Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04726


This item is only available as the following downloads:


Full Text
H
Anno de 1840. Quinta Fkir
Tudo agora depende de nris mesmos ; da r.ossa pru'cncis," modera-
cao eoer^a : continu nos como principiamos, e seiemos aponUdos
com a- mirarao en tic as N .ces mais cultas.
Prcclamacio da Assemblea Geral do Brasil.
Suhcreve-se para esta ful lia a jooo por fjuartel pagos adiantadis
rusta Tvicgraia ra das Cruces I) 3, e na Praca da Independen-
cia n. 3j, e 38, onde se recehem correspondencias' legalizadas e an-
nuncius, insir ido-se estes gratis sendo Jos proprios atsignantes e
vindo ssrgnadjs.
PATIDAS DOS COI1 REOS TERRESTRES.'
r-Made da Paraliiha e Villas de si pretencfo.......
Di'a do Rio Grande do Norte, e Villas dem

20 DE AdOSTO? jVMnfMJ 181
CAMBIOS. Ao^TO 19
Londres...... -Ji) lia d.por. ifooo C
Llwoa ......80 a 83 por ojo iiremio por meta offerecdo
.......Sao reib por tranco.
Rio de Janeiro ao :'-ir.
01 RO-- cedadefa#4oo res, velliai 14K
1 i as
IOO

'"^"'....
Villa de Paja de Flores...............
Todo os Coman partem ao meio dia.
Mein dem
dem 13, dito dito
PHASES DA LA I\0 MEZ DE AGOSTO
Q iart. cr.-sc. a 5 as a h. e5 m. d man.
La heia ai.-ai i h.e 5j m. dainan.
Quart mine;, a a- as g li. e ln in. da man
La Nova a i<3- as 4 h. e 2J111. da man.
filare chela para o dia ao de jigos to.
As 10 lioms e 5 minutos da iqanbl.
As 11 lu.rase it |a tarde.
7
9
00
ai
11
a5
> ., novas ufoo
Ditas de 4 000 res, r',-..,.
PKATA PaUces rasileiios -- 1 Arito
l'r/ii. Coltnrfnarios----------l'io
D.i 3 Mexicanos----------- i|fij }
i Muida. ---------......,,,, ,
Descont de bilbeles da Alfandega 1 ij8| ir looaomeC
Idsmde letias lj| a 1 .|i por boasinoaso'erecido.
Muida de cobre 3 a 1 por 1. o de disc,
DAS DA SEMANA.
Secunda S. Mamrde M. Audiencia do Ju! de Direito di a. vara."*
l'erca S. Clara de Mont Palco V. --Helarlo e Audiencia do Juiz
de Direito da 1. vari.
Qnarta S, Luiz B, Audiencia do .lu <\e Direito di 3. vara.
Quinta Bernardo Ab. Audiencia do luii de Direito da i vara.'
Se\ta S. Joanna francisca Viu. -Audiencia doJui?. de Dn-cito da
1 vara,
i.) jejmo S. Teniotiieo Relaco e Audiencia do Juiz de Direito da
Domingo O Sigrado Corar.lo de Uaria.
-'
[XfRS^Vfcft/gs* &
& wmm im&m%4M%
RIO DE.JANEIKO.
Cl.1
CMARA DOS SRS. SENADORES.
Sessao de 24 dejulho de 1840.
Presidencia do Sr. Conde de Valenca.
Reunido nnmero sufliciente de Snrs. Se-
nadores, abre-se ;i sessn e, lidas a actas
de ai e a? do correnle, sao approvadas.
O Snr. A. Rranco (pela ordem) : Eu
dezejo qi:e V. Ex. mande declarar na acta que
eu di'se. no dia aa, que adiando-se sobre a
mesa o decreto queaddiava as cmaras de-
va elle ser liilo omluma n"o llovese numero,
porque nao impoitava resolucfo, e que o se-
nado nao podia tornar a ifiinir-.se, nom pas-
sar a traba Iba r em commissao
O Snr. Presidente O nobre senador po-
de mandara sua declaraiao
O Snr. primeiro secretario da conta do se-
gu n te
Exrcdienle.
Iltim ofricio o ^nr. senador Bernardo Pe-
leira de Vasconcellos parleeipando ter sido,
por decreto da data de aa do corrente, Ho-
rneado ministro e secretario de estado dos ne-
gocios do imperio.
Outro, do mesmo remettetido acopiado
decreto de aa do presente me/, pvlo qual o
regente em nome do imperador bou ve por
Lem adiar a assemblea geral pata o dia ao de 1 Branca.
novembro deste anuo. O Snr. presidente declara estar em discus-
Oulro do mismo, remetiendo a copia do sao o parecer.
decreto de aa docorre-nte, pelo quai o re-j O Snr AlencarSnr. presidente, acerca
gente lia por bem convocara assemblea ge- desta eleic*) apresentaro-se vaiias represen-
ta I legislativa para o dia a3 do dito mez. taces eoutros documentos; estas repre-en-
Outro, do ministro da marinha, remetten- tacoes e documentos, foro oonjunctameute
do a copia do decreto de aa desle mez pelo com o diploma remet idos a Commissao para
qual o regente houve por bem encarregal-o os examinar, e eu nao sei se ella Ihesdeoa
interinamente da repartirlo dos negocios do devida a t ten cao Oquehecerlo be que falli
imperio. actas de !\ ccllegios tres dos quaes votaro .
OtiDEM no niv.
Sao approvadas em terecira discsso pa-
ra screm remetlidas a saneen, as resnlucSes
huma a- provando a aposentadoria do padre
Miguel JoSacramento Lopes Gama., e outra
a do coitego lanuario da Cunba Barbosa
He approvada em primeira e segunda dis-
cusso a resolnco que apprnva a tenca con-
cedida ao coronel (arlos .loso de Mello
O Snr. presidente suspende a sess5o ao
meio dia, afim de a commissio de coustitui-
cao entraren! trabaliio
A huma hora e tres quartos continuando a
sesso o Snr. Alves Branco l o seguate pa-
recer.
4 A commissao de constituicao e diplma-
la examioou o diploma doSr. Miguel Cal-
mon du Pin e Almeda senador nomeado
pela provincia doGeai, e as actas geraes e
parciaes rfue o acompanho ; e bem queobser
vasse a falla de trescollegios, como ella nao
podesse nunca excluir o senador n uncado ,
que em todas as combinaces possiveis entra
sempre na Lista triplico ; he a cjmmis-'o de
parecer qne a uomeacao He legal, e que por
tanto deve ser approvado o diploma e convi-
dado o senador nomeado a vir lomar as-
sen lo
** Paco do senado, i.'i de Juio de 18jo.
Manoel Alves Branca. Francisco Car-
neiro de Campos. Visconde da Pedra
intento qne classifica cop.io urgente esta oseo parecer. Por tanto me parece queoad-
materia explica a razo porqne o parecer diamento nio pod ter lugar.
nSo ficou sobre a meza e entrou logo em dis- (i Sur. Costa FerreiraSnr. presidente}
cu O Snr. Alves !'raneo A rc-jpiio de a-' antilgico no meo modo de pensar dique
diamento direi duas palavras: V. Ex. fe|heeste Quanto ao adlamento, est res
heoprocesso e deo a sentenca sobre elle poudido com o re;'imenta porque elle e\i-
lendo o regiment em que esta materia be ge urgencia nesta materia! Pergunto,
declarada brgentissim. Pdr couseguote i eu, quando o regtmea(8 exige urgencia,
nao pode S'ffrer ada ment ... nao quer elle por ventura, qne se apresen-
O Sur Presidente'Anda nao veio a me- tem lodosos documentos uecessarios para o
sa o requertmento de adiaraeuto
O Snr. A. Branco Quanto questaoem
senado legalmente decidir ? Eu creio que
urgencia nao quer diser precipitaco. Fal-
I)e todos fica o senado inteirado
e lu 11: hd votou ; cuito que, se se lomarem
le remettida ; commissao de constituicao, em Cunsideraco os votos desses 4 co!le,;i.is
com urgencia, a carta imperial de senador pode al icar excluido o candidato mais ve-
do imperio do Snr. l\Ii;uel Calmon du Pim e tado da lista trplice.
Almeda, pela provincia doCiai, assigna| Mas sto nao he ludo : a lista triplico nao
da uo din 10 desle mez, pelo ex-regente, o est exacta, esa errada porque, quando se
Snr ledro de Araujo Lima ; bem como as fez apuraco geral na cmara municipal da
HCtas da dita eleicao nos collegios eleitoraes capital da provincia s( se apurou a i.-i i :o
dacjuella provincia, e igualmente .cinco ru- liila em 12 collegios, entretanto que "sti
presentaces contra a mesma edeico asa- provincia tem \n colleguM, faltarlo por COh-
ber : huma dos deputados Jos Mariar.no de seguinte,S| ebegou < i < > o i s a acta de hum
Aibuquerque Cavslcanli, Manoel do Nasci-:cclle,;io, anda faltode 5 e hum nlo votou.
Ment Castro e Silva, e Jo-e Ferreira Lima i ance-me pois que nao se pode deixar de a-
Socupira j outra de 21 eleitorea da mesma veriguar se os votos desses 5 collegios altero
provincia, OUtra da cmara municipal da vil- a eleicao ; e jiara que se possa lser esta ave-
la do Cascavel, outra doeleitor Tbomaz Lou- rigua^Io eu peco o addiamenlo desta mate-
renco du Silva Lastro, e outra de Ricardo ra. Tenho mais huma rasSo para motivar o
KodiguesSfctuval, eteilor do Jardim. njeu adiamento e he que a falta destas ac-
Tendo o Snr. Crneiro de Campos pedido tas fes tanto peso ao governo que elle, se-
a uomeacao de hum membro para a commis- gundo cousla officiou no dia 9 deste mez ao
saodeccnstiluko e, sendo approvada esta j presidente daquella provincia pedindo-as
eleicao sabe por escrutinio o Snr. Alves gora porem, apparece a esrolha lita com
geral he o resultado de actas de do/e colle-
gios dessa acta consta que est comprehen-
di'do na lista trplice o senador nomeado;
huma outra nela particular que veio pos-
leiiormente ;i apuraco geral, colloca-o l-
gualmente dentro da mesma lista ; agora ,
todas aquellas artas que nao viero no tem-
; po marcado pava a apurarlo geral e que nao
tem viudo pela nica razo de que entre nos
como lodos sabemos be mui raro que es-
sas commuoicaedes sejo feilas a lempo, nao
podiao de cetlo ser contempladas na apuraco
coral Emim, das tre/e actas consta a elei-
cao do senador que est actualmente nomea-
do, e ate consultamos a hum nobre senador
doCear, que est perfeitamente instrui-
do dos negocios da sua provincia, seos votos
dos tres collegios que fa I leo podio excluir o
senador nomeado edisse-nos que nao...
O Sur. A binar : Eu Senbor, nao di
se tal ; disse qne nao sabia o numero dos elei
lores, %
O Sur. A. Branco He publico e notorio
que, vindo essas Iresactas, o senador nome-
ado fica na lista trplice; e pata mim a ques-
lo he esta: deven.os sacrificar a real idade a
formulas? Porque no dia que se (itou para
se faier a apuraco [jeral nao ebegou huma
* Ol! r\- 111 ailt'i v i'illli* u l^ucaiau cin uig.....". .<|..^.. ...... y v.. ^...... .... ....
> eu direi a V Ex. que hum collegio nSo tao actas de alguns collegios, e tanto falto
se reuni para votar, com elle nao contamos, j que a qui se diz que o governo as mandot pe-
porque emim quera nao apparece para ex-1 dir ; nao sabemos se be tal o numero dose-
ercer direitos poli ticos nao os exerce A acta leilores desses collerios rujas actas nio nos
lorio remetlidas, que possa ou nao lirar o
condidatoda lista trplice. PorUso |ul;o que
nada se nerda em se e-igir essesdocumeatos;
se o candidato deque se t rela for compre-
hendido na lista iripliee com os votios desses
collegios que falto se elle esliver eleito
legalmente necessariameute ha de ser ap-
provado. Oque be que se penle nesta de-
mora ? J i aqui pela s dilf ;ren -a de litnn
dia, houve duvida pela nomeacfo do Sr. Fei-
j. Eu son amigo deste Snr., rn lis acliei que
o senado ohrou com m iduresa, demorando a
deciso de.se negocio at que oblivesse os
precisos esclarecimentos Snrs henecessa-
rio termos muili altencio comu senado pa-
ra que nao se diga que elle quer-se tornar
omnipotente; proceder de outro molo seria
funesto ao mesmo senado O que he que se
perde com anparecerem as actas desse rolle-
gios que Llto i* Se ellas nio alteraren a
eleicao, 0 senador nome ido ha de tomar as-
sseutd ji o govenu as mandou buscar, e a
demora nao ser umita. Uiser-se que o nego-
cio he publico e notorio nao valle nada,
porque nos aqui nos decidimos por documen-
tos ; ese estes documentos nao existem como
diz o nobre senador que islo he sabido? Eu,
j o digo, estimarei muilo que o candidato
:.i.:ei .1 'Oi'ir.ui raai mu iiKfivu ...in.. ,-- ,, .
.,,!., estesfacto deve annullar a eleico? oomeado entre nesta casa, mas legalmente,
Cei lamente que nio ; e esta miaa opunao si
13ranro com 10 votos.
O Sr. presidente prope a nomeaco de hu-
data de so deste mesmo mez quando laes
actos ainda nao podem ter cbeqado porque
aeha fundada em todos os procedentes da
casa; nos non., sacrificamos a realidada
formula, e a formula que nao prejudica a e-
leico. Esta lem sido lambem a pratica da
cmara dos depulados. Bu porconseguin-
te, entendo que a eleicao est feita assim
como a nomeaco bem feita ; ludo o mis que
sedli po econtra pouco vale-, cruro-seas
rases, c cu nao me guio por nenhuma del las,
guio-roe pelas acias que viero pela prati-
ca constante de ambas u cmaras, e eis por
que assignei o parecer
cat elle mesmo estimara isso. Ec.unoeU
entendo que urgencia nio he precipitadlo
vota re pe 1 a idiamento
Snr A.Branco:Quando o regiment
diz que lu :i negocio be ur ;entissimo orno
este de que se trata : eu entendo que elle se
deve decidir na mesma sessao, pro ou con-
i 1 Vquelles eahores que entenlem que
existem documentos uecessarios para resolver
;i quesio. deven approvar seosdofumen-
1 i, os levo a islo ; os outros que euleiideretu
que nao existem documentos para resolver
queslad, rtevem votar contra: eisiqui como
e as>i riei o parecer. 1----- ..
He spoiadofl entra em disossfo, fleando no eu Iraduzo as palavras do regiment. Por
1 ...:....! ,. o^_ # ..ns.-Miiiite o nobre senador nao se nocle
entanto suspensa a da matei ia principal, o se-
guinte requenmenlo.
Snadeputaco para congratular a S. M. o im- desde aquello da nao tem viudo vapor algum
perador pelo motivo de haver asssumido su- do Norte ; e eu estou persuadido que os vo- !
as augustas lunecoes ; o que sendo approvado, I tos desses 5 collegios que Lilao niOSOaU-
soeleilos sor te para a deuutaco os Snrs.! tero alista trplice-,- mais lamfa
Paiaizo, Vergeiro, Paula' Albqwwque, excluir o mais votado que se acha bella.
Paes de Andrade. viseonde da Pedra Brsn- Por isso, julgo que o meu addiamenlo deve
ta, Alvos Branco, Crneiro de Campos, Mel- wr approvado pa se poder fazer esta ava-
lo c Sonza Saturnino conde de Lages, Lu-
nha Nasconcellos Viseonde deCongonhas
do Campo, Almeda Aibuquerque, e Lima
e Silva.
riguacao
O Sur. Saturnino, pela ordem, pergun-
la se o parecer est j e:n discsso.
O Snr. presidente, leudo hum ailigo do
" Requeiro que se ade a discsso ao pa-
recer at se aviguar seos cinco collegios que
falto, e nao sao contemplados na apuraco
.'eral altera 1 a lista trplice Alencar.
OSur. eiiioe MallosSor. presidente,
quanto ao adiamento, est respon
mienta mi lera desta naturesa he ui
ia, e ''-
diada; equanlo asexplicaces v nobi
nadorque pediooadiami ia estar pre-
parado com I imentos asx
rios para mostrar que u eUifao nao be le-
gal, ou ento lie sumeieote a acta da apura-
co geiai, sobre a qual o governo deyia pro-
ceder para hW a esculla, c a commissao dar
conseguinte, o nobre senador nao se pode
queixar se enteade que nao baosnecessi-
rios documentos vol contra e nisto vai
conforme o regiment ; mas nao pode nunca
o regiment declarar humi quesio urgente ,
e ao mesmo lempo entender a casa que ahi-
ja ella deve depender de novos documentos;
e eu desejava que V, Exc. rae dssesse se, eos
icj desta ordem, lem havido alguna ves
ment. Ora isto he ocio que di/ respei-
1 argumentos de rasio. Quaoto
At-
;o.lentos de -' proceder de outro mo lo ba da
ser funesto aoseiado" a este* nao respondo
O Snr. Vergueiro: Eu sempre entem i>
que urgencia quena duer preferencia a outua
negocio; masajora ottvidiaer que he pa,,-
.


DIARIO Dfc 7F. RNAMBUCO
i
se decidir pelos do^tmentos que ha, emhora
falten) outros ew^nrine Este novo eTeito
da urgencia be de certo espantoso Como o
negocio he urgen'e decida-se sem conheci-
menln da causa .' En se o negocio entrar em
discussao qne/ia pedir ; commisso que nos
informasse sobre essas Tnrespritaroes que se
apmentaro mesa e foro remetlidas,. com-
misso.
O Snr. A. Branco : Eu as vi nSo vale
nada.
O Sr. Vergueiro -O nobre senador pode
saber que nao vale nada ; mas a commisso
devia fazer hum relatorio sobre ellns e dizer
ento a sua opinio ; porem, atirar-sc cora
ellas para o lado e agora dizer-se que se de-
va.decidir j esta qnesio sen ex a me algara :
que os que julgo necessarios documentos q'
nao existen, votem contra eos que julgo
que nao sd necessarios esses 'documentos vo-
tem a favor he para mim huma cousa ex-
traordinaria e eu nao vejo uisto seno hum
atropelamento. Vamos decidir a queslo ,
ponho-se de parte todas as ilegalidades que
houve. J; o nobre senador mesmo confcssa
que alista trplice be falsa por fallar hum
collegio que a altera hum collegio que se a-
presentou depois da apuracao eita c ago-
ra vole-se a favor de huma nomeaco feit.i por
huma lista trplice que he ntciramenle (al
sa ; e alem disto nao se sabe se ha mais
alguma falsidade porque fallo actas de ou-
tros collegios ; entretanto nao se quer o a-
diament Pois he a p\meira ver. ncsia casa
que se lem demorado a Widao de semeihaute
negocio? A approvaeao do diploma do Sor.
A. Albuquerque fo demorada por mu i tos
mezes.
O Snr. Costa Ferreira :A meu respeito
aconteceo o, mesmo.
O Sor. Alencar :E tambem comigo.
O Snr. Vergueiro : r* he cousa nova ,
e na eleicfo deque se trata o nobre senador
sabe '>en os escndalos as violencias e qs a-
husos da autboridade que se commettero.
Nao queira o nobre spnador conriuzir-nos a
abusar do mesmo modo decidiudo o negocio
sem conbecimenlo de causa depois de ter ha-
vdo tantas queixas e representaces. Pare-
ce que he at desconfiar d a justica do Hornea-
do o recusar-se esses documentos. O que fez
acomroisso? Examinou por ventura a acta
geral ? Comparou-a com as actas particulares
de lodos os outros collegios ? Nao ; porque
nao exislem todas as aclns particulares: ea
principal obrigaioda commisso nao he com-
parar a acia geral com s parliculares a ver
minado para a apuracao geral, nao pode en-
tender a commisso que a eleieo est nulla
pela falta de hum ou de ontro collegio...
O Snr. Vergueiro :N'em eu disse tal.
O Snr. A. Branco :Nisto nao ha atrope-
lamento e nao pense o nobre senador que
eu quero subjagar a sua opinio orno a sua
tambem nosuhjuga i minba.
O Snr. Mello e Mattos :Aos nohres sena-
dores que se oppocm % pela tnan'eira porque
se tcm opposto approvaeao do parecer da
commisso fui cabalmente respondido pelas
ultimas palavras do nobre senador que acaba
de assenlar-se; pocen accrcscento raais an-
da alguma cousa peguntando quil he a e-
leico que deixou (!e preva!er?r pela falta de
ditas ou tres actas ? Nenhuma : a ohrigv.-.
da cmara municipal edogiverno de huma
provincia quaudo manda proceder a huma
eleieo reduz-se a marcar o da das eleices
primai ias o da das e'rLes secundarias e
o d!a da apuracao geral : elegido o di da
apuracao geral q.uil be o resultado ? lie a-
purarem-se as eleices com as atlas que appa-
recem ; e onde encontra o nobre senador que
nao se pode fazer a apuracao geral quando
faltem actas parcaes q' nao pussio foimir a
maiora dos votantes-? ? Marco u-se o dia pa-
ra as eleicoens primarias o dia para as elei-
ces secundarias e odia pira a apuracao
geral. No dia marcado para a apuracao ge-
ral ; lodos os collegios devem ler mandudo
sitas actas sob pena de serem multados ; a
lei diz que se faca a apuracao .-ral com as
actas que estverem presentes eqtteo colle-
gio que noliier mandado a sua acia seja
hiri esta* actas ? Hao de os candidatos per-, porque euentendo que nao he da digndade
derem o direito ptlos votos dos eleitores ? Se- do seuado passar por alto essas representaces
r isto conveniente ? Se nao houvesse parte
alguma prejudcada eu creta que nao have-
r candidato algum queduvde pagar a multa
anda que fosse cm negocios menos graves do
que este.
Portanlo, voto pelo adiamanto na"a que se
pelos collegios eabafar as suas actas, pan peco ao governo essas actas aue faltilo ; e eu
que elle seja considerado como o mais votado, nao sei como se possa deixar de votar por hum.
Quanto ao exemp'o que o nobre senador
trouxe de hum precedente que se estabeleceo.
60 creio que hecouza muito diversa porque
sabia-se que o numero d>>s eleitores desse col-
legio que faltara nao poda alterar a elecao ,
e os outros precedentes que tem bavdo tem
sido nesle sentido isto he faltando hum
rujos votos ainda 'que se reuno
collegio
requertmento to justo, por uro requerimento
q' nos vai demonstrar se a eleieo ou nao
valida. Querer votar sem eonhecer aelecio,
querer votar arbitrariamente par aqiill o que
se ouve. Esse conhecimenlo particular que
cada hum tem sobre esta' eleieo nao rica
depositad.) no archivo ; o que fio depositado
no archivo sao as actas dos collegios e a
acta da apurado garui, e nao o que est no
pensamento de cada hum. Ora, os documen-
tos que se a presentan nao demonstran nada,
porisso que aao parcaes, porissq que falto
mullos documentos qt sao necessarios pira so
conheeer se a apurara foi hem feila ou nao;
e j por um documento que faltara e que n-
pareceo depois d. apuracao geral sereeo-
lodos em ontro candidato nao pndera alterar
a eleieo Nesle caso nao ha duvida alguma :
mas nao he assim qundo faifa a apuracao
de lautos votos q'podcnfi alterar a e'eicao: ueste
sentido nao se pode apontar precednte algum.
Os precedentes que exlstem sao quando os vo-
tos que faltem nao posso alterar a eleci), e
os eleitos vista dos votos que existen) bao
de fiear sempre sendo os mesmos ainda q:i" nhe-*e o vicio das listas,
se apurem os voto que (a! to. V.Me he que! |Wlan1t).o rqueltsentO he necessaro
(i o precedente de que fallou o nobre sena- minlia convic-o he necessaro legalidade
dor a respeito da nomeaco do regente e he I do acto ; sem a presenca desses documentos ,
o precedente que tcm havido a respeito tam o acto que se aprsenla nao he legal,
hem da nomeaco de senadores e deputados ; O Sr. Costa Ferreira : Oesejara s que
mas nunca altando grande numero de votos se me resnon lesse a esta pergunta : _se com
eueito nao tivessem apparecido senao as actas
de tres ou quatro collegios no dia mire ido
para a apuracao geral, e as outras por qual
de eleitores que podem alterara eleieo.
Ora, se nos sabemos que, por apparecer
dep ns da apuracao geral mais huma acta .
esta alterou a
m
!
os
lista trplice como nao de ve- quer impecilho nao viessem a lempo para
OiSupporque os votos de mais tres colle- que fosseai apuradas pe!a cunara da capital ,
os e de collegios lo tnponantes como ai ( os nobres sen dores jlfluriaS que os can liJa-
que falla i i.h ) possf) alterar a mesma lis- tos legaes seria os eletos por a |iie1les tres ou
ta ? E iks havmos de nos decidir coro esta juatro collegios? A presenta vao-s? s as actas
falta ? O go ver no mesmo nao a conheceo ,' de tres ou quatro collegios, no erotantj a ea-
mandando vir essas actas ? Se ap jareceo ago- mar municipal fatia a apuracao forro iva-se
ra esta nom<. :k-5o foi porque o gaverno esta alista trplice, as outras cmaras eri mul-
mnllado ; por conseguiole se pelas actas
existentes he candidato o senador nomeado,
nao i dd ba ver duvida sobre a suaelek ).
Alguns exeraplas nos poderiamos nitrem
cotrurio opinio dos nobres senadores ,
como este do precedente que se estabeleco- va expirando, e quera ter a gloria de fazer tadae na formada le ogoverno aem esco-
quando se fet a apuracao da eleieo de huma mais esta nomeaco; e estamos uos nesle mes- Iba ntreos tres candidatos mais volados nes-
maior enlidade ; ento decidio-se nao sei mo casi? O senado seta a expirar? J\ a > : sas actas de tres ou quatro collegios: havia-
se por huma lei ou se por hum parecer de; nos temos muito lempo para deliberar com mos nos approvar o diplomi do candidato as- -
commisso que huma vez que conatava pe- conhecmento de causa e ter a gloria de dar sirn n >meado ? Eu quizera que se me respon-
las actas existentes a legalidade da eleieo. entrada a este candidato, se elle esliver le- desse a is*o : fcil cousa ser a hum poderoso .
ainda que fallassem algumas acta* o resnl- galmenie eleito. Eu ruto digo que a elecao 01 por dnheiro ou por empenho alterar as
tado condecido da eleieo devia prevalecer; esleja nulla, como enteudeo hum nobre se- eleices; porque pode abafar os correios que
c como agorase faz oppnsUo a que esta qur-s-j nador : o que digo he que devenios exigir es- trazero. as actas parcaes para as cmaras que
(ao se decida do mesmo modo? Mas eu nao sea documentos, para que a nossa deciso fazem a apuracao ou mesmo e nnenhando-
me quero firmar nelles firmo-me s neste seja justa, sob pena de nos decidirmos pelo, se comas ornaras dos collegios pirciies, fa-
direilo que a apuracao deve ser feita com as quero porq* queropois q' se reeonliece a ne- zer com que essas acas nSo cheguem ero tem-
adas qu se opreseriUo. Agora, sobre as | cesasid ade q' lia desses documentos. po competente e assim ficar elle nomeido:
represen taces disse hum nobre senador que O Snr. vlello e .Mattos -Nunca argumen- pois logo que se recouhece que o nuroero dos
esta eleieo foi feita com violencia e abuso de: lo com o-- quero porque quero I elejjores desses collegios que falta pode alte-
auloridade ; isto nao nos compele averiguar O Sur A BrancoNem eu. rar a lista triplica ha vemos de fechar os-
se
ao
se a eleieo est hem leita ? Cumprio ella j pergunto en pode algum senador dizer com O Sr VergueiroIluraavezq se regeila a lhos a isso ? Es porque eu ilsse que, se se
com este dever ? direito e justica que essas representaces de- presenca desses documentos, pira vista del- admittir este principio ha de ser funesto ao
O Sr A. Branco:Cumprio, como se tem redi excluir o candidato escoihido legalmente ? les sabermos adeliheracSo que se deve lomar, senado. E que concedo merecer o senado ,
deixou de comparar a acta geral com as par-
ticulares.
Porlanto voto
pelo
Basamento para que
i'inco principio legal que he este : "X) col- pois nos ha vemos de decidir aqu pelo que ha trata ? Isto, Sis.
legio que nao apresenlou a sua acta para en- i constante e publico ou pelo que. dijera os 3o- i porque quero.
nao he seno o
quero
trar na apuracao geral no dia marcado para cimientos legaes? Se eu me fosse decidir pe-
se peco essas acias que (ilto. S assim -lie i esse fin perde o seu direito e be multado. lo que he constante .publico multas causas
qne o senado pode entrar no cabal conheci- Eu nao quero trazer para aqu os abusos tetia a notar tms isto que se diz que he uo-
niento do negocio e decid:r com juslca. Nao I praticados a este respeito de estar o corpo lorio e publico nao entra na nossa delibera -
vamos seguir o modo [)oi que o negocie pcin-1 legislativo examinando seos d-potados e se- cao. O nobre senador diz que nao nos de vi-
cijiion j u!lime-se pelo menos sem desordem nadores sao ou nao hem nomeados: a aulori- amos regular pelas queixas que se a presenta*
dade do corpo legislativo reduz-se a velar se vo : sim, Snr estou por isso mas deve-
os candidatos nou.eados esto no caso de serea mos examinar essas queixas e nao atira-las
eleitos se tem as coiidcoens de ulegihiliJaJe para hum canto, seiu vecinos se sao ou nao
que a It.i exige. Quando as nao tenbo en- razoaveis. ..
to nao devem ser admiltidos; porem o de O Snr. \'ello e Mattos O que eu disse
e sem escndalo.
O Snr. A. Uranro : Snr. presidente a
commisso examinou nao s a acta geral ,
como as parcaes e combinou eslas com a-
quella como era do seu dever : a commisso
o que lez simplisngenle foi, Batieodo que
havia falta de S acias e e estando certa de que
essa fulla nao allerava essencialmenlc a elei-
eo ...
O Snr Alencar :Nao pode saber disto
porque nao lem os ducuu enlos necessarios.
O Snr. A. Bianco :Declarar que o Snr.
Calmon eslava e lei lo e completamente no-
meado.
Essa falta de algu.nns actas nao he de eslra- i
pese l rala nao est nesle caso ; cemquan- foi que nao nos devenios regular pelas queixas
to os nobres senadores nao deslruirem o prin- neste caso.
cipiode que a apuracao {eral so se deve la- O Sn". Vergueiro He assim ; mis de-
zer com as actas presentes seus argumentos vemos examinar O que se diz vero que he
nao podtm prevalecer. I de verdade ; porem nao querer examinar
O Sur. \ergueiroVeja o nobre senador estas queixas nao querer que apparei > os
asconsequencias que se deuuz -ro do principio documentos isto be o que me parece extra-
que emillio ; deduz-se que aquelles que tive-
resn tido votos nos collegios (jue lallo per-
ol din
ario
nunca o se;uirei;
semelhante modo d-; proceder eu
nao se recouhece Mu o nu-
deui-os. Vejo as manobras que se pode fa-j mero dos eleilores, cujos votos labo poden)
nhor porque ella tem se dado em algumas zer debaxo deste principio: quando hum | alterar a lista trplice ? Carece que se reco-
eleices e o senado tem annuido isto assim candidato w: q'em hum collegio. ha oulro mais rihece isso ,
como a cmara dos deputadus he pois hum | volado, e a altando a acta deste collegio a a-
precedeule que est firme seno na opinio puraco giai e.n sea avor, empresa muitos
do nobre senador ao menos na minba por nieius nata abalar esta acta e o outio perde o
que est bazeado em actos do corpo legislativo; seu direito..
por conseguinte a commisso lez o que devia.,
ella nao tntende que pela lalla d se con-
templar em huma uputacu geral huma
ou
O 5r Mello e M.: O defeito da legislacao.
O Sur. \ergueiro A legislacao nao quer
que por esta falta o votado perca o seu direilo.
oulta acta parcial esleja i.uiii a eleieo em tJue a cmara deve latera apuracao geral ,
si, porisso he que a le manda que vnho mu ha duvida alguma ; mas, quaudo talla-
rte actas parcaes ao poder mi derador e n as- rem nts'.a apuracao os votos de alguns cbllegi-
semhlea gerai|, pata que quanelo as actas tu porque razio nao devemos saber se os
ji.iciaes nao esleao conten.piadas pela cama- votos desies collegios que lallo allern a elei-
1a u.ui.iiipal no dia marcado pata apuracao cao? (guando se I ez esta apuracao, lallavo
geral, peam poder moderador examunl-as, quatro collegios \ os votos do hum collegio ,
para lazer a ecollia eosenado ix.wi mal-as que ap,artceo depois da apuracio leiu. ja al-
lambem para deliberar. Porlanto nao seu- terou a lista inptce ; e os votos dus outros
do a cmara municipal culpada de nu terna : trexcollegiuS nao a podem alterar completa-
ebegado todas as actas parcaes no du detei- [ mente ? i'udeiu ; c tntao porque se sublro,-
pois enlo como havemos nos de
decidir ? He s por querer e nao por ius-
tua '. he o mesmo que dizerque n fecna-
mos oso'.lios a ludo, tememos esses docu-
mentos que lallo e deviu acompanUar a aclu
geral e que decidimos nao corn juslica ,
mas pelo quero porque quero.
Diz-se que a commiss i comparou a acta
geral com as actas parcaes; he verdade com-
parou com aquellas actas que exists; mas sa-
be-se (jue ha outras que anda nao chegara ,
eque o governo maudou buscar ; e cuta co-
mo lez a commisso essa comparacao para
lormar o seu juizo se nao leve presente to-
llas as acta ?
Demais, eu quisera que a commisso fizes-
se hum relatorio das represen taces que l!e
loro remettidas : e como nao o fez, eu hei
de pedir todos este documentos para os ler,
A nena duvida s he se esses collegios que
faltad pdem ou nao alterar a lista trplice :
nos nao tratamos presentemente se se Commel
lera ou nf> violencias nessa eleieo ; linas
dzem que sim outros que nao ; nao sei ,
porlanto se o candidato est mal ou bero e-
leito ; oque digo be que aprudencia pede
que se appresentem esses actos que falta ; o
governo mesmo recouheceo a necessidade del-
las, e as maudou buscar : se vierero e nao
altera reto a lstra trplice nos havemos de
admiuir o candidato escoihido .
O Sr. Mello e .Viallos ; -- Apoiado.
O Sr. Costa Ferreira -- E se alterarnos ?....
O Sr. Mello e Mattos Apoiado
O Sr. Costa Ferreira Ento quer alte-
rem ou nao alterosa a lista trplice hacemos
de admitti-to ?
O Sr .Mello e Mattos Apoiado.
O Snr. Vergueiro He justamenteo
quero porque quero.
O Sr Costa Ferreira Certamente he o
quero porque quero 5 se o nobre seu uiqr 'or
dictador se tver ascendencia sobre o senado,
poder decidir que entre o candidato ainda
(ue por essas acias se reeonbeca que elle nao
deve estar na lisia triplica. Ora Sr. presi-
dente, esta nomeaco fora as pareas desse
governo que anda exista fora os seus l-
timos atrancos ; e quer-se approvar isso !
Approve quera quizer eu nao de certo ; se
v le rem essas actas e so reconhecer que ellas
nao allera a lista trplice com muito gosto
iiei de votar para que sej admiltdo o candi-
dato; mas. se alteraren, hei de votar contra.
Dada a hora ica adiada a discusso.
O Sr. Presidente d para ordena do dia a
materia adiada e depois a segunda discusso
da resoluco que manda admiuir a exames os
esludanles dos cursos jurdicos Frederico Au-
gusto Xavier de Brilo e Joo Luiz de Avila ;



terceira discussao das resolugcies huma de-
clarando o sold que compete ao coronel Anto-
nio Luiz de Noronha e Silva e as outras ap-
provando as tencas dos coronis Joaquim da
Silva Diniz e Joaquim Jos de Moraes e A-
breo e major Joaquim Ribeiro Maiato; ter-
ceiradscussaoda resolucao que cria huma ra-
deira dedireito administrativo nos cursos ju-
rdicos, e da resolucao sobre os arrematantes
dos dizimos da Baha ; e sobrando lempo ,
trahalho de coiQHlUsio.
* Levanta-se a sessao ;s i honts e i\\.
E PEANAMHUGO
PSRJTAMBC
COM MANDO DAS A R VI AS.
Expediente do dia 15 do corrente
Olicio Ao Kxm. Presidente requisi-
tnr.do-lhe o concert ra anella da prisao dos
soldados de Policia e Guardas Nacionaes no
quartel do Paraso que pela fuga de um
preso nel'a rerolhido foi urrombada.
Dito Ao mesmo Exal Sr. requisitan-
do-lheum (ble de m.o, enxofre ; e arsenio
para txlingtiir-se um formigueiro que des-
troe e arruina o quartel do Forte de Naza-
reth.
DitoAo mesmo Exm. Sr, requisitan-
do llie o concert das estivas da Coxia nova do
cxtinclo Corpode Polica e por deverem ser
para ella passados oscavallos do eaquadrode
linha visto ter cabido a mangedora da vclho
eoxia.
Dito Ao Exm. Direeter interino do Ar-
senal de Guerra instando pela satisfaeao das
requisices do Forte de Gab com esppeia-
lidade da que dza respeito a Bandcira Na-
cional maslro e dirica competente.
Dito Ai mesmo rommunicnndn-lhe em
resposta ao <-eo officio de 11 do frrente que
o soldado da com pan h a d* Artfices Policarno
Freir Victal, linha sido nbsolvido no Tri-
bunal dos Jurados na Sesso de 18 de Julbo
ultimo.
Dito Ao mesmo ponderando-lbe a in-
suficiencia do quartel des Cinco-pontas pa-
ra nelle depostsr-se toda a plvora do Arse-
nal erarluxame fabricado no Laboratorio,
c que assim ronvinha para prevenir algum ac-
cidente ser smente remettida para alia
plvora neeessnria para o fabrico do cartuxa-
me e mixto* dentro em urna serrana e
que no fim della fossem os objectos fabricados
transferidos ao mesmo Arsenal, at qu se
conciuisse o concert do Pa/'ol da Fortaleza do
Brurn que os drvia receber.
Dito Ao Capilar) da Guarda Nacional F.
X. C Lins dsendo-lhe em resposta a o seo
officio de 3i de Julbo ultimo que eslava o-
brigado a entrar para o Arsen il com novos ob -
jectos, em logar dos que estando a seo cargo
se extravidra ou com o valor del les em
quanto nao provasse exuberantemente, que
taes objectos Ib rao extraviados pelo Cabo e
li Pra,as pue desertaran na noile de 7 do
referido mez ; como dizia em seo dito olicio.
Dito Ao Commandante do Forte de Gai-
b respondendo aos seos officios de 4 e ,q
do corrente, e signficando-lhe, que a Pre-
sidencia linha reuUsitado o preciso para lo-
lear o formigueiro do quartel do Forte de Na-
zareth ; que o Almox irife venca desde o dia
9 de Julbo pelo 3. Batalho de Artilhera ,
onde se achava aggregado conforme llie par-
ticipara em officio de 4 que ora llie seria en-
tregue e finalmente que devia dar as sal-
vas determinadas na Tabella e as extraordi-
narias independentt da Bandeira que re-
quisitou e que nao foi anda fornecida.
DitoAo CommandanU- interino do 3.
Batalbo d'Ariiilieria, mandando despedir as
cinco pracas que he foiaO apresenladas em
officio de 4 do corrente visto que filas quan-
do sentenciadas foraS pela Junta de Justica
j; tinha servido por mais tempo do que era
obreadas pelo que devia (icar em vigor di-
to officio de 4.
THEZOVURARlA DA FAZENDA.
Expediente do dia -j do corrente
Officio Ao Exm. Presidente da Provin-
cia com as relaroes dos Potitos dos Emprea-
dos da mesma Tbesouraria dos mezes de Ju- I
nho e Julbo ltimos.
Dito Informando quaes os inconvenien- ,
tes, que presentemente se olferecem para os
Empreados Geraes nao serem pagos pr.nnp-
taniente dos >eus ordenados.
dem do dia 10.
Dito A Izaac Guldnnid, K-inge Thomp-
son deLcridres, participando-Ibes em
consequencia da communicac-io forl pelo I n-
bunaido Thesouro Publico Nacional, de *- r
sido a agencia fin.mceira do Brasil na mesma .
Cidade itmovida da casa de Samuel &
Phillips, para a sua ; que dentro de seis ou
oito dias devia sabir do porto desta Cidade o
Brigoe Ingles de 1. Classe Chasse de
que he canil o James RitehtC levando 3:aoo
a 3i$oo quintaos de P;io Brasil a entregar
i sua ordem a fim de que em tempo proceda
ao competente seguro.
Dito Ao Inspector da Thesouraria da
Fazenila da Provincia do Maranhao remetten-
do-lhe cm cumprimento ;s ordens 1I0 Exal.
Presidente desta Provincia pela barca de
vapor Pernambucana de que he comman-
dante Ricardo ILiydcn, a quantia de vinle
coritos de res para occorrer as despejas da
mesma Thesouraria.
dem do dia 11.
DitoAo Exm Presidente da Provincia
coift os pontos dos Empreados da Alfandega
dos mezes de Junho e Juliio ltimos.
Portarla Ao Thesoureiro da Fazenda
para passar ao Cofre d.> Exercico findo para o
do corrente a quantia de 4 o0U dere em
Notas considerando-se como snpprimenlo ,
para ser indcmnisido logo que haja os fun-
dos necessarios
Dita Mandando debitar ao mesmo Tiie-
soureiro no Cofre do exercico corrente pela
quantia de que traa a precedente Portara.
Dita Mandando abonar ao mes no Tbe-
sourcirn a quantia de vinte coritos de res
remettida ern consequencia de ordem do Exm
Presidente da Provincia p"lo vapor Pernam_
bucana a Thesouraria da Fazehda da 1 ro-
vncia do Maranho.
Dita Ao mesmo Thesoureiro para passar
do Cofre das Rendas applicadas ao resgate do
papel do exericio findo, para oda Receita
Geral tambem do exercico findo, a quantia
de -: 111 si'4< ri- do ren menlo de 5$ l|S
|ior rento de bebidas espirituosas arrecadad as
pela Allandeg desde 10 de Dsembro de >5ij
.1 3o de Junho de 18 o segundo a demons-
tracijo : mesma Pcrtaria inclusa 5 porque per-
teniendo este rendmento a Receita Geral
segundo a dispnsico t!: Eei do Orcamenlo ,
por engao foi lancedo juntamente com os
33 i\i por cea lo dos vintios niquclla 1. ca-
xa.
Dita Ao mesmo Tbesonreiro pira passar
do Cofre di Receita Geral doexer icio findo
para o das Beodas applicadas ao resgate do
papel tambem do exercico 'itrio a quantia de
8 opSi'ciGa rs petteucenle ao Rendioaenlo de
33 iisporcenlo sobre os vinTios arrecadado
pela Alfandega no mez de Marco, que de mais
se havia levado ao de '6 i|a sobre os mesmos.
visto constar pelo OH"io incluso do respectivo
Inspector ter liavido eugano na certidSo dos
rendimentos do dito mez arhando-se lerem
importado os 33 ij por cnto 4 o4y851 rs.,
e.os 16 i|* por rento i4 ojjUj^, quandoos
primeiros importaras l2.i4V?4)^ rs., eos
srgundos 5.<)St s'n- rs.
)dem do dia I a.
Officio Ao Teen te Coronel Amaro Fnn-
CSCO de Moura Administrador Fiscal das
obras Publicas ao usando recebido o seu of-
ficio de 3 do corronle em que participiu a-
chac-se no exercico do mesmo Emprego.
casi, fasendn deordem : fi,-ou detonto no ( de que o thnsouro n-cessit isse sem premi,
i 1 \t;rss it'tmvtitiutf s
CORREIO.
A Sumaca S Domingos recebe a mala pa-
ja o Rio de Janeiro no dia ai do corrente as
q horas do dia.
O Administrador Fiscal das Obras Publi-
cas avi/.a a todas as pesioas que tem vendi-
do*materlaes e quaesque oulros gneros pa-
ra as obras da dita Repartico hajo de a-
presentar a conla do que se lhes estiver de-
vendo impreterivelmente no dia 2i do cor-
rente mez de Ag >sto, a fim de poder-se cum-
plir certa ordem do lllm. e K\m. Sur. Pre-
sidente. Admnstraco Fiscal das Obras Pu-
blicas 18 de Agosto de 1840.
A. F. de Moura Adm. Fiscal.
P R E F E I T R A.
Parle do dia 10 docoirenle.
Illm. eExm.Snr. Forao hontem presos
pelo Sub-Prefeito da Fregutizla do Recii'e o
marujo Americano Rerniuu Berg requisi-
cao do respectivo Cnsul ; foi remettido para
a Cadea at ser requisilada a sua soltura: pe-
la a. pdtrulha do districlo da Madre de Dos
o pardo Pedro Kerreira da Suva, o preto ,\la-
noel Roberto da Paz e o pardo Jjo de
Dos Barroso por serem encontrados tarde
da noite j forao sollos : pelo Sub-r*reloilo
d'esta Fregue/.iao pelo Mal hus escravo de
Francisco Gomes por andar oiferecendo a
venda 4 pires de dobiadicas que suppot se-
rem lurtadas ; lbi remettido ao Sur. : pelos
meos Ordenanzas o pelo orro luacio Jo/e
dos Sanios por esur bastante ebrio em umi
Callaboiico : polo Suh-Prcfeito da i'regue/ia
di l'01-vista o pardo Antonio 'olicapo Ja Silva
Pinto ficou detento noCill lbou?0 pira ave-
ri.;uica) de sua culpa : e pela nitrulbi dfl
a'terro da mesma Fre;uezia os pretos Anto-
nio escravo de Francisco Antonio de Olivei-^
rs i e Domingas. e>crava de I). Mara Cou-
tinbo por suspeita de estarem fgidas : fo-
rao remettidos. ;i seos Senbores.
E o que consta das partes boje recebidas.
dem do dia tg,
I!lm. e F.xm Sor. Foro hontem presos
pelo Snb-Prefeito desta Preguesia a prata de
nome Auna escrava de Joj de tal e Igna-
cio Jo iquim do-i Santos, bruio; este, e:u
virtude de um i Precatoria di Preleitura da
' omarcado Rio Formoso, por estar pronun-
ciado a prisSo e livramento ; foi remettido ;i
mesma Prefeitura ; e aquella por suppol-a
l",;: la remettida ao Seiihor.
E o qt\e consta das paites boje recebidas
Supplimenlo a parte do dia 19.
ll!m. e Exm SurPartecipo mais aV,
Exc. que boj- depois de meio lia foi assas-i-
nado na ra da Crui do Recife om umliro de
pistola, e tres punhaUdaa Fianciscode Pau-
la Macnho brancu cazado morador na ra
do Livramento por Tliomaz ias Sonto, as
escadas do primeiro andar da caza da sua re-
zidenca o qual pode evadir-se nao obs-
tante as diligencias leilas por esta Prefeitura
para sua caplur.
Pera ote a AdmnistracaS do Patrimonial! >s
assim como letras pm Londres*
Constava?, que o Ministro da fazenda man-
dara suspender o pagamento de sua pensoa
pelo tempo que estive- no ministerio.
O Sr. Camon preslou no dia a8 jura-
ment;> e tomou assento no Senado.
O irtista brasileiro, o Sr. Araujo Porto
alegre tinha sido despachado primeiro pinto
da casa Imperial
O Sr. mareebil Se.bastiao Barreta Pereira
Pinto foi nomeaJo Presidente de M mas-Ge-
raes.
O Sr. coronel Rafiel Tobas de Aguiar foi
nomeado Presidente de S. Paulo.
ios se ho de arrem dar a quem mais der aos Srs< Socios a (.ue S(J dgneln onlrP nr in.
das 1 o. ea6 do corrente, e 2 do futuro preterivelmente no praso de 3o das na for-.
Orfa.
nos
m as ren lasdo i. and ir d 1 casa n. 1
das cisis ns. a 4 5 6 10 11
3 e 14 pertencentei ao mesmo Patrimo-
THEVl'RO.
Era consequsnci 1 de nao haver miis cama-
rotes a renda e ser to expressivo o tegosijo
publico! pela icclahia'cio di maioridadedfl
S. M. I. continuad os expectacuios no Tiiea-
tr.i por mais tres das que sSo sevti, sab-
buloe Domingo, com trespe^as dtferontese
das melhore Drama eis. etc., o que msis
publicse far por esta follia.
SOCIED\DE II VRMO.\ICO-TiIE\TRAL
Tendoaobra doThealro de Apollo pro-
f, red ido des le osen comeco em il de Miren
pp at boje sem interrupgo j :han 1 > se por
isso consumidas as duas prmeiras prestaeoes
do emprestim de i5oooUrs ; c fazendo-si
por essa causa necessario proceder lereeira :
a Cbmmisso Administrativa por este avisa
pret
8 :,s na do art- 8
1?.
11 propjita approvada ao
Thesoureiro Manoel loo de Amorim ra
da Cadea velba n. *i as sitas respectivas (juo-
Silla r| is S ssoens da Administrar) do Pa-
trimonio dos Orla >s 14 de Agosto de 1840.
J. .M. da Cruz.
Noid.'is Provinciales
Pernambuco 7 de Agosto de <^{o.
Avisas lltvt'.r^
tS5" Anianba ai do corrente faz a Cma-
ra Municipal desta Cidade Sessao extraordi-
naria.
xsr O N. q5 do ECHO sabe amamanh ,
xi do corrente.
t2&" A C;mmisso Administrativa da So-
HI) DE JANEIRO.
Recebemos folhas do Rio de Janeiro at '^o
do pp No senado em sessao de vj o Sr.
H Cavalcant declarou quaes os principios
da nova administradlo di/endo que ella se ciedade Euphrosina convida aos socios da
subm'te solidariedade a cooperaco de mesma para se reunirem sexta l'eira u do cor-
cada 1 das cmaras de que se compile a rente na sala de su as sessoes
Vssemblcn geral, quanto posso concorrer t^" O abaixo assignado nicamente em
para a harmona entre os poderes politicos do defeza de seus direilos, o pira conliecimenlo
estado. Continuar.-se a discus=5o do parec.'r do PublicoannUilca, que niivjnem faca es-
da commissode legislacao sobre a nomeafo jerptura alijii dedestraCto perante o Pabel-
do Sr. Calmon para Senador do Imperio ; e liodas bypothecas Jos Alexandre Ferreira ,
fui approvadoo parecer. Pa cmara dos Srs. porque este he privativo e nicamente Ta-
eputadoscontinuou a discussao spbreoadia* belliSo de hypothecas, e nao de outras quaes
ment do pagamento de Guilherme Young-- quer Escrplurns, eistomenmo j foi decid-
Adopcao das propostas do governo solirelixa- do ipiando elle pertendeo denunciar do Ta-
can de forjas de mar e Ierra. -- Foi appro- bellido Be ;is por ter lavrado este urna es;rip-
vado em 1. a discussao para pasear segunda tura de destracto pos aquelles, que taes
o projecto sobre colonisacio Discussao so- escripturas fizerem perante dito Tabeilio das
bre a resolucao que concede privilegios hypothecas nenhum proveito tiraran dellas ,
companha de navegacfo por vapor no Ama- e constando ao abaixo assignado que este a-
zona.i, e seus confluentes buzo continua vena reclamar o seu direito
io da 28 no Senado repetio-se o (scurso por este meio para que o Publico ven lia ao
recitado pelo Orador da deputaco encarre- Conhecimento desta verdadfl e as Autliorida-
gada de felicitar a S. M, I. e a'esposta do des a que compele deem a providencia que o
mesmo Augusto Senbor Discutio-se o pro- caso pede.
jeclo sobre medidas de seguranc publica. Na Manocl Antonio Coellio de Oliveira.
Camera repetira5-se os discursos doSr. Mon-I C^ O abaixo assignado aviza aspessoisa
(ezuma como orador da deputac*0 encarre- que ai for oflerecida a roupi seguinte 4len-
gada de ir cumprimentar S \l I e resposta coes, urna cobrta de xita co;n barra estam-
de S. Vi. I. 'icou adiado o orcamenlo do pada, ecnnizas. tildo com a marca S B,
Imperio -- Discutio -se a resolucao que con- que foi furlada do primeiro andar, D 10 ,
cede privilegios a companhia que emprehen- na rui do Queimado no dio icj Je Maio
dea na vega jo por vapor. queira tomal-a e dar parle na mesma loja ,
Na sesso do dia 9111 senado apresen'.ou- que ser gratificado,
se um projecto resta bi b-cen da a guarda de: Antonio Jos dos Santos Bragi.
honra de S. W. I. -- Uiscutio-se o projecto Precisa-secomprar urna casi em lu-
sobre reforma do cdigo do processo Uis- gar que ten ha banho de rio corrente : quem
culio-se o projecto sobre medidas de seguran* tiver annuncie, ou dirija-se a ra do Ces na
ca publica. iSa Cam ira empatou-se o ada- ultima loj 1 indo para o Coilegio, q' se llie di-
inento sobre o pagamento a (i Young Tra- r quem perleud.'.
lou-se sobre e O reamento do Imperio e so- 6J7" Prccisi-se alugar urna escrava para o
bre a dot icio de S. ti. I e das A A. Prince- servicode uina casa de pequea familia, que
zas, e forao apoiad as as seguntes emendas saiba comprar, cos O ha r e ensaboar e que
dos Srs.'Oliveirae Paula Candido. sejafiel na ra dis h'lores casa l). 8 oit
Ao ^ 1- Do laca o de S. M. o
oo.oujU.
a Ao ^ a. Alimentos de S. A.
I, Rs.
I. Rs.
a 000U
m Alimentos de S A. Serenissima a Prin-
ce 1 a Sra. 1). francisca de, Paula Rs. o:6ooO
aiinuncie por esta lollia.
-----Quem qoiser carregar al;uma carga
Coriia por cerlo que S M o Imperador ; da Praia.
em urna uarcaca de ao caisas para Cama-
ragibe Santo Antonio Grande, oa tiacei *
ou finalmente pira outro quslquer pono do
Su I dirija -se a serrarU do ^ardojl, na ra
designam o dii de i/e/embro proxim 1 futu-
ro para a ceremonia de sua sagracio, eco-
roa cao.
tS*~ Oterece-se um pardo capaz para ser-
vir una ravi uusitio, ou para outro c|oaljuef
servicoeemelliautfl: quemo pretenderdir.ja*
Luinos em o n. 1G do Despertador, que ; se a oa-\ is.a ru* da Oloria e.n urna casi
o corpa do i.omm rao da Capital oerecera i dfl tasapflfo conronte ao S.'. Ignacio Uandfli#a(
a o Si. Ministro u* fazenda lodo o din huiro, de a MVfl|cfo por vapor no Amazonas,


-

DA
mi ira
RIO D R
PEftNAMBUCO
anwtiiiMa
tSS- Qiiem precisar de um rapaz portugus
de idarle de i5 anuos para rahero de loja de
fazendas ni ferragens nnunne
tST A quem lite faltar um objeeto com-
prado o qual foi entregue a um preto dan-
do os signarse a quem ron prou ser entregue
Try- Peni, o-se na noite do da 16 do cor-I na rna do Rozarlo larga por Raimundo Jos
rente depos da procisso do desagrado desde j Pereira Bello.
aruaduS Ccuz at a de S, Gonsalo dez pan-' tgr Precisa-se de um rapaz, brasileiro ,
que d cnnhecmento de ana conducta para
caixajro de uma casa de purgar ; nesta Ty-
^e3" A Biblia em latim em pequeo vo-
lu-ne o diccionario de Mofa es da quarta
edico ; quera tiver annuncic.
V e ii (1 a s
nos de la> '* :nlo de menino uns de esgniu ,
e cutos di: bretanba de linho fina e um de
esguio bordado nm coero de casimira par-
do boidodo com palmas e debrura de fila cor
de roza emhruluado em um lenco de seda
pardo com palmas grandes amurellas e ja liza-
do ; quem acliou ertas pecas ou a uuem
forem ollereridas dirijo se a na de S. (on-
salo a entregar a Manuel Elias de Moura, que
ser recompensado.
i" Francisco Gomes de Oliveira [ o Cor-
retor] aluga a sua excedente e milito com-
moda ca.-a e pequeo sitio na povoirao de
poco da panela pelo lempo da prxima festa,
ouannuahrente os pretendentes dirijao se
ao mesmo em sua casa na ra da Conceicao
no Recife n, 34.
tZf Na ra do Bangel no primeiro andar
do sobrado defronte do Sr Prefeito, ha urna
Senhora que se propon a fazer toda roupa para
tropa como Seja camisas, calcas, e &c por
neto maisem conta de que outra qualquer
pessoa fizer; assim como recebe toda qtialida-
de de roupa para engommar no que lie pe-
rita.
K3T Precisa-se alugar urna casa terrea, so-
brado ou mesmo loja no bairro de S. Anto-
nio dando-sede 12000 a 14000 meuba.es;
ta Tvpografia se dir.
cy Oabaixo assignado lendo no diario n
1791101 aviso no qual Firmiano Jos Rodrigues
Ferreira diz. ser redor de Felipe de Santiago
Cavalcanti de Albuquerque da quanlia de
pog rafia se dir.
tSF Na ra direita o p de dous sobrados
de varanda de ferros dourad is ,. no sobrado
ile um andar n. i5 se vende b .linliose bis-
coidinhos de pi'ente por preco commodo ,
e tambem se faz.em doces e sobre mezas de
bum gosto.
6?^* Precisa-se de 25o 000 a premio dan-
do-se para segura nea urna negra coz.inheia ,
fletando os ser vicos da dita pelos juros : quem
quiser dar anntwicie.
vy Precisa-se de um hnmpm que entenda
de agricultura e de plantscSes de coquairos 1
na ra do collegto i). c> no segqndo andr,
t2T Na ra direita sobrados de 3 andares
%W Sperma'-eta ordimri) a 36o a libra;
na travesea do Rozara I) 13.
53" Qoatrn tlu/.ias e meia de louro serra-
do de a!i o linos ; m pracinha do Livra-
mento D. i i.
lar'A venda sita na ra da Alegra que
vira para a Gloria, com muito poneos fundos,
e lambam se faz negocio com os que eonvier
ao comprador ; trata S'j na rn i di S. Cruz
ST Uma negra de naco de idade de 26 J
annos' boa quilandeira 5 na ra de agoas
verdes D. 6.
f^. Uma negra de outra banda de ida-
de de trila o tantos annos, entendejalguma.
couza de cozinba ; na ra de agoas verdes
D. 6.
ssr Extracto de abysiuthe e licores de cra-
vo de qualidade superior ; em casa de Her-
mano Melirtens, ra da Cruz D. i
S2S" Um escravo de naco angola de ida-
de de 5a e tantos annos ; na ra da palma na
primeira casi do lado esmerilo.
IW Um negro perito emoeiro e ofHcial
descanteo de bonita figura de naco ango-
la de idade de ab* annos e um armazem
z.mlieira de forno e foglo cose cha" e faz.
algumas qualidaues de doces duas negri-
n has de ida le de i?, annos, dous moleques
da mesma idade duas pretas para todo o
servico e muito boas quilandeiras ; na ra
na podara D 1 I precisa-se de um homem do Fogo ao p do Roza no I) aa
C7* Seis cscravos fie naco de idade de
fiara a masseira que seja perito nesta OCC-
pacio
1!
s. 1:75(3 080 e como sei que um laico que
ames pelo contrario e estou cerlo de que o
dito f'elippe he quem he justamente credor
ile Firmiano Jos Rodrigues Ferreira da quau-
tia de 358,^(jq como a seu lempo provara, es-
tou com Uto bem assusiado porque para eu
cobiar os restos dos meos ordenados do dito
Firmiano he preciso execulalo, e assim mes-
nao talvez, que etie Firmiano se quera fa-
zer meo credor ; mas eu I he a presen la rei
o saldo a meo favor, a-signado por elle
desde o primeiro de Janeiro .lo crlente anno,
e ja nao ledo uzado dos uieios que a lei me
faculta por saber que o dito Firmiano nao
teiu'bens. Joaquim Francisco de Albu-
querque Santiago.
SSy A pessoa que pretende comprar uma
casa com boni banho dirija-aje ao beco do
azeite de peixe no Recife armazem de couros ,
que se dir.
SET A pessoa liberta que quiser tratar de
um homem viuvo que mora s para com-
prar cozinhar ensaboar e engo-miiar di-
rija-se ao largo do Terco na venda de Nico-
lao Rodrigues da Cunha na quina do beco do
marisco.
C3" Precisa-se de um 1 ama par. servir a
uma casa de pouca familia: na la do Fa-
go ndes D 1 a.
S^y. O Sr, Francisco Soaresda Silva, quei-
ra annunciar a sua morada
t&- Aloga-se uma<-asa que tenha quintal
e cacimba abeira da mar e no bairro d.
Roa vista ou trocando-se por outra no mesmo
bairro, preferndo-se a que livor quintal
quem tiver annucie.
tar Ufla'menino de idade de i5 anuos,
que sabe ler, csccever, contar, eque tein mui-
ta viveza e desembaiasso se otleiece para
eaixeiro de ra, loja de fazendas ou de ar-
mazem de issucar ; na ra da otdern terceira
do lado da do muno novo casa I). 1 5
t- Da-se io,oooa premio de 2 por ceo-
to ao me subre piubores de ouro ou firmas
acontento, dirija-Se aoaltenoda Roa vista
sobrados i.ovos do Snr. AianoeJ Pires Fer-
leia.
x^T Furlaro da Matriz de S. Antonio no
da 1 ti do conenle um relo,;io de sabonete de
prala pequeo com urna cadeia de ouro
moderna rogo-sea qualquer pessoa a quem
i'or oeiecsdo iia,.! e lev-lo a ra nova l).
\% a Viiguel Bernardo (uinteiro jue gene-
rosamente gratificar.
%f I iei.isa-s<: de um homem que eea ca-
paz de cobrar uma divida distante desla piuca
18 a qo annos de boas (guras engommo
szr No Consulado de Portugal, existe uma liso > cozioho o diarjo de uma casa e entre
caita viuda de angola no Brgue rasileiro ellas orna be boa costureira, um-% moler de
Santa Mara Roa Surte para Sr. Jo5o Ro- >',a<- de n anuos cosecha e um moleque
drigues da Silva, ausente ao Sr. Joaquim do de idade de 16 annos c um negro ganliador
Nascimeuto. ^e rua ; nl rUd ('e agoas verdes O. i,
_____ E3" Uma e.inoa aberla nova que pega em
12oo lijlos de alvenaria, muito bem cons-
truida e de boas mide ras to a do ama-
relo a qual anda est no eslaleiro : na rua
lo lado da ma-
a de Medonca.
K7" Umescravo de o annos, de boniti
figura e lem principio de pedieiro urna
oreladeijade de 3o annos, cozinba. lava
na vend que lem calcada de pedra-
t9P- Uma prelado elegante figura de ida- de sal com eus perlences e cora commodos
de de 20 anuo,- perita engommadeira e co- para familia e quintal com ranxo para c-
valos ; as 5 ponas D. z.
fc^T Um par de castanholas por preco com-
modo e o 3. volme do Panorama do auno
de iKj) eocadernado j na rua doQueiraa-
do loja I), ij.
B9T Tabjado de pinho de muito boa qua-
lidade Americano e da Suecia, de uma
polegada ale5 tres por preco commndo ; no
forte do mallos armazem du Jos Antonio da
Silva Vianda.
*-" -' "".....
tscruvos Futidos
Avisos Martimos.
PAPA O CF.ARA'e Aracaly sai mm toda
ate Flor da larangera de da praa sobrado de a aiidares <
Struccao esegnp para r e c'**de Joaquim Pe.ei.a
primeira marcha e ronst
qualqueruos dous partos para aquelle que
niiiis de pressa os carregadores a prompt irem a
carga-, trata-sc na ru a la cadeia luja de fa-
zendas n. 17 011 a bordo cora Bernardo de
Souz.a Sonto.
bem roupa por 35o,000 uma negrinba e um
moleone de datie de 1?. annos ; na rua de
PARA LISBOA sahir com toda brevida- iim veIdes "* terrea D. 37
de por ter grande parte da carga promnta o
muito veleiro Urigue Porlusuez Emprnhen-
detlor forradoe encavil bario de cobre, de
que he Capillo Ignacio Jos di Armjo, quem
quiser car rogar ou ir de passagem para o que
lem uma excellente cmara arranjada com to-
do asseio e bons commodos dinja-se ao
seu consenatario Francisco Severiano Pale-
lo ou com o Capitao na praca do Comnier-
cio
S55" O trezenario de S. Francisco de Pau-
la obra uliilissima a os devotos do mesmo
Santo a 2 o o volume ; lias lojas dos SqM.
Cardoso Aires na rua da cadeia do Recife de
Santos e Conrsanhia no arco de S. Antonio,
de Antonio Jos 'inlo no pateo do colegio ,
e na praca da Independencia loja de livros
11 37 e 38.
33 Na rua Direita D. 2, vinbo muito hora
a des lustoens a caada, ea garrafa a ceuto
PARA O MARANIAO'o Brgue Bras- e l*nla ,is e de L8Doa mais superior a
leiro Rosa, segu v agora com muiti brevi- 'mi e quatro ceios e em garrafa a cenlo.e
dade por ler grande porco da carga prom-
pta para freles e passageiros para o que lem
XW Ezeqtiol, pardo, de idade de 2o an-
nos cbelos crespos olhos pardos, rosto re-
dondo estatura regular dedos das mos e
ps comp idos bem empernado tera na
canellaesquerda a sicatriz de uma fe-ida ja
velha trabalba de carpira, levou vestido
calcas de briol brinco camisa de algolio-
zinbo e chapeo de pil'11 e fugio no dia 11
do corrate-, quera o pegar leve a seu Sr M 1-
noel Thomaz Rodrigues Cara pe I o na estra-
da nova de Pao d'Allio, que prometle ser bem
recompensado.
excellenles commodos trala-se na rua da
Moeda u i4 ou a Firmino Jos Felis da
Rosa.
PARA LISBOA ate! fins do correte o
Brgue Portuguez S. Joao Bapttsta CapilSo j
i2r* No dia i3 do trrenle fugio uma negra
velha bastante fulla de nome viaria tera
em nma perna junto ao calcanhar uma sica-
triz de utna dentada de caxorro ; quema pe-
gar leve a rua direita D. 11 que ser recom-
pensado.
~y Fugio no dia 4 de Jullio do engenho
Pindoha freguesia de S Antonio de Tra-
cunbaem um escravo de nome Jernimo ,
baixo barbado, nariz curto e um lauto afi-
lado denles cortos e lisnuos julga-se ler
hia^o para as partes de S. :\nto aonde lem
lorenta res eago ardenle branca "a"Tres! P3rei,les '> <\ue,i ucai',eve ao mesmo en-
genho que ser generosamente recompen-
sado.
vintens a garrafa; assim como se compran gar-
rafas vasias.
KST Quatro caixescom arxoles do Porto ,
muito em tonta ; na rua da p-aia sobrado no-
vo de dous andares do lado do mar.
ty Uma rede le la no Maranlo pro-
IT Fugio no dia 6 do correnle um negro
de naco uiucanibique meio fullo lem na
caneca polacos lisos, e pedacos con cbelo ,
orelbas pequeas nariz meio afilado, bucos
Manoel Jos de Souz.a por ter a maior par- P> l> poia ; da rua da cadeia loja nu- rotos o braco esquerdo maisi curto do que
te do seo carregamento prompto ; quem qui- 'ero 40. o direitO a mao esquerda no dedo junto ao
ser ca, regaron ir de passagem para o quete.nl DT'umescravo muito robusto e sadio porgar corlado ao meio, o p dire.to mais
encllenles commodos, dirija-se a es cons- I de idade de ao annos, coznha o diario de gma pequeo que o esquerdo, com costuras de
gnalarios Mendes & Oliveira na
\ gario D. i5 ou ao dito Capitao.
rua
do
uo le;oas ; na praca da bi,a vista i-o.
tfiar Aluga-se ou eogaja-se serventes para
p(ureiro ,-ou para qualquer servteo ; na rua
,,iaia armazem de Antonio Calas da Silva
%r Aluga-se homtns torios, ou esclavos
para trab.liiareui um sitio que lem olar.a, e
para tsla tambem precisa-se de liabalhadoresj
na rua do Livrainento 19.
fc. (lu m precisar de um rapaz portu-
guez de idade de i4 annos para caixeira de
loja de fazendas do que lem alguma pralica ,
iieiimii
.Le il o
G7* O Leillo de Alexandre Mackay & C. ,
annunciado para ai do crrente, fu trans-
ferido para tena fera >5as 10 horas da ma-
nh no seu armazem da rua da Cruz.
k^F' (ieorge leme & Companhia fazea)
lerlo por intervenrio do Corretor Oliveira ,
de um bom scrlimentode fazendas inglezas ;
quarta fera.ab do correte as 10 horas da
man!,a em ponto no seu armazem rua da al-
fandega v el lia.
S-i/" Que faz J0S0 Bernardino de Moraese
Castro no dia quinta feira 7 do frrente ,
de 2b sacas de arroz de vapor [ em lotes ] por
conla de quera prelencer no caes da alfan-
tlega na porta do armazem de Antonio Joa-
quim Pereira.
C o 111 p ras
SS5" Un: 1 escrava que saiba lavar engom-
mar ecoinhar, pe ledamente sera acha-
ques oem vicios; annuocie.
iiz* Urna barcaca que seja bem construida,
eslea capaz de fazer viagem e pegue para
cima de 10 caixas ; quem tiver annuncie.
~" i^* Um Ovidio em bom uzo ; na rua lar-
ga do Rozario D. 4-
Vv- Uous moleques e uma moleca de ida-
de de 10 a i5 annos e lamuera se retbem
escravos em commisso para serem vendidos ;
na rua de agois verdea ). 8.
t2T Um pai de pratos de locar em msica
em meio uzo unas campanillas e dous re-
ls ; i;a rua do Cabug loja U. 7.
v-1_- A obra de Adolfo Garmier : na rua
das Flores L). 5.
casa com perleico 011 troci-se por uma ne-
gra 5 na rua da cadeia do Recife n 1%.
ftUis Uma casaca prefc de muito bom pan-
no e em bom uzo ; na rua velha i3.
^y Polassa nova de primeira sorle por
preco commodo caixas cora vellos de cera do
Mo de Janeiro ; na rua da moeda n. 141 em
casa de A F. dos Santos Braga.
C?" Call muido de superior qualdade ,
em porcoeiis grandes e pequeas, por preco
commodo e se recebe de lora para torrar e
moer sendo a menor porco uma arroba para
cada um levar o que entrega; na rua do azei-
te do peixe padaria de iManoel Ignacio da
Silva Teixeira
S2y Urna canoa iberia nova e oulra que
fo de. agoa ; atraz dos Martirios casa de tres
poitas verdes.
i_~ \ inbo da Figueira ja aniigo em bar-
ra de quarto olio de linhaca era barra e
holijuens, ferro de varanda sortido barra
de chumbo sortido espingardas lasarinas e
iiancczas e diversos surlimentos de Icrra-
gens de Inglaterra Alemanha e Porto; na
rua do V ig.nio l). 12.
tsr Um eciavo creoulo muito robusto ,
com ollicio ce padeiio e lefuador de assu-
car o motivo da venda se dir ao comprador ;
na rua direita padaria de sobrados i3.
S.4/- Duas hundas mui rieas e do ultimo
gosto da Corte para ollicial sujierior ; na rua
do Cabug loja de Antonio Rodrigues da Cruz
tSr Um negro de naco benguella de ida
de de 10 annos, e uma negrinha de idade
de la anuos de naco angola lem princi-
pios de costura ua rua direita venda que
loi de Jos Louienco I). 3o.
_j~ Urna escrava creoula de idade de ib
anuos, eugounna liso, cosecha faz rendas,
e coiinha o diario de una casa : na rua di-
reita L). ao lado do Livruuieulo.
feridas e manchas brancas os dedos dos ps
todos rodos ; quem o pegar leve ao beco do
Veras que se gratificar.
tjt t\ seis mezes desapareceo da povoacao
deS. Jos da coroa grande um escravo de no->
me Agostinho de naco angola, ollioial da
ferreiro estatura
baixa cor preta bem
pelludo cabeca mal proporcionada denles
limados peinas linas, supe-se ter embar-
cado para esla Cidadc onde talvez esteja oc-
culto ou engajado em alguma ferrara a titulo
de forro ; quem o pegar leve a rua direita .
zi por cima da botica.
l$?~ Fugio no dia 17 do correnle uma ne-
gra creoula, de uome Camila; um tanto
fulla boa estatura secta com urnas mar-
cas de esfolad ura no pescoco e no dedo me-
dio da mo esquerda uma uuha levantada bel
natural de Pajahu de Flores quem a pegar
leve a rua e&treita do Rozarlo no segundo an-
dar do sobrado defronted beco da larangera
que ser recompensado.
ovimento do Porto
NAVIOS SALUDOS NO DIA 19
ACARAC' ; Patacho Nac. D. Francisca ,
iM, Antonio Gomes Pereira, carga vario3
gneros passageiros um Padre um Ca-
pitao e mais passageiros.
ENTRADO NO DIA r9.
ARACATY ; 3o das, Sumaca JNac. Felici-
dadede 3 tonel. M. Jos Rodrigues Pi-
nheiro eqttp 7, carga atgodo } a Anto-
nio Joaquim de Souz.a Ribeiro j passageiros
vate e quefro.
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. t84a


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFS8VIBTQ_D2LE5E INGEST_TIME 2013-04-13T00:58:44Z PACKAGE AA00011611_04726
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES