Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04736


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-
AnnoXXVlI
Terca fe ira 4
de Novembrode 1851.
N. 249.
PEMAMBICO.
VAZOO A aUBOKirolO.
PtSlHUCTO ADUHT1DO.
Por trimestre............
Por semestre.............
Por anno *
Pioo dintso Donaimi.
f ""^UrajWaMimmra. "
D.ri..... 7deOutubMlnis... "5de
ilaraobao 13 de dito S. Piolo. 3 de
(>*.. 17 de dito. R.deJ.. I5de
p".h a- 24dedllo. [Babia... 8de
4/000
8/000
15/000
4/500
belbr.
dito.
Outub.
dito
DI I ID IEM1N*
3 Seg. Ooin.dosdcfuu-
tOI ; S. Malaquias.
4 Tere. S. Carlol.
5 oart. S. Zscharias
6 Qulnt S. Severo b.
i >ext. S. Florencio.
8 Sab. S. Severiano e
seuscompanheiros.
I ioiii. O Patrocinio del
9 Nojsa Senhora.
ADDIINC1AI.
Julio de Orphol
2. e5. i 10 horas.
I. varaio civel.
3. e6. io meio-dii.
fatenda.
3. e 6. ii 10 horas.
2- eara do eioef.
4. e labadoa ao melo-d.
Rilacio.
Tercas e sab.dos.
inmaion.
Creicente i 30, a I bora e 7 minutes da tarde
Chela a 8, M 9 boras e 2 mlnutot da t.
Hingoante 16, as 7 horas e 2 minutos di m.
Nov ib 11 boris e 47 minutos di tirdc.
niiMiii BI Ol
Prlmelra 1 bon e 18 minutos da tirde.
Segunde hora e 42 mloutos da miobaa.
TiBTiDii O. COnmEIO..
Golanna e Pirahlbi, ii egunda e seitaa-
felris.
Rlo-Crinde-do-Norte, todis n qulntii-ieirii
ao mel dli.
Girmhunse Bonito, 8 e '23.
Boi-VIsta, c Flores, 13 e28.
Victoria, as qulntii-felns.
Olinda, lodos os das.
noticiis iinuarauii.
Portugal. i:i de Setbr. Austria.. 3l de Agosto
Hrspanha. 8dedito Sulssa.....3 de Setbr.
Franca... 8 de dito' Suecla... 28 de Agosto
Blgica... 5 de dito Inglaterra 8de Setbr.
Halla.....2de Agosto E.-Unldos 25de Agosto
Alem.nha. 1 de Sebr. Mxico... 2 de dilo,
Pruslia... 3 de dito. .California 15 de Jnlho
Dinamarca I de. dito Cblll. 26 de Abril.
Russla... Kde Agosto Buenos-A. de Setb.
Turqua.. 30de dito. |Mootevldeo ode dito.
CAMBIOS M 3 DE OVIMBHO.
Sobre Londres, a 29 d. p. lfOOO rs. Firme.
I Paria, 331 por fr.
Lisboa, sem UansaccSes.
Ouro.Oncas hesnanhola..... a 28/600
Moedas de 6/400 Telhas. 16/000 a 16/200
de 6(400 novas. 16/000 a 16/200
* de4/DC0....... 9/000 a 9/100
Prati. Patacoes brasilelros.. 1/920 a 1/910
Pesos columnarlos... 1/920 1/900
Ditos mexicanos..... 1/750 1/720
PARTE OFFICIAL.
oriental. Esse sanbudo D. Hinoel Oribe, es- :
cravisa.la ao despota de Ruenoa-Ayres desappa-
RIO DE JANEIRO.
TRIBUNAL DA RELAJO'.
SESSA DE 31 DE OUTUBRO DE 1851.
i'rMlW/ do Hxm. Sr. cotuelhetro Azevedo.
Vi 10 hons di manhai, esUndo presentes
os' Srs. desembargidores Bastos, LeSo.Sou-
za, Rebollo, Luna Freir, Teles, Pereira
Monteiro, Vallo e Santiago -. rallando com
ciusi o Sr. deaembargador Villares : o
Sr. presidenta declira abena a sessao.
J0LO1MEIIT0S.
Aggravo de Miguel Archanjo de Flgueiredo,
eigsravado, Joaquim Antonio dos Santos
Andrade.-Negiram provimento ao ag-
gravo.
Recurso enme.
Recrrante, JoJo Pi Lins Pimental 3. sup-
lente do juiz municipal do Assu'; recor-
rido, o juizo de direito.-Deram provi-
mento ao recurso mandando despronun-
ciar o recorrente.
Revista civil.
Recorrente, Jos Soares de Oliveira Cuima-
res; recorrido, Jos Antonio Vieira.
Julganm o favor do recorrido.
Appellacoes civeis.
Appellsnte, Antonio Bernardo Ferreira ; ap-
pellado, Joiquim Ribeiro de Brito.con-
(Irmaram a senlenca.
Kppellsote, F.rincisco Jos DuarleCamarco;
appellados, Joanna Mirii Macil e oulra.
ConOrmiram asentenca.
Appollante, D. Joaquina Mara do Espirito
Santo; appellado, Manoel Claudio de
QueirocIteceberam o jolgaram prova-
dos os embargos.
Appollante, Jos Das da Silva ; appellado,
Joiquim da Silva Mouruo.NSo fonm
ttendidos os embargos de decIsracSo.
DILIOKHCIAS.
Appollante, o jnio ; appellado, Mioool Ben-
to de Mendonci.Mandaram com vista ao
Sr. desembargador procurador da coroa.
Appellantes, Rozende Cesar de Coas e ou-
tros: appellados, Pedro Lucas Corren e
outros.Mandiram com vista ao curador
geral dos orpbaos.
OISIGNICES.
Appellinte, Francisca Maria; appellada,
ConstanlinaJacinthi da Molla.
Appellanles, JoSo Francisco llegis ; appel-
ladu, Jo3o Filippe de Souza LeSo.
Appdlente, a fazeoda: appellado, Joaqun)
da Costa Sil.
Appellanle, o juizo; appellado, Francisco
Teixeira Suares. ....
Appollante, Anna Klizabetb Adelli Poirson ,
appellado, AtTonso S. Martin.
Appellanles, Prxedes da Fonceca Coitinlio
e outros ; appellado, l.uiz Comes Fer-
reira.
.mafias.
Passaram do Sr. desembirgalor Le5o ao
Sr. desembargador Souza as seguintes ap-
pellacoes em que sSo :
Appellanles, Mirii do Amparo o outros ; ap-
pellado, Vicente Guedea Gondim.
Appellanle, Domingos Francisco Civilcanti;
appellados, D. Igoez Maria das Nevea e
oulros.
Appellanle, Antonio Jos Pimenla da Con-
ceicUo, appellado, Joaquim Martina da
Cruz Crrela.
Ao Sr. desembargador Rebello as seguin-
tes appellacoes em que aSo :
Appellinto, Jos Antonio da Costa; appel-
lado, Antonio Jos de Medeiros Bilancuurl.
Passaram do Sr. desembargador Rebello
ao Sr. desembargador Luna Freir as se-
guintes aupellicOes em que sBo :
Appellanle, o juizo ; appellado, Malinas, os-
era vo de Jos Francisco Ribeiro de Souza.
Appollanles eappellados, Minoel Ignacio de
Aulla u JoSo Vieira da Cunba.
Appellanle, Joaquim Pereira Homem; ap-
pellado, Jos Leopoldo da Silva.
Appellanle, Jos Bautista Ribairo de Faria ;
apellados, Fraucisoo Ribeiro de linio e
sua mulher.
Appeliaoiea, EslevSo Jos Paes Brrelo e
sua mulner; appellados, Francisco Paes
Brrelo e sua mulner.
Appellanle, o D. Abbade ue S. Bento de Olin-
da ; apuoadss, Ilaco! Camello Valcacer
e sua ni u I lior.
Passaram do Sr. desembargador Lona
Freir ao Sr. desembargador Tollos as se-
guintes appellacoes em que sao :
Appellanle, Jos Alexandre Correia do Me-
nezes; appellado, Antonio Ferreira Lus-
losa.
Puaram do sr. deseuibirgador Telles ao
Sr. desembargador Pereira Monleiro as sa-
guinteas appellacoes em que sSo :
Appelliute, Jos Fernindes Tenorio de Al-
buquerque Texirlco ; appellados, Jos
Barboza de Mecsias a outros.
Passaram do Sr. desembargador Pereira
Monleiro ao Sr. desembargador Valla as se-
guidles appellacfies em qua sSo :
Appellanle, o juizo ; appellado, Jos Jero-
nymo Monleiro cumo procurador.
Appellanle, Joto da Silva Reg a Mello; ap-
pellado, Francisco Jos Rodrigues Saca-
vem.
Passaram do Sr. desembargador Valle ao
Sr. desembargador Santiago as seguintes
appellicOes em quosSo:
Appellanle, Domingos Francisco Tavaras ;
appellacio,Manoel Joaquim llamos e Silva.
Appellanle, M.nnel Feliz Baadeirs; pppH-
lada, D. Maria Jos Ferreira de Sepulveda.
Appellanle, Manoel Francisco Anastaoio;
appellados, Filippe Dias dos Santos e
outros.
DISTIIBU1C.0BS.
Ao Sr. desembargador Bastos as seguin-
tes appellacoes oin que sBo:
Appellanle, Antonio Joaquim dos Santos
Andrade; appellado, Joaquim Meadas
Freir.
Ao Sr. desembargador Le3o as aeguinles
ppellacos em quo sBo :
Appellanle, Alexandre Jos de Siot'Anna ;
appellados, Vicenta Ferreira Leil e ou-
tros.
Ao Sr. desembargador Souza es seguin-
tes ippellacO*s em que s8o :
Appeliantes, Ju3o Biplisla Pereira Lobo de
(usmao e outros ; appellado, Manoel
Claudio de Queiroz.
Ao Sr. desembargidor Luna Freir as se-
guintes appellacfiea em quo sao :
Appellanle, Jos Ferreira Allioo; appellado,
Jos Francisco da Paz Lima
Ao Sr. desembarga lor Tollas as soguintos
appellacoes no que s8o :
Appellauto, Calisto Josa da Rocba; appella-
do, o juizo.
rea de Mello Miranda. Aggravo
trumenlo do juizo do civel do Cabo.
Aggravante, Gaspar da Silva Lobo ; aggra-
vado, EsievBo Jos Paes Birreto.
Ao Sr. desembargador Santiago os seguin-
AoSr. desembargador Valle as seguintes
ASffljj-SSj.ll^l^Cor. aE"S=F.ESrS!: Foram-nos^ommu^tUmaiguma,
J!s. lio, aoabrunhado de remoraos, as desgracas que cartas de Montevideo viudas pelo vapor rogaw
fes pairar aobre umpovo heroico. tedoSul.
Del-lheconta dos successos que ltimamente Diz urna dellas: /-..rilo
tiveram lugar em frente eldade sitiada : dls-; o general (iarioa deve arvorar no >-""'"
se-lbe que as coinmunlcaces entre Montcvi- no dia i4 ou 15. as bandelras alliadis
(a ri.rorsen em nuo s3o do e i cunpinha estavaui francas pois bem. las com 21 tiros de peca. A datar desse ino
nr,nun?.i?70-recorrido Antonio Go- Com acondnnaco desta. noticias, recebemos t as forca. e habitante* do ligo campo dos
Recorrente, o julio, recorrido, Amonio bo offlcia|inenlc a,vdo cornp|eto desfecho do san- ,iti,dores Boarto sob .obediencia dasautor-
meii as["*' .,Aj-,..,. .---i grento drama que as campias visinhas re- dades da capital.
Appellante, Inocencio Jos da Costa, appe- SnaenUram casas desordenadas fileiras do ty- o general G
lado, Igtisco Alves Feitosa. ranno dos Pampas. Gloria ao intrpido gover-
N8o foram julgados os demais fetos com ador de Entre-Rlos, que pelo prestigio de scu
dia assignado, por falla do Sr. desembar- oome e secundado pelo general oriental, so
gadore cima meocionado. necessitou passar o Uruguay, transpor oRio-
Levant0U-S9 a sessSo a 1 bora e meia da Negro, aprescntar.se aos postos avadado ao
exercito inlmigo para alcanfar a mais completa
victoria e fuer tr.umphar a santidade da irais
jusla das causas. Sim, triumpbou a causa aa
organisacao e da ordein com o nico po levan-
tado por 5000 cavalleiros que tomaram a pello
libertar seus visinhos para depols quebrarem
os ferros que avlltam seus compalrious.
Oribe acha-se em sua casado Cerni se
mais uin soldado que o obedeca, porque todos
tarde.
EXTERIOR.
ii Era esta urna condifao da allfaruja, e urna
comldcra9ao devida ao nobre e generoso iole-
resse que S. M. I. manifestou pela [iiciiica.iio
da repblica oriealal.
Comludo, ao ponto a que 09 successos i~ .
nham ebegado, todadilac.10 se tornava linpos-
slvel. K aci;;iu, em qualquer dos extremos que
se adoptasse, derla ser do momento.
- Em tal situaco s tive em vUta o objecto
cssenclal da allianca, c de accordo com o ge-
neral em chele do exercito oriental, assumi a
responsabilidade dos resultados, no incu carc-
ter de general do exercito, e cotno represen-
sera nomeado ministro J^0' governos de Et.tre Ros e de Cor-
rgai
D. Manoc
da guerra e marinha. conservando o com.nan-
do do exerci to. O ministerio car 01
da manelra seguintc:
' Interior c ncgociosslraogeiro
Herrera y Obes. _
' Guerra e marloha, general D. Eugenio
Garxon.
11 Faxenda, coronel flalle.
" O parque que Oribe cntregou esta avalla-
do em um inilho de pesos forles. Goinprehen-
de todo o armamento e municoes de guerra
que Rosas rene ha um anno para a sua pro-
yectada campanha do Itrasil. ,,
Oulra carta com data de 12 dis!
RIO DA PRATA.
Montevideo, 9 deoutubro de 1851.-
Bolelim oficial.
Viva a repblica!
Vfvam os governosalliados 1
Viva o lllustre general Urqulsa.
Viva o nobre general Garxon .------------0---------_--------.....
Vlvam os defeosores de Montevideo que quer diier : leras como recompensa dos ( vencao, modilicaedesque em nada ailcraui,
O goveroo acaba de receber o omclo junto, servicosque me prestastes o golpe do carrasco porm, suas principaes disposifflcs.
de que fol portador;o capllo D. Ricardo Lopes ,obre tuacabec,.
Jordo. O triumpho da repblica esta con- 0 00Dre proceder dos alliados se patenteiou
summado! Honra eterna aos que contribuiram do ,aoo mat brlllimte as generosas conces-
para elle sdes leitas pelo general Urqulxa Oribe : se-
Vlva a ConfcderacSo Argentina gundo ellas o pretendido presidente podera prestado os militares c cidadaos que serv
Morram os inlmlgos da organisacao na- dispor llvremcnte de sua pessoa, podendo tam- s ordens do general D, Manoel Oribe fo
clona!. bem gotar do inesuio indulto os ebefes argn- feltos a naci oriental do Uruguay
faiem boje parte do exercito da repblica. Ahilhc remello copia da convencao celc-
Voliarellei Bucnos-Ayres t Naoocreio. Ahi [ brada no dia 7 entre o governador Urquna e.
esla senlenca que o aguarda as palavras de D. Manoel Oribe. Releva advertir que no da
u amigo amo: vencido sem se bater O lOse lixcram algumas modificarde
meo, modillcacdcsquc
M'in. suas principaes di ,
Convenjo entre o governador de Kotre Ros
D. Justo Josi Urqui/.a e o general D. Manoel
Oribe,
I. Rcconhece-sc que os servicos que lem
rain
ram
Quartel general no Penbarol, 8 de outubro lc
de 1851. Rosas contempla de sua quinta de Palcrmo a vcrnaiivos c judjciacs que, cm confonnidaae
Ao Exm. Sr. presidente da repblica orien- mircha dos acontecimeutos, que principiando s leis da repblica e sua consliiuicao, toram
tal do Uruguay, D. Joaquim Suaiex. p0r auniquilar-lhe o nico exercito de que po-' excrcidos no territorio que oceuparam as ar-
A submisso das forcas orientaes que obede- dia dispor, devem acabar por destbrona-lo des-> mas do general D Hanoel Oribe.
ci.iiii s ordens do general t. Manoel Oribe, re- rcv0|laDle dicudura que a si proprio arro- "4. llcconhcce-sc cm lodos os cididaos das
oonhecendo a autoridade do Exm. Sr. general gOU, e Icmbrando-sc de que Urqulia em breve dilferenles opinioes em que lem estado dividi-
era chefe dos esercitos da repblica, general -iracn9arj|har suas armas as mesmas pracas, da a repblica, iguacs servivoi, merecimeotos
O. Eugenio Garxon, c as enneessdes honrosas lhealr0, dc seus inhumanos feitos rompe em c direilas a empregos publico, eiu conlormi-
?ue cu Hx aos ebefes argentinos com o nobre acccos de estpida loucura e ordena se quei-i dade da consliiuicao.
lira dc evitar a ettsao dc saugue, collocaram I11C co|n lodas ai fonnalidades as ephigis do .. ,',. Reconhece-sc pela nacao rlenla as
debalxo da niiuha autoridade lodo o pessoal e louco lra|dor c infame Urquixa, do miseravel ',ominas que licou devendo o governo do gene-
material do exercito do tyranno de Buenos- Gar/011 e do ricl almirante do inimigo da Ame-; ral u. Manoel Oribe, cuja divida provenha uc
Ayres, e sao dous aconteclinenlos da mais al- ^ ucs5e pernd0 gabinete brasilclio que vul- desembolsos feitos por particulares para objec-
ta importancia que puxeram termo a presente uer0ua gloriada repblica argentina. Appa- ,0, determinados,
guerra. rccCiu cniSo os retratos dos tres dcslimidos I .. |J. Ogovernador c capilao general da pro-
Darcicm lempo a V. bxc. lodas as informa- nco(., ,| iinerdade e depois de baverem si-1 vioC|a de Eulrc-lUos.brigadeiro general Juno
ces necessarias; cnlretanlo sirva-se V. bxc. |,nrCCado nelo povo mashorqueiro sao lan- jos de Urquia.ollcrecelatcr usodos seus bous
receber as miuhas mais sinceras felicitares, ', cliaiuas. Rosas contenla-se com inos- i Om.oios para que o goveroo do brasil nao aprc-
porque lie. hoje livre a repblica oriental do ,Undo o llm que deslina quelles de: ,eillc nenhuma rcclamatao ao governo onen-
Uruguay, e no pleno goxo da sua soberana na- Uiiinieos uuc lhc cahlr as garras. ,ai n0 caso dc iC-las que fuer, senao seis me-
. P i i' ...,..h'_ ___i ... i ...... i. .i....,.!.. n f.iwprnn rol
3. Declarain-se iegaes todos os actos go-
cional.
Dos guarde ao Sr. presidente multo annos
JuitoJ. di Urquia.
Viva a confederacao argenliua!
Morram os niinigos da organlsaeao na-
cional.
Quartel-gcncral no Penbarol, 8 de outubro
de 1851.
Sr. D. Manuel Herrera y Obcs.
Meu dlstinclo amigo.
Ul I. w 111111.1,.. -| --------------------- = .
As gloriosas lancas do denodado Urquna ic-
varam com a rapidez do raio a liber.iadc ao po-
vo visiubo. .
O exercito imperial eslava as ultimas dalas
duas legoas de marcha do acampamento ac
llrquixa. Obstculos insuperaveis haviain dir-
Mculudo a sua juneco entretanto o general
mar. lina seinpre debaixo dc copiosa chuva.
O general conde de Caxias havla partido do
6". !. c:.i.-rcito para o de Ur-
ii.iuii.io ..ni,;... ,,,,., acaninaincnto dc !: cr.crcilo para
Naotenbo lempo senao paia fclicita-lo pelo uiia'acom.ianhad0 nicamente de seu pique-
glorioso termo da sanguinolenu guerra que 1 cav,||aria allni de se entender com aquel-
portamos annos devaslou esla desgracada re- |c crl, Corria que depols da conferencia
publica. entre ss. EExx. o general Urquixa passaria a
Hio encontr expressdes, meu cbaro amigo, [( ,(M
com que possa inanlfestar-lhe o jubilo de que 0 Sr_ cooselheiro de estado Honorio Her-
estou possuido eo ver que asseguramos a mct0 Caroclro Leo parti na larde do dia 23
berdadea Independencia da sua patria, sem R1 d pr encarregado de urna mls-
que se derramaase osangue dos Orientaes e Ar- 3o d-|0lllalica
gentinos que boje submissos nobre causa dodistincto estajista, sua adbcsao
.i,,q .....r.ML.c .ihiili.* r.(.niirraraiii tala o colu-
dos exerci ios alliados coopera rain para o com
pelo restabelecimcoto da pax publica, reco-
nhecendo todos a autoridade do general em
chefe do exercito oriental, com as condijOes
que generosamente Ibes temos concedido, cora
o grande fim de reconciliar a familia ori-
ental c de afaslar todos os obstculos que
possain oppor-se ao seu fuluro engrandeci-
inento.
Gomo creio que dentro cm pouco tere o gos-
to de ve-lo, absienho-me dc eulrar cm porme-
nores que vcrualiiiei.il- Ihedarei.
Dc novo me confesso dc V., a&'ecluosissimo
amigo e criado ceno
1. J. de Urquita.
MINISTERIO DO INTERIOR.
Montevideo, 8 dc outubro dc 1851.
Decreto.
Considerando que a lerminscao das calami-
dades da repblica, pelos felizes successos que
acabara de ler lugar, be ura aconleclincnto que
abre poca nos fastos nolaveis da repblica, o
governo rlerreta :
Art. 1. Sao declarados dias festivos os que
decorrerem desde a data do presente decreto
t segunda-felra 13 do correntc Inclusive.
Art. 2. Couununique-se, ele.
Msms,
Afantial Uirrerti y bet,
Montevideo, 9 de outubro de 1851.
Oiio de outubro l
O aspecto que hootein apresentava esta bella
cidade, com as centenares de bandelras de lo-
das as nacoes que iluctuavarn as soleas ; a ani-
roacao de felicidade que radiara era lodos os
semblantes : o eslrondo das salvas de ariilba-
rla, os foguetes e repiques de slnoi durante lo-
do o dia : era um quadro mais proprio para ser
visto do que para descrever-se.
Seriam boras da mantisa quando atravessa-
va a cidade o capilao Lopes Jordo traiendo aa
communicacoes que boulein se publicaram em
boletlm, e que boje reproduximos, e minutos
depois circulou como o fluido elctrico pela
populacho a felii noticia da concluso da guer-
ra. Todos se abracavain as ras, dando-se
mutuas e cordlaes Ielicitc0es. Tanto regosljo
aps tantos c to amargos padecimentos !
Desappareceu como um sopro lodo esse ap-
paralo bellico que temos tido em frente de nos
por mais de olio annos. O sillo de Montevideo
ceisou como por encanto, e ludo isto he devido
ao pronunciaraeuto do Ilustre general Urqul-
sa, secundado pela uninimc aceitaco que cn-
coolrou neste calado.
Hontem, aproveitando j a submisso dos sol-
dados que obedeciain a Oribe, grande parte
da populaco do Cerrito velo cidade c pas-
seou pelas ras sem ser molestada, rollando
depois uns para suas casas e licando outros.
Parece que o desfecho providencial dosuc-
cessos fex tanta Impressao em D. Manoel Oribe
quenosdizein se achava hontem em sua casa
ioiciicdi.ua abandonada forlaiexa do Cerrito,
no mais completo abatimento.
A ordein publica nao foi ncm levemente alte-
rada, e populagao desta cidade sabe provar
sua prudencia ainda no meio dc transportes co-
mo os de hontem-
Logo que os agentes estrangeiros soube-
rain houlein que a concluso da guerra era
causa da patria sao a mais segura garanta que
o governo imperial podia dar de suas vistas pa-
triticas nos negocios do Prata. S. Exc. levou
como secretario em sua misso ao Dr. Jos
Maria da Silva Paranhos, lente da escola mi-
litar.
Fol felta urna proposla ao governo para a
substituico il. mocil i dc cobre correntc por
uina oulra de ura metal braoco, pouco excida-
vel que se encontra no paix. Cada urna das no-
vas moedas ter ura taraanho quatro vexes me-
nor que a correspondente de cobre. Nao ba fa-
cilidades para falsllicacao.
Urna carta particular dc S. Catharina re-
lata ura alternado commettido pelos bugres da-
quclla provincia. Urna das faieudas fundadas
nos campos da iioa-Villa foi assaliada em ura
dos dias do mei lindo pelos bugres selvagens
quepovoam as malas daquella provincia. O do-
no da faxenda feliaraeiitc iiavia sabido a ca;ar
na occasio era que se deu a invasao dos bri-
v u, indios. Na casa achavam-sc nicamente
dous escravos que cuidavam do eslnheleci-
mento.
Os desventurados pretosalmocavain quando
avistaram os invasores. Tiveram ainda lempo
de feixar as portas, que foram inconlinenie ar-
rombadas. Um dos pretos foi logo ahi inorto a
rrexadas e caneladas ; o outro conseguio eva-
dlr-se, mas nem assiin escapou aos brudosque
o feriram gravemente com una frecba. O sa-
que appareceu como cousequeucia da iuva-
so; nada escapou, nem incsnio as ferragens
das portas.
Este facto parece relacionado com aquellas
atrocidades perprcladas na Vaccaria, no Rio
Grande do sul: dizem nicsmo que urna das in-
felizes victimas roubadas ao cuidado materno
no distrlcto de Vaccaria fora vista era poder
dos desalmados.
Os jovens do exercito imperial nao pou-
pain occasio de apresentar seus respeitos c le-
aldade quelles que os raerecem. O bacbarel
primeiro tenente Ainaral, que segua reunir-
se ao exercito no Estado Oriental, achava-se no
da 24 de outubro na fronteira do Jaguaro.
Este dia anniversario da inorie do fundador do
imperio nao poda passar desappercebido era
ura lugar onde se acharara jovens, enlhuslas-
tas, administradores das glorias de sua patria
e daquclles que as promovein. Urna missa foi
celebrada pelo eterno repouso da alma daquel-
le que nos eraancipou do frreo jugo da egos-
ta metropole.
Els mais algumas novas do Rio da Prata. O
general Garxon devia, no dia 14 ou 15, arvorar
no Cerrito as bandeiras alliadas e salva-las com
21 tiros de canbo. A datar do momento cm
que forera arvoradas as bandeiras as Torcas e
habitantes do amigo campo dos sitiadores 11-
carao sob a obediencia das autoridades da ca-
pital.
O ministerio licar organisado da seguintc
manelra.
Interior c negocios estrangeiros D. Manuel
Herrera y Obes.
Guerra e marinha, general D. Eugenio Gar-
zn. O general conservar o cominando do
exercito.
Faxenda, coronel Baile.
xes'depols dc eslabclecido o governo constitu-
cional.
" 7. O exercito orieotal que obedece as or-
dena do general D. Manoel Oribe ftcara lutel-
ra.ocoie s ordens de um chefe do mesmo, que
reconhecer e obedecer s ordeos do general
cm chefe do exercito orieulal I). Eugenio ar-
xon, al a elelcao conslitucioual do presdeme
da repblica.
" 8. Igualmente reconheccrao as ordens ao
general cm chefe do exercito oriental lodos os
departamentos que hoje obdece ao general
Oribe. .
" II. Proceder-sc-ha opportuiiamcnte c uc
conformidade com a constituico, aeleicodc
senadores e representantes em todos os depar-
tamentos, os quaes .noiocarao o presidente da
repblica. _.
" 10. Dcclara-sc que entre as dillerenles
opinides cm que tcm estado divididos os Orien-
taes, nao haver vencidos nem vencedores,
pois todos devem reunir-se sob o estandarte
nacional para o bem da patria c para defender
as leis da sua independencia. .
" ll. O general O Manoel Oribe podera dis-
por livreincnic da sua pessoa.
" 7 de outubro dc 1851.
JuiloJare Iri/uiza.
" Afanos/ Oribe. ,,
RIODEJANEIllO,
Honlcmt(23 dc outubro) referindo-nos a una
caria dc Monlevidcu, publicamos um docu-
nieuloque d'alli fraleineltidocse diiaseriima
convencao celebrada entre o governador Ur-
quiza e o general Oribe, cm virtude da qual de
putera este as armas.
Sabemos hoje que nao existe e nunca existi
convencao' nenhuma entre quelles generaes.
Ha apenas coneendi feitas pelo governador Ur-
quixa ao general Oribe, para as quaes se pedio
aacquicsccncia dos governos imperial c orien-
tal.
O documento que hontem publicarnos he so-
mente a prlincira inanifeslacao, c nem cm lu-
do fiel, dos desejos do general Orihc. .Sobre
ella redigio o governador Urquisa suas conecs-
scs, que publicamos no liin dcslc arli|io, e que
como vero os leilores, dilierein cm pomos
muito cssenciaes das cslipulacdes comidas nes-
sa chamada convencao.
Em 12 do crreme remetteu o governador
Urquia ao Sr. encarregado de negocios do Bra-
sil cm Montevideo copia authentica das con-
cessoes feitas ao geocral Oribe, acoinpanhada
do seguintc oflicio, para o qual chamamos a at-
tenco dos leitores :
Viva a Confederacao Argentina! Horramos
inlmigos da organisacao nacioual.
O governador c o capilo-gencrl dc En-
tre Ros, general era chele do scu exercito, e
general de vanguarda dos exercilos alliadus dc
operaces.
Quartel-gcncral no Pantanoso, 18 de outu-
bro dc 1851.
Fiz ao general Oribe algumas concessdes,
que lalvcz nao leriam podido rasoaveimente
negar-se depois dc urna victoria sanguinolenta.
Foram feitas, porin, sb a condlfao expressa
de solicitar a acquiescencia a essasconcessdes
por parte dos governos alliados, c com a con-
lianca dc que estes aprcciarlam devidainentc
os motivos da iniuha rcsoluco e seus resulta-
dos.
. Hoje cumpro com este dever, submcltcndo
considcracao dos governos alliados as conecs-
sOcs felta! ao exercito do general Oribe, c que
derain cm resultado apacitlcaco inteiri e com-
pleta dc toda a repblica, o reconhecimcnlo do
seu governo, e o livie cxcrcicio dc seus direi-
tos como nacao independenre.
n l'acs sao os objeclos cssenciaes da allianca
e os inolivos dc tamos c lo sanguinolentos
combates. Ai tropas nriemacs csiojsbo
inmediato coinmaiido do general cm chefe do
exercito da repblica. As argentinas submet-
tidas espontneamente s miuhas ordens, sa-
hirao iiuini-li u iiiieni.- dcslc territorio ; lodo o
parque, lodo o material do exercito fol entre-
gue, e ura esqueciiuculo absoluto c completo
do passado contribuir para sellar a paz oblida.
Ao por as mos do Sr. encarreeado de ne-
gocios de S. M. o Imperador do Brasil umx co-
pia legalisada das coucesses feitas ao general
Oribe, espero que, elevando-as aocouhcciraeu-
to do seu governo, solicitar a acquiescencia
dc que carecem.
Bem queja medirgisse ao Sr. general era
chefe do exercito imperial, c espere qne de ura
momelo a outro se achara ueste campo, com-
inunico-lhc com esta mesilla dala os resultados
conseguidos.
Ao concluir esta conirauuicacao s me res-
ta pedir ao Sr. encarregado de negocios queira
apresentar em met nome ao governo de >. SI.
I as mais cordeacs felicitacoes pelo xito glo-
rioso da empresa que lomou sb sua prolecf ao,
c que nao pude deixar de refluir era honra das
anuas do imperio,
I cono a honra dc oereccr ao Sr. encarre-
gado dc uegocios as coosiJeracucs do meu par-
ticular apceo,
JlUtO Jo' ll Vrquiil.o
Concesio't ftitat pelo quemador trauisaao
general Oribe.
Art i. Recoubcce-se que a resistencia que
lizeiara os militares c cidadaos Iniervcuyo
anglo-francea foi ni erMfa de que com isso dc-
fcudiaiu a ndepeudeucia da repblica.
Arl. 2." Iteconhecc-sc era lodos os cidadaos
das dillerenles oppiuics cm quo tein estado
dividida a repblica, iguacs servicos, mereci-
inenlo e dircilo aos cinpiegos pblicos, era
conformidade com a conslluicao.
Art. 3. A repblica reconhecer como di-
vida nacional as dividas conlrahidas pelo gene-
ral Oribe, cm conformidade com o qne em tacs cu-
ioi eitatue o dircilo publico
Art. 4." Proccder-se-ha opportuiiamcntc, c
de conformidade cora a Conslllulcio, elei-
co de senadores c representantes ein todos os
departamentos, os quaes nomearao o presiden-
te la repblica.
Arl. o." Occlira-se que entre as dillerenles
opinides cm que teui estado divididos os Orien-
taes, nao haver vencidos ncm vencedores,
pois todos devem rcunir-sc sb o estandarte
nacional para o bem da patria c para defender
as leis c a sui independencia.
Art. ti,0 O qencral Oribe, como lodo o demais
ciiiadt'o da rcpublica, fica itijeilo til auloridadel
comlilitida do estndo.
Art. 7" anconformidade com oouertiipoe o
rifes anleccdenle, o general I). Manoel Oribe
podera dispor livrcuicntc dc sua pessoa.
Julio Joic di Urquisa.-
Aspalavras em glifo sao addices ou modili-
cacoes l'citas s conccssOcs pedidas cm 7 de ou-
tubro. Os arligos que foram supprimidos di-
ziaiu cm subslaucia o seguintc ;
a i. Os servicos prestados pelos que scgul-
ram a causa de D. Manoel Oribe sao servicos
feitos nacao.
2.' Os emprfgados civi c militares que ser-
virn! sob a adminislraco do general Oribe
83o reconhecidos empregados da nacao.
3. As dividas coutrahidas pelo general Ori-
be cm conformidade com a constiluicao ticain
sendo divida nacional.
4. As tropas oriemacs que servirn. C0BI
D Manoel Oribe serao coiiimandadas por um
dos seus chefes, que obedecer s ordens do
general era chele D. Eugenio Garzn.
5 Os chefes dos departamentos prcslarao
obediencia ao general Garzn.
B," O general Urquiza einpregara seus
bous ollicios junio ao governo do Brasil, pira
que nenhuma reelamacao seja leila ao governo
orieutal sobre dividas, ele, seuo seis mezes
depois de eslabclecido o governo constitucio-
nal. ,
,'Do Jornal do Comincrcio,)
BECITE, 3BB NOVBMBRO) DI 18S1.
Pelo vapor Pernambucanaa cliogado ho-
Ao lllm.e Exm. Sr. Rodrigo de Souza da SI- rccabomos Jurnaes do
KirStt gdoevenrneo0oC;"n1:.:,n- Kio dcVnoiro, que .l0.DC .25 do p.s-
f ponunciamemo geni dos cidadaos des- j ..do, da Babia a 31, e de Maceiu ao ..do
O parque entregue por Oribe est avallado
annuuclada of&cialmente ao governo, arvora-Jeni nra milhao de pesos fortes, isto he, cm
rain era suas respectivas moradas as bandeiras dous rail conloa da nossa inoeda. Todo o arma-
das suas nacoes, contribulndo assim para a uni-
versal demonstraco de regosijo.
(Comercio del Piala.
(Jornal do Coman rio.
INTERIOR.
coitiiiapoiNiiciciA no dukio de per-
nambuco.
Rio, 2."> de outubro de 1851.
Raiou analmente a liberdade no horisonte
ment c muuices que Rcsas reuuio para sna
projectada campanha contra esla pobre e exoc-
tica arvore, estao comprehendidos na entrega
do parque.
Cambios.
Londres 28 3|4 diuh. csterl. por 1/
Pars 335 rl. por franco.
Lisboa 80 por cenia da premio.
Hamburgo 61 j a. a 90 drv por marco banco.
cofrento.
A noticia mais importante he a termiaa-
caoda guerra oriealal, cujas particularida-
des 03 leiloros encontraran em a carta do
iiussu con espnjenle da corte, assim como
solucao de nao adl.ntar um.passo .quinto ,c o. artijTo. ..lr.hldo.t que pub.ic.mos
nao verificasse a incorporafao dc ambo, o, ""n"^^^ p.sssdo levo lugar, em pre-
L Ob'suculos iotelraraenle insuperaveis fa-lsenca de S. M. I., em urna das salas da is-
la repblica em favor dos principios que sus-
tentara os cxercilos alliados, me forcou a con-
tinuar minlias marchas desde o Rio Negro, de-
pois de ler esperado all por inultos dias a ap-
pruxiiuayao do Sr. conde de Caxias como exer-
cito do seu commaodo, e a pezardeminha rc-
i, porcra, que as marchas do exercito im-
perial fossem semprc lentas por necessidade ;
e as defecedes as tropas do general Oribe suc-
cediam-se a cada momento. Nao era possivel
deixar de proteg-las, sem sacriear multas vic-
timas, sera desatiender grandes inlereases.
. Dc um a outro acooteciraemo fui levado
at pr-me era frente dos ltimos enlrlnchel-
i menlos do general Oribe. Nesli poslco ne-
nhuma ouira altcrnaliva restara senio a dc dar
uina liaialli i cootra um exercito que contivi
ainda oilo mil e quinhenlos soldados das tres
armas, ou a de contiuuar a empregar os indos
pacficos cujoi resultados linbam sido al eu-
lao to felizes.
a O ultimo meio poda conduzir a termina-
dlo Instantnea c completa de uina guerra que
dura ba mais dc oilo annos. Otterecia este re-
sultado sem ellusode sangue, sem o sacrificio
de multas victimas ; e o ubjccio da prsenle
oainpanha se preenohia silislactoriainenle.
Neslcs momentos desejei mais que nunca
consultar as resoluedes que erara necessarias
com os representantes dos governos alliados, e
inulto particularmente com os de S. M. o Im-
perador do Brasil.
cola militar, a sustentarlo de Hieres para o
coocurso s cadoiras vagas de substituto da
escola de medicina, sendo concurrentes os
Srs. Francisco Bonifacio de Abreu, e Fran-
cisco Ferreira de Abroa. No da 25 tinha de
reunir-se toda afaculdade da medicina pa-
ra, depois de lulas as provas por escriplo,
proceder vulag.V.i sobre os dous candi-
datos.
O primeiro lente da armada Joiquim
Alexandro Manso Siyo foi nomeado lente
substituto da academia do marinha, era
preenctiimeolo da vaga deixada pelo falle-
cido capitao do fragata Bernardo Jos de
AlaiJiJ.
Foi nomeado lente propietario do pri-
meiro auno da aula de commercio o Dr.
Antonio Machado Das, lente substitulo da
mesaia.
OSr. senador Candido Baptista de Ol-
veira, lendo ido de visita a residencia do
Sr. ministro da fazeada em Andingy, l
foi acotnmettido de urna Lio violenta ia-
nammaco de inteslinos que Ibe Dio per-
miulo voltar a sua casa,
Tinha chegado ao Rio a fragata de vapor
ingleza Centaur, conduzimlo a insignia
o contra-almirante Henderson, que veio
substituir o contra-almirante Reynolds, no
commandoda esitacSo naval no imperio.
Tinha sido preso em Monlesidioo canario
Cabrera, assassino do infeliz Dr. D. Floren-
cio Vrela.
Le-se no Cirmo da Victoria de 27 de se-
tembro :
Consta que o 9 do corrala foi roubada a
casa da administrando das rendas geraes da
villa de llapein 'riin.o o delegado de polica
orocedeu o esame, e corpo de delicio, e es-
t se organizando o competente processo.*
No da 14 do pisssdo leve logar no mor-
ro de S.Tbereza, adiante dos dous irmios,
um singular duello a pistolla entre dous es-
trangeiros um dalles dizia-se offendido
em sua honaa. A distancia entre os comba-
tes foi de 20 pasaos, e no fall riiu as teste-
inundas. Dado o signal, desparou un pi-
ra o seu adversario, que que ficou encolu-
me, e o outro fez o mesmo alirando para
oar.
Da llahia o M icei nSo ha novldade algu-
na, e reina em ambas o socego.
Vamos concluir o extracto aac noticias que
nos trouxc o vapor ingles Tetfiof.
Heiponha.
A rainha Izabcl tinha convocado as corles
despatilllas para o dia 5 de uoverabro aliin dc
que canlinuem as sessoes suspensas no mex dc
julho.
Reiuava entre os membros do gabinete
tanto discoucordancia, que uina crise esteve
eminente,
Eis aqui o que dis o Heraldo de 8 dc outubro
sobre cstcassumplo :
A' ultima hora.
" As noticias que demos uoailigo anterior
eoniii ni iran-s mais breve c completamente
do que podamos esperar. O general Armero
pedio hontem a sua demisso, que se diz fora
aceita, c ainda se assegura que na Csela de
hoje ac publicar o decreto.
a Falla-se, posto que nao com seguran, i,
da iiuiiic.ic.io scobor Doral para a pasta da ina-
riuha.
" A importancia que tem a sabida do Sr, Ar-
mero nao necessila ser consignado, involuuta-
riamenlc recordamos a sahlda do Sr. Pravo
Morillo do gabinete Narvaes, bein que
nao suppouios os mesinos motivos no Sr. Ar-
mero. >
Criie minuleridl ~ Alrancs.
k Apreseulad* a dcinisso do general Arme-
ro, conforme os seus colicas com ella, c dan-
do-se canta a S. M. que nao se opppoz a sua
demisso, parece que a sabida do general Ar-
mero lieou addiada, cedendo este s Lntanclas
de alguns dos seus companheiros, espccial-
\ mcn.edo Sr. marquez dc Miradores.
1 Como vemos leilores,apezar desta recotn-
I posicao imprevista, ludo o que deixamos dilo
i sobre este assumpto est em seu lugar a crise
j que consom o gabinete conserva a intensida-
I de que linda, c senao houvessc outro sytnplo-
i ma della alera da rpida evolueao que acaba
dc vcrilicar-sc, bastara para cbohecer luda a
sua gravidade o saber-se que he ja indubitaa
vel.que o Sr. Nocedal abandonou o cargo dc
sub-secretariados negocios do reino.
I'uili ira chegado a Vigo os prisloneiros rc-
in. mos dc Cuba ; tambem ali chrgou a viu-
va do general Enoa, mdrto na mesma ilhc na
peleja com os invasores. O governo hespa-
nhol concedeu-lhc una pensao de 20,000 rea-
les, e a banda de Mara Luiza. Outras recom-
pensas foram igualmente concedidas a varios
militares que defendern! a ilha.
Km Madrid linlia-sc aberto urna subscrip-
.;.io em favor dos feridos e das familias dos que
ni.o rer un na luta, e urna soinma consldcravcl
tinha ja sido assignada.
Italia.
Os leitores ja saliera que o imperador da
Austria anda visitaudo seus estados na Italia, e
bem assim qual a maneira pela qual lem sido
resabido,
A munleipalidade de Milo apresentou-lhc
urna supplica sobre o desejos do povo, que
sao :
I. I > mi un i can de i nipos tos.
2. .Woilinca,ao do estado de sitio, princi-
palmente no que diz respeita s armas de caca
c de proprladefensa.
i. 3. Publicaco dc umaannyslia por dolidos
polticos.
a 4. llcsilieliiniciiio em Verona do senado
judicial.
5. Restabellcciincmo da'reunio central.
As viudas em quasi lodos os otados italia-
nos lem sido acoinmetidas de una eufermlda-
de que as deslroe, o que tein causado all enor-
mes prejuizos,
Dinamarca e o ducados.
A .1.o un iiea coutinua em pai, a dicta uacio-
nal fui aberta ltimamente pelo rei era pessoa,
0 qual em o discurso que pronunciara nesia
occasio, disse que o goyerno eslava fazendo
os maiores esforros para que os limites da mo-
ii ii ein i c a successo coroa fossem definitiva
e seguramente lixa ios elle declarou demais
que nestes esforcos tcm sido apoiado da ma-
neira a mais aectuosa por todas as potencias
cslrangciras, as quaes continuara nos melho-
res termos de amizade com a nacaio dinamar-
quesa.
A assembla dos noUvcis dc Schlcswlg-Ho-
Istein propoz o seguinte plano para a ordein
de successo monarebia dinainarqueza:
Na prevlso de que urna successo ao
Ihrono eoniinum a todos os estados da monar-
ohla ser eslabelecida de um modo que garan-
ta os nlcrcsscs dc todos os ctdados, e respeito
as pretenedes dos agnados que tem o direilo dc
succeder, os abaixo assignados tamiam a liber-
dade dc propor os principios seguintes de ura
plano para a organisacao da monarebia dina-
marqueza.
a I. A monarchia dinamrqueza forma um
todo,neste sentido que todas as suas partes lem
um um s principe, urna s dynastlo e una
rcpresenlaco coiniuum para oa diplmalas e
cnsules. O pavllhao ser o mesura pira to-
das as parles da monarchia : mas contera II In-
signias de cada urna dellas ; o mesmo lera lu-
gar a respeito do exercito e da armada, mas
cora as restrieces Indicadas no 8.
2. A monarchia corapde-se do reino dc
Dinamarca, dos durados de Scbleswlg-Holslein
e Lsuemburgo.
3. Os ducados dc Holstein e Lanemburgo
continuara a fazer parle da confederacSo ger-
mnica. O ducaso de Scbleswig conserva sua
amiga independencia, A poslvo separada dc
cada um dcstes ires ducados he garantida pe-
las dictas espeelaes. s quaes he coniendo dc
concert com o soberano, o poder de lomar
resolucoes a cerca dos negocios interiores dei-
tcs ducados. Quinto orgaulsacao Interna
destes paizes, ella ser fixadi por estatuios
particulares de constiluicao.
. 4. Os ducados de Schlcssvigc Holstein con-
servara sua coinmunho de idraiolstricao c dc
justica junto ao soberano. Euipregidos natu-
raes dos ducados sao us nicos que podera fa-
zer pane de suas autoridades administrativa! e
Indiciaras. Quanlo s ilDas de Alseu, Arroe,
Turninglehns, ellas conservara suas antigs re-
laces a cerca dos cultos e da insirucco,
a 5. As duas nacionalidades do ducado dc
Schlesmlg gozo dos meamos direilos, e o Sta-
1 luano do i, de Janeiro de 1848 aerve de base


no que reapelta i Hugo doi calloi e de n-
slno.
6. Cada ducado toma parte, conforme
una proporcio que ser i embellecida, oaa
deapeas oocaslonadaa prlot nrgnciot da roo
narchla. Ser Asado uma re para annpre un
miuinum que devrri itr pago annualmenie
peloa dueadoa. He a auaa dietaa particulares
I"* aar reaervado conceder uma aorama
malor.
7. A introduccao de un systema to uni-
forme quaoto poiaivel de alfandegaa. de cor-
reioa.de inoeda.de coimuercio e de navega-
cao para toda a monarcbia he reservada a um
accordo de todas ai representares particula-
res. O ilaluouo do o 1. de Janeiro de 1848 ser-
vira de base para os ducados.
8. O ejercito commum da raonarchla nao
tem aenio um ebefe e urna dlrecco superior,
responiavelad.su dinamarquesa e dos du-
cados. As despesaa dcsta administraban serio
destribuidss segundo o paragrapbo 6. As tro-
8as de Holstein e Lauenburgo for.nao o con-
ngenle federal allemSo. no qual nao sero
adinitiidos sean alletnea. As tropas do du-
cado de Schleswlg furmain uuibeiu una parle
separada do exercito. As despeas deates ex-
Uohim sido prejudicadas satisfactoriamente iu-
deinnlsadis.
PsriU,
A Prora transcreve da correiptmincs allmanJ
de Llega o segulnte artigo i
a Reina ba lempos entre oa governos da Rui*
la i'ersia urna certa animoiidade. Segunda
as noticias do Levante receidas pela Guela de
Trini,, ralla- ata da probabllidade de um
rompimcito entre os dous estados. O Diario
deCoostanllnopla pretende que alguna turco-
manos Incendiaram uin navio russo nu mar
Caspio, depoisde terem-lbeassasslnadoa equl-
pagem. Em consequeocia disso o ciar pedio
a demisso do governador de laoiadcrah, e
ameacou etn caso de recusa remover baodeira
imperial russa de Tehern, Como qusr quee
deiiiUsio nao fosie dada be provavel que dahi
resullem hoslllidade entre a Ituasla e a Persia :
Yar Mrheinet Klan gov;ruador de Heral
inorreu, e o Xah da Persia, apeaar da apparfco
do plenipotenciario' loglez tci oceupar aquella
cldapepor auas tropas.
A Uulli CoHiUtueiomllt caalim o artigo se-
guiule sobre as compllcaces de que a Asia
central he neste momento o theatro :
Ha dose aonos que o exercito persa dirfgl-
ercltos pesarain sobre cada urna das parles da do pelos agentes da Russia, [A repellldo dos
inonarchla a que perteneerem A partecipa-
cao de Holstein na armada dinamarquea he
reservada a uin arranjamanto com aComfede-
racao germnica,
8 Um accordo ulterior niara at que pon-
to a divida publica sera commum entre os es-
tados de loda a manarebia.
10. Este plano de organisacao ser subrre-
tldo ao came das assembleas representativas
dos estadosipartloulares.
Anecia,
A lessito da dieta sueca foi encerrada pelo
rei no dia 4 de aetembro
No discurso que prouunciara nesta occasiao.
do as regras que tornee* toieneii, favor
Od por um capital sulllclente, ella dore
dar Minis bellos resultados
Aa hostilidades dos indios tinhsm ee
SiIo as fronteiras de leste e sul; porm
duravsm anda no norle. Uma ospedicfio
militar commandid pelo general J. M. Es-
t> II darla acompanhar os cornmisssrios ne
viagem quo ism emprehenderau lago Clear
e as asacantes do Sscrsmento, alim de ten-
tar influencia de negociacOes O indios ini-
roigosdo Mngiiet lliver foram dispensa-
dos : porm estao looge de seren submet-
tido.
a Os trabalhos de construcco progridem
com rapidez na cidade de S. Francisco: de-
pois do incendio do mez de malo passa lo
acabaram-se 150casas de tijulo, e ouiras
estao em bom andamento. Ueste modo se
desenvolre o lab, ico dos lijlos e principia-
se a cavar algunas pedreiras que pro me t-
tem lornecsr podras convenientes.
a No meio de todas as preoccupafOes de
negocise de empresas, apoltica nao per-
'le seus .1 r.'iins.
Os vfiigs e us domocralss fszem reunios
preparatorias alim de designaren] seus can-
didatos respect.vos legislatura do estado
e diversas magistraturas do condado.
s quatro candidatos so congresso,
percorreraui ultioiamente o paiz par re-
crutir votantes. O projecto de divislo da
California em dous estados, projecto do
qual so tem muitas veus tratado, preoecu-
i"i aiud cerlos condados meridionaes, prin
ciplmente aquellos nos quaes se acliam os
amigos eslaDeleciaietilos hespsnhoos; el-
los esperara reconquistar por este meio a
importancia poltica que perderam debaiio
do impe.lo da orgsnisacSo actual. Esta
questao, nnalmente, loca naturalmente no
equilibrio nacional, a os estados do sul nao
deisariode vigiar este movimento.
Ksilava-se nos Estados-Unidos do ums
nova espedtccSo que se prepara om Tesas
contra um dos estados do Meneo.
Cuba.
O genernl Lopes uepois de derrotado e
2
Patacho brasileiro ~ Valente gneros do
pas.
Histe brasileiro-- 1 lord Cururipe dem.
RENDIMENTO NO MEZ DE OUTBRO
DE 1891. _
Rendimento toul 386:485.955
Restitulcoea 218,88o
muros de llera!, e que a Inglaterra emprenen-
deu a funesta expedlco de Cabul, ou por am-
bicio ou para acabar de um sogolpe com a In-
lluencia russa as fronteiras do Indo. A Russia
levantou a luva e respondeu ao desalo com a
eipedicao de Chira Os dous adversarios mar-
carain deste modo o ponto de reunlo oaa pla-
ntees da Bactriana ; porque ae os Inglezes li-
vessem chegadoa estabelecer-se em Cabul e os
Russoa em Chira, os Haskirs e os Cosacas le-
i i.iin em pouco lempo viodo s inaos. Porm
as duas cipedlcdes malograra.n-se c quando a
Inglaterra vingou a honra de suas aun,, com
. uma nova eipedlcaoc casligou vigorosamente
o soberano annunciou s cmaras que em su os Aghans, retirou difinilivamente seus exer-
iroilma reuniao Ihea apreaentsrla um pro- ellos destas regules, alim de faier conquistas
seto ctrcusnitanciado sobre a simpliHcako dos: mal. facis e mais uteis no Sindo e no Puud-
impostos e sobre os mellioraiiienlos que devem i jaub.
"'0,rVdulido rcc,P* dos mesinos. So a Russia nao renunciou seus planos e
Elle declaiou tambein que consagrarla toda esperou um momento favoravcl para exccula-
sua alten joau caininho de ferro projetado no > los. O primeiro cuidado do gabinete de San-
intenor do pan. dividido anda sobre esta Petersbourg fii submetter ao seu dominio a
Srave qiu'si.in. Em tim o re fellcltou os esta- costa oriental do mar Caspio, alim de procu-
i>s pelas relorinas operadas tanto na ordem ra um pomo de apoio para suas expcdices fu-
poluica como na ordem material, e expressou turas. Como Ihe foisc preciso assegurar pro-
al esperanea de que ellos contiuuariam a mar- visr.es. reforcos, e procurar ui.....co de reiira-
ar ne,U Tereda- da, mandou levaotar lonaleas em diversos lu-J fugitivo, foi linaimmite'"Veso" pel7auon-
a n 1,"," garesepoi nellasgusrnices. Eniabolou negu-l ,a JBs cuaiias e logo deooia larr.iiea.in
A edrte da llussla acha-se abandonada a nm clacdes com os Turcomanos c como estas ti-|r^,.i |.11|1W ,i '= f?.1 ? '
profundo desanimo em consequencia dos rev- ; ve.aem bon, resuliado. como. Kirghises, os "'m,n, I,V .., oum,l"""")lros. "'
es que o eiercito do Caucaso tem ultima- quaes consentirn! de boa voniade em seguir o emolimos para a llespanll, senio quatro
inents eiperimculado ; demais a mortalidade eiemplo dos da pequea horda e em recuuhe-
naquelle eiercito continua a ser conslderavel. cer o ciar branco como seu senhor, por iguae,
Ulmpeador resolveu Irsosponar-se ao tbea- operacoes repelidas durante uma serie de an-
tro da guerra para presidir em pessoa as ope- nos, a dominacn russa estendeu-se at ao la-
lacdcs de suas tropas. Por agora os llussos se goAral, Siedarja cas fronteiras de Tuikestan
iiinii nan,,, deffenciva, mas quando ebegar a Oeste modo adqueno a corte deS. Peters-
prhnavera, a guerra ser rcuovada com vi- burgo urna base para empresas mais vastas, lo-
^-5' ,iii. B0 1ue ,e ""erecesse urna occasiao favoravel.
noticias deb l'i'tcrsliurgo relerem que em Presentemente, o momento he ebegado, c a
todo o Imperio russo secncorporam ao cierci- Uuissia parece decidida a aproveila-lj.
oabouiens capares de pegar em armas, e que A morte do Kan de Ilerat deu o signal de
ai i.iiii Ka. de armas eitrangeiras, principal- urna guerra de successo ua qual a Persia
mente as da Pelgica, estu esgoiadas pelas e- tambein toma parte, e provavelmeiite, bem cu-
llornes eiucomuiendas da Hussiaj moem 1848. ella invocar ainda urna veosoc-
(ifDii corro da Russia,
Descobrio-ie ultiuiameutc em Alhenas urna Todava, os llussos tomando por preteilo
conspiracao democrtica, multas pessoas foram urna iucurso dos Turcomauos, desembarca-
preas, inclusive o gerente rcspoosavcl da ga- rain um corpo de tropas no lado oriental do
*e"*~ Minerva, mar Caspioe diriglrain-se sobre Heral.
O ministerio traballia em varias reformas, O general l'eroivski que, apesar do triste
principalmente na repartico fiscal. resultado da eipcdicao de Chira, passa por um
O governo lurco lomou em fin o partido de dos geueraes mais habis do exercito russo,
expedir os bandos desalteadores que se relu- lomou ltimamente o coiiiinando em chefe no
giavam em seu territorio quando perseguidos, territorio dO'emburgo. Se elle inrcbasse s
e voliavamdahi incesantemente para infestar ou cin juneco com as tropas Persas para o
as proviociasgregas. O bando do famoso Ha- Heral, nao Ihe aeria dlfcil, no caso cm que
lamataloi dispersado por um corpo de iropas estivesse prvido de urna anilhaila sulllcicule,
urcas sendo uma parte delle anniquillada e apoderar-se desla fortalea, na qual nao aca-
rugindo a outra para aa monlanhas. ria desta vci um Poltinger. Pergiiniam alguna
governo gregoesl fimemeolc decidido a se a Inglaterra licar por venluaa espectadora
iiianter tranquillidade de q' o palz tanto neces- impassivel de urna conjuntura que aineaya aba-
sita, os trlbunaes n nao ajudaudo ueste lovavcl lar em mu lempo que nao esl longe, eu un-
cmpenhOiulliiiKinenieo jury de Alhenas conde- perio da India ? K.io o acreditamos c otamos
Ris
DI rei tos de consumo
Dito de I por cento de reexporta-
cao para os porloa estraogelros
Dito dito para os port is do imperio
lio dito de baldeaco
Espediente de 5 por cento dos g-
neros com carta de gula
Dito de I/i por cento doa gneros
do j. ii/.
Dito de 1 1/2 por cento dos gene-
ros llvres
Armaxenagem de 1 por cento das
mercaduras
Dita dito da plvora
Premio de 1/2 p. c. dos assiguados
Mullas calculadas nos despachos
Ditas diversas
Sello lino
Patentes dos despachantes geraes
Emolumentos de certiddes
386:347,076
358:434.469
128,380
11,880
69,020
Nasteguinles espides.
Dinhelro 163:313594
Asslgnado 203:033,482
Depsitos.
Em bataneo no ultimo
de setembru
Entrados no corrente
mez
382,866
318,450
159,693
1:747.822
451.886
3:981.047
289,663
122.500
57.S60
200,0110
2,360
366:347,076
19:026,572
5:998,606
Sahidos
25:025.178
2:599,950
Existentes
/Vas $eguintes especies.
Dinheiro 1:048,077
Leltras 21:377,151
Ris 22:425,228
Alfandega de Pcruambuco. 3l de outubrodc
I8.ll.Ocscrivo interiuo, Franerco d Paula
('onfafiiii da ifea.
iiou a mu i,, um dos chefes de salteadores que convencidos que cedo ouviremos fallar de me-
lora preiu ; isto junto persegu9o que estao didas adoptadas pelo governo britannlco.
sourendo da pane dos Turcos u tem grande-
mente desanimado.
Na Priste de 28 de setembro l-se o scguinle
artigo a cerca do estado da recia,
As cartas que recebemos de Alhenas com
data de 28 de setembro nos anuunciaiu que o
governo grego venceu a linal os obstculos Presidencial, sein com ludo dcixar de luto o
jjue embaracavain sua marcha; todas as re- 'nrlhoramentos maicriaes do pait Ultima
6
KiladijS-Uniiot
A uniao americana, nao obstante o excita-
menlo produzido pelos ltimos acontecimen-
los de Cuba, ficra tranquilla, sua populacao
continua a oceupar-sc com a prxima cleic.io
oosloa em liberdaJe pelo governsd'ur da
ilna.
O vapor sl'ampero, no qual Lopes e sua
tropa linham ido a Cuba, lora entregue por
Mr. Ligur em Nova Orleaus as autoridades
luioncanas. A lina licava perfeitsmonie
iiini|iiilia Os prisioneros confessam que
nao acoaram quasi neuouina sytnpalhiana
pOpula;3o da uiesma.
Main.
A 1'r.it .le 25 de setembro publica o seguinte
arligo sobre o estado do Uait:
n U At'cnirculrado antes de houtem no por-
to do Havre, procedente do Cabo Haltiaoo,
iraialgumas pariiculaudades iuteressaotes so-
bre a situaco do Halle at sua partida, as
juaes o capito Rabulte consiguou cm seu re-
latorio:
.... As tramarfles cominerclaes, prlocipal-
menlc as que exisleiu eulre os caiuponezes e
os negociantes do Cabo acho-sc sugeitasa urna
qeslagnaco quasi completa, occasiouada pela
empresa mal succedida do principe Pono a
quem o comuiaudo desla proviucia fura con-
liado pelo imperador Suubuque.
t. O piincipc l'obo que fura nluitas veies,
sein duvida, leslemunba da Justina eipedlta de
Faustino l.ojulgara couveuicule ganhar os
bosques com alguns do sens partidarios; ou-
tros pagaram com suas cabecas sua criminosa
complicidade.
4 A cidade do Cabo c seus arredores esta-
viui cobcrlos de tropas. IIaviain revistas to-
dos os dias, Ocstadomaior du imperador era..
milito numeroso: niugueiii fai idea de seufl
abundantes gales. v
" A 22 dejulho, o barco de vapor do F.stido,^
Mii-i ., comiiiaudado pelocapilode fragata Mar-
ccl Lesquiu, chegou no.aiicoradouro, viudo de
Sant-Yago de Cuba. Elle tornou a partir a 28
para l'ort-an-Prino, A saude do estado maior
deste navio era pouco satisfactoria
Importaran.
Patacho brasileiro Clemnntina, viudo da
Rahi, consignado a Joau Francisco da Cruz,
ni iini'-.st- i o seguinte :
11:na pennas de meial e canelas, 5 ditas
diversos tei los, 1 dila couros preparados,
18 saces especiaras, 14 barris chumbo, 18
barricas nulas preparadas, 10 barras zinco,
10 gairafdes seva linhs, 5 caisas charutos,
10 gtgos e 2 caizotes quarlmli -s, 146 tallias
louca vi Irada, 20 monugues, 515 caisinhas
ebranco 10 2i. Napracaas triniaecoes na
branco de Havanna f irira de ponca linnnrtan-
cla ; fino de 26 a 28, e balso da boas k 25,8
Ri'liuado. Alm diste as radaceots c.iiili-
nuarain a ler lugar deita a nossa ultima Infor-
macao, e os nosso posiuldoras faiera vendas
com repugosncla. Os assucsres em pies trl-
guelros foram rendidos de 43 a 43j8, e os coin-
muns ohamados da 43|6 a 44 por quintil. Nos
quebradizos fe-ae pouco negocio anda, e os
precos sao antes mais balsos. 500 calas de
assucar candi bollaodes foram adinlitldaa em
leilao de 50 a 55, e o branco fino a 65 por
quintal.
AmrfcraVm.
(Jo/t.-eide a ultima venda publica da oaf
hnuve lugar urna aublda de o. I si, Colamos
o bom ordinario Java c. 26 a 36 i[4 por l|2kl.
logramina.
An'ic-ir.Desde a vend publica de assucar
oao houveram lugar transaeces algumaa de
consequencia.
Arroi. Fe-ie multo para exportacae, as
vendas da semana comprehendem 5,000 saccas
de Java de U. 7 a 10 1(1 e 11,000 de Arican
de 8. 7 t|4 a 7 1|2. Carolina, fl. 12 i|2 par
50 kilograinuias.
Anluirpit
Caf.O mercado do caf est bem susten-
tado. San Domingos e o Hrasll subiram pouco
mata ou meooa c. l|3. 5,000 aaccaa de San Do
mingos foram vendidas de c :8a28 1|2. 2,000
saccas do Brasil e 800 de Uatavia aeharain igual-
mente compradores. Oa drpo.itoa consislrm
cm 90.000 saccas contra 88,500 saccas em 1850.
Alyodio. Foi procurado durante a semana,
cerca de 900 saccas da America foram danos-
las aos precos regulando dec. 26 li2 a 34 por
1|2 kilogramma.
Arrni. Est em limitada procura. 100 san-
cas Carolina foram vendidas de 11. 13 1(3 a i4.
Airucar.As transac(des durante a semana
comprehendem 1,000 calas da Havanna de 0.
13 112 a 14 1,4.
Os depotltos comprehendem 13,000 caixii
da II iv na contri i6,000 em 1851.
Couros.Cootinuam procurados, e os precos
estn firmes. 6.000 seceos e 4,500 salgados de
Dueos-Ayrcs se veudciam no decurso da se-
mana.
Ilambnrgo.
Ca/\Est em bda poslcao, e o precos su-
biram de s. I-16 a Ipl desde a semana passada.
ni vendas moniain em 12,000 saccas do Hrasll,
de s.3 3|4 a 4 l|2; 3.000 de San Domiogos.
des. 4 a i ipl | 1,500 La Guayara, de s. 45,8
a 5 1(2.
A IgudioEsl em procura moderada ; 300
saccas da America vendidas de s. 5 a 5 3i8.
A.iiiirni-Os precos do assucar esto firmes ;
dlspoieram se 1.000 calas de Havanna, o tri-
gue.l de '" ,3 'I* '* 'l'. e o ..manilo de
ni. I!.!(! a 17 por 1,000 libras; 1200saceos de
Pernanibuco, de m. 12 ipl a "
Arroi._Esi em procura regula
moedo.BnrtnrdloodeSeo d ou ,
reiro, lfeh.fM HI|gin,onrJo.qu,m,,rfLou-
ctsco P.ntn, AntSnio Jos doV'?'
Gregorio dtTarf* OzorioMaoieid ^Dr-
U, oom soi seahors, Jos I nr... ACos-
ho, olJados 43 es-dTo, PM Cou'"
Cette 63 lias polaca frnce. .
Jenny, d. IM n.ll.d.., fS, fitUU
equipagemo. carga Tlnho a ?U ,er,a'
ros; a> O. Bi.ber* Comp.nw. gea-
llh. de Malo- I9diss, econi d ,,
zi S.ni, de 130 tonelladsa p!?.
'Hue-
Brsndt, equ.p.g.m 8 c ". .,llC.,.P'lSo "
;hrislisn.andeP-880 S^ffii,' 0n"e"-
guense Csroline. de 130 tonilud.. ""-
pilSo P.I.M.rselio., equipswrng": a"
b^lhso ; a Me. MmonC^^
^EDITAS:
charutos, 1900 molhos pissssba, 2000 quar- D" ion Ub,".. "'
finli*tf ^,a.,al al .1,.^.., ____;___2. .. T P* luu "oras.
lionasagrauel, 24 duzas cossueiras deja-,r
caranJ, 13 barricas lanilla de tapioca, 166
saccas dita de mandioca, 58 ditas caf, 35
lardos Auno e2i|2 arrobas tabaco em p.
Patacho brasileiro Msrgarida, vindodeS.
Cathartua, consignado Luiz JosO de Sa A-
rsujo, manifestou o seguinte I
3853 alquelres fannlia de mandioca e 300
ilion ligues; ao consignatario.
Polaca r.Bspanhola Flora, vmda de Barcel-
lonae Malaga, cousignsds a JoSo Pinto de
Lemos & Fillio, manilestou o seguinte :
133 pipas, 12 meiss ditas o 170 quartolss
vinho. 10 pipas agurdente, 50 barris azeite,
4 pacoies rolhas, 1000 resleas albos, 1398
cusas I ulas seccas, 80 barra uvas, 12 sac-
eos ervaloce, lOObarus azeilonas, 48sac-
eos chumbo de uiiiiucfio, 2 catsas saugue-
su^as ; os cousignatarios,
Patacho dinauarqudz Swise, vlodo de
Terra Nova, consignado s Me. Calmont &
Companhia, manifestou o seguinte :
1675 barricas bscalbo ; aos coosigna-
tsitos.
Brigue sardo Psulista vindo de Buenos
A y res, consignado a Manoel Alves Guerra
Jirit?!', maoifeslou o seguiuto :
3055 q.uiaes bespanhoos carne; a ordem.
Ungue a uericauo Gnorge tis, vindo de
Boston, consigna lo a II Forsler & Cooipa-
Bollirdaa
Ca/i _Ila grande dlsposicau para se faier
negocio, e por conseguiole os precos estao
mais firmes.
Assucar.Nio est procurado, posto que as
cotaedes contlnuem sera umita alteracao.
Liverpool 8 de milubro de 1S. I.
Itelatorloda semana Iluda em3deoutu-
bro. ~
Algodao. O mercado tem estado fro o
sni aiinnae.iii p.la somaiia, sum fireums-
tanciaa algumas de uma apparencia nors e
interesssote que nos opprime, ou de urna in-
i.irni.ea.) addicional para a safra futura
Julgamosdesnocessano reduzira escala das
tinssas ciilai-O -s, podendo-se apenas apre-
ciar aiieracnes etli procos; ti.ln obstante
que o negocio tem sido a favor do compra-
dor. A mui importante questao da esten-
ao ds safra futuaa pernanece como den-
les.
O estsdo do commercio nste psiz torna-
se espersneoso, perm socegsdo. Os con-
sumidores tem pouco algodSo miio, e es-
lam esperando msssdisnte por um desen-
volviuicnte para um supprlmento futuro.
Noentanlo, attendeodo ao pequeo de-
posito com que fecliaie-mos o anno, o nosso
mercado deve ser referido como (irme, o es-
ts confianes exist na estencBo que apre
sent escala dos precos ser conservada. A
uo, acaba de volar por unanlmidade, >a terueira ~Courrier des Elats L'nis :
lei apreseuuda pelo ar. Cnrisiids, sobre aor- OProinetlicusque narlio de San Joo
ganisaco dos hec
imperial.
" Houveram subscrlpr.es alim de se oll'erc-
ii em bailes S. Magestadc. Tudo linha mu
ardefesta; todava ouvi dizer a algumas pes-
soas que o imperador Louluuquc, tiulia viudo
ao Cabo na intcncao de cnlrcgar-sc a oulro ge-
nero de divcrtiineiitot o negocio do principe
Robo o prcocupava vivamente, e dcsia-se que
ia proceder-ae a umaaveriguaco, j se linhao
enviado tropas em procura deale principe In-
fiel. Nada transplrava relativamente aos no-
vosprojeclos de guerra contra a parle hespa-
uhola. "
Noticias posteriores dadas peto tVtckty Herald
segundo o espirito da lei frauceza que re- moa l,rl,ncir, de aconleciiiienlos c de cio- anuunciaco que os governos do Haily e 3. o-
cocs ; ella aprsenla pelo contrario um aspee- mingos se preparo pa
creanos da comlabilidade Nicaguara a 12 de agoslo, chegou a quaren-
geraL Depois da votaco o ministro submet- t.CDi quaita-felra noitc; porm foi smeote
leu (inmediatamente esta lei a cousideracao do '"'"'em de madrugada que eutrou no porto
senado, o qual a sancionara em duvida nenhu- S?,,l,')0u *valla-sc que linba a bordo
uia, poisa npposico oo forma maisque urna J>'".0IJ0 dollarcm ouro em p, do qual atnaior
fraca minora, por causa da nomeaco receule Parlc pcricnce aos passageiros.
de novos senadores. ." Asnoiiens da California que Irai este na-
lei fioauccira a mais importante, a da vl lesncain al 2 de agosto ; ellas abrangeni
comtabilidade geral do reino, ful tambera pur fnseguinte um periodo de dessele dias,
presentada cmara dos drpuiados pelo un- a,s ".'"'"as dalas que livemos precedcnlcmeote
nistro da faieuda
a compem
dos Segundo
gula esta uiaierla! Ella coipi'eur'o sjsuiia
ae geral do reino, ful tainbrm J-""'6utnie um periodo de dcsascl.
cmara dos drpuiados pelo mi- a,5 "'"'" datas que livemos preceJcntc
seuda, Osuumcrosos artigos que "eSen-FrancIsco param a l dejulho.
foram inleiramenie coudcua- A ultima meiadc desie met nao fra
140,329
fra chela1
I preparo para renovar as hostilida-
--------------_... .. u v '. i i I s> ------- I"-- ** un ii | >aia ilj.ua a'
nnancrirodoSr. Christids, syslcma que sera af "'"" qual piova que a ordem lende des, c que a armada iaitiense j se linha di ri-
'.".t.A .c":,e no "fio dos elcmeoios des- gidoparao capo Hiin de fascr-sc de vela para
CONSULADO GERAL.
Rendimento do dis 3......
Exportarlo.
S Caibarina, patacho brasileiro Novo Luz,
de 131 tunelladss, conduzio osoguinte :
2000 alqueires sal, 26 latas com 52 ariobss
de sssucar e 5i> meius de sola.
HECEBEUORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 3...... 436,555
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 3..... 179,955
posto em vigor antes do lim do anno,
A le do oicainenio dci852ser apresentada ""dos da sociedade Californiana. S. Domingos,
ein breve aos corpoa legislativos; lodosos dias ,' "y'nploma uns imporlantc a este res- Kicarno'ia
fldpDn-P^T.iCOn'el?"d",nn'"roVob"pr'- (ai r? ''f,ai'">n'i:io'lueacoln'i,1o'levlgl-1 Um nove rcsolucao acaba rebentar nesse
idencia do rei para terminar esta obra impor- .' de^San-Francisco mostra de entregar paiz. A 4dc aensto o sreiieral Munor n-nii-
Ti"?:.b:lr',,,;,,,r,-,e-,,,ede,?e,o"o&,n: .X&^teragul. ** dc,'ue ^^t^T^^^bSXii "t-
po trabalhao ministro da faienda; ella lara "e nh* apoderado no intercale de seguranca queno corpo |dc tropas, a admintsiracao elelia
connecer a icidadena sltuajao buiuceira do """ "* magistrados parectm prumptos cm malo passado, poderou-ae do preaidenlc
pan. Desla vei, o orcanieiilo das despezas ser a";u"'P'lr os deveres que llics foram impos- D. Jos I.ancano Pineda e de todo seu gabinete,
posto em equilibrio com o orcameolo das re- '"* e "'.""de que o novo cdigo criminal, cepto U. Jsus de la Rocha : e enviou-os p-
cenos cada cnipreg jera encerrado nos llmi- j'""0 r" '''>'=r de,de primeiro dejulho, du- i i o porto da Uniao, lina d.s Tigres, d'oude sc-
laaojurypara aapplicato da pena, contri- gundo o rumor publico, o vapor ingles os con-
ouira sem duvida para tornar sua trela mais duzein para San Joao da Concordia.
tes das mais estricta economa. Um dos prin-
cipaes assumptos traudos nos couselhos mi-
tnsierlaes he o do empresluuo. O governo pa-
rece multo decidido a fazer proposias s trez
grandes potencias aiim de livrar a nacao tan-
to quinto lor possivcl da divida que tem cou-
trabido.
Os discursos do ministro da fazenda pro-
nunciados na tribuna do seoado. ba pouco
tcuipo -
-------- r uw .*>< mmm- wsaatuai para
c.l n ., O senado reuuio-se (inmediatamente etnGrc-
u jury pode de boje em dianle pronun- nada, porque Muoz eslava de poase de eao,
,. !.,,lV"'"a dc"",rle"0"aaquellesquecoin- e elogeo a administraco provisoria seguiule:
iiielterein os crimes de incendio, defurlo, de D. Jos Montenegro, presidente; Jess de
rouuo, etc ; elle ja usou do sacramento do la Rocha, secretario dos fiuauos; D. Firlol
poder de que se acna revestido. Tres houiens Perre, sccrelarios dos negocios estraogelros;
j criiinuosos de turto loram con- H una ventura Sylva, secretario da guerra.
a cor agen, de emp, lu nder a reforma a mais
ur8eo| 'l"e reclamava o pali, e isto ou meto
das ilillu uld ules iuiincnsasque o cercavam.
A forca armada grega peisegue os restos da
famosa quadrillia desalieadores de Kslamatra,
....a iouos oa palles, porm quasi todos lem recu
na calilornla apezar da secca que reiuou sado reconhecc-lo. O
durame o inveruo e a primavera
w cucarregado dos nego-
'"7' primavera; as cape- cios da America o hanrado John R Kcrr, vol-
rlenolas que se Bleram deram lio bellos resul- Ion para Granada e apresentousuas credencias
dora avante cm ao presdeme .Montenegro que recebu-o mui
que cordialnieuta. O governo coolraluu com
lados que multa gente cuida
pedir trra productos menos iocerlos
de banco falsos de 50 Jrachmas. Como ao prin-
cipio se ignorava a quaolidade. urna viva in-
quietado apoderou-sc do publico. Os ac-n-
multo procuradas, porque urna eiploraco,
de dia em dia mais inlelligcnle sabe lirar
dellas aluda linmensos proveitos: os mezes
CuuiuiUiiicadu.
Grande tem aido o numero de peruambuca-
nos probos e inielligentes que tein-sc apre-
volados na
sem-
posso deiiar delambem
Oulrsscompsnhtasquereunirsm capi- relio.)
tes da desordein procuram agora explorrosla 1ue cabam de lindar deram provas palpaveis
circo insta ma 0 bancu de Aiheasi,e quasi !dl"0' c lodos pensatu que as expcdices de
uma Instituirn francesa, a maior parte de seus *B0S' e de setembro ho de elevar-se a som-
bir se Isto fussepossivel.
Suisia,
Tem bsvido sobre as fronteiras do canto dos
Grisoes varios conflictos entre os soldados aus-
tracos eos habitaotes do territoriosuisao, mas
nenhuin resultado serio tem dalles sabido.
Os conservadores suisaos hao concordado na
segulnte programla, caso saio vencedores
as prximas eleice para o conseibo nacio-
nal.
1. a Reforma da conslituico federal, supres-
so do conselho nacional manulenco do con-
selho doa estados, e restabelecimeolo da sobe-
ranis cantonal;
2. a Adijucaru das despezas de guerra aos
caotea do Sunderbund;
3. Bevogaco do decreto da dieta que exclue
us jesutas de iodo o territorio da coufJdcraco.
4, Rasubellecimento de Neucbaiel sobre o
auligop. .
A qtirato de nolccao do territorio nacional
lelos Austracos lora amigavelmenle regulada,
aendo as reanles dos panes limllropbes res-
tabellecidas sobre o amigo p ca pessoas que
Joo Pinto de Lemos Jnior (negociante.)
COMWERCIO.
taes considersveis, cavsm esnses lim de
trazer agoa dos ros pars os placeres nos
.| i us ..|la falla ii.iia a lavsgem. Trsbslhos
deste genoro f irsm comocados em Calave-
ras, Tuslume, Yubs, e no it > americano ; o
maiscoosideravel he o que deve trazer aira- ALFANDEGA.
vez das colimas as agoas do brsco meriiio- Rendimento do dia 3 6:603 593
nsl deste ultimo rio at so vslle de Placer- Descarrcgamkojeidenovsmbr. '
ville. Ha uma emprezs gigantesca para a Patacho inglez Henrri & Uargaret mer-
qual be preciso um capital de mais de meio cadorlas.
milnio, mas que nao espanis aquelles que Barca ingleza IV. Hustelt -- queijose pre-
c >iiceuersro seu projecto. Liles leem d'sn- zuntos.
te iiiIu a certeza do concurso eflicsz de lo- Patacho diiiama-quez -- Ltvist bscslho.
tos os miueiros dos rrebaldee. Polaca haspanhola Flora meroadorus!
a A ex dorac^o de quarto aurifero inspira Brigue americano Gcorgc Otes larmha e
mais conllso(a que nuucs; dirigida segn-, remos.
LONDRES.
Mercado do assucar.
Rclalorio de 4 de oulubro a 8.
O mercado do assucar permanece ua mesma
posicao desfavoravcl como por algum lempo
passado ; os exportadores e os nossos negocian-
tes continan! a encimar cun repugnancia,
estando os depsitos faltes de animaco, exce-
dendo oado anno passado em i8,400 toneladas,
e os precos declinaram Unto para o colonial
como para o estraogeiro. As chegadas foram
anda imporlantca, esislindo eale anno 12,800
toneladas mais do que o anuo precedente, como
as sabidas para o nosso cousummo sao 14.50P,
e para exporlaco 9,000 toneladas menos. A
gaieta do prreo de contribuyan he 3|9 por
quintal mais baixo do que nesta dala em 1850.
Indias Occidentaes__Desde a nossa ultima
informsco coucordou-se urna redueco de 6
d. por quintal para a melhor especiarla, e rj d,
a 1 para as qualidades inferiores, trigueiraa e
pardas, todava todas as parles nrgociaram
com repugnancia. Na terca-feira os Importa-
dores le. 11 II. 11,1 precOS melle,I es do ijile OS de
sexla-lira; c ua especielros e os refinadores
estain Inclinados por conseguale a ehVciluar
com mais liberdade. Fez-se um bom negocio,
e as vendas orcavain por 774 barricas; o de
Harbadea lino ainarello foi vendido de 38|(J a
39; boin 3t a 38 ; bailo ao mediano 3J|6 a 35;
fino triguelro 3i ; mediaon ao fino chelo de
graoslnhos amarello36 a 40fO; Grenada triguel-
ro30a32; baixo ao mediano amarello 32|b a
MI Nevls, bom amarello 34 a 34(6: mediano
33a33|: baixo 32 a 32|6 ; triguelro 3U a 3li :
mu ordinario 39 por quintal.
Das Mauricias Pequeas trausaeces tira-
ran lugar privadamente, ainda que hajiui
vendedorea aos limites especialmente mais bai-
lo, do bom ao tioo amarello pde-se alcancar
de 35 a 38, mediano ao bom mediano de 33 a
34|8, baixo 32 a 32|l, bom ao Bno trlgueiro20a
3l|f>, as soites inferiores 25a 58i6. as qualidades
pira retinar 30 a 35, e crystalisado 34 a 43
As chegadas lalharam o anno passado de 1,(30
toneladas; e a diminuido as saludas para o
nosso coiisunimo he de 7.100 toneladas, como
o deposito he maior de 3,400 toneladas.
Indias OrienlacsPara as qualidades Inferio-
res de llengala o mercado est frouxo, e os
precos balxaro aiuda. Efleituarain-se as me-
Ihores qualidades com repugqancia e precos
mais tacis foram tomados. O branco Honarea
com tudo conserva os precos anteriores. Na
terca-felra houve repugnancia em negociar
o de lleiigala, e precos pouco mais baixoa fo-
ram convecionador. De 3,600 saceos em lei-
lao 2.000 acharam compradores: bom ao Bno
branco de Benarea foi vendido de :i a 41 ;
mediano 37 a 38; ordinario e mediano igual'
ao das Mauriclaa 32 a 33|: bom 34 a 35|6;
fino 36 a 38 por quintal. Nao ae oBereceu em
leilao ueniimn de Madras, e apenas se fez al-
gum negocio privadamente, ba vendidos aos
precos mais facis.
Eslrangefro. Com poredes de Porto Rico
pagos os direitos o mercado flcou bastante-
mente supprldo, e os possuldores moslram re-
pugnancia em i nectuar, os precos decliuaram
1 por quintal para o triguelro, e aa mala baixaa
sortes do amarello, porm os melhores geral-
mente suslenlariio oa limites anteriores. Os
vendedores estao disposlos a aceitaren! para o
triguelro de llavana 19 a 32 para os nmeros
10 a 16, para o irlgueiro Hrasll l6|6 a 17,
lucidos de algo-
'" trigo elOO re- Icommissao dos correlores collocsm o bom
(Uplands a 5I|2 d., Mobile a 5I|2, e Orleaus a
6 d. Foram comprados para i'XpeculacSo
1550saccas ds America, 920 de Surrste, 410
do Egylo, e 30 de Demerr, e psra esporta-
30 da Bengsls. 60 jo Egyto, 580 de Peroam-
buco, 650 da Bahis, e 20 de I) murara. As
rendas da smana orrjSo em 33.680 saccas.
Do 4,6, e 8 Je oulubro.
Desde o dia 3, n3o hoovc KcrscSo slgu-
"1 a nos prefos, o as vendas montam i corea
de 22,000 saccas.
As vendas al boje constsrSo de 1,491840
ssccas. As imporucOes at esta data foram
de 1.476421 saccas. Estima-s o deposito
at 3 de oulubro em 554,320 sacess. O con-
sumo desde o primeiro lejioeiro al 3 de
oulubro, foi de 1,166610 saccas Pars es-
portasau desde o primeiro de Janeiro at 3
de oulubro 199.640.
Os algodOes conservam ainda os presos
seguint-s. Os de Pernambuco e Parshioa,
57,8 a 67,8 d. Os do Aracsty X Cears, 6 a
63|8 d. Os da Baha n Macei, 6 a 61|4 d. O
doMaranliBo, 5l|2a73|8d. porlib a
Assocar. Nao houve nui inclinsi;iu
da parte dos possuidoresa realisar, e tsnlo
os reliusdorescomoosespecieiros compra-
re m lirremente ; porm os precos geral-
mente bsixaram de lodo 6 d. par qui ital.
Nos assucares das In lias occidentaes iogle-
zas 550 barricas foram lomadas, principal-
mente ^elos ruflnadores, incluindo o da Ja-
maica de 33|6 a 35, e o de numerara de 32 a
3i|6. as venias dos assucares de Bengal |.
cancao 5,000 SBCCOSS linares do 36) 6 a 38
prs o baiso ao mediano brsnco, e Dst
de27|6 psra o haiso trigueiro a 35 para o
mediano s marello. Nao huuveram ven
dss nem nos dis Mairicias ou Madras. 0<
ciina.lores e os esporladores comprarao
livremeute o esirangetro. 3,200 saceos do
Brasil foram mencionados; Pernambucod
I5j6 a 16|3 para o trigueiro, e Parahiba a 16
no caes. 2,50d raizas de Havauns mu lanm
de mSos de 33|6 a 37, pagos os direitos, e
19(6 sob palivra. Pono Rico foi opperado
livremente; s rendas orcSo por 500 barri-
cas e 60 barricas grandes de .iS a 36,6. es-
tflbetcendo una liana nesta descrigao de 9
Caf. Permanece desanimado e nao b
alteracao algumaa noticiar nos presos; e
a procura para esporlacSo he limitada ns
ausencia das vendas publicas di: Jamaica as
oni!rat;i)-.sso ll iiilaram a mui POUCSS barri-
cas. Nao tomos que noticiar transscSo al-
guma node Ceylon. Oerem-se roeasionar
no estrangeiro acerca de 500 ssccas de S.
Domiugos a 38(6 e 30 sacess de Lsguayara
a 55.
Couros O mercado continua firme, ol
zeram-seaos ltimos prefos slgurass ven-
das dos salgados do Rio da Prats.
uiiim.ar. oiuoal msbr, serrindna
inspector da thesoursri. a, V,.Ynri"Jo d
rincial, em cumprimento da orden,2,VEt
Sr. presdanla d. provincia d ?3 jnS?'
rente mand. fazer publico, ^ wl',0';
5 e 6 de novembro prosimo aindoura Vi i
pr.r., para ser arramaUdo persnte o LrbV
nsl sdmin.slrstirodsoiesnra the.our.r .*
quem por monos (Izar, a obra da nvt h. *
crreme, de impedrimento n a^Mf
aseada, svahada em 5:005,(Tk) T, M*dl
A arremata?ao sera feta na forma dosar
tigoa 24 a 37 d. lei a. 386 da 17 da mato
corrente snno. I0 ao
Aspessoss que sa propozerem a estasr
remstacao, comperecam na sala dss gestos
do mesmo tr.buosl, nos dias scim mnek,
EparsconsUr se mandou afflssr o Dre-
sente e publicar pelo Dirio. P
Secreisrisds thesoursria da f.zenda oro-
nncial de Pernambuco. u de outuh,u
SI. Osecretario, Antonio Farreada
Anuunciaco. "oira ua
Clauulat especate da arrimarse*,.
1 'O impedramenlo do primeiro l.nca da
estrsds da Escsd., fsr-se-h de conformida-
le com o orcamento approado pela direc-
tora em conselno, o a presentado so Eitn
presidente, pelo preco de 5.005,000 rs.
8.' Os trsbalhos principiaro no praioda
1 mez, e serio scabados no de 8 mej, am-
bos cuntidos da entrega do termo ds irre-
inalHCilo.
3." A pedrs ser previamente esimipidi
(3 polo engenheiro encsrrsgsdo da obrs.
eguiar 200 s.c- 4.' O arrematante nao podera por a segiiti-
.. H3,4 ,2 .,2 ds eamada de pedr.s, antes que oenVennei.
!Snr"; e"mln"/u P''" acosdo
teme qU* '"* term0 COm'*-
5.' O pagamento far-se-ha em tres pres-
1-cOes. sondo quatro dcimas parles dspo
de receb.de a primaira c.niad; ou n!
tro depoisd entrega pro Soria, o tiato
depois ua entrega dednitivs.
6.' Psra o que nao esta determinado as
presentes c ausul.s, segui-se-h. o qudj
p6e o regulamento ds lei provincisl o. 38a.
conforme. O secretario, Antonio Ferreir
ds Annuncugo. "
O Illas. Sr inspector ds thesoursria d
f.zenda provincial em cumprimento da .
dan do tsm. 8r. presiente d. prori.ici.de
29 do corrente. iiiami. fazer publir,i 2
nosd.asll.12 e l3denorembro'&
riudouro, ira prsca p.r. ser arrematado
parante o tribunal administrativo da mes-
roa thesoursria, a quem por menos flzera
obra de um lance ue ces no aterro do. Afo-
WASft* ***.m,h*
.A. or.real2la,0.ser* felU n 'ora dos
rts. 24 e 27 da lei n. 386 de 17 de msio do
corrente anuo.
remi.er.Z,'.nt|U8 M ProP"'-em a esta sr-
ren,ai8Cao, comparecan ns sala oas sessoes
do mesmo tr.bunal, nos ai, .cilIl ,,!
.cretaria da thesoursri da fazenda aro-
vmctal de Pernsmbuco, so de outubr0P de
1851.-O secretario,
ri..i,tonio Ferrelr d Anuunciscao.
Clsusulas espacises da arremitacflo.
1." Acunstruccflo do eses do .trro dos
Afog.dos sera feta de conformida ie com o
orcamento e planta approvaJo pelo Exm.
.Sm',,*Pr""c"' DaB,pofUnci'
2." as obrss principiarao no prsso de um
mez contndose da data em que fr entre-
gue o ter.no de arretasUeflo. a concluir-
se-nao no de 4 meses
3.* O pegamento efTectuar-se-ha na for-
ma determinad no arl. 39 ds lei prorin-
cialn.386. '
4. Pra tudo o miis que nao est deter-
mina lo as presentes clsusulas seguir-se-
na niteiramenleo que dispde a prejlta lei.
CouiOrtne.-O seeret.no,
ai.. A"iuu' PeffO'rs da Annuncisco.
lllm. Sr. inspector da thesourarla di f-
iciida provlneial, em cumplimento da reaolu-
cao do tribunal ad.ninla.ra.l.. r-ada faier
publico, que no dia 6 de novembro prxi-
mo vindouro, val novaineole a prc, para se-
ren arrematadas pirante o luesuao tribunal,
a quem mais der, seis morada, de casas, que
couberam aienda provincial em pagamento
do sello de neran;a no inventarlo de Joaqulm
Luis de Helio Carioca, e que na confonnldade
da le loram adjudicadas a mes.na fazenda, sen-
do 4 na povoaco dos Afogado. ns. 24, 36, 28 c
10, avalladas em 430.000 r. e duaa na ra dos
Pocos os. 16 e 17, avaliadaa em 170,00 r..
Os coucorrentes comparecam no dia nima
indicad,, pelo meio dia n Miado incs.no tri-
bunal.
K para con.tar se mandou affiar o presente
e publicar pelo tllarfo.
Secretaria da the aouraria da latead prorin'
clal de. Periiauibuco,29 de oulubro de IW1.
0 secretario,
AnIonio Ferriir* aTSsiaa X iaeio.
Pela admin.airacS.. ds H>zs do consu-
lado, se faz saber que no dia 4 do correte
se lulo de arrematar em Ossta bublica.a por-
ta pa mes na dmiuistrsf Jo 400 toros de
mangue no ralor d 8,400 rs. e 512 coc is sa-
cos em valor de 30,468 is por pr.hencO
leila pelo Guaidi cuuferenle Jo3o BaplisU
de Arsujo, a Joaquim Jos do Santa Aun*
meslre da brcassa aCooceicao ds Marisa
aica ilv CQ.uiSdC uo 'o. UdtlllJUO O
Novembro de 1851.
O administrsdor,
Joao Xsvter Carneiro ds Cunbs.
Declarayes.
iM'>vintenio do porto.
Navios entrados no dia 3.
Rio de Janeiro e porlos interine ijos 8 diss
e 16 horss o do ultimo porto 16 horas ,
paqueta de vapor brasileiro Pernambu-
can., commandante Joao llenriques Ot
ten. Passsgeiros, Joflo Jos ds Cruz, A-
deodado Serrano Pires Alosan lio de
Mn lonc, D. Francisco Mariano do Lado.
Grillo Miriins da Costa e 1 criido, Dr. Ms-
t.ool Sobral Pinto, com s i Oh o 1 escra-
ra, Dr. Bernardo Pereira do Carmo, com
sua senhora e 2 esersvos, Antonio Rodri-
gues I eile f.'yuilii, Paulo Joaquim Tulles,
Fernando Jos da Rocha, Luiz Carlos Ar-
Pels secretsria da cmara municipal
desta cidade declara-ae ss irmsadades do
Terco, Santa Rita, Espirito Santo, e Sacra-
mento ds Boa-Vista, que noramente davem
mandara meseas secretarla seus procura-
dores, (os iii.isinos) pars assigoarem um no-
vo termo que se fezrestringindo o numero
dss catacumbas, quelhes fo. Bo concedidas,
e est.belecendo s maneira porque devem
ellas ser collocadas, s-gundo o ultimo pla-
no spprorsdo pelo governo da prorincia.
- Esislem aprehendidos pela subdelega-
da da fregue/ia da Boa-Vista, os seguintaa
escrovos : Antonio, crioulo, que diz ser es-
cssvo de Patricio Jos llibe.ro' Sr. do engo-
lillo Diamante. Elias, crioulo, que diz ler
sido esesavo de Jss de Albuquerqne Msra-
nhBo. Amaro, preto, escravo que diz ser
de D. Mari Tollos de Menezes ; quem liver
dire,to sos ditos osersvos, oomparecilo coro,
os s eus ttulos para Ibe serem entregues^
mutw-mt^tmmm i i ^ >'


~~ n.orlj,m do Dr. iuiz do Commoroio da Santa-Cruz, pillo Manoel Pereira de S, Ausentando-me de Pern.mbueo nlo u
~?u,. losa Itavmundo da Coala Mi- recebe c.rge a fre*: 'aliar con Jlo quo rarer sem dar um publico tei,temoDho
iTXo'^lt .^^.ore. do fallido Francisco 5. Cruz, m ru.id; Cruz o. 7,0 3ef .til. ao III. 8M>r SabinoOl.g.no
3
.ms. faca sorenie ana cpj'#tj u .,
jo.qui' j05 de Seii"' P,r* ('UB eomf"nm C
administradores da casa do mesmo fallido ;
ajeando os credores advertidos que nlo se-
rla idroetlldos por procurador se este nao
nreienUr proeursco bsalaato con pode-
ras especias para o aclo, e que a procurarlo
Blo pode ser dada a peaaoa que s)a dere-
dor tu fallido, oemuro mesmo procurador
ropresenlar por dois diverso credores.
Reclfe, 30deoutubrode 1851.
O escrivlo Interino.
Manoel Josquim Baptisla.
D'ordem do Dr. Juiz do commercio da
aesonda vara,Jos Raymundoda Costa Me-
nezes, faco scieute aoa credores dos fallidos
Fernandas da Lu & iruHo. que a reunilo
marcada para o diadehoje 31 de oului.ro,
licou transferida para o ia 4 de novembro
prximo, por ter o curador riscal parte pe-
do olo poder eomp.Kcr. por MW,i"-, granJe 80rlinl()nl0 de fllen ,, ., a,U pro-
tos, como coasta de seuoracio datadona ho meietio, nciUsive porcSo de algo.
jo ; for tanto deven o* dos "Jores <", Oea americanos, que sa venderlo a dinhei-
MMrmt^\?"&2': ro por cont. e risco de quera pertencer:
rece-rem erocaze da rezidencia do mesn o JZ. ,.... ,A--------,;' .. .'. A.
juiz, na ru
do RfCifO, uu raranuu m .-- h
pelas II lloras da manliila, aliiu de verifica-
rom os crditos, e forroar-se o coatraclu de
unllo, e se proceder nomiaglo de admi-
nist dores da caa fallida, fieanduos mea-
mos credores advertidos que no serlo ade-
eildes.
Richard Royle far leillo, por nter
venci docorretor Oliveira, de um comple-
to aortimenlo de fazendas inglezas, todas
proprias do mercado : tcca-falra, 4 do cr-
renle, s 10 horas da manila, oo seu arina-
zem, na ra da Cadeia do recife,
O corretor Miguel Caroeiro, far leillo
oo da quinta-feria Sdo.correole as 10 no-
ras da mannla, no aeu armazem na ra do
Tradiche o. 40, de diversos trastes novos e
uzados, piano, louca, vidros, caodieirus,
linternas, e outros muilo objectos qae se-
rlo entregues por qualquer lance que apa-
recer.
C. 0. Astbey & Companhia farlo leillo
por intervencio do corretor oliveira, de
uTda MadVoeus" do Z'fo q>t.-re.ra. 5 do correnle% 10 Doras da
",oo rKo dl.4de DOvembS m.obla, no seu armazem. o. ruado Tr.pi-
Avisos diversos.
Fez-se sclente aoa senhores negocian-
metlidos por procurador, se este nao apre- iM do trapiche, que qualquer negocio que
sentar procuracoas cum poderes especiaos, a|gum os mesmos senhores faga, para a ta-
para o acto, o que a procuraglo nao pole vern, gjt, na rui NoV n 40( ne com 0
ser dada a pessoa que seja devedor aos rain- sr. Jlo Antonio Aniunes, que se devemen-
dos.enem um meamo procurador repre- eQje.. jagda o dia 24 de outub-o p. passado
sentar por dois divercos creduros. om diante, c para que ao depois desta dala,
Recife, 31 de outubro de 1831. por qualquer cuso ein previsto, alo lentum
O escritlo, [direuo a derejir-sa a algiem. que aoa mes-
Pedro Tertuliano da Cunta. < mug 88uhores foi pedir que flasasem ao eo-
As malas que devo conduziro vapor hredilo Anluos so fazo prezente, osse
Pernambucano, para os portoa do Norte, meamo alguem, agradece mullo aos mes-
principilo so a fechar hoja, 4, a urna bora mos senhores obom molo e franqueza, com
da tarde, e depois dus hura ate o momelo que s jigoaram a sonir a mesma taverna.
de fechar, reoebem-se correspondencias Pede-se a esses Apollugistas, autores do
com o porte duplo. pedido feio so Apollo, que ero Ihes sendo
necesssno fazerem taas roxativas, rrcorrain
ssuas caxolas, pareo fim precizo e nlo
rou'-em descaradamente o pensamento e
expressdes de seus contrarios, sub pena de
podermos asseversr,sorem snascibei;isaii-
Omrta fllra, 5 de novembro de 1851. cor.doras de quanta eslupi lez aparecer. Ha
Utn escolhida ouvertura aervi- de pre- bomeus que qu.lquer pouta decalab ote os
ludio i repres-ntacSo do excellente drama, intimidas, ro. este nlo obstantes j torea
TIIEATRO HE S-IZiBEL.
BE.VEFICIO DO ARTISTA ,
Gftrmano Francisco de Uveira.
de grande espectculo em 5 actos,
O Tributo das Cem Virgens.
Perionageni.
Fernando IV, re de castalia Coimbra.
D. Belt'lo Beotvides, justica mor Res.
dado anuos na clceta, aindase nlocorrigi-
rlo de urna vida lio creminoza : Olho vivo
cum a tal sucia, principalmente em uuite
tenebroza, poissiu as que os taes sujeiUo
ap nvi-ila ri. Safa Com O diabo.
-- Nas5 Ponas n. 52, pn-cisa-se alugar
O Amil ar de Aranz -- Pinto. um preto para vender fazendas com tabofei-
D. Alfonso de Carvajal, com o nome de Nu- r Ii. .:...
nez C 'rmano.
Zudiga soldado Bezrrra.
D. Alorza, capillo das guardas Cabral.
D. ChriatovSo Raymundp.
D. Hanoel ~ J. J. Pereira.
Aluares. aguazil mor Alves
Haml El-Zegri, embaixador mouro Sil-
veatro.
Peblo, aldeSo Jos Alves.
Malinas, dem-- Monteiro.
Joaoit*. pagem do rei Rozende.
D. Igoez, mulher oe Aranza -- l>. Jalla.
Haicella, irmla de Zudiga I). Hanoella.
Fidalgos, aoldados, mouros, mulheres, etc.
A scena lio no reino da Castalia, Da corle
de Fernando IV.
Nolim do drama a aenbora D. Carmella
l.ucci cantara ama linda modinaa bra-
sileira.
Terminar o espectculo coa a graciosa
tonadillia hespauhola, intitulada
U Poeta e o Aluzico.
Cantada e da- ;ada, em terceto pela'Sra.
D. Hanoella eos senhores Monteiro eRay-
roundo.
O beneficiado dirige desde j os seas sin-
ceros votos de agVadecimento a todas as pes-
soa que 84 dignaram prolege-lo.
Coiucjar 8 horas.
Theatio de Apollo.
Por motivos nlo pode ter lugar o espec-
tculo annunciado para hoje, 4 do correle*
PublicacSo literaria.
A sombra do ma-tyr da liberdade Joaquim
.Vunes Machado, araba d ssliir do prlo, e
aoba-aea renda nos lugaresseguintes: largo
do Culiegio n. 6, livraria de Jlo da Costa
Dourado, roa estreila do Ruzario n. 8, e ater-
ro da Boa-Vista n. 74 ; pelo mdico preep de
200 rs,, cada um folneto.
Avisos martimos.
Para l-isboa segu com hrevidade 0 bri-
gue portugnez Coneeic odt Mara, para car-
ga epassageiros trata-se com Thomaz d'A-
quino Fonseca e fiilio, ; na ra do Vlgario n
19 pnmciro andar OU com 0 capillo, DO pra-
va do commercio.
Cedr, Maranhio e Par
O novo brigue escuna Braiilrira Graciosa,
destma-se a aquellos portos, quem no mss-
ino quizer oarregar, ou Ir de passage, di-
rija-se ao consignatario Jos Baptista da
Fonseca Jnior : ra do Vigario n. 23 segun-
do andar, ou ao capillo na praca
O iiiate Amelia, eahe para a
Babia no fm da presente semana :
o resto da carga, trata-se com No-
vaes & Companhia, na ra do
Trapiche n. 34
Para o Rio de Janeiro
O patacho naciooai S.Jos Ame-
ricano, salte por estes 3 ou 4 d'88'
so pode receber alguma carga tniu-
da, passageiros e escravos a frete :
a tratar na ra da rui n. 4o, pri-
meiro andir, com o consignatario
Manoel A Ivs Guerra Jnior, ou
com o capitfio, na praca do Com-
mercio.
O patacho nacional Concei-
cio, vai sahir em poucoa diaa para
o Ass, recebe carga afrete: tra-
ta-sea boido com o cauito Joa-
'luin Francisco da Costa, oucom
os consignatarios Novaes & Com-
panhia, na ra do Trapiche n. 34-
O bergantn portugus S. Manoel 1.*,
de que he capillo Jos Comandes Carneiru,
segu viagem para a cidade do Porto cum
niuita brevidade por ter prompto a maior
parte de seu cairegamento : quem nu tnes-
mo quizer carregar uu ir de passageai, para
o que lem os mais excedentes comroodos,
dinja-so ao mcsiiio rapitlu, oa a aeu con
ro pela praca
Offerece-se urna mulher do meia ida-
de para ama de casa, cosinha, e faz lodo e
servico de urna casa, preferiodo homem col-
tetro : na ra da Guia, loj i de subrado o. 34.
Helira-se para a Hahia Maria Lanise
Philippine Tsppc, e subdita hanoveriana.
Da ra do Collegio at o thealro de San-
ta Izabel, perdeu-sc urna pulceira de ouro
com algumas pedrasdeventunna : quem a
l .ver ao ia lo, e qu>zei rostitui-la, dinja-se a
loja n. 3, ao p do arco de S. Antonio.
Selins inglezes.
Slo ebegado na ra Nova n 47, os melho-
res que ha no murcado : e por pre;o com-
modo.
Ainda alugam-se os dous primeiros an-
dares dos sobrados da nu da Praia n. 29, e
31 : a tratar na pracinha da Independencia,
n. 33.
Voou no dia 29 de outubro, para os
quintaos das cazas da ra Bella, ou suas
ioamediace*. um papag.io com um pedacu
de rorrenti de ac nu p : quemo aciioue
quizer restituir, vi na ra do Mundo Novo,
n. 30.
Frecisa-se de urna ama : na
ra de Agoas Verdes n. 86, segun-
do andar.
Quem precisar de urna ama deleite:
dirija-se a ra do Amorim, defronte do cba-
ruleiro.
Anda precisa-se
doum eaixeiro, sendo brasileiro, ou por-
tuguez, de idade de 12 a i Ramios, que te-
nha pratica do venda : na Iravessa do Son-
gado n. 1.
Dl-se de 100.000 rs. at 1:000.000 de
rs. a juros, de 2 por cento ao mez, sobre
penbores de ouro, ou prala : quem preten-
der, dirija-se a ra larga do Hozarlo, loja
de miudezas n. 26, que la se dir quem da
-- Precisa-se de um eaixeiro, de 12 .unios
deidade : na venda da ra do Cano, de-
fronte da cocheira
J.oureni^o Serallm c sua familia, reti-
rara-se para a B bia.
Joaquim Jos Dis Pereira, faz publico
queoSr. Antonio Lu Vesser, alo he mais
seu caiiei'O, desde o dia 31 do uu'iii>ro de
1851 ; e por laso ingerencia oenhuma lem
em sua casa, depnis desta data.
-- Domingos Jos Bspiisla, subdito por-
tuguez, relira-se para oMaranhlo
-- Aluga-se urna canoa quee.nv.ga 900 e
tantos lijlos e urna dita de carreira : a tra-
tar na >ua de S. Franciscu, casa apatanada.
- Aluga-se o primeiro andar, da casa n.
10, da iravessa das Cruzrs. a tratar na pra-
;a da Independencia, loja de chapeos de
Joaquim de Oliveira Maia.
I'recisa-se alugar urna escrava, para o
servico de una casa de pouca familia,: na
ra larga do Rozario n. 32.
- Antonio Juaquiai Vidal, mudou-se da
ra da Seuzalla Velha. para a ra do Brum.
-- Aluga-se um moleque, de boa cunduc
la, para servico de casa estrangeira : na ra
no Trapiche o. 19,
Precisa-se de um homem, pira traba-
Iharem um sitio porto desta prac.1 : a tra-
tar na ra da Concordia, subrado defronte
das casas du Fernandes.
-- Goven & leile, embarcam pr o Rio
de Janeiro us seos escavos, Francisco e Ma-
noel, relos creuulos, e Marquessimino e
Fraui isco pardos.
Roga-se ao Sr., que por engao, tem
tira lo cartas do correio, para Jus Itamalho
de Suuza : queira fater o favor de mandar
lev-t'S a ra larga do Rozario n. 20, que se
Ibe pagarlo os portes.
Preciza-sede um portoguez que seja
perito em plantarles de sitio, e saiba ti-
rar formigas, quem estiver neatas circuos-
lauciag e quizer irabalhar no silio oa traves-
ea do Remedio n. 21 eoleuda-se com seu
proprielano, o Porleiro da Alfaodega desta
cidade, na mesma repa prova que der de saber o que cima se desa-
ja, e da sua boa conduela &. &. tralar-se-be
do ajuste.
oferece-te om rapaz porluguez para
eaixeiro de venda, oqual disso tem muila
pralica, da fiador a sua conducta ; quem du
seu prestalo se quizer utilizar dlrija-se a
ra do Raugel loja de cantina.
--Precisa-se alugar ama preta escrava,
para tratar ue urna crianca,e cuidar ua la
vagem e engommadu de sua roupa : quem a
Ludgero Pinbo, tanto pelas boas manuiras,
com quessmpre me rion'oi;, como pelo meu
curativo na occasilo em que ten lo da cn-
Urno thealro S. Izabel em a noite de 99 de
julbo fui accommettido pelas 4 horas da
tardada vmitos, t-rri veis dores do cabera,
febre, muitu suor, e desanimo. Me era
multo doloroso querer contribuir com o
meu fraco merec ment artstico para o be-
neficio dus e'stabelnclmentus de caridad',
que nessa uoite devra ler logar, e ver-me
repentinamente assaltado de urna molust'a
aguda, que nlo me permettia levantar da
Cama : mas quiz Dos que ru recorresse a
recounecida pericia do llim. Sr. Dr Sabino,
que em 4 Doras me livrou de lodos os meus
sofrimenios, fleando em estado de poder
can lar uu beneficio dos pobres, q ie ^ara mim
fui gran e ventura.
Esta cura que eu julgo abmiravel. foi a
pauco lempo seguida deoulra, que me dei-
zuu inleirameme convencido do poler da
homceupkthia. Meu filho adoptivo appaie-
ceo cum multas dores, e inchaflo por todas
as juntas do corpo, de modo que nlo se po-
de virar por si, liiihs febre, grilava com u-
ma dor abaixo duumbigo, quelhe privava
as ounnas, e aioda urna vezo lll Sabino me deu 4 vidiinhos queetn 6 das
curarlo O menino.
Por tantos e to revelantes favores mecon-
fesso eternamente grato aolllm.sr.Dr.Sabi-
no Olegario Ludgero l'iniiu, quem rogu que
me d suas ordens, que em qualquer parle
terei muila salisfacau em cumprir.
Hotel Francisco 31 de outuliro de 1851.
Carlos Ricco.
AO PUBLICO.
Como eu fosse despedido do tlieatro do S.
Izabel, pelo aclual emprezarioo Sr. Germa-
no Francisco de" Oliveira, be mister que to-
dos saiblo a razio que deu lugar a quelle
Sr. obrar comigo de tal maneira : por la-
so farjo scieute pela Imprensa, ao publico o
bilneio que dirigi ao mesmo director du
do thealro de S. Izabel. Os sensatos julguem
e decidain para que lado deve ponjor a ba-
Iiiiig i da juilica.
"m. Sr. administrador Germano Fran-
co de Oliveira. Alla do felici lade no ar-
tista, he cauza de sua immuralidade.
Ser possivel que minli familia esteja
at esta hora sem po, por eu nlo ter rece-
bidu o meu ordenado, vencido om 20 do
correte, ao mesmo passoqueum ou ou-
tro collega, solleiro, esteja al adianla-
do ?:...
A'vi mande-meo meu poquono ordnalo para
pagamento da caza em qu' muro, eo mais.
Son de V. S. subdito e submisso, 6 horas
da larde 30 de oulnbrode 1851.
Pedro Baptista de Ssnta llosa.
-- Arrenda-se para se pastar a feta, um
sitio na Mariz da Varza, a margem do Capi-
baribe, com caza de viven la, eslnbarh, e
caza para pidos, estando ludo bem a.-sia-
ilu : qii.nii o ..reien ler diriji-se Antonio
Luiz Texeira Guimarles, na ra das Tnll-
enemos, jantu ao enrtorio do Sr. Motta.
Pergunlas i u nocentes.
1. Nos casos de prucedimenlo ox-ofOcin,
lendo J4 deposlo cincotesloinunhas, e sido
interrogado o 'o po le o juiz formador
da culpa inquirir mais daquelio uumero ?
2. I. nlo sendo abusiva, e errnea essa
P'alica, pur immediaU cunsequencia dever-
se-ha proceder segundo interrogatorio, para
uesse acto o reo produzr a defeza, qne de
novo Ibe sobrdvinr?
Pede-se aos lllms Srs. Advogados, hajlo
de discutir estas questles, que ora seagiHo
no Furo.
O Curioso.
A fe ligues.
O arremstante do imposto das aiericde*
deste municipio do Recife, vende as fregu
zias seguintes: Al'.ig-dos, Varsia, Posso, 8
I.ourenco Jsbuatlo, e Muribeca : quem pre-
tender ilirija-ae ao mesmo.
Naprimeira audiencia do Ulm. Sr. Dr
juiz dos fetos da fszenda, se arremataras
por exeencao da faz'D la provincial, os beus
penhoradosa Jlo Biptist* Pereira Lobo, os
quaes slo oa segulnles l U n sitio no luarar
do Poqo da Psnella, avallado em 8 01)0.000 ;
duas casas terreas contiguas an mesmo si
Do, urna avaliada em 1:500,000, e outra em
1:800,000 aun si'io no lugar de Apipu-
cos, avahado em 6:000,000 : e os bens an-
nuooiados em o Diario dePernambuco, de
24 do curente.
-- Aluga-se urna casa terrea com sollo,
no sitio do Cordeiro, margem do rio Caoi-
biribe, conenmmodos para grande fami-
lia, cozinha fra, cocheira, estribarla para
6ou 8cavallos e quarlo para criado; urna
dita mais pequea no mesmo Silio, tamben!
com comniodos para familia, cozinha fra'
estribara para 4cavallos: para ver no mes-
mo sitio, e para tratar com Gabriel Anto-
nio, no paleo do Canno n. 17.
Casa de modas francezas Bnessard
Millochau ra do atierro da Boa-
Vista n. i.
Pelo navio Comte Roger recebeu-se um
lindo aortimento de modas de Pars, em
chapos do seda, e de palha onfeilados para
snhoras ; dito de montara j di'os de paln
enfeaiado pira meninos : manleleles, e capo-
linbos de seda de cores e preta ; l-mbem de
cambraiai; lindos tocadores e capailas ; ca-
becees de luco de lnon le e de liuliu : romei-
ras; camisinlias bordadas, mangas borda
das ; flores ; luvas espartilhos, gravaliohas
le eludo preto com as fivedas; um rico es-
colhimento dss litas novas; lenciuhos do
seda de retroz ; transas de sada c de lia pa-
ra vestidos bicos de todas as qualidades e
mais fazendas, ques4 venderlo em conla.
Faz-se efTectivamene todos enfeits de se-
uhoras om cnapos.tocadas, turbantes e ves-
tidos com goslo igual aoque vem direila-
menie de Parios pur preco muito misem
COta.
-Oabaizo assignado faz sciente ao res-
peitevol publicu que Josc Rolino Cliuiaco
da Silva,tleizou de ser seu eaixeiro desde 30
de outubro de 1851.
Manoel Joaquim da Silva Ferras.
Joaquim Pinhxiro Jacome mutou sua
residencio para a I,ha do retiro na passa-
gem do Magdalena.
>1 uiti Anglica da Bocha,
rxami nii'la na arte de Ubstreclicia,
acha-sc residindo em o ultimo so-
brado da ra das Agoas-Vcrdes,
prximo a igreja do Tero onde
poder ser procurada a qualqaer
hora do dia ou noite.
O aliai.vo assignado, adverte
aquelles senhores que Ibe eslSo de-
vendo con us antigs, que nestes
8 dias, Ihc mandem pagar seus de-
hitos, fiauo este praso os chamar
pelas suas iniciaes, e depois pe
seus nomes por inteiro ; o abaixo
assignado, lanca m5o deste meio,
por n5o ter muis conta, as vezes
que tem mandado o seu cobrador
em casa de alguna drstes senho-
res, que alias nao tem pago por
mesmo nao querercm, e nSo por
Nos abaixo assignados fazemos sclente
as pessoas que nos slo devedores e muito
primo p lmente aque les quo devere n a mais
deum auno,que desta d-ta em disnte insti- I lie I illurein meios.
t:iimosp.raoor.dordoiiossasdivida,aoSr.| Antonio omineos FintO.
Manoel Jo iquim do N4^cln^enlo ; e por isso o
bo usersque os senhores freguezes.ef.egue-L" No P,teo do u,rM,a .'0. P/cciaa-se
z.squenosdeverompsgueinlogoanm dee-'d9.u|n m. ^WOW^illi, forre -
Vitar algumas despezss occorridos com a
Justina.
Victorino Guimataeg.
-- nffarecc-so um rapaz porluguez para
cnixi ro iloqualqu ir iirruiii.ic.lo ; quin per-
cizar iiiinoncic por esia fullu para ser pro-
curado.
Rodolfo Jlo Baiala de Almeida, mu-
dou-se para a ra do Collegio, n 15 lercei-
ro andar, aonde i me ser procurado.
Precisa-se de um eaixeiro de boa con-
ducta : na ra da Cadeia de S. Antonio n.
15, armazem de familia.
O Sr. mestre pedreiro, Antonio Victo-
rio, nlo seja to fallo de pnlavra, aprece-se
em Ir pagar O que dovenaoleria dos Coe-
Ihos: do contrario ser chamado a juizo
captiva, que saiba cozinhar e engommar,
paga-se muito bem para servir a una
pessoa.
Aluga-se una mulatinha quo sabe ni
/"i ciclo, e faznr o sertico interno de casa,
com preferencia a pessoa quo se compro-
meta a apurfeicoa-la no eugommado, e na
costura, peluquo sn dar por proco multo
commodo: a tratar na ra do Collegio n. 16,
ter'ioiro andar.
precisa-se alugar urna sala, para cs-
criptono, prererindo-se no Recife, ou em
S. Antonio: quem livor, annunco.
Casa de commissao de escravos.
Na ra Direita, sobrado de 3 an-
dares, defronle do hecco de S. Fe-
Do esoralado confronte o logar do Hos-
picio, levoo ama das maros passadas, duas
gran les travs de slcupira bastantes groa-
ses, de 5 palmos de compr|ro0'0, a sabe'.
urna esponlada, e oula comenialliesdn es
paco em eapaoo: roga-se a quem as llve
achadn, of .vor de declarar sua morada, uu
lo man lar enmmuniear na ra Formnaa,
casa n,, que se recompensar seu trabslho.
Antonio Pereira do Oliveira M>y. del
(Ou de ser eaixeiro do 8r. Jo- Joaquim d
Cunha, desde o dia 28 de outubro agrade-
ce o mesmo Sr, o bom traclamenlo qu
do dito Sr. recebeu, durante mais de 5 an-
que existi em sua caza.
- A pessoa que nu domingo 20 do cor-
rente, pelas 4 horae da madrugada, acho
na sacrista da Igreja do Rozario, uns ocu-
los com armadlo de ouro : quei favor de manda-lo levar ao convenio de
S. Francisco ro padre porleiro, quo loe dar
4.090 ris de graflcsclo peloachado.
Aluga-se urna preta, boa cuzinheira,
compradera o mais airanjos do casa : no
aterro da Boa Vista, Casa n. 33 ; na mesm
casa precisa-se de um negro para o servico
de pa lena,
-- Roga-se as pessoas que tomaram Ca-
pas da irmandiie deS- (respiro, e que a-
levaram para caza, queiraui manda-'as eu-
tregar na ra Direita n. 1 : e se ni i o ule-
rean, vero o seus no oes por este Diarlo
-- O abaixo assignado, avisa a lo las ar
pessoas que tivemm v.lles de importe d>
iinl-cii.1 por elle firmado, ou seus caixeiros.
deappresenla-los al o da 10 de novembro
do coi rente anno, alini de serom pagos, de-
claiando que dessa dala em diante, nlu pa-
gara mais qualquer v lie que teuha com
dala anterior, tendente a bolaxa.
Joaquim Correa de Rezando Reg.
O abaixo assignado, faz publico, que
ninguein faca negocio slgum com um valle
seu, d< quauti de 100,000 ri por o ler per
dido no dia 31 p. p., mez de outubro, depon
de o haver resgstado: por lano tornai-se-
ha nolla a qualquer tranzarlo que possa
apparecor sobre u lito valle.
Jos Das da Silva Cardial.
~ Aluga-se a loja do sobrado n. 51, da
ra Nova, com bastantes commodos para
qualquer estabclcciuieulo, a quem comprar
nina arm ic.lo nova luda envi Irafada, que
existe na inesina loja : a Miar com o Sr.
Coimbra, junto a igreja da Conceiclo.
Precisa-so de urna ama : na ra do
Hospicio, casa n. 17.
-- l'recisa-se de urna mullier forra, para
ama de urna caza de pouca familia : na ra
da Guia n. 42, pnn.eiro andar.
Precisa-se de urna ama parda ou preta,
para tratar d< um menino : na ra das 1.a-
rangeiras n. 23.
Ten Jn abaixo assignado por mais de
urna vez, pur meto do repel los annuncios
no Jurnal Imprens declaradu que li
moflo havia pago a letra da quanlia de
188,810 is. quo Un' constara esistir em po-
der .lo procurador de senlior Manoel Pereira
de Magilbles, letra saca la em sele de Janei-
ro de 1812 a cinco mecs precisos por Bmz
Antonio da Cunta o aceita pelo abaixo >ssix-
nado, sendo quo o seu valor fra recebido
parto pelo Sr. Guilnerme Augusto llodri-
Kues .sclte.pur or ordein do sarador, e parte
uelo pruprio sacador, como ludo consta de
cariase recibos existentes em poder do a-
naixo assignado, torna do novo a protestar
contra o segundo pagam Mito, que so pi den-
le eslerqnir, rogando a quem qu-r que a
tenba receblo, que a restitua ao mesmo Sr.
Braz Antonio da Cunta, da quem o abaixo
assignado nunca p lu liave-la depois de pa-
ga, islo sob frivolos preteslos, sondo um
desles o ler-se esqu-ci lo das chaves da
gaveta no malo, como consta de urna sua
caita .'! e contra quem pretende propor a
con petante sCeBo nlo scivel comocrime,
aliento ao dolo por que ha procdido. alio i -
la a esloclo que proc ira por em pralica !
Calende 30 do outubro de 1851.
Luiz Pureira Viannu.
(Juem quizer possuir, um
bom e bonito pigem, urdo, es-
cravo de ao anuos : pode dirigir-
se a ra das Larangeiras n. i4 ,
segundo andar, que troca-se por
85o,ooo rs.
Preci-so-ss de um amassador : na ra
larga po Rozario, padana n. 48.
OITerece-se uin rapaz brazileiro, para
eaixeiro de loja l'ranceza, ou para outra
q lalquer, leudo ja pral ca, e dando liador
de sua conduela : na ra Velha, n. 56.
Alluga-se urna mulata quo sabe bem
emgommar e ensaboar, cozinna alguma
coutaefaz todo oservigo de urna caza >|uem
a pretender dinja-se ao atierro da Boa-Vis-
ta n. 33 que achura com quem tratar
- O Sr. Joaquim dos Santos Azevedo, dro n. 3, rccebcm-se escravos de
lembre-sequeemquanto nlo pagar o quo vpndcrem
deve na oleiia dosCoelhos ; ter de vor urna aml)os os sexos, para se venaerem
vez por outra, o seu nome nesta folha, e de commissao, nao se levando por
i-so para quem se senie he muito vesgo- estc traua|h0 mais do que a por
ni luso. ^ r.
- O Sr. Francisco Jos de Azevedo, (irs- cento e sem se levar cousa al-
balhador do Sr estrada.em Saoio Amaro,) j gU(na de comedorias oft'erecen-
be tem,>o Je pagar o que deve oa olera dos *J _j. .._
Cocihos. uo-se para isto toda a seguranca
Arrenda-se um sitio : quem pretender precisa para os ditos escravos.
dhija-se ao primeiro beco da camboa do .. A|Uga.S9U(r, bom armazem, oa ra do
(armo, casa da quina, defronte da ra das Encantamento: a tratar na ra da Cadeia
Flore- do Recife n. 3.
- OPTerece-se um estrangeiro moco, de, --j0io Antonio Alves do Brito, embarca
20 annos, para caxeiro de urna loja ou ar- para 0 niorje Janeiro os seus o-cra'os Jos,
mazem de fazendas, de algum Sr. ingles, ^^ Josu e igez, crioulos ; Benedicto, Jo-
ou estrangeiro : quem precizar annuncie, zu,n 0 RuBna, rabras.
para ser procurado, pois esta pessoa lem, .. No domingo, 26 do corrente, desappa-
boa conducta, e da fiador. recen du lugar denominado Soledade, um
Hoga-se ao Sr. Jotquim de poltro novo de primeira muda com os si-
t____a. i? *, m _, 'anaossoguintes: ruco cardlo, com 2 feri-
Arruda Cmara, vindo do Norte jaSi urnaB na sarneiae nutra era cima do.
no vapor S Salvador, que haja de rinsecomamarca parece umLcom2tra-
declarar a sua morada nara ser'009 na ponU em, sima doquarlo direiio:
ueciarar a sua morada, para ser quem oacnar p0lle er,trCgar no Hospicio,
Compras.
signaiaiiu Manoel Jus Hamo eSilva.
Para o Kiu Grande do Sul, segu impre-ltivr eutenda-se com o poitrJiro'da^rfan-
terivelmenteno dia 9 do correte, a escuna Jdega desta cidade, na mesma reparliclo.
procurado, ou dirija-se a ra do venda do lelo de ouro, que se
Queimado, loja n. 48, a negocio
de seu interesse.
Aluga-se o segundo andar da casa da
ra estrella do Rozario n. 30. com mullos
commodos : a tratar na ra do Qooiinado,
loja n. 13.
- Precisa-se de om rapaz, que entenda
dearmazem de carne secca: na ra do Ca-
buga,loja defronle da matriz.
Madame Itidous tem a honra de an-
nunciar ao resueitavel publico que se
Ibe dar as
cha eitabelecida na ra Nova, n. 89, co-
mo modista, e costurera, prompta a sa:
tisfazer qualquer encomen la, como sj.lo ,
chaiios, vestidos, amazonas, manteletes-
gnnal las, capailas, ao eosiume de bailes
e Iheatros ao gosto dos preleudenles que
so digntrem com suas enconen las, allir-
mando qua serlo servidos com todo zelo
. promptidlo.
Precisa-ee de urna ama, para o servico
interno de urna casa ingleza de pouca fami-
lia : na ra da Cadeia Velna n. 37.
No pateo do Terco 11. 92 caza de Fran-
cisco Pinto zorio, alluglo-saeveodem-se
bixas de Hamburgo, prximamente desem-
barcadas
- Precisa-se de um preto, ou molsque
para Irabalhar na casa das aferiges, paga-
se bem : quemo tiver dir-ja-se a mesma
casa, a f.llar com o arroma l.lite.
- Aluga-se um escravo para todo o ser-
vico : na ra da Praia, typogrspbia impar-
Jcal.
-- P'ecisa-se de urna criada, Mmenle pa
ra o so vico de rompas e eogommado, de
urna casa de muito pouca familia : na pon-
te Velha n. 14.
-- Na ra do Vigario, casa n. 7, deseja-se
f!lsraos Srs. Francisco J< l-rqoeira Al-
ves de Barbosa e Francisco Jos Pereira, es-
te de Sania Maria da Silva, e aquello de 81-
gadles, do couselho de Valenca do Minho ;
ao Sr. Jeronymo Luiz Tornan.es, Irmlo de
F> aasco Joaquim Fernandos de SMgaco,
eaoSr Sebastilo Pereira Marques Bastos,
do consellio de Barcenos, oeciarau lo-se a
todoseases senhoies que he para negocio
que diz respeiio as suas familias em Portu-
gal, que sentem desde ha muito falta de np-
ticias suas.
-- I). Unbelina Wanderley Pelxoto, pro-
fessora d'aula particular, sua ua ru 1 da Ca-
deia de S. Antonio, no segundo andar do
edilie o n. 14, aind recebe almonas inter-
nas e externas ; e coolioua a ensinar as ios-
ciplinas j por vezes annuociadas :os senho-
res uais de familias podem visitar a aula, e
serlo teatemuobas do aproveitauente das
alumnas.
Aluga-se o ibeatro deS. Francisco, com
iodos os utensilios necessarios: a traclar
com Antonio de Muraos Gomes Fui reir, na
ruado Apollo, u. 30.
~ Precis.-so de um fetor portuguez :
quam estiver oestas circunstancias, dirja-
se aos AfogaT loa, na ra do Catuca, venda de
joto hespanhol, qne se dir quem precisa.
Compram-s-i escravos e vendem-se de
coiumi-sio, para dentro e fra da provin-
cia : na ra da Cacimba, sobrado 11.11, 00-
.lo morou oSr vigario do Recife.
- Co.npra-se um silio feilo ou terrss pro-
prias para levania-lo, o qual porm seja a
margem do Capibaiibe, teuha baixa pala
capim, eoutras vaiitagens: na ra do Ara-
glo n. 12, segundo andar.
1. ou, iio-c urna preta mo;a,de bonita
figura, Sdm vicios, sabanlo bem engommar
ecizinhar: na vend del'ronte da Cadeia,
n. 26, olo se olha o preco.
Compra-se urna preta moca e de boa
ligura, quo saiba cosinhar, engommar, e
sem achaques, e de boa conduela : Ha pra
c.,1 da I idepen lencia, loja de miudezas n. 3
Vendas.
Vende-se uma escrava mora boa qui
tandeira e lavadeira de muito boa conducta
e bastanti del por qrer;o 470,0U0 rs, quem a
prelen ler dija-sea ra das trinxeiras n
12;tambem se vende uma preta de meia idade
por preco de 3)0.000 rs. ; us mesma caza a-
char com quem tratar.
- Vende-se u sitio de Santa Anna que fice
defronte da venda de Nicolao Rod-igues da
Cinha, o qual 1 'ii caza com bastantes com-
modos o copia fora.e diversos arvoredos de
do frutos ; quem o pertender comurar
dirija-sea ra do Livramenlo venda o. ">.
Alien fio Srs !
Na rita do Collegio loj 1 Nova.
Existe um sortimento completo de fasen-
das para a vender ,dinheiro a viata mais ba-
rato que om outra qualquer parle.
000000000000030000
Q Vende-se um siliu a beira do rio Q
q co o excellente caza, tendo de frente a
ff 70 palmos e 90 de fundocom gran- q
g de sala adiante, 2 gabinetes, o 2 al- ja
,. coras, sala igual a trat, mais 3 quar- \
X tuse cusiuha, com m-is de mil pal- ~
mos decumprimento, e 800 de fien- *[
w te, com grande baixa de capim, ter- 9
0 reno de ba prodcelo, excellente Q
Q banho, o p rio da praca por ser antes Q
^ da Caza Forte : a fallar com Nicolao
W Gadault, ra da Auruia o. 20, segn- *
O do andar, ou na praca da Boa vista O
O na cazaquo O mesmo ah est edi- O
O ficando. O
Os><1>009Q009999090ii>
Vende-se um moleque de bonita figu-
ra, prourio para pagem : a tratar uas Cinco
Poulas 0.66.
Antiguidade e superioridade da
salsa parrilha de Bristol sobre
salsa parrilha de Sands.
ATTEN'C\6
A salsaparrilha deBriatol data desde 1IJ2,
" lem constantemente mantido sua repls-
elo, sem necessida le de recorrer a pompo-
sos anouncios de que as prepararles de m-
rito podem despeusar-ae. O sucessn do Dr.
Rristol lera provocado infinitas invejas, a
entre nutras, as dos Srs. A. It D. Sands, de
"evr-Tork, preparadores o proprielano da
alsa parrilha conbecida pelo nomo de
Sands.
E-tes senhores solicitarlo em 1812 a agen-
cia de Salsaparrilha de Bristol, como alo
pulessem obter, fabricarlo uma irailaclo
le Brisml,
Kis-aqui a carta que os Srs A. R. D, Sands
screverlo ao Dr. B istol, 110 dia 20 de abril
de 1812, a.que sescha em nosso poder :
Sr. Dr. C. C IPi-tol.
Bfalo, etc.
Nosso apreeiavel s mi Vor.
L11 lodo o auno oassado temos vendido
quantidades co'isidersveis do extracto de
salsaparrilha de vm. e pelo que ouvimosdi-
zer de suas virtudes aquelles que a t*m ota-
do, julgamos que a venda da dita medipioa
se augmentar mullissimo. So vm. qrjizer
iszer um convenio comnoaco eremos que
nos resultara muila vantiigem, tanto a aos
cornos vil Temos muitu prszerqueVm.
>ios res muda sobre este assumpio, e se Vm.
vier a esta cidade daqui a un met, ou coe-
sa semelnante, teriamos muito prazer em o
ver em nossa botica, 'ua do Folln a. 79.
Felo ts ordens de Vm. seus seguros ser-
vidores.
(Assignados) A. II. D. Sands.
CUiNCLUSA'O.
I A sotiquidade da salsaparrilha de Bris-
tol, he claramente prova la, pois que ella
dala desdo I8J2, e que a de Sands so appa-
leceu em 1842, poca na qual este droguis-
ta nlo pola ublera agencia do Dr. I! istol.
2." A suporioridade da salsaparrilha de
Bristol he incontestavel, pois que olo obs-
tante a concurrencia da de Sands, e de uma
pnre,1o de outras prepsrsfOea, ella tem man-
tido a sua reputacau em quasi toda a Ame-
rica.
As numerosas experiencias feitss coro o
uso da salsapanlba em todas ss infernal le-
do- originadas pela impureza do sangue, o o
lioin e\lli> 11b. ido 111 SU Coi tu pelo Illa. Sr.
Dr. Sigaud, presidente da academia pe-
nal de medicina, pelo (Ilustra lo Sr. Dr. An-
tonio Juse Peixoto om sua clnica, e em sua
afamada casa de saude na Gamboa,pelo lllm.
Sr. |)c. Saturnino de Oliveira, mlico do
-xercito, e por varios outros mlicos, per-
111 ii.on hoje de proclamar altamente as vir-
tudes ellicazes da Salsaparrilha de Itnslol.
\' 111... a 5,000 rs. o vidro; na botica de
Sr. Jos Mana 1.mu-alvos Ramos, ra dos
QuarUis pegado ao Quarlel de Polica,
liba de > Miguel.
- Na freguezia dos F'Dnaes'de N. Sonhu
ra da Luz, no lugar doSenhor dos Afilelos,
na iina de 8. Mi coc existe tres alqneires
le muito boa vinha, e de muito ronomen-
to, livre, e deseiibarar^ada de qualquer duvi-
la, como ludo se pode aqu prnvar, os quaeS
ires alqueires de vinha, so venda muito em
sonta,e uorbaralissiuio preco, smenlealo
0 da 20 do corr-nle, visto que a nlu se ven-
ler aqu, at este dia, se mandar orden]
para aquella ilha, pelo vapor inglez Teviot,
iue lem daqui passas no dia 20 para ali,
ara la serum ven lilas -. tratar na ra do
Alechm, por detraz da ra Augusta, osa n.
8, as6 lluras da manilla, e das 3, ss 8da
tarde.
Arados de ferro.
A. D. de Mornay acabam de receber da
mais acreditada fabrica na Inglaterra, ara-
dos de ferro de varios modelos uro jr ios para
a cultura ca canoa. Alnuns slo mais le-
ves, ao mesmo lempo que a forma de sua
couslrucclo, moi forte. E-tos arados slo
n.1,11111- para revolver o terieoo. ludo antes
da planlac-lo, assim fertilizan lo trra O
turnando a plantacl irnai. I.eil, e a pri 1101-
a Ipaim quasi disuecessaria. Sua granle
ulildadia juntamente cum seu comino lo pro-
co turnam-se estes arados muito recom-
mendaveis aos senhores de enheoho : ero,
casa de Rothe e Bedoulsc, oo Recife, oa ra
loTra.iiche, n 14.
-- Vende-se uma taberna com poucos
fundos, para principiar : na rebeira da Bo-
Vista, a tratar na ra da Santa Cruz, n. S.
-- Vende-sa uma redo de ton lo con 01
tonta bracas de comprlo e duas de largura,
uor preco com molo : na Iravessa das Cru-
Z'S, D 2, ao p da uolicia.
V. iiilcm-,-o |duas cariocas COIU dOUS
bois : 1111 ua do Sebo, venda n. 39.
Ven-'o-se um sillo com 58 palmos da
frente o'J56 ditos de fun-io, com algumas
arvores novas, -lo na Suledade, junto ao
fogueteiro 1 a tratar na ra Velha da Boa
Vista n. 105, ou no mesmo sitio.
Vcndooi-se 50 saecus oe estopa, novos,
com varas cada um, a 329 rs. : na ra lar
ga do Rozto n. 48, primeiro andar.
Veude-se uma parda escura, da 20 a 2*
annos, pouco mais ou menos, engomma,
cose ecozuiba o diario de uma casi, nlo
le o vicios, neui achaques : a ti alar na roa
da Concordia, quem vem di ponle a esquer-
da, secunda casa terrea se dir quem vende.
Na ra do Apollo, venda n 9, vende-
0 cera amaralia, polo dimioulo precu de
640 rs., a libra. .
- Vende-ae um terreno a relalho, con
1 it palmos, junto a casa uova, no corredor
do Bispo.
-- Ven le-se um viollo servido, em bom
eslado, por 9,000 rs. : na ra larga do Ro-
zario u. 35.
Familia.
Vcndo-se eupeiior o muito nova familia
de S Cathanna : a bordo do patacho V-
rente, nu na ra do Trapiche, armazem nu-
mero 9.
Trancinha de caracoes.
Ven le 1,-so trancinhas de caracoes de
lia e de sela, proprias para enfeilea de ves-
tidos : na ra do Collegio n. I, loja de roi-.
dezas.
Luvas de pelica para homem.
Vendem-se luvas de pelica decores, para
homem, pelo mdico p eco de 1,000 re.,
cada par : na ra do Culiegio o. I, loja de
miudszas.
Caixinha de costura.
Vendem-se caixinhas, proprias para cos-
lura, por prec-o mais co nmodo do que en
uulra qualquer parle: na ra do Coilagio
o. I, loja de miudezas.
Luv s para meninas.
Vendem-se luvas de pelica para meniaas,
por preco mais oummodo do que em outra
qualquer parte : oa ra do Collegio o. 1, lo-
ja de miudezas.
Prezunto de Lamego.
Na ra da Cruz, venda o. 57 vonJem-se
prezuntos de Lameiio, c legados ltimamen-
te ein harria, e a retallio, aliauca-sa a boa
qualidaJe, o por seren de oncjinuiida, as-
-1111 como, lodos os mais gneros de regalo,
para o pagamento da feata,: ludo muito
bom e barato.
lOspt'llio de purede
com ricas moldurus: vendem-se no arma-
zem de kikinauu li mos, ra da Cruz n. 10


Loteria do Rio de .lancho.
A os 30:000,000 ders.
Na loja de miudezas da pracada
Independencia n. 4> vendem-se bi>
lhetes inteiros, nicios quartos ,
oitavos e vigsimos da 18. loteria
do theatro de S. Pedro de Al-
cantara.
Vende-so Repertorio do theatro francez
em 4 grandes volunta*, historia eclesiastiquo
Eor le Uocteur Archibald Mecame 6 vol. :
iitorii do Brazil por Coosltacio, 3 vol. Ar-
ta potica de lloratio arte de francez por
Lhooond, Diccionario historico.Ceograflco e
Milhologlco por Francisco de Paula Jacou,
cartas iln Cicero, Terentii Coma1 li., poesias
de Diniz da CruzProsodia de B. P.Uffl Aihlas
geogralico novo ; filosophia do Parrard etc.
tudo quasi novo, por prego commodo as
cinco ponas D. 25,
Attencio, na ra do Collegio.
n. 3.
VonJa-saosseguintes artigos de Ierro fun-
dido, e oulros metaes; segura papis com
figura de differentes moileiloa ; cinzeiros e
depozitos para charutos porta relogios, ar-
Agencia de Edwin Maw.
Na ra de Apollo n. ti, armazein de Me. Cal-
moni Se Coinpanbia, acha-ee coDatantemcotc
bona aorllmeotoa de t&lxa de ferro coado e
balido, tanto raaa como fundas, moendas in-
ciras todas de ferro para animaes, agoa, ele ,
ditas para armar em madelra de todna oa ta>
manhoa e modelloa o mais moderno, machina
horlaonlal para vapor, com forca de 4 caval-
loi, coucoa, paaaadeirai de ferro eatanhado
para caaa de pulgar, por menos preco que oz
de cobre, escovena para navios, ferro ingles
Unto em barras como em arcos folhas, e tudo
por barato preco.
I' ai i tilia de mandioca.
A mais nova e mais barata familia de
mandioca que ha no mercado, vende-se na
ra da Cruz do Recife, armazein n. 13, de
JoBo Carlos Augusto da Silva.
Bombas de ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Jiruin ns. 6, 8 e 10,
fundicSo de Ierro.
JEin casa de J. Keller & Coui-
panhia, na ruada Cruz n. 55, acha-se a ven-
da onxcellento e superior vinho de Bu-
No vos gostos !! !
Na ra do Crespo n. i4. loja. de
Jos Francisco Dias,
Vende-se no Maranho, a fabrica
de bugias stiarinas e sabUo.
Os administradores da liquida-
raMoa para fazer fogo, c/ucifixos, dubado-
ras proprias parasergueiros depozitos para
penas e limpadoresdas mesmas, apagado-
res de vellas, guarda-joiascom almofadas
da veludo, palmatorias e porta.charulo.lam-
parinas de porcellana transtarentes, cande-
labos para vellas, tintotros, eserra papis,
guarda pennas, guarda relogios, jarros pa-
ra plantar llores, espelhos, ludo o melhor
possivel, novamente chegado e promnte-se
vender multo em conta, e muitos mais oh
jectos.
Direilo romano admiuisiralivo ; e obras de
P. J. Proudhoo, e horteiisius do S.
Albn.
L'slSoa na venda,ra das lloros n. 31 os se-
guinles livros om francez, novos e boa en-
cadernagiio Iranceza : ortolan explicarlo
histrica das insolutas de Jusliniano, Pariz
1844 3 gr. vul. 8". : por 12,000 rs., o oiesmo
autbor: historia da Icgislagflo romana, des-
de a sua origem at a moderna legislarlo,
Paris 1846 1 vol. 8o. pr. 6.000 rs., Laferrie-
11', antigo professor de direito administra-
tivo na faculdade de Ronnos, curso do di-
reito publico e administrativo, Pars 1841
1846 1 gr. vol. 8. pr 8,080. P. J. Prondhon,
da creagSo da ordem na Initnanidade, ou
principios de organisag3e poltica, Pars
1813 1 vol. 8o. pequeo pr 5,000. O raesmo
author, a escolenle memoria subte a pro-
priedade. Paris 1841 1 vol. om 8 dito pr :
5,000 rs. Saint Albn, iogicajudiciaria, ou
tratado de argumentages logacs: seguidada
lgica da conscienciaI'aris 1811 1 vol.
8." d. pr 4,000. rs.
-- Vimi i.-sii ou troca-se por utn cavallo,
ljom, que sirva para passara testa, una cs-
crava de bonita figura o propra para lodo o
servigo de urna caza ; na ra biroita n. 104,
loja do ourivos.
t.'lieguem freguezes,
Vendcm-se na ra do Livramenlo loja
ainarella da estrella, n. 5 de urna s porta,
couros do lustro do melhor quem lom viudo
a ote mercado, pelo diminuto preco de 3jt,
res a pclle, bezerro francez, marroquins Je
todas as cores, sapatos do Aracaly de lio-
memo de menino, por pregos commudos,
assim como sola, c couros miudos da me-
lhor qualidade : ludo por primos commo-
dos, assim como sapatos de marroquim para
sentiora, e sapalues de hornero, de lustro e
bezerro.
Vendo-se um cazal de gansos muito
novos. por barato prego : na ra de Moras,
n. 110.
Vende-se urna preta possante, o do bo-
nila ligura : na ra Augusta n. 33, em casa
do Cabo.
Vendo-so ou aluga-se, para passara
festa, duas grandes cazas, sitas no lugar do
Barro; com grandes quintaos, que tem de
fundo para mais do 600 palmos, com copa-
das e arvores de fruto, com banheiro do
agua doce : a tractar no largo do Terco n. 22.
Vendem-so muito superiores queijos
flamengos, ltimamente desembarcados
pufo diminuto prego do 960 res: na quina
do pateo doCarmo, venda que entra para
a camboa do mesmo nome.
AGLiNClA
da fundicao Low-Moor.
RA DA SENZALLA NOVA N. 42."
Neste
De pe
estabeleeimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos, pa-
ra dito.
Deposito da fabrica de Todos os
Santo na Ualiia.
Vende-se, em casa dr Y O. Bieber&C.,
na ra da Cruz n. 4, algodSo irsnsado da-
qnella rabrica, muito proprto para saceos de
assucar e roupa de escravos, por prego com-
modo.
>osto de cal e potassa.
No armazein da ra da Cadeia
do Recfe n. 13, lia muito supe-
rior cal de Lisboa, empedra, as-
sim como potassa ebegada ltima-
mente, a precos muito rasoaveis.
-- Vendem-se cera em velas ,
fabricadas em Lisboa c no Rio de
Janeiro, em caixas de 100 libras
sortidas, de 1 a 16 em libra, etam-
bem de um so tamaito, por me-
nos preco do que em ootra qual-
quer parte : trata-se 110 escripto-
rio de Machado & Pnheiro, na
ra do Vigario n. iy, segundo
andar.
Para as escolas.
Vende-so no pateo do Collegio, loja do
livro azul a synopsis do general Abreu o Li-
ma, ltimamente adoptada pelo Kxm. presi-
dente da provincia como compendio de lei-
tura e historia do Brasil as escolas prima-
rias da provincia.
Prego em brochura 2,560
Encadernada 3,200
liap Paulo Cordeiro
vende-se na loja de Cunha c. Amorim, na
ra da Cadeia do llecife,n. 30, este superior
rap, em botos e meiosditos, rccenleioenle
hegado, por preco commomdo.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. I7, ha
muito superior cal nova cm pedia,
ebegada ltimamente de Lisboa
Principios geraes de economa pu-
blica e industrial.
Vnnde-sn este compendio, approvado para
g aulas de prtrneiras letras '
praga da Independencia, lia
relias, em harris do 5.-, he muito recom-
mendavel as casas estrangeiras, como ex-
excellente vinho para pasto.
Mercurio.
Vende-se mereuriodc primei-
ra sorte, a preco commodo : em
casa de A. G. Abreu, na ra da
Cadeia-Vclha, n. 48.
Velas de espermacete.
Vendem-se velas de esperma-
cete de ptimcita qualidade c por
preco commodo: em casa de A.
C. de Abren, na ra da Cadeia-
Vclha, n.48.
DEVERES DOS HOMENS,
a 5oo rs.
Vende-se este compendio 1 pro vado para
as aulas, cm meia cncadcrnagJo, a 500 rs.p
cada um: na livraria n. 6 c 8, da praga 11,
Independencia.
Clieguem freguezes a lzendas
baratas.
Pessas de cambraia com listras de cores
com 8 varas, por 3,200 rs., corles de dita
com salpicos a 2,800 rs., ditas do cassa pin-
tada com 5 varas a 1,600 rs., cassas du cor
escura por 210 rs o covado, ditas prclas a
100 rs. o covado, iden para babados e corti-
nados a 2,100 rs. a pegsa, cortes de chita
om 12covadosa 1,800 c 1,920 rs. : na ra
do Crespo 11. 6.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com cambao de sicupira e bracos
da ferro : na fundicao da ra do
Rrum ns. C, 8 e 10.
Vendem-se amarras de ferro : na ru
pa Senzalla nova n. 42.
Moinhos de vento
eom bombas de repucho para regar hurtas
d baixas decapim : vendem-se na fundigiio
de Bowman Me. Callum, na ra do Brum
ns. 6.8el0.
vendem-se finislmascassasfrancezasde^n-JcSo de Theotloro Cbavanes, ven-
de a fabrica denominada Alara-
nhense, na ra do Popontao, dee-
ta cidade ( porto dos remedios ) ,
a saber : casa em que est mon
tada a fabrica, com ao bracas de
frente e t5 de fundo ; a prensas
hidrulicas, orisontaes de forca de
Goo,ooo libras, cada urna ; 1 dita
vertical de forca de 400,000 libras;
3 grandes caldeiras montadas, pa-
ra o fabrico do soban ; l\ ditas pa-
ra derreter sebo; todos osperten-
ces necessarios para o fabrico .do
stearina e sabSo ; 9 eseravos en-
tendedores do servico geral da fa-
brica ; 1 terreno annexoa fabrica,
com 7 bracas de frente e i5 de
fundo ; 1 dito fronteiro a mesma
fabrica, com 18 bracas de frente e
a8 de fundo : as pessoas queprc-
tenderem comprar, pdem nesta
praca dirigirem-se a J. Keller &
Gompanbia.
quissimes gostos e novoi padroes pelo ba-
rato prego de700 rs. a vara,corle de Cam-
braia liza fazenda muitolioa 9,240 rs., o cor-
le ( metade de seu valor) ditas com lpi-
cos a 640 rs, a vara, corte de cambraia
pintado de cor.de gosios modernos 3,200 rs,
o coi te, superiores chitas francozas cores
muito Oase de novos padrOec a 340 e 860
rs., o covado, ditas estrellas cores de vinho
e du callo e de ganga a 200 rs., o covado.
Fill de linho branco e de cor propria para
mosqueteiro 640 rs,a vare, brins trangadoset
curo e cor do ganga com lisias miudinhas t
1,000 rs.. o corte, assim como outras mu-
tas fazendas or baralos pregos.
~ Vende-a* um grande sitio no lu- O
<) gar do Manguinho, que lica defronte Q
0 dos sitios dos Srs. Carneiros,com gx
;vj grande casa de vivenda, de austro q
q agoas, grande senzalla, cocheira, q
i estribara, baixa decapim que sus- n
^ t.,..i o i ........ 11... ........ I,. ....,.,... V
, tonta 3 a 4 cavallos, gran
*? ha, com bomba o tanqu
de cacim-
que coherto
<3
y' para bauho bastantes arvoredos de JjJ
W fructo : na ra do Collegion. 16, sa- S
O gundo andar. V
Vende-se por preco cotnmo-
dos, farinh'a de mendioca de Santa
Calharinaemsaccas grandes, fumo
em l'olha para charutos : no ar-
niazcm de Francisco Dias Fer-
reira no caes da Allandega, ou
atralarcom Novaes Gompanbia
na ra du Trapiche n. 34.
Vende-se um cxcellente sitio cm Be-
bcribe, portencenlo ao Padre Francisco Jos
de l.ira ; a fallar no mesmo sitio, ou na
ra da Aurora n, 62, segando andar.
fiarateiro do Recife.
Quem duvidar, ou so queira sorlir de fa-
lendas para fesla, enxa a algibeira de sedu-
zas, o vi i 11. ." > a ra da Cadeia do Recife n.
50, que encontrarlo variedado de fazendas
por prego laratissimo, como bom cbitas
luas para 140,160, e 180 rs. o covado, e
ditas de ramagem para cobertas a 300 rs. :
cortes de cassa padrOes novos com 7 varas
por2,240 rs.; lengos de cambraia decoros
para n 1 .lo a 240 rs.; challes de seda novosm
8,000 rs. ; corlo de colelo a viludado a 1,000
Na loja pernambucana,
da ra do Crespo
rs; dilosdefustnoaJOOrs.; brins linos de "".'''sl,8 8Ze'10 .pe" Pe"cigao cm que he
quadrinhos a280rs., o covado; cortes de ""noaflo nSo so serve era lugar do> aceite
casimira para 4,000, 5,000, e 5,500 rs.; p
on nirsclado para palitz a 6,000 rs:, o corte
n. 11.. jr
Vendem-se ptimos brins brancos,
O com liiitas de cores, a 200 rs. o O
i covado. n
00OOOOOOGOOOOGOOO
Vendem-se 3 mulatiobos de 14 a 15 an-
nos, proprios para pagem, por serem muito
bonitos; e 4 moleques de 15 a 18 annos, e
urna preta moga de linda figura, com muito
bom leilc para criar, o com urna cria de 4
mezes muito linda, e bom nutrida; e urna
preta de meia idado, que sabe beai en-
gommarc cozinhar, e fazor toda a quali-
dede do doces : na ra larga do Rosario n.
22, segundo andar.
Azeite de carrapalo da fabrica de
Aratijo&Filhos, no Penedo.
Aos amantes do bom e barato.
Na ra do Crespo, loja da esquina que vol-
ta para 1 cadeia, vende-se caaemira preta,
a 5,000, 5,500, 7,500 e 8,000 ris o corte ;
ditas de cor, a 5,000 e 6,500; panno lino
preto, a 3,000, 3,500, 4,000 e 4,500 ; dito
verde, a 3,700, 3,000 e 5,000 ris ; dito azul,
a 3,600, 3,500, 4,000 a 5,000 ris; dito cor
de rap, a 3,600 o covado : e outras multas
fazendas por prego commodo.
tapatot de tapete.
Vendem-se Os bem conhecidos cor- O
tes de tapete para sapatos a 500 rs. o 0
par: ns ra do Queimado, loja do so- (>
lirado amareilo 11. 39.
Vende-se remos de faia nara
catraiss, botes &.
Barricas com superior cimento de
Hamburgo;
Metas ditas ; e tambem vendem-
se tinas ;
Botijas com oleo de linhaca de
(llanda : atraz do theatro Velho,
armazein de taboas de pinho.
Garlas finas para voltarete.
Vendem-se cartas finas para voltarete :
na loja de miudezas da ra do collegio, n. 1.
Vende-se superior serveja pateme in-
gleza, em garrafas e meias ditas, farinha do
Instrumentos de inusn
Vendem-se
em caza, de KaL
kamann IrmSos, ra da Cit
os seguintes instrumentos de'.i'
. Bancos de Harmona, Trombo^
cas
- ambo-
nos, Clanns de chaves, ditos liZO
Cornetas de chaves, ditas |M.'
Cirmelas, flautas, Pfanos, Za'
btimbas, Caixas de guerra, Arcos
de Campainhas, Pratos, Violoesfi.
nos e ordinarios.
g9yef?i
tiasemiras modernas,
Vendem-se as mais modernas case e>
miras que ha no aereado 1 5,500 rs i
m cada corle : na loja do sobrado ama- 1
m relio, nos quatro cantos da ra do
Queimado n. 29. ?
Sobrado em Goianna.
Vende-ae, muito em
um bonito sobrado sito
conta,
na ra
do Meio, n. 58, avallado em
a:ooos"ooo, em o qual tem parte
rsula Maria das Virfens e sua
irmaa Joaquina Alvesde Paiva na
bi importancia de ior,473 rs. auem
720rs.,manteiga ingleza 730,e 400 rs., dita pretender uinja-se a caza de Kal-
franceza, 560, sevada a l 000 rs.,iapioea a 80;kmann Irmaos, ruada fli-nv
rs., loucinho 200 rs. sebo do Porto 360 rs. a Vjruz,
chorissas muito novas a 400 rs queijoa no-:n" *0'
vos a 1,440, e 100 rs. arroz de maranho AtPIlrin an li-iral,,:.,
100 rs.,sabllo branco 380 rs., caff de ca-L /*^"VaO 80 OaratOirO
rogo 140 rs. chocolate a 80rs.o pu, vi- iNa ra JNova n. o loja de Jos Joa-
nho a 240 rs., e 280 rs. a garrafa, graxa em : qum Moreira & Comnanhi.
lata, muilo nova, a 100 rs. a lata, o oulros vJnrtm o r!... ^""'Panilla,
mullos gneros quenfio se mencionar por l1I"'e,iJjr'e.s.i 8"' ch'cotes
falta de lempo, tt/do por prego commodo.as- W' J*"- P*'0'r,fi,"h10 TW' de ,500
sin. como cha llisson a 2,400 rs. a libra 2,340 *%*?*,?l!?l0?? "1,V. faites
rsvell.s decarn.ba,d6,e8emlibra S00 l^Z r ,rJ u h' d.9'ntda uni-
no Pateo doCarmo venda por bailo do so- \SSS!J!ZS7SS!STS te} de"
brado do um andar na quina do becco da '2.'^'?;,? ,!'T,tMl?An'^ho,
bombe n. 13. |"c,n.' p!".c"!l!.?'..fur-l!M-i.0?-e deaHda-
casimira para 4,000, 5,000, e 5,500 rs.; pan- doco, ode coco> D8r.a Qualquer qualidade de
'candiciros por mais delicados *-
por mais delicados que sejSo,
de 3covados;'optimo para o'verti por ser! com 1,e mu} Preflrivel a qualquar oulro
atiiloleve.bramanlo de duas larguras, jol i Pr dar urna luz mus brilhatite, ser mais
para frescos, lenges por 1,200 rs., avara ; dur''Vo,.e seu custo Ser mais barato ; nao
~?*m?S:~&^ SS"-Slc^3|i-=
-5
.....
Vellas de espermacete.
Vendem-se caixas de esper-
macete : em easa de liicardo
itoyle, ra da Cadeia Velba,
n 37.
Vendem-se relogios de ou-
ro e prata, patente inglcz : na ra
da Senzalla Nova n. ]>
Mu-mi;i superiores.
Na fundigiio de C. Starr & Companliia,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas
do canna, todas de ferro, de um modelo e
oonslrucgSo muilo superior
Taixas para ena;enuo<
Na fundigiio de ferro da ra do llrum,
acaba-se de recebor utn completo sorlimcn-
lo do taixas de 3 a 8 palmos de bocea, as
quaas acliam-se a venda por prego com-
modo, e com promptido embarcam-se, ou
carrogam-sc em carros sem despozas eo
comprador.
Arados de ferro.
Na fundigfio da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Vinho de Champagne,
e superior qualidade : vende-se no arma-
em Kalkmanu lrmilos Roa da Cruz, n. 10
Gal virgem cm pedra
Chegada recentemente de Lisboa, em anco-
ras muito bem accondicionadas, e por prego
commodo; no ariiut/oni do Silva liarroca,
ua ra do Trapiche n. 19.
Casa de commisso de escravos.
Vendem-se escravos e recebem-
sc de commissao, tanto para a pro-
vincia como para fra della, para
o que se olerece muitas garantas
a seus donos na ra da Cacimba
n. 11, primeiro andar.
Vendem-se velas de espermacete, cm
caixas, de superior qualidade : em casa de
J. Keller & Companhia: na ra da Cruz nu-
mero 55.
Inda continua a vender-se barato,
Cortes do casemira preta por 5,000 rs., di-
tos de brim escuros de listras a 2,000 rs e
1,600 rs ditos de castor 1,120 rs., meados
de algodSo a 180, e 200 rs., nscadinhos
fraucezes a 120 rs. o covado, e muitas mais
fazenJas por baratissimo prego na ra do
Crespo n. 6.
Deposito de cal virgem.
Cunha Amorim, vendom harris com cal
em pedra, chegada ltimamente de Lisboa,
na barca Margarida, por menos prego do
que etn outra qualquer parto: na ra da Ca-
deia do Recife 11. 50.
Vende-se muito superior cal
de Lisboa, vinda pela barca Mar-
marida, entrada neste porto em 28
do mez prximo passado, he a
mais nova c moderna que ha no
mercado, por preco commodo : na
ra do Vigario n. 9 armazem da
Carneiro &c Ramos.
Ba do pa-seio publico n. 5,
na anliga fabrica de chacos de sol vende-se
'DIO IIVJ^l-. IV I i I, i_ .1 w I |-"1> 1.1,, 11 111111 ,-,
mndapolc* hons para 2,560, 3,200, 3,520, o em cl,e,r0 desagradavel queexala o azci-
3,840 rs, a pega; o para oulros muitos1'6 ,d0 Garrapato commum, nem em nada
precos; assim como outras muitas fazen- delleseassemelha. Vende-se em barril de
das, quo a iroco do Jinheiro se vendera por: ',6 caadas a 2,400 rs. a canada, no armasem
pregos baratos; e esta loja tem seu arma- ; "8 Tasso Jnior, rus do Amorim n, 35.
zem de fazendas em atacado, o se vende ; Aos 20.000,000
qualquer torgao por prego de primeira j Na ra do Queimado loja n, 18 vende-se
n>!>0. 1 hillictes, meios, qOarlos, oitavos, vigessi-
f'aniiha de mandioca. "1f?*,:ul0r,,d,.8,r da"""ricordia
m. .. 1 1 1 cuja listachega no primeiro vaprate odia
No armazem de \nlonio Annes Jacomo 5 jo p. mez. y
Pires no caes d'Alfandega vende-se farinha Aim,mrnB.m,m,mm>mm.^*^^^m.^^^
do mandioca cm saca?, sendo de ptima ;f^fT-ij f***8
qualidade, e por prego o mais commodo do |9 lambalas de seda modernas.
meejado. Z .. 9
/V/. i..-, ./ n__trUtm l 2 rsalJaJo!'ouradoamarellonosqua- 0
Ao aterro da Boa-Vista, lo/a n. tro santos da ra do Queimado n. 29
18, detronte do tribunal do ha para vender umgraudesorlimcnio
'* de cortes de cambraias de seda pa- #
; droes muito modernos o pelo bara- &
4 Jissimu prego de 7,000 cada corte. 9
nem vicios na ra do Collegio n. 25,venda.
O Novos cortes de chita. O
Na loja do sobrado amareilo, nos 9
w quatro cantos, da ra do Queimado v
Q n. 29, cootinua-se a vender cortes de &
O caita c de riscado de novos padrOos O
Q com 12 covados inteiros pelo bara- O
Escravos fgidos.
100,000 rs. do gratiflcagao.
Roga-se as autoridades policiaes, que cen-
turetn o escravo Manoel, pertencenle a $0-
2!8tiSoJ",*rl"^s do Nascimonto, fgido des-
de selembro. Foi
riel Alfonso Riguei-
de o da do
Aviso ao madamismo. |28anosde
Continua-se a vender na loja da ruado 'j"'*'?0,? 'a!
commercio
Vendem-se ricos cortes de cassa
a 2,000 rs., c chitas de padres es-
curos e cores fixas a i?.o e tGo rs.
o covado!!!
Na loja pernambucana,
da ra do Crespo
n. 11.
*
No
f
? Vende-se merino preto lino, cova- 4
j do a 400 o 500 rs. 4
> *>*****'*********? *'>
Vende-sc um carro de qua-
tro rodas, muito leve, para um ou
dous cavallos: na cocheira do Mi-
guel Sougei no aterro da Boe
Vista.
A 200 rs., o par.
Na ra do Queimado. segunda loja n. 18 ,
vendem-sc luvasde lio da escocia, com pe-
queo toque de mofo, a 200 rs. o par.
A 1,800 rs.
Na rita do Queimado, segunda loja 11 18 ,
vendem-se ricos lengos de sarja, para gr-
vala, azul, verde, amareilo, cor de roza o
encarnado, o 1,800 rs.
Vende-ae por 3:500,000 res, osohrado
de dous andares, e sotSo com trapeira, com ;
aterro da Boa Vista loja n.
18, defronte do tribunal do
Commercio,
vendem-se pannos finos cor de caf, verde
escuro, azul o preto, a 2,000, 3,000, 4,000 e
5,000 rs.; cortes de superior brim de linho,
a 1,000 rs. ; cortes de casi oir, a2,000oa
3,000 rs., euma porgflo do riscados frauce-
zes, quo so venderSo por qualquer prego ,
por estarem com algum mofo.
No aterro da Boa Vista, loja n.
18 defronte do tribunal do
Commercio,
vende-se superior casimira preta, a 4,000
rs.; veludo de algodSo cor de roza, verde,
azul, carmesim e prclo, a 600 rs. o covado ;
cortes de excedentes cambraias o cassas, a
2,000 rs., e quom comprar grande porgSo
se Ihe vender por muito menos.
-- Vendem-se burros nvos, entro ellos
alguns j pdem trabalhar: na ra do Quei-
mado n. 14.
O lissuno prego de 2,000 rs. "cada corte. O e1eescrvo0do Sr rihril?
idadepouco mais ou menos, cor
Ita de dous dentes na frente, e
Queimado n. 57 as boas cambraias de cores, ,ae pnenos dolado esquerdo da ca beca, que
pelo baratissimo prego de 8 patacas o corte ; !** torna bem visirel por parecer urna co-
he isto para acbar, cujos cortes tem 6 a 8 lem 'nos pequeos, beigos grossos,
varas.
Ricos manteletes, e capotinbosdc seda
o de gros do aples de variadas, e lindas
cores, com bonitas trangas, franjas, e blco
de blonde; na ruado Queimado loja n. 39.
Vonde-seuma cama de Jacaranda de
armago, muito superior; urna dita de an-
gico, tambem d,1 armagSo, um par de ban-
cas de Jacaranda, novas, e modernas; um
dito de ditoj usada, um tocador de jaca-
randar, novo urna cmoda de anRico, em
bom estado, 6 cadeiras de palinha do Porto,
um par de lanternas de vidro, lavradas e no-
vas, um banheiro demadeira, quasi novo,
um couxo do madeira pintado, urna ban-
quinha de 4 ps de condui : na ra larga
do Rosario, n. 32.
Abracen! a moderna.
Na anliga fabrica de chapeos deso, se
encontrara um novo e moderno sortimento
de chapeos tanto para meninos como para
homens, e juntamente afliangamos a boa
qualidade egoslo por serem os primeiros
viudo a este mercado; emquantoo prego
he o mais commodo possivel.
bonita vista, o loja repartida para morada
de familia, com boa cacimba no xag3o da
mesma loja, em chaos proprios, no bairro
do llecifu, ra do Atollo n. 29, na ra da
Senzalla Nova, venda n. 7, mi quem vende,
Na ra do Vigario n. 19, primeiro an-
dar, vende-se cal virgem de Lisboa, chega-
da ltimamente, a 4,500 rs abanica, e mer-
curio doce cm latas de 1 c 2 libres.
ALGUDAO' PAHA SACCUS. >
a vende-se muito bom algodilo parasa- W
() eos de assucar, por prego commodo:
em casa de liicardo Hoyfe, na ra da
Cadeia n. 37. y
S Cor'<'ti.jii(/o % .Corles de vestido de cassa seda com a)
listras e quadros do seda,lindas cores
a> e modernos gostos : ditos do dito de 4
> cambraia com barra de ricos borda- i
: *> dos o os competentes figurinos: ditos 4
> de dito de cambraia aberla com flores 9
(f adamascadas e do bonitas cores : di- 9
a- tos de dito de garga.fingindo blonde, 9
e> de dilicadissimos gostos e o mais mo- 4
derno que ha no mercado : um com- 4
ir. pelo surlimenlo de curies de vestidos ?
i de seda,brancas, de cures e furia co- 4
res, e outras muitas fazendas de gos-
to.que se vendem por pregos de agr-
dar ao comprador: na ra do Quei-
43 mado, Inja do sobrado amareilo, nos
V quatro cantos n. 29.
Lencos.
Lcngos do cambraia abortos, proprio para
scnlioros o meninos a 360 rs ditos mu bi-
co a roda e palmas as ponas a 400 e 440
rs., ditos de cambraia de linho para homom
a 400 rs. : na ra do Crespo n. 6.
- Vndese urna armago de urna taver-
na, propria para quem quizer principiar,
cu muda-la, pois est situada cm bom u-
cal, faz conta por mo tor nada dentro eser
a casa muilo em couta : trata-se no pateo
do Carmo n. 13-
Pechinxa.
Vende-se na ra do Crespo na loja da es-
quina que volta para a cadea, coites de
cambraia cor de rosa e de outras cores do
ultimogosto a 3,000, 3,500, 4,000, e 4,500 ;
ditos de cassa-cbia a 2,000 ; ditos da expo-
siofioa3,310; cortos il- nula com 13 cova-
dos a 1,800 ; corles de fustlio a 560 ; cor-
tes decaiga de brim escuro a 800,960,1,120;
ditos de brim amareilo de puro linho a
1,440,1600; lengos de cambraia muilo finas
propnas para mo u 320 ; e outras minia
fazendas que se tornSo recommendaveis pe-
la boa qualidade.
-- Vende-ae um preto bastante robusto,
sadioesem vicios: a tralar na ra Direita
chapeos de sol tanto de panno camo de se-: n. 32, segundo andar,
da para homem esenhoras, meninos e me-| No aterro da Coa-Viste, loja u. 18, de-
ninas de escole;cobre-se qualquer armag3o; fronte do tribuoel do commercio, veudem-
dechapeusde sol,tanto do seda como de pa- se chillas escuras, fazenda ptima para rou-
ninho concerta-se estes objectos com muila pa de escravos, a 100 rs. o covado: eolio
pronlidSo e brevidade. | lem averia alguma '
Vende-se cera amarella, de superior Vemle-se doce lino de goiabj, em ca
as aulas de prnneira's letras, a 480 rs.: na I qualidade e por prego commodo: na ra do xao de 4 libras, por prego barato : no pato I ou com Joaquim Lopes de Almeida
vrarin.6es. Livrameuto n. 27. do i'eraizo a 20. - Na ra do Vigario venda n. 33, ven-
dem-se redes de cores, de muilo superior
qualidade, e por prego bem rasoavel.
-- A defesa dos Purtuguezes.foita no Ma-
ranho. pelo lir. Jos Antonio de Carvalho e
Oliveira, e ah publicada nos jornaes,bem
como no Correio da Tarde, acaba de sere-
lo sou aulor.mandada imprimir em folhetes
de 96 paginas, urna porgJo dos quaos foi
remetida para esta cidado.e se vende a 1,000
rs. cada exomplar em casa do Jos Baptista
de l'onscca Jnior, da ra do Yisario B. 23.
2.andar.
Vende-se superior farinha
de mandioca, muito fina, em sac-
cas desembarcada do patacho
Conceicao, vndo do Itio de Janei-
ro, entrado em 26 do corrente mez
de outubro, por prego commodo:
nos rmazens de Antonio Annes e
Dias Ferreira, no caes da Alfande-
ga : a tratar nos mesmos, ou com
iNovaes & Companhia, na ruado
Trapiche n. 3/t.
J ^a loja pezuambucana da *
ruado Crespo n. ti, *
vende-se sedas escocezas de lindos ejf
Pdresa600rs., o oovado. ^
#?# 99}t)4)
Padaria. L
Vende-se urna padaria, no largo das Cin- Cadeiras.
co Ponas : a tratar com J. J. Tasso Jnior, | Vendem-so cadeiras para meninas; no ar-
caixei- mazem de Kalkmann IrmSos, na ra da
1 Cruz n. 10.
Cltes de vestidos de casse a 2.000.
Na loja do sobrado amareilo, na ra
do Queimado n. 29, vendem-se cortes
de vestidos de cassa de cores lizas a
4 3,000 rs, 4
Gallyot c sua senhora tem a
honra de prevenir ao respeitavel
fiublico desta cidade que elles a-
11 iran, no dia 17 do corrente, um
armazem de fazendas, objectos de
luso, e fantezia, o qual contem o
que ha de melhor em I'aris; sendo
tudo escolhido com gosto mais par-
ticular; ese achara a venda, tanto
em grosso como a retalho desdeas
10 horas da manba, at as quatro
da tarde, na ra da Cruz, segundo
andar do sobrado n 1 ; assim como
que na mesma casa achanto um
sortimento de beijoutarias finas de
Pars, e a melhor agua de Colonia
que ha no mercado.
Na loja de Jos Joaquim More ira
&. Companhia na ra Nova
n. 8.
Vendem-se lindas mantinhas de nobreza
par sanhora do melhor gosto possivel tan-
to em padrO-s como em qualidados pelo di-
minuto prego de 4,000.
Finas estampa;.
Na ra do Queimado n. 16, loja de miude-
zas, vendem-se linissimas estampas de San-
tos, a 240 lis.
Bonitos paliteiros de porcelana.
Vendem-se bonitos paliteiros de porcela-
na, pelo baratissimo prego de 1,400 ris : na
roa do Queimado n. 16, loja de miudesss.
Ricos vazosde porcelana.
Na ra do Queimado n. 16, loja de miu-
dezas, tem para vender por menos prego do
que em outra qualquer parte : ricos vasos de
porcelana.
Pezos para sustentar papel.
Vendem-se bonitos pesos para sustentar
papel, pelo barato prego de 1,880 e 1,000
ris : oa ra do Queimado n. 16, loja de
miudezas.
Lindos pratos de uvas artificiaes,
Vendem-se galantes pratos com uvas ar-
tificiaos, pelo barato prego de 3,000 ris :
na ra do Queimado n. 16, foja de miudezas,
- Vende-se um preto canoeiro de bonita
figura, mogo, seo molestia e vicio algum,
c proprio para canoa, cadeirinba ou arma-
zem de assucar por ser milito forgoso : na
ra do Rangol n. 36, primeiro andar, das 6
as 8 horas da manliaa, edo meio da em di-
aule.
Molduras douradas
de (odas os larguras : vendem-se no arma-
zem de Kallkmann IrmSos, ruada Cruz n. 10,
sem barba, baixo, corpo regular, he ollicial
de funileiro. Trajava jaqueta de riscado
azul, caiga branca, camisa de madapolSo, e
levou urna trouxa, contendo caigas ejaque-
]tas : quem o apprehender elevar ruada
Aurora n. 62, recebera gratiflcagSo pro-
meltide. Suspeita-se que fosse seduzido, e
por isso desde j protesta-se contra quem o
conservar em seu poder.
Desapareceu um escravo de nome Joa-
quim, de idade de 35 annos, de nagSo, alto,
secco, com urna pequea ferida em cima ile
un: p, traz um aneliinho em um dedo da
mo : quem o pegar, leve-o no engenhoMa-
riuna, ao pdeCoianna, que ser generosa-
mente recompensado.
Da-se 80,000.
A quem trouxor na praga da Indepadencia
n. 17, a preti Maria Joaquina, de idade de
30 a 40 annos, de nagSo congo, baixa, gor-
da, cor retinta, bexigose, seio grande, tem
um eignal de carne sobre o beigo superior,
e he bastante ardilosa ; ja foi escrava de
engenho. e ltimamente ora quitandeira de
miudezas, desconfia-se que ande para as
partes do sul, por estar acollumada a andar
pni la vendendo, conmina crioula de nome
1 rliriilade, de quem foi escrava, e coaita
ter sida vista, na povoagSo de S. Amero Ja-
buatSo : esta preta fugio no di 1 II de abril
de 1850.
Desappareceu na tardedo dia 13do cor-
rente um escravo por nome Joaquim tem os
signaesseguintes: boaesteturt, representa
ter 35annos de idade, falla desembarazada,
ps grandes, tem todos os denles da fente,
nariz chato, quando anda estalaaa juntes dos
joelhos, levou camisa do algodSoainho bran-
co, caiga do dito azul, este escravo foi do
mato: quem o pegar leve-o a typograpbia
imparcial a fallar com a viuva Roma que ae-
ra recompensado.
Desappareceu no dia domingo, 12 do
corrente, om preto que representa ter 45 a
50 annos de idade, de nagao cagange, baixo,
cheio do corpo, sem defeito algum no corpo,
levou vestido, caiga de casemira azul elara
de quadros ej velha, clete deselim preto
velho, jaqueta de brim pardo.ceuiisa de ma-
dapolSo, chapeo de seda preto ; preaume-se
que anda pelos arrebaldes desta cidade, pois
apezar i ~er do aerUo nSo se julga que te-
nha voltaaj : roga-se portento aa autorida-
des policiaes e capilSes decampo, a captura
do mesmo, levando-o a ra do Vigario n. II,
terceiro andar, que se recompensar.
Fugio na noite do dia 7 do corrente,
mez de outubro, a escrava parda, de nome
Eufrosioa, de idade de 30 aooos pouco mais
ou menos, estatura baixa. rosto redondo,
olhos pequeos, peitos grandes, cneia do
corpo, com um dos dedos de urna daa mos
estirado, e urna cicatriz no rosto provenien-
te de queimadura : levou toda a melhor
roupa, que tinha. He de suppor que tornea-
se para as bandas da Parahiba, donde dizia
ter parantes, e mesmo porque tendo fgido
em outra occasiSo, fra presa no Brejo d'A-
reia : quem pois a apprehender, e intrega-
la ao abaixo assignado, na ra do Livra-
mento n. 35, ou na ra das Cruzes, o. 18, a
seu pai Antonio Alves da Fonseca, ser gra-
tificado com 50,000 ris.
Jna Mareell ino Alves da Fonseca.
Desappareceu em litis do mez de jullio,
urna escrava de nagSo congo, de nome The-
reza, de idade de 30 a 40 annos, de altura
regolar, cor preta, de ps e mSos pequeas,
olhos regular, bastante ladina, e desemba-
ragada no fallar; levou camisa de madapo-
lSo, e saia de chita j disbolada, levando
mais roupa em um balaio sem lampa, prese
me-sc ter hido para as bandas de 5anto An-
illo, lugar aonde ella es'.e'vo bastante lempo:
quem a pegar ou della der noticia, e que
por elle venha aoseu dono, recebera 20,000
rs. de gratificagSo, pagndose as despesas
que com ella se fizer : na ra do Trapiche da
Allandega Velha n. 36, segundo andar.
Auzentou -se na noute de 37 o corrente
o mulato Clementlno de idade 30 annos pou-
co mais ou menos, magro.allura regular, e
falla multo mansa, costuma andar calged
e bem vestido; levou urna troxa do roupa, o
consta que levara um cavallo que.alugara
nessa occasiSo, o qual tem oa signaes se-
guintes : castanho, barrigudo, clines prc-
las, e gordo. He provavel que queira pas-
sar por forro : he bolieiro.e escravo de Luiz
Antonio Siqueira : quem o pegar leve-o
ra da Cadea-Velhan. 30 que se recompen-
sar.
v\Tvi'. m; M V [>r. F\<


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EL0IPNK0N_40MXTH INGEST_TIME 2013-04-13T01:45:57Z PACKAGE AA00011611_04736
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES