Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04739


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVII
Sexta feira 7
de Noveinbrode 1851.
N. 252.
PERW4MBITC0.
PIMtOO A SffBOBIHjlO.
PiOAMENTO Adiamtado. ^^^
Por Irlmeitre............ J/2
Por semestre c a.......... ,W"U
Por o.o....... -...... !^u0
PiOO DENTSO DUIUI*"- ,
Pos qatrtel......... V
wotiois DO IMPERIO.
i Minia... :5deoetbr.
Par..... 7 deOutub
Manaba* 13 de dito
Ceara... i'dedlio.
Parahiba. 31 edito.
S. Paulo. 3 de dito.
R. de J. zode Oulub.
Baha... 3i de dito
Das DA MARTA.
1 Seg. Gom.dosdefou-
tos ; S. Malaquias.
4 Tere. S. Carloa.
6 0'i.irt. S.Zacbarlaa
0 Qulot S. Severo b.
' ^it. S. Florencio.
8 Sil). S. Severiano e
eus companheiro*.
Dniu. O Patrocinio de
0 Noita Senhora.
AUDIENCIA..
Juio de OrphSo
2. e5. as 10 hora.
I. vara do cirel.
3. e. ao meio-dia.
intenta.
3. e6. 10 hora*.
2* vara do civel.
i. e tabadoa ao melo-d.
Rflaro.
Terca* e sabido*.
imaiiiiDu.
Creacente 30, a I bora e 7 minte* da tarde.
Chela a 8, a* 9 bora* e i minuto* da t.
Hlngoante 16, ai 7 bora* e i minuto* da m.
Nova i 22, as 11 bora* e 47 minuto* da tarde.
rniAMAH DI HOIB
Primelra 2 hora* e 51 minuto* da tarde.
Segunda Al 3 hora* e 18 minuto* da manha.
TAD.TIDA1 BOA COBRtOl.
Golaona e Patahiba, a icguuda e scila*.
feira*.
Rlo-Orande-do-Norte, toda* i* quintai-felra*
ao mel da.
Garanhun* c Bonito, i 8 e 23.
Boa-Vista, c Flores, i 13 e 28.
Victoria, quintas -felr a*.
Olinda, lodos o* das.
NOTICIAS STRAIGrlBA.
Portugal.
Heipaoha.
Franca...
Blgica...
Italia.. ..
Alemania,
rrussia ...
Dinamarca
Russla...
Turqua.
M de Onlb
8 de dito
8 de dito
5 de dito
3 de Oulbr
5 de dito
3 de dito.
Jilr dito
I de dito
2< de Selbr
Austria.. 3de Oulbr
Sedan... 3 de dito.
Suecia... I de dito
Inglaterra 9 de Oulbr.
E.-Unido* 24 de Setbr.
Mxico... 15 de dito.
California SodeAgoito
Chili. 26 de Abril.
Bunios-A 2 e Sltb.
Montevideo 6 de dito.
CAMBIOS DE C DI NOVEMBHO.
Sobre Londres, a 29 d. p. 11000 n. Firme,
a Paris, 331 por fr.
Lisboa, lem traniaccoe*.
ItAIl.
Ouro.Qncasbeinanhola*.... a 28IWKI
Hoeda de 6/400 velhas. 16/000 a 16/200
de BMO0 novas. 16/000 a 16/200
dei/OCO....... 9/000 a 9/100
Prata.Pataffle* braiileiroa.. 1/920 a 1/920
Pesos columnartos... 1/920 a 1/900
Ditos mexicanos..... 1/750 a 1/720
PARTE OF FICI AL.
Coinmando^das armas.
lluarlcl gcH'ral na oidade do Recife, 27 de ou-
lubrode i*S\.
OBDKM DO DI1 I. 19.
0 uwechil da campo graduado comman
daole das arman, iranscrevo na presente
ortlem para conhecimenlo da guarnicSo,
alim de que tenha o devido effeito o aviso
circular do ministerio da guerra de 13 de
agosto ullimo, que mandou fszer extensivo
ios desertores do exercito em todas as pro-
vincias do imperio, o decreto de 16 de ju-
iito do crrenle anno, segundo fui decla-
rado era aviso do mesmo mioiilerlo de ti,
referido em oficio que a presidencia desta
provincia onderecou ao dito mareclial de
campo na data de 22, tudo do cnenle
mex,
CircularRio de Janeiro. Ministerio do* ne-
gocio* da guerra, era 23 de agosto de 1851.
illm. e Exm. Sr. Ilavendo por liom S. M.
0 Imperador por effeito de sus imperial cle-
mencia, perdoar por decreto de 16 dejunho
ultimo, aos reos de desorejo, estejam ou
nlo processidol, que no ti-nbam cotnmet-
tido outros rimes, urna vez que se apr-
sente) no prazo de seis mezes contados da
data da publicarlo do mesmo decreto nos
differentes lugares ; a'ssim o commuoico
V. Exc. para sua inteligencia e devida exe-
cucSo na paite que Ihe toca.
Deo* guarde i V. ExcManosl Feiardo de
Soma < Mello.Sr. presidente da provine!. de
Pcrnainbueo.-Cumpra *ePalacio do enver-
no de Pernambuco, 9 de setembro de 1851.
Fclor de Oliveira.
DECRErO.
Ilei por bem, por elTeito de roinha impe-
riil demencia, perdoar aos reos de deier-
ciio, estejam ou n9o processados, que nSo
lenham commettido outros crimes, urna
vez que se apreseotem no prazo de seis mo-
zos contados da data da publicarlo do pro-
sent decreto nos differentes lugares. O
ronselho supremo militar de juslica o tenha
assim entendido e expeca os despachos ne-
cessanos.
Palacio do Rio de Janeiro, em 16 de jo-
nho de 1851, trigsimo da iodepenlenciao
do imperio.--Com a rubrica Je S. M. o Im-
perador. Mancel Tilizardo de Souza e Mello.
Cumpra-se o registe-so. Rior18 de jnnho
de1851.--MorejVo Bnto.-Tas Vieira.--Con-
forme. No impedimento do ollicial-msior,
Feliciano Gomes de Freilai.
Antonio tVarreia Sera..
Quritl general na cidade do Recife, 28 de ouu-
'irn de iS.h.
OBUEM DO da n. 20.
0 mareclial de campo graduado commin-
dante das armas, determina : |. Que o Sr.
Dr. em medicina Ignacio Firmo Xavier, con-
tratado temporariamente para o servico do
hospital regimentel, i-xerca lambetn suis
funccOes no quarlo batalhfio de arlilharia
1 p: 9.a Que os gneros de que se tompe
aetspe destinadla tropa desta gmrnieo,
nfio entrompara as arrocaJaces dos cor-
pose hospital regimental, sem previo exa-
me dos respeclivos facultativos : 3.' Final-
mente, que os Srs. comnundantes de cor-
pos obssrvem restrictamente como devem,
as dispotic/les do aviso circular do minis-
terio da guerra de 30 do mez panado, que
aqui Iranscrevo.
Gitcular.Rio de Janeiro. Ministerio dos
negocios da guerra, em 30 de setembro
de 1851.
illm. e Exm. Sr.NBo devendo subsistir a
pratica prejudicial introduzida nos cornos
dooxerclto, de distrahirem-se, dasrespec-
llviscaixas de administrarlo de farda men-
tos, quaotias a Ululo, de emprestiinoa oOI-
ciaes dos meamos corpos. Determina S- M.
o Imperador, que V. Exc. expeca as mais
terminantes ordene, para que cessam de
urna iez irregularidades desemelhanto na-
lureza.
Heos guarde V. Esc.--Jano/ Felizardo
deSouzao Kello.-Sr. presidente da provin-
cia de Pernambuco.Cumpra-se.Palacio
do governo de Pe'narobuco, 25 de oulubro
de 1851.--\ielor de Oliveira.
Antonio Crrela Sidra,
TRIBUNAL DA KELAG4'.
SESSA DE 4 DE KOVEMBRO DE 1851.
l'ruldinei* do Exm. Sr. contelheiro Azevtdo
As 10 horas da maullas, estando presentes
os Srs. desembargadorea Villares, Leo.Sou-
za, Rebollo, Luna Freir, Talles, Pereira
Monleiro, Vallo e Santiago : fallando com
causa o Sr. deaembargador Bastos : o Sr.
presidente declara abena a sessSo.
Foi lido em mesa um ofOcio da presiden-
cia, remetiendo (pia do decreto de 17 de
outubio p. p., pelo qual S. M. o Imperador
bouve por bem perdoar ao Dr. Jcronymo Vi
loila de Ca.-lro Tavares, Feliciano Josquim
dos Santos, Antonio Feitosa de Mello, ea
Hcnnque Pereira de Lucena a pena de pri-
s3o perpetua, que Ihes fui imposta pelo crl-
me tle rebelliSo que leve ltimamente lugar
uesla provincia.
JUL04MeTOS.
Aggravo de Gaspar da Silva Loyo; aggra-
vado, Eslevao Jos Paes Brrelo. Deram
provimento ao aggravo.
lecurso crime.
Itecorrento, o juizo ; recorrido, Amaro Go-
mes da Silva.-Fui julgado nullo o pro-
cessado por nfio ler o juizo de direito ju
rudo a suspeicSo, e que fosse capturado
o recorrido.
Appellace* civeis.
Appollante, a (azenda; appellado, Joaquim
da Costa Sal.Conlirmaram em parte, e
reformaran) em parte.
Appellanle, o juizo; appellado, Francisco
Triieira Soares. Conlirmaram a son-
tonca.
Appellantes, Prsxedes da Fonseca Coutinho
e outro; appellado, Luiz Gomes Ferreira.
-Conlirmaram a sunienca.
Appellanle. Anna Elizabelh Adelli Poirson;
appellado, AO'onsoS. alarlin.-Dnspieaa-
'aiu os embargos.
DiLiaeiicits".
Appellanle, Mara Thcodora da Concei(fio;
"Ppellados, Aleixo Jos de Olivcira, como
tesiameiiteiro, c outros. Mahdaram ou-
vir o curador geral.
Appellanle, Jjo Francisco Reges ; appella- J
do, Joilu Filippo de Souza LoSo.MinJa-1
fampagara dizima.
Ppellante, o juizo; appellado, Ignacio;
Coneia de Mello.- Msndaiam ouviroSr. s-ri maisdo que urna liberdade nominal,
dosembargador procurador da corda. engaadora e peiigosa.
uisii^iDK-. Dosdo o principio desle seculoque temos
Appollante, Francisca Joaquina da Concei- visto bastantes Estados tenlarem implantar
Clo como tutora de seus fllhos ; appel- em si os principios os mais liberaos. As
lado, Pedro Jos Pereira dos Sanies Alva- tentativas imprncuas de sote ou oilo repu-
renga. blicas da America do Sul, que ha quarenta
Appellanle, Concillo Marinho Falcilo ; ap- annoseram colonias hespanholas serio do-
pellado, Antonio Pinto de Carvallio. biixo deate poote de vista por muitn tem-
Apoellante, Manoel Flix Bandeira ; apel- po memorandas. Estes estados, i testa dos
lada, D. alaria Jos Ferreira de Sepulveda. quaes cumpre por o Mxico, depois de ba-
nivisFs. verom quebrado os lacos que os prenJiam
Passaram do Sr. desembarga lor I.eao ao sua metropole, declararam-so indepen-
Sr. desembargador Souza as seguintes ap- denles e decidiram que lerism um enngres-
pellacoes em qu silo : so, o qual se compona de duas cmaras, de-
Appcl'ante, o juizo; appellado, Florencio vendo baver um dist'ictt central oo qual so
llartins Vieira. reunira o parlamento federal: em urna pa-
Passaram do Sr. desembargador Souza ao lavra, elles copiaran) litlerlmeule a carta
Sr. desembargador Rabello as seguintes ap- desta repblica, quo faz, como he por todos
pellecoes em que silok sabi lo, grande concessao aosuffragio unl-
Appellanto, Antonio Jos Pimenti da Con- versal. PJe-so mesmo drzerquo elles se
ceicSo ; appellado, Joaquim Martinho da moslraram mus liberaea do que os seus
Cruz Correia modelos, dando direilo de cidade a todos os
Appellan'tes, Ma'ria do Amparo e outras ; ap- aborigines quo no Mxico ie BO PM consti-
noll.iin Vireni<.rnr.,lerr.nnilin tuem parto constderavel da populacao. Es-
ttT8,"tS.dir tuna I. milano ...s natural, com f.c.lidade se
Freir a,) Sr. desembargador Tolla, as se- motivava. A UniSo A-nerrcana sob o rmpe-
guintes appell.coes em que SSo : Ode sua coiMtiluicIo havii prosperado, e
Appellanle. Jos Ferreira Albino; appella- nSo cessava dosde a emancrpacilo das colo-
do, Jos Francisco de Paes Lima, mas hespanholas de proseguir na carreira
Appellante, a juslirja ; appellado, Mathias, de rpidos successos. Assim quenada mais
escravo de Jos Francisco Itiboiro do implesdo que, qno povos queso achavam
Souza. em circomslaucias mui analugas ( I ) aquel-
AoSr. desembargador Pereira Monleiro lasem queso linliaiu visto os Americanos
as seguintes appellacoelcm que sSo : do norte ao lempo em que conquistaran a
Appellantes, Antonio Fabilo de Mendonca sua independencia, procedessem em con-
e sua mulhor; appellados, EstevSo Jos formiJade dos seus ltimos passos.
Paos Brrelo e sua mulhcr. M os habitautes das outr'ora colonias
Passaram do Sr. desembirgador Telles ao hespanholas 080 tomaram da nacao amori-
Sr. desembargador Pereira Monleiro as so- cana sen3o su a sua constiluic-lo esetipta ;
guinles appellacO -s om que silo : nflo imitando os nam no amor ao traballio,
Appellante, Joscpha alaria da Concei<;3o; nem na inteligencia dos negocios, nem no
appellado, Manoel Ignacio de Arroxelas seu espirito industrioso e perseverante,
Caiv.lu ,len) nessi sagacidad sem par, para esco-
Passaram do Sr. desembargador Pereira Iher meios de crear riqueza, grandes quali-
MonleiroaoSr. desembargador Valle as se- dadas, cuja pratica lem contribuido miis do
gnintes appollacOes em que so : 1lle to las s palavras solemn s gravadas no
Appellanle, Florencio Jos Carneiro Mon- rosto do cdigo poltico, para fazor florecer
teiro; appellado, Manoel Caetano Soares nos Esta Jos-Unidos, al estes ltimos lem-
Carneiro Monleiro. pos, a liberdade ea igualdade verdadeira.
Passaram do Sr. desembargador Valle ao Tondo sido solomnomenle proclmalos os
Sr. desembargador Santiago as seguintes principios di civilisacJo moderna pelos ho-
appellacOes em quosSo: mens que presiiiram o nascimenlo das rc-
Appellante, o juizo;'appollado, Jos Jero- publicas da America do Sul, acreditaran) el-
nymo Monleiro como procurador. les quo a sua tarefa eslava concluida, o por-
Passaram do Sr. desombargador Santiago tanto deixtram do consagrar essjs prmci-
ao Sr. desembargador Villares as seguintes pios por inslilunoj positivas, e de dar-
anpeli.ic's em q ie .fui Ihes urna sauccSo mitonal. E, tolavia, era
Appellante, Manoel Jos Soares ; appella- istoo que cumpria fazor a quem quizesso
dos, Dosuley & Compannia. soguir as brilhmles pegadas dos Es'ados-
Appellantos, Manoel Filiupo da Fonseca Can- lloi los entSo. Cimo elles, cumpria snb-
di; appellado, Jos Rodrigues do Passo. ministrar a prova dosse poli- de ac-
Appellaute, HomSo de Souza Lisboa; appol- cJosobrc a nalurezn, cujo cumie S) v por
lados, o curador da heranca de JoscAn- todo o solo da Uuio. Cumpria especiil-
tonio de Moraes e outros. mente imitar-lh.'s a actividadem rctalhar
uistiiiiiuiijOe. todo o seu territorio de escolenles vias da
Ao Sr. desembargador Rebollo as soguin- communicaco. Se quizermos assignar as
tes appellacoes em que sao : causis fundam :ntaes quo l'ueram malograr
Appellante, o juizo; appellados, os herd*i- to desgracadamonto os ensaioa de lioer-
ros de Jos da Cunha Teixeira. dado que tentarain is ex-colonias hespa-
Ao Sr. desembargador Luna Freir as- nholas, deveriamos incluir entro as mais
guintesappellacoesem que sao: -^ activan a incuria profunda que roostraratrf
Appellanle, o juizo; appellados, os herdoi- esses joveus governnsa respeito das vas de
ros de llenrique Pedro de Almeida. communicacao ( I;. Esta incuria lio tal
Ao Sr. desembarga lor Tollas as soguiolos j que mo he raro vor Deesas fertois rogijs
appellacOes om que sao : tflu bun; providas de cavallos e bj:s, o Irans
Appellante, o juizo; appellado, Francisco porte dos objecto mis pesados effocluar.
Joaquim Pereira de Garvalho
definitivo augmentado urna duodcima, ou i lanto movel como imm ivel tle cada cidadilo
urna decima qu*rla parte do poJer produc-Iheavaliada por funecionarios chamados at-
tivo.aconseguinlementoarenda da socie-lsciscire, o esta avaliacSo serve de base para
dade inteira. (j) Io imposto lucd dos condados e das com-
Tom-sa dado do homem muitas defini- muns O quadro da liquoza do estido, as-
eos Urna das mais justas, e das maisca- sim medida peloiolal doscapita s privados
racleristicas, ao menos de que toca ao ho- oderecs os resultados seguintes: para os
me ni da civilisacKo occidental, be aquella [dez anuos que precedern poca cm que
pela qual elle he chamado um ente inquieto, o canal Ene foi entregue circulacao, e
quero dizer, um onte ao quil a quictilute para os de. posteriores,
heantipathici.repouso parece repugnar Para o pumeiro periodo os dados dos
comasuanalurezajaactividado incessante assesiores accusim urna pequea diminui-
o agita; elle imprime em lulo quanto o ro-^C'10-
dei um mpvimento que nunca para, eellei Para o s'gundo periodo elles demonstran)
mesmo vive em perpetua mobiltdade. O.um progresso n3o intorrompido, que por
homem incessinlemente procura por tolo' lint de contra veio a dar um augmento de
o universo os alementosde bem estsr, o de- 1:414,000,000 do francos,
gozos di que elle lis vido; elle os deman- FcwYork, quo lie a metropole do estado,
Ao Sr. desembargador Pereira Monleiro
as seguintes appollar;Oes em que s3o :
Appallanles, Pedro Jos Rodrigues e sua
mulhcr; appellados, Carlos Jos Comes
do Oliveira o outros.
Ao Sr. desembirgador Vello as seguintes
api ellae/ies em que sao :
Appellant", o juizo; appellado, Francisco
Pedro Bandeira do Mello.
Ao.Sr. desembargador Santiago as seguin-
tes appellacO m em que so :
Appellinle, o juizo; appellados, osherdei-
ros de Lourenco Antonio de Albuquorque
e Mello.
NSo houverim os domis julgtioientoi por
lor faltado a sess.lo o Sr. desembargador
Bastos.
Levantou-se a sessao depois do meio dia.
EXTERIOR.
vas de commuigacxo-
Decima licSo de michel chevaUer.
Senhores. O progresso da ciiilisacSo o
da liberdade real e positiva suppOe necessa-
riamente o incremento do bem-estar, o
3ual presuppoe o accressimo do poder pro-
uclivo das sociedades. Entre os meios ge-
raes que concorrem para o augmento des-
le poder pro luctivo ha tres principaes para
os quaes proponho Icncao, a saber
I." As vias do iiimmutiii-ac.io ;
2.0 As instituicdes de crdito ;
3.0 A educafao prolissional,
Esle verao hoi de ntrele -vos com as viaa
de cominunii' ic.Vi .
A' primeira vista pule parecer paradoxal
eslabelecer co-relacOs enlre a civilisacSo,
entre aliberdade, e cousa tSo material co-
mo s3o vias de comnuoicacSo. Se, po-
rem, o homem nao he puro espirito, esta
cliro que o spu desenvolvimento subordi-
nado a condices da ordetn physica, assim
romo que as insliiilir;Oes pelas quaes ns sn-
ciedxles se propoem assegurar os sau pro-
giessos nSo poderiam prescindir de urna
consagracao material. No numero dos fac-
tos quo d3o a civilisagiTo osle indispensavel
ciraoter, as vias de communicacSo Dgurim
em primeiro lugar, e para disto nos ron-
vencermos, basta um simples volver d'o-j
Ihos. Ques sSo as nacO 's mais civilisadas e
livres ?
S! em costas de homens. Eucotilram-so al
odios conduzindo s cosas do alto das
monlanhas, lenlia para alimentar os fogdos
das cidides. E partos ha da America do
Sul em que as viagens se fazem as costts
de li inieos; moni un ahi sobre um homem
como nos Francezes montamos om omca-
vallo(2)
A industria dos transportes he urna das
mais coqsidoraveis da sociedade. 'ara me-
dir-lhea importancia insta considerar de
que diverstdade de paizes muitas vezes lon-
ginquos, vem os objoctos qu concorrem pa-
ra a lornuco dos menores producios e
que longo caminho esses pro lucios lem
uercorrido muitas vezes para -chegarem ao
s'o linil destino. A industria dos trans-
portes lio piimodial : todas as mais depon-
ileui delta; n3o havendo nenliuma quo so
possa resgatar deiti commum dopendencia.
.Mclhiiia -la, pois, he realissr um melho-
ramento fundamental, provelloso a todas as
industrias ao mesmo lempo. De todos os j
sorvirjos que se oxi'cutao oa ollicini nacio-
nal, tal ve/ seja este o que cusa ao homem
mais lempo, e maioros esforfos. A maior
parte dos animar quo o homem tem doma
do ..'io oceupados nelle, e as machinas de
vapor qus este servigo empreg comocam |
formar urna parle notavel de todas as ma-
chinas de vapor existentes. Aperfeic,oar os
meios de locomocio, lie por consequoocia I
dotar o genero humano de um benoheio cu-
jo alcance he immensu! ~ Sopponhamos,
porexemplo, que se ebega areduztrn pro-'
[orean de duus para tres o osforco que exi-
ge o semeo geral dos transportes: he evi-
dente queso com isto se tena lomado dis-'
ponivel para outros trabalhos o toreo das tor-
ca que esta industria absorve; o so admit-
lirmos que estas forcas representan) o quar-,
to ou quinto da somma daquellas que sin
despendidas na ofllcina social, loriamos em j
I ) Contesto que eslivessem naanslngia
de circunstancias que diz o texto: ascir-
cumstancias eram mui diversas, assim co-
mo era mui diverso o ponto de partida de
um e outro povo : costumes, in-ntin/i'-,
ndole, lodo, tudo era difTorento : e dahi a
differenca dos resultados, como o mesmo
Sr- Chevaler o diz ao diante.
Oo Traductor.
(I) 0 que diremos do governo do Brasil .
lipa Franca, a Inglaterra, aBelgi-IJAs mesquinhis quantias que sao votadis
ci, a Hollanda, parte da Allemanha e os Fs-tas cmaras para este ramo tan importante '
tados-L'nidos da America,isto.be aquellos dejdo servico publico, deixam algumas vezes
todos os paizes do mundo que possuem as|de ser empregadas pelo governo quo muitas
melhores vas de communicacao.
He por sem duvida licito decretar om
progrosso, burinar-lliea forma as tabuas
das leis ; mis emquanto semelhante pro-
gresso carecer do sanec^o material, em-
quanto ntohouver da algum modo tomado
corpo, nfio pastira de urna criacSo imagina-
ria, de urna Ilusoria apparencia. Nadaba
ahi mais fcil do que em um bello momento ..
do enlhusiasmo, votar por escrutinio oujlode vigens por Ierra !
svmbolicameni a liberdade de um povo,-I [ Do Traductor.)
mas loda a liberdade qtfe so nfio circundar i (2) Na Bahia linda boje nfio se anda car-
do instituicaes-positivas proprias para tor-'regido por homens em lodi a cidade? J4
nal-a fecunda em melhoraniootos vitaos, vi ali um presidente de cideirinha, acom-
quero dizer, conformos com as duas mtu- panhldo por dous ordenangas a cavallo!
rezis, espirilusl e moni do borneo), nfio I ( Oo Traductor )
vezes tem forcejado para que so nfio votem !
sominas alias insignificantes par estradas.
Assim queainda nfio ha um s ponto do p.i/.
em quo o transporte das mercadorias se nSo
faca em costas de animaos. Di mosma ca-
pital ilo im erio, nfio se pode viajar a dis- .
tincia de 20 leguas snquer sem o maior iu-
commodo, e sem muitas vezes corror-se o
risco de nfio chegario lugar destn ido. Fal- '
das todos os curras, vai busca-Ios a todos
os continentes o a lodos os mares, arreba-
tando-os igualmente ao imperio dos ares,
assim ctKiio ao das aguas.
Coosideremo-lo da foito nos actos os mais
ordinarios, e os mais habituaos da vida.
Lancemos os ollios, por exemplo, sobre a
mesa, qual se sonta lodos os das para co-
mer O simples burguez do Paris, e ahi vere-
mos o trbulo do todas as regides do globo.
OLimousin, oPoilou, ou i ormanlia al.
mentaran) o boi, cuja carne tem enriquec Jo
de substancia nutritiva o caldo pelo qual
elle cstreia. A Borgonha, oa o Medoo sub-
ministrju o vinho. O peiX'i percorria anda
hontein em libordado osabysmosdooc-jano.
Oardento sol da Provenca, Sardenha amadiirocrain a fructa de que so
extrahio o azeite. O sal lio fornecldo polo
mar. As especiaras derramaram os seus
prirneiros aromas da Ass. O assucar vindo
da America percorreu 1,800 ou 2,000l-gias.
A ilha do Java enviou o esf. O caj, do
cujas laminas ho revest la a mesa do jantar,
foi desdoblado pelos negros de S. Domin-
gos. Os flancos das Cordillioins foratn es-
calados para que dalles se exlrahisse a pra-
ta deque s3o feitos os talhores, o o marfim
que apparecc marclietaulo alguna ulcnsis,
foi transporta lodo valle doNiger.
As rogi;s as mais longlnquai foram pos-
tas em contribuifJo para os mais modestos
vestidos dos nDssos concidadiios. A lila do
que se faz o pun') da sua casaca veio das
oxtromidades do reino, OU antes foi i npor-
ladada llaspanlia, da Sixonia, oc liada dis
margens longnqiias do Danubio, da Hun-
gra, ou das rrgoei quo t> VistoU reg.
! Quica ir-se-ha busca-la algum dii nos anli-
po lJ, na Australia, >clhe que isl) j nao lem
.acontecido, como se pratica na aiatur escala
na Inglaterra. Um arligo uiuito menos im-
purtaiito, o lenco da so la foi envalo pela
India, e muitas vezes pela China. Foi o Egy-
pto, a America, e a ludia qu) produzt-
| ram o algodfio da que lio foilo o lie do bran-
co que nos cobre o corpo, a nossi camisi,
a qual, se ho de linho, ento a mal'ra pri-
ma foi talvez a llassia que a forneceu. Ago-
ra principalmente grando parlo das faaon-
dasdo linho que entram no consumo fran-
cez sfio fabricadas com linho ou canhamo
i'iillinlo na Ittissia, o qual ho levado para a
Inglaterra, o do lu rorpporta lo ja liado pira
a Blgica ou para a Bretanha omlo lio tecido.
Estas considaracaes, e etas oxemplos mos-
tram qual he a importmcia do servico das
Iranspo'tes rus sociedades modernas o bem
ssim quo influencia as vias aporl'eicoadas
de cornmuuicicao sfio capazes do exeresr na
prosporidade e grandeza dos imperiou, na
approximaco das naiYi na fusfio dos in-
teressos das diversas racas, o por consi-
guite ni pizdo mun lo, (4)
Do mais n3o se quo naja ah cousa alguma
que melhor possa dar idi da utilidalo das
vias aporfeigoadas de OOromUDiCaoSo do que
osexomplos que nos offerecem a este res-
peio os Estados Un los. Citirc alguns.
Um dos Estados da l nin, > deNevv-York,
em poca em que ello mo contiva nem se
! quer um milhfio de habilmlcs dissaminados
poma solo igual a quarta parle da Franca,
em 1810, concebeu o projsjclo de cobrir o
'seu territorio de urna rede de canilisacao,
onertando esla arrojada empresa por um
'canal destinado a ligar o lago Eri i ao rio
iliilsm em Albany. Era un linda de 142
leguas do longo, isio he a obra do camlisa-
i(ao a mais oxtensa quo nunsa fra executa-
da em paiz algum. U joven Estado de N w -
York nfio se acobardou com a grandeza da
empreza qui tomou peito resolutamenlr,
e com os seus exclusivos recursos. ( Veja
islo, sr. c.ins loeiro Monli/oina .' A 4 de
julhoda 1817 annivorsario da declaracfio
da iudependencia, lancou-se a priiuera po-
dra, e oilo anuos depois, e n3o mais, em
oulubro de 1825, orinal ora navegado cm
loda a sua exlcncfio,
Lis aqui, em primeiro lugar, qual foi so-
bre o dominio productivo do Estado a in-
fluencia do Canal.
En 1817 os propiedades productivas do
Estado representaran) um capital do I5,900g
francos. (5)
Em 1837, doze annos gmenle depois do
acabamenio do canal, essas propiodade*
ni ni la v.i ni a 118,000 francos. (5)
Ou, faila a doduccao da divida publica,
a 93.900,000 francos.
A renda do estado se clevou, duran'c o
mesmo intcrvallo, de 2.200,000 francos a
7:600,000 francos.
Os fundos das oselas piimariis dobra-
ram.
Os fundos Iliterarios (so fundos espo-
ciaes que o estado de Now-York empresa
om proteger os estabolecimetilos do educi-
C3o superior) decuplaran). E lodo o im-
porio directo percebdo em p. do estado
foi suprimido.
Taes sao os resultados que provieram ao
domi'iio publico do estado de New-Yoik
da r inalisicau de urna parte do seu terri-
torio. Esta emproza mostra-se, porm,
bem il i veis luiente fecunda, quando se tra-
ta dedircunli da revolucJo que ella ope-
roii sobra o tolal das fortunas particulares.
Todos os annos neste estado fortuna
equeopora lodo o COOimercio de imnoita-
C3o o do oxpottacao, com rasfio se resenlio
mais pa'liculannonte da cxccuc'o do csnal.
Eis qual foi para esla cidade o progresso da
totalidado dis fortunas particulares.
Durante os dez annos anteriores *b>r-
lin.i do canal, o augmento linhi si lo quasi
nullo 7.600,030 francos.
Durante os dez annos que se seguirn
foi do 723.000,000 da francos.
Estes algarismos nfio precisi n de com-
mentarios .'
A prosprridade do um eslado se revela
por oulros signaos que nao s pelo augmen-
to di recelta publica ou do capital das for-
tunas parte ilarci. Revela sa por urna po-
pulsclo crescMite, pola lun I .r.n de novas
ci lades, pela exlensao dis torras c mqu li-
lil natureza selvaKCtn Secxaminar-
ioqs, pois, dotiaixo desle ponto de visla o
eslado de New-York achiremos a cida pas-
so a Mil influencia do Grande-Cinal, que
assim ha un ido o Canal Lie.
Ha uina pequea cidado, chamada Schc-
nectadiy, odilieada antigamente pelos II il-
liudezes, e muitas vejes issoladi durante
as euiriMs c.itrr os Francezes senhores do
Canad, o os loglezes possuidores do lla-
mis litoral do Atlntico. Esta pequea
cidade era, aillos da c\"ru.;.r> do canal, a
ailima Tlittlc di civilisacao am Ticina. A
visla rodillo que so dosdobra por detrs
delta csiava abandonada aos bosques pri-
mitivos; apenas se deparava com um ou
ouiro indio que anda vivia de sua casi. O
vi ij.ml i quo percorreu o canal alcm do
Lpez vendo-se desle modo abandonado
pelos habitautes com o concurso dos quaes
havia contado, e atacado pelas 'ropas das
quaes tinha espera lo a dissenejo, resolveu
marchar para as montinha*. Dirigio-se,
perianto, para Pinar del Kio; mis o erro
ou s traiefio do guia condnzio os invasores
fazenda Friis, onde leve lugar um novo
combitc. Elles pordonm ahi ainda cinco
ou seis homens. Nesse momento suas for-
r-i- nfio so compunham do mais de 990 hu-
mis inclusive I -' ou 14 feridos, ellas fo-
ram pernoitar em Brujo, c no dia seguinle
pela madrugada avanenram at Martitore-
na ; eatavam almocando ahi quando foratn
sorpreheii li Jos pelas tropas hespanholas
que ii [lo/eram em umi completa debanda-
da.
Urna centena desses infdlizes, dos quies
um ierro eslava sem armas, occullavam-se
uos bosques onde permanecern) por esji-
C>> de quatro diis sem outro nutrimento
mais que um pouco de m Mo, algumas her-
vas silvestres o a c iroe Ji cavallo de Lpez
que decidiram matar.
lies !u esto momento cada um procurou
sua .-alva.,.o por sis: uns decididos pela
. I r.aiiiae.iM do r.i, lio general O |O.I olfc-
rtcora quaitol a tolo aquello que so rou-
desso, vio-atn enlregir-se s mfios das tro-
pas ou dll autoridades. Outros andaraiu
vagabundos a' ao momento em que o aca-
so ou a traic.no os ciuiegiran aos vencedo-
res.
Loqez loi um doslcs ; he fcil de conjec-
luiar-se as fadigas, as angustias*, os tor-
mn n que elle .i.vri experimonlar logo
quo soachou s nos bosques, vagando ao
acaso, sem amigos, mu soccorro, nao ten-
do uutra perspectiva sonfio a mor. Ao
principio lenlou lulos os meius de salvar-
se; leudo eucuiit'ado um joven camponez,
oll'oreceu-lhe OOdollars complados, e mais
urna ni lem do 2,000 dollars para llavaui, se
eslo quizesse conduz-lo al fazenda do
Uiogo do Tapia ; porcm tu mudo pelas res-
poslis o peta altilude do campunez alguma
lian,a i, dcsappareceu repeiilinimciilo e m-
teruou-se de novo nos bosques. Mus larda
e-I .mi ido do fadiga e de luiiie. fui pedir
um asylo em tima chcara ; o foi, emquan-
to dorma, segundo dizem, que o reuueiro
judado por alguns camponezes, apoderou
so delle. I.u.i'/. foi mimo Malamente cn-
Scuonectidav v de todos os lados, dnrra- trege as m"os do capillo do Cslado-maior,
malas peli'planici), bellas o llorescent-s Luu de Jaruiuemada.
povoaces, as quaes ludo ics.iira commo- ol a 29 do agcslo, dezosclo dias depois
didado, povoaces cortadas por bellas ras, do seu desemtiarque, quo Lpez foi preso,
c precedidas da lindas allas, as quaes la- noticia ocsla imponanle captura espa-
rtan), bem se pudo dlter, empaliltc r as 'hau-so com rapidez, c de lodas as parles
dccorac, s da opera; o quindo no meio alUuia genio ao campo para ver o pristonci-
desse vivo o magnifico patioraini o viajan- ro. O coronel Ramn lo, alim do evitar
te descoliro sobarais cidales, mais povoa-! urna importuna cunosida.le, conduzio-o
das do que a molido das nossis capillos de de noile para llavana, lslo leve lugar no
piovincias, cida les do 10, 15, e 20 mil al f da 31 do agosto, como ja dissemos, e no
mas, taes como Syracusa, litica, Ruchos-' primeiro de setembro, as seta horas da ma-
tar, i: .il.i.ii, tifio pule deixar de licar pas- uhfia elle foi executaJo.
inaiiu e ni ir.iviih nlo ; i Logo a cnegada do prisioneiro, o gover-
Porque estis cnlades o eslas povoacos, oidor general llzera publicar isogainteor-
surgiram da ti-rra Porque issas planicies demein do dia:
incultas Uo s ibilimenle so cobriram do ri-
cas leril? Porque toda essa mizavilhoja
tran-l-ruiacVi so operou ." Antes da oxecu-
ra.i do canal as cummunicaedes eram ilifll-
cais, o os transportos extremamente cus-
tosos. Para levar ao morcado as mercado-
rias quo essa frtil regifio liiia po li lo pu-
duzir, ora necessario pagar por 1,000 kilo
grammasc pela distancia de 1,000 antros,
50 cntimos pelo monos, talvez 60 ou 70
cntimos. Pelo canal, para o trigo, os
cutos do Iransporle tifio sfioseo3o do 6 oo
7 ouliinot por mil kilogrammis c por 1,000
metros inclusiva o direito de pcujem porce-
bidn eut pi do estado, o qual he igual ao
freto propriainenle dito. Assim Ierras", cu-
ja cultura nao loria dado stnfio prrjuizo,
logo aps o eslabelrcimonio dosla va de
transporto pu loram sor cultivadas com pro-
vello. Vio ha nutra causa dosla estupen-
da i i v I i ". !
(Contina. J
( Traducido pelo Dr tioraet Sarniento.)
[Jornal do Commercio.)
Por decreto superior de S. Exc., o go-
vernador e capilfio genoral, O. Narciso L-
pez, o qual com nan Java o bando de pira-
tas desembarcado* no lugar denominado
Piayilas ao ooslc desti capital, na manhfia
do 12 do correle, foi coiHem ia>io apena
infamante do Garrote. A execuefio lera lu-
gar no primeiro de setembro ssete horas
la manha !
As tropas do todas as armis quo com-
poom a guarnirn desta cidade e as Torcas
quapoderem vir da outras partes, se reu-
oira i com antecedencia no campo do la
i'out i onde sea armado o cadafalso cm
torno do qual ellas formarfio o quadrado.
O regiment de Galliza lomara pos.e.io u i
frenle, com a baudeira desenrolada. Os
oulros corpos estaro presentes com todas
as suas l'o'cas disponiveis. Os arlilheiros
lomarfio a dtrcila e terfio junto de si o ro-
po daengonhoiros. As ouiras tropas oceu-
parfio os lugares que Ibes forem desig-
nados.
Esta orem indica sullicientomente qual
a solemnidade que se quiz dar ao suppltcio
de Lpez. Com efl'eito, viram-se desfilar
na pr.iri da o-: roreo mail de cinco mil to -
O FIU DA EXPEDICAO DE CUBA.
OKmpirc V.ily, vinlo lircctimentodelli
vana, donde sabio no p> i meiro do correnta, I mens Jo tropas, e calcula-se que mais de
triz-uoi a narraco das ultimas scenas daloito mil espectadores concorreram para ver
dcsistrosi expadiefio do Lpez. Esta nar-[o ultimo acto do drama. Lpez appareceu
3; Chimo a allencfio dos honrados se-
nadores Monlezuma, D. Manoel, visconJa
de Olinda, Carneiro Leo, o Vergueiro para
osle tpico .'!
( Do Traductor.)
(4) Chimo a Ilustrarla attenca aos Srs. ar-
nadores Monlezuma, D. Manoel, viscou le do
(Unida, Carneiro Lefio, e Vergueiro para os-
le tpico.
( Do Traductor.)
(5) Eram principalmente aeces do banco,
crditos hypotDecarios, e outros ttulos s j-
melhantos.
ric3o prova melhor que todos os cooimen-
larios a loucura des.se homem, o qual mais
de una vez so nos tom escobado tratar
com excessivo i i.;or. Mas ali tinliamos
sobeja rasfio contra ello ; porm sua morte
liojo porplcge sua memoria. Alm disto
niiiguem pJe extmir-se de um senlimenlo
de piedade a vista dos solTrimetilos e dos
perigos que marciram seus ltimos dias;
o acoragem com qu* elle soffreu umsup-
plicio ignominiosa p le apagar aos olhos
do muita gente, urna parle de sous crimi-
nosos erros.
Cn it'-ot .ni i-n i-, pois, com repetir os
factos taes quaes resultini das pocas e das
lesl -uiuii ias quo loraos diante dos olhos.
Segundo a nsrracfio de um dos prisionei-
ros, Francisco A. Laino, no momento em
que o Pampero deixou a Balisa, tintia i bor-
do 480 homens aotodo; elle dovia dirigir-
se p-imeiramenle embocadura do rio San
toa i, na Florida, afim de tomar ahi arli-
lharia para depois vir desembarcar todo o
corpo do invasao no dopartamonto do cen-
tro, porm tocando em Ky-\Vasl soubo-se
quo la Vuelta de Abajo acabava de suble-
var-se, o Lpez rosolveu entao dirigir-so
son demora a esle ponto. L'm orro do pi-
loto condnzio em primeiro lugar o Pampero
em vistl de Mitanzas ; vo'toa depois pin
II ivnn i alim de desembarcar no poito de
O t'goM, porm a presenca da frngala Eaiie-
rania emaediu o desembirque neste lugar,
viii lo ello a operar-so em Morillo.
na elevada plataforma na qual ss havia
posto a cadeira do supplicio. Elle mirchtva
com passo firme o a cabrea erguida. Diri-
gi a tiiiilti Io.rom urna voz doce e vibran-
te, urna pequea llocucfio a qual laminara
por estas palavras : Morro por miuba cha-
ra (.olia. Depois foi senlir-seni cadeira;
o collar fatal Ihe foi ajustado, e dosde i pri-
meira volli do pir.il u-o. i sua rabee, i se
inclinou para dianle. Lpez eslava morto.
Alguns murmurios e alguns assovios foram
ouvidos nesse ni o nenio, porm a mullidao
flcou silenciosa o calma como o tioha esta-
do durante 11 la esta fnebre sceoa.
Tal foi o desfeche desta invasfio quo
devia produzir na ilha de Cuba um movi-
monto geral contra a llospanha, e que nfio
fez sonfio domonstrar claramente um fado:
a saber quo a populacho cubana on gi.iu.le.
maoria he fiel a Hespanha. Algunas ca-
bris ar lentes leem por corlo, podido so-
nhar urna emancipacSo prxima, alguns
mancebos leem podido, deixaiido-.se levar
por loucas lluses, formar votos pelo esta-
belecimenlo de urna repblica na ilha de
Cuba ; porm os aconteciinantos acabam
de mostrar-lhes com o mais inllexivel rigor
que suas esperances no so podem rcaltsir
presenlemcote. A mica dos habitantes do
Cuba nfio quer separir-se di metropole 1
Segundo a propria conlissfio dos que lica-
ram prisioneiros, os invasores nfio eocoo-
ii.iiun apoio em nonhuma parte; pelo con-
trario, .oran considerados como inimigos
O de-embarque, operado em a noito do .e tratados por consegu ule como taes onde
II de agosto, encontrou poura opposicfio; quer que appareceram. Os campouexes
estis personagens foram adiadas quasi de- 'principalmente levantaram-se contra elles
sertas. Lpez, deixando em Morillo o en- com um ardor extremo. Em Aguacate elles
ronel Crilteden com cerco de 200 homens, lizeram doze prisioneiros; os deSm-Chris-
afim de guardar as armas o as provisas, tovel pozeram-se com seus efies em porse-
avancou pira las Posas ; os camponezes fu-gusfio dos piratas, e servtstn de guias as
giram sua aproximaefio, e elle aoliou tropas despatilllas, soccorreudo-as cora to-
a cilade de Posas abandnala ; fol-lbe im-.do seu poder : Na Babia Horda, elles lize-
nossivel persuadir aos habitantes quo vol- ram por duas vezes 16 prisioneiros. Os pro-
lass'in para olla. No dia seguinle Lpez prios negros envolverm-sc nisio, e os de
loi atacado pelas tropas hespanholas, as 'ii. Muioel ijutuovos apoderaram-se de sete
quaes foram reciiara J*s e o deixaram de pos-' invasores. Os liabilantes da Posas que fugi-
se da cidade, mas este primeiro ro ululo nm a aproximaefio dostes ltimos, exerce-
Ihe cusan charo : elle teve que lamentar ram u na cruel viuganra e fuzilaram imme-
a perda do coronel Pragay, a de dous ou- da lmeme dez dos que cehiram em suas
tros olllciics o a do uns cincoenti homens!mfios.
moitos ou feridos. 1 Qualquer]que seja, diz um corieipondent
MUTILADO


te, o permitiente secreto do certas clanes r-
en na ilha de Coba, os pequeos Uyradores do
dlslriclo no qual Lopes desembarcou. inostra-
rain causa real urna le al da de igual a que na-
nlfestaram os proprios camponetea hetpanhoei
na guerra contra Napolrao.
fc a maneira pela quat a prlsao de Lpez fol
acalla em Havana, prora que esta cidade mts-
rao alo est de nenhuma aorte animada do es-
pirito de nsurrcif ;m que Ihe altrlbutam. A
primeira noticia prudiwio urna cxploaaode ale-
gra: noke toda a-cidade esleve (Iluminada,
e as flrocisades cora tochas acecsas percorre-
raui as ras. No da seguate deram-se salvas
de artilharia a multidao faiia ouvlr vivas etn
honra da rafnha e de Concha; e a estas mani-
fes tac fies te reuniram outras de um carcter
di/Urente, mas que nao cram menos slgnlQca-
livas: Lopes fol fuiilladoem effigie! Vestirara
um calunga com um unifrmete general, po-
seram-lue um gallo debaiso do braco e um ba-
ralho de cartaa na mi dlreta, e as bailas Hu -
veram com as irrises sobre esta grosseira re-
presenlacao do homem que quizera consumir-
se rm patriota e beroc, e que verdadelrameDle
nSo ae acha ser seno um pirata.
Este destecho tao prompto, lio decisivo, tao
chelo de Infonnaces nao ser perdido, nos as-
alm o esperamos para os Americanos; talrer
elle nao faca que alguna d'enlre esles abando-
nem os sonbos de anneaco; portui Ibesfar
comprebeoder ao meaos que nao deven con-
tar com a cooperactio dos habitantes de Cuba.
Elle favorecer alm dUti poderosa mente o ga-
binete de Washington, ajudar a restabelecer
entre os dous governos a harmona e a boa in-
telllgencla que eativeram a poni de seren
singularmente couiprometlidas.
(Crner de fslat Unit.)
O vapor Cher< kre vmdo directamcnle de Ha-
vana, acoba de entrar em notao porto. Con-
tam-nos os passageiros qnc aexpedico de L-
pez ful completamente rnalograd.i. O general
soflreu o supplicio Uo garrote em Havana, e
morreucoin a niaor coragem. F.sle supplicio
he horrlvei. Ajusiam em tomo do pescoco do
padicenle um collar de ferro o qual apertam
por mriii de um parafuso at que a victima dei-
xe de viver.
Oino xito da expedico he attribuldo se-
pararo do commando do coronel Crittendeiu
do couiimndo do general Lpez. Dltcm que
ospatriutasabandonam Lopezpararefugiarem-
se as montanbas. Pouco antes de ser preso,
Lpez nao tinba inals comsigo que 30 compa-
nheirus oa quaes o abandonaraui igualmenic.
fc elle vagou asilm por algum lempo ferido e
sem amigo, e fol finalmente descoberlo pelos
caes de caca de um creoulo. Suas ultimas pa-
lavras forain : a Adeos cbara Cuba."
As relacOes bespaubolas anuuucamquc dos
patriotas desembarcados do Pampero ou dos
vndos por ouiros navios, >56 foram morios e
43b' cstao prisionelros. habernos que o coronel
hngaro Pragay, amigo de Hossuih fura fu zu-
lado em Pagas. Um meetung dos passageiro
celebrado a bordo do CrWolwe, iob a presiden-
cia do general Lave, do l'reron, adopluu una
nimemenie a resulucaj segunte'.
Mr. Oweu, cousul americino cmllivana,
tcm perdido todo o dircito a ser considerado
como cidado americano elle ultrajou lodosen-
llinento de huuiahidadc e merece a eiecraco
de todo o amigo da liberdadc.-
Uma segunda resoluco requersua demissao
oo goveruo americano.
(Correspondencia do Meio-York Herald.)
Lpez vendeu mu caro sua vida, e nSo lol
fcito priiioueiro seuo quaudu nao Ihc reslava
mais que quatro ou ciuco coinpanheiros de
infortuneo. Todos os oulros tiuhain sido mor-
ios, fusilados ou fcilos prisinneiros Elle fui
descoberto e preso as visinhaucas de San-
C-bristobal pelos crcoulos. Ksu noticia pro-
duzlo a maior alegra cm Havana, O prisiouei-
ro levado para esta cidade fui condemnado a
uiu11 ii pelo supplicio infame do garrote. Este
iustrumento foi levantado em Punta diante do
castcllo del Moto, e todas as tropas formaram
um quadrado em derredor delle. O general
chegou com passo firme e depois de ter subido
ocadafalro, pronuDcmu algumas plirascs, as
quaes lerminou por estis palavras : Adeos,
morro por rainba querida Cuba.* Uepuis de
ter abracado a imageiu do beubor Crucilicadu
Sue lbc apresemra um padre, sentou-se com
rmeza na cadeira fatal, c dous segundos de-
pois nao reslava mais delle que um cadver.
{Veckly Herald.)
de diminuido do pre^o he a fariohi de tri- vlnrl por tanto teinpo privada desse poderoso (
KO. que, com u naufragio da barca amerl-iel,nn* de prosperldae>, tao largamente a- ,
CID* Rulth- of-BilUlimore, tem |do le-,Pelu* n io de Janeiro e na Hahla, eein
vadaa um proco nimiamenle inferior. To-
a
lis as palanas esta > po'tinto abastecidas
de familia, e certo que por algum lempo
daqui a nSo ro buscar ah.
Foram pronunoiados, por crime de res-
ponsabilidade, o inspector da thesourana
provincial JoSo Ignacio de l.nyollt Barros,
eoollicial da secretaria da mesma thosou-
rarla Jos Ignacio de Brito. Requerendoaj
estes flanea, foi ella avahada em 6:090/ rs. I
0 crime he o de ter oofllcial Itrilo. concerta-
do um erro que com metiera na escriptu-
racSo de um termo !!'
Por agora pore termo a esta commuoi-
cando-lno, q)ue foi oo dia 26 do mez p. p
assassinado no lugar daPicadatermo da
villa de Extromoz, Jos Ambrosio por Fran-
cisco DiiniSo. Nesle momento he qae me
chega a noticia do mais este assassinato,
oslando ja para fechar esta.
(Carta particular.)
6. 0 negocinte--Manoel Thom Pinto.
Secretario da presidencia
0 proteMor de, ingle do lyceu deali ca-
O. proprlet.ro, de predio, urb.QO, e os ac- PlUI-JoJo Wllkens de Mallos. (I
coniiaidamiiiiouariacompaDhia de Beberi- ,lnpactor interino da Wesourana de ra-
zenda.
aaria companbla
be verio com praxer inelhorada a aua dlffcil
alluaclo actual, qaando (iverem de diipor de 0 ofllcial-maior da eontadont da tnesou-
seui predial e de suaa cf ei. O negoclanlea
de grosio Iralo, que boje peloi gencroi, e iner-
PERNAMBUCO
-t!
O.
K
as
<
P.
H
e Z
.- -
s e
5
-
i
j!
a
- s
5
i *
- /.
V -
S

i a mi 1 -71
i M s B B " /OS P Si
J 00/s >f 9 r i
i ooo/t: r
llICtf)
o > < 3 tl.l
npmpj f -3
"> .ici'i 7/
u a -- 'l'l'I '--9* -y. M" s --~l j f.
'ton3inj
>-W>K
II
VMM -vj'VJ toiuont")
'tPip > ntnii)

__ E
= O
callonas que venden), acbain-te ai veaei com
multas desenai de contos de ris em letrai,
sem poderem obter a declina parte do valor
dell.is a nao ser com um gravoso descont, po-
dero d*ora em diaole eudona-las ao banoo, e
apurar i inmediatamente todo o leu valor, com
u pagamento de um mdico premio ; o que de-
vidaiiienle coniiderado vita a inlluir para o fu-
turo no proprio preco doi gneros, e redun-
dar por consegulnte cm provelto de todos.
I'.'iinn os proprios capitalistas mais aferradoi
ao premio de I e mel e 2 por cento ao mee nao
tero de que qucixar-se do banco, que os nao
ha de por ceno privar da continuado dos eui-
prcitimos com juro alto s peisoas, que nao
poderem lomar dlohelro a aqueile estabelecl-
uento, c Ibes proporcionara1 pelo contrario o
novo un io de lucrar uns seii ou nove por cento
ao anuo sem desembolso de capital, faiendo
files apenas uso do seu crdito para com o
ii H ni. i estabeleciuiento.
Uiaule deste bello quadro dos benclicios que
promette o banco, c contando com o criterio,
ou aules com o alto couselho do proprio inte-
resse, que ha de presidir elelco dos mein-
brosda direceo, de cuja proMdade, aelo e dis-
cripeo depende todo o futuro do estabeleci-
"I en ti i, eu felicito deide j a provincia por ene
oberbo instrumento, de que vo semr-se to-
dos o que trabalbaiu na grande obra do pro-
greso material do paii; e fclicilualuda mal
por este novo penhur de paz e de ordein publi-
ca, condigno do actual estado de tranqullllda-
de, que todos os I'ernambucanol se einpcnhain
sinceramente em perpetuar.
Convidando, pois, a V ... para a predita reu-
iii.iii uo dia l do correte as 11 horas da ma-
uba, eu lenho iat!itac.o de asaegurar V....
mioha manir estima e considerado.
Palilo du overnode Periiambuco, K de uo-
vembro de 1851. De V.,.. atiento venerador c
criado,
Frfor de Utivcira.
rarli de fizendi desta proviocil-Jos la-
noel Haugcl de Carvalho.
Cheto de policis
0 Dr. juizde direito-Manoel Comes Cor-
reia de Miranda.
Ufliciaes doexorcito quo viiosirvir na dita
provincia.
Teneqtecjrbnel Francisco Riymunlo
Corris de Faria.
Majores-AlToDso de Albuquetquee Mello.
--Miranda LeSo.
Capilfies-Cotta.
Mano Ignacio liricio.
CirurgiHoManoel Monleiro de Azevedo.
TenonlesSeverino Fuzebio Cordeiro.
JoSo Antonio Ezoquiel.
Para esta provincia tinham hsvido estas
nomea;0es.
Segundo vice-presidente o Dr. chefe de
policiaJosc Joaquim Pimenta de Miga-
IhSes.
Commandaute superior da guarda nacio-
nal o brigadeiro Marcos Antonio Bricio.
Par substituir na directora do arsenal
de guarn 10 Sr. tenente-coronel Faria, o
Sr. tenente-coronel Jos Joaquim Rom.lo
de Almoida e almoxarifo do mosiio o te-
nente-coronel Francisco de Paula Ribeiro.
Ilaviam silo indeferidas as pretenc-Ses
quedaqui foram para o lugar deStereome-
tra da alfandega desta piara.
O Maranhao gosa de socego, e o seu esta-
do sanitario he acta linale inelhorque o do
Para.
Na madrugada do da 13 do passado inecn-
diou-ie cm San Lua urna casa de sobrado per-
tenecnte a Antonio Uuarte de Oliveira, alta na
ra Grande, e que anula nao eslava de todo
concluida, seudo o prejuio causado pelo fogo,
tanto no edificio, como eiu grande poreao de
farinha de trigo, que havia dentro (pols que o
dono he padeiro; avahado na soiuina de 8 a
I0;000/den.
I'ini i sido capturado no largo doa Remedios
o fainigerado Cardeal, assassino de prosso,
e que icgundo era publico, eicrcla a Induilria
biSi "'' depona c bar amane na comarca de
Catiai.
L-sc no Oburbador de 23 do passado :
RolacSodos ,ir ni ir mu mi ios mais notaveis
3ue vic a ni ao conhccimonto da Policis
uranteu mez doselembro.
PorolUcio do subdoh'gado de Polica da
DIARIO DE PElMHBiJCO.
INTERIOR.
Rio (irande do Norte 3 de novembro do 1851
Depois que Ihe dirig a minlia primeira
caria, mu poiicas tem sido as novidaJcs
occorridas de cnUo para ra, dignas de inen-
so nesla : londo porem asssignado com-
promisso de Iha escreverpor lodos os va-
pore.', vou cumprir o mcu dever, aprovei-
lando a passagem da barca Imperotriz, que
para ah segu boje.
Osassassinatos por aqui vilo lomando um
caracler ha>taiitT.cnto serio, como ja Ihe
liz ver em minlia primeira caria, e as intri-
gas e mlms tcm subido a urna altura, que
DU se nSo calcula l'ra da provincia. NSo
se falla de outra cousa ; os assassinatose
as intrigas sao osobjectos, que consliluem
permanente ordem do dia e loJo
osespiritoc sioccupam disto. Mo espero
lio cedo vero mal extirpado; o pelo que
diz respeilo s intrigas e ao eiicarnecimen-
to dos odios, parece-mc que me nSo enga-
o em afirmar, que subirao de ponto logo
que l'or posta em andamento urna typogra-
lia, que aqui veio eslabeloser-se, e que lon-
go de ser para moralisar e instruir
povo, servir antes para alear o facbo da
discordia, e augmentaros males qu>ja se
uxperimcnum. NSo fallo sem condec-
ment de causa. Ja aqui tivemos um pelo,
o por flu acabou, e do todo se inutilisou
pela condemnacio i que foi volado, e polo
emprego pouco honesto que delle fzeram,
serviudo de publicar um peridico inlilula-
do Thesouraem que rcpulacOes illi-
badan, eo santuario da vida privada ersm
lodo* os dms devassados.
Comprehendo os bens que podem resultar
ao publico do estabelecimento de urna ly-
pogralia, quando bem dirigida, mas nao
descooJieco latnbem os males que della po-
dem resultar, quanlo nio be estabeleeila
pin lio* honestos, para instruir moralisar
o povo ; e no erroem aflrmar que a que se
acha aqui de presente cslabelecida nio tem
em visla o bem publico, sanio fins mui
particulares e diametralmente opostos u
instruccio, e moralidade, tompo o pro-
var
Em diis do mez passado houve um assas-
sinaio ao termo dn Acary, sendo encontra-
do o corpo da victima, que ia a cavallo, se-
pultado, segundo dizom, com o do mesmo
cavallo! A decomposicio, e estado do pu-
trefar;flo do cidivcr nio denm bem lugar a
ser condecido, e somente o que aparece
So conjecturas que pode n nio lerocunho
da verdad. o quo be real he a existen-
cia do facto.
No dia 27 do mez passado houve tmbm
lugar um oulro assissinato, em Papari.
Kranchco Nunes de Carvalho, casado, com
idade do 40 auno?, por suas proprias mios
BECll'E, 6 I KOVllUInO DE 1)51.
Abaiso transcrevemos umi circular, cm que
o Ezin. S presidente desl. provincia, possui-
do d.. sincero c nobre desojo de promover os
miei i's.is inatei iacs da mesma, convida os scus
proprirlarios, negociantes c capitalistas a com-
parecerem. em o dia 15 do crrente, no pala-
cio dogoverno, para o tiin de deliberarem de-
linilivainente sobie a installacao de um banco
de deposito c desconlo, que altamente recla-
man) as necessidades da nossa industria. A
circular apona rcsuinmidainenlc as principaes
vantagens do futuro estabeleclmenlo, lano pa-
ra os accionistas, como para os cidadaos de to
das as claises ; contentando-nos pois com cha-
mar por ora sobre ella a alteucao esclarecida
dos leilores, nos reservamos para oulra oeca-
sio as rellcles, que nao poda deixar de sug-
gerir-nos um assiimplo que tanto tem de me-
lindroso, quanto de inleressanle e mesmo iu-
dispensavcl para esta bella c vigorosa pro-
vincia.
lilil....Kaiendo-se de ha mullo, sentir nes-
ta provincia a neccsiidade de um banco de de-
posito e descont, que favorecido com a facul-
dade de euiitlir papel liduciario assegure a
agricultura, ao commercio c a todas as classes
da socicdaJc as innmeras vantagens do crdi-
to, C da ampliaran, r mobill lade dos capllaes,
facilitando c protegendo as empresas indus-
triaos, il u iinP) o circulo das especulaccs
inercantis, libertando aagilcultura, 6 a nascen-
tvnlrou boje dos porlos do norte o vapor
Imperatrit, trizendo-nos jornaes do Para
at 23 do passado, do Maranhioitc 26, do
Ccara al 31 e do Rio Crande do norte
do mesmo mez.
Km llelem achava-se quasi extinelo o
flagello das bexigas, tendo fallecido dolas,
na primeira quinzena do passado, apenas
ni pessoas ; entretanto porm nio aconte-
ca cm Viga e Custra, onde o mal lavrava
com inlcnsidade, e fazia grande mi ni.....de
victimas, vendo-se a presidencia na neces-
-iilul de mandar para aquellcs pontos
soccoitos de medicamento, para sorcm dis-
tribu los aos pobres por umi commissio
nomeada.
No dia 12 do passado linha rugrossado
ao porto da capital, procedente de Macap,
o patacho Independencia, com a noticia de
baviTom reaparecido all as febres nil th-
lenles, endenicas, que, ha tompos, coslu-
main invadir essa comaica, tendo sido dol-
as atacados o CiplSo e tripulaijio do refe-
rido patacho.
A isiembloa provincial paraensc tmhi si-
do prorogada at o dia 30 do supradito I de delicio', porqu"'quando' o inspector de
mez. | Quartcirio Iho deu parlo ja so havia sepulta-
Em a noite do da 12 levo lugar no pala-1 j0 o assassinado.
co episcopal urna defesa de lliese de phi-l |>0r oflicio do subdelegado supplento de
osophia o theologia, oirerecidas por quatro I polica do Icat.de 20 de setembro.constou,
iracuses s.uraiiles 10 sacerdocio, eilum-'qu, e(n o3 u0 agosto no lug ir Cangembre
os do seminario. Numeroso e lusido foi o I Jjslauto 6 legoas da Villa, foi assasslnada
Dr, Mavignior. e CirurgiSo Rodri|UM,llben-
lisou-lho todos os recursos i sua arto, e
em coofereuoii entre riles ae dieldiu, qu
sii i imputicfio O Silvaria pell communica-
cio da. giofrem. ElTeeti va mente o dito Sr.
Dr. Almeid, em presenta e auxilio dos sem
distintoscolligis procedeua operacio com
agiliddeadmiravel, c cxiraordinaria peri-
cn, restitulndo assim i vida dentro em pon-
eos minutos um desvalido, e moribundo,
e pira consumar toda sua dodicacio, e ze-
lo nSo cessou de visitar duas, e tres vezes
por da, ao dito seu enfermo, pensindo-o,
e procurando animi-lo e mover sua rosig-
nacio, pin o duro trite, que experimen-
tiri, sen lo secundado pelo Sr, Rodrigues,
queja conhecido pela sua pbilantrnpia, e
hibilidido inspirou sempre esn coniianca
que sabe correspon ler; em urna palavn,Srs.
Redactores, quando me dirig i esses dignos
facultativos para iitiifaser-lhcs osseus assi-
duos trabalhos, depire i maior genero-
sidade, e cavalherismos possiveis, recusan-
do todo o honorario, e recompens, lizao-
do-seextremamente sitisfeilos com i silva-
gio di infeliz chanca. Dihi, se evidencii,
que nio posso deixer de ser eternamente pe-
nhorado essos senhores pelo vivo intores-
se, que tomou pel vida, e bem-estar desse
poqueno, e praza aos cos, que algum dia
eu possa demonstrar Ibes por fictos bem
significativos lodi a gratidlo, que Ihes de-
vo, asaim como nm porvlr sempre venturo-
so os accompanhe para continuaren! a pres-
tar os leus valiosos soccorros aos seui se-
molinillos, que consejos, di rara pericia, e
tanta generosidade, que os caracteiisio, in-
vocareis a protegi di sui irte divina, e
souberem distinguidos com i conllanca que
uierecam, os justos elogios, de qu* sflo dig-
nos na b'ilhmle perfeigio, que exerceo.
Queiram,Srs.RedicR>re(,dar publioidade a
esse solenin e testemunbo,quenio posso dei-
xar de tributar a estes Ulitis. Srs. l'.-s, como
um verdadoiro impulso do tneu coragSo, es-
perando, que embora ofrenda a sua modes-
tia, sejam benignos em icolhe-lo.
Prezo-me de ser
Seu constante leitor.
Mauoel Alves di Silva.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Rendimento do dii 6 ... 13:635,591
Dcscurrrgam hoje 7 de nuvemOro.
Barc austraca Norma farinha de trigo.
Barca ingleza IV. Hutsell mercaduras.
Chapada de 12de Julho.receb loem 9 deso-|uarca portugueza Ligeira dem,
lombro.conslouque nanoilodo7do reteri-lpaucho inglez -Uanrri &. Margarct ~ ,em.
Ocime silgida; a Antonio Jos de Sot.7,
Ribeiro. uuza
Al5,&Si.,,,,*'"*--.
drobMorrre,.YDh0,,dlt0"ele!iJos'>-
t caixa livroii a Francisco Cuedei ,i
Araujo. uo
iciixote ditos; ilBernirpo A. do Miranda
CONSULADO CERAL.
Rendimento do diil a 5, o ,.,
dem do dia 6........ ^
900^571
,83J
DIVERSAS PROVINCIAS
Rendimento do dia 1 a 5. .
dem dodi (.......
I'.xpoi'liicii.
Rio de Janeiro, brigue americano Georn
Otes, de 1737 5| lonellidis, conduzio o i(
guinle 25 caixas fizendis de algodio
til fardos dem, 54 birricas fariolu ,
trigo.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GK.
RAES DE P*RNAMBUCO.
Rendimento do dii 6...... o.M gl.
CONSULADO PROVINCIAL. '
Rendimento do da 6..... sgg bfl
do mez no lugar denominado Sossuapara,
16 logoas distantes" da Villa ; foi barbara*
mente assjssinadj Tacadas Zeferino Eugc
nio de Souza, que oslava (Inmundo em sua
propria casa ; ignora-so quaes fossem os au-
tores, lusl nirnii-so o processo, o trala-se
de d -rnli i os criminosos.
Por oflicios do subdelegado e delegado
de Polica do Codo de 30, e 31 de Agosto
conslou, que em 22 do referido mez no lu-
gar oliio d'agoamatrio com um tiro a
Martinlio do tal, que ia om coiiipanhia de
lo i Raimundo da Silva. Osubdelegado ini-
i.ni mi o processo.mas nio procedeu corpo
concurso das pessoas, que assistiram a esse
icio, presidido pelo Kxm. bispo diocesano,
o qual, terminada a diseuss5o, cm quo^to-
mara grando parlo, proferio seu discurso
illerario, dumoiislrando a importancia do
urna preti.escrav de Antonio Si bino de Al
meida.
< O respectivo subdelegado diz, quo nio
procedeu o corpo do delicio, porque quando
eslo fado chegou no seu conhecimento, j
o
s *>.** mii'i i.iiuui ins a
mesmo acto, dpois do quo foram disln-|eram p,mJl), muit0, jjas. Instaurla v
buidos alguns premios pelos alumnos do p,ocesso, e esta procedendo a inquincio de
seminario de mais reconhecido ment, com tosleinunhas.
aassislencia do Exm. presidente da pro-, .. () Gcar anda continua a ser flagellado
viiicia e das principaes autoridades. pela febreamarclla, aisimcimo pelos altcnla-
Uina reprosentagio linha sido dirigida a I dos dos facinorosos.
prosidencia pelos negociantes da capital, I A epidemia, nao tendo anda desapparecldo
pedindo, fossem admiltidas as estagOes C0"1P|ela",en'0 da capital, val devastando com
publicas as moedas das difiranles republi- fu,is v">> I100'0. da provincia, como Marin-
eas americanas, que alHuiain ao m.r0.dofeZSZS52f?&jES2i&
em grande numero, ao passo que nelle fil-l Pd $e pcs90ie,u,nadas.
lava a moeda brasileira, cuj randade ia No ipassassinou barramente um tal Slm-
causanlo gran le mal ao commercio. plelo, Hlho de outro do mesmo nome, a seu
te industria da lyrannla dos allos premios, fran-
queando ao Irabalho livre um mais extenso e
variado emprego, promovendo cm suinma o vizivel de quinze a vinto e urna' miltias
^!^^3^*JP'^!!.!!!.*SS!S7teO^> muito clara, e resplanJecento
l.c-se no Treiede Mnio do passado :
Sabemos, que esta concluida a obra do fa-
rol das Salinas, e perfeitamente collocado o
seu apparelhu de luz solar, oque ludo he
devido habilidade do Sr. Dr. Salles, enge-
nheiro oncirregsdo de lio importante ser-
vigo. Alguns onsiiosja so tom l'eito, ac-
cendendo a lanlcrna em algumas noiles, o o
resultado Un sido satisfactorio, sendo a luz
da
~ ... ,i ~ a* I "* >> mi i. u i i i i-i i i i > i i 0
uc cetai incJiautc o* inultinlices ueuelicios, ,,_. ;(,.. .. -_^u L..
que a toda a populaco reiulum de csubele^ "* n^niam, que ncte genero b a me-
ciineiKosdcsunaiurrsa; < observando cu com !,or Pe?a, queo lirasil actualmente possue.
muioprater, que ntreos propriciatiuji, neg- tOHSla-nos. que U Csill. 5r. presidente se
ciaQles.ecapilalisus da provincia he recebida prepara para oblea do poder competente a '
com unnime approvc;o a ideia da lundafo precisa consi^na^So para a compra do urna*
do referido banco, que por vezes projectada barca-farl, capaz de ser Tundeada na ponta
nao tem sido at hoje levada eeito por mo- do baixo de Braganc.a, IVonteira a pOOUdal
&Si! ?ttzss&uR sfts 'r^0 aqu,clle hi*
meoK resolv convocar as Peoa mais empe- cuJa mai0.r dialancit do urna a outra punta
nliadas na prompta realisaco daqucllc projec- *era u vinte c Olio militas. A isto se rea-
to para urna rea alio no palacio do governo em "sari "cara sondo entao sem perigo a enUa-
o dia lodo crreme, atiin deque approvando- dado nusso rio. e franca a sna uavega^.lo a
ae provisoriamente os estatutos apresentados qualquor hora do da, e tioite, independeu-
cunhado, disparando-lhe na cabeca um baca-
inartc, e acabaudo de ;nata-lo com o colee d'ar-
in i, pelo motivo de ter querido o infeliz acom-
iii i I h urna desavenga entre o malvado c sua
n in.i.i, mulbcr do iiicamo.
O Ccarenic releriado-se a folhas do Piauby,
informa ter chegado aos suburbios de Oelras
urna tribu de iudigcnis emigrados da comarca
de Klores desla provincia, assim como que cer-
to fi/emloifo de nome Uenedlto matara sua
mulher e a um individuo, que com ella encon-
trou.
Do I.ni Grande do uorte acharao os leilores
cm lugar competente o que tcm occorrido.
Vi l'.irahyua rti 11 ha de novo._____________
Communicado.
He com o maior prazerque annuncia-
iiii ao illuslrado publico desla cidade, que
graijis io incansavel genio do Sr. Guima-
id-s, mui digno emprezirlo do tbeairo d'A-
pnllii, se acha luij : esle thealro traballiando
com urna companhia de grande forc, pois
que $9o chegados os senboros Amoedo, Cy-
Brigue inglez fmma bacalho.
Urigue americano Edivin farinba e bo-
lachiiiha.
Drigue francez Eugenie vinho.
1 uiportacau.
Uarca portuguo Ligeira, vinda de Lis-
boa, consignada a Francisco Soveriano Ri-
bello & l-'nini, manifestou o seguinte :
50 muios sal agrauel, 92 han is e 15 pipas
vinho, 134 barrisloucioho, 39 ditos miolei-
gl depuren, 5 pipas vinagre, 3 fardos pe-
neiras do rame, 1 cuxote bri{o de balan-
te, l dito imigeos, 330 birria cal, 8000 mo-
tiln cebollas ; aos consignatarios.
lo pipas vinagro, 8 saccis cominhos, 6
saixascera em velas; a Oliveira Irmos
Companhia.
13 barricas cora om grumo ; i los l'orei-
ra da Cunha.
3 ditas e 1 sacca favas ; a Manoel do Reg
Lima.
I quartola vinho ; a Krederico Bieber.
1 dita o v hairis vinho; a Jo2o Krederico
de Abreu Reg.
2 ditos dito ; a Fonles 6t Irmlos.
I caiio chapeos ; a 0. Guilherme Bre-
kenfeld.
1 dito bracos de balanca ; f. i. de
barros
41 harria vinho: a Juo Francisco di
Clz.
3 dilos chouric,is e piios; Jos Frin-
c'fi- > liidciii.
Repartigo da Polica.
P/nvioi entrada no diiiiT^^^
Para e Caira -- 40 dias e do ultimo porto
10, escuna bnsileln Emllil, delll [0-
nelladis, capililo Antonio Silvein Hiciej
Jnior, equipigem II, eirga rarlnbi, ml-
Iho e mais gneros ; a JoSo Carlos Au-
gusto di Sil vi. Passageiros, Clorismun-
do Ficundo de Castro, Riymundo Nor-
berlo de Castro, Jos Picheco deMedei-
rose 4 esersvos a entregar.
Par e portos intermedio* 13 dias e S ho-
ras e do ultimo porto 9 ho-is, vipor bn-
silelrolmperilr!z,de400tone!lidisIcom-
mindmte o primeiro teneote Joaquim
Salom Ramos de Azevedo, equipasen
31. Traz a seu bordo : pira esta provin-
cia, Jos Antonio Pereirt Reg, Jos Pe-
dro de Castro, Fibricio Comes Pedrozi,
Antonio Ferreira Lim, Francisco Uorei-
ra do Carmo : para oSul, Desiderio Mi-
noel ds Costi, I). Rila ftozi Estrelli da
Costs D. Mariana Carolina Estrella di
Costa, Jos Antonio da 'Suata, 22 pnca
de prol e 6 escravos a entregtr.
AVidio sakido no mamo dia.
Pir pelo Ceir etliranhSo brigue escu-
na Graciozi, cipitflo Jos Mam da Silva
Porto, carga fazendas e mais gneros.
Passageiros, Joaquim Antonio Cirneiro
de Souzi Azevedo. Domingos Jos Bsplis-
ti, Antonio de Oliveira Borges, com su
senhors, Luir, de Fnofi Cosa Espindoli
e Jos Antonio Rodrigues.
"SDITAES. '
-- I'.da iospectoria da Alfandega, se faz
publico que no dia 8 do crreme, depois do
meio dia se hilo de arrematar em bast pu-
biicaa poila da mesmi repartirlo, 4 duiits
de camisas de midopolSo, e china p*ra ho-
mem a 1,500 ra. cada urna, total 72,000 rs.,
spprehendidas pelo ijudinte do Gutrdi-
mor Luiz Gomes Ferreira, abordo do brigue
Dinamarquax llenriette,* sendo arreina-
tacSo livre de direitos 10 arrematante.
Alfindega de Permmbuco 6 de novembro
de 1851.
0 inspector interino,
Bonto Jos Femndes Birros
Minoel Jos Mirtina Ribeiro, ctvslleiro la
imperial ordem di Rozi ejuizde pazdo
sogundo districto di fregaezii do Sintis-
simo Sicnmento do biirro da Boa Vista
termo di cidade do Recife de Pernambu-
co em virlude di le, etc.
Fico saber aos habitantes deste districto,
que em cumpnmento do ofllciodoEtm. Sr.
presdwte da proviocil, que acompinhou
por copia o aviso da repartico do imperio
eiu 1817 por una couiuilssao installc-se deidc lo de piaticos. Confiamos que o governo de I rl' e Senna, lodos tres artistas de grande e
loBoUhanen,elegeiid-eadireco,camesa, 5. M. se ompenbari em a'proveilar Uo in- "
numen. .!, aet.. m*nnlxer mn.ar para sian Dene"cios lera de colher a provine,., o
seu crescenle commercio.
reconhecido genio ; quo junctos ios que j
conbecemos formam a melhor companhia
dramtica quo tem aparecido nesla cid ule
Sabbalo debuta o Sr. Amoedo no drama
para aa pessoas que o autnrisarcni 1 assigiiar e----.-~.. e.,, ,.,,,,. u,,i, ,i'lnelrn dpsBmnnnhandn
aomeando-se en! leguida a commiuao que de- Por IVISO do governo imperial fechou- "' M.ar,a d *le?C"1 r0'. !?S?iVlh. !S
vecuufcceioiiar, c subuictter approvar;o de- se a fabrica do cortodj madeiras para os ar-
Hnitiva da assemblaoa novoi eiutuioi, quando sonaos de marioba, e deu se por extincto
e cnieoda, que devam ser reformados aquellcs este estibelecimento, que desde anligis
'sendo confirmado os e.tatulo. c obt.ndo o ^ZVJ'r"'10"^ "^ *r("""C'a m
banco do poder competente a penuiasao de n0'avcl Vextmo dos bracos, que erara obri-
einitiir em letras ou vales pagaveis i visla )0 8dos a ir aii Irabalhar por mdicos sala-
por cento do teu capital, poder elle empres- "" D'ora em diaole lera o arsenal de ma-
tar dlnheiro com umjuro nunca maior de 9 rinba de comprar a particulares as madei-
por cento ao anno, pago sempre adiantado, e r^s, de que carecer' como se pralica as de-
dobrado na falta de ponlual pagamento do mais provincias. N3o sabemos ae esti me li-
priucipal prometiendo de.te modo, e coin a da lera o carcter do provisoria, ou so so
vaniagcni de tomar tainbem dmbelro a um ju- cons
o papel de D. JoSo -- ; e desde ja Ihe a ti -
Muramos urna complecta victoria, porque
conhecemos o mrito d'este artisti. Breve-
mente lomos timbem os senhores Martinho,
e Lsiboa. pois estSo j contraclados; um, o
primeiro, bom conhecido no Brazil ; e o se-
gundo, pelo que nos consta, artilla de gran-
de tilento. Honra pois ao Sr. Guimaraes
que tanto trabilho ha empregado em agra-
d ir ao publico desta cidade, ao qual convi-
damos para gozar com nosco do alio mori-
to desta companhia ; e aos senhores que se
reserva. ii) se icluva, e entre os ineios propostos, 1
A- ej-e a.peci,. mus lisongciro para o ac- cmhrou co.no de mais vilil importmcia a
^^o^X^'SZS: f d0.K,u de8frica"05 li1retpar?.crem
vre de toda ai de.peaa^.e com a precisa segu- '"Pregados nos sor vicos la lilla fabrica,
ranea do priacipal, correipondc o rpido me- 'nlormam-nos que 0 htm. Sr. mimslro di
lhoramcnlo da condlco de todos aquclles, que marinh 1 altendeu lel'erida proposti, e S0-
aaopodendo alcanear hoje diniieiro seno cun licilou do Exm. Sr. ministro da justica
o premio animal de 18 por ceolo, 011 coin outro roaiossa dos africanos pedidos. Aguarda-
pouco menor, e aa vetes inalor, vo agora en- mos as flnaes resolucOes do Roverno, no eu-
cirregou urna arma de fogo, e a disparou lr-.- nivea com mais facilidide, no ei- tanto acreditamos, queosexforcos do Exm.
_ ...f_______i____ r.......i_ ; tableciinenlo, uue ac iirclcudccrear, Daoando c. __..j.i ,a. _?..;__ .._* ,:__. j_
ipen uuZli drpe,.^XCiCoraCcatru,P.agrs. ^?1T ^T' "'*%&
quem ti.er de tomir o diulieiro for um aceio- mus elevado elogio pelos melhoramentos
inii, elle observar com a m.iiur saiulacau, materias, que desenvolve 6m fivor desta
que, sem precliar de pedir o favor de uina ou bella tejra.
. mais linnas, baitar-lhe-ha recolber como pe- O Vetho Braio do Ama'onas referindo-se
. nhor ao banco ai suas acjei para poder rece- a cirtis de possoas da crdito, escripias da
lr por empresilmo SU por cento do ieu valor, corle, di conla d.s seguintes nomeacOcs
pagando o juro de 9 por icolo ao auno, em- Dara nosa nrnvineia iln, llin V-Hiri-n
quaaio ellas Ihe iciin lempre rendeudo o de P provincia Uo itio negro
2 por cento. V.ce-presidentes.
Al reformas limeitraei com amorlljacao de
10 por cento do principal, quando o perniltli-
ii ni .1- lurcii do bauco, as diversas coiumii-
Iiei. de que eite ic pode incumbir, osdeposi- quim Goocalves de Azevedo.
tosde diulieiro, para as iransac(dei mediauto 3. o coronel commaodanla superior da
maiidadoi, ou chequei, a que se Uabiluarao 01 guarja nacional -- JoSo Henriques de
w .v....,o.,iU uiiiiuiiiia,!, "'C"""1 uoiioi negoclanlea, como os das grande pra- L-iia. m
nba primeira carta de 21 do mez passido, s, e u.l...coi. wdn ouiria opritae. di- x o'commendidnr conetro-Anlnni., M.
nio tem solTrido altencao alguma, nem 13a lue morUnle estabelccimenlo produc. *; .^^^..J? g
pouco 0 preco dos gneros expostos 10 mer- em lo grande escala vantageni e beneficio ao noel oaucues ue onuo.
cido publico. commercio e agricultura, e industria que 10 O livrador-Joao Ignacio Rodrigues do
l'm dos gneros que bojo sotTrosqui gnu- reitar o sroiimcnlo geral de ter estado a pro- Carmo,
om sui mesma bucea, fzndo-se por este
triste mcni 1 ;i-snr desla para a melhor vida.
Currem minias versoes acerca dos motivos
3uo ocessionaram este suicidio, mas nSo
co por nenhum deltas. Esle acto de deses-
Iici-aciin se deu na occisiSoem que se acha-
va de misso em S. Jjs Fr. SebistiSo de
Mceim, o quil segu a pregar em Villa Flor,
que serve boje do maior vilhicoulo de as-
sassinos. I'ra/ 1 a Doos que o mlssionario
apostlico coma bons fructos de sous tri-
trabilhos e fidigis, e obtenhi 1 reform, e
cunlricco de tintos corarOcs embevecidus
no crime.
1. O Dr. juiz du 1111 eilo--Manoel Gomes
Concia de Miranda.
2. O comtnendador vinario geral*-Joi-
Correspondencia.
Srs. Redactores.--Quem nSo pode retri-
buir favores, saiba ao menos confesii-los ;
eis 1 minha posico para com o Clin. Sr. Dr.
Jos de A ni"i la Soaros de Lim e Bastos.
Em ni'tiiH companhia trouxe do curato do
o n-J.irdim, cummarc doLi noeiro um po-
bre menino de nome J >s Amo ,io de Brito,
que por infelicidad-i succe leu quebrar o br.i-
co.esquorlo a ponto de qua o osso rompe j
carne, e mmifeslou-serpidamente 1 gan-
grena. Consternado, epeaaioso ao p des-
se infeliz orpbao s inheliva 1 chegidi, a
esta cidade oari Ibe poder miuistnr os so-
corros, que a religito ordeniva, ei oslim,
quelite consigro, me impunba. Logo que
aqui pousei, corri pressuroso a cisi do pri-
meiro facultativo, que me 111 JicarSo permi-
tindo a sorte que fosse a do lllm. Sr. Dr. Jo-
s de Almeida Soires de Lima e Bastos, e
quil com lodi promplido preitou-se io
_ de 23 de igosto ultimo,tem de se por em in-
20 barricas carvSo animal, 8 volumes e 5 toJra oxccuca0 io i.de Janeiro prximo futu-
birncas Irutis seccas ; a Antonio Jos Diis. | ro em di,nle regull0,ent0 qu8 D,xou com
rns vi- 0 ,)ecrtfi0 n. 7jg ,|e |g jejunho do corrento
,., ,. anno, relativo io registo dos niscimentos e
65 ditos carnes salgigadas 1 I ditos fi- 0bii0s, authoi isado pelo 3. doirt.17 da lei
!*i[* *' n.586de6desetembro de 1850. E pin que
chogue ao conhecimento dos mesmos habi-
tantes as dispusieres contidis no citado ar-
tigo publicado no Diario de Pernimbu-
co em 30 de outubro do correte anno,
mmdei lavnr o presente que ser sQxido
nos logares pblicos deste districto e publi-
cado pels imprensa.
Segundo districto di freguezia da Boa
Vista, 4 de novembro de 1851. Eu Fran-
cisco de Birros Corroa escrivSo o subs-
crevi.
Manool Jos Mirtins Ribeiro.
O lllm. Sr. inspector di thesouriria di
fazenda provincial em cumprlmento di or-
dem do Exm. Sr. presidente di proviocil de
29 do correnta, mmdi fizer publico, que
nos dias 11, 12 e 13 de novembro prximo
vindouro, ir pnoa pin ser irremitido
puranto o tribunal administrativo da mes-
mi thesourana, a quem por menos lizer a
obn de um lince de caes no aterro dos Afo-
gidos ni extendi de 370 palmos afiliada
em 1:338,755 rs.
A irremaUcSo ser foi ti ni forma dos
iris. 24 e 27 da lei n. 286 de 17 de miio do
correte anuo.
As pessois que se propozerem a esta ir-
ronialico, compareci) ni sila oas sessdes
30ciixotos neo, 15 pipas e 15 b
nbo ; a Novios o Companhia.
id"
gos
Amorim
i] i pipa vinho ; a ordem.
6 pipas e 20 barris vinho, 20 ancorlas -
zeitoms, 20 birria sardinhas, 3 dilos couve
II ir salgada, 16 caixoles doce, 20 caixis ce-
ra em velas, 1 barril vinho muscatel. I dito
carnes, 1 caixa mercuiio, 9 ditas rap ; ao
capiUo.
1 caixoledoce, 1 caixa luvisemeiis, 18
algui Jares, 1 sacca greda ; a Feliciano Jos
Comes,
10 barris e 4 pipas vinho, 8 ditis vinsgre,
20 barris azeite, 15barricas cera em grumo,
16 caixas dit 1 em velas; a Maximiiuo & l'i-
nbeiro.
2 ditis peneiras do rame ; Francisco Al-
ves da Costa.
1 dita braco do balanca Joaquim Frincis-
co da Silva Salles.
5 barricas drogas, 2 caixasvidros, 2 ditas
especies medicinaos, 1 dita objeclos para
botica ; a Moreira & Fragoso.
1 barril vinho; ao Dr. Jos Raymundo.
3 caixoles 'doce, 1 dito cerveja, 1 dito
011.acorvas, 3 caixas especios me neniaos ; 1
Policarpo Jos Laine.
50 barricas farinhs de trigo, SO ditas Tre-
los, 5 ca toles bolixa, 5 pipis vinagre
birris dito. 20 dilos ioucinbo,2cixoiesli-domesmo,lrDUS.||v0o, diis cima men-
yros, 10 ditis cera em velas, 12 birricas i-| Cl0nid0s p;lo meio dia competentemente
to cm grumo,30 birrisazeite, lOcaixinhas habililada
figos : a T. de Aquino F, & Pllho. ..... E -n8Ur mtDlioa .QU.r o pre-
* f.':ili ZVS.I. "tee pobUcr pelo Diirio.
3 cilxotes doce, 39 barris figos; a Antonio
Alves Vidala.
2 barris, 3 saccas, 6 caixas especies me-
dicinaos ; a Antonio Pedro das Noves.
1 dita vidros 1 fardo 4 caixas especies
medicinaos; Jos Mara Concalvos Ramos.
Sscrelana di thesouririi di fizeoda pro-
vincial de Pernambuco, JO de outubro de
1851.--0 secretario,
Antonio Ferreira da AuuunoiacrJo.
Clausulas especiaes di arremiticHo.
I.* A conslruccao do ces do aterro dos
1 dita ditas; a Viuva Cunha & Compa- Adgidos aera leila de conformidade com o
nhii. orcimentoeplint ipprovaJo pelo Exm.
5 barris cal ; a J. Soum. I 2 lados leitos de ferro; a Victorino Jos de 1:338,755 rs.
Momo.ni. ^.' as obras principiarse noprasodeum
1 pacote peridicos, a Miguel Jos Al- ; mej contndose d data em que fr entre-
ves. I gU8 o ter.no de arremstscSo, e concluir-
4 caixas cera em velas! a Antonio J01- e-nSo no do 4 meaos,
quim Rodrigues. 3,* o pegamento eflecluar-se-ha os for-
100 barris cal ; a Minoel Goncalves da m determinada no art. 39 da lei provin-
.Mlva, i oiil n. 286.
1 ciixote ospecies medicinaes; 1 Minoel 4. para tudo o mais que nSo est deter-
1 Vi 11 va
Joaquim Ramos eSilv
2 fardos cipixos ; 1 Avriil.
1 caixolinho couro em obras ;
Gaudioo. "
2J0canwtras batatar; a Joiquim Pinto
25 birris toucinho, 50 ditos figos, 20 cai-
xas massas : a JoSo Licio Marques.
50 saccas cavada, 50 canastr.s batatas, I
minado as presentas clausulas seguir-so-
ba inteirimenle o que dispOe 1 prediti le.
Conforme.O secretario,
Antonio Ferreiri di AnnunciacSo.
Declaragoes.
~ As milas que deve condurlr o vapor
volume bracos de balanca ; a Bernardo Jos Imperalriz para os portos do Sui, pnu-
da Costa Valente- cipiam-se a feichar hoje 7, a urna hora di
6 caixoles chapeos, 6 Cardu] capaxos, 50
etnastras balitas; a A Cesar de Abreo.
4 fardos capaxos, 6 barris vinbo; a Jos
Teixeira Bslo.
30 bariis carnes salgtdas, 10 ditos azeilo.
larde' e depois dessa on it o momento
de feiclur : recobo-so ss correspondenciis
com o porte duplo.
Tilo Fiock Romano,oscrivSo dos proles-
tos nesla cidade por S. M. I. ole. Em cum-
20 canastns btalas, 5 barricas frutis sec-' primeuto 1 segunda parte do irt 41ldoco-
bumanidade alllict, e yeioaof". "ixotes doce, 2 ditos Iivioj ;
i aOvi- digo cnmmercial, faz publico pelo Pr*eD'
:o7omt.!oTccomp.b^ IllSs" -'lo* Antonio do Abreo. ao, herdeiros do finado M.nool Marque-
i 1 caixa ferragens e mais mercadonas ; a
(I) Ouvimos dizer que nSo esta resolvi-IJoSo Jos de Carvalho Moraes.
do a acollar esta nomeic,So visti de seu 2 brrris vinlu, 1 caixolinho diversis mer-
estilo phlsico, c de outras circunstancias, cadorias; a Antonio Jos Fernandos,
ponderosas. lu barncjs coviJa, 10 meias pipis viabo,
aus neruciroa uo uuauu w.i.xn .. -,--
Grangeiro, cuja rosidenci nao be contiecis
di, quo por parte de Jos Alves di s>"va
Culinarios Ihe foi apresjnlada para ser pro-
testada de prevencSo, poroccasiflo o "Tallo-
cimento do dito Gnngeiro, urna letra aa
k\ -rii a r*r\


auaotia de 252,760 rs. t rencor-so ero 7 da
Janeiro doanno vindouro : aquellos quem
odllo protesto Interestar possa, queiram no
pritode 3 (lias contados di data deste, dar
s rtzfles que tiverem para aer conslgosdis
, no dito protesto, sendo que passado csso
'termo, dar-se-ha ao portador o iDatrumeuto
respectivo.
Cidade do Recife, em 5 de novembro de
O procurador da cantara municipal do
Recito, compra 42 livros em branco, pauta-
doi, com cem tornas cada um, para os ar-
seotamentos de naaclmentos e bitos lo
municipio: quem oa quier fomocer lne
ipreaenlem suas prooostas.
TIIBATROIIE S- IZIBEL.
Ig-. RECITA DA ASSIGNATURA.
Grande e variado espectculo.
Sabbado 8 da) novembro de 1851.
Depois que a orchestra tiver etecutado a
brilhiote ouverlura A caaaada de llenri-
que*0. acompanhia nacional representar o
excellenle e muito appltudido .drama em 3
,Ct0' A GARGALUADa.
Nova diatribuiclo do Drama.
"erionageitr,
Andre Logrange.Germano.
Laopolda.Bezerra.
D Dr. Leclerk.Rea.
Estevflo.Cabral.
He nar lo.Coimbr.
Mm. Lagraoge. D. A mili i Monleiro.
Adele. I). Manoella.
Magdalena.D Rita.
Lourenoo.-- J. J. Crrela,
No lim do drama Sr". Marieltt Linda,
ichindo-ae ja um pouco restabeleoid, e
canlractada de novo neate theatro, oiecu-
lara a bella cavatina da Opera
Mas na di! t.
Em seguida subir a acea a iulerossinle
commedia om 1 acto.
OS DOUS.
ou
lnglez maquinista.
Terminado que seje, a Sr*. Landa oxecu-
lari as diliceis variicOes de Shisa.
Dando limao expetaculo a linda comme-
dia em 1 acto ornado de muaica
Beijo.
Coraejir aa 8 horai.
Os bilhetos achao-se a venda no lugar do
costume.
Theatro de Apollo.
SABBADO, 8 DENOVEMBRO DE 1851.
Eitra do actor-galan Luiz Garlos
Amodo.
IV. HfcGITA DA ASSIGNATURA-
Depois de urna bella ouvertur, aubiri
com todo o aparato o magnifico drama om
3 icios, do eximio poeta portuguez o Sr.
Menina Leal.
D. MARA DE ALENCASTRO.
Personageng e actores.
Aphonso Minos, marcador -- o Sr. L. C.
Amodo.
Antonio Conli o Sr. Costa.
I). Antonio de Portugal oSr. Jorge.
D. Rodrigues de Souza O Sr. Lonr/*- p
D. Francisco de Mello o Sr. Hallo.
D, Goncilo de Atbayde o Sr. Talles,
leronymo, o lavrador a
Fernando, o mercador o Sr. Figueiredo.
O Monga da Serra o Sr. Miranda.
D. Oiogo de Menezes
Muo da Cunta o Sr. Figueiredo.
D. Mara de Portugal a Sra. D. Leopol-
dina.
Laura, a Italiana a Sra. D. Joanna.
Violante --a Sra. D. Soledade.
l'm capililo do terco de arcabuseiros, con-
vidados, serventes, escudeiros, pagens,
damas e arcabuseiros.
Terminar o espectculo com a muito jo-
coza larga,
O JUIZ DE PAZ DA ROCA.
A parte de Manoel JoSo e de Anninha, se-
rio feitas pela Sra D. Soledade e Santa Ro-
aa, que tantos applausos merecern) no the-
atro de Santa Iza bel.
Odnector empresario, que s almeja a-
gndar ao illustrado publico de.-ta cidade,
dequom ha merecido vivissimas preas de
simpalhia, declara queacabam de chegar
para a sua companhia os excellenles acto-
res, l.uiz Carlos Amolo Rernardino de
Scnna Loureiro e Cyrillo Martins da Coala,
lodos J4 mui conhecidos na Bahia e Rio de
lioeiro, pelo seu grande merecimeuto ar-
tstico, o outroa que ainda espera Esforcos,
sacrificios, .Tadigas, nada se poupar para
que O theatro de Apollo aprsente urna com-
panhia dramtica digna em tudo dos habi-
laute da bella veneza brasileira.
ja-se ao capitao do mesmo Fran-
cisco Nicolao de Araujo, na praca
do Gomtnercio ou a Novaes &
Companhia na ra do Trapiche
n. 34.
Para o Aracaty.
Segu at o da 15 do correute o novo
Mate Capibarlbe, mestre Antonio Jos
Viinna : quem quizer carregar ou ir de pas-
siaem, dirija-ae a ra do Vigario n. 5, ou
com o mestro do mesmo no trapiche do al-
godfio._______________
3
Otbesoureiro da Irmandade do Divino
Espirito-Santo, roga a todas os irmSos que
tiverem capas da irmandade em seu poder,
e por motivo nSo poderem acompanhar a
prnciclo da trasladarlo do Sr Bom Jess
dos Pasaos, da irmandade de S. Jos d'Ago-
nii, (ac,am o obsequio de mandar entregar
as ditas capas ao nosso irm.lo Andador, a lim
de evitar a faltas para aquellos que quize-
rem acompanhar a dita procifSo.
Adverte-se.
Aoeloquente W. Y. K. autor do commu-
nicado enserido no Diario de anl'ontem, que
seja mais circumspeclo quando escrever
pira o publico, e que nSo falta tinto a ver-
dade, apezar deqne isso talvez sej motiva-
do por S. 8. estar multo pouco a par de
theatros, pois o drami a queS S. alinde
o Tributoj foi representado na socie-
dade particular Milpomenense, de cuja era
diroctor o Sr. Olivoira, na passigem di Mag-
dalena S se esss lugar 11J0 he em Per-
nambuco.
Pipilel Cabrito.
Perciza-se de urna ama branca do meia
idade, que siiba cozer,engommar, cozinhar
com toda a perfeico e aceio sendo lid e de
boa conducta, a desnmpedida de familia, pa-
ra tomar conla da directo de urna caza de
homem sulloiro oa praca da independencia
Ioja o. 3.
Perdeu-se na noite do 4 do correato na
pradeira, paca-se IO.OOO rs. men- PUca do theatro de Santa Iztbel urna car-
r r j- i tetra pequea doalgibeira.cbspeada de ac,
saes : quem a tiver dinja-se a ra'dentro da qual tinha quilro mil reise al-
da Assumpcao OU muro da I'enha'B'imas moedasingl9zascomo tambera o car-
_ t> Jo donu : quem a achar querendo res-
a- a O. |titui-Ia,dinja-se a ruada Cadea Velha n. 4,
Precisa-se de um menino para cazeiro que aera recompensado com o dinheiro que
de urna padaria, na ra da Gloria n. 55, que conlioha a dita carteira.
saiba lar o escrever, e da-se bom ordenado. | No pateo do Carino, sobrado n. 7, pri-
Pedo-sea possoa que lirou da algibei- meiroandar prociza-se de umr ama de leito
ra da casaca do abaixo assignado, no thea- forra ou cativa.
tro deS. Izabel, ni noite dodia 5 do corren-' Allugao-se duas casas em Santa Anna
te, um maaso de sedulaacontando aqnautia de dentro, bem propriaa parase paseara fes-
de 33,000 rs.,e urna letlra siccida contra o ta, e polo prego o mala commodo possi-
fadecido Dr. Vellez, e varios papis aouJe ti- val : na ra da Cruz n. 36 1. andar,
alguna apontamontos : que por favor ple1 O abaixo assignado, adverte aquell s Srs.
mandar em oarta feichada eotregirem casa que Ihe eslflo deven lo contas antigs, pro-
de Joi Higioo de Souza Gilvo na ra Au- venientes do alugueis de ci vaina,e carros;
gusta, fleando-ae com a aobredita quantia do cocheira da ra do Apollo n. 35, qua nos-
em s 'dulas, reatituindo smente a letra e tos oito das, I lie mandan pagar seus debi-
111.iis papis. tos, o qual f
Luiz Jos Gunzsga las suas iniciaos
Adamson lliwiet Compauhia. conti- por inteiro.
nuato por intervencjlo do corretor Olivei- Joaquim da Costa Vieira. I "S"1. hiJesU cld"1-e f" SC1C','t05??pe'"
ra, o seu leilflo de fazeodis inglezas : hoja -- O abaixo assign.do vende a sua co- '"* P !>? qU',Va,' VT"1' S: Vn "
sexta-ferra, 7 de novembro, as 10 horas da xeira cita na ra do Apollo u. 25 com to los PrW Pur cusilo do Antonio Joso de Ma-
maubSa em ponto, com qualquer numero de os seus utencilios, e mais um carro de 4 ro-
seus freguezes, no seu armazem, na ra do das, de conslrucgSo hamburguezaoScaval-
trapiche. los muito bons de carro.
O abaixo assignado, roga a pessoa que Joaquim da Costi Vieira.
por engao Ihe b tira lo ilgumis cartas do PrMill-Malugar um moleque, para o
Leiloes.
~ NodiaSdo correte, pelas 2 hora* da
tarde, perante o Sr. Dr. juiz do aommercio
da segunda vsra, e por intermedio do agen-
te de leilOes Miguel Carneiro, ter lugar o
leilSo do deposito de assucir oa ra ealreita
do Rozario n, 28, pertencente a Jos Pestaa
da Silva, arequerimenlo de Joa Rodrigues
Sordos, socio liquidadle da (Irma socisl de
brinco & Uudriguos, escriv3o Cunha.
Avisos diversos.
Precisa-se alugar urna escra-
va, que seja boa cosinheira c com-
- Na primeira audiencia do Sr. Dr. juiz
dos feilos da fizaoda, linda que acia eata, se
ho de arrematar de renda os predios ji an-
unciados, e outroa por venda, 01.to alias
a casa sita na ra dos Qutro CantosemOlin-
da, avallada em 700,000 rs .eoutra timbem
em Olinda 11. It na ra do Bomlim por (00/
ra., ambas penhoradaa a Jos Joaquim de
Almeida Guedes, 1 carro de i rodas avahado
em 150,000 rs., 1 mnibus grande e em bom
eatado por 350,000 rs., penhorados a Frede-
rico llanaeu, osobjectos existentes na Ioja
n. 6 do atorro da Boa-Vista, no valor de
313,100 ra. penhorados a F. Dubarrv, a urna
porgSo de movis da caaa penhorados a di-
versos devedores da fazenda nacional, tu lo
constante dos escriptos em mo do portei-
ro: quem pretender qualquer dos objectos
declarados, compareca no lugar do cos-
lumo.
ATTENCx.
No da 4 do coi rente desappa-
receu da pr.ira da Boa-Vistan.
ijj, omulatinho de nome Raymun-
do, de idad uai. annos, levou
calca e camisa de algodosinho
com listras azues, tem os cabellos
estirados, em sima do nariz um pe-
queo talho, em um dos lados,jun-
to a cintura urnas marcas que pa-
rece queimadura : roga-se a quem
o pegar de levar casa cima que
generosamente ser recompen-
sado.
Alexsndre Coelho Messeder retira-se
para a Bahia.
-. Silvestre Francisco Mcira, embarca pa-
ra o Rio de Janeiro o eacravo cabra, de no-
me Olimpio, por ordem do seu senlior Joo
dos Santos Sepulvid, da Bahia.
Joaquim Antonio da Silvcira, embarca
paro o Rio de Janeiro o mulato Marcelino,
pertencente ao Exin. Sr. Ilouono ilermelo
Carneiro Lc3o.
-- Na ra do Aurora n. 52, precisa-se
com urgencia lallar ao Rvm. padre Jo3o
indo esto praso os chamar pe- "jnto Alvos Ferre.ra capelln do engenho
mes, e depois pelos seus nomes Arar* d Daix.u' "a f^gnezu do Cabo.
' e O Reverendo Padre Prior do convento
Precisa-se alugar urna preta esenva,
pira tratar do una crianca.e cuidar na la
vagem e engotmnado de sua roupa : quem
tiver entenda-se c ira o porttiro da Alfin-
degadesta cidade, na mes na reparlii;.!).

galliaes Bastos contra o mesmo couveuto,
niio por dividas contraliidas pela actual
adminislragao, porem sim pelaadiDiuistra-
oo paaaada do ex-proviucial o Padre Fr.
oio do Santa Izabel Pav.lo, om cujo engo-
nlio existe urna opetoca l'eita ao mesmo llus-
Avisos martimos.
Cear, MaranhSoe Para
0 novo brigue escuna Brasileira Graciosa,
dastlna-se a aquellos portos, quem no tnes-
moquizer carregar, ou ir de paasagem, di-
rija-ae ao eonaignatario Jos Baplista da
Fonseca Jnior : ra do Vigario o. 23 segan-
do andar, ou ao capitao na praca
Para Lisboa segu com brevidadoo bri-
gue portuguez ConcsicS ode Marta, para car-
gi e paaaageiros trata-se com Thomaz d'A-
quino Fonseca a Olbo,: na ra do Vigario n.
la primeiro andar ou com o capillo, no pra-
ca do commercio.
Para o Porto.
Sabe com a maior brevidade
possivel, por ter parte de seu car-
regamento, a linda e veleira gale-
ra portugueza Bracharense tem
aceiados commodos para passagei-
ros : quem na mesma quizer car-
regar, ou ir de passagem, enten-
da-se pomo capitao Rodrigo Joa-
quim Correia, na praca do Com-
mercio, ou com Novaes 6 Compa-
nhia na ra do Trapiche n. 34
. Vende-se o patacho nacional Clemen-
tina, forrado e pregado de cobro, prom-
Mo a aeguir viagem para ver, acha-se
aindiado no ancoradooro do Forte do Ma-
tos, e para o ajuate oa ra da Cruz. n. 7, afa-
larcom J0B0 Fanciscoda Cruz.
Pjra a Bahia sabe com muita brevida-
de por ter parte da carga prompla, a Suma-
nacional aCarlota mestre Jos Goncalves
>im,as pars restante da carga,e passageiros
'tratar com o mesmo mestre ou com Luiz
Js de Sa Araujo na ra di Cruz n. 33.
Para Aracaty'
Sahe impeterivelmente at o da 18 do
rorrentc o hiate Flor de Cururipe: quem
"elle quizer cirregar, ou ir de pissagem di-
''ja-te a ra da Cadeia do Recife 9 sen-
tando andar.
Para o Rio de Janeiro.
Va sabir com a maior brevida-
le possivel, o veleiro patacho bra-
Bilero Valen le : quem n 9 mesmo
9,uizer carregar, embarcar cscravos
'rete, ou ir de passagem diri-
Precist-se de um csixeiro quo entenda commodo p eco a tratar com Guilhorme ^^TfffS^^tis.
de vend, de dade de 15 a 16 annos : em Sette, no aterro da Boa Vista n. 10. J [Q"'" J, 8U.r ,fv "'"'i y!,u
For. de I-orlas na ra do Pillar, primeira ta-1 Precisa-se do um. preta captiva, que 0 ," fj"Vr^*, ?Sil do ROMrlo
berna n. 147. ;saiba cozinhar, comprar e engommar, para nadaria o tP c
Miguel Archanjo de Figueiredo, em- urna casa eatrangeira 1 quem a tiver, diri- v .-,
barca para o Rio de Janeiro, a sua escrava ja-se a ra Nova n. 09, primeiro anJar. Uaz.
crioula de nome Joanna. Precisa-se de um csixeiro, para casa do 0 fabricante do gaz nao toncionava mais
Fernindes Jos da Rocha Pinto, em- bilhar : dofronle do theatro velho n. 10. continuar este fabrico visto a difliculda los
preci padaiia nos Apipucoa : a tratar na ra Dirci- lucro que 11S00 indeinnisava ao leu trba-
la n. 69. llio; porm a pedidos de minios dos seus
Passanrtes freguezes esla resolvidu a continuara fabri-
rsssrriir- --' sss tsspar"do,,tro fora sw; v^^r^r:;^
oservigode.umac^dT'po^a familia n. t^&S^XTSS^ **"
para e-s : ilin, procure-se na ra da Cadeia
Hl\.C,i^,u'l0Jailer',Ssem!aS.,l(,Sr-LUZ Antonio, armazeai 11. 7, para o Recife, roa
??. a ni" T 'n .- r'"'"i" da Seiualla Velha n. 48, com frente paVa o
ra do Queimado n. M, loft de miudezas do beco dj purll) das Cdnoa 0 etubelecmeo-
Sr. Joaquim Monleiro da Cruz to Ue bons vjllllus Ut Usl)0'a Pjgae|ra, sem
' A mesa regedora da irman- mistura alguma a 200 o 20 rs. por garrafa,
,11 m v c 1,500 o 1,800 rs. por cunada, vinagre lOI-
dade do ivino Lspirito banto bem de Lisboa sem mistura a 120 por gar-
sendo convidada pela irmandade raf- Vendo-ae tambem na mesma cas an-
Hp S Tnu .l'\,.i. ,,!,, u-,,,,, curas para o mato, quer cheias quer vasias.
"Boa'Ca'rros nara 1 aTaFT I '"! i A?on'a Pa ae0.m" Alu.a-ae o primeiro andar da casa n
m "na uarros para pcsseo. nan|lur a mafi,em do Sr. Bom Je- 51 da ra da Cadeia do Itecifo com bastan*
barct para o Rio de Janeiro, a sua oscrava
mulata Andreza.
-- Antonio Xavier NoronhaTo'rezilo, re-
mete para o Rio do Janeiro o seuescrvo|
praca da independencia n. 22.
Francisco Mithias Pereira da Costa em-
barca para o Rio de Janeiro os seguinles es-
cravos, Miguel crinlo, 10 annos, Cosme
crioulo 20 annos.
Napolen Gabriel Bez embarca para /o
Rio Je Janeiro os seus escravos, Andi, mo-
la lo, e Severlna, de idade 7 annoa, Joanr/a
crioula, e Vitorina idade 14 annos, tambem
cosinha.
fabrica, assim como vidroa, pavios, o tubos
de4e7 buracos para os caudieiros de,gaz.
Mudou-se da ra da Cadeia de Santo
' Paulo Gaignoux, dentista 9
francez, otTcreee aeu prest-
moao publico pava lodosos 9
nifltcrea de sua proflss&o: f
pllc ser procurado a qual- m
9 <|ii <* ra larga dn Rosario, n. 36,
9 sey mulo andar.
t !>
~ .Nos abaixo assignsdos fazemos sclonte
as pessois que nos sSo devedores o muito
principalmente aquelles quo deverem a mais
de um anno,que desta data em dianle insti-
tu i mus para c.uhridor do nussas divida vio Sr.
Manoel Joaquim do Nascimento ; e por isso
bom serque os senhores freguezs,e fregu-
zas que nos deverem psgucm logo a lim de e-
vitar algumis despezas occorridos com a
justiQa.
Victorino & Guimataes.
No piteo do Tergo n. 22 caza de Fran-
cisco Pinto Ozorio, allugo-see vendem-se
bixas de Hamburgo, prximamente desem-
barcadas.
Afericoes.
O arrematante do imposto das aforic,oes
deste municipio do Recife, vende as fregue-
zias soguintes : Afogados, Varsia, Posso, S
LourenQo JabuatSo, o Muribeca : quem pre-
tender dn ij i-e ao mesmo.
Na primeira audiencia do llim.Sr. Dr.
juiz dos fetosda fazenda, se arremataran
porexecuc^o da fazenda provincial, os bens
penhorados a Joo Baptista Peroira Lobo, os
auaes silo os soguintes 1 II n sitio no lugar
o Po;o da Panella, avaliado em 8 000,000 ;
duas casis terreas contiguas ao mesmo si
t'ti, urna avllala em 1:500,000, eoutra em
1:800,000; oum sitio no lugar de Apipu-
eos, avaliado em 6:000,000 : e os bens an-
nunciados em o Diario de Pernambuco,* do
24 do crrenle.
W .il.im.i Rosa II,11 (Iv modista bra-
sileira ra Nova n. 34.
Tem a satisfcelo do sci'nlilicar ao mui-
to respeitavel publico, odestinctamentnaos
seus freguezes, que seu estabelecimento de
novo se acha prvido do um caplenlido e
variavel sorlimento do ricas fazendas fran-
cezas, as quaes se vendem por creso mdi-
co, consialindo com ricos chapeos de seda e
groz de naples franzidos e lisos, do flores e
pcnachos.brancoa e de cores,para s 11I1 1: .1 e
menina, ditas de seda e pallinba fina, com
abaa largas do lindos cnfeilcs para menina
ocrianca chapus de palba fina, redondna
para meninos de urn a seis annos chapcli-
nhas de palha fina enfeitados cm Paris, com'
lita escossesa, britli>ntes capotinbos, proto
do sodi e do groz de naples, furia-cores,
para seuhora e meninas, ditos chamalote
pretn para sondara, ricos cadetdcs de bien
do libo fino ; di seda a nnitaslo de blon-
de, e bordado de prata para bailes ou thea-
tro, guarnecidas com delicados enfeiloso
do gosto o mais moderno, ricas romeiras
guarnecidas de bico de lindo c lindisaimaa
"aAf
ler vender dirija-se a rna di Cruz do Reci-
fe n. 38, segundo andar, em etsa de Lima
Jniora Companhia.
Corapra-se urna morada de casa ter-
reaqueseji nis rnat seguinles; -HorUs,
Canil) do Carino, pateo do maamo, ra
Direita, Agota Verdes, ra do Pogo, sendo
livre e desembarazada: quem tiver an-
nuncie.
Vendas.
Vende-sa urna canoa de cirreira, de 32
palmos de cumplido, e 31 de largo; a tra-
tar na Ioja de louc. na ra da Cadeia do Re-
cife n. 89.
-- Vende-se 6 bois o uro cirro; a tratar
no Casanga ion Antonio Rodrigues Ba-
racho.
-- Vende-se um bonito cavallo russo com
todos os andares,iiinito grando e proprio pa-
ra carro; na ra do Livramento 11.14, : quem
quizer ver est na cochoira do Sorra, junto
a ra de Santo Amsro.
VenJe-se dous pretos sondo um bom
cozinheiro.o canoeiro, bonita flgu ra, e ou-
tra de servifo do campo muito-ro busto, e
sem vicios : na botica da ra do raogel qui-
na da ribeira se dir quim ven de.
Luvas de pelica a 1,100 rs..
Ven loin-s luvas de pelica ponto inglez,
com uai pequeo toque de mof>, tanto de
iiome n, como de senhora a t,2O0 rs. o par :
na ra estreita do Rozario, travessa do Quei-
mido, Ioja de miudezas n. 2, A junto ao de-
posito de po.
Espelhos para paredes 2,000 rs..
Vondem-se na ra estreita do Rozario,
travessa do (.laciniado, Ioja do miudezas 11.
2, A junto ao deposito de iota,
ATTENCAO.
VenJem-se na ra do Crespo, Ioja n. 16,
quem volti para a ra dts Cruzas, muito
oxcellentoscassas inglezas, sendo de ges-
tos iuleiramento modernos, muito proprias
para roupes de sonhora, e pelo diminuto
preso de 240 rs. o covado.
Ainda se vendem alguna terrenos par
le alagados, e parte benoliciados, sitos na
ra da Concordia, travessa do Monteiro, dito
ilo Caldereiro com 150 palmas de fundo com
a frente que os cu 11 pradoros quizerem : os
l'ielendentes podem intenlerem-se com o
Sr. Pedro Antonio Teixeira CuimarSes, com
aruiazem de materiaes, silo 110 lim da ra
Ja concordia, defrontn do oresmo terreno
om que se atam odeficando 3 casas, e quo
esta autorizado para mostrar eajuslar.
- Vendem se queijo* do serillo muito no-
vos em cunta, conformo o lamanho,ditos do
reino do l/rs. a 1,300, toucinho de Lisboa a
190 rs- a Ib. dito do Santos a 160rs.a lib.,sa-
ii.in, i-'oc 1 in rs a libra e oulros miisg-
neros por pro?o com no lo : na ra Direita
venda 11. 2, junio da de Azul.
Vende-se duas lindas vccas
turinasebegadas agora na barca Li-
geira a fallar no escriptorio de V.
P. Rabello & ilho
Vendem-se 2 escravos mocos
proprios pora todo servico na ra
tas, bonitas camisinbas de cambraia
fil do linho bordado para senhora, man-J tic Santa Thercsa n. 42.
s o peitilhos de fil linlia e cam- .. Vende-ee saccas com alqueirc de boa
familia, ditas com miilio, ditas com ano/.
? 10 nli,ir a imagem do Sr. Bom Je- 51 da ra da Cadeia do Itecifo con
Na ra das Flores, defronte da co- 9 sus Jos PaSsos nne aune lia irman- '"commodos e5varands de fronte, pelo
ebeir. do Sr.Jos Maria, abriu-se urna l f ac\ae,la ,rman aluguel de 300,000 rs. aunuaes, assim mais
11 ule tem de trasladar em solem- parledo Barracao n. 7darua do ltru ni : i
ne procissao da ercia de N. S. do lralr "rua da CiUei* du "ecife *a P"-
^, t j r meiro andar.
le reo para a sua igreja do La un o: Aluga-se um escravo para todo o ser-
roga a todos OS seus presados ir- v| : rua dal'raia.typographia impar-
_ outra com este letreiro na frente do
odiliicio carros de aluguel -- ah
acharSoosbons freguezes, ricos cir-
* ros,cabriolis &. &.por accommoda-
? do preso,itim de todos poderem se re-
creiar nos bellos passeios de nossos
f) arrebaldes, em a lesta que a porta *
4 nos bale.
- Convida-se aos irmSos dasirmaudades
do Sr. S. Sacramento da freguezia de S. Jos,
e de N. S. do Terso, para comparecerem do-
mingo pelas 2112 horas da larde, na respec-
tiva igrej, aflm de acompanharem a pro-
cissSodoSr. Bom Jess dos Ps'sos, para a
qual l'oram convidados.
No da 11 do corrente moz, se lia de ar-
rematar linda a audiencia do Sr. Dr. juiz do
oivel da primeira vara, 26 escravos, mobi-
lia, madeiras, e outros objectos pertencen-
tes JuliSo Beranger, por execusao de An-
tonio Gomes Villar, contra elle, cujo escrip-
lo acha-se em m9o do portero onde se p-
der ver com franqueza, e maiores explica-
Ses todos os bens que tem de seren arre-
matados, e he a ultima praca.
Abilio Jos Tavares da Silva, promotor
publico do termo do Recife, mudou sua re-
sidencia para a rua da Uoiao, casa junio a
typographia.
Traspassa-se pelo espaso de 3 annos e
meio, a renda do sitio que foi do Dr. Bernar-
do, com grande casa de vivenda, um ezoel-
lentebanheiro,e diversos arvoredos de fruc-
toa : quem i elle pretender dirija-se ao
mesmo sitio em Olinda, defronte do con-
vento do Carmo,que adiar com quem tra-
tar.
Thomaz Maria, embarca para o Rio de
Janeiro, seu eservo cabra de nome Sebas-
tiSo, comprado a Jos da Fonseca Silva.
-- Desappareceu no da 2 do corrente, um
preto de nome Manuel, e acode por Napo-
li o, rebollo, baixo, e grosso, com os sig-
naos seguinles cor fuls, barba s debsixo
do queizo, pequeos pannos pelo rosto, pos
gran es, tem as costas toda com marcas de
chicote, levou calsa de casemira azul j uza-
da, camisa azul de riscado transado bastan-
te velha que chega a ter o hombro lodo des-
coberto : quem o pegar leve-o oa rua do
Cotovello n, 29, quo sera recompensado.
Aluga-se o segundo andar da casa da
rua do Queimado n. 9, a tratar na Ioja.
Era geralmeute sentida a filia de urna
hospedarla n'um dos arr-baldes desta cida-
de ; felizmente urna pessoa emprebendedo-
ra fez desapparecertal falta eslabelecendo
um hotel na pittoresca povoasSo do Monlei-
ro, n'uma excellenle casa mobilhada com
limpeza aonde a rapaziada achar todos os
commodos precisos, como bem quartoa para
dormida, arranjo para cavallos criados para
os servirem etc. etc.. Becommends-se por
tanto as petsots amantes dos bellos banhos
do Cipibaribe, que frequentem este nas-
cenle eslabeleciraeulo, afim de que l3o ulil
casa prociga, e nos possamosgosar das bel-
lezas do campo, sem sermos encommodos
sos nossos amigos.
Precisa-se de urna criada, escrava ou
maos, li.ij mi de comparecer no lu-
gar do costume, no domingo, 9 do
corrente, pelas 2 I p horas da tar-
de e encorporados acompanhar
Cial.
31adama Riduz modista f'ranceza,
. na rua Nova n. G9, primeiro
andar.
Tem a honra de annunciar ao respeitavel
dita procissao, devendo virem de publico que se achara sempre na casa deila
facto nrpfn nnr-A maior snlcmni- umsortiincnto muito rico de chapeos de se-
racio preto para maior soiemni- (lacsctini| turuaiUes> grlnaldas, caponas,
da Je do acto. flores, plumas de todas ss cores, o*6utros
Aluga-se urna casa na Capunga com quaesquer enfeites de cabes para baile e
banho porto, e muitos commodos por bara- theatro, e tambem se ctiar chapeos e li-
lo preso, por anno ou somante pela fcsla res promptos para lulo,ludo pelo preso mais
os pretendontes dirijam-se a rua do llortas commouo.
D. 114. J Falque dono da fabrica de chapeos
Thomaz Maria, embarca para o Rio de de sol da rua do Collegio n. 4, roga a seus
Janeiro os escravos seguinles :Luzia mu- freguezes que tem chapeos de sol para cu-
draia borda la do ultimo gusto para seulio-
r, ricas tocas de senhora do lil linho,
ricas capellas de llores para noivns o madri-
ulias de casamento, ricaa guarnisOes de flo-
res brancas para vestidos de casamento, ri-
cas luvas de pelica onfeiladas de branco pe-
los meamos, ricos cortos de se la o groz de
naples lavrado branco para vestido de noi-
vas.um grande sortimento de bicode blonde
da largura de um dedo al um palmo, ditos
de seda largos e estrello*, ditos de lindo de
la^gurede2a4dedi)S,csparlilliosde primeira
qnalidado para seuliora e meninas do idade
le 7 a 12 aunos, ricos lequcs de papel, pon-
tea tartaruga, filas largaa de todas as cures,
crep de todas as cores, luvas prcla para se-
nhora o meninas.ditas de pelica para homem
e senhora,lin ios reos para noivas,ricos cha-
peos do moni.11 i 1 de palha cufeiladas om Pa-
ris para senhora, veos do cores de gaze pe-
loa in.-Miiii-, rico assorliinenlo de grus de
brinco pur barato preso, na rua da Cadeia
de S. Antonio n. 15.
~ Vende-se 6 cadoiras de Jacaranda do
bom gosto, 4 bancas pequeas de amarello.
1 mea gran le de louro com 4 gavetas, *
carrosas para Boi.o urna para cavallo, 2 glo-
bos pequeos, um caudieirode maquiniimo
urna purso de caibros, na rua da Cadeia de
S. Antonio 11. 15 armazem.
-- Vende-se um prclo idoso proprio para
um sitio, na rua da Cadeia de S. Antonio u.
15, armazem.
Macas.
ciiegada na barca Ligeira, na rua
do Trapiche n. 4o primeiro an-
dar.
Vende-se urna escrava crioula de 22 an-
uos, quema pretender dirija-se a rua Nova
naples rurta-coros para vestido que se ven- Ioja de ferragns, a Iratar cm JoSo Fernan-
do a vontade do comprador gros do noples des Prenle Vianna.
cor de rosa,franjas o tranca do seda prelas e, Vende-sc um selioi inglez em meio uso
de cores.lransa do seda branca,bom chama- na la a Aurora n. 4 sobrado de um andar,
loto preto para vestido ou capolinho : na nos baixus, como pannu de linho do muito
mesraa Ioja lazem-so vestido de casamento, boa qual idade.
de baptisado, tocas de menino c de senhora Vende-sc na rua do Queimado Ioja u.
capotinbos de lodas as qualidades.com per- 19, corles de cisomira de algodfio, a 1,200
fesaoo preco commodo recobem-se lodos ri cortos de fusllo a 800 rs. ditos de ves-
os mezesligurinos modernos.que impresta a tidos de cambraia de cores, o 2,300 rs. o
seus frogueses. corte, com 7 varas, e nutras minias fazen-
-- Aluga-ao o Ihealro de S. Francisco, com. das, que o preso convida ^ comprar,
lodos os utensilios necessarios: a traclar Vende-se palha aparelhada, a mais su-
com Anluino de Moracs Gomes Ferreira, na perior quo tem vindo a este mercado, para
rua do Apollo, 11. 20. lecer cadeiras, por preso maia commodo do
Aluga-se urna preta, boa cozinheira, que cm outra qualquer parte : na rua os-
compradeira o mais airanjos de casi: no treita do Rozario, armazem de Jos Moreira
aterro da Boa Vista, casa 11. 33 ; na mesma da Silva.
casa precisa-se de um negro para o servi$o Vendem-se escravos mocos
de padaria. [
Adeverte-se aoSr. Bernardo de Albu-,ae 0on"as "guras, moiecoes, ne-
querque Fernando Gima, que o seu corres- gros mocos, mulatos bonitos, nc-
pundonle nesta praca n3o tem pago a subs-'__.___ .
scripsao do Diario. gras mogas, molec5es e outros rout-
~ O abaixo assignido, avisa a tolas as tos escravos por preco rasoavcl :
iSBnil mm ll1.Mr.11. v.llae .l.i imnnrln ,1a '.
lata, de idade 20 annos, Jos do naso, do brire concertar o favor de os ir buscar at
idade 30 annos, Antonio pardo, Jacinlho o lim do correntamez do novembro, DDda|(10SS0'as que tive'rem "valies'de importo de|_, ZT21-'l '"" ''""'" *"i'""*v', '
crooulo, de idado 16 annos, Filippe, de ida- esta data serao veudos pelo importo do I bolacha por elle firmado, ou seus calxeiros, I a rua aas aarangeiras n. ll\, SC-
annos. concerto.igualmenteas pessoasque tenham de appresenla-los ale o da 10 do novembro'gando andar.
de 251
-- Precisa-se de um caixeiro que lenha ditos chapeos de sol oo passeio publico n.
pratica de venda : na rua do Livramento 5, de os ir buscar na casa acuna, e para no
i. 3g. se ignorar manduu-so fazer o presente
-No da 8 se ha de arrematar em praga aviso.
publica do Sr. Dr. juiz municipal da segn- S. Mauvernty, corretor geral, mudou
da vara, dous tersos de um sitio de Ierras seu escriptorio para a rua da aliaodega Vo-
proprias no lugar do Poco da Panella.au'ar- Iha n. 11, primeiro andar,
gem do rio Cipibaribe, o qual tem um pe- --Francisco Malinas Poreira da Costa,
queno sobradinho, e tima pequea casa ter- embarca para o Rio de Janeiro os seguiutes
rea, conloado cocheira, estriban, e quarto escravos:-Gregorio creoulo, Luiz creoulo,
pare pretos, e um galinheiro tambem de pe- Joa pardo claro, Alexandre pardo escuro,
(Ira ocal, c.cimba com tanque, e difToren- Domiugas parda escura.
tes psde fructos, avaliado os dous tersos -- O baixo assignado, nao he mais pro-
com o abate da le em 2 133,333 rs. por exe- curador da extincta companhia do Pernam-
cucao de Jos Francisco Belem.conlra Fran- buco e Parahyba.e mora na rua do Apollo n.
cisco de Paula Lopes Reis, e he a ultima 20, onde pode ser procurado sobre negocios
prasaj para aJiudicaco de recebimenlo deassucar,agoardentoeou-
- Avisa-se a lodos os Srs. que quem pre- l" quaesquer gneros do exportasSoque
cisar de um criado paca um tudo, para casa !"le lore ostrangeira ou biasiieui.dirija-se a rua No- os Jiai ulcis Jas 8 noriS Ja manhaa as 5 da
va, Ioja da esquina, de atraate, e dt fiador. tarde, fra disto no porto velho da Capunga
-- Precisa-se alugir urna eacrava, que se- JUI"o au porlo da Sra. viuva Lasserre
ja boa cosinheira e compradera, paga-se
Salsapirrilha de Bristol.
gttndo
do corrente anno, afim de serem pagos, de-
clarando que dessa data em diante, nSo pa- ftCj>f)>|f>flf>f 9S$99>$?>
gara mais qualquer valle que teuha com t>
data anterior, tendente a bulaxa. .
ra, que tem constituido por seu bastante! pureza do sanuu en bom xito ob-
procurador nes-a cidade, ao Sr Firmiano -
Jos Rodrigues Ferreira em ludo quinto
fr tendonte ao seu esUbelecimento e mais
negocios que Ihe dizom respeito e cora
quem se poderflo entender.
Precisa-se de urna criada, smenlo pa-
ra o serviso de compras eengommado, de
urna casa de muito pouca familia : ni pon-
10,000 rs. mensaes : quem a tiver dirija-se
a rua da Assumpso ou muro da Penha,
n. 16.
Jos Antonio de Souza Machado.
Precisa-se de um homem brasileo ou
portuguez que emenda de trabalhar com
carrosa, para se encarrogar de urna fra
forra, que saiba engommar e lavar, para btroa parto Rio de Jaueiro os seus erra-
ta de casa de familia : oa rua do Hospicio,' vos criouloa de nome Jos, Sebaslio, o
randa do leo de ouro. iGoncalo,pardo.
-- Na tarde de 13 do corrente ir a praca desta prasa 12 legoas : a fallar na prisa da
Independencia n. 12.
Quem precisar do urna ama de leile :
dirija-se a rua do Amorim, dofronle do cha-
ruleiro.
Precisa-se de um prelo, ou moleque
para trabalhar na casa das al'eric,es, paga-
so bem : quemo tiver dinja-ae a mesma
casa, a tillar com o arrematante.
preciza-se de um portuguez que seja
perito em plantases de aitio, e saiba ti-
rar lormigas, quem estiver oestas circuns-
tancias e quizer trabalhar no sitio na traves-
sa do Remedio n. 21 oulenda-se com seu
proprietano, o Porloiro da Alfandega desta
cidade, na mesma repaitis&o qaoa vista da
prova que der de saber o que cima so desa-
ja, e da sua boa conducta &. &. tralar-se-he
do ajuale.
Precisa-se de urna ama, para o serviso
interno de urna casa ingleza de pouca fami-
lia -. na rua da Ctdea Velha n. 37.
por venda, perante o Sr. Dr. juiz de orpbSos
deste termo, e a requerimonlo dos testa-
meuteiros da finada Izabel Maria da Costa
Ramos, a casa de dous andares e sotflo da
rua Nova n. 46, pertencente ao casal da mes-
ma finada, e avahada em 12.000,000 de ris,
se-a a ultima praga. O escripto acna-se om
mSo do porteiro do juizo, Amaro Antonio
deFaria.
--Aluga-se o sobrado da rua Imperial n.47
com excellenles commodos, para urna gran-
de familia:quem apretender dirija-se a mes-
ma rui n. 45.
Aluga-se um primeiro andar, com bas-
tantes commodos, na rua da Aurora : quem
o pretender, diiija-so a rua do Queimado ,
Ioja n 10.
Antonio Xavier Noronha Torrezlo, ra-
le Velha n. 14.
Aluga-se urna casa terrea com sotflo,
no sitio do Cor.'ciro. margom do rio Caoi-
baribe, com commodos para grande fami-
lia, cozinha fra, cocheira, estribarla para
6 ou 8 cavallo e quarto para criado; urna
dita mais pequen no mesmo sitio, tambem
com commodos para familia, cozinha fra'
eatribaria para 4cavallos: para ver no mes-
mo sitio, e para tratar com Gabriel Anto-
nio, no paleo do Carmo n. 17.
Compras.
-- Compram-se escravos o vendem-se de
commissn, para dentro e fra da proviu-
cia : na rua da Cacimba, sobrado n.11, on-
de morou o Sr. vigario do Recife.
Compra-se um sitio foito ou trras pro-
prias para levanla-lo, o qual porm seja a
margein do Capibaribe, teuha baixa para
capim, eoutras vautagens: na rua do Ara-
gu n. 12, segundo andar.
Compra-se urna preta mura e de boa
figura, quo saiba cosinhar, engommar, e
sem achaques, e do boa conducta na pra-
Sa da Independencia, Ioja de miudetas n. 3.
__Comprase um creoulo de 18 a 20 an-
nos de idade, de bonit figura, com os olll-
cios seguiutes : carpinteiro de machad o,car-
pina, pedreiro ou charuleiro : quem pretan-
fc ti Jo nesta corte polo lllm. Sr. Dr. Si- &
* gaud, presidento da academia impe- 9
*' rial de medicin, pelo Illustrado Sr.
R Dr. Antonio Jos Peixoloom sua cllni-
9 e i,c cm sua afamada casa de saude na 9
9 Gamboa, pelo III mi Sr. Dr.Saturnino 9
9 do 011 vena, medico do exerciloe por 9
9 varios outros mdicos, permiten) no- 9
9 je a proclamar altamente as virtudes 9
cllieaies da ;?
9 SALSAPARniLA DE BRiSTOL. 9
9 Nota Cada garrafa conleinduas li- 9
9 bras de liqoido,ea Salsaparrilha de 9
9 Bristol he garantida,puramonlevege- 9
? tal som mercurio, iodo, potassium. 9
9 Vende-se a 5^000 o vldro na botica 9
a> doSr.JosMariaGonsalvos Ramos:rua 9
9 dos Quarloia pegad vo Qnirtel de Po- 9
9 licia. _9
*9*9t9\)9 999
Vende-se no armazem da ruada Cru
n, 48, o seguinte a presos rasoaveis.
I.aas com bolaxinha do Alemanha.
GarrafdeseonsevaJidha.
Frascos do vidro beca larga de todos os
tamtnhos.
Sag muito fino.
Alvtiadefino.
Zarcffe esecinte,
Verde francez,
Cartas linas para vollrete.
Vende-so aartas finas para vollrete por
preso mais commodo do que em outra qual-
quer pane : na rua do Collegio n. 1.
Gordas e bordes para violSo.
Vende-se cordas e bordOes para viollopor
preso mais commodo do que em outra qual-
quer parte: na rua do Colegio n. 1.


AGENCIA
da fundicSo Low-Moor.
RUA DA SENZALLA NOVA N. 43.
Mcstc estabeleeimento conti-
na a liavci um completo sor ti-
inento de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e laixas de ferro batido e
coado, de todos os lmannos, pa-
ra dito.
Chegueru freguezes,
Vendem-sB nt roa do Livnmenlo loj
amarella da estrella, n. 5 de urna so porta,
couros do lustro do melhor quem lem indo
a esle mercado, pelo diminuto preco de 3,
ris a pelle, bezerro francez, marroquinsile
todas as cores, sapatos do Aracaty de ho-
rnera o de menino, por precos commodos,
assim como sola, e couros miudos da me-
lhor qualidade : ludo por presos commo-
dos, assini como sapatos de marruquim para
senhora, e gapalees de horneo, de lustro e
bezerro.
Deposltp da fabricu le Torios os.
Santos na lialila.
Vende-se.emcasa deN. O. Uieberi C.
na ra da Cruz n. 4, algod3o transado da-
i|uella fabrica, muito proprio para saceos de
assucar e roupa do escravos, por preco com-
modo.
Deposito de cal e potassa.
No armazem da ra ta Cadeia
do Heciie n. ia, lia muito supe-
rior cal de Lisboa, empedra, as-
sm como potassa cliegada ltima-
mente, a precos muito rasoaveis.
fmmtmmmmmmmmimmmw
Gantois l'ailhetc Companhia.L
Continua-se a vender no deposito $
geral da ra da Cruz n. 52, o excel- *
lintee bem conceituado rap areia
preta da fabrica de Cantois l'aillict fl t
Companliia da Bahia, em grandes e |.
pequelas porcOes pelo preco cstabe- jjf
flecido.
-- Vendem-se cera em velas ,
fabricadas em Lisboa c no lliode
Janeiro, em caixas de ioo libras
sortidas, de i a 16 era libra, e tam-
be m de un so tamaito, por me-
nos preco do que em oulra qual-
quer parte : trata-se no escripto-
rio de Machado & l'inheiro, na
ra do Vigario n. uj, segundo
andar.
Para as escolas.
Vende-se no pateo do Collegio, loja do
litro azul a synupsis do general Abrcu c Li-
ma, ltimamente adoptada pelo Kxm. presi-
dente da provincia como compendio do lei-
lura o historia do Urasil as escolas prima-
rias da provincia.
l'reco em brochuri 2,560
hncadornada 3,200
Kap Paulo Cortleiro
vcude-se na loja de Cunta fc Amorim, na
ra da Cadeia do llecre,n. 30, este superior
rap, em botes e uv ios ditos, receiilemcnte
llegado, por preco coinuiomdo.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. I7, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
Principios genes de economa pu-
blica e industria
Viutde-se este compendio, approvado para
as aulas de primeiras letras, a 480 rs. : na
praca da ludependoncia, livraria n. 6 e 8.
Agencia de Ldwin Maw.
Na ra da Apollo 11. arma/cn de Me. Cal-
111011I& Cuuipantiia, acha-sc coiiMauleinCDtc
bous aorlimeotos o. i,,xi de ferro coado c
batido, lano rasa como tundas, moendas lu-
cirs lodas de ferro para aninaes, agoa, ele ,
ditas para atinar cin inadeira de lodos os l-
mannos c modellos o mais moderno, maeliina
iiorisonlal para vapor, com forca de 4 caval-
los, coucos, passadeiras de ferro csranliado
para casa de pulgar, por menos preco qucoz
de cobre, cscoveus para uavios. Ierro ingles
tanto coi barras cuino em arcos folhas, c ludo
por barato prcro.
I'ut'inlia-ile inandioci.
A riiins nova e mais barata farinha de
mandioca que ha no mrcalo, vende-sc na
ra da Cruz do llecife, armazem n. 13, de
J080 Carlos Augusto da Silva.
*f f ? V99 Vftff 9 9VV95
J Praga da Independencia u, 17. rjf
$ Vonde-sc lia la de ouro o prata ilc superior qualidade tsrilo para devlzil rjf
tj> como para bonetes e chapi os de pa- ^
gons. Na mesma loja se vende toda a rj!
t* iiuuli :ad d.; uniformes milllares lu- flj
* do por prego maiscommodo do quechi *
1 outra parte. ?
Velasfde espermacete.
Vendcm-sc velas de es per ma-
lete de primeira qualidade e por
breco commodo : em casa de K>
C. de Abren, na ra da t'adeia-
Velha, n. 48.
wfswi mmmmm wmmmmmmm
t Vellasde espermacete.
SL Vendem-se caixas de esper-
ar mcete : em easade iiieardo
* Hoyle, ra da Cadeia Velha,
Ghegucm freguezes a fazendas
baratas.
Pessas de cambraia com lislras decores
com 8 varas, por 3,200 rs., corlea de dita
com sal picos a 2,800 rs., di las de cassa pio-
lada com 5 varas a 1,600 rs., cassas de cor
escura por240 rs o covado, ditas pretas'a
100 rs. o covado, dem para babados o corti-
nados a 2,400 rs. a pessa, cortes de chita
om 12 covados a 1,800 e 1,920 rs. : na ra
do Crespo o. 6.
Vendem-se amarras de ferro : na ni
pa Senzalla nova n. 42..
Mocadas superiores.
Na fuodico de C. Starr & Companhia,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas
de canna, lodas de ferro, de um modelo e
O3nstruc(9o muito superior
Talxas para rimen lio.
Na fundicSo de ferro da ru do ltrum,
acaba-se de receher um completo sortimen-
to de taixas de 3 a 8 palmos de bocea, as
quilas acliani-se a venda por preco com-
modo, e com promptidilo embarcam-se,ou
carrogam-se em carros sem despezas ao
comprador.
Arados de ferro.
Na fundicSo da Aurora, em S. Amaro,
vendem-sc arados do ferro de divorsos mo-
dolos.
Vinho de Champagne,
e superior qualidade : vende-se no arrr.a-
em Kalkmanu IrmSos Kua da Cruz, n. 10
Gasa de commissao de escravos.
Vendem-se escravos e recebem-
se de commissao, tanto para a pro-
vincia como para fra dclla, para
o que se olerecc militas garanlias
a seusdonos na rua da Cacimba
n. 11, primen o andar.
O Vende-se um grande sitio 110 lu- C
< gardo Manguiilio, que lica defronlc {)
Q dos sitios dos Srs. Carneiros, com re,
Q grande casa de vivenda, de quatro
,~j agoas, grande scrualla, coclicira, ,",
n estribara, btilf do capim que sus- .-.'>'
n lenta 3 a 1 cavallos, grande cacim-
S ba, com boniha e tanque ciibcrlo J*
J, para bauho bastantes arvoredos de V,'
V fructo : na rua do Collegiou. 16, so-
O gurido andar. 9
Inda continua n vender-se barato.
Cortes do casemira prcta por 5,000 rs., di-
tos do brim escuros de lislras a 2,000 rs c
1,600 rs ditos de castor 1,120 rs rise.adus
de algo.lSo a 180, c 200 rs., nscadinhos
fraiicrzcs a 120 rs. o covado, c mullas mais
fazcnlaspor baralissimo prego na rua do
Crespo r. 6.
Deposito de cal virgem.
Cunta 8 Amorim, vendem barriscom cal
em pedra, cln'gada ultimmenle de Lisboa,
na barca Margarida, por menos preco do
quoem outra qualquur parle: na rua da Ca-
deia do Heciron. 50.
4
Barateiro do Becife.
uem duvidar, orjgequeira sorlir de fa,-
londas para testa, enxa a algibeira de sedu-
zai, e venhiio a rua da Cadeia do Recite n.
50, que encontrtrflo variedade de fazendas j
por preco larati^simo, como bem cbilas,'
fe
Cortes de vestidos de cassa a 2.000.
Na loja do sobrado amarello, na rua
do Queimado n. 29, vendem-se cortes
> de vestidos de cassa de cores lixas a
'* 2,000 rs.
Uombas de ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na rua do Brum ns. C, 8 e 10,
fundico de Ierro.
Moinhos de vento
oorn bombas de repuebo para regar hartas
d baixas do capim : vendem-se na fundico
do llowmau <\ Me. (..lilum, na rua do ilrum
ns, ti. 8 e 10.
Mercurio.
, Vende-sc mercurio de primei-
ra sorte, a preco commodo : em
easade A. C. Abren, na rua da
Cadeia-Velha, n. 48.
Em cnsa le J. licite, i. Com-
panhia, na ruada Cruz n. 55, acha-sea ven-
da onxcollenlo e superior ihIio ite Bu-
1 rilan, em lianas de i.-, he muito recom-
meudavul as casas eslrangeiras, como ex-
uxcellente viulio para pasto.
DEVLBES DOS HOMENS,
a 5oo rs.
Vende-se este compendio aprovado para
as aulas, em meia encadcrnaflo, a 500 rs.p
cada um : na livraria 11. 6 e 8, da prar;a 11,
Independencia.
Vendem-se relogos de ou-
ro e prata, patente nglcz : na rua
da Senzalla Nova n. 42.
~ Vendem-se velas do espermacete, em
caixas, tle superior qualidade : em casa de
I, keller & Compendia: na rua da Cruz nu-
mero 55.
ro.
;Jeil
modelos, assim como americanos
com cambio de sicupira e bracos
da ferro ; na fundico da rua do
Brum ns. 6, 8 e 10.
Arados de ferr
Vcndem-sc arados de-
.Novosgostos !! !
Na rua do Crespo 11. 14. loja de
Jos Francisco Das,
vendem-se lini-simas cassas fraiirazas de n-
quissimt'S gustos c novel pedrCes pelo ba-
rato prego de 700 rs. a vara, corte de Cam-
braia liza la/.cnda muito lina :,.'. lo rs., o cor-
le C metide de sen valor ) dila com lpi-
cos a 640 rs, a vara, corte de cambraia
piulado de co'.dc gosius modernos 2,200 rs,
o coi le, superiores chitas france/as cores
muito lixas c do novos padrote a 210 c 2C0
rs., o covaJo, ditas cslreilas coies do vinho
e de Call e de ganga a ^00 rs., o covado.
Fill de linhn bruen o de cor propria pars
mosquelciio 6i0rs,a vara.lirins turneados en
curo e cor de ganga com lisias miudinhas a
1,000 rs.. o corte, assim como oulras mul-
las fazendas or baratos precos.
Vcnde-e um excellento sitio ero Ue-
bcribo, pcrtencenlo ao l'adre Francisco Jos
de Lira ; a fallar no nicsmo sitio, ou na
rua da Aurora 11, 62, segundo andar.
No aterro da Boa-y isla, loja n.
18, del ron le do tribunal do
commercio
Vendem-se ricos cortes de cassa
a a,000 rs., e chitas de padroes es-
curos e cores lixas a 19.0 e tCo rs.
11 cu vado II
Vende-sc doce lino d goiaba, em cai-
xo de 4 libras, por preco barato : no pateo
do Paraizo n 20.
Familia do mandioca.
No armazem de \nlonio Annes Jacomo
Pires no caes d'Alfandcga vende-se farinha
de mandioca em sacas, sendo do ptima
qualidade, e per preco o mais commodo do
n enado.
ALCODAO- PARA SACCOS. >
vende-se muilo bom algodflo para sa- .
eos de assucar, por preco commodo: ?
em casa de Iticardo Hoyle, na rua da *
Cadeia n. 37. t>
Ailciiciio 10 barateiro
Na rua Nova n. 8 loj 1 de Jos Joa-
quim Moreira & Coniponlia,
Vendem-se fortes e flecxives chicotes
. para carro, peto barattuimo preco de 1,500
boas pan 140,160, e 180 rs. o covado, o. rs,caixas de muito boa madeira, feiUs
ditas de ramagem para cobertas a 800 ':[com muilotrabalhoegosto. destinada un-
cortes de cassa padroes novos com 7 *fefeamente para preparosdo barbas, pelo de-
por 2,240 rs.; lentos de cambraia de cores !minut0 preco de *,000 ris, chicutesde bor-
para mSo a 240 rs.; challes de seda novosm racna par cavai|0i foriissimose de qjialida-
8,000 rs.; corte de colele a viludado 1,000 \e^\i que f visla os compradores pode-
rs.;dilosderusiaoa500rs.; brins tinos de, ra0avallar, mesmopor seremos primeiros
quadnnhos a 280 rs., o covado; corles de|que neste genero aqui lem vindo : o preso
casimira para 4,000, 5,000, e 5,500 rs.; P*n-.diT-M.ha em segredo a quem pretender,
on mesclado para palilz a 6,000 rs:, o corle -
de 3 covados; ptimo para o verSo por ser
;. 1111 o leve, h a na ule dn duas larguras, jol
para frescos, lences por 1,200 rs., avara ;
madapolOes bons para 2,560, 3,200, 3,520, e
3,840 rs., a peca; e para uutros muitoa
I reces; issini como oulras 111 tillas fazen-
das, que a troco do .linhciro se vendem por
precos 1 arates; e osta loja lem seu arma-
zem de fazendas om atacado, e se vende
qualquer [orein por preco de primira
mSo.
r- Cortes de valido daullimamoda. (
t* Cortes do vestido de cassa seda com ?
m lislras e quadros de seda,lindas cores 4
e modernos gostos : ditos do dito de 4
^_ cambraia com barra de ricos borda- 9
a> dos e os competentes hgurinos: ditos #
a> de dito de cambraia aborta com flores 4
t- adamascadas o de bonitas cores : di- (f
tos do dito de garca.fingindo blonde, 4
a^ do dilicadissimos gostos e o mais 1110- (9
C derno que ha no mercado : um com- 4
te pleto sortimento de cortes de vestidos 4
te de seda,brsncas, do cores e lu la co- (a)
te res, e oulras mudas fazendas do gos- ?
te to,que se vendem por precos de agr- 4
te dar ao comprador : na rua do Quei- $
te mado, loja do sobrado amarello, nos 9
te qualro canina n 29. 9
**+***+********+
Fadaria.
Vende-se urna padaria, no largo das Cin-
co Ponas: a tratar com J. J. Tasso Jnior,
ou com Joaquim Lopes do Almeida, caixei-
ro doSr. JotoMalheus.
Lenco*.
Lencos de cambraia abortos, proprio para
senhoras e meninos a 360 rs ditos com bi-
co a roda e palmas nes poutas a 400 e 440
rs., dilos de cambraia do linlio para homem
a 400 rs. : na rua do Crespo n. 6.
~ Vende-sc una armagffo do urna taver-
na, propria para quem quizer principiar,
ou muda-la, poli est situada eni bom lo-
cal, Taz conta por uo ter nada dentro e ser
a casa muito em conta : trala-so no paleo
do Carino u. 13.
Fechnxa.
O catttelista Salustiano dei
o Ferreira faz aciente ao
respeitavel publico, que no da ao
V.de-se
Aquino rerreira iaz aciente ao I <"> es"va de bo conducta <> ,
mas hbil. Jadea, mliilo moc.,bon,t. n",gu'
20 o nnm um* aI. J- V",uniia lliMir-
Finas estampas.
Na rua do Queimado n. 16, loja de miude-
zas, vendem-se linissimas estampas de San-
tos, a 240 ris.
Bonitos palilcirns de porcelana.
Vendem-se bonitos paliteiros de porcela-
na, pelo baralissimo preco de 1,400 ris : na
rua do Queimado n. 16, loja de miudesas.
Ricos va/os de porcelana.
Na rua do Queimado n. 16, loja de miu-
dezas, tem para vender por menos preco do
que om outra qualquer parte : ricos vasos de
porcelana.
Pezos para sustentar papel.
Vendem-se bonitos pesos para sustentar
papel, pelo barato preco de 1,280 e 1,000
ris : na rua do Queimado n. 16, loja de
miudezas.
Vondem-se 50 saceos de estopa, novos,
com 2 varas cada um, a 320 rs.: na rua lar-
ga do Itozario n. 48, primeiro andar.
Vende-se um cabriolet descuberto,
com bons arreios e muito pouco uso : na
rua da Cadeia do Recife n. 49 primeiro an-
dar, ou na rua de S. Francisco n. 10.
Vende-se muito em conta a
caza de pedra e cal junto a ponte
do Caxang com 4 a palmos de fren-
te e 90 de fundo, e bem repartida
com cozinha fora, e quartos para
pretos, quintal com arvoredos, e
principio de caes para o rio : a
fallar com o corretor Miguel Car-
neiro.
<55"Marmelada peitoral.J9
Una estreita do Itozario n. 43.
do corrente mez, deve chegar do
sul o vapor inglezTeviot, conduc-
tor das listas da 18. lotera do the-
atro deS. Pedro de Alcntara,
da 28. nterin do Monte l'io, e pa-
ga logo que receber as listas, sem
descont algum, todo e qualquer
premio que sabir noa bilhetes ,
meios, quartos, oitavos e vigsi-
mos, vendidos na praca da Inde-
pendencia n. i3 e 15, loja de cal-
cado do Arantes, e na rua da Ca-
deia do Kecife n. l6, loja de miu-
dezas : a elles que se esto aca-
bando.
Bilhetes 33,000
Meios 11,00o
Quartos 5,5oo
Oitavos 2,800
Vigsimos 1,3 00
?
iapalot de tpele.
Vendem-se os bem conhecidos cor-
tes de tapete para sapatos a 500 rs. o
par: na rua do Queimado, loja do so-
brado amarello n. 29.
Avisa-se a rapaziada, gue este bello rega-
lo torna-se recummetitluvol a saude, muito
eiincipalincntc aquellas pessoas que sito
.debis em sua conslrucoao, o precinho da
Vende-se na rua do Crespo na loja da es- |au he 1,000 rs. para linalisar o resto.
i'i.iua que volii para a cadea, coites ^e .g ,__________.____
cambraia cor de rosa e de oulras cores do "mvmmteteteteteS
titimogosio a 3,000,3,500, 4,000, e 4,500 ;J r Casemtias modernas.
ditos de cassa-rhia a 2,060 ; dilos da expo-' Vendcm-se as mais modernas case- %
scio a 2,210; cortes d" chita com 12cova-!te miras que ha no .-acrcadoa 5,500 rs, 4
dos a 1,800 ; cortes de fustito a 560 ; em- J cada corte : na loja do sobrado ama- ?
tes do calca do brim escuro a 800,960,1,120;
dilos de brim amarello de puro li 11 to a
1,440, 1600; lencos de cambraia muilo tinas
proprias para man a :i:M ; o outras multa
fazen las que se |orn3o reeommcndaveis pe-
la boa qualidade.
Vendem-se 2 n. ulatinhos de 14 a 15 an-
uos, proprios ptra pagem, por seren muilo
bonitos; e 1 moloques de 15a 18 annos, o
tima 1 1. la moca de linda llgur?, com muito
bom lee pura criar, e com una cria do 4
te relio, nos quatro cantos di rua do 9
te Queimado n. 29. 4
Luv.is para meninas.
Vendcm-so luvas de pelica para meninas,
por preco mais commodo do que em oulra
qualquer parle : na rua do Collegio n. 1, lo-
ja du miudezas.
Prezunto de Lamego.
Na rua da Cruz, venda n. 57 vondem-se
inezes muilo linda, e bem nutrida ; c una Prezuntosde Lamego, cliegados ullimamen-
piclt do meia dado, que sabe bem en- |l_"em harris, c a letalho, atianca-s a boa
gommarc cozinliar, o fazer toda a quali-
Vende-sc por 3:500,000 ris, o sobrad
de dous andares, esotAo com trapcira, co n
bonita visla, e loja repartida para morada
de familia, com boa cacimba no xagSu da
mesma loja, em chitos proprios, no bairro
do Itecife, rua do Ai olio 11. 29,: na rua da
Senzalla Nova, venda n. 7, Jira quem vende.
Vende-se um carro de qua-
tro rodas, muito leve, para um ou
dous cavallos: na coebeira do Mi-
guel Sougei ., no aterro da lioe
Vista.
-- Vende-se o sobrado da rua das Trin-
cheiras n. 44, com bonscommoduse grande
quintal: a tratar no largo da Trempe, so-
brado n. 1 ; na mesma easu precisa-so alu-
gar escravos, para vender frutas na rua.
No aterro da Boa Vista loja n.
18, defronte do tribunal do
Commercio,
vendem-so pannos tinos cor de cal, verde
escuro, a.zul e prelo, a 2,000, 3,000, 4,000 e I
5,000 rs.; cortes de superior brim de linlio,
cortes de casi aira, a 2,000 o ai
dado de doces: na rua larga do Rosario n.
22, s cundo andar.
Ricos manteletes, c rapotinhosde seda
c de gros de aples de variadas, o lindas
cores, com bonitas trancas, franjas, chico
de blonde ; na rua do Qucjmado loja n. 39.
Azeite de carrapalo da fabrica de
Araujo & Fillios, no Penedo.
Este azelo pela perfeicio cm quo he
1 ilw 1 'iiiln nSo s servo em lugar do azeite
doce c de coco, para qualquer qualidade de
cundidlos por mais delicados quo scjn,
como he muilo prefrivel a qualquar oulro
por dar urna luz nnis linlhaul ser mais
durativo, e seu custo ser mais baralo ; nflo
lem o clieiro desagradavcl que exala o azei-
te de carrapalo commum, nem em nada
delleseassemcllia. Ven Ic-seem barriz de
16 cenadas s 3,440 ra. araada, no arniasem
de J. J. Tasso Jnior, rua do Amorim n, 35.
No aterro da Boa Vista, loja n.
18 1 le Ir (me do tribunal do
Commercio,
vcnJc-sc superior casimira prela, a 4,000
rs. ; vejudo de algodo curdo roza, verde,
azul, carmesim e prelo, a 600 rs. o covado ;
corles deexcellentes cambraias e cassas, a
2,000 rs., e quem comprar grande poicfei
se IhevrindorA por muilo monos.
Familia.
Vcndo-se superior c muito nova faiinha
de S. Calhanr.a : a bordo do patacho Va-
lente, ou na rua do Trapiche, armazem nu-
mero 9.
Vende-se superior farinha
qualidade, e por serem de encomonda, as-
sim como, lodosos mais gneros de regalo,
para o pacameiito da festa, : ludo muilo
bom e barato.
C3T A car uta, o 1,600 rs.
Na rua estreita do Rozarin, confeitoria n.
13, vendem-so latas com biscoilos de ara-
rula, polo diminuto preco de 1,600 rs. a li-
la, leudo o peso de 4 libras; a ellas rapaiza-
da, quo he pechincha.
A bordo do patacho brasileiro Marga-
rida, fuudeado ilcfrouto do trapiche do al-
godSo, esl a venda a superior farinha de
mandioca do S. Cathariua chegada em 2
do corrente : Irala-so abordo com o capi-
13o, ou com Luiz Jos de Sa Araujo, na rua
da Cruzn.33.
Presuntos de lamego, cebo do Por-
to em velas, pomada em caixas.
Vendem-se em porc.lo e a retalho,por me-
nos do que,em outra qualquor partn : na
rua da Cadeia do Rrcife n. 24, armazem.
-- Na rua da Cruz n. 33, armazem de S
- Vende-se aosSra. fabiicanles dos fos-
phoros deaccender fogo, urna grande por-
co de grozas de palitos, promptos para re-
formar de novo com a nafa, por preco com-
modo : na rua larga do Rozario n. 22, toja
de miudezas.
Vende-se,
ni enliga e afamada loja do Victorino i?
CuimarSes na rua larga do Rozario n. 22,
anligamcnle rua dos quarteis, muito bom
sortimento de miudezas o quioquilherias
divorcos, conformo ahaixo fazemosdeclara-
cao do algumas ; agulhas de divercasquali-
dadas ai Hueles drJurados,o de ferro para ar-
mac.ui.di l.-ics de metal e lataosorti los para
senhors c meninas,ditos para alfaiatis,agu-
Iheiros do algumaa qualidades, duTercnles
brincos deouro francez e oulras qualidades,
aljofres,dilos8urti los.aderecos pelos, brin-
cos o puleciras, botespara camisas, de 1111-
e com uma cria de U mezevVij'a'sI,^11"'
da, n. r.a da Cade!, de S Antn,5 ^l'-
do de tres anderas, no primeiro, o "
t I';,8."'!*"88 um* P"rtl'-'1oca,botiita
bibilldades.e um bonitopardih0 '! C0|n
nos por Ihe ler morridoo mlle. pro0rini',U"
cnar.e educar.por 220/ ,ue dentro rt P "
CO lempo segundo a falta que v.j h..POU-
desta gente valere 500,000 rs : quem nj''
v na rua larga do Rozario n. 34 Ini q "r
- Vende-se umi eaaa terrea na ra a
Cinco Pontea de n. 74 : na rUj do ces"
Para liquidar.
Vende-se na rua do Cabugi o 19
fronte a ru. das Uranjeiras, miudiz.s'inui"
to baratas como seja pente. de bale, a."
alizar cabello, Unta ingleza, retroz de toa.!
as cores, suspenaorios do burracha,requf!!
para eneites de vestidos, iguliaa r.
cezas, earrileig de lindas de todas as en
e brancas de 100 e 200 j.rdes.libra da &
em novelos,brancae e de cores, e*D8ih0s "
varios Umanhos, caixis de clxetei h 8
eos e pretos. bot da calca, dito dm"
dre-pcrola, de ag.t ede llnbi, lig de bu '
racha, cora nomes de aenhori. bonet, de
cabello para menino, linha de merca a,ine
fares, weovss para cabello, bicoa r ."
rendas, litas de seda liza e lavred, .'
pretos. franja para cortinado, e muil!
m.i couja, pelo preco mal commolo a
nSo se olhaa lucro. W|
-- Ven le-se urna ctst de pedra e cal n.
ruaR.il, na quina d. trivesi d. C.punf['
com antas, 2 qu.no, cosirAi tora .,?
ntioTT : lr,,ar "' P'd,rU d0 -o-
Vende-se, por prefo com-
modo, para fechar contas, uma cai-
xa com marroquins e chapeos do
Chily, vindos no vapor Per am-
bucana, linha de roriz, panno de
linho e outros artigos mais : no
e8crptorio de Novaes <8c Compa-
nhia, na ruado Trapichen. 34.
Vende-se um escravo ,(inqo de bniti
figura : na rua de Hortas ti. 114.
Vende-se um preto e uma preti, pro-
prios pin todo o servico : a tnlir ni rua do
Livrimento n. 32.
Vendem se sacca com arroz de casca
deporolaelouc,dilosparacalcadeosso,cvi-| de ilqueire, pelo diminuto preco de atoo
rias qualidados, ditos para bertura de diffs- rs. e sicca: no aterro da Boa-Vista n 2'
rcniospadrOes,ditosparacasaca;seda,veludo,l R-, casa e 1 K-ii-J Rr
massi, duraque, e vidro.cordasamarclase! T? Lc,sa ae J- rveller e<
brancas, bordOes do retros, e rame, botOeal tiompanhia, na rua da Cruz n. 55,
para batina '" J-- "--------- ---
nacionaes.i
rosar
de linho, e brincos, e ditos pretos o'rdina-
iicis, ooiuoes 00 reros, e rame, ootoesi ihihuiii, na rua un uruz n. OD,
a batina de padre e ditos para farda, de vendem-se marroquinsstiDeriores
lonacs.epolicia.cruzes.veronicas.bento, ,, ^ "pcrnre,
irios, ludo proprio para missOes, bico vnoos de- 1'ranea pelo ultimo
ios,a vara alo 60e80rs.,nisd8 linhoealgo-
d.'ui, brincse do cores, ditos de seda li-
sos largos o eslreitos, dito lavrados Ti-
nos c ordinarios, o do sintoiro, dilos de
veludo, e laco, e |retroz, de varias, cores,
pennasde ac, c palo, caetas de pao es-
tanto e metal, canolilho, rebique, o milSo,
enmele-, depennas, e thesouies, para cos-
turas, e unhas, areia azulada para botar na
escrita,contas emissangasde vidrode varias
cores, cordo de ouro francez, e dito de
veslido o ditos proprios para cordeles de
frade,caixas para rap,chumbo,metal, bfa-
lo raiz de pau do masase, com retralos.car-
teirasde mar roqun do mola e sem mola,cha
1 uteiras de vidro, e marroquin, couro de
lustro o marroquin, toalhas o guardanapos
para meza,franjas dealgodSo para corlina-
dos, tualhas e oulras obras,collieres para so-
pa e cha e ditas dolirar sopa,e talheresdo ca-
bo luaiico ordinarios ede oieio, candieiro.
proprios para senzalla de engenho.casticaei
do lalo ordinarios, luvas curtas sem dedos
paira senhoras, luvas para lavar cvalo, cai-
navio.
Em casa de J. Keller 8c
Companhia, na rua da Cruz n. 55,
ha para vender um piano forte ,
chegado ltimamente da Enrop
e com excellentes vozes : trata-e
na casa dos mesmos.
Vendem-se 2 molecotes, de 16 20 in-
nos de idade; 3 escravos de servico da cam-
po; 1 cabritilla de 15 annos de idade, com
principio de costura, cozinha e engoma)*, e
urna escrava de me'a idade : ni rua (lum-
ia n. 3.
- Urs ippnreee;; no dia 5 do corrente do
engenho s. JoSo do Cebo, o escrivo Valerio;
alto, cheio do corpo, e eapadaudo, cari cur-
ta o larga, nariz chato, ladino, um pouco
gago, comn taliohos na cara por sarda
cofta ; tambem lem uma marca de ferida
>:inha de tinta do desonho.escovas para den-i em sima do peito do pe esquerdo junio" eos
tes linas, o ditas para roupa o calcado e! dedos. Ser muito bem recompensado quem
olever o dito engenho, nu no Mondego em
casa do Um. Sr. commendador Luiz Gomes
dita para ourives, espovitadeiras ordinarias
para alenticas, fosforo bons em ciixinha
facas de varias qualidades, oceulos aro pro
lo c amarlo, e ditos armac>1o do asso, reeli-
ja o tranca dp retroz para capotilhos, man-[
lelletes.fio prelo o amrelo para sapateiro,
broxas e tacllas, ilhosesosadas, babido lar-
go,e estreno, suspensorios de borracha, di-
tos ordinario e fivela de cs, douradaa e
praliadas, trancas de 18a pan vestidos, tra-
eos de coies.gran jas, linha de carriteis de
cores e brancas,e ditos de miada de pessa li-
na, editos cabeca encarnada muilo lina pa-
ra marcar, ditos de marcar de cores, azul
encuna la,son)liras de cores differcntes em
lata, linha de miadinbas de lustro brancas
Araujo, venJe-se cera de carnauba, peomsleda cores,dilas de novelo grossos o finos n.
de l.inii.a e couros de cabra, por preco com-' 16 a I20,ligas do seda para senhora, trancel-
modo, para fechar conlis. | luis linos e grossos de borracha, meia de al-
Vende-se laboado de cedro : 1 tratar I godSo lizo lino para se ahora lancetas cabo
com J. J. Tasso Jnior, na rua do Amorim de cl>ifrc,m>rca de cubrir de tres tmannos,
n. 35
superior
de mandioca, multo lina, em sue-
cas desembarcada do patacho
Concelc&o, vindo do Rio de Janei-
ro, entrado em a(i do corrente mez
de outubro, por preco commodo:
nos nrinazens de Antonio Anncs c
Das Ferreira, no caes ta Alfandc-
ga : a tratar nos mesmos, ou com
Novaos k Companhia, na rua do
Trapiche n. 3!\.
Aos amantes do bom e barato.
Na rua do Crespo, loja da esquina que vol-
te para a cadeia, vende-se casemira preta,
a 5,000, 5,500, 7,500 c 8,000 reis o corte ;
ditas do cOr, a 5,000 e 6,500; panno lino
prelo, a 3.000. 3,500, 4.000 c 4,500 ; dito
verde, a 2,700, 3,000 e 5,000 reis ; dito azul,
a 2,600, 3,500, 4,000e 5,000 reis'; dilo cor
de rap, a 2,600 o covaJo : e outras muitas
la /.en las por preco e un llloil'i.
Vende-se remos de faia para
catraias, botes &.
Barricas com snperior cimento de
Ilamburgo;
Meias dit*s ; c tambem vendem-
se tinas ;
Botijas com oleo de buhara de
Ulanda : alraz do theatro Velho,
armazem de taboas de pinito.
Cartas linas pira voltarete.
V'ondem-sc carias Tinas pira voltarele :
na loja de miudezaada rua ro collegio, n. 1.
.Vi ln|i de Jos Joaquim Moreira
&. Companhia na rua Nova
n. 8.
Vendem-so lindas mantinhas de nobreza
1,000 rs. w<.--------------- --------
3 00Ors eumaporcSo de riscadus france- par sanhora do melhor gusto possivel ta-
es, que'se vcnderSu por qualquer preco, lo em nadr-s como em qualidados pelo di-
01 eatarem com algum mofo. minuto preco de 4,000.
-- Vende-se farinha SSS muito
nova e de superior qualidade : a
tratar com Manoel da Silva San-
tos, no armazem do Annes, no
caes da alfmdega.
Vcnde-se um negro de idade 35 annos,
pouco maiaou monos, refinador de assucar:
00 largo do l.ivramento n. 20.
Na rua do Hospicio, em casa de Tho-
maz de Aquino l'onscca, vende-se um mo-
leque motilo, de 9 annos de idade.
-- Vende-se superior ebo em p3o e se-
ment de coentro : no becco Lergo, arnia-
zem n. 100.
Novos cortes de chita.
Ni loja do sobrado amarello, nos
Q quatro cantos, da rua do Queimado
Q n. 29, coulinua-se a vender cortea de
O cuita c do riscado de novo padrdeg
;> com 12 covados inteiros pelo bar- >
q tiasuno preco de 2,000 rs. cadi crtn.
0$
Na rua da Cruzes n. 22, segundo an-
dar, vendcm-se 2 lindos molecoles de 18 a
20 ar.nos, e um dellus hu cozinheiro ; urna
prcta do 22 anuos, de bonita figura, ona
gomma, cozinha; e lava, o 2 prclas de mei-
idado, por preco commodo.
Vende-se sal do Ass, de superior qua-
lidado, epalha de carnauba, por proco com-
modo, abordo da barca Flor do Da, fun-
deedaao p do trapiche do algodo : a tra-
tar com o mostr a bordo, ou na rua da Ca-
deia do llecife n. 43.
.- Vende-se uma cadeirinha de rebuco,
um par de consolos de pedra marmore -
branca e fina, um guarda
ptpel de pezo.almaco e de cor, e obroias,pa-
pel para cnioiios,i ditos para capa de livto,e
estampas de varias qualidades, penle de
tarlariigadu inarr.ifa ditos de clnfrepara.nur-
rafa,e coco,dilos de asso para marrafa, edi-
tos de ailisar,ped 1 as de oscrever.aliar e de 10-
go,retro/, pelo e de co>, e dito grks>o,pincel
para barba.tranceln prelo de retroz para al-
faia le, lin le ros de vidro o bulhoes, tinta
prelado de escrever.
= Vende-se uma negra j idoza e um 1110-
leque de 7 annos de idade ludo em contaaia I
rua do Livrameulo n. 38.
Para liquidar.
Vende-so para liquidar, na rua do Cabug | .
n. 12, confronte a rua da l.aranjeiras, li- Felicidade, deq'uem foi escrava.
brasde linha por picgo muito barato, a! ter sida vial, ue povoaedo de 8. Amaro Ja-
saber :liuhis n. 16,20,22, a 800 rs. a li- hualSo : esta preti fugiono di 11 de abril
bra. na. 2, 26, 28, a 850 rs. a libra, n. 30, de 1850.
36, a 950 rs. a libra, n. 40 a 1,300 rs. a li- Desappareceu na Urde do die 13 do cor-
11 a, n. 50 a 1,300 rs. a libra, n. 60 a 1,400 rente um escravo or nome Joaquim tem os
rs. a libra, n. 100 a 2,200 rs. a libra, linha signaos eguintes: boi estatura, represent
de tudas as core t 1,200 rs. a libra. I ter 35 ennos de idade, fall desembaracadi,
Vende-se um selitn em bom uso: no pea grande, tem todoa o denles da frente,
irmazem da rua Nova n. 67. I nariz cbato, quando anda estala as junta dos
Vende-se uma negra de nacao, cos- joelhos, levou camisa de algodaosinho bran-
Ferreir, ou ao engenho Fragoso, 10 Dr.
Miguel Joaquim Cirneiro di Cunhi.
100,000 rs. do gratificacSo.
Roga-seas autoridades policiaes, que cap-
lu em o escravo Manuel, pertencenle t Se-
bastian Marques do Niscimento, fgido des-
de o dia 8 do mez de sntembro. Foi
elle escravo do Sr. Gabriel Aflboso Riguei-
ra, i quem foi comprado ltimamente : tem
28 annos de idade pouco mais ou menos, cor
fula, com falta de dous denles na frente, e
de c. bellos do ledo esquerdo di cabeca, que
se lorm bem visivel por parecer uma co-
roa, tem othos pequeos, beico grossos,
sem barba, baixo, corpo regular, be olllcial
de funileiro. Trajava jiqueti de riscado
azul, caifa branca, camisa de midipolSo, e
levou umi trouxi, contendo calcas e jaque -
tis : quem o apprehender e levar i rua di
Aurora n. 62, receber a gratificacHo pro-
metila. Siispeita-so que fosee seduzdo, e
por isao desde j prolesia-se contra quem o
conservar em seu poder.
Da-se 80,000.
A quem trouxerna pnce di Indepedencii
n. 17,1 preti Mara Joaquina, de idade de
30 a 40 annos, de nacHo congo, baixe, gor-
da, cor retinta, bexigosi, seio grande, tem
um signal de carne aobre o beico superior,
e he beslante anulosa ; ji foi escrava de
engenho. e ltimamente era quitandeira de
miudezas, desconfli-ie que ende para as
partea do sul, por estar acostumad* 1 andar
pot l vendando, comumi eriouli de nome
e consta
niia o diario de uma casa c engomma : na
rua do Livriment n 36, loja.
- Vende-se um prelo muilo robuslo e sa-
dio de nicao cos : quem o prolender diri-
ji-se rui do Cabuga, loja de Joaquim Jos
di Costi Fajoze.
f 1Wf f f f f f 9 99 f 99 99 9 9
Deposito de tecidos da fabri- J
ca de Todos os Santos,
sj> na Babia.
Ib> Vende-se em casa de Domingos AI-4
ves Matheus, na rus di Cruz do Re- J
* cifen. 52, primeiro andir, ilgodSo J
* tnnsidodiquellifebrici.muitopro- J
f prio pire seceos e roupa de esen- ~
louca, um guar-
da vestido, diverso trastos e cadeira; un *- Pr, P,r." 8iccosB ruu" "" """- #
ainda novos o outros usados, por preco com- vo, asaim como lio proprio para re- ^
modo na praca da Boa Vista n. 6. oe depeacir e pivio pin vellis,
- Vende-sc ui, bonita es.ra- SSS^^
va, creoulfl, de idade de 34 anuos: ncas franjas para cortinados a
na rua do Vigario n. 19, segundo 3,900 rs.
andar- Vende-se na rua do Cabug 11. 12, franjas
Bantisados. muito lindas, par. cortinado, pelo baritis-
Acabam de chogir loj. de 4 porta do .S 3'90 4 Pe* de 15 vr;
Duarte, na ru. do Cabug, um completo lp" ,q"""'
sortimento de ricas toucas para baplisadus, I l.slojns1 vazios.
por preco commodo. | Vende se estojo va (ios pan homem por
Vendem-se vela de carnauba, em cai- preco mais commodo do q ue em outra qual-
xaa, chegadas ultimamento na rua do Lirra- quer parte ; na rua do Collegio n. I, loja de
inunio n. 26. miudeza.
co, calca do dilo atol, eite escrivo foi do
mito: quem o peger leve-o 1 typograpbia
imnarri.l s fallar com a viuv Roma que se-
r 'recompensado.
Desappareceu no dia domingo, 12do
correte, um prelo que represente ter 451
50 annos de idade, de n.cSo cacange, baixo,
cheio do corpo, sem defeito ilgum no corpo,
levou vestido, calca de casemira aiul clan
de quadros e ja velha, clele de s-lim preto
velho, jaquela de brim pardo,camisa de ma-
dapolSo, chapeo de seda preto ; presume-ee
que anda pelo arrebaldes deata cidade, pois
apezar de ser do serto nSo sejulga que te-
lilla voltado : roga-se portento 11 autorida-
des policiaes e capitae de campo, a ciptun
do mesmo, leviudo-o 1 rui do Vigario n. II,
terceiro indir, que se recompensar.
Auzentou -se ni noule de 27 do corrente
o mulato Clementino deidide 20 annos pou-
co msis ou menos, magro.iltun regulir, e
falla mallo mansa, costuma andarcalcido
e bem veslido; levou uma troxa de roupi, e
consta que levira um cavallo quealugra
nessa occasio, o qual tem o signaos se-
guiutes : ctstanho, barrigudo, clioai pre-
ta, e gordo. He provavel que queira pas-
tar por forro : he bolieiro.e eicr.vo de Luiz
Antonio Siqueiri : quem o pegir leve-0 a
rui dt Cadeii-Velhi n. 20 que se recompen-
san.
Vi>*. vaTvimii: M.FDRr/

Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXW9W0GIB_ZIRC6I INGEST_TIME 2013-04-12T22:28:33Z PACKAGE AA00011611_04739
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES