Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04725


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1840. Quarta Feira
Turlo agora depende de nos raesmos ; da r.ossa prudencia, mottera-
I5S0 e eucrgia : continuemos como principiamos, enseremos aponlados
coui admiraco entre as taces mais cultas.
Proclamarlo da Assemblea Geral do Brasil.
>l 99 '
Suhscreve-se para esta folha a 3?ooo por qtiartel pagos adiantados
[fiesta Typograia ruadaiCiuzes D.3, e na Praca da Independen-
I cia n. Sj, e 38, onde se recchem correspondencias Ic^alisadas e an-
nuncios, insirindo-se estes gratis sendo dos proprios assignantes, o
I vindu assgnados.
PATIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES;
Cidadeda Parahiba e Villas desua pretenda.......\
Dita do Hio (irande do Norte, e Vilfcs dem.......f s ... .
Dita da Fortaleza e Villas dem..............beS' e ;cxla, feuM-
.idade de Goianna...................../
Cictade de Olinda......,............... Todo os dias;
Villa deS. AntSo......,\.............. Quintas feirai.
Dita de Garanliuns e Povoaco do Bonito.........lo, e 24 de cada met
Ditasdo Cano, Serinhaem, Rio Forrnozo, e Porto Calvo. I, 11, 2! dito dito
Cidade das Alagoas e de Macei............ dem dem
Villa de Paja de Flores.....................dem 13, dito dito
Todos os Correioi partem ao meio dia.
n
11
PHASES DA LA NO HEZ DE AGOSTO
Quart. crege. a 5 as a h. e .14 m. di man.
La Clieia a i3- as 4 h. e 55 m. da man.
Quart. ming. a i- as p h. e 5? m. da man.
La Nova a 16-as 4 h. e abm. da man.
Mare ehcia para o dia 19 de Agosto,
As 10 horas e 6 minutos da manh.'
As 10 dorase 5o minutos da tarde.
10 DR-AflOSTO.1 Numero 180
CAMRIOS. Agosto 18.
Londres......19 \\i d. por Ifooo ced.
Lisboa ......Kj a 83 por o|o premio or metal offerecido^
Punca......3o rcii par tranco. t
Rio de Janeiro ao par.
OLKO Moedade6#4oo reis, vcllias i4#6oo
, Ditai ,, novas 14^400
Ditas de 4#ooo ra*, 8'oao
PRATA Pa tacos brasileos i^li'jo
Pezos Columnarios----------if'iio
Ditos Mexicanos---------. lfG'io
Muida. ---------.......,.40
Descont de bilhetes da Alfandegt i i|R por loo ao mez.'
dem de letras 1 i| a 1 Jp por boa* firmal ollcrccido.j
Mouda de cobre l\ por 100 de dice,
DAS DA SEMANA;
17 Secunda S. Mamedc M. Audiencia do Juil de Dircito da 1. vara.'
18 Terca S. Clara de Monta Paleo V. Relaclo e Audiencia do JutS
de tllreitoda t. vara.
9 Quarta S. Luiz II. Audiencia do .fuiz de Direito da 3. vara.-
90 Quinta Bernardo Ab. Audiencia di Juii de Direito da 1. varaj
ai Sexta S. .loanna Fiancisca Viu. Audiencia do Juii de Direito da
I. vara.
11 Sabbado jejum S. Tcmotlico Rclaco e Audiencia do Juiz de Direito da
7.3 Domingo O Sagrado Coraco de Mara.
^ Vfc, >--> 3&L >. ^

RIO DE JANEIRO.
CMARA DOS SRS. SENADORES.
Sesso de ao de ulho de 1840.
Presidencia do Sr. marquez de Paranagu.
Approvada a acta elido o expediente, en-
trarse na ord?m do dia
O Snr. ministro da justica partecipa nao
poder ussistir a discussao.
He approvada em secunda discussao a re-
soluco relativa aos eontractadores dos dizi-
mos de minneas pescado e gado na provin-
cia da Babia, com o arligo additivo do Snr.
Hollanda Cavalcanti
He approvada em primeira discussao para
passar a segunda, depoisde terem Tallado os
Snrs, Vergueiro Monteiro de 13arros Car-
neiro de Campos e Vasconcellos a resolu-
co creando cadeiras de direito administrativo
em S. Paulo e Olinda.
He tarobem approvada em segunda discus-
sao depois de terem fallado sobre ella os mes-
mos oradores.
Continua a discussao do projecto O
que, se nao fizerao bem ao paiz, foi nao por-
que nao livessera dezejo de faze-lo, mais pe-
lo estado provisorio em que se acba o go-
verno sem prestigio nem forca. Nes-
tas circunstancias entende que se devedar ao
governo o prestigio e a Torca de que neces-
sita.
O nobre orador observa que na falta desse
prestigio vio-se o governo obngado a recor-
rer a esse apoio de maiorias arregimentadas
que nao existio at ento poisjque s de-
depois da nomeaco do regente actual ouvio-
se fallar em maiorias compactas, e decididas ,
e em deputados ministeriaes isto he, que
substituem a consciencia do governo s suas.
A' vista deltas razes entene qne ama-
neira mais eficaz de se preparar o paiz lie
declarar-se a maioridade.
O Snr Vasconcellos, combatiendo os ar-
gumentos do preceden*e orador, nao sabe que
seja ccnsuravel liypothecar-se o voto ao go-
verno que elle orador conheendo o car-
cter e os principios do actnal ministro da
justica, bypolliecou-lbe o seu voto, e disso
muilo se ufana, O nobre orador declara que
quando se falla de maiorias e transaeces nao
se deve suppor, que le.iho por principio a
Fica a queslfo addiada pela hora.
O Snr. presidente d a ordem do dia e le-
vanta a sesso.
Sesso em ii de ulho.
de guarda, ao menos relativamente aquel-
es, que nos sao sugeilos.
Um preceito foi inculcado ao horaem, des-
de a criaco .-leste universo, eem memoria do
to assignalado aconlccimento o preceito de
!
artigo 15, 4
O Snr Vergueiro, depois de haver sus-corrupco, e depois de baver respondido a
tentado a doutrina da sua emenda dir al-1 outros argumentos observa que nao sabe a-
gum cous 6obre o que entende por maiorias inda sea idea da maioridade he ou nao na-
e transa tra nsao.oes sao da essencia do governo repre- tucional e que s pode ser alterada passan-
sentativo, mas nao acba essencial que hum
certo unmero de individuos votem sempre da
mesma maneira. Quanto as transaeces ,
nota que sendo milito diversas as intelligen
Presidencia do Snr. mar<|uez de Paranagua. {,uarda"0 selimo da Ja se,nana. Este dia o
Approvada a acta e lido o expediente, en- Senhor reservou espenialmente para si e
ta-se na ordem do dia. i nelle deve o hornera render-lbe culto, em
Continua a discussao addiada do artigo no- Ireconbccimento d. soberano poder, q-io o
nodo proiecto das medidas de seguran 9 a pu- criou, e que igualmente o resgatou, porque
blica, cora huma emenda do Snr. Mello e em um Domingo pela ressurreicao de J. C,
.\]all0Si i se completou o mysterio da redcmp.ao do
Tomao parte na discussao os senhores Mon-homem A Igreja depositara fiel dos pre-
teirode Barros, Carneiro de Campos, Mello ceitos etradicoea Divinas, sempre guardou
eMattos. emandou guardar escrupolosamente tao so-
O Snr. Me lioe Mattos pede retirar a sua lemnedia, a que necresc-ntou outros tara-
emenda substituindo-a por entra. bem commemorativos d'oulros misterios, e
He retirada a emenda e apoiada a que a d outros triunfos da Religiao, porque o bra-
stibstilue. co de Dos so nao encurton anda, eosseus
Eallo'anda sobre a doutrina do artigo e prodigios jamis cessaro. E Bxando Igre-
da emenda os Snrs. Carneiro de Campos e Pa- ja a maneira com que deyeremos passar ta-
es dias em honra do beunor tem ordena-
O Sr Ferreira do Mello pede o addiamen- do que nos cxercilemos em actos denda-
lo do artigo at que se imprima a emenda a- de, e em particular ass.stamos a Musa nos
presentada pelo Sr. Mello 8 Mallos. referidos dias, e como ura me.o de con-
Tomo parte naquesto do addiamento os seguirmos este fim que cessemos coraos tra-
Snrs. Mello e Mallos, Ferreira de Mello, bailaos raanuacs. Estes principios da nossa
Monteiro de Uarros. W "eos Blhos. neul.ura de vos os^ig-
He approvado o adiamenlo.
A materia fica adiada pela hora.
O Snr. Presidente d a ordem do dia e le-
vanta a sesso.
Continuacao da Pastoral c Exm. e Reveren-
nora e permilta Deosos pratiqueis lo fiel-
mente, como cabalmente os couheceis. Nos
assim o pensamos mas eremos que a respe-
tos dos escravos nenbum ebcrupulo vos vexa
pela viollaco do preceito, de que fallamos.
Os escravos, diz-se, prosigo em traballiar
dissimo Hispo Capello-Mor do Rio de Ja- nos Domingos e leitas de preceito, assira como
r nos outros dias a fim de nao estarem ociosos,
n' x e o fruto desle trabalho seja para elles raes-
Anecessidadeeacommodidade d'alguns mos. Admiravcl invencao que escapou ao
jjrobabilismo empenlr.docomo foi em favo-

1U3 i t-e//- \yj ------------- i.
va que o que he fixo he que o filbo mais ve- cursos de nove horas. Nota que convera des- lvKW santos esto ebeios e cora cspeciahda- | do^ omen, <^ ^^^-^crL^. ml
a estrada espnhosa de as Epstolas dos Apostlos de
do-se por cima della, golpeando-a. Nao a-
cha contestavel a doutrina do artigo lai
o imperador tem direilo de governar de da-
de de 18 annos : anda Dio tem iGannos,
cias, e mais diversas do que o pbysico talvcz, 1 logo nao pode governar, e se a conslituico
lie necessario que para haver hum accordo estabelece que he constitucional oquedizres-
hajo modifi aces deopinies. Mas quando: peito aos direitos polticos, e individuaes,' por urna parte ; e pela outra a situacao e .
se tracta de maiorias arreginientadas com sar- i do cidadSo quer se considere esse direito circunstancias d aquel les, que so oerecen- ne'' *'', '. ,,'' d r,rreiai
genios que expeden, asrdeos e bausas que i como poltico quer como constitucional a do os seos servicos por paga. J^J*- ^ te"ve7"i. io^eSe UO. prov. \o
doosignal docombae nao as acba conve- consequencia he sempre a mesma. se do neces irio a vida, .....i,' ^,.u
nientes
dad
se p
a in
Fallara uepois ua grnnue quesiau nauv-juamm "rr uhwuwi iju^ cin uuu ...8. --~~ ",","' nra os mesmos escravos
nal. Em sua opinio lodos os arligosdacons-; poda ser approvado: que na opinio dellc todos os negociosn^*1^^/^u[n|^,,^^(iC,:(; *,^^ seu trabalbo nos Domingos, e Testas de pre-
to (uer diser, que n* lbe damos aquil-
que nos nao pertence ; sao do Senhor, des-
ados ao seu servico e proveito esperitual
go m, ousc. gi
preceitos s porem, por urna uzurpaco sacrilega, des-
viamos estes dias do seu alto fim mandamos,
corporal-
raco reurso
Tallamos ao prin^
com os es-
tendendo-se a que na cmara dos depuladus rador lera hum projecto a respeito que o a- ou por menos observadas presenlemen,e re sacio ordenamo9 que elie8 0 ad.
o chefe da maioria a quem ella obedeca prentara se o julgar conveniente. leva excitar. ISem mesmo ^remo,, ains | 1^ ^ maneira> ,ues |l5o mite
ao menor signal, vio-se abandonado pelos se- Iteconhece que a raenor.dade lera fe.to Iruccao religiosa, que os amo, de.em a a're| -l L.onscencia Quer diSRr e este
usalliados. Ha muilo que elle orador lora mu.los benehc.osao paiz, e depois della a dis- criados eos Senhores aos ^travos, p o que u ^ Q amenl )reu^minan,e em cas0,
nvidado para se decidir acerca da idea da pensada maioridade, que tem chamado para julgamos bastante q^m.lXS-o do semelhantes ; quer dizer, que os nteresses
aiorid.de, resignou-se ad. diser por- o partido delle orador mu.tas illuslraces quando tratamos d ta ^ ^^ ^ temi,0raes sao lido para nos, merecera exclu-
quanlo essa idea anda nao tinfca" amadu- Declara bypothecar seu voto a quem qu.ser pas para rom,_os[xo^e
recido ainda nao eslava naciona
chamado officialmenle a dar o seu vo
podia recusa-lo, e por isso declaro
opinio.
Tem ouvido di/.er que cumpre preparar
paiz, fazeudo as leis as reformas i.ecessa- para lazer todas essas leis aproveiur o en-
ras : mas entende qne essas reformas se thusiasmo do momento,
aro de hum modo mais conveniente e em- Termina declarando que a ideada maio-
caz depois de se declarar a maioridade. ridade su peder ser applaudida; pelo paiz se
au crimnala os ministerios que tem ex- as cmaras habuUlarem o Snr. Pedro 11
isdo athoje," porque esta persuadido de para goyuruai-.
Iho do imperador he imperador, mas o que embaracar de tropecos
e refere ao exercicio est depen
cunstaucias do dia e consegu
ser alterado. Nota que a questo
to he se convera a alteraco ,
conveniencia nao se pode boje
dos deputados r
prentai se 1
lito que eTe orador lora mullos beneficios ao paiz, e depois della a dis- 'criados, e os Senhores aos
con
na
ra poique,
0, oupaixes menos ae-ha, que d<
-'- --a anuiuilar o pre- dalguns eme-
de acord coradle a conducta
uobres tem contribuido par.
ceito da sanctilicaco dos Domingos
pre-
festa
ceros casos.
s escravos prosigo em traballiar no
teuo ua -- .-_ ^_'_________1 dias de GUarda f porque aius ociosos se pers-
TTaS) Ad"p"hes. (3, 9. i derao com os vicios. G*k*UUM ser e*a-


/ -.
DIARIO DE P ERNA M BUCO
5-
9
91a al verlo ponto esta proposico, mas inad-
tnissivel na sua generalidad?, romo destrui-
dora do preceito da sanctificacSo das fastas, ou
fundada na ignorancia da maneira porque
tal precedo deve sercumprido. Sim nao
do-llie que o Conseliio Administrativo do
3. Palatino d'Artilheria havia de confor-
midade com o Artigo 26 do Regulamento de
1 7 de Fevereiro de i83a dado em consumo
varios ohjectos |>erlencentes ao Hospital Regi-
somente respeito dos eseravos mas tambem mental os quaes constavo de urna relaco
d'oulras cIswm da soriedade senao de todas que Iheenviava sob,n. 1 e pedindo-llie hou-
quesedevi* temer a ociosidade eos seus per-
niciosos eleilos. Se por tanto semelhantes
inconvenientes traz romsigo a guarda de cer-
tos dias este preceito (leve ser abrigado
Mas a maneira porque a Igreja quer que
secllecumpra temol-a nos bem averigua-
do ? Assim como nos nao gastamos urna 011
duas horas somente no servico corporal, quan-
ilo elle nos entregamos nos dias da semena
igual espacode lempo somente nao deve ser
consumido nos Domingos e Pesias de precei-
to nos ejercicios e actos de Religio e sim
todo odia, nioralmente tallando do mes-
mo modo que lodo o dia nioralmente fallan-
do, nos {"asamos nos servicos manuaes. Es-
ta maneira poique a Igreja quer se cumpra
o preceilo ; a mesma, porque se elle cumpria
nos passados lempos do Christianismo, quan ~
do os fiis io ;s igrejas pela roaulia aasistir
aos Officios Divinos, que absorvio urna gran-
de parte do lempo e vollavo ;i tarde para
concluirn os seus exercicios religiosos ; ma-
neira de cumprir o preceilo que excluindo
a ociosidade seguramente esquecida ou
desattendida pelos que nos Fasem a objeceo
Mas em fim cooceda-se que o mal da oci-
osidade ao menos no modo de preencher-se
presentemente o preceilo muito para rece-
ar-se nos rscravos Mas que meios que ex-
pedientes leudes vos adoptado para preve-
nil-o ? Nenhum tai vez j o mais simples o
mais expedito e diremos o mais anlogo ao
infeliz lempo em que vivemos por de
parte o preceito da Igreja. Talvez que nem
nesses dias como meio de oceupar os escla-
vos vos Ibes deis a instrueco Religiosa.
Esta Diocese rerdadade vo-la nao oh*e-
rece presentemente as Igrejas m.is seoCeo
permittir, que para adianle ella o Caca, ver-
so-ha a boa le dos que lallo nos pericos da
ociosidade que ao menos deixaio de ser al-
legados como escusa para se nao guardar o
fundamento da Igreja be esNdielecida a ins-
trueco religiosa as Malrizes nos Domingos ,
os escravos deixarem de aiii comparecer.
Meus filhos o que nos dirige nesta, assim
como cm outras adinoestacoes que vos have-
mos feilo nao senao o desejo de ver a vos-
sa f arraigada a vossa piedade afervorada,
puros e incorruptos os vosoos costumes ; que
oulro im alem deste podemos nos ler ?
Nao pe tendemos e num pelo nosso Minis-
terio nos dado por tropeis aos vussos inle-
resses temporaes os quaes .so nos cumpie dar
urna conveniente direceo, pondo-os em bar-
monja cum os da oulra vida que nuncade-
vereis perder de vista, fim da nslituicao
das leslas loi polilieo alem de religioso A
reunio debomens, que se vilo peridica-
mente em certos dias, e recebio em commum
urna instrueco religiosa e muilos respei-
los social loi otil'ora um meio de civiiisn-
co eanda boje forma e estrella os lacea de
Iraternidadeentre aquellas, que a nao ser
por occasio de urna lesta religiosa nunca se
iproximario. O descanso, depoisde 6dias
cea, e babilila-as para recomeca a larefa :
tiOlou-se 110 lempo da revoluiu Franceza ,
quaijuo subi de ponto o furor de reformar e
e reformar aquellas instituir/oes que linho
por si a sanecao dos seculos ; notou-se di-
zeuios que a nova semana de lo dias (d on-
de desappareceu o nonie de Domingo ) nunca
(de ser observada ; os inesmos ammaes re-
usavo-se ;i um trabalho io mal dividido e
como se dizia na branca, conhecio o
Domingo. Nao pensis que esle dia, q..e
o Senhor reservou para si piejudique aos
vesse de passar suas ordens ao Arsenal de
Guerra nao s pira receber alguna dos mes-
mes ohjrctos que podido ali ter pplicaco i,
mas ainda para fornecer oulros discriptos na
relaco n. 1 em substituidlo aos dados em
consumo.
Dito-Ao Exm. Director interino do Arse-
nal de Guerra fasendo-lbe constar que
havia mandado relaxar di prisao o Cabo eos
trez soldados da Companhia d'Artifices que
patrulharo o Districto da Penlia na noile de
7 do corrente, visto estar cabalmente infor-
mado que a natrulha cumplir suasobrigac-
es e que o Cabo nao tomara parte alguma no
movimentn I ilo-Ao (lomiD. interino da fortaleza de 1-
tamarar aulborisando-o a mandar cortar ,
e preparar o maslro da Bandeira da mesma
Fortaleza por algucm dando-se-llie urna!
paga maior da que se prometiera a Joze Ja-
nuario Dourado e respondendo a muros oh-
jeetos tendentes ao servico que fasiio par-
le do seo olli'jio de 'i8 de Julbo ultimo.
Porlaria-Ao Commandanle interino do 3.
Batalho de Artilberia mandando em cum-
primento a Le dar demico ao soldado da t
Companhia Jacinto l'ereira Dtra por haver
sem nota fiiidlisadno lempo porque era obri-
gado a servir como rccrulado e nao querer
continuar no servico,
Arlio da Ordem addicional do Jia 17 de A-
gosto.
Convido aos Senbores Oficiaes de 1. Linda
Activos e Reformados e aos da extiucla 2.
Linda comparecerem na Secretaria Mi-
litar as II horas do mencionado da (?) a
fim de ahrilhantaiem com suas piesencs o
Cortejo que se lem de lser aa Buslo de S
Al. O Impeidor.
Antonio Pero ile S; Oarreto.
Comandante das Armas.
V rwafi iei>ailivoen!H
P n E F EI T U R A.
Parte do dia |5 docorrenie.
Illm. eExm.Snr. Forao hontcm presos
pela 1. patrulha do districto do Cepo Santo
o preto de nome Miguel escravode Mano-
el Cardosoda Fonceca por lhe ter sido ap-
pr"dendda tarde roupa estando-a elle vender, a q11.1t se
supozser furtada ; ficnu deten'o no Calla-
bouco': pelo Sub-Prefeito d'esta Fre-
guesia os pardos Antonio Joaquim por que-
rer" assassinar a sua muldor e ser de pessima
conducta; foi remettido ; Salla para ser re-
crutado para o servico da .Marinha : e !vfa-
tIludes NIaria do Rozario por ter dado urna
bofetada em urna creanca ; foi remedirla pa-
ra a Cadeia : e pel patrulha do distiieto
das 5 Pontas Alpxandre da Ora, tamhem par-
do por estar ebrio e em desordena : ficou
detento no Callabouco.
E' o que consta das part?s boje recebidas.
dem do dia 16
Illm. e Exm. Snr. Foro dontem presos
pela 1. patrulha do districto de Fora de Por-
tas o pardo Joze Venceslao da Silva por ter
querido pelas onze horas da noie assassinar a
Themoleo Martins com urna faca de ponta ,
coma qual estava armado; e o preto Joze,
escravo de Luiz Pe re ira Simes por fur-
to ; loro remedidos para a Cadea : pela pa-
trulha do districto da ra Nova o preto Joao ,
escravo do Cirurgio Teixeiri por snppol-o
fgido; foi lemeltido aoSnr.: e pelo Sub-
Prefeito da Boa-vista Joaquim de Castro e
Mello, que diz ser Porlu ;uez por ler da-
do urna bofetada em um menor ; foi remet-
lido para a Cadea ; c o preto Joze escravo
de Joze Thomaz Pires Ferreira, por briga; foi
remettidoao nr.
Das parles boje recebidas nio consta que
cecurressem mais novidades,
dem do dia 17.
Illm. e Exm. Snr.Fo o hontem presos
peo Su'j-1 refeitodaFre;ue/.ia do Recif 03
prelos Rliguwi escravo d- Elias Balthasar ,
por estar ebio e ser encontrado na ra em
horas incompetentes; Alejandrina escrava
de D Mara Violante Lipes, e Luiz de
Joaquim de Dos Gomes n Siuueira, por bri-
ga ; furia remtltidos l( d >s seos respectivos
Senhqres ; pelo Sub-Frefe t) d'est Fregue-
zia oulros pelos de nomts Joaquim da Costas
forro, Joaquim, escravo de Alanoel Pires
I'en eir e Benedicto de Joaquim Tiburci
Ferreira, por terem por co turne encommo-
darem a visiiibanya iodos os Domingos e Di-
que tendo pedido o mesmo Cunda licenca pa-
ra as reedificar esta Cmara julgou nao se
dever conceder em raso desahir fora do ali-
ndamentodo quarterao opposto ; mandando
S. Exc. subministrar pelos Cofres Nacionaes ,
a quantia que pela avaluacao das mesmas for
arbitrada.
Despanhiro-se alguns requerimeritos e
por ser dada a hora levantou-se a Sesso.
fi ea Fulgencio infante d'Mbuquerqne e
Mello Secretario o escrevi. Barros, Pro-
Presidente Ros Souza, Chaves, Olivei-j
ra Vianna. Est conforme.
Fulgencio Infante d'AIbuquerque Mello;
Secretario-
ANNUNCIO.
Tendo a Guarda Nacional desla Cidade de
arrumar em Grande Parad* amanhi quinta
feira o do corrente pe'a l'elis Elevacao de
S. M. 1 o Snr. D. Pedro 2 ao Tbrono
Brazileiro, o ahaixo assignado Fiscal do Bair-
ro de S. Antonio certo de que ido grato e im-
portante motivo deve ter enebido de jubilo to-
rio o Povo Pernambucano convida aos mora-
dores das ras Nova Cabng Collegio ,
S. Francisco e Praca da Independencia p. -
raquetenha limpas as referidas rua> boje
19 a fim deque possao mel.iior.neute ser
juncadas e semeldadas de folhas para se
tomar mais decente, e bril'iaute o meuco-
nado dia quinta feira. Recii'e 18 de Agosto
de 1840.
Rodolfo Jodo Barata de Almei la.
Perante a Administrabas do PatHmoni; dos
Orfas se hao de arrematar a quera mais der
nos dias 19 e 36 do corrente e 2 do futuro
mez as rendas do a. andar da casa n. 1 e as
das casas ns. 2 .\ 5 t, 10 11,12,
13 e 14, perlencentes ao mesmo Patrimo-
nio ; as pessoas que se propitserem a arre-
malal-as podera comparecer nos indicados
dias as 4 horas da larde na salla das S&ssoeus
; da mesma Administracao com seos fiadores.
Salla das Sessoensdi Administracao do Pa-
trimonio dos Orlaos 4 de Agosto de 1840.
J. AI. da Cruz.
vossos avancos ; ao contrario, iiemei
que
privando-o do seo tullo abandonando as
:-uas leslas edtixandode observar a sua lei
a sua lien, o deixe lamben de acompauliar OS
vossos tiahdlhs e em lugar da abundancia ,
das liquezds que esperaes a pobreza, a
miseiia vos aveze. obenhora ierra, e
ludo o que ella encerra (iab)j por conse-
(jueiicia Elle quem disiribue ds riquezas 1
pensament muito obvio em vtidade mas
que parece bastante esquecido por nos.
(Continua )
TRIBUNAL Dv RKLLACAO.
Sessaododia 18 d; Agoslo de I040.
Na Appellaco Civel da Comarca do da-
to, A pp. Antonio Rodrigues Cordeiro eoulro, 1 as Santos com seos inlerminavtis batuques;
Appellada Anua Francisca de Jezus Escri- 0 1. ficou detento no Callabouco e os oulros
vo I oslbumo ; se julgou pela reforma da foro remeliidos seos Senbores : pelo Vla-
senteuca Appellada. ^ j jor do 3. Batalhaode G N. opirdo Joaquim,
Na Appetlaco Civel do Juizo de Direito escravo de Joze Raimundo da Silva por estar
da Comal ca do Brejo d'Areia Appellanle bastante ebrio; foi sollo: pe!a 1. patrulha
Joaquim Joze do Carmo Appellados .Viaria do dislricto doCarmo o pardo Joaquim Pe-
da Suva e Joze Manuel dos Arijos Escrivo rera Diniz por lhe ler faltado ao respeito ;
Ferreira; foi a sen lenca recorrida conlirmada. ficou detento no Callabouco e a preta Maria
Os Embargos de U Catbarina Francisca do Rosario, wrava de Joe Narciso, por
do Espirito Santo oppostos ao Accordo uoulra briga ; loi remettida ao Sr. : pela i pilru-
ella proferido nos Autos de Appellaco em. 1 ha do districto da Ribeiraos prelos Vicente
que lhe be parte D. Leaudra Alexandrina Lo- | Rodrigues Sei\as Paulo V4vent, e Joaquim
I es Lima Escrivo Chaves ; ior;lo despre- j Theodoro por se fkserem BUspeilos ; foro
zados mandando-se cumprir o Accordoem-Ideientos no Callabouco epelo Sub-Prefeito
bargado. ((,, Ereguezia da Boa-vista o preto Romo ,
Na Appellaco Civel da Comarca do Jar- escravo de Manoel Pires por ler dado urnas
dim Appellanle francisca da Cruz Neves escotadas em um pardo ; leve igual destino,
e babel da Cruz Neves, Appellado Targinel JNada mais consta das partes boje recebi-
de Allencar Renevides Escrivo tabeilo .; se1 dos.
julgou nullo o jirocesbO.
Us Embargos de Joze Bazilio de Frenas e
Maxiiniaiiuo Francisco Duarte contra Joo
de Aemo Cisneiros na Appellaco Civel des-
ta Cidade Escrivo Bandeira ; foro recebi-
dos e reformado o Accordo embargado.
Na Appellaco Ciime desla Cidade, Ap-
pellanle a Cmara Municipal desla mesma
Cidade Appellada D. Calharina Francisca do
Espirito Sanio, Escrivo bandeira ; foi con-
firmada a senleuca icccoriida.
iario de Pe mam buco
f i A 1K A M IS-UiJO.
CaVI.MANDO DAS Al!MAS.
Expediente do da 12 do correle
Uliiciu-Ao Exm. Piesidente, commuuican-
it; Psalm. 2J. i.
CRREIO.
O Brigue Delfim recebe a malla para o Rio
de Janeiro boje 19 pelas 5 horas da tarde.
O brigue Escuna Laura 2. de que he .-Vles-
tre Luiz Ferreira da Silva Santos sai para o
laranirio no dia 20 do correle.
O Administrador Fiscal das Obras Publi-
cas aviza a todas as pessoas que tem vendi-
do materiaes e quaesque oulros gneros pa-
ra as obras da dita Repartico liajo de a-
presentar a corita do que se lhes estiver de-
vendo impreterivelmente no dia 2 do cor-
rente mez de Agosto; a fim de jioder-se cum-
i prir certa ordem do Illm. e Fxm Sur. Pre-
sidente. Adminstraco Fiscal das Obras Pu-
blica! 18 de Agosto de i4o.
A. F. de .Mema Adm, Fi*cal.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE DO
REC1FE.
1. Sesso ordinaria do dia de 5 de Junho de
1840.
Presidencia do Sur. Barros
Ccmparecero os Sis. Ros Souza Cha-
ves Olveira e Vianna ; faltando com cau-
sa os mais Senbores
Aberla a Sesso e lida a Acta da antece-
dente foi approvada.
O Secretario declarou nao liavor expedi-
ente algum.
Entrando em discusso o requerimento dos
proprietarios o Teuente Coronel Joze di Cos-
ta ebello liego Monteiro e Jeze Joaquim
Fbreia lequerendo que esta C .mar man-
daste leixdr um beco que fica entre seos
sinos na passagem da Magdalena, por ser
muito eslreilo ecbeiode immundicias e
acuitar facinorosos : deliberou a Cmara, de-
pois de ir ella mesma examinar o relerido be-
co, que o respectivo Fiscal o fizesse feixar com
lijoho conservando-se o terreno a sua dis-
posico.
O >nr. Veieador Olivcira fez o seguidle
requerimento que ficou adiado:Requeiru ,
que se petsa ao Exm. Presideuteda froviacia
autor isaeco para se conlraclar compra das
rucias Bgoaa de Antonio da Cunta boares
Como os jornaes sao os orgaos da opinido
publica necessario que alga cousa se di-
ga a respeilo dos cffeitos que nesta Provin-
cia causarad as felices noticias de ter sido oSr.
D Pedro 20 declarado em maioridade para
efleito de entrar inmediatamente como en-
trn 110 pleno exerciciode seus poderes, co-
mo Imperador Constitucional, o Defensor
Perpetuo do Brazil ; e se internamente se
fazia desnecessaria esta partecipaco, pois es-
tamos todos ao laclo da sensaco tal, qual
sentio o povo ao recebel-a exteriormente Pu-
se preciso noticiar que esta Provincia a-
preciadori da paz, e da tranquillidade pu-
blica e sob a proteceo das Auctoridades ,
queso aspira ao bem geral do Brazil res-
peitou e approvou Io feliz acontec ment.
A muito que o Brazil, caneado de sofi'rer
to continuos e Io dolorosos males, nao
tanto provenientes do Governo como artei-
rameole nos pregavaS os inimigos da ordem ,
mas segundo a nossa humilde opinio por
lerem o negocios pblicos deste linjierio cor-
rido com maiof preci,iilaco do que devia ,
e pela execranda ambico que digamos as-
>im se lem apossado d'alma e do corpo de
cei los enles felices que se julga os niorga-
dosdo lrazil, o Brazil diziamos ns es-
crutava o remedio que devia applicar a ma-
les queja iao passundo a inciiraveis. Mi-
sero Brazil I similhante corea traspassada
pela deslra rno do cacador corre por todo o
campo procurando remedio ;i iua dor ; mas
em nenhua parle o encontrara porque leva
comsrgo mesmo a causa de seu doloroso mal !
O lio de laneiro [ o Hio de Janeiro, que,
desde a nossa independencia parece ter a,
caita branca assiguada por todo o Brazil,
para por em pralica tudo quanlo querj,
crendo que aquella mo mesma que nos
havia dado a independencia e a liberdade se
tornara patriada da liberdade e da indepen-
dencia toma as armas, e obriga aoi' lm-
|)erador a abdicar a coroa en seu Augusto Fi-
Iho ; e Elle, ou para poupar o sangue Bra-
zileiro ou como dize.m alguns porque is-
lo era congruente com o seu plano, deixa as
judias da Santa Ciuz e vae. consolidar o
ilirono de sua Augusta Filiia em Portugal.
O griio de liberdaue toma a subir al as es-
trellas ; os ministros do Altissimo prostra-se
em presenca dos aliares sagrados a render as
gracas ao Deus, que empuulia os iceptros de
todas as naeOes ; e a parte sa dos Brasileiros.
(juiniaraes citas 110 l'aleo do Collegio ponsso | petar du ouvir por cune os gritos de alegra ,


DIARIO DE PRNAMSCO
fc
tos futuros gemidos dos desgranados ^ pezar
de descobrir por entre as nuvens de incens .
quesubinalo throno do 0.r.nipolcnte a-
pinhadns fl negras nuvens que promettia
a futura tempestade, comtudo respeita o
sucresso e conlenta-se com o deslino.
Que de bens se nos promellera ento De
ncssos rios rom a retirada de Pedro i, ja
nSo rorreria ap.ua mas leile e mel ; os nos-
sos campos lmviao de produzir sem enxada *
pm trabalho j os filelos de nossas arvores
nnsceria j maduros ; a Justica descea dos
Ceos ao Brazil (mas sem os olbos vendados) ;
e as Parcas de mos dadas com os destinos
immudaveis diriaaseus fuzos ; i'iae estes
seculos felices.
Falia icecla dixerunt, currite fusis
Concoides slabili fatorum numiue Parras.
Mas como passa as glorias deste mundo !
Em vez de leitu correo sangue ; os nossos
campos tem sitio talados pela guerra civil ; as
nossas lavouras queimadas ; as nossas arvores
cortadas ai nossas cass demolidas e a boa
da Astrea secundo dizem alguns jornaes e
alguns dos nossos Representantes nones es-
teve to longe do Brazil. Desde a retirada do
i" Imperador dizem filie mesmos tudo
tem ido a peior. Nenbum governo tem ag .1 -
dado todos os empregados sao ladros ; Js
defeilos fillios da bumanidade sao filhos do
coraro ; as faltas, mais leves sao culpas
imperdoave.is j em todo> os ngulos das Pro-
vincias dever-se-ia crguer a fotca [ mas so
para os que governa ] ; e se bouvesse al-
rum enviado l para o outro mundo os manes
de Pedro 1, seria inrommodados para vir de
novo regovernar-nos al mesmo por princi-
pios oppostos Conslituico que nos Elle
oereceo.
Ora, depoisde tantas queixs depoisde
tantos planos, inspirou o genio do lira/il a
alguns Brazeiros, que todos estes malease
sniiaii.io com a immediala acclamaco da mai-
oridade de S. M. I. para poder assutnir j e
j os redeas deste vasto Imperio; e as es;e-
Yanras, que estavao adiadas para o anuo de
j843, felizmente se rea I iza rao nodiav3 do
passado. Mas, para que em todas as cou-
sas deste mundo appareca ainda as mais
justas e santas as manchas da corrupto hu-
ir ana preceders a este acto feliz e glorio-
so as scenas mais revoilanies que nunca
o Brazil se lembrou de ver praticadas no re-
cinto sagrado da representado nacio-
nal. O Brazil o Brazil todo desejava ,
que fosse obrado em a na tu reza um mihgre ,
opposlo ao que pralicou Dens a favor de Jo-
su ; desejava com ancia que o sol apressas-
se a sua carreira corresse voasse mesmo
pelo zodiaco ; que a nossa existencia diminuis-
se com tanto que a idade de S M. I. aug-
mentases; mas, com que dissabor nao dis-
semos bem com que dar nao tapa Pernara-
buco osouvidos vozeria que troveja das
galaiias na Cmara dos Srs Deputados 5 com
que anciedade nao desoja elle passur a espon-
ja por essas sempre vergonhosas noticias, que
nos emitlira os jornaes da Corte! Os ho-
mens de todas as pocas os sectarios de todos
o> guvernos os polticos de todas as cores ,
esses saltirobancos esses sanculotes do
Brazil iguaes a essus ftidas e immundas
harpas roubao a decencia de um acto to sa-
grado, e dexa-nos manchada a sessao em
que tal aclj se preparava.
Diripiunt que dapes contactu que omnia
(cedan!
Immundo : >
Mas o da nao ?na to alegre se nao pre-
cedesse a escura noite ; as cores sem as som-
bras nao poderiao sobre-sabir tanto. Foi ne-
tessario que depois de tantos tumultos ,
de tantaanarebia subisse a o throno S M. I.
para por im a todos os males presentes, e
piomelter ao lirazil dia3 mais claros e bo-
jiancosos. #
A OOSM Provincia adherio a este acto, e
de crer que todas as outras o faro ; pois o
Brazil aojando cordialraeute a o Augusto
l-'ilho do creador de nossa liberdade, e de
nossa independencia deve considerar como
um favor da providencia, que o Joven Mo-
narcha suba bem que com passos, ainda
pouco Grmes ao alto e sublime solio ^ em
que primeiro se sentou seu Augusto Pae.
Bem que as suas tenras roaos mal possa sus-
tentar as duras e Huctuantes ledeas desle
vasto Imperio, cora ludo Elle tem a seu lado
Ministros venerandos, em quem nao falta sa-
ber e sobeja patriotismo.
A ora resta que o Brazil todo acabe esta
grande obra pela uuio que deve de fazer
um s todo de todas as provincias, um s cor-
p j de todos os seus babilanles CU s vontade
e todas as voutailes. Fervoroso amor a o
ftjonarcha respeito nao lisougeiro as au-
toridades constituidas, cega ubudieucu s leis,
e vigilante cuidado na escolha dos nossos Re-
presentantes f.iro todo o nosso bem. E' des-
tesRepresentantes que nos provem todo o
mal ou todo o bem : a sala.de suas sesses o
jardim de Edn.onde est plantada a arvore do
bem c do mal ; a boca d'um bom Deputado
o corno da Amntthea que derrama sobre nos
a endiente de bens e a do mo a boceta
de Pandora que nos occasiona a pest e a
morte. Na escolha dos nossos Representantes,
nao caneamos de dizel-o devemos ser pru-
dentes acautelladcs circunspectos e sabios ,
devemos tapar es ou vi Jos a os rogos e esque-
cer as amizades: favores pagaS-se rom lavo-
res ; mas nao com a infeluidade da patria,
Desenove anuos d'um governo representativo
tempo mais que bstanle para ensinar-nos a
distinguir o bom do mo Deputado' Deve-
mos eliminar de nossas listas essas sirenes ,
que encanta mas que devoran; devemos
eliminar a os ignorantes e a os anarchistas ; s
a sabedoria, e a virlude tem direito a os nos-
sos votos. Se continuar o mesmo sistema de
fia excessiva o injusta opposico a o ministe-
rio teremns de ver na forma do costume ,
esses sabios e venerandos ministros que a-
rabaS de subir ao poder acensados e vili-
pendiados como o tem sido todos os outros;
apparecer tambem outro partido ministerial .
e aqu temos continuar > da mmoralidade
Gastar-se-o dias e diaseni queslSes imitis ,
em divagacSes offensivs em apartes e re-
criminacSes ; e qneirao os Ceos que nao ve-
jamos desacreditado o governo do nosso amado
Imperador, como o tem sido o de todos os
Heneles .. e neste caso que ser do Bra-
zil ? Que ancora conservar ent3 a o abrigo
de novas tempestades a nao do estado ? IV
preciso correr um veo a lo lgubres pensa-
mentos Esse Ueus de misericordia que tem
feixadaemsua mo a sorle dos imperios nao
consentir que se anniquile o Imperio da
Santa Cruz !
Do nosso amado Imperador o Sr. D. Pe-
dro a. e do povo Brazileiro depende o porvir
bonancoso que se desoja se o povo morali-
zar os seus costumes e escolher verdadeiros
Representantes, e se S. M I. escolher sem-
pre como esperamos ministros v idiosos,
e sabios lembrando-se de que os Brasilei-
ros eslo promptos para obrar at mesmo a
itar a ultima gota de sangue por seu Impera-
dor ; porem que j mais querero ser de viz
ingratos cegos e miseros escravos.
lis sont prels tout fairc ;
Tout leur sang est vous; mais ne pretende*
pas,
Qu'en aveugles sujeta ils servent des ingrata, ^
A' pedido.
Ao Ulm. e Rvm. Sur. Miguel do Sacra-
mento Lopes Gama.
Cancao Sacra que exeruta-se no offerlo-
rioda.Missa. Poesia e Msica composta e
offerecida pelo Compositor Italiano losepli
Fachinelli na occasiao da festividade de San-
ta Cecilia. ,
s
O' que Syderas
nter spectanda Choreas
Jam bene te Ceciliam Jicere
Cecilia poles. Arcipe que leto
\!odulamur cirmina cantil
L',t quod nectareo
Fundimus ore molos.
H08 tib Virgineus ldet :
Pioh labere : florem
liunc solir Radjs ,
Que potes usque covn
Te tua esta vocanle ;
Crepitant llb) thura ,
Ti.ura per aras ; Ergoadfl
Flix sio ert ^tedies.
O' Lux Valerlanl
Virginum Matrona
Que Throno prono
IS'ostueris filij,
TeCanimus plena
Ethsrci decoris
Lumina serena
Bis con verte choi's.
Cecilia Paiens s ceh-stos
Pervenie bine sedes prestes
In Elernum decanUbo...Alleluia.
Tune Beatum
Cecile homen
ln Elernum decantabo...AUeluia.
Offerecida ao Sabio e Virtuoso O lllra.
( Rvm. Snr. Miguel do Sacramento Lupes
Gama. Por Joseph Facli netl.
os amanes de Loteras acvuprirem o< hi-lquil promptamentQ crtnxav,i;i coffl o an-
Iheles da primeira pane da 17.* Loteri do nnuciante abiixo assigfnd > e por con-ej en-
mesino S^miiniio, (eujas ro lis an Lio impre-lea OadtlUncirtte fra lefsdd de falsas infor-
terivelmente no dia 12 de 8hr") que se achaS
venda n-v Barro d > Recife, ra da Cadeia, na
loja decanbiodo Sr. Vieira ; em S. Antonio
na ru 1 do Calmg., loja do Sr. Uandeira ; na
Boa-Vista, defronte da Matriz, botica do Sr.
Joaquina. Jos Moreira.
AvHO-s D'Vfsr*
- Precisa-se coTaonar urna casa em lu
^ar que tenha banho ile rio correnti* : quem
livor ann'in'i" 011 iliri|a-se a ra do Ces na
ultima loja indo para o CoMegio, q' se llie di-
r quem nertende.
t&F Precisa-se alujar urna escrava para o
servicode urna casa de pequea familia que
saiba comprar cosinhar e ensaboar e que
seja fiel : na ra das l'lores casa D. 8 ou
annunrie por osla (billa.
C3^" Uma pessoa de reconhecida capacda-
de e fallando e escrevondo Inglez, Porlu-
guez e Francez tendo algunas 1 horas va;;as ,
cleseja ofcupa-las em guardar livros ou outro
quafcuer empreo mercantil. Quem pi-vcisar
dos servicos delle dirija-se aos Srs Joio
Carrol & Flho na Praga do Commercio que
dirao com quem devem tratar.
GT Leudo nos abaixo assignados em o Di-
ario de ia do rorrete n. i")i um annun-
ciodo Sr Padre Jos Gomes Flores, em o
qual pretende fazer srienle ao publico para
macoca, oqile fu .publico pira desvanecer
qualquer sitpp >s,- > mino I ida e rt\i'.n ta declarando igualmente que nunca tive
em vistasofTender a repuiacoa* mesma Sa-
nhora e menos se persuadid que olla fosse lo
tal coisa capaz e que as meSmas informacoi
ou SUSpeifa qu leve pasto que infundada ,
sempre lorio acerca il is escrAvos desla Sr.1.
Joo Rabello LeiteGuimarfls.
tZT A refinacoda ra de Santa Hita No
va continua como d antes a vender boat.agoas
ardentes de todas as qdalidades assint i'omi
espirito de vinh.i de ,io graos para sa dissol-
ver em essencias de todas as qualid.idcs ; e
massas para chapelleiros tudo por modicj
prego;
S3?" O abaixo asisigndo participa as S^s.
com quem tem tr.ansacSes, que do dia i5 d
correte me/, deixou de sor seo caixeiro o Sr.
Antonio Luiz oncaUes Viamia 6 por is>o
fica sem validado lodo e qtialqoer duvumeoto
t|ue passir em nome do abaixo .issgna lo.
Gabriel Antonio.
a. Precisa-se de urna ama parda ou preta
ou urna preta captiva para o servico de u u
caza de ama moca, que mon s : quem
qrtiser dirija-ie a fu do Rosario cstreita so-
brado confronte ao beca da Liraogeira al ,
segundo andar,
-----A quem Ihe faltar m prete que nd
sabe dizer quem sen seuhnr di
>r diri|a-in a
. praca da Boa-Vista I). \ lado esquerdo ,
oue ninguem faca negocio com o Sr. Joo Jos que dando us signaos conos llie ser entregue,
dos Aojos Pereira sobre a casi n. 4%";1 r" a corto de que so nio responsabilisa por qaal-
Cotovello como Inventarente dos bens do quer fuga do dito prelo.
Cazal de sua falecida mulher Mara Francisca -----Aluga-se um ne;ro para qualquer
do Rosario e pertencendo-nos esta 025a p?r servifjo nosta praga, ou mesmo pira carrejar
heranca, que houvemos da finada I). Ma-1 algum taholoiro i quem o pertender dirija-sa
rianna Gert udes Dornollas Pessoa, primeira I a ra da Prai armazem de Manuel debouzi
mulher que loi do dito Inventarente Joo Jo- | Guimares.
s dos Anjos como consta do seu testamento | iST Um rapaz brasileiro de idade de qtiin-
em que nos consltuiu herdeiros de sua mcia- ze para dezoseis anuos o'.lere e-se paracaixei-
co e cuio razal constando deduas proprie- rod loja de francesa poU j servio bastante
dados a sabor, urna olaria no logar dos Co- lempo em casa do Sur. Francisco Nunes j
elhos ,' e esta casa de que se trata foi por quem o porlender aiinuucie ou dinja-seao
nos requerida a entrega dola e feita em \i pateo de N. S. do Terco I). 4-
de Marco de ib 18, milito antes do proceder- j \^T Existe recolhido .1. casa D. i<) da ra
se a inventario dos bous desle segundo cazal do Calabouco, um moleque que se di/ia per-
perante o Jais de Paz da Roa-Vista, como dido: queai forseusenhor queira procur-
ronla do auto de posse e tendo-se inventa- lo que dando os signaos certos llie sera
riado os bens do segundo cazal, so m que entregue; pelo qud nao se respousibilisa
nelle entrasse dita casa, e feito parlilhas sem i SJ- Na tarde do dia 1 i do frrente appa-
ser ella contemplada, pois nao o poda ser I receo no sitio do Joaquim Jos do Amor.m ,
e iuh'adas por sentenca declaramos pelo umpreto, ainda bocel 1 a quem elle perten-
' ___ ..;_ _..... .......-.......'. ,i,.,.J.i ni>iiin'i une o Ik
presente que a pretenco em que estao os
Srs Padre Flores e seu irm,o Francisco Go-
mes Flores por antonomasia o Capote -
os signaos que elle
cer, se entrjala,
tem.
sT Precisa-se de um rapaz de 14 u
de com fn cilaco frivola e nulla feita ao anuos que tenha alguma prattea e loja ,
Sr Joo Jos dos Anjos emharacarem a ven- pera ir para a Parahiba : quem esliver nestas
dada dila caza a qual por nos feita que y circunstancias queira procurar a t rancisc de
tal pretencu destituida de fundamento, Silva morador na ra diCadeii do ItecKe t
que a casa nos pertence que nenbum era-
baraco ha sobre a mesm 1, e que qualquer
pode sobre ella contratar sem recelo com o
raemao Sr Joo Jos dos Anjos a quem da-
mos todos os poderes para poder dispor da dita
raza. Aconselhamos pois aos Srs. Llores,
cuiden) anlesvle iuventariarem os bens do ca-
zal de seus finados irmos Justino Gomes Fio-
Antonio Gomos Flotes e Padre Luiz
jos, Antonio uomi-s t-iuioa, e 1 adre
Gomes Flores, dosquaes o ultimo anda em
nn/c anuos oue falleceo, visto que o Estado ..
uer os seos ireitos e o Sr. Joo Jos a sua Queimadu Cadoio Rosario larga ou es-
parte como herdeiro ; dism nao cuida os Srs. Ueila paleo do Carmo ru 1 de tlortas .
o. 44
es- A pessoa que annuiiciou querer 100U
rs. a premio de a por cenlo ao mea sobre pe-
nhores dirija-se a ra Velba 4-
IZT Quem annunciou querer vender em
17 do correte um cavallo para carrinbo di-
rija-se a ra do Rosario I iiga I). J
tf Troca-se a moradia do terceiro andar
di ra doCollegio por um sobrediitha quo
lenlia quintal e que seja do um s andar,
sendo na ra de S. Francisco Cruses ,
Flores ; mas como bao de el les dar cumpri-
mento a lao.s deveres se um quer tudo re-
oul.ir pela arlo da vluzica ; e outro pelos al-
quem Ihe convier annuncte.
l^j- O:loreco-se um pardo capaz para ser-
vir urna casa ousilio ou para outro qualquer
"ul ir pela ario 'ii iu*ii.a, cuunu k""'- "---------------- 1 1
(arrabios da/, mangas de seu capote ? pois s servico semell.anle quem 0 pretender dirija-,
em taes livros acl.aro elles direito para serem I se a Roa-Vista ra da (.loria em urna casa
herdeiros de quantea multieres tiverem sido! de lampeo coulronteao Sr. Ignacio Bande.ra-
LOTEIUA DO SEMINARIO.
O Reilor do Seminario deOlmda convida
"voltare Tragedia de lauto sien. i.
casadas com o Sr. Joo Jos dos Anjos Com
a inseiso distas linhas Srs. RR., muilo 0-
brigados Ibes ficar os seus veneradores t o-
hrigados
Francisco Bernardes Pessoa,
Sebaslio Gomes de Olivcira Jnior,
Jos Elias Pessoa
Marianna Francisca Dornellas Pessoa,
Compra-se, urna escrava perilima co-
zinheira, e engoiua-Jcira, que nao tenha vi-
cio, nem molestia alguma i quem liver algu-
ma n'estas circunstancias, dirija-se a esta
Tipogiatia, que se nao deixar deazer nego-
cio pelo preco.
t^" Tendo o abaixo assignado requerido
um mandado de busca na casa da Sra. 1). Au-
na Joaquina de Suuza Magalnes moradora no
paleo de S Pedro pela supposico de que os
escravos daquella Senhora havia lido parte
e ali escondido um roubo Icilo ein sua venda
estabelecida ius lujas da r.icsma caza julga
de seu dever t .. .-i publico que nada se avbou
em din casa mas sim em poder do um es-
entro de T nenia Aotooio Vieirt C-oclho o
tST Aluga-se o a andar da caza da.ra da
Cruz 11 1 com vista para o mar e bastan-
temente fresca e por mdico preco : no i,
andar da mesma.
tST Quem quizer comprar huma venda nd
Pateo da Santa Cruz da Boa-vta em bom
lugar e com puucos fundos fasendo-se to-
do o negocio; diri|a-se a lalar cora o Sur.
Lagoacom vCud.i no atierro do mesmo Balrro.
xsyPrecisa-sc de allugar huma casa terrea
ou andar de sobrado no burro de Santo
Autono para urna pequea familia, quem
a tiver annuncie a sua inoradle- por isla
l'oiha.
#kpl Vende-se dinheiro ou a prazo com
firmas a comento as Patencias e div.las activas
da loja sita na ra Nova I). } />^-se do
ajuste no escriplorio de Adnnr "Si C ra das
Cruzas U. 11 at o dia A do corrente.
%&. Quem quisor alujar algum escravo
para trali aliar eoi qualquer servico dirija-se a
casa D. 4 no p.iteo da Kibeira ou annun-
cie para ei procurado, |is se bluga por
[111" 0 CO Bl :l I '


A
DIARIO DE
PERNAMICO
m
ara
K3B
tS^~ Precisa-se de uma pela para servir
urna osa de poma familia ; a ra larga do
lio/ario luja de miudezas D. 7.
tss~ Quera precisar de um rapaz portugus
de idade de 15 annos para eaixeiro de loja de
fazendas ou ferragens annuncie.
tsr Precisa-se de um linmem para feitor
de um engrabo distante desla praca soltei-
10 ou om poiiea familia ; no baco do peixe
frito venda I), t.
tgr Na ruada ConceicSo da Boa vista casa
dc/ronle da Igreja precisa-se de urna ama
de leile.
tjj** Precsa-se a lugar por 4 ou (j me/es,
un 5t0 pe to da praca que tenha hanho
dore OU salgado ; quem liver annuncie.
tST Quem se quiser utilisar de um pessoa
pira lecionar de primearas lelras e ltiro eni
casas particulares 011 mesmo sua annuncie.
tSf A commisso administrativa da soci-
dade Terpsichora convida a os socios a reuni-
rem-sc no dia 10 do corrale pelas (j horas c
nieia da larde.
S3T Preeisa-se alugar urna casa pequea
pata punca familia que ten ha quintal e ca-
cimba e que o seu aluguel nao exceda de
tjooo da-se o mesas amantados (m hoa
firma ; na ra do Rangel D. i,j.
s^r O abaixo assignado fai scienleao res-
peitavel publico que se retira desta provincia
e avisa a lodos os Sis. que se ulgarem seus
credoreshajode liiar suas cuntas, e irem
receher no praso de S das, e irfio o fasendo
quando o annuiici inte vollar de sua yiagem
nao dar por qualquer cotila que se Ihe a pre-
sentar assim como a todos os Sara, que Ihe
deve queiro ter a bondad* de Ihe pagar ou
na sua au/encia a seu pioctirador o Si. Anto-
nio Jos l'into Gliimares e para que nin-
guem se chame a ignorancia faz o presente an-
nuncio Bonifacio Pereira da Costa
tr secretario da sociededa Eulerpina
convida o socios da mesma a comparecerem
iioie iij (io crrenle as horas do costume .
pura a commisso administradora a lim de
oficrecerem os seus convidados para a prxi-
ma partida.
tsar A pessoa que no dia quinta feira i3
do corrate achou Jtooo^em sedlas a sa-
rente depois da proeissao do desagravo desde
a ra da S. Cruz at a de S. Gonsalo dez pan-
nos de lavarinto de menino une de esguifiu
e cu I ros de bretanha de linho una e um de
esguifio bordado um coeiro de casimira par-
do bordado com palmas e debrum de lita cor
de roza 1 emhrulhado em um lenco de sed 1
pardo com palmas grandes amarellas e ja uza-
do ; quem achou eftas pecas OU a quem
forem oerecidas d rija-sea ra de S. Gon-
salo a entregara Manuel Elias de ioura, que
ser recompensado.
e relor ) alu;a a sua excellente e muito com-
moda casa e pequeo sitio na povotcao do
poco da panela pelo icmp-j da prxima Cesta,
ou anuualmente os prelendentes dirijo-se
ao mesmo em sua casa na ra da Cuitceico
no Recite 11. a.
K^T Tahoado de pinho de muito hoa qua-
ldade Americano e da Suecia, de urna
polegada at tres por preco commodo ; no
forte do mallos rmazcm de Jos Antonio da
Silva Vi'inna.
K3- Um (excellente methodo de llanta ,
quasi novo e urna flauta branca de hornea ,
|ior preco cornmodo no Convento da Madre
de Dos na quinta cela.
xzr \ cavados novos e gordos, de bo*
nitas figuras car regadores e esquipadures :
na ra da Guia na estribara de Joao Creemer
637* Um escravo de jo anuos, de bonita
%T Urna casa terrea no hairro da Hoa vista
com 4 quartos duas salas cozinha fora ,
e quintal murado ; a tratar no atierro da
Boa vista D. i(i.
8SF* Um molequede idade de *3 annos do
gento de angola ; na ra da Conc?ico da
Boa vista armazem de sal de Joao Francisco
Reis.
\3T Na praciuha do Livramenlo D. 34 ,
um sorlimento de facas e garlos de cabo de
marfim e de osso finas e entrefinas bandejas
grandese penas finas ecnl efinas espingar-
das de espoleta a 4880 cauiveles e tesouras
figura, e tem principio de pedreiro urna finas, compassos com tira linha e canelas para
Avisos Martimos.
preta de idade de 3o annos cozinha lava
hem roupa por 35o,ooo urna negrinha e um
moleque de idade de 12 annos ; na ra de
agoas verdes casa terrea D. 37,
S35*- O trecenario de S. Francisco de Pau-
la obra ulillissima a os devotos do mesmo
Santo a 2^0 o volume
desenlio, tudo por preco commodo.
Sscravos Fu -los
Lcr ; duas de 100,000, urna de 5o,000 ,j
de 20,01.0 urna de o,000 e 6 de 1000, pois
lie de um caixeiro que por esse motivo o ser.
crdito coi re pergo por Uso r0ga o obsequio
de entregar na ra dos Quarleg na loja que
i'oidj fallecido Aroma que recebera 100000
de gratificarlo, ese fica eternamente agrade-
cido-
tsr No da 1 f do corren le desapareceo do
porto atiaz da casa da opera t uma canoa de
carieira meia aberta comossgnaes seguin-
tea ; a boca da |iroa emendada [em um pa-
nfilo e outro 111a s pequeo chegado a proa,
tem um bancogiossode vella com um chapuz
a pinho por baixo do banco, levou urna cor-
rente nova e lem um tombo de banda; quem
achou parlecipe na ra dos Ouarteis padaria
1) 5 que sera recompensado
E7 No .5. ai.da'1 do sobrado D. 8 da ra
do Queimado ha uma senhora capaz que se
propea eitsinnr meninas, ou esclavas, pri-
meiras letras contar costuradla bordar,
marcar de urna lace e ilbos fazei lavarinto ,
bordar de todas as qualidades e cortar ves-?
tidus ; assim como lambem toma qualquer
menina que more lora da praca ou escla-
va para morar na mesma casa eusinando-
llie tudo o que a cima diz ; lambem corta-se
; se faz vestidos a moda e toda a inais cos-
tura por preco commodo.
tsy O Snr. queempenhou um relogio na
casa de pasto do beio do Verginio ten ha a
bondade de o ir desempenbar no praso de 8
dias e juntamente levar a iaqurla que se Ihe
deo para concertar cujo concert ha miiilo
tempo est pago e nao o fa;en lo passara pe-
lo o descosto de ver o seu nome publicado.
tsy A pessoa que annuuciuu precisar de
100,000 a premio dirya-Ma ra do Crespo
1). 5 lado do norte que se dir.
SS?" Conlinua-se a lazer sorvetes na ra do
Arago na casa do costume e niais bebidas
de valias qualidades rom toda pe leu ao e
asseio priocipiar no dia ao do trrenle.
tS^" Airenda-se um sitio com urna das mc-
1 ores casas de campo, 110 principio da es-
Ifuda dos afflicios ; quem pretender dinja-se
a ra das larangeiras a casa da \iuva dotiiu-
giroPeixoto (jue lata negocio vautajoso.
SSSr Precisa-se alugar no hairro de S An-
tonio um sobrado de um andar com quintal
e cacimba ; quem liver annuncie,
$58" I recita-ce iio preslimo de urna pessoa
respeilaii-1 que se ache lorie em todos os
I reparaturius e que possa dispor de si todo
o nio ; annuncie sua morada para ser pro-
curada.
JPcrdco-5e na noite do u t do ioi-
PARAO MAIlANIf.AO'o Brigue Brasi-
leiro llosa segu viagcm com muita hrevi-
dade por ter grande pon ao da carga prom-
pta para Intes e passageiros para o que lem
expelientes commodos trata-se na ra da
Moeda 11 141 ou a Firmno Jos Fels da
Rosa.
PARA LISBOA at fins do corren te o
Brigue Portugus S. Joao Baptsta CapilSo
.Manuel JosdeSouza por ter a maior par-
le do seo carregamento prompto ; quem qui-
ser carregar ou ir de passagem para o que lem
ex ce! lentes commodos dirijase a os consi-
gnatarios Mendes & Oliveira na ra do
Vigario D, i5 ou ao dito Capito.
Li e i 1 o
t^F No dia 12 do corrente fugo uma es-
iva de nome Calliarina de dade de 5o
as lojas dos Sara, annos, estatura regular, tem um ferro no
Cardoso Aires na ra da cadeia do fiecife de pescococom um caJiado levou vestido de
Santos e Companhia no arco de S. Antonio > assenlo amarello e corpo branco e um pan-
de Antonio Jo; l'into no paleo do colegio no da Costa novo azul e branco duas argo-
e na praca da Independencia loja de livros las deouro as orelhas, e um panicum va-
l. 37 e 38. ao ; quem a pegar leve a prapa da lndepen-
6^s* Na ra Direita D. 2, vinho muito bom dencia n 3q que ser gratificado
a des lusloens a caada, ea garrafa a cento E5^ A seis mezes desapareceo da povoaco
e trila res, e de Lisboa mais superior a de S. Jos di coroa grande um escravo de no
mil equatro ceios e em garrafa a cento e me Agostinho de nacao angola, ollicial de
noventa reis e agoa ardenle branca a tres ferreiro estatura haixa cor preta bem
vintens a garrafa; assim romo se comprad gar- pelludo cabeca mal proporcionada, denles
rafas vasias. limados, peritas finas supou-se ter embar-
Siy Um bonito eseTnvo de nacao de ida- cado para esla Cidade onde talvez esteja oc-
de de 24 annos de bonita figura he cano- culto ou engajado em algnma ferrara a titulo
eiro e cozinha o diario de uma casa ; na de forro ; quem o pegar lave a ra dreta D.
ra estreita do Rozarlo D. 29110 terceiro an- ai por cima da botica.
d'r. ss^- No dia i5 do corrente fugio uma es-
SX7" Um escravo de nacao de dade de 20 crava de nome Joaquina de nacao aunla
anuos pouca mais ou menos ptimo para de idade de 3o annos alta secca feicoens
qualquer servico ; no beco dosirapitel D. 8, miudas rosto preto, -lem o p esquerdo mais
por intervencao do Correlor Oliveira, sexta ou na prenca de Joaqun] Francisco de -Mello grosso que o plireito por cauza de uma sicalrz
leira 31 do correle as 10 horas da man ha no | Cavaleanti. que (em no peilo da dito p e'querdo levou
63ir 5 sevados bastantes gordos; na venda vestido de chita branc com llores azues ja
ar
segundo
.. que sera recompens
Castro no da quinta fe.ra *n do corrente i aguas verdes l) j(i & No dia 3 do corrate fugio urna preta
de 2b sacas de arroz de vapor) em lotes ] por Nrtr No atierro da Boa vista loja de miude- de nome fzii.el de naeo con, de idade
cunta de quem pretencrr, no caes da alian- zas de Antonio da Silva Guimaraes IJ. iri a de 36 anuos, estatura recular chela do cor-
lega na porta do -
juim Pereira.
'tsr Que fi7em Aiexandre Mackay 65c C. ,
>r interveoc&o do Correlor Oliveira, sexta
ira n do crrenle as 10 horas da man ha no
seu armazem da ra da Cruz de porp fio de
expelientes cbapeosde seda, e castor, e de por detrs do assougue das 5 ponas. desbotado, e panno da costa : quema peA
varias outras fazendas inglezas. or Uma barretina aparentada para offi- leve a ra do Queimado tono segu'd.
%sr QueftzJofioBeraardino de Moraes e jcial de artilheria em bom uzo ; na ra de andar que ser recompensado.
Caslro no da (iniiita leira -in do corrente i aroas verde* M armazem Ue Antonio Joa- dinlieiro por preco commodo uma porco de po com bastante filia de cbelos enconse-
calcado pelo de marroquim para sen hora quencia de uma maligna que leve, levou res-
obra hespanhol a qoo rs o par ditos de du- tido uma saiade ganga azul clara sobre um
raque obra de Lisboa a 1000 de marroquim vestido de chita ja histanle uzado e panno azul
C o m p r a s
de todas as cores obra franceza 1280 o par e de quasi com o mesmo uzo esta pre'a foi escra-
seiim a tJoo de eouro de lustro 2 to, e sa- vadoUajoc Antonio Gomes Lia! e com-
patos francez de todas as cores para meninos a prada no da 1. do correte a seu rmo e pro-
b'oo o par e dilos de bezerro francez para curador Jos Gomes Lial ; levou um tabo-
ssr lscravos de ambos os exos, com of-
ficio ou siin elles ; r.a ra da seuzalla velhaa
lallar com (Vlanoel Francisco I'onles.
9 5uo lijlos de alver.aria grossa posto humen, a 22^0. bdrodo miudeza bem sonido e duas
na ra nova lo,a de freuerico Chaves 5. turnada vender fazer.da no tempo do antigo sr.
:> Poz parisienses purganltvos anlt- quem a pegar leve a ra do Amorim 'no He-
l^- Um pre'o de idade de -tu a a5 annos ,
cr uropretoeidaaedeao.aas annos ^. 1>0, parisie,l9ea pur<;anllvos anti-'quem a pegar leve a ra o^ Amorim no i
sem vicos nea, achaques e que en enda de plli,lllCS, anli-darlrosos e anli-btliosos 5 na c'le casadeS'homaz Jos da 2 e S ou
S.uIK ^nlucru0 ^ ^" & P^ da Independencia loja do Sr. Meroz, e pateo da ribeira D- que LT
^WlerSt^n;^^ Fk* aS "/ugioao dia do corread uma p,
_.-..,._____ '.i_- .- -a j. de nacao Baca de nome )omi non* I...
no
pn
meiro numero at boje : qutm liver annun-
cie.
Vendas
na o.
tSF Um
a -, na ra direila venda que
, U. 3o.
negra de angola cozinha lava e eogom-
ma ; na ra da Guia 11. 1.
L./~ Tres moradas de casas em caix&O com
C5" Historia sagrada por Roymmont, Ins- cordo e portadas de pedra as quaessapo-
trucoens para coniessores Retiro espiritual, dem levantar 3 sobrados, sitas no fim da ra
Relicario ngel i no Escudo admiravel Ins- da roda a dinbeiroou a praso com boa fir-
uccoens de cerimonas Concilios Triden t-1 na ja tratar na ra da praia armazem ao p
Parodio instruido Combate Espiritual,] do vapor.
C3* Uma cabra com cria niuito leileira ,
por preco commodo ; na ra do Livramenlo
l>. 7.
Of Urna molaiitiha que tem principio de
costura, de idade de 10 annos; na ra do
JNogueira U. 8.
kJT Um negro de nacao benguella de ida-
de de 1 t annos, e urna negrinha de dade
de 12 anuos, de nacao angola tem princi-
pios de costura na
loi de Jos Louronco
3T Una esclava creoula de idade de 16
annos, engontma liso, cose cha faz rendas,
e cozinha o diario de urna casa : na ra di-
reila IJ. so lado do Livramento.
Sr Uma ne^ra de nacao de idade de 26,
anuos boa quilandeita j na ra de agoas
verdes D. 6
tST Um escravo de nacao angola de ida-
de de 5o e lanos anuos ; na ra da penha na
primeira casa do lado esquerdo.
i~r Ciu negro perito canoeiro e ollicial
de canteo de bontU figura de naci ango-
la de idade de 28 anuos e um armazem
de sal com seus perlences e com commodos
para lamilla e quintal cum ranjo para c-
valos i as 5 ponas 2 5.
S/- Un par de caslanliolas por preco com'
modo e o 3. Milunie do Panorama do anno
de ibiy encaderuado j 'na ra doQucinta-
op luja D. ij.
prela
Baca de nome Domingas levo-
negro mocambique canoeiro vestido branco e mitro de chita amarello e
cozmhetro, e hbil para todo o servico uma panno da cosa rosto redondo n*vu peque-
no
arte de canlhocho Thesouro de meninos,
Elementos de civilidade escota de poltica ,
esrola nova despedidas do Marechal cozi-
nheiro moderno, medicina domestica de Bro-
chan stiras do Juvenal tradusidasem por-
tugus com o texto latino ao Ldo 5 na pra-
ca da Independencia loja de livros n. 17 e 38.
tSf* Um moleque de naco de idade de t(i
annos ; airas da ribeira aonde mora Jacinto
Botelho.
S_7- No armazem de mulbados D. 1 na ra
da senzala velba linbaca ebegada agora ,
muilo nova a 1 Joo cada arroba.
S_j~ Cal brama de coliicr de superior qua-
Iidade 1 a 2^4 alqueire ; t.o paleo do Car-
mol). 9 por cima do assougoe.
S33^ Uma canea de amtelo de um s p;o ,
bem coiisttuida e com bous eiicalhamcnlos
propria para abrir-se, com to palmos de
cumprido e 4 c meio de dentro a dentro, por
preco muito commodo 5 na Boa vista na ser-
rarla da ponte velba.
tly" i'utassa branca Americana e Russi-
ana a 180 a libra em barra pequeos ; no
antigo armazem (|ue fui do sal ao lado da F.r-
niida do br. Bom Jess e em casa de Luiz
GomesFerreira (k Mansfield, ou na ra do
N igaiio n. 3 defronte do Corpo Santo, e lam-
bem ba Americana em pedra, em harris gran-
des; assim tomo um touro louriuo e uuia
va a 1 pieilhil.
110 olhos pretos e alumacados den tes al-
vos tem sobre o peilo direiio esta marca
- RX cabeca pequea ps grossos, ie-u
em um p signa! de urna ferida orelhas pe-
quenas ; quem a pegar lev a ra da roda ca-
sa 23
CS** Desapareceo um escravo no dia 10 do
corrente com os signaes seguintes ; estatu-
ra regular de naci congo denles limados,
g:osso do corpo e lem uma sicalriz em cima
do peilo es.fuerdo e outra na cattella anda
sempre de brrele de ganiador (ue he no
quese oceupava ; quem o pegar leve a ra
doCabu-j loja de Juaquim Jos da Cosa,
quesera recompensado.
Moviiiieuto do Porto
NAVIOS SA11ID0S NQ DIA 18
MARU1M 5 lliate Nac. Especulador M
Aiexandre Joaquim Satrico, carga vario
gneros passageiros 2
ENTRABO NO DIA 18
RI0DEJ.\NElO} 19 dias Patacho Nac.
Paquete do Rio de 116 tonel., M. Francis-
co da bilva equip. la carga carne e
varios gneros 5 aG. A. d Barros.
SOORiVLYS (j das, Brigue Americano
Sxiellum de 195 tonel., Cap. Ctokur,
equip. 9 carga larnlia; a F. & MaasfieU
ERRATAS
No annuncio da Lotera do Seminario pu-
blicado no diario de hontem em lugar do dia
10 de Uutubro leia-se dia i de ulubro.
RbOFENA TYP.DE M. F, DE FT^itt*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5LDKM2SY_Z73G5V INGEST_TIME 2013-04-12T22:05:55Z PACKAGE AA00011611_04725
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES