros, levan-
do tambem oulra calsa de ganga azul, tem
os denles limados: pede-se as autoridades
uoliciaes, ou quom os apprehooder de os
levar a rua do Collegio n. 4, quo logo rece-
bcrii a quantii cima mencionada.
Km 24 do crrenlo mez desappareceu
do sitio da Trempe n. I, urna preta de noim
Maris, de nasSo uss ; bum ait 1 e gorda com
pellos grandes e cabidos, de idade 28 annos
pouco mais ou menos, levou vestido bran-
co com listras rouxas, tem urna coatura na
munheca da mSo esquerda, eoscalcanhares
rochcados do bichos, sabio com laboleiroa
vender fruclas ; roga-Sd a todas as autori-
dades policiaes e capitSes de campo quei
vir'em, aprendam e conduzam ao mesmo si-
tio que se paga 1 a bem o seu trabalho.
Desappareceu o escravo crioulo da no-
me Venancio, de idade do 25 a 28 annos, com
falla de um dente na frente, este escravo
foi da Madre de lirus, falla muilo humilde, e
hojo pertence ao engenho Aguas Claras, e
fugio no dia 14 do corrente : quem o pegar
podo leva-lo a rua Direita n. 14, que sora
generosamente recompesado.
100,000 rs. de gralificasSo.
dos e parle beneficiados com 150 palmos do monl& Companhia, acha-9c conaunlcmcnlc
fundoecom a frente que o comprador qui- bous aorlimcnton dr t&lxa de ferro cnadu c
zertantoparaoSulcomoparaoNortea poen- balido, lano rasa como fundas, moendas in-
te e nascentenjruada Concordia travessa eir, todaa de Ierro para anunaes, agoa, etc ,
do monleiro e do Caldeirelro, p.gam 20 rs., di,ahp" ""SI,',' "'"d.r'"rro .narhln,"
por paln.0 do Toro, os peitendenfs podem m0'r^n00nlal para Tapor, conl forca de i oaval-
cntendarem-se com O br. P.dro Jos Texet- loJi coucos, passadtiraa de ferro estanhado
ra CuimarSescom armazom de madeiras, e para cala de pulgar, por menoa pre;o( que uz
materiaes as c isas do Sr. Jos (ionsalves de cobre, esoovena para navios, ferro ioglca
da Silva defronte do mesmo terreno no qual i.iniocm barras como em arcoafolhas, e ludo
se esto edificando dous predios. por barato preco.
- Vendem-se oalugam-sebichas, cltega- <5>0Oj?0;3G9fO!*3
ilas ulliniamento de llamburgo, por preso Vende-saum grande sitio no lo-
SALSA PflRRSLHA DEBRIST0L
SALSAABTLT"DnADS.
commodo: na rua do S. Amaro n. 28.
POTASSA O.V KUSSIA.
No armazem de Jos Teixeira
liasto, na rui do Trapiche n. 17,
() gardo Manguinlto, que lica defronle
( dos sitios dos Srs. Carneiros, com q
q grande casa de vivenda, de quatro ^5
n agoas, grande senzalla, cocheira, (r
,, estribarla, baixa de capim que sus- i
LX tenia 3 a 4 cavallos, grande cacim- ?,
a para vender, nova e superior ^ com ,,om,,a e \;nqie coberto
potassa da Hussia, chegada recen- S Psra banlto bastantes arvoredos de ~J
______, fructo :na rua do Collegion. 16, se- w
teniente. O gundo andar. O
i oalbas e guardanapos. (? 0
Na loja do sobrado amarello, nos quatro Casa de commisso de escravos.
cantos da rua do Queimado n. 29, tem para Vendem-se escravos e recebetn- i
vonder um grande sortimento de to.lh.s de cnaem SL escravos e receuem ,p,rtcu etn 1812, poca' na quVl
diferentes tamauhos, o em ,,eSa que se ven- se de commisso, tanto para a pro- : la nfl0 0 le oblr 4,Kencja ,lu ,_ g,"^, c opoc' qu" csl3 Urou':'
de om varas ; assim como um grande sor- :_-: romo nara lrn della nara
timento de guardanapos de diversos tama- vmc,a com" Para lora ae,la> Para
abose qualidados, o que ludo se vendo por o que se olterece multas garantas
A salsa parrilha dcllristol data desdo 1839, e lem constantemenle mantido sua rrpula-
So, sem necessidado de recorrer a pomposos annuncics ilo que as preparasOcsdo me-
rilo podem despeusar-se. Osucesso do lir. Brislol lem provocado infinitas invejas, e
entre outras, asilos Srs. A. II D. Sanda, do New-York, preparadores c propriolartus da
salsa'parrilha condecida pelo nome dr Sauds-
EstessenboressolicitarloeoilKt;! a agenaia do Salsa pan illta de Brislol, e como n3o
o pudessem obter, l'abricufo urna imitasflo de Brislol.
Lis-aqui a carta que os Srs. A. II. I). Sands escreveram ao Dr. Brislol, no dia 20 de abril
de 1812, e quo soacha em nosso poder :
Sr. Dr. C. C Brislol.
Bfalo, etc. M
Nosso apreciavel senhor.
F.m lodo o auno passado temos vendido quanlididos CO'/SidoraTeia do extracto do
salsaparrilba de vm. c pelo que ouvimos dizer de suas virtudes qucll -s que o tem usa-
do, julgamos que a venda da dita medicinase augmentara muitissimo. Se Vm. quizer
fazer um convenio comnosco eremos que nos resultara muita vantigcm, lano a us
como a Vin. Temos muito prajer quo Vm. nos resumida sobre esto aasumpto, e s Vm.
ver a osla cidade daqui a um mez, ou couaasemellianie, loriamos muito pr../.er cm o
ver em nossa botica, iu do Fulton n. 79.
Ficlo s ordens de Vm. sous seguros servidores.
(Assignados) A. II. D Sands.
COlTCLSAb-
l.'Aantiguidade dasalsa parrhado Brlstbl, he claramente provala, poia nucidla
a seusdonos .- na rua da Cacimba
preso do agradar ao comprador.
Cortes de chita cassa. primeiro andar.
Continua a haver grande sortimento de ','. ,
corles de vestido do cinta, com 12 covados t.1 irgcm cm pedia
em um s pedafo, a 2,000 rs.; ditos de cas- Chegada recentemonte da Lisboa, em anco-
sa de corea, lizas e bons padrOos, a 2,000 rs.: ras muilo bem acondicionadas ; vende-so a
na loja do sobrado amarello, na rua do preso muito commodo : no armazem do
Queimado 11. 89. Silva Barroca, na rua do Trapiche n. '"
2." A superioridade da salsa parrilha de Brislol be ineontestavcl, poisqurs nao obs-
tante a concurrencia da de Sands, o do urna porego do outras preparases, ella tem man-
tido a sua rrput.rao em quns lo ,: a America.
As numerosas experiencias feilas com o oso da salsa parilha em todas as inferan ia-
des originadas pela impureza do sanguo.e o bom eziloohlido nesta corle polo lllm. Sr.
Dr. Sigaud, presidento da academia iiopeiial de medicina, pelo llluslrado Sr. Dr. An-
tonio Jos l'rixoto om sua clnica, e em sua afamada casi desauio na Cambo i.pelolllffl,
Sr. Dr. Saturnino de Oliveira, medico do exercito, c por varios outros mlicos, ior-
miltem hoja do proclamar altimcuio s virtudes ellieazes da salsa parrilha de Brislol.
Vende-se a 5,000 n. ovilro; na botica de Sr. Jos Maria GoDCalvOl Ramos, rua
dos yiiarl-n pegado ao Qinrtel d l'ajiria.
enda para roupa de escravos, e pe-
lo diminuto preco de 100 rs. o co-
vado, e outras mu (as fazendas ba-
ratissmas.
<$~ Para finalisar.
Na rua do llozario n 43, vendem-se latas
enm mrmrld peilnrnl, pesando 3 libras
cada urna pelo iusignillcanlc preso de
610 rs.
" ~ Vendem-30 corles de cissas de cires,
lins, a 1,800 rs. ; ditos de cambraias abar-
la s a 3,800, 4,000 e 4,500 rs.; ditas de bar-
ras, a 4,500 rs. ; chitas finas, a 160, 180 e
200 rs. o covado ; ditas para cohertas, linas,
a -200 o 220 rs. o covado, o outras militas fa-
zendas, por presos mnito commodos: na
rua do Queimado 11. 23.
Escravos fgidos.
- Desappareceu da fibrica de cddelreiro
ila rua do Brum n. 28, no dia 17 do corrente
inoz de novembro o prelo Antonio, de na-
Slo cabinda, quo representa ter 45 annos de
Hade, altura regular, cheio do corpo, cara
abocetada, muilo cabelludo nos Deilos e
ruin bastantes cabellos brancos na cabes
e-um pouco carrancudo; he oflicial da cal-
ileireiro, foi encontrado as Cinco Ponas, e
seguio o caminho dos Afogados, e lie natu-
ral que seguisse mais adiante por ter levado
tola a roupa que tinlia, a por j ter sido
pegado do oulra vez na freguezia da Esca-
da : roga-se porlanto, a quem o pegar de
leva-lo na dita fabrica cima, que ser re-
compensado.
-BOA CUATIF1CACA'.
Ausentou-se na noite* de 27 de
outubro passado o mulato Cle-
mentino, de 0.0 annos de idade ,
pouco mais ou menos, magro, al-
tura regular, lem muito pequeo
buco debaiba e falla muito mansa,
auando anda parece que nlo pisa
bem com os calcaalurcs, costtima
andar calcado e bem vestido, ie-
Roga-sess autoridades policiaes, que cap-
trenlo escravo Manoel, pertencenle a Sc-
bastilo Marques do Nascimeoto, fgido des-
de o dia 8 do mez de solembro. Foi
elle escravo do Sr. Gabriel Affbnso Itiguei-
ra, quem foi comprado ltimamente : tem
28 annos de idade pouco mais ou menos, cor
fula, com falta de dous denles na frentc,e
de cabellos do lado esquerdo da cabesa, que
se torna bom visivel por parecer urna co-
rda, tem olhos pequeos, beiQos grossos.
sem barba, baixo, corpo regular, he oflicial
de funileiro. Trajava jaqueta do riscitlo
azul, calsa branca, camisa de madapolSo, e
levou urna trouxa, contendo calcas e jaque-
tas : quem o apprehender o levar rua di
Aurora n. 62, receber'a gralificasSo p'-
mellida. Suspeita-sc que fosse seduzido, e
por isso desde j protesta-ie contra quemo
conservar cm seu poder.
Desappareceu na tarde do dia 13 do cor-
ronte um escravo por nome Joaquim tem os
.signaes seguintes: ii.ia esiaiur, repreaeula
ter 35annos de idade, ralla desemharasid,
ps grandes, tem lodos os denles da frente,
nariz chato, quando anda estalaas juntas dos
jnelhos, levou camisa de algodosioho bran-
co, calsa do dito azul, esle escravo foi do
mato: qnem o pegar leve-o a typograpbia
imparcial a fallar com a viuva Roma que se-
r recompensado.
Desappareceu no dia domingo, 1J do
corrente, um prelo que reprsenla lar 4Ja
50 annos de idade, de nc>> cisange, baizo,
cheio do corpo, sem detrito algum no corpa,
levou vestido, calsa de cssemira azul clara
de quadros ej velha, colele de setim prelo
velho, jaqueta de brim pardo,camisa de ma-
dapolSo, chapeo de seda prelo ; presume-se
que anda pelos arrebaldes desta cidade, pois
apezar de ser do sertSo no so julga qua tc-
nha voltado :. roga-se porlanto as autorida-
des policiaes o capitfies decampo, a captura
do mesmo, levando-o a rua do Vigario n. II,
lerceiro andar, que se recompensar.
Auzentou -so na nouto de 27 do correle
o mulato Clemenlino doidade 20 annos pou-
co mais ou monos, magro,altura regular, e
falla milito mansa, costuma andarcals'do
e bem vestido; levou urna troxa de roupa, o
consta que levara um cavallo quealugra
nessa occasiSo, o qual lem os ignaes se-
guintos : castanho, barrigudo, dinas pre-
tas, e gordo. He provavel que queira pas-
sr por forro : he bolieiro,e escravo de Luiz
Antonio Siqueira : quem o pegar leve-o
rua da Cadeia-Vclha n. 20 que se recompen-
sar.
-- Em dias do mez passado, fugio do en-
genho Junqueira da Commarca do Cabo ura
um negro de nome JoSo Moujope, de idade
do 60 annos pouo maisou menos, lio dees-
tatura regular, e cheio do corpo,. No dia I"
do corrente, fugio do mosmo angenho urn
negra de nomeThoreza, de idj'lo de43 a50
linos; alta magra, cor bem retiota, costu-
ma intitular-se forra : quem os pegar, lve-
os ao diio engenho, ou 113 Recifa ao paloo
vou una trocha de sua roupa, in-
clusive calca etiqueta de panno[d <:,rn"> '" i"'9 ,9ra uem g'it|l"":'"l^
lino azul, c alui do mais aigumj
II
1%


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECPO82P3G_V8YR6U INGEST_TIME 2013-04-13T00:46:54Z PACKAGE AA00011611_04757
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES